Características Gerais dos Cordados (Protocordados e Vertebrados)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Características Gerais dos Cordados (Protocordados e Vertebrados)"

Transcrição

1 Características Gerais dos Cordados (Protocordados e Vertebrados) Ocorrência, em pelo menos uma fase da vida de: Tubo Neural Dorsal Notocorda Fendas Branquiais na Faringe

2 Classificação dos Cordados Cordados Protocordados Vertebrados Peixes, Anfíbios, Répteis, Aves e Mamíferos

3 Protocordados - Cordados Primitivos Dividem-se didaticamente em: Urocordados - apresentam notocorda na região caudal durante a fase larval Cefalocordados - apresentam notocorda até a fase adulta

4 Os cordados protocordados e vertebrados. Apresentam três características fundamentais no período embrionário: a notocorda, as fendas branquiais e o sistema nervoso dorsal. Estas características podem persistir no adulto. A notocorda é uma estrutura interna que serve de eixo de sustentação para o animal e que deu nome ao grupo. Ela persiste durante toda a vida dos cordados mais simples, os protocordados. Nos cordados superiores, ou vertebrados, a notocorda desaparece no fim da fase embrionária, sendo substituída pela coluna vertebral. As fendas branquiais são permanentes nos cordados aquáticos mais primitivos e, nos demais, são estruturas apenas embrionárias. O sistema nervoso dorsal que se forma nos embriões, persiste nos cordados durante toda a vida.

5 Protocordados São um grupo com poucos representantes, todos marinhos, como as ascídia e o anfioxo. Vivem no litoral, enterrados na areia ou fixos às rochas. Responda: A- Quais são as características dos cordados? B- O que é notocorda?

6 Vertebrados São o grupo mais evoluído dos cordados e apresentam todos os sistemas altamente desenvolvidos. A presença da coluna vertebral caracteriza o grupo. Compreendem peixes, anfíbios, répteis, aves e mamíferos. Responda: A- Quais os dois grupos que subdivide o filo Chordata? B O que distingue um protocordado de um vertebrado? Todos os vertebrados apresentam coluna vertebral, que é uma série de pequenos ossos articulados, as vértebras. A coluna vertebral protege o sistema nervoso, pois nela há um canal onde se localiza a medula raquidiana, que vai da parte posterior do crânio até as vértebras da região da cintura posterior.

7 Cefalocordados Notocorda na cabeça Mede Aproximadamente 5 cm. Cirros bocais. Nadadeiras dorsal, caudal e ventral. Ex: Anfioxo

8 Urocordados ou Tunicados Presença de uma substância semelhante a celulose: tunicica Isolado ou em colônia; São filtradores; Ex: ascídia; As larvas das ascídias são de vida livre.os adultos são fixos.

9 Urocordados - Ascídias

10 Urocordados - Ascídias

11 Urocordados - Ascídias Coloniais

12 Subfilo Vertebrata Classes de peixes: Classe Agnatha Classe Placodermi (extinta) Classe Acanthodii (extinta) Classe Chondrichthyes Classe Osteichthyes Classes de tetrápodos: Classe Amphibia Classe Reptilia Classe Aves Classe Mammalia

13 Subfilo Vertebrata - Classe Agnatha Peixes sem mandíbulas: Feiticeiras e lampréias Duas linhagens evolutivas distintas. Ambas são alongados, sem escamas, não possuindo tecidos duros internos são necrófagas e ectoparasitas. Cerca de 50 espécies. Dióicos, fecund. Externa c/ fase larval Feiticeira (esq.) e lampréias (dir.) parasitando peixe ósseo.

14 Subfilo Vertebrata - Classe Condrichthyes Peixes cartilaginosos Tubarões, raias e quimera; Cerca de 800 espécies; Principalmente marinhos; Presença de escamas placóides; Boca ventral com 5 fendas faríngeas; São heterotérmicos; Agilidade devido a musculatura segmentada; Ausência de bexiga natatória. ARRAIA QUIMERA TUBARÃO

15 Subfilo Vertebrata - Classe Osteichthyes Peixes ósseos : Cerca de espécies. Boca terminal c/ 4 fendas branquiais, protegidas por um opérculo; Pele c/ escamas de origem dérmica lubrificada por um muco Presença de linha lateral; Circulação fechada c/ coração: 2 cav.>1 A e 1 V Bexiga Natatória; Peixes pulmonados.

16 Subfilo Vertebrata - Classe Amphibia Amphi= dos dois lados e bios= vida Sapos, salamandras e cecílias; 4000 espécies. Ciclo de vida complexo com fase larval aquática e adulto terrestre; Pele nua, usada em trocas gasosas, hídricas e iônicas; Respiração branquial, cutânea e pulmonar; Ambientes úmidos, porém há desérticos; Pobre em queratina e alguns c/ glândulas de veneno; 2 atrios e 1 ventriculo.

17 Vertebrados - Anfíbios Anuros: sapos, rãs e perecas Urodelos: salamandras e tritões; Ápodes: cecílias e cobracegas

18 Vertebrados - Metamorfose dos Anfíbios Fecundação externa, desenv. Indireto; Diócos; Amplexo sexual; Fase larval GIRINO; A fase de IMAGO é a mais predada;

19 Subfilo Vertebrata - Classe Reptilia Cobras, largatos, jacarés, tartarugas espécies Corpo coberto por escamas Reprodução independente da água. 1 bem sucedidos em meio terrestre; Tegumento bem queratinizado(economia de água); Àc. Úrico( produto nitrogenado) Circulação: 2 A e 2 V >incompleto;

20 Introdução Os répteis incluem 4 ordens e 6500 espécies atuais. Chelonia (ou Testudines) - tartarugas e jabutis Sphenodonta (ou Rhyncocephalia) - lagarto tuatara. Squamata - cobras, lagartos e anfisbenas Crocodylia - crocodilos e jacarés. Grande parte do grupo foi extinto: 25 ordens extintas, incluindo os dinossauros.

21 Características gerais Termorregulação: Ectotérmicos - os répteis dependem de fontes externas de calor - particularmente da radiação solar (heliotérmicos). Répteis mantém a temperatura corporal próxima aos 34 o C durante seu período de atividade através de termorregulação comportamental em que controlam a quantidade de calor trocado com seu ambiente. Olho parietal (terceiro olho), presente em muitos lagartos, monitora a quantidade de radiação solar recebida.

22 Características gerais Não existem sinapomorfias que definam os répteis (grupo parafilético). O táxon Reptilia não é um clado (grupo monofilético), mas um grado (grupo com o mesmo nível de organização) intermediário entre os anfíbios e os amniotas endotérmicos (aves e mamíferos). As características consideradas típicas dos répteis, na verdade são sinapomorfias dos amniotas, várias já ultrapassadas nas aves e mamíferos: Respiração pulmonar predominante, área pulmonar ampliada e respiração cutânea pouco significante. Fertilização interna, presença de órgão copulador. Maioria ovípara; ovos amnióticos com casca. Garras nas pontas dos dedos. Cornificação da pele, com poucas glândulas mucosas. Esqueleto bem ossificado e forte e 2 vértebras sacrais para suportar a cintura pélvica. Maior atividade metabólica, com manutenção de uma temperatura córporea elevada por termorregulação. Divisão mais completa do coração, reduzindo a mistura de sangue oxigenado e não-oxigenado.

23 Vertebrados Répteis

24 Sistema Respiratório A pele escamosa seca dos répteis reduz a respiração cutânea. Aumento da superfície respiratória dos pulmões. Pulmões aspiradores ventilados por mudanças de forma e pressão na cavidade torácica. Lagartos - um dos pulmões é maior. Cobras - pulmão esquerdo reduzido ou ausente.

25 Subfilo Vertebrata - Classe Aves Linhagem que desenvolveu capacidade de vôo. Caracterizadas pelas penas espécies. Vertebrados endotérmicos. Atobá (esq.) Sula sula, ave marinha piscívora Ema (Dir.) Rhea americana ave que perdeu a capacidade de vôo

26 Diápsidas Cerca de 9000 espécies - maior classe de tetrápodes Ocorrem em todos os continentes, incluindo o litoral da Antártida, e mesmo nas ilhas mais remotas. Grupo mais especializado dos vertebrados (mais que os mamíferos) 1. vôo; 2. metabolismo alto (esforço muscular intenso); 3. temperaturas corporais elevadas; 4. sistema respiratório único (não há mistura do ar que entra com o que sai dos pulmões) O vôo apareceu cedo em sua história evolutiva, mesmo as espécies que perderam a capacidade de vôo ainda possuem muitas estruturas residuais e forte condicionamento morfológico/fisiológico. O vôo consome grande quantidade de energia. Capacidade de vôo e endotermia propiciaram altíssima mobilidade que refletiu na ampla distribuição das aves.

27 Sinapomorfias penas (presentes em alguns dinosauros?) apêndices peitorais em forma de asas (asas de pterosauros e morcegos possuem estrutura diferente). ossos pneumáticos (presentes em pterosauros). fúrcula (osso da sorte) formada pela fusão das clavículas e interclavícula. (ossos não fundidos em aves que não voam e presentes em dinosauros?)

28 Esqueleto costelas apresentam processo uncinado. esterno achatado e largo, com quilha mediana clavículas unidas formando a fúrcula ( osso-da-sorte ).

29 Vertebrados - Aves

30 Primeiras aves - Archaeopteryx lithographica Ave mais antiga conhecida. Apenas 6 indivíduos conhecidos (3 completos, 2 incompletos e 1 pena) Reconstrução artística

31 Características gerais Características ausentes nas primeiras aves: vértebras caudais fundidas (pigóstilo); mandíbulas formam um bico, sem dentes; Características ausentes em aves que não voam: Esterno grande e geralmente em forma de quilha, para inserção dos músculos peitorais. Plesiomorfias (características primitivas dos répteis): escamas córneas retidas nos pés, ovíparas. Somente um ovário e um oviduto. glândulas cutâneas ausentes (exceto uropigeana); Características derivadas (apomorfias) compartilhadas com Mamíferos: endotérmicos; vilosidades presentes no intestino delgado;

32 Subfilo Vertebrata - Classe Mammalia Mamíferos Vertebrados endotérmicos. Corpo coberto por pelos. Cerca de espécies. Golfinho, mamífero que retornou à vida aquática. Éqüidna Zaglossus bruijni, mamífero monotremado da Nova Guiné

33 18-26 ordens viventes, englobando 4629 espécies, sendo: 2015 espécies de roedores (1326 na família Muridae). 925 espécies de morcegos. Os mamíferos ocorrem naturalmente em todos continentes (inclusive o litoral da Antártida - focas) e oceanos, exceto: ilhas isoladas, regiões extremamente frias (altitudes extremamente elevadas e regiões polares). Grupo bem sucedido em diversos tipos de ambientes, sendo adaptados a diversos modos de vida: cursorial, voador, aquático e fossorial.

34 Introdução Este sucesso se deve a uma série de características: endotermia, mecanismos de retenção e dissipação de calor: presença de pêlos, glândulas cutâneas sudoríparas, cuidado parental glândulas mamárias. desenvolvimento do encéfalo, membros eficientes em posição ventral (melhor locomoção), sentidos desenvolvidos (olfato, audição e às vezes a visão), Heterodontia (melhor trituração do alimento)

35 Os mamíferos são o grupo com melhor registro fossil, devido à sua diversificação recente, grande tamanho e ossos compactos.

36 A maioria dos mamíferos tem hábitos noturnos. Habitaram os mais diversos ambientes

37 Sinapomorfias glândulas mamárias característica boa em animais vivos, difícil fossilização; pêlos boa característica em animais vivos, difícil fossilização; diafragma muscular; arco aórtico esquerdo; hemácias anucleadas; Mandíbula formada por um único osso (dentário) de cada lado. articulação dentário-esquamosal - o osso dentário (mandíbula) se articula com o esquamosal (crânio). O ossos quadrado e articular faziam a articulação crânio-mandíbula nos répteis. Ouvido médio com 3 ossos: articular (martelo), quadrado (bigorna) e estribo.

38 Vertebrados - Mamíferos

39 Vertebrados - Mamíferos

40 Vertebrados - Mamíferos

41 Vertebrados - Mamíferos

42 Vertebrados - Mamíferos

43 Vertebrados - Mamíferos

REVISÃO DO FILO DOS CORDADOS. Biologia Professora: Maria Lucia Fensterseifer

REVISÃO DO FILO DOS CORDADOS. Biologia Professora: Maria Lucia Fensterseifer REVISÃO DO FILO DOS CORDADOS Biologia Professora: Maria Lucia Fensterseifer PROTOCORDADOS NOTOCORDA TUBO NERVOSO DORSAL FENDAS FARÍNGEAS ASCÍDIA = UROCORDADO (NOTOCORDA NA CAUDA DA FASE LARVAL) ANFIOXO

Leia mais

Filo Cordado. Apostila VII Unidade 24 a Características Embrionárias: 2- Caracterização Fisiológica: Característica

Filo Cordado. Apostila VII Unidade 24 a Características Embrionárias: 2- Caracterização Fisiológica: Característica 1- Características Embrionárias: Característica Tipo Simetria* Bilateral Tecidos Eumetazoa Tecidos embrionários Triblástico Celoma Celomado Origem do celoma Enterocelomado Blastóporo Deuterostômico Metameria

Leia mais

Revisão de Ciências 3 Trimestre 7 anos. Prof. José Roberto

Revisão de Ciências 3 Trimestre 7 anos. Prof. José Roberto Revisão de Ciências 3 Trimestre 7 anos Prof. José Roberto VERTEBRADOS CARACTERÍSTICAS GERAIS Animais vertebrados são todos aqueles que possuem como caracteristica principal, uma coluna vertebral. Animais

Leia mais

AVES PROF. MARCELO MIRANDA

AVES PROF. MARCELO MIRANDA AVES Características gerais: - penas, membros anteriores modificados em asas, homeotermia(endotermia). Penas: estruturas que revestem e isolam termicamente o corpo, permitindo a manutenção da temperatura.

Leia mais

Alta capacidade de locomoção Deuterostômios com simetria pentarradial. Os equinodermos alimentam-se de pequenos animais e algas.

Alta capacidade de locomoção Deuterostômios com simetria pentarradial. Os equinodermos alimentam-se de pequenos animais e algas. Os equinodermos constituem um grupo exclusivamente marinhos, dotados de um endoesqueleto calcário muitas vezes provido de espinhos salientes. Alta capacidade de locomoção Deuterostômios com simetria pentarradial

Leia mais

Princípios de sistemática filogenética, origem dos vertebrados.

Princípios de sistemática filogenética, origem dos vertebrados. Princípios de sistemática filogenética, origem dos vertebrados. Sistemática vs Taxonomia Descrevem campos de estudo que se sobrepõem; Taxonomia Taxonomia lida com a teoria e a pratica de descrever a biodiversidade,

Leia mais

FILO CHORDATA. Anfioxo. Ascídia

FILO CHORDATA. Anfioxo. Ascídia FILOS ANIMAIS FILO CHORDATA O filo apresenta cerca de 50.000 espécies distribuídas entre protocordados e vertebrados. Protocordados cordados mais simples, pequenos e exclusivamente marinhos não são muito

Leia mais

Herpetologia Estudo dos répteis. Prof. Pablo Paim Biologia

Herpetologia Estudo dos répteis. Prof. Pablo Paim Biologia Herpetologia Estudo dos répteis Prof. Pablo Paim Biologia Atualmente segundo a SBH são descritas para o Brasil 1026 espécies de anfíbios e 760 espécies de répteis. Anfíbios 988 Anuros; 1 Caudata; 33 Gymnophionas

Leia mais

MAMÍFEROS. 15 Sistema Poliedro de Ensino Professora Giselle Cherutti

MAMÍFEROS. 15 Sistema Poliedro de Ensino Professora Giselle Cherutti MAMÍFEROS Capítulo 15 Sistema Poliedro de Ensino Professora Giselle Cherutti CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS MAMÍFEROS Aquáticos: Habitat: Mamíferos podem ser terrestres: Único mamífero que voa: Pelos Estratificada

Leia mais

Ciências 2016 Professor: Danilo Lessa Materiais: Livro e PPT

Ciências 2016 Professor: Danilo Lessa Materiais: Livro e PPT Ciências 2016 Professor: Danilo Lessa Materiais: Livro e PPT Sorriso Pensante Autor: Ivan Cabral Distribuição dos Vertebrados vs Invertebrados: 4,0% 96,0% Vertebrados Invertebrados Principais características

Leia mais

FILO CHORDATA. Cordados

FILO CHORDATA. Cordados FILO CHORDATA Cordados Cordados Notocorda Triblásticos Deuterostômios Simetria Bilateral Epineuro Celomados 2 Características presentes em todos Notocorda; Fendas na faringe; Tubo nervoso dorsal; Cauda

Leia mais

Locomoção dos animais

Locomoção dos animais Locomoção dos animais Página 42 1. A locomoção 1.1 O que é a locomoção? A locomoção é a capacidade que a maioria dos animais tem de se deslocar no meio onde vivem. Os animais estão adaptados à locomoção

Leia mais

BIOLOGIA AULA 12: ZOOLOGIA CORDADOS (Aves e mamíferos)

BIOLOGIA AULA 12: ZOOLOGIA CORDADOS (Aves e mamíferos) BIOLOGIA AULA 12: ZOOLOGIA CORDADOS (Aves e mamíferos) 1. Classe das aves Apresentam um padrão estrutural muito bem adaptado e homogêneo. São dióicos, geralmente com dimorfismo sexual, fecundação interna

Leia mais

Filos: Poríferos Cnidários Platelmintos- Nematelmintos Anelídeos Moluscos Artrópodes - Equinodermos Cordatas. Professora Débora Biologia

Filos: Poríferos Cnidários Platelmintos- Nematelmintos Anelídeos Moluscos Artrópodes - Equinodermos Cordatas. Professora Débora Biologia Filos: Poríferos Cnidários Platelmintos- Nematelmintos Anelídeos Moluscos Artrópodes - Equinodermos Cordatas Professora Débora Biologia Filo Poríferos Esponjas Filo Poríferos Características São todas

Leia mais

Trocas gasosas nos animais

Trocas gasosas nos animais Trocas gasosas nos animais Todos os seres aeróbios necessitam de um fluxo constante de oxigénio para as células e de uma remoção eficiente de dióxido de carbono formado durante a respiração. Os seres vivos

Leia mais

Trocas Gasosas em Seres Multicelulares

Trocas Gasosas em Seres Multicelulares Trocas Gasosas em Seres Multicelulares -Trocas gasosas nas plantas -Trocas gasosas nos animais Prof. Ana Rita Rainho TROCAS GASOSAS NAS PLANTAS www.biogeolearning.com 1 Trocas gasosas nas plantas Nas plantas,

Leia mais

CIÊNCIAS E PROGRAMA DE SAÚDE

CIÊNCIAS E PROGRAMA DE SAÚDE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO CIÊNCIAS E PROGRAMA DE SAÚDE 08 CEEJA MAX DADÁ GALLIZZI PRAIA GRANDE - SP 0 Intenção sem ação é ilusão. Ouse fazer e o poder lhe será dado

Leia mais

Ciências 2016 Professor: Danilo Lessa Materiais: Livro e PPT

Ciências 2016 Professor: Danilo Lessa Materiais: Livro e PPT Ciências 2016 Professor: Danilo Lessa Materiais: Livro e PPT Níquel Náusea Autor: Fernando Gonsales Distribuição dos Invertebrados: 12,3% 87,7% Como são os artrópodes: O esqueleto destes animais é externo,

Leia mais

Aula 4.4 - Os conquistadores do ambiente terrestre

Aula 4.4 - Os conquistadores do ambiente terrestre Aula 4.4 - Os conquistadores do ambiente terrestre Além do vegetais outros organismos habitavam o ambiente terrestre Organismos de corpo mole como moluscos e anelídeos Organismos com cutícula redução da

Leia mais

REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE III

REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE III REVISÃO 1 REVISÃO 2 REVISÃO 3 AULA: 18.1 REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE III 2 REVISÃO 1 REVISÃO 2 REVISÃO 3 Reino Animal 3 REVISÃO 1 REVISÃO 2 REVISÃO 3 Apesar da grande diversidade, quase todos os animais

Leia mais

01) (UFRRJ/2003) Os óvulos apresentam diferentes quantidades e distribuição do vitelo ou deutoplasma (substância de reserva).

01) (UFRRJ/2003) Os óvulos apresentam diferentes quantidades e distribuição do vitelo ou deutoplasma (substância de reserva). 01) (UFRRJ/2003) Os óvulos apresentam diferentes quantidades e distribuição do vitelo ou deutoplasma (substância de reserva). Considerando-se o vitelo das aves, podemos afirmar que, ao longo do desenvolvimento

Leia mais

Trocas Gasosas em Seres Unicelulares

Trocas Gasosas em Seres Unicelulares Trocas Gasosas em Seres Unicelulares Respiração celular Nos seres unicelulares as trocas ocorrem diretamente com o meio. Trocas Gasosas em Seres Multicelulares Trocas gasosas nas plantas Trocas gasosas

Leia mais

Tema: Gimnospermas, Angiospermas, Cordados, Anfibios e Peixes

Tema: Gimnospermas, Angiospermas, Cordados, Anfibios e Peixes SÉRIE/ANO: 2ªSérie SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR SARGENTO NADER ALVES DOS SANTOS

Leia mais

GOIÂNIA, / / PROFESSOR: Fred. Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações:

GOIÂNIA, / / PROFESSOR: Fred. Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações: GOIÂNIA, / / 2016 PROFESSOR: Fred DISCIPLINA: Biologia SÉRIE: 3º ALUNO(a): No Anhanguera você é + Enem Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações: - É fundamental

Leia mais

2012 3ª PROVA SUBSTITUTIVA de BIOLOGIA

2012 3ª PROVA SUBSTITUTIVA de BIOLOGIA COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 2012 3ª PROVA SUBSTITUTIVA de BIOLOGIA Aluno: Nº Série: 1º Turma: Data: 12/12/2012 Nota: Professor: Regina e Gabriela Valor da Prova: 65 pontos 1) Número de

Leia mais

Níveis estruturais do corpo humano

Níveis estruturais do corpo humano Níveis estruturais do corpo humano O corpo humano como um sistema aberto SISTEMA Conjunto de componentes que funcionam de forma coordenada. ISOLADO FECHADO ABERTO Não ocorrem trocas de matéria nem energia

Leia mais

Triblásticos Celomados

Triblásticos Celomados Biologia Móds. 19/20 Setor 1403 Os Cordados Prof. Rafa Características: Triblásticos Celomados ectoderme intestino mesoderme celoma cavidade corporal na mesoderme endoderme Características: Deuterostômios:

Leia mais

y Para viver, viver os seres aeróbios necessitam da entrada constante de oxigénio para as células e da eliminação eficaz do dióxido de carbono que se

y Para viver, viver os seres aeróbios necessitam da entrada constante de oxigénio para as células e da eliminação eficaz do dióxido de carbono que se Trocas gasosas nos seres multicelulares y Para viver, viver os seres aeróbios necessitam da entrada constante de oxigénio para as células e da eliminação eficaz do dióxido de carbono que se forma como

Leia mais

CLASSE CYCLOSTOMATA (AGNATHA)

CLASSE CYCLOSTOMATA (AGNATHA) CLASSE CYCLOSTOMATA (AGNATHA) - VERTEBRADOS MAIS PRIMITIVOS; - NÃO POSSUEM VÉRTEBRAS TÍPICAS, APENAS PEÇAS CARTILAGINOSAS, AOS PARES, DISPOSTAS AO LONGO DA MEDULA (NOTOCORDA); - BOCA CIRCULAR COM FUNIL

Leia mais

1. (UFMG) Todas as alternativas indicam características que podem aparecer nos. a) coração dorsal com quatro cavidades circulação aberta.

1. (UFMG) Todas as alternativas indicam características que podem aparecer nos. a) coração dorsal com quatro cavidades circulação aberta. 12. Cordados 1. (UFMG) Todas as alternativas indicam características que podem aparecer nos vertebrados, exceto: a) coração dorsal com quatro cavidades circulação aberta. b) sistema excretor com néfrons

Leia mais

Que tal estudarmos os animais jogando um jogo bem legal? Vamos lá!!!! Siga as instruções abaixo e bons estudos!!!! INSTRUÇÕES

Que tal estudarmos os animais jogando um jogo bem legal? Vamos lá!!!! Siga as instruções abaixo e bons estudos!!!! INSTRUÇÕES Atividade de Estudo - Ciências 4º ano Nome: Que tal estudarmos os animais jogando um jogo bem legal? Vamos lá!!!! Siga as instruções abaixo e bons estudos!!!! INSTRUÇÕES Durante o jogo você terá que fazer

Leia mais

Aves Prof. André R. Senna

Aves Prof. André R. Senna Aves Prof. André R. Senna 9.700 espécies Maior classe de vertebrados terrestres Apareceram apenas a cerca de 150 ma Apenas aves e morcegos podem voar Características 7 características importantes -penas

Leia mais

Filo Chordata Classe Reptilia. Prof. André R. Senna

Filo Chordata Classe Reptilia. Prof. André R. Senna Filo Chordata Classe Reptilia Prof. André R. Senna Répteis modernos Compreendem duas da três linhagens de vertebrados amnióticos Linhagens: Anapsida: Tartarugas; Diapsida: Lagartos, cobras e crocodilos.

Leia mais

Revisão de Ciências 3 Trimestre 7 anos

Revisão de Ciências 3 Trimestre 7 anos PARNAMIRIM - RN Revisão de Ciências 3 Trimestre 7 anos Prof. José Roberto E Raphaella Madruga. Nematódeo Vermes de corpo cilíndrico, coberto por cutícula. Apresentam sexos separados (dimorfismo sexual

Leia mais

AS CÉLULAS ORGANIZAM-SE EM TECIDOS

AS CÉLULAS ORGANIZAM-SE EM TECIDOS AS CÉLULAS ORGANIZAM-SE EM TECIDOS AS CÉLULAS ORGANIZAM-SE EM TECIDOS 1 AS CÉLULAS ORGANIZAM-SE EM TECIDOS Um grupamento de células diferenciadas e especializadas na execução de certa função denomina-se

Leia mais

Vivendo na Terra. Como era a Terra e quais os grupos animais viventes no momento evolutivo em que se deu a transição para o ambiente terrestre?

Vivendo na Terra. Como era a Terra e quais os grupos animais viventes no momento evolutivo em que se deu a transição para o ambiente terrestre? Vivendo na Terra Como era a Terra e quais os grupos animais viventes no momento evolutivo em que se deu a transição para o ambiente terrestre? Transição para o ambiente terrestre Peixes com características

Leia mais

Evolução e diversidade de Amphibia. Prof. André Resende de Senna

Evolução e diversidade de Amphibia. Prof. André Resende de Senna Evolução e diversidade de Amphibia Prof. André Resende de Senna Significado: Do Grego: amphi = ambos, dupla ; bios = vida. Generalidades: Sapos, salamandras e cobras-cegas; Incorretamente tidos como intermediários

Leia mais

Disciplina anterior era: INVERTEBRADOS II Conteúdo: ANNELIDA ARTHROPODA LOFOFORADOS ECHINODERMATA

Disciplina anterior era: INVERTEBRADOS II Conteúdo: ANNELIDA ARTHROPODA LOFOFORADOS ECHINODERMATA Disciplina anterior era: INVERTEBRADOS II Conteúdo: ANNELIDA ARTHROPODA LOFOFORADOS ECHINODERMATA OLIGOCHAETA Ancestral comum CLASSIFICAÇÃO TRADICIONAL ARTICULATA CORPO SEGMENTADO SISTEMA NERVOSO

Leia mais

RÉPTEIS PROF. MARCELO MIRANDA

RÉPTEIS PROF. MARCELO MIRANDA RÉPTEIS Padrões evolutivos Surgimento dos amniotas Âmnio: membrana que envolve completamente o embrião e delimita uma cavidade cheia de líquido que protege contra choques mecânicos e evita o ressecamento

Leia mais

Filo Annelida Latim annelus, pequeno anel + ida, sufixo plural

Filo Annelida Latim annelus, pequeno anel + ida, sufixo plural Filo Annelida Latim annelus, pequeno anel + ida, sufixo plural Corpo segmentado (metamerizado) em anéis. Triblásticos, celomados, protostômio. Sistema digestório completo: boca e ânus. Mais de 200.000

Leia mais

ZOOLOGIA DE VERTEBRADOS

ZOOLOGIA DE VERTEBRADOS ZOOLOGIA DE VERTEBRADOS CURSO: Ciências Biológicas 3º Ano 2º semestre 12ª Aula Répteis: diversidade e caracteres gerais (Ministrante: Profa. Dra. Virginia S. Uieda) Professores Responsáveis: Virgínia Sanches

Leia mais

GOIÂNIA, / / PROFESSOR: FreD. DISCIPLINA: Biologia TOOOP SÉRIE: 3º

GOIÂNIA, / / PROFESSOR: FreD. DISCIPLINA: Biologia TOOOP SÉRIE: 3º GOIÂNIA, / / 2015 PROFESSOR: FreD DISCIPLINA: Biologia TOOOP SÉRIE: 3º ALUNO(a): No Anhanguera você é + Enem Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações: - É fundamental

Leia mais

Ciclostomados e peixes

Ciclostomados e peixes Ciclostomados e peixes Agnatos ou ciclostomados Disponível em: . Acesso em: 17 jun. 2012. Agnatos ou ciclostomados

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO

INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO 3º EM Biologia B Pedro Verdan Av. Dissertativa 25/05/16 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO 1. Verifique, no cabeçalho desta prova, se seu nome, número e turma estão corretos.

Leia mais

Moluscos. Prof. Fernando Belan

Moluscos. Prof. Fernando Belan Moluscos Prof. Fernando Belan Características gerais Enterozoários, triblásticos, celomados, protostômios, simetri bilateral. Sistemanervoso: ganglionar cerebral, visceral e pedal. Sistema digestório completo

Leia mais

SISTEMA ESQUELÉTICO. Prof. Esp. Bruno Gonzaga

SISTEMA ESQUELÉTICO. Prof. Esp. Bruno Gonzaga SISTEMA ESQUELÉTICO Prof. Esp. Bruno Gonzaga CONSIDERAÇÕES GERAIS 2 Nosso aparelho locomotor é constituído pelos sistemas muscular, ósseo e articular. Eles possuem 656 músculos e 206 ossos e têm como função

Leia mais

ZOOLOGIA - REINO METAZOA

ZOOLOGIA - REINO METAZOA ZOOLOGIA - REINO METAZOA FILO CORDADO CARACTERÍSTICAS GERAIS O que será que caracteriza um vertebrado? Substituição da Notocorda pela Coluna Vertebral; Presença de uma cabeça definida; Presença de órgãos

Leia mais

Reino Animalia 0 (Metazoa) Filo Arthropoda. Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/

Reino Animalia 0 (Metazoa) Filo Arthropoda. Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/ Reino Animalia 0 (Metazoa) Filo Arthropoda Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/ Reino Animalia Filos: 1) Porifera; 2) Cnidaria; 3) Platyhelminthes; 4) Nematoda;

Leia mais

Animais Parte 2 (9- Cordados)

Animais Parte 2 (9- Cordados) Animais Parte 2 (9- Cordados) Os cordados são animais vertebrados, bilateralmente simétricos e o filo animal mais diverso no mundo. Todos compartilham um grupo de características derivadas, embora muitas

Leia mais

Sugestões de atividades para avaliação. Ciências 7 o ano Unidade 8

Sugestões de atividades para avaliação. Ciências 7 o ano Unidade 8 Sugestões de atividades para avaliação Ciências 7 o ano Unidade 8 5 Nome: Data: UniDaDE 8 1 Com relação às suas características gerais, podemos dizer que os vertebrados possuem exclusivamente: I. patas.

Leia mais

1. Três: cabeça, tórax e abdômen (insetos) 2. Dois: cefalotórax e abdômen (aracnídeos)

1. Três: cabeça, tórax e abdômen (insetos) 2. Dois: cefalotórax e abdômen (aracnídeos) Silvestre 1. Metâmeros bem distintos na fase larvária. 2. Nos adultos se encontram fundidos. 3. Os metâmeros podem se apresentar agrupados em três regiões distintas (insetos) ou em duas (aracnídeos). 1.

Leia mais

EDITAL DE RECUPERAÇÃO PARALELA SEMESTRAL 1º SEMESTRE/2016

EDITAL DE RECUPERAÇÃO PARALELA SEMESTRAL 1º SEMESTRE/2016 EDITAL DE RECUPERAÇÃO PARALELA SEMESTRAL 1º SEMESTRE/2016 Aluno: Ano: Professora: Disciplina: No Colégio Pentágono trabalhamos com a Recuperação Contínua e Paralela. A Recuperação Contínua ocorre durante

Leia mais

Anatomia do Sistema Tegumentar

Anatomia do Sistema Tegumentar Anatomia do Sistema Tegumentar Introdução Embriologia Muda ou Ecdise Coloração Introdução Funções da Pele Proteção mecânica contra atritos e injúrias (queratina como linha de defesa) Proteção fisiológica:

Leia mais

Filo Echinodermata (Equinodermos)

Filo Echinodermata (Equinodermos) Do grego echinos: espinhos; derma: pele. O filo possui cerca de 6000 espécies descritas, todas marinhas. Os equinodermos estão agrupados em 5 classes distintas: -Asteroidea (estrelas-do-mar) Do grego echinos:

Leia mais

ZOOLOGIA. Introdução ao Filo Chordata

ZOOLOGIA. Introdução ao Filo Chordata ZOOLOGIA Introdução ao Filo Chordata Posição no Reino Animal Pertencem ao ramo dos animais Deuterostômios Árvore Evolutiva Classificação do Filo Chordata Grupo Protochordata (Acrania) Filo Chordata Subfilo

Leia mais

BIOLOGIA. Prof. Fred CORDADOS. 1) Invertebrados. 1.A) Subfilo Urocordata ou tunicados. Ex: Ascidia. 1.B) Subfilo Cefalocordata. Ex. Anfioxo.

BIOLOGIA. Prof. Fred CORDADOS. 1) Invertebrados. 1.A) Subfilo Urocordata ou tunicados. Ex: Ascidia. 1.B) Subfilo Cefalocordata. Ex. Anfioxo. BIOLOGIA Prof. Fred CORDADOS 1) Invertebrados. 1.A) Subfilo Urocordata ou tunicados. Ex: Ascidia. 1.B) Subfilo Cefalocordata. Ex. Anfioxo. 2) Vertebrados 2) Sibfilo Vertebrata (EUCORDATAS). 2.A) Superclasse

Leia mais

BIOLOGIA Diversidade da Vida Exercícios complementares Répteis, aves e mamíferos

BIOLOGIA Diversidade da Vida Exercícios complementares Répteis, aves e mamíferos 1. (UECE) Analise as afirmações abaixo, classificando-as em verdadeiras (V) ou falsas F. ( ) Nos mamíferos o coração encontra-se dividido em quatro cavidades: dois átrios e dois ventrículos. Desta forma,

Leia mais

NOÇÕES DO SISTEMA ESQUELÉTICO OU

NOÇÕES DO SISTEMA ESQUELÉTICO OU NOÇÕES DO SISTEMA ESQUELÉTICO OU SISTEMA LOCOMOTOR OBJETIVOS Identificar as estruturas e funções dos ossos do sistema locomotor; Analisar a importância deste sistema para processo de movimentação e locomoção;

Leia mais

UNIDADE - I. Aparecida de Goiânia, / /2016. Aluno(a): Série: 7º Ano Turno: Matutino Professor (a): Lindinaldo

UNIDADE - I. Aparecida de Goiânia, / /2016. Aluno(a): Série: 7º Ano Turno: Matutino Professor (a): Lindinaldo UNIDADE - I Aparecida de Goiânia, / /2016. Aluno(a): Série: 7º Ano Turno: Matutino Professor (a): Lindinaldo Trabalho de Recuperação - Ciências Valor: 4,0 (Quatro) pontos 1. Leia as frases a seguir e analise-as

Leia mais

Prof. Valdiran Wanderley de Souza Prof. Marcelo Siqueira de Araújo

Prof. Valdiran Wanderley de Souza Prof. Marcelo Siqueira de Araújo Prof. Valdiran Wanderley de Souza Prof. Marcelo Siqueira de Araújo LÂMINA D Kiwi Temperatura Endotérmicos Desenvolvimento Ovíparos (botam ovos) Anexos Embrionários Saco vitelínico; cório, âmnio, alantóide

Leia mais

O sistema respiratório

O sistema respiratório T5 Texto de apoio ao professor Sistema respiratório O sistema respiratório Movimentos respiratórios Nesta aula será introduzido o sistema respiratório, focando a sua importância, e as características e

Leia mais

Biologia. Rubens Oda e Alexandre Bandeira (Helio Fresta) Evolução

Biologia. Rubens Oda e Alexandre Bandeira (Helio Fresta) Evolução Evolução Evolução 1. A ema (Rhea americana), o avestruz (Struthio camelus) e o emu (Dromaius novaehollandiae) são aves que não voam e que compartilham entre si um ancestral comum mais recente que aquele

Leia mais

OS TECIDOS PROF LUIS BRUNO

OS TECIDOS PROF LUIS BRUNO OS TECIDOS PROF.: LUIS BRUNO HISTOLOGIA E TECIDOS Histologia (do grego hystos = tecido + logos = estudo) é o estudo dos tecidos biológicos, sua formação, estrutura e função. Tecidos, é um conjunto de células

Leia mais

Curso de Formação Profissional em Primeiros Socorros. Curso de Formação Profissional em Primeiros Socorros

Curso de Formação Profissional em Primeiros Socorros. Curso de Formação Profissional em Primeiros Socorros Curso de Formação Profissional em Primeiros Socorros Formador Credenciado Eng. Paulo Resende Dezembro de 2013 Anatomia e fisiologia do corpo humano OBJETIVOS Caracterizar os diversos sistemas que constituem

Leia mais

SISTEMA ESQUELÉTICO. O sistema esquelético é composto de ossos e cartilagens.

SISTEMA ESQUELÉTICO. O sistema esquelético é composto de ossos e cartilagens. SISTEMA ESQUELÉTICO Conceito de Sistema Esquelético O sistema esquelético é composto de ossos e cartilagens. Conceito de Ossos: Ossos são órgãos esbranquiçados, muito duros, que unindos-se aos outros,

Leia mais

Exercícios de Moluscos a Equinodermos

Exercícios de Moluscos a Equinodermos Exercícios de Moluscos a Equinodermos Material de apoio do Extensivo 1. Que diferença característica permite considerar os moluscos mais complexos que os cnidários? a) Os cnidários apresentam apenas reprodução

Leia mais

Controla funções orgânicas e é responsável pela interação do animal com o meio ambiente.

Controla funções orgânicas e é responsável pela interação do animal com o meio ambiente. Sistema Nervoso Controla funções orgânicas e é responsável pela interação do animal com o meio ambiente. Muitas funções dependem da vontade e muitas são inconscientes. Divisão Sistema Nervoso Central constituído

Leia mais

SISTEMA ESQUELÉTICO. Curso Técnico em Estética Bruna Cristina Jaboinski Silva

SISTEMA ESQUELÉTICO. Curso Técnico em Estética Bruna Cristina Jaboinski Silva SISTEMA ESQUELÉTICO Curso Técnico em Estética Bruna Cristina Jaboinski Silva O ESQUELETO HUMANO Além de dar sustentação ao corpo, o esqueleto protege os órgãos internos e fornece pontos de apoio para a

Leia mais

A origem do nome réptil (do latim, reptare = rastejar) deve-se ao modo de locomoção desses animais: possuem quatro pernas (exceto as cobras), cinco

A origem do nome réptil (do latim, reptare = rastejar) deve-se ao modo de locomoção desses animais: possuem quatro pernas (exceto as cobras), cinco CLASSE DOS RÉPTEIS A origem do nome réptil (do latim, reptare = rastejar) deve-se ao modo de locomoção desses animais: possuem quatro pernas (exceto as cobras), cinco dedos com unhas e suportam o corpo

Leia mais

COLÉGIO EQUIPE DE JUIZ DE FORA. Listão de Férias ano

COLÉGIO EQUIPE DE JUIZ DE FORA. Listão de Férias ano Listão de Férias 2016 8 ano 1) Indique a alternativa que não apresenta informações corretas sobre o sistema urinário humano. a) A filtração do sangue ocorre em uma estrutura chamada néfron. b) O sistema

Leia mais

UFSC. Resposta: = 24. Comentário

UFSC. Resposta: = 24. Comentário Resposta: 08 + 16 = 24 01. Incorreta. Existem nítidas variações nos índices pluviométricos entre as quatro regiões. 02. Incorreta. Bagé apresenta a distribuição pluviométrica mais regular entre todas.

Leia mais

NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO DOS SERES VIVOS E PRINCIPAIS TIPOS DE TECIDOS

NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO DOS SERES VIVOS E PRINCIPAIS TIPOS DE TECIDOS NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO DOS SERES VIVOS E PRINCIPAIS TIPOS DE TECIDOS Profª MSc Monyke Lucena Átomos Compostos químicos Célula Tecidos Órgão Sistema Organismo Os animais apresentam diferentes tipos de tecidos,

Leia mais

CEF Tratamento de Animais em Cativeiro 9º F. Higiene e Nutrição Animal

CEF Tratamento de Animais em Cativeiro 9º F. Higiene e Nutrição Animal Aves As aves são animais endotérmicos, que produzem seu próprio calor, e são homeotérmicas, capazes de manter esta temperatura de certa forma alta e constante, com certo grau de oscilação diária, conforme

Leia mais

Sistema Esquelético. Msc. Luiz Paulo Castro

Sistema Esquelético. Msc. Luiz Paulo Castro Sistema Esquelético Msc. Luiz Paulo Castro Característica básica dos vertebrados (Endoesqueleto) Funções básicas: Sustentação e movimento Proteção mecânica Estocagem mineral Produção de células sanguíneas

Leia mais

FISIOLOGIA HUMANA UNIDADE V: SISTEMA RESPIRATÓRIO

FISIOLOGIA HUMANA UNIDADE V: SISTEMA RESPIRATÓRIO FISIOLOGIA HUMANA UNIDADE V: SISTEMA RESPIRATÓRIO Funções Troca de gases com o ar atmosférico; Manutenção da concentração de oxigênio; Eliminação da concentração de dióxido de carbônico; Regulação da ventilação.

Leia mais

Flávio Oliveira Higino Email: fohigino@gmail.com

Flávio Oliveira Higino Email: fohigino@gmail.com Flávio Oliveira Higino Email: fohigino@gmail.com O filo é dividido em três classes: Turbelários: Planária (VIDA LIVRE) Trematódeos: Schistosoma sp (PARASITAS) Cestódeos: Taenia sp (PARASITAS) Corpo achatado

Leia mais

Os Répteis. Capítulo 13- Sistema Poliedro de Ensino Professora Giselle Cherutti

Os Répteis. Capítulo 13- Sistema Poliedro de Ensino Professora Giselle Cherutti Os Répteis Capítulo 13- Sistema Poliedro de Ensino Professora Giselle Cherutti Evolução dos Répteis Origem do latim Reptilis = que se rasteja A conquista do meio terrestre Surgiram a cerca de 300 milhões

Leia mais

Módulo 3: EVIDÊNCIAS DA EVOLUÇÃO BIOLÓGICA. Profa. Ângela Dauch

Módulo 3: EVIDÊNCIAS DA EVOLUÇÃO BIOLÓGICA. Profa. Ângela Dauch Módulo 3: EVIDÊNCIAS DA EVOLUÇÃO BIOLÓGICA Profa. Ângela Dauch O conceito de evolução biológica Todos os seres vivos do planeta descendem de organismos muito simples, que surgiram há mais de 3 bilhões

Leia mais

RECEPTORES QUÍMICOS E OLFATÓRIOS

RECEPTORES QUÍMICOS E OLFATÓRIOS SISTEMA SENSORIAL PEIXES A visão dos vertebrados terrestres depende de lentes planas e flexíveis; Os vertebrados aquáticos dependem de lentes esféricas, menos flexíveis, com um alto poder de refração.

Leia mais

Curso Wellington Biologia Reino Animal Cordados- Aves- Prof Hilton Franco

Curso Wellington Biologia Reino Animal Cordados- Aves- Prof Hilton Franco 1. É engraçado pensar em um tordo empoleirado nas costas de um Velociraptor ou um pato nadando ao lado de um Spinosaurus. (DYKE, 2010, p. 59). A ilustração apresenta duas concepções sobre a origem das

Leia mais

O REGISTRO FÓSSIL E O NEODARWINISMO

O REGISTRO FÓSSIL E O NEODARWINISMO VI Seminário - A Filosofia das Origens Campina Grande, PB - Outubro de 2008 O REGISTRO FÓSSIL E O NEODARWINISMO Marcos Natal de Souza Costa UNASP-SP Pressupostos básicos do Neodarwinismo A evolução é um

Leia mais

ACERVO DIGITAL FASE II. Embriologia I GALINHA. Lâmina F3-01. Tempo do desenvolvimento 24h em corte transversal

ACERVO DIGITAL FASE II. Embriologia I GALINHA. Lâmina F3-01. Tempo do desenvolvimento 24h em corte transversal ACERVO DIGITAL FASE II Embriologia I GALINHA Lâmina F3-01 Tempo do desenvolvimento 24h em corte transversal de 100x: É possível observar-se os três folhetos embrionários, ectoderme, mesoderme e endoderme

Leia mais

Oi pessoal dos 8 os anos, estão com saudade das atividades escolares? Pois bem, precisamos dar seqüência aos estudos e, na volta às aulas, no dia 17,

Oi pessoal dos 8 os anos, estão com saudade das atividades escolares? Pois bem, precisamos dar seqüência aos estudos e, na volta às aulas, no dia 17, Oi pessoal dos 8 os anos, estão com saudade das atividades escolares? Pois bem, precisamos dar seqüência aos estudos e, na volta às aulas, no dia 17, algumas atividades devem estar prontas. Mas antes de

Leia mais

Agnatha Prof. Dr. Carlos Eduardo L. Ferreira

Agnatha Prof. Dr. Carlos Eduardo L. Ferreira Agnatha Prof. Dr. Carlos Eduardo L. Ferreira Diversidade dos Vertebrados O nosso atual conhecimento da filogenia dos vertebrados é baseado em evidências anatômicas, moleculares e fósseis. Na base estão

Leia mais

FILO CHORDATA CEPHALOCHORDATA VERTEBRATA CYCLOSTOMATA P. CARTILAGINOSOS P. ÓSSEOS AMPHIBIA REPTILIA AVES MAMMALIA

FILO CHORDATA CEPHALOCHORDATA VERTEBRATA CYCLOSTOMATA P. CARTILAGINOSOS P. ÓSSEOS AMPHIBIA REPTILIA AVES MAMMALIA CLASSE REPTILIA FILO CHORDATA SUBFILOS: UROCHORDATA CEPHALOCHORDATA VERTEBRATA CYCLOSTOMATA P. CARTILAGINOSOS P. ÓSSEOS AMPHIBIA REPTILIA AVES MAMMALIA PRIMEIROS RÉPTEIS SURGIRAM HÁ: 300 MILHÕES DE ANOS

Leia mais

FILO ARTHROPODA - INTRODUÇÃO

FILO ARTHROPODA - INTRODUÇÃO Entomologia Entomologia veterinária: é o estudo de insetos de importância veterinária, num sentido mais amplo que engloba inclusive os aracnídeos (carrapatos e ácaros). Filo Arthropoda O filo arthropoda

Leia mais

Corpo Esses animais têm um corpo mole e não segmentado, muitas vezes dividido em cabeça (com os órgãos dos sentidos), um pé muscular e um manto que protege uma parte do corpo e que muitas vezes secreta

Leia mais

Curso Wellington - Biologia - Reino Animal - Cordados - Anfíbios Prof Hilton Franco

Curso Wellington - Biologia - Reino Animal - Cordados - Anfíbios Prof Hilton Franco 1. Os anfíbios são animais extremamente dependentes do ambiente aquático, em especial, na fase reprodutiva. Sobre a reprodução desses animais, assinale o que for correto. 01) Seus ovos sem casca, apenas

Leia mais

Vertebrados. Classe dos Peixes

Vertebrados. Classe dos Peixes Vertebrados Os animais vertebrados, pertencentes ao reino animal e ao filo chordata, são animais que possuem vértebras, ou seja, os ossos que compõem a coluna vertebral. Importante salientar que nem todos

Leia mais

SISTEMA CARDIOVASCULAR. Prof. Jair

SISTEMA CARDIOVASCULAR. Prof. Jair SISTEMA CARDIOVASCULAR Prof. Jair FUNÇÕES Transporte de gases dos pulmões aos tecidos e dos tecidos aos pulmões Transporte dos nutrientes das vias digestivas aos tecidos Transporte de toxinas Distribuição

Leia mais

REPTILIA: LEPIDOSAUROMORPHA

REPTILIA: LEPIDOSAUROMORPHA Amphibia e a origem dos Amniota: O primeiro passo (literalmente) em direção à conquista do ambiente terrestre, tema recorrente ao introduzirmos os répteis, foi dada pelos anfíbios, os primeiros Tetrapoda.

Leia mais

Da água para a terra com sucesso Os Anfíbios

Da água para a terra com sucesso Os Anfíbios Disciplina: Ciências Série: 6ª - 3º BIMESTRE Professor: Ivone Azevedo da Fonseca Assunto: Anfíbios e Répteis Da água para a terra com sucesso Os Anfíbios Anfíbio é um termo que significa vida dupla, ou

Leia mais

truta - sapos - rãs - tartaruga - serpente - garça - andorinha - morcego - macaco

truta - sapos - rãs - tartaruga - serpente - garça - andorinha - morcego - macaco PROFESSOR: EQUIPE DE CIÊNCIAS BANCO DE QUESTÕES - CIÊNCIAS 3º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ========================================================================== 01- Marque com um (X) a(s) alternativa(s)

Leia mais

OSTEOLOGIA PRISCILA GOMES

OSTEOLOGIA  PRISCILA GOMES OSTEOLOGIA www.nomeiodaterra.com biologia.psilva@gmail.com PRISCILA GOMES Introdução a Osteologia A anatomia é a união das classificações, e descrições das estruturas e órgãos do corpo humano, que em contrapartida

Leia mais

Aula 4 Os animais. Os seres vivos são classificados nos Reinos:

Aula 4 Os animais. Os seres vivos são classificados nos Reinos: Aula 4 Os animais Os seres vivos apresentam uma diversidade muito grande; a cada ano, novas espécies vêm sendo descritas. Fica compreensível a necessidade de um sistema de classificação para a organização

Leia mais

Características Gerais dos Seres Vivos, Reino Vegetal, Fungos, Protoctistas e Monera

Características Gerais dos Seres Vivos, Reino Vegetal, Fungos, Protoctistas e Monera Características Gerais dos Seres Vivos, Reino Vegetal, Fungos, Protoctistas e Monera Características Gerais dos Seres Vivos, Reino Vegetal, Fungos, Protoctistas e Monera 1. A figura apresenta uma proposta

Leia mais

BIOLOGIA AULA 11: ZOOLOGIA EQUINODERMOS; CORDADOS

BIOLOGIA AULA 11: ZOOLOGIA EQUINODERMOS; CORDADOS BIOLOGIA AULA 11: ZOOLOGIA EQUINODERMOS; CORDADOS FILO DOS EQUINODERMOS Os equinodermos (do grego echinos: espinhos; derma: pele) constituem um grupo de animais exclusivamente marinhos, dotados de um endoesqueleto

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO FINAL 2013 BIOLOGIA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO FINAL 2013 BIOLOGIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO FINAL 2013 BIOLOGIA Série: 2ª EM Disciplina: Biologia Professor (a): Bernardo Grieco Aluno (a): Caro (a) aluno (a), O roteiro de recuperação abrange todo conteúdo trabalhado ao longo

Leia mais

Texto Base: Aula 19 Linhagens de Organismos Metazoários 3

Texto Base: Aula 19 Linhagens de Organismos Metazoários 3 Texto Base: Aula 19 Linhagens de Organismos Metazoários 3 João Miguel de Matos Nogueira 1. Deuterostomia Os deuterostômios são definidos como animais em que o blastóporo origina o ânus, durante o desenvolvimento

Leia mais