I MAIO NOTAS PARA A INTERVENÇÃO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "I MAIO NOTAS PARA A INTERVENÇÃO"

Transcrição

1 I MAIO NOTAS PARA A INTERVENÇÃO Caras e caros Companheiros e Amigos Aqui, somos muitos, muitos mil para dizer ao País que os trabalhadores estão mobilizados na defesa de um PAÍS PROGRESSO ECONÓMICO E SOCIAL DEFESA DO EMPREGO COM O ESTADO SOCIAL DEFESA DO TRABALHO DIGNO E DOS MAIS DESFAVORECIDOS TRÊS REFERÊNCIAS ESPECIAIS 1. UMA SAUDAÇÃO ÀS MÃES As mães e em particular às mães trabalhadoras, neste DIA DA MÃE. Tem havido avanços nas licenças parentais e nos apoios à infância (como são as creches). Mas persistem muitas discriminações contra as mulheres no Trabalho e no Emprego. 2. UMA PALAVRA DE SOLIDARIDADE COM OS DESEMPREGADOS Solidariedade com todos os desempregados, vítimas pobreza e exclusão. Com todos aqueles que tem Salários e Pensões Baixos, que não atingem os mínimos admissíveis. Solidariedade com os que, trabalhando, sofrem a Insegurança no Emprego. 3. SOLIDARIDADE COM OS JOVENS A UGT manifesta a sua Solidariedade com os jovens deste país, aqui bem representados. Jovens que receiam pelo futuro que estando na Escola sentem cada vez mais dificuldades em entrar no Mercado de Trabalho. Mas também com todos aqueles que hoje estão desempregados ou sujeitos a uma precariedade insustentável. O Papel do Movimento Sindical é Fundamental Direito de todos a uma vida com dignidade Combate às desigualdades sociais Combate ao desemprego 1

2 I de MAIO OCORRE NUM MOMENTO PARTICULARMENTE DIFÍCIL: Negociações com a TROIKA Com eleições legislativas à vista Negociações com a TROIKA UE/BCE/FMI Sempre dissemos não ao FMI Infelizmente fomos conduzidos a este pedido de ajuda externa: 1. Crise 2. Incapacidade UE resposta à crise quer a nível do combate à especulação financeira 3. Erros políticos e na condução das politicas Pedido Ajuda Financeira a) Apesar todos sacrifícios realizadas - Vão ser exigidos mais sacrifícios - Vão impor-nos condições para conceder emprego os fundos necessários. A UGT sempre considerou que neste momento e nestas condições em que estamos, é indispensável: - Redução défice - Diminuição dos desequilíbrios das contas externas e tal exige sacrifícios. Mas não podemos aceitar quaisquer condições quaisquer sacrifícios O Governo será responsabilizado por maus acordos Não pode haver cedências com políticas de desregulação social 2

3 Condições claras para a UGT 1. Respeito integral pela nossa Constituição da República em vigor 2. Respeito integral pelo Acordo Tripartido Competitividade e Emprego - Acordos são para cumprir - Foi celebrado pelo Governo da Nação e por isso vincula o actual e futuro Governos 3. Respeito pelo direito à negociação colectiva, que é um direito Constitucional exclusivo dos Sindicatos NÃO ACEITAREMOS 1. Que se ponha em causa o 13º /14º mês salários e pensões, a qualquer título; 2. Qualquer redução do salário mínimo e que tal como previsto no respectivo Acordo não se avalie a situação tendo em vista o seu aumento 3. Redução dos Direitos adquiridos pelos trabalhadores no activo 4. Ponha em causa o Emprego Público 5. Ponha em causa o Estado Social UGT EXIGE 1. Combate DESIGUALDADES Sacrifícios sejam sobretudo exigidos a quem mais pode - Dividendos elevados - Salários milionários - Pensões milionárias 2. Promova a Regulação Efectiva do Sector Financeiro - Combate à especulação - Paraísos Fiscais - Taxa sobre Operações Financeiras Especulativas 4. Combate à Economia Clandestina e à Fraude Fiscal UGT BATER-SE-À - Pelo aumento dos Salários e Pensões Particular atenção aos mais baixos - Contra a Precariedade Laboral Sobretudo dos Jovens 3

4 - Contra as Discriminações Mulheres, trabalhadores imigrantes, deficientes, trabalhadores mais idosos - Por Acordos de Negociação Colectiva e Concertação e pelo respeito pelos mesmos - Pela criação e manutenção dos postos de trabalho ESTADO SOCIAL sob um grande ataque Educação Saúde Segurança Social Base pública, Universal e garante da Igualdade de Oportunidades Mais do que nunca mais e melhor Educação Saúde Protecção Social Progressos alcançados não podem ser postos em causa Necessidade de melhor gestão da Administração Pública tem que significar diálogo negociação e não burocracia e desresponsabilização Também SEE /Privatizações - Garantia do Emprego UGT reafirma que não tem uma posição ideológica contra a privatização de empresas Exige manutenção da qualidade do sector público Bater-se-à contra venda ao desbarato Contra Despedimentos 4

5 Orgulho Portugal de Abril Democracia e Liberdade reconquistados Progresso Económico e Social Não aceitamos o branqueamento da ditadura que traduziu atraso e exploração Ontem encontrei reformado: Começou a trabalhar aos 7 anos Aprendeu as primeiras letras no Serviço Militar Muitas e muitas vezes não havia em casa nada para comer Manifestou-me a sua indignação perante os elogios a Salazar Saneamento das Finanças Públicas não é tudo Precisamos de Crescimento e Emprego Desenvolvimento do Sector Produtivo Investimento Público e Privado Competitividade das Empresas assente na qualidade, na inovação, na qualificação, e não nos baixos Salários Precisamos Politicas Públicas Boas Empresas Que promovam Pólos de Desenvolvimento Regional e Sectorial Que incentivem bons empregos que investem e criam emprego em Portugal e combatam a violação da lei, a corrupção e a especulação Só com Crescimento combateremos Desequilíbrios Financeiros Politicas Activas de Emprego Politicas de Formação que promovam Qualificação Profissional Requalificações Profissionais 5

6 Mais do que nunca - Cidadãos tem direito a um Mínimo de Rendimento - Trabalhadores tem direito a subsidio desemprego quando desempregado Direito ao subsidio não significa direito a estar desempregado havendo condições para ter emprego Reforço da Empregabilidade Empreendedorismo Próximas Eleições a) Compromissos Eleitorais Claros b) No respeito pelo Voto dos Cidadãos Governo Maioria Governo Preocupado com as Pessoas Governo que Combata as desigualdades e o desemprego Mais diálogo e negociação e não a luta pela luta Não hesitaremos recorrer à luta para garantir o respeito pelos direitos Com a CES e a CSI bater-nos-emos por uma globalização diferente e por uma EU de Progresso Económico e Social. Nosso País confrontado hoje com uma opção clara: Vencer a crise com Coesão Económica, Social e territorial Aprofundar a crise com Conflitualidade Social 6

7 Mas que fique claro A UGT e os seus Sindicatos recorrerão às formas de luta adequadas na defesa da criação e manutenção dos postos de trabalho, defesa da negociação e do diálogo social, contra as desigualdades e a injustiça social. Aqui dizemos claramente aos trabalhadores que podem confiar na UGT e nos seus Sindicatos na defesa dos seus interesses. Dizemos ao Governo, Partidos e Instituições Democráticas que todos temos que assumir as nossas responsabilidades. JUNTOS SOMOS MAIS FORTES JUNTOS VAMOS VENCER VIVA O Iº DE MAIO VIVA A UGT VIVA PORTUGAL Lisboa, 1 de Maio de 2011 João Proença Secretário Geral 7

RESOLUÇÃO DO SECRETARIADO NACIONAL

RESOLUÇÃO DO SECRETARIADO NACIONAL RESOLUÇÃO DO SECRETARIADO NACIONAL 1. Uma Situação Preocupante O nosso País tem tido um crescimento económico inferior à média da União Europeia desde 2002. Seis anos continuados de crise económica fizeram

Leia mais

RESOLUÇÃO UGT REIVINDICA DIMENSÃO SOCIAL NO PROGRAMA DE GOVERNO

RESOLUÇÃO UGT REIVINDICA DIMENSÃO SOCIAL NO PROGRAMA DE GOVERNO RESOLUÇÃO UGT REIVINDICA DIMENSÃO SOCIAL NO PROGRAMA DE GOVERNO As eleições legislativas, ao darem maioria absoluta ao Partido Socialista, criaram condições de estabilidade e governabilidade. O Governo

Leia mais

Resolução VENCER AS DIFICULDADES COM COESÃO ECONÓMICA E SOCIAL. Cumprir os Compromissos Internacionais com preocupação social

Resolução VENCER AS DIFICULDADES COM COESÃO ECONÓMICA E SOCIAL. Cumprir os Compromissos Internacionais com preocupação social Resolução VENCER AS DIFICULDADES COM COESÃO ECONÓMICA E SOCIAL O novo Governo entra agora em plenitude de funções, com um Programa de Governo e a necessidade de cumprir os compromissos do País perante

Leia mais

POSIÇÃO DA UGT SOBRE O QUESTIONÁRIO FUNDOS EUROPEUS ESTRUTURAIS E DE INVESTIMENTO

POSIÇÃO DA UGT SOBRE O QUESTIONÁRIO FUNDOS EUROPEUS ESTRUTURAIS E DE INVESTIMENTO POSIÇÃO DA UGT SOBRE O QUESTIONÁRIO FUNDOS EUROPEUS ESTRUTURAIS E DE INVESTIMENTO 2014-2020 A UGT deve, antes de mais, assinalar que o questionário apresentado se torna de difícil resposta num contexto

Leia mais

UGT contra a Proposta de Orçamento do Estado para 2013

UGT contra a Proposta de Orçamento do Estado para 2013 UGT contra a Proposta de Orçamento do Estado para 2013 1. Na Generalidade A UGT manifesta a sua rejeição da Proposta de Orçamento de 2013, que vai agravar a pobreza, aumentar o desemprego e as desigualdades

Leia mais

O COMBATE À POBREZA E ÀS DESIGUALDADES É UM DESAFIO IMEDIATO PARA PORTUGAL

O COMBATE À POBREZA E ÀS DESIGUALDADES É UM DESAFIO IMEDIATO PARA PORTUGAL O COMBATE À POBREZA E ÀS DESIGUALDADES É UM DESAFIO IMEDIATO PARA PORTUGAL I. ENQUADRAMENTO A pobreza e a desigualdade na distribuição de rendimentos são problemas que persistem na sociedade portuguesa,

Leia mais

Uma estratégia para as pessoas e para o planeta: assegurando uma transição justa para empregos verdes dignos?

Uma estratégia para as pessoas e para o planeta: assegurando uma transição justa para empregos verdes dignos? Uma estratégia para as pessoas e para o planeta: assegurando uma transição justa para empregos verdes dignos? Judith Kirton-Darling Secretária Confederal da CES A actual situação é insustentável Socialmente:

Leia mais

TEMA 3 TRABALHO DESIGUAL? NOVAS FORMAS DE DESIGUALDADE E A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO

TEMA 3 TRABALHO DESIGUAL? NOVAS FORMAS DE DESIGUALDADE E A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO TEMA 3 TRABALHO DESIGUAL? NOVAS FORMAS DE DESIGUALDADE E A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO O TRABALHO DIGNO, A JUSTIÇA SOCIAL E O FUTURO DO TRABALHO OIT: MISSÃO Desenvolve o seu trabalho no âmbito da redução da

Leia mais

27 de junho de Domingos Lopes

27 de junho de Domingos Lopes 27 de junho de 2016 Domingos Lopes Objetivos Temáticos OT 8. Promover a sustentabilidade e a qualidade do emprego e apoiar a mobilidade dos trabalhadores assumindo como meta nacional, até 2020, o aumento

Leia mais

Unidade-Disciplina-Trabalho MINISTÉRIO DO EMPREGO E DOS ASSUNTOS SOCIAIS Gabinete do Ministro. 104ª Conferencia Internacional do Trabalho

Unidade-Disciplina-Trabalho MINISTÉRIO DO EMPREGO E DOS ASSUNTOS SOCIAIS Gabinete do Ministro. 104ª Conferencia Internacional do Trabalho 104ª Conferencia Internacional do Trabalho Discurso do Ministro do Emprego e dos Assuntos Sociais de São Tomé e Príncipe (08 de Junho 2015) Senhora Presidente da centésima quarta Conferencia Internacional

Leia mais

RESOLUÇÃO DO CONSELHO GERAL COMBATER A CRISE: PRIORIDADE AO EMPREGO E AOS SALÁRIOS, VALORIZAÇÃO DA QUALIDADE DO TRABALHO E MELHOR EDUCAÇÃO

RESOLUÇÃO DO CONSELHO GERAL COMBATER A CRISE: PRIORIDADE AO EMPREGO E AOS SALÁRIOS, VALORIZAÇÃO DA QUALIDADE DO TRABALHO E MELHOR EDUCAÇÃO RESOLUÇÃO DO CONSELHO GERAL COMBATER A CRISE: PRIORIDADE AO EMPREGO E AOS SALÁRIOS, VALORIZAÇÃO DA QUALIDADE DO TRABALHO E MELHOR EDUCAÇÃO 1. SITUAÇÃO ECONÓMICA E EMPREGO Todos os dados estatísticos divulgados

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º./XII/2.ª REFORÇA OS APOIOS EM SITUAÇÃO DE DESEMPREGO

PROJETO DE LEI N.º./XII/2.ª REFORÇA OS APOIOS EM SITUAÇÃO DE DESEMPREGO Grupo Parlamentar PROJETO DE LEI N.º./XII/2.ª REFORÇA OS APOIOS EM SITUAÇÃO DE DESEMPREGO Exposição de motivos O desemprego é o maior flagelo social do país. As políticas de austeridade levaram a um aumento

Leia mais

IX Reunião dos Ministros do Trabalho e dos Assuntos Sociais da CPLP 18 a 20 de Março de Declaração de Óbidos

IX Reunião dos Ministros do Trabalho e dos Assuntos Sociais da CPLP 18 a 20 de Março de Declaração de Óbidos Declaração de Óbidos Os Ministros do Trabalho e dos Assuntos Sociais da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa reunidos na Vila de Óbidos nos dias 18 e 19 de Março, Consideram que as disfuncionalidades

Leia mais

12ª AVALIAÇÃO DO PROGRAMA DE AJUSTAMENTO ECONÓMICO E FINANCEIRO POSIÇÃO DA UGT

12ª AVALIAÇÃO DO PROGRAMA DE AJUSTAMENTO ECONÓMICO E FINANCEIRO POSIÇÃO DA UGT 12ª AVALIAÇÃO DO PROGRAMA DE AJUSTAMENTO ECONÓMICO E FINANCEIRO POSIÇÃO DA UGT Estando a chegar ao fim o Programa de Ajustamento Económico e Financeiro (PAEF) e, consequentemente, as avaliações regulares

Leia mais

Resolução do Secretariado Nacional. OE 2013 UGT contra a Austeridade pela Austeridade

Resolução do Secretariado Nacional. OE 2013 UGT contra a Austeridade pela Austeridade Resolução do Secretariado Nacional OE 2013 UGT contra a Austeridade pela Austeridade 1. O Orçamento de Estado para 2013 apresentado pelo Governo na Assembleia da República pretende impor aos Portugueses

Leia mais

ACORDO ENTRE AS CONFEDERAÇÕES COM ASSENTO NA COMISSÃO PERMANENTE DE CONCERTAÇÃO SOCIAL, VISANDO A FORMAÇÃO PROFISSIONAL

ACORDO ENTRE AS CONFEDERAÇÕES COM ASSENTO NA COMISSÃO PERMANENTE DE CONCERTAÇÃO SOCIAL, VISANDO A FORMAÇÃO PROFISSIONAL ACORDO ENTRE AS CONFEDERAÇÕES COM ASSENTO NA COMISSÃO PERMANENTE DE CONCERTAÇÃO SOCIAL, VISANDO A FORMAÇÃO PROFISSIONAL A formação profissional constitui um instrumento fundamental para combater o défice

Leia mais

Fundos Europeus Estruturais e de Investimento

Fundos Europeus Estruturais e de Investimento GOVERNO DE MINISTERIO DA SOLIDARIEDADE E DA SEGURANÇA SOCIAL Fundos Europeus Estruturais e de Investimento FEEI 20142020 FEEI 2014 2020 C C )V hrn() Prioridades nacionais transversais: Promoção Prioridade

Leia mais

Alterações ao Código do Trabalho

Alterações ao Código do Trabalho 1 Alterações ao Código do Trabalho Medidas Impostas pela Troika Consultoria Financeira Consultor Sénior: José António Adrego j.adrego@amrconsult.com Data: 23 de Novembro de 2011 2 Alterações ao Código

Leia mais

Vamos continuar a lutar contra a exploração e empobrecimento

Vamos continuar a lutar contra a exploração e empobrecimento COMISSÃO IGUALDADE ENTRE Vamos continuar a lutar contra a exploração e empobrecimento XII Congresso da CGTP-IN inscreve a igualdade de género nos seus objectivos centrais Co-financiado por: UNIÃO EUROPEIA

Leia mais

VOTO DE AGRADECIMENTO

VOTO DE AGRADECIMENTO VOTO DE AGRADECIMENTO Subscritora: a Mesa da AME A AME deliberou realizar uma audição pública sobre a problemática do funcionamento do ATERRO INTERMUNICIPAL DE RESÍDUOS URBANOS DE ÉVORA, tendo convidado,

Leia mais

TENDÊNCIAS GLOBAIS DE EMPREGO JOVEM

TENDÊNCIAS GLOBAIS DE EMPREGO JOVEM TENDÊNCIAS GLOBAIS DE EMPREGO JOVEM UMA GERAÇÃO EM RISCO maio 2013 Estrutura da apresentação O que é a OIT. Origem e importância Emprego jovem Breve descrição. Porquê centrar a atenção nos jovens. Começar

Leia mais

Balanço do ano 2005 O DESEMPREGO A AUMENTAR E PIORES CONDIÇÕES DE VIDA E DE TRABALHO. SERÁ 2006 MELHOR?

Balanço do ano 2005 O DESEMPREGO A AUMENTAR E PIORES CONDIÇÕES DE VIDA E DE TRABALHO. SERÁ 2006 MELHOR? Balanço do ano 2005 O DESEMPREGO A AUMENTAR E PIORES CONDIÇÕES DE VIDA E DE TRABALHO. SERÁ 2006 MELHOR? Em 2005, os portugueses tiveram, uma vez mais, poucas ou nenhumas razões para celebrar. Foram confrontados

Leia mais

CIP - Europa Laboral em Síntese

CIP - Europa Laboral em Síntese CIP - Europa Laboral em Síntese Nº 5 janeiro de 2015 DESTAQUES Relatório sobre o emprego e desenvolvimentos sociais na Europa (2014) A Comissão Europeia publicou, em janeiro, o seu relatório sobre o emprego

Leia mais

Desenvolvimento, Trabalho Decente e Igualdade Racial

Desenvolvimento, Trabalho Decente e Igualdade Racial Desenvolvimento, Trabalho Decente e Igualdade Racial Lais Abramo Diretora do Escritório da OIT no Brasil Brasília, julho de 2012 Esquema da Apresentação 1. Trabalho decente e estratégia de desenvolvimento

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Proposta de Lei n.º 36/XII. Exposição de Motivos

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Proposta de Lei n.º 36/XII. Exposição de Motivos Proposta de Lei n.º 36/XII Exposição de Motivos O Estado Português, através da assinatura do Memorando de Políticas Económicas e Financeiras, assumiu perante a União Europeia, o Fundo Monetário Internacional

Leia mais

ENSINO SUPERIOR SPRC membro da FENPROF

ENSINO SUPERIOR SPRC membro da FENPROF INFORMAÇÃO SECTORIAL SINDICATO DOS PROFESSORES DA REGIÃO CENTRO ÍNDICE DE ASSUNTOS: ENSINO SUPERIOR SPRC membro da FENPROF NÚMERO 2 28 DE MAIO DE 2007 ANO 1 Greve Geral: o envolvimento do Ensino Superior

Leia mais

ACÇÃO POLÍTICA CONVITE A MAIS INTERVENÇÃO. 19 de JANEIRO de 2002 UNIVERSIDADE LUSÓFONA CAMPO GRANDE LISBOA

ACÇÃO POLÍTICA CONVITE A MAIS INTERVENÇÃO. 19 de JANEIRO de 2002 UNIVERSIDADE LUSÓFONA CAMPO GRANDE LISBOA SEMINÁRIO sobre ACÇÃO POLÍTICA CONVITE A MAIS INTERVENÇÃO 19 de JANEIRO de 2002 LOCAL DE REALIZAÇÃO: UNIVERSIDADE LUSÓFONA CAMPO GRANDE. 376 1700-096 LISBOA 510 ORGANIZAÇÃO POLÍTICA em VIGOR - Dr. JORGE

Leia mais

Trabalho vencedor na Sessão Distrital Representará Viseu na Sessão Nacional

Trabalho vencedor na Sessão Distrital Representará Viseu na Sessão Nacional Trabalho vencedor na Sessão Distrital Representará Viseu na Sessão Nacional ESCOLA Nome do estabelecimento de ensino Secundária C/3º CEB de Viriato Nome das Professoras Filomena Pires e Ana Capelo ALUNOS

Leia mais

CONVITE PARA A AUDIÇÃO PÚBLICA, POR INICIATIVA DO GRUPO PARLAMENTAR DO PCP, A REALIZAR NO DIA 15 DE MAIO DE 2017 SEGUNDA-FEIRA

CONVITE PARA A AUDIÇÃO PÚBLICA, POR INICIATIVA DO GRUPO PARLAMENTAR DO PCP, A REALIZAR NO DIA 15 DE MAIO DE 2017 SEGUNDA-FEIRA Página 1 de 6 CONVITE PARA A AUDIÇÃO PÚBLICA, POR INICIATIVA DO GRUPO PARLAMENTAR DO PCP, A REALIZAR NO DIA 15 DE MAIO DE 2017 SEGUNDA-FEIRA «HORÁRIOS DE TRABALHO: COMBATE À DESREGULAÇÃO, 35 HORAS, RESPEITAR

Leia mais

IMSI16. Contributo para a Democracia. Adriano Neves José Fernandes Luis Silva Paulo Gama

IMSI16. Contributo para a Democracia. Adriano Neves José Fernandes Luis Silva Paulo Gama IMSI16 Contributo para a Democracia Adriano Neves José Fernandes Luis Silva Paulo Gama Instituição Particular de Solidariedade Social Organização de voluntariado que apoia de forma individualizada vítimas

Leia mais

INFORMAÇÃO SOBRE AS NOVAS REGRAS PARA A ATRIBUIÇÃO DO SUBSÍDIO DE DESEMPREGO

INFORMAÇÃO SOBRE AS NOVAS REGRAS PARA A ATRIBUIÇÃO DO SUBSÍDIO DE DESEMPREGO INFORMAÇÃO SOBRE AS NOVAS REGRAS PARA A ATRIBUIÇÃO DO SUBSÍDIO DE DESEMPREGO O Governo publicou, a 15 de Março, dois diplomas em matéria de protecção no desemprego: Decreto-Lei nº 64/2012, de 15 de Março

Leia mais

A importância dos afectos. Igualdade de género e políticas de emprego. Vida familiar na Europa. Emprego e flexibilidades. Qualidade de vida na Europa

A importância dos afectos. Igualdade de género e políticas de emprego. Vida familiar na Europa. Emprego e flexibilidades. Qualidade de vida na Europa 1. A importância dos afectos Vida familiar na Europa 2. 5. 6. Igualdade de género e políticas de emprego Qualidade de vida na Europa Emprego e flexibilidades 3. Políticas de cuidados com as crianças e

Leia mais

ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO LOCAL. GAL Eu Também Conto!

ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO LOCAL. GAL Eu Também Conto! ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO LOCAL GAL Eu Também Conto! ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO LOCAL 1 ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO LOCAL (EDL) A EDL incide em traços gerais nas seguintes problemáticas: Acesso

Leia mais

6º Congresso Nacional da Administração Pública

6º Congresso Nacional da Administração Pública 6º Congresso Nacional da Administração Pública João Proença 30/10/08 Desenvolvimento e Competitividade: O Papel da Administração Pública A competitividade é um factor-chave para a melhoria das condições

Leia mais

Ações Reunião realizada nos dias 13 a 16 de outubro de 2014

Ações Reunião realizada nos dias 13 a 16 de outubro de 2014 R E L A Ç Õ E S I N T E R N A C I O N A I S Órgão Organização Internacional do Trabalho (OIT) Representação Eventual 18ª Reunião Regional Americana da OIT Representante Lidiane Duarte Nogueira Advogada

Leia mais

CONFERÊNCIA ANUAL DA ASSOCIAÇÃO EUROPEIA DE ADVOGADOS DO EMPREGO. Lisboa 9 de Maio de 2008 TENDÊNCIAS DA LEGISLAÇÃO DE EMPREGO NA EUROPA FLEXIGURANÇA

CONFERÊNCIA ANUAL DA ASSOCIAÇÃO EUROPEIA DE ADVOGADOS DO EMPREGO. Lisboa 9 de Maio de 2008 TENDÊNCIAS DA LEGISLAÇÃO DE EMPREGO NA EUROPA FLEXIGURANÇA CONFERÊNCIA ANUAL DA ASSOCIAÇÃO EUROPEIA DE ADVOGADOS DO EMPREGO Lisboa 9 de Maio de 2008 TENDÊNCIAS DA LEGISLAÇÃO DE EMPREGO NA EUROPA FLEXIGURANÇA Comissário Spidla Senhor Presidente Senhoras e Senhores

Leia mais

Reacção da EAPN Portugal ao Programa do XIX Governo da República Portuguesa

Reacção da EAPN Portugal ao Programa do XIX Governo da República Portuguesa Reacção da EAPN Portugal ao Programa do XIX Governo da República Portuguesa Julho 2011 A vem por este meio posicionar-se face ao Programa do XIX Governo Constitucional apresentado no passado dia 30 de

Leia mais

RESOLUÇÃO DO SECRETARIADO NACIONAL UMA SITUAÇÃO ECONÓMICA QUE URGE MUDAR

RESOLUÇÃO DO SECRETARIADO NACIONAL UMA SITUAÇÃO ECONÓMICA QUE URGE MUDAR RESOLUÇÃO DO SECRETARIADO NACIONAL UMA SITUAÇÃO ECONÓMICA QUE URGE MUDAR 1. Enquadramento Após um fraco crescimento da economia portuguesa em 2005 (0.3%), o Governo prevê para 2006, um crescimento de 1.4%;

Leia mais

Ao iniciar funções como presidente da UGT, e ao saudar nesta circunstância,

Ao iniciar funções como presidente da UGT, e ao saudar nesta circunstância, Caras e Caros Convidados Caras e Caros Delegados Amigas e Amigos, Ao iniciar funções como presidente da UGT, e ao saudar nesta circunstância, calorosa e fraternalmente, o IX Congresso da UGT, cumpre-me

Leia mais

PROGRAMA OPERACIONAL TEMÁTICO POTENCIAL HUMANO

PROGRAMA OPERACIONAL TEMÁTICO POTENCIAL HUMANO PROGRAMA OPERACIONAL TEMÁTICO POTENCIAL HUMANO 2007-201 Apresentação da Proposta ÍNDICE 1 O PROBLEMA 2 A ESTRATÉGIA 4 PLANO DE FINANCIAMENTO 1 1 O PROBLEMA Taxa de emprego Emprego em média e alta tecnologia

Leia mais

Economia do País. Análise de conjuntura económica trimestral. Produto Interno Bruto. Variações trimestrais homólogas

Economia do País. Análise de conjuntura económica trimestral. Produto Interno Bruto. Variações trimestrais homólogas Produto Interno Bruto Variações trimestrais homólogas Mediante reformas introduzidas na economia portuguesa, entre 2011 e 2015, nomeadamente quanto á competitividade das empresas, foi possível estimular

Leia mais

O IMPACTO DAS MEDIDAS DA TROIKA E PROGRAMA DO GOVERNO SOBRE O MERCADO LABORAL

O IMPACTO DAS MEDIDAS DA TROIKA E PROGRAMA DO GOVERNO SOBRE O MERCADO LABORAL O IMPACTO DAS MEDIDAS DA TROIKA E PROGRAMA DO GOVERNO SOBRE O MERCADO LABORAL 1 - Legislação de protecção do emprego 1.1 Redução da indemnização por despedimento (despedimento colectivo, extinção do posto

Leia mais

Fenómenos de pobreza e exclusão social no contexto atual Palmela, 6 de dezembro de 2013

Fenómenos de pobreza e exclusão social no contexto atual Palmela, 6 de dezembro de 2013 Fenómenos de pobreza e exclusão social no contexto atual Palmela, 6 de dezembro de 2013 Maria José Domingos Objetivos Sobre a Estratégia 2020 A pobreza e a exclusão social na Europa em números A pobreza

Leia mais

IGUALDADE NÃO É (SÓ) QUESTÃO DE MULHERES

IGUALDADE NÃO É (SÓ) QUESTÃO DE MULHERES IGUALDADE NÃO É (SÓ) QUESTÃO DE MULHERES TERESA MANECA LIMA SÍLVIA ROQUE DIFERENÇAS ENTRE HOMENS E MULHERES APENAS UMA QUESTÃO DE SEXO? SEXO GÉNERO SEXO: conjunto de características biológicas e reprodutivas

Leia mais

PAINEL EMPREGO. João Cerejeira [Universidade do Minho Escola de Economia e Gestão]

PAINEL EMPREGO. João Cerejeira [Universidade do Minho Escola de Economia e Gestão] PAINEL EMPREGO João Cerejeira [Universidade do Minho Escola de Economia e Gestão] 2008-1T 2008-2T 2008-3T 2008-4T 2009-1T 2009-2T 2009-3T 2009-4T 2010-1T 2010-2T 2010-3T 2010-4T 2011-1T 2011-2T 2011-3T

Leia mais

O conceito de Trabalho Decente

O conceito de Trabalho Decente O Trabalho Decente O conceito de Trabalho Decente Atualmente a metade dos trabalhadores de todo o mundo (1,4 bilhão de pessoas) vive com menos de 2 dólares ao dia e portanto, é pobre quase 20% é extremamente

Leia mais

Que Reformas Para a Segurança Social?

Que Reformas Para a Segurança Social? A Redução da Taxa Social Única e a Reforma da Segurança Social Que Reformas Para a Segurança Social? Miguel Coelho Instituto de Direito Económico, Fiscal e Financeiro da Faculdade de Direito da Universidade

Leia mais

As tendências actuais mundiais nos modelos de tributação do rendimento. Rogério M. Fernandes Ferreira (Sócio da RFF & Associados)

As tendências actuais mundiais nos modelos de tributação do rendimento. Rogério M. Fernandes Ferreira (Sócio da RFF & Associados) LISBOA PORTO FUNCHAL SÃO PAULO LUANDA MAPUTO PRAIA MACAU DILI SÃO TOMÉ As tendências actuais mundiais nos modelos de tributação do rendimento Rogério M. Fernandes Ferreira (Sócio da RFF & Associados) Sumário

Leia mais

PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar. Projeto de Lei nº 354/XIII 2ª

PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar. Projeto de Lei nº 354/XIII 2ª PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar Projeto de Lei nº 354/XIII 2ª Reforça a proteção das trabalhadoras grávidas, puérperas e lactantes e de trabalhadores no gozo de licença parental e procede

Leia mais

POBREZA, EXCLUSÃO E DESIGUALDADES EM PORTUGAL. Professor Catedrático de Economia Vice Presidente do ISEG, Universidade Técnica de Lisboa

POBREZA, EXCLUSÃO E DESIGUALDADES EM PORTUGAL. Professor Catedrático de Economia Vice Presidente do ISEG, Universidade Técnica de Lisboa POBREZA, EXCLUSÃO E DESIGUALDADES EM PORTUGAL REAPN José António Pereirinha Professor Catedrático de Economia Vice Presidente do ISEG, Universidade Técnica de Lisboa 1 POBREZA, EXCLUSÃO E DESIGUALDADES

Leia mais

A visão da OIT sobre o Trabalho Decente

A visão da OIT sobre o Trabalho Decente Boletim Econômico Edição nº 61 maio de 2015 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico A visão da OIT sobre o Trabalho Decente 1 1. CONCEITO DE TRABALHO DECENTE O conceito de Trabalho

Leia mais

PARECER DA UGT SOBRE O PROJECTO DE DECRETO-LEI QUE VISA APROVAR O NOVO REGIME JURIDICO DO SECTOR PUBLICO EMPRESARIAL

PARECER DA UGT SOBRE O PROJECTO DE DECRETO-LEI QUE VISA APROVAR O NOVO REGIME JURIDICO DO SECTOR PUBLICO EMPRESARIAL PARECER DA UGT SOBRE O PROJECTO DE DECRETO-LEI QUE VISA APROVAR O NOVO REGIME JURIDICO DO SECTOR PUBLICO EMPRESARIAL 1. Na generalidade O Sector Empresarial do Estado (SEE), (também denominado Sector Público

Leia mais

COMENTÁRIOS DA UGT AO RELATÓRIO SOBRE A RETRIBUIÇÃO MÍNIMA MENSAL GARANTIDA (MAIO 2014)

COMENTÁRIOS DA UGT AO RELATÓRIO SOBRE A RETRIBUIÇÃO MÍNIMA MENSAL GARANTIDA (MAIO 2014) COMENTÁRIOS DA UGT AO RELATÓRIO SOBRE A RETRIBUIÇÃO MÍNIMA MENSAL GARANTIDA (MAIO 2014) A UGT regista a apresentação do Relatório sobre a Retribuição Mínima Mensal Garantida (RMMG), que visa enquadrar

Leia mais

Comunidade dos Países de Língua Oficial Portuguesa - Sindical de Educação - CPLP-SE

Comunidade dos Países de Língua Oficial Portuguesa - Sindical de Educação - CPLP-SE Comunidade dos Países de Língua Oficial Portuguesa - Sindical de Educação - CPLP-SE No mundo da globalização com todos os desafios que são colocados ao mundo do trabalho, as organizações sindicais do sector

Leia mais

ASSEMBLEIA NACIONAL. Cidade da Praia, 25 de Outubro de Senhor Presidente da Câmara dos Deputados do Luxemburgo, Mars de Bartolomeo,

ASSEMBLEIA NACIONAL. Cidade da Praia, 25 de Outubro de Senhor Presidente da Câmara dos Deputados do Luxemburgo, Mars de Bartolomeo, ASSEMBLEIA NACIONAL Discurso do Presidente da Assembleia Nacional, Engº Jorge Santos, na Sessão Plenária de Boas Vindas, ao Presidente da Câmara dos Deputados do Luxemburgo, Mars de Bartolomeo Cidade da

Leia mais

Conferência Dia Nacional do Mutualismo

Conferência Dia Nacional do Mutualismo Associação Portuguesa de Mutualidades Conferência Dia Nacional do Mutualismo Qual o papel do sistema complementar no futuro da segurança social em Portugal? Lisboa, 25 Outubro 2017 Maria Margarida Corrêa

Leia mais

Portugal APOIOS COMUNITÁRIOS às entidades da economia social. Versão de 11/jun/2015

Portugal APOIOS COMUNITÁRIOS às entidades da economia social. Versão de 11/jun/2015 Portugal 2020 APOIOS COMUNITÁRIOS às entidades da economia social Versão de 11/jun/2015 1 Regulamento FSE Através da Portaria nº 97-A/2015, de 30 de março, da Presidência do Conselho de Ministros e Ministério

Leia mais

A Economia Portuguesa Dados Estatísticos Páginas DADOS ESTATÍSTICOS

A Economia Portuguesa Dados Estatísticos Páginas DADOS ESTATÍSTICOS DADOS ESTATÍSTICOS A Economia Portuguesa Dados Estatísticos Páginas I. DADOS NACIONAIS 1. POPULAÇÃO 1.1 População Residente por Sexo e Grupo Etário: Censos 1 1.2 População Residente - Estimativas 1 2.

Leia mais

INICIATIVA NOVAS OPORTUNIDADES. Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social Ministério da Educação

INICIATIVA NOVAS OPORTUNIDADES. Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social Ministério da Educação INICIATIVA NOVAS OPORTUNIDADES Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social Ministério da Educação INDICE 1. OBJECTIVO 2. PORQUÊ A INICIATIVA? 3. PARA OS JOVENS: UMA OPORTUNIDADE NOVA 4. PARA OS ADULTOS:

Leia mais

A Constituição Laboral em Alto Risco

A Constituição Laboral em Alto Risco Other universities From the SelectedWorks of Paulo Ferreira da Cunha December 22, 2011 A Constituição Laboral em Alto Risco Paulo Ferreira da Cunha, Universidade do Porto Available at: http://works.bepress.com/pfc/136/

Leia mais

!"# $% A pressão para o Estado mínimo e direitos mínimos estão a marcar, na Europa e em Portugal, os caminhos sobre o futuro do modelo social.

!# $% A pressão para o Estado mínimo e direitos mínimos estão a marcar, na Europa e em Portugal, os caminhos sobre o futuro do modelo social. Grupo Parlamentar!"# $% O sistema público de segurança social, universal e solidário, está a ser fortemente questionado, pelas condições da intensa globalização neoliberal, das transformações operadas

Leia mais

Aumento real da aposentadoria coloca em risco salário mínimo O projeto foi aprovado na Câmara dos Deputados, nessa quarta-feira (24)

Aumento real da aposentadoria coloca em risco salário mínimo O projeto foi aprovado na Câmara dos Deputados, nessa quarta-feira (24) Aumento real da aposentadoria coloca em risco salário mínimo O projeto foi aprovado na Câmara dos Deputados, nessa quarta-feira (24) Matéria publicada em 26 de Junho de 2015 O ministro da Previdência Social,

Leia mais

O Programa Nacional de Reformas constitui um elemento essencial na definição da estratégia de médio prazo que permitirá a Portugal, no horizonte de

O Programa Nacional de Reformas constitui um elemento essencial na definição da estratégia de médio prazo que permitirá a Portugal, no horizonte de O Programa Nacional de Reformas constitui um elemento essencial na definição da estratégia de médio prazo que permitirá a Portugal, no horizonte de 2020, lançar um conjunto de reformas estruturais que

Leia mais

Intervenção Senhor Presidente da Direcção, Comendador Mário Pereira Gonçalves

Intervenção Senhor Presidente da Direcção, Comendador Mário Pereira Gonçalves Intervenção Senhor Presidente da Direcção, Comendador Mário Pereira Gonçalves Debatemos a sobrevivência das nossas milhares de empresas, e dos respectivos centenas de milhares de postos de trabalho. Concluímos

Leia mais

Novo Código do Trabalho retirou 2,3% aos salários dos trabalhadores...

Novo Código do Trabalho retirou 2,3% aos salários dos trabalhadores... Novo Código do Trabalho retirou 2,3% aos salários dos trabalhadores... http://www.publico.pt/novo-codigo-do-trabalho-retir... 1 de 5 11-12-2013 10:51 Novo Código do Trabalho retirou 2,3% aos salários dos

Leia mais

JUSTIFICAÇÃO DESTES SLIDES

JUSTIFICAÇÃO DESTES SLIDES JUSTIFICAÇÃO DESTES SLIDES Estes slides foram utilizados na intervenção que fiz no debate organizado pela União dos Sindicatos do Algarve em 6.7.2017, em Faro, destinado não só a reformados e aposentados,

Leia mais

PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar

PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar Projeto de Lei n.º 140/XIII/1.ª Valoriza as longas carreiras contributivas, garantindo a antecipação da pensão sem penalizações aos beneficiários que completem

Leia mais

Desigualdade e Pobreza em Portugal: Evolução Recente. Carlos Farinha Rodrigues

Desigualdade e Pobreza em Portugal: Evolução Recente. Carlos Farinha Rodrigues Desigualdade e Pobreza em Portugal: Evolução Recente Carlos Farinha Rodrigues ISEG / Universidade de Lisboa carlosfr@iseg.ulisboa.pt Objectivos: Caracterizar a distribuição do rendimento em Portugal; Evidenciar

Leia mais

PARECER DA UGT SOBRE A PROPOSTA DE LEI Nº 230/XII SÉTIMA ALTERAÇÃO AO CÓDIGO DO TRABALHO (NEGOCIAÇÃO COLECTIVA)

PARECER DA UGT SOBRE A PROPOSTA DE LEI Nº 230/XII SÉTIMA ALTERAÇÃO AO CÓDIGO DO TRABALHO (NEGOCIAÇÃO COLECTIVA) PARECER DA UGT SOBRE A PROPOSTA DE LEI Nº 230/XII SÉTIMA ALTERAÇÃO AO CÓDIGO DO TRABALHO (NEGOCIAÇÃO COLECTIVA) I. APRECIAÇÃO NA GENERALIDADE A UGT sempre afirmou que as alterações em matéria de legislação

Leia mais

Fórum da OIT Trabalho Digno para uma Globalização Justa

Fórum da OIT Trabalho Digno para uma Globalização Justa Fórum da OIT Trabalho Digno para uma Globalização Justa Abertura pelo Senhor Primeiro Ministro Lisboa, FIL (Junqueira), 31 de Outubro de 2007, 17H00 Senhor Director-Geral do BIT, Senhoras e Senhores, Saúdo

Leia mais

Ministério da Indústria

Ministério da Indústria Ministério da Indústria Assembleia Nacional Lei n.º 10/94 31 de Agosto de 2008 O processo de redimensionamento do sector empresarial do Estado teve até agora como principal suporte legais o Decreto n.º

Leia mais

Repensar a Fiscalidade Um Debate Luso-Brasileiro (IDEFF, 21 Março de 2013, Faculdade Direito de Lisboa)

Repensar a Fiscalidade Um Debate Luso-Brasileiro (IDEFF, 21 Março de 2013, Faculdade Direito de Lisboa) LISBOA PORTO FUNCHAL SÃO PAULO LUANDA MAPUTO PRAIA MACAU DILI SÃO TOMÉ Repensar a Fiscalidade Um Debate Luso-Brasileiro (IDEFF, 21 Março de 2013, Faculdade Direito de Lisboa) Algumas tendências actuais

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 813/XII/4.ª REFORÇA A PROTEÇÃO DAS MULHERES GRÁVIDAS, PUÉRPERAS OU LACTANTES NO CÓDIGO DE TRABALHO

PROJETO DE LEI N.º 813/XII/4.ª REFORÇA A PROTEÇÃO DAS MULHERES GRÁVIDAS, PUÉRPERAS OU LACTANTES NO CÓDIGO DE TRABALHO Grupo Parlamentar PROJETO DE LEI N.º 813/XII/4.ª REFORÇA A PROTEÇÃO DAS MULHERES GRÁVIDAS, PUÉRPERAS OU LACTANTES NO CÓDIGO DE TRABALHO Exposição de motivos No quadro da discriminação das mulheres, nomeadamente

Leia mais

Sistemas de Protecção Social: experiência de Portugal

Sistemas de Protecção Social: experiência de Portugal Sistemas de Protecção Social: experiência de Portugal José Luís Albuquerque Subdirector-Geral do Gabinete de Estratégia e Planeamento (GEP) do Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social (MTSS) VIII

Leia mais

Senhor Presidente do Supremo Tribunal. Senhoras e Senhores Vice-Presidentes da. Senhora Procuradora-Geral da República,

Senhor Presidente do Supremo Tribunal. Senhoras e Senhores Vice-Presidentes da. Senhora Procuradora-Geral da República, Senhor Presidente do Supremo Tribunal Administrativo, Senhores Ministros, Senhoras e Senhores Vice-Presidentes da Assembleia da República, Senhora Procuradora-Geral da República, Senhoras e Senhores Deputados,

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÃO CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DE SINES DEMOGRAFIA E INDICADORES DEMOGRÁFICOS

SISTEMA DE INFORMAÇÃO CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DE SINES DEMOGRAFIA E INDICADORES DEMOGRÁFICOS DEMOGRAFIA E INDICADORES DEMOGRÁFICOS 1 INDICADOR: População residente e taxa de variação, 1991 e 2001 População Variação 1991 2001 Portugal 9867147 10356117 5,0 Alentejo 782331 776585-0,7 Alentejo Litoral

Leia mais

A Agenda do Trabalho Decente no Brasil e a I CNETD

A Agenda do Trabalho Decente no Brasil e a I CNETD A Agenda do Trabalho Decente no Brasil e a I CNETD Ana Lúcia Monteiro Organização Internacional do Trabalho 28 de outubro de 2011 ESQUEMA DA APRESENTAÇÃO 1. O Conceito de Trabalho Decente 2. O compromisso

Leia mais

E depois da troika? Viver com o memorando. Fernando Faria de Oliveira. Caixa Geral de Depósitos

E depois da troika? Viver com o memorando. Fernando Faria de Oliveira. Caixa Geral de Depósitos E depois da troika? Viver com o memorando. Fernando Faria de Oliveira Caixa Geral de Depósitos Centro de Congressos de Lisboa, 4 de Julho 2011 A comportamento do mercado em relação ao risco da dívida soberana

Leia mais

Escola ES/3 Dos Carvalhos Março 2007 Geografia A - 10

Escola ES/3 Dos Carvalhos Março 2007 Geografia A - 10 Análise da notícia Lisboa mais pobre Trabalho Realizado por: Ana Luísa nº2 Maria Elisa nº16 Mariana nº18 Marta Daniela nº19 10ºD 1 Título da Notícia Lisboa mais pobre Data de edição da notícia Setembro

Leia mais

Mensagem da Direcção da A25A por ocasião das comemorações do 37.º aniversário do 25 de Abril

Mensagem da Direcção da A25A por ocasião das comemorações do 37.º aniversário do 25 de Abril Mensagem da Direcção da A25A por ocasião das comemorações do 37.º aniversário do 25 de Abril Foi há 37 anos. A ditadura foi lançada borda fora, a liberdade despontou e a democracia iniciou-se. A guerra

Leia mais

A Igualdade de Género no Coração do Trabalho Digno

A Igualdade de Género no Coração do Trabalho Digno TRABALHO DIGNO Um mundo melhor começa aqui Organização Internacional do Trabalho 8 de Março Dia Internacional da Mulher A Igualdade de Género no Coração do Trabalho Digno Doze temas sobre Trabalho Digno

Leia mais

Evolução do Número de Beneficiários do RSI

Evolução do Número de Beneficiários do RSI Evolução do Número de Beneficiários do RSI Carlos Farinha Rodrigues De acordo com os dados do Instituto da Segurança Social (ISS), em Julho houve 269.941 pessoas a receber o Rendimento Social de Inserção,

Leia mais

Datas Especiais. MARÇO 08 - Dia Internacional da Mulher 11 - Dia Internacional das Vítimas do Terrorismo 14 - Dia dos Animais Dia Nacional da Poesia

Datas Especiais. MARÇO 08 - Dia Internacional da Mulher 11 - Dia Internacional das Vítimas do Terrorismo 14 - Dia dos Animais Dia Nacional da Poesia Datas Especiais JANEIRO 01 - Dia da Confraternização Universal Dia Mundial da Paz 04 - Dia Mundial do Braille 06 - Dia de Reis Dia da Gratidão 07 - Dia da Liberdade de Cultos 08 - Dia do Fotógrafo Dia

Leia mais

Ana Gonçalves. Curso: TSHT- Técnico de Segurança e Higiene no trabalho. CP: Cidadania e Profissionalidade. Formadora: Ana Gonçalves

Ana Gonçalves. Curso: TSHT- Técnico de Segurança e Higiene no trabalho. CP: Cidadania e Profissionalidade. Formadora: Ana Gonçalves Descrição: Direitos e deveres adquiridos em cada fase da vida - criança, adulto e na velhice Objectivo: Cidadão/ Estado Critérios de Evidência; Reconhecer as responsabilidades inerentes à liberdade pessoal

Leia mais

Política de Coesão da UE

Política de Coesão da UE da UE 2014 2020 Propostas da Comissão Europeia da União Europeia Estrutura da apresentação 1. Qual é o impacto da política de coesão da UE? 2. A que se devem as alterações propostas pela Comissão para

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DO TRABALHO, EMPREGO E SEGURANÇA SOCIAL

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DO TRABALHO, EMPREGO E SEGURANÇA SOCIAL l REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DO TRABALHO, EMPREGO E SEGURANÇA SOCIAL INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA A MINISTRA DO TRABALHO, EMPREGO E SEGURANÇA SOCIAL NA 105ª CONFERÊNCIA DA OIT, EM GENEBRA, SUÍÇA

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 266/IX ALTERA A LEI DE FINANCIAMENTO DOS PARTIDOS POLÍTICOS E DAS CAMPANHAS ELEITORAIS. Exposição de motivos

PROJECTO DE LEI N.º 266/IX ALTERA A LEI DE FINANCIAMENTO DOS PARTIDOS POLÍTICOS E DAS CAMPANHAS ELEITORAIS. Exposição de motivos PROJECTO DE LEI N.º 266/IX ALTERA A LEI DE FINANCIAMENTO DOS PARTIDOS POLÍTICOS E DAS CAMPANHAS ELEITORAIS Exposição de motivos De acordo com a Recomendação 1516 (2001), do Conselho da Europa, sobre o

Leia mais

SALÁRIOS - EMPREGO - CONTRATAÇÃO COLECTIVA - HORÁRIOS - SERVIÇOS PÚBLICOS

SALÁRIOS - EMPREGO - CONTRATAÇÃO COLECTIVA - HORÁRIOS - SERVIÇOS PÚBLICOS NOTA À IMPRENSA 1º DE MAIO VALORIZAR O TRABALHO E OS TRABALHADORES SALÁRIOS - EMPREGO - CONTRATAÇÃO COLECTIVA - HORÁRIOS - SERVIÇOS PÚBLICOS Passados 131 anos da repressão de Chicago, nos Estados Unidos

Leia mais

Seminário de 15 de Maio 2013

Seminário de 15 de Maio 2013 Seminário de 15 de Maio 2013 2ª PARTE António Francisco Viver mais para viver pior? http://www.iese.ac.mz/age/age.html http://www.iese.ac.mz/age/age.html Por que Privilegiados da Longevidade? Apenas 5%

Leia mais

DR. AUGUSTO POMBAL CENTRO POLIVALENTE DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DO MAPTSS 26 DE JUNHO DE 2015

DR. AUGUSTO POMBAL CENTRO POLIVALENTE DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DO MAPTSS 26 DE JUNHO DE 2015 O REGIME DOS TRABALHADORES DOMÉSTICOS NO ÂMBITO DA CONVENÇÃO E DA RECOMENDAÇÃO SOBRE O TRABALHO DECENTE PARA OS TRBALHADORAS E OS TRABALHADORES DOMÉSTICOS DR. AUGUSTO POMBAL CENTRO POLIVALENTE DE FORMAÇÃO

Leia mais

ORÇAMENTO DO ESTADO 2018

ORÇAMENTO DO ESTADO 2018 APRESENTAÇÃO DA PROPOSTA DE ORÇAMENTO DO ESTADO 2018 10/14/17 4:40 PM 13.10.2017 1 CRESCIMENTO, EMPREGO E CONSOLIDAÇÃO ORÇAMENTAL Défice 2016 2,0 2017 1,4 1 2018 1,0 0.9 0.8 0.7 0.6 0.5 Dívida Pública

Leia mais

tal como constam da Declaração de Filadélfia de 1944, constituem ideias com os quais nos identificamos profundamente.

tal como constam da Declaração de Filadélfia de 1944, constituem ideias com os quais nos identificamos profundamente. 1 Quero começar por destacar a elevada importância que o Governo Regional da Madeira atribui ao protocolo hoje celebrado com a Organização Internacional do Trabalho, através do seu escritório em Lisboa.

Leia mais

RECOMENDAÇÕES DO OBSERVATÓRIO DO EMPREGO POLÍTICAS ACTIVAS DE EMPREGO EM CABO VERDE

RECOMENDAÇÕES DO OBSERVATÓRIO DO EMPREGO POLÍTICAS ACTIVAS DE EMPREGO EM CABO VERDE RECOMENDAÇÕES DO OBSERVATÓRIO DO EMPREGO POLÍTICAS ACTIVAS DE EMPREGO EM CABO VERDE Este documento visa apresentar ao Ministério da Juventude, Emprego e Desenvolvimento dos Recursos Humanos (MJEDRH), as

Leia mais

FUNDO DE COMPENSAÇÃO DO TRABALHO

FUNDO DE COMPENSAÇÃO DO TRABALHO Conferência de imprensa 24.09.2011 FUNDO DE COMPENSAÇÃO DO TRABALHO De acordo com as teorias neoliberais em voga, para combater a segmentação do mercado de trabalho, promover a criação de emprego e aumentar

Leia mais

Comissão avalia o impacto do financiamento para as regiões e lança um debate sobre a próxima ronda da política de coesão

Comissão avalia o impacto do financiamento para as regiões e lança um debate sobre a próxima ronda da política de coesão IP/07/721 Bruxelas, 30 de Maio de 2007 Comissão avalia o impacto do financiamento para as regiões e lança um debate sobre a próxima ronda da política de coesão A política de coesão teve um efeito comprovado

Leia mais

SOMOS TODOS TRABALHADORES!

SOMOS TODOS TRABALHADORES! NEM TEMPORÁRIOS, NEM PRECÁRIOS, Olha ali a ~ renovacao do teu contrato... SOMOS TODOS TRABALHADORES! SOMOS TODOS NECESSÁRIOS! 1 A questão da precariedade é muito maior do que apenas os vínculos dos trabalhadores

Leia mais

Audição sobre Centros de Emprego Protegido Comissão de Trabalho, Segurança Social e Administração Pública

Audição sobre Centros de Emprego Protegido Comissão de Trabalho, Segurança Social e Administração Pública ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE DEFICIENTES Audição sobre Centros de Emprego Protegido Comissão de Trabalho, Segurança Social e Administração Pública 1. Introdução A Convenção sobre os Direitos das Pessoas com

Leia mais

ÍNDICE. Prefácio à presente edição 7. Prefácio à 3. 8 edição 9. Prefácio à 2.- edição 13. Prefácio à 1.* edição 15

ÍNDICE. Prefácio à presente edição 7. Prefácio à 3. 8 edição 9. Prefácio à 2.- edição 13. Prefácio à 1.* edição 15 ÍNDICE Prefácio à presente edição 7 Prefácio à 3. 8 edição 9 Prefácio à 2.- edição 13 Prefácio à 1.* edição 15 1. Introdução e fases do crescimento português 19 Resumo 19 1.1. As fases do crescimento económico

Leia mais

Boletim Econômico Edição nº 59 abril de 2015 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico

Boletim Econômico Edição nº 59 abril de 2015 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Boletim Econômico Edição nº 59 abril de 2015 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Economia informal e transição para a economia formal e as ferramentas da OIT 1 Perfil da economia

Leia mais

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA DISCURSO DE TOMADA DE POSSE DE SUA EXCELÊNCIA O PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA NA XI LEGISLATURA

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA DISCURSO DE TOMADA DE POSSE DE SUA EXCELÊNCIA O PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA NA XI LEGISLATURA DISCURSO DE TOMADA DE POSSE DE SUA EXCELÊNCIA O PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA NA XI LEGISLATURA 15 de Outubro de 2009 Sr. as e Srs. Deputados: Como Presidente eleito da Assembleia da República,

Leia mais