CARTA MENSAL. Prezados Amigos e Clientes, Abril 2010

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CARTA MENSAL. Prezados Amigos e Clientes, Abril 2010"

Transcrição

1 Prezados Amigos e Clientes, Com o intuito de melhorarmos continuamente a qualidade de nossos produtos e serviços, temos a satisfação de informar a chegada de Márcio Fontes em nossa equipe de Asset Management. Márcio possui uma larga experiência em gestão de recursos. Atuou como estrategista e gestor dos fundos multimercados no BNP Paribas Asset Management, foi sócio fundador e gestor macro da Fidúcia Asset Management, tesoureiro do banco JP Morgan e responsável pela área internacional e de renda fixa da tesouraria do Banco Safra. Juntou-se à Mauá Sekular em Março deste ano para a- tuar no segmento de Wealth Management e agora integra a equipe do Asset Management. Por outro lado, por motivos estritamente pessoais, Fernando Monteiro optou por voltar à sua cidade natal - Rio de Janeiro. Fernando teve uma grande contribuição no processo de desenvolvimento da Mauá e somos-lhe muito gratos por isso. Gostaríamos de desejar-lhe toda a sorte em sua nova etapa de vida. Dentro do Asset Management, Márcio trará grande contribuição no desenvolvimento dos nossos cases de investimento e será o portfolio manager responsável pelos fundos da família MAUÁ FIX. Márcio e Fernando trabalharam juntos neste processo de transição, de forma a assegurar que a passagem fosse gradual, contínua e completa. Agradecemos sua confiança em nosso trabalho e permanecemos muito entusiasmados com um futuro que parece cada vez mais promissor. Um forte abraço, Mauá Sekular Investimentos 1

2 Perspectivas Econômicas Em nossa carta do mês passado, argumentávamos que duas forças diametralmente opostas vinham influenciando os mercados: de um lado, o forte crescimento das economias emergentes, que passaram a ser acompanhados pela economia americana; de outro lado, a contínua deterioração das condições de liquidez e solvência de importantes países da Zona do Euro. No último mês, ainda que as notícias relativas à atividade econômica nos países tenham continuado bastante positivas - especialmente no que tange à robustez e ao espalhamento da recuperação econômica -, as incertezas quanto aos eventuais desfechos da questão fiscal européia acabaram por tomar dimensões dramáticas, dominando a cena. É difícil vislumbrar uma solução para a região que não passe por uma renegociação de parte da dívida de (pelo menos) Grécia ou por uma injeção de liquidez agressiva por parte do Banco Central Europeu opção por monetizar a dívida, pressionando a inflação. Mesmo que seja possível que alguma dessas medidas sejam tomadas a influente Alemanha é frontalmente contrária à solução do problema via maiores taxas de inflação ainda assim a maioria dos países teria de passar por ajustes fiscais severos, algo difícil frente aos elevados níveis atuais de desemprego. Na Espanha, por exemplo, a taxa de desemprego é de 20% atualmente. Por ora, é muito difícil estimar quanto da piora do quadro europeu contaminará outras regiões do mundo, e- ventualmente abortando a retomada econômica. De fato, no limite é possível se vislumbrar um cenário tão delicado quanto foi a crise financeira de 2008, que poderia jogar o mundo de novo em uma recessão (caracterizando o cenário chamado Double Dip ). Se isso acontecer, é possível que mesmo o aperto monetário no Brasil, dado como certo, seja abortado. Mas, por outro lado, é possível que tenhamos uma solução interna coordenada por FMI, G3 e União Européia, que limite os impactos macroeconômicos aos países europeus. Diante de tamanha incerteza, nos parece razoável manter bastante limitada nossa exposição ao risco, esperando sinais mais consistentes para tomar decisões de investimentos mais estruturais. 2

3 Performance dos Fundos Fundo Mauá Mauá Top Mauá FIX Mauá Bolsa Mauá Empresas CDI IBOV IPCA+6% Dólar Janeiro -0.70% 0.76% 0.56% -3.65% -1.53% 0.66% -4.65% 1.06% 7.67% Fevereiro 1.75% 2.06% 0.90% 1.53% -0.05% 0.59% 1.68% 1.08% -3.40% Março 1.35% 0.96% 0.87% 2.15% 3.27% 0.76% 5.82% 1.04% -1.66% Abril 0.90% 0.86% 0.70% -3.10% -1.29% 0.70% -4.04% 0.99% -2.83% % 4.72% 3.07% -3.16% 0.34% 2.73% -1.54% 4.51% -0.61% % 10.70% 12.68% % 89.55% 9.88% 82.66% 10.51% % % 13.44% 6.45% % 6.84% 12.38% % 0.87% 31.94% % 7.80% % % 43.68% % % 15.94% % % 33.73% % % % 27.71% % % % 17.81% % % % 53.64% % Desde o Início % 64.37% 23.62% % % PL(em R$MM) $ $5.61 $ $30.21 $ PL estratégia $ $56.14 $ $30.21 $ Data de Início 25/08/ /05/ /09/ /05/ /11/ desde 25/08/2003 Fundo Mauá O fundo obteve resultado final de 0.90% no período. Durante o mês de abril, modificamos nossas posições para uma estrutura de arbitragem em taxas a termo nas partes intermediária e longa da curva, além de uma posição de flattener na curva de juros, visando a decisão do Copom, transformando, no final do mês, em uma posição com viés aplicado na parte intermediária. Tais posições nos geraram 0.15%. Acreditamos que, com a alta indefinição sobre o cenário internacional, e a política monetária que começa a ficar mais definida, as maiores oportunidades de ganho estão em arbitragens com retorno assimétrico nas partes intermediária e longa da curva, somados a flatteners na parte intermediária. Além disso, acreditamos que ainda existe uma oportunidade de ganho de carrego de curto prazo nas NTN-Bs mais curtas, o que nos fez manter uma posição comprada em inflação, resultando em 0.01% de alta no mês. No mercado de câmbio, mantivemos nossa principal posição vendida em euro contra o dólar. Em nossa visão, so possíveis resultados da questão fiscal européia tem um impacto negativo no euro contra o dólar, e dado o aumento das incertezas com esse viés, aumentamos nossa posição vendida em euro. Além dessa, aproveitamos as altas oscilações do real para montar posições de trading de curto prazo. Essas estratégias nos geraram ganhos de 0.21% no mês. A nossa terceira posição foi no mercado de ações, através de duas distintas estratégias: a primeira é uma posição direcional vendida em bolsa através de opções, que fomos diminuindo o risco a medida 3

4 que a bolsa foi caindo. A segunda estratégia é composta de Long/Shorts, principalmente entre consumo e credenciadoras de cartão de crédito. O conjunto dessas estratégias nos gerou um ganho de 0.23% no mês. ATRIBUIÇÃO DE PERFORMANCE E POR ESTRATÉGIA ESTRATÉGIA ATRIB. DE PERF. MÉDIO 2 MAX 1.0% Risco Dívida 0.00% Dólar 0.21% Inflação 0.01% Juros 0.15% Cupom 0.01% Bolsa 0.23% Long/Short 0.10% Direcional 0.13% RESULTADO BRUTO EXC 0.62% % 0.0% Pontos de stress Caixa 0.00% CDI 0.70% Despesas -0.42% -0.5% -2.5 RESULTADO MÊS % (% DO CDI) 129% RESULTADO ANO % (% DO CDI) 122% -1.0% Dívida Dólar Inflação Juros Cupom Bolsa Líquido de taxa de administração e performance 2 Valor médio -- número máximo de pontos de stress admitido pela disciplina interna de controle de risco do gestor: 15,0 pontos 3 Uso de risco máximo em cada estratégia e no fundo apresentado no mês Fundo Mauá TOP A performance do fundo foi de 0.86% em Abril. No mês, houve poucas oportunidades assimétricas enquadradas nos métodos quantitativos, de modo que o fundo performou devido ao caixa que rende a estratégia FIX, que nos gerou um resultado de 0.21% no mês. Já no mercado de Renda Variável, mantivemos a posição de arbitragem no setor de credenciadoras de cartão de crédito, mas a medida que a assimetria nesse setor foi decrescendo, fomos diminuindo o risco da posição. Com isso, nós obtivemos um retorno positivo de 0.24% no mês. 4

5 ATRIBUIÇÃO DE PERFORMANCE E POR ESTRATÉGIA CARTA MENSAL ESTRATÉGIA ATRIB. DE PERF. MÉDIO 2 MAX 0.80% Risco 4.0 Dívida Direcional 0.00% Dólar -0.12% Inflação 0.00% Juros 0.31% Cupom 0.02% Bolsa 0.24% RESULTADO BRUTO EXC 0.45% 6.1 Caixa 0.04% CDI 0.70% Despesas -0.33% 0.50% 0.20% -0.10% -0.40% -0.70% Pontos de stress RESULTADO MÊS % (% DO CDI) 123% RESULTADO ANO % (% DO CDI) 173% -1.00% Dívida Direcional Dólar Inflação Juros Cupom Bolsa Líquido de taxa de administração e performance 2 Valor médio -- número máximo de pontos de stress admitido pela disciplina interna de controle de risco do gestor: 15,0 pontos Mauá FIX FIM O fundo teve uma performance de 0.70% no período. Pode-se destacar a posição de arbitragem na parte intermediária da curva. Tal estratégia vem apresentando boa parte do uso de risco do fundo e ainda se figura como grande oportunidade de ganhos para o curto prazo, apresentando um ganho de 0.27% no mês. Vale ressaltar também a posição em câmbio. Começamos o mês com uma posição comprada em dólar via opções, zeramos ao longo do mês e substituímos por uma estratégia de trading em curtos ranges de preço. Acreditamos que, com a piora da crise européia, o câmbio apresenta vários swings de curto prazo, de modo que a melhor estratégia para capturar o ganho seja o trading de curto prazo. Somado a isso, o fundo passou boa parte do mês vendido em euro contra o dólar. Tais estratégias nos geraram um retorno de -0.15% no mês. 5

6 ATRIBUIÇÃO DE PERFORMANCE E POR ESTRATÉGIA CARTA MENSAL ESTRATÉGIA ATRIB. DE PERF. USO DE RISCO MÉDIO 2 MAX Dívida 0.00% Dólar -0.15% Inflação 0.00% Juros 0.27% Cupom 0.02% RESULTADO BRUTO EXC 0.17% Caixa 0.02% CDI 0.70% Despesas -0.10% 0.40% 0.30% 0.20% 0.10% 0.00% -0.10% Risco Pontos de stress RESULTADO MÊS % (% DO CDI) 100% RESULTADO ANO % (% DO CDI) 112% -0.20% Dívida Dólar Inflação Juros Cupom Líquido de taxa de administração e performance 2 Valor médio -- número máximo de pontos de stress admitido pela disciplina interna de controle de risco do gestor: 15,0 pontos Mauá Bolsa No mês de abril, a performance do Fundo Mauá Bolsa foi superior ao índice Ibovespa em 0.96 ponto percentual. O índice teve queda de 4.04%, enquanto o fundo apresentou desvalorização de 3.08%. Estratégia de mercado Em abril, alguns dos grandes medos do mercado se tornaram realidade. A volatilidade vinda dos mercados externos, seja pela crise de dívida soberana na Europa, seja pelos temores de excesso de regulação bancária, impuseram severas perdas aos ativos de risco no mês. A volatilidade subiu consideravelmente, e observamos uma reversão do excesso de otimismo dos últimos meses. Neste sentido, nossa estratégia direcional começou a apresentar os resultados que esperávamos. Como mencionamos nos últimos meses, viemos pagando seguros para eventualidades como as que observamos neste mês. E como resultado, tivemos ganhos em abril. Note-se, contudo, que dada a natureza das estratégias utilizadas com derivativos, boa parte deste ganho ainda está por ser apropriada pelas cotas do fundo nos meses de maio e junho. Mantemos uma postura cautelosa, dado o tamanho dos problemas vindos de fora, e o preço elevado de alguns ativos. Ao mesmo tempo, começamos a observar preços interessantes advindos da correção em 6

7 andamento. Vamos acompanhar este processo com calma, para aumentar paulatinamente a exposição do fundo. Stockpicking O resultado de stockpicking no mês de abril foi positivo em 1.08 pontos percentuais. Os principais destaques positivos foram o setor financeiro, empresas cíclicas e de infra-estrutura, enquanto que os negativos foram os setores de telefonia e consumo. No segmento financeiro, a grande fonte de resultado foi a reversão do movimento de short squeeze verificado nas empresas de cartões de crédito. Como mencionamos em nossa carta trimestral de Outono, o movimento verificado em março e que havia nos trazido importantes perdas nos parecia desprovido de fundamentos. Ele havia nascido numa leitura equivocada da estratégia do Banco Santander neste setor, e se beneficiado da elevada posição vendida em aberto no mercado. Identificamos claramente o movimento especulativo e, uma vez revistos e reiterados os fundamentos, mantivemos firmes nossa posição. Esta estratégia foi recompensada em abril. Dentre as empresas cíclicas, nosso ganho foi advindo, principalmente, da posição underweight nas empresas de commodities sobretudo nas siderúrgicas. Além de considerarmos que os preços dos ativos embutem expectativas extremamente otimistas para os mercados mundiais de commodities, no caso das produtoras de aço esta percepção é ainda mais forte: a conjunção de elevados preços de matérias primas com mercados consumidores ainda mornos significará uma importante compressão de margem, que aparentemente está sendo ignorada pelo mercado. Em infra-estrutura, nosso ganho veio principalmente do investimento em ferrovias, através da ALL. Em termos relativos, esta empresa encontra-se em níveis de preço bastante interessantes. Ademais, os dados macroeconômicos referentes à produção agrícola são extremamente auspiciosos para a companhia. Parece-nos que apenas recentemente o mercado começou a precificar esta realidade. Vale notar que, durante o mês, assistimos a importantes operações de abertura de capital no setor. Participamos de apenas uma: a Mills, empresa prestadora de serviços de engenharia. Nos outros casos, confrontamos valuations desconfortáveis, aliados a premissas de negócios demasiadamente ousadas para termos maior nível de conforto. Do lado negativo, o destaque ficou mais uma vez com o setor de telefonia. Os resultados das empresas fixas no Brasil e no resto do continente tem reiterado a velocidade da deterioração do negócio tradicional das incumbentes, e a consequente redução de margens. Ao mesmo tempo, a estratégia agressiva dos controladores da Oi no que tange à finalização da sua reestruturação societária, gerando ainda mais conflitos com acionistas minoritários, tem frustrado ainda mais os investidores como se isso ainda fosse possível. Diminuímos nossa exposição no segmento de telefonia fixa. Já na telefonia celular, não vemos razão para o comportamento recente dos preços das ações. Enxergamos uma boa oportunidade de compra no setor, e por isso aumentamos nossos investimentos. 7

8 No setor de consumo, tivemos perdas com uma posição importante no segmento de alimentos. As exportações de carnes de frango se mostraram fracas no mês de abril, sem recuperação em preços e com volumes em queda, o que gerou uma reação negativa pelo mercado. Acreditamos em uma recuperação das exportações no médio prazo. Porém, mais importante do que isso, a dinâmica positiva de outros drivers importantes - performance de vendas e margens no mercado doméstico, queda nos preço das commodities que servem de insumo à empresa e o potencial de sinergias a serem capturadas - devem mais do que compensar uma eventual extensão do cenário externo negativo. Nossa convicção se fortalece quando levamos em consideração o nível de preço em que se encontram as ações. ATRIBUIÇÃO DE PERFORMANCE E POR ESTRATÉGIA ESTRATÉGIA ATRIB. DE PERF. MÉDIO 2 Agronegócios 0.04% 0.03 Consumo -0.30% Cíclicas 0.17% 1.65 Energia 0.08% 0.06 Setor Financeiro 1.21% 2.35 Bens Industriais -0.04% Infra-estrutura 0.12% Construção -0.03% Telefonia -0.22% 0.68 Utilities 0.05% 0.06 Setores Subtotal 1.08% 4.43 Bolsa Arbitragem 0.00% 0.00 Bolsa Direcional 0.28% 3.17 RESULTADO BRUTO EXC 1.36% 7.60 R eto rn o n o m in al 2.0% 1.5% 1.0% 0.5% 0.0% -0.5% Risco P o n to s d e s tres s -1.0% Despesas -0.40% -3.0 MÊS RESULTADO LÍQUIDO EXC 0.96% Ibovespa -4.04% Resultado Nominal % ANO RESULTADO LÍQUIDO EXC -1.62% Ibovespa -1.54% Resultado Nominal % 1 Líquido de taxa de administração e performance 2 Valor médio -- número máximo de pontos de stress admitido pela disciplina interna de controle de risco do gestor: 15,0 pontos excedentes ao Ibovespa. -1.5% -2.0% Agronegócios Consumo Cíclicas Energia Setor Financeiro Bens Industriais Infra-estrutura Construção Telefonia Utilities Bolsa Arbitragem Bolsa Direcional RETORNO EXCEDENTE AO IBOVESPA 6.0% 4.0% 2.0% 0.0% -2.0% -4.0% -6.0% -8.0% mai-06 jul-06 set-06 nov-06 jan-07 mar-07 mai-07 jul-07 set-07 nov-07 jan-08 mar-08 mai-08 jul-08 set-08 nov-08 jan-09 mar-09 mai-09 jul-09 set-09 nov-09 jan-10 mar-10 8

9 Mauá Empresas Em abril, o Fundo Mauá Empresas obteve uma perfomance negativa de 1,29%. No ano, o fundo a- cumula uma valorização de 0,34%. Ao longo mês, efetuamos algumas alterações na composição do portfólio do fundo. Em primeiro lugar, consolidamos uma posição no setor de infraestrutura, iniciada em março. Além disso, iniciamos a construção de uma posição no setor industrial que será mais detalhada ao longo dos próximos meses. Em contra-partida, realizamos um desinvestimento em Lojas Renner por conta do potencial de valorização reduzido após forte apreciação de sua ações ao longo de Reforçando suas características, o Mauá Empresas é um fundo que tem como objetivo investir em empresas com modelos de negócio bem desenvolvidos e comprovados, vantagens competitivas sustentáveis a longo prazo e alinhadas com os investidores financeiros, amparadas pelas melhores práticas de governança corporativa. A carteira é concentrada em poucas empresas, dentro da filosofia 130/30, sem alavancagem líquida. ALOCAÇÃO SETORIAL CONCENTRAÇÃO DA CARTEIRA 80% 70% 60% 50% 40% 30% 20% Utilities Telecom Setor Financeiro Mineração Infraestrutura Industriais Energia Consumo Demais -15% Caixa 30% 3 Seguintes 19% 4 Maiores 66% 10% 0% Por se tratar de um mandato de investimento com um horizonte de longo prazo, o Fundo apresenta pouco giro de sua carteira. Agradecemos a confiança e esperamos, sempre, agregar valor ao seu investimento. MAUÁ SEKULAR INVESTIMENTOS A Mauá Sekular Investimentos não comercializa nem distribui quotas de fundos de investimento ou de qualquer outro ativo financeiro. As informações contidas neste material são de caráter exclusivamente informativo, não devendo ser entendidas como uma oferta e/ou uma solicitação para aquisição de quotas de fundos de investimento. Apesar de todo o zelo, tanto na coleta quanto no manuseio das informações utilizadas na elaboração desse relatório, A Mauá Investimentos não se responsabiliza pela publicação acidental de informações incorretas. Fundos de investimento não contam com a garantia do administrador, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do Fundo Garantidor de Créditos (FGC). A rentabilidade passada não representa garantia de rentabilidade futura. Site: 9

CARTA MENSAL. Perspectivas Econômicas. Novembro 2008. Prezado Investidor,

CARTA MENSAL. Perspectivas Econômicas. Novembro 2008. Prezado Investidor, Prezado Investidor, Segue abaixo uma retrospectiva das posições dos nossos fundos, do cenário econômico no mês de novembro e nossa visão sobre as perspectivas para os próximos meses. Neste mês incluímos

Leia mais

Em Compasso de Espera

Em Compasso de Espera Carta do Gestor Em Compasso de Espera Caros Investidores, O mês de setembro será repleto de eventos nos quais importantes decisões políticas e econômicas serão tomadas. Depois de muitos discursos que demonstram

Leia mais

Carta ao Cotista Abril 2015. Ambiente Macroeconômico. Internacional

Carta ao Cotista Abril 2015. Ambiente Macroeconômico. Internacional Carta ao Cotista Abril 2015 Ambiente Macroeconômico Internacional O fraco resultado dos indicadores econômicos chineses mostrou que a segunda maior economia mundial continua em desaceleração. Os dados

Leia mais

NOTA MENSAL Dezembro/2006. Quest Fundos Multimercados

NOTA MENSAL Dezembro/2006. Quest Fundos Multimercados NOTA MENSAL Dezembro/20 Quest Fundos Multimercados O ambiente de mercado foi bastante positivo em dezembro, em função do aumento da confiança de um pouso suave da economia americana, apesar dos riscos

Leia mais

Carta Mensal Mauá Sekular

Carta Mensal Mauá Sekular Mauá Participações I e II www.mauasekular.com.br contato@mauasekular.com.br Carta Mensal Mauá Sekular Fundos Macro Maio 2015 Sumário (I) (II) (III) Cenário Internacional Cenário Doméstico Principais Estratégias

Leia mais

Relatório Mensal - Fevereiro de 2015

Relatório Mensal - Fevereiro de 2015 Relatório Mensal - Relatório Mensal Carta do Gestor O Ibovespa encerrou o mês de fevereiro com alta de 9,97%, recuperando as perdas do início do ano. Mesmo com o cenário macroeconômico bastante nebuloso

Leia mais

A seguir, detalhamos as principais posições do trimestre. PACIFICO HEDGE JULHO DE 2014 1

A seguir, detalhamos as principais posições do trimestre. PACIFICO HEDGE JULHO DE 2014 1 No segundo trimestre de 2014, o fundo Pacifico Hedge FIQ FIM apresentou rentabilidade de 1,41%, líquida de taxas. No mesmo período, o CDI apresentou variação de 2,51% e o mercado de bolsa valorizou-se

Leia mais

Relatório Mensal - Setembro de 2013

Relatório Mensal - Setembro de 2013 Relatório Mensal - Relatório Mensal Carta do Gestor O Ibovespa emplacou o terceiro mês de alta consecutiva e fechou setembro com valorização de 4,65%. Apesar dos indicadores econômicos domésticos ainda

Leia mais

Relatório Mensal Dezembro de 2015

Relatório Mensal Dezembro de 2015 Relatório Mensal Relatório Mensal Carta do Gestor O Ibovespa teve um desfecho melancólico no ultimo mês de 2015, fechando com queda de 3,92% e acumulando uma retração de 13,31% no ano. O cenário econômico

Leia mais

A seguir, detalhamos as principais posições do trimestre. PACIFICO HEDGE OUTUBRO DE 2015 1

A seguir, detalhamos as principais posições do trimestre. PACIFICO HEDGE OUTUBRO DE 2015 1 No terceiro trimestre de 2015, o fundo Pacifico Hedge FIQ FIM apresentou rentabilidade de -2,75%, líquida de taxas. No mesmo período, o CDI apresentou variação de 3,43% e o mercado de bolsa apresentou

Leia mais

Relatório Mensal - Junho de 2013

Relatório Mensal - Junho de 2013 Relatório Mensal - Relatório Mensal Carta do Gestor Junho foi mais um mês bastante negativo para o Ibovespa. O índice fechou em queda pelo sexto mês consecutivo impactado pela forte saída de capital estrangeiro

Leia mais

Carta do Gestor. A Inflação Brasileira e as Desonerações Tributárias. Caros Investidores,

Carta do Gestor. A Inflação Brasileira e as Desonerações Tributárias. Caros Investidores, Carta do Gestor A Inflação Brasileira e as Desonerações Tributárias Caros Investidores, A política de desonerações tributárias que, diga-se de passagem, é bem-vinda, tem se mostrado muito mais um instrumento

Leia mais

FILOSOFIA DE INVESTIMENTO. Retorno esperado de um lançamento 80% 100% + 20% 100% ( ) = 60% ( 1 20% ) 20 =1,15%

FILOSOFIA DE INVESTIMENTO. Retorno esperado de um lançamento 80% 100% + 20% 100% ( ) = 60% ( 1 20% ) 20 =1,15% Através da CARTA TRIMESTRAL ATMOS esperamos ter uma comunicação simples e transparente com o objetivo de explicar, ao longo do tempo, como tomamos decisões de investimento. Nesta primeira carta vamos abordar

Leia mais

Report Mensal Outubro 2009

Report Mensal Outubro 2009 São Paulo, 18 de novembro de 2009. Prezado Investidor, Assim como mencionamos nas últimas cartas, em outubro tivemos mais evidências corroborando nosso cenário de que os estímulos fiscais e monetários

Leia mais

A seguir, detalhamos as principais posições do trimestre. PACIFICO HEDGE OUTUBRO DE 2014 1

A seguir, detalhamos as principais posições do trimestre. PACIFICO HEDGE OUTUBRO DE 2014 1 No terceiro trimestre de 2014, o fundo Pacifico Hedge FIQ FIM apresentou rentabilidade de -0,07%, líquida de taxas. No mesmo período, o CDI apresentou variação de 2,72% e o mercado de bolsa valorizou-se

Leia mais

Carta do gestor Setembro 2013

Carta do gestor Setembro 2013 Carta do gestor Setembro 2013 Em setembro, observamos significativa desvalorização do dólar e alta dos preços dos ativos de risco em geral. Por trás destes movimentos temos, principalmente, a percepção

Leia mais

CARTA MENSAL SulAmérica Total Return FI Ações Novembro 2014

CARTA MENSAL SulAmérica Total Return FI Ações Novembro 2014 CARTA MENSAL SulAmérica Total Return FI Ações Novembro 2014 Cenário Internacional Crescimento mundial: gradual e desequilibrado A economia mundial fecha 2014 com um desempenho não muito diferente daquele

Leia mais

São Paulo, 10 julho de 2009. Prezado Investidor,

São Paulo, 10 julho de 2009. Prezado Investidor, São Paulo, 10 julho de 2009. Prezado Investidor, No mês de junho o cenário econômico teve comportamento próximo ao esperado, confirmando a expectativa de recuperação industrial no mundo, com destaque para

Leia mais

Portfólio Dinâmico Julho 2013

Portfólio Dinâmico Julho 2013 Portfólio Dinâmico Julho 2013 : : O ÚLTIMO MÊS O desempenho dos ativos em Julho e no acumulado de 12 meses está descrito nas figuras abaixo: ntnb 1,51 ntnb 0,6 pré 1,34 pré 5,4 ações 1,49 ações 6,0 dolar

Leia mais

Relatório Mensal Agosto/2015

Relatório Mensal Agosto/2015 1. Cenário Econômico Relatório Mensal GLOBAL: A ata da reunião de julho do FOMC (Federal Open Market Committee) trouxe um tom mais conciliador. Embora a avaliação em relação à atividade econômica tenha

Leia mais

A seguir, detalhamos as principais posições do trimestre. PACIFICO HEDGE JANEIRO DE 2015 1

A seguir, detalhamos as principais posições do trimestre. PACIFICO HEDGE JANEIRO DE 2015 1 No quarto trimestre de 2014, o fundo Pacifico Hedge FIQ FIM apresentou rentabilidade de 0,79%, líquida de taxas. No mesmo período, o CDI apresentou variação de 2,76% e o mercado de bolsa mostrou queda

Leia mais

Relatório de Gestão Renda Fixa e Multimercados Julho de 2013

Relatório de Gestão Renda Fixa e Multimercados Julho de 2013 Relatório de Gestão Renda Fixa e Multimercados Julho de 2013 Política e Economia Atividade Econômica: Os indicadores de atividade, de forma geral, apresentaram baixo desempenho em maio. A produção industrial

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL DE INVESTIMENTOS INFINITY JUSPREV

RELATÓRIO MENSAL DE INVESTIMENTOS INFINITY JUSPREV São Paulo, 06 de julho de 2010. CENÁRIO ECONÔMICO EM JUNHO A persistência dos temores em relação à continuidade do processo de recuperação das economias centrais após a divulgação dos recentes dados de

Leia mais

Carta de Gestão Junho 2010

Carta de Gestão Junho 2010 Carta de Gestão Junho 2010 O mês de junho foi marcado pela continuidade no movimento de aversão a risco verificado em maio, a partir da divulgação de indicadores que começaram a apontar para uma desaceleração

Leia mais

Relatório de Gestão Invext FIA. Maio - Junho

Relatório de Gestão Invext FIA. Maio - Junho Relatório de Gestão Maio - Junho 2013 1 Filosofia O é um fundo de ações alinhado com a filosofia de value investing. O fundo possui uma estratégia de gestão que busca capturar de forma contínua oportunidades

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO JANEIRO 2008

RELATÓRIO DE GESTÃO JANEIRO 2008 RELATÓRIO DE GESTÃO JANEIRO 2008 Este material tem o único propósito de divulgar informações e dar transparência à gestão executada pela Edge Investimentos, não deve ser considerado como oferta de venda

Leia mais

Relatório Mensal - Novembro de 2013

Relatório Mensal - Novembro de 2013 Relatório Mensal - Relatório Mensal Carta do Gestor Depois de quatro meses consecutivos de alta, o Ibovespa terminou o mês de novembro com queda de 3,27%, aos 52.842 pontos. No cenário externo, os dados

Leia mais

Opportunity. Resultado. Agosto de 2012

Opportunity. Resultado. Agosto de 2012 Opportunity Equity Hedge FIC FIM Agosto de 2012 Resultado Ao longo do segundo trimestre de 2012, o Opportunity Equity Hedge alcançou uma rentabilidade de 5% depois de taxas, o que representa 239,6% do

Leia mais

Carta do Gestor. O mau humor dos investidores com o Brasil tem fundamento? Caros Investidores,

Carta do Gestor. O mau humor dos investidores com o Brasil tem fundamento? Caros Investidores, Carta do Gestor O mau humor dos investidores com o Brasil tem fundamento? Caros Investidores, Nos últimos meses, tem ficado cada vez mais clara e generalizada uma percepção negativa por parte dos investidores

Leia mais

Alguns preferem papéis federais mais curtos, de menor risco, mas há os que sugerem títulos um pouco mais longos corrigidos pela inflação.

Alguns preferem papéis federais mais curtos, de menor risco, mas há os que sugerem títulos um pouco mais longos corrigidos pela inflação. Empírica Investimentos na mídia EXAME Janeiro 23/12/2014 Com juro alto, renda fixa é mais atrativa e Petrobras, opção A alta dos juros na semana passada por conta da instabilidade externa tornou mais atrativos

Leia mais

Carta do Gestor. Vento Contra. Caros Investidores,

Carta do Gestor. Vento Contra. Caros Investidores, Carta do Gestor Vento Contra Caros Investidores, Há alguns meses temos ressaltado em nossas cartas a piora do ambiente global para as economias emergentes. Esse vento contra, formado inicialmente pela

Leia mais

Respostas Erradas para Perguntas Difíceis

Respostas Erradas para Perguntas Difíceis Carta do Gestor Respostas Erradas para Perguntas Difíceis Caros Investidores, Ao longo das últimas semanas, continuamos a observar a piora dos fundamentos da economia brasileira. Os problemas que surgem

Leia mais

Relatório Econômico Mensal JULHO/13

Relatório Econômico Mensal JULHO/13 Relatório Econômico Mensal JULHO/13 Índice INDICADORES FINANCEIROS 3 PROJEÇÕES 4 CENÁRIO EXTERNO 5 CENÁRIO DOMÉSTICO 7 RENDA FIXA 8 RENDA VARIÁVEL 9 Indicadores Financeiros BOLSA DE VALORES AMÉRICAS mês

Leia mais

Choques Desequilibram a Economia Global

Choques Desequilibram a Economia Global Choques Desequilibram a Economia Global Uma série de choques reduziu o ritmo da recuperação econômica global em 2011. As economias emergentes como um todo se saíram bem melhor do que as economias avançadas,

Leia mais

Carta do gestor Setembro 2015

Carta do gestor Setembro 2015 Carta do gestor Setembro 2015 O trimestre que passou foi marcado pelo aumento da volatilidade nos mercados. As bolsas caíram, os ativos de crédito se depreciaram e o dólar se valorizou, principalmente

Leia mais

A seguir, detalhamos as principais posições do trimestre. PACIFICO HEDGE JULHO DE 2015 1

A seguir, detalhamos as principais posições do trimestre. PACIFICO HEDGE JULHO DE 2015 1 No segundo trimestre de 2015, o fundo Pacifico Hedge FIQ FIM apresentou rentabilidade de 3,61%, líquida de taxas. No mesmo período, o CDI apresentou variação de 3,03% e o mercado de bolsa valorizou-se

Leia mais

Relatório de Gestão Renda Fixa e Multimercados Junho de 2013

Relatório de Gestão Renda Fixa e Multimercados Junho de 2013 Relatório de Gestão Renda Fixa e Multimercados Junho de 2013 Política e Economia Atividade Econômica: Os indicadores de atividade, de forma geral, apresentaram bom desempenho em abril. A produção industrial

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL DE INVESTIMENTOS

RELATÓRIO MENSAL DE INVESTIMENTOS São Paulo, 04 de setembro de 2015. Prezados Cotistas, Segue o nosso Relatório Mensal de Investimentos de Agosto de 2015. Abaixo apresentamos o cenário econômico, o desempenho dos nossos fundos no período

Leia mais

Retorno dos Investimentos 1º semestre 2011

Retorno dos Investimentos 1º semestre 2011 Retorno dos Investimentos 1º semestre 2011 Cesar Soares Barbosa Diretor de Previdência É responsável também pela gestão dos recursos garantidores dos planos de benefícios administrados pela Sabesprev,

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL DE INVESTIMENTOS INFINITY JUSPREV

RELATÓRIO MENSAL DE INVESTIMENTOS INFINITY JUSPREV São Paulo, 07 de março de 2012. CENÁRIO ECONÔMICO EM FEVEREIRO O mês de fevereiro foi marcado pela continuidade do movimento de alta dos mercados de ações em todo o mundo, ainda que em um ritmo bem menor

Leia mais

Relatório de Análise dos Investimentos. da OABPREV SP. Maio de 2015

Relatório de Análise dos Investimentos. da OABPREV SP. Maio de 2015 Relatório de Análise dos Investimentos da OABPREV SP Maio de 2015 1. Introdução O presente Relatório de Análise dos Investimentos visa fornecer algumas análises quantitativas do mercado (indicadores financeiros),

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL DE INVESTIMENTOS INFINITY JUSPREV

RELATÓRIO MENSAL DE INVESTIMENTOS INFINITY JUSPREV CENÁRIO ECONÔMICO EM OUTUBRO São Paulo, 04 de novembro de 2010. O mês de outubro foi marcado pela continuidade do processo de lenta recuperação das economias maduras, porém com bons resultados no setor

Leia mais

CARTA JBI FOCUS #11 Janeiro 2013

CARTA JBI FOCUS #11 Janeiro 2013 CARTA JBI FOCUS #11 Janeiro 2013 ÍNDICE PRINCIPAIS CONTRIBUIÇÕES EM 2012... 3 O IMPACTO DA MP 579 NA CARTEIRA... 4 A MP 579 E O CONFLITO DE INTERESSES NAS SOCIEDADES DE ECONOMIA MISTA... 5 2 Carta JBI

Leia mais

Relatório Econômico Mensal. Abril - 2012

Relatório Econômico Mensal. Abril - 2012 Relatório Econômico Mensal Abril - 2012 Índice Indicadores Financeiros...3 Projeções...4 Cenário Externo...5 Cenário Doméstico...7 Renda Fixa...8 Renda Variável...9 Indicadores - Março 2012 Eduardo Castro

Leia mais

Carta ao Cotista Junho 2015. Ambiente Macroeconômico. Internacional

Carta ao Cotista Junho 2015. Ambiente Macroeconômico. Internacional Carta ao Cotista Junho 2015 Ambiente Macroeconômico Internacional Dados recentes do mercado de trabalho americano (desaceleração dos salários), variável chave para as perspectivas inflacionarias e decisão

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL DE INVESTIMENTOS

RELATÓRIO MENSAL DE INVESTIMENTOS São Paulo, 05 de outubro de 2015. Prezados Cotistas, Segue o nosso Relatório Mensal de Investimentos de Setembro de 2015. Abaixo apresentamos o cenário econômico, o desempenho dos nossos fundos no período

Leia mais

Carta ao Cotista Dezembro 2015. Ambiente Macroeconômico. Internacional

Carta ao Cotista Dezembro 2015. Ambiente Macroeconômico. Internacional Carta ao Cotista Dezembro 2015 Ambiente Macroeconômico Internacional O Federal Reserve elevou a taxa de juros em 25bps, subindo os juros no intervalo de 0,25% a 0,50%. Mais importante foi a sinalização

Leia mais

Política e Alternativas de Investimentos. Alessandra Cardoso Towers Watson

Política e Alternativas de Investimentos. Alessandra Cardoso Towers Watson Política e Alternativas de Investimentos Alessandra Cardoso Towers Watson Processo de gestão de recursos Governança Definir Definição dos objetivos Alocação dos recursos Estrutura de investimento Executar

Leia mais

CSHG Crédito Privado Magis FIC FIM LP

CSHG Crédito Privado Magis FIC FIM LP CSHG Asset Management Comentários do gestor CSHG Crédito Privado Magis FIC FIM LP Setembro de 2014 1. Revisão do resultado do O obteve rentabilidade de (a) 1,01% (111,1% do ) no mês; (b) 8,44% (107,8%

Leia mais

Paineiras Hedge FIC FIM

Paineiras Hedge FIC FIM Cenário Econômico e Perspectivas A experiência de observar ciclos econômicos no passado sugere que é sempre prudente analisar a conjuntura econômica sob dois prismas interligados, porém distintos: o fundamento

Leia mais

A seguir, detalhamos as principais posições do trimestre. PACIFICO HEDGE ABRIL DE 2014 1

A seguir, detalhamos as principais posições do trimestre. PACIFICO HEDGE ABRIL DE 2014 1 No primeiro trimestre de 2014, o fundo Pacifico Hedge FIQ FIM apresentou rentabilidade de -0,04%, líquida de taxas. No mesmo período, o CDI foi de 2,40% e o mercado de bolsa mostrou queda de 2,12%, quando

Leia mais

CSHG Equity Hedge FIC FIM

CSHG Equity Hedge FIC FIM CSHG Asset Management Comentários do gestor CSHG Equity Hedge FIC FIM Setembro de 2013 O CSHG Equity Hedge FIC FIM teve rentabilidade de 1,96% em setembro ante uma variação de 0,70% do CDI. Ao longo do

Leia mais

XP Long Short FIM 3T14

XP Long Short FIM 3T14 O XP LONG SHORT FIM é um Fundo Multimercado neutro que busca obter retornos superiores ao CDI, por meio de uma gestão ativa no mercado acionário. A estratégia combina posições long em uma carteira selecionada

Leia mais

OPPORTUNITY LONG BIASED FIC FIM

OPPORTUNITY LONG BIASED FIC FIM OPPORTUNITY LONG BIASED FIC FIM [ ÍNDICE ] Opportunity Histórico, Equipe e Filosofia de Investimentos Processo de Tomada de Decisão Opportunity Long Biased FIC FIM Resultado Portfólio de ações 3 [ OPPORTUNITY

Leia mais

Investimentos para Investidores Institucionais Fernando Lovisotto

Investimentos para Investidores Institucionais Fernando Lovisotto Investimentos para Investidores Institucionais Fernando Lovisotto Importante: Este documento não constitui uma opinião ou recomendação, legal ou de qualquer outra natureza, por parte da Vinci Partners,

Leia mais

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA 5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA Os sinais de redução de riscos inflacionários já haviam sido descritos na última Carta de Conjuntura, o que fez com que o Comitê de Política Monetária (Copom) decidisse

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO. 3º Trimestre 2013

RELATÓRIO DE GESTÃO. 3º Trimestre 2013 RELATÓRIO DE GESTÃO 3º Trimestre 2013 Este material tem o único propósito de divulgar informações e dar transparência à gestão executada pela Edge Investimentos, não deve ser considerado como oferta de

Leia mais

Relatório Econômico Mensal NOVEMBRO/14

Relatório Econômico Mensal NOVEMBRO/14 Relatório Econômico Mensal NOVEMBRO/14 Índice INDICADORES FINANCEIROS 3 PROJEÇÕES 4 CENÁRIO EXTERNO 6 CENÁRIO DOMÉSTICO 7 RENDA FIXA 8 RENDA VARIÁVEL 8 Indicadores Financeiros BOLSA DE VALORES AMÉRICAS

Leia mais

Relatório Econômico Mensal JANEIRO/13

Relatório Econômico Mensal JANEIRO/13 Relatório Econômico Mensal JANEIRO/13 Índice INDICADORES FINANCEIROS 3 PROJEÇÕES 4 CENÁRIO EXTERNO 5 CENÁRIO DOMÉSTICO 7 RENDA FIXA 8 RENDA VARIÁVEL 9 Indicadores Financeiros Projeções Economia Global

Leia mais

Anúncio de Reestruturação Financeira

Anúncio de Reestruturação Financeira Anúncio de Reestruturação Financeira 1 Considerações Futuras Algumas informações sobre o Plano de Reestruturação Financeira da Companhia apresentam nossas expectativas sobre o resultado que poderemos obter

Leia mais

CARTA AO INVESTIDOR 4º TRIMESTRE

CARTA AO INVESTIDOR 4º TRIMESTRE CARTA AO INVESTIDOR 4º TRIMESTRE Você só precisa fazer algumas poucas coisas certas na vida desde que não faça muitas erradas. Warren Buffett Este material tem o único propósito de divulgar informações

Leia mais

CARTA AOS ACIONISTAS JULHO 2012

CARTA AOS ACIONISTAS JULHO 2012 CARTA AOS ACIONISTAS JULHO 2012 (Esta página foi intencionalmente deixada em branco) Este material tem o único propósito de divulgar informações e dar transparência à gestão executada pela Nebraska Capital,

Leia mais

FCLCapital. Junho 2015. www.fclcapital.com

FCLCapital. Junho 2015. www.fclcapital.com Junho 2015 www.fclcapital.com FCL Equities FIA Filosofia de Investimentos - Pág. 4 Estratégia Long-Biased - Pág. 5 Processo de Investimentos - Pág. 6 Gestão de Riscos - Pág. 10 1 Plano de Crescimento Plano

Leia mais

Extrato de Fundos de Investimento

Extrato de Fundos de Investimento Extrato de Fundos de Investimento São Paulo, 02 de Janeiro de 2015 Prezado(a) Período de Movimentação FUNDO DE PENSAO MULTIPATR OAB 01/12/2014 a 31/12/2014 Panorama Mensal Dezembro 2014 A volatilidade

Leia mais

a) mercados de derivativos, tais como, exemplificativamente, índices de ações, índices de preços, câmbio (moedas), juros;

a) mercados de derivativos, tais como, exemplificativamente, índices de ações, índices de preços, câmbio (moedas), juros; CREDIT SUISSE HEDGINGGRIFFO 1. Públicoalvo LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS dezembro/2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o CSHG EQUITY HEDGE LEVANTE FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

DOUTOR MAURÍCIO CARDOSO-RS POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

DOUTOR MAURÍCIO CARDOSO-RS POLÍTICA DE INVESTIMENTOS RPPS Fundo de Aposentadoria e Pensão do Servidor FAPS DOUTOR MAURÍCIO CARDOSO-RS POLÍTICA DE INVESTIMENTOS 2015 1. FINALIDADE DA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS Este documento estabelece o modelo de investimentos

Leia mais

Relatório Econômico Mensal DEZEMBRO/14

Relatório Econômico Mensal DEZEMBRO/14 Relatório Econômico Mensal DEZEMBRO/14 Índice INDICADORES FINANCEIROS 3 PROJEÇÕES 4 CENÁRIO EXTERNO 6 CENÁRIO DOMÉSTICO 7 RENDA FIXA 8 RENDA VARIÁVEL 8 Indicadores Financeiros BOLSA DE VALORES AMÉRICAS

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS CAGEPREV - FUNDAÇÃO CAGECE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PLANO DE BENEFÍCIO DE CONTRIBUIÇÃO VARIÁVEL Vigência: 01/01/2013 a 31/12/2017 1. OBJETIVOS A Política de Investimentos tem

Leia mais

Carta Mensal Iporanga Julho de 2015

Carta Mensal Iporanga Julho de 2015 O fundo Iporanga Macro FIC FIM apresentou rendimento mensal de 3.7% (318% do CDI) em Julho. O mês também marca os primeiros doze meses de atividades do fundo, que durante o período obteve um rendimento

Leia mais

CSHG ALL VERDE AM PRISMA FIC FIM IE Relatório de Gestão Junho de 2015

CSHG ALL VERDE AM PRISMA FIC FIM IE Relatório de Gestão Junho de 2015 Relatório de Gestão Junho de 215 Desempenho Junho 215 Acumulado 215 Prisma -2,39% 18,13% Para mais informações relevantes à análise da rentabilidade deste Fundo - tais como taxa de administração, taxa

Leia mais

Informativo Wealth AAI. Dezembro 2014

Informativo Wealth AAI. Dezembro 2014 Informativo Wealth AAI Dezembro 2014 Sobre o Informativo Wealth AAI Visando ampliar o nível de informação e melhor atendimento aos nossos clientes e parceiros, a Wealth Management da Gradual envia um informativo

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA MUNICIPAL DE NOVA PRATA RS RELATÓRIO BIMESTRAL 01/2015 JANEIRO E FEVEREIRO DE 2015

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA MUNICIPAL DE NOVA PRATA RS RELATÓRIO BIMESTRAL 01/2015 JANEIRO E FEVEREIRO DE 2015 ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA MUNICIPAL DE NOVA PRATA RS RELATÓRIO BIMESTRAL 01/2015 JANEIRO E FEVEREIRO DE 2015 Como Presidente e Gestora do Instituto de Previdência

Leia mais

Política de Investimentos Plano de Gestão Administrativa - PGA

Política de Investimentos Plano de Gestão Administrativa - PGA Plano de Gestão Administrativa - PGA Ano de Vigência - 2015 1/13 Introdução Este documento formaliza os objetivos e restrições de investimento da gestão dos recursos do, através da designação dos segmentos

Leia mais

Carta de Gestão Agosto 2009

Carta de Gestão Agosto 2009 Carta de Gestão Agosto 2009 O mês de agosto foi marcado pela continuidade no processo de recuperação da economia global, com indicadores econômicos surpreendendo positivamente as expectativas dos agentes.

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE A ESTABILIDADE FINANCEIRA MUNDIAL, OUTUBRO DE 2015. A estabilidade financeira aumentou nas economias avançadas

RELATÓRIO SOBRE A ESTABILIDADE FINANCEIRA MUNDIAL, OUTUBRO DE 2015. A estabilidade financeira aumentou nas economias avançadas 7 de outubro de 2015 RELATÓRIO SOBRE A ESTABILIDADE FINANCEIRA MUNDIAL, OUTUBRO DE 2015 RESUMO ANALÍTICO A estabilidade financeira aumentou nas economias avançadas A estabilidade financeira aumentou nas

Leia mais

Carta Mensal Iporanga Agosto de 2015

Carta Mensal Iporanga Agosto de 2015 O fundo Iporanga Macro FIC FIM apresentou rendimento mensal de 2.30% (208% do CDI) em Agosto. No acumulado de 2015, o fundo obteve um rendimento de 27.73% (332% do CDI). Brasil O mês de Agosto marcou a

Leia mais

RENDA FIXA TESOURO DIRETO 09/10/2012

RENDA FIXA TESOURO DIRETO 09/10/2012 DESTAQUES DO RELATÓRIO: Carteira Recomendada A nossa carteira para este mês de Outubro continua estruturada considerando a expectativa de aumento da taxa de juros a partir do próximo ano. Acreditamos que

Leia mais

1. Ambiente Global...2. 2. Brasil: Tsunami Tupiniquim...2. 3. Fundo Mirae Asset MM Macro Strategy FI Comentário do Gestor...5

1. Ambiente Global...2. 2. Brasil: Tsunami Tupiniquim...2. 3. Fundo Mirae Asset MM Macro Strategy FI Comentário do Gestor...5 Tsunami tupiniquim Fonte: www.shutterstock.com Índice 1. Ambiente Global...2 2. Brasil: Tsunami Tupiniquim...2 3. Fundo Mirae Asset MM Macro Strategy FI Comentário do Gestor...5 4. Desempenho e Atribuição

Leia mais

ABRIL/2015 RELATÓRIO ECONÔMICO

ABRIL/2015 RELATÓRIO ECONÔMICO ABRIL/2015 RELATÓRIO ECONÔMICO ÍNDICE Indicadores Financeiros Pág. 3 Projeções Pág. 4-5 Cenário Externo Pág. 6 Cenário Doméstico Pág. 7 Renda Fixa e Renda Variável Pág. 8 INDICADORES FINANCEIROS BOLSA

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS CAGEPREV - FUNDAÇÃO CAGECE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA Vigência: 01/01/2013 a 31/12/2017 1. OBJETIVOS A Politica de Investimentos tem como objetivo

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO. 1º Trimestre 2012

RELATÓRIO DE GESTÃO. 1º Trimestre 2012 RELATÓRIO DE GESTÃO 1º Trimestre 2012 Este material tem o único propósito de divulgar informações e dar transparência à gestão executada pela Edge Investimentos, não deve ser considerado como oferta de

Leia mais

Cenário Macroeconômico

Cenário Macroeconômico INSTABILIDADE POLÍTICA E PIORA ECONÔMICA 24 de Março de 2015 Nas últimas semanas, a instabilidade política passou a impactar mais fortemente o risco soberano brasileiro e o Real teve forte desvalorização.

Leia mais

Desempenho Setembro 2015 Acumulado 2015. Equity Hedge 1,68% 7,51% CDI 1,11% 9,55%

Desempenho Setembro 2015 Acumulado 2015. Equity Hedge 1,68% 7,51% CDI 1,11% 9,55% Relatório de Gestão Setembro de 20 Desempenho Setembro 20 Acumulado 20 Equity Hedge 1,68% 7,51% 1,11% 9,55% Para mais informações relevantes à análise da rentabilidade deste Fundo - tais como taxa de administração,

Leia mais

Relatório Semanal de Estratégia de Investimento

Relatório Semanal de Estratégia de Investimento 12 de janeiro de 2015 Relatório Semanal de Estratégia de Investimento Destaques da Semana Economia internacional: Deflação na Europa reforça crença no QE (22/11); Pacote de U$1 trilhão em infraestrutura

Leia mais

Cenário Econômico para 2014

Cenário Econômico para 2014 Cenário Econômico para 2014 Silvia Matos 18 de Novembro de 2013 Novembro de 2013 Cenário Externo As incertezas com relação ao cenário externo em 2014 são muito elevadas Do ponto de vista de crescimento,

Leia mais

Extrato de Fundos de Investimento

Extrato de Fundos de Investimento São Paulo, 01 de Setembro de 2015 Prezado(a) FUNDO DE PENSAO MULTIPATR OAB 03/08/2015 a 31/08/2015 Panorama Mensal Agosto 2015 O mês de agosto novamente foi marcado por grande volatilidade nos mercados

Leia mais

Palestra: Macroeconomia e Cenários. Prof. Antônio Lanzana 2012

Palestra: Macroeconomia e Cenários. Prof. Antônio Lanzana 2012 Palestra: Macroeconomia e Cenários Prof. Antônio Lanzana 2012 ECONOMIA MUNDIAL E BRASILEIRA SITUAÇÃO ATUAL E CENÁRIOS SUMÁRIO I. Cenário Econômico Mundial II. Cenário Econômico Brasileiro III. Potencial

Leia mais

Estudos sobre a Taxa de Câmbio no Brasil

Estudos sobre a Taxa de Câmbio no Brasil Estudos sobre a Taxa de Câmbio no Brasil Fevereiro/2014 A taxa de câmbio é um dos principais preços relativos da economia, com influência direta no desempenho macroeconômico do país e na composição de

Leia mais

cartilha_18x10.qxd 9/20/2005 1:45 PM Page 1 dicas dos especialistas Como investir em ações utilizando Análise Fundamentalista

cartilha_18x10.qxd 9/20/2005 1:45 PM Page 1 dicas dos especialistas Como investir em ações utilizando Análise Fundamentalista cartilha_18x10.qxd 9/20/2005 1:45 PM Page 1 dicas dos especialistas Como investir em ações utilizando Análise Fundamentalista cartilha_18x10.qxd 9/20/2005 1:45 PM Page 2 Como investir em ações utilizando

Leia mais

Agosto 2012 1,43% 6,07% 0,69% 6,03% 3,32% 1,72% 0,54% 0,39% 0,12% 0,69% 10,32% 1,50% 3,51% 12,22% 1,13% -0,16% 8,79% 17,43% 1,81% -1,27%

Agosto 2012 1,43% 6,07% 0,69% 6,03% 3,32% 1,72% 0,54% 0,39% 0,12% 0,69% 10,32% 1,50% 3,51% 12,22% 1,13% -0,16% 8,79% 17,43% 1,81% -1,27% Agosto 2012 As recentes declarações das autoridades monetárias dos EUA e da Europa colocaram os investidores em uma longa espera por mais ações de estímulos. Por um lado, isso limitou o risco sistêmico,

Leia mais

Posição e Desempenho da Carteira - Resumo HSBC INSTITUIDOR FUNDO MULTIPLO - MODERADA MIX 20

Posição e Desempenho da Carteira - Resumo HSBC INSTITUIDOR FUNDO MULTIPLO - MODERADA MIX 20 BENCHMARK RF:80.00% ( 100.00%CDI ) + RV:20.00% ( 100.00%IBRX 100 ) Relatório Gerencial Consolidado - Período de 01/04/2015 Posição e Desempenho da Carteira - Resumo a 30/04/2015 pg. 1 Posição Sintética

Leia mais

INFORMATIVO FUNDOS GALT FIA - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES GERAL DIVIDENDO - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES. Química 12% Papel e Celulose 8%

INFORMATIVO FUNDOS GALT FIA - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES GERAL DIVIDENDO - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES. Química 12% Papel e Celulose 8% Outubro de 2015 INFORMATIVO FUNDOS GALT FIA - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES O Geral Asset Long Term - GALT FIA é um fundo de investimento que investe em ações, selecionadas pela metodologia de análise

Leia mais

CENÁRIOS ECONÔMICOS O QUE ESPERAR DE 2016? Prof. Antonio Lanzana Dezembro/2015

CENÁRIOS ECONÔMICOS O QUE ESPERAR DE 2016? Prof. Antonio Lanzana Dezembro/2015 CENÁRIOS ECONÔMICOS O QUE ESPERAR DE 2016? Prof. Antonio Lanzana Dezembro/2015 1 SUMÁRIO 1. Economia Mundial e Impactos sobre o Brasil 2. Política Econômica Desastrosa do Primeiro Mandato 2.1. Resultados

Leia mais

OPPORTUNITY EQUITY HEDGE FIC FIM

OPPORTUNITY EQUITY HEDGE FIC FIM OPPORTUNITY EQUITY HEDGE FIC FIM Agosto de 2013 Resultado Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano % CDI Ibovespa 2011 - - - - - - - 1,21% 1,16% 1,73% 1,77% -0,87% 5,07% 120,36% 3,85% 2012 1,65%

Leia mais

Carta de Gestão Dezembro 2009

Carta de Gestão Dezembro 2009 Carta de Gestão Dezembro 2009 Em meio à continuidade no processo de recuperação da economia global, e do bom desempenho das economias emergentes, o último mês de 2009 foi marcado pela divulgação de indicadores

Leia mais

ACOMPANHAMENTO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS DO SEGUNDO TRIMESTRE DO EXERCÍCIO DE 2011 INSTITUTO DE SEGURIDADE DO SERVIDOR MUNICIPAL CAMAÇARI, BA

ACOMPANHAMENTO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS DO SEGUNDO TRIMESTRE DO EXERCÍCIO DE 2011 INSTITUTO DE SEGURIDADE DO SERVIDOR MUNICIPAL CAMAÇARI, BA ACOMPANHAMENTO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS DO SEGUNDO TRIMESTRE DO EXERCÍCIO DE 2011 INSTITUTO DE SEGURIDADE DO SERVIDOR MUNICIPAL CAMAÇARI, BA Belo Horizonte, Julho de 2011 ÍNDICE 1. Introdução...03

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL. Julho 2010 APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL. Julho 2010 APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL Edge Investimentos Ltda. Av. Ayrton Senna 3000 Bloco 2 324 Rio de Janeiro RJ Tel: +55 (21) 2421-4262 www.edgeinvestimentos.com.br Administrador/ Distribuidor:

Leia mais

PARECER MENSAL - 6/2015 20/07/2015. Regime Próprio de Previdência Social do município de Sorriso - MT PREVISO

PARECER MENSAL - 6/2015 20/07/2015. Regime Próprio de Previdência Social do município de Sorriso - MT PREVISO PARECER MENSAL - 6/2015 20/07/2015 Regime Próprio de Previdência Social do município de Sorriso - MT PREVISO Prezado(a) Diretor(a) Executivo(a), Sr(a). Adélio Dalmolin; Atendendo a necessidade do Instituto

Leia mais

RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução.

RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução. Proibida a reprodução. A Planner oferece uma linha completa de produtos financeiros e nossa equipe de profissionais está preparada para explicar tudo o que você precisa saber para tomar suas decisões com

Leia mais

Cenário Econômico como Direcionador de Estratégias de Investimento no Brasil

Cenário Econômico como Direcionador de Estratégias de Investimento no Brasil Cenário Econômico como Direcionador de Estratégias de Investimento no Brasil VII Congresso Anbima de Fundos de Investimentos Rodrigo R. Azevedo Maio 2013 2 Principal direcionador macro de estratégias de

Leia mais