EFEITOS DO FORTALECIMENTO MUSCULAR SOBRE OS NÍVEIS DE DOR E INCAPACIDADE FUNCIONAL EM INDIVÍDUOS COM LOMBALGIA CRÔNICA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EFEITOS DO FORTALECIMENTO MUSCULAR SOBRE OS NÍVEIS DE DOR E INCAPACIDADE FUNCIONAL EM INDIVÍDUOS COM LOMBALGIA CRÔNICA"

Transcrição

1 Revista Eletrônica Novo Enfoque, ano 2012, v. 14, n. 14, p EFEITOS DO FORTALECIMENTO MUSCULAR SOBRE OS NÍVEIS DE DOR E INCAPACIDADE FUNCIONAL EM INDIVÍDUOS COM LOMBALGIA CRÔNICA MEDEIROS A, Bruna Andrade; DANTAS B, Estélio Henrique Martin; VALE C, Rodrigo Gomes de Souza; SILVA D1, Elirez Bezerra da. RESUMO A dor lombar é uma disfunção frequente que causa diminuição da qualidade de vida, da produtividade e incapacidade funcional. O objetivo do estudo foi analisar o efeito do fortalecimento muscular em portadores de lombalgia crônica. Participaram deste estudo 78 indivíduos, de ambos os gêneros, sedentários, com idade entre 20 e 45 anos, que foram divididos em dois grupos, sendo grupo controle (GC, n=39) e grupo de fortalecimento muscular (GFOR, n=39). Os participantes foram avaliados antes e após a intervenção, através da escala visual analógica da dor e do questionário de incapacidade de Rolland-Morris. Foi utilizada a estatística descritiva com média, mediana, desvio padrão, mínimo e máximo. Na análise intragrupos, foi utilizado o teste de Wilcoxon,e na análise intergrupos foi utilizado o teste não paramétrico de Kruskal-Wallis seguido das comparações múltiplas pelo teste de Mann-Whitney. Pode-se concluir que houve melhora significativa no alívio da dor e diminuição do índice de incapacidade funcional lombar para os participantes do GFOR. Palavras-chave: dor lombar, fortalecimento muscular, incapacidade. ABSTRACT Low back pain is a common disorder that causes decreased quality of life, productivity and functional disability. The aim of this study was to analyze the effect of strengthening exercises in patients with chronic low back pain. Participated in 78 individuals of both genders, sedentary, aged between 20 and 45, were divided into two groups: control group (CG, n = 39) and muscle strengthening group (GFOR, n = 39). Participants were evaluated before and after intervention by the visual analogue scale of pain and disability questionnaire Rolland-Morris. We used descriptive statistics Weah mean, median, standard deviation, minimum and maximum. In intra-group analysis was used the Wilcoxon test and inter-group analysis we used the nonparametric Kruskal-Wallis test followed by multiple comparisons using the Mann-Whitney 1 (A) Mestre em Ciências da Motricidade Humana, Universidade Castelo Branco RJ. Fisioterapeuta da Faculdade Integral Diferencial (FACID). Teresina PI. ; (B) Doutor. Pesquisador do Laboratório de Biociências da Motricidade Humana da UNIRIO. Rio de Janeiro RJ. ( C) Doutor. Pesquisador do Laboratório de Biociências da Motricidade Humana da UNIRIO. Rio de Janeiro RJ. Docente da Universidade Castelo Branco UCB-RJ. (D) Doutor. Docente e Coordenador do Laboratório de Pesquisa em Fisioterapia da Universidade Gama Filho. Rio de Janeiro RJ.

2 test. It can be concluded that there was significant improvement in pain relief and reduction in functional disability index back to the participants of GFOR. Key words: back pain, muscle strengthening, disability. INTRODUÇÃO A dor lombar é conceituada como toda condição de dor localizada na região inferior do dorso, em uma área situada entre o último arco costal e a prega glútea. Ocorrendo normalmente na região medial da coluna lombar, mais precisamente na região de L1 a L5, incluindo todas as condições de dor, com ou sem rigidez 1,2. Devido à sua complexidade, é possível classificar a lombalgia etiologicamente como: estruturais, traumáticas, mecânicas, degenerativas, inflamatórias, neoplásicas e viscerais reflexas, podendo ainda sofrer influência de fatores variados, como: doenças ósseas e metabólicas, estresse, ansiedade, má postura e tensão emocional 3. As lombalgias mecânicas são as mais incidentes e podem decorrer de alterações estruturais, biomecânicas, vasculares ou da interação destes fatores que atuam alterando a configuração espacial da coluna lombar 3,4. São caracterizadas por dor unilateral referida para a região das nádegas e das coxas, e pode ser causada por lesão muscular, ligamentar, da articulação facetária ou da articulação sacro ilíaca. Os sintomas tendem a permanecer centralizados nas costas e, quando músculos e ligamentos são afetados, ocorrerá diminuição dos movimentos da coluna e aumento da dor com movimentos repetidos 5. A dor lombar pode ser relacionada com a existência de desequilíbrios musculares provenientes de fadiga e fraqueza muscular, sobretudo da musculatura abdominal e extensora do tórax. O fortalecimento destes músculos leva a prevenção e reabilitação de desordens musculoesqueléticas, desenvolvendo o controle muscular necessário para restaurar e manter a estabilidade funcional no complexo lombo-pélvico, podendo recuperar a dor na região lombar 6,7. A função dos músculos estabilizadores do tronco, formado pelo oblíquo interno, transverso do abdome e multífidos, é de promover proteção e suporte às articulações através do controle do movimento fisiológico e translacional excessivo, pois se tratam de músculos estabilizadores profundos, possuindo uma maior densidade de fusos musculares, a fim de restabelecer seu controle motor normal 8,9. 15

3 A importância oferecida ao estudo de lombalgia tem aumentado principalmente pelo fato dela resultar em incapacidade funcional, que se traduz em impedimento de realizar determinada atividade do cotidiano dentro do padrão considerado normal. Isto afeta o desempenho do indivíduo, refletindo em sua atividade laboral e, consequentemente, na qualidade de vida 10. Embora a dor lombar afete cerca de 80% da população em algum momento de sua vida, apenas aproximadamente 10% a 20% evoluem para um quadro crônico e são responsáveis pela maior parte dos custos associados às doenças ocupacionais 1,3,4,10. O Brasil apresenta o grupo de doenças da coluna como a primeira causa de pagamento de auxílio-doença, e a terceira causa de aposentadoria por invalidez, o que implica elevado custo financeiro para os cofres públicos e privados, gerado por dias perdidos de trabalho, seguros e cuidados com a saúde 10,11. O presente estudo teve o objetivo de analisar o nível de dor e de incapacidade funcional em portadores de lombalgia crônica submetidos a um programa de fortalecimento muscular. MATERIAIS E MÉTODOS O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Faculdade Integral Diferencial (FACID) na cidade de Teresina-PI, sob protocolo de número 466, atendendo às normas da Resolução 196/96 do Conselho Nacional de Saúde (BRASIL, 1996) para a realização de pesquisa envolvendo seres humanos. Os participantes assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido após receberem as informações pertinentes ao estudo. Amostra A amostra foi constituída por um grupo de voluntários, de ambos os gêneros, com faixa etária entre 20 e 45 anos, sedentários, distribuídos de forma aleatória em um grupo de treinamento de força muscular (GFOR) e um grupo de controle (GC), sendo cada um composto por 39 participantes. Como critério de inclusão, os participantes precisaram apresentar diagnóstico de lombalgia crônica e demonstraram estarem aptos a participarem do tratamento experimental. Foram excluídos do estudo indivíduos que apresentaram patologias associadas na coluna, utilização de medicação analgésica ou anti-inflamatória e condições clínicas que impediam a execução de exercícios de força. 16

4 Procedimentos Para mensuração da intensidade dolorosa foi utilizado a Escala Visual Analógica (EVA), instrumento padronizado que compreende em uma linha horizontal de 10 cm de comprimento, em que o paciente opta por um valor de acordo com a intensidade da dor, podendo ser de zero a dez, que significam, respectivamente, sem dor e máxima dor 10,11. Para averiguar a influência da lombalgia na função do paciente, foi utilizado o questionário de incapacidade lombar de Roland-Morris, que é uma ferramenta específica para avaliar a funcionalidade lombar, sendo composto por 24 questões relacionadas à interferência da lombalgia no desempenho das atividades de vida diária 12. Como instrumentos de avaliação e aplicação do tratamento experimental para este estudo foram adotados: colchonete; bola suíça de 75cm e cronômetro da marca Carci. Tratamento estatístico Os dados coletados foram analisados por meio de estatística descritiva e inferencial, através dos programas Excel e SPSS versão 14.0 for Windows. Foi utilizada estatística descritiva com média, mediana, desvio padrão, mínimo e máximo. A normalidade da amostra foi avaliada pelo teste de Shapiro-Wilk, e a homogeneidade de variância pelo teste de Levene. Para o nível de dor, foi utilizado, na análise intragrupos, o teste de Wilcoxon. Na avaliação intergrupos, o teste não paramétrico de Kruskal-Wallis, seguido das comparações múltiplas pelo teste de Mann-Whitney. Os dados do questionário foram apresentados em frequências de ocorrências e pelas médias dos escores. Para a análise dos escores totais do nível de incapacidade foi utilizado o teste de Wilcoxon nas comparações intragrupos, e o teste de Kruskal-Wallis, seguido do teste de Mann- Whitney para as comparações intergrupos. Para a análise de frequência de respostas do questionário de incapacidade lombar, foi usado o teste de McNemar nas comparações intragrupos, e o teste do Qui-Quadrado para as comparações intergrupos. O estudo adotou o valor de p < 0,05 para a significância estatística. Tratamento experimental O grupo controle não foi submetido à intervenção, porém passou por avaliação fisioterapêutica, no início e no final da pesquisa, para controle das variáveis dor e incapacidade 17

5 funcional. O grupo experimental GFOR foi submetido a 15 dias de intervenção, com frequência de três dias por semana, com duração média de 40 minutos por atendimento, durante cinco semanas. O fortalecimento dos músculos do abdome e extensores do dorso foi realizado utilizando o protocolo de exercícios desenvolvido pelo Mestre Vicente Lima, no formato de um DVD intitulado Musculação: Posturais e Abdominais, que descreve uma análise da atividade muscular dos exercícios de musculação 13. Este protocolo constou de exercícios realizados no solo e na bola, sendo efetuados com 10 segundos de isometria, seguidos por 10 segundos de recuperação na primeira semana; na segunda semana foram 15 segundos de contração e 10 segundos de repouso; na terceira semana foram 20 segundos de contração e 15 segundos de repouso; na quarta semana foram 25 segundos de contração e 15 segundos de repouso e; na quinta semana foram 30 segundos de contração e 20 segundos de repouso. Foram realizadas 10 repetições em cada semana. Os exercícios realizados foram os seguintes: - Decúbito ventral com sustentação da extensão da coluna vertebral com os braços ao longo do corpo. - Decúbito ventral com sustentação da extensão da coluna vertebral e hiperextensão de um dos quadris com joelho em extensão. - Decúbito ventral com sustentação da extensão da coluna vertebral com hiperextensão de um dos quadris com joelho estendido e ombro contralateral em abdução de 170º com cotovelo em extensão. - Partir da posição de quatro apoios e sustentar a extensão da coluna vertebral com a hiperextensão de um dos quadris com o joelho em extensão, mantendo o ombro contralateral em abdução de 170º com o cotovelo em extensão. - Na bola, decúbito ventral com sustentação da extensão da coluna vertebral e hiperextensão de um dos quadris com o joelho em extensão. - Na bola, decúbito ventral com sustentação da extensão da coluna vertebral e hiperextensão de um dos quadris com o joelho em extensão e mantendo o ombro contralateral em abdução de 170º com o cotovelo em extensão. - Exercício abdominal superior; Exercício abdominal inferior; Exercício abdominal com rotação bilateral. RESULTADOS E DISCUSSÃO A tabela 1 apresentou a análise descritiva e inferencial de Shapiro-Wilk, amostra referente aos níveis de dor e de incapacidade funcional lombar. 18

6 Tabela 1: Estatística descritiva da amostra relativa à dor e incapacidade funcional lombar. GC MÉDIA MEDIANA DP MÍNIMO MÁXIMO SW P-VALOR IF pré 9,05 9,00 2,44 5,00 15,00 0,114 IF pós 6,92 7,00 2,34 3,00 13,00 0,127 DOR pré 5,54 6,00 1,33 3,00 8,00 0,043 DOR pós 5,36 5,00 0,90 4,00 7,00 0,401 IF pré 9,85 10,00 2,12 6,00 14,00 0,059 GFOR IF pós 4,51 4,00 1,43 2,00 8,00 0,078 DOR pré 6,23 6,00 1,40 3,00 8,00 0,004 DOR pós 3,36 3,00 1,44 1,00 6,00 0,000 Legenda: GC: grupo controle; GFOR: grupo fortalecimento; IF: incapacidade funcional; DP: desvio padrão. Na comparação intragrupos da condição dolorosa, foi possível observar que houve redução significativa no grupo experimental, conforme observado na tabela 1. De acordo com o gráfico 1, verificou-se que na comparação intergrupos do nível de dor houve redução significativa do pré para o pós-teste, sendo mais evidente no GFOR. Gráfico 1: Comparação intergrupo do nível de dor. *p<0,05; pré-teste x pós-teste; #p<0,05; pós-teste Fortalecimento x pós-teste Controle; 19

7 Isto representou que o procedimento utilizado no grupo experimental foi eficiente no tratamento da lombalgia crônica. Os resultados de analgesia da região lombar deste estudo corroboraram com os resultados de outras pesquisas que também utilizaram a escala visual analógica da dor, realizando intervenção através do isostretching 14, tratamento por manipulação miofascial 15, treinamento de estabilização segmentar 16 e treinamento de força e flexibilidade através de programa de Escola de Postura 17. Outros estudos ressaltam que o tratamento multidisciplinar inclui procedimentos físicos, acompanhamento psicológico e ocupacional e pode apresentar resultados bastante positivos, como redução da dor lombar e melhora da capacidade funcional dos pacientes 18. Partindo do princípio que a lombalgia crônica está associada à fraqueza muscular e à coordenação deficitária dos músculos, que termina por colapsar o sistema de estabilização da coluna diante da sobrecarga contínua, intensa ou repetitiva das atividades de vida diária e laborais 14,16, programas de fortalecimento muscular vêm atualmente sendo indicados para o tratamento desta patologia. Comparando os resultados intergrupos desta pesquisa, foi possível observar que houve um resultado significativo em relação à redução da dor e o provável ganho de força muscular no grupo experimental GFOR. Isto sugeriu que um programa de exercícios aumenta a força muscular e pode estabilizar melhor a coluna evitando o aparecimento de lesões e suas consequências. Este estudo confirmou os resultados de outras pesquisas que revelam que exercícios de estabilização segmentar, envolvendo contração isométrica da musculatura profunda do tronco, são eficazes na diminuição do quadro álgico e da incapacidade funcional em pacientes com lombalgia crônica 16,17. Alguns estudos demonstram que após um episódio de dor lombar ocorre rápida atrofia dos músculos eretores da espinha lombar e que esta atrofia persiste mesmo após a regressão dos sintomas. Com exercícios de força e resistência isométrica direcionados a esses músculos, a atrofia é reversível, conduzindo à melhora da postura corporal e aumento da resistência à fadiga, possibilitando a redução na recorrência da dor lombar 17,19, 20. De acordo com o gráfico 2, verificou-se na comparação intergrupos da incapacidade funcional lombar que houve redução significativa do pré para o pós-teste em ambos os grupos, ocorrendo de forma mais evidente no GFOR. 20

8 Gráfico 2: Comparação intergrupo da incapacidade funcional lombar. *p<0,05; pré-teste x pós-teste; #p<0,05; pós-teste Fortalecimento x pós-teste Controle; Para a verificação da incapacidade funcional lombar, os participantes dos grupos experimentais e de controle deste estudo responderam ao questionário de Roland-Morris que contém questões que investigam a influência da dor lombar diante da execução de atividades da vida diária. Tal questionário foi utilizado em outros estudos cujos pesquisadores tiveram o interesse de verificar se existe declínio da funcionalidade em portadores de lombalgia. Resultados similares a esta pesquisa foram encontrados nos estudos de Sena e Fonteque (2006), no qual 70% dos pacientes avaliados obtiveram melhora da funcionalidade, e por Rosa et al. (2006), em que, após o tratamento fisioterapêutico 91,67% dos pacientes, apresentaram pontuação entre 0 e 6 no questionário, correspondente à incapacidade leve, e apenas um paciente apresentou pontuação entre 7 e 12, equivalente à incapacidade moderada. Em outra pesquisa que também utilizou o questionário de Roland-Morris para verificar a interferência da dor nas costas nas atividades de vida diária do paciente, o resultado foi semelhante, de modo que na avaliação inicial 46,7% (14 pacientes) apresentaram grande incapacidade funcional e na avaliação final apenas 26,7% (08 pacientes). Foi considerado como grande incapacidade a somatória maior ou igual a 14 pontos no questionário 17. Nesta pesquisa, o desenvolvimento de força através do treinamento isométrico dos músculos paravertebrais e abdominais foi eficiente para melhorar a capacidade funcional do grupo GFOR, além de promover a redução da dor. Isso sugeriu que o fortalecimento muscular produz efeitos 21

9 positivos na recuperação de sujeitos acometidos por lombalgia, garantindo maior autonomia para a realização das atividades diárias, assemelhando-se aos resultados de outra pesquisa, onde foi satisfatório utilizar exercícios para coluna e abdome como recurso de reabilitação e melhora da qualidade de vida de indivíduos com dor lombar 19,20. CONSIDERAÇÕES FINAIS O programa de intervenção baseado no fortalecimento muscular utilizado nesta pesquisa promoveu a redução do quadro doloroso e a melhora da funcionalidade em pacientes com dor lombar crônica, permitindo o retorno para as atividades cotidianas e laborais. Agradecimentos Agradecemos à Clínica Escola de Fisioterapia da FACID e aos pacientes que gentilmente participaram da pesquisa. REFERÊNCIAS 1 TEIXEIRA, MJ., FIGUEIRÓ, JAB. Dor: epidemiologia, fisiopatologia, avaliação, síndrome dolorosa e tratamento. São Paulo: Grupo Moreira Junior, LOPES, PM. et al. Isostretching no tratamento da lombalgia crônica. Fisioterapia Brasil. V.7, n.2, TEODORI et al. Prevalência de lombalgia no setor de fisioterapia do município de Cosmópolis SP e O papel da fisioterapia na sua prevenção e recuperação. Fisioterapia Brasil. 2005; 6(2): FERNANDES, RCP.; CARVALHO, FM. Doença do disco intervertebral em trabalhadores da perfuração de petróleo. Caderno de Saúde Pública 2000; 16(3): MAGEE, D. Avaliação musculoesquelética. São Paulo: Manole, AKUTHOTA, V. Nadler SF. Core strengthening. Arch Phys Med Rehab 2004; 85(3 Supl 86):92. 22

10 7 KOLYNIAK, IEG.; CAVALCANTI, SMB.; AOKI, MS. Avaliação isocinética da musculatura envolvida na flexão e extensão do tronco: efeito do método Pilates. Rev Bras Med Esp 2004; 10(6): RICHARDSON, CA.; SNIJDERS, CJ.; HIDES, JA.; DAMEN, L.; PAS, MS.; STORM, J. The relation between the transverses abdominis muscles, sacroiliac joint mechanics, and low back pain. Spine. 2002;4(27): SULLIVAN, PBO. Lumbar segmental instability: clinal presentation and specific stabilizing exercise management. Manual Therapy. 2000; 5(1): SILVA, MC. Dor lombar crônica em uma população adulta do Sul do Brasil: prevalência e fatores associados. Cad. Saúde Pública. 2004; 20(2): MESQUITA, MG.; CAETANO, LF.; LOPES, RB.; PERNAMBUCO, CF.; SILVA, EB.; DANTAS, EHM. Hidrocinesioterapia na redução lombar avaliada através dos níveis de hidroxiprolina e dor. Fitness e Performance Journal 2006; 5(1): NUSBAUM, I et al. Translation, adaptation and validation of the Roland-Morris questionnaire Brazil Roland-Morris. Braz J Med Biol Res. 2001; 34(2): LIMA, V. Musculação: Posturais e Abdominais. DVD. Editora Sprint. Rio de Janeiro, LOPES, PM.; MACKERT, TC.; YAU, MCH.; FACCI, LM. Isostretching no tratamento da lombalgia crônica. Revista Fisioterapia Brasil 2006; 7(2): SENA, MS.; FONTEQUE, MAC. Avaliação do questionário de Roland-Morris aplicado em pacientes com lombalgia subaguda submetidos a um programa de manipulação miofascial. Revista Terapia Manual 2006; 17(4): ROSA, AS. et al. A eficiência dos exercícios de estabilização segmentar em pacientes com lombalgia crônica. Revista Terapia Manual 2006; 4(17):

11 17 CARAVIELO, EZ. et al. Avaliação da dor e função de pacientes com lombalgia tratados com programa de Escola de Coluna. Acta Fisiatr 2005; 12(1): GUZMÁN, J. et al. Multidisciplionry rehabilitation for chronic low back pain: systematic review. BMJ. 2001; 322(15): PALHARES, D.; RODRIGUES, JA.; RODRIGUES, LM. Descrição de exercícios terapêuticos para a coluna lombar. Rev. Ciênc. Méd. 2002; 11(3): REINEHRF, B.; CARPES, FP.; MOTA, CB. Influência do treinamento de estabilização central sobre a dor e estabilidade lombar. Fisioterapia em Movimento 2008; 21(1):

HIDROCINESIOTERAPIA COMPARADA AOS EXERCÍCIOS NO SOLO EM PACIENTES COM DOR LOMBAR CRÔNICA

HIDROCINESIOTERAPIA COMPARADA AOS EXERCÍCIOS NO SOLO EM PACIENTES COM DOR LOMBAR CRÔNICA ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 HIDROCINESIOTERAPIA COMPARADA AOS EXERCÍCIOS NO SOLO EM PACIENTES COM DOR LOMBAR CRÔNICA Priscila

Leia mais

MODIFICAÇÕES NA FLEXIBILIDADE E NA FORÇA MUSCULAR EM PACIENTES COM DOR LOMBAR TRATADOS COM ISOSTRETCHING E RPG

MODIFICAÇÕES NA FLEXIBILIDADE E NA FORÇA MUSCULAR EM PACIENTES COM DOR LOMBAR TRATADOS COM ISOSTRETCHING E RPG 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 MODIFICAÇÕES NA FLEXIBILIDADE E NA FORÇA MUSCULAR EM PACIENTES COM DOR LOMBAR TRATADOS COM ISOSTRETCHING E RPG Fábio Alexandre Moreschi Guastala 1, Mayara

Leia mais

TÉCNICAS EM AVALIAÇÃO E REEDUCAÇÃO POSTURAL

TÉCNICAS EM AVALIAÇÃO E REEDUCAÇÃO POSTURAL 13. CONEX Pôster Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE (X ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA TÉCNICAS

Leia mais

EFETIVIDADE DA ESCOLA DE COLUNA EM IDOSOS COM LOMBALGIA

EFETIVIDADE DA ESCOLA DE COLUNA EM IDOSOS COM LOMBALGIA EFETIVIDADE DA ESCOLA DE COLUNA EM IDOSOS COM LOMBALGIA Maria Lucia Ziroldo 1 ; Mateus Dias Antunes 2 ; Daniela Saldanha Wittig 3 ; Sonia Maria Marques Gomes Bertolini 4 RESUMO: A dor lombar é uma das

Leia mais

INFLUÊNCIA DO TREINAMENTO DE ESTABILIZAÇÃO CENTRAL SOBRE A DOR E ESTABILIDADE LOMBAR

INFLUÊNCIA DO TREINAMENTO DE ESTABILIZAÇÃO CENTRAL SOBRE A DOR E ESTABILIDADE LOMBAR INFLUÊNCIA DO TREINAMENTO DE ESTABILIZAÇÃO CENTRAL SOBRE A DOR E ESTABILIDADE LOMBAR Influence of core stabilization training on low back pain and stability Fernanda Beatriz Reinehr 1, Felipe Pivetta Carpes

Leia mais

OS BENEFÍCIOS DO MÉTODO PILATES NA LOMBALGIA

OS BENEFÍCIOS DO MÉTODO PILATES NA LOMBALGIA OS BENEFÍCIOS DO MÉTODO PILATES NA LOMBALGIA WELLINTON GONÇALVES DO SANTOS ¹ RICARDO BASÍLIO DE OLIVEIRA CALAND² LUCIANA ALVES BRANDÃO³ SONNALE DA SILVA ARAÚJO4 RESUMO A dor lombar é um mal recorrente

Leia mais

Reabilitação em Dores Crônicas da Coluna Lombar. Michel Caron Instituto Dr. Ayrton Caron Porto Alegre - RS

Reabilitação em Dores Crônicas da Coluna Lombar. Michel Caron Instituto Dr. Ayrton Caron Porto Alegre - RS Reabilitação em Dores Crônicas da Coluna Lombar Michel Caron Instituto Dr. Ayrton Caron Porto Alegre - RS Introdução - Estima-se que a dor lombar afete até 84% da população adulta. - Episódio de dor autolimitado

Leia mais

Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Lombar Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional

Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Lombar Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Lombar Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João 1. Anatomia Aplicada Existem 2 tipos de artic. encontradas

Leia mais

ARTIGO ORIGINAL LOMBALGIA: A RELAÇÃO COM A FLEXIBILIDADE DA REGIÃO POSTERIOR DA COXA E DO GLÚTEO E A FORÇA ABDOMINAL E LOMBAR

ARTIGO ORIGINAL LOMBALGIA: A RELAÇÃO COM A FLEXIBILIDADE DA REGIÃO POSTERIOR DA COXA E DO GLÚTEO E A FORÇA ABDOMINAL E LOMBAR LOMBALGIA: A RELAÇÃO COM A FLEXIBILIDADE DA REGIÃO POSTERIOR DA COXA E DO GLÚTEO E A FORÇA ABDOMINAL E LOMBAR Mariana Cristina de Jesus 1, José Francisco Daniel 2 RESUMO A lombalgia se caracteriza pela

Leia mais

TÍTULO: EFICÁCIA DO KINESIO-TAPING NO TRATAMENTO DA LOMBALGIA EM GESTANTES: ESTUDO DE CASOS

TÍTULO: EFICÁCIA DO KINESIO-TAPING NO TRATAMENTO DA LOMBALGIA EM GESTANTES: ESTUDO DE CASOS TÍTULO: EFICÁCIA DO KINESIO-TAPING NO TRATAMENTO DA LOMBALGIA EM GESTANTES: ESTUDO DE CASOS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: FISIOTERAPIA INSTITUIÇÃO: FACULDADE ANHANGUERA

Leia mais

& EFEITOS DOS EXERCÍCIOS DO MÉTODO PILATES EM PACIENTES COM DOR LOMBAR CRÔNICA

& EFEITOS DOS EXERCÍCIOS DO MÉTODO PILATES EM PACIENTES COM DOR LOMBAR CRÔNICA & EFEITOS DOS EXERCÍCIOS DO MÉTODO PILATES EM PACIENTES COM DOR LOMBAR CRÔNICA Andréia Schossler; Taíse Andrades Valente 1 Darlene Costa de Bittencourt Márcio Junior Strassburger Resumo A dor lombar é

Leia mais

12º CONGRESSO DE MEDICINA DE FAMÍLIA E COMUNIDADE

12º CONGRESSO DE MEDICINA DE FAMÍLIA E COMUNIDADE 12º CONGRESSO DE MEDICINA DE FAMÍLIA E COMUNIDADE A Importância dos Grupos de Reabilitação em Dor Crônica Realizados pela Equipe NASF AUTOR THANYTA STELLA DE CAMPOS HISTÓRICO COMO SURGIU A IDÉIA DO TRABALHO?

Leia mais

Efeito agudo do treino de Pilates sobre as dores de costas em Idosos

Efeito agudo do treino de Pilates sobre as dores de costas em Idosos Efeito agudo do treino de Pilates sobre as dores de costas em Idosos Clarissa Biehl Printes (Ph.D.) cbprintes.isce@gmail.com Porto Alegre, 2015 Introdução A literatura descreve que 70 a 85% da população

Leia mais

RELAÇÃO DA POSTURA ADOTADA PARA DORMIR E A QUEIXA DE LOMBALGIA

RELAÇÃO DA POSTURA ADOTADA PARA DORMIR E A QUEIXA DE LOMBALGIA ISBN 978-85-61091-05-7 V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 RELAÇÃO DA POSTURA ADOTADA PARA DORMIR E A QUEIXA DE LOMBALGIA Fernanda Cristina Pereira 1

Leia mais

EFEITOS IMEDIATOS DA ESCOLA DE POSTURAS DA UFPB NA DIMINUIÇAO DA DOR DE COLUNA, ESTRESSE E FADIGA

EFEITOS IMEDIATOS DA ESCOLA DE POSTURAS DA UFPB NA DIMINUIÇAO DA DOR DE COLUNA, ESTRESSE E FADIGA EFEITOS IMEDIATOS DA ESCOLA DE POSTURAS DA UFPB NA DIMINUIÇAO DA DOR DE COLUNA, ESTRESSE E FADIGA CARDIA, Maria Cláudia Gatto 1 ; LIMA, Junio Alves 2 ; NÓBREGA JR, José Carlos Nogueira 3 ; OLIVEIRA, Rayssa

Leia mais

PREVALÊNCIA DE LOMBALGIA EM ALUNOS DE FISIOTERAPIA E SUA RELAÇÃO COM A POSTURA SENTADA

PREVALÊNCIA DE LOMBALGIA EM ALUNOS DE FISIOTERAPIA E SUA RELAÇÃO COM A POSTURA SENTADA ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 PREVALÊNCIA DE LOMBALGIA EM ALUNOS DE FISIOTERAPIA E SUA RELAÇÃO COM A POSTURA SENTADA Juliana Camilla

Leia mais

Lombociatalgia. www.fisiokinesiterapia.biz

Lombociatalgia. www.fisiokinesiterapia.biz Lombociatalgia www.fisiokinesiterapia.biz Conceitos Lombalgia; Lombociatalgia; Ciatalgia/Ci /Ciática; Característica região lombar Fonte: NETTER, Frank H.. Atlas de Anatomia Humana Vértebra lombar Fonte:

Leia mais

Palavras chaves: Core; Treinamento Funcional; Musculação; Homens.

Palavras chaves: Core; Treinamento Funcional; Musculação; Homens. 1 Estudo comparativo do nível de força isométrica e estabilidade da musculatura do core entre indivíduos praticantes de treinamento funcional e de musculação. Resumo: O presente estudo teve como objetivo

Leia mais

LOMBALGIAS: MECANISMO ANÁTOMO-FUNCIONAL E TRATAMENTO

LOMBALGIAS: MECANISMO ANÁTOMO-FUNCIONAL E TRATAMENTO LOMBALGIAS: MECANISMO ANÁTOMO-FUNCIONAL E TRATAMENTO Alessandra Vascelai #, Ft, Titulacão: Especialista em Fisioterapia em Traumatologia do Adulto Reeducação Postural Global (RPG) Acupuntura. Resumo: Lombalgia

Leia mais

AVALIAÇÃO POSTURAL. Figura 1 - Alterações Posturais com a idade. 1. Desenvolvimento Postural

AVALIAÇÃO POSTURAL. Figura 1 - Alterações Posturais com a idade. 1. Desenvolvimento Postural AVALIAÇÃO POSTURAL 1. Desenvolvimento Postural Vantagens e desvantagens da postura ereta; Curvas primárias da coluna vertebral; Curvas Secundárias da coluna vertebral; Alterações posturais com a idade.

Leia mais

Título: Modelo Bioergonomia na Unidade de Correção Postural (Total Care - AMIL)

Título: Modelo Bioergonomia na Unidade de Correção Postural (Total Care - AMIL) Projeto: Unidade de Correção Postural AMIL Título: Modelo Bioergonomia na Unidade de Correção Postural (Total Care - AMIL) Autores: LACOMBE,Patricia, FURLAN, Valter, SONSIN, Katia. Instituição: Instituto

Leia mais

Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Cervical Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional

Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Cervical Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Cervical Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João 1. Anatomia Aplicada A coluna cervical consiste em diversas

Leia mais

Análise da qualidade de vida de indivíduos com hérnia de disco lombar que estão sob tratamento fisioterapêutico conservador

Análise da qualidade de vida de indivíduos com hérnia de disco lombar que estão sob tratamento fisioterapêutico conservador Análise da qualidade de vida de indivíduos com hérnia de disco lombar que estão sob tratamento fisioterapêutico conservador Analysis of the quality of life of individuals with lumbar record hernia that

Leia mais

PILATES E BIOMECÂNICA. Thaís Lima

PILATES E BIOMECÂNICA. Thaís Lima PILATES E BIOMECÂNICA Thaís Lima RÍTMO LOMBOPÉLVICO Estabilidade lombopélvica pode ser definida como a habilidade de atingir e manter o alinhamento ótimo dos segmentos da coluna (lombar e torácica), da

Leia mais

A EFICIÊNCIA DO ALONGAMENTO ESTÁTICO E ALONGAMENTO DINÂMICO NA FLEXIBILIDADE DE TRABALHADORES DE UMA EMPRESA EM BRUSQUE SC

A EFICIÊNCIA DO ALONGAMENTO ESTÁTICO E ALONGAMENTO DINÂMICO NA FLEXIBILIDADE DE TRABALHADORES DE UMA EMPRESA EM BRUSQUE SC A EFICIÊNCIA DO ALONGAMENTO ESTÁTICO E ALONGAMENTO DINÂMICO NA FLEXIBILIDADE DE TRABALHADORES DE UMA EMPRESA EM BRUSQUE SC Corrêa 1, Renan Braz 2, André Luiz de Oliveira RESUMO A flexibilidade é uma das

Leia mais

Clínica de Lesões nos Esportes e Atividade Física Prevenção e Reabilitação. Alexandre Carlos Rosa alexandre@portalnef.com.br 2015

Clínica de Lesões nos Esportes e Atividade Física Prevenção e Reabilitação. Alexandre Carlos Rosa alexandre@portalnef.com.br 2015 Clínica de Lesões nos Esportes e Atividade Física Prevenção e Reabilitação Alexandre Carlos Rosa alexandre@portalnef.com.br 2015 O que iremos discutir.. Definições sobre o atleta e suas lesões Análise

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO ISO-STRETCHING

CURSO DE FORMAÇÃO ISO-STRETCHING CURSO DE FORMAÇÃO ISO-STRETCHING O Curso de Formação em Iso Stretching é ministrado pelo fundador da técnica, o osteopata e fisioterapeuta francês Bernard Redondo. O método Iso Stretching foi desenvolvido

Leia mais

DOR DURANTE A PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA. Fernando Rodrigues Onofre¹; Msc. Ralph Fernando Rosas² (Orientador) RESUMO

DOR DURANTE A PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA. Fernando Rodrigues Onofre¹; Msc. Ralph Fernando Rosas² (Orientador) RESUMO DOR DURANTE A PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA Fernando Rodrigues Onofre¹; Msc. Ralph Fernando Rosas² (Orientador) RESUMO Introdução: Assim que uma pessoa inicia a pratica de atividades físicas, se torna sujeita

Leia mais

GINÁSTICA FUNCIONAL: IMPACTOS NA AUTOESTIMA E AUTOIMAGEM DE IDOSOS DA UNIVERSIDADE ABERTA À MATURIDADE

GINÁSTICA FUNCIONAL: IMPACTOS NA AUTOESTIMA E AUTOIMAGEM DE IDOSOS DA UNIVERSIDADE ABERTA À MATURIDADE GINÁSTICA FUNCIONAL: IMPACTOS NA AUTOESTIMA E AUTOIMAGEM DE IDOSOS DA UNIVERSIDADE ABERTA À MATURIDADE RESUMO Esterfania Silva Lucena; Manoel Freire de Oliveira Neto Universidade Estadual da Paraíba, Email:

Leia mais

Cuidando da Coluna e da Postura. Texto elaborado por Luciene Maria Bueno. Coluna e Postura

Cuidando da Coluna e da Postura. Texto elaborado por Luciene Maria Bueno. Coluna e Postura Cuidando da Coluna e da Postura Texto elaborado por Luciene Maria Bueno Coluna e Postura A coluna vertebral possui algumas curvaturas que são normais, o aumento, acentuação ou diminuição destas curvaturas

Leia mais

Abdução do quadril Posição inicial Ação Extensão do quadril em rotação neutra Posição inicial Ação

Abdução do quadril Posição inicial Ação Extensão do quadril em rotação neutra Posição inicial Ação 12) Abdução do quadril - músculos comprometidos da articulação do quadril: glúteo médio, glúteo mínimo, tensor da fascia lata e os seis rotadores externos; da articulação do joelho: quadríceps (contração

Leia mais

A EFETIVIDADE DA REABILITAÇÃO VESTIBULAR NA SÍNDROME LABIRÍNTICA PERIFÉRICA IRRITATIVA

A EFETIVIDADE DA REABILITAÇÃO VESTIBULAR NA SÍNDROME LABIRÍNTICA PERIFÉRICA IRRITATIVA A EFETIVIDADE DA REABILITAÇÃO VESTIBULAR NA SÍNDROME LABIRÍNTICA PERIFÉRICA IRRITATIVA ZANDOMENIGHI, P. M. C.; LOPES, J. Resumo: A reabilitação vestibular com o uso do protocolo de Cawthorne-Cooksey (PCC)

Leia mais

O IMPACTO DO PROGRAMA DE GINÁSTICA LABORAL NO AUMENTO DA FLEXIBILIDADE

O IMPACTO DO PROGRAMA DE GINÁSTICA LABORAL NO AUMENTO DA FLEXIBILIDADE O IMPACTO DO PROGRAMA DE GINÁSTICA LABORAL NO AUMENTO DA FLEXIBILIDADE UM ESTUDO QUANTO À APLICABILLIDADE DO PROGRAMA PARA COLETORES DE LIXO DO MUNICÍPIO DE NITERÓI ALESSANDRA ABREU LOUBACK, RAFAEL GRIFFO

Leia mais

ABDOMINAIS: UMA ABORDAGEM PRÁTICA DO EXERCÍCIO RESISTIDO

ABDOMINAIS: UMA ABORDAGEM PRÁTICA DO EXERCÍCIO RESISTIDO ABDOMINAIS: UMA ABORDAGEM PRÁTICA DO EXERCÍCIO RESISTIDO Éder Cristiano Cambraia 1 Eduardo de Oliveira Melo 2 1 Aluno do Curso de Pós Graduação em Fisiologia do Exercício. edercambraiac@hotmail.com 2 Professor

Leia mais

DISTÚRBIOS OSTEOMUSCULARES RELACIONADOS AO TRABALHO NO FISIOTERAPEUTA

DISTÚRBIOS OSTEOMUSCULARES RELACIONADOS AO TRABALHO NO FISIOTERAPEUTA 60 DISTÚRBIOS OSTEOMUSCULARES RELACIONADOS AO TRABALHO NO FISIOTERAPEUTA Cristiany Garcia de Deus*; Edilene Gonçalves de Sales*; Elisiane Tonon*; ÉrikaTonon* Christiane Pereira Mello Munhos** Hélio Vidrich

Leia mais

DIAGNÓSTICO DAS LOMBALGIAS. Luiza Helena Ribeiro Disciplina de Reumatologia UNIFESP- EPM

DIAGNÓSTICO DAS LOMBALGIAS. Luiza Helena Ribeiro Disciplina de Reumatologia UNIFESP- EPM DIAGNÓSTICO DAS LOMBALGIAS Luiza Helena Ribeiro Disciplina de Reumatologia UNIFESP- EPM LOMBALGIA EPIDEMIOLOGIA 65-80% da população, em alguma fase da vida, terá dor nas costas. 30-50% das queixas reumáticas

Leia mais

CURSO DIAGNÓSTICO MECÂNICO e TRATAMENTO TÉCNICA de McKENZIE. Parte A Coluna Lombar

CURSO DIAGNÓSTICO MECÂNICO e TRATAMENTO TÉCNICA de McKENZIE. Parte A Coluna Lombar CURSO DIAGNÓSTICO MECÂNICO e TRATAMENTO TÉCNICA de McKENZIE Parte A Coluna Lombar Conteúdos Programáticos A Lombalgia Incidência, custos, tempo e tipos de tratamentos Abordagem à Técnica de McKenzie. Anatomia

Leia mais

CINESIOLOGIA DA COLUNA VERTEBRAL. Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior

CINESIOLOGIA DA COLUNA VERTEBRAL. Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior CINESIOLOGIA DA COLUNA VERTEBRAL Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior COLUNA VERTEBRAL 7 vértebras cervicais 12 vértebras torácicas 5 vértebras lombares 5 vértebras sacrais 4 vértebras coccígeas anterior

Leia mais

TRATAMENTO PARA AS DORES. DA GESTAÇão e MUSCULOESQUELÉTICAS

TRATAMENTO PARA AS DORES. DA GESTAÇão e MUSCULOESQUELÉTICAS TRATAMENTO PARA AS DORES MUSCULOESQUELÉTICAS DA GESTAÇão e do PUERPério BIOMECÂNICA GESTACIONAL TRATAMENTO PARA AS DORES MUSCULOESQUELÉTICAS DA GESTAÇÃO E DO PUERPÉRIO Estima-se que 45% das gestantes e

Leia mais

CURSO DE PILATES APLICADO ÀS LESÕES OSTEOMUSCULARES

CURSO DE PILATES APLICADO ÀS LESÕES OSTEOMUSCULARES CURSO DE PILATES APLICADO ÀS LESÕES OSTEOMUSCULARES INTRODUÇÃO Um número cada vez maior de pessoas apresenta, em seu cotidiano, atividades repetitivas e restritivas, que conduzem a uma perda do sinergismo

Leia mais

X JORNADA DE FISIOTERAPIA DE DOURADOS I ENCONTRO DE EGRESSOS DO CURSO DE FISIOTERAPIA DA UNIGRAN

X JORNADA DE FISIOTERAPIA DE DOURADOS I ENCONTRO DE EGRESSOS DO CURSO DE FISIOTERAPIA DA UNIGRAN 65 Centro Universitário da Grande Dourados X JORNADA DE FISIOTERAPIA DE DOURADOS I ENCONTRO DE EGRESSOS DO CURSO DE FISIOTERAPIA DA UNIGRAN 66 ANÁLISE POSTURAL EM ADOLESCENTES DO SEXO FEMININO NA FASE

Leia mais

OS MÉTODOS PILATES E RPG NO TRATAMENTO DA LOMBALGIA NA GRAVIDEZ: UMA REVISÃO DE LITERATURA

OS MÉTODOS PILATES E RPG NO TRATAMENTO DA LOMBALGIA NA GRAVIDEZ: UMA REVISÃO DE LITERATURA 22 OS MÉTODOS PILATES E RPG NO TRATAMENTO DA LOMBALGIA NA GRAVIDEZ: UMA REVISÃO DE LITERATURA Clarice Amarante Scipiao 1 Joelma Gomes da Silva 2 RESUMO O período gestacional, é marcado por profundas modificações

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA RELAÇÃO DE RESUMOS DE MONOGRAFIAS E ARTIGOS DE PÓS- GRADUAÇÃO Lato sensu - Daniela Cristina dos Santos Alves O Uso do Spray de Fluorometano no Tratamento Prof. D. Sc.

Leia mais

PROTOCOLO FISIOTERAPÊUTICO DE PÓS-OPERATÓRIO INICIAL DE CIRURGIA LOMBAR

PROTOCOLO FISIOTERAPÊUTICO DE PÓS-OPERATÓRIO INICIAL DE CIRURGIA LOMBAR PROTOCOLO FISIOTERAPÊUTICO DE PÓS-OPERATÓRIO INICIAL DE CIRURGIA LOMBAR 1- Considerações gerais As cirurgias de coluna têm indicação médica conforme exames de imagem e apresentação clínica. As cirurgias

Leia mais

Foram estabelecidos critérios de inclusão, exclusão e eliminação. Critérios de inclusão: todos os dançarinos com síndrome da dor femoropatelar.

Foram estabelecidos critérios de inclusão, exclusão e eliminação. Critérios de inclusão: todos os dançarinos com síndrome da dor femoropatelar. Figura 11a - Posição inicial: 1ª posição paralela. Figura 11b - demi-plié: 1ª posição paralela. Figura 12a - Posição inicial: 2ª posição paralela. Figura 12b- Demi-plié: 2ª posição paralela. 35 Figura

Leia mais

BENEFÍCIOS DA ESCOLA DE POSTURA NA CAPACIDADE FUNCIONAL, NA FLEXIBILIDADE E NA INTENSIDADE DA DOR DE PACIENTES COM LOMBALGIA CRÔNICA

BENEFÍCIOS DA ESCOLA DE POSTURA NA CAPACIDADE FUNCIONAL, NA FLEXIBILIDADE E NA INTENSIDADE DA DOR DE PACIENTES COM LOMBALGIA CRÔNICA BENEFÍCIOS DA ESCOLA DE POSTURA NA CAPACIDADE FUNCIONAL, NA FLEXIBILIDADE E NA INTENSIDADE DA DOR DE PACIENTES COM LOMBALGIA CRÔNICA Adriane Behring Bianchi 1, Ligia Maria Facci 2 RESUMO: O objetivo deste

Leia mais

A causa exata é determinada em apenas 12-15% dos pacientes extensamente investigados

A causa exata é determinada em apenas 12-15% dos pacientes extensamente investigados LOMBALGIA Prof. Jefferson Soares Leal Turma: Fisioterapia e Terapia Ocupacional Faculdade de Medicina da UFMG Aula e bibliografia recomendada estarão disponíveis para os alunos para donwload no site www.portalvertebra.com.br

Leia mais

EFEITO DO AQUECIMENTO MUSCULAR GERADO PELA BICICLETA ERGOMÉTRICA SOBRE A EXTENSIBILIDADE IMEDIATA DOS MÚSCULOS ISQUIOTIBIAIS

EFEITO DO AQUECIMENTO MUSCULAR GERADO PELA BICICLETA ERGOMÉTRICA SOBRE A EXTENSIBILIDADE IMEDIATA DOS MÚSCULOS ISQUIOTIBIAIS Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 23 a 26 de outubro de 2007 EFEITO DO AQUECIMENTO MUSCULAR GERADO PELA BICICLETA ERGOMÉTRICA SOBRE A EXTENSIBILIDADE IMEDIATA DOS MÚSCULOS ISQUIOTIBIAIS

Leia mais

Proteger a medula espinal e os nervos espinais. Fornece um eixo parcialmente rígido e flexível para o corpo e um pivô para a cabeça

Proteger a medula espinal e os nervos espinais. Fornece um eixo parcialmente rígido e flexível para o corpo e um pivô para a cabeça Cinthya Natel Baer Cristiane Schwarz Gelain Isabella Mauad Patruni Laila Djensa S. Santos Laiza Tabisz Mariana Escani Guerra Paula Moreira Yegros Veronica Dalmas Padilha Ana Paula Trotta Aline Sudoski

Leia mais

Alterações da Estrutura Corporal

Alterações da Estrutura Corporal Alterações da Estrutura Corporal Exercícios e Postura milenadutra@bol.com.br Os Exercícios Realmente Mudam a Postura? Vício postural pode ser corrigido voluntariamente com reeducação psicomotora Desvio

Leia mais

BIOMECÂNICA -MEMBRO SUPERIOR

BIOMECÂNICA -MEMBRO SUPERIOR BIOMECÂNICA -MEMBRO SUPERIOR OMBRO Membro Superior CINTURA ESCAPULAR COTOVELO Joel Moraes Santos Junior COLUNA - APLICAÇÃO PRÁTICA Condicionamento APTIDÃO FÍSICA Treinamento desportivo CARGA/IMPACTO Reabilitação

Leia mais

ABRCOLUNA Associação Brasileira de Reabilitação de Coluna

ABRCOLUNA Associação Brasileira de Reabilitação de Coluna ABRCOLUNA Associação Brasileira de Reabilitação de Coluna Guia de Exercícios preventivos para a Coluna Vertebral Dr. Coluna 01 Helder Montenegro Fisioterapeuta Guia de Exercícios Dr Coluna 2012.indd 1

Leia mais

Os benefícios da hidrocinesioterapia na qualidade de vida de pacientes com lombalgia não-mecânica associada aos sintomas da fibromialgia.

Os benefícios da hidrocinesioterapia na qualidade de vida de pacientes com lombalgia não-mecânica associada aos sintomas da fibromialgia. Os benefícios da hidrocinesioterapia na qualidade de vida de pacientes com lombalgia não-mecânica associada aos sintomas da fibromialgia. Fisioterapia Rosângela Cristina de Souza Pesquisadora Profª e Ms.

Leia mais

Avaliação Goniométrica no contexto do Exame Fisioterapêutico

Avaliação Goniométrica no contexto do Exame Fisioterapêutico Avaliação Goniométrica no contexto do Exame Fisioterapêutico Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João 1. Visão Global de uma Avaliação Musculoesquelética

Leia mais

Lombalgia ocupacional e a postura sentada: efeitos da cinesioterapia laboral*

Lombalgia ocupacional e a postura sentada: efeitos da cinesioterapia laboral* Rev Dor. São Paulo, 2011 out-dez;12(4):308-13 ARTIGO ORIGINAL Lombalgia ocupacional e a postura sentada: efeitos da cinesioterapia laboral* Occupational low back pain and postural in the sitting position:

Leia mais

Método Mckenzie Aplicado a Dor Lombar em Indivíduos com Idade entre 20 50 Anos

Método Mckenzie Aplicado a Dor Lombar em Indivíduos com Idade entre 20 50 Anos Método Mckenzie Aplicado a Dor Lombar em Indivíduos com Idade entre 20 50 Anos Palavras-chaves: Dor Lombar, Método McKenzie e Fisioterapia. SANTOS, Nurian Jaslanne 1 SOUSA, Kemil Rocha 2 DINIZ, Danielle

Leia mais

Comportamento Da Pressão Arterial De Jovens Normotensos Após Realização Dos Testes De 1rm E 10rm

Comportamento Da Pressão Arterial De Jovens Normotensos Após Realização Dos Testes De 1rm E 10rm Comportamento Da Pressão Arterial De Jovens Normotensos Após Realização Dos Testes De 1rm E 10rm Siomara F. M. de Araújo; Dyego F. Facundes; Erika M. Costa; Lauane L. Inês; Raphael Cunha. siomarafma@hotmail.com

Leia mais

ANÁLISE DA QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES COM DOENÇA DE PARKINSON SUBMETIDOS AO TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO NO SOLO E NA ÁGUA

ANÁLISE DA QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES COM DOENÇA DE PARKINSON SUBMETIDOS AO TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO NO SOLO E NA ÁGUA ISBN 978-85-61091-05-7 V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 ANÁLISE DA QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES COM DOENÇA DE PARKINSON SUBMETIDOS AO TRATAMENTO

Leia mais

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Fisioterapia 2010-2 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Fisioterapia 2010-2 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais. Especial Online ISSN 1982-1816 www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.html DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO Fisioterapia 2010-2 DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO PROPOSTA DE UM PROGRAMA DE ERGONOMIA

Leia mais

Ana Beatriz Almeida Matheus Marinho OS BENEFÍCIOS DO MÉTODO PILATES NA LOMBALGIA CRÔNICA

Ana Beatriz Almeida Matheus Marinho OS BENEFÍCIOS DO MÉTODO PILATES NA LOMBALGIA CRÔNICA Ana Beatriz Almeida Matheus Marinho OS BENEFÍCIOS DO MÉTODO PILATES NA LOMBALGIA CRÔNICA CATAGUASES - MG 2010 Ana Beatriz Almeida Matheus Marinho OS BENEFÍCIOS DO MÉTODO PILATES NA LOMBALGIA CRÔNICA Trabalho

Leia mais

AVALIAÇÃO DO OMBRO ANATOMIA DO OMBRO ANATOMIA DO OMBRO ANATOMIA DO OMBRO ANATOMIA DO OMBRO ANATOMIA DO OMBRO Articulação Sinovial Forma de sela Três graus de liberdade Posição de Repouso Posição de aproximação

Leia mais

Ergonomia. Lombalgias, Manejo de cargas, Posição estática, Trabalho na posição sentada e em pé. Prof.ª Kalyne de Menezes Bezerra Cavalcanti

Ergonomia. Lombalgias, Manejo de cargas, Posição estática, Trabalho na posição sentada e em pé. Prof.ª Kalyne de Menezes Bezerra Cavalcanti Ergonomia Lombalgias, Manejo de cargas, Posição estática, Trabalho na posição sentada e em pé Prof.ª Kalyne de Menezes Bezerra Cavalcanti Natal/RN Fevereiro de 2011 Postura Um dos caminhos para encontrar

Leia mais

EFEITOS DO MÉTODO PILATES NO TRATAMENTO DA LOMBALGIA CRÔNICA: UMA REVISÃO INTEGRATIVA

EFEITOS DO MÉTODO PILATES NO TRATAMENTO DA LOMBALGIA CRÔNICA: UMA REVISÃO INTEGRATIVA EFEITOS DO MÉTODO PILATES NO TRATAMENTO DA LOMBALGIA CRÔNICA: UMA REVISÃO INTEGRATIVA ELISANGELA VILAR DE ASSIS BÁRBARA PORFÍRIO NUNES MICHEL JORGE DIAS JULIANE CARLA DE MEDEIROS DE SOUSA ALAN DAYVIDSON

Leia mais

DISCREPÂNCIA DE MEMBROS INFERIORES E LESÕES MUSCULOESQUELÉTICAS EM CRIANÇAS PRATICANTES DE ATIVIDADES ESPORTIVAS

DISCREPÂNCIA DE MEMBROS INFERIORES E LESÕES MUSCULOESQUELÉTICAS EM CRIANÇAS PRATICANTES DE ATIVIDADES ESPORTIVAS DISCREPÂNCIA DE MEMBROS INFERIORES E LESÕES MUSCULOESQUELÉTICAS EM CRIANÇAS PRATICANTES DE ATIVIDADES ESPORTIVAS Karine Franciele Toldo 1 ; Priscila Daniele de Oliveira 1 ; Sonia Maria Marques Gomes Bertolini

Leia mais

KINETIC CONTROL: OTIMIZANDO A SAÚDE DO MOVIMENTO

KINETIC CONTROL: OTIMIZANDO A SAÚDE DO MOVIMENTO KC seguindo adiante KINETIC CONTROL: OTIMIZANDO A SAÚDE DO MOVIMENTO Otimizar a saúde do está no coração da Fisioterapia e da Terapia do Movimento. As pesquisas de neurociência nos tem proporcionado um

Leia mais

A EFICÁCIA DA FISIOTERAPIA NO TRATAMENTO DAS COMPLICAÇÕES FÍSICO-FUNCIONAIS DE MEMBRO SUPERIOR NA MASTECTOMIA UNILATERAL TOTAL: ESTUDO DE CASO

A EFICÁCIA DA FISIOTERAPIA NO TRATAMENTO DAS COMPLICAÇÕES FÍSICO-FUNCIONAIS DE MEMBRO SUPERIOR NA MASTECTOMIA UNILATERAL TOTAL: ESTUDO DE CASO A EFICÁCIA DA FISIOTERAPIA NO TRATAMENTO DAS COMPLICAÇÕES FÍSICO-FUNCIONAIS DE MEMBRO SUPERIOR NA MASTECTOMIA UNILATERAL TOTAL: ESTUDO DE CASO GUIZELINI, L.H.; PEREIRA, N.T.C. RESUMO A mastectomia pode

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CAMPUS I CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CAMPUS I CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CAMPUS I CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA JESSICA OLIVEIRA DOS SANTOS ESTABILIZAÇÃO SEGMENTAR NA FLEXIBILIDADE

Leia mais

Considerada como elemento essencial para a funcionalidade

Considerada como elemento essencial para a funcionalidade 13 Epidemiologia e Flexibilidade: Aptidão Física Relacionada à Promoção da Saúde Gláucia Regina Falsarella Graduada em Educação Física na Unicamp Considerada como elemento essencial para a funcionalidade

Leia mais

4.6 Análise estatística

4.6 Análise estatística 36 4.6 Análise estatística Na análise dos dados, foi utilizado o programa estatístico SPSS, versão 11.5 (Windows). Inicialmente, apresentou-se o resultado geral do grupo dos adolescentes obesos e de eutróficos,

Leia mais

Efeito de Duas Técnicas de Alongamento na Actividade Mioeléctrica dos Músculos Trapézio Superior e Trapézio Médio

Efeito de Duas Técnicas de Alongamento na Actividade Mioeléctrica dos Músculos Trapézio Superior e Trapézio Médio Efeito de Duas Técnicas de Alongamento na Actividade Mioeléctrica dos Músculos Trapézio Superior e Trapézio Médio Abel Rodrigues*; Sandra Figueiredo*; António Coutinho * *Escola Superior de Saúde Dr. Lopes

Leia mais

DISTÚRBIOS DA COLUNA VERTEBRAL *

DISTÚRBIOS DA COLUNA VERTEBRAL * A. POSTURA DISTÚRBIOS DA COLUNA VERTEBRAL * 1 POSTURA LORDÓTICA Trabalho realizado por: Karina Mothé Bianor Orientador: Prof. Blair José Rosa Filho Caracterizada por um aumento no ângulo lombossacro (o

Leia mais

OS BENEFÍCIOS DA NOVA CRÂNEO ACUPUNTURA DE YAMAMOTO NO TRATAMENTO DA FIBROMIALGIA: RELATO DE CASO

OS BENEFÍCIOS DA NOVA CRÂNEO ACUPUNTURA DE YAMAMOTO NO TRATAMENTO DA FIBROMIALGIA: RELATO DE CASO ISBN 978-85-61091-05-7 V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 OS BENEFÍCIOS DA NOVA CRÂNEO ACUPUNTURA DE YAMAMOTO NO TRATAMENTO DA FIBROMIALGIA: RELATO

Leia mais

A INTERFERÊNCIA DA FIBROMIALGIA NO DESEMPENHO OCUPACIONAL

A INTERFERÊNCIA DA FIBROMIALGIA NO DESEMPENHO OCUPACIONAL A INTERFERÊNCIA DA FIBROMIALGIA NO DESEMPENHO OCUPACIONAL INTRODUÇÃO Ádila Siqueira de Basto Lima Wilkelane Ferreira da Silva Marcela Medeiros Melo Mirella Oliveira Barata Thayane de Cácia Brito A fibromialgia

Leia mais

SANDRA CRISTINA DE ANDRADE AVALIAÇÃO DA EFICÁCIA DE UM PROGRAMA DE ESCOLA DE COLUNA PARA LOMBALGIA CRÔNICA INESPECÍFICA

SANDRA CRISTINA DE ANDRADE AVALIAÇÃO DA EFICÁCIA DE UM PROGRAMA DE ESCOLA DE COLUNA PARA LOMBALGIA CRÔNICA INESPECÍFICA SANDRA CRISTINA DE ANDRADE AVALIAÇÃO DA EFICÁCIA DE UM PROGRAMA DE ESCOLA DE COLUNA PARA LOMBALGIA CRÔNICA INESPECÍFICA Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde da Universidade

Leia mais

INTERVENÇÕES FISIOTERAPÊUTICAS NA TENDINOPATIA DO OMBRO: UMA REVISÃO DE LITERATURA

INTERVENÇÕES FISIOTERAPÊUTICAS NA TENDINOPATIA DO OMBRO: UMA REVISÃO DE LITERATURA INTERVENÇÕES FISIOTERAPÊUTICAS NA TENDINOPATIA DO OMBRO: UMA REVISÃO DE LITERATURA Pedro Rafael de Souza Macêdo (1); Robison Carlos Silva Costa (1); Clécio Gabriel de Souza (2 e 3); Emanoel Cláudio Fagundes

Leia mais

Mairá Moreno Lima. Rangel de Andrade Silva FURNAS CENTRAIS ELÉTRICAS S.A. Usina Hidroelétrica de Porto Colômbia, Planura, Minas Gerais

Mairá Moreno Lima. Rangel de Andrade Silva FURNAS CENTRAIS ELÉTRICAS S.A. Usina Hidroelétrica de Porto Colômbia, Planura, Minas Gerais ANÁLISE ERGONÔMICA DO TRABALHO COMO FERRAMENTA PARA A MELHORIA DA QUALIDADE DE VIDA DE TRABALHADORES DO SETOR ADMINISTRATIVO DA EMPRESA FURNAS CENTRAIS ELÉTRICAS S.A., UNIDADE DE PORTO COLÔMBIA, PLANURA,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE EDUCAÇÃO FISICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE EDUCAÇÃO FISICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE EDUCAÇÃO FISICA INTENSIDADE E FREQUÊNCIA DA DOR LOMBAR EM PRATICANTES DE GINÁSTICA LABORAL E GINÁSTICA POSTURAL EDUARDO CARNEIRO KINDERMANN PORTO ALEGRE

Leia mais

Ligamento Cruzado Posterior

Ligamento Cruzado Posterior Ligamento Cruzado Posterior Introdução O Ligamento Cruzado Posterior (LCP) é classificado como estabilizador estático do joelho e sua função principal é restringir o deslocamento posterior da tíbia em

Leia mais

Manual Therapy, Posturology & Rehabilitation Journal

Manual Therapy, Posturology & Rehabilitation Journal Manual Therapy, Posturology & Rehabilitation Journal This Provisional PDF corresponds to the article as it appeared upon acceptance. Fully formatted PDF english version will be made available soon. Thalita

Leia mais

OS EFEITOS DA CINESIOTERAPIA LABORAL EM FUNCIONÁRIOS DO SETOR DE PASSAGEM DA ESTAÇÃO RODOVIÁRIA DE SANTA MARIA

OS EFEITOS DA CINESIOTERAPIA LABORAL EM FUNCIONÁRIOS DO SETOR DE PASSAGEM DA ESTAÇÃO RODOVIÁRIA DE SANTA MARIA OS EFEITOS DA CINESIOTERAPIA LABORAL EM FUNCIONÁRIOS DO SETOR DE PASSAGEM DA ESTAÇÃO RODOVIÁRIA DE SANTA MARIA ANDRADE, Lisiane de Araujo ¹; FAGUNDES, Franciely Silva¹; GOMES, Andrielle Gonçalves 1 ; REFFATTI,

Leia mais

DEFORMIDADES DA COLUNA VERTEBRAL: avaliação postural em adolescentes da faixa etária entre 11 a 16 anos

DEFORMIDADES DA COLUNA VERTEBRAL: avaliação postural em adolescentes da faixa etária entre 11 a 16 anos DEFORMIDADES DA COLUNA VERTEBRAL: avaliação postural em adolescentes da faixa etária entre 11 a 16 anos CAROLINE GONSALEZ FLAVIO PILOTO CIRILLO JULIANA THIEMI IMANO KAMILLA FERNANDES LINS SP 2009 DEFORMIDADES

Leia mais

O exercício no tratamento dos distúrbios lombares com ênfase na estabilidade vertebral

O exercício no tratamento dos distúrbios lombares com ênfase na estabilidade vertebral 1 O exercício no tratamento dos distúrbios lombares com ênfase na estabilidade vertebral Danielle Barbosa da Silva 1 danielle@gmail.com Dayana Priscila Maia Mejia 2 Pós-Graduação em Fisioterapia em Ortopedia

Leia mais

Sintomas da LER- DORT

Sintomas da LER- DORT LER-DORT A LER e DORT são as siglas para Lesões por Esforços Repetitivos e Distúrbios Osteo-musculares Relacionados ao Trabalho. Os termos LER/DORT são usados para determinar as afecções que podem lesar

Leia mais

ANÁLISE BIOMECÂNICA DOS MOVIMENTOS NO STOOL

ANÁLISE BIOMECÂNICA DOS MOVIMENTOS NO STOOL 1 ANÁLISE BIOMECÂNICA DOS MOVIMENTOS NO STOOL Aurélio Alfieri Neto Juliana Navarro Lins de Souza A bioenergética procura entender o caráter do indivíduo pelo corpo e seus processos energéticos, sendo estes,

Leia mais

CORRELAÇÃO ENTRE FLEXIBILIDADE E LOMBALGIA EM PRATICANTES DE PILATES

CORRELAÇÃO ENTRE FLEXIBILIDADE E LOMBALGIA EM PRATICANTES DE PILATES ARTIGO CORRELAÇÃO ENTRE FLEXIBILIDADE E LOMBALGIA EM PRATICANTES DE PILATES Humberto Luiz Rosa 1 Jorge Roberto Perrout de Lima 1 RESUMO Estudos mostram que a queixa de lombalgia é um dos problemas mais

Leia mais

NTRODUÇÃO MATERIAL E MÉTODOS

NTRODUÇÃO MATERIAL E MÉTODOS Características socioeconômicas, demográficas, nutricionais, controle glicêmico e atividade física de adolescentes portadores de diabetes melito tipo 1 Izabela Zibetti de ALBUQUERQUE 1 ; Maria Raquel Hidalgo

Leia mais

BENEFÍCIOS DO MÉTODO PILATES NA REABILITAÇÃO

BENEFÍCIOS DO MÉTODO PILATES NA REABILITAÇÃO BENEFÍCIOS DO MÉTODO PILATES NA REABILITAÇÃO O método pilates é um trabalho que se baseia em exercícios de força e mobilidade utilizando para tal técnicas e exercícios específicos. Este método permite

Leia mais

Disciplinarum Scientia. Série: Ciências da Saúde, Santa Maria, v. 14, n. 2, p. 285-292, 2013. Recebido em: 13.01.2013. Aprovado em: 26.06.2013.

Disciplinarum Scientia. Série: Ciências da Saúde, Santa Maria, v. 14, n. 2, p. 285-292, 2013. Recebido em: 13.01.2013. Aprovado em: 26.06.2013. Disciplinarum Scientia. Série: Ciências da Saúde, Santa Maria, v. 14, n. 2, p. 285-292, 2013. Recebido em: 13.01.2013. Aprovado em: 26.06.2013. ISSN 2177-3335 RESUMO A INFLUÊNCIA DO MÉTODO PILATES NA DOR

Leia mais

INFLUÊNCIA DO ALONGAMENTO MUSCULAR NA POSTURA SENTADA DE ACADÊMICOS DE FISIOTERAPIA 1

INFLUÊNCIA DO ALONGAMENTO MUSCULAR NA POSTURA SENTADA DE ACADÊMICOS DE FISIOTERAPIA 1 INFLUÊNCIA DO ALONGAMENTO MUSCULAR NA POSTURA SENTADA DE ACADÊMICOS DE FISIOTERAPIA 1 Luciana de Oliveira Forte 2 Inês Alessandra Xavier Lima 3 Resumo Este estudo teve como objetivo analisar a influência

Leia mais

INTERVENÇÃO DO BALLET CLÁSSICO NO TRATAMENTO DA HIPERLORDOSE LOMBAR: ESTUDO DE CASO

INTERVENÇÃO DO BALLET CLÁSSICO NO TRATAMENTO DA HIPERLORDOSE LOMBAR: ESTUDO DE CASO INTERVENÇÃO DO BALLET CLÁSSICO NO TRATAMENTO DA HIPERLORDOSE LOMBAR: ESTUDO DE CASO Sarah Fernanda de Carvalho Santoro (CUAE) Sarah Fernanda de Carvalho Santoro, graduada em Educação Física, Licenciatura

Leia mais

Semiologia Ortopédica Pericial

Semiologia Ortopédica Pericial Semiologia Ortopédica Pericial Prof. Dr. José Heitor Machado Fernandes 2ª V E R S Ã O DO H I P E R T E X T O Para acessar os módulos do hipertexto Para acessar cada módulo do hipertexto clique no link

Leia mais

Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Lombar

Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Lombar Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Lombar Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João Disciplina: MFT-0377 Métodos de Avaliação Clínica e Funcional Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional

Leia mais

ANÁLISE DA APLICAÇÃO DOS MÉTODOS ISOSTRETCHING E PILATES NA MOBILIDADE DE COLUNA LOMBAR DE IDOSOS

ANÁLISE DA APLICAÇÃO DOS MÉTODOS ISOSTRETCHING E PILATES NA MOBILIDADE DE COLUNA LOMBAR DE IDOSOS 1 ANÁLISE DA APLICAÇÃO DOS MÉTODOS ISOSTRETCHING E PILATES NA MOBILIDADE DE COLUNA LOMBAR DE IDOSOS ANALYSIS OF THE APPLICATION OF ISOSTRETCHING AND PILATES METHODS ON THE LUMBAR SPINE MOBILITY FOR OLD

Leia mais

FUTURO DO GOLFE = NÃO SE BASEIA SOMENTE NA CÓPIA DO SWING PERFEITO - MECÂNICA APROPRIADA - EFICIÊNCIA DE MOVIMENTO

FUTURO DO GOLFE = NÃO SE BASEIA SOMENTE NA CÓPIA DO SWING PERFEITO - MECÂNICA APROPRIADA - EFICIÊNCIA DE MOVIMENTO FUTURO DO GOLFE = NÃO SE BASEIA SOMENTE NA CÓPIA DO SWING PERFEITO - MECÂNICA APROPRIADA - EFICIÊNCIA DE MOVIMENTO CARACTERÍSTICAS INDIVIDUAIS - Flexibilidade - Estabilidade - Equilíbrio - Propiocepção

Leia mais

ABORDAGEM DAS DISFUNÇÕES POSTURAIS. André Barezani Fisioterapeuta esportivo/ Ortopédico e Acupunturista Belo Horizonte 15 julho 2012

ABORDAGEM DAS DISFUNÇÕES POSTURAIS. André Barezani Fisioterapeuta esportivo/ Ortopédico e Acupunturista Belo Horizonte 15 julho 2012 AVALIAÇÃO POSTURAL ABORDAGEM DAS DISFUNÇÕES POSTURAIS André Barezani Fisioterapeuta esportivo/ Ortopédico e Acupunturista Belo Horizonte 15 julho 2012 POSTURA CONCEITOS: Postura é uma composição de todas

Leia mais

TECNOLOGIA E BIOMECÂNICA PARA O TRATAMENTO DA DOR MUSCULOESQUELÉTICA TECNOLOGIA E BIOMECÂNICA PARA O TRATAMENTO DA DOR MUSCULOESQUELÉTICA

TECNOLOGIA E BIOMECÂNICA PARA O TRATAMENTO DA DOR MUSCULOESQUELÉTICA TECNOLOGIA E BIOMECÂNICA PARA O TRATAMENTO DA DOR MUSCULOESQUELÉTICA TECNOLOGIA E BIOMECÂNICA PARA O TRATAMENTO DA DOR MUSCULOESQUELÉTICA TECNOLOGIA E BIOMECÂNICA PARA O TRATAMENTO DA DOR MUSCULOESQUELÉTICA As dores musculoesqueléticas atingem 40% da população e representam

Leia mais

AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE DE EXERCÍCIO DE IDOSOS COM LOMBALGIA E SUA INTERFERÊNCIA NA QUALIDADE DE VIDA

AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE DE EXERCÍCIO DE IDOSOS COM LOMBALGIA E SUA INTERFERÊNCIA NA QUALIDADE DE VIDA 1 AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE DE EXERCÍCIO DE IDOSOS COM LOMBALGIA E SUA INTERFERÊNCIA NA QUALIDADE DE VIDA FEITOSA P. O. ; FELIPE D. M. Resumo: Entre os declínios fisiológicos relacionados ao envelhecimento

Leia mais

LER DORT Sociedade Brasileira de Reumatologia

LER DORT Sociedade Brasileira de Reumatologia LER DORT LER/DORT Cartilha para pacientes CRIAÇÃO E DESENVOLVIMENTO: Comissão de Reumatologia Ocupacional CREDITO IMAGEM DA CAPA: http://canyonwalkerconnections.com/2010/the-law-ofkindness-on-your-tongue-and-typing-hands/olympusdigital-camera/

Leia mais

FIBROMIALGIA EXERCÍCIO FÍSICO: ESSENCIAL AO TRATAMENTO. Maj. Carlos Eugenio Parolini médico do NAIS do 37 BPM

FIBROMIALGIA EXERCÍCIO FÍSICO: ESSENCIAL AO TRATAMENTO. Maj. Carlos Eugenio Parolini médico do NAIS do 37 BPM FIBROMIALGIA EXERCÍCIO FÍSICO: ESSENCIAL AO TRATAMENTO Maj. Carlos Eugenio Parolini médico do NAIS do 37 BPM A FIBROMIALGIA consiste numa síndrome - conjunto de sinais e sintomas - com manifestações de

Leia mais