MÁRIO ELESBÃO LIMA DA SILVA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MÁRIO ELESBÃO LIMA DA SILVA"

Transcrição

1

2 MÁRIO ELESBÃO LIMA DA SILVA 2016 Silva-Regimento Interno da Camara dos Deputados Comentado-1ed.indd 3 08/08/ :12:26

3 Resolução nº 17, de 1989 REGIMENTO INTERNO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS TÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Capítulo I Da Sede COMENTÁRIO A Carta Magna estabelece que Brasília é a capital federal (art. 18, 1º). Destarte, na condição de sede do Governo Federal, é nessa cidade que deverão estar sediados os três Poderes da União, sendo imperioso, portanto, que o Congresso Nacional e suas casas, ou seja, a Câmara dos Deputados e Senado Federal, estejam localizadas em Brasília. Ressalte-se que o Distrito Federal, ente federativo autônomo (CF, art. 18), não é a capital da República, mas sim o quadrilátero de segurança que circunda a capital, que é Brasília (quadrilátero de Cruls). O Distrito Federal, além de Brasília, é constituído por dezenas de outras regiões administrativas. Não obstante a Câmara dos Deputados estar sediada em Brasília, o seu regimento interno, a partir de um motivo relevante ou de força maior, dispõe acerca da possibilidade de a Casa Legislativa se reunir em qualquer outro local do território nacional, devendo isso ocorrer por deliberação da Mesa, a partir de consentimento da maioria absoluta dos Silva-Regimento Interno da Camara dos Deputados Comentado-1ed.indd 13 08/08/ :12:26

4 14 Regimento Interno da Câmara dos Deputados Comentado Mário Elesbão Lima da Silva parlamentares da Casa, ou seja, decisão tomada com votos de 257(duzentos e cinquenta e sete) ou mais deputados, observe: SEDE DA CÂMARA Palácio do Congresso Nacional Brasília (Capital Federal) PODE REUNIR-SE FORA DA SUA SEDE? Sim, há possibilidade. Situação: motivo relevante, ou de força maior. CONDIÇÃO PARA REU- NIÃO FORA DA SUA SEDE Por deliberação da Mesa, referendada pela maioria absoluta dos deputados. (257 ou mais membros) Capítulo II Das Sessões Legislativas COMENTÁRIO Da Legislatura A fim de se entender o que vem a ser sessão legislativa da Câmara, faz-se necessário compreender, antes, o quem vem a ser legislatura. Pois bem, consiste a Legislatura no quadriênio legislativo em que os parlamentares exercem suas funções na Casa Legislativa (CF, art. 44). A legislatura se inicia com a posse coletiva dos membros daquele Parlamento e também consiste um período único dentro da Casa, razão pela qual é computada em número ordinal atualmente a Câmara dos Deputados está na sua 55ª Legislatura. Verifica-se a existência da legislatura nas mais diversas Casas legislativas, a saber: Senado, Câmara dos Deputados, Assembleias Legislativas, Câmara Legislativa e Câmaras Municipais. No caso dos Congressistas, a legislatura, em cada Casa, se inicia no dia 1º de fevereiro do ano subsequente ao ano das eleições gerais, encerrando-se em 31 de janeiro, quatro Silva-Regimento Interno da Camara dos Deputados Comentado-1ed.indd 14 08/08/ :12:26

5 ART. 2º TÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 15 anos depois. Exemplificando, a 55ª Legislatura iniciou-se em 1º de fevereiro de 2015 e se encerrará em 31 de janeiro de Dentro de cada legislatura, há quatro sessões legislativas ordinárias, ou seja, uma por ano, portanto, pode-se conceituar a sessão legislativa ordinária como o período de um ano dentro de uma legislatura. Exemplo: 55ª LEGISLATURA 2 Fev./15 Dez./15 1ª Sessão Legislativa 2 Fev./16 Dez./16 2ª Sessão Legislativa 2 Fev./17 Dez./17 3ª Sessão Legislativa 2 Fev./18 Dez./18 4ª Sessão Legislativa Observações: a) 1º domingo de outubro de (eleições p/ 55ª Legislatura) b) 1º domingo de outubro de 2018 (eleições p/ 56ª Legislatura) c) A Legislatura na Câmara e no Senado se iniciam em 1º de fevereiro de 2015, a data da posse coletiva dos deputados federais e dos senadores. d) Embora a 4ª sessão legislativa ordinária se encerre em 22 de dezembro de 2018, a legislatura se encerrará somente em 31 de janeiro de 2019, ou seja, no dia anterior ao início da 56ª Legislatura. Da Sessão Legislativa e Sessão Legislativa Extraordinária Sessão Legislativa Conforme já comentado, a Sessão Legislativa caracteriza-se como o período de um ano dentro de uma legislatura. Entretanto, as sessões legislativas ordinárias ocorrem durante o período de funcionamento normal (ordinário) da Câmara dos Deputados que necessariamente coincide com o do Senado, haja vista a Constituição Federal estabelecer um calendário comum para as duas Casas do Congresso Nacional. Há ainda, nesse calendário, uma interrupção no mês de julho e o encerramento no mês de dezembro, observe: Sessão Legislativa : (1º Período) 02 de Fevereiro a 17 de Julho. (interrupção) Sessão Legislativa : (2º Período) 1º de Agosto a 22 de dezembro. (encerramento) Óbice quanto à interrupção da Sessão Legislativa Quanto ao Legislativo Federal (Congresso Nacional), diz-se que não poderá ser interrompida a sessão legislativa ordinária, em 17 de julho, sem que haja sido aprovado o Silva-Regimento Interno da Camara dos Deputados Comentado-1ed.indd 15 08/08/ :12:26

6 16 Regimento Interno da Câmara dos Deputados Comentado Mário Elesbão Lima da Silva projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (CF, 57, 2º), ou seja, diante da negativa de aprovação da referida proposição, ou mesmo da sua não votação, fica o Congresso Nacional obrigado a continuar os trabalhos, pelo período inicialmente destinado ao recesso, até que se dê a aprovação desse projeto. A Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) é a lei na qual estarão contidas as metas, as prioridades, enfim as diretrizes da Administração Pública, em todos os seus Poderes, para o orçamento do exercício financeiro seguinte. Por que o projeto de LDO deve ser aprovado antes do primeiro recesso? Importante destacar que a LDO serve de base para a elaboração do projeto de Lei de Orçamento Anual (LOA), projeto a ser apresentado pelo chefe do Executivo até o dia 31 de agosto de cada ano (ADCT, art. 35, 2º). É razoável que o Orçamento Anual (LOA) seja aprovado pelo Congresso Nacional ao final de cada ano, daí o porquê da aprovação do projeto da LDO, que é parâmetro para a LOA, ser dar, obrigatoriamente, antes do início do segundo período legislativo em cada ano. Da Convocação Extraordinária do Congresso Nacional É aquela sessão convocada a partir de situações excepcionais e quando o Congresso se encontra em recesso; e assim sendo, ocorre fora dos períodos de sessão legislativa ordinária. Observe que a Sessão Legislativa Extraordinária (Convocação Extraordinária) não poderá ser convocada simplesmente para a aprovação do projeto da LDO. Salienta-se que as sessões legislativas extraordinárias são convocadas exclusivamente por autoridades ou entidades para esse fim competentes e a partir de motivos ou situações constitucionalmente previstas. Observe os quadros abaixo: Sessão Legislativa Extraordinária no Congresso Nacional SITUAÇÃO Nº 1 Convocada pelo Presidente do Senado Federal, nas seguintes hipóteses: Em caso de decretação de Estado de Defesa Em caso de decretação de Intervenção Federal Pedido de autorização para decretar Estado de Sítio Compromisso e Posse do Presidente e Vice-presidente da República Convocada pelo Presidente da República, ou Na seguinte hipótese: SITUAÇÃO Nº 2 Convocada pelo Presidente da Câmara dos Deputados juntamente com o Presidente do Senado, ou A requerimento da maioria absoluta dos membros de ambas as Casas Em caso de urgência ou de interesse público relevante. Observação: Nessa hipótese, independentemente de quem parta a convocação, deve ser precedida da aprovação da maioria absoluta de cada uma das Casas do Congresso Nacional. Silva-Regimento Interno da Camara dos Deputados Comentado-1ed.indd 16 08/08/ :12:26

7 ART. 3º TÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 17 Peculiaridades da Sessão Legislativa Extraordinária: Pauta Exclusiva Proibição de Indenização Extra Na sessão legislativa extraordinária, o Congresso Nacional somente deliberará sobre a matéria para o qual foi convocado, ressalvada a hipótese do 8º, vedado o pagamento de parcela indenizatória em razão da convocação. (grifo meu) (CF, art. 57, 7º) INCLUSÃO AUTOMÁTICA DAS MPs NA PAUTA EXTRAORDINÁRIA Havendo medidas provisórias em vigor na data de convocação extraordinária do Congresso Nacional, serão elas automaticamente incluídas na pauta da convocação. (CF, art. 57, 8º) QUESTÕES DE FIXAÇÃO SEDE E SESSÃO LEGISLATIVA Capítulo III Das Sessões Preparatórias Seção I Da Posse dos Deputados Silva-Regimento Interno da Camara dos Deputados Comentado-1ed.indd 17 08/08/ :12:26

ARISTOCRATES CARVALHO REGIMENTO INTERNO DA CLDF

ARISTOCRATES CARVALHO REGIMENTO INTERNO DA CLDF ARISTOCRATES CARVALHO REGIMENTO INTERNO DA CLDF PREVISÃO LEGAL Câmara Legislativa na Constituição Federal de 1988 -> Art. 32; 103, IV e ADCT (Art. 16, 1º e 2º); LODF -> Art. 54 a 86 (...) DO FUNCIONAMENTO

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS

REGIMENTO INTERNO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS Rodada #1 Regimento Interno da Câmara Professor Julio Ponte Assuntos da Rodada REGIMENTO INTERNO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS: 1. Disposições Preliminares. 1.1 Sede. 1.2 Sessões Legislativas. 1.3 Sessões Preparatórias.

Leia mais

Prof. Cristiano Lopes

Prof. Cristiano Lopes Prof. Cristiano Lopes Poder Legislativo Federal ü No Brasil vigora o bicameralismo federativo, no âmbito federal. Ou seja, o Poder Legislativo no Brasil, em âmbito federal, é bicameral, isto é, composto

Leia mais

Rodada #1 Regimento Interno da Câmara

Rodada #1 Regimento Interno da Câmara Rodada #1 Regimento Interno da Câmara Professor Julio Ponte Assuntos da Rodada REGIMENTO INTERNO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS: 1. Disposições Preliminares. 1.1 Sede. 1.2 Sessões Legislativas. 1.3 Sessões Preparatórias.

Leia mais

PROCESSO LEGISLATIVO

PROCESSO LEGISLATIVO AULA 00 - Demonstrativa PROCESSO LEGISLATIVO Lei Complementar nº 13, de 03 de setembro de 1996 Professor Anderson de Oliveira Noronha www.pontodosconcursos.com.br www.pontodosconcursos.com.br 1 Aula 00

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO SENADO FEDERAL. Professor Julio Ponte

REGIMENTO INTERNO DO SENADO FEDERAL. Professor Julio Ponte REGIMENTO INTERNO DO SENADO FEDERAL Professor Julio Ponte TÍTULO I FUNCIONAMENTO DO SENADO FEDERAL SEDE O Senado Federal tem sede no Palácio do Congresso Nacional, em Brasília. Em caso de guerra, de comoção

Leia mais

eu ministro o conteúdo dos regimentos. Dito de outra forma: eu respiro regimentos legislativos diariamente!

eu ministro o conteúdo dos regimentos. Dito de outra forma: eu respiro regimentos legislativos diariamente! Simulados Inéditos de Regimento Interno da CLDF - 2017 Profs. Fabrício Rêgo e Yuri Moraes Aula 00 eu ministro o conteúdo dos regimentos. Dito de outra forma: eu respiro regimentos legislativos diariamente!

Leia mais

CURSO BÁSICO SOBRE A ATIVIDADE PARLAMENTAR

CURSO BÁSICO SOBRE A ATIVIDADE PARLAMENTAR CURSO BÁSICO SOBRE A ATIVIDADE PARLAMENTAR Parceria entre a Escola do Legislativo e a Procuradoria-Geral NOÇÕES SOBRE O REGIMENTO INTERNO Instrutora: Dra. Ruth Barros Pettersen da Costa Março, 2015 NOÇÕES

Leia mais

Direito Constitucional

Direito Constitucional Direito Constitucional Poder Legislativo: Funções Típicas e Atípicas / Congresso Nacional Professora Kerolinne Barboza www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Constitucional PODER LEGISLATIVO: FUNÇÕES TÍPICAS

Leia mais

DISPOSIÇÕES CONSTITUCIONAISVISÃO DO PODER LEGISLATIVO DISTRITAL TÍTULO I DO FUNCIONAMENTO CAPÍTULO I DA COMPOSIÇÃO E DA SEDE

DISPOSIÇÕES CONSTITUCIONAISVISÃO DO PODER LEGISLATIVO DISTRITAL TÍTULO I DO FUNCIONAMENTO CAPÍTULO I DA COMPOSIÇÃO E DA SEDE Regimento Interno Ismael Noronha DISPOSIÇÕES CONSTITUCIONAISVISÃO DO PODER LEGISLATIVO DISTRITAL Já caiu em prova A denominação Câmara Legislativa decorre da fusão dos nomes atribuídos às casas legislativas

Leia mais

PONTO 1: PODER CONSTITUINTE. PONTO 3: b) DERIVADO

PONTO 1: PODER CONSTITUINTE. PONTO 3: b) DERIVADO 1 DIREITO CONSTITUCIONAL PONTO 1: PODER CONSTITUINTE PONTO 2: a) ORIGINÁRIO PONTO 3: b) DERIVADO PODER CONSTITUINTE ORIGINÁRIO: poder diferenciado. Surge um poder organizado. É inicial, autônomo, incondicionado,

Leia mais

PODER LEGISLATIVO CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES Caçapava do Sul RS Capital Farroupilha

PODER LEGISLATIVO CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES Caçapava do Sul RS Capital Farroupilha PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE O PODER LEGISLATIVO Qual o horário de funcionamento da Câmara Municipal de De segunda a sexta-feira, das 08h às 14h. O que é Bancada? Bancada é o grupo de Vereadores de um Partido

Leia mais

Processo Legislativo II. Prof. ª Bruna Vieira

Processo Legislativo II. Prof. ª Bruna Vieira Processo Legislativo II Prof. ª Bruna Vieira 1.4. Espécies normativas (art. 59 da CF) a) emendas à Constituição b) leis complementares c) leis ordinárias d) leis delegadas e) medidas provisórias f) decretos

Leia mais

Mapa comparativo I - Estrutura da Agenda Parlamentar

Mapa comparativo I - Estrutura da Agenda Parlamentar Alemanha (Bundestag) Cada sessão dura um ano com início em meados de Janeiro e fim em meados de Dezembro. Interrompe para férias, sendo que o maior período de interrupção ocorre nas férias de Verão (aproximadamente

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 2015

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 2015 PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 2015, DE Dá nova redação aos arts. 45 e 46 da Constituição Federal para reduzir o número de membros da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. As Mesas da Câmara

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES SÃO FRANCISCO DE PAULA - RS

CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES SÃO FRANCISCO DE PAULA - RS PROJETO DE LEI Nº 08/2016, DE 19 DE SETEMBRO DE 2016. Dispõe sobre a fixação do subsídio mensal dos Vereadores da Câmara Municipal de São Francisco de Paula para o período de 1º de janeiro de 2017 a 31

Leia mais

DIREITO CONSTITUCIONAL

DIREITO CONSTITUCIONAL DIREITO CONSTITUCIONAL 01. (TRF da 2ª Região/Técnico Judiciário/2007) Mirian exerce o cargo efetivo de professora de ensino médio da rede pública estadual de ensino, atividade esta que sempre desempenhou

Leia mais

Professor Luiz Claudio Alves dos Santos

Professor Luiz Claudio Alves dos Santos Professor Luiz Claudio Alves dos Santos Subsídios para elaboração de Recursos referentes a questões de Regimento Comum do Congresso Nacional da prova do concurso da Câmara dos Deputados Em decorrência

Leia mais

Aula 21. Curiosidade. No Direito Tributário a corrente majoritária sustenta haver hierarquia entre LO e LC.

Aula 21. Curiosidade. No Direito Tributário a corrente majoritária sustenta haver hierarquia entre LO e LC. Turma e Ano: Master A 2015 Matéria / Aula: Direito Constitucional Professor: Marcelo Leonardo Tavares Monitor: Rafael Felipe G. do Nascimento Aula 21 PROCESSO LEGISLATIVO (PROCEDIMENTOS ESPECIAIS) 1 O

Leia mais

A mais um CURSO realizado pela

A mais um CURSO realizado pela A mais um CURSO realizado pela Aqui tem qualificação de Verdade! PROCESSO LEGISLATIVO DA LDO JACQUELINE KOWALSKI PROCURADORA DA CÂMARA MUNICIPAL DE CURITIBA PROCESSO LEGISLATIVO É O MEIO PELO QUAL AS LEIS

Leia mais

Parte II Espécies Normativas PROCESSO LEGISLATIVO

Parte II Espécies Normativas PROCESSO LEGISLATIVO Parte II Espécies Normativas PROCESSO LEGISLATIVO I. EMENDAS CONSTITUCIONAIS LIMITAÇÕES Expressas Materiais Cláusulas pétreas CF, art. 60, 4º. Circunstanciais CF.art. 60, 1º. Formais Referentes ao processo

Leia mais

LEI ORGÂNICA, REGIMENTO INTERNO E PROCESSO LEGISLATIVO

LEI ORGÂNICA, REGIMENTO INTERNO E PROCESSO LEGISLATIVO LEI ORGÂNICA, REGIMENTO INTERNO E PROCESSO LEGISLATIVO PAUTA 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS 2. LEI ORGÂNICA E REGIMENTO INTERNO 3. PROCESSO LEGISLATIVO 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS Poder Legislativo na Constituição

Leia mais

PODER LEGISLATIVO. Profa. Érica Rios

PODER LEGISLATIVO. Profa. Érica Rios PODER LEGISLATIVO Profa. Érica Rios erica.carvalho@ucsal.br FUNÇÕES DO P. LEGISLATIVO TÍPICAS: Legislar Fiscalizar as contas do P. Executivo ATÍPICAS: Administrar (ao prover cargos da sua estrutura ou

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2017

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2017 PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2017 As Mesas da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, nos termos do 3º do art. 60 da Constituição Federal, promulgam a seguinte emenda ao texto constitucional:

Leia mais

Capítulo 3. Plano Plurianual PPA

Capítulo 3. Plano Plurianual PPA Capítulo 3. Plano Plurianual PPA 3.8. Questões de concursos públicos Orçamento e Contabilidade Pública, 6ª Edição 1. (Cespe MPU Técnico de Apoio Especializado Orçamento 2010) O PPA deve ser elaborado no

Leia mais

Principais Vedações Constitucionais (Art. 167, CF/88) São Vedados: A transposição, o remanejamento ou a transferência de recursos de uma categoria de programação para outra ou de um órgão para outro, sem

Leia mais

Uma Emenda Constitucional é promulgada pela mesa da Câmara e pela mesa do Senado pelo respectivo número de ordem.

Uma Emenda Constitucional é promulgada pela mesa da Câmara e pela mesa do Senado pelo respectivo número de ordem. OAB MODULAR I - REPETIÇÃO Disciplina: Direito Constitucional Prof. Erival Oliveira Data: 20/08/2009 Aula nº 05 e 06 TEMAS TRATADOS EM AULA AULA 05 PECULIARIDADES DO PODER LEGISLATIVO: 1. MESAS: As mesas

Leia mais

AFO ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA DIREITO FINANCEIRO. Professor: Roberto Chapiro

AFO ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA DIREITO FINANCEIRO. Professor: Roberto Chapiro AFO ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA DIREITO FINANCEIRO Professor: Roberto Chapiro Orçamento Público Conceito Lei de iniciativa do Chefe do Poder Executivo, aprovada pelo Poder Legislativo, que

Leia mais

ESTATUTO DA FRENTE PARLAMENTAR EM DEFESA DO SISTEMA NACIONAL DE AUDITORIA DO SUS- SNA

ESTATUTO DA FRENTE PARLAMENTAR EM DEFESA DO SISTEMA NACIONAL DE AUDITORIA DO SUS- SNA ESTATUTO DA FRENTE PARLAMENTAR EM DEFESA DO SISTEMA NACIONAL DE AUDITORIA DO SUS- SNA Art.1 - A FRENTE PARLAMENTAR EM DEFESA DO SISTEMA NACIONAL DE AUDITORIA DO SUS- SNA, constituída de acordo com o Ato

Leia mais

Luís Roberto Barroso

Luís Roberto Barroso Brasília, 17 de dezembro de 2008. Excelentíssimo Senhor Senador GARIBALDI ALVES FILHO M.D. Presidente do Senado Federal Senhor Presidente: Examinei, com a imparcialidade que se impunha e com a objetividade

Leia mais

Orçamento público: conceito e histórico

Orçamento público: conceito e histórico Orçamento público: conceito e histórico Orçamento público: conceito Orçamento público é o instrumento por excelência de planejamento e execução das finanças públicas. É composto de uma estimativa das receitas

Leia mais

DIREITO FINANCEIRO ORÇAMENTO PÚBLICO (continuação) Aspectos Gerais: características e tramitação no Poder Legislativo.

DIREITO FINANCEIRO ORÇAMENTO PÚBLICO (continuação) Aspectos Gerais: características e tramitação no Poder Legislativo. DIREITO FINANCEIRO ORÇAMENTO PÚBLICO (continuação) II. LEIS ORÇAMENTÁRIAS Aspectos Gerais: características e tramitação no Poder Legislativo. 1. Três leis orçamentárias, todas de iniciativa do Poder Executivo

Leia mais

LISTA DE ABREVIATURAS UTILIZADAS INTRODUÇÃO Capítulo 1 FUNDAMENTOS TEÓRICOS DO PROCESSO LEGISLATIVO... 25

LISTA DE ABREVIATURAS UTILIZADAS INTRODUÇÃO Capítulo 1 FUNDAMENTOS TEÓRICOS DO PROCESSO LEGISLATIVO... 25 SUMÁRIO LISTA DE ABREVIATURAS UTILIZADAS... 21 INTRODUÇÃO... 23 Capítulo 1 FUNDAMENTOS TEÓRICOS DO PROCESSO LEGISLATIVO... 25 1. Processo e procedimento... 25 1.1. Procedimentos legislativos... 26 2. Princípios

Leia mais

Processo Legislativo I. Prof. ª Bruna Vieira

Processo Legislativo I. Prof. ª Bruna Vieira Processo Legislativo I Prof. ª Bruna Vieira 1. Processo legislativo (art. 59 ao 69 da CF) É o procedimento formal que deve ser seguido pelos órgãos e pessoas que têm a função de elaborar as normas jurídicas,

Leia mais

ARGUMENTO º ANO E.M. A B C D E ATUALIDADES

ARGUMENTO º ANO E.M. A B C D E ATUALIDADES ARGUMENTO 2017 1º ANO E.M. A B C D E ATUALIDADES República Federativa do Brasil ASPECTOS DA ESTRUTURA POLÍTICO- CONSTITUCIONAL DO ESTADO BRASILEIRO. REPÚBLICA - forma de governo em que o Chefe de Estado

Leia mais

Fontes do Direitos: Constituição, lei, costumes, jurisprudência, doutrina e contrato. A Constituição Federal e os tópicos da Economia

Fontes do Direitos: Constituição, lei, costumes, jurisprudência, doutrina e contrato. A Constituição Federal e os tópicos da Economia Fontes do Direitos: Constituição, lei, costumes, jurisprudência, doutrina e contrato. A Constituição Federal e os tópicos da Economia No Brasil, vigora o princípio da Supremacia da Constituição, segundo

Leia mais

SUMÁRIO. Língua Portuguesa. Articulação do texto: pronomes e expressões referenciais, nexos, operadores sequenciais...10

SUMÁRIO. Língua Portuguesa. Articulação do texto: pronomes e expressões referenciais, nexos, operadores sequenciais...10 Língua Portuguesa Leitura e análise de textos... 3 Estruturação do texto e dos parágrafos... 10 Articulação do texto: pronomes e expressões referenciais, nexos, operadores sequenciais...10 Significação

Leia mais

LISTA DE ABREVIATURAS UTILIZADAS INTRODUÇÃO Capítulo 1 FUNDAMENTOS TEÓRICOS DO PROCESSO LEGISLATIVO... 25

LISTA DE ABREVIATURAS UTILIZADAS INTRODUÇÃO Capítulo 1 FUNDAMENTOS TEÓRICOS DO PROCESSO LEGISLATIVO... 25 SUMÁRIO LISTA DE ABREVIATURAS UTILIZADAS... 21 INTRODUÇÃO... 23 Capítulo 1 FUNDAMENTOS TEÓRICOS DO PROCESSO LEGISLATIVO... 25 1. Processo e procedimento... 25 1.1. Procedimentos legislativos... 26 2. Princípios

Leia mais

Rodada #1 Regimento Interno da ALERJ

Rodada #1 Regimento Interno da ALERJ Rodada #1 Regimento Interno da ALERJ Professor Julio Ponte Assuntos da Rodada REGIMENTO INTERNO DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO: 1. Funcionamento. 1.1 Sede. 1.2 Sessões Legislativas.

Leia mais

O que é orçamento público?

O que é orçamento público? O que é orçamento público? É a previsão de arrecadação de receitas e a fixação de despesas para um período determinado. É computar, avaliar, calcular a previsão da arrecadação de tributos e o gasto de

Leia mais

OFICINA PARLAMENTAR Brasília (DF) 18 e 19 de agosto de 2016

OFICINA PARLAMENTAR Brasília (DF) 18 e 19 de agosto de 2016 OFICINA PARLAMENTAR Brasília (DF) 18 e 19 de agosto de 2016 CONTRUÇÃO DA PROPOSTA e PROCESSO LEGISLATIVO Delegacia Sindical de Brasília - Sindifisco Nacional Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da

Leia mais

4 - A LOA compreende, entre outros, o orçamento de investimento de todas as empresas de que a União participe.

4 - A LOA compreende, entre outros, o orçamento de investimento de todas as empresas de que a União participe. Orçamento Público CF/88 (CESPE SAD/PE Analista de Controle Interno Especialidade: Finanças Públicas/2010) - A seção II do capítulo referente às finanças públicas, estabelecido na CF, regula os denominados

Leia mais

ESPÉCIES NORMATIVAS E PROCESSO LEGISLATIVO. Maira L. de Souza Melo

ESPÉCIES NORMATIVAS E PROCESSO LEGISLATIVO. Maira L. de Souza Melo ESPÉCIES NORMATIVAS E PROCESSO LEGISLATIVO Maira L. de Souza Melo ESPÉCIES NORMATIVAS Art.18 da CE: Emenda Constitucional Lei Complementar Lei Ordinária Lei Delegada Decreto Legislativo Resolução NORMAS

Leia mais

Contabilidade Pública. Aula 2. Apresentação. Aula 2. Orçamento Público. O orçamento nacional deve ser equilibrado

Contabilidade Pública. Aula 2. Apresentação. Aula 2. Orçamento Público. O orçamento nacional deve ser equilibrado Contabilidade Pública Aula 2 Apresentação Prof. Me. Adilson Lombardo Aula 2 Orçamento Público: conceito e finalidades. O orçamento nacional deve ser equilibrado As dívidas públicas devem ser reduzidas...

Leia mais

FRENTE PARLAMENTAR MISTA EM DEFESA DO COMÉRCIO, SERVIÇO E EMPREENDEDORISMO

FRENTE PARLAMENTAR MISTA EM DEFESA DO COMÉRCIO, SERVIÇO E EMPREENDEDORISMO ESTATUTO DA FRENTE PARLAMENTAR MISTA EM DEFESA DO COMÉRCIO,. I. DA CARACTERIZAÇÃO, DA DURAÇÃO E DA SEDE Art. 1º. A Frente Parlamentar Mista em Defesa do Comércio, Serviço e Empreendedorismo, constituída

Leia mais

Processo Legislativo Constitucional Aula 1 (parte final) IGEPP Prof. Leo van Holthe

Processo Legislativo Constitucional Aula 1 (parte final) IGEPP Prof. Leo van Holthe Processo Legislativo Constitucional Aula 1 (parte final) IGEPP Prof. Leo van Holthe Fase constitutiva A fase constitutiva abrange a deliberação parlamentar (exame, discussão e votação); e deliberação executiva

Leia mais

Regimento do Comitê Financeiro. Grupo NEOENERGIA

Regimento do Comitê Financeiro. Grupo NEOENERGIA Regimento do Comitê Financeiro Grupo NEOENERGIA Regimento do Comitê Financeiro do Grupo NEOENERGIA constituído por decisão do Conselho de Administração da NEOENERGIA S.A O presente Regimento foi aprovado

Leia mais

REGULAMENTO DA COMISSÃO DE BANCAS DA ESCOLA PAULISTA DE POLÍTICA, ECONOMIA E NEGÓCIOS (EPPEN)/UNIFESP

REGULAMENTO DA COMISSÃO DE BANCAS DA ESCOLA PAULISTA DE POLÍTICA, ECONOMIA E NEGÓCIOS (EPPEN)/UNIFESP REGULAMENTO DA COMISSÃO DE BANCAS DA ESCOLA PAULISTA DE POLÍTICA, ECONOMIA E NEGÓCIOS (EPPEN)/UNIFESP Dispõe sobre as atribuições Comissão de Bancas Examinadoras da EPPEN/UNIFESP, sua composição e condução

Leia mais

COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A DAR PARECER ÀS PROPOSTAS DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO RELACIONADAS À REFORMA POLÍTICA (PEC 182, DE 2007, E APENSADAS)

COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A DAR PARECER ÀS PROPOSTAS DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO RELACIONADAS À REFORMA POLÍTICA (PEC 182, DE 2007, E APENSADAS) COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A DAR PARECER ÀS PROPOSTAS DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO RELACIONADAS À REFORMA POLÍTICA (PEC 182, DE 2007, E APENSADAS) SUBSTITUTIVO À PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO N o 14,

Leia mais

GAMARA MUNICIPAL DE ARAGUARI MINAS GERAIS

GAMARA MUNICIPAL DE ARAGUARI MINAS GERAIS # GAMARA MUNICIPAL DE ARAGUARI PFjOJETO DE LEI N I Ç y I 2016 Fixa o subsídio dos Vereadores para a legislatura de 2017 a 2020, e contém outras providências* A Câmara Municipal de Araguari, Estado de Minas

Leia mais

15ª LEGISLATURA 1ª SESSÃO LEGISLATIVA/2017 2º PERÍODO LEGISLATIVO 74ª SESSÃO ORDINÁRIA, REALIZADA AOS 23 DE AGOSTO DE 2017.

15ª LEGISLATURA 1ª SESSÃO LEGISLATIVA/2017 2º PERÍODO LEGISLATIVO 74ª SESSÃO ORDINÁRIA, REALIZADA AOS 23 DE AGOSTO DE 2017. 15ª LEGISLATURA 1ª SESSÃO LEGISLATIVA/2017 2º PERÍODO LEGISLATIVO 74ª SESSÃO ORDINÁRIA, REALIZADA AOS 23 DE AGOSTO DE 2017. PAUTA DA SESSÃO: 1) LEITURA DA (S) ATA (S) PELO 2º (SEGUNDO) SECRETÁRIO OU ASSESSOR

Leia mais

DECRETO Nº , DE 13 DE MARÇO DE

DECRETO Nº , DE 13 DE MARÇO DE DECRETO Nº 22.787, DE 13 DE MARÇO DE 2002 1 Dispõe sobre a regulamentação do Conselho de Recursos Hídricos do Distrito Federal e dá outras providências. O GOVERNADOR DO DISTRITO FEDERAL, no uso das atribuições

Leia mais

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 145, DE 2011

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 145, DE 2011 SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 145, DE 2011 Altera a Lei n 4.737, de 15 de julho de 1965, (Código Eleitoral), e a Lei n 9.504, de 30 de setembro de 1997, para instituir o sistema eleitoral

Leia mais

MIINIISTÉRIIO DA EDUCAÇÃO UNIIVERSIIDADE FEDERAL DE IITAJUBÁ. Criada pela Lei nº , de 24 de abril de 2002

MIINIISTÉRIIO DA EDUCAÇÃO UNIIVERSIIDADE FEDERAL DE IITAJUBÁ. Criada pela Lei nº , de 24 de abril de 2002 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei nº 10.435, de 24 de abril de 2002 MIINIISTÉRIIO DA EDUCAÇÃO UNIIVERSIIDADE FEDERAL DE IITAJUBÁ REGIMENTO DO CONSELHO CURADOR PREÂMBULO

Leia mais

A DISCUSSÃO DO ORÇAMENTO NA CÂMARA MUNICIPAL Jonias de O. e Silva.

A DISCUSSÃO DO ORÇAMENTO NA CÂMARA MUNICIPAL Jonias de O. e Silva. A DISCUSSÃO DO ORÇAMENTO NA CÂMARA MUNICIPAL Jonias de O. e Silva. 1 Processo legislativo: Conceito É o meio pelo qual são feitas as leis. Art. 59 a 69 da Constituição Federal, de 05 de outubro de 1988.

Leia mais

1. O processo legislativo compreende a elaboração, entre outros, de propostas de emenda à Constituição, projetos de lei complementar, projetos de lei

1. O processo legislativo compreende a elaboração, entre outros, de propostas de emenda à Constituição, projetos de lei complementar, projetos de lei 1. O processo legislativo compreende a elaboração, entre outros, de propostas de emenda à Constituição, projetos de lei complementar, projetos de lei ordinária e projetos de resolução. ERRADO, art. 59,

Leia mais

Direito Constitucional

Direito Constitucional Direito Constitucional Dos Deputados e dos Senadores (Art. 053 a 056) Professor André Vieira www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Constitucional Seção V DOS DEPUTADOS E DOS SENADORES Art. 53. Os Deputados

Leia mais

Estado de Mato Grosso Prefeitura Municipal de Nobres CNPJ: / LEI MUNICIPAL Nº 1.282/2013 DE 21 DE OUTUBRO DE 2013.

Estado de Mato Grosso Prefeitura Municipal de Nobres CNPJ: / LEI MUNICIPAL Nº 1.282/2013 DE 21 DE OUTUBRO DE 2013. LEI MUNICIPAL Nº 1.282/2013 DE 21 DE OUTUBRO DE 2013. DISPÕE SOBRE A ATUALIZAÇÃO ESTRUTURAL E ADMINISTRATIVA DO CONSELHO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL DE NOBRES CMAS E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O Sr. SEBASTIÃO

Leia mais

Tópico 3: Ciclo Orçamentário. Execução Orçamentária e Financeira.

Tópico 3: Ciclo Orçamentário. Execução Orçamentária e Financeira. Tópico 3: Ciclo Orçamentário. Execução Orçamentária e Financeira. 1.(Cespe/TCU/2008) No mínimo sessenta dias antes do prazo final para a remessa da proposta do orçamento, o Poder Executivo deve colocar

Leia mais

1 Prazos de encaminhamento e de aprovação do projeto de LOA

1 Prazos de encaminhamento e de aprovação do projeto de LOA ESTUDO DE PONTOS CONTROVERSOS DA LOA Robison Carlos Miranda Pereira* Ementa: O objetivo deste estudo é apresentar a solução para três pontos controversos relacionados ao processo de elaboração e aprovação

Leia mais

Processo Seletivo para Designação de Função Comissionada em Liderança Partidária

Processo Seletivo para Designação de Função Comissionada em Liderança Partidária Processo Seletivo para Designação de Função Comissionada em Liderança Partidária Regulamento O Diretor do Centro de Formação, Treinamento e Aperfeiçoamento dos servidores da Câmara dos Deputados, no uso

Leia mais

Decreto Lei. Vedações M.P.

Decreto Lei. Vedações M.P. Decreto Lei Antigamente existia a figura do decreto lei. Tinha como característica ser editada pelo chefe do executivo. Existia a figura do decurso de prazo, se não fosse aprovada em 30 dias virava lei.

Leia mais

PODER LEGISLATIVO PODER LEGISLATIVO PODER LEGISLATIVO DIVISÃO DE FUNÇÕES ESTATAIS ORGANIZAÇÃO DOS PODERES ESTUDO DOS PODERES SEPARAÇÃO DE PODERES

PODER LEGISLATIVO PODER LEGISLATIVO PODER LEGISLATIVO DIVISÃO DE FUNÇÕES ESTATAIS ORGANIZAÇÃO DOS PODERES ESTUDO DOS PODERES SEPARAÇÃO DE PODERES ORGANIZAÇÃO DOS PODERES SEPARAÇÃO DE PODERES ART. 2.º,, DA CF/88: São Poderes da União, independentes e harmônicos entre si, o Legislativo,, o Executivo e o Judiciário rio. FUNÇÕES LEGISLATIVA EXECUTIVA

Leia mais

Terça-feira, 17 de Dezembro de 2013 Edição n 507

Terça-feira, 17 de Dezembro de 2013 Edição n 507 LEI Nº 65 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2013 INSTITUI O PLANO PLURIANUAL PARTICIPATIVO - MUNICÍPIO DE SÃO MIGUEL DAS MATAS BA, PARA O PERÍODO DE 2014 A 2017 E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO MUNICIPAL DE SÃO

Leia mais

Concurso da Câmara dos Deputados. Luiz Claudio Santos

Concurso da Câmara dos Deputados. Luiz Claudio Santos Concurso da Câmara dos Deputados Luiz Claudio Santos Carreira Legisla+va Nível Médio ou Superior CARGO CLASSE PADRÃO Classe Especial 10 9 8 Técnico Legisla+vo 7 B ou 6 Analista Legisla+vo 5 4 A 3 2 1 CD

Leia mais

CONTROLE DE CONTEÚDO SENADO FEDERAL ANALISTA LEGISLATIVO PROCESSO LEGISLATIVO

CONTROLE DE CONTEÚDO SENADO FEDERAL ANALISTA LEGISLATIVO PROCESSO LEGISLATIVO CONTROLE DE CONTEÚDO SENADO FEDERAL ANALISTA LEGISLATIVO PROCESSO LEGISLATIVO PORTUGUÊS 1 Leitura, compreensão e análise de textos. Inferência (informações explícitas e implícitas). Tipologia textual:

Leia mais

Banco Central Direito Constitucional Poder Legislativo Cristiano Lopes Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor.

Banco Central Direito Constitucional Poder Legislativo Cristiano Lopes Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Banco Central Direito Constitucional Poder Legislativo Cristiano Lopes 2013 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Prof. Cristiano Lopes No Brasil vigora o bicameralismo

Leia mais

O SISTEMA FEDERATIVO E A INTERVENÇÃO FEDERAL

O SISTEMA FEDERATIVO E A INTERVENÇÃO FEDERAL O SISTEMA FEDERATIVO E A INTERVENÇÃO FEDERAL GUSTAVO GUSMÃO O SISTEMA FEDERATIVO E A INTERVENÇÃO FEDERAL INTRODUÇÃO: O Brasil é uma República Federativa, isto é, uma Federação composta de Estados- membros

Leia mais

Gabinete Senador ACIR GURGACZ PARECER Nº, DE 2015

Gabinete Senador ACIR GURGACZ PARECER Nº, DE 2015 PARECER Nº, DE 2015 Relator Senador Acir Gurgacz Da Comissão Mista de Planos Orçamentos Públicos e Fiscalização - CMO, sobre o Projeto de Lei nº 003, de 2015 - CN, que Altera o Anexo V da Lei 13.115, de

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE ASSUNTOS DISCIPLINARES

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE ASSUNTOS DISCIPLINARES REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE ASSUNTOS DISCIPLINARES Partido dos Trabalhadores 1 REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE ASSUNTOS DISCIPLINARES (CAD). Art. 1º - O Conselho de Assuntos Disciplinares (CAD) é

Leia mais

PEC 187/12 - ELEIÇÃO P/ ÓRGÃOS DIRETIVOS TRIBUNAIS

PEC 187/12 - ELEIÇÃO P/ ÓRGÃOS DIRETIVOS TRIBUNAIS PEC 187/12 - ELEIÇÃO P/ ÓRGÃOS DIRETIVOS TRIBUNAIS CRIAÇÃO: 05/03/2015 CONSTITUIÇÃO: 29/06/2015 INSTALAÇÃO: 01/07/2015 ENCERRAMENTO: MESA DA COMISSÃO PRESIDENTE 1º VICE-PRESIDENTE VINICIUS CARVALHO (PRB/SP)

Leia mais

QUESTÕES DE PROVA FCC CICLO ORÇAMENTÁRIO

QUESTÕES DE PROVA FCC CICLO ORÇAMENTÁRIO QUESTÕES DE PROVA FCC CICLO ORÇAMENTÁRIO 1) (FCC Analista Judiciário - Contabilidade TRE/RN 2011) Definindo o orçamento como um ato de previsão da receita e fixação da despesa, a elaboração do Projeto

Leia mais

Art. 2º O Conselho Estadual de Cultura tem por competências: II - acompanhar e fiscalizar a execução do Plano Estadual de Cultura;

Art. 2º O Conselho Estadual de Cultura tem por competências: II - acompanhar e fiscalizar a execução do Plano Estadual de Cultura; DECRETO Nº 24.720 DE 3 DE NOVEMBRO DE 2008 Dispõe sobre a composição e o funcionamento do Conselho Estadual de Cultura - CONSEC, de que trata a Lei nº 8.319, de 12 de dezembro de 2005, e dá outras providências.

Leia mais

COMISSÕES PARLAMENTARES

COMISSÕES PARLAMENTARES COMISSÕES PARLAMENTARES O QUE SÃO? São organismos instituídos em cada Câmara (ou, conjuntamente, no Congresso Nacional), compostos de número geralmente restrito de membros, encarregados de: estudar e examinar

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO POLÍTICO NACIONAL DO PARTIDO ECOLÓGICO NACIONAL PEN51.

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO POLÍTICO NACIONAL DO PARTIDO ECOLÓGICO NACIONAL PEN51. REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO POLÍTICO NACIONAL DO PARTIDO ECOLÓGICO NACIONAL PEN51. Aprovado em reunião ordinária realizada em Brasília no dia 30 de outubro de 2013. PREÂMBULO O Conselho Político Nacional

Leia mais

300 Questões Comentadas do Processo Legislativo

300 Questões Comentadas do Processo Legislativo 1 Para adquirir a apostila de 300 Questões Comentadas ( art. 59 ao 69 da CF) acesse o site: www.odiferencialconcursos.com.br S U M Á R I O Apresentação...3 Questões...4 Respostas...74 Bibliografia...139

Leia mais

Regimento Interno da Câmara dos Deputados

Regimento Interno da Câmara dos Deputados Encontro do dia 16 de março de 2015 (questões remanescentes da lista 1A) Com relação aos projetos e à apreciação, tramitação e discussão de proposições, julgue o item a seguir com base no Regimento Interno

Leia mais

REGISTROS DAS RESOLUÇÕES DA CÂMARA MUNICIPAL DE COXIM

REGISTROS DAS RESOLUÇÕES DA CÂMARA MUNICIPAL DE COXIM REGISTROS DAS RESOLUÇÕES DA CÂMARA MUNICIPAL DE COXIM 20 de setembro de 1975 RESOLUÇÃO/1975 nº 002 GESTÃO: Vereador-Presidente Luiz Monteiro da Silva (01/01/1975 a 31/12/1976) EMENTA: Fixa a remuneração

Leia mais

APRECIAÇÃO DO PPA E LDO PELA CÂMARA MUNICIPAL Jonias de O. e Silva

APRECIAÇÃO DO PPA E LDO PELA CÂMARA MUNICIPAL Jonias de O. e Silva APRECIAÇÃO DO PPA E LDO PELA CÂMARA MUNICIPAL Jonias de O. e Silva. PROCESSO LEGISLATIVO É o meio pelo qual são feitas as leis. Art. 59 a 69 da Constituição Federal, de 05 de outubro de 1988. Fases do

Leia mais

Art. 44. O Poder Legislativo é exercido pelo Congresso Nacional, que se. eleitos, pelo sistema proporcional, em cada Estado, em cada Território e no

Art. 44. O Poder Legislativo é exercido pelo Congresso Nacional, que se. eleitos, pelo sistema proporcional, em cada Estado, em cada Território e no Art. 44. O Poder Legislativo é exercido pelo Congresso Nacional, que se compõe da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. Parágrafo único. Cada legislatura terá a duração de quatro anos. Art. 45. A Câmara

Leia mais

Prof. Francisco Mariotti

Prof. Francisco Mariotti 1. Emenda Constitucional 95/2016 O novo Regime Fiscal da União A EC 95/2016 instituiu o chamado novo regime fiscal, segundo o qual as despesas públicas primárias poderão ter seu valor elevado no limite

Leia mais

Regimento da Assembleia Parlamentar da CPLP

Regimento da Assembleia Parlamentar da CPLP Regimento da Assembleia Parlamentar da CPLP Regimento da Assembleia Parlamentar da CPLP Ao abrigo da alínea f) do art. 12.º Estatuto Assembleia Parlamentar da CPLP, o Plenário da Assembleia Parlamentar

Leia mais

FUNÇÕES E COMPETÊNCIAS DOS PODERES MUNICIPAIS

FUNÇÕES E COMPETÊNCIAS DOS PODERES MUNICIPAIS FUNÇÕES E COMPETÊNCIAS DOS PODERES MUNICIPAIS ROBERTO KURTZ PEREIRA MUNICÍPIO Posição do Município na Federação. A Constituição Federal de 1988, elevou o Município como ente federativo. Consagrou a autonomia

Leia mais

DIREITO FINANCEIRO I. Finanças Públicas na Constituição Federal... 02 II. Orçamento... 04 III. Despesa Pública... 39 IV. Lei de Responsabilidade Fiscal... 48 V. Receita Pública... 50 VI. Dívida Ativa da

Leia mais

MEDIDA PROVISÓRIA 215/2004, QUE DISPÕE SOBRE O REAJUSTAMENTO DOS VALORES DOS SOLDOS DOS MILITARES DAS FORÇAS ARMADAS, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS

MEDIDA PROVISÓRIA 215/2004, QUE DISPÕE SOBRE O REAJUSTAMENTO DOS VALORES DOS SOLDOS DOS MILITARES DAS FORÇAS ARMADAS, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS ESTUDO ESTUDO MEDIDA PROVISÓRIA 215/2004, QUE DISPÕE SOBRE O REAJUSTAMENTO DOS VALORES DOS SOLDOS DOS MILITARES DAS FORÇAS ARMADAS, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS ESTUDO OUTUBRO/2004 Sérgio Fernandes Senna Pires

Leia mais

NOTA TÉCNICA CONJUNTA

NOTA TÉCNICA CONJUNTA NOTA TÉCNICA CONJUNTA A Frente Associativa da Magistratura e do Ministério Público FRENTAS, composta pela Associação dos Juízes Federais do Brasil AJUFE, Associação Nacional dos Procuradores da República

Leia mais

Regimento Interno da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica

Regimento Interno da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica Regimento Interno da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica Artigo lo. As normas e disposições estatutárias terão seus procedimentos regulamentados por este Regimento Interno. Das Representações Regionais

Leia mais

SUMÁRIO NORMAS CONSTITUCIONAIS AMBIENTAIS Capítulo 1

SUMÁRIO NORMAS CONSTITUCIONAIS AMBIENTAIS Capítulo 1 SUMÁRIO Capítulo 1 NORMAS CONSTITUCIONAIS AMBIENTAIS... 23 1. Conceito de Constituição... 23 2. Sentidos ou concepções de Constituição... 23 2.1. Sentido sociológico... 24 2.2. Sentido político... 24 2.3.

Leia mais

SUMÁRIO TEORIA DA CONSTITUIÇÃO Capítulo 1

SUMÁRIO TEORIA DA CONSTITUIÇÃO Capítulo 1 SUMÁRIO Capítulo 1 TEORIA DA CONSTITUIÇÃO... 23 1. Conceito de Constituição... 23 2. Sentidos ou concepções de Constituição... 23 2.1. Sentido sociológico... 24 2.2. Sentido político... 24 2.3. Sentido

Leia mais

ASSOCIAÇÃO de ATLETAS OLÍMPICOS DE ANGOLA

ASSOCIAÇÃO de ATLETAS OLÍMPICOS DE ANGOLA ESTATUTO Artigo 1º (Definição) A Associação de Atletas Olimpicos de Angola, abreviadamente designada de AAOA é uma Instituição não governamental, de caracter associativo, autonóma e sem fins lucrativos,

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO IV DA ORGANIZAÇÃO DOS PODERES CAPÍTULO IV DAS FUNÇÕES ESSENCIAIS À JUSTIÇA Seção I Do Ministério Público Art. 127. O Ministério Público é instituição

Leia mais

SUBSTITUTIVO ADOTADO

SUBSTITUTIVO ADOTADO Comissão Especial destinada a proferir parecer à Proposta de Emenda à Constituição nº 282-A, de 2016, do Senado Federal, que "altera a Constituição Federal para vedar as coligações nas eleições proporcionais,

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 94, DE 2015

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 94, DE 2015 PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 94, DE 2015 Altera o art. 14 da Constituição Federal, para acrescentar hipótese de inelegibilidade. As Mesas da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, nos termos

Leia mais

DIREITO CONSTITUCIONAL

DIREITO CONSTITUCIONAL DIREITO CONSTITUCIONAL 01. (TRE do Amapá/Técnico Judiciário/2011) O número de Deputados à Assembleia Legislativa corresponderá ao triplo da representação do Estado na Câmara dos Deputados e, atingido o

Leia mais

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO. Processo Legislativo

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO. Processo Legislativo INTRDUÇÃ A ESTUD D DIREIT Processo Legislativo PDER LEGISLATIV (Arts. 44 ao 75, CF/88) PDER LEGISLATIV NACINAL Possui funções típicas e atípicas: Funções típicas: legislar e fiscalizar. Ex. Art. 59; 49,

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO DE REPRESENTANTES DA ADCFET-RJ

REGULAMENTO DO CONSELHO DE REPRESENTANTES DA ADCFET-RJ REGULAMENTO DO CONSELHO DE REPRESENTANTES DA ADCFET-RJ TÍTULO I Do Conselho de Representantes Art. 1º O Conselho de Representantes é um órgão consultivo, deliberativo e fiscalizador da Associação de Docentes

Leia mais

Prof. José Darcísio Pinheiro Presidente

Prof. José Darcísio Pinheiro Presidente Resolução n 002/2010-CD Aprova o Regimento Interno do Conselho Diretor da Universidade Federal de Roraima. O PRESIDENTE DO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA, no uso de suas atribuições legais e estatutárias

Leia mais

Regimento Interno da Câmara Legislativa do Distrito Federal

Regimento Interno da Câmara Legislativa do Distrito Federal AULA 00 Regimento Interno da Câmara Legislativa do Distrito Federal Funcionamento Professor Julio Ponte www.pontodosconcursos.com.br www.pontodosconcursos.com.br www.facebook.com/professorjulioponte 1

Leia mais

PROPOSTAS DE ALTERAÇÕES ESTATUTÁRIAS

PROPOSTAS DE ALTERAÇÕES ESTATUTÁRIAS PROPOSTAS DE ALTERAÇÕES ESTATUTÁRIAS Obs : as diferenças entre o Estatuto atual e as alterações propostas estão destacadas em negrito e grifadas Esta primeira parte das alterações têm como justificativa

Leia mais

DELIBERAÇÃO N.º 22, DE 18 DE JULHO DE 2016

DELIBERAÇÃO N.º 22, DE 18 DE JULHO DE 2016 DELIBERAÇÃO N.º 22, DE 18 DE JULHO DE 2016 Ementa: Dispõe sobre o Regimento Interno das Comissões Assessoras e Grupos de Trabalhos do Conselho Regional de Farmácia do Estado do Rio Grande do Norte, e dá

Leia mais