Impactos da Crise Mundial sobre a Economia Brasileira

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Impactos da Crise Mundial sobre a Economia Brasileira"

Transcrição

1 Impactos da Crise Mundial sobre a Economia Brasileira Centro das Indústrias do Estado de São Paulo - CIESP Campinas (SP) 29 de julho de CIESP Campinas - 29/07/09

2 Crise de 2008 breve histórico Início: reversão da tendência de elevação no preços das residências nos EUA ( estouro da bolha imobiliária ) causando... 2 CIESP Campinas - 29/07/09

3 Estados Unidos Índice e variação dos preços de imóveis 3 CIESP Campinas - 29/07/09

4 Crise de 2008 breve histórico Início:... aumento nas taxas de inadimplência dos empréstimos imobiliários 4 CIESP Campinas - 29/07/09

5 Estados Unidos Taxa de inadimplência no mercado imobiliário 5 CIESP Campinas - 29/07/09

6 Crise de 2008 breve histórico 2º estágio: crise de confiança e de liquidez em escala global quebra do banco Lehman Brothers (quase um credit crunch ) 6 CIESP Campinas - 29/07/09

7 Mercado monetário internacional Libor-OIS spreads 7 CIESP Campinas - 29/07/09

8 Forte queda nos preços dos ativos em escala global 8 CIESP Campinas - 29/07/09

9 Forte queda nos preços dos ativos em escala global 9 CIESP Campinas - 29/07/09

10 Crise de 2008 breve histórico 3º estágio: reversão da postura da política monetária em economias avançadas 10 CIESP Campinas - 29/07/09

11 Política monetária em ação Juros nos menores patamares históricos 11 CIESP Campinas - 29/07/09

12 Crise de 2008 breve histórico 3º estágio: recessão nas economias avançadas forte desaceleração nas economias emergentes 12 CIESP Campinas - 29/07/09

13 Recessão nas economias avançadas 13 CIESP Campinas - 29/07/09

14 Forte desaceleração nas economias emergentes 14 CIESP Campinas - 29/07/09

15 Desaceleração global reduz cotações das commodities 15 CIESP Campinas - 29/07/09

16 Ambiente externo O que vem pela frente: fundo do poço deve ser atingido ainda este ano 16 CIESP Campinas - 29/07/09

17 OCDE Leading Indicators 17 CIESP Campinas - 29/07/09

18 Conference Board Leading indicators dos EUA 18 CIESP Campinas - 29/07/09

19 Purchasing Managers Index China, Europa e Estados Unidos 19 CIESP Campinas - 29/07/09

20 Purchasing Managers Index Alemanha, França e Itália 20 CIESP Campinas - 29/07/09

21 Cotações do petróleo Apesar da recuperação recente CIESP Campinas - 29/07/09

22 Hiato do produto... riscos inflacionários são relativamente baixos Fonte: OCDE 22 CIESP Campinas - 29/07/09

23 Ambiente Externo Principais riscos à perspectiva de recuperação mundial são CIESP Campinas - 29/07/09

24 Principais riscos ao cenário de recuperação lenta recuperação do mercado de trabalho pode ter repercussão negativa sobre mercado imobiliário e recuperação do sistema bancário 24 CIESP Campinas - 29/07/09

25 Estados Unidos Deterioração do mercado de trabalho 25 CIESP Campinas - 29/07/09

26 Principais riscos ao cenário de recuperação dificuldades de reversão na política fiscal elevação do prêmio de risco para financiamento da dívida pública 26 CIESP Campinas - 29/07/09

27 Estados Unidos Premissas adotadas pela Casa Branca são relativamente otimistas para recuperação da atividade 27 CIESP Campinas - 29/07/09

28 Estados Unidos Elevação recente nos juros longos podem ter implicações negativas sobre atividade 28 CIESP Campinas - 29/07/09

29 Principais riscos ao cenário de recuperação... nova rodada de incertezas quanto à solvabilidade do sistema bancário americano 29 CIESP Campinas - 29/07/09

30 Testes de estresse Necessidades são pequenas se comparadas à ajuda já recebida CIESP Campinas - 29/07/09

31 Testes de estresse... e às perdas totais estimadas (EUA e economias desenvolvidas) 31 CIESP Campinas - 29/07/09

32 Principais riscos ao cenário de recuperação ajuste nos balanços das famílias americanas deve manter consumo contido por um bom período 32 CIESP Campinas - 29/07/09

33 Estados Unidos Elevação recente na renda real disponível tem sido canalizada para poupança 33 CIESP Campinas - 29/07/09

34 Principais riscos ao cenário de recuperação queda no consumo das famílias americanas será compensado por aumentos em outros países? 34 CIESP Campinas - 29/07/09

35 China Dados recentes do PIB sugerem retomada em curso 35 CIESP Campinas - 29/07/09

36 China Contudo, investimento em ativos fixos foi principais indutor da recuperação 36 CIESP Campinas - 29/07/09

37 A crise e o ambiente doméstico 37 CIESP Campinas - 29/07/09

38 Brasil e a crise financeira Repercussões sobre economia brasileira Antes de tudo, o Brasil mudou, aumentou a resiliência a choques externos 38 CIESP Campinas - 29/07/09

39 Brasil e a crise financeira Propagação de choques externos no passado 39 CIESP Campinas - 29/07/09

40 Brasil e a crise financeira Propagação de choques externos hoje 40 CIESP Campinas - 29/07/09

41 Brasil e a crise financeira Redução da vulnerabilidade a variações na taxa de câmbio 41 CIESP Campinas - 29/07/09

42 Brasil e a crise financeira Menores patamares alcançados pelo prêmio de risco sugerem avaliação positiva do mercado 42 CIESP Campinas - 29/07/09

43 Brasil e a crise financeira Menor desvalorização da taxa de câmbio também é sinalização positiva 43 CIESP Campinas - 29/07/09

44 Brasil e a crise financeira Melhora nos indicadores de vulnerabilidade externa reforçaram resiliência do Brasil a choques 44 CIESP Campinas - 29/07/09

45 Brasil e a crise financeira Como a crise se propagou sobre a economia brasileira CRISE FINANCEIRA GLOBAL CANAIS DE TRANSMISSÃO CRÉDITO COMÉRCIO EXTERIOR EXPECTATIVAS Externo Doméstico Preços de commodities Câmbio Empresários Consumidores 45 CIESP Campinas - 29/07/09

46 IBOVESPA Queda acentuada nos preços dos ativos -60,0% -85,3% 46 CIESP Campinas - 29/07/09

47 Brasil: para onde iremos? 47 CIESP Campinas - 29/07/09

48 Brasil e a crise financeira Repercussões sobre economia brasileira Atividade econômica dados contrariam tanto visão mais pessimista como as mais otimistas 48 CIESP Campinas - 29/07/09

49 Atividade Econômica Variação do PIB (trim./trim. ano anterior) 49 CIESP Campinas - 29/07/09

50 Brasil e a crise financeira Repercussões sobre economia brasileira Atividade econômica últimos indicadores da economia sinalizam que o fundo do poço ficou para trás 50 CIESP Campinas - 29/07/09

51 Nível de Atividade NUCI 51 CIESP Campinas - 29/07/09

52 Atividade Econômica - emprego: recuperando, mas de maneira lenta - 797, ,3 52 CIESP Campinas - 29/07/09

53 Brasil e a crise financeira Repercussões sobre economia brasileira Atividade econômica recuperação, no entanto, não tem sido uniforme mais afetados: bens de capital e duráveis menos afetados: não-duráveis 53 CIESP Campinas - 29/07/09

54 Atividade Econômica Recuperação da produção industrial tem sido desigual 54 CIESP Campinas - 29/07/09

55 Brasil e a crise financeira Repercussões sobre economia brasileira Atividade econômica expectativas também sugerem recuperação 55 CIESP Campinas - 29/07/09

56 Nível de atividade: confiança dos empresários 56 CIESP Campinas - 29/07/09

57 Nível de atividade: confiança dos empresários 57 CIESP Campinas - 29/07/09

58 Nível de atividade: confiança dos consumidores 58 CIESP Campinas - 29/07/09

59 Mercado de Trabalho: taxa de desemprego ainda deve deteriorar ao longo do ano Retirar elaboração DIREO e colocar gráfico de linha 59 CIESP Campinas - 29/07/09

60 Ambiente Interno: massa real de salários: projeção de crescimento 60 CIESP Campinas - 29/07/09

61 Atividade Econômica - PIB: indústria tem sido o setor mais afetado pela crise 61 CIESP Campinas - 29/07/09

62 Comércio Varejista: crise afetou setores de forma assimétrica 62 CIESP Campinas - 29/07/09

63 Brasil e a crise financeira Repercussões sobre economia brasileira Atividade econômica últimos indicadores da economia sinalizam que o fundo do poço ficou para trás 63 CIESP Campinas - 29/07/09

64 Atividade Econômica Investimentos 64 CIESP Campinas - 29/07/09

65 Atividade Econômica - PIB: para 2009, mercado segue mais pessimista que o Governo e que o BB 65 CIESP Campinas - 29/07/09

66 Ambiente Interno: PIB: exercício com Cenário Base 66 CIESP Campinas - 29/07/09

67 Brasil e a crise financeira Repercussões sobre economia brasileira Atividade econômica comportamento recente das commodities tem sido fator importante para desempenho das exportações 67 CIESP Campinas - 29/07/09

68 Exportações Divisão por fatores de uso indica aparente concentração em manufaturados 68 CIESP Campinas - 29/07/09

69 Exportações Análise mais detalhada mostra maior dependência de produtos commoditizados 69 CIESP Campinas - 29/07/09

70 Exportações Preços têm sustentado o volume de exportações 70 CIESP Campinas - 29/07/09

71 Taxa de câmbio: ao contrário do passado, tendência de valorização pode ser mais prejudicial ao setor externo 71 CIESP Campinas - 29/07/09

72 Preços de commodities: Elevada correlação entre preços de commodities e das exportações nacionais. 72 CIESP Campinas - 29/07/09

73 Ambiente Interno: Balança comercial e corrente de comércio: evolução e projeções 73 CIESP Campinas - 29/07/09

74 Ambiente Interno: Transações correntes: evolução e projeções 74 CIESP Campinas - 29/07/09

75 Ambiente Interno: Fluxo cambial 75 CIESP Campinas - 29/07/09

76 Ambiente Interno: Reservas internacionais: projeções 76 CIESP Campinas - 29/07/09

77 Ambiente Interno: DLSP e juros nominais: evolução recente e projeção 77 CIESP Campinas - 29/07/09

78 Ambiente interno: Evolução da arrecadação federal 78 CIESP Campinas - 29/07/09

79 Brasil e a crise financeira Repercussões sobre economia brasileira Política Monetária ria: espaço o para novos ajustes é residual, considerando: magnitude da distensão monetária processo de recuperação, ainda que lento, da economia efeitos defasados da política monetária fraco desempenho dos investimentos obstáculo: remuneração da poupança? 79 CIESP Campinas - 29/07/09

80 Ambiente Interno: IPCA: evolução, núcleos e projeção 80 CIESP Campinas - 29/07/09

81 Ambiente Interno: IPCA: trajetória dos exercícios de inflação do BC 81 CIESP Campinas - 29/07/09

82 Ambiente Interno: IPCA: expectativas de mercado 82 CIESP Campinas - 29/07/09

83 Crédito: ainda que sem apresentar o crescimento do passado recente, expansão projetada é consistente. 83 CIESP Campinas - 29/07/09

84 Que Brasil sairá da crise? 84 CIESP Campinas - 29/07/09

85 Brasil e a crise financeira Razões para o otimismo Situação externa confortável sistema financeiro sólido e sofisticado manutenção do grau de investimento Estabilidade macroeconômica bons fundamentos fiscais câmbio flutuante inflação baixa e sob controle banco central autônomo 85 CIESP Campinas - 29/07/09

86 Brasil e a crise financeira Fundamentos sólidos nas dimensões institucional, econômica e social propiciam crescimento sustentado estabilidade institucional estabilidade monetária maior resistência a choques externos responsabilidade fiscal melhora gradual e continuada da distribuição de renda inclusão social 86 CIESP Campinas - 29/07/09

87 Fim 87 CIESP Campinas - 29/07/09

Ambiente econômico nacional e internacional

Ambiente econômico nacional e internacional Ambiente econômico nacional e internacional Apresentação para elaboração do documento referencial 2015-19 no Ministério do Turismo Manoel Pires - MF Cenário internacional O mundo se recupera da crise,

Leia mais

Perspectivas para 2012

Perspectivas para 2012 Abiplast Perspectivas para 2012 Antonio Delfim Netto 2 de Dezembro de 2011 São Paulo, SP 1 I.Mundo: Década de 80 e 2010 (% do PIB) 30% 23% 31% 24% 37% 22% 3,7% 3,3% 8% 7% 4,2% 4,0% 1,5% 1,2% Fonte: FMI,

Leia mais

Desafios e Perspectivas da Economia Brasileira

Desafios e Perspectivas da Economia Brasileira Desafios e Perspectivas da Economia Brasileira 39º Prêmio Exportação Rio Grande do Sul - 2011 Alexandre Tombini Presidente do Banco Central do Brasil 20 de Junho de 2011 Conquistas da Sociedade Brasileira

Leia mais

Prestação de Contas - LRF Banco Central: Objetivos das Políticas Monetária, Creditícia e Cambial e Impacto Fiscal de suas Operações

Prestação de Contas - LRF Banco Central: Objetivos das Políticas Monetária, Creditícia e Cambial e Impacto Fiscal de suas Operações Prestação de Contas - LRF Banco Central: Objetivos das Políticas Monetária, Creditícia e Cambial e Impacto Fiscal de suas Operações Henrique de Campos Meirelles Novembro de 20 Prestação de Contas - LRF

Leia mais

Consultoria. Conjuntura Econômica e Perspectivas Setembro/2016. Juan Jensen

Consultoria. Conjuntura Econômica e Perspectivas Setembro/2016. Juan Jensen Consultoria Conjuntura Econômica e Perspectivas 2017-22 Setembro/2016 Juan Jensen jensen@4econsultoria.com.br PIB Confiança segue mostrando recuperação na margem, ainda que nível ainda seja baixo Estamos

Leia mais

CENÁRIO MACROECONÔMICO

CENÁRIO MACROECONÔMICO CENÁRIO MACROECONÔMICO SEGUE PAUTADO PELAS MUDANÇAS NO CENÁRIO GLOBAL, AFETANDO DIRETAMENTE O CÂMBIO, E PELO CRESCIMENTO MAIS MODERADO DA ECONOMIA DOMÉSTICA Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Leia mais

Evolução Recente da Economia Brasileira

Evolução Recente da Economia Brasileira Evolução Recente da Economia Brasileira Henrique de Campos Meirelles Novembro de 2008 1 Panorama Internacional 2 US$ bilhões EUA: Emissão de Commercial Papers (CP) por Empresas Não-Financeiras 2.400 subprime

Leia mais

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO jan/15 jan/15 Acomodação com o cenário externo A semana de 19 a 26 de fevereiro apresentou movimentos moderados nas principais variáveis de mercado. A despeito do resultado negativo para o IPCA-15 de fevereiro,

Leia mais

Política Industrial para a retomada do desenvolvimento Painel 1: Caminhos para a retomada

Política Industrial para a retomada do desenvolvimento Painel 1: Caminhos para a retomada Política Industrial para a retomada do desenvolvimento Painel 1: Caminhos para a retomada Prof. Dr. Antonio Corrêa de Lacerda São Paulo, 05 de Outubro de 2015 ECONOMIA INTERNACIONAL: TAXAS DE JUROS DE

Leia mais

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina ICF. Intenção de Consumo das Famílias

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina ICF. Intenção de Consumo das Famílias Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina ICF Intenção de Consumo das Famílias Núcleo de Estudos Estratégicos Fecomércio SC Março de 2016 SUMÁRIO EMPREGO, REN DA E CONSUMO ATUAIS...

Leia mais

SONDAGEM INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO DE ALAGOAS

SONDAGEM INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO DE ALAGOAS SONDAGEM INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO DE ALAGOAS Indicadores dos Níveis de Atividade e Emprego mantém tendência de retração na Indústria da Construção de Alagoas e do Nordeste no 4º Trimestre de 2015 4º TRI/2015

Leia mais

Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados

Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Análise Setorial Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Dezembro de 2014 Sumário 1. Perspectivas do Cenário Econômico em 2015... 3 2. Balança Comercial no Ano de 2014... 4 3.

Leia mais

Cenário macroeconômico

Cenário macroeconômico Cenário macroeconômico 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016* 2017* TAXA DE CRESCIMENTO DO PIB DO MUNDO (SOMA DOS PIBs OBTIDA PELA PARIDADE DO PODER DE COMPRA) 1980 - Título 2011 FONTE: FMI. ELABORAÇÃO E

Leia mais

CENÁRIO ECONÔMICO. Outubro 2016

CENÁRIO ECONÔMICO. Outubro 2016 CENÁRIO ECONÔMICO Outubro 2016 CENÁRIO ECONÔMICO Internacional - Destaques Mercados globais: avanço (modesto) da economia americana, bom desempenho(ainda) da China e melhora (discreta) da Zona do Euro

Leia mais

Luiz Augusto de Oliveira Candiota

Luiz Augusto de Oliveira Candiota Luiz Augusto de Oliveira Candiota Por que investir em ações agora?" Lacan Investimentos Índice Contexto Macroeconômico Por quê? Riscos Oportunidades Como? Gestão Ativa x Gestão Passiva [3] Contexto Macroeconômico

Leia mais

Resposta Brasileira à Crise Financeira Externa

Resposta Brasileira à Crise Financeira Externa Resposta Brasileira à Crise Financeira Externa Yoshiaki Nakano Escola de Economia de São Paulo da Fundação Getulio Vergas 15 de Setembro de 2008 Resposta brasileira à crise financeira exterma I. Será que

Leia mais

PME registra menor taxa de desemprego da série histórica para o mês de fevereiro, mas indica acomodação no mercado de trabalho.

PME registra menor taxa de desemprego da série histórica para o mês de fevereiro, mas indica acomodação no mercado de trabalho. PME registra menor taxa de desemprego da série histórica para o mês de fevereiro, mas indica acomodação no mercado de trabalho. Segundo apuração da PME (Pesquisa Mensal do Emprego), realizada pelo IBGE,

Leia mais

INDX apresenta alta de 2,67% em março

INDX apresenta alta de 2,67% em março INDX apresenta alta de 2,67% em março Dados de Março/11 Número 51 São Paulo O Índice do Setor Industrial (INDX), composto pelas ações mais representativas do segmento, encerrou o mês de março de 2010,

Leia mais

PIB. PIB Trimestral 3,9% 2,6% 2,3% 2,3%

PIB. PIB Trimestral 3,9% 2,6% 2,3% 2,3% PIB O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) divulgou nesta última sextafeira, 29 de Maio, os dados do Produto Interno Bruto (PIB) referentes ao primeiro trimestre de 2015. Análise preliminar

Leia mais

O impacto da crise do subprime nas variáveis macroeconômicas brasileiras

O impacto da crise do subprime nas variáveis macroeconômicas brasileiras PCA 2009 O impacto da crise do subprime nas variáveis macroeconômicas brasileiras Autores: Ariel de Lazari dos Santos (Colégio Salesiano Região Oceânica) Mateus Valim Coutinho de Souza (Colégio Marília

Leia mais

Projeto de Lei Orçamentária Anual 2017

Projeto de Lei Orçamentária Anual 2017 Projeto de Lei Orçamentária Anual 2017 Henrique Meirelles Ministro da Agosto 2016 Cenário de Referência 2 Foi observado o limite de crescimento da despesa contido na Proposta de Emenda Constitucional 241/2016

Leia mais

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO Menor aversão ao risco, mesmo com incertezas domésticas A semana do dia 24 de março a primeiro de abril ficou marcada por movimentos favoráveis no mercado de câmbio e de juros, nas expectativas inflacionárias

Leia mais

Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias Miriam Belchior Ministra de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão Abril de 2014

Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias Miriam Belchior Ministra de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão Abril de 2014 Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias 2015 Miriam Belchior Ministra de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão Abril de 2014 1 Cenário Econômico para 2015 Fim da crise financeira internacional

Leia mais

Ajustando o Balanço de Pagamentos

Ajustando o Balanço de Pagamentos Alicia Ruiz Olalde Ajustando o Balanço de Pagamentos Desvalorização cambial Elevação das tarifas de importação Estabelecimento de cotas de importação Concessão de subsídios às exportações Controle de capitais

Leia mais

Volume Total de Crédito

Volume Total de Crédito Parte I Volume de Crédito A) Recursos Livres e Recursos Direcionados Período R$ milhões Variação % Junho2005 535.594 Junho2015 3.102.172 490,2% Volume Total de Crédito 4.000.000 2.000.000 R$ milhões B)

Leia mais

A Política Fiscal Brasileira em Tempos de Crise

A Política Fiscal Brasileira em Tempos de Crise Ministério da A Política Fiscal Brasileira em Tempos de Crise Encontro de Política Fiscal - FGV Ministro Guido Mantega Brasília, 7 de novembro de 2014 Antes de 2008, Brasil tinha Situação Fiscal Confortável

Leia mais

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N. Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 09 setembro 2011 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia e do Emprego G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais

Leia mais

Boletim Econômico Edição nº 72 outubro de 2015 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico

Boletim Econômico Edição nº 72 outubro de 2015 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Boletim Econômico Edição nº 72 outubro de 2015 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Crise política e crise econômica no Brasil e suas repercussões no mundo 1 1. A crise econômica

Leia mais

Análise Conjuntural: Variáveis- Instrumentos e Variáveis- meta

Análise Conjuntural: Variáveis- Instrumentos e Variáveis- meta Análise Conjuntural: Variáveis- Instrumentos e Variáveis- meta Fernando Nogueira da Costa Professor do IE- UNICAMP h;p://fernandonogueiracosta.wordpress.com/ Estrutura da Apresentação Variáveis- instrumentos:

Leia mais

ITABIRAPREV - INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DE ITABIRA - MG. Relatório de Acompanhamento da Carteira de Investimentos Setembro De 2015

ITABIRAPREV - INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DE ITABIRA - MG. Relatório de Acompanhamento da Carteira de Investimentos Setembro De 2015 Milhões ITABIRAPREV - INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DE ITABIRA - MG Relatório de Acompanhamento da Carteira de Investimentos Setembro De 215 R$ 12 R$ 1 R$ 8 R$ 6 R$ 4 R$ 2 R$ Evolução do Patrimônio no Ano 89,7

Leia mais

Crescimento e juros. Roberto Padovani Março 2013

Crescimento e juros. Roberto Padovani Março 2013 Crescimento e juros Roberto Padovani Março 2013 jan-91 dez-91 nov-92 out-93 set-94 ago-95 jul-96 jun-97 mai-98 abr-99 mar-00 fev-01 jan-02 dez-02 nov-03 out-04 set-05 ago-06 jul-07 jun-08 mai-09 abr-10

Leia mais

A ECONOMIA MUNDIAL E NA AMÉRICA DO SUL E O AGRONEGÓCIO 3 FORO DE AGRICULTURA DA AMÉRICA DO SUL. Eugenio Stefanelo

A ECONOMIA MUNDIAL E NA AMÉRICA DO SUL E O AGRONEGÓCIO 3 FORO DE AGRICULTURA DA AMÉRICA DO SUL. Eugenio Stefanelo A ECONOMIA MUNDIAL E NA AMÉRICA DO SUL E O AGRONEGÓCIO 3 FORO DE AGRICULTURA DA AMÉRICA DO SUL Eugenio Stefanelo ECONOMIA MUNDIAL PIB em % ao ano: Média de 50 anos: 3,5% 2004 a 2007: 5% 2008 e 2009: 3,1%

Leia mais

Desindustrialização no Brasil Diagnósticos, Causas e Consequências

Desindustrialização no Brasil Diagnósticos, Causas e Consequências Março/2015 Desindustrialização no Brasil Diagnósticos, Causas e Consequências Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos 1 Estrutura da Apresentação Diagnósticos do Processo de Desindustrialização

Leia mais

CENÁRIO MACROECONÔMICO

CENÁRIO MACROECONÔMICO ENCONTRO BRADESCO-APIMEC CENÁRIO MACROECONÔMICO 26 DE NOVEMBRO DE 2015 FABIANA D ATRI Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos - DEPEC 1 Ambiente Internacional AMBIENTE INTERNACIONAL Fimdolongociclodecommodities.

Leia mais

Economia Brasileira em Perspectiva

Economia Brasileira em Perspectiva Brasileira em O BRASIL NO CONTEXTO GLOBAL O Brasil mal colocado em alguns rankings mundiais Fonte: Cia World Factbook Desde 2002, o crescimento brasileiro supera apenas os números das economias ricas.

Leia mais

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança D A T A A B E C I P M A I O, 2 0 1 6 D E S T A Q U E S D O M Ê S São Paulo, 28 de junho de 2016 Em maio, crédito imobiliário somou R$ 3,9 bilhões Poupança

Leia mais

Economia brasileira: situação atual e desafios ao crescimento da indústria

Economia brasileira: situação atual e desafios ao crescimento da indústria Rede Setorial da Indústria Os desafios setoriais à competitividade da indústria brasileira Economia brasileira: situação atual e desafios ao crescimento da indústria São Paulo, 10 de setembro de 2013 ROTEIRO

Leia mais

Os desafios da economia. Economista Ieda Vasconcelos Reunião CIC/FIEMG Outubro/2014

Os desafios da economia. Economista Ieda Vasconcelos Reunião CIC/FIEMG Outubro/2014 Os desafios da economia Economista Ieda Vasconcelos Reunião CIC/FIEMG Outubro/2014 Os desafios da economia Correção dos rumos da política econômica. Muito mais do que necessidade: É inevitável. Sem ajustes:

Leia mais

MARCELO GUIMARÃES FILHO

MARCELO GUIMARÃES FILHO O Sr. MARCELO GUIMARÃES FILHO (PMDB-BA) pronuncia o seguinte discurso: Senhoras Deputadas e Senhores Deputados, nós, que fazemos da convivência com o povo a matéria-prima de nosso trabalho, sentimos, claramente,

Leia mais

IPCA, inflação livre, administrados e projeção Carta Aberta. Acumulado em doze meses. Jan Mar Mai Jul Set Nov Jan Mar Mai Jul Set Nov Jan Mar Mai

IPCA, inflação livre, administrados e projeção Carta Aberta. Acumulado em doze meses. Jan Mar Mai Jul Set Nov Jan Mar Mai Jul Set Nov Jan Mar Mai IPCA: Inércia, Câmbio, Expectativas e Preços Relativos Este boxe examina o comportamento recente do IPCA, a partir da contribuição dos principais fatores que explicam sua dinâmica, com destaque para a

Leia mais

Informe 05/2015 Balanço das Exportações e Importações Brasileiras de Roc has Ornamentais

Informe 05/2015 Balanço das Exportações e Importações Brasileiras de Roc has Ornamentais Informe 5/215 Balanço das Exportações e Importações Brasileiras de Rochas Ornamentais de Janeiro a Maio de 215 Associação Brasileira da Indústria de Rochas Ornamentais ABIROCHAS Avenida Paulista, 1313

Leia mais

Conjuntura Econômica

Conjuntura Econômica Programa de Aperfeiçoamento para Carreiras 2016 Curso: Conjuntura Econômica Professor: José Luiz Pagnussat Palestrantes: Pedro Jucá Maciel, Elder Linton Alves de Araujo, Rogério Dias de Araújo, Mauricio

Leia mais

NÍVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA Uma avaliação dos indicadores da economia brasileira em 2007

NÍVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA Uma avaliação dos indicadores da economia brasileira em 2007 NÍVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA Uma avaliação dos indicadores da economia brasileira em 2007 Lucas Lautert Dezordi * Guilherme R. S. Souza e Silva ** Introdução O presente artigo tem

Leia mais

Macroeconomia do Governo Lula. Jennifer Hermann

Macroeconomia do Governo Lula. Jennifer Hermann Macroeconomia do Governo Lula Jennifer Hermann 1. Indicadores Macro (IMA) x Política Macro (PMA) 2. Os IMA do Governo Lula Macroeconomia do Governo Lula Jennifer Hermann 3. A PMA do Governo Lula 4. A Mágica

Leia mais

BRASIL E A CRISE MUNDIAL

BRASIL E A CRISE MUNDIAL BRASIL E A CRISE MUNDIAL Ministro Guido Mantega maio 2009 1 Crise não acabou, talvez pior já tenha passado Consolidação do governo Obama e ações do G20 melhoram a CONFIANÇA Enxurrada de dinheiro do FED

Leia mais

RISCOS DA DESINDUSTRIALIZAÇÃO

RISCOS DA DESINDUSTRIALIZAÇÃO FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA - FIESC SEMINÁRIO RISCOS DA DESINDUSTRIALIZAÇÃO PALESTRA BRASIL: DESINDUSTRIALIZAÇÃO OU ESTAGNAÇÃO DA INDUSTRIALIZAÇÃO JOSÉ AUGUSTO DE CASTRO Florianópolis,

Leia mais

O cenário econômico internacional e o. comércio exterior dos produtos. transformados de plástico

O cenário econômico internacional e o. comércio exterior dos produtos. transformados de plástico O cenário econômico internacional e o comércio exterior dos produtos transformados de plástico Agosto/2009 Associação Brasileira da Indústria do Plástico A CRISE MUNDIAL O ano de 2008 foi marcado pelo

Leia mais

A crise e a reforma do sistema financeiro: uma perspectiva da indústria

A crise e a reforma do sistema financeiro: uma perspectiva da indústria A crise e a reforma do sistema financeiro: uma perspectiva da indústria Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional(CREDN) da Câmara dos Deputados/IPEA Confederação Nacional da Indústria (CNI)

Leia mais

Capítulo 6. Política Macroeconómica no curto prazo com câmbios fixos. Política macro de curto prazo

Capítulo 6. Política Macroeconómica no curto prazo com câmbios fixos. Política macro de curto prazo Capítulo 6 Política Macroeconómica no curto prazo com câmbios fixos Política macro de curto prazo Quais os objectivos da política macroeconómica em economia aberta? Qual a eficácia das políticas macro

Leia mais

Carta de Conjuntura do Setor de Seguros

Carta de Conjuntura do Setor de Seguros Carta de Conjuntura do Setor de Seguros Número 11, Fevereiro/2015 www.ratingdeseguros.com.br 1 Objetivo: O objetivo desta é ser uma avaliação mensal desse segmento e seus setores relacionados (resseguro,

Leia mais

Administração e Economia para Engenharia

Administração e Economia para Engenharia Administração e Economia para Engenharia Aula 4.1: Introdução à macroeconomia Aula 4.2: Agentes, estruturas e parâmetros da macroeconomia 1 Seção 4.1 INTRODUÇÃO À MACROECONOMIA 2 Microeconomia Trata Da

Leia mais

O Papel da Indústria de Fundos Brasileira na Promoção do Desenvolvimento Econômico Sustentado. São Paulo, 06 de julho de 2006

O Papel da Indústria de Fundos Brasileira na Promoção do Desenvolvimento Econômico Sustentado. São Paulo, 06 de julho de 2006 O Papel da Indústria de Fundos Brasileira na Promoção do Desenvolvimento Econômico Sustentado São Paulo, 06 de julho de 2006 Relação Moedas x Ouro - 01/1999=100 Cotação Ouro (onça-troy) - 100=12/2000 270

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA MUNICIPAL DE NOVA PRATA RS RELATÓRIO BIMESTRAL 01/204 JANEIRO E FEVEREIRO DE 2014

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA MUNICIPAL DE NOVA PRATA RS RELATÓRIO BIMESTRAL 01/204 JANEIRO E FEVEREIRO DE 2014 ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA MUNICIPAL DE NOVA PRATA RS RELATÓRIO BIMESTRAL 01/204 JANEIRO E FEVEREIRO DE 2014 Como Presidente e Gestora do Instituto de Previdência

Leia mais

SIDERURGIA MUNDIAL: Situação Atual e Perspectivas. Germano Mendes De Paula Novembro de 2010

SIDERURGIA MUNDIAL: Situação Atual e Perspectivas. Germano Mendes De Paula Novembro de 2010 SIDERURGIA MUNDIAL: Situação Atual e Perspectivas Germano Mendes De Paula Novembro de 2010 Agenda 1. Siderurgia mundial 2. Países selecionados EUA, Alemanha, Itália, Espanha e Coréia do Sul China, Índia,

Leia mais

Comércio Mundial e Brasileiro

Comércio Mundial e Brasileiro EXTENSIVO 2016 Comércio Mundial e Brasileiro Camila Ferreira Década de 1990 Crise econômica mundial e brasileira Neoliberalismo Globalização Especulação Financeira Expansão do crédito fictício BOLHAS Banco

Leia mais

O desafio da produtividade

O desafio da produtividade O desafio da produtividade 21º Seminário Dia da Qualidade Caxias CIC Renato da Fonseca Caxias do Sul, RS, 20/07/2015 Roteiro 1. O estado da indústria e da economia brasileira 2. Baixa competitividade:

Leia mais

Sistema de Contas Nacionais Brasil

Sistema de Contas Nacionais Brasil Diretoria de Pesquisas Sistema de Contas Nacionais Brasil 2004-2008 Coordenação de Contas Nacionais Rio, 05/11/2010 Divulgações do SCN Já divulgados os dois primeiros trimestres de 2010, HOJE - ano 2008

Leia mais

Sondagem: Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário

Sondagem: Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário Sondagem: Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário - 2012 ApresentAção A sondagem Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário 2012 apresenta a visão do empresário do transporte rodoviário

Leia mais

Acerto de contas. Cenário macroeconômico Agosto 2013

Acerto de contas. Cenário macroeconômico Agosto 2013 Acerto de contas Cenário macroeconômico Agosto 2013 Agenda: crescimento baixo com inflação Eleições crescimento versus Economia Mundial Variação do PIB, % a/a 5,5 4,5 3,5 2,5 1,5 0,5-0,5-1,5-2,5-3,5 Outros

Leia mais

IPCA atinge maior nível desde out Previsão é de Selic estável.

IPCA atinge maior nível desde out Previsão é de Selic estável. EXODUS Institucional - Setembro/14 IPCA atinge maior nível desde out 211. Previsão é de Selic estável. O quadro eleitoral trouxe instabilidade ao mercado financeiro com as pesquisas na semana do pleito.

Leia mais

2.2 Ambiente Macroeconômico

2.2 Ambiente Macroeconômico Por que Ambiente Macroeconômico? Fundamentos macroeconômicos sólidos reduzem incertezas sobre o futuro e geram confiança para o investidor. A estabilidade de preços é uma condição importante para processos

Leia mais

Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016

Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016 Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016 Diretoria Adjunta de Análise e Disseminação de Informações Gerência de Indicadores Econômicos Em fevereiro de 2016, no acumulado de 12 meses,

Leia mais

Resultados do ano de 2008

Resultados do ano de 2008 Resultados do ano de 2008 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros de acordo com a regulamentação de valores mobiliários brasileira

Leia mais

Carta ao Cotista Julho Ambiente Macroeconômico. Internacional

Carta ao Cotista Julho Ambiente Macroeconômico. Internacional Carta ao Cotista Julho 2015 Ambiente Macroeconômico Internacional A economia chinesa expandiu-se 7% no primeiro semestre, o resultado foi ligeiramente melhor do que o previsto pelo mercado. Dados recentes

Leia mais

Setor Externo: Ajuste Forçado e Retomada da Economia Brasileira

Setor Externo: Ajuste Forçado e Retomada da Economia Brasileira 7 Setor Externo: Ajuste Forçado e Retomada da Economia Brasileira Vera Martins da Silva (*) A economia brasileira está saindo do fundo do poço, mas muito mais lentamente do que o desejado pela grande massa

Leia mais

Relatório Mensal. Março. Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS

Relatório Mensal. Março. Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Relatório Mensal 2011 Março Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Composição da Carteira Ativos Mobiliários e Imobiliários 0,53% 39,27%

Leia mais

Introdução à. Macroeconomia

Introdução à. Macroeconomia Introdução à Prof. Fabini Hoelz Bargas Alvarez IBMEC-RJ / UCP O que é? É o estudo da economia como um todo, pois analisa a economia através de suas variáveis fortemente agregadas. Abrange o comportamento

Leia mais

Estimativa da Trajetória da. Dívida Bruta do Governo Geral do Brasil

Estimativa da Trajetória da. Dívida Bruta do Governo Geral do Brasil MINISTÉRIO DA FAZENDA GABINETE DO MINISTRO ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL 29/07/2015 NOTA TÉCNICA DO TESOURO Estimativa da Trajetória da Dívida Bruta do Governo Geral do Brasil A evolução da dívida pública

Leia mais

PANORAMA ATUAL DA ECONOMIA GOIANA

PANORAMA ATUAL DA ECONOMIA GOIANA 8 PANORAMA ATUAL DA ECONOMIA GOIANA A crise econômico-financeira originada nos Estados Unidos, em 2008, denominada Crise dos Subprime, afetou toda a economia mundial. A atual crise da União Europeia, chamada

Leia mais

INDICADOR DE CUSTOS INDUSTRIAIS

INDICADOR DE CUSTOS INDUSTRIAIS INDICADOR DE CUSTOS INDUSTRIAIS Custos industriais aceleram ao longo de 2015 e fecham o ano com crescimento de 8,1% O Indicador de Custos Industriais (ICI) apresentou crescimento dessazonalizado de 3,3%

Leia mais

Sustentabilidade da dívida pública: uma proposta de longo prazo José Luís Oreiro * e Luiz Fernando de Paula **

Sustentabilidade da dívida pública: uma proposta de longo prazo José Luís Oreiro * e Luiz Fernando de Paula ** Sustentabilidade da dívida pública: uma proposta de longo prazo José Luís Oreiro * e Luiz Fernando de Paula ** As escolhas em termos de política econômica se dão em termos de trade-offs, o que significa

Leia mais

Projeções para a economia portuguesa em 2016

Projeções para a economia portuguesa em 2016 Projeções para a economia portuguesa em 2016 95 Projeções para a economia portuguesa em 2016 As projeções para a economia portuguesa apontam para uma desaceleração do PIB, de 1,6 por cento em 2015 para

Leia mais

Condicionantes Colocadas pela Crise Económico-Financeira à Construção da Sociedade da Informação Teodora Cardoso

Condicionantes Colocadas pela Crise Económico-Financeira à Construção da Sociedade da Informação Teodora Cardoso Conferência Desafios e Condicionantes Económicas da Construção da Sociedade da Informação 22 de Abril de 2009 Fundação Calouste Gulbenkian Condicionantes Colocadas pela Crise Económico-Financeira à Construção

Leia mais

Dólar, commodities e PIB mais forte no Brasil pressionaram juros futuros com alta;

Dólar, commodities e PIB mais forte no Brasil pressionaram juros futuros com alta; 30-ago-2013 Dólar, commodities e PIB mais forte no Brasil pressionaram juros futuros com alta; Agenda com o mercado de trabalho nos EUA e proximidade do FOMC de setembro elevou novamente rendimento das

Leia mais

Mercados emergentes precisam fazer mais para continuar a ser os motores do crescimento global

Mercados emergentes precisam fazer mais para continuar a ser os motores do crescimento global Mercados emergentes precisam fazer mais para continuar a ser os motores do crescimento global de janeiro de 1 Por Min Zhu Em nossa Reunião Anual de outubro de 13, travamos um longo debate sobre as perspectivas

Leia mais

Renda Fixa: 88%[(78% [CDI+0,5%]+17% IMAB + 5%IMAB5)+12%(103%CDI)] Renda Variável Ativa = 100%(IBrx+6%) Inv. estruturados = IFM Inv. no exterior = BDRX

Renda Fixa: 88%[(78% [CDI+0,5%]+17% IMAB + 5%IMAB5)+12%(103%CDI)] Renda Variável Ativa = 100%(IBrx+6%) Inv. estruturados = IFM Inv. no exterior = BDRX Objetivo Os investimentos dos Planos Básico e Suplementar, modalidade contribuição definida, tem por objetivo proporcionar rentabilidade no longo prazo através das oportunidades oferecidas pelos mercados

Leia mais

Clima econômico mundial melhora, mas continua piorando na América Latina. Momento ainda é de cautela

Clima econômico mundial melhora, mas continua piorando na América Latina. Momento ainda é de cautela jan/99 jan/00 jan/01 jan/02 jan/03 jan/04 jan/05 jan/06 jan/07 jan/08 jan/09 jan/10 jan/11 jan/12 jan/13 jan/14 jan/15 Fevereiro 15 Versão em português Indicador IFO/FGV de Clima Econômico da América Latina

Leia mais

Evolução dos coeficientes de exportação e importação da Indústria de Transformação

Evolução dos coeficientes de exportação e importação da Indústria de Transformação Evolução dos coeficientes de exportação e importação da Indústria de Transformação Gráfico 1 CE e PI da Indústria de transformação e taxa de câmbio real CE e PI(%) 20 A taxa média de câmbio efetiva real

Leia mais

Internacionalização da Economia Brasileira

Internacionalização da Economia Brasileira ASPECTOS TÉCNICOS DO ACORDO BRASIL ARGENTINA DE PAGAMENTOS EM MOEDA LOCAL Internacionalização da Economia Brasileira Paulo Vieira da Cunha São Paulo, Agosto/2007 1 Agenda 1. Internacionalização da Economia

Leia mais

LISTA 5A FIXAÇÃO CONCEITUAL. 3) Financiamento do investimento: poupança 4) Poupança, crescimento econômico e sistema financeiro

LISTA 5A FIXAÇÃO CONCEITUAL. 3) Financiamento do investimento: poupança 4) Poupança, crescimento econômico e sistema financeiro 1 LISTA 5A Conceitos importantes: 1) Produto potencial, produto efetivo e produtividade 2) Determinantes da produção e da produtividade de um país 3) Financiamento do investimento: poupança 4) Poupança,

Leia mais

ESTRATÉGIA ECONÔMICA PARA BRASIL

ESTRATÉGIA ECONÔMICA PARA BRASIL ESTRATÉGIA ECONÔMICA PARA BRASIL Prof. Dr. José Cláudio Securato Presidente Saint Paul Escola de Negócios 01 de Junho de 2016 CONHEÇA A SAINT PAUL 1996 Fundação da Saint Paul Institute of Finance 1998

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL DE CONJUNTURA ECONÔMICA ABRIL 2005

RELATÓRIO MENSAL DE CONJUNTURA ECONÔMICA ABRIL 2005 MINISTÉRIO DA FAZENDA SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS SUSEP RELATÓRIO MENSAL DE CONJUNTURA ECONÔMICA ABRIL 2005 Rio de Janeiro, 13 de abril de 2005. 1. Conjuntura atual O objetivo deste Relatório

Leia mais

Operações Crédito do SFN

Operações Crédito do SFN BC: Operações de Crédito do Sistema Financeiro Nacional (SFN) registra alta de 0,3% em novembro e retração de 2,3% em 12 meses O crédito total do SFN incluindo as operações com recursos livres e direcionados

Leia mais

Inflação CONSELHO REGIONAL DE ECONOMIA. Consultoria Desenvolvendo soluções, alavancando resultados!

Inflação CONSELHO REGIONAL DE ECONOMIA. Consultoria Desenvolvendo soluções, alavancando resultados! Inflação 2 CONSELHO REGIONAL DE ECONOMIA Consultoria Desenvolvendo soluções, alavancando resultados! Antecedentes A história do processo inflacionário brasileiro é longa, e estabelecer um corte cronológico

Leia mais

CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 2 SUMÁRIO Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita de

Leia mais

Os preços resistem: um panorama atualizado da inflação em 2016.

Os preços resistem: um panorama atualizado da inflação em 2016. Texto Mensal da Revista dos Fundos de Investimento Agosto/2016 Os preços resistem: um panorama atualizado da inflação em 2016. Recentemente, ampliouse na imprensa especializada o número artigos e colunas

Leia mais

A CRISE ECONÔMICA NA VISÃO DOS EMPRESÁRIOS

A CRISE ECONÔMICA NA VISÃO DOS EMPRESÁRIOS A CRISE ECONÔMICA NA VISÃO DOS EMPRESÁRIOS Abril 2016 9 em cada 10 empresários acreditam que a crise tem afetado seus negócios O país vem enfrentando, desde o ano passado, uma crise econômica de grandes

Leia mais

Conjuntura Março. Boletim de AGRAVAMENTO DAS CRISES ECONÔMICA E POLÍTICA INDUZ MUDANÇAS NO PAÍS. PIB dos serviços recua 2,1% em 2015

Conjuntura Março. Boletim de AGRAVAMENTO DAS CRISES ECONÔMICA E POLÍTICA INDUZ MUDANÇAS NO PAÍS. PIB dos serviços recua 2,1% em 2015 Março de 2016 AGRAVAMENTO DAS CRISES ECONÔMICA E POLÍTICA INDUZ MUDANÇAS NO PAÍS PIB dos serviços recua 2,1% em 2015 Segundo o IBGE, o PIB brasileiro caiu 4,0% em 2015. Essa variação é resultado de uma

Leia mais

O PAPEL DOS PAÍSES EMERGENTE NA CRISE MUNDIAL. 1

O PAPEL DOS PAÍSES EMERGENTE NA CRISE MUNDIAL. 1 O PAPEL DOS PAÍSES EMERGENTE NA CRISE MUNDIAL. 1 Robson Bieger De Moura 2, Renata Motta Chaves 3, Everton Gabriel De Oliveira Santos 4, Jeorgia Gabriela Bertoldo 5, Vera Lucia Trennepohl 6. 1 Pesquisa

Leia mais

O m ercado de crédito e o papel do B N D ES

O m ercado de crédito e o papel do B N D ES O m ercado de crédito e o papel do B N D ES Demian Fiocca Presidente do BNDES FELABAN 13 DE NOVEMBRO DE 2006 www.bndes.gov.br 1 O CRÉDITO NA AMÉRICA LATINA A relação Crédito/PIB na América Latina é expressivamente

Leia mais

Atuação de Bancos Estrangeiros no Brasil

Atuação de Bancos Estrangeiros no Brasil : Mercados de Crédito e Derivativos de 2005 a 2011 PET-Economia UnB 04 de Novembro de 2015 Raquel de Freitas Oliveira Raquel de Freitas Oliveira Rafael Felipe Schiozer Sérgio Leão Doutora em Administração

Leia mais

A CRISE FINANCEIRA INTERNACIONAL E A ECONOMIA BRASilEIRA

A CRISE FINANCEIRA INTERNACIONAL E A ECONOMIA BRASilEIRA .,... Texto-síntese - Versão II (setembro/2011 ) A CRISE FINANCEIRA INTERNACIONAL E A ECONOMIA BRASilEIRA TEXTO-síNTESE DO GRUPO DE TRABALHO DO IPEA SOBRE A CRISE INTERNACIONAL '\. 1 Contexto internacional

Leia mais

GRÁFICOS DE CONJUNTURA Volume I. Por João Sicsú e Ernesto Salles

GRÁFICOS DE CONJUNTURA Volume I. Por João Sicsú e Ernesto Salles GRÁFICOS DE CONJUNTURA Volume I Por João Sicsú e Ernesto Salles 1. O trabalhador perdeu rendimento porque houve inflação? É possível aferir o valor do ganho médio (ou habitual) de um trabalhador. A Pesquisa

Leia mais

Organização da Disciplina. Mercado de Capitais. Aula 1. Organização da Aula. Contextualização. Aula 1 Economia e moeda

Organização da Disciplina. Mercado de Capitais. Aula 1. Organização da Aula. Contextualização. Aula 1 Economia e moeda Organização da Disciplina Mercado de Capitais Aula 1 Prof. Cleverson Luiz Pereira Aula 1 Economia e moeda Aula 2 Sistema financeiro nacional X mercado financeiro Aula 3 Mercado de capitais e o mercado

Leia mais

Cenários. Plano Milênio. Justificativa da Rentabilidade Mensal

Cenários. Plano Milênio. Justificativa da Rentabilidade Mensal Ano IV Edição: maio/2013 nº 33 Informações referentes à abril/2013 Cenários Cenário Internacional O sentimento dos investidores globais melhorou no último mês com a solução para a crise no Chipre e o melhor

Leia mais

GLOBALIZAÇÃO. Globalização e a Crise Econômica Mundial

GLOBALIZAÇÃO. Globalização e a Crise Econômica Mundial GLOBALIZAÇÃO Globalização e a Crise Econômica Mundial TRÊS FLUXOS DA GLOBALIZAÇÃO FLUXOS DE INFORMAÇÃO FLUXOS COMERCIAIS FLUXOS FINANCEIROS FLUXOS DE INVESTIMENTOS NEOLIBERALISMO (DÉC. 1980) - Privatizações;

Leia mais

Estaleiro Atlântico Sul, Navio Zumbi dos Palmares PE

Estaleiro Atlântico Sul, Navio Zumbi dos Palmares PE Estaleiro Atlântico Sul, Navio Zumbi dos Palmares PE quadro macroeconômico capítulo 1 A economia brasileira está em recuperação consistente, puxada por investimentos. Na comparação com o mesmo trimestre

Leia mais

Crise Financeira e Finanças Subnacionais em Perspectiva Comparada São Paulo, 2 de Abril de Rafael Barroso Economista, Banco Mundial

Crise Financeira e Finanças Subnacionais em Perspectiva Comparada São Paulo, 2 de Abril de Rafael Barroso Economista, Banco Mundial Crise Financeira e Finanças Subnacionais em Perspectiva Comparada São Paulo, 2 de Abril de 2014 Rafael Barroso Economista, Banco Mundial A crise internacional A crise internacional levou a uma forte desaceleração

Leia mais

Relatório Mercatto OABPREV RJ Fundo Multimercado

Relatório Mercatto OABPREV RJ Fundo Multimercado Relatório Mercatto OABPREV RJ Fundo Multimercado Abril/11 Sumário 1. Características do Fundo Política de Gestão Objetivo do Fundo Público Alvo Informações Diversas Patrimônio Líquido 2. Medidas Quantitativas

Leia mais

Acomodação na renda fixa foi interrompida pela alta do dólar e dado forte de emprego nos EUA em junho.

Acomodação na renda fixa foi interrompida pela alta do dólar e dado forte de emprego nos EUA em junho. 05-jul-2013 Acomodação na renda fixa foi interrompida pela alta do dólar e dado forte de emprego nos EUA em junho. Leilões de swap cambial e mais flexibilidade de regras tributárias para a entrada de fluxo

Leia mais