Aula 8.2 Conteúdo: Associação de resistores em paralelo, potência elétrica de uma associação em paralelo de resistores. INTERATIVIDADE FINAL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Aula 8.2 Conteúdo: Associação de resistores em paralelo, potência elétrica de uma associação em paralelo de resistores. INTERATIVIDADE FINAL"

Transcrição

1

2 Aula 8.2 Conteúdo: Associação de resistores em paralelo, potência elétrica de uma associação em paralelo de resistores.

3 Habilidades: Diferenciar as formas de associação de resistores, bem como determinar sua resistência equivalente. Compreender as principais características dos circuitos com resistores associados em paralelo

4 REVISÃO Em muitos casos práticos é necessária uma resistência maior ou menor do que a fornecida por único resistor. Em outros casos um resistor não suporta a intensidade da corrente fornecida pelo gerador.

5 REVISÃO Os resistores pode ser associados em série, em paralelo ou numa combinação de ambas, ou seja uma associação mista.

6 REVISÃO Uma associação de resistores pode ser representada por um único resistor, chamado resistor equivalente, que produza o mesmo efeito, isto é, que dissipe a mesma quantidade energia no mesmo tempo que a associação.

7 REVISÃO Isso equivale a substituir todos os resistores da associação por outro que esteja submetido à mesma diferença de potencial e seja percorrido por corrente elétrica de igual intensidade à da associação.

8 Associação de resistores em paralelo Vários resistores estão associados em paralelo quando são ligados pelos terminais, de modo a ficarem submetidos à mesma ddp. Na figura a seguir estão representados três resistores em paralelo e sua respectiva resistência equivalente.

9 Associação de resistores em paralelo i 1 R 1 i 2 R 2 A i R P B i 3 R 3 i U A U B

10 Associação de resistores em paralelo A intensidade de corrente elétrica i do circuito principal divide-se, nos resistores associados, em valores i, i e i. Verifica-se que: i = i 1 + i 2 + i 3

11 Características de uma associação de resistores em paralelo A ddp é a mesma em todos os resistores da associação; U = U = U = U ; aplicando-se a lei de Ohm, temos que: U = R i ; U = R i ; U = R i Portanto:

12 Características de uma associação de resistores em paralelo O produto da resistência elétrica de cada um dos resistores pela respectiva intensidade de corrente elétrica é igual para todos os resistores associados. A intensidade de corrente elétrica em cada resistor é inversamente proporcional á sua resistência elétrica. i 1 = U R 1 ; i 2 = U R 2 ; i 3 = U R 3

13 Características de uma associação de resistores em paralelo A resistência equivalente de uma associação de resistores em paralelo é dada pela expressão: 1 R p = 1 R R R 3 O inverso da resistência equivalente da associação é igual à soma dos inversos das resistências associadas.

14 Características de uma associação de resistores em paralelo Obs.: Caso a associação for composta de apenas dois resistores, podemos calcular sua resistência equivalente simplificadamente pela expressão: R p = R 1 R 2 R 1 +R 2

15 Características de uma associação de resistores em paralelo A potência elétrica dissipada em cada resistor da associação é dada por: Pot = U2 ; Pot = U2 ; Pot = U2 1 R 2 1 R 3 2 R 3

16 Características de uma associação de resistores em paralelo A potência total é a soma das potencias em cada resistor ou ainda: Pot t = U2 R p.

17 Exemplo Um resistor de 5 Ω e um resistor de 20 Ω são associados em paralelo e a essa associação aplica-se uma ddp de 100 V. a) Qual a resistência equivalente da associação? b) Qual a intensidade de corrente elétrica em cada resistor? c) Qual a intensidade de corrente elétrica na associação?

18 R 1 = 5 Ω R 2 = 20 Ω U = 100V

19 Solução: a) No circuito existem apenas duas resistências R 1 = 5Ω e R 2 = 20Ω, portanto: R p = R 1 R 2 R 1 +R 2 R p = 5 20 R p= R p = 4 Ω

20 Solução: b) Pela lei de Ohm, as intensidades de corrente elétrica são: i 1 = U R 1 i 1 = i 1 =20 A i 2 = U R 2 i 2 = i 2 =5 A

21 Solução: c) A intensidade de corrente elétrica na associação valerá: i = i 1 + i 2 i = i = 25 A

22 Associação mista de resistores São aquelas constituídas por associações em paralelo e associações em série.

23 Associação mista de resistores Qualquer associação mista pode ser substituída por um resistor equivalente, que se obtém considerando-se que cada associação parcial (série ou paralelo) equivale a apenas um resistor.

24 i 1 R 1 R 2 R 3 i i 2 R 4 U

25 Exercício 1 Associam-se em paralelo dois resistores de resistências R = 20Ω e R = 30Ω, e a essa associação 1 2 aplica-se a ddp de 120 V.

26 R 1 = 20 Ω R 2 = 30 Ω U = 120V

27 a) Qual a resistência equivalente da associação? b) Quais as intensidades de corrente elétrica em cada resistor? c) Qual a intensidade de corrente elétrica na associação? d) Qual a potência total dissipada pelo circuito?

28 Solução a) No circuito existem apenas duas resistências R 1 = 5Ω e R 2 = 20Ω, portanto: R p = R 1 R 2 R 1 +R 2 R p = R = p 50 R p = 12 Ω

29 Solução b) Pela lei de Ohm, as intensidades de corrente elétrica são: i 1 = U R 1 i 1 = i 1 = 6 A i 2 = U R 2 i 2 = i 2 = 4 A

30 Solução c) A intensidade de corrente elétrica na associação valerá: i = i 1 + i 2 i = i = 10 A

31 Solução d) A potência total dissipada pelo circuito é: Pot t = U2 R p Pot = Pot = 12 Pot = 1200 W

32 RESUMO DA Aula 8.1: Resistores associados em série; Características da associação em série; Potência da associação.

33 U U A R 1 R 2 R n B... A i B U 1 U 2 U R n S

34 RESUMO DA Aula 8.2: Resistores associados em paralelo; Características da associação em paralelo; Potência da associação em paralelo

35 i 1 R 1 i 2 R 2 A i R P B i 3 R 3 i U A U B

36 Observe as imagens:

37 O que você pode afirmar sobre as imagens acima baseado na aula de hoje?

Capítulo 7: Associação de Resistores

Capítulo 7: Associação de Resistores Capítulo 7: Associação de Resistores Os resistores podem ser associados basicamente de dois modos distintos: em série e em paralelo. Ambos os modos de associação podem estar presentes: temos um associação

Leia mais

Física Ciências da Computação 2.o sem/ Aula 3 - pág.1/5

Física Ciências da Computação 2.o sem/ Aula 3 - pág.1/5 Conceitos O mundo do aprendizado é tão amplo e a alma humana, tão limitada! Quebramos a cabeça para puxar apenas uma pontinha da cortina que cobre o infinito. Maria Mitchell Resistor: Dispositivo elétrico

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE. Técnico Integrado em Informática. Resposta: Resposta:

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE. Técnico Integrado em Informática. Resposta: Resposta: INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE 4ª Lista de Exercícios Eletricidade Instrumental Técnico Integrado em Informática Aluno (a): Ano/Série: Matrícula: Professor:

Leia mais

Painel para análise de circuitos resistivos CC. (Revisão 00) Circuitos Paralelos e a Associação Paralela de Resistores

Painel para análise de circuitos resistivos CC. (Revisão 00) Circuitos Paralelos e a Associação Paralela de Resistores 1 Painel para análise de circuitos resistivos CC (Revisão 00) Circuitos Paralelos e a Associação Paralela de Resistores 1 2 Circuitos Paralelos e a Associação Paralela de Resistores Utilizando as chaves

Leia mais

Médio. Física. Exercícios de Revisão I

Médio. Física. Exercícios de Revisão I Nome: n o : Médio E nsino: S érie: T urma: Data: 3 a Prof(a): Ivo Física Exercícios de Revisão I Exercícios referentes aos capítulos 5 e 6 (livro 3). As resoluções dos exercícios (1 a 7) devem ser fundamentadas

Leia mais

Sendo assim a diferença de potencial entre os pontos inicial e final do circuito é igual à:

Sendo assim a diferença de potencial entre os pontos inicial e final do circuito é igual à: SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR SARGENTO NADER ALVES DOS SANTOS SÉRIE/ANO: 3º TURMA(S):

Leia mais

U = U 1 + U 2 + U 3. I = i 1 = i 2 = i 3. R eq = R 1 + R 2 + R 3. R eq = resistência equivalente (Ω) U = ddp da associação (V)

U = U 1 + U 2 + U 3. I = i 1 = i 2 = i 3. R eq = R 1 + R 2 + R 3. R eq = resistência equivalente (Ω) U = ddp da associação (V) Acesse. www.professorarnon.com Eletricidade Básica. Associação de Resistências em Série Vários resistores estão associados em série quando são ligados um em seguida do outro, de modo a serem percorridos

Leia mais

Aula 2 Circuito série de corrente contínua.

Aula 2 Circuito série de corrente contínua. Aula 2 Circuito série de corrente contínua marcela@edu.estacio.br Circuito em série Polaridade das quedas de tensão Potência total em circuito em série Queda de tensão por partes proporcionais Fontes de

Leia mais

Universidade de Mogi das Cruzes Engenharia Curso Básico Prof. José Roberto Marques EXERCÍCIOS RESOLVIDOS DE ELETRICIDADE BÁSICA FORMULÁRIO UTILIZADO

Universidade de Mogi das Cruzes Engenharia Curso Básico Prof. José Roberto Marques EXERCÍCIOS RESOLVIDOS DE ELETRICIDADE BÁSICA FORMULÁRIO UTILIZADO rof. José oberto Marques XCÍCOS SOLDOS D LTCDAD BÁSCA FOMULÁO UTLZADO L D OHM Usamos quando se trata de uma de tensão elétrica e quando se trata da tensão sobre um resistor elétrico. Quando estamos alimentando

Leia mais

Prof. Ulisses. Recuperação 2º ano. Conteúdo: Leis de Ohms, resistores e associação de resistores.

Prof. Ulisses. Recuperação 2º ano. Conteúdo: Leis de Ohms, resistores e associação de resistores. Prof. Ulisses Recuperação 2º ano Conteúdo: Leis de Ohms, resistores e associação de resistores. 01- A diferença de potencial entre os extremos de uma associação em série de dois resistores de resistências

Leia mais

Eletricidade Aula 2. Circuitos elétricos e suas propriedades

Eletricidade Aula 2. Circuitos elétricos e suas propriedades Eletricidade Aula 2 Circuitos elétricos e suas propriedades O Resistor Podemos construir um componente que possua um valor desejado de resistência o resistor. Os resistores podem ser construídos para ter

Leia mais

Circuitos Série e a Associação Série de Resistores

Circuitos Série e a Associação Série de Resistores 1 Painel para análise de circuitos resistivos CC (Revisão 00) Circuitos Série e a Associação Série de Resistores 1 2 Circuitos Série e a Associação Série de Resistores Utilizando as chaves disponíveis

Leia mais

em série e aplica à associação uma ddp de 220V. O que é 0,5A. Calcule a resistência elétrica R L da lâmpa- acontece com as lâmpadas? da.

em série e aplica à associação uma ddp de 220V. O que é 0,5A. Calcule a resistência elétrica R L da lâmpa- acontece com as lâmpadas? da. FÍSIC - ELETICIDDE - SSOCIÇÃO DE ESISTOES S ESPOSTS ESTÃO NO FINL DOS EXECÍCIOS.. Um resistor de e um resistor de são associados 9. Um resistor de resistência elétrica tem dissipação em série e à associação

Leia mais

O USO DO SIMULADOR PhET PARA O ENSINO DE ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES. Leonardo Dantas Vieira

O USO DO SIMULADOR PhET PARA O ENSINO DE ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES. Leonardo Dantas Vieira Universidade Federal de Goiás - Regional Catalão Instituto de Física e Química Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física Mestrado Nacional Profissional em Ensino de Física O USO DO SIMULADOR PhET PARA

Leia mais

Q t. A corrente elétrica corresponde ao fluxo de elétrons. Os elétrons vão para o polo positivo de um gerador (pilha ou bateria)

Q t. A corrente elétrica corresponde ao fluxo de elétrons. Os elétrons vão para o polo positivo de um gerador (pilha ou bateria) Eletrodinâmica A eletrodinâmica está presente em praticamente todos os lugares da vida moderna. As instalações elétricas e suas lâmpadas, aquecedores fazem parte do cotidiano do homem moderno. Para exames

Leia mais

CIRCUITOS ELÉTRICOS EM CC. Fonte: eletronica24h.com.br

CIRCUITOS ELÉTRICOS EM CC. Fonte: eletronica24h.com.br CIRCUITOS ELÉTRICOS EM CC Fonte: eletronica24h.com.br OBJETIVO Ao final deste capitulo o aluno estará apto a entender, aplicar e realizar cálculos referente a Circuitos Elétricos em CC. CIRCUITOS DE CORRENTE

Leia mais

NOME: N CADERNO DE RECUPERAÇÃO DE FÍSICA I 3º ANO EM TURMA 232 PROFº FABIANO 1º BIMESTRE

NOME: N CADERNO DE RECUPERAÇÃO DE FÍSICA I 3º ANO EM TURMA 232 PROFº FABIANO 1º BIMESTRE 1925 *** COLÉGIO MALLET SOARES *** 2016 91 ANOS DE TRADIÇÃO, RENOVAÇÃO E QUALIDADE DEPARTAMENTO DE ENSINO DATA: / / NOTA: NOME: N CADERNO DE RECUPERAÇÃO DE FÍSICA I 3º ANO EM TURMA 232 PROFº FABIANO 1º

Leia mais

CIRCUITOS ELETRICOS I: RESISTORES, GERADOR E 1ª LEI DE OHM CIÊNCIAS DA NATUREZA: FÍSICA PROFESSOR: DONIZETE MELO Página 1

CIRCUITOS ELETRICOS I: RESISTORES, GERADOR E 1ª LEI DE OHM CIÊNCIAS DA NATUREZA: FÍSICA PROFESSOR: DONIZETE MELO Página 1 Diretoria Regional de Ensino de Araguaína Colégio Estadual Campos Brasil Tocantins - Brasil Um circuito elétrico pode ser definido como uma interligação de componentes básicos formando pelo menos um caminho

Leia mais

Cap06: Resistores Os resistores são elementos de circuito cuja principal propriedade é a resistência elétrica.

Cap06: Resistores Os resistores são elementos de circuito cuja principal propriedade é a resistência elétrica. Cap06: Resistores Os resistores são elementos de circuito cuja principal propriedade é a resistência elétrica. 6.1 considerações iniciais 6.2 Resistencia elétrica. Lei de Ohm. 6.3 Lei de Joule. 6.4 Resistividade

Leia mais

O circuito elétrico em série é um divisor de tensão.

O circuito elétrico em série é um divisor de tensão. 01 O circuito elétrico em série é um divisor de tensão. Como as lâmpadas são idênticas, tem-se: U 1 = U 2 = U 3 = U 4 = U = lâmpada i Assim: U 1 + U 2 + U 3 + U 4 = 220 4U = 220 U = 55 V esposta: A 1 02

Leia mais

Técnico em Edificações Instalações Hidráulicas e Elétricas

Técnico em Edificações Instalações Hidráulicas e Elétricas Técnico em Edificações Instalações Hidráulicas e Elétricas Antônio Vieira Representação Gráfica Representação Gráfica Representação Gráfica Representação Gráfica Representação Gráfica Representação Gráfica

Leia mais

SIMULADO DE CORRENTE ELÉTRICA

SIMULADO DE CORRENTE ELÉTRICA SIMULADO DE CORRENTE ELÉTRICA 1 T.1 (MACK) Dois fios, A e B, constituídos por massas iguais do mesmo cobre, são submetidos à mesma diferença de potencial e mantidos à mesma temperatura. O fio A tem o dobro

Leia mais

Aula 4 Análise Circuitos Elétricos Prof. Marcio Kimpara

Aula 4 Análise Circuitos Elétricos Prof. Marcio Kimpara ELETICIDADE Aula 4 Análise Circuitos Elétricos Prof. Marcio Kimpara Universidade Federal de Mato Grosso do Sul 2 Circuito Elétrico Chamamos de circuito elétrico a um caminho fechado, constituído de condutores,

Leia mais

GERADORES E RECEPTORES:

GERADORES E RECEPTORES: COLÉGIO ESTADUAL JOSUÉ BRANDÃO 3º Ano de Formação Geral Física IV Unidade_2009. Professor Alfredo Coelho Resumo Teórico/Exercícios GERADORES E RECEPTORES: Anteriormente estudamos os circuitos sem considerar

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS DE ELETRODINÂMICA

LISTA DE EXERCÍCIOS DE ELETRODINÂMICA csjose@csjose.com.br Aluno(a) Nº Série: 3º Ensino Médio Turma 1ª Unidade Disciplina: FÍSICA Data / /. Professor(a) : Antônio Barreto O S e n h o r t e a b e n ç o e e t e g u a r d e v o l t e p a r a

Leia mais

Se no terminal b do circuito for conectado um terceiro componente, como na figura abaixo, os resistores R 1 e R 2 não estarão mais em série.

Se no terminal b do circuito for conectado um terceiro componente, como na figura abaixo, os resistores R 1 e R 2 não estarão mais em série. Circuitos em Série Um circuito consiste em um número qualquer de elementos unidos por seus terminais, com pelo menos um caminho fechado através do qual a carga possa fluir. Dois elementos de circuitos

Leia mais

Princípios de Circuitos Elétricos. Prof. Dr. Eduardo Giometti Bertogna

Princípios de Circuitos Elétricos. Prof. Dr. Eduardo Giometti Bertogna Princípios de Circuitos Elétricos Prof. Dr. Eduardo Giometti Bertogna Agenda Lei de Ohm; Potência; Energia; Eficiência Energética; Circuitos em Série; Circuitos em Paralelo; Circuitos em Série-Paralelo.

Leia mais

3º ANO Data: / / Professor: Clóvis Bianchini Júnior Trimestre: 2º Aluno (a): Assinatura do responsável: AVALIAÇÃO DE RECUPERAÇÃO EM FÍSICA

3º ANO Data: / / Professor: Clóvis Bianchini Júnior Trimestre: 2º Aluno (a): Assinatura do responsável: AVALIAÇÃO DE RECUPERAÇÃO EM FÍSICA 3º ANO Data: / / 2016. Professor: Clóvis Bianchini Júnior Trimestre: 2º Aluno (a): Assinatura do responsável: Valor: 35,0 AVALIAÇÃO DE RECUPERAÇÃO EM FÍSICA Antes de iniciar a avaliação, leia atentamente

Leia mais

ATENÇÃO! FORMULÁRIO. a) a corrente elétrica que atravessa esse chuveiro; b) quanto, em reais, é consumido por esse chuveiro durante um mês de 30 dias.

ATENÇÃO! FORMULÁRIO. a) a corrente elétrica que atravessa esse chuveiro; b) quanto, em reais, é consumido por esse chuveiro durante um mês de 30 dias. FÍSICA AVALIAÇÃO RAFAEL III UNIDADE Aluno(a): COMENTADA Série: 2 a Ensino Médio Turma: A / B / C / D / E Data: 10/09/2016 1. A prova é composta de 05 questões abertas e 02 questões objetivas. 2. Não será

Leia mais

Recursos para Estudo / Atividades. Conteúdo. 2ª Etapa Livro

Recursos para Estudo / Atividades. Conteúdo. 2ª Etapa Livro Rede de Educação Missionárias Servas do Espírito Santo Colégio Nossa Senhora da Piedade Av. Amaro Cavalcanti, 2591 Encantado Rio de Janeiro / RJ CEP: 20735042 Tel: 2594-5043 Fax: 2269-3409 E-mail: cnsp@terra.com.br

Leia mais

Aula 8.1 Conteúdo: Eletrodinâmica: Associação de resistores em série, potência elétrica de uma associação em série de resistores. INTERATIVIDADE FINAL

Aula 8.1 Conteúdo: Eletrodinâmica: Associação de resistores em série, potência elétrica de uma associação em série de resistores. INTERATIVIDADE FINAL Aula 8.1 Conteúdo: Eletrodinâmica: Associação de resistores em série, potência elétrica de uma associação em série de resistores. Habilidades: Reconhecer as utilidades dos resistores elétricos, assim como,

Leia mais

CENTRO EDUCACIONAL SESC CIDADANIA

CENTRO EDUCACIONAL SESC CIDADANIA CENTRO EDUCACIONAL SESC CIDADANIA Professor: Vilson Mendes Lista de exercícios de Física I Lista 6 Associação de resistores ENSINO MÉDIO NOTA: Aluno (: Data SÉRIE/TURMA 3ª 1. Em cada um dos esquemas abaixo,

Leia mais

3 Médio Disciplinas Professores Natureza Trimestre/Ano Data da entrega Valor

3 Médio Disciplinas Professores Natureza Trimestre/Ano Data da entrega Valor Nome Nº Ano/Série Ensino Turma 3 Médio Disciplinas Professores Natureza Trimestre/Ano Data da entrega Valor Física Carlos A8/TI 2º/201]6 02/08/2016 5,0 Introdução: Querido(a) aluno(a), Este material foi

Leia mais

FÍSICA GERAL E EXPERIMENTAL II PROF JOÃO RODRIGO ESCALARI ESQ. - EXERCÍCIOS DE FÍSICA II GERADORES E LEI DE POULIETT

FÍSICA GERAL E EXPERIMENTAL II PROF JOÃO RODRIGO ESCALARI ESQ. - EXERCÍCIOS DE FÍSICA II GERADORES E LEI DE POULIETT FÍSIC GERL E EXPERIMENTL II PROF JOÃO RODRIGO ESCLRI - 2012 ESQ. - EXERCÍCIOS DE FÍSIC II GERDORES E LEI DE POULIETT 1. 4. figura representa um trecho de um circuito percorrido por uma corrente com intensidade

Leia mais

Associação de Resistores

Associação de Resistores Guia de aplicação de apoio ao experimento Painel Elétrico CC Experimentação Remota Móvel para o Ensino Básico e Superior Associação de Resistores Guia de Aplicação UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

Leia mais

Questão 4. Questão 5. Questão 6

Questão 4. Questão 5. Questão 6 Questão 1 Por uma bateria de f.e.m. (E) e resistência interna desprezível, quando ligada a um pedaço de fio de comprimento Ø e resistência R, passa a corrente i (figura 1). Quando o pedaço de fio é cortado

Leia mais

COLÉGIO SHALOM Ensino Médio 3 Ano Prof.º: Wesley Disciplina Física Aluno (a):. No.

COLÉGIO SHALOM Ensino Médio 3 Ano Prof.º: Wesley Disciplina Física Aluno (a):. No. COLÉGIO SHALOM Ensino Médio 3 Ano Prof.º: Wesley Disciplina Física Aluno (a):. No. Trabalho de Recuperação Data: Valor: Temas: - Força elétrica - Resistores - Associação de resistores - Geradores elétricos

Leia mais

Eletrodinâmica REVISÃO ENEM CORRENTE ELÉTRICA

Eletrodinâmica REVISÃO ENEM CORRENTE ELÉTRICA REVISÃO ENEM Eletrodinâmica CORRENTE ELÉTRICA Corrente elétrica em um condutor é o movimento ordenado de suas cargas livres devido a ação de um campo elétrico estabelecido no seu interior pela aplicação

Leia mais

EXERCÍCIOS DE TREINAMENTO

EXERCÍCIOS DE TREINAMENTO 1. (G1) O que é um farad (F)? EXERCÍCIOS DE TREINAMENTO RSE 2. (Unesp) São dados um capacitor de capacitância (ou capacidade) C, uma bateria de f.e.m. e dois resistores cujas resistências são, respectivamente,

Leia mais

Resistores e Associação de Resistores

Resistores e Associação de Resistores Resistores e Associação de Resistores Gabarito Parte I: O esquema a seguir ilustra a situação: Como mostrado, a resistência equivalente é Ω. Aplicando a lei de Ohm-Pouillet: = R eq i 60 = i i = 15 A. a)

Leia mais

Aula 06. ASSUNTOS: Circuitos elétricos de corrente contínua; potência elétrica; leis de OHM; efeito Joule.

Aula 06. ASSUNTOS: Circuitos elétricos de corrente contínua; potência elétrica; leis de OHM; efeito Joule. ASSUNTOS: Circuitos elétricos de corrente contínua; potência elétrica; leis de OHM; efeito Joule. 1. (CEFET-CE 2007) Na figura a seguir, a bateria E, o voltímetro V e o amperímetro A são ideais. Todos

Leia mais

Etapa 1: Questões relativas aos resultados Lei de Ohm. 1.1 A partir dos dados tabelados, calcule o valor médio da resistência do resistor.

Etapa 1: Questões relativas aos resultados Lei de Ohm. 1.1 A partir dos dados tabelados, calcule o valor médio da resistência do resistor. Respostas Questões relativas ao resultado Etapa 1: Questões relativas aos resultados Lei de Ohm 1.1 A partir dos dados tabelados, calcule o valor médio da resistência do resistor. Resposta: O valor encontrado

Leia mais

Eletrônica. Resistência Elétrica, Resistores, Lei de Ohm e Lei de Joule Conteúdo 10/05/2016. Resistividade. Resistores.

Eletrônica. Resistência Elétrica, Resistores, Lei de Ohm e Lei de Joule Conteúdo 10/05/2016. Resistividade. Resistores. Eletrônica Resistência Elétrica, Resistores, Lei de Ohm e Lei de Joule jauberth@gmail.com Conteúdo Resistividade Resistores Lei de Ohm Calor e Temperatura Lei de Joule Associação de resistores Potenciômetros

Leia mais

NOME: N CADERNO DE RECUPERAÇÃO DE FÍSICA I 3º ANO EM TURMA 232 PROFº FABIANO 1º BIMESTRE

NOME: N CADERNO DE RECUPERAÇÃO DE FÍSICA I 3º ANO EM TURMA 232 PROFº FABIANO 1º BIMESTRE 1925 *** COLÉGIO MALLET SOARES *** 2017 92 ANOS DE TRADIÇÃO, RENOVAÇÃO E QUALIDADE DEPARTAMENTO DE ENSINO DATA: / / NOTA: NOME: N CADERNO DE RECUPERAÇÃO DE FÍSICA I 3º ANO EM TURMA 232 PROFº FABIANO 1º

Leia mais

Exercícios de Eletricidade Aplicada

Exercícios de Eletricidade Aplicada Exercícios de Eletricidade Aplicada 1º) Calcular o que se pede: (Lei de Ohm e Cálculo de Potência) a) R=10Ω V=10V I=? b) I=0,5A V=25V R=? c) R=1KΩ I=2mA V=? d) V=38,25V R=4,5Ω I=? e) I=5A V=40V R=? f)

Leia mais

Física C Semiextensivo V. 4

Física C Semiextensivo V. 4 GRITO Física Semiextensivo V. 4 Exercícios 0) a) 0 ; b) 800 W; c) 4,0 Ω; d) 80 V. 0) a) P consumida 00 W V 0 V P V. i 00 0. i i 0 b) P útil? P consumida P útil + P dissipada 00 P útil + 400 P útil 800

Leia mais

Resistor e resistência

Resistor e resistência LEIS DE OHM Resistor e resistência O resistor é um dispositivo cujas principais funções são: dificultar a passagem da corrente elétrica e transformar energia elétrica em energia térmica por efeito Joule.

Leia mais

LABORATÓRIO ATIVIDADES 2013/1

LABORATÓRIO ATIVIDADES 2013/1 LABORATÓRIO ATIVIDADES 2013/1 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NO LABORATÓRIO MÓDULO I ELETRICIDADE BÁSICA TURNO NOITE CURSO TÉCNICO EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL CARGA HORÁRIA EIXO TECNOLÓGICO CONTROLE

Leia mais

Programa de engenharia biomédica

Programa de engenharia biomédica Programa de engenharia biomédica princípios de instrumentação biomédica COB 781 Conteúdo 2 - Elementos básicos de circuito e suas associações...1 2.1 - Resistores lineares e invariantes...1 2.1.1 - Curto

Leia mais

CIRCUITOS COM CAPACITORES

CIRCUITOS COM CAPACITORES CIRCUITOS COM CAPACITORES 1. (Ufpr 13) Considerando que todos os capacitores da associação mostrada na figura abaixo têm uma capacitância igual a C, determine a capacitância do capacitor equivalente entre

Leia mais

Resistência elétrica de uma barra (prismática ou cilíndrica) de área A e comprimento L

Resistência elétrica de uma barra (prismática ou cilíndrica) de área A e comprimento L Universidade Federal do Paraná Setor de Ciências Exatas Departamento de Física Física III Prof. Dr. Ricardo uiz Viana Referências bibliográficas: H. 28-4, 29-4, 29-6 S. 26-4, 27-2 T. 22-2 ula Resistores

Leia mais

AULA 06 - POTÊNCIA E ENERGIA Página 23, livro 11A JOCEMAR BUENO

AULA 06 - POTÊNCIA E ENERGIA Página 23, livro 11A JOCEMAR BUENO AULA 06 - POTÊNCIA E ENERGIA Página 23, livro 11A JOCEMAR BUENO Potência Elétrica A potência elétrica é o produto da tensão elétrica (d.d.p) pela corrente elétrica: Temos que: Então: 1A. 1V = P = i V 1A

Leia mais

Manutenção de Hardware

Manutenção de Hardware Manutenção de Hardware PROFESSOR JESSE NERY FILHO Sobre o laboratório Cuidado em tudo que fazemos! Utilizaremos alicates, estiletes, álcool, matérias metálicos e energia; Precisamos nos prevenir: roupas,

Leia mais

2 - Qual a potência em Watts de um motor de uma 3,50 hp?

2 - Qual a potência em Watts de um motor de uma 3,50 hp? INSTITUTO EDUCACIONAL SÃO JOÃO DA ESCÓCIA NOME: N o DATA: / /2016 CURSO: Eletrônica DISCIPLINA: Eletricidade Básica PROFESSOR: João Carlos Data da entrega: 03 de Maio de 2016 1 - Suponha que um determinado

Leia mais

Experimento Prático N o 4

Experimento Prático N o 4 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Departamento de Engenharia Área de Eletricidade Experimento Prático N o Eletricidade para Engenharia Lei de Ohm e Potência Elétrica L A B O R A T Ó R I O D E E L E T R I

Leia mais

Sala de Estudos FÍSICA Lucas 3 trimestre Ensino Médio 2º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos Geradores, Receptores e Potência Elétrica

Sala de Estudos FÍSICA Lucas 3 trimestre Ensino Médio 2º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos Geradores, Receptores e Potência Elétrica Sala de Estudos FÍSICA Lucas 3 trimestre Ensino Médio 2º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos Geradores, Receptores e Potência Elétrica 1. (Espcex (Aman) 2013) A pilha de uma lanterna possui

Leia mais

AULA 03 Exercícios Lista 01 Lista 02 Lista 03 Resolução de exercícios em sala

AULA 03 Exercícios Lista 01 Lista 02 Lista 03 Resolução de exercícios em sala AULA 03 Exercícios Lista 01 Lista 02 Lista 03 Resolução de exercícios em sala AULA 04 Tensão e Corrente alternada Ondas senoidais Ondas quadradas Ondas triangulares Frequência e período Amplitude e valor

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS 01 3º ANO PROF. FELIPE KELLER ELETROSTÁTICA

LISTA DE EXERCÍCIOS 01 3º ANO PROF. FELIPE KELLER ELETROSTÁTICA LISTA DE EXERCÍCIOS 01 3º ANO PROF. FELIPE KELLER ELETROSTÁTICA 1 (UNIFESP) Um condutor é percorrido por uma corrente elétrica de intensidade i = 800 ma. Conhecida a carga 19 elétrica elementar, e = 1,6

Leia mais

Respostas Finais Lista 6. Corrente Elétrica e Circuitos de Corrente Contínua ( DC )

Respostas Finais Lista 6. Corrente Elétrica e Circuitos de Corrente Contínua ( DC ) Respostas Finais Lista 6 Corrente Elétrica e Circuitos de Corrente Contínua ( DC ) Q 26.3) Essa diferença esta mais associada à energia entregue à corrente de um circuito por algum tipo de bateria e à

Leia mais

ELETRODINÂMICA A) 4, B) 6, C) 2, D) 1,0.10-3

ELETRODINÂMICA A) 4, B) 6, C) 2, D) 1,0.10-3 QUESTÃO 01 No circuito mostrado no diagrama, todos os resistores são ôhmicos, o gerador e o amperímetro são ideais e os fios de ligação têm resistência elétrica desprezível. A intensidade da corrente elétrica

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA Departamento Informática Disciplina Sistemas de Instrumentação Engenharia de Sistemas e 1 Ano Curso Ano 2º Semestre Informática º Lectivo Aulas TeóricoPráticas Ficha de Trabalho N.º1 2005/2006 Título Conceitos

Leia mais

PLANOS DE AULA DO MATERIAL INSTRUCIONAL

PLANOS DE AULA DO MATERIAL INSTRUCIONAL PLANOS DE AULA DO MATERIAL INSTRUCIONAL Professor: Alencar Material a ser aplicado a uma turma de 30 alunos do terceiro ano do Ensino Médio em seis períodos de 50 min cada. Plano para 1ª aula Objetivos

Leia mais

GERADOR ELÉTRICO TEORIA E EXERCÍCIOS BÁSICOS

GERADOR ELÉTRICO TEORIA E EXERCÍCIOS BÁSICOS GERADOR ELÉTRICO TEORIA E EXERCÍCIOS BÁSICOS GERADOR ELÉTRICO O gerador elétrico é um dispositivo que transforma qualquer tipo de energia em energia elétrica. É um dispositivo destinado a manter uma diferença

Leia mais

Circuitos Elétricos I EEL420

Circuitos Elétricos I EEL420 Universidade Federal do Rio de Janeiro Circuitos Elétricos I EEL420 Conteúdo 2 - Elementos básicos de circuito e suas associações...1 2.1 - Resistores lineares e invariantes...1 2.1.1 - Curto circuito...2

Leia mais

Universidade Federal do Rio de Janeiro. Princípios de Instrumentação Biomédica COB781. Módulo 2

Universidade Federal do Rio de Janeiro. Princípios de Instrumentação Biomédica COB781. Módulo 2 Universidade Federal do Rio de Janeiro Princípios de Instrumentação Biomédica COB781 Módulo 2 Thévenin Norton Helmholtz Mayer Ohm Galvani Conteúdo 2 - Elementos básicos de circuito e suas associações...1

Leia mais

Prof. Sergio Abrahão 38

Prof. Sergio Abrahão 38 Principais ligações num circuito Os diferentes modos que podemos utilizar para interligar os elementos elétricos, formando um circuito elétrico, são chamados de associações. Podemos ter associação em série,

Leia mais

NOME: N O : TURMA: PROFESSOR: Glênon Dutra

NOME: N O : TURMA: PROFESSOR: Glênon Dutra Circuitos Elétricos DISCIPLINA: Física NOME: N O : TURMA: PROFESSOR: Glênon Dutra DATA: NOTA: ASS: - Circuito Simples: Esquema: Bateria: Corrente elétrica i Resistência: i = corrente elétrica V = d.d.p.

Leia mais

Métodos de Análise de Circuitos

Métodos de Análise de Circuitos 1 utor: Prof Paulo icardo Telles angel Elétricos 1 Introdução Os métodos de análise de circuitos elétricos são ferramentas que envolvem os conceitos de eletricidade, como a Lei de Ohm, em conjunto com

Leia mais

12/04/2012 a 11/08/2012

12/04/2012 a 11/08/2012 ELETRICIDADE PARTE 1 1º SEMESTRE 2012 12/04/2012 a 11/08/2012 Professor: Júlio César Madureira Silva < jmadureira@ifes.edu.br > 1 EMENTA: 1. Revisão sobre unidades de medida no SI. múltiplos m e submúltiplos

Leia mais

Turma: _3º ANO FG e TI

Turma: _3º ANO FG e TI COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Paralela 1ª Etapa 2012 Disciplina: FÍSICA Ano: 2012 Professor (a): Marcos Vinicius Turma: _3º ANO FG e TI Caro aluno, você está recebendo o conteúdo

Leia mais

defi departamento de física

defi departamento de física defi departamento de física Laboratórios de Física www.defi.isep.ipp.pt Circuito Série Paralelo Instituto Superior de Engenharia do Porto- Departamento de Física Rua Dr. António Bernardino de Almeida,

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIP FUNDAMENTOS DE CIRCUITOS ELÉTRICOS INTRODUÇÃO CIRCUITOS SÉRIE DE CORRENTE CONTÍNUA

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIP FUNDAMENTOS DE CIRCUITOS ELÉTRICOS INTRODUÇÃO CIRCUITOS SÉRIE DE CORRENTE CONTÍNUA UNIVERSIDADE PAULISTA UNIP FUNDAMENTOS DE CIRCUITOS ELÉTRICOS INTRODUÇÃO CIRCUITOS SÉRIE DE CORRENTE CONTÍNUA Um circuito série é aquele que permite somente um percurso para a passagem da corrente. Nos

Leia mais

Circuitos com Amperímetro e Voltímetro

Circuitos com Amperímetro e Voltímetro Circuitos com Amperímetro e Voltímetro 1. (Pucrs 2014) Considere o texto e a figura para analisar as afirmativas apresentadas na sequência. No circuito elétrico mostrado na figura a seguir, um resistor

Leia mais

Física C Extensivo V. 5

Física C Extensivo V. 5 GABAITO Física C Extensivo V. 5 Exercícios 0) a) = 4 + = 6 Ω 06) = Ω b) V = 48 = 6 i = A c) = = 4. = V V = V =. = 6 V d) P = P = 4. = 6 w P = P =. = 08 w e) P total = P + P = 44 w f) gerador ideal P fornecida

Leia mais

Aula 04- Circuitos Elétricos. Lei de Ohm, Potência e Energia

Aula 04- Circuitos Elétricos. Lei de Ohm, Potência e Energia Aula 04- Circuitos Elétricos Lei de Ohm, Potência e Energia Até agora, definimos três das grandezas físicas mais importantes em um circuito elétrico: tensão corrente elétrica resistência elétrica. O objetivo

Leia mais

Física II - AV 1 (parte 2.2) 3º período de Eng. Civil Prof. Dr. Luciano Soares Pedroso Data: / /2014 valor: 10 pontos Aluno (a) Turma

Física II - AV 1 (parte 2.2) 3º período de Eng. Civil Prof. Dr. Luciano Soares Pedroso Data: / /2014 valor: 10 pontos Aluno (a) Turma Física II - AV (parte 2.2) 3º período de Eng. Civil Prof. Dr. Luciano Soares Pedroso Data: / /204 valor: 0 pontos Aluno (a)turma _. Considere que um determinado estudante, utilizando resistores disponíveis

Leia mais

Lista de exercícios de física - 3º ano Leis de Ohm e associação de resistores

Lista de exercícios de física - 3º ano Leis de Ohm e associação de resistores Lista de exercícios de física - 3º ano Leis de Ohm e associação de resistores 1. (Uerj 017) Pela seção de um condutor metálico submetido a uma tensão elétrica, atravessam 18 4,0 10 elétrons em 0 segundos.

Leia mais

Eletrodinânica - Exercícios

Eletrodinânica - Exercícios Eletrodinânica - Exercícios Professor Walescko 13 de outubro de 2005 Sumário 1 Exercícios 1 2 Vestibulares UFRGS 7 3. O gráfico representa a corrente elétrica i em função da diferença de potencial V aplicada

Leia mais

TAREFA DE FÍSICA Prof. Álvaro 3ª Série

TAREFA DE FÍSICA Prof. Álvaro 3ª Série TAREFA DE FÍSICA Prof. Álvaro 3ª Série Site 02 01 - (Mackenzie SP) No circuito desenhado abaixo, a intensidade de corrente elétrica contínua que passa pelo resistor de 50 é de 80 ma. A força eletromotriz

Leia mais

Exercícios 6 1. real 2. Resp: 3. o sentido convencional Resp: 4. Resp: 5. (a) (b) (c) Resp: (b) (c) Resp:

Exercícios 6 1. real 2. Resp: 3. o sentido convencional Resp: 4. Resp: 5. (a) (b) (c) Resp: (b) (c) Resp: Exercícios 6 1. A corrente elétrica real através de um fio metálico é constituída pelo movimento de: a) Cargas positivas do maior para o menor potencial. b) Cargas positivas. c) Elétrons livres no sentido

Leia mais

ELETRODINÂMICA. Prof. Patricia Caldana

ELETRODINÂMICA. Prof. Patricia Caldana ELETRODINÂMICA Prof. Patricia Caldana Ao se estudarem situações onde as partículas eletricamente carregadas deixam de estar em equilíbrio eletrostático passamos à situação onde há deslocamento destas cargas

Leia mais

COLÉGIO PEDRO II CAMPUS TIJUCA II DEPARTAMENTO DE FÍSICA COORDENADOR: PROFESSOR JOSÉ FERNANDO

COLÉGIO PEDRO II CAMPUS TIJUCA II DEPARTAMENTO DE FÍSICA COORDENADOR: PROFESSOR JOSÉ FERNANDO COLÉGIO PEDRO II CAMPUS TIJUCA II DEPARTAMENTO DE FÍSICA COORDENADOR: PROFESSOR JOSÉ FERNANDO 3 a SÉRIE PROFESSORES: ROBSON / JULIEN / JOSÉ FERNANDO / EDUARDO / BRUNO Questão 1 Um condutor metálico é percorrido

Leia mais

Circuitos Elétricos Simples

Circuitos Elétricos Simples Circuitos Elétricos Simples Circuitos elétricos que contém apenas resistores e fontes. A corrente elétrica se move sempre no mesmo sentido, ou seja, são circuitos de corrente contínua. Circuitos com mais

Leia mais

ELETRÔNICA X ELETROTÉCNICA

ELETRÔNICA X ELETROTÉCNICA ELETRÔNICA X ELETROTÉCNICA ELETRÔNICA É a ciência que estuda a forma de controlar a energia elétrica por meios elétricos nos quais os elétrons têm papel fundamental. Divide-se em analógica e em digital

Leia mais

Física C Semiextensivo V. 3

Física C Semiextensivo V. 3 Semiextensivo V. 3 Exercícios 01) a) eq 4 + 1 16 Ω 06) 3 Ω 1 b) 48 16 i 3 A c) 1 1 4. 3 1 V V V 1. 3 36 V d) P 1 1 1 P 1 4. 3 36 w P P 1. 3 108 w e) P total P 1 + P 144 w f) gerador ideal P fornecida P

Leia mais

Energia envolvida na passagem de corrente elétrica

Energia envolvida na passagem de corrente elétrica Eletricidade Supercondutividade Baixando-se a temperatura dos metais a sua resistividade vai diminuindo Em alguns a resistividade vai diminuindo com a temperatura, mas não se anula Noutros a resistividade

Leia mais

Sala de Estudos FÍSICA - Lucas 2 trimestre Ensino Médio 3º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos Resistência Equivalente

Sala de Estudos FÍSICA - Lucas 2 trimestre Ensino Médio 3º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos Resistência Equivalente Sala de Estudos FÍSICA - Lucas 2 trimestre Ensino Médio 3º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos esistência Equivalente 1. (Uern 2013) Na figura, estão representadas duas associações de resistores.

Leia mais

EXERCÍCIOS - ELETRODINÂMICA

EXERCÍCIOS - ELETRODINÂMICA EXERCÍCIOS - ELETRODINÂMICA Prof. Patricia Caldana 1. Uma corrente elétrica de intensidade igual a 5 A percorre um fio condutor. Determine o valor da carga que passa através de uma secção transversal em

Leia mais

Circuitos Elétricos I

Circuitos Elétricos I Universidade Federal do ABC Eng. De Instrumentação, Automação e Robótica Teoremas de circuitos Circuitos Elétricos I Prof. José Azcue; Dr. Eng. Teorema de Thévenin Teorema de Norton Teorema de máxima transferência

Leia mais

t RESOLUÇÃO COMECE DO BÁSICO

t RESOLUÇÃO COMECE DO BÁSICO t RESOLÇÃO COMECE DO BÁSICO SOLÇÃO CB. 01 Para ser resistor ôhmico o gráfico deve ser linear. Neste caso, a linearidade se observa no trecho BC. SOLÇÃO CB. 0 ' r '. i ( Equação 10 7 r'.4 4r 48 do receptor)

Leia mais

2º Experimento 1ª Parte: Lei de Ohm

2º Experimento 1ª Parte: Lei de Ohm 2º Experimento 1ª Parte: Lei de Ohm 1. Objetivos: Verificar a lei de Ohm. Determinar a resistência elétrica através dos valores de tensão e corrente. 2. Teoria: No século passado, George Ohm enunciou:

Leia mais

Eletricidade Aula 4. Leis de Kirchhoff

Eletricidade Aula 4. Leis de Kirchhoff Eletricidade Aula 4 Leis de Kirchhoff Fonte de Alimentação Vídeo 6 É um dispositivo capaz de fornecer energia elétrica para um circuito. A fonte de alimentação também pode ser chamada de gerador, e outras

Leia mais

Sala de Estudos FÍSICA Lucas 2 trimestre Ensino Médio 3º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos Potência e Energia Elétrica

Sala de Estudos FÍSICA Lucas 2 trimestre Ensino Médio 3º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos Potência e Energia Elétrica Sala de Estudos FÍSICA Lucas 2 trimestre Ensino Médio 3º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos Potência e Energia Elétrica 1. (Enem 2010) Todo carro possui uma caixa de fusíveis, que são utilizados

Leia mais

Linearidade e o Princípio da Superposição; Equivalente Thevenin e a Máxima Transferência de Potência

Linearidade e o Princípio da Superposição; Equivalente Thevenin e a Máxima Transferência de Potência NotasdeAula LabCircuitos1 2011/8/11 13:46 page 17 #25 LINEARIDADE E O PRINCÍPIO DA SUPERPOSIÇÃO; EQUIVALENTE THEVENIN E A MÁXIMA TRANSFERÊNCIA DE POTÊNCIA 17 Linearidade e o Princípio da Superposição;

Leia mais

Universidade Federal de Itajubá EEL 012 Laboratório de Conversão Eletromecânica de Energia

Universidade Federal de Itajubá EEL 012 Laboratório de Conversão Eletromecânica de Energia Universidade Federal de Itajubá EEL 012 Laboratório de Conversão Eletromecânica de Energia Guia da 2 a aula prática 2014 Carga RLC Monofásica Assunto: - Medição de potência em carga RLC monofásica e correção

Leia mais

defi departamento de física

defi departamento de física defi departamento de física Laboratórios de Física www.defi.isep.ipp.pt nstituto Superior de Engenharia do Porto- Departamento de Física Rua Dr. António Bernardino de Almeida, 431 4200-072 Porto. T 228

Leia mais

Me. Leandro B. Holanda,

Me. Leandro B. Holanda, 27-1 O que é física? Estamos cercados de circuitos elétricos. Todos os esses aparelhos e também a rede de distribuição de energia elétrica que os faz funcionar, dependem da engenharia elétrica moderna.

Leia mais

Δt, quando. R. 1 Nessas condições, a relação entre as

Δt, quando. R. 1 Nessas condições, a relação entre as 1. (Unesp 016) As companhias de energia elétrica nos cobram pela energia que consumimos. Essa energia é dada pela expressão E V i t, em que V é a tensão que alimenta nossa residência, a intensidade de

Leia mais

Corrente Elétrica (Aplicações)

Corrente Elétrica (Aplicações) Corrente Elétrica (Aplicações) Evandro Bastos dos Santos 21 de Maio de 2017 1 Corrente Elétrica Na aula passada vimos a definição de corrente elétrica. Definimos resistência e calculamos resistências equivalentes.

Leia mais

Potência e Energia Elétrica

Potência e Energia Elétrica Potência e Energia Elétrica Para qualquer máquina, em particular, para os aparelhos elétricos, definimos potência como a taxa de transformação ou conversão de energia na forma de calor outra forma de energia,

Leia mais