Infraestrutura no Brasil: desafios e oportunidades para a próxima década

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Infraestrutura no Brasil: desafios e oportunidades para a próxima década"

Transcrição

1 SOBRATEMA FÓRUM BRASIL INFRAESTRUTURA 1 Infraestrutura no Brasil: desafios e oportunidades para a próxima década Paulo Resende 2010

2 UMA VISÃO GERAL SOBRE A INFRAESTRUTURA BRASILEIRA a 2020: um País com obstáculos significativos a superar 1. Capacidade logística insuficiente para acomodar um crescimento sustentado do PIB entre 4,5 e 6% nos próximos 5 anos. 2. Capacidade de suprimento de energia ainda distante da demanda em curso, com baixa velocidade de renovação da matriz energética. 3. Procedimentos muito complexos e burocráticos para licença de projetos, principalmente na área ambiental. 4. Ambiente político e administrativo ainda instável, apresentando riscos a médio e longo prazos para o investidor nacional e estrangeiro.

3 UMA VISÃO GERAL SOBRE A INFRAESTRUTURA BRASILEIRA 3 No entanto, um País que é uma das grandes fronteiras para o investimento privado e para as PPPs. Contexto de priorização de ações: Investimentos sustentáveis em restauração e duplicação de rodovias Busca do aumento da densidade ferroviária, principalmente na direção das fronteiras agrícolas Projetos de privatização de rodovias, portos e aeroportos Investimentos crescentes em mobilidade urbana Investimentos para a garantia de acesso às redes de telecomunicações e crescimento da capacidade da rede de transmissão de dados.

4 GARGALOS E OPORTUNIDADES EM RODOVIAS 4 Condições rodoviárias distintas afetando a gestão de frotas, custos operacionais e desenvolvimento regional. Fato: menos de 15% da malha rodoviária total pavimentada.

5 GARGALOS E OPORTUNIDADES EM PORTOS E AEROPORTOS 5 Portos tem expectativa de aumento em suas capacidades de até 50% nos próximos cinco anos, com demanda de investimentos da ordem de US$3 bilhões/ano. Um processo acelerado de conteinerização Daqui até 2016, os aeroportos brasileiros terão que dobrar suas capacidades, demandando investimentos de US$2,5 bilhões/ano.

6 GARGALOS E OPORTUNIDADES EM PORTOS E AEROPORTOS 6 Cidades com acelerado nível de congestionamentos e pouquíssima capacidade de suprimentos em linhas e estações de metrô. Fato: o maior sistema metroviário do Brasil serve 10 vezes menos a população em relação aos sistemas de Paris, Nova York e Berlim. Daqui até 2020, as seis maiores regiões metropolitanas brasileiras terão que quadruplicar sua oferta metroviária.

7 GARGALOS E OPORTUNIDADES EM TELECOM linhas conectadas por habitantes (celular e fixo) maior do que a média dos países emergentes , ,3 80 1,2 0, ,7 5, Fixo Fixos Crescimento acelerado Uso da internet com rápido crescimento com atuais 128 usuários por habitantes Banda Larga Larga Celular Celular mas ainda menor do que a média de 165 dos países emergentes. Necessidade de investimentos por volta de US$ 7,0 bilhões por ano

8 GARGALOS E OPORTUNIDADES EM ENERGIA 8 O Brasil apresenta um deficit na produção de energia de 20% em relação ao pico de demanda com falta de aceleração na desconcentração da matriz energética. Necessidades de Investimentos para os Próximos Dez Anos SEGMENTO US$ Bi/ano Geração 4.2 Transmissão 2.1 Distribuição 2.3 TOTAL 8.6

9 OPORTUNIDADES EM UM AMBIENTE PROMISSOR 9 1. O Brasil é uma promissora fronteira para investimentos em infraestrutura. 2. Uma reforma tributária não é esperada no curto prazo portanto sem efeitos maiores na estrutura operacional dos sistemas atuais e futuros. 3. Conflitos entre engenharia e meio ambiente tendem a diminuir devido às lições de um passado recente. 4. A participação privada ainda será objeto de debate ideológico. 5. As pressões por investimentos em resposta à Copa do Mundo e Olimpíadas serão cada vez maiores aqui existe alto risco. 6. Os atuais modelos de concessão rodoviária e ferroviária serão objeto de debates em busca de um equilíbrio entre o social e o ROI.

10 Qual o Volume de Investimento em Infraestrutura que Consideramos Necessário por Ano para os Próximos Dez Anos? 10 ENERGIA (GERAÇÃO, TRANSMISSÃO E DISTRIBUIÇÃO) US$ 8,6 bi LOGÍSTICA MOBILIDADE URBANA TELECOM US$ 9 bi US$ 5,6 bi US$ 7,0 bi TOTAL US$ 30,2 bi A REALIZAÇÃO DESSES INVESTIMENTOS LEVARIA A: 1. Crescimento de estradas pavimentadas atingindo 50% da malha, aumento da capacid. portuária em 60%, e aumento da participação ferroviária de 25% para 38% na matriz. 2. Quadruplicar a capacidade metroviária das 6 maiores regiões metropolitanas, duplicando a capacidade aeroportuária nos 6 principais aeroportos. 3. Conectar 700 linhas de telef. por hab. e 300 usuários de internet por hab. 4. Aumentar a oferta de energia em 7% por ano nos próximos 10 anos.

11 A MACRO LOGÍSTICA BRASILEIRA EM FORTALECIMENTO HIDROVIÁRIO UM NOVO PAPEL DAS RODOVIAS MAIOR DENSIDADE FERROVIÁRIA MAIOR COMPLEXIDADE PORTUÁRIA

12 MAPA DE DENSIDADES EM ENERGIA E TELECOM Direção estratégica de Linhas de Transmissão de Energia Aumento da densidade de Suprimento de Energia e Sistemas De Dados Aumento da densidade de Suprimento de Sistemas de Dados Aumento da densidade de Suprimento de Energia Aumento da densidade de Suprimento de Energia Aumento da densidade de Suprimento de Sistemas de Dados Direção estratégica de Linhas de Transmissão de Dados Aumento da densidade de Suprimento de Sistemas de Dados

13 UMA ANÁLISE DINÂMICA DOS PARÂMETROS QUE PODERÃO LEVAR À UMA POLÍTICA DE PRIORIZAÇÃO DE INVESTIMENTOS 13 Os próximos dois slides mostram, em uma escala de 0 a 5, a dinâmica dos parâmetros que poderão definir a política de priorização nos principais setores da infraestrutura (os números em parênteses representam os pesos de cada parâmetro no conjunto total de seis parâmetros)

14 UMA ANÁLISE DINÂMICA DOS PARÂMETROS QUE PODERÃO LEVAR À UMA POLÍTICA DE PRIORIZAÇÃO DE INVESTIMENTOS 14 Rodovias Portos Aeroportos Prioridade para o Setor Público (5) Baixa Alta Capacidade de Desenv. Reg. (4) Baixa Alta Burocracia Envolvida (3) Simples Complexa Impedimentos Ambientais (4) Poucos Muitos Nível de Aceitação à Particip. Privada (3) Returno do Investimento (4) Baixo Alto Baixo Alto

15 UMA ANÁLISE DINÂMICA DOS PARÂMETROS QUE PODERÃO LEVAR À UMA POLÍTICA DE PRIORIZAÇÃO DE INVESTIMENTOS 15 Prioridade para o Setor Público (5) Produção de Energia Telecom Distribuição de Energia Baixa Alta Capacidade de Desenv. Reg. (4) Burocracia Envolvida (3) Impedimentos Ambientais (4) Baixa Alta Simples Complexa Poucos Muitos Nível de Aceitação à Particip. Privada (3) Returno do Investimento (4) Baixo Alto Baixo Alto

16 UMA ANÁLISE DINÂMICA DOS PARÂMETROS QUE PODERÃO LEVAR À UMA POLÍTICA DE PRIORIZAÇÃO DE INVESTIMENTOS ,8 4 2,9 2 3,1 2, ,0 2,5 6

17 O PRÓXIMO GOVERNO, OS JOGOS OLÍMPICOS E A COPA DO MUNDO MOVIMENTOS NO CONTEXTO DA INFRAESTRUTURA 17 MOVIMENTO RESULTADOS O próximo governo não vai acelerar a reforma tributária A infraestrutura não estará sujeita a novos modelos tributários Continuidade na atual administração levará ao debate de um novo modelo de concessão ferroviária Mudanças no direito de tráfego e provocarão confitos corporativos Conflitos entre engenharia e meio ambiente tendem a um denominador técnico comum Matrizes energéticas e de transportes mais balanceadas Debates sobre o valor dos pedágios rodoviários tendem a se acelerar Um modelo intermediário se apresenta viável no futuro próximo Os eventos mundiais de 2014 e 2016 pressionarão as discussões sobre privatização aeroportuária Serviços de telecomunicação e transporte coletivo serão objeto de grandes demandas. Oportunidades de investimentos privados em setor até agora fechado A mobilidade urbana e os serviços de transmissão de dados serão boas oportunidades de investimentos

Rio Grande do Sul. Dinâmicas Territoriais E Planejamento Logístico. Com Dados SEPLAG RS

Rio Grande do Sul. Dinâmicas Territoriais E Planejamento Logístico. Com Dados SEPLAG RS Rio Grande do Sul Dinâmicas Territoriais E Planejamento Logístico Com Dados SEPLAG RS Principais Dinâmicas Territoriais Esvaziamento do Arco de Fronteira Expansão da concentração Porto Alegre - Caxias

Leia mais

Oportunidades de Investimento no Brasil

Oportunidades de Investimento no Brasil Oportunidades de Investimento no Brasil 8º Encontro de Logística e Transportes A Hora do Investimento Privado DINO ANTUNES DIAS BATISTA Ministério dos Transportes Sumário Marinha Mercante PIL Programa

Leia mais

Pesquisa Custos Logísticos no Brasil 2015

Pesquisa Custos Logísticos no Brasil 2015 Pesquisa Custos Logísticos no Brasil 2015 Coordenadores Paulo Tarso Vilela de Resende Paulo Renato de Sousa Paula Oliveira Bolsistas Fapemig Bruna Catão Braga Larissa de Freitas Campos Rafael Barroso de

Leia mais

Carlos Campos Neto

Carlos Campos Neto V BRASIL NOS TRILHOS Investimentos e outras observações sobre o setor ferroviário brasileiro Carlos Campos Neto carlos.campos@ipea.gov.br Setembro de 2012 2 Crise/ajuste fiscal degrada/não amplia estoque

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGO VIA CONSTRUÇÃO CIVIL NA REGIÃOMETROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO

GERAÇÃO DE EMPREGO VIA CONSTRUÇÃO CIVIL NA REGIÃOMETROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO SEMINÁRIO MENOS GARGALOS E MAIS EMPREGOS. O QUE FAZER PARA RETOMAR AS OBRAS DE INFRAESTRUTURA NO RIO? GERAÇÃO DE EMPREGO VIA CONSTRUÇÃO CIVIL NA REGIÃOMETROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO VICENTE DE PAULA LOUREIRO

Leia mais

MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES. ROAD SHOW LEILÃO 700MHz

MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES. ROAD SHOW LEILÃO 700MHz MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES ROAD SHOW LEILÃO 700MHz INDICADORES DE AMBIENTE 2 POPULAÇÃO BRASILEIRA divisão demográfica Região Norte 16,9 milhões de habitantes Região Nordeste 55,8 milhões de habitantes

Leia mais

SECRETARIA DOS TRANSPORTES CENÁRIOS DA INFRAESTRUTURA DO RS

SECRETARIA DOS TRANSPORTES CENÁRIOS DA INFRAESTRUTURA DO RS SECRETARIA DOS TRANSPORTES ST CENÁRIOS DA INFRAESTRUTURA DO RS CENÁRIOS INFRAESTRUTURA DO RIO GRANDE DO SUL Cenário encontrado e dificuldades Estradas em más condições 76 municípios sem acesso asfáltico

Leia mais

Seminário IBRE Infraestrutura no Brasilperspectivas. nas áreas de construção, saneamento, transporte e logística

Seminário IBRE Infraestrutura no Brasilperspectivas. nas áreas de construção, saneamento, transporte e logística Seminário IBRE Infraestrutura no Brasilperspectivas e desafios nas áreas de construção, saneamento, transporte e logística Projetos e Programas de Investimentos para o Setor de Infraestrutura no Brasil

Leia mais

11. ESTIMATIVA DE VALOR DO PORTFÓLIO DE OPORTU- NIDADES DE INVESTIMENTO NO RN - QUANTIFICAÇÃO IN- DICATIVA

11. ESTIMATIVA DE VALOR DO PORTFÓLIO DE OPORTU- NIDADES DE INVESTIMENTO NO RN - QUANTIFICAÇÃO IN- DICATIVA 11. ESTIMATIVA DE VALOR DO PORTFÓLIO DE OPORTU- NIDADES DE INVESTIMENTO NO RN - QUANTIFICAÇÃO IN- DICATIVA 2016-2035 217 218 A partir do melhor cenário Um Pacto pelo Mais RN o Mais RN definiu como metas

Leia mais

Diego Mateus da Silva Coordenador de Gestão da Demanda por Viagens, ITDP Brasil. Conceitos e Estratégias de Gestão da Demanda por Viagens (GDV)

Diego Mateus da Silva Coordenador de Gestão da Demanda por Viagens, ITDP Brasil. Conceitos e Estratégias de Gestão da Demanda por Viagens (GDV) Diego Mateus da Silva Coordenador de Gestão da Demanda por Viagens, ITDP Brasil Conceitos e Estratégias de Gestão da Demanda por Viagens (GDV) Objetivo da sessão e roteiro Objetivo da sessão Apresentar

Leia mais

Cidadãos Inteligentes

Cidadãos Inteligentes Cidadãos Inteligentes Senador Walter Pinheiro Março/2015 Agenda O panorama brasileiro Oportunidades Smart People 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 Panorama 8.00 6.00 4.00

Leia mais

Demonstração Internacional da Plataforma de informações de tráfego e de trânsito

Demonstração Internacional da Plataforma de informações de tráfego e de trânsito Demonstração Internacional da Plataforma de informações de tráfego e de trânsito As grandes cidades e áreas metropolitanas encaram o aumento da demanda nos sistemas de transportes, especialmente nas regiões

Leia mais

Infraestrutura de Santa Catarina para o Desenvolvimento

Infraestrutura de Santa Catarina para o Desenvolvimento Infraestrutura de Santa Catarina para o Desenvolvimento Ministério dos Transportes PAULO SÉRGIO PASSOS Ministro de Estado dos Transportes Florianópolis, 27 de fevereiro de 2013 ASPECTOS NACIONAIS INFRAESTRUTURA

Leia mais

O Setor de Telecomunicações

O Setor de Telecomunicações O Setor de Telecomunicações 2ª CODE Conferência do Desenvolvimento IPEA/2011 Brasília, 25 de novembro de 2011 Eduardo Levy 83 empresas representadas 17 empresas associadas Serviços de telefonia fixa Serviços

Leia mais

O SR. JOSUÉ BENGTSON (PTB/PA) pronuncia o. seguinte discurso: Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, o

O SR. JOSUÉ BENGTSON (PTB/PA) pronuncia o. seguinte discurso: Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, o O SR. JOSUÉ BENGTSON (PTB/PA) pronuncia o seguinte discurso: Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, o reaquecimento da economia brasileira a partir do ano passado, deixou em alerta todo o sistema produtivo

Leia mais

RECURSOS E FONTES ALTERNATIVAS PARA O TRANSPORTE PÚBLICO SÔBRE TRILHOS

RECURSOS E FONTES ALTERNATIVAS PARA O TRANSPORTE PÚBLICO SÔBRE TRILHOS RECURSOS E FONTES ALTERNATIVAS PARA O TRANSPORTE PÚBLICO SÔBRE TRILHOS Criar soluções para suprir nossas necessidades 9a. SEMANA DE TECNOLOGIA METROVIÁRIA - AEAMESP POR QUE INVESTIR EM TRANSPORTE PÚBLICO?

Leia mais

Cidadãos Inteligentes

Cidadãos Inteligentes Cidadãos Inteligentes Secretário de Educação da Bahia - Walter Pinheiro Junho/2017 Agenda O panorama brasileiro Oportunidades Smart People Regulação Lei Geral de Telecomunicações (1997) Universalização

Leia mais

Ministério das Comunicações

Ministério das Comunicações Ministério das Comunicações Incentivos à implantação de infraestrutura de banda larga INVESTIMENTOS NO SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES R$ bilhões correntes 25 20 15 10 5 4.6% 3.3 3.3% 4.3 5.2% 4.7% 7.4 7.6 7.4%

Leia mais

Apresentação de Resultados 2T10

Apresentação de Resultados 2T10 Apresentação de Resultados 2T10 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que apresentem expectativas da Administração da Companhia sobre eventos ou resultados futuros. Todas as declarações

Leia mais

Lembro a todos que estes slides não servem como embasamento TOTAL para a prova. Prof. Matheus

Lembro a todos que estes slides não servem como embasamento TOTAL para a prova. Prof. Matheus Lembro a todos que estes slides não servem como embasamento TOTAL para a prova Prof. Matheus Indústria e Transportes Prof. Matheus O Processo de Industrialização Indústria: Setor Secundário da economia;

Leia mais

DESAFIOS ESTRATÉGICOS SETORIAIS

DESAFIOS ESTRATÉGICOS SETORIAIS Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base DESAFIOS ESTRATÉGICOS SETORIAIS Agenda 2009-2015 Senado Federal Comissão de Serviços de InfraEstrutura 17 agosto 2009 Ralph Lima Terra Vice

Leia mais

IDT FIESP. Índice Comparado de Desempenho da Infraestrutura de Transporte

IDT FIESP. Índice Comparado de Desempenho da Infraestrutura de Transporte IDT FIESP Índice Comparado de Desempenho da Infraestrutura de Transporte Brasil: 191 milhões de habitantes 8,5 milhões km² PIB R$ 4,4 trilhões A infraestrutura de transportes do Brasil é adequada: Ao tamanho

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS Aula 12. Prof. a Dr. a Maria das Graças Rua

POLÍTICAS PÚBLICAS Aula 12. Prof. a Dr. a Maria das Graças Rua POLÍTICAS PÚBLICAS Aula 12 Prof. a Dr. a Maria das Graças Rua PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO (PAC), criado pelo Decreto 6.025/2007 que define a estrutura formal da sua gestão. PAC medidas de estímulo

Leia mais

Plano de mobilidade urbana de carga: proposta e desafios para as cidades brasileiras. Leise Kelli de Oliveira UFMG

Plano de mobilidade urbana de carga: proposta e desafios para as cidades brasileiras. Leise Kelli de Oliveira UFMG Plano de mobilidade urbana de carga: proposta e desafios para as cidades brasileiras Leise Kelli de Oliveira UFMG Distribuição Urbana de Mercadorias n Entrega ou Coleta de mercadorias no ambiente urbano

Leia mais

Investimento pela lógica do cidadão Percepções sobre o crescimento da economia, a importância das obras de infraestrutura e o processo de concessão

Investimento pela lógica do cidadão Percepções sobre o crescimento da economia, a importância das obras de infraestrutura e o processo de concessão Investimento pela lógica do cidadão Percepções sobre o crescimento da economia, a importância das obras de infraestrutura e o processo de concessão Novembro / 2016 METODOLOGIA Metodologia: Pesquisa Quantitativa

Leia mais

FIESP - 8º Encontro de Logística e Transportes A Hora do Investimento Privado

FIESP - 8º Encontro de Logística e Transportes A Hora do Investimento Privado FIESP - 8º Encontro de Logística e Transportes A Hora do Investimento Privado Painel: Logística e Competitividade Mineração e Agronegócio: Superando Obstáculos para o Escoamento da Produção (São Paulo-SP,

Leia mais

Modelo de Monitoramento do Programa de Aceleração do Crescimento - PAC

Modelo de Monitoramento do Programa de Aceleração do Crescimento - PAC Modelo de Monitoramento do Programa de Aceleração do Crescimento - PAC Pedro Bertone Secretario-Adjunto de Planejamento e Investimentos Estratégicos Brasilia, 10 de outubro de 2011 CONFEA Projeto Pensar

Leia mais

ANUT REUNIÃO PLENÁRIA DE 01 DE JULHO DE 2015 PROGRAMA DE INVESTIMENTOS EM LOGÍSTICA FASE 2

ANUT REUNIÃO PLENÁRIA DE 01 DE JULHO DE 2015 PROGRAMA DE INVESTIMENTOS EM LOGÍSTICA FASE 2 ANUT REUNIÃO PLENÁRIA DE 01 DE JULHO DE 2015 PROGRAMA DE INVESTIMENTOS EM LOGÍSTICA FASE 2 PRESSUPOSTOS DO PROGRAMA Aumentar a competitividade da economia; Escoar com eficiência a produção agrícola crescente

Leia mais

Fomento ao Transporte de Passageiros sobre Trilhos Desafio a enfrentar na Mobilidade Urbana

Fomento ao Transporte de Passageiros sobre Trilhos Desafio a enfrentar na Mobilidade Urbana Fomento ao Transporte de Passageiros sobre Trilhos Desafio a enfrentar na Mobilidade Urbana Renato de S. Meirell es, Presidente CAF Brasil m e i r e l l e s. r e n a t o @ c a f b r a s i l. c o m. b r

Leia mais

V Brasil nos Trilhos. Joubert Flores Presidente da ANPTrilhos Apoio:

V Brasil nos Trilhos. Joubert Flores Presidente da ANPTrilhos  Apoio: V Brasil nos Trilhos PAINEL ESTRATÉGICO: TRANSPORTE DE PASSAGEIROS Joubert Flores Presidente da ANPTrilhos www.anptrilhos.org.br Apoio: ANPTrilhos - Associados Metrô Rio SUPERVIA Concessionária de Transporte

Leia mais

Mobilidade Urbana: tendências e desafios Apresentador: Carlos Henrique Ribeiro de Carvalho Pesquisador do IPEA.

Mobilidade Urbana: tendências e desafios Apresentador: Carlos Henrique Ribeiro de Carvalho Pesquisador do IPEA. Brasilia, Novembro/2013 Mobilidade Urbana: tendências e desafios Apresentador: Carlos Henrique Ribeiro de Carvalho Pesquisador do IPEA. Alterações do padrão de mobilidade urbana no Brasil Milhões de viagens/ano

Leia mais

Copa 2014 Rio de Janeiro. 09/12/2008 Rio de Janeiro - Sumário Seminário

Copa 2014 Rio de Janeiro. 09/12/2008 Rio de Janeiro - Sumário Seminário Copa 2014 Rio de Janeiro 1 Candidatura natural O Rio de Janeiro é uma candidata natural para sediar o jogo final da Copa 2014, repetindo a condição da Copa de 1950. Embora não seja a Capital Federal é

Leia mais

O BRASIL VIROU GENTE GRANDE E AGORA?

O BRASIL VIROU GENTE GRANDE E AGORA? O BRASIL VIROU GENTE GRANDE E AGORA? A Evolução da Movimentação de Carga no Brasil e no Mundo BRASIL Virando Gente Grande Movimentação do Comércio Exterior no Brasil 1990 = 50 bi 2000 = 110 bi 2004 = 160

Leia mais

AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO DESENVOLVIMENTO OPORTUNIDADES E DESAFIOS

AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO DESENVOLVIMENTO OPORTUNIDADES E DESAFIOS AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO DESENVOLVIMENTO OPORTUNIDADES E DESAFIOS AVALIAÇÕES TÉCNICAS / FEVEREIRO DE 2016 LUIZ ANTONIO FAYET Consultor da CNA AGRONEGÓCIO BRASILEIRO EVOLUÇÃO HÁ 50 ANOS = IMPORTADOR

Leia mais

ETH Bioenergia S.A. A Logística do Etanol Perspectiva dos Produtores. 20/Set/07

ETH Bioenergia S.A. A Logística do Etanol Perspectiva dos Produtores. 20/Set/07 A Logística do Etanol Perspectiva dos Produtores 20/Set/07 Distribuição Espacial da Lavoura de Cana-de-Açúcar na Região Centro Sul Concentração da expansão 27/7/2007 2 Distribuição Espacial das Unidades

Leia mais

MARCO REGULATÓRIO DA TELEFONIA EDUARDO LEVY AUDIÊNCIA PÚBLICA - CÂMARA DOS DEPUTADOS

MARCO REGULATÓRIO DA TELEFONIA EDUARDO LEVY AUDIÊNCIA PÚBLICA - CÂMARA DOS DEPUTADOS MARCO REGULATÓRIO DA TELEFONIA AUDIÊNCIA PÚBLICA - CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO URBANO COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO Brasília, 10 de dezembro de 2013 EDUARDO

Leia mais

LAURENCE CASAGRANDE LOURENÇO

LAURENCE CASAGRANDE LOURENÇO FÓRUM RAC 2017 Caminhos da Retomada LAURENCE CASAGRANDE LOURENÇO Campinas, 21 de agosto de 2017 Malha Rodoviária Paulista (km) Malha Estadual Federal Total Pista Simples 13.237 438 13.675 Pista Dupla 5.335

Leia mais

MRS Logística. Negócios nos Trilhos. Nov

MRS Logística. Negócios nos Trilhos. Nov MRS Logística Negócios nos Trilhos Nov - 2011 Quem somos Concessionária Pública de Transporte Ferroviário, que interliga os três principais centros industriais do país: São Paulo, Rio de Janeiro e Minas

Leia mais

Apoio do BNDES à Infraestrutura. Comissão de Obras Públicas, Privatização e Concessões da CBIC Brasília 17 de março de 2016

Apoio do BNDES à Infraestrutura. Comissão de Obras Públicas, Privatização e Concessões da CBIC Brasília 17 de março de 2016 Apoio do BNDES à Infraestrutura Comissão de Obras Públicas, Privatização e Concessões da CBIC Brasília 17 de março de 2016 BNDES Desembolsos do BNDES Infraestrutura representa mais de 1/3 R$ bilhões 168

Leia mais

Parcerias Público- Privadas do Rio de Janeiro. Rio Metropolitano. Jorge Arraes. 09 de julho 2015

Parcerias Público- Privadas do Rio de Janeiro. Rio Metropolitano. Jorge Arraes. 09 de julho 2015 Parcerias Público- Privadas do Rio de Janeiro Rio Metropolitano Jorge Arraes 09 de julho 2015 Prefeitura do Rio de Janeiro Secretaria Especial de Concessões e Parcerias Público-Privadas Em 2009, institucionalizou-se

Leia mais

Importância e Oportunidades para o Desenvolvimento da Indústria de Serviços

Importância e Oportunidades para o Desenvolvimento da Indústria de Serviços Importância e Oportunidades para o Desenvolvimento da Indústria de Serviços Modais de Transporte no Brasil Características dos Modais Modal Ferroviário Maior concentração das ferrovias no Brasil As ferrovias

Leia mais

INTRODUÇÃO A ENGENHARIA DE TRANSPORTE

INTRODUÇÃO A ENGENHARIA DE TRANSPORTE Capítulo 1 INTRODUÇÃO A ENGENHARIA DE TRANSPORTE Tecnologia dos Transportes 2 SISTEMAS DE TRANSPORTE E SOCIEDADE De extrema importância para o desenvolvimento de uma sociedade O desenvolvimento está diretamente

Leia mais

Alguns casos de avanços tecnológicos...28 PERSPECTIVAS...30

Alguns casos de avanços tecnológicos...28 PERSPECTIVAS...30 APRESENTAÇÃO...11 INTRODUÇÃO...13 Definições de operadores...13 A evolução do segmento...13 O PAPEL ESTRATÉGICO DA LOGÍSTICA...15 Uma ampla cadeia de negócio.. 15 As atividades da logística...15 Importância

Leia mais

1 INTRODUÇÃO. Tabela 1 Valor exportado do agronegócio brasileiro

1 INTRODUÇÃO. Tabela 1 Valor exportado do agronegócio brasileiro 1 INTRODUÇÃO O Brasil encontra-se num ambiente favorável de crescimento econômico nos últimos anos. A economia brasileira tem como principais forças o comércio, o setor industrial e o agronegócio. O agronegócio,

Leia mais

A indústria metroferroviária brasileira - investimentos e perspectivas

A indústria metroferroviária brasileira - investimentos e perspectivas A indústria metroferroviária brasileira - investimentos e perspectivas 7º Seminário sobre Ferrovias: Mobilização da Indústria para o Desenvolvimento do Setor Ferroviário Vicente Abate - Presidente da ABIFER

Leia mais

INTRODUÇÃO AO MODELO CONCESSIONÁRIO E SUAS DIFERENÇAS EM RELAÇÃO AOS CONTRATOS ORDINÁRIOS DE OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA

INTRODUÇÃO AO MODELO CONCESSIONÁRIO E SUAS DIFERENÇAS EM RELAÇÃO AOS CONTRATOS ORDINÁRIOS DE OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA INTRODUÇÃO AO MODELO CONCESSIONÁRIO E SUAS DIFERENÇAS EM RELAÇÃO AOS CONTRATOS ORDINÁRIOS DE OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA AUTOSSUSTENTABILIDADE FINANCEIRA AUTONOMIA DE GESTÃO FOCO EM OBRIGAÇÕES DE RESULTADO

Leia mais

Luciano Coutinho Presidente

Luciano Coutinho Presidente A economia brasileira e o financiamento do investimento 24 de Maio 2012 Luciano Coutinho Presidente 1 Mundo: Incertezas continuam Brasil: Indústria afeta expectativa de crescimento em 2012 Europa: risco

Leia mais

Ocupação Sustentável do Território Nacional pela Ferrovia Associada ao Agronegócio

Ocupação Sustentável do Território Nacional pela Ferrovia Associada ao Agronegócio Ocupação Sustentável do Território Nacional pela Ferrovia Associada ao Agronegócio Superação do gargalo financeiro Superação do gargalo logístico - com fundo colorido 25/09/2017 1 A expansão da produção

Leia mais

Administração do Transporte 2008

Administração do Transporte 2008 Administração do Transporte 2008 A cadeia de suprimento começa com o cliente e sua necessidade de obter o produto. O próximo estágio dessa cadeia de suprimento é uma loja que o cliente procura. Por exemplo:

Leia mais

TELE.SÍNTESE: PERSPECTIVA DE EVOLUÇÃO DO MODELO DE CONCESSÃO. Brasília Março 2016

TELE.SÍNTESE: PERSPECTIVA DE EVOLUÇÃO DO MODELO DE CONCESSÃO. Brasília Março 2016 TELE.SÍNTESE: PERSPECTIVA DE EVOLUÇÃO DO MODELO DE CONCESSÃO Brasília Março 2016 O modelo atual brasileiro de concessão de telefonia fixa se esgotou, e precisa ser modernizado O regime de Concessão atingiu

Leia mais

Senado Federal Audiência Pública Conjunta CMA; CI; CCT 20/05/2014

Senado Federal Audiência Pública Conjunta CMA; CI; CCT 20/05/2014 Senado Federal Audiência Pública Conjunta CMA; CI; CCT 20/05/2014 Empresa pioneira na prestação de serviços convergentes no país, oferece transmissão de voz local e de longa distância, telefonia móvel,

Leia mais

OBSTÁCULOS PARA A DIGITALIZAÇÃO

OBSTÁCULOS PARA A DIGITALIZAÇÃO OBSTÁCULOS PARA A DIGITALIZAÇÃO DAS CIDADES WORKSHOP FIESP :: RICARDO DIECKMANN :: SÃO PAULO, 18 DE AGOSTO DE 2016 Os celulares com banda larga já representam 70% do total de acessos Celulares por tecnologia

Leia mais

PROJETO TAV. Rio SP Campinas. Paulo Benites 18.abr.2011

PROJETO TAV. Rio SP Campinas. Paulo Benites 18.abr.2011 PROJETO TAV Rio SP Campinas Paulo Benites 18.abr.2011 Tecnologia TAV não é apenas um TREM Trem de Alta Velocidade requer um Sistema Completo A Integração de Sistemas é crítica: Material Rodante, Infraestrutura,

Leia mais

VICE-PRESIDENTE DA FIESP PRESIDENTE DO CONSIC CONSELHO SUPERIOR DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO PRESIDENTE DO SINPROCIM / SINAPROCIM

VICE-PRESIDENTE DA FIESP PRESIDENTE DO CONSIC CONSELHO SUPERIOR DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO PRESIDENTE DO SINPROCIM / SINAPROCIM PALESTRA: ENGº. JOSÉ CARLOS DE OLIVEIRA LIMA VICE-PRESIDENTE DA FIESP PRESIDENTE DO CONSIC CONSELHO SUPERIOR DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO PRESIDENTE DO SINPROCIM / SINAPROCIM 1 A FIESP REPRESENTA MAIS DE

Leia mais

Geotecnologias aplicadas ao planejamento e à gestão da infraestrutura nacional de transportes: os fatores de restrição às rodovias federais planejadas

Geotecnologias aplicadas ao planejamento e à gestão da infraestrutura nacional de transportes: os fatores de restrição às rodovias federais planejadas Geotecnologias aplicadas ao planejamento e à gestão da infraestrutura nacional de transportes: os fatores de restrição às rodovias federais planejadas Latin America Geospatial Forum 2012 15 a 17 de Agosto,

Leia mais

LOGÍSTICA DE TRANSPORTES DE CARGAS

LOGÍSTICA DE TRANSPORTES DE CARGAS LOGÍSTICA DE TRANSPORTES DE CARGAS Jean Carlos Pejo J C PEJO CONSUTORES ASSOCIADOS S/C LTDA Mapa da Produção de Soja no Brasil Projeção da Produção de Soja no Brasil Safra Produção Exportação 2009/2010

Leia mais

INTERMODAL SOUTH AMERICA CONFERÊNCIA INFRAPORTOS PAINEL PALESTRA VIABILIDADE DAS EXPORTAÇÕES DEPENDE DOS PORTOS

INTERMODAL SOUTH AMERICA CONFERÊNCIA INFRAPORTOS PAINEL PALESTRA VIABILIDADE DAS EXPORTAÇÕES DEPENDE DOS PORTOS INTERMODAL SOUTH AMERICA CONFERÊNCIA INFRAPORTOS PAINEL PERSPECTIVAS E INVESTIMENTOS NO SETOR PALESTRA VIABILIDADE DAS EXPORTAÇÕES DEPENDE DOS PORTOS JOSÉ AUGUSTO DE CASTRO São Paulo, 02 de abril de 2013

Leia mais

Programa de Aceleração do Crescimento em Rondônia

Programa de Aceleração do Crescimento em Rondônia 1 CAPÍTULO Programa de Aceleração do Crescimento em Rondônia Criado em 2007 pelo Governo Federal, o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) promoveu a retomada do planejamento e da execução de grandes

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DO 4G. Rio de Janeiro, 13 de maio de 2014 CARLOS DUPRAT

IMPLANTAÇÃO DO 4G. Rio de Janeiro, 13 de maio de 2014 CARLOS DUPRAT IMPLANTAÇÃO DO 4G Rio de Janeiro, 13 de maio de 2014 CARLOS DUPRAT sumário números do setor demanda por infraestrutura investimentos do setor dificuldades para ampliação da infraestrutura faixa de 700

Leia mais

Luciano Coutinho Presidente

Luciano Coutinho Presidente O papel do BNDES no desenvolvimento brasileiro nos próximos anos ANEFAC São Paulo, 30 de julho de 2012 Luciano Coutinho Presidente Papel dos Bancos de Desenvolvimento no mundo Apoiar e financiar o desenvolvimento

Leia mais

EIXO TRANSPORTES. garantindo maior integração da malha brasileira de Transportes.

EIXO TRANSPORTES. garantindo maior integração da malha brasileira de Transportes. EIXO TRANSPORTES Para integrar as diferentes regiões do Brasil, eliminar gargalos logísticos e garantir que a produção nacional tenha custos mais baixos para os mercados interno e externo, o PAC 2 realiza

Leia mais

INFRAESTRUTURA E CONECTIVIDADE: A IMPORTÂNCIA PARA A GESTÃO EFICIENTE DAS CIDADES

INFRAESTRUTURA E CONECTIVIDADE: A IMPORTÂNCIA PARA A GESTÃO EFICIENTE DAS CIDADES INFRAESTRUTURA E CONECTIVIDADE: A IMPORTÂNCIA PARA A GESTÃO EFICIENTE DAS CIDADES FÓRUM DE INFRAESTRUTURA E CONECTIVIDADE PARA SMART CITIES PORTO ALEGRE 29 DE MARÇO DE 2017 RICARDO DIECKMANN 1 Quem somos

Leia mais

Problema Atual da Estrutura de Nossas Exportações: Caminhos de Saída

Problema Atual da Estrutura de Nossas Exportações: Caminhos de Saída ESTUDOS E PESQUISAS Nº 396 Problema Atual da Estrutura de Nossas Exportações: Caminhos de Saída José Augusto de Castro * XXIII Fórum Nacional Visão de Brasil Desenvolvido para Participar da Competição

Leia mais

Mapa do Desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro. Guilherme Mercês

Mapa do Desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro. Guilherme Mercês Mapa do Desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro Guilherme Mercês 27 de Setembro de 2016 Contas Públicas Variáveis estruturais estão na base da crise fiscal do estado do Rio de Janeiro e do Brasil.

Leia mais

Antonio Delfim Netto

Antonio Delfim Netto ABRAPP 35 o Congresso Brasileiro dos Fundos de Pensão Investimento, Financiamento e Crescimento Antonio Delfim Netto 12 de novembro de 2014 São Paulo, SP 1 I. Revolução Demográfica 1) Efeitos do envelhecimento

Leia mais

MALHA DE METRÔS E TRENS DE PASSAGEIROS PRECISA CRESCER 80%

MALHA DE METRÔS E TRENS DE PASSAGEIROS PRECISA CRESCER 80% MALHA DE METRÔS E TRENS PRECISA CRESCER 80% O Brasil precisa ampliar em pelo menos 850 km a malha de metrôs e trens de passageiros para modernizar o transporte urbano nas grandes cidades. Isso significa

Leia mais

Aspectos Legais das Concessões/PPPs Reconstrução da Confiança

Aspectos Legais das Concessões/PPPs Reconstrução da Confiança Aspectos Legais das Concessões/PPPs Reconstrução da Confiança Massami Uyeda Junior Jun./2017 1. A volta aos anos 90 uma breve história da evolução das concessões 2. A necessária estabilidade regulatória:

Leia mais

TELECOMUNICAÇÕES NO BRASIL

TELECOMUNICAÇÕES NO BRASIL TELECOMUNICAÇÕES NO BRASIL AUDIÊNCIA PÚBLICA NA CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA CARLOS DUPRAT BRASÍLIA, 05 DE MAIO DE 2015 1. O crescimento da demanda 2.

Leia mais

Perspectivas de Negócios em Infraestrutura. novembro 2013

Perspectivas de Negócios em Infraestrutura. novembro 2013 Perspectivas de Negócios em Infraestrutura novembro 2013 Brasil no Mundo Globalizado - Importação e exportação manufaturas, commodities e serviços; - Crescimento da economia e aumento do consumo nos países

Leia mais

Desafios de Infraestrutura: Setor de Telecomunicações no Brasil

Desafios de Infraestrutura: Setor de Telecomunicações no Brasil Desafios de Infraestrutura: Setor de Telecomunicações no Brasil Audiência Pública Comissão de Infraestrutura do Senado Outubro de 2013 Um bom marco legal e regulatório incentiva investimentos Lei Mínima

Leia mais

AGENDA 1. INVESTIMENTOS 2. METAS. 3. AÇÕES Transporte Energia Telecomunicações Saneamento

AGENDA 1. INVESTIMENTOS 2. METAS. 3. AÇÕES Transporte Energia Telecomunicações Saneamento AGENDA 1. INVESTIMENTOS 2. METAS 3. AÇÕES Transporte Energia Telecomunicações Saneamento 4. PILARES para o desenvolvimento Sustentabilidade Gestão Mão de Obra Dimensão da carência de infraestrutura se

Leia mais

VISÕES DE FUTURO mobilidade urbana na Região Metropolitana do Rio de Janeiro

VISÕES DE FUTURO mobilidade urbana na Região Metropolitana do Rio de Janeiro 13/05/2015 VISÕES DE FUTURO mobilidade urbana na Região Metropolitana do Rio de Janeiro Divisão de Competitividade Industrial e Investimentos Gerência de Competitividade Industrial e Investimentos Diretoria

Leia mais

REUNIÃO DE TRABALHO DOS GTE S

REUNIÃO DE TRABALHO DOS GTE S IIRSA REUNIÃO DE TRABALHO DOS GTE S PLANO NACIONAL DE LOGÍSTICA E TRANSPORTES PNLT Santa Cruz de la Sierra Bolívia/2009 Engº Luiz Carlos R. Ribeiro Coordenador Geral de Planejamento Resgate do processo

Leia mais

BRASIL: o fim de um modelo ou um ajuste cíclico? MAIO 2013

BRASIL: o fim de um modelo ou um ajuste cíclico? MAIO 2013 BRASIL: o fim de um modelo ou um ajuste cíclico? MAIO 2013 Novo padrão de consumo Mar 00 Sep 00 Mar 01 Sep 01 Mar 02 Sep 02 Mar 03 Sep 03 Mar 04 Sep 04 Mar 05 Sep 05 Mar 06 Sep 06 Mar 07 Sep 07 Mar 08

Leia mais

POTENCIAL DE PPPs NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

POTENCIAL DE PPPs NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO POTENCIAL DE PPPs NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO RILEY RODRIGUES Conselho Empresarial de Infraestrutura Sistema FIRJAN Principais desafios Os programas precisam ser estruturados, dentro de seus setores, como

Leia mais

A importância da mudança modal para tirar São Paulo da contramão. Autora: Arqta. Melissa Belato Fortes Co-autora: Arqta. Denise H. S.

A importância da mudança modal para tirar São Paulo da contramão. Autora: Arqta. Melissa Belato Fortes Co-autora: Arqta. Denise H. S. A importância da mudança modal para tirar São Paulo da contramão Autora: Arqta. Melissa Belato Fortes Co-autora: Arqta. Denise H. S. Duarte Objeto da pesquisa Relação entre adensamento, multifuncionalidade

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DOS TRENS REGIONAIS. Silvestre Eduardo Rocha Ribeiro Diretor de Planejamento Companhia Paulista Trens Metropolitanos - CPTM

A IMPORTÂNCIA DOS TRENS REGIONAIS. Silvestre Eduardo Rocha Ribeiro Diretor de Planejamento Companhia Paulista Trens Metropolitanos - CPTM A IMPORTÂNCIA DOS TRENS REGIONAIS Silvestre Eduardo Rocha Ribeiro Diretor de Planejamento Companhia Paulista Trens Metropolitanos - CPTM REDE DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS SOBRE TRILHOS NA MACROMETRÓPOLE

Leia mais

DESAFIOS PARA A INSTALAÇÃO DE INFRAESTRUTURA DE TELECOMUNICAÇÕES

DESAFIOS PARA A INSTALAÇÃO DE INFRAESTRUTURA DE TELECOMUNICAÇÕES DESAFIOS PARA A INSTALAÇÃO DE INFRAESTRUTURA DE TELECOMUNICAÇÕES COMISSÃO DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NA CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO SÃO PAULO, 17 DE NOVEMBRO DE 2015 CARLOS DUPRAT AGENDA 1. Números do

Leia mais

TELEFONIA MÓVEL AUDIÊNCIA PÚBLICA CÂMARA LEGISLATIVA DO ESPÍRITO SANTO JOSÉ AMÉRICO LEITE FILHO VITÓRIA, 05 DE MARÇO DE 2013

TELEFONIA MÓVEL AUDIÊNCIA PÚBLICA CÂMARA LEGISLATIVA DO ESPÍRITO SANTO JOSÉ AMÉRICO LEITE FILHO VITÓRIA, 05 DE MARÇO DE 2013 TELEFONIA MÓVEL AUDIÊNCIA PÚBLICA CÂMARA LEGISLATIVA DO ESPÍRITO SANTO JOSÉ AMÉRICO LEITE FILHO VITÓRIA, 05 DE MARÇO DE 2013 crescimento do setor de telecomunicações está acelerado R$ 63 milhões de investimentos

Leia mais

MOBILIDADE REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO

MOBILIDADE REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO MOBILIDADE REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO METRÔ LINHA 4 BARRA DA TIJUCA-IPANEMA A Linha 4 do Metrô do Rio de Janeiro é a maior obra de infraestrutura urbana em execução na América Latina. METRÔ

Leia mais

São Paulo 27 DE AGOSTO DE 2009

São Paulo 27 DE AGOSTO DE 2009 São Paulo 27 DE AGOSTO DE 2009 1 São Paulo 27 DE AGOSTO DE 2009 Sistema Integrado Metropolitano SIM e do Veículo Leve sobre Trilhos VLT (Metrô Leve) 2 Secretaria dos Transportes Metropolitanos STM Três

Leia mais

Para mim é sempre uma honra vir ao Congresso Nacional, lugar que frequentei durante alguns anos como senador.

Para mim é sempre uma honra vir ao Congresso Nacional, lugar que frequentei durante alguns anos como senador. DISCURSO DO MINISTRO DOS TRANSPORTES, ANTONIO CARLOS RODRIGUES, NA COMISSÃO GERAL DA CÂMARA DOS DEPUTADOS, EM 13 DE AGOSTO DE 2015 Senhor presidente. Senhoras e senhores. Bom dia. Para mim é sempre uma

Leia mais

São Paulo, setembro de 2010

São Paulo, setembro de 2010 16ª SEMANA DE TECNOLOGIA METRO-FERROVIÁRIA ASSOCIAÇÃO DOS ENGENHEIROS E ARQUITETOS DE METRÔ AEAMESP. SOLUÇÕES DE TRANSPORTE MAIS ADEQUADAS PARA AS CIDADES O BNDES E OS INVESTIMENTOS NO SETOR DE TRANSPORTES

Leia mais

AS POLÍTICAS PÚBLICAS E ESTRATÉGIAS PARA O DESENVOLVIMENTO DA INTERMODALIDADE EM SÃO PAULO

AS POLÍTICAS PÚBLICAS E ESTRATÉGIAS PARA O DESENVOLVIMENTO DA INTERMODALIDADE EM SÃO PAULO AS POLÍTICAS PÚBLICAS E ESTRATÉGIAS PARA O DESENVOLVIMENTO DA INTERMODALIDADE EM SÃO PAULO Palestrante: MILTON XAVIER Secretaria dos Transportes 28 abr 2006 SECRETARIA DOS TRANSPORTES A demanda de transporte

Leia mais

Fonte: Thinkstock. Vista do bondinho do Pão de Açúcar, com a Enseada de Botafogo e o Cristo Redentor ao fundo

Fonte: Thinkstock. Vista do bondinho do Pão de Açúcar, com a Enseada de Botafogo e o Cristo Redentor ao fundo Fonte: Thinkstock Vista do bondinho do Pão de Açúcar, com a Enseada de Botafogo e o Cristo Redentor ao fundo RIO DE JANEIRO: muito além dos megaeventos, a consolidação da transformação Os megaeventos esportivos

Leia mais

Carga Aérea Crescimento e Estratégias. Por: Marcus Gentil

Carga Aérea Crescimento e Estratégias. Por: Marcus Gentil Carga Aérea Crescimento e Estratégias Por: Marcus Gentil Vídeo de Abertura Agenda Representatividade e Missão Tipos de Cargas e suas Principais Características Participação Comparativa dos Modais Evolução

Leia mais

Como Superar o Desafio do Financiamento dos Projetos de Infraestrutura? Thomaz Assumpção

Como Superar o Desafio do Financiamento dos Projetos de Infraestrutura? Thomaz Assumpção Como Superar o Desafio do Financiamento dos Projetos de Infraestrutura? Thomaz Assumpção A Urban Systems é uma empresa de Inteligência de Mercado e Soluções há 17 anos no mercado. Realizou mais de 700

Leia mais

Cenários Econômicos e Perspectivas Setoriais Maio/2014. Prof. Jersone Tasso Moreira Silva

Cenários Econômicos e Perspectivas Setoriais Maio/2014. Prof. Jersone Tasso Moreira Silva Cenários Econômicos e Perspectivas Setoriais Maio/2014 Prof. Jersone Tasso Moreira Silva Sumário da Apresentação 1 Análise Macroeconômica Nacional 2 3 4 Análise do Investimento Privado Análise de Cenários

Leia mais

Interferências e obstáculos na execução de obras de habitação e saneamento. Yves Besse Vice-presidente do conselho de administração

Interferências e obstáculos na execução de obras de habitação e saneamento. Yves Besse Vice-presidente do conselho de administração Interferências e obstáculos na execução de obras de habitação e saneamento Yves Besse Vice-presidente do conselho de administração Junho 2014 CAB ambiental Dados sobre Obras de saneamento Principais interferências

Leia mais

TREM DE ALTA VELOCIDADE - TAV

TREM DE ALTA VELOCIDADE - TAV Encontro Econômico Brasil - Alemanha 2009 Cooperação para o Crescimento e Emprego Idéias e Resultados TREM DE ALTA VELOCIDADE - TAV Secretaria de Política Nacional de Transportes / MT - Engº Marcelo Perrupato

Leia mais

PLANO NACIONAL DE BANDA LARGA (PNBL)

PLANO NACIONAL DE BANDA LARGA (PNBL) Diretoria Comercial PLANO NACIONAL DE BANDA LARGA (PNBL) O Programa Nacional de Banda Larga Brasil Conectado foi criado pelo Governo Federal para ampliar o acesso à internet em banda larga no país. I -

Leia mais

REUNIÃO DO CONSELHO GESTOR CUIABÁ

REUNIÃO DO CONSELHO GESTOR CUIABÁ REUNIÃO DO CONSELHO GESTOR CUIABÁ 12-11-2015 PAUTA 09:00 Abertura Situação das obras federais ; PIL - Programa de Investimento em Logística Plano de ação das Frentes Parlamentares FPA e FRENLOG; CTLOG

Leia mais

NOVO MARCO LEGAL DAS TELECOMUNICAÇÕES

NOVO MARCO LEGAL DAS TELECOMUNICAÇÕES NOVO MARCO LEGAL DAS TELECOMUNICAÇÕES SÃO PAULO, 21 DE JULHO DE 2017 FIESP LGT 20 ANOS EDUARDO LEVY A Federação Brasileira de Telecomunicações é composta por 8 sindicatos, representando toda a cadeia dos

Leia mais

O papel da CAIXA na Estruturação e Modelagem de Parcerias Público Privadas. Roberto Derziê de Sant Anna Vice-Presidente de Governo

O papel da CAIXA na Estruturação e Modelagem de Parcerias Público Privadas. Roberto Derziê de Sant Anna Vice-Presidente de Governo E O papel da CAIXA na Estruturação e Modelagem de Parcerias Público Privadas Roberto Derziê de Sant Anna Vice-Presidente de Governo Cenário atual das Concessões e PPP no Brasil 101 Contratos de PPP assinados

Leia mais

Ciclo de Seminários para o Enem: Mobilidade Urbana e Nacional

Ciclo de Seminários para o Enem: Mobilidade Urbana e Nacional Ciclo de Seminários para o Enem: Mobilidade Urbana e Nacional Diamantina, Outubro de 2016 Mobilidade Urbana 2 Histórico Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri UFVJM 1 Republica (1989

Leia mais

LEI GERAL DAS ANTENAS:

LEI GERAL DAS ANTENAS: LEI GERAL DAS ANTENAS: O IMPACTO NAS CIDADES RIO DE JANEIRO, 3 E 4 DE JUNHO DE 2013 CARLOS DUPRAT crescimento do setor de telecomunicações está acelerado 8% 10% telefonia móvel banda larga fixa 27% 60%

Leia mais

CONTEXTO DA ECONOMIA E SEUS REFLEXOS NA AMÉRICA LATINA

CONTEXTO DA ECONOMIA E SEUS REFLEXOS NA AMÉRICA LATINA CONTEXTO DA ECONOMIA E SEUS REFLEXOS NA AMÉRICA LATINA AMÉRICA LATINA AMÉRICA LATINA Quatro desafios da economia da América Latina em 2015 Crescimento moderado da economia global; Queda do preço das comodities

Leia mais

AVANÇOS E DESAFIOS AO SETOR PORTUÁRIO BRASILEIRO. DANIEL MACIEL Secretário de Infraestrutura Portuária

AVANÇOS E DESAFIOS AO SETOR PORTUÁRIO BRASILEIRO. DANIEL MACIEL Secretário de Infraestrutura Portuária AVANÇOS E DESAFIOS AO SETOR PORTUÁRIO BRASILEIRO DANIEL MACIEL Secretário de Infraestrutura Portuária 1 Lei N. 13.341/2016 Ministério definido pela Lei N. 13.341/2016, que ampliou as competências da Pasta,

Leia mais

Apoio ao Setor de Bens de Capital

Apoio ao Setor de Bens de Capital Apoio ao Setor de Bens de Capital Luciano Velasco Andrea Varela Fuchsloch Departamento de Bens de Capital - DEBK Rio de Janeiro 17 de Novembro de 2015 Prioridades BNDES Infraestrutura logística e energética

Leia mais