AVISOS AOS NAVEGANTES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AVISOS AOS NAVEGANTES"

Transcrição

1 DH22 ISSN NENHUM AVISO DIRETORIA DE HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO CENTRO DE HIDROGRAFIA DA MARINHA Rua Barão de Jaceguay s/nº - Ponta da Armação Niterói, RJ, Brasil Tel/Fax: 0XX / Internet: Nº DE JANEIRO AVISOS AOS NAVEGANTES HIDROVIA PARAGUAI-PARANÁ DE ASSUNÇÃO A CÁCERES E CANAL TAMENGO PUBLICAÇÃO MENSAL ELABORADA PELO CENTRO DE HIDROGRAFIA DA MARINHA (VENDA PROIBIDA) S U M Á R I O I - INFORMAÇÕES GERAIS II - AVISOS-RÁDIO NÁUTICOS III - CORREÇÕES ÀS CARTAS NÁUTICAS IV - CORREÇÕES ÀS PUBLICAÇÕES NÁUTICAS IV.1 - LISTA DE SINAIS IV.2 - ROTEIRO IV.3 - OUTRAS PUBLICAÇÕES V - AVISOS PERMANENTES ESPECIAIS VI - NOTÍCIAS DIVERSAS VII - REPRODUÇÕES DE TRECHOS, NOTAS E QUADROS

2 SEÇÃO I - INFORMAÇÕES GERAIS A publicação Avisos aos Navegantes (Hidrovia Paraguai-Paraná) é um folheto mensal elaborado pelo Centro de Hidrografia da Marinha (CHM), sob delegação da Diretoria de Hidrografia e Navegação (DHN), com o propósito principal de fornecer aos navegantes e usuários em geral, informações destinadas à atualização das cartas e publicações náuticas brasileiras da hidrovia, em cumprimento à Regra V/9 da SOLAS. Adicionalmente, são apresentados alguns dos Avisos-rádio Náuticos em vigor, bem como outras informações gerais importantes aos navegantes. O Folheto compreende as seguintes seções: 1 ESTRUTURA DO FOLHETO Seção I Informações Gerais: descreve a estrutura do Folheto, apresenta informações sobre a classificação, definição, numeração dos Avisos, a divulgação do Folheto de Avisos aos Navegantes e das Informações de Segurança Marítima, bem como recomendações e advertências relevantes aos navegantes. Seção II Avisos-Rádio Náuticos: apresenta os Avisos-Rádio Náuticos que, na data de edição do Folheto, estão em vigor. Não constam do Folheto, os Avisos-rádio Náuticos relativos a interdição de área fluvial, realização de reboques, ocorrência de derrelitos, regatas, movimentação de navios engajados em levantamentos fluviais e outros eventos de curta duração e Avisos SAR (busca e salvamento). Tais avisos-rádios são divulgados via rádio e podem ser solicitados ao Serviço de Sinalização Náutica do Oeste, situado à rua 14 de Março S/Nº - Centro - Ladário - Mato Grosso do Sul Telefone: (67) Seção III Correções às Cartas Náuticas: apresenta os Avisos Temporários, Preliminares e Permanentes, com vistas à atualização das cartas náuticas. Os Avisos Temporários, Preliminares e Permanentes são sempre apresentados em inteiro teor. Seção IV Correções às Publicações Náuticas: apresenta as informações destinadas à correção da Lista de Sinais, Roteiro da Hidrovia e outras publicações náuticas, por meio das subseções IV.1, IV.2 e IV.3, respectivamente. Seção V Avisos Permanentes Especiais: apresenta os Avisos Permanentes Especiais que entraram em vigor no mês. Anualmente no Folheto nº 1 são publicados todos os Avisos Permanentes Especiais em vigor. Seção VI Notícias Diversas : apresenta informações sobre a produção de cartas e publicações náuticas, notas aos usuários e a relação dos agentes e postos de vendas de cartas e publicações. 2 CLASSIFICAÇÕES E DEFINIÇÕES DOS AVISOS Em função do propósito a que se destinam, os Avisos são classificados como Avisos-rádio Náuticos, Avisos Temporários (T), Avisos Preliminares (P), Avisos Permanentes e Avisos Permanentes Especiais (APE). a - Avisos-rádio Náuticos os Avisos-rádio da hidrovia enquadram-se no conceito de Avisos Locais, posto que fornecem informações de interesse restrito à navegação praticada na hidrovia. Destinam-se a prover informações urgentes de interesse à navegação segura. Devido à urgência que se deseja com que cheguem aos navegantes, têm como método de disseminação principal as transmissões via rádio. b - Avisos Temporários, Preliminares e Permanentes - destinam-se a prover informações de correções para as cartas náuticas. b.1 - Avisos Temporários provêem informações de correções de caráter transitório. As correções decorrentes destes avisos devem ser feitas a lápis. b.2 - Avisos Preliminares antecipam informações de correções, que, posteriormente, serão objeto de Avisos Permanentes. As correções decorrentes destes avisos devem ser feitas a lápis. b.3 - Avisos Permanentes provêem informações de correções definitivas. As correções decorrentes destes avisos devem ser feitas a caneta ou por inserção de reproduções de trechos, notas e quadros, conforme o caso. Após a realização da correção, o campo de "Pequenas Correções" (canto inferior esquerdo da carta) deve ser preenchido com o número do Aviso Permanente correspondente. c - Avisos Permanentes Especiais embora não impliquem em correções às cartas náuticas, destinam-se a prover informações gerais de caráter permanente, importantes aos navegantes. 3 NUMERAÇÃO DOS AVISOS DA HIDROVIA Os Avisos-rádio Náuticos são identificados pela sigla HI seguida de numeração seqüencial única de quatro dígitos. Os Avisos Temporários, Preliminares e Permanentes são identificados pela sigla HI seguida de numeração seqüencial anual única (a partir de 1), da letra indicativa do tipo de aviso (no caso dos avisos Temporários e Preliminares), e do ano de entrada em vigor. Exemplos: HI 2 (T)/01(Aviso Temporário, do ano de 2001) HI 3(P)/02 (Aviso Preliminar, do ano de 2002 ) Os Avisos Permanentes Especiais são identificados pela sigla APE-HI seguida de numeração seqüencial anual (a partir de 1) e do ano de entrada em vigor do aviso. Exemplo: APE-HI 5/99 (Aviso Permanente Especial, do ano de 1999). 2

3 SEÇÃO I (Cont.) 4 DIVULGAÇÃO DO FOLHETO DE AVISOS AOS NAVEGANTES As informações sobre a Hidrovia Paraguai-Paraná são, exclusivamente, divulgadas por meio do Folheto de Avisos aos Navegantes (Hidrovia Paraguai-Paraná), de periodicidade mensal, disponível para distribuição gratuita na Capitania Fluvial do Pantanal, rua Delamare nº Corumbá - MS; na Agência Fluvial de Cáceres, rua Professor Rizzo nº 1, Centro, Cáceres, MT; na Agência Fluvial de Porto Murtinho, rua Cel. Pedro Celestino nº 1011, Porto Murtinho, MS, no Serviço de Sinalização Náutica do Oeste - SSN-6, rua 14 de Março s/nº, Ladário, MS e na INTERNET, no endereço 5 DIVULGAÇÃO DE AVISOS-RÁDIO NÁUTICOS E SAR Os Avisos-rádio Náuticos e SAR são, normalmente, divulgados em apenas 3 transmissões consecutivas via rádio (HF), mesmo que permaneçam em vigor após isto (alguns avisos, contudo, por tratarem de eventos que representem grande risco à navegação, como novos perigos e alterações críticas de balizamento, são divulgados diariamente até serem cancelados). Caso ainda continuem em vigor após decorridas 6 semanas, passam a constar apenas do Folheto de Avisos aos Navegantes da Hidrovia, deixando, definitivamente, de serem divulgados via rádio. Os navegantes que necessitarem receber quaisquer Avisos-rádio Náuticos ou SAR fora dos horários normais de transmissão devem solicitar suas irradiações à Estação Rádio da Marinha do Rio de Janeiro, constante do Apêndice V-2 da publicação Lista de Auxílios-Rádio. As freqüências de chamada serão as mesmas utilizadas para recepção dos Avisos-rádio Náuticos, conforme a tabela abaixo: TRANSMISSÕES VIA RÁDIO (FAIXA DE HF) ESTAÇÃO RÁDIO MARINHA DO RIO DE JANEIRO SERVIÇO HORÁRIOS CANAIS FREQÜÊNCIAS CONTEÚDO (DIÁRIO) (*) AVISOS-RÁDIO Z RI 4.266,0 Khz (a pedido Avisos-rádio Locais NÁUTICOS E SAR Z RD do navegante) (Português), exceto Z RI 6.448,0 KHz aqueles que já 8.580,0 KHz constam nos Folhetos ,0 KHz de Avisos aos ,0 KHz Navegantes 6 RECOMENDAÇÕES E ADVERTÊNCIAS a) Alguns Avisos-rádio Náuticos podem decorrer de informações incompletas, imprecisas, ou mesmo não confirmadas, devendo os navegantes levar isto em conta quando decidirem o grau de confiança que atribuirão à informação divulgada. b) Os Avisos Temporários serão automaticamente cancelados a partir da data de término especificada em seus textos. c) Publicações Náuticas Para navegação nas águas da hidrovia sob jurisdição brasileira, recomenda-se o uso exclusivo das publicações náuticas editadas pela Marinha do Brasil, ou por ela homologadas, a serem mantidas atualizadas e disponíveis para uso a bordo. Para a atualização das publicações, os navegantes devem acompanhar, sistematicamente, as correções e informações disponibilizadas nas Seções IV e VI do Folheto de Avisos aos Navegantes da Hidrovia Paraguai-Paraná. As seguintes publicações devem ser utilizadas em complemento às cartas náuticas: Lista de Sinais (Hidrovia Paraguai-Paraná Parte II) destinam-se a fornecer informações detalhadas sobre os sinais luminosos (faróis, faroletes e bóias luminosas) e cegos (bóias cegas e balizas). Roteiro (Hidrovia Paraguai-Paraná Parte II) destinam-se a fornecer informações gerais de interesse à navegação, tais como descrições da costa, informações sobre demanda dos portos e fundeadouros, perigos, profundidades em barras e canais, informações meteorológicas, recursos de portos, estações de sinais visuais de toda natureza. É enfaticamente recomendada a leitura do Capítulo 1 (INFORMAÇÕES GERAIS) do Roteiro. Carta (INT 1) (editada pela DHN) destina-se a descrever os símbolos e as abreviaturas utilizadas nas cartas náuticas. Regulamento Internacional para Evitar Abalroamentos no Mar RIPEAM 72 (Editada pela DPC) destina-se a normatizar os sinais sonoros e visuais, a serem exibidos pelas embarcações, bem como as diversas regras de governo a serem adotadas pelos navegantes. d) Cartas Náuticas Para navegação nas águas da hidrovia sob jurisdição brasileira, recomenda-se o uso exclusivo das cartas náuticas e croquis de navegação editados pela DHN ou por ela homologados, a serem mantidas atualizadas e disponíveis para uso a bordo. Para a atualização das cartas náuticas e croquis de navegação, os navegantes devem acompanhar, sistematicamente, as correções e informações disponibilizadas nas Seções III e VI do Folheto de Avisos aos Navegantes (Hidrovia Paraguai-Paraná). As coordenadas para inserção de Notas e Quadros referem-se ao canto inferior esquerdo da nota ou do quadro, conforme o exemplo gráfico abaixo. NOTA DE PRECAUÇÃO Posição de inserção > O 3

4 SEÇÃO I (Cont.) O navegante deve ter atenção para a existência de cartas contíguas e/ou do mesmo trecho com "datums" diferentes. Em face disto, quando da mudança de carta, recomenda-se que a plotagem da posição a ser transferida seja feita com base em referência (marcação/distância) a pontos notáveis em terra. A informação sobre o "datum" das cartas, quando disponível, consta abaixo do título das mesmas. e) Referência das Informações As marcações referentes a setores de visibilidade de faróis, direções de luzes de alinhamento, de objetos conspícuos e de direções indicadoras de perigos são verdadeiras, de 000º a 360º, tomadas ao largo, no sentido do movimento dos ponteiros do relógio. Quando, nas descrições de perigos, suas posições forem informadas por uma distância e uma marcação, estas serão dadas a partir do ponto estabelecido como referência. As posições geográficas são expressas em graus, minutos e centésimos de minutos e referem-se, salvo indicação em contrário, à carta de maior escala. Os horários referem-se, salvo indicação em contrário, à Hora Média de Greenwich (HMG). As profundidades são referidas ao nível de redução da carta. As altitudes são dadas em metros e referidas ao nível médio do rio. f) Canalizações e cabos submarinos Recomenda-se evitar fundear e pescar nas áreas onde haja indicação nas cartas náuticas de existência de canalizações e cabos submarinos. g) Os navegantes não devem utilizar as bóias como referências confiáveis para a determinação da posição de suas embarcações. h) Os navegantes devem ter atenção à existência de navios e embarcações envolvidos em levantamentos hidroceanográficos, sinalizados conforme estabelecido no RIPEAM. Tais embarcações possuem restrições de manobra. 7 - COLABORAÇÃO DOS NAVEGANTES OU USUÁRIOS A Diretoria de Hidrografia e Navegação (DHN) solicita aos navegantes: a) Que, ao constatarem quaisquer irregularidades que possam afetar a segurança da navegação, informem à Capitania dos Portos, Delegacia ou Agência e ao Serviço de Sinalização Náutica do Oeste e encaminhem, posteriormente, a Folha de Informações de Irregularidades (conforme modelo existente na parte final deste Folheto) ao Centro de Hidrografia da Marinha por FAX (21) , ou pelo correio (CHM - Divisão de Informações de Segurança da Navegação, Rua Barão do Jaceguay, S/N, Ponta da Areia, CEP , Niterói RJ) ou às Capitanias dos Portos (ou suas Delegacias e Agências) mais próximas; b) Que, ao constatarem quaisquer omissões ou inexatidões nas cartas ou publicações náuticas da DHN, encaminhem a Folha de Correções a Cartas e Publicações Náuticas (conforme modelo existente na parte final deste Folheto) ao Centro de Hidrografia da Marinha por FAX (21) , ou pelo correio (CHM - Divisão de Informações de Segurança da Navegação, Rua Barão do Jaceguay, S/N, Ponta da Areia, CEP , Niterói RJ) ou às Capitanias dos Portos (ou suas Delegacias e Agências) mais próximas. 4

5 SEÇÃO II - AVISOS-RÁDIO Atualizados até o dia 31 de janeiro de 2008 HI 0029/99 CARTA MARGEM ESQUERDA - PROXIMIDADES DA EMPRESA DE NAVEGAÇÃO CINCO/BACIA S/A - EXISTÊNCIA DE BÓIAS PARA AMARRAÇÃO NA POSIÇÃO 18º S 57º W, ENTRE OS KMS 1516,0 E 1516,5 - OS NAVEGANTES DEVEM TER ATENÇÃO E CAUTELA AO DEMANDAREM O LOCAL. HI 0017/00 CROQUI Nº CORUMBÁ A CÁCERES - PROXIMIDADES DO TERMINAL PORTUÁRIO DE CÁCERES (KM 2200) - MANOBRAS COM EMPURRADORES E CHATAS NA ÁREA DO TERMINAL E EXISTÊNCIA DE CHATAS ABARRANCADAS A JUSANTE DA PONTE MARECHAL RONDON. RECOMENDA-SE CAUTELA AOS NAVEGANTES QUE DEMANDAREM O LOCAL. HI 0043/01 CROQUI CORUMBÁ A CÁCERES - PROXIMIDADES DO PASSO JAURU - KM 2110,6 - MARGEM ESQUERDA - EXISTÊNCIA DE CASCO SOÇOBRADO, FORA DO CANAL DE NAVEGAÇÃO, OFERECENDO PERIGO AS EMBARCAÇÕES DE PEQUENO PORTE. RECOMENDA-SE ATENÇÃO E CAUTELA AOS NAVEGANTES QUE DEMANDAREM O LOCAL. HI 0009/04 PRÓXIMO A MORRINHOS - CARTA 3232B - PONTE RODOVIÁRIA - DIMENSÃO MÁXIMA DE COMBOIO NA ÁREA DE MORRINHOS, KM 1405 DO RIO PARAGUAI, OS COMBOIOS DEVERÃO SER DESMEMBRADOS E SÓ PODERÃO TRAFEGAR SOB A PONTE RODOVIÁRIA COM NO MÁXIMO 4 BARCAÇAS. TAIS COMBOIOS DEVERÃO TER AS SEGUINTES DIMENSÕES MÁXIMAS, 160 METROS DE COMPRIMENTO (INCLUINDO O EMPURRADOR) E 25 METROS DE BOCA. HI 0002/06 CORUMBÁ A CÁCERES E CANAL TAMENGO - CARTA 3230 E CROQUI 01 - DIMENSÕES MÁXIMAS DE COMBOIO - DIMENSÕES MÁXIMAS NOS TRECHOS COMPREENDIDOS ENTRE O FAROLETE BALDUINO/KM 1521 DO RIO PARAGUAI E ENTRE O SISTEMA DE CAPTAÇÃO DE ÁGUA DA CIDADE DE CORUMBÁ/PARQUE MARINA GATTAS NO CANAL DO TAMENGO, QUANDO A RÉGUA DE LADÁRIO INDICAR NÍVEL DE ÁGUA IGUAL OU SUPERIOR A 1,50 METROS: A) COMBOIO COM DIMENSÃO MÁXIMA DE 25 METROS DE LARGURA E 170 METROS DE COMPRIMENTO (INCLUINDO O EMPURRADOR PRINCIPAL E O EMPURRADOR AUXILIAR NA PROA DO COMBOIO), QUE EQUIVALE A UM COMBOIO COM QUATRO BARCAÇAS NA COMPOSIÇÃO 2X2+1, DESDE QUE O EMPURRADOR PRINCIPAL TENHA NO MÍNIMO DOIS EIXOS COM POTÊNCIA TOTAL INSTALADA IGUAL OU SUPERIOR A 900HP, E O EMPURRADOR AUXILIAR TENHA NO MÍNIMO 200HP DE POTÊNCIA, O EMPURRADOR AUXILIAR DEVERÁ TER SEU SISTEMA DE CONTROLE DA PROPULSÃO DIRETAMENTE ACIONADO E CONTROLADO DO PASSADIÇO DO EMPURRADOR PRINCIPAL, ESTA FORMAÇÃO DE COMBOIO NÃO ESTÁ AUTORIZADA A TRAFEGAR NO PERÍODO NOTURNO E SOB BAIXA VISIBILIDADE; B) COMBOIO COM DIMENSÃO MÁXIMA DE 25 METROS DE LARGURA E 100 METROS DE COMPRIMENTO (INCLUINDO O EMPURRADOR), QUE EQUIVALE A UM COMBOIO COM DUAS BARCAÇAS (LADO A LADO) NA COMPOSIÇÃO 2X1+1, PARA OS COMBOIOS QUE ATENDEM OS REQUISITOS ESTABELECIDOS (ITEM A) OS EMPURRADORES DESSES COMBOIOS TÊM QUE POSSUIR, NO MÍNIMO, DOIS EIXOS COM POTÊNCIA TOTAL INSTALADA IGUAL OU SUPERIOR A 500 HP; E C) COMBOIO COM DIMENSÃO DE 12 METROS DE LARGURA E 90 METROS DE COMPRIMENTO (INCLUINDO EMPURRADOR) QUE EQUIVALE A UM COMBOIO COM SOMENTE UMA BARCAÇA PARA OS COMBOIOS QUE NÃO ATENDAM OS REQUISITOS ACIMA ESTABELECIDOS (ITENS A E B). NESSE CASO OS EMPURRADORES SÓ POSSUEM UM EIXO. HI 0099/06 ILHA DE SANTANA AO SALADEIRO OTÍLIA - CARTA Nº 3231B - PRECAUÇÃO DE SEGURANÇA - DESDE O DIA 13ABR2006, NAS PROXIMIDADES DO KM 1470, MARGEM DIREITA DO RIO PARAGUAI, NAS PROXIMIDADES DA VOLTA MIGUEL HENRIQUE, ENCONTRA-SE A BARCAÇA SILO 28, BANDEIRA PARAGUAIA, COMPLETAMENTE AFUNDADA; PROFUNDIDADE DO LOCAL 42 PÉS, (REFERENCIADA AS RÉGUAS FLUVIOMÉTRICAS NO REFERIDO DIA; LADÁRIO 3.28M, FORTE DE COIMBRA 2,28M). COORDENADAS GEOGRÁFICAS: LAT 19º 07` 17"S E LONG 057º 19`16" W, NÃO APRESENTANDO COMPROMETIMENTO DO ESPAÇO AQUAVIÁRIO PARA NAVEGAÇÃO, E A EMBARCAÇÃO POSSUI AS SEGUINTES CARACTERÍSTICAS: COMPRIMENTO: 59,44 METROS, LARGURA: 10,67 METROS, PONTAL: 3,26 METROS. RECOMENDA-SE AOS NAVEGANTE ATENÇÃO REDOBRADA, NO REFERIDO TRECHO DO RIO, EM ESPECIAL ÀS EMBARCAÇÕES, QUE COSTUMAM NAVEGAR PRÓXIMO ÀS MARGENS, COMO VOADEIRAS E EMBARCAÇÕES DE PASSAGEIROS, PARA ADOTAR TODAS AS PRECAUÇÕES NECESSÁRIAS À GARANTIA DA SEGURANÇA DA NAVEGAÇÃO. HI 0013/07 PRECAUÇÃO DE SEGURANÇA CARTAS 3230, 3231, 3232B E CROQUI 01. RECOMENDA-SE ATENÇÃO AOS NAVEGANTES AO PASSAREM COM SUAS EMBARCAÇÕES E, EM ESPECIAL AOS COMANDANTES DE COMBOIO, NO QUE SE REFERE À OBRIGATORIEDADE DO REBATIMENTO DOS MASTROS DAS EMBARCAÇÕES QUE POSSUÍREM MAIS DE 15 METROS DE ALTURA, DURANTE A PASSAGEM NOS SEGUINTES TRECHOS DO RIO PARAGUAI: A) SOB A PONTE FERROVIÁRIA EURICO GASPAR DUTRA, KM 1390,1; B) SOB A PONTE RODOVIÁRIO, NA LOCALIDADE DE MORRINHO KM 1404,9; C) SOB A LINHA DE TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA NA ÁREA DO RABICHO KM 1500,0; E D) SOB A PONTE DE CAPTAÇÃO DE ÁGUA DE CORUMBÁ. HI 0078/07 RELAÇÃO ATUALIZADA DOS SINAIS EXISTENTES NO TRECHO CORUMBÁ A FOZ DO RIO APÁ: NOME DO SINAL NRORD MAR KM (novo) KM (velho) CARTA SIMB LAT LONG BZ APA INF. BR 0001 D 932,4 932,4 3239B X/O 22 05' "S ' "W BZ APA SUP. BR 0005 E 933,4 933, B O/X 22 04' "S ' "W FTE ILHA DA REPUBLICA BR 0010 E 935,3 0935, B H/O S W 5

6 SEÇÃO II (Cont.) NOME DO SINAL NRORD MAR KM (novo) KM (velho) CARTA SIMB LAT LONG BZ ILH A DA REPUBLICA INF ASD 28 D 937,1 937, B H/H 22 03' " S ' " W BZ ILHA DA REPUBLICA SUP ASD 27 D 939,4 940, B H/H 22 02' " S ' " W BZ SASTRE SUP. BR 0025 E 941,1 941, A/B O/O 22 01' " S ' " W BZ PANTANAL INF. BR 0030 E 944,4 945, A/B X/O 22 00' "S ' "W BZ PANTANAL SUP. BR 0035 D 946,6 947,0 3239A H/H S W BZ BAIA GRANDE SUP. BR 0040 D 948,3 950,2 3239A O/H S W BZ CANCHA ESTRELA BR 0045 D 950,5 953,2 3239A X/O 21 57' "S ' "W BZ ESTRELA BR 0050 E 952,3 953,9 3239A O/X 21 56' "S ' "W BZ RIACHO GUAICURUS BR 0055 E 955,0 956,0 3239A X/O 21 55' "S ' "W BZ ESTIRÃO SAN ALBERTO BR 0060 D 955,6 956,3 3239A O/X S W BZ PORTO SAN ALBERTO BR 0065 D 957,1 957,6 3239A H/O S W BZ LIBERAL INF. BR 0070 D 959,4 960,3 3239A X/H S W BZ LIBERAL SUP. BR 0075 E 960,1 961,0 3239A H/O S W BZ VOLTA GUAICURUS BR 0080 E 962,6 962,8 3239A X/O S W BZ RIACHO SAN ALBERTO INF. BR 0085 D 963,2 964,0 3239A X/X S W BZ RIACHO SAN ALBERTO SUP. BR 0090 E 964,7 965,5 3239A O/X S W BZ SIRENITA INF. BR 0095 E 967,3 967,8 3239A H/O S W BZ SIRENITA SUP. BR 0100 D 969,3 969,8 3239A H/H S W BZ VOLTA CERRITO BR 0105 E 969,8 970,2 3239A O/H S W BZ TERTULIANO BR 0110 E 974,3 975,3 3239A H/O S W BZ SANTA MARIA BR 0115 D 976,8 978,2 3238B H/H S W BZ FLÔRES BR 0120 E 980,8 981,9 3238B X/H S W BZ VOLTA FLÔRES BR 0125 D 981,2 982,3 3238B H/O 21 46' "S ' "W BZ PALMA CHICA INF. BR 0130 D 985,6 986,9 3238B X/O 21 44' "S ' "W BZ PALMA CHICA SUP. BR 0135 E 986,6 987,4 3238B O/H S ' " W BZ SALADEIRO CUE ASD-18 E 992,1 994, B H/O 21 42' " S ' " W BZ MURTINHO BR 0140 E 994,1 995,0 3238B H/H 21 41' "S ' "W BZ CAPTAÇÃO DE ÁGUA PORTO MURTINHO ASD 26 ==== 995,0 995, B PI 21 41' " S ' " W BZ MARGARITA INF. BR 0145 BIRF. 995,7 995,1 3238B Y 21 41' "S ' "W BZ MARGARITA PONTA INF ASD-17 E 995,9 995, B O/H 21 41' " S ' " W BZ BAIA DA CRIMINOSA BR 0155 D 997,9 998,1 3238B H/H 21 40' " S ' " W BZ MARGARITA PONTA SUP ASD-16 E 997,9 998, B H/O 21 40' " S ' " W BZ ILHA MARGARITA ASD-21 BIRF. 998,2 998, B Y 21 40' " S ' " W BZ PORTO PERA LTA BR 0165 D 999,7 999,9 3238B O/H 21 40' " S ' " W BZ BARRANCA PERALTA BR 0170 D 1001,9 1002, B H/O 21 39' " S ' " W BZ MARIA INF. BR 0175 E 1003,6 1004,4 3238B H/H 21 38' " S ' " W BZ ILHA MARIA BR 0185 E 1007,1 1008,0 3238A H/H 21 37' " S ' " W BZ TARUMÃ BR 0190 D 1009,7 1010,2 3238A/B X/H 21 35' " S ' " W FTE TARUMÃ BR 0195 E 1010,8 1011, A O/X 21º S 057º W BZ TIGRE INF. BR 0200 E 1013,5 1014,0 3238A/B X/O 21 34' "S ' "W BZ TIGRE SUP. BR 0205 D 1015,1 1015,4 3238A/B H/X 21 34' "S ' "W BZ CUNATAY BR 0210 D 1018,6 1019,0 3238A O/H 21 33' "S ' "W BZ YATAIBA BR 0215 D 1022,7 1022,9 3238A X/O 21 30' "S ' "W BZ ILHA FLORINDA BR 0220 E 1024,6 1024,4 3238A O/X 21 30' "S ' "W FTE ILHA FLORINDA BR 0225 E 1026,0 1026, A H/O 21 29' "S ' "W FTE FECHO DOS MORROS BR 0230 E 1030,7 1028, A H/H 21 27' "S ' "W BZ ARROIO SALADO BR 0235 D 1032,7 1033,1 3238A H/H 21 26' "S ' "W BZ PÃO DE AÇUCAR INF. BR 0240 E 1034,4 1034,7 3238A X/H 21 25' "S 57 54' "W BZ PÃO DE AÇUCAR SUP. BR 0245 D 1035,7 1035,9 3238A O/H 21 25' "S ' "W BZ PASSO CAMBA NUPÁ BR 0255 D 1042,0 1041,8 3237B X/O 21 22' "S ' "W BZ TERERÉ BR 0260 E 1042,8 1043,1 3237B 3238A H/X 21 21' "S ' "W BZ SÃO FRANCISCO INF. BR 0265 E 1048,8 1048,8 3237B X/H 21 19' " S ' " W BZ ILHA JOSÉ KIRA ASD 11 D 1050,3 1051, B X/H 21 18' "S ' "W BZ JOSÉ KIRA BR 0275 E 1052,6 1052,9 3237B X/X 21 18' "S ' "W BZ SAN ERNESTO BR 0280 D 1054,9 1054,8 3237B H/X 21 18' "S ' "W BZ PORTO GUARANI BR 0285 D 1057,7 1057,5 3237B X/H 21 16' "S ' "W BZ ILHA JACARÉ INF. BR 0290 E 1058,1 1057,9 3237B O/X 21 16' " S ' " W BZ ILHA JACARÉ SUP. BR 0295 E 1059,8 1059,6 3237B X/O 21 16' " S ' " W BZ PASSO DO CABRITO INF. BR 0300 D 1061,4 1061,1 3237B O/X 21 15' " S ' " W BZ PASSO DO CABRITO SUP. BR 0305 D 1062,5 1062,5 3237B X/O 21 15' " S ' " W BZ PORTO DIAMA NTE BR 0310 E 1064,7 1064,6 3237B H/X 21 14' " S ' " W BZ PONTA PARATUDO BR 0315 D 1074,9 1074, A O/H 21 09' " S ' " W FTE SUCURI BR 0320 D 1077,3 1076, A O/O 21 08' " S ' " W BZ ILHA SUCURI ASD-19 D 1078,1 1077, A O/O 21 07' " S ' " W BZ SUCURI BR 0325 D 1080,0 1079, A H/O 21 07' " S ' " W BZ BARRANCO BRA NCO BR 0330 E 1083,1 1082, A O/H 21 05' " S ' " W BZ PASSO OLIMPO INF. BR 0335 E 1085,6 1084, A H/O 21 04' " S ' " W BZ PASSO OLIMPO SUP. BR 0340 D 1087,6 1086, A O/X 21 03' " S ' " W 6

7 SEÇÃO II (Cont.) NOME DO SINAL NRORD MAR KM (novo) KM (velho) CARTA SIMB LAT LONG BZ FUERTE OLIMPO BR 0345 D 1089,5 1088, A X/O 21 02' " S ' " W BZ BARRERO INF. BR 0350 E 1090,4 1090, A X/X 21 02' " S ' " W BZ BARRERO SUP. BR 0355 D 1092,2 1091, A X/X 21 01' " S ' " W BZ PORTO RIO BRA NCO BR 0360 E 1094,9 1094, A H/X 21 00' " S ' " W BZ BATATINHA INF. BR 0365 E 1098,1 1097, A X/H 20 58' " S ' " W BZ BATATINHA SUP. BR 0370 D 1098,7 1097, A H/X 20 58' " S ' " W BZ NABILEQUE INF. ASD 10 E 1101,4 1100,4 3236B O/H 20 57' " S ' " W BZ NABILEQUE BR 0385 E 1103,0 1102, B X/O 20 56' " S ' " W BZ RIACHO BARRERO ASD 09 D 1106,0 1104,0 3236B X/O 20º56 59,74213 S 057º W BZ PASSO CURUÇU CANCHA INF ASD 25 E 1106,3 1108, B O/X 20 56' " S ' " W BZ PASSO CURUÇU CANCHA BR 0405 E 1107,5 1109, B O/O 20 56' " S ' " W FTE CURUÇU CA NCHA BR 0407 E 1109,0 1111, A O/O 20 55' " S ' " W BZ BOGARIM INF. BR 0410 E 1112,3 1114, B X/O 20 54' " S ' " W BZ BOGARIM SUP. BR 0415 D 1113,8 1115, B O/X 20 54' " S ' " W BZ LIDIA INF. BR 0420 D 1115,9 1117, B X/O 20 53' " S ' " W BZ LIDIA SUP. BR 0425 E 1117,6 1118, B X/H 20 53' " S ' " W BZ ILHA DO BRAGA BR 0430 D 1118,7 1120, B O/X 20 52' " S ' " W BZ PORTO BRAGA INF. BR 0435 D 1122,8 1124, B X/O 20 51' " S ' " W BZ PORTO BRAGA SUP. BR 0440 E 1123,8 1125, B O/X 20 51' " S ' " W BZ SÃO IZIDRO INF. BR 0445 E 1128,9 1130, A X/O 20 49' " S ' " W BZ SÃO IZIDRO SUP. BR 0450 D 1129,8 1130, A X/X 20 49' " S ' " W BZ RIACHO DO BRAGA BR 0455 E 1131,3 1131, B O/X 20 48' " S ' " W FTE RABO DE EMA BR 0460 E 1136,3 1137, A X/O 20 47' " S ' " W BZ EMA SUP. BR 0465 D 1138,4 1139, B O/X 20 48' " S ' " W BZ MIHANOVICH INF. BR 0470 D 1141,5 1142, B X/O 20 47' " S ' " W BZ MIHANOVICH SUP. BR 0475 E 1142,0 1143, B O/X 20 47' "S ' "W FTE ALEGRETE INFERIOR BR 0480 E 1144,0 1145, B O/O 20 46' "S ' "W BZ ALEGRETE INF. ASD 08 E 1145,0 1146,0 3236B O/O 20 46' "S ' "W BZ ALEGRETE BR-0485 E 1146,0 1147, B X/O 20 45' "S ' "W BZ YAGUARETE BR 0490 D 1146,9 1147, A O/X 20 45' "S ' "W BZ COVA DA ONÇA INF. BR 0495 D 1151,6 1152, A X/O 20 44' "S ' "W BZ COVA DA ONÇA SUP. BR 0500 E 1153,3 1153, A O/X 20 45' "S ' "W BZ PIRANHA BR 0505 E 1155,7 1156, A X/O 20 44' "S ' "W BZ PIRAI INF. BR 0510 D 1156,6 1157, A X/X 20 44' "S ' "W BZ PASSO ALGODOAL BR 0515 E 1158,5 1159, A X/X 20 43' "S ' "W BZ ILHA ALGODOAL INF. BR 0520 D 1160,8 1161, A O/X 20 42' "S ' "W BZ ILHA ALGODOAL SUP. BR 0525 D 1162,7 1163, A H/O 20 41' "S ' "W BZ TUNAL INF. BR 0530 E 1167,4 1168, A O/H 20 39' "S ' "W BZ TUNAL SUP. BR 0535 E 1169,2 1171, A H/O 20 40' "S ' "W BZ VOLUNTAD INF. BR 0540 D 1172,9 1173, A X/H 20 42' " S ' " W BZ VOLUNTAD SUP. BR 0545 E 1173,9 1173, A X/H 20 42' "S ' "W BZ ILHA VOLUNTAD SUP. BR 0552 D 1175,4 1176, A O/H 20 42' "S ' "W FTE PERIQUITOS BR 0555 D 1176,3 1176, A H/O 20 42' "S ' "W BZ RIACHO MIRANDA SUP. BR 0565 E 1179,1 1179, A H/H 20 40' "S ' "W BZ VOLTA RÁPIDA BR 0570 E 1183,7 1184,7 3235B X/H 20 38' " S ' " W BZ ILHA DE LEDA INF. BR 0575 D 1185,2 1185,3 3235B 3236A H/H 20 38' " S ' " W BZ ILHA DE LEDA SUP. BR 0580 D 1187,6 1187,7 3235B O/H 20 37' " S ' " W BZ BAIA DE LEDA BR 0585 D 1190,1 1190,0 3235B O/O 20 36' " S ' " W BZ LEDA INF. BR 0590 D 1191,8 1191,3 3235B H/O 20 35' " S ' " W BZ SOMBREIRO INF. BR 0595 E 1194,3 1194,3 3235B X/H 20 34' " S ' " W BZ SOMBREIRO SUP. BR 0600 D 1195,1 1194,9 3235B O/X 20 34' " S ' " W BZ PASSO PORTO NOVO INF. BR 0605 D 1200,4 1201, B H/O 20 31' " S ' " W BZ PASSO PORTO NOVO SUP. BR 0610 E 1204,4 1204, B H/H 20 29' " S ' " W BZ CAPÃO QUEIMADO INF. BR 0615 E 1215,3 1214, B X/H 20 24' " S ' " W BZ CAPÃO QUEIMADO SUP. BR 0620 D 1216,4 1215, B H/H 20 24' " S ' " W BZ PUERTO ESPERANZA BR 0625 D 1219,5 1218, B O/H 20 23' " S ' " W BZ ESPERANZA INF. BR 0630 D 1222,7 1222, A X/O 20 22' " S ' " W BZ ESPERANZA SUP. BR 0635 E 1224,6 1223, A X/X 20 21' " S ' " W BZ FAZENDA 14 DE MAIO BR 0640 D 1227,6 1227, A X/X 20 20' " S ' " W FTE CURURU BR 0645 E 1229,6 1229, A O/X 20 19' " S ' " W BZ TRAVESSIA CURURU BR 0650 E 1232,5 1232, A O/O 20 17' " S ' " W BZ CANCHA SEPUTA INF. BR 0655 E 1241,1 1240, A X/O 20 15' " S ' " W BZ CANCHA SEPUTA SUP. BR 0660 D 1242,0 1241, A O/X 20 15' " S ' " W BZ ILHA YUQUERY BR 0665 D 1250,0 1250, A X/O 20 13' " S ' " W BZ PIUVAL INF. BR 0670 E 1251,6 1251, B O/X 20 13' " S ' " W BZ PIUVAL SUP. BR 0675 E 1256,9 1257, B X/O 20 11' " S ' " W BZ CANCHA DONA JULIA BR 0680 D 1258,5 1259, B O/X 20 10' " S ' " W 7

8 SEÇÃO II (Cont.) NOME DO SINAL NRORD MAR KM (novo) KM (velho) CARTA SIMB LAT LONG BZ ILHA RIO NEGRO INF ASD-20 D 1263,3 1264, B O/O 20 09' " S ' " W BZ ILHA DO RIO NEGRO BR 0685 D 1264,8 1265, B X/O 20 09' " S ' " W BZ SÃO SALV ADOR BR 0690 E 1266,1 1266, B O/X 20 09' " S ' " W BZ CANCHA DA ILHA DE STª ROSA INF. BR 0695 E 1271,3 1271, B X/O 20 07' " S ' " W BZ CANCHA DA ILHA DE STª ROSA SUP. BR 0700 D 1272,8 1273, B O/X 20 07' " S ' " W BZ SANTA FÉ BR 0705 D 1276,8 1277, B H/O 20 06' " S ' " W BZ ILHA PATATIVA SUP. BR 0715 D 1279,3 1279, B O/H 20 06' " S ' " W BZ ESTIRÃO PATATIVA ASD 24 D 1282,1 1282, B X/O 20 04' " S ' " W BZ PASSO SANTA FÉ INF ASD 23 E 1282,8 1283, B H/H 20 04' " S ' " W BZ PASSO SANTA FÉ BR 0725 D 1285,9 1286, B H/H 20 03' " S ' " W BZ CANCHA SANTA FÉ BR 0730 E 1287,3 1288, B O/H 20 03' "S ' "W BZ MBIGUÁ BR 0735 E 1289,7 1291, B O/O 20 03' " S ' " W BZ MBIGUA SUPERIOR ASD 7 E 1291,2 1292,8 3234B H/O 20 02' " S ' " W BZ PASSO REBOJO GRANDE BR 0740 D 1296,5 1298, A X/H 20 01' " S ' " W BZ REBOJO GRANDE BR 0745 E 1298,8 1300, A H/X 20 01' " S ' " W BZ VOLTA DO REBOJO BR 0750 D 1301,1 1302, A O/H 20 02' " S 57 54' " W BZ PASSO DA BAIA VERDE INF. BR 0755 D 1303,3 1305, A X/O 20 01' " S ' " W BZ PASSO DA BAIA VERDE SUP. BR 0760 E 1305,0 1306, A O/X 20 00' " S ' " W BZ ESTIRÃO DA BAIA VERDE BR 0765 E 1307,0 1309, A X/O 19 59' " S ' " W FTE PASSO COIMBRA BR 0770 D 1310,4 1314, A X/X 19 58' " S 57 51' " W BZ PASSO COIMBRA BR 0775 E 1311,6 1314, A O/X 19 57' " S ' " W BZ FERNANDES BRAGA BR 0780 E 1316,5 1318, A X/O 19 56' " S 57 48' " W FTE ILHA FERNANDES BRAGA BR 0785 D 1317,9 1319,6 3234A O/X 19 55' " S ' " W BZ FORTE COIMBRA ASD 1 D 1321,0 1322,3 3234A X/O 19 55' " S ' " W BZ MORRO DA MARINHA SUP. ASD 6 E 1321,9 1323,7 3234A O/X 19 55' " S ' " W BZ VOLTA DA RITA INF. BR 0790 E 1323,2 1325, A 3233-B H/O 19 54' " S ' " W FTE MORRO DA COSTA BR 0795 D 1325,3 1327,0 3233B 3234A H/H 19 53' " S ' " W FTE PARATUDAL BR 0805 D 1327,2 1329,7 3233B 3234A O/H 19 52' " S 57 46' " W BZ MORRO DA ONÇA BR 0800 D 1328,0 1330, B X/O 19 52' " S ' " W BZ ILHA PARATUDAL INF. BR 0808 E 1328,1 1330, B O/X 19 52' " S ' " W BZ ILHA PARATUDAL SUP. BR 0810 E 1330,0 1332, B X/O 19 52' " S 57 45' " W BZ PIUVAS INF. BR 0815 D 1331,4 1333, B O/X 19 51' " S ' " W FTE PIUVAS SUP. BR 0820 D 1333,7 1335,0 3233B X/O 19 50' " S 57 43' " W FTE ILHAS PIÚVAS BR 0825 E 1335,2 1337,8 3233B X/X 19 50' " S ' " W BZ PIUVAS SUP. ASD 5 D 1336,8 1339,5 3233B X/X 19 50' " S ' " W BZ ILHA PIUVAS SUP. ASD 4 E 1338,7 1341,3 3233B O/X 19 49' " S ' " W BZ SAPUCAIA BR 0830 E 1349,5 1351, B X/O 19 45' " S 57 38' " W BZ PASSAGEM DOS BUGRES BR 0835 D 1350,5 1352, B O/X 19 45' " S ' " W BZ FERRADURA INF. BR 0840 D 1352,1 1354, A/B O/O 19 44' " S 57 39' " W BZ FERRADURA SUPERIOR BR 0845 D 1354,0 1356, B X/O 19 44' " S ' " W BZ VOLTA DA FERRADURA BR 0850 E 1355,0 1357, A O/X 19 44' " S 57 38' " W BZ VOLTA DO CAMACHO INF. BR 0855 E 1356,4 1358, A H/O 19 44' " S ' " W BZ CAMACHO BR 0860 D 1358,8 1361, A H/H 19 43' " S ' " W FTE GAIVOTAS BR 0865 D 1360,3 1362,7 3233A H/H 19 43' " S 57 35' " W BZ GAIVOTAS BR 0870 E 1361,7 1364, A O/H 19 43' " S 57 34' " W BZ PASSO DO CONSELHO INF ASD 30 E 1364,3 1366,0 3233A O/O 19 43' " S ' " W FTE PASSO DO CONS ELHO BR 0875 E 1365,2 1367,5 3233A X/ ' " S ' " W BZ PASSO DO CONS ELHO BR 0880 D 1367,1 1369, A O/X 19 41' " S ' " W FTE MORRO DO CONS ELHO BR 0885 D 1369,1 1371,5 3233A H/O 19 40' " S ' " W BZ VOLTA DO CONS ELHO INF. BR 0890 D 1370,2 1372, A H/H 19 40' " S ' " W BZ ESTIRÃO DO BUGIO BR 0895 E 1375,1 1377, A O/H 19 40' " S ' " W FTE ILHA DO BUGIO BR 0900 E 1376,8 1379,2 3233A X/O 19 40' " S ' " W BZ SANTA BLANCA INF. ASD 3 D 1378,5 1380,1 3233A O/X 19 39' " S ' " W FTE SANTA BLANCA BR 0905 D 1379,7 1381,6 3233A X/O 19 38' " S 57 29' " W BZ PULGA INF. ASD 2 E 1380,7 1383,1 3232A X/X 19 38' " S ' " W BZ PULGA SUP. BR 0910 D 1382,4 1384, A O/X 19 37' " S ' " W BZ ESTIRÃO DO PULGA BR 0912 D 1383,8 1386, A H/O 19 36' " S ' " W FTE RIO BRANCO BR 0915 VP 1387,8 1390,1 3232B 3233A VP 19 36' " S ' " W BZ PILAR DO VÃO CENTRAL ASD 12 VP 1387,8 1390,2 3232B X/H 19 36' " S ' " W 8

9 SEÇÃO II (Cont.) NOME DO SINAL NRORD MAR KM (novo) KM (velho) CARTA SIMB LAT LONG BZ PASSO JACARÉ INF. BR 0920 D 1388,4 1390,8 3232B O/X 19 35' " S 57 26' " W BZ PASSO JACARÉ SUP. BR 0925 D 1390,0 1392, B O/O 19º 34' S 057º 25' " W BZ PASSO DA FIGUEIRINHA BR 0930 D 1392,3 1395, B H/O 19 34' " S ' " W BZ VOLTA DA FIGUEIRINHA INF. BR 0935 E 1394,7 1397, B X/H 19 32' " S ' " W BZ VOLTA DA FIGUEIRINHA SUP. BR 0940 D 1395,1 1397, B O/H 19 33' " S 57 24' " W BZ BAIA DE SÃO JOSÉ BR 0945 D 1398,3 1400, B O/O 19 32' " S ' " W BZ SÃO JOSÉ INF. BR 0950 D 1399,3 1402, B H/O 19 31' " S ' " W FTE MORRINHOS BR 0946 XXX 1402,1 1404,9 XXX XXX 19 31' " S ' " W BZ ABRIGO SUP ASD-22 E 1404,6 1406, B X/O 19 29' " S ' " W BZ PASSO DO ABRIGO BR 0965 D 1406,0 1408, B O/X 19 29' " S ' " W FTE ABRIGO BR 0960 E 1403,5 1406,2 3232B O/H 19 30' " S ' " W BZ MORRINHO BR 0970 D 1409,0 1411, B X/O 19 27' " S ' " W BZ RIACHO CARAGUATÁ INF. BR 0975 E 1410,6 1413, B X/H 19 26' " S ' " W BZ RIACHO CARAGUATÁ SUP. BR 0980 D 1411,9 1414, B O/X 19 26' " S ' " W FTE ALBUQUERQUE BR 0985 D 1414,4 1416,4 3232B O/O 19 25' " S 57 22' " W BZ RIO PIRIQUITO INF. BR 0990 D 1415,0 1417, B X/O 19 25' " S ' " W BZ RIO PIRIQUITO SUP. BR 0995 E 1416,2 1419, B O/X 19 25' " S ' " W FTE ILHA CARAGUATÁ BR 1000 E 1417,5 1419,8 3232A/B X/O 19 25' " S 57 21' " W BZ CARAGUATÁ BR 1005 D 1418,9 1421, A/B O/X 19 24' " S ' " W BZ ESTIRÃO MIRANDA INF. BR 1010 D 1422,9 1425, A X/O 19 23' " S ' " W BZ ESTIRÃO MIRANDA SUP. BR 1015 E 1423,9 1426, A O/X 19 23' " S 57 17' " W BZ CAMBARA FERRADO ASD-29 E 1425,8 1427, A O/O 19 23' " S ' " W FTE CAMBARÁ FERRADO BR 1020 E 1427,6 1429,5 3232A X/O 19 22' " S ' " W BZ PASSO CAMBARÁ FERRADO BR 1025 D 1429,3 1431, A O/X 19 21' " S 57 17' " W BZ CAMBARÁ FERRADO INF. BR 1030 D 1431,0 1433, A X/O 19 21' " S ' " W BZ CAMBARÁ FERRADO SUP. BR 1035 E 1431,7 1433, A H/X 19 20' " S ' " W BZ RIO ABOBRAL BR 1040 E 1436,0 1438, A O/H 19 19' " S ' " W BZ PASSO ABOBRAL BR 1050 D 1437,8 1440, A H/X 19 17' " S ' " W FTE ABOBRAL BR 1045 E 1437,8 1439,9 3232A X/ ' " S 57 15' " W BZ ILHA DA MANGA INF. BR 1051 E 1438,0 1442, A H/H 19 17' " S ' " W BZ ILHA DA MANGA SUP. BR 1052 E 1442,3 1444, A X/H 19 16' " S ' " W BZ PORTO DA MANGA BR 1057 D 1443,4 1445, A H/X 19 15' " S ' " W BZ OTILIA BR 1055 D 1447,6 1449, A H/H 19 14' " S ' " W BZ MUCUNÃ BR 1060 D 1450,0 1451, B 3232A O/H 19 13' " S ' " W FTE MUCUNÃ BR 1065 D 1452,5 1454,0 3231B 3232A H/O 19 11' " S ' " W BZ PIRAPUTANGA INF. BR 1070 D 1454,9 1456, B X/H 19 10' " S ' " W FTE PIRAPUTANGA BR 1075 E 1454,9 1456,2 3231B 19 10' " S 57 15' " W BZ PIRAPUTANGA SUP. BR 1080 E 1456,8 1458, B O/X 19 09' " S ' " W FTE TIRA-CATINGA BR 1085 E 1458,4 1459,8 3231B X/O 19 09' " S ' " W BZ TIRA-CATINGA BR 1090 D 1459,8 1461, B 0/X 19 08' " S ' " W BZ TIRA-GATINGA SUP ASD-15 D 1462,0 1464, B X/O 19 07' " S ' " W BZ RIO NEGRINHO ASD-14 E 1463,2 1465, B O/X 19 06' " S ' " W BZ VOLTA GRA NDE ASD-13 E 1467,2 1468, B H/O 19 06' " S ' " W BZ MIGUEL HENRIQUE PONTA BR 1095 D 1471,9 1473, B O/H 19 06' " S ' " W BZ MIGUEL HENRIQUE BR 1100 D 1473,3 1474, B H/O 19 05' " S ' " W FTE FORMIGUEIRO BR 1110 D 1473,4 1483,3 3231B X/H 19 03' " S ' " W BZ PASSO MIGUEL HENRIQUE BR 1105 E 1473,8 1474, B H/H 19 05' " S ' " W BZ FORMIGUEIRO INF. ASD-31 E 1481,5 1482,8 3231B H/H 19 03' " S ' " W BZ FORMIGUEIRO BR 1115 E 1483,6 1484, B H/X 19 02' "S ' "W BZ BIGUAZAL BR 1120 E 1486,3 1486, A O/H 19 01' " S ' " W FTE SANTANA BR 1125 E 1488,9 1489,4 3231A/B X/O 19 01' " S 57 23' " W BZ JATOBÁ INF. BR 1130 D 1490,8 1490, A H/X 19 02' " S ' " W BZ JATOBÁ SUP. BR 1135 E 1493,2 1493, A O/H 19 01' " S ' " W BZ PARAGUAI MIRIM BR 1140 E 1494,9 1495, A X/O 19º S ' " W BZ VOLTA DO PARAGUAI MIRIM ASD-34 D 1496,7 1497, A H/H 19º S ' "W BZ BELÉM BR 1145 D 1498,3 1498, A H/H 19 01' " S ' " W FTE RABICHO BR 1150 D 1500,5 1500,9 3231A H/H 19 01' " S 57 28' " W BZ PASSO RABICHO BR 1155 D 1502,7 1502, A O/H 19º S 057º W BZ ARROZAL BR 1160 D 1504,8 1504, A H/O 19º S 057º W BZ BRACINHO BR 1165 D 1506,2 1506, A O/H 19º S 057º W BZ BARROTE INF. BR 1170 D 1509,3 1509, A X/O 19 01' " S ' " W BZ BARROTE SUP. BR 1175 E 1510,3 1509, A O/H 19 00' " S ' " W 9

10 SEÇÃO II (Cont.) NOME DO SINAL NRORD MAR KM (novo) KM (velho) CARTA SIMB LAT LONG BZ PARAGUASSU BR 1180 E 1514,7 1514, X/O 18º s 057º w BZ BOMBA D AGUA BR 1185 D 1516,1 1516, H/X 19º S 057º36 16,81071 W BZ ITAU INF. ASD 33 D 1517,9 1518, O/H 18º S 057º W BZ ITAÚ BR 1190 D 1518,5 1518, H/O 18 59' " S ' " W BZ ILHA DO LIMOEIRO ASD 32 E 1519,7 1519, H/H 18º S 057º w BZ DONA EMILIA BR 1195 D 1520,3 1520, X/H 18 59' " S ' " W FTE BALDUINO INF. ASD 30 E 1521,2 1521, H/X 18º S 057º W FTE BALDUINO BR 1200 D 1521,3 1521, X ' " S ' " W BZ CAIS DO PORTO ASD 35 D 1521,8 1521, H/X 18º S 057º W BZ IATE CLUBE BR 1210 E 1521,8 1522, H/O 18 59' " S ' " W FTE AQUEDUTO BR 1225 VP 1522,1 1522, X- 18º S 057º W BZ TAMENGO BR 1230 D 1522,7 1522, H/X 18 59' " S ' " W BZ OLARIA BR 1235 E 1523,7 1523, H/H 18 59' " S ' " W BZ VOLTA DO ARACUÃ BR 1240 E 1525,6 1525, H/H 18º S 057º W BZ CARANDÁ BR 1245 D 0,51 0,6 Nº 1 H/H 18 59' " S ' " W BZ SANTA BR 1250 E 2,43 2,6 Nº 2 H/H 19 00' " S ' " W BZ AURORA BR 1255 E 2,77 3,7 Nº 2 E 3 H/H 19 00' " S ' " W BZ FLORESTAL ASD36 D 3,5 4,0 Nº2 X/H 19º S 057º W BZ CONCEIÇÃO BR 1260 D 4,63 4,4 Nº 3 O/H 19 00' " S ' " W BZ QUIJARO INF. BR 1265 D 5,41 5,2 Nº 3 H/O 19º S 057º W BZ QUIJARO SUP. BR 1270 E 6,32 6,2 Nº 4 X/H 18º S 057º W BZ AGUIRRE INF. BR 1275 D 6,86 7,1 Nº 4 H/O 18º S 057º W BZ AGUIRRE SUP. BR 1280 E 7,81 7,7 Nº 4 H/H 18º S 057º W BZ TAMARINEIRO BR 1285 E 9,22 9,1 Nº 5 H/H 18º S 057º W HI 0118/07 DE CORUMBÁ A CACERES - ALTERAÇÃO NO BALIZAMENTO: NOME DO SINAL MAR KM CROQUI SIMB. ALTERAÇÃO BZ FURADO DO MORRINHO SUP. E 1683,2 030 H/H CAÍDA BZ ILHA RUFINO E 1688,6 031 X/O CAIDA HI 0126/07 DE CORUMBÁ A CACERES - ALTERAÇÃO NO BALIZAMENTO: NOME DO SINAL MAR KM CROQUI SIMB. ALTERAÇÃO BZ BAIA DAS ÉGUAS INF. E X/X MUDANÇA KM DE PARA BZ PASSOS DAS ÉGUAS D O/X MUDANÇA KM DE PARA BZ CORIXÃO INF. D X/O MUDANÇA KM DE PARA BZ PASSO CORIXÃO INF. E O/X MUDANÇA KM DE PARA BZ CORIXÃO SUP. D O/X MUDANÇA KM DE PARA BZ BAIAZINHA SUP. E O/X MUDANÇA KM DE PARA BZ PASSO BEIÇUDO SUP. D X/O MUDANÇA KM DE PARA BZ VITALINA INF. E H/X MUDANÇA KM DE PARA HI 0185/07 DE CORUMBÁ A CÁCERES - ALTERAÇÃO NO BALIZAMENTO: NOME DO SINAL MAR KM CROQUI SIMB. ALTERAÇÃO BZ SOVACO SUP D 2169,2 106 O/H CAÍDA HI 0195/07 DE CORUMBÁ A CÁCERES - ALTERAÇÃO NO BALIZAMENTO - FOI IMPLANTADA BZ PORTO ÍNDIO LAT : 17º 43' 55 S LONG: 057º 42' 43 MARGEM DIREITA KM 05 CROQUI Nº049 - SIMBOLOGIA PI. NOME DO SINAL MAR KM CROQUI SIMB. ALTERAÇÃO BZ PORTO INDIO D PI IMPLANTADA HI 001/08 DE CORUMBÁ A CÁCERES - ALTERAÇÃO NO BALIZAMENTO NOME DO SINAL MAR KM CROQUI SIMB. ALTERAÇÃO ILHA CASTELO SUP. D H/O DESAPARECIDA PATRÍCIA D H/O CAÍDA ILHA SANTA FÉ D H/X CAÍDA BZ ILHA NOVA INF. E 1711,4 036 O/H DESAPARECIDA PLACA GAIVA Nº 7 D 1783,4 049 H/H CAIDA FTE BOCA BRAVA D 1784,1 049 H/H APAGADO BZ PASSO PIUVA INF. D 2039,5 082 X/O CAIDA BZ PORTO PIUVA SUP. D 2041,1 083 O/X CAIDA BZ ILHA DO SOSSEGO SUP. D 2062,6 087 O/X DESAPARECIDA BZ PASSO DO PAPAGAIO SUP. D 2069,1 088 O/X CAIDA 10

11 SEÇÃO II (Cont.) BZ BAIA DAS EGUAS INF. E 2080,1 091 X/X DESAPARECIDA BZ PASSO CORIXÃO 1 D 2084,4 091 O/X DESAPARECIDA BZ ILHA BAIAZINHA E 2090,5 093 O/X CAIDA BZ BAIAZINHA 1 D 2091,4 093 O/X DESAPARECIDA BZ BAIAZINHA 2 D 2091,5 093 X/O DESAPARECIDA BZ VOLTA DO CATITU SUP. D 52,0 SAR O/X CAIDA BZ PASSO DA ONÇA INF. E 55,2 SAR X/O CAIDA BZ PASSO DA ONÇA SUP. D 55,4 SAR H/X DESAPARECIDA BZ BARRANCO VERMELHO SUP. E 2099,8 095 O/H DESAPARECIDA BZ PASSO SOLDADO SUP. D 2100,9 095 O/X INVERTIDA BZ SOLDADO E 2102,0 096 X/X CAIDA BOIA TUCUM Nº 1 PI 2106,0 096 BE FORA DE POSIÇÃO BZ SOLDADO E 2102,0 096 X/X CAIDA BOIA TUCUM Nº 1 PI 2106,0 096 BE FORA DE POSIÇÃO BZ SIMÃO NUNES INF. D 2122,4 099 O/X DESAPARECIDA BZ SIMÃO NUNES 1 E 2125,4 100 X/O CAIDA BZ FURADO DO TUIUIU INF. D 2131,9 101 O/H DESAPARECIDA BZ PADRE INACIO SUP. E 2145,2 102 O/X DESAPARECIDA BZ PANTANALZINHO INF. E 2147,8 103 O/H CAIDA BZ ILHA VELHA INF. D 2148,9 103 O/X DESAPARECIDA BZ FURADO DO RIO VELHO SUP. E 2155,6 104 X/H DESAPARECIDA BZ FURADO ALFERES INF. E 2164,2 105 H/H DESAPARECIDA BZ CAMPINA D 2165,9 105 H/H DESAPARECIDA HI 010/08 DE CORUMBÁ A FOZ DO RIO APA - ALTERAÇÃO NO BALIZAMENTO NOME DO SINAL MAR NRORD KM CARTA SIMB. ALTERAÇÃO FTE. MORRO DA COSTA D BR ,3 3233B H/H RETIRADO DEFINITIVAMENTE BZ ESPERANZA SUP. E BR ,6 3235A H/X MUDANÇA DE SIMBOLOGIA DE X/X PARA H/X FTE ABRIGO E BR ,5 3232B O/H SUBSTITUIDA A ESTRUTURA DE TRELIÇA POR TUBULÃO DE 5 POLEGADAS BZ ALEGRETE INF. E BR ASD 1145,0 3236B O/O RETIRADA DEFINITIVAMENTE FTE ALEGRETE INF. E BR ,0 3236B O/O MUDANÇA DE KM DO KM 1144,0 PARA O KM 1145,0 FTE CURURU E BR ,6 3235A O/X SUBSTITUIDO DEFINITIVAMENTE POR BALIZA COM SIMBOLOGIA O/O NA MESMA POSIÇÃO FTE PARATUDAL D BR ,2 3233B O/H REPOSICIONADO NA MARGEM ESQUERDA NO KM 1330,0 COM SIMBOLOGIA X/O BZ ILHA PARATUDAL SUP. E BR ,0 3233B X/O RETIRADA DEFINITIVAMENTE 11

12 SEÇÃO III - CORREÇÕES ÀS CARTAS NÁUTICAS RELAÇÃO NUMÉRICA DAS CARTAS AFETADAS PELOS NOVOS AVISOS PUBLICADOS NESTE FOLHETO Croqui e Carta DESIGNAÇÃO E NÚMERO DOS AVISOS AOS NAVEGANTES Nº Temporários Preliminares Permanentes Nenhum. AVISOS TEMPORÁRIOS (T) Nenhum. AVISOS TEMPORÁRIOS (T) E AVISOS PRELIMINARES (P) EM VIGOR, E AVISOS PERMANENTES E AVISOS PERMANENTES ESPECIAIS DO MÊS AVISOS PRELIMINARES (P) HI 2(P)/01 BRASIL - HIDROVIA PARAGUAI-PARANÁ Corumbá a Cáceres - Existência de balizas a) Nome - Gaiva nº 1 Posição aprox. - Km 1781,8 - Margem esquerda b) Nome - Gaiva nº 2 Posição aprox. - Km 1782,1 - Margem direita c) Nome - Gaiva nº 4 Posição aprox. - Km 1782,3 - Margem direita d) Nome - Gaiva nº 6 Posição aprox. - Km 1782,5 - Margem direita e) Nome - Gaiva nº 8 Posição aprox. - Km 1782,9 - Margem direita f) Nome - Gaiva nº 10 Posição aprox. - Km 1783,0 - Margem direita g) Nome - Gaiva nº 12 Posição aprox. - Km 1783,2 - Margem direita h) Nome - Bela Vista do Norte Posição aprox. - Km 1796,5 - Margem direita i) Nome - Passo Suzano Posição aprox. - Km 2096,7 - Margem direita j) Nome - Barranco Vermelho Posição aprox. - Km 2106,8 - Margem esquerda Simbologia gráfica - H/H Descrição - Haste de tubo galvanizado cilíndrico na cor branca; Simbologia gráfica - H/H Descrição - Haste de tubo galvanizado cilíndrico na cor branca; Simbologia gráfica - H/H Descrição - Haste de tubo galvanizado cilíndrico na cor branca; Simbologia gráfica - H/H Descrição - Haste de tubo galvanizado cilíndrico na cor branca; Simbologia gráfica - H/H Descrição - Haste de tubo galvanizado cilíndrico na cor branca; Simbologia gráfica - H/H Descrição - Haste de tubo galvanizado cilíndrico na cor branca; Simbologia gráfica - H/H Descrição - Haste de tubo galvanizado cilíndrico na cor branca; Simbologia gráfica - H/H Descrição - Haste de tubo galvanizado cilíndrico na cor branca; Simbologia gráfica X/O Descrição - Haste de tubo galvanizado cilíndrico na cor branca; e Simbologia gráfica O/H Descrição - Haste de tubo galvanizado cilíndrico na cor branca. Detalhes - Serão inseridos nas posições aproximadas um símbolo de baliza, a numeração e denominação. Nota - Este Aviso substitui o Aviso Preliminar nº HI 1(P) de Croquis que serão afetados - Nºs HI 3(P)/01 BRASIL - HIDROVIA PARAGUAI-PARANÁ Corumbá a Cáceres - Existência de farolete Nome - Lagoa Gaiva Posição - 17º S 57º W (Km 1781,4) (margem direita) Característica da luz: R.V Fase detalhada: V 0,3 - Ecl. 0,7 Período: 1 segundo Alcance luminoso: 6 milhas náuticas Alcance geográfico: 8 milhas náuticas Altitude: 10 metros Altura: 2 metros Descrição: torre triangular de ferro na cor branca 12

13 SEÇÃO III (Cont.) Simbologia gráfica: H/H Detalhes - Serão inseridos na posição um símbolo de farolete e as anotações Fte. Lagoa Gaiva e R.V.10m 6M. Nota - Este Aviso substitui o Aviso Preliminar nº HI 6(P) de Croqui que será afetado - Nº 049. HI 4(P)/01 BRASIL - HIDROVIA PARAGUAI-PARANÁ Corumbá a Cáceres - Existência de farolete Nome - Boca Braba Posição - 17º S 57º W (Km 1784,3) (margem direita) Característica da luz: R.V Fase detalhada: V 0,3 - Ecl. 0,7 Período: 1 segundo Alcance luminoso: 6 milhas náuticas Alcance geográfico: 8 milhas náuticas Altitude: 10 metros Altura: 2 metros Descrição: torre triangular de ferro na cor branca Simbologia gráfica: H/H Detalhes - Serão inseridos na posição um símbolo de farolete e as anotações Fte. Boca Braba e R.V.10m 6M. Nota - Este Aviso substitui o Aviso Preliminar nº HI 7(P) de Croqui que será afetado - Nº 049. HI 5(P)/01 BRASIL - HIDROVIA PARAGUAI-PARANÁ Corumbá a Cáceres - Existência de balizas a) Nome - Boca Braba Inferior Posição aprox. - Km 1785,1- Margem esquerda Simbologia gráfica - O/H; b) Nome - Boca Braba Superior Posição aprox. - Km 1785,8 - Margem esquerda Simbologia gráfica - H/O; c) Nome - Estirão Gaiva Inferior Posição aprox. - Km 1786,1 - Margem esquerda Simbologia gráfica - H/H; d) Nome - Estirão Gaiva Posição aprox. - Km 1786,3 - Margem esquerda Simbologia gráfica - H/H; e) Nome - Estirão Gaiva Superior Posição aprox. - Km 1786,6 - Margem esquerda Simbologia gráfica - H/H; f) Nome - Volta do Cachorro Inferior Posição aprox. - Km 1787,6 - Margem direita Simbologia gráfica - H/H; g) Nome - Ilha Negra Inferior Posição aprox. - Km 2052,7 - Margem direita Simbologia gráfica - O/H; i) Nome - Barranco Vermelho Superior Posição aprox. - Km 2099,9 - Margem esquerda Simbologia gráfica - O/H; j) Nome - Furado do Totico Posição aprox. - Km 2129,3 - Margem esquerda Simbologia gráfica - O/H; k) Nome - Rebolo Posição aprox. - Km 2159,0 - Margem esquerda Simbologia gráfica - O/H; l) Nome - São Pedro Posição aprox. - Km 2159,3 - Margem esquerda Simbologia gráfica - X/O; m) Nome - Inharosa Posição aprox. - Km 2159,7 - Margem direita Simbologia gráfica - H/X; n) Nome - Baía do Barreiro Posição aprox. - Km 2161,9 - Margem direita Simbologia gráfica - X/X; e o) Nome - Baía do Barreiro Superior Posição aprox. - Km 2162,3 - Margem esquerda Simbologia gráfica - H/X. h) Nome - Corichão Posição aprox. - Km 2095,1 - Margem esquerda Simbologia gráfica - H/X; Detalhes - Serão inseridos nas posições aproximadas um símbolo de baliza, a denominação e numeração. Nota - Este Aviso substitui o Aviso Preliminar nº HI 8 (P) de Croquis que serão afetados - Nºs 050, 085, 092, 095, 100, 104 e

14 SEÇÃO III (Cont.) HI 6(P)/01 BRASIL - HIDROVIA PARAGUAI-PARANÁ Próximo ao Refúgio das (3) Três Bocas - Existência de farolete Nome - Três Bocas Posição - 17º S 57º W (Km 1743,8) (margem direita) Característica da luz: Lp (3) V Fase detalhada: V 0,3 - Ecl. 0,7 - V 0,3 - Ecl. 0,7 - V 0,3 - Ecl. 7,7 Período: 10 segundos Alcance luminoso: 6 milhas náuticas Altitude: 6 metros Descrição: Armação triangular metálica branca Simbologia gráfica: H/H Detalhes - Serão inseridos na posição um símbolo de farolete e a anotação Lp (3) V. 6m 6M. Nota - Este Aviso substitui o Aviso Preliminar n.º HI 9(P) de Croqui que será afetado - N.º 042. AVISOS PERMANENTES Nenhum. SEÇÃO IV - CORREÇÕES ÀS PUBLICAÇÕES NÁUTICAS SEÇÃO IV.1 LISTA DE SINAIS Nenhuma. SEÇÃO IV.2 - ROTEIRO Nenhuma. SEÇÃO IV.3 - OUTRAS PUBLICAÇÕES Nenhuma. SEÇÃO V - AVISOS PERMANENTES ESPECIAIS APE 1/99 NORMAS DE TRÁFEGO E PERMANÊNCIA PARA O PORTO DE CORUMBÁ/LADÁRIO, CÁCERES, E PORTO MURTINHO 1 - CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS A) GENERALIDADES O Porto de Corumbá/Ladário, situado na cidade de Corumbá/Ladário é especializado em Granéis, turismo e pesca. A área portuária é limitada pelos KM 1532 e KM 1514 do rio Paraguai. O Porto de Cáceres situado no município de Cáceres é especializado em turismo e pesca. A área portuária é limitada pelos KM 2202 e 2250 do rio Paraguai. O Porto de Porto Murtinho, situado no município de Porto Murtinho, é especializado em turismo e pesca. Sua área portuária tem como limites a foz do rio Amonguijá, KM 996,4 do rio Paraguai e o antigo saladeiro, KM 994 do rio Paraguai. 2 - ADMINISTRAÇÃO O Porto de Corumbá é administrado pela AHIPAR-CODESP, com sede à rua 13 de junho, 960 Corumbá-MS. A autoridade Marítima é representada pelo Capitão dos Portos da CFPN, situada na rua Delamare 806, Corumbá-MS telefone (067) , Fax O Porto de Cáceres é administrado pela Companhia DOCAS do Estado de São Paulo (CODESP), com sede à rua Dom Bosco nº 173-C, Cáceres -MT telefone (065)

15 SEÇÃO V (Cont.) A Autoridade Marítima é representada pelo Agente da Agência Fluvial de Cáceres, situada na rua Professor Rizzo nº 01 Cáceres-MT telefone (065) ou Fax (065) O Porto de Porto Murtinho não possui Administração Portuária. A Autoridade Marítima de Porto Murtinho é representada pelo Agente da Agência Fluvial de Porto Murtinho, situada na rua Coronel Pedro Celestino nº Porto Murtinho-MS. Telefone (067) B) RESTRIÇÕES OPERACIONAIS 1 - CALADO MÁXIMO RECOMENDADO 0 calado máximo na hidrovia da jurisdição da Capitania Fluvial do Pantanal é definido em função da variação dos níveis dos rios. 2 - RESTRIÇÕES DE VELOCIDADE, CRUZAMENTO E ULTRAPASSAGEM Deverão ser observadas as regras previstas no capítulo 25 da Portaria 011/95 da DPC para todo o trecho da hidrovia da jurisdição desta CP. 3 - RESTRIÇÕES DE HORÁRIO A proibição de navegação no período entre o pôr e nascer do sol aplica-se às embarcações miúdas e desprovidas de luzes de navegação. 4 - RESTRIÇÕES DE FUNDEIO - FUNDEADOUROS a) PORTO DE CORUMBÁ/LADÁRIO As embarcações de quarentena deverão fundear em frente ao cais do Porto de Corumbá/Ladário, o mais próximo possível da margem esquerda do rio Paraguai. Para os demais casos não existem locais específicos para o fundeio, havendo entretanto as seguintes restrições: a) é proibido o fundeio de qualquer tipo de embarcação, no canal do rio Paraguai; e b) é proibido o fundeio nas áreas de manobra. b) PORTO DE CÁCERES As embarcações de quarentena deverão fundear próximo a margem direita do rio Paraguai, entre o Km 2200,8 e Para os demais casos não existem locais específicos para o fundeio, havendo entretanto as seguintes restrições: a) é proibido o fundeio sobre o canal de navegação, que deverá estar permanente desimpedido; e b) é proibido o fundeio nas áreas de manobra. c) PORTO MURTINHO Não existem locais específicos para o fundeio de embarcações. Alerta-se aos navegantes para que evitem fundear no canal navegável. 5 - OUTRAS RESTRIÇÕES a) ATRACAÇÃO NO PORTO GERAL DE CORUMBÁ/LADÁRIO Para atracação no Porto Geral de Corumbá, as seguintes restrições deverão ser observadas: 1 - a atracação das embarcações no Porto Geral de Corumbá deverá ser no sentido perpendicular à margem do rio; 2 - é proibido a amarração das embarcações nas árvores, nos postes de energia elétrica e nas amuradas dos jardins construídos pela Prefeitura; e 3 - é proibido a atracação ou encalhe de embarcações na pequena praia existente em frente à Ladeira Cunha e Cruz, na margem direita do rio Paraguai; b) PERMANÊNCIA NO PORTO DE CORUMBÁ/LADÁRIO Deverá ser observado o disposto na NORMAM-02, e mais a seguinte restrição: É proibido utilizar-se dos portos de Corumbá/Ladário para efetuar grandes reparos ou reformas em embarcações, sem a prévia anuência da Capitania Fluvial. c) PERMANÊNCIA NO PORTO DE CÁCERES 1) as embarcações com mais de 50 AB que estiverem aguardando carregamento, ou que já tenham sido carregadas e que não disponham de espaço para atracar ao longo do cais, ou a contrabordo de outra embarcação, deverão atracar à jusante da Ponte Marechal, na margem direita do rio, entre os Km 2200,8 e 2200; 2) é proibido a amarração de embarcações com mais de 50 AB em árvores ou poste de energia elétrica, na área delimitada do porto (entre os KM 2202 e 2200 do rio Paraguai); 3) é proibido utilizar-se do porto para efetuar grandes reparos ou reformas em embarcações, sem a prévia anuência da Agência de Cáceres; e 4) nenhuma embarcação de Turismo e Diversão, Esporte e Recreio ou pequeno comércio poderá pernoitar na área do porto. d) PERMANÊNCIA NO PORTO DE PORTO MURTINHO Não há regras especiais. Deverá ser observado a NORMAM

16 SEÇÃO V (Cont.) e) TRAFEGO NOS PORTOS DE CORUMBÁ/LADÁRIO observar o disposto na NORMAM-02e mais as seguintes restrições: - a passagem, no trecho do rio Paraguai compreendido entre o Farolete Balduíno e a Baliza Balduino, é limitada a apenas a uma (1) embarcação rebocada; e - o comprimento, máximo do cabo de reboque nessa passagem é de cinco (5) metros. No porto de Ladário, a navegação deverá ter a máxima atenção às manobras e ao giro provocado pelo vento, na grua ali existente. f) TRÁFEGO NO PORTO DE CÁCERES Não há regras especiais. Deverá ser observado a NORMAM MANOBRAS RECOMENDADAS - ÁREAS DE MANOBRAS a) para formação de comboios C) RECOMENDAÇÕES 1) 0 trecho do rio Paraguai compreendido entre o canal do Tamengo (Km 1522 do rio Paraguai), em sua porção sob jurisdição do Brasil, e o porto de gregório Curvo (Porto Esperança) Km do rio Paraguai foi estabelecido como Área de Manobras Portuárias para desmembramento e formação de comboios. 2) Fica estabelecido como área para abarrancamento de barcaças, o trecho de 40 Km da margem esquerda do Rio Paraguai, sendo 20 Km à jusante e 20KM à montante do farolete Balduíno. Deverão ser evitados os trechos próximos de curvas e saídas de riscos. 3) As empresas de navegação tem liberdade para implantarem as estruturas mínimas e necessárias para garantir uma amarração conveniente. As empresas deverão manter a Capitania Fluvial informada da intenção de executar tal estrutura. 4) As barcaças atracadas a contrabordo com uma largura total superior a de duas barcaças ou com uma largura máxima maior do que 25 metros, deverão exibir duas luzes brancas sem obstrução, com intensidade tal que permitam serem vistas a pelos menos uma milha, e estando atracadas em grupos, as luzes serão colocadas nas extremidades do conjunto que estiverem a favor e contra a corrente, nas posições mais afastadas da costa ou margem. 5) Deverá ser cumprido o que estabelece o artigo 64 do Acordo de Transporte Fluvial pela Hidrovia Paraguai-Paraná referente às normas de segurança referentes ao regime de estadia no porto, a saber: "Estadia em Portos ou lugares de atracação. Para embarcação ou comboio, independentemente de sua carga, deverá ter de forma permanente uma pessoa responsável por sua segurança designada pelo armador". 6) Recomenda-se aos comandantes dos comboios que as amarrações sejam feitas de forma a suportar as possíveis variações de tempo. 7) Recomenda-se ao proprietário ou Armador que comunique a Capitania Fluvial qualquer irregularidade com a amarração das barcaças, principalmente quando possa colocar em risco a segurança da navegação. b) do porto de Corumbá/Ladário A faixa de 160 m de largura, a partir do cais acostável até o meio do rio, em toda a extenção do cais, destina-se às manobras dos navios para atração ou desatracação. A profundidade mínima nas vazantes excepcionais é de 2 metros. c) do Porto de Ladário Em faixa que vai da barranca, onde estão instalados os dolfins até a ilha de São Sebastião, destinada a manobras dos navios para atracação e desatracação. A profundidade mínima nas vazantes excepcionais é de 1,3 metros. d) do Porto de Cáceres Todo trecho do rio Paraguai em frente ao porto, em uma faixa de 80 metros da largura, medida a partir do cais até o meio do rio, com 250 metros de extensão, sendo 100 metros à montante e 150 à jusante de esteira destinadas às manobras dos navios para atracação e desatracação. A profundidade mínima nas vazantes excepcionais é de 1,3 metros, próximo à margem oposta ao porto. e) do Porto de Porto Murtinho não há 2 - OUTRAS RECOMENDAÇÕES a) atracação PORTOS ORGANIZADOS DE CORUMBÁ/LADÁRIO observar o NORMAM-02 e mais as seguintes restrições e recomendações: 16

17 SEÇÃO V (Cont.) - nos Portos Organizados de Corumbá/Ladário Não há regras especiais. Prevalece o sistema de atracação ao longo do cais (em Corumbá) ou dos Dolfins (em Ladário). Recomenda-se cuidado com a amarração, uma vez que ventos fortes ocasionais podem rompê-las. No porto de Ladário, a navegação deverá ter a máxima atenção às manobras e ao giro provocado pelos ventos, na grua ali existente. - porto organizado de Cáceres prevalece o sistema de atracação ao longo do cais, com no máximo uma (1) embarcação a contrabordo. Recomenda-se cuidado com as amarrações, uma vez que ventos ocasionais podem comprometer as amarrações singelas. SEÇÃO VI - NOTÍCIAS DIVERSAS CARTAS REIMPRESSAS NO 1º SEMESTRE DE 2001 Nº DA CARTA TÍTULO DATA 3233 A De Porto Esperança ao Passo Gaivota 02/ B Do Passo Gaivota à Ilha Paratudal 02/ A Da Ilha Paratudal ao Estirão Rebojo Grande 01/ B Do Estirão Rebojo Grande à Cancha Piuval 01/01 PUBLICAÇÃO PRODUZIDA NO 1º SEMESTRE DE 2001 Nº TÍTULO EDIÇÃO DH9-1 Lista de Sinais. Hidrovia Paraguai-Paraná (Porto de Cáceres - Porto de Nova Palmira) - Parte II. De Assunção a Cáceres. Canal Tamengo 1ª NOTAS AOS USUÁRIOS 1 - PREÇOS DAS CARTAS E PUBLICAÇÕES NÁUTICAS Desde 1º de janeiro de 2005, os preços dos documentos náuticos editados pela DHN foram reajustados. A tabela com os preços em vigor está disponível no Anexo ao Catálogo de Cartas e Publicações. 2 - SERVIÇO DE SINALIZAÇÃO NÁUTICA DO OESTE Página na Internet - Encontra-se disponível na Internet, desde 5 de setembro do corrente ano, no endereço informações sobre a Segurança da Navegação de interesse do navegante da bacia do Rio Paraguai, no trecho brasileiro. 3 - UTILIZAÇÃO DE CARTAS NÁUTICAS PARA A NAVEGAÇÃO O Centro de Hidrografia da Marinha (CHM) não recomenda o uso de cartas náuticas e croquis de navegação das áreas sob jurisdição brasileira, elaboradas por quaisquer entidades nacionais ou estrangeiras, cujos dados de origem não tenham sido analisados por este Centro e cujo produto final não tenha sido homologado, pela DHN, para uso na navegação. 4 - NO INTUITO DE FACILITAR A ATUALIZAÇÃO DO BANCO DE DADOS DOS MEIOS DA MB QUE NAVEGAM NA HIDROVIA PARAGUAI-PARANÁ, ESTE SSN DISPONIBILIZA NOS ENDEREÇOS ABAIXO, RELEVANTES INFORMAÇÕES QUANTO A FOLHA DE BORDO - FB E A RELAÇÃO DE SINAIS IMPLANTADOS: ALFA - - Onde moram os croquis provisórios de navegação originários das FBs geradas durante os Levantamentos Hidrográficos, sendo que nestes estão lançados os sinais náuticos implantados e informações de quilometragem. Relembra-se que estas FBs encontram-se em processo de análise no CHM; e BRAVO - - Onde mora uma relação atualizada dos sinais implantados já com os registros de quilometragem definitivos. Este SSN encontra-se à disposição para avaliar/implementar sugestões quanto ao enriquecimento das informações a serem lançadas nestes "protótipos" de croquis, sugestões estas que deverão ser encaminhadas para as caixas postais e OBS 1 : Os croquis estão construídos no DATUM WGS 84 e possuem informações de coordenadas geográficas; OBS 2 : No período de 02 a 14JUL foi concluída a coleta de dados batimétricos no trecho do Rio Cuiabá compreendido entre Porto Cercado (KM 344) e sua Foz, e tão logo esteja concluído o pré-processamento, é intenção deste SSN também disponibilizálos; OBS 3 : Atualmente está em andamento o LH no Rio Paraguai na região das Lagoas Gaíva e Uberaba e a Região do Amolar. 17

18 SEÇÃO VI (Cont.) TRECHOS E PASSOS CRÍTICOS DO RIO PARAGUAI MÉDIO PARAGUAI KM CARTA NOME A Volta Arecutacuá A Passo Laguna Verá B Passo Yvira-Yu B Passo Oculto Inferior 536 a B Passo Luisito 540 a B Passo Santa Catalina 548 a B Passo Colorado 609,9 a 612,0 3245A Travessia Curuzu Brasilero 643 a A Passo Pedernal 698 a A Passo Guggiari/Concepción 706 a A Passos Saladillo e Itacurubi 723 a B Passo Zapatero-Cué 726 a B Passo Romero-Cué 731 a B Passo Toldo-Cué 756 a B Passo Alegre 774 a A Passo Leonor 782 a A Passo La Novia 807 a B Passo Arrecifes 811 a B Passo Piquete-Cambá 814 a B Passo Tobas 826 a A Passo Stanley (Yacaré) 829 a A Passo Itá-Pucú-Mí 847 a A Passos Max 850 a A Passo Ilha Rafaela 855 a B Passo Palácio-Cué 861 a B Riacho Carayacito 928 a B Passo Confluência Inferior ALTO PARAGUAI KM CARTA NOME 940 a B Passo Sastre 1011 a 1012,5 3238B Passo Tarumã 1039 a A Passo Cambá Nupá 1100 a A Volta do Abotoado ou Nabileque 1109 a B Passo Curuçu Cancha 1146 a B Passo Alegre Inferior 1173 a A Passo Periquitos 1333 a B Passo Piúvas Inferior 1367 a A Passo do Conselho 1391 a B Passo Jacaré 1419 a B Passo Caraguatá 1452 a B Passo Mucunã 1472 a B Passo Miguel Henrique 1489 a A Passo de Santana e Jatobá DO PORTO DE CORUMBÁ AO PORTO DE CÁCERES KM CROQUIS NOME 2163 a 2166 De Corumbá a Cáceres Passo Passagem Velha SEÇÃO VII REPRODUÇÕES DE TRECHOS, NOTAS E QUADROS Nenhum. 18

19 COLABORAÇÃO DOS NAVEGANTES OU USUÁRIOS I) FOLHA DE INFORMAÇÕES DE IRREGULARIDADES Indicativo e nome Navio/Embarcação:... Nome do observador: Endereço/ /Fax para correspondência:... Telefone para contato:... Data da observação:... Hora da observação (HMG):... Posição da irregularidade observada: Latitude:... Longitude:... Datum:... Carta náutica de referência (citar o país de origem):...edição:... Descrição da(s) irregularidade(s) e comentários: REMETENTE:... Assinatura:... Observações: 1 - Esta folha destina-se à comunicação de irregularidades constatadas pelo navegante, que possam afetar a segurança da navegação. 2 - Solicita-se aos navegantes que encaminhem as informações acima detalhadas ao Serviço de Sinalização Náutica do Oeste (SINOET), utilizando o FAX (0 XX 67) , ou enviando correspondência ao endereço: Serviço de Sinalização Náutica do Oeste Rua 14 de Março S/Nº - Ladário - CEP Mato Grosso do Sul Brasil ou Capitanias dos Portos (ou suas Delegacias e Agências) mais próximas. 3 - Solicita-se às Capitanias dos Portos, Delegacias e Agências que ao receberem estas informações as encaminhe ao SINOET, o mais breve possível. Caso necessário, as informações apresentadas poderão ser complementadas, sob a ótica da Capitania, Delegacia ou Agência em questão. 4 No campo Descrição da(s) irregularidade(s) e comentários devem ser prestadas informações que caracterizem a irregularidade constatada, bem como o método empregado na determinação da posição da irregularidade e do navio/embarcação (satélite, por marcações verdadeiras ou magnéticas de pontos notáveis, por marcação e distância radar, por combinação de métodos. No caso de marcações magnéticas, informar o valor do desvio da agulha, caso seja conhecido). Caso a posição obtida não seja precisa, tal fato deve ser informado. No caso de profundidades anormais, informar os meios utilizados para sua determinação (se for possível, anexar cópia dos registros do ecobatímetro, assinalando no mesmo a data, a hora, a profundidade encontrada, a escala empregada na leitura da profundidade), a situação meteorológica reinante, o estado do mar (de acordo com a escala Beaufort - modelo DHN-5909) e outros detalhes julgados de interesse.

20 II) FOLHA DE CORREÇÕES A CARTAS E PUBLICAÇÕES NÁUTICAS Nome do navegante/usuário:... Endereço/ /Fax para correspondência:... Telefone para contato:... Carta ou Publicação Náutica a corrigir (número ou nome e ano da edição):... Páginas da Publicação Náutica a corrigir (número da página):... Descrição e comentários: REMETENTE:... Assinatura:... Observações: 1 - Esta folha destina-se à comunicação de qualquer omissão ou inexatidão constatadas pelos usuários nas cartas ou publicações náuticas da DHN, assim como de qualquer divergência entre as mesmas ou em relação a qualquer outra fonte. 2 - Solicita-se aos navegantes que encaminhem as informações acima detalhadas ao Serviço de Sinalização Náutica do Oeste (SINOET), utilizando o FAX (0 XX 67) , ou enviando correspondência ao endereço: Serviço de Sinalização Náutica do Oeste Rua 14 de Março S/Nº - Ladário - CEP Mato Grosso do Sul Brasil ou Capitanias dos Portos (ou suas Delegacias e Agências) mais próximas. 3 - Solicita-se às Capitanias dos Portos, Delegacias e Agências que ao receberem estas informações as encaminhe ao SINOET, o mais breve possível. Caso necessário, as informações apresentadas poderão ser complementadas, sob a ótica da Capitania, Delegacia ou Agência em questão. 4. No campo Descrição e comentários, devem ser apresentadas as omissões ou inexatidões constatadas, as eventuais correções sugeridas e outras informações ou comentários julgados pertinentes.

AVISOS AOS NAVEGANTES

AVISOS AOS NAVEGANTES DH22 ISSN 1679-4281 NENHUM AVISO DIRETORIA DE HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO CENTRO DE HIDROGRAFIA DA MARINHA Rua Barão de Jaceguay s/nº - Ponta da Armação 24048-900 - Niterói, RJ, Brasil Tel/Fax: 0XX21-2189-3210

Leia mais

AVISOS AOS NAVEGANTES

AVISOS AOS NAVEGANTES DH22 ISSN 1679-4281 NENHUM AVISO DIRETORIA DE HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO CENTRO DE HIDROGRAFIA DA MARINHA Rua Barão de Jaceguay s/nº - Ponta da Armação 24048-900 - Niterói, RJ, Brasil Tel/Fax: 0XX21-2189-3210

Leia mais

AVISOS AOS NAVEGANTES

AVISOS AOS NAVEGANTES DH23 ISSN 1679-429X NENHUM AVISO DIRETORIA DE HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO CENTRO DE HIDROGRAFIA DA MARINHA Rua Barão de Jaceguay s/nº - Ponta da Areia 24048-900 - Niterói, RJ, Brasil Tel/Fax: 0XX21-2189-3210

Leia mais

AVISOS AOS NAVEGANTES

AVISOS AOS NAVEGANTES DH22 ISSN 1679-4281 MARINHA DO BRASIL HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO DIRETORIA DE HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO CENTRO DE HIDROGRAFIA DA MARINHA Rua Barão de Jaceguay, s/n o - Ponta d Areia 24048-900 - Niterói, RJ,

Leia mais

AVISOS AOS NAVEGANTES

AVISOS AOS NAVEGANTES DH23 ISSN 1679-429X NENHUM AVISO DIRETORIA DE HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO CENTRO DE HIDROGRAFIA DA MARINHA Rua Barão de Jaceguay s/nº - Ponta da Areia 24048-900 - Niterói, RJ, Brasil Tel/Fax: 0XX21-2189-3210

Leia mais

AVISOS AOS NAVEGANTES

AVISOS AOS NAVEGANTES DH23 ISSN 1679-429X NENHUM AVISO DIRETORIA DE HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO CENTRO DE HIDROGRAFIA DA MARINHA Rua Barão de Jaceguay s/nº - Ponta da Areia 24048-900 - Niterói, RJ, Brasil Tel/Fax: 0XX21-2189-3210

Leia mais

Informações do Porto de Ilha Guaíba

Informações do Porto de Ilha Guaíba Informações do Porto de Ilha Guaíba Sumário 1. Introdução... 3 2. História e Desenvovimento do Porto... 3 3. Vista Panorâmica de Ilha Guaíba... 4 4. Infra-Estrutura Portuária... 4 4.1. Localização... 4

Leia mais

Informações do Porto de Sepetiba

Informações do Porto de Sepetiba Sumário 1. Introdução... 03 2. História e Desenvolvimento do Porto... 03 3. Vista Paronâmica de Sepetiba... 04 4. Infra-Estrutura Portuária... 04 4.1. Localização... 04 4.2. Cartas de Navegação... 05 4.3.

Leia mais

AVISOS AOS NAVEGANTES (NOTICES TO MARINERS)

AVISOS AOS NAVEGANTES (NOTICES TO MARINERS) DH21 ISSN 0104-3102 AVISOS 103 A 115 DIRETORIA DE HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO CENTRO DE HIDROGRAFIA DA MARINHA Rua Barão de Jaceguay s/n o - Ponta d'areia 24048-900 - Niterói, RJ, Brasil Tel/Fax: 0XX21-2189-3210

Leia mais

AVISOS AOS NAVEGANTES

AVISOS AOS NAVEGANTES DH21 ISSN 0104-3102 AVISOS 105 A 109 DIRETORIA DE HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO CENTRO DE HIDROGRAFIA DA MARINHA Rua Barão de Jaceguay s/nº - Ponta da Armação 24048-900 - Niterói, RJ, Brasil Tel/Fax: 0XX21-2189-3210

Leia mais

CAPÍTULO 3 LANCHA DE PRÁTICO, LANCHA DE APOIO E ATALAIA SEÇÃO I CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES

CAPÍTULO 3 LANCHA DE PRÁTICO, LANCHA DE APOIO E ATALAIA SEÇÃO I CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES CAPÍTULO 3 LANCHA DE PRÁTICO, LANCHA DE APOIO E ATALAIA SEÇÃO I CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES 0301 - INTRODUÇÃO A Diretoria de Portos e Costas recomenda e incentiva que em cada Zona de Praticagem exista apenas

Leia mais

REGULAMENTO ÚNICO DE BALIZAMENTO ÍNDICE

REGULAMENTO ÚNICO DE BALIZAMENTO ÍNDICE REGULAMENTO ÚNICO DE BALIZAMENTO ÍNDICE Assunto Página 1. REGULAMENTO ÚNICO DE BALIZAMENTO. Margem 3. Margem 4. Mudança de Margem, Sinais Visuais Cegos Fixos Situados na Margem 5. Mudança de Margem, Sinais

Leia mais

AVISOS AOS NAVEGANTES

AVISOS AOS NAVEGANTES DH22 ISSN 1679-4281 MARINHA DO BRASIL HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO AVISO 68 DIRETORIA DE HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO CENTRO DE HIDROGRAFIA DA MARINHA Rua Barão de Jaceguay, s/n o - Ponta d Areia 24048-900 - Niterói,

Leia mais

AVISOS AOS NAVEGANTES (NOTICES TO MARINERS)

AVISOS AOS NAVEGANTES (NOTICES TO MARINERS) DH21 ISSN 0104-3102 AVISOS 91 A 104 DIRETORIA DE HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO CENTRO DE HIDROGRAFIA DA MARINHA Rua Barão de Jaceguay s/nº - Ponta da Armação 24048-900 - Niterói, RJ, Brasil Tel/Fax: 0XX21-2189-3210

Leia mais

PREVISÃO HIDROLÓGICA E ALERTA DE ENCHENTES PANTANAL MATO-GROSSENSE

PREVISÃO HIDROLÓGICA E ALERTA DE ENCHENTES PANTANAL MATO-GROSSENSE PREVISÃO HIDROLÓGICA E ALERTA DE ENCHENTES PANTANAL MATO-GROSSENSE Previsão de Níveis do Pantanal MINISTÉRIO DAS MINAS E ENERGIA MME COMPANHIA DE PESQUISA DE RECURSOS MINERAIS CPRM 1. Descrição da Atividade

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 3.374, DE 2012 (Do Sr. Fernando Jordão)

PROJETO DE LEI N.º 3.374, DE 2012 (Do Sr. Fernando Jordão) CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 3.374, DE 2012 (Do Sr. Fernando Jordão) Torna obrigatória a colocação de sinalização náutica de restrição para entrada de embarcações motorizadas / Jet skis em áreas

Leia mais

PREVISÃO HIDROLÓGICA E ALERTA DE ENCHENTES PANTANAL MATO-GROSSENSE

PREVISÃO HIDROLÓGICA E ALERTA DE ENCHENTES PANTANAL MATO-GROSSENSE PREVISÃO HIDROLÓGICA E ALERTA DE ENCHENTES PANTANAL MATO-GROSSENSE Previsão de Níveis do Pantanal MINISTÉRIO DAS MINAS E ENERGIA MME COMPANHIA DE PESQUISA DE RECURSOS MINERAIS CPRM 1. Descrição da Atividade

Leia mais

PORTO DE PELOTAS PLANO DE DESENVOLVIMENTO E ZONEAMENTO PORTUÁRIO

PORTO DE PELOTAS PLANO DE DESENVOLVIMENTO E ZONEAMENTO PORTUÁRIO PORTO DE PELOTAS PLANO DE DESENVOLVIMENTO E ZONEAMENTO PORTUÁRIO Í N D I C E Aprovações e Alterações Resolução nº. 011, de 11 de Fevereiro de 2010, do Conselho de Autoridade Portuária do Porto de Pelotas/RS

Leia mais

CANAL DE ACESSO DO PORTO DE PARANAGUÁ : ASPECTOS SOB A ÉGIDE DA AUTORIDADE MARÍTIMA BRASILEIRA (AMB)

CANAL DE ACESSO DO PORTO DE PARANAGUÁ : ASPECTOS SOB A ÉGIDE DA AUTORIDADE MARÍTIMA BRASILEIRA (AMB) CANAL DE ACESSO DO PORTO DE PARANAGUÁ : ASPECTOS SOB A ÉGIDE DA AUTORIDADE MARÍTIMA BRASILEIRA (AMB) SUMÁRIO A QUESTÃO DA SEGURANÇA DA NAVEGAÇÃO SITUAÇÃO ATUAL DO CANAL DE ACESSO AOPORTO DE PARANAGUÁ A

Leia mais

AVISOS AOS NAVEGANTES

AVISOS AOS NAVEGANTES AVISOS 4 A 7 DIRETORIA DE HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO CENTRO DE HIDROGRAFIA DA MARINHA Rua Barão de Jaceguay s/nº - Ponta da Armação 24048-900 - Niterói, RJ, Brasil Tel/Fax: 0XX21-2613-8210 / 2620-0073 Internet:

Leia mais

REGULAMENTO PARA PREVENIR ABALROAMENTOS NA HIDROVIA PARAGUAI-PARANÁ (Porto Cáceres - Porto de Nova Palmira) (Aprovado pela XVª Reunião do CIH) ÍNDICE

REGULAMENTO PARA PREVENIR ABALROAMENTOS NA HIDROVIA PARAGUAI-PARANÁ (Porto Cáceres - Porto de Nova Palmira) (Aprovado pela XVª Reunião do CIH) ÍNDICE REGULAMENTO PARA PREVENIR ABALROAMENTOS NA HIDROVIA PARAGUAI-PARANÁ (Porto Cáceres - Porto de Nova Palmira) (Aprovado pela XVª Reunião do CIH) ÍNDICE Assunto Página 1. PARTE A - GENERALIDADES 3 2. Regra

Leia mais

AVISOS AOS NAVEGANTES

AVISOS AOS NAVEGANTES DH21 ISSN 0104-3102 AVISOS 113 A 115 DIRETORIA DE HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO CENTRO DE HIDROGRAFIA DA MARINHA Rua Barão de Jaceguay s/n o - Ponta d'areia 24048-900 - Niterói, RJ, Brasil Tel/Fax: 0XX21-2189-3210

Leia mais

AVISOS AOS NAVEGANTES

AVISOS AOS NAVEGANTES DH21 ISSN 0104-3102 AVISOS 100 A 103 DIRETORIA DE HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO CENTRO DE HIDROGRAFIA DA MARINHA Rua Barão de Jaceguay s/n o - Ponta d'areia 24048-900 - Niterói, RJ, Brasil Tel/Fax: 0XX21-2189-3210

Leia mais

CADASTRO DE VISTORIA

CADASTRO DE VISTORIA 01 - Empresa: COMPANHIA VALE DO RIO DOCE - CVRD 02 - Endereço da Sede (Rua, Avenida, etc) Avenida Dante Micheline 04 - Complemento: Ponta de Tubarão 08 - CEP: 29090-900 11 CNPJ/MF: (Sede) 33 592 510 /

Leia mais

CAPÍTULO IV - DAS INFRAÇÕES E PENALIDADES Seção I - Das Disposição Gerais

CAPÍTULO IV - DAS INFRAÇÕES E PENALIDADES Seção I - Das Disposição Gerais CAPÍTULO 12 REGULAMENTO DE SEGURANÇA DO TRÁFEGO AQUAVIÁRIO EM ÁGUAS SOB JURISDIÇAO NACIONAL (RLESTA) Em 11 de Dezembro de 1997 foi promulgada a Lei nä 9.537, que dispçe sobre a SEGURANÇA DO TRÁFEGO AQUAVIÁRIO

Leia mais

ROTEIRO COSTA LESTE DO CABO CALCANHAR AO CABO FRIO ILHAS OCEÂNICAS DIRETORIA DE HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO CENTRO DE HIDROGRAFIA DA MARINHA BRASIL

ROTEIRO COSTA LESTE DO CABO CALCANHAR AO CABO FRIO ILHAS OCEÂNICAS DIRETORIA DE HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO CENTRO DE HIDROGRAFIA DA MARINHA BRASIL MARINHA DO BRASIL HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO ROTEIRO COSTA LESTE DO CABO CALCANHAR AO CABO FRIO ILHAS OCEÂNICAS DIRETORIA DE HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO CENTRO DE HIDROGRAFIA DA MARINHA BRASIL 12ª EDIÇÃO 03 2ª

Leia mais

MARINHA DO BRASIL HIDROVIA PARAGUAI-PANANÁ

MARINHA DO BRASIL HIDROVIA PARAGUAI-PANANÁ MARINHA DO BRASIL HIDROVIA PARAGUAI-PANANÁ 1 SUMÁRIO A definição da Hidrovia Paraguai Paraná(HPP); Antecedentes; Órgãos componentes; Carga exportada e importada; Autoridade Marítima Brasileira e as regulamentações;

Leia mais

REPORTE NACIONAL DO BRASIL. CHATSO 9ª Reunião Montevidéu/2015

REPORTE NACIONAL DO BRASIL. CHATSO 9ª Reunião Montevidéu/2015 DO BRASIL CHATSO 9ª Reunião Montevidéu/2015 Roteiro: Levantamentos Hidrográficos (LH) realizados em 2014; Novos meios e equipamentos; Situação do Plano Cartográfico Náutico; Cartas náuticas eletrônicas

Leia mais

OSTENSIVO D -1 NPCP-RJ

OSTENSIVO D -1 NPCP-RJ ANEXO D-1 PROGRAMA DE TREINAMENTO E QUALIFICAÇÃO PARA PRATICANTE DE PRÁTICO NOS PORTOS E TERMINAIS DO RIO DE JANEIRO/NITERÓI NOME DO PRATICANTE DE PRÁTICO: INÍCIO DA QUALIFICAÇÃO: / / DATA LIMITE: / /

Leia mais

Definições (NORMAM-2)

Definições (NORMAM-2) Definições (NORMAM-2) Embarcação - Qualquer construção, inclusive as plataformas flutuantes e as fixas quando rebocadas, sujeita a inscrição na autoridade marítima e suscetível de se locomover na água,

Leia mais

CAPÍTULO 2 DOTAÇÃO DE EQUIPAMENTOS, SISTEMAS, E PUBLI- CAÇÕES DE NAVEGAÇÃO

CAPÍTULO 2 DOTAÇÃO DE EQUIPAMENTOS, SISTEMAS, E PUBLI- CAÇÕES DE NAVEGAÇÃO - 2-1 - CAPÍTULO 2 DOTAÇÃO DE EQUIPAMENTOS, SISTEMAS, E PUBLI- CAÇÕES DE NAVEGAÇÃO Seção I Dotação de equipamentos e sistemas de navegação O material relacionado nesta Norma se limita aos equipamentos

Leia mais

ROTEIRO COSTA SUL DO CABO FRIO AO ARROIO CHUÍ LAGOAS DOS PATOS E MIRIM DIRETORIA DE HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO CENTRO DE HIDROGRAFIA DA MARINHA BRASIL

ROTEIRO COSTA SUL DO CABO FRIO AO ARROIO CHUÍ LAGOAS DOS PATOS E MIRIM DIRETORIA DE HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO CENTRO DE HIDROGRAFIA DA MARINHA BRASIL MARINHA DO BRASIL HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO ROTEIRO COSTA SUL DO CABO FRIO AO ARROIO CHUÍ LAGOAS DOS PATOS E MIRIM DIRETORIA DE HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO CENTRO DE HIDROGRAFIA DA MARINHA BRASIL 12ª EDIÇÃO

Leia mais

Av. Mauá, nº 1.050 Centro Porto Alegre CEP 90010-110 Telefone: 3288-9200 e-mail: executiva@sph.rs.gov.br

Av. Mauá, nº 1.050 Centro Porto Alegre CEP 90010-110 Telefone: 3288-9200 e-mail: executiva@sph.rs.gov.br Av. Mauá, nº 1.050 Centro Porto Alegre CEP 90010-110 Telefone: 3288-9200 e-mail: executiva@sph.rs.gov.br PORTO DE PORTO ALEGRE Histórico: Início da obra: 28 de outubro de 1911, pelo Governo Federal construído

Leia mais

NORMA DE TRÁFEGO MARÍTIMO PERMANÊNCIA NOS PORTOS PARANAGUÁ E ANTONINA

NORMA DE TRÁFEGO MARÍTIMO PERMANÊNCIA NOS PORTOS PARANAGUÁ E ANTONINA NORMA DE TRÁFEGO MARÍTIMO E PERMANÊNCIA NOS PORTOS DE PARANAGUÁ E ANTONINA EDIÇÃO 2012 Normas de Tráfego Marítimo e Permanência p. 1 ÍNDICE ITEM PÁGINA CAPÍTULO 1 OBJETO... 3 CAPÍTULO 2 DEFINIÇÕES...4

Leia mais

Sec. XIX Porta de entrada dos imigrantes e comércio fluvial. 2001-1905 Primeiro estudos técnicos 1914 Construção do molhe sul 1938 Primeiro trecho do

Sec. XIX Porta de entrada dos imigrantes e comércio fluvial. 2001-1905 Primeiro estudos técnicos 1914 Construção do molhe sul 1938 Primeiro trecho do Sec. XIX Porta de entrada dos imigrantes e comércio fluvial. 2001-1905 Primeiro estudos técnicos 1914 Construção do molhe sul 1938 Primeiro trecho do cais (233m) 1950/56 Complementação do cais (total 703m)

Leia mais

AVISOS AOS NAVEGANTES (NOTICES TO MARINERS)

AVISOS AOS NAVEGANTES (NOTICES TO MARINERS) DH21 ISSN 0104-3102 MARINHA DO BRASIL HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO AVISOS 1 a 6 DIRETORIA DE HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO CENTRO DE HIDROGRAFIA DA MARINHA Rua Barão de Jaceguay, s/n o - Ponta d Areia 24048-900 -

Leia mais

NORMAM-12 - ANEXO 4-A - RELAÇÃO DAS ZONAS DE PRATICAGEM

NORMAM-12 - ANEXO 4-A - RELAÇÃO DAS ZONAS DE PRATICAGEM NORMAM-12 - ANEXO 4-A - RELAÇÃO DAS ZONAS DE PRATICAGEM 1 - ZP-FAZENDINHA (AP) - ITACOATIARA (AM) Esta Zona de Praticagem está compreendida a partir do paralelo 00º 03 S (Fazendinha- AP) para o interior

Leia mais

REGULAMENTO DO TERMINAL MARÍTIMO DE PONTA DA MADEIRA

REGULAMENTO DO TERMINAL MARÍTIMO DE PONTA DA MADEIRA REGULAMENTO DO TERMINAL MARÍTIMO DE PONTA DA MADEIRA S U M Á R I O TÍTULO I... 03 Normas gerais... 03 TÍTULO II... 04 Informações sobre o Terminal... 04 Seção 1. Introdução... 04 Seção 2. Vista Panorâmica

Leia mais

SUPLEMENTO Arrais-Amador No final deste suplemento você tem uma prova com 40 questões, nos mesmos moldes da prova da Marinha.

SUPLEMENTO Arrais-Amador No final deste suplemento você tem uma prova com 40 questões, nos mesmos moldes da prova da Marinha. SUPLEMENTO Arrais-Amador No final deste suplemento você tem uma prova com 40 questões, nos mesmos moldes da prova da Marinha. LEGISLAÇÃO NÁUTICA 1) Todo material e equipamento destinado a segurança da

Leia mais

MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE PORTOS E COSTAS

MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE PORTOS E COSTAS MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE PORTOS E COSTAS NORMAS DA AUTORIDADE MARÍTIMA PARA ESTABELECER CONDIÇÕES E REQUISITOS PARA CONCESSÃO E DELEGAÇÃO DAS ATIVIDADES DE ASSISTÊNCIA E SALVAMENTO DE EMBARCAÇÃO,

Leia mais

CAPÍTULO 4 PROCEDIMENTOS ESPECIAIS SEÇÃO I RESTRIÇÕES OPERACIONAIS

CAPÍTULO 4 PROCEDIMENTOS ESPECIAIS SEÇÃO I RESTRIÇÕES OPERACIONAIS CAPÍTULO 4 PROCEDIMENTOS ESPECIAIS SEÇÃO I RESTRIÇÕES OPERACIONAIS 0401 - PROPÓSITO Orientar os procedimentos necessários ao estabelecimento de restrições operacionais nos portos, terminais e seus acessos

Leia mais

RIO AMAZONAS, DA BARRA NORTE AO PORTO DE SANTANA

RIO AMAZONAS, DA BARRA NORTE AO PORTO DE SANTANA (Folheto nº 8/12) RIO AMAZONAS, DA BARRA NORTE AO PORTO DE SANTANA 1º 0º 2º W 1º 0º AMAPÁ ILHA VITÓRIA I. do Franco I. do Curuá 2 4 Ilha Caviana de Dentro 3 Pta. de Santarém 1 I. Janaucu 2 I. Viçosa Ilha

Leia mais

PROCESSO DE OPERAÇÃO Nº TF-00001 REV 01 PORTO DO AÇU FOLHA: 1 DE 5

PROCESSO DE OPERAÇÃO Nº TF-00001 REV 01 PORTO DO AÇU FOLHA: 1 DE 5 PROCESSO DE OPERAÇÃO Nº TF-00001 REV 01 SET-15 PORTO DO AÇU FOLHA: 1 DE 5 ÁREA: OPERAÇÃO GERAL TARIFAS PORTUÁRIAS DO AÇU - TERMINAL 2 (T2) ÍNDICE DE REVISÕES REV DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS 01 INCLUÍDA

Leia mais

CARTA DE SERVIÇOS AO CIDADÃO

CARTA DE SERVIÇOS AO CIDADÃO 1 2 Ficha Catalográfica Brasil. Comando do 6º Distrito Naval. Capitania Fluvial do Pantanal. Carta de Serviços ao Cidadão/ Comando do 6º Distrito Naval. Capitania Fluvial do Pantanal. Delegacia Fluvial

Leia mais

MARINHA DO BRASIL CAPITANIA FLUVIAL DO PANTANAL NORMAS E PROCEDIMENTOS DA CAPITANIA FLUVIAL DO PANTANAL - NPCF - 2006 FINALIDADE - NORMATIVA

MARINHA DO BRASIL CAPITANIA FLUVIAL DO PANTANAL NORMAS E PROCEDIMENTOS DA CAPITANIA FLUVIAL DO PANTANAL - NPCF - 2006 FINALIDADE - NORMATIVA MARINHA DO BRASIL CAPITANIA FLUVIAL DO PANTANAL NORMAS E PROCEDIMENTOS DA CAPITANIA FLUVIAL DO PANTANAL - NPCF - 2006 FINALIDADE - NORMATIVA LISTA DE PÁGINAS EM VIGOR ELEMENTOS NÚMERO DE PÁGINAS COMPONENTES

Leia mais

DIRETORIA DE HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO

DIRETORIA DE HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO NORMAS DA AUTORIDADE MARÍTIMA PARA AUXÍLIOS À NAVEGAÇÃO NORMAM-17/DHN 3 ª EDIÇÃO 2008 FOLHA REGISTRO DE MODIFICAÇÕES (FRM) Nº DA MODIFICAÇÃO 1 2 EXPEDIENTE

Leia mais

A visão empresarial da operação da hidrovia Paraguai Paraná

A visão empresarial da operação da hidrovia Paraguai Paraná A visão empresarial da operação da hidrovia Paraguai Paraná 2o S eminário Internacional s obre Hidrovias B ras ília, 29 de Ag os to de 2007 Jos é Luiz de C arvalho Introdução Não podemos dizer que apresentaremos

Leia mais

AVISOS AOS NAVEGANTES (NOTICES TO MARINERS)

AVISOS AOS NAVEGANTES (NOTICES TO MARINERS) DH21 AVISOS 1 A 4 ATENÇÃO (ATTENTION) NOVA FORMATAÇÃO (NEW FORMAT) Informações na SEÇÃO VI, NOTAS AOS USUÁRIOS, item 7 Information in the end of SECTION VII, NOTE TO USERS DIRETORIA DE HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO

Leia mais

INSTRUÇÃO DE REGATAS. Apoio: ABVO

INSTRUÇÃO DE REGATAS. Apoio: ABVO INSTRUÇÃO DE REGATAS Apoio: ABVO MINICIRCUITO RIO 2013 VELEIROS DA CLASSE OCEANO ATÉ 32 Embarcações medidas na ORC ou RGS Classes Monotipo: J 24, Velamar 22, Ranger 22, Veleiros 23, Skipper 21, Angra 21,

Leia mais

TRIBUNAL MARÍTIMO PROCESSO N0 19.663/01 ACÓRDÃO

TRIBUNAL MARÍTIMO PROCESSO N0 19.663/01 ACÓRDÃO TRIBUNAL MARÍTIMO PROCESSO N0 19.663/01 ACÓRDÃO Aerobarco FLECHA DE IPANEMA e Chata DIALCAR II. Abalroação entre aerobarco e comboio formado por rebocador e chata, provocando avarias na proa do aerobarco,

Leia mais

AVISOS AOS NAVEGANTES

AVISOS AOS NAVEGANTES DH21 ISSN 0104-3102 AVISOS 1 A 2 DIRETORIA DE HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO CENTRO DE HIDROGRAFIA DA MARINHA Rua Barão de Jaceguay s/n o - Ponta d'areia 24048-900 - Niterói, RJ, Brasil Tel/Fax: 0XX21-2189-3210

Leia mais

DECRETO Nº 53.526, DE 8 DE OUTUBRO DE 2008: Cria a Área de Proteção Ambiental Marinha do Litoral Centro, e dá providências correlatas.

DECRETO Nº 53.526, DE 8 DE OUTUBRO DE 2008: Cria a Área de Proteção Ambiental Marinha do Litoral Centro, e dá providências correlatas. DECRETO Nº 53.526, DE 8 DE OUTUBRO DE 2008: Cria a Área de Proteção Ambiental Marinha do Litoral Centro, e dá providências correlatas. JOSÉ SERRA, Governador do Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições

Leia mais

REDE DE MONITORAMENTO HIDROMETEOROLÓGICO PARA A BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO TUBARÃO SC

REDE DE MONITORAMENTO HIDROMETEOROLÓGICO PARA A BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO TUBARÃO SC REDE DE MONITORAMENTO HIDROMETEOROLÓGICO PARA A BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO TUBARÃO SC FLORIANÓPOLIS OUTUBRO 2011 1 O presente documento é o resultado da viagem solicitada pelo chefe do Ciram Edson Silva

Leia mais

TUP (TERMINAL DE USO PRIVADO)

TUP (TERMINAL DE USO PRIVADO) TUP (TERMINAL DE USO PRIVADO) A HISTÓRICO. O TUP do Estaleiro Brasa Ltda foi o primeiro Terminal de Uso Privado autorizado pela Secretaria de Portos da Presidência da Republica (SEP/PR) com a interveniência

Leia mais

ahrana A HIDROVIA DO RIO PARANÁ Administração da Hidrovia do Paraná Outubro de 2005

ahrana A HIDROVIA DO RIO PARANÁ Administração da Hidrovia do Paraná Outubro de 2005 1 ahrana Administração da Hidrovia do Paraná Outubro de 2005 A HIDROVIA DO RIO PARANÁ 2 A AHRANA A Administração da Hidrovia do Paraná, órgão subordinado ao DNIT Departamento Nacional de Infra-Estrutura

Leia mais

Instruções para homologação de estações estabelecidas por outras instituições

Instruções para homologação de estações estabelecidas por outras instituições Instruções para homologação de estações estabelecidas por outras instituições ESTAÇÃO GPS Para homologação e integração de estações determinadas por outros órgãos e instituições ao Sistema Geodésico Brasileiro

Leia mais

MARINHA DO BRASIL CAPITANIA FLUVIAL DO SÃO FRANCISCO

MARINHA DO BRASIL CAPITANIA FLUVIAL DO SÃO FRANCISCO JO/JC/20 021.2 CAPITANIA FLUVIAL DO SÃO FRANCISCO PORTARIA Nº 33/CFSF DE 3 JUNHO 2015. Estabelece as diretrizes para o credenciamento de Entidades que atuarão como Escolas Náuticas na Jurisdição da Capitania

Leia mais

A Modernização dos Portos Brasileiros para a Copa do Mundo de 2014

A Modernização dos Portos Brasileiros para a Copa do Mundo de 2014 A Modernização dos Portos Brasileiros para a Copa do Mundo de 2014 TIAGO PEREIRA LIMA Diretor da ANTAQ Rio de Janeiro, 29 de setembro de 2010 A ANTAQ E A ESTRUTURA DO ESTADO UNIÃO Poder Executivo ANTAQ

Leia mais

PROJETO BÁSICO COM DETALHAMENTO CONSTRUTIVO DOS MOLHES DE FIXAÇÃO DA BARRA DO RIO ARARANGUÁ, MUNICÍPIO DE ARARANGUÁ (SC)

PROJETO BÁSICO COM DETALHAMENTO CONSTRUTIVO DOS MOLHES DE FIXAÇÃO DA BARRA DO RIO ARARANGUÁ, MUNICÍPIO DE ARARANGUÁ (SC) PROJETO BÁSICO COM DETALHAMENTO CONSTRUTIVO DOS MOLHES DE FIXAÇÃO DA BARRA DO RIO ARARANGUÁ, MUNICÍPIO DE ARARANGUÁ (SC) PRODUTO IV: INVESTIGAÇÕES GEOTÉCNICAS SONDAGEM EM MAR ABERTO POR JET PROBE Preparado

Leia mais

CAPÍTULO 4 PROCEDIMENTOS ESPECIAIS. Divulgar os procedimentos especiais e estabelecer as limitações para os portos/terminais e seus acessos.

CAPÍTULO 4 PROCEDIMENTOS ESPECIAIS. Divulgar os procedimentos especiais e estabelecer as limitações para os portos/terminais e seus acessos. CAPÍTULO 4 PROCEDIMENTOS ESPECIAIS 0401 - PROPÓSITO Divulgar os procedimentos especiais e estabelecer as limitações para os portos/terminais e seus acessos. 0402 - COORDENAÇÃO O Capitão dos Portos, por

Leia mais

Capítulo 1 Identificação da Instalação Portuária

Capítulo 1 Identificação da Instalação Portuária Capítulo 1 Identificação da Instalação Portuária 1 IDENTIFICAÇÃO DA INSTALAÇÃO PORTUÁRIA 1.1 NOME DA INSTALAÇÃO PORTUÁRIA Porto do Forno 1.2 NOME DA AUTORIDADE PORTUÁRIA Companhia Municipal de Administração

Leia mais

Cartas de Navegador de Recreio

Cartas de Navegador de Recreio Pessoa Coletiva de Utilidade Pública Cartas de Navegador de Recreio (Principiante, Marinheiro, Patrão Local, Patrão de Costa e Radiotelefonista Classe A VHF) Ficha de Informações A BÚZIOS Associação de

Leia mais

CAPITANIA DO PORTO DA HORTA

CAPITANIA DO PORTO DA HORTA S. R. MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL MARINHA AUTORIDADE MARÍTIMA NACIONAL CAPITANIA DO PORTO DA HORTA EDITAL N.º 1/2009 INSTRUÇÕES PARA A NAVEGAÇÃO E PERMANÊNCIA NO ESPAÇO DE JURISDIÇÃO MARÍTIMA DA CAPITANIA

Leia mais

FICHA DESCRITIVA DE ESTAÇÃO FLUVIOMÉTRICA

FICHA DESCRITIVA DE ESTAÇÃO FLUVIOMÉTRICA FICHA DESCRITIVA DE ESTAÇÃO FLUVIOMÉTRICA Prefeitura Porto Acre Fluviométrica 13610000 Curso d água Bacia Hidrográfica Área de Drenagem REFERÊNCIA CARTOGRÁFICA Carta Folha Escala Ano Latitude Longitude

Leia mais

AVISOS AOS NAVEGANTES

AVISOS AOS NAVEGANTES 2002 FOLHETO Nº 17 ISSN 0104-3102 AVISOS AOS NAVEGANTES (VENDA PROIBIDA) AVISOS NºS 112 a 121 15 de setembro de 2002 S U M Á R I O I - INFORMAÇÕES GERAIS II - AVISOS-RÁDIO III - CORREÇÕES ÀS CARTAS NÁUTICAS

Leia mais

Hidrovia Paraguai-ParanáParaná

Hidrovia Paraguai-ParanáParaná Hidrovia Paraguai-ParanáParaná A Hidrovia Paraguai-Paraná é um dos mais extensos e importantes eixos continentais de integração política, social e econômica. Ela corta metade da América do Sul, vai desde

Leia mais

P R O J E T O D E P E S Q U IS A IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO. Título: Projeto de Portos no Amazonas. Aluno Pesquisador:Ricardo Almeida Sanches

P R O J E T O D E P E S Q U IS A IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO. Título: Projeto de Portos no Amazonas. Aluno Pesquisador:Ricardo Almeida Sanches P R O J E T O D E P E S Q U IS A IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO Título: Projeto de Portos no Amazonas Aluno Pesquisador:Ricardo Almeida Sanches Curso: Engenharia Civil Duração: fevereiro de 2008 a junho de 2008

Leia mais

NORMAS DE TRÁFEGO NAS ECLUSAS DA HIDROVIA DO TOCANTINS

NORMAS DE TRÁFEGO NAS ECLUSAS DA HIDROVIA DO TOCANTINS NORMAS DE TRÁFEGO NAS ECLUSAS DA HIDROVIA DO TOCANTINS M A PA TO JULHO/2011 1ª PUBLICAÇÃO NORMAS DE TRÁFEGO NAS ECLUSAS DA HIDROVIA DO TOCANTINS 1ª PUBLICAÇÃO TUCURUÍ PARÁ JULHO/2011 APRESENTAÇÃO Esta

Leia mais

ADENDO A DO APÊNDICE V AO ANEXO E CONCEITO DA OPERAÇÃO DO PLANO DE COOPERAÇÃO DE BUSCA E SALVAMENTO

ADENDO A DO APÊNDICE V AO ANEXO E CONCEITO DA OPERAÇÃO DO PLANO DE COOPERAÇÃO DE BUSCA E SALVAMENTO PLAO DE AUXÍLIO MÚTUO MARÍTIMO PAM-M ADEDO A DO APÊDICE V AO AEXO E COCEITO DA OPERAÇÃO DO 1. Conceituação: 1.1. AR - abreviatura do inglês "search and rescue" - Busca e alvamento - correspondente a socorro,

Leia mais

HIDROVIA SOLIMÕES - AMAZONAS

HIDROVIA SOLIMÕES - AMAZONAS HIDROVIA SOLIMÕES - AMAZONAS MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DNIT Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes CODOMAR Companhia Docas do Maranhão AHIMOC Administração das Hidrovias da Amazônia Ocidental

Leia mais

Monitoramento de manobras de navios No Documento: 2015/016 REV 1

Monitoramento de manobras de navios No Documento: 2015/016 REV 1 Página 1 Sismar Software O SISMAR, sistema de monitoramento de manobras de navios com dados ambientais integrados, tem objetivo de monitorar os processos de atracação, desatracação e ainda fornecer informações

Leia mais

MARINHA DO BRASIL CAPITANIA DOS PORTOS DO MARANHÃO

MARINHA DO BRASIL CAPITANIA DOS PORTOS DO MARANHÃO MARINHA DO BRASIL CAPITANIA DOS PORTOS DO MARANHÃO APRESENTAÇÃO PARA A FEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES EM TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS E AFINS - FNTTAA 15/09/2010 SUMÁRIO A AUTORIDADE MARÍTIMA MISSÃO ÁREA

Leia mais

ANEXO VII - TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO VII - TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO VII - TERMO DE REFERÊNCIA DERROCAMENTO DE PEDRAIS PARA DESOBSTRUÇÃO E ALARGAMENTO DA FAIXA NAVEGÁVEL DO RIO SÃO FRANCISCO, ENTRE SOBRADINHO E JUAZEIRO-BA/PETROLINA-PE ANEXO VII - TERMO DE REFERÊNCIA

Leia mais

REGRAS DE MANOBRA E SINALIZAÇÃO NÁUTICA

REGRAS DE MANOBRA E SINALIZAÇÃO NÁUTICA REGRAS DE MANOBRA E SINALIZAÇÃO NÁUTICA MARÍTIMO Sumário 1 Manobras para evitar colisão... 5 1.1 Introdução... 5 1.2 Regras manobra nas situações mais comuns... 6 1.2.1 Situação Roda a Roda... 6 1.2.2

Leia mais

International Projects Logistics

International Projects Logistics International Projects Logistics VALE e a utilização das hidrovias DEEB 01.10.08 Novembro 2009 Apresentação para Câmara dos Deputados Vale e a utilização das hidrovias Mina de Urucum Corumbá Localização

Leia mais

TRIBUNAL MARÍTIMO PROCESSO N0 20.217/03 ACÓRDÃO

TRIBUNAL MARÍTIMO PROCESSO N0 20.217/03 ACÓRDÃO TRIBUNAL MARÍTIMO PROCESSO N0 20.217/03 ACÓRDÃO N/M "RUBENS". Colisão com terminal de granéis sólidos. Falha do motor propulsor, devido a avaria do diafragma da válvula termo eletromagnética do motor propulsor.

Leia mais

RESOLUÇÃO N.º 001/2013

RESOLUÇÃO N.º 001/2013 RESOLUÇÃO N.º 001/2013 Regulamenta os cursos técnicos da Modalidade do Mar, os distintivos de adultos da Modalidade do Mar, as Coordenações Regionais de Escoteiros do Mar e dá sugestões para a padronização

Leia mais

RESOLUÇÃO DP Nº 122.2014, DE 01 DE OUTUBRO DE 2014.

RESOLUÇÃO DP Nº 122.2014, DE 01 DE OUTUBRO DE 2014. RESOLUÇÃO DP Nº 122.2014, DE 01 DE OUTUBRO DE 2014. ESTABELECE PROCEDIMENTOS PARA O USO POR TERCEIROS DO POLÍGONO DE DISPOSIÇAO OCEÂNICA (PDO) DE SEDIMENTOS DRAGADOS, GERENCIADO PELA CODESP. O DIRETOR-PRESIDENTE

Leia mais

COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DE DEFESA NACIONAL PROJETO DE LEI Nº 668, DE 2015

COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DE DEFESA NACIONAL PROJETO DE LEI Nº 668, DE 2015 COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DE DEFESA NACIONAL PROJETO DE LEI Nº 668, DE 2015 Determina a obrigatoriedade de demarcação das áreas de pesca, lazer ou recreação das praias banhadas por mar, lagoas

Leia mais

MARINHA DO BRASIL. Diretoria de Portos e Costas A A PRATICAGEM NO BRASIL

MARINHA DO BRASIL. Diretoria de Portos e Costas A A PRATICAGEM NO BRASIL MARINHA DO BRASIL Diretoria de Portos e Costas A A PRATICAGEM NO BRASIL Paulo José Rodrigues de Carvalho Vice-Almirante Diretor Sítio: WWW.DPC.MAR.MIL.BR (Internet) SUMÁRIO Principais atribuições da DPC

Leia mais

TRIBUNAL MARÍTIMO PROCESSO Nº 19.093/2000 ACÓRDÃO

TRIBUNAL MARÍTIMO PROCESSO Nº 19.093/2000 ACÓRDÃO TRIBUNAL MARÍTIMO PROCESSO Nº 19.093/2000 ACÓRDÃO Comboio Integrado pelas Chatas TQ-61 / TQ-38 com o empurrador TQ-25 e o batelão areeiro ER-II. Abalroação provocando avarias e o naufrágio parcial do batelão,

Leia mais

TRIBUNAL MARÍTIMO PROCESSO Nº 19.043/00 ACÓRDÃO

TRIBUNAL MARÍTIMO PROCESSO Nº 19.043/00 ACÓRDÃO TRIBUNAL MARÍTIMO PROCESSO Nº 19.043/00 ACÓRDÃO Veleiro NIGHT JAR. Encalhe em banco de areia, resultando em naufrágio com perda total da embarcação, sem vítimas. Tráfego da embarcação em região de bancos,

Leia mais

MINISTÉRIO DO EQUIPAMENTO, DO PLANEAMENTO E DA ADMINISTRAÇÃO DO TERRITÓRIO E MINISTÉRIO DO AMBIENTE

MINISTÉRIO DO EQUIPAMENTO, DO PLANEAMENTO E DA ADMINISTRAÇÃO DO TERRITÓRIO E MINISTÉRIO DO AMBIENTE MINISTÉRIO DO EQUIPAMENTO, DO PLANEAMENTO E DA ADMINISTRAÇÃO DO TERRITÓRIO E MINISTÉRIO DO AMBIENTE DECRETO-LEI N.º 344-A/98 DE 6 DE NOVEMBRO, QUE APROVA O REGULAMENTO DA VIA NAVEGÁVEL DO DOURO O Decreto-Lei

Leia mais

O porto é administrado pela Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp).

O porto é administrado pela Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp). PORTO DE SANTOS ORIGEM A expansão da cultura do café na província de São Paulo, na segunda metade do século passado, atingindo a Baixada Santista, originou a necessidade de novas instalações portuárias

Leia mais

COMPANHIA DOCAS DO RIO GRANDE DO NORTE

COMPANHIA DOCAS DO RIO GRANDE DO NORTE COMPANHIA DOCAS DO RIO GRANDE DO NORTE SEDE: Av. Engº Hildebrando de Góis, 220 Ribeira CEP: 59010-700 CGC/MF: 34.040.345/0001-90 Insc.Est.: 20.061.797-4 Natal/RN (084) 4005-5301 FAX: (84) 4005-5320 TERMO

Leia mais

A s. do de. TIAGO PEREIRA LIMA Diretor da ANTAQ São Paulo, 25 de agosto de 2010

A s. do de. TIAGO PEREIRA LIMA Diretor da ANTAQ São Paulo, 25 de agosto de 2010 A Mod erniz ação dos Porto s Brasil eiros para a Copa do Mun do de 2014 TIAGO PEREIRA LIMA Diretor da ANTAQ São Paulo, 25 de agosto de 2010 A ANTAQ E A ESTRUTURA DO ESTADO UNIÃO Poder Executivo Secretaria

Leia mais

Comercialização de grãos. Frota fluvial. Geração. Terminal flutuante. Terminal. Grupo André Maggi. Fundação André Maggi. Originação.

Comercialização de grãos. Frota fluvial. Geração. Terminal flutuante. Terminal. Grupo André Maggi. Fundação André Maggi. Originação. Grupo André Maggi Comercialização de grãos Divisão Agro Energia Navegação Originação Processamento Frota fluvial Soja Geração Exportação Terminal Milho Algodão Terminal flutuante Fundação André Maggi Geração

Leia mais

NORMAS DA AUTORIDADE MARÍTIMA PARA EMBARCAÇÕES EMPREGADAS NA NAVEGAÇÃO INTERIOR FOLHA DE REGISTRO DE MODIFICAÇÕES

NORMAS DA AUTORIDADE MARÍTIMA PARA EMBARCAÇÕES EMPREGADAS NA NAVEGAÇÃO INTERIOR FOLHA DE REGISTRO DE MODIFICAÇÕES MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE PORTOS E COSTAS NORMAS DA AUTORIDADE MARÍTIMA PARA EMBARCAÇÕES EMPREGADAS NA NAVEGAÇÃO INTERIOR NORMAM-02/DPC - 2005 - NORMAS DA AUTORIDADE MARÍTIMA PARA EMBARCAÇÕES EMPREGADAS

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA: IMPLANTAÇÃO DA GRADE DE TRILHAS E PARCELAS PERMANENTES NA RESERVA BIOLÓGICA DO UATUMÃ

TERMO DE REFERÊNCIA: IMPLANTAÇÃO DA GRADE DE TRILHAS E PARCELAS PERMANENTES NA RESERVA BIOLÓGICA DO UATUMÃ TERMO DE REFERÊNCIA: IMPLANTAÇÃO DA GRADE DE TRILHAS E PARCELAS PERMANENTES NA RESERVA BIOLÓGICA DO UATUMÃ 1. Objeto Contratação de serviço especializado de topografia plani-altimétrica georeferenciada

Leia mais

TERMO DE CONVÊNIO Nº 89000/2012-026/00

TERMO DE CONVÊNIO Nº 89000/2012-026/00 MARINHA DO BRASIL COMANDO DO 8º DISTRITO NAVAL PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO TERMO DE CONVÊNIO Nº 89000/2012-026/00 PROCESSO Nº 62455.001094/2012-95 CONVÊNIO QUE ENTRE SI CELEBRAM O MUNICÍPIO DE

Leia mais

Título : REGULAMENTO DE ESPORTES NÁUTICOS

Título : REGULAMENTO DE ESPORTES NÁUTICOS REG14 Rev.: 01 Data: 17/07/04 Pág.: 1/11 I ÍNDICE I ÍNDICE... 1 II OBJETIVO... 1 III DESCRIÇÃO... 1 III.1 INSCRIÇÃO, INGRESSO, PERMANÊNCIA, UTILIZAÇÃO E SAÍDA DE EMBARCAÇÕES.... 1 III.2 INGRESSO DE PROEIROS

Leia mais

CAPÍTULO 3 PROCEDIMENTOS PARA NAVIOS NO PORTO SEÇÃO I ENTRADA, PERMANÊNCIA E SAÍDA DO PORTO

CAPÍTULO 3 PROCEDIMENTOS PARA NAVIOS NO PORTO SEÇÃO I ENTRADA, PERMANÊNCIA E SAÍDA DO PORTO CAPÍTULO 3 PROCEDIMENTOS PARA NAVIOS NO PORTO SEÇÃO I ENTRADA, PERMANÊNCIA E SAÍDA DO PORTO 0301 - TRÁFEGO NO PORTO O tráfego no porto obedecerá à legislação vigente, bem como às regras previstas em convenções

Leia mais

Projeto de revisão NBR 13434 Parte 2 Sinalização de segurança contra incêndio e pânico Parte 2: Símbolos e suas formas, dimensões e cores.

Projeto de revisão NBR 13434 Parte 2 Sinalização de segurança contra incêndio e pânico Parte 2: Símbolos e suas formas, dimensões e cores. ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas OUT:2001 Projeto de revisão NBR 13434 Parte 2 Sinalização de segurança contra incêndio e pânico Parte 2: Símbolos e suas formas, dimensões e cores. Sede: Rio

Leia mais

BAIXADA BAYONA PORTO 2014

BAIXADA BAYONA PORTO 2014 BAIXADA BAYONA PORTO 2014 AVISO - INSTRUÇÕES DE REGATA ORGANIZAÇÃO A Autoridade Organizadora constituída Conjuntamente pelo Monte Real Club de Yates de Bayona e pela BBDouro, com o apoio da Douro Marina,

Leia mais

REGULAMENTO UNICO PARA O TRANSPORTE DE MERCADORIAS SOBRE O CONVÉS EM EMBARCAÇÕES DA HIDROVIA ÍNDICE

REGULAMENTO UNICO PARA O TRANSPORTE DE MERCADORIAS SOBRE O CONVÉS EM EMBARCAÇÕES DA HIDROVIA ÍNDICE REGULAMENTO UNICO PARA O TRANSPORTE DE MERCADORIAS SOBRE O CONVÉS EM EMBARCAÇÕES DA HIDROVIA ÍNDICE Assunto página 1. Normas Aplicáveis 2 2. Tipo de Carga 2 3. Embarcações Excluídas 2 4. Estabilidade 2

Leia mais

Breve Roteiro de Navegação do Canal de Bertioga Versão Beta 1.0 09/03/2011

Breve Roteiro de Navegação do Canal de Bertioga Versão Beta 1.0 09/03/2011 Breve Roteiro de Navegação do Canal de Bertioga Versão Beta 1.0 09/03/2011 1. Objetivo Este breve roteiro tem por objetivo orientar a navegação de veleiros nos limites do canal de Bertioga São Paulo/SP,

Leia mais

ISF 209: PROJETO GEOMÉTRICO

ISF 209: PROJETO GEOMÉTRICO ISF 209: PROJETO GEOMÉTRICO 1. OBJETIVO Definir e especificar os serviços constantes do Projeto Geométrico dos Projetos de Engenharia Ferroviária, Projeto Básico e Projeto Executivo. 2. FASES DO PROJETO

Leia mais

PORTO FLUVIAL DE PORTO DE PORTO ALEGRE

PORTO FLUVIAL DE PORTO DE PORTO ALEGRE PORTO FLUVIAL DE PORTO DE PORTO ALEGRE Integrantes: Mauricio Beinlich Pedro Granzotto Características físicas: O Porto de Porto Alegre é o mais meridional do Brasil. Geograficamente, privilegiado em sua

Leia mais

AVISOS AOS NAVEGANTES

AVISOS AOS NAVEGANTES AVISOS 69 A 75 DIRETORIA DE HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO CENTRO DE HIDROGRAFIA DA MARINHA Rua Barão de Jaceguay s/nº - Ponta da Armação 24048-900 - Niterói, RJ, Brasil Tel/Fax: 0XX21-2613-8210 / 2620-0073 Internet:

Leia mais