RELATÓRIO GERAL DA JUSTIÇA DO TRABALHO. Relatório. Analítico

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELATÓRIO GERAL DA JUSTIÇA DO TRABALHO. Relatório. Analítico"

Transcrição

1 RELATÓRIO GERAL DA JUSTIÇA DO TRABALHO Relatório Analítico 2015 Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST Relatório Geral da Justiça do Trabalho 9

2 1 ESTRUTURA ORGANIZACIONAL ÓRGÃOS JUDICIÁRIOS RECURSOS HUMANOS MAGISTRADOS POR HABITANTES SERVIDORES POR HABITANTES SERVIDORES DO QUADRO PERMANENTE POR MAGISTRADO SERVIDORES EM ATIVIDADE NA ÁREA JUDICIÁRIA POR MAGISTRADO DESPESAS, ARRECADAÇÃO E PAGAMENTOS DESPESA POR HABITANTE DESPESA POR CASO NOVO ORÇAMENTO E DESPESAS ARRECADAÇÃO DE CUSTAS, EMOLUMENTOS E TRIBUTOS VALORES PAGOS AOS RECLAMANTES LITIGIOSIDADE CASOS NOVOS Casos Novos por Habitantes Casos Novos por Magistrado Casos Novos por Servidor Casos Novos por Atividade Econômica Assuntos Mais Recorrentes entre Casos Novos TOTAL A JULGAR Total a Julgar por Magistrado Total a Julgar por Servidor da Área Judiciária PRODUTIVIDADE Julgados em Relação ao Total a Julgar Julgados em Relação aos Recebidos Conciliação nas Varas do Trabalho REFORMA DE DECISÃO Tribunais Regionais do Trabalho Varas do Trabalho EXECUÇÃO Total a Executar Total a Executar por Magistrado Total a Executar por Servidor da Área Judiciária Execuções Encerradas em Relação ao Total a Executar Execuções Encerradas em Relação às Iniciadas RESÍDUO Resíduo por Magistrado PRAZOS RECORRIBILIDADE Recorribilidade para a Própria Instância Recorribilidade para a Instância Superior PRECATÓRIOS E REQUISIÇÕES DE PEQUENO VALOR Precatórios Requisições de Pequeno Valor GLOSSÁRIO METODOLOGIA DE CÁLCULO DOS INDICADORES Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST Relatório Geral da Justiça do Trabalho 11

3

4 1 RELATÓRIO RELATÓRIO GERAL DA JUSTIÇA DO TRABALHO ESTRUTURA ORGANIZACIONAL EM 31/12/ Órgãos Judiciários A Justiça do Trabalho é constituída pelo Tribunal Superior do Trabalho, por 24 Tribunais Regionais do Trabalho e por Varas do Trabalho. São cargos de magistrado e de servidor. No TST estão em atividade 26 Ministros e 2 Desembargadores convocados para substituir Ministro integrante do Conselho Nacional de Justiça e Ministro em licença para tratamento de saúde e servidores Varas do Trabalho instaladas Estrutura Organizacional 11º 8º 14º 23º 10º 22º 5º 16º 7º 21º 13º 6º 19º 20º Na 2ª Instância há um Tribunal em cada estado, à exceção dos estados do Acre, Roraima, Amapá e Tocantins, que são jurisdicionados pelos Tribunais com sede em Rondônia, Amazonas, Pará e Distrito Federal, respectivamente. No estado de São Paulo existem dois Tribunais: um com sede na cidade de São Paulo e outro em Campinas. Estão em atividade, na 2ª Instância, 538 Desembargadores e servidores. 18º 3º 24º 17º 15º 9º 1º 2º 12º 4º Na 1ª Instância estão instaladas Varas do Trabalho em 624 municípios, com jurisdição em todos os municípios do País. Estão em atividade, na 1ª Instância, juízes e servidores. Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST Estrutura Organizacional 13

5 Estrutura Organizacional 1.2. Recursos Humanos Figura 1.1. Ministros do TST Figura 1.2. Desembargadores dos TRTs % 60% Ministras Ministros Mulheres Homens TRT Tabela 1.1. Cargos de Desembargadores dos Tribunais Regionais do Trabalho Previstos em Lei Providos Vagos Magistrados % Magistradas % Total % Total % 1ª - RJ , , ,6 4 7,4 2ª - SP , , ,8 3 3,2 3ª - MG , , ,9 3 6,1 4ª - RS , , ,8 2 4,2 5ª - BA , , , ª - PE ,1 8 42, ,2 3 15,8 7ª - CE ,3 5 35, , ª - PA e AP , , ,0 3 13,0 9ª - PR , , ,8 1 3,2 10ª - DF e TO ,7 6 35, , ª - AM e RR ,7 8 57, ,9 1 7,1 12ª - SC ,6 8 44, , ª - PB ,0 1 10,0 9 90,0 1 10,0 14ª - RO e AC ,0 4 50, , ª - Campinas/SP , , ,5 3 5,5 16ª - MA ,5 3 37, , ª - ES ,0 3 25, , ª - GO ,4 2 14, ,7 2 14,3 19ª - AL ,5 3 37, , ª - SE ,5 2 25,0 7 87,5 1 12,5 21ª - RN ,0 3 30, , ª - PI ,5 2 25,0 7 87,5 1 12,5 23ª - MT ,5 2 25,0 7 87,5 1 12,5 24ª - MS , ,0 - - Total , , ,9 29 5,1 Notas: 1) % Percentual calculado sobre o total de cargos previstos em lei. 2) Sinal convencional utilizado: - Dado numérico igual a zero não resultante de arredondamento. 14 Estrutura Organizacional Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

6 Figura 1.3. Juízes do Trabalho Figura 1.4. Cargos de Magistrados Providos e Vagos Estrutura Organizacional 51% 49% Juízas Juízes Desembargadores dos TRTs Juízes do Trabalho 95% 91% Vagos TRT Previstos em Lei Tabela 1.2. Cargos de Juízes do Trabalho Providos Vagos Magistrados % Magistradas % Total % Total % 1ª - RJ , , ,8 18 6,2 2ª - SP , , ,0 3ª - MG , , ,2 20 6,8 4ª - RS , , ,0 5ª - BA , , ,9 2 1,1 6ª - PE , ,3 1 0,7 7ª - CE , , ,6 1 1,4 8ª - PA e AP , , , ,9 9ª - PR , , ,8 4 2,2 10ª - DF e TO , , ,7 2 2,3 11ª - AM e RR , , , ,3 12ª - SC , , ,3 2 1,7 13ª - PB , , ª - RO e AC , , ,9 2 3,2 15ª - Campinas/SP , , ,5 13 3,5 16ª - MA , , ,0 17ª - ES , , ,2 1 1,8 18ª - GO , , ª - AL , , ,7 1 2,3 20ª - SE , , ª - RN , , ,6 2 4,3 22ª - PI , , ª - MT , , ,1 7 9,0 24ª - MS , , ,2 1 1,8 Total , , ,0 Notas: 1) % Percentual calculado sobre o total de cargos previstos em lei. 2) Sinal convencional utilizado: - Dado numérico igual a zero não resultante de arredondamento. Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST Estrutura Organizacional 15

7 Estrutura Organizacional Região Judiciária Tabela 1.3. Quadro de Juízes das Varas do Trabalho Juízes Titulares Juízes Substitutos Total Providos Vagos Subtotal Providos Vagos Subtotal Providos Vagos Total 1ª - RJ ª - SP ª - MG ª - RS ª - BA ª - PE ª - CE ª - PA e AP ª - PR ª - DF e TO ª - AM e RR ª - SC ª - PB ª - RO e AC ª - Campinas/SP ª - MA ª - ES ª - GO ª - AL ª - SE ª - RN ª - PI ª - MT ª - MS Total Nota: Sinal convencional utilizado: - Dado numérico igual a zero não resultante de arredondamento. Figura 1.5. Quadro de Juízes das Varas do Trabalho % Titulares 53% Substitutos Titulares Providos 96% Substitutos Providos 86% Vagos 16 Estrutura Organizacional Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

8 TST / Região Judiciária Tabela 1.4. Cargos do Quadro Permanente da Justiça do Trabalho Analista Judiciário Técnico Judiciário Auxiliar Judiciário Total Providos Vagos Total Providos Vagos Total Providos Vagos Total Providos Vagos TST ª - RJ ª - SP ª - MG ª - RS ª - BA ª - PE ª - CE ª - AP e PA ª - PR ª - DF e TO ª - AM e RR ª - SC ª - PB ª - AC e RO ª - SP/Campinas ª - MA ª - ES ª - GO ª - AL ª - SE ª - RN ª - PI ª - MT ª - MS Total Nota: Sinal convencional utilizado: - Dado numérico igual a zero não resultante de arredondamento. Total Estrutura Organizacional Figura 1.6. Cargos do Quadro Permanente da Justiça do Trabalho % Técnicos Analista Judiciário Provido 98% Técnico Judiciário Provido 98% Vagos 39% Analistas 1% Auxiliares Auxiliar Judiciário Provido 40% Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST Estrutura Organizacional 17

9 Estrutura Organizacional Tabela 1.5. Servidores em Atividade nos Tribunais Regionais do Trabalho TRT Exclusivamente Quadro % Requisitados % Cargos em Permanente Comissão % Removidos % Total 1ª - RJ ,6 45 2,3% 30 1,5 88 4, ª - SP ,1 9 0,4% 13 0,6 87 3, ª - MG ,4 22 1,6% 11 0,8 31 2, ª - RS , ,1 25 1, ª - BA ,5 17 1,9% 12 1,3 38 4, ª - PE ,1 64 7,2% 4 0,5 46 5, ª - CE ,0 30 5,7% 4 0, , ª - PA e AP ,1 4 0,8% 10 2,0 6 1, ª - PR ,3 5 0,5% 4 0,4 53 4, ª - DF e TO ,8 52 8,8% 3 0,5 23 3, ª - AM e RR ,1 15 2,1% 6 0, ª - SC ,1 2 0,3% 2 0,3 41 5, ª - PB ,1 28 4,4% 10 1, ª - RO e AC ,7 3 0,8% 2 0,6 7 1, ª - Campinas/SP ,3 20 1,5% 11 0,8 72 5, ª - MA ,2 16 5,4% 5 1,7 11 3, ª - ES ,4 11 2,7% 2 0, , ª - GO ,5 60 9,6% 1 0,2 36 5, ª - AL ,5 20 6,5% 2 0, , ª - SE ,1 10 3,6% , ª - RN ,6 19 5,1% 7 1,9 28 7, ª - PI ,5 19 7,4% 4 1, , ª - MT ,7 4 1,1% 1 0,3 10 2, ª - MS ,7 16 5,2% ,1 309 Total , ,0% , , Notas: 1) % Percentual sobre o total de servidores em atividade em cada TRT 2) Sinal convencional utilizado: - Dado numérico igual a zero não resultante de arredondamento Figura 1.7. Servidores em Atividade no TST Figura 1.8. Servidores em Atividade nos TRTs Estrutura Organizacional Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

10 Região Judiciária Tabela 1.6. Servidores em Atividade nas Varas do Trabalho Exclusivamente Quadro % Requisitados % Cargos em % Removidos % Total Permanente Comissão 1ª - RJ ,4 4 0, , ª - SP ,6 6 0, , ª - MG , ,2 94 3, ª - RS ,5 2 0, , ª - BA , ,9 1 0, , ª - PE , , , ª - CE , ,6 1 0,2 48 9, ª - PA e AP ,8 3 0,4 1 0,1 6 0, ª - PR ,2 8 0, , ª - DF e TO , , , ª - AM e RR , ,4 2 0, ª - SC ,5 2 0, , ª - PB ,8 13 3, ª - RO e AC ,7 20 5, , ª - Campinas/SP , , , ª - MA ,5 21 7,6 2 0,7 17 6, ª - ES , , , ª - GO ,4 72 8, , ª - AL , , , ª - SE ,6 7 4, , ª - RN ,1 20 5,9 8 2, , ª - PI , , , ª - MT ,9 29 6,2 1 0,2 17 3, ª - MS , ,9 3 0,9 22 6,8 324 Total , , , , Notas: 1) % Percentual sobre o total de servidores em atividade na Região Judiciária. 2) Incluídos os servidores em atividade nos Foros Trabalhistas, Postos Avançados e Varas Itinerantes. 3) Sinal convencional utilizado: - Dado numérico igual a zero não resultante de arredondamento. Estrutura Organizacional Figura 1.9. Servidores em Atividade nas Varas do Trabalho Quadro Permanente Requisitados Cargos em Comissão Removidos Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST Estrutura Organizacional 19

11 Estrutura Organizacional TST / Região Judiciária Tabela 1.7. Servidores em Atividade na Área Judiciária e Administrativa Área Judiciária Área Administrativa 1ª Instância 2ª/3ª Instância Subtotal % 2ª/3ª Instância % TST , , Total 1ª - RJ , , ª - SP , , ª - MG , , ª - RS , , ª - BA , , ª - PE , , ª - CE , , ª - PA e AP , , ª - PR , , ª - DF e TO , , ª - AM e RR , , ª - SC , , ª - PB , , ª - RO e AC , , ª - Campinas/SP , , ª - MA , , ª - ES , , ª - GO , , ª - AL , , ª - SE , , ª - RN , , ª - PI , , ª - MT , , ª - MS , ,0 633 Total , , Nota: Percentual calculado sobre o total de cargos. Figura Servidores da Justiça do Trabalho na Área Judiciária e Administrativa Área Judiciária 77% Área Administrativa 23% 20 Estrutura Organizacional Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

12 TST / Região Judiciária Tabela 1.8. Força de Trabalho nas Regiões Judiciárias Magistrados Servidores Total % % % TST , , ,3 1ª - RJ , , ,6 2ª - SP , , ,3 3ª - MG , , ,2 4ª - RS , , ,2 5ª - BA , , ,0 6ª - PE , , ,4 7ª - CE , , ,2 8ª - PA e AP , , ,5 9ª - PR , , ,2 10ª - DF e TO , , ,1 11ª - AM e RR , , ,7 12ª - SC , , ,3 13ª - PB , ª - RO e AC , , ,4 15ª - Campinas/SP , , ,8 16ª - MA , , ,1 17ª - ES , , ,7 18ª - GO , , ,8 19ª - AL , , ,2 20ª - SE , , ,5 21ª - RN , , ,7 22ª - PI , , ,7 23ª - MT , , ,6 24ª - MS , , ,4 Total , , ,5 Nota: Sinais convencionais utilizados:... Dado numérico indisponível... Não se aplica dado numérico. Estrutura Organizacional Figura Força de Trabalho da JT Figura Produtividade da JT ,5% +4,6% TST TRTs Varas Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST Estrutura Organizacional 21

13 Estrutura Organizacional Tabela 1.9. Quadro de Funções Comissionadas Existentes na Justiça do Trabalho Funcões Comissionadas TST / Região Judiciária FC 1 FC 2 FC 3 FC 4 FC 5 FC 6 Subtotal Qtd % TST ,4 1ª - RJ ,2 2ª - SP ,0 3ª - MG ,1 4ª - RS ,7 5ª - BA ,9 6ª - PE ,3 7ª - CE ,1 8ª - AP e PA ,7 9ª - PR ,5 10ª - DF e TO ,0 11ª - AM e RR ,4 12ª - SC ,3 13ª - PB ,5 14ª - AC e RO ,9 15ª - SP/Campinas ,5 16ª - MA ,1 17ª - ES ,1 18ª - GO ,7 19ª - AL ,4 20ª - SE ,9 21ª - RN ,2 22ª - PI ,0 23ª - MT ,6 24ª - MS ,4 Total ,0 Nota: Sinal convencional utilizado: - Dado numérico igual a zero não resultante de arredondamento. Figura Proporção entre Cargos e Funções Comissionadas e Cargos Efetivos. Justiça do Trabalho ,3% CJs e FCs por Cargos 22 Estrutura Organizacional Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

14 Cargos em Comissão Total CJ 1 CJ 2 CJ 3 CJ 4 Subtotal Qtd % Qtd % , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,0 Estrutura Organizacional Figura Cargos e Funções Comissionadas na Justiça do Trabalho CJ4 66 CJ FC CJ2 704 FC FC FC CJ1 450 FC6 674 FC Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST Estrutura Organizacional 23

15 Estrutura Organizacional 1.3. Magistrados por Habitantes Considerando o total de cargos existentes na Justiça do Trabalho, há 1,93 magistrados para cada habitantes, 0,8% a menos que em Figura Magistrados a cada Habitantes. Justiça do Trabalho ,0 2 1,9 2,0 2,0 2,0 1,9 Magistrados para cada Habitantes 1,9 1,8 1,8 1,8 1, Estrutura Organizacional Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

16 A média entre as Regiões Judiciárias foi de 1,86 magistrados a cada habitantes. Dentre os 24 TRTs, 10 apresentaram o indicador acima dessa média: 1ª, 2ª, 4ª, 9ª, 10ª, 12ª, 14ª, 15ª, 23ª e 24ª Regiões. A 2ª Região apresentou o maior quantitativo, 3,15, e a 16ª Região, o menor, 0,84. Estrutura Organizacional Figura Magistrados a cada Habitantes. Justiça do Trabalho ª - Rio de Janeiro 2ª - São paulo 3ª - Minas Gerais 4ª - Rio Grande do Sul 5ª - Bahia 6ª - Pernambuco 7ª - Ceará 8ª - Pará/Amapá 9ª - Paraná 10ª - DF/Tocantins 11ª - Amazonas/Roraima 12ª - Santa Catarina 13ª - Paraíba 14ª - Rondônia/Acre 15ª - Campinas 16ª - Maranhão 17ª - Espírito Santo 18ª - Goiás 19ª - Alagoas 20ª - Sergipe 21ª - Rio Grande do Norte 22ª - Piauí 23ª - Mato Grosso 24ª - Mato Grosso do Sul Média Tribunal Superior do Trabalho Justiça do Trabalho 0,01 0,8 0,9 1,2 2,1 1,6 1,4 1,7 1,4 1,9 1,8 2,0 1,8 1,9 1,7 1,7 1,6 1,6 1,6 1,9 1,9 2,4 2,4 2,6 2,6 2,8 3,2 Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST Estrutura Organizacional 25

17 Estrutura Organizacional 1.4. Servidores por habitantes Considerando o total de cargos existentes na Justiça do Trabalho, há 21,17 servidores para cada habitantes, praticamente o mesmo quantitativo que em Figura Servidores a cada Habitantes. Justiça do Trabalho ,0 21,1 21,2 21,4 21,3 21,2 20,1 19,0 18,5 18,9 18,5 21 Servidores para cada Habitantes Estrutura Organizacional Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

18 A média entre as Regiões Judiciárias foi de 20,36 servidores a cada habitantes. Dentre os 24 TRTs, 12 apresentaram o indicador acima dessa média: 1ª, 2ª, 4ª, 9ª, 10ª, 11ª, 12ª, 13ª, 14ª, 21ª, 23ª e 24ª Regiões. A 4ª Região apresentou o maior quantitativo, 31,5, e a 16ª Região, o menor, 8,1. Estrutura Organizacional Figura Servidores a cada Habitantes. Justiça do Trabalho ª - Rio de Janeiro 2ª - São paulo 3ª - Minas Gerais 4ª - Rio Grande do Sul 5ª - Bahia 6ª - Pernambuco 7ª - Ceará 8ª - Pará/Amapá 9ª - Paraná 10ª - DF/Tocantins 11ª - Amazonas/Roraima 12ª - Santa Catarina 13ª - Paraíba 14ª - Rondônia/Acre 15ª - Campinas 16ª - Maranhão 17ª - Espírito Santo 18ª - Goiás 19ª - Alagoas 20ª - Sergipe 21ª - Rio Grande do Norte 22ª - Piauí 23ª - Mato Grosso 24ª - Mato Grosso do Sul Média Tribunal Superior do Trabalho Justiça do Trabalho 1,0 8,1 10,3 11,0 24,7 26,7 17,9 15,0 18,8 15,1 22,1 25,1 24,3 23,9 28,1 15,0 18,2 20,3 15,9 18,4 20,7 25,6 20,8 20,4 21,2 31,5 30,8 Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST Estrutura Organizacional 27

19 Estrutura Organizacional 1.5. Servidores do Quadro Permanente por Magistrado Considerando o total de cargos existentes na Justiça do Trabalho, há 10,9 servidores do Quadro Permanente para cada magistrado, praticamente o mesmo quantitativo que em Desde 2015, permanece entre 10 e 11 a quantidade de Servidores do Quadro Permanente por Magistrado Figura Servidores do Quadro Permanente por Magistrado. Justiça do Trabalho ,9 10,9 10,9 10,8 10,6 10,6 10,4 10,3 10,2 10,2 10, Estrutura Organizacional Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

20 Houve um aumento de apenas 0,5% em relação a 2014, no quantitativo de Servidores do Quadro Permanente para cada magistrado nas Regiões Judiciárias. Dentre as Regiões Judiciárias, a com maior quantitativo de Servidores do Quadro Permanente por Magistrado foi a 13ª Região, com 16,0. Outras 11 Regiões apresentaram índices superiores à média nacional: 1ª, 4ª, 6ª, 7ª, 9ª, 11ª, 12ª, 14ª, 18ª, 20ª e 21ª Regiões. Estrutura Organizacional Figura Servidores do Quadro Permanente por Magistrado. Justiça do Trabalho ª - Rio de Janeiro 2ª - São paulo 3ª - Minas Gerais 4ª - Rio Grande do Sul 5ª - Bahia 6ª - Pernambuco 7ª - Ceará 8ª - Pará/Amapá 9ª - Paraná 10ª - DF/Tocantins 11ª - Amazonas/Roraima 12ª - Santa Catarina 13ª - Paraíba 14ª - Rondônia/Acre 15ª - Campinas 16ª - Maranhão 17ª - Espírito Santo 18ª - Goiás 19ª - Alagoas 20ª - Sergipe 21ª - Rio Grande do Norte 22ª - Piauí 23ª - Mato Grosso 24ª - Mato Grosso do Sul Média Tribunal Superior do Trabalho Justiça do Trabalho 11,8 8,5 10,9 12,0 10,7 11,0 11,1 11,0 11,5 10,6 13,9 12,2 16,0 11,2 7,9 9,6 10,5 12,2 10,2 11,1 12,7 9,5 9,7 8,6 11,0 10,9 78,7 Dentre as Regiões Judiciárias, os dois TRTs de São Paulo possuem os menores quantitativos. Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST Estrutura Organizacional 29

21 Estrutura Organizacional 1.6. Servidores em Atividade na Área Judiciária por Magistrado Considerando o total de servidores em atividade na Área Judiciária, há 9,20 servidores para cada magistrado da Justiça do Trabalho, 1,2% a mais que em Desde 2015, permanece entre 8 e 9 a quantidade de Servidores em Atividade na Área Judiciária por Magistrado Figura Servidores em Atividade na Área Judiciária por Magistrado. Justiça do Trabalho ,5 9,4 9,3 9,1 9,2 9,0 8,8 8,9 9,1 8,7 8, Estrutura Organizacional Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

22 Houve um aumento de 1,2% em relação a 2014, no quantitativo de Servidores em atividade na Área Judiciária para cada magistrado nas Regiões Judiciárias. Dentre as Regiões Judiciárias, as com maiores quantitativos de Servidores na Área Judiciária por Magistrado foram a 4ª, 11ª, 13ª e 18ª Regiões, com 9,8, 10,3, 9,9 e 9,8 respectivamente. Outras 9 Regiões apresentaram índices superiores à média nacional: 1ª, 2ª, 3ª, 5ª, 7ª, 8ª, 9ª, 12ª e 21ª Regiões. Estrutura Organizacional Figura Servidores em Atividade na Área Judiciária por Magistrado. Justiça do Trabalho ª - Rio de Janeiro 2ª - São paulo 3ª - Minas Gerais 4ª - Rio Grande do Sul 5ª - Bahia 6ª - Pernambuco 7ª - Ceará 8ª - Pará/Amapá 9ª - Paraná 10ª - DF/Tocantins 11ª - Amazonas/Roraima 12ª - Santa Catarina 13ª - Paraíba 14ª - Rondônia/Acre 15ª - Campinas 16ª - Maranhão 17ª - Espírito Santo 18ª - Goiás 19ª - Alagoas 20ª - Sergipe 21ª - Rio Grande do Norte 22ª - Piauí 23ª - Mato Grosso 24ª - Mato Grosso do Sul Média Tribunal Superior do Trabalho Justiça do Trabalho 9,4 8,9 9,3 9,8 9,0 8,4 8,9 9,2 9,1 8,4 10,3 9,2 9,9 7,6 7,6 7,3 8,6 9,8 8,7 8,2 9,3 7,8 7,9 7,5 8,8 9,2 54,5 Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST Estrutura Organizacional 31

23

24 DESPESA, ARRECADAÇÃO E PAGAMENTOS 2.1. Despesa por Habitante A despesa da Justiça do Trabalho, para cada habitante do País, foi de R$ 83,96, 0,6% a mais que em Ressalta-se que o cálculo dessa variação percentual considerou a despesa de 2014 atualizada pelo IPCA. Despesa e Arrecadação Figura 2.1. Despesa da Justiça do Trabalho por Habitante (em Reais) ,96 75,58 R$ 84 Despesa por Habitante em ,37 62,44 59,67 60,16 56,37 50,99 42,55 45,08 37, Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST Despesa e Arrecadação 33

25 16ª Região Menor custo por habitante há 9 anos. Despesa e Arrecadação 1ª - Rio de Janeiro 2ª - São paulo 3ª - Minas Gerais 4ª - Rio Grande do Sul 5ª - Bahia 6ª - Pernambuco 7ª - Ceará 8ª - Pará/Amapá 9ª - Paraná 10ª - DF/Tocantins 11ª - Amazonas/Roraima 12ª - Santa Catarina 13ª - Paraíba 14ª - Rondônia/Acre 15ª - Campinas 16ª - Maranhão 17ª - Espírito Santo 18ª - Goiás 19ª - Alagoas 20ª - Sergipe 21ª - Rio Grande do Norte 22ª - Piauí 23ª - Mato Grosso 24ª - Mato Grosso do Sul Média Tribunal Superior do Trabalho CSJT Justiça do Trabalho Figura 2.2. Despesa da Justiça do Trabalho por Habitante (em Reais) ,70 0,17 27,51 40,43 40,82 62,34 57,66 63,15 77,76 75,10 68,07 62,99 64,26 70,02 68,91 81,37 82,24 83,10 77,90 83,96 91,51 94,16 93,85 103,27 100,82 117,63 115,75 126,80 Onze Regiões apresentaram despesa por habitante superior à média nacional: 1ª, 2ª, 4ª, 9ª, 10ª, 11ª, 12ª, 13ª, 14ª, 23ª e 24ª Regiões. 34 Despesa e Arrecadação Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

26 2.2. Despesa por Caso Novo A despesa da Justiça do Trabalho, em relação a cada Caso Novo, foi de R$ 4.907,80, 1,0% a menos que em Ressalta-se que o cálculo dessa variação percentual considerou a despesa em 2014 atualizada pelo IPCA. Figura 2.3. Despesa da Justiça do Trabalho por Caso Novo (em Reais) ,80 Despesa e Arrecadação R$ Despesa por Caso Novo em , , , , Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST Despesa e Arrecadação 35

27 15ª Região Menor custo por Caso Novo Despesa e Arrecadação Figura 2.4. Despesa da Justiça do Trabalho por Caso Novo (em Reais) ª - Rio de Janeiro 2ª - São paulo 3ª - Minas Gerais 4ª - Rio Grande do Sul 5ª - Bahia 6ª - Pernambuco 7ª - Ceará 8ª - Pará/Amapá 9ª - Paraná 10ª - DF/Tocantins 11ª - Amazonas/Roraima 12ª - Santa Catarina 13ª - Paraíba 14ª - Rondônia/Acre 15ª - Campinas 16ª - Maranhão 17ª - Espírito Santo 18ª - Goiás 19ª - Alagoas 20ª - Sergipe 21ª - Rio Grande do Norte 22ª - Piauí 23ª - Mato Grosso 24ª - Mato Grosso do Sul Média Tribunal Superior do Trabalho Justiça do Trabalho 3.448, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,31 Doze Regiões apresentaram despesa por Caso Novo superior à média nacional: 1ª, 4ª, 5ª, 6ª, 7ª, 10ª, 11ª, 12ª, 13ª, 14ª, 19ª e 21ª Regiões. 36 Despesa e Arrecadação Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

28 2.3. Orçamento e Despesas Tabela 2.1. Orçamento e Despesas da Justiça do Trabalho (em Reais) Região Valoes Judiciária Orçamento Saldo Final Contingenciados Despesas TST , , , ,65 CSJT , , , ,87 1ª - RJ , , ,78 2ª - SP , , ,91 3ª - MG , , , ,42 4ª - RS , , ,42 5ª - BA , , , ,74 6ª - PE , , ,02 7ª - CE , , ,06 8ª - PA e AP , , , ,63 9ª - PR , , , ,04 10ª - DF e TO , , , ,40 11ª - AM e RR , , , ,47 12ª - SC , , , ,26 13ª - PB , , , ,04 14ª - RO e AC , , ,15 15ª - Campinas/SP , , , ,39 16ª - MA , , , ,73 17ª - ES , , , ,44 18ª - GO , , , ,19 19ª - AL , , , ,59 20ª - SE , , ,96 21ª - RN , , ,22 22ª - PI , , , ,84 23ª - MT , , ,07 24ª - MS , , , ,32 Total , , , ,61 Nota: Sinal convencional utilizado: - Dado numérico igual a zero não resultante de arredondamento Despesa e Arrecadação 2.4. Arrecadação de Custas, Emolumentos e Tributos A arrecadação da Justiça do Trabalho decorrente de suas decisões reduziu 22,4% em relação a 2014, totalizando R$ ,97. Ressalta-se que o cálculo dessa variação percentual considerou o valor arrecadado em 2014 atualizado pelo IPCA. Figura 2.5. Custas, Emolumentos e Tributos arrecadados na Justiça do Trabalho R$ Custas R$ Emolumentos R$ Previdência Social R$ Imposto de Renda R$ Multas R$ * Nota: *Valores restituídos no TST: R$ 1.118,20. Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST Despesa e Arrecadação 37

29 Tabela 2.2. Arrecadação na Justiça do Trabalho por Região Judiciária (em Reais) Região Judiciária Custas Arrecadadas Emolumentos Arrecadados Previdência Social Despesa e Arrecadação TST , ,72-1ª - RJ , , ,22 2ª - SP , , ,11 3ª - MG , , ,07 4ª - RS , , ,23 5ª - BA , , ,96 6ª - PE , , ,19 7ª - CE , , ,60 8ª - PA e AP , , ,56 9ª - PR , , ,02 10ª - DF e TO , , ,69 11ª - AM e RR , , ,61 12ª - SC , , ,39 13ª - PB , , ,30 14ª - RO e AC , , ,52 15ª - Campinas/SP , , ,13 16ª - MA , , ,43 17ª - ES , , ,76 18ª - GO , , ,46 19ª - AL , , ,74 20ª - SE ,10 447, ,89 21ª - RN , , ,22 22ª - PI , , ,95 23ª - MT , , ,12 24ª - MS , , ,53 Total , , ,70 Notas: 1) % calculado sobre o total no País; 2) * Valores restituídos no TST: R$ 1.118,20. 3) Sinal convencional utilizado: - Dado numérico igual a zero não resultante de arredondamento. Figura 2.6. Arrecadação da Justiça do Trabalho por Região Judiciária (em Milhões de Reais) ª RJ 2ª SP 3ª MG 4ª RS 5ª BA 6ª PE 7ª CE 8ª PA/AP 9ª PR 10ª DF/TO 11ª AM/RR 12ª SC 38 Despesa e Arrecadação Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

30 Imposto de Renda Multas Aplicadas pelo Órgão de Fiscalização Total Valor % ,34* 0, , , ,22 9, , ,25 15, , , ,52 14, , , ,91 10, , , ,89 5, , , ,38 1, , , ,91 1, , , ,54 2, , , ,36 9, , , ,47 3, , , ,41 0, , , ,46 2, , , ,34 1, , , ,17 0, , , ,81 10, , , ,86 0, , , ,60 2, , , ,87 2, , , ,03 0, , ,61 0, , , ,34 0, , , ,36 0, , , ,48 1, , , ,84 1, , , ,97 100,0 Despesa e Arrecadação ª PB 14ª RO/AC 15ª Campinas 16ª MA 17ª ES 18ª GO 19ª AL 20ª SE 21ª RN 22ª PI 23ª MT 24ª MS Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST Despesa e Arrecadação 39

31 2.5. Valores Pagos aos Reclamantes Despesa e Arrecadação Foram pagos aos reclamantes, R$ ,77. Os valores pagos decorrentes de acordos judiciais representaram 41,0% do total e aumentaram 5,7% em relação a Os valores pagos decorrentes da execução da sentença representaram 51,9% e diminuíram 12,9%. Ressalta-se que, para o cálculo da variação percentual, foi considerada a atualização monetária pelo IPCA dos valores pagos em OBS: Valor atualizado pelo IPCA. -4,7% Pagamentos Espontâneos Acordo Execução Figura 2.7. Valores Pagos aos Reclamantes (em Milhões de Reais) Despesa e Arrecadação Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

32 3 LITIGIOSIDADE 3.1. Casos Novos No TST, foram recebidos casos novos, 14,8% a menos que em Nos TRTs, foram recebidos casos novos, 0,7% a mais que em Casos Novos recebidos na Justiça do Trabalho em 2015 Nas Varas, foram recebidos casos novos, 5,0% a mais que em Os 3 estados com maior quantitativo de casos novos ajuizados foram São Paulo, com 29,3%, Minas Gerais, com 10,0%, e Rio de Janeiro, com 9,7%, todos estados da Região Sudeste, que, sozinha, ajuizou 50,5% dos casos novos no país. Os casos novos recebidos como rito sumaríssimo totalizaram processos, 25,3% do total de ações ajuizadas; desde 2001, apenas a 7ª Região apresentou percentual superior a 50,0%. É importante destacar que todos os Estados da Região Sul apresentaram percentuais abaixo de 13,0% desde a instituição desse rito. Figura 3.1. Casos Novos na Justiça do Trabalho % 19% TST TRTs VTs 75% Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST 41 41

33 A tabela a seguir apresenta a distribuição das Varas segundo o quantitativo de casos novos recebidos. Tabela 3.1. Distribuição das Varas de Acordo com o Intervalo em que se Enquadra o seu Quantitativo de Casos Novos Casos Novos Varas do Trabalho Quantidade % até ,0 de 501 a , a , a , a , a ,2 acima de ,0 Total ,0 das Varas do Trabalho receberam mais de Casos Novos 42 Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

34 Casos Novos por Habitantes A cada habitantes do país, 101,9 ingressaram com ação ou recurso no Tribunal Superior do Trabalho, 327 nos Tribunais Regionais do Trabalho e 1.279,2 nas Varas do Trabalho. Houve um aumento de 1,9% em relação a 2014 no quantitativo de casos novos na Justiça do Trabalho a cada habitantes. A cada habitantes, pessoas ingressaram com pelo menos uma ação ou recurso na Justiça do Trabalho. Figura 3.2. Casos Novos por habitantes nas 3 Instâncias da Justiça do Trabalho ª Instância: ª Instância: 327 TST: Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST 43

35 Figura 3.3. Casos Novos por Habitantes na Justiça do Trabalho JT ,9% em relação a Figura 3.4. Casos Novos por Habitantes no TST TST % em relação a Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

36 Figura 3.5. Casos Novos por Habitantes na 2ª Instância TRT ,1% 259 em relação a Figura 3.6. Casos Novos por Habitantes na 1ª Instância VT ,2% em relação a Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST 45

37 545 Figura 3.7. Casos Novos por habitantes na 2ª Instância Média ª 2ª 15ª 9ª 1ª 10ª 3ª 24ª 17ª 12ª 20ª 23ª 21ª 14ª 18ª 22ª 13ª 5ª 11ª 6ª 19ª 8ª 16ª 7ª Figura 3.8. Casos Novos por Habitantes na 1ª Instância Média ª 4ª 1ª 10ª 15ª 9ª 18ª 24ª 23ª 11ª 12ª 3ª 6ª 14ª 20ª 17ª 8ª 19ª 13ª 21ª 22ª 5ª 7ª 16ª 46 Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

38 Casos Novos por Magistrado Considerando o total de cargos existentes na Justiça do Trabalho, o quantitativo de Casos Novos por Magistrado foi de 883 processos, praticamente o mesmo do ano anterior. No Tribunal Superior do Trabalho esse quantitativo foi de processos por Ministro; na 2ª Instância, foi de processos e, na 1ª Instância, de Casos Novos Para cada Magistrado em Figura 3.9. Casos Novos por Magistrado nas 3 Instâncias da Justiça do Trabalho TST: ª Instância: ª Instância: 778 Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST 47

39 Figura Casos Novos por Magistrado na Justiça do Trabalho JT ,8% em relação a Figura Casos Novos por Magistrado no TST TST % em relação a Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

40 Figura Casos Novos por Magistrado na 2ª Instância TRT ,7% em relação a Figura Casos Novos por Magistrado na 1ª Instância VT ,0% em relação a Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST 49

41 1.693 Figura Casos Novos por Magistrado na 2ª Instância Média ª 3ª 9ª 4ª 18ª 12ª 23ª 5ª 1ª 2ª 24ª 17ª 6ª 21ª 22ª 16ª 10ª 13ª 14ª 20ª 11ª 19ª 7ª 8ª Figura Casos Novos por Magistrado na 1ª Instância Média ª 11ª 22ª 8ª 3ª 1ª 15ª 9ª 20ª 7ª 6ª 2ª 12ª 19ª 4ª 17ª 10ª 16ª 24ª 5ª 21ª 13ª 23ª 14ª 50 Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

42 Casos Novos por Servidor a) Casos Novos por Cargos Existentes Cada servidor da Justiça do Trabalho recebeu, em média, 81 processos durante o ano de 2015, praticamente o mesmo quantitativo de No TST esse quantitativo foi de 98 processos por servidor e na 1ª e 2ª Instâncias, de 80 processos. 81 Casos Novos para cada servidor em Figura Casos Novos por Servidor nas 3 Instâncias da Justiça do Trabalho TST: ª e 2ª Instâncias: Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST 51

43 Figura Casos Novos por Servidor na Justiça do Trabalho JT ,0% em relação a Figura Casos Novos por Servidor no TST TST 81-15% em relação a Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

44 Figura Casos Novos por Servidor na 1ª e 2ª Instâncias ,6% em relação a Figura Casos Novos por Servidor na 1ª e 2ª Instâncias Média ª 22ª 2ª 3ª 24ª 9ª 18ª 1ª 8ª 20ª 16ª 17ª 6ª 7ª 19ª 10ª 4ª 12ª 5ª 11ª 23ª 21ª 14ª 13ª Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST 53

45 RELATÓRIO GERAL DA JUSTIÇA DO TRABALHO b) Casos Novos por Servidor em Atividade Cada servidor da Justiça do Trabalho, considerando os servidores do Quadro Permanente, os ocupantes exclusivamente de cargos em comissão e os requisitados, recebeu em média 79 processos durante o ano de No TST, esse quantitativo foi de 91 processos por servidor em atividade; nos TRTs, foi de 36 e nas Varas do Trabalho, de 112 processos. 79 processos para cada servidor em atividade em Figura Casos Novos por Servidor em Atividade nas 3 Instâncias da Justiça do Trabalho ª Instância: 112 TST: ª Instância: Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

46 Figura 3.22 Casos Novos por Servidor em Atividade na Justiça do Trabalho JT ,9% em relação a Figura Casos Novos por Servidor em Atividade no TST TST % em relação a Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST 55

47 Figura Casos Novos por Servidor em Atividade na 2ª Instância ,5 38,0 34,3 35,3 28,4 TRT 34,4 33,7 33,3 36,2 36,3-4,3% em relação a Figura Casos Novos por Servidor em Atividade na 1ª Instância ,8 108,1 104,3 103,7 104,1 98,7 99,6 VT 95,7 96,3 98,2 +3,4% em relação a Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

48 Figura Casos Novos por Servidor em Atividade na 2ª Instância Média ª 3ª 2ª 4ª 9ª 5ª 1ª 17ª 22ª 24ª 12ª 18ª 23ª 8ª 10ª 16ª 21ª 20ª 6ª 14ª 7ª 19ª 13ª 11ª Figura Casos Novos por Servidor em Atividade na 1ª Instância Média ª 11ª 20ª 2ª 15ª 16ª 1ª 7ª 9ª 8ª 17ª 24ª 3ª 6ª 10ª 18ª 19ª 12ª 23ª 4ª 13ª 21ª 5ª 14ª Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST 57

49 Casos Novos por Atividade Econômica Figura Ranking das 10 Atividades Econômicas mais Recorrentes na Justiça do Trabalho Indústria Serviços Diversos Comércio Transporte Administração Pública Serviços Domésticos Sistema Financeiro Turismo, Hospitalidade e Alimentação 58 Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

50 RELATÓRIO GERAL DA JUSTIÇA DO TRABALHO Figura 3.29-A. As 3 Atividades Econômicas mais Recorrentes no TST Indústria No TST, as atividades econômicas com maiores quantitativos de Casos Novos foram a Indústria com 23,7%, a Administração Pública com 14,1%, o Sistema Financeiro com 11,8% e os Serviços Diversos com 9,9%. Figura 3.29-B. As 3 Atividades Econômicas mais Recorrentes na 2ª Instância Indústria Serviços Diversos Comércio Nas Varas, as atividades econômicas com maiores quantitativos de processos foram a Indústria, com 24,6%, os Serviços Diversos, com 18,8%, e o Comércio, com 11,3%. A individualização por Região Judiciária demonstra que a Indústria possui mais ações na 3ª, 4ª, 5ª, 6ª, 7ª, 8ª, 9ª, 12ª, 13ª, 14ª, 15ª, 18ª, 19ª, 20ª, 21ª, 22ª, 23ª e 24ª Regiões e os Serviços Diversos na 1ª, 2ª, 10ª, 11ª e 17ª Regiões. Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST Administração Publicação Diversos Sistema Financeiro Nos TRTs, as atividades econômicas com maiores quantitativos de processos distribuídos foram a Indústria, com 19,8%, Serviços Diversos, com 11,0%, e o Comércio, com 9,0%. A individualização por TRT demonstra que a Indústria possui mais ações na 1ª, 3ª, 4ª, 6ª, 7ª, 8ª, 9ª, 11ª, 12ª, 13ª, 14ª, 15ª, 17ª, 18ª, 19ª, 20ª, 21ª, 23ª e 24ª Regiões; os Serviços Diversos na 5ª Região e o Comércio na 2ª e 10ª Regiões. Nas 3 Instâncias, a Indústria e os Serviços Diversos lideraram o ranking de atividades econômicas com maiores quantitativos de Casos Novos. Figura 3.29-C. As 3 Atividades Econômicas mais Recorrentes na 1ª Instância Indústria Serviços Diversos Comércio 59

51 Assuntos Mais Recorrentes entre os Casos Novos Os assuntos mais recorrentes na Justiça do Trabalho são: Aviso Prévio, com processos, Multa do Artigo n.º 477 da CLT, com processos, e Multa do Artigo n.º 467 da CLT, com processos. Figura Ranking dos 20 Assuntos mais Recorrentes na Justiça do Trabalho Aviso Prévio Indenização por Dano Moral Multa do Artigo n.º 477 da CLT Verbas Rescisórias Multa do Artigo n.º 467 da CLT Multa de 40% do FGTS Saldo de Salário Intervalo Intrajornada Adicional de Hora Extra Horas Extras Horas Extras / Reflexos Férias Proporcionais Adicional de Insalubridade º Salário Proporcional Anotação / Baixa / Retificação da CTPS Depósito / Diferença de Recolhimento do FGTS FGTS Indenização / Dobra / Terço Constitucional Honorários Advocatícios Honorários Advocatícios + Contratuais Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

52 Os assuntos mais recorrentes no Tribunal Superior do Trabalho são: Horas Extras, com processos, Negativa de Prestação Jurisdicional, com processos, e Intervalo Intrajornada, com processos. Figura Os 5 Assuntos mais Recorrentes no TST Horas Extras Negativa de Prestação Jurisdicional Intervalo Intrajornada Indenização por Dano Moral Honorários Advocatícios Os assuntos mais recorrentes na 2ª Instância são: Horas Extras, com processos, Multa do Artigo n.º 477 da CLT, com processos, e Assistência Judiciária Gratuita, com processos. Figura Os 5 Assuntos mais Recorrentes na 2ª Instância Horas Extras Multa do Artigo n.º 477 da CLT Assistência Judiária Gratuita Aviso Prévio Verbas Rescisórias Os assuntos mais recorrentes na 1ª Instância são: Aviso Prévio, com processos, Multa do Artigo n.º 477 da CLT, com processos, e Multa de 40% do FGTS, com processos. Aviso Prévio Figura Os 5 Assuntos mais Recorrentes na 1ª Instância Multa do Artigo n.º 477 da CLT Multa de 40% do FGTS Multa do Artigo n.º 467 da CLT Adicional de Hora Extra Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST 61

53 3.2. Total a Julgar No TST, os processos recebidos mais os pendentes de anos anteriores totalizaram processos para solução. Nos TRTs, os processos recebidos mais os pendentes de anos anteriores totalizaram processos para solução. Nas Varas, as ações ajuizadas somadas aos pendentes de anos anteriores e aos Embargos de Declaração interpostos, totalizaram processos na Fase de Conhecimento para solução. Figura Total a Julgar nas 3 Instâncias da Justiça do Trabalho TST Resíduo Anterior Recebidos Total a Julgar TRTs Resíduo Anterior Recebidos Total a Julgar Varas Resíduo Anterior Recebidos EDs Interpostos Total a Julgar 62 Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

54 RELATÓRIO GERAL DA JUSTIÇA DO TRABALHO Total a Julgar por Magistrado O total a julgar por magistrado, na Justiça do Trabalho (excluídos os ocupantes de cargos de Direção), foi de processos durante o ano de No TST, o total a julgar foi de processos para cada Ministro, nos TRTs, foi de para cada Desembargador e, nas Varas, foi de para cada juiz. Processos para cada Magistrado em Figura Total a Julgar por Magistrado nas 3 Instâncias da Justiça do Trabalho TST: Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST 2ª Instância: ª Instância:

55 Figura Total a Julgar por Magistrado na Justiça do Trabalho JT ,5% em relação a Figura Total a Julgar por Magistrado no TST TST ,3% em relação a Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

56 Figura Total a Julgar por Magistrado na 2ª Instância TRT ,5% em relação a Figura Total a Julgar por Magistrado na 1ª Instância VT ,3% em relação a Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST 65

57 1.994 Média Figura Total a Julgar por Magistrado na 2ª Instância ª 19ª 7ª 14ª 11ª 21ª 10ª 13ª 6ª 20ª 22ª 24ª 2ª 4ª 1ª 18ª 17ª 5ª 3ª 23ª 12ª 9ª 16ª 15ª Figura Total a Julgar por Magistrado na 1ª Instância Média ª 13ª 23ª 21ª 24ª 19ª 5ª 10ª 16ª 7ª 17ª 12ª 18ª 6ª 4ª 22ª 8ª 3ª 9ª 20ª 15ª 11ª 1ª 2ª 66 Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

58 Total a Julgar por Servidor da Área Judiciária O Total a Julgar por Servidor da Área Judiciária, na Justiça do Trabalho, foi de 183 processos durante o ano de No TST, o Total a Julgar foi de 367 processos para cada servidor, nos TRTs, foi de 122, nas Varas, de 194 para cada servidor. 183 processos Para cada servidor da Área Judiciária em Figura 3.42 Total a Julgar por Servidor da Área Judiciária nas 3 Instâncias da Justiça do Trabalho TST: ª Instância: ª Instância: Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST 67

59 Figura Total a Julgar por Servidor da Área Judiciária na Justiça do Trabalho JT ,3% em relação a Figura Total a Julgar por Servidor da Área Judiciária no TST TST ,5% em relação a Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

60 Figura Total a Julgar por Servidor da Área Judiciária na 2ª Instância TRT ,8% em relação a 2014 Figura Total a Julgar por Servidor da Área Judiciária na 1ª Instância VT ,4% em relação a Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST 69

61 Figura Total a Julgar por Servidor da Área Judiciária na 2ª Instância Média ª 19ª 14ª 11ª 7ª 24ª 20ª 21ª 22ª 6ª 23ª 10ª 17ª 18ª 8ª 12ª 1ª 9ª 5ª 16ª 4ª 2ª 3ª 15ª Figura Total a Julgar por Servidor da Área Judiciária na 1ª Instância Média ª 13ª 21ª 23ª 5ª 4ª 18ª 8ª 19ª 7ª 12ª 3ª 10ª 6ª 17ª 24ª 16ª 9ª 11ª 1ª 15ª 22ª 2ª 20ª 70 Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

62 3.3. Produtividade No TST, foram julgados processos, 7,3% a mais que em 2014 e 56,5% do total a julgar. Desse total, foram despachos e decisões monocráticas proferidos pela Presidência da Corte em processos de AIRR. Cada um dos demais Ministros julgou, em média, processos e, por mês, 947. Cada Desembargador Convocado para atuar temporariamente nas Turmas julgou processos em média; 370 por mês. Do total de julgados, , 63,0%, foram Agravos de Instrumento em Recurso de Revista e , 17,0%, foram Recursos de Revista. Foram julgados 20 Dissídios Coletivos e Dissídios Coletivos de Greve. TST Julgados TRTs Os Órgãos Judicantes do TST realizaram 427 sessões de julgamento no ano; em média, 43 sessões por mês. A média de processos julgados por sessão foi de 572 processos. Nos TRTs, foram julgados processos, 72,1% do total a julgar. A produtividade aumentou 1,5% em relação a Cada Desembargador julgou, em média, no ano, processos e, por mês, 126. Foram julgados 696 Dissídios Coletivos Julgados VTs Nas Varas, tiveram solução, na Fase de Conhecimento, processos, 5,3% a mais do que no ano de Desse quantitativo, , 25,9%, foram processos do rito sumaríssimo. Os processos solucionados juntamente com os EDs julgados representaram 61,8% do total a julgar. Cada Juiz solucionou, em média, na Fase de Conhecimento, por ano, 761 processos e, por mês, Julgados Figura Média de Julgados por Magistrado nas 3 Instâncias da Justiça do Trabalho TST TRTs VTs Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST 71

63 Julgados em Relação ao Total a Julgar Figura Processos Julgados em Relação ao Total a Julgar no TST Total a Julgar % Julgados Figura Processos Julgados em Relação ao Total a Julgar na 2º Instância Total a Julgar % Julgados Figura Processos Julgados em Relação ao Total a Julgar na 1ª Instância Total a Julgar % Julgados Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

64 Tabela 3.2. Julgados em Relação ao Total a Julgar na 2ª Instância TRT Julgados Total a JJJJJJJJ Julgar TTTTT a JJJJJJ 1ª - RJ ª - SP ª - MG 4ª - RS ª - BA ª - PE 7ª - CE ª - PA e AP ª - PR 10ª - DF e TO ª - AM e RR ª - SC 13ª - PB ª - RO e AC ª - Campinas/SP 16ª - MA ª - ES ª - GO 19ª - AL ª - SE ª - RN 22ª - PI ª - MT ª - MS Total ª - MG 14ª - RO e AC 6ª - PE 22ª - PI 23ª - MT 24ª - MS 17ª - ES 18ª - GO 19ª - AL 21ª - RN 2ª - SP 4ª - RS 8ª - PA e AP 13ª - PB 15ª - Campinas/SP 12ª - SC 1ª - RJ 20ª - SE 10ª - DF e TO 7ª - CE 9ª - PR 5ª - BA 16ª - MA 11ª - AM e RR Figura Julgados em Relação ao Total a Julgar na 2ª Instância % 82% 82% 80% 78% 77% 76% 76% 76% 75% 74% 73% 71% 71% 71% 71% 69% 69% 66% 66% 65% 61% 57% 55% 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 80% 90% 100% Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST 73

65 Tabela 3.3. Julgados em Relação ao Total a Julgar na 1ª Instância (Fase de Conhecimento) Região Judiciária Julgados Total a JJJJJJJJ (incluídos EDs) Julgar TTTTT a JJJJJJ 1ª - RJ ª - SP ª - MG 4ª - RS ª - BA ª - PE 7ª - CE ª - PA e AP ª - PR 10ª - DF e TO ª - AM e RR ª - SC 13ª - PB ª - RO e AC ª - Campinas/SP 16ª - MA ª - ES ª - GO 19ª - AL ª - SE ª - RN 22ª - PI ª - MT ª - MS Total ª - RO e AC 8ª - PA e AP 23ª - MT 18ª - GO 21ª - RN 13ª - PB 19ª - AL 11ª - AM e RR 7ª - CE 3ª - MG 22ª - PI 10ª - DF e TO 16ª - MA 17ª - ES 20ª - SE 2ª - SP 12ª - SC 6ª - PE 9ª - PR 4ª - RS 1ª - RJ 5ª - BA 24ª - MS 15ª - Campinas/SP Figura Julgados em Relação ao Total a Julgar na 1ª Instância (Fase de Conhecimento) % 78% 75% 75% 75% 74% 73% 72% 72% 71% 69% 68% 66% 63% 62% 60% 60% 59% 58% 58% 57% 56% 54% 52% 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 80% 90% 100% 74 Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

66 Julgados em Relação aos Recebidos Figura Processos Julgados em Relação aos Recebidos na Justiça do Trabalho Recebidos Julgados % Recebidos Julgados Recebidos Julgados % 91% TST TRTs VTs Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST 75

67 Tabela 3.4. Julgados em Relação aos Recebidos na 2ª Instância TRT Julgados Recebidos (%) 1ª - RJ ª - SP ª - MG ª - RS ª - BA ª - PE ª - CE ª - PA e AP ª - PR ª - DF e TO ª - AM e RR ª - SC ª - PB ª - RO e AC ª - Campinas/SP ª - MA ª - ES ª - GO ª - AL ª - SE ª - RN ª - PI ª - MT ª - MS Total ª - MA 7ª - CE 3ª - MG 2ª - SP 23ª - MT 6ª - PE 19ª - AL 18ª - GO 8ª - PA e AP 22ª - PI 14ª - RO e AC 1ª - RJ 17ª - ES 12ª - SC 4ª - RS 15ª - Campinas/SP 24ª - MS 20ª - SE 13ª - PB 21ª - RN 10ª - DF e TO 9ª - PR 5ª - BA 11ª - AM e RR Figura Processos Julgados em Relação aos Recebidos na 2ª Instância % 100% 98% 97% 97% 96% 96% 96% 94% 93% 92% 92% 91% 91% 89% 89% 89% 88% 87% 86% 84% 84% 78% 72% 76 Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

68 Tabela 3.5. Julgados em Relação aos Recebidos na 1ª Instância Região Judiciária Julgados (incluídos EDs) Recebidos (incluídos EDs) (%) 1ª - RJ ª - SP ª - MG ª - RS ª - BA ª - PE ª - CE ª - PA e AP ª - PR ª - DF e TO ª - AM e RR ª - SC ª - PB ª - RO e AC ª - Campinas/SP ª - MA ª - ES ª - GO ª - AL ª - SE ª - RN ª - PI ª - MT ª - MS Total ª - AL 8ª - PA e AP 11ª - AM e RR 18ª - GO 21ª - RN 22ª - PI 2ª - SP 16ª - MA 3ª - MG 10ª - DF e TO 14ª - RO e AC 23ª - MT 13ª - PB 7ª - CE 1ª - RJ 20ª - SE 12ª - SC 4ª - RS 6ª - PE 9ª - PR 15ª - Campinas/SP 17ª - ES 5ª - BA 24ª - MS Figura 3.57 Julgados em Relação aos Recebidos na 1ª Instância % 103% 102% 100% 99% 99% 98% 98% 98% 97% 96% 96% 96% 95% 95% 95% 93% 92% 91% 90% 89% 89% 89% 85% Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST 77

69 Conciliação nas Varas do Trabalho O percentual de conciliações no País foi de 38,9%, o nível mais baixo desde Destaca-se, no entanto, que 246 varas (15,7% do total de instaladas) apresentaram índice de conciliação maior ou igual a 50,0%. Dentre essas, 47 varas apresentaram índice entre 60,0% e 70,0% e 11, índice superior a 70,0%. O percentual de conciliações, no rito sumaríssimo, foi de 45,5%; no rito ordinário, foi de 36,6%. 38,9% é o índice mais baixo de conciliações nas Varas do Trabalho desde Figura Percentual de Conciliações na 1ª Instância ,8 43,9 44,1 43,4 43,3 43,4 42,8 40,7 39,6 38, Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

70 Tabela 3.6. Percentual de Conciliações por Região Judiciária na 1ª Instância çõ Região Judiciária Conciliações Julgados Total 1ª - RJ ª - SP ª - MG ª - RS ª - BA ª - PE ª - CE ª - PA e AP ª - PR ª - DF e TO ª - AM e RR ª - SC ª - PB ª - RO e AC ª - Campinas/SP ª - MA ª - ES ª - GO ª - AL ª - SE ª - RN ª - PI ª - MT ª - MS País ª - PR 12ª - SC 19ª - AL 23ª - MT 4ª - RS 7ª - CE 24ª - MS 2ª - SP 15ª - Campinas/SP 6ª - PE 18ª - GO 3ª - MG 1ª - RJ 16ª - MA 14ª - RO e AC 13ª - PB 8ª - PA e AP 5ª - BA 21ª - RN 10ª - DF e TO 11ª - AM e RR 22ª - PI 17ª - ES 20ª - SE Figura Percentual de Conciliações por Região Judiciária na 1ª Instância % 48% 46% 44% 44% 43% 42% 41% 41% 40% 40% 38% 36% 34% 34% 33% 31% 31% 31% 30% 29% 27% 27% 21% 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 80% 90% 100% Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST 79

71 3.4 Reforma da Decisão Tribunais Regionais do Trabalho a) Recursos de Revista A Taxa de Reforma da Decisão dos TRTs reduziu em relação a 2014, ficando em 67,3%. Destacase que essa redução ocorreu após 5 anos consecutivos de crescimento da Taxa. VT TRT TST 67% Taxa de Reforma de Recursos de Revista em Região Judiciária de Origem Provido/ Provido em Parte Tabela 3.7. Taxa de Reforma da Decisão da 2ª Instância. Recursos de Revista Ano de 2013 Ano de 2014 Ano de 2015 Taxa de Total de Reforma Provido/ Taxa de Decisões Decisão Provido Total de Reforma Provido/ (%) em Parte Decisões Decisão Provido Total de (%) em Parte Decisões Taxa de Reforma Decisão (%) 1ª , , ,7 2ª , , ,0 3ª , , ,3 4ª , , ,3 5ª , , ,6 6ª , , ,6 7ª , , ,1 8ª , , ,1 9ª , , ,1 10ª , , ,6 11ª , , ,7 12ª , , ,9 13ª , , ,9 14ª , , ,8 15ª , , ,6 16ª , , ,7 17ª , , ,6 18ª , , ,4 19ª , , ,0 20ª , , ,1 21ª , , ,9 22ª , , ,9 23ª , , ,2 24ª , , ,5 Total , , ,3 Nota: Não incluídos os processos julgados por despacho. 80 Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

72 Figura Taxa de Reforma da Decisão 2ª Instância. Recursos de Revista ª - MA 6ª - PE 9ª - PR 17ª - ES 18ª - GO 12ª - SC 23ª - MT 3ª - MG 13ª - PB 7ª - CE 14ª - RO e AC 20ª - SE 11ª - AM e RR 5ª - BA 21ª - RN 4ª - RS 8ª - PA e AP 24ª - MS 15ª - Campinas/SP 10ª - DF e TO 19ª - AL 22ª - PI 1ª - RJ 2ª - SP 34% 53% 54% 58% 58% 61% 61% 62% 63% 63% 64% 64% 65% 68% 69% 69% 70% 70% 71% 72% 72% 75% 79% 84% Figura Taxa de Reforma da Decisão 2ª Instância. Recursos de Revista % 70% 67% Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST 81

73 b) Recursos Ordinários A Taxa de Reforma da Decisão dos TRTs aumentou em relação a 2014, ficando em 17,4%. Destaca-se que esse aumento foi verificado após um período de 3 anos de decréscimo da Taxa. VT TRT TST 17% Taxa de Reforma de Recursos Ordinários em Região Judiciária de Origem Provido/ Provido em Parte Tabela 3.8. Taxa de Reforma da Decisão 2ª Instância. Recursos Ordinários Ano de 2013 Ano de 2014 Ano de 2015 Taxa de Provido/ Taxa de Provido/ Total de Reforma Total de Reforma Total de Decisões Decisão Provido Decisões Decisão Provido Decisões em Parte em Parte (%) (%) Taxa de Reforma Decisão (%) 1ª , , ,7 2ª , , ,9 3ª , , ,7 4ª , , ,6 5ª , , ,8 6ª , , ,4 7ª , , ,4 8ª , , ,9 9ª , , ,4 10ª , , ,5 11ª ,0-17 0, ,5 12ª , , ,5 13ª , , ,7 14ª , , ,8 15ª , , ,4 16ª , , ,6 17ª , , ,7 18ª , , ,2 19ª , , ,4 20ª , , ,6 21ª , , ,5 22ª , , ,4 23ª , , ,8 24ª , , ,9 Total ,5 Notas: 2) Não inclui os processos julgados por despacho; , ,4 1) Sinal convencional utilizado: - Dado numérico igual a zero não resultante de arredondamento. 82 Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

74 Figura Taxa de Reforma da Decisão da 2ª Instância. Recursos Ordinários ª - MT 7ª - CE 6ª - PE 14ª - RO e AC 15ª - Campinas/SP 3ª - MG 10ª - DF e TO 11ª - AM e RR 20ª - SE 9ª - PR 13ª - PB 22ª - PI 1ª - RJ 24ª - MS 17ª - ES 2ª - SP 21ª - RN 5ª - BA 18ª - GO 12ª - SC 8ª - PA e AP 19ª - AL 4ª - RS 16ª - MA 4% 5% 8% 9% 9% 11% 11% 13% 14% 15% 17% 17% 18% 18% 19% 19% 20% 21% 22% 24% 29% 30% 32% 32% Figura Taxa de Reforma da Decisão da 2ª Instância. Recursos Ordinários % 16% 15% Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST 83

75 Varas do Trabalho a) Recursos Ordinários A Taxa de Reforma da Decisão das Varas do Trabalho, em Recursos Ordinários, se manteve praticamente inalterada em 2015 em comparação aos anos de 2013 e As Regiões que apresentaram as maiores taxas, em 2015, foram a 9ª Região, com 42,6%, a 17ª Região, com 39,4%, a 20ª Região, com 39,2%, e a 19ª Região, com 39,1%. 35% Taxa de Reforma de Recursos Ordinários das Varas em TRT VT TST Região Judiciária de Origem Provido/ Provido em Parte Tabela 3.9. Taxa de Reforma da Decisão. Recursos Ordinários. 1ª Instância Ano de 2013 Ano de 2014 Ano de 2015 Taxa de Taxa de Provido/ Provido/ Total de Reforma Provido Total de Reforma Provido Total de Decisões Decisão Decisões Decisão Decisões (%) em Parte (%) em Parte Taxa de Reforma Decisão (%) 1ª , , ,3 2ª , , ,0 3ª , , ,6 4ª , , ,9 5ª , , ,7 6ª , , ,6 7ª , , ,7 8ª , , ,2 9ª , , ,6 10ª , , ,9 11ª , , ,7 12ª , , ,9 13ª , , ,5 14ª , , ,1 15ª , , ,0 16ª , , ,9 17ª , , ,4 18ª , , ,1 19ª , , ,1 20ª , , ,2 21ª , , ,5 22ª , , ,2 23ª , , ,6 24ª , , ,7 Total , , ,0 84 Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

76 Figura Taxa de Reforma da Decisão. Recursos Ordinários. 1ª Instância ª - DF e TO 23ª - MT 21ª - RN 3ª - MG 11ª - AM e RR 24ª - MS 2ª - SP 22ª - PI 16ª - MA 1ª - RJ 13ª - PB 7ª - CE 5ª - BA 15ª - Campinas/SP 18ª - GO 12ª - SC 14ª - RO e AC 8ª - PA e AP 6ª - PE 4ª - RS 19ª - AL 20ª - SE 17ª - ES 9ª - PR 25% 28% 30% 33% 33% 33% 33% 33% 34% 34% 34% 35% 35% 35% 35% 36% 36% 36% 37% 39% 39% 39% 39% 43% Figura Taxa de Reforma da Decisão. Recursos Ordinários. 1ª Instância ,4% 35,4% 35,0% Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST 85

77 3.5. Execução Em 2015, foram iniciadas e encerradas nas Varas do Trabalho, respectivamente, e execuções. Tabela Movimentação Processual. Processos de Execução. 1ª Instância Região Judiciária Resíduo em 2014 Execuções Iniciadas Total a Executar em 2015 Execuções Encerradas Resíduo em ª - RJ ª - SP ª - MG ª - RS ª - BA ª - PE ª - CE ª - PA e AP ª - PR ª - DF e TO ª - AM e RR ª - SC ª - PB ª - RO e AC ª-Campinas/SP ª - MA ª - ES ª - GO ª - AL ª - SE ª - RN ª - PI ª - MT ª - MS País Nota: No Resíduo, estão incluídos os Processos em arquivo provisório. Figura Processos de Execução. Movimentação Processual. 1ª Instância Resíduo anterior: Recebidas: Encerradas: Resíduo: Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

78 Total a Executar As execuções iniciadas somadas às execuções pendentes de anos anteriores pendentes de execução e em arquivo provisório totalizaram processos. Figura Total a Executar na 1ª Instância Resíduo Anterior Total a Executar Execuções Iniciadas Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST 87

79 RELATÓRIO GERAL DA JUSTIÇA DO TRABALHO Total a Executar por Magistrado O total a executar por magistrado, na Justiça do Trabalho, foi de 844 processos; quantitativo 3,9% inferior ao do ano anterior. Figura Total a Executar por Magistrado na 1ª Instância ,9% em relação a Figura Total a Executar por Magistrado na 1ª Instância Média ª 7ª 16ª 19ª 22ª 1ª 5ª 9ª 2ª 15ª 4ª 20ª 6ª 3ª 11ª 10ª 17ª 18ª 12ª 24ª 23ª 8ª 14ª 13ª 88 Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

80 Total a Executar por Servidor da Área Judiciária O total a executar por servidor da Área Judiciária, na Justiça do Trabalho, foi de 110,3 processos; quantitativo 4,9% inferior ao do ano anterior. Figura Total a Executar por Servidor da Área Judiciária. 1ª Instância ,9% em relação a Figura 3.71 Total a Executar por Servidor da Área Judiciária na 1ª Instância Média ª 13ª 14ª 18ª 12ª 23ª 3ª 24ª 11ª 4ª 17ª 6ª 10ª 2ª 5ª 9ª 1ª 15ª 20ª 19ª 7ª 21ª 22ª 16ª Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST 89

81 Execuções Encerradas em Relação ao Total a Executar Tabela Execuções Encerradas em Relação ao Total a Executar na 1ª Instância Região Judiciária Execuções Encerradas em Encerradas Total a Executar relação ao total a Executar (%) 1ª - RJ ,2 2ª - SP ,2 3ª - MG ,8 4ª - RS ,1 5ª - BA ,6 6ª - PE ,4 7ª - CE ,4 8ª - PA e AP ,2 9ª - PR ,4 10ª - DF e TO ,9 11ª - AM e RR ,2 12ª - SC ,2 13ª - PB ,6 14ª - RO e AC ,6 15ª - Campinas/SP ,5 16ª - MA ,0 17ª - ES ,7 18ª - GO ,1 19ª - AL ,3 20ª - SE ,5 21ª - RN ,2 22ª - PI ,1 23ª - MT ,4 24ª - MS ,8 Total ,0 Figura Execuções Encerradas em Relação ao Total a Executar na 1ª Instância ª - PE 11ª - AM e RR 17ª - ES 15ª - Campinas/SP 14ª - RO e AC 2ª - SP 18ª - GO 21ª - RN 7ª - CE 8ª - PA e AP 22ª - PI 12ª - SC 13ª - PB 20ª - SE 3ª - MG 16ª - MA 10ª - DF e TO 24ª - MS 23ª - MT 4ª - RS 5ª - BA 9ª - PR 1ª - RJ 19ª - AL 43% 36% 32% 30% 28% 28% 27% 26% 24% 24% 23% 23% 22% 20% 19% 17% 17% 16% 16% 15% 14% 14% 4% 68% 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 80% 90% 100% 90 Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

82 Execuções Encerradas em Relação às Iniciadas Tabela Execuções Encerradas em relação às Iniciadas na 1ª Instância Região Judiciária Execuções Execuções Encerradas em Encerradas Iniciadas relação a Iniciadas (%) 1ª - RJ ,3 2ª - SP ,8 3ª - MG ,4 4ª - RS ,6 5ª - BA ,8 6ª - PE ,9 7ª - CE ,3 8ª - PA e AP ,9 9ª - PR ,5 10ª - DF e TO ,7 11ª - AM e RR ,5 12ª - SC ,7 13ª - PB ,9 14ª - RO e AC ,3 15ª - Campinas/SP ,9 16ª - MA ,1 17ª - ES ,6 18ª - GO ,8 19ª - AL ,1 20ª - SE ,1 21ª - RN ,0 22ª - PI ,7 23ª - MT ,6 24ª - MS ,6 Total ,5 6ª - PE 21ª - RN 2ª - SP 15ª - Campinas/SP 7ª - CE 14ª - RO e AC 3ª - MG 17ª - ES 22ª - PI 20ª - SE 5ª - BA 18ª - GO 4ª - RS 11ª - AM e RR 12ª - SC 1ª - RJ 9ª - PR 8ª - PA e AP 23ª - MT 13ª - PB 16ª - MA 10ª - DF e TO 24ª - MS 19ª - AL Figura 3.73 Execuções Encerradas em relação às Iniciadas na 1ª Instância % 185% 171% 165% 134% 119% 118% 101% 98% 93% 93% 85% 85% 83% 82% 81% 80% 76% 75% 72% 69% 64% 55% 25% Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST 91

83 3.6. Resíduo No TST, o resíduo de processos foi de , 4,6% a menos que em Desse total, não estavam distribuídos e estavam em tramitação nos Órgãos Judicantes; dentre estes últimos, (49,7%) eram AIRR e (30,6%) eram RR. Nos TRTs, o resíduo fechou o ano com um saldo de processos, tendo aumentado 17,1% em relação a Nas Varas, o resíduo de processos, na Fase de Conhecimento, fechou o ano em , tendo aumentado 7,8% em relação a Os processos pendentes de execução fecharam o ano em , se manteve inalterado em relação a 2014, 0,8% a menos. Além dos processos pendentes de execução, ficaram em arquivo provisório, processos, 1,2% a menos que em Figura Resíduo na Justiça do Trabalho ,3% VT TRT TST 92 Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

84 Resíduo por Magistrado O Resíduo de Processos por Magistrado da Justiça do Trabalho foi de processos; quantitativo 2,8% superior ao de No Tribunal Superior do Trabalho o resíduo foi de processos por Ministro. Na 2ª Instância, esse quantitativo foi de 522 processos e na 1ª Instância, de 507 na Fase de Conhecimento e de 715 na Fase de Execução Processos Pendentes de Julgamento para cada Magistrado em Figura Resíduo por Magistrado nas 3 Instâncias da Justiça do Trabalho TST: ª Instância (Execução): 715 2ª Instância: 522 1ª Instância: 507 Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST 93

85 Figura Resíduo por Magistrado na Justiça do Trabalho ,8% em relação a 2014 JT Figura Resíduo por Magistrado no TST TST ,6% em relação a Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

86 Figura Resíduo por Magistrado na 2ª Instância TRT % em relação a Figura Resíduo por Magistrado na 1ª Instância (Fase de Conhecimento) VT ,5% em relação a Figura Resíduo por Magistrado na 1ª Instância (Fase de Execução) VT ,9% em relação a Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST 95

87 Figura Resíduo por Magistrado nos TRTs Média ª 14ª 19ª 6ª 3ª 21ª 22ª 7ª 11ª 18ª 24ª 4ª 17ª 13ª 2ª 10ª 1ª 23ª 12ª 20ª 15ª 9ª 5ª 16ª 113 Média 448 Figura Resíduo por Magistrado por Região Judiciária. 1ª Instância (Fase de Conhecimento) ª 23ª 13ª 21ª 19ª 7ª 16ª 18ª 8ª 11ª 10ª 2ª 3ª 22ª 17ª 5ª 24ª 12ª 4ª 20ª 9ª 6ª 1ª 15ª Figura Resíduo por Magistrado por Região Judiciária. 1ª Instância (Fase de Execução) Média ª 13ª 6ª 14ª 8ª 24ª 17ª 23ª 18ª 12ª 15ª 3ª 2ª 10ª 20ª 4ª 5ª 22ª 1ª 16ª 9ª 21ª 7ª 19ª 96 Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

88 3.7. Prazos No Tribunal Superior do Trabalho, o prazo médio transcorrido entre o ajuizamento do processo e a sua baixa é de 1 ano, 3 meses e 12 dias. Para a classe Recursos de Revista, o prazo é de 1 ano e 8 meses e para os Agravos de Instrumento em Recurso de Revista, de 11 meses e 13 dias. Nos Tribunais Regionais do Trabalho, após autuado, um processo leva em média 5 meses e 4 dias para ser julgado e mais 14 dias em média para o acórdão ser publicado. O prazo médio da autuação até a baixa é de 7 meses e 23 dias. Nas Varas do Trabalho, o prazo médio de um Processo de Conhecimento do ajuizamento até a prolação de sentença é de 7 meses e 9 dias. Já o prazo médio do início até o encerramento da Execução é de aproximadamente 3 anos, 7 meses e 9 dias. TST Figura Prazo Médio de um Processo (até a Baixa) nas 3 Instâncias da Justiça do Trabalho ano 3 meses 12 dias TRTs 7 meses 23 dias Varas (Conhecimento) 7 meses 9 dias Varas (Execução) 3 anos 7 meses 9 dias Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST 97

89 3.8. Recorribilidade Recorribilidade para a Própria Instância No TST, 26,7% das decisões monocráticas foram agravadas, 8,8% a menos que em Houve interposição de Embargos de Declaração em 10,6% das decisões proferidas, 9,5% a mais que no ano anterior. A interposição de Embargos ocorreu em 5,3% dos acórdãos e despachos publicados, 16,7% a mais que em Figura Recorribilidade Interna no TST Decisões Monocráticas Agravos Interpostos 27% Julgados passíveis de Embargos Embargos Interpostos 5% Nos TRTs, a Recorribilidade Interna foi da ordem de 26,1%. Foram interpostos Agravos, Agravos Regimentais e Embargos de Declaração em acórdãos publicados e decisões monocráticas. Nas Varas do Trabalho, houve interposição de Embargos de Declaração em 27,3% das sentenças proferidas. Figura Recorribilidade Interna na 2ª Instância Figura Recorribilidade Interna na 1ª Instância Decisões e Acórdãos Recursos Internos 26% Sentenças Embargos de Declaração 27% 98 Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST

90 Recorribilidade para a Instância Superior No TST, a Recorribilidade para o STF foi da ordem de 25,3% dos processos julgados. Foram interpostos Recursos Extraordinários, sendo 53 (0,1%) admitidos. Em relação a 2014, houve aumento de 48,5% nos Recursos Extraordinários interpostos. Foram encaminhados ao STF Recursos, 148,5% a mais que em Nos TRTs, a Recorribilidade para o TST foi da ordem de 46,6% dos acórdãos pulicados e decisões monocráticas. Os recursos encaminhados para o TST totalizaram , sendo Recursos Ordinários, Agravos de Instrumento, 6 Reexames Necessários e Recursos de Revista. Houve diminuição de 35,8% nos Recursos de Revista e de 14,0% nos Agravos de Instrumento encaminhados. Nas Varas, a Recorribilidade para os TRTs, na Fase de Conhecimento, foi da ordem de 64,1% das sentenças proferidas e, na Fase de Execução, foi de 103,0% das decisões em Embargos à Execução. Os recursos interpostos para os TRTs totalizaram , sendo Recursos Ordinários, Recursos Adesivos, Agravos de Instrumento, Reexames Necessários e Agravos de Petição. Houve aumento de 1,8% em relação a Figura Recorribilidade Externa na Justiça do Trabalho Supremo Tribunal Federal Tribunal Superior do Trabalho Recorribilidade: 25% Tribunais Regionais do Trabalho Recorribilidade: 47% Varas do Trabalho Recorribilidade: 64% Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST 99

8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014)

8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014) 8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014) Elaboração: Contraf-CUT, CNTV e Federação dos Vigilantes do Paraná Fonte: Notícias da imprensa, SSP e sindicatos Apoio: Sindicato dos Vigilantes de Curitiba

Leia mais

4ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos 2012

4ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos 2012 4ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos 2012 Fonte: Notícias da imprensa, SSP e sindicatos Apoio: Sindicato dos Vigilantes de Curitiba e Região Sindicato dos Bancários de Curitiba e Região Fetec-CUT(PR)

Leia mais

TÊNIS DE MESA Nº 03 04/09/2015

TÊNIS DE MESA Nº 03 04/09/2015 ! TÊNIS DE MESA Nº 03 04/09/2015! Jogos Escolares da Juventude 2015 12 a 14 anos Boletim Oficial de Resultados 04/09/2015 CENTRO DE FORMAÇÃO OLÍMPICA - QUADRA 1 TÊNIS DE MESA - EQUIPE - Feminino 1 09:00

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL CAMPEONATO BRASILEIRO DA SÉRIE D TABELA BÁSICA / EDIÇÃO 2016 PRIMEIRA FASE REF ROD DATA - DIA HORA GR JOGO ESTÁDIO CIDADE 1ª 12/06 - Dom A1 Rondônia RO x Amazonas AM A1 Acre AC x Amapá AP A2 Tocantins

Leia mais

Acre Previsão por Coeficiente no Estado

Acre Previsão por Coeficiente no Estado Acre 0,6 121.073,55 262.729,59 0,8 161.431,39 350.306,12 1,0 201.789,24 437.882,66 1,2 242.147,09 525.459,19 1,4 - - 1,6 322.862,79 700.612,25 1,8 363.220,64 788.188,78 2,0 - - 2,2 - - 2,4 - - 2,6 524.652,03

Leia mais

Direito Processual Civil Recursos

Direito Processual Civil Recursos ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS TRIBUNAIS ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS TRIBUNAIS Jurisdição quanto ao grau hierárquico dos seus órgãos é: 1) inferior; 2) superior. Essas espécies de jurisdições pressupõe

Leia mais

MERCADO BRASILEIRO DE SUPLEMENTOS MINERIAS 2014

MERCADO BRASILEIRO DE SUPLEMENTOS MINERIAS 2014 MERCADO BRASILEIRO DE SUPLEMENTOS MINERIAS 2014 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS INDUSTRIAS DE SUPLEMENTOS MINERAIS RUA AUGUSTA, 2676 13 ANDAR SALA 132 CEP 01412-100 SÃO PAULO SP Telefone: (011) 3061-9077 e-mail:

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Março/15) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Maio/15) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

Educação Superior Enade e IGC dos Estados e DF

Educação Superior Enade e IGC dos Estados e DF Educação Superior Enade e IGC dos Estados e DF Enade 2015 O Conceito Enade é um indicador de qualidade que avalia o desempenho dos estudantes a partir dos resultados obtidos anualmente para os cursos que

Leia mais

Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007

Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007 Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007 REGIÃO NORTE 5.951.408 87,35 861.892 12,65 6.813.300 RONDÔNIA 760.521 88,11 102.631 11,89 863.152 ACRE 298.081 85,86 49.094

Leia mais

Dados sobre o Programa de Educação Tutorial PET atualizados em abril de Fonte: SESu/MEC Apresentação: Diretoria da CENAPET

Dados sobre o Programa de Educação Tutorial PET atualizados em abril de Fonte: SESu/MEC Apresentação: Diretoria da CENAPET Dados sobre o Programa de Educação Tutorial PET atualizados em abril de 05 Fonte: SESu/MEC Apresentação: Diretoria da CENAPET Informações Gerais Número de Grupos: 84 Número de IES: Categoria Administrativa

Leia mais

Formação dos Grupos e forma de disputa

Formação dos Grupos e forma de disputa Formação dos Grupos e forma de disputa Sorteio realizado no dia 01 de Novembro de 2010 na sede social da APMP. Categoria Força Livre 1. Amazonas 2. Acre 3. Amapá 4. Ceara 5. Espirito Santo 6. Goiás 7.

Leia mais

2005 CDMA Latin America Regional Conference

2005 CDMA Latin America Regional Conference Agencia Nacional de Telecomunicações 2005 CDMA Latin America Regional Conference JARBAS JOSÉ VALENTE Superintendente de Serviços Privados Conteúdo Situação Atual do SMP Previsão da Evolução do SMP Espectro

Leia mais

Dados Básicos sobre Recursos Humanos. ObservaRH - NESP/CEAM/UnB

Dados Básicos sobre Recursos Humanos. ObservaRH - NESP/CEAM/UnB Dados Básicos sobre Recursos Humanos ObservaRH - NESP/CEAM/UnB Brasília/DF 2007 Apresentação O conjunto de dados básicos sobre recursos humanos integra as expectativas das delegações que participaram da

Leia mais

9, R$ , , R$ ,

9, R$ , , R$ , Rondônia 2005 R$ 601.575,17 2005 10.154 2004 1.027.983 2004 108.139 2004 10,52 2006 R$ 609.834,21 2006 10.757 2005 1.025.249 2005 101.539 2005 9,90 2007 R$ 1.229.490,00 2007 9.100 2006 1.047.004 2006 111.068

Leia mais

Tribunal Superior do Trabalho Secretaria-Geral da Presidência Coordenadoria de Estatística e Pesquisa RELATÓRIO ANALÍTICO

Tribunal Superior do Trabalho Secretaria-Geral da Presidência Coordenadoria de Estatística e Pesquisa RELATÓRIO ANALÍTICO Tribunal Superior do Trabalho Secretaria-Geral da Presidência Coordenadoria de Estatística e Pesquisa CONSOLIDAÇÃO ESTATÍSTICA DA JUSTIÇA DO TRABALHO RELATÓRIO ANALÍTICO 2011 Consolidação Estatística da

Leia mais

Estado de São Paulo tem a maior quantidade de POS a cada mil habitantes; Maranhão, a menor

Estado de São Paulo tem a maior quantidade de POS a cada mil habitantes; Maranhão, a menor INFORMATIVO PARA A IMPRENSA ML&A Comunicações Fernanda Elen fernanda@mla.com.br (11) 3811-2820 ramal 833 Cresce a aceitação de cartões em 2015, aponta a Boanerges & Cia. Estado de São Paulo tem a maior

Leia mais

Contabilizando para o Cidadão Entendendo as Finanças Públicas

Contabilizando para o Cidadão Entendendo as Finanças Públicas - ano 2015 Pernambuco 5,20% Ceará 5,44% Maranhão 5,14% Pará 4,89% Paraná 4,43% Rio Grande do Sul 4,37% Santa Catarina 2,54% Rio Grande do Norte 2,48% Espírito Santo 2,14% Amazonas 2,06% Sergipe 1,87% Alagoas

Leia mais

Vigilância em Saúde do Trabalhador Agenda Estratégica e a Renast

Vigilância em Saúde do Trabalhador Agenda Estratégica e a Renast Vigilância em Saúde do Trabalhador Agenda Estratégica e a Renast Coordenação Geral de Saúde do Trabalhador Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador Secretaria de Vigilância

Leia mais

Cursos de Dança no Brasil. Dulce Aquino

Cursos de Dança no Brasil. Dulce Aquino Cursos de Dança no Brasil Dulce Aquino Cursos de Dança no Brasil Instituições Federais Instituições Estaduais 3 cursos 9 cursos Total 3 Total de Cursos de Dança nas IES - 3 3 11 Norte - 3 Nordeste - 11

Leia mais

Relatório Equipe Nacional de Relações Institucionais Novembro de 2012

Relatório Equipe Nacional de Relações Institucionais Novembro de 2012 Relatório Equipe Nacional de Relações Institucionais Novembro de 2012 Introdução O Pacto Escoteiro foi lançado no dia 11 de setembro de 2012, propondo ser uma ferramenta para que os grupos escoteiros filiados

Leia mais

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MEC

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MEC SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MEC A EVOLUÇÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA O movimento Constitucional; O processo de discussão que antecedeu a LDB nº9394/96; A concepção de Educação Básica e a universalização do

Leia mais

Rio de Janeiro, 18/05/2017. Mercado de Trabalho Brasileiro 1º trimestre de 2017

Rio de Janeiro, 18/05/2017. Mercado de Trabalho Brasileiro 1º trimestre de 2017 1 Rio de Janeiro, 18/05/2017 Mercado de Trabalho Brasileiro estre de 2017 O B J P R I N C I P A L Produzir informações contínuas PNAD Contínua Produzir informações anuais E T I sobre a inserção da população

Leia mais

ENCARGOS SOCIAIS SOBRE A MÃO DE OBRA HORISTA % GRUPO A

ENCARGOS SOCIAIS SOBRE A MÃO DE OBRA HORISTA % GRUPO A ACRE B1 Repouso Semanal Remunerado 18,06 0,00 18,06 0,00 B2 Feriados 4,77 0,00 4,77 0,00 B3 Auxílio - Enfermidade 0,91 0,69 0,91 0,69 B4 13º Salário 10,97 8,33 10,97 8,33 B7 Dias de Chuvas 1,68 0,00 1,68

Leia mais

Estatísticas sobre Analfabetismo no Brasil

Estatísticas sobre Analfabetismo no Brasil Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Estatísticas sobre Analfabetismo no Brasil Audiência pública Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa

Leia mais

RELATÓRIO PRELIMINAR

RELATÓRIO PRELIMINAR Autos: ACOMPANHAMENTO DE CUMPRIMENTO DE DECISÃO - 0005633-70.2010.2.00.0000 Requerente: CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA - CNJ Requerido: CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA - CNJ RELATÓRIO PRELIMINAR Como Relator

Leia mais

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1)

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) ANEXO I BICICLETA ESCOLAR Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) Assunto: Adesão à ata de registro de preços nº 70/2010 do pregão eletrônico nº 40/2010. 1 2 BICICLETA 20 - AC,

Leia mais

TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS A ESTADOS, DF E MUNICÍPIOS - DEZEMBRO/2014

TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS A ESTADOS, DF E MUNICÍPIOS - DEZEMBRO/2014 SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL COINT - Coordenação-Geral de Análise e Informações das Transferências Financeiras Intergovernamentais TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS A ESTADOS, DF E MUNICÍPIOS - DEZEMBRO/2014

Leia mais

JJR a Peça que faltava à sua empresa.

JJR a Peça que faltava à sua empresa. Visando facilitar a consulta das alíquotas das 27 unidades da Federação, estamos disponibilizando uma tabela com todas alíquotas internas, separadas por região no País, bem como a fundamentação contida

Leia mais

RESULTADO DO LIRAa JANEIRO FEVEREIRO/15

RESULTADO DO LIRAa JANEIRO FEVEREIRO/15 RESULTADO DO LIRAa JANEIRO FEVEREIRO/15 1º LIRAa 2015 - Situação dos municípios brasileiros Participação voluntária de 1.844 municípios Pesquisa realizada entre janeiro/fevereiro de 2015; Identifica focos

Leia mais

Pesquisa sobre a Securitização da Dívida Ativa dos Municípios

Pesquisa sobre a Securitização da Dívida Ativa dos Municípios Pesquisa sobre a Securitização da Dívida Ativa dos Municípios Objetivos: Diagnosticar a situação atual dos municípios brasileiros em relação à Securitização da Dívida Ativa de acordo com a resolução 33

Leia mais

Cargas Aéreas e Rodoviárias Ltda.

Cargas Aéreas e Rodoviárias Ltda. Cargas Aéreas e Rodoviárias Ltda. EMPRESA A Trans Ápia é uma empresa especializada em cargas urgentes, porta a porta para todo território nacional, que atua no mercado de transportes aéreo e rodoviário

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA POLÍTICA NO DESEMPENHO INSTITUCIONAL OU O SETOR PÚBLICO NA ECONOMIA DO

A INFLUÊNCIA DA POLÍTICA NO DESEMPENHO INSTITUCIONAL OU O SETOR PÚBLICO NA ECONOMIA DO A INFLUÊNCIA DA POLÍTICA NO DESEMPENHO INSTITUCIONAL OU O SETOR PÚBLICO NA ECONOMIA DO Cristiano Tatsch, secretário do Planejamento e Desenvolvimento Regional RS 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009

Leia mais

14-17 anos 5-13 anos. Faixa etária (anos) Ocupação Outras Ignorada

14-17 anos 5-13 anos. Faixa etária (anos) Ocupação Outras Ignorada Ocupação (N) Acidente de trabalho em crianças e adolescentes com diagnóstico de lesão de traumatismo do punho e da mão (CID, S6-S69), segundo ocupação. Brasil, 27 a 26* 4-7 anos - anos Trabalhador polivalente

Leia mais

A Falta de Médicos no Brasil e no Rio

A Falta de Médicos no Brasil e no Rio A Falta de Médicos no Brasil e no Rio Marcelo Cortes Neri Centro de Políticas Sociais do IBRE/FGV e da EPGE/FGV mcneri@fgv.br Ranking - Município do Rio de Janeiro* Salário 1..Direito - Mestrado ou Doutorado

Leia mais

PÓLO COSTA DAS PISCINAS/PARAÍBA PLANO DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DO TURISMO SUSTENTÁVEL ANEXO V GASTOS TURÍSTICOS TABELAS

PÓLO COSTA DAS PISCINAS/PARAÍBA PLANO DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DO TURISMO SUSTENTÁVEL ANEXO V GASTOS TURÍSTICOS TABELAS PÓLO COSTA DAS PISCINAS/PARAÍBA PLANO DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DO TURISMO SUSTENTÁVEL ANEXO V GASTOS TURÍSTICOS TABELAS JOÃO PESSOA-PB, JUNHO 2004 TABELA Nº01 GASTO MÉDIO INDIVIDUAL DIÁRIO em R$ 1.00,

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015 DADOS GERAIS DO ESTADO DO MATO GROSSO Total Part % Brasil Part % Região Área Total - km² 903.386 10,63% 56,24% População

Leia mais

PROGRAMA DE COMPRAS GOVERNAMENTAIS PARCERIAS E PERSPECTIVAS CONVÊNIO SEBRAE / CONSAD

PROGRAMA DE COMPRAS GOVERNAMENTAIS PARCERIAS E PERSPECTIVAS CONVÊNIO SEBRAE / CONSAD PROGRAMA DE COMPRAS GOVERNAMENTAIS PARCERIAS E PERSPECTIVAS CONVÊNIO SEBRAE / CONSAD 92º Fórum Nacional de Secretários de Estado da Administração Canela/RS Nov/2013 Convênio com Ministério do Planejamento

Leia mais

Perfil da Clientela Matriculada. Matrículas novas e revalidadas. Matrículas Realizadas Evolução Carga de Trabalho

Perfil da Clientela Matriculada. Matrículas novas e revalidadas. Matrículas Realizadas Evolução Carga de Trabalho O SESC Criado e mantido pelo empresariado do comércio de bens, serviços e turismo, o SESC tem por finalidade planejar e executar medidas que contribuam para a melhoria do padrão de vida dos comerciários

Leia mais

Pesquisa Hábitos de Consumo Páscoa Copyright Boa Vista SCPC 1

Pesquisa Hábitos de Consumo Páscoa Copyright Boa Vista SCPC 1 Pesquisa Hábitos de Consumo Páscoa 2016 2015 Copyright Boa Vista SCPC 1 Índice o Objetivo, metodologia e amostra... 03 o Perfil dos respondentes... 04 o Percepção do consumidor sobre a Páscoa... 07 o Hábitos

Leia mais

ANEXO I QUADRO DE VAGAS E LOCALIDADES

ANEXO I QUADRO DE VAGAS E LOCALIDADES ANEXO I QUADRO DE VAGAS E LOCALIDADES Referência: Vagas Provimento imediato de vagas e formação de Cadastro de Reserva. Vagas PD Vagas Reservadas para os candidatos Portadores de Deficiência. 1. Diretoria

Leia mais

14ª Avaliação de Perdas no Varejo Brasileiro

14ª Avaliação de Perdas no Varejo Brasileiro 14ª Avaliação de Perdas no Varejo Brasileiro Caracterização da Amostra DADOS FISICOS Amostra TOTAL Número de respondentes 293 Crescimento de 37% em relação a 2012 Número de Lojas 2.854 Número de Centro

Leia mais

SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO TAÍS ARRUTI LYRIO LISBOA AUDITORA FISCAL DO TRABALHO RESPONSÁVEL NACIONAL PELO PROJETO DE INSERÇÃO DE APRENDIZES

SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO TAÍS ARRUTI LYRIO LISBOA AUDITORA FISCAL DO TRABALHO RESPONSÁVEL NACIONAL PELO PROJETO DE INSERÇÃO DE APRENDIZES SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO TAÍS ARRUTI LYRIO LISBOA AUDITORA FISCAL DO TRABALHO RESPONSÁVEL NACIONAL PELO PROJETO DE INSERÇÃO DE APRENDIZES APRENDIZAGEM: CARACTERIZAÇÃO, LIMITES E POSSIBILIDADES

Leia mais

Contas Regionais do Brasil 2012

Contas Regionais do Brasil 2012 Diretoria de Pesquisas Contas Regionais do Brasil 2012 Coordenação de Contas Nacionais frederico.cunha@ibge.gov.br alessandra.poca@ibge.gov.br Rio de Janeiro, 14/11/2014 Contas Regionais do Brasil Projeto

Leia mais

Sondagem Comportamento do Consumidor Dia dos Pais Julho de 2017

Sondagem Comportamento do Consumidor Dia dos Pais Julho de 2017 Sondagem Comportamento do Consumidor Dia dos Pais 2017 Julho de 2017 Objetivo, metodologia e amostra o Objetivo: a sondagem tem por objetivo identificar os hábitos de compras dos consumidores para o Dia

Leia mais

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2017 ( t ) ( US$ / t )

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2017 ( t ) ( US$ / t ) BRASIL IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2017 (POR PAÍS) PAÍSES JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 399.473,26 422.403,60 501.033,08 371.050,32 437.918,87 2.131.879,13 Valor

Leia mais

TRIBUTAÇÃO SOBRE AS MPEs RANKING DOS ESTADOS 2012

TRIBUTAÇÃO SOBRE AS MPEs RANKING DOS ESTADOS 2012 TRIBUTAÇÃO SOBRE AS MPEs RANKING DOS ESTADOS 2012 ROTEIRO 1 2 3 4 O PROJETO RESULTADOS DIFERENÇA NAS ALÍQUOTAS LIÇÕES: BONS E MAUS EXEMPLOS 1 O PROJETO 1 2 3 4 O PROJETO RESULTADOS DIFERENÇA NAS ALÍQUOTAS

Leia mais

Departamento de Pesquisas Judiciárias RELATÓRIO DE DADOS ESTATÍSTICOS. SEMANA PELA CONCILIAÇÃO META 2 Período: 14 a 18 de setembro de 2009

Departamento de Pesquisas Judiciárias RELATÓRIO DE DADOS ESTATÍSTICOS. SEMANA PELA CONCILIAÇÃO META 2 Período: 14 a 18 de setembro de 2009 RELATÓRIO DE DADOS ESTATÍSTICOS SEMANA PELA CONCILIAÇÃO META 2 Período: 14 a 18 de setembro de 2009 1. Introdução O presente relatório objetiva apresentar os resultados estatísticos obtidos durante o período

Leia mais

SÍNTESE DOS ÍNDICES DE VIOLÊNCIA, TRABALHO ESCRAVO E MORTALIDADE INFANTIL NO BRASIL

SÍNTESE DOS ÍNDICES DE VIOLÊNCIA, TRABALHO ESCRAVO E MORTALIDADE INFANTIL NO BRASIL SÍNTESE DOS ÍNDICES DE VIOLÊNCIA, TRABALHO ESCRAVO E MORTALIDADE INFANTIL NO BRASIL Brasília, 28 de junho de 2017 1 1. INTRODUÇÃO Recentemente alguns documentos de extrema relevância sobre os cenários

Leia mais

Pesquisa Hábitos de Consumo Dia Mundial do Consumidor Copyright Boa Vista SCPC 1

Pesquisa Hábitos de Consumo Dia Mundial do Consumidor Copyright Boa Vista SCPC 1 Pesquisa Hábitos de Consumo Dia Mundial do Consumidor 0 0 Copyright Boa Vista SCPC Índice o Objetivo, metodologia e amostra... 0 o Perfil dos respondentes... 0 o Percepção da Economia Brasileira (0 contra

Leia mais

jan/16 fev/16 mar/16 abr/16 mai/16 jun/16 jul/16 ago/16 set/16 out/16 nov/16 dez/16

jan/16 fev/16 mar/16 abr/16 mai/16 jun/16 jul/16 ago/16 set/16 out/16 nov/16 dez/16 Brasil Preço de Realização do Produtor 13,09 13,08 13,07 13,08 13,07 13,09 13,09 13,08 13,08 13,09 13,23 13,23 Preço do Produtor s/ ICMS c/ CIDE/PIS/COFINS 15,28 15,26 15,26 15,27 15,26 15,27 15,28 15,26

Leia mais

O Retorno da Educaçã. ção no Mercado de Trabalho

O Retorno da Educaçã. ção no Mercado de Trabalho O Retorno da Educaçã ção no Mercado de Trabalho Coordenador: Marcelo Cortes Neri Centro de Políticas Sociais do IBRE/FGV e da EPGE/FGV mcneri@fgv.br 1 Ranking - Município do Rio de Janeiro* Salário 1..Direito

Leia mais

COMPILAÇÃO DE INDICADORES SOCIAIS

COMPILAÇÃO DE INDICADORES SOCIAIS COMPILAÇÃO DE INDICADORES SOCIAIS PNAD Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio última atualização da pesquisa: 2011 1 2 CARACTERÍSTICAS DOS DOMICÍLIOS 3 ACESSO A SERVIÇOS PÚBLICOS EVOLUÇÃO DO PERCENTUAL

Leia mais

Teto Salarial do Poder Judiciário CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA

Teto Salarial do Poder Judiciário CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA Teto Salarial do Poder Judiciário CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA Antecedentes A Resolução nº 13, de 21 de Março de 2006, que dispõe sobre a aplicação do teto remuneratório constitucional e do subsídio mensal

Leia mais

Piores trechos por Unidade Federativa por número de mortos

Piores trechos por Unidade Federativa por número de mortos Piores trechos por Unidade Federativa por número de mortos - 2016 Data: 24/05/2017 FILTROS: Veículos: Todos Valores: Absolutos Estado: Todos BR: Todas Piores trechos por Estado número de mortos 2016 Estado

Leia mais

jan/10 fev/10 mar/10 abr/10 mai/10 jun/10 jul/10 ago/10 set/10 out/10 nov/10

jan/10 fev/10 mar/10 abr/10 mai/10 jun/10 jul/10 ago/10 set/10 out/10 nov/10 Coordenadoria de Defesa da Evolução Concorrência dos preços de GLP (R$ / botijão de 13 kg) Brasil Preço de Realização do Produtor 11,33 11,34 11,34 11,32 11,33 11,33 11,33 11,34 11,34 11,34 11,34 Preço

Leia mais

Brasil Preço de Realização do Produtor 13,09 13,08 CIDE - - PIS/COFINS 2,18 2,18 Preço do Produtor s/ ICMS c/ CIDE/PIS/COFINS 15,28 15,26 ICMS 6,57

Brasil Preço de Realização do Produtor 13,09 13,08 CIDE - - PIS/COFINS 2,18 2,18 Preço do Produtor s/ ICMS c/ CIDE/PIS/COFINS 15,28 15,26 ICMS 6,57 jan/16 fev/16 Brasil Preço de Realização do Produtor 13,09 13,08 Preço do Produtor s/ ICMS c/ CIDE/PIS/COFINS 15,28 15,26 ICMS 6,57 6,57 Margem Bruta de Distribuição 15,73 16,14 Preço de Distribuição 37,57

Leia mais

POSIÇÃO ATUALIZADA ATÉ 25/06/2012 Classif Último Candidato Convocado procedimentos préadmissionais

POSIÇÃO ATUALIZADA ATÉ 25/06/2012 Classif Último Candidato Convocado procedimentos préadmissionais CONCURSO PÚBLICO 2010 TBN RJ e SP de de RJ Campos dos Goytacazes Técnico Bancário 106 2 105 2 RJ Centro Técnico Bancário 592 4 592 4 RJ Niteroi Técnico Bancário 130 3 130 3 RJ Nova Iguaçu Técnico Bancário

Leia mais

Produção Brasileira de Melão por Estado 2007 Estados Área (ha) Volume (Ton) Valor (Mil R$) Rio Grande do Norte Ceará 6.

Produção Brasileira de Melão por Estado 2007 Estados Área (ha) Volume (Ton) Valor (Mil R$) Rio Grande do Norte Ceará 6. Produção Brasileira de Abacaxi por Estado 2007 Pará 15.462 701.948 125.596 Paraíba 11.600 625.527 150.054 Minas Gerais 7.593 596.668 127.597 Bahia 6.430 282.634 63.185 São Paulo 3.620 271.380 76.161 Rio

Leia mais

Eurico Marcos Diniz de Santi Doutor PUC/SP, Professor da FGV e Coordenador do NEF/DireitoGV

Eurico Marcos Diniz de Santi Doutor PUC/SP, Professor da FGV e Coordenador do NEF/DireitoGV Contencioso administrativo tributário e transparência fiscal: o direito ao pleno acesso às decisões proferidas pelos Tribunais Administrativos Tributários Eurico Marcos Diniz de Santi Doutor PUC/SP, Professor

Leia mais

O apoio financeiro ao carnaval de 2016

O apoio financeiro ao carnaval de 2016 Estudos Técnicos/CNM Janeiro de 2016 O apoio financeiro ao carnaval de 2016 1. Introdução A Confederação Nacional de Municípios (CNM) vem alertando os Municípios a respeito da crise que se abate no país

Leia mais

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2015 ( t ) ( US$ / t )

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2015 ( t ) ( US$ / t ) BRASIL IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2015 (POR PAÍS) PAÍSES ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 269.719,83 387.213,30 406.882,12 310.956,48 318.530,07 375.612,10 2.068.913,89 Valor Fob ( Us$/Mil ) 72.142,83 99.905,76 104.619,97

Leia mais

LEVANTAMENTO FISCAL SITE KADOX

LEVANTAMENTO FISCAL SITE KADOX LEVANTAMENTO FISCAL SITE KADOX SUMÁRIO 1 ICMS 1.1 CONTRIBUINTE 1.2 FATO GERADOR DO IMPOSTO 1.3 BASE DE CÁLCULO DO IMPOSTO 1.4 REDUÇÃO DA BASE DE CÁLCULO 1.5 CARTA DE CORREÇÃO 1.6 CÓDIGO DA SITUAÇÃO TRIBUTÁRIA

Leia mais

ANEXO I QUADRO DE VAGAS E LOCALIDADES

ANEXO I QUADRO DE VAGAS E LOCALIDADES Referência: Vagas Provimento imediato de vagas e formação de Cadastro de Reserva. Vagas PD Vagas Reservadas para os candidatos Portadores de Deficiência. 1.Diretoria Regional Brasília e Administração Central

Leia mais

Evolução das Despesas Estaduais

Evolução das Despesas Estaduais PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CONTABILIDADE E ECONOMIA SINDICATO DAS EMPRESAS DE SERVIÇOS CONTÁBEIS DO RS Convênio FACE/PUCRS e SESCON-RS Relatório 2 Evolução das Despesas

Leia mais

jan/12 fev/12 mar/12 abr/12 mai/12 jun/12 jul/12 ago/12 set/12 out/12 nov/12 dez/12

jan/12 fev/12 mar/12 abr/12 mai/12 jun/12 jul/12 ago/12 set/12 out/12 nov/12 dez/12 Coordenadoria de Defesa da Evolução Concorrênciados preços de GLP (R$ / botijão de 13 kg) Brasil Preço de Realização do Produtor 11,33 11,34 11,33 11,34 11,33 11,34 11,34 11,33 11,34 11,34 11,34 11,34

Leia mais

ção: Motivaçõ ções e Metas

ção: Motivaçõ ções e Metas Equidade e Eficiência Educaçã ção: Motivaçõ ções e Metas RANKINGS REGIONAIS MOTIVOS DE EVASÃO Ranking Motivo de Evasão: TRABALHO (Demanda1) TOTAL BRASIL 1,43 0 a 17 anos 1 Minas Gerais 2,27 2 Pernambuco

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RESOLUÇÃO STJ N. 4 DE 1º DE FEVEREIRO DE 2013. Dispõe sobre o pagamento de custas judiciais e porte de remessa e retorno de autos no âmbito do Superior Tribunal de Justiça. O PRESIDENTE DO SUPERIOR TRIBUNAL

Leia mais

Contas Regionais do Brasil 2011

Contas Regionais do Brasil 2011 Diretoria de Pesquisas Contas Regionais do Brasil 2011 Coordenação de Contas Nacionais frederico.cunha@ibge.gov.br alessandra.poca@ibge.gov.br Rio, 22/11/2013 Contas Regionais do Brasil Projeto de Contas

Leia mais

Estimativas e Análises do PIB Regiões, Estados e Municípios. Boletim Técnico Gonçalves & Associados Edição 02 Setembro/2012.

Estimativas e Análises do PIB Regiões, Estados e Municípios. Boletim Técnico Gonçalves & Associados Edição 02 Setembro/2012. O Atual Potencial Econômico do Brasil Estimativas e Análises do PIB 2011 - Regiões, Estados e Municípios Boletim Técnico Gonçalves & Associados Edição 02 Setembro/2012 Edição 2009 www.goncalvesassociados.com

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (julho/2015) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

Números revelam avanços e desafios

Números revelam avanços e desafios dados e indicadores Números revelam avanços e desafios Mais de 70% dos municípios brasileiros conseguiram alcançar ou superar as metas estabelecidas pelo Inep/MEC no último biênio. Essa evolução teve reflexos

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA Nível superior Cargo 1: Contador DF Brasília/Sede da Administração Central 35 1820 52,00 Nível médio Cargo 2: Agente Administrativo AC Rio Branco/Sede da SRTE 2 1496 748,00 Nível médio Cargo 2: Agente

Leia mais

Evolução da Biblioteca Virtual em Saúde no Brasil. Maputo, 18 de novembro de 2009

Evolução da Biblioteca Virtual em Saúde no Brasil. Maputo, 18 de novembro de 2009 Evolução da Biblioteca Virtual em Saúde no Brasil Maputo, 18 de novembro de 2009 Informação em Saúde U n iv e rs a lida d e In t e g ra lida de E qu ida de S is te m a Ú n ic o de S a ú de In fo rm a ç

Leia mais

Sumário. 03 Perfil Sicredi. 06 Perfil Ouvidoria

Sumário. 03 Perfil Sicredi. 06 Perfil Ouvidoria Relatório de Ouvidoria 1º semestre de 2017 Sumário 03 Perfil Sicredi 06 Perfil Ouvidoria 03 Perfil Sicredi O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados

Leia mais

Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A Divulgação dos resultados parciais do programa em 2013.

Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A Divulgação dos resultados parciais do programa em 2013. Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A Divulgação dos resultados parciais do programa em 2013. O Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A tem por objetivo a prevenção e controle da hipovitaminose

Leia mais

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO PACOTE DE VOZ LDI MÓVEL VIVO PÓS-PAGO

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO PACOTE DE VOZ LDI MÓVEL VIVO PÓS-PAGO REGULAMENTO DA PROMOÇÃO PACOTE DE VOZ LDI MÓVEL VIVO PÓS-PAGO Vivo Móvel Pós Pago Nacional I. DISPOSIÇÕES GERAIS DA PROMOÇÃO I.1. Descrição Geral 1. A Vivo, através da Promoção Pacote de Voz LDI Móvel

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL

CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL ELEVAÇÃO DA TAXA DE JUROS AGRAVA SITUAÇÃO DO MERCADO DE TRABALHO NO BRASIL: 2002/2015 Julho de 2015 1 INTRODUÇÃO Instituída no Brasil pelo

Leia mais

Índice de Qualidade do Gasto Público

Índice de Qualidade do Gasto Público Unidade de Pesquisa Fiscal e Financeira Aplicada de Qualidade do Gasto Público nº 01 Agosto 2014 de Qualidade do Gasto Público Segurança - Saúde - Educação Agosto 2014 Valéria Issac Marques Ricardo de

Leia mais

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

Sobre o IPECE Informe

Sobre o IPECE Informe Nº 115 Julho 2017 Dinâmica dos Empregos Formais Cearenses: Uma Análise Comparativa com o Brasil, Grandes Regiões, Estados e Capitais da Federação entre os anos de 2010 e 2015. GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ

Leia mais

Joseney Santos

Joseney Santos Joseney Santos joseney.santos@saude.gov.br O Brasil está entre os 22 países que concentram 80% dos casos de Tb no mundo. (OMS) Responsável, junto com o Peru por 50% dos Casos nas Américas. (OMS) Média

Leia mais

O Processo Eletrônico no Tribunal Regional Federal da 4ª Região. Juiz Federal Sérgio Tejada Garcia

O Processo Eletrônico no Tribunal Regional Federal da 4ª Região. Juiz Federal Sérgio Tejada Garcia O Processo Eletrônico no Tribunal Regional Federal da 4ª Região Juiz Federal Sérgio Tejada Garcia 4ª Região NÚMEROS DO PROCESSO ELETRÔNICO NA JUSTIÇA FEDERAL DA 4ª REGIÃO SEÇÕES JUDICIÁRIAS e-procv1 e-procv2

Leia mais

BRASIL - IMPORTAÇÃO FARINHA DE TRIGO 2017 ( t ) ( US$ / t )

BRASIL - IMPORTAÇÃO FARINHA DE TRIGO 2017 ( t ) ( US$ / t ) BRASIL IMPORTAÇÃO DE FARINHA DE TRIGO 2017 (POR PAÍS) PAÍSES ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 30.038,81 30.038,81 Valor Fob ( Us$/Mil ) 8.096,09 8.096,09 Preço Médio ( Us$/Ton ) 269,52 269,52 PARAGUAI Volume

Leia mais

Conselho Nacional de Justiça Anexo I SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA E SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA TABELA PADRONIZADA DO NÚMERO DOS PROCESSOS NOS ÓRGÃOS DO PODER JUDICIÁRIO 1 SUPREMO

Leia mais

O Sebrae e as empresas do Setor de Calçados e de Vestuários e Acessórios

O Sebrae e as empresas do Setor de Calçados e de Vestuários e Acessórios O Sebrae e as empresas do Setor de Calçados e de Vestuários e Acessórios Abril/2014 Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação aos

Leia mais

Síntese de indicadores. nº 1 setembro 2012 CAGED

Síntese de indicadores. nº 1 setembro 2012 CAGED Síntese de indicadores nº 1 setembro 2012 CAGED Síntese de indicadores CAGED Apresentação A partir deste mês, os Observatórios do Trabalho do DIEESE passam a divulgar a Síntese de Indicadores, com resultados

Leia mais

ICMS: um retrato da economia brasileira em 2015

ICMS: um retrato da economia brasileira em 2015 ICMS: um retrato da economia brasileira em 2015 Pedro Jucá Maciel 1 INTRODUÇÃO O ICMS, imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre prestações de serviços de transporte interestadual,

Leia mais

SOLUÇÕES PARA NOVAS EXIGÊNCIAS FISCAIS

SOLUÇÕES PARA NOVAS EXIGÊNCIAS FISCAIS SOLUÇÕES PARA NOVAS EXIGÊNCIAS FISCAIS Como o Control-in pode facilitar a documentação fiscal do seu Motel. Palestra Ministrada por Ricardo Chebib em 08/06/2016 Escolha do Tema da Palestra Envolve diversas

Leia mais

Mortos e Acidentes por Unidade Federativa

Mortos e Acidentes por Unidade Federativa e Acidentes por Unidade Federativa - 2016 Data: 23/05/2017 FILTROS: Veículos: Todos, Caminhões, Ônibus Valores: Absolutos Estado: Todos BR: Todas Estados com maior número de mortes e acidentes - 2016 Este

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL 11/1/2010

ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL 11/1/2010 ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL PROFESSORES DAS REDES ESTADUAIS NO BRASIL A PRESENTE PESQUISA ESTÁ ENQUADRADA NA ESTRATÉGIA DO SINDICATO APEOC DE CONSTRUIR A ADEQUAÇÃO DO PLANO DE CARREIRA DOS TRABALHADORES

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (dezembro/13) Janeiro de 2014 Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Setembro/14) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS MUNICÍPIOS DA MICRORREGIÃO DO VALE DO PARANAÍBA ASSESSORIA EM GESTÃO PÚBLICA FPM. (Fundo de Participação dos Municípios)

ASSOCIAÇÃO DOS MUNICÍPIOS DA MICRORREGIÃO DO VALE DO PARANAÍBA ASSESSORIA EM GESTÃO PÚBLICA FPM. (Fundo de Participação dos Municípios) FPM (Fundo de Participação dos Municípios) - Projeções para 2014 - Decisão Normativa - TCU Nº 133, de 27 de novembro de 2013 1 DECISÃO NORMATIVA - TCU Nº 133, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2013 Aprova, para o exercício

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO 8º CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS NOS CARGOS DE ANALISTA E DE TÉCNICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO 8º CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS NOS CARGOS DE ANALISTA E DE TÉCNICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO Cargo 1: Analista do MPU Área de Atividade: Apoio Técnico-Administrativo Especialidade: Arquivologia Distrito Federal / DF 596 4 149,00 Especialidade: Biblioteconomia Acre / AC 147 1 147,00 Especialidade:

Leia mais

Casos de FHD Óbitos e Taxa de letalidade

Casos de FHD Óbitos e Taxa de letalidade Casos de dengue Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Total 2003 20.471 23.612 - - - - - - - - - - 44.083 2002 94.447 188.522 237.906 128.667 60.646 23.350 12.769 10.149 6.682 7.138 9.246 9.052

Leia mais

METODOLOGIA DE CÁLCULO DA TAXA DE MORTALIDADE INFANTIL

METODOLOGIA DE CÁLCULO DA TAXA DE MORTALIDADE INFANTIL GT Mortalidade Infantil METODOLOGIA DE CÁLCULO DA TAXA DE MORTALIDADE INFANTIL RIPSA - Rede Interagencial de Informações para a Saúde A taxa de mortalidade infantil é um indicador utilizado para medir

Leia mais

Manual Identidade Visual CFC - CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE

Manual Identidade Visual CFC - CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE Partindo da figura da engrenagem, presente na logo atual do CFC, o novo logo desenvolvido mantém uma relação com o passado da instituição, porém com um olhar no presente e no futuro, na evolução e ascensão

Leia mais

Direito Constitucional

Direito Constitucional Direito Constitucional Dos Tribunais Regionais Federais e dos Juízes Federais (Art. 106 a 110) Professor André Vieira www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Constitucional Seção IV DOS TRIBUNAIS REGIONAIS

Leia mais