GLOBALIZAÇÃO E PESQUISA JURÍDICA: POR UMA NOVA DINÂMICA DE DIREITO SOCIAL E DE NORMAS INTERNACIONAIS DO TRABALHO*

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GLOBALIZAÇÃO E PESQUISA JURÍDICA: POR UMA NOVA DINÂMICA DE DIREITO SOCIAL E DE NORMAS INTERNACIONAIS DO TRABALHO*"

Transcrição

1 GLOBALIZAÇÃO E PESQUISA JURÍDICA: POR UMA NOVA DINÂMICA DE DIREITO SOCIAL E DE NORMAS INTERNACIONAIS DO TRABALHO* Jean-Claude Javillier** S U M Á R IO : 1 P ro b lem ática; 2 F inalidades; 3 M odalidades. 1 P R O B L E M Á T I C A. 1 D e s d e a s s u a s o rig e n s, a O rg a n iz a ç ã o In te rn a c io n a l d o T ra b a lh o - O IT, so b o f u n d a m e n to d o u n iv e r s a lis m o e d o trip a rtis m o, te m d a d o a o D ire ito u m lu g a r e x p re s s iv o e m s u a filo s o fia e a ç ã o. N a s situ a ç õ e s p o lític a s e h is tó ric a s m a is g ra v e s, o d ire ito in te rn a c io n a l d o tra b a lh o re v e lo u -s e c o m o u m in s tru m e n to d e te r m in a n te d o tr iu n fo d a p a z, d a ju s tiç a so c ia l e d o d e s e n v o lv im e n to e c o n ô m ic o. T a l re c u r s o p riv ile g ia d o a o D ire ito d e v e, c o n tu d o, s e r o b je to, d e fo r m a r e g u la r e e x a u s tiv a, d e u m in v e n tá rio c rític o e, d e n tro d o p o s s ív e l, d e u m a a n á lise p ro s p e c tiv a. S e m e lh a n te s c rític a s e a n á lis e s d e v e m a d v ir d e u m a re fle x ã o d e d iv e rs o s sis te m a s e c u ltu ra s ju r íd ic a s. T al in v e n tá rio im p lic a u m a fo rte s in e rg ia c o m o m u n d o a c a d ê m ic o e c o m o s p ra tic a n te s d o D ire ito. N in g u é m p o d e se s e n tir e x c lu íd o d e s s e m o v im e n to. A d v o g a d o s, ju íz e s, ju r is ta s d e o rg a n iz a ç õ e s d e e m p r e g a d o re s e d e s in d ic a to s d e e m p r e g a d o s, le g is la d o re s e p ro fe s s o re s d e D ire ito : to d o s tê m u m p a p e l a jo g a r n e s ta c o n s tru ç ã o, o u re c o n s tru ç ã o, d o s o rd e n a m e n to s ju r íd ic o s, n o in tu ito d e d a r p le n a e fe tiv id a d e a o s v a lo r e s q u e a O IT p ro m o v e, d e s d e a s su a s o rig e n s, c o m a r d o r e c o n s t â n c ia. N i n g u é m p o d e s e j u l g a r e x c lu í d o d e s s e m o v i m e n t o. A g lo b a liz a ç ã o 1 to c o u o h in o d o s m u n d o s ju r íd ic o s h e rm é tic o s, d a s re g ra s ju r íd ic a s * O au to r aq u i ex p rim e su as idéias p essoais, n ão intentan do vincular, de n en h u m a form a, a instituição a qual tem a h o n ra de servir. A s prop o stas apresentad as n ão são m ais do que investigações sucintas. P reced em de u m a g ran d e m od éstia, m as tam b ém de u m a grande d isposição a serviço da instituição e d e seu s integrantes. * * C o n se lh e ir o P r in c ip a l d o In s titu to In te r n a c io n a l d e E s tu d o s S o c ia is d a O IT, G e n eb ra. 1 E stão disp o n ív eis no s ite w w.ilo.org /p u b lic/sp an ish /standards/relm /ilc/ilc92/pdf7rep-w c.pdf os im p o rtan tes trab alh o s e o relatório da C om issão M u nd ial sobre a dim ensão social da globalização, p ara u m a leitura m ais ap ro fu n d ad a sob re o tem a. T am bém no site que a O IT destina à m atéria h ttp :/ /m irro r/p u b lic/en g lish /fairg lo b alizatio n /ind ex.htm. O m esm o se d iz sobre o relatório do diretorgeral d a referida com issão para a 92 a C o n ferência Internacional do T rabalho, w w.ilo.org/ p u b lic/sp an ish /stan d ard s/relm /ilc/ilc9 2 /p df/ad ho c.p df. 42 Rev. TST, Brasília, vol. 70, n º 2, jul/dez 2004

2 in d e p e n d e n t e s, d a s l ó g ic a s j u r íd ic a s s o lit á r ia s e, m u it a s v e z e s, a té a r r o g a n te s. S o b o im p u ls o d e s e u D ir e t o r G e r a l, o S e n h o r J u a n S O M A V 1 A, a O I T e n g a j o u - s e n a m a t e r ia liz a ç ã o d e u m a e s tr a té g ia d e tr a b a lh o d e c e n t e. D e s s a e s t r a t é g ia, o d ir e it o in te r n a c io n a l d o tr a b a lh o d e v e s e b e n e f ic ia r p le n a m e n t e. O s ju r is t a s d e t o d o s o s c o n t in e n t e s, s is t e m a s j u r íd ic o s e p a ís e s p o d e m, a s s im, b e n e f ic ia r - s e d e u m a n o v a d in â m ic a, e n r a iz a d a e m u m a v i s ã o s o c i a l e g e o p o l it i c a d o m u n d o c o n t e m p o r â n e o. G lo b a li z a ç ã o e tr a b a lh o d e c e n t e s e a p r e s e n ta m c o m o a e s s ê n c i a d e t o d a p e s q u is a j u r íd ic a d ig n a d e s s e n o m e, o u s e ja, liv r e, r ig o r o s a, a p r o fu n d a d a e c r ia tiv a. 1.2 G lo b a li z a ç ã o e s is t e m a s j u r íd ic o s. C o n v é m d a r a o s n o s s o s r e p r e s e n t a d o s a s in f o r m a ç õ e s e a s a n á lis e s m a is r e le v a n t e s e a tu a is s o b r e o D ir e it o, n ã o a p e n a s d a p e r s p e c t iv a d a p o l í t ic a n o r m a t iv a p e r t in e n t e, m a s, m a is g e n e r ic a m e n t e, s o b r e o q u a d r o d a s c é l e r e s e p r o f u n d a s m u d a n ç a s p o r q u e p a s s a m o s s is t e m a s j u r íd ic o s, ta n to n o p la n o in te r n a c io n a l c o m o n o s p la n o s r e g io n a l e n a c io n a l. N a p r e s e n ç a d e u m a g l o b a l iz a ç ã o a c e le r a d a, n u m e r o s o s e c o m p l e x o s d e b a t e s d e s e n v o l v e m - s e, e m t o d o s o s s is t e m a s j u r íd ic o s, n o s e n t id o ta n to d a m u lt ip lic a ç ã o c o m o d a a p lic a ç ã o d a s n o r m a s. C o n v é m a e s s e r e s p e it o a n a lis a r, c o m m a io r d ilig ê n c ia, o q u e s i g n i f i c a a m u lt ip lic a ç ã o d a s n o r m a s. A t o d a e v id ê n c ia, ta n to n o d ir e it o n a c io n a l c o m o n o s d ir e it o s r e g io n a l e in t e r n a c io n a l, a s a n á lis e s d e v e m s e r e s c la r e c id a s e o s im p a c t o s d e s e u s e f e i t o s m e d i d o s c o m c a u te la ; i s s o p o r q u e, a tr a v é s d o m u n d o, n e m s e m p r e s e u t iliz a a m e s m a lin g u a g e m t é c n ic a r e la t iv a m e n t e à m a té r ia. T u d o in d ic a q u e o s ju r is t a s d a O I T n ã o s a b e r ia m s e e n c o n tr a r n a im e n s id ã o d e ta is d e b a t e s, p e l o q u e c o n v é m a p o n ta r t o d a s a s e v e n t u a is c o n s e q ü ê n c ia s d a p r á tic a d o d ir e it o p e l o s fu n c io n á r io s d a s in s t it u iç õ e s in te r n a c io n a is. A a r t ic u la ç ã o e n tr e a s d if e r e n t e s f o n t e s d o d ir e it o, e m t o d o s o s n ív e is, c o n s t it u i u m d o s g r a n d e s d e s a f i o s n o r m a t iv o s d e s t e n o v o m ilê n io. P a ra a q u e le s q u e a s p ir a m a u m a n o v a o r d e m ju r íd ic a m u n d ia l, b e m c o m o a u m a m e lh o r a n a e f ic á c i a e e f e t iv id a d e d o s d ir e it o s n a c io n a is, o d e b a t e d e v e s e r a p r o fu n d a d o. A s p r o f u n d a s m u d a n ç a s o u, m a i s p r e c i s a m e n t e, r e v o l u ç õ e s, q u e t e m c o n h e c id o o D ir e it o n o m u n d o c o n t e m p o r â n e o, s in g u la r m e n t e n a a u r o r a d o n o v o m ilê n io, d e v e m s e r a n a lis a d a s e c o m p r e e n d id a s, p a r a q u e s e j a m in d ic a d a s t o d a s a s m e ta s n o q u e t o c a à s a t iv id a d e s n o r m a tiv a s q u e p o d e m s e r p e r s e g u id a s, t e n ta d a s o u r e o r ie n ta d a s. E s s a s m u d a n ç a s d e v e m s e r a n a lis a d a s e m t o d o s o s n í v e is e m q u e a s n o r m a s s ã o c h a m a d a s a s e r e m a p lic a d a s e c r ia d a s. A s s im, c o n v é m a n a lisa r o p a p e l q u e o s E s ta d o s e a s in s t it u iç õ e s in te r n a c io n a is j o g a m e m m a té r ia d e c o n c e p ç ã o e d e a p lic a ç ã o d e d ir e ito s o c ia l. À e v id ê n c ia, o s a to r e s e o s d e s t in a t á r io s d a s n o r m a s in te r n a c io n a is s e m p r e fo r a m m ú lt ip lo s. A O IT, m e lh o r d o q u e q u a lq u e r o u tr a o r g a n iz a ç ã o, ilu str a a p e r t in ê n c ia e a c o m p le x id a d e d e u m a d ia lé t ic a n o r m a tiv a, e n tr e a h e t e r o n o m ia e a a u to n o m ia. O tr ip a r tis m o im p lic a n e c e s s a r ia m e n t e, ta n to p a r a a c r ia ç ã o d a n o r m a c o m o p a r a a s u a a p lic a ç ã o, u m d i á l o g o, u m c o n c e r t o, u m a n e g o c ia ç ã o. É d a m a is e le v a d a im p o r tâ n c ia d e te r m in a r c o m c a u t e la c o m o, s o b o d ir e ito n o p la n o n a c io n a l e in te r n a c io n a l, é p o s s ív e l e la b o r a r u m c o n s e n s o : e m q u a is m a té r ia s Rev. TST, Brasília, vol. 70, nº 2, jul/dez

3 d o d ir e it o s o c i a l, c o m q u a is in s t r u m e n t o s j u r í d i c o s, p o r q u a l a p lic a ç ã o? D e u m p o n t o d e v is t a j u r í d i c o, é e s s e n c i a l d e te r m in a r a s m o d a lid a d e s t é c n ic a s q u e p o d e m g e r á - lo. I n c o n t e s t a v e lm e n t e, tal c o n s e n s o r e q u e r q u e s e j a t id o e m c o n t a, d e m a n e ir a p e r m a n e n t e, o s d if e r e n t e s in t e r e s s e s e m j o g o. É p e l o e q u ilíb r io d e s s e s in t e r e s s e s q u e é p o s s í v e l a tr a d u ç ã o d a s d if e r e n ç a s p e la c o n c o r d â n c ia, n a c r ia ç ã o e n a a p lic a ç ã o d a s n o r m a s. 1.3 T i p o l o g ia e s in e r g ia d a s n o r m a s j u r íd ic a s. A s d if e r e n ç a s e n tr e c a t e g o r ia s d e n o r m a s ju r íd ic a s 2 d e v e m s e r c o n s id e r a d a s c o m m a io r r ig o r p o r a q u e le s q u e q u e r e m d e te r m in a r a s m o d a lid a d e s d e a p lic a ç ã o e d e s e u a lc a n c e. O m a n iq u e ís m o, b e m c o m o a c o n f u s ã o, p a r e c e m d o m in a r a q u e le s q u e tê m p o r r e s p o n s a b ilid a d e c r ia r n o v a s n o r m a s. M a n iq u e ís m o e s s e p e l o q u a l a n t in o m ia s e n tr e r e g r a s e m r a z ã o s u a f o n t e s ã o a n u n c i a d a s, m u i t a s v e z e s d e f o r m a r u d e e a r t if i c i a l. P a r t id á r io s e o p o s ic i o n i s t a s d o d ir e it o r íg id o e d o d ir e it o f l e x í v e l p a r e c e m, à s v e z e s, e f e t u a r u m o b s t in a d o c o m b a t e. Q u e m, d a r e g r a h a r d o u d a r e g r a s o f t, tr iu n fa r á? C o m o c e r c a r e s itia r u m a o o u tr o? U m a o u tr a p e r s p e c t iv a d e v e s e r a d o ta d a, q u e p e r m ita m e d ir p r e v ia m e n t e a s c o m p le m e n t a r id a d e s, a s in t e r a ç õ e s e n tr e o s d if e r e n t e s t ip o s d e n o r m a. É, s e m d ú v id a, d e u m a a r t ic u la ç ã o e n tr e t o d a s a s n o r m a s, ta n to in t e r n a c io n a is c o m o r e g io n a is e n a c io n a is, q u e p o d e r e s u lta r e s t a b o a g o v e rnâ n c ia, à q u a l é a tr ib u íd a - a j u s t o t ítu lo - g r a n d e p a r te d a v ia b ilid a d e d a lu ta c o n tr a a p o b r e z a, d a r e a liz a ç ã o d a j u s t iç a s o c i a l e d a c o n c r e t iz a ç ã o d o tr a b a lh o d e c e n t e. É im p o r ta n te q u e a s t i p o l o g ia s j u r íd ic a s c o n s id e r e m a s d if e r e n t e s m a n e ir a s d e in te g r a r o d ir e it o à lu z d a s e s t r a t é g ia s ta n to s o c i a is c o m o e c o n ô m ic a s. C o n v é m p e n s a r o s in s t r u m e n t o s j u r í d i c o s e m t e r m o s d e e s t r a t é g ia, s u b lin h a n d o p a r tic u la r m e n t e a s in t e r d e p e n d ê n c ia s e c o m p le m e n t a r id a d e s, s e m p r e to r n a d a s a s d if e r e n ç a s e in c o m p a t ib ilid a d e s p e r t in e n t e s. C o n tr a to d a in é r c ia j u r íd ic a, é n e c e s s á r i o s itu a r a s r e g r a s p e la p e r s p e c t iv a d a r e a liz a ç ã o d e o b j e t iv o s, c u ja p e r t in ê n c ia e a lc a n c e s e r ã o d e t e r m in a d o s p e la s p o l ít ic a s e c o n ô m ic a s e s o c i a is, n a c io n a is e in t e r n a c io n a is. O u s e j a, é e s s e n c i a l q u e o s j u r is t a s, b e m c o m o o s p e n s a d o r e s d e t o d a s a s d is c ip lin a s, o p o n h a m - s e a u m a in s t r u m e n t a liz a ç ã o m e r a m e n te c o n ju n tu r a l d a s n o r m a s j u r íd ic a s, b e m c o m o à s n o r m a s q u e s e p r e te n d a m d e f in it iv a s. O s v a lo r e s, a é t ic a e o s s e u s f u n d a m e n t o s d e v e m s e r p o s t o s e m d e s t a q u e, c o m a f in a lid a d e d e s e (r e )c o n s tr u ir u m a c o e r ê n c ia d a s o r d e n s j u r íd ic a s, q u e p a r e c e m, a o f io d a s r e f o r m a s, n ã o m a is o b s e r v a r e m q u a is q u e r e x ig ê n c i a s d e c o e r ê n c ia o u s u b s t â n c ia. O d ir e it o s o c i a l, q u e p o d e s e r n a c io n a l, r e g io n a l o u in t e r n a c io n a l, te m s e n t id o a p e n a s s e s u a s r a íz e s e n c o n t r a m - s e n o p e n s a m e n t o c o l e t i v o e in s t it u c io n a l, o q u e lh e d á le g it im id a d e e d in â m ic a. E m to d a s e s s a s v a r iá v e is - tr a b a lh o e s e g u r id a d e s o c i a l -, é e v id e n t e q u e a s e v o l u ç õ e s, ta n to e c o n ô m ic a s c o m o s o c i a is, d o fim d o s é c u l o X X, e x i g e m o r e e x a m e o u a m it ig a ç ã o d e c e r t o s c o n c e i t o s q u e, p o r s e r e m 2 P ara u m a a n álise g eral: SE R V A IS, Jea n -M ic h el. N orm es internatin ales d u travail. 1ère éd. Paris: L G D J, p. 44 Rev. T ST, Brasília, vol. 70, n º 2, jul/dez 2004

4 c l á s s i c o s, c o n t in u a m p e r t in e n t e s e m f a c e d a s n o v a s s it u a ç õ e s. Q u a n d o a e x c e ç ã o to r n a - s e a r e g r a, c o n t u d o, é c o n v e n i e n t e p r o n u n c ia r - s e n ã o n e c e s s a r ia m e n t e s o b r e a l e g it im id a d e d e t a is c o n c e i t o s ( q u e p o d e m e d e v e m, à s v e z e s, s e r e m r e a f ir m a d o s c o m o le g í t i m o s e d u r a d o u r o s ), m a s, a n te s, s o b r e a s c o n d i ç õ e s d e s u a u t iliz a ç ã o e o r e c u r s o a c o n c e i t o s m a is a d a p t a d o s, in t e r m e d iá r io s o u p r o g r e s s iv o s. A im p o r t â n c ia e a c o m p l e x i d a d e d o s d e b a t e s r e la t iv o s a o a t ip is m o d a s r e l a ç õ e s d e tr a b a lh o, c o m o, p o r e x e m p lo, a d iv e r s id a d e d o s u n iv e r s o s j u r í d i c o s e n tr e c o n t r a to s d e tr a b a lh o p o r t e m p o d e t e r m in a d o o u in d e t e r m in a d o, tê m m ú lt ip la s c o n s e q ü ê n c i a s s o b r e o c o n j u n t o d o d ir e it o d o t r a b a lh o e d a s e g u r id a d e s o c i a l. O m e s m o s e d i z s o b r e o i m e n s o e s p a ç o c o n s t i t u í d o, e m n u m e r o s o s p a í s e s, p e la e c o n o m i a in f o r m a l, q u e é a s s im ila d a p u r a e s im p l e s m e n t e p e l o n ã o - d ir e it o o u, m e s m o, p e la r e j e iç ã o d e t o d a s a s n o r m a s ju r íd ic a s. P a r e c e q u e e s s a t e r r a i g n o r a d a é f r e q ü e n te m e n te u m a d e m a n d a, u m p e d id o a o E s ta d o d e D ir e ito, q u e e m a n a d a q u e le s q u e p r e t e n d e m e s c a p a r d e s s a c o n d iç ã o. A s p r o p o s t a s d e c l a s s i f i c a ç ã o d a s n o r m a s j u r í d i c a s, n o t a d a m e n t e in t e r n a c io n a is, s ã o r e a liz a d a s p o r e m in e n t e s r e p r e s e n t a n t e s d a d o u tr in a j u r íd ic a. C o n v é m f a z e r u m in v e n t á r io c o m p a r a t iv o e d e l e tira r t o d a s a s n o v a s p e r s p e c t iv a s, b e m c o m o a d is t in ç ã o p e r t in e n t e e n tr e d ir e it o s fu n d a m e n t a is, n o r m a s t é c n ic a s e n o r m a s p r o g r a m á tic a s, s e m p r e n o in tu ito d e e x p l ic i t á - lo s e d a r - lh e s e f e t iv id a d e. T o d a p r o m o ç ã o d o d ir e it o in t e r n a c io n a l d o tr a b a lh o e d a s e g u r id a d e s o c i a l im p lic a q u e ta l t i p o l o g ia, c o m o t o d a s d e s u a n a tu r e z a, s e j a c la r a m e n t e a p r e s e n ta d a, d e b a t id a e c o n s t it u a u m e le m e n t o d e u m a n o v a d in â m ic a n o r m a tiv a. E s s a d in â m ic a d e v e s e r c o m p a r tilh a d a e n tr e o s d e s t in a t á r io s e j u r is t a s q u e p a r tic ip a m d a a p lic a ç ã o d a n o r m a ( l e g i s l a d o r e s, a d m in is tr a d o r e s j u í z e s, a d v o g a d o s, u n iv e r s it á r io s ). A d e m a s ia d e d ir e it o s p r e j u d ic a o D ir e it o, c o m o s e c o s t u m a r e p e tir e m c e r t o s m e io s j u r í d i c o s e e m t o d o s o s c o n t in e n t e s. C o n v é m a n t e s d e n u n c ia r a in s u f ic ie n t e r e f l e x ã o e s t r a t é g ic a s o b r e a s d if e r e n t e s f o r m a s q u e p o d e m r e v e s t ir u m a n o r m a j u r íd ic a. C o n s e r v a n d o o c r it é r io d a s a n ç ã o, q u e p o d e s e r a t e n u a d o o u a g r a v a d o, é n e c e s s á r i o p e r c e b e r q u e a a u s ê n c ia d e p e r s p e c t iv a d e in t e r a ç ã o e a r t ic u la ç ã o d a s n o r m a s tr a z g r a v a m e s à e f e t iv id a d e e e f ic á c ia d o D ir e ito. C e r to s f i ló s o f o s e s o c i ó lo g o s ( e n ã o n e c e s s a r ia m e n t e a p e n a s d o D ir e it o ) tê m c h a m a d o à a t e n ç ã o o r u íd o q u e e n v o l v e t o d a a t iv id a d e p o lít ic a, e c o n ô m ic a e s o c ia l. E d o r u íd o c o n v é m d e s c o n f ia r, p o r s e r e l e c a p a z d e a tr a p a lh a r a p e r c e p ç ã o d o s m o v i m e n t o s p r o f u n d o s, d a s a ç õ e s d e s u b s tâ n c ia. D e m a s ia d o r u íd o s o b r e a s n o r m a s ( e d e in c e r te z a s o b r e s e u c o n t e ú d o e o b j e t i v o p r á t i c o ) p o d e g r a v e m e n t e p r e j u d ic a r o D i r e i t o, s e j a o n a c i o n a l o u in t e r n a c io n a l. U m a a n á lis e j u r íd ic a g lo b a l d e v e c o n d u z ir à d e t e r m in a ç ã o d o s d o m í n i o s n o s q u a is u m a c o n c e n t r a ç ã o, u m a s i m p l i f ic a ç ã o o u, a in d a, u m a m e lh o r in t e g r a ç ã o e c o n s o l i d a ç ã o ( n a m e d id a d o p o s s í v e l ) d o s in s t r u m e n t o s j u r í d i c o s p o d e m e d e v e m in te r v ir. O m e s m o s e d i z p a r a a c r ia ç ã o d e n o v o s in s t r u m e n t o s e p a r a a s a ç õ e s n o r m a t iv a s d o s m e io s t é c n ic o s e s p e c ia l i z a d o s o u d i v e r s if ic a d o s. T r a ta -s e s e m p r e d e e n f a t iz a r o im p a c t o d a s n o r m a s in t e r n a c io n a is d o tr a b a lh o s o b r e o s E s t a d o s - m e m b r o s d a O IT. Rev. TST Brasília, vol. 70, nº2, jul/dez

5 E ssa s e v o lu ç õ e s ju ríd ic a s, c o m as q u a is o s u n iv ersitá rio s e o p e ra d o re s d o D ire ito p o d e m c o n tr ib u ir s e n s iv e lm e n te, só s e rã o r e a liz a d a s p e lo s p ró p r io s co n stitu in te s, o u seja, o s g o v e rn a n te s, o s e m p re g a d o re s e o s tra b a lh a d o re s, q u e e x e rc e m p le n a m e n te su a s re s p o n sa b ilid a d e s n o â m b ito d a O IT. A q u i, ta m b é m, n e n h u m a o u tra in stitu ição alé m d a O IT, em m até ria so cial, está m e lh o r p o sic io n a d a p a ra d e t e r m i n a r - p o r u m c o n se n so q u e só p o d e n a sc e r d o a u tê n tic o d e b a te trip artite - c o m o a c o m u n id a d e in tern acio n al p o d e re a liz a r d a m e lh o r m an e ira, d a n d o ao D ireito a p arte q u e lhe c a b e, o s o b je tiv o s c o m u n s, o b se rv a d o s o s d iv e rso s v a lo re s em jo g o. É u m a v e rd a d e ira re g e n e ra ç ã o d a s n o rm a s ju ríd ic a s q u e se p o d e incutir, em q u a lq u e r in stitu ição e e m to d o s o s n ív eis n e c essário s. 1.4 A p ro p ria ç ã o e efetividade das n o rm as ju ríd icas. N ã o h á n a d a m ais p erigoso d o q u e c o n c e b e r e a p lic a r o D ireito fo ra d o seu c o n te x to so cial, cu ltu ral, e c o n ô m ic o e p o lítico. Tal p ro p o s ta n ã o c o n tra ria o u n iv ersalism o, q u e co n stitu i a p e d ra a n g u la r d as n o rm a s in te rn a c io n a is d o trab a lh o, e rig id a d e sd e o su rg im e n to d a O IT. O d ireito in tern a c io n a l d o tra b a lh o n a sc e u d e u m a p rá tic a d in â m ic a d o d ireito c o m p a ra d o. D a d iv e rsid a d e d o s siste m a s d e re la ç õ e s d e trab alh o, resu ltam as p rá tic a s leg ítim as de o n d e se d e s c o b re su a s p ro x im id a d e s e c o m p a tib ilid a d e s. O e stu d o e a classific a ç ã o d e tais p rá tic a s p e rm ite m e n riq u e c e r o c o n te ú d o d a s n o rm a s in te rn a c io n a is d o trab a lh o. A d ia lé tic a e n tre u n iv e rsa lism o e p a rtic u la rism o d e v e se r su b sta n c ia l e p e rm a n e n te. D e s s e p o n to d e v is ta, v á ria s in ic ia tiv a s, s in g u la rm e n te d e e m p r e s a s e sin d icato s, atra e m a ate n ç ã o d e o n d e c o n v é m m e d ir o im p acto d a a p lic a ç ã o d o d ireito d o tra b a lh o, ta n to n a c io n a l c o m o in tern acio n al. A c o rd o s fo ram a v e n ç a d o s n o p la n o in te r n a c io n a l - q u e c o n v é m n ã o c o n f u n d ir c o m r e g u la m e n to s e m p r e s a r ia is e la b o ra d o s, q u a se s e m p re u n ila te ra lm e n te, p o r e m p re sa s - fa z e n d o re fe rê n c ia a d e c la ra ç õ e s o u n o rm a s d a O IT o u c o n sa g ra n d o p rin cíp io s ju ríd ic o s e p ro ced im en to s. N ã o é sim p le s d e te rm in a r o e x ato alc a n c e ju ríd ic o e p rá tic o d e tais a c o rd o s. N o en ta n to, e m u m c o n te x to d e g lo b a liz a ç ã o, é im p o rtan te d e te rm in a r as c o n d iç õ e s p re c isa s d e a p lic a ç ã o d e tais n o rm a s n o d ireito interno. E ssas c o n d iç õ e s são, sem d ú v id a, e x tre m a m e n te d ife re n te s, m as c o n v é m in cen tiv a r a u m a h a rm o n iz a ç ã o m ais larg a e m a is p rá tic a p o ssív el. O e n ra iz a m e n to d a s n o rm a s ju r íd ic a s n a so c ie d a d e é u m a c o n d iç ã o d a e fe tiv id a d e d o D ireito. O D ireito e a p rá tic a d as re la ç õ e s p ro fissio n a is tro u x e ra m u m a p ro v a in c o n te s tá v e l: a a n á lis e d a s d ife re n te s té c n ic a s q u e fa c ilita m e sse e n ra iz a m e n to é d e u m a im p o rtâ n c ia d e te rm in a n te p a ra q u e a so c ie d a d e e as n o rm a s p ro g rid a m ju n ta s. T al e n ra iz a m e n to ap rese n ta -se c o m o rele v a n te p e ç a p a ra o a lca n ce d o trab alh o decen te. C o n v é m, p o rtan to, fav o recer to d a p esq u isa n o intuito d e refo rçar a acu ltu ra ç ã o d as n o rm a s à luz d essa estratégia. A s m u taçõ es d o direito, c o m o m é to d o p a ra criar e a p licar suas norm as, d e v e m ser tornadas p ara q u e os d iv erso s instrum entos ju ríd ic o s p a rtic ip e m d a d in â m ic a d a e stra té g ia d o tra b a lh o d ecen te. D e sse p o n to d e vista, d e v e -se o b s e rv a r as e v o lu ç õ e s n o s d ife re n te s p aíses, a ss im c o m o n as d iv e rsa s in stitu iç õ e s re g io n a is e in te rn a c io n a is, e m m a té ria de e la b o ra ç ã o n o rm a tiv a. N o D ire ito c o n te m p o râ n e o, a c o m p le x id a d e té c n ic a d a s 46 Rev. T S T, Brasília, vol. 70, n º 2, jul/dez 2004

6 q u e s t õ e s d e t r a b a lh o, b e m c o m o o d e s e n v o l v i m e n t o d a s r e l a ç õ e s p r o f i s s i o n a i s a u t ô n o m a s ( f u n d a d o s, in e q u iv o c a d a m e n t e, s o b r e o p l e n o r e s p e it o à lib e r d a d e s i n d i c a l ), im p lic a m u m a r e f l e x ã o p r o s p e c t iv a e d o p o n t o d e v i s t a j u r í d i c o s o b r e a s n o v a s r e l a ç õ e s e n tr e h e t e r o n o m ia e a u t o n o m ia n o r m a tiv a. O p a p e l d o E s t a d o d e v e p e r m a n e c e r - e p e r m a n e c e r á - p r e p o n d e r a n t e, t e n d o, a o m e s m o t e m p o, e m c o n t a, a s u a n e c e s s á r ia a d a p t a ç ã o a o s n o v o s c o n t e x t o s. U m a ilu s t r a ç ã o f o r te, p r á tic a e d e t e r m in a n t e p o d e s e r e n c o n t r a d a n a s m o d a lid a d e s d e in t e r v e n ç ã o e n a s f in a lid a d e s d a a ç ã o d a a d m in is tr a ç ã o d o t r a b a lh o, e s in g u la r m e n t e n a i n s p e ç ã o d o t r a b a lh o. E s s a ú lt im a c o n s e r v a u m a g r a n d e im p o r t â n c ia e m r e la ç ã o à e f ic á c i a d o d ir e it o d o tr a b a lh o. P o r é m, é e v id e n t e q u e a s m o d a lid a d e s t é c n ic a s d a s u a a ç ã o p o d e m s e r m o d if ic a d a s p a r a r e s p o n d e r d a m e lh o r m a n e ir a à s m u d a n ç a s d o s s is t e m a s d e r e l a ç õ e s p r o f is s io n a is, b e m c o m o d o d ir e it o d o t r a b a lh o. Q u a lq u e r in s t it u iç ã o - m e s m o s e n d o e l a e s t a t a l p a r a m a n te r e a u m e n ta r a s u a e f i c i ê n c i a, é n e c e s s a r i a m e n t e l e v a d a a r e c o n s i d e r a r e, p o r c o n s e g u i n t e, a d a p t a r a s s u a s m o d a lid a d e s d e in t e r v e n ç ã o, p r in c ip a lm e n t e j u r íd ic a s. P a r a a q u e l e s q u e s e p r e o c u p a m c o m o d e s e n v o l v i m e n t o d e u m a b o a g o v e rn â n c ia, p a r e c e s e r in c o n c e b ív e l d e ix a r d e c o n s id e r a r e s t e n o v o p a p e l d o E s t a d o d e m a n e ir a r ig o r o s a. P r o c e d e r d e f o r m a d iv e r s a im p lic a r ia o d e s e n v o l v i m e n t o d e u m d ir e it o q u a s e v ir tu a l, d e i n v iá v e l a p li c a ç ã o c o n c r e t a. É, e n t ã o, i n c o n c e b ív e l r e c o r r e r a a lg u n s in d ic a d o r e s q u e f a z e m e n v i o o u m e n ç ã o d a s n o r m a s j u r íd ic a s. A l é m d i s s o, d e f o r m a d e t e r m in a n t e, o s p a r c e ir o s s o c i a i s c o n t r ib u e m d e m a n e ir a c r e s c e n t e p a r a a c r ia ç ã o e a p lic a ç ã o d a s n o r m a s. É im p o r ta n te d e t e r m in a r q u a is s ã o a s m o d a lid a d e s e g a r a n tia s d e ta l d e s e n v o l v i m e n t o d a a u t o n o m ia n o r m a t iv a e m t o d o s o s n í v e is. A a r t ic u la ç ã o e n tr e a a u t o n o m ia e h e t e r o n o m ia é u m d o s g r a n d e s d e s a f i o s d a e v o l u ç ã o d o s s i s t e m a s j u r íd ic o s, d a m e s m a m a n e ir a q u e o é a r e la ç ã o e n tr e o in d iv id u a l e o c o le t iv o, n a a p lic a ç ã o d a s n o r m a s j u r íd ic a s r e la tiv a s a o tr a b a lh o. U m a a n á lis e d o s d e s tin a tá r io s d a s n o r m a s r e v e la - s e ig u a lm e n t e in d is p e n s á v e l. T r a ta -s e d e d e t e r m in a r a s c o m p le m e n t a r id a d e s, a s s in e r g ia s e n tr e a s o r g a n i z a ç õ e s d e e m p r e g a d o r e s e d e tr a b a lh a d o r e s, p o r u m la d o, e a s o u tr a s e n t id a d e s e a s s o c i a ç õ e s q u e p o d e m d e s e m p e n h a r u m p a p e l r e le v a n t e n a c r ia ç ã o c o m o n a a p li c a ç ã o d a s n o r m a s j u r íd ic a s. A p lu r a lid a d e d o s a u to r e s n ã o p o d e r á s e r tid a, a p r i o r i, c o m o f u n d a m e n t o d a a u t o n o m ia n o r m a t iv a, p o r j á s ê - l o a lib e r d a d e s in d ic a l. E s ta ú lt im a é q u e n ã o p o d e r á d e ix a r d e s e r a c o n d i ç ã o m e s m a d a a u t o n o m ia n o r m a tiv a. O d ir e it o in t e r n a c io n a l d o t r a b a lh o c o n s t it u i, d e s s e p o n t o d e v is t a, u m in s tr u m e n to p r e c i o s o d o d e s e n v o lv im e n t o d e u m a d in â m ic a r e fo r ç a d a d o s s is t e m a s j u r íd ic o s, e n ã o s o m e n t e n o d o m í n i o d o d ir e it o d o tr a b a lh o, o q u e p e r m ite g a r a n tir o s e q u ilíb r io s f u n d a m e n ta is s e m o s q u a is n ã o s e r ia p o s s í v e l r e c o n h e c e r a q u e s t ã o d a p lu r a lid a d e j u r íd ic a d o s a t o r e s s o c i a i s e m m a t é r ia n o r m a t iv a. 2 F I N A L I D A D E S 2.1 C o n t r a r ia m e n t e a c e r t a s p r o p o s t a s o u r u m o r e s q u e f r e q ü e n t e m e n t e s ã o le v a n t a d o s, p r in c ip a lm e n t e n o m u n d o u n iv e r s it á r io, a O I T n ã o p r e t e n d e r e n u n c ia r à Rev. TST, Brasília, vol. 70, nº 2, jul/dez

7 a ç ã o n o r m a t iv a q u e v e m c o n d u z in d o d e s d e a s u a o r ig e m. P e lo c o n tr á r io. H á a lg u n s a n o s, é c o n d u z id a p e la O I T u m a p o lít ic a n o r m a tiv a q u e, s u r p r e e n d e n t e m e n t e, é ig n o r a d a e n ã o m a is a n a lis a d a. C o n v é m d e t e r m in a r a r a c i o n a l i d a d e c o m o d ir e t r iz. U m a a p r e s e n t a ç ã o e x c e s s i v a m e n t e b u r o c r á tic a n ã o p e r m it e q u e s e v e r if iq u e t o d a s a s c o n s e q ü ê n c ia s j u r íd ic a s d e u m a d a d a n o r m a. U m a m p lo d e b a t e, s in g u la r m e n t e u n iv e r s it á r io, d e v e s e r e s t i m u l a d o s o b r e e s s a s r e c e n t e s e v o l u ç õ e s. D a m e s m a f o r m a, n ã o é s e m im p o r t â n c ia q u e s e p o s s a d e te r m in a r o q u e p a r tic ip a d e u m a e v o l u ç ã o g e n é r ic a d o s s i s t e m a s j u r í d i c o s e o q u e é p r ó p r io d a a ç ã o n o r m a tiv a fu n d a d a n o u n iv e r s a lis m o e n a tr ip a r tite. 2.2 T r a ta -s e, p o r ta n to, d e s e a p r e n d e r u n s c o m o s o u tr o s, o q u e é p r ó p r io d a e s s ê n c i a d a O I T. A p r e e n d e r o s d i r e i t o s n a c i o n a i s, r e g i o n a i s e i n t e r n a c i o n a l. F u n c io n á r io s d e in s t it u iç õ e s in te r n a c io n a is q u e a c o m p a n h e m a tiv a m e n te a s m u t a ç õ e s d o d ir e it o. J u r is ta s d e d iv e r s o s p a ís e s q u e a c o m p a n h e m e p a r t ic ip e m d o s d e b a t e s a c e r c a d a c r ia ç ã o e a p lic a ç ã o d a s n o r m a s in t e r n a c io n a is d o tr a b a lh o. F u n c io n á r io s d a O I T e j u r is t a s n o s E s t a d o s - m e m b r o s q u e s e in t e r e s s e m e m p a r tic ip a r d e u m a d in â m ic a c o m u m, p o r m e io d e e s tr a té g ia s r e p a r tid a s, d e e s t ím u lo a o tr a b a lh o d e c e n t e. A í e s t á o q u e c o n s t it u i u m o b j e t iv o q u e e x a lt a o s p e s q u is a d o r e s e p r a t ic a n t e s d o d ir e it o, o n d e q u e r q u e e l e s tr a b a lh e m. 3 M O D A L I D A D E S 3.1 A v o n t a d e é d e p r o v o c a r o d e b a t e, d e a g r u p a r a s a n á lis e s e d e in a u g u r a r c o n v e r g ê n c ia s. T a l m o b i l i z a ç ã o d e v e s e f a z e r e m t o r n o d a s q u e s t õ e s d e i m p o r t â n c ia fu n d a m e n t a l p a r a t o d o s. P o d e - s e a g ir, e n tr e o u t r o s, n o s s e g u in t e s a s p e c t o s. T i p o l o g ia e s in e r g ia d a s n o r m a s n a c io n a is, r e g io n a is e in t e r n a c io n a is. U m a a t e n ç ã o t o d a p a r tic u la r s e r á d a d a s o b r e : a lo g ís t ic a e a a u t o n o m ia d o s p a r c e ir o s s o c ia is ; a c o m p le m e n t a r id a d e d o s in s t r u m e n t o s j u r í d i c o s e a d iv e r s id a d e d o s d e s t in a t á r io s d a s n o r m a s j u r íd ic a s. G l o b a li z a ç ã o, tr a b a lh o d e c e n t e e a c u lt u r a ç ã o d a s n o r m a s j u r íd ic a s. U m a a t e n ç ã o t o d a p a r tic u la r se r á d a d a s o b r e : a r e s p o n s a b ilid a d e d o s j u í z e s n a v e r if ic a ç ã o d a d im e n s ã o in t e r n a c io n a l d a r e la ç ã o d e tr a b a lh o ; a m a t e r ia liz a ç ã o d a e s t r a t é g ia d o t r a b a lh o d e c e n t e e a p e d a g o g i a d a e f e t i v id a d e e d a e f ic á c i a d a s n o r m a s e d o s p r in c íp io s j u r íd ic o s. U m a a t e n ç ã o p a r tic u la r d e v e s e r d a d a a o e n c o n t r o d e j u r is t a s d e d iv e r s o s s is t e m a s d e d ir e it o, f u n c io n á r io s d e ó r g ã o s n a c io n a is e in t e r n a c io n a is, t e ó r i c o s e p r a t ic a n t e s d e d ir e it o. D o m e s m o m o d o, c o n v é m r e u n ir n ã o a p e n a s d if e r e n t e s á r e a s d o D ir e it o ( d ir e it o d o t r a b a lh o e d ir e it o d a s e g u r id a d e, d ir e it o in t e r n a c io n a l c o m o 48 Rev. T S T, Brasília, vol. 70, nº 2, jul/dez

8 d ir e ito p ú b lic o ), m a s ta m b é m d is c ip lin a s c u ja s c o n t r ib u iç õ e s s ã o d e te r m in a n te s, c o m o e c o n o m ia, s o c io lo g ia e a n tr o p o lo g ia. A a r tic u la ç ã o e n tr e ta is á r e a s e d is c ip lin a s d e v e s e r p e r m a n e n te, s e m p r e lid a n d o c o m d e te r m in a ç ã o e p r a g m a tis m o. N ã o s e a tin g e o e f e it o d e c o m p r e e n s ã o d o d ir e ito e d e s e n v o lv im e n t o d e u m a a ç ã o n o r m a tiv a p e r tin e n te s e m p a s s a r p o r ta is e s t á g io s d e p r o fu n d a r e f le x ã o. E m c e r t o s p a ís e s e c o n t in e n t e s, o d iá lo g o e n tr e r a m o s d o D ir e it o e o u tr a s d is c ip lin a s é m a is a v a n ç a d o d o q u e e m o u tr o s. R e f o r ç a m o s e s s e d iá lo g o, p a r a q u e s e ja p o s s ív e l u m a lc a n c e e m â m b ito m u n d ia l, c o m o n o s e io d a O IT. Rev. TST, Brasília, vol. 70, nº 2, jul/dez

.', HGFEDCBA. M e u s c o m p a n h e iro s e m in h a s c o m p a n h e ira s. M e u s a m ig o s e m in h a s a m ig a s.

.', HGFEDCBA. M e u s c o m p a n h e iro s e m in h a s c o m p a n h e ira s. M e u s a m ig o s e m in h a s a m ig a s. . ---,,,",jihgfedcbazyxwvutsrqponmlkjihgfedcba ".',.;. " f.,..~~' D is c u r s o p r e f e it o M a r c e lo D é d a S O L E N I D A D E D E L A N Ç A M E N T O D A S P U B L I C A Ç Õ E S D O P L A N

Leia mais

P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E J A R D I M

P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E J A R D I M N Ú C L E O D E C O M P R A S E L I C I T A Ç Ã O A U T O R I Z A Ç Ã O P A R A R E A L I Z A Ç Ã O D E C E R T A M E L I C I T A T Ó R I O M O D A L I D A D E P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 027/ 2

Leia mais

C R IS E E C O N Ô M IC A E G A R A N T IA DE EM PR EG O

C R IS E E C O N Ô M IC A E G A R A N T IA DE EM PR EG O C R IS E E C O N Ô M IC A E G A R A N T IA DE EM PR EG O J o s é A ju r ic a b a d a C o s t a e S ilv a ( * ) I. C R I S E E C O N Ô M I C A S e g u n d o o s e c o n o m is t a s, c a ra c t e riz a

Leia mais

U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D O P A R A N Á L E T Í C I A M A R I A G R O B É R I O

U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D O P A R A N Á L E T Í C I A M A R I A G R O B É R I O U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D O P A R A N Á L E T Í C I A M A R I A G R O B É R I O A B O R T O : U M A Q U E S T Ã O M O R A L, L E G A L, C U L T U R A L E E C O N Ô M I C A C U R I T I B A

Leia mais

Programa Copa do Mundo 2014

Programa Copa do Mundo 2014 Programa Copa do Mundo 2014 Programa Copa do Mundo 2014 Gerente do Programa: Mario Queiroz Guimarães Neto Rede do Programa: Rede de Cidades Objetivo do Programa: Organizar com excelência os eventos FIFA

Leia mais

soluções sustentáveis soluções sustentáveis

soluções sustentáveis soluções sustentáveis soluções sustentáveis 1 1 1 2 3 KEYAS S OCIADOS UNIDADES DE NEGÓCIO ALGUNS CLIENTES 2 2 1 2 3 KEYAS S OCIADOS UNIDADES DE NEGÓCIO ALGUNS CLIENTES 3 3 APRES ENTAÇÃO A KEYAS S OCIADOS a tu a d e s d e 1

Leia mais

A N E X O P L A N O M U N I C I P A L D E E D U C A Ç Ã O 2 0 1 5 2024

A N E X O P L A N O M U N I C I P A L D E E D U C A Ç Ã O 2 0 1 5 2024 E S T A D O D E S A N T A C A T A R I N A P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E M A J O R V I E I R A S E C R E T A R I A M U N I C I P A L D E E D U C A Ç Ã O, C U L T U R A E D E S P O R T O C N

Leia mais

E v o lu ç ã o d o c o n c e i t o d e c i d a d a n i a. A n t o n i o P a i m

E v o lu ç ã o d o c o n c e i t o d e c i d a d a n i a. A n t o n i o P a i m E v o lu ç ã o d o c o n c e i t o d e c i d a d a n i a A n t o n i o P a i m N o B r a s i l s e d i me nt o u - s e u ma v is ã o e r r a d a d a c id a d a n ia. D e u m mo d o g e r a l, e s s a c

Leia mais

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O O s depós itos fos s ilíferos, o s s ítios paleontológ icos (paleobiológicos ou fossilíferos) e o s fós s eis q u e a p r e s e n ta m valores científico, educativo o u cultural

Leia mais

IN S A In s titu t N a tio n a l

IN S A In s titu t N a tio n a l IN S A : U m a re d e d e 5 e s c o la s s u p e rio re s d e e n g e n h a ria O INS A de Rennes existe desde 1966 R ouen O INS A de Rouen existe desde 1985 O INS A de S trasbourg existe desde 2003 R

Leia mais

P r o g r a m a d e T r e in a m e n to e P a le s tr a s

P r o g r a m a d e T r e in a m e n to e P a le s tr a s P r o g r a m a d e T r e in a m e n to e P a le s tr a s D ia b e te s M e llitu s e H ip e r te n s ã o A r te r ia l Dra Fernanda Pavarini Diabetes M ellitus P o r q u e g e r e n c ia r D ia b e te

Leia mais

lh e c o n fe re o in c is o II d o a rt. 4 º d o Re g u la m e n to d o D e p a rta m e n to -G e ra l d o Pe s s o a l (R-1 56 ), a p ro v a d o

lh e c o n fe re o in c is o II d o a rt. 4 º d o Re g u la m e n to d o D e p a rta m e n to -G e ra l d o Pe s s o a l (R-1 56 ), a p ro v a d o PORTARIA Nº 1 6 4 -D G P, D E 4 D E NOV E M B RO D E 2 0 1 1. Alte ra a d is trib u iç ã o d e e fe tiv o d e m ilita re s te m p o rá rio s, p a ra o a n o d e 2 0 1 1. O CHEFE DO DEPARTAMENTO-GERAL DO

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA INTERDISCIPLINARIDADE EM SAÚDE

A IMPORTÂNCIA DA INTERDISCIPLINARIDADE EM SAÚDE AUDITORIA IA CLÍNICA A IMPORTÂNCIA DA INTERDISCIPLINARIDADE EM SAÚDE Auditoria é em um exame cuidadoso e sistemático das atividades desenvolvidas em determinada empresa ou setor, cujo objetivo é averiguar

Leia mais

Padrões de lançamento para Estações de Tratamento de Esgotos Domésticos Reunião AESBE 10/02/09

Padrões de lançamento para Estações de Tratamento de Esgotos Domésticos Reunião AESBE 10/02/09 Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo - SABESP Associação das Empresas Estaduais de Saneamento Básico - AESBE Padrões de lançamento para Estações de Tratamento de Esgotos Domésticos Reunião

Leia mais

S is t e m a O p e r a c io n a l H a ik u

S is t e m a O p e r a c io n a l H a ik u OPERATING SYSTEM S is t e m a O p e r a c io n a l H a ik u U m s is t e m a o p e r a c io n a l v o l t a d o a o u s u á r io Bruno Albuquerque XXX Congresso da SBC - Workshop de Sistemas Operacionais

Leia mais

Ote r m o tr a b a lh o d e riv a d o la tim v u lg a r tr ip a lia r e, q u e s ig n ific a m a r tiriz a r c o m o

Ote r m o tr a b a lh o d e riv a d o la tim v u lg a r tr ip a lia r e, q u e s ig n ific a m a r tiriz a r c o m o TRABALHO VOLUNTÁRIO E TRABALHO RELIGIOSO A lic e M o n te ir o d e B a r r o s* Sum ário: TRA BA LH O V O LU N TÁ RIO ; Introdução; Conceito; Term o de adesão; Ressarcim ento de Despesas; O trabalho voluntário

Leia mais

A COMUNICAÇÃO COMO ELEMENTO MOTIVACIONAL DOS ALUNOS INGRESSANTES NO CURSO DE SECRETARIADO EXECUTIVO BILÍNGÜE DA FAZU

A COMUNICAÇÃO COMO ELEMENTO MOTIVACIONAL DOS ALUNOS INGRESSANTES NO CURSO DE SECRETARIADO EXECUTIVO BILÍNGÜE DA FAZU Secretariado Executivo Bilíngüe/Office Administration 127 A COMUNICAÇÃO COMO ELEMENTO MOTIVACIONAL DOS ALUNOS INGRESSANTES NO CURSO DE SECRETARIADO EXECUTIVO BILÍNGÜE DA FAZU INTRODUÇÃO O p re s e n te

Leia mais

R E DE MA IS VIDA R e de de A te nç ã o à S a úde do Ido s o

R E DE MA IS VIDA R e de de A te nç ã o à S a úde do Ido s o R E DE MA IS VIDA R e de de A te nç ã o à S a úde do Ido s o C ic lo d e D e b a te s : "1 C liq0 u e Ap a ra n eo d ita s r do eo s tilo Ed o ssta u b tí tu lo to m e s tre d o Id o s o E lia n a M á

Leia mais

Ministério Público Federal, B rasília 8 de junho de 2009. Leonardo C. Fleck, C ons ervação E s tratég ica

Ministério Público Federal, B rasília 8 de junho de 2009. Leonardo C. Fleck, C ons ervação E s tratég ica Ministério Público Federal, B rasília 8 de junho de 2009 Leonardo C. Fleck, C ons ervação E s tratég ica P r e o c u p a ç ã o c o m a q u a lid a d e d o s g a s to s p ú b lic o s e m c e n á r io

Leia mais

C ontextualização his tórica da operacionalização da R es olução C onama 258/99 1/19

C ontextualização his tórica da operacionalização da R es olução C onama 258/99 1/19 C ontextualização his tórica da operacionalização da R es olução C onama 258/99 1/19 C iclo de vida : Do pneu novo ao pneu us ado FABRICAÇÃO IMPORTAÇÃO MERCADO Pneus Novos EXPORTADOS Pneus novos Fora do

Leia mais

O P a pel da M ídia no C o ntro le da s P o lític a s de S a úde

O P a pel da M ídia no C o ntro le da s P o lític a s de S a úde B ra s ília, 26 de s etem bro de 2009 C o ntro le da s P o lític a s de L uiz R ibeiro FU N Ç Ã O D O J O R N A L I S M O J o r n a lis m o é a a tiv id a d e p r o fis s io n a l q u e c o n s is te e

Leia mais

Embarque no Turismo O Papel do Turismo no Desenvolvimento do País

Embarque no Turismo O Papel do Turismo no Desenvolvimento do País Embarque no Turismo O Papel do Turismo no Desenvolvimento do País Belo Horizonte/MG, 21 de junho de 2010 Segmentação A s eg mentação es tá pres ente em todos os mercados, incluindo o mercado do turis mo;

Leia mais

AGÊNCIA AMBIENTAL FEDERAL AMERICANA - USEPA

AGÊNCIA AMBIENTAL FEDERAL AMERICANA - USEPA AGÊNCIA AMBIENTAL FEDERAL AMERICANA - USEPA Emenda ao 40 CFR Parts 261, 266, 268 e 271 Documento: FERTILIZANTES À BASE DE ZINCO PRODUZIDOS A PARTIR DE MATERIAL SECUNDÁRIO PERIGOSO Julho/2002 S U M Á R

Leia mais

www.investorbrasil.com

www.investorbrasil.com Proposta curso preparatório para CPA 20 - ANBIMA www.investorbrasil.com Apresentação INVESTOR APRESENTAÇÃO A INVESTOR é uma escola que nasceu da necessidade das pessoas aprenderem as ferramentas e instrumentos

Leia mais

AVALIAÇÃO DA FERTILIDADE DO SOLO. Prof. Dr. Reges Heinrichs UNESP - Dracena

AVALIAÇÃO DA FERTILIDADE DO SOLO. Prof. Dr. Reges Heinrichs UNESP - Dracena AVALIAÇÃO DA FERTILIDADE DO SOLO Prof. Dr. Reges Heinrichs UNESP - Dracena 2010 Introdução Inicialmente: realizada de forma subjetiva e empírica como referência o desenvolvimento da vegetação. Atualmente:

Leia mais

C o n tro le d e Q u a lid a d e e m C ito m e tria d e F lu x o. A n a P a u la d e A z a m b u ja

C o n tro le d e Q u a lid a d e e m C ito m e tria d e F lu x o. A n a P a u la d e A z a m b u ja C o n tro le d e Q u a lid a d e e m C ito m e tria d e F lu x o A n a P a u la d e A z a m b u ja C la s s ific a ç ã o d o s P a d rõ e s d e F lu o re s c ê n c ia O c itô m e tro d e flu x o d e v

Leia mais

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e :

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 13 DE JULH DE 2015! Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : Caso vo cê nunca t e nh a pa

Leia mais

2. A C l a s s i f i c a ção M S C 01 H i s t o r y a n d b i o g r a p h y 03 M a t h e m a t i c a l l o g i c a n d f o u n d a t i o n s 05 C o m

2. A C l a s s i f i c a ção M S C 01 H i s t o r y a n d b i o g r a p h y 03 M a t h e m a t i c a l l o g i c a n d f o u n d a t i o n s 05 C o m Áreas Científicas do Departamento de Matemática Docu mento de trab al h o 1. Introdução O D e p a r t a m e n t o d e M a t e m á t i c a e st á or g a n i z a d o e m q u a t r o S e c ç õ e s: S 8 1

Leia mais

PROVIMENTO Nº 01/2016. Dispõe sobre a atualização da tabela de custas e

PROVIMENTO Nº 01/2016. Dispõe sobre a atualização da tabela de custas e 6 de Justiça, lotado junto à 3ª Vara de Família e Sucessões desta capital, anteriormente autorizada para o período de 11 a 14/01/2016, nos termos da Portaria nº 1.716 de 27/11/2015, publicada no DJ/PI

Leia mais

P la no. B a nda L a rg a

P la no. B a nda L a rg a de P la no N a c io na l B a nda L a rg a 1 Sumário 1. Im p o r tâ n c ia E s tr a té g ic a 2. D ia g n ó s tic o 3. O b je tiv o s e M e ta s 4. A ções 5. In v e s tim e n to s 6. G o v e r n a n ç a

Leia mais

O S I S T E M A P R O P O R C I O N A L N O N O V O Q U A D R O P O L Í T I C O E U R O P E U. A n t o n i o P a i m

O S I S T E M A P R O P O R C I O N A L N O N O V O Q U A D R O P O L Í T I C O E U R O P E U. A n t o n i o P a i m 1 O S I S T E M A P R O P O R C I O N A L N O N O V O Q U A D R O P O L Í T I C O E U R O P E U S U M Á R I O A n t o n i o P a i m I n t r o d u ç ã o 1. S i s t e m a p ro p o r c i o n a l n a E u r

Leia mais

O GNCDIJ está a dar continuidade ao Programa Orientador para a Educação Espírita de Crianças e Jovens. Este Programa pensado de acordo com as

O GNCDIJ está a dar continuidade ao Programa Orientador para a Educação Espírita de Crianças e Jovens. Este Programa pensado de acordo com as 8 de novembro, 2015 O GNCDIJ está a dar continuidade ao Programa Orientador para a Educação Espírita de Crianças e Jovens. Este Programa pensado de acordo com as capacidades e necessidades dos nossos jovens,

Leia mais

P ET A g r o n o m i a & U n i v e r s i d a d e F e d e r a l d e L a v r a s U F L A / M G 1 R E S U M O 2 I N T R O D U Ç Ã O

P ET A g r o n o m i a & U n i v e r s i d a d e F e d e r a l d e L a v r a s U F L A / M G 1 R E S U M O 2 I N T R O D U Ç Ã O P RO G R A M A P ARA REDUÇÃ O D O I M P A C T O A M B I E N T A L C A U SA D O P ELA REVERS Ã O S E X U AL E M T I L Á P I A S ( O r e o c h r o m i s n i l o t i c u s ). P ET A g r o n o m i a & P ET

Leia mais

CATMAT SISTEMA DE CATALOGAÇÃO DE MATERIAIS CATSER SISTEMA DE CATALOGAÇÃO DE SERVIÇOS

CATMAT SISTEMA DE CATALOGAÇÃO DE MATERIAIS CATSER SISTEMA DE CATALOGAÇÃO DE SERVIÇOS MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS CATMAT SISTEMA DE CATALOGAÇÃO DE MATERIAIS CATSER SISTEMA DE

Leia mais

ESTUDANTES E MÉDICOS FORMADOS EM CUBA PREPARAM A III CARAVANA DA SAÚDE EM SERGIPE

ESTUDANTES E MÉDICOS FORMADOS EM CUBA PREPARAM A III CARAVANA DA SAÚDE EM SERGIPE N 5 / junho/julho - Cuba - Sergipe - 2011 Médicos de ciência e consciência Informativo Eletrônico ESTUDANTES E MÉDICOS FORMADOS EM CUBA PREPARAM A III CARAVANA DA SAÚDE EM SERGIPE Palestra sobre Cuba em

Leia mais

CEPAL COMISSÃO ECONÔMICA PARA A AMÉRICA LATINA E O CARIBE Escritório no Brasil

CEPAL COMISSÃO ECONÔMICA PARA A AMÉRICA LATINA E O CARIBE Escritório no Brasil LC/BRS/R.159 F F P fi I H H Maio de 2006 Original: português CEPAL COMISSÃO ECONÔMICA PARA A AMÉRICA LATINA E O CARIBE Escritório no Brasil M E R C O S U L : E N T Ã O E A G O R A 900034136 900034136 -

Leia mais

Avaliação, Tecnologias, e Custos Sociais e Econômicos

Avaliação, Tecnologias, e Custos Sociais e Econômicos Avaliação, Tecnologias, e Custos Sociais e Econômicos Eduardo L.G. Rios-Neto Belo Horizonte, 11 de outubro de 2013 ESQUEMA DA APRESENTAÇÃO: I. Comentários Gerais Introdutórios II. III. IV. Pareamento de

Leia mais

1 I D E N T I F I C A Ç Ã O

1 I D E N T I F I C A Ç Ã O CONTRIBUIÇÃO DE MINI MUSEUS NA CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO RELATIVO A FENOMENOS FÍSICO QUÍMICOS A ESTUDANTES DE ENSINO BÁSICO E FUNDAMENTAL NO CONTEXTO AMBIENTAL. [MEC / SESU / UFLA] 1 I D E N T I F I C

Leia mais

PROGRAM A + V IDA. P o lític a de Á lc o o l, Fum o e O utra s

PROGRAM A + V IDA. P o lític a de Á lc o o l, Fum o e O utra s PROGRAM A + V IDA P o lític a de Á lc o o l, Fum o e O utra s D ro g a s da S ec reta ria de S a úde R ec COSTA ife JOÃO do MARCELO Coordenação Clínica do CAPS AD Eulâmpio Cordeiro SMS-PCR (DSIV) Coordenação

Leia mais

Estamos passando o Brasil a limpo

Estamos passando o Brasil a limpo ALUIZIO ALVES: Estamos passando o Brasil a limpo Nós estamos passando o Brasil a limpo. O Brasil de vinte anos de regime autoritário, de concentração de poder, de corrupção, de erros acumulados. Tudo isso

Leia mais

R eg is tro de P rodutos R em edia dores. Cintia M. Araújo Souza CCONP/CGASQ/DIQUA Brasília, 12/03/2013

R eg is tro de P rodutos R em edia dores. Cintia M. Araújo Souza CCONP/CGASQ/DIQUA Brasília, 12/03/2013 R eg is tro de P rodutos R em edia dores Cintia M. Araújo Souza CCONP/CGASQ/DIQUA Brasília, 12/03/2013 Remediadores Ambientais LEGIS LAÇÃO ES PECÍFICA: Res olução CONAMA nº 314, de 29/10/2002 D is põe

Leia mais

A va lia ç ã o de R is c o s A plic a da à Q ua lida de em D es envo lvim ento de S o ftw a re

A va lia ç ã o de R is c o s A plic a da à Q ua lida de em D es envo lvim ento de S o ftw a re Rafael Espinha, Msc rafael.espinha@primeup.com.br +55 21 9470-9289 Maiores informações: http://www.primeup.com.br contato@primeup.com.br +55 21 2512-6005 A va lia ç ã o de R is c o s A plic a da à Q ua

Leia mais

XPath e XQuery. Carina F. Dorneles dorneles@inf.ufsc.br - UFSC

XPath e XQuery. Carina F. Dorneles dorneles@inf.ufsc.br - UFSC XPath e XQuery Carina F. Dorneles dorneles@inf.ufsc.br - UFSC Navegação/acesso aos dados em XML E n c o n tra r o s e le m e n to s a tra v é s d e c a m inhos q u e in d iq u e m o c o n te x to d e ta

Leia mais

ÍN DICE GERAL. das sociedades (artigo 64.! 1 do CSC)... 19

ÍN DICE GERAL. das sociedades (artigo 64.! 1 do CSC)... 19 ÍN DICE GERAL P ro g ra m a d a s J o rn a d a s so b re a R e fo rm a d o C ó d ig o d a s S o c ie d a d e s C o m e r c ia is... 5 A p re s e n ta ç ã o... 9 D isc u rso d o M in istro d e E sta d o

Leia mais

REVIS TA CONTATO LEITOR GALERIA COLUNAS EDIÇÕES ANTIGAS ASSINATURA. 30/7/2014 Salão de Gramado encerra nesta quinta-feira.

REVIS TA CONTATO LEITOR GALERIA COLUNAS EDIÇÕES ANTIGAS ASSINATURA. 30/7/2014 Salão de Gramado encerra nesta quinta-feira. Q u a, 3 0 d e J u l h o d e 2 0 1 4 search... REVIS TA CONTATO LEITOR GALERIA COLUNAS EDIÇÕES Selecione a Edição ANTIGAS C l i q u e n o l i n k a b a i xo p a r a a c e s s a r a s e d i ç õ e s a n

Leia mais

As marcas dos castigos na infância

As marcas dos castigos na infância Seminário Educar Sem Castigo Discutindo o Projeto de Lei 7672/2010 As marcas dos castigos na infância Cida Alves Núcleo de Prevenção da Violências e Promoção da S aúde S MS de Goiânia Rede Não B ata Eduque

Leia mais

Alencar Instalações. Resolvo seu problema elétrico

Alencar Instalações. Resolvo seu problema elétrico Alencar Instalações Resolvo seu problema elétrico T r a b a lh a m o s c o m : Manutenção elétrica predial, residencial, comercial e em condomínios Redes lógicas Venda de material elétrico em geral. Aterramentos

Leia mais

GT SLIM/IVA 1997 ( Simplificação da Legislação relativa ao Mercado Interno / IVA)

GT SLIM/IVA 1997 ( Simplificação da Legislação relativa ao Mercado Interno / IVA) GT SLIM/IVA 1997 ( Simplificação da Legislação relativa ao Mercado Interno / IVA) 5 EM (DK, FR, IT, AT e PT) 5 representantes dos utilizadores (CFE, EUROCOMMERCE, FEE, UE PME, UNICE) Recomendação aceitação

Leia mais

o bje tiv o f in a l d o C oa c h in g é fa z e r c o m qu e o s c lie n te s t o rn e m -s e a u tô no m o s.

o bje tiv o f in a l d o C oa c h in g é fa z e r c o m qu e o s c lie n te s t o rn e m -s e a u tô no m o s. O r ie n ta ç õ e s In i ci ai s E u, R ic k N e ls o n - P e rs on a l & P rof e s s io n al C o a c h - a c re dito qu e o o bje tiv o f in a l d o C oa c h in g é fa z e r c o m qu e o s c lie n te

Leia mais

P PÓ P. P r r P P Ú P P. r ó s

P PÓ P. P r r P P Ú P P. r ó s P PÓ P P r r P P Ú P P r ó s P r r P P Ú P P ss rt çã s t à rs r t t r rt s r q s t s r t çã r str ê t çã r t r r P r r Pr r r ó s Ficha de identificação da obra elaborada pelo autor, através do Programa

Leia mais

Projeto Descrição de Cargos 2016

Projeto Descrição de Cargos 2016 Projeto Descrição de Cargos 2016 Sumário 1. Objetivos do Projeto; 2. Etapas do Projeto; 3. Conceitos para Descrição de Cargos; 4. Acesso ao Sistema; 5. O Formulário. OBJETIVOS DO PROJETO Principais objetivos

Leia mais

DESCRIÇÃO DE CICLO ESTRAL CURTO NO PUERPÉRIO DE MULTÍPARAS BOS TAURUS INDICUS DA RAÇA GIR LEITEIRO

DESCRIÇÃO DE CICLO ESTRAL CURTO NO PUERPÉRIO DE MULTÍPARAS BOS TAURUS INDICUS DA RAÇA GIR LEITEIRO 68 Zootecnia/Zootechny DESCRIÇÃO DE CICLO ESTRAL CURTO NO PUERPÉRIO DE MULTÍPARAS BOS TAURUS INDICUS DA RAÇA GIR LEITEIRO F E R R E IR A, M.B.D. 134 ; L O P E S, B.C. 2 ; A Z E V E D O, N.A. 1 ; F E R

Leia mais

G r u p o P E T C o m p u t a ç ã o. U n i v e r s i d a d e F e d e r a l d e C a m p i n a G r a n d e U F C G

G r u p o P E T C o m p u t a ç ã o. U n i v e r s i d a d e F e d e r a l d e C a m p i n a G r a n d e U F C G M E T O D O L O G I A U T I L I Z A D A P E L O P E T C O M P U T A Ç Ã O D A U F C G P A R A M I N I S T R A R C U R S O S DE I N F O R M À T I C A B À S I C A G r u p o P E T C o m p u t a ç ã o C u

Leia mais

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 Estratégico III Seminário de Planejamento Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 G es tão Em pre sa rial O rie nta ção pa ra om erc ado Ino vaç ão et

Leia mais

I I I I I I I I I I «I? I... I l ISI _

I I I I I I I I I I «I? I... I l ISI _ e x p o s iç ã o (E s p a ç o E A V ) 15 24 p a le s tra ja n e iro fe v e re iro m a rç o a b ril m a io ju n h o ju lh o a g o s to s e te m b ro o u tu b ro n o v e m b ro d e z e m b ro E xposição

Leia mais

12 ru e d e R ib e a u v illé. T é l. :03.88.57.51.7 1 / Fa x : Ed it é le 13 /05/2016 à 17 :23 Page : 1 / 12

12 ru e d e R ib e a u v illé. T é l. :03.88.57.51.7 1 / Fa x : Ed it é le 13 /05/2016 à 17 :23 Page : 1 / 12 R A M F A R A N D O L E 12 ru e d e R ib e a u v illé 6 7 7 3 0 C H A T E N O IS R e s p o n s a b le s d u R e la is : B ie g e l H. - R o e s c h C. T é l. :03.88.57.51.7 1 / Fa x : * * * * * * * * *

Leia mais

Oferta Significado 2011. Candidaturas POPH 3.2, 8.3.2 e 9.3.2 Formação para a Inovação e Gestão. Setembro 2011

Oferta Significado 2011. Candidaturas POPH 3.2, 8.3.2 e 9.3.2 Formação para a Inovação e Gestão. Setembro 2011 Oferta Significado 2011 Candidaturas POPH 3.2, 8.3.2 e 9.3.2 Formação para a Inovação e Gestão Setembro 2011 Data para submissão das Candidaturas: Até 10 de Outubro 2011 Financiamento Formação Geral Micro

Leia mais

Índice alfabético. página: 565 a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z. procura índice imprimir última página vista anterior seguinte

Índice alfabético. página: 565 a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z. procura índice imprimir última página vista anterior seguinte Í é á: 565 á é í ú á í é á: 566 A A é, 376 A, 378 379 A á, 146 147 A, 309 310 A á, 305 A ( ), 311 A, 305 308 A á B, 470 A á, 384 385 A,, ç Bç, 338 340 A é, 337 Aé, 333 A, 410 419 A K, 466 A, 123 A, 32

Leia mais

JERÔNIMO CABRAL PEREIRA FAGUNDES NETO ENGENHEIRO CIVIL

JERÔNIMO CABRAL PEREIRA FAGUNDES NETO ENGENHEIRO CIVIL fls. 61 1. CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES O pre se nte tra b a lho te m po r o b je tivo a de te rmina ç ã o d o justo, re a l e a tua l va lo r d o imó ve l: a pa rta me nto re side nc ia l situa do à Ave

Leia mais

E st eja V. ª cert o que t odas as vez es que houver um t ribunal privat ivo para cast igar cert os crimes, sempre fará criminosos

E st eja V. ª cert o que t odas as vez es que houver um t ribunal privat ivo para cast igar cert os crimes, sempre fará criminosos 1 E st eja V. ª cert o que t odas as vez es que houver um t ribunal privat ivo para cast igar cert os crimes, sempre fará criminosos D. L uis da C unha, T e s t a m e n t o P o l í t i c o 2 Í N D I CE

Leia mais

CERTIDÃO POSITIVA COM EFEITOS DE NEGATIVA DE DÉBITOS RELATIVOS AOS TRIBUTOS FEDERAIS E À DÍVIDA ATIVA DA UNIÃO

CERTIDÃO POSITIVA COM EFEITOS DE NEGATIVA DE DÉBITOS RELATIVOS AOS TRIBUTOS FEDERAIS E À DÍVIDA ATIVA DA UNIÃO 05/02/2015 MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria da Receita Federal do Brasil Procuradoria Geral da Fazenda Nacional CERTIDÃO POSITIVA COM EFEITOS DE NEGATIVA DE DÉBITOS RELATIVOS AOS TRIBUTOS FEDERAIS E À

Leia mais

A C O N T R A R E F O R M A E A R E F O R M A C A T Ó L I C A N O S P R I N C Í P I O S D A I D A D E M O D E R N A 2

A C O N T R A R E F O R M A E A R E F O R M A C A T Ó L I C A N O S P R I N C Í P I O S D A I D A D E M O D E R N A 2 1 Í N D I C E A C O N T R A R E F O R M A E A R E F O R M A C A T Ó L I C A N O S P R I N C Í P I O S D A I D A D E M O D E R N A 2 A P R E S E N T A Ç Ã O : A L G U M AS N O T A S E P A L A V R A S 2

Leia mais

U M P R O G R A M A E S P E C I A L D E M O B I L I D A D E I N T E R N A C I O N A L E M C I Ê N C I A, T E C N O L O G I A e I N O V A Ç Ã O.

U M P R O G R A M A E S P E C I A L D E M O B I L I D A D E I N T E R N A C I O N A L E M C I Ê N C I A, T E C N O L O G I A e I N O V A Ç Ã O. U M P R O G R A M A E S P E C I A L D E M O B I L I D A D E I N T E R N A C I O N A L E M C I Ê N C I A, T E C N O L O G I A e I N O V A Ç Ã O. C o n s e lh o N a c io n a l d e D e s e n v o lv im e n

Leia mais

M a n h ã... p r e s e n t e! L u g a r... p r e s e n t e! Q u e m... p r e s e n t e! N e n h u m... p r e s e n t e! C u í c a... p r e s e n t e!

M a n h ã... p r e s e n t e! L u g a r... p r e s e n t e! Q u e m... p r e s e n t e! N e n h u m... p r e s e n t e! C u í c a... p r e s e n t e! C a r o l i n a M a n h ã......................................................................... p r e s e n t e! L u g a r.......................................................................... p

Leia mais

U N I V E R S I D A D E C A N D I D O M E N D E S P Ó S G R A D U A Ç Ã O L A T O S E N S U I N S T I T U T O A V E Z D O M E S T R E

U N I V E R S I D A D E C A N D I D O M E N D E S P Ó S G R A D U A Ç Ã O L A T O S E N S U I N S T I T U T O A V E Z D O M E S T R E U N I V E R S I D A D E C A N D I D O M E N D E S P Ó S G R A D U A Ç Ã O L A T O S E N S U I N S T I T U T O A V E Z D O M E S T R E E S T U D O D O S P R O B L E M A S D A E C O N O M I A B R A S I L

Leia mais

O siste ma foi de se nvolvido e m C # atra vé s da fe rrame nta Microsoft Visual S tudio 2008. Banco de dados Microsoft S QL S e rve r 2008 r2

O siste ma foi de se nvolvido e m C # atra vé s da fe rrame nta Microsoft Visual S tudio 2008. Banco de dados Microsoft S QL S e rve r 2008 r2 His tó ric o O de s e nvolvime nto do S is te ma Voto E le trônico do Ministé rio P úblico do E stado de S ão P aulo te ve s e u início e m 2009 com a fina lidade de automatiza r os proce ssos e le itorais

Leia mais

e Caracterização Não-Superior

e Caracterização Não-Superior Evolução e Caracterização da Formação Pós-Secundária Não-Superior em Portugal O O Estado da Arte Cristina Reis Rede de Escolas Objectivos: 1º - Perceber a evolução desta tipologia de oferta formativa.

Leia mais

- 15G0078G130 - MÓDULO USB INSTRUÇÕES DA INTERFACE PARA ASAC-0/ASAC-1/ASAB

- 15G0078G130 - MÓDULO USB INSTRUÇÕES DA INTERFACE PARA ASAC-0/ASAC-1/ASAB - 15G0078G130 - MÓDULO USB INSTRUÇÕES DA INTERFACE PARA ASAC-0/ASAC-1/ASAB Emitido em 15/6/2012 R. 01 Este manual é parte integrante e essencial do produto. Leia atentamente as instruções contidas nele,

Leia mais

J u i n 2 0 0 9 L e ttr e d 'i n fo r m a ti o n n 1 9 E d i to r i al E p p u r si m u o ve «E t p o u r ta n t e l l e b o u g e» m u r m u r a G a l l i l é e s u r s o n c h a m p e s t l a r g e.

Leia mais

LEI Nº 8.112, DE 11 DE DEZEMBRO DE 1990 SUMÁRIO. T í t u l o I C a p í t u l o Ú n i c o D a s D i s p o s i ç õ e s P re l i m i n a res

LEI Nº 8.112, DE 11 DE DEZEMBRO DE 1990 SUMÁRIO. T í t u l o I C a p í t u l o Ú n i c o D a s D i s p o s i ç õ e s P re l i m i n a res LEI Nº 8.112, DE 11 DE DEZEMBRO DE 1990 SUMÁRIO T í t u l o I C a p í t u l o Ú n i c o D a s D i s p o s i ç õ e s P re l i m i n a res T í t u l o I I D o P ro v i m e n t o, Va c â n c i a, R e m o

Leia mais

E fe itos fina nc e iros do S im ple s N a c iona l: L im ite s de s ua utiliza ç ã o fre nte a o

E fe itos fina nc e iros do S im ple s N a c iona l: L im ite s de s ua utiliza ç ã o fre nte a o E fe itos fina nc e iros do S im ple s N a c iona l: L im ite s de s ua utiliza ç ã o fre nte a o ordeg rana o m a d om, R Se 2nto 6 d e Ju n h jurídic o d e 2 01 0 B ra s il - 4 º ou 5 º P I B? P ré -

Leia mais

Os grupos escolares no contexto da política educacional mato-grossense: o grupo escolar Joaquim Murtinho, em Campo Grande, sul do Estado ( )

Os grupos escolares no contexto da política educacional mato-grossense: o grupo escolar Joaquim Murtinho, em Campo Grande, sul do Estado ( ) Os grupos escolares no contexto da política educacional mato-grossense: o grupo escolar Joaquim Murtinho, em Campo Grande, sul do Estado (1910-1950) Group schools in the context of the Mato Grosso educational

Leia mais

Mídia Kit A Rádio que toca você!

Mídia Kit A Rádio que toca você! www.radiorb2.com.br Mídia Kit A Rádio que toca você! História A Rádio RB2 nasceu em 27 de junho de 1924 com o nome de Rádio Clube Paranaense. Eternizou seu nome na história ao ser considerada a terceira

Leia mais

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o NPQV Variável Educação Prof. Responsáv v el :: Ra ph aa el BB ii cc uu dd o ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO 2º Semestre de 2003 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO As atividades realizadas

Leia mais

S e s s ã o e x t r a o r d i n á r i a 1 3 d e m a r ç o d e A T A N º 1 /

S e s s ã o e x t r a o r d i n á r i a 1 3 d e m a r ç o d e A T A N º 1 / A T A N º 1 / 2 0 1 4 A o s t r e z e d i a s d o m ê s d e m a r ç o d o a n o d e d o i s m i l e c a t o r z e, p e l a s v i n t e e u m a h o r a s e d e z m i n u t o s r e u n i u e m s e s s ã

Leia mais

Práticas de Contabilidade Gerencial Adotadas Por Subsidiárias Brasileiras de Empresas Multinacionais

Práticas de Contabilidade Gerencial Adotadas Por Subsidiárias Brasileiras de Empresas Multinacionais Práticas de Contabilidade Gerencial Adotadas Por Subsidiárias Brasileiras de Empresas Multinacionais Marcos Antônio De Souza Resumo: Este trabalho tem como objeto de estudo as práticas de Contabilidade

Leia mais

A C T A N. º I V /

A C T A N. º I V / 1 A C T A N. º I V / 2 0 0 9 - - - - - - A o s d e z a s s e t e d i a s d o m ê s d e F e v e r e i r o d o a n o d e d o i s m i l e n o v e, n e s t a V i l a d e M o n c h i q u e, n o e d i f í c

Leia mais

Á Ç ó á ç

Á Ç ó á ç Á Ç ó á ç É í é çã ô ã â ã á ç õ é á õ é ê ã ê çã õ ê ú õ ê ó ó ó ó ã é à çã ê é ê í é ã ó ã á ç í á é ã ó é á ó ó á ó á ã ó ã ã çã ó ê ó ê á ô ô ã ã çã ô çã ô í ê ó á ó ê çõ ê é á ê á á ç ó í çã ó ã é

Leia mais

P articipação social n o en fren tam en to ao álcool e ou tras drog as.

P articipação social n o en fren tam en to ao álcool e ou tras drog as. I I O F I C I N A PA R A I N ST R U M E N T A L I Z A Ç Ã O D O S M A T R I C I A D O A R E S E M SA Ú D E M E N T A L P articipação social n o en fren tam en to ao álcool e ou tras drog as. M o rg an

Leia mais

2.º Ciclo 85% 3% 5% 5% 2% 3.º Ciclo 85% 3% 5% 5% 2%

2.º Ciclo 85% 3% 5% 5% 2% 3.º Ciclo 85% 3% 5% 5% 2% ANEXO 2 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO POR DISCIPLINA ESTUDOS LINGUISTICOS [PORTUGUÊS], CIÊNCIAS SOCIAIS E H UMANAS, MATEMÁTICA E CIÊNCIAS NATURAIS E EXPERIMENTAIS S A B E R S A B E R S E R S A B E R S E R P A

Leia mais

A u t o r : G r u p o P E T G e o g r a f i a, Universidade Federal de Pernambuco

A u t o r : G r u p o P E T G e o g r a f i a, Universidade Federal de Pernambuco A NÁ L I S E D A A C E S S I B I L I D A D E U R B A N A N A C I D A D E D O R E C I F E : U M O L H A R S O B R E O S P R I N C I P A I S E I X O S V I Á R I O S D E P E N E T R A Ç Ã O A u t o r : G

Leia mais

. D A D O S I N I C I A I S 1.1 N a t u r e z a e fi n a l i d a d e d a e d i f i c a ç ã o : i n d i ca r o ti p o d e e d ifi ca ç ã o ( e x : e s c o l a r u r a l co m 0 2 s a l a s, e sc o la u r

Leia mais

Sustentabilidade e Facilites. Prepared for: O ar condicionado de alto. desempenho em edifícios. comerciais CAPÍTULO. Metodologia

Sustentabilidade e Facilites. Prepared for: O ar condicionado de alto. desempenho em edifícios. comerciais CAPÍTULO. Metodologia II Seminário de Sustentabilidade e Facilites 2010 Prepared for: O ar condicionado de alto desempenho em edifícios comerciais CAPÍTULO 1 Metodologia Capítulo 1 Eficiência Correspondência ou adequação de

Leia mais

PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FACCAMP

PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FACCAMP PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FACCAMP A iniciação científica é a integração das atividades de graduação e pós-graduação da Instituição que permite a iniciação do acadêmico de graduação na pesquisa científica.

Leia mais

Ainda há Tempo, Volta

Ainda há Tempo, Volta Ainda há empo, Volta Letra e Música: Diogo Marques oprano ontralto Intro Envolvente (q = 60) enor aixo Piano Ó Œ. R.. F m7 2 A b 2 E b.. 2 Ó Œ É 2 Ó Œ F m7 2.. 2 2 A b 2 2 Ainda há empo, Volta Estrofe

Leia mais

Prefeitura Municipal de Gavião-BA

Prefeitura Municipal de Gavião-BA Edição Nº Nº 017/2012 030/2012 Terça-Feira Quinta-Feira 12 08 Junho Março 2012 2012 Rua Irmã Dulce, nº 370 Gavião Bahia CEP: 44650-000. Tel/Fax: 75.3682 2271 CNPJ: 13.233.036/0001-67 www.gaviao.ba.gov.br

Leia mais

Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social ORDEM DOS TÉCNICOS OFICIAIS DE CONTAS

Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social ORDEM DOS TÉCNICOS OFICIAIS DE CONTAS TRABALHADORES COM ÂMBITO MATERIAL DE PROTECÇÃO REDUZIDO MEMBROS DOS ORGÃOS ESTATUTÁRIOS das PESSOAS COLECTIVAS e ENTIDADES EQUIPARADAS - B I C Este limite mínimo não se aplica nos casos de acumulação da

Leia mais

Apache Camel rotas para as suas mensagens. Bruno Borges 2009

Apache Camel rotas para as suas mensagens. Bruno Borges 2009 Apache Camel rotas para as suas mensagens Bruno Borges 2009 Apache Camel Integração SOAP MSMQ JMS RSS FTP JT/400 JDBC SMTP HTTP FIX JBI JPA Twitter SOAP LDAP TCP Integração Camel ? Framework Open Source

Leia mais

E S T AT U T O S D A P E N AF I E L AC T I V A, E M

E S T AT U T O S D A P E N AF I E L AC T I V A, E M E S T AT U T O S D A P E N AF I E L AC T I V A, E M C AP I T U L O I D i s p o s i ç õ e s G e r a i s Ar t i g o 1. º D e n o m i n a ç ã o e N a t u r e z a J u r í d i c a 1. A P e n a f i e l A c t

Leia mais

Democracia presidencialista multipartidária: a difícil combinação ( ) Prof. Sérgio Braga Aula sobre o texto de Scott Mainwaring

Democracia presidencialista multipartidária: a difícil combinação ( ) Prof. Sérgio Braga Aula sobre o texto de Scott Mainwaring Democracia presidencialista multipartidária: a difícil combinação (1945-1964) Prof. Sérgio Braga Aula sobre o texto de Scott Mainwaring Sumário da aula Objetivos do curso: apresentar alguns conceitos básicos

Leia mais

Inatenção hemiespacial selectiva, reabilitação, neglect.

Inatenção hemiespacial selectiva, reabilitação, neglect. TÉCNICAS DE REABILITAÇÃO NA INATENÇÃO HEMIESPACIAL SELECTIVA Clara de Santos Loureiro Resumo O neglect constitui o defeito cognitivo que, mais frequentemente, decorre de uma lesão do hemisfério cerebral

Leia mais

Consulta de Atas de Registro de Preços da área da Saúde

Consulta de Atas de Registro de Preços da área da Saúde Consulta de Atas de Registro de Preços da área da Saúde Passo a passo para consulta ao Banco de Dados da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo. W Favoritos I ~ la..q.,ft >> CJJ lij ~ ~ Página Segurança

Leia mais

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I 1 3Mr P e re s, R e s e r h D i re t r I D C B rs i l Br 0 0metr Cis e Bn L rg n Brsil, 2005-201 0 R e s l t s P ri m e i r T ri m e s t re e 2 0 0 7 Prer r Prer r Met e Bn Lrg em 2 0 1 0 n Brs i l : 10

Leia mais

IX FÓRUM APCER. EXCELÊNCIA EMPRESARIAL PARA PME s

IX FÓRUM APCER. EXCELÊNCIA EMPRESARIAL PARA PME s IX FÓRUM APCER EXCELÊNCIA EMPRESARIAL PARA PME s AGENDA Breve Apresentação AIP Projecto Excelência Empresarial Modelo EFQM Associação Industrial Portuguesa Criada em 1837 MISSÃO É uma instituição privada

Leia mais

Câmara Municipal de Retirolândia-BA

Câmara Municipal de Retirolândia-BA Edição Nº 030/2012 007/2012 Terça-Feira Quinta-Feira 3108 de de Julho Março de 2012 de 2012 A CASA DA DEMOCRACIA Rua Joana Angélica, n.º 537 Centro CEP 48.750-000 Retirolândia/BA CNPJ 63.103.808/0001-14

Leia mais

Profa. Dra. C ristina Pereira G aglianone

Profa. Dra. C ristina Pereira G aglianone Profa. Dra. C ristina Pereira G aglianone C en t r o C o l a b o r a d o r em A l i m en t aç ão e N u t r i ç ão E sc o l ar U n i v e r si d ad e F ed er al d e S ão P au l o P r o je t o d e L e i 6

Leia mais

A S S E M B L E I A D E F R E G U E S I A D A U N I Ã O D E F R E G U E S I A S D O C A C É M E S Ã O M A R C O S R

A S S E M B L E I A D E F R E G U E S I A D A U N I Ã O D E F R E G U E S I A S D O C A C É M E S Ã O M A R C O S R A T A N º 2 /2013 A o s t r i n t a d i a s d o m ê s d e d e z e m b r o d o a n o d e d o i s m i l e t r e z e, p e l a s v i n t e e u m a h o r a s e q u i n z e m i n u t o s r e u n i u e m s e

Leia mais

P a n o r a m a d o s e to r fe r tiliz a n te s

P a n o r a m a d o s e to r fe r tiliz a n te s P a n o r a m a d o s e to r fe r tiliz a n te s H e n r iq u e M a ia R ib e ir o S u p e r v is o r c o m e r c ia l G u s ta v o N. G. P. R o s a S u p e r v is o r té c n ic o FE R TI L I Z A N TE

Leia mais

Curso de Extensão FUNÇÃO MOTORA. Profa. Ana Lucia Cecconello

Curso de Extensão FUNÇÃO MOTORA. Profa. Ana Lucia Cecconello Curso de Extensão FUNÇÃO MOTORA Profa. Ana Lucia Cecconello Integração sensório-motora Relação estreita com a Cognição É a base do aprendizado global Área suplementar motora Bear, 2002 Córtex sensorial

Leia mais

Uma voz livro em sua defeso

Uma voz livro em sua defeso W re to r-p rip rle tá rio Sérgio Fleury Moraes CIRCULAÇÃO SEMANAL Uma voz livro em sua defeso ^ A N O 9 N 267 REDAÇAO E OFICINASí AV..T1RADENTES, 877 - Cx. P. 3» - FONE 72-2358 SANTA CR U Z DO RIO PARDO,

Leia mais