BIOQUÍMICA E METABOLISMO DOS MICRONUTRIENTES NA TERAPIA NUTRICIONAL ENTERAL E PARENTERAL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BIOQUÍMICA E METABOLISMO DOS MICRONUTRIENTES NA TERAPIA NUTRICIONAL ENTERAL E PARENTERAL"

Transcrição

1 BIOQUÍMICA E METABOLISMO DOS MICRONUTRIENTES NA TERAPIA NUTRICIONAL ENTERAL E PARENTERAL Profa. Dra. Maria Rosimar Teixeira Matos Docente do Curso de Nutrição da UECE

2 TERAPIA NUTRICIONAL Suprir as necessidades de macro e micronutrientes de um indivíduo

3 MICRONUTRIENTES Vitaminas Lipossolúveis Vitaminas Hidrossolúveis Minerais

4 VITAMINAS

5 VITAMINAS LIPOSSOLÚVEIS Integridade da Visão e do Tecido Epitelial Sistema Imunológico Integridade Óssea Antioxidante

6 VITAMINAS HIDROSSOLÚVEIS Complexo B Metabolismo dos Macronutrientes Ácido Fólico Prevenção da Anemia Redução da Homocisteína Vitamina C Colágeno / Carnitina / Antioxidante

7 MINERAIS Integridade Óssea Antioxidante Cicatrização Sistema Imunológico Obesidade Equilíbrio Ácido-básico Coagulação Sanguínea Contração Muscular Pressão Arterial Sistêmica Metabolismo dos Macronutrientes Prevenção da Anemia

8 IMPLICAÇÕES DA DEFICIÊNCIA Integridade Óssea Cicatrização Sistema Imunológico Defesas Antioxidantes Resistência à Ação da Insulina

9 DEFICIÊNCIA DE MICRONUTRIENTES Pacientes Hospitalizados Ácido Fólico Vitamina D Ferro Fósforo Cálcio

10 ANTIOXIDANTES Vitaminas A / C / E Minerais Selênio e Zinco Reduzem o efeito da maior circulação das EROS Estresse

11 VITAMINAS

12 VITAMINA D

13 FUNÇÕES DA VITAMINA D Diferenciação e proliferação celular Secreção da insulina Sistema imune Receptores em vários tecidos: pâncreas, tecido adiposo e muscular Deficiência de vitamina D - Cálcio sérico PTH

14

15

16 VITAMINA K

17

18 ÁCIDO FÓLICO

19

20

21 MINERAIS

22

23 CÁLCIO E FÓSFORO

24

25

26 ZINCO ANTIOXIDANTE SECREÇÃO DA INSULINA LEPTINA TRANSLOCAÇÃO DE GLUT 4 AÇÃO DA INSULINA

27 CROMO AÇÃO DA INSULINA INSULINA / RECEPTOR ANTIOXIDANTE

28 MAGNÉSIO CO-FATOR DAS ENZIMAS QUINASES SENSIBILIDADE À INSULINA AÇÃO DA INSULINA

29 Hipocalemia (K < 3,5 meq/l) Hiponatremia leve ( meq/l) Hiponatremia grave (< 125 meq/l) Hipernatremia Hipocalcemia Hipercalcemia Hipomagnesemia CONSEQUÊNCIAS Pode resultar em arritmias cardíacas, redução da peristalse, distensão abdominal. Pode dar cefaléia, náuseas, vômitos, cãibras, fraqueza muscular, alterações no sensório, confusão mental, incontinência urinária e fecal. Pode dar poliúria, bradicardia, hipo ou hipertensão, hipo ou hipertermia, pupilas dilatadas, convulsão e coma. Pode ser devido ao uso de diuréticos, DM descompensado, doenças febris, desidratação ou uso de soluções hipertônicas. Em idosos com Na > 160 meq/l pode ocorrer sede intensa, hipovolemia, fraqueza muscular, desorientação, coma, lesão cerebral irreversível e morte. Pode incorrer em hipotensão arterial, bradicardia, parada cardíaca, espasmos musculares, ansiedade, depressão e psicose. Pode resultar em náuseas, anorexia, poliúria, vômitos, constipação, desidratação, letargia e coma. Pode ser decorrente de DPC, etilismo crônico, fístulas digestivas, sepse ou administração inadequada de muita glicose e insulina. Pode dar fraqueza e cãibras musculares, vômitos.

30 SÍNDROME DA REALIMENTAÇÃO

31 Desordem severa de água, eletrólitos, minerais e vitaminas

32 SÍNDROME DA REALIMENTAÇÃO Ingestão alimentar excessiva no paciente desnutrido Aumento na secreção de insulina Desequilíbrio hidroeletrolítico: Hipofosfatemia / hipomagnesemia / hipocalemia

33 FIBRAS ALIMENTARES

34 CLASSIFICAÇÃO

35 CLASSIFICAÇÃO CLASSIFICAÇÃO TIPOS ALIMENTOS SOLÚVEIS INSOLÚVEIS Pectina Hemicelulose Polifenóis Goma/mucilagem Celulose Hemicelulose Lignina Amido resistente Frutas cítricas Maçã / abacate Legumes/ cevada Aveia / centeio Vegetais folhosos Grãos integrais Farelos de trigo e milho

36 FUNÇÕES Motilidade gástrica Alimento funcional Motilidade intestinal Saciedade Viscosidade Espessante e geleificante Inibição enzimática Colesterol sérico

37 FIBRAS ALIMENTARES TERAPIA NUTRICIONAL ENTERAL: Redução da constipação intestinal / diarreia Melhor adaptação da Síndrome do Intestino Curto Aumento dos ácidos graxos de cadeia curta nas fezes

38 PREBIÓTICOS Fermentação pelas bactérias benéficas: Forma Lactato e ácidos graxos de cadeia curta Reduz ph colônico menor crescimento de bactérias patogênicas Aumenta a reabsorção de água e eletrólitos Controle da diarreia

39 ÁGUA

40 FUNÇÕES Maior componente corporal Manter a temperatura do corpo Digestão, Absorção, Transporte e Metabolização e Excreção dos nutrientes

41 BALANÇO HÍDRICO TIPO DE INGESTÃO VOLUME (ml) LOCAL DE EXCREÇÃO VOLUME (ml) Liquidos 1200 Rins 1400 Alimentos 1000 Pulmões e Pele 1000 Metabolismo 300 Intestino 100 TOTAL 2500 TOTAL 2500

42 EQUILÍBRIO OSMÓTICO Albumina Eletrólitos

43 DESIDRATAÇÃO Perda de energia Cãibras Dor de cabeça leve / Pele úmida e fria Náuseas / Dores de cabeça mais fortes Pele seca / Temperatura corporal Confusão / Inconsciência

44 OBRIGADA!!!

17/10/2010. Você tem certeza que isso é suficiente? Mirtallo et al., 2004; Sriram & Lonchyna, 2009; Visser, ANVISA, 2005; DRI Otten et al.

17/10/2010. Você tem certeza que isso é suficiente? Mirtallo et al., 2004; Sriram & Lonchyna, 2009; Visser, ANVISA, 2005; DRI Otten et al. ESTRATÉGIAS PARA OTIMIZAR OS BENEFÍCIOS E MINIMIZAR OS RISCOS EM TN Aporte de vitaminas e minerais e Minerais: O Excesso e a Falta na Recuperação do Paciente Helena Sampaio Você tem certeza que isso é

Leia mais

Biomassa de Banana Verde Polpa - BBVP

Biomassa de Banana Verde Polpa - BBVP Biomassa de Banana Verde Polpa - BBVP INFORMAÇÕES NUTRICIONAIS Porção de 100g (1/2 copo) Quantidade por porção g %VD(*) Valor Energético (kcal) 91 4,55 Carboidratos 21,4 7,13 Proteínas 2,1 2,80 Gorduras

Leia mais

Eletrólitos na Nutrição Parenteral

Eletrólitos na Nutrição Parenteral Unesp Eletrólitos na Nutrição Parenteral Sergio A R Paiva Complicações da NP Mecânicas Infecciosas Distúrbios metabólicos Complicações da NP Mecânicas Infecciosas Distúrbios metabólicos Complicações da

Leia mais

BIOQUÍMICA DOS ALIMENTOS: AMIDO RESISTENTE E FIBRAS (aula 2) Patricia Cintra

BIOQUÍMICA DOS ALIMENTOS: AMIDO RESISTENTE E FIBRAS (aula 2) Patricia Cintra BIOQUÍMICA DOS ALIMENTOS: AMIDO RESISTENTE E FIBRAS (aula 2) Patricia Cintra Fibra alimentar - definição No Brasil, o Ministério da Saúde, pela portaria 41 de 14 de janeiro de 1998, da Agência Nacional

Leia mais

DISTÚRBIO HIDRO- ELETROLÍTICO E ÁCIDO-BÁSICO. Prof. Fernando Ramos Gonçalves -Msc

DISTÚRBIO HIDRO- ELETROLÍTICO E ÁCIDO-BÁSICO. Prof. Fernando Ramos Gonçalves -Msc DISTÚRBIO HIDRO- ELETROLÍTICO E ÁCIDO-BÁSICO Prof. Fernando Ramos Gonçalves -Msc Distúrbio hidro-eletrolítico e ácido-básico Distúrbios da regulação da água; Disnatremias; Alterações do potássio; Acidoses

Leia mais

FIBRAS: por que consumi-las?

FIBRAS: por que consumi-las? FIBRAS: por que consumi-las? COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA NUTRICIONAL GVEDNT / SUVISA / SES-GO Fibras: por que consumi-las? GOIÂNIA 2014 Autoria Maria Janaína Cavalcante Nunes Daniela Ayumi Amemiya Cássia

Leia mais

Classificação das Vitaminas

Classificação das Vitaminas Vitaminas Vitaminas As vitaminas são encontradas em plantas, sementes, grãos, frutas (produz vitaminas durante a fotossíntese) e carne de animais que consumiram esses alimentos. Classificação das Vitaminas

Leia mais

Fibras A U L A 06 - TEÓRICA PROF. DÉBORA CHRISTINA

Fibras A U L A 06 - TEÓRICA PROF. DÉBORA CHRISTINA Fibras A U L A 06 - TEÓRICA 18-09- 17 PROF. DÉBORA CHRISTINA CONCEITO As fibras alimentares são os polissacarídeos vegetais da dieta, como celulose, hemiceluloses, pectinas, gomas, mucilagens e a lignina

Leia mais

FIBRAS FIBRAS. As fibras insolúveis incluem: as fibras externas da ervilha, a celulose, as fibras do milho e as fibras da soja.

FIBRAS FIBRAS. As fibras insolúveis incluem: as fibras externas da ervilha, a celulose, as fibras do milho e as fibras da soja. FIBRAS Até os anos 70 as fibras eram entendidas como componentes inertes dos alimentos que atravessavam o tubo digestivo e eram eliminados sem produzir efeitos no organismo humano. No entanto, os estudos

Leia mais

NUTRIÇÃO. Problemas nutricionais associados à pobreza: Desnutrição /Hipovitaminose / Bócio

NUTRIÇÃO. Problemas nutricionais associados à pobreza: Desnutrição /Hipovitaminose / Bócio NUTRIÇÃO NUTRIÇÃO Problemas nutricionais associados à pobreza: Desnutrição /Hipovitaminose / Bócio Problemas nutricionais associados à hábitos alimentares inadequados: Dislipdemias / Anemia / Obesidade

Leia mais

NERVITON MEGA Ômega Vitaminas + 8 Minerais

NERVITON MEGA Ômega Vitaminas + 8 Minerais M.S. 6.6969.0023.001-6 NERVITON MEGA Ômega 3 + 13 Vitaminas + 8 Minerais NERVITON MEGA é um produto inovador no Brasil, pois possui em sua fórmula o óleo de peixe ( ÔMEGA 3 ) e diversas vitaminas e minerais

Leia mais

CIÊNCIAS - ALIMENTOS. Prof. Mário Castro 1º Bimestre CEF 02 ESCOLA PAROQUIAL

CIÊNCIAS - ALIMENTOS. Prof. Mário Castro 1º Bimestre CEF 02 ESCOLA PAROQUIAL CIÊNCIAS - ALIMENTOS Prof. Mário Castro 1º Bimestre - 2014 CEF 02 ESCOLA PAROQUIAL NUTRIÇÃO Nutrição: É o conjunto de processo integrados que envolve a digestão, respiração, circulação e excreção. Digestão:

Leia mais

AVALIAÇÃO BIOQUÍMICA NO IDOSO

AVALIAÇÃO BIOQUÍMICA NO IDOSO C E N T R O U N I V E R S I T Á R I O C AT Ó L I C O S A L E S I A N O A U X I L I U M C U R S O D E N U T R I Ç Ã O - T U R M A 6 º T E R M O D I S C I P L I N A : N U T R I Ç Ã O E M G E R I AT R I A

Leia mais

Sistema Urinário. Patrícia Dupim

Sistema Urinário. Patrícia Dupim Sistema Urinário Patrícia Dupim Insuficiência Renal Ocorre quando os rins não conseguem remover os resíduos metabólicos do corpo. As substância normalmente eliminadas na urina acumulam-se nos líquidos

Leia mais

AZ Vit. Ficha técnica. Suplemento Vitamínico Mineral. REGISTRO: Isento de Registro no M.S. conforme Resolução - RDC n 27/10.

AZ Vit. Ficha técnica. Suplemento Vitamínico Mineral. REGISTRO: Isento de Registro no M.S. conforme Resolução - RDC n 27/10. Ficha técnica AZ Vit Suplemento Vitamínico Mineral REGISTRO: Isento de Registro no M.S. conforme Resolução - RDC n 27/10. CÓDIGO DE BARRAS: 7898171287350 EMBALAGEM: Plástica, metálica e vidro. APRESENTAÇÃO

Leia mais

Nutrição Aplicada à Educação Física. Cálculo da Dieta e Recomendações dietéticas. Ismael F. Freitas Júnior Malena Ricci

Nutrição Aplicada à Educação Física. Cálculo da Dieta e Recomendações dietéticas. Ismael F. Freitas Júnior Malena Ricci Nutrição Aplicada à Educação Física Cálculo da Dieta e Recomendações dietéticas Ismael F. Freitas Júnior Malena Ricci ARROZ 100 gramas CÁLCULO DE DIETA CH 25,1 PT 2,0 Lip 1,2 Consumo 300 gramas 100 gr

Leia mais

UP! A-Z Force Homme. Informação Nutricional. Suplemento vitamínico e mineral de A a Z 60 cápsulas de 500mg

UP! A-Z Force Homme. Informação Nutricional. Suplemento vitamínico e mineral de A a Z 60 cápsulas de 500mg UP! A-Z Force Homme Suplemento vitamínico e mineral de A a Z Suplemento vitamínico e mineral em cápsulas desenvolvido para atender as particularidades nutricionais do homem, a fim de potencializar a fisiologia

Leia mais

Hidroclorotiazida. Diurético - tiazídico.

Hidroclorotiazida. Diurético - tiazídico. Hidroclorotiazida Diurético - tiazídico Índice 1. Definição 2. Indicação 3. Posologia 4. Contraindicação 5. Interação medicamentosa 1. Definição A Hidroclorotiazida age diretamente sobre os rins atuando

Leia mais

FUNDAMENTOS DA NUTRIÇÃO CLÍNICA E COLETA FUNDAMENTOS DA NUTRIÇÃO CLÍNICA E COLETIVA

FUNDAMENTOS DA NUTRIÇÃO CLÍNICA E COLETA FUNDAMENTOS DA NUTRIÇÃO CLÍNICA E COLETIVA FUNDAMENTOS DA NUTRIÇÃO CLÍNICA E COLETA FUNDAMENTOS DA NUTRIÇÃO CLÍNICA E COLETIVA Graduação 1 FUNDAMENTOS DA NUTRIÇÃO CLÍNICA E COLETIVA UNIDADE 5 ALIMENTAÇÃO PARENTERAL Nesta unidade estudaremos a importância

Leia mais

temperosfuncionais ebook

temperosfuncionais ebook temperosfuncionais ebook O que são temperos funcionais? O uso de temperos tem grande contribuição para os sabores e aromas da culinária. Na escolha dos temperos é necessário cuidado, pois produtos industrializados

Leia mais

Regulação Endócrina do metabolismo do cálcio e do fosfato

Regulação Endócrina do metabolismo do cálcio e do fosfato Regulação Endócrina do metabolismo do cálcio e do fosfato Profa. Letícia Lotufo Distribuição de cálcio Intracelular: 10-7 M Livre: 0,2 mg Pode aumentar de 10 a 100x Potencial de ação Contração Motilidade

Leia mais

A Bioquímica Da Célula. Alternar entre páginas 0/1 Página Anterior Próxima página

A Bioquímica Da Célula. Alternar entre páginas 0/1 Página Anterior Próxima página A Bioquímica Da Célula Alternar entre páginas 0/1 Página Anterior Próxima página A importância da água em nossa vida A água é indispensável para o nosso planeta. Foi através dela que surgiram as primeiras

Leia mais

Alterações do equilíbrio hídrico Alterações do equilíbrio hídrico Desidratação Regulação do volume hídrico

Alterações do equilíbrio hídrico Alterações do equilíbrio hídrico Desidratação Regulação do volume hídrico Regulação do volume hídrico Alteração do equilíbrio hídrico em que a perda de líquidos do organismo é maior que o líquido ingerido Diminuição do volume sanguíneo Alterações do equilíbrio Hídrico 1. Consumo

Leia mais

O papel das fibras nos alimentos. Mestrando: Joel Pimentel de Abreu

O papel das fibras nos alimentos. Mestrando: Joel Pimentel de Abreu O papel das fibras nos alimentos Mestrando: Joel Pimentel de Abreu O que é fibra alimentar As fibras alimentares são compostos vegetais presentes na dieta, como celulose, hemicelulose, pectinas, gomas,

Leia mais

Fisiologia do Sistema Endócrino. Metabolismo do Cálcio e a Paratireóide

Fisiologia do Sistema Endócrino. Metabolismo do Cálcio e a Paratireóide Fisiologia do Sistema Endócrino Metabolismo do Cálcio e a Paratireóide Prof. Dr. Leonardo Rigoldi Bonjardim Profa. Adjunto do Depto. De Fisiologia-CCBS-UFS Material disponível em: http://www.fisiologiaufs.xpg.com.br

Leia mais

O que são nutrientes?

O que são nutrientes? Os nutrientes O que são nutrientes? São substâncias utilizadas pelo metabolismo do organismo essenciais ao seu funcionamento; Os alimentos contêm nutrientes que o organismo não consegue sintetizar, assim

Leia mais

2. COQUETEL DE FRUTAS VERMELHAS

2. COQUETEL DE FRUTAS VERMELHAS CARTA DE Drinks 1. DRINK DE MAÇÃ E CANELA 1 colher (café) de canela em pó (3g) 1 rama de canela para decorar 1 fatia fina de maçã vermelha com casca ralada (30g) Modo de Preparo: em uma taça, coloque a

Leia mais

Alimentos Prebióticos

Alimentos Prebióticos Alimentos Prebióticos Uso e disponibilidade no mercado Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro UNIRIO Programa de Pós Graduação em Alimentos e Nutrição - PPGAN Ciclo de palestras Palestrante:

Leia mais

Carboidratos complexos. Polissacarídeos

Carboidratos complexos. Polissacarídeos Carboidratos complexos Polissacarídeos São formados pela associação de 10 a milhares (10.000 moléculas) de monossacarídeos unidos por ligações glicosídicas. São menos solúveis e mais estáveis que os açúcares

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM ALIMENTOS E NUTRIÇÃO CICLO DE PALESTRAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM ALIMENTOS E NUTRIÇÃO CICLO DE PALESTRAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM ALIMENTOS E NUTRIÇÃO CICLO DE PALESTRAS NUTRIÇÃO NA DOENÇA RENAL CRÔNICA (DRC) Izabela Alves Gomes (izabela.nut@gmail.com)

Leia mais

NUTRIÇÃO NA GESTAÇÃO. Vilma Fernandes Carvalho

NUTRIÇÃO NA GESTAÇÃO. Vilma Fernandes Carvalho NUTRIÇÃO NA GESTAÇÃO FASE DA GESTAÇÃO Riscos como hipertensão, obesidade, intolerância, à glicose e doença cardiovascular (Baker, 1995). Peso em kg 3,4-3,9 Feto 3,4 Reserva de gordura e proteína 1,8 Sangue

Leia mais

Nutrientes. Leonardo Pozza dos Santos

Nutrientes. Leonardo Pozza dos Santos Nutrientes Leonardo Pozza dos Santos Itaqui, 2017 O que define um nutriente? - Qualquer elemento ou composto químico necessário para o metabolismo de um organismo vivo. - Eles compõem os alimentos e são

Leia mais

Alimentos fonte e importância de nutrientes na dieta. Deborah Bauer - Nutricionista Mestranda em Alimentos e Nutrição (UNIRIO)

Alimentos fonte e importância de nutrientes na dieta. Deborah Bauer - Nutricionista Mestranda em Alimentos e Nutrição (UNIRIO) Alimentos fonte e importância de nutrientes na dieta Deborah Bauer - Nutricionista Mestranda em Alimentos e Nutrição (UNIRIO) Alimentos x Nutrientes? Água Minerais Carboidratos Alimentos Vitaminas?Compostos

Leia mais

Controle da Osmolalidade dos Líquidos Corporais. Prof. Ricardo Luzardo

Controle da Osmolalidade dos Líquidos Corporais. Prof. Ricardo Luzardo Controle da Osmolalidade dos Líquidos Corporais Prof. Ricardo Luzardo Osmolalidade é uma função do número total de partículas em solução, independente de massa, carga ou composição química. As partículas

Leia mais

As Propriedades Funcionais da Banana Verde

As Propriedades Funcionais da Banana Verde As Propriedades Funcionais da Banana Verde Vale Mais Alimentos Produz Biomassa de Banana Verde na forma de polpa e integral (casca e polpa) para consumidores domésticos e institucionais A banana é produzida

Leia mais

MAGNÉSIO DIMALATO. FÓRMULA MOLECULAR: C4H6Mg2O7. PESO MOLECULAR: 396,35 g/mol

MAGNÉSIO DIMALATO. FÓRMULA MOLECULAR: C4H6Mg2O7. PESO MOLECULAR: 396,35 g/mol MAGNÉSIO DIMALATO FÓRMULA MOLECULAR: C4H6Mg2O7 PESO MOLECULAR: 396,35 g/mol Importante para mais de 300 processos biológicos no organismo, o magnésio é um mineral essencial utilizado na síntese de proteínas

Leia mais

PLANO DE ENSINO Ficha N o 1 (permanente)

PLANO DE ENSINO Ficha N o 1 (permanente) PLANO DE ENSINO Ficha N o 1 (permanente) Departamento: Zootecnia Setor: Ciências Agrárias Disciplina: Nutrição de Cães e Gatos Semestral: x Normal Especial (seguindo o calendário agrícola) Código: AZ066

Leia mais

Sumário. Anatomia funcional do trato gastrintestinal e dos órgãos que drenam nele 1

Sumário. Anatomia funcional do trato gastrintestinal e dos órgãos que drenam nele 1 Sumário SEÇÃO I Capítulo 1 A resposta integrada a uma refeição Anatomia funcional do trato gastrintestinal e dos órgãos que drenam nele 1 Objetivos / 1 Visão geral do sistema gastrintestinal e de suas

Leia mais

CALSAN carbonato de cálcio

CALSAN carbonato de cálcio CALSAN carbonato de cálcio MODELO DE TEXTO DE BULA Forma farmacêutica e apresentação Comprimidos mastigáveis. Embalagem com 30 comprimidos. USO ADULTO E PEDIÁTRICO Composição Cada comprimido mastigável

Leia mais

ÍNDICE. Trophic Basic. 06 Trophic 1.5. Trophic EP Trophic Fiber Trophic Bio + SABOR! Trophic Infant. Diamax Peptimax HDmax. Bemmax.

ÍNDICE. Trophic Basic. 06 Trophic 1.5. Trophic EP Trophic Fiber Trophic Bio + SABOR! Trophic Infant. Diamax Peptimax HDmax. Bemmax. GUIA NUTRICIONAL ÍNDICE Trophic Basic 06 Trophic 1.5 10 PADRÃO Trophic EP Trophic Fiber Trophic Bio + SABOR! 12 14 16 Trophic Infant 18 ESPECIALIZADA Diamax Peptimax HDmax 20 22 24 Na Prodiet, acreditamos

Leia mais

Colaboradores...5 Dedicatória...6 Agradecimentos...7 Prefácio...9

Colaboradores...5 Dedicatória...6 Agradecimentos...7 Prefácio...9 Sumário Colaboradores...5 Dedicatória...6 Agradecimentos...7 Prefácio...9 PARTE I Introdução à profissão de enfermagem 1 Enfermagem uma profissão em evolução...21 Visão geral...22 Revisão histórica...22

Leia mais

Desnutrição na Adolescência

Desnutrição na Adolescência Desnutrição na Adolescência Adolescência CRIANÇA Desnutrição Anorexia/Bulimia Obesidade / Diabetes ADULTO Dietas não convencionais e restritivas Deficiência de ferro Cálcio, vitamina A, zinco, Vitamina

Leia mais

Alimentos que emagrecem

Alimentos que emagrecem Alimentos que emagrecem Índice: 1. A importância da nossa alimentação 2. Prevenção 3. Alimentação adequada 4. Super dicas de alimentos que emagrecem Todos nós sabemos que uma alimentação apropriada é a

Leia mais

Bioquímica. Sabadão CSP especial Prof. Felipe Fernandes Prof. João Leite

Bioquímica. Sabadão CSP especial Prof. Felipe Fernandes Prof. João Leite Bioquímica Sabadão CSP especial Prof. Felipe Fernandes Prof. João Leite 1. Água 2. Sais Minerais 4. Os sais minerais são essenciais em uma alimentação saudável, pois exercem várias funções reguladoras

Leia mais

Dog Star Foods Natural 15kg

Dog Star Foods Natural 15kg Dog Star Foods Natural 15kg Proteína Bruta Extrato Etéreo Matéria Mineral (Mín.) 23% (Mín.) 10% (Máx.) 8% Matéria Fibrosa (Máx.) 4,5% Cálcio (Máx.) 2% Fósforo (Mín.) 1% Cereais Integrais Probióticos Carne

Leia mais

Fonte de vitamina K: Diabético pode comer mamão? Seg, 19 de Junho de :56 - Última atualização Seg, 19 de Junho de :00

Fonte de vitamina K: Diabético pode comer mamão? Seg, 19 de Junho de :56 - Última atualização Seg, 19 de Junho de :00 Sabemos que a alimentação de diabéticos pode ser um pouco mais restrita, mas sabemos também que as frutas são boas aliadas para o bom funcionamento do organismo. Alguns alimentos são reconhecidos como

Leia mais

Uma dieta alimentar variada é capaz de fornecer os nutrientes necessários ao desenvolvimento do nosso organismo

Uma dieta alimentar variada é capaz de fornecer os nutrientes necessários ao desenvolvimento do nosso organismo Nutrientes e suas funções Uma dieta alimentar variada é capaz de fornecer os nutrientes necessários ao desenvolvimento do nosso organismo NUTRIENTE Substância absorvida e utilizada pelo organismo para

Leia mais

Material de referência Alimentação saudável

Material de referência Alimentação saudável Material de referência Alimentação saudável Este material é para ser usado em todas as atividades do mês, onde o educador deve sempre explicar os benefícios dos alimentos que estão sendo experimentados

Leia mais

Escolha uma vitamina OU um mineral e descreva:

Escolha uma vitamina OU um mineral e descreva: Escolha uma vitamina OU um mineral e descreva: D) risco de excesso e deficiência. VITAMINA E: a) Atletismo b) É antioxidante e actua protegendo a membrana celular; reduz e retarda lesões nos tecidos musculares;

Leia mais

Movimento e alimento. Eliane Petean Arena Nutricionista

Movimento e alimento. Eliane Petean Arena Nutricionista Movimento e alimento Eliane Petean Arena Nutricionista Todos nós necessitamos de atividades físicas, o nosso corpo foi feito para se movimentar. O desenvolvimento da criança é um processo contínuo e dinâmico,

Leia mais

Todos os Direitos Reservados. Página 1

Todos os Direitos Reservados.  Página 1 http://treinoparamulheres.com.br Página 1 Conteúdo Introdução... 4 Melhores Fontes de Proteína... 5 1º Ovo de Galinha... 5 2º Peixes ( Tilápia, Atum, Salmão)... 6 3º Peito de Frango... 8 4º Leite e seus

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE SEGURANÇA PÚBLICA

SECRETARIA MUNICIPAL DE SEGURANÇA PÚBLICA SECRETARIA MUNICIPAL DE SEGURANÇA PÚBLICA e DEFESA CIVIL, ação integrada Projeto: Saúde na GCM PRIORIDADE: 1 / 1 Idealizado em 27 de agosto de 2004. Atualizado em 19 de Novembro de 2009. 2013 está chegando!

Leia mais

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL. Dra. Helena Maia Nutricionista

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL. Dra. Helena Maia Nutricionista ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Dra. Helena Maia Nutricionista OBJECTIVOS Obesidade: Riscos, prevalências e tipos Nutrição / Nutrientes Roda dos Alimentos Alimentação Mediterrânica IMC Conclusão RISCOS RELACIONADOS

Leia mais

NANOLUX. Prof Dr.PIERRE BASMAJI. O que é NANOLUX?

NANOLUX. Prof Dr.PIERRE BASMAJI. O que é NANOLUX? NANOLUX Prof Dr.PIERRE BASMAJI O que é NANOLUX? NANOLUX: é projetado para lidar com a aparência e a saúde em sinergia usando apenas ingredientes naturais. NANOLUX: é a combinação da ciência e da natureza

Leia mais

Ovos Além de poucas calorias, os ovos contêm mais de 12 vitaminas e minerais e ainda uma quantidade nada desprezível de proteínas, substância

Ovos Além de poucas calorias, os ovos contêm mais de 12 vitaminas e minerais e ainda uma quantidade nada desprezível de proteínas, substância Ovos Além de poucas calorias, os ovos contêm mais de 12 vitaminas e minerais e ainda uma quantidade nada desprezível de proteínas, substância essencial para a intensa produção de células que acontece no

Leia mais

Biomassa de Banana Verde Integral- BBVI

Biomassa de Banana Verde Integral- BBVI Biomassa de Banana Verde Integral- BBVI INFORMAÇÕES NUTRICIONAIS Porção de 100g (1/2 copo) Quantidade por porção g %VD(*) Valor Energético (kcal) 64 3,20 Carboidratos 14,20 4,73 Proteínas 1,30 1,73 Gorduras

Leia mais

A salada verde deveria fazer parte das refeições de todas as pessoas, pois as folhas,

A salada verde deveria fazer parte das refeições de todas as pessoas, pois as folhas, Alface, rúcula, agrião e acelga são aliados da dieta e ricos em nutrientes Essas folhas devem fazer parte da alimentação de todas as pessoas e fornecem vitaminas, minerais e outros componentes importantes

Leia mais

Benefícios do Suco de Laranja Para Sistema Imunológico.

Benefícios do Suco de Laranja Para Sistema Imunológico. Suco de Laranja Laranja. A Laranja é uma fruta cítrica popular por seu sabor doce e picante. Elas pertencem à família Rutaceae e são cultivadas e consumido em todo o mundo. Além disso, Há um número de

Leia mais

MICRONUTRIENTES VITAMINAS E MINERAIS

MICRONUTRIENTES VITAMINAS E MINERAIS CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BRUSQUE UNIFEBE MICRONUTRIENTES VITAMINAS E MINERAIS Profª. MSc Luciane Ângela Nottar Nesello E-mail: lucianenesello@unifebe.edu.br Vitaminas e Minerais Amplamente distribuídos

Leia mais

ESTUDO DOS NUTRIENTES. Nutrientes. São substâncias que estão inseridas nos alimentos e possuem funções variadas no organismo, são eles:

ESTUDO DOS NUTRIENTES. Nutrientes. São substâncias que estão inseridas nos alimentos e possuem funções variadas no organismo, são eles: NECESSIDADES NUTRICIONAIS TURMA 34 PASTA 12 PROF. Natália Drago Azevedo ESTUDO DOS NUTRIENTES Nutrientes São substâncias que estão inseridas nos alimentos e possuem funções variadas no organismo, são eles:

Leia mais

VITAMINAS E MINERAIS

VITAMINAS E MINERAIS VITAMINAS E MINERAIS MINERAIS São substâncias de origem inorgânica que fazem parte dos tecidos duros do organismo, como ossos e dentes. Também encontrados nos tecidos moles como músculos, células sanguíneas

Leia mais

Avaliação nutricional do paciente

Avaliação nutricional do paciente Avaliação nutricional do paciente Muito gordo ou muito magro? O que fazer com esta informação? Avaliação nutricional do paciente 1) Anamnese (inquérito alimentar) 2) Exame físico 3) Exames laboratoriais

Leia mais

Camomilina C extrato de camomila 25mg, extrato de alcaçuz 5mg, vitamina C 25 mg, vitamina D3 150UI USO PEDIÁTRICO ACIMA DE 4 MESES USO ORAL

Camomilina C extrato de camomila 25mg, extrato de alcaçuz 5mg, vitamina C 25 mg, vitamina D3 150UI USO PEDIÁTRICO ACIMA DE 4 MESES USO ORAL Camomilina C extrato de camomila 25mg, extrato de alcaçuz 5mg, vitamina C 25 mg, vitamina D3 150UI USO PEDIÁTRICO ACIMA DE 4 MESES USO ORAL APRESENTAÇÃO Caixa com 20 cápsulas. COMPOSIÇÃO Cada cápsula de

Leia mais

Vitamina D e cálcio. Reflexões sobre a suplementação. Dra. Priscila Faggiano Dra. Fabiana Gonzalez

Vitamina D e cálcio. Reflexões sobre a suplementação. Dra. Priscila Faggiano Dra. Fabiana Gonzalez Vitamina D e cálcio Reflexões sobre a suplementação Dra. Priscila Faggiano Dra. Fabiana Gonzalez Indicações terapêuticas Eficácia Vitamina D e cálcio Efeitos colaterais Interações medicamentosas Fisiologia

Leia mais

A Nutrição e a Idade

A Nutrição e a Idade A Nutrição e a Idade ACTIS Universidade da Terceira Idade de Sintra Apresentação Licenciado em Ciências da Nutrição ISCSEM Mestre e Doutorando em Nutrição Clínica FCNAUP Docente na Licenciatura em Nutrição

Leia mais

Fisiologia do Sistema Endócrino. Pâncreas Endócrino. Anatomia Microscópica. Anatomia Microscópica

Fisiologia do Sistema Endócrino. Pâncreas Endócrino. Anatomia Microscópica. Anatomia Microscópica Fisiologia do Sistema Endócrino Pâncreas Endócrino Prof. Dr. Leonardo Rigoldi Bonjardim Profa. Adjunto do Depto. De Fisiologia-CCBS-UFS Material disponível em: http://www.fisiologiaufs.xpg.com.br 2006

Leia mais

Alterações metabólicas na desidratação *

Alterações metabólicas na desidratação * Alterações metabólicas na desidratação * Desidratação A desidratação é caracterizada quando a perda de líquido no organismo é maior que a quantidade de líquido ingerido, consequentemente ocorre diminuição

Leia mais

ESPECIALIZAÇÃO EM FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO, NUTRIÇÃO E TREINAMENTO PERSONALIZADO

ESPECIALIZAÇÃO EM FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO, NUTRIÇÃO E TREINAMENTO PERSONALIZADO ESPECIALIZAÇÃO EM FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO, NUTRIÇÃO E TREINAMENTO PERSONALIZADO OBJETIVOS DO CURSO O curso de Especialização em Fisiologia do exercício, Nutrição e Treinamento Personalizado oportuniza

Leia mais

BIOQUÍMICA II SISTEMAS TAMPÃO NOS ORGANISMOS ANIMAIS 3/1/2012

BIOQUÍMICA II SISTEMAS TAMPÃO NOS ORGANISMOS ANIMAIS 3/1/2012 BIOQUÍMICA II Professora: Ms. Renata Fontes Medicina Veterinária 3º Período O conteúdo de Bioquímica II utiliza os conhecimentos adquiridos referentes ao estudo do metabolismo celular e fenômenos físicos

Leia mais

4/19/2007 Fisiologia Animal - Arlindo Moura 1

4/19/2007 Fisiologia Animal - Arlindo Moura 1 4/19/2007 Fisiologia Animal - Arlindo Moura 1 HIPOTALAMO Neuronios do hipotalamo sintetizam TRH (hormonio tireotrofico) Sistema portahipotalamico hipofisario TRH estimula a sintese e secreacao de TSH (hormonio

Leia mais

Substâncias inorgânicas

Substâncias inorgânicas Substâncias inorgânicas Água e Sais minerais BIOLOGIA 3ª série Profª Reisila Mendes Água Substância mais abundante no meio ambiente. Disposição dos átomos não é linear ângulo 104,5º. Polar regiões + e

Leia mais

Ração humana ajuda na perda de peso e melhora o trânsito intestinal Ela também ajuda a controlar os níveis de colesterol e triglicérides do sangue

Ração humana ajuda na perda de peso e melhora o trânsito intestinal Ela também ajuda a controlar os níveis de colesterol e triglicérides do sangue Ração humana ajuda na perda de peso e melhora o trânsito intestinal Ela também ajuda a controlar os níveis de colesterol e triglicérides do sangue Matéria publicada em 06 de Maio de 2015 A ração humana

Leia mais

EXAMES BIOQUÍMICOS. Profa Dra Sandra Zeitoun Aula 3

EXAMES BIOQUÍMICOS. Profa Dra Sandra Zeitoun Aula 3 EXAMES BIOQUÍMICOS Profa Dra Sandra Zeitoun Aula 3 Íons/Eletrólitos do plasma No plasma existem diversos eletrólitos positivos: Na+, K+, Ca², Mg² E eletrólitos negativos: Cl-, HCO3-, fosfatos e proteínas.

Leia mais

Água. A importância da água para a vida.

Água. A importância da água para a vida. Bioquímica Celular Água A importância da água para a vida. A água é principal constituinte dos fluidos do corpo humano, que é composto por mais de 60% de água. É essencial para dissolver e transportar

Leia mais

D e s n u t r i ç ã o. Prof. Orlando Antônio Pereira Pediatria e Puericultura FCM - UNIFENAS

D e s n u t r i ç ã o. Prof. Orlando Antônio Pereira Pediatria e Puericultura FCM - UNIFENAS D e s n u t r i ç ã o Prof. Orlando Antônio Pereira Pediatria e Puericultura FCM - UNIFENAS O estado nutricional de uma população é um excelente indicador de sua qualidade de vida, espelhando o modelo

Leia mais

CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS. voltar índice próximo CIÊNCIAS. Unidade º ANO» UNIDADE 1» CAPÍTULO 3

CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS. voltar índice próximo CIÊNCIAS. Unidade º ANO» UNIDADE 1» CAPÍTULO 3 HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS CIÊNCIAS Unidade 41 www.sejaetico.com.br 8º ANO ALIMENTAÇÃO E DIGESTÃO NO SER HUMANO Índice ÍNDICE Por que nos alimentamos? www.sejaetico.com.br 3 Por que nos alimentamos? Os

Leia mais

Diuréticos. Classificação da diurese. FUNÇÕES RENAIS A manutenção do meio interno através s da: Secreção de hormônios. Excreção de drogas

Diuréticos. Classificação da diurese. FUNÇÕES RENAIS A manutenção do meio interno através s da: Secreção de hormônios. Excreção de drogas Diuréticos Os diuréticos são fármacos f que tem a propriedade de causar Diuréticos aumento do volume urinário rio e cujo mecanismo é a inibição da reabsorção tubular de sódio s e água. Prof. Carlos Cezar

Leia mais

GAMA 1xDIA. Maio 2016

GAMA 1xDIA. Maio 2016 GAMA 1xDIA Maio 2016 GAMA 1xDIA MULTI Fórmula tudo-em-um. Contém nutrientes que contribuem para a redução do cansaço e da fadiga. Contém 40 nutrientes essenciais. Sem glúten. Adequado para vegetarianos.

Leia mais

Nutrição, digestão e sistema digestório. Profª Janaina Q. B. Matsuo

Nutrição, digestão e sistema digestório. Profª Janaina Q. B. Matsuo Nutrição, digestão e sistema digestório Profª Janaina Q. B. Matsuo 1 2 3 4 Nutrição Nutrição: conjunto de processos que vão desde a ingestão do alimento até a sua assimilação pelas células. Animais: nutrição

Leia mais

EMENTAS DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM FISIOLOGIA HUMANA APLICADAS ÀS CIÊNCIAS DA SAÚDE

EMENTAS DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM FISIOLOGIA HUMANA APLICADAS ÀS CIÊNCIAS DA SAÚDE EMENTAS DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM FISIOLOGIA HUMANA APLICADAS ÀS CIÊNCIAS DA SAÚDE DISCIPLINA: Metodologia da Pesquisa Introdução a metodologia científica, aspectos do conhecimento científico,

Leia mais

CURSO DE GASTROENTEROLOGIA, HEPATOLOGIA E NUTRIÇÃO PEDIÁTRICA

CURSO DE GASTROENTEROLOGIA, HEPATOLOGIA E NUTRIÇÃO PEDIÁTRICA CURSO DE GASTROENTEROLOGIA, HEPATOLOGIA E NUTRIÇÃO PEDIÁTRICA Nilton C Machado. Professor Adjunto Mary A Carvalho. Professora Assistente Doutora Débora A Penatti. Médica Assistente Mestre Juliana T Dias.

Leia mais

Intestino delgado. Intestino grosso (cólon)

Intestino delgado. Intestino grosso (cólon) As fibras alimentares estão presentes nos alimentos de origem vegetal, englobando um conjunto de compostos que não podem ser digeridos pelas enzimas do nosso sistema gastrointestinal, não sendo por isso

Leia mais

DESEQUILÍBRIO ELETROLÍTICO: SÓDIO, POTÁSSIO E CLORO 1

DESEQUILÍBRIO ELETROLÍTICO: SÓDIO, POTÁSSIO E CLORO 1 DESEQUILÍBRIO ELETROLÍTICO: SÓDIO, POTÁSSIO E CLORO 1 Equilíbrio eletrolítico Os eletrólitos têm um papel importante na manutenção da homeostase no organismo. Nos mamíferos, os líquidos e eletrólitos estão

Leia mais

DOSS. Biolab Sanus Farmacêutica Ltda. colecalciferol. Cápsula gelatinosa mole 1000UI

DOSS. Biolab Sanus Farmacêutica Ltda. colecalciferol. Cápsula gelatinosa mole 1000UI DOSS Biolab Sanus Farmacêutica Ltda. colecalciferol Cápsula gelatinosa mole 1000UI Doss colecalciferol IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO APRESENTAÇÃO: Cápsula gelatinosa mole contendo 1000 UI de colecalciferol

Leia mais

Fibras e seus Benefícios! Tipos de Farinhas! Coordenadora e Nutricionista Felícia Bighetti Sarrassini - CRN 10664

Fibras e seus Benefícios! Tipos de Farinhas! Coordenadora e Nutricionista Felícia Bighetti Sarrassini - CRN 10664 Fibras e seus Benefícios! & Tipos de Farinhas! Coordenadora e Nutricionista Felícia Bighetti Sarrassini - CRN 10664 * Fibras: Definição: Fibras referem a parte dos vegetais (frutas, verduras, legumes,

Leia mais

Móds. 29 ao 34 Setor Prof. Rafa

Móds. 29 ao 34 Setor Prof. Rafa Móds. 29 ao 34 Setor 1403 Prof. Rafa Nutrição: ingestão de nutrientes Nutrientes: substâncias usadas no metabolismo Macronutrientes: carboidratos Energéticos lipídios Plásticos ou proteínas Estruturais

Leia mais

Nutrição oral e enteral especializada na pediatria. Dr. Hélio Fernandes da Rocha e Dra. Bruna de Siqueira Barros

Nutrição oral e enteral especializada na pediatria. Dr. Hélio Fernandes da Rocha e Dra. Bruna de Siqueira Barros Nutrição oral e enteral especializada na pediatria Dr. Hélio Fernandes da Rocha e Dra. Bruna de Siqueira Barros 1 Tabela 1: Necessidade de Energia, Proteína e Gordura para crianças e adolescentes saudáveis

Leia mais

ALLFORT (polivitamínico + polimineral)

ALLFORT (polivitamínico + polimineral) ALLFORT (polivitamínico + polimineral) União Química Farmacêutica Nacional S.A ALLFORT polivitamínico + polimineral IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO : embalagem contendo 30 comprimidos.

Leia mais

Nutricionista Bruna Maria Vieira

Nutricionista Bruna Maria Vieira Suporte Nutricional à Pacientes Neurológicos Nutricionista Bruna Maria Vieira Alimentação Saudável É o equilíbrio entre a ingestão dos nutrientes necessários ao crescimento, desenvolvimento e manutenção

Leia mais

Sal de Andrews. Pó efervescente. sulfato de magnésio(0,8825g) GlaxoSmithKline

Sal de Andrews. Pó efervescente. sulfato de magnésio(0,8825g) GlaxoSmithKline Sal de Andrews GlaxoSmithKline sulfato de magnésio(0,882) Sal de Andrews sulfato de magnésio APRESENTAÇÃO USO ORAL - USO ADULTO COMPOSIÇÃO Cada de pó efervescente contém: sulfato de magnésio (0,882), bicarbonato

Leia mais

ALLFORT (polivitamínico + polimineral)

ALLFORT (polivitamínico + polimineral) ALLFORT (polivitamínico + polimineral) União Química Farmacêutica Nacional S.A ALLFORT polivitamínico + polimineral IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO : embalagem contendo 30 comprimidos.

Leia mais

21/07/14. Processos metabólicos. Conceitos Básicos. Respiração. Catabolismo de proteínas e ácidos nucleicos. Catabolismo de glicídios

21/07/14. Processos metabólicos. Conceitos Básicos. Respiração. Catabolismo de proteínas e ácidos nucleicos. Catabolismo de glicídios Prof. Dr. Adriano Bonfim Carregaro Medicina Veterinária FZEA USP www.anestesia.vet.br Processos metabólicos Respiração Catabolismo de proteínas e ácidos nucleicos Ácidos acético, sulfúrico, fosfórico e

Leia mais

ÓLEO DE AMENDOIM CAS: N/A DCB: N/A DCI: N/A

ÓLEO DE AMENDOIM CAS: N/A DCB: N/A DCI: N/A Nome científico: Arachis hypogaea L. Nome popular: Óleo de amendoim Família: Leguminosae Parte Utilizada: Semente Composição Química: Ácido Mirístico, Ácido Palmítico, Ácido Palmitoleico, Ácido Margárico,

Leia mais

Tetania da. Lactação e das. Pastagens

Tetania da. Lactação e das. Pastagens Tetania da Lactação e das Pastagens Tetania da Lactação e das Pastagens Hipomagnesemia Conjunto de fatores: Desequilíbrio da ingestão e excreção de Mg Estresse - esteróides endógenos Cátions com ação neuromuscular

Leia mais

28/03/2016. Substâncias inorgânicas Substâncias orgânicas. Substâncias inorgânicas : água e sais minerais;

28/03/2016. Substâncias inorgânicas Substâncias orgânicas. Substâncias inorgânicas : água e sais minerais; Substâncias inorgânicas : água e sais minerais; Substâncias inorgânicas Substâncias orgânicas Substâncias orgânicas: lipídios, carboidratos, proteínas, vitaminas e ácidos nucleicos ( DNA e RNA); Propriedades

Leia mais

Desnutrição na Infância

Desnutrição na Infância Conceito: É a conseqüência, para o organismo, do déficit de nutrientes*. *Nutriente é toda substância indispensável ao organismo e cuja falta pode levar à doença e à morte. Prevalência alta principalmente

Leia mais

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE ATIVIDADE FÍSICA

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE ATIVIDADE FÍSICA O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE ATIVIDADE FÍSICA 1 a Atividade Física 2013.indd 1 09/03/15 16 SEDENTARISMO é a falta de atividade física suficiente e pode afetar a saúde da pessoa. A falta de atividade física

Leia mais

HIPERÊMESE GRAVÍDICA. Msc. Roberpaulo Anacleto

HIPERÊMESE GRAVÍDICA. Msc. Roberpaulo Anacleto HIPERÊMESE GRAVÍDICA Msc. Roberpaulo Anacleto Introdução A ocorrência ocasional de náuseas e vômitos até 14 semanas de gestação, mais comum no período da manhã, é rotulada como êmese gravídica e pode ser

Leia mais