P/1 E qual a data do seu nascimento? Eu te ajudo. Já te ajudo. Dia 30 de março de 1984.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "P/1 E qual a data do seu nascimento? Eu te ajudo. Já te ajudo. Dia 30 de março de 1984."

Transcrição

1 museudapessoa.net P/1 Então, vamos lá. Eu queria que você me falasse seu nome completo. R Meu nome é Karen Fisher. P/1 E onde você nasceu, Karen? R Eu nasci aqui no Rio, Rio de Janeiro. P/1 Na cidade mesmo? R Na cidade mesmo. P/1 E qual a data do seu nascimento? Eu te ajudo. Já te ajudo. Dia 30 de março de R Trinta do três de P/1 Tá? Trinta de março de 1984, tá? R Tá. P/1 Então, vamos lá. Então, eu queria que você falasse sua data de nascimento. R Trinta de março de P/1 E como chamam seus pais? R Sérgio e Cássia. P/1 E o que que eles fazem? R Meu pai é engenheiro e a minha mãe é professora de ginástica. P/1 Ah, é? Onde que ela dá aula? R Em academias. Na Oxi e no Fluminense e dá aula em particular pra algumas pessoas. P/1 E você gosta de fazer ginástica também? R Eu gosto. P/1 Você faz com a sua mãe? R Não. Eu faço uma esteirinha. Aí, ela me dá um papel com, com os, com as corridas. Aí, corre um

2 pouco, aí diminuo pra não ficar muito cansada, isso daí, mas dá aula, dá aula, não. P/1 E você tem irmãos? R Tenho. P/1 Como que eles se chamam? R Artur e Vitor. P/1 E quantos anos eles têm? R Um tem 20 e o outro tem 29. P/1 Você se dá bem com os seus irmãos? R Dou. Me dou bem com os dois. P/1 Quê que vocês gostam de fazer juntos? R Eu gosto de, de ver um filme com meu irmão mais novo e com o mais velho a gente nem tem passado muito, porque agora ele tá namorando, ele fica mais fazendo programa com a namorada, então não tem... P/1 E o seu irmão mais novo, ele tá fazendo o que hoje? R Ele tá, ele quer ser médico, ele tá se transformando em médico. P/1 Ah, é, ele gosta de Medicina? R Gosta. P/1 Tá. E lá voltando um pouquinho pra trás na sua infância, assim. Do que você gostava de brincar quando você era criança, Karen? R Eu, de, de Barbie. É isso, de Barbie. Só lembro de Barbie, não lembro de mais nada, não. P/1 Você gostava das roupinhas da Barbie? R Gostava. P/1 Eu também gostava. E você tinha amigas, amigos? R Tinha. Tinha e uma amiga minha morava no meu prédio, no mesmo andar, quando a gente era pequena. Ela ia muito na minha casa. P/1 E vocês brincavam juntas?

3 R A gente brincava juntas. P/1 Como que ela se chama? R Natasha. P/1 Ela não tá mais lá? R Não. Agora ela não mora mais lá, não. Ela se mudou. P/1 E que mais, assim, além da Barbie, era mais a Barbie mesmo? R Era mais a Barbie mesmo. P/1 Você fazia o que com a sua família, assim, você se lembra? Na sua infância, vocês viajavam, iam pra praia? R É, a gente ia à praia, ia no shopping. Eu ainda continuo indo com a minha mãe, mas quando a minha família era unida eu ia também. P/1 Com todo mundo? R Com todo mundo. P/1 Tá. Você me mostrou uma fotografia que tá a sua família, a sua vó. R É. P/1 Me conta um pouquinho dessa sua vó. R Ah, a minha vó era, era legal, mas ela se, faleceu. Já se foi. Mas ela era legal, ela dormia lá em casa, a gente viajava, eu fazia passeio, caminhava com ela. Ela morava em Friburgo, aí eu ficava uma época lá na casa dela em Friburgo. P/1 Nossa, é bonito é tudo serra em Friburgo. R É. P/1 E ela, então, ela cozinhava, que mais que ela fazia pra você? R Cozinhava. Cozinhava, a gente sempre ia no supermercado juntas. P/1 E você tem outra avó, assim, não? R Tenho, mas também faleceu. As minhas duas vós faleceu, mas eu tinha uma também de parte de pai. P/1 E vocês gostam de se reunir no Natal, como é que é, assim? R A gente gosta. Aí, quando, aí um dia, na véspera de Natal, eu fico com meu pai. Em outro dia, eu

4 passo com a minha mãe. P/1 Seus pais moram em casas separadas? R Moram separados. A minha mãe mora no Rio, meu pai mora em Friburgo. P/1 Seu pai ficou morando lá? R Ficou. P/1 Tá. E aí, você se lembra, assim, em que momento, você me mostrou uma fotografia aqui da sua escola que tinha uma festa junina. Você se lembra, assim, do seu primeiro dia de aula, quando você foi pra escola quando você era pequenininha? R Vixi, não lembro de nada, não. P/1 Tá. Qual que é a memória, assim, que você tem da escola, assim, das primeiras memórias de escola, das coisas que mais te marcaram da escola quando você era criança? R Os amigos, os meus, tinha os professores, as brincadeiras que a gente tinha juntos, os estudos também. P/1 Tem alguma história, assim, que você gosta de lembrar da sua infância, que seja marcante pra você? R Isso daí eu não consigo me lembrar. P/1 Tá. E bichinho de estimação, você tem? Você tem cachorro, um gato? R Não, eu tinha, mas agora eu não tenho mais, não. Eu tinha, mas não tenho mais, não. P/1 Que que você tinha? R Eu tinha um cachorro. P/1 Você gosta de animais? R Gosto. Dependendo de qual animal. Mas eu gosto mais é de tartaruga. P/1 Por quê? R Ah, porque eu gosto mais de tartaruga. Dá pra botar a mão nela, a gente brinca com ela, aí a gente bota a mão na casca ela se esconde, muito bom. P/1 Ah, é? E você tinha tartaruga também? R Não. P/1 Nunca teve?

5 R Nunca tive. P/1 Ah, legal. Tá. E alguma coisa mais recente da escola que você se lembra? Quando foi que você começou a aprender a ler, a escrever? R Aprendi, a ler eu aprendi lendo o jornal aqui, o jornal Revista da TV, quando eu era pequena. Eu adorava ver, fofocar as novelas. Foi assim que eu aprendi a ler. P/1 Sozinha? R Sozinha. P/1 Nossa, menina! Como é que é, você pegava... R Eu pegava, aí eu lia, ó, um pouco, porque eu não conseguia ler rápido. Aí eu consegui, aí eu lia umas palavras, aí foi juntando, foi juntando, aí foi assim que eu aprendi. P/1 Nossa, sozinha, gente! R Sozinha. P/1 Você foi juntando as palavras? R Fui juntando as palavras e fui aprendendo. P/1 Quer dizer, você tem força de vontade, assim, de... R Aham. P/1 Ninguém te ajudou nessa... R Ninguém. P/1 E depois quando é que você começou a estudar mesmo, com professor, assim, como é que eram as aulas, você se lembra? R Acho que eram legais. P/1 Era legais também? Tá. E aqui, como é que você veio aqui pro IBDD, como é que foi, assim? R Foi que... Eu não sei se foi a minha mãe ou se foi o meu irmão, eu não sei. É que botar, botaram meu currículo aqui, aí a, a Ana recebeu, aí no primeiro, é, dia, dia de curso ela me chamou. Mas aí eu não gostei muito do trabalho, aí eu acabei não trabalhando no lugar. Aí depois teve um curso aí pra trabalhar no hotel, aí eu vim fazer uma experiência, aí eu até hoje tô lá no hotel, trabalhando lá. P/1 Então você fez esse curso pra trabalhar no hotel? R Fiz.

6 P/1 E como que era esse curso, você se lembra? R Lembro. A gente, a gente aprendeu o Português, aí depois a gente teve a experiência de arrumar a cama (pausa), aí explicaram pra gente como é que trabalhava no hotel. Foi assim. P/1 E tinha alguma, algum conteúdo, alguma disciplina, assim, que você mais gostou desse curso que você fez? R Não. Eu achei tudo normal, tudo fácil. P/1 Pra arrumar cama como que eles fizeram? Eles botaram uma cama mesmo? R É, a gente foi pra um lugar lá na cidade e aí a gente aprendeu a forrar a cama. P/1 E hoje você sabe super bem? R Sei. P/1 Você gosta disso? R Gosto. P/1 É? R Eu gosto. P/1 E o que você achou dos seus você tinha mais colegas nesse curso? R Tinha. P/1 Você fez amizade? R Fiz amizade. P/1 Os seus colegas estão trabalhando também? R Lá no hotel foi um monte de gente, mas teve algumas pessoas que não gostou, porque falou que é muito pesado. Aí, ficou algumas meninas, aí acho que elas não foram muito bem, aí foram mandada embora. Aí, uma ficou, ficou, ficou, mas aí ela acabou desistindo e foi embora. Aí, sobrou eu e mais duas. P/1 E faz tempo que você tá lá? R Faz. P/1 É? E você acha como é que é, me conta um pouquinho do seu dia a dia de trabalho, assim, você, até cedo você estava me falando (que é um hotel grande, não é isso? R É, começo a trabalhar de nove até às três. Aí, eu levo as fronhas, lençol, capa aqui, capa de casal, capa de solteiro pras camareiras. Pego a roupa do hóspede, aí levo pra lavar. Aí, as roupas que já estão

7 prontas pra levar pro hóspede eu pego, levo. É, eu, às vezes passo uma vassoura nos andares pra varrer, tirar a sujeira. P/1 E você passa o dia inteiro lá no hotel? R Passo. P/1 Você almoça lá? R Almoço. Almoço lá, tomo café da manhã lá, faço tudo lá. P/1 Olha! É pertinho da sua casa? R É um pouquinho. Não é muito perto, não, porque eu moro em Laranjeiras e o hotel é em Copacabana, aí até pegar o ônibus e ir lá. P/1 E como que você vai e volta pra lá? R Eu pego ônibus. Pego um ônibus pra ir e pego um ônibus pra voltar. P/1 Tá. E é tranquilo pra você? R É, tranquilo. E aí eu só trabalho lá de nove às três, porque de noite, como eu falei, eu estudo. Porque se não fosse pela minha escola, eu trabalhava de nove às cinco horas da tarde. P/1 Ah, me conta um pouquinho dessa história, então, o que que você tá fazendo? R Lá na minha escola? Eu estudo no Santo Inácio, ali de Botafogo. Aí, eu aprendo Matemática, Português, Ciências, Estudos Sociais, Espanhol... P/1 Nossa, Espanhol? R É, Espanhol. Religião também. P/1 E o que que você tá gostando bastante de estudar? R O que eu mais gosto de estudar? Espanhol. P/1 Ah, é? Tá aprendendo já umas palavras novas? R Tô. P/1 O que que te atrai tanto assim no Espanhol? R Ah, as palavras, a forma de falar... P/1 Você acha que isso pode te ajudar no seu trabalho um dia?

8 R Acho que sim, pode me ajudar. P/1 Então, aí você, voltando aqui pro IBDD aí você veio, você começou a fazer o curso, e quando você estava no curso, você já estava imaginando que você gostaria de trabalhar no hotel? Como que foi que surgiu essa vaga no hotel? R Não, é porque depois que a gente fez a experiência de arrumar a cama, aprender, que veio uma profissional dar aula pra gente, aí a gente fez isso. Aí a Ana Catharina, depois do curso, ligou pro hotel, ligou pro hotel, pra saber se a gente podia fazer a experiência do que a gente aprendeu do curso. Aí a chefe de lá do hotel falou que podia, que a gente podia fazer a experiência. Aí a gente ficou uma semana fazendo lá a experiência. Aí ela gostou da nossa, do que a gente fez, gostou da experiência e contratou a gente. P/1 E como que foi pra você saber que você ia trabalhar no hotel? R Ai, foi super legal, fiquei feliz, porque quando, quando eu trabalhei lá eu estava louca pra trabalhar lá. Aí, quando me deram essa notícia eu fiquei toda feliz. P/1 É, por que você estava louca pra trabalhar lá? R Ah, porque eu queria um emprego, não gosto de ficar em casa o dia inteiro sem fazer nada. Eu gosto também de receber dinheiro pra eu poder comprar minhas coisas, aí fica bom. P/1 Tá certo bom. O que que você faz, o que que você compra com seu dinheiro, o que que você gosta? R Aí eu compro roupa, vou no teatro, vou no cinema, compro alguma coisa no shopping também. P/1 Seu dinheiro fica pra você? R Fica. P/1 Bom, e a sua família como é que ela se sentiu quando você conseguiu esse trabalho? R Ah, todo mundo ficou feliz. Todo mundo torceu pra mim. Todo mundo gostou. P/1 E você tem, assim, planos? Quais seus os seus planos, no que que você tem vontade de crescer profissionalmente? R Eu? O que eu gostaria de fazer? Eu gostaria de ser professora de ginástica igual à minha mãe, porque eu adoro fazer ginástica. Antes de eu trabalhar, eu fazia muita ginástica na academia. Fazia uma aula atrás da outra. P/1 E agora, então, que você está trabalhando... R Agora que eu tô trabalhando e tô estudando não dá mais pra malhar. P/1 Não dá pra malhar. Mas é um trabalho que você tá gostando bastante no hotel.

9 R Tô. P/1 Tem alguma experiência, alguma coisa que te aconteceu de legal nesse período que você tá trabalhando no hotel, uma coisa que você gosta de lembrar, de contar pra sua família, Ah, aconteceu isso, foi tão legal, tem alguma coisa, assim, que você se lembra? R Não tem nada, não. Foi bom no primeiro dia que eu fui porque eu aprendi um pouquinho de cada coisa. Mas, assim, não tem nada, não. P/1 Tá. Você acha que aqui, o tempo que você ficou aqui no IBDD, o que que você acha que te ajudou, assim, o que que veio somar na sua vida de legal? R Foi, é, fazer cursos aqui. Eu gostei porque, porque me ajudou a ter um trabalho, me ajudou a ter um trabalho. Teve um que eu não gostei, mas o outro, o segundo eu gostei, então me ajudou muito o IBDD. P/1 Você pretende vir fazer outros cursos, como que é aqui? R Por enquanto não. Por enquanto não porque eu tô gostando de trabalhar lá no hotel. Aí quando eu cansar, quando eu me enjoar, aí eu vou ter que trabalhar outra coisa. P/1 Ah, é? Você sente que é um lugar que você pode contar pra ajudar na sua formação profissional? R É. P/1 Bom, deixa eu ver. (Pausa) Bom, então hoje você trabalha lá no hotel? R Não, já trabalhei. Já trabalhei de manhã, agora vou estudar. Sete horas eu estudo. Nove horas, eu trabalho. P/1 Tá. Isso mesmo. E depois da escola você vai pra sua casa? R É, aí eu vou pra casa. Chega. Só saio da escola às dez horas, não tenho mais nada pra fazer na rua. P/1 Você vai sozinha da escola até a sua casa? R Não. Eu saio com uma amiga, com umas amigas, que pegam o mesmo ônibus e salta no mesmo ponto. P/1 E, Karen, além de estudar, além de trabalhar, que mais que você gosta de fazer hoje? R De fazer ginástica, de dar uma corridinha na esteira. E ficar, às vezes, no computador e ver as duas novelas que eu gosto. É Malhação e Cheia de charme. Que eu tenho companhia pra novela Cheia de charme, eu tenho companhia. Da minha mãe e do meu irmão mais novo. Eles estão assistindo comigo. P/1 Olha. Todos os dias? R Todo dia. Tem dia que não dá pra eu assistir, que passa às sete horas, mas eu gravo. Aí quando eu assisto, todo mundo fica assistindo.

10 P/1 Tá certo. E hoje, assim, pra você quais são as coisas mais importantes que você têm hoje na sua vida? R Estudar e trabalhar. E ter a família também. P/1 São as coisas mais importantes pra você? R Aham. P/1 Tá bom. Você tem sonhos, você tem um sonho de alguma coisa que você quer fazer muito na sua vida? R Não. Não tenho. Por enquanto não, não tenho nada de sonho planejado, não. Não penso em mais nada, não. P/1 Já pensa né, ou não, também se a vida tá boa assim. Tá ótimo, Karen. É, tem alguma coisa que você acha que você gostaria de falar, que eu não te perguntei, do tempo que você ficou aqui no IBDD, que você acha legal contar? R Não, só que eu aprendi muito aqui. Aprendi muita coisa aqui, isso que é legal, os dias que eu estava aprendendo aqui. Mas contar não tem nada, não. P/1 Então, tá bom. Então, como foi aqui agora contar um pouquinho da sua história pra gente, gostou? R Gostei. Foi bem legal contar um pouco da minha história. P/1 Então, tá bom, querida. Obrigada, viu? R De nada. Rua Natingui, São Paulo - CEP tel fax Image not found

Suelen e Sua História

Suelen e Sua História Suelen e Sua História Nasci em Mogi da Cruzes, no maternidade Santa Casa de Misericórdia no dia 23 de outubro de 1992 às 18 horas. Quando eu tinha 3 anos de idade fui adotada pela tia da minha irmã, foi

Leia mais

Olhando o Aluno Deficiente na EJA

Olhando o Aluno Deficiente na EJA Olhando o Aluno Deficiente na EJA ConhecendoJoice e Paula Lúcia Maria Santos Tinós ltinos@ffclrp.usp.br Apresentando Joice e Paula Prazer... Eu sou a Joice Eu sou a (...), tenho 18 anos, gosto bastante

Leia mais

BALANÇO DA OCUPAÇÃO DO TEMPO DURANTE A SEMANA DE PREENCHIMENTO DA GRELHA - 1º ANO

BALANÇO DA OCUPAÇÃO DO TEMPO DURANTE A SEMANA DE PREENCHIMENTO DA GRELHA - 1º ANO BALANÇO DA OCUPAÇÃO DO TEMPO DURANTE A SEMANA DE PREENCHIMENTO DA GRELHA - 1º ANO PROFESSORA Bom dia meninos, estão bons? TODOS Sim. PROFESSORA Então a primeira pergunta que eu vou fazer é se vocês gostam

Leia mais

Real Brazilian Conversations #21 Premium PDF Guide Brazilian Portuguese Podcast, by RLP reallylearnportuguese.com

Real Brazilian Conversations #21 Premium PDF Guide Brazilian Portuguese Podcast, by RLP reallylearnportuguese.com Subjects on this conversation: How it is like to live in Uberlândia MG. Context: In this conversation André talks to his aunt Edmárcia, about the city of Uberlândia, in Minas Gerais state. She tells us

Leia mais

Anexo Entrevista G2.5

Anexo Entrevista G2.5 Entrevista G2.4 Entrevistado: E2.5 Idade: 38 anos Sexo: País de origem: Tempo de permanência em Portugal: Feminino Ucrânia 13 anos Escolaridade: Imigrações prévias: --- Ensino superior (professora) Língua

Leia mais

Transcrição da Entrevista

Transcrição da Entrevista Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Praticante Fabrício Local: Núcleo de Arte do Neblon Data: 26.11.2013 Horário: 14h30 Duração da entrevista: 20min COR PRETA

Leia mais

Subjects on this conversation: Nathanael s first contact with Portuguese and his experience living in Brazil.

Subjects on this conversation: Nathanael s first contact with Portuguese and his experience living in Brazil. Subjects on this conversation: Nathanael s first contact with Portuguese and his experience living in Brazil. Context: In this conversation André talks to his friend Nathanael, who has lived in Brazil

Leia mais

MÃE, QUANDO EU CRESCER...

MÃE, QUANDO EU CRESCER... MÃE, QUANDO EU CRESCER... Dedico este livro a todas as pessoas que admiram e valorizam a delicadeza das crianças! Me chamo Carol, mas prefiro que me chamem de Cacau, além de ser um apelido que acho carinhoso,

Leia mais

TODO AMOR TEM SEGREDOS

TODO AMOR TEM SEGREDOS TODO AMOR TEM SEGREDOS VITÓRIA MORAES TODO AMOR TEM SEGREDOS TODO AMOR TEM SEGREDOS 11 19 55 29 65 41 77 87 121 99 135 111 145 É NÓIS! 155 11 12 1 2 10 3 9 4 8 7 6 5 TODO AMOR TEM SEGREDOS. Alguns a

Leia mais

Iracema ia fazer aniversário. Não

Iracema ia fazer aniversário. Não Estórias de Iracema Maria Helena Magalhães Ilustrações de Veridiana Magalhães Iracema ia fazer aniversário. Não sabia muito bem se ela podia convidar a turma do Hospital por motivos fáceis de explicar,

Leia mais

Transcriça o da Entrevista

Transcriça o da Entrevista Transcriça o da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex Praticante Denise Local: Núcleo de Arte Albert Einstein Data: 03.12.2013 Horário: 10 h30 Duração da entrevista: 1h.

Leia mais

Transcrição da Entrevista

Transcrição da Entrevista Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Praticante Igor Local: Núcleo de Arte Nise da Silveira Data: 05 de dezembro de 2013 Horário: 15:05 Duração da entrevista:

Leia mais

P/1 Legal. Então queria que você começasse com seu nome completo, o local e a data de nascimento.

P/1 Legal. Então queria que você começasse com seu nome completo, o local e a data de nascimento. museudapessoa.net P/1 Legal. Então queria que você começasse com seu nome completo, o local e a data de nascimento. R Meu nome é Ulenia da Silva Roberto. Nasci no dia 07 de dezembro de 1993, na cidade

Leia mais

TRANSCRIÇÃO PRÉVIA PROJETO PROFALA TRANSCRITOR(A): Késsia Araújo 65ª ENTREVISTA (J.D.T.S) Cabo Verde

TRANSCRIÇÃO PRÉVIA PROJETO PROFALA TRANSCRITOR(A): Késsia Araújo 65ª ENTREVISTA (J.D.T.S) Cabo Verde TRANSCRIÇÃO PRÉVIA PROJETO PROFALA TRANSCRITOR(A): Késsia Araújo 65ª ENTREVISTA (J.D.T.S) Cabo Verde PERGUNTAS METALINGUÍSTICAS Doc.: J. quais são as línguas que você fala " Inf.: eu " (+) inglês né falo

Leia mais

Anexo 4- Dados das entrevistas do Grupo II

Anexo 4- Dados das entrevistas do Grupo II Anexo 4- Dados das entrevistas do Grupo II Grupo II Informantes idade Sexo profissão escolaridade Tempo de imigração em Portugal Língua materna E2.1 42 Masc. Jardineiro 12º 12 anos Ucraniano E2.2 62 Fem.

Leia mais

Integração entre Serviços e Benefícios. VI Seminário Estadual de Gestores e trabalhadores da Política de Assistência Social Santa Catariana/ 2015

Integração entre Serviços e Benefícios. VI Seminário Estadual de Gestores e trabalhadores da Política de Assistência Social Santa Catariana/ 2015 Integração entre Serviços e Benefícios VI Seminário Estadual de Gestores e trabalhadores da Política de Assistência Social Santa Catariana/ 2015 A desproteção e a vulnerabilidade são multidimensionais

Leia mais

A Rata Era uma vez uma rata que estava sozinha na toquinha. Ela morava com sua mãe e seu padrasto no castelo do rei, ela não tinha medo de nada.

A Rata Era uma vez uma rata que estava sozinha na toquinha. Ela morava com sua mãe e seu padrasto no castelo do rei, ela não tinha medo de nada. Era Uma Vez A Rata Era uma vez uma rata que estava sozinha na toquinha. Ela morava com sua mãe e seu padrasto no castelo do rei, ela não tinha medo de nada. A ratinha tinha uma felpa de ferro e pensava

Leia mais

UM DIA CHEIO. Língua Portuguesa. 6º Ano do Ensino Fundamental II. Nome: Maria Clara Gonçalves dos Santos. Professora: Maristela Mendes de Sousa Lara

UM DIA CHEIO. Língua Portuguesa. 6º Ano do Ensino Fundamental II. Nome: Maria Clara Gonçalves dos Santos. Professora: Maristela Mendes de Sousa Lara UM DIA CHEIO Língua Portuguesa 6º Ano do Ensino Fundamental II Nome: Maria Clara Gonçalves dos Santos Professora: Maristela Mendes de Sousa Lara Tudo começou quando eu queria pescar com meu avô. Ele tinha

Leia mais

Eu, Pedro Henrique A. nasci em 20 de outubro de 2004 na maternidade de Itapetininga, tenho 10 anos e gosto de viajar, ir à escola, participar dos

Eu, Pedro Henrique A. nasci em 20 de outubro de 2004 na maternidade de Itapetininga, tenho 10 anos e gosto de viajar, ir à escola, participar dos Turma 2015 Eu, Pedro Henrique A. nasci em 20 de outubro de 2004 na maternidade de Itapetininga, tenho 10 anos e gosto de viajar, ir à escola, participar dos campeonatos municipais e brincar com meus

Leia mais

ENTREVISTA USF CARUARU USUARIA DIABETES 14/07/14. R - não. Porque eu to deficiente. Eu trabalho m casa. Amputei a perna.

ENTREVISTA USF CARUARU USUARIA DIABETES 14/07/14. R - não. Porque eu to deficiente. Eu trabalho m casa. Amputei a perna. ENTREVISTA USF CARUARU USUARIA DIABETES 14/07/14 P - por favor, me diga sua idade. R - 56. Vou fazer para o mês. P - a senhora estudou? R - estudei até a 3ª série. P - 3ª série. A senhora tem alguma ocupação,

Leia mais

Todo mundo vai à festa da Giovanna. MADE Oi, tudo bem gente? Eu sou a Made, a mãe da Nana e da Nina, e queria contar um história também? Eu posso?

Todo mundo vai à festa da Giovanna. MADE Oi, tudo bem gente? Eu sou a Made, a mãe da Nana e da Nina, e queria contar um história também? Eu posso? Todo mundo vai à festa da Giovanna MADE Oi, tudo bem gente? Eu sou a Made, a mãe da Nana e da Nina, e queria contar um história também? Eu posso? SEU LOCUTOR É claro, Dona Made! Que bom! A senhora é muito

Leia mais

(18/04/2008) (EU): OIE BB (VC): OIIIIIIIIIIIIIII (EU): TUDO CERTO (VC): TUDO CERTIN.. (EU): CONSEGUINDO LEVAR A VIDA REAL A SERIO AGORA?

(18/04/2008) (EU): OIE BB (VC): OIIIIIIIIIIIIIII (EU): TUDO CERTO (VC): TUDO CERTIN.. (EU): CONSEGUINDO LEVAR A VIDA REAL A SERIO AGORA? (18/04/2008) (EU): OIE BB (VC): OIIIIIIIIIIIIIII (EU): TUDO CERTO (VC): TUDO CERTIN.. (EU): CONSEGUINDO LEVAR A VIDA REAL A SERIO AGORA? (VC): HUAHSUASHUAHSUAHSUA SEI LÁ (EU): ENTENDO TUDO NO REAL TA DESABANDO

Leia mais

DESABITUAÇÃO. MULHER 1 Foi agora? MULHER 2 Foi. MULHER 1 Você viu? MULHER 2 Não, eu não vi nada. Não sei de nada.

DESABITUAÇÃO. MULHER 1 Foi agora? MULHER 2 Foi. MULHER 1 Você viu? MULHER 2 Não, eu não vi nada. Não sei de nada. DESABITUAÇÃO (Duas mulheres e um homem estão em volta de algo que não podemos ver. Os três olham para a presença ausente, um mesmo ponto fixo no chão. Durante a cena, todos agem com uma naturalidade banal,

Leia mais

BRUNA RAFAELA. EDITORA BPA Biblioteca Popular de Afogados. Creative Commons

BRUNA RAFAELA. EDITORA BPA Biblioteca Popular de Afogados. Creative Commons BRUNA RAFAELA EDITORA BPA Biblioteca Popular de Afogados Creative Commons Texto e Pesquisa de imagens de Bruna Rafaela A DESCOBERTA DE ISABELA Livros são para ler e guardar. Filhos são para ter e amar..

Leia mais

Você sabe de quem são as histórias de fada, bruxa e duende? Será que YAHUVAH gosta dessas coisas? Vamos ver?

Você sabe de quem são as histórias de fada, bruxa e duende? Será que YAHUVAH gosta dessas coisas? Vamos ver? Você sabe de quem são as histórias de fada, bruxa e duende? Será que YAHUVAH gosta dessas coisas? Vamos ver? Como foi a aula hoje, filha? Eu gostei muito, mamãe! Hoje nós tivemos aula de boas maneiras!

Leia mais

Garoto extraordinário

Garoto extraordinário Garoto extraordinário (adequada para crianças de 6 a 8 anos) Texto: Lucas 2:40-52 Princípio: ser como Jesus Você vai precisar de um fantoche de cara engraçada, um adulto para manipular o fantoche atrás

Leia mais

Àhistória de uma garota

Àhistória de uma garota Àhistória de uma garota Gabriele é uma menina cheio de sonhos ela morava com sua mãe Maria seu pai Miguel Gabriele sofre muito ela tem apena 13 anos e já sofre Deus de quando ela era pequena a história

Leia mais

LELO AMARELO BELO. (Filosofia para crianças) ROSÂNGELA TRAJANO. Volume III 05 anos de idade

LELO AMARELO BELO. (Filosofia para crianças) ROSÂNGELA TRAJANO. Volume III 05 anos de idade LELO AMARELO BELO (Filosofia para crianças) Volume III 05 anos de idade ROSÂNGELA TRAJANO LELO AMARELO BELO Rosângela Trajano LELO AMARELO BELO VOLUME III (05 ANOS) DE IDADE 1ª EDIÇÃO LUCGRAF NATAL 2012

Leia mais

July: Eu também! Achei o máximo as coisas que ela faz. Vou pedir para a minha mãe fazer umas roupinhas novas. Estou pensando até em montar um guarda-r

July: Eu também! Achei o máximo as coisas que ela faz. Vou pedir para a minha mãe fazer umas roupinhas novas. Estou pensando até em montar um guarda-r Série Ao infinito e além... Sua vida além das estrelas! 4 a 8 anos Aprendendo a Viver! Conceito Viver a vida como se fosse o melhor presente. Versículo-chave Não desperdicem nenhum pouco desta maravilhosa

Leia mais

FICHA SOCIAL Nº 123 INFORMANTE: SEXO: IDADE: ESCOLARIZAÇÃO: LOCALIDADE: PROFISSÃO: DOCUMENTADORA: TRANSCRITORA: DIGITADORA: DURAÇÃO:

FICHA SOCIAL Nº 123 INFORMANTE: SEXO: IDADE: ESCOLARIZAÇÃO: LOCALIDADE: PROFISSÃO: DOCUMENTADORA: TRANSCRITORA: DIGITADORA: DURAÇÃO: FICHA SOCIAL Nº 123 INFORMANTE: M.A.M.B. SEXO: Masculino IDADE: 27 anos - Faixa II ESCOLARIZAÇÃO: 9 a 11 anos (2º grau incompleto) LOCALIDADE: Batateira - Zona Urbana PROFISSÃO: Comerciante DOCUMENTADORA:

Leia mais

Não Fale com Estranhos

Não Fale com Estranhos Não Fale com Estranhos Texto por: Aline Santos Sanches PERSONAGENS Cachorro, Gato, Lobo, Professora, Coelho SINOPSE Cachorro e Gato são colegas de classe, mas Gato é arisco e resolve falar com um estranho.

Leia mais

Os Principais Tipos de Objeções

Os Principais Tipos de Objeções Os Principais Tipos de Objeções Eu não sou como você" Você tem razão, eu não estou procurando por pessoas que sejam como eu. Sou boa no que faço porque gosto de mim como eu sou. Você vai ser boa no que

Leia mais

Em um feriado, a família do Fernando resolveu dar uma volta no parque, em uma cidadezinha no interior. Muitas coisas interessantes

Em um feriado, a família do Fernando resolveu dar uma volta no parque, em uma cidadezinha no interior. Muitas coisas interessantes Em um feriado, a família do Fernando resolveu dar uma volta no parque, em uma cidadezinha no interior. Muitas coisas interessantes aconteceram. Vamos ver o que houve? Vovô! Chegamos, finalmente! Eu já

Leia mais

Real Brazilian Conversations #20 Premium PDF Guide Brazilian Portuguese Podcast, by RLP reallylearnportuguese.com

Real Brazilian Conversations #20 Premium PDF Guide Brazilian Portuguese Podcast, by RLP reallylearnportuguese.com Subjects on this conversation: The city of Belo Horizonte Minas Gerais state. Context: In this conversation André and Guilherme talk about the city of Belo Horizonte, in Minas Gerais state. Cultural notes,

Leia mais

Projeto: Quilombos do Vale do Jequitinhonha: Música e Memória

Projeto: Quilombos do Vale do Jequitinhonha: Música e Memória Projeto: Quilombos do Vale do Jequitinhonha: Música e Memória Instituição responsável: Nota Musical Comunicação www.quilombosdojequitinhonha.com.br Entrevistada: Vicencia de Souza Oliveira Comunidade de

Leia mais

Não furtarás. (Shemot 20:15)

Não furtarás. (Shemot 20:15) O que você faria se quisesse muito um brinquedo ou qualquer outra coisa e não desse para comprar? Vamos ver o que a história desta semana nos ensina sobre isso? Filha? Vamos à papelaria com o papai? Eba!!

Leia mais

Eu queria desejar a você toda a felicidade do mundo e Obrigado, vô.

Eu queria desejar a você toda a felicidade do mundo e Obrigado, vô. Parabéns para o Dan Tocou o telefone lá em casa. Meu pai atendeu na sala. Alô. Meu avô, pai do meu pai, do outro lado da linha, fez voz de quem não gostou da surpresa. Eu liguei pra dar parabéns ao Dan.

Leia mais

Uma vida que floresce

Uma vida que floresce Uma vida que floresce Um gato, um sapato e um susto Feito por : Haylin Certo dia, ao voltar da escola,(quando eu ainda morava com a minha avó), fui correndo para o banheiro e tomei um banho bem gostoso.

Leia mais

o casamento do fazendeiro

o casamento do fazendeiro o casamento do fazendeiro ERA uma fez um fazendeiro que ele sempre dia mania de ir na cidade compra coisas mais ele tinha mania de ir sempre de manha cedo um dia ele acordou se arrumou e foi pra cidade,

Leia mais

Real Brazilian Conversations #37 Premium PDF Guide Brazilian Portuguese Podcast, by RLP reallylearnportuguese.com

Real Brazilian Conversations #37 Premium PDF Guide Brazilian Portuguese Podcast, by RLP reallylearnportuguese.com Subjects on this conversation: The life in Montes Claros, hobbies and life in general. Context: In this conversation André talks to his cousins, Melissa e Larissa. They about their lives, what they like

Leia mais

Que Nevão! Teresa Dangerfield

Que Nevão! Teresa Dangerfield Que Nevão! Teresa Dangerfield Que Nevão! Teresa Dangerfield Mamã, Mamã, está tudo branquinho lá fora! gritou o Tomás muito contente assim que se levantou e espreitou pela janela. Mariana, vem ver depressa!

Leia mais

Minha História de amor

Minha História de amor Minha História de amor Hoje eu vou falar um pouco sobre a minha história de amor! Bem, eu namoro à distância faz algum tempinho. E não é uma distância bobinha não, são 433 km, eu moro em Natal-Rn, e ela

Leia mais

Era uma vez um príncipe que morava num castelo bem bonito e adorava

Era uma vez um príncipe que morava num castelo bem bonito e adorava O Príncipe das Histórias Era uma vez um príncipe que morava num castelo bem bonito e adorava histórias. Ele gostava de histórias de todos os tipos. Ele lia todos os livros, as revistas, os jornais, os

Leia mais

Olá, meu amigo(a)! Eu sou o Vilinha, e vim aqui hoje te conhecer porque soube que você perdeu uma pessoa especial, não foi isso? Eu imagino como você

Olá, meu amigo(a)! Eu sou o Vilinha, e vim aqui hoje te conhecer porque soube que você perdeu uma pessoa especial, não foi isso? Eu imagino como você APRESENTAÇÃO O mundo das crianças não é tão risonho como se pensa, há medos e muitas experiências de perdas. Os adultos não gostam de falar disso, muito provavelmente para escaparem dessa dor. (Rubem Alves)

Leia mais

Nossa, até o número é legal! Bonito o número! - Ah, que isso! - É sério! Tem gente que tudo é bonito! Rosto, corpo, papo...

Nossa, até o número é legal! Bonito o número! - Ah, que isso! - É sério! Tem gente que tudo é bonito! Rosto, corpo, papo... Seis ou sete? - Oi. Eu tava te reparando ali, você.. - É mesmo? - Pois é, você me lembra aquela atriz... Como que ela chama mesmo? - Todos me dizem isso. É a Bruna, não é? - Ela mesma! Você é a cara dela.

Leia mais

MADAME SILMARA- um, dois, três, quarto, cinco, seis, sete, oito, nove dez JOANA-Não precisa mais tirar as cartas.

MADAME SILMARA- um, dois, três, quarto, cinco, seis, sete, oito, nove dez JOANA-Não precisa mais tirar as cartas. DIÁLOGOS: 00.01.32 MADAME SILMARA- um, dois, três, quarto, cinco, seis, sete, oito, nove dez. 00.02.02 JOANA-Não precisa mais tirar as cartas. 00.02.03 MADAME SILMARA - Não? 00.02.04 JOANA -Não. A senhora

Leia mais

01. Responda às questões propostas. a) A família de Nilza Cunha é parecida com as famílias de hoje ou de antigamente? Por quê? 2

01. Responda às questões propostas. a) A família de Nilza Cunha é parecida com as famílias de hoje ou de antigamente? Por quê? 2 SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA DATA: 05 / 12 / 2012 UNIDADE: III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE HISTÓRIA 2.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A): VALOR:

Leia mais

Rua Pirapetinga, 567 - Serra - 30220-150 Belo Horizonte - MG -Tel. (31) 3282-2366 www.universoproducao.com.br conheca todos os amigos do pipoca! A Universo Produção realiza há mais de 15 anos uma série

Leia mais

Infans: o que não fala. Camilla Luiz, Cláudio Fontão, Jéssica Silveira e Vivian Souza

Infans: o que não fala. Camilla Luiz, Cláudio Fontão, Jéssica Silveira e Vivian Souza Infans: o que não fala Camilla Luiz, Cláudio Fontão, Jéssica Silveira e Vivian Souza Introdução Esta obra baseou-se no livro de Javier Naranjo, Casa das estrelas o mundo contato pelas crianças. Foi realizada

Leia mais

Priscila está passando um final de semana na casa da vovó! Um ensinamento importante aconteceu. Qual será? Vamos ver? Lá no parquinho...

Priscila está passando um final de semana na casa da vovó! Um ensinamento importante aconteceu. Qual será? Vamos ver? Lá no parquinho... Priscila está passando um final de semana na casa da vovó! Um ensinamento importante aconteceu. Qual será? Vamos ver? Vovó! A senhora pode passear hoje comigo? Claro, querida! Vamos, sim! Aonde você quer

Leia mais

CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ALINE PELLEGRINO II

CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ALINE PELLEGRINO II CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ALINE PELLEGRINO II (depoimento) 2014 FICHA TÉCNICA ENTREVISTA CEDIDA PARA PUBLICAÇÃO NO REPOSITÓRIO DIGITAL

Leia mais

INQ Como é que surgiu a decisão de vir para França? Foi assim de um dia para o outro? Como é que decidiu vir para cá?

INQ Como é que surgiu a decisão de vir para França? Foi assim de um dia para o outro? Como é que decidiu vir para cá? Transcrição da entrevista: Informante: nº9 Célula: 3 Data da gravação: Agosto de 2009 Geração: 1ª Idade: 63 Sexo: Feminino Tempo de gravação: 11.58 minutos INQ Como é que surgiu a decisão de vir para França?

Leia mais

Língua Por. ortuguesa. As Vontades

Língua Por. ortuguesa. As Vontades Nome: Ensino: F undamental 4 o ano urma: T Data: 10/8/2009 Língua Por ortuguesa As Vontades Eu tenho que achar um lugar pra esconder minhas vontades. Não digo vontade magra, pequenininha, que nem tomar

Leia mais

Ela respondeu -pode ser liguem pra duda e falei vem aqui em casa amanha pra festa do pijama ela disse -claro No dia seguinte Elas chegaram cedo entao

Ela respondeu -pode ser liguem pra duda e falei vem aqui em casa amanha pra festa do pijama ela disse -claro No dia seguinte Elas chegaram cedo entao amizade louca Tava bem tarde pra pensar em amigas porque e dificil pensar em amizade verdadeira que as vezes pode se torna uma coisa bem amorosa... As vezes penso em pessoas que não são reais como uma

Leia mais

Um Novo Mundo Escolar

Um Novo Mundo Escolar Um Novo Mundo Escolar Olá, meu nome é Julia, entrei numa escola recente mente estou meio solitária sem amigos, sem alguém com quem conversar. Na maioria das escolas, todo mundo parece diferente pra um

Leia mais

Transcrição da Entrevista

Transcrição da Entrevista Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Praticante Sonia Local: Núcleo de Arte Nise da Silveira Data: 5 de dezembro de 2013 Horário: 15:05 Duração da entrevista:

Leia mais

As Tic- Tecnologias de Informação e Comunicação nos meus Percursos de Vida Pessoal e Profissional

As Tic- Tecnologias de Informação e Comunicação nos meus Percursos de Vida Pessoal e Profissional As Tic- Tecnologias de Informação e Comunicação nos meus Percursos de Vida Pessoal e Profissional 1 Nasci no dia 4 de Novembro de 1967, na freguesia de Vila Boa do Bispo, Concelho de Marco de Canaveses,

Leia mais

Altos da Serra - Capítulo Altos da Serra. Novela de Fernando de Oliveira. Escrita por Fernando de Oliveira. Personagens deste Capítulo

Altos da Serra - Capítulo Altos da Serra. Novela de Fernando de Oliveira. Escrita por Fernando de Oliveira. Personagens deste Capítulo Altos da Serra - Capítulo 03 1 Altos da Serra Novela de Fernando de Oliveira Escrita por Fernando de Oliveira Personagens deste Capítulo Altos da Serra - Capítulo 03 2 CENA 01. CAPELA / CASAMENTO. INTERIOR.

Leia mais

Depoimento de Lucimeire Ferreira. E- Meire você pode me dizer primeiro o seu nome completo a sua data de nascimento e o local onde você nasceu?

Depoimento de Lucimeire Ferreira. E- Meire você pode me dizer primeiro o seu nome completo a sua data de nascimento e o local onde você nasceu? Depoimento de Lucimeire Ferreira E- Meire você pode me dizer primeiro o seu nome completo a sua data de nascimento e o local onde você nasceu? LUCIMEIRE - Meu nome é Lucimeire Ferreira eu nasci, dia três

Leia mais

A Procura. de Kelly Furlanetto Soares

A Procura. de Kelly Furlanetto Soares A Procura de Kelly Furlanetto Soares Peça escrita durante a Oficina Regular do Núcleo de Dramaturgia SESI PR. Teatro Guaíra, sob orientação de Andrew Knoll, no ano de 2012. 1 Cadeiras dispostas como se

Leia mais

Priscila foi passear com a sua mamãe! Lá no parque, a pequena Priscila viu alguém um tanto diferente... Vamos ver quem foi?

Priscila foi passear com a sua mamãe! Lá no parque, a pequena Priscila viu alguém um tanto diferente... Vamos ver quem foi? Priscila foi passear com a sua mamãe! Lá no parque, a pequena Priscila viu alguém um tanto diferente... Vamos ver quem foi? Mamãe! Mamãe! Vamos no balanço? Vamos, filha! Espera só um instantinho que a

Leia mais

Um ato de amor sonhador ao mundo

Um ato de amor sonhador ao mundo Um ato de amor sonhador ao mundo Este livro esta aberto para qualquer idade, pois relata uma historia de amor com a nossa sociedade, uma garotinha de 09 anos de idade busca fazer a diferença sempre dando

Leia mais

Protocolo da Entrevista a Anália

Protocolo da Entrevista a Anália Protocolo da Entrevista a Anália 1 Pedia-lhe que me contasse o que lhe aconteceu de importante desde que acabou a licenciatura até agora. Então, eu acabei o 4.º ano da licenciatura e tinha o 5.º ano que

Leia mais

Pronome. 1- Serafina é a menina que escreveu o texto acima. Por que ela resolveu deixar seu diário guardado em uma gaveta?

Pronome. 1- Serafina é a menina que escreveu o texto acima. Por que ela resolveu deixar seu diário guardado em uma gaveta? Atividade de estudo de Português Pronome 5º ano Leia o texto abaixo. É setembro, lua cheia, o tempo está gostoso. Não está fazendo nem muito calor, nem muito frio. Diário, Já faz mais de um mês que eu

Leia mais

BANCO DIA DAS MÃES BANCO CERTO

BANCO DIA DAS MÃES BANCO CERTO BANCO DIA DAS MÃES BANCO CERTO Tenho 1 filho 130 56,5% Tenho 2 filhos 74 32,2% Tenho 3 filhos 19 8,3% Tenho mais de 3 filhos 7 3,0% Total 230 100,0% De 0 a 5 anos 92 40,0% De 6 a 11 anos 51 22,2% De

Leia mais

DATA: 02 / 12 / 2013 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 3.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA:

DATA: 02 / 12 / 2013 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 3.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA DATA: 0 / / 03 UNIDADE: III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 3.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A): VALOR:

Leia mais

ainda não Luciano Cabral prostituta, vinte e cinco anos cliente, sessenta anos

ainda não Luciano Cabral prostituta, vinte e cinco anos cliente, sessenta anos ainda não Luciano Cabral personagens, vinte e cinco anos, sessenta anos (o apartamento é pequeno, com apenas dois cômodos: banheiro e quarto. O banheiro fica em frente à porta de entrada. No quarto, logo

Leia mais

TABUADA DAS OBJEÇÕES

TABUADA DAS OBJEÇÕES TABUADA DAS OBJEÇÕES Você já sentiu acuada, sem palavras ao ouvir alguma objeção de sua potencial iniciada!? As pessoas que você vai abordar são tão especiais quanto você e se elas disserem não, lembre-se

Leia mais

YAHUVAH falou com ele mesmo ele

YAHUVAH falou com ele mesmo ele Na casa da vovó da Nina, uma história muito especial foi contada! Que história foi essa? Vamos ver? Um, dois, três e... já!!!! Eba, vovó!! Acabei de comer!! Isso, Nina! Você comeu tudinho, tudinho! A sua

Leia mais

A minha vida sempre foi imaginar. Queria ter um irmãozinho para brincar...

A minha vida sempre foi imaginar. Queria ter um irmãozinho para brincar... O pequeno Will A minha vida sempre foi imaginar. Queria ter um irmãozinho para brincar... Então um dia tomei coragem e corri até mamãe e falei: - Mãeee queria tanto um irmãozinho, para brincar comigo!

Leia mais

CARTAS PARA O FUTURO Analepses

CARTAS PARA O FUTURO Analepses CARTAS PARA O FUTURO Analepses Quinta-feira, 29 de fevereiro de 1996 Meu nome é Karen. Hoje faço três anos. Mentira. Nasci em 1984, um ano bissexto, exatamente no dia 29 de fevereiro. Isso me faz ter 12

Leia mais

Transcriça o da Entrevista

Transcriça o da Entrevista Transcriça o da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex praticante Clarice Local: Núcleo de Arte Grécia Data: 08.10.2013 Horário: 14h Duração da entrevista: 1h COR PRETA

Leia mais

Samuel jogou suas coisas em seu quarto e saiu correndo em direção. eram noticias ruins em relação a Sara, a voz da doutora dizia isso.

Samuel jogou suas coisas em seu quarto e saiu correndo em direção. eram noticias ruins em relação a Sara, a voz da doutora dizia isso. Bruno D. Vieira 8 Samuel jogou suas coisas em seu quarto e saiu correndo em direção ao consultório da psicóloga, a única coisa que passava em sua mente eram noticias ruins em relação a Sara, a voz da doutora

Leia mais

Pesquisa. Setembro 2014

Pesquisa. Setembro 2014 Pesquisa Setembro 2014 Perfil Quem é o nosso time? 66% está conosco há mais de 1 ano 69% são casadas 68% tem Filhos, 42% desses adolescentes Média de Idade 32 anos (20 a 56) 93% são mulheres 61% cursando

Leia mais

A Patricinha. Ninguém é realmente digno de inveja, e tantos são dignos de lástima! Arthur Schopenhauer

A Patricinha. Ninguém é realmente digno de inveja, e tantos são dignos de lástima! Arthur Schopenhauer Roleta Russa 13 A Patricinha Ninguém é realmente digno de inveja, e tantos são dignos de lástima! Arthur Schopenhauer Oi. Eu sou a Patrícia. Prazer. Você é?... Quer sentar? Aceita uma bebida, um chá, um

Leia mais

Parte Um Minha_Vida_Agora.indd 7 Minha_Vida_Agora.indd 7 11/06/ :19:05 11/06/ :19:05

Parte Um Minha_Vida_Agora.indd 7 Minha_Vida_Agora.indd 7 11/06/ :19:05 11/06/ :19:05 Parte Um Minha_Vida_Agora.indd 7 11/06/2012 16:19:05 Minha_Vida_Agora.indd 8 11/06/2012 16:19:06 1 Meu nome é Elizabeth, mas ninguém nunca me chamou assim. Meu pai deu uma olhada em mim quando nasci e

Leia mais

AS PERSONAGENS DO SÍTIO DO PICAPAU AMARELO NA CIDADE

AS PERSONAGENS DO SÍTIO DO PICAPAU AMARELO NA CIDADE AS PERSONAGENS DO SÍTIO DO PICAPAU AMARELO NA CIDADE 4º ano F AUTORES: Enzo Lucas Maria Luiza Prates Mariana Rafaella Spera Vinicíus 4º ano F ILUSTRAÇÕES DA INTERNET EDITORA: CJSP Um dia como outro qualquer

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 3 Data: 18/10/2010 Hora: 19h00 Duração: 22:25 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

Mestrado: 2º Ciclo em Ensino de Educação Física nos Ensinos Básico e Secundário Disciplina: Psicologia Educacional Docente: Doutor Nuno Corte Real

Mestrado: 2º Ciclo em Ensino de Educação Física nos Ensinos Básico e Secundário Disciplina: Psicologia Educacional Docente: Doutor Nuno Corte Real Mestrado: 2º Ciclo em Ensino de Educação Física nos Ensinos Básico e Secundário Disciplina: Psicologia Educacional Docente: Doutor Nuno Corte Real Tema: Elaboração de uma peça de teatro - Promoção da Saúde,

Leia mais

SUMÁRIO. Formação pessoal, Social, Identidade e Autonomia Conhecimento de mundo, Natureza e Sociedade. Matemática

SUMÁRIO. Formação pessoal, Social, Identidade e Autonomia Conhecimento de mundo, Natureza e Sociedade. Matemática SUMÁRIO Formação pessoal, Social, Identidade e Autonomia Conhecimento de mundo, Natureza e Sociedade Quem sou eu? 09 Escrita do Nome 11 A Família 12 Coordenação Motora 14 Meninos e Meninas 18 As plantas

Leia mais

*PRECCI* Programa de Evangelização e Catequese Católico InfantoJuvenil TiaJane. Roteiro

*PRECCI* Programa de Evangelização e Catequese Católico InfantoJuvenil TiaJane. Roteiro Personagens: J- TIA JANE B- Anjo BENTINHO P- PEDRINHO C- CLARINHA Be- Bebel Roteiro J- É ano novo lalaia, é ano novo lalaia! Vou deixar tudo bonito pra esperar o menino Jesus que vai nascer!!! (cantando

Leia mais

PSY: Você também tratou muito dela quando viviam as duas. A: Depois não percebe que tem de ir apresentável! Só faz o que lhe apetece!

PSY: Você também tratou muito dela quando viviam as duas. A: Depois não percebe que tem de ir apresentável! Só faz o que lhe apetece! Anexo 3 SESSÃO CLÍNICA - A PSY: Então como tem andado? A:Bem. Fomos as três a Fátima, foi giro. Correu bem, gosto de ir lá. Tirando a parte de me chatear com a minha irmã, mas isso já é normal. Anda sempre

Leia mais

Preparação psicológica e emocional para o vestibular e concursos

Preparação psicológica e emocional para o vestibular e concursos Preparação psicológica e emocional para o vestibular e concursos A familiaridade com a palavra vestibular provavelmente surgiu na sua vida durante o ensino médio e possivelmente se transformou num gerador

Leia mais

Alexia: Hoje a gente vem com mais uma diferença entre brasileiros e americanos.

Alexia: Hoje a gente vem com mais uma diferença entre brasileiros e americanos. carioca connection casamento Transcription Alexia: Hoje a gente vem com mais uma diferença entre brasileiros e americanos. Foster: É um tema que a gente toca muito, né? Alexia: Sim. Casamento, gente! Foster:

Leia mais

A Professora de Horizontologia

A Professora de Horizontologia A Professora de Horizontologia Já tinha parado a chuva e Clara Luz estava louca que a Gota voltasse. Felizmente a Fada-Mãe veio com uma novidade: Minha filha, hoje vem uma professora nova. Você vai ter

Leia mais

David Livingstone. O Rapaz na Galeria do Orgao. 1a Parte

David Livingstone. O Rapaz na Galeria do Orgao. 1a Parte David Livingstone ~ O Rapaz na Galeria do Orgao 1a Parte Era uma noite de inverno quando o Dr. Robert Moffat, conhecido missionário na África, chegou a uma pequena igreja escocesa para pregar um sermão.

Leia mais

A historia de Mc Livinho

A historia de Mc Livinho A historia de Mc Livinho Oliver nasceu em 11 de novembro de 1994 na cidade de Vargem, Interior de São Paulo e se mudou para o bairro Jardim Pedra Branca, Zona Norte de São Paulo, sempre foi ligado à música

Leia mais

História de Carmem Biancho Flores

História de Carmem Biancho Flores História de Carmem Biancho Flores Nascimento: 14 de julho de 1953 Falecimento: 6 de outubro de 2013 Foi no dia 14 de julho de 1953 que Valdemar e Alda Biancho tiveram sua filha Carmen, que passou muitas

Leia mais

Minha Vida Profissional Projeto 306. Por David Batty

Minha Vida Profissional Projeto 306. Por David Batty Minha Vida Profissional Projeto 306 Por David Batty 2 Nome: Minha Vida Profissional Data de Início: Projeto 307 Data de término: Quantas horas na sua vida você gastou trabalhando? Muitas! Algumas pessoas

Leia mais

Leitura e Mediação Pedagógica

Leitura e Mediação Pedagógica Protocolo Colaborador: ######## 66 Leitura e Mediação Pedagógica AC Pesquisador: Paula Maria Cobucci Ribeiro Dias Transcrição (1) P: As coisas mudam ou não mudam? Olha só: tem umas coisas boas. Olha só.

Leia mais

Eu e Minha Família Dájara Blacutt

Eu e Minha Família Dájara Blacutt Eu e Minha Família Dájara Blacutt Capítulo 1 Eu Meu nome é Dájara e eu nasci em 05/11/2002, nasci na cidade de Mariana e agora eu vou contar um pouco da minha história: Eu morava com meus pais mas agora

Leia mais

Entre Quatro Vaginas. Leandro Francisco de Paula

Entre Quatro Vaginas. Leandro Francisco de Paula 1 Entre Quatro Vaginas Leandro Francisco de Paula Cubo 2 3 Estava escuro. Ao fundo, apenas uma vela iluminava aquele cubo. Ao lado uma porta. Apenas uma porta. Nos outros três cantos, sofás. Um tapete

Leia mais

"agora boa historia" assinado:maria Clara

agora boa historia assinado:maria Clara Fadas e magia Quiz fazer esse livro em homenagem de um desenho que adoro assistir e nesse desenho tem varias fadas não se esqueçam não fiz a historia do filme só fiz uma homenagem "agora boa historia"

Leia mais

Muito prazer Curso de português do Brasil para estrangeiros

Muito prazer Curso de português do Brasil para estrangeiros Muito prazer Curso de português do Brasil para estrangeiros Exercícios de gramática do uso da língua portuguesa do Brasil Sugestão: estes exercícios devem ser feitos depois de estudar a Unidade 12 por

Leia mais

Olá Pessoal Eu Sou a Vitoria e Vou Contar Para Vocês Uma História Que Eu Mesma Criei,Espero Que Vocês Gostem Vamos-Lá.

Olá Pessoal Eu Sou a Vitoria e Vou Contar Para Vocês Uma História Que Eu Mesma Criei,Espero Que Vocês Gostem Vamos-Lá. Sozinha Em Casa. Olá Pessoal Eu Sou a Vitoria e Vou Contar Para Vocês Uma História Que Eu Mesma Criei,Espero Que Vocês Gostem Vamos-Lá. 1.SOZINHA EM CASA: Em Uma Pequena Villa Avia Garota Chamada Eduarda

Leia mais

Entrevista Jessica

Entrevista Jessica Entrevista 1.10 - Jessica (Bloco A - Legitimação da entrevista onde se clarificam os objectivos do estudo, se contextualiza a realização do estudo e participação dos sujeitos e se obtém o seu consentimento).

Leia mais

HISTÓRIAS DA AJUDARIS 16. Agrupamento de Escolas de Sampaio

HISTÓRIAS DA AJUDARIS 16. Agrupamento de Escolas de Sampaio HISTÓRIAS DA AJUDARIS 16 Agrupamento de Escolas de Sampaio JOÃO FRAQUINHO Era uma vez um menino que estava muito fraquinho, não tinha força para nada nem para se pôr de pé. Estava deitado no chão da rua,

Leia mais

Em um dia ensolarado, a família do Carlinhos foi passear lá no Aterro do Flamengo. O que será que houve? Após terem comprado a água de coco...

Em um dia ensolarado, a família do Carlinhos foi passear lá no Aterro do Flamengo. O que será que houve? Após terem comprado a água de coco... Em um dia ensolarado, a família do Carlinhos foi passear lá no Aterro do Flamengo. O que será que houve? Joga a bola, papai! Joga a bola!! Está bem, Carlinhos! Pode deixar que eu jogo!! Um, dois, três

Leia mais

Língua Portuguesa. O pequeno e grande Miles. 6º Ano do Ensino Fundamental II. Nome: Ronaldo Rodrigues Júnior

Língua Portuguesa. O pequeno e grande Miles. 6º Ano do Ensino Fundamental II. Nome: Ronaldo Rodrigues Júnior O pequeno e grande Miles Língua Portuguesa 6º Ano do Ensino Fundamental II Nome: Ronaldo Rodrigues Júnior Professora: Maristela Mendes de Sousa Lara 2015 Era uma vez um menino que se chamava Miles Upshur.

Leia mais

Em Círculos. Mateus Milani

Em Círculos. Mateus Milani Em Círculos Mateus Milani Que eu não perca a vontade de ter grandes amigos, mesmo sabendo que, com as voltas do mundo, eles acabam indo embora de nossas vidas Ariano Suassuna. Sinopse Círculos. A vida

Leia mais