Segurança e Auditoria de Sistemas Normas de Segurança. Profa. Cynara Carvalho

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Segurança e Auditoria de Sistemas Normas de Segurança. Profa. Cynara Carvalho cynaracarvalho@yahoo.com.br"

Transcrição

1 $XWDUTXLD(GXFDFLRQDOGR9DOHGR6mR)UDQFLVFR $(96) )DFXOGDGHGH&LrQFLDV$SOLFDGDVH6RFLDLVGH3HWUROLQD )$&$3( Segurança e Auditoria de Sistemas Normas de Segurança Profa. Cynara Carvalho 1

2 2

3 Conceitos Antes de iniciar o estudo sobre as normas, devemos entender os conceitos referentes à: 9 Políticas (orientações em conformidade com os objetivos de negócio); 9 Regulamentações (busca de conformidade com a legislação vigente); 9 Baseline (nível mínimo de proteção nos sistemas críticos); Diretrizes 9 Em um contexto estratégico pode ser interpretado como ações ou caminhos a serem seguidos em determinados momentos. 9 Orienta o que deve ser feito e como, para se alcançarem os objetivos estabelecidos na política [ISO 17799] 9 Procedimentos (instruções operacionais); 3

4 O que são e para que servem as normas? 9 É aquilo que se estabelece como medida para a realização de uma atividade. 9 Uma norma tem como propósito definir regras e instrumentos de controle para assegurar a conformidade de um processo, produto ou serviço. 9 Quais os problemas gerados pela ausência de normas? 4

5 O que são e para que servem as normas? Conforme definido pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), os objetivos da normalização são: 9 Comunicação: proporcionar meios mais eficientes na troca de informação entre o fabricante e o cliente, melhorando a confiabilidade das relações comerciais e de serviços; 9 Segurança: proteger a vida humana e a saúde; 9 Proteção do consumidor: prover a sociedade de mecanismos eficazes para aferir qualidade de produtos; 9 Eliminação de barreiras técnicas e comerciais: evitar a existência de regulamentos conflitantes sobre produtos e serviços em diferentes países,facilitando assim, o intercâmbio comercial. 5

6 Surgimento das Normas 9 Em outubro de 1967 foi criado um documento chamado Security Control for Computer System que marcou o passo inicial para criação de conjunto de regras para segurança de computadores. 9 DoD também não ficou fora disto e teve grande participação na elaboração de regras. 9 Em 1978 foi escrito Orange Book, conhecido também como Trusted Computer Evaluation Criteria por DoD. A versão final deste documento foi impresso em dezembro de

7 Surgimento das Normas 9 O Orange Book é considerado como marco inicial de um processo mundial de busca de medidas que permitem a um ambiente computacional ser qualificado como seguro. 9 O "Orange Book" permite especificar o que deve ser implementado e fornecido por um software, para que ele seja classificado em um dos níveis de "segurança" pré-estipulados. 7

8 Surgimento das Normas 9 Este esforço foi liderado pela "International Organization for Standardization (ISO). No final do ano de 2000, o primeiro resultado desse esforço foi apresentado, que é a norma internacional de Segurança da Informação "ISO/IEC-17799:2000", a qual já possui uma versão aplicada aos países de língua portuguesa, denominada "NBR ISO/IEC

9 Desenvolvimento de Padrões 9 Porque o desenvolvimento de padrões e normas de segurança são importantes? 9 Em que forma tais procedimentos ajudam em redução e controle das vulnerabilidades existentes? 9

10 NBR/ISO IEC A ISO é um conjunto de recomendações para gestão da SI para uso de implementação ou manutenção da segurança em suas organizações. 9 Providencia uma base comum para o desenvolvimento de normas de segurança organizacional e das práticas efetivas de gestão da segurança. 9 A ISO atua em segurança da informação considerando tecnologia, processos e pessoas. Esta norma é publicada no Brasil pela ABNT com o código NBR ISO

11 Breve histórico da ISO A Associação Britânica de Normas tinha 2 normas referentes à segurança de sistemas de informação: a BS e a BS A BS foi submetida ao ISO e aprovada (com problemas), vindo a ser a ISO A BS se referia especialmente ao processo de FHUWLILFDomR do aspecto de segurança em RUJDQL]Do}HV e não foi submetida para o ISO. 11

12 Diversas partes da ISO Objetivo da norma 2. Termos e definições 3. Política de segurança 4. Segurança organizacional 5. Classificação e controle dos ativos de informação 6. Segurança de pessoas 7. Segurança física e do ambiente 8. Gerenciamento de operações e comunicações 9. Controle de acesso 10. Desenvolvimento de sistemas. 11. Gestão de continuidade de negócios 12. Conformidade 12

13 ISO Segurança Organizacional 9,QIUDHVWUXWXUD GH VHJXUDQoD: indica que uma estrutura organizacional deve ser criada para iniciar e implementar as medidas de segurança. 9 6HJXUDQoD QR DFHVVR GH SUHVWDGRUHV GH VHUYLoR: garantir a segurança dos ativos acessados por prestadores de serviços. 9 6HJXUDQoD HQYROYHQGR VHUYLoRV WHUFHLUL]DGRV: deve-se incluir nos contratos de terceirização de serviços computacionais cláusulas para segurança. 13

14 ISO Segurança de Pessoas 9 6HJXUDQoD QD GHILQLomR H 5HFXUVRV GH 7UDEDOKR: Devem ser incluídas as preocupações de segurança no momento da contratação de pessoas. Verificar os critérios de segurança no processo de seleção. Funcionários devem assinar o acordo de confidencialidade. 9 7UHLQDPHQWR GRV XVXiULRV: educação, conscientização e treinamento referentes a segurança. 9 0HFDQLVPRV GH,QFLGHQWH GH 6HJXUDQoD: Deve existir mecanismos para funcionários poderem reportar possíveis falhas. 9 3URFHVVR GLVFLSOLQDU IRUPDO: Deve haver um processo disciplinar formal para funcionários que violaram os procedimentos de segurança. 14

15 ISO Segurança Física e de Ambiente 9 ÈUHDV GH VHJXUDQoD: prevenir acesso não autorizado, dano e interferência nas instalações físicas. Isso inclui: definir um perímetro de segurança, controles de entrada física, etc. 9 6HJXUDQoD GH HTXLSDPHQWR: convém proteger equipamentos fisicamente de ameaças e perigos ambientais. Isso inclui roubo, fogo, e outros perigos ambientais, proteção contra falta de energia, segurança do cabeamento, definição de política de manutenção, proteção a equipamentos fora das instalações. 9 &RQWUROHV JHUDLV: Por exemplo proteção de tela com senha para evitar que informação fique visível em tela, deve-se ter uma política quanto a deixar papéis na impressora por muito tempo, etc. 15

16 ISO Controle de Acesso (1) 9 *HUHQFLDPHQWRGHDFHVVRGRVXVXiULRV: 9 Registro do usuário: ID única para cada usuário, pedir assinatura em termo de responsabilidade, remover usuário assim que o funcionário sair da empresa. 9 Gerenciamento de privilégios: aqui entra o controle de acesso baseado em papéis; basicamente, se recomenda que usuários tenham apenas os privilégios necessários para fazer seu trabalho. 9 Gerenciamento de senhas: termo de responsabilidade deve afirmar que senha é secreta e não deve ser divulgada, senhas temporárias devem funcionar apenas uma vez. 9 Análise crítica dos direitos de acesso do usuário: deve-se analisar os direitos de acesso dos usuários com freqüência de 6 meses ou menos. 16

17 ISO Controle de Acesso (2) 9 5HVSRQVDELOLGDGHVGRVXVXiULRV: 9 Senhas: segundo norma, usuário deve zelar pela sua senha e criar uma senha considerada aceitável (mínimo de 6 caracteres). 9 Equipamentos sem monitoração: Usuários deve tomar os cuidados necessários ao deixar um equipamento sem monitoramento, com seções abertas. 17

18 ISO Controle de Acesso (3) 9 &RQWUROHGH$FHVVRDR62 9 &RQWUROH GH DFHVVR DR VLVWHPD RSHUDFLRQDO: Identificação automática de terminal: nos casos onde deve-se conhecer onde um usuário efetua logon. 9 3URFHGLPHQWRV GH HQWUDGD QR VLVWHPD ORJRQ. Sugestões como: limitar o número de tentativas erradas para o logon e não fornecer ajuda no processo de logon, entre outros. 9,GHQWLILFDomRGHXVXiULRV: a não ser em casos excepcionais cada usuário deve ter apenas um ID. Considerar outras tecnologias de identificação e autenticação: smart cards, autenticação biométrica. 9 6LVWHPD GH *HUHQFLDPHQWR GH 6HQKDV: Contém os atributos desejáveis para sistema que lê, armazena e verifica senhas. 18

19 ISO Controle de Acesso (4) 9 &RQWUROHGH$FHVVRjVDSOLFDo}HV 9 5HJLVWUR GH (YHQWRV: Trilha de auditoria registrando exceções e outros eventos de segurança devem ser armazenados por um tempo adequado. 9 0RQLWRUDomR GR 8VR GR 6LVWHPD: Os procedimentos do monitoração do uso do sistema devem ser estabelecidos. Uma análise crítica dos logs deve ser feita de forma periódica. 9 6LQFURQL]DomR GRV 5HOyJLRV: Para garantir a exatidão dos registros de auditoria. 19

20 ISO Controle de Acesso (5) 9 &RPSXWDomR0yYHO 9 Usuários de equipamentos móveis devem ser conscientizados das práticas de segurança, incluindo senhas, criptografia entre outros. 20

21 ISO Gestão de Continuidade de Negócios 9 Deve-se desenvolver planos de contingência para caso de falhas de segurança, desastres, perda de serviço, etc. 9 Estes planos devem ser documentados, e o pessoal envolvido treinado. Os planos de contingência devem ser testados regularmente, pois tais planos quando concebidos teoricamente, podem apresentar falhas devido a pressupostos incorretos, omissões ou mudança de equipamento ou pessoal. 21

22 ISO Componentes do Plano de Continuidade de Negócios 9 condições para a ativação do plano; 9 procedimentos de emergência a serem tomados; 9 procedimentos de recuperação para transferir atividades essenciais para outras localidades, equipamentos, programas, entre outros; 9 procedimentos de recuperação quando do estabelecimento das operações; 9 programação de manutenção que especifique quando e como o plano deverá ser testado; 9 desenvolvimento de atividades de treinamento e conscientização do pessoal envolvido; 9 designação de responsabilidades. 22

23 ISO Conformidade 9 Conformidade com Requisitos Legais: Para evitar a violação de qualquer lei, estatuto, regulamentação ou obrigações contratuais. Evitar a violação de Direitos Autorais dos aplicativos. 9 Análise Crítica da Política de Segurança e da Conformidade Técnica. 9 Considerações referentes Auditoria de Sistemas. 23

24 BS O BS é a segunda parte do padrão de segurança inglês cuja primeira parte virou o ISO O BS fala sobre certificação de segurança de organizações; isto é, define quando e como se pode dizer que uma organização segue todo ou parte do ISO (na verdade do BS ). 24

25 ISO Normas de Segurança da Informação Vários países (EUA, Canadá, França, Inglaterra, Alemanha, etc) estavam desenvolvendo seus padrões para sistemas seguros (mas não militares). Nos EUA o padrão se chamava TCSEC (Trusted Computer System Evaluation Criteria), no Canadá CTCPEC, etc. Os países europeus decidiram unificar seus critérios, criando o Information Technology Security Evaluation Criteria (ITSEC). Mais tarde (1990) houve a unificação do padrão europeu e norte americano, criando- se assim o Common Criteria (CC). A versão 2.1 do CC se tornou o ISO

26 ISO É um conjunto de três volumes: 9 Primeiro discute definições e metodologia; 9 Segundo lista um conjunto de requisitos de segurança; 9 Terceiro fala de metodologias de avaliação. 9 Diferente do 17799, é um CC para definir e avaliar requisitos de segurança de VLVWHPDV e não de RUJDQL]Do}HV. 26

27 Visão Geral da família ISO Número: ISO IEC Título: Information Security Management Systems- Requirements. Aplicação: Esta norma é aplicável a qualquer organização, independente do seu ramo de atuação, e define requisitos para estabelecer, implementar, operar, monitorar, revisar, manter e melhorar um Sistema de Gestão de Segurança da Informação. A ISO IEC é a norma usada para fins de certificação e substitui a norma Britânica BS7799-2:2002. Portanto, uma organização que deseje implantar um SGSI deve adotar como base a ISO IEC Situação: Norma aprovada e publicada pela ISO em Genebra, em No Brasil, a ABNT publicou como Norma Brasileira NBRISO IEC no primeiro trimestre de

28 Visão Geral da família ISO Número: ISO IEC Título: Information Technology Security Management. - Code of practice for information Aplicação: Norma aprovada e publicada pela ISO em Genebra, em No Brasil, a ABNT publicou como Norma Brasileira NBRISO IEC no dia 24 de agosto de Situação: Norma aprovada e publicada pela ISO em Genebra, em No Brasil, a ABNT publicou como Norma Brasileira NBRISO IEC no primeiro trimestre de

29 Visão Geral da família ISO Número: ISO IEC 1 st WD Título: Information Security Management Systems-Implementation Guidance. Aplicação: Este projeto de norma tem como objetivo fornecer um guia prático para implementação de um Sistema de Gestão da Segurança da Informação, baseado na ISO IEC Situação: Este projeto de norma encontra-se em um estágio de desenvolvimento, denominado de WD-Working Draft. Publicada em Janeiro de

30 Visão Geral da família ISO Número: ISO IEC 2nd WD Título: Information Security Management-Measurements. Aplicação: Este projeto de norma fornece diretrizes com relação a técnicas e procedimentos de medição para avaliar a eficácia dos controles de segurança da informação implementados, dos processos de segurança da informação e do Sistema de Gestão da Segurança da Informação. Situação: Este projeto de norma encontra-se em um estágio onde vários comentários já foram discutidos e incorporados ao projeto. Publicada em dezembro de

31 Visão Geral da família ISO Número: ISO IEC 2nd CD Título: Information Security Management Systems- Information Security Risk Management. Aplicação: Este projeto de norma fornece diretrizes para o gerenciamento de riscos de segurança da informação. Situação: Este projeto de norma já se encontra em um estágio mais avançado, pois vem sendo discutido há mais de dois anos. A previsão para publicação como norma internacional é Publicada em julho de

32 Visão Geral da família ISO Número: ISO IEC 2nd CD Título: Information technology -- Security techniques -- Requirements for bodies providing audit and certification of information security management systems. Aplicação: Norma de requisitos para a credibilidade de organizações que oferecem serviços de certificação de sistemas de gestão da SI. Situação: Publicada em

A ISO 17799 esta dividida em 12 seções da seguinte forma: 1. Objetivo da norma. 2. Termos e definições: 3. Poĺıtica de segurança.

A ISO 17799 esta dividida em 12 seções da seguinte forma: 1. Objetivo da norma. 2. Termos e definições: 3. Poĺıtica de segurança. A 17799 se refere a mecanismos organizacionais para garantir a segurança da informação. Não é uma norma que define aspectos técnicos de nenhuma forma, nem define as características de segurança de sistemas,

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Sistemas de Informação Segurança da Informação Norma: ISO/IEC NBR 27001 e ISO/IEC NBR 27002 Norma: ISO/IEC NBR 27001 e ISO/IEC NBR 27002 Histórico O BSi (British Standard Institute) criou a norma BS 7799,

Leia mais

Prof. Walter Cunha. Segurança da Informação. Não-Escopo. Escopo. Prof. Walter Cunha Rede LFG

Prof. Walter Cunha. Segurança da Informação. Não-Escopo. Escopo. Prof. Walter Cunha Rede LFG Segurança da Informação Prof. Walter Cunha Rede LFG Prof. Walter Cunha Contatos: E-mail: falecomigo@waltercunha.com timasters@yahoogoups.com Atividades: http://www.waltercunha.com/blog/ http://twitter.com/timasters/

Leia mais

Padrões/normas de segurança. Existem padrões ou normas de segurança aceitos nacional ou internacionalmente?

Padrões/normas de segurança. Existem padrões ou normas de segurança aceitos nacional ou internacionalmente? Padrões/normas de segurança Existem padrões ou normas de segurança aceitos nacional ou internacionalmente? Existem padrões de qualidade (ISO 9000 - para tudo) - (CMM/SPICE para software), etc. Existem

Leia mais

SEGURANÇA FÍSICA & LÓGICA DE REDES. Material Complementar de Estudos

SEGURANÇA FÍSICA & LÓGICA DE REDES. Material Complementar de Estudos SEGURANÇA FÍSICA & LÓGICA DE REDES Material Complementar de Estudos O que é a Organização ISO A ISO - Internacional Organization for Stardardization - é maior organização para Desenvolvimento e publicação

Leia mais

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa Aécio Costa A segurança da informação é obtida a partir da implementação de um conjunto de controles adequados, incluindo políticas, processos, procedimentos, estruturas organizacionais e funções de software

Leia mais

Segurança e Auditoria de Sistemas. Profº.: Daniel Gondim

Segurança e Auditoria de Sistemas. Profº.: Daniel Gondim Segurança e Auditoria de Sistemas Profº.: Daniel Gondim Roteiro Auditoria de Sistemas Conceitos; Tipos de Auditorias; Objetivos e Importância; Etapas; Segurança da Informação Conceitos; Ameaças; Algumas

Leia mais

Fundamentos em Segurança de Redes de Computadores NBR ISO 27001

Fundamentos em Segurança de Redes de Computadores NBR ISO 27001 Fundamentos em Segurança de Redes de Computadores 1 É a norma de certificação para SGSI ( Sistemas de Gestão da Segurança da Informação), editada em português em abril de 2006 e que substituiu a BS 7799-2.

Leia mais

Auditoria e Segurança da Informação GSI536. Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU

Auditoria e Segurança da Informação GSI536. Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU Auditoria e Segurança da Informação GSI536 Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU Políticas de Segurança Tópicos 1. Necessidade de uma Política de Segurança de Informação; 2. Definição de uma Política de

Leia mais

Alinhando ABNT-NBR-ISO/IEC 17799 e 27001 para a Administração Pública -USP

Alinhando ABNT-NBR-ISO/IEC 17799 e 27001 para a Administração Pública -USP Alinhando ABNT-NBR-ISO/IEC 17799 e 27001 para a Administração Pública -USP César Augusto Asciutti Agência USP de Inovação, São Paulo (SP), 3091-2933, asciutti@usp.br Resumo Este artigo apresenta uma breve

Leia mais

Introdução à Segurança da Informação. Prof. Marcos Argachoy

Introdução à Segurança da Informação. Prof. Marcos Argachoy Introdução à Segurança da Informação ISO/IEC 27000 Prof. Marcos Argachoy Conceitos Segurança é a minimização do risco associado às atividades de computação, incluindo a interconexão entre computadores

Leia mais

Alinhando NBR-ISO/IEC 17799 e 27001 na Administração Pública - USP

Alinhando NBR-ISO/IEC 17799 e 27001 na Administração Pública - USP Alinhando NBR-ISO/IEC 17799 e 27001 na Administração Pública - USP 3 3 Apresentação : Introdução. NBR ISO/IEC 27001 e 17799. Proposta de Plano de Trabalho/Ação. Referências. Confidencialidade Permitir

Leia mais

ABNT NBR ISO/IEC 27002:2005

ABNT NBR ISO/IEC 27002:2005 ABNT NBR ISO/IEC 27002:2005 Código de prática para a gestão da segurança da informação A partir de 2007, a nova edição da ISO/IEC 17799 será incorporada ao novo esquema de numeração como ISO/IEC 27002.

Leia mais

Código de prática para a gestão da segurança da informação

Código de prática para a gestão da segurança da informação Código de prática para a gestão da segurança da informação Edição e Produção: Fabiano Rabaneda Advogado, professor da Universidade Federal do Mato Grosso. Especializando em Direito Eletrônico e Tecnologia

Leia mais

Perguntas para avaliar a efetividade do processo de segurança

Perguntas para avaliar a efetividade do processo de segurança Perguntas para avaliar a efetividade do processo de segurança Questionário básico de Segurança da Informação com o objetivo de ser um primeiro instrumento para você avaliar, em nível gerencial, a efetividade

Leia mais

3 Métricas de Segurança de Software

3 Métricas de Segurança de Software Métricas de Segurança de Software 36 3 Métricas de Segurança de Software Independente do modelo de avaliação da segurança de software, esta dissertação busca um critério para medir segurança de softwares

Leia mais

ISO/IEC 17799-27001. Clauzio Cleber Hugo Azevedo Roger

ISO/IEC 17799-27001. Clauzio Cleber Hugo Azevedo Roger ISO/IEC 17799-27001 Clauzio Cleber Hugo Azevedo Roger ISO/IEC 17799-27001 ISO: Organização de Padronização Internacional: ISO 9001 e 14001; IEC: Comissão Eletrotécnica Internacional: IEC 60950-1 (ITE:

Leia mais

Normas de Segurança da Informação Processo de Certificação ISO 27001:2006. Ramon Gomes Brandão Janeiro de 2009

Normas de Segurança da Informação Processo de Certificação ISO 27001:2006. Ramon Gomes Brandão Janeiro de 2009 Normas de Segurança da Informação Processo de Certificação ISO 27001:2006 Ramon Gomes Brandão Janeiro de 2009 Agenda Elementos centrais da Seg. da Informação O Par ABNT:ISO 27001 e ABNT:ISO 17799 Visão

Leia mais

Segurança de Redes. Introdução

Segurança de Redes. Introdução Segurança de Redes Introdução Prof. Rodrigo Rocha prof.rodrigorocha@yahoo.com Prof. Rodrigo Rocha prof.rodrigorocha@yahoo.com Apresentação Ementa Conceitos de Segurança. Segurança de Dados, Informações

Leia mais

Gestão de Segurança da Informação

Gestão de Segurança da Informação Gestão de Segurança da Informação NORMAS NBR ISO/IEC 27001, 27002 e 27005 @thiagofagury www.fagury.com.br http://groups.yahoo.com/group/timasters As Normas NBR ISO/IEC 27001 - Requisitos para implantar

Leia mais

Segurança da Informação: Conceitos e Modelo de Gestão

Segurança da Informação: Conceitos e Modelo de Gestão : Conceitos e Modelo de Gestão Sérgio Marinho Novembro.2004 Direitos Reservados. Proibida Reprodução. Copyright 2004 Segurança da Informação - 1 Sistemas de Gestão - Evolução Sistema de Gestão da Qualidade

Leia mais

Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento. Douglas Farias Cordeiro

Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento. Douglas Farias Cordeiro Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento Douglas Farias Cordeiro ABNT NBR ISO/IEC 27002 Introdução Termos e definições Ativo: Qualquer coisa que possua valor para organização; Controle: Forma

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO. PORTARIA Nº CJF-POR-2015/00104 de 6 de março de 2015

PODER JUDICIÁRIO. PORTARIA Nº CJF-POR-2015/00104 de 6 de março de 2015 PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL CONSELHO DA JUSTIÇA FEDERAL PORTARIA Nº CJF-POR-2015/00104 de 6 de março de 2015 Dispõe sobre a aprovação do documento acessório comum "Política de Segurança para Desenvolvimento,

Leia mais

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (Porque investir) JAN/2007 Aristóbulo Angelim de Araújo ari@prodamnet.com.br 2121-6438 Processamento de Dados Amazonas S.A. 1 AGENDA 1. NECESSIDADES ATUAIS 2. PRINCIPAIS PROBLEMAS

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação INF-108 Segurança da Informação Gestão de Segurança da Informação Prof. João Henrique Kleinschmidt (slides cedidos pelo Prof. Carlos Kamienski - UFABC) Gerenciamento e Avaliação de Riscos Terminologia

Leia mais

Política de Segurança da Informação

Política de Segurança da Informação Política de Segurança da Informação 29 de janeiro 2014 Define, em nível estratégico, diretivas do Programa de Gestão de Segurança da Informação. ÍNDICE 1 OBJETIVO... 3 2 PÚBLICO ALVO... 3 3 RESPONSABILIDADES

Leia mais

Segurança Estratégica da Informação ISO 27001, 27002 e 27005 Segunda Aula: ISO 27002

Segurança Estratégica da Informação ISO 27001, 27002 e 27005 Segunda Aula: ISO 27002 Segurança Estratégica da Informação ISO 27001, 27002 e 27005 Segunda Aula: ISO 27002 Prof. Dr. Eng. Fred Sauer fsauer@gmail.com http://www.fredsauer.com.br ISO 27002 (17799) Boas Práticas Objetivos d Fazem

Leia mais

ISO/IEC 17799. Informação

ISO/IEC 17799. Informação ISO/IEC 17799 Norma de Segurança da Norma de Segurança da Informação Segurança da Informação Segundo a norma ISO/IEC 17799, é a proteção contra um grande número de ameaças às informações, de forma a assegurar

Leia mais

1. A quebra de sistemas criptográficos simétricos sempre depende da descoberta da chave secreta utilizada no processo criptográfico.

1. A quebra de sistemas criptográficos simétricos sempre depende da descoberta da chave secreta utilizada no processo criptográfico. Exercícios da Parte II: Segurança da Informação Walter Cunha Criptografia (CESPE/PCF-PF 03 2002) 1. A quebra de sistemas criptográficos simétricos sempre depende da descoberta da chave secreta utilizada

Leia mais

UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA

UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA GERENCIAMENTO DE REDES Segurança Lógica e Física de Redes 2 Semestre de 2012 NORMAS ABNT ISSO/IEC 27001 E 27002 (Antiga ISSO/IEC 17799) A norma ISO/IEC 27001. A norma ISO/IEC

Leia mais

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO NBR ISO/IEC 27002: 2005 (antiga NBR ISO/IEC 17799) NBR ISO/IEC 27002:2005 (Antiga NBR ISO/IEC 17799); 27002:2013. Metodologias e Melhores Práticas em SI CobiT; Prof. Me. Marcel

Leia mais

Aula 02 ISO 27K Normas para Gestão da Segurança da Informação. Prof. Leonardo Lemes Fagundes

Aula 02 ISO 27K Normas para Gestão da Segurança da Informação. Prof. Leonardo Lemes Fagundes Aula 02 ISO 27K Normas para Gestão da Segurança da Informação Prof. Leonardo Lemes Fagundes A invencibilidade está na defesa; a possibilidade de vitória no ataque.quem se defende mostra que sua força é

Leia mais

Aula 05 Política de Segurança da Informação (Parte 01) Prof. Leonardo Lemes Fagundes

Aula 05 Política de Segurança da Informação (Parte 01) Prof. Leonardo Lemes Fagundes Aula 05 Política de Segurança da Informação (Parte 01) Prof. Leonardo Lemes Fagundes Comandar muitos é o mesmo que comandar poucos. Tudo é uma questão de organização. Controlar muitos ou poucos é uma mesma

Leia mais

Segurança e Auditoria de Sistemas

Segurança e Auditoria de Sistemas Segurança e Auditoria de Sistemas ABNT NBR ISO/IEC 27002 4. Análise, Avaliação e Tratamento de Riscos 1 Roteiro (1/1) Definições Análise e Avaliação de Riscos Tratamento de Riscos Matriz de Análise de

Leia mais

Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento. Douglas Farias Cordeiro

Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento. Douglas Farias Cordeiro Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento Douglas Farias Cordeiro ABNT NBR ISO/IEC 27002 Segurança nas operações Responsabilidades e procedimentos operacionais Assegurar a operação segura e correta

Leia mais

ABNT NBR ISO/IEC 27001

ABNT NBR ISO/IEC 27001 ABNT NBR ISO/IEC 27001 Para Dataprev e Senado 1/63 As Normas NBR ISO/IEC 27001 - Requisitos para implantar um SGSI NBR ISO/IEC 27002 - Práticas para a gestão de SI NBR ISO/IEC 27005 - Gestão de riscos

Leia mais

Segurança de Sistemas

Segurança de Sistemas Faculdade de Tecnologia Senac Curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas Segurança de Sistemas Edécio Fernando Iepsen (edeciofernando@gmail.com) Segurança em Desenvolvimento de Software Segurança do

Leia mais

Esta Política de Segurança da Informação se aplica no âmbito do IFBA.

Esta Política de Segurança da Informação se aplica no âmbito do IFBA. 00 dd/mm/aaaa 1/11 ORIGEM Instituto Federal da Bahia Comitê de Tecnologia da Informação CAMPO DE APLICAÇÃO Esta Política de Segurança da Informação se aplica no âmbito do IFBA. SUMÁRIO 1. Escopo 2. Conceitos

Leia mais

Política de. Segurança. Informação

Política de. Segurança. Informação Política de Segurança da Informação Diretrizes para a conduta adequada no manuseio, controle e proteção das informações contra a destruição, modificação, divulgação indevida e acessos não autorizados,

Leia mais

Tópico 28 e 29 Política de Segurança da Informação. Política de Segurança da Informação

Tópico 28 e 29 Política de Segurança da Informação. Política de Segurança da Informação Tópico 28 e 29 Política de Segurança da Informação Política de segurança da Informação. Metodologia de levantamento da política de segurança. Objetivos e responsabilidades sobre a implementação. Métodos

Leia mais

Classificação da Informação: Restrito Política de Segurança da Informação

Classificação da Informação: Restrito Política de Segurança da Informação Política de Segurança da Informação COPYRIGHT 2012 MONTREAL INFORMÁTICA LTDA. Todos os direitos reservados. Classificação da Informação: Restrito Então, o que é e qual o objetivo da Política de Segurança

Leia mais

GESTÃO DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (ISO 27001)

GESTÃO DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (ISO 27001) GESTÃO DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (ISO 27001) Graduação Tecnológica em Redes de Computadores. Professor Marco Antônio Chaves Câmara Agenda Introdução A norma 27001 Por quê um SGSI certificado? Como utilizar

Leia mais

Aula 01 Introdução à Gestão da Segurança da Informação. Prof. Leonardo Lemes Fagundes

Aula 01 Introdução à Gestão da Segurança da Informação. Prof. Leonardo Lemes Fagundes Aula 01 Introdução à Gestão da Segurança da Informação Prof. Leonardo Lemes Fagundes Você vê algumas informações e a maneira como as coisas são formuladas, e então começa a ter alguma compreensão da empresa

Leia mais

Teste: sua empresa está em conformidade com a ISO17799?

Teste: sua empresa está em conformidade com a ISO17799? 44 Novembro de 2002 Teste: sua empresa está em conformidade com a ISO17799? O artigo deste mês tem cunho prático e o objetivo de auxiliá-lo a perceber o grau de aderência de sua empresa em relação às recomendações

Leia mais

3 CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM OUVIDORIA PÚBLICA NATAL/RN. Segurança da Informação

3 CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM OUVIDORIA PÚBLICA NATAL/RN. Segurança da Informação 3 CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM OUVIDORIA PÚBLICA NATAL/RN Segurança da Informação 2 COMPETÊNCIAS DA DIRETORIA DE INFORMAÇÕES ESTRATÉGICAS produzir informações e conhecimentos estratégicos que possam subsidiar

Leia mais

5 CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM OUVIDORIA PÚBLICA JOÃO PESSOA/PB. Segurança da Informação

5 CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM OUVIDORIA PÚBLICA JOÃO PESSOA/PB. Segurança da Informação 5 CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM OUVIDORIA PÚBLICA JOÃO PESSOA/PB Segurança da Informação 2 COMPETÊNCIAS DA DIRETORIA DE INFORMAÇÕES ESTRATÉGICAS produzir informações e conhecimentos estratégicos que possam

Leia mais

ENTENDENDO A ISO 14000

ENTENDENDO A ISO 14000 UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA DE ALIMENTOS CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS ENTENDENDO A ISO 14000 Danilo José P. da Silva Série Sistema de Gestão Ambiental Viçosa-MG/Janeiro/2011

Leia mais

Análise do sistema ACESSO com base nas normas ABNT NBR ISO/IEC 27001 e 27002

Análise do sistema ACESSO com base nas normas ABNT NBR ISO/IEC 27001 e 27002 Análise do sistema ACESSO com base nas normas ABNT NBR ISO/IEC 27001 e 27002 Guilherme Soares de Carvalho guilherme.soares-carvalho@serpro.gov.br Serviço Federal de Processamento de Dados SGAN 601 - Módulo

Leia mais

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc PMP, PMI-RMP, PMI-ACP, CSM, ITIL & CobiT Certified Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP Especializações Certificações Mestre em Informática

Leia mais

CRITÉRIOS ADICIONAIS PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (ISO/IEC 27006:2011) - OTS

CRITÉRIOS ADICIONAIS PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (ISO/IEC 27006:2011) - OTS CRITÉRIOS ADICIONAIS PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (ISO/IEC 276:2011) - OTS NORMA Nº NIT-DICOR-011 APROVADA EM MAR/2013 Nº 01/46 SUMÁRIO

Leia mais

Tecnologia da Informação Técnicas de Segurança Sistemas de gestão da segurança da informação - Requisitos

Tecnologia da Informação Técnicas de Segurança Sistemas de gestão da segurança da informação - Requisitos PROJETO ABNT NBR ISO/IEC 27001 Tecnologia da Informação Técnicas de Segurança Sistemas de gestão da segurança da informação - Requisitos APRESENTAÇÃO 1) Este Projeto de Revisão foi elaborado pela Comissão

Leia mais

ISO 9000 para produção de SOFTWARE

ISO 9000 para produção de SOFTWARE ISO 9000 para produção de SOFTWARE A expressão ISO 9000 designa um grupo de normas técnicas que estabelecem um modelo de gestão da qualidade para organizações em geral, qualquer que seja o seu tipo ou

Leia mais

MATC99 Segurança e Auditoria de Sistemas de Informação

MATC99 Segurança e Auditoria de Sistemas de Informação MATC99 Segurança e Auditoria de Sistemas de Informação Gestão de Segurança da Informação (Normas ISO 27001 e 27002) Italo Valcy Italo Valcy Seg e Auditoria de SI, 2013.1 Licença de

Leia mais

TRANSQUALIT GERENCIAMENTO DE RISCOS

TRANSQUALIT GERENCIAMENTO DE RISCOS TRANSQUALIT Transqualit GRIS GERENCIAMENTO DE RISCOS INTRODUÇÃO Organizações de todos os tipos estão cada vez mais preocupadas em atingir e demonstrar um desempenho em termos de gerenciamento dos riscos

Leia mais

SPED Sistema Público de Escrituração Fiscal CONTROLES MÍNIMOS PARA A SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Prof. Ms. Edison Fontes, CISM, CISA, CRISC

SPED Sistema Público de Escrituração Fiscal CONTROLES MÍNIMOS PARA A SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Prof. Ms. Edison Fontes, CISM, CISA, CRISC NUCLEO CONSULTORIA EM SEGURANÇA Artigo SPED Sistema Público de Escrituração Fiscal CONTROLES MÍNIMOS PARA A SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO BRASIL, São Paulo Novembro, 2013 V.1.0 1. RESUMO Este artigo apresenta

Leia mais

ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA

ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA SUMÁRIO Apresentação ISO 14001 Sistema de Gestão Ambiental Nova ISO 14001 Principais alterações e mudanças na prática Estrutura de alto nível Contexto

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Porto Alegre Aula 1

Faculdade de Tecnologia SENAI Porto Alegre Aula 1 Faculdade de Tecnologia SENAI Porto Alegre Aula 1 Prof. Me. Humberto Moura humberto@humbertomoura.com.br Evolução da TI Postura TI Níveis de TI Princípios de TI (papel da TI perante o negócio) Arquitetura

Leia mais

Qualidade. Introdução à Administração de Empresas. Prof. Luiz Antonio 01/03/2007

Qualidade. Introdução à Administração de Empresas. Prof. Luiz Antonio 01/03/2007 Introdução à Administração de Empresas Prof. Luiz Antonio 01/03/2007 Histórico Era Artesanal (séc. XIX) Etapas da produção controladas pelo artesão. Compra dos materiais e insumos Acabamento Entrega do

Leia mais

ABNT NBR ISO/IEC 17021

ABNT NBR ISO/IEC 17021 NORMA BRASILEIRA ABNT NBR ISO/IEC 17021 Primeira edição 19.03.2007 Válida a partir de 19.04.2007 Versão corrigida 03.09.2007 Avaliação de conformidade Requisitos para organismos que fornecem auditoria

Leia mais

Tecnologia da informação Técnicas de segurança Sistemas de gestão de segurança da informação Requisitos

Tecnologia da informação Técnicas de segurança Sistemas de gestão de segurança da informação Requisitos DEZ 2005 Projeto 21:204.01-012 ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas Tecnologia da informação Técnicas de segurança Sistemas de gestão de segurança da informação Requisitos Sede: Rio de Janeiro

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO DEFENDA BUSINESS PROTECTION SERVICES & SOLUTIONS Direitos Autorais Este documento contém informações de propriedade da Defenda Business Protection Services & Solutions.

Leia mais

07/IN01/DSIC/GSIPR 00 06/MAI/10 2/8 1. OBJETIVO

07/IN01/DSIC/GSIPR 00 06/MAI/10 2/8 1. OBJETIVO 07/IN01/DSIC/GSIPR 00 06/MAI/10 1/8 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Gabinete de Segurança Institucional Departamento de Segurança da Informação e Comunicações DIRETRIZES PARA IMPLEMENTAÇÃO DE CONTROLES DE ACESSO

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO PARA SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL - ESPECIFICAÇÃO

SISTEMAS DE GESTÃO PARA SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL - ESPECIFICAÇÃO OHSAS 18001 SISTEMAS DE GESTÃO PARA SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL - ESPECIFICAÇÃO IMPORTANTE: A BSI-OHSAS 18001 não é uma Norma Britânica. A BSI-OHSAS 18001 será cancelada quando da inclusão do seu conteúdo

Leia mais

Surgimento da ISO 9000 Introdução ISO 9000 ISO 9001 serviços 1. ABNT NBR ISO 9000:2000 (já na versão 2005):

Surgimento da ISO 9000 Introdução ISO 9000 ISO 9001 serviços 1. ABNT NBR ISO 9000:2000 (já na versão 2005): Surgimento da ISO 9000 Com o final do conflito, em 1946 representantes de 25 países reuniram-se em Londres e decidiram criar uma nova organização internacional, com o objetivo de "facilitar a coordenação

Leia mais

Gestão de Incidentes de Segurança da Informação - Coleta de evidências

Gestão de Incidentes de Segurança da Informação - Coleta de evidências Gestão de Incidentes de Segurança da Informação - Coleta de evidências Incidente de SI Ação de Acompanhamento contra pessoa/organização Envolvendo ação legal (civil ou criminal) Evidências coletadas, armazenadas

Leia mais

OHSAS-18001:2007 Tradução livre

OHSAS-18001:2007 Tradução livre SISTEMAS DE GESTÃO DE SAÚDE E SEGURANÇA OCUPACIONAL - REQUISITOS (OCCUPATIONAL HEALTH AND SAFETY MANAGEMENT SYSTEMS - REQUIREMENTS) OHSAS 18001:2007 Diretrizes para o uso desta tradução Este documento

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br. Prof. José Maurício S. Pinheiro - UGB - 2009

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br. Prof. José Maurício S. Pinheiro - UGB - 2009 PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Auditoria i e Análise de Segurança da Informação Segurança e Confiabilidade Prof. José Maurício S. Pinheiro - UGB - 2009 Dados e Informação Dado é a unidade básica

Leia mais

Política de Sistemas Corporativos e Serviços da Rede Governamental

Política de Sistemas Corporativos e Serviços da Rede Governamental Dezembro de 2006 1.0 02/12/2006-2 - Índice 1 Objetivo... 3 2 Abrangência... 3 3 Considerações Gerais... 4 4 Exigências de Segurança para sistemas governamentais... 4 4.1 Exigências dos Níveis de Segurança...

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software Qualidade de Software Prof. Sam da Silva Devincenzi sam.devincenzi@gmail.com ISO International Organization for Standardization Organização não governamental que elabora normas internacionais, que visam

Leia mais

ORIGEM Departamento de Segurança da Informação e Comunicações

ORIGEM Departamento de Segurança da Informação e Comunicações 07/IN01/DSIC/GSIPR 01 15/JUL/14 1/9 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Gabinete de Segurança Institucional Departamento de Segurança da Informação e Comunicações DIRETRIZES PARA IMPLEMENTAÇÃO DE CONTROLES DE ACESSO

Leia mais

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras. Tópicos Especiais

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras. Tópicos Especiais Núcleo de Pós Graduação Pitágoras Professor: Fernando Zaidan Disciplina: Arquitetura da Informática e Automação MBA Gestão em Tecnologia da Informaçao Tópicos Especiais Junho - 2008 Referências Acessos

Leia mais

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc PMP, PMI-RMP, PMI-ACP, CSM, ITIL & CobiT Certified Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP Especializações Certificações Mestre em Informática

Leia mais

QUALIDADE DE SOFTWARE

QUALIDADE DE SOFTWARE QUALIDADE DE SOFTWARE Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Questão 1 A ISO 9000-3 é um guia para a aplicação da ISO 9001 para o desenvolvimento, fornecimento e manutenção de software. As

Leia mais

Questões Comentadas ISO 270022

Questões Comentadas ISO 270022 2012 Questões Comentadas ISO 270022 Lhugojr Versão 1.0 09/12/2012 0 Introduça ovale ressaltar que alguns comenta rios sobre as questo es foram retiradas das seguintes fontes: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO -

Leia mais

4.1 Analisando / avaliando os riscos de segurança da informação.

4.1 Analisando / avaliando os riscos de segurança da informação. 4.Analise / avaliação e tratamento de riscos. Devemos identificar os riscos de segurança e depois priorizar cada risco com base nos critérios, verificar o que é mais critico para a empresa. Deve-se fazer

Leia mais

FACULDADE BARÃO DE RIO BRANCO UNINORTE CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA - TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO 1 (AULA

FACULDADE BARÃO DE RIO BRANCO UNINORTE CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA - TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO 1 (AULA FACULDADE BARÃO DE RIO BRANCO UNINORTE CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA - TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO 1 (AULA 04) O que é uma Norma Aquilo que se estabelece como base ou medida para a realização

Leia mais

GoodPriv@cy. Regulamento dos Requisitos do Selo de Proteção de Dados

GoodPriv@cy. Regulamento dos Requisitos do Selo de Proteção de Dados GoodPriv@cy Regulamento dos Requisitos do Selo de Proteção de Dados Publicação: Versão 3.0 Janeiro de 2007 Origem: Este documento é equivalente ao GoodPriv@cy Regulations relating to requirements of the

Leia mais

ISO 9000. Padronização de todos os processos que afectam o produto e consequentemente o cliente;

ISO 9000. Padronização de todos os processos que afectam o produto e consequentemente o cliente; ISO 9000 A série ISO 9000 é uma concentração de normas que formam um modelo de gestão da Qualidade para organizações que podem, se desejarem, certificar seus sistemas de gestão através de organismos de

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO. Requisitos e Diretrizes para a Integração de Sistemas de Gestão PAS 99:2012

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO. Requisitos e Diretrizes para a Integração de Sistemas de Gestão PAS 99:2012 Risk Tecnologia Coleção Risk Tecnologia SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO Requisitos e Diretrizes para a Integração de Sistemas de Gestão PAS 99:2012 Aplicável às Atuais e Futuras Normas ISO 9001, ISO 14001,

Leia mais

NORMA DE SEGURANÇA PARA A UNIFAPNET

NORMA DE SEGURANÇA PARA A UNIFAPNET NORMA DE SEGURANÇA PARA A UNIFAPNET 1. Objetivo As Normas de Segurança para a UNIFAPnet têm o objetivo de fornecer um conjunto de Regras e Recomendações aos administradores de rede e usuários, visando

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQUENTES CERTIFICAÇÃO NBR ISO/IEC 27001

PERGUNTAS MAIS FREQUENTES CERTIFICAÇÃO NBR ISO/IEC 27001 PERGUNTAS MAIS FREQUENTES CERTIFICAÇÃO NBR ISO/IEC 27001 Através da vasta experiência, adquirida ao longo dos últimos anos, atuando em Certificações de Sistemas de Gestão, a Fundação Vanzolini vem catalogando

Leia mais

RAPHAEL MANDARINO JUNIOR Diretor do Departamento de Segurança da Informação e Comunicações

RAPHAEL MANDARINO JUNIOR Diretor do Departamento de Segurança da Informação e Comunicações 16/IN01/DSIC/GSIPR 00 21/NOV/12 1/8 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Gabinete de Segurança Institucional Departamento de Segurança da Informação e Comunicações DIRETRIZES PARA DESENVOLVIMENTO E OBTENÇÃO DE SOFTWARE

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 32/2014 Institui a política de segurança da informação da UFPB, normatiza procedimentos com esta finalidade e

Leia mais

Governança de TI utilizando o modelo do COBIT

Governança de TI utilizando o modelo do COBIT Curso e- Learning Governança de TI utilizando o modelo do COBIT O conteúdo deste curso contem marcas registradas de outras organizações nas quais as propriedades são citadas ao logo do curso sem infringir

Leia mais

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. Política de Segurança da Informação

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. Política de Segurança da Informação SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Política de Segurança da Informação A informação é o elemento básico para que a evolução aconteça e o desenvolvimento humano se realize de forma completa (COURY, 2001). Para Campos,

Leia mais

22301 Lead Auditor. Certified. Bringing value to you! ANSI Accredited Program FORMAÇÃO EM CONTINUIDADE DE NEGÓCIO

22301 Lead Auditor. Certified. Bringing value to you! ANSI Accredited Program FORMAÇÃO EM CONTINUIDADE DE NEGÓCIO ANSI Accredited Program BEHAVIOUR ISO Lead Auditor Bringing value to you! AUDITAR SISTEMAS DE GESTÃO DE CONTINUIDADE DE NEGÓCIO () BASEADOS NA NORMA ISO Sobre o curso Este curso intensivo com duração de

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Objeto. 2. Antecedentes. 3. Objeto da Licitação

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Objeto. 2. Antecedentes. 3. Objeto da Licitação TERMO DE REFERÊNCIA 1. Objeto 1.1. Contratação de empresa especializada em auditoria de tecnologia da informação e comunicações, com foco em segurança da informação na análise de quatro domínios: Processos

Leia mais

Projeto 21:204.01-010. Tecnologia da informação - Código de prática para a gestão da segurança da informação

Projeto 21:204.01-010. Tecnologia da informação - Código de prática para a gestão da segurança da informação ABR 2001 Projeto 21:204.01-010 ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas Tecnologia da informação - Código de prática para a gestão da segurança da informação Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio,

Leia mais

I S O ISO? NORMA ISO 9002 NORMA ISO 9002 NORMA ISO 9002 ISO SÉRIE 9000? BUROCRACIA? GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE

I S O ISO? NORMA ISO 9002 NORMA ISO 9002 NORMA ISO 9002 ISO SÉRIE 9000? BUROCRACIA? GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE ISO? ITÁLIA CANADÁ ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL, NÃO GOVERNAMENTAL, QUE ELABORA NORMAS. FAZEM PARTE DA ISO ENTIDADES DE NORMALIZAÇÃO DE MAIS DE UMA CENTENA DE PAÍSES. JAPÃO EUA I S O INGLATERRA ALEMANHA BRASIL

Leia mais

I S O ISO? NORMA ISO 9002 NORMA ISO 9002 ISO SÉRIE 9000? GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE

I S O ISO? NORMA ISO 9002 NORMA ISO 9002 ISO SÉRIE 9000? GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE ISO? ITÁLIA CANADÁ ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL, NÃO GOVERNAMENTAL, QUE ELABORA NORMAS. FAZEM PARTE DA ISO ENTIDADES DE NORMALIZAÇÃO DE MAIS DE UMA CENTENA DE PAÍSES. JAPÃO EUA I S O INGLATERRA ALEMANHA BRASIL

Leia mais

Bruno Anselmo Guilhen. Complemento MPU MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO. TÉCNICO DE INFORMÁTICA Conhecimentos Básicos e Específicos.

Bruno Anselmo Guilhen. Complemento MPU MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO. TÉCNICO DE INFORMÁTICA Conhecimentos Básicos e Específicos. Bruno Anselmo Guilhen Complemento MPU MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO TÉCNICO DE INFORMÁTICA Conhecimentos Básicos e Específicos Nível Médio 2010 Vestcon Editora Ltda. Todos os direitos autorais desta obra

Leia mais

Os requisitos de SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO dentro de uma organização passaram por duas mudanças importantes nas últimas décadas:

Os requisitos de SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO dentro de uma organização passaram por duas mudanças importantes nas últimas décadas: $XWDUTXLD(GXFDFLRQDOGR9DOHGR6mR)UDQFLVFR± $(96) )DFXOGDGHGH&LrQFLDV6RFLDLVH$SOLFDGDVGH3HWUROLQD± )$&$3( &XUVRGH&LrQFLDVGD&RPSXWDomR 6(*85$1d$($8',725,$'(6,67(0$6 ³6HJXUDQoDGH,QIRUPDo}HV &\QDUD&DUYDOKR

Leia mais

Segurança da Informação - Diretrizes para classificação, rotulação e tratamento da informação

Segurança da Informação - Diretrizes para classificação, rotulação e tratamento da informação Segurança da Informação - Diretrizes para classificação, rotulação e tratamento da informação APRESENTAÇÃO 1) Este 1º Projeto de Norma foi elaborado pela Comissão de Estudo de Segurança da Informação (CE-21:027.00)

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ICA 7-19 PRECEITOS DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO PARA O DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO 2012 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA

Leia mais

Curso de Tecnologia em Redes de Computadores Auditoria e Análise de Segurança da Informação - 4º período Professor: José Maurício S.

Curso de Tecnologia em Redes de Computadores Auditoria e Análise de Segurança da Informação - 4º período Professor: José Maurício S. Disciplina: Curso de Tecnologia em Redes de Computadores Auditoria e Análise de Segurança da Informação - 4º período Professor: José Maurício S. Pinheiro AULA 4: Trilhas de Auditoria Existe a necessidade

Leia mais

Prof. Dr. Ivanir Costa. Unidade III QUALIDADE DE SOFTWARE

Prof. Dr. Ivanir Costa. Unidade III QUALIDADE DE SOFTWARE Prof. Dr. Ivanir Costa Unidade III QUALIDADE DE SOFTWARE Normas de qualidade de software - introdução Encontra-se no site da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) as seguintes definições: Normalização

Leia mais

3 Política institucional de segurança da informação da Cooperativa Crédito Mutuo dos Praças e Oficiais da PMESP Cooperacs - SP

3 Política institucional de segurança da informação da Cooperativa Crédito Mutuo dos Praças e Oficiais da PMESP Cooperacs - SP Título : Política institucional de segurança da informação. Capítulo : Índice Seção : Capítulo Seção Item Descrição 3 Política institucional de segurança da informação da Cooperativa Crédito Mutuo dos

Leia mais

Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento. Douglas Farias Cordeiro

Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento. Douglas Farias Cordeiro Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento Douglas Farias Cordeiro ABNT NBR ISO/IEC 27002 Aquisição, desenvolvimento e manutenção de sistemas de informação O desenvolvimento de um SI Ciclo de desenvolvimento

Leia mais

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov. TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008 Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.br 11 3104-0988 Este treinamento tem por objetivo capacitar os participantes para

Leia mais

ISO 14000. ISO 14000 Edição Junho / 2006 - Rev.0 C-1

ISO 14000. ISO 14000 Edição Junho / 2006 - Rev.0 C-1 MÓDULO C REQUISITOS DA NORMA AMBIENTAL ISO 14001 ISO 14000 Edição Junho / 2006 - Rev.0 C-1 REQUISITOS DA NORMA AMBIENTAL ISO 14001/04 Sumário A.) A Organização ISO...3 B.) Considerações sobre a elaboração

Leia mais