Classificação da Informação: Restrito Política de Segurança da Informação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Classificação da Informação: Restrito Política de Segurança da Informação"

Transcrição

1 Política de Segurança da Informação COPYRIGHT 2012 MONTREAL INFORMÁTICA LTDA. Todos os direitos reservados.

2 Classificação da Informação: Restrito Então, o que é e qual o objetivo da Política de Segurança da Informação da Montreal? Este documento, denominado Política de Segurança da Informação, orienta e estabelece as diretrizes da Montreal a fim de garantir a segurança e proteção dos ativos de informação, bem como a prevenção quanto à responsabilidade legal para os usuários de sistemas de processamento de dados. Este documento é baseado na norma ISO/IEC 27001:2005 e está em concordância com as leis brasileiras vigentes. A Política de Segurança da Informação tem por objetivo: Iniciando O QUE É INFORMAÇÃO? Segundo o dicionário, informação é: Ato ou efeito de informar. / Notícia (dada ou recebida). / Esclarecimento dado para verificar um fato.. Lembrando que dados por si só, são apenas códigos, sem significado algum, a informação é uma coleção de dados devidamente tratados que representam algum significado. A informação possui várias formas: Imagens, textos, palavras faladas, etc. A informação possui valores dependendo do interesse. O QUE É SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO? Se a informação contém várias formas, dependendo de como é transmitida, e possui valores diferentes de acordo com os interessados, a segurança da informação diz respeito à garantia da proteção dessa informação. Minimizar os riscos, maximizar o retorno sobre o investimento e as oportunidades de negócio, além de assegurar, sempre que possível, que: - Os ativos da organização e os dados de seus clientes estejam seguros contra perdas advindas de roubo, fraude, danos acidentais/provocados ou quebra de privacidade/ confiança; - Um ambiente de trabalho seguro e de boa qualidade seja disponibilizado para seus profissionais, de forma a facilitar o desempenho de suas funções; - A organização esteja protegida contra danos ou penalidades resultantes do uso de seus ativos para propósitos contrários à legislação brasileira ou normas e estatutos da Montreal; - Acesso não autorizado, dano e interferência às informações e instalações físicas da organização sejam prevenidos. De qualquer forma, segurança da informação envolve a definição, implantação, manutenção e avaliação de forma a garantir a integridade, disponibilidade e confidencialidade de informações, sejam elas manuais ou informatizadas. Política de Segurança da Informação Montreal

3 Quem é responsável pela Política de Segurança? A adoção de um SGSI deve ser uma decisão estratégica para uma organização. A especificação e implementação do SGSI de uma organização são influenciadas pelas suas necessidades e objetivos, exigências de segurança, os processos empregados e o tamanho e estrutura da organização. Como acessar a política de segurança? A política de segurança da Montreal pode ser acessada através do CPP opção: Política de Segurança. A área de GRC (Governança, Riscos e Compliance) é responsável por manter, atualizar e divulgar a política de segurança e, além disso, buscar recursos junto à alta gestão da Montreal para mitigar riscos e ameaças. Porém é de responsabilidade de todos os profissionais da empresa o cumprimento das normas e controles contidos nessa política. É importante também mencionar que a política de segurança foi baseada num padrão para sistemas de gestão da segurança da informação (ISMS - Information Security Management System) publicado em outubro de 2005 pelo International Organization for Standardization e pelo International Electrotechnical Commision. Seu nome completo é ISO/IEC 27001: Tecnologia da informação - técnicas de segurança - sistemas de gerência da segurança da informação - requisitos, mas conhecido como apenas ISO Esta norma foi elaborada para prover um modelo para estabelecer, implementar, operar, monitorar, revisar, manter e melhorar um Sistema de Gestão de Segurança da Informação (SGSI).

4 Análise, avaliação e tratamento de riscos Para pensar... Casas são construídas com portas e janelas, no entanto, cabe a você decidir se essas portas e janelas estarão fechadas e trancadas. Essa decisão é tomada como base no hábito ou numa consideração ao risco. Com base nessa consideração acima, o Gerenciamento de Riscos da organização tem enfoque em identificar, propor soluções e mitigar os riscos para a segurança da informação, buscando subsídios para prover um ambiente que traga confidencialidade, integridade e disponibilidade da informação. O Gerenciamento de riscos é feito através do portal GRC (http://portal.montreal.com.br/grc), sendo de responsabilidade da Coordenação de Governança, Risco e Compliance seu gerenciamento, atualização e divulgação, além de buscar recursos junto à alta gestão para mitigação dos riscos. O controle de tratamento dos riscos apontados pelo GRC é feito através de sistema de Service Desk, sendo acompanhado pela equipe de GRC e Grupo de Segurança.

5 Nossa política de segurança possui controles a fim de manter a empresa longe de ameaças. Organização da segurança da informação Para existência de uma política de segurança a diretoria deve apoiá-la, e isso acontece na Montreal. Dessa forma possuímos disponibilidade de recursos que suportam todas as ações e controles propostos em nossa política. Também a fim de organizar a segurança da informação, todos os recursos utilizados para acesso à informação devem possuir controle de acesso e/ou acesso restrito exatamente às pessoas que necessitam, sejam elas colaboradores, terceiros, etc. Toda concessão de acesso a recursos ou informação direta, deve ser autorizado previamente. Acordos de confidencialidade devem ser realizados entre empresa e colaboradores, terceiros, fornecedores e outros que de alguma forma estarão envolvidos com dados internos e/ou de clientes. Atualmente a área de GRC busca recursos junto à alta gestão da Montreal para mitigar riscos e ameaças. Além disso, dispomos de um grupo de segurança (Security Team) que foi criado a fim de que todas as atividades de segurança da informação sejam coordenadas por representantes de diferentes áreas da organização, inclusive alta gestão. Os proprietários das informações (geradores de informação) possuem responsabilidade sobre elas e devem se comprometer de acordo com a política de segurança. Esses acordos são legais (perante a lei) e garantem às partes envolvidas a não divulgação de informações cobertas por tais acordos. Um relacionamento confidencial entre as partes é criado justamente para proteger qualquer tipo de segredo comercial. Divulgar informações restritas e confidenciais não é permitido e, além disso, tal atitude é passível de medidas administrativas e judiciais.

6 Para Pensar... O uso consciente de ativos da empresa ( s, internet, impressoras, etc.) é o exercício de boa conduta e cumprimento da política de segurança. Todos os usuários de recursos de processamento da informação devem seguir regras claras para o uso de informações e ativos da organização. As pessoas são os principais ativos das empresas. Gerenciamento de ativos O QUE É UM ATIVO, AFINAL DE CONTAS?... Por definição, os ativos são todos os bens e direitos que a empresa possui e que possam ser valorizados em termos financeiros. Qualquer recurso que a organização utiliza para alcançar os objetivos do negócio. Qualquer coisa que tenha valor para a organização. Exemplos de ativos: Dinheiro em caixa, Conta no banco, Mercadorias, Prédio da empresa, Terrenos, Mobília, Direitos autorais, Marca, pessoas e INFORMAÇÃO, dentre outros. Para manter todos esses ativos (físicos ou não) cria-se controles para tanto, daí a necessidade de gerenciá-los. Dessa forma devemos: Definir claramente os proprietários pelos ativos da organização e suas responsabilidades; Definir claramente as regras para que seja permitido o uso de informações e de ativos associados.

7 Gerenciamento de ativos (continuação) Bom, diante da gestão de ativos e se tratando de informação (como a própria política sugere assegurar a Informação) então é sugerido também que TODA informação na empresa seja classificada. MAS, O QUE É E PARA QUE CLASSIFICAR A INFORMAÇÃO? Em geral, a classificação dada à informação é uma maneira de determinar como esta informação vai ser tratada e protegida, identificando sua criticidade para o negócio e garantindo sua: - Confidencialidade: garantir que a informação seja acessível somente para aqueles que tenham autorização. - Integridade: garantir que um conteúdo específico não seja alterado acidentalmente ou por pessoas mal intencionadas. - Disponibilidade: garantir que os usuários autorizados tenham acesso às informações e ativos associados quando necessário. É muito importante considerar que, para classificação de uma informação o responsável deve conhecê-la a fim de não produzir um rótulo erroneamente.

8 Ninguém consegue sabotar um programa de qualidade mais depressa do que um profissional que não se engaja. Segurança em Recursos Humanos Durante a contratação de colaboradores, fornecedores e terceiros é firmado um acordo que menciona esta política, de forma a fornecer diretrizes sobre os papéis e responsabilidades pela segurança da informação. A Gerência Administrativa é responsável e tem autoridade para assegurar um tratamento justo e correto aos colaboradores que são suspeitos de ter violado as políticas e procedimentos de segurança organizacional. Além disso, a gerência administrativa é responsável, por ocasião, do encerramento ou mudança de contratação de colaboradores, fornecedores e terceiros, de efetivar a rescisão, e em conjunto com o responsável controlar a devolução dos ativos e a retirada de todos os acessos. É importante mencionar que a revogação dos acessos, bem como o recolhimento de todos os ativos está suportada por essa política quando da utilização de informações de propriedade da Montreal. A Montreal, por meio dessa política, assegura que os colaboradores, fornecedores e terceiros estão conscientes de suas responsabilidades e obrigações, e estão preparados para apoiar esta política durante suas atividades, e para reduzir o risco de erro humano. Para tanto, treinamentos e conscientização são fornecidos aos colaboradores de acordo com políticas e procedimentos organizacionais, relevantes para as suas funções. Quem não mede não gerencia. Quem não gerencia não melhora.

9 Segurança Física e do Ambiente A escolha da localização da empresa teve como premissa a segurança, sendo assim, a Montreal adota medidas de segurança quanto a: Segurança e Monitoramento, Detecção e Prevenção a incêndio e controle de Acesso Físico. O acesso às áreas restritas é controlado por identificação visual, através de cores, combinado com biometria e tarjas magnéticas (Crachá de identificação). Se liga nessa!... Utilizar da oportunidade de uma porta estar aberta, após registro de acesso de um profissional, não lhe dá o direito de ultrapassá-la, ou seja, é proibido carona para obter acesso às áreas restritas. Caso algum visitante necessite de acesso a essas áreas o acesso deve ser autorizado pelo grupo de segurança, retirado crachá próprio junto à recepção, registrado o acesso em planilha de controle e estar acompanhado por um colaborador que tenha acesso à área. Outra preocupação quanto à segurança física é a divulgação de procedimento para trabalhar em áreas restritas: Uso obrigatório do Crachá; Não utilizar Celular e Câmeras; Não utilizar Sandálias; Não utilizar Jaquetas; Não pegar carona em acessos às áreas restritas. E por fim, a existência de: Procedimentos de Portarias e Carga/Descarga; Proteção Física contra Incêndio, enchentes e perturbações; Sistema de Detecção e Prevenção de Incêndio; Segurança de equipamentos interno/externo; Procedimentos de Entrada/Saída de Equipamentos; Procedimentos de Descarte de equipamentos.

10 Gerenciamento das Operações e Comunicações Já falamos sobre a existência de procedimentos que tendem diminuir riscos quanto à segurança física e do ambiente da empresa e agora destacamos o gerenciamento das operações e comunicações na Montreal. Para uma melhor gestão das operações e comunicações dentro da empresa e cumprimento de controles de segurança contamos com: Gerenciamento de Mídias Removíveis; Política de Mesa Limpa; Concessão de acesso; Melhores práticas de uso de senha; Revisão de direitos de acesso; Conexões Remotas; Logon Seguro; Acesso Administrativo; Segurança em dispositivos móveis. Quando gerenciamos as operações limitando o uso de mídias removíveis, acesso, conexões remotas, dentre outros, estamos prevenindo que informações sejam acessadas por pessoas não autorizadas. Para pensar... Uma política de segurança pode possuir milhões de controles, porém, se um deles depender de pessoas podemos concluir que este é o de maior risco/impacto em relação à informação. O pilar mais fraco da segurança da informação são as pessoas. Quais os riscos associados ao depararmos com uma posição de trabalho conforme abaixo? Por que esse gerenciamento das operações e comunicações? Se você não conseguiu identificar pelo menos 01 erro evidente, está na hora de você rever o controle POLÍTICA DE MESA LIMPA E TELA LIMPA de nossa política de segurança. Nessa imagem, existem pelo menos 20 erros que impactam diretamente na confidencialidade, integridade e ou disponibilidade da informação.

11 Gerenciamento das Operações e Comunicações (continuação) Você ainda acha que não tem nada errado?.

12 Controle de acesso Quando falamos de informações sensíveis ou confidenciais ou até mesmo informações restritas, todo cuidado é pouco para que a integridade destas não seja comprometida. Dessa forma, outro pilar de controles é atribuído à política de segurança da informação: o controle de acesso tanto aos recursos quanto ativos de informações. Surge então: Política de controle de acesso; Registro de concessão e revogação de acesso; Gerenciamento de privilégios nos acessos; Geração de Log de atividades; Segregação de funções; dentre outros. Não podemos deixar de evidenciar que os acessos podem ser realizados por meios externos ou através de ataques de hackers, spybots, botnets, spams e métodos de phishing. Tudo isso acontece com a intenção de se obter ou destruir informações sensíveis sem o consentimento da empresa. Como forma de controle de acesso a sistemas, tecnologias e procedimentos são configurados para impedir tais ações. Gerenciamento de mudanças; Segregação de Ambientes (Prod./Desen./Homolog.); Controle sobre códigos maliciosos; Política de Backup; Auditoria (Logs); Sincronização de Relógios; Controles de Rede (NAP, RDP, IDS, WIFI, CACTI); Criptografia para links de comunicação; Descarte de Mídias; Regras de uso de Messenger, Web Mail, White List. Controle de Vulnerabilidades (WSUS); Scan de Vulnerabilidades.

13 E se após implantação de todos esses controles descritos anteriormente, houver uma falha? Ou seja, e se mesmo havendo política de segurança acontecer um incidente de segurança?. Gerenciamento de Incidentes de Segurança e Melhorias Todos os colaboradores, fornecedores e terceiros são orientados a registrar e notificar qualquer observação ou suspeita de fragilidade em sistemas ou serviços. A análise de incidentes é feita a partir dos registros realizados pelo software de Service Desk, onde o workflow implantado tem como setor de finalização os setores de GRC e/ou Qualidade, que analisam as ocorrências e fornecem o tratamento devido. Adicionalmente, para o gerenciamento de incidentes, existem procedimentos referentes à coleta e armazenagem de evidências (sejam elas físicas ou eletrônicas) para casos de necessidade de ações após um incidente de segurança da informação.

14 Bom, então é isso. Esse documento foi preparado com a simples intenção de instruí-lo quanto a nossa política de segurança e colaborar para que nosso trabalho seja sempre executado com qualidade e... SEGURANÇA. Maiores detalhes sobre os controles de segurança podem ser adquiridos através do Manual de Segurança da informação, disponível no portal corporativo: https://portal.montreal.com.br/grc Montreal Informática Ltda. Av. Prof. Magalhães Penido, 77 Pampulha, Belo HorizonteMG Brasil

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa Aécio Costa A segurança da informação é obtida a partir da implementação de um conjunto de controles adequados, incluindo políticas, processos, procedimentos, estruturas organizacionais e funções de software

Leia mais

Segurança Estratégica da Informação ISO 27001, 27002 e 27005 Segunda Aula: ISO 27002

Segurança Estratégica da Informação ISO 27001, 27002 e 27005 Segunda Aula: ISO 27002 Segurança Estratégica da Informação ISO 27001, 27002 e 27005 Segunda Aula: ISO 27002 Prof. Dr. Eng. Fred Sauer fsauer@gmail.com http://www.fredsauer.com.br ISO 27002 (17799) Boas Práticas Objetivos d Fazem

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Sistemas de Informação Segurança da Informação Norma: ISO/IEC NBR 27001 e ISO/IEC NBR 27002 Norma: ISO/IEC NBR 27001 e ISO/IEC NBR 27002 Histórico O BSi (British Standard Institute) criou a norma BS 7799,

Leia mais

Política de segurança da INFORMAÇÃO

Política de segurança da INFORMAÇÃO Política de segurança da INFORMAÇÃO 1 - VISÃO GERAL Esse documento apoia o SGSI e se aplica a todos os empregados, estagiários e terceiros que utilizam as informações da Montreal de forma a atender: As

Leia mais

Código de prática para a gestão da segurança da informação

Código de prática para a gestão da segurança da informação Código de prática para a gestão da segurança da informação Edição e Produção: Fabiano Rabaneda Advogado, professor da Universidade Federal do Mato Grosso. Especializando em Direito Eletrônico e Tecnologia

Leia mais

A ISO 17799 esta dividida em 12 seções da seguinte forma: 1. Objetivo da norma. 2. Termos e definições: 3. Poĺıtica de segurança.

A ISO 17799 esta dividida em 12 seções da seguinte forma: 1. Objetivo da norma. 2. Termos e definições: 3. Poĺıtica de segurança. A 17799 se refere a mecanismos organizacionais para garantir a segurança da informação. Não é uma norma que define aspectos técnicos de nenhuma forma, nem define as características de segurança de sistemas,

Leia mais

Proteger a informação de uma ameaça inclui evitar o seu corrompimento, o seu acesso às pessoas não autorizadas e seu furto ou deleção indevida.

Proteger a informação de uma ameaça inclui evitar o seu corrompimento, o seu acesso às pessoas não autorizadas e seu furto ou deleção indevida. Segurança da Informação é a proteção das informações contra os vários tipos de ameaças as quais estão expostas, para garantir a continuidade do negócio, minimizar o risco ao negócio, maximizar o retorno

Leia mais

Proteger as informações da empresa para a qual trabalhamos é um dever de todos nós!

Proteger as informações da empresa para a qual trabalhamos é um dever de todos nós! Prezado Colaborador, O conteúdo desta cartilha tem como objetivo compartilhar alguns conceitos relacionados ao tema Segurança da Informação. Além de dicas de como tratar os recursos e as informações corporativas

Leia mais

Prof. Walter Cunha. Segurança da Informação. Não-Escopo. Escopo. Prof. Walter Cunha Rede LFG

Prof. Walter Cunha. Segurança da Informação. Não-Escopo. Escopo. Prof. Walter Cunha Rede LFG Segurança da Informação Prof. Walter Cunha Rede LFG Prof. Walter Cunha Contatos: E-mail: falecomigo@waltercunha.com timasters@yahoogoups.com Atividades: http://www.waltercunha.com/blog/ http://twitter.com/timasters/

Leia mais

Política de Segurança da Informação

Política de Segurança da Informação Política de Segurança da Informação 29 de janeiro 2014 Define, em nível estratégico, diretivas do Programa de Gestão de Segurança da Informação. ÍNDICE 1 OBJETIVO... 3 2 PÚBLICO ALVO... 3 3 RESPONSABILIDADES

Leia mais

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc PMP, PMI-RMP, PMI-ACP, CSM, ITIL & CobiT Certified Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP Especializações Certificações Mestre em Informática

Leia mais

Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento. Douglas Farias Cordeiro

Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento. Douglas Farias Cordeiro Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento Douglas Farias Cordeiro ABNT NBR ISO/IEC 27002 Segurança nas operações Responsabilidades e procedimentos operacionais Assegurar a operação segura e correta

Leia mais

Baseline de Segurança da Informação

Baseline de Segurança da Informação Diretoria de Segurança Corporativa Superintendência de Segurança da Informação Baseline de Segurança da Informação Avaliação de Fornecedor Transporte/Postagem SUMÁRIO: 1. Procedimentos para tratamento

Leia mais

SISTEMA DE CONTROLES INTERNOS

SISTEMA DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO PO - PSI 1ª 1/9 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 2 2. ALCANCE... 2 3. ÁREA GESTORA... 2 4. CONCEITOS/CRITÉRIOS GERAIS... 2 5. DIRETRIZES... 3 6. RESPONSABILIDADES... 3 6.1 Todos

Leia mais

Diretoria Executiva de Controles Internos e Risco Operacional

Diretoria Executiva de Controles Internos e Risco Operacional Diretoria Executiva de Controles Internos e Risco Operacional Seminário de Segurança da Informação 2014 Painel "A dinâmica do cenário de ameaças à rede interna frente a um contexto GRC e às novas ferramentas

Leia mais

Política de. Segurança. Informação

Política de. Segurança. Informação Política de Segurança da Informação Diretrizes para a conduta adequada no manuseio, controle e proteção das informações contra a destruição, modificação, divulgação indevida e acessos não autorizados,

Leia mais

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICAS CORPORATIVAS

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICAS CORPORATIVAS 8 - Política de segurança da informação 8.1 Introdução A informação é um ativo que possui grande valor para a COOPERFEMSA, devendo ser adequadamente utilizada e protegida contra ameaças e riscos. A adoção

Leia mais

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS PARTE II POLÍTICAS CORPORATIVAS

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS PARTE II POLÍTICAS CORPORATIVAS 1 Política de segurança da informação 1.1 Introdução A informação é um ativo que possui grande valor para a COGEM, devendo ser adequadamente utilizada e protegida contra ameaças e riscos. A adoção de políticas

Leia mais

Conheça a NBR ISO/IEC 27002

Conheça a NBR ISO/IEC 27002 Conheça a NBR ISO/IEC 27002 A norma NBR ISO/IEC 27002 Código de Prática para a Gestão de Segurança da Informação, que tem como objetivo estabelecer diretrizes e princípios gerais para iniciar, implementar,

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO DEFENDA BUSINESS PROTECTION SERVICES & SOLUTIONS Direitos Autorais Este documento contém informações de propriedade da Defenda Business Protection Services & Solutions.

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA

POLÍTICA DE SEGURANÇA POLÍTICA DE SEGURANÇA GADE SOLUTION Tatiana Lúcia Santana GADE SOLUTION 1. Conceituação: A informação é um dos principais patrimônios do mundo dos negócios. Um fluxo de informação de qualidade é capaz

Leia mais

SOLUÇÕES AMBIENTE SEGURO SEUS NEGÓCIOS DEPENDEM DISSO!

SOLUÇÕES AMBIENTE SEGURO SEUS NEGÓCIOS DEPENDEM DISSO! SOLUÇÕES AMBIENTE SEGURO SEUS NEGÓCIOS DEPENDEM DISSO! O ambiente de Tecnologia da Informação (TI) vem se tornando cada vez mais complexo, qualquer alteração ou configuração incorreta pode torná-lo vulnerável

Leia mais

Alinhando NBR-ISO/IEC 17799 e 27001 na Administração Pública - USP

Alinhando NBR-ISO/IEC 17799 e 27001 na Administração Pública - USP Alinhando NBR-ISO/IEC 17799 e 27001 na Administração Pública - USP 3 3 Apresentação : Introdução. NBR ISO/IEC 27001 e 17799. Proposta de Plano de Trabalho/Ação. Referências. Confidencialidade Permitir

Leia mais

André Campos Sistema de Segurança da Informação Controlando os Riscos 2 a Edição Visual Books Sumário Parte I - Sistema de Gestão 13 1 Conceitos Essenciais 15 1 1 Informação 15 1 2 A Informação e sua Importância

Leia mais

4.1 Analisando / avaliando os riscos de segurança da informação.

4.1 Analisando / avaliando os riscos de segurança da informação. 4.Analise / avaliação e tratamento de riscos. Devemos identificar os riscos de segurança e depois priorizar cada risco com base nos critérios, verificar o que é mais critico para a empresa. Deve-se fazer

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SUMÁRIO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SUMÁRIO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SUMÁRIO I - Aspectos Gerais... 2 II - Proteção da Informação... 2 III - Responsabilidades... 3 IV - Informações Confidenciais... 3 V - Informações Privilegiadas... 4

Leia mais

3 CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM OUVIDORIA PÚBLICA NATAL/RN. Segurança da Informação

3 CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM OUVIDORIA PÚBLICA NATAL/RN. Segurança da Informação 3 CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM OUVIDORIA PÚBLICA NATAL/RN Segurança da Informação 2 COMPETÊNCIAS DA DIRETORIA DE INFORMAÇÕES ESTRATÉGICAS produzir informações e conhecimentos estratégicos que possam subsidiar

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Classificação das Informações 5/5/2015 Confidencial [ ] Uso Interno [ X ] Uso Público ÍNDICE 1 OBJETIVO... 3 2 ABRANGÊNCIA... 3 3 CONCEITOS... 3 4 ESTRUTURA NORMATIVA...

Leia mais

Artigo 1º - Aprovar revisão da Política de Segurança da PRODEB, que com esta se publica.

Artigo 1º - Aprovar revisão da Política de Segurança da PRODEB, que com esta se publica. Classificação: RESOLUÇÃO Código: RP.2007.077 Data de Emissão: 01/08/2007 O DIRETOR PRESIDENTE da Companhia de Processamento de Dados do Estado da Bahia - PRODEB, no uso de suas atribuições e considerando

Leia mais

POLÍTICAS DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICAS DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO POLÍTICAS DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Versão 1.0 neutronica.com.br 2016 Sumário PARTE I... 5 I. Introdução... 5 II. Melhores Práticas de Governança... 6 III. Melhores Práticas de Entrega de Serviços...

Leia mais

5 CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM OUVIDORIA PÚBLICA JOÃO PESSOA/PB. Segurança da Informação

5 CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM OUVIDORIA PÚBLICA JOÃO PESSOA/PB. Segurança da Informação 5 CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM OUVIDORIA PÚBLICA JOÃO PESSOA/PB Segurança da Informação 2 COMPETÊNCIAS DA DIRETORIA DE INFORMAÇÕES ESTRATÉGICAS produzir informações e conhecimentos estratégicos que possam

Leia mais

N REQUISITOS OBSERVAÇÕES

N REQUISITOS OBSERVAÇÕES N REQUISITOS OBSERVAÇÕES 01 02 03 04 05 06 07 A - MANUTENÇÃO E SUPORTE A empresa fornece produto de software com Verificar se a empresa fornece manual do produto (instalação), documentação de suporte ao

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Porto Alegre Aula 1

Faculdade de Tecnologia SENAI Porto Alegre Aula 1 Faculdade de Tecnologia SENAI Porto Alegre Aula 1 Prof. Me. Humberto Moura humberto@humbertomoura.com.br Evolução da TI Postura TI Níveis de TI Princípios de TI (papel da TI perante o negócio) Arquitetura

Leia mais

Segurança a da Informação Aula 02. Aula 02

Segurança a da Informação Aula 02. Aula 02 Segurança a da Informação 26/9/2004 Prof. Rossoni, Farias 1 Segurança a da Informação é: Cultura, Cidadania, Desenvolvimento pessoal e social, Competitividade, Influência e poder, Imprescindível para a

Leia mais

GESTÃO DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (ISO 27001)

GESTÃO DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (ISO 27001) GESTÃO DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (ISO 27001) Graduação Tecnológica em Redes de Computadores. Professor Marco Antônio Chaves Câmara Agenda Introdução A norma 27001 Por quê um SGSI certificado? Como utilizar

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Diretoria Executiva Aprovação: DD-494-0001/2012 Revisão 05 Vigência a partir de 25/09/2012 1. Introdução Os processos e atividades de negócio são suportados, cada vez

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Grupo PETRA S.A. Departamento de Tecnologia da Informação POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Início da Vigência: 01/Maio/2010 Propriedade do Grupo PETRA S.A. 1. INTRODUÇÃO Este documento foi elaborado

Leia mais

9.6. Política de segurança para Usuários(PSU)... 14 9.7. Questionários de Segurança da Informação... 14 10. CONCLUSÃO... 14

9.6. Política de segurança para Usuários(PSU)... 14 9.7. Questionários de Segurança da Informação... 14 10. CONCLUSÃO... 14 ANEXO I PSI Índice 1. FINALIDADE... 4 2. ABRANGÊNCIA... 4 3. FREQUÊNCIA DE REVISÃO... 4 4. PORTAL DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO... 4 5. TERMOS E DEFINIÇÕES... 4 5.1. Segurança da Informação... 4 5.2. Confidencialidade...

Leia mais

Curso de Tecnologia em Redes de Computadores Auditoria e Análise de Segurança da Informação - 4º período Professor: José Maurício S.

Curso de Tecnologia em Redes de Computadores Auditoria e Análise de Segurança da Informação - 4º período Professor: José Maurício S. Disciplina: Curso de Tecnologia em Redes de Computadores Auditoria e Análise de Segurança da Informação - 4º período Professor: José Maurício S. Pinheiro AULA 4: Trilhas de Auditoria Existe a necessidade

Leia mais

PROPOSTA DE CRITÉRIOS PARA AVALIAÇÃO DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

PROPOSTA DE CRITÉRIOS PARA AVALIAÇÃO DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANA DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETRÔNICA CURSO DE ESPECIALIZACÃO EM CONFIGURAÇÃO E GERENCIAMENTO DE SERVIDORES E EQUIPAMENTOS DE REDES SABRINA VITÓRIO OLIVEIRA SENCIOLES

Leia mais

Qualidade. Introdução à Administração de Empresas. Prof. Luiz Antonio 01/03/2007

Qualidade. Introdução à Administração de Empresas. Prof. Luiz Antonio 01/03/2007 Introdução à Administração de Empresas Prof. Luiz Antonio 01/03/2007 Histórico Era Artesanal (séc. XIX) Etapas da produção controladas pelo artesão. Compra dos materiais e insumos Acabamento Entrega do

Leia mais

Tópico 28 e 29 Política de Segurança da Informação. Política de Segurança da Informação

Tópico 28 e 29 Política de Segurança da Informação. Política de Segurança da Informação Tópico 28 e 29 Política de Segurança da Informação Política de segurança da Informação. Metodologia de levantamento da política de segurança. Objetivos e responsabilidades sobre a implementação. Métodos

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 83, DE 30 DE OUTUBRO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº 83, DE 30 DE OUTUBRO DE 2014 RESOLUÇÃO Nº 83, DE 30 DE OUTUBRO DE 2014 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal do Pampa, em sessão de 30/10/2014, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo Artigo 19, Inciso XVII do

Leia mais

Perguntas para avaliar a efetividade do processo de segurança

Perguntas para avaliar a efetividade do processo de segurança Perguntas para avaliar a efetividade do processo de segurança Questionário básico de Segurança da Informação com o objetivo de ser um primeiro instrumento para você avaliar, em nível gerencial, a efetividade

Leia mais

Sumário. Parte I - Sistema de Gestão... 13. 1 Conceitos Essenciais... 15. 2 O que é a Segurança da Informação?... 17

Sumário. Parte I - Sistema de Gestão... 13. 1 Conceitos Essenciais... 15. 2 O que é a Segurança da Informação?... 17 Sumário Parte I - Sistema de Gestão... 13 1 Conceitos Essenciais... 15 1.1 Informação... 15 1.2 A Informação e sua Importância... 16 2 O que é a Segurança da Informação?... 17 2.1 Confidencialidade...

Leia mais

COMPUTAÇÃO APLICADA À ENGENHARIA

COMPUTAÇÃO APLICADA À ENGENHARIA Universidade do Estado do Rio de Janeiro Campus Regional de Resende Curso: Engenharia de Produção COMPUTAÇÃO APLICADA À ENGENHARIA Prof. Gustavo Rangel Globalização expansionismo das empresas = visão

Leia mais

Política de Segurança da Informação

Política de Segurança da Informação Política de Segurança da Informação O bem mais importante que as empresas possuem, sem dúvida, são as informações gerenciais, sendo muito importantes para a tomada de decisões. Com o crescimento da internet

Leia mais

Os requisitos de SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO dentro de uma organização passaram por duas mudanças importantes nas últimas décadas:

Os requisitos de SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO dentro de uma organização passaram por duas mudanças importantes nas últimas décadas: $XWDUTXLD(GXFDFLRQDOGR9DOHGR6mR)UDQFLVFR± $(96) )DFXOGDGHGH&LrQFLDV6RFLDLVH$SOLFDGDVGH3HWUROLQD± )$&$3( &XUVRGH&LrQFLDVGD&RPSXWDomR 6(*85$1d$($8',725,$'(6,67(0$6 ³6HJXUDQoDGH,QIRUPDo}HV &\QDUD&DUYDOKR

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br. Prof. José Maurício S. Pinheiro - UGB - 2009

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br. Prof. José Maurício S. Pinheiro - UGB - 2009 PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Auditoria i e Análise de Segurança da Informação Segurança e Confiabilidade Prof. José Maurício S. Pinheiro - UGB - 2009 Dados e Informação Dado é a unidade básica

Leia mais

Novembro/2013. Segurança da Informação BYOD/Redes Sociais Marco Vinicio Barbosa Dutra Coordenador de Segurança

Novembro/2013. Segurança da Informação BYOD/Redes Sociais Marco Vinicio Barbosa Dutra Coordenador de Segurança Novembro/2013 Segurança da Informação BYOD/Redes Sociais Marco Vinicio Barbosa Dutra Coordenador de Segurança Segurança da Informação BYOD/Consumerização Redes Sociais Perguntas Não vendo cofres, vendo

Leia mais

Linux4Sec Segurança da Informação +55 (41) 9920 4861 contato@linux4sec.com.br www.linux4sec.com.br

Linux4Sec Segurança da Informação +55 (41) 9920 4861 contato@linux4sec.com.br www.linux4sec.com.br Linux4Sec Segurança da Informação +55 (41) 9920 4861 contato@linux4sec.com.br www.linux4sec.com.br 1 QUEM SOMOS: A Linux4sec é uma empresa com sede em Curitiba/PR, especializada em segurança da informação.

Leia mais

ABNT NBR ISO/IEC 27002:2005

ABNT NBR ISO/IEC 27002:2005 ABNT NBR ISO/IEC 27002:2005 Código de prática para a gestão da segurança da informação A partir de 2007, a nova edição da ISO/IEC 17799 será incorporada ao novo esquema de numeração como ISO/IEC 27002.

Leia mais

Gestão de Segurança da Informação

Gestão de Segurança da Informação Gestão de Segurança da Informação NORMAS NBR ISO/IEC 27001, 27002 e 27005 @thiagofagury www.fagury.com.br http://groups.yahoo.com/group/timasters As Normas NBR ISO/IEC 27001 - Requisitos para implantar

Leia mais

Política de Segurança da Informação

Política de Segurança da Informação Segurança da Informação BM&FBOVESPA Última revisão: maio de 2014 Uso interno Índice 1. OBJETIVO... 3 2. ABRANGÊNCIA... 3 3. CONCEITOS... 3 4. ESTRUTURA NORMATIVA... 3 5. DIRETRIZES... 4 6. RESPONSABILIDADES...

Leia mais

Segurança e Proteção da Informação. Msc. Marcelo Carvalho Tavares marcelo.tavares@unir.br

Segurança e Proteção da Informação. Msc. Marcelo Carvalho Tavares marcelo.tavares@unir.br Segurança e Proteção da Informação Msc. Marcelo Carvalho Tavares marcelo.tavares@unir.br 1 Segurança da Informação A informação é importante para as organizações? Por que surgiu a necessidade de se utilizar

Leia mais

Estratégias para avaliação da segurança da computação em nuvens

Estratégias para avaliação da segurança da computação em nuvens Academia de Tecnologia da IBM White paper de liderança de pensamento Novembro de 2010 Estratégias para avaliação da segurança da computação em nuvens 2 Proteção da nuvem: do desenvolvimento da estratégia

Leia mais

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1 Segurança na Web Cap. 2: Políticas de Segurança e Respostas Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW Page 1 Introdução Estar derrotado é sempre uma condição temporária. Desistir é o que o torna

Leia mais

Conceitos de segurança da informação. Prof. Nataniel Vieira nataniel.vieira@gmail.com

Conceitos de segurança da informação. Prof. Nataniel Vieira nataniel.vieira@gmail.com Conceitos de segurança da informação Prof. Nataniel Vieira nataniel.vieira@gmail.com Introdução A infraestrutura de rede, os serviços e dados contidos nos computadores ligados a ela são bens pessoais,

Leia mais

Análise de Riscos de Segurança da Informação. Prof. Paulo Silva UCEFF

Análise de Riscos de Segurança da Informação. Prof. Paulo Silva UCEFF Análise de Riscos de Segurança da Informação Prof. Paulo Silva UCEFF Roteiro 1. Conceitos Fundamentas de Seg. Informação 2. Identificação e Avaliação de Ativos 3. Identificação e Avaliação de Ameaças 4.

Leia mais

SEGURANÇA FÍSICA & LÓGICA DE REDES. Material Complementar de Estudos

SEGURANÇA FÍSICA & LÓGICA DE REDES. Material Complementar de Estudos SEGURANÇA FÍSICA & LÓGICA DE REDES Material Complementar de Estudos O que é a Organização ISO A ISO - Internacional Organization for Stardardization - é maior organização para Desenvolvimento e publicação

Leia mais

Plano de Segurança da Informação

Plano de Segurança da Informação Governança de Tecnologia da Informação LUSANA SOUZA NATÁLIA BATUTA MARIA DAS GRAÇAS TATIANE ROCHA GTI V Matutino Prof.: Marcelo Faustino Sumário 1. OBJETIVO... 2 2. DESCRIÇÃO DO SERVIÇO... 2 3. ETAPAS

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Data da Criação: 09/11/2012 Dara de revisão: 18/12/2012 1 - Sumário - 1. A Instant Solutions... 3 1.1. Perfil da empresa... 3 1.2. Responsabilidade ambiental...

Leia mais

ORDEM DE SERVIÇO OS 002/DINFO/2014 29/10/2014. Art. 1º: Para fins de normatização da Política de Uso da Rede WIFI UERJ, com vistas a assegurar:

ORDEM DE SERVIÇO OS 002/DINFO/2014 29/10/2014. Art. 1º: Para fins de normatização da Política de Uso da Rede WIFI UERJ, com vistas a assegurar: A DIRETORIA DE INFORMÁTICA DINFO DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO -UERJ, no uso de suas atribuições legais, estabelece: Art. 1º: Para fins de normatização da Política de Uso da Rede WIFI UERJ,

Leia mais

Microsoft é uma marca registrada ou comercial da Microsoft Corporation nos Estados Unidos e/ou em outros países.

Microsoft é uma marca registrada ou comercial da Microsoft Corporation nos Estados Unidos e/ou em outros países. Este documento serve apenas para fins informativos. A MICROSOFT NÃO CONCEDE GARANTIAS EXPRESSAS, IMPLÍCITAS OU LEGAIS NO QUE DIZ RESPEITO ÀS INFORMAÇÕES NESTE DOCUMENTO. Este documento é fornecido no estado

Leia mais

Institui a Política de Segurança da Informação da Advocacia-Geral da União, e dá outras providências.

Institui a Política de Segurança da Informação da Advocacia-Geral da União, e dá outras providências. PORTARIA No- 192, DE 12 DE FEVEREIRO DE 2010 Institui a Política de Segurança da Informação da Advocacia-Geral da União, e dá outras providências. O ADVOGADO-GERAL DA UNIÃO, no uso de suas atribuições

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL Setembro 2013 2 1 INTRODUÇÃO Este documento resume as informações relativas à estrutura de gerenciamento do risco operacional do BR Partners Banco de Investimentos

Leia mais

Prof. Demétrios Coutinho

Prof. Demétrios Coutinho Prof. Demétrios Coutinho Hoje em dia a informação é o bem mais valioso de uma empresa/cliente. A segurança da informação é um conjunto de medidas que se constituem basicamente de controles e política de

Leia mais

Politicas de Segurança da Informação

Politicas de Segurança da Informação Politicas de Segurança da Informação Rodrigo Pionti¹, Daniel Paulo Ferreira² Faculdade de Tecnologia de Ourinhos FATEC INTRODUÇÃO Com o avanço da tecnologia de modo acelerado, o uso da internet tem se

Leia mais

ISO/IEC 17799. Informação

ISO/IEC 17799. Informação ISO/IEC 17799 Norma de Segurança da Norma de Segurança da Informação Segurança da Informação Segundo a norma ISO/IEC 17799, é a proteção contra um grande número de ameaças às informações, de forma a assegurar

Leia mais

Relatório sobre Segurança da Informação nas Empresas RESULTADOS DA AMÉRICA LATINA

Relatório sobre Segurança da Informação nas Empresas RESULTADOS DA AMÉRICA LATINA 2011 Relatório sobre Segurança da Informação nas Empresas RESULTADOS DA AMÉRICA LATINA SUMÁRIO Introdução... 4 Metodologia... 6 Resultado 1: Cibersegurança é importante para os negócios... 8 Resultado

Leia mais

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO RAFAEL D. RIBEIRO, M.SC,PMP. RAFAELDIASRIBEIRO@GMAIL.COM HTTP://WWW.RAFAELDIASRIBEIRO.COM.BR @ribeirord A segurança da informação protege a informação de diversos

Leia mais

Política de Segurança da Informação

Política de Segurança da Informação Política de Segurança da Informação Código: PSI_1.0 Versão: 1.0 Data de Publicação: 28/05/2014 Controle de Versão Versão Data Responsável Motivo da Versão 1.0 28/05/2014 Heitor Gouveia Criação da Política

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação INF-108 Segurança da Informação Gestão de Segurança da Informação Prof. João Henrique Kleinschmidt (slides cedidos pelo Prof. Carlos Kamienski - UFABC) Gerenciamento e Avaliação de Riscos Terminologia

Leia mais

Gestão de Incidentes de Segurança da Informação - Coleta de evidências

Gestão de Incidentes de Segurança da Informação - Coleta de evidências Gestão de Incidentes de Segurança da Informação - Coleta de evidências Incidente de SI Ação de Acompanhamento contra pessoa/organização Envolvendo ação legal (civil ou criminal) Evidências coletadas, armazenadas

Leia mais

Conscientização sobre a Segurança da Informação. Suas informações pessoais não tem preço, elas estão seguras?

Conscientização sobre a Segurança da Informação. Suas informações pessoais não tem preço, elas estão seguras? Conscientização sobre a Segurança da Informação Suas informações pessoais não tem preço, elas estão seguras? PROFISSIONAIS DE O que é Segurança da Informação? A Segurança da Informação está relacionada

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E DAS COMUNICAÇÕES

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E DAS COMUNICAÇÕES MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E DAS COMUNICAÇÕES PRINCÍPIOS E DIRETRIZES SETEMBRO 2013 Sumário 1. POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E DAS COMUNICAÇÕES DO MINISTÉRIO

Leia mais

NORMA DE SEGURANÇA PARA A UNIFAPNET

NORMA DE SEGURANÇA PARA A UNIFAPNET NORMA DE SEGURANÇA PARA A UNIFAPNET 1. Objetivo As Normas de Segurança para a UNIFAPnet têm o objetivo de fornecer um conjunto de Regras e Recomendações aos administradores de rede e usuários, visando

Leia mais

3 Política institucional de segurança da informação da Cooperativa Crédito Mutuo dos Praças e Oficiais da PMESP Cooperacs - SP

3 Política institucional de segurança da informação da Cooperativa Crédito Mutuo dos Praças e Oficiais da PMESP Cooperacs - SP Título : Política institucional de segurança da informação. Capítulo : Índice Seção : Capítulo Seção Item Descrição 3 Política institucional de segurança da informação da Cooperativa Crédito Mutuo dos

Leia mais

Diretrizes e Políticas de Segurança da Informação Organização CAPEMISA SEGURADORA DE VIDA E PREVIDÊNCIA S/A (CNPJ: 08.602.

Diretrizes e Políticas de Segurança da Informação Organização CAPEMISA SEGURADORA DE VIDA E PREVIDÊNCIA S/A (CNPJ: 08.602. CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO N.º 4/2008 O Conselho de Administração, com base no disposto no Art. 17 do Estatuto da CAPEMISA Seguradora de Vida e Previdência, em reunião do dia 19 de fevereiro de

Leia mais

Asser Rio Claro. Descubra como funciona um antivírus. Como o antivírus protege o seu computador. A importância de um antivírus atualizado

Asser Rio Claro. Descubra como funciona um antivírus. Como o antivírus protege o seu computador. A importância de um antivírus atualizado Administração Informática Asser Rio Claro Descubra como funciona um antivírus Responsável por garantir a segurança do seu computador, o antivírus é um programa de proteção que bloqueia a entrada de invasores

Leia mais

SIG - Sistemas de Informações Gerenciais. Segurança da Informação

SIG - Sistemas de Informações Gerenciais. Segurança da Informação Segurança da Informação Importância da Informação A Informação é considerada atualmente como um dos principais patrimônio de uma organização. Importância da Informação Ela é um ativo que, como qualquer

Leia mais

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - Projeto Integrador Módulo IV Política de Segurança Disciplinas: - Implantação e Gestão de S.I.: Prof. Diego Américo Guedes - Gerência de Redes de Computadores: Prof. Fernando Pirkel Tsukahara - Segurança

Leia mais

Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento. Douglas Farias Cordeiro

Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento. Douglas Farias Cordeiro Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento Douglas Farias Cordeiro APT 30 APT30 Empresa FireEye divulgou no último domingo (12/04/2015) um relatório que detalha as operações de um grupo de ciberespionagem

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Página: 1 de 5 1. INTRODUÇÃO A informação é um ativo que possui grande importância para PRÓ-MEMÓRIA, sendo resguardada contra ameaças e riscos. Segurança da informação, segundo a NBR ISO/IEC 27002:2005,

Leia mais

Controles gerais iguais aos de pacotes de softwares: Instalação, Configuração, Manutenção, Utilitários.

Controles gerais iguais aos de pacotes de softwares: Instalação, Configuração, Manutenção, Utilitários. $XWDUTXLD(GXFDFLRQDOGR9DOHGR6mR)UDQFLVFR± $(96) )DFXOGDGHGH&LrQFLDV6RFLDLVH$SOLFDGDVGH3HWUROLQD± )$&$3( &XUVRGH&LrQFLDVGD&RPSXWDomR $8',725,$'$7(&12/2*,$'$,1)250$d 2 &RQWUROHVVREUHEDQFRGHGDGRVH PLFURFRPSXWDGRUHV

Leia mais

Introdução a Gestão de Segurança da Informação. Professor Joerllys Sérgio

Introdução a Gestão de Segurança da Informação. Professor Joerllys Sérgio Introdução a Gestão de Segurança da Informação Professor Joerllys Sérgio A informação e sua importância para o negócio Os aspectos da geração de conhecimento a partir da informação são de especial interesse

Leia mais

07/IN01/DSIC/GSIPR 00 06/MAI/10 2/8 1. OBJETIVO

07/IN01/DSIC/GSIPR 00 06/MAI/10 2/8 1. OBJETIVO 07/IN01/DSIC/GSIPR 00 06/MAI/10 1/8 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Gabinete de Segurança Institucional Departamento de Segurança da Informação e Comunicações DIRETRIZES PARA IMPLEMENTAÇÃO DE CONTROLES DE ACESSO

Leia mais

SUAS INFORMAÇÕES ESTÃO SEGURAS?

SUAS INFORMAÇÕES ESTÃO SEGURAS? SUAS INFORMAÇÕES ESTÃO SEGURAS? Treinamento ISO 27002 Foundation Presencial ou EAD A ISO 27002 é uma norma internacional que contém um código de práricas para a segurança da informação. Este tema sempre

Leia mais

Aula 01 Introdução à Gestão da Segurança da Informação. Prof. Leonardo Lemes Fagundes

Aula 01 Introdução à Gestão da Segurança da Informação. Prof. Leonardo Lemes Fagundes Aula 01 Introdução à Gestão da Segurança da Informação Prof. Leonardo Lemes Fagundes Você vê algumas informações e a maneira como as coisas são formuladas, e então começa a ter alguma compreensão da empresa

Leia mais

REF.: POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO PARA CORRESPONDENTE BANCÁRIO DO SANTANDER.

REF.: POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO PARA CORRESPONDENTE BANCÁRIO DO SANTANDER. REF.: POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO PARA CORRESPONDENTE BANCÁRIO DO SANTANDER. 1. SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO A informação é um dos principais patrimônios do mundo dos negócios. Um fluxo de informação

Leia mais

TESTE. Sua empresa está em conformidade com a ISO 27002? POLÍTICA DE SEGURANÇA. 2. Algum responsável pela gestão da política de segurança?

TESTE. Sua empresa está em conformidade com a ISO 27002? POLÍTICA DE SEGURANÇA. 2. Algum responsável pela gestão da política de segurança? TESTE Sua empresa está em conformidade com a ISO 27002? O objetivo do teste tem cunho prático e o objetivo de auxiliá-lo a perceber o grau de aderência de sua empresa em relação às recomendações de Segurança

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Sistemas de Informação Gestão de SI- seção 4.4 Gestão da segurança da informação 1 Segurança Dados e informações devem estar bem guardadas e cuidadas Vulnerabilidades (externa e interna) Acesso sem autorização

Leia mais

GERENCIAMENTO DE INCIDENTES DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

GERENCIAMENTO DE INCIDENTES DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO FL. 2 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região Comitê de Segurança da Informação Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicações Núcleo de Segurança da Informação Código: NO06 Revisão: 0.0 Vigência:

Leia mais

Política da Segurança da Informação

Política da Segurança da Informação Política da Segurança da Informação POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO DA BM&FBOVESPA 1. INTRODUÇÃO A informação é um ativo que possui grande valor para a BM&FBOVESPA, devendo ser adequadamente utilizada

Leia mais

Os Desafios da Segurança para Mobilidade

Os Desafios da Segurança para Mobilidade Os Desafios da Segurança para Mobilidade Antes de começarmos, observem alguns dados importantes 2 Uma pesquisa de usuários móveis mostra que um em cada três usuários perdem seus dispositivos móveis Aproximadamente

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO DATA: 25/01/2016 VERSÃO 2.0 VERSÃO 2 25/01/2016 ÁLVARO BARBOSA SUMÁRIO I. INTRODUÇÃO... 3 II. PAPÉIS E RESPONSABILIDADES... 4 II.1 - COMITÊ EXECUTIVO... 4 II.2 - CONTROLES

Leia mais

SOLUÇÕES DE RESILIÊNCIA E SEGURANÇA

SOLUÇÕES DE RESILIÊNCIA E SEGURANÇA SERVIÇO DE RESPOSTA A INCIDENTES D Solução de segurança que fornece orientações para o efetivo controle ou correção de ataques externos causados por vulnerabilidades encontradas no ambiente do cliente.

Leia mais

Avenida Presidente Wilson, 231 11 andar 20030-905 Rio de Janeiro- RJ ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO OPERACIONAL

Avenida Presidente Wilson, 231 11 andar 20030-905 Rio de Janeiro- RJ ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO OPERACIONAL ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO OPERACIONAL MARÇO, 2015 ÍNDICE OBJETIVO 3 ESCOPO 3 DEFINIÇÕES Risco Inerente 4 DEFINIÇÕES Risco Operacional 4 DEFINIÇÕES Evento de Risco Operacional 4 FUNÇÕES E RESPONSABILIDADES

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANEXO ÚNICO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E ORÇAMENTO DO DISTRITO FEDERAL (PoSIC/SEPLAN) Sumário OBJETIVO... 2 DO ESCOPO DA POLÍTICA... 2 DOS CONCEITOS

Leia mais