PROVA DE REDAÇÃO E DE LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS PROVA DE MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS VP2 2 a ETAPA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROVA DE REDAÇÃO E DE LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS PROVA DE MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS VP2 2 a ETAPA"

Transcrição

1 PROVA DE REDAÇÃO E DE LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS PROVA DE MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS VP2 2 a ETAPA 1. SERÁ ATRIBUÍDA NOTA ZERO À PROVA QUANDO O ALUNO: a) utilizar ou portar, durante a realização da prova, MÁQUINAS e(ou) RELÓGIOS DE CALCULAR, bem como RÁDIOS, GRAVADORES, HEADPHONES, TE- LEFONES CELULARES ou FONTES DE CONSULTA DE QUALQUER ESPÉCIE; b) ausentar-se da sala em que se realiza a prova levando consigo o CADERNO DE QUESTÕES e(ou) o CARTÃO-RESPOSTA antes do prazo estabelecido; c) agir com incorreção ou descortesia para com qualquer participante do processo de aplicação das provas; d) comunicar-se com outro participante, verbalmente, por escrito ou por qualquer outra forma; e) apresentar dado(s) falso(s) na sua identificação pessoal. f) for ao banheiro portando CELULAR, mesmo que desligado, APARELHO DE ESCUTA, MÁQUINA DE CALCULAR ou qualquer outro MATERIAL DE CONSULTA relativo à prova. Na ida ao banheiro, durante a realização da prova, o aluno será submetido à revista por meio de DETECTOR DE METAL. 2. Este CADERNO DE QUESTÕES contém 90 questões, numeradas de 1 a 90 e dispostas da seguinte maneira: a) as questões de número 1 a 45 são relativas à área de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias; b) as questões de número 1 a 5 são relativas à área de Língua Estrangeira; c) as questões de número 46 a 90 são relativas à área de Matemática e suas Tecnologias. 3. Verifique no CARTÃO-RESPOSTA se os seus dados estão registrados corretamente. Caso haja alguma divergência, comunique-a imediatamente ao aplicador. 4. Decorrido o tempo determinado, será distribuído o CARTÃO-RESPOSTA, o qual será o único documento válido para a correção da prova. 5. Não dobre, não amasse, nem rasure o CARTÃO-RES- POSTA. Ele não poderá ser substituído. 6. Para cada uma das questões objetivas, são apresentadas 5 opções, identificadas com as letras A, B, C, D e E. Apenas uma responde corretamente à questão. Você deve, portanto, assinalar apenas uma opção em cada questão. A marcação de mais de uma opção anula a questão, mesmo que uma das respostas esteja correta. 7. No CARTÃO-RESPOSTA, marque, para cada questão, a letra correspondente à opção escolhida para a resposta, preenchendo todo o espaço compreendido no círculo, com caneta esferográfica de tinta azul ou preta. 8. Reserve os 30 minutos finais para marcar seu CARTÃO- -RESPOSTA. Os rascunhos e as marcações assinaladas no CADERNO DE QUESTÕES não serão considerados na avaliação. 9. O aluno, ao sair da sala, deverá entregar, definitivamente, seu cartão-resposta devidamente assinado, devendo ainda assinar a folha de presença e o cartão de identificação de sala. 10. O tempo disponível para estas provas é de cinco horas e trinta minutos.

2 PROPOSTA DE REDAÇÃO Texto I Disponível em: <http://www.salvemascriancas.org/wp/wp-content/uploads/2011/10/violencia1.jpg>. Último acesso: 14/02/2013 Texto II Redução da violência contra adolescentes A violência contra adolescentes nas comunidades e nas ruas é um fenômeno tipicamente urbano e fortemente determinado pelas desigualdades sociais e econômicas nesses espaços. Caracterizada, em sua maioria, pelos assassinatos por armas de fogo, pelos acidentes de trânsito e pela exploração sexual, a violência em espaços urbanos tem aumentado no Brasil e no mundo. As maiores vítimas da violência urbana são os adolescentes moradores de comunidades populares e de periferias que, muitas vezes, encontram-se vulneráveis diante das ações de grupos criminosos e da repressão das forças de segurança. Em situações de ausência de políticas públicas eficientes e transformadoras, de opções de educação, de oportunidades de emprego, abre-se uma porta para a ação de aliciadores que recrutam crianças e adolescentes para o tráfico de drogas e armas. Em 2005, 8 mil pessoas entre 10 e 19 anos foram vítimas de homicídios. Destes, 65% eram afrodescendentes. No Brasil, uma estratégia eficiente de enfrentamento à violência contra os adolescentes começa pela meta de reduzir os homicídios, atacando suas causas subjacentes, o que pode ter um efeito irradiador sobre as outras formas de violência. Por isso, o UNICEF mobiliza e articula governos e sociedade civil para o desenvolvimento de políticas públicas integradas que enfrentem as causas da violência, protejam crianças e adolescentes e garantam seus direitos a educação, cultura, esporte e lazer. Disponível em: <http://www.unicef.org/brazil/pt/activities_10211.htm>. Último acesso: 14/02/2013 LC - 2º dia Página 2

3 Texto III Número de denúncias de violência contra crianças cresce 58,3%, revela governo O número de denúncias de violência contra crianças e adolescentes recebidas pelo serviço de atendimento da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República - o Disque cresceu 58,3% entre 2011 e Foram registradas denúncias em 2012 e no ano anterior. Nesta quinta-feira, durante o lançamento da Campanha Nacional de Proteção à Criança e ao Adolescente, a ministra Maria do Rosário disse que os dados indicam aumento da conscientização para o problema e não o crescimento da violência contra menores. Como, muitas vezes, uma única denúncia aponta vários tipos de violência, foram registradas violações. A mais comum foi negligência, seguida por violência física, psicológica e sexual. No ano passado, houve relatos de violência sexual contra crianças e adolescentes. Nosso olhar está ficando mais atento. Quando vemos um adulto assediando uma criança e denunciamos, estamos salvando vidas. É a atitude que se espera dos cidadãos que não aceitam a violência contra crianças. Divulgamos a campanha no carnaval, mas o serviço funciona o ano inteiro. Não há como pensar em cuidado com crianças e adolescentes sem a participação da população. Não existe um policial em cada esquina. Ninguém substitui o olhar da gente, afirmou a ministra. Disponível em: <http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/ /numero-de-denuncias-de-violencia-contra-criancas-cresce-583-revela-governo.html>. Último acesso: 14/02/2013. Adaptado Com base na leitura dos textos motivadores apresentados e nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija um texto DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO em norma padrão da língua portuguesa sobre o tema: PROTEÇÃO À CRIANÇA E AO ADOLESCENTE: UM DEVER SOCIAL, apresentando proposta de conscientização social que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista. LC - 2º dia Página 3

4 LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS Questões de 1 a 45 Questões de 1 a 5 (opção inglês) QUESTÃO 1 Disponível em: Acesso em: 15 abr Uma expressão idiomática é um conjunto de palavras que se caracteriza por nem sempre ser possível identificar seu significado mediante o sentido literal dos termos analisados individualmente. De acordo com o cartum acima, a expressão idiomática put the internet out of its misery remete à insensibilidade do avô da criança, que não permite que seu neto estude a língua inglesa com o auxílio de seus amigos do Facebook. à impaciência do avô da criança, que não admite que seu neto estude a gramática da língua inglesa recorrendo à ajuda da internet. à insatisfação do avô da criança com sites que se dedicam ao estudo da língua inglesa sem qualquer, porém, fundamentação teórica. à indignação do avô da criança que não tolera ver que os termos da internet estão se tornando comuns na linguagem do cotidiano. à incoerência do avô da criança, que exige que seu neto fale corretamente o inglês, mas não faz, ele mesmo, uso correto do idioma. QUESTÃO 2 Rio gang-rape spotlights problem faced by developing-world cities The brutal gang-rape in a Rio de Janeiro transit van of a young American woman reportedly in Brazil to learn Portuguese raises troubling questions for a gorgeous but violence-plagued city trying to remake its image before it takes the world stage next year. Rio de Janeiro, Brazil s postcard-perfect metropolis of famed beaches like Copacabana and Ipanema, is set to host the World Cup in 2014 and the Summer Olympics in But the terrifying six-hour long ordeal the woman and a male companion endured Saturday night on one of Rio s thousands of poorly regulated transit minivans presents a nightmare for city leaders. Reminiscent of a similarly horrific attack and gangrape on a bus in Delhi last December, the Rio attack casts a spotlight on the problem in many developing-world cities of loosely regulated independent transportation options that can expose local riders and unwitting tourists to violence, organized crime, and corruption. Disponível em: Acesso em: 15 abr A barbárie dos estupros coletivos cometidos por um bando no Rio de Janeiro expõe um país em guerra com as mulheres. Em apenas três anos, triplicou o número de casos, o que coloca o Brasil em situação tão inaceitável quanto a da Índia. De acordo com o texto acima, a reportagem ressalta que os estupros cometidos no Brasil e na Índia evidenciam a realidade da pouca fiscalização do transporte alternativo em muitas cidades de países em desenvolvimento. a ingenuidade de muitos turistas que não atentam para a necessidade de evitar situações de risco é o fator preponderante para a ocorrência de crimes tão hediondos. as autoridades do Rio de Janeiro nada fazem para tentar reverter a imagem de uma cidade totalmente tomada pela violência, pelo crime organizado e pela corrupção. os suspeitos do estupro mantiveram a estudante americana sob seu poder durante seis horas, depois do que ela foi executada para evitar o reconhecimento dos criminosos. os comitês organizadores da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos cogitam a possibilidade de cancelar os eventos sob a alegação de falta de segurança para os turistas. QUESTÃO 3 Disponível em: Acesso em: 15 abr Um billboard or hoarding (UK) é um tipo de propaganda ao ar livre, geralmente encontrado nas áreas de maior tráfego. São os nossos conhecidos outdoors. No Brasil, a princípio, toda propaganda ao ar livre era chamada de outdoor advertising. Hoje, falamos somente outdoor. No outdoor acima, Jennifer declara publicamente o seu amor pelo seu marido, Michael, e pela filha do casal, Jessica. denuncia o marido pela prática constante de violência doméstica contra ela e sua família. ridiculariza a decisão do marido de deixá-la para ficar com sua amante, chamada Jessica. ameaça o marido publicamente, caso ele não coloque um fim na relação com sua amante. termina de forma sarcástica o seu relacionamento conjugal por causa do marido adúltero. LC - 2º dia Página 4

5 QUESTÃO 4 QUESTÃO 5 Why Lyrics Tracy Chapman Why do the babies starve When there s enough food to feed the world Why when there re so many of us Are there people still alone Why are the missiles called peace keepers When they re aimed to kill Why is a woman still not safe When she s in her home Love is hate War is peace No is yes And we re all free But somebody s gonna have to answer The time is coming soon Amidst all these questions and contradictions There re some who seek the truth Vision and duties Members take vows Place strong emphasis of poverty, chasity, obedience on education, running schools, and willingness to accept any colleges, seminaries worldwide mission from the pope Work with the poor Letters I.H.S. in seal through Jesuit Refugee Service (shown above) stand for the Latin, Are patrons of the arts, Jesus, Savoir of Humanity science Hold and participate in retreats, based on the spiritual exercises of St. Ignatius 2013 MCT Source: Le Moyne College, C Graphic: Pat Carr Disponível em: Acesso em: 15 abr A Igreja Católica anunciou, às 20h14 (16h14 de Brasília) do dia 13 de março, o nome do novo papa: o jesuíta argentino Jorge Mario Bergoglio. O sucessor de Bento XVI é o primeiro papa jesuíta e latino-americano da história da Igreja Católica. Com base no diagrama acima, os jesuítas desempenharam um papel fundamental na defesa dos hereges durante o período da Inquisição Espanhola. tiveram sua congregação fundada por Inácio de Loyola, um sacerdote espanhol, nascido em exerceram forte influência na política europeia, o que fez com que fossem banidos no século XVIII. recusaram-se a prestar qualquer tipo de obediência ao papa, por não aceitarem sua autoridade divina. fizeram pressão sobre o conclave para que os cardeais elegessem o primeiro pontífice de sua ordem. But somebody s gonna have to answer The time is coming soon When the blind remove their blinders And the speechless speak the truth Disponível em: Acesso em: 15 abr Para muitos músicos, as canções não devem falar de coisas banais. Explorar letras na tentativa de modificar a realidade cruel em que grande parte do mundo vive é buscar, através da música, a liberdade para a humanidade. De acordo com a letra da canção acima, a autora evidencia a necessidade de assegurar definitivamente um tratamento apropriado para os portadores de necessidades especiais. denuncia a contradição de um mundo que dispõe de recursos para alimentar as pessoas, mas que testemunha a fome de bebês. critica aqueles que buscam respostas para as contradições do mundo, mas que cruzam os braços diante do sofrimento alheio. reconhece que a paz verdadeira jamais poderá ser, de fato, alcançada enquanto não houver, no mundo, o mínimo de justiça social. ressalta a realidade das mulheres no mundo, que só conseguem se sentir seguras quando se encontram no recesso de seus lares. LC - 2º dia Página 5

6 LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS Questões de 1 a 45 Questões de 1 a 5 (opção espanhol) QUESTÃO 1 Qué son los derechos humanos? Los derechos humanos son derechos inherentes a todos los seres humanos, sin distinción alguna de nacionalidad, lugar de residencia, sexo, origen nacional o étnico, color, religión, lengua, o cualquier otra condición. Todos tenemos los mismos derechos humanos, sin discriminación alguna. Estos derechos son interrelacionados, interdependientes e indivisibles. Los derechos humanos universales están a menudo contemplados en la ley y garantizados por ella, a través de los tratados, el derecho internacional consuetudinario, los principios generales y otras fuentes del derecho internacional. La ley internacional de los derechos humanos establece las obligaciones que tienen los gobiernos de tomar medidas en determinadas situaciones, o de abstenerse de actuar de determinada forma en otras, a fin de promover y proteger los derechos humanos y las libertades fundamentales de los individuos o grupos. El principio de la universalidad de los derechos humanos es la piedra angular del derecho internacional de los derechos humanos. Este principio, tal como se destacara inicialmente en la Declaración Universal de Derechos Humanos, se ha reiterado en numerosos convenios, declaraciones y resoluciones internacionales de derechos humanos. En la Conferencia Mundial de Derechos Humanos celebrada en Viena en 1993, por ejemplo, se dispuso que todos los Estados tenían el deber, independientemente de sus sistemas políticos, económicos y culturales, de promover y proteger todos los derechos humanos y las libertades fundamentales. acceso (adaptado) Os direitos humanos são os direitos e liberdades básicos de todos os seres humanos. Normalmente, o conceito de direitos humanos tem a ideia também de liberdade de pensamento e de expressão, e a igualdade perante a lei. De acordo com o texto, marque a resposta correta. Os direitos humanos equivalem a direitos naturais, ou seja, aqueles que são inseparáveis do ser humano. Alguns filósofos preferem tratar os direitos humanos como aqueles que resguardam tão somente as leis salariais dos cidadãos. Os homens têm direitos anteriores à formação da sociedade, garantias que o Estado deve reconhecer e garantir para quem é contribuinte. Muitos direitos são vistos como princípios abstratos que servem para alimentar a desconfiança do cidadão. Na atualidade, é vista a preocupação de se lutar, em todo o mundo, de forma diferenciada, pelos direitos civis, políticos e sociais. QUESTÃO 2 Carlos Drummond de Andrade Drummond, uno de los poetas de Brasil más impactantes en el mundo, puente entre la primera época del Modernismo y el redescubrimiento de la poesía de los años posteriores, enlaza, a manera de un rompecabezas, armándose, el lenguaje coloquial de la primera fase, con la nueva revigorización y la depuración de las formas poéticas. Esa primera fase se apoyaba en el acervo cultural específico del Brasil: su geografía, las costumbres de cierta región, cuya resultante fue la afirmación de un portugués abrasileñado. Drummond inicia una búsqueda consciente de mayor dimensión universal; estructura su obra con base en procedimientos donde la innovación y la originalidad son un mero recurso expresivo; estabiliza el uso del verso libre; elabora el soneto ante perspectivas estéticas en relación al lenguaje de mayor contenido vital. Replantea, por tanto, los procesos de creación del poema sujetándolos a una visión individual crítica vinculada con su mundo circundante. La necesidad de superar una época que le exige nuevos ordenamientos estéticos, lleva a Drummond a aprehender y fundamentar una poética personal, que le convierte no únicamente en un puente, sino en el consolidador de los principios de una nueva poesía más rigurosa y al mismo tiempo multidimensional. La obra de Carlos Drummond de Andrade es vasta. Las traducciones en casi todas las lenguas del mundo se realizaron siguiendo el orden cronológico de publicación de sus libros. La importancia de su obra en la lírica brasileña es extraordinaria, por cuyas profundas resonancias tiene un lugar especial en la poesía latinoamericana contemporánea. Es por tanto imperdonable su desconocimiento en nuestro idioma; de ahí la justificación de las presentes traducciones como un tardío homenaje a su obra. 1&limit=1&limitstart=1 adaptado acceso (adaptado) Carlos Drummond de Andrade nasceu em Minas Gerais, em 31 de outubro de Em Belo Horizonte, começou a carreira de escritor como colaborador do Diário de Minas. Depois da leitura atenta do texto, é correto afirmar que: a ausência do Modernismo chega a ser corrente mesmo nos primeiros livros de Drummond. a individualidade é a dominante do autor, preocupa-se com a desordem e é asperamente satírico, ironizando os costumes e a sociedade. o poeta foi um dos mais influentes da literatura brasileira e suas obras foram traduzidas para diversas línguas. o poeta trabalha, sobretudo, com a cintilação ambiental subjetiva do cotidiano, no que se destila ao encontro da experiência coletiva. sua produção artística se vincula à reapropriação brasileira na busca do texto em prosa. LC - 2º dia Página 6

7 QUESTÃO 3 O que quer dizer o autor com o termo sublinhado: su geografía, las costumbres de cierta región, cuya resultante fue la afirmación de un portugués abrasileñado. Ressalta a solidariedade social do poeta. Destaca a ação entendiante do cotidiano. Acentua o envolvimento pela realidade à sua volta. Revela o uso de uma linguagem mais nacionalista. Frisa o sofrimento do ser humano brasileiro. QUESTÃO 4 acceso A piada é um recurso humorístico utilizado na vida cotidiana. Marque a opção que sintetize o humor dessa charge. O médico, por ser muito novo, não sabe dar um diagnóstico coerente. O doente não entende o que diz seu médico, pois sua dor não o faz pensar direito. A falta de atenção nos hospitais ainda é uma causa de stress para pacientes e médicos. O paciente imagina que as pernas, tendo a mesma idade, devem sentir a mesma dor. O velho é muito teimoso e não aceita o laudo do doutor. QUESTÃO 5 La importancia de la lectura El libro es hoy uno de los representantes más claros y aún más importantes de la cultura, pese al avance de diferentes soportes tecnológicos que le han hecho perder parte de su popularidad. El libro es sin duda alguna una de las creaciones más relevantes del ser humano, no sólo en lo que hace a la conservación sino también a la transmisión de la cultura, de la ciencia, de la historia, de la filosofía, etc. Esto es así ya que el libro aparece como una de las formas más comunes de registro de datos, información y otros numerosos elementos que en definitiva hacen a la identidad del ser humano como parte de la civilización. El libro podría ser considerado, en términos técnicos, sólo como un soporte en el cual se registran y se almacenan datos, función que hoy en día también es cumplida por varios y numerosos aparatos tecnológicos. Sin embargo, lo que todavía no se le ha podido quitar al libro es su gran alcance mundial, es decir, la facilidad con la que ha llegado a todos los rincones del planeta, incluso a aquellos más lejanos. Al mismo tiempo, el libro permanece como una herramienta del saber mucho más accesible, en términos económicos, que varios de los aparatos tecnológicos que buscan reemplazarlo. De este modo, el libro sigue siendo hoy el principal soporte y medio de transmisión de la cultura, de los saberes, de los conocimientos infinitos que produce el ser humano. El libro tiene un formato relativamente simple, que consta de tapas y de un centro compuesto por hojas de papel en las cuales se imprime o se escribe el material y la información a ser transmitida. Dependiendo del material en el que sea realizado y del cuidado que se le dé el libro puede perdurar por muchos siglos y ser una fuente importantísima de información y de conocimiento para las generaciones futuras. acceso (adaptado) O livro é de fundamental importância para o desenvolvimento das sociedades e para o crescimento intelectual do indivíduo. Ciente da visão do autor do texto acima, é correto dizer que o livro: permite ao ser humano registrar fatos importantes da sua história e repassar tais episódios às sociedades posteriores. atua como vetor de determinação de importância de cada informação de quem o lê e cuida muito bem dele. desenvolve a criatividade, a imaginação de professores interessados por assunto de cultura, conhecimentos de valores. é o único responsável pela transmissão de conhecimentos intelectuais de hoje em dia, mudando o futuro de quem os lê de forma criativa. é o sujeito ativo da medicina, das relações sociais e de outras áreas do saber responsáveis pela evolução de cada geração. LC - 2º dia Página 7

8 Texto para as questões 6 e 7 I - Juca Pirama VIII Tu choraste em presença da morte? Na presença de estranhos choraste? Não descende o cobarde do forte; Pois choraste, meu filho não és! Possas tu, descendente maldito De uma tribo de nobres guerreiros, Implorando cruéis forasteiros, Seres presa de vis Aimorés. Possas tu, isolado na terra, Sem arrimo e sem pátria vagando, Rejeitado da morte na guerra, Rejeitado dos homens na paz, Ser das gentes o espectro execrado; Não encontres amor nas mulheres, Teus amigos, se amigos tiveres, Tenham alma inconstante e falaz! Não encontres doçura no dia, Nem as cores da aurora te ameiguem, E entre as larvas da noite sombria Nunca possas descanso gozar: Não encontres um tronco, uma pedra, Posta ao sol, posta às chuvas e aos ventos, Padecendo os maiores tormentos, Onde possas a fronte pousar. Que a teus passos a relva se torre; Murchem prados, a flor desfaleça, E o regato que límpido corre, Mais te acenda o vesano furor; Suas águas depressa se tornem, Ao contacto dos lábios sedentos, Lago impuro de vermes nojentos, Donde fujas como asco e terror! [...] In: Poemas de Gonçalves Dias. Seleção de Péricles Eugênio da Silva Ramos. Rio de Janeiro. Ediouro. QUESTÃO 6 A força dramática do canto VIII de I - Juca Pirama, analisada sob a ótica indianista do romantismo brasileiro, decorre das imagens utilizadas na maldição do pai, segundo o filho passaria a ser ente solitário e errante. das sugestões visuais e táteis do texto, que sugerem a superioridade dos timbiras sobre o guerreiro tupi. das representações sinestésicas do texto, que, de acordo com as palavras de um pai envergonado, sugerem o ato de fraqueza do filho. das ideias discutidas ao longo, principalmente, da segunda estrofe do texto, em que as mulheres e amigos de I- -juca Pirama também são amaldiçoados. E das organizações estruturais das estrofes, marcadas recorrentemente pelo rigor e pelo uso do solene verso decassílabo. QUESTÃO 7 O poema I - Juca Pirama compõe o livro Últimos Cantos, de 1851, do poeta maranhense Antônio Gonçalves Dias. Sabendo-se que tal obra pertence à primeira geração do romantismo, pode-se inferir que nela encontraremos grande força telúrica, sobretudo pela recorrência a elementos da fauna e da flora brasileiras, conforme se vê no fragmento. idealização do índio como elemento simbólico de uma nação que começa a construir sua identidade mesmo esbarrando em influências estéticas afrancesadas. valorização do índio como elemento histórico de resistência aos processos de colonização impostos por monarquias europeias. evidências da permanente influência da cultura europeia, que persistirá no Brasil literário até o fim do período que convencionamos chamar de pós-modernismo. profundo sentimento nativista, sobretudo no ato de coragem do pai que intercede pelo filho junto ao chefe timbira temendo por sua vida. QUESTÃO 8 Sem alegria nem cuidado, nosso pai encalcou o chapéu e decidiu um adeus para a gente. Nem falou outras palavras, não pegou matula e trouxa, não fez a alguma recomendação. Nossa mãe, a gente achou que ela ia esbravejar, mas persistiu somente alva de pálida, mascou o beiço e bramou: Cê vai, ocê fique, você nunca volte! ROSA, Guimarães. In: Primeiras estórias. Esse texto é um fragmento do conto A terceira margem do rio. Considerando as seguintes afirmações sobre o trecho em negrito, podemos afirmar que em sua fala, a personagem da mãe estabelece um tratamento em grau crescente de informalidade. a repetição do pronome de tratamento tem por objetivo reiterar a proximidade física do casal. o tratamento que a mãe dá ao marido nessa fala incorpora a distância em que este se colocaria em relação à família. nota-se uma clara intenção de mistificar o diálogo. há marcas no diálogo em negrito de uma linguagem rebuscada em variante formal. QUESTÃO 9 A maior alegria do brasileiro é hospedar alguém, mesmo um desconhecido que lhe peça pouso, numa noite de chuva. RICARDO, Cassiano. In: O Homem Cordial. O trecho que poderia dar sequência lógica e coesa ao texto é A A Não obstante isso, ele é uma pessoa gentil. B B Dessa forma, qualquer um que o procurar será atendido. C C A solidariedade, pois, ainda precisa ser conquistada. D D E o brasileiro ganhou fama de intolerante. E E Por conseguinte, se chover, ele dará hospedagem aos desconhecidos. LC - 2º dia Página 8

9 QUESTÃO 10 Pronominais Dê-me um cigarro Diz a gramática Do professor e do aluno E do mulato sabido. Mas o bom negro e o bom branco Da Nação Brasileira Dizem todos os dias Deixa disso camarada Me dá um cigarro ANDRADE, Oswald de. In: Poesia Pau-Brasil. Analise as seguintes afirmações a respeito desse poema. É possível considerar que no texto, encontramos exemplos do Português tanto no seu uso padrão quanto no seu uso coloquial. para manifestar sua tendência à coloquialidade, o texto ignora completamente procedimentos do Português padrão. ao adotar a norma culta como mecanismo de julgamento estilístico, o texto implicitamente condena o analfabetismo. o uso do Português padrão no primeiro verso, em contraste com a adoção da linguagem coloquial no último, insinua a superioridade daquele sobre este. a coexistência da norma culta com a linguagem coloquial não indica a diversidade dos usos do Português no Brasil. Texto para as questões 11 e 12 Mar português Ó Mar salgado, quanto do teu sal são lágrimas de Portugal! Por te cruzarmos, quantas mães choraram! Quantos filhos, em vão, rezaram! Quantas noivas ficaram por casarpara que tu fosses 5 nosso, ó mar! Valeu a pena? Tudo vale a pena se a alma não é pequena. Quem quer passar além do Bojador tem que passar além da dor. Deus ao mar o perigo e o abismo deu, mas nele é que 10 espelhou o céu! PESSOA, Fernando. In: Mensagem. QUESTÃO 11 As palavras que melhor definem o povo português, de acordo com as ideias contidas no texto, são fé e competência. inteligência e maturidade. orgulho e religiosidade. perseverança e ambição. grandeza e tenacidade. QUESTÃO 12 Por um processo anafórico, a palavra nele (linha 9) tem como referente no texto Mar (linha 1) Deus (linha 9) perigo (linha 9) abismo (linha 9) céu (linha 10) QUESTÃO 13 Os donos da comunicação Os presidentes, os ditadores e os reis da Espanha que se cuidem porque os donos da comunicação duram muito mais. Os ditadores abrem e fecham a imprensa, os presidentes xingam a TV e os reis da Espanha cassam o rádio, mas, quando a gente soma tudo, os donos da comunicação ainda tão por cima. Mandam na economia, mandam nos intelectuais, mandam nas moças fofinhas que querem aparecer nos shows dos horários nobres e mandam no society que morre se o nome não aparecer nas colunas. Todo mundo fala mal dos donos da comunicação, mas só de longe. E ninguém fala mal deles por escrito porque quem fala mal deles por escrito nunca mais vê seu nome e sua cara nos veículos deles. Isso é assim aqui, na Bessarábia e na Baixa Betuanalândia. Parece que é a lei. O que também é muito justo porque os donos da comunicação são seres lá em cima. Basta ver o seguinte: nós, pra sabermos umas coisinhas, só sabemos delas pela mídia deles, não é mesmo? Agora, vocês já imaginaram o que sabem os donos da comunicação que só deixam sair 10% do que sabem? Pois é; tem gente que faz greve, faz revolução, faz terrorismo, todas essas besteiras. Corajoso mesmo, eu acho, é falar mal de dono de comunicação. Aí tua revolução fica xinfrim, teu terrorismo sai em corpo 6 e se você morre vai lá pro fundo do jornal em quatro linhas. FERNANDES, Millôr. Que país é este?, No último período do texto, a discrepância dos possessivos teu e tua (segunda pessoa do singular) com relação ao pronome de tratamento você (terceira pessoa do singular) justifica-se como possibilidade permitida pelo novo sistema ortográfico da língua portuguesa. um modo de escrever característico da linguagem jornalística. emprego perfeitamente correto, segundo a gramática normativa. aproveitamento estilístico de um uso do discurso coloquial. intenção de agredir com mau discurso os donos da comunicação. LC - 2º dia Página 9

10 QUESTÃO 14 Soneto Pálida à luz da lâmpada sombria, Sobre o leito de flores reclinada, Como a lua por noite embalsamada, Entre as nuvens do amor ela dormia! Era a virgem do mar, na escuma fria Pela maré das águas embalada! Era um anjo entre nuvens d alvorada Que em sonhos se banhava e se esquecia! Era mais bela! o seio palpitando Negros olhos as pálpebras abrindo Formas nuas no leito resvalando Não te rias de mim, meu anjo lindo! Por ti - as noites eu velei chorando, Por ti - nos sonhos morrerei sorrindo! In: Álvares de Azevedo. Seleção de textos de Bárbara Heller, Luís Percival L. Brito e Marisa Lajolo. Sâo Paulo: Abril Educação, p. 22. Literatura Comentada. Levando-se em conta o autor e a corrente estética em que se enquadra o soneto apresentado, pode-se afirmar que a figura feminina é tratada de forma idealizada e sensualista, como se vê na recorrência à ideia de brancura, palidez e voluptuosidade. de forma sensualista e mórbida, como referência a um cientificismo trágico que também é comum na estética naturalista. de maneira a sentir-se plena e realizada na concretude dos sentimentos amorosos e integrada ao ser amado. sem rebuscamento ou idealização, já que há um profundo sentido de morbidez que arremata o poema. sem fantasia ou valorização sensualista, uma vez que o ultrarromantismo vê a mulher a partir do binômio amor x morte. QUESTÃO 15 Algum tempo hesitei se devia abrir estas memórias pelo princípio ou pelo fim, isto é, se poria em primeiro lugar o meu nascimento ou a minha morte. Suposto o uso vulgar seja começar pelo nascimento, duas considerações me levaram a adotar diferente método: a primeira é que eu não sou propriamente um autor defunto, mas um defunto autor, para quem a campa foi outro berço; a segunda é que o escrito ficaria assim mais galante e mais novo. Moisés, que também contou a sua morte, não a pôs no intróito, mas no cabo: diferença radical entre este livro e o Pentateuco. ASSIS, Machado de. In: Memórias Póstumas de Brás Cubas. Infere-se, com base nas ideias do autor-personagem, que o excerto supracitado se trata de um texto jornalístico. de um texto religioso. de um texto científico. de um texto autobiográfico. de um texto teatral. QUESTÃO 16 Leia o texto abaixo: Estima-se que eles sejam 400 mil só em São Paulo, 240 mil deles indocumentados, nome dado àqueles que estão em situação irregular. Falam espanhol, guarani, quíchua ou aimará, língua dos Andes bolivianos e peruanos. Muitos vieram, em travessias clandestinas, direto para oficinas de costura da região central de São Paulo. Num mesmo espaço, eles comem, dormem e trabalham às vezes, 16 horas por dia. Eles formam a comunidade latinoamericana que vive em São Paulo, onde predominam os bolivianos, paraguaios, peruanos, colombianos, chilenos(...) Trabalhando e dormindo em espaços apertados e não ventilados, comendo precariamente, eles formam o caldo de cultura para doenças como a tuberculose. A Pastoral do Migrante estima que 20 em cada mil deles possam estar com a doença, o dobro da incidência da região central de São Paulo. Folha de S. Paulo, 16/03/03, p. C7 Escolha a alternativa que apresenta a solução mais adequada para o problema descrito no texto. Legalizar a situação desse grande contingente de estrangeiros na cidade, a fim de que eles possam trabalhar regularmente e, assim, exigir seus direitos, para dispor de melhores condições de vida. Proibir a entrada de estrangeiros sem documentos, a fim de diminuir a exploração dessa mão de obra altamente desqualificada e poder eliminar os focos da doença. Sendo a presença de um grande número de imigrantes ilegais um dos fatores que contribuem com o aumento da doença, obrigá-los a se vacinarem quando chegam ao país é a única solução. Combater os focos da doença, impedindo que os moradores de rua possam se deslocar por todos os outros bairros da cidade, limitando sua área de circulação. Proibir as indústrias de empregarem trabalhadores sem documentos, para estimular esse contingente de estrangeiros a procurar legalizar sua situação no país. LC - 2º dia Página 10

11 QUESTÃO 17 Raça, suor e tecnologia Quem é o maior craque do mundo na sua opinião? O argentino Messi? O português Cristiano Ronaldo? Xavi, do Barcelona? Ou você elege a prata da casa, como Kaká, Neymar ou Ganso? São jogadores que esbanjam talento, forma física e técnica. Mas o momento em que esses ídolos entram em campo representa a finalização de um processo envolvendo milhões de dólares em pesquisas de ponta. Porque, além da qualidade individual e do nível tático da equipe, hoje também os uniformes e a bola podem influir no placar final. Não é exagero. Grandes empresas fabricantes de material esportivo trabalham em parceria com universidades e laboratórios em todo o mundo para desenvolver e aplicar as mais inovadoras tecnologias em chuteiras, camisetas, calções, meias e luvas, visando melhorar o rendimento dos jogadores. O objetivo é amplo: maximizar a performance dos atletas durante os 90 minutos da partida, diminuir o impacto do esforço e encurtar o tempo de recuperação após o jogo. Fonte: fragmentos de um artigo assinado por Wilson Weigl na revista Conhecer, edição de número 20, de 2011 Embora o artigo tenha por finalidade enfatizar a utilidade dos produtos da tecnologia e das conquistas da medicina para a prática do futebol, a menção em destaque a grandes jogadores como Messi, Cristiano Ronaldo, Kaká, Neymar e Ganso deixa implícito que no futebol, não é importante ser um grande jogador, mas ter o melhor equipamento. sem tecnologia e atenção médica, esses jogadores não seriam tão grandes como a imprensa propaga. a imprensa é que cria ídolos, pois todos os jogadores jogam praticamente do mesmo modo. os grandes jogadores perdem a confiabilidade, na medida em que se vendem para empresas como testadores de produtos e garotos-propaganda. com ou sem tecnologia ou progressos científicos, são os grandes talentos a principal referência do futebol e dos esportes em geral. QUESTÃO 18 Texto I A proibição do véu islâmico, que cobre todo o rosto, aprovada pelo Senado francês, é um passo certo. Essa proibição não tem nada a ver com intolerância ou mesmo cerceamento da liberdade de praticar uma religião. O véu integral, seja o niqab ou a burca, é um obstáculo de primeira ordem à integração, que não pode ser tolerado em uma sociedade europeia aberta. O véu integral não é parte da liberdade religiosa, mas apenas instrumento da tradição, usado para privar as mulheres de suas personalidades e autonomia. A separação entre a Igreja e o Estado, na Europa, é uma grande conquista do Iluminismo. RIEGERT, Bernd. Deutsche Welle. (Adaptado.) Texto II Há algo de profundamente cínico na lei francesa que proíbe mulheres de portar indumentárias como a burca e o niqab. Primeiro, essa lei nada tem a ver com a laicidade do Estado. Na verdade, o Estado laico é aquele indiferente à religiosidade da sociedade. Tal distância significa duas coisas: as leis não serão influenciadas pela religião e o Estado não legisla sobre práticas e costumes religiosos. No entanto, não cabe ao Estado dizer que uma roupa é signo de opressão. Até porque a opressão é algo que só pode ser enunciado na primeira pessoa do singular ( Eu me sinto oprimido ), e não na terceira pessoa ( Você está oprimido, mesmo que não saiba ou não tenha coragem de dizer. Vim libertá-lo ). SAFATLE, Vladimir. Folha de S.Paulo, (Adaptado.) Da leitura dos textos, pode-se inferir que os dois autores recorrem a argumentos de natureza religiosa para abordar o tema da proibição da burca na França. os dois textos condenam a separação entre Estado e religião na sociedade burguesa. embora expressem pontos de vista opostos, os dois textos apoiam-se em argumentos de natureza liberal. para os dois autores, o tema da proibição da burca é exclusivamente jurídico. os dois autores consideram a proibição da burca um ato autoritário por parte do Estado. QUESTÃO 19 Adolescentes criativos Álvares de Azevedo, aos 13 anos, dominava francês, inglês e latim. Aos 17, traduziu Shakspeare e Byron. Aos 21, morreu e deixou uma obra de mais de 800 páginas! A força criativa do poeta não foi exclusividade sua. Vários escritores publicaram suas principais obras antes dos 25 anos. Veja: J. W. Goethe tinha 24 anos quando escreveu Os sofrimentos do jovem Werther; Arthur Rimbaud tinha 16 anos quando escreveu O barco bêbado, um de seus mais importantes poemas; Castro Alves, com 22 anos, escreveu O navio negreiro; e Rachel de Queiroz publicou O quinze aos 19 anos. Com base na leitura do texto, é possível inferir que a precocidade entre os escritores nacionais e estrangeiros dáse pelo fato de que a força criativa é exclusividade da juventude. a força criativa nada tem a ver com faixa etária. adolescentes criativos são uma presença constante em todos os períodos literários. adolescentes criativos produzem obras mais propensas à eternidade literária e à conquista de jovens leitores. adolescência e força criativa são elementos intrísecos da história da arte. LC - 2º dia Página 11

12 QUESTÃO 20 Momento Bossa Nova Nos anos 1940, o samba-canção já era uma alternativa para o samba tradicional, batucado, quadrado. Em sua gênese foram empregados recursos correntes na música erudita europeia e na música popular norte-americana. Já era algo mais sofisticado, praticado por compositores e arranjadores com maior preparo musical e sempre de ouvido aberto para as soluções propostas pela música estrangeira. O jazz, por exemplo, mais tarde, permitiria fusões interessantes como o samba-jazz e o samba moderno, com arranjos grandiosos e com base nos instrumentos de sopro. Mas, em termos de poesia e expressividade, o samba-canção tendia a manter seu caráter escuro, sombrio, com muitos elementos que lembravam a atmosfera tensa e pessimista do tango argentino e do bolero, gêneros latinos por excelência. O samba-canção esteve desde logo ambientado em Copacabana, lugar de vida noturna intensa, boates enfumaçadas, mulheres adultas e fatais envoltas num clima de pecado e traição, enquanto a Bossa Nova ambientou-se mais para o Sul, em Ipanema, além de tornar-se representativa de um público mais jovem, amante do sol e da praia. Nesse ambiente solar, a mulher passou a ser a garota da praia, a namorada. Castro. A linguagem harmônica da Bossa Nova,1999, p. 59. Obsevando a relação entre a Bossa Nova e o samba-canção, podemos reconhecer como o principal traço distintivo entre os dois gêneros musicais a influência do jazz, gênero musical de origem norte- -americana. o afastamento do samba tradicional, batucado, quadrado. a exploração da positividade expressiva e um otimismo sem precedentes. a influência do tango e do bolero sofrida pela Bossa Nova. o caráter mais inovador e as virtudes rítmicas do samba- -canção. QUESTÃO 21 Com todo o aparato de suas hordas guerreiras, não conseguiram as bandeiras realizar jamais a façanha levada a cabo pelo boi e pelo vaqueiro. Enquanto que aquelas, no desbravar, sacrificavam indígenas aos milhares, despovoando sem fixarem-se, estes foram pontilhando de currais os desertos trilhados, catequizando o nativo para seus misteres, detendo-se, enraizando-se. No primeiro caso, era o ir-e-voltar; no segundo, era o ir-e-ficar. E assim foi o curral precedendo a fazenda e o engenho, o vaqueiro e o lavrador, realizando uma obra de conquista dos altos sertões, exclusive a pioneira. GOULART, José Alípio. In: Brasil do Boi....o aparato de suas hordas guerreiras... sugere que as conquistas dos bandeirantes ocorreram com organização e violência. rapidez e violência. técnica e profundidade. premeditação e segurança. demonstrações de racismo e violência. QUESTÃO 22 A escravidão levou consigo ofícios e aparelhos, como terá sucedido a outras instituições sociais. Não cito alguns aparelhos senão por se ligarem a certo ofício. Um deles era o ferro ao pescoço, outro o ferro ao pé; havia também a máscara de folha-de-flandres. A máscara fazia perder o vício da embriaguez aos escravos por lhes tapar a boca. Tinha só três buracos, dois para ver, um para respirar, e era fechada atrás da cabeça por um cadeado. Com o vício de beber, perdiam a tentação de furtar, porque, geralmente, era dos vinténs do senhor que eles tiravam com que matar a sede, e aí ficavam dois pecados extintos, e a sobriedade e a honestidade certas. Era grotesca tal máscara, mas a ordem social e humana nem sempre se alcança sem o grotesco e, alguma vez, o cruel. Os funileiros as tinham penduradas, à venda, na porta das lojas. ASSIS, Machado de. Pai contra mãe. In: Relíquias da casa velha. Obra completa. Rio de Janeiro, Aguilar, 1959, vol. II, p Podemos deduzir do texto que o discurso é de caráter dissertativo. O enunciador mostra- -se favorável à instituição da escravidão. o discurso é de caráter narrativo. O narrador, em terceira pessoa, mostra-se favorável à instituição da escravidão. o discurso mescla elementos narrativos e descritivos, mas não há sinais de discurso dissertativo, pois o enunciador mostra-se neutro quanto ao tema da abolição da escravatura. o discurso mescla elementos narrativos, descritivos e dissertativos para abordar o tema da escravidão como uma instituição necessária. o discurso dissertativo vale-se da descrição e, em menor escala, da narração para denunciar a escravidão como uma instituição que degrada o ser humano escravizado e também a sociedade escravocrata. QUESTÃO 23 São Paulo gigante, torrão adorado Estou abraçado com meu violão Feito de pinheiro da mata selvagem Que enfeita a paisagem lá do meu sertão. Tonico e Tinoco. São Paulo Gigante. Nos versos da canção dos paulistas Tonico e Tinoco, o termo sertão deve ser compreendido como descritivo da paisagem e da vegetação típicas do sertão existente na região Nordeste do país. contraposição ao litoral, na concepção dada pelos caiçaras, que identificam o sertão com a presença dos pinheiros. analogia à paisagem predominante no Centro-Oeste brasileiro, tal como foi encontrada pelos bandeirantes no século XVII. metáfora da cidade-metrópole, referindo-se à aridez do concreto e das construções. generalização do ambiente rural, independentemente das características de sua vegetação. LC - 2º dia Página 12

13 QUESTÃO 24 Suspensão de blog com livros piratas cria discussão na web Uma mensagem de violação dos termos de uso anunciou, semana passada, aos milhares de visitantes diários do blog Livros de Humanas a suspensão da página, que era hospedada pelo Wordpress. Criado em 2009 por um aluno da USP, o blog formou, em pouco mais de dois anos, uma biblioteca maior do que a de muitas faculdades brasileiras. Até sair do ar, reunia títulos, entre livros e artigos, de filosofia, antropologia, teoria literária, ciências sociais, história etc. Um acervo amplo, de qualidade, que podia ser baixado imediatamente e de graça. Muitas pessoas, é claro, adoravam a página. Entre elas, no entanto, não estavam os editores dos livros reunidos ali. A biblioteca do Livros de Humanas era toda formada sem qualquer autorização. É óbvio que o blog desrespeita a legislação vigente - diz o criador da página, que mantém anonimato, numa entrevista por . Mas não porque somos bandidos, mas porque a legislação é um entrave para o desenvolvimento do pensamento e da cultura no país. O mesmo argumento foi defendido nos últimos dias no Twitter por intelectuais, como o crítico literário Idelber Avelar, o antropólogo Eduardo Viveiros de Castro, a escritora Verônica Stigger e o poeta Eduardo Sterzi. Do outro lado da discussão, críticas à pirataria. A Editora Sulina, que vinha pedindo a remoção da página, falou em apropriação indevida e o escritor Juremir Machado escreveu: Quem chama pirataria de universalização da cultura é babaca q ñ vende livro, mas quer q alguém pague a conta. Livro tem de ser barato e pago. O caso chama atenção para a ampliação da circulação de arquivos digitais de livros na internet, uma prática que dá novo sentido e escala à discussão sobre a circulação de cópias xerocadas no meio acadêmico. Disponível em: De acordo com o produtor do texto, o blog constitui uma contravenção, assumida por seu próprio criador, o qual, no entanto, considera a punição muito severa para quem comete esse tipo de crime. foi retirado da internet por violar a autoria das obras publicadas. tinha um acervo variado e era publicado gratuita e especificamente para alunos do curso de Letras da USP. foi suspenso pela Editora Sulina, que classificou a prática do blog como pirataria. evidencia que a prática de copiar obras ilegalmente, comum em universidades, agora tem ramificações no mundo virtual. QUESTÃO 25 Era grotesca tal máscara, mas a ordem social e humana nem sempre se alcança sem o grotesco, e, alguma vez, o cruel. Há, nessa passagem, um sentido crítico, que denuncia a ordem humana e social que se obtém mediante o grotesco e a crueldade, ou seja, por meio da desordem humanitária. O recurso retórico usado para se obter tal efeito de sentido é metonímia. prosopopéia. símbolo. ironia. quiasmo. QUESTÃO 26 Disponível em: Acesso em 20/04/13. A imagem acima, do aclamado fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado, mostra que as fotografias, da mesma forma que os textos, podem ser lidas e interpretadas. A opção de colocar, no primeiro plano, figuras humanas provoca no espectador uma atitude de questionamento sobre a hostilidade da natureza. admiração pela beleza do espaço físico. surpresa pelo jogo de claro e escuro. mobilização para combater as injustiças sociais. reflexão sobre desamparo e fragilidade. QUESTÃO 27 Referindo-se, numa carta, a seu romance Iracema, escreveu José de Alencar: Este livro é pois um ensaio ou antes mostra. Verá realizadas nele minhas ideias a respeito da literatura nacional e achará aí a poesia inteiramente brasileira, haurida na língua do selvagens. A etimologia dos nomes das diversas localidades e certos modos de dizer tirados da composição das palavras são de cunho original. De acordo com esse trecho, é correto afirmar que a literatura indianista desse autor foi produzida de modo a subverter o sentido que comumente se atribui às palavras de uso corrente. deu-lhe pretexto para que ele criasse palavras que pudessem soar como se, de fato, pertencessem a alguma língua indígena. foi, por ele mesmo, considerada de importância menor do que a que escrevia com outro tipo de preocupação. era um simples ensaio do escritor, que se preparava para criar romances de maior peso, ambientados na Corte. levou-o a pesquisar e a valorizar, criativamente, a força expressiva da língua falada pelos nativos. LC - 2º dia Página 13

14 QUESTÃO 28 Leia o texto abaixo e responda à questão a seguir: ( ) Aclamado como o país de maior diversidade biológica do mundo, o Brasil tem sua riqueza natural constantemente ameaçada. Um exemplo dessa situação é o desmatamento da Amazônia ( ). Na região, a atividade agrícola de forma não-sustentável continua e a extração madeireira tende a aumentar na medida em que os estoques da Ásia se esgotam. Relatório elaborado pela Secretaria de Assuntos Estratégicos, ligada à Presidência da República, indica que 80% da produção madeireira da Amazônia provêm da exploração ilegal. Existem 22 madeireiras estrangeiras conhecidas em operação na região e há pouca fiscalização sobre sua produção e área de exploração. Esses dados refletem o descontrole da região por parte das autoridades. O pior é que o desperdício da madeira gira entre 60% e 70%. Um outro agravante é o fato de o Governo desenvolver megaprojetos de infra-estrutura para a Amazônia que causam degradação ambiental sem trazer benefícios para os habitantes da região. Fonte: INPE. CPTEC Com base no que foi exposto no texto, pode-se dizer que apesar de o governo estar desenvolvendo uma política de ocupação econômica adequada às realidades da Amazônia, isso não está impedindo que haja devastação florestal naquela região. a implantação, nas últimas décadas, com o apoio do governo, de estradas de ferro e hidroelétricas na Amazônia não provocou grandes desastres ecológicos, mas sim grandes benefícios para sua população. a atividade agrícola desenvolvida em Rondônia por migrantes provenientes da região Sul não provocou grandes problemas ambientais no território desse estado, pois as técnicas utilizadas para o plantio não apresentavam caráter predatório. os países desenvolvidos, pressionados por organizações internacionais de defesa do meio ambiente, deixaram de importar madeira, o que determinou que essa matéria- -prima tivesse queda de preço e, consequentemente, deixasse de ser produzida em larga escala na Amazônia. é possível que a Amazônia seja objeto de uma ocupação econômica desprovida de caráter predatório, desde que esta seja desenvolvida de forma sustentável, ou seja, de forma interativa com o quadro natural da região. QUESTÃO 29 Leia o poema O constante diálogo, de Carlos Drummond de Andrade. Há tantos diálogos Diálogo com o ser amado o semelhante o diferente o indiferente o oposto o adversário o surdo-mudo o possesso o irracional o vegetal o mineral o inominado Diálogo consigo mesmo com a noite os astros os mortos as ideias o sonho o passado o mais que futuro Escolhe teu diálogo e tua melhor palavra ou teu melhor silêncio Mesmo no silêncio e com o silêncio dialogamos. ANDRADE, Carlos Drummond de. Discurso de primavera e algumas sombras, O eu lírico, ao mostrar as variedades do diálogo, revela que este é uma forma que, na verdade, dissimula um monólogo. é uma realidade inerente à condição humana. implica necessariamente um outro, distinto do eu. constrói a ideia de que comunicar exige afinidade. concebe o presente desprovido das marcas do passado. QUESTÃO 30 Folha de São Paulo, 03/08/2011. Considerando-se os elementos verbais e visuais da charge, conclui-se que o humor decorre do(a) crítica despropositada feita a um livro considerado um clássico da literatura universal. duplo sentido que a palavra barata adquire no contexto do último quadrinho da tirinha. ambiguidade do substantivo impressão, presente no segundo quadrinho. explícita referência intertextual que ocorre no primeiro quadrinho da tira. traço caricatural das personagens que as aproxima do conteúdo do livro mencionado. LC - 2º dia Página 14

15 QUESTÃO 31 O texto a seguir foi extraído de um romance contemporâneo, já adaptado para o cinema, que trata do cotidiano dos moradores de um conjunto habitacional popular no Rio de Janeiro. Leia-o e assinale o correto a seu respeito. No caminho, Miúdo falava da possibilidade de passar o rodo em Cenoura. Além do mais, achava que ele havia engrossado com quem fora dar ideia responsa, justamente para evitar conflito com ele, que era amigo da antiga. O cara fala assim mesmo, rapá! Ele não tá a fim de se meter e pronto. Tu já avisou, não avisou? Então pronto! Deixa que eu dou ideia àquela molecada lá da Treze... Eles são responsa comigo... tranquilizava Pardalzinho. LINS, Paulo. Cidade de Deus. A personagem adota o padrão coloquial para distanciar- -se do narrador. O narrador estabelece uma nítida distância estilística em relação à personagem. A personagem usa gírias, procedimento ignorado pelo narrador. O narrador opta pelo uso exclusivo da modalidade culta do Português. O narrador incorpora a linguagem coloquial da personagem. QUESTÃO 32 VICTOR MEIRELLES: Primeira Missa no Brasil, Óleo sobre tela. Rio de Janeiro, Museu Nacional de Belas Artes. Canto IV Meu canto de morte, [...] Guerreiros, ouvi: Sou bravo, sou forte, Sou filho das selvas, Sou filho do Norte; Nas selvas cresci; Meu canto de morte, Guerreiros, descendo Guerreiros, ouvi. Da tribo Tupi. [...] DIAS, Gonçalves. I-Juca-Pirama. In: Clássicos da Poesia Brasileira. São Paulo: Galex, [s/d]. p Assassinato do índio Galdino completa 10 anos Pataxó foi incendiado num ponto de ônibus em Brasília. Cinco rapazes foram responsáveis pelo crime. 19/04/2007. Disponível em: <http://g1.globo.com/notícias/brasil/o>. Acesso em: 7 de setembro de Jovens espancam e matam índio em Minas Gerais Três jovens tentam arrancar a roupa do índio xacriabá antes de surrá-lo até a morte. Disponível em: <http://jc.uol.com.br/2007/09/17/not_ php>. Acesso em: 24 de setembro de Nas artes plásticas, na literatura, nas notícias das diversas mídias assim temos acompanhado a saga indígena. Podemos então afirmar que, ao longo do séculos, o índio no Brasil vem conquistando reconhecimento social e espaço no mercado de trabalho a exemplo do que vem ocorrendo com os afrodescendentes. tanto quanto os negros, vêm passando por um sucessivo e irreversível processo de extermínio. tem sido alvo de constantes agressões e desrespeito à sua identidade cultural. conseguiu alçar postos de igualdade, provando que não há segregação étnica no Brasil. passou por um processo de extermínio, é fato, mas conseguiu superar os obstáculos temporais e chegou a uma condição próxima à igualdade. QUESTÃO 33 Texto I Riacho do Navio Corre pro Pajeú O rio Pajeú vai despejar no São Francisco O rio São Francisco vai bater no mei do mar Oxe se eu fosse um peixe ao contrário do rio Nadava contra as águas e nesse desafio Saía lá do mar pro Riacho do Navio Eu ia diretinho pro Riacho do Navio. Luiz Gonzaga Texto II O filme Central do Brasil, candidato ao Oscar, relata a história do menino Josué, que, depois da trágica morte da mãe, só tem um desejo: viajar de São Paulo para o Nordeste, em busca do reencontro com o pai. Entre os falantes da nossa língua, é comum observarmos variações linguísticas relacionadas à região onde vivem, ao seu grupo social ou à sua faixa etária. Além disso, um enunciador pode recorrer a diferentes expedientes linguísticos para organizar o seu texto de modo a adequá-lo a determinada situação, o que significa evidenciar uma certa intenção e privilegiar determinada função da linguagem. Considerando esses dados e os textos anteriores, podemos concluir que na linguagem poética do texto I, a imagem do peixe que poderia enfrentar o desafio de nadar contra as águas corresponde ao desejo de retorno do menino Josué, registrado no texto II em linguagem referencial. as expressões pro e mei, que são marcas de oralidade de uma variante linguística nordestina, colocam o texto I em posição de inferioridade em relação ao texto II, que não desrespeita a norma culta. no texto II, evidencia-se a predominância da função emotiva da linguagem, pelo emprego de palavras como trágica, desejo, reencontro. D como se pode observar no texto I, na linguagem formal, é comum a falta de rigor gramatical no emprego dos tempos verbais. as formas nadava, saía e ia (texto I) são exclusivas da linguagem regional do Nordeste brasileiro. LC - 2º dia Página 15

16 QUESTÃO 34 Há anos, quando se anunciou que haveria um Rock in Rio 2, jovens começaram a circular pela cidade usando camisetas com o símbolo do Rock in Rio 1 e uma frase dizendo: I was. Ou seja: Eu era. Perguntei-me: por que Eu era? No começo, escapou-me a relação entre a imagem e a inscrição. Claro que, depois de árduo exercício intelectual, deduzi que a camiseta queria dizer Eu fui ou Eu estava lá (no Rock in Rio 1 ), caso em que o correto em inglês seria I went ou I was there. (...) E viva o verbo tó bé. CASTRO, Ruy. Folha de São Paulo, 03/09/2011. Podemos inferir, através da análise dos procedimentos argumentativos utilizados, que a principal ideia defendida por Ruy Castro em seu artigo também está contida no fragmento A A O uso abusivo de estrangeirismos deve ser combatido porque favorece a decadência da língua portuguesa. B B Os empréstimos linguísticos representam um fenômeno legítimo e enriquecedor da dinâmica do português. C C A incorporação de neologismos e anglicismos torna o uso da língua criativo e versátil. D D Os anglicismos estão longe de ser inofensivos, pois podem prejudicar o nosso próprio idioma. E E Estrangeirismos, usados como manifestações de status, podem representar uma armadilha para quem não os domina. QUESTÃO 35 Bang. Bang. Bang. Acertei os três tiros, três latas de Pomarola voaram, deram piruetas e caíram em cima do lixo. Fui até o muro, coloquei cinco garrafas, eu preferia garrafas, os cacos estilhaçando, eu gostava daquele barulho. Até matar o primeiro cara a gente pensa que existe essa história de aprender a matar. Aprender a matar é como aprender a morrer, um dia você morre e pronto. Ninguém aprende a matar. Isso é conversa furada de tira. Todo mundo nasce sabendo. Se você tem uma arma na mão, é isso, você já sabe tudo. MELO, Patrícia. O matador. São Paulo, Companhia das Letras, A partir da leitura do texto acima, podemos concluir que o trecho de Patrícia Melo revela incompatibilidade entre a matéria narrativa e a escolha vocabular dissonância que caracteriza a literatura brasileira dos anos de a narrativa em primeira pessoa reforça uma visão objetiva da realidade, ao mesmo tempo em que permite um mergulho profundo na psicologia da personagem. o fragmento pode servir como exemplo da exploração da temática da violência que a literatura brasileira das últimas décadas tem apresentado. a violência é incorporada pela própria narrativa, na artificialidade com que a personagem relata seus crimes. na expressão nasce sabendo não temos a presença de sons sibilantes. QUESTÃO 36 Minha desgraça Minha desgraça não é ser poeta, Nem na terra de amor não ter um eco... E, meu anjo de Deus, o meu planeta Tratar-me como trata-se um boneco... Não é andar de cotovelos rotos, Ter duro como pedra o travesseiro... Eu sei... O mundo é um lodaçal perdido cujo sol (quem mo dera!) é o dinheiro... Minha desgraça, ó cândida donzela, O que faz que meu peito assim blasfema, É ter por escrever todo um poema E não ter um vintém para uma vela. AZEVEDO, Álvares de. Lira dos Vinte Anos. Álvares de Azevedo é reconhecidamente vinculado à geração byroniana do Romantismo. Essa característica fica mais evidente pelo uso de expressões como: A A terra de amor e como trata-se um boneco. B B duro como pedra e cândida donzela. C C cotovelos rotos e dinheiro. D D Minha desgraça e O mundo é um loçadal perdido. E E escrever todo um poema e não ter um vintém. QUESTÃO 37 Se apresentar problema mecânico, trem de ferro descarrila. O desastre é escândalo e noticiado em todos os meios de comunicação de massa. Em fins de julho, na China, dois vagões de um trem saíram do trilho e despencaram lá do alto do viaduto. 32 pessoas mortas. Semelhante à escultura de José Resende, a foto do acidente é trágica e bela. No entanto, desacreditou, em parte, um bem montado programa de modernização do país asiático. Quando a obra de artista ambicioso vem bamboleando na bitola estreita da mesmice, ele deve dar-se conta de que a locomotiva que conduz apresenta sérias avarias. O maquinista tem de assumir ou não o risco do acidente regenerador. A assombrar o planejamento do futuro livro, o descarrilamento estético pode revigorar a obra literária à beira da insipidez. Tramas e personagens criados em obras anteriores morrem no desastre anunciado, que gera a fagulha propulsora da criação ousada, cuja escrita será um risco. Em virtude do ramerrame em que a locomotiva vinha sendo conduzida, os olhos do leitor crítico, já tomados pela malícia, serão surpreendidos. O julgamento sairá estampado nos jornais. SANTIAGO, Silviano. O Estado de São Paulo, 17/08/2011. No texto acima, o autor recorre ao recurso estilístico da alegoria, figura de linguagem que encerra uma comparação alargada entre uma realidade concreta e outra fantasiosa, para argumentar que os escritores devem evitar a ousadia para garantir aprovação. a favor da necessidade de se programar uma literatura moderna e globalizada. contra o mercado editorial contemporâneo que não dá espaço aos jovens escritores. a favor da criação de um movimento literário que despreze planejamento. que transcender velhos clichês literários e inovar envolve riscos. LC - 2º dia Página 16

17 QUESTÃO 38 Conversar pressupõe um diálogo produtivo entre as pessoas. Significa dizer que conversar é um processo cooperativo entre interlocutores. Leia o texto abaixo, que representa uma conversa. QUINO. Toda a Mafalda. São Paulo: Martins Fontes, O diálogo entre as amigas permite compreender a concepção de uma das meninas sobre conversa literária. Assinale os traços que, nesse diálogo, correspondam a essa concepção de elaboração literária. a repetição de palavras e a falta de vírgula, que fazem o texto fluir. ausência de pausas, que torna a apresentação das frases mais sintética. o conteúdo vago e a sonoridade recorrente, que impedem o texto de fluir. os trechos longos das falas com muitas orações, que tornam o texto sintético. ausência de exclamações e pontos-finais, que provocam o sentido metafórico. QUESTÃO 39 Texto I Se eu tenho de morrer na flor dos anos, Meu Deus! não seja já; Eu quero ouvir na laranjeira, à tarde, Cantar o sabiá! Meu Deus, eu sinto e tu bem vês que eu morro Respirando este ar; Faz que eu viva, Senhor! dá-me de novo Os gozos do meu lar! Dá-me os sítios gentis onde eu brincava Lá na quadra infantil; Dá que eu veja uma vez o céu da pátria, O céu do meu Brasil! Se eu tenho de morrer na flor dos anos, Meu Deus! não seja já! Eu quero ouvir na laranjeira, à tarde, Cantar o sabiá! ABREU, C. Poetas românticos brasileiros. São Paulo: Scipione, Texto II A ideologia romântica, argamassada ao longo do século XVIII e primeira metade do século XIX, introduziuse em Durante quatro decênios, imperaram o eu, a anarquia, o liberalismo, o sentimentalismo, o nacionalismo, através da poesia, do romance, do teatro e do jornalismo (que fazia sua aparição nessa época). MOISÉS, M; A literatura brasileira através dos textos. São Paulo: Cultrix, 1971 (fragmento). De acordo com as considerações de Massaud Moisés no texto II, o texto I centra-se A no imperativo do eu, reforçando a ideia de que estar longe do Brasil é uma forma de estar bem, já que o país sufoca o eu lírico. no nacionalismo, reforçado pela distância da pátria e pelo saudosismo em relação à paisagem agradável onde o eu lírico vivera a infância. na liberdade formal, que se manifesta na opção por versos sem métrica rigorosa e temática voltada para o nacionalismo. D no fazer anárquico, entendida a poesia como negação do passado e da vida, seja pelas opções formais, seja pelos temas. no sentimentalismo, por meio do qual se reforça a alegria presente em oposição à infância, marcada pela tristeza. QUESTÃO 40 Poema obsceno Façam a festa cantem e dancem que eu faço o poema duro o poema-murro sujo como a miséria brasileira Não se detenham: façam a festa Bethânia Martinho Clementina Estação Primeira de Mangueira Salgueiro gente de Vila Isabel e Madureira todos façam a nossa festa enquanto eu soco este pilão este surdo poema que não toca no rádio que o povo não cantará (mas que nasce dele) Não se prestará a análises estruturalistas Não entrará nas antologias oficiais Obsceno como o salário de um trabalhador aposentado o poema terá o destino dos que habitam o lado escuro do país e espreitam. (GULLAR, F. Toda poesia. São Paulo: Círculo do Livro, s. d. p. 338.) O adjetivo obsceno, presente no título e no poema, refere-se à permissividade característica de festas populares como o carnaval. ao tom de poemas de Gullar, proibidos de figurar em antologias oficiais. à situação dos que habitam o lado escuro do país. à denúncia de uma condição social. à indignação para com a corrupção política do país. LC - 2º dia Página 17

18 QUESTÃO 41 Disponível em: Acessado em 20/4/13. O bumba-meu-boi Como algumas outras manifestações folclóricas, o bumba-meu-boi utiliza uma forma antiga, tradicional; entretanto, fá-la revestir-se de novos aspectos, atualiza o entrecho, recompõe a trama. Daí o interesse do tipo solidário que desperta nas camadas populares, como o assinala Édison Carneiro. Interesse que só pode manterse porque o que no auto se apresenta não reflete apenas situações do passado, mas porque têm importância para o futuro. Com efeito, tendo por tema central a morte e a ressurreição do boi, cerca-se de episódios acessórios, não essenciais, muito desligados da ação principal, que variam de região para região... em cada lugar, novos personagens são enxertados, aparentemente sem outro objetivo senão o de prolongar e variar a brincadeira. Contudo, dentre esses personagens, os que representam as classes superiores são caricaturados, cobrindo-se de ridículo, o que torna o folguedo, em si mesmo, uma reivindicação. BELTRÃO, Luiz. Comunicação e folclore. São Paulo: Edições Melhoramentos, Analisando a produção artística do bumba-meu-boi, podemos perceber que o núcleo temático desse auto popular brasileiro desvaloriza as vivências festivas do interior do Brasil. critica a ação dos malfeitores de escravos. constantemente apresenta a morte e a ressurreição do boi. decompõe as estruturas sociais dos mais carentes. faz uma crítica aos padres e religiosos em geral pela sensualidade. QUESTÃO 42 Canção Dá-me pétalas de rosa Dessa boca pequenina: Vem com teu riso, formosa! Vem com teu beijo, divina! Transforma num paraíso O inferno do meu desejo... Formosa, vem com teu riso! Divina, vem com teu beijo! Oh! tu, que tornas radiosa Minh alma, que a dor domina, Só com teu riso, formosa, Só com teu beijo, divina! Tenho frio, e não diviso Luz na treva em que me vejo: Dá-me o clarão do teu riso! Dá-me o fogo do teu beijo! (BILAC, Olavo. Melhores poemas. Seleção de Marisa Lajolo. São Paulo: Global, p. 70. (Coleção Melhores poemas). No poema Canção, um dos recursos linguísticos utilizados para expressar a dependência do poeta em relação à mulher amada é a recuperação da voz feminina pela citação direta e explícita. a oposição semântica entre termos dos universos da razão e da espiritualidade. a construção da antítese mediante o encadeamento de orações coordenadas. a alternância das formas verbais nos modos indicativo e imperativo. a sequência sonora indicativa da melancolia causada pela distância entre eles. QUESTÃO 43 Ecologia Num tá fácil, malandro, A natureza tá ficando desarvorada. Cacaso O principal traço cômico deste poema é obtido pelo coloquialismo do verbo. pelo rebaixamento do leitor. pela exploração da rima imperfeita interna. pela oposição entre o título e a matéria do poema. pela exploração do duplo sentido. LC - 2º dia Página 18

19 QUESTÃO 44 Nel Mezzo Del Camin Cheguei, Chegaste, Vinhas fatigada E triste, e triste e fatigado eu vinha. Tinhas a alma de sonhos povoada. E a alma de sonhos povoada eu tinha. E paramos de súbito na estrada Da vida: longos anos, presa à minha A tua mão, a vista deslumbrada Tive da luz que teu olhar continha. Hoje segues de novo... Na partida Nem o pranto os teus olhos umedece, Nem te comove a dor da despedida. E eu, solitário, volto a face, e tremo, Vendo o teu vulto que desaparece Na extrema curva do caminho extremo. Olavo Bilac À ordem alterada, que o autor elabora no texto, em busca da eufonia e ritmo, dá-se o nome de Paradoxo; Metonímia; Hipérbato; Polissíndeto; Assonância. QUESTÃO 45 Leia os textos a seguir e escolha a alternativa que apresenta uma interpretação adequada do que cada um deles caracteriza. Texto I Adolescentes dos EUA estão trabalhando menos O percentual de adolescentes trabalhando ou procurando por emprego tem caído constantemente nas últimas duas décadas, atingindo uma baixa recorde. O declínio dos adolescentes no mercado de trabalho não é resultado de crianças ricas sendo sustentadas pelo papai e pela mamãe. Segundo uma análise do USA Today das pesquisas do Departamento de Educação sobre os alunos do 2º- ano, o declínio dos adolescentes no mercado de trabalho entre 1990 e 2002 foi muito mais pronunciado entre adolescentes de famílias cuja renda fica na faixa 25% mais baixa do que na mais alta. Os adolescentes de classe média apresentam a maior probabilidade de trabalhar e estudar ao mesmo tempo. A pressão para apresentar resultados na escola, nos esportes e em outras atividades é uma das teorias principais para o motivo de menos adolescentes trabalharem. Disponível em: Acessado em: 7/04/05. Texto II Crianças fora da escola O Semi-árido tem, em média, oito meses de seca, por ano. Os homens vão então em busca de trabalho no Centro- Sul. Deixam mulheres e filhos. As crianças sofrem mais. São 11 milhões em todo o Semi-árido. Segundo o Unicef, o Fundo das Nações Unidas para a Infância, em 95% dos municípios, os índices de mortalidade infantil superam a média nacional. Na região, há 390 mil crianças fora da escola. Segundo o Unicef, 370 mil crianças, até os 15 anos, ainda trabalham na região do Semi-árido. São meninos e meninas que trocam a infância e as brincadeiras pela enxada e a obrigação de ajudar os pais no trabalho nas roças. Disponível em: Acessado em: 8/04/05. O texto I explica por que está diminuindo o número de adolescentes no mercado de trabalho, enquanto o texto II apenas faz referência a esse processo, já que seu tema central é a mortalidade infantil. Os dois textos tratam da mesma questão, que é o trabalho infantil, mas o texto I retrata exclusivamente a situação da classe média brasileira, enquanto o texto II retrata esclusivamente a população pobre. Os dois textos tratam da mesma questão, que é o baixo nível educacional do Brasil, embora cada um deles aponte uma causa diferente para o mesmo resultado. O texto I analisa as razões da queda do número de adolescentes dos Estados Unidos que trabalham, enquanto o texto II analisa as causas que levam parcela das crianças brasileiras a precisarem trabalhar. O texto I analisa as causas que levam uma parcela das crianças a terem de trabalhar nos Estados Unidos, enquanto o texto II analisa as razões da queda do número de adolescentes que trabalham no Brasil. LC - 2º dia Página 19

20 MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS Questões de 46 a 90 QUESTÃO 46 Uma pessoa foi realizar um curso de aperfeiçoamento. O curso foi ministrado em x dias nos períodos da manhã e da tarde desses dias. Durante o curso, foram aplicadas 9 avaliações que ocorreram em dias distintos, cada uma no período da tarde ou no período da manhã, nunca havendo mais de uma avaliação no mesmo dia. Houve 7 manhãs e 4 tardes sem avaliação. O número x é divisor natural de Após alguns minutos, seu aluno Ananias deu a resposta correta. Essa resposta é 1/20 1/10 1/5 1/4 1/2 QUESTÃO 49 As flores de Geometrix têm formatos muito interessantes. Algumas delas possuem a forma mostrada na figura, onde há seis quadrados e doze triângulos equiláteros. QUESTÃO 47 O serviço meterológico registrou, em alguns estados brasileiros, as seguintes temperaturas: Estado Temperatura (em C) Mato Grosso do Sul 21 Amazonas 40 Pará 39 Piauí 38 Maranhão 39 Paraná 8 Rio Grande do Sul 8 Santa Catarina 8 São Paulo 15 A moda e a mediana dessas temperaturas são, respectivamente, 39 C e 24 C. 8 C e 39 C. 8 C e 21 C. 21 C e 8 C 39 C e 8 C. QUESTÃO 48 O professor Robério propôs a seus alunos do terceiro ano que resolvessem a seguinte expressão numérica: 0, ,2 2. Uma abelha pousou no ponto destacado e andou sobre a borda da flor no sentido horário até voltar ao ponto inicial. Sabendo que a região cinza tem 24 cm 2 de área, qual é a distância percorrida pela abelha? 24 cm 36 cm 48 cm 60 cm 72 cm QUESTÃO 50 De acordo com as especificações do fabricante, cada galão (3,6 litros) de certa tinta, misturado com 150 ml de água, possibilita a pintura de 40 m 2. Pedro comprou 2 galões dessa tinta e, seguindo corretamente as recomendações, pintou o seu escritório. Sabendo-se que restaram, após a pintura, ml dessa mistura, pode-se afirmar que Pedro pintou uma área, em m 2, igual a 72,4 64,6 60,8 58,2 52,6 MT - 2º dia Página 20

REDAÇÃO I N S T R U Ç Õ E S

REDAÇÃO I N S T R U Ç Õ E S REDAÇÃO I N S T R U Ç Õ E S 1. Confira o número do(a) candidato(a), o local, o setor, o grupo e a ordem indicados na folha oficial de redação, a qual NÃO deverá ser assinada. 2. Leia e observe atentamente

Leia mais

ARTES PLÁSTICAS - LICENCIATURA (NOTURNO)

ARTES PLÁSTICAS - LICENCIATURA (NOTURNO) assinatura do(a) candidato(a) ADMISSÃO PARA PORTADOR DE DIPLOMA DE CURSO SUPERIOR 2.ª DCS/2011 ARTES PLÁSTICAS - LICENCIATURA (NOTURNO) LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO. Prova Dissertativa 1 Ao receber

Leia mais

CADERNO DE PROVA 2.ª FASE. Nome do candidato. Coordenação de Exames Vestibulares

CADERNO DE PROVA 2.ª FASE. Nome do candidato. Coordenação de Exames Vestibulares CADERNO DE PROVA 2.ª FASE Nome do candidato Nome do curso / Turno Local de oferta do curso N.º de inscrição Assinatura do candidato Coordenação de Exames Vestibulares I N S T R U Ç Õ E S LEIA COM ATENÇÃO

Leia mais

SUPLEMENTO DE ATIVIDADES

SUPLEMENTO DE ATIVIDADES SUPLEMENTO DE ATIVIDADES NOME: N O : ESCOLA: SÉRIE: 1 Considerado um dos mais importantes escritores de todos os tempos, Edgar Allan Poe se inscreveu na história da literatura mundial com seu estilo inconfundível.

Leia mais

INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA Orientações para a Redação

INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA Orientações para a Redação I - Proposta de Redação INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA Orientações para a Redação A proposta de redação do vestibular do ITA pode ser composta de textos verbais, não verbais (foto ou ilustração,

Leia mais

Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos

Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos Prova de certificação de nível de proficiência linguística no âmbito do Quadro de Referência para o Ensino Português no Estrangeiro,

Leia mais

Copyright 2016 Alvo Cursos Preparatórios

Copyright 2016 Alvo Cursos Preparatórios Copyright 2016 Alvo Cursos Preparatórios Coordenador Prof. Rodolfo Souza Organizadora Dayane Rodrigues da Silva Projeto Gráfico e Diagramação Pedro Motta Impressão miolo e acabamento Gráfica e Editora

Leia mais

PERTO DE TI AUTOR: SILAS SOUZA MAGALHÃES. Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma.

PERTO DE TI AUTOR: SILAS SOUZA MAGALHÃES. Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma. PERTO DE TI Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma. Jesus! Perto de ti, sou mais e mais. Obedeço a tua voz. Pois eu sei que tu és Senhor, o

Leia mais

Em algum lugar de mim

Em algum lugar de mim Em algum lugar de mim (Drama em ato único) Autor: Mailson Soares A - Eu vi um homem... C - Homem? Que homem? A - Um viajante... C - Ele te viu? A - Não, ia muito longe! B - Do que vocês estão falando?

Leia mais

Priscilla Cabett SANTOS 2 Talita Maria dos Santos Galvão da SILVA 3 Luiz Antônio FELICIANO 4 Faculdades Integradas Teresa D Ávila, Lorena, SP

Priscilla Cabett SANTOS 2 Talita Maria dos Santos Galvão da SILVA 3 Luiz Antônio FELICIANO 4 Faculdades Integradas Teresa D Ávila, Lorena, SP Brasil: qual é o teu negócio? 1 Priscilla Cabett SANTOS 2 Talita Maria dos Santos Galvão da SILVA 3 Luiz Antônio FELICIANO 4 Faculdades Integradas Teresa D Ávila, Lorena, SP RESUMO Baseado na composição

Leia mais

Entendendo o que é Gênero

Entendendo o que é Gênero Entendendo o que é Gênero Sandra Unbehaum 1 Vila de Nossa Senhora da Piedade, 03 de outubro de 2002 2. Cara Professora, Hoje acordei decidida a escrever-lhe esta carta, para pedir-lhe ajuda e trocar umas

Leia mais

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar MELHORES MOMENTOS Expressão de Louvor Acordar bem cedo e ver o dia a nascer e o mato, molhado, anunciando o cuidado. Sob o brilho intenso como espelho a reluzir. Desvendando o mais profundo abismo, minha

Leia mais

CONCURSO DE ADMISSÃO 2015/2016 PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA (Prova 1) 6º Ano / Ensino Fundamental

CONCURSO DE ADMISSÃO 2015/2016 PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA (Prova 1) 6º Ano / Ensino Fundamental Leia atentamente o texto 1 e responda às questões de 01 a 12 e 18, assinalando a única alternativa correta. Texto 1 O pote vazio 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24

Leia mais

COLÉGIO SHALOM Ensino Fundamental 9º Ano Profº: Clécio Oliveira Língua 65 Portuguesa Aluno (a):. No.

COLÉGIO SHALOM Ensino Fundamental 9º Ano Profº: Clécio Oliveira Língua 65 Portuguesa Aluno (a):. No. COLÉGIO SHALOM Ensino Fundamental 9º Ano Profº: Clécio Oliveira Língua 65 Portuguesa Aluno (a):. No. Trabalho Avaliativo Valor: 30 % Nota: Minhas Férias Eu, minha mãe, meu pai, minha irmã (Su) e meu cachorro

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia

Universidade Federal de Uberlândia PRIMEIRA QUESTÃO A) É importante que o candidato ressalte o fato de que, na ilha, a princípio, tudo é eletivo : cabe aos indivíduos escolher os seus papéis. Esta liberdade da constituição do sujeito deve

Leia mais

DIANA + 3. Roteiro de Henry Grazinoli

DIANA + 3. Roteiro de Henry Grazinoli DIANA + 3 Roteiro de Henry Grazinoli EXT. CALÇADA DO PORTINHO DIA Sombra de Pablo e Dino caminhando pela calçada do portinho de Cabo Frio. A calçada típica da cidade, com suas ondinhas e peixes desenhados.

Leia mais

ROMANTISMO NO BRASIL - PROSA

ROMANTISMO NO BRASIL - PROSA AULA 12 LITERATURA PROFª Edna Prado ROMANTISMO NO BRASIL - PROSA Na aula passada nós estudamos as principais características da poesia romântica no Brasil.Vimos o fenômeno das três gerações românticas:

Leia mais

HOJE EM DIA O ABORTO JÁ É LEGAL? COMO É A LEI DO ABORTO?

HOJE EM DIA O ABORTO JÁ É LEGAL? COMO É A LEI DO ABORTO? HOJE EM DIA O ABORTO JÁ É LEGAL? COMO É A LEI DO ABORTO? Em 1984 legalizou-se o aborto em Portugal, mas os prazos dessa lei já foram alargados. Desde 1997 tornou-se legal abortar por razões de saúde da

Leia mais

VALORES CULTURAIS (INDÍGENAS) KAINGANG

VALORES CULTURAIS (INDÍGENAS) KAINGANG VALORES CULTURAIS (INDÍGENAS) KAINGANG Um cacique kaingang, meu amigo, me escreveu pedindo sugestões para desenvolver, no Dia do Índio, o seguinte tema em uma palestra: "Os Valores Culturais da Etnia Kaingáng".

Leia mais

Colégio Nomelini Ensino Fundamental II LISTA Nº 04 9º ANO

Colégio Nomelini Ensino Fundamental II LISTA Nº 04 9º ANO Trazer a tarefa resolvida no dia: 22/03/2013 (Sexta-feira) Prof. Vanessa Matos Interpretação de textos LISTA Nº 04 9º ANO DESCRIÇÃO: A seleção de atividades é para a leitura e interpretação. Responda os

Leia mais

Xixi na Cama. Cara Professora, Caro Professor,

Xixi na Cama. Cara Professora, Caro Professor, Xixi na Cama Cara Professora, Caro Professor, Estamos oferecendo a você e a seus alunos mais um livro da coleção Revoluções: Xixi na Cama, do autor mineiro Drummond Amorim. Junto com a obra, estamos também

Leia mais

Finalmente, chegamos ao último Roteiro de Estudos do Segundo ano! Você já sabe como proceder! Organize seu material, revise o conteúdo e mãos à obra!

Finalmente, chegamos ao último Roteiro de Estudos do Segundo ano! Você já sabe como proceder! Organize seu material, revise o conteúdo e mãos à obra! ROTEIRO DE ESTUDOS DE LITERATURA PARA A 3ª ETAPA 2ª SÉRIE Finalmente, chegamos ao último Roteiro de Estudos do Segundo ano! Você já sabe como proceder! Organize seu material, revise o conteúdo e mãos à

Leia mais

ROMANTISMO PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS LITERÁRIAS

ROMANTISMO PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS LITERÁRIAS ROMANTISMO O Romantismo foi uma estética artística surgida no início do século XVIII, que provocou uma verdadeira revolução na produção literária da época. Retratando a força dos sentimentos, ela propôs

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA BRASILEIRA

LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA BRASILEIRA LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA BRASILEIRA Prova de 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. Leia atentamente as instruções que se seguem. 1 - Este caderno contém seis questões, abrangendo um total de nove

Leia mais

PROFª CLEIDIVAINE DA S. REZENDE Disc. Sociologia / 1ª Série

PROFª CLEIDIVAINE DA S. REZENDE Disc. Sociologia / 1ª Série PROFª CLEIDIVAINE DA S. REZENDE Disc. Sociologia / 1ª Série 1 - DEFINIÇÃO Direitos e deveres civis, sociais e políticos usufruir dos direitos e o cumprimento das obrigações constituem-se no exercício da

Leia mais

consulta participativa de opinião

consulta participativa de opinião consulta participativa de opinião Interesses e perspectivas dos jovens da Brasilândia, Cachoeirinha e Freguesia do Ó CONSULTA PARTICIPATIVA DE OPINIÃO: INTERESSES E PERSPECTIVAS DOS JOVENS DA BRASILÂNDIA,

Leia mais

PROPOSTA DE REDAÇÃO ENEM 2013

PROPOSTA DE REDAÇÃO ENEM 2013 PROPOSTA DE REDAÇÃO ENEM 2013 A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo na modalidade

Leia mais

Aluno(a) Nº. Série: Turma: Ensino Médio Trimestre [ ] Data: / / Disciplina: Professor: Linguagem e língua

Aluno(a) Nº. Série: Turma: Ensino Médio Trimestre [ ] Data: / / Disciplina: Professor: Linguagem e língua Aluno(a) Nº. Série: Turma: Ensino Médio Trimestre [ ] Data: / / Disciplina: Professor: Linguagem e língua É a palavra que identifica o ser humano, é ela seu substrato que possibilitou a convivência humana

Leia mais

TELEJORNALISMO E ESTUDOS CULTURAIS

TELEJORNALISMO E ESTUDOS CULTURAIS Sétimo Fórum Nacional de Professores de Jornalismo Praia dos Ingleses, SC, abril de 2004 GT: Laboratório de Jornalismo Eletrônico Trabalho: TELEJORNALISMO E ESTUDOS CULTURAIS Autora: Célia Maria Ladeira

Leia mais

Seis mulheres e o único desejo: um futuro diferente Entrevistadas denunciam desigualdade velada

Seis mulheres e o único desejo: um futuro diferente Entrevistadas denunciam desigualdade velada Terça-feira, 11 de março de 2014 Seis mulheres e o único desejo: um futuro diferente Entrevistadas denunciam desigualdade velada Nádia Junqueira Goiânia - Dalila tem 15 anos, estuda o 2º ano no Colégio

Leia mais

1ª QUESTÃO MÚLTIPLA ESCOLHA. 7,00 (sete) pontos distribuídos em 20 itens

1ª QUESTÃO MÚLTIPLA ESCOLHA. 7,00 (sete) pontos distribuídos em 20 itens PAG - 1 1ª QUESTÃO MÚLTIPLA ESCOLHA 7,00 (sete) pontos distribuídos em 20 itens Marque no cartão de respostas a única alternativa que responde de maneira correta ao pedido de cada item: PORTUGUÊS Considere

Leia mais

localização competição

localização competição LÍNGUA PORTUGUESA LIBRAS Leia o texto para responder às questões de 01 a 07. Como surdos podem falar Texto 1 Uma luva, criada por estudantes da Ucrânia, transforma movimentos da mão em fala e permite que

Leia mais

Como utilizar este caderno

Como utilizar este caderno INTRODUÇÃO O objetivo deste livreto é de ajudar os grupos da Pastoral de Jovens do Meio Popular da cidade e do campo a definir a sua identidade. A consciência de classe, ou seja, a consciência de "quem

Leia mais

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Escola Municipal de Ensino Fundamental David Canabarro Florianópolis, 3892 Mathias Velho/Canoas Fone: 34561876/emef.davidcanabarro@gmail.com DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Nome: Stefani do Prado Guimarães Ano

Leia mais

LITERATURA PR P O R Fª Ma M. D INA A R IOS

LITERATURA PR P O R Fª Ma M. D INA A R IOS LITERATURA PROFª Ma. DINA RIOS Estilos de época Estilos de época O que são? Traços comuns na produção de um mesmo período/época. O amor em Camões Transforma-se o amador na cousa amada, Por virtude do muito

Leia mais

INSTRUÇÕES NÃO AMASSE, NÃO DOBRE, NÃO SUJE, NÃO RASURE ESTE MATERIAL.

INSTRUÇÕES NÃO AMASSE, NÃO DOBRE, NÃO SUJE, NÃO RASURE ESTE MATERIAL. INSTRUÇÕES Para a realização destas provas, você recebeu este Caderno de Questões e duas Folhas de Respostas. NÃO AMASSE, NÃO DOBRE, NÃO SUJE, NÃO RASURE ESTE MATERIAL. 1. Caderno de Questões Verifique

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES DE FÉRIAS

CADERNO DE ATIVIDADES DE FÉRIAS CADERNO DE ATIVIDADES DE FÉRIAS Disciplina: Língua Portuguesa UD Ensino Fundamental 2 Prof.: 6º ano Aluno(a): ATIVIDADE DE FÉRIAS CADERNO DE QUESTÕES INTERPRETAÇÃO DE TEXTO: Pode dizer-se que a presença

Leia mais

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia em comemoração ao Dia Internacional da Mulher

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia em comemoração ao Dia Internacional da Mulher , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia em comemoração ao Dia Internacional da Mulher Palácio do Planalto, 12 de março de 2003 Minha cara ministra Emília Fernandes, Minha cara companheira Benedita da

Leia mais

trabalho Bianca Pyl/Repórter Brasil (costura) + Fábio Cruz/Agência Brasil (construção)

trabalho Bianca Pyl/Repórter Brasil (costura) + Fábio Cruz/Agência Brasil (construção) trabalho Bianca Pyl/Repórter Brasil (costura) + Fábio Cruz/Agência Brasil (construção) escravo urbano Os geógrafos (mas não só eles) sabem bem que o rural e o urbano são mundos conectados. O modelo de

Leia mais

CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA

CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA Clodoaldo Meneguello Cardoso Nesta "I Conferência dos lideres de Grêmio das Escolas Públicas Estaduais da Região Bauru" vamos conversar muito sobre política.

Leia mais

5 Eu vou fazer um horário certo para tomar meus remédios, só assim obterei melhor resultado. A TV poderia gravar algum programa?

5 Eu vou fazer um horário certo para tomar meus remédios, só assim obterei melhor resultado. A TV poderia gravar algum programa? Antigamente, quando não tinha rádio a gente se reunia com os pais e irmãos ao redor do Oratório para rezar o terço, isso era feito todas as noites. Eu gostaria que agora a gente faça isso com os filhos,

Leia mais

PESQUISA DIAGNÓSTICA - SISTEMATIZAÇÃO. - Sim, estou gostando dessa organização sim, porque a gente aprende mais com organização das aulas.

PESQUISA DIAGNÓSTICA - SISTEMATIZAÇÃO. - Sim, estou gostando dessa organização sim, porque a gente aprende mais com organização das aulas. ESCOLA MUNICIPAL BUENA VISTA Goiânia, 19 de junho de 2013. - Turma: Mestre de Obras e Operador de computador - 62 alunos 33 responderam ao questionário Orientador-formador: Marilurdes Santos de Oliveira

Leia mais

2. 1 A poesia trovadoresca - Leitura de cantigas de amor e de amigo semântico, sintático, lexical e sonoro;

2. 1 A poesia trovadoresca - Leitura de cantigas de amor e de amigo semântico, sintático, lexical e sonoro; EIXO TEMÁTICO: 1 TEXTO LITERÁRIO E NÃO LITERÁRIO 1) Analisar o texto em todas as suas dimensões: semântica, sintática, lexical e sonora. 1. Diferenciar o texto literário do não-literário. 2. Diferenciar

Leia mais

Solução Comentada Prova de Língua Portuguesa

Solução Comentada Prova de Língua Portuguesa Leia as questões da prova e, em seguida, responda-as preenchendo os parênteses com V (verdadeiro) ou F (falso). Texto 1 Januária 08 Toda gente homenageia Januária na janela Até o mar faz maré cheia Pra

Leia mais

DESENGANO CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA

DESENGANO CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA DESENGANO FADE IN: CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA Celular modelo jovial e colorido, escovas, batons e objetos para prender os cabelos sobre móvel de madeira. A GAROTA tem 19 anos, magra, não

Leia mais

Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: PARA QUEM CURSA A 1 ạ SÉRIE DO ENSINO MÉDIO EM 2013. Disciplina: PoRTUGUÊs

Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: PARA QUEM CURSA A 1 ạ SÉRIE DO ENSINO MÉDIO EM 2013. Disciplina: PoRTUGUÊs Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA A 1 ạ SÉRIE DO ENSINO MÉDIO EM 2013 Disciplina: PoRTUGUÊs Prova: desafio nota: Texto para as questões 1 e 2. (Quino. Toda Mafalda. São

Leia mais

Leia o poema de Carlos Drummond de Andrade e a seguir responda à questão proposta.

Leia o poema de Carlos Drummond de Andrade e a seguir responda à questão proposta. Leia o poema de Carlos Drummond de Andrade e a seguir responda à questão proposta. Família Três meninos e duas meninas, sendo uma ainda de colo. a cozinheira preta, a copeira mulata, o papagaio, o gato,

Leia mais

Ministrantes: Aline Brancate e Josiene Duarte/ Luana Dantas e Stella Oliveira

Ministrantes: Aline Brancate e Josiene Duarte/ Luana Dantas e Stella Oliveira 1º CURSO DE REDAÇÃO Ministrantes: Aline Brancate e Josiene Duarte/ Luana Dantas e Stella Oliveira Programa de Educação Tutorial Ciência, Tecnologia e Inovação Grupo PET- CTI pet-grupocti@ufabc.edu.br GRUPO

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA. INSTRUÇÃO: Responder às questões 21 a 26 com base no texto 1. TEXTO 1

LÍNGUA PORTUGUESA. INSTRUÇÃO: Responder às questões 21 a 26 com base no texto 1. TEXTO 1 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 LÍNGUA PORTUGUESA INSTRUÇÃO: Responder às questões 21 a 26 com

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS AOS CANDIDATOS

ORIENTAÇÕES GERAIS AOS CANDIDATOS ORIENTAÇÕES GERAIS AOS CANDIDATOS 1 Confira se este caderno contém uma proposta de redação e 06 questões discursivas, distribuídas conforme o quadro abaixo. TIPO CONTEÚDO Nº DE QUESTÕES E PROPOSTA Redação

Leia mais

CARTA DA TERRA Adaptação Juvenil

CARTA DA TERRA Adaptação Juvenil CARTA DA TERRA Adaptação Juvenil I TRODUÇÃO Vivemos um tempo muito importante e é nossa responsabilidade preservar a Terra. Todos os povos e todas as culturas do mundo formam uma única e grande família.

Leia mais

Equipe de Língua Portuguesa. Língua Portuguesa SÍNTESE DA GRAMÁTICA

Equipe de Língua Portuguesa. Língua Portuguesa SÍNTESE DA GRAMÁTICA Aluno (a): Série: 3ª TUTORIAL 3B Ensino Médio Data: Turma: Equipe de Língua Portuguesa Língua Portuguesa SÍNTESE DA GRAMÁTICA TERMOS INTEGRANTES = completam o sentido de determinados verbos e nomes. São

Leia mais

AVALIAÇÃO DA UNIDADE III PONTUAÇÃO: 7,5 PONTOS

AVALIAÇÃO DA UNIDADE III PONTUAÇÃO: 7,5 PONTOS DA UNIDADE III PONTUAÇÃO: 7,5 PONTOS QUESTÃO 01 (1,0 ponto) Leia atentamente a proposição. O Romantismo era a apoteose do sentimento; O Realismo é a anatomia do caráter. É a crítica do homem. É a arte

Leia mais

Carlos Neves. Antologia. Raízes. Da Poesia

Carlos Neves. Antologia. Raízes. Da Poesia 1 Antologia Raízes Da Poesia 2 Copyrighr 2013 Editra Perse Capa e Projeto gráfico Autor Registrado na Biblioteca Nacional ISBN International Standar Book Number 978-85-8196-234- 4 Literatura Poesias Publicado

Leia mais

Escrito por WEBMASTER Douglas Ter, 25 de Setembro de 2012 10:07 - Última atualização Ter, 25 de Setembro de 2012 10:09

Escrito por WEBMASTER Douglas Ter, 25 de Setembro de 2012 10:07 - Última atualização Ter, 25 de Setembro de 2012 10:09 BÃO OCÊ QUERIA O QUE, SALÁRIO PRESIDIARIO R$ 960,00 REAIS PROS BANDIDO, TRAFICANTE, ESTRUPADOR E ASSASINOS E UM PAI DE FAMILIA TRABALHADOR UM SALARIO MINIMO DE R$ 622,00 REAIS, AI JA É MAIS DA CONTA, ACHO

Leia mais

*Não foi propriamente um movimento ou escola literária; * Trata-se de uma fase de transição para o Modernismo, nas duas primeiras décadas do século

*Não foi propriamente um movimento ou escola literária; * Trata-se de uma fase de transição para o Modernismo, nas duas primeiras décadas do século *Não foi propriamente um movimento ou escola literária; * Trata-se de uma fase de transição para o Modernismo, nas duas primeiras décadas do século XX; * É quando surge uma literatura social, através de

Leia mais

REDAÇÃO DISSERTAÇÃO AULA 5. Professora Sandra Franco

REDAÇÃO DISSERTAÇÃO AULA 5. Professora Sandra Franco REDAÇÃO AULA 5 Professora Sandra Franco DISSERTAÇÃO 1. Definição de Dissertação. 2. Roteiro para dissertação. 3. Partes da dissertação. 4. Prática. 5. Recomendações Gerais. 6. Leitura Complementar. 1.

Leia mais

PROVA BIMESTRAL Língua portuguesa

PROVA BIMESTRAL Língua portuguesa 9 o ano 1 o bimestre PROVA BIMESTRAL Língua portuguesa Escola: Nome: Turma: n o : Responda às questões 1, 2 e 3, após a leitura de um fragmento do texto Homem no mar, de Rubem Braga. De minha varanda vejo,

Leia mais

Prova 2 Língua Portuguesa e Literaturas em Língua Portuguesa

Prova 2 Língua Portuguesa e Literaturas em Língua Portuguesa Prova 2 Língua Portuguesa e Literaturas em Língua Portuguesa QUESTÕES DISCURSIVAS N ọ DE ORDEM: N ọ DE INSCRIÇÃO: NOME DO CANDIDATO: INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA 1. Verifique se este caderno contém

Leia mais

Atenção: Revista em desenvolvimento

Atenção: Revista em desenvolvimento Editorial Atenção: Revista em desenvolvimento Estamos iniciando nossa primeira edição, de um produto até agora novo, não na tecnologia empregada que já é sucesso na Europa, e sim em seu conteúdo. As revistas

Leia mais

COLÉGIO AGOSTINIANO SÃO JOSÉ PASTORAL EDUCATIVA São José do Rio Preto MÚSICAS PARA A MISSA DO DIA DOS PAIS 07 DE AGOSTO DE 2008

COLÉGIO AGOSTINIANO SÃO JOSÉ PASTORAL EDUCATIVA São José do Rio Preto MÚSICAS PARA A MISSA DO DIA DOS PAIS 07 DE AGOSTO DE 2008 COLÉGIO AGOSTINIANO SÃO JOSÉ PASTORAL EDUCATIVA São José do Rio Preto MÚSICAS PARA A MISSA DO DIA DOS PAIS 07 DE AGOSTO DE 2008 1. ENTRADA (Deixa a luz do céu entrar) Tu anseias, eu bem sei, por salvação,

Leia mais

Questões com textos não verbais. Prof. Bruno Augusto

Questões com textos não verbais. Prof. Bruno Augusto Questões com textos não verbais Prof. Bruno Augusto (ENEM) Em uma conversa ou leitura de um texto, corre-se o risco de atribuir um significado inadequado a um termo ou expressão, e isso pode levar a certos

Leia mais

Educação escolar indígena

Educação escolar indígena Educação escolar indígena O principal objetivo desta apresentação é fazer uma reflexão sobre a cultura indígena kaingang, sobre as políticas educacionais integracionistas e sobre a política atual, que

Leia mais

GUIA PARA ESCREVER MELHOR. Saiba que erros evitar para ter um bom desempenho na prova de redação

GUIA PARA ESCREVER MELHOR. Saiba que erros evitar para ter um bom desempenho na prova de redação GUIA PARA ESCREVER MELHOR Saiba que erros evitar para ter um bom desempenho na prova de redação Í N D I C E Capítulo 1 Não exagere nos adjetivos Capítulo 2 Evite o queísmo Capítulo 3 Não seja intrometido(a)

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA INSTRUMENTAL COM REDAÇÃO

LÍNGUA PORTUGUESA INSTRUMENTAL COM REDAÇÃO 05/12/2010 LÍNGUA PORTUGUESA INSTRUMENTAL COM REDAÇÃO Caderno de prova Este caderno, com oito páginas numeradas sequencialmente, contém cinco questões de Língua Portuguesa Instrumental e a proposta de

Leia mais

PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR 2014/2 DIREITO HISTÓRIA

PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR 2014/2 DIREITO HISTÓRIA Questão 0 HISTÓRIA Observe atentamente as imagens do jornal A Folha de S. Paulo, publicado em 0 de março de, e as manchetes transcritas ao lado. (Disponível em:

Leia mais

VESTIBULAR UFSC/2010/LIBRAS PROVA DE LIBRAS E DE LÍNGUA PORTUGUESA (LICENCIATURA E BACHARELADO)

VESTIBULAR UFSC/2010/LIBRAS PROVA DE LIBRAS E DE LÍNGUA PORTUGUESA (LICENCIATURA E BACHARELADO) VESTIBULAR UFSC/2010/LIBRAS PROVA DE LIBRAS E DE LÍNGUA PORTUGUESA (LICENCIATURA E BACHARELADO) O tempo total concedido para a resolução das provas (LIBRAS e Língua Portuguesa) é de 4 (quatro) horas, incluindo

Leia mais

4 o ano Ensino Fundamental Data: / / Revisão de História e Geografia Nome:

4 o ano Ensino Fundamental Data: / / Revisão de História e Geografia Nome: 4 o ano Ensino Fundamental Data: / / Revisão de História e Geografia Nome: Querida criança, Além desta revisão, estude, em seu Material Didático, os conteúdos do Volume III. Leia este texto: ASA BRANCA

Leia mais

1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar

1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar 1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar nosso amor 4. Porque a gente discute nossos problemas

Leia mais

Meu pai disse-me, à porta do Ateneu, que eu ia encontrar ( que eu encontraria ) o mundo e que (eu) tivesse coragem para a luta.

Meu pai disse-me, à porta do Ateneu, que eu ia encontrar ( que eu encontraria ) o mundo e que (eu) tivesse coragem para a luta. Tipos de Discurso (exercícios para fixação de conteúdo, bem como material de consulta e estudo). 1. Transforme a fala abaixo em um discurso indireto. Para tal, imagine que há, na cena, um narrador que

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE

PLANO DE TRABALHO DOCENTE COLÉGIO ESTADUAL CRISTO REI ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO Rua das Ameixeiras, 119 Núcleo Cristo Rei Fone/Fax: 0xx42 3624 3095 CEP 85060-160 Guarapuava Paraná grpcristorei@seed.pr.gov.br PLANO DE TRABALHO

Leia mais

TALVEZ TE ENCONTRE AO ENCONTRAR-TE

TALVEZ TE ENCONTRE AO ENCONTRAR-TE TALVEZ TE ENCONTRE Vivaldo Terres Itajaí /SC Talvez algum dia eu te encontre querida Para renovarmos momentos felizes, Já que o nosso passado foi um passado lindo, Tão lindo que não posso esquecer Anseio

Leia mais

PROJETO INTERDISCIPLINAR BALAIO DE IDEIAS

PROJETO INTERDISCIPLINAR BALAIO DE IDEIAS PROJETO INTERDISCIPLINAR BALAIO DE IDEIAS 6º ANO / ENSINO FUNDAMENTAL Goiânia, 2014 COLÉGIO AGOSTINIANO NOSSA SENHORA DE FÁTIMA A maior riqueza de um país é a sua cultura I. APRESENTAÇÃO No decorrer do

Leia mais

Oração ao finalizar o Ano 2015

Oração ao finalizar o Ano 2015 Oração ao finalizar o Ano 2015 QUE SEU AMOR SE EXTENDA POR TODA A TERRA Reunimos em oração no último dia do Ano para dar graças a Deus por tantos dons recebidos pessoalmente, na família, na comunidade,

Leia mais

BANDEIRA NACIONAL: IDENTIDADE BRASILEIRA

BANDEIRA NACIONAL: IDENTIDADE BRASILEIRA SAUDAÇÃO À BANDEIRA 2009 NOVEMBRO/2009 BANDEIRA NACIONAL: IDENTIDADE BRASILEIRA Assim como nós, cidadãos, temos documentos para sermos identificados onde quer que estejamos, como brasileiros temos nossa

Leia mais

19º Plano de Aula. 1-Citação as Semana: 2-Meditação da Semana: 3-História da Semana: 4-Música da Semana: 5-Atividade Integrada da

19º Plano de Aula. 1-Citação as Semana: 2-Meditação da Semana: 3-História da Semana: 4-Música da Semana: 5-Atividade Integrada da 19º Plano de Aula 1-Citação as Semana: Pequena é a abelha, mas produz o que de mais doce existe. 2-Meditação da Semana: Ajudar o próximo 5 47 3-História da Semana: Uma lição a aprender 4-Música da Semana:

Leia mais

Resumo Aula-tema 09:A miscigenação étnico-racial e sua influência na construção social do Brasil

Resumo Aula-tema 09:A miscigenação étnico-racial e sua influência na construção social do Brasil Resumo Aula-tema 09:A miscigenação étnico-racial e sua influência na construção social do Brasil Introdução No Brasil, a questão étnico-racial tem estado em pauta, nos últimos anos, em debates sobre políticas

Leia mais

BARROCO O que foi? O barroco foi uma manifestação que caracterizava-se pelo movimento, dramatismo e exagero. Uma época de conflitos espirituais e religiosos, o estilo barroco traduz a tentativa angustiante

Leia mais

PROGRAMA DO 7ª SÉRIE / 8º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL II - 2014 I UNIDADE

PROGRAMA DO 7ª SÉRIE / 8º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL II - 2014 I UNIDADE COORDENAÇÃO COLÉGIO OFICINA 1 PROGRAMA DO 7ª SÉRIE / 8º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL II - 2014 I UNIDADE DISCIPLINA CONTEÚDO COMPETÊNCIAS E HABILIDADES LÍNGUA PORTUGUESA REDAÇÃO OFICINA DE LEITURA ARTES EDUCAÇÃO

Leia mais

Há muito tempo eu escuto esse papo furado Dizendo que o samba acabou Só se foi quando o dia clareou. (Paulinho da Viola)

Há muito tempo eu escuto esse papo furado Dizendo que o samba acabou Só se foi quando o dia clareou. (Paulinho da Viola) Diego Mattoso USP Online - www.usp.br mattoso@usp.br Julho de 2005 USP Notícias http://noticias.usp.br/canalacontece/artigo.php?id=9397 Pesquisa mostra porque o samba é um dos gêneros mais representativos

Leia mais

que se viver com dignidade, o que requer a satisfação das necessidades fundamentais. O trabalho é um direito e um dever de todo cidadão.

que se viver com dignidade, o que requer a satisfação das necessidades fundamentais. O trabalho é um direito e um dever de todo cidadão. Osdireitosdohomemedocidadãonocotidiano (OscarNiemeyer,1990) "Suor, sangue e pobreza marcaram a história desta América Latina tão desarticulada e oprimida. Agora urge reajustá-la num monobloco intocável,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca Lançamento do Programa «Pólos Florestais»

Leia mais

Blumenau, 24 de junho de 2015. Ilustríssimo(a) Senhor(a) Vereador(a).

Blumenau, 24 de junho de 2015. Ilustríssimo(a) Senhor(a) Vereador(a). 1 Ofício nº 01/2015 - CDS - OAB/BLUMENAU Aos(as) Excelentíssimos(as) Vereadores(as) de Blumenau. Blumenau, 24 de junho de 2015. Ilustríssimo(a) Senhor(a) Vereador(a). Conforme se denota do sítio eletrônico,

Leia mais

Questões de gênero. Masculino e Feminino

Questões de gênero. Masculino e Feminino 36 Questões de gênero Masculino e Feminino Pepeu Gomes Composição: Baby Consuelo, Didi Gomes e Pepeu Gomes Ôu! Ôu! Ser um homem feminino Não fere o meu lado masculino Se Deus é menina e menino Sou Masculino

Leia mais

Álbum: O caminho é o Céu

Álbum: O caminho é o Céu Álbum: O caminho é o Céu ETERNA ADORAÇÃO Não há outro Deus que seja digno como tu. Não há, nem haverá outro Deus como tu. Pra te adorar, te exaltar foi que eu nasci, Senhor! Pra te adorar, te exaltar foi

Leia mais

Concurso Literário. O amor

Concurso Literário. O amor Concurso Literário O Amor foi o tema do Concurso Literário da Escola Nova do segundo semestre. Durante o período do Concurso, o tema foi discutido em sala e trabalhado principalmente nas aulas de Língua

Leia mais

QUERIDO(A) ALUNO(A),

QUERIDO(A) ALUNO(A), LANÇADA EM 15 MAIO DE 2008, A CAMPANHA PROTEJA NOSSAS CRIANÇAS É UMA DAS MAIORES MOBILIZAÇÕES PERMANENTES JÁ REALIZADAS NO PAÍS, COM FOCO NO COMBATE À VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E À EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇAS

Leia mais

Nível Médio Prova 1: Compreensão leitora e língua em uso

Nível Médio Prova 1: Compreensão leitora e língua em uso TEXTO 1 Leia o texto abaixo e nas alternativas de múltipla escolha, assinale a opção correta. INTERCÂMBIO BOA VIAGEM 1 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 Cursos de intercâmbio são uma

Leia mais

Lei MARIA DA PENHA 3 anos depois

Lei MARIA DA PENHA 3 anos depois Lei MARIA DA PENHA 3 anos depois Três anos depois, lei Maria da Penha diversifica perfil de mulheres que procuram ajuda contra violência doméstica. Quais são os resultados trazidos pela lei Maria da Penha?

Leia mais

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997.

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. 017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. Acordei hoje como sempre, antes do despertador tocar, já era rotina. Ao levantar pude sentir o peso de meu corpo, parecia uma pedra. Fui andando devagar até o banheiro.

Leia mais

Diálogo, bem comum, dignidade para todos - Papa no Congresso dos EUA 9

Diálogo, bem comum, dignidade para todos - Papa no Congresso dos EUA 9 Diálogo, bem comum, dignidade para todos - Papa no Congresso dos EUA 9 57 Imprimir 2015-09-24 Rádio Vaticana Francisco no Congresso Americano acolhido com grandes aplausos. É a primeira vez que um Papa

Leia mais

HISTÓRIA E NARRAÇÃO NEGRA: O DIÁRIO DE CAROLINA MARIA DE JESUS

HISTÓRIA E NARRAÇÃO NEGRA: O DIÁRIO DE CAROLINA MARIA DE JESUS HISTÓRIA E NARRAÇÃO NEGRA: O DIÁRIO DE CAROLINA MARIA DE JESUS Aline Cavalcante e Silva (Bolsista PIBIC/CNPq/UFPB) aline.mbz@hotmail.com Orientador: Dr. Elio Chaves Flores (PPGH/UFPB) elioflores@terra.com.br

Leia mais

FUVEST 2003. Língua Portuguesa Segunda Fase 05/01/2003

FUVEST 2003. Língua Portuguesa Segunda Fase 05/01/2003 FUVEST 2003 Língua Portuguesa Segunda Fase 05/01/2003 Q.01 BR. Contribuindo para o cinema brasileiro rodar cada vez melhor. A Petrobras Distribuidora sempre investiu na cultura do País e acreditou no potencial

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2006 / 2ª FASE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DE NÍVEL TÉCNICO E ENSINO MÉDIO REDAÇÃO

PROCESSO SELETIVO 2006 / 2ª FASE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DE NÍVEL TÉCNICO E ENSINO MÉDIO REDAÇÃO PROCESSO SELETIVO 2006 / 2ª FASE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DE NÍVEL TÉCNICO E ENSINO MÉDIO REDAÇÃO TEMA 1 O Adolescente (Mário Quintana) A vida é tão bela que chega a dar medo. Não o medo que paralisa e gela,

Leia mais

QUESTÃO 1 Leia a tirinha a seguir:

QUESTÃO 1 Leia a tirinha a seguir: Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA O 6 Ọ ANO EM 2012 Disciplina: PoRTUGUÊs Prova: desafio nota: QUESTÃO 1 Leia a tirinha a seguir: No último quadrinho, Calvin constata

Leia mais

Dinâmicas para Jovens - Brincadeiras para Jovens Atividades para grupos. Quem sou eu? Dinâmica de Apresentação para Grupo de Jovens

Dinâmicas para Jovens - Brincadeiras para Jovens Atividades para grupos. Quem sou eu? Dinâmica de Apresentação para Grupo de Jovens Disponível no site Esoterikha.com: http://bit.ly/dinamicas-para-jovens Dinâmicas para Jovens - Brincadeiras para Jovens Atividades para grupos As dinâmicas de grupo já fazem parte do cotidiano empresarial,

Leia mais

FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS Programa de Certificação de Qualidade Curso de Graduação em Administração

FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS Programa de Certificação de Qualidade Curso de Graduação em Administração FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS Programa de Certificação de Qualidade Curso de Graduação em Administração PROVA DE COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL 1º Semestre / 2010 - P2 - TIPO 1 DADOS DO ALUNO: Nome: Assinatura INSTRUÇÕES:

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA Departamento de Letras e Artes Especialização em Estudos Literários

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA Departamento de Letras e Artes Especialização em Estudos Literários UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA Departamento de Letras e Artes Especialização em Estudos Literários IDENTIDADE BRASILEIRA NO ROMANTISMO DE CASIMIRO DE ABREU E SOUSÂNDRADE JOÃO BOSCO DA SILVA

Leia mais

TESTE SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE ESTAGIÁRIO Nº 001/2014 DEPARTAMENTO DE MEIO AMBIENTE E RECURSOS HÍDRICOS MUNICÍPIO DE MARMELEIRO-PR

TESTE SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE ESTAGIÁRIO Nº 001/2014 DEPARTAMENTO DE MEIO AMBIENTE E RECURSOS HÍDRICOS MUNICÍPIO DE MARMELEIRO-PR TESTE SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE ESTAGIÁRIO Nº 001/2014 DEPARTAMENTO DE MEIO AMBIENTE E RECURSOS HÍDRICOS MUNICÍPIO DE MARMELEIRO-PR CADERNO DE PROVA CARGO: ESTAGIÁRIO DO DEPARTAMENTO DE MEIO AMBIENTE

Leia mais

UMA POÉTICA DOS ESPELHOS: UM ESTUDO COMPARATIVO ENTRE OS CONTOS O ESPELHO, DE MACHADO DE ASSIS E GUIMARÃES ROSA

UMA POÉTICA DOS ESPELHOS: UM ESTUDO COMPARATIVO ENTRE OS CONTOS O ESPELHO, DE MACHADO DE ASSIS E GUIMARÃES ROSA UMA POÉTICA DOS ESPELHOS: UM ESTUDO COMPARATIVO ENTRE OS CONTOS O ESPELHO, DE MACHADO DE ASSIS E GUIMARÃES ROSA Glenda Duarte 1 glenda_idilios@hotmail.com O principal objetivo deste ensaio é a realização

Leia mais