Gestores de negócios internacionais

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Gestores de negócios internacionais"

Transcrição

1 Gestores de negócios internacionais Uma análise da influência da chamada inteligência cultural na capacidade de viajantes internacionais obterem sucesso nos negócios em suas missões pelo mundo POR JASE RAMSEY, JORDAN NASSIF LEONEL, GEOVANA ZOCCAL GOMES E PLÍNIO RAFAEL REIS MONTEIRO A globalização vem gerando inúmeras mudanças de paradigmas na forma de gerir os negócios e ampliando a área de atuação das empresas em todo o mundo. Um dos fenômenos percebidos é a valorização de um novo tipo de profissional, que tem o desafio de cumprir uma função cada vez mais estratégica para as grandes corporações. Estamos falando dos executivos que têm como missão realizar negócios internacionais. Longe do glamour das viagens internacionais de lazer, esses profissionais convivem com um elevado grau de tensão, estresse e cansaço. O sucesso de sua missão depende cada vez mais do desenvolvimento da chamada inteligência cultural a capacidade de interagir, de maneira eficaz, em múltiplas culturas no ambiente globalizado dos negócios. Este artigo apresenta os resultados de uma pesquisa do Núcleo de Negócios Internacionais da FDC sobre a influência da inteligência cultural na capacidade de quem faz viagens internacionais a negócios em lidar com a tensão causada pela distância institucional conjunto de diferenças culturais, regulatórias e normativas percebidas quando comparamos países. Uma revisão da literatura permitiu estabelecer a estrutura para esta discussão, ao agrupar os temas: viagens internacionais a negócios, estresse, distância institucional e inteligência cultural. Em seguida, foi realizada uma pesquisa com 841 executivos, entrevistados no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo. Os resultados demonstram como a inteligência cultural modera a relação entre a distância institucional e a tensão da viagem. O estudo revela que existe um grande estresse nessas viagens e apresenta sugestões para minimizá-lo, como forma de colaborar para que os executivos e suas organizações obtenham melhor desempenho nas viagens internacionais a negócios. DESAFIOS DO NEGOCIADOR INTERNACIONAL As viagens internacionais a trabalho têm aumentado significativamente. Com a crise econômica, DOM 47

2 A CAPACIDADE DE INTERAGIR BEM EM MÚLTIPLAS CULTURAS VEM SE TORNANDO MAIS IMPORTANTE NO MUNDO DOS NEGÓCIOS GLOBAIS muitas empresas tiveram suas equipes reduzidas, forçando gestores e executivos a supervisionarem empreendimentos geograficamente dispersos. Soma-se a isso, a explosão mundial de fusões, criando companhias ainda maiores, que podem ter unidades de negócios, divisões ou projetos espalhados mundo afora. Nesse contexto, os profissionais enviados pelas empresas ao exterior são portadores de conhecimento intra-empresa e têm o potencial de inibir ou melhorar o desempenho de uma unidade no país anfitrião. No âmbito dos negócios internacionais, quando comparamos os países, emergem diferenças culturais, regulatórias e normativas. Muitas vezes, essas diferenças são consideradas componentes da distância institucional (DI) e se referem ao perfil do país que surge como resultado de todas as instituições relevantes que nele operam. Compreender essas diferenças é crucial, tanto para quem faz viagens internacionais a negócios, quanto para as empresas que pretendem operar ou interagir internacionalmente. CAPACIDADE DE INTERAGIR A capacidade de interagir bem em múltiplas culturas vem se tornando mais importante no mundo dos negócios globais. Essa habilidade foi denominada por Crowne, em 2008, de Inteligência Cultural (IC). Num ambiente de negócios cada vez mais diversificado em que as interações diretas (reuniões pessoais, equipes multiculturais) e indiretas ( , telefone e outras reuniões virtuais) com outras culturas fazem parte da atividade de gestores e profissionais, a habilidade de se adaptar de maneira flexível a outras culturas é essencial para o sucesso. Com isso, cresce a importância da inteligência cultural no contexto dos negócios. Apesar da crescente necessidade de viagens a negócios, os cortes feitos nos orçamentos durante a crise financeira mundial estão forçando as empresas a repensarem como maximizar a eficiência dessas viagens. Ao tentarem cobrir uma área mais ampla, operando com um orçamento menor, os viajantes vivem situações de forte tensão e constante estresse. Além do estresse típico dos negócios, condições externas como a epidemia da gripe suína e os ataques de 11 de setembro contribuíram para tornar as viagens internacionais bem mais cansativas. Filas mais longas, segurança rígida, aumento das buscas físicas no embarque, restrições à bagagem de mão e menos confiança nos passageiros tudo isso vem aumentando a tensão dos viajantes. Embora muitos deles sintam o peso do estresse, não há registro na literatura de uma investigação empírica sobre seus antecedentes e possíveis variáveis. PESQUISA DA FDC O objetivo da pesquisa realizada pelo Núcleo de Negócios Internacionais da FDC era entender como a inteligência cultural influencia a capacidade dos viajantes internacionais a negócios em lidar com a tensão causada pela distância institucional. Ou seja, como a inteligência cultural do executivo em viagens internacionais a negócios interfere na sua capacidade de perceber as diferenças entre seu país de origem e o país que visita, e sua relação com o desempenho. A amostra foi obtida com passageiros que embarcaram em vôos internacionais no Aeroporto de Guarulhos, São Paulo, em outubro de Os entrevistados foram convidados a participar de um levantamento sobre o estresse nas viagens internacionais. Dos viajantes que concordaram em preencher o levantamento, 841 tiveram seus questionários válidos. A maioria 64% eram homens e 40% dos viajantes estavam voltando para casa. Os respondentes disseram ter feito, em média, nove viagens internacionais a trabalho no ano anterior e deveriam passar aproximadamente 19 dias na viagem para a qual estavam embarcando. 48 DOM

3 FIGURA 1 A INTELIGÊNCIA CULTURAL COMO MODERADORA DA RELAÇÃO DISTÂNCIA INSTITUCIONAL-TENSÃO Inteligência Cultural DI Regulatória Tensão da Viagem DI Normativa H5+ H1- H3- H2- H4- Tensão do Trabalho DI Cultural- Cognitiva H6+ HIPÓTESES LEVANTADAS E ALGUNS ACHADOS A relação entre a DI (Distância Institucional) percebida e a tensão dos viajantes é afetada pela IC (Inteligência Cultural), como demonstrado nas hipóteses de 1 a 6 (Figura 1). A inteligência cultural diz respeito à capacidade de perceber e compreender as regras, normas, usos e costumes de outros países e ajuda os indivíduos a se adaptarem a situações inesperadas. Isso sugere que, quanto maior a IC de um indivíduo, menores serão as tensões causadas pela distância institucional no trabalho e nas viagens internacionais a negócios. O fundamento DI Regulatória reflete as leis e a burocracia, impostas pelo governo e pelas instituições oficiais que podem afetar as ações dos viajantes. Quando chegam a outros países, os executivos se deparam com barreiras impostas por essas regras formais, o que os obriga a um esforço concentrado de entendimento e adaptação. Devido à natureza legal dessas diferenças, questões relacionadas a aspectos regulatórios podem se transformar em fonte de tensão na viagem e no trabalho. Isso sugere uma relação positiva entre a DI Regulatória e a tensão da viagem e do trabalho. Os executivos que conseguem entender e se integrar aos processos do país de destino (alta IC) têm menos problemas com os procedimentos estabelecidos. Hipótese 1: a Inteligência Cultural modera a Regulatória e a tensão da viagem a relação é mais fraca para indivíduos que possuem Hipótese 2: a Inteligência Cultural modera a Regulatória e a tensão do trabalho a relação é mais fraca para indivíduos que possuem DOM 49

4 As questões legais não são os únicos elementos que afetam o comportamento dos viajantes quando interagem com outros países. Questões normativas também interferem na maneira como se encaixam nas expectativas do círculo social ao qual estão expostos. Essa pressão reflete a segunda dimensão da medida de DI o fundamento normativo. Assim, a pressão social ou a necessidade de se adaptar ao contexto das normas em vigor aumenta a tensão do trabalho e da viagem, sugerindo uma relação positiva entre a DI e as fontes de tensão. A inteligência cultural pode ajudar o viajante a antecipar regras e normas informais que impõem tarefas que não se encaixam em sua cultura original. Portanto, a IC pode auxiliar os viajantes internacionais a negócios a ter um melhor desempenho em situações cross cultural, onde o estresse causado pelas diferenças normativas esteja presente. Levando isso em consideração, o estudo sugere que quanto maior a IC, menor é a tensão da viagem e do trabalho causada pela DI Normativa. Hipótese 3: a Inteligência Cultural modera a Normativa e a tensão da viagem a relação é mais fraca para indivíduos que possuem alto nível de inteligência cultural. Hipótese 4: a Inteligência Cultural modera a Normativa e a tensão do trabalho a relação é mais fraca para indivíduos que possuem A terceira dimensão da DI reflete as diferenças culturais-cognitivas entre os países de destino e de origem e geram muitas incertezas quando o viajante analisa as diferenças éticas, de crenças e atitudes entre eles. São variáveis internas e autoconstruídas, difíceis de entender e de serem seguidas por viajantes estrangeiros e gestores globais. Isso implica que as diferenças culturais-cognitivas podem levar a muito estresse e tensão. Mesmo quando essas diferenças são evidentes, o esforço para se ajustar a elas pode levar a conflitos internos os indivíduos são forçados a agir contra suas mais profundas crenças, traços de personalidade e comportamentos. Uma pessoa com alto IC pode reconhecer mais facilmente as diferenças culturais e, por isso, enfrentá-las com mais coragem, o que resultará em fortes níveis de tensão. Devido à necessidade de reagir contra hábitos estabelecidos e características de personalidade, quanto mais o viajante perceber as diferenças culturais, maiores são suas chances de estresse ao antecipar conflitos internos. Contrariando as hipóteses anteriores, quanto maior a quantidade de IC do indivíduo, mais tensão terá no trabalho e na viagem, causada pela DI Cultural-cognitiva percebida. O mecanismo subjacente a esse fenômeno é o estado de consciência do indivíduo quanto mais consciência ele tiver das possíveis diferenças culturais e cognitivas, maior será seu estado de alerta. Em consequência, o estresse também será maior. Assim, o indivíduo com alto IC terá maior probabilidade de perceber as diferenças. Felizmente, terá também maior capacidade de se adaptar rapidamente ao novo ambiente social e de negócios. Embora essa capacidade sirva para reduzir a tensão percebida, causada pelas regras e normas, ela aumenta a tensão quando o indivíduo lida com valores culturais. Hipótese 5: a Inteligência Cultural modera a Cultural-Cognitiva e a tensão da viagem a relação é mais forte para indivíduos que possuem Hipótese 6: a Inteligência Cultural modera a Cultural-Cognitiva e a tensão do trabalho a relação é mais forte para indivíduos que possuem ALGUMAS CONCLUSÕES Este estudo analisou a hipótese de que a inteligência cultural modera a relação positiva entre a distância institucional e a tensão dos viajantes internacionais a negócios. Os resultados permitiram perceber que uma inteligência cultural maior (moderação negativa) diminui a influência das dimensões normativas e regulatórias da distância institucional sobre a tensão, nas viagens internacionais a negócios. Por outro lado, a inteligência cultural traz mais estresse quando as viagens se destinam a países que apresentam maiores diferenças culturais-cognitivas. As conclusões do estudo estão de acordo com elementos encontrados na revisão da literatura, que realçou a importância do desenvolvimento do gestor e da inteligência cultural na diminuição da 50 DOM

5 tensão individual em viagens internacionais a trabalho, permitindo assim melhor ajuste ao novo ambiente de negócios. Isso é especialmente importante na redução das tensões da viagem causadas pelas diferenças normativas percebidas. Também é importante, embora em menor grau, a tensão causada pelas diferenças regulatórias. Observa-se que a inteligência cultural não parece reduzir a tensão do trabalho causada pelas diferenças normativas, o que sugere duas implicações práticas: a IC pode não ter sido corretamente aplicada ou faltou incluí-la no treinamento de executivos, o que revela oportunidades de melhoria dos programas de desenvolvimento. Assim, novas práticas poderiam ser desenvolvidas para reduzir a tensão do trabalho causada pelas diferenças normativas. O estudo ressaltou, ainda, a importância da inteligência cultural como ferramenta para minimizar a tensão causada por fatores regulatórios e normativos das viagens internacionais de negócios. Os resultados sugerem que a IC age como um alerta aos viajantes sobre as diferenças culturais e os comportamentos esperados no país de destino. A relação do fundamento cultural-cognitivo com a inteligência cultural parece ser a mais complexa de todas. Como sugerido na revisão da literatura, uma alta inteligência cultural resulta em maior tensão na viagem e no trabalho. Mas, esse pode ser um resultado positivo, se funcionar como estímulo de alerta aos viajantes internacionais, em relação à abordagem dos negócios esperada no país de destino. Permitiria, dessa forma, um melhor ajuste, baseado nas expectativas sociais e de negócios, o que acabaria por melhorar o desempenho durante a viagem. O fato de a amostragem não ter sido totalmente aleatória foi uma limitação do estudo. Novas investigações poderão se valer da amostragem probabilística para testar a generalização dos resultados e verificar sua robustez quando aplicados em outros países e contextos culturais. Outro problema foi a homogeneidade da amostra. Pessoas de diferentes culturas podem ser afetadas de outra maneira pela inteligência cultural, quando interagem com outros países. Seria interessante que outros estudos investigassem uma possível correlação positiva entre a inteligência cultural e o desempenho nas viagens internacionais a negócios. Também poderiam ser UMA INTELIGÊNCIA CULTURAL MAIOR DIMINUI A INFLUÊNCIA DAS DIMENSÕES NORMATIVAS E REGULATÓRIAS DA DISTÂNCIA INSTITUCIONAL SOBRE A TENSÃO DOM 51

6 O ESTABELECIMENTO DE UMA BASE DE EXECUTIVOS COM ALTA INTELIGÊNCIA CULTURAL É ESPECIALMENTE IMPORTANTE PARA AS EMPRESAS MULTINACIONAIS OU QUE ATUAM EM DIVERSAS REGIÕES E PAÍSES examinadas outras formas de reduzir a tensão causada pelas diferenças culturais percebidas. RECOMENDAÇÕES O estabelecimento de uma base de executivos com alta inteligência cultural é especialmente importante para as empresas multinacionais ou que atuam em diversas regiões e países. As companhias que esperam desenvolver novas parcerias e atividades em outros países precisam entender a importância desse tipo de capacitação para o sucesso de suas iniciativas e negócios internacionais. A parte qualitativa do estudo levantou algumas sugestões entre os executivos entrevistados. Essas sugestões foram divididas em três grupos: o que pode ser feito pelo indivíduo; o que aeroportos e companhias aéreas podem melhorar; o que as empresas podem fazer para ajudar seus executivos a reduzir o estresse nas viagens internacionais a negócios. Sugestões para o viajante O executivo pode reduzir o estresse seguindo algumas orientações simples, mas que podem fazer toda a diferença: Ficar calmo e ter pensamentos positivos, mesmo se o voo estiver atrasado; 52 DOM

7 Enquanto espera, ler um bom livro, fazer palavras cruzadas e ouvir música; Usar roupas leves e carregar pouca bagagem; Manter documentos e dinheiro em lugar de fácil acesso e seguro; Estudar sobre o país de destino, a legislação vigente, normas, usos e costumes; Planejar a viagem com mais antecedência e propor uma agenda que leve em conta tempo suficiente para os deslocamentos; Organizar, antecipadamente, a documentação e informações necessárias para realização da viagem, contatos e negociações previstas. Sugestões para aeroportos e companhias aéreas O segundo grupo de sugestões está relacionado à infraestrutura dos aeroportos. Dentre os problemas apontados pelos passageiros como causadores de estresse estão: salas de espera ruins; preço e qualidade da alimentação; assentos desconfortáveis para longos períodos de espera; excesso de barulho com anúncios, música, programas de TV; funcionários das empresas aéreas nem sempre disponíveis ou capazes de dar informações; acesso difícil a alguns aeroportos. Segundo os viajantes, a solução desses problemas diminuiria significativamente o estresse das viagens. Sugestões para as empresas Os dois principais itens sugeridos às empresas para ajudar os viajantes a reduzir o estresse foram: dar mais apoio no planejamento da viagem e reservar mais tempo livre para o executivo no país de destino. Melhor apoio ao planejamento da viagem pelas empresas pressupõe mais antecipação na organização da estadia e fornecimento de informações prévias sobre o destino, tarefa ou negociação prevista. No que se refere à segunda sugestão, parece um contrassenso quando se fala de viagens a negócios reservar mais tempo para a agenda pessoal e relaxar, mas essas providências podem ter um efeito positivo e direto no desempenho da viagem. O tempo de lazer ajuda as pessoas a conhecerem melhor os hábitos locais e as normas culturais. Esses novos conhecimentos informais facilitam os relacionamentos de longa duração e aumentam a capacidade de identificar e respeitar os aspectos culturais durante uma negociação. Portanto, é um cuidado que pode fazer enorme diferença no desempenho em viagens internacionais a negócios. Enfim, formar um grupo de executivos com inteligência cultural desenvolvida pode ser um diferencial para as organizações que almejam ter uma atuação internacional. Nesse sentido, a capacitação gestora é uma iniciativa que colabora para o desenvolvimento de gerentes e executivos capazes de lidar com as diferenças culturais. Programas que envolvam conhecimento teórico geral e ampliem a capacidade comportamental de interação pessoal e hábitos cross cultural são essenciais. Tópicos como gastronomia, representação, interpretação, capacidade de escuta e criação de significado, conhecimento geográfico e demografia podem ser úteis para tornar os viajantes capazes de perceber e se adaptar às expectativas, em diferentes ambientes culturais e contextos. JASE R. RAMSEY é professor e coordenador do Núcleo de Negócios Internacionais da Fundação Dom Cabral, doutor em Management pela University of South Carolina. JORDAN NASSIF LEONEL é pesquisador do Núcleo de Negócios Internacionais da Fundação Dom Cabral. GEOVANA ZOCCAL GOMES é estudante de Relações Internacionais da PUC- Minas, bolsista de Iniciação Científica FDC/Fapemig e membro do Núcleo de Negócios Internacionais da Fundação Dom Cabral. PLÍNIO RAFAEL REIS MONTEIRO é diretor do Instituto Analysis Consultoria e Treinamento em Análise e Pesquisa de Mercado e membro do Núcleo de Negócios Internacionais da Fundação Dom Cabral. Tradução: Carlos Alberto B. da Silva PARA SE APROFUNDAR NO TEMA INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS Acesse os estudos e pesquisas do Núcleo de Negócios Internacionais da Fundação Dom Cabral: internacionalizacao/paginas/default.aspx DOM 53

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

PESQUISA GESTOR GLOBAL FDC 2012

PESQUISA GESTOR GLOBAL FDC 2012 PESQUISA GESTOR GLOBAL FDC 2012 INTRODUÇÃO O aumento da internacionalização lança o desafio cada vez maior para as empresas atraírem e reterem líderes capazes de viver em ambientes complexos e compreender

Leia mais

Formulário de Avaliação de Desempenho

Formulário de Avaliação de Desempenho Formulário de Avaliação de Desempenho Objetivos da Avaliação de Desempenho: A avaliação de desempenho será um processo anual e sistemático que, enquanto processo de aferição individual do mérito do funcionário

Leia mais

5 Conclusão e Considerações Finais

5 Conclusão e Considerações Finais 5 Conclusão e Considerações Finais Neste capítulo são apresentadas a conclusão e as considerações finais do estudo, bem como, um breve resumo do que foi apresentado e discutido nos capítulos anteriores,

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Miriam Regina Xavier de Barros, PMP mxbarros@uol.com.br Agenda Bibliografia e Avaliação 1. Visão Geral sobre o PMI e o PMBOK 2. Introdução

Leia mais

Fatores Críticos de Sucesso em GP

Fatores Críticos de Sucesso em GP Fatores Críticos de Sucesso em GP Paulo Ferrucio, PMP pferrucio@hotmail.com A necessidade das organizações de maior eficiência e velocidade para atender as necessidades do mercado faz com que os projetos

Leia mais

Como trabalhar com voluntários na captação de recursos Andrea Goldschmidt*

Como trabalhar com voluntários na captação de recursos Andrea Goldschmidt* Como trabalhar com voluntários na captação de recursos Andrea Goldschmidt* Quando falamos de captação de recursos para uma organização, podemos estar falando em captação de dinheiro, de materiais, de produtos,

Leia mais

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Avaliação de: Sr. Antônio Modelo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Especialistas The Inner

Leia mais

Mensagem do presidente

Mensagem do presidente Mensagem do presidente A giroflex-forma está em um novo momento. Renovada, focada em resultados e nas pessoas, ágil e mais competitiva no mercado de assentos e de mobiliário corporativo. Representando

Leia mais

6 Considerações Finais

6 Considerações Finais 6 Considerações Finais Este capítulo apresenta as conclusões deste estudo, as recomendações gerenciais e as recomendações para futuras pesquisas, buscadas a partir da análise dos casos das empresas A e

Leia mais

Domínios, Competências e Padrões de Desempenho do Design Instrucional (DI)

Domínios, Competências e Padrões de Desempenho do Design Instrucional (DI) Domínios, Competências e Padrões de Desempenho do Design Instrucional (DI) (The Instructional Design (ID) Domains, Competencies and Performance Statements) International Board of Standards for Training,

Leia mais

3 METODOLOGIA DA PESQUISA

3 METODOLOGIA DA PESQUISA 43 3 METODOLOGIA DA PESQUISA Medeiros (2005) esclarece que a pesquisa científica tem por objetivo maior contribuir para o desenvolvimento humano. Para isso, conta com métodos adequados que devem ser planejados

Leia mais

RESUMO DE CONCLUSÃO DE CURSO

RESUMO DE CONCLUSÃO DE CURSO RESUMO DE CONCLUSÃO DE CURSO CONCEITO Empreendedorismo é o estudo voltado para o desenvolvimento de competências e habilidades relacionadas à criação de um projeto (técnico, científico, empresarial). Tem

Leia mais

Comitê Consultivo Governamental

Comitê Consultivo Governamental Comitê Consultivo Governamental Regras de auxílio viagem do GAC 23 de junho de 2015 Histórico O orçamento da ICANN determinou o auxílio viagem para 30 membros do GAC em cada encontro da ICANN. Esses membros

Leia mais

Enquete. O líder e a liderança

Enquete. O líder e a liderança Enquete O líder e a liderança Muitas vezes, o sucesso ou fracasso das empresas e dos setores são creditados ao desempenho da liderança. Em alguns casos chega-se a demitir o líder, mesmo aquele muito querido,

Leia mais

7.1 Introdução. Monitoramento e Avaliação 427

7.1 Introdução. Monitoramento e Avaliação 427 7.1 Introdução O processo de monitoramento e avaliação constitui um instrumento para assegurar a interação entre o planejamento e a execução, possibilitando a correção de desvios e a retroalimentação permanente

Leia mais

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Cursos para Melhoria do desempenho & Gestão de RH TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Administração do Tempo Ampliar a compreensão da importância

Leia mais

High Potentials, Talentos e Sucessão no Brasil

High Potentials, Talentos e Sucessão no Brasil High Potentials, Talentos e Sucessão no Brasil P e s q u i s a d a F u n d a ç ã o G e t u l i o V a r g a s I n s t i t u t o d e D e s e n v o l v i m e n t o E d u c a c i o n a l Conteúdo 1. Propósito

Leia mais

Prof. Gustavo Nascimento. Unidade I MODELOS DE LIDERANÇA

Prof. Gustavo Nascimento. Unidade I MODELOS DE LIDERANÇA Prof. Gustavo Nascimento Unidade I MODELOS DE LIDERANÇA A liderança e seus conceitos Liderança é a capacidade de influenciar um grupo para que as metas sejam alcançadas Stephen Robbins A definição de liderança

Leia mais

Case 5 Diagnóstico sobre a percepção das mulheres na empresa no tema Conciliação entre Trabalho e Família. Líder em soluções de TI para governo

Case 5 Diagnóstico sobre a percepção das mulheres na empresa no tema Conciliação entre Trabalho e Família. Líder em soluções de TI para governo Case 5 Diagnóstico sobre a percepção das mulheres na empresa no tema Conciliação entre Trabalho e Família Líder em soluções de TI para governo MOTIVAÇÃO A ação constou do Plano de Ação da 5ª Edição do

Leia mais

Outras concentram-se em mercados específicos, tais como de produtos agrícolas, médicos e farmacêuticos ou automotivos;

Outras concentram-se em mercados específicos, tais como de produtos agrícolas, médicos e farmacêuticos ou automotivos; Diferentes empresas de pesquisa oferecem diferentes habilidades, experiências e instalações. Por essa razão, não existe uma única empresa que seja a mais apropriada para todos os tipos de problemas de

Leia mais

ANÁLISE DA ATUAÇÃO DO LÍDER NO SETOR DE SERVIÇO SOCIAL DA UNIDADE DE PRONTO ATENDIMENTO CONCHECITA CIARLINI MOSSORÓ/RN

ANÁLISE DA ATUAÇÃO DO LÍDER NO SETOR DE SERVIÇO SOCIAL DA UNIDADE DE PRONTO ATENDIMENTO CONCHECITA CIARLINI MOSSORÓ/RN 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 ANÁLISE DA ATUAÇÃO DO LÍDER NO SETOR DE SERVIÇO SOCIAL DA UNIDADE DE PRONTO ATENDIMENTO CONCHECITA CIARLINI MOSSORÓ/RN Paula Gurgel Dantas 1, Andréa Kaliany

Leia mais

SEGURANÇA GLOBAL, GERENCIAMENTO E MITIGAÇÃO DE RISCOS

SEGURANÇA GLOBAL, GERENCIAMENTO E MITIGAÇÃO DE RISCOS VISÃO GERAL DE CAPACIDADES SEGURANÇA GLOBAL, GERENCIAMENTO E MITIGAÇÃO DE RISCOS AT-RISK International oferece Análise de Riscos, Proteção, Consultoria, Investigações e Treinamento em Segurança, nas Américas,

Leia mais

A Sustentabilidade na perspectiva de gestores da qualidade

A Sustentabilidade na perspectiva de gestores da qualidade A Sustentabilidade na perspectiva de gestores da qualidade Realização Patrocínio Objetivo da pesquisa Captar a perspectiva dos gestores e professores de gestão da qualidade sobre: 1. Os conceitos de sustentabilidade

Leia mais

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade Eficácia e Liderança de Performance O Administrador na Gestão de Pessoas Grupo de Estudos em Administração de Pessoas - GEAPE 27 de novembro

Leia mais

Unidade de Projetos. Grupo Temático de Comunicação e Imagem. Termo de Referência para desenvolvimento da gestão de Marcas Setoriais.

Unidade de Projetos. Grupo Temático de Comunicação e Imagem. Termo de Referência para desenvolvimento da gestão de Marcas Setoriais. Unidade de Projetos de Termo de Referência para desenvolvimento da gestão de Marcas Setoriais Branding Agosto de 2009 Elaborado em: 3/8/2009 Elaborado por: Apex-Brasil Versão: 09 Pág: 1 / 8 LÍDER DO GRUPO

Leia mais

Kit de Apoio à Gestão Pública 1

Kit de Apoio à Gestão Pública 1 Kit de Apoio à Gestão Pública 1 Índice CADERNO 3: Kit de Apoio à Gestão Pública 3.1. Orientações para a reunião de Apoio à Gestão Pública... 03 3.1.1. O tema do Ciclo 4... 03 3.1.2. Objetivo, ações básicas

Leia mais

PROJETO Educação de Qualidade: direito de todo maranhense

PROJETO Educação de Qualidade: direito de todo maranhense PROJETO Educação de Qualidade: direito de todo maranhense 1. DISCRIMINAÇÃO DO PROJETO Título do Projeto Educação de Qualidade: direito de todo maranhense Início Janeiro de 2015 Período de Execução Término

Leia mais

Introdução. 1. Introdução

Introdução. 1. Introdução Introdução 1. Introdução Se você quer se atualizar sobre tecnologias para gestão de trade marketing, baixou o material certo. Este é o segundo ebook da série que o PDV Ativo, em parceria com o Agile Promoter,

Leia mais

C A R R E I R A H O G A N D E S E N V O L V E R DICAS DE DESENVOLVIMENTO PARA GESTÃO DE CARREIRA. Relatório para: Tal Fulano ID: HC748264

C A R R E I R A H O G A N D E S E N V O L V E R DICAS DE DESENVOLVIMENTO PARA GESTÃO DE CARREIRA. Relatório para: Tal Fulano ID: HC748264 S E L E C I O N A R D E S E N V O L V E R L I D E R A R H O G A N D E S E N V O L V E R C A R R E I R A DICAS DE DESENVOLVIMENTO PARA GESTÃO DE CARREIRA Relatório para: Tal Fulano ID: HC748264 Data: 12,

Leia mais

Nosso negócio é a melhoria da Capacidade Competitiva de nossos Clientes

Nosso negócio é a melhoria da Capacidade Competitiva de nossos Clientes Nosso negócio é a melhoria da Capacidade Competitiva de nossos Clientes 1 SÉRIE DESENVOLVIMENTO HUMANO FORMAÇÃO DE LÍDER EMPREENDEDOR Propiciar aos participantes condições de vivenciarem um encontro com

Leia mais

Desenvolvimento de Líderes

Desenvolvimento de Líderes Desenvolvimento de Líderes Desempenho da Liderança by Ser Humano Consultoria Liderança é a competência de alguém em exercer influência sobre indivíduos e grupos, de modo que tarefas, estratégias e missões

Leia mais

Análise do Ambiente estudo aprofundado

Análise do Ambiente estudo aprofundado Etapa 1 Etapa 2 Etapa 3 Etapa 4 Etapa 5 Disciplina Gestão Estratégica e Serviços 7º Período Administração 2013/2 Análise do Ambiente estudo aprofundado Agenda: ANÁLISE DO AMBIENTE Fundamentos Ambientes

Leia mais

Declaração de Posicionamento do IIA: AS TRÊS LINHAS DE DEFESA NO GERENCIAMENTO EFICAZ DE RISCOS E CONTROLES

Declaração de Posicionamento do IIA: AS TRÊS LINHAS DE DEFESA NO GERENCIAMENTO EFICAZ DE RISCOS E CONTROLES Declaração de Posicionamento do IIA: AS TRÊS LINHAS DE DEFESA NO GERENCIAMENTO EFICAZ DE RISCOS E CONTROLES JANEIRO 2013 ÍNDICE DE CONTEÚDOS Introdução...1 Antes das Três Linhas: Supervisão do Gerenciamento

Leia mais

Estruturando o modelo de RH: da criação da estratégia de RH ao diagnóstico de sua efetividade

Estruturando o modelo de RH: da criação da estratégia de RH ao diagnóstico de sua efetividade Estruturando o modelo de RH: da criação da estratégia de RH ao diagnóstico de sua efetividade As empresas têm passado por grandes transformações, com isso, o RH também precisa inovar para suportar os negócios

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

Prezado(a) Sr.(a.) Atenciosamente, Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas. comercial@trecsson.com.br

Prezado(a) Sr.(a.) Atenciosamente, Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas. comercial@trecsson.com.br Prezado(a) Sr.(a.) Agradecemos seu interesse em nossos programa de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso de Pós-MBA

Leia mais

Fase 2 (setembro 2012) Sondagem: Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário - 2012

Fase 2 (setembro 2012) Sondagem: Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário - 2012 Sondagem: Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário - 2012 Apresentação A sondagem Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário 2012 Fase 2 apresenta a visão do empresário do transporte

Leia mais

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) PLANEJAMENTO 2 PLANEJAMENTO Sem 1 Sem 2 Sem 3 Sem 4 Sem 5 ABRIL

Leia mais

Grupo de Coordenação da Transição da Administração da IANA Solicitação de Propostas

Grupo de Coordenação da Transição da Administração da IANA Solicitação de Propostas Grupo de Coordenação da Transição da Administração da IANA Solicitação de Propostas 8 de setembro de 2014 Introdução De acordo com o regulamento do Grupo de 1 Coordenação da Transição da Administração

Leia mais

cada fator e seus componentes.

cada fator e seus componentes. 5 CONCLUSÃO Conforme mencionado nas seções anteriores, o objetivo deste trabalho foi o de identificar quais são os fatores críticos de sucesso na gestão de um hospital privado e propor um modelo de gestão

Leia mais

Estimados colegas representantes dos países membros do Fórum das Federações, Embaixadores e delegados

Estimados colegas representantes dos países membros do Fórum das Federações, Embaixadores e delegados PRESIDENCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS SUBCHEFIA DE ASSUNTOS FEDERATIVOS Assunto: DISCURSO DO EXMO. SUBCHEFE DE ASSUNTOS FEDERATIVOS DA SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS DA

Leia mais

Fundamentos de Auditoria Prof. Fred Sauer fsauer@gmail.com http://www.fredsauer.com.br

Fundamentos de Auditoria Prof. Fred Sauer fsauer@gmail.com http://www.fredsauer.com.br Fundamentos de Auditoria Prof. Fred Sauer fsauer@gmail.com http://www.fredsauer.com.br Tópicos 2. CONCEITOS E ORGANIZAÇÃO DA AUDITORIA 2.1 Conceitos básicos e natureza da auditoria 2.2 Equipe de auditoria

Leia mais

Gestão dos Pequenos Negócios

Gestão dos Pequenos Negócios Gestão dos Pequenos Negócios x Rangel Miranda Gerente Regional do Sebrae Porto Velho, RO, 20 de outubro de 2015 A Conjuntura Atual Queda na produção industrial Desemprego Alta dos juros Restrição ao crédito

Leia mais

5 Conclusão e Recomendações para Estudos Futuros

5 Conclusão e Recomendações para Estudos Futuros 5 Conclusão e Recomendações para Estudos Futuros Esta dissertação teve como objetivo contribuir para o estudo do lazer, com ênfase nas principais restrições que impedem crianças a realizarem suas atividades

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CERTIFICAÇÃO ISO 9001

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CERTIFICAÇÃO ISO 9001 PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CERTIFICAÇÃO ISO 9001 Ao longo dos últimos anos, a Fundação Carlos Alberto Vanzolini vem trabalhando com a Certificação ISO 9001 e catalogando as principais dúvidas dos clientes.

Leia mais

Estratégia de TI. Posicionamento Estratégico da TI: como atingir o alinhamento com o negócio. Conhecimento em Tecnologia da Informação

Estratégia de TI. Posicionamento Estratégico da TI: como atingir o alinhamento com o negócio. Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação Estratégia de TI Posicionamento Estratégico da TI: como atingir o alinhamento com o negócio 2011 Bridge Consulting Apresentação

Leia mais

Saúde psicológica na empresa

Saúde psicológica na empresa Saúde psicológica na empresa introdução Nos últimos tempos muito tem-se falado sobre qualidade de vida no trabalho, e até sobre felicidade no trabalho. Parece que esta discussão reflete a preocupação contemporânea

Leia mais

Implementação de estratégias

Implementação de estratégias Etapa 1 Etapa 2 Etapa 3 Etapa 4 Etapa 5 Disciplina Gestão Estratégica e Serviços 7º Período Administração 2013/2 Implementação de estratégias Agenda: Implementação de Estratégias Visão Corporativa sobre

Leia mais

Avaliando Ações de Treinamento e Desenvolvimento. Daniel Orlean

Avaliando Ações de Treinamento e Desenvolvimento. Daniel Orlean Avaliando Ações de Treinamento e Desenvolvimento Daniel Orlean ou... 6Ds + ROI Daniel Orlean Como você faz para aprovar um programa de T&D Na sua percepção, qual a maior barreira ao implementar um processo

Leia mais

Resiliência. Ana Paula Alcantara Maio de 2013. 4º CAFÉ DA GESTÃO Seplag/TJCE

Resiliência. Ana Paula Alcantara Maio de 2013. 4º CAFÉ DA GESTÃO Seplag/TJCE Resiliência Conceito Emprestado pela física à psicologia do trabalho, a resiliência é a capacidade de resistir às adversidades e reagir diante de uma nova situação. O conceito de resiliência tem origem

Leia mais

O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão

O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão Esse artigo tem como objetivo apresentar estratégias para assegurar uma equipe eficiente em cargos de liderança, mantendo um ciclo virtuoso

Leia mais

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ÍNDICE em ordem alfabética: Artigo 1 - ENDOMARKETING: UMA FERRAMENTA ESTRATÉGICA PARA DESENVOLVER O COMPROMETIMENTO... pág. 2 Artigo 2 - MOTIVANDO-SE... pág. 4 Artigo 3 - RECURSOS

Leia mais

Sugestão de Roteiro para Elaboração de Monografia de TCC

Sugestão de Roteiro para Elaboração de Monografia de TCC Sugestão de Roteiro para Elaboração de Monografia de TCC Sugerimos, para elaborar a monografia de TCC (Trabalho de Conclusão de Curso), que o aluno leia atentamente essas instruções. Fundamentalmente,

Leia mais

REGULAMENTO PROGRAMA DE APOIO AO DISCENTE - PADI DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE

REGULAMENTO PROGRAMA DE APOIO AO DISCENTE - PADI DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE REGULAMENTO PROGRAMA DE APOIO AO DISCENTE - PADI DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE 2013 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE APOIO AO DISCENTE PADI DA FACULDADE DE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÃDO

Leia mais

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Ultrapassando barreiras e superando adversidades. Ser um gestor de pessoas não é tarefa fácil. Existem vários perfis de gestores espalhados pelas organizações,

Leia mais

DESENVOLVIMENTO 2014 TEMA: CAPACITAÇÃO COMPARTILHADA: O CLIENTE EM FOCO: DESENVOLVENDO EQUIPES COM ALTA PERFORMANCE EM ATENDIMENTO

DESENVOLVIMENTO 2014 TEMA: CAPACITAÇÃO COMPARTILHADA: O CLIENTE EM FOCO: DESENVOLVENDO EQUIPES COM ALTA PERFORMANCE EM ATENDIMENTO PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO ADMINISTRATIVA INTEGRADA A TECNOLOGIA UnC INTRODUÇÃO A UnC interage com um mundo organizacional competitivo, inclusive com sua própria estrutura administrativa e geográfica que

Leia mais

MATRIZ SWOT VANTAGENS DE SUA UTILIZAÇÃO NO COMÉRCIO VAREJISTA

MATRIZ SWOT VANTAGENS DE SUA UTILIZAÇÃO NO COMÉRCIO VAREJISTA MATRIZ SWOT VANTAGENS DE SUA UTILIZAÇÃO NO COMÉRCIO VAREJISTA Daniela Vaz Munhê 1 Jenifer Oliveira Custódio Camara 1 Luana Stefani 1 Murilo Henrique de Paula 1 Claudinei Novelli 2 Cátia Roberta Guillardi

Leia mais

Quais são os objetivos dessa Política?

Quais são os objetivos dessa Política? A Conab possui uma Política de Gestão de Desempenho que define procedimentos e regulamenta a prática de avaliação de desempenho dos seus empregados, baseada num Sistema de Gestão de Competências. Esse

Leia mais

www.pwc.com.br Gerenciamento de capital e ICAAP

www.pwc.com.br Gerenciamento de capital e ICAAP www.pwc.com.br Gerenciamento de capital e ICAAP Como desenvolver uma abordagem eficaz de gerenciamento de capital e um processo interno de avaliação da adequação de capital (ICAAP) A crise financeira de

Leia mais

Análise dos dados da Pesquisa de Clima Relatório

Análise dos dados da Pesquisa de Clima Relatório Recursos Humanos Coordenação de Gestão de Pessoas Pesquisa de Clima Análise dos dados da Pesquisa de Clima Relatório Introdução No dia 04 de Agosto de 2011, durante a reunião de Planejamento, todos os

Leia mais

Justificativa da iniciativa

Justificativa da iniciativa Sumário Justificativa da iniciativa O que é o Framework? Apresentação básica de cada ferramenta Quais projetos serão avaliados por meio do Framework? Fluxo de avaliação Expectativas Justificativa da iniciativa

Leia mais

É recomendável ordenar e responder apenas àquelas perguntas que podem efetivamente contribuir para um aprofundamento da análise da organização.

É recomendável ordenar e responder apenas àquelas perguntas que podem efetivamente contribuir para um aprofundamento da análise da organização. Roteiro de Apoio Análise da Sustentabilidade Institucional Antonio Luiz de Paula e Silva alpsilva@fonte.org.br 1 O presente documento apresenta uma série de perguntas para ajudar no levantamento de dados

Leia mais

ações de cidadania ONG estimula o protagonismo de jovens para que eles atuem transformando a realidade de região castigada pela seca no Ceará

ações de cidadania ONG estimula o protagonismo de jovens para que eles atuem transformando a realidade de região castigada pela seca no Ceará ações de cidadania Onde o sol nasce ONG estimula o protagonismo de jovens para que eles atuem transformando a realidade de região castigada pela seca no Ceará O triste cenário já é um velho conhecido por

Leia mais

Liderança e Gestão de Pessoas Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva

Liderança e Gestão de Pessoas Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

Apostamos em quem acredita, confiamos em quem arrisca, e somos muito apaixonados por quem empreende. Por isso, criamos o B.I. Empreendedores!

Apostamos em quem acredita, confiamos em quem arrisca, e somos muito apaixonados por quem empreende. Por isso, criamos o B.I. Empreendedores! Empreendedores Apostamos em quem acredita, confiamos em quem arrisca, e somos muito apaixonados por quem empreende. Por isso, criamos o B.I. Empreendedores! Por meio de um método de aprendizagem único,

Leia mais

CONCEITOS E MÉTODOS PARA GESTÃO DE SAÚDE POPULACIONAL

CONCEITOS E MÉTODOS PARA GESTÃO DE SAÚDE POPULACIONAL CONCEITOS E MÉTODOS PARA GESTÃO DE SAÚDE POPULACIONAL ÍNDICE 1. Introdução... 2. Definição do programa de gestão de saúde populacional... 3. Princípios do programa... 4. Recursos do programa... 5. Estrutura

Leia mais

Construint ponts de convivència i camins alternatius per a la gestió de conflictes. Trabalho de Equipa em Sala de Aula Inclusiva

Construint ponts de convivència i camins alternatius per a la gestió de conflictes. Trabalho de Equipa em Sala de Aula Inclusiva Construint ponts de convivència i camins alternatius per a la gestió de conflictes Trabalho de Equipa em Sala de Aula Inclusiva CONTEÚDO Porque é o trabalho de equipa importante em salas de aula inclusivas?

Leia mais

Formação Profissional em Psicologia Social: Um estudo sobre os interesses dos estudantes pela área.

Formação Profissional em Psicologia Social: Um estudo sobre os interesses dos estudantes pela área. Formação Profissional em Psicologia Social: Um estudo sobre os interesses dos estudantes pela área. Autores: Ligia Claudia Gomes de Souza Universidade Salgado de Oliveira Faculdades Integradas Maria Thereza.

Leia mais

Ser sincero em sua crença de que todos devem ir para casa todos os dias com segurança e saúde - demonstre que você se importa.

Ser sincero em sua crença de que todos devem ir para casa todos os dias com segurança e saúde - demonstre que você se importa. A Liderança Faz a Diferença Guia de Gerenciamento de Riscos Fatais Introdução 2 A prevenção de doenças e acidentes ocupacionais ocorre em duas esferas de controle distintas, mas concomitantes: uma que

Leia mais

VISÃO. Nossa visão é agregar valor sustentável ao cliente, desenvolvendo controles e estratégias que façam com que o crescimento seja contínuo.

VISÃO. Nossa visão é agregar valor sustentável ao cliente, desenvolvendo controles e estratégias que façam com que o crescimento seja contínuo. QUEM É A OMELTECH? VISÃO Nossa visão é agregar valor sustentável ao cliente, desenvolvendo controles e estratégias que façam com que o crescimento seja contínuo. missão A Omeltech Desenvolvimento atua

Leia mais

Adriano Marum Rômulo. Uma Investigação sobre a Gerência de Projetos de Desenvolvimento de Software em Órgãos do Governo do Ceará com Base no MPS-BR

Adriano Marum Rômulo. Uma Investigação sobre a Gerência de Projetos de Desenvolvimento de Software em Órgãos do Governo do Ceará com Base no MPS-BR Adriano Marum Rômulo 2014 Uma Investigação sobre a Gerência de Projetos de Desenvolvimento de Software em Órgãos do Governo do Ceará com Base no MPS-BR Agenda I. Introdução II. Referencial Teórico III.

Leia mais

Vendas - Cursos. Curso Completo de Treinamento em Vendas com Eduardo Botelho - 15 DVDs

Vendas - Cursos. Curso Completo de Treinamento em Vendas com Eduardo Botelho - 15 DVDs Vendas - Cursos Curso Completo de Treinamento em Vendas com - 15 DVDs O DA VENDA Esta palestra mostra de maneira simples e direta como planejar o seu trabalho e, também, os seus objetivos pessoais. Através

Leia mais

Relatório de Estágio

Relatório de Estágio INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL-AERONÁUTICA Relatório de Estágio São Paulo, 26 de agosto de 2011 Aluna: Michelle Moreira FOLHA DE APROVAÇÃO Relatório Final de Estágio Curricular

Leia mais

Relação entre as organizações cristãs e as igrejas locais

Relação entre as organizações cristãs e as igrejas locais Seção Relação entre as organizações cristãs e as Conforme discutido na Seção 1, as desempenham um papel na proclamação e na demonstração do evangelho. Entretanto, com muita freqüência, o papel da igreja

Leia mais

3 Metodologia. 3.1 Tipo de Pesquisa

3 Metodologia. 3.1 Tipo de Pesquisa 3 Metodologia Neste capítulo é descrita a metodologia da presente pesquisa, abordandose o tipo de pesquisa realizada, os critérios para a seleção dos sujeitos, os procedimentos para a coleta, o tratamento

Leia mais

ICANN COMUNIDADE AT-LARGE. Corporação da Internet para Atribuição de Nomes e Números POLÍTICA SOBRE VIAGENS DA AT-LARGE

ICANN COMUNIDADE AT-LARGE. Corporação da Internet para Atribuição de Nomes e Números POLÍTICA SOBRE VIAGENS DA AT-LARGE ICANN PT AL/2007/SD/4.Rev1 ORIGINAL: inglês DATA: 6 de junho de 2007 STATUS: FINAL Corporação da Internet para Atribuição de Nomes e Números Série de documentos 2007 - Propostas para a equipe COMUNIDADE

Leia mais

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) PLANEJAMENTO 2 PLANEJAMENTO Sem 1 Sem 2 Sem 3 Sem 4 Sem 5 ABRIL

Leia mais

SAP Customer Success Story Turismo Hotel Urbano. Hotel Urbano automatiza controle financeiro e internaliza contabilidade com SAP Business One

SAP Customer Success Story Turismo Hotel Urbano. Hotel Urbano automatiza controle financeiro e internaliza contabilidade com SAP Business One Hotel Urbano automatiza controle financeiro e internaliza contabilidade com SAP Business One Geral Executiva Nome da Hotel Urbano Indústria Turismo Produtos e Serviços Comercialização online de pacotes

Leia mais

O QUE É? Um programa que visa melhorar a Gestão dos CFCs Gaúchos, tendo como base os Critérios de Excelência da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade).

O QUE É? Um programa que visa melhorar a Gestão dos CFCs Gaúchos, tendo como base os Critérios de Excelência da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade). O QUE É? Um programa que visa melhorar a Gestão dos CFCs Gaúchos, tendo como base os Critérios de Excelência da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade). Coordenação Sindicato dos Centros de Formação de Condutores

Leia mais

Objetivo. Apresentar uma síntese das principais teorias sobre liderança e suas implicações para a gestão.

Objetivo. Apresentar uma síntese das principais teorias sobre liderança e suas implicações para a gestão. Liderança Objetivo Apresentar uma síntese das principais teorias sobre liderança e suas implicações para a gestão. 2 Introdução O que significa ser líder? Todo gestor é um líder? E o contrário? Liderança

Leia mais

Planejamento de Marketing

Planejamento de Marketing PARTE II - Marketing Estratégico - Nessa fase é estudado o mercado, o ambiente em que o plano de marketing irá atuar. - É preciso descrever a segmentação de mercado, selecionar o mercado alvo adequado

Leia mais

LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO. Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com

LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO. Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com LI ESTAMOS PASSANDO PELA MAIOR TRANSFORMAÇÃO NA HISTÓRIA DA HUMANIDADE. VALORIZAR PESSOAS

Leia mais

Perfil G.A Global Advising Projetos e Serviços!

Perfil G.A Global Advising Projetos e Serviços! 1 of 14 Perfil G.A Global Advising Projetos e Serviços! 2 of 14 Quem somos Criada em 2002 - Equipe de especialistas oriundos de unidades especiais das áreas de inteligência e segurança do Estado de Israel.

Leia mais

COMO INVESTIR PARA GANHAR DINHEIRO

COMO INVESTIR PARA GANHAR DINHEIRO COMO INVESTIR PARA GANHAR DINHEIRO Por que ler este livro? Você já escutou histórias de pessoas que ganharam muito dinheiro investindo, seja em imóveis ou na Bolsa de Valores? Após ter escutado todas essas

Leia mais

Módulo 3: Gerenciamento da Qualidade, dos Recursos Humanos e das Comunicações

Módulo 3: Gerenciamento da Qualidade, dos Recursos Humanos e das Comunicações ENAP Diretoria de Desenvolvimento Gerencial Coordenação Geral de Educação a Distância Gerência de Projetos - Teoria e Prática Conteúdo para impressão Módulo 3: Gerenciamento da Qualidade, dos Recursos

Leia mais

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE DESCRIÇÕES DOS NÍVEIS APRENDIZ SABER Aprende para adquirir conhecimento básico. É capaz de pôr este conhecimento em prática sob circunstâncias normais, buscando assistência

Leia mais

Marcos Antonio Lima de Oliveira, MSc Quality Engineer ASQ/USA Diretor da ISOQUALITAS www.qualitas.eng.br qualitas@qualitas.eng.

Marcos Antonio Lima de Oliveira, MSc Quality Engineer ASQ/USA Diretor da ISOQUALITAS www.qualitas.eng.br qualitas@qualitas.eng. 01. O QUE SIGNIFICA A SIGLA ISO? É a federação mundial dos organismos de normalização, fundada em 1947 e contanto atualmente com 156 países membros. A ABNT é representante oficial da ISO no Brasil e participou

Leia mais

PESQUISA-AÇÃO DICIONÁRIO

PESQUISA-AÇÃO DICIONÁRIO PESQUISA-AÇÃO Forma de pesquisa interativa que visa compreender as causas de uma situação e produzir mudanças. O foco está em resolver algum problema encontrado por indivíduos ou por grupos, sejam eles

Leia mais

TENDÊNCIAS E PRÁTICAS DE RECURSOS HUMANOS 2015

TENDÊNCIAS E PRÁTICAS DE RECURSOS HUMANOS 2015 TENDÊNCIAS E PRÁTICAS DE RECURSOS HUMANOS 2015 CONTEÚDO 1. Como estamos até agora? 2. O que vem por aí... 3. Prioridades do RH para 2015 4. Nossa visão de 2015 01 COMO ESTAMOS ATÉ AGORA? PERFIL DOS PARTICIPANTES

Leia mais

Anexo F: Ratificação de compromissos

Anexo F: Ratificação de compromissos Anexo F: Ratificação de compromissos 1. Este documento constitui uma Ratificação de compromissos (Ratificação) do Departamento de Comércio dos Estados Unidos ("DOC") e da Corporação da Internet para Atribuição

Leia mais

5 Considerações finais

5 Considerações finais 5 Considerações finais 5.1. Conclusões A presente dissertação teve o objetivo principal de investigar a visão dos alunos que se formam em Administração sobre RSC e o seu ensino. Para alcançar esse objetivo,

Leia mais

ESTATUTO DAS COMUNIDADES DE PRÁTICA - COPs NO PODER EXECUTIVO ESTADUAL

ESTATUTO DAS COMUNIDADES DE PRÁTICA - COPs NO PODER EXECUTIVO ESTADUAL ESTATUTO DAS COMUNIDADES DE PRÁTICA - COPs NO PODER EXECUTIVO ESTADUAL RESOLUÇÃO SEPLAG no. xx/xxxx Disciplina o funcionamento das Comunidades de Prática CoPs no âmbito do Poder Executivo Estadual, vinculadas

Leia mais

O PERFIL DO ENGENHEIRO SEGUNDO AS EMPRESAS

O PERFIL DO ENGENHEIRO SEGUNDO AS EMPRESAS O PERFIL DO ENGENHEIRO SEGUNDO AS EMPRESAS Michelle Mike Nose 1, Daisy Aparecida do Nascimento Rebelatto 2 Universidade de São Paulo 1 Escola de Engenharia de São Carlos Av. Trabalhador São Carlense, 400

Leia mais

INICIANDO UM PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DE SEGURANÇA COMPORTAMENTAL: AVALIANDO A CULTURA E O CLIMA DE SEGURANÇA

INICIANDO UM PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DE SEGURANÇA COMPORTAMENTAL: AVALIANDO A CULTURA E O CLIMA DE SEGURANÇA INICIANDO UM PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DE SEGURANÇA COMPORTAMENTAL: AVALIANDO A CULTURA E O CLIMA DE SEGURANÇA 2013 Luciano Nadolny Licenciatura em Psicologia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Leia mais

AULA 11 Desenhos, recursos e obstáculos

AULA 11 Desenhos, recursos e obstáculos 1 AULA 11 Desenhos, recursos e obstáculos Ernesto F. L. Amaral 15 de abril de 2010 Metodologia (DCP 033) Fonte: Flick, Uwe. 2009. Desenho da pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Artmed. pp.57-73 & 75-85.

Leia mais

SOlUçõES PARA O CAPItAl HUMANO de SUA EMPRESA

SOlUçõES PARA O CAPItAl HUMANO de SUA EMPRESA SOlUçõES PARA O CAPItAl HUMANO de SUA EMPRESA fundada em 1986 É precursora na implementação de serviços especializados em mapeamentos de competências humanas. Empresa de pesquisa aplicada especializada

Leia mais