Plano de Desenvolvimento Social

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Plano de Desenvolvimento Social"

Transcrição

1 Plano de Desenvolvimento Social 65

2 6. Planear para Intervir Objectivos e Estratégias Numa fase seguinte, após a consequente identificação das vulnerabilidades concelhias /eixos estratégicos de intervenção social era também necessário fixar produtos e resultados pretendidos. Assim através deste percurso reflexivo e participativo, determinámos os seguintes produtos: 1. Construção de um instrumento de planeamento e gestão Plano de Desenvolvimento Social do Concelho da Lourinhã - PDS. 2. Produção de um modelo de funcionamento e organização uma nova forma de fazer, conjugada com uma nova organização: o Conselho Local de Acção Social (CLAS). 3. Produção de um sistema de comunicação e informação local. Assim, o CLAS implementa uma metodologia participativa para a elaboração do PDS, de base territorial, estruturada em dois níveis de parceria estratégico e operacional. Na construção deste instrumento de apoio orientado para um conjunto de intervenções dirigidas ao combate à pobreza e exclusão social, Plano de Desenvolvimento Social, foi demonstrada uma vontade colectiva de transformar as vulnerabilidades em eixos estratégicos e oportunidades e, com os recursos disponíveis, alcançar resultados concretos que contribuam para a qualidade de vida da comunidade. Este documento apresenta uma definição de objectivos (gerais e específicos), estratégias, parcerias e responsabilidades. 66

3 E I X O I Intervenção Dirigida a Grupos Específicos 67

4 A. C o m u n i d a d e I m i g r a n t e E I X O I Intervenção Dirigida a Grupos Específicos Objectivo Geral: Até ao final de 2007 existem no concelho respostas que promovem a integração da comunidade imigrante. Objectivo (s) Específicos: Em Dezembro de 2006 está constituída uma associação de imigrantes no concelho Em Agosto de 2007 funcionaram dois cursos de português para estrangeiros com duração de 1 ano lectivo (2005/2006; 2006/2007) Em Dezembro de 2007 garantiu-se a sustentabilidade das acções desenvolvidas pelo Centro Local de Apoio ao Imigrante Estratégia (s): Estabelecer uma parceria entre o Alto Comissariado para a Imigração e Minorias Étnicas e o Centro local de Apoio ao Imigrante Consolidar a parceria com a Olefa no que concerne ao planeamento dos cursos de português para Estrangeiros Parcerias e Responsabilidades: Alto Comissariado para a Imigração e Minorias Étnicas (ACIME) Câmara Municipal da Lourinhã Centro Local de Apoio ao Imigrante (CLAI) 68

5 Organização Local de Educação e Formação de Adultos (OLEFA) Juntas de Freguesias Associações Locais E I X O I Intervenção Dirigida a Grupos Específicos 69

6 B. F a m í l i a s C a r e n c i a d a s E I X O I Intervenção Dirigida a Grupos Específicos Objectivo Geral: Até Dezembro de 2007 interveio-se junto das famílias sócio-economicamente desfavorecidas no sentido de promover a sua capacitação (empowerment). Objectivo(s) Especifico(s) : Em Dezembro de 2007 encontra-se em funcionamento uma micro-empresa no concelho. No final de 2007, 80% das famílias beneficiárias de Rendimento Social de Inserção (RSI) com os requisitos exigidos possuem acordo de inserção assinado. No final de 2007 foi promovido um curso de gestão doméstica. Estratégia(s): Estabelecimento de parceria com a Associação Nacional de Direito ao Crédito desenvolvimento e implementação do Microcrédito. Celebração de protocolo no âmbito do Rendimento Social de Inserção entre uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) e o Instituto de Segurança Social para constituição de equipas multidisciplinares com intervenção directa junto das famílias. 70

7 Parcerias e Responsabilidades: Câmara Municipal da Lourinhã Juntas de Freguesia Associações Locais Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS s) Associação Nacional de Direito ao Crédito Instituto de segurança Social Instituto de Emprego e Formação Profissional Comissão Local de Acompanhamento do RSI E I X O I Intervenção Dirigida a Grupos Específicos 71

8 C. P r o m o ç ã o d o E n v e l h e c i m e n t o A c t i v o E I X O I Intervenção Dirigida a Grupos Específicos Objectivo Geral: Até Dezembro de 2007 é fomentado e promovido o envelhecimento activo da população concelhia Objectivo (s) Especifico (s): Até Dezembro de 2006 é fomentada a participação da população idosa em acções de índole comunitário Até Junho de 2007 encontra-se em funcionamento um curso superior dirigido à 3ª idade Estratégia (s): Estabelecer uma parceria com o Conselho Nacional para a Promoção do Voluntariado Envolver as entidades locais (associações, juntas de freguesia, IPSS s) na dinamização de actividades diversas dirigidas aos idosos. Estabelecer um protocolo com a Universidade da Terceira idade do Concelho de Torres Vedras para a descentralização dos seus cursos. Parcerias e Responsabilidades: Câmara Municipal da Lourinhã Instituições Particulares de Solidariedade Social 72

9 Associações Locais Juntas de Freguesia Universidade da Terceira Idade em Torres Vedras Agrupamentos de Escolas Instituto de Segurança Social E I X O I Intervenção Dirigida a Grupos Específicos 73

10 D. V i o l ê n c i a D o m é s t i c a E I X O I Intervenção Dirigida a Grupos Específicos Objectivo Geral: Até Dezembro de 2007 é disponibilizado apoio ás vítimas de violência doméstica. Objectivo (s) Especifico (s): Em Dezembro de 2007 definiu-se e implementou-se uma estratégia se sensibilização e prevenção à comunidade em geral e aos agentes locais intervenientes e actuantes. Estratégia (s): Articular com os agentes locais, técnicos de acção social, autoridades policiais, agrupamentos escolares e associações locais. Parcerias e Responsabilidades: Guarda Nacional Republicana Comissão de Protecção de Crianças e Jovens Juntas de Freguesia Câmara Municipal da Lourinhã Associações Locais Agrupamentos Escolares IPSS s do Concelho 74

11 E I X O I I Qualificação Sócio-Educativa 75

12 E I X O I I A. C o m b a t e r o A b a n d o n o E s c o l a r Qualificação Sócio-Educativa Objectivo Geral: Até Dezembro de 2007 diminui-se 50% da taxa de abandono e insucesso escolar concelhia Objectivo (s) Especifico (s): Em Setembro de 2006 encontra-se em funcionamento um espaço de avaliação, apoio e encaminhamento de famílias e jovens em situação de abandono escolar. Em Dezembro de 2007 realizaram-se 10 sessões temáticas de formação parental dirigida a pais de jovens em situação de abandono e insucesso escolar. Em Dezembro de 2007 realizaram-se actividades destinadas a jovens entre os 6-13 anos com vista à promoção de competências pessoais e sociais. Estratégia (s): Candidatura ao programa Ser Criança promovido pelo Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social Parcerias e Responsabilidades: Câmara Municipal da Lourinhã ADAPECIL Associação de Freguesias 76

13 Instituto de Segurança Social Centro de Saúde Agrupamentos de Escolas OLEFA Associação Juvenil Tá Mexer UEL CPCJ E I X O I I Qualificação Sócio-Educativa 77

14 B. A u m e n t a r a E s c o l a r i d a d e d a p o p u l a ç ã o E I X O I I Qualificação Sócio-Eduativa Objectivo Geral: Até Dezembro de 2007 aumentam-se os níveis de escolaridade da população Objectivo (s) Especifico (s): Em Dezembro de 2007 diminui-se a taxa de analfabetismo da população concelhia Em Dezembro de 2007 taxa de sucesso dos cursos do ensino recorrente é mais elevada Estratégia (s): Parceria com a OLEFA Articular OLEFA e Juntas de Freguesia com vista à realização de acções de sensibilização junto da população concelhia para reconhecimento da escolaridade enquanto mais valia. Parcerias e Responsabilidades: Câmara Municipal da Lourinhã Associações Locais Juntas de Freguesia OLEFA Agrupamentos de Escolas 78

15 C. I m p l e m e n t a ç ã o d e A c t i v i d a d e s d e T e m p os L i v r e s E I X O I I Qualificação Sócia-Educativa Objectivo Geral: Até Dezembro de 2007 aumentou-se as taxas de cobertura dos ATL s nos estabelecimentos do ensino básico do 1ºciclo. Objectivo (s) Especifico (s): Em Dezembro de 2007 quatro freguesias do concelho possuem ATL em uma das escolas de 1ºciclo Estratégia (s): Delegação de competências da autarquia para as juntas de freguesia Parcerias e Responsabilidades: Câmara Municipal da Lourinhã Juntas de Freguesia 79

16 E I X O I I I Promoção de Saúde 80

17 E I X O I I I A. A d i ç õ e s, a l c o o l i s m o e t o x i c o d e p e n d ê n c i a Promoção de Saúde Objectivo (s) Geral (ais): Até Dezembro de 2007 é implementada uma estratégia de sensibilização e prevenção no que concerne aos consumos tóxicos. Até Dezembro de 2007 implementa-se e acompanha-se respostas de apoio e tratamento de toxicodependentes e alcoólicos. Objectivo (s) Especifico(s): Em Dezembro de 2007 realizaram-se acções de prevenção e sensibilização sobre a temática das adições junto dos alunos do 2º ciclo das escolas do concelho. Em Dezembro de 2006 elaborou-se um levantamento e caracterização dos indivíduos em situação de adição que recorreram ao serviço de acção social do Centro de Saúde Em Dezembro de 2007, 20% do total de população identificada com problemas de adição iniciou tratamento. Estratégia (s): Estabelecer protocolo com o IDT para a realização de acções de prevenção e sensibilização em meio escolar. Implementação e dinamização de grupos e alcoólicos e narcóticos anónimos no concelho. Levantamento de outros programas existentes a nível nacional direccionado para a prevenção e tratamento de dependências. 81

18 E I X O I I I Parcerias e Responsabilidades: Promoção de Saúde Câmara Municipal da Lourinhã Centro de Saúde Agrupamento de Escolas Associações Locais Instituto de Segurança Social Instituto de Drogas e Toxicodependência CAT de Torres Vedras 82

19 B. S a ú d e M e n t a l E I X O I I I Promoção de Saúde Objectivo Geral: Até Dezembro de 2007 é disponibilizado apoio na área da saúde mental. Objectivo (s) Especifico (s): Em Dezembro de 2006 está elaborado um diagnóstico de indivíduos com necessidade de apoio na área da saúde mental. Em Setembro de 2007 é delineado um plano de Intervenção no âmbito da saúde mental Em Dezembro de 2007 foi entregue na Administração Regional de Lisboa e Vale do Tejo um pedido formal e fundamentado para a colocação de um técnico especializado na área da saúde mental. Estratégia (s): Articulação das diversas entidades concelhias na criação de um instrumento de trabalho comum para o levantamento dos casos que se dirijam aos serviços. Articulação estrita com a A.R.S.L.V.T. e o Centro de Saúde da Lourinhã. Parcerias e Responsabilidades: Câmara Municipal da Lourinhã Projecto das Cidades Saudáveis Instituto de Segurança Social Instituições Particulares de Solidariedade Social Centro de Saúde ARS de Lisboa e Vale do Tejo Juntas de freguesia 83

20 E I X O I V Qualificação/Inserção Sócio-Profissional 84

21 E I X O I V A. D e s e m p r e g o / T r a b a l h o P r e c á r i o Qualificação/Inserção Sócio-Profissional Objectivo Geral: Até Dezembro de 2007 reduz-se o desemprego e a precariedade em meio laboral. Objectivo (s) Especifico (s): Em Dezembro de 2007 houve um aumento da formação/qualificação da população activa. Em Dezembro de 2007 foi promovida e implementada formação adequada ao mercado de trabalho. Estratégias: Criação de um Gabinete Regulador como órgão consultivo para o mercado de trabalho. Parcerias e Responsabilidades: Câmara Municipal da Lourinhã Instituto de Emprego e Formação Profissional ACIRO Juntas de Freguesias Casa Escola Agrícola 85

22 Cenfim (Torres Vedras) Forpescas (Peniche) ESCO (Torres Vedras) Região de Turismo do Oeste Associação Nacional de Jovens Empresários E I X O I V Qualificação/Inserção Sócio-Profissional 86

23 B. P r o m o ç ã o d e I n v e s t i m e n t o E m p r e s a r i a l E I X O I V Qualificação/Inserção Sócio-Profissional Objectivo Geral: Até Dezembro de 2007 promovem-se e reforçam-se condições para o investimento empresarial no concelho. Objectivo (s) Especifico (s): Em Dezembro de 2007 a população activa concelhia encontra-se mais motivada para a criação do auto-emprego Em Dezembro de 2007 as empresas encontram-se mais motivadas para o desenvolvimento e renovação. Estratégias: Estabelecimento de acordos e de acções de sensibilização em parceria com o Instituto de Emprego e Formação Profissional com vista à promoção do próprio emprego. Sensibilizar e envolver os empresários já estabelecidos no concelho para renovação do sector empresarial. Parcerias e Responsabilidades: Câmara Municipal da Lourinhã Instituto de Emprego e Formação Profissional Empresas Locais 87

24 E I X O V Sustentabilidade e desenvolvimento da Rede Social no Concelho 88

25 E I X O V Sustentabiidade e desenvolvimento da Rede Social no Concelho A. A r t i c u l a ç ã o d o s d i s p o s i t i v o s d e i n f o r m a ç ã o, a t e n d i m e n t o e a c o m p a n h a m e n t o s o c i a l Objectivo Geral: Até Dezembro de 2007 encontra-se em funcionamento um Observatório do Desenvolvimento Social Objectivo (s) Especifico (s): Até Dezembro de 2006 encontra-se registada, compilada e organizada, com base numa análise sistémica, a informação relativa às várias respostas sociais existentes no concelho, o que assegurará o sistema de informação. Até Dezembro de 2007 está afinado o dispositivo operacional do Observatório de Desenvolvimento Social. Estratégias: Criação de um grupo de trabalho para compilação da informação e acompanhamento dos projectos sociais ao nível concelhio. Desenvolvimento de instrumentos de articulação e cooperação para os processos de atendimento e acompanhamento social 89

26 Parcerias e Responsabilidades: Câmara Municipal da Lourinhã sector da acção social IPSS S do concelho ISS de Torres Vedras E I X O V Sustentabiidade e desenvolvimento da Rede Social no Concelho 90

Plano de Acção 2006/2007. Rede Social Concelho da Lourinhã

Plano de Acção 2006/2007. Rede Social Concelho da Lourinhã Plano de Acção 2006/2007 Rede Social Concelho da Lourinhã E I X O I Intervenção Dirigida a Grupos Específicos EIXO I : INTERVENÇÃO DIRIGIDA A GRUPOS ESPECIFICOS OBJECTIVO GERAL: Até Dezembro de 2007 existem

Leia mais

Câmara Municipal de Elvas. Plano de Acção. Conselho Local de Acção Social de Elvas

Câmara Municipal de Elvas. Plano de Acção. Conselho Local de Acção Social de Elvas Câmara Municipal de Elvas Plano de Acção 2007 Julho de 2006 Conselho Local de Acção Social de Elvas PROGRAMA REDE SOCIAL Co-financiado pelo Estado Português, Ministério da Segurança Social PLANO DE ACÇÃO

Leia mais

Plano de Acção

Plano de Acção - 2 - Nota Prévia A Rede Social afirmou-se ao longo da sua criação como uma medida inovadora e com capacidade de produzir alterações positivas na intervenção social. Esta medida assumiu-se, desde início,

Leia mais

AGIR PARA SOLUCIONAR PLANO DE ACÇÃO PARA 2010

AGIR PARA SOLUCIONAR PLANO DE ACÇÃO PARA 2010 PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL DO MUNICÍPIO DE ARMAMAR AGIR PARA SOLUCIONAR PLANO DE ACÇÃO PARA 2010 Plano de Acção 20010 1 Após elaboração do Plano de Desenvolvimento Social, onde estão definidas as

Leia mais

Rede Social CLAS Fornos de Algodres C.L.A.S. CONSELH0 LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DO MUNICIPIO DE FORNOS DE ALGODRES

Rede Social CLAS Fornos de Algodres C.L.A.S. CONSELH0 LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DO MUNICIPIO DE FORNOS DE ALGODRES C.L.A.S. CONSELH0 LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DO MUNICIPIO DE FORNOS DE ALGODRES ABRIL DE 2009 NOTA INTRODUTÓRIA No documento aqui apresentado estão identificados os projectos e intervenções a realizar no Município

Leia mais

Núcleo Executivo do CLAS de Mafra, 28 Maio de

Núcleo Executivo do CLAS de Mafra, 28 Maio de Plano de Ação Rede Social Mafra Eixo I - DEMOGRAFIA E EQUIPAMENTOS (INFRA-ESTRUTURAS DE APOIO) Objectivo geral 1. Reforçar as estruturas de apoio ao idoso Objectivo Específico 1. Aumentar a capacidade

Leia mais

Rede Social de Vila Pouca de Aguiar

Rede Social de Vila Pouca de Aguiar Introdução... 3 Plano de Desenvolvimento Social... 4 O que é o Plano de Desenvolvimento Social?... 4 Para que serve o Plano de Desenvolvimento Social?... 4 O Plano de Desenvolvimento Social como processo

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO DA REDE SOCIAL DE LISBOA ANO DE 2010 PRORROGAÇÃO PARA Aprovado em sede de CLAS a 04 de Julho de 2011

PLANO DE ACÇÃO DA REDE SOCIAL DE LISBOA ANO DE 2010 PRORROGAÇÃO PARA Aprovado em sede de CLAS a 04 de Julho de 2011 PLANO DE ACÇÃO DA REDE SOCIAL DE LISBOA ANO DE 2010 PRORROGAÇÃO PARA 2011 Aprovado em sede de CLAS a 04 de Julho de 2011 PLANO DE ACÇÃO PARA 2010 PRORROGAÇÃO PARA 2011 OBJECTIVO ESTRATÉGICO OBJECTIVO ESPECÍFICO

Leia mais

EIXO 1: EMPREGO, QUALIFICAÇÃO, EMPREENDEDORISMO E INICIATIVA LOCAL

EIXO 1: EMPREGO, QUALIFICAÇÃO, EMPREENDEDORISMO E INICIATIVA LOCAL EIXO 1: EMPREGO, QUALIFICAÇÃO, EMPREENDEDORISMO E INICIATIVA LOCAL Desenvolver as condições facilitadoras da criação de emprego, combate ao desemprego e incentivo à iniciativa local referente ao empreendedorismo

Leia mais

Ficha de Caracterização de Entidade/Projecto CLDS - ESPIRAL

Ficha de Caracterização de Entidade/Projecto CLDS - ESPIRAL Ficha de Caracterização de Entidade/Projecto CLDS - ESPIRAL 2 A. IDENTIFICAÇÃO GERAL DA ENTIDADE Projecto(s) Projecto Espiral - Contrato Local de Desenvolvimento Promotor(es): CESIS - Centro de Estudos

Leia mais

Actividades de dinamização social e melhoria da qualidade de vida

Actividades de dinamização social e melhoria da qualidade de vida Actividades de dinamização social e melhoria da qualidade de vida O EXEMPLO DA CÂMARA MUNICIPAL DE VALONGO EUNICE NEVES OBJECTIVOS Igualdade Direitos Humanos Cidadania Activa e Inclusiva Conciliação Novas

Leia mais

REDE SOCIAL DE SOBRAL DE MONTE AGRAÇO PLANO DE ACÇÃO PARA 2010

REDE SOCIAL DE SOBRAL DE MONTE AGRAÇO PLANO DE ACÇÃO PARA 2010 REDE SOCIAL DE SOBRAL DE MONTE AGRAÇO PLANO DE ACÇÃO PARA 2010 EIXO I Promoção da Inclusão das famílias com especial enfoque às necessidades dos idosos OBJECTIVO GERAL Melhorar as condições de vida de

Leia mais

O Perfil do Psicólogo na Administração Local

O Perfil do Psicólogo na Administração Local CATEGORIA AUTORIA JANEIRO 15 Perfis do Psicólogo Gabinete de Estudos Técnicos O Perfil do Psicólogo na Administração Local Sugestão de Citação Ordem dos Psicólogos Portugueses (2015). O Perfil do Psicólogo

Leia mais

Plano de Ação Índice Sumário Executivo A Rede Social no concelho de Alenquer O Plano de Ação...

Plano de Ação Índice Sumário Executivo A Rede Social no concelho de Alenquer O Plano de Ação... PLANO DE AÇÃO 2014 Índice 1. - Sumário Executivo... 1 Pág. 2. - A Rede Social no concelho de Alenquer... 2 2.1. - O Plano de Ação...2 3. - Análise de Eixos de Intervenção... 3 Eixo I.- Deficiência... 4

Leia mais

Centro de Recursos TEIA

Centro de Recursos TEIA Quem somos O Contrato Local Desenvolvimento Social 3ª Geração do Concelho Ourém (CLDS 3G) Centro de Recursos TEIA - iniciou a sua atividade a 2 de Novembro de 2015, tem como Entidade Coordenadora Local

Leia mais

Projecto GPS Gabinete de Proximidade para a Sustentabilidade

Projecto GPS Gabinete de Proximidade para a Sustentabilidade Projecto GPS Gabinete de Proximidade para a Sustentabilidade Actividade Formativa - Intervenção Comunitária Data 17 de Junho de 2009 Local Auditório do Edifício Cultural Município de Peniche Participação:

Leia mais

1 INTRODUÇÃO O PLANO DE ACÇÃO AVALIAÇÃO...14 PLANO DE ACÇÃO DE 2009 PÁGINA 1 DE 15

1 INTRODUÇÃO O PLANO DE ACÇÃO AVALIAÇÃO...14 PLANO DE ACÇÃO DE 2009 PÁGINA 1 DE 15 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO...2 2 O PLANO DE ACÇÃO 2009... 3 3 AVALIAÇÃO....14 PLANO DE ACÇÃO DE 2009 PÁGINA 1 DE 15 INTRODUÇÃO Depois de elaborado o diagnóstico social e o plano de desenvolvimento social surge

Leia mais

Plano de Acção 2007/2008. Eixo I Promover as competências sócio-educativas da população do Concelho

Plano de Acção 2007/2008. Eixo I Promover as competências sócio-educativas da população do Concelho Plano de Acção 2007/2008 Eixo I Promover as competências sócio-educativas da população do Concelho Projecto: Formação da População Adulta - Dinamização do Centro RVC (Iniciativa Novas Oportunidades) -

Leia mais

Plano de Actividades e Orçamento 2010

Plano de Actividades e Orçamento 2010 Plano de Actividades e Orçamento 2010 1 2 1. Missão A CooLabora é uma cooperativa de consultoria e intervenção social criada em 2008. Tem por missão contribuir para a inovação social no desenvolvimento

Leia mais

Gabinete de Apoio à Criação de Emprego e Captação de Investimentos

Gabinete de Apoio à Criação de Emprego e Captação de Investimentos Estudo de Caracterização do Tecido Empresarial do Concelho de Almada Observatório sobre Emprego, Empresas e Formação Gabinete de Apoio à Criação de Emprego e Captação de Investimentos 1 O Objecto da presente

Leia mais

A Taxa de Insucesso Escolar verificada no Concelho, revela-se bastante elevada quando comparada com a registada a nível nacional. De referir também,

A Taxa de Insucesso Escolar verificada no Concelho, revela-se bastante elevada quando comparada com a registada a nível nacional. De referir também, A Taxa de Insucesso Escolar verificada no Concelho, revela-se bastante elevada quando comparada com a registada a nível nacional. De referir também, o facto de o insucesso escolar aumentar à medida que

Leia mais

Plano Municipal Contra a Violência Doméstica Prolongamento

Plano Municipal Contra a Violência Doméstica Prolongamento Plano Municipal Contra a Violência Doméstica 2011-14 Prolongamento Plano Municipal Contra a Violência 2011 2013 Prolongamento O Plano Municipal Contra a Violência 2011/13, teve por objetivo estruturar

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO JANEIRO 2008 / DEZEMBRO 2008

PLANO DE ACÇÃO JANEIRO 2008 / DEZEMBRO 2008 PLAN DE ACÇÃ JANEIR 2008 / DEZEMBR 2008 Janeiro de 2008 PLAN DE ACÇÃ 2008 1 ÍNDICE Plano de Acção Introdução Eixos de Intervenção Educação Formação / Qualificação Formação Profissional / Emprego Envelhecimento/

Leia mais

RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO CLDS MARINHA SOCIAL

RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO CLDS MARINHA SOCIAL RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO CLDS MARINHA SOCIAL O presente relatório reflecte a actividade do CLDS Marinha Social, desde o inicio da sua actividade, em Julho de 2009 até Junho de 2010, analisando-se 2 momentos

Leia mais

EIXO I ATRACTIVIDADE TERRITORIAL

EIXO I ATRACTIVIDADE TERRITORIAL Plano de Acção para 2007 1 Um Plano de Acção, mais do que um documento, pretende-se que seja um instrumento de trabalho manuseável, flexível, ajustável à realidade e útil. Neste sentido, considerou-se

Leia mais

2008 Concelho de Ourique

2008 Concelho de Ourique Plano de Acção 2008 Concelho de Rede Social Programa Rede Social Conselho Local de Acção Social de Janeiro 2008 Ficha Técnica Título: Plano de Acção 2008 do Concelho de Autoria: Núcleo Executivo da Rede

Leia mais

ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO LOCAL. GAL Eu Também Conto!

ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO LOCAL. GAL Eu Também Conto! ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO LOCAL GAL Eu Também Conto! ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO LOCAL 1 ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO LOCAL (EDL) A EDL incide em traços gerais nas seguintes problemáticas: Acesso

Leia mais

A Rede Social é definida como um fórum de articulação e congregação de esforços baseado na adesão livre por parte das autarquias e das entidades

A Rede Social é definida como um fórum de articulação e congregação de esforços baseado na adesão livre por parte das autarquias e das entidades 1 A Rede Social é definida como um fórum de articulação e congregação de esforços baseado na adesão livre por parte das autarquias e das entidades públicas ou privadas sem fins lucrativos que nela queiram

Leia mais

ATIVIDADES DO SPO A - Apoio de natureza psicológica e/ou psicopedagógica a alunos e aos agentes educativos

ATIVIDADES DO SPO A - Apoio de natureza psicológica e/ou psicopedagógica a alunos e aos agentes educativos ATIVIDADES DO SPO A - Apoio de natureza psicológica e/ou psicopedagógica a alunos e aos agentes educativos. - individual - em grupo - consultoria a professores, encarregados de educação e pais B - Participação

Leia mais

PROGRAMA REDE SOCIAL PLANO DE ACÇÃO 2006/2007 CONCELHO DE ARRUDA DOS VINHOS

PROGRAMA REDE SOCIAL PLANO DE ACÇÃO 2006/2007 CONCELHO DE ARRUDA DOS VINHOS PLANO DE ACÇÃO 2006/2007 CONCELHO DE ARRUDA DOS VINHOS PROGRAMA REDE SOCIAL PROJECTO FINANCIADO PELO ESTADO PORTUGUÊS MINISTÉRIO DA SEGURANÇA SOCIAL E DO TRABALHO Junho 2006 Conselho Local de Acção Social

Leia mais

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO ENTRE O MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL E O MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO ENTRE O MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL E O MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO ENTRE O MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL E O MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO A Lei de Protecção de Crianças e Jovens em Perigo, lei 147/99, de 1 de Setembro, consagra um

Leia mais

Objectivos Específicos Acções Principais Resultados a Atingir

Objectivos Específicos Acções Principais Resultados a Atingir Núcleo Executivo / Secretariado Técnico Rede Social Loures Aprovado na reunião de CLAS de 19.Fevereiro.2009 Objectivo Superior Objectivos Específicos Acções Principais Resultados a Atingir Monitorização

Leia mais

DAP DINÂMICAS DE ACÇÃO-PREVENÇÃO

DAP DINÂMICAS DE ACÇÃO-PREVENÇÃO DAP DINÂMICAS DE ACÇÃO-PREVENÇÃO Apresentação do Projecto Escola E.B 2,3 Passos José OBJECTIVOS GERAIS Fomentar a integração dos alunos no contexto escolar, promovendo o sucesso educativo Agir preventiva

Leia mais

PROGRAMA OPERACIONAL TEMÁTICO POTENCIAL HUMANO

PROGRAMA OPERACIONAL TEMÁTICO POTENCIAL HUMANO PROGRAMA OPERACIONAL TEMÁTICO POTENCIAL HUMANO 2007-201 Apresentação da Proposta ÍNDICE 1 O PROBLEMA 2 A ESTRATÉGIA 4 PLANO DE FINANCIAMENTO 1 1 O PROBLEMA Taxa de emprego Emprego em média e alta tecnologia

Leia mais

ATA Nº 01/17 Reunião Plenária do Conselho Local de Ação Social (CLAS)

ATA Nº 01/17 Reunião Plenária do Conselho Local de Ação Social (CLAS) ATA Nº 01/17 Reunião Plenária do Conselho Local de Ação Social (CLAS) Data: 26-01-2017 Local: Auditório do Edifício Cultural da Câmara Municipal de Peniche Hora de início: 21h15m Hora do fecho: 00h45m

Leia mais

Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Arganil. Plano de Actividades para Efectuar levantamento das iniciativas de

Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Arganil. Plano de Actividades para Efectuar levantamento das iniciativas de ACÇÃO Nº I NOVOS (PER)CURSOS DE VIDA Caracterização da Acção Recursos a Afectar Calendarização Público-Alvo Grupo de Trabalho - Efectuar levantamento das iniciativas de 1. Estimular a participação dos

Leia mais

SERVIÇOS DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO SPO

SERVIÇOS DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO SPO SERVIÇOS DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO SPO DECRETO-LEI Nº190/1991 DE 17 MAIO DECRETO-LEI Nº300/1997 DE 31 OUTUBRO / PORTARIA Nº 63 / 2001 DE 30 DE JANEIRO A escola e seus actores Agrupamento de Escolas de

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Social do Concelho de Soure

Plano de Desenvolvimento Social do Concelho de Soure / Ano 1 ÍNDICE 1 - Introdução 3 Pág. 2- Plano de Acção dos Projectos Estruturantes Transversais do Concelho de 4 2.1. Projecto Estruturante Apoio na Dependência 5 2.2. Projecto Estruturante Criar para

Leia mais

Promover a inserção social de pessoas e grupos mais vulneráveis; Estimular o desenvolvimento de projectos de vida;

Promover a inserção social de pessoas e grupos mais vulneráveis; Estimular o desenvolvimento de projectos de vida; São nossos objectivos: 1ª fase: Promover a inserção social de pessoas e grupos mais vulneráveis; Alargar e consolidar a rede de parcerias de forma a fomentar e a criar novos recursos, propiciando condições

Leia mais

DO CONCELHO DE PROENÇA-A-NOVA

DO CONCELHO DE PROENÇA-A-NOVA PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL E PLANO DE AÇÃO DO CONCELHO DE PROENÇA-A-NOVA JUNHO DE 2015 A DEZEMBRO 2017 1 NOTA INTRODUTÓRIA Atualmente torna-se cada vez mais evidente a necessidade de adequar o crescimento

Leia mais

27 de junho de Domingos Lopes

27 de junho de Domingos Lopes 27 de junho de 2016 Domingos Lopes Objetivos Temáticos OT 8. Promover a sustentabilidade e a qualidade do emprego e apoiar a mobilidade dos trabalhadores assumindo como meta nacional, até 2020, o aumento

Leia mais

ÍNDICE. Índice de quadros...i Índice de gráficos...ii Índice de figuras... III

ÍNDICE. Índice de quadros...i Índice de gráficos...ii Índice de figuras... III ÍNDICE Pág. de quadros...i de gráficos...ii de figuras... III 1. Introdução...1 1.1. Preâmbulo...1 1.2. Conceito e finalidade...3 1.3. Conteúdo da Carta Educativa...6 1.4. Intervenientes e metodologia

Leia mais

Plano Local de Promoção dos Direitos da Criança

Plano Local de Promoção dos Direitos da Criança Plano Local de Promoção dos Direitos da Criança Breve Enquadramento O Plano Local de Promoção dos Direitos da Criança constitui o resultado do Projeto Tecer a, promovido pela Comissão Nacional de Promoção

Leia mais

III. Sistema de Monitorização

III. Sistema de Monitorização III. Sistema de Monitorização 159 De acordo com as orientações elaboradas para a execução das Cartas Educativas, na Carta Educativa do Concelho de Almeida prevê-se a concepção e operacionalização de um

Leia mais

CANDIDATURA AO PROGRAMA

CANDIDATURA AO PROGRAMA CANDIDATURA AO PROGRAMA CIDADES AMIGAS DAS CRIANÇAS Modelo de Caracterização do Município O documento deve ser preenchido em PDF, utilizando a funcionalidade de preenchimento de campos do presente formulário.

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Social 2016/2020

Plano de Desenvolvimento Social 2016/2020 Plano de Desenvolvimento Social 2016/2020 O que é o PDS? Documento orientador de planeamento integrado e participado do desenvolvimento social para os próximos cinco anos. Pretende traçar o caminho a seguir

Leia mais

CLUBE DE EMPREGO SOCIOHABITAFUNCHAL PLANO DE ACTIVIDADES

CLUBE DE EMPREGO SOCIOHABITAFUNCHAL PLANO DE ACTIVIDADES PLANO DE ACTIVIDADES 2010 2011 Identificação Entidade: Sociohabitafunchal, E.M Animadora: Célia Dantas Localização: Centro Cívico de Santo António Designação O Clube de Emprego é um serviço promovido pelo

Leia mais

Comissão Nacional. de Protecção das Crianças. e Jovens em Risco (CNPCJR) Que actividade em dois anos. de existência? Junho de 2000

Comissão Nacional. de Protecção das Crianças. e Jovens em Risco (CNPCJR) Que actividade em dois anos. de existência? Junho de 2000 Comissão Nacional de Protecção das Crianças e Jovens em Risco (CNPCJR) Que actividade em dois anos de existência? Junho de 2000 Decorridos dois anos na existência da Comissão Nacional de Protecção das

Leia mais

Plano de Ação Plano de Ação 2012

Plano de Ação Plano de Ação 2012 Plano de Ação PLANO DE AÇÃO DOCUMENTO ELABORADO PELO: da Rede Social do Concelho do CONTACTOS: Câmara Municipal do Rede Social do Concelho do Av. Dr. Francisco Sá Carneiro 2550-103 Tel. 262 690 100/262

Leia mais

Plano desenvolvimento social

Plano desenvolvimento social Plano desenvolvimento social 2014-2016 Área Intervenção I FAMÍLIA (HABITAÇÃO/EDUCAÇÃO) - Problemas ao nível do parque habitacional; - Falta de expetativas/ objetivos ao nível educativo; - Défice de competências

Leia mais

3,11% 3,03% 2,82% 2,76% 2,56% 1,92% 1,62% 1,52% 1,48% 0,00% 1,00% 2,00% 3,00% 4,00% 5,00% 6,00%

3,11% 3,03% 2,82% 2,76% 2,56% 1,92% 1,62% 1,52% 1,48% 0,00% 1,00% 2,00% 3,00% 4,00% 5,00% 6,00% Problemáticas Especificas e Respostas Sociais Famílias e comunidade Rendimento Social de Inserção População Beneficiária de RSI (%) Barreiro Montijo Almada Setúbal Peninsula de Setúbal Portugal Continental

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL DO CONCELHO DE TORRES VEDRAS

PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL DO CONCELHO DE TORRES VEDRAS PARTE III PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL DO CONCELHO DE TORRES VEDRAS Financiado pelo Estado Português Ministério do Trabalho e Solidariedade Social 2005-2008 Rede Social PARTE III 100 CAPÍTULO V PLANO

Leia mais

REDE SOCIAL POEFDS. UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu

REDE SOCIAL POEFDS. UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu REDE SOCIAL POEFDS UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu Vila Nova ÍNDICE Nota Introdutória ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------3

Leia mais

Entidade responsável pela Execução

Entidade responsável pela Execução Eixo Estratégico I - Parcerias e Economia Solidária 2009, 3 acções de sensibilização/formação para dirigentes Associativos com vista à melhoria do seu desempenho. 2009, 3 acções de formação para técnicos

Leia mais

Oferta Formativa da UDIPSS Aveiro

Oferta Formativa da UDIPSS Aveiro Oferta Formativa da UDIPSS Aveiro Cursos: Formação Pedagógica Inicial de Formadores em Gerontologia homologado pelo IEFP Licenciados Destinatários: Legislação Laboral Contrato Colectivo de Trabalho Direcção

Leia mais

Índice. Índice de Quadros. Índice de Siglas

Índice. Índice de Quadros. Índice de Siglas 2016 Plano de Ação Índice Índice de Quadros... 2 Índice de Siglas... 2 Sumário Executivo... 4 1. Plano Operacional... 5 2. Monitorização / Avaliação... 11 Índice de Quadros Quadro 1 - Planificação da de

Leia mais

Plano de Ação 2013 Autoria:

Plano de Ação 2013 Autoria: Supraconcelhia BAIXO VOUGA (Cf. Dec- Lei n.º 115/2006 de 14 Junho) Plano de Ação Autoria: julho Introdução Corresponde o presente documento à proposta de Plano de Ação de da Territorial Supra concelhia

Leia mais

A C T A N. º I V /

A C T A N. º I V / 1 A C T A N. º I V / 2 0 0 9 - - - - - - A o s d e z a s s e t e d i a s d o m ê s d e F e v e r e i r o d o a n o d e d o i s m i l e n o v e, n e s t a V i l a d e M o n c h i q u e, n o e d i f í c

Leia mais

GRUPO DE TRABALHO (INCLUINDO ALTERAÇÃO): COMISSÃO DE PROTECÇÃO DE CRIANÇAS E JOVENS EM RISCO

GRUPO DE TRABALHO (INCLUINDO ALTERAÇÃO): COMISSÃO DE PROTECÇÃO DE CRIANÇAS E JOVENS EM RISCO GRUPO DE TRABALHO (INCLUINDO ALTERAÇÃO): COMISSÃO DE PROTECÇÃO DE CRIANÇAS E JOVENS EM RISCO CRIANÇAS E JOVENS EM RISCO Índice: DIAGNÓSTICO... 51 OBJECTIVO GERAL: PROMOVER OS DIREITOS DA CRIANÇA JUNTO

Leia mais

CLDS 3G REDONDO. Gerar Evolução

CLDS 3G REDONDO. Gerar Evolução CLDS 3G REDONDO Gerar Evolução Enquadramento: A presente síntese do projeto CLDS 3G Redondo GERAR EVOLUÇÃO, da responsabilidade Entidade Coordenadora Local (Centro Infantil Nossa Senhora da Saúde de Redondo),

Leia mais

Regulamento Interno Gabinete de Atendimento e Acompanhamento Social /Protocolo de RSI

Regulamento Interno Gabinete de Atendimento e Acompanhamento Social /Protocolo de RSI Regulamento Interno Gabinete de Atendimento e Acompanhamento Social /Protocolo de RSI Rua do Formigoso N.º 103 Polvoreira 4835-168 Guimarães Telefone: 253 557 128 - Telemóvel: 91 051 36 36 rsipolvoreira@gmail.com

Leia mais

Projecto GPS Gabinete de Proximidade para a Sustentabilidade

Projecto GPS Gabinete de Proximidade para a Sustentabilidade Projecto GPS Gabinete de Proximidade para a Sustentabilidade Actividade Formativa - Intervenção Comunitária Data 13 e 14 de Maio de 2009 Local Auditório do Edifício Cultural Município de Peniche Participação:

Leia mais

Lisboa 2015 FICHA DE CANDIDATURA

Lisboa 2015 FICHA DE CANDIDATURA Lisboa 2015 Refª: 038 DE JOVEM A LIDER Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060 Lisboa Telefone: 21 322 73 60 Email - bip.zip@cm-lisboa.pt

Leia mais

Estratégias para a Saúde

Estratégias para a Saúde Estratégias para a Saúde V.1) Cadernos do PNS Acções e Recomendações Promoção da Cidadania em Saúde (Versão Discussão) ESTRATÉGIAS PARA A SAÚDE V.1) CADERNOS DO PNS - ACÇÕES E RECOMENDAÇÕES PROMOÇÃO DA

Leia mais

O estado de saúde depende em muito de comportamentos saudáveis, como não utilizar drogas (licitas ou ilícitas), alimentar-se correctamente, praticar

O estado de saúde depende em muito de comportamentos saudáveis, como não utilizar drogas (licitas ou ilícitas), alimentar-se correctamente, praticar O estado de saúde depende em muito de comportamentos saudáveis, como não utilizar drogas (licitas ou ilícitas), alimentar-se correctamente, praticar exercício físico, entre outras. No entanto, e o nosso

Leia mais

Projecto Seixal Saudável

Projecto Seixal Saudável Projecto Seixal Saudável Princípios 1 2 3 4 Equidade Promoção da Saúde Participação Comunitária Cooperação Multisectorial 1 ÁREAS DE INTERVENÇÃO 1AMBIENTE e DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL 2 PLANEAMENTO URBANO

Leia mais

Base de dados I. Questionário de levantamento de recursos institucionais/ 2009

Base de dados I. Questionário de levantamento de recursos institucionais/ 2009 Base de dados I Nº de referência da instituição Nº de registo Questionário de levantamento de recursos institucionais/ 2009 Este questionário tem como objectivo proceder à actualização do Diagnóstico Social,

Leia mais

Nota Introdutória Desenvolvimento Social

Nota Introdutória Desenvolvimento Social Nota Introdutória Desenvolvimento Social, esta noção surgiu a partir de criticas a outros modelos de desenvolvimento que valorizavam o crescimento económico de cima para baixo. Partia-se de uma visão funcionalista

Leia mais

Introdução Página 2 A CPCJ de Boticas Página 3 Plano de Atividades Página 4

Introdução Página 2 A CPCJ de Boticas Página 3 Plano de Atividades Página 4 Índice Introdução Página 2 A CPCJ de Boticas Página 3 Plano de Atividades Página 4 Introdução O objetivo do Plano de Atividades da CPCJ de Boticas para 2016 é planear as atividades, procurando manter,

Leia mais

Conceito de emigração Trabalho elaborado por: Sandra Jacinto e Paulo Luz. O conceito de imigração e emigração.

Conceito de emigração Trabalho elaborado por: Sandra Jacinto e Paulo Luz. O conceito de imigração e emigração. O conceito de imigração e emigração. Os principais fluxos migratórios para a Europa e Portugal. A politica de imigração dos países comunitários. As vantagens e desvantagens da imigração. Sandra Jacinto

Leia mais

Lucília Espanhol Serviço Local de Borba da Segurança Social

Lucília Espanhol Serviço Local de Borba da Segurança Social 2017 PLANO DE AÇÃO Elaborado no âmbito do Programa Rede Social Plano de Ação do Concelho de 2017 s parceiras (Núcleo Executivo do CLASB): António Anselmo - Sofia Alexandra Dias - Crispim Francisco Lopes

Leia mais

Maria da Feira PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL SANTA MARIA DA FEIRA

Maria da Feira PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL SANTA MARIA DA FEIRA Maria da Feira PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL SANTA MARIA DA FEIRA 2012-2015 1 Introdução O Plano de Desenvolvimento Social (PDS) tem como objetivo servir de enquadramento a todas as intervenções para

Leia mais

PROPOSTA DE PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL DE CONDEIXA 2013 I 2016

PROPOSTA DE PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL DE CONDEIXA 2013 I 2016 NÚCLEO EXECUTIVO DO CLAS-C PROPOSTA DE PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL DE CONDEIXA 2013 I 2016 Rede de Setembro de 2013 Proposta de Plano de Desenvolvimento de 1 Índice I - Parte 1- Introdução..... 3 2-

Leia mais

IMSI16. Contributo para a Democracia. Adriano Neves José Fernandes Luis Silva Paulo Gama

IMSI16. Contributo para a Democracia. Adriano Neves José Fernandes Luis Silva Paulo Gama IMSI16 Contributo para a Democracia Adriano Neves José Fernandes Luis Silva Paulo Gama Instituição Particular de Solidariedade Social Organização de voluntariado que apoia de forma individualizada vítimas

Leia mais

21 de Outubro de

21 de Outubro de 21 de Outubro de 2008 1 Conceito e Finalidade Sistema de articulação de diferentes parceiros públicos e privados que tem por objectivos: Criar um ambiente institucional favorável à expansão de um voluntariado

Leia mais

A RESPONSABILIDADE SOCIAL E AMBIENTAL PARA UMA INCLUSÃO SUSTENTÁVEL

A RESPONSABILIDADE SOCIAL E AMBIENTAL PARA UMA INCLUSÃO SUSTENTÁVEL A RESPONSABILIDADE SOCIAL E AMBIENTAL PARA UMA INCLUSÃO SUSTENTÁVEL Seminário 19.Novembro.2012 Amadora, Agência Portuguesa do Ambiente PERCURSOS PELO AMBIENTE Organização: CESIS & COOPERACTIVA Autoras:

Leia mais

Artigo 1º. Composição. 1. Integram o Conselho Municipal de Segurança de Braga: a) O Presidente da Câmara Municipal de Braga;

Artigo 1º. Composição. 1. Integram o Conselho Municipal de Segurança de Braga: a) O Presidente da Câmara Municipal de Braga; REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE SEGURANÇA DE BRAGA A lei n.º 33/98, de 18 de Julho veio criar os conselhos municipais de segurança que, segundo a terminologia utilizada pelo legislador, são entidades

Leia mais

Criadas em LPP 147/99, de 1 de Setembro (alterações Lei 142/2015 de 8 de setembro ) Instituições oficiais não judiciárias

Criadas em LPP 147/99, de 1 de Setembro (alterações Lei 142/2015 de 8 de setembro ) Instituições oficiais não judiciárias Porto, novembro de 2016 Criadas em 2001 LPP 147/99, de 1 de Setembro (alterações Lei 142/2015 de 8 de setembro ) Instituições oficiais não judiciárias Objectivo Promover os direitos da criança e do jovem

Leia mais

REDE SOCIAL Câmara Municipal de Barcelos Divisão de Acção Social

REDE SOCIAL Câmara Municipal de Barcelos Divisão de Acção Social EMISSÃO DE PARECERES TÉCNICOS Aprovado em Reunião do Conselho Local de Acção Social (CLAS) de Maio de 6 Critérios de avaliação para emissão de pareceres Para que se conheça em CLAS, o posicionamento dos

Leia mais

Plano de Formação Sensibilização / Informação 2010

Plano de Formação Sensibilização / Informação 2010 Plano de Sensibilização / 2010 Acção de / Eixo de Direitos e Cidadania 1.º 1.º e 4.º Janeiro e Fevereiro e Dezembro Fevereiro Centro Nós do 115 Famílias do básico (2.º e 3.º ciclos) e (Acção 8. Nós Pais

Leia mais

Lisboa 2015 FICHA DE CANDIDATURA

Lisboa 2015 FICHA DE CANDIDATURA Lisboa 2015 Refª: 070 Gabinete de Apoio Jovem Futuro + Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060 Lisboa Telefone: 21 322 73 60

Leia mais

Sistemas de Incentivos do QREN

Sistemas de Incentivos do QREN Sistemas de Incentivos do QREN Sistemas de Incentivos do QREN 1. Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME 2. Sistema de Incentivos à Inovação 3. Sistema de Incentivos à Investigação

Leia mais

PROGRAMA PARA A INCLUSÃO E DESENVOLVIMENTO PROGRIDE

PROGRAMA PARA A INCLUSÃO E DESENVOLVIMENTO PROGRIDE PROGRAMA PARA A INCLUSÃO E DESENVOLVIMENTO PROGRIDE RELATÓRIO ANUAL DE EXECUÇÃO MEDIDA / MEDIDA 009/00 INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P. Programa para a Inclusão e Desenvolvimento Relatório Anual de

Leia mais

Programa Operacional Emprego Formação e Desenvolvimento Social. Eixo 5 Promoção do Desenvolvimento Social. Medida 5.1. Apoio ao Desenvolvimento Social

Programa Operacional Emprego Formação e Desenvolvimento Social. Eixo 5 Promoção do Desenvolvimento Social. Medida 5.1. Apoio ao Desenvolvimento Social Programa Operacional Emprego Formação e Desenvolvimento Social Eixo 5 Promoção do Desenvolvimento Social Medida 5.1. Apoio ao Desenvolvimento Social 1 Entidade Promotora Entidade Formadora MultiAveiro,

Leia mais

Plano Estratégico para a Terceira Idade do Concelho de Santa Maria da Feira ( ) Programa

Plano Estratégico para a Terceira Idade do Concelho de Santa Maria da Feira ( ) Programa Seminário: Os desafios do Envelhecimento Activo Inovar no presente e planear o futuro Plano Estratégico para a Terceira Idade do Concelho de Santa Maria da Feira (2008-2011) Programa e-mili@ Cristina Ribeiro

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL

PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL V L PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL Conselho Local de Acção Social do Cadaval Julho 2005 IL A D O CA D A AV Câmara Municipal Cadaval SEGURANÇA SOCIAL GOVERNO DA REPÚBLICA PORTUGUESA PROGRAMA REDE SOCIAL

Leia mais

Plano Regional de Saúde Lisboa e

Plano Regional de Saúde Lisboa e Plano Regional de Saúde Lisboa e Vale do Tejo Um Futuro para as Nossas Crianças Plano Regional de Saúde Lisboa e Vale do Tejo 2010 2012 Rui Portugal Presidente da ARSLVT António Tavares Director do Departamento

Leia mais

Conselho Local de Ação Social de. Pinhel. Plano de Ação 2014

Conselho Local de Ação Social de. Pinhel. Plano de Ação 2014 Conselho Local de Ação Social de Pinhel Plano de Ação 2014 Plano de Ação 2014 Enquadramento Legal Objetivo Geral Área Geográfica de Intervenção Eixos de Intervenção Resolução do Conselho de Ministros nº

Leia mais

Agrupamento de Escolas nº4 de Évora Escola Sede: Escola Secundária André de Gouveia 1. ÁREAS DE INTERVENÇÃO

Agrupamento de Escolas nº4 de Évora Escola Sede: Escola Secundária André de Gouveia 1. ÁREAS DE INTERVENÇÃO 1. ÁREAS DE INTERVENÇÃO 1.1. IMPLEMENTAR A ORGANIZAÇÃO E DESENVOLVIMENTO CURRICULAR - Aprimorar ação educativa. Otimizar o desempenho de funções de coordenação. Valorizar a centralidade da escola e do

Leia mais

COMISSÃO DE PROTECÇÃO DE CRIANÇAS E JOVENS DE VISEU

COMISSÃO DE PROTECÇÃO DE CRIANÇAS E JOVENS DE VISEU COMISSÃO DE PROTECÇÃO DE CRIANÇAS E JOVENS DE VISEU ANO EUROPEU DA IGUALDADE DE OPORTUNIDADE PARA TODOS Projecto de Actividades para Alunos do 1º CEB VISEU, 2007 INDICE Introdução:...3 Objectivos:...3

Leia mais

Anexo Único. Estrutura e modelo de funcionamento de Co- Governação para os Gabinetes de Apoio aos Bairros de Intervenção Prioritária

Anexo Único. Estrutura e modelo de funcionamento de Co- Governação para os Gabinetes de Apoio aos Bairros de Intervenção Prioritária Anexo Único Estrutura e modelo de funcionamento de Co- Governação para os Gabinetes de Apoio aos Bairros de Intervenção Prioritária Artigo 1º - Definição Um GABIP é uma estrutura de iniciativa municipal,

Leia mais

Região do Médio Tejo. Características e Desafios

Região do Médio Tejo. Características e Desafios Região do Médio Tejo Características e Desafios 09 março 2015 A Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo Território e Municípios A Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo Atribuições e Competências das

Leia mais

Comunidade Intermunicipal do Oeste OesteCIM

Comunidade Intermunicipal do Oeste OesteCIM Comunidade Intermunicipal do Oeste OesteCIM É uma pessoa coletiva de direito público de natureza associativa e âmbito territorial e visa a realização de interesses comuns aos Municípios que a integram,

Leia mais

Manual Técnico Das Equipas Locais de Intervenção

Manual Técnico Das Equipas Locais de Intervenção Manual Técnico Das Equipas Locais de Intervenção pág. 1/18 Índice 1 - Enquadramento do SNIPI 1.1 - Objectivos do SNIPI 1.2 Competências dos 3 Ministérios 1.3 Organização do Sistema 2 - Legislação 3 - Regulamento

Leia mais

INTRODUÇÃO. Escola. Comunidade/ Território Local

INTRODUÇÃO. Escola. Comunidade/ Território Local INTRODUÇÃO Este documento foi concetualizado como uma ferramenta para a construção de um território Educador, em que a educação e a formação podem acontecer dentro e fora da escola, através da promoção

Leia mais

Ficha de Caracterização de Entidade/Projecto. Vale de Alcântara CLDS +

Ficha de Caracterização de Entidade/Projecto. Vale de Alcântara CLDS + Ficha de Caracterização de Entidade/Projecto Vale de Alcântara CLDS + 1 A. IDENTIFICAÇÃO GERAL DA ENTIDADE Projecto(s) K'CIDADE para a Inclusão - Vale de Alcântara Entidade Coordenadora da Parceria Fundação

Leia mais

SAÚDE Diagnóstico Social do Concelho de Cadaval

SAÚDE Diagnóstico Social do Concelho de Cadaval SAÚDE 54 A nível de equipamentos de saúde no concelho existem, um Centro de Saúde, uma Delegação de Saúde Pública e seis Extensões do Centro de Saúde, distribuídas pelas freguesias de Cadaval, Figueiros,

Leia mais

Iniciativa Novas Oportunidades. Julho de Av. 24 de Julho, nº Lisboa Telf.: Fax:

Iniciativa Novas Oportunidades. Julho de Av. 24 de Julho, nº Lisboa Telf.: Fax: Iniciativa Novas Oportunidades Julho de 2010 1 Índice A. Iniciativa Novas Oportunidades...3 B. A rede nacional de Centros Novas Oportunidades...4 C. Protocolos de cooperação no âmbito da Iniciativa Novas

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Social e Plano de Acção do Concelho de Mondim de Basto

Plano de Desenvolvimento Social e Plano de Acção do Concelho de Mondim de Basto CLAS de Mondim de Basto Plano de Desenvolvimento Social e Plano de Acção do Concelho de Mondim de Basto Mondim de Basto, Maio de 2006 Fundo Social Europeu Projecto co-financiado pelo FSE Índice Câmara

Leia mais

O Desafio da Promoção da Saúde no Município de Lisboa EP-PLHDS Maria Teresa Craveiro

O Desafio da Promoção da Saúde no Município de Lisboa EP-PLHDS Maria Teresa Craveiro O Desafio da Promoção da Saúde no Município de Lisboa EP-PLHDS Maria Teresa Craveiro EP-PLHDS - Equipa de Projecto do Programa Local de Habitação e Direitos Sociais Ana Cosme Ana Lúcia Antunes Ana Sofia

Leia mais