REQUERIMENTO. (Do Sr. CORIOLANO SALES)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REQUERIMENTO. (Do Sr. CORIOLANO SALES)"

Transcrição

1 1 REQUERIMENTO (Do Sr. CORIOLANO SALES) Requer que, ouvido o plenário desta Comissão, seja convidado o Senhor Presidente da CONFEBRÁS Confederação Brasileira das Cooperativas de Crédito Mútuo, Dr. Manuel Messias da Silva, o Senhor Presidente da UNICRED do Brasil, Dr. Jayr Paula Gomes Gonçalves, o Senhor Presidente da Confederação do SICOOB Sistema das Cooperativas de Crédito Integrantes do BANCOOB, Dr. Eli de Oliveira Penido, e o Senhor Coordenador do Conselho Especializado de Crédito da OCB Organização das Cooperativas Brasileiras, Dr. Alcenor Pagnussat, para prestarem informações a esta Comissão sobre o Sistema de Cooperativas de Crédito no Brasil. Senhor Presidente: Requeiro, nos termos regimentais, que esta Comissão convide o Senhor Presidente da CONFEBRÁS Confederação Brasileira das Cooperativas de Crédito Mútuo, Dr. Manuel Messias da Silva, o Senhor Presidente da UNICRED do Brasil, Dr. Jayr Paula Gomes Gonçalves, o Senhor Presidente da Confederação do SICOOB Sistema das Cooperativas de Crédito Integrantes do BANCOOB, Dr. Eli de Oliveira Penido, e o Senhor Coordenador do Conselho Especializado de Crédito da OCB Organização das Cooperativas Brasileiras, Dr. Alcenor Pagnussat, para prestarem informações a esta Comissão sobre o Sistema de Cooperativas de Crédito no Brasil.

2 2 JUSTIFICATIVA A CONFEBRÁS Confederação Brasileira das Cooperativas de Crédito Mútuo, a UNICRED do Brasil, a Confederação do SICOOB Sistema das Cooperativas de Crédito Integrantes do BANCOOB e o Conselho Especializado de Crédito da OCB Organização das Cooperativas Brasileiras, são instituições responsáveis pelo Sistema de Cooperativismo de Crédito no Brasil, órgãos fundamentais para o entendimento do funcionamento do cooperativismo no nosso país. A CONFEBRÁS Confederação Brasileira das Cooperativas de Crédito Mútuo tem como missão desenvolver, promover e integrar o Cooperativismo de Crédito Mútuo Brasileiro, representando-o nacional e internacionalmente. Além da difusão do Cooperativismo de Crédito e a defesa dos interesses das Cooperativas de Crédito Mútuo, a CONFEBRÁS tem como objetivo intermediar as negociações entre as Cooperativas, o Governo e o Setor Privado. A UNICRED do Brasil é um Sistema de Cooperativismo de Crédito Mútuo, cujos associados são profissionais da área de Saúde (Médicos, Dentistas, Psicólogos, dentre outros). A UNICRED do Brasil atua em 24 estados, 310 pontos de atendimento, sendo a maior Cooperativa Brasileira especializada em uma área (saúde). O objetivo da UNICRED do Brasil é reunir os associados em um único empreendimento de crédito, funcionando como um Banco para os associados, tornando-se, assim, a principal instituição financeira do profissional da saúde. A Confederação do SICOOB Sistema das Cooperativas de Crédito Integrantes do BANCOOB é constituído por 14 cooperativas centrais, mais suas filiadas, urbanas e rurais. As entidades participantes do SICOOB são independentes política, administrativa e juridicamente, mas estão integradas financeira, técnica e operacionalmente. Assim como os associados controlam sua cooperativa singular por meio de Assembléias Gerais, as cooperativas singulares também participam do controle da cooperativa central. As cooperativas centrais, por sua vez, se uniram para formar o SICOOB, que capitalizou e passou a controlar o BANCOOB (Banco Cooperativo do Brasil S.A.). As cooperativas centrais objetivam organizar, em comum e em maior escala, os serviços econômicos e assistenciais de interesse das filiadas, integrando e orientando suas atividades, bem como facilitando a utilização recíproca de serviços. O BANCOOB (Banco Cooperativo do Brasil S.A.) é um Banco Comercial, com personalidade jurídica própria, criado por iniciativa das principais Cooperativas Centrais do Brasil, para lhes dar apoio operacional e financeiro.

3 3 O Conselho Especializado de Crédito da OCB Organização das Cooperativas Brasileiras é um órgão consultivo da OCB, que funciona a nível nacional. O objetivo do Conselho é apoiar o Cooperativismo de Crédito, seja apresentando estudos técnicos ou representando o Cooperativismo a nível político. O Conselho também unifica os Sistemas de Crédito Cooperativo, já que cada Sistema tem a sua particularidade. Assim, a função do Conselho é unificar os Sistemas de Crédito Cooperativo em todo o Brasil e traçar metas comuns. É indiscutível a relevância do Cooperativismo de Crédito para o desenvolvimento do Brasil. Assim, é de extrema importância esta Comissão ouvir os representantes desses Sistemas Cooperativos, que representam o Cooperativismo de Crédito no Brasil. É, portanto, o presente REQUERIMENTO para que esta Comissão de Finanças e de Tributação convide o Senhor Presidente da CONFEBRÁS Confederação Brasileira das Cooperativas de Crédito Mútuo, Dr. Manuel Messias da Silva, o Senhor Presidente da UNICRED do Brasil, Dr. Jayr Paula Gomes Gonçalves, o Senhor Presidente da Confederação do SICOOB Sistema das Cooperativas de Crédito Integrantes do BANCOOB, Dr. Eli de Oliveira Penido, e o Senhor Coordenador do Conselho Especializado de Crédito da OCB Organização das Cooperativas Brasileiras, Dr. Alcenor Pagnussat, para prestarem informações a esta Comissão sobre o Sistema de Cooperativas de Crédito no Brasil. É o requerimento. Sala das Sessões, em de de Deputado CORIOLANO SALES

4 4 ANEXO CONFEBRÁS Confederação Brasileira das Cooperativas de Crédito Mútuo Presidente: Dr. Manuel Messias da Silva Endereço: SCS, Quadra 06, Ed. Presidente, sala 403, Brasília DF Telefone: (61) Fax: (61) UNICRED do Brasil: Presidente: Dr. Jayr Paula Gomes Gonçalves Endereço: Alameda Santos, 1827, 12º andar, cj.192, Cerqueira Cesar, São Paulo SP Telefone: (11) Fax: (11) Confederação do SICOOB Sistema das Cooperativas de Crédito Integrantes do BANCOOB: Presidente: Dr. Eli de Oliveira Penido Endereço: SCS, Quadra 06, Bloco A, Ed. Sofia, nº 50, 5º andar, Brasília DF Telefone: (61) Fax: (61)

5 5 Coordenador do Conselho Especializado de Crédito da OCB Organização das Cooperativas Brasileiras: Presidente: Dr. Alcenor Pagnussat Endereço: SAUS, Quadra 04, Bloco I, Ed. OCB, Brasília DF Telefone: (61) Fax: (61)

Cooperativismo. Cooperativa de Crédito. Apoio

Cooperativismo. Cooperativa de Crédito. Apoio Cooperativismo Cooperativa de Crédito Apoio O que é uma cooperativa. É uma sociedade de pessoas com forma e natureza jurídica própria, de natureza civil, sem fins lucrativos, não sujeita à falência, constituída

Leia mais

Informativo www.unicred.com.br

Informativo www.unicred.com.br Informativo www.unicred.com.br ano 5 nº 40 2011 Editorial Unicred do Brasil Definido o tema da IX Convenção Nacional Unicred A Comissão Organizadora da Convenção Nacional Unicred, que se realizará na cidade

Leia mais

e) visa estabelecer diretrizes aplicáveis ao posicionamento estratégico de comunicação e marketing das entidades integrantes do Sicoob.

e) visa estabelecer diretrizes aplicáveis ao posicionamento estratégico de comunicação e marketing das entidades integrantes do Sicoob. 1. Esta Política Institucional de Comunicação e Marketing: Política Institucional de Comunicação e Marketing a) é elaborada por proposta da área de Comunicação e Marketing da Confederação Nacional das

Leia mais

O que é o Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito (FGCoop)?

O que é o Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito (FGCoop)? Perguntas frequentes A fim de subsidiar os analistas e técnicos do setor cooperativista de crédito brasileiro e informar a população em geral, reunimos, abaixo, algumas perguntas, com suas respostas, sobre

Leia mais

DADOS CONSOLIDADOS SICOOB SÃO PAULO SETEMBRO/2014

DADOS CONSOLIDADOS SICOOB SÃO PAULO SETEMBRO/2014 DADOS CONSOLIDADOS SICOOB SÃO PAULO SETEMBRO/2014 MISSÃO E VISÃO DO SICOOB SP MISSÃO ATENDER AS NECESSIDADES E EXPECTATIVAS DAS ASSOCIADAS VISÃO SER REFERÊNCIA NO COOPERATIVISMO DE CRÉDITO BRASILEIRO Histórico

Leia mais

b) supervisionar o cumprimento desta política pelas entidades integrantes do Sistema Sicoob;

b) supervisionar o cumprimento desta política pelas entidades integrantes do Sistema Sicoob; 1. Esta Política institucional de gestão de pessoas: Política institucional de gestão de pessoas a) é elaborada por proposta da área de Gestão de Pessoas da Confederação Nacional das Cooperativas do Sicoob

Leia mais

Cooperativas de crédito e seus impactos sociais

Cooperativas de crédito e seus impactos sociais Cooperativas de crédito e seus impactos sociais A estrutura do cooperativismo de crédito brasileiro Inseridas no meio econômico financeiro do país desde 1902, as cooperativas de crédito se apresentam com

Leia mais

História e evolução do cooperativismo Brasileiro Os sete princípios A importância do cooperativismo para a economia social brasileira

História e evolução do cooperativismo Brasileiro Os sete princípios A importância do cooperativismo para a economia social brasileira História e evolução do cooperativismo Brasileiro Os sete princípios A importância do cooperativismo para a economia social brasileira Recife PE Junho de 2006 Breve história do cooperativismo 1844 1899

Leia mais

SENADO FEDERAL Comissões. Comissão de Constituição e Justiça Senado Federal

SENADO FEDERAL Comissões. Comissão de Constituição e Justiça Senado Federal RAMO AGROPECUÁRIO Período: 28 de outubro a 1º de novembro de 2013 SENADO FEDERAL Comissões Comissão de Constituição e Justiça Senado Federal Dia: 30/10 Horário: 10h Local: Plenário 3 (Item 11) PROJETO

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DAS COOPERATIVAS PARA A EXPANSÃO DO CRÉDITO

A IMPORTÂNCIA DAS COOPERATIVAS PARA A EXPANSÃO DO CRÉDITO A IMPORTÂNCIA DAS COOPERATIVAS PARA A EXPANSÃO DO CRÉDITO INDICE O Sistema Financeiro Nacional - SFN Instituições de Crédito Cooperativas de Crédito Diferenças entre Bancos e Cooperativas de Crédito O

Leia mais

COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR, MEIO AMBIENTE E MINORIAS REQUERIMENTO Nº, DE 2002

COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR, MEIO AMBIENTE E MINORIAS REQUERIMENTO Nº, DE 2002 COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR, MEIO AMBIENTE E MINORIAS (AUDIÊNCIA PÚBLICA) REQUERIMENTO Nº, DE 2002 (do Sr. Paulo Baltazar) Solicita sejam convocados os Srs. Paulo Renato Souza, Ministro de Estado

Leia mais

-CAPÍTULO I ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO

-CAPÍTULO I ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO -CAPÍTULO I ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO 1. Sistema Sicoob A Estrutura de Gerenciamento do Risco Operacional abaixo visa dar conformidade ao que dispõe a Resolução n 3.380/2006, do Conselho Monetário

Leia mais

REQUERIMENTO. (Do Sr. Carlos Bezerra) Senhor Presidente,

REQUERIMENTO. (Do Sr. Carlos Bezerra) Senhor Presidente, REQUERIMENTO (Do Sr. Carlos Bezerra) Requer o envio de indicação ao Poder Executivo, sugerindo alteração na legislação tributária federal relativa ao Imposto de Renda incidente sobre aplicações em renda

Leia mais

Supervisão de Cooperativas de Crédito Brasil

Supervisão de Cooperativas de Crédito Brasil Supervisão de Cooperativas de Crédito Brasil RODRIGO PEREIRA BRAZ Departamento de Supervisão de Cooperativas de Crédito e Instituições Não Bancárias Banco Central do Brasil 06 de junho de 2013 Agenda Estrutura

Leia mais

1. Esta Política institucional de comunicação e marketing:

1. Esta Política institucional de comunicação e marketing: 1. Esta Política institucional de comunicação e marketing: Política Institucional de Comunicação e Marketing a) é elaborada por proposta da área de Comunicação e Marketing da Confederação Nacional das

Leia mais

Sicoob Central Cecresp. Institucional

Sicoob Central Cecresp. Institucional Sicoob Central Cecresp Institucional Gestão DIRETOR PRESIDENTE Carlos Augusto de Macedo Chiaraba Sicoob Nossacred DIRETOR VICE PRESIDENTE Francisco Rao - Sicoob Crediconsumo CONSELHEIROS Antonio João Batista

Leia mais

COMISSÃO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E DESENVOLVIMENTO RURAL. REQUERIMENTO Nº /2015-CAPADR (do Sr. Daniel Vilela)

COMISSÃO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E DESENVOLVIMENTO RURAL. REQUERIMENTO Nº /2015-CAPADR (do Sr. Daniel Vilela) COMISSÃO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E DESENVOLVIMENTO RURAL REQUERIMENTO Nº /2015-CAPADR (do Sr. Daniel Vilela) Requer a realização de Audiência Pública para instruir o Projeto de Lei nº 1670/2015, que Institui

Leia mais

Associativismo e Cooperativismo. Diego Neves de Sousa Analista do setor de Transferência de Tecnologia

Associativismo e Cooperativismo. Diego Neves de Sousa Analista do setor de Transferência de Tecnologia Associativismo e Cooperativismo Diego Neves de Sousa Analista do setor de Transferência de Tecnologia O QUE É COOPERAR? Cooperar é trabalhar junto, é ajudar-se mutuamente, é tentar conseguir, com ajuda

Leia mais

2º Seminário Banco Central sobre Microfinanças

2º Seminário Banco Central sobre Microfinanças 10 de novembro de 2003 Segunda-feira 8h Credenciamento de participantes Auditório do Centro de Treinamento do Banco do Nordeste do Brasil 8h30 Abertura Expositores (10 min. cada): Lúcio Gonçalo de Alcântara

Leia mais

www.confebras.com.br/concred

www.confebras.com.br/concred PROGRAMAÇÃO PRÉVIA DO 8º CONCRED 25.08 4ª feira 17h00 19h00 Credenciamento 1 19h00 20h30 Abertura oficial Convidados: Luiz Inácio Lula da Silva Presidente da República Federativa do Brasil Orlando Pessuti

Leia mais

CARTA DE RESPONSABILIDADE DA ADMINISTRAÇÃO

CARTA DE RESPONSABILIDADE DA ADMINISTRAÇÃO CARTA DE RESPONSABILIDADE DA ADMINISTRAÇÃO Brasília - DF, 13 de fevereiro de 2014. À DCA - Auditores Independentes S/S ATT. Gerencia de Auditoria Aparecida de Goiânia - GO Assunto: Carta de Representações

Leia mais

RELATÓRIO SEMESTRAL RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO

RELATÓRIO SEMESTRAL RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO BALANÇO 213/2 RELATÓRIO SEMESTRAL RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO As incertezas do mercado econômico brasileiro no primeiro semestre de 213 jogaram para baixo as projeções do Produto Interno Bruto (PIB) e elevaram

Leia mais

REQUERIMENTO nº, de 2015. (Do Sr. Carlos Melles)

REQUERIMENTO nº, de 2015. (Do Sr. Carlos Melles) REQUERIMENTO nº, de 2015 (Do Sr. Carlos Melles) Requer a Convocação de Sessão Solene em 2016, em Homenagem ao vigésimo aniversário da Lei que criou o SIMPLES no Brasil. Senhor Presidente, Representando

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO Brasília, 14 de outubro de 2011. Prezadas Senhoras, Prezados Senhores, A ONU Mulheres Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres solicita

Leia mais

CENTRAL EM NOTÍCIAS. Assembleias 2013: a voz do cooperativismo

CENTRAL EM NOTÍCIAS. Assembleias 2013: a voz do cooperativismo CENTRAL EM NOTÍCIAS Fevereiro/Março de 2013 Assembleias 2013: a voz do cooperativismo A participação em uma assembleia é o ponto alto na vivência do cooperativismo, momento em que podemos influir nos rumos

Leia mais

COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA. REQUERIMENTO Nº,DE 2008 (Do Sr. Rafael Guerra)

COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA. REQUERIMENTO Nº,DE 2008 (Do Sr. Rafael Guerra) COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA REQUERIMENTO Nº,DE 2008 (Do Sr. Rafael Guerra) Requer a realização do III Fórum Nacional da Saúde Ocular. Senhor Presidente, Requeiro a Vossa Excelência, ouvido

Leia mais

Título : Estrutura organizacional (estrutura, atribuições e competências) 2 Capítulo : Índice Seção : Subitem Descrição

Título : Estrutura organizacional (estrutura, atribuições e competências) 2 Capítulo : Índice Seção : Subitem Descrição Título : Estrutura organizacional (estrutura, atribuições e competências) 2 Capítulo : Índice Seção : Capítulo Seção Item Subitem Descrição Estrutura Organizacional (estrutura, atribuições e competências)

Leia mais

1. Esta Política Institucional de Gestão de Continuidade de Negócios:

1. Esta Política Institucional de Gestão de Continuidade de Negócios: 1. Esta Política Institucional de Gestão de Continuidade de Negócios: a) é elaborada por proposta da área de gestão de continuidade de negócios da Confederação Nacional das Cooperativas do Sicoob Sicoob

Leia mais

ASSOCIATIVISMO. Fonte: Educação Sebrae

ASSOCIATIVISMO. Fonte: Educação Sebrae ASSOCIATIVISMO Fonte: Educação Sebrae O IMPORTANTE É COOPERAR A cooperação entre as pessoas pode gerar trabalho, dinheiro e desenvolvimento para toda uma comunidade COOPERAR OU COMPETIR? Cooperar e competir

Leia mais

Regulamento do Prêmio Concred Verde

Regulamento do Prêmio Concred Verde Regulamento do Prêmio Concred Verde Brasília-DF, fevereiro de 2012. Para ocorrer desenvolvimento sustentável é preciso comprometimento com uma visão responsável que busca o equilíbrio social e a interação

Leia mais

ESTATUTOS DA OCPLP ORGANIZAÇÃO COOPERATIVISTA DOS POVOS DE LÍNGUA PORTUGUESA. CAPÍTULO I (Constituição, denominação, sede e objecto)

ESTATUTOS DA OCPLP ORGANIZAÇÃO COOPERATIVISTA DOS POVOS DE LÍNGUA PORTUGUESA. CAPÍTULO I (Constituição, denominação, sede e objecto) OCPLP Organização Cooperativista dos Povos de Língua Portuguesa Comissão Instaladora ESTATUTOS DA OCPLP ORGANIZAÇÃO COOPERATIVISTA DOS POVOS DE LÍNGUA PORTUGUESA CAPÍTULO I (Constituição, denominação,

Leia mais

AVISO DE LICITAÇÃO. 4. Locais do inventário florestal: Resex Baixo Juruá, Flona do Pau Rosa e Rio Purus no estado do Amazonas.

AVISO DE LICITAÇÃO. 4. Locais do inventário florestal: Resex Baixo Juruá, Flona do Pau Rosa e Rio Purus no estado do Amazonas. AVISO DE LICITAÇÃO A Agência de Cooperação Internacional do Japão (JICA) convida as empresas qualificadas para apresentar propostas para uma competição seletiva para prestar os serviços descritos a seguir.

Leia mais

(Do Sr. Sérgio Vidigal) Senhor Presidente:

(Do Sr. Sérgio Vidigal) Senhor Presidente: COMISSÃO ESPECIAL DA MAIORIDADE PENAL REQUERIMENTO N O, DE 2015 (Do Sr. Sérgio Vidigal) Requer que seja convidado o Juiz Fernando Antônio Nogueira Galvão da Rocha e o Promotor de Justiça Rogério Graco

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO Brasília, 24 de novembro de 2011. Prezadas Senhoras, Prezados Senhores, A ONU Mulheres Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres solicita

Leia mais

II ENCONTRO INTERNACIONAL SOBRE REGULAÇÃO E SUPERVISÃO EM MICROFINANÇAS COMPARAÇÃO DE MODELOS MUNDIAIS E O CASO BRASILEIRO

II ENCONTRO INTERNACIONAL SOBRE REGULAÇÃO E SUPERVISÃO EM MICROFINANÇAS COMPARAÇÃO DE MODELOS MUNDIAIS E O CASO BRASILEIRO II ENCONTRO INTERNACIONAL SOBRE REGULAÇÃO E SUPERVISÃO EM MICROFINANÇAS Painel: Crédito Cooperativo e Desenvolvimento COMPARAÇÃO DE MODELOS MUNDIAIS E O CASO BRASILEIRO TEMAS A SEREM ABORDADOS: Características

Leia mais

CONVITE 25/2010. DATA E HORÁRIO PARA RECEBIMENTO E ABERTURA DOS ENVELOPES Dia 17 / 08 / 2010 às 15 horas

CONVITE 25/2010. DATA E HORÁRIO PARA RECEBIMENTO E ABERTURA DOS ENVELOPES Dia 17 / 08 / 2010 às 15 horas CONVITE 25/2010 DATA E HORÁRIO PARA RECEBIMENTO E ABERTURA DOS ENVELOPES Dia 17 / 08 / 2010 às 15 horas 01. DISPOSIÇÕES INICIAIS 1.1 O Senac Departamento Nacional torna público que, na Seção de Material,

Leia mais

Relatório da estrutura de gerenciamento de riscos do Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil (Sicoob)

Relatório da estrutura de gerenciamento de riscos do Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil (Sicoob) 1/7 Relatório da estrutura de gerenciamento de riscos do Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil (Sicoob) Módulo I Apresentação 1. Com a finalidade de promover a harmonização, a integração e a racionalização

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DEMONSTRATIVO DE CREDITOS ADICIONAIS Z33NDKYP 04/03/2015 PAG. 1 03 44612 19/02/2014 135400 00059 0,00 5622.167,24 13540 20601016620910000 449000 013 0,00 44612 19/02/2014

Leia mais

GOVERNANÇA COOPERATIVA: PRINCIPIOS QUE REGEM O PROJETO DE GOVERNANÇA E COMO ADOTÁ-LO NAS COOPERATIVAS DE CRÉDITO

GOVERNANÇA COOPERATIVA: PRINCIPIOS QUE REGEM O PROJETO DE GOVERNANÇA E COMO ADOTÁ-LO NAS COOPERATIVAS DE CRÉDITO GOVERNANÇA COOPERATIVA: PRINCIPIOS QUE REGEM O PROJETO DE GOVERNANÇA E COMO ADOTÁ-LO NAS COOPERATIVAS DE CRÉDITO Maria Emilia Villela Reis; Valéria Soares - Pós Graduando em MBA Gestão Empresarial pela

Leia mais

PARECER DE AUDITORIA

PARECER DE AUDITORIA PARECER DE AUDITORIA Aos Diretores da COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO DOS CORRETORES DE SEGUROS DE BELO HORIZONTE E REGIÃO METROPOLITANA LTDA CREDICORSEGS 1. Examinamos o balanço patrimonial da

Leia mais

RESOLUÇÃO N.º 016, DE 14 DE MAIO DE 2013. Gabinete da Câmara

RESOLUÇÃO N.º 016, DE 14 DE MAIO DE 2013. Gabinete da Câmara RESOLUÇÃO N.º 016, DE 14 DE MAIO DE 2013. Gabinete da Câmara Cria a FRENTE PARLAMENTAR DE APOIO AO COOPERATIVISMO FRENCOOP na Câmara de Vereadores de Victor Graeff. LAIRTON ANDRÉ KOECHE, Presidente da

Leia mais

446, 23/01/2014, 24/01/2014 PARECER CEE/PE Nº 143/2013-CES APROVADO PELO PLENÁRIO EM

446, 23/01/2014, 24/01/2014 PARECER CEE/PE Nº 143/2013-CES APROVADO PELO PLENÁRIO EM INTERESSADA: UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO UPE FACULDADE DE CIÊNCIAS DA ADMINISTRAÇÃO - FCAP ASSUNTO: RENOVAÇÃO DO RECONHECIMENTO DO CURSO SUPERIOR SEQUENCIAL DE FORMAÇÃO ESPECÍFICA EM GESTÃO IMOBILIÁRIA

Leia mais

Reunião na Federação das Unimeds do Rio apresenta ações para o ramo

Reunião na Federação das Unimeds do Rio apresenta ações para o ramo Reunião na Federação das Unimeds do Rio apresenta ações para o ramo 27 de FEVEREIRO A Federação das Unimeds do Estado do Rio de Janeiro promoveu, em sua sede, reunião do Conselho Federativo. O presidente

Leia mais

REQUERIMENTO. (Do Sr. Moreira Mendes)

REQUERIMENTO. (Do Sr. Moreira Mendes) REQUERIMENTO (Do Sr. Moreira Mendes) Requer o envio de Indicação ao Poder Executivo, propondo alteração no limite da área de imóveis rurais na Amazônia Legal para efeito de georreferenciamento e atualização

Leia mais

AULA 02. Estrutura do Sistema Financeiro Nacional. Subsistema Operativo I

AULA 02. Estrutura do Sistema Financeiro Nacional. Subsistema Operativo I AULA 02 Estrutura do Sistema Financeiro Nacional Subsistema Operativo I Subsistema Operativo No Sistema Financeiro Nacional, o subsistema operativo trata da intermediação, do suporte operacional e da administração.

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO Brasília, 10 de maio de 2012. Prezadas Senhoras, Prezados Senhores, A ONU Mulheres Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres solicita a

Leia mais

I- TENS ORGANIZACIONAIS

I- TENS ORGANIZACIONAIS I- TENS ORGANIZACIONAIS 1.1 JORNADA TRABALHO - A jornada de trabalho dos empregados das Cooperativas crédito será de 40 horas (quarenta horas) semanais. 1.2 Jornada Semanal de Trabalho Todas as horas prestadas

Leia mais

Estatutos da Aliança Francesa

Estatutos da Aliança Francesa Estatutos da Aliança francesa Estatutos da Aliança Francesa Preâmbulo A Aliança francesa é um movimento internacional criado em 1883, apolítico e não confessional, que se deu por missão ensinar a língua

Leia mais

Estatutos da Associação de Pais e Encarregados de Educação do Grupo escolaglobal. Capítulo Primeiro. Da denominação, natureza e fins

Estatutos da Associação de Pais e Encarregados de Educação do Grupo escolaglobal. Capítulo Primeiro. Da denominação, natureza e fins Estatutos da Associação de Pais e Encarregados de Educação do Grupo escolaglobal Capítulo Primeiro Da denominação, natureza e fins Artigo 1.º A Associação de Pais e Encarregados de Educação do Grupo escolaglobal,

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2003

PROJETO DE LEI Nº, DE 2003 PROJETO DE LEI Nº, DE 2003 (Do Sr. LEONARDO PICCIANI) Dispõe sobre a regulamentação da atividade profissional de Psicomotricista e autoriza a criação dos Conselhos Federal e Regionais de Psicomotricidade.

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO DE ARBITRAGEM DESPORTIVA DO TRIBUNAL ARBITRAL DO DESPORTO

REGIMENTO DO CONSELHO DE ARBITRAGEM DESPORTIVA DO TRIBUNAL ARBITRAL DO DESPORTO REGIMENTO DO CONSELHO DE ARBITRAGEM DESPORTIVA DO TRIBUNAL ARBITRAL DO DESPORTO Capítulo I Disposições gerais Artigo 1.º (Definição) O (CAD) é um dos órgãos integrantes do Tribunal Arbitral do Desporto

Leia mais

ENTIDADES DE UTILIDADE PÚBLICA. Como criar ou adequar a sua

ENTIDADES DE UTILIDADE PÚBLICA. Como criar ou adequar a sua ENTIDADES DE UTILIDADE PÚBLICA Como criar ou adequar a sua A presente publicação é dirigida às pessoas que desejam ir além de suas obrigações e deveres individuais, para trabalharem por questões de interesse

Leia mais

COMISSÃO DE EDUCAÇÃO. PROJETO DE LEI No 5.080, de 2013 (Apensados: PL nº 6.879, de 2013 e PL nº 7.345, de 2014)

COMISSÃO DE EDUCAÇÃO. PROJETO DE LEI No 5.080, de 2013 (Apensados: PL nº 6.879, de 2013 e PL nº 7.345, de 2014) COMISSÃO DE EDUCAÇÃO PROJETO DE LEI No 5.080, de 2013 (Apensados: PL nº 6.879, de 2013 e PL nº 7.345, de 2014) Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da

Leia mais

Regulamento da Campanha de Capitalização 2012-2013 CAPITAL FORTE / COOPERADO FORTE

Regulamento da Campanha de Capitalização 2012-2013 CAPITAL FORTE / COOPERADO FORTE Regulamento da Campanha de Capitalização 2012-2013 CAPITAL FORTE / COOPERADO FORTE 1. OBJETIVOS 1.1. Disseminar os princípios cooperativistas de crédito; 1.2. Oferecer ao quadro social uma opção de investimento

Leia mais

EMPREENDIMENTO: Bosque Heliópolis. Novo Heliópolis - Garanhuns-PE 24 meses após a assinatura do contrato CAIXA. CORREÇÃO: BLOCO: INCC

EMPREENDIMENTO: Bosque Heliópolis. Novo Heliópolis - Garanhuns-PE 24 meses após a assinatura do contrato CAIXA. CORREÇÃO: BLOCO: INCC BLOCO: 1 104 L 51 m² 121.000,00 2.000,00 3.000,00 347,22 103.500,00 BLOCO: 2 004 L 51 m² 121.000,00 2.000,00 3.000,00 347,22 103.500,00 102 L 51 m² 121.000,00 2.000,00 3.000,00 347,22 103.500,00 BLOCO:

Leia mais

MODELO DA FUNDAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO DE SURDOS

MODELO DA FUNDAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO DE SURDOS MODELO DA FUNDAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO DE SURDOS A Associação de Surdos representa importante espaço de articulação e encontro da Comunidade Surda. Importantes movimentos se originaram e ainda se resultam das

Leia mais

REQUERIMENTO. (Do Sr. Jofran Frejat) Senhor Presidente:

REQUERIMENTO. (Do Sr. Jofran Frejat) Senhor Presidente: REQUERIMENTO (Do Sr. Jofran Frejat) Requer o envio de Indicação ao Poder Executivo, que sugere a adoção de medidas de incentivo à doação de leite materno por parte das funcionárias públicas federais lactantes.

Leia mais

ÁPICE SECURITIZADORA S.A. CNPJ/MF nº 12.130.744/0001-00 NIRE 35.300.444.957

ÁPICE SECURITIZADORA S.A. CNPJ/MF nº 12.130.744/0001-00 NIRE 35.300.444.957 CNPJ/MF nº 12.130.744/0001-00 NIRE 35.300.444.957 ATA DE ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DOS TITULARES DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS DA 52ª SÉRIE DA 1ª EMISSÃO DA Realizada em 27 de maio de

Leia mais

COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA

COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA PROJETO DE LEI N o 6.521, DE 2009 Institui nas escolas públicas programa de educação para prevenção dos cânceres de mama e de colo do útero. Autor: Deputado JOÃO DADO : I

Leia mais

anped Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Educação

anped Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Educação Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Educação MOÇÃO Nº 21 GT16 Aprovada Nome(s) do(s) proponente(s): Reunião geral do GT16 Educação e Comunicação (aprovado por unanimidade) GT16 Educação

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO Brasília, 14 de outubro de 2011. Prezadas Senhoras, Prezados Senhores, A ONU Mulheres Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres solicita

Leia mais

PARECER CEE Nº 152/2011

PARECER CEE Nº 152/2011 Governo do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Educação CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO COMISSÃO ESPECIAL DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PROCESSO Nº: E-03/203.763/2010 INTERESSADO: INSTITUTO TROMPOWSKY PARECER

Leia mais

Discurso do diretor Luiz A Pereira da Silva no SICOOB - Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil

Discurso do diretor Luiz A Pereira da Silva no SICOOB - Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil Brasília, 23 de novembro de 2011 Discurso do diretor Luiz A Pereira da Silva no SICOOB - Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil 1. Senhoras e senhores, boa tarde. 2. Inicialmente, eu gostaria de

Leia mais

Moção de Apelo. d) admitir-se-á a elevação deste limite nos casos a seguir especificados:

Moção de Apelo. d) admitir-se-á a elevação deste limite nos casos a seguir especificados: Senhor Presidente, Moção de Apelo Manifesta apelo ao Ministério das Cidades para que corrija distorção na taxa de juros, no valor dos subsídios e no limite de empréstimo de R$ 115.000,00 para R$ 190.000,00

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA COOPERATIVA SICOOB CREDIBRASÍLIA 2013-2015

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA COOPERATIVA SICOOB CREDIBRASÍLIA 2013-2015 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA COOPERATIVA SICOOB CREDIBRASÍLIA 2013-2015 Sia Park Hotel Brasília/DF, 13 de dezembro de 2012 -1- DIRETORIA DA COOPERATIVA Diretores Antônio Mazurek Presidente Hélio de Oliveira

Leia mais

Microfinanças e Cooperativismo de Crédito

Microfinanças e Cooperativismo de Crédito Microfinanças e Cooperativismo de Crédito Gilson Bittencourt gilson.bittencourt@fazenda.gov.br 1 Microfinanças: Objetivos do Governo Federal Facilitar e ampliar o acesso ao crédito entre os empreendedores

Leia mais

INDICAÇÃO N., DE 2013. (Do Sr. Cândido Vaccarezza) Excelentíssimo Senhor Ministro da Educação,

INDICAÇÃO N., DE 2013. (Do Sr. Cândido Vaccarezza) Excelentíssimo Senhor Ministro da Educação, INDICAÇÃO N., DE 2013 (Do Sr. Cândido Vaccarezza) Requer a criação da Universidade Federal do Oeste Paulista UFOESP, no Estado de São Paulo. Excelentíssimo Senhor Ministro da Educação, Como parlamentar,

Leia mais

CENTRAL EM NOTÍCIAS. Assembleia 2013 consolida governança

CENTRAL EM NOTÍCIAS. Assembleia 2013 consolida governança CENTRAL EM NOTÍCIAS Abril de 2013 Assembleia 2013 consolida governança A 28º AGO deliberou questões do Planejamento Estratégico 2013-2015, que norteará a Central e suas filiadas. Confira na pág 3. 3 4

Leia mais

Cooperativismo > História História do Cooperativismo

Cooperativismo > História História do Cooperativismo Cooperativismo > História História do Cooperativismo A origem do que hoje chamamos cooperativa tem data marcada: 21 de dezembro de 1844. Nesse dia, 27 tecelões e uma tecelã do bairro de Rochdale, em Manchester,

Leia mais

Plataforma de Formação e Discussão para a Promoção do Emprego Qualificado Porto, julho2012

Plataforma de Formação e Discussão para a Promoção do Emprego Qualificado Porto, julho2012 Plataforma de Formação e Discussão para a Promoção do Emprego Qualificado Porto, julho2012 Enquadramento As sucessivas e dependentes crises financeiras - do subprime e das dívidas soberanas - têm levado

Leia mais

EVOLUÇÃO DOS PRINCIPAIS SISTEMAS BRASILEIROS DE COOPERATIVAS DE CRÉDITO

EVOLUÇÃO DOS PRINCIPAIS SISTEMAS BRASILEIROS DE COOPERATIVAS DE CRÉDITO XXIX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. EVOLUÇÃO DOS PRINCIPAIS SISTEMAS BRASILEIROS DE COOPERATIVAS DE CRÉDITO Elisson Alberto Tavares Araújo (FNH) elisson_alberto@yahoo.com.br O objetivo desta

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 3.485, DE 2012 (Do Sr. Marco Tebaldi)

PROJETO DE LEI N.º 3.485, DE 2012 (Do Sr. Marco Tebaldi) CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 3.485, DE 2012 (Do Sr. Marco Tebaldi) Dispõe sobre a instalação do sistema de segurança de portas giratórias com detector de metais nas casas lotéricas e agências

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO N.º 014/2010

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO N.º 014/2010 SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO N.º 014/2010 Prezados Senhoras e Senhores, Brasília, 21 de setembro de 2010 O Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher UNIFEM solicita a apresentação de proposta

Leia mais

IMOBILIÁRIA CONSTRUTORA GRÃO-PARÁ, S.A. Sociedade Aberta. Sede: Edifício Espaço Chiado, Rua da Misericórdia, 12 a 20, 5º andar, Escritório n.

IMOBILIÁRIA CONSTRUTORA GRÃO-PARÁ, S.A. Sociedade Aberta. Sede: Edifício Espaço Chiado, Rua da Misericórdia, 12 a 20, 5º andar, Escritório n. IMOBILIÁRIA CONSTRUTORA GRÃO-PARÁ, S.A. Sociedade Aberta Sede: Edifício Espaço Chiado, Rua da Misericórdia, 12 a 20, 5º andar, Escritório n.º 19 1200-273 Lisboa Capital social: Euro 12.500.000 Matriculada

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS Comissão de Fiscalização Financeira e Controle CFFC

CÂMARA DOS DEPUTADOS Comissão de Fiscalização Financeira e Controle CFFC REQUERIMENTO Nº, DE 2013 (do Sr. Fernando Francishcini) Requer que seja convocado o Sr. Manoel Dias, Ministro de Estado do Trabalho e Emprego para expor acerca dos últimos acontecimentos naquele Ministério,

Leia mais

O cooperativismo de crédito e você

O cooperativismo de crédito e você O cooperativismo de crédito e você A Cooperativa de Crédito é uma instituição financeira sem fins lucrativos de propriedade dos associados, controlada de forma democrática por seus membros, e tem o propósito

Leia mais

Última atualização em: 23/4/2014 Resolução Sicoob Confederação 080. 1ª edição em 14/6/2012 Resolução Sicoob Confederação 031 1/5

Última atualização em: 23/4/2014 Resolução Sicoob Confederação 080. 1ª edição em 14/6/2012 Resolução Sicoob Confederação 031 1/5 1. Esta Política Institucional de Gerenciamento de Capital: a) é elaborada por proposta da área de Controles Internos e Riscos da Confederação Nacional das Cooperativas do Sicoob Sicoob Confederação; b)

Leia mais

Mecanismos de controle para a Garantia da Qualidade Orgânica. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Mecanismos de controle para a Garantia da Qualidade Orgânica. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Mecanismos de controle para a Garantia da Qualidade Orgânica Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento 2008 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Todos os direitos reservados.

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 5.811, DE 21 DE JUNHO DE 2006. Dispõe sobre a composição, estruturação, competência e funcionamento do Conselho Nacional

Leia mais

REGULAMENTO PARA CAMPANHA DE CAPITALIZAÇÃO 2012 SICOOB CREDICER

REGULAMENTO PARA CAMPANHA DE CAPITALIZAÇÃO 2012 SICOOB CREDICER REGULAMENTO PARA CAMPANHA DE CAPITALIZAÇÃO 2012 SICOOB CREDICER Participe da campanha de capitalização e concorra a duas motos: 01 MOTO KASINSKI MIRAGE 150 01 MOTO HONDA TITAN 150 EX 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

LAIS VANESSA CARVALHO DE FIGUEIREDO LOPES Assessora Especial da Secretaria-Geral da Presidência da República

LAIS VANESSA CARVALHO DE FIGUEIREDO LOPES Assessora Especial da Secretaria-Geral da Presidência da República LAIS VANESSA CARVALHO DE FIGUEIREDO LOPES Assessora Especial da Secretaria-Geral da Presidência da República 03/08/2015 ATIVIDADE: Reunião com Assessoria da Secretaria Executiva da SG HORÁRIO: 11h às 12

Leia mais

Apresentação Institucional do Sistema OCB

Apresentação Institucional do Sistema OCB Apresentação Institucional do Sistema OCB Programa Internacional de Formação de Executivos e Líderes Cooperativistas Sistema OCB Brasília, julho de 2013 Sistema OCB. Você participa. Todos crescem. Cooperativismo

Leia mais

Cédula de Crédito Bancário Abertura de Crédito Pessoa Física

Cédula de Crédito Bancário Abertura de Crédito Pessoa Física Cédula nº: Valor: Data da emissão: Data do vencimento: 1. EMITENTE(S): 1.1 Nome: 1.2 RG: 1.3 CPF/MF - CNPJ/MF: E os coemitentes, demais titulares da conta corrente ao final nomeados, todos qualificados

Leia mais

Maio 2015 CURSOS, PALESTRAS E EVENTOS PARTICIPANTES ATENDIMENTOS POR RAMOS COOPERATIVAS ATENDIDAS

Maio 2015 CURSOS, PALESTRAS E EVENTOS PARTICIPANTES ATENDIMENTOS POR RAMOS COOPERATIVAS ATENDIDAS Maio 2015 CURSOS, PALESTRAS E EVENTOS 23 PARTICIPANTES 450 ATENDIMENTOS POR RAMOS 10 5 1 35 1 1 14 3 1 9 6 COOPERATIVAS ATENDIDAS 81 Curso Excelência no Atendimento ao Cliente 30 de MAIO O setor de Formação

Leia mais

MINISTÉRIO DO ESPORTE SECRETARIA NACIONAL DE ESPORTE, EDUCAÇÃO, LAZER E INCLUSÃO SOCIAL PROGRAMA BRASIL VOLUNTÁRIO

MINISTÉRIO DO ESPORTE SECRETARIA NACIONAL DE ESPORTE, EDUCAÇÃO, LAZER E INCLUSÃO SOCIAL PROGRAMA BRASIL VOLUNTÁRIO MINISTÉRIO DO ESPORTE SECRETARIA NACIONAL DE ESPORTE, EDUCAÇÃO, LAZER E INCLUSÃO SOCIAL PROGRAMA BRASIL VOLUNTÁRIO ACORDO DE COOPERAÇÃO Nº /2014. ACORDO DE COOPERAÇÃO QUE ENTRE SI CELEBRAM O MINISTÉRIO

Leia mais

Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira

Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira Nota Técnico n.º 08/07 Relações das obras com indícios de irregularidades graves constantes nos anexos às leis orçamentárias para os exercícios de 2002

Leia mais

PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE Nº DE 2014 (Do Sr. Luiz Fernando Machado)

PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE Nº DE 2014 (Do Sr. Luiz Fernando Machado) PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE Nº DE 2014 (Do Sr. Luiz Fernando Machado) Propõe que a Comissão de Fiscalização Financeira e Controle com o auxílio do Tribunal de Contas da União e do Ministério Público

Leia mais

Cooperativismo - Forma ideal de organização

Cooperativismo - Forma ideal de organização Cooperativismo - Forma ideal de organização Cooperativismo é modelo socioeconômico capaz de unir desenvolvimento econômico e bem-estar social. Seus referenciais fundamentais são: participação democrática,

Leia mais

TEMA I: O GOVERNO BRASILEIRO E O SEGMENTO MICROFINANCEIRO

TEMA I: O GOVERNO BRASILEIRO E O SEGMENTO MICROFINANCEIRO do LOCAL: Ouro Minas Palace Hotel Av. Cristiano Machado, 4001 - Belo Horizonte (MG) Cep: 31910-810 Fone: [31] 3429 4001 / Fax: 3429 4262 Site: http://www.ourominas.com.br Contato do evento em Belo Horizonte:

Leia mais

lu A TILl Agência Nacional 6"11'18 c.j de Telecomunicações

lu A TILl Agência Nacional 611'18 c.j de Telecomunicações A lu A TILl Agência Nacional 6"11'18 c.j de Telecomunicações SAUS Quadra 6- Bloco H - BrasíliafDF - CEP: 70.070-940 Tel.: (61)2312-2147 e Fax: (61) 2312-2002 http://wwvo..llllatel.gov.br TRA REC 000098

Leia mais

1. Esta Política institucional de gestão de continuidade de negócios:

1. Esta Política institucional de gestão de continuidade de negócios: 1. Esta Política institucional de gestão de continuidade de negócios: a) é elaborada por proposta da área de gestão de continuidade de negócios da Confederação Nacional das Cooperativas do Sicoob Sicoob

Leia mais

Cooperativismo Agropecuário

Cooperativismo Agropecuário Cooperativismo Agropecuário rio Camara Temática de Insumos Agropecuários Paulo Cesar Dias Junior Brasília, 25 de novembro de 2013 Sistema OCB. Você participa. Todos crescem. OCB: Atuação Representação

Leia mais

COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA. PROJETO DE LEI N o 4.005, DE 2012 I - RELATÓRIO II - VOTO DO RELATOR CÂMARA DOS DEPUTADOS

COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA. PROJETO DE LEI N o 4.005, DE 2012 I - RELATÓRIO II - VOTO DO RELATOR CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA PROJETO DE LEI N o 4.005, DE 2012 Institui a Semana Nacional dos Contadores de História. Autora: Deputada ERIKA KOKAY : I - RELATÓRIO O Projeto de Lei nº 4.005, de 2012,

Leia mais

anped Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Educação

anped Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Educação MOÇÃO Nº 20 GT16 Aprovada Nome(s) do(s) proponente(s): Reunião geral do GT16 Educação e Comunicação (aprovado por unanimidade) GT16 Educação e Comunicação GT ou Sessão: 16 Texto da moção 2: Plano Nacional

Leia mais

Simpósio SAE BRASIL de Simulações Numéricas 2014 Seção Paraná e Santa Catarina

Simpósio SAE BRASIL de Simulações Numéricas 2014 Seção Paraná e Santa Catarina MANUAL DO EXPOSITOR Simpósio SAE BRASIL de Simulações Numéricas 2014 Seção Paraná e Santa Catarina 1. APRESENTAÇÃO O MANUAL DO EXPOSITOR pretende proporcionar aos expositores do Simpósio SAE BRASIL de

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

EXCELENTÍSSIMO SENHOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL EXCELENTÍSSIMO SENHOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL Nenhum ato legislativo contrário à Constituição pode ser válido (...). A presunção natural, à falta de norma expressa, não pode ser

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO IICA/NEAD Nº 005/2008 Data: 29/02/2008. EMPRESA CONVIDADA: Telefone: Fax: Endereço: Cidade: Estado:

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO IICA/NEAD Nº 005/2008 Data: 29/02/2008. EMPRESA CONVIDADA: Telefone: Fax: Endereço: Cidade: Estado: SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO IICA/NEAD Nº 005/2008 Data: 29/02/2008 EMPRESA CONVIDADA: Telefone: Fax: Endereço: Cidade: Estado: Prezado (a) Senhor (a), O Projeto de Cooperação para Apoio às Políticas e à Participação

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 200, DE 2015 (Do Sr. Pompeo de Mattos)

PROJETO DE LEI N.º 200, DE 2015 (Do Sr. Pompeo de Mattos) *C0051224A* C0051224A CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 200, DE 2015 (Do Sr. Pompeo de Mattos) Altera o Parágrafo único do art. 66 da Lei nº 6.815, de 19 de agosto de 1980. DESPACHO: ÀS COMISSÕES

Leia mais

Juventude Rural. Não fique só. Fique sócio. Fique sócia do STTR. Participe do programa. Jovem Saber

Juventude Rural. Não fique só. Fique sócio. Fique sócia do STTR. Participe do programa. Jovem Saber Juventude Rural Não fique só. Fique sócio. Fique sócia do STTR. Participe do programa Jovem Saber PROGRAMA JOVEM SABER 1 O que é o programa Jovem Saber? É um programa de capacitação à distância para jovens

Leia mais

É criado um regime de crédito bonificado aos estudantes do ensino superior que se rege pelo disposto no presente diploma.

É criado um regime de crédito bonificado aos estudantes do ensino superior que se rege pelo disposto no presente diploma. Decreto-Lei N.º 512/99 De 24 de Novembro Cria um regime de crédito bonificado aos estudantes do ensino superior A Lei n.º 113/97, de 16 de Setembro - Lei de Bases do Financiamento do Ensino Superior Público

Leia mais