PQ /04/

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PQ /04/"

Transcrição

1 PQ /04/ OBJETIVO Estabelecer sistematica para o processo de solicitação, análise crítica e preparação para a avaliação da conformidade. 2. DEFINIÇÕES Modelo de Avaliação da Conformidade: Sistemática utilizada para realizar a avaliação da conformidade de um produto tendo como base o documento normativo ou legislação emitido pelo regulamentador, ou definida pela SAVASSI CERTIFICADORA, quando da avaliação voluntária para produtos. 3. DOCUMENTAÇÃO DE REFERÊNCIA NBR ISO / IEC GUIA 65 Requisitos gerais para organismos que operam sistemas de certificação de produtos. 4. ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES 4.1. Comitê de Certificação Avalia periodicamente e de forma sistematizada o processo de certificação da SAVASSI CERTIFICADORA Departamento de Certificação / Gestor da Qualidade Avaliar a possibilidade de execução das atividades conforme a solicitação; Realizar a análise crítica da solicitação e emitir parecer; Definir e designar a equipe auditora para a realização da avaliação da conformidade; Apoiar a equipe auditora na preparação da avaliação da conformidade; Aprovar a programação da equipe auditora para a realização da avaliação da conformidade; Fornecer as informações necessárias aos solicitantes; Assegurar o cumprimento de todas as fases do processo de avaliação da conformidade; Assegurar o efetivo controle de todos os registros envolvidos no processo de avaliação da conformidade; 4.3. Equipe Auditora Programar e preparar a avaliação da conformidade. 5. DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES 5.1. Solicitação de Avaliação da Conformidade O inicio do processo de certificação se dá com o preenchimento do FORM.10 - Solicitação de Certificação pela Organização que desejar se certificar. A Organização poderá solicitar para primeira certificação, renovação de contrato, alteração da certificação já obtida ou ainda por mudança de Organismo de Certificação. O FORM.10 - Solicitação de Certificação será enviada ao solicitante para o preenchimento. Eventualmente, o preenchimento será feito com o auxílio de um colaborador da SAVASSI CERTIFICADORA nas dependências do solicitante.

2 PQ /04/ O FORM.10 - Solicitação de Certificação deve ter pelo menos as informações do escopo, norma de referência, identificação, endereço e localização da Organização e outras informações relevantes a respeito de seus processos e operações, obrigações legais (se aplicáveis), processos terceirizados e informações relativas ao sistema / produto que busca certificação. O FORM.10 - Solicitação de Certificação deve ser enviada assinada via correio, fax, meio eletrônico ou ainda entre pessoalmente nas dependências da SAVASSI CERTIFICADORA para uma análise inicial. Quando houver alguma exigência quanto a prazos, estarão definidas nos procedimentos específicos de cada tipo de avaliação da conformidade. O FORM.10 - Solicitação de Certificação receberá numeração seqüencial, exceto situações específicas que necessitem numerações especiais (exemplo: empresa que já possuía certificação). Para as ações de acompanhamento da certificação ou serviços previamente definidos em contrato, não será necessário o preenchimento de outro FORM.10 - Solicitação de Certificação. Nota 1: As transferências de certificados válidos de outros organismos de certificação reconhecidos e aprovados serão aceitas pela SAVASSI CERTIFICADORA. A SAVASSI CERTIFICADORA definirá em cada caso as informações, documentação necessária e a necessidade de ser realizada avaliação da conformidade antes da emissão do certificado pela SAVASSI CERTIFICADORA. A SAVASSI CERTIFICADORA comunicará esta necessidade aos solicitantes. Nota 2: A SAVASSI CERTIFICADORA não pratica quaisquer atitutes discriminatórias, sendo assim todo solicitante que demonstrar capacidade de atender aos requisitos de certificação poderá requerê-la Análise inicial Na análise inicial serão verificadas as informações do solicitante, através do FORM.10 - Solicitação de Certificação. Caso seja detectada divergência ou falta de alguma informação será solicitada ao solicitante Análise crítica da solicitação A SAVASSI CERTIFICADORA irá realizar a análise crítica da solicitação para verificar a possibilidade de atendimento no prazo estipulado. Quando a SAVASSI CERTIFICADORA necessitar fazer alguma alteração em relação à solicitação, o solicitante será consultado para aprovar a alteração. A análise crítica e as alterações serão registradas no próprio FORM.10 - Solicitação de Certificação ou ainda em contrato previamente firmado entre as partes.

3 PQ /04/ Para programar a avaliação da conformidade deve ser levada em consideração a amostragem e as tabelas de homens / dia para cada tipo de certificação que estão definidas em procedimentos específicos. Sempre que solicitado a SAVASSI CERTIFICADORA fornecerá a tabela de preço ao solicitante e quaisquer informações adicionais que seja solicitada. Será elaborada uma proposta referente à solicitação a qual será enviada ao solicitante para aprovação Preparação da avaliação A SAVASSI CERTIFICADORA requisitará ao solicitante os documentos necessários para a avaliação inicial (documentos). Os documentos necessários serão definidos de acordo com o sistema / produto objeto da avaliação da conformidade. Compete ao Departamento de Certificação a preparação da avaliação da conformidade. O Departamento de Certificação designará a equipe auditora que ficará encarregada de executar a avaliação da conformidade. Compete a equipe auditora realizar o plano de auditoria e, após aprovação do Departamento de Certificação, enviá-la ao solicitante, com antecedência para permitir a preparação do solicitante. Quando se tratar de uma transferência de certificado emitido por outro organismo de certificação, deve-se observar o item 5.5. deste procedimento. Quando se tratar de renovação de contrato deve-se realizar análise do histórico do solicitante para preparar a avaliação. A avaliação inicial (documental), auditoria serão conduzidas conforme procedimento da qualidade específico Transferência de Certificação A Transferência de Certificação é definida como o reconhecimento de um certificado, existente e válido, de sistema de gestão concedido por um organismo de certificação acreditado nacional ou internacionalmente, que mediante uma análise técnica poderá ser assumido por um novo organismo de certificação. Para que o processo de transferência de certificação tenha início é necessário que a empresa encaminhe a SAVASSI CERTIFICADORA a seguinte documentação: Formulário FORM.10 - Solicitação de Certificação preenchido; Cópia do certificado atual. Após análise e validação das informações, definições comerciais e assinatura do FORM.18 - Proposta de Certificação UA será conduzida uma Auditoria de Transferência, que, na sua grande maioria, ocorre de forma documental no escritório da SAVASSI CERTIFICADORA, ou seja, a empresa deve enviar os documentos relacionados a seguir e faremos a análise de conformidade dos mesmos.

4 PQ /04/ Para essa Auditoria de Transferência é necessário o envio, em data previamente acordada entre ambas as partes, dos seguintes documentos: Manual do Sistema de Gestão (última revisão); Relatórios do atual ciclo de certificação; Certificado Original. Deverão ser verificados os seguintes itens: Confirmação de que as atividades certificadas do cliente estão incluídas no escopo acreditado da SAVASSI CERTIFICADORA; Razões do pedido de transferência; Validade do certificado acreditado, no que diz respeito à autenticidade e à duração, cobrindo o escopo objeto da transferência; Validade da certificação e situação de não-conformidade ainda pendentes de correções. Esta verificação, de preferência, deve ser efetuada em conjunto com o OCP emissor, a não ser que o mesmo tenha encerrado suas atividades; Relatórios da última auditoria e de extraordinárias, relatório de supervisão e qualquer problema ainda não sanado. Reclamações recebidas e as ações tomadas; A etapa no ciclo atual de certificação. IMPORTANTE: Não conformidades que estejam em aberto devem ser fechadas com o organismo de certificação inicial para que, posteriormente, o processo de transferência seja iniciado; Caso o processo de análise técnica avalie que o sistema de gestão está aderente à norma em questão, a transferência é validada, com a emissão de um certificado, pela SAVASSI CERTIFICADORA, mantendo a mesma validade do certificado emitido pelo organismo certificador inicial; A partir desse momento, todas as manutenções restantes, serão realizadas pela SAVASSI CERTIFICADORA, conforme definido no FORM.18 - Proposta de Certificação UA previamente assinado. Os certificados suspensos não devem ser aceitos para fins de transferência. Após a análise crítica prévia, quando houver dúvidas quanto à adequação da certificação existente ou da certificação a ser realizada, a SAVASSI CERTIFICADORA deve, dependendo da extensão da dúvida: tratar o solicitante como sendo um cliente novo; ou conduzir uma auditoria concentrada nas áreas em que os problemas foram identificados. 6. CONTROLE DE REGISTROS

5 PQ /04/ Identificação FORM.10 Solicitação de Certificação Contrato de Avaliação de Conformidade - Certificação Recuperação Indexação Acesso Alfabética por cliente Alfabética por cliente Depto. Certific. / Diretoria Depto. Certific. / Diretoria Fisico Fisico Armazenamento Retenção Descarte Proteção Enquanto cliente Enquanto cliente morto por 3 anos depois destruir morto por 3 anos depois destruir Pasta Suspensa Pasta Suspensa Confidencial Sim Não X X 7. CONTROLE DAS REVISÕES Revisão Natureza das Alterações Data 00 Liberação inicial 19/09/ Alterado o item 5.4 e incluído o item 5.5 Transferência de Certificação 05/03/ Alterado o item 5.5 Transferência de Certificação 27/06/ Alteração da logomarca SAVASSI CERTIFICADORA 02/04/2013

PQ /04/ OBJETIVO Definir as condições necessárias para os trabalhos do Comitê de Certificação da SAVASSI CERTIFICADORA.

PQ /04/ OBJETIVO Definir as condições necessárias para os trabalhos do Comitê de Certificação da SAVASSI CERTIFICADORA. PQ.08 04 02/04/2013 1-6 1. OBJETIVO Definir as condições necessárias para os trabalhos do Comitê de Certificação da SAVASSI CERTIFICADORA. 2. DEFINIÇÕES Comitê de Certificação Grupo de pessoas representantes

Leia mais

PROCEDIMENTO PRC -07 Revisão: 17 Data: 14/10/2013 7

PROCEDIMENTO PRC -07 Revisão: 17 Data: 14/10/2013 7 Página 1 de 8 ESTRUTURA: 1-Objetivo: 2-Campo de Aplicação: 3-Documento de Referência: 4-Definições e Siglas: 5-Descrição do Procedimento: Data da Revisão Nº da Revisão Histórico das Alterações 20/08/200

Leia mais

Obtenção de Certificado de Conformidade

Obtenção de Certificado de Conformidade 1/6 Palavras-chave: Certificação, Certificado, Conformidade. Exemplar nº: Sumário 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Documentos complementares 4 Definições 5 Procedimento 6 Formulários 1 Objetivo Este Procedimento

Leia mais

AVALIAÇÃO. A responsabilidade pela revisão e cancelamento desta Norma é da Cgcre.

AVALIAÇÃO. A responsabilidade pela revisão e cancelamento desta Norma é da Cgcre. AVALIAÇÃO NORMA Nº: NIE-CGCRE-029 APROVADA EM DEZ/28 Nº 01/06 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Responsabilidade 4 Documentos Complementares 5 Siglas 6 Definições 7 Tipos de Avaliação 8 Condições

Leia mais

Obtenção de Certificado de Conformidade

Obtenção de Certificado de Conformidade 1/6 Palavras-chave: Certificação, Certificado, Conformidade. Exemplar nº: Sumário 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Documentos complementares 4 Definições 5 Procedimento Anexo A Formulários 1 Objetivo Este Procedimento

Leia mais

Módulo 8. NBR ISO Interpretação dos requisitos: 4.4.6, 4.4.7, 4.5.1, 4.5.2, 4.5.3, 4.5.4, 4.5.5, 4.6 Exercícios

Módulo 8. NBR ISO Interpretação dos requisitos: 4.4.6, 4.4.7, 4.5.1, 4.5.2, 4.5.3, 4.5.4, 4.5.5, 4.6 Exercícios Módulo 8 NBR ISO 14001 - Interpretação dos requisitos: 4.4.6, 4.4.7, 4.5.1, 4.5.2, 4.5.3, 4.5.4, 4.5.5, 4.6 Exercícios 4.4.6 Controle Operacional A organização deve identificar e planejar aquelas operações

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE OCUPACIONAL

SISTEMA DE GESTÃO DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE OCUPACIONAL PROCEDIMENTO AUDITORIA INTERNA Nº PE-SMS-008 Fl. 1/8 Rev. Data Descrição Executado Verificado Aprovado 0 A B 20/03/07 02/02/08 30/04/15 Emissão Inicial Revisado logotipo, endereço e razão social da GENPRO

Leia mais

Procedimento C 11 Certificação de Sistemas de Gestão Informações Públicas

Procedimento C 11 Certificação de Sistemas de Gestão Informações Públicas Este documento fornece informações básicas sobre nossos processos de auditoria; os processos para concessão, recusa, manutenção, renovação, suspensão, restauração ou cancelamento da certificação ou expansão

Leia mais

1. OBJETIVO Estabelecer diretrizes para elaboração e controle dos documentos e registros do Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ).

1. OBJETIVO Estabelecer diretrizes para elaboração e controle dos documentos e registros do Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ). Sistema de Gestão da Qualidade SUPERINTENDÊNCIA DE VAPT VUPT E ATENDIMENTO AO PÚBLICO PROCEDIMENTO DE CONTROLE DE DOCUMENTOS E REGISTROS Responsável: Juliana Maria Gomes de Almeida Alves Cópia Controlada

Leia mais

PROCEDIMENTO TRATAMENTO E PRAZO DAS NÃO CONFORMIDADES

PROCEDIMENTO TRATAMENTO E PRAZO DAS NÃO CONFORMIDADES Página 1 de 5 1. OBJETIVO Este procedimento estabelece os prazos para tratamento das não conformidades encontradas durante as auditorias de sistema de gestão. 2. CAMPO DE APLICAÇÃO Este procedimento é

Leia mais

PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO

PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO Pág: 1/9 Itens de Revisão: 00 Inicial 01 Revisão geral do procedimento 02 Inclusão do item 3.5 - Alterações nos Requisitos de Certificação 03 Revisão geral do procedimento 04 Revisão geral do procedimento

Leia mais

1. Objetivo Esta Norma descreve as regras aplicáveis no tratamento de reclamações e não conformidades.

1. Objetivo Esta Norma descreve as regras aplicáveis no tratamento de reclamações e não conformidades. Página 1/8 Sumário 1. Objetivo 2. Aplicação 3. Documentos de Referência 4. Definições/Siglas 5. Histórico da Revisão 6. Responsabilidades 7. Procedimentos para registro e tratamento das reclamações 8.

Leia mais

PROCESSO PARA CERTIFICAÇÃO DE PRODUTOS

PROCESSO PARA CERTIFICAÇÃO DE PRODUTOS 1 Solicitação de Certificação Para aquelas empresas que tenham interesse em certificar seus produtos, as informações referentes à certificação estão disponíveis na página da internet do ITEP/OS (www.itep.br/certificacaodeproduto)

Leia mais

PROCESSO DE COMPRAS Revisão: 01 Página 1 de 8

PROCESSO DE COMPRAS Revisão: 01 Página 1 de 8 PROCEDIMENTO PR 7.02 PROCESSO DE COMPRAS Revisão: 01 Página 1 de 8 1. HISTÓRICO DE REVISÕES DATA REVISÃO RESUMO DE ALTERAÇÕES 20/08/2013 00 Emissão inicial 24/09/2014 01 Adequação da sistemática do processo

Leia mais

GESTÃO DA QUALIDADE COORDENAÇÃO DA QUALIDADE

GESTÃO DA QUALIDADE COORDENAÇÃO DA QUALIDADE Primeira 1/7 CONTROLE DE APROVAÇÃO ELABORADO REVISADO POR APROVADO Marcelo de Sousa Marcelo de Sousa Marcelo de Sousa Silvia Helena Correia Vidal Aloísio Barbosa de Carvalho Neto HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES

Leia mais

PROCEDIMENTO USO DO CERTIFICADO E DA LOGOMARCA CONCEITOS DE CERTIFICAÇÃO E MARCA DE ACREDITAÇÃO.

PROCEDIMENTO USO DO CERTIFICADO E DA LOGOMARCA CONCEITOS DE CERTIFICAÇÃO E MARCA DE ACREDITAÇÃO. Página 1 de 8 1. HISTÓRICO DE REVISÕES Data da Revisão Nº da Revisão 20/08/2007 00 Emissão Inicial Aprovada Histórico das Alterações 22/07/2013 15 NBR ISO 14065:2012 Gases de Efeito Estufa Requisitos para

Leia mais

AUDITORIA-TESTEMUNHA PARA ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO

AUDITORIA-TESTEMUNHA PARA ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO AUDITORIA-TESTEMUNHA PARA ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO NORMA No NIT-DICOR-026 APROVADA EM SET/2012 Nº 01/ SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Responsabilidade 4 Histórico da Revisão 5 Documentos Complementares

Leia mais

Estágio 2 Auditoria de Certificação. Plano de Ações. Follow up. Emissão do Certificado

Estágio 2 Auditoria de Certificação. Plano de Ações. Follow up. Emissão do Certificado As atividades a serem conduzidas para a Certificação do Sistema de Gestão de sua Empresa serão realizadas de acordo com os requisitos, princípios, critérios e práticas de auditoria, com o objetivo de se

Leia mais

Não Conformidade, Ação Corretiva e Ação Preventiva

Não Conformidade, Ação Corretiva e Ação Preventiva 1. HISTÓRICO DE REVISÕES Revisão: 02 Página 1 de 6 DATA REVISÃO RESUMO DE ALTERAÇÕES 20/08/2013 00 Emissão inicial 21/08/2014 01 03/12/2015 02 Definição mais clara da sistemática de tratativa de cargas

Leia mais

PROCEDIMENTO DA QUALIDADE

PROCEDIMENTO DA QUALIDADE Pág.: 1 de 6 1. OBJETIVO Estabelecer procedimentos para identificação de não-conformidades, assim como a implantação de ação corretiva e ação preventiva, a fim de eliminar as causas das não-conformidades

Leia mais

Primeira Edição: 23/08/2010 Página 1 de 7 Revisão 02 AÇÃO CORRETIVA E PREVENTIVA PROCEDIMENTO

Primeira Edição: 23/08/2010 Página 1 de 7 Revisão 02 AÇÃO CORRETIVA E PREVENTIVA PROCEDIMENTO Página 1 de 7 REGISTRO DE ALTERAÇÕES REV. DATA ALTERAÇÃO EFETUADA 00 23/08/2010 Emissão do Documento 01 05/11/2010 Junção e POP.ADM.008, revisão do procedimento 02 08/11/2011 Alteração da logomarca Claudiane

Leia mais

PROCEDIMENTO Primeira Edição: 18/11/2010 AÇÃO CORRETIVA

PROCEDIMENTO Primeira Edição: 18/11/2010 AÇÃO CORRETIVA Página: 1 de 5 REGISTRO DE ALTERAÇÕES REV. DATA ALTERAÇÃO EFETUADA 00 18/11/2010 Emissão do Documento 01 26/01/2011 Alterado o texto referente à numeração das RAC s. 02 03 25/02/2014 13/03/2015 Alterado

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA AQUISIÇÃO DE SELOS DE IDENTIFICAÇÃO DA CONFORMIDADE DE PRODUTOS E SERVIÇOS COM CONFORMIDADE AVALIADA

PROCEDIMENTO PARA AQUISIÇÃO DE SELOS DE IDENTIFICAÇÃO DA CONFORMIDADE DE PRODUTOS E SERVIÇOS COM CONFORMIDADE AVALIADA PROCEDIMENTO PARA AQUISIÇÃO DE SELOS DE IDENTIFICAÇÃO DA CONFORMIDADE DE PRODUTOS E SERVIÇOS COM CONFORMIDADE AVALIADA NORMA Nº NIE-DQUAL-142 APROVADA EM NOV/2009 Nº 1/5 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA PARA AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE PARA AS EMPRESAS DISTRIBUIDORAS DE GÁS LIQUEFEITO DE PETRÓLEO (GLP) SUMÁRIO & '!

INSTRUÇÃO TÉCNICA PARA AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE PARA AS EMPRESAS DISTRIBUIDORAS DE GÁS LIQUEFEITO DE PETRÓLEO (GLP) SUMÁRIO & '! Página 1 de 11 SUMÁRIO! " #$ % & $! & '! $ " () % %% % ($)& $ Página 2 de 11 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS PÁGINA SUMÁRIO DE MUDANÇA DATA ELABORADO APROVADO Todas Liberação do documento 07/07/2001 Todas Todas

Leia mais

Manutenção Revisão: 02 Página 1 de 6

Manutenção Revisão: 02 Página 1 de 6 Manutenção Revisão: 02 Página 1 de 6 1. HISTÓRICO DE REVISÕES DATA REVISÃO RESUMO DE ALTERAÇÕES 20.08.2013 00 Emissão inicial. Revisão para maior clareza no texto do documento. Adequação da responsabilidade

Leia mais

IT-IB-012 Instrução para Inscrição de Exames

IT-IB-012 Instrução para Inscrição de Exames IT-IB-012 Instrução para Inscrição de Exames Para os profissionais de acesso por corda. Rev. 00 SUMÁRIO 1. OBJETIVO.... 3 2. CAMPO DE APLICAÇÃO... 3 3. RESPONSABILIDADES... 3 4. REVISÃO... 3 5. DOCUMENTO

Leia mais

HOMOLOGAÇÃO DE MARCAS DE TUBOS E CONEXÕES DE PVC

HOMOLOGAÇÃO DE MARCAS DE TUBOS E CONEXÕES DE PVC PROCEDIMENTO GERÊNCIA DE LOGÍSTICA DIVISÃO DE SUPRIMENTOS Data de Aprovação: 11.10.2006 Doc. de Aprovação:Res. nº 4720/2006 HOMOLOGAÇÃO DE MARCAS DE TUBOS E CONEXÕES DE PVC SUMÁRIO 1- OBJETIVO...02 2-

Leia mais

Regras Específicas para a Certificação de Equipamentos Eletromédicos

Regras Específicas para a Certificação de Equipamentos Eletromédicos Regras Específicas para a Certificação de Equipamentos Eletromédicos 1 OBJETIVO Esta Norma estabelece as condições para a certificação compulsória ou voluntária de equipamentos eletromédicos. 2 CAMPO DE

Leia mais

Políticas Organizacionais

Políticas Organizacionais Políticas Organizacionais Versão 1.4 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 11/10/2012 1.0 Revisão das políticas EPG 26/11/2012 1.1 Revisão do Item de customização EPG 24/10/2013 1.2 Revisão

Leia mais

Complemento de Regra de Certificação

Complemento de Regra de Certificação Unidades Armazenadoras em Ambiente Natural Página: 1/6 Elaborado por: Dirceu Farias Ferreira Verificado por: João Gustavo Lopes Junqueira Aprovado por: Regina Célia Toscano Data Aprovação: 08/11/2012 1

Leia mais

NORMA HOMOLOGAÇÃO DE LABORATÓRIO

NORMA HOMOLOGAÇÃO DE LABORATÓRIO NORMA HOMOLOGAÇÃO DE LABORATÓRIO 1.Objetivo Estabelecer procedimento para solicitação, por parte dos laboratórios, de homologação de serviços pela Rede Metrológica MG RMMG. 2.Revisões Esta norma foi totalmente

Leia mais

Concessão, Supervisão, Extensão, Encerramento / Término, Redução, Suspensão, Cancelamento e Transferência da Certificação.

Concessão, Supervisão, Extensão, Encerramento / Término, Redução, Suspensão, Cancelamento e Transferência da Certificação. Folha: 1/13 TÍTULO: CONCESSÃO, SUPERVISÃO, EXTENSÃO, ENCERRAMENTO / TÉRMINO, REDUÇÃO, SUSPENSÃO, CANCELAMENTO E TRANSFERÊNCIA DA CERTIFICAÇÃO. HISTÓRICO DAS ALTERAÇÕES DATA REVISÃO ITENS REVISADOS APROVAÇÃO

Leia mais

Primeira Edição: 23/08/2010 Página 1 de 6 Revisão 02 AUDITORIA INTERNA PROCEDIMENTO

Primeira Edição: 23/08/2010 Página 1 de 6 Revisão 02 AUDITORIA INTERNA PROCEDIMENTO Página 1 de 6 REGISTRO DE ALTERAÇÕES REV. DATA ALTERAÇÃO EFETUADA 00 23/08/2010 Emissão do Documento 01 05/04/2011 Revisão do procedimento 02 09/11/2011 Alteração da logomarca Claudiane Freire de Oliveira

Leia mais

CAPÍTULO I. Âmbito de aplicação. Artigo 1.º Objeto e âmbito

CAPÍTULO I. Âmbito de aplicação. Artigo 1.º Objeto e âmbito Documento que estabelece as Regras do procedimento de acreditação/renovação da acreditação de entidades candidatas à avaliação e certificação de manuais escolares estabelecidas pela Direção-Geral da Educação

Leia mais

TERMOS DE SERVIÇO DE INVESTIGAÇÄO DE PRODUTO

TERMOS DE SERVIÇO DE INVESTIGAÇÄO DE PRODUTO TERMOS DE SERVIÇO DE INVESTIGAÇÄO DE PRODUTO Estes Termos de Serviço de Investigação de Produto regem o Serviço de Investigação de Produto executado pela Parte Contratante UL para o Cliente (algumas vezes

Leia mais

Condições Gerais para Prestação de Serviços Analíticos e de Amostragem

Condições Gerais para Prestação de Serviços Analíticos e de Amostragem Condições Gerais para Prestação de Serviços Analíticos e de Amostragem I. Apresentação A ACQUALAB Laboratório e Consultoria Ambiental S/S Ltda. atua, desde a sua constituição, nas diversas áreas da ciência

Leia mais

Registro de Acidentes, Incidentes, Nãoconformidades, Revisão: 04 Ações Corretivas e Preventivas Página:

Registro de Acidentes, Incidentes, Nãoconformidades, Revisão: 04 Ações Corretivas e Preventivas Página: PROCEDIMENTO DO SMS PR-99-991-CPG-005 Registro de Acidentes, Incidentes, Nãoconformidades, Revisão: 04 Ações Corretivas e Preventivas Página: 1/6 1. OBJETIVO Definir metodologia e responsabilidades para

Leia mais

RELATÓRIO DE AUDITORIA

RELATÓRIO DE AUDITORIA IDENTIFICAÇÃO Data da auditoria 25-09-2012; 26-09-2012 Organização Câmara Municipal de Valongo Morada Sede Av. 5 de Outubro, nº 160 4440-503 Valongo Representante da Organização Engª Alexandra Ribeiro

Leia mais

NÃO CONFORMIDADES, AÇÕES CORRETIVAS E PREVENTIVAS, RECLAMAÇÕES, APELAÇÕES E DISPUTAS

NÃO CONFORMIDADES, AÇÕES CORRETIVAS E PREVENTIVAS, RECLAMAÇÕES, APELAÇÕES E DISPUTAS NÃO CONFORMIDADES, AÇÕES CORRETIVAS E PREVENTIVAS, RECLAMAÇÕES, APELAÇÕES E DISPUTAS POL-01 REV.02 de JUL/2016 PÁG. 1 de 8 SEQÜÊNCIA Executivo sênior Representante da qualidade Resp. Administrativo/ Financeiro

Leia mais

Título: Procedimento de Reclamações, Apelações e Disputa

Título: Procedimento de Reclamações, Apelações e Disputa 1 OBJETIVO Este procedimento define as regras de tratamento das reclamações de Clientes, apelações e disputa. Definimos este procedimento como o processo para receber, avaliar e tomar decisões sobre reclamações

Leia mais

Formação Técnica em Administração. Modulo de Padronização e Qualidade

Formação Técnica em Administração. Modulo de Padronização e Qualidade Formação Técnica em Administração Modulo de Padronização e Qualidade Competências a serem trabalhadas ENTENDER OS REQUISITOS DA NORMA ISO 9001:2008 E OS SEUS PROCEDIMENTOS OBRIGATÓRIOS SISTEMA DE GESTÃO

Leia mais

Certificação Ingredientes Naturais Passo a passo

Certificação Ingredientes Naturais Passo a passo Certificação Ingredientes Naturais Passo a passo Índice Termos e definições... 3 Objetivos e esquemas de certificação aplicáveis... 4 Procedimentos de avaliação... 5 Solicitação de certificação... 5 Análise

Leia mais

Controle de Documentos e Registros Revisão: 00 Página 1 de 7

Controle de Documentos e Registros Revisão: 00 Página 1 de 7 Controle de Documentos e Registros Revisão: 00 Página 1 de 7 1. HISTÓRICO DE REVISÕES DATA REVISÃO RESUMO DE ALTERAÇÕES 20/08/2013 00 Emissão inicial 2. OBJETIVO Descrever o procedimento interno para o

Leia mais

Concessão, Supervisão, Extensão, Encerramento / Término, Redução, Suspensão, Cancelamento e Transferência da Certificação.

Concessão, Supervisão, Extensão, Encerramento / Término, Redução, Suspensão, Cancelamento e Transferência da Certificação. Folha: 1/13 TÍTULO: CONCESSÃO, SUPERVISÃO, EXTENSÃO, ENCERRAMENTO / TÉRMINO, REDUÇÃO, SUSPENSÃO, CANCELAMENTO E TRANSFERÊNCIA DA CERTIFICAÇÃO. HISTÓRICO DAS ALTERAÇÕES DATA REVISÃO ITENS REVISADOS APROVAÇÃO

Leia mais

Regulamento para Oferta de Curso Fechado - CENEX/BU

Regulamento para Oferta de Curso Fechado - CENEX/BU Regulamento para Oferta de Curso Fechado - CENEX/BU A DIRETORIA DA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA, no uso de suas atribuições estatutárias estabelece os procedimentos operacionais referentes à oferta de curso

Leia mais

OBJECTIVO ÂMBITO DA CERTIFICAÇÃO INTRODUÇÃO

OBJECTIVO ÂMBITO DA CERTIFICAÇÃO INTRODUÇÃO OBJECTIVO O objectivo deste regulamento é definir os requisitos para integração e manutenção de auditores na bolsa de auditores da Ordem dos Farmacêuticos. ÂMBITO DA CERTIFICAÇÃO Actividades desenvolvidas

Leia mais

1. Qual o prazo para resposta aos diversos pedidos de elementos efetuados em sede de renovação de AIM?

1. Qual o prazo para resposta aos diversos pedidos de elementos efetuados em sede de renovação de AIM? VERSÃO CONSOLIDADA RENOVAÇÕES DE AIM POR PROCEDIMENTO NACIONAL PERGUNTAS FREQUENTES 1. Qual o prazo para resposta aos diversos pedidos de elementos efetuados em sede de renovação de AIM? Durante a renovação

Leia mais

REGULAMENTO DA GERÊNCIA DE SERVIÇOS DO IMA/UFRJ

REGULAMENTO DA GERÊNCIA DE SERVIÇOS DO IMA/UFRJ REGULAMENTO DA GERÊNCIA DE SERVIÇOS DO IMA/UFRJ O presente regulamento visa estabelecer normas, procedimentos de funcionamento e atividades atribuídas à Gerência de Serviços, conforme estabelecido no Capítulo

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DE CERTIFICAÇÃO DE PRODUTO CONDIÇÕES PARTICULARES HUMANO

REGULAMENTO GERAL DE CERTIFICAÇÃO DE PRODUTO CONDIÇÕES PARTICULARES HUMANO REGULAMENTO GERAL DE CERTIFICAÇÃO DE PRODUTO CONDIÇÕES PARTICULARES ÁGUA Modo PARA Produção CONSUMO Biológico HUMANO ÍNDICE 1. PREÂMBULO... 3 2. ÂMBITO... 3 3. ALTERAÇÕES... 3 4. DEFINIÇÕES E REFERÊNCIAS...

Leia mais

PROCEDIMENTO DA QUALIDADE

PROCEDIMENTO DA QUALIDADE Pág.: 1 de 5 1. OBJETIVO Este procedimento tem por objetivo definir os critérios aplicáveis para calibração / verificação de equipamentos de medição utilizados na empresa, cujas medições impactam na qualidade

Leia mais

Nº Versão/Data: Validade: /10/2015 OUTUBRO/2016 MKT. 02 CRIAÇÃO MACROPROCESSO MARKETING E COMUNICAÇÃO PROCESSO CRIAÇÃO

Nº Versão/Data: Validade: /10/2015 OUTUBRO/2016 MKT. 02 CRIAÇÃO MACROPROCESSO MARKETING E COMUNICAÇÃO PROCESSO CRIAÇÃO 1 de 9 CRIAÇÃO MACROPROCESSO E COMUNICAÇÃO PROCESSO CRIAÇÃO CRIAÇÃO 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA... 2 3. DOCUMENTOS RELACIONADOS... 2 4. PROCEDIMENTOS... 2 4.1 Preenchimento do Formulário... 2 4.2 ANÁLISE

Leia mais

RECLAMAÇÃO, APELAÇÃO E SUGESTÃO PARA MELHORIA

RECLAMAÇÃO, APELAÇÃO E SUGESTÃO PARA MELHORIA Página: 1/6 Elaborado: Verificado: Aprovado: Sabrina S. Lira (Diretora Administrativa) Rev. 00 Primeira edição Joaquim M. Alves (Diretor Técnico) HISTÓRICO DE ALTERAÇÕES Joaquim M. Alves (Diretor Executivo)

Leia mais

Certificação de cabos isolados com policloreto de vinila (PVC) para tensões nominais de 450/750 V, sem cobertura para instalações fixas

Certificação de cabos isolados com policloreto de vinila (PVC) para tensões nominais de 450/750 V, sem cobertura para instalações fixas 1/9 Palavras-chave: Certificação, cabos, isolados. Exemplar nº: Sumário 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Documentos complementares 4 Definições 5 Procedimento 6 Referências Anexo A Ensaios Anexo B Avaliação do

Leia mais

Procedimento de Gestão da Imparcialidade

Procedimento de Gestão da Imparcialidade Página 1 de 6 Elaboração / Revisão Análise Crítica e Aprovação Data Gerente de Certificações Executivo Sênior / RD 16/05/2016 1 OBJETIVO E ESCOPO DE APLICAÇÃO Estabelecer as diretrizes para a assegurar

Leia mais

Projeto Portal CFI. Primeira Entrega - 17/03/2014

Projeto Portal CFI. Primeira Entrega - 17/03/2014 Projeto Portal CFI Primeira Entrega - 17/03/2014 Cronologia do desenvolvimento do Portal 2001/2003 Desenvolvimento do CFI.exe e planejamento do CFI Web/ CFINet Projeto suspenso em Jun/2003 2006/2008 Duas

Leia mais

APELAÇÕES E RECLAMAÇÕES 1. ESCOPO MANUTENÇÃO ALTERAÇÕES DEFINIÇÕES... 3

APELAÇÕES E RECLAMAÇÕES 1. ESCOPO MANUTENÇÃO ALTERAÇÕES DEFINIÇÕES... 3 Página: 1 de 9 SUMÁRIO 1. ESCOPO... 3 2. MANUTENÇÃO... 3 3. ALTERAÇÕES... 3 4. DEFINIÇÕES... 3 5. PROCEDIMENTO... 3 5.1. GERAL... 3 5.2. APELAÇÃO... 4 5.3. ABERTURA E ANÁLISE CRÍTICA INICIAL DA RECLAMAÇÃO...

Leia mais

PROCEDIMENTO DE CONTRATOS

PROCEDIMENTO DE CONTRATOS PAG.: 1 de 7 1. OBJETIVO: Estabelecer procedimentos para elaboração, análise, validação e controle dos contratos firmados pela Portobello para a aquisição de bens e serviços. 2. RESPONSABILIDADES: Este

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - MDIC Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial Inmetro

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - MDIC Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial Inmetro Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - MDIC Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial Inmetro Portaria nº 50, de 28 de março de 2002 O PRESIDENTE DO

Leia mais

SUMÁRIO DE REVISÕES. Rev. Data DESCRIÇÃO E/OU ITENS REVISADOS

SUMÁRIO DE REVISÕES. Rev. Data DESCRIÇÃO E/OU ITENS REVISADOS PGSGA/09 Registros do SGA Página 1 de 7 SUMÁRIO DE REVISÕES Rev. Data DESCRIÇÃO E/OU ITENS REVISADOS 0 10/01/2014 Emissão original consolidando práticas adotadas no PSS, anteriormente não documentadas

Leia mais

PROCEDIMENTO PR 7.03

PROCEDIMENTO PR 7.03 1. HISTÓRICO DE REVISÕES Revisão: 02 Página 1 de 8 DATA REVISÃO RESUMO DE ALTERAÇÕES 20/08/2013 00 Emissão inicial 21/08/2014 01 Adequação dos fluxos de recebimento de coletas, separação de cargas e carregamento

Leia mais

Certificação compulsória para sistemas de aquecimento solar de água

Certificação compulsória para sistemas de aquecimento solar de água Certificação compulsória para sistemas de aquecimento solar de água 22-12-2014 São Paulo/SP Por que certificar Sistemas de Aquecimento Solar (SAS)? Todo equipamento certificado por um Organismo de Certificação

Leia mais

POLÍTICA CORPORATIVA 2. Vice-Presidência aprovação Vice-Presidência Administrativa, Financeira e Tecnologia. Não Aplicável HISTÓRICO DE REVISÕES

POLÍTICA CORPORATIVA 2. Vice-Presidência aprovação Vice-Presidência Administrativa, Financeira e Tecnologia. Não Aplicável HISTÓRICO DE REVISÕES POLÍTICA DE ATIVOS POLÍTICA CORPORATIVA 2 Área responsável Administrativa Vice-Presidência aprovação Vice-Presidência Administrativa, Financeira e Tecnologia Diretor responsável Vagner de Paula Guzella

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DE SERVIÇOS DE ODONTOLOGIA

MANUAL DE INSTRUÇÕES DE SERVIÇOS DE ODONTOLOGIA MANUAL DE INSTRUÇÕES DE SERVIÇOS DE ODONTOLOGIA 1 NORMAS GERAIS DE ATENDIMENTO OBJETIVO Orientar os recursos credenciados no atendimento prestado aos usuários da Mogidonto e seus dependentes. 1. Cartão

Leia mais

Fundimisa Fundição e Usinagem Ltda. Manual de Fornecedores

Fundimisa Fundição e Usinagem Ltda. Manual de Fornecedores Fundimisa Fundição e Usinagem Ltda Manual de Fornecedores A Fundimisa Fundição e Usinagem Ltda pretende com este Manual aprimorar a relação com seus fornecedores e padronizar informações entre as partes.

Leia mais

Educação Médica Independente

Educação Médica Independente Educação Médica Independente Guia para Solicitação de Apoio Educacional (GRANTS) Educação Médica Independente A missão de Educação Médica Independente (IME) da Bristol-Myers Squibb é apoiar estrategicamente

Leia mais

(DESENVOLVIMENTO, QUALIFICAÇÃO, MANUTENÇÃO E CONTROLE)

(DESENVOLVIMENTO, QUALIFICAÇÃO, MANUTENÇÃO E CONTROLE) 1/9 (DESENVOLVIMENTO, QUALIFICAÇÃO, MANUTENÇÃO E CONTROLE) Elaborado Aprovado Adilson Ferreira Nunes (Gestor do SGQ) Mauricio de Souza (Supervisor Compras) 2/9 Índice 1. O MANUAL DO FORNECEDOR... 3 INTRUDUÇÃO...

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA AQUISIÇÃO DE SELOS DE IDENTIFICAÇÃO DA CONFORMIDADE DE PRODUTOS E SERVIÇOS COM CONFORMIDADE AVALIADA

PROCEDIMENTO PARA AQUISIÇÃO DE SELOS DE IDENTIFICAÇÃO DA CONFORMIDADE DE PRODUTOS E SERVIÇOS COM CONFORMIDADE AVALIADA PROCEDIMENTO PARA AQUISIÇÃO DE SELOS DE IDENTIFICAÇÃO DA CONFORMIDADE DE PRODUTOS E SERVIÇOS COM CONFORMIDADE AVALIADA NORMA N o NIE-DQUAL-142 APROVADA EM ABR/06 N o /05 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação

Leia mais

Certificação RSPO Passo a passo

Certificação RSPO Passo a passo Certificação RSPO Passo a passo Índice Termos e definições... 3 Objetivos e esquemas de certificação aplicáveis... 5 Procedimentos de avaliação... 7 Solicitação de certificação... 7 Análise crítica da

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO Capítulo I DA NATUREZA Art. 1º. O Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Computação do Câmpus Jandaia do Sul da UFPR prevê a realização

Leia mais

Licenciatura em Ciências Exatas Revisão 3 REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO

Licenciatura em Ciências Exatas Revisão 3 REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO O Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Ciências Exatas do Setor Palotina da UFPR prevê a realização de estágios nas modalidades de estágio obrigatório e

Leia mais

Certificação Inmetro dos vidros temperados

Certificação Inmetro dos vidros temperados Certificação Inmetro dos vidros temperados Certificação É um conjunto de atividades para avaliação do processo produtivo e realização de ensaios periódicos do produto. É executada por uma organização independente,

Leia mais

REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO NOS MERCADOS ORGANIZADOS

REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO NOS MERCADOS ORGANIZADOS REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO NOS Janeiro de 2013 Banco ABC Brasil 1 Página intencionalmente deixada em branco 2 Banco ABC Brasil Sumário 1. Introdução... 4 1.1. REGRAS E PROCEDIMENTOS... 4 1.2. ESCOPO...

Leia mais

RECLAMAÇÕES, APELAÇÕES E SUGESTÕES DE MELHORIAS

RECLAMAÇÕES, APELAÇÕES E SUGESTÕES DE MELHORIAS Pág: 1/6 Itens de Revisão: 00 Inicial 01 Revisão geral do procedimento 02 Revisão no nome do PR e acréscimos dos itens 3.5 Disputas e 3.6 Informações Gerais 03 Revisão geral do procedimento 04 Revisão

Leia mais

Procedimento interno que regula o processo de integração dos Organismos que prestam serviços de Avaliação da conformidade no Sistema Nacional da

Procedimento interno que regula o processo de integração dos Organismos que prestam serviços de Avaliação da conformidade no Sistema Nacional da 2016 Procedimento interno que regula o processo de integração dos Organismos que prestam serviços de Avaliação da conformidade no Sistema Nacional da Qualidade de Cabo Verde (SNQC) SUMÁRIO: O presente

Leia mais

BINS Indústria de Artefatos de Borracha Ltda. Questionário de Seleção e Homologação de Fornecedores

BINS Indústria de Artefatos de Borracha Ltda. Questionário de Seleção e Homologação de Fornecedores BINS Indústria de Artefatos de Borracha Ltda. Questionário de Seleção e Homologação de Fornecedores ESCOPO Este questionário de auto-avaliação tem como objetivo proporcionar um conhecimento geral do fornecedor,

Leia mais

AUDITORIA AMBIENTAL AUDITORIA AMBIENTAL NORMA ISO DIRETRIZES\PARA AUDITORIA

AUDITORIA AMBIENTAL AUDITORIA AMBIENTAL NORMA ISO DIRETRIZES\PARA AUDITORIA AUDITORIA AMBIENTAL AUDITORIA AMBIENTAL BALISAR SISTEMA E CORRIGIR FALHAS NORMA ISO 19011 DIRETRIZES\PARA AUDITORIA INSTRUMENTO DE GESTÃO AMBIENTAL QUE PODE SER APLICADO A QUALQUER EMPREENDIMENTO 1 AUDITORIA

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA UNIVERSIDADE DA AMAZONIA

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA UNIVERSIDADE DA AMAZONIA 29/02/26 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE AMAZONIA Belém 26 29/02/26 Dispõe sobre normas de Monitoria da Universidade da Amazônia. CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º Adotar e estimular a Monitoria Acadêmica, que

Leia mais

CERTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA DE COLCHÕES E COLCHONETES DE ESPUMA

CERTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA DE COLCHÕES E COLCHONETES DE ESPUMA CERTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA DE COLCHÕES E COLCHONETES DE ESPUMA Com a publicação da Portaria INMETRO nº 79 - REQUISITOS DE AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE PARA COLCHÕES E COLCHONETES DE ESPUMA FLEXÍVEL DE POLIURETANO,

Leia mais

1.1 O Certificado de Sistemas da Gestão Ambiental SAS é um certificado de conformidade com a norma brasileira:

1.1 O Certificado de Sistemas da Gestão Ambiental SAS é um certificado de conformidade com a norma brasileira: Documento analisado criticamente e Responsável: aprovado quanto à sua adequação. Carlos Henrique R. Figueiredo Diretor de Certificação * Revisão dos itens 5.1 (elaboração do programa de auditoria) e 8.2

Leia mais

GESTÃO DE TÍTULOS E TAXAS NÁUTICO

GESTÃO DE TÍTULOS E TAXAS NÁUTICO 1 / 6 1. OBJETIVO Estabelecer padronização para os processos desde o cadastro de títulos até a cobrança de cheques devolvidos bem como a transferência de titularidade, a fim de que todas as etapas do processo

Leia mais

d) observar o Regulamento do Emissor de BDR Nível I Não Patrocinado; e

d) observar o Regulamento do Emissor de BDR Nível I Não Patrocinado; e Anexo I ao Oficio Circular 016/2010-DP O Conselho de Administração da BM&FBOVESPA S.A Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros, no uso das atribuições que lhe confere o artigo 30, alíneas a, b e c do Estatuto

Leia mais

SUMÁRIO DE REVISÕES. Rev. Data DESCRIÇÃO E/OU ITENS REVISADOS

SUMÁRIO DE REVISÕES. Rev. Data DESCRIÇÃO E/OU ITENS REVISADOS Página 1 de 10 SUMÁRIO DE REVISÕES Rev. Data DESCRIÇÃO E/OU ITENS REVISADOS 0 07/08/2013 Emissão original consolidando práticas adotadas no PSS, anteriormente não documentadas em forma de procedimento

Leia mais

Atuar no planejamento e execução das Auditorias da Qualidade. Estabelecer lista de verificação para auditoria;

Atuar no planejamento e execução das Auditorias da Qualidade. Estabelecer lista de verificação para auditoria; Página 1 de 9 AUDITORIAS DA QUALIDADE ETAPA 1. Objetivo geral: Atuar no planejamento e execução das Auditorias da Qualidade. Desempenho esperado: Estabelecer programa anual de auditorias; Elaborar agenda

Leia mais

Sistema de Gestão do Processo de Certificação ABNT (CERTO) Guia do Auditor

Sistema de Gestão do Processo de Certificação ABNT (CERTO) Guia do Auditor Pag. Nº 1/23 SUMÁRIO 1 Comentários Gerais 2 Login 3 Segurança do Sistema 4 Área Principal 5 Ferramentas de comunicação 6 Solicitação de serviço: identificação da auditoria 7 Solicitação de serviço: documentos

Leia mais

TÍTULO: APELAÇÕES E RECLAMAÇÕES HISTÓRICO DAS ALTERAÇÕES

TÍTULO: APELAÇÕES E RECLAMAÇÕES HISTÓRICO DAS ALTERAÇÕES Folha: 1/6 TÍTULO: APELAÇÕES E RECLAMAÇÕES HISTÓRICO DAS ALTERAÇÕES DATA REVISÃO ITENS REVISADOS APROVAÇÃO 21/07/15 00 Emissão Inicial - Item 5.1.2 e 5.2.1 - Exclusão da referência a tratamento e 16/06/16

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA FAZER ADESÃO AO CERTIFICADO DIGITAL DO SERPRO

PROCEDIMENTOS PARA FAZER ADESÃO AO CERTIFICADO DIGITAL DO SERPRO PROCEDIMENTOS PARA FAZER ADESÃO AO CERTIFICADO DIGITAL DO SERPRO Este documento dará uma breve descrição dos passos que deverão ser seguidos para a aquisição dos certificados digitais do SERPRO. Informações

Leia mais

AUDITORIAS DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

AUDITORIAS DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PS 04 3 Gestão Diretor Administrativo 17/04/2017 1 1. OBJETIVO Sistematizar o processo de planejamento, realização e análise das Auditorias Internas do Sistema de Gestão da Qualidade. 2. APLICAÇÃO Todos

Leia mais

GUIA DE APOIO. Documento aprovado em sede do Conselho Diretivo Nacional da Ordem dos Engenheiros em 13 de janeiro de 2017

GUIA DE APOIO. Documento aprovado em sede do Conselho Diretivo Nacional da Ordem dos Engenheiros em 13 de janeiro de 2017 GUIA DE APOIO Documento aprovado em sede do Conselho Diretivo Nacional da Ordem dos Engenheiros em 13 de janeiro de 2017 Gabinete de Qualificação Avenida António Augusto de Aguiar, 3D 1069-030 Lisboa Email:

Leia mais

REGULAMENTO PARA CERTIFICAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL

REGULAMENTO PARA CERTIFICAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL 1 ICQ BRASIL REGULAMENTO PARA CERTIFICAÇÃO DE OCA Organismo de Certificação de Sistema de Gestão da Ambiental, acreditado pela CGCRE - Coordenação Geral de Acreditação do INMETRO para certificação de terceira

Leia mais

RECLAMAÇÕES, APELAÇÕES E SUGESTÕES DE MELHORIAS

RECLAMAÇÕES, APELAÇÕES E SUGESTÕES DE MELHORIAS Pág: 1/6 Itens de Revisão: 00 Inicial 01 Revisão Geral do Procedimento 02 Revisão no nome do PR e acréscimos dos itens 3.5 Disputas e 3.6 Informações Gerais. 03 Revisão Geral do Procedimento 04 Revisão

Leia mais

1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS ESCOPO MANUTENÇÃO REFERÊNCIAS DEFINIÇÕES QUALIFICAÇÃO DA EQUIPE DE AUDITORES...

1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS ESCOPO MANUTENÇÃO REFERÊNCIAS DEFINIÇÕES QUALIFICAÇÃO DA EQUIPE DE AUDITORES... Página 1 de 15 SUMÁRIO 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS... 2 2. ESCOPO... 3 3. MANUTENÇÃO... 3 4. REFERÊNCIAS... 3 5. DEFINIÇÕES... 4 6. QUALIFICAÇÃO DA EQUIPE DE AUDITORES... 5 7. CONDIÇÕES GERAIS... 6 8. PROCESSO

Leia mais

.Art. 5º Esta Instrução Normativa entra em vigor na data de sua publicação..art. 6º Fica revogada a Resolução DIPOA/SDA nº 7, de 10 de abril de 2003.

.Art. 5º Esta Instrução Normativa entra em vigor na data de sua publicação..art. 6º Fica revogada a Resolução DIPOA/SDA nº 7, de 10 de abril de 2003. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 27, DE 27 DE AGOSTO DE 2008 O SECRETÁRIO DE DEFESA AGROPECUÁRIA, DO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA,

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PO Procedimento Operacional

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PO Procedimento Operacional E AÇÃO PREVENTIVA PO. 09 10 1 / 5 1. OBJETIVO Descrever a forma como o produto ou serviço não conforme deve ser controlado, a fim de se prevenir a sua utilização ou entrega não intencional ao cliente.

Leia mais

1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS ESCOPO MANUTENÇÃO REFERÊNCIAS DEFINIÇÕES QUALIFICAÇÃO DA EQUIPE DE AUDITORES...

1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS ESCOPO MANUTENÇÃO REFERÊNCIAS DEFINIÇÕES QUALIFICAÇÃO DA EQUIPE DE AUDITORES... NBR IEC 60670-1 Página 1de 16 SUMÁRIO 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS...2 2. ESCOPO...3 3. MANUTENÇÃO...3 4. REFERÊNCIAS...3 5. DEFINIÇÕES...4 6. QUALIFICAÇÃO DA EQUIPE DE AUDITORES...4 7. CONDIÇÕES GERAIS...4

Leia mais

1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS ESCOPO MANUTENÇÃO REFERÊNCIAS DEFINIÇÕES QUALIFICAÇÃO DA EQUIPE DE AUDITORES...

1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS ESCOPO MANUTENÇÃO REFERÊNCIAS DEFINIÇÕES QUALIFICAÇÃO DA EQUIPE DE AUDITORES... Página 1de 16 SUMÁRIO 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS...2 2. ESCOPO...3 3. MANUTENÇÃO...3 4. REFERÊNCIAS...3 5. DEFINIÇÕES...4 6. QUALIFICAÇÃO DA EQUIPE DE AUDITORES...4 7. CONDIÇÕES GERAIS...4 8. MARCA DE CONFORMIDADE...5

Leia mais

ECOCERT SA Processo de Certificação CE

ECOCERT SA Processo de Certificação CE TS01(EC)v08pt ECOCERT SA Processo de Certificação CE I. Apresentação do processo de certificação CE da Ecocert SA, de acordo com o Regulamento CE 834/2007. Resumo: I II III IV V VI Ecocert: serviço competente

Leia mais

No. Revisão Data. Autor TRATAMENTO DE APELAÇÕES, RECLAMAÇÕES, DISPUTAS E DENÚNCIAS.

No. Revisão Data. Autor TRATAMENTO DE APELAÇÕES, RECLAMAÇÕES, DISPUTAS E DENÚNCIAS. Procedimentos Operacionais No. Revisão Data 1764/00 08 30/04/2012 SGS do Brasil Ltda. Manual de Procedimentos Industrial Autor Aprovado por Fabiane Vencato Marcelo Stenzel TRATAMENTO DE APELAÇÕES, RECLAMAÇÕES,

Leia mais

PROC. 04 ANÁLISE CRÍTICA

PROC. 04 ANÁLISE CRÍTICA 1 de 7 ANÁLISE CRÍTICA MACROPROCESSO GESTÃO DE PROCESSOS PROCESSO ANÁLISE CRÍTICA ANÁLISE CRÍTICA 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA... 2 3. DOCUMENTOS RELACIONADOS... 2 4. PROCEDIMENTOS... 2 4.1 DEFINIÇÕES...

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA PARA AVALIAÇÃO DA

INSTRUÇÃO TÉCNICA PARA AVALIAÇÃO DA SUMÁRIO! " # $% & %!! & '! %! () " (%)& % () 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS PÁGINA SUMÁRIO DE MUDANÇA DATA ELABORADO APROVADO Todas Primeira Emissão 17/01/2006 Antonio Olivieri Walter Laudisio Mudança do logo

Leia mais

Procedimento para Empréstimo de Documentos para as Empresas Projetistas. Controle de Revisão P-ER/SE-1. Título do Documento: Folha 1 de 12

Procedimento para Empréstimo de Documentos para as Empresas Projetistas. Controle de Revisão P-ER/SE-1. Título do Documento: Folha 1 de 12 Título do Documento: Procedimento para Empréstimo de Documentos para as Empresas Projetistas Controle de Revisão P-ER/SE-1 Nº Documento Folha 1 de 12 Revisão Data Item Descrição das Alterações a 05/12/2005

Leia mais