MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS EDITAL Nº 073, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2011

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS EDITAL Nº 073, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2011"

Transcrição

1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS EDITAL Nº 073, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2011 RETIFICAÇÃO DO EDITAL Nº 068/2011 DO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DA CARREIRA TÉCNICO-ADMINISTRATIVA O REITOR DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS (IFG), no uso de suas atribuições legais, tendo em vista o disposto no Edital 068, de 14 de dezembro de 2011, publicado no Diário Oficial da União (DOU) de 15 de dezembro de 2011, seção 3, páginas 88 a 92, resolve: 1º - No subitem Dos cargos de Nível de Classificação D:, onde se lê: Alimentos Controle Ambiental Curso médio técnico completo em Controle Ambiental ou Saneamento e Registro Profissional no respectivo Conselho. Inhumas Cidade de Goiás Formosa Itumbiara Luziânia Uruaçu Formosa Anápolis Cidade de Goiás Formosa

2 Eletromecânica Eletrotécnica Geomática Informática Informática Informática Química Química Química Telecomunicações ou Ensino Médio Completo e curso Técnico Curso Nível Médio: Informática, Técnico em Informática para Internet, Manutenção e Suporte em Informática, Redes de Computadores, Telecomunicações ou Eletrônica Curso Nível Médio: Informática, Técnico em Informática para Internet, Manutenção e Suporte em Informática, Redes de Computadores, Telecomunicações ou Luziânia Uruaçu Itumbiara Itumbiara Cidade de Goiás Jataí Anápolis Inhumas Uruaçu Cidade de Goiás

3 Eletrônica Curso Nível Médio: Informática, Técnico em Informática para Internet, Manutenção e Suporte em Informática, Redes de Computadores, Telecomunicações ou Eletrônica Curso Nível Médio: Informática, Técnico em Informática para Internet, Manutenção e Suporte em Informática, Redes de Computadores, Telecomunicações ou Eletrônica Curso Nível Médio: Informática, Técnico em Informática para Internet, Manutenção e Suporte em Informática, Redes de Computadores, Telecomunicações ou Eletrônica Curso Nível Médio: Informática, Técnico em Informática para Internet, Manutenção e Suporte em Informática, Redes de Computadores, Telecomunicações ou Eletrônica Curso Nível Médio: Informática, Técnico em Informática para Internet, Manutenção e Suporte em Informática, Redes de Computadores, Telecomunicações ou Eletrônica Formosa Itumbiara Jataí Luziânia Uruaçu Anápolis Cidade de Goiás Formosa

4 Contabilidade Contabilidade Contabilidade Enfermagem Inhumas Itumbiara Jataí Luziânia Uruaçu Cidade de Goiás Reitoria Formosa Leia-se: Alimentos em Alimentos ou em Laticínios, Alimentos ou em Laticínios. Apresentação do em Análise Clínicas ou em Controle Ambiental ou em Saneamento ou em Química, ou ainda, Ensino Médio Completo acrescido de curso Análise Clínicas ou em Controle Ambiental ou em Saneamento ou em Química. Apresentação do em Análise Clínicas ou em Inhumas Cidade de Goiás

5 Controle Ambiental ou em Saneamento ou em Química, ou ainda, Ensino Médio Completo acrescido de curso Análise Clínicas ou em Controle Ambiental ou em Saneamento ou em Química. Apresentação do em Análise Clínicas ou em Controle Ambiental ou em Saneamento ou em Química, ou ainda, Ensino Médio Completo acrescido de curso Análise Clínicas ou em Controle Ambiental ou em Saneamento ou em Química. Apresentação do em Análise Clínicas ou em Controle Ambiental ou em Saneamento ou em Química, ou ainda, Ensino Médio Completo acrescido de curso Análise Clínicas ou em Controle Ambiental ou em Saneamento ou em Química. Apresentação do em Análise Clínicas ou em Controle Ambiental ou em Saneamento ou em Química, ou ainda, Ensino Médio Completo acrescido de curso Análise Clínicas ou em Controle Ambiental ou em Saneamento ou em Química. Apresentação do em Análise Clínicas ou em Controle Ambiental ou em Saneamento ou em Química, ou ainda, Ensino Médio Completo acrescido de curso Análise Clínicas ou em Controle Ambiental ou em Saneamento ou em Química. Apresentação do Formosa Itumbiara Luziânia Uruaçu

6 Controle Ambiental em Controle Ambiental ou em Saneamento Ambiental, ou ainda, Ensino Médio Completo acrescido de curso Controle Ambiental ou em Saneamento Ambiental. em, ou ainda, Ensino curso. em, ou ainda, Ensino curso. em, ou ainda, Ensino curso. em, ou ainda, Ensino curso. em, ou ainda, Ensino curso. em, ou ainda, Ensino curso. Formosa Anápolis Cidade de Goiás Formosa Luziânia

7 Eletromecânica Eletrotécnica Geomática Informática em, ou ainda, Ensino curso. em Eletromecânica ou em Mecatrônica ou em Automação Industrial, ou ainda, Ensino curso Eletromecânica ou em Mecatrônica ou em Automação Industrial. Eletrônica ou em Eletroeletrônica ou em Mecatrônica ou em Automação Industrial, ou ainda, Ensino curso Eletrotécnica ou em Eletrônica ou em Eletroeletrônica ou em Mecatrônica ou em Automação Industrial. Apresentação do em Agrimensura, ou ainda, Ensino Médio Completo acrescido de curso Agrimensura. Apresentação do Computadores, ou ainda, Ensino curso Informática ou Uruaçu Itumbiara Itumbiara

8 Informática Informática Química Química Química Computadores. Apresentação do Computadores, ou ainda, Ensino curso Informática ou Computadores. Apresentação do Computadores, ou ainda, Ensino curso Informática ou Computadores. Apresentação do em Química, ou ainda, Ensino curso Química. em Química, ou ainda, Ensino curso Química. em Química, ou ainda, Ensino curso Química. Cidade de Goiás Jataí Anápolis Inhumas Uruaçu

9 Telecomunicações em Eletrônica ou em Rede de Computadores, ou ainda, Ensino curso Eletrônica ou em Rede de Computadores. Apresentação do Eletrônica, ou ainda, Ensino curso Informática ou Eletrônica, ou ainda, Ensino curso Informática ou Cidade de Goiás Formosa

10 Eletrônica, ou ainda, Ensino curso Informática ou Eletrônica, ou ainda, Ensino curso Informática ou Eletrônica, ou ainda, Ensino curso Informática ou Itumbiara Jataí Luziânia

11 Eletrônica, ou ainda, Ensino curso Informática ou Eletrônica, ou ainda, Ensino curso Informática ou Produção de Áudio e Produção de Áudio e Uruaçu Anápolis 40 02

12 Produção de Áudio e Produção de Áudio e Produção de Áudio e Produção de Áudio e Cidade de Goiás Formosa Inhumas

13 Contabilidade Produção de Áudio e Produção de Áudio e Produção de Áudio e Produção de Áudio e em Contabilidade, ou ainda, Ensino Médio Completo Itumbiara Jataí Luziânia Uruaçu

14 Contabilidade Contabilidade Enfermagem acrescido de curso Contabilidade. Apresentação do em Contabilidade, ou ainda, Ensino Médio Completo acrescido de curso Contabilidade. Apresentação do em Contabilidade, ou ainda, Ensino Médio Completo acrescido de curso Contabilidade. Apresentação do em Enfermagem, ou ainda, Ensino Médio Completo acrescido de curso Enfermagem. Apresentação do Cidade de Goiás Reitoria Formosa 2º - No subitem Dos cargos de Nível de Classificação E:, onde se lê: Produtor Cultural Social. Reitoria Produtor Cultural Social Luziânia Produtor Cultural Social Produtor Cultural Social Anápolis Programador Visual Visual ou Comunicação Social com Habilitação em Publicidade ou Desenho Industrial com habilitação em Programação Visual Reitoria Leia-se: Produtor Cultural Social ou Bacharelado em Reitoria Produção Cultural Produtor Cultural Social ou Bacharelado em Luziânia Produção Cultural Produtor Cultural

15 Produtor Cultural Programador Visual Social ou Bacharelado em Produção Cultural Social ou Bacharelado em Produção Cultural Visual ou em Design Gráfico ou Comunicação Social com Habilitação em Publicidade ou Desenho Industrial com habilitação em Programação Visual Anápolis Reitoria 3 - No subitem 4.1. onde se lê: 4.1. A remuneração do servidor técnico-administrativo é mencionada no quadro a seguir: Nível de Nível de Padrão de Vencimento Básico Classificação Capacitação Vencimento (NI) C I 1 R$ 1.638,53 (NI) D I 1 R$ 1.821,94 (NS) E I 1 R$ 2.989,23 Leia-se: 4.1. A remuneração do servidor técnico-administrativo é mencionada no quadro a seguir: Nível de Nível de Padrão de Vencimento Básico Classificação Capacitação Vencimento (NI) C I 1 R$ 1.473,58 (NI) D I 1 R$ 1.821,94 (NS) E I 1 R$ 2.989,33 4º - No ANEXO II - CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS DA PROVA OBJETIVA, incluir: ENGENHEIRO/ÁREA ENGENHARIA CIVIL: Materiais de construção civil: aglomerantes, agregados, cimento, areia, gesso, cal, concreto armado e suas propriedades (fator água/cimento, resistência mecânica e durabilidade, forma de madeira e metálica, tipos de aço para concreto armado, produção e lançamento do concreto, cura, adensamento e desforma); materiais cerâmicos (tipo, assentamento, juntas de dilatação, movimentação e dessolidarização); argamassas e suas propriedades (principais argamassas preparadas no canteiro de obras, argamassas industrializadas e principais patologias); resistência dos materiais (tensões, deformações, propriedades mecânicas dos materiais, torção, flexão, cisalhamento, linha elástica, flambagem, critérios de resistência, dimensionamento de elementos estruturais de concreto armado, de aço e de madeira); Planejamento de obras: quantitativos de obras, orçamentos sintético e analítico, cronograma físico e financeiro da obra, especificação de materiais, fiscalização e controle de obras e serviços, controle de qualidade de materiais e serviços, uso de recursos de informática voltados a engenharia civil; s edificações: levantamento topográfico do terreno, análise de projetos, instalação de canteiros de obra de acordo com as normas vigentes, alvenarias de vedação e estruturais, controle tecnológico do concreto; Estruturas de fundações: fundações diretas e profundas, sondagem do terreno, noções do cálculo da taxa admissível do terreno para cargas de estruturas, mecânica dos solos (caracterização dos solos, resistência ao cisalhamento, compactação, tensões e deformações, compressibilidade e adensamento, estabilidade de taludes e encostas) e topografia; Estruturas de concreto armado e protendido: morfologia das estruturas, carregamento, estruturas isostáticas planas e espaciais,

16 concreto armado (materiais, normas, solicitações normais, flexão normal simples, cisalhamento, controle da fissuração, aderência, lajes maciças e nervuradas, punção, torção, deformação na flexão, pilares e vigas), concreto protendido (estudo de cabos de aço, protenção e suas aplicações em estruturas prediais); Instalações hidro-sanitárias: demanda e consumo de água, estimativa de vazões, adutoras, estações elevatórias, princípios do tratamento d água, projeto e dimensionamento de instalações prediais de água fria, rede coletora de esgotos, princípios do tratamento de esgotos, projeto e dimensionamento de instalações prediais de esgotos sanitários, coleta de resíduos sólidos domiciliares e industriais, drenagem pluvial (estimativa de contribuições, galerias e canais), instalações de combate a incêndio e sistemas preventivos, instalações prediais de águas pluviais; Instalações elétricas, lógica e telefonia: noções de instalações elétricas, de lógica e telefonia prediais (análise e acompanhamento), subestação, quadros elétricos montados, fios e cabos, iluminação e força, rede de dados (materiais e equipamentos), rede de telefonia (materiais e equipamentos); Estruturas metálicas e de madeira; estruturas de madeira para cobertas, estruturas metálicas e suas utilizações na construção civil; Estradas e transportes: noções básicas de transportes e veículos, terraplenagem, pavimentação de vias, dimensionamento de pavimentos e os tipos de materiais a empregar; Impermeabilização: impermeabilização de caixas d água, reservatórios, cisternas, piscinas e lajes expostas, utilização dos diversos tipos de impermeabilizantes, manta asfáltica e suas propriedades; Patologia das construções: identificação e solução para os diversos tipos de patologias na construção civil; Ética e legislação para obras de engenharia: noções básica das normas vigentes no país, inclusive as normas da engenharia de segurança do trabalho e as de controle de qualidade total na construção civil. Os demais itens, subitens e anexos do edital permanecem inalterados. PAULO CÉSAR PEREIRA Reitor

Pró-Reitoria de Ensino Lista de Cursos Oferecidos pelo IFG

Pró-Reitoria de Ensino Lista de Cursos Oferecidos pelo IFG Campus Goiânia Instrumento Musical Matutino Edificações Matutino Eletrônica Matutino Eletrotécnica Matutino Mineração Matutino Trânsito Matutino Controle Ambiental Matutino Informática para Internet Matutino

Leia mais

PONTOS PARA AS PROVAS ESCRITAS E DIDÁTICAS

PONTOS PARA AS PROVAS ESCRITAS E DIDÁTICAS PONTOS PARA AS PROVAS ESCRITAS E DIDÁTICAS DISCIPLINAS: Mecânica Geral I; Estruturas de Aço; Estrutura de Concreto Armado I; Estrutura de Concreto Armado II. 1. Equilíbrio dos Corpos Rígidos em 2D e 3D;

Leia mais

21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 B A D A D D C A B C 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 D A E E B D B E E C 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 B D E D B A C B A E

21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 B A D A D D C A B C 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 D A E E B D B E E C 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 B D E D B A C B A E CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DA CARREIRA TÉCNICOADMINISTRATIVA EM EDUCAÇÃO EDITAL Nº 016, DE 17 DE ABRIL DE 2012 CARGO: AUXILIAR EM ADMINISTRAÇÃO C B E B E B E C A E D A D A C C E A C B B

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL. (Vigência a partir de 2011/1)

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL. (Vigência a partir de 2011/1) Matriz Curricular aprovada pela Resolução nº 11/10 CONSUNI, de 21 de setembro de 2010. MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL (Vigência a partir de 2011/1) Fase Cód. Disciplina Pré- Req. I II III

Leia mais

Estrutura Curricular do Curso de Engenharia Civil

Estrutura Curricular do Curso de Engenharia Civil Estrutura Curricular do Curso de Engenharia Civil 1º Semestre 1. Cálculo Diferencial e Integral I 2. Desenho Básico 3. Física I 4. Laboratório de Física I 1º Básica 5. Química Geral 6. Introdução a Engenharia

Leia mais

ENGENHARIA CIVIL. Universidade de Cuiabá

ENGENHARIA CIVIL. Universidade de Cuiabá ENGENHARIA CIVIL Universidade de Cuiabá CURSO: ENGENHARIA CIVIL Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo Calvo Galindo Base legal da Mantenedora

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO EDITAL PRGDP Nº 30/2013 ENGENHEIRO CIVIL CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DAS PROVAS DE LÍNGUA PORTUGUESA, MATEMÁTICA E LEGISLAÇÃO

CONCURSO PÚBLICO EDITAL PRGDP Nº 30/2013 ENGENHEIRO CIVIL CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DAS PROVAS DE LÍNGUA PORTUGUESA, MATEMÁTICA E LEGISLAÇÃO CONCURSO PÚBLICO EDITAL PRGDP Nº 30/2013 ENGENHEIRO CIVIL CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DAS PROVAS DE LÍNGUA PORTUGUESA, MATEMÁTICA E LEGISLAÇÃO LÍNGUA PORTUGUESA Será avaliada a capacidade de: 1) Leitura e compreensão

Leia mais

FACULDADE SANTA RITA

FACULDADE SANTA RITA FACULDADE SANTA RITA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL BACHARELADO Matriz Curricular 1º SEMESTRE Introdução à Engenharia Geometria Analítica e Álgebra Linear 04 80 Cálculo I 04 80 Tópicos de Economia para Engenharia

Leia mais

EDITAL 005.2/2014 - PROEN/IFMS

EDITAL 005.2/2014 - PROEN/IFMS EDITAL 005.2/24 - PROEN/IFMS PROCESSO SELETIVO DE PROFESSOR E TUTOR PRESENCIAL PARA ATUAR NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NOS CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO SUBSEQUENTES DA REDE e-tec BRASIL O REITOR DO INSTITUTO

Leia mais

Goiânia 01 R$ 2.500,00. Goiânia 01 R$ 2.300,00. Goiânia 08 R$ 2.122,60. Goiânia 03 R$ 2.122,60. Goiânia 02 R$ 2.122,60

Goiânia 01 R$ 2.500,00. Goiânia 01 R$ 2.300,00. Goiânia 08 R$ 2.122,60. Goiânia 03 R$ 2.122,60. Goiânia 02 R$ 2.122,60 ANEXO I FUNÇÃO/REQUISITOS/ LOTAÇÃO/NUMEROS DE VAGAS/ /VENCIMENTO FUNÇÃO REQUISITOS LOTAÇÃO N.º VAGAS VENCIMENTO Jornalista conclusão do curso de Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, fornecido

Leia mais

2º SEMESTRE. Cálculo I 04 00 60 Introdução ao Cálculo Álgebra Linear e Geometria Analítica

2º SEMESTRE. Cálculo I 04 00 60 Introdução ao Cálculo Álgebra Linear e Geometria Analítica Resolução CONSUN Nº 34/2014 de 29/10/2014 COD. NOME DA DISCIPLINA T P CH Pré-Requisito 1º SEMESTRE Introdução à 04 00 60 Introdução ao Cálculo 04 00 60 Química Geral Antropologia 02 00 30 Desenho Técnico

Leia mais

TURMA 2015-1 -2º PERÍODO 2º SEMESTRE 2015 # TURNO NOTURNO GN

TURMA 2015-1 -2º PERÍODO 2º SEMESTRE 2015 # TURNO NOTURNO GN TURMA 2015-2 -1º PERÍODO 2º SEMESTRE 2015 # TURNO NOTURNO FN Leitura e Introdução ao Leitura e Produção Introdução à Química Produção de de Texto Texto às Introdução ao Analítica e Álgebra Linear Analítica

Leia mais

4.ª SÉRIE 99-9033-02 ESTRUTURAS DE CONCRETO II 80 0 080 99-9034-03

4.ª SÉRIE 99-9033-02 ESTRUTURAS DE CONCRETO II 80 0 080 99-9034-03 MATRIZ CURRICULAR Curso: ENGENHARIA CIVIL Graduação: BACHARELADO Regime: SERIADO ANUAL - MATUTINO Duração: 5 (CINCO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 05 (CINCO) ANOS LETIVOS - MÁXIMO

Leia mais

EMENTÁRIO. Princípios de Conservação de Alimentos 6(4-2) I e II. MBI130 e TAL472*.

EMENTÁRIO. Princípios de Conservação de Alimentos 6(4-2) I e II. MBI130 e TAL472*. EMENTÁRIO As disciplinas ministradas pela Universidade Federal de Viçosa são identificadas por um código composto por três letras maiúsculas, referentes a cada Departamento, seguidas de um número de três

Leia mais

ÁREA DO CONCURSO: TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL

ÁREA DO CONCURSO: TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL PONTUAÇÃO-LIMITE DOS QUESITOS DA PROVA DE TÍTULOS DO CONCURSO PARA PROVIMENTO DE VAGA DE PROFESSOR ASSISTENTE EM REGIME DE 20 HORAS SEMANAIS PARA O DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE MATERIAIS E CONSTRUÇÃO

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓREITORIA ACADÊMICA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Fase Cód. Disciplina I II III IV V VI Matriz Curricular do curso de Engenharia Civil PréReq.

Leia mais

TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO

TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO Curso Técnico de Edificações Profª Engª Civil Alexandra Müller Barbosa EMENTA Estudos de procedimentos executivos: Estruturas portantes, Elementos vedantes, Coberturas, Impermeabilização,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI EDITAL DE ABERTURA CPD Nº 079 CONCURSO PÚBLICO, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2015. A Fundação Universidade Federal de São

Leia mais

Recomendações para Elaboração de Projetos Estruturais de Edifícios de Concreto

Recomendações para Elaboração de Projetos Estruturais de Edifícios de Concreto Recomendações para Elaboração de Projetos Estruturais de Edifícios de Concreto INTRODUÇÃO O presente trabalho tem como objetivo fornecer aos projetistas e contratantes, recomendações básicas e orientações

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO DIRETORIA DE ENSINO 1 PROGRAMA DE DISCIPLINA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO DIRETORIA DE ENSINO 1 PROGRAMA DE DISCIPLINA DIRETORIA DE ENSINO 1 CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL I MTM 1 MATEMÁTICA ICEB 0 00 0 0 Semestral 7* horas * Há necessidade de se verificar junto ao de Matemática a possibilidade de compatibilização do programa,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Patologia das Construções. Patologia das Fundações

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Patologia das Construções. Patologia das Fundações UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Patologia das Construções Patologia das Fundações ETAPAS IMPORTANTES: Determinar o número de furos de sondagem, bem como a sua localização; Analisar

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA RETIFICAÇÃO DO EDITAL Nº 31 de 06 de junho de 2014

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA RETIFICAÇÃO DO EDITAL Nº 31 de 06 de junho de 2014 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA RETIFICAÇÃO DO EDITAL Nº 31 de 06 de junho de 2014 No item 2.2 do Edital nº 31 de 06 de junho de 2014, publicado no DOU de 06/06/2014,

Leia mais

Curso: ENGENHARIA CIVIL Semestre: Turma: Ano: Período: 1º 2016s1-A 2016 Noturno

Curso: ENGENHARIA CIVIL Semestre: Turma: Ano: Período: 1º 2016s1-A 2016 Noturno 1º 2016s1-A 2016 Noturno Comunicação e Expressão Fundamentos de Cálculo Informática Aplicada à Engenharia Desenho Técnico Aux. por Computador Física Geral Introdução à Engenharia Civil Fundamentos de Cálculo

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 08/2011 Altera a Resolução n. 15/2006 do CONSEPE, que aprova a Projeto Pedagógico do

Leia mais

ANEXO II. Regime de Trabalho. Código da Vaga. Número de Vagas. Cargo. Pré-requisitos. Reitoria Cargos de Nível D

ANEXO II. Regime de Trabalho. Código da Vaga. Número de Vagas. Cargo. Pré-requisitos. Reitoria Cargos de Nível D SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL ANEXO II EDITAL N.º 09 DE 31 DE

Leia mais

VESTIBULAR 2015/1 INFORMAÇÕES SOBRE OS CURSOS

VESTIBULAR 2015/1 INFORMAÇÕES SOBRE OS CURSOS VESTIBULAR 2015/1 SELEÇÃO PARA CURSOS TECNICOS SUBSEQUENTES DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TOCANTINS 2015/1 INFORMAÇÕES SOBRE OS CURSOS CURSO TÉCNICO EM AGRIMENSURA Aprovado

Leia mais

EDITAL RETIFICADOR N 07, de 05 de novembro de 2010.

EDITAL RETIFICADOR N 07, de 05 de novembro de 2010. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO-IFMA CONCURSO PÚBLICO PARA CARGO DO MAGISTÉRIO DO ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO EDITAL RETIFICADOR N 07, de

Leia mais

Conteúdo Programático

Conteúdo Programático MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO COMISSÃO REGIONAL DE OBRA / 5 Processo de Seleção do Cadastro de Reserva de Vagas 2015/2016 EST/EBST Conteúdo Programático ENGENHARIA CIVIL Controle, Orçamentação

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR

ESTRUTURA CURRICULAR ESTRUTURA CURRICULAR O currículo proposto busca atender além do perfil do formando, também competências e habilidades necessárias ao profissional para garantir uma boa formação tanto teórica quanto prática

Leia mais

07/02/2014. Professor

07/02/2014. Professor UniSALESIANO Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium Curso de Engenharia Disciplina: Introdução à Engenharia Aspectos Gerais sobre a Eng. Eng. Dr. André Luís Gamino Professor Aspectos Gerais da

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE

ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PROJETO DE FUNDAÇÕES Todo projeto de fundações

Leia mais

CURSO TÉCNICO DE EDIFICAÇÕES. Disciplina: Projeto de Estruturas. Aula 7

CURSO TÉCNICO DE EDIFICAÇÕES. Disciplina: Projeto de Estruturas. Aula 7 AULA 7 CURSO TÉCNICO DE EDIFICAÇÕES Disciplina: Projeto de Estruturas CLASSIFICAÇÃO DAS ARMADURAS 1 CLASSIFICAÇÃO DAS ARMADURAS ALOJAMENTO DAS ARMADURAS Armadura longitudinal (normal/flexão/torção) Armadura

Leia mais

CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

CURSO DE ENGENHARIA CIVIL 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS Rua Dorval Luz, n 123 Bairro BRUSQUE Santa Terezinha 88352-400 (SC) Caixa Postal 1501 Brusque SC 2011 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INTRODUÇÃO AO CÁLCULO... 4 02 DESENHO

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL PRIMEIRO PERÍODO Calculo I 4 72 60 - Geometria Analítica 4 72 60 - Introdução a Engenharia Civil 4 72 60 - Metodologia Cientifica 4 72 60 - Filosofia Geral

Leia mais

MEMO Nº 022/ENG/IFC/2010 Blumenau, 15 de julho de 2010. Do: Departamento de Engenharia do Instituto Federal Catarinense

MEMO Nº 022/ENG/IFC/2010 Blumenau, 15 de julho de 2010. Do: Departamento de Engenharia do Instituto Federal Catarinense MEMO Nº 022/ENG/IFC/2010 Blumenau, 15 de julho de 2010. Ao: Pró Reitor de Desenvolvimento Institucional ANTÔNIO A. RAITANI JÚNIOR Do: Departamento de Engenharia do Instituto Federal Catarinense Assunto:

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS A respeito das especificações de materiais, julgue os itens a seguir. 51 Os cimentos CP III cimentos portland de alto-forno e CP IV cimento portland pozolânico são menos porosos e resistentes, sendo ideais

Leia mais

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL DE ILHA SOLTEIRA ILHA SOLTEIRA

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL DE ILHA SOLTEIRA ILHA SOLTEIRA ILHA SOLTEIRA REQUISITOS PARA INSCRIÇÕES AO PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES, OBJETIVANDO A FORMAÇÃO DE CADASTRO PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE EXCEPCIONAL INTERESSE PÚBLICO, Nº 065/09/2015 de 19/10/2015.

Leia mais

CÁLCULO DE DUAS VARIAVEIS

CÁLCULO DE DUAS VARIAVEIS CÁLCULO DE DUAS VARIAVEIS CIÊNCIA E TECNOLOGIA DOS MATERIAIS ÓTICA, ONDAS E ELETROMAGNETISMO QUÍMICA GERAL E EXPERIMENTAL ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN 2016.1 Eng. Civil- Campus Mossoró) 3ª série Funções

Leia mais

EXECUÇÃO DA ESTRUTURA DE CONCRETO Resumo dos requisitos de atendimento à NBR 15575/ 14931 Execução de estruturas de concreto

EXECUÇÃO DA ESTRUTURA DE CONCRETO Resumo dos requisitos de atendimento à NBR 15575/ 14931 Execução de estruturas de concreto EXECUÇÃO DA ESTRUTURA DE CONCRETO Resumo dos requisitos de atendimento à NBR 15575/ 14931 Execução de estruturas de concreto Item a ser atendido Exigência de norma Conforme / Não Conforme Área Impacto

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR Engenharia Civil início 1º Semestre de 2012

ESTRUTURA CURRICULAR Engenharia Civil início 1º Semestre de 2012 ESTRUTURA CURRICULAR Engenharia Civil início 1º Semestre de 2012 1º Período - - 1.1 Metodologia Científica - 40 40 - - 1.2 Geometria Analítica e Álgebra Linear - 80 80 - - 1.3 Química Geral 20 60 80 -

Leia mais

CEFET-MG Concurso Público EBTT 2013 AGENDAMENTO DE DATAS DA ETAPA DA PROVA ESCRITA EPE

CEFET-MG Concurso Público EBTT 2013 AGENDAMENTO DE DATAS DA ETAPA DA PROVA ESCRITA EPE CEFET-MG Concurso Público EBTT 23 AGENDAMENTO DE DATAS DA ETAPA DA PROVA ESCRITA EPE De acordo com o item 3.3.1.2 do de Normas Gerais 077/13 de 21 de junho de 23, havendo compatibilidade de cronograma

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ

INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ RETIFICAÇÃO Nº 08 DO EDITAL Nº 12/2015 DO IFPR CONCURSO DE DOCENTE O Reitor Substituto do INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ IFPR, no uso da competência que lhe confere a Portaria

Leia mais

1.1 DEFINIÇÕES Concreto é um material de construção proveniente da mistura, em proporção adequada, de: aglomerantes, agregados e água.

1.1 DEFINIÇÕES Concreto é um material de construção proveniente da mistura, em proporção adequada, de: aglomerantes, agregados e água. ESTRUTURAS DE CONCRETO CAPÍTULO 1 Libânio M. Pinheiro; Cassiane D. Muzardo; Sandro P. Santos Março de 2004 INTRODUÇÃO Este é o capítulo inicial de um curso cujos objetivos são: os fundamentos do concreto;

Leia mais

TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO CIVIL

TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO CIVIL TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO CIVIL 1. TURNO: Noturno GRAU ACADÊMICO: Tecnólogo em Construção Civil PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos Máximo = 7 anos 2. OBJETIVO/PERFIL DO PROFISSIONAL A SER FORMADO Objetivo

Leia mais

Blumenau, maio de 2010.

Blumenau, maio de 2010. INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE ORÇAMENTOS E CRONOGRAMAS Blumenau, maio de 2010. 1. RESUMO... 3 2. OBJETIVO... 3 3. INTRODUÇÃO... 3 4. COMPOSIÇÃO DO ORÇAMENTO... 4 4.1. SERVIÇOS PRELIMINARES/TÉCNICOS...

Leia mais

ENGENHARIA CIVIL. Campus Regional de Umuarama. 1. TURNO: Integral HABILITAÇÃO: Bacharelado. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos

ENGENHARIA CIVIL. Campus Regional de Umuarama. 1. TURNO: Integral HABILITAÇÃO: Bacharelado. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos ENGENHARIA CIVIL Campus Regional de Umuarama 1. TURNO: Integral HABILITAÇÃO: Bacharelado GRAU ACADÊMICO: Engenheiro Civil PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos Máximo = 9 anos 2. HISTÓRICO DO CURSO O Projeto

Leia mais

C o n s t r u t o r a

C o n s t r u t o r a C o n s t r u t o r a Trabalhamos em todo território nacional, com equipes qualificadas, supervisão diária, trazendo qualidade, preço, prazo e excelência em sua obra. Clientes Principais Serviços Projetos

Leia mais

TÉCNICO EM EDIFICAÇÕES

TÉCNICO EM EDIFICAÇÕES TÉCNICO EM EDIFICAÇÕES CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1. Aplicação de softwares na confecção de textos, planilhas, e projetos. 2. Interpretação e desenvolvimento de desenhos técnicos e de projetos arquitetônicos

Leia mais

ANEXO LISTA DOS CURSOS DE GRADUAÇÂO ELEGIVEIS PELO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS

ANEXO LISTA DOS CURSOS DE GRADUAÇÂO ELEGIVEIS PELO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS ANEXO LISTA DOS CURSOS DE GRADUAÇÂO ELEGIVEIS PELO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS Agricultura Sustentável Agrimensura Agroecologia Agroindústria Agroindústria - Alimentos Agroindústria - Madeira Agronegócio

Leia mais

Roccato. Um guia para construir oque é necessário antes de começar a obra. Documentos obrigatórios Licenças, ART s, Projetos e Profissionais

Roccato. Um guia para construir oque é necessário antes de começar a obra. Documentos obrigatórios Licenças, ART s, Projetos e Profissionais Um guia para construir oque é necessário antes de começar a obra Documentos obrigatórios Licenças, ART s, Projetos e Profissionais Aprovações necessárias Copel, Sanepar, Prefeitura, Bombeiros Descubra

Leia mais

PROCEDIMENTOS RECOMENDADOS DA QUALIDADE DE CONCRETO DE CIMENTO PORTLAND

PROCEDIMENTOS RECOMENDADOS DA QUALIDADE DE CONCRETO DE CIMENTO PORTLAND PROCEDIMENTOS RECOMENDADOS PARA O CONTROLE TECNOLÓGICO E DA QUALIDADE DE CONCRETO DE CIMENTO PORTLAND Engº.. Roberto José Falcão Bauer JUNHO / 2006 SUMÁRIO 1. DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO 2. PREMISSAS VISANDO

Leia mais

CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

CURSO DE ENGENHARIA CIVIL 1 MATRIZ CURRICULAR 2016.1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2015 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 DESENHO TÉCNICO... 4 02 FÍSICA GERAL... 4 03 INTRODUÇÃO À ENGENHARIA CIVIL... 4 04 INTRODUÇÃO AO CÁLCULO...

Leia mais

Aula 4 : Desenho de Estruturas

Aula 4 : Desenho de Estruturas Aula 4 : Desenho de Estruturas Índice: UNIDADE 4 DESENHO DE ESTRUTURAS 4.1 Introdução; Fundações: - São elementos estruturais cuja função é a transferência de cargas da estrutura para a camada resistente

Leia mais

AUXILIAR DOCENTE Atualizado em maio/2011

AUXILIAR DOCENTE Atualizado em maio/2011 AUXILIAR DOCENTE Atualizado em maio/2011 RELAÇÃO DE REQUISITOS MÍNIMOS PARA INGRESSO NO EMPREGO PÚBLICO PERMANENTE DE AUXILIAR DOCENTE I Este documento tem por finalidade apresentar os requisitos de titulação

Leia mais

Autorizado pela Portaria nº 1.205 de 27/08/10 DOU Nº 166 de 30/08/10

Autorizado pela Portaria nº 1.205 de 27/08/10 DOU Nº 166 de 30/08/10 C U R S O D E A R Q U I T E T U R A E U R B A N I S M O Autorizado pela Portaria nº 1.205 de 27/08/10 DOU Nº 166 de 30/08/10 Componente Curricular: TÉCNICAS DE EDIFICAÇÕES II Código: ARQ 055 Pré-requisito:

Leia mais

CATÁLOGO AUXILIAR DOCENTE

CATÁLOGO AUXILIAR DOCENTE CATÁLOGO DE AUXILIAR DOCENTE Atualizado em Novembro/2015 RELAÇÃO DE REQUISITOS MÍNIMOS PARA INGRESSO NO EMPREGO PÚBLICO PERMANENTE DE AUXILIAR DOCENTE I Este documento tem por finalidade apresentar os

Leia mais

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS PONTOS PARA CONCURSO PÚBLICO DE DOCENTES DO ENSINO SUPERIOR EDITAL 001/2009 Matéria/Área do Conhecimento: MATEMÁTICA 1. Transformações Lineares e Teorema do Núcleo

Leia mais

AMPLIAÇÃO ESCOLA DO JARDIM YPE

AMPLIAÇÃO ESCOLA DO JARDIM YPE AMPLIAÇÃO ESCOLA DO JARDIM YPE LUIZA DE LIMA TEIXEIRA PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOÃO DA BOA VISTA SP. PROJETO ESTRUTURAL 1 I - MEMORIAL DESCRITIVO DE CIVIL ESTRUTURAL 1 - Serviços Iniciais: ESPECIFICAÇÕES

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE

ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL Definição de solo Ciências aplicadas Contexto

Leia mais

ANEXO I - DOS CARGOS, DA FORMAÇÃO E DA HABILITAÇÃO

ANEXO I - DOS CARGOS, DA FORMAÇÃO E DA HABILITAÇÃO ANEXO I - DOS CARGOS, DA FORMAÇÃO E DA HABILITAÇÃO Administração/Logística Psicologia das Relações Humanas; Liderança e Gestão de Equipes; Professor de Psicologia Doutorado em Psicologia Enfermagem Segurança

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS - ESCOLA DE ENGENHARIA ENGENHARIA CIVIL - 1º. SEMESTRE LETIVO DE 2013. 1º período

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS - ESCOLA DE ENGENHARIA ENGENHARIA CIVIL - 1º. SEMESTRE LETIVO DE 2013. 1º período 1º período EMC013 Desenho Projetivo para Engenharia A 6ª 09:25 11:55 1162 - BL 4 B 5ª 07:30 10:00 1162 - BL 4 C 5ª 10:15 12:45 1162 - BL 4 ENG011 Introdução à Engenharia Civil A 4ª 09:25 11:05 1165 - BL

Leia mais

QUADRO DE TITULAÇÃO VERIFIQUE NO QUADRO OS COMPONENTES POSSÍVEIS COM BASE NA SUA TITULAÇÃO ELETRÔNICA INTEGRADO

QUADRO DE TITULAÇÃO VERIFIQUE NO QUADRO OS COMPONENTES POSSÍVEIS COM BASE NA SUA TITULAÇÃO ELETRÔNICA INTEGRADO 1 QUADRO DE TITULAÇÃO VERIFIQUE NO QUADRO OS COMPONENTES POSSÍVEIS COM BASE NA SUA TITULAÇÃO ELETRÔNICA INTEGRADO DISCIPLINAS Dispositivos Semicondutores de Potência (Eletrônica Integrado) GRADUAÇÕES Eletroeletrônica

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS ENGENHARIA CIVIL

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS ENGENHARIA CIVIL CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS ENGENHARIA CIVIL 26. Os encargos sociais sobre a mão de obra são encargos obrigatórios exigidos pelas Leis Trabalhistas e Previdenciárias ou resultados de Acordos Sindicais adicionados

Leia mais

PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES, NOS TERMOS DO COMUNICADO CEETEPS N 1/2009, E SUAS ALTERAÇÕES.

PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES, NOS TERMOS DO COMUNICADO CEETEPS N 1/2009, E SUAS ALTERAÇÕES. ETEC DOUTORA RUTH CARDOSO, SÃO VICENTE. PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES, NOS TERMOS DO COMUNICADO CEETEPS N 1/2009, E SUAS ALTERAÇÕES. AVISO N 194/05/2015 DE 23/09/2015 PROCESSO Nº 3705/2015 AVISO DE DEFERIMENTO

Leia mais

Data da mudança de nome. Nome Pós Catálogo de Cursos. 2º semestre de 2004 22/01/2009. 2º semestre de 2004 08/03/2009. 2º semestre de 2004 22/01/2009

Data da mudança de nome. Nome Pós Catálogo de Cursos. 2º semestre de 2004 22/01/2009. 2º semestre de 2004 08/03/2009. 2º semestre de 2004 22/01/2009 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional PR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Curitiba. de Tecnologia em: - Eletrotécnica

Leia mais

2.1. Considerações Gerais de Lajes Empregadas em Estruturas de Aço

2.1. Considerações Gerais de Lajes Empregadas em Estruturas de Aço 23 2. Sistemas de Lajes 2.1. Considerações Gerais de Lajes Empregadas em Estruturas de Aço Neste capítulo são apresentados os tipos mais comuns de sistemas de lajes utilizadas na construção civil. 2.1.1.

Leia mais

VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP

VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ GABINETE DA REITORIA EDITAL Nº 07/2013 CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR EFETIVO ANEXO I VAGAS POR ÁREA DE CONHECIMENTO VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP 101-Área de

Leia mais

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO 1 CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO EMENTÁRIO E BIBLIOGRAFIA DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2011 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 DESENHO DE OBSERVAÇÃO E CROQUIS... 4 02 METODOLOGIA CIENTÍFICA... 4 03 CÁLCULO DIFERENCIAL

Leia mais

Referências Bibliográficas: Livros didáticos do Ensino Fundamental e/ou Médio.

Referências Bibliográficas: Livros didáticos do Ensino Fundamental e/ou Médio. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1.1 - LÍNGUA PORTUGUESA (para todos os cargos): a) Ortografia (escrita correta das palavras). Divisão silábica. Pontuação. Acentuação gráfica. Flexão do substantivo (gênero masculino

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO OPERACIONAL PARA SERVIÇOS DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E URBANISMO

PROGRAMA DE APOIO OPERACIONAL PARA SERVIÇOS DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E URBANISMO PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE HABITAÇÃO Superintendência de Urbanismo e Produção Habitacional Coordenação de Projetos PROGRAMA DE APOIO OPERACIONAL PARA SERVIÇOS DE ENGENHARIA,

Leia mais

UMIDADES E IMPERMEABILIZAÇÕES

UMIDADES E IMPERMEABILIZAÇÕES 200888 Técnicas das Construções I UMIDADES E IMPERMEABILIZAÇÕES Prof. Carlos Eduardo Troccoli Pastana pastana@projeta.com.br (14) 3422-4244 AULA 5 o Impermeabilização é a proteção das construções contra

Leia mais

VAGAS AC PCD Araguaína/CIMBA 2 - Araguaína/EMVZ 2 - Arraias 1 - Gurupi 2 - Palmas 8 1 Tocantinópolis 2 - Araguaína/CIMBA 1 - Palmas 1 -

VAGAS AC PCD Araguaína/CIMBA 2 - Araguaína/EMVZ 2 - Arraias 1 - Gurupi 2 - Palmas 8 1 Tocantinópolis 2 - Araguaína/CIMBA 1 - Palmas 1 - MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS / UFT CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS EFETIVOS DA CARREIRA DE TÉCNICOADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO EDITAL N.º 012/2014 (publicado

Leia mais

CAPÍTULO III SISTEMAS ESTRUTURAIS CONSTRUÇÕES EM ALVENARIA

CAPÍTULO III SISTEMAS ESTRUTURAIS CONSTRUÇÕES EM ALVENARIA 1 CAPÍTULO III SISTEMAS ESTRUTURAIS CONSTRUÇÕES EM ALVENARIA I. SISTEMAS ESTRUTURAIS Podemos citar diferentes sistemas estruturais a serem adotados durante a concepção do projeto de uma edificação. A escolha

Leia mais

CONVOCAÇÃO: Dispensada nos termos do 2º do artigo 71, e do 4º do artigo 124, da Lei nº 6.404/76.

CONVOCAÇÃO: Dispensada nos termos do 2º do artigo 71, e do 4º do artigo 124, da Lei nº 6.404/76. ATA DA SEGUNDA ASSEMBLEIA GERAL DE TITULARES DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS DA 267ª SÉRIE DA 1ª EMISSÃO DA BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZAÇÃO ("CRI"), REALIZADA EM 03 DE JULHO

Leia mais

FACULDADE BARÃO DE RIO BRANCO UNINORTE CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA - TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO 1 (AULA 07) WILLIAN ABREU

FACULDADE BARÃO DE RIO BRANCO UNINORTE CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA - TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO 1 (AULA 07) WILLIAN ABREU FACULDADE BARÃO DE RIO BRANCO UNINORTE CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA - TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO 1 (AULA 07) ESTRUTURAS EM CONCRETO ARMADO VANTAGENS E DESVANTAGENS DO CONCRETO ARMADO: Apenas

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS. CURRÍCULO 4/803 - Ingresso Vestibular a partir de 2007/1

EMENTAS DAS DISCIPLINAS. CURRÍCULO 4/803 - Ingresso Vestibular a partir de 2007/1 EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURRÍCULO 4/803 - Ingresso Vestibular a partir de 2007/1 NÍVEL I 4111W - 04 Matemática para Arquitetura Ementa: Fundamentos do Cálculo Diferencial, Cálculo Integral e Geometria

Leia mais

PATOLOGIAS EM ALVENARIA DE BLOCOS CERÂMICOS (2011) 1

PATOLOGIAS EM ALVENARIA DE BLOCOS CERÂMICOS (2011) 1 PATOLOGIAS EM ALVENARIA DE BLOCOS CERÂMICOS (2011) 1 RUBIN, Ariane P. 2 ; CERVO, Fernanda 3 ; PALMA, Cleomar 4 ; ALMEIDA, Leonardo 5 ; QUERUZ, Francisco 6 1 Trabalho de Pesquisa _UNIFRA 2 Curso de Arquitetura

Leia mais

PRIMEIRO PERÍODO EMENTA. A comunicação e seus elementos; conceituar, compreender e interpretar os conceitos de linguagem, língua, fala e discurso;

PRIMEIRO PERÍODO EMENTA. A comunicação e seus elementos; conceituar, compreender e interpretar os conceitos de linguagem, língua, fala e discurso; PRIMEIRO PERÍODO CÓDIGO 1749 PERÍODO 1º CARGA HORÁRIA 60h DISCIPLINA Língua Portuguesa I A comunicação e seus elementos; conceituar, compreender e interpretar os conceitos de linguagem, língua, fala e

Leia mais

LEI Nº 1822, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2014. Revoga o Anexo I, e altera os Anexos II e III da Lei Municipal n 1.215/2009, e dá outras providências.

LEI Nº 1822, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2014. Revoga o Anexo I, e altera os Anexos II e III da Lei Municipal n 1.215/2009, e dá outras providências. LEI Nº 1822, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2014. Revoga o Anexo I, e altera os Anexos II e III da Lei Municipal n 1.215/2009, e dá outras providências. O Sr. Adriano Xavier Pivetta, Prefeito de Nova Mutum, Estado

Leia mais

DIRETORIA DE GESTÃO DE PESSOAS EDITAL Nº 08/DGP-IFCE/2012 PROCESSO SELETIVO PARA REMOÇÃO DE SERVIDORES DOCENTES ENTRE OS CAMPI DO IFCE

DIRETORIA DE GESTÃO DE PESSOAS EDITAL Nº 08/DGP-IFCE/2012 PROCESSO SELETIVO PARA REMOÇÃO DE SERVIDORES DOCENTES ENTRE OS CAMPI DO IFCE DIRETORIA GESTÃO PESSOAS EDITAL Nº 08/DGP-IFCE/0 PROCESSO SELETIVO PARA REMOÇÃO SERVIDORES DOCENTES ENTRE OS CAMPI DO IFCE RETIFICAÇÃO Onde se lê: 4. A Comissão Organizadora examinará as informações do

Leia mais

Definições. Armação. Armação ou Armadura? Armação: conjunto de atividades relativas à preparação e posicionamento do aço na estrutura.

Definições. Armação. Armação ou Armadura? Armação: conjunto de atividades relativas à preparação e posicionamento do aço na estrutura. Definições Armação ou Armadura? Armação: conjunto de atividades relativas à preparação e posicionamento do aço na estrutura. Armadura: associação das diversas peças de aço, formando um conjunto para um

Leia mais

http://www.revistatechne.com.br/engenharia-civil/109/imprime31727.asp Figura 1 - Corte representativo dos sistemas de lajes treliçadas

http://www.revistatechne.com.br/engenharia-civil/109/imprime31727.asp Figura 1 - Corte representativo dos sistemas de lajes treliçadas 1 de 9 01/11/2010 23:26 Como construir Lajes com EPS Figura 1 - Corte representativo dos sistemas de lajes treliçadas As lajes tipo volterrana abriram a trajetória das lajes pré-moldadas. O sistema utiliza

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR DA ENGENHARIA CIVIL

ESTRUTURA CURRICULAR DA ENGENHARIA CIVIL CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR COORDENADORIA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO ESTRUTURA CURRICULAR DA ENGENHARIA

Leia mais

Telas Soldadas Nervuradas

Telas Soldadas Nervuradas Telas Soldadas Nervuradas Telas Soldadas Nervuradas Belgo Qualidade As Telas Soldadas de Aço Nervurado são armaduras pré-fabricadas constituídas por fios de aço Belgo 60 Nervurado, longitudinais e transversais,

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS A primeira etapa do processo de construção de edifícios e obras civis, após a criação, desenho e aprovação do projeto de uma obra é denominada serviços preliminares. Esta fase

Leia mais

KEPLER ROCHA PASCOAL Engenheiro Civil 98-8833-6064 - kepler@franere.com.br

KEPLER ROCHA PASCOAL Engenheiro Civil 98-8833-6064 - kepler@franere.com.br VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO 2a. parte: ECONÔMICA-ESTUDO DE CASO KEPLER ROCHA PASCOAL Engenheiro Civil 98-8833-6064 - kepler@franere.com.br UNIVERSIDADE

Leia mais

Memorial Descritivo Condomínio Residencial Renascer

Memorial Descritivo Condomínio Residencial Renascer Memorial Descritivo Memorial Descritivo Condomínio Residencial Renascer Um novo tempo. Sua nova vida. Incorporação e Construção: JDC Engenharia Ltda Empreendimento: Construção de 2 torres residenciais,

Leia mais

Tecnologia da Construção I CRÉDITOS: 4 (T2-P2)

Tecnologia da Construção I CRÉDITOS: 4 (T2-P2) UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO DECANATO DE ENSINO DE GRADUAÇÃO DEPARTAMENTO DE ASSUNTOS ACADÊMICOS E REGISTRO GERAL DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS PROGRAMA ANALÍTICO DISCIPLINA CÓDIGO: IT836

Leia mais

CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO (CAD):

CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO (CAD): CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO (CAD): aplicação nas construtoras EVOLUÇÃO DA RESISTÊNCIA 2000 2002 1940 1990 25 MPa 45 MPa 125 MPa 16 MPa O QUE É? Concreto com propriedades - resistência e durabilidade -

Leia mais

FEAMIG FACULDADE DE ENGENHARIA DE MINAS GERAIS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINAS PERIODIZAÇÃO - EMENTAS

FEAMIG FACULDADE DE ENGENHARIA DE MINAS GERAIS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINAS PERIODIZAÇÃO - EMENTAS FEAMIG FACULDADE DE ENGENHARIA DE MINAS GERAIS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINAS PERIODIZAÇÃO - EMENTAS CÁLCULO I DISCIPLINAS DO 1 PERÍODO 6 0 6 108 0 108 90 0 90 Ementa: O conjunto dos números Reais.

Leia mais

ABNT NBR 15575 Edifícios habitacionais de até 5 (cinco) pavimentos Norma de Desempenho. Perícias judiciais

ABNT NBR 15575 Edifícios habitacionais de até 5 (cinco) pavimentos Norma de Desempenho. Perícias judiciais ABNT NBR 15575 Edifícios habitacionais de até 5 (cinco) pavimentos Norma de Desempenho Perícias judiciais IBAPE SP - AGOSTO 2011 1 NORMAS TÉCNICAS Zona de fronteira Direito Engenharia 2 Norma de Desempenho

Leia mais

1º período. 2º período

1º período. 2º período 1º período Eixo Disciplina CH Pré-requisito Correquisito (C) 1 Cálculo I 90 9 Contexto Social e Profissional do Engenheiro Civil 30 7 Desenho Técnico 30 1 Geometria Analítica e Álgebra Vetorial 90 2 Laboratório

Leia mais

Soluções em Lajes Alveolares

Soluções em Lajes Alveolares Soluções em Lajes Alveolares Oferecer Soluções Inovadoras e bom atendimento é o nosso compromisso Presente no mercado da construção civil desde de 1977, o Grupo Sistrel vem conquistando o mercado brasileiro

Leia mais

FORMULAS PARA CÁLCULO DO VALOR VENAL DO IMÓVEL

FORMULAS PARA CÁLCULO DO VALOR VENAL DO IMÓVEL TABELA I CÁLCULO DO IMPOSTO PREDIAL E TERRITORIAL URBANO - IPTU (FÓRMULA) FORMULAS PARA CÁLCULO DO VALOR VENAL DO IMÓVEL IT DESCRIÇÃO E M 01 Fórmula para cálculo do valor venal do imóvel VVI = VVT + VVE,

Leia mais

ANEXO DA DECISÃO Nº PL-0573/2010 TABELA DE CONVERGÊNCIA DE TÍTULOS PROFISSIONAIS NÍVEL GRADUAÇÃO

ANEXO DA DECISÃO Nº PL-0573/2010 TABELA DE CONVERGÊNCIA DE TÍTULOS PROFISSIONAIS NÍVEL GRADUAÇÃO ANEXO DA DECISÃO Nº PL-0573/2010 TABELA DE CONVERGÊNCIA DE TÍTULOS PROFISSIONAIS NÍVEL GRADUAÇÃO CONFEA, ANEXA À Engenheiro Construtor Engenheiro Civil 111-02-00 Engenheiro Civil Opção Estradas e Edificações

Leia mais

O DESEMBARGADOR-PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 18ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

O DESEMBARGADOR-PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 18ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, 1756/2015 - Quinta-feira, 25 de Junho de 2015 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 1 PODER JUDICIÁRIO DA UNIÃO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 18ª REGIÃO PORTARIA TRT 18ª GP/DG/SGPe Nº 199/2015

Leia mais

BARRAGENS DE TERRA E DE ENROCAMENTO AULA 1. Prof. Romero César Gomes - Departamento de Engenharia Civil /UFOP

BARRAGENS DE TERRA E DE ENROCAMENTO AULA 1. Prof. Romero César Gomes - Departamento de Engenharia Civil /UFOP BARRAGENS DE TERRA E DE ENROCAMENTO AULA 1 Prof. Romero César Gomes - Departamento de Engenharia Civil /UFOP Conceitos Gerais As barragens convencionais são estruturas construídas transversalmente aos

Leia mais

Relatório de Acompanhamento de obra

Relatório de Acompanhamento de obra Prezado(a) Sr. Daniel e Maria Carolina, Relatório de Acompanhamento de obra Na etapa que segue, a conclusão da alvenaria do térreo foi o foco dos trabalhos. Toda a parte de estrutura da alvenaria mais

Leia mais

EDITAL Nº 001.1/2013 CCP IFMS

EDITAL Nº 001.1/2013 CCP IFMS EDITAL Nº 0.1/23 CCP IFMS CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS PARA O PROVIMENTO DE CARGOS TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS PARA O INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATO GROSSO DO SUL (IFMS) O REITOR

Leia mais