DIRETRIZES PARA UMA METODOLOGIA DE PROJETO DE IMPERMEABILIZAÇÃO DE PISOS DO PAVIMENTO TIPO DE EDIFÍCIOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DIRETRIZES PARA UMA METODOLOGIA DE PROJETO DE IMPERMEABILIZAÇÃO DE PISOS DO PAVIMENTO TIPO DE EDIFÍCIOS"

Transcrição

1 DIRETRIZES PARA UMA METODOLOGIA DE PROJETO DE IMPERMEABILIZAÇÃO DE PISOS DO PAVIMENTO TIPO DE EDIFÍCIOS Julio Cesar Sabadini de Souza Escola Politécnica da USP - Av. Prof. Almeida Prado, Trav. 2, nº PCC CEP , São Paulo - SP fone (011) , fax (011) Silvio Burrattino Melhado Escola Politécnica da USP - Av. Prof. Almeida Prado, Trav. 2, nº PCC CEP , São Paulo - SP fone (011) , fax (011) ABSTRACT The aim of this paper is to analyse the design of wet area waterproofing in buildings. The paper presents design guidelines to waterproofing systems to suspended internal floors of buildings considering the building as a whole, leading to a better quality level of these systems Palavras chave: waterproofing, design, internal floors 1 INTRODUÇÃO Recentemente, o país tem sofrido modificações de mercado, traduzidas por um maior nível de competitividade entre as empresas. Essa maior competitividade é decorrente, entre outros fatores, de um grande número de transformações econômicas e políticas atingindo as empresas de todos os setores da economia, e, em especial, as do setor da construção civil. Como afirma CARDOSO (1993): se num passado não muito distante, privilegiava-se os aspectos não produtivos das operações, e ser eficiente significava fundamentalmente bem gerir a carteira comercial e os recursos financeiros, a nova realidade do mercado traz um novo quadro: para um construtor ser eficiente significa agora construir melhor, da maneira mais econômica e o mais rapidamente possível. Essas mudanças de mercado, juntamente com mudanças culturais - que estão tornando o usuário cada vez mais exigente - têm levado as empresas a buscarem maior nível de competitividade com melhoria da qualidade e do desempenho dos seus produtos. Segundo PETERSEN DE SOUZA; FORMOSO (1993) (...) a preocupação em relação à melhoria da eficiência do processo construtivo e, em relação à qualidade do produto final tem provocado iniciativas de reestruturação empresarial e de modernização do processo produtivo por algumas empresas do setor. Dentro desse contexto, considera-se que o projeto pode assumir papel de grande importância para a busca de maior qualidade dos produtos da construção civil. Dessa maneira, a existência de projetos adequadamente elaborados e inseridos em um contexto de medidas que objetivem a formação da mão-de-obra e o controle da produção, é capaz de

2 tornar o processo de produção mais rápido e eficiente, com a diminuição de desperdícios, retrabalhos e adaptações em canteiro, juntamente com um significativo aumento da produtividade e da qualidade do produto final. De fato, como afirma COVELO SILVA (1995), as soluções adotadas na etapa de projeto têm amplas repercussões em todo o processo da construção e na qualidade do produto final a ser entregue ao cliente sendo que, durante o projeto, podem ocorrer as maiores possibilidades de modificações do produto com os menores custos advindos dessas modificações (CII, 1987). A importância do projeto na busca da melhoria da eficiência é mais evidente quando se verifica que o mesmo é apontado como o responsável por 20% dos custos de falhas internas (falhas que acontecem antes da entrega do produto) e por 51% dos custos de falhas externas (falhas que ocorrem após a entrega do produto) como afirmam HAMMARLUND; JOSEPHSON (1992), ao apresentarem os resultados de uma pesquisa realizada na Suécia. PICCHI (1993) apresenta uma estimativa de que cerca de 6% do desperdício na construção civil está ligado a decisões tomadas na etapa de projeto, o que o autor chama de projetos não otimizados. No entanto, MELHADO (1994) ao comentar essa estimativa, acrescenta que esse percentual deve ser mais elevado à medida que alguns dos itens apresentados podem estar ligados a especificações adotadas no projeto. O estudo do projeto de impermeabilização dos pisos do pavimento tipo se justifica pelo fato de que a impermeabilização constitui-se em um componente do subsistema vedação horizontal de grande importância para o desempenho, não somente daquele subsistema, mas também do edifício, já que está diretamente relacionado ao atendimento das exigências dos usuários relativas à estanqueidade, higiene, durabilidade e economia da edificação, sendo responsável, direta ou indiretamente, pela ocorrência de um elevado número de problemas patológicos. Além disso a impermeabilização é um componente cuja execução interfere e sofre a interferência de uma série de outros subsistemas do edifício. Assim, este trabalho tem como objetivo apresentar diretrizes para uma metodologia de projeto dos sistemas de impermeabilização dos pisos do pavimento tipo de edifícios buscando-se a sua coordenação com os demais projetos do edifício. 2 ELABORAÇÃO DO PROJETO DE IMPERMEABILIZAÇÃO 2.1 Etapas Nos trabalhos sobre projeto desenvolvidos na EPUSP, dentre os quais destacam-se MELHADO et al. (1995a,b e c), MELHADO et al. (1996) e SOUZA (1996), propõe-se que o projeto seja desenvolvido em duas fases: Primeira fase: INTERFACE COM AS DEMAIS DISCIPLINAS DE PROJETO; Segunda fase: INTERFACE COM A PRODUÇÃO. A primeira fase subdivide-se em duas etapas: elaboração do anteprojeto e detalhamento do projeto executivo enquanto que a segunda fase possui apenas uma etapa que é a elaboração do projeto para produção. Essa proposição feita nesses trabalhos será adotada para o projeto de impermeabilização de pisos do pavimento tipo que terá, portanto, três etapas para a sua elaboração: anteprojeto, detalhamento do projeto executivo e projeto para produção. O seqüenciamento dessas etapas e sua relação com os projetos dos demais subsistemas é mostrado na figura 1, adaptada de uma proposta feita por MELHADO et al. (1996).

3 ANTEPROJETOS Arquitetura Estruturas Sistemas prediais ANTEPROJETO DE IMPERMEABILIZAÇÃO Análise crítica DEMAIS ANTEPROJETOS laje racionalizada Seleção do sistema alvenaria de vedação Anteprojeto revestimento de piso COORDENAÇÃO revestimento vertical interface com as demais disciplinas de projeto Detalhamento do projeto executivo Projeto para produção COORDENAÇÃO interface com a produção ciclos iterativos Figura 1 Fluxograma do processo de elaboração do projeto de impermeabilização de pisos do pavimento tipo - adaptado de MELHADO et al. (1996) A figura 1 mostra o processo de elaboração do projeto de impermeabilização de pisos do pavimento tipo recebendo informações de outros anteprojetos (anteprojetos de arquitetura, estruturas e sistemas prediais) e fornecendo informações aos demais anteprojetos.

4 Pressupõe-se que os projetos dos demais subsistemas e elementos do edifício estejam sendo desenvolvidos segundo a mesma metodologia. 2.2 Projeto do produto Como projeto do produto considerar-se-á a definição das características do sistema de impermeabilização que será executado. Essas características compreendem a definição do sistema de impermeabilização com suas respectivas camadas, materiais empregados e detalhes construtivos. Para a definição dessas características o projeto do produto compreenderá a elaboração do anteprojeto e o detalhamento do projeto executivo Anteprojeto MELHADO (1994) afirma que o anteprojeto constitui-se na representação preliminar da solução adotada para o projeto, em forma gráfica e de especificações técnicas (...). Pela figura 1 verifica-se que o anteprojeto é elaborado segundo três subetapas: a) Análise crítica dos demais anteprojetos Para que o anteprojeto de impermeabilização de pisos do pavimento tipo possa ser iniciado, há a necessidade de se obter informações de outros anteprojetos: anteprojeto de arquitetura, anteprojeto e estruturas e anteprojeto de sistemas prediais (ver figura 1), analisando-se criticamente esses projetos. A análise crítica, na definição de MELHADO (1994), consiste na avaliação do projeto ou uma parte do mesmo, propondo alterações ou complementações, visando atender a uma dada diretriz ou atingir um dado objetivo - adequar características do produto, aumentar sua construtibilidade, reduzir custos ou prazos, otimizar métodos construtivos e racionalizar a produção, ou quaisquer outros que contribuam para a qualidade. MELHADO et al. (1996) estabelecem as informações que devem ser buscadas nos anteprojetos de arquitetura, estruturas e sistemas prediais, que são apresentados na tabela 1. ANTEPROJETO Anteprojeto de arquitetura Anteprojeto de estruturas Anteprojeto de sistemas prediais Tabela 1 INFORMAÇÕES A SEREM OBTIDAS desníveis entre os ambientes no nível do piso acabado especificação dos revestimentos de piso a serem empregados nas áreas impermeabilizadas posição de ralos existência de caimentos detalhes de soleiras, rebaixos e degraus especificação do tipo e fixação das esquadrias de portas de correr espessuras das lajes desníveis previstos nas lajes posicionamento de pilares tipo, posição e diâmetro das tubulações passantes pela laje tipo, posição e diâmetro dos ralos existentes nas áreas internas tipo, posição e diâmetro das tubulações de gás embutidas no contrapiso/regularização posicionamento de eletrodutos passantes pela laje e ao nível do rodapé Informações dos anteprojetos para a elaboração do anteprojeto de impermeabilização de pisos do pavimento tipo - MELHADO et al. (1996) Além dessas informações a serem obtidas dos anteprojetos os autores citam ainda a necessidade de se consultar os procedimentos de assentamento de revestimentos de piso para se conhecer a técnica de execução empregada para o assentamento dos revestimentos de piso especificados para as áreas a serem impermeabilizadas.

5 É também necessário terem definidas diretrizes para a análise crítica dos anteprojetos. Nesse sentido, MELHADO et al. (1996) apresentam algumas dessas diretrizes, conforme tabela 2. Essas diretrizes serão discutidas quando da reunião de coordenação de projeto, na qual serão apresentadas as sugestões de alterações nos demais anteprojetos, segundo as necessidades do projeto de impermeabilização. possibilidade de alteração das especificações dos revestimentos de piso possibilidade de alteração das especificações de fixação das esquadrias de porta possibilidade de alterar o caminhamento das instalações passantes pelo piso possibilidade de alterações na alvenaria possibilidade de alteração dos locais de passagem dos eletrodutos possibilidade de adoção de soleiras entre os ambientes Tabela 2 Diretrizes para a análise crítica dos anteprojetos - MELHADO et al. (1996) b) Seleção do sistema de impermeabilização Uma vez analisados os anteprojetos dos subsistemas e elementos necessários, parte-se para a seleção do sistema de impermeabilização a ser adotado para os pisos das áreas internas. É recomendável que, nessa fase, considere-se a possibilidade de utilização de mais de um sistema para que, na reunião de coordenação, haja a possibilidade de se discutir entre qual alternativa será adotada. c) Elaboração do anteprojeto de impermeabilização propriamente dito Uma vez selecionados os sistemas possíveis, parte-se para a elaboração propriamente dita do anteprojeto de impermeabilização de pisos do pavimento tipo. Esse projeto deve conter, segundo MELHADO et al. (1996) as seguintes informações: o sistema a ser adotado em cada uma das áreas internas molháveis; a espessura total do sistema de impermeabilização (incluindo-se a regularização); as alturas e espessuras necessárias dos eventuais rebaixos necessários na alvenaria para a execução dos rodapés; desníveis necessários para a laje; corte típico de cada sistema a ser empregado, identificando as camadas e suas respectivas espessuras mínimas e declividades; lista com os pontos críticos dos demais projetos que possam comprometer o sistema de impermeabilização, juntamente com as justificativas e as alterações propostas. Uma vez elaborado o anteprojeto de impermeabilização de pisos do pavimento tipo, assim como os outros anteprojetos de interesse, é feita uma reunião de coordenação na qual são discutidos os pontos conflitantes entre os projetos, pontos esses identificados tanto pelo projeto de impermeabilização quanto pelos demais projetos do edifício, como mostrado anteriormente na figura 1. Esses pontos são identificados a partir de uma análise crítica de todos os anteprojetos. Nesse sentido, MELHADO et al. (1996) propõe algumas diretrizes para que se faça a análise crítica do anteprojeto de impermeabilização de pisos do pavimento tipo. Essas diretrizes são apresentadas na tabela 3. Após essa primeira reunião de coordenação são feitas as alterações propostas, tanto no projeto de impermeabilização quanto nos demais projetos, partindo-se então para uma nova reunião. Esse ciclo é repetido tantas vezes quantas forem necessárias para a otimização do edifício como um todo.

6 verificar o número de soluções diferentes de impermeabilização de piso para um mesmo pavimento tipo e para o edifício como um todo verificar o número e a duração das esperas necessárias, entre a aplicação das camadas verificar a compatibilização do anteprojeto de impermeabilização com o projeto de estruturas do edifício, em especial com os pilares localizados na área a ser impermeabilizada, e também com relação aos desníveis necessários na laje discutir a facilidade de execução dos rebaixos na laje verificar a previsão da execução do rodapé da impermeabilização e a sua coordenação com os anteprojetos de alvenaria e revestimento vertical verificar a espessura total do sistema de impermeabilização Tabela 3 Diretrizes para a análise crítica do anteprojeto de impermeabilização de pisos do pavimento tipo - MELHADO et al. (1996) Detalhamento do projeto executivo Projeto executivo é entendido como a representação final e completa das edificações e seu entorno, na forma gráfica e de especificações técnicas e memoriais, suficientes para a perfeita compreensão do projeto, elaboração do orçamento e contratação das atividades de construção correspondentes (MELHADO, 1994). Nesse momento, os responsáveis por cada um dos projetos do edifício iniciará o seu detalhamento baseando-se nas informações obtidas dos demais anteprojetos, assim como das informações discutidas nas reuniões de coordenação realizadas. Podem ainda surgir conflitos entre os projetos não solucionados na etapa de anteprojeto. Dessa maneira, é necessária a realização de novas reuniões de coordenação para se discutir esses aspectos conflitantes entre os projetos. Iniciando-se então, um novo ciclo iterativo, como mostrado na figura 1, no qual são realizadas tantas reuniões quantas forem necessárias para a solução das interfaces entre os projetos Conteúdo e apresentação do projeto MELHADO et al. (1996) propõem um conjunto de informações que, segundo os autores, deve fazer parte do projeto de impermeabilização de pisos do pavimento tipo: planta do pavimento tipo, identificando os ambientes a serem impermeabilizados, com as especificações dos respectivos materiais e sistemas a serem empregados nesses ambientes; ampliação do ambiente, com suas principais dimensões, posições de ralos, tubos, eletrodutos e demais interferências; cortes dos ambientes, mostrando as camadas constituintes, com suas respectivas espessuras e declividades exigidas; detalhes dos rodapés, ralos, soleiras e batentes, quando estes forem fixados antes da execução da camada de impermeabilização; detalhes de fixação da grelha e encaixe do tubo prolongador dos ralos; posição e características dos detalhes a serem executados. 2.3 Projeto do processo de produção Após a elaboração do anteprojeto de impermeabilização e, simultaneamente ao detalhamento do projeto executivo, como mostrado na figura 1, é desenvolvido o projeto para produção que, na definição de MELHADO (1994) é o conjunto de elementos de projeto (...) para utilização no âmbito das atividades de produção em obra, contendo as definições de: disposição e seqüência das atividades de obra e frentes de serviço; uso de

7 equipamentos; arranjo e evolução do canteiro; dentre outros itens vinculados às características e recursos próprios da empresa construtora Conteúdo do projeto para produção Segundo MELHADO et al. (1996), o projeto para produção da impermeabilização de pisos do pavimento tipo deve conter as informações contidas na tabela 4. ETAPA Organização do canteiro de obras Antecedentes Aplicação das camadas Seqüência de execução Procedimentos que devem ser tomados após a execução Tabela 4 CONTEÚDO definição dos locais de estocagem dos materiais definição dos equipamentos utilizados para o transporte dos materiais, desde o local de estocagem até o local de aplicação definição de todas as providências que devem ser tomadas antes da execução propriamente dita definição da antecedência necessária para o transporte dos materiais até o local de utilização definição da antecedência necessária para o providenciamento dos equipamentos necessários isolamento das áreas a serem impermeabilizadas definição das argamassas de regularização e proteção quanto a materiais, traço, características mecânicas e forma de produção e dosagem definição da forma de produção e mistura dos materiais características superficiais das diversas camadas definição dos procedimentos a serem seguidos para a aplicação das diferentes camadas desde a preparação da base até a camada de revestimento definição dos prazos mínimos de espera entre a aplicação das camadas procedimentos e critérios de controle definição dos cuidados que devem ser tomados imediatamente após a execução da camada impermeável para que a mesma não sofra nenhum dano Conteúdo do projeto para produção de acordo com suas etapas - elaborado a partir de MELHADO et al. (1996) Apresentação e redefinição do projeto para produção O projeto para produção pode ser apresentado na forma de cadernos contendo as considerações efetuadas e também desenhos ilustrativos da execução em papel de tamanho adequado (A4 ou A3), de forma a poderem ser utilizados na obra. Como redefinição do projeto entende-se o conjunto dos procedimentos adotados, durante a execução, para se modificar o projeto de forma a possibilitar a execução de acordo com as características reais da obra. Foram listadas algumas características do projeto de impermeabilização que podem ser redefinidas a partir das variáveis apresentadas por LORDSLEEM Jr.; SOUZA (1995). Entre elas, pode-se citar: alterações de espessuras das camadas devido a erros de nivelamento da laje ou acabamento da laje, alteração da especificação dos materiais das diversas camadas do sistema de impermeabilização devido a disponibilidade no mercado, alteração de detalhes construtivos causados por erros de execução e alteração de métodos construtivos em razão de redefinições ocorridas anteriormente. 3 CONSIDERAÇÕES FINAIS Considera-se que existe, por parte de algumas empresas construtoras, uma certa preocupação em relação ao projeto de impermeabilização de pisos do pavimento tipo.

8 Essas iniciativas, pelo fato de não serem homogêneas, são pouco significativas, se for considerado todo o montante de empresas construtoras na cidade de São Paulo, sendo menos representativo ainda quando considerado todo o universo de empresas construtoras existentes no Brasil. Assim, pode-se afirmar que existem muitas iniciativas a serem tomadas com o objetivo de se conseguir maior evolução na tecnologia de produção de impermeabilização de pisos para o pavimento tipo dos edifícios e espera-se que este trabalho possa contribuir nesse sentido. 4 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS CARDOSO, F.F. Novos enfoques sobre a gestão da produção: como melhorar o desempenho das empresas de construção civil. In: ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO: Avanços em tecnologia e gestão da produção de edificações, São Paulo, Anais. São Paulo, EPUSP/ANTAC, v.2, p CONSTRUCTION INDUSTRY INSTITUTE. Constructability: a primer. 2ed. Austin, (CII publication, n.3-1 ). COVELO SILVA, M.A. Elementos para uma metodologia de gestão da qualidade do projeto. In: WORKSHOP - QUALIDADE DO PROJETO, São Paulo, Resumos. São Paulo, Escola Politécnica da USP, Departamento de Engenharia de Construção Civil, HAMMARLUND, Y.; JOSEPHSON, P.E. Qualidade: cada erro tem seu preço. Trad. de Vera M. C. Fernandes Hachich. Téchne, n.1, p.32-4, nov/dez LORDSLEEM Júnior, A.C.; SOUZA, J.C.S. Racionalização dos sistemas de impermeabilização. São Paulo, /Seminário apresentado no curso de pósgraduação da EPUSP. Datilografado/ MELHADO, S.B. Qualidade do projeto na construção de edifícios: aplicação ao caso das empresas de incorporação e construção. São Paulo, Tese (Doutorado) - Escola Politécnica, Universidade de São Paulo. MELHADO, S.B.; BARROS, M.M.S.B.; SOUZA, A.L.R. (a) Qualidade do projeto de edifícios: diretrizes para elaboração do projeto da laje racionalizada. São Paulo, EPUSP, (Relatório Técnico do Convênio EPUSP-CPqDCC/SCHAHIN CURY, Projeto EP/SC-01, n ) ----(b) Qualidade do projeto de edifícios: diretrizes para elaboração do projeto de alvenaria de vedação. São Paulo, EPUSP, (Relatório Técnico do Convênio EPUSP-CPqDCC/SCHAHIN CURY, Projeto EP/SC-01, n ) ----(c) Qualidade do projeto de edifícios: diretrizes para elaboração do projeto de revestimentos verticais argamassados e cerâmicos. São Paulo, EPUSP, (Relatório Técnico do Convênio EPUSP-CPqDCC/SCHAHIN CURY, Projeto EP/SC- 01, n ) MELHADO, S.B.; MEDEIROS, J.S.; SOUZA, J.C.S. Qualidade do projeto de edifícios: elaboração de procedimentos para projeto, execução e controle de impermeabilização de pisos e ambientes internos de edifícios. São Paulo, EPUSP, (Relatório Técnico do Convênio EPUSP-CPqDCC/SCHAHIN CURY, Projeto EP/SC-02, n ) PETERSEN DE SOUZA, F.; FORMOSO, C.T. Levantamento de estratégias de produção e aspectos de modernização em empresas de construção de edificações. In: SEMINÁRIO QUALIDADE NA CONSTRUÇÃO CIVIL: Gestão e Tecnologia, 2., Porto Alegre, Anais. Porto Alegre, NORIE/UFRGS, p

9 PICCHI, F.A. Sistemas de qualidade: uso em empresas de construção de edifícios. v.1. São Paulo, Tese (Doutorado) - Escola Politécnica, Universidade de São Paulo. SOUZA, A.L.R. O projeto para produção das lajes racionalizadas de concreto armado de edifícios. São Paulo, p. Dissertação (Mestrado) - Escola Politécnica, Universidade de São Paulo.

PARÂMETROS PARA SELEÇÃO E PROJETO DE IMPERMEABILIZAÇÃO DE PISOS DO PAVIMENTO TIPO DE EDIFÍCIOS

PARÂMETROS PARA SELEÇÃO E PROJETO DE IMPERMEABILIZAÇÃO DE PISOS DO PAVIMENTO TIPO DE EDIFÍCIOS PARÂMETROS PARA SELEÇÃO E PROJETO DE IMPERMEABILIZAÇÃO DE PISOS DO PAVIMENTO TIPO DE EDIFÍCIOS Julio Cesar Sabadini de Souza Escola Politécnica da USP - Av. Prof. Almeida Prado, Trav. 2, nº 271 - PCC CEP

Leia mais

QUALIDADE DO PROJETO NA CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS

QUALIDADE DO PROJETO NA CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS QUALIDADE DO PROJETO NA CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS Silvio Burrattino Melhado, Professor Doutor, Silvio.Melhado@upmf-grenoble.fr. INTRODUÇÃO Dentro de um contexto de evolução da construção de edifícios como

Leia mais

ADEQUAÇÃO DO PROCESSO DE PROJETO DE EDIFICAÇÕES AOS NOVOS PARADIGMAS ECONÔMICO-PRODUTIVOS

ADEQUAÇÃO DO PROCESSO DE PROJETO DE EDIFICAÇÕES AOS NOVOS PARADIGMAS ECONÔMICO-PRODUTIVOS ADEQUAÇÃO DO PROCESSO DE PROJETO DE EDIFICAÇÕES AOS NOVOS PARADIGMAS ECONÔMICO-PRODUTIVOS RESUMO Celso Carlos NOVAES Professor na Universidade Federal de São Carlos, Departamento de Engenharia Civil Correio

Leia mais

PROJETOS PARA PRODUÇÃO COMO INSTRUMENTOS DA MELHORIA DA QUALIDADE DO PROCESSO DE PROJETO DE EDIFICAÇÕES

PROJETOS PARA PRODUÇÃO COMO INSTRUMENTOS DA MELHORIA DA QUALIDADE DO PROCESSO DE PROJETO DE EDIFICAÇÕES PROJETOS PARA PRODUÇÃO COMO INSTRUMENTOS DA MELHORIA DA QUALIDADE DO PROCESSO DE PROJETO DE EDIFICAÇÕES C. C. NOVAES Prof. Dr. - Universidade Federal de São Carlos, Brasil Departamento de Engenharia Civil

Leia mais

AÇÕES PARA CONTROLE E GARANTIA DA QUALIDADE DE PROJETOS NA CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS

AÇÕES PARA CONTROLE E GARANTIA DA QUALIDADE DE PROJETOS NA CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS AÇÕES PARA CONTROLE E GARANTIA DA QUALIDADE DE PROJETOS NA CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS Celso Carlos NOVAES Professor doutor - Universidade Federal de São Carlos, Departamento de Engenharia Civil tel.: (16)

Leia mais

FCH Consultoria e Projetos de Engenharia Escritório: São Paulo Atuação: Nacional

FCH Consultoria e Projetos de Engenharia Escritório: São Paulo Atuação: Nacional Projeto de Revestimento de Fachada em Argamassa Engª MSc Fabiana Andrade Ribeiro www.fchconsultoria.com.br Projeto de Revestimento de Fachada Enfoque na Racionalização FCH Consultoria e Projetos de Engenharia

Leia mais

A importância da presença de especialista em impermeabilização na equipe multi disciplinar de projetos para durabilidade das edificações.

A importância da presença de especialista em impermeabilização na equipe multi disciplinar de projetos para durabilidade das edificações. A importância da presença de especialista em impermeabilização na equipe multi disciplinar de projetos para durabilidade das edificações. Luiz Fernando Bernhoeft 1,a, Prof. Silvio B. Melhado 2,b e 1 Engenheiro

Leia mais

ESTUDO DA SEQÜÊNCIA DE ETAPAS DO PROJETO NA CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS: CENÁRIO E PERSPECTIVAS

ESTUDO DA SEQÜÊNCIA DE ETAPAS DO PROJETO NA CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS: CENÁRIO E PERSPECTIVAS ESTUDO DA SEQÜÊNCIA DE ETAPAS DO PROJETO NA CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS: CENÁRIO E PERSPECTIVAS Marcio Minto Fabrício Escola Politécnica - USP, Dep. de Eng. de Construção Civil, Av. Prof. Almeida Prado, trav.

Leia mais

COORDENAÇÃO DOS PROJETOS DE SISTEMAS PREDIAIS HIDRO- SANITÁRIOS EM EDIFICAÇÕES VERTICALIZADAS

COORDENAÇÃO DOS PROJETOS DE SISTEMAS PREDIAIS HIDRO- SANITÁRIOS EM EDIFICAÇÕES VERTICALIZADAS COORDENAÇÃO DOS PROJETOS DE SISTEMAS PREDIAIS HIDRO- SANITÁRIOS EM EDIFICAÇÕES VERTICALIZADAS Arancibia Rodríguez, Marco A. (1); Novaes, Rogério (2) (1) Eng. Civil, Mestre em Engenharia, Doutorando em

Leia mais

IMPERMEABILIZAÇÃO EM EDIFICAÇÕES

IMPERMEABILIZAÇÃO EM EDIFICAÇÕES IMPERMEABILIZAÇÃO EM EDIFICAÇÕES Necessidade da impermeabilização Introdução a Impermeabilização Projeto de impermeabilização Execução de impermeabilização 1 - A NECESSIDADE DA IMPERMEABILIZAÇÃO Problemas

Leia mais

PAREDES EXTERNAS EM CONCRETO ARMADO MOLDADO IN LOCO COMO SOLUÇÃO PARA EDIFÍCIOS VERTICAIS

PAREDES EXTERNAS EM CONCRETO ARMADO MOLDADO IN LOCO COMO SOLUÇÃO PARA EDIFÍCIOS VERTICAIS I CONFERÊNCIA LATINO-AMERICANA DE CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL X ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO 18-21 julho 2004, São Paulo. ISBN 85-89478-08-4. PAREDES EXTERNAS EM CONCRETO ARMADO MOLDADO

Leia mais

O QUE SIGNIFICA RACIONALIZAR?

O QUE SIGNIFICA RACIONALIZAR? Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil AULA 3 ALVENARIAS: EXECUÇÃO, Prof. Dr. Luiz Sergio Franco Escola Politécnica da USP Dep. de Engenharia de Construção Civil

Leia mais

RACIONALIZAÇÃO CONSTRUTIVA

RACIONALIZAÇÃO CONSTRUTIVA RACIONALIZAÇÃO CONSTRUTIVA Prof. Dr. Luiz Sérgio Franco Depto. Eng. Construção Civil da EPUSP ARCO Assessoria em Racionalização Construtiva S/C ltda. arco@uol.com.br A busca de soluções para o aumento

Leia mais

IGDITCC Importância da Gestão, do Desempenho e da Inovação Tecnológica na Construção Civil. Subsistema vedação vertical

IGDITCC Importância da Gestão, do Desempenho e da Inovação Tecnológica na Construção Civil. Subsistema vedação vertical PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL Universidade de Pernambuco Escola Politécnica de Pernambuco IGDITCC Importância da Gestão, do Desempenho e da Inovação Tecnológica na Construção Civil Aula

Leia mais

O PROJETO DAS VEDAÇÕES VERTICAIS: CARACTERÍSTICAS E A IMPORTÂNCIA PARA A RACIONALIZAÇÃO DO PROCESSO DE PRODUÇÃO.

O PROJETO DAS VEDAÇÕES VERTICAIS: CARACTERÍSTICAS E A IMPORTÂNCIA PARA A RACIONALIZAÇÃO DO PROCESSO DE PRODUÇÃO. O PROJETO DAS VEDAÇÕES VERTICAIS: CARACTERÍSTICAS E A IMPORTÂNCIA PARA A RACIONALIZAÇÃO DO PROCESSO DE PRODUÇÃO. Prof. Dr. Luiz Sérgio Franco Departamento de Engenharia de Construção Civil da Escola Politécnica

Leia mais

9º ENTEC Encontro de Tecnologia: 23 a 28 de novembro de 2015

9º ENTEC Encontro de Tecnologia: 23 a 28 de novembro de 2015 CONCEITOS QUE INFLUENCIAM NA ELABORAÇÃO DO PROJETO ESTRUTURAL Marco Antônio Nunes de Melo 1 ; Carolina Oliveira Pinto n 1 Universidade de Uberaba marconunes_eng@outlook.com 1; carolina.pinto@uniube.br

Leia mais

MEDIÇÃO DE INDICADORES PARA O SERVIÇO DE ALVENARIA

MEDIÇÃO DE INDICADORES PARA O SERVIÇO DE ALVENARIA MEDIÇÃO DE INDICADORES PARA O SERVIÇO DE ALVENARIA Sandra Maria Carneiro Leão Mestranda - Universidade Federal da Paraiba - Departamento de Engª de Produção Caixa Postal 5045 - CEP 58051-970 - João Pessoa

Leia mais

Alvenaria racionalizada

Alvenaria racionalizada Como construir Alvenaria racionalizada A alvenaria de vedação pode ser definida como a alvenaria que não é dimensionada para resistir a ações além de seu próprio peso. O subsistema vedação vertical é responsável

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTAS GERENCIAIS PARA O PROJETO DO CANTEIRO DE OBRAS

DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTAS GERENCIAIS PARA O PROJETO DO CANTEIRO DE OBRAS DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTAS GERENCIAIS PARA O PROJETO DO CANTEIRO DE OBRAS Sheyla Mara Baptista SERRA Dra., Eng., Professora Adjunto do Departamento de Engenharia Civil da Universidade Federal de São

Leia mais

INFLUÊNCIAS DO PROJETO DE PRODUÇÃO E DO PROJETO DE CANTEIRO NO SISTEMA LOGÍSTICO DA CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS

INFLUÊNCIAS DO PROJETO DE PRODUÇÃO E DO PROJETO DE CANTEIRO NO SISTEMA LOGÍSTICO DA CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS INFLUÊNCIAS DO PROJETO DE PRODUÇÃO E DO PROJETO DE CANTEIRO NO SISTEMA LOGÍSTICO DA CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS Otávio José de OLIVEIRA M.Sc., Eng., Professor da UNINOVE e UNIBAN - Rua Vasco Cinquini, 70 Bl.:2B

Leia mais

LINHA de Argamassas. Uma mistura de qualidade com alta produtividade.

LINHA de Argamassas. Uma mistura de qualidade com alta produtividade. Concreto LINHA de Argamassas Uma mistura de qualidade com alta produtividade. Estabilizada 01Argamassa Projetada A evolução chegou ao canteiro de obras. Elimine etapas, corte custos e aumente o controle

Leia mais

EXERCÍCIO PROJETO DO CANTEIRO DE OBRAS DE EDIFÍCIOS

EXERCÍCIO PROJETO DO CANTEIRO DE OBRAS DE EDIFÍCIOS EXERCÍCIO PROJETO DO CANTEIRO DE OBRAS DE EDIFÍCIOS Você foi incumbido do planejamento da execução do edifício habitacional, constituído por um subsolo, um pavimento térreo e oito pavimentos tipo, com

Leia mais

ANALISE DA INFLUÊNCIA DE DIFERENTES SISTEMAS DE VEDAÇÃO VERTICAL NO CUSTO FINAL DE UMA ESTRUTURA EM CONCRETO ARMADO

ANALISE DA INFLUÊNCIA DE DIFERENTES SISTEMAS DE VEDAÇÃO VERTICAL NO CUSTO FINAL DE UMA ESTRUTURA EM CONCRETO ARMADO Artigo submetido ao Curso de Engenharia Civil da UNESC - Como requisito parcial para obtenção do Título de Engenheiro Civil ANALISE DA INFLUÊNCIA DE DIFERENTES SISTEMAS DE VEDAÇÃO VERTICAL NO CUSTO FINAL

Leia mais

Integração de Projetos na Fase de Engenharia

Integração de Projetos na Fase de Engenharia 1 Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação MBA Gestão de Projetos Turma 19 20 de Dezembro 2014 Integração de Projetos na Fase de Engenharia Josie de Fátima Alves Almeida Engenheira Civil josiealmeida@bol.com.br

Leia mais

PROBLEMAS ENCONTRADOS EM OBRAS DEVIDO ÀS FALHAS NO PROCESSO DE PROJETO: VISÃO DO ENGENHEIRO DE OBRA.

PROBLEMAS ENCONTRADOS EM OBRAS DEVIDO ÀS FALHAS NO PROCESSO DE PROJETO: VISÃO DO ENGENHEIRO DE OBRA. PROBLEMAS ENCONTRADOS EM OBRAS DEVIDO ÀS FALHAS NO PROCESSO DE PROJETO: VISÃO DO ENGENHEIRO DE OBRA. Jacson Carlos da SILVEIRA Graduando de Engenharia Civil, Universidade Federal do Ceará, Rua Braz de

Leia mais

Modulação Automática de Edifícios em Alvenaria Estrutural com a utilização da Plataforma CAD: Programa AlvMod

Modulação Automática de Edifícios em Alvenaria Estrutural com a utilização da Plataforma CAD: Programa AlvMod Modulação Automática de Edifícios em Alvenaria Estrutural com a utilização da Plataforma CAD: Programa AlvMod Davi Fagundes Leal 1,, Rita de Cássia Silva Sant Anna Alvarenga 2, Cássio de Sá Seron 3, Diôgo

Leia mais

A NECESSIDADE DE UMA NOVA VISÃO DO PROJETO NOS CURSOS DE ENGENHARIA CIVIL, FRENTE À NOVA REALIDADE DO SETOR EM BUSCA DA QUALIDADE

A NECESSIDADE DE UMA NOVA VISÃO DO PROJETO NOS CURSOS DE ENGENHARIA CIVIL, FRENTE À NOVA REALIDADE DO SETOR EM BUSCA DA QUALIDADE A NECESSIDADE DE UMA NOVA VISÃO DO PROJETO NOS CURSOS DE ENGENHARIA CIVIL, FRENTE À NOVA REALIDADE DO SETOR EM BUSCA DA QUALIDADE ULRICH, Helen Departamento de Engenharia de Produção - Escola de Engenharia

Leia mais

Compatibilização de Projetos. Eng Mário Ribeiro da Silva Filho ProCAD Projetos e Consultoria SS

Compatibilização de Projetos. Eng Mário Ribeiro da Silva Filho ProCAD Projetos e Consultoria SS Compatibilização de Projetos Eng Mário Ribeiro da Silva Filho ProCAD Projetos e Consultoria SS Porque Compatibilizar Projetos? 2 Porque Compatibilizar Projetos? 3 Porque Compatibilizar Projetos? 4 Porque

Leia mais

Conceito AULA 4. Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil

Conceito AULA 4. Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil AULA 4 Gesso Acartonado Prof. Dr. Luiz Sergio Franco Escola Politécnica da USP Dep. de Engenharia de Construção Civil Construção

Leia mais

ESTUDO DE CASO SOBRE A APLICAÇÃO DE ESTRUTURAS EM AÇO EM EDIFÍCIO RESIDENCIAL VERTICAL DE MÉDIO PADRÃO EM PRESIDENTE PRUDENTE

ESTUDO DE CASO SOBRE A APLICAÇÃO DE ESTRUTURAS EM AÇO EM EDIFÍCIO RESIDENCIAL VERTICAL DE MÉDIO PADRÃO EM PRESIDENTE PRUDENTE Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 221 ESTUDO DE CASO SOBRE A APLICAÇÃO DE ESTRUTURAS EM AÇO EM EDIFÍCIO RESIDENCIAL VERTICAL DE MÉDIO PADRÃO EM PRESIDENTE

Leia mais

! Locação precisa de todas as paredes; ! Abrir frente para grande produtividade. ! Preparar uma ligação adequada com a

! Locação precisa de todas as paredes; ! Abrir frente para grande produtividade. ! Preparar uma ligação adequada com a Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil AULA 3 ALVENARIAS: EXECUÇÃO, Prof. Dr. Luiz Sergio Franco Escola Politécnica da USP Dep. de Engenharia de Construção Civil

Leia mais

O QUE SIGNIFICA RACIONALIZAR?

O QUE SIGNIFICA RACIONALIZAR? Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil AULA 3 ALVENARIAS: EXECUÇÃO, Prof. Dr. Luiz Sergio Franco Escola Politécnica da USP Dep. de Engenharia de Construção Civil

Leia mais

INTEGRAÇÃO ENTRE ARQUITETURA E ESTRUTURA: UM ESTUDO PARA AS DISCIPLINAS DE PROJETO ARQUITETÔNICO

INTEGRAÇÃO ENTRE ARQUITETURA E ESTRUTURA: UM ESTUDO PARA AS DISCIPLINAS DE PROJETO ARQUITETÔNICO INTEGRAÇÃO ENTRE ARQUITETURA E ESTRUTURA: UM ESTUDO PARA AS DISCIPLINAS DE PROJETO ARQUITETÔNICO Vivian Delatorre 1, Carlos Eduardo Nunes Torrescasana 2 Resumo: Este artigo trata do tema integração entre

Leia mais

SISTEMA DE VEDAÇÃO RACIONALIZADA

SISTEMA DE VEDAÇÃO RACIONALIZADA SISTEMA DE VEDAÇÃO RACIONALIZADA Concrete Show - 2011 Guilherme Coelho de Andrade PAE / 14 SISTEMA DE VEDAÇÃO RACIONALIZADA Gama Filho - Março de 2009 Guilherme Andrade PAE / 14 UM ÍCONE DA PESQUISA MCKINSEY

Leia mais

ESTUDO PARA IMPERMEABILIZAÇÃO NA INTERFACE ESTRUTURA METÁLICA E ALVENARIA

ESTUDO PARA IMPERMEABILIZAÇÃO NA INTERFACE ESTRUTURA METÁLICA E ALVENARIA ESTUDO PARA IMPERMEABILIZAÇÃO NA INTERFACE ESTRUTURA METÁLICA E ALVENARIA Joel Henrique Rohr 1 Resumo: Uma das patologias existentes na construção civil são as infiltrações. Um dos pontos críticos das

Leia mais

ENSINO PARA A PRÁTICA DE PROJETO DE ESTRUTURAS

ENSINO PARA A PRÁTICA DE PROJETO DE ESTRUTURAS ENSINO PARA A PRÁTICA DE PROJETO DE ESTRUTURAS Henrique Innecco Longo hlongo@civil.ee.ufrj.br Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ, Escola de Engenharia Rua Brigadeiro Trompowsky s/n, Centro de

Leia mais

Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Colegiado de Engenharia Civil ANTEPROJETO

Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Colegiado de Engenharia Civil ANTEPROJETO Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Colegiado de Engenharia Civil ANTEPROJETO FALHAS EXTERNAS EM EDIFICAÇÕES MULTIFAMILIARES SEGUNDO A PERCEPÇÃO DOS USUÁRIOS ESTUDO DE CASO, PRAIA

Leia mais

UniVap - FEAU CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Prof. Minoru Takatori ESTUDO PRELIMINAR

UniVap - FEAU CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Prof. Minoru Takatori ESTUDO PRELIMINAR 1 ESTUDO PRELIMINAR OBJETIVOS Analise e avaliação de todas as informações recebidas para seleção e recomendação do partido arquitetônico, podendo eventualmente, apresentar soluções alternativas. Tem como

Leia mais

ALVENARIA EXECUÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

ALVENARIA EXECUÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I ALVENARIA EXECUÇÃO Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I ALVENARIA CONDIÇÕES DE INÍCIO Vigas baldrames impermeabilizadas e niveladas,

Leia mais

RECOMENDADA PRÁTICA PR - 4

RECOMENDADA PRÁTICA PR - 4 PRÁTICA RECOMENDADA PR - 4 Execução de Alvenaria - Marcação Sair do discurso e implantar mudanças efetivas nos procedimentos habituais tem sido uma ação cada vez mais constante nas empresas que atuam no

Leia mais

ESCOPO DE SERVIÇOS PARA COORDENAÇÃO DE PROJETOS

ESCOPO DE SERVIÇOS PARA COORDENAÇÃO DE PROJETOS IV WBGPPCE 2004 Workshop Brasileiro de Gestão do Processo de Projeto na Construção de Edifícios ESCOPO DE SERVIÇOS PARA COORDENAÇÃO DE PROJETOS MELHADO, Silvio, Doutor e Livre-Docente, Professor Associado

Leia mais

A ATIVIDADE DE PROJETO DIRECIONADA À RACIONALIZAÇÃO CONSTRUTIVA

A ATIVIDADE DE PROJETO DIRECIONADA À RACIONALIZAÇÃO CONSTRUTIVA A ATIVIDADE DE PROJETO DIRECIONADA À RACIONALIZAÇÃO CONSTRUTIVA E O DESAFIO DE EQUILIBRAR CONCEITOS TÉCNICOS E GERENCIAIS NO ENSINO DE ENGENHARIA CIVIL Helen Ulrich hulrich@sc.usp.br Departamento de Engenharia

Leia mais

PROJETOS EM ALVENARIA ESTRUTURAL: MODULAÇÃO E COMPATIBILIZAÇÃO

PROJETOS EM ALVENARIA ESTRUTURAL: MODULAÇÃO E COMPATIBILIZAÇÃO PROJETOS EM ALVENARIA ESTRUTURAL: MODULAÇÃO E COMPATIBILIZAÇÃO PRINCIPÍOS BÁSICOS PARA PROJETOS/ MODULAÇÃO E COMPATIBILIZAÇÃO EM ALVENARIA ESTRUTURAL EM BLOCOS DE CONCRETO ARQUITETA NANCI CRUZ MODULAÇÃO

Leia mais

O custo da perda de blocos/tijolos e argamassa da alvenaria de vedação: estudo de caso na construção civil

O custo da perda de blocos/tijolos e argamassa da alvenaria de vedação: estudo de caso na construção civil O custo da perda de blocos/tijolos e argamassa da alvenaria de vedação: estudo de caso na construção civil Suenne Andressa Correia Pinho (UPE) - suenne_correia@hotmail.com Alberto Casado Lordsleem Jr.

Leia mais

Belo Horizonte - MG Interface com Outros Subsistemas

Belo Horizonte - MG Interface com Outros Subsistemas Belo Horizonte - MG Interface com Outros Subsistemas 10/11/2009 Carlos Chaves LOG Gestão de Obras Subsistemas Deus está nos detalhes Mies van der Rohe (1886-1969) Pavilhão alemão na Feira Mundial de Barcelona

Leia mais

A concepção estrutural deve levar em conta a finalidade da edificação e atender, tanto quanto possível, às condições impostas pela arquitetura.

A concepção estrutural deve levar em conta a finalidade da edificação e atender, tanto quanto possível, às condições impostas pela arquitetura. ESTRUTURAS DE CONCRETO CAPÍTULO 4 Libânio M. Pinheiro, Cassiane D. Muzardo, Sandro P. Santos 2 de abril, 2003. CONCEPÇÃO ESTRUTURAL A concepção estrutural, ou simplesmente estruturação, também chamada

Leia mais

DE PROJETOS. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

DE PROJETOS. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I DE PROJETOS Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I PROJETO Atividade ou serviço integrante do processo de produção, responsável pelo desenvolvimento,

Leia mais

MODELAGEM E COMPATIBILIZAÇÃO DE PROJETOS DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS COM O USO DO BIM Emily Almeida Beltrão 1 Emerson de Andrade Marques Ferreira 2

MODELAGEM E COMPATIBILIZAÇÃO DE PROJETOS DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS COM O USO DO BIM Emily Almeida Beltrão 1 Emerson de Andrade Marques Ferreira 2 MODELAGEM E COMPATIBILIZAÇÃO DE PROJETOS DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS COM O USO DO BIM Emily Almeida Beltrão 1 Emerson de Andrade Marques Ferreira 2 Resumo A grande quantidade de falhas encontradas em projetos,

Leia mais

DIRETRIZES PARA O GERENCIAMENTO DA FLEXIBILIDADE DE PROJETOS ARQUITETÔNICOS UM ESTUDO DE CASO

DIRETRIZES PARA O GERENCIAMENTO DA FLEXIBILIDADE DE PROJETOS ARQUITETÔNICOS UM ESTUDO DE CASO DIRETRIZES PARA O GERENCIAMENTO DA FLEXIBILIDADE DE PROJETOS ARQUITETÔNICOS UM ESTUDO DE CASO Patrícia Moschen (1); Roberto de Oliveira (2); Mayra Soares de Mesquita Mororó (2); Luiz Fernando Mählmann

Leia mais

Recomendações para elaboração de projetos estruturais de edifícios em aço

Recomendações para elaboração de projetos estruturais de edifícios em aço 1 Av. Brigadeiro Faria Lima, 1685, 2º andar, conj. 2d - 01451-908 - São Paulo Fone: (11) 3097-8591 - Fax: (11) 3813-5719 - Site: www.abece.com.br E-mail: abece@abece.com.br Av. Rio Branco, 181 28º Andar

Leia mais

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S. A. CERON DIRETORIA DE GESTÃO ADMINISTRATIVA DA GERÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO GERAL AGG MEMORIAL DESCRITIVO

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S. A. CERON DIRETORIA DE GESTÃO ADMINISTRATIVA DA GERÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO GERAL AGG MEMORIAL DESCRITIVO MEMORIAL DESCRITIVO PROPRIETÁRIO: CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S. A. CERON OBRA: ENDEREÇO: REFORMA E ADEQUAÇÃO DE SALAS NO PRÉDIO DA UNIDADE DE NEGÓCIOS NORTE UNN, VISANDO A INSTALAÇÃO DO POSTO DE ENSAIO

Leia mais

Compatibilização de projetos na construção civil de edificações: Método das dimensões possíveis e fundamentais

Compatibilização de projetos na construção civil de edificações: Método das dimensões possíveis e fundamentais Compatibilização de projetos na construção civil de edificações: Método das dimensões possíveis e fundamentais Renato da Silva Solano (PUCRS) renato@picoralsolano.com.br Resumo Nos últimos anos, com as

Leia mais

Gestão do processo de projeto

Gestão do processo de projeto Gestão do processo de projeto Prof. Dra. Ana Rocha Melhado Capítulo 1 Introdução Prof. Dra. Ana Rocha Melhado Prof. Dr. Silvio Melhado Silvio Melhado 1 Ana Rocha Melhado Dados curriculares relevantes Trabalho

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DE PRÁTICAS DE ENGENHARIA SIMULTÂNEA EM EDIFÍCIOS ESTRUTURADOS EM AÇO. Silvia Scalzo Maria Alice Gonzales

IDENTIFICAÇÃO DE PRÁTICAS DE ENGENHARIA SIMULTÂNEA EM EDIFÍCIOS ESTRUTURADOS EM AÇO. Silvia Scalzo Maria Alice Gonzales IDENTIFICAÇÃO DE PRÁTICAS DE ENGENHARIA SIMULTÂNEA EM EDIFÍCIOS ESTRUTURADOS EM AÇO Silvia Scalzo Maria Alice Gonzales 1 INTRODUÇÃO: COMPETITIVIDADE NO SETOR DA CONSTRUÇÃO crescimento da concorrência entre

Leia mais

QUALIFICAÇÃO DAS EMPRESAS DE PROJETO DE ARQUITETURA

QUALIFICAÇÃO DAS EMPRESAS DE PROJETO DE ARQUITETURA QUALIFICAÇÃO DAS EMPRESAS DE PROJETO DE ARQUITETURA Silvio Burrattino MELHADO Engenheiro Civil, Professor da Escola Politécnica da USP. Av. Prof. Almeida Prado, travessa 2, n 271, CEP 05508-900 São Paulo

Leia mais

$OYHQDULD(VWUXWXUD±SDVVRDSDVVR

$OYHQDULD(VWUXWXUD±SDVVRDSDVVR $OYHQDULD(VWUXWXUD±SDVVRDSDVVR Sair do discurso e implantar mudanças efetivas nos procedimentos habituais tem sido uma ação cada vez mais constante nas empresas que atuam no setor de construções. E, nos

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul Municipio de Venâncio Aires

Estado do Rio Grande do Sul Municipio de Venâncio Aires MEMORIAL DESCRITIVO Obra: OBRAS CIVIS, REFORMA E INSTALAÇÕES - PMAT PAVIMENTO TÉRREO E SUPERIOR DA PREFEITURA MUNICIPAL Local: Rua Osvaldo Aranha-nº 634 Venâncio Aires EXECUÇÃO E SERVIÇOS A execução dos

Leia mais

PROJETO DE PRODUÇÃO PARA CONSTRUÇÃO METÁLICA APLICADO EM LAJES MISTAS STEEL DECK. Tecn Raphael da Silva raphaello.silva@gmail.com

PROJETO DE PRODUÇÃO PARA CONSTRUÇÃO METÁLICA APLICADO EM LAJES MISTAS STEEL DECK. Tecn Raphael da Silva raphaello.silva@gmail.com CONSTRUMETAL CONGRESSO LATINO-AMERICANO DA CONSTRUÇÃO METÁLICA São Paulo Brasil 31 de agosto a 02 de setembro 2010 PROJETO DE PRODUÇÃO PARA CONSTRUÇÃO METÁLICA APLICADO EM LAJES MISTAS STEEL DECK Tecn

Leia mais

VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO

VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO 1a. parte: TÉCNICA Engenheiro Civil - Ph.D. 85-3244-3939 9982-4969 la99824969@yahoo.com.br skipe: la99824969 de que alvenaria

Leia mais

Curso: Gestão de Estruturas Racionalizadas de Concreto

Curso: Gestão de Estruturas Racionalizadas de Concreto COMUNIDADE DA CONSTRUÇÃO - SALVADOR Curso: Gestão de Estruturas Racionalizadas de Concreto Trabalho Final: Marcações e Execuções Racionalizadas em Estruturas de Concreto. COMUNIDADE DA CONSTRUÇÃO - SALVADOR

Leia mais

Escola de Engenharia de São Carlos - Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Estruturas. Alvenaria Estrutural.

Escola de Engenharia de São Carlos - Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Estruturas. Alvenaria Estrutural. Alvenaria Estrutural Introdução CONCEITO ESTRUTURAL BÁSICO Tensões de compressão Alternativas para execução de vãos Peças em madeira ou pedra Arcos Arco simples Arco contraventado ASPECTOS HISTÓRICOS Sistema

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DE PAINÉIS EM LIGHT STEEL FRAME

PADRONIZAÇÃO DE PAINÉIS EM LIGHT STEEL FRAME PADRONIZAÇÃO DE PAINÉIS EM LIGHT STEEL FRAME ANITA OLIVEIRA LACERDA - anitalic@terra.com.br PEDRO AUGUSTO CESAR DE OLIVEIRA SÁ - pedrosa@npd.ufes.br 1. INTRODUÇÃO O Light Steel Frame (LSF) é um sistema

Leia mais

ALVENARIA ESTRUTURAL: DISCIPLINA: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II PROF.: JAQUELINE PÉRTILE

ALVENARIA ESTRUTURAL: DISCIPLINA: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II PROF.: JAQUELINE PÉRTILE ALVENARIA ESTRUTURAL: BLOCOS DE CONCRETO DISCIPLINA: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II PROF.: JAQUELINE PÉRTILE O uso de alvenaria como sistema estrutural já vem sendo usado a centenas de anos, desde as grandes

Leia mais

E S T A D O D O M A T O G R O S S O. Prefeitura Municipal de Jaciara

E S T A D O D O M A T O G R O S S O. Prefeitura Municipal de Jaciara MEMORIAL DESCRITIVO REDE CEGONHA - HOSPITAL MUNICIPAL JACIARA/MT O presente memorial descritivo define diretrizes referentes à reforma do espaço destinado a Programa REDE CEGONHA no Hospital Municipal

Leia mais

Gestão de Custos. Conteúdo. Planejamento Integrado. Gestão de Custos. Conceitos Básicos de Gestão de Custos Integraçãoda Gestãode Custoscom o

Gestão de Custos. Conteúdo. Planejamento Integrado. Gestão de Custos. Conceitos Básicos de Gestão de Custos Integraçãoda Gestãode Custoscom o Universidade Federal da Bahia Escola Politécnica Departamento de Construção e Estruturas Especialização em Gerenciamento de Obras Planejamento Integrado Gestão de Custos Prof. Dayana Bastos Costa Conteúdo

Leia mais

Paredes Maciças as de Concreto

Paredes Maciças as de Concreto Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil AULA 4B Paredes Maciças as de Concreto Prof. Dr. Luiz Sergio Franco Escola Politécnica da USP Dep. de Engenharia de Construção

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. 2.0 - Calçadas Externas/rampa/escada:

MEMORIAL DESCRITIVO. 2.0 - Calçadas Externas/rampa/escada: PROJETO Nº 051/2013 Solicitação: Memorial Descritivo Tipo da Obra: Reforma, ampliação e adequação acesso Posto de Saúde Santa Rita Área existente: 146,95 m² Área ampliar: 7,00 m² Área calçadas e passeio:

Leia mais

Manual Irrigabras para obras de infra-estrutura

Manual Irrigabras para obras de infra-estrutura Manual Irrigabras para obras de infra-estrutura Índice 1. Obras de infra-estrutura... 2 2. Base de concreto do Pivô... 2 3. Base de concreto da motobomba... 3 4. Casa de bombas... 4 5. Valeta da adutora...

Leia mais

INDICADORES DA QUALIDADE DO PROJETO DO EDIFÍCIO SOB A ÓTICA DA EMPRESA INCORPORADORA- CONSTRUTORA

INDICADORES DA QUALIDADE DO PROJETO DO EDIFÍCIO SOB A ÓTICA DA EMPRESA INCORPORADORA- CONSTRUTORA INDICADORES DA QUALIDADE DO PROJETO DO EDIFÍCIO SOB A ÓTICA DA EMPRESA INCORPORADORA- CONSTRUTORA NOVAES, Celso Carlos Prof. Dr. da Universidade Federal de São Carlos / Departamento de Engenharia Civil

Leia mais

Renato da Silva SOLANO

Renato da Silva SOLANO INDICADORES OPERACIONAIS DE PRODUTIVIDADE E QUALIDADE PARA EDIFICAÇÕES DE ALTO PADRÃO NA CIDADE DE PORTO ALEGRE: UM ESTUDO EXPLORATÓRIO DE LEVANTAMENTO NA FASE DE PROJETO E RELACIONAMENTO COM A FUNÇÃO

Leia mais

TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO

TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO Curso Técnico de Edificações Profª Engª Civil Alexandra Müller Barbosa EMENTA Estudos de procedimentos executivos: Estruturas portantes, Elementos vedantes, Coberturas, Impermeabilização,

Leia mais

SISTEMA CONSTRUTIVO EM PAREDES DE CONCRETO:

SISTEMA CONSTRUTIVO EM PAREDES DE CONCRETO: SISTEMA CONSTRUTIVO EM PAREDES DE CONCRETO: Adequações frente às s normas de desempenho. Marcelo Moacyr Diretor de Engenharia, Construção e Relacionamento 1 Escolha do Sistema Construtivo 2 Avaliações

Leia mais

Análise de Construtibilidade

Análise de Construtibilidade IETEC INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO EM ENGENHARIA DE PLANEJAMENTO Turma 01 Análise de Construtibilidade Fernando Souza Cota Carvalho Melanie Deborah Cardoso de Souza Diniz Belo

Leia mais

Projeto estrutural de edifícios de alvenaria: decisões, desafios e impactos da nova norma de projeto

Projeto estrutural de edifícios de alvenaria: decisões, desafios e impactos da nova norma de projeto Projeto estrutural de edifícios de alvenaria: decisões, desafios e impactos da nova norma de projeto Prof. Associado Márcio Roberto Silva Corrêa Escola de Engenharia de São Carlos Universidade de São Paulo

Leia mais

ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO

ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO INTRODUÇÃO As estruturas mistas podem ser constituídas, de um modo geral, de concreto-madeira, concretoaço ou aço-madeira. Um sistema de ligação entre os dois materiais

Leia mais

Requisitos para capacitação de subempreiteiros na construção civil

Requisitos para capacitação de subempreiteiros na construção civil Requisitos para capacitação de subempreiteiros na construção civil Giancarlo Azevedo de Filippi (EPUSP) giancarlo@poli.usp.br Francisco Ferreira Cardoso (EPUSP) francisco.cardoso@poli.usp.br Resumo Este

Leia mais

Universidade de Pernambuco POLI/UPE, Recife, PE - acasado@upe.poli.br

Universidade de Pernambuco POLI/UPE, Recife, PE - acasado@upe.poli.br Teoria e Prática na Engenharia Civil, n.14, p.15-24, Outubro, 2009 Método para a avaliação quantitativa da tecnologia construtiva da alvenaria de vedação em edifícios The quantitative assessment methodology

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA EXECUÇÃO DE LAJE NÍVEL ZERO : ADEQUAÇÃO DE MÉTODOS EM ESTUDO DE CASO

PROCEDIMENTOS PARA EXECUÇÃO DE LAJE NÍVEL ZERO : ADEQUAÇÃO DE MÉTODOS EM ESTUDO DE CASO 1 PROCEDIMENTOS PARA EXECUÇÃO DE LAJE NÍVEL ZERO : ADEQUAÇÃO DE MÉTODOS EM ESTUDO DE CASO Felipe Borsoi da Silva 1, Marcelo Costella 2 Resumo: Este artigo apresenta a descrição da execução de uma laje

Leia mais

TRABALHO PRÁTICO. Objetivo: acompanhamento da execução de uma obra de um edifício.

TRABALHO PRÁTICO. Objetivo: acompanhamento da execução de uma obra de um edifício. TRABALHO PRÁTICO Objetivo: acompanhamento da execução de uma obra de um edifício. Grupos: grupos de TRÊS ou QUATRO participantes, necessariamente todos da mesma turma (Turma AC - manhã e Turma BD - tarde

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO PARA OS INDICADORES DE DESEMPENHO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE DE UMA EMPRESA CONSTRUTORA: ESTUDO DE CASO

CONTRIBUIÇÃO PARA OS INDICADORES DE DESEMPENHO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE DE UMA EMPRESA CONSTRUTORA: ESTUDO DE CASO Artigo submetido ao Curso de Engenharia Civil da UNESC - como requisito parcial para obtenção do Título de Engenheiro Civil CONTRIBUIÇÃO PARA OS INDICADORES DE DESEMPENHO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

Leia mais

ANÁLISE DO PROCESSO DE PROJETO DE UM EMPREENDIMENTO EM ESTRUTURA METÁLICA DE AÇO

ANÁLISE DO PROCESSO DE PROJETO DE UM EMPREENDIMENTO EM ESTRUTURA METÁLICA DE AÇO ANÁLISE DO PROCESSO DE PROJETO DE UM EMPREENDIMENTO EM ESTRUTURA METÁLICA DE AÇO Renata TEIXEIRA Arq., M.Sc. pelo Programa de Pós Graduação em Engenharia de Estruturas da UFMG. Rua Castelo de Lamego, n

Leia mais

PLANTA BAIXA AULA 09. O que é um Projeto Arquitetônico?

PLANTA BAIXA AULA 09. O que é um Projeto Arquitetônico? PLANTA BAIXA AULA 09 Projetos de Arquitetura: Conceitos e Representações 1 O que é um Projeto Arquitetônico? conjunto de passos normativos, voltados para o planejamento formal de um edifício qualquer,

Leia mais

PANTHEON - ROMA. Construído em 118 128 d.c. (1887 anos atrás) Cúpula de 5.000 toneladas Altura e o diâmetro do interior do Óculo é de 43,3 metros.

PANTHEON - ROMA. Construído em 118 128 d.c. (1887 anos atrás) Cúpula de 5.000 toneladas Altura e o diâmetro do interior do Óculo é de 43,3 metros. EMPREENDIMENTOS PANTHEON - ROMA Construído em 118 128 d.c. (1887 anos atrás) Cúpula de 5.000 toneladas Altura e o diâmetro do interior do Óculo é de 43,3 metros. CHRONOS RESIDENCIAL CARACTERIZAÇÃO DO

Leia mais

PARÂMETROS PARA QUALIDADE ACÚSTICA NAS EDIFICAÇÕES CONFORME NBR 15.575

PARÂMETROS PARA QUALIDADE ACÚSTICA NAS EDIFICAÇÕES CONFORME NBR 15.575 EMPRESA NBR 15.575 DESEMPENHO ACÚSTICO PROJETO ACÚSTICO EXECUÇÃO PARÂMETROS PARA QUALIDADE ACÚSTICA NAS EDIFICAÇÕES CONFORME NBR 15.575 EMPRESA NBR 15.575 DESEMPENHO ACÚSTICO PROJETO ACÚSTICO EXECUÇÃO

Leia mais

Blocos e Alicerces CONCEITO

Blocos e Alicerces CONCEITO CONCEITO Os blocos são elementos estruturais de grande rigidez que são ligados pelas vigas baldrame. Sua profundidade varia de 0,5 a 1 metro. São utilizados quando há atuação de pequenas cargas, como em

Leia mais

CHRONOS RESIDENCIAL CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO:

CHRONOS RESIDENCIAL CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO: EMPREENDIMENTOS CHRONOS RESIDENCIAL CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO: Localizado em Novo Hamburgo RS; 18000 m² de área construída; 72 Unidades 3 e 2 dormitórios; 26 Pavimentos; Tratamento e reutilização

Leia mais

METODOLOGIA PARA COLETA E ANÁLISE DE INFORMAÇÕES SOBRE PERDAS DE MATERIAIS: APLICAÇÃO AO CASO DO CONCRETO USINADO

METODOLOGIA PARA COLETA E ANÁLISE DE INFORMAÇÕES SOBRE PERDAS DE MATERIAIS: APLICAÇÃO AO CASO DO CONCRETO USINADO METODOLOGIA PARA COLETA E ANÁLISE DE INFORMAÇÕES SOBRE PERDAS DE MATERIAIS: APLICAÇÃO AO CASO DO CONCRETO USINADO José Carlos Paliari Deptº. de Engenharia de Construção Civil da Escola Politécnica da Universidade

Leia mais

Sistemas da edificação Aplicação na prática

Sistemas da edificação Aplicação na prática 1 Vantagens Alta produtividade com equipes otimizadas; Redução de desperdícios e obra limpa; Facilidade de gerenciamento e padronização da obra; Elevada durabilidade; Facilidade de limpeza e conservação;

Leia mais

6 CICLO DE PALESTRAS 14 e 15 de outubro de 2015 MEMBRANAS MOLDADAS IN LOCO

6 CICLO DE PALESTRAS 14 e 15 de outubro de 2015 MEMBRANAS MOLDADAS IN LOCO 6 CICLO DE PALESTRAS 14 e 15 de outubro de 2015 MEMBRANAS MOLDADAS IN LOCO Arquitetura da impermeabilização A arte da Compatibilização de projetos Arquiteta Camila S. Grainho GTI PROJETOS E CONSULTORIA

Leia mais

UM MODELO DE COMPATIBILIZAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES BASEADO NA ENGENHARIA SIMULTÂNEA E FMEA

UM MODELO DE COMPATIBILIZAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES BASEADO NA ENGENHARIA SIMULTÂNEA E FMEA UM MODELO DE COMPATIBILIZAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES BASEADO NA ENGENHARIA SIMULTÂNEA E FMEA Wandemberg TAVARES JÚNIOR, M.Sc Universidade de Fortaleza Departamento de Engenharia Civil Edson Queiroz

Leia mais

PROJETO COM FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO. Erick Nogueira dos Santos Firmino Siqueira Consultores Associados Ltda.

PROJETO COM FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO. Erick Nogueira dos Santos Firmino Siqueira Consultores Associados Ltda. PROJETO COM FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO Erick Nogueira dos Santos Firmino Siqueira Consultores Associados Ltda. Firmino Soares de Siqueira Filho Firmino Siqueira Consultores Associados Ltda. Tatiane Lara

Leia mais

PLANO DE CURSO DISCIPLINA: GESTÃO DO PROCESSO DE PROJETO 2015-1

PLANO DE CURSO DISCIPLINA: GESTÃO DO PROCESSO DE PROJETO 2015-1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO PLANO DE CURSO 015-1 Mônica Santos Salgado monicassalgado@ufrj.br Professor Titular PROARQ/FAU/UFRJ Bolsista de Produtividade

Leia mais

ALVENARIA E OUTROS SISTEMAS DE VEDAÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

ALVENARIA E OUTROS SISTEMAS DE VEDAÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I ALVENARIA E OUTROS SISTEMAS DE VEDAÇÃO Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I SISTEMAS DE VEDAÇÃO VERTICAL SISTEMA DE VEDAÇÃO Um subsistema

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA EM GERENCIAMENTO DE INTEGRAÇÃO DE PROJETOS TÉCNICOS NUMA EMPRESA DE CONSTRUÇÃO CIVIL

RELATO DE EXPERIÊNCIA EM GERENCIAMENTO DE INTEGRAÇÃO DE PROJETOS TÉCNICOS NUMA EMPRESA DE CONSTRUÇÃO CIVIL RELATO DE EXPERIÊNCIA EM GERENCIAMENTO DE INTEGRAÇÃO DE PROJETOS TÉCNICOS NUMA EMPRESA DE CONSTRUÇÃO CIVIL Áurea Araujo Bruel, Msc candidate Engenheira Civil, Mestranda do PPGCC/UFPR e-mail aabruel@yahoo.com.br

Leia mais

FICHA TÉCNICA ELEVADOR DE CARGA VERTCARGO

FICHA TÉCNICA ELEVADOR DE CARGA VERTCARGO Rua Rishin Matsuda, 562 Vila Santa Catarina CEP 04371-000 São Paulo SP Tel. 11 5563-6477 Fax 11 5563-3107 www.elevadoreszenit.com.br FICHA TÉCNICA ELEVADOR DE CARGA VERTCARGO ORIENTAÇÃO ELEVADORES CARGAS

Leia mais

Elaboração de indicadores da qualidade para a construção predial

Elaboração de indicadores da qualidade para a construção predial 1 Elaboração de indicadores da qualidade para a construção predial Marcela Quintanilha Borges da Rocha ¹ Cyro Alves Borges Junior ¹ Maria Elizabeth da Nóbrega Tavares ¹ José Glenio Medeiros de Barros ¹

Leia mais

Melhores práticas de execução da alvenaria de vedação. Eng Lucian Fragoso

Melhores práticas de execução da alvenaria de vedação. Eng Lucian Fragoso Melhores práticas de execução da alvenaria de vedação Eng Lucian Fragoso A construtora CONIC é uma empresa de engenharia com sede na cidade do Recife/PE. Fundada em 1950, a Construtora Conic traz um portfólio

Leia mais

INSTITUTO ALGE DE CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL JANILSON CASSIANO

INSTITUTO ALGE DE CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL JANILSON CASSIANO CONSTRUINDO NO SISTEMA (CES) LIGHT STEEL FRAMING O sistema Light Steel Frame é caracterizado por um esqueleto estrutural leve composto por perfis de aço galvanizado que trabalham em conjunto para sustentação

Leia mais