sem liberdade de criticar, não existe elogio sincero. beaumarchais domingo Sou contra o aborto, a maconha e a criminalização da homofobia

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "sem liberdade de criticar, não existe elogio sincero. beaumarchais domingo Sou contra o aborto, a maconha e a criminalização da homofobia"

Transcrição

1 JORNAL DA CIDADE sm librda criticar, não xist logio sincro. baumarchais Fchamnto sta dição 12h00 Aracaju-SE, domingo 8 sgunda-fira 9 fvriro Ano XLIII - Nº domingo Srgip R$ 2,00 - Outros Estados R$ 2,50 smrcado Scrtário Francisco Dantas s qur lvar gás para o intrior Pág 1 R hotlira prvê ocupação 80% durant o Carnaval Pág 5 TB A Justiça proibiu nacionalmnt a viculação propagandas bbidas alcoólicas m rádio TV das 6h às 21h. Chga vincular álcool ao sucsso. Na capa, Thais amigos curtindo o alto astral as blzas Frnando Noronha. Sou contra o aborto, a maconha a criminalização da homofobia A afirmação é do putado pastor Jony Marcos, qu prga as rformas política tributária apoia Dilma. A3 Jorg Hnriqu Hoj nas colunas Ivan Valnça Em 2014, 62 municípios SE gastaram R$ 24 milhõs com o São João. Dsss, 16 stavam m situação mrgência. O TCE stá olho na gastança no Carnaval. O msmo v acontcr com os fstjos juninos. A5 Eugênio Nascimnto Os putados staduais vão discutir ntr o final st mês fvriro o início março a manutnção, ou não, das subvnçõs. A utilização ss tipo vrba pública stá liminarmnt proibida pla Justiça Elitoral. A5 Ogriatra Rnato Prunt sclarc os sintomas, causas tratamnto da prssão na trcira ida, uma das maiors quixas dos idosos m su consultório. Págs Luiz Mndonça Jadilson Simõs Confiança Srgip jogam no Batistão nst domingo A partida comça às 16h como os dois são lírs, o Confiança com nov o Srgip com sis pontos, srá um jogo difícil. Est srá o sgundo vnto na Arna Batistão, inaugurada na noit da última quarta-fira, 4, após quas dois anos obra. B10 TJ/SE stá com déficit magistrados B8 Cidas Turismo On s hospdar no Carnaval Lvantamnto m 17 stinos mais procurados no país durant o Carnaval aponta para locais mais caros mais baratos m hospdagm. O mais caro é m Florianópolis, no Bairro Jurrê, sguido do Lblon, no RJ. O mais barato aparc m Praia Gran (SP). C4 Galo da Madrugada/Divulgação m u n i c í p i o s Escolas rurais Poço Rdondo são sativadas Em z anos, 25 scolas ixaram funcionar. A comunida do campo rclama diz qu ixa a população rural sassistida sstimulada a studar. A prfitura assgura qu não vai sativar mais nnhuma scola rural. PÁG. 3 ISSN Edição hoj 70 páginas ALE COM O JC: REDAÇÃO: / COMERCIAL: FAX: prvisão do tmpo Font: INPE CLIMATEMPO Índic UV 12 muito Alto Parcialmnt Nublado - Sol ntr poucas nuvns. Probabilida chuva - 5% Umida rlativa 92 % - Mín. 24º - Máx. 32º MARÉS alta: 06h09: h19: 2.1 baixa: 00h02: h09: 0.5

2 Jornal da Cida Suprintnnt Evando Frrira Dirtor Comrcial arnildo ricardo Dirtor Rdação ugênio nascimnto Chf Rportagm DILSON RAMOS Emprsa Gráfica Jornal da Cida Ltda Av. Antônio Cabral, B. Industrial - Aracaju-SE - CEP: Tlfon: (79) Fax/Rd.: Com.: Rprsntant Nacional Prira Souza LTDA SP-RJ-DF-MG-RS-SC-PR-GO-BA-PE-CE-PA - Tlfon: (21) opinião a C A D E R N O Aracaju domingo 8 sgunda 9 fvriro 2015 Priscópio Da Editoria Política João as obras O prfito Aracaju, João Alvs Filho (DEM), puxou para si o acompanhamnto todas as obras qu stão sndo ralizadas na capital srgipana. Smanalmnt l prtn visitar duas ou três las cobrar agilida na conclusão. João qur dar bons prsnts à população m 2015, quando Aracaju complta 160 anos. Por isso o prfito stá smpr rodando pla prifria. O Fort 1 govrnador Jackson Barrto (PMDB) não comntou a lição do su corrligionário, putado Eduardo Cunha, para a prsint da Câmara. Jackson apoia é próximo da Dilma, mas é ingávl qu a Prsidência da Câmara star nas mãos do PMDB não é ruim para Jackson. Na vrda, é muito bom qu o partido do govrnador stja assim fort: o PMDB tm o vic-prsint, os prsints do Snado da Câmara o prsint da Assmblia Lgislativa. Para Jackson, mlhor impossívl. Fort 2 O PMDB Srgip tm ainda um putado fral quatro staduais. Ou sja, o partido o govrnador Jackson Barrto chgarão muito forts às liçõs municipais do próximo ano, vndo lgr vários prfitos. Com toda ssa força, é muito difícil qu o partido não aprsnt candidato próprio para disputar a Prfitura Aracaju. Aposntadoria Esta smana o govrnador Jackson Barrto voltou a confirmar, m uma ntrvista, qu prtn s aposntar após concluir o su mandato. O intrssant é qu a insistência no tma vria dar maior librda a JB no su govrno, mas na prática isso não é visto. Além três ou quatros scrtários qu são indicaçõs pssoais, várias pastas stão sndo comandadas por indicados partidos m alguns casos, sm xpriência na ára. Inaugura E falando m Jackson, l ntrga hoj a orla do São Braz. Localizada às margns do Rio do Sal, m Nossa Snhora Socorro, a orla é a primira obra do Proinvst a sr inaugurada oficialmnt. Um invstimnto R$ 1,3 milhão, com spaço lazr qu ofrc conforto aos moradors stimula o comércio local, mlhorando a qualida vida moradors do local do complxo Taiçoca. Aguarda Após a lição para a Msa Dirtora da Assmblia Lgislativa, o putado stadual Gustinho Ribiro (PSD) ainda não convrsou com o govrnador Jackson Barrto (PMDB). Gustinho cumpriu o qu havia clarado aqui no JC: trabalhou a sua candidatura à Prsidência, mas votou no candidato apoiado plo govrnador. Sm ixar rastro Tma rcorrnt tanto na litratura policial como até m films Hollywood, o sumiço pssoas, sm motivos aparnts, smpr intrigou a opinião pública, qu s prgunta s um sr humano po saparcr da fac da trra sm ixar rastro. Há um film antigo chamado Bunny Lak Dsaparcu qu trata com argúcia fina obsrvação o saparcimnto do prsonagm título. Na litratura policial, há muitas histórias ttivs famosos, como Shrlock Holms, qu vão a fundo nss tipo qustão. Aracaju viv agora um problma smlhant. Uma jovm apnas 26 anos, mã Jovm 26 anos stá saparcida s novmbro do ano passado. Simplsmnt sumiu um garoto bonito intlignt, stá saparcida s o dia 10 novmbro do ano passado, sm qu a polícia tnha rcolhido a mnor pista para localizar o su parairo. Até o govrnador Jackson Barrto já s nvolvu com a qustão, lamntando o saparcimnto da jovm Acácia Jsus Santos, natural moradora Lagarto. Esta smana, durant a poss do x-putado fral Mndonça Prado como titular da Scrtaria Sgurança Pública, qustionado pla imprnsa o govrnador Jackson Barrto diss qu a SSP tm qu s mpnhar para svndar o caso. Assim, sm mais nm mnos, l u sua primira trminação ao novl scrtário: localizar a sumida Acácia sclarcr todos os fatos ainda pnnts qu rsultaram nst caso, qu stá ficando surral ainda é inxplicado. Ainda não há nnhum indício para qu s possa afirmar qu a jovm stá morta, qu foi assassinada. A lgada Tonic Alxandr, rsponsávl plo cartório criminal da corrgdoria, a qum stá afita às primiras invstigaçõs, informou à rportagm do JORNAL DA CIDADE tr grans spranças qu o rsultado do laudo da prícia possa forncr mlhors informaçõs para o su saparcimnto. O fato é qu Acácia stá saparcida s 10 novmbro 2014, quando tria vindo a Aracaju para trazr o filho ao médico. Ex-mulhr um policial civil, la foi rcbida por l no Trminal Rodoviário ncaminhada ao su apartamnto. Já ouvido no inquérito qu acompanha o sumiço Acácia, o policial tria contado qu tão logo ixou a x-mulhr no apartamnto lvou a criança ao médico, conform stava prvisto. Ao rtornar da consulta médica o policial já não tria ncontrado Acácia no apartamnto. Aparntmnt stava tudo normal na moradia. O tal policial não achou nada stranho, porqu, sgundo l, Acácia ra dada a stas coisas. As invstigaçõs policiais ralizadas até agora confirmam qu l lvou a criança ao médico stava só com o garoto. A mulhr não o tria acompanhado. A polícia já invstigou s Acácia tinha algum nvolvimnto com drogas ou s mantinha romanc com algum outro homm qu puss causar ciúms ao policial. Nada ficou comprovado o su comportamnto smpr foi normalíssimo. A família da jovm diz qu o policial é muito possssivo, bastant ciumnto, a ponto tr rcolhido o clular la pouco ants do su saparcimnto. O policial, porém, critica a atuação Acácia como mã, mas scarta o fato sr xtrmamnt ciumnto. Em suma, Acácia saparcu. Como não é possívl alguém tomar chá sumiço sta manira, prmanc o mistério: on stá Acácia? Surprsa 1 prfito Nossa Snhora do O Socorro, Fábio Hnriqu Carvalho (PDT), rvlou à coluna qu foi surprndido com a informação passada por técnicos do Govrno Fral qu não mais srão librados os rcursos programados para a conclusão obras prviamnt finidas iniciadas pla sua administração. Surprsa 2 A mdida tomou todos os prfitos surprsa, uma vz qu, atnndo a rcomndação do próprio Govrno Fral, as obras foram iniciadas. Agora, sgundo Fábio, não há dinhiro para concluí-las, porqu o govrno simplsmnt rsolvu contingnciar a grana canclar as mndas, algando a tão propalada cris. Em Srgip 1 Está prvista a vinda do ministro da Intgração Nacional, Gilbrto Occhi, ao Estado Srgip. El vm tratar da caia produtiva do arroz no Baixo São Francisco. Da audiência vm participar, além técnicos, rizicultors da rgião, qu sofrm com prsnça da figura do atravssador, submtndo-os ao prço ofrtado por ls. Em Srgip 2 Na audiência, solicitada plo putado fral João Danil (PT), v-s discutir também a qustão da falta strutura para o bnficiamnto do arroz, além da ncssida uma colhitaira para o projto dos rizicultors. Ainda não há local finido para a audiência. Mudo Um morador Riachão do Dantas ntrou m contato com a rdação do JORNAL DA CIDADE para rclamar qu a população há algum tmpo sofr com o scaso das mprsas tlfonia. Por lá o povo fica quas incomunicávl principalmnt os comrciants sofrm com o problma. Sm rancor O putado stadual Vnâncio Fonsca (PP), qu ixou a lirança da oposição (mas qu continua intgrando a msma bancada) diss qu prtn snvolvr su trabalho forma rspitosa, sm radicalismo, raiva ou rancor. Uma posição construtiva cobrando do govrno aquilo qu v sr cobrado, principalmnt aquilo qu foi promtido m campanha, afirmou. Cra Srá ralizada na próxima sgunda-fira a primira sssão plnária do Conslho Rgional Engnharia Agronomia Srgip (Cra-SE). Nssa primira plnária do ano acontc a lição da nova dirtoria do conslho também a poss dos novos conslhiros titulars suplnts, indicados por ntidas class instituiçõs nsino para xrcrm mandato até Havrá ainda lição dos mmbros das câmaras spcializadas, comissõs prmannts, comissõs spciais, grupos trabalho dos coornadors adjuntos. Quatro dias pois rlito para a prsidência do Snado, ntr afirmaçõs concórdia ntndimnto, Rnan Calhiros põ as unhas fora. Manobrou para qu o rstant da msa foss composto apnas por govrnistas, como l. Alijou PSDB, DEM PSB participarm nos divrsos cargos, conform o princípio da proporcionalida. Ouviu críticas amaças vmnts, como as Aécio Nvs, rtrucou no msmo tom mas ixou, como rsultado, o ncilhamnto do Snado plo palácio do Planalto. S as oposiçõs não pom squr intgrar o conjunto qu dirigirá a casa, qu outro caminho lhs rstará snão comparcr às sssõs armadas tacap borduna. Dias tnbrosos são prvistos, porqu msmo fora da msa, sss partidos ncontrarão no Carlos Chagas Editora Rotiro Ltda O ncilhamnto do Snado plo Planalto rgimnto intrno na Constituição mcanismos para infrnizar a vida su prsint. Indaga-s qu motivos triam lvado Rnan ao alinhamnto automático com o govrno Dilma. Agracr o apoio quas toda a bancada do PT m sua lição? Amaciar o caminho das rlaçõs ntr su filho, novo govrnador Alagoas, as bnsss do govrno fral? Vingar-s dos advrsários agora transformados m inimigos por havrm votado m su safiant, Luiz Hnriqu da Silvira? Acautlar-s da possibilida vir a sr rlacionado na lista do procurador-gral da Rpública, toricamnt capaz lvar ao pdido da cassação su mandato? Tanto faz, mas a vrda é qu Rnan comprou uma briga sncssária. Acirrou os ânimos numa casa conhcida por açõs ntndimnto concórdia. Porá arrpnr-s. A Orm Dos Fators Na Câmara, a orm dos fators não altra o produto, no caso, o choqu igualmnt prigoso ntr oposição govrno. Só qu as hostilidas contra o palácio do Planalto são quacionadas plo novo prsint, Eduardo Cunha. El prpara uma séri cascas banana para os govrnistas scorrgarm, apsar na toria intgrar o PMDB, partido da bas oficial. Da formação uma CPI para invstigar a lambança na Ptrobras à votação da rforma política, o putado fluminns rjita tornar-s aliado Dilma. Fala m inpndência, mas é advrsário. Foi para a briga ganhou, com sua lição.

3 diritos O Partido da Solidarida comçou a lgislatura discutindo as mdidas impopulars do Govrno Fral qu rduziram os diritos como o sguro-smprgo, o abono do PIS, a pnsão das viúvas, o sguro-fso dos pscadors aumntaram o gasto das mprsas com acints do trabalho. D acordo com o putado fral Laércio Olivira, o partido cidiu trabalhar pla rrubada das mdidas provisórias qu rduziram sss diritos. Também ntrarmos com uma ação dirta inconstitucionalida, no Suprmo Tribunal Fral, contra ssas mdidas, informou. Política Jornal da Cida Aracaju domingo 8 sgunda-fira Editoria política Sou contra o aborto, a lgalização da maconha a favor do casamnto tradicional Nsta convrsa com o JORNAL DA CIDADE, o putado fral Jony Marcos (PRB) afirmou qu irá intgrar a bancada vangélica. Msmo dizndo qu não gosta xtrmismos, Jony afirma qu é contrário à lgalização do aborto da maconha, sndo a favor do casamnto tradicional ou sja, contra o casamnto homoaftivo. Jony Max Augusto Da quip JC w JORNAL DA CIDADE - Quais srão as suas prioridas na Câmara Fral? Jony Marcos - Fazr um mandato cumprindo a proposta do PRB, mandato limpo transparnt conform tm prgado Marcos Prira, nosso prsint nacional do partido. Srá um mandato digno um partido ficha limpa, com propostas mudança, não só do Brasil, mas mudança do parlamnto da política do nosso país. Além disso, nosso grupamnto raliza importants açõs m fsa dos intrsss principalmnt dos mnos ENTREVISTA favorcidos. Continuari lutando por isso. O pquno agricultor os produtors lit do srtão, os pscadors artsanais todo o Estado, as mãs dos programas sociais sus filhos. Na Câmara Vradors Aracaju, trabalhi por z anos, lutando plo studant, pla mlhoria do trânsito na capital, cuidando do mio ambint valorizando o srvidor público. Continuari fazndo isso forma intnsificada. w JC - Quais são os tmas qu, na sua opinião, prcisam sr batidos plo Congrsso? JM - A rforma política, a tributária um novo pacto frativo com crtza prcisam jony marcos Acrisio Siquira/PMA sr batidos com urgência. A rforma do código pnal também! Para não mais ficar a snsação impunida. w JC - O snhor vai intgrar a chamada bancada vangélica? Quais são os pontos convrgência divrgência qu o snhor possui com sss parlamntars? JM - Vou intgrar a bancada vangélica. Sou a favor da tolrância rligiosa sou contra qualqur tipo xtrmismo. Dfnmos a banira dos princípios valors qu rgm a socida. Contra o aborto, a favor da vida. Contra a lgalização da maconha. A favor do casamnto tradicional. também é contra a criminalização da homofobia qur a ralização das rformas política tributária, além modificaçõs no Código Pnal. El ainda informou qu apoiará o govrno da prsint Dilma qu o PRB Srgip, sguindo orintação nacional,, trá candidato ao Snado, m w JC - Dois polêmicos projtos qu contam com a participação acalorada da bancada vangélica são o qu criminaliza a homofobia o qu fin família. Qual a sua opinião sobr ls? JM - Não sou a favor da criminalização da homofobia. Acho qu todas as pssoas vm sr rspitadas. Discriminar qualqur sr humano é rrado m qualqur circunstância, não há ncssida blindagm spcial. A família tradicional smpr foi a bas da socida por isso v sr rspitada, sob pna prrmos nossos valors. w JC - O snhor vai apoiar o govrno Dilma? JM - Sguiri a dirção do PRB, mu partido. Votamos m Dilma vamos ajudá-la a govrnar. w JC - Na Câmara Fral, como o snhor pnsa m ajudar Srgip? JM - Dfnndo o qu for bom para nosso Estado, como a manutnção ampliação dos programas sociais. A compnsação da quda arrcadação dos municípios, com as mdidas do Govrno Fral, é outro ponto important. Dfndo um novo pacto social, com divisão mais justa da arrcadação ntr Municípios Estados. Libração das mndas ralização obras struturants nos municípios. Mais xtnsõs da UFS para o intrior. Mlhorando a ducação qu é instrumnto transformação social. w JC - O PRB s snt contmplado plo Govrno Srgip, msmo tndo sido prtrido na disputa plo comando da Scrtaria Agricultura? JM -Nosso foco é participar forma positiva no govrno JB qu ajudamos a lgr. Sabíamos qu poríamos não continuar na Agricultura, mas já ocupamos outras pastas no Govrno do Estado a altrnância é salutar. w JC - Qual o planjamnto do PRB para 2016? Qur aprsntar candidatos a quantas prfituras? JM - Estamos m plno crscimnto no PRB, no Estado Srgip no Brasil. Somos a sigla qu mais crsc. Na próxima lição trmos mais 15 candidatos a prfito m todo o Estado, mais 80 candidatos a vrador. Qurmos tr rprsntação m todo o Estado. w JC - O partido já pnsa m aprsntar o nom Hlno Silva para disputar o Snado m 2018? Já stão analisando isso? JM - O PRB nacional pdiu qu o dirtório Srgip tivss candidato ao Snado m w JC - O snhor concluiu su trciro mandato vrador, na Câmara Aracaju. Como avalia a sua passagm por lá? Quais foram os sus principais projtos atuaçõs naqula Casa? JM - Tiv três mandatos como vrador Aracaju. Minha atuação foi muito positiva, pu participar intnsamnt da rvisão do Plano Dirtor aprovi lis qu fortalcram os srvidors do município. Fui vic-prsint da Câmara, assumindo a prsidência m divrsos momntos. Fui prsint da Comissão Finanças rlator do código mio ambint. Fui fnsor da criação da Scrtaria Mio Ambint Aracaju. E fndi obras importants para os bairros. A Câmara Aracaju foi uma gran scola pra mim. M u uma bagagm important para nfrntar o novo safio. w JC - Como avalia a gstão do prfito Aracaju, João Alvs Filho, nsts primiros anos gstão? JM - As prfituras, m gral, nfrntam dificuldas financiras. O 1º ano do govrno João Alvs foi mlhor, ainda tv algum rcurso algumas obras qu foram iniciadas no govrno antrior qu puram sr concluídas com João Alvs. O sgundo ano já sofru um impacto da cris qu o país viv a diminuição rcita no município não prmitiu qu muito foss ralizado. Nosso grupo unido tm uma força muito gran m Aracaju A xcutiva nacional do PSB qur qu o partido s prpar para tr candidatos m todas as capitais do Brasil. A informação é do putado fral Valadars Filho (PSB), qu parc já star s prparando para ncarar mais uma vz a disputa plo comando Aracaju. Nsta ntrvista concdida ao JORNAL DA CIDADE, Max Augusto Da quip JC ENTREVISTA w JORNAL DA CIDADE - Como o snhor stá avaliando a gstão do prfito João Alvs Filho? VALADARES FILHO - Muito aquém daquilo qu foi promtido na sua campanha litoral. A cida viv problmas gravs m várias áras, a xmplo da mobilida urbana transport público, qu apsar do aumnto da tarifa continua sm qualida. A saú pública os srviços prstados monstram qu a atual administração não tm cumprido com os compromissos colocados no programa govrno. A única coisa qu a Prfitura Municipal Aracaju tm fito é colocado os cidadãos aracajuanos para pagar mais impostos, como o aumnto do IPTU, qu não stá sndo rvrtido da forma qu a socida spra. w JC - Um dos grans bats da última campanha foi a implantação do BRT ou VLT. João promtu implantar o BRT. O snhor acha qu srá possívl l fazr isso até o fim do mandato? O BRT é uma altrnativa viávl para Aracaju? VF - O BRT não é a mlhor altrnativa, tanto qu a prfitura ainda não consguiu implantar. Quando aprsnti a proposta do VLT, fiz com sgurança por sr uma gran altrnativa para o transport público Aracaju por s tratar um projto morno, qu vm dando crto sndo implantado m outras capitais. Mas spro qu até o final sua gstão o prfito João Alvs ncontr uma forma VALADARES FILHo Aqruivo JC mlhorar o transport público da nossa capital. w JC - Outra qustão muito abordada foi a Saú. Como stá a prstação st srviço na capital? VF - S nos rcordarmos, durant os programas litorais 2012 o prfito João Alvs dizia qu faria uma rvolução na saú pública Aracaju. O qu vmos hoj é uma cris sm prcnts na história da cida, não adianta colocar a culpa m gstõs antriors, porqu l foi lito para rsolvr os problmas. E isso não tm acontcido. Inflizmnt, qum vm pagando com isso é o povo mais carnt Aracaju, qu ncssita atndimnto na r pública ao chgar aos postos saú hospitais s param com um srviço péssima qualida. l faz várias críticas à administração do prfito João Alvs Filho (DEM) avalia qu João não vm consguindo solucionar os problmas da capital, como a mobilida urbana, on ainda não há nm sinal do promtido BRT. Confira abaixo a ntrvista complta. w JC - Uma psquisa intrna qu circulou st mês mostrou João Alvs num cnário ruim divrsos aliados do govrno numa situação boa. Como o snhor avalia isso? VF - A psquisa rflt a situação do momnto, a lição ainda stá muito long muitas águas irão rolar. Os númros hoj não pom sr lvados m consiração como um fato consumado para a lição do próximo ano, mas é claro qu srv como um trmômtro do momnto, qu mostra o sntimnto da socida. Mas confsso qu ls m ixaram muito animado. Por outro lado, m procupa muito quando vjo nos dados a confirmação do sofrimnto qu a população aracajuana vm passando diariamnt. Para mim, importa mnos nss momnto a situação litoral João Alvs, qu todos sabm qu não é boa, mas, sim, vrificar nssas psquisas as ncssidas as mandas da cida. w JC - O snhor acrdita qu os partidos aliados a Jackson Barrto consguirão lançar um só candidato, já qu vários noms aparcm bm, a xmplo Edvaldo Noguira, Elian Aquino, Rogério Carvalho Ana Lúcia? VF - Todos os noms citados são quadros valorosos com srviços prstados m Aracaju. Como já fali, ainda stá muito cdo. Todos nós, ants discutir profundamnt o futuro político 2016, tmos muitas rsponsabilidas com os mandatos qu stamos xrcndo, ou missõs qu nos foram confiadas. Mas tnho convicção uma coisa: o nosso grupo unido tm uma força muito gran m Aracaju. w JC - O snhor acha qu o govrnador Jackson Barrto apoiaria uma candidatura sua? Há alguma mágoa m rlação às opçõs do PSB na última lição? VF - O PSB é um aliado do govrnador Jackson Barrto, portanto, tnho crtza qu l não faz objção ao nom do nosso partido, assim como dos partidos aliados. No momnto aquado, qu srá no próximo ano, acrdito qu l sabrá conduzir muito bm todo ss procsso, como também tnho crtza qu não xist nnhuma mágoa. Ogovrnador sab o papl qu o PSB tv na sua lição, com o vic-govrnador Blivaldo Chagas, o lír maior, snador Valadars, com nossa candidatura putado fral, com o putado stadual Luciano Pimntl todas as liranças, prfitos vradors do partido qu abraçaram fnram sua candidatura m todo o Estado Srgip. w JC - E o PSB po apoiar outro nom, outro partido, ou já finiu qu lançará um nom? Quando ssa discussão vai acontcr? VF - Exist uma trminação da Excutiva Nacional para o partido s prparar para lançar candidatos a prfito m todas as capitais, mas, como já diss, ss ainda não é o momnto discutir ss assunto, nm finir candidaturas,, sim, focar no nosso trabalho. w JC - Quais são os sus planos para st mandato putado fral? VF - Continuar cumprindo os compromissos assumidos m nossas campanhas litorais, sndo um parlamntar smpr sintonizado com os ansios da socida; continuar atuando nas áras do sport, turismo, ducação, juvntu cultura; aprsntando projtos li qu vism mlhorar cada vz mais a vida do cidadão, como smpr tnho fito; tr um mandato smpr abrto aos sindicatos, trabalhadors ntidas class, mais uma caractrística do nosso mandato. w JC - Qual o balanço qu faz dos sus mandatos antriors? VF - Muito positivo! Tanto é qu graças a Dus ao povo srgipano stou no trciro mandato. Tnho crtza qu o povo do mu Estado rconhcu o nosso trabalho pla nossa corência, luta ética atuação parlamntar m fsa dos municípios Srgip do Brasil. E é com sss msmos compromissos qu comço o nosso novo mandato.

4 A-4 Aracaju, domingo 8 sgunda-fira 9 fvriro 2015 Política/Nacional JORNAL DA CIDADE ILIMAR Franco PANORAMA POLÍTICO (COM JULIANA BRAGA) - AGÊNCIA O GLOBO PMDB assum rforma política No comando do Congrsso, o PMDB qur fazr a rforma política nos próximos 2 anos. O partido faz psquisa, qu já tm 3 mil ntrvistas, para finir as propostas mudanças. A iia é construir um projto com os mais partidos, ants sntar com o PT. O prsint da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), cumprindo acordo, confirmou ao lír do DEM, Mndonça Filho, qu a comissão na Câmara srá prsidida por Rodrigo Maia. Coincidência fim coligaçõs S as mudanças da lgislação litoral form fitas forma fatiada, como no primiro mandato do x-prsint FH, dois itns pom sr aprovados imdiato: a coincidência das liçõs ( prfito a prsint) o fim das coligaçõs para cargos do Lgislativo. Todos os grans partidos são favorávis. Só não aprovam s não quisrm. Ds o govrno Lula, o método usado tm sido o produzir rformas amplas num msmo projto. O rsultado prático disso é qu a soma rjiçõs individuais ou grupos políticos inviabiliza qualqur mudança. Isso indica, sgundo parlamntars, qu mantr ssa fórmula trabalho quival a rjitar a rforma. A EXPERIÊNCIA DEMONSTRA QUE A ESTRATÉGIA MAIS EFICAZ É A VOTAÇÃO FATIADA. PROJETOS GLOBAIS E COMPLEXOS SE PERDEM EM DISCUSSÕES INTERMINÁVEIS MOREIRA FRANCO, PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO ULYSSES GUIMARÃES, QUE COORDENA A PESQUISA ENTRE FILIADOS DO PMDB Voto m lista x distritão O x-lír do govrno Hnriqu Fontana (PT) tntou por anos aprovar o voto m lista. Agora, o vic Michl Tmr (PMDB) vai tntar aprovar o distritão, plo qual são litos os putados mais votados sm consirar o voto nos partidos. O PAI DA REELEIÇÃO Marcos Alvs/ O lír do DEM, Mndonça Filho, é o autor da PEC qu instituiu a rlição para prsint. Ela foi aprovada m 1997, o procsso foi flagrado plo ntão prsint da Câmara, Luiz Eduardo Magalhãs, com o aval do xprsint FH. O fim da rlição tm pouco apoio, mas crsc os qu fnm qu o candidato tir licnça do cargo na campanha. A portira rabrta Há um clamor contra o xcsso partidos. Mas a ralida sria difrnt s o STF não tivss clarado inconstitucional a cláusula barrira, 1999, na qual partidos com mnos 5% dos votos não triam funcionamnto parlamntar. STF TSE assumm a tarfa Enquanto o Congrsso dorm m brço splêndido, a Justiça tm usurpado su papl. Em 2002, o TSE, prsidido plo ministro Nlson Jobim (STF), instituiu a vrticalização das coligaçõs. Ela foi aprovada a oito mss da lição, na época, dizia-s qu bnficiava a candidatura do tucano José Srra ao Planalto. Filida, só na Justiça Para tr sua sangria, o DEM foi ao TSE, m 2007, m fsa da filida partidária. Foi finida prda do mandato dos putados qu trocam partido. A rsolução mantv o tmpo TV a cota do fundo partidário cada sigla sgundo a bancada lita. Suprmo, antídoto à falta votos O financiamnto público das campanhas não tm votos para sr aprovado no Congrsso, nm apoio da opinião pública. O PT qur sua adoção, qu po virar ralida graças ao STF, qu stá para tornar inconstitucional a doação plas mprsas. Novo prsint tm planos para o control da Ptrobras Bndin assum com carta branca Dilma sobr finanças da statal BRASÍLIA, (O Globo) - Com poucas horas no cargo, o novo prsint da Ptrobras, Almir Bndin, traçou um plano para blindar a statal do maior scândalo corrupção do país. São três mtas, sgundo o novo prsint informou a fonts ouvidas plo Globo. A missão mais urgnt é rsolvr a qustão contábil, qu lvou a mprsa a não tr su balanço financiro auditado pla consultoria PricwatrhousCooprs (PwC). Bndin v passar o fim smana lndo 800 páginas sobr as mtodologias utilizadas na mprsa para comçar a tr noção do trabalho qu tm sr fito. E já avisou a alguns funcionários qu urgência não significa trabalho malfito. Para isso, srá fita uma avaliação prdas alguns tsts rtorno financiros sobr vários ativos. A nova dirtoria ainda prtn fortalcr a ára financira com um novo plano ngócios. O trciro objtivo é fazr com qu a ptrolífra atravss a invstigação da Opração Lava-Jato com o mínimo danos. Bndin rcbu carta branca da prsint Dilma Roussff para fazr o qu for prciso, até rformar o statuto da Ptrobras. Tarfas árduas As tarfas mais árduas já foram rpassadas a Ivan Montiro, o novo dirtor financiro, sgundo fonts do stor. O técnico ra até sxta-fira o vic-prsint Finanças do Banco do Brasil, subordinado ALDEMIR BENDINE convrsa com Dilma rcb a missão nfrntar as invstigaçõs da Lava-Jato a Bndin na instituição. A primira avaliação do técnico foi qu é prciso criar um procsso financiro mais confiávl, como o qu tria fito no BB. A primira ação é rsolvr a qustão do balanço, já qu isso influncia dirtamnt na imagm da statal no mrcado financiro. A divulgação das prdas R$ 88 bilhõs com corrupção na smana passada foi consirada uma barbiragm plo govrno, qu alga qu a avaliação não sguiu a mlhor mtodologia para o cálculo. Em sgundo lugar, o objtivo é fortalcr a ára financira. Para isso, Montiro consirado plo mrcado um dos mlhors na ára v analisar a situação caixa promovr novas captaçõs para rsolvr problmas mais urgnts. A intnção é fazr um novo mix nas finanças da instituição. A nova dirtoria qur rdiscutir papéis ntro do corpo técnico. E, pois disso, criar um novo plano ngócios, invstimntos capital. Enfrntar a Lava Jato trcira missão é nfrntar A a Lava-Jato, mas a avaliação do novo prsint é qu a mprsa tm tratado a invstigação com transparência colaborado com a PF o Ministério Público. Ants da runião sxta-fira do conslho da Ptrobras, Graça Fostr, qu rnunciou ao cargo prsint da mprsa dois dias ants, convrsou com Bndin s colocou à disposição para colaborar numa transição mais tranquila. Sgundo funcionários da statal, Graça stá abalada mocionalmnt com o scândalo com a forma qu a lvou a sair Divulgação/O Globo da mprsa, na rnúncia coltiva da dirtoria. Bndin não participou da primira part da runião do conslho da statal só ntrou na sala após tr o nom aprovado. Enquanto o x-ministro da Faznda ainda atual prsint do colgiado, Guido Mantga, conduzia a runião qu votava sua scolha, Bndin aguardava m uma sala ao lado. Sgundo participants, os acionistas minoritários s incomodaram quando soubram qu o nom Bndin havia sido viculado pla imprnsa como o novo prsint msmo ants da votação. Bndin foi convidado para o posto na quarta-fira, quando Dilma o chamou para uma convrsa aprsntou a missão. No ncontro, la tria dado autonomia total para o xcutivo. Cida frustrada após Ptrobras canclar projto BACABEIRA, MA, (AG) - Após o canclamnto da construção da Rfinaria Prmium I da Ptrobras m Bacabira (MA), qum apostou no mprndimnto agora lida com a cpção contabiliza prjuízos. O anúncio fito m 2010 movimntou os últimos cinco anos da pquna cida no nort do Estado, qu viu no projto uma oportunida única snvolvimnto conômico industrial. Crca 25 mil mprgos dirtos indirtos sriam criados no Estado com a construção da rfinaria. O invstimnto da Ptrobras nss mprndimnto outro similar no Cará consumiu R$ 2,7 bilhõs. A companhia, m cris, atribuiu a sistência dos projtos das rfinarias à falta parciros à rvisão das xpctativas crscimnto do mrcado combustívis. Na sxta-fira (6), a Ptrobras anunciou su novo prsint, Almir Bndin. A rfinaria rprsntava para muitos um impulso para o snvolvimnto na cida maranhns, qu tm crca 16 mil habitants. Sgundo a ONU, aprsnta Índic Dsnvolvimnto Humano 0,629 no lvantamnto divulgado m 2013, taxa consirada média. D mala cuia Muita gnt s mudou mala cuia com o objtivo trabalhar na rfinaria. É o caso do vndor Edivaldo José Silva. Dcpcionado, l conta qu s mudou Codó, a 250 km Bacabira, atraído plo projto. Eu ia para São Paulo, mas fiqui sabndo qu ia abrir ssa rfinaria m Bacabira, aí vim fui ficando. Chgui a fazr um tst, passi m tudo. Na hora sr chamado, nada disso funcionou. Arrumi um mprgo m uma loja fiqui, mas vim pra casa por causa da rfinaria, conta. Sgundo l, a sistência da Ptrobras significa o fim do sonho muita gnt. Muita gnt trabalhou, mas foi tmporário. Tá do jito qu tá aí, parado, mais nada. Ficou só no sonho. Muita gnt vio pra tntar ralizar a vida aqui, mas ss sonho nunca vai sr ralizado, lamnta o vndor. Emprndimntos Com o intuito atnr à provávl manda qu sria grada plo stor ngócios, uma r hotéis comçou a construir um prédio sis andars 150 apartamntos na cida. A obra foi paralisada pla mta o difício, qu tv toda a strutura básica lvantada, agora stá abandonado. Rcntmnt construído, um cntro comrcial com plo mnos z salas já stá pronto para alugul vnda, mas, sgundo a população, viv trancado, sm prvisão início das atividas. Os propritários dos mprndimntos não foram ncontrados para falar sobr o assunto. O funcionário público Hnriqu Calvr conta qu, quando a rfinaria foi anunciada, os imóvis valorizaram muito na rgião. Sgundo l, qum consguiu vnr, s u bm. E qum comprou, só tv prjuízo. Não só as pssoas qu prcisam qu ficaram smprgadas, mas os grans mprsários qu invstiram muita coisa aí também, porqu todo mundo pnsava qu ia sr uma coisa foi outra. Os imóvis, por xmplo, s valorizaram muito. Casas, trrnos, não s ncontra por mnos R$ 50 mil tudo ficou muito caro por conta das rfinarias. Qum consguiu vnr sus trrnos quando ainda ia tr rfinaria, s u bm, qum comprou, pru, xplicou. Invstimntos à spra O motorista João Prira Marinho vnu a caminhont quitada, financiou a compra um caminhão com prstaçõs mais R$ 4 mil sguiu para a cida após ouvir sobr as oportunidas trabalho na ára transports qu a instalação da rfinaria stava ofrcndo. M dissram qu ia tr a rfinaria aqui ia tr muita oportunida, mas, quando u chgui, não tinha nada srviço, nada mprgo. O qu m salvou foi o outro mprgo caminhoniro qu u consgui, s não u ia tr qu vnr mus gados para pagar mu caminhão. Quas u tnho um prjuízo gran, mas Dus não ixou, acrdita. O jovm Adriano Ribiro conta qu o pai mudou com toda a família para a cida porqu vislumbrou na rfinaria um futuro profissional para os filhos. Mu pai troux a família para cá porqu ia tr ssa rfinaria aqui porqu, no futuro, u poria trabalhar nla. Agora qu a rfinaria fchou, muitos stão procurando mprgos na cida, outras stão indo mbora. Eu ia tntar uma vaga na ára qu mx com ltricida, já qu mu pai trabalha com isso, acrscntando qu trabalha como músico atualmnt. O MINISTRO Gilmar Mns (STF) pdiu vistas da votação. Em sua fsa, dizm qu l trancou o procsso para dar tmpo ao Congrsso lgislar sobr o tma.

5 Jornal da Cida Aracaju, domingo 8 sgunda-fira 9 fvriro 2015 Espcial A-5 Eugênio Nascimnto colunão Ivan Valnça A má rprcussão uma scolha Subvnção srá ravaliada plos putados staduais Durant a última smana st mês a primira março, vão acontcr runiõs na Assmblia Lgislativa Srgip para discutir a manutnção ou não da subvnção para qu os putados façam política dircionando as vrbas para organizaçõs não-govrnamntais (ONGs) da socida civil. Cada um ls trá dirito a R$ 1,5 milhão st ano, mas a utilização stá liminarmnt proibida pla Justiça Elitoral, qu vm apurando o uso das vrbas do ano passado nas campanhas litorais dos parlamntars. O novo prsint da Assmblia, putado Luciano Bispo (PMDB), vai propor o bat sobr a continuida da subvnção colocar na pauta uma iia qu lh foi aprsntada na smana passada, qu é a utilização dos rcursos m mndas ao Orçamnto Gral do Estado qu sriam dircionadas para as ONGs indicadas plos parlamntars. Com a possívl prática do orçamnto impositivo, isso lhs daria a garantia qu o dinhiro chgaria a qum dirito sm qu os putados voltassm a sofrr quimaçõs públicas, como as qu ocorrram no final do ano passado, quando a procuradors litorais foram à Casa aprnr documntos dados computadors para invstigar como s u o uso do dinhiro. Cm dias paz com 30 obras m SE - Durant cm dias, a contar a partir do dia 1º janiro último, os opositors do govrnador Jackson Barrto (PMDB) prtnm ixá-lo um pouco lado, mas futucando smpr m uma coisinha aqui outro acolá. Ainda assim, stá crtada no subconscint todos cm dias paz. É um prazo bom para o govrnador arrumar a casa partir para azitar a máquina administrativa comçar a colocar m prática o qu anunciou na campanha litoral Mas JB prtn aprovitar sss cm dias para mostrar a qu vio. Como primiro marco das commoraçõs dos 160 Aracaju, l u um prsntão à cida aos srgipanos, com a rinauguração do Estádio Estadual Lourival Baptista, na quarta-fira da smana passada. A trégua é uma boa iniciativa o govrnador vai aprovitar ss príodo paz para agilizar as 30 obras m andamnto, mlhorar o sistma saú a sgurança pública, qu srão os alvos prioritários sus opositors, qu prtnm lh cobrar também mais transparência com os gastos públicos. E a partir da sgunda quinzna abril trá início o príodo intifada (srá msmo?). 1,3 milhão passagiros usaram o aroporto Aracaju m Conform o último lvantamnto ralizado pla Emprsa Brasilira Infrastrutura Aroportuária (Infraro), xatos passagiros mbarcaram smbarcaram no Aroporto Aracaju m Ralmnt, o Estado tm sido muito visitado nos últimos anos. Para s tr uma noção mlhor do crscimnto do fluxo, basta lmbrar qu m 2010 mbarcaram smbarcaram m Aracaju pssoas. Mas como o msmo crscimnto acontcu m vários outros Estados, o aroporto da capital srgipana, s 2010, continua sndo o 24º no ranking da Infraro m fluxo passagiros. A maior movimntação, m 2014, acontcu m Guarulhos (SP), com 34 milhõs passagiros. Mrcados firas livrs garantm prática prços baixos m Aracaju - Há vários anos, a csta básica Aracaju tm sido smpr a mais barata ntr as capitais brasiliras. Isso vm acontcndo por causa dos prços praticados nas firas livrs mrcados da cida. Sgundo o Dpartamnto Intrsindical Estudos Estatísticas Socioconômicas (Dis), as maiors altas m janiro último foram apuradas m São Paulo (R$ 371,22), sguida Porto Algr (R$ 361,11) Florianópolis (R$ 360,64). Os mnors valors médios foram obsrvados m Aracaju (R$ 264,84), Natal (R$ 277,56) João Pssoa (R$ 278,73). A UFS no foco da bancada O ritor da Univrsida Fral Srgip, profssor Anglo Robrto Antoniolli, promovu café da manhã para animar um bat-papo com mmbros da bancada fral qu os qu ingrssaram no Congrsso Nacional. Ao ncontro, comparcram o snador Eduardo Amorim os putados frais Valadars Filho, João Danil, Fábio Mitidiri, André Moura Laércio Olivira os x-putados Rogério Carvalho Márcio Macdo. Foi um bom momnto. Mostri como foram gastos os rcursos mndas ao Orçamnto Gral da União, a ncssida do apoio ls para a libração novas mndas lhs anuncii o sjo da UFS construir um hospital odontológico univrsitário para funcionar como hospital-scola com atndimnto m várias spcialidas gratuitamnt via SUS. Els gostaram da iia vão nos apoiar nssa nova mpritada, stacou Antoniolli. Animação carnavalsca A class média srgipana s manda para Salvador (BA), Rio Janiro (RJ) Rcif/ Olinda (PE) ixa aquls qu não gostam Carnaval, idosos, qu já não aguntam dar uns pulinhos, os mais pobrs, qu não têm dinhiro para viajar, m Srgip tomando conta suas cidas. Em Aracaju, alguns bars vão promovr manhãs tars frvo, samba axé. No mais, um doidinho ou outro sai plas ruas da cida anunciando qu já é Carnaval, cida. Carnaval m Srgip virou fsta fora época acabou. Rornação na Scom da Als Com a poss do putado Luciano Bispo na Prsidência da Als, comçam as mudanças na Casa: Marcos Aurélio assumiu a Dirtoria Comunicação convidou Bnildo Santana para a coornação técnica da FM TV Als. Luciano Corria já foi convidado para assumir a coornação da TV Als nsta smana Marcos Aurélio v convidar os coornadors da FM, Jornalismo Rs Sociais. É o macaco ngociando com banana ou com laranja, s prfrirm. Fala-s aqui do novo prsint da Ptrobras, Sr. Almir Bndin, qu po até sr um homm comptnt, mas gás l v conhcr apnas o botijão qu acn o fogão sua casa. Como, ntão, é o macaco ngociando com banana? Ora, porqu l é da msma quip da prsint Dilma não vai qurr frir ou machucar a chfona com rvlaçõs qu atraiam a ira d. Dilma. Um jornal amricano chgou a dizr qu l ra Th wrong man, in th wrong plac, in th wrong hour, ou sja o homm rrado, no lugar rrado, na hora rrada. Lmbram-s do comntário qu fizmos aqui com o novo prsint da Fundação Apripê? Pois é, quas a msma coisa. Só qu o novo prsint da Apripê ainda tm algum conhcimnto tlvisão, ao contrário do Bndin, qu vm do Banco do Brasil não tm nnhuma familiarização com ptrólo. Ou sja, mais uma vz a prsint Poss apotótica Crtamnt, m matéria autoridas númro convidados prsnts à poss do x-govrnador Albano Franco, na caira númro 3 da Acamia Srgipana Ltras, ocorrida na noit da última quinta-fira, foi uma das mais concorridas da história do sodalício srgipano. A comçar plas prsnças do govrnador Jackson Barrto, do prfito João Alvs Filho, do prsint Luciano Bispo, da Assmblia Lgislativa, do prsint do Conslho Nacional Justiça, ministro Francisco Falcão, do ministro José Múcio Montiro, do Tribunal Contas da União, do x-ministro Marco Vilaça, qu rprsntou a Acamia Brasiliras Ltras, amigos mprsários do novl acadêmico, como João Carlos Pas Mndonça, o mprsário Luciano Barrto outros qu viram vários Estados, os prsints das fraçõs das Indústrias Srgip Eduardo Prado (qu rprsntou a Confração Nacional da Indústria), do Cará Alagoas, além políticos como os snadors Antônio Carlos Valadars Eduardo Amorim os putados frais Valadars Filho Laércio Olivira, vradors scrtários Estado. O auditório do Cntro Convnçõs ficou compltamnt lotado. No su discurso, o dr. Albano traçou com clarza lgância um compacto prfil sus antcssors da caira númro 3, spcialmnt do último ocupant, o pota Santo Souza, inclusiv clamando strofs pomas do vat srgipano, contidos nos livros Cida Subtrrâna O Órfica, qu vm a sr a obra sminal do maior pota nossas ltras contmporânas. Na sgunda part do alntado discurso, o novl acadêmico falou sobr sua trajtória política mprsarial como prsint da Confração Nacional da Indústria (CNI), snador constituint govrnador do Estado, rssaltando qu sua passagm pla prsidência do Cntro Acadêmico Silvio Romro, da Faculda Dirito, foi o marco zro sua longa carrira política. Emocionado, foi às lágrimas ao ncrrar o su discurso quando s rfriu aos sus pais Maria Virginia Lit Franco Augusto Franco. Embora não pussm comparcr ao vnto, o x-prsint Frnando Hnriqu Cardoso o vic-prsint da Rpública, Michl Tmr, nviaram mnsagns amiza congratulaçõs. Albano Franco foi saudado plo x-prsint do Suprmo Tribunal Fral, acadêmico Carlos Brito, su colga da Faculda Dirito. Cordial O dr. Carlos Brito abriu o su discurso citando o filosofo Sócrats, para qum o qu distingu o homm um sr animal é justamnt a cultura. Lmbrou ntão qu no govrno o dr. Albano mpnhou-s pla conclusão do Tatro Tobias Barrto, qu ficou inacabado vindo govrno antrior. El também citou Fausto Cardoso, o patrono da caira númro 3. Para Britto, ninguém é mais agrgador, cordial cativant do qu o dr. Albano. Já st, no su discurso, fz um logio a Riachulo, brço Augusto César Lit do pota Santo Souza. Numa pinclada sua vida, Albano lmbrou qu foi prsint da CNI aos 39 anos ida, quando ainda tinha todos os cablos na cabça. Na fas agracimnto, o dr. Albano não squcu citar a dra. Lonor Barrto, mã sus dois filhos. Um gsto acima tudo lgant. Vrgonha Ao ncontrar-s com o x-dirtor da Fundação Apripê, Luciano Corria qu vai comandar a TV Als, ntro dos próximos dias, o govrnador Jackson Barrto confssou: Estou com vrgonha lh ncontrar. Como s sab, Luciano foi fnstrado da TV statal, trocado plo radialista Mssias Carvalho. Qum lh abrigou foi o novo prsint da Assmblia Lgislativa, putado Luciano Bispo, tão itabaianns quanto l. Cadê o carnê? Ao atrasar a ntrga dos carnês do Imposto Prdial Trritorial Urbano (IPTU), a administração do dr. João Alvs consguiu o prodígio fazr com qu todo aracajuano passass a rclamar do atraso. O Dilma dá provas qu não tm vocação para xrcr o cargo. Ela não manda, apnas smanda. O País sangra através da Ptrobras na hora mudar toda a dirtoria da mprsa vm apnas um rmndo. Um rmndo qu Dus prmita qu não... porá sr pior qu a mnda. E ainda tm ptista atribuindo toda ssa cris a um prtnso complô da R Globo, da gran mídia da dirita golpista. Ora, ora, vamos qu vamos... Já stamos vndo artigos ptistas históricos até srgipanos também dizndo qu vai tudo bm, qu Dilma é quas um gênio da raça os qu fazm críticas à nova prsidência da Ptrobras apnas qurm rrubar o govrno... Si não, mas qualqur hora ssa baixa no Congrsso um pdido impachmnt da prsint da Rpública. Ah, mu Dus do céu, tomara qu não, mas, sab como é, é prciso ficar prvnido... Enquanto isso, no trritório livr da Intrnt qu s fala é qu o dr. João Alvs trocou a mprsa qu prparava os carnês do IPTU m novmbro último a nova mprsa stá apanhando muito para prpará-los. Daí o atraso. Nm parc qu a prfitura prcisa dinhiro, não é msmo? Habilida Aliás, por falar m carnês do IPTU... É prciso rssaltar o trabalho do vrador Rnilson Félix para obtr a aprovação do projto rajust do imposto há poucos dias atrás. Enquanto os corrligionários do prfito buscavam por toda part o vrador Anrson Tuca, Rnilson sustntou- -s por horas na tribuna, fnndo o projto do prfito. Qu afinal foi aprovado igualzinho como vio da prfitura... Publicida A Justiça já trminou a proibição publicida bbidas alcoólicas m trminados horários na tlvisão. No Brasil, crca 50% das pssoas comçam a bbr ants dos 17 anos um dado alarmant imprssiona quando mostra qu crca 80% dos litos públicos psiquiátricos são ocupados por alcoólatras. Em Srgip, uma li autoria do x-putado Jorg Araújo proíb a publicida bbidas alcoólicas nas quadras, ginásios sportivos stádios futbol. Na nova Arna Batistão, inaugurada na última quarta- -fira, havia várias placas com publicida bbidas alcoólicas. Ou rvoga-s a li ou rtiram- -s a propagandas. Almoço O prsint do Tribunal Contas do Estado Srgip, dr. Carlos Pinna Assis, rcbu m almoço na última sxta-fira o jornalista Luís Eduardo Costa o prsint da Associação Srgipana Imprnsa, Klibr Viira. É um mio aproximar o TCE da mídia m Srgip. Participaram também do almoço st scriba, a jornalista Acácia Trinda, dirtora Comunicação Mídias, o jornalista Hadam Torrs Lima, o coornador Control Extrno, Álvaro Carvalho, Patrícia Vrônica, dirtora da Escola Contas, sr. Eliziário Sobral, dirtor Administrativo Financiro, o sr. Joslucci Prunt, dirtor da ára Informática. O convidado spcial foi o sr. Robrval Corria Lão, miniro Três Coraçõs, Minas Grais, x-comandant da CSM m Aracaju. Dpois qu foi para a rsrva, l optou por continuar morando m Aracaju. *** Nst ncontro, o prsint da ASI, Klibr Viira qu na poss do dr. Albano Franco na Acamia Srgipana Ltras lançou um livro studos sobr a obra nosso pota maior, Santo Souza, u-nos notícias José Eugênio Jsus, x-prsint da ASI. Aos 96 anos ida, Eugênio ainda mantém norm vitalida, mas s rsguarda um pouco, não saindo mais sozinho casa. BR-101 fchada Os moradors dos bairros Bomfim, Camaçari, Piauitinga, Alcrim ntornos fcharam a BR-101 na cida Estância, por quas quatro horas, o qu grou uma fila quilométrica carros qu não podiam sguir viagm. Um transtorno para qum tinha compromissos nas cidas dos sus stinos. Os moradors rivindicavam, mais uma vz, a construção passarla m torno da ntrada sts bairros mlhor sgurança para os pstrs qu transitam pla BR-101. Muitas vidas já foram cifadas no local da manifstação, qu é prímtro urbano. O DNIT compromtu-s m atnr a manda dos manifstants. São João Informação intrssant vinda do Tribunal Contas: os gastos com atividas juninas, no ano passado, tinha consolidação valors globais spsas R$ ,58, nvolvndo 62 municípios srgipanos. Dsts, 16 municípios stavam m situação mrgência portanto, plo mnos toricamnt, não poriam ralizar fstas São João. As áras control inspção fazm prtinnts análiss aprofundamnto sta situação. Já no Carnaval st ano, o Tribunal Contas trminou qu municípios m situação mrgência ficam proibidos ralizar a folia Momo. O msmo vai acontcr nos próximos fstjos juninos. Vlhos amigos Ao assumir a Prsidência da Assmblia Lgislativa, o putado Luciano Bispo prstou significativa homnagm a plo mnos três amigos dos princípios sua vida pública: o x-putado fral José Quiroz, José Patola o x-putado stadual Djalma Lobo. Aliás, pois 25 anos Djalma Lobo ntrou nas pndências da Assmblia para assistir à lição poss do amigo. A solnida na Assmblia foi prstigiada por uma multidão, qu lotou as pndências do plnário. Não rsisto, porém, ao dar boas risadas, quando lmbro do momnto brga toda aqula fsta mocrática: o Hino do Município Itabaiana foi ntoado a pdido do próprio novl prsint, Luciano Bispo. Sucos Os Rotarys Clubs da cida rcbram a visita, sta smana, dos cinco sucos qu chgaram domingo passado a nossa capital ficam até a próxima trça-fira. Dpois ls sgum para o Rio Janiro para assistir ao Carnaval carioca. Dos cinco, só um é homm: Simon Dahl, como é atlta volibol praia, já visitou o Brasil 17 vzs, mas foi a primira vz qu vio a Srgip. Das quatro mulhrs, uma é brasilira: Rivia Olivira é natural Manaus, mas foi criada m Porto Vlho. Aos 11 anos ida, foi lvada pla mã para a Suécia la foi morar na cida Kungalv, ao nort da cida Gotnburgo. Toda sua formação ducacional foi fita na Suécia. As outras visitants são Asa Anrsson-Ulv, Elisabth Landby Maria Lundqvist. O primiro ncontro dos sucos m Srgip foi no Rotary Club Aracaju-Nort aliás, uma runião-almoço xtrmamnt divrtida. Só tv um porém: todos ls falaram sobr a Suécia, as cidas on moram, o clima muito frio, mas s squcram falar sobr o cinma suco, da obra Ingmar Brgman ators atrizs como Ingrid Brgman Anita Ekbrg, ntr outros. PONTO FINAL *** O novo prsint da Associação Comrcial Emprsarial Srgip toma poss no dia 5 março. O local da solnida srá o auditório da própria Acs, rcntmnt rformado. *** Já a poss do sr. Alxandr Porto no Fórum Emprsarial v ocorrr na primira quinzna março. *** Dntro do programa Rconstruindo Estância, a prfitura municipal ntrga nst domingo à população da zona rural algumas ponts qu stavam praticamnt intransitávis. Hoj são z ponts rconstruídas, prmitindo acssibilida sm grans problmas. *** Passou sta smana por Aracaju o dr. Hlvécio Maia, filho do médico dr. Lauro Maia, qu é smbargador no Estado do Tocantins. *** O Cntro Mtorologia da Scrtaria Mio Ambint dos Rcursos Hídricos garant qu o mês fvriro srá chuvas abaixo da média, com tndências a tmpraturas lvadas snsação térmica acima do normal. *** Mas na quinta-fira bm qu Aracaju rcbu um toró daquls. Foi muita chuva msmo.

6 A-6 Aracaju, domingo 8 sgunda-fira 9 fvriro 2015 Economia Jornal da Cida MÍRIAM LEITÃO agência GLOBO - com Alvaro Gribl são paulo O custo da corrupção Qual o custo da corrupção? Prgunta difícil rsponr m númros xatos. Hoj, o Brasil já sab qu o prço é intolrávl: a maior mprsa do país à bira um prcipício, o custo Brasil subindo, o aprofundamnto da rcssão, risco contágio inúmras mprsas. Apsar disso, o govrno cidiu abrir a tmporada lotamnto cargos nas statais no sgundo scalão. Naqul trrno fugidio ntr a conomia a política, as notícias passam, às vzs, as pssoas nm somam o qu acontc nos dois lados. Na política, a prsint stá fraca porqu foi rrotada na lição para a Câmara dos Dputados. Além disso, sua articulação política consguiu a proza não tr nnhum ptista na msa da Casa. Na conomia, a maior mprsa do país corr prigo plo saqu comandado plos indicados políticos. A prsint, ntão, para s fortalcr na política, manda sus articuladors dizrm qu fará a distribuição dos cargos do sgundo scalão das mprsas públicas m troca apoio político. Mas s a maior cris do país vm justamnt como fito colatral do lotamnto, como s po falar m mais distribuição cargos por ss msmo critério? Do ponto vista contábil, os auditors tntam mdir a corrupção têm tido problmas. No monstrativo financiro da Ptrobras foi dito qu po sr alguma coisa ntr R$ 4,06 bilhõs R$ 88,6 bi. O primiro númro foi ncontrado através uma conta simpls: 3% do valor dos contratos qu pagaram comissão, sgundo poimnto Paulo Robrto Costa. O outro, a difrnça ntr o valor justo o valor contábil 31 dos 52 ativos analisados. Nm tudo é corrupção. Part ss sobrprço po sr rsultado outras inficiências. Msmo assim s sab qu a corrupção lva à inficiência. Para qu um contratant, qu tv qu pagar propina para ganhar uma concorrência, trá intrss m sr ficint? E o funcionário corrupto, qu intrss trá m qu o valor sobr o qual inci su prcntual sja mnor? Os prços custos vão para cima para o alto smpr, m ambint corroído plo vnno da corrupção. Não é trivial fazr o qu a Ptrobras stá tntando junto com sus auditors com a orintação técnica da CVM da SEC: sabr xatamnt como calcular um custo qu, pla sua naturza, fog à contabilida. Nssa dirção é qu a Ptrobras vinha trabalhando s novmbro do ano passado com a PricwatrhousCooprs (PwC). Agora, a auditoria vai trabalhar com Almir Bndin sus dirtors. Qualqur qu sja o compromisso qu Bndin assumiu rduzir o valor do abatimnto nos ativos, l trá qu sguir normas técnicas dos órgãos rguladors. Mas, quando houvr o númro xato da baixa contábil, ainda assim não srá o custo da corrupção. O qu imprssiona nst caso rvlado pla Opração Lava-Jato é qu foi montado um conglomrado corrupção. Havia uma holding pois cntros subsidiários xploração, xtração, rfino distribuição propina. Portanto, a busca do dinhiro prdido é ncssária, mas nunca stará complta. S todo o dinhiro foss rcuprado, s foss possívl ncontrar um valor xato do qu foi subtraído da Ptrobras, ainda assim não sria o custo total da corrupção. Ela é muito mais cara. A Ptrobras o Brasil prram rputação. Tnt calcular o custo rconstrução da imagm do país qu prmitiu qu sua maior mprsa foss assaltada para qu fossm instalados dinhirodutos para os partidos govrnistas. O Brasil prcisará lutar contra a convicção qu é um país corrupção ndêmica, porqu isso afasta invstidors. S ainda assim foss possívl quantificar o dinhiro tirado da Ptrobras, os sobrprços causados dirta ou indirtamnt plo ambint corrupção qu s instalou na mprsa, a trioração da imagm da mprsa do país, o custo da piora do risco Brasil, não sria o prço total da corrupção. Sria prciso contabilizar também o intangívl custo da prciação do ativo maior: a confiança na mocracia. Como vitar qu os brasiliros comcm a prr a fé na mocracia? O qu s vê são os intstinos um squma qu transformou a mais mítica das mprsas brasiliras m local botim do partido qu nos govrna sus aliados. Ess ataqu à Ptrobras nos tm tirado mais do qu pomos calcular. Os pontos-chav 1Do ponto vista contábil, auditors da Ptrobras tntam mdir a corrupção, mas stá difícil 2Foi montado na mprsa um conglomrado qu xplora, xtrai, rfina distribui propinas 3S todo o svio foss apurado, ainda assim o custo da corrupção sria maior L O T E R I A S Concurso /02/2015 MEGA-SENA Concurso /02/2015 DUPLA SENA Concurso /02/2015 LOTOMANIA Concurso /02/2015 QUINA Concurso /02/2015 LOTOFÁCIL A produção industrial m 2014 Ricardo Lacrda Profssor do Dpartamnto Economia da UFS Assssor Econômico do Govrno Srgip A produção industrial rcuou 3,2% m Não é pouca coisa. Na séri histórica iniciada m 2002 somnt a rtração 2009 foi mais acntuada. Ainda qu a rdução da produção tnha sido bm mais intnsa no sgmnto bns capital bns durávis consumo, spcialmnt nas atividas vinculadas à indústria automobilística, la foi muito dissminada atingindo também os sgmntos insumos bns não durávis consumo. A rtração atingiu 20 dos 26 ramos industriais consirados. Entr as principais atividas industriais do país, apnas a produção ptrólo a bbidas aprsntaram crscimnto m A rtração industrial m 2014 é na vrda apnas um capítulo na trajtória dificuldas qu o stor nfrnta s qu a cris financira intrnacional s instalou m Estagnação Em uma prspctiva prazo mais longo, a ativida industrial vm prndo pso na strutura produtiva do país s mados dos anos oitnta, mas é 2008 m diant qu a volução do stor tm sido spcialmnt dramática, com altos baixos m torno uma trajtória stagnação. A produção industrial caiu 7,1%, m 2009, s rcuprou m 2010, com crscimnto 10,2%, a partir mados 2011 ntrou m trajtória clinant altrnando qudas rcupraçõs parciais. O Gráfico 1 ilustra a trajtória da produção industrial no acumulado doz mss, igualando-s a 100 o valor stmbro Dpois do início da cris intrnacional, a produção industrial somnt rtomou o patamar antrior no último trimstr Ds ntão la vio oscilando m torno ss patamar, sm consguir slanchar um novo príodo crscimnto robusto s abril 2014 vm caindo mês a mês faz isso forma pronunciada. Fators Crtamnt, a qustão da prda comptitivida do stor industrial brasiliro é muito complxa nvolvndo divrsos fators xplicativos. Há aspctos naturza mais strutural vinculados à formação caias globais produção, a ascnsão da China paíss ancilars do xtrmo orint como principal polo mundial manufaturas, mudanças rlativas ao progrsso técnico à capacida inovação como ls aftam os padrõs consumo prfrências m scala mundial. Há qum apont aspctos atinnts ao chamado custo Brasil, abrangndo as ficiências nossas infrastruturas, a lvada carga tributária o limitado grau abrtura nossa conomia. Há, todavia, outros aspctos mais comzinhos qu aftam dirtamnt os prços rlativos dos bns produzidos intrnamnt frnt aos prços xtrnos qu, ntndo, prcm os mais qu stão na raiz das dificuldas nfrntadas plo stor industrial brasiliro. São sss aspctos qu xplicam m part porqu o Brasil não tm participado mais ftivamnt das tais caias produtivas globais, ficando fora do radar das grans rs produção distribuição. Esss aspctos cumprm um papl important na prda comptitivida industrial do país contribuíram para a rápida trioração do stor durant ss príodo vigência da cris mundial. O fato é qu s mados dos anos novnta, os govrnos têm optado por incntivar o consumo sstimular a produção. Fazm isso, rcorrntmnt, mantndo Font: IBGE-PME Font: IBGE-PME nossa moda valorizada por longos príodos, algumas vzs forma artificial, nos anos novnta, m outros príodos por conta ondas valorização das cotaçõs intrnacionais nossas principais commoditis qu assguram um fort influxo modas xtrnas, causando a chamada donça holansa. Com isso, os produtos importados s tornam mais baratos a produção intrna mnos comptitiva tanto no mrcado doméstico quanto no mrcado xtrno, tal qual s xprssa na volução da csta moda do nosso comércio xtrior mdida plos salários intrnos (vr Gráfico 2). Populismo cambial Na sgunda mta dos anos novnta o Brasil acitou subsidiar o consumo intrno por mio importaçõs com câmbio fortmnt svalorizado, plo mnos até a débacl cambial ao final 1998 (vr Gráfico 2). Nss príodo, os déficits na balança comrcial ram cobrtos pla ntrada capitais spculativos atraídos por taxas juros rcors, pla vnda dos ativos das mprsas statais com a finalida ocupar os spaços ixados plo capital nacional m uma séri sgmntos qu foram sstruturados / ou snacionalizados. A partir 2004 o câmbio foi svalorizado, na primira tapa, como rsultado uma típica donça holansa, m qu os suprávits comrciais assgurados plo smpnho xtraordinário das commoditis agrícolas minrais. Como é típico nsss procssos, as mais atividas produtoras bns comrcializávis, sujitas à concorrência xtrna, prm comptitivida no mrcado intrno no mrcado xtrno. Dpois 2011, os prços nossas commoditis comçaram a spncar o saldo da balança comrcial brasilira comçou a ncolhr, até ficar ngativo m Ainda assim, o govrno rsistiu a svalorizar nossa moda/ valorizar o câmbio na magnitu ncssária para ralizar o ajust, rcoso do impacto qu tria nos prços na produção intrna, no primiro momnto. Ou sja, o fito Indicadors DÓLAR Comrcial Compra Vnda R$ 2, R$ 2,7782 Parallo Compra Vnda R$ 2,72...R$ 2,88 Turismo Compra V n d a R$ 2,68...R$ 2,86 Imposto rnda na font Font Alíquota Ddução Até R$1.787,77...isnto D R$1.787,78 a R$ 2.679,29...7,5%...R$ 134,08. D R$ 2.679,30 a R$ 3.572, %...R$ 335,03. D R$3.572,44 a R$4.463,81..22,5%...R$602,96. A partir R$4.463, ,5%...R$826,15. Ddução por pnnts...r$179,71 tr Janiro Dia17...0,0675% Dia18...0,0675% Dia19...0,1052% Dia20...0,0891% Dia21...0,0862% Dia22...0,0728% Dia23...0,0463% Dia24...0,0554% Dia25...0,0882% Dia26...0,1212% Dia27...0,0906% Dia28...0,6040% Março Dia01...0,5169% Dia02...0,5236% Dia03...0,5179% Dia04...0,5434% tbf Janiro Dia21...0,8569% Dia22...0,8434% Dia23...0,8067% Dia24...0,8158% Dia25...0,8589% Dia26...0,9122% Dia27...0,8713% Dia28...0,8943% Dia29...0,8545% Dia30...0,0422% Dia31...0,0168% Fvriro Dia01...0,0168% Dia02...0,0235% Dia03...0,0178% Dia04...0,0432% Dia05...0,8698% SALÁRIO MÍNIMO Fvriro - R$ 788,00 Fonts: FGV/IBGE/BANCO CENTRAL/FIPE/SEFAZ/SE donça holansa xpirou s 2011, mas o câmbio, apsar da valorização nos últimos zoitos mss, não foi posicionado no patamar ncssário para rquilibrar prços intrnos prços xtrnos. Isso vai sr invitávl. A qustão cntral é o ritmo, a urgência a intnsida m qu vai sr fito. (Artigos antriors stão postados m INSS - assalariados, domésticos trabalhadors avulsos Contribuição - Aliquota Até 1.247, % D 1.247,71 até 2.079,50...9,00% D 2.079,51 até 4.159, ,00% Salário Família Até R$646,55...R$33, Filho D R$646,56 a R$971,78...R$23, Filho POUPANÇA Janiro Dia03...0,5954% Dia04...0,5599% Dia05...0,5437% Dia06...0,5253% Dia07...0,5563% Dia08...0,5669% Dia09...0,5863% Dia ,5828% Dia11...0,5701% Dia12...0,5234% Dia13...0,5197% Dia14...0,5502% Dia15...0,5887% Dia16...0,5820% Dia17...0,5968% Dia18...0,5733% Dia19...0,5417% Dia20...0,5345% Dia21...0,5659% Dia22...0,5794% Dia23...0,5882% Dia24...0,5908% Dia25...0,5916% Dia26...0,5579% Dia27...0,5549% Dia28...0,5856% Dia29...0,0000% Fvriro Dia01...0,5882% Dia02...0,5835% Dia03...0,6010% Dia04...0,6230% Dia05...0,6644% Dia06...0,6470% Dia07...0,6632% Dia08...0,6299% Dia ,5978% Dia10...0,5840% Dia11...0,6154% Dia12...0,6317% Dia13...0,6603% Dia14...0,6342% Dia15...0,6202% Dia16...0,5939% Dia17...0,5678% Dia18...0,5678% Dia19...0,6057% Dia20...0,5895% Dia21...0,5866% Dia22...0,5732% Dia23...0,5465% Dia24...0,5557% Dia25...0,5886% Dia26...0,6218% Dia27...0,5911% Dia28...0,6040% Dia29...0,8545% Dia30...0,8025% Dia31...0,7669% Fvriro Dia01...0,7669% Dia02...0,7737% Dia03...0,7679% Dia04...0,8035% Dia05...0,7725%

7 Brasil/Opinião Aracaju, domingo 8 sgunda-fira 9 fvriro 2015 JORNAL DA CIDADE A-7 ESPLANADA POR LEANDRO MAZZINI JOSÉ ANDERSON NASCIMENTO PRESIDENTE DA ACADEMIA SERGIPANA DE LETRAS, JORNALISTA E MEMORIALISTA Gumrsindo Bssa: História trajtória vida Filho Campos planja stria na política m 2016 primogênito do saudoso prsinciávl Eduardo Campos, O João Campos, planja sua stria na política dois anos após o sastr qu vitimou o lír do PSB, afirmam aliados. Filiado ao partido mmbro da Excutiva local, João articula uma candidatura a vrador no Rcif ou a ntrada como vic na chapa do prfito Graldo Júlio, qu tntará a rlição ano qu vm. O PSDB, hoj aliado do PSB ocupando cargos no govrno, também planja lançar candidato à Prfitura v ixar a gstão m CAUTELOSO - À Coluna, João diss qu não é hora falar política, qu sua priorida é o curso Engnharia Civil na UFPE qu por ora não concrá ntrvistas. DE OLHO NO PLANALTO - A orm Aécio Nvs, prsint do PSDB, é para o partido lançar candidato a prfito m todas as capitais m cidas-pólo do intrior, para chgar fort a TAMANHO DA COISA - É plausívl a procupação da prsint Dilma com a cris na Ptrobras. Ela ating dirtamnt 8 mil mprsas forncdoras cntnas milhars mprgos. QUEM É VIVO......aparc no Conslho da Ptrobras. O gnral Francisco Albuqurqu foi um dos conslhiros da statal qu votou a favor Almir Bndin na prsidência. Não lmbram l? Em 2006, comandant do Exército, ornou ao mu pssoal (da Infraro) qu atrasass a colagm um voo da TAM Campinas-Brasília a tmpo l mbarcar com a sposa. Entrou no avião, após duas pssoas crm as suas vagas. SEXTO MANDATO - O nófito putado Edilson Silva (PSOL) tomou poss já candidatando-s à Prsidência da Assmblia Prnambuco contra o putado Guilhrm Uchoa, qu disputava o 5º mandato conscutivo. Falou bonito, citou o jurista Migul Ral... tv um voto. O su. DIREITO NA GAVETA - A Câmara arquivou dia 31 janiro o PL 3712/08, do x-putado Maurício Rands (PT-PE), qu concdia diritos pnnt, para fins tributários (IR), ao(a) companhiro(a) homossxual. LAVOU AS MÃOS - Surral foi a rsposta do rlator do PL, putado Pdro Paulo (PMDB-RJ), pla não implicação da matéria com aumnto ou diminuição da rcita ou da spsa públicas VOLDEMORT - Outro PL qu foi para a gavta ra autoria do mnsaliro Valmar da Costa (PR-SP), x-putado apnado. Dava dirito a rdução pna a prsos qu doassm órgãos. COMO SEMPRE... Não causa mais surprsa no govrno a suspita divulgada qu os Estados Unidos continuam a monitorar (só ls sabm como) a prsint Dilma. Em stmbro 2013, rvlou a Coluna, o próprio chanclr Luís Figuirdo, m runião com putados, soltou qu EUA não vão parar spionar não pdirão sculpas. TECNOLOGIA TUPINIQUIM - O Govrno s sforça na blindagm com tcnologia nacional. A Agência Brasilira Intligência snvolvu dois produtos, o C-Gov o CriptoGov, rspctivamnt o softwar para protgr -mails o tlfon com linha criptografada usados por Dilma. FAMÍLIA, FAMÍLIA - Os católicos do Congrsso stão irados. Na onda arquivamnto projtos li no fim janiro ntrou o PLC , qu instituía a Smana Nacional da Família. Programavam uma séria atividas patrocinadas pla Igrja. VITAL E O TCU - A ida do x-snador do PMDB, Vital do Rêgo, para o TCU ixou um vácuo no partido m Campina Gran, a sgunda capital da Paraíba. Hoj, o partido não tm candidato para a lição m E Vital, uma vz no cargo, não porá fazr política. A bola stá com o irmão Vnziano, lito putado fral. SEGURANDO A CASERNA - Um crto da prsint Dilma 28 janiro rabriu crédito xtraordinário R$ 560 milhõs, pla MP 666, para os Ministérios da Dfsa da Intgração Nacional. AOS LEITORES - Pautas, núncias, críticas, sugstõs nvi-nos -mail para a quip da Coluna: PONTO FINAL - Val rptir, conform lator avisou: squma propinas comçou m 1997, durant a gstão FHC. Invstigação é para todos. Com Equip DF, SP Norst LM Comunicação Coluna Esplanada Caixa Postal 1980 CEP Brasília-DF (61) / (61) / (61) A história vida é uma narração biográfica acontcimntos qu um ator social ralizou, para prsntificar as suas açõs culturais. Em narrativas ss tipo é important consirar as contribuiçõs qu o ator ralizou na construção do tcido social. Pirr Félix Bourdiu, um sociólogo francês da contmporanida, muito s ocupou nssa tmática, mostrando qu para s scrvr uma história vida, pn-s da posição do agnt num campo social. Dsta forma Bourdiu transpõ o concito história vida, para introduzir o concito trajtória vida, qu stá articulado aos concitos campo habitus. Na sua concpção, a trajtória vida é linar, cronologicamnt ornada por vntos sucssivos, ou sja, m posiçõs qu foram sucssivamnt ocupadas plo agnt num crto campo. Então, para a construção da trajtória vida Gumrsindo Bssa, procurarmos aprsntar o su prfil, numa spéci script, orintando as nuancs da sua vida da sua obra acadêmica. Gumrsindo Araújo Bssa nascu a 2 janiro 1859, m Estância, Srgip, filho Urbano Joaquim da Solda D. Francisca Carolina Araújo Bssa. Ralizou as primiras ltras m sua trra natal, Estância, brço outras prsonalidas da vida sócio política cultural Srgip do Brasil, a xmplo Brício Cardoso Azvdo, Gilbrto Amado, Maurício Graccho Cardoso, Ofnísia Frir, Hitor Souza, Clodoaldo Alncar Filho, Hunald Alncar, Svriano Maurício Cardoso, João Antônio Prira Barrto, Joaquim Maurício Cardoso, Monsnhor Antônio Frnans da Silvira, Luiz Carlos Fonts Alncar, Manul Luiz Azvdo Araújo, José Maria Goms Souza, João Estvs da Silvira, José Lournço Magalhãs, Hunald Santaflor Cardoso, Raymunda Msquita Mnzs, Pdro Soars, Manul Rodrigus do Nascimnto, Dom Domingos Quirino Souza, Raimundo Souza Dantas, Alina Paim, Raymundo Silvira Souza, Padr Arquibaldo Ribiro, ntr outros. Gumrsindo Bssa, ainda na adolscência, foi lvado para Salvador, como acontcia com outros pré-adolscnts adolscnts stancianos, qu iam compltar os sus studos fundamntais complmntars, na capital baiana. Já na Boa Trra, Gumrsindo Bssa foi matriculado no Sminário Arquipiscopal da Bahia, on prmancu ntr anos 1876 a 1879, com a finalida sguir a carrira clsiástica, qu pois abandonou para abraçar outra carrira qu mais s harmonizass com as tndências naturais do su irrquito spírito. Escolhu, ntão, o Curso Dirito do Rcif, qu stava no aug s os anos A Escola do Rcif foi um movimnto carátr sociológico cultural qu tomou lugar nas pndências da Faculda Dirito do Rcif, atualmnt, unida da Univrsida Fral Prnambuco. Val a pna lmbrar qu a Faculda Dirito do Rcif, inaugurada plo Dcrto Imprial Dom Pdro I, 11 agosto 1827, foi a primira faculda do gênro no Brasil, junto com sua irmã do Largo São Francisco, m São Paulo, hoj Univrsida São Paulo. Por tr sido durant muito tmpo o único spaço para o gran bat intlctual na rgião nort norst do País a Faculda Dirito do Rcif abriu spaço para idéias qu rsultaram na nominada "Gração 1871", trmo substantivo para Escola do Rcif. Assim, a Escola do Rcif, ou Gração 1871, contribuiu para a construção intlctual brasilira nos tmas da sociologia, da antropologia, crítica litrária stética. Sus postulados foram a valorização da mstiçagm no Brasil, rsultado do cruzamnto tnias; a valorização do homm brasiliro a invstigação do carátr nacional, smpr m bat com corrnts tóricas uropias, o positivismo, o volucionismo talvz o marxismo. Os mmbros mais prominnts da Escola foram Tobias Barrto, Clovis Bvilacqua, Sílvio Romro Joaquim Nabuco. Não sria todo incornt intgrar autors como Gilbrto Fryr Ponts Miranda nsta slção, mbora os autors Casa Gran & Snzala do Tratado Dirito Privado tnham comçado suas carriras nos anos , rspctivamnt, sm a ral xistência, portanto, da Escola do Rcif. A Escola do Rcif, fértil ativida intlctual cultural, gozou bastant trânsito até a inauguração das mornas faculdas Ciências Sociais no Brasil nos anos , como é o caso da Escola Sociologia Política São Paulo, da Univrsida São Paulo da Univrsida do Brasil, atual Univrsida Fral do Rio Janiro. Isto porqu os tmas incorporados antriormnt plos "bacharéis" passaram a sr sistmaticamnt trabalhados rpnsados plos novos psquisadors saídos dos bancos da Sociologia, da Antropologia da Ciência Política. Msmo assim, sria rrôno ignorar a produção cultural intlctual da Escola do Rcif, bm como da Faculda Mdicina da Bahia, para o progrsso das Ciências Sociais no Brasil. Colando o grau Bacharl m 2 outubro 1885 rgrsso a Srgip, Gumrsindo Bssa foi nomado Promotor Público na Comarca São Cristóvão, m Srgip, lá prmancndo até 1886; pois, m 1891, assumiu o cargo Juiz Casamntos. Já na Rpública constituído o Tribunal Aplação do Estado Srgip, por força do Dcrto 10 novmbro 1891, Prsint Vicnt Luiz Olivira Ribiro, compôs a grégia cort justiça, com os bacharéis João Batista da Costa Carvalho, Cândido Olivira Ribiro, João Goms Barrto, Gumrcindo Araújo Bssa José Barros Accioly Mnzs, com o título Ministros. Instalado o Tribunal mpossados os Ministros, Gumrsindo Bssa foi lito o su prsint. Dissolvido o Tribunal Aplação, l dicou-s à advocacia, m 1894, assumi a chfia Polícia do Estado, cargo quivalnt ao Scrtário Estado da Sgurança Pública. Na advocacia, smpr fnndo os intrsss dos carnts rcursos conômicos. Ds ntão fndia os princípios da igualda da dignida da pssoa humana. No aprofundamnto do studo da ciência jurídica, Gumrcindo Bssa bruçou-s sobr a obra do jurista almão Rudolf von Ihring Tobias Barrto, imprssionando-s com as suas torias, principalmnt, com a aprciação do Dirito como um fato histórico social. Fausto Cardoso, amigo contmporâno Gumrsindo Bssa na Faculda Dirito do Rcif, indica o su nom para sr advogado da causa dos acranos, qu lutavam pla mancipação política do trritório. Do outro lado, como advogado do Estado do Amazonas, a qum stava sujito o trritório do Acr, atuou Rui Barbosa, o gran político jurista baiano. Nss procsso, atuou outro srgipano, Pdro Antônio Olivira Ribiro, na qualida Procurador Gral da União. Gumrsindo Bssa, apsar não tomar part formal no procsso coloca suas argumntaçõs nas folhas do Jornal Srgip, Aracaju, no Jornal do Commrcio, no Rio Janiro, consagrando su nom, m finitivo, no mio jurídico nacional. Gumrsindo Bssa fz part da Câmara Dputados na última lgislatura do rgim monárquico, sndo rconduzido como Dputado à Assmblia Constituint Dputado Fral (1909). Foi sócio do Instituto Histórico Gográfico Srgip corrsponnt da Socida Brasilira Lgislação. Falcu m 24 agosto 1913, no Engnho Mucury, m Nossa Snhora do Socorro (SE). Por projto Carvalho Nto, o Fórum Aracaju passou a sr nominado Gumrsindo Bssa, o judiciário srgipano funcionava na Praça Divulgação Olimpio Campos, númro 14, hoj, Procuradoria Gral do Estado. Com a mudança do fórum para o Bairro Capucho, o nom Gumrsindo Bssa continuou a nominar ssa unida do judiciário. Joaquim Prado Sampaio Lit, organizador do livro Pla imprnsa plo foro, rfrindo-s a Gumrsindo Bssa, rgistra qu l ra Intransignt rbl, qu, m prol do Dirito, pljou sm tréguas, vivu a sonhar um mundo mlhor, paz amor. A trajtória política, jurídica cultural Gumrsindo Bssa foi analisada plo Dsmbargador João Dantas Martins dos Ris, no su nsaio Gumrsindo Bssa, publicado pla Livraria Rgina m 1958, on anota, também, as suas crnças rligiosas. Nss nsaio, l staca nxrtos do pnsamnto Gumrcindo Bssa, voltados para a Cristanda: [... ] D Ti, porém, dão tstmunho frvoroso adoração todos os coraçõs. Falast aos homns ls rcolhram Tuas palavras como a rvlação do Vrbo Dus: criast uma humanida nova rmida plo Tu sangu; fundast a librda da trra outorgast ao mundo a gran li da fratrnida. Tudo pn Ti. Em Tu nom socorrm-s os mísros, librtam-s os cativos, amparam-s os fracos, instrum-s os ignorants, rcolhm-s os xpostos, curam-s os nfrmos, rcolhm-s os aflitos, auxiliam-s todos os sgraçados. Em qualqur part m qu s trat uma ação mritória, um fito carida abngação, Tu nom há sr invocado para xmplo para pnhor da rcompnsa. Dcorrram cntnas anos, milhars anos ainda trão corrr até qu a humanida tnha saparcido da fac do planta: mas todas as graçõs vrão vir pousar ao pé da cruz, instrumnto Tu suplício, símbolo nossa rnção. O mundo pnrá Ti, confssar-t-á smpr o su Salvador. Como o dissst à Samaritana, srás smpr adorado m spírito vrda. Mil vzs mais vivo, mil vzs mais amado pois da mort do qu durant todos os dias Tua passagm por st mundo, Tu srás a pdra angular da humanida, sort qu, s prtndêssmos arrancar Tu nom st mundo, tríamos convulsioná-lo até os sus fundamntos [...] Procurando xplicar a conciliação in xtrmis Tobias com a Igrja Católica, Gumrcindo Bssa scrvu: [...] Os mais arrojados avanços da ciência não são incompatívis com a idéia Dus [...]. Sua afirmativa, pois traçar o prfil Snhor dos Passos, balouçando m sua charola prata vludo", diss qu "l passará hoj, como passou há duzntos, anos, como há passar duzntos anos pois nós". Isso é a prova mais loqunt sua fé absoluta duradoura. Nm outro jito poria sr, para qum, como l, foi ducado nos princípios da rligião católica, tndo abraçado até a carrira, clsiástica, qu, mais tar, abandonara, quas a concluir o curso do sminário arquipiscopal, somnt por uma arrancada su orgulho, o su qurido orgulho, como l próprio afirmara.

8 Aracaju, domingo 8 sgunda-fira 9 fvriro 2015 Inform Publicitário Jornal da Cida Marcll Cristinn Marcll Cristinn Orlinha do São Braz EM NOSSA SENHORA DO SOCORRO Wllington Barrto ORLINHA DO BAIRRO INDUSTRIAL Wllington Barrto CALUMBI Calumbi O turismo Nossa Snhora do Socorro passa também plo povoado Calumbi, famoso pla culinária a bas pixs camarõs. Para dar mais conforto aos moradors frqüntadors do local, o govrno do Estado stá concluindo a pavimntação da strada qu faz a ligação da BR-1 o povoado. A obra, cuja xtnsão total é 2,7 quilômtros, já stá 80% xcutada ofrc um novo panorama para a qualida vida as prspctivas dos moradors comrciants. O srviço é ralizado com rcursos do Proinvst, na orm R$ 1,6 milhão. Glaudison Chagas cidiu invstir m um rstaurant no sítio on já rsi há 18 anos lmbra qu a dificulda acsso não colaborava com a conomia local. Ds qu chgui aqui, há uns 35 anos, qu smpr houv dificulda acsso. No invrno é lama, no vrão, poira. Com ss advnto da pavimntação vai acabar ss sofrimnto. O gran bnficiário ssa conjunção dos govrnos stadual municipal, através ss Proinvst, é a comunida local, opina. D acordo com o mprsário, aos domingos, dia maior movimnto, ntr carros visitam o local. Pssoas todos os cantos do stado até outros paíss. Com a pavimntação, o local vai passar a sr mais conhcido, vai sr mais conômico vir aqui porqu o carro não vai ficar tão sujo, o qu ra motivo rclamação muita gnt, vai incntivar a criação novos rstaurants, acrdita. Para a comrciant Juciclai Paixão, uma das propritárias do conhcido rstaurant São Migul, sta é uma ralização importância histórica para a rgião. Tnho 26 anos s criança já ouvia as solicitaçõs as divrsas promssas qu ssa obra iria sair. Só agora isso virou ralida. Aracaju Na capital, um dos bairros mais antigos Aracaju stá passando por uma nova fas. O bairro Industrial, zona nort da Cida, rcb R$ 30 milhõs m obras srviços urbanização. Somnt na sgunda tapa da Orlinha são R$ 3 milhõs m obras como muro contnção, calçadão com bancos, cantiro cntral com iluminação um rstaurant contmplativo do rio Srgip. A obra da Orlinha contmpla a duplicação da pista rolamnto num trcho 150 mtros xtnsão, largura 9 mtros cantiro cntral com um mtro largura. Após a conclusão, starão disponívis duas pistas com 400 mtros xtnsão, largura 9 mtros 2,5 mtros stacionamnto. A intrvnção também prvê construção calçada 400 mtros com largura variando 3 a 5,5 mtros ao longo do muro contnção. Outra obra xtrma rlvância na ára é a implantação das rs drnagm pluvial sgotamnto sanitário, além da urbanização tratamnto paisagístico, incluindo ainda a instalação 12 posts 16 mtros altura, com quatro pétalas cada, 26 posts corativos com lâmpadas vapor mrcúrio 80 watts. O profssor, André Gós rsi há três anos m uma das principais avnidas do bairro, a Gnral Calazans, l tm convivido há alguns mss com poira, lama dificulda stacionar, mas nada disso tm tirado su otimismo, porqu o bnfício futuro irá compnsar o incômodo do agora. O qu tinha ruim ra falta iluminação o movimnto só xistia por conta dos rstaurants. Com a obra st cnário v mudar, nossa xpctativa é qu mlhor vários aspctos, como a iluminação, o lazr para as crianças, a valorização dos imóvis principalmnt a blza do local qu srá potncializada. Com o invstimnto chga também mais saú, pois trmos r sgoto, rlata. Qum também anda satisfito é o pscador Eilton Bispo dos Santos, o Ppu. Há 20 anos l mora no bairro Industrial tira su sustnto o sua família do rio Srgip. D acordo com l, a continuação da obra da Orlinha é uma das mlhors coisas qu poria acontcr para qum viv da psca, pois stá sndo construído um cais. Ess cais influncia dirtamnt a vida 100 pscadors, pois vamos por subir scr com o motor os barcos com mais facilida por conta da rampa qu trá no cais. Ants ra muito sacrifício prcisávamos da ajuda outros colgas. Wllington Barrto Marcll Cristinn Juciclai Paixão Ana Cristina Marcll Cristinn Srviços Os srviços ralizados foram: implantação quiosqus maira, calçamnto m parallpípdo na rua 1 juntamnt com o sgotamnto sanitário, construção calçadão rcapamnto asfáltico da rua 2, além toda a instalação létrica. Proinvst m Socorro O Proinvst prvê mais 30 obras struturants qu bnficiarão dirtamnt todos os municípios srgipanos nas áras saú, ducação, logística, infrastrutura produtiva, habitação, sanamnto ambintal, urbanismo mobilida urbana. Em Socorro, os rcursos do Proinvst stão, além da urbanização da Orlinha do Povoado São Braz da pavimntação do Calumbi, na pavimntação asfáltica ruas do Conjunto Marcos Frir III (R$ ,39), construção da Escola Ministro Armando Rollmbrg, no Conjunto Jardim (R$ ,54), construção Galpõs Industriais (R$ ,46) a construção Cntro Profissionalizant orçada m R$ ,10. Com capacida para 504 alunos, o Cntro ofrcrá cursos na ára automação industrial. Ana Kátia Victor Ribiro Wllington Barrto ORLINHA DO BAIRRO INDUSTRIAL Nós aqui, dos rstaurants, chgávamos a pagar para qu pssoas tapassm os buracos da pista para tntar diminuir a rclamação dos clints qu tinham dificulda chgar, rlata a comrciant qu gra, só com o su mprndimnto, crca 30 mprgos dirtos. Glaudison Chagas Wllington Barrto Wllington Barrto Orlinha do São Braz A ativida turística da Gran Aracaju ganha mais um stímulo com invstimntos m spaços lazr. Nst domingo, o govrno do Estado ntrga a Orla do São Braz, m Nossa Snhora do Socorro. Localizada às margns do Rio do Sal, a Orla é a primira obra do Proinvst inaugurada oficialmnt. Um invstimnto R$ 1,3 milhão. O novo spaço lazr ofrc conforto aos moradors stimula o comércio local. Como comprova Ana Kátia dos Santos, dona um dos bars m frnt à orla. Mlhorou bastant tudo aqui. Ants, quando o rio nchia, vinha uma maré fort qu ultrapassava a rua, causando transtorno pra gnt. Hoj, isso mudou inclusiv troux mais pssoas para visitar contribuir com o comércio local, agora é só prsrvar tudo isso qu ficou muito bonito. Ana Cristina Concição Santos rsi no povoado há 19 anos concorda com a comrciant. Nunca tinha visto uma obra qu valorizass tanto minha rua ss povoado, mlhorou muito aqui. O spaço aprovita a blza natural do povoado São Braz, mlhorando a qualida vida moradors do local do complxo Taiçoca. Esta obra m agradou bastant, cobrava muito por ss fito aqui, hoj posso dizr qu tudo stá mudando, trazndo mais turistas para visitação, o qu é muito bom pra mim para os outros comrciants daqui. Mlhorou a qualida vida tornando valorizado o nosso povoado, diss João Guilhrm Andra, morador do povoado há 50 anos. profssor André Wllington Barrto Marcll Cristinn Govrno invst para impulsionar o turismo da Gran Aracaju Wllington Barrto A-8 pscador Eilton

9 prsidência Luiz Mndonça, novo prsint do TJ, conta como srá gstão Cidas B8 Aracaju domingo 8 sgunda-fira Cidas B Editor: Eugênio Nascimnto Jornal da Cida C a d R N O Com trcirização, mrnda scolar mlhora Scrtários da Educação dos municípios avaliam qu sprdício alimntos agora é controlado s problmas nvolvndo a alimntação scolar m todo o Brasil são bm conhcidos acabam smpr nas manchts dos jornais. Vários municípios já ixaram srvir a mrnda aos studants, mas xistm outras ficiências, qu vão da compra gênros alimntícios inaquados aos cardápios qu não atnm às ncssidas das crianças adolscnts. Há ainda o sprdício grado plo control inaquado do stoqu sndo qu alimntos prm a valida são scartados. Para rsolvr sss divrsos outros problmas, vários municípios stão apostando na contratação mprsas para ralizar o srviço. E os rsultados são animadors. O primiro impacto da trcirização da alimntação scolar é na gstão. Ao invés s procupar com a compra frutas, vrduras, lit, carn divrsos outros gênros alimntícios, através divrsos procssos licitatórios, algumas prfituras ralizam a licitação para contratar uma mprsa pronto: la fica rsponsávl por forncr o cardápio trminado, cumprindo xigências das administraçõs municipais da lgislação fral, qu impõm uma séri orintaçõs. Essa compra fracionada alimntos é garantia dor--cabça para divrsos prfitos. E quando ocorr algum problma, a lntidão da burocracia acaba impactando na alimntação ofrcida às crianças. Com a transmissão do srviço para uma mprsa spcializada não acontc isso: qualqur problma é imdiatamnt informado à mprsa, qu, acordo com o contrato stablcido, v sanar imdiatamnt a manda aprsntada. Outra qustão qu costuma impactar na qualida da alimntação srvida nas scolas são as mrniras. Gran part las são funcionárias antigas qu não rcbram trinamnto aquado o qu gra sprdício às vzs faz chgar aos pratos dos studants uma rfição ruim. Mas com a trcirização, ssa atribuição também é rpassada à mprsa, qu fica rsponsávl por garantir do fardamnto ao trinamnto aquado. A prfitura apnas fiscaliza tudo, grando também uma conomia mão--obra. Laranjiras Um dos municípios qu ariu à contratação uma mprsa spcializada foi Laranjiras. O scrtário Educação da cida, Graldo Viira, conta qu stá satisfito com o srviço prstado pla VBX Rfiçõs Coltivas. Tmos 20 scolas, localizadas m vários povoados. A logística da ntrga dos alimntos é uma incumbência da mprsa, é fita smanalmnt. Dsta forma não há risco prda alimntos ou tr gênros alimntícios sobrando, a quantida vm smpr corrta, xplicou l. Graldo diz ainda qu a mprsa mantém suprvisors para acompanhar os trabalhos caso algum gênro qu foi ntrgu aprsnt algum problma l é substituído com agilida. Além disso, a nutricionista do município acompanha todo o trabalho prstado. Para mim, qu stou no cargo s a administração antrior, a qualida da mrnda também mlhorou, com a ntrada da VBX, porqu há um acompanhamnto. Ds qu passamos a trabalhar com ssa mprsa o srviço ficou mlhor. O Conslho Alimntação Escolar (CAE) daqui do município é bastant atuant também acompanha todo o procsso, visitando as unidas. Existm problmas pontuais, vz ou outra, mas os rlatórios do CAE mostram satisfação, concluiu o scrtário. Canindé Outro município qu optou pla contratação uma firma com know-how m alimntação scolar foi Canindé São Francisco, no srtão srgipano. A scrtária Elian Moras assumiu o cargo há pouco tmpo, mas conta qu vm sndo bm atndida qu há uma procupação da mprsa m stritar o contato com a quip da prfitura. Tudo o qu soliciti foi atndido. Fizmos um cardápio difrnciado, um pquno almoço, já qu muitas crianças da nossa r são pobrs prcisam sta rfição. O diálogo a rapiz para atnr às solicitaçõs m ixaram satisfita, contou Elian Cardápio da alimntação scolar Aracaju tm aprovação quas 95%. Outro município qu apostou na parcria com uma mprsa foi Aracaju. E parc qu a aposta foi corrta. Uma psquisa ralizada pla mprsa VBX Rfiçõs Coltivas, qu stá rsponsávl plo forncimnto da alimntação scolar na capital, rvlou qu os dirtors das scolas aprovam a alimntação qu stá sndo srvida. Todos os dirtors foram ouvidos o rsultado rvlou, ntr outras coisas, qu 93,3% ls stão satisfitos com a qualida das rfiçõs qu stão sndo srvidas. A nota gral do srviço prstado foi 8,3%, on 93% dos dirtors das unidas nsino ncontram-s muito satisfitos ou satisfitos com o srviço apnas 6,3% stão pouco satisfitos ou insatisfitos com o trabalho. A psquisa foi ralizada no mês agosto a mtodologia aplicada foi a distribuição qustionários a todos os dirtors scolas. Todos rsponram, avaliando o srviço. A qualida dos gênros alimntícios forncidos para nutrir as crianças, por xmplo, também foi bm avaliada: 46% dos dirtors dissram star muito Fotos: Divulgação crianças têm comida qualida na scola; Graldo diz qu srviço mprsa é mlhor Cardápio scolar tm aprovação satisfitos 48,6% satisfitos. Só 5,2% dissram star pouco satisfitos ninguém diss star insatisfito com ss ponto. A ntrga da mrcadoria é outro ponto fundamntal para qu a alimntação scolar sja srvida com qualida. 94,7% dos dirtors afirmaram qu stão muito satisfitos ou satisfitos. Os gstors scolars também pnsam qu é boa a rsolutivida na solução dos problmas qu aparcm. 38,1% s mostraram muito satisfitos 52,6% satisfitos só 9,2% dissram star pouco satisfitos ou insatisfitos com ss ponto.

10 B-2 Aracaju, domingo 8 sgunda-fira 9 fvriro 2015 Jornal da Cida Cidas Fotos: Divulgação srgipanos consomm mais alimntos ricos m carboidratos no café da manhã jantar; forma xagrada, pratos típicos da culinária pom aumntar índic glicêmico Norstino é qum mais consom carboidrato Hábitos culinários da rgião mostram consumo médio até kcal, conform rgistra psquisa Andréa Vaz Da quip JC norstino consom mais carboidratos do qu a população do rstant do País. A informação é da nutricionista Cinthia Fonts, spcialista m nutrição clínica, qu xplica qu, m Srgip, isso ocorr m corrência dos hábitos culinários da rgião ricos m pãs massas, bolos, farinha mandioca, cuscuz raízs m gral. Dado confirmado pla Psquisa Orçamnto familiar (POF), do Instituto Brasiliro Gografia Estatística (IBGE), qu mostra qu a média consumo calorias no Norst brasiliro é aproximadamnt 1448 kcal 2174 kcal. S obsrvarmos o consumo alimntar no nosso Estado, pomos obsrvar claramnt a prsnça carboidratos m spcial no café da manhã jantar. Os srgipanos cultivam o hábito consumir pãs brancos, biscoitos, bolachas, bolachõs, o tradicional cuscuz milho também as raízs (inham, macaxira, cará, cará outros), rforça a spcialista m nutrição clínica. Na msa do bom norstino também não falta a famosa farinha mandioca. Com tudo isso, não dá outra: os srgipanos acabam consumindo carboidratos rfinados m xcsso. E sta ingstão xcssiva acaba grando um aumnto da glicmia, consqunt aumnto dos nívis insulina, aumnto dos triglicéris também aumnto do acúmulo da gordura corporal m spcial na rgião abdominal, avisa Cinthia Fonts. A nutricionista chama a atnção para as consquências do consumo xagrado dos carboidratos alto índic glicêmico açúcars, docs m gral, rfrigrants, pãs brancos, biscoitos, bolachas, farinha, ntr outros, uma vz qu aumntam o risco para snvolvr a obsida as donças cardiovasculars. O ial dica para uma alimntação A saudávl é fazr scolhas difrnt trocar os carboidratos rfinados alto índic glicêmico por carboidratos complxos baixo índic glicêmico, são ls: os crais intgrais (pãs intgrais, avia, arroz intgral, linhaça, raízs). Além possuírm baixos índics glicêmicos quantida significativa fibras, os carboidratos intgrais ainda contêm vitaminas, minrais fitoquímicos, qu contribum para rdução do pso corporal, rdução dos nívis srgipanos cultivam o hábito consumir pãs brancos, biscoitos, bolachas, bolachõs E o tradicional cuscuz milho glicmia, insulina, rdução colstrol triglicéris. Por isso o ial é qu os srgipanos ralizm trocas saudávis, mum a qualida dos carboidratos ingridos. Troqu o pão branco por pão intgral, arroz branco por arroz intgral acrscnt crais intgrais como linhaça, avia chia na dita, pois sts auxiliam na prda pso na rdução dos nívis triglicéris colstrol, orinta a spcialista. Mas não basta cuidar apnas da qualida dos carboidratos consumidos. É important também o consumo aquado frutas vrduras. Nss caso, sgundo a nutricionista clínica, o ial sriam três frutas/dia plo mnos quatro a cinco porçõs vgtais por dia. Ela rssalta ainda qu não s v xagrar no consumo das gorduras origm animal carns, mantigas, lits intgrais, quijos gordos. Em trimnto stas, vmos usar as gorduras vgtais (azit oliva). É suma importância também a prática rgular algum tipo ativida física por no mínimo três vzs na smana, pois a ativida física é rsponsávl por atuar na quima calorias qu costumamos consumir m xcsso vido aos inaquados hábitos alimntars, conclui. Alimntos bbidas industrializados brasiliro consom 55% mais calorias por O dia do qu a média mundial m alimntos bbidas industrializados. O consumo médio global sss produtos foi 765 calorias diárias no ano passado, nquanto no Brasil são calorias/dia por pssoa bm mais do qu na China na Índia, mas mnos do qu nos Estados Unidos na Europa. Esss númros foram lvantados pla mprsa psquisas Euromonitor, qu acaba lançar um srviço dados spcífico sobr nutrição m 54 paíss. Os volums vnda dos produtos industrializados nos difrnts mrcados são cruzados com a composição nutricional sss alimntos. Na Índia, a média calorias consumida por pssoa m produtos industrializados é apnas 150 na China, 510. Já na América do Nort Europa são mais 1,5 mil calorias por habitant ao dia. Qum lira o ranking são os mxicanos com uma média calorias por pssoa. Apsar mais 40% da população mundial star acima do pso obsa, os dados da psquisa sobr nutrição mostram qu daqui a quatro anos o mundo vai comprar 90 calorias a mais por dia. são cristóvão Romaria Bom Jsus Snhor dos Passos srá nos dias 28 1º Quas tudo pronto para um dos mais importants atos rligiosos da Igrja Católica - a romaria Bom Jsus Snhor dos Passos -, a sr ralizada m fvriro na cida São Cristóvão, intrior Srgip. Ralizada pla igrja matriz daqula cida, Nossa Snhora da Vitória, a xpctativa é runir mais 300 mil fiis nos dias 28 1º março. Vm romiro todas as cidas do Norst agracr ao santo as graças alcançadas. É uma fsta suma importância para as pssoas qu confiam m Snhor dos Passos, rssalta fri Rosnildo Alxandr. Sgundo o rligioso, a fsta acontc há mais dois séculos rcorda o caminho prcorrido por Jsus Cristo s sua connação até o su spultamnto, pois sua crucificação no Calvário. Sgundo o rligioso, os passos Jsus são rlmbrados pla Igrja Católica como prparação para a Smana Santa no príodo da Quarsma, sndo o momnto m qu os católicos lmbram o amor Dus ao nviar o su filho, Jsus, para salvá-los. A procissão Nosso Snhor dos Passos é uma das qu mais atram fiéis no Estado. A romaria acontcrá no último sábado fvriro (28) domingo (1º março) no município São Cristóvão. xpctativa é qu o vnto rúna mais 300 mil fiis todas as cidas do Norst Maria Odilia/Arquivo JC

11 Jornal da Cida Aracaju, domingo 8 sgunda-fira 9 fvriro 2015 Cidas B-3 Maria Odilia/Arquivo JC André Morira gilson Figuirdo, prsint da FCDL, afirma qu todo friado m qualqur data qu cair vai trazr prjuízos, pois mprsários trão qu fchar lojas; tudo indica qu movimntação do comércio srá fraco st ano Excsso friados po prjudicar comércio Est ano srão 16 dias folga qu vão acarrtar quda no lucro na conomia srgipana, aponta FCDL Grcy Andra Da quip jc ivulgado plo Ministério do Planjamnto, m 2015, o Brasil trá 15 dias folgas nacionais, ntr friados pontos facultativos. Em Srgip, srão 17 friados, já qu aqui dia 24 junho, é clbrado o Dia São João, 17 março, anivrsário Aracaju. As datas qu para muitos são um momnto scanso, para outros, só somam prjuízos. Para s tr iia do impacto qu os friados st ano irão causar para o comércio, sgundo a Confração Nacional do Comércio Bns, Srviços Turismo (CNC), o xcsso friados vai acarrtar ao comércio brasiliro prjuízos na lucrativida crca R$ 15,5 bilhõs, valor 22,5% maior qu m Para Srgip, o fato não é difrnt. Na avaliação Gilson Figuirdo, prsint da Fração das Câmaras Dirignts Lojistas do Estado Srgip (FCDL), todo friado, m qualqur data qu l caia, irá trazr prjuízos ao comércio, pois os lojistas trão qu fchar suas lojas. No ntanto, sgundo l, há friados qu não há como ixar xistir, apsar trazr prjuízos, não há muito qu s fazr. O comércio já stá s prparando para isso, para nfrntar sss friados. Os prjuízos ocorrm mais quando ls cam m dias quinta-fira ou sgunda, acabam provocando um friadão, diss Figuirdo informando ainda qu não uma stimativa dos prjuízos qu as datas trazr para Srgip. Em mio à situação conômica do país, Gilson Figuirdo rvla qu os comrciants stão aprnsivos procupados com um possívl ano dificuldas. O spírito crscimnto stá difrnt do ano passado m função do cnário conômico qu stamos nfrntando. S form confirmadas as xpctativas prvisõs para st ano, trmos, sm dúvida, um ano com crta dificulda. Mas, spramos qu os govrnos, sja l fral, stadual municipal, possam mprgar açõs para minimizar sss fitos. A gnt não po prr a sprança, comnta. Ainda sgundo a CNC, além prdas parciais vndas part ssas transaçõs são concrtizadas ants ou após os dias não útis, o fchamnto dos stablcimntos ou a opção pla abrtura das lojas m dias não útis compromt a lucrativida do stor por mio da lvação xtraordinária dos custos trabalhistas corrnts das opraçõs nsss dias. As stimativas da CNC basadas nos dados mais rcnts da Psquisa Mnsal Comércio, do Instituto Brasiliro Gografia Estatística, apontam para a primira quda do varjo ampliado nos últimos z anos. Friados Ao todo, são 16 datas, mas como 1º janiro já passou, ainda são 15 datas folgas qu os brasiliros têm pla frnt. Dssas, sis são pontos facultativos as outras oito são friados nacionais. Além disso, os srgipanos ainda têm outro friado, o dia 24 junho, Dia São João, data tradicional commorada no Norst. Além disso, st ano, somnt um friado cairá no final smana, o da Proclamação da Rpública, qu é commorado no dia 15 novmbro, dia domingo. 1º janiro: Confratrnização Univrsal (friado nacional), quinta-fira 16 fvriro: Carnaval (ponto facultativo), sgunda-fira 17 fvriro: Carnaval (friado), trça-fira 18 fvriro: Quarta-Fira Cinzas (ponto facultativo até as 14 horas), quarta-fira 3 abril: Sxta-Fira da Paixão (friado nacional), sxta-fira 21 abril: Tirants (friado nacional), trça-fira 1º maio: Dia Mundial do Trabalho (friado nacional), sxta-fira 4 junho: Corpus Christi (friado), quinta- -fira 24 junho: São João (friado no Norst), quarta-fira 7 stmbro: Inpndência do Brasil (friado nacional), sgunda-fira 12 outubro: Nossa Snhora Aparcida, Padroira do Brasil (friado nacional), sgunda- -fira 30 outubro: Dia do Srvidor Público (ponto facultativo), sxta-fira 2 novmbro: Finados (friado nacional), sgunda-fira 15 novmbro: Proclamação da Rpública (friado nacional), domingo 24 zmbro: véspra Natal (ponto facultativo após as 14 horas), quinta-fira 25 zmbro: Natal (friado nacional), sxta-fira 31 zmbro: véspra Ano Novo (ponto facultativo após as 14 horas), quinta-fira. injustiça tributária Divulgação Em 2015, mais pssoas pagarão IR Mostrar à socida a fasagm na tabla do Imposto Rnda qu acaba criando no país a injustiça tributária. Ess é o principal objtivo da cartilha A Progrssivida na Tributação Brasilira: por maior justiça tributária fiscal laborada plo Dpartamnto Intrsindical Estatística Estudos Sócio Econômico (Dis), m parcria com o Sindifisco Nacional o Ipa (Instituto Psquisa Econômica Aplicada). O conomista do Dis m Srgip, Luiz Moura, alrtou qu st ano mais pssoas pagarão imposto, por isso rduzirão o consumo, qu vai impactar no comércio. El xplica qu a variação do IPCA do Instituto Brasiliro Gografia Estatística (IBGE) a partir 1996, quando a tabla do Imposto Rnda (IR) passou a tr corrção mnor qu a inflação, chgou a uma fasagm 64,37%. O qu isso qur dizr? Sgundo Moura, s você corrigiss a tabla pla inflação, atualizass os valors, não stariam pagando IR as pssoas qu ganham até R$ 2.938,58. Hoj, com a tabla m vigor o limit ssa isnção é R$ 1.787,77. Então, s você corrigiss a tabla, mais pssoas não stariam pagando IR. D 1996 até 2001 não houv corrção na tabla do IR, mas isso passou a xistir a partir 2002, com 4,23% acima da inflação. Em não houv corrção, mas m 2005 la foi 10%; m 2008 foi 8% a partir daí a corrção smpr foi mnor qu inflação. S o príodo consirado for janiro 2003 a zmbro 2014, a fasagm é 17,81%. Em zmbro 2006, as cntrais sindicais formalizaram um acordo com o govrno fral, sgundo o qual, a tabla luiz Moura, conomista do Dis, diz qu imposto passa por fasagm do IR tria uma corrção anual 4,5% 2007 a 2010, para contmplar um aumnto maior no salário mínimo. Em 2011, forma unilatral, o govrno cidiu mantr a corrção da tabla do IRPF m 4,5%. O histórico do númro faixas rnda tributávl monstra qu, no príodo 1976 a 1978, o Brasil tinha 16 faixas, garantindo maior progrssivida maior justiça tributária. Em um príodo mais rcnt, 1989 a 1990, a tabla ra composta por nov faixas. Dpois ss príodo, a tabla s mantv com apnas três faixas (xcção 1996, com quatro faixas alíquotas). Somnt m 2009, a tabla aprsntou nova mudança, com cinco faixas. A tabla do IRPF vignt no ano-calndário 2014 é composta cinco faixas rnda tributávl. A rnda suprior a R$ 4.463,81 mnsais é tributada pla alíquota 27,5%. Rndas muito lvadas são tributadas nsta msma alíquota, msmo qu suprm znas milhars rais. Assim, há spaço para mais faixas para as rndas muito altas. Isso Jadilson Simõs também poria compnsar a prda arrcadação do imposto causada por uma corrção da tabla do IR. A proposta é incluir duas novas faixas rnda tributávl, com alíquotas 30% 35%. Ess studo do Dis foi distribuído às cntrais sindicais para as ngociaçõs com o Govrno Fral. Moura ntn qu não vria xistir ssa injustiça tributária sim uma distribuição mlhor da tabla do IR porqu mnos pssoas pagariam imposto. Outro dado é qu ao fazr isso, não prjudicaria o trabalhador qu consgu um rajust salarial, muda faixa do IR, passa a pagar mais o su ganho salarial não adiantou muito. A prsint Dilma Roussf vtou a proposta do Congrsso Nacional qu quis rajustar a tabla m 6,5% la nviou uma proposta 4,5%. Mais uma vz, a tabla srá corrigida num prcntual mnor qu a variação da inflação com isso os trabalhadors qu poriam star isntos, continuarão pagando mais impostos, lamntou o conomista. Expriência - É sabido qu a política tributária é um dos principais instrumntos distribuição rnda uma nação, mas, para qu isso sja ftivo, é ncssário um sistma tributário qu tnha como princípio a progrssivida na forma incidência. D acordo com o Dis, a xpriência intrnacional mostra qu os impostos indirtos - tributos cujos ônus pom sr transfridos a trciros plos contribuints, total ou parcialmnt - como, por xmplo, o ICMS ISS, tnm a sr mnos ficints m ralizar o princípio da progrssivida, uma vz qu incim sobr o consumo. Já os impostos dirtos - ou sja, os tributos cujos contribuints são os msmos indivíduos qu arcam com o ônus da rspctiva contribuição - tnm a alcançar nívis progrssivida maiors, como é o caso do Imposto Rnda das Pssoas Físicas. Por isso, o bat sobr o Imposto Rnda das Pssoas Físicas (IRPF), m spcial sobr a forma corrção da tabla, é suma importância para a rorganização do sistma tributário brasiliro m bass mais justas. Isso porqu, na mdida m qu os salários são ajustados à inflação corrnt, ao msmo tmpo, a tabla incidência do imposto não é, ocorr uma corrosão nos rndimntos do trabalhador, m trmos rais. Nst sntido, a rivindicação mais prmnt da socida é a corrção anual da tabla atual pla inflação, como forma mantr a strutura contribuição dos assalariados para o fisco, m sguida, a criação uma nova strutura tributação qu contmpl novas faixas rndimntos. cluta Krauss, auditora-fiscal, fala qu opraçõs são rotiniras fiscalização Em SE, há dois anos não xist trabalho scravo As opraçõs fiscalização para combatr o trabalho scravo ou análogo à scravidão ralizadas m Srgip não tctaram a prsnça nnhum trabalhador nssas condiçõs m Sgundo a auditora-fiscal do Trabalho suprintnnt Rgional do Trabalho Emprgo m Srgip, Cluta Cruz Moras Krauss, o Código Pnal Brasiliro traz a sguint concituação condição análoga a scravo m su artigo 149. Rduzir alguém a condição análoga à scravo, qur submtndo-o a trabalhos forçados ou a jornada xaustiva, qur sujitando-o a condiçõs gradants trabalho, qur rstringindo, por qualqur mio, sua locomoção m razão dívida contraída com o mprgador ou prposto. Pna - rclusão, dois a oito anos, multa, além da pna corrsponnt à violência, informou. Sgundo Krauss, rotiniramnt a fiscalização do trabalho vm atuando nas mais divrsas atividas conômicas visando assgurar condiçõs dignas trabalho, tanto no aspcto mio ambint trabalho, quanto no cumprimnto dos diritos trabalhistas. Em todo o país, sgundo um lvantamnto obtido pla Agência Brasil, m duas décadas, mais 47 mil trabalhadors submtidos a condiçõs gradants a jornadas xaustivas m proprida rurais m mprsas localizadas nos cntros urbanos. Os dados são da Divisão Fiscalização para Erradicação do Trabalho Escravo, são catalogados s 1995, quando o país rformulou su sistma combat ao trabalho scravo contmporâno, foram ralizadas opraçõs m propridas aplicadas multas innizatórias cujo valor supra os R$ 92 milhõs. O último dia 28 janiro foi o Dia Nacional Combat ao Trabalho Escravo, qualqur pssoa po nunciar situaçõs m qu um trabalhador stja submtido a situaçõs gradants usando o Disqu 100.

12 Aracaju, domingo 8 sgunda-fira 9 fvriro B Jornal da Cida Opinião Socida no Divã Elza Frrira Santos* A propósito da librda: sublimar ou ridicularizar? Uma scola m convidou para participar um bat sobr librda xprssão, s sta v sr ou não ilimitada. Po o artista valr-s do txto para dizr tudo? No caso mais prciso, pom chargistas, humoristas, m nom do riso, alvjar qualqur coisa ou qualqur pssoa?¹ O propósito da discussão nascu das chargs publicadas no jornal francês Charli Hbdo. Essas chargs satirizavam rprsntants atitus do Islamismo las, dirta ou indirtamnt, motivara m, inflizmnt, um massacr tnbroso aos cartunistas. A discussão nsta scola não s situou no trrorismo, fato, na ocasião, abominado por todos. Situou-s no por qu um lápis possui no por do humor. O bat, como ativida social, tv limit batdors, ouvints, tmpo foi pautado num diálogo amistoso, por vzs até, xaltado na fsa dos argumntos cada um. Não houv tiros nm sarcasmo. A art não po sr dispnsada do mundo. O humor, um sus ingrdints, também não. A art, numa iia simpls, mbala o sonho da humanida ao msmo tmpo m qu a acorda chamando-a para a luta, para a vida. Para Frud, o artista é aqul qu conc a sus sjos róticos ambiciosos complta librda na vida fantasia, assim, a obra art é um caminho para a ralida. Art ralida são lugars bm difrnts, mas constantmnt prmitm o trânsito ntr sujitos, coisas palavras. Do ponto vista da psicanális, há um aparnt conflito ntr o princípio do prazr aqul m qu s qur por tudo o princípio da ralida aqul qu impõ limits. A art po sr uma saída ss conflito. A art proporciona uma rconciliação ntr tais princípios porqu prmit ao sujito star na ralida ao msmo tmpo vivnciar sus prazrs, suas fantasias. Na vrda, nssa dinâmica não s rnuncia a nada, apnas s troca o impass do ral plo gozo na simbolização. A art é smpr uma forma produção prazr ou uma forma rcuprá-lo. E a charg? A palavra charg, origm francsa, significa carga. É um sinônimo crítica violnta. Sgundo o dicionário Houaiss, tm por xtnsão sntido o qu xagra o carátr alguém ou algo para torná-lo ridículo, rprsntação xagrada burlsca. A charg é um gênro discursivo, uma produção artística qu implica criação complxa, pois nvolv palavras, imagns suscita no litor, sgundo Bakhtin, uma atitu rsponsiva. O litor ao ntnr a charg, não ficará inrt. Vai posicionar-s, acatando-a ou rfutando-a. A qustão qu s impõ atualmnt é: S o litor não ficará nutro diant da charg, porá a charg sacatar um litor, uma instituição ou uma crnça? Porá zombar daquilo qu socialmnt já é zombado xagradamnt? Po o chargista m nom do princípio do prazr ou msmo da librda squcr-s da ralida? A charg é promissora no univrso da comunicação ating milhõs pssoas sprtando-as positiva ou ngativamnt. Dpn do qu s stá mostrando. Assim, po-s através da charg suscitar uma iia, msmo qu sja stúpida? Por xmplo, a iia qu mulçumanos são trroristas, juus são nocivos, ngros são incapazs, homoaftivos são promíscuos, mulhrs são frágis tc. tc. Po-s!!?? Qum autoriza a librda rir pla manira acintosa tratar os outros? A art? A imprnsa? Ou o abuso da librda? Voltair afirmou: tnho qu concordar com o qu você diz para por fndê-lo. Ora, só po autorizar o boch qum concorda com l, ainda qu sja modo intmpstivo. Qu cristão, na convicção sua fé, riu com a capa do Charli Hbdo novmbro 2012 qu satirizava à Santíssima Trinda mostrando por mio imagm o Espírito Santo ncurralando o Filho qu por sua vz ncurralava o pai? Para os islâmicos não s v rprsntar por mio imagm o profta Maomé. S isso é para ls um voto sagrado, qum autoriza brincar com a imagm do profta? A art? Os artistas? Os litors?... Qum? Quando o humorista brasiliro Rafal Bastos diss: Toda mulhr qu u vjo na rua rclamando qu foi stuprada é fia pra caralho. Tá rclamando do quê? Dvria dar graças a Dus. Isso pra você não foi um crim, sim uma oportunida. Homm qu fz isso [o stupro] não mrc caia, mrc um abraço, não houv logios por part das instituiçõs. Ao contrário, sua piada xprssou, sgundo o Conslho Fral Psicologia o Conslho Estadual da Condição Fminina São Paulo (CECF), agrssão gratuita, sm graça. Uma monstração prconcito. Quando outro humorista, Gntili, diss "Eu comria la o bbê", ao falar sobr a graviz da cantora Vanssa Camargo, não m rcordo tr visto mãs, pais filhos rirm da piada. Aliás, é ss tipo humor qu s qur mostrar? O sptáculo só po atingir milhõs xpctadors s for sarcástico srspitoso? A prática mostra qu não. Muitos humoristas sabm os limits do su lápis. Frud, quando traz a iia pulsão, fn qu xcitaçõs hiprintnsas provnints divrsas fonts da sxualida ncontram scoamnto m outros campos. Aqui há uma xplicação para a ativida artística. Ess scoamnto Frud vai chamar Sublimação. Por crto, as chargs supracitadas stão long sr xmplos sublimação. Elas s afastam da ironia s situam no maldizr, na zombaria qu por crto não vria rprsntar a contmporanida. Os tmpos atuais s marcam pla busca do rspito às difrnts manifstaçõs culturais, plo diálogo insistnt pla tolrância rcíproca. Então, librda, sim; abuso, não. Sublimar, sim; ridicularizar, não! ¹A scola foi o Colégio Orintação Estudos Intgrados COESI. * Doutora Educação profssora do Instituto Fral Srgip Walfran Soars Publicitário pota Indolência ancstral ou friza adquirida? Há momntos m qu o sspro faz xplodir moçõs sgovrnadas, trazndo, como infliz consquência, sncantos prdas irrparávis... Faltando o domínio do autocomando, só rstam misérias squnciais qu sgastam a nrgia íntima bloquiam a mais rmota prspctiva ncontrar soluçõs para os problmas... O ial paz, s não for vidamnt xrcitado plo concurso da srnida, jamais srá transformado m ralida... XXXXXXXXXXXX Sonhos são transformados m psalos, s não vidamnt aplicados m rnovadas atitus. Qum spra qu o acaso facilit a ralização dos msmos, smpr sofr amarga cpção como infliz consquência do crim classificado omissão... XXXXXXXXXXXX Elgr o bm significa assumir o fil compromisso com Dus com a própria consciência, no vrdairo sntido cumprir os princípios nortados plo Fui chamado crta noit a casa um homm qu stava à bira da mort. Vivu toda sua vida long Dus, praticou coisas trrívis contra o próximo, agora stava adontado sm sprança alguma continuar vivndo. Quando ntri naqul quarto, pu obsrvar a angustia qu dominava aqula vida. Um homm outrora tão corajoso tmido, stava simplsmnt apavorado diant da possibilida partir para ncontrar-s com Dus totalmnt sprparado. E com lágrimas nos olhos, l dizia: Pastor, não quro morrr assim. Não stou prparado para partir. Fali-lh Jsus, su amor. Fali sobr a ncssida arrpndimnto da confissão pcados. Aprsnti- -lh o plano Dus, ntão lh diss: Rflita bm sobr tudo qu lh fali, amanhã rtornari ntão cidirás o qu fazr tua vida. Profundamnt mocionado, l clamou: Não posso sprar, u quro acitá-lo hoj, agora. Ori por l, com sua boca l confssou a Jsus como Snhor. Pu acompanhar os últimos dias daqul homm, l tv xpriências grandiosas com Dus, até qu chgou o dia partir, mas l já não sntia mais angustia, sim uma complta paz qu inundava su sr. Agora l sntia-s prparado para partir. Dizm qu a única coisa crta na vida é a mort, como la não pomos fugir, prcisamos nos prparar para ss invitávl ncontro. A mort surgiu na trra através do pcado passou a todos os homns, é o salário do pcado. Enquanto o pcado durar na trra a mort rinará, por mais sforços qu o homm faça na tntativa vitá-la, um dia la chgará para cada um nós. Ela não scolh, lva ricos, pobrs, grans, pqunos, vlhos, crianças, jovns. Ela Nossa ralida não s rstring a uma caricatura (Chéri) ligiramnt rafiada m tons prcpção humorística... ai! ai! qu assim foss!. Porqu, apsar toda a nfasta ação mliant, sria mnos mal. Nossa ralida é muito maior ( mais gritant)... é tal qual um carnaval máscaras assustadoras, pintadas sangu (diariamnt) todos os dias chova ou faça sol. O sr humano (ss primata sornado) carrga - m suas caractrísticas próprias um por qu é (só su), s amoldar tão facilmnt a todo tipo fnômno - sja l orm climática ou contúdo social. O crto é qu nós vivnts pnsants donos do mundo, criamos o caos stamos nos acostumando aos sus prcalços insolntmnt struidors. Quando os três assassinos trroristas foram xcutados (pois qu ixaram) os francss vulnrávis toda a comunida uropia m stado alrta máximo, u fiqui pnsando cá comigo msmo: vocês stão é com sort (sus francss duma figa) porqu, a priodicida com qu tais fatos (sporadicamnt) acontcm, não faz nm lmbrar long o qu vnha a sr o nosso submundo brasiliro qu (sm gurra sm nada, sm iologia rligiosa, política /ou outra qualqur pça scudo) mata por matar - mais l50 pssoas diariamnt;, sab o qu acontc? Nada! Não xist alar nm comoção; a mídia divulga, cumprindo su vr notícia, logo, já fica pautada, pronta para rptir mais um outro dia chio novos crims assassinatos nojntos (bstiais). D tão xtnsa a lista capitados, várias missoras tlvisão s aprovitam do (rpugnant/absurdo/brutal) transformam-na m fort moda troca audiência rptindo insistntmnt no vío, lvando para ntro das casas, toda a sgraça das ruas - um país ntrgu litralmnt, aos (bandidos). Enquanto isso, hipocritamnt s commora uma mocracia (ponta cabça) slixada rlaxada, on s mistura (alho com bugalho) ainda dizm sr o mlhor tmpro brasiliro, m plno século XXl. Concluindo... diant dos bisonhos fatos, não s tm mais dúvida qu Jácom Gós da quip articulistas A vida continua nsinando lgítimo amor m ampla dimnsão! É ralmnt através um comportamnto profícuo pacificador, qu o mal é xtinto, impdindo acontcr sgraças sucssivas no curso da xistência. É dissipando as sombras da ignorância, qu s torna ralmnt possívl grar a luz da sabdoria! XXXXXXXXXXXX O sofrimnto srv-nos alrta para comprnrmos qu gramos suas causas, quando pairamos na ignorância, sm autêntico conscint compromisso para stablcrmos um autêntico critério autovigilância... Qum s snt vítima imponrávl injustiça, não consgu concituar a vrda, nm, tampouco, sintonizar-s com porosas nrgias oriundas do univrso... Assim acontcndo, imp sr consolidado o trabalho da alquimia íntima, qu favorc sr vidamnt fortalcido o patrimônio da ascnsão spiritual... XXXXXXXXXXXX Pr. Enos Nuns Palstrant cristão Pastor da Igrja Advntista da Promssa Põ m orm a tua casa é insaciávl m sua fom struição. Muitos arrogantmnt dizm: Eu faço tudo qu tnho vonta, porqu quando morrr acaba tudo. Mas srá qu é assim msmo? A Bíblia diz difrnt. Prst atnção no qu diz Hbrus 9:27: Aos homns sta ornado morrrm uma só vz, vindo pois disto o juízo, m 2ª Corintios 5:10, a palavra Dus ainda afirma: Cada um nós comparcrá prant o tribunal Cristo para qu cada um rcba o bm ou o mal. Isto significa qu após a mort é ralizado o julgamnto. Nossas obras são colocadas m balança nossa sntnça srá lavrada. Dpois da mort não adianta mais missa sétimo dia, ou qualqur outra missa, nada mais porá altrar o stino qum morru. Qualqur ofrnda ou sacrifício nada adiantará. Obsrv o qu Dus afirma no livro do profta Ezquil 18:20 A alma qu pcar, ssa morrrá, o filho não lvará a iniquida do pai, nm o pai a iniquida do filho. Todas as nossas cisõs, todos os nossos projtos, tudo o qu tmos a fazr, façamos agora, porqu após a mort ninguém porá nos ajudar, como não sabmos quando la chgará, tmos qu nos prparar, colocar nossa vida m orm. O Sábio Salomão m Eclsiasts 9:5,6 diz: Porqu os vivos sabm qu hão morrr, mas os mortos não sabm coisa alguma, nm...sua mmória jaz no squcimnto. O amor o ódio, invja para ls já prcram, não tm ls part m coisa alguma qu s faz baixo do sol. Você já parou para pnsar qu um dia partirás st mundo como ocorr com todos os mortais? E como isto não po sr mudado, inpnntmnt você crr ou não, u prgunto: Tua vida stá m orm? S tivrs partir hoj qual somos (vrgonhosamnt - pra qum tm vrgonha) campõs m volum corrupção,, númro um m (matéria) assassinato. Nm os paíss m gurra /ou rvoltas intrnas, mata-s tanto por tão pouco. Diant tão crul crucial ralida (spcífica do brasiliro contmporâno), scaradamnt (Pau Brasil), portanto, o mais lgítimo todos, s fz ncssário um studo conclusivo qu apont para os studiosos sociólogos mais (carimbados), o porquê ss DNA (tão tmpstivamnt transmutado), aflorando o comportamntal prvrso ssa caia vias priféricas (páras) covarmnt assassinos. A imprnsa prcisa xrcr (é urgnt) um papl mais rlvant diant da gravida: ncabçar um movimnto popular qu mostr como é qu o povo qur qu, para crtos tipos crim - o autor sja pnalizado. Porqu ssa brincairinha prn solta, prn solta, já stá provado comprovado qu não inib. Os bandidos stão itando rolando diant das autoridas das lis (ultrapassadas) infantis. A cguira íntima, oriunda do scompromisso com o aprndizado, bloquia a visão da alma a infliz criatura, não raras vzs, prmanc sgovrnada, sm rumo crto para alcançar a própria vrda... Sm coragm discrnimnto para rnovar o autoconhcimnto, acontc a ignorância acrca das causas consquências qu compõm a própria xistência... Sm xrcícios constants rflxão, são plasmados acontcimntos sucssivos, rcorrnts, sm a mínima prspctiva ftivo aprndizado... XXXXXXXXXXXX Vítima si msmo é qum não s smra visando promovr a autorrnção, pairando, assim, inflizmnt, m árida omissão... Vítima da própria insanida é qum não consira o prdão como ficaz antídoto para liminar o ltal vnno do ódio... Vítima da própria insnsatz é qum substima o valor do tmpo como oportunida para aprnr a vivr... XXXXXXXXXXXX Pns nisso, por favor. Mu abraço, coração a coração! a tua situação para comparcrs prant o tribunal Cristo? S a mort ntão não é o fim, s não pomos fugir la, o qu vmos fazr? Nos prparar para st ncontro invitávl, acitando a Jsus como Snhor salvador, vivndo conform sua vonta. Qum sab você viv fugindo, adiando uma cisão tão urgnt como sta. Quro lmbrar-t qu é tua vida qu stá m qustão. Uma das maiors stratégias satanás para o homm sta época é lvá-lo a adiar sua cisão por Cristo; mas a palavra Dus t xorta hoj: Põ m orm a tua casa. Jsus profriu uma parábola qu ilustra bm o comportamnto do homm st século. Diss l: Um homm tinha uma faznda qu u boas colhitas. Com isso sus pósitos ficaram chios, l não podia colocar tudo lá ntro. O homm pnsou no su problma, qustionou a si msmo: O qu vo fazr? Já si, diss l. Vou rrubar os mus pósitos construir outros maiors! Assim tri spaço suficint para os anos futuros. Agora sim! Coma, bba s algr. Mas Dus lh diss: Louco! Você sta noit morrrá, ntão qum ficará com tudo isto? Estamos aqui passagm, não somos trnos, não pomos pnsar só no prsnt s o futuro nos spra! É muito trist sombrio partir st mundo sprparado, sm crtza salvação. Diant tudo o qu falamos, o nosso conslho é: Coloqu a tua vida m orm, porqu tão crto como você stá lndo st artigo, você morrrá, a qustão é sta: Você stá prparado para partir? Trás condiçõs contmplar o rosto glorioso Dus? S hoj ouvirs a sua voz, não ndurçais o vosso coração - Põ m orm a tua casa.

13 Jornal da Cida Opinião Aracaju, domingo 8 sgunda-fira 9 fvriro 2015 B-5 Rosa Cristina Lit Ettingr Educadora Assunto ncrrado E a scolha foi fita! A prsint da Fundação Rnascr cujo afastamnto provisório por inficiência administrativa (JC 30/09/14) foi trminado pla juíza da 17ª vara civil Aracaju é a msma indicada plos putados staduais do PMDB, por mrcimnto para contmplar o partido, para assumir a Scrtaria Estadual Inclusão Social (JC 22/1/15) O govrnador, cujo partido é o msmo, acatou a indicação assim o msmo nom consirado administrativamnt inficint como prsint da Fundação Rnascr passou a sr contmplado por mrcimnto!!! Coisas da política partidária! Nós, cidadãos comuns, não acitamos bnsss, nm cargos públicos não compactuamos com ss modo govrnar. No nosso txto A dança das cairas (JC 18,19/01/15) já dissmos o qu pnsamos a ss rspito não qurmos sr rptitivos. Mas plo mnos foi indicado para Prsint da Fundação Rnascr um cidadão qu já sofru na pl as injustiças sociais na época da ditadura (JC 03/02/15). Assim, tmos sprança qu algo vá mudar. Acrditamos m su mpnho m fazr justiça a sss jovns sujitos dirito qu sofrm há anos a militarização à rvlia das lis qu os protg ECA (1990) SINASE (2012). Não é concbívl mais 04 anos militarização, tratando sss jovns como bandidos, o qu provoca rbliõs tntativas fugas. Como consquência, vmos a truculência da tropa choqu mais aparatos da polícia militar, fazndo a caçada aos fugitivos... Sm nnhuma chanc rssocialização através mdidas socioducativas, sss jovns são tratados como adultos fora da li a partir dos 12 anos ida. Até os agnts qu lá trabalham rconhcm o caos qu são o CENAM a USIP Sindicato nuncia: CENAM não tm atividas socioducativas jovns stão sm acsso à ducação as atividas físicas foram suspnsas (JC 30/01/2015). Está mais do qu na hora rvrtr ssa situação, iniciando um rnascimnto fato para os jovns m conflito com a li. Dv-s comçar com a substituição da punição pla ducação, dos agnts por ducadors sociais as clas pla ára convivência, volvndo-lhs o dirito constitucional ir vir. Com vonta política é possívl mudar ssas manchts quas diárias Mnors tocam trror no CENAM Fundação Rnascr fing não vr (Cinform 26/01/15 01/02/15). No princípio srá tudo muito difícil, pois ssa população é tratada como fras njauladas, mas com a mudança paradigma, com a pdagogia dos ducadors sociais, com o conhcimnto técnico da quip formada por assistnt social, psicólogo, pdagogo, profssor, ducadors físicos, os ntravs srão vncidos aos poucos aparcrá uma luz no fim do túnl! É important uma parcria com profssors mstr doutors das Acamias cujo objto studo sja mdidas socioducativas. Como também uma quip formada por ators qu fnm os diritos da infância da adolscência dando sua contribuição qur sjam como opradors do dirito como opradors sociais, acompanhando, avaliando sugrindo o dia a dia do CENAM da USIP. É muito gratificant comçar um trabalho com tamanho safio: transformar mnors violntos, tmidos pla socida m cidadãos com sus diritos vrs conquistados através do trabalho uma quip qu tm como fio condutor o Plano Nacional Socioducativo. Mas tm qu havr vonta política dos nossos govrnants, qurndo fato aplicar a li, rsgatando ssas vidas qu hoj ao fugirm do CENAM sm rssocialização rtornam ao mundo do crim viram mancht: Xô Satanás! André Luiz, 18 anos fugitivo do CENAM, acusado 15 homicídios, é morto m troca tiros com a polícia (JC 21/01/15). Lilian Rocha Pdagoga Minhas crianças ontm Tm crtos dias m qu acordamos dispostos a colocar m orm algumas coisas da casa. É o caso alguns armários gavtas qu só a gnt sab arrumar. Pois bm, aprovitando as férias da mprgada, ntrgui-m a ssa árdua tarfa limpar arrumar lugars há muito squcidos por mim. E qual não foi minha surprsa quando ncontri, ntro um vlho nvlop, inúmras fotos qu vriam star nos álbuns, mas qu, por qualqur motivo, ficaram ali, m sprando. Além das fotos, alguns bilhtinhos, scritos com ltra criança, também haviam sido cuidadosamnt dobrados guardados ntro do msmo nvlop. Imdiatamnt, fui abrindo rlndo os bilhtinhos, um a um: Mã, m acor cdo amanhã! ; Mamã, msmo qu às vzs não parça, u t amo muito ; Sabia qu você é a mlhor mã do mundo?. Dpois fui olhando as fotos, tntando m lmbrar da ocasião m qu foram tiradas, mas tudo m vão. Escrva smpr atrás das fotos o local, a data as pssoas, pois com o tmpo a gnt acaba squcndo... dizia minha mã. Um conslho qu smpr m parcu sncssário, pois a gnt pnsa qu nunca vai squcr. Mas la stava crta. Outros passios acontcm, alguns prsonagns das fotos s prm nós acaba s tornando quas impossívl rconstituir com talhs o qu algumas fotos quisram rgistrar. Foi isso qu snti ao vr todas aqulas fotos. Já não m lmbrava mais das datas dos passios qu fizmos a ida das minhas crianças m confundia a toda hora. Mas ssa súbita volta ao passado m ixou trist mlancólica, ao vr como o tmpo passou prssa! Mus cinco bbês crscram tão rapidamnt qu u nm m i conta. Mu filho mais vlho, hoj com 30 anos o rosto todo barbudo, já nm s parc com a criança qu vjo na foto. Da criança, só rstou o abraço carinhoso, qu continua o msmo as lmbranças l qu fazm co nas minhas. O outro, com 24 anos, também crscu muito prssa, sm qu u tivss tmpo pra m acostumar com a iia. E por vzs ainda m assusta quando m abraça por trás m dá um bom dia, falando grosso, com voz homm. E o mais novo, qu ainda ontm usava fraldas insistia m dormir na nossa cama, hoj já stá com 21 quas não o ncontro, pois passa a maior do su tmpo ntr o trabalho a faculda. Minhas filhas também, há muito qu já saíram do casulo s transformaram m duas lindas borboltas. E tão logo s viram com asas, lvantaram voo foram para bm long mim, conhcr outros mundos, outras histórias. Uma ncontrou o caminho volta, mas a mais nova continua voando alto, m busca do su sonho sr atriz... E u voo junto com la, pois tnho crtza qu la vai consguir. Com uma pontinha tristza, prcbo qu o tmpo não spra por ninguém nada adianta olhá-los hoj tntando rncontrar minhas crianças ontm. Absortos no mprgo nas procupaçõs do dia-a-dia, muitas vzs calamos o qu lhs havíamos nsaiado dizr ou ixamos lhs fazr um carinho qu só naqul momnto tria sntido!... Pnsando nisso, já qu não posso fazr voltar o tmpo, quro imortalizá-ias nssa crônica m forma sauda ixar-lhs também um rcadinho: "Sabiam qu vocês são os mlhors filhos do mundo?". Afonso Nascimnto Profssor Dirito da UFS As profssoras da Faculda Dirito No Brasil, as profissõs jurídicas foram masculinas por muito tmpo. Em Srgip, por causa da introdução tardia do nsino jurídico, as mulhrs tivram qu sprar muito mais tmpo para s sntar nos bancos uma faculda dirito. Ants isso acontcr, m trmos ducacionais, as mulhrs alcançavam no máximo a scola scundária ram prparadas para casar. Por mais século, o diploma suprior para os srgipanos, mulhrs homns, ra aqul da scola scundária. Quando qualqur psquisador qu analisa a vida das lits sociais masculinas ntr os anos , prcb qu suas sposas não têm, forma gnralizada, ducação suprior. Msmo as famílias qu tinham posss não prmitiam qu suas filhas fossm studar m cidas grans distants como Salvador. Assim, ssas jovns ficavam m Srgip sprando os médicos, os ngnhiros, os bacharéis outros para aqui casarm. Implantado o nsino jurídico m Srgip, importants transformaçõs ocorrram na vida das mulhrs. A primira las foi qu las comçaram minoritárias como studants hoj são majoritárias na faculda dirito. É o qu chamam fminização dos bancos scolars qu s stn às profissõs jurídicas. Part do mrcado matrimonial para bacharéis bacharlas passou a sr a própria instituição nsino. Mulhrs origm nas classs populars alcançaram posiçõs class média alta, como funcionárias públicas, advogadas, promotoras, procuradoras, magistradas, smbargadoras, políticas, tc. Essa mudança foi muito significativa. O litor v lmbrar qu as mulhrs somnt passaram a tr cidadania política, para valr, a partir das liçõs 1946 mbora o su dirito lgr srm litas tnha sido conquistado m Além disso, não s v squcr qu, sm ntrada no mrcado Castlinho amava Tânia. Mas Tânia só tinha olhos para Alfrdo Pdro Castlo. Est, Pdro Castlo, ra primo do pai Castlinho. Ou sja, ra uma castlada só. Sim, até porqu Tânia ra sobrinha Pdro, irmão sua mã. Ela ra, ntão, prima carnal Alfrdo prima m sgundo grau Castlinho. Uma confusão como nm u sria capaz criar mlhor nos causos qu scrvo. E a castlada s sparramava por uns z dos quas trinta povoados do município, além dos qu já moravam na cida, principalmnt no subúrbio Saquinho, pois do Pinga-Fogo ants da Gamlira. Isso é apnas para situar o litor qu não conhc a rgião Timbira. Por coincidência, Castlinho, Tânia Alfrdo tinham a msma ida. As três mãs rcbram a visita da cgonha (cgoinha danada qu trabalhava!) no msmo mês maio. Maio ra, no passado, um mês muita parição. Razão? Somnt uma m vm à mnt: agosto a maio corriam nov mss. E agosto ra é, quando o invrno é bom o mês do frio, naqulas bandas. E no friozinho, os corpos s nroscavam. Nov mss pois, brços rs mbalavam bbês. Da msma ida, studavam os três na msma scola, na msma sala aula. E ram, além parnts, bons amigos. Castlinho amava m silêncio. Aguardava uma boa oportunida para s clarar a Tânia. E sta não sabia o qu fazr para chamar a atnção Alfrdo, qu, plo andar da carruagm, parcia qu ainda não olhava com olhos pidõs para ninguém, nm para Margarida, da 7ª séri, qu quas não o largava. Eram apnas bons amigos. E vizinhos. Os três parnts ram da 8ª. Como visto, ra o sabrochar das paixõs juvnis. E por Tânia, um bando mninos arrastava asas. E um bando mninas sonhava com Alfrdo, o mais bonito da scola, sgundo las comntavam. Quanto a Castlinho, baixo, mas não muito, mio gordinho, sorriso smpr abrto, o mais studioso da sala. Só tirava notas acima 9. Tânia ra aluna rgular. E também rgular ra Alfrdo. El gostava msmo ra snhar. Dsnhava tudo, mas tinha uns snhos qu l não mostrava a ninguém. Nos últimos mss, Alfrdo aprnu a snhar rostos, a fazr rtratos, usando grafit. Srvia-s fotos 3x4, principalmnt das mninas qu l mais gostava. Fotos tiradas por Zé Rtratista, na Rua da Concição, prto do antigo vapor algodão Juca Dominguinhos. E l dava os snhos prsnt ou os JOSÉ LIMA SANTANA ADVOGADO, PROFESSOR DA UFS, MEMBRO DA ASL E DO IHGSE A paixão Tânia fazia por ncomndas plas quais cobrava. Outra ativida do gosto Alfrdo ra organizar fstas na scola. São João? Dia das mãs dos pais? Gincanas? El stava à frnt tudo, ajudando a dirção da scola. E Margarida ra, por assim dizr, o su braço dirito. Daí muita gnt achar qu, s ls não ram namorados, ainda havriam sr. Eram grudados, para o tmor Tânia. Em casa, o agarramnto Alfrdo com Margarida ra visto com simpatia plos pais l, qu ram compadrs dos pais la. Quanto a sts, sobr tal agarramnto, não s sabia dizr. Vrda ra qu, à boca miúda, a mã Margarida dizia coisas Alfrdo. Porém, na rua on ls moravam a fama linguaruda da mã Margarida, D. Lucinha Fausto, ra voz corrnt. Tânia jurou a si msma qu acabaria com a sua agonia, qu tiraria Alfrdo das garras da magricla Margarida, custass o qu custass. E havria sr na smana da Fsta da Padroira. No bail do Rcrativo. Como os pais Margarida não a ixavam frquntar os bails, Tânia staria livr, lv solta para dançar com Alfrdo, o garoto qu mais gostava dançar. E o bail daqul ano sria com a orqustra Los Guaranis. A mlhor do stado. Tânia ra tímida. Linda, molada com smro, mas tímida. As irmãs a chamavam tabaroa. Nunca tivra um namoradinho na scola ou fora la. Bm, naqul tmpo não ra como hoj m qu as garotas os garotos comçam a namorar, a bm dizr, ainda usando fraldas. Tânia quria namorar o primo Alfrdo havria achar coragm para dizr isso a l. Qual a ração l? Ela tmia sr rjitada plo único garoto qu nchia os sus blos olhos castanhos. Fz até promssa para Santo Expdito, o santo voção sua mã, qu ra rsponsávl, ano após ano, pla lirança da noit dicada às famílias, na Novna da Padroira, na fsta novmbro. Fstança, aqula Nossa Snhora. A promssa fita ra para acnr uma dúzia vlas aos pés da imagm do santo, qu sua mã mantinha m ornamntado nicho, no quarto do casal. Plo qu la sabia Santo Expdito jamais ixara sua mã na mão, mbora D. Constância, a mã, smpr dizia qu Dus ra qum valia as pssoas só a El ra cabívl adoração. O Santo sria apnas uma spéci intrmdiário, dada a sua rconhcida vida santida, mbora, dizia la, o intrmdiário por xclência ra Jsus, o Salvador. E a imagm não passava uma simpls rprsntação do Santo, como a fotografia alguém qum s gosta. Nada mais. Todavia, tudo trabalho, a sua cidadania conômica ficava fica prjudicada. Sus diritos civis sofrram ainda sofrm rstriçõs até hoj. Não faz mal lmbrar o xército das mprgadas domésticas srgipanas. Voltmos à nossas bacharlas. No magistério jurídico da sgunda mta do século XX, Juçara Frnans Lal foi a primira profssora a prtncr à faculda dirito. Não tmos iia como a sua intgração ao corpo docnt foi lidada plo club do Bolinha qu ra aqula instituição nsino. Ela ra muito comptnt tinha part sua formação acadêmica obtida na França como outras abaixo mncionadas. Dpois la, viram outras profssoras como Adélia Pssoa, Maria Eugênia Silva Ribiro, Arln Prira Chagas, Maria Auxiliadora Machado, Vrônica Amado, Carla Eugênia Barros, Jan Trza Prado, Lícia Amaral, Josfa Paixão, Marilza Maynard, Andra Rginato Dnis Albano. Dss grupo mulhrs, chama a atnção positivamnt a ascnsão social profissional Josfa Paixão, consirando qu la tria comçado com origm bm humil chgou à condição smbargadora. Ainda com rlação ao msmo grupo, crca mta vio fora nriqucr o mundo jurídico srgipano, ixando sus stados nascimnto não importando aqui quais as razõs; plo mnos duas têm dupla formação univrsitária; uma profssora foi filha profssor fundador da faculda. As qu nascram m Srgip, são (todas stão vivas, mbora algumas stjam aposntadas), todas las, prata da casa. Algumas ssas profssoras listadas ocuparam o posto dirtoras da faculda dirito. Nssa condição prstaram xclnt trabalho. Algumas profssoras foram dirtoras fato, quando ss posto ra oficialmnt xrcido por homns qu não dispunham tmpo para administrar, mas, ainda assim, quriam ss posto tão prstigioso nos sus currículos profissionais. Ocupando ss posto dirtoras da faculda, ssas profssoras lvaram para a instituição, sm xcção, stabilida, ficiência, quilíbrio bom snso. Algumas também foram prsints do stor do partamnto qu cuida qustõs pdagógicas. Mrc muito staqu as administraçõs da profssora Arln Prira Chagas, alagoana radicada m Srgip, advogada cronista social. Apsar do gran prstígio acadêmico social do cargo, foram divrsas as ocasiõs m qu profssors profssoras não quisram ou não puram administrar a instituição. Quando isso acontcu, a profssora Arln Chagas concordou, além não abandonar a sala aula, m assumir a dirção da faculda dirito, só prndo m mandatos para o profssor Gonçalo R. Lit. Na sgunda mta do século XX, a titulação das profssoras ra smlhant à dos profssors. Ninguém ia além do mstrado, havndo muitos diplomas spcialização m dirito lato snsu coisa qu muito mudará nst século. D igual forma, a sua produção intlctual foi pouca. Nss ponto, mnor do qu aqula dos profssors. Enquanto mulhrs, as profssoras dirito s comportaram modo smlhant aos profssors. Nunca prcbmos qualqur difrnça no su magistério comparado com aqul dos profssors. Em nossa opinião, as difrnças smpr rsidiram m trmos origm social, sua posição na hirarquia profissional burocrática, tc. As profssoras qu são advogadas, funcionárias só profssoras têm maior librda xprssão nas salas aula do qu aqulas qu ocupam postos nas burocracias jurídicas. Dvido ao fato trm ntrado tardiamnt na faculda dirito, todas las o fizram através concurso público. Ou consguiram transfrência outro partamnto on também tinham fito concurso. isso é o qu mnos importa agora. O qu m intrssa msmo é chgar ao sfcho sobr a prtnsão Tânia. Vio a noit do bail, no sábado, xatamnt a noit das famílias. A noit m qu o fogutório só prdia para a noit antrior, a sxta-fira, qu ra a noit dos motoristas. Esta ra imbatívl m fogos artifício. Noit das famílias. Noit do bail. Noit m qu Tânia havria sr valida m fac da promssa fita. Em qu la diria a Alfrdo o qu o su coraçãozinho sntia. O sim Alfrdo acabaria com a sua agonia. Havria lh propiciar uma noit Cinrla. No bail staria o su príncip ncantado. E com l, nfim, sncantado (ou la ra qum sncantaria?), la tria a mlhor suas noits no club. O mlhor dos bails. A mais bla noit sua vida. Na vida ral os sonhos nm smpr s ralizam. A noit dos sonhos Tânia não s ralizaria. No fim daqula tar, a avó matrna Tânia tria um piripaqu, ixando a família m alvoroço. A snhora ficara morr não morr. Fora lvada ao hospital, na capital. D. Constância Tânia tivram qu acompanhá- -la. E aqula ra a avó da prdilção da mocinha. Tudo vira por águas abaixo. A promssa fita a Santo Expdito não incluía a saú da avó. Porém, diant da donça nt tão qurido, Tânia não ficou salntada por não tr dado crto o qu houvra planjado. O salnto viria duas smanas pois qu a avó saíra do hospital. No fim uma aula matmática, Alfrdo ntrgou uns snhos para Tânia avaliar. Eram snhos flors paisagns. Contudo, no mio ls, Tânia s parou com o qu jamais gostaria s parar. Não acrditava no qu stava vndo. Não ra possívl! Alfrdo Jorginho? Não! No mio dos snhos flors, Alfrdo squcu um qu não tinha nada a vr com paisagns ou flors. Era um rtrato a grafit Jorginho, da 7ª séri, alto fort, apsar da ida, o mlhor jogador futbol da scola, com a sguint inscrição: T amo!. Tânia volvu os snhos sm dizr nada. Não tinha o qu dizr. Chorou a noit intira. Nm quis jantar. Já madrugada, ainda banhada m lágrimas sm consguir dormir, la pnsou: E s o rtrato não foss prsnt Alfrdo para Jorginho? E s foss ncomnda alguma mnina, para prsntar o garoto bom bola?. E assim la adormcu com os galos cantando o último canto naqula madrugada.

14 B-6 Aracaju, domingo 8 sgunda-fira 9 fvriro 2015 Jornal da Cida Inform Publicitário

15 Jornal da Cida Aracaju, domingo 8 sgunda-fira 9 fvriro 2015 Cidas B-7 Programa do govrno fral, Comçar Novo, auxilia sis pssoas a rcomçarm a vida pós-prisão Egrssos do sistma pnal têm nova chanc Divulgação Antônio Carlos Garcia Da quip jc omçar novo. Est é o nom um programa do govrno fral qu stá sndo aplicado m Aracaju, através do Conslho da Comunida na Excução Pnal (CEE), m parcria com a Scrtaria Municipal Mio Ambint (Sma). Por causa disso, sis grssos do sistma pnal Srgip ncontram uma manira digna rcomçaram a vida, pois trm passados alguns anos prsos, m virtu dos litos comtidos. O prsint do CEE, José Raimundo Souza, qu trabalha com grssos há três anos, xplicou qu s stas pssoas não tivrm uma nova chanc, corrm o risco voltarm para o crim. O apoio vm surtindo fito. Ao longo dos três anos, das 300 pssoas qu ingrssaram no mrcado trabalho, apnas cinco voltaram aos prsídios, xplicou Raimundo. Hoj, l tm cadastrado no conslho pouco mais 600 pssoas, mas sm apoio da iniciativa privada, não há mprgo para las. Mas no município, houv o apoio da Sma, qu m janiro st ano assinou o contrato com da CEE. Naqula ocasião, José Raimundo xplicou como o programa funciona. Sgundo l, o assistido passa a tr uma rnda mnsal para mantr o sustnto da família. El sai das ruas, ixa prambular passa a tr uma ativida laboral, assim, ixa ofrcr risco à socida. O programa contribui para um maior númro rssocializaçõs diminuição rincidências litos. Em rgiõs brasiliras, on ss trabalho já stá mais avançado, o índic rincidência litos é muito baixo. Em Campo Gran, on fui pssoalmnt vr, o índic é 4%, o nosso é 80%. Lá ls comçaram mais cdo, já rinsriram prsidiários. O Sma tm st apnados qu fazm trabalhos rmunrados com bnfícios prvistos plo Programa Comçar Novo. A iniciativa é clbrada. Els irão ralizar divrsas atividas como, por xmplo, srviços grais. O important nsta contratação é qu a Prfitura Aracaju, através da Sma, stá inovando ao contratar os apnados, contribuindo, assim, para a diminuição da rincidência crims. Aqui ls trão uma mlhor condição vida, fruto um trabalho digno honrado, diss o scrtário da Sma, Eduardo Matos. Estamos iniciando ssa xpriência. O primiro órgão a fazr isso foi a Embrapa. Nós qurmos stnr isso para outras scrtarias, como Dfsa Social, Fundat, Dfsa Social, diss o scrtário. Para l a o assistido passa a tr uma rnda mnsal para mantr o sustnto da família. programa contribui para rssocialização xpriência tm sido muito boa, pois os prstadors srviço são xclnts. Els tm acompanhamnto psicológico, fazmos palstras. É um srviço social rlvant, porqu você stá rinsrindo-os no sistma, afirmou. Emprgar ssas pssoas é um vr do Estado. E o important é qu isso s stnda. Eu diria qu ss é um vr do Estado, compltou. Uma das bnficiadas, Josfa Ribiro (nom fictício), tm quas um mês no trabalho, na ativida srviços grais. Para la, é mais uma oportunida mlhoria vida, através do trabalho digno honrado. Eu stou muito fliz. Espro tr muita capacitação, ficar muito tmpo qu todo mundo gost do nosso srviço. Só tnho qu agracr primiramnt a Dus, m sgundo lugar a vocês qu nos rcbram bm. Não tm nm como agracr, porqu a gnt prcisava muito ss mprgo. Agraço ssa oportunida qu vnha mais, mais mais, diss. assistidos stão atuando rcbndo rmunração na Scrtaria Mio Ambint Aracaju roubos Profissionais saú rclamam insgurança no Hus Profissionais saú qu atuam no Hospital Urgência Srgip (Hus) rivindicam maior sgurança na unida alta complxida, uma vz qu são rcorrnts os casos roubo no local. Assustados com a falta sgurança no trabalho, vítimas rcorrram ao Sindicato dos Trabalhadors na Ára da Saú Srgip (Sintasa) na tntativa buscar soluçõs junto à Fundação Hospitalar Saú para garantir a sgurança usuários trabalhadors. Há três anos, foi atnndo a um pdido nosso qu foi colocado o posto da Polícia Militar no Hus. No ntanto, diant da xtnsão da unida, é ncssário qu sjam ftuadas rondas constants m toda as alas, garantindo assim a sgurança todos. Hoj os profissionais têm mdo até ir para o scanso, pois tmm sr surprndidos por algum assaltant. Rcntmnt, um cara armado com uma faca ntrou na UTI roubou o clular um funcionário, rlatou o prsint do Sintasa, Augusto Couto. Sgundo l, m runião com o dirtor gral da Fundação Hospitalar Saú (FHS), Hans Lobo, foi convncionada a discussão para dar viabilida a uma maior sgurança no Hus. O novo dirtor foi bastant solícito ao nosso plito ficou finido qu providências srão tomadas para aumntar a sgurança nas pndências do Hus, pois a situação stá insustntávl, afirmou Augusto Couto. D acordo com a Assssoria Comunicação do Hus, na próxima smana srá ralizada uma runião ntr rprsntants da FHS com o comandant gral da Polícia Militar Srgip, coronl Maurício Iuns, para discutir a qustão. Ainda sgundo a assssoria, atualmnt a sgurança do Hus conta com agnts da Polícia Civil qu fazm a custódia pacints prsos, policiais militars qu fazm rotiniramnt a ronda também vigilants uma mprsa privada. Etios X Sdan 1.5 Flx 2015 Complto R$ ,00 Entrada R$ ,00 Cinto sgurança salva vidas. Etios X Hatch 1.3 Flx 2015 Complto 24x R$ 810,00 R$ ,00 Entrada R$ ,00 24x R$ 725,00 Toyolx Aracaju Av. Prs. Tancrdo Nvs, Jabutiana toyolx.com.br Etios X Hatch 1.3 Flx 90 cv, 2015 à vista por R$ ,00. Entrada R$ ,00 24 parclas mnsais R$ 724,72, já incluso na parcla IOF R$ 463,38, Csta srviço R$ 950,00, rgistro contrato R$ 275,00 CET 8,62% a.a. Pintura Mtálica não inclusa. Etios Sdan X 1.5 FLEX 2015, à vista por R$44.900,00. Entrada R$ ,00 24 parclas mnsais R$ 809,48, já incluso na parcla IOF R$ 517,58, Csta srviço R$ 950,00, rgistro contrato R$ 275,00 CET 7,95%a.a. Pintura Mtálica não inclusa. Cadastro sujito à anális aprovação crédito do Banco Toyota. Promoção válida até 11/02/2015 ou nquanto durar o stoqu, (07 unidas Etios Hatch). Imagns mramnt ilustrativas. Rsrvamo-nos o dirito corrigir qualqur rro gráfico /ou digitação. A Toyota ofrc três anos garantia fábrica para toda a linha sm limit quilomtragm para uso particular, três anos ou km (prvalcndo o qu ocorrr primiro) para uso comrcial. Consult o livrt garantia, o manual do propritário ou o sit para obtr mais informaçõs. Itns vrsõs porão não star disponívis no mrcado brasiliro no momnto da compra.

16 B-8 Aracaju, domingo 8 sgunda-fira 9 fvriro 2015 Jornal da Cida Cidas ENTREVISTA luiz mndonça É prciso cautla com prcatórios Jadilson Simõs É prciso tr cautla quando s fala m pagamnto prcatórios. O alrta é do smbargador Luiz Mndonça, qu assumiu a Prsidência do Tribunal Justiça Srgip no final da tar da última quintafira. El xplica, m ntrvista xclusiva ao JORNAL DA CIDADE, qu todo o lvantamnto já foi ralizado agora é a hora aguardar os pagamntos. Mndonça diz ainda qu não há uma prvisão para qu o TJ Srgip assuma os pagamntos sus aposntados pnsionistas. O smbargador staca o bom concito qu o Tribunal Srgip tm nacionalmnt pla sua agilida lmbra qu dados do CNJ apontam o Por Judiciário srgipano como um dos mlhors do país. Luiz Mndonça diz, sobr o crscimnto dos Juizados Espciais, qu a ampliação ocorru xatamnt porqu o TJSE, após minucioso studo, vrificou qu alguns sss Juizados stavam com manda muito maior do qu o normal. Eugênio Nascimnto Da Equip JC w JORNAL DA CIDADE O qu muda no TJ Srgip com a sua chgada à Prsidência? LUIZ MENDONÇA - O Tribunal Justiça já vinha sndo muito bm conduzido plos mus antcssors na Msa Dirtora. O foco todos qu fazm part do Tribunal smpr foi ntrgar à população srgipana rspostas rápidas ficints às mandas qu são trazidas ao conhcimnto do Por Judiciário. Afinal, tmos consciência qu o Judiciário é o saguadouro último das angústias sociais. À frnt do Tribunal Justiça, juntamnt com os outros mmbros da Msa Dirtora com os smbargadors qu compõm sta Casa, prtndo dar continuida ao trabalho xclência qu já vinha sndo aqui snvolvido. w JC O TJ é um Tribunal ágil ou lnto? LM - Smpr stivmos ntr os mlhors. Dados do CNJ apontam o Por Judiciário srgipano como um dos mlhors do País. Srgip sponta m rlação a vários outros Tribunais m vários qusitos, ntr ls o da ficiência. Isso tudo é fruto do trabalho dicado incssant dos magistrados qu compõm o nosso quadro. O dinamismo o compromisso prstza com a socida são nossa marca. Som-s a isso a qualida dos nossos srvidors. w JC O qu fazr para agilizar os pagamntos dos prcatórios, pois o TJ foi alvo manifstação rcntmnt? LM - É prciso tr cautla quando s fala m pagamnto prcatórios. Foi ralizado todo um trabalho lvantamnto ralização cálculos. Pagamntos foram ftuados. Entnmos a ansida daquls qu luiz Mndonça, novo prsint: "O Tribunal Justiça srgip é um dos mais mornos do País" spram rcbr su dinhiro trabalharmos firmmnt para consguir ftuar com ficiência sgurança os pagamntos dos prcatórios. w JC - Quando o TJ comça a assumir o pagamnto pnsõs aposntadorias su pssoal? LM - Por nquanto não há qualqur prvisão nst sntido. w JC - O qu fazr para mornizar ainda mais o TJ Srgip? Mornizar o quê? LM O TJSE já é um Tribunal dos mais mornos. Rcntmnt, todos os computadors das unidas jurisdicionais foram trocados por máquinas mais novas. Saímos à frnt com a virtualização dos procssos no país. Gran part das Varas já conta com o procsso virtual, o qu agilizou facilitou muito o andamnto dos procssos. Continuarmos invstindo na mornização judiciária para qu possamos continuar atnndo à população com a ficiência, qu é a nossa marca. w JC - O númro juízs smbargadors m SE é suficint? Quais sriam os númros iais? LM - Estamos com déficit magistrados, porém já xist um dital para ralização do novo concurso. w JC Como aproximar o Judiciário da população? LM - Além do trabalho com procssos, os Tribunais vêm snvolvndo também trabalhos sclarcimntos à população cidadania. Buscarmos rforçar o trabalho social do TJSE, para possibilitar ssa maior aproximação. w JC - Como safogar as atividas judiciais? Os juízs stão chios procssos para julgar? LM - Métodos mais aquados solução conflitos como a conciliação a mdiação são xclnts mios rsolução mandas forma mais célr. Tstmunhamos hoj uma busca muito gran plo Judiciário para solução problmas qu poriam sr facilmnt rsolvidos plas próprias parts, sm a ncssida da instauração um procsso a spra por uma sntnça. Invstirmos muito nst tipo solução aqui no TJSE, o qu, aliás, é também uma mta nacional traçada plo CNJ. w JC Por qu ampliar os srviços judiciais pqunas causas criando mais Varas? Quantas são hoj funcionam m quais municípios? LM - A ampliação ocorru xatamnt porqu o TJSE, após minucioso studo, vrificou qu alguns sss Juizados stavam com manda muito maior do qu o normal. Tudo vido ao qu já fora dito acima. A criação ocorru após discussão do projto por todos os smbargadors o objtivo foi xatamnt diminuir o tmpo médio andamnto julgamnto dos fitos rlativos a ssas unidas, agilizando a ntrga da prstação jurisdicional mantndo a qualida xclência do TJSE. Hoj xistm Juizados na capital, nos municípios São Cristóvão Nossa Snhora do Socorro, Estância, Lagarto Itabaiana. Todas as outras unidas jurisdicionais do Estado também rcbm, procssam julgam causas da comptência do Juizado, já qu são unidas com comptência plna. violência Vítimas abusos são atndidas na matrnida Em janiro 2015, o Srviço Atndimnto às Vítimas Violência da Matrnida Nossa Snhora Lours (MNSL) rgistrou um total 19 atndimntos, sndo 15 vítimas mnors 18 anos quatro maiors. No ano passado, a unida rfrncial no Estado contabilizou 302 casos atndidos, quantida crca 40% mnor do qu no ano 2013 quando ntão foram rgistrados 411 pacints atndidos. Estatísticas qu, acordo com o dirtor da MNSL, Luiz Eduardo Moura, não parcm rfltir a ralida nfrntada por divrsas vítimas, cujos casos são noticiados com frquência na mídia. Essa rdução ntr os anos , para mim, não é ral diant do qu vmos na imprnsa quanto à ocorrência violência sxual, sja contra mulhrs ou homm, inflizmnt. Acrdito qu as pssoas tnham ncontrado dificulda m tr acsso a ss tipo srviço ou msmo sconhcm ssa prstação srviço da MNSL. Dssa manira, a unida stá prparada intgrada a órgãos como os Conslhos Tutlars, Ministério Público Dlgacia Atndimnto a Grupos Vulnrávis, por xmplo, para rcbr ofrcr o tratamnto ncssário aos pacints, stacou Luiz Eduardo Moura. Do total atndimntos ftuados, a maioria é criança violntada sxualmnt. Crca 80%, sndo gran a provniência cidas do intrior do Estado. A cada z pacints, oito são crianças a maioria dos Jadilson Simõs luiz Eduardo diz qu casos qu chgam à MNSL não corrsponm a ralida qu é noticiada por toda a mídia casos riva parnts primiro grau, casa ou rdonzas. Pai, primo, padrasto, qu não é parnt, mas um agrgado. Na maioria, os agrssors são pssoas conhcidas, diss Luiz Eduardo Moura. Sgundo l, o srviço atndimnto às vítimas violência sxual funciona 24 horas por dias, todos os dias smana. Tmos o atndimnto m gincologia, srviço social, obsttrícia também é rfrência no Estado m intrrupçõs prmitidas por li, a xmplo casos stupro anncéfalos, qu já é prmitido por li. Pacints qualqur ida, sxo, idosos, crianças, mulhrs homns qu foram vítimas violência pom vir à matrnida qualqur dia hora, rssaltando qu o ial é qu vnha até 72 horas após o ato, pois as mdicaçõs fazm fito até 72 horas. O squma rtroviral para vitar donças sxualmnt transmissívis o squma no caso mulhrs na fas fértil, para não tr graviz insjada, o sucsso vai pnr do tmpo. Até 72 horas, o sucsso chga a quas 100%. Passou ss príodo, fica difícil tanto para a prvnção contra donças infciosas sxualmnt transmissívis quanto da graviz insjada. Alguns pnsam qu por sr matrnida stá muito rlacionado ao sxo fminino, mas não é nada disso. Qualqur vítima violência sxual é atndida aqui, frisou o dirtor da MNSL. Para mais informaçõs sobr o srviço atndimnto às vítimas violência sxual é disponibilizado o númro tlfon

17 Jornal da Cida Aracaju, domingo 8 sgunda-fira 9 fvriro 2015 Esports B-9 Nlson Prz/Fluminns F.C. CRUZEIRO Documntação imp stria uruguaio Blo Horizont (MG) A torcida do Cruziro trá qu sprar para vr o uruguaio D Arrascata m campo. O jogador tv o nom publicado no Boltim Informativo Diário (BID), da CBF, m ts tria condiçõs strar contra a Calns, mas nsta sxta-fira, a dirtoria da Raposa scobriu qu ainda falta um documnto para o jogador tr a situação lgalizada. O nom D Arrascata srá rtirado do BID, l não porá jogar no final smana. O atlta vinha trinando ntr os titulars durant a smana, força o técnico Marclo Olivira a fazr uma mudança da quip qu pga a Vtrana, domingo, no Minirão. Judivan ntra na vaga D Arrascata. S o uruguaio fica fora do jogo, o avant Landro Damião, qu s rcuprou uma torção no tornozlo stará m campo. O jogador foi sfalqu m alguns trinos da smana, mas sxta-fira participou normalmnt do coltivo. Com isso, o tim qu ntra m campo contra a Calns srá o sguint: Fábio; Mayk, Léo, Bruno Rodrigo Mna; Hnriqu, Willian Farias, Marquinhos Judivan; Willian Landro Damião. No trabalho tático comandado por Marclo Olivira a quip rsrva foi formada com a sguint scalação: Rafal; Fabiano, Alx, Fabrício Brno Lops; Flip Symour, Bruno Edgar, D Arrascata Júlio Baptista; Riascos Jol. Cruziro/Divulgação Com contrato por rnovar, atacant Frd é uma das atraçõs do Fluminns para o jogo com o Bangu Flu rcb o Bangu no Maraca pnsando na ponta da tabla Técnico Cristóvão Borgs rptirá a quip qu vncu o Bonsucsso azta Prss Rio Janiro (RJ) - Embalado por duas vitórias conscutivas, sndo a mais rcnt uma golada 4 a 1 sobr o Nova Iguaçu, o Fluminns tnta mantr os cm por cnto aprovitamnto nst domingo, quando rcb o Bangu a partir das 17h ( Brasília), no Maracanã, no Rio Janiro (RJ), pla trcira rodada do Camponato Carioca. O Tricolor, com sis pontos, luta para s mantr na lirança da comptição. Os bangunss, qu vncram o Bonsucsso por 2 a 0 no mio smana, aparcm com quatro pontos. Essa srá a primira vz qu o Fluminns vai jogar no Maracanã m 2015 o fato ixa o técnico Cristóvão Borgs sprançoso m vr uma gran xibição. - Fizmos os dois primiros jogos m stádios qu não possum a msma qualida do Maracanã por isso stou animado com a possibilida mostrarmos um futbol mais qualida. Com um campo mlhor a chanc crscrmos é muito gran sta volução é muito important nst comço tmporada. Os bons rsultados mostram qu stamos caminhando no sntido da dirção mais corrta qu pomos projtar coisas boas - diss Cristóvão. Autor dois gols diant do Nova Iguaçu, o atacant Frd também stá ansioso com o rncontro com o Maracanã trata convocar os torcdors. - Jogar no Maracanã é smpr muito gostoso por isso a minha xpctativa é consguir uma gran partida mais uma vitória. Está muito prazroso jogar nst tim acrdito qu vamos crscr ainda mais na comptição. O apoio dos torcdors é muito important agora - diss Frd. O latral-dirito Rnato, com stiramnto muscular na coxa dirita, fica fora, cndo su posto a Wllington Silva. Sntindo dors por conta uma fort pancada no tornozlo squrdo, o mia Wágnr é dúvida s não for aprovitado, Marlon ganhará nova chanc mostrar srviço. Plo lado do Bangu, o técnico Mário Marqus pdiu muito cuidado com o Fluminns, a qum consira um tim tão prigoso como aqul rchado strlas, na época do gordo patrocínio da Unimd. - O Fluminns ralmnt pru jogadors importants, porém, é ingávl qu o tim continua muito fort. Basta dar uma olhada na scalação ls qu vamos ncontrar jogadors do port Jan, Digo Cavaliri Frd. Portanto, stá muito long sr um advrsário muito tranquilo sr batido - diss Mário. Satisfito com a volução mostrada contra o Bonsucsso, Mário Marqus optou pla manutnção da bas qu s saiu vitoriosa na rodada mio smana. ESTÁDIO LOS LARIOS Vasco vai tntar prsrvar 100% fator campo Gazta Prss Rio Janiro (RJ) - O Vasco comçou bm o Camponato Carioca. Os cruzmaltinos vncram nas duas primiras rodadas spram consguir mantr o bom smpnho nst domingo, contra o Tigrs, m Los Larios. Para isso, os vascaínos contam com a boa fas da dupla Brnardo Marcinho, além da boa fsa. Já a quip da Baixada Fluminns só mpatou até o momnto, mas busca su primiro triunfo na comptição. Plo lado do Vasco, o técnico Doriva vm cumprindo su papl colocar a quip no ataqu. Os cruzmaltinos marcaram quatro gols nas duas primiras rodadas sm sofrr gols. Para o atacant Marcinho, os vascaínos stão voluindo a cada partida. - A gnt qur mlhorar a cada jogo. O Doriva nos dá muita librda. Tmos muito qu voluir, stamos crscndo. Tmos qu continuar vncndo porqu as outras quips stão vncndo - diss. O mia Brnardo logiou a vonta mostrada plos jogadors contra o Madurira, mas já focou no dulo st fim smana, contra o Tigrs. - O mpnho todo mundo foi lgal, foi uma pgada fort, vamos trabalhar ssa smana porqu domingo tm mais jogo - clarou. Macaé tnta suprar o Nova Iguaçu Gazta Prss Macaé (RJ) - Consirado a quinta força do Rio Janiro após conquistar a Séri C do Camponato Brasiliro do ano passado, o Macaé busca a primira vitória no Camponato Carioca nst domingo, quando rcb o Nova Iguaçu a partir das 17h ( Brasília), no Estádio Cláudio Moacyr, m Macaé, pla trcira rodada. Os macanss, qu no mio smana mpataram por 1 a 1 com o Friburguns, fora casa, somam dois pontos prtnm usar o fator campo para s aproximarm da zona classificação para as smifinais. Já o Nova Iguaçu, qu tm apnas um ponto, prtn s rcuprar da golada 4 a 1 sofrida para o Fluminns. Outros três confrontos ntr quips mnor invstimnto movimntam o domingo. Também às 17h( Brasília), o Madurira, qu tm um ponto, rcb o Boavista, qu tm a msma pontuação, no Estádio Anicto Moscoso, no bairro Madurira, subúrbio do Rio Janiro. O Tricolor suburbano vm rrota 2 a 0 para o Vasco. No msmo horário, só qu no Estádio Raulino Olivira, m Volta Rdonda, o Barra Mansa m forças com o Friburguns, qu tm um ponto. O caçula do Estadual, qu tm mandado sus jogos no campo do Voltaço, qur a ração após a golada 4 a 0 sofrida para o Flamngo, qu lh custou o posto lantrna. Por fim, às 19h( Brasília, o Volta Rdonda visita a Cabofrins no Estádio Alair Corrêa, m Cabo Frio. O Voltaço, qu vm um mpat por 2 a 2 com o Botafogo, tm quatro pontos po ingrssar na zona classificação para as smifinais. Já o Tricolor da Rgião dos Lagos, qu vm mpat por 1 a 1 com o Boavista, soma apnas um ponto. No Camponato Carioca os tims consirados pqunos lutam principalmnt para fugirm das duas últimas colocaçõs, qu rprsntam o rbaixamnto para a Sgunda Divisão m Por causa da falta um documnto D Arrascata ainda não stria FÓRMULA 1 Sonho com o pódio Gazta Prss Banbury (Inglatrra) - A Marussia ainda não sistiu alinhar o su carro no grid da tmporada 2015 da Fórmula 1. Sxta-fira, Gram Lowdon, dirtor-xcutivo da quip, rbatu a afirmação Bob Frnly, da Forc India, qu o tim não forncu informaçõs ncssárias para utilizar o monoposto 2014 no camponato vindouro. - Fiqui muito surprso ao ouvir alguns comntários fitos hoj, particularmnt com rlação ao pdido qu stávamos fazndo na runião ontm. E isso u não confirmo. Nós não tntamos a aprovação junto ao Grupo Estratégia ontm. Isso foi fito m zmbro s ntão stamos trabalhando para nos aquarmos aos rqurimntos - afirmou Lowdon m comunicado oficial. - Os comntários também mncionaram qu faltava ao nosso pdido informaçõs qu não havia nnhuma documntação apoio para rforçar a qustão uma dispnsa spcial. Mais uma vz, nós não fizmos o pdido ontm não stávamos solicitando nada na runião - continuou. Lowdon também commorou qu a Marussia irá sair da administração judicial no próximo dia 19 com o acordo fito com os crdors. O dirtor consirou st fato como o primiro passa para rtornar ao grid da catgoria. - Foi muito bom tr ixado a administração judicial. É o primiro gran sinal qu nós rcbmos fora para a quip Manor por ntrar m ação m Tmos um tim gran trabalhando tanto no carro 2014, quanto no qu stamos prparando para diss. Sgundo a rvista almã Auto Motor und Sport, a Marussia spra aprontar um carro sob o rgulamnto 2015 para qu corra a partir do Gran Prêmio da China, o trciro da tmporada. GRÊMIO Erazo v strar Gazta Prss Porto Algr (RS) - O zaguiro quatoriano v fazr sua stria plo Grêmio nst domingo. Sxta-fira, o bqu trinou ntr os titulars no CT Luiz Carvalho, formando a dupla zaga com Rhodolfo. A partida contra o Avnida val pla 3ª rodada do Camponato Gaúcho tm início marcado para as 17h, horário Brasília, no Estádio dos Eucaliptos, m Santa Cruz do Sul. Outro jogador qu vrá iniciar o dulo é o atacant Evrton, qu formou o ataqu ao lado Luan Marclo Morno no trino comandado plo técnico Luiz Flip Scolari. No mio, Douglas srá o único armador Marclo Olivira, qu atuou na zaga nos dois primiros jogos do Gauchão, srá volant ao lado Fllip Bastos. O tim trinado por Flipão tv Marclo Groh; Galhardo, Erazo, Rhodolfo Júnior; Marclo Olivira, Fllip Bastos Douglas; Luan, Marclo Morno Evrton. O squma com dois cntroavants v sr ixado lado após a má atuação contra o Aimoré. Dsta forma, Lucas Colho inicia o jogo do final smana no banco rsrvas.

18 Aracaju domingo 8 sgunda-fira SPORTES Jornal da Cida Editor: Paulo Robrto B C A D E R N O Batistão rabr os portõs para Srgip x Confiança CBF/Divulgação Clássico lirs do Srgipão 2015 promt lotação máxima novo Estádio Lourival Batista, o Batistão, agora, também, chamado Arna Batistão, nominação confrida aos stádios futbol qu foram rvitalizados para os jogos da Copa do Mundo 2014, ralizada no Brasil, pois da gran fsta sua rinauguração, ocorrida, na noit da última quarta-fira, com a partida ntr Confiança Vitória, da Bahia, pla Copa do Norst, rabr os sus portõs, nst domingo, às 16h, para outro gran momnto, sta vz, m nívl stadual. O Gigant da Praia, com capacida para mais 15 mil xpctadors, srá o cnário do mais fstjado concorrido clássico do nosso futbol, nvolvndo as quips maiors torcidas do Estado, Srgip Confiança, pla quarta rodada do Estadual da Séri A O dulo ntr alvirrubros alvazuis stá sndo aguardado com muita xpctativa não só pla qualida do sptáculo qu proporcionam quando s frontam, mas, também, pla rivalida ntr ambas. Tanto Srgip quanto o Confiança stão sm problma na tábua classificação do camponato. Os dois são lírs. O Mais Qurido do Estado, do Grupo B, com sis pontos, o Dragão, do A, com nov. Plas situaçõs m qu s ncontram, na comptição, a xpctativa é uma partida difícil prognóstico, apsar da xprssiva vantagm qu o Dragão lva sobr o advrsário, nos 10 últimos confrontos: sis vitórias, três rrotas um mpat No hxacampão srgipano, nquanto o advrsário s nvolvia m jogos plo Estadual a Copa do Norst, o técnico Carlos Rabllo tv a sua disposição mais uma smana para dar algums ajusts na quip colorada, qu vinha vncndo, mas sm corrsponr, plnamnt, a xpctativa do próprio trinador. Ralmnt, foram importants sss dias para a prparação do Srgip para o jogo com o Confiança. O tim stava prcisando corrçõs, acrdito qu o qu foi fito, durant os trinamntos, a tndência é surtir o fito sprado. Vamos aguardar o jogo. O Confiança, o aponto como favorito pla boa fas qu atravssa, mas o Srgip, também, stá bm vai a campo, nst domingo, com gosto vitória, clarou o comandant. A finalização da prparação do Srgip para o clássico acontcu, sxta-fira à tar, com um nsaio tático, no João Hora Olivira. Na manhã ontm, comissão técnica jogadors voltaram a s ncontrar, sta vz, para uma ativida rcrativa, sguida plo rgim concntração, após o almoço, m um hotl da cida. A provávl quip para st domingo é a sguint: Igor; Glaubr, Llo, Bruno Santos Edinho; Fabiano, Rodrigo, Rafal Edson Pio; Digo Nvs Jonatha. Confiança spra mantr scrita No Confiança, não obstant a sua importância, o triunfo, conquistado m cima do Vitória, da Bahia, na partida stria na Copa do Norst, já é assunto do passado. O foco dos proltários, agora, é o clássico st domingo com o Srgip, quando spram mplacar mais três pontos positivos no Grupo A do camponato aumntar para 11 jogos a sua invncibilida sobr o tim rubro. Para o clássico, o técnico Btinho, como na partida com o rubro-ngro baiano, trá força máxima. Isso porqu porá contar com os rtornos do mia Wallac Prnambucano, qu não prcisou ir a julgamnto, quinta- -fira, plo TJD, do atacant Landro Kívl, qu foi punido com um jogo, cumprido na golada imposta no Coritiba, por 4 a 0, na trcira rodada do Estadual. O clima do club do Bairro Industrial é muita mpolgação para jogo st domingo. Ninguém fala m ouro rsultado, não sr faturar mais três pontos disparar na tábua classificação. Apsar da mpolgação, Btinho diss qu nfrntar o Srgip significa dificulda, nst domingo, não srá difrnt. Vamos nfrntar uma gran quip qu vm bm no camponato, lirando, inclusiv, o su grupo. Só isso já é o suficint para trmos uma iia qu tipo advrsário trmos pla frnt, clarou o trinador do campão do Estado. ESTÁDIO LELEZÃO Siri rcb o motivado Amans A quip do Socorrns ixou o campo jogo, na quarta- -fira passada, quando mpatou, por 1 a 1, no Estádio Grson Amaral, com o Corurip, Alagoas, por 1 a 1, na stria no Grupo B da Copa do Norst, sm nnhum problma orm médica. Essa boa noticia, rcbida plo técnico Edmilson Santos, só o ixou fliz da vida E um dos motivos para a satisfação do comandant do vic-campão é a condição qu l trá por scalar a msma quip do mio smana, nst domingo, as 16h, no Wllington Elias da Paixão, o Llzão m Nossa Snhora do Socorrns, quando nfrnta o Amans, pla quarta rodada do PRESIDENTE MÉDICI Em cris, Coxa nfrnta o Trmndão O Coritiba, ainda, não vncu no Grupo B do Estadual da Séri A Em sus dois primiros compromissos, foi rrotado plo Estanciano, por 2 a 1, Confiança, plo placar 4 a 0, para piorar sua situação, na quinta-fira passada, foi punido plo Tribunal Justiça Dsportiva, da FSF com a prda três pontos, por tr scalado, forma irrgular, na primira partida do camponato, contra o Estanciano, um jogador forma irrgular. Com a cisão do órgão judicant da ntida máxima do Estadual da Séri A Sxta-fira à tar, quando comandou o apronto para o ncontro com o Lão do Rio Ral, Edmilson Santos lmbrou aos jogadors qu qurm ls, hoj à tar, as msmas aplicação trminação, colocadas m prática, no important rsultado, conquistado m cima do Vrdão Praiano, da cida turística do intrior alagoano. S o Socorrns rptir a atuação quarta-fira trá boas chancs lvantar um gran rsultado. Mas é bom rassaltar qu do outro lado, trá o Amans, um advrsário qu vm uma vitória sobr o Boca Junior, qu tntará nutralizar as açõs nosso futbol, a agrmiação da rgião do Agrst Srgipano, qu aparcia na tábua classificação sm pontuar, prmanc na msma posição, só qu, agora, com três pontos ngativos, ixando, assim, uma fort imprssão sério candidato ao rtorno à Sgunda Divisão do futbol srgipano. Apsar do difícil momnto por qu passa, no camponato, o clima, no club, para o confronto com o arquirrival, nst domingo, às 16h, no Médici, é muito otimismo, com todos acrditando na da nossa quip buscar mais um rsultado positivo, diss Edmilson. Na manhã ontm, a xmplo do u acontc m véspra jogo, Edmilson orintou um animado trino rcrativo, sguido plo rgim concntração. Salvo modificação última hora, o Siri v ir a campo com a sguint formação: Emanul; Jorginho, Sandro Migul, Léo, Tonhão Índio; Cosm, Hnriqu Juninho; Orobó Danil Caiçara. Amans No Lão do Rio Ral, o técnico Itamar Brnars porá promovr as strias dos mias Jfrson Nitimba Souza, do conquista do primiro rsultado positivo. Na tar da última sxta- -fira, o técnico Robson Santana comandou o coltivo-apronto, mas, somnt, nst domingo, fin o onz para o clássico srrano. Itabaiana Plo lado do Itabaiana, o técnico Vavilson Santos, ainda, não digriu a irrgular fas do Tricolor Srrano, no camponato, com apnas dois pontos positivos, m três jogos ralizados. Sgundo o xprint orintador, o tim Jorg Hnriqu Novo Estádio Lourival Batista rcb o primiro clássico do futbol srgipano, após rinaugurado atacant Nto Brasão. Os três jogadors ganharam condição jogo, ao trm sus noms divulgados no BID (Boltim Informativo Diário) da CBF. Quinta-fira, o trio foi lançado no tim titular, no primiro trino com bola, o msmo acontcndo no apronto sxta-fira. Assim, caso sja mantida a intnção inicial Itamar Brnars, apsar da primira vitória, conquistada pla quip, na última trça-fira, sobr o Boca Junior, Estancia, o Amans v comçar o jogo com: Willian; Paulo Hnriqu, Digo, Saimo Gorg. Josa, Tita, Jfrson Nitimba Souza; Adilson Nto Brasão. srrano, prcisa, urgntmnt, iniciar uma trajtória rsultados positivos, para comçar a pnsar alto, no Estadual da Séri A No coltivo-apronto, qu orintou, sxta-fira, no Prsint Médici, Vavilson xigiu muito dos jogadors. Para l, uma vitória, nst domingo, é suma importância para a prtnsão da quip no camponato,, ainda mlhor s Estanciando Amans não marcarm pontos m sus jogos, diant do Lagarto Socorrns, rspctivamnt. Slção trina na Granja Comary para tornio m Portugal BRASILEIRA Slção s prpara na Granja Comary Trsópolis (RJ) Sxta-fira, a Slção Brasilira futbol fminino ganhou um xclnt rforço: a craqu Marta s aprsntou na Granja Comary, m Trsópolis, já trinou com o rstant do lnco, qu s prpara para a disputa da Copa Algarv, m março, m Portugal. O tornio srá um important passo para a Copa do Mundo, m junho, no Canadá. Comptição m alto nívl. É uma possibilida tsta a quip com boas quips como Estados Unidos, França, Almanha, Japão. São nossas principais concorrnts, ao mu vr. Prcisamos focar unicamnt m nosso trabalho, diss a camisa 10 m ntrvista ao Sportv. Atuando na Suécia, Marta não porá fazr toda a tapa trinos para a comptição, mas ficará com a lgação durant uma smana. Na manhã sta sxta, la já s juntou ao grupo para os trabalhos físicos na acamia campo. A stria do Brasil stá marcada para o dia 4 março contra a China. Dpois nfrnta a Suécia, por último, ncara a Almanha. No dia 11, pois da primira fas, os dois primiros colocados dos três grupos disputam a final. O trciro colocado srá finido m jogo ntr o trciro mlhor o primiro sgundo colocado. GUARÁ Adriano po acrtar Guaratingutá (SP) Após sr rrotado nos dois primiros compromissos válidos pla Séri A2 do Camponato Paulista, o Guaratingutá stá próximo acrtar com um conhcido rforço. O atacant Adriano, o popular Imprador, foi ofrcido à Garça do Val po sr anunciado m brv. A contratação Adriano s tornou priorida por dois fators: além prnchr um stor carnt no lnco, o Imprador viria como stratégia markting, para rcuprar o prstígio dos torcdors tricolors já castigados com uma troca cida a prmanência no sgundo stágio do futbol stadual. O prsint da formação do Val do Paraíba, Pdro Scol Panzlli, s mostrou otimista quanto ao acrto. Adriano foi ofrcido ao Guaratingutá por um mprsário conhcido mu. Assim, imdiatamnt convrsi com o técnico João Tlê l ficou fliz com a iia. É um atlta qu agrgaria muito ao club. Estou otimista quanto ao sfcho. El só não ocorrrá da vida forma s houvr um mpcilho muito além da nossa ralida, diss o mandatário. Msmo sm vstir o manto da Garça, Adriano já possui uma intificação com o município Fri Galvão. A stria do Imprador plo São Paulo, m 2008, foi justamnt contra o Guaratingutá, no stádio Profssor Dario Rodrigus Lit, o cntroavant u um bom cartão visitas: anotou dois gols ajudou o club do Morumbi a triunfar por 2 a 1, virada. Foi uma partida histórica para a cida Guaratingutá. Eu não ra o prsint daqula época, mas a cida parou. Mais 20 mil pssoas comparcram ao Dario Rodrigus Lit, sm contar a multidão qu ficou fora. Houv um aplo nas rs sociais rlmbrando ss fato é mais uma altrnativa qu po facilitar a ngociação, pontuou. Caso a ngociação com o Imprador mprr, Panzlli já diz listar novos rforços para vitar mais uma quda da Garça do Val, qu também trá o Camponato Brasiliro da Séri C para disputar m Inflizmnt prmos pças importants, mas, além do Adriano, já tmos outros noms m vista para rforçar o lnco. É apnas o início do camponato pomos muito bm trilhar uma rcupração, projtou. Sm acrto com a Europa No fim 2014, Adriano ficou próximo fnr o L Havr, club qu disputa a sgunda divisão do Camponato Francês. Porém, a formação uropia acabou não adquirida por um mprsário, sm aport financiro, foi obrigada a sistir do acordo. AVAÍ Gninho p calma Gazta Prss Florianópolis (SC) - Tndo acumulado dois mpats até ntão no Camponato Catarinns, Gninho ainda busca o primiro triunfo uma aprsntação mais convincnt à frnt do Lão. Ao passo qu André Lima commora a volta aos gramados após quas dois anos sm atuar, o trinador s mostra pacint para ncaixar a quip rconhc qu os próximos confrontos no Estadual proporcionarão dificuldas ao tim. Vindo mpats contra Joinvill Criciúma, qu rivalizam com o Lão na disputa plo título stadual, Gninho assum qu o grupo prcisa trinar tm muito o qu mlhorar. - Contra o Criciúma o tim não stv bm morou para chgar ao gol - falou. Vam - os tr um jogo difícil contra o Atlético Ibirama, uma quip com gran port físico. Ainda stamos nos arrumando - prossguiu m ntrvista ao Diário Catarinns. Por mio sua conta no Instagram, o atacant André Lima commorou sua volta aos gramados após um ano oito mss. Msmo com o mpat contra o Criciúma, m jogo qu chgou a mandar uma bola na trav, o jogador ficou fliz com o smpnho parabnizou a postura da torcida, qu prnchu as arquibancadas da Rssacada procurou incntivar o tim até o apito final.

19 variedades Aracaju domingo 8 sgunda-fira tlvisão A tlvisão stá no mu sangu, diz Gugu Librato Varidas C2 Jornal da Cida Editor: Eugênio Nascimnto C A D E R N O C DVDtca Básica Por suyn corria O Enrdo do Patrik 1.5- Patrik Ag 1.5 (SUE-2008) Gênro: Comédia Dirção: Ella Lmhagn Com: Gustaf Skarsgård, Torkl Ptrsson, Thomas Ljungman Idioma: Suco Lgndas: Português Áudio: Suco (Dolby 2.0) Tla: Lttrbox Distribuidora: Fstival Films Quando s fala m cinma suco, o nom do cinasta Ingmar Brgman é o primiro qu vm à mnt. D fato, o maior nom da cinmatografia qu o país scandinavo tv até hoj. Mas nm por isso, a produção audiovisual daqul país rmoto s rstring aos films cabça Brgman. A produção suca contmporâna tm chgado ao Brasil, é bm vrda, com uma crta scassz, porém quando surgm títulos como st Patrik 1.5, tão aclamado m fstivais (Toronto Int l Film Fstival, San Francisco Int l LGBT Film Fstival, Mix Brasil), a confrência s faz obrigatória. O film dirigido por Ella Lmhagn é xtrmamnt simpático aborda um assunto qu stá na orm do dia: a adoção por casais gays. Nst caso, o médico Gorän (Gustaf Skarsgård) tm o sjo sr pai, mas não obtém todo o apoio su companhiro, Svn (Torkl Ptrsson) qu já tm uma filha adolscnt, fruto su rlacionamnto htrossxual. Msmo divrgindo m alguns pontos, o casal s inscrv para consguir a adoção um garoto pouco mais um ano. Após algumas possibilidas frustradas, is qu surg um órfão para ls criarm. O problma é qu por um rro digitação, do Srviço Social, ls trminam por acolhr o garoto Patrick (Thomas Ljungman), qu além adolscnt linqünt, mostra-s com tndências homofóbicas. A confusão stá formada, mas o tom da plícula não é cômico do início ao fim. A trama abr passagm para o drama também, principalmnt, quando o ciúm Svn aflora Gorän prcisa fazr scolhas. Jan Flortt (FRA-1986) Gênro: Drama Dirção: Clau Brri Com: Gérard Dpardiu, Danil Autuil, Yvs Montand Idioma: Francês Lgndas: Português Áudio: Francês (Dolby ) Tla: Wiscrn Distribuidora: Vrsátil Hom Vio Basado na obra Marcl Pagnol (qu foi rsponsávl pla primira vrsão cinmatográfica, na década 1950), Jan Flortt é a primira part uma história qu s passa na zona rural francsa nos anos Ugolin (Autuil) su padrinho Czar (Montand) são os últimos da imponnt família Soubyran, rsints na rgião da Provnça. Enquanto Czar mantém sua vinícola a todo vapor, Ugolin tm apnas uma ambição na vida: criar cravos, para isso, prcisa um bom trrno com bastant água, raro na rgião. Os Soubyran propõm ao vizinho Piqu-Bouffig, dono uma nascnt abandonada, vnr-lhs a trra, mas st s rcusa sofr um acint mortal durant a briga qu s suc. O hriro é su sobrinho, Jan Flortt (Dpardiu), um cobrador impostos, qu s muda para a faznda com a mulhr a filha pquna. Os Soubyran, conhcndo a localização da nascnt, bloquiam-na para qu Jan não possa usá-la forçar-lh a vnr-lhs a trra por um prço mnor. Jan Flortt suporta as intmpéris da rgião nquanto po, mas a trminação do inxprint fazniro não é suficint para vncr os astutos gananciosos Soubyran. Rsta à sua filha Manon s Sourcs vingar o pai. Porém, isso aí, já é outra história ( A Vingança Manon ). Mu Samba rsgata a história 15 sambas-nrdo cariocas Suyn Corria Da quip JC Em 1964, aqul qu viria a sr rconhcido como um dos maiors sambas-nrdo todos os tmpos não ganhou as notas máximas dos jurados do carnaval. A história Aquarla Brasilira, do gran compositor impriano Silas Olivira, é o abralas O Enrdo do Mu Samba- a história quinz sambas-nrdos imortais do jornalista jurado do Estandart Ouro Marclo Mllo. O livro é um sfil fatos informaçõs bastidors qu rvla a volução do carnaval carioca até 1993, quando o Explo Coração, da Salguiro, lvantou a Sapucaí s tornou um dos sambas mais populars do país. O critério para a scolha dos sambas, qu inclum composiçõs Manguira, Portla, Bija-Flor, Impratriz Lopoldinns, Mocida Inpnnt, União da Ilha, Em Cima da Hora, Vila Isabl, Caprichosos Pilars as já citadas Salguiro Império Srrano foi subjtivo, mas o autor diz tr tomado como rfrência o filtro da história. S um samba-nrdo é cantado 20 anos pois, passou por ssa slção ganhou um carátr histórico, comnta. Plo livro da Editora Marclo Mllo traça a volução do carnaval carioca através dos sambas-nrdo Rcord- qu srá lançado na próxima sgunda-fira, na Livraria da Travssa Botafogo, na capital carioca- sfilam prsonagns clássicos do carnaval, Fotos: Divulgação como os compositors Niltinho Tristza ( Librda Librda abr as Asas Sobr Nós, Impratriz); Tiãozinho da Mocida ( Ziriguidum 2001, da Mocida); David Corra ( Das Maravilhas do Mar, fz-s o Esplndor uma Noit, Portla) Aluizio Machado ( Bumbum Paticumbum Prugurundum, Império); os carnavalscos Rosa Magalhãs, Rnato Laj, Maria Augusta Frnando Pamplona, a qum o livro é dicado, ntr outros. Marclo Mllo lamnta qu hoj o qusito samba-nrdo, qu u origm razão sr ao carnaval, não sja o mais influnt na ra das Supr-scolas samba S.A. Tanto qu l não consirou incluir na obra qualqur composição fita pois Para l, o sfil ial tria blíssimas algorias fantasias um sambão qu voltass a sacudir a avnida. O jornalista Marclo Mllo nascu no Rio Janiro m Assistiu ao sfil das scolas samba pla primira vz m 1977, ainda na Avnida Prsint Vargas, nunca mais pru um. Graduado pla UFRJ mstr m Comunicação pla UFF, trabalha s 1990 no jornal O Globo, on é ditor assistnt Opinião. Sua dissrtação mstrado foi sobr a Bija-Flor Nilópolis. É jurado do Estandart Ouro s Grito Gral agita Adrianos Bar Hoj, a partir das 16h, no Adrianos Bar (m frnt à AABB), acontc o Grito Gral, fsta promovida plo Augustu s Produçõs Com Amor Produçõs. A fsta com clima intimista coração praiana contará com a mistura ritmos do Rio Janiro, Bahia Prnambuco, Estado on o carnaval tm tradição. No comando da folia, DJ Tubarão, o cantor Jau Escola Samba D Brck. Dpois s aprsntar m vários paíss ao rdor do mundo, a xmplo EUA, Austrália Japão animar, smanalmnt, as boats cariocas das Zonas Nort Sul, agora, Ramon Júnior (DJ Tubarão) traz o funk na bagagm, para animar os srgipanos no Grito Gral. D Prnambuco, vm O Grêmio Rcrativo Escola Samba D Brck, fundado m 1998, mas só ftivado no carnaval do ano sguint, m 1999, com aproximadamnt 12 ritmistas não mais do qu 20 acompanhants, todos parnts. D lá para cá o Grêmio foi crscndo hoj conta com crca 100 ritmistas mais 600 acompanhants ftivos. Com as cors laranja azul, o nom D Brck é uma corruptla influência do Samba Brqu, ou sja, o samba parada, sndo ssa a marca da Escola. Cantor Jau lva o axé para o Grito Gral Da Bahia, o rprsntant do axé srá o cantor Jau. Dispnsando aprsntaçõs, tndo m vista uma séri shows qu já fz na capital srgipana, Jau v mostrar no rprtório um pouco do qu cantará nos badalados camarots Bar Brahma Planta Band Othon m Salvador. O Grito Gral srá somnt para mil pssoas, portanto a dica é comprar o ingrsso antcipado para não corrr o risco ficar fora. Vndas na Cntral do Tickt, no RioMar Shopping.

20 C-2 Aracaju, domingo 8 sgunda-fira 9 fvriro 2015 Varidas Jornal da Cida TV abrta A programação é total rsponsabilida das missoras TV Srgip/Globo Canal 4 Fon: (79) :31h - Santa Missa 07:32h - Globo Comunida 08:00h - Pqunas Emprsas & Grans Ngócios 08:33h - Globo Rural 09:27h - Auto Esport 10:00h - Esport Esptacular 13:00h - Esqunta 14:48h - Sai do Chão 14:29h - Tmpratura Máxima 16:45h - Futbol :00h - Domingão do Faustão 21:00h - Fantástico 23:11h - Big Brothr Brasil 15 23:45h - Planta Extrmo 00:17h - Domingo Maior 02:02h - Flash Big Brothr Brasil 02:07h - Sssão Gala 03:37h - Mnts Criminosas TV Atalaia/Rcord Canal 8 Fon: (79) :00h - Viva Mais - HD 07:30h - Rcord Kids - HD 08:00h - Formandos Noivas - HD 08:30h - Caju Cap - HD 09:30h - Paulo Lavign - HD 10:00h - Domingo Show - HD 14:30h - Hora do Faro - HD 18:30h - Domingo Esptacular - HD 22:15h - Rpórtr m Ação 23:15h - Robrto Justus Apripê TV/TV Brasil Canal 2 Fon: (79) :30h - Pns Rpns 07:00h - Santa Missa (Programação Local) 08:00h - Hora do Emprndor (Programação Local) 09:00h - Forró no Asfalto (Programação Local) 10:00h - Castlo Rá Tim Bum 10:30h - Janla Janlinha 11:00h - ABZ do Ziraldo 11:45h - Curta Criança 12:00h - Um Mnimo Muito Maluquinho 12:30h - Catalndas 13:00h - Dango Balango 13:30h - TV Piá 14:00h - Stadium 15:00h - A UWE 16:00h - Vr TV 17:00h - D Lá pra Cá 17:30h - Cara Coroa 18:00h - Papo Mã 19:00h -Conxão Robrto Dávila 20:00h - Esportvisão 21:30h - Nova África 22:00h - Cin Ibrmédia Solas 23:45h - A Gran Música 00:45h - Rumos TV Canção Nova Canal 13 Fon: (79) :00h Dus Abnço/Trço 05:30h Mnsagm do Caral 06:00h Igrja plo Mundo 06:30h Prsrvação Ambintal 07:00h Transmissão 08:00h Transmissão 09:30h Tl Davi 10:00h Transmissão 11:00h Transmissão 11:30h Anglus/Palavra Dus 12:30h Nossa Gnt, nossa trra 13:20h Transmissão Missa 15:30h Darc 16:30h Programa Roma 17:00h Dus abnço Trço 17:30h Som Vida 18:30h Igrja no Novo Milênio 20:50h CN Rpórtr 21:30h Rsgat Já 22:00h O Amor Vncrá 24:00h Gnt Fé 00:00h Som Vida Capa do álbum "Magia", 1985, primiro sucsso comrcial da axé music Rprodução axé music Conquistamos o Brasil pla simplicida, diz produtor do hit nº 1 do axé Em 1985, rcém-saído da ditadura militar, o Brasil stava m plna adolscência pop. Rio, São Paulo Brasília curtiam o rock, como trilha sonora da abrtura. O qu ninguém sprava ra qu um guitarrista scalço com cara índio stivss colocando nas ruas, s Salvador, uma nova rvolução musical qu mudaria para smpr o mrcado do ntrtnimnto no país. Su nom ra Luiz Caldas, a novida lvava o título "Fricot". Conhcida plos vrsos "Nêga do cablo duro, qu não gosta pntar...", a faixa qu é consirada oficialmnt o marco zro do axé music foi lançada no disco "Magia", 1985, fz um sucsso insprado m todo o país já nos primiros mss daqul ano. "Gravamos no final 1984, logo pois viaji aos Estados Unidos para comprar discos rvnr nas rádios São Paulo. Chgui no final janiro para fvriro, o disco Luiz Caldas já ra sucsso nacional. Foi num intrvalo 30 a 60 dias qu ralmnt conquistamos o Brasil. E pla simplicida", lmbra Wsly Rangl, produtor musical dono do stúdio WR, qu s tornaria o brço todos os noms da cna axé m Salvador, Olodum a Ivt Sangalo. "As pssoas usam 'Fricot' como mblmática sss 30 anos porqu foi a música qu abriu portas para outros artistas para qu ss mrcado s transformass no qu é hoj", xplica Luiz Caldas, m ntrvista ao UOL, m sua casa, m Salvador. "Mas o mbrião do axé music nasc comigo 1978 para 1979 com a música 'Oxumalá' do disco 'Av Catano', gravado m nom do Trio Tapajós", lmbra o músico. El também cita outras produçõs próprias antriors, como "Axé pra Lua", como passos na formação st novo gênro. A faixa, uma homnagm baiana a Luiz Gonzaga, nfilira títulos músicas do Ri do Baião, cita o trmo "axé" no título inspirou o nom do Bloco Qualé? por causa su rfrão. "Luiz Caldas consguiu fazr a sínts l um novo tipo música qu stava surgindo, qu a gnt chamava ti-ti-ti, boch, fricot", rvla ao UOL Danila Mrcury, fazndo rfrência à lvada caribnha no contratmpo qu unia os univrsos dos blocos afro dos trios létricos aproximava as duas mtas do Carnaval Salvador. Com 400 mil cópias "Magia" vndidas m todo o país a prsnça constant Luiz Caldas da cantora Sarajan no programa do Chacrinha, na Globo, naqul ano, o Brasil prcbu qu havia algo difrnt acontcndo no Carnaval baiano. As raízs do axé music pom sr ncontradas no início dos anos 50, quando Dodô Osmar rsolvm usar suas noçõs létrica para invntar uma nova forma pular Carnaval m Salvador. Inspirados nas charangas do Carnaval prnambucano, ltrificaram um cavaquinho um violão (batizando-os "pau létrico") subiram m um vlho Ford Bigo (qu ficou conhcido plo aplido "Fobica") para tocar frvos qu, na vrsão prnambucana, ram xcutados por mtais. TELEVISÃO A tlvisão stá no mu sangu, diz Gugu Librato Faltam apnas 20 dias. Gugu Librato stá volta stria su novo programa no dia 25 fvriro. O rtorno do aprsntador à gra da missora acontc um ano mio após sua saída. Sobr o príodo long da tlinha, l fala sm arrpndimntos. "Aproviti para fazr o qu u tinha vonta: viajar o mundo todo", garant Gugu. "Trabalhi a vida toda aos sábados domingos, nunca tinha tido a oportunida fazr as grans viagns qu u quria", xplica. Foram mss dicados a si msmo à família com passagns por lugars como as Maldivas, a África a Finlândia - ssa última m busca da aurora boral, conta. À frnt do Gugu, l volta para a Rcord às 22h30 das sgundas, quartas sxtas. Mas, s pnss da missora, o aprsntador comandaria todas as noits da smana. "Ess rtorno ao horário nobr é um safio qu u stou gostando nfrntar. Sou movido a safios. Prfri fazr três vzs apnas... São sis horas por smana, o pssoal vai njoar mim", diz. Para a atração, promt uma rlitura dos mlhors quadros sua carrira, mas acrscnta uma nova facta. "O jornalismo é pça fundamntal nss novo trabalho", rssalta. Como su programa só é sguido por um jornal no dia sguint, l srá o rsponsávl por dar as notícias qu acontcrm no horário, com dirito à quip plantão. Apsar do lado informativo, Gugu continuará contando com a prsnça cantors, convidados com os tradicionais gams. O fôlgo para a volta é gran a crtza qu a carrira tv apnas uma brv pausa parc acompanhá-lo nss novo início. "Gosti muito ss último ano não m arrpndo, mas a tlvisão stá no mu sangu. Faço isso s os 14 anos ida, stá no mu DNA", complta. Lo Franco Raphal Castllo / AgNws no sbt Após ntrvistar Rick, Domingo Lgal rcb Rnnr ao vivo Divulgação Após ntrvistar o cantor Rick na smana passada, agora o "Domingo Lgal" abrirá spaço para Rnnr dar sua vrsão sobr o fim da dupla srtanjo. Nst domingo (08), Clso Portiolli rcb Rnnr ao vivo no palco. El promt abrir o coração falar sobr como stá sua vida após s sparar Rick. No último "Domingo Lgal", Rick chorou ao falar sobr o acint m qu o amigo s nvolvu. Eu fiqui muito rvoltado, porqu a gnt tinha convrsado, u tnho crtza qu s o Rnnr stivr m vndo agora l sab do qu u stou falando, diss. No dia 26 zmbro, Rnnr batu o carro m São Paulo acabou tido. O cantor dirigia uma BMW X5 colidiu contra a trasira outro carro, um Fiat Uno, qu ficou prnsado contra um post. Rnnr ralizou o tst do bafômtro, on foi constatado três vzs mais álcool no sangu qu o prmitido. El foi para o 27º Distrito Policial lá concu ntrvistas para missoras TV com ironias visivlmnt mbriagado. Foi librado após pagar fiança. Rnnr vai participar do Domingo Lgal Estou muito fliz m voltar para a Rcord com um gran safio. Estari ao vivo nas noits trça, quarta quinta, smpr ao vivo, a partir das 22h30. Sgundo Gugu, a atração contará com ntrvistas, gams, músicas comptiçõs por prêmios. O dirtor-artístico, Marclo Silva, falou ainda novidas na tldramaturgia. Nst ano, a missora xibirá os capítulos finais Vitória, o final da tmporada Milagrs Jsus, a séri Na Mira do Crim mais um Conslho Tutlar. O dirtor comntou ainda sobr Os Dz Mandamntos, qu trará no lnco Sérgio Maron, Guilhrm Wintr Gisll Itié. É a ralização um gran sonho. Essa srá a primira novla do mundo basada m uma história da Bíblia. O jornalismo também contará com novidas. O Domingo Esptacular aprsntará um quadro com os 10 Grans Mistérios da História da Humanida. Durant o vnto, também foram anunciadas as novas tmporadas O Aprndiz Clbridas A Faznda. O canal também contará com a stria do rality show Powr Coupl, sobr o mundo dos casais. Ainda nst ano 2015, Buddy Valastro irá comandar uma vrsão nacional, m parcria com a Enmol Brasil, do rality Cak Boss. Na coltiva imprnsa, o confitiro falou do projto. Vamos procurar talntos no Brasil. O vncdor srá mu sócio irá administrar mu stablcimnto m São Paulo. No final do ncontro, o dirtor Marclo Silva comntou sobr os burburinhos da contratação Xuxa. Fali com la ontm não achamos justo aprsntá-la no vnto hoj, sm a prsnça la. Portanto, s chgarmos aos trmos crtos, starmos juntos anunciando a novida.

Encontro na casa de Dona Altina

Encontro na casa de Dona Altina Ano 1 Lagdo, Domingo, 29 d junho d 2014 N o 2 Encontro na casa d Dona Altina Na última visita dos studants da UFMG não foi possívl fazr a runião sobr a água. Houv um ncontro com a Associação Quilombola,

Leia mais

Datas das próximas viagens da UFMG. Sondagem do solo em Lagedo e Riacho

Datas das próximas viagens da UFMG. Sondagem do solo em Lagedo e Riacho Ano 2 Lagdo, Domingo, 31 d maio d 2015 N o 12 Datas das próximas viagns da UFMG Data Casa 12 29 d maio a 31 d maio d 2015 Alcion/Paulo 13 26 d junho a 28 d junho d 2015 Gralda/Antônio 14 24 d julho a 26

Leia mais

Alunos dos 1 anos participam de concurso de exposições sobre Inovação e Sustentabilidade na Agropecuária

Alunos dos 1 anos participam de concurso de exposições sobre Inovação e Sustentabilidade na Agropecuária Alunos dos 1 anos participam concurso xposiçõs sobr Inovação Sustntabilida na Agropcuária Na última trçafira, 23 junho, as turmas Curso 1 anos Técnico do m Agropcuária participaram do concurso xposiçõs

Leia mais

Prefeito Tatu e vereadores vão a São Paulo em busca de Cursos Profissionalizantes para Maracaí

Prefeito Tatu e vereadores vão a São Paulo em busca de Cursos Profissionalizantes para Maracaí 01 Prfito Tatu vradors vão a São Paulo m busca d Cursos Profissionalizants para Maracaí Ontm (06/03) o prfito Eduardo Corra Sotana (Tatu), o Dputado Estadual Mauro Bragato, os vradors Edivaldo Rodrigus

Leia mais

Atitudes Sociolinguísticas em cidades de fronteira: o caso de Bernardo de Irigoyen. Célia Niescoriuk Grad/UEPG. Valeska Gracioso Carlos UEPG.

Atitudes Sociolinguísticas em cidades de fronteira: o caso de Bernardo de Irigoyen. Célia Niescoriuk Grad/UEPG. Valeska Gracioso Carlos UEPG. Atituds Sociolinguísticas m cidads d frontira: o caso d Brnardo d Irigoyn. Célia Niscoriuk Grad/UEPG. Valska Gracioso Carlos UEPG. 1. Introdução: O Brasil Argntina fazm frontira m crca d 1240 km dsd sua

Leia mais

2. NOME DO CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DAS RELAÇÕES HUMANAS NA ORGANIZAÇÃO

2. NOME DO CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DAS RELAÇÕES HUMANAS NA ORGANIZAÇÃO 1. ÁREA DO CONHECIMENTO CIÊNCIAS HUMANAS: PSICOLOGIA 2. NOME DO CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DAS RELAÇÕES HUMANAS NA ORGANIZAÇÃO 3. JUSTIFICATIVA: Prspctivas no Mrcado Amazonns: A cidad d Manaus possui

Leia mais

INSTRUÇÕES. Os formadores deverão reunir pelo menos um dos seguintes requisitos:

INSTRUÇÕES. Os formadores deverão reunir pelo menos um dos seguintes requisitos: INSTRUÇÕES Estas instruçõs srvm d orintação para o trino das atividads planadas no projto Europu Uptak_ICT2lifcycl: digital litracy and inclusion to larnrs with disadvantagd background. Dvrão sr usadas

Leia mais

Rio Grande do Norte terá maior oferta de energia eólica em leilão Agência Estado 17/04/2015

Rio Grande do Norte terá maior oferta de energia eólica em leilão Agência Estado 17/04/2015 www.lmntos.com.br du dilignc slção d arogradors inspçõs d fábricas ngnharia do propritário projtos solars ntr outros 17 d abril d 2015 Sxta-Fira - # 1.528 Rio Grand do Nort trá maior ofrta d nrgia ólica

Leia mais

Origem dos Jogos Olímpicos

Origem dos Jogos Olímpicos Natal, RN / /04 ALUNO: Nº SÉRIE/ANO: TURMA: TURNO: DISCIPLINA: TIPO DE ATIVIDADE: Profssor: TESTE º Trimstr º M INSTRUÇÕES: Vrifiqu s sua avaliação contém 6 qustõs ( objtivas 04 discursivas). Caso haja

Leia mais

A VARIAÇÃO ENTRE PERDA & PERCA: UM CASO DE MUDANÇA LINGUÍSTICA EM CURSO?

A VARIAÇÃO ENTRE PERDA & PERCA: UM CASO DE MUDANÇA LINGUÍSTICA EM CURSO? A VARIAÇÃO ENTRE PERDA & PERCA: UM CASO DE MUDANÇA LINGUÍSTICA EM CURSO? Luís Augusto Chavs Frir, UNIOESTE 01. Introdução. Esta é uma psquisa introdutória qu foi concrtizada como um studo piloto d campo,

Leia mais

Em cada ciclo, o sistema retorna ao estado inicial: U = 0. Então, quantidade de energia W, cedida, por trabalho, à vizinhança, pode ser escrita:

Em cada ciclo, o sistema retorna ao estado inicial: U = 0. Então, quantidade de energia W, cedida, por trabalho, à vizinhança, pode ser escrita: Máquinas Térmicas Para qu um dado sistma raliz um procsso cíclico no qual rtira crta quantidad d nrgia, por calor, d um rsrvatório térmico cd, por trabalho, outra quantidad d nrgia à vizinhança, são ncssários

Leia mais

OFICINA 9-2ºSementre / MATEMÁTICA 3ª SÉRIE / QUESTÕES TIPENEM Professores: Edu Vicente / Gabriela / Ulício

OFICINA 9-2ºSementre / MATEMÁTICA 3ª SÉRIE / QUESTÕES TIPENEM Professores: Edu Vicente / Gabriela / Ulício OFICINA 9-2ºSmntr / MATEMÁTICA 3ª SÉRIE / QUESTÕES TIPENEM Profssors: Edu Vicnt / Gabrila / Ulício 1. (Enm 2012) As curvas d ofrta d dmanda d um produto rprsntam, rspctivamnt, as quantidads qu vnddors

Leia mais

PSICROMETRIA 1. É a quantificação do vapor d água no ar de um ambiente, aberto ou fechado.

PSICROMETRIA 1. É a quantificação do vapor d água no ar de um ambiente, aberto ou fechado. PSICROMETRIA 1 1. O QUE É? É a quantificação do vapor d água no ar d um ambint, abrto ou fchado. 2. PARA QUE SERVE? A importância da quantificação da umidad atmosférica pod sr prcbida quando s qur, dntr

Leia mais

Desse modo, podemos dizer que as forças que atuam sobre a partícula que forma o pêndulo simples são P 1, P 2 e T.

Desse modo, podemos dizer que as forças que atuam sobre a partícula que forma o pêndulo simples são P 1, P 2 e T. Pêndulo Simpls Um corpo suspnso por um fio, afastado da posição d quilíbrio sobr a linha vrtical qu passa plo ponto d suspnsão, abandonado, oscila. O corpo o fio formam o objto qu chamamos d pêndulo. Vamos

Leia mais

Datas das próximas viagens da UFMG. Encontro na sede da Associação Comunitária de Lagedo

Datas das próximas viagens da UFMG. Encontro na sede da Associação Comunitária de Lagedo Ano 2 Lagdo, Domingo, 29 d março d 2015 N o 10 Datas das próximas viagns da UFMG Data Casa 10 27 d março a 29 d março d 2015 Altina Encontro na sd da Associação Comunitária d Lagdo Runião com moradors

Leia mais

Planejamento de capacidade

Planejamento de capacidade Administração da Produção Opraçõs II Planjamnto d capacidad Planjamnto d capacidad Planjamnto d capacidad é uma atividad crítica dsnvolvida parallamnt ao planjamnto d matriais a) Capacidad insuficint lva

Leia mais

2 Mbps (2.048 kbps) Telepac/Sapo, Clixgest/Novis e TV Cabo; 512 kbps Cabovisão e OniTelecom. 128 kbps Telepac/Sapo, TV Cabo, Cabovisão e OniTelecom.

2 Mbps (2.048 kbps) Telepac/Sapo, Clixgest/Novis e TV Cabo; 512 kbps Cabovisão e OniTelecom. 128 kbps Telepac/Sapo, TV Cabo, Cabovisão e OniTelecom. 4 CONCLUSÕES Os Indicadors d Rndimnto avaliados nst studo, têm como objctivo a mdição d parâmtros numa situação d acsso a uma qualqur ára na Intrnt. A anális dsts indicadors, nomadamnt Vlocidads d Download

Leia mais

APONTAMENTOS PRÁTICOS PARA OFICIAIS DE JUSTIÇA

APONTAMENTOS PRÁTICOS PARA OFICIAIS DE JUSTIÇA ESQUEMA PRÁTICO ) Prazo Máximo Duração do Inquérito 2) Prazo Máximo Duração do Sgrdo d Justiça 3) Prazo Máximo Duração do Sgrdo d Justiça quando stivr m causa a criminalidad rfrida nas al.ªs i) a m) do

Leia mais

As Abordagens do Lean Seis Sigma

As Abordagens do Lean Seis Sigma As Abordagns do Lan Sis Julho/2010 Por: Márcio Abraham (mabraham@stcnt..br) Dirtor Prsidnt Doutor m Engnharia d Produção pla Escola Politécnica da Univrsidad d São Paulo, ond lcionou por 10 anos. Mastr

Leia mais

Residência para coletivos na Casa do Povo. Cole tivo

Residência para coletivos na Casa do Povo. Cole tivo Rsidência para coltivos na Casa do Povo Chamada abrta tativo - Rsidência para coltivos na Casa do Povo Há mais d 60 anos, a Casa do Povo atua como lugar d mmória cntro cultural m sintonia com o pnsamnto

Leia mais

INEC ESPECIALIZAÇÃO EM : GERÊNCIA CONTÁBIL, FINANCEIRA E AUDITORIA TURMA III. Lins - SP - 2012 2º Dia : 20 de Outubro.

INEC ESPECIALIZAÇÃO EM : GERÊNCIA CONTÁBIL, FINANCEIRA E AUDITORIA TURMA III. Lins - SP - 2012 2º Dia : 20 de Outubro. INEC AUDITRIA Prof. CLAUDECIR PATN ESPECIALIZAÇÃ EM : GERÊNCIA CNTÁBIL, FINANCEIRA E AUDITRIA TURMA III 1 Lins - SP - 2012 2º Dia : 20 utubro. CNTRLE - Concitos; - Auditoria Control Intrno; - Importância

Leia mais

NOTA SOBRE INDETERMINAÇÕES

NOTA SOBRE INDETERMINAÇÕES NOTA SOBRE INDETERMINAÇÕES HÉLIO BERNARDO LOPES Rsumo. Em domínios divrsos da Matmática, como por igual nas suas aplicaçõs, surgm com alguma frquência indtrminaçõs, d tipos divrsos, no cálculo d its, sja

Leia mais

A prova tem como referência o Programa de PRÁTICAS DE CONTABILIDADE E GESTÃO do 12º Ano de Escolaridade.

A prova tem como referência o Programa de PRÁTICAS DE CONTABILIDADE E GESTÃO do 12º Ano de Escolaridade. Informação - Prova Equivalência à Frquência Práticas Contabilida Gstão Prova Equivalência à Frquência Práticas Contabilida Gstão Duração da prova: 120 minutos / 24.06.2013 12º Ano Escolarida Curso Tcnológico

Leia mais

Tabela 1 - Índice de volume de vendas no comércio varejista (Número índice)

Tabela 1 - Índice de volume de vendas no comércio varejista (Número índice) PESQUISA MENSAL DO COMÉRCIO JULHO DE 2012 A psquisa mnsal do comércio, ralizada plo IBGE, rgistrou um crscimnto positivo d 1,36% no comparativo com o mês d julho d 2012 para o volum d vndas varjista. Podmos

Leia mais

OAB 1ª FASE RETA FINAL Disciplina: Direito Administrativo MATERIAL DE APOIO

OAB 1ª FASE RETA FINAL Disciplina: Direito Administrativo MATERIAL DE APOIO I. PRINCÍPIOS: 1. Suprmacia do Intrss Público sobr o Particular Em sndo a finalidad única do Estado o bm comum, m um vntual confronto ntr um intrss individual o intrss coltivo dv prvalcr o sgundo. 2. Indisponibilidad

Leia mais

Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade em Software PBQPS - Ciclo 2005. Encontro da Qualidade e Produtividade em Software RECIFE

Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade em Software PBQPS - Ciclo 2005. Encontro da Qualidade e Produtividade em Software RECIFE Programa Brasiliro da Qualida Produtivida m Softwar PBQPS - Ciclo 2005 Encontro da Qualida Produtivida m Softwar RECIFE Data: 26 27 stmbro 2005 Local: Hotl Villa Rica Promoção: Ministério da Ciência Tcnologia

Leia mais

Emerson Marcos Furtado

Emerson Marcos Furtado Emrson Marcos Furtado Mstr m Métodos Numéricos pla Univrsidad Fdral do Paraná (UFPR). Graduado m Matmática pla UFPR. Profssor do Ensino Médio nos stados do Paraná Santa Catarina dsd 1992. Profssor do Curso

Leia mais

O DESAFIO DE ZERAR UM DÉFICIT D 40 ANOS, RECUPERAR A CAPACIDADE DE INVESTIMENTO E MODERNIZAR A GESTÃO

O DESAFIO DE ZERAR UM DÉFICIT D 40 ANOS, RECUPERAR A CAPACIDADE DE INVESTIMENTO E MODERNIZAR A GESTÃO 9 CONGRESSO INTERNACIONAL DA QUALIDADE E COMPETITIVIDADE FIERGS POA/RS O DESAFIO DE ZERAR UM DÉFICIT D DE 40 ANOS, RECUPERAR A CAPACIDADE DE INVESTIMENTO E MODERNIZAR A GESTÃO Aod Cunha d Moras Junior

Leia mais

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DO TRABALHO TÉCNICO SOCIAL Dezembro/2010

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DO TRABALHO TÉCNICO SOCIAL Dezembro/2010 [Digit txto] 1 IDENTIFICAÇÃO RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DO TRABALHO TÉCNICO SOCIAL Dzmbro/2010 Programa: Opraçõs Coltivas Contrato CAIXA nº: 0233.389.09/2007 Ação/Modalidad: Construção d unidad habitacional

Leia mais

Jornal dos alunos do Ensino médio E.E.F.M Estado do ParáFortaleza-CE janeiro de 2010 Nº 001. Gazeta. www.gazetaep.com.br

Jornal dos alunos do Ensino médio E.E.F.M Estado do ParáFortaleza-CE janeiro de 2010 Nº 001. Gazeta. www.gazetaep.com.br Jornal dos alunos do Ensino mdio E.E.F.M Estado do ParáFortalza-CE janiro 2010 Nº 001 EP Gazta FUNDADOR ESTADO DO PARÁ www.gaztap.com.br Alunos scola Estado do Pará passaram na 1º fas UFC Três alunos scola

Leia mais

MÓDULO 4 4.8.1 - PROCEDIMENTOS DE TESTES DE ESTANQUEIDADE PARA LINHAS DE ÁGUA, ESGOTO E OUTROS LÍQUIDOS

MÓDULO 4 4.8.1 - PROCEDIMENTOS DE TESTES DE ESTANQUEIDADE PARA LINHAS DE ÁGUA, ESGOTO E OUTROS LÍQUIDOS MÓDULO 4 4.8.1 - PROCEDIMENTOS DE TESTES DE ESTANQUEIDADE PARA LINHAS DE ÁGUA, ESGOTO E OUTROS LÍQUIDOS Normas Aplicávis - NBR 15.950 Sistmas para Distribuição d Água Esgoto sob prssão Tubos d politilno

Leia mais

QUE ESPANHOL É ESSE? Mariano Jeferson Teixeira (Grad /UEPG) Valeska Gracioso Carlos (UEPG)

QUE ESPANHOL É ESSE? Mariano Jeferson Teixeira (Grad /UEPG) Valeska Gracioso Carlos (UEPG) Congrsso Intrnacional d Profssors d Línguas Oficiais do MERCOSUL QUE ESPANHOL É ESSE? Mariano Jfrson Tixira (Grad /UEPG) Valska Gracioso Carlos (UEPG) 1. Introdução Graças á rgulamntaçõs impostas por acordos

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: CURRÍCULO DE PEDAGOGIA, FORMAÇÃO,EDUCAÇÃO INFANTIL, IDENTIDADE PROFISSIONAL

PALAVRAS-CHAVE: CURRÍCULO DE PEDAGOGIA, FORMAÇÃO,EDUCAÇÃO INFANTIL, IDENTIDADE PROFISSIONAL Govrno do Estado do Rio Grand do Nort Scrtariado d Estado da Educação Cultura - SEEC UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE - UERN Pró-Ritoria d Psquisa Pós-Graduação PROPEG Dpartamnto d Psquisa

Leia mais

A Estranha Arquitetura Política para aprovar o PL 4302/98 que trai os interesses dos Trabalhadores

A Estranha Arquitetura Política para aprovar o PL 4302/98 que trai os interesses dos Trabalhadores - Grência Rgional do Trabalho Emprgo d Santos - Rconhcido pla Portaria Nº 556-MTE-DRTSP d 11 d Dzmbro d 2003 1 A Estranha Arquittura Política para aprovar o PL 4302/98 qu trai os intrsss dos Trabalhadors

Leia mais

A ferramenta de planeamento multi

A ferramenta de planeamento multi A frramnta d planamnto multi mdia PLANVIEW TELEVISÃO Brv Aprsntação Softwar d planamnto qu s basia nas audiências d um príodo passado para prvr asaudiências d um príodo futuro Avrsatilidad afacilidad d

Leia mais

A IMPLEMENTAÇÃO DA LÍNGUA ESPANHOLA NAS ESCOLAS DE SERGIPE. A presença da língua espanhola no Nordeste e o caso de Sergipe

A IMPLEMENTAÇÃO DA LÍNGUA ESPANHOLA NAS ESCOLAS DE SERGIPE. A presença da língua espanhola no Nordeste e o caso de Sergipe Congrsso Intrnacional d Profssors d Línguas Oficiais do MERCOSUL A IMPLEMENTAÇÃO DA LÍNGUA ESPANHOLA NAS ESCOLAS DE SERGIPE Doris Cristina Vicnt da Silva Matos (UFS) Considraçõs iniciais Chgamos a 2010,

Leia mais

3 Proposição de fórmula

3 Proposição de fórmula 3 Proposição fórmula A substituição os inos plos juros sobr capital próprio po sr um important instrumnto planjamnto tributário, sno uma rução lgal a tributação sobr o lucro. Nos últimos anos, a utilização

Leia mais

Modelo de Oferta e Demanda Agregada (OA-DA)

Modelo de Oferta e Demanda Agregada (OA-DA) Modlo d Ofrta Dmanda Agrgada (OA-DA) Lops Vasconcllos (2008), capítulo 7 Dornbusch, Fischr Startz (2008), capítulos 5 6 Blanchard (2004), capítulo 7 O modlo OA-DA xamina as condiçõs d quilíbrio dos mrcados

Leia mais

PROVA DE MATEMÁTICA APLICADA VESTIBULAR 2013 - FGV CURSO DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia C. Gouveia

PROVA DE MATEMÁTICA APLICADA VESTIBULAR 2013 - FGV CURSO DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia C. Gouveia PROVA DE MATEMÁTICA APLICADA VESTIBULAR 013 - FGV CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Profa. Maria Antônia C. Gouvia 1. A Editora Progrsso dcidiu promovr o lançamnto do livro Dscobrindo o Pantanal m uma Fira Intrnacional

Leia mais

ALTERAÇÃO Nº 8 tudo até 31 de Agosto de 2007. Diplomas alterados

ALTERAÇÃO Nº 8 tudo até 31 de Agosto de 2007. Diplomas alterados ALTERAÇÃO Nº 8 tudo até 31 d Agosto d 2007 Diplomas altrados CAPÍTULO I Disposiçõs grais Administração local autárquica (A) Municípios Frgusias Dcrto-Li n.º 17/2007, d 22 d Janiro, qu criou o rgim xcpcional

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA ESCOLA SECUNDÁRIA/3 RAINHA SANTA ISABEL 402643 ESTREMOZ PLANIFICAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA ESCOLA SECUNDÁRIA/3 RAINHA SANTA ISABEL 402643 ESTREMOZ PLANIFICAÇÃO PLANIFICAÇÃO ANO LETIVO 2015/2016 Ano 12º Ano DISCIPLINA: Docnt HISTÓRIA A Carlos Eduardo da Cruz Luna Contúdos Comptências Espcíficas Estratégias RECURSOS Módulo 7 Criss, Embats Iológicos Mutaçõs Culturais

Leia mais

NR-35 TRABALHO EM ALTURA

NR-35 TRABALHO EM ALTURA Sgurança Saúd do Trabalho ao su alcanc! NR-35 TRABALHO EM ALTURA PREVENÇÃO Esta é a palavra do dia. TODOS OS DIAS! PRECAUÇÃO: Ato ou fito d prvnir ou d s prvnir; A ação d vitar ou diminuir os riscos através

Leia mais

6. Moeda, Preços e Taxa de Câmbio no Longo Prazo

6. Moeda, Preços e Taxa de Câmbio no Longo Prazo 6. Moda, Prços Taxa d Câmbio no Longo Prazo 6. Moda, Prços Taxa d Câmbio no Longo Prazo 6.1. Introdução 6.3. Taxas d Câmbio ominais Rais 6.4. O Princípio da Paridad dos Podrs d Compra Burda & Wyplosz,

Leia mais

4.1 Método das Aproximações Sucessivas ou Método de Iteração Linear (MIL)

4.1 Método das Aproximações Sucessivas ou Método de Iteração Linear (MIL) 4. Método das Aproimaçõs Sucssivas ou Método d Itração Linar MIL O método da itração linar é um procsso itrativo qu aprsnta vantagns dsvantagns m rlação ao método da bisscção. Sja uma função f contínua

Leia mais

Criação, Design e Implementação de Soluções Educacionais Corporativas. www.braune.com.br

Criação, Design e Implementação de Soluções Educacionais Corporativas. www.braune.com.br Criação, Dsign Implmntação Soluçõs Eucacionais Corporativas www.braun.com.br QUEM SOMOS Somos uma mprsa xclência na art ucar gstors-lírs organizaçõs com foco m aspctos o comportamnto humano no ambint organizacional.

Leia mais

Florianópolis, 09 de abril de 1998. PORTARIA Nº 0173/GR/98.

Florianópolis, 09 de abril de 1998. PORTARIA Nº 0173/GR/98. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA GABINETE DO REITOR PORTARIAS Florianópolis, 09 d abril d 1998 PORTARIA Nº 0173/GR/98 O Ritor da Univrsidad Fdral d Santa Catarina, no uso d suas atribuiçõs statutárias

Leia mais

MATRIZ DA PROVA DE EXAME A NÍVEL DE ESCOLA HISTÓRIA B 10º ANO

MATRIZ DA PROVA DE EXAME A NÍVEL DE ESCOLA HISTÓRIA B 10º ANO MATRIZ DA PROVA DE EXAME A NÍVEL DE ESCOLA AO ABRIGO DO DECRETO-LEI Nº 357/2007, DE 29 DE OUTUBRO (Duração: 90 minutos + 30 minutos d tolrância) HISTÓRIA B 10º ANO (Cursos Cintífico-Humanísticos Dcrto-Li

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS E ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA NA REGIÃO DE LONDRINA: DESAFIOS PARA SUA IMPLEMENTAÇÃO

POLÍTICAS PÚBLICAS E ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA NA REGIÃO DE LONDRINA: DESAFIOS PARA SUA IMPLEMENTAÇÃO Congrsso Intrnacional d Profssors d Línguas Oficiais do MERCOSUL POLÍTICAS PÚBLICAS E ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA NA REGIÃO DE LONDRINA: DESAFIOS PARA SUA IMPLEMENTAÇÃO Catya Marqus Agostinho

Leia mais

AUTO CENTRAGEM DA PLACA DE RETENÇÃO DE UMA MÁQUINA DE PISTÕES AXIAIS TIPO SWASHPLATE. azevedoglauco@unifei.edu.br

AUTO CENTRAGEM DA PLACA DE RETENÇÃO DE UMA MÁQUINA DE PISTÕES AXIAIS TIPO SWASHPLATE. azevedoglauco@unifei.edu.br AUTO CENTRAGEM DA PLACA DE RETENÇÃO DE UMA MÁQUINA DE PISTÕES AXIAIS TIPO SWASHPLATE Glauco José Rodrigus d Azvdo 1, João Zangrandi Filho 1 Univrsidad Fdral d Itajubá/Mcânica, Av. BPS, 1303 Itajubá-MG,

Leia mais

MANUAL DE APOSENTADORIA E ABONO PERMANÊNCIA INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE GARANHUNS IPSG

MANUAL DE APOSENTADORIA E ABONO PERMANÊNCIA INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE GARANHUNS IPSG MANUAL DE APOSENTADORIA E ABONO PERMANÊNCIA INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE GARANHUNS IPSG SUMÁRIO PARTE I BENEFÍCIO DE APOSENTADORIA 1 - NOÇÕES SOBRE O BENEFÍCIO PREVIDENCIÁRIO

Leia mais

Streptococcus mutans, mas podem me

Streptococcus mutans, mas podem me Estação Saída Estação 1 - Olá moçada!! Mu nom é Strptococcus mutans, mas podm m chamar d Sr. Mutans. Vocês nm imaginam, mas u stou prsnt m uma part muito important do su corpo: a cavidad bucal!! Eu sou

Leia mais

Empresa Elétrica Bragantina S.A

Empresa Elétrica Bragantina S.A Emprsa Elétrica Bragantina S.A Programa Anual d Psquisa Dsnvolvimnto - P&D Ciclo 2006-2007 COMUNICADO 002/2007 A Emprsa Elétrica Bragantina S.A, concssionária d srviço público d distribuição d nrgia létrica,

Leia mais

Criando Valor para o Negócio com a Solução SAP para Gestão de Capital Humano

Criando Valor para o Negócio com a Solução SAP para Gestão de Capital Humano Crian Valor o Ngócio a SAP Gstão Capital Hno Grans Grans Dsafi Dsafi na na Gstão Gstão Rcurs Rcurs Hn Hn Gstão Talnt Gstão Talnt Atrair rtr o talnto quan o mrca é Atrair Atrair Atrair rtr rtr rtr talnto

Leia mais

Atividades desenvolvidas pela secretaria da Agricultura Fomento Agropecuário e Meio Ambiente durante o ano de 2009.

Atividades desenvolvidas pela secretaria da Agricultura Fomento Agropecuário e Meio Ambiente durante o ano de 2009. Ativis snvolvis pla scrtaria Agricultura Fomnto Agropcuário Mio Ambint durant o ano 2009. Locação um imóvl: Com a locação do novo spaço para funcionamnto Scrtaria Agricultura, EPAGRI microbacia, o spaço

Leia mais

PRINCÍPIOS E INSTRUÇÕES RELATIVOS ÀS OPERAÇÕES DE CERTIFICADOS DE OPERAÇÕES ESTRUTURADAS (COE) Versão: 27/08/2014 Atualizado em: 27/08/2014

PRINCÍPIOS E INSTRUÇÕES RELATIVOS ÀS OPERAÇÕES DE CERTIFICADOS DE OPERAÇÕES ESTRUTURADAS (COE) Versão: 27/08/2014 Atualizado em: 27/08/2014 F i n a l i d a d O r i n t a r o u s u á r i o p a r a q u s t o b t PRINCÍPIOS E INSTRUÇÕES RELATIVOS ÀS OPERAÇÕES DE CERTIFICADOS DE OPERAÇÕES ESTRUTURADAS (COE) Vrsão: 27/08/2014 Atualizado m: 27/08/2014

Leia mais

Newsletter Biblioteca Escolar Carlos Cécio e Centro Escolar de Santa Margarida

Newsletter Biblioteca Escolar Carlos Cécio e Centro Escolar de Santa Margarida página 1 Acontcu... Concurso Conclhio d Litura Era uma vz... É assim qu comçam as histórias... Esta história comçou há crca d três anos numa bibliotca scolar, ond dznas d livros, arrumadinhos m stants,

Leia mais

Caros padrinhos, amigos & parceiros,

Caros padrinhos, amigos & parceiros, Caros padrinhos, amigos & parciros, Contato Est ano 2011 foi um ano muitas conquistas muitos rsultados significativos. Além trmos consguido chgar a final um prêmio nacional, o prêmio Itaú Unicf 2011, passamos

Leia mais

Melhoria contínua da qualidade do ensino

Melhoria contínua da qualidade do ensino 1. OBJETIVO Est procdimnto visa normalizar as ativis snvolvis no âmbito mlhoria contínua quali do nsino dos cursos ministrados na Escola Naval (EN). 2. CAMPO DE APLICAÇÃO O prsnt procdimnto é aplicávl

Leia mais

PROJETO DE EDUCAÇÃO AFETIVO - SEXUAL E REPRODUTIVA

PROJETO DE EDUCAÇÃO AFETIVO - SEXUAL E REPRODUTIVA PROJETO DE EDUCAÇÃO AFETIVO - SEXUAL E REPRODUTIVA Tma: Sxualidad rlaçõs intrpssoais 1º Ano- EB1/JI DE VELAS Turma 2 Formas d Rcursos Atividads Objtivos Contúdos organização/ (humanos (por disciplina)

Leia mais

Estado da arte do software de mineração e o impacto nas melhores práticas de planejamento de lavra

Estado da arte do software de mineração e o impacto nas melhores práticas de planejamento de lavra Estado da art do softwar d minração o impacto nas mlhors práticas d planjamnto d lavra Prof. Dr. Giorgio d Tomi Profssor Associado, Dpto. Engnharia d Minas d Ptrólo da EPUSP Dirtor d Opraçõs, Dvx Tcnologia

Leia mais

Apresentação Institucional e Estratégia. Março de 2015

Apresentação Institucional e Estratégia. Março de 2015 Aprsntação Institucional Estratégia Março 2015 História História A Dot.Lib é uma mprsa brasilira dicada à dissminação da informação cintífica através do acsso onlin a livros digitais, priódicos ltrônicos

Leia mais

PARECER HOMOLOGADO(*)

PARECER HOMOLOGADO(*) PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Dspacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União d 17/07/2003 (*) Portaria/MEC nº 1.883, publicada no Diário Oficial da União d 17/07/2003 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO

Leia mais

Tabela de Tarifas. Pessoa Física. Divulgada em 01/08/2013 Vigência a partir de: 01/09/2013. sicoobes.com.br

Tabela de Tarifas. Pessoa Física. Divulgada em 01/08/2013 Vigência a partir de: 01/09/2013. sicoobes.com.br Tabla d Tarifas Pssoa Física Divulgada m 01/08/013 Vigência a partir d: 01/09/013 Rlação dos srviços tarifados rspctivos valors vignts. Os valors máximos foram stablcidos pla Cooprativa, obsrvada a rsolução

Leia mais

O que são dados categóricos?

O que são dados categóricos? Objtivos: Dscrição d dados catgóricos por tablas gráficos Tst qui-quadrado d adrência Tst qui-quadrado d indpndência Tst qui-quadrado d homognidad O qu são dados catgóricos? São dados dcorrnts da obsrvação

Leia mais

ENGENHARIA DE MANUTENÇÃO. Marcelo Sucena

ENGENHARIA DE MANUTENÇÃO. Marcelo Sucena ENGENHARIA DE MANUTENÇÃO Marclo Sucna http://www.sucna.ng.br msucna@cntral.rj.gov.br / marclo@sucna.ng.br ABR/2008 MÓDULO 1 A VISÃO SISTÊMICA DO TRANSPORTE s A anális dos subsistmas sus componnts é tão

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Prsidnt da Rpública Luiz Inácio Lula da Silva Ministro do Planjamnto, Orçamnto Gstão Paulo Brnardo Silva INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Prsidnt Eduardo Prira Nuns Dirtor-Excutivo

Leia mais

PROJETO CONFECÇÃO DE SACOLAS E CAIXAS ARTESANAIS. Rua Hibiscos nº 86 Bairro Regina Belo Horizonte MG (031)33853893 85214283 valeriamelo@pop.com.

PROJETO CONFECÇÃO DE SACOLAS E CAIXAS ARTESANAIS. Rua Hibiscos nº 86 Bairro Regina Belo Horizonte MG (031)33853893 85214283 valeriamelo@pop.com. PROJETO CONFECÇÃO DE SACOLAS E CAIAS ARTESANAIS Valéria Ribiro Salgado Mlo E.E.Dr. Amaro Nvs Barrto Rua Hibiscos nº 86 Bairro Rgina Blo Horizont MG (031)33853893 85214283 valriamlo@pop.com.br A E.E. Dr.

Leia mais

P L A N I F I C A Ç Ã O A M É D I O P R A Z O

P L A N I F I C A Ç Ã O A M É D I O P R A Z O DISCIPLINA: EMRC ANO: 5º 1º PERÍODO ANO LECTIVO: 2011/2012 P L A N I F I C A Ç Ã O A M É D I O P R A Z O UNIDADE DIDÁTICA 1: Vivr juntos AULAS PREVISTAS: 12 COMPETÊNCIAS (O aluno dvrá sr capaz d:) CONTEÚDOS

Leia mais

A FERTILIDADE E A CONCEPÇÃO Introdução ao tema

A FERTILIDADE E A CONCEPÇÃO Introdução ao tema A FERTILIDADE E A CONCEPÇÃO Introdução ao tma O ciclo mnstrual tm a missão d prparar o organismo para consguir uma gravidz com êxito. O 1º dia d mnstruação corrspond ao 1º dia do ciclo mnstrual. Habitualmnt,

Leia mais

FAQ DEM/ Esta é uma. Estímulo 2012? Assim, não. Fundo. R: 1. Após tenha

FAQ DEM/ Esta é uma. Estímulo 2012? Assim, não. Fundo. R: 1. Após tenha Esta é uma Mdida só para 2012, ou vai continuar? Não stá prvisto na lgislação um príodo d vigência. Uma ntidad mprgadora com mnos d cinco (5) trabalhadors pod candidatar s ao Estímulo 2012? Sim. Nst caso,

Leia mais

TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO

TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE ALÉM PARAÍBA INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO NAIR FORTES ABU-MERHY TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO PLANEJAMENTO DO PARQUE TECNOLÓGICO 2011-2013 Tcnologia d Informação - FEAP 1 - Rlação

Leia mais

Planificação :: TIC - 8.º Ano :: 15/16

Planificação :: TIC - 8.º Ano :: 15/16 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÃO PEDRO DA COVA Escola Básica d São Pdro da Cova Planificação :: TIC - 8.º Ano :: 5/6.- Exploração d ambints computacionais Criação d um produto original d forma colaborativa

Leia mais

Planificação :: TIC - 7.º Ano :: 15/16

Planificação :: TIC - 7.º Ano :: 15/16 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÃO PEDRO DA COVA Escola Básica d São Pdro da Cova Planificação :: TIC - 7.º Ano :: 15/16 1.- A Informação, o conhcimnto o mundo das tcnologias A volução das tcnologias d informação

Leia mais

Gestão de Saúde Empresarial

Gestão de Saúde Empresarial Gstão Saú Emprsarial Uma parcria indispnsávl para a sua tranquilida As soluçõs m Gstão Saú Emprsarial do Imtp foram criadas sob mdida para garantir a saú do su capital humano. Imtp tornou-s rfrência m

Leia mais

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO (UCB) 3.1.1.1. Organização Didático-Pedagógica

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO (UCB) 3.1.1.1. Organização Didático-Pedagógica UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO (UCB) 3.1.1.1. Organização Didático-Pgógica (4) (5) Mtas Rorganizar a distribuição dos discnts. Elaborar uma Política d contratação gstão d pssoal Rvisar o Projto Pgógico. Rstruturar

Leia mais

Experiência n 2 1. Levantamento da Curva Característica da Bomba Centrífuga Radial HERO

Experiência n 2 1. Levantamento da Curva Característica da Bomba Centrífuga Radial HERO 8 Expriência n 1 Lvantamnto da Curva Caractrística da Bomba Cntrífuga Radial HERO 1. Objtivo: A prsnt xpriência tm por objtivo a familiarização do aluno com o lvantamnto d uma CCB (Curva Caractrística

Leia mais

FASE - ESCOLA 2º CICLO DO ENSINO BÁSICO

FASE - ESCOLA 2º CICLO DO ENSINO BÁSICO FASE - ESCOLA 2º CICLO DO ENSINO BÁSICO CRONOGRAMA ÍNDICE FASES DATAS APURAMENTOS LOCAL 4 alunos por scola 1. Introdução...2 1ª fas Escolas 2ª fas Distrital Até 11 d Janiro 1 ou 2 d Fvriro 2 do sxo fminino

Leia mais

EMPRESA BRASILEIRA DE TELECOMUNICAÇÕES S.A - EMBRATEL

EMPRESA BRASILEIRA DE TELECOMUNICAÇÕES S.A - EMBRATEL EMPRESA BRASILEIRA DE TELECOMUNICAÇÕES S.A - EMBRATEL PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO N o 001 - EMBRATEL 1. APLICAÇÃO Est Plano d Srviço ofrc ao usuário do Srviço d Tlfonia Fixa Comutada, a possibilidad d

Leia mais

No N r o m r a m s a?

No N r o m r a m s a? Normas? EM ALGUMA CERÂMICA... NORMAS? O qu tnho a vr com isso? VENDAS NORMAS??? O qu é isso?...um clint dixou d fchar o pdido porqu o bloco não stava dntro das NORMAS... Grnt Produção...Uma carga d Blocos

Leia mais

PLANO DE CURSO 2011. 3 aulas Data show Aulas expositivas Estudo de casos e análise de precedentes dos Tribunais Estaduais e Superiores.

PLANO DE CURSO 2011. 3 aulas Data show Aulas expositivas Estudo de casos e análise de precedentes dos Tribunais Estaduais e Superiores. Est Plano d Curso podrá sofrr altraçõs a critério do profssor / ou da Coordnação. PLANO DE CURSO 2011 DISCIPLINA: DIREITO PROCESSUAL CIVIL III Excução civil, tutlas d urgência procdimntos spciais. PROFESSOR:

Leia mais

Senado Federal maio/2008

Senado Federal maio/2008 Audiência Pública PL 213/2007 Difrnciação d Prços nas Vndas com Cartõs d Crédito José Antonio Marciano Brasília Snado Fdral maio/2008 1 Rgra d Não Sobr-pr prço - Dfinição Rgra contratual imposta plas socidads

Leia mais

Art. 1º Atualizar o Manual de Instruções Gerais (MIG) Cadastro, na forma apresentada no demonstrativo anexo.

Art. 1º Atualizar o Manual de Instruções Gerais (MIG) Cadastro, na forma apresentada no demonstrativo anexo. Atualiza o Manual d Instruçõs Grais (MIG) Cadastro. A Dirtoria Excutiva da Confdração Nacional das Cooprativas do Sicoob Ltda. Sicoob Confdração, com fulcro no art. 58 do Estatuto Social, basado na strutura

Leia mais

DELIBERAÇÃO N.º 793/2012

DELIBERAÇÃO N.º 793/2012 DELIBERAÇÃO N.º 793/2012 Parágrafo único Nos casos m qu o afastamnto s stndr por tmpo suprior ao prvisto, dsd qu autorizada sua prorrogação, fará jus, às diárias corrspondnts ao príodo prorrogado. Art.

Leia mais

Quanto mais eu escrevo, mais interessada eu fico.

Quanto mais eu escrevo, mais interessada eu fico. O futuro do Brasil Quanto mais u scrvo, mais intrssada u fico. Os manos, os dançarinos d rua, os grafitiros, pais mãs, promotors, juízs, psicólogos... todos dão vida para a história. Você tm boas fotos?

Leia mais

cargo Programa de Visitas CAC Atendimento NEWSLETTER

cargo Programa de Visitas CAC Atendimento NEWSLETTER NEWSLETTER cargo 02 2013 Para ampliar a comunicação com os usuários clints, o GRU Airport Cargo criou o novo portal www.grucargo.com.br. No sit é possívl conhcr a strutura dos armazéns, srviços disponívis,

Leia mais

e n e e A SIPAT Integrada 2012 Teófilo Otoni 07 a 11-05-2012

e n e e A SIPAT Integrada 2012 Teófilo Otoni 07 a 11-05-2012 In a n a m t a rn d Prv n çã o d A SIPAT Intgrada 2012 Tófilo Otoni 07 a 11-05-2012 ci d nt S Fnord Cmig Tófilo Otoni Projcl Engnharia Ltda. Rdl Eltrificaçõs Fundação Educacional Nordst Miniro s Gast tmpo

Leia mais

RETROSPECTIVA 2013. Frente Parlamentar

RETROSPECTIVA 2013. Frente Parlamentar Brasília, 20 d dzmbro d 2013 Edição 155 RETROSPECTIVA 2013 Confira um rsumo das principais açõs dsnvolvidas pla Associação Brasilira dos Ritors das Univrsidads Estaduais Municipais m 2013 com o intuito

Leia mais

IMPETRANTE : Paulo Roberto Solano de Macedo (Adv. Ronaldo Rafael Gomes Filho) IMPETRADO : Promotor de Justiça da Comarca de Areia

IMPETRANTE : Paulo Roberto Solano de Macedo (Adv. Ronaldo Rafael Gomes Filho) IMPETRADO : Promotor de Justiça da Comarca de Areia 111111=1111191121i, TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR JOAO ALVES DA SILVA ACÓRDÃO MANDADO DE SEGURANÇA N. 999.2010.000737-9/001 RELATOR : Marcos Willian d Olivira - JuizConvocado

Leia mais

ESTRATÉGIA EMPRESARIAL CONSTRUINDO ESTRATÉGIA PARA VENCER NO MERCADO COMPETITIVO. Bruno de Oliveira Renó¹, Rafael de Souza Quadros ²,Valdevino Krom

ESTRATÉGIA EMPRESARIAL CONSTRUINDO ESTRATÉGIA PARA VENCER NO MERCADO COMPETITIVO. Bruno de Oliveira Renó¹, Rafael de Souza Quadros ²,Valdevino Krom ESTRATÉGIA EMPRESARIAL CONSTRUINDO ESTRATÉGIA PARA VENCER NO MERCADO COMPETITIVO Bruno Olivira Rnó¹, Rafal Souza Quadros ²,Valvino Krom 3 1 - Instituto Psquisa Dsnvolvimnto Univrsi do Val do Paraíba. Av

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2014 EDITAL DE PRORROGAÇÃO DAS INSCRIÇÕES E DE RETIFICAÇÃO

CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2014 EDITAL DE PRORROGAÇÃO DAS INSCRIÇÕES E DE RETIFICAÇÃO CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2014 EDITAL DE PRORROGAÇÃO DAS INSCRIÇÕES E DE RETIFICAÇÃO O Município d Duartina, Estado d São Paulo, no uso d suas atribuiçõs lgais, torna público o Edital d Prorrogação das Inscriçõs,

Leia mais

Qual é o lugar do espanhol nas escolas de ensino médio de Minas Gerais?

Qual é o lugar do espanhol nas escolas de ensino médio de Minas Gerais? Introdução I CIPLOM Congrsso Intrnacional d Profssors d Línguas Oficiais do MERCOSUL I Encontro Intrnacional d Associaçõs d Profssors d Línguas Oficiais do MERCOSUL Qual é o lugar do spanhol nas scolas

Leia mais

Empreendedorismo e Empregabilidade PE04/V01

Empreendedorismo e Empregabilidade PE04/V01 1 APROVAÇÃO DO DOCUMENTO Rsponsávl plo Procsso Validação Função Nom Razão para a nova vrsão Coord. CTCO José Pirs dos Ris Não - vrsão inicial Pró-Prsidnt para a Qualidad João Lal Aprovação Prsidnt IPBja

Leia mais

Leia o texto abaixo, para responder às questões de números 43 a 48.

Leia o texto abaixo, para responder às questões de números 43 a 48. PORTUGUÊS Lia o txto abaixo, para rspondr às qustõs d númros 43 a 48. [...] Ao sair do Tjo, stando a Maria ncostada à borda do navio, o Lonardo fingiu qu passava distraído por junto dla, com o frrado sapatão

Leia mais

PROGRAMA DE ESTÍMULO À OFERTA DE EMPREGO PEOE

PROGRAMA DE ESTÍMULO À OFERTA DE EMPREGO PEOE UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europu PROGRAMA DE ESTÍMULO À OFERTA DE EMPREGO PEOE FORMULÁRIO DE CANDIDATURA A prnchr plo IEFP, I. P. IDENTIFICAÇÃO DO PROCESSO Cntro d Emprgo Data d Rcpção - - Númro do Procsso

Leia mais

GIBI R Glossário de Imagens Básicas para Identificações de Riscos [ no caso, riscos de contaminação de um sistema municipal de suprimento de água ]

GIBI R Glossário de Imagens Básicas para Identificações de Riscos [ no caso, riscos de contaminação de um sistema municipal de suprimento de água ] GIBI R Glossário Imagns Básicas para Intificaçõs Riscos [ no caso, riscos contaminação um sistma municipal suprimnto água ] A - - Mapa Mapa rgional. rgional. Projção Projção horizontal horizontal corrta

Leia mais

A PRODUÇÃO DE CAFÉ NO BRASIL

A PRODUÇÃO DE CAFÉ NO BRASIL A PRODUÇÃO DE CAFÉ NO BRASIL Alxandr Carlos dos Santos Faria, Fridhild M.K. Manolscu 2 2 Ciências Sociais Aplicadas Univrsidad do Val do Paraíba Av. Shishima Hifumi, 29 Urbanova CEP: 2244- São José dos

Leia mais

Dinâmica Longitudinal do Veículo

Dinâmica Longitudinal do Veículo Dinâmica Longitudinal do Vículo 1. Introdução A dinâmica longitudinal do vículo aborda a aclração frnagm do vículo, movndo-s m linha rta. Srão aqui usados os sistmas d coordnadas indicados na figura 1.

Leia mais

PROGRAMA DE REESTRUTURAÇÃO DA UNIDADE

PROGRAMA DE REESTRUTURAÇÃO DA UNIDADE Campus d Ilha Soltira PROGRAMA DE REESTRUTURAÇÃO DA UNIDADE Aos dz (10) dias do mês d stmbro (09) do ano d dois mil doz (2012), na Sala d Runiõs da Congrgação, as parts abaio nomadas tomaram ciência do

Leia mais

SISTEMA DE PONTO FLUTUANTE

SISTEMA DE PONTO FLUTUANTE Lógica Matmática Computacional - Sistma d Ponto Flutuant SISTEM DE PONTO FLUTUNTE s máquinas utilizam a sguint normalização para rprsntação dos númros: 1d dn * B ± 0d L ond 0 di (B 1), para i = 1,,, n,

Leia mais