Capacidade de um sistema de produzir atividade externa ou de gerar trabalho.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Capacidade de um sistema de produzir atividade externa ou de gerar trabalho."

Transcrição

1

2

3 A questão das alternativas energéticas passou ser de fundamental importância para os programa de sustentabilidade na sociedade contemporânea quer nos programa governamentais como para as organizações empresariais. Esta preocupação foi a grande motivadora da criação de uma norma de gestão de energia, a ISO 50001, onde as próprias empresas poderão tomar medidas, independentes de ações governamentais, trazendo benefícios para o próprio negócio e para a toda a sociedade.

4 Capacidade de um sistema de produzir atividade externa ou de gerar trabalho. Energia é o termo genérico que pode ser aplicado às suas mais diversas formas (eletricidade, combustíveis, vapor, calor, ar comprimido e outras), incluindo renovável, que pode ser comprada, armazenada, processada, utilizada em um equipamento ou processo ou recuperada. No caso dos veículos movidos a óleo diesel, podemos economizar energia, aumentar a eficiência energética e emitir menos poluentes, de algumas formas :

5 Pré-combustão Diesel com baixo % S Óleos lubrificantes Fuel Eco Resfriamento Combustão Injeção Câmara de combustão Pós-combustão Sistemas de pós-tratamento

6 Os lubrificantes economizadores de combustíveis, devem atender as normas de associações como API, ACEA, JASO, além das especificações dos fabricantes de caminhões e ônibus. Devem ser compatíveis e eficientes para o uso com os sistemas de pós-tratamento que equipam os veículos movidos a Diesel, tais como EGR (recirculação dos gases de escape), SCR (redução seletiva catalítica), DPF ( filtro de particulados de Diesel), entre outros (Proconve P7 - EuroV) A escolha da tecnologia dos sistemas de pós-tratamento e consequentemente do tipo lubrificante de motor, foi baseada no tipo e quantidade de poluentes que o veículo diesel emitia

7 A título de exemplo, abaixo dados da CETESB-2011, sobre as particularidades em termos de emissões de poluentes na atmosfera versus o tipo de veículo Contribuição das categorias de veículos na emissão de CO no estado de São Paulo

8 Contribuição das categorias de veículos na emissão de NOx no estado de São Paulo

9 Contribuição das categorias de veículos na emissão de Material Particulado no estado de São Paulo

10 Contribuição das categorias de veículos na emissão de SO 2 no estado de São Paulo

11

12 Lubrificantes desenvolvidos para diminuir o consumo de combustível e aumentar a vida útil do veículo, através de formulações sofisticadas com a função principal de redução do atrito. Economia de até 3,5 % no consumo de óleo diesel Óleo de motor Óleo de diferencial Redução de até 3,5 % de poluentes na atmosfera Óleo de transmissão

13

14 A EVOLUÇÃO TECNOLÓGICA DOS LUBRIFICANTES As demandas de sustentabilidade e ambientais impõem aos fabricantes de veículos OEM (Original Equipment Manufacturer) severas metas de redução de emissões, e de consumo de combustíveis. Os lubrificantes têm que se adequar a evolução de desempenho dos equipamentos em constate evolução para atender às regulamentações ambientais A nova geração de lubrificantes devem prover maior resistência à oxidação e espessamento maior desempenho de detergência e dispersância, maior resistência ao cisalhamento, menor perda por evaporação, maior proteção ao desgaste e aditivos com menores teores de metais Cinzas Sulfatadas, Fósforo e Enxofre, Zinco e outras. Contribuir com a redução do consumo de combustível e oferecer maiores intervalos de troca.

15 RESUMO DE ITENS A SEREM OBSERVADOS a)utilize o óleo lubrificante para motores diesel de acordo com o nível de desempenho ( API, ACEA) entre outras, e na faixa de viscosidade (SAE) recomendada pelo fabricante do veiculo. b)a classificação mais recente para motores diesel, da API é o CJ 4 e da ACEA E9-08. c)grau de viscosidade mais baixa SAE 15W40 ou 5W/30 é uma tendência que vem se confirmando na formulação dos lubrificantes uma vez que está intimamente ligada com a eficiência energética dos motores, ou seja a economia de combustível d) Os novos motores que adotam o sistema EGR exigem maior atenção com relação a especificação do lubrificante a serem utilizado devido a sua maior exposição aos gases de combustão e)mantenha a temperatura de operação do motor dentro dos parâmetros estabelecidos pelo fabricante. Temperatura elevada provoca a oxidação prematura do óleo lubrificante e temperatura baixa favorece a formação de borra frias

16

17 SINDILUB Ruy Ricci Sindicato Int. do Comércio de Lubrificantes (11) Obrigado! ESG Consultoria Tel: (11)

18

TECNOLOGIA SCR DA FORD GARANTE MAIOR ECONOMIA, EFICIÊNCIA E SUSTENTABILIDADE

TECNOLOGIA SCR DA FORD GARANTE MAIOR ECONOMIA, EFICIÊNCIA E SUSTENTABILIDADE TECNOLOGIA SCR DA FORD GARANTE MAIOR ECONOMIA, EFICIÊNCIA E SUSTENTABILIDADE A nova geração Ford Cargo Euro 5 que será comercializada em 2012 traz várias vantagens para o cliente, como menor custo operacional,

Leia mais

COMBUSTÍVEIS. Diesel

COMBUSTÍVEIS. Diesel COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS Diesel O Diesel é o combustível mais utilizado no Brasil. A maior parte da frota comercial brasileira é movida a óleo diesel. Assim como a gasolina, ele é um sub-produto do petróleo,

Leia mais

Cenários e Tendências do Mercado de Lubrificantes Impacto sobre os Óleos Básicos. Marcelo Capanema

Cenários e Tendências do Mercado de Lubrificantes Impacto sobre os Óleos Básicos. Marcelo Capanema Cenários e Tendências do Mercado de Lubrificantes Impacto sobre os Óleos Básicos Marcelo Capanema Rio de Janeiro, 03 de Julho 2012 Tópicos 2 Frota Brasileira Evolução da Indústria Produção Brasileira de

Leia mais

PROCONVE MAR-1 GUIA MAR-1

PROCONVE MAR-1 GUIA MAR-1 PROCONVE MAR-1 GUIA MAR-1 TUDO O QUE VOCÊ DEVE SABER TUDO O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE A FASE PROCONVE MAR-1 A FASE PROCONVE MAR-1 ESTABELECE LIMITES DE EMISSÕES DE MOTORES DE MÁQUINAS AGRÍCOLAS E DE CONSTRUÇÃO

Leia mais

Engº Giuseppe Sarpa Field Specialist

Engº Giuseppe Sarpa Field Specialist Engº Giuseppe Sarpa Field Specialist 21 de Setembro 2015 Influências do Biodiesel na Vida do Lubrificante e do Motor Canada Óleo de peixe Sebo Europe Canola Norway Óleo de peixe Asia Pinhão Manso Óleo

Leia mais

IMPACTO DO USO DO BIODIESEL NOS LUBRIFICANTES. Roberta Miranda Teixeira Gerente Técnica de Lubrificantes e Combustíveis

IMPACTO DO USO DO BIODIESEL NOS LUBRIFICANTES. Roberta Miranda Teixeira Gerente Técnica de Lubrificantes e Combustíveis IMPACTO DO USO DO BIODIESEL NOS LUBRIFICANTES Roberta Miranda Teixeira Gerente Técnica de Lubrificantes e Combustíveis AGENDA Mercado biodiesel Frota brasileira Impacto do biodiesel no lubrificante Estudo

Leia mais

Performance e desempenho em 1º lugar.

Performance e desempenho em 1º lugar. Rev.: Outubro/2015 Performance e desempenho em 1º lugar. TM PROTEJA AS COISAS QUE VOCÊ MAIS VALORIZA. HAVOLINE 4T ÓLEO PARA MOTOS UMA FAMÍLIA DE LUBRIFICANTES PARA PROTEGER O MOTOR DA SUA MOTO. Os produtos

Leia mais

Conhecimentos Básicos sobre Lubrificantes

Conhecimentos Básicos sobre Lubrificantes 1 Conhecimentos Básicos sobre Lubrificantes Funções de um óleo lubrificante Lubrificar Refrigerar Vedar Limpar Como você compra um lubrificante? O que o rótulo da embalagem de lubrificante nos diz? Formulação

Leia mais

SHELL HELIX ULTRA CORE. Formulação Shell mais avançada para motores de elevado desempenho

SHELL HELIX ULTRA CORE. Formulação Shell mais avançada para motores de elevado desempenho 1 2 SHELL HELIX ULTRA CORE CATEGORIA VISCOSIDADE BENEFÍCIOS Shell Helix Ultra 0W-30, 0W-40, 5W-30, 5W-40 Formulação Shell mais avançada para motores de elevado desempenho Shell Helix Ultra Racing 10W-60

Leia mais

As novas tecnologias de motores diesel para atender aos padrões de emissões e seus impactos nos óleos lubrificantes

As novas tecnologias de motores diesel para atender aos padrões de emissões e seus impactos nos óleos lubrificantes As novas tecnologias de motores diesel para atender aos padrões de emissões e seus impactos nos óleos lubrificantes Engº Antonio Carlos Alves Ferreira Especialista Técnico área SP Tópicos 1. Evolução dos

Leia mais

INFLUÊNCIA DA POLUIÇÃO VEICULAR NA SAÚDE HUMANA

INFLUÊNCIA DA POLUIÇÃO VEICULAR NA SAÚDE HUMANA IBAMA MMA INFLUÊNCIA DA POLUIÇÃO VEICULAR NA SAÚDE HUMANA CETESB HOMERO CARVALHO MOVIMENTO NOSSA SÃO PAULO ATO PÚBLICO PELA MELHORIA DA QUALIDADE DO DIESEL 12/09/2007 homeroc@cetesbnet.sp.gov.br CENÁRIO

Leia mais

WOLF VITALTECH 10W30 NOVOS PRODUTOS EM 06/2015 PRINCIPAIS VANTAGENS NÍVEL DE ESPECIFICAÇÃO EMBALAGEM DESCRIÇÃO DESEMPENHO NOVIDADE

WOLF VITALTECH 10W30 NOVOS PRODUTOS EM 06/2015 PRINCIPAIS VANTAGENS NÍVEL DE ESPECIFICAÇÃO EMBALAGEM DESCRIÇÃO DESEMPENHO NOVIDADE NOVOS PRODUTOS EM 06/2015 NOVIDADE 10W30 PRINCIPAIS VANTAGENS Introduzido especificamente para os motores a gasolina com injecção de combustível. Cumpre as exigências da maioria dos carros americanos e

Leia mais

CATÁLOGO FIAT PETRONAS. PRESENTE NO MUNDO. NO BRASIL. NA SUA VIDA.

CATÁLOGO FIAT PETRONAS. PRESENTE NO MUNDO. NO BRASIL. NA SUA VIDA. CATÁLOGO FIAT PETRONAS. PRESENTE NO MUNDO. NO BRASIL. NA SUA VIDA. PETRONAS TOWERS SEDE PETRONAS NA MALÁSIA PETRONAS, NO CAMINHO DO DESENVOLVIMENTO. A PETRONAS foi incorporada como uma indústria de óleo

Leia mais

GESTÃO EFICIENTE DE FROTAS

GESTÃO EFICIENTE DE FROTAS GESTÃO EFICIENTE DE FROTAS Veículos Pesados O Custo do Transporte no Brasil O PESO DOS CUSTOS NO NEGÓCIO Depreciação Salários Seguros Diárias Combustível Pneus Manutenção Lavagem Lubrificantes Custos fixos

Leia mais

Catálogo Fiat presente no mundo, no brasil, na sua vida presente no mundo. no brasil. na sua vida.

Catálogo Fiat presente no mundo, no brasil, na sua vida presente no mundo. no brasil. na sua vida. Catálogo Fiat presente no mundo, no presente brasil, no na mundo. sua vidano brasil. na sua vida. PETRONAS TOWERS SEDE PETRONAS NA MALÁSIA PETRONAS, NO CAMINHO DO DESENVOLVIMENTO. A PETRONAS foi incorporada

Leia mais

ACEA ASSOCIAÇÃO DE CONSTRUTORES EUROPEUS DE AUTOMÓVEIS

ACEA ASSOCIAÇÃO DE CONSTRUTORES EUROPEUS DE AUTOMÓVEIS ASSOCIAÇÃO DE CONSTRUTORES EUROPEUS DE AUTOMÓVEIS API INSTITUTO AMERICANO DE PETRÓLEOS TABELA A B A1-96 A1-98 A1-98 A1-02 A2-96 A2-96 A2-96 A2-96 A3-96 A3-98 A3-98 A3-02 A1/B1-04 A1/B1-04 A1/B1-08 A5-02

Leia mais

Como aumentar o interesse em desenvolver veículos mais eficientes com etanol?

Como aumentar o interesse em desenvolver veículos mais eficientes com etanol? Como aumentar o interesse em desenvolver veículos mais eficientes com etanol? Eficiência Energética Sustentável - Metodologia incluindo GEE poço à roda - Segurança de abastecimento de etanol -Competitividade

Leia mais

CATÁLOGO LINHA MOTORES RAID. Gasolina, Álcool e GNV Flex Diesel Motos 4T Motos 2T

CATÁLOGO LINHA MOTORES RAID. Gasolina, Álcool e GNV Flex Diesel Motos 4T Motos 2T Raid - Interlub Brasil Industria e Comércio de Óleo Automotivo - Catalogo de Produtos - Ano 2016 / 2017 CATÁLOGO LINHA MOTORES Gasolina, Álcool e GNV Flex Diesel Motos 4T Motos 2T RAID 2016 / 2017 CATÁLOGO

Leia mais

DESENVOLVIMENTO LOCAL DE SOLUÇÕES EM PÓS- TRATAMENTO PARA HEAVY DUTY DIESEL (HDD)

DESENVOLVIMENTO LOCAL DE SOLUÇÕES EM PÓS- TRATAMENTO PARA HEAVY DUTY DIESEL (HDD) DESENVOLVIMENTO LOCAL DE SOLUÇÕES EM PÓS- TRATAMENTO PARA HEAVY DUTY DIESEL (HDD) Alan van Arnhem, Claudio Agostinho Furlan, Edson Paixão Umicore Brasil Ltda. RESUMO Por entender que o mercado da América

Leia mais

ETANOL E AS EMISSÕES LOCAIS

ETANOL E AS EMISSÕES LOCAIS ETANOL E AS EMISSÕES LOCAIS Alfred Szwarc 3 Seminário Internacional - Uso Eficiente do Etanol Campinas, SP 20/21 de setembro de 2016 Poluição do Ar Local e Regional Tema do aquecimento global colocou a

Leia mais

Mais rápido. Mais forte. O melhor para o seu motor. XTL TECHNOLOGY. Novidade: Uma Inovadora Tecnologia de Óleo de Motor.

Mais rápido. Mais forte. O melhor para o seu motor. XTL TECHNOLOGY. Novidade: Uma Inovadora Tecnologia de Óleo de Motor. Mais rápido. Mais forte. O melhor para o seu motor. XTL TM TECHNOLOGY Novidade: Uma Inovadora Tecnologia de Óleo de Motor. Motores modernos, maior exigência ao óleo de motor. Os óleos para os motores modernos,

Leia mais

Óleos Básicos Grupo III Para Lubrificantes Automotivos de Baixa Viscosidade. 8º Lubgrax Meeting de Agosto de 2017 Fecomércio São Paulo Brasil

Óleos Básicos Grupo III Para Lubrificantes Automotivos de Baixa Viscosidade. 8º Lubgrax Meeting de Agosto de 2017 Fecomércio São Paulo Brasil Óleos Básicos Grupo III Para Lubrificantes Automotivos de Baixa Viscosidade 8º Lubgrax Meeting 16 17 de Agosto de 2017 Fecomércio São Paulo Brasil Agenda GTM + quantiq SK Lubricants Tendências Globais

Leia mais

Composição. O gás natural é uma mistura de hidrocarbonetos leves, que, à temperatura ambiente e pressão atmosfé

Composição. O gás natural é uma mistura de hidrocarbonetos leves, que, à temperatura ambiente e pressão atmosfé Composição O gás natural é uma mistura de hidrocarbonetos leves, que, à temperatura ambiente e pressão atmosfé Na natureza, ele é encontrado acumulado em rochas porosas no subsolo, frequentemente acompanhad

Leia mais

Scania Oil. Prolongue a vida útil do seu Scania e mantenha o bom desempenho dos seus negócios.

Scania Oil. Prolongue a vida útil do seu Scania e mantenha o bom desempenho dos seus negócios. Scania Oil. Prolongue a vida útil do seu Scania e mantenha o bom desempenho dos seus negócios. DESENVOLVIDOS ESPECIALMENTE PARA O SEU SCANIA. O óleo lubrificante é um dos principais e mais importantes

Leia mais

Engº Giuseppe Sarpa Field Specialist

Engº Giuseppe Sarpa Field Specialist Engº Giuseppe Sarpa Field Specialist 21 de Setembro 2015 2014 Chevron U.S.A. Inc. All rights reserved. Delo and ISOSYN Technology are trademarks of Chevron Intellectual Property LLC. All other marks are

Leia mais

O impulso para a utilização de lubrificantes mais avançados

O impulso para a utilização de lubrificantes mais avançados O impulso para a utilização de lubrificantes mais avançados Fabio Araujo, Latin America Product Manager, Engine Oils 6 º Encontro Internacional com o Mercado America do Sul 2016 Rio de Janeiro, Brasil

Leia mais

Secretaria de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental Departamento de Mudanças Climáticas Gerência de Qualidade do Ar. São Paulo Novembro/2010

Secretaria de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental Departamento de Mudanças Climáticas Gerência de Qualidade do Ar. São Paulo Novembro/2010 Secretaria de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental Departamento de Mudanças Climáticas Gerência de Qualidade do Ar São Paulo Novembro/2010 Objetivos Implementação dos instrumentos previstos na Política

Leia mais

2º SIMPÓSIO DE LUBRIFICANTES E ADITIVOS. 29 de Outubro de Fuel Economy. Douglas McGregor (Afton Chemical) Em nome da ABRAFA

2º SIMPÓSIO DE LUBRIFICANTES E ADITIVOS. 29 de Outubro de Fuel Economy. Douglas McGregor (Afton Chemical) Em nome da ABRAFA Fuel Economy Douglas McGregor (Afton Chemical) Em nome da ABRAFA ABRAFA 2º SIMPÓSIO DE LUBRIFICANTES E ADITIVOS ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE FABRICANTES DE ADITIVOS Associação legalmente constituída pelos

Leia mais

Óleos de Motor para Veículos Ligeiros de Passageiros

Óleos de Motor para Veículos Ligeiros de Passageiros Protecção de Alta Tecnologia para Motores Contacto/Distribuidor: Óleos de Motor para Veículos Ligeiros de Passageiros FUCHS LUBRIFICANTES, Unip. Lda. Zona Industrial Maia 1, Sector VII, Rua E 4470-435

Leia mais

LUBRAX AUTOMOTIVO LUBRAX SUPERA

LUBRAX AUTOMOTIVO LUBRAX SUPERA LUBRAX AUTOMOTIVO LUBRAX SUPERA Lubrificante premium sintético multiviscoso recomendado para os modernos motores de elevado desempenho a gasolina, etanol, flex e GNV com injeção eletrônica, multiválvulas

Leia mais

USINA TERMOELÉTRICA DO NORTE FLUMINENSE,MACAE, RIO DE JANEIRO

USINA TERMOELÉTRICA DO NORTE FLUMINENSE,MACAE, RIO DE JANEIRO USINA TERMOELÉTRICA USINA TERMOELÉTRICA DO NORTE FLUMINENSE,MACAE, RIO DE JANEIRO O QUE É USINA TERMOELÉTRICA? Uma instalação industrial que serve para gerar energia através da queima de combustíveis fosseis.

Leia mais

TÉCNICA DE ANÁLISE DE GASES PARA GANHO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA.

TÉCNICA DE ANÁLISE DE GASES PARA GANHO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA. TÉCNICA DE ANÁLISE DE GASES PARA GANHO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA. 1 - Resumo Desde a assinatura do Protocolo de Kyoto em 1997, o mundo vive, um momento de reflexão sobre o desequilíbrio ocasionado pela

Leia mais

CARTILHA DE CONSCIENTIZAÇÃO PÚBLICA DO USO DO ARLA 32

CARTILHA DE CONSCIENTIZAÇÃO PÚBLICA DO USO DO ARLA 32 CARTILHA DE CONSCIENTIZAÇÃO PÚBLICA DO USO DO ARLA 32 Página 1 Índice: 1 Introdução ao sistema de controle de emissões P7... 3 1.1 Sistema SCR... 4 1.2 Sistema EGR... 5 1.3 Óleo Diesel S10/S500... 5 1.4

Leia mais

O Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores

O Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores O Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores CETESB Divisão de Transporte Sustentável e Emissões Veiculares Vanderlei Borsari AEAMESP Associação dos Engenheiros e Arquitetos do Metrô 16ª Semana

Leia mais

CHAMPION OEM SPECIFIC 0W30 MS-BHDI

CHAMPION OEM SPECIFIC 0W30 MS-BHDI NOVOS PRODUTOS EM MARÇO 2015 PASSENGER CAR NOVIDADE 0W30 MS-BHDI PRINCIPAIS VANTAGENS Atende a especificação PSA B71 2312. Euro VI Azul HDI DW 10F. Beneficío da economia de combustível de 4,2% em relação

Leia mais

Mecanização Agrícola e Máquinas Motorização e partes do sistema

Mecanização Agrícola e Máquinas Motorização e partes do sistema Mecanização Agrícola e Máquinas Motorização e partes do sistema Eng. Agr. Me. Andre Gustavo Battistus E-mail: andregustavo@udc.edu.br E-mail alternativo: andre_battistus@hotmail.com Terminologia Motorização

Leia mais

Catalisador: O que é e para que serve.

Catalisador: O que é e para que serve. Catalisador: O que é e para que serve. O que significa a palavra catalisador? Por definição, catalisador catalítico é toda a substância que propicia a reação química de outras substâncias sem mesmo participar

Leia mais

Shell Corena S4 R 46. Lubcenter Lubrificante sintético de alto desempenho para compressores de ar rotativos

Shell Corena S4 R 46. Lubcenter Lubrificante sintético de alto desempenho para compressores de ar rotativos Lubcenter 21 3297-2931 www.lubcenter.com Previous Name: Shell Corena AS Shell Corena S4 R 46 Technical Data Sheet Extra Vida útil Eficiência Melhorada Aplicações Severas Lubrificante sintético de alto

Leia mais

Análise do Mercado de Fluidos para Eixo Diferencial

Análise do Mercado de Fluidos para Eixo Diferencial Análise do Mercado de Fluidos para Eixo Diferencial Junho, 2016 Conteúdo Dados da Frota Mercado de Veículos Comerciais Mercado de Fluidos de Eixo Diferencial Evolução do Fluido de Eixo Diferencial Conclusões

Leia mais

Cooperação Brasil Alemanha Programa Energia

Cooperação Brasil Alemanha Programa Energia Cooperação Brasil Alemanha Programa Energia MAPEAMENTO PARA PUBLIC-PRIVATE-PARTNERSHIPS NOS SETORES DE ENERGIAS RENOVÁVEIS E EFICIÊNCIA ENERGÉTICA ENTRE O BRASIL E A ALEMANHA Raymundo Aragão Anima Projetos

Leia mais

MOTORES DE COMBUSTÃO INTERNA

MOTORES DE COMBUSTÃO INTERNA MOTORES DE COMBUSTÃO INTERNA Motogeradores e sistemas complementares JONEY CAPELASSO-TLJH GE-OPE/OAE-UTE-LCP/O&M 853-3275 MOTOGERADORES Denominamos Motogeradores ao conjunto de MCI e gerador de corrente

Leia mais

PRODUÇÃO DE HIDROGÊNIO A PARTIR DA REFORMA DO ETANOL

PRODUÇÃO DE HIDROGÊNIO A PARTIR DA REFORMA DO ETANOL PROCEL PRODUÇÃO DE HIDROGÊNIO A PARTIR DA REFORMA DO ETANOL VANDERLEI SÉRGIO BERGAMASCHI E-mail: vsberga@ipen ipen.br PROCEL / IPEN-SP OUTUBRO / 2003 COMBUSTÍVEL PETRÓLEO: VANTAGENS: -LÍQUIDO DE FÁCIL

Leia mais

Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular PROGRAMA BRASILEIRO DE ETIQUETAGEM VEICULAR

Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular PROGRAMA BRASILEIRO DE ETIQUETAGEM VEICULAR Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular PROGRAMA BRASILEIRO DE ETIQUETAGEM VEICULAR O Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular é um programa de eficiência energética para veículos leves coordenado

Leia mais

Shell Corena S4 R tem baixa volatilidade, reduzinho o arraste, Longa vida útil - Extensão do intervalo de manutenção. qualidade do ar.

Shell Corena S4 R tem baixa volatilidade, reduzinho o arraste, Longa vida útil - Extensão do intervalo de manutenção. qualidade do ar. Lubcenter 21 3297-2931 www.lubcenter.com Previous Name: Shell Corena AS Shell Corena S4 R 68 Technical Data Sheet Extra Longa Vida Eficiência Melhorada Aplicações Severas Lubrificante sintético de alto

Leia mais

Óleos Lubrificantes e suas aplicações

Óleos Lubrificantes e suas aplicações Óleos Lubrificantes e suas aplicações Óleos Lubricantes Os óleos lubrificantes, óleos de motor, ou óleos para motor, são substâncias utilizadas para reduzir o atrito, lubrificando e aumentando a vida útil

Leia mais

MANTEMOS A EMOÇÃO TUDO O QUE DEVE SABER SOBRE LUBRIFICANTES

MANTEMOS A EMOÇÃO TUDO O QUE DEVE SABER SOBRE LUBRIFICANTES MANTEMOS A EMOÇÃO TUDO O QUE DEVE SABER SOBRE LUBRIFICANTES POR QUE MOTIVO É NECESSÁRIO REALIZAR AS MUDANÇAS DE ÓLEO? Substituir regularmente o óleo do seu motor por um lubrificante novo que cumpra as

Leia mais

Catálogo de Lubrificantes Automotivos

Catálogo de Lubrificantes Automotivos Catálogo de Lubrificantes Automotivos ÍNDICE INTRODUÇÃO... 4 VEÍCULOS LEVES... 6 (CLASSIFICAÇÃO: API SN) REPSOL ELITE COMPETICIÓN 5W40... 6 REPSOL ELITE MULTIVÁLVULAS 10W40... 6 REPSOL ELITE NEO BXT 5W30...

Leia mais

PROCONVE P7. Seminário sobre Emissões de Veículos a Diesel. As Tecnologias Necessárias. Ações para Atendimento aos Novos Limites do Proconve Fase 7

PROCONVE P7. Seminário sobre Emissões de Veículos a Diesel. As Tecnologias Necessárias. Ações para Atendimento aos Novos Limites do Proconve Fase 7 Seminário sobre Emissões de Veículos a Diesel Ações para Atendimento aos Novos Limites do Proconve Fase 7 As Tecnologias Necessárias Luso Martorano Ventura São Paulo, 27 de outubro de 2009 Conteúdo Evolução

Leia mais

EURO VI. Tecnologias & Estratégias

EURO VI. Tecnologias & Estratégias EURO VI Tecnologias & Estratégias Euro VI A entrada na força da normativa do novo Euro VI dá um estímulo à Iveco para actualizar a oferta de motores perseguindo a lógica da melhoria tecnológica Euro VI:

Leia mais

SIMPÓSIO DE LUBRIFICANTES E ADITIVOS

SIMPÓSIO DE LUBRIFICANTES E ADITIVOS Tendências dos Lubrificantes Ciclo Otto: Especificações de Desempenho Atuais/Futuras & Influência dos Óleos Básicos DOUGLAS L M GREGOR DOUGLAS L. McGREGOR Gerente de Mercado & Serviços Técnicos América

Leia mais

CATÁLOGO

CATÁLOGO www.motorsprime.com.br CATÁLOGO Filiais em Cuiabá - MT Campo Grande - MS Goiania - GO Araçatuba - SP Pederneiras - SP Por que nosso óleo G II é diferenciado? Temos a LWART como parceiro, uma empresa pioneira

Leia mais

Sumário. Apresentação... IX Prefácio... XI Minicurrículo do Autor... XIII

Sumário. Apresentação... IX Prefácio... XI Minicurrículo do Autor... XIII Sumário Apresentação... IX Prefácio... XI Minicurrículo do Autor... XIII Capítulo 1 CÁLCULOS, CONCEITOS E DEFINIÇÕES... 1 1.1 Cálculos de Combustão.... 1 1.1.1 Introdução... 1 1.1.2 Ar de combustão...

Leia mais

CONSCIENTIZAÇÃO DA CADEIA ENVOLVIDA NA REPOSIÇÃO DE CATALISADORES QUANTO À RESPONSABILIDADE AMBIENTAL ANTECIPANDO A LEGISLAÇÃO

CONSCIENTIZAÇÃO DA CADEIA ENVOLVIDA NA REPOSIÇÃO DE CATALISADORES QUANTO À RESPONSABILIDADE AMBIENTAL ANTECIPANDO A LEGISLAÇÃO CONSCIENTIZAÇÃO DA CADEIA ENVOLVIDA NA REPOSIÇÃO DE CATALISADORES QUANTO À RESPONSABILIDADE AMBIENTAL ANTECIPANDO A LEGISLAÇÃO Carlos Eduardo L. Moreira e Alan van Arnhem Umicore Brasil Ltda. RESUMO A

Leia mais

A qualidade que você já conhece na quantidade que você precisa.

A qualidade que você já conhece na quantidade que você precisa. A qualidade que você já conhece na quantidade que você precisa. Troca Inteligente, a solução prática para você alcançar grandes resultados. Armazenagem 3no Distribuidor Os lubrificantes são armazenados

Leia mais

A Indústria Automobilística e o Atendimento às s Regulamentações Brasileiras de Emissões

A Indústria Automobilística e o Atendimento às s Regulamentações Brasileiras de Emissões A Indústria Automobilística e o Atendimento às s Regulamentações Brasileiras de Emissões Henry Joseph Junior Comissão de Energia e Meio Ambiente ANFAVEA Seminário AEA Tendências e o Futuro das Emissões

Leia mais

Etanol eficiente, A alternativa brasileira para o controle dos gases de efeito estufa (GEE) Sustentabilidade

Etanol eficiente, A alternativa brasileira para o controle dos gases de efeito estufa (GEE) Sustentabilidade Etanol eficiente, A alternativa brasileira para o controle dos gases de efeito estufa (GEE) PROGRAMA DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA SUSTENTÁVEL. Sustentabilidade Eficiência Energética Conectadas e Sincronizadas

Leia mais

ENEM 2004 QUESTÕES DE FÍSICA

ENEM 2004 QUESTÕES DE FÍSICA ENEM 2004 QUESTÕES DE FÍSICA 1) Para medir o perfil de um terreno, um mestre-deobras utilizou duas varas (VI e VII), iguais e igualmente graduadas em centímetros, às quais foi acoplada uma mangueira plástica

Leia mais

BRASIL. 1. Introdução:

BRASIL. 1. Introdução: BRASIL BRASIL 1. Introdução: O Brasil tem a regulamentação de emissões de veículos leves baseada nos procedimentos americanos e a de veículos pesados e motocicletas baseada em procedimentos europeus e

Leia mais

Clean Energy Energia Limpa para todos os Europeus A visão da Indústria Petrolífera

Clean Energy Energia Limpa para todos os Europeus A visão da Indústria Petrolífera Clean Energy Energia Limpa para todos os Europeus A visão da Indústria Petrolífera António Comprido Secretário-Geral www.apetro.pt Green Business Week Conferência: Descarbonização da Economia Centro de

Leia mais

NOVOS PRODUTOS EM MARÇO 2015 WOLF OFFICIALTECH 0W30 MS-BHDI PRINCIPAIS VANTAGENS NÍVEL DE ESPECIFICAÇÃO EMBALAGEM DESCRIÇÃO DESEMPENHO NOVIDADE

NOVOS PRODUTOS EM MARÇO 2015 WOLF OFFICIALTECH 0W30 MS-BHDI PRINCIPAIS VANTAGENS NÍVEL DE ESPECIFICAÇÃO EMBALAGEM DESCRIÇÃO DESEMPENHO NOVIDADE NOVOS PRODUTOS EM MARÇO 2015 PASSENGER CAR NOVIDADE 0W30 MS-BHDI PRINCIPAIS VANTAGENS Atende a especificação PSA B71 2312. Euro VI Azul HDI DW 10F. Beneficío da economia de combustível de 4,2% em relação

Leia mais

O POTENCIAL E A APLICAÇÃO DOS BIOCOMBUSTÍVEIS

O POTENCIAL E A APLICAÇÃO DOS BIOCOMBUSTÍVEIS O POTENCIAL E A APLICAÇÃO DOS BIOCOMBUSTÍVEIS PROF. JOSÉ CARLOS LAURINDO INTRODUÇÃO CIVILIZAÇÕES ANTIGAS: PREPARO DE BIOCOMBUSTÍVEIS SÓLIDOS CARVÃO DE DE MADEIRA PARA FORJAS DE DE METAIS LÍQUIDOS GORDURAS

Leia mais

FONTE DE ENERGIA RENOVÁVEL. Prof.º: Carlos D Boa - geofísica

FONTE DE ENERGIA RENOVÁVEL. Prof.º: Carlos D Boa - geofísica FONTE DE ENERGIA RENOVÁVEL Prof.º: Carlos D Boa - geofísica Introdução Biocombustíveis (Biodiesel, Etanol e Hidrogênio) Biogás Biomassa Energia Eólica Energia das Marés Energia Hidrelétrica Energia Solar

Leia mais

OLEOS DE ULTIMA GERAÇÃO WINNER

OLEOS DE ULTIMA GERAÇÃO WINNER OLEOS DE ULTIMA GERAÇÃO WINNER A IMPORTANCIA DO OLEO DE MOTOR Funções do óleo de motor Óleos e as suas diferenças Classificação dos óleos Aprovação dos maiores fabricantes automóveis AS PRINCIPAIS FUNÇÕES

Leia mais

AUMENTO DO PERCENTUAL DE BIODIESEL

AUMENTO DO PERCENTUAL DE BIODIESEL AUMENTO DO PERCENTUAL DE BIODIESEL Campinas, 29/09/2017 Vicente Pimenta 1. História do Biodiesel no Brasil 3 fases 1ª Fase: Introdução do Biodiesel Com forte motivação ambiental, social e mercadológica,

Leia mais

MAN Latin America. 27 de outubro de

MAN Latin America. 27 de outubro de 27 de outubro de 2011 1 A. Cammarosano Diretor de Vendas Mercado Doméstico 27 de outubro de 2011 2 27 de outubro de 2011 3 27 de outubro de 2011 4 Proconve P-7 (Euro 5) O que é isso... IBAMA + CONAMA Proconve

Leia mais

INOVAÇÃO E COMPETÊNCIA PARA MÁXIMA PERFORMANCE.

INOVAÇÃO E COMPETÊNCIA PARA MÁXIMA PERFORMANCE. INOVAÇÃO E COMPETÊNCIA PARA MÁXIMA PERFORMANCE. BMW SERVIÇOS E ÓLEOS ORIGINAIS PARA MOTORES. BMW Service UMA REVOLUÇÃO PARA O MOTOR. CHEGOU A HORA DO ORIGINAL. Liberte o potencial máximo dos motores BMW

Leia mais

IMPACTOS AMBIENTAIS DO AUTOMÓVEL ANÁLISE NUMÉRICA DO CICLO TERMODINÂMICO DE UM MOTOR DE 170kW OPERANDO A GÁS NATURAL

IMPACTOS AMBIENTAIS DO AUTOMÓVEL ANÁLISE NUMÉRICA DO CICLO TERMODINÂMICO DE UM MOTOR DE 170kW OPERANDO A GÁS NATURAL JOSÉ AUGUSTO MARINHO SILVA IMPACTOS AMBIENTAIS DO AUTOMÓVEL ANÁLISE NUMÉRICA DO CICLO TERMODINÂMICO DE UM MOTOR DE 170kW OPERANDO A GÁS NATURAL Trabalho de Conclusão de Curso apresentado à Escola Politécnica

Leia mais

A certificação SGCIE é obrigatória para a generalidade das instalações industriais com consumos igual ou superior a 500 tep (1) /ano.

A certificação SGCIE é obrigatória para a generalidade das instalações industriais com consumos igual ou superior a 500 tep (1) /ano. A energia é um elemento indispensável para o funcionamento das empresas, sendo a sua boa utilização fundamental para garantir a competitividade destas. Assim, o Sistema de Gestão dos Consumos de Energia

Leia mais

LEI N DE OUTUBRO DE Dispõe sobre a redução de emissão de poluentes por veículos automotores e dá outras providências.

LEI N DE OUTUBRO DE Dispõe sobre a redução de emissão de poluentes por veículos automotores e dá outras providências. LEI N 8.723 28 DE OUTUBRO DE 1993 Dispõe sobre a redução de emissão de poluentes por veículos automotores e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, Faço saber que o Congresso Nacional decreta

Leia mais

Compras Sustentáveis

Compras Sustentáveis OBJETIVO ESTRATÉGICO DO SGAC Alcançar o Nível de Maturidade de uma Empresa de Classe Mundial Evento com Fornecedores dos Correios AÇÃO ESTRATÉGICA Implantar o modelo de gestão ambiental da empresa de acordo

Leia mais

Lubrificação de Motores e Redutores

Lubrificação de Motores e Redutores Lubrificação de Motores e Redutores Prof. Dr. João Candido Fernandes Luís Henrique Bonacordi Boccardo Vinicius Hernandes Kauê Vieira RA: 711901 611549 612261 Índice 1. Introdução 2. Tipos de óleos para

Leia mais

Seminário Internacional de Emissões - AEA

Seminário Internacional de Emissões - AEA Seminário Internacional de Emissões - AEA Redução de Emissões de CO 2 nos Transportes: eficiência e biocombustíveis Francisco E. B. Nigro Professor São Paulo: 25/04/2013 Agenda Legislação sobre Mudanças

Leia mais

CONTEÚDO PREVENÇÃO DA PRODUÇÃO DE RESÍDUOS NO CONTEXTO DE

CONTEÚDO PREVENÇÃO DA PRODUÇÃO DE RESÍDUOS NO CONTEXTO DE PREVENÇÃO DA PRODUÇÃO DE RESÍDUOS CONTEÚDO PREVENÇÃO DA PRODUÇÃO DE RESÍDUOS NO CONTEXTO DE INDÚSTRIA DE ÓLEOS LUBRIFICANTES SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO DE ÓLEOS LUBRIFICANTES USADOS (SIGOU) PREVENÇÃO

Leia mais

MERCADO APARENTE DE ÓLEO LUBRIFICANTE POLÍTICA PÚBLICA APLICADA AO SETOR

MERCADO APARENTE DE ÓLEO LUBRIFICANTE POLÍTICA PÚBLICA APLICADA AO SETOR MERCADO APARENTE DE ÓLEO LUBRIFICANTE POLÍTICA PÚBLICA APLICADA AO SETOR COMERCIO ATACADISTA - DISTRIBUIÇÃO & DESTINAÇÃO DO LUBRIFICANTE USADO OU CONTAMINADO 1 OBJETIVOS DA POLÍTICA ENERGÉTICA NACIONAL

Leia mais

Comparação do Desempenho Ambiental. Ambiental

Comparação do Desempenho Ambiental. Ambiental Comparação do Desempenho Ambiental da Produção de Negro de Fumo com a Implementação de Ações de Controle Ambiental Charles Prado Monteiro Axia Value Chain charles.monteiro@axiavaluechain.com O que é negro

Leia mais

Catálogo de Produtos para Motocicletas

Catálogo de Produtos para Motocicletas Catálogo de Produtos para Motocicletas Uma linha de cuidados completos para sua moto O lubricante 100% sintético mais avançado do mundo Diferentemente do que acontece nos carros de passeio, onde os componentes

Leia mais

Power at work. POWER AT WORK. SCANIA MOTORES InDUSTRIAIS

Power at work. POWER AT WORK. SCANIA MOTORES InDUSTRIAIS Motores industriais SCANIA MOTORES InDUSTRIAIS Power at work. Quebrar rochas e amassar concreto. Arar a terra e realizar a colheita. Levar toneladas de mercadorias e salvar vidas. Fatores, entre outros,

Leia mais

Métodos de Monitoramento e Controle de Sistemas de Tratamento de Resíduos de Serviços de Saúde

Métodos de Monitoramento e Controle de Sistemas de Tratamento de Resíduos de Serviços de Saúde SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE DO ESTADO DE SÃO PAULO Métodos de Monitoramento e Controle de Sistemas de Tratamento de Resíduos de Serviços de Saúde Eng. M.Sc Cristiano Kenji Iwai Colômbia - 2009 TESTES DE

Leia mais

Células de Hidrogênio

Células de Hidrogênio Células de Hidrogênio Dr. Julio Cesar Martins da Silva quimijulio@gmail.com Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares IPEN/CNEN-SP Centro de Células a Combustível e Hidrogênio - CCCH Av. Prof. Lineu

Leia mais

ENEM 2003 QUESTÕES DE FÍSICA

ENEM 2003 QUESTÕES DE FÍSICA ENEM 2003 QUESTÕES DE FÍSICA 01) Águas de março definem se falta luz este ano. Esse foi o título de uma reportagem em jornal de circulação nacional, pouco antes do início do racionamento do consumo de

Leia mais

Manual de Instalação. Compressor Delphi

Manual de Instalação. Compressor Delphi Manual de Instalação Compressor Delphi Este manual tem como objetivo fornecer instruções, dicas e orientações sobre a instalação correta dos Compressores Delphi. As informações contidas neste manual, alinhadas

Leia mais

XI Congresso Nacional de Engenharia do Ambiente Certificação Ambiental e Responsabilização Social nas Organizações

XI Congresso Nacional de Engenharia do Ambiente Certificação Ambiental e Responsabilização Social nas Organizações Livro de actas do XI Congresso Nacional de Engenharia do Ambiente Certificação Ambiental e Responsabilização Social nas Organizações 20 e 21 de Maio de 2011 Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias

Leia mais

óleos para motores diesel e gasolina diesel e gasolina

óleos para motores diesel e gasolina diesel e gasolina óleos para motores a diesel e gasolina óleos para motores a diesel e gasolina LEÃO B API CJ-4/SL ÓLEO MULTIGRADUADO PARA MOTORES DIESEL Ÿ Leão B é um óleo de motor que dá uma protecção de primeira para

Leia mais

MOTORES DIESEL E USO DE BIODIESEL

MOTORES DIESEL E USO DE BIODIESEL MOTORES DIESEL E USO DE BIODIESEL Cummins Brasil LTDA 29 de Outubro de 2008 Luis Chain Faraj Agenda Definição de Biodiesel Análise do Ciclo de Vida - Diesel x Biodiesel Programa de Biodiesel do Brasil

Leia mais

ESALQ. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Universidade de São Paulo

ESALQ. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Universidade de São Paulo ESALQ Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Universidade de São Paulo Prof. Dr. Walter F. Molina Jr Depto de Eng. de Biossistemas 2016 Revendo... MOTOR DE 4 CILINDROS E DE 4 TEMPOS SISTEMAS SISTEMAS

Leia mais

Consequências da agitação excessiva em óleos lubrificantes

Consequências da agitação excessiva em óleos lubrificantes Consequências da agitação excessiva em óleos lubrificantes O Engenheiro Mecânico Graduado Pela Universidade Estadual De Campinas (Unicamp) em 1985. Ingressou na Petrobras Distribuidora S/A em 1986 como

Leia mais

Scania e Clariant desenvolvem projeto pioneiro de sustentabilidade para caminhões a etanol

Scania e Clariant desenvolvem projeto pioneiro de sustentabilidade para caminhões a etanol Scania e Clariant desenvolvem projeto pioneiro de sustentabilidade para caminhões a etanol Única fabricante a oferecer caminhões pesados movidos ao biocombustível, Scania consolida a primeira venda do

Leia mais

OS COMBUSTIVEIS ALTERNATIVOS LIQUIDOS E GASOSOS

OS COMBUSTIVEIS ALTERNATIVOS LIQUIDOS E GASOSOS OS COMBUSTIVEIS ALTERNATIVOS LIQUIDOS E GASOSOS Kamal A. R. Ismail Fátima Aparecida de Morais Lino Jose Carlos Charamba Dutra Ana Rosa Mendes Primo Jorge Recarte Henríquez Guerrero Armando Shinohara Carlos

Leia mais

SENALIMP A importância dos Lubes na Manutenção

SENALIMP A importância dos Lubes na Manutenção SENALIMP A importância dos Lubes na Manutenção GRUPO ULTRAPAR RECEITA R$ 53,3 BI RECEITA R$ 4,05 BI RECEITA: R$ 3,32 BI RECEITA: R$ 332 MI EBITDA R$2,03 BI EBITDA 281 MI EBITDA 441 MI EBITDA 158 MI 70%

Leia mais

Curso de Lubrificação

Curso de Lubrificação Curso de Lubrificação O Petróleo Mistura de hidrocarbonetos Recurso não renovável; Não é substituível por completo; Efeito estufa (NOx e SOx). Classificação: Parafínico, naftênico, aromático e misto >>>Novos

Leia mais

PRINCÍPIOS BÁSICOS DA TERMODINÂMICA

PRINCÍPIOS BÁSICOS DA TERMODINÂMICA PRINCÍPIOS BÁSICOS DA TERMODINÂMICA... 1 1.1 Variáveis e Transformações Termodinâmicas... 1 1.2 Primeiro Princípio da Termodinâmica... 1 1.3 Segundo Princípio da Termodinâmica... 2 1.4 Expressões das Variáveis

Leia mais

A FASE P-7 DO PROCONVE E OS SEUS IMPACTOS NO SETOR DE TRANSPORTE

A FASE P-7 DO PROCONVE E OS SEUS IMPACTOS NO SETOR DE TRANSPORTE A FASE P-7 DO PROCONVE E OS SEUS IMPACTOS NO SETOR DE TRANSPORTE III Encontro anual da Equipe Técnica do Despoluir Vinícius Ladeira Gerente de Projetos Rio de Janeiro, novembro de 2010. Proconve Programa

Leia mais

VOLVO S80, V70 drive SUPLEMENTO DO MANUAL DE INSTRUÇÕES

VOLVO S80, V70 drive SUPLEMENTO DO MANUAL DE INSTRUÇÕES VOLVO S80, V70 drive SUPLEMENTO DO MANUAL DE INSTRUÇÕES Generalidades Mais silencioso e mais limpo A preocupação ambiental é um valor essencial da Volvo Car Corporation e orientador de toda a nossa actividade.

Leia mais

Caldeiras de Leito Fluidizado

Caldeiras de Leito Fluidizado Caldeiras de Leito Fluidizado João Roberto F. Acenso Gerente de Negócios Energia Ribeirão Preto, 27/10/11 1 Agenda 1. Breve apresentação da Dedini S/A 2. A cana sob o ponto de vista energético 3. O novo

Leia mais

NT PowerBox. Dispositivo eletrônico de fácil instalação que aumenta a potência do motor, diminui a emissão de gases tóxicos e protege o óleo.

NT PowerBox. Dispositivo eletrônico de fácil instalação que aumenta a potência do motor, diminui a emissão de gases tóxicos e protege o óleo. NT PowerBox Dispositivo eletrônico de fácil instalação que aumenta a potência do motor, diminui a emissão de gases tóxicos e protege o óleo. SEU MOTOR TEM BAIXA PERFORMANCE? DÊ UMA DOSE DE NT POWERBOX

Leia mais

Inovações na cadeia cinemática que reduzem os custos de combustível em 3%

Inovações na cadeia cinemática que reduzem os custos de combustível em 3% PRESS RELEASE 23 de agosto de 2016 A nova geração de camiões Scania: Inovações na cadeia cinemática que reduzem os custos de combustível em 3% O objetivo da Scania de ser líder no transporte sustentável

Leia mais

MOTORES Flex. Tadeu Cordeiro, M.Sc., D.Sc. Consultor Senior CENPES/PDAB/DPM. UFRJ Dezembro de 2012

MOTORES Flex. Tadeu Cordeiro, M.Sc., D.Sc. Consultor Senior CENPES/PDAB/DPM. UFRJ Dezembro de 2012 MOTORES Flex Tadeu Cordeiro, M.Sc., D.Sc. Consultor Senior CENPES/PDAB/DPM UFRJ Dezembro de 2012 FLEX FUEL BRASILEIRO Permite a utilização de álcool hidratado (E100), gasolina (E22) ou qualquer mistura

Leia mais

Ministério de Minas e Energia. Diesel BTE e TRR CLÁUDIO AKIO ISHIHARA. Diretor do Departamento de Combustíveis Derivados de Petróleo

Ministério de Minas e Energia. Diesel BTE e TRR CLÁUDIO AKIO ISHIHARA. Diretor do Departamento de Combustíveis Derivados de Petróleo Diesel BTE e TRR CLÁUDIO AKIO ISHIHARA Diretor do Departamento de Combustíveis Derivados de Petróleo 27ª CONVENÇÃO NACIONAL TRR 09/03/2012 SUMÁRIO PROCONVE ACORDO JUDICIAL CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO DIESEL

Leia mais

a) pressão máxima do ciclo; b) rendimento térmico; c) pressão média

a) pressão máxima do ciclo; b) rendimento térmico; c) pressão média Lista 1 de Motores de Combustão Interna 1. Para alguns motores Diesel é adequada a representação do ciclo motor segundo um ciclo dual, no qual parte do processo de combustão ocorre a volume constante e

Leia mais

Apesar da área de simulação de motores ter evoluído muito nos últimos anos, as modelagens do combustível e dos processos de combustão ainda

Apesar da área de simulação de motores ter evoluído muito nos últimos anos, as modelagens do combustível e dos processos de combustão ainda 1 Introdução O fenômeno da combustão sempre esteve diretamente ligado à história da humanidade desde os primórdios de sua existência. No início, através do fogo espontâneo presente na natureza. Pelas suas

Leia mais