Uma análise dos elementos de custos para implantação e manutenção de cursos de ensino a distância nas instituições de ensino superior

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Uma análise dos elementos de custos para implantação e manutenção de cursos de ensino a distância nas instituições de ensino superior"

Transcrição

1 Uma análise dos elementos de custos para implantação e manutenção de cursos de ensino a distância nas instituições de ensino superior An analysis of the elements of costs for implementation and maintenance of distance learning courses in higher education institutions Henrique Cesar Nanni Hamilton Pozo Resumo Esta pesquisa objetiva a análise de custos para a implantação e manutenção de cursos na modalidade de Ensino a Distância (EAD) nas Instituições de ensino superior. A proposta é identificar os conceitos e elementos principais no processo de custos, considerando-se a diversidades que o modelo apresenta. Os dados foram construídos com base em pesquisa exploratória, dados de custos apoiados em pesquisas já desenvolvidas e, como base comparativa para complementação dos cálculos, utilizou-se, também, um estudo de caso da University of Maryland (2001), para robustecer os resultados. A pesquisa mostrou que existem custos mais altos para sua implantação, principalmente quando se trata da elaboração do material didático e aquisição de equipamentos tecnológicos. Porém, esses valores se tornam menos expressivos pela redução de investimentos em infraestrutura física, principalmente quando já existe para a modalidade presencial e/ou pelo grande número de alunos atendidos pela modalidade a distância. Palavras-chave: Ensino a Distância; Custos; Implantação de cursos. Abstract This research aims to analyze costs for implementation and maintenance of learnning courses in higher education institutions. The purpose is to identify the key concepts and elements in the process costs, considering the differences that the model presents. The data analyses were constructed based on exploratory research supported in research of cost data, already developed and, as a comparative basis for complementation of the calculations, was used also a case study of the University of Maryland (2001), to strengthen the results. The research has shown that there are higher costs for its implementation, especially when it comes to the preparation of teaching materials and acquisition of technological equipment. However, these values become less significant for the reduction of investment in physical infrastructure,

2 especially when you already have to face modality and/or the large number of students served by the distance mode. Keywords: Distance learning; Costs; Implementation courses 1. INTRODUÇÃO A definição da Educação a Distância (EAD) tem como consenso geral, entre várias apropriação e especificidades, o conceito de modalidade de aprendizagens onde docentes e discentes estão separados pela distância e tempo (KEEGAN, 1990). Ou seja, a modalidade está alicerçada no uso de recursos que aproximam a comunicação entre os atores. Assim, os alunos estudam de forma independente, com horários e tempo flexíveis em locais diversos, sem a necessidade do sincronismo da comunicação, mas, combinando a autoaprendizagem, reduzindo ou eliminado a presença física (SAVIANI, 2008). É importante destacar que a EAD não é uma metodologia, mas, uma modalidade de ensino embasada em teorias e concepções. Em muitos casos, também proporciona sustentação ao presencial. Porém, a autonomia do aprendente nessa modalidade é fator primordial. Pois, na presencial, o centro das forças educativas é o professor. Já na modalidade EAD, o aprendente é o centro dessa força, calcado na autonomia do processo de ensino e aprendizagem. Nesse caso o professor é o articulador do processo, organizando, planejando e orientando, tornando-se um novo profissional da educação. Neste sentido, a autonomia é a palavra chave para o sucesso dessa modalidade. Até mesmo porque o Ensino a Distância privilegia o aprendente na escolha do que deseja prender, quando, como e onde. No entanto, nem todos conseguem lidar com esta liberdade (INED, 2003). O EAD tem crescido vertiginosamente nos últimos anos. Porém, sua evolução acontece há mais de 200 anos. Inicialmente foi por meio da correspondência, transmissão por rádio e, posteriormente, com a televisão educativa que se mantem até os dias atuais. Contudo, o maior avanço aconteceu com o surgimento da Internet e, consequentemente, pelos seus aplicativos, ampliando as práticas tradicionais (MOORE; KEARSLEY, 1996). As Instituições de Ensino superior (IES) utilizam a internet como ferramenta de comunicação, propiciando um rápido crescimento na EAD, com

3 plataformas de fácil acesso, design instrucional de qualidade, com acesso direto e uso de vários aplicativos nos computadores pessoais, possibilitando de forma síncrona e ou assíncrona o uso da Tecnologia da Informação e Comunicação TIC. Assim, a comunicação é mediada por computador, e comtempla a vídeo conferencia, , banco de dados e bibliotecas virtuais. Contudo, o avanço tecnológico não substituiu o professor, mas, incorporou novas ferramentas de comunicação (MOORE; KEARSLEY, 1996). As ferramentas tecnológicas atribuíram mais credibilidade, consistência e estruturação nos cursos a distância e estão assumindo um papel mais relevante no processo de aprendizagem, seja como complemento do presencial ou totalmente a distância. Para os incrédulos, ou para aqueles que defendem o método tradicional, antes de contestar a eficácia do EAD, reflitam sobre os resultados do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes - ENADE, que estão sendo superiores aos presenciais. Conforme dados do e-mec e Secretaria da Educação a Distância (SEED), em 2009, a maior nota foi de um aluno a distância e, das 13 áreas em que se podem comparar estudantes da educação presencial com aqueles a distância, observa-se que, em sete cursos (Administração, Biologia, Ciências Sociais, Física, Matemática, Pedagogia e Turismo), os alunos de EAD apresentam melhores resultados com uma média de até 50% a mais de rendimento. Tais considerações também são válidas para o ano de O diferencial ocorre pela autonomia, foco e dedicação do aluno, aliados à tecnologia. Consequentemente, tais fatores incentivam a busca por resultados satisfatórios em cada etapa. Oliveira (2008) cita que, diante da atual dinâmica do mercado, para a qual a formação das competências e habilidades é essencial para o sucesso de uma sociedade contemporânea, a educação a distância permite preparar um número maior de pessoas a um custo cada vez menor. Isso levou o governo a investir na EAD como forma de cumprir suas metas educacionais, porém, levou as IES a criar modelos pedagógicos específicos, com regulamentos e formatos diferenciados para a EAD, normatizados pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional LDBN (Lei de 20 de

4 dezembro de 1996), que regulamentou a educação a distância no nosso país (BRASIL, 1996). A EAD deixou de ser uma aposta para ser uma estratégia das IES públicas e privadas para atender a uma demanda da sociedade por cursos superiores de qualidade e de baixo custo aos alunos. Porém, os custos de implantação não são tão baixos como se supõe inicialmente. 2. REVISÃO BIBLIOGRÁFICA 2.1. Educação a distância no Brasil O marco inicial da EAD no Brasil aconteceu no início do século XX, quando os cursos eram voltados para a profissionalização básica. Posteriormente, passou a suprir as deficiências da educação básica; porém, sua linguagem instrucional era para população menos favorecida, fato que proporcionou uma imagem à sociedade de educação inferior (OLIVEIRA, 2008). O desafio do governo na área da educação tem suas bases fundamentadas na EAD, que Delors (2003) caracteriza como revisão da política educacional com novas diretrizes, como a integração democrática dos países no campo da ciência e tecnologia e adaptação de suas culturas no processo da modernização de uma sociedade da informação Referencial de Qualidade na EAD no Brasil O Ministério da Educação e Comunicação (MEC) define a EAD como uma estratégia importante no processo de expansão da Educação superior no Brasil. A proposta de uma boa educação está fundamentada na Lei 9.394/96 e pelo último Decreto 5.622/2005 que estabelece a política de garantia de qualidade no tocante aos variados aspectos ligados à modalidade de educação a distância e norteiam os Referenciais de Qualidade determinados pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDBEN). O decreto visa estabelecer diretrizes às IES para implantação de cursos superiores a distância e acabam fundamentando as normas da EAD, na sua concepção de educação e currículo, no processo de ensino e aprendizagem, nos sistemas de Comunicação e no material didático produzido pela instituição, assim

5 como o sistema de avaliação, equipe multidisciplinar, infraestrutura de apoio, gestão acadêmico-administrativa e sustentabilidade financeira (MEC, 2012) Expansão das IES no Brasil Conforme o IBGE (2010), o censo constatou, nos municípios brasileiros: uma população formada por pessoas. A expansão das Instituições de Ensino Superior Privado IESP com a modalidade da EAD tem acompanhado o crescimento populacional no Brasil. Conforme dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), a educação superior é a mais Privada do mundo. Dados do INEP indicam que 84% dos alunos matriculados em cursos superiores em 2007 foram em IESP e apenas 11% das IES são publicas (INEP, 2008). Já, dados mais recentes (2012), indicam que dos estudantes de graduação matriculados em mais de cursos, foram matriculados em IES públicas e federais, somando mais de 15%. Esses dados corroboram com os resultados obtidos em que demonstram que as matriculas nos cursos superiores na rede publica subiram 7,9% e na privada de 4,8% (INEP, 2012). Contudo, já é Lei aprovada que até 2014, 50% das vagas em federais, serão reservadas para alunos da rede pública Universidade Aberta do Brasil UAB Em 2005, o governo brasileiro instituiu a EAD por meio das universidades virtuais públicas como proposta estratégica de levar o Ensino superior de qualidade em prol do desenvolvimento da educação para os profissionais da educação, atendendo também á demanda social por vagas do ensino superior nos três níveis (Federal, estadual e Municipal) (BRASIL, 2006). A Universidade Aberta do Brasil UAB é um projeto do MEC em parceria com os Estados, Municípios e IES pública. O Governo Federal investe anualmente aproximadamente um bilhão de reais. O projeto contou em 2012 com 94 IES e 750 polos de atendimento distribuídos pelo Brasil, formando cerca de alunos (MEC, 2012).

6 A proposta gerou um instrumento eficaz na universalização, favorecendo a disseminação educação superior e minimizando os impactos das diferenças sociais e a dificuldade de acesso aos grandes centros universitários (OLIVEIRA, 2008). A importância da UAB se fundamenta pelo seu alcance geográfico que é incontestável, suas possibilidades ultrapassam as barreiras territoriais. Para Litto (2009), o aluno que conclui seus estudos no seu habitat, permanece na região e acaba trazendo progresso; já aquele que se desloca do campo para a metrópole, acaba iniciando sua atividade profissional próximo à universidade. Neste sentido, essa modalidade de ensino tem despertado interesse pela possibilidade de redução do espaço físico de salas de aula, gastos com locomoção, despesas, substituição de funcionários entre outras vantagens. É notório que a expansão da EAD ocorre pela estratégia do governo em canalizar recursos governamentais através de seus programas de financiamentos, como Programa Universidade Para Todos (PROUNI) e Universidades Abertas do Brasil UAB, como forma de incrementar os índices de acesso a cursos superiores através dessa modalidade A Importância dos Cursos Superiores Conforme a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico - OCDE, o cidadão com ensino superior no Brasil ganha até 156% a mais. Entre os 30 países pesquisados, o Brasil obteve o maior índice. Em outros países, a média é de 50%. Na ultima década o Brasil investiu mais na educação fundamental e média, mas, no superior os investimentos não estão acompanhando o volume de matrículas que cresceram mais de 50% no período, levando às salas de aula uma população mais madura que estavam afastadas da educação. Contudo, o número de brasileiros acima de 25 anos que completaram o ensino médio é de apenas 30% (OCDE, 2010). Esse fator pode ser explicado pelas duas décadas perdidas ( ), com estagnação na oferta de lugares nas IES. Na maior parte dos países, espera-se que o investimento na educação e formação do indivíduo ocorra pelo aluno e instituições particulares. Contudo,

7 o estado e o contribuinte custeiam boa parte dos gastos. Em se tratando de países emergentes como o Brasil, onde a classe mais pobre ainda é maioria, a EAD torna-se uma grande aliada da inclusão e democratização da educação. Neste sentido, criar centros educacionais com viabilidade econômica que suporta os custos de implantação, manutenção, atualização e implementação com bom planejamento financeiro e comercial, incluindo encargos, salários, consumíveis, sistema de comunicação que consigam a sustentabilidade e autossuficiência com preços accessíveis a todas as camadas sociais, é um grande desafio (NED, 2003) Eficácia de Custo Importante questão é o custo real e o custo-benefício de programas de ensino a distância. São eles realmente rentáveis?. Um estudo realizado por Phelps et al. (1991, p.303) constatou que "o potencial de custo-efetividade do uso de tecnologias online em educação a distância ainda é incerto". O estudo mostrou ainda que os conceitos de custos e eficácia não são tão simples como parecem. Atkinson, apud Ng (2000) observa que: "é possível para um programa para ser eficiente, mas não é rentável se as saídas que são na verdade produzidas não contribuem para os objetivos do programa: que é que pode ser eficiente em fazer as coisas erradas. Ng (2000, p.306) comenta sobre o custo do capital humano. Ele afirma: "O capital humano e os custos de conversão são despesas que podem facilmente ser subestimadas. Afirma, também, que o custo de cursos on-line é afetado pela forma como são implementados: como um acessório ou como meio de ensino primário. Se ele é implementado como um meio de ensino primário, que é consideravelmente mais caro. Caffarella et al. (1992) encontraram em um estudo da Universidade de Northern Colorado informações sobre os custos do processo electrónica de fornecimento em EAD que foram comparados com os do curso com instrutor atuando diretamente no site. A alternativa menos custosa era para a instrução ao vivo, com o instrutor se deslocando para o site e permitindo redução do tempo em algumas semanas. Esta alternativa representou um

8 terço do custo de qualquer alternativa. Carr (2001) analisou um relatório do programa da Califórnia State University, que mostrou uma redução de custos em seus programas de EAD. O relatório constatou que apenas nos cursos com volume enorme de alunos e com muitas seções mostrava ser viável economicamente possível. Os custos iniciais, custos de manutenção e custos de pessoal também devem ser considerados para se chegar a um custo real de um programa de ensino a distância. Walcott apud Carter (2000, p.249) demonstrou em um estudo de EAD que: "para efetivamentediminuir as distâncias entre salas de aula e de ensino a distância, os professores precisam olhar para o ensino a distância do ponto de vista dos estudantes. A Instituição deve, também, estar cientede obtermateriais didáticos, apostilas, testes e outrositensdo processoao mesmo tempo. É importante paraos instrutoresdesenvolveremum senso de comunidade entre os locais de apoio e de ensino para obter o máximo de participação, e obter dos alunos total adesão ao processo. A idéia e aprendizagem como um processo de colaboração é muito importante quando os alunos estão separados pela distância. Segundo a pesquisa de Palloffe Pratt (2000, p.6): "processos de aprendizagem colaborativa auxiliam os alunos a atingirem níveis mais profundos de geração de conhecimento através da criação de objetivos comuns, exploração compartilhada, e um processo compartilhado de construção de significados". Cabe ao professor estar ciente disso no ambiente de aprendizagem a distância e incentivar a aprendizagem colaborativa e um senso de comunidade entre os alunos. 3. MÉTODO Trata-se de uma pesquisa exploratória, descritiva e qualitativa. A construção dos dados surgiu de analise de vários documentos primários e secundários, artigos acadêmicos e relato de profissionais que trabalham com Hamilton 2/27/13 5:34 PM Deleted: E Hamilton 2/27/13 5:34 PM Deleted: LOGIA

9 a EAD, bem como, apoio no estudo de caso da University Maryland (2001) para comparar e fortalecer os dados levantados. Marconi e Lakatos (2001) e Malhotra (2001, p.106) explicam a pesquisa exploratória como: um tipo de pesquisa que tem como principal objetivo o fornecimento de critérios sobre a situação-problema enfrentada pelo pesquisador e sua compreensão. Para tal finalidade, estuda-se um grupo ou comunidade em termos de sua estrutura, ressaltando a interação de seus componentes (YIN, 2005). Chizzotti (2005) descreve que o estudo de caso designa uma diversidade de pesquisas que coletam e registram dados de um caso particular ou de vários casos, a fim de organizar um relatório ordenado e crítico de uma experiência, ou avaliá-la analiticamente, objetivando tomar decisões a seu respeito ou propor uma ação transformadora. A pesquisa é exploratória e qualitativa. A escolha desta metodologia visa buscar informações em direção a inovações tecnológicas de forma global, porém, de forma qualitativa e delimitada na descrição do fenômeno investigado. Para esta percepção, optou-se pelo estudo de caso único para fundamentar de forma delimitada o setor industrial de contêineres no processo de distribuição física de cargas. Marconi e Lakatos (2001) entendem como relevante a pesquisa documental, pois é o tipo de pesquisa que ainda não possui tratamento científico relevante, mas que mostra a situação-problema com clareza, sendo composta por informações coletadas na empresa que podem fornecer um panorama coerente sobre a situação-problema. Assim a metodologia do estudo de caso é aplicada associada a uma revisão bibliográfica ante aos resultados das entrevistas as quais favorecem as experiências pontuais. Conforme Gay e Airasian (2003), pode-se afirmar que a abordagem de pesquisa adotada nesta pesquisa corresponde à qualitativa, uma vez que houve um nível considerável de interação entre pesquisador e participante. O estudo de caso, segundo Eisenhardt (1989), consiste em uma estratégia de pesquisa concentrada na percepção das dinâmicas existentes no contexto de cenários singulares, aliando métodos, como: entrevistas,

10 documentos, questionários e considerações. Voss, Tsikriktsis e Frolich (2002) afirmam que tal método é utilizado quando se pretende estudar o fenômeno em seu contexto e quando se almeja explorar variáveis desconhecidas ou fenômenos parcialmente compreendidos, levando a respostas de perguntas do tipo por que, o quê e como em certo grau de profundidade. As informações obtidas na pesquisa sobre a implantação e manutenção foram convertidas em carga horária trabalhada para sua realização, como forma de transformá-los em dados para que possam ser mensurados. E seu valor hora (salário, encargos e benefícios ou terceirização/horista) foi elaborado de acordo com cada profissional/função/cargo e calculado pelo valor médio pago pelas IES aos colaboradores. A Infraestrutura e demais recursos analisados tem a capacidade de atender 420 alunos com 30 disciplinas de 80 horas no semestre, durante 36 meses de curso. Ou seja, buscou-se levantar os custos mensais de um curso em pleno funcionamento. Independente se houver o investimento no terreno e construção, ou mesmo a compra do prédio, levou-se em consideração o valor do aluguel. Os cálculos foram elaborados mensalmente e considerou-se o rateio pelo número de alunos atendidos e que absorverão os custos. Cada tabela citada nos resultados detalha a forma como foram elaborados custos, assim como, a depreciação ou exaustão de seus elementos. Na elaboração dos custos, para disciplinas de 80 horas, consideram-se, infraestrutura de implantação, desenvolvimento instrucional, custos de manutenção da equipe de trabalho e operacional. O valor foi multiplicado pela média da carga horaria das IES pesquisadas, (2.400 horas) por curso e dividido pelo número de alunos atendidos no período, considerando a infraestrutura. 4. ANÄLISE E DISCUSÃO DOS DADOS 4.1. Gestão de Implantação da EAD Quando a Instituição tradicional opta por oferecer também a modalidade a distância, deve reconsiderar sua politica institucional em relação

11 às suas necessidades e estratégias, abordando com especificidade seu papel neste novo mercado (INED, 2003). Conforme Nogueira (2002) quando nos propomos a implantar um curso superior a distância, precisamos ser um dirigente da gestão escolar, evitando as características de um gestor-administrador de cifras e tecnologias, para não deixar em segundo plano os recursos humanos, políticos e ideológicos. Assim, precisamos implantar cursos com suas bases fundamentadas nas relações pedagógicas com determinantes sociais estratégicos que propiciam o ensino e aprendizado na educação superior. A implantação da EAD inicia-se com o Projeto Politico Pedagógico PPP que propicie uma relação didático-pedagógica dos cursos em questão, relacionando: Recursos materiais; Conteúdos pedagógicos; Capacitação dos profissionais; Suporte Técnico e Avaliação dos procedimentos. Esses procedimentos dispõem de ofertas das disciplinas, atendimento, orientação e horários de laboratórios. Para isso, o ideal é que as IES mantenham uma equipe interdisciplinar, integrada e colaborativa, com posições-chave em cada departamento com autonomia e poder de decisão de forma efetiva em seu quadro. Uma boa gestão deve buscar a garantia que as IES consigam superar as barreiras socioeconômicas, sociais, culturais e geográficas à aprendizagem, satisfazendo as necessidades e expectativas das respectivas comunidades, intermediando a demanda por cursos superiores. Assim como, desenvolver estratégias para o acesso aos recursos tecnológicos disponíveis, encorajando a capacidade de mudar e a aprendizagem ao longo da vida. Consequentemente, os objetivos das IES são alcançar a qualidade e igualdade nos serviços educacionais; incentivar o autodesenvolvimento; melhorar as expectativas de emprego; ser suficientes em termos de recursos financeiros, ter lucros e serem autossustentáveis (INED, 2003) Aspectos do Projeto Politico Pedagógico - PPP O projeto é fruto do planejamento. O planejamento tem como objetivo minimizar os efeitos negativos que possam ocorrer e maximizar as

12 oportunidades, para isso, busca dados do passado, fazendo a ligação do presente com o futuro (MAXIMIANO, 2006). O gestor deve ter em mente a necessidade de criar rupturas no sistema, enfrentar o risco do novo e colocar o diálogo frente ao conflito. É neste sentido que o PPP é uma forma de organização do trabalho e tem o propósito de prever, descrever e definir as ações necessárias do curso e o desenvolvimento do processo educativo. O PPP deve prever que só a tecnologia não garante a construção do conhecimento, neste sentido a EAD deve envolver todo um sistema. O Setor de Desenvolvimento Instrucional desempenha um importante papel no processo de custos, principalmente quando se trata de professores conteudistas na elaboração do material didático impresso. Contudo, O PPP deve partir da análise das necessidades de mercado, considerando as características pedagógicas e os objetivos da instituição, que pode ser como complemento da presencial, semipresencial, combinada ou totalmente online. Ou seja, deve levar em consideração a mistura de meios e interação de tecnologia e sistema de avaliação (INED, 2003). O projeto pedagógico deve conter: curso, modalidade, natureza, instituição, carga horaria, duração, eixos estruturantes, justificativas, habilidades e competências, exigências curriculares, pressupostos teóricometodológicos (matriz curricular, dimensão legal), processos de mediação, processo avaliativo, sistema tutorial, mecanismos de nivelamento, estágio, gestão acadêmica e administrativa, equipe de professores do projeto, equipe de colaboradores, infraestrutura, orçamentos (investimento e custeio) e certificação Infraestrutura e Tecnologia Um dos aspectos mais importantes refere-se às variáveis das TICs existentes e à infra estrutura de um parque tecnológico para atender a demanda dos usuários. Para isso, as estratégias de implantação devem considerar o ambiente adequado para execução das atividades presenciais, gravação das vídeoaulas a criar um departamento que incremente o uso de Tecnologias de Informação e Comunicação Educacionais, voltadas a escolha

13 de equipamentos, ferramentas e aplicativos inovadores, práticos, adaptáveis e flexíveis destinadas a EAD. O investimento pode ser maior ou menor (ex. conexão de alta velocidade e desempenho, com redes digitais e serviços integrados e/ou para vídeo conferencia num só sentido ou nos dois sentidos) entre outras variáveis Ambiente Virtual de Aprendizagem AVA A EAD necessita de um ambiente virtual para disponibilizar os recursos didático-pedagógicos. Assim o aluno utiliza esse espaço para sua autoaprendizagem. São softwares que auxiliam na criação de cursos acessíveis através da internet. Sua função é dar suporte aos profissionais da educação, administrando e gerenciando conteúdos do curso, permitindo acompanhar o progresso dos estudantes (MOODLE, 2012). É por meio desta plataforma que a comunicação entre aluno-professor e professor-aluno acontece de forma síncrona ou assíncrona. Neste ambiente se encontram as ferramentas tecnológicas para as atividades pedagógicas e outros recursos para a aprendizagem do aluno. A plataforma ganhou importância com o desenvolvimento das TICs e seu efeito positivo na educação e no processo de aprendizagem, por ser uma "mídia de comunicação" que envolve a composição de diversos meios: textos (lineares) e hipertextos (vários links com textos ou textos com vários links), fóruns, chats, vídeos, áudio, multimídia (diversos meios simultaneamente), hipermídia (associação entre hipertexto e multimídia), animação, , videoconferência, teleconferência e também através de Documentos híbridos de texto/gráficos, Imagens a cores, estáticas e animadas ou vídeo, modelos 3-D, interação e simulação etc. Neste sentido, a educação a distância utilizase gratuitamente de ferramentas, aplicativos e outros meios de comunicação e compartilhamento do conhecimento Material Didático Pedagógico Impresso/Virtual A EAD tem suas raízes no material impresso e, mesmo com alternativas tecnológicas atraentes, ainda exerce um importante papel nessa modalidade de ensino. Apesar das vantagens, devemos considerar suas limitações, como as redações, atratividade e compreensão. Uma pesquisa sobre letramento

14 realizada por pesquisadores da ONG Ação Educativa (http://www.cedes.unicamp.br) com uma amostra de 405 pessoas com nível médio completo ou mais, identificou que 35% dos pesquisados conseguem localizar informações explicitas em textos curtos e alguns em textos médios. Nesse contexto, desenvolver textos longos e complexos dificultará a aprendizagem. Assim, conciliar qualidade de conteúdo com qualidade instrucional é uma competência difícil de encontrar no meio acadêmico (PETERS, 2002). Neste sentido, o material didático tem a função de repassar informações, desenvolver habilidades, exemplificar aplicações do conhecimento, prover conexões com outros meios, apresentar reflexões para autoavaliação e manual de consulta permanente. Portanto, formar uma equipe dinâmica, criativa, democrática, competente e habilidosa e com capacidade de interagir em grupo é um grande desafio. Ou seja, é fundamental a parceria entre os diversos setores: professores de conteúdo, desenhistas instrucionais, web-designers, ilustradores, roteirista, programadores, analistas, entre outros profissionais que fazem as correções, análise e avaliação até o envio para a produção gráfica. Outro fator de importância na construção do material impresso é sobre o respeito aos direitos autorais, que não finaliza com a autorização. Envolve vários departamentos relacionados à integração de recursos humanos, sistemas, procedimentos, biblioteca, jurídico, edição e gráfica, tecnologia e informações. O copyright é o direito que um autor tem de controlar a utilização da sua obra. Porém, depois de expirado os direitos de autor, a obra passa a ser domínio público, e pode ser utilizada livremente, desde que respeitada a citação, conforme determina a Norma Brasileira de Redação NBR; contudo, a Propriedade intelectual(pi) encontra-se protegida pela legislação nacional para marcas e patentes (INED, 2003) Setor de Recrutamento e Capacitação Para a implantação da EAD, as estratégias desenvolvidas no presencial têm enor valor. Os paradigmas enfrentados, problemas e delimitações do sistema são exponencialmente maiores. As competências e habilidades

15 exigidas no EAD são bastante diferenciadas para o professor da modalidade presencial. O recrutamento e a capacitação de profissionais denominados como tutores, professores, facilitadores, mediadores, supervisores e coordenadores, design instrucional, gestores, editores, autores e elaboradores de textos, analistas, especialistas, palestrantes, conferencista, projetistas, diretores de cursos, redatores e colaboradores em geral, devem ser vistos com grande desafio para a IES Elementos de Custos Não se encontra literatura que aponte dados financeiros para a implantação de cursos a distância nas IES. Quando falamos de custos ou gastos, muitas vezes confundimos com despesas ou investimento. A contabilidade considera que os custos e as despesas são inseridos no conceito de gastos, que é o dispêndio financeiro para realização dos serviços. Ou seja, gastos é a soma de todos os sacrifícios para aquisição de um bem ou serviço. Já os custos são os sacrifícios financeiros com as quais as IES têm de arcar para atingir seus objetivos. As despesas são os gastos para realização dos serviços, ou seja, não fazem parte do processo da entrega de valor. Martins (1998) considera os custos das IES como serviços constituídos de atividades, ou seja, um custo baseado em atividades. Neste sentido, devido às dificuldades encontradas em levantar os custos, despesas e gastos dessas atividades, o autor cita que a melhor forma de identificar o custo de uma atividade educacional no EAD é compará-la à presencial, avaliando parte dos elementos de custos, através da metodologia Activity- BasedCosting ABC, possibilitando maior flexibilidade em sua alocação. Os maiores custos estão relacionados com a implantação e operação das IES. Contudo, uma das variáveis que mais ameaça os custos é a rápida mudança que ocorre na tecnologia. O acesso a novas tecnologias são extremamente altas. As IES precisam manter atualizados seus recursos tecnológicos, neste sentido, existe um custo periódico nesse método. Outra forma de calcular é pelo custo de absorção. Caracteriza-se pela apropriação de todos os custos (diretos, indiretos, fixos e variáveis) aos

CONSELHO UNIVERSITÁRIO

CONSELHO UNIVERSITÁRIO P R O P O S T A D E P A R E C E R CONSELHO UNIVERSITÁRIO PROCESS0 Nº: 007/2014 ASSUNTO: Proposta de texto Construção de Políticas e Práticas de Educação a Distância a ser incluído no Plano de Desenvolvimento

Leia mais

CURSO DE LICENCIATURA EM BIOLOGIA À DISTÂNCIA: POSSIBILIDADE E REALIDADE

CURSO DE LICENCIATURA EM BIOLOGIA À DISTÂNCIA: POSSIBILIDADE E REALIDADE CURSO DE LICENCIATURA EM BIOLOGIA À DISTÂNCIA: POSSIBILIDADE E REALIDADE Kátia M.V.G.Segovia 1 ; Tallyrand M..Jorcelino 2, Uziel S.Alves 3, Alice M.Ribeiro 4 Autor: Graduanda em Licenciatura em Biologia

Leia mais

softwares que cumprem a função de mediar o ensino a distância veiculado através da internet ou espaço virtual. PEREIRA (2007)

softwares que cumprem a função de mediar o ensino a distância veiculado através da internet ou espaço virtual. PEREIRA (2007) 1 Introdução Em todo mundo, a Educação a Distância (EAD) passa por um processo evolutivo principalmente após a criação da internet. Os recursos tecnológicos oferecidos pela web permitem a EAD ferramentas

Leia mais

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO PARA TUTORES - PCAT

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO PARA TUTORES - PCAT 1 RESOLUÇÃO CONSU 2015 04 de 14/04/2015 PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO PARA TUTORES - PCAT Campus Virtual 2 A. JUSTIFICATIVA A vida universitária tem correspondido a um período cada vez mais

Leia mais

Prof. Me. Gilson Aparecido Castadelli

Prof. Me. Gilson Aparecido Castadelli Projeto de Implantação do Núcleo Tecnológico de Educação Aberta - NTEA Prof. Me. Gilson Aparecido Castadelli Ourinhos - 2012 2 1- DADOS GERAIS 1.1 UNIDADE EXECUTORA FIO - FACULDADES INTEGRADAS DE OURINHOS

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação a Distância SEED Departamento de Regulação e Supervisão da Educação a Distância Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep

Leia mais

A EXPANSÃO DO ENSINO SUPERIOR NO BRASIL: A QUALIDADE DA OFERTA A DISTÂNCIA DO CURSO DE PEDAGOGIA A PARTIR DA LDB DE 1996

A EXPANSÃO DO ENSINO SUPERIOR NO BRASIL: A QUALIDADE DA OFERTA A DISTÂNCIA DO CURSO DE PEDAGOGIA A PARTIR DA LDB DE 1996 A EXPANSÃO DO ENSINO SUPERIOR NO BRASIL: A QUALIDADE DA OFERTA A DISTÂNCIA DO CURSO DE PEDAGOGIA A PARTIR DA LDB DE 1996 RESUMO Aila Catori Gurgel Rocha 1 Rosana de Sousa Pereira Lopes 2 O problema proposto

Leia mais

PERSPECTIVAS SOBRE O USO DO DESIGN INSTRUCIONAL PARA UMA EaD INCLUSIVA: POR ONDE ESTAMOS CAMINHANDO

PERSPECTIVAS SOBRE O USO DO DESIGN INSTRUCIONAL PARA UMA EaD INCLUSIVA: POR ONDE ESTAMOS CAMINHANDO PERSPECTIVAS SOBRE O USO DO DESIGN INSTRUCIONAL PARA UMA EaD INCLUSIVA: POR ONDE ESTAMOS CAMINHANDO Carlos Eduardo Rocha dos Santos Universidade Bandeirante Anhanguera carlao_santos@yahoo.com.br Oswaldo

Leia mais

FACULDADE ZACARIAS DE GÓES

FACULDADE ZACARIAS DE GÓES FACULDADE ZACARIAS DE GÓES DIEGO DE JESUS BONFIM EDUCAÇÃO ONLINE Valença Bahia Dezembro 2011 DIEGO DE JESUS BONFIM EDUCAÇÃO ONLINE Resenha a ser apresentada como avaliação da disciplina EAD em Ambiente

Leia mais

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Faculdade Educacional da Lapa 1 FAEL RESULTADOS - AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012 O referido informativo apresenta uma súmula dos resultados da autoavaliação institucional, realizada no ano de 2012, seguindo

Leia mais

Curso de Especialização em Saúde da Família

Curso de Especialização em Saúde da Família MÓDULO: FAMILIARIZAÇÃO TECNOLÓGICA COM EAD UNIDADE 02 PROCESSO DE INTERAÇÃO EM EAD Prof. Msc Rômulo Martins 2.1 Interação em EAD A partir das novas mídias e tecnologias, tais como a televisão, o telefone

Leia mais

O PAPEL DO TUTOR A DISTÂNCIA NO ENSINO DE INFORMÁTICA: A EXPERIÊNCIA DO CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET UAB/IFSUL

O PAPEL DO TUTOR A DISTÂNCIA NO ENSINO DE INFORMÁTICA: A EXPERIÊNCIA DO CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET UAB/IFSUL O PAPEL DO TUTOR A DISTÂNCIA NO ENSINO DE INFORMÁTICA: A EXPERIÊNCIA DO CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET UAB/IFSUL Pelotas RS Maio 2010 Letícia Marques Vargas IFSul le.mvargas@gmail.com Gabriela

Leia mais

Planejamento e Gestão das disciplinas na modalidade a distância em Cursos de Graduação Presencial: Conteúdo, Aprendizagem e Construção do Conhecimento

Planejamento e Gestão das disciplinas na modalidade a distância em Cursos de Graduação Presencial: Conteúdo, Aprendizagem e Construção do Conhecimento Planejamento e Gestão das disciplinas na modalidade a distância em Cursos de Graduação Presencial: Conteúdo, Aprendizagem e Construção do Conhecimento Maio/2010 AMARAL, Rita de Cássia Borges de Magalhães

Leia mais

Sistema de Educação a Distância Publica no Brasil UAB- Universidade Aberta do Brasil. Fernando Jose Spanhol, Dr

Sistema de Educação a Distância Publica no Brasil UAB- Universidade Aberta do Brasil. Fernando Jose Spanhol, Dr Sistema de Educação a Distância Publica no Brasil UAB- Universidade Aberta do Brasil Fernando Jose Spanhol, Dr www.egc.ufsc.br www.led.ufsc.br O Sistema UAB Denominação representativa genérica para a rede

Leia mais

Educação a Distância: Opção Estratégica para Expansão do Ensino Superior Anaci Bispo Paim

Educação a Distância: Opção Estratégica para Expansão do Ensino Superior Anaci Bispo Paim Educação a Distância: Opção Estratégica para Expansão do Ensino Superior Anaci Bispo Paim Conselheira do Conselho Nacional de Educação Câmara de Educação Superior EAD NO BRASIL 1ª Fase: Década de 60 Ensino

Leia mais

CURSOS DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA DO ESTADO DE SÃO PAULO, NO BRASIL: UMA DESCRIÇÃO COM BASE EM DADOS DE 2010

CURSOS DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA DO ESTADO DE SÃO PAULO, NO BRASIL: UMA DESCRIÇÃO COM BASE EM DADOS DE 2010 Capítulo. Análisis del discurso matemático escolar CURSOS DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA DO ESTADO DE SÃO PAULO, NO BRASIL: UMA DESCRIÇÃO COM BASE EM DADOS DE 200 Marcelo Dias Pereira, Ruy César Pietropaolo

Leia mais

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014 A CPA (Comissão Própria De Avaliação) apresentou ao MEC, em março de 2015, o relatório da avaliação realizada no ano de 2014. A avaliação institucional, realizada anualmente, aborda as dimensões definidas

Leia mais

O USO DO FÓRUM DE DISCUSSÃO E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS NO AVA MOODLE: UMA ESTRATÉGIA PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA PARA ALUNAS SURDAS

O USO DO FÓRUM DE DISCUSSÃO E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS NO AVA MOODLE: UMA ESTRATÉGIA PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA PARA ALUNAS SURDAS O USO DO FÓRUM DE DISCUSSÃO E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS NO AVA MOODLE: UMA ESTRATÉGIA PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA PARA ALUNAS SURDAS Carlos Eduardo Rocha dos Santos, UNIBAN, carlao_santos@yahoo.com.br Oswaldo

Leia mais

XVII SEMINÁRIO NACIONAL DE ENSINO DA MEDICINA VETERINÁRIA. 13 a 15 de agosto de 2008 Brasília - DF

XVII SEMINÁRIO NACIONAL DE ENSINO DA MEDICINA VETERINÁRIA. 13 a 15 de agosto de 2008 Brasília - DF XVII SEMINÁRIO NACIONAL DE ENSINO DA MEDICINA VETERINÁRIA 13 a 15 de agosto de 2008 Brasília - DF MODELOS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA EaD Informática como ferramenta pedagógica no ensino da Medicina Veterinária

Leia mais

Utilização de recursos pedagógicos de ambientes virtuais como complemento para atividades presenciais no ensino superior. Sanmya Feitosa Tajra

Utilização de recursos pedagógicos de ambientes virtuais como complemento para atividades presenciais no ensino superior. Sanmya Feitosa Tajra Utilização de recursos pedagógicos de ambientes virtuais como complemento para atividades presenciais no ensino superior Sanmya Feitosa Tajra Mestre em Educação (Currículo)/PUC-SP Professora de Novas Tecnologias

Leia mais

1 - Dos componentes da metodologia do Curso de Pedagogia a Distância CEAD/UAB

1 - Dos componentes da metodologia do Curso de Pedagogia a Distância CEAD/UAB RESOLUÇÃO INTERNA CEAD Nº 001/2013-CONCENTRO (ALTERADA RES.05/2014) Sistema de Educação a Distância Do CEAD para a oferta do Curso de Pedagogia a Distância/UAB Dispõe sobre a metodologia do Curso de Pedagogia

Leia mais

Curso de ESPECIALIZAÇÃO EM SUPERVISÃO ESCOLAR E GESTÃO DE PROJETOS

Curso de ESPECIALIZAÇÃO EM SUPERVISÃO ESCOLAR E GESTÃO DE PROJETOS Curso de ESPECIALIZAÇÃO EM SUPERVISÃO ESCOLAR E GESTÃO DE PROJETOS ÁREA DO CONHECIMENTO: Educação. NOME DO CURSO: Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em Supervisão Escolar e Gestão de Projetos.

Leia mais

Gestão e Formação Pedagógica em: Administração, Inspeção, Orientação e Supervisão Objetivo do curso:

Gestão e Formação Pedagógica em: Administração, Inspeção, Orientação e Supervisão Objetivo do curso: Com carga horária de 720 horas o curso Gestão e Formação Pedagógica em: Administração, Inspeção, Orientação e Supervisão é desenvolvido em sistema modular, com 01 encontro por bimestre (total de encontros

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação UF: DF Superior. ASSUNTO: Instrumentos de avaliação para credenciamento

Leia mais

MINI STÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINI STRO P ORTARIA Nº 808, DE 18 DE JUNHO DE 2010

MINI STÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINI STRO P ORTARIA Nº 808, DE 18 DE JUNHO DE 2010 MINI STÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINI STRO P ORTARIA Nº 808, DE 18 DE JUNHO DE 2010 Aprova o instrumento de avaliação para reconhecimento de Cursos Pedagogia, no âmbito do Sistema Nacional de Avaliação

Leia mais

ANAIS DA VII JORNADA CIENTÍFICA DA FAZU 20 a 24 de outubro de 2008 ARTIGOS CIENTÍFICOS COMPUTAÇÃO SUMÁRIO

ANAIS DA VII JORNADA CIENTÍFICA DA FAZU 20 a 24 de outubro de 2008 ARTIGOS CIENTÍFICOS COMPUTAÇÃO SUMÁRIO ARTIGOS CIENTÍFICOS COMPUTAÇÃO SUMÁRIO AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES PESQUISADORES... 2 AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES PESQUISADORES SILVA, M.M Margareth Maciel Silva

Leia mais

Infraestrutura de EaD para apoio a cursos presenciais. Prof. ª Dra. Christine da Silva Schröeder ICEAC/SEaD/FURG christine1004sch@gmail.

Infraestrutura de EaD para apoio a cursos presenciais. Prof. ª Dra. Christine da Silva Schröeder ICEAC/SEaD/FURG christine1004sch@gmail. Infraestrutura de EaD para apoio a cursos presenciais Prof. ª Dra. Christine da Silva Schröeder ICEAC/SEaD/FURG christine1004sch@gmail.com Perspectivas de análise: EAD e mudança Perspectivas de análise:

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul ANEXO I MANUAL DE ALTERAÇÃO DE PPCs DE CURSOS SUPERIORES

Leia mais

Congresso CONSAD de Gestão Pública

Congresso CONSAD de Gestão Pública Congresso CONSAD de Gestão Pública Brasília DF, 26 a 28 de maio de 2008 Múltiplas Mídias na Formação e Desenvolvimento dos Servidores Públicos do diagnóstico ao modelo de capacitação: a experiência da

Leia mais

EAD NO BRASIL: A RELAÇÃO ENTRE O IDH REGIONAL E UMA EDUCAÇÃO DE QUALIDADE

EAD NO BRASIL: A RELAÇÃO ENTRE O IDH REGIONAL E UMA EDUCAÇÃO DE QUALIDADE 1 EAD NO BRASIL: A RELAÇÃO ENTRE O IDH REGIONAL E UMA EDUCAÇÃO DE QUALIDADE Maringá Pr. 05/2015 Ednar Rafaela Mieko Shimohigashi Centro Universitário Cesumar ednar.shimohigashi@unicesumar.edu.br Eliane

Leia mais

O desenvolvimento da EaD pode ser descrito basicamente em três gerações, conforme os avanços e recursos tecnológicos e de comunicação de cada época.

O desenvolvimento da EaD pode ser descrito basicamente em três gerações, conforme os avanços e recursos tecnológicos e de comunicação de cada época. Educação a distância (EaD, também chamada de teleducação), por vezes designada erradamente por ensino à distância, é a modalidade de ensino que permite que o aprendiz não esteja fisicamente presente em

Leia mais

RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 040/2007

RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 040/2007 RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 040/2007 Aprova a Reformulação do Regimento da Educação a Distância O Reitor da Universidade do Contestado, no uso de suas atribuições, de acordo com o Art. 25 do Estatuto da Universidade

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 1 FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Recife PE - Abril 2010 Ivanda Maria Martins Silva - UFRPE martins.ivanda@gmail.com Categoria (Conteúdos e Habilidades) Setor Educacional (Educação

Leia mais

UNIVERSIDADE, EAD E SOFTWARE LIVRE

UNIVERSIDADE, EAD E SOFTWARE LIVRE Universidade Federal de Minas Gerais Elisa Castro Pedro Henrique Ferreira Simas Ricardo Freitas de Paula UNIVERSIDADE, EAD E SOFTWARE LIVRE Belo Horizonte 2011 O Ensino a Distância da Estatística Básica

Leia mais

DA EDUCAÇÃO TRADICIONAL ÀS NOVAS TECNOLOGIAS APLICADAS À EDUCAÇÃO

DA EDUCAÇÃO TRADICIONAL ÀS NOVAS TECNOLOGIAS APLICADAS À EDUCAÇÃO 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 DA EDUCAÇÃO TRADICIONAL ÀS NOVAS TECNOLOGIAS APLICADAS À EDUCAÇÃO Natália Aguiar de Menezes 1 RESUMO: Observa-se que com o passar dos anos o ensino superior

Leia mais

A atuação do TecSaúde e da Fundação do Desenvolvimento Administrativo para a formação em EAD de trabalhadores do SUS

A atuação do TecSaúde e da Fundação do Desenvolvimento Administrativo para a formação em EAD de trabalhadores do SUS A atuação do TecSaúde e da Fundação do Desenvolvimento Administrativo para a formação em EAD de trabalhadores do SUS São Paulo SP Maio 2012 Setor Educacional Educação Corporativa Classificação das Áreas

Leia mais

Educação a Distância: uma alternativa para a UFBA? Introdução

Educação a Distância: uma alternativa para a UFBA? Introdução Educação a Distância: uma alternativa para a UFBA? Nicia Cristina Rocha Riccio nicia@ufba.br Introdução Com o advento das tecnologias de informação e comunicação (TICs) a Educação a Distância (EAD) ganha

Leia mais

ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados. PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com.

ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados. PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com. ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com.br CPC Conceito Preliminar de Curso 1 - Nota dos Concluintes no ENADE

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação UF: DF Superior. ASSUNTO: Diretrizes para a elaboração, pelo INEP,

Leia mais

Belém PA, Maio 2012. Categoria: Pesquisa e Avaliação. Setor Educacional: Educação Universitária. Macro: Sistemas e Instituições de EAD

Belém PA, Maio 2012. Categoria: Pesquisa e Avaliação. Setor Educacional: Educação Universitária. Macro: Sistemas e Instituições de EAD 1 A QUALIDADE DOS CURSOS SUPERIORES A DISTÂNCIA: CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS E BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL UAB Belém PA, Maio 2012 Categoria: Pesquisa e Avaliação

Leia mais

A TERCEIRA GERAÇÃO DA EAD E SUA INFLUÊNCIA NA DEMOCRATIZAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR BRASILEIRO

A TERCEIRA GERAÇÃO DA EAD E SUA INFLUÊNCIA NA DEMOCRATIZAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR BRASILEIRO Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 624 A TERCEIRA GERAÇÃO DA EAD E SUA INFLUÊNCIA NA DEMOCRATIZAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR BRASILEIRO Fabiane Carniel 1,

Leia mais

DIRETRIZES DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NO SISTEMA INTEGRADO DE FORMAÇÃO DA MAGISTRATURA DO TRABALHO - SIFMT

DIRETRIZES DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NO SISTEMA INTEGRADO DE FORMAÇÃO DA MAGISTRATURA DO TRABALHO - SIFMT DIRETRIZES DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NO SISTEMA INTEGRADO DE FORMAÇÃO DA MAGISTRATURA DO TRABALHO - SIFMT 1 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 2. CENÁRIO PROFISSIONAL 3. CONCEPÇÃO DA APRENDIZAGEM E METODOLOGIA 4. ESTRATÉGIAS

Leia mais

Projeto de Gestão Compartilhada para o Programa TV Escola. Projeto Básico

Projeto de Gestão Compartilhada para o Programa TV Escola. Projeto Básico Secretaria de Educação a Distância Departamento de Planejamento em EAD Coordenação Geral de Planejamento de EAD Programa TV Escola Projeto de Gestão Compartilhada para o Programa TV Escola Projeto Básico

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação em Direito (presencial e a distância)

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação em Direito (presencial e a distância) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais

A importância da Educação à Distância para o desenvolvimento Profissional no ensino superior

A importância da Educação à Distância para o desenvolvimento Profissional no ensino superior A importância da Educação à Distância para o desenvolvimento Profissional no ensino superior Janaína Batista da Silva Larissa Horrara de Almeida Leonardo Lopes Liliana Oliveira Palhares da Silva Luciana

Leia mais

Mestrado em Educação Superior Menção Docência Universitária

Mestrado em Educação Superior Menção Docência Universitária Apresentação Mestrado em Educação Superior Menção Docência Universitária A Vice-Reitoria de Pesquisa, Inovação e Pósgraduação da Universidad Arturo Prat del Estado de Chile, ciente da importância dos estudos

Leia mais

Duvidas administrativas dos cursos da EAD Metodista:

Duvidas administrativas dos cursos da EAD Metodista: Duvidas administrativas dos cursos da EAD Metodista: A metodista é credenciada pelo MEC para o oferecimento de cursos a distância? Sim. A Universidade Metodista de São Paulo recebeu o credenciamento do

Leia mais

UM QUADRO DA MODALIDADE EAD NAS IFES

UM QUADRO DA MODALIDADE EAD NAS IFES UM QUADRO DA MODALIDADE EAD NAS IFES Prof. Dr. Ariel Behr ariel.behr@ufrgs.br UFRGS/FCE/DCCA Prof. Msc. Camila Furlan da Costa camilacosta@unipampa.edu.br UNIPAMPA/Campus Santana do Livramento Fortaleza,

Leia mais

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS Projeto de Lei nº 8.035, de 2010 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional O PNE é formado por: 10 diretrizes; 20 metas com estratégias

Leia mais

Esfera: 10 Função: 12 - Educação Subfunção: 367 - Educação Especial UO: 26298 - Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação

Esfera: 10 Função: 12 - Educação Subfunção: 367 - Educação Especial UO: 26298 - Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Programa 1374 Desenvolvimento da Educação Especial Numero de Ações 16 Ações Orçamentárias 0511 Apoio ao Desenvolvimento da Educação Especial Produto: Projeto apoiado UO: 26298 - Fundo Nacional de Desenvolvimento

Leia mais

FÓRUM: MEIO DE INTERAÇÃO NA EAD

FÓRUM: MEIO DE INTERAÇÃO NA EAD 1 FÓRUM: MEIO DE INTERAÇÃO NA EAD Elisangela Lunas Soares UNICESUMAR Centro Universitário Cesumar elisangela.soares@unicesumar.edu.br Alvaro Martins Fernandes Junior UNICESUMAR Centro Universitário Cesumar

Leia mais

SEMI-PRESENCIALIDADE NO ENSINO SUPERIOR: ALGUNS RESULTADOS DESSA MODALIDADE NA FGF

SEMI-PRESENCIALIDADE NO ENSINO SUPERIOR: ALGUNS RESULTADOS DESSA MODALIDADE NA FGF 1 SEMI-PRESENCIALIDADE NO ENSINO SUPERIOR: ALGUNS RESULTADOS DESSA MODALIDADE NA FGF Fortaleza CE Junho/2009 Karla Angélica Silva do Nascimento - Faculdade Integrada da Grande Fortaleza karla@fgf.edu.br

Leia mais

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO Portaria nº 808, de 8 de junho de 00. Aprova o instrumento de avaliação para reconhecimento de Cursos Pedagogia, no âmbito do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior - SINAES. O MINISTRO DE

Leia mais

Educação a Distância na UFPR

Educação a Distância na UFPR 1ª JORNADA PARANAENSE DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA, NA EDUCAÇÃO BÁSICA Educação a Distância na UFPR Profa Dra Glaucia da Silva Brito glaucia@ufpr.br - Núcleo de Educação a Distância da Universidade Federal

Leia mais

Interatividade na docência e aprendizagem online

Interatividade na docência e aprendizagem online Interatividade na docência e aprendizagem online ou a pedagogia do parangolé Marco Silva EDU/UERJ Educar em nosso tempo conta com uma feliz coincidência histórica: a dinâmica comunicacional da cibercultura,

Leia mais

Desafios na gestão de EaD no contexto dos polos de apoio presencial da Universidade Aberta do Brasil

Desafios na gestão de EaD no contexto dos polos de apoio presencial da Universidade Aberta do Brasil Desafios na gestão de EaD no contexto dos polos de apoio presencial da Universidade Aberta do Brasil Márcia de Freitas Vieira 1 1 Faculdade Pitágoras de Ipatinga Rua Jequitibá, 401, Horto - 35.160-306

Leia mais

SIC 56/07. Belo Horizonte, 8 de novembro de 2007.

SIC 56/07. Belo Horizonte, 8 de novembro de 2007. SIC 56/07 Belo Horizonte, 8 de novembro de 2007. 1. DIRETRIZES PARA A ELABORAÇÃO, PELO INEP, DOS INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO PARA O CREDENCIAMENTO DE INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR E SEUS PÓLOS DE APOIO

Leia mais

GESTÃO EM EAD VIA INTERNET

GESTÃO EM EAD VIA INTERNET GESTÃO EM EAD VIA INTERNET Nunes, Flávio L. B. Cetro Federal de Educação Tecnológica de Pelotas Palavras-chave: Educação a distância Gestão Internet. Resumo: Este trabalho tem por objetivo lançar algumas

Leia mais

Metodologias Utilizadas na Educação a Distância no Brasil

Metodologias Utilizadas na Educação a Distância no Brasil Metodologias Utilizadas na Educação a Distância no Brasil Resumo Autores: Bruno Antônio de Oliveira Yuri Cravo Fernandes Rodrigues de Oliveira O recente avanço das tecnologias de informação e comunicação

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

ANÁLISE DESCRITIVA DO POLO PRESENCIAL DA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL EM ITAPEVI/SP

ANÁLISE DESCRITIVA DO POLO PRESENCIAL DA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL EM ITAPEVI/SP CONGRESSO INTERNACIONAL INTERDISCIPLINAR EM SOCIAIS E HUMANIDADES Niterói RJ: ANINTER-SH/ PPGSD-UFF, 03 a 06 de Setembro de 2012, ISSN 2316-266X ANÁLISE DESCRITIVA DO POLO PRESENCIAL DA UNIVERSIDADE ABERTA

Leia mais

Elementos Centrais da Metodologia

Elementos Centrais da Metodologia Elementos Centrais da Metodologia Apostila Virtual A primeira atividade que sugerimos é a leitura da Apostila, que tem como objetivo transmitir o conceito essencial de cada conteúdo e oferecer caminhos

Leia mais

A Construção de Categorias e Indicadores para Avaliação Institucional de Cursos, Projetos e Atividades de Extensão Universitária

A Construção de Categorias e Indicadores para Avaliação Institucional de Cursos, Projetos e Atividades de Extensão Universitária Anais do 2º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária Belo Horizonte 12 a 15 de setembro de 2004 A Construção de Categorias e Indicadores para Avaliação Institucional de Cursos, Projetos e Atividades

Leia mais

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia Área de Comunicação Produção Multimídia Curta Duração Produção Multimídia Carreira em Produção Multimídia O curso superior de Produção Multimídia da FIAM FAAM forma profissionais preparados para o mercado

Leia mais

Técnicas, Legislação e Operação de Sistemas de Educação a Distância (EAD) Módulo/Disciplina Tecnologia Educacional em EAD

Técnicas, Legislação e Operação de Sistemas de Educação a Distância (EAD) Módulo/Disciplina Tecnologia Educacional em EAD 1 Curso Técnicas, Legislação e Operação de Sistemas de Educação a Distância (EAD) Módulo/Disciplina Tecnologia Educacional em EAD Unidade I Material Instrucional - Texto 1. Introdução Qualquer que seja

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação Bacharelados, Licenciaturas e Cursos Superiores de Tecnologia (presencial e a distância)

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação Bacharelados, Licenciaturas e Cursos Superiores de Tecnologia (presencial e a distância) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais

Estratégias de e-learning no Ensino Superior

Estratégias de e-learning no Ensino Superior Estratégias de e-learning no Ensino Superior Sanmya Feitosa Tajra Mestre em Educação (Currículo)/PUC-SP Professora de Novas Tecnologias da Anhanguera Educacional (Jacareí) RESUMO Apresentar e refletir

Leia mais

Como as tecnologias podem ser usadas para a melhoria da qualidade e eficácia da educação superior?

Como as tecnologias podem ser usadas para a melhoria da qualidade e eficácia da educação superior? Como as tecnologias podem ser usadas para a melhoria da qualidade e eficácia da educação superior? Roland Zottele XII Congresso Brasileiro de Gestão Educacional De onde falo Senac Abrangência nacional:

Leia mais

ENSINO DIGITAL E INOVAÇÃO: PANORAMA EAD FURG POSSIBILIDADES E DESAFIOS

ENSINO DIGITAL E INOVAÇÃO: PANORAMA EAD FURG POSSIBILIDADES E DESAFIOS ENSINO DIGITAL E INOVAÇÃO: PANORAMA EAD FURG POSSIBILIDADES E DESAFIOS Profa. Dra. Ivete Martins Pinto Secretária Geral de Educação a Distância Coordenadora UAB/FURG Presidente da Associação Universidade

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES CREDENCIAMENTO DE PÓLO DE APOIO PRESENCIAL PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES CREDENCIAMENTO DE PÓLO DE APOIO PRESENCIAL PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação a Distância SEED Departamento de Regulação e Supervisão da Educação a Distância - Dresead Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira

Leia mais

Curso de Especialização em ORIENTAÇÃO EDUCACIONAL E PRÁTICAS DE SUPERVISÃO

Curso de Especialização em ORIENTAÇÃO EDUCACIONAL E PRÁTICAS DE SUPERVISÃO Curso de Especialização em ORIENTAÇÃO EDUCACIONAL E PRÁTICAS DE SUPERVISÃO ÁREA DO CONHECIMENTO: Educação NOME DO CURSO: Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em Orientação Educacional e Práticas

Leia mais

Público Alvo: Investimento: Disciplinas:

Público Alvo: Investimento: Disciplinas: A Universidade Católica Dom Bosco - UCDB com mais de 50 anos de existência, é uma referência em educação salesiana no país, sendo reconhecida como a melhor universidade particular do Centro-Oeste (IGC/MEC).

Leia mais

IDENTIDADE DOCENTE NA TUTORIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

IDENTIDADE DOCENTE NA TUTORIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA IDENTIDADE DOCENTE NA TUTORIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA IINTRODUÇÃO Educação a distância (EaD) é uma modalidade de educação na qual aluno e professor estão separados fisicamente, pautada no pressuposto de

Leia mais

EDUCAÇÃO CORPORATIVA: OS CUSTOS DOS CURSOS A DISTÂNCIA OFERECIDOS PELA MARINHA DO BRASIL

EDUCAÇÃO CORPORATIVA: OS CUSTOS DOS CURSOS A DISTÂNCIA OFERECIDOS PELA MARINHA DO BRASIL EDUCAÇÃO CORPORATIVA: OS CUSTOS DOS CURSOS A DISTÂNCIA OFERECIDOS PELA MARINHA DO BRASIL Luiz Claudio Medeiros Biagiotti* *Capitão-de-Fragata (T), Chefe do Departamento de Ensino a Distância RESUMO A questão

Leia mais

ESTRATÉGIAS DE IMPLEMENTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE FORMAÇÃO À DISTÂNCIA

ESTRATÉGIAS DE IMPLEMENTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE FORMAÇÃO À DISTÂNCIA ESTRATÉGIAS DE IMPLEMENTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE FORMAÇÃO À DISTÂNCIA Mônica Mota Tassigny Professora doutora da Universidade de Fortaleza, UNIFOR, Brasil 1. INTRODUÇÃO Numa sociedade mundial, na qual

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 8ª REGIÃO INTRODUÇÃO

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 8ª REGIÃO INTRODUÇÃO Ser reconhecido como o melhor tribunal para se trabalhar e de melhores resultados. Visão de Futuro do TRT da 8ª Região. INTRODUÇÃO Prática adotada pelo Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região que consiste

Leia mais

Curso de Especialização em TUTORIA EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

Curso de Especialização em TUTORIA EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Curso de Especialização em TUTORIA EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA ÁREA DO CONHECIMENTO: Educação. NOME DO CURSO: Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em Tutoria em Educação a Distância. OBJETIVO

Leia mais

MÓDULO IX - CUSTOS. A gestão de custos como ferramenta de apoio a tomada de decisão

MÓDULO IX - CUSTOS. A gestão de custos como ferramenta de apoio a tomada de decisão MÓDULO IX - CUSTOS A gestão de custos como ferramenta de apoio a tomada de decisão 1 Conteúdo Objetivo do custeio Conceito de valor Gestão de Custos versus Gestão Estratégica Componentes básicos de custos

Leia mais

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO PROVÍNCIA LA SALLE BRASIL - CHILE APRESENTAÇÃO O Setor de Educação Superior da Província

Leia mais

Curso de Especialização em GESTÃO E LOGÍSTICA HOSPITALAR

Curso de Especialização em GESTÃO E LOGÍSTICA HOSPITALAR Curso de Especialização em GESTÃO E LOGÍSTICA HOSPITALAR ÁREA DO CONHECIMENTO: Administração e Saúde. NOME DO CURSO: Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em Gestão e Logística Hospitalar.

Leia mais

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade O caminho para o sucesso Promovendo o desenvolvimento para além da universidade Visão geral Há mais de 40 anos, a Unigranrio investe em ensino diferenciado no Brasil para cumprir com seu principal objetivo

Leia mais

crítica na resolução de questões, a rejeitar simplificações e buscar efetivamente informações novas por meio da pesquisa, desde o primeiro período do

crítica na resolução de questões, a rejeitar simplificações e buscar efetivamente informações novas por meio da pesquisa, desde o primeiro período do Dimensão 2 As políticas para o ensino, a pesquisa, a pós-graduação, a extensão e as respectivas normas de operacionalização, incluídos os procedimentos para estímulo à produção acadêmica, as bolsas de

Leia mais

Curso de Especialização em Saúde da Família

Curso de Especialização em Saúde da Família MÓDULO: FAMILIARIZAÇÃO TECNOLÓGICA COM EAD UNIDADE 03 DOCÊNCIA E TUTORIA NA EAD Prof. Msc Rômulo Martins 2.1 Introdução A Educação a Distância, por meio dos inúmeros recursos didáticos e tecnológicos,

Leia mais

Curso de especialização EM GESTÃO EDUCACIONAL E EDUCAÇÃO INFANTIL

Curso de especialização EM GESTÃO EDUCACIONAL E EDUCAÇÃO INFANTIL Curso de especialização EM GESTÃO EDUCACIONAL E EDUCAÇÃO INFANTIL ÁREA DO CONHECIMENTO: Educação Gestão Educacional NOME DO CURSO: Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em Gestão Educacional

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de GESTÃO E LIDERANÇA EM INSTITUIÇÕES PÚBLICAS DE ENSINO

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de GESTÃO E LIDERANÇA EM INSTITUIÇÕES PÚBLICAS DE ENSINO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA CÂMPUS LAGES Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO

Leia mais

Elementos Centrais da Metodologia

Elementos Centrais da Metodologia Elementos Centrais da Metodologia Apostila Virtual A primeira atividade que sugerimos é a leitura da Apostila, que tem como objetivo transmitir o conceito essencial de cada conteúdo e oferecer caminhos

Leia mais

* As disciplinas por ocasião do curso, serão ofertadas aos alunos em uma sequência didática.

* As disciplinas por ocasião do curso, serão ofertadas aos alunos em uma sequência didática. MATRIZ CURRICULAR* Disciplina CH Integração 20 Planejamento e Gestão em Educação a Distância 40 Cultura Virtual, Pensamento e Construção do Conhecimento na Educação a Distância 40 Noções de Gestão de Projetos

Leia mais

Serviço Público. Manutenção e Suporte em Informática

Serviço Público. Manutenção e Suporte em Informática Serviço Público Manutenção e Suporte em Informática Wilson Pedro Coordenador do Curso de Serviço Público etec_sp@ifma.edu.br Carla Gomes de Faria Coordenadora do Curso de Manutenção e Suporte em Informática

Leia mais

EDUCAÇÃO CONVENCIONAL X EDUCAÇÂO MEDIADA

EDUCAÇÃO CONVENCIONAL X EDUCAÇÂO MEDIADA EDUCAÇÃO CONVENCIONAL X EDUCAÇÂO MEDIADA por Anelise Pereira Sihler é Pedagoga, Especialista em Gestão de Pessoas, Gestão Educacional, Educação a Distância, Educação colaborativa, Relações Humanas, mestre

Leia mais

CURSOS DE EXTENSÃO NA MODALIDADE EAD NA EMC/UFG*

CURSOS DE EXTENSÃO NA MODALIDADE EAD NA EMC/UFG* CURSOS DE EXTENSÃO NA MODALIDADE EAD NA EMC/UFG* ALVES, Ricardo Henrique Fonseca 1 ; DEUS JÚNIOR, Getúlio Antero de 2 ; CASTRO, Marcelo Stehling de 3 ; LEMOS, Rodrigo Pinto 4 Palavras-chave: Ensino a Distância

Leia mais

Concepções e qualidade da Educação Superior a Distância : a experiência da Universidade Aberta do Brasil- UAB.

Concepções e qualidade da Educação Superior a Distância : a experiência da Universidade Aberta do Brasil- UAB. Concepções e qualidade da Educação Superior a Distância : a experiência da Universidade Aberta do Brasil- UAB. Profa. Dra. Nara Maria Pimentel Diretora de Ensino de Graduação da UnB Presidente do Fórum

Leia mais

O DESAFIO DE AVALIAR UM CURSO SUPERIOR A DISTÂNCIA INSTITUÍDO A PARTIR DE PARCERIAS ENTRE PAÍSES. 1

O DESAFIO DE AVALIAR UM CURSO SUPERIOR A DISTÂNCIA INSTITUÍDO A PARTIR DE PARCERIAS ENTRE PAÍSES. 1 O DESAFIO DE AVALIAR UM CURSO SUPERIOR A DISTÂNCIA INSTITUÍDO A PARTIR DE PARCERIAS ENTRE PAÍSES. 1 Jane aparecida Gonçalves de Souza 2 Universidade Católica de Petrópolis cidijane@gmail.com RESUMO Pensar

Leia mais

Educação a Distância, problemas e desafios. Carlos Bielschowsky. Presidente da Fundação Cecierj / Consórcio Cederj

Educação a Distância, problemas e desafios. Carlos Bielschowsky. Presidente da Fundação Cecierj / Consórcio Cederj Educação a Distância, problemas e desafios Carlos Bielschowsky Presidente da Fundação Cecierj / Consórcio Cederj Educação Superior a Distância no Brasil No exterior vem sendo amplamente utilizada a décadas,

Leia mais

CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PRAÇA DA REPÚBLICA, 53 - FONE: 3255-2044 CEP: 01045-903 - FAX: Nº 3231-1518 SUBSÍDIOS PARA ANÁLISE DO PLANO DE CURSO

CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PRAÇA DA REPÚBLICA, 53 - FONE: 3255-2044 CEP: 01045-903 - FAX: Nº 3231-1518 SUBSÍDIOS PARA ANÁLISE DO PLANO DE CURSO 1 CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PRAÇA DA REPÚBLICA, 53 - FONE: 3255-2044 CEP: 01045-903 - FAX: Nº 3231-1518 SUBSÍDIOS PARA ANÁLISE DO PLANO DE CURSO 1. APRESENTAÇÃO É com satisfação que apresentamos este

Leia mais

Universidade Ubíqua: a UFPB Virtual ao seu alcance

Universidade Ubíqua: a UFPB Virtual ao seu alcance Universidade Ubíqua: a UFPB Virtual ao seu alcance SEVERO¹, Ana Beatrice Santana SILVA², Danielle Rousy Dias da ANJOS 3, Eudisley Gomes dos PRESTES 4, Mateus Augusto Santos FERNANDES 5, Raul Felipe de

Leia mais

SOFTWARES LIVRES: UMA REDE PARA O ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA NA REGIÃO CARBONÍFERA

SOFTWARES LIVRES: UMA REDE PARA O ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA NA REGIÃO CARBONÍFERA SOFTWARES LIVRES: UMA REDE PARA O ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA NA REGIÃO CARBONÍFERA Ms. Jeferson Fernando de Souza Wolff RESUMO O computador, como ferramenta pedagógica para ensino e aprendizagem

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR APROVADO PELA RESOLUÇÃO

Leia mais

FERRAMENTAS DE AVALIAÇÃO PARA AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM

FERRAMENTAS DE AVALIAÇÃO PARA AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM FERRAMENTAS DE AVALIAÇÃO PARA AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM Ronei Ximenes Martins (Trabalho apresentado no II Colóquio Regional EAD Edição Internacional Outubro/2010 Juiz de Fora/MG) Introdução Um

Leia mais

Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso

Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso AUTO-AVALIAÇAO INSTITUCIONAL DO CURSO DE PEDAGOGIA FACED-UFAM / Professores Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso Objetivos do Curso 01 - Tenho conhecimento do Projeto Pedagógico do Curso.

Leia mais

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre o Planejamento Estratégico de TIC no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário Planejamento

Leia mais