Evolução urbana da Avenida Brasil

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Evolução urbana da Avenida Brasil"

Transcrição

1 Evolução urbana da Avenida Brasil Renato Gama-Rosa Costa

2

3 Escolha e justificativa do tema: 1. Questões surgidas a partir da pesquisa sobre a evolução do campus da Fiocruz em Manguinhos 2. Associação do processo de abertura da via à Circulação e mobilidade na cidade do Rio de Janeiro: Nova imagem de cidade e de vida urbana. Marco da presença do automóvel na vida de nossa Cidade e nos discursos sobre o desenvolvimento Econômico do país.

4 3. Inquietações sobre a nomenclatura da via: «Avenida» (escala da cidade) ou «rodovia» (escala do território)? 4. Estudos históricos sobre a abertura de vias urbanas vem merecendo o olhar de poucos pesquisadores do urbano. 5. No Brasil, estudos históricos sobre vias urbanas vêm privilegiando a Avenida Presidente Vargas e a Avenida Central. Estudos mais completos sobre a Avenida Brasil permaneciam inéditos. 6. Igualmente, raros estudos no Brasil apontam a década de 1950 como a mais visível para a relação automovel e cidade e poucos se detêm sobre os períodos introdutórios.

5 Objetivos do trabalho: 1. Analisar o processo de abertura da Avenida Brasil. 2. Historicizar este processo perguntando por que, como e por quem a via foi aberta.

6 Estes estudos nos proporcionaram: Identificar os atores sociais envolvidos (sanitaristas, engenheiros, arquitetos, urbanistas, politicos, entidades e associações) As dificuldades de se abrir uma estrada pelo litoral da zona da Leopoldina evidenciaram o longo processo de aprimoramento das técnicas de se abrir rodovias e retardaram sua abertura por quatro décadas A competição entre ferrovias e rodovias na hegemonia dos transportes mostraram a vitória incontestável das rodovias. Noções de progresso, unidade territorial e mobilidade associadas às rodovias. Criação de estruturas de discussão, politicas e de planejamento urbano favorecendo as rodovias. Identificar a periodização deste processo

7 Periodização A Cidade e o automóvel : Fabricação dos primeiros automóveis com motor a explosão. Atuação das Good Road Conventions : Henry Ford e o nascimento da indústria automobilística Popularização do automóvel O automóvel se torna o transporte urbano por excelência : Desativação dos bondes nos EUA. Surgimento das auto-estradas e vias expressas : A avenida : Estradas e ruas urbanas : A volta com força total da avenida

8

9

10 : Primeiras ações relativas a pavimentação e calçamentos urbanos Atuação dos engenheiros da École des Ponts et Chaussés : Surgimento dos automóveis até sua popularização : Consolidação da indústria automobilística. Os planos urbanos destacam a questão da circulação viária. Vitória do automóvel sobre o trem e o bonde : Automóvel: o mal necessário para as cidades : Primeiras avenidas abertas pelo higienismo : Planos urbanos destacando as questões da circulação viária : A atuação da Société Française des Urbanistes pelo mundo e os planos de melhoramentos para as metrópoles

11

12 Determinação da periodização adotada para o estudo de caso 1º: Vinculação de sua abertura à Estrada Rio-Petrópolis. 2º: Vinculação às propostas de «avenidas» e a interligação dos proprios bairros suburbanos e à melhoria da circulação viária e mobilidade urbanas. 3 : Vinculação às propostas de abertura de uma «variante» à Estrada Rio-Petrópolis. 4 : Vinculação à abertura da «rodovia» Rio-São Paulo.

13 Periodização adotada para o estudo de caso (Forte dependência dos trajetos e das técnicas construtivas das ferrovias) - Primeira idéia de se abrir uma via de ligação entre Petrópolis e a Capital Federal - Sistemas de avenidas de Pereira Passos - Criação do Automóvel Clube do Brasil - Criação do Ministério de Viação e Obras Públicas - Primeiras leis de trânsito e licenciamento - Primeiros congressos de estrada de rodagem - Governo Washington Luís: Governar é abrir estradas - Primeiros trabalhos de aterramento do litoral da zona da Leopoldina

14

15 (Gradual autonomia das rodovias) - Inauguração da estrada Rio-Petrópolis pelos sócios do ACB (1926) - Inauguração da estrada Rio-Petrópolis por Washington Luís (1928): dos quatro trajetos estudados, o pelo litoral não foi considerado exeqüível - Criação do Club dos Bandeirantes - Projeto do Bairro Industrial de Manguinhos e a Avenida do Norte - Plano de Melhoramentos para o Rio de Janeiro por Alfred Agache e a criação da Comissão do Plano da Cidade - Criação das primeiras diretorias e orgãos ligados ao rodoviarismo - Criação do DNER - Surgimento do termo auto-estrada - Governo de Getúlio Vargas

16

17

18

19

20

21 (Consolidação das políticas viárias e rodoviárias) - Obras de construção da Avenida Brasil - Criação dos departamentos estaduais de estrada de rodagem e do Fundo Rodoviário Nacional - Projeto do anel viário para o Rio de Janeiro - Inauguração do Trevo das Missões

22 CRONOLOGIA DA AVENIDA BRASIL 1913: Pedido publicado pela Revista Cosmopolita para a abertura de uma via pela frente do Instituto Oswaldo Cruz, ou seja, pelo litoral. 1927/1928: Dentre os cinco trajetos estudados para a Rio-Petropolis, um deles passaria pelo litoral. 1927: Projeto para a abertura da Avenida do Norte, dentro de projeto de criação do bairro industrial de Manguinhos

23

24

25

26

27

28

29 /dezembro: Lançamento do primeiro edital de concorrência publica para a construção da variante de acesso à Rio-Petropolis. Edital cancelado /dezembro: Segundo e efetivo edital. Engenheiros responsaveis pelo projeto e pela fiscalização: Renato Leite Silva e Urano Barbieri /dezembro: Inicio das obras da variante da auto-estrada Rio-Petropolis. (Parte dos recursos financiados pelo Banco do Brasil).

30

31

32 1942 Uma das primeiras menções da variante como Avenida Brasil: artigo de José de Oliveira Reis sobre o Plano Diretor da Cidade /novembro: Inauguração do trecho da Avenida Brasil entre Benfica e a rua Lobo Junior (Penha) /fevereiro: Inauguração do trecho entre a rua Lobo Junior e Parada de Lucas /abril: Inauguração do trecho entre São Cristovão e Manguinhos.

33 Álbum da Avenida Brasil Coleção Oliveira Reis AGCRJ

34

35

36

37

38

39

40

41

42

43 1950 Inicio das obras de duplicação /junho: Inauguração do trecho de duplicação entre o Rio Faria e a Avenida New York (Bonsucesso) /janeiro: Inauguração entre a Av. New York e a Ilha do Fundão Inauguração final. Incluindo as avenidas das Bandeiras (para São Paulo), das Missões (para Petropolis) mais o trecho até Santa Cruz Inauguração do Trevo das Missões.

44

45

46 CONCLUSÃO A Avenida Brasil representa um momento de inflexão nas politicas publicas em relação ao sistema viario e rodoviario brasileiros. A historia da Avenida Brasil evidencia um descompasso entre sua denominação (avenida) e seu efetivo uso (rodovia), deixando claro que um modelo foi melhor sucedido que o outro. A escolha de seu nome somente em 1942, evidencia igualmente, que o projeto de sua abertura, gestado durante quatro décadas, aguardava sua efetiva construção.

47 Sua historia possibilita que estudos em urbanismo possam abranger tanto a escala da cidade quanto a escala do territorio: a cidade contemporânea està multiterritorializada. Finalmente, sua historia nos permite compreender como o planejamento urbano a falta dele levou a fazer dos eixos rodoviarios, como a Avenida Brasil, um dos emblemas da vida moderna.

SEAERJ Janeiro de 2014

SEAERJ Janeiro de 2014 SEAERJ Janeiro de 2014 Lançamento do Livro O Urbanista e o Rio de Janeiro. José de Oliveira Reis uma biografia profissional Prof. Dr. Rodrigo de Faria Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UnB Apresentação

Leia mais

Propostas de melhorias viárias para o estado do Rio de Janeiro

Propostas de melhorias viárias para o estado do Rio de Janeiro Propostas de melhorias viárias para o estado do Rio de Janeiro Engº Francisco Filardi 2016 PROJETO 2014 PROPOSTA 1 Ligação Linha Vermelha - Maracanã (Tijuca, Vila Isabel, Grajaú e Méier) Autores do projeto

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE MOBILIDADE URBANA DE VOTORANTIM / SP

PLANO MUNICIPAL DE MOBILIDADE URBANA DE VOTORANTIM / SP PLANO MUNICIPAL DE MOBILIDADE URBANA DE VOTORANTIM / SP 1ª Conferência - março de 2016 tema: lançamento do processo de elaboração do Plano O QUE É MOBILIDADE URBANA? Mobilidade é a forma de deslocamento

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DE DIFERENTES TIPOLOGIAS DE TABULEIROS NO PROJETO DE ALARGAMENTO E AMPLIAÇÃO DE UM VIADUTO

A UTILIZAÇÃO DE DIFERENTES TIPOLOGIAS DE TABULEIROS NO PROJETO DE ALARGAMENTO E AMPLIAÇÃO DE UM VIADUTO A UTILIZAÇÃO DE DIFERENTES TIPOLOGIAS DE TABULEIROS NO PROJETO DE ALARGAMENTO E AMPLIAÇÃO DE UM VIADUTO José Afonso Pereira Vitório Engenheiro Civil Vitório & Melo Projetos Estruturais e Consultoria Ltda.

Leia mais

Companhia de Engenharia de Tráfego CET

Companhia de Engenharia de Tráfego CET Secretaria Municipal de Transporte SMT Sec e a a u cpa de a spo e S Companhia de Engenharia de Tráfego CET Anhanguera Bandeirantes Fernão Dias Presidente Dutra Ayrton Senna MAIRIPORÃ Castello Branco CAIEIRAS

Leia mais

ÁREA 1- Perímetro Preferencial Limites e potencialidades

ÁREA 1- Perímetro Preferencial Limites e potencialidades ÁREA 1- Perímetro Preferencial Limites e potencialidades Limites definidos por barreiras físicas significativas como a av Farrapos, av Castelo Branco, a linha do TRENSURB e a av Sertório. Presença de patrimônio

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO

TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO 36211 Fundação Nacional de Saúde AL 10.512.0122.002L.0027 / 2005 - APOIO A IMPLANTACAO, AMPLIACAO OU MELHORIA DE SISTEMA PUBLICO DE ESGOTAMENTO SANITARIO EM MUNICIPIOS INTEGRANTES DE REGIOES METROPOLITANAS

Leia mais

DEPARTAMENTO AUTÔNOMO DE ESTRADAS DE RODAGEM DIRETORIA DE OPERAÇÃO E CONCESSÕES DIVISÃO DE TRÂNSITO

DEPARTAMENTO AUTÔNOMO DE ESTRADAS DE RODAGEM DIRETORIA DE OPERAÇÃO E CONCESSÕES DIVISÃO DE TRÂNSITO DEPARTAMENTO AUTÔNOMO DE ESTRADAS DE RODAGEM DIRETORIA DE OPERAÇÃO E CONCESSÕES DIVISÃO DE TRÂNSITO Acidentalidade em Rodovias Estaduais do Rio Grande do Sul Ano 26 Relatório DTR nº 18 Engº Márcio Tassinari

Leia mais

Habitação Popular e Mobilidade Urbana na Região Metropolitana de Porto Alegre

Habitação Popular e Mobilidade Urbana na Região Metropolitana de Porto Alegre Habitação Popular e Mobilidade Urbana na Região Metropolitana de Porto Alegre Arquiteto e Urbanista Régulo Franquine Ferrari rferrari@eptc.prefpoa.com.br BRASIL Ciclos econômicos: 1500 pau-brasil litoral

Leia mais

ESPAÇO URBANO: vias de circulação (hierarquias)

ESPAÇO URBANO: vias de circulação (hierarquias) UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA FACULDADE DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DE URBANISMO - ENGENHARIA CIVIL ESPAÇO URBANO: vias de circulação (hierarquias)

Leia mais

Seminário Mobilidade Urbana IBRE- FGV 9 de novembro de 2014 Região Metropolitana de Salvador

Seminário Mobilidade Urbana IBRE- FGV 9 de novembro de 2014 Região Metropolitana de Salvador Seminário Mobilidade Urbana IBRE- FGV 9 de novembro de 2014 Região Metropolitana de Salvador Sandro Cabral Professor da Escola de Administração Universidade Federal da Bahia (UFBA) Francisco Ulisses Rocha

Leia mais

ENDEREÇOS DAS UNIDADES PARTICIPANTES RIO DE JANEIRO / CENTRO. sábados)

ENDEREÇOS DAS UNIDADES PARTICIPANTES RIO DE JANEIRO / CENTRO. sábados) ENDEREÇOS DAS UNIDADES PARTICIPANTES RIO DE JANEIRO / CENTRO TREZE DE MAIO Av. Treze de Maio, 33 - Sobreloja 316 (Entrada pela Travessa dos Poetas), Fotodepilação PRAÇA MAUÁ Rua Beneditinos, 10 Sobreloja

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO INFRAESTRUTURAL DA GUINÉ BISSAU NO PROCESSO DA INTEGRAÇÃO SUB REGIONAL

CONTRIBUIÇÃO INFRAESTRUTURAL DA GUINÉ BISSAU NO PROCESSO DA INTEGRAÇÃO SUB REGIONAL CONTRIBUIÇÃO INFRAESTRUTURAL DA GUINÉ BISSAU NO PROCESSO DA INTEGRAÇÃO SUB REGIONAL 2º Congresso dos Engenheiros da Lingua Portuguesa Macau, 27-29 de Novembro de 2014 Engº Jose Antonio da Cruz Almeida

Leia mais

Boletim de Serviço é uma publicação do Instituto Estadual do Ambiente,

Boletim de Serviço é uma publicação do Instituto Estadual do Ambiente, DE Boletim de Serviço é uma publicação do Instituto Estadual do Ambiente, destinada a dar publicidade aos atos administrativos da instituição. 2ª edição revisada Presidente Marcus de Almeida Lima Vice-Presidente

Leia mais

Critério para definição da largura da plataforma de terraplenagem em rodovias

Critério para definição da largura da plataforma de terraplenagem em rodovias Critério para definição da largura da plataforma de terraplenagem em rodovias Gerson Fernando Fattori (UCS) João Fortini Albano (PPGEP/UFRGS) Resumo Suprindo a lacuna constatada no Manual de Projeto Geométrico

Leia mais

Por José Luís Carneiro

Por José Luís Carneiro Organização, Sistemas e Métodos Introdução Por José Luís Carneiro - www.jlcarneiro.com - Algumas definições Organização Associação ou instituição com objetivos definidos. Sistema Disposição das partes

Leia mais

ACIDENTES RODOVIÁRIOS José Manuel Santos e Sandra Pinheiro (ULHT TERCUD) Luís Carvalho (SMPCA)

ACIDENTES RODOVIÁRIOS José Manuel Santos e Sandra Pinheiro (ULHT TERCUD) Luís Carvalho (SMPCA) CAMPANHA LOCAL UN ISDR 2010 2015 SEMPRE EM MOVIMENTO, AMADORA É RESILIENTE! ACIDENTES RODOVIÁRIOS 2000 2010 José Manuel Santos e Sandra Pinheiro (ULHT TERCUD) Luís Carvalho (SMPCA) ACIDENTES RODOVIÁRIOS

Leia mais

Carta de esclarecimento da Comissão de espaço físico, infraestrutura e acessibilidade e inclusão

Carta de esclarecimento da Comissão de espaço físico, infraestrutura e acessibilidade e inclusão Carta de esclarecimento da Comissão de espaço físico, infraestrutura e acessibilidade e inclusão Guarulhos, 10 de abril de 2011 Ao Diretor Acadêmico e aos membros da Congregação da Escolha de Filosofia,

Leia mais

Saúde e educação serão prioridades no Plano de

Saúde e educação serão prioridades no Plano de 1 de 5 28/01/2016 09:42 Agência Alagoas Agência Alagoas Secretaria de Estado da Comunicação 09:42 Quinta-feira 28/01/2016 Institucional Diário Oficial Notícias Secretarias Assessorias Galeria Notas 2015

Leia mais

1.º SEMINÁRIO DE ACOMPANHAMENTO Apresentação das operações em curso

1.º SEMINÁRIO DE ACOMPANHAMENTO Apresentação das operações em curso Política de Cidades Polis XXI Acções Inovadoras para o Desenvolvimento Urbano QREN/ POVT/ Eixo IX Desenvolvimento do Sistema Urbano Nacional 1.º SEMINÁRIO DE ACOMPANHAMENTO Apresentação das operações em

Leia mais

Transferência de Tecnologia na Fiocruz: Fatores de risco e de sucesso

Transferência de Tecnologia na Fiocruz: Fatores de risco e de sucesso Transferência de Tecnologia na Fiocruz: Fatores de risco e de sucesso Mesa Redonda: Transferência de Tecnologia: fatores de risco e de sucesso. 4º ENIFARMED - Encontro Nacional de Inovação em Fármacos

Leia mais

Seminário da Mobilidade. Murtosa, 23 de Setembro Filipe Carneiro Adjunto da Presidência Câmara Municipal de Paredes

Seminário da Mobilidade. Murtosa, 23 de Setembro Filipe Carneiro Adjunto da Presidência Câmara Municipal de Paredes Seminário da Mobilidade Filipe Carneiro Adjunto da Presidência Câmara Municipal de Paredes Paredes Breve apresentação Paredes Situado no Norte de Portugal, bem no coração do Douro Litoral, o concelho de

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ AVISO DE RETIFICAÇÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ AVISO DE RETIFICAÇÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ AVISO DE RETIFICAÇÃO O REITOR PRO TEMPORE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ Unifesspa, no uso de suas atribuições, em

Leia mais

Estatística dos tipos de transportes no Brasil (1999):

Estatística dos tipos de transportes no Brasil (1999): Prof. Andressa Caracterização Geral A palavra transporte vem do latim trans (de um lado a outro) e portare (carregar). Os transportes contêm três elementos: Infraestrutura - é a malha de transporte: rodoviária,

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Professor Mário Antônio Verza Código: 164 Município: Palmital Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnico em Logística

Leia mais

Mesa 1: URBANISMO, CIRCULAÇÃO E DESENHO URBANO Apresentação: Carlos Teixeira de Campos Júnior (UFES)

Mesa 1: URBANISMO, CIRCULAÇÃO E DESENHO URBANO Apresentação: Carlos Teixeira de Campos Júnior (UFES) Mesa 1: URBANISMO, CIRCULAÇÃO E DESENHO URBANO Apresentação: Carlos Teixeira de Campos Júnior (UFES) Armando de Godoy e sua atuação no planejamento urbano de Goiânia - O caso do Setor Sul: concepção urbanística

Leia mais

ANÁLISE DO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2012

ANÁLISE DO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2012 ANÁLISE DO PRIMEIRO SEMESTRE DE 212 I INTRODUÇÃO O objetivo deste relatório é analisar os resultados da Pesquisa ADEMI no primeiro semestre de 212 no que diz respeito aos lançamentos, ao VSO (Vendas Sobre

Leia mais

êprefeitura de São José do Rio Preto Av. Alberto Andaló CEP Te!': (17) TERMO DE RECEBIMENTO

êprefeitura de São José do Rio Preto Av. Alberto Andaló CEP Te!': (17) TERMO DE RECEBIMENTO TERMO DE RECEBIMENTO DE OBRAS Departamento de Topografia Referente: Alvará n. 770/20 1O Loteamento: Luzia Polotto. o Engenheiro Agrimensor Ronaldo de Souza Leite, abaixo assinado, membro da Comissão Municipal

Leia mais

CAJOBI. OBRAS E AÇÕES Gestão R$ ,00

CAJOBI. OBRAS E AÇÕES Gestão R$ ,00 CAJOBI OBRAS E AÇÕES Gestão 2007-2010 R$ 10.945.500,00 AGRICULTURA: Distribuição de Leite: distribuídos 68.760 litros de leite, no período de Jan/2007 a Fev/2009 - Custo: R$ 85 mil, beneficiando 180 famílias

Leia mais

TRANSPORTE INTEGRADO UFRJ LINHAS INTERNAS. Página 1 de 6. Linha Circular 1 (Laranja) BRT > Gráfica

TRANSPORTE INTEGRADO UFRJ LINHAS INTERNAS. Página 1 de 6. Linha Circular 1 (Laranja) BRT > Gráfica Página 1 de 6 TRANSPORTE INTEGRADO UFRJ A Prefeitura UFRJ é responsável pela gestão e fiscalização do transporte coletivo e gratuito oferecido pela universidade. Com linhas planejadas, o serviço atende

Leia mais

Política Nacional de Mobilidade Urbana (Lei /2012) e os Planos de Mobilidade

Política Nacional de Mobilidade Urbana (Lei /2012) e os Planos de Mobilidade Política Nacional de Mobilidade Urbana (Lei 12.587/2012) e os Planos de Mobilidade Criação da Política Nacional de Mobilidade Urbana Durante o século XX, o automóvel passou a dominar as cidades brasileiras,

Leia mais

Plan Mob. Bombinhas. Plano de Mobilidade Urbana Relatório Final das Consultas Públicas. AMFRI Associação dos Municípios da Região da Foz do Rio Itajaí

Plan Mob. Bombinhas. Plano de Mobilidade Urbana Relatório Final das Consultas Públicas. AMFRI Associação dos Municípios da Região da Foz do Rio Itajaí Plan Mob Plano de Mobilidade Urbana Relatório Final das Consultas Públicas Bombinhas AMFRI Associação dos Municípios da Região da Foz do Rio Itajaí Direção e coordenação: LePadron Planejamento e Consultoria

Leia mais

Infraestrutura do Distrito Federal Prazo de Validade Vencido

Infraestrutura do Distrito Federal Prazo de Validade Vencido Infraestrutura do Distrito Federal Prazo de Validade Vencido Infraestrutura do Distrito Federal Prazo de Validade Vencido Objetivos Alertar as autoridades e a sociedade sobre a urgência e a importância

Leia mais

QFD - Quality Function Deployment - Desdobramento da Função da Qualidade

QFD - Quality Function Deployment - Desdobramento da Função da Qualidade Março/2013 QFD - Quality Function Deployment - Desdobramento da Função da Qualidade O QFD Quality Function Deployment é uma metodologia que tem por objetivo identificar as necessidades dos clientes frente

Leia mais

ALTERNATIVAS DE MOBILIDADE PARA O RECIFE

ALTERNATIVAS DE MOBILIDADE PARA O RECIFE BRT MONOTRILHOS VLT ALTERNATIVAS DE MOBILIDADE PARA O RECIFE Objetivo: ALTERNATIVAS DE MELHORAR A MOBILIDADE URBANA NA REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE Meios: 1.Priorizar o transporte público de qualidade

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA FUNDAÇÃO DE APOIO À ESCOLA TÉCNICA

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA FUNDAÇÃO DE APOIO À ESCOLA TÉCNICA ANEXO II QUADRO DE VAGAS EDITAL COMPLEMENTAR DE VAGAS REMANESCENTES 1. Ensino Técnico de Nível Médio na forma de organização articulada: Integrada cursado na Faetec oferecido para aqueles que concluíram

Leia mais

Restrições à circulação de caminhões no Rio para os Jogos Olímpicos Rio 2016

Restrições à circulação de caminhões no Rio para os Jogos Olímpicos Rio 2016 Restrições à circulação de caminhões no Rio para os Jogos Olímpicos Rio 2016 Av. Brasil - circulação proibida em ambos os sentidos, no trecho entre Realengo e Av. Francisco Bicalho, nos dias úteis das

Leia mais

CANDIDATURA AO PROGRAMA

CANDIDATURA AO PROGRAMA CANDIDATURA AO PROGRAMA CIDADES AMIGAS DAS CRIANÇAS Modelo de Caracterização do Município O documento deve ser preenchido em PDF, utilizando a funcionalidade de preenchimento de campos do presente formulário.

Leia mais

Oficina 5 Mobilidade. Diretrizes e Propostas. 17 março 2016

Oficina 5 Mobilidade. Diretrizes e Propostas. 17 março 2016 Oficina 5 Mobilidade Diretrizes e Propostas 17 março 2016 Leitura Regional Panorama da situação atual da Ilha Matriz O/D: 24.077 (27,5%) viagens internas a Itaparica 15.388 (17,6%) viagens da Ilha para

Leia mais

Administração do Transporte 2008

Administração do Transporte 2008 Administração do Transporte 2008 A cadeia de suprimento começa com o cliente e sua necessidade de obter o produto. O próximo estágio dessa cadeia de suprimento é uma loja que o cliente procura. Por exemplo:

Leia mais

Porto Maravilha do Rio de Janeiro

Porto Maravilha do Rio de Janeiro Porto Maravilha do Rio de Janeiro Participação, Transparência e Projeto 26/09/2013 Pedro da Luz Moreira Arquiteto e Urbanista Professor Adjunto da Eau-Uff Vice presidente do IAB Por uma Cidade Densa, com

Leia mais

TERCEIRA CHAMADA PARA CURSOS SUPERIORES DO 1º VESTIBULAR DE 2014 DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS IFMG

TERCEIRA CHAMADA PARA CURSOS SUPERIORES DO 1º VESTIBULAR DE 2014 DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS IFMG TERCEIRA CHAMADA PARA CURSOS SUPERIORES DO 1º VESTIBULAR DE 2014 DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS IFMG O INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS

Leia mais

Propostas defendidas pelo candidato do PSDB a prefeito de Porto Velho, Hildon de Lima Chaves.

Propostas defendidas pelo candidato do PSDB a prefeito de Porto Velho, Hildon de Lima Chaves. Propostas defendidas pelo candidato do PSDB a prefeito de Porto Velho, Hildon de Lima Chaves. A vocação de Porto Velho é abrir-se para explorer de forma sustentável sua grandiosidade territorial e sua

Leia mais

SP 26/04/84 NT 095/84. Nova Área de Desenvolvimento na CET. Jackson Lee. Introdução

SP 26/04/84 NT 095/84. Nova Área de Desenvolvimento na CET. Jackson Lee. Introdução SP 26/04/84 NT 095/84 Nova Área de Desenvolvimento na CET Jackson Lee Introdução Até recentemente, as atividades de desenvolvimento na CET eram executadas de forma dispersa entre diversas áreas da companhia.

Leia mais

Globalização, Comunicação e Cultura

Globalização, Comunicação e Cultura Globalização, Comunicação e Cultura Sónia Pedro Sebastião (ISCSP UTL) Mestrado em Comunicação Social 2010-2011 Conceitos Cultura: Construções sociais, articulação e recepção de significados. A cultura

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Plano de Curso nº 294 aprovado pela portaria Cetec nº 774 de 24 / 09 / 2015. ETEC de Tiquatira Código: 208 Município: São Paulo Eixo Tecnológico: Controle

Leia mais

EDITAL N.º 262 /2009

EDITAL N.º 262 /2009 DEPARTAMENTO DE TRÂNSITO EDITAL N.º 262 /2009 INTERRUPÇÕES DE TRÂNSITO AUTOMÓVEL DEVIDO À REALIZAÇÃO DO RALLY VINHO MADEIRA 2009 Faz-se público que, devido à realização do Rally Vinho Madeira 2009, torna-se

Leia mais

PLANO DE AULA. Geografia Urbana de Natal/RN: Problemas ambientais e falta de planejamento

PLANO DE AULA. Geografia Urbana de Natal/RN: Problemas ambientais e falta de planejamento Universidade Federal do Rio Grande do Norte Centro de Educação Departamento de Práticas Educacionais e Currículo Estágio Supervisionado para Formação de Professores para o Ensino Médio Curso de Geografia

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM COMO ELEMENTO DE REFORÇO SOBRE SOLO MOLE NA DUPLICAÇÃO DA RODOVIA RÉGIS BITTENCOURT BR-116 KM 312

UTILIZAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM COMO ELEMENTO DE REFORÇO SOBRE SOLO MOLE NA DUPLICAÇÃO DA RODOVIA RÉGIS BITTENCOURT BR-116 KM 312 UTILIZAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM COMO ELEMENTO DE REFORÇO SOBRE SOLO MOLE NA DUPLICAÇÃO DA RODOVIA RÉGIS BITTENCOURT BR-116 KM 312 Autor: Departamento Técnico - Atividade Bidim Colaboração: Eng. Hérsio Antonio

Leia mais

O TRANSPORTE RODOVIÁRIO TENDÊNCIAS ANTÓNIO MOUSINHO

O TRANSPORTE RODOVIÁRIO TENDÊNCIAS ANTÓNIO MOUSINHO O TRANSPORTE RODOVIÁRIO TENDÊNCIAS ANTÓNIO MOUSINHO O TRANSPORTE RODOVIÁRIO NA UE 1. INTRODUÇÃO 2. SITUAÇÃO ACTUAL 3. MOBILIDADE SUSTENTÁVEL 4. TRANSPORTES ENERGIA E AMBIENTE 5. INFRAESTRUTURAS 6. CONCLUSÕES

Leia mais

Dinâmica Recente da Rede Urbana Brasileira

Dinâmica Recente da Rede Urbana Brasileira Dinâmica Recente da Rede Urbana Brasileira Entendida como um conjunto de centros funcionalmente articulados, constitui-se num REFLEXO SOCIAL, resultante da ação de vários agentes sociais. UNIVERSIDADE

Leia mais

Prof. Adm. Esp. Rodrigo Leão Brasileiro

Prof. Adm. Esp. Rodrigo Leão Brasileiro Prof. Adm. Esp. Rodrigo Leão Brasileiro Abordagem básica da Adm. Científica: Ênfase nas tarefas; Iniciada por Taylor, que teve como seguidores Gantt, Gilbreth, Ford Tentativa de aplicação dos métodos da

Leia mais

município de São José dos Campos

município de São José dos Campos Nome: Rodrigo de Sousa e Silva Orientadora: Profª Dra. María Mónica Arroyo Universidade de São Paulo Faculdade de Filosofia, Letras de Ciências Humanas Departamento de Geografia Laboplan (Laboratório de

Leia mais

PLANO DE MOBILIDADE URBANA DE SÃO PAULO

PLANO DE MOBILIDADE URBANA DE SÃO PAULO PLANO DE MOBILIDADE URBANA DE SÃO PAULO setembro 2014 Plano de Mobilidade Urbana de São Paulo Documentos de referência referências Plano Municipal de Circulação Viária e de Transporte - 2003 Consolidou

Leia mais

Planejamento Urbano. Prof. Marcos Aurélio Tarlombani da Silveira

Planejamento Urbano. Prof. Marcos Aurélio Tarlombani da Silveira Planejamento Urbano Prof. Marcos Aurélio Tarlombani da Silveira Definindo alguns conceitos que, pelo menos em parte, se sobrepõem: 1. Cidade e Município; cidade e campo 2. Planejamento urbano e planejamento

Leia mais

LES 101 INTRODUÇÃO À ECONOMIA Fundamentos de Macroeconomia Prof. Carlos José Caetano Bacha

LES 101 INTRODUÇÃO À ECONOMIA Fundamentos de Macroeconomia Prof. Carlos José Caetano Bacha UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ DEPARTAMENTO DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E SOCIOLOGIA LES 0 INTRODUÇÃO À ECONOMIA Fundamentos de Macroeconomia Prof. Carlos José

Leia mais

Perspectivas de Mercado de Trabalho para o Engenheiro Civil. Professora: Eng. Civil Msc. Mayara Moraes

Perspectivas de Mercado de Trabalho para o Engenheiro Civil. Professora: Eng. Civil Msc. Mayara Moraes Perspectivas de Mercado de Trabalho para o Engenheiro Civil Professora: Eng. Civil Msc. Mayara Moraes NÚMEROS NACIONAIS 1.1 Milhões Profissionais A indústria da engenharia Importância econômica do setor:

Leia mais

RAIO X TEMÁTICO PISM II. Judson Lima

RAIO X TEMÁTICO PISM II. Judson Lima RAIO X TEMÁTICO PISM II Judson Lima PRINCIPAIS TEMAS Industrialização. Revoluções Industriais. Desenvolvimento industrial brasileiro. Desenvolvimento Agrícola. Aspectos econômicos. Problemas socioambientais.

Leia mais

XV Congresso Brasileiro de Sociologia 26 a 29 de Julho de 2011 Curitiba (PR)

XV Congresso Brasileiro de Sociologia 26 a 29 de Julho de 2011 Curitiba (PR) XV Congresso Brasileiro de Sociologia 26 a 29 de Julho de 2011 Curitiba (PR) Grupo de Trabalho: GT09 - Ensino de Sociologia Título do Trabalho: A Sociologia como técnica social na educação profissional,

Leia mais

PREFEITURA DE FORTALEZA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SEPOG SECRETARIA MUNICIPAL DE URBANISMO E MEIO AMBIENTE SEUMA

PREFEITURA DE FORTALEZA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SEPOG SECRETARIA MUNICIPAL DE URBANISMO E MEIO AMBIENTE SEUMA PREFEITURA DE FORTALEZA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SEPOG SECRETARIA MUNICIPAL DE URBANISMO E MEIO AMBIENTE SEUMA INSTITUTO MUNICIPAL DE PESQUISAS, ADMINISTRAÇÃO E RECURSOS

Leia mais

BANCOS PRÓXIMOS AO LOCAL DO EVENTO

BANCOS PRÓXIMOS AO LOCAL DO EVENTO IDENTIFICAÇÃO O uso do crachá é obrigatório nas dependências da universidade, sem ele o participante não poderá entrar pelo sistema de segurança e nem nas atividades. AMBULATÓRIO Em caso de mal-estar,

Leia mais

AUP 266 Planejamento de Estruturas Urbanas I Prof. Maria Cristina Leme SETOR 6

AUP 266 Planejamento de Estruturas Urbanas I Prof. Maria Cristina Leme SETOR 6 AUP 266 Planejamento de Estruturas Urbanas I Prof. Maria Cristina Leme SETOR 6 Aruã Wagner Kim Hoffmann Luis Fernando Meyer Marieta Ribeiro Marina Leonardi Jundiaí faz parte da Região Administrativa de

Leia mais

CONSIDERAÇÕES TÉCNICAS E SOCIAS SOBRE O ZONEAMENTO DA ESTRADA CRISTÓVÃO MACHADO E CAMPOS RIO VERMELHO/VARGEM GRANDE

CONSIDERAÇÕES TÉCNICAS E SOCIAS SOBRE O ZONEAMENTO DA ESTRADA CRISTÓVÃO MACHADO E CAMPOS RIO VERMELHO/VARGEM GRANDE CONSIDERAÇÕES TÉCNICAS E SOCIAS SOBRE O ZONEAMENTO DA ESTRADA CRISTÓVÃO MACHADO E CAMPOS RIO VERMELHO/VARGEM GRANDE Florianópolis, 15 de março de 2013 O Morro da Vargem Grande é um dos morros que compõem

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE EDUCAÇÃO FÍSICA E DESPORTOS DEPARTAMENTO DE DESPORTOS PROGRAMA DE ENSINO 2016/1

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE EDUCAÇÃO FÍSICA E DESPORTOS DEPARTAMENTO DE DESPORTOS PROGRAMA DE ENSINO 2016/1 CAMPUS: Goiabeiras - CEFD CURSO: Educação Física PROGRAMA DE ENSINO 2016/1 HABILITAÇÃO: Licenciatura, de graduação plena, de formação de professores da Educação Básica em nível superior DEPARTAMENTO RESPONSÁVEL:

Leia mais

CARTA CONVITE N.º 003/2012 PROCESSO ADMINISTRATIVO N.º DE /2012 ANEXO I

CARTA CONVITE N.º 003/2012 PROCESSO ADMINISTRATIVO N.º DE /2012 ANEXO I CARTA CONVITE N.º 003/2012 PROCESSO ADMINISTRATIVO N.º DE.01.03.0044/2012 ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PARA FORNECIMENTO DE MATERIAL PÉTREO PARA INFRAESTRUTURA DOS LAGOS 01 E 02 DA FASE ZERO DO SAPIENS

Leia mais

PROGRAMA DE TREINAMENTO DE VOLEIBOL DESTINADO À COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA

PROGRAMA DE TREINAMENTO DE VOLEIBOL DESTINADO À COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA PROGRAMA DE TREINAMENTO DE VOLEIBOL DESTINADO À COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA Vitor Hugo Fernando de Oliveira, Flávio da Rosa Júnior, Fábio Santos Mello Acadêmicos do Curso de Educação Física da UFSC Juarez

Leia mais

DISCIPLINA DE GEOGRAFIA

DISCIPLINA DE GEOGRAFIA DISCIPLINA DE GEOGRAFIA OBJETIVOS: 1º ano Conhecer o ambiente de moradia e sua localização através de passeios, fotos e desenhos. Conhecer o ambiente de estudo e sua localização através de passeios, fotos,

Leia mais

Breve panorama da Mobilidade Urbana no Brasil - Investimentos. - Contexto - Investimentos - Imagens - Desafios

Breve panorama da Mobilidade Urbana no Brasil - Investimentos. - Contexto - Investimentos - Imagens - Desafios Breve panorama da Mobilidade Urbana no Brasil - Investimentos - Contexto - Investimentos - Imagens - Desafios -Transporte integrado ao desenvolvimento urbano. - Redução das deseconomias urbanas da circulação.

Leia mais

Cenário Moveleiro. Análise econômica e suporte para as decisões empresariais. Número 01/2006. Cenário Moveleiro Número 01/2006 1

Cenário Moveleiro. Análise econômica e suporte para as decisões empresariais. Número 01/2006. Cenário Moveleiro Número 01/2006 1 Cenário Moveleiro Análise econômica e suporte para as decisões empresariais Número 01/2006 Cenário Moveleiro Número 01/2006 1 Cenário Moveleiro Análise econômica e suporte para as decisões empresariais

Leia mais

mobilidade sustentável

mobilidade sustentável GALARDÃO eco XXI Cantanhede, 19 de Setembro de 2014 mobilidade sustentável requalificação urbana/mobilidade/ambiente/trânsito/sustentabilidade Micael Sousa PRINCÍPIOS E OBJECTIVOS PRINCÍPIOS GERAIS Redução

Leia mais

Resolução de Questões do ENEM (Noite)

Resolução de Questões do ENEM (Noite) Resolução de Questões do ENEM (Noite) Resolução de Questões do ENEM (Noite) 1- A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija

Leia mais

SEJA BEM-VINDO A RUBIM

SEJA BEM-VINDO A RUBIM SEJA BEM-VINDO A RUBIM Município pertencente ao Circuito Turístico Vale do Jequitinhonha Esse é o nosso Vale. Pura inspiração! ATENDIMENTO AO TURISTA: Cláudio Ruys Interlocutor do Município Telefone: (33)

Leia mais

Jundiaí. Diretoria de Logística e Infraestrutura GRUPO DE LOGÍSTICA

Jundiaí. Diretoria de Logística e Infraestrutura GRUPO DE LOGÍSTICA Jundiaí Diretoria de Logística e Infraestrutura GRUPO DE LOGÍSTICA 42 Escritórios Regionais CIESP Escritório Central São Paulo Jundiaí Diretoria de Logística e Infraestrutura MISSÃO SETORES DE ATUAÇÃO

Leia mais

GUIA DO CONGRESSISTA I CONGRESSO DE GEOGRAFIA E ATUALIDADES - I CGA

GUIA DO CONGRESSISTA I CONGRESSO DE GEOGRAFIA E ATUALIDADES - I CGA [Digite aqui] GUIA DO CONGRESSISTA I CONGRESSO DE GEOGRAFIA E ATUALIDADES - I CGA JULHO DE 2015 RIO CLARO - SP 1 Guia do Congressista I Congresso de Geografia e Atualidades (I CGA) Prezada(o) congressista,

Leia mais

EDITAL IFES-CAMPUS SERRA Nº 01/2016 REGULAR PARA SUBMISSÃO DE PROPOSTAS DE ATIVIDADES DISCENTES

EDITAL IFES-CAMPUS SERRA Nº 01/2016 REGULAR PARA SUBMISSÃO DE PROPOSTAS DE ATIVIDADES DISCENTES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO ESPÍRITO SANTO CAMPUS SERRA Rodovia ES-010 Km 6,5 Bairro Manguinhos 29173-087 Serra ES 27 3348-9200 EDITAL IFES-CAMPUS SERRA

Leia mais

Aula 3 Administração Integrada

Aula 3 Administração Integrada Aula 3 Administração Integrada MEG O MEG está descrito em três versões: Critérios de Excelência, para organização em estágios avançados; Rumo à Excelência, para organizações em estágios intermediários;

Leia mais

1. Ecorodovias Infraestrutura e Logística. 2. Concessionária Ecovias dos Imigrantes. 3. Impacto Rodoanel. 4. Situação Atual no SAI

1. Ecorodovias Infraestrutura e Logística. 2. Concessionária Ecovias dos Imigrantes. 3. Impacto Rodoanel. 4. Situação Atual no SAI Seminário: Acessibilidade ao Porto de Santos Agosto de 2010 Agenda 1. Ecorodovias Infraestrutura e Logística 2. Concessionária Ecovias dos Imigrantes 3. Impacto Rodoanel 4. Situação Atual no SAI 5. Projetos

Leia mais

À Comissão Organizadora do Regimento Geral do Instituto Federal da Paraíba Assunto: Nova proposta para o Regimento Geral do IFPB - DGFOE.

À Comissão Organizadora do Regimento Geral do Instituto Federal da Paraíba Assunto: Nova proposta para o Regimento Geral do IFPB - DGFOE. MEMORANDO Nº 079/2016/COE João Pessoa, 10 de março de 2016. À Comissão Organizadora do Regimento Geral do Instituto Federal da Paraíba Assunto: Nova proposta para o Regimento Geral do IFPB - DGFOE. Senhor

Leia mais

A evolução de povoações costeiras no litoral da Região Centro de Portugal o caso de estudo das praias de Esmoriz e Cortegaça

A evolução de povoações costeiras no litoral da Região Centro de Portugal o caso de estudo das praias de Esmoriz e Cortegaça 28 Novembro 2014 Mestrado em Urbanismo e Ordenamento do Território A evolução de povoações costeiras no litoral da Região Centro de Portugal o caso de estudo das praias de Provas Públicas Nuno Rafael Almeida

Leia mais

CÃMARA MUNICIPAL DE ÍLHAVO

CÃMARA MUNICIPAL DE ÍLHAVO MARCAÇÕES RODOVIÁRIAS NA GAFANHA DA NAZARÉ - 2016 MEMORIA DESCRITIVA DOIA Divisão de Obras, Investimentos e Ambiente ÍNDICE Memória Descritiva Introdução Projeto Caraterização DOIA Divisão de Obras, Investimentos

Leia mais

Graduação em Administração

Graduação em Administração Graduação em Administração Disciplina: Gestão da Inovação Aula 2 Surgimento da inovação relacionada à ciência São José dos Campos, abril de 2011 Inovações da Segunda Revolução Industrial Aprimoramento

Leia mais

A Gestão Ambiental no Setor Ferroviário Brasileiro: Sustentabilidade, Licenciamento Ambiental Federal

A Gestão Ambiental no Setor Ferroviário Brasileiro: Sustentabilidade, Licenciamento Ambiental Federal Ministério do Meio Ambiente Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis Diretoria de Licenciamento Ambiental - DILIC A Gestão Ambiental no Setor Ferroviário Brasileiro: Sustentabilidade,

Leia mais

ISO 9001: Manual da qualidade

ISO 9001: Manual da qualidade ISO 9001:2008 4.2.2. Manual da qualidade O Manual da Qualidade é um livro onde cada empresa demonstra aos seus clientes e às partes interessadas a forma com que ela gerencia o sistema como um todo. Imagine

Leia mais

Cicloativismo: uma experiência de participação. Melina Rombach Santiago, 01 de abril de 2016

Cicloativismo: uma experiência de participação. Melina Rombach Santiago, 01 de abril de 2016 Cicloativismo: uma experiência de participação Melina Rombach Santiago, 01 de abril de 2016 Plano de Mobilidade de Osasco e o cicloativismo: uma experiência de participação Introdução Leis e instituições

Leia mais

PROJETO SES BID. Caracterização Socioeconômica DRS Sorocaba

PROJETO SES BID. Caracterização Socioeconômica DRS Sorocaba Caracterização Socioeconômica DRS Sorocaba Elaboração do Diagnós1co e Avaliação do Atual Estágio de Desenvolvimento das Redes Regionais da Atenção à nas regiões priorizadas pelo Projeto de Fortalecimento

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO DE UM TRICICLO PARA DEFICIENTES FÍSICOS

IMPLEMENTAÇÃO DE UM TRICICLO PARA DEFICIENTES FÍSICOS XIV CONGRESSO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA MECÂNICA Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Engenharia Mecânica IMPLEMENTAÇÃO DE UM TRICICLO PARA DEFICIENTES FÍSICOS Larissa Watanabe Universidade

Leia mais

CAMPUS SÃO CARLOS CONCESSÃO DE BOLSA ATIVIDADE PARA BOLSISTAS VETERANOS

CAMPUS SÃO CARLOS CONCESSÃO DE BOLSA ATIVIDADE PARA BOLSISTAS VETERANOS PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS COMUNITÁRIOS E ESTUDANTIS CAMPUS SÃO CARLOS EDITAL Nº03, DE 13 DE ABRIL DE 2016. CONCESSÃO DE BOLSA ATIVIDADE PARA BOLSISTAS VETERANOS A PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS COMUNITÁRIOS E

Leia mais

AS POLÍTICAS PÚBLICAS E ESTRATÉGIAS PARA O DESENVOLVIMENTO DA INTERMODALIDADE EM SÃO PAULO

AS POLÍTICAS PÚBLICAS E ESTRATÉGIAS PARA O DESENVOLVIMENTO DA INTERMODALIDADE EM SÃO PAULO AS POLÍTICAS PÚBLICAS E ESTRATÉGIAS PARA O DESENVOLVIMENTO DA INTERMODALIDADE EM SÃO PAULO Palestrante: MILTON XAVIER Secretaria dos Transportes 28 abr 2006 SECRETARIA DOS TRANSPORTES A demanda de transporte

Leia mais

Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - ANPTrilhos

Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - ANPTrilhos Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - ANPTrilhos XVII Assembleia Geral da CIT 27 e 28/06/2012 - Manaus/AM Sávio Neves Diretor Institucional ANPTrilhos Presidente ABOTTc

Leia mais

Pablo Merlo Prata. Vitória, 17 de junho de 2008.

Pablo Merlo Prata. Vitória, 17 de junho de 2008. GERÊNCIA DE RECURSOS NATURAIS - GRN SUBGERÊNCIA DE PLANEJAMENTO E GESTÃO DA ZONA COSTEIRA - SUCOST Aspectos práticos da linha de costa: experiências, desafios e problemas na gestão costeira do ES. Pablo

Leia mais

O Aleijadinho e sua oficina catálogo das esculturas Devocionais

O Aleijadinho e sua oficina catálogo das esculturas Devocionais O Aleijadinho e sua oficina catálogo das esculturas Devocionais Autores: Myriam Andrade Ribeiro de Oliveira, Olinto Rodrigues dos Santos Filho, e Antonio Fernando Batista dos Santos Editora: Capivara Ano:

Leia mais

EIXO TRANSPORTES. garantindo maior integração da malha brasileira de Transportes.

EIXO TRANSPORTES. garantindo maior integração da malha brasileira de Transportes. EIXO TRANSPORTES Para integrar as diferentes regiões do Brasil, eliminar gargalos logísticos e garantir que a produção nacional tenha custos mais baixos para os mercados interno e externo, o PAC 2 realiza

Leia mais

PESQUISA RESULTADOS ALCANÇADOS PLANO DE MOBILIDADE URBANA DE COLATINA SEGUNDO OS EMPRESÁRIOS

PESQUISA RESULTADOS ALCANÇADOS PLANO DE MOBILIDADE URBANA DE COLATINA SEGUNDO OS EMPRESÁRIOS PESQUISA RESULTADOS ALCANÇADOS PLANO DE MOBILIDADE URBANA DE COLATINA SEGUNDO OS EMPRESÁRIOS EDIÇÃO 1/2014 Observação ¹: Como os dados em percentual aparecem de forma arredondada pode ocorrer que a soma

Leia mais

BOLETIM Nº 012/14 7ª SESSÃO ORDINÁRIA DE 08/ABRIL/2014. E X P E D I E N T E

BOLETIM Nº 012/14 7ª SESSÃO ORDINÁRIA DE 08/ABRIL/2014. E X P E D I E N T E 1 BOLETIM Nº 012/14 7ª SESSÃO ORDINÁRIA DE 08/ABRIL/2014. E X P E D I E N T E PROCESSO Nº 309/2014: (Poder Executivo) BALANCETE FINANCEIRO: PROJ. LEI Nº 014/14 Autoriza a inclusão de uma nova ação na Lei

Leia mais

São Paulo, setembro de 2010

São Paulo, setembro de 2010 16ª SEMANA DE TECNOLOGIA METRO-FERROVIÁRIA ASSOCIAÇÃO DOS ENGENHEIROS E ARQUITETOS DE METRÔ AEAMESP. SOLUÇÕES DE TRANSPORTE MAIS ADEQUADAS PARA AS CIDADES O BNDES E OS INVESTIMENTOS NO SETOR DE TRANSPORTES

Leia mais

Informativo nº 03/ de março de 2017 MOVIMENTO NOVA 381

Informativo nº 03/ de março de 2017 MOVIMENTO NOVA 381 MOVIMENTO NOVA 381 Data do lançamento: 21 de março de 2013 55.810 Participantes Inscritos 22 Estados Brasileiros com participantes 589 Municípios com participantes Como surgiu? Por meio da iniciativa de

Leia mais

Atividades do Deconcic

Atividades do Deconcic Principais atividades 2015 Atividades do Deconcic Período: 18 de janeiro a 12 de fevereiro de 2016 Principais Relatório de atividades Atividades 2015 18 de janeiro Reunião Plenária da Diretoria do DECONCIC

Leia mais

UFPR DEPARTAMENTO DE TRANSPORTES SISTEMAS DE TRANSPORTES TT 046 MALHA FERROVIÁRIA. Aula 06

UFPR DEPARTAMENTO DE TRANSPORTES SISTEMAS DE TRANSPORTES TT 046 MALHA FERROVIÁRIA. Aula 06 UFPR DEPARTAMENTO DE TRANSPORTES SISTEMAS DE TRANSPORTES TT 046 MALHA FERROVIÁRIA Prof. Djalma Pereira Prof. Eduardo Ratton Profa. Gilza Fernandes Blasi Profa. Márcia de Andrade Pereira Aula 06 MALHA FERROVIÁRIA

Leia mais

Curso de Gestão da Mobildiade Urbana Ensaio Crítico Turma 19 Mobilidade Urbana na Região Metropolitana de Fortaleza

Curso de Gestão da Mobildiade Urbana Ensaio Crítico Turma 19 Mobilidade Urbana na Região Metropolitana de Fortaleza Curso de Gestão da Mobildiade Urbana Ensaio Crítico Turma 19 Mobilidade Urbana na Região Metropolitana de Fortaleza José Nauri Cazuza de Sousa Júnior(*) A mobilidade urbana é um dos principais temas abordados

Leia mais

OBRAS E EQUIPAMENTOS. Canavieiras recebe pacote. de obras e equipamentos

OBRAS E EQUIPAMENTOS. Canavieiras recebe pacote. de obras e equipamentos Diário Oficial Ano: 2 Edição: 220 Páginas: 8 OBRAS E EQUIPAMENTOS Canavieiras recebe pacote de obras e equipamentos O prefeito de Canavieiras, Almir Melo, destaca como bastante proveitosa para o município

Leia mais