A IMIGRAÇÃO NO JORNAL O ESTADO DE S. PAULO ENTRE 1903 E 1912

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A IMIGRAÇÃO NO JORNAL O ESTADO DE S. PAULO ENTRE 1903 E 1912"

Transcrição

1 Universidade Presbiteriana Mackenzie A IMIGRAÇÃO NO JORNAL O ESTADO DE S. PAULO ENTRE 1903 E 1912 Nícollas Ramon Rudiner (IC) e Rosana Schwartz (Orientadora) Apoio: PIBIC Mackenzie Resumo Este trabalho tem por objetivo fazer uma análise das edições do jornal O Estado de S.Paulo e nele encontrar como esta mídia tratava a questão da imigração no Brasil entre os anos de 1903 e Para isso elaborei uma pesquisa qualitativa dentro do Arquivo Público do Estado de São Paulo, onde encontrei as microfilmagens das edições do jornal e pude assim caracterizar a posição deste meio de comunicação com relação ao tema central, que é imigração. As pesquisas foram feitas basicamente através de alguns livros que tratam a respeito do tema e também por artigos científicos presentes na internet. Como resultado, pude chegar à conclusão de que a imigração europeia para o Brasil afetava as publicações diárias do jornal estudado e que com o passar dos anos e a consequente diminuição da chegada de imigrantes para o Brasil, O Estado de S.Paulo transformou e modificou aquilo que era publicado. Palavras-chave: imigração, O Estado de S. Paulo, imigrantes Abstract This paper has as objective to analyze the editions of the newspaper "O Estado de S. Paulo" and find out how this media treated the immigration in Brazil between 1903 and To elaborate the analysis I made a qualitative research at the Public Archives of São Paulo State. I found the microfilming of the newspaper editions and I could to characterize the position of this media about the main theme, which is immigration. The research was made with some books and also some scientific articles on the internet. Therefore I concluded that the European immigration to Brazil affected the daily news publications of the chosen newspaper. Over the years the immigration to Brazil decreased and the Estado de S. Paulo transformed and changed its publication. Key words: immigration, O Estado de S. Paulo journal, immigrants 1

2 VII Jornada de Iniciação Científica Introdução Ao falarmos em imigração, podemos pensar de forma rápida que estamos apenas retratando a saída de um povo ou de uma pessoa de um determinado local e sua chegada em um outro local, seja este acontecimento por motivos econômicos, financeiros, religiosos ou de trabalho, todavia, nunca paramos para analisar que nunca essa pessoa chegará de vez em seu local de destino; sua mente sempre a levará de volta para onde deverás nasceu. E como pode acontecer essa rememoração do imigrante? Por simples lembranças que ele guarda em sua mente ou até mesmo através de fotos ou notícias lançadas pela mídia referente ao seu país natal. O estrangeiro, ao chegar eu seu local desconhecido trás junto com si o significado de fronteira e muitas vezes estabelece uma fronteira artificial entre si próprio e o povo com o qual irá lidar diariamente, deixa-se neste momento então a fronteira geográfica e fala-se portanto, da fronteira cultural, que pode chegar a ser muito maior que a distância entre dois pontos. E são através dessas fronteiras culturais, que a História relata ao longo dos anos diversos acontecimentos que marcaram o mundo, como a diáspora judáica, um dos maiores movimentos imigratórios que o mundo já teve, tendo seu início em 586 a.c e teve seu fim em 1948 quando a ONU (Organização das Nações Unidas criou o estado de Israel, todavia, o conflito com palestinos ainda permanecem e estes são chamados até hoje de povo sem pátria, por não terem um Estado próprio. A constante guerra entre palestinos e israelenses e os massacres na Faixa de Gaza, não são notícias raras de vermos pela mídia nacional e internacional. Vemos ainda o estranhamento do eu do imigrante com o outro (como no exemplo citado acima), que são os moradores dos locais para os quais essas pessoas acabam indo. Esse estranhamento gerado entre estrangeiros e habitantes locais aquece a relação entre esses povos, logo, essa diferença será num futuro, seja ele próximo ou no, fator que auxiliará no movimento da história: a diferença ente gregos e troianos e entre capitalistas e socialistas, por exemplo, entraram para a historia mundial): o incomodo acaba por fazer a história O Brasil, por exemplo, foi foco de portugueses, espanhóis, italianos, alemães, poloneses e russos, por exemplo. Após a independência do Brasil, mais de dois milhões de portugueses emigraram para cá e entre 1822 e 1950, estima-se que mais de portugueses tivessem chegado àquele país. 1 1 Deslocamentos & Histórias: portugueses. EDUSC. Pág.30 2

3 Universidade Presbiteriana Mackenzie E a vinda de imigrantes e os fatores de expulsão dessas pessoas de seus países? Era algo mostrado de forma aberta para as pessoas ou pouco se sabia do que acontecia lá fora e tínhamos uma mídia maquiada? Para isso é preciso identificar nessas publicações do Estado de S.Paulo, matérias, gráficos, noticias, reportagens ou dados que faça alusão direta ou indireta a imigração. Através dessas informações coletadas, pode-se caracterizar como o meio de comunicação em questão tratava a questão da imigração. Era uma questão amplamente discutida ou pouco se falava a respeito? Onde encontrava-se o imigrantismo nesse jornal? Este é o carro-chave desta pesquisa. Mostrar a visão de um determinado veículo de comunicação no tocante à imigração. Situando o Brasil dentro do período estudado O Brasil ainda era uma nação recentemente posta à independência perante o mundo, fato que ocorrera em 1888 e dentro do período estudo neste artigo, passou pelas mãos de cinco presidentes diferentes, que de certa forma, tiveram ações em seus governos que influenciaram direta ou indiretamente a vinda de estrangeiros para o país. A ordem cronológica desses governantes e seus respectivos anos à frente da presidência do Brasil durante o período abraçado por essa pesquisa são: Rodrigues Alves ( ), Afonso Peçanha ( ), Nilo Peçanha ( ) e Hermes da Fonseca ( ) No início dos anos de 1900, o Brasil ainda sofria alguns reflexos de um dos maiores massacres ocorridos por aqui: a Guerra de Canudos ( ). Esse conflito, que está relacionado com a injustiça no tocante à causa fundiária do país e ao descaso com a população nordestina, ocorreu no governo do então presidente Prudente de Moraes. A uma estrutura agrária viciada, marcada pela concentração de terras nas mãos de poucos e pelo predomínio de latifúndio improdutivo de vastas áreas, somava-se o total descaso das elites e do governo com uma população sertaneja tão grande quanto carente. (VICENTINO, Cláudio. DORIGO, Gianpaolo. História para o ensino médio. São Paulo, Editora Scipione. P.410) A sucessão de Prudentes de Moraes, feita por Campo Sales, um grande cafeicultor da época, marca um período de total oligarquia na política brasileira. O café pode ser classificado aqui como um dos principais fatores de atração para trazer imigrantes em busca de melhores condições de vida e que buscavam o enriquecimento. 3

4 VII Jornada de Iniciação Científica A queda constante do preço do café ao redor do mundo por volta de 1900, faz com que ocorra uma crise no setor cafeeiro brasileiro, um dos maiores importadores do produto na época. Após passar por uma crise relacionada ao pagamento da dívida externa, o Brasil inicia uma política de valorização do café, para poder impulsionar a economia da ex-colônia portuguesa. Em 1906 ocorre na cidade de Taubaté, interior do estado de São Paulo, o Convênio de Taubaté, que combinou um plano de intervenção estatal na cafeicultura, com o objetivo de se promover a elevação dos preços do produto e assim, assegurar os lucros dos produtores 2. Um dos pontos do Convênio de Taubaté era trabalhar em cima do sistema de estoque; e este seria vendido conforme a demanda do mercado. Com o passar do tempo, a medida começa a funcionar, o produto, que teve origem na Etiópia, África, volta a ser valorizado e impulsiona a economia Brasileira. Todavia, o sistema de estoque era uma faca de dois gumes, pois caso não fosse completamente vendido, teria que ser destruído, o que causaria prejuízo aos cafeicultores que fizeram empréstimos em bancos ingleses para poder plantar o então denominado ouro negro. Essa política de valorização do café é exercida por outros presidentes até o governo de Arthur Bernardes, que ficou no poder de 1922 até 1926, quando o estado de São Paulo passou a bancar sozinho a valorização. Fatores de expulsão e atração dos imigrantes O Brasil, colônia portuguesa, praticou por muitos anos o tráfico de negros africanos para virem exercer trabalho escravo aqui. A raiz da imigração brasileira está no momento em que a escravidão é vista como um problema para o crescimento capitalista e a Inglaterra, responsável por grande parte da industrialização do mundo nesta época (século XIX), começou a ser contra o comércio de escravos. A Lei Eusébio de Queirós de 1850, que proibiu o abastecimento de escravos africanos, foi assinada pelo Brasil de forma forçada pela Inglaterra e obrigou os produtores de café, alavanca propulsora da economia brasileira da época, a procurar outras maneiras de adquirir mão-de-obra. 2 (VICENTINO, Cláudio. Pág. 414) 4

5 Universidade Presbiteriana Mackenzie A primeira iniciativa importante de incentivo à imigração foi o sistema de parceria, adotado em 1847 pelo senador Nicolau de Campos Vergueiro. O sistema consistia em custear, a título de antecipação dos rendimentos, o transporte de trabalhadores europeus até as fazendas, bem como sustentálos nos primeiros tempos. Instalados, os imigrantes deveriam dar início ao trabalho, cultivando café e gêneros de subsistência, dos quais retinham um terço dos lucros, entregando o restante ao fazendeiro, para amortizar a dívida inicial. (Vicentino & Dorigo, 2006.p.341) Dentre autores que trabalharam com o tema ou de certa forma, o citaram de forma tangencial em sua obra, podemos citar a professora da Universidade de São Paulo (USP), Nádia Batela Gotlib, que ao escrever a biografia da escritora ucraniana Clarice Lispector, relata também alguns dos motivos ou causas da vinda de estrangeiros para o Brasil: Até a década de 30 as causas de emigração foram, primordialmente, a procura de melhores condições de vida, as dificuldades causadas pelo antissemitismo e o sonho de fazer a América. A imigração judaica deste período não se deu de forma organizada, tendo um caráter aleatório e familiar (...). Era uma emigração sem retorno, pois nem as primeiras gerações nem as seguintes pensavam em voltar. (GOTLIB, Nádia Battella. Clarice, uma vida que se conta. EdUSP. 6ª edição.2009) A escritora brasileira Zélia Gattai, cujos pais vieram da Itália fazer a vida no Brasil, também conta em seu livro de memórias, Anarquistas graças a Deus um pouco de como era o sentimento desse povo ao desembarcar aqui Nova imigração italiana chegava a São Paulo. Essa, no entanto, bastante diferente daquela outra, do fim do século. Agora homens e mulheres fugiam do regime fascista de Mussolini, em busca de liberdade, dispostos a trabalhar e a lutar por uma vida mais digna. (Zélia Gattai Anarquistas Graças a Deus Pág ªEdição) Abaixo, segue gráfico oriundo de uma pesquisa sobre imigração da escritora Maria Stella Ferreira Levy em O papel da imigração internacional na evolução da população brasileira que quantifica em números a vinda desses estrangeiros para o Brasil: 5

6 VII Jornada de Iniciação Científica Gráfico: Entrada de estrangeiros no Brasil ( ) Trazendo alguns números a critério de curiosidade, segundo Maria Stella Ferreira Levy, temos o seguinte quadro. A autora divide os fluxos migratórios em vários períodos, nos quais a faixa de ano abraçada por esse trabalho, se encaixa no terceiro período: Durante os anos que o compõem (1877 a 1903) entram no Brasil pessoas, o que perfaz uma média anual de A fim de facilitar o acompanhamento dessas novas tendências, podemos dividir este período, por sua vez, em duas fases: a primeira, que se estende até 1886, e a segunda deste ano até 1903 (...).O terceiro período (1904 a 1930), corresponde a um grande fluxo imigratório; durante o mesmo entraram no Brasil imigrantes perfazendo uma média anual de pessoas. Também cabe aqui analisarmos duas fases distintas: uma primeira que vai até 1914, início da primeira grande guerra, e a segunda a partir de 1919, logo após o término do conflito. Durante os anos de 1915 a 1918, o número de entradas de estrangeiros ficou bastante reduzido, sendo a média anual de pessoas. (LEVY, M.S.F. Pag.6) 6

7 Universidade Presbiteriana Mackenzie Segundo Maria João Silveirinha e Ana Teresa Peixinho de Cristo, autoras do artigo A construção discursiva dos imigrantes na imprensa, a identidade pública dos imigrantes depende de um conjunto de fatores que vão das práticas do Estado na sua regulamentação à intervenção institucional das diferentes organizações. Os imigrantes raramente têm uma palavra a dizer na construção desta identidade, uma vez que o seu acesso ao espaço público é quase nulo. Logo, as interferências que a imigração exerceu em O Estado de S.Paulo tem sua importância baseado no fato de que esses estramgeiros foram essenciais para o processo de enculturação de algumas cidades ou bairros do estado de São Paulo. Tipos de imigração (Individual e familiar) Mas é essencial qualificar este italiano. Em sua tese Brava Gente, Zuleika Alvim, ao trabalhar com fontes e bibliografia italianas e brasileiras sinaliza diferenças e similaridades entre imigrantes oriundos do norte e do sul da Itália e coloca a questão, central para nós, da inexistência de um italiano imigrante. Desta forma, é essencial reconhecer os lugares de origem e as intenções e expectativas que originaram o ato imigratório para compreender as relações e inserções estabelecidas no Brasil. Reconhecer que os imigrantes tentavam aglutinar-se segundo regiões de origem significa buscar compreender as redes de origem e as aqui construídas e/ou reproduzidas. (LANNA, Ana Lúcia Duarte. Os Italianos do Bexiga, São Paulo, 1878/1930.Pág.5) 3 Dentre os inúmeros imigrantes que ao Brasil chegavam podemos classificar a imigração por eles exercida em dois aspectos: a imigração individual e a familiar. Houve casos de pessoas que abandonaram suas famílias na Itália, por exemplo, e vieram para o Brasil começar uma nova vida e consequentemente uma nova família e os casos de pessoas que migraram com todos os membros da família, como o caso da escritora Clarice Lispector, entretanto ambos possuíam o mesmo objetivo: dar inicio a uma nova vida e fugir das eferveções de guerras que assolavam a Europa. Segundo Rui Marques (2006) os progenitores imigrantes são, normalmente, verdadeiros heróis em busca de um futuro melhor para os seus filhos. Procuram incessantemente darlhes uma vida diferente daquela que tiveram. Não regateiam sacrifícios, trabalhando horas sem fim, em condições normalmente muito adversas, para lhes poderem proporcionar esse destino diferente. Podemos dizer que de certa forma, o fluxo imigratório que ocorreu no Brasil entre os anos de 1903 e 1912, até posterior a essa data, é de certa forma: migração involuntária e induzida. 3 Disponível em: < 7

8 VII Jornada de Iniciação Científica Apesar de o chefe de família por muitas vezes tomar a decisão de sair de sua terra natal e ir para outro pais tenha partido de livre e espontânea vontade, sem ninguém tem forçado, fatores sóciopolíticos do pais podem sir ter influenciado essa decisão: como a garantia de uma vida melhor, melhores oportunidades de trabalho, ou seja, o mito do enriquecimento (o imigrante muda de país para trabalhar e ganhar dinheiro) e que na maioria das vezes estava aliado ao mito do retorno (após ganhar esse dinheiro e enriquecer, ele volta para dar continuidade aos seus empreendimentos no seu país de origem, o que em grande parte não acontecia). Independente do tipo de imigração exercida por esses estrangeiros de uma coisa é certa: ao chegar aqui, o imigrante tenta recriar na nova cidade, um pouco daquilo que outrora viveu em sua terra natal, ou seja, tenta elaborar uma espécie de repatriamento. O jornal A Província de S.Paulo e o jornal Estado de São Paulo 4 Ao falar da história do jornal A Província de S.Paulo, de forma indubitável, não se pode deixar de lado, a história do Brasil e a história da própria cidade de São Paulo; ambas as narrativas se cruzam em vários pontos e encontramos fortes reflexos da expansão cafeeira, do republicanismo que ecoava pelo Brasil e do imigrantismo, dentro do hoje denominado O Estado de S.Paulo. Todavia, de modo a não estender de forma excessiva, a história de A Província de S.Paulo será resumida aqui com um foco maior no período delimitado nessa pesquisa, logo, não me estenderei por outros anais da história do Estado de S.Paulo. Aos 4 de janeiro de 1875, chegava à cidade de São Paulo ou melhor, ao Brasil Império, um periódico denominado A Província de S.Paulo, tendo a sua criação, um embrião na Convenção de Itu 5, na qual a maioria dos participantes via como algo imprescindível a necessidade de ter um órgão de imprensa na capital para defender os ideais republicanos. A elaboração deste jornal, com bases extremamente republicanas, muito tem relação com a atual situação do Brasil naquela época: combate a monarquia e a escravidão. Vemos na cidade de São Paulo, a partir desta década, um franco desenvolvimento, claro que isso é efeitos da Revolução Industrial 6 ocorrida na Inglaterra e que se espalhara para o restante do mundo chegando às terras tupiniquins; a expansão da ferrovia, ligada ao ciclo do café, fez com que não só a cidade, mas o estado de São Paulo se se destaca em um país que saia das amarras da colonização portuguesa. 4 Dados extraídos do texto de José Alfredo Vidigal Pontes, que se encontra no site do jornal O Estado de S.Paulo. 5 Explicar sobre a Convenção de Itu brevemente 6 Dados sobre a Revolução Industrial 8

9 Universidade Presbiteriana Mackenzie Há, portanto, o panorama de uma cidade em crescimento constante e que de forma paulatina, fazia a troca da mão de obra escava, para a mão de obra assalariada, sendo então, os imigrantes a chave fundamental deste processo. Como já dito, a importância crucial do A província para o estado de São Paulo e até mesmo para o Brasil, se dá pelo fato deste jornal ter um forte engajamento no ideário republicano e abolicionista, tendo essas idéias, expostas em textos escritos por Rangel Pestana e Américo Campos, os primeiros redatores que APSP teve. Sua tiragem inicial foi de dois mil exemplares, o que para aquela época, chegava até a ser um número elevado, haja vista que poucos eram letrados e tinham acesso à informação; na época, São Paulo possuía pouco mais de 30 mil habitantes. A evolução do periódico passa a ter todo um envolvimento com o crescimento da cidade. Por volta do ano de 1988, o jornal ganha um colaborar denominado Proudhon, que era ninguém mais, ninguém menos, do que o célebre escrito Euclídes da Cunha 7, cuja obra prima, Os Sertões, é um relato sobre o massacre em Canudos. Após a Proclamação da República, em 1888, cai o termo província e entra no lugar o termo estado, nasce então, O Estado ; um jornal que no futuro ainda iria marcar por muito as características políticas de uma cidade. Por volta de 1902, Júlio Mesquita 8, que era redator no A Província desde 1885 e ma época genro de um dos 16 fundadores, torna-se o único proprietário de todo o jornal. A cidade de São Paulo, neste período, contava com mais de 250 mil habitantes. Interessante perceber que mais da metade desse número era composto com imigrantes, o que mostra onde se centrava as forças da cidade e um fortalecimento quase que total do abolicionismo. Até o final da República Velha, que ocorreu por volta de 1930, este jornal se mostrou totalmente avesso ao sistema eleitoral vigente no país (aberto). Isso fez com que apoiasse políticos como Ruy Barbosa, cuja campanha fazia parte da denominada Campanha Civilista. O jornal O Estado de S.Paulo possui uma estrada longa: 129 anos. Analisamos ai o tamanho de sua credibilidade, pois foi um meio de comunicação que se estruturou em uma nação recém libertada das amarras do colonialismo português, com dificuldades de introduzir o republicanismo e excluir a escravidão, cuja sede física estava em uma cidade onde a leva de imigrantes crescia exponencialmente, ou seja, um turbilhões de transformações físicas, políticas, econômicas e culturais envolvendo jornal e cidade homônimos

10 VII Jornada de Iniciação Científica O que era imigração para a mídia da época? Em pesquisas realizadas não apenas em livros, mas também através da internet, podemos encontrar revistas e/ou jornais da época cujo foque era em grande parte os imigrantes. Existia uma revista chamada O Imigrante no qual o assunto principal, obviamente, era a vida dos povos estrangeiros em terras brasileiros, ao passo que a revista era adaptada, tendo o seu texto apresentado, de forma um pouco confusa, em três línguas: português, francês e italiano. Em arquivos desse período, encontramos uma espécie de incentivo por parte da mídia, na qual havia um pequeno texto, relatando as Vantagens ( Vantaggi, Avantages de vir para o Brasil. Vejamos uma imagem desta revista: Devido ao extraordinário desenvolvimento que está sendo alcançado pelo Estado de S.Paulo (Brasil) em todos os ramos da actividade humana, e, em vista da grande extensão que estão tomando as culturas nas regiões agrícolas do Estado, grande tem sido também a necessidade de braços para attender às exigências do seu rápido progresso. Revista O Imigrante : incentivo à vinda de estrangeiros para o Brasil 10

11 Universidade Presbiteriana Mackenzie A imigração em O Estado de S.Paulo. Com as analises feitas nas edições de O Estado de S.Paulo disponíveis em microfilmes no Arquivo Público do Estado de São Paulo pode-se ter uma ideia do cenário da época com relação a imigração. Não se pode inferir que havia uma aparição extremamente direta do imigrantismo no jornal; ela aparecia de forma indireta em diversos casos que citarei ao longo deste capítulo. Nas capas do jornais pode-se encontrar sessões que se repetiam ao longo dos anos, como: Movimento dos Portos, que mostrava a chegada e saída de navios nacionais e estrangeiros no porto de Santos e Rio de Janeiro (principalmente). Pelo fato de termos essas informações diariamente nas capas, podemos perceber ai, quão interessante era para as pessoas saberem sobre os navios que ao Brasil chegava ou que do Brasil partiam: ali estava uma informação preciosa para fazendeiros e donos de empresas; a mão de obra. Lanna, Duarte (2003) afirma que a imigração enquadra-se em políticas públicas e atração de mão de obra, sobretudo para as grandes culturas de exportação, notadamente o café e revela a importância política e econômica dos cafeicultores do Oeste Paulista Imagem retirada da edição número 9952 do dia 05 de março de 1906 na qual podemos ver como aparecia no jornal a coluna Movimento dos Portos A imagem ao lado, mais ampliada, mostra o nome dos vapores esperados e a possível data de chegada desses navios. A mesma coluna, todavia esta foi retirada da edição do dia 03 de janeiro de

12 VII Jornada de Iniciação Científica Interessante ressaltar que naquela época, na capa, não encontramos manchetes como temos hoje; havia matérias e artigos inteiros. A questão da febre amarela ( febre amarella ) e da tuberculose estavam sempre presentes também no periódico, haja vista que eram doenças que assolavam o Brasil na época: Tratamento de Febre Amarella pelas injeções de sôro anti-ophidico (matéria publicada no dia 07/02/1904, um domingo. Em outra matéria do dia 14 de janeiro de 1904 encontramos preocupação com relação à tuberculose em artigo escrito pelo Drº. Adalberto Seabra: A tuberculose sob o ponto de vista social, na qual o médico alegava ter no estado de São Paulo 30 mil tuberculosos. Outro aspecto que podemos relacionar à imigração são as grandes propagandas sobre navios (companhias de viagem) que encontrei ao longo da pesquisa. Em 25/10/1905 havia a propaganda dos seguintes navios: Ravenna, Magellan, Dalmatia e Washington (que fazia Rio de Janeiro, Genova e Napolis). Vejamos um exemplo: Propaganda vinculada no jornal no dia 23 de janeiro de 1903, no qual se podia notar que um dos fortes: grandes navios que faziam as rotas utilizadas pelos estrangeiros para saírem de seu pais natal (Itália, Alemanha, Espanha, Portugal e Inglaterra) e virem para o Brasil (o caminho contrario também ocorria, claro, haja vista a vinculação em um jornal brasileiro. Outras duas sessões especiais no jornal eram a Semana Estrangeira e Cartas da Allemanha (havia também Cartas da Itália e Cartas do Rio ). Podemos agora visualizar no jornal, aquilo que fora dito na introdução deste trabalho: a rememoração do local de nascimento dos estrangeiros através da mídia. E como podemos perceber esse sentimento de saudade ou de rememoração que o jornal trás para o imigrante que o lê? De uma forma muito simples: o uso da palavra carta. Se ao invés de usar a palavra carta, fosse usado, por exemplo, Notícias da Allemana, não haveria um sentido tão especial. 12

13 Universidade Presbiteriana Mackenzie Janeiro/ 1903 escrita diretamente de Berlim, a coluna trazia notícias sobre a Alemanha. Dezembro/1903 A coluna A Semana Extrangeira trazia notícias de vários lugars do mundo e ao lado, a coluna Café, que trazia informações sobre compra e venda de sacas de café, economia que movia o Brasil da época. Até o ano de 1910, o tema café, mola propulsora da imigração da época poderia ser encontrado fácilmente, na capa dos jornais, com o passar dos anos e a chegada do Ciclo da Borracha e da exportação de madeira, o café vai perdendo espaço nas edições de O Estado de S.Paulo, assim como um declínio do numero de imigrantes pode ser visto também. Podemos classificar este periódico, com relação à imigração, neutro ao tema, pois durante as pesquisas, não foram encontrados noticias, matérias ou até mesmo crônicas que falassem sobre a imigração. Entretanto, curiosamente, ao pesquisar os jornais do ano de 1909, mais especificamente no mês de julho, uma reportagem que tratava a respeito do crescimento populacional brasileiro. Esta matéria trazia um gráfico, no qual podemos encontrar dados sobre os números de imigrantes. O gráfico em questão afirma que: A população do Brasil dobrou no espaço de 20 anos (...). Em 1877 era de 11 milhões de habitantes e em 1906 já excedia os 21 milhões. Este rápido crescimento é devido principalmente à grande natalidade e à immigração. (O Estado de S.Paulo, 19 de julho de 1909 edição ) 13

14 VII Jornada de Iniciação Científica A única base de dados, oriunda das edições do Estado de S.Paulo no qual a mídia quantificava a quantidade de imigrantes ao longo dos anos está no gráfico número dois, o qual o reproduziremos em uma tabela abaixo: ANO Nº DE IMIGRANTES Fonte: O Estado de S.Paulo (19 de julho de 1909) Fonte: O Estado de S.Paulo (19 de julho de 1909) A nível de comparação, tem-se uma outra tabela a ser analisada, que também retrata número de imigrantes no Brasil. 14

15 Universidade Presbiteriana Mackenzie Fonte: LESSER. Jeffrey. Pág.26 Podemos, portanto, classificar como característica da visão do Estado de S.Paulo com relação ao imigrantismo como um meio de comunicação que não praticava de forma alguma atitudes xenofóbicas, mas por outro lado não havia publicações que enalteciam a vinda de estrangeiros para o Brasil. Movimento dos Portos pode ser classificada como a coluna carro-chefe da presença da imigração nas edições desse jornal assim como o Café foi tão ou até mais importante, pois naquela época havia destaque, se comparado às cotações das principais bolsas de valores ao redor do mundo e do dólares: hoje em dia essas informações estão em letras miúdas e em um caderno especifico. O que se pode inferir é que: a ausência de notas/manchetes na capa dessas edições ( ) fez com aquilo que era mais importante fosse colocado diretamente na capa, entretanto, não como forma de manchete e sim como notícia pura. Em janeiro de 1910 o Café ainda é um tema recorrente na capa dos jornais, todavia, não com a frequencia que outrora possui, uma queda na apresentação desse tema é observada; logo, de forma análoga, podemos deduzir que a economia cafeeira estava reduzindo, consequentes os imigrantes também, haja vista que a chegada de navios em Santos e no Rio de Janeiro transitam entre as segundas, terceiras ou ate as sexagésimas páginas do jornal entre 1911 e Outra observação interessante é que com a entrada do ano de 1911, as propagandas 9 de navios começam a se esmaecer e fatos políticos do mundo entram para a primeira capa 9 Após o ano de 1910, as propagandas em O Estado de S.Paulo assume uma nouva roupagem: eram maiores, com gravuras mais detalhadas e muitas delas voltadas para o públicos feminino, como a compra de jóias 15

16 VII Jornada de Iniciação Científica desse periódico como Guerra Ítalo-Turca 10, que de certa forma, também contribui para a evasão de turcos para outros cantos do mundo. As perguntas principais dessa pesquisa foram respondidas, a fim de obter maior conhecimento aprofundado no que diz respeito ao crescimento de um jornal secular, que desponta em um país recém independente e um movimento migratório que trouxe para o Brasil não apenas mão de obra para os donos de cafezais, mas também mudanças em uma grande cidade tanto física como politicamente. Conclusão De forma indubitável a imigração trouxe enormes modificações (físicas, políticas e culturais) não só para a cidade de São Paulo, como para o Brasil também. Ela deve ser tratada como um deslocamento de pessoas de um local para outro, no qual, essa transição, ou seja, esse movimento é o que constrói não apenas a história brasileira, mas também a mundial. Através dessa pesquisa, foi possível perceber que esse ato de se descolocar acabou por interfir até eu um jornal com poucos anos de vida (na época), como a antiga Província de São Paulo: com o passar dos anos é notável a transformação do jornal baseado nas transformações políticas e econômicas do Brasil. O jornal O Estado de S.Paulo até meados de 1910 tinha como carro-chefe de suas publicações informações a respeito do mundo do café (valores de compre e venda da saca) e também, talvez tão importante quanto o café, motivo da vinda de inúmeros imigrantes ao Brasil, pode-se notar também quão importante era a movimentação do porto da cidade de Santos e da cidade do Rio de Janeiro. O ponto de partida para a pesquisa iniciar foi o ano de 1903 e o ponto final o ano de Ao olhar os periódicos publicados durante esses dez anos, até meados de 1910, a presença dessas duas colunas ( Movimento dos Portos e Café ) são marcantes nas capas desse jornal, reforçando portanto, quão importante era a imigração (que aumentava exponencialmente a população do Brasil) e o café (que movia a economia brasileira). João Fábio Bertonha, em seu livro O fascismo e os imigrantes italianos no Brasil declara que os (imigrantes italianos) que ficaram no Brasil, foram suficientes para transformar profundamente a vida econômica e social de São Paulo através de sua integração no (brincos, colares e pulseiras). Esse tipo de publicação não era vista de forma alguma entre os anos de 1903 a O jornal passou a ter por volta de outubro de 1911 uma coluna especial chamada Guerra Ítalo-turca na qual noticias sobre o entrave entre italianos e turcos eram divulgados diariamente nos detalhes mais precisos para a época. 16

17 Universidade Presbiteriana Mackenzie sistema de produção urbano e rural e de sua participação na vida cultural e nos diversos conflitos sociais do período (2001, p.17). Por fim, pode-se inferir que os objetivos dessa pesquisas foram concluídos, ao passo que com os estudos do jornal O Estado de S.Paulo a presença do tema imigração foi constante ao longo dos anos estudados ( ) ao passo que nos últimos dois anos vemos uma diminuição da aparição dessa temática em colunas, decorrente ao processo de queda da vinda de imigrantes e do aumento de conflitos na Europa. Referencias ALVIM, Zuleika. Brava Gente. São Paulo: Brasiliense Arquivo Público do Estado de São Paulo. Disponível em: <http://www.arquivoestado.sp.gov.br/memrev/memrev_texto.php> Acesso em 14. Jun.2011, 14:57 Arquivo Público do Estado de São Paulo: Ultimas Incorporações. Disponível em: <http://www.arquivoestado.sp.gov.br/a_ultimasincorporacoes.php> Acesso em 14. Jun.2011, 13:24 BERTONHA, João Fábio. O fascismo e os imigrantes italianos no Brasil. Porto Alegre: Edipucrs, BIGAZZI, Anna Rosa. Italianos: história e memória de uma comunidade. CAPELATO, Maria Helena. O bravo matutino: imprensa e ideologia do jornal O Estado de São Paulo. Editora Alfa-Ômega. São Paulo, FIGUEIRA, Garcia Divalte. História. São Paulo: Ática, p. GATAI, Zélia. Anarquistas, Graças a Deus. São Paulo: Companhia das Letras p. GOTLIB, Nádia Batela. Clarice, uma vida que se conta. São Paulo: EDUSP p. Grupo Imigrante Italiano, Curato de Colombo, Disponível em: <http://migre.me/5qx5p> Acesso em 11. Jul.2011, 02:14 HECKER, Alexandre. Deslocamentos & Historias: os portugueses. Bauru: EDUSC p. HECKER, Alexandre. Um socialismo possíve: a atuação de Antonio Piccarolo em São Paulo. São Paulo: T.A Queiroz, Editor: 1989 LANNA, Ana Lúcia Duarte. São Paulo: os estrangeiros e a construção da cidade. Disponível em <http://migre.me/5qwjd>. Acesso em 15.mar.2011, 14:25 17

18 VII Jornada de Iniciação Científica LESSER. Jeffrey. A negociação da identidade nacional: imigrantes, minorias e a luta pela etcinidade no Brasil. São Paulo: UNESP LEVY, M. S. F. O papel da migração internacional na evolução da população brasileira (1872 a 1972). Rev. Saúde públ., S. Paulo, 8(supl.):49-90, MARQUES, Rui. Responsabilidade Individual e Família. Disponível em: <http://homomigratius.blogspot.com/2006/07/responsabilidade-individual-e-familiar.html>. Acesso em 16.jul.2011, 01:45 MASHIOSKI, Fábio Luiz. A Preservação da Identidade Cultural em um MINARDI, Inês Manuel. Imigrantes Italianas. Disponível em: <http://migre.me/5qx5c> Acesso em 14. mar.2011, 21:55 OLIVEIRA, Lucia Lippi. O Brasil dos Imigrantes. Rio de Janeiro: Jorge Zahar PASCAL, Maria Aparecida Macedo. Gênero e imigração: Imigrantes portugueses em São Paulo ( ): Trabalhos, Conflitos, Permanências e Mudanças. Disponível em <http://migre.me/5qx4q>. Acesso em 28. mar.2011, 02:55. PONTES, José Alfredo Vidigal. O Estado de S.Paulo. Disponível em: <http://www.estadao.com.br/historico/resumo/conti1.htm>. Acesso em 14.jan.2011, 21:55. SODRÉ, Nelson Werneck. A história da imprensa no Brasil. 4ª edição. São Paulo, TRENTO, Ângelo. Do outro lado do Atlântico. São Paulo: Nobel, p. VICENTINO, Cláudio. História para o ensino médio: História geral e do Brasil. São Paulo: Scipione, p. Contato: e 18

CRISE DO ESCRAVISMO. O Brasil foi o último país da América Latina a abolir a escravidão.

CRISE DO ESCRAVISMO. O Brasil foi o último país da América Latina a abolir a escravidão. CRISE DO ESCRAVISMO A Dinamarca foi o primeiro país Europeu a abolir o tráfico de escravos em 1792. A Grã-Bretanha veio a seguir, abolindo em 1807 e os Estados Unidos em 1808. O Brasil foi o último país

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES. História

CADERNO DE ATIVIDADES. História COLÉGIO ARNALDO 2015 CADERNO DE ATIVIDADES História Aluno (a): 4º ano: Turma: Professor (a): Valor: 20 pontos Conteúdo de Recuperação O que é História. Identificar a História como ciência. Reconhecer que

Leia mais

A EVOLUÇÃO DA CULTURA DO CAFÉ E DA CANA-DE-AÇUCAR NO MUNICIPIO DE FRANCA: UM ESTUDO NOS ANOS DE 1990 A 2007

A EVOLUÇÃO DA CULTURA DO CAFÉ E DA CANA-DE-AÇUCAR NO MUNICIPIO DE FRANCA: UM ESTUDO NOS ANOS DE 1990 A 2007 344 A EVOLUÇÃO DA CULTURA DO CAFÉ E DA CANA-DE-AÇUCAR NO MUNICIPIO DE FRANCA: UM ESTUDO NOS ANOS DE 1990 A 2007 Jordanio Batista Maia da Silva (Uni-FACEF) Hélio Braga Filho (Uni-FACEF) 1 INTRODUÇÃO Vivemos

Leia mais

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES. AULA 4.1 Conteúdo: Migração e Conflitos

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES. AULA 4.1 Conteúdo: Migração e Conflitos 4.1 Conteúdo: Migração e Conflitos 4.1 Habilidades: Compreender o conceito de migração e os motivos que a causam, a partir de casos de migrações que ocorreram mundialmente. Revisão: Distribuição Geográfica;

Leia mais

Colégio Senhora de Fátima

Colégio Senhora de Fátima Colégio Senhora de Fátima A formação do território brasileiro 7 ano Professora: Jenifer Geografia A formação do território brasileiro As imagens a seguir tem como principal objetivo levar a refletir sobre

Leia mais

TRÁFICO HUMANO E AS MIGRAÇÕES INTERNACIONAIS

TRÁFICO HUMANO E AS MIGRAÇÕES INTERNACIONAIS TRÁFICO HUMANO E AS MIGRAÇÕES INTERNACIONAIS MOVIMENTOS MIGRATÓRIOS INTERNACIONAIS 1. RAZÕES DAS MIGRAÇÕES FATORES ATRATIVOS X FATORES REPULSIVOS - CONDIÇÕES DE VIDA - OFERTAS DE EMPREGO - SEGURANÇA -

Leia mais

6. Considerações finais

6. Considerações finais 84 6. Considerações finais Nesta dissertação, encontram-se registros de mudanças sociais que influenciaram as vidas de homens e mulheres a partir da chegada das novas tecnologias. Partiu-se da Revolução

Leia mais

A expansão dos EUA (séc. XVIII-XX)

A expansão dos EUA (séc. XVIII-XX) 1803 Os Estados Unidos compram a Louisiana da França. Cronologia 1846 a 1848 Guerra do México. Os Estados Unidos conquistam e anexam os territórios da Califórnia, Novo México, Nevada, Arizona e Utah. 1810

Leia mais

HISTÓRIA-2009 2ª FASE 2009

HISTÓRIA-2009 2ª FASE 2009 Questão 01 UFBA - -2009 2ª FASE 2009 Na Época Medieval, tanto no Oriente Médio, quanto no norte da África e na Península Ibérica, muçulmanos e judeus conviviam em relativa paz, fazendo comércio e expressando,

Leia mais

Entrevista com Clínica Maló. Paulo Maló CEO. www.clinicamalo.pt. Com quality media press para LA VANGUARDIA

Entrevista com Clínica Maló. Paulo Maló CEO. www.clinicamalo.pt. Com quality media press para LA VANGUARDIA Entrevista com Clínica Maló Paulo Maló CEO www.clinicamalo.pt Com quality media press para LA VANGUARDIA Esta transcrição reproduz fiel e integralmente a entrevista. As respostas que aqui figuram em linguagem

Leia mais

Século XVIII e XIX / Europa

Século XVIII e XIX / Europa 1 I REVOLUÇÃO AGRÍCOLA Século XVIII e XIX / Europa! O crescimento populacional e a queda da fertilidade dos solos utilizados após anos de sucessivas culturas no continente europeu, causaram, entre outros

Leia mais

RESUMO PARA RECUPERAÇÃO 2º TRIMESTRE

RESUMO PARA RECUPERAÇÃO 2º TRIMESTRE RESUMO PARA RECUPERAÇÃO 2º TRIMESTRE Conceitos Diversos Estado É uma organização políticoadministrativa da sociedade. Estado-nação - Quando um território delimitado é composto de um governo e uma população

Leia mais

REVISÃO AMÉRICA ANGLO SAXÔNICA E MÉXICO

REVISÃO AMÉRICA ANGLO SAXÔNICA E MÉXICO REVISÃO AMÉRICA ANGLO SAXÔNICA E MÉXICO DIVISÃO DO CONTINENTE AMERICANO Os países que pertencem a América do Norte são: EUA, Canadá e México. Os países que pertencem a América Anglo Saxônica são: EUA

Leia mais

CONTEXTO HISTORICO E GEOPOLITICO ATUAL. Ciências Humanas e suas tecnologias R O C H A

CONTEXTO HISTORICO E GEOPOLITICO ATUAL. Ciências Humanas e suas tecnologias R O C H A CONTEXTO HISTORICO E GEOPOLITICO ATUAL Ciências Humanas e suas tecnologias R O C H A O capitalismo teve origem na Europa, nos séculos XV e XVI, e se expandiu para outros lugares do mundo ( Ásia, África,

Leia mais

1º ano. I. O Surgimento do Estado e a Organização de uma Sociedade de Classes

1º ano. I. O Surgimento do Estado e a Organização de uma Sociedade de Classes Africana: África como berço da humanidade Capítulo 1: Item 1 Européia Capítulo 1: Item 2 Asiática Capítulo 1: Item 2 Americana Capítulo 1: Item 3 Arqueologia Brasileira Capítulo 1: Item 4 A paisagem e

Leia mais

Cortadores de cana têm vida útil de escravo em SP

Cortadores de cana têm vida útil de escravo em SP Cortadores de cana têm vida útil de escravo em SP Pressionado a produzir mais, trabalhador atua cerca de 12 anos, como na época da escravidão Conclusão é de pesquisadora da Unesp; usineiros dizem que estão

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA ENSINO MÉDIO ÁREA CURRICULAR: CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS DISCIPLINA: HISTÓRIA SÉRIE 1.ª CH 68 ANO 2012 COMPETÊNCIAS:. Compreender

Leia mais

FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO

FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO É claro que o Brasil não brotou do chão como uma planta. O Solo que o Brasil hoje ocupa já existia, o que não existia era o seu território, a porção do espaço sob domínio,

Leia mais

Geografia Por Tabata

Geografia Por Tabata Geografia Por Tabata População População Absoluta: total de habitantes de um dado lugar Ex.: China = maior população cerca 1 bilhão e 300 milhões de habitantes China = país populoso Populoso é o país que

Leia mais

TEMA 3 UMA EXPERIÊNCIA

TEMA 3 UMA EXPERIÊNCIA TEMA 3 UMA EXPERIÊNCIA DOLOROSA: O NAZISMO ALEMÃO A ascensão dos nazistas ao poder na Alemanha colocou em ação a política de expansão territorial do país e o preparou para a Segunda Guerra Mundial. O saldo

Leia mais

Gabarito oficial preliminar: História

Gabarito oficial preliminar: História 1) Questão 1 Segundo José Bonifácio, o fim do tráfico de escravos significaria uma ameaça à existência do governo porque Geraria uma crise econômica decorrente da diminuição da mão de obra disponível,

Leia mais

Para saber mais! Nações sem Território IDH. 8ºANO Expedição 1 Professora Bruna Andrade

Para saber mais! Nações sem Território IDH. 8ºANO Expedição 1 Professora Bruna Andrade Para saber mais! Nações sem Território IDH 8ºANO Expedição 1 Professora Bruna Andrade 1. Nações sem Território ma NAÇÃO é formada por um grupo de indivíduos que apresenta características históricas, culturais,

Leia mais

De que jeito se governava a Colônia

De que jeito se governava a Colônia MÓDULO 3 De que jeito se governava a Colônia Apresentação do Módulo 3 Já conhecemos bastante sobre a sociedade escravista, especialmente em sua fase colonial. Pouco sabemos ainda sobre a organização do

Leia mais

A industrialização no Brasil teve início a partir de. A vinda da Família Real propiciou a quebra do pacto colonial;

A industrialização no Brasil teve início a partir de. A vinda da Família Real propiciou a quebra do pacto colonial; PROCESSO DE INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA 1 Histórico de nossa industrialização A industrialização no Brasil teve início a partir de meados do século XIX; A vinda da Família Real propiciou a quebra do pacto

Leia mais

HISTÓRIA - MATERIAL COMPLEMENTAR OITAVO ANO ENSINO FUNDAMENTAL II PROF. ROSE LIMA

HISTÓRIA - MATERIAL COMPLEMENTAR OITAVO ANO ENSINO FUNDAMENTAL II PROF. ROSE LIMA HISTÓRIA - MATERIAL COMPLEMENTAR OITAVO ANO ENSINO FUNDAMENTAL II PROF. ROSE LIMA INDEPENDÊNCIA DO Colonização: espanhola até 1697, posteriormente francesa. Produção açucareira. Maioria da população:

Leia mais

CADERNO 1 BRASIL CAP. 3. Gabarito: EXERCÍCIOS DE SALA. Resposta da questão 1: [D]

CADERNO 1 BRASIL CAP. 3. Gabarito: EXERCÍCIOS DE SALA. Resposta da questão 1: [D] Gabarito: EXERCÍCIOS DE SALA Resposta da questão 1: Somente a proposição está correta. Com a expansão napoleônica na Europa e a invasão do exército Francês em Portugal ocorreu a vinda da corte portuguesa

Leia mais

História. baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo

História. baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo História baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo 1 PROPOSTA CURRICULAR DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA Middle e High School 2 6 th Grade A vida na Grécia antiga: sociedade, vida cotidiana, mitos,

Leia mais

GEOGRAFIA. Prof. Marcus

GEOGRAFIA. Prof. Marcus GEOGRAFIA Prof. Marcus Migração e xenofobia Migração Trata-se de um fluxo de pessoas. Existe por diversos motivos, como: Fluxos globais, regiões superpovoadas, desemprego, desorganização, desigualdade,

Leia mais

Exercícios Migrações Internacionais

Exercícios Migrações Internacionais Exercícios Migrações Internacionais Material de apoio do Extensivo 1. Nas últimas décadas do século XX, o número de migrantes internacionais aumentou de forma significativa [ ] por causa das disparidades

Leia mais

Palestra: História da Cana-de. de-açúcar no Centro-Oeste Professora: Ana Paula PROJETO: PRODUÇÃO DO AÇÚCAR ORGÂNICO NA JALLES MACHADO S/A

Palestra: História da Cana-de. de-açúcar no Centro-Oeste Professora: Ana Paula PROJETO: PRODUÇÃO DO AÇÚCAR ORGÂNICO NA JALLES MACHADO S/A Palestra: História da Cana-de de-açúcar no Centro-Oeste Professora: Ana Paula PROJETO: PRODUÇÃO DO AÇÚCAR ORGÂNICO NA JALLES MACHADO S/A ORIGEM DA CANA-DE-AÇÚCAR A cana-de de-açúcar é uma planta proveniente

Leia mais

GABARITO PRÉ-VESTIBULAR

GABARITO PRÉ-VESTIBULAR LINGUAGENS 01. C 02. D 03. C 04. B 05. C 06. C 07. * 08. B 09. A 10. D 11. B 12. A 13. D 14. B 15. D LÍNGUA ESTRANGEIRA 16. D 17. A 18. D 19. B 20. B 21. D MATEMÁTICA 22. D 23. C De acordo com as informações,

Leia mais

O capitalismo e o Advento de uma sociedade de consumo

O capitalismo e o Advento de uma sociedade de consumo O capitalismo e o Advento de uma sociedade de consumo Camila Fernandes Colégio Mãe de Deus T. 301 Resumo: A condição da redução do cidadão em consumidor, e a criação de tal cultura global, deu-se através

Leia mais

Dinâmica demográfica e qualidade de vida da população brasileira Parte II

Dinâmica demográfica e qualidade de vida da população brasileira Parte II Dinâmica demográfica e qualidade de vida da população brasileira Parte II A nova Pirâmide Etária do Brasil; Crescimento horizontal devido às migrações; É um tipo de gráfico que representa os dados sobre

Leia mais

1) Em novembro de 1807, a família real portuguesa deixou Lisboa e, em março de 1808, chegou ao Rio de Janeiro. O acontecimento pode ser visto como:

1) Em novembro de 1807, a família real portuguesa deixou Lisboa e, em março de 1808, chegou ao Rio de Janeiro. O acontecimento pode ser visto como: 1) Em novembro de 1807, a família real portuguesa deixou Lisboa e, em março de 1808, chegou ao Rio de Janeiro. O acontecimento pode ser visto como: a) incapacidade dos Braganças de resistirem à pressão

Leia mais

PROCESSO DE INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA

PROCESSO DE INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA PROCESSO DE INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA TREZE COLÔNIAS Base de ocupação iniciativa privada: Companhias de colonização + Grupos de imigrantes = GRUPOS DISTINTOS [excedente da metrópole;

Leia mais

Economia e Sociedade Açucareira. Alan

Economia e Sociedade Açucareira. Alan Economia e Sociedade Açucareira Alan Características coloniais gerais Colônia de exploração Existência de Pacto Colonial Monopólio Economia de exportação de produtos tropicais Natureza predatória extrativista,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 21 Discurso na cerimónia de instalação

Leia mais

R I T A FERRO RODRIGUES

R I T A FERRO RODRIGUES E N T R E V I S T A A R I T A FERRO RODRIGUES O talento e a vontade de surpreender em cada projecto deixou-me confiante no meu sexto sentido, que viu nela uma das pivôs mais simpáticas da SIC NOTÍCIAS.

Leia mais

Entrevista Jornal Zero Hora (RS)

Entrevista Jornal Zero Hora (RS) Entrevista Jornal Zero Hora (RS) ZH: Grifes europeias estariam voltando seus olhos para emergentes como o Brasil em razão da crise em seus países de origem. Vamos ver abrir mais lojas de produtos de luxo

Leia mais

VESTIBULAR 2011 1ª Fase HISTÓRIA GRADE DE CORREÇÃO

VESTIBULAR 2011 1ª Fase HISTÓRIA GRADE DE CORREÇÃO VESTIBULAR 2011 1ª Fase HISTÓRIA GRADE DE CORREÇÃO A prova de História é composta por três questões e vale 10 pontos no total, assim distribuídos: Questão 1 3 pontos (sendo 1 ponto para o subitem A, 1,5

Leia mais

Associação Catarinense das Fundações Educacionais ACAFE PARECER DOS RECURSOS

Associação Catarinense das Fundações Educacionais ACAFE PARECER DOS RECURSOS 11) China, Japão e Índia são três dos principais países asiáticos. Sobre sua História, cultura e relações com o Ocidente, analise as afirmações a seguir. l A China passou por um forte processo de modernização

Leia mais

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PLANEJAMENTO ANUAL DE HISTÓRIA 8º ANO PROFESSOR: MÁRCIO AUGUSTO

Leia mais

FORMAÇÃO ECONÔMICA DO BRASIL Celso Furtado. Professor Dejalma Cremonese

FORMAÇÃO ECONÔMICA DO BRASIL Celso Furtado. Professor Dejalma Cremonese FORMAÇÃO ECONÔMICA DO BRASIL Celso Furtado Professor Dejalma Cremonese A ocupação econômica das terras americanas constitui um episódio da expansão comercial da Europa. O comércio interno europeu, em intenso

Leia mais

Aula 4 A FOME NO MUNDO CONTEMPORÂNEO. Christian Jean-Marie Boudou

Aula 4 A FOME NO MUNDO CONTEMPORÂNEO. Christian Jean-Marie Boudou Aula 4 A FOME NO MUNDO CONTEMPORÂNEO OBJETIVOS Compreender a abordagem geográfica da fome; Discorrer sobre fome e desnutrição; Conhecer a problemática de má distribuição de renda e alimentos no Brasil

Leia mais

MAHATMA GANDHI. Cronologia

MAHATMA GANDHI. Cronologia Cronologia 1869 Data de nascimento de Gandhi 1888 1891 Estudou direito em Londres 1893 1914 Período em que viveu na África do Sul 1920 Lutou pelo boicote aos produtos ingleses 1930 Campanhas de desobediência

Leia mais

Analise duas transformações ocorridas nesse contexto histórico que colaboraram para a crise da República.

Analise duas transformações ocorridas nesse contexto histórico que colaboraram para a crise da República. 1) Leia a afirmativa abaixo que relaciona as conquistas territoriais às profundas alterações políticas, sociais e econômicas ocorridas entre os séculos II e I a.c. A República conquistara para Roma o seu

Leia mais

PROJETO ESCOLA E CIDADANIA

PROJETO ESCOLA E CIDADANIA PROJETO DE AQUISIÇÃO DE KIT ESCOLAR PROJETO ESCOLA E CIDADANIA 1. HISTÓRICO A preocupação com a causa da criança e do adolescente em situação de risco, faz nascer instituições proféticas espalhadas pelo

Leia mais

FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR DE LINHARES EDIMIR DOS SANTOS LUCAS GIUBERTI FORNACIARI SARAH NADIA OLIVEIRA

FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR DE LINHARES EDIMIR DOS SANTOS LUCAS GIUBERTI FORNACIARI SARAH NADIA OLIVEIRA FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR DE LINHARES EDIMIR DOS SANTOS LUCAS GIUBERTI FORNACIARI SARAH NADIA OLIVEIRA LIBERDADE ANTIGA E LIBERADE MODERNA LINHARES 2011 EDIMIR DOS SANTOS LUCAS GIUBERTI FORNACIARI SARAH

Leia mais

AGROECOLOGIA E EDUCAÇÃO DO CAMPO: pesquisa, ação e reflexão a partir das escolas do campo no município de Goiás-GO 1

AGROECOLOGIA E EDUCAÇÃO DO CAMPO: pesquisa, ação e reflexão a partir das escolas do campo no município de Goiás-GO 1 AGROECOLOGIA E EDUCAÇÃO DO CAMPO: pesquisa, ação e reflexão a partir das escolas do campo no município de Goiás-GO 1 SOUZA, Murilo M. O. 2 ; COSTA, Auristela A. 2 ; SANT ANNA, Thiago S. 3 ; SILVA, Fábio

Leia mais

Ei-los que partem. Virão um dia ricos ou não contando histórias de lá de longe onde o suor se fez em pão virão um dia ou não

Ei-los que partem. Virão um dia ricos ou não contando histórias de lá de longe onde o suor se fez em pão virão um dia ou não Ei-los que partem Ei-los que partem novos e velhos buscando a sorte noutras paragens noutras aragens entre outros povos ei-los que partem velhos e novos Ei-los que partem de olhos molhados coração triste

Leia mais

População é o conjunto de habitantes de um determinado lugar em um determinado tempo;

População é o conjunto de habitantes de um determinado lugar em um determinado tempo; INTRODUÇÃO À GEOGRAFIA DA POPULAÇÃO 1 Aspectos teóricos e metodológicos da geografia da população População é o conjunto de habitantes de um determinado lugar em um determinado tempo; A importância de

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 2 Data: 18/10/2010 Hora: 16h00 Duração: 23:43 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

O CENTRO CULTURAL TAMBOLELÊ E A MÚSICA COMO INSTRUMENTO DE INCLUSÃO SOCIAL

O CENTRO CULTURAL TAMBOLELÊ E A MÚSICA COMO INSTRUMENTO DE INCLUSÃO SOCIAL O CENTRO CULTURAL TAMBOLELÊ E A MÚSICA COMO INSTRUMENTO DE INCLUSÃO SOCIAL Denis ARAÚJO Fernando D AGOSTINI Márcia Regina FANTINI Orlando PINEL Pedro Alberto ANDRADE Shelber CRUZ Lamounier Lucas PEREIRA

Leia mais

DATAS COMEMORATIVAS. CHEGADA DOS PORTUGUESES AO BRASIL 22 de abril

DATAS COMEMORATIVAS. CHEGADA DOS PORTUGUESES AO BRASIL 22 de abril CHEGADA DOS PORTUGUESES AO BRASIL 22 de abril Descobrimento do Brasil. Pintura de Aurélio de Figueiredo. Em 1500, há mais de 500 anos, Pedro Álvares Cabral e cerca de 1.500 outros portugueses chegaram

Leia mais

O RESGATE DO PENSAMENTO DE ALBERTO TORRES PARA A COMPREENSÃO HISTORIOGRÁFICA DA POLÍTICA NACIONAL DO PÓS- REVOLUÇÃO DE

O RESGATE DO PENSAMENTO DE ALBERTO TORRES PARA A COMPREENSÃO HISTORIOGRÁFICA DA POLÍTICA NACIONAL DO PÓS- REVOLUÇÃO DE O RESGATE DO PENSAMENTO DE ALBERTO TORRES PARA A COMPREENSÃO HISTORIOGRÁFICA DA POLÍTICA NACIONAL DO PÓS- REVOLUÇÃO DE 1930 Jorge Eschriqui Vieira PINTO Alberto Torres foi um intelectual vanguardista entre

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL

POLÍTICAS PÚBLICAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL 1 POLÍTICAS PÚBLICAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL Erika Cristina Pereira Guimarães (Pibid-UFT- Tocantinópolis) Anna Thércia José Carvalho de Amorim (UFT- Tocantinópolis) O presente artigo discute a realidade das

Leia mais

DA TEORIA À PRÁTICA: UMA ANÁLISE DIALÉTICA

DA TEORIA À PRÁTICA: UMA ANÁLISE DIALÉTICA DA TEORIA À PRÁTICA: UMA ANÁLISE DIALÉTICA JURUMENHA, Lindelma Taveira Ribeiro. 1 Universidade Regional do Cariri URCA lindelmafisica@gmail.com FERNANDES, Manuel José Pina 2 Universidade Regional do Cariri

Leia mais

O PENSAMENTO SOCIOLÓGICO DE MAX WEBER RESUMO. do homem em sociedade. Origem de tal Capitalismo que faz do homem um ser virtual e alienador

O PENSAMENTO SOCIOLÓGICO DE MAX WEBER RESUMO. do homem em sociedade. Origem de tal Capitalismo que faz do homem um ser virtual e alienador O PENSAMENTO SOCIOLÓGICO DE MAX WEBER Tamires Albernaz Souto 1 Flávio Augusto Silva 2 Hewerton Luiz Pereira Santiago 3 RESUMO Max Weber mostra suas ideias fundamentais sobre o Capitalismo e a racionalização

Leia mais

GEOGRAFIA DA POPULAÇÃO

GEOGRAFIA DA POPULAÇÃO GEOGRAFIA DA POPULAÇÃO O que é População? População é um conjunto de pessoas que ocupam um determinado espaço em um período de tempo específico. Ela pode ser classificada segundo vários aspectos, como:

Leia mais

SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO

SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO 1 - INTRODUÇÃO Séc. XIX consolidação da burguesia: ascensão do proletariado urbano (classe operária) avanço do liberalismo.

Leia mais

Mas, um golpe de Estado militar instaurou a forma republicana presidencialista, em 15 de novembro de 1889.

Mas, um golpe de Estado militar instaurou a forma republicana presidencialista, em 15 de novembro de 1889. Brasil no período de transição: Império para República. Éramos governados por um dos ramos da Casa de Bragança, conhecido como família imperial brasileira que constituía o 11º maior império da história

Leia mais

Exerc ícios de Revisão Aluno(a): Nº:

Exerc ícios de Revisão Aluno(a): Nº: Exerc íciosde Revisão Aluno(a): Nº: Disciplina:HistóriadoBrasil Prof(a).:Cidney Data: deagostode2009 2ªSériedoEnsinoMédio Turma: Unidade:Nilópolis 01. QuerPortugallivreser, EmferrosqueroBrasil; promoveaguerracivil,

Leia mais

Alecleide de Sousa Série: 6ª alecleide_27@hotmail.com

Alecleide de Sousa Série: 6ª alecleide_27@hotmail.com Formação do Estado e do território Alecleide de Sousa Série: 6ª alecleide_27@hotmail.com Sociedade humana kei É um conjunto de pessoas Que vivem em determinado espaço e tempo e de acordo com certas regras

Leia mais

A) Apresentar para o aluno o período da História do Brasil em que se assinala a ditadura militar, compreendido entre 1964-1985.

A) Apresentar para o aluno o período da História do Brasil em que se assinala a ditadura militar, compreendido entre 1964-1985. Arquivo Público do Estado de São Paulo O(s) Uso(s) de Documentos de Arquivo na Sala de Aula João Francisco Migliaccio Cappelli História Universidade de São Paulo 4º período. Sequencia Didática Tema: Futebol

Leia mais

Guerra e Política: origens da política italiana de emigração. Daniela Gallimberti Gagliardi.

Guerra e Política: origens da política italiana de emigração. Daniela Gallimberti Gagliardi. Guerra e Política: origens da política italiana de emigração. Daniela Gallimberti Gagliardi. RESUMO Dezembro de 2010 Por meio do estudo de caso de uma família Italiana, La Famiglia Gagliardi, este texto

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 11 Pronunciamento sobre a questão

Leia mais

CURSO e COLÉGIO ESPECÍFICO Ltda

CURSO e COLÉGIO ESPECÍFICO Ltda CURSO e COLÉGIO ESPECÍFICO Ltda www.especifico.com.br DISCIPLINA : Sociologia PROF: Waldenir do Prado DATA:06/02/2012 O que é Sociologia? Estudo objetivo das relações que surgem e se reproduzem, especificamente,

Leia mais

7ºano 2º período vespertino 25 de abril de 2014

7ºano 2º período vespertino 25 de abril de 2014 GEOGRAFIA QUESTÃO 1 A Demografia é a ciência que estuda as características das populações humanas e exprime-se geralmente através de valores estatísticos. As características da população estudadas pela

Leia mais

Como está a situação da população mundial e que expectativa razoável podemos ter para o futuro?

Como está a situação da população mundial e que expectativa razoável podemos ter para o futuro? População mundial Leia as manchetes abaixo: População mundial superará 9,2 bilhões em 2050, estima ONU BBC Brasil Casais ricos burlam lei do filho único na China BBC Brasil A população mundial atingiu

Leia mais

PARA SEMPRE CERTIFICAÇÃO FLORESTAL FSC. Carmen Figueiredo

PARA SEMPRE CERTIFICAÇÃO FLORESTAL FSC. Carmen Figueiredo PARA SEMPRE CERTIFICAÇÃO FLORESTAL FSC Carmen Figueiredo PARA SEMPRE CERTIFICAÇÃO FLORESTAL FSC 1ª edição 2005 Realização Apoio CRÉDITOS Produção Ethnos estratégias socio ambientais - ethnosconsultoria@uol.com.br

Leia mais

O sucesso do Plano Real na economia brasileira RESUMO

O sucesso do Plano Real na economia brasileira RESUMO 1 O sucesso do Plano Real na economia brasileira Denis de Paula * RESUMO Esse artigo tem por objetivo evidenciar a busca pelo controle inflacionário no final da década de 1980 e início da década de 1990,

Leia mais

AS QUESTÕES OBRIGATORIAMENTE DEVEM SER ENTREGUES EM UMA FOLHA À PARTE COM ESTA EM ANEXO.

AS QUESTÕES OBRIGATORIAMENTE DEVEM SER ENTREGUES EM UMA FOLHA À PARTE COM ESTA EM ANEXO. ENSINO FUNDAMENTAL Conteúdos do 6º Ano 1º/2º Bimestre 2015 Trabalho de Dependência Nome: N. o : Turma: Professor(a): Fernanda Data: / /2015 Unidade: Cascadura Mananciais Méier Taquara História Resultado

Leia mais

II Conferência «Brasileiros no Mundo»

II Conferência «Brasileiros no Mundo» II Conferência «Brasileiros no Mundo» (Rio de Janeiro, dia 15 e 16 de Outubro de 2009) Contribuição da comunidade brasileira na França Introdução: Esta contribuição, elaborada por, para a segunda Conferência

Leia mais

Construção do Espaço Africano

Construção do Espaço Africano Construção do Espaço Africano Aula 2 Colonização Para melhor entender o espaço africano hoje, é necessário olhar para o passado afim de saber de que forma aconteceu a ocupação africana. E responder: O

Leia mais

Investimento para Mulheres

Investimento para Mulheres Investimento para Mulheres Sophia Mind A Sophia Mind Pesquisa e Inteligência de Mercado é a empresa do grupo de comunicação feminina Bolsa de Mulher voltada para pesquisa e inteligência de mercado. Cem

Leia mais

Humsol e a luta contra o câncer de mama 1. Vinicius Arthur SANTOS 2 Luiz WITIUK 3 Universidade Positivo, Curitiba, PR

Humsol e a luta contra o câncer de mama 1. Vinicius Arthur SANTOS 2 Luiz WITIUK 3 Universidade Positivo, Curitiba, PR Humsol e a luta contra o câncer de mama 1 Vinicius Arthur SANTOS 2 Luiz WITIUK 3 Universidade Positivo, Curitiba, PR RESUMO A reportagem foi realizada para a disciplina de Rádiojornalismo ainda no quarto

Leia mais

Fernanda de Paula Ramos Conte Lílian Santos Marques Severino RESUMO:

Fernanda de Paula Ramos Conte Lílian Santos Marques Severino RESUMO: O Brasil e suas políticas sociais: características e consequências para com o desenvolvimento do país e para os agrupamentos sociais de nível de renda mais baixo nas duas últimas décadas RESUMO: Fernanda

Leia mais

1. O que é Folclore? Uma análise histórica e crítica do conceito.

1. O que é Folclore? Uma análise histórica e crítica do conceito. Objetivos Proporcionar o entendimento das características gerais do processo folclórico brasileiro; Estruturar o profissional de Eventos para conhecer particularidades de alguns acontecimentos que envolvem

Leia mais

medida. nova íntegra 1. O com remuneradas terem Isso é bom

medida. nova íntegra 1. O com remuneradas terem Isso é bom Entrevista esclarece dúvidas sobre acúmulo de bolsas e atividadess remuneradas Publicada por Assessoria de Imprensa da Capes Quinta, 22 de Julho de 2010 19:16 No dia 16 de julho de 2010, foi publicada

Leia mais

TEMAS AMBIENTAIS NA INTERNET

TEMAS AMBIENTAIS NA INTERNET ATAS - Seminário Ensinar com Pesquisa (Ensinar, Pesquisar e Aprender) - ANO V 1 TEMAS AMBIENTAIS NA INTERNET Ana C. B. da Silva 1, Natália F. da Silva², Maria R. D. Kawamura 3 1 Instituto de Física/Ensino/USP,

Leia mais

22/6/2014 - das 14h às 18h. Número de identidade Órgão expedidor Número da inscrição LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

22/6/2014 - das 14h às 18h. Número de identidade Órgão expedidor Número da inscrição LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO. UNITINS CONCURSO PÚBLICO N 001/2014 NÍVEL SUPERIOR COMISSÃO DE CONCURSO E SELEÇÃO REDAÇÃO 22/6/2014 - das 14h às 18h Número de identidade Órgão expedidor Número da inscrição LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 29 Discurso na cerimónia de premiação

Leia mais

Migrações Alguns números

Migrações Alguns números Migrações Alguns números Dados gerais: Mundo» Há 232 milhões de migrantes internacionais no mundo (ONU, 2013), ou 3.2% da população mundial» Os migrantes internacionais compõem 10.8% da população das regiões

Leia mais

A Contribuição Sírio-Libanesa para o Desenvolvimento de Anápolis 1907 a 1949.

A Contribuição Sírio-Libanesa para o Desenvolvimento de Anápolis 1907 a 1949. A Contribuição Sírio-Libanesa para o Desenvolvimento de Anápolis 1907 a 1949. Palavras-chave: Anápolis, árabe, desenvolvimento, comércio. LUPPI, Sheila Cristina Alves de Lima 1 POLONIAL, Juscelino Martins

Leia mais

Tribunal do Trabalho da Paraíba 13ª Região

Tribunal do Trabalho da Paraíba 13ª Região Tribunal do Trabalho da Paraíba 13ª Região Apresentação 1.Identificação do órgão:tribunal do Trabalho da Paraíba/ Assessoria de Comunicação Social 2.E-mail para contato:rdaguiar@trt13.jus.br, rosa.jp@terra.com.br

Leia mais

Palavras-chave: Aquecimento global, Mídias, Tecnologias, Ecossistema.

Palavras-chave: Aquecimento global, Mídias, Tecnologias, Ecossistema. Aquecimento Global e Danos no Manguezal Pernambucano SANDRA MARIA DE LIMA ALVES 1 - sandrali@bol.com.br RESUMO Este artigo procura enriquecer a discussão sobre o fenômeno do aumento da temperatura na terra

Leia mais

EXPANSÃO EUROPÉIA E CONQUISTA DA AMÉRICA

EXPANSÃO EUROPÉIA E CONQUISTA DA AMÉRICA EXPANSÃO EUROPÉIA E CONQUISTA DA AMÉRICA EXPANSÃO EUROPEIA E CONQUISTA DA AMÉRICA Nos séculos XV e XVI, Portugal e Espanha tomaram a dianteira marítima e comercial europeia, figurando entre as grandes

Leia mais

HISTÓRIA Resolução OBJETIVO 2001

HISTÓRIA Resolução OBJETIVO 2001 1 Tito Lívio, em História de Roma, referindo-se às lutas entre patrícios e plebeus que se estenderam do século V ao IV a.c., escreveu: "... apesar da oposição da nobreza, houve eleições consulares em que

Leia mais

Portugal e Brasil no século XVII. Domínio espanhol no Brasil(1580-1640)

Portugal e Brasil no século XVII. Domínio espanhol no Brasil(1580-1640) Portugal e Brasil no século XVII Domínio espanhol no Brasil(1580-1640) O domínio espanhol. Em 1580, o rei de Portugal, D. Henrique, morreu sem deixar herdeiros ( fim da dinastia de Avis) surgiram disputas

Leia mais

ASSESSORIA DE IMPRENSA 1 Felipe Plá Bastos 2

ASSESSORIA DE IMPRENSA 1 Felipe Plá Bastos 2 ASSESSORIA DE IMPRENSA 1 Felipe Plá Bastos 2 RESUMO: O presente trabalho tem como objetivo saber como é desenvolvido o trabalho de Assessoria de Imprensa, sendo um meio dentro da comunicação que através

Leia mais

No entanto, a efetividade desses dispositivos constitucionais está longe de alcançar sua plenitude.

No entanto, a efetividade desses dispositivos constitucionais está longe de alcançar sua plenitude. A MULHER NA ATIVIDADE AGRÍCOLA A Constituição Federal brasileira estabelece no caput do art. 5º, I, que homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações e reconhece no dispositivo 7º a igualdade de

Leia mais

Entrevista com Tetrafarma. Nelson Henriques. Director Gerente. Luísa Teixeira. Directora. Com quality media press para Expresso & El Economista

Entrevista com Tetrafarma. Nelson Henriques. Director Gerente. Luísa Teixeira. Directora. Com quality media press para Expresso & El Economista Entrevista com Tetrafarma Nelson Henriques Director Gerente Luísa Teixeira Directora Com quality media press para Expresso & El Economista Esta transcrição reproduz fiel e integralmente a entrevista. As

Leia mais

PROFª CLEIDIVAINE DA S. REZENDE DISC. HISTÓRIA / 8º ANO

PROFª CLEIDIVAINE DA S. REZENDE DISC. HISTÓRIA / 8º ANO PROFª CLEIDIVAINE DA S. REZENDE DISC. HISTÓRIA / 8º ANO 1 CONTEXTO HISTÓRICO Crescimento econômico da Inglaterra no século XVIII: industrialização processo de colonização ficou fora. Ingleses se instalaram

Leia mais

O Porto do Rio de Janeiro: reflexões sobre sua modernização e seu impacto social frente suas comunidades circunvizinhas

O Porto do Rio de Janeiro: reflexões sobre sua modernização e seu impacto social frente suas comunidades circunvizinhas O Porto do Rio de Janeiro: reflexões sobre sua modernização e seu impacto social frente suas comunidades circunvizinhas NATHÁLIA TOPINI LUCAS * Resumo Esse trabalho tem por objetivo indicar um novo olhar

Leia mais

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções)

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO (X ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE

Leia mais

GEOGRAFIA - 2 o ANO MÓDULO 52 A EXPANSÃO DO BLOCO EUROPEU

GEOGRAFIA - 2 o ANO MÓDULO 52 A EXPANSÃO DO BLOCO EUROPEU GEOGRAFIA - 2 o ANO MÓDULO 52 A EXPANSÃO DO BLOCO EUROPEU Como pode cair no enem Sarkozy e Berlusconi encaminharam pedido à UE, solicitando a revisão do: a) Tratado de Maastricht, o qual concede anistia

Leia mais

MOVIMENTOS POPULACIONAIS GEOGRAFIA

MOVIMENTOS POPULACIONAIS GEOGRAFIA MOVIMENTOS POPULACIONAIS GEOGRAFIA Dinâmica Populacional Conjunto de transformações que uma população sofre em diferentes aspectos. Ou seja, fatores que podem aumentar ou diminuir o efetivo populacional

Leia mais

coleção Conversas #17 - DEZEMBRO 2014 - u s a r Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #17 - DEZEMBRO 2014 - u s a r Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. coleção Conversas #17 - DEZEMBRO 2014 - Sou so profes r a, Posso m a s n ão parar d aguento m e ai ensinar s? d a r a u la s Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. A

Leia mais

DISCURSO SOBRE LEVANTAMENTO DA PASTORAL DO MIGRANTE FEITO NO ESTADO DO AMAZONAS REVELANDO QUE OS MIGRANTES PROCURAM O ESTADO DO AMAZONAS EM BUSCA DE

DISCURSO SOBRE LEVANTAMENTO DA PASTORAL DO MIGRANTE FEITO NO ESTADO DO AMAZONAS REVELANDO QUE OS MIGRANTES PROCURAM O ESTADO DO AMAZONAS EM BUSCA DE DISCURSO SOBRE LEVANTAMENTO DA PASTORAL DO MIGRANTE FEITO NO ESTADO DO AMAZONAS REVELANDO QUE OS MIGRANTES PROCURAM O ESTADO DO AMAZONAS EM BUSCA DE MELHORES CONDIÇÕES DE VIDA DEPUTADO MARCELO SERAFIM

Leia mais

A questão da natalidade nos países da União Européia: desafios e alternativas em discussão 1.

A questão da natalidade nos países da União Européia: desafios e alternativas em discussão 1. Universidade do Vale do Itajaí Curso de Relações Internacionais LARI Laboratório de Análise de Relações Internacionais Região de Monitoramento: União Europeia LARI Fact Sheet Abril/Maio de 2011 A questão

Leia mais