Separata ao Boletim do Exército

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Separata ao Boletim do Exército"

Transcrição

1 Separata ao Boletim do Exército MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO SEPARATA AO BE Nº 13/2015 DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA PORTARIA Nº 005-DCT, DE 23 DE MARÇO DE Necessidades de Conhecimentos s da Linha de Ensino Militar Científico- Tecnológico para o ano de Brasília-DF, 27 de março de 2015.

2

3 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DEPARTAMENTO GENERAL GES FREIRE DE ANDRADE PORTARIA Nº 005-DCT, DE 23 DE MARÇO DE Aprova as Necessidades de Conhecimentos s da Linha de Ensino Militar Científico- Tecnológico para o ano de O CHEFE DO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, no uso da competência que lhe é conferida pelo inciso III do art. 10 do Decreto nº 3.182, de 23 de setembro de 1999 (Regulamento da Lei do Ensino no Exército), combinado com o que prescreve o inciso III do art. 14 do Regulamento do Departamento de Ciência e Tecnologia (R-55), aprovado pela Portaria do Comandante do Exército nº 370, de 30 de maio de 2005, e em conformidade com as Instruções Reguladoras para o Planejamento, Acompanhamento de Discente e Aplicação de Conhecimentos em s de Mestrado, Dtorado e Pós-Dtorado da Linha de Ensino Militar Científico-Tecnológico (EB 80-IR ), aprovadas pela Portaria nº 058-DCT, de 19 de dezembro de 2012, resolve: Art. 1º Aprovar as Necessidades de Conhecimentos s (NCE) da Linha de Ensino Militar Científico-Tecnológico para o ano de Art. 2º Estabelecer que esta portaria entre em vigor na data de sua publicação. Separata ao Boletim do Exército nº 13, de 27 de março de

4 01D D D D2016 Solicitan te Posto Perfil Conhecimento / / / / QEM/Ele QEM/Elo, QEM/Com QEM/Elo, QEM/Com QEM/Elo Alinhamento ao PEEx (SIPLEx 5) PLANO DE CURSOS E ESTÁGIOS NO EXÉRCITO BRASILEIRO (PCE-EB) DOUTORADO Pesquisa e desenvolvimento de hardware e software embarcado em de Aeronaves / Telecomunicações, redes, PGED/ Remotamente Pilotadas (SARP), Janeirosensores de imageamento. Mecatrônica com ênfase na captura de imagens, D sua transmissão, telemetria e criptografia de dados. PAC: 3 Desenvolvimento de formas de onda para Rádio Definido Projeto RDS de Defesa. PAC: 3 por Software (RDS) e Rádios Cognitivos. Mecanismos de alocação de recursos rádio em redes militares sob o paradigma de rádios cognitivos, envolvendo conceitos de Aprendizagem de Máquina e de Teoria dos Jogos. Fusão de dados de sistemas de Radares usados em vigilância, monitoramento e sistemas de navegação aplicada aos sistemas de defesa antiaérea e de comando e controle. Caracterizar e otimizar o uso do espectro eletromagnético nas evoluções previstas para o Programa do Rádio Definido por Software de Defesa. PAC: 3 Pesquisa na área de fusão de dados de sistemas de radar, com o objetivo de desenvolver ferramentas e sistemas para apoiar a fusão de dados de múltiplos radares e a integração destes com sistemas de defesa antiaérea e de comando e controle. Utilização nos projetos SABER M200, SABER M200 VIGILANTE e SENTIR M20, o que acarretará maior capacidade operacional no SISFRON e no PEE D AAe. PAC: 3 / Janeiro- / Janeiro- / Janeiro- PGED/ Comunicações e Inteligência em de Defesa PGED/ Comunicações e Inteligência em de Defesa PGED/ Computação (PCM 1.7) D D D (PCM 1.1) após o curso 4 - Separata ao Boletim do Exército nº 13, de 27 de março de 2015.

5 05D D D D2016 Solicitan te Posto Perfil Conhecimento / / / / QEM/Quim QCO/Quim QEM/Quim QCO/Quim QEM/Quim QCO/Quim QEM/Quim QCO/Quim Modelagem molecular de propriedades físico-químicas de materiais energéticos. Síntese de agentes para defesa contra guerra química: preparação de oximas catiônicas e novos potenciais fármacos com estruturas variadas para serem utilizadas como antídotos para a intoxicação com organofosforados neurotóxicos, especialmente gases de guerra química. Bioquímica das proteínas e reações enzimáticas e técnicas de modelagem molecular aplicadas ao planejamento de fármacos. Termodinâmica e cinética de altos explosivos; fluidodinâmica computacional (CFD). Desenvolvimento de novos materiais com propriedades avançadas; nanotecnologia. PAC: 3 Síntese orgânica aplicada ao desenvolvimento de antídotos contra agentes de guerra química. PAC: 3 Planejamento por modelagem molecular de potenciais novos antídotos contra agentes de guerra química. PAC: 3 Simulações de CFD aplicadas a modelagem da detonação de materiais energéticos. PAC: 3 / Janeiro- / Janeiro- / Janeiro- / Janeiro- Química/ Físico- Química/ Modelagem molecular Química/ Química orgânica/ Química medicinal Química/ Físico- Química/ Modelagem molecular Química/ Físico- Química/ Tecnologia química Alinhamento ao PEEx (SIPLEx 5) D D D D (PCM 3.10) (PCM 3.11) (PCM 3.11) após o curso Separata ao Boletim do Exército nº 13, de 27 de março de

6 09D D D D D D2016 / / / / / / QEM/Quim QCO/Quim QEM/Quim QCO/Quim QEM/Elo QEM/Elo QEM/Elo QEM/Com QEM/Elo QEM/Com Físico-Química com aplicação na descrição de sistemas multicomponentes, equilíbrio termodinâmico e metodologia de simulação utilizando CFD. Comportamento mecânico e estrutural dos materiais. Caracterização nanométrica/ Simulação de efeitos de cargas ocas com aplicações militares. Métodos de fusão de sensores e algoritmos probabilísticos de robótica para navegação autônoma para sistemas embarcados em robôs terrestres. Técnicas de payload para microveículos aéreos não tripulados. Análise de métodos de realce de sinais de voz em presença de distorções acústicas para identificação robusta de indivíduos. Métodos de localização de múltiplas fontes sonoras nãoestacionárias em presença de distorções acústicas. 6 - Separata ao Boletim do Exército nº 13, de 27 de março de Simulações multifásicas de CFD aplicadas ao estudo de contaminações atmosféricas e de cursos d água. PAC: 3 Desenvolvimento de materiais energéticos, simulação computacional, modelagem molecular, nanotecnologia. PAC: 3 Veículos autônomos terrestres, Viatura blindada, VTNT. PAC: 3 Estabilização, guiamento e controle de sistemas de armas: mísseis, foguetes, plataformas de tiro, bombas guiadas, SARP em geral. PAC: 3 Pesquisa de teoria e métodos nãoclássicos de tempo-frequência para análise e proposta de soluções de realce supressão de ruídos para classificação robusta de indivíduos em presença de distorções acústicas nãoestacionárias. PAC: 3 Pesquisa de métodos de localização de fontes sonoras e proposta de soluções para prover robustez em presença de distorções acústicas não-estacionárias. PAC: 3 / Janeiro- / Janeiro- / Janeiro- / Janeiro- / Janeiro- / Janeiro- Química/ Físico- Química/ Tecnologia química Química/ Físico- Química/ Tecnologia química PGED/ Mecatrônica e de Armas/ de Defesa PGED/ Mecatrônica e de Armas/ de Defesa PGED/ Comunicações e Inteligência em de Defesa/ de Defesa PGED/ Comunicações e Inteligência em de Defesa/ de Defesa Alinhamento ao PEEx (SIPLEx 5) D D D D (PCM 3.10) (PCM 3.8) (PCM 1.7) D D após o curso

7 15D D D D2016 / / / / ; QEM/Com; QEM/Elo ; QEM/Com; QEM/Elo QEM/Cart Uso de plataformas de alto desempenho na resolução de Sistema de Defesa Cibernética. problemas complexos da área PAC: 3 de Defesa Cibernética. Análise, Modelagem e de Proteção a Ataques Identificação de Ataques Cibernéticos. PAC: 3 Cibernéticos. Reparo, blindagem e reforço de Estruturas para Defesa. Métodos e Tecnologias de Posicionamento GNSS, Métodos de Comunicação e Transmissão de Dados. Estudar o comportamento de estruturas de concreto reparadas, blindadas reforçadas com materiais especiais (metálicos, compósitos, argamassas especiais, fibras, entre tros) com vistas ao projeto, dimensionamento e detalhamento de estruturas para a infraestrutura de defesa. PAC: 3 Determinação de coordenadas espaciais, em tempo real pósprocessada, voltadas ao uso em Defesa. PAC: 5 / Janeiro- / Janeiro- / Janeiro- / Janeiro- PGED/ Modelagem e Simulação em de Defesa/ de Defesa PGED/ Modelagem e Simulação em de Defesa/ de Defesa PGED/ Modelagem e Simulação em de Defesa/ de Defesa PGED/ Comunicação e Inteligência em de Defesa/ de Defesa Alinhamento ao PEEx (SIPLEx 5) D 4,7 4.1, , D D D (PCM 3.3) após o curso CDCiber/ DEC/ D DSG e DS/ Separata ao Boletim do Exército nº 13, de 27 de março de

8 19D D D2016 Aplicação/PAC / / / QEM/Mat QEM/Mat QEM/Mat Fabricação de blindagem balística. Fabricação de materiais superduros via processamento em altas pressões e temperaturas. Produção e caracterização de filmes finos de materiais para uso em sensores de radiação. Os materiais serão utilizados em blindagens balísticas de baixo custo usando fibras naturais. PAC: 3 Os materiais serão aplicados em peças e equipamentos para aumentar a resistência ao desgaste, tais como brocas, ferramentas de corte etc. PAC: 3 Os filmes finos produzidos, de materiais condutores e transparentes, serão utilizados no desenvolvimento de sensores de radiação. PAC: 3 / Janeiro- / Janeiro- / Janeiro- Ciência dos Materiais/ Materiais Poliméricos/ Comportamento Mecânico dos Materiais Ciência dos Materiais/ Materiais Cerâmicos/ Comportamento Mecânico dos Materiais Ciência dos Materiais/ Materiais Eletrônicos/ Propriedades Físicas dos Materiais Alinhamento ao PEEx (SIPLEx 5) D D D (PCM 3.11) após o curso 8 - Separata ao Boletim do Exército nº 13, de 27 de março de 2015.

9 22D D2016 Aplicação/PAC D 2º BEC / / Planejamento e controle de obras militares. Estudo de concretos de cimento Portland para pavimentação rodoviária. Desenvolvimento de padrões de gestão de projetos e de execução de obras, envolvendo a aplicação direta da tecnologia BIM (Building Information Modeling), incluindo a formalização de protocolos, padrões de modelagem e de interoperabilidade, em benefício do desenvolvimento do Sistema OPUS. PAC: 3 O referido conhecimento será empregado no planejamento e gerenciamento das Obras de Cooperação a serem executadas pelo Exército. PAC: 3 / Janeiro- / Janeiro- Alinhamento ao PEEx (SIPLEx 5) PGED D PGED/ de Defesa/ Modelagem e Simulação em de Defesa. D após o curso DEC/ D DOC/ Gpt E/ DEC 9 - Separata ao Boletim do Exército nº 13, de 27 de março de 2015.

10 01M M M M2016 PLANO DE CURSOS E ESTÁGIOS NO EXÉRCITO BRASILEIRO (PCE-EB) MESTRADO CAEx CAEx 51º CT CITEx QEM/Com QEM/Elo QEM/Mec Auto; QEM/Mec Armt Processamento digital de sinais aplicado a radares. Mecânica dos Sólidos. Dinâmica Veicular - dinâmica vertical de veículos, verificação experimental de nível de vibração de veículos militares. Estudo das técnicas de formação de feixe e da determinação de parâmetros de alvos detectados por radares multifuncionais com antenas phased array. A confiabilidade da determinação de parâmetros de alvos detectados é de grande importância para a avaliação do radar SABER M200 e de radares derivados da mesma tecnologia que serão empregados no PEE D AAe. PAC: 2 Propor uma metodologia de correlação entre pistas padronizados de desgaste acelerado do CAEx com pistas de durabilidade e vias públicas, no que tange ao nível de excitação vibracional em veículos militares. Essa metodologia permitirá um aperfeiçoamento dos processos de testes de durabilidade executados pelo CAEx. PAC: 2 QEM/Com, Monitoramento e análise de Sistema de Defesa Cibernética. sistemas para detecção de PAC: 2 Ameaças cibernéticas. Estudar o funcionamento de programas maliciosos, em especial QEM/Com, quando em redes, para formulação Análise de programas de estratégias de enfrentamento. O maliciosos. conhecimento será aplicado na atividade de tratamento de incidentes de rede. PAC: Separata ao Boletim do Exército nº 13, de 27 de março de / / / / Elétrica/ Eletrônicos de Defesa e Comunicações/ Processamento de Sinais Mecânica/ Mecânica Aplicada/ Dinâmicos da Tecnologias e de Computação Ciência da Computacionais (PCM 1.1) (PCM 1.14) M CAEx/ CAEx CTA/ CT CTA/ CT

11 05M2016 CITEx Desenvolvimento de estratégias para detecção e prevenção de ameaças a QEM/Com, partir do conhecimento do Análise do tráfego em redes comportamento de uma rede. O de computadores. conhecimento será aplicado na atividade de tratamento de incidentes de rede. PAC: 2 / Ciência da Computacionais M CTA/ CT 06M2016 CDCiber / QEM/Com; QEM/Elo; ; ; Of AMAN com Experiência em TI/ Seg Infor Mitigação e reação a ataques DDoS. Os conhecimentos específicos necessários: técnicas de detecção (EWMA, Holt-Winters, KL divergence, etc), rastreamento de tráfego (marcação, filtros de Bloom, rede sobreposta), mitigação, simulação computacional e emulação de ataques em laboratório. Sistema de Defesa Cibernética (Módulo Reativo): arquitetura do sistema, monitoramento, detecção, análise e contramedidas. PAC: 2 / e Tecnologias e de Computação M CDCiber/ CITEx 07M2016 CDCiber / QEM/Com,, Of AMAN com Experiência em TI/ Seg Infor Sistema de Defesa Cibernética (Módulo Proativo): arquitetura do sistema, monitoramento, detecção, análise e contramedidas. Modelos de propagação de bots (modelos epidemiológicos SIR), modelagem de bots (máquina de estados, autômatos, cadeias de Markov), engenharia reversa de código, monitoramento de tráfego, análise de tráfego, detecção de botnets (métodos estatísticos, IA, clusterização), simulação e captura. PAC: 2 / e Tecnologias e de Computação M CDCiber/ CITEx Separata ao Boletim do Exército nº 13, de 27 de março de

12 08M2016 QEM/Ele, QEM/Elo QEM/Mec Auto Controle, guiamento e navegação. Projeto de sistemas de navegação e controle de de Aeronaves Remotamente Pilotadas (SARP), incluindo etapas de decolagem e pso automáticos. PAC: 2 / de Controle/ Controle Inteligente (PCM 1.7) M2016 QEM/Ele, QEM/Elo QEM/Mec Auto SLAM (Simultanes ization And Mapping). Pesquisa de desenvolvimento em de Veículos Terrestres Remotamente Pilotados. PAC: 2 / PGED/ Robótica (PCM 3.8) M2016 / QEM/Quim QCO/Quim Físico-Química: Espectroscopia/ Espectrometria Identificação de compostos organofosforados (pesticidas, agentes químicos, produtos perigosos), por meio de métodos cromatográficos e espectrométricos. Atividade a ser beneficiada com a pesquisa: incremento da capacidade laboratorial do para a identificação de agentes químicos de guerra em diversas matrizes. Benefício a ser obtido: aumento da capacidade de análise do Laboratório de Análises Químicas (LAQ) e do Laboratório Móvel de Identificação de Agentes Químicos, Biológicos, Radiológicos e Nucleares (LABMÓVEL), no tocante a agentes químicos de guerra. PAC: 2 / Química/ Físico- Química Separata ao Boletim do Exército nº 13, de 27 de março de 2015.

13 11M2016 / QEM/Quim QCO/Quim Química Orgânica: Síntese Orgânica. Síntese de compostos organofosforados. Atividade a ser beneficiada com a pesquisa: implantação da capacidade laboratorial do para a identificação de agentes químicos em diversos tipos de amostras. Benefício a ser obtido: aumento da capacidade de análise do laboratório de Análises Químicas (LAQ), do Laboratório Móvel de identificação dos agentes Químicos, biológicos, radiológicos e Nucleares (LABMÓVEL) e do laboratório de Síntese Orgânica (LSO) no tocante a agentes químicos de guerra. /PAC: 2 / Química/ Química Orgânica M2016 / QEM/Quim QCO/Quim Fluidodinâmica Computacional: avaliação e gerenciamento de riscos envolvendo agentes QBN. Modelagem e simulação para o espalhamento de nuvens contendo agentes QBN em ambientes abertos e fechados; desenvolvimento de mapas de risco e de preditores para contaminação de rios, bacias e sistemas de distribuição de água potável. Atividade a ser beneficiada com a pesquisa: desenvolvimento de sistemas de gerenciamento de riscos e de modelagem de consequências de desastres envolvendo a utilização a presença de agentes QBN. Benefício a ser obtido: sistema de gerenciamento de riscos e de modelagem de consequências de desastres envolvendo a utilização a presença de agentes QBN, com tecnologia nacional. PAC: 2 / janeiro- Química/ Química Orgânica Separata ao Boletim do Exército nº 13, de 27 de março de

14 13M M M M M2016 Pesquisa de protocolos de segurança aplicados à Projeto RDS de Defesa. PAC: 2anos comunicação em redes táticas militares. QEM/Com Antenas aplicadas a radares. QEM/Cart QEM/Cart QEM/Cart Estudo das técnicas de projeto de antenas de pequena dimensão para utilização em matrizes phased array. O conhecimento adquirido será utilizado na melhoria do radar SABER M200 e no desenvolvimento de radares derivados com a mesma tecnologia, que serão empregados no PEE D AAe. PAC: 2 Processamento digital de imagens Avaliação da viabilidade de uso de adquiridas por precipitações obtidas por sensoriamento sensoriamento remoto em simulações e mapas hidrológicos. remoto (sensores PAC: 2 ópticos e de radar a bordo de satélites). Análise de séries Posicionamento espacial GNSS. PAC: 2 temporais, análise de Frier, wavelets. Desenvolvimento e Ensino de fotogrametria e produção avaliação de novas cartográfica, com especial enfoque na ferramentas geometria de imageamento de novos sensores fotogramétricas digitais, aerotransportados e orbitais. PAC: 2 digitais. / janeiro- / / / / e Segurança da Informação e Inteligência Artificial Elétrica/ Eletrônicos de Defesa e Comunicações/ Eletromagnetismo Aplicado Cartográfica/ Imageamento Digital/ Tecnologia da Informação Geográfica Cartográfica/ Modelagem e Representação Terrestre/ Tecnologia da Informação Geográfica Cartográfica/ Imageamento Digital/ Tecnologia da Informação Geográfica M (PCM 3.5) (PCM 3.3) (PCM 3.4) DSG e DS/ DSG e DS/ DSG e DS/ 14 - Separata ao Boletim do Exército nº 13, de 27 de março de 2015.

15 18M M M M2016 QEM/Cart, QEM/Com, QEM/Elo, QEM/Com, QEM/Elo, QEM/Com, QEM/Elo Posicionamento GNSS online, Posicionamento espacial GNSS. PAC: 2 comunicação via Web, qualidade dos dados. O uso de plataformas de alto desempenho na resolução de Sistema de Defesa Cibernética. PAC: 2 problemas complexos da área de defesa cibernética. Análise, Modelagem e Identificação de de Proteção a Ataques Cibernéticos. Ataques PAC: 2 Cibernéticos. Análise, Modelagem e Identificação de de Proteção a Ataques Cibernéticos. Anomalias em Redes PAC: 2 de Computadores. / / / / Linha de Pesquisa Cartográfica/ Modelagem e Representação Terrestre/ Tecnologia da Informação Geográfica e Computacionais/ Ciência da Computação e Computacionais/ Ciência da Computação e Computacionais/ Ciência da Computação, PCM 3.3 M M M DSG e DS/ CDCiber/ CDCiber/ CDCiber/ Separata ao Boletim do Exército nº 13, de 27 de março de

16 22M M M M M2016 / / /, Of AMAN/CO M, QEM/Com, Of AMAN/CO M, QEM/Com, QEM/Elo Of AMAN/CO M Criptografia. Proteção à confidencialidade das comunicações. PAC: 2 Análise, modelagem e identificação de anomalias em de Proteção a Ataques Cibernéticos. comportamento de PAC: 2 usuários em ambientes Web. Taxonomia de de Proteção a Ataques Cibernéticos. ataques cibernéticos PAC: 2 na EBNET. Monitoramento e análise de tráfego de Proteção a Ataques Cibernéticos. para detecção de PAC: 2 ameaças cibernéticas. Exploração de técnicas e novas abordagens para Adquirir/desenvolver soluções para prover publicar e consumir segurança da informação. PAC: 2 dados no contexto da Web de dados (Big Data). / / / / / e Metodologias Computacionais/ Ciência da Computação e de Informação/ Ciência da Computação e Metodologias Computacionais/ Ciência da Computação e Computacionais/ Ciência da Computação e de Informação/ Ciência da Computação M M M M M CDS/ CDCiber/ CDCiber CDCiber/ 16 - Separata ao Boletim do Exército nº 13, de 27 de março de 2015.

17 27M2016 Exploração de técnicas de anotação semântica de textos como ferramenta para identificar Adquirir/desenvolver soluções para prover tendências e segurança da informação. PAC: 2 correlações, com o objetivo de apoiar decisões estratégicas. / e de Informação/ Ciência da Computação M M2016, QEM/Com, QEM/Elo Modelos de propagação de Bots de Defesa Cibernética. PAC: 2 e modelagem de Bots. / e Computacionais/ Ciência da Computação M CDCiber/ 29M2016 /, QEM/Com, Of AMAN/CO M Mitigação e reação a ataques distributed de Defesa Cibernética. PAC: 2 denial-of-service (DDoS). / e Computacionais/ Ciência da Computação M CDCiber/ 30M2016 Investigação de abordagens para o problema de Adquirir/ desenvolver soluções para prover predição de ligações segurança da informação. PAC: 2 e sua aplicação em diferentes contextos. / e de Informação/ Ciência da Computação M CDCiber/ Separata ao Boletim do Exército nº 13, de 27 de março de

18 31M2016 Publicação e análise de dados governamentais na Adquirir/ desenvolver soluções para prover Web Semântica de segurança da informação. PAC: 2 acordo com a LAI (Lei do Acesso à Informação) / e de Informação/ Ciência da Computação M CDCiber/ 32M2016 / QEM/Elo Métodos de fusão de sensores e algoritmos probabilísticos de robótica para Veículos autônomos terrestres, viatura navegação blindada, VTNT. PAC: 2 autônoma para sistemas embarcados em robôs terrestres. / PGED/ Mecatrônica e de Armas/ de Defesa (PCM 3.8) 33M2016 / QCO/ Estatística Aplicações de técnicas de controle estatístico de Desenvolvimento de sistemáticas de controle qualidade a estatístico eficientes em processos de processos de engenharia de defesa. PAC: 2 de Defesa. / PGED/ Modelagem e Simulação de de Defesa/ de Defesa / CAEx/ DCT 34M2016 / Estudar o comportamento de estruturas de concreto especiais (alto desempenho, alta e Concretos especiais ultra resistência, auto-adensáveis, autocicatrizantes, entre tros) com vistas ao para Estruturas de Defesa. projeto, dimensionamento e detalhamento de estruturas para a infraestrutura de defesa. PAC: 2 / PGED/ Modelagem e Simulaçâo de de Defesa/ de Defesa M DEC 18 - Separata ao Boletim do Exército nº 13, de 27 de março de 2015.

19 35M M M M2016 / Of AMAN/Eng Projeto, análise e simulação de pontes e passarelas temporárias. Projeto e avaliação de pontes e passarelas temporárias para o desenvolvimento de um produto nacional de emprego dual. PAC: 2 Técnicas construtivas para Projeto de estradas sobre solos moles. PAC: estabilização de 2 solos moles. Misturas asfálticas. Meio Ambiente / Recursos Hídricos. Projeto de pavimentos especiais. PAC: 2 Avaliação Econômica Ambiental em de Transportes. PAC: 2 / / / / de Transportes/ Infraestrutura de Transportes/ Materiais e Estruturas para Infraestrutura de Transportes de Transportes/ Infraestrutura de Transportes/ de Estradas de Transportes/ Infraestrutura de Transportes/ de Estradas de Transportes/ Planejamento e Operação de Transportes/ Gestão Ambiental de de Transportes M DEC M DEC M DEC M DEC Separata ao Boletim do Exército nº 13, de 27 de março de

20 39M M M M M M2016 QEM/Mec Armt QEM/Mec Auto QEM/Mec Armt QEM/Mec Auto QEM/Mec Armt QEM/Mec Auto QEM/Mec Armt QEM/Mec Auto QEM (exceto FC) Estruturas de concreto. Reparo, Reforço e Dimensionamento de estruturas de concreto. PAC: 2 Análise de esforços Sistema de defesa antiaérea e em perfis desenvolvimento de mísseis e foguetes. PAC: aerodinâmicos de 2 mísseis e foguetes. Modelo de dinâmica de rolagem para Vtr Guarani e tros projetos de Vtr. PAC: 2 veículos militares com mais de 2 eixos. Mecatrônica aplicada à exoesqueleto. Projeto COBRA - exoesqueleto. PAC: 2 Dinâmica da Estudo de torres e armamentos para Vtr interação viaturaarmamento. Guarani e tros projetos de Vtr. PAC: 2 Segurança Nuclear (Defesa Nuclear). Projeto de Segurança Nuclear com ênfase em Terrorismo Nuclear para área de Defesa Nuclear (DQBRN). PAC: 2 / / / / / / de Transportes/ Infraestrutura de Transportes/ Materiais e Estruturas para Infraestrutura de Transportes Mecânica/ Termofluidodinâmi ca/ Termociências Mecânica/ Dinâmicos/ Mecânica Aplicada Mecânica/ Dinâmicos/ Mecânica Aplicada Mecânica/ Dinâmicos/ Mecânica Aplicada Nuclear/ Controle Ambiental/ Instalações Nucleares M DEC (PCM 1.2 e 3.5) M DF/ 20 - Separata ao Boletim do Exército nº 13, de 27 de março de 2015.

21 45M2016 QEM (exceto FC) Reatores Nucleares Avançados e Inovadores para a área de Defesa Nuclear (DQBRN). Projeto de Reatores Nucleares por meio de códigos computacionais nucleares com estudos de cinética espacial para reatores de pequeno porte. PAC: 2 / Nuclear/ Reatores Nucleares/ Instalações Nucleares M M2016 QEM/Elo QEM/Ele Aplicação de técnicas modernas de análise de Estabilização, guiamento e controle de estabilidade e sistemas de armas: mísseis, foguetes, síntese de plataformas de tiro, bombas guiadas, SARP controladores em geral. PAC: 2 robustos em sistemas dinâmicos não estacionários. / Elétrica/ Eletrônicos de Defesa e Comunicações/ Automação e Controle (PCM 1.7) 47M2016 QEM/Elo QEM/Com Técnica de transmissão OFDM e variantes Desenvolvimento de Rádio Definido por aplicadas a canais Software. PAC: 2 variantes no tempo e seletivos em frequência. Janeiro/ Elétrica/ Eletrônicos de Defesa e Comunicações/ Processamento de Sinais (PCM 1.3) / IMBEL (FMCE) 48M2016 QEM/Elo QEM/Com Modelagem semimarkoviana para canais Desenvolvimento de Rádio Definido por variantes no tempo Software. PAC: 2 e seletivos em frequência. Janeiro/ Elétrica/ Eletrônicos de Defesa e Comunicações/ Processamento de Sinais (PCM 1.3) / IMBEL (FMCE) Separata ao Boletim do Exército nº 13, de 27 de março de

22 49M M M M2016 D 53M2016 Cmdo 2º Gpt E QEM/Elo QEM/Com QEM/Elo QEM/Com QEM/Mat Amplificadores ópticos para Investigação de conhecimentos científicos em comunicações por sistemas de comunicações. PAC: 2 fibra óptica. Determinação da Pesquisa sobre as técnicas de localização de posição do atirador fonte sonora impulsiva (disparo de arma de baseada na análise fogo) baseada no tempo e chegada e proposta do tempo de de soluções para obter uma estimação robusta chegada da onda empregando equipamentos de uma rede sonora em uma rede rádio. PAC: 2 de rádios táticos. Ativação de ferritas Aplicação em controle ambiental. PAC: 2 nanométricas com nêutrons. Modelos de simulação para avaliação da eficiência Energética das Obras Militares, utilizando tecnologia BIM, aplicada a Planejamento e realidade brasileira, afim de atender à nova controle de obras militares. determinação do Governo Federal de etiquetagem dos novos prédios públicos, além de atender as necessidades do Sistema OPUS. PAC: 2 Estudar a utilização de aditivos para misturas Projeto de asfálticas que possam ser utilizados para que pavimento asfáltico as mesmas possam adquirir propriedades com a utilização de adequadas para o rigor do clima tropical. aditivos. PAC: 2 Janeiro/ Janeiro/ / / / Elétrica/ Eletrônicos de Defesa e Comunicações/ Eletromagnetismo Aplicado Elétrica/ Eletrônicos de Defesa e Comunicações/ Processamento de Sinais Ciência dos Materiais/ Materiais Eletrônicos/ Propriedades Físicas dos Materiais M CITEx, CTA CT/ PGED DEC/D PGED M Gpt E/DOC 22 - Separata ao Boletim do Exército nº 13, de 27 de março de 2015.

23 54M D D2016 Cmdo 2º Gpt E CDS DSG Ten Cel ¹/ / / Estudar técnicas materiais existentes que podem ser utilizados no Melhoramento de solos melhoramento de solos característicos da região amazônica para utilização em pavimentos. da região amazônica, tornando-os adequados para a utilização em pavimentos. PAC: 2 / Janeiro- PGED M PLANO DE CURSOS E ESTÁGIOS EM ESTABELECNTOS DE ENSINO CIVIS NACIONAIS (PCE-EECN) DOUTORADOS Programa de Pós- Graduação em O conhecimento será aplicado no, Desenvolvimento e desenvolvimento de API criptográfica Elétrica (PPGEE)/ implementação segura de desenvolvida pela Divisão de Segurança UnB/ QEM/Com Telecomunicações algoritmos e protocolos da Informação do CDS para uso nas Brasília-DF e Redes de criptográficos. aplicações desenvolvidas pela referida Comunicação/ Divisão. PAC: 3 Segurança da Informação QEM/Cart Modelagem, implementação e implantação lógica e física de sistemas para Produção Cartográfica, Armazenamento tratamento de dados e Disseminação de Bases de Dados espaciais baseados em Geoespaciais. PAC: 3 Banco de Dados Geográficos Relacional, Objeto-Relacional e Orientado a Objeto. INPE/ São José dos Campos-SP Computação Aplicada/ Tecnologia da Informação e extração de informações. D D Gpt E/DOC CDS/ CITEx DS/DS G Separata ao Boletim do Exército nº 13, de 27 de março de

24 26D D D2016 CITEx / / / QEM/Com, QEM/Mec Auto, QEM/Mec Armt QEM/Mat QEM/Mat Computação em Nuvem (Cld Computing). Projeto de uma infraestrutura resiliente e de alta disponibilidade para hospedagem de sistemas corporativos utilizando os conceitos de Computação em Nuvem (Cld Computing). Estudo de formas de implementação da Nuvem Privada do Exército (EBCld). PAC: 3 Projetos mecânicos, integridade estrutural e sistemas mecânicos. A pesquisa a ser realizada beneficiará os Modelagem de sistemas projetos que envolvam modelagem de mecânicos aplicados a sistemas mecânicos incluindo elementos sistemas de armas e rígidos e/ deformáveis, materiais de emprego desenvolvimento de modelos numéricos militar, simulação e com o Método de Elementos Finitos e análise por meio de análise experimental de tensões. PAC: 3 procedimentos analíticos, numéricos e experimentais. Projeto de fotodetectores Desenvolvimento de fotodetectores de de infravermelho infravermelho nacionais para emprego baseados em em equipamentos de imagem térmica nanoestruturas com aplicação nos Projetos GUARANI semicondutoras III-V. e DAAe. PAC: 3 UFPE/ Recife-PE COPPE-UF/ Janeiro- PUC-Rio/ Janeiro- da Rede de Computadores e Distribuídos Mecânica/ Mecânica Aplicada Elétrica/ Nanotecnologia/ Nanodispositivos e Nanomateriais D D D CITEx / CTA / CT 24 - Separata ao Boletim do Exército nº 13, de 27 de março de 2015.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PERFIL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PERFIL PERFIL 3001 - Válido para os alunos ingressos a partir de 2002.1 Disciplinas Obrigatórias Ciclo Geral Prát IF668 Introdução à Computação 1 2 2 45 MA530 Cálculo para Computação 5 0 5 75 MA531 Álgebra Vetorial

Leia mais

MARINHA DO BRASIL INSTITUTO DE PESQUISAS DA MARINHA CARTA DE SERVIÇOS AO CIDADÃO. Nossa meta é desenvolver tecnologias necessárias à Marinha

MARINHA DO BRASIL INSTITUTO DE PESQUISAS DA MARINHA CARTA DE SERVIÇOS AO CIDADÃO. Nossa meta é desenvolver tecnologias necessárias à Marinha MARINHA DO BRASIL INSTITUTO DE PESQUISAS DA MARINHA Nossa meta é desenvolver tecnologias necessárias à Marinha CARTA DE SERVIÇOS AO CIDADÃO COMANDANTE DA MARINHA Almirante-de-Esquadra Júlio Soares de Moura

Leia mais

Universidade Federal de São Paulo Campus São José dos Campos LISTA DE DISCIPLINAS DA GRADUAÇÃO

Universidade Federal de São Paulo Campus São José dos Campos LISTA DE DISCIPLINAS DA GRADUAÇÃO A B C Álgebra Linear Álgebra Linear Computacional Álgebra Linear II Algoritmos e Estrutura de Dados I Algoritmos e Estrutura de Dados II Algoritmos em Bioinformática Alteridade e Diversidade no Brasil

Leia mais

Dados para mapeamento

Dados para mapeamento Dados para mapeamento Existem dois aspectos com relação aos dados: 1. Aquisição dos dados para gerar os mapas 2. Uso do mapa como fonte de dados Os métodos de aquisição de dados para o mapeamento divergem,

Leia mais

Áreas do Conhecimento - Engenharias

Áreas do Conhecimento - Engenharias Áreas do Conhecimento - Engenharias Engenharias Engenharia Civil Construção Civil Materiais e Componentes de Construção Processos Construtivos Instalações Prediais Estruturas Estruturas de Concreto Estruturas

Leia mais

O SISTEMA DE IMAGENS E INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS. DO EXÉRCITO ( SIMAGEx) Gen Div PAIVA DE SÁS

O SISTEMA DE IMAGENS E INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS. DO EXÉRCITO ( SIMAGEx) Gen Div PAIVA DE SÁS e 1 2º ENCONTRO DE USUÁRIOS DE SENSORIAMENTO REMOTO O SISTEMA DE IMAGENS E INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS DO EXÉRCITO ( ) Gen Div PAIVA DE SÁS Diretor do Serviço Geográfico e 2 Introdução Objetivos Visão Contextual

Leia mais

PARA QUE SERVE O QUADRICOPTERO SIRIUS SD4:

PARA QUE SERVE O QUADRICOPTERO SIRIUS SD4: Skydrones, nova empresa gaucha de aviônica, que atua no desenvolvimento de microvants veículos aéreos não tripulados, testa seu protótipo SIRIUS SD4, com novo sistema de telemetria. O produto estará pronto

Leia mais

ANEXO LISTA DOS CURSOS DE GRADUAÇÂO ELEGIVEIS PELO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS

ANEXO LISTA DOS CURSOS DE GRADUAÇÂO ELEGIVEIS PELO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS ANEXO LISTA DOS CURSOS DE GRADUAÇÂO ELEGIVEIS PELO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS Agricultura Sustentável Agrimensura Agroecologia Agroindústria Agroindústria - Alimentos Agroindústria - Madeira Agronegócio

Leia mais

A EDGE é uma empresa Portuguesa de base tecnológica dedicada à criação e desenvolvimento de sistemas ciber-físicos de elevado desempenho e em tempo real que combinam de forma única a automação, a robótica,

Leia mais

EXÉRCITO BRASILEIRO. Departamento de Ciência e Tecnologia. Diretoria de Serviço Geográfico. MundoGEO#Connect Latin America 2014

EXÉRCITO BRASILEIRO. Departamento de Ciência e Tecnologia. Diretoria de Serviço Geográfico. MundoGEO#Connect Latin America 2014 EXÉRCITO BRASILEIRO Departamento de Ciência e Tecnologia Diretoria de Serviço Geográfico MundoGEO#Connect Latin America 2014 PRODUZINDO GEOINFORMAÇÃO BÁSICA PARA A DEFESA E SOCIEDADE Gen Bda PEDRO SOARES

Leia mais

Motivação e Aplicações em C&T

Motivação e Aplicações em C&T Escola de Ciências e Tecnologia UFRN Motivação e Aplicações em C&T Aquiles Burlamaqui Nélio Cacho Luiz Eduardo Eduardo Aranha ECT1103 INFORMÁTICA FUNDAMENTAL Manter o telefone celular sempre desligado/silencioso

Leia mais

LISTA DOS CONTEMPLADOS COM BOLSAS PIBIC E PIBITI/CNPq 2012/2013

LISTA DOS CONTEMPLADOS COM BOLSAS PIBIC E PIBITI/CNPq 2012/2013 LISTA DOS CONTEMPLADOS COM BOLSAS PIBIC E PIBITI/CNPq 2012/2013 Solicita-se aos orientadores que enviem o mais breve possível ao coordenador de pesquisa de seu campus os dados do aluno bolsista para cadastramento

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.640, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.640, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.640, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Bacharelado

Leia mais

A MODERNIZAÇÃO DO COMANDO E CONTROLE DA AAAe

A MODERNIZAÇÃO DO COMANDO E CONTROLE DA AAAe A MODERNIZAÇÃO DO COMANDO E CONTROLE DA AAAe Cap João André França da Silva 1 RESUMO O presente trabalho visa apresentar alguns aspectos relacionados a modernização da artilharia antiaérea. Esta modernização

Leia mais

Centro de Treinamento de Combate Sul. Santa Maria / RS Brasil.

Centro de Treinamento de Combate Sul. Santa Maria / RS Brasil. Centro de Treinamento de Combate Sul Santa Maria / RS Brasil. OBJETIVO Apresentar aos participantes do de Demandas Logísticas da Guarnição de Santa Maria/RS o projeto do Centro de Treinamento de Combate

Leia mais

CDCIBER: perspectivas em face da espionagem eletrônica

CDCIBER: perspectivas em face da espionagem eletrônica CENTRO DE DEFESA CIBERNÉTICA CDCIBER: perspectivas em face da espionagem eletrônica VIII Curso de Extensão em Defesa Nacional UNAMA Belém/PA 7 a 11 abril 2014 CENTRO DE DEFESA CIBERNÉTICA Setores de importância

Leia mais

FEDERAL ANEXO I MATRIZ ESPECÍFICA DE CORRELAÇÃO DO CONHECIMENTO

FEDERAL ANEXO I MATRIZ ESPECÍFICA DE CORRELAÇÃO DO CONHECIMENTO ANEXO I MATRIZ ESPECÍFICA DE CORRELAÇÃO DO CONHECIMENTO CARGO/ESPECIALIDADES Art. 378. Ao Consultor Legislativo, Especialidade Assessoramento Legislativo. ÁREAS DE INTERESSE DO SENADO FEDERAL Agronomia;

Leia mais

III ENCONTRO Economia Ecológica e a Gestão Ambiental: elementos para o Desenvolvimento Sustentável GESTÃO AMBIENTAL: ESTADO, EMPRESAS E ONG.

III ENCONTRO Economia Ecológica e a Gestão Ambiental: elementos para o Desenvolvimento Sustentável GESTÃO AMBIENTAL: ESTADO, EMPRESAS E ONG. III ENCONTRO Economia Ecológica e a Gestão Ambiental: elementos para o Desenvolvimento Sustentável Pedro Bara Neto 1 GESTÃO AMBIENTAL: ESTADO, EMPRESAS E ONG. CASO SIPAM Enseja a proposta temática a discussão

Leia mais

Realização. Apoio. Patrocínio

Realização. Apoio. Patrocínio Realização Apoio Patrocínio Ações Indutoras na Área de Defesa MCT/FINEP 4ª CNCTI AÇÕES FINEP NA ÁREA DE VANT Seminário Internacional de Veículos Aéreos Não Tripulados A Missão da FINEP Promover e financiar

Leia mais

Redes de Computadores sem Fio

Redes de Computadores sem Fio Redes de Computadores sem Fio Prof. Marcelo Gonçalves Rubinstein Programa de Pós-Graduação em Engenharia Eletrônica Faculdade de Engenharia Universidade do Estado do Rio de Janeiro Programa Introdução

Leia mais

Departamento de Enfermagem Básica (1 vaga) Processo nº 23071.004115/2009-81

Departamento de Enfermagem Básica (1 vaga) Processo nº 23071.004115/2009-81 Períodos de inscrições: no sítio http://www.concurso.ufjf.br a) Primeiro período: das 09h do dia 11/05/2009 até as 14h do dia 29/05/2009; b) Segundo período: das 09h do dia 22/06/2009 até as 14h do dia

Leia mais

Outubro / 2009. Instituto de Pesquisas da FEI

Outubro / 2009. Instituto de Pesquisas da FEI Outubro / 2009 Instituto de Pesquisas da FEI IDEALIZADOR DA FEI: Padre Saboia de Medeiros, SJ 1941 ESAN Escola Superior de Administração de Negócios 1945 FCA Fundação de Ciências Aplicadas 1946 FEI Faculdade

Leia mais

Projeto Pedagógico do Bacharelado em Ciência da Computação. Comissão de Curso e NDE do BCC

Projeto Pedagógico do Bacharelado em Ciência da Computação. Comissão de Curso e NDE do BCC Projeto Pedagógico do Bacharelado em Ciência da Computação Comissão de Curso e NDE do BCC Fevereiro de 2015 Situação Legal do Curso Criação: Resolução CONSU no. 43, de 04/07/2007. Autorização: Portaria

Leia mais

MEC - UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 108/2010

MEC - UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 108/2010 MEC - UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 108/2010 EMENTA: Estabelece o Currículo do Curso de Graduação em Engenharia Mecânica - Niterói O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA

Leia mais

1ª ETAPA - TURMA E e F

1ª ETAPA - TURMA E e F Atualizado em: 20/05/2013 1/7 CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL I PF 3 CIÊNCIAS DO AMBIENTE PF 3 ÉTICA E CIDADANIA I PF 3 FÍSICA GERAL I PF 3 GEOMETRIA ANALITICA E VETORES PF 3 COMPUTAÇÃO, ALGORITMOS E PROGRAMAÇÃO

Leia mais

RESULTADO DEFINITIVO DA SELEÇÃO DE PROPOSTAS Após o julgamento dos recursos administrativos segue a lista final dos projetos.

RESULTADO DEFINITIVO DA SELEÇÃO DE PROPOSTAS Após o julgamento dos recursos administrativos segue a lista final dos projetos. RESULTADO DEFINITIVO DA SELEÇÃO DE PROPOSTAS Após o julgamento dos recursos administrativos segue a lista final dos projetos. CHAMADA PÚBLICA SENAT/TRANSPORTES Nº 001/2013 Em Ordem Alfabética A) PROPOSTAS

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Sistemas e Automação Departamento de Engenharia - Universidade Federal de Lavras

Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Sistemas e Automação Departamento de Engenharia - Universidade Federal de Lavras Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Sistemas e Automação Histórico Início 2007 com foco em modelagem biológica (Engenharias IV Capes) e característica multidisciplinar com professores da área de

Leia mais

Art. 1º Aprovar as Instruções Gerais de Segurança da Informação para o Exército Brasileiro (IG 20-19).

Art. 1º Aprovar as Instruções Gerais de Segurança da Informação para o Exército Brasileiro (IG 20-19). PORTARIA Nº 483, DE 20 DE SETEMBRO DE 2001. Aprova as Instruções Gerais de Segurança da Informação para o Exército Brasileiro (IG 20-19). O COMANDANTE DO EXÉRCITO, no uso da competência que lhe é conferida

Leia mais

Engenharia de Comunicações

Engenharia de Comunicações SEÇÃO DE ENGENHARIA ELÉTRICA - SE/3 Rio de Janeiro, 02 de Fevereiro de 2011 Palestrante: Cap Luciene Engenheira de Comunicações Doutora em Engenharia Elétrica (2004) Sumário Introdução Desenvolvimento

Leia mais

Automação, Controle e Otimização em Sistemas de Produção de Petróleo

Automação, Controle e Otimização em Sistemas de Produção de Petróleo Automação, Controle e Otimização em Sistemas de Produção de Petróleo Departamento de Automação e Sistemas Universidade Federal de Santa Catarina Apresentação da Rede Temática GeDIg, Março de 2008 Sumário

Leia mais

Exemplo da Importância do Sistema Metrológico na Área de P&D

Exemplo da Importância do Sistema Metrológico na Área de P&D CENTRO TÉCNICO AEROESPACIAL INSTITUTO DE AERONÁUTICA E ESPAÇO entro Técnico Aerospacial CTA Instituto de Aeronáutica e Espaço Exemplo da Importância do Sistema Metrológico na Área de P&D Mirabel Cerqueira

Leia mais

Grade Curricular - Engenharia de Computação

Grade Curricular - Engenharia de Computação Grade Curricular - Engenharia de Computação SEMESTRE 1 - Obrigatórias FCM0101 Física I 6 0 6 FFI0180 Laboratório de Física Geral I 2 0 2 SAP0678 Desenho 2 0 2 SAP0679 Humanidades e Ciências Sociais 2 0

Leia mais

Portaria Nr 026/DCT, 31 Mar 06 (IR 13-07) INSTRUÇÕES REGULADORAS PARA EMPREGO SISTÊMICO DA INFORMÁTICA NO EXÉRCITO BRASILEIRO IREMSI DAS GENERALIDADES

Portaria Nr 026/DCT, 31 Mar 06 (IR 13-07) INSTRUÇÕES REGULADORAS PARA EMPREGO SISTÊMICO DA INFORMÁTICA NO EXÉRCITO BRASILEIRO IREMSI DAS GENERALIDADES Portaria Nr 026/DCT, 31 Mar 06 (IR 13-07) INSTRUÇÕES REGULADORAS PARA EMPREGO SISTÊMICO DA INFORMÁTICA NO EXÉRCITO BRASILEIRO IREMSI DAS GENERALIDADES Art.1º As presentes intruções regulam a sistematização

Leia mais

SENAI - Educação profissional

SENAI - Educação profissional www.cni.org.br http://www.portaldaindustria.com.br/senai/iniciativas/programas/unindustria/2013/11/1,29083/senai-educacao-profissional.html 21 de Novembro de 2013 SENAI - Educação profissional As possibilidades

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CTS DE REDES DE COMPUTADORES INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 68 A disciplina estuda a área da informática como um todo e os conceitos fundamentais, abrangendo desde a história e a evolução

Leia mais

CENTRO DE DEFESA CIBERNÉTICA

CENTRO DE DEFESA CIBERNÉTICA CENTRO DE DEFESA CIBERNÉTICA CENTRO DE DEFESA CIBERNÉTICA A Defesa Cibernética no Brasil: desafios e possibilidades de contribuição à segurança cibernética nacional. SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 2. POLÍTICA CIBERNÉTICA

Leia mais

Cloud Computing. O modelo no cenário Geoespacial. Technology Session Latin America Geospatial Forum. 15-17 August 2012 Rio de Janeiro

Cloud Computing. O modelo no cenário Geoespacial. Technology Session Latin America Geospatial Forum. 15-17 August 2012 Rio de Janeiro Cloud Computing O modelo no cenário Geoespacial Technology Session Latin America Geospatial Forum 15-17 August 2012 Rio de Janeiro Iara Musse Felix Diretora, Santiago e Cintra Consultoria, Brazil Alguns

Leia mais

ISRAEL at LAAD 2013. Dsit Solutions Ltd.

ISRAEL at LAAD 2013. Dsit Solutions Ltd. Dsit Solutions Ltd. Ao longo das duas últimas décadas, a DSIT Solutions tem desenvolvido e empregado as tecnologias mais modernas para criar avançados sistemas de sonar e aplicações em comando e controle

Leia mais

MAPEAMENTO FLORESTAL

MAPEAMENTO FLORESTAL MAPEAMENTO FLORESTAL ELISEU ROSSATO TONIOLO Eng. Florestal Especialista em Geoprocessamento OBJETIVO Mapear e caracterizar a vegetação visando subsidiar o diagnóstico florestal FUNDAMENTOS É uma ferramenta

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA. Assuntos de interesse das OM, gerenciados pelo DCT

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA. Assuntos de interesse das OM, gerenciados pelo DCT DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA Assuntos de interesse das OM, gerenciados pelo DCT EPCOM 2013 1 Planejar, organizar, dirigir e controlar as atividades científicas e tecnológicas no âmbito do Exército.

Leia mais

VESTIBULAR 2015/1 INFORMAÇÕES SOBRE OS CURSOS

VESTIBULAR 2015/1 INFORMAÇÕES SOBRE OS CURSOS VESTIBULAR 2015/1 SELEÇÃO PARA CURSOS TECNICOS SUBSEQUENTES DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TOCANTINS 2015/1 INFORMAÇÕES SOBRE OS CURSOS CURSO TÉCNICO EM AGRIMENSURA Aprovado

Leia mais

O papel do CTI Renato Archer em Segurança Cibernética

O papel do CTI Renato Archer em Segurança Cibernética O papel do CTI Renato Archer em Segurança Cibernética Amândio Ferreira Balcão Filho Campinas, 04 de outubro de 2011 Roteiro Apresentação do CTI e DSSI Segurança Cibernética Projeto Pandora Sandbox Arquitetura

Leia mais

Teoria das Descargas Parciais

Teoria das Descargas Parciais Teoria das Descargas Parciais Quando uma tensão é aplicada aos terminais de um equipamento elétrico que possui isolamento elétrico (dielétricos - ar, SF 6, óleo isolante, fenolite, resinas, vidros, etc.)

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.465, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2013

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.465, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2013 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.465, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2013 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Bacharelado em

Leia mais

Projeto de Monitoração e Melhoria Contínua com Six-Sigma, IoT e Big Data

Projeto de Monitoração e Melhoria Contínua com Six-Sigma, IoT e Big Data Projeto de Monitoração e Melhoria Contínua com Six-Sigma, IoT e Big Data Contexto As pressões do mercado por excelência em qualidade e baixo custo obrigam as empresas a adotarem sistemas de produção automatizados

Leia mais

Listagem de UC por curso. Escola Superior de Tecnologia e Gestão

Listagem de UC por curso. Escola Superior de Tecnologia e Gestão Listagem de UC por curso Semestre * 2013-14 Escola Superior de Tecnologia e Gestão Administração Pública Direito Administrativo Contabilidade Financeira Introdução aos Estudos das Organizações Fundamentos

Leia mais

Conceitos Básicos. Geoprocessamento: Uma Ferramenta Para o Desenvolvimento Regional Sustentável. Conceitos Básicos.

Conceitos Básicos. Geoprocessamento: Uma Ferramenta Para o Desenvolvimento Regional Sustentável. Conceitos Básicos. Geoprocessamento: Uma Ferramenta Para o Desenvolvimento Regional Sustentável Sistema de Informação Dados Armazenados Questão Informação Laboratório de Geoprocessamento (LAGEO) Programa de Mestrado em Ciências

Leia mais

Prof. Dr. Arismar Cerqueira Sodré Junior Prof. Dr. Arismar Cerqueira S. Jr. arismar@inatel.br

Prof. Dr. Arismar Cerqueira Sodré Junior Prof. Dr. Arismar Cerqueira S. Jr. arismar@inatel.br Rádio sobre Fibra: Tecnologia Chave para Copa do Mundo de 2014 e Olimpíadas de 2016 Prof. Dr. Arismar Cerqueira Sodré Junior 1 Contexto Tecnológico 2 Sumário da apresentação I. Contexto Tecnológico II.

Leia mais

PÓS-FLEX. Pós-Graduação

PÓS-FLEX. Pós-Graduação P U Ó P S Pós-Graduação PÓS-FLE CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO PROGRAMA PÓS-FLE O Programa Pós-Flex oferece ao participante a possibilidade de escolher as disciplinas e o prazo para conclusão do curso (de 9

Leia mais

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS PONTOS PARA CONCURSO PÚBLICO DE DOCENTES DO ENSINO SUPERIOR EDITAL 001/2009 Matéria/Área do Conhecimento: MATEMÁTICA 1. Transformações Lineares e Teorema do Núcleo

Leia mais

Mecânica: processos industriais: usinagem, laminação, fundição, solda, prensagem, vapor, gás. Automóveis, suspensão, motor, câmbio.

Mecânica: processos industriais: usinagem, laminação, fundição, solda, prensagem, vapor, gás. Automóveis, suspensão, motor, câmbio. 1 Disciplina de Sistemas de Controle Prof. Luciano Menegaldo e-mail: lmeneg@ime.eb.br home-page: http://lmeneg-aulas.tripod.com Aula 1 Introdução 1. Idéias gerais e exemplos de sistemas de controle - Assunto

Leia mais

IMPLEMENTANDO UMA ARQUITETURA DO SECURITY ANALYTICS

IMPLEMENTANDO UMA ARQUITETURA DO SECURITY ANALYTICS IMPLEMENTANDO UMA ARQUITETURA DO SECURITY ANALYTICS Resumo da solução RESUMO As novas ameaças de segurança exigem uma nova abordagem ao gerenciamento de segurança. As equipes de segurança precisam de uma

Leia mais

Sistemas embarcados. Paulo Urbano paulo.urbano@cesar.org.br

Sistemas embarcados. Paulo Urbano paulo.urbano@cesar.org.br Sistemas embarcados Paulo Urbano paulo.urbano@cesar.org.br Sobre o palestrante... Ciência da Computação, Departamento de Informática, UFPE, 1998 Mestrado em Tecnologia da Informação, Universität Stuttgart,

Leia mais

3ª ETAPA - TURMAS Y DIAS 24/09/12 25/09/12 26/09/12 27/09/12 28/09/12 01/10/12 02/10/12 03/10/12 04/10/12 05/10/12

3ª ETAPA - TURMAS Y DIAS 24/09/12 25/09/12 26/09/12 27/09/12 28/09/12 01/10/12 02/10/12 03/10/12 04/10/12 05/10/12 1ª ETAPA - TURMA E CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL I PAIE 3 CIÊNCIAS DO AMBIENTE PAIE 3 ÉTICA E CIDADANIA I PAIE 3 FÍSICA GERAL I PAIE 3 GEOMETR ANALITICA E VETORES PAIE 3 COMPUTAÇÃO, ALGORITMOS E PROGRAMAÇÃO

Leia mais

CHRONOS RESIDENCIAL CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO:

CHRONOS RESIDENCIAL CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO: EMPREENDIMENTOS CHRONOS RESIDENCIAL CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO: Localizado em Novo Hamburgo RS; 18000 m² de área construída; 72 Unidades 3 e 2 dormitórios; 26 Pavimentos; Tratamento e reutilização

Leia mais

Visão computacional no reconhecimento de formas e objetos

Visão computacional no reconhecimento de formas e objetos Visão computacional no reconhecimento de formas e objetos Paula Rayane Mota Costa Pereira*, Josemar Rodrigues de Souza**, Resumo * Bolsista de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia SENAI CIMATEC,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO CES

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO CES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Conselho Nacional de Educação / Câmara de Educação Superior ASSUNTO: Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Engenharia RELATOR(A):

Leia mais

COERÊNCIA DO CURRÍCULO DO CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO EM FACE DAS DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS

COERÊNCIA DO CURRÍCULO DO CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO EM FACE DAS DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS COERÊNCIA DO CURRÍCULO DO CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO EM FACE DAS DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS O documento que serviu de base para a análise a seguir é o denominado "Diretrizes Curriculares

Leia mais

Instrumentação Industrial. Fundamentos de Instrumentação Industrial: Conceitos Básicos e Definições

Instrumentação Industrial. Fundamentos de Instrumentação Industrial: Conceitos Básicos e Definições Instrumentação Industrial Fundamentos de Instrumentação Industrial: Conceitos Básicos e Definições Instrumentação Industrial De acordo com a organização norte-americana Instrument Society of America -

Leia mais

TV Digital: Como serão as Antenas Transmissoras no novo Sistema?

TV Digital: Como serão as Antenas Transmissoras no novo Sistema? TV Digital: Como serão as Antenas Transmissoras no novo Sistema? Este tutorial apresenta conceitos básicos sobre antenas empregadas na transmissão de TV Digital que começam em 2 de dezembro de 2007 em

Leia mais

SENAI - Educação profissional

SENAI - Educação profissional MAPA DO PORTAL (HT T P: //WWW. PORT AL DAINDUST RIA. COM. B R/CNI/MAPADOSIT E /) SITES DO SISTEMA INDÚSTRIA (HT T P: //WWW. PORT AL DAINDUST RIA. COM. B R/CANAIS/) CONT AT O (HT T P: //WWW. PORT AL DAINDUST

Leia mais

A Experiência do LIT / INPE

A Experiência do LIT / INPE A Experiência do LIT / INPE Elaborado por Heyder Hey & Geilson Loureiro 1 O INPE e o MCT MCT Ministério da Ciência e Tecnologia Órgãos da Assistência Direta (Secretaria Executiva, Gabinete, Assessoria

Leia mais

II Seminário Resultados da Lei da Informática

II Seminário Resultados da Lei da Informática II Seminário Resultados da Lei da Informática Rodrigo Pinto Diretor de P&D 29 de março de 2006 Agenda A Solectron Estratégia Organização Realizações Resultados entre 1998 2003 Resultados entre 2004-2005

Leia mais

SIG APLICADO AO MEIO AMBIENTE

SIG APLICADO AO MEIO AMBIENTE SIG APLICADO AO MEIO AMBIENTE Prof. Luciene Delazari Grupo de Pesquisa em Cartografia e SIG da UFPR SIG Aplicado ao Meio Ambiente - 2011 GA020- SIG APLICADO AO MEIO AMBIENTE Prof. Luciene S. Delazari -

Leia mais

CONSTRUÇÃO DOS REFERENCIAIS NACIONAIS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO BACHARELADOS E LICENCIATURAS ENGENHARIAS Convergência de Denominação (De Para)

CONSTRUÇÃO DOS REFERENCIAIS NACIONAIS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO BACHARELADOS E LICENCIATURAS ENGENHARIAS Convergência de Denominação (De Para) CONSTRUÇÃO DOS REFERENCIAIS NACIONAIS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO BACHARELADOS E LICENCIATURAS ENGENHARIAS Convergência de Denominação (De Para) DE (Engenharia Agronômica) (Visão Sistêmica em Agronegócios)

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ENGENHARIA ELÉTRICA MISSÃO DO CURSO O Curso de Engenharia Elétrica tem por missão a graduação de Engenheiros Eletricistas com sólida formação técnica que

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR Edital nº 1, de 1 de março de

Leia mais

www.omnisys.com.br Importância da FAPESP na história da Omnisys

www.omnisys.com.br Importância da FAPESP na história da Omnisys www.omnisys.com.br Importância da FAPESP na história da Omnisys 1 / Sumário 1. Quem somos nós? 2. Nossas instalações 3. Distribuição de receita 4. Áreas de atuação 5. A importância da FAPESP 6. Conclusão

Leia mais

Tecnologias Digitais de Geoprocessamento

Tecnologias Digitais de Geoprocessamento Gilberto Pessanha Ribeiro Engenheiro Cartógrafo - UERJ Mestre em Ciências Geodésicas - UFPR Doutor em Geografia UFF Especialista em Geologia do Quaternário Museu Nacional/UFRJ gilberto@eng.uerj.br gilberto@globalgeo.com.br

Leia mais

Prof. Dr. Reinaldo Gonçalves Nogueira Escola de Engenharia Elétrica, Mecânica e de Computação Diretor

Prof. Dr. Reinaldo Gonçalves Nogueira Escola de Engenharia Elétrica, Mecânica e de Computação Diretor À PROGRAD: Prof.ª Sandramara Matias Chaves Goiânia, 22 de Novembro de 2013 Em reunião no dia 22 de Novembro de 2013, o Conselho Diretor da EMC, aprovou a alteração do Anexo 1 da Resolução CEPEC 765/2005,

Leia mais

ANEXO III. Domínios e áreas científicas

ANEXO III. Domínios e áreas científicas ANEXO III Domínios e áreas científicas Ciências da Vida e da Saúde Neurociências - Molecular e Celular Neurociências, Envelhecimento e Doenças Degenerativas Imunologia e Infeção Diagnóstico, Terapêutica

Leia mais

Bases de Dados Geoespaciais: Conceitos e Tendências. Paulo Costa Paulo.fernando.costa@vale.com

Bases de Dados Geoespaciais: Conceitos e Tendências. Paulo Costa Paulo.fernando.costa@vale.com Paulo Costa Paulo.fernando.costa@vale.com Sumário Dados e informações Base de dados Normatização dos Dados Banco de dados único Interoperabilidade de dados Tendências DADOS E INFORMAÇÕES Dados são observações

Leia mais

INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS DO SISTEMA LASER

INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS DO SISTEMA LASER INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS DO SISTEMA LASER Leonardo Ercolin Filho Engefoto Engenharia e Aerolevantamentos S.A. Consultoria de Pesquisas e Tecnologias leonardoercolin@engefoto.com.br Fone: +55 41 3071 4252

Leia mais

Prof. Manuel A Rendón M

Prof. Manuel A Rendón M Prof. Manuel A Rendón M AGUIRRE, L. A. Enciclopédia da Automática, Volume II, Cap. 16 MORAES, C. C. Engenharia de Automação Industrial, Cap. 6 Microeletrônica equipamentos microprocessados necessidade

Leia mais

Projeto. Proposta de novo texto para o termo Engenharia de Controle e. Autoria: Estudantes do primeiro período do curso de Eng Ctrl Aut da

Projeto. Proposta de novo texto para o termo Engenharia de Controle e. Autoria: Estudantes do primeiro período do curso de Eng Ctrl Aut da Projeto Proposta de novo texto para o termo Engenharia de Controle e ( pt ) Automação na Wikipédia Autoria: Estudantes do primeiro período do curso de Eng Ctrl Aut da ( 2009 UFLA (II Professores: Roberto

Leia mais

EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 60 h 1º Evolução histórica dos computadores. Aspectos de hardware: conceitos básicos de CPU, memórias,

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 50/2014-CONSUNIV Aprova ad referendum a reformulação do Projeto Pedagógico do

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 50/2014-CONSUNIV Aprova ad referendum a reformulação do Projeto Pedagógico do UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 50/2014-CONSUNIV Aprova ad referendum a reformulação do Projeto Pedagógico do Curso de Engenharia de, Bacharelado, de oferta regular

Leia mais

Engenharia Eletrônica

Engenharia Eletrônica Engenharia Eletrônica Contribuíram para esta apresentação: Prof. Euler de Vilhena Garcia Prof. Edson Mintsu Hung Prof. Sandro Augusto Pavlik Haddad A PARTIR DA ESTRUTURA DE DESIGN DE INSTRUMENTAÇÃO A PARTIR

Leia mais

INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO GEOPROCESSAMENTO. Introdução ao Geoprocessamento. Conceitos básicos 18/06/2015. Conceitos básicos

INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO GEOPROCESSAMENTO. Introdução ao Geoprocessamento. Conceitos básicos 18/06/2015. Conceitos básicos GEOPROCESSAMENTO INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO Prof. Esp. André Aparecido da Silva Introdução ao Geoprocessamento Conceitos básicos Conceitos básicos Componentes de um SIG Entrada de Dados em Geoprocessamento

Leia mais

Definições de Sinais e Sistemas

Definições de Sinais e Sistemas Definições de Sinais e Sistemas O que é um Sinal? O que é um Sistema? Visão Geral de Sistemas Específicos Processamento de Sinais Analógicos Versus Digitais Definições de Sinais e Sistemas 1 O que é um

Leia mais

CoNaIISI 2014 2º Congresso Nacional de Engenharia Informática / Sistemas de Informação

CoNaIISI 2014 2º Congresso Nacional de Engenharia Informática / Sistemas de Informação CoNaIISI 2014 2º Congresso Nacional de Engenharia Informática / Sistemas de Informação San Luis, 13 y 14 de Novembro de 2014 CHAMADA PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS O CoNaIISI é organizado pela rede de

Leia mais

INTRODUÇÃO AO USO DO ENVI EM SENSORIAMENTO REMOTO/SIG

INTRODUÇÃO AO USO DO ENVI EM SENSORIAMENTO REMOTO/SIG CURSOS PRESENCIAIS INTRODUÇÃO AO USO DO ENVI EM SENSORIAMENTO REMOTO/SIG Aplicações Básicas em Sensoriamento Remoto com a Utilização do Software ENVI PROPOSTA DO CURSO ENVI 100: O curso proposto visa a

Leia mais

2 SISTEMAS DE DETECÇÃO DE VAZAMENTOS EM DUTOS

2 SISTEMAS DE DETECÇÃO DE VAZAMENTOS EM DUTOS 2 SISTEMAS DE DETECÇÃO DE VAZAMENTOS EM DUTOS Neste capítulo vamos apresentar um breve estudo de técnicas e sistemas de detecção de vazamentos mais utilizados atualmente. Nosso objetivo é demonstrar que

Leia mais

ANEXO DA DECISÃO Nº PL-0573/2010 TABELA DE CONVERGÊNCIA DE TÍTULOS PROFISSIONAIS NÍVEL GRADUAÇÃO

ANEXO DA DECISÃO Nº PL-0573/2010 TABELA DE CONVERGÊNCIA DE TÍTULOS PROFISSIONAIS NÍVEL GRADUAÇÃO ANEXO DA DECISÃO Nº PL-0573/2010 TABELA DE CONVERGÊNCIA DE TÍTULOS PROFISSIONAIS NÍVEL GRADUAÇÃO CONFEA, ANEXA À Engenheiro Construtor Engenheiro Civil 111-02-00 Engenheiro Civil Opção Estradas e Edificações

Leia mais

Aplicações CBERS na Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Aplicações CBERS na Universidade Federal do Rio Grande do Sul Aplicações CBERS na Universidade Federal do Rio Grande do Sul Pesquisas CBERS - UFRGS 2001: Início do projeto Participantes: - PPG-SR / CEPSRM - Instituto de Geociências Geodésia Geografia Geologia - Faculdade

Leia mais

Sistema de Informações Geográficas

Sistema de Informações Geográficas UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE Pós Graduação Ecologia e Manejo de Recursos Naturais Sistema de Informações Geográficas Prof. Fabiano Luiz Neris Criciúma, Março de 2011. A IMPORTÂNCIA DO ONDE "Tudo

Leia mais

LINHAS TEMÁTICAS. EDITAL MCT/CNPq 066/2010 ICT 2011 Chamada coordenada UE/ Brasil. Linha temática 1: Microeletrônica/ Microssistemas

LINHAS TEMÁTICAS. EDITAL MCT/CNPq 066/2010 ICT 2011 Chamada coordenada UE/ Brasil. Linha temática 1: Microeletrônica/ Microssistemas (Anexo IV) LINHAS TEMÁTICAS EDITAL MCT/CNPq 066/2010 ICT 2011 Chamada coordenada UE/ Brasil Linha temática 1: Microeletrônica/ Microssistemas Metodologia, blocos e ferramentas específicas de projeto que

Leia mais

ÁREA DISCIPLINAR DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PROGRAMAÇÃO. Tem sob a sua responsabilidade as seguintes unidades curriculares:

ÁREA DISCIPLINAR DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PROGRAMAÇÃO. Tem sob a sua responsabilidade as seguintes unidades curriculares: ÁREA DISCIPLINAR DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PROGRAMAÇÃO e Inteligência Artificial Aplicada a Jogos, com 6 Paradigmas de Programação I, com 9 Paradigmas de Programação II, com 9 Algoritmos e Estrutura de

Leia mais

A Lei de Informática como fator motivador das atividades de pesquisa e desenvolvimento: resultados.

A Lei de Informática como fator motivador das atividades de pesquisa e desenvolvimento: resultados. A Lei de Informática como fator motivador das atividades de pesquisa e desenvolvimento: resultados. Seminário: Resultados da Lei de Informática - 02 de dezembro de 2003 Omar Abou Samra Secretário Executivo

Leia mais

CERTIFICADO DE ESTUDOS ESPECIAIS EM ENGENHARIA DE TRANSPORTES

CERTIFICADO DE ESTUDOS ESPECIAIS EM ENGENHARIA DE TRANSPORTES CERTIFICADO DE ESTUDOS ESPECIAIS EM ENGENHARIA DE TRANSPORTES 3º STT0618 Transporte Aéreo 2 3º STT0625 Introdução à Engenharia de Transportes 2 5º STT0610 Logística e Transportes 2 5º STT0616 Geomática

Leia mais

Grupo: Irmandade Bruna Hinojosa de Sousa Marina Schiave Rodrigues Raquel Bressanini Thaís Foffano Rocha

Grupo: Irmandade Bruna Hinojosa de Sousa Marina Schiave Rodrigues Raquel Bressanini Thaís Foffano Rocha Projeto de Engenharia Ambiental Sensoriamento remoto e Sistema de Informação Geográfica Grupo: Irmandade Bruna Hinojosa de Sousa Marina Schiave Rodrigues Raquel Bressanini Thaís Foffano Rocha Sensoriamento

Leia mais

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social Programa 0465 SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO - INTERNET II Objetivo Incrementar o grau de inserção do País na sociedade de informação e conhecimento globalizados. Público Alvo Empresas, usuários e comunidade

Leia mais

MESTRADO PROFISSIONAL EM METROLOGIA E QUALIDADE BANCO DE SUGESTÕES DE TEMAS PARA DISSERTAÇÕES

MESTRADO PROFISSIONAL EM METROLOGIA E QUALIDADE BANCO DE SUGESTÕES DE TEMAS PARA DISSERTAÇÕES Folha: 01/06 Nº SUGESTÃO DE TEMAS 01 Tema: Incertezas nos jogos olímpicos. A ideia seria investigar algumas das modalidades olímpicas, com foco na estimativa da incerteza de medição e como ela poderia

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DE IMAGENS

CLASSIFICAÇÃO DE IMAGENS CLASSIFICAÇÃO DE IMAGENS SIG Profa.. Dra. Maria Isabel Castreghini de Freitas ifreitas@rc.unesp.br Profa. Dra. Andréia Medinilha Pancher medinilha@linkway.com.br O que é classificação? É o processo de

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS MISSÃO DO CURSO A concepção do curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas está alinhada a essas novas demandas

Leia mais

EAGLE Smart Wireless Solution. Implantar a manutenção condicional nunca foi tão simples. Brand of ACOEM

EAGLE Smart Wireless Solution. Implantar a manutenção condicional nunca foi tão simples. Brand of ACOEM EAGLE Smart Wireless Solution Implantar a manutenção condicional nunca foi tão simples Brand of ACOEM Com o EAGLE, a ONEPROD oferece a solução de monitoramento contínuo de manutenção condicional mais fácil

Leia mais

Anexo 6 Demandas oriundas das propostas do CT-INFRA PROINFRA nos editais de 01/2009 e 02/2010 CT-INFRA PROINFRA 01/2009

Anexo 6 Demandas oriundas das propostas do CT-INFRA PROINFRA nos editais de 01/2009 e 02/2010 CT-INFRA PROINFRA 01/2009 Plano de Desenvolvimento Institucional 2011-2015 UFSM 138 Anexo 6 Demandas oriundas das propostas do CT-INFRA PROINFRA nos editais de 01/2009 e 02/2010 CT-INFRA PROINFRA 01/2009 Alta disponibilidade de

Leia mais

Mestrado em Construções Civis

Mestrado em Construções Civis Mestrado em Construções Civis Guarda, 22 de fevereiro de 2015 Índice 1. Enquadramento... 3 2. Objetivos do ciclo de estudos... 4 2.1. Objetivos gerais... 4 2.2. Objetivos específicos... 4 3. Competências

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão. Objetivo Geral

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão. Objetivo Geral Curso: ENGENHARIA ELÉTRICA SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Missão O Curso de Engenharia Elétrica da Universidade Estácio de Sá tem por missão formar engenheiros com sólidos e atualizados conhecimentos científicos

Leia mais

Bem-vindos à Quarta Revolução Industrial

Bem-vindos à Quarta Revolução Industrial Titel der Präsentation Bem-vindos à Quarta Revolução Industrial 1 Em outras palavras, chegamos à Indústria 4.0 Mecanização Controle Mecânico (Cames) Energia Hidráulica e Vapor Eletrificação Linha de Montagem

Leia mais