MERCADO DE CÂMBIO BRASILEIRO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MERCADO DE CÂMBIO BRASILEIRO"

Transcrição

1 MERCADO DE CÂMBIO BRASILEIRO As pessoas físicas e as pessoas jurídicas podem comprar e vender moeda estrangeira ou realizar transferências internacionais em reais, de qualquer natureza, sem limitação de valor, observada a legalidade da transação, tendo como base a fundamentação econômica e as responsabilidades definidas na respectiva documentação. RESPONSABILIDADES DOS AGENTES AUTORIZADOS Certificar-se da identificação e qualificação de seus clientes; Verificar, em todas as operações de câmbio, a legalidade da transação, a fundamentação econômica e as responsabilidades definidas na respectiva documentação; RESPONSABILIDADES das PF e PJ Para as pessoas físicas e jurídicas, a realização de transferências de recursos, por meio de operações de câmbio, implicam a assunção da responsabilidade pela legitimidade da documentação apresentada ao agente autorizado a operar no mercado de câmbio. TIPOS DE OPERAÇÕES DE CÂMBIO Operações comerciais aquelas relacionadas à exportação ou importação de bens e serviços. Operações financeiras - transferências do ou para o exterior, sem que haja contrapartida em mercadorias ou serviços. Ex: empréstimos, financiamentos, investimentos, juros, lucros, aluguéis, etc. Operações interbancárias - são operações realizadas entre os bancos, para ajuste na posição de câmbio ou para especulação. Eventualmente os bancos realizam operações com o Banco Central, relativas a leilões de compra ou venda de moedas estrangeiras. TIPOS DE OPERAÇÕES DE CÂMBIO Operações de arbitragem - são operações realizadas entre bancos, que consistem na entrega de moeda estrangeira contra o recebimento de outra moeda estrangeira. Podem ser realizadas com bancos no Brasil ou 1

2 no exterior, e a equivalência entre as moedas é estabelecida utilizando-se a paridade existente entre elas, no dia da contratação. MERCADO DE CÂMBIO BRASILEIRO FORMAS DE NEGOCIAÇÃO DE MOEDA ESTRANGEIRA DIRETA: No Balcão, por Telefone ou Outro Meio de Comunicação, Entre: Agentes em Geral e Agentes Autorizados/Credenciados ( Mercado Primário ) Agentes Autorizados/Credenciados ( Merc. Secund.) INDIRETA: Via Corretor de Câmbio Voluntariamente Entre: - Agentes em Geral e Agentes Autorizados/Credenciados ( Mercado Primário ) - Agentes Autorizados/Credenciados ( Merc. Secund.) CONTRATO DE CÂMBIO O contrato de câmbio é um instrumento particular, bilateral, no qual um vendedor se compromete a entregar certa quantidade de moeda estrangeira, sob determinadas condições (taxa de câmbio, prazo, forma de entrega, prazo para liquidação, etc.) a um comprador, recebendo em contrapartida o equivalente em moeda nacional. Ele tem por objeto a compra e venda de moeda estrangeira (divisas). FORMALIZAÇÃO DAS OPERAÇÕES DE CÂMBIO CONTRATOS DE CÂMBIO BOLETOS Contratos Simplificados - Operações do antigo mercado Flutuante Câmbio Simplificado de Exportação sem limite, quando celebradas com bancos 2

3 Câmbio Simplificado de Exportação (Até US$ 50 mil), quando celebradas com outras IF s Câmbio Simplificado de Importação sem limite, quando celebradas com bancos Câmbio Simplificado de Importação (Até US$ 50 mil), quando celebradas com outras IF s ** Custo reduzido dos Contratos Simplificados Fica dispensada a formalização de contratos de câmbio para as operações de compra ou venda de valor igual ou inferior a US$ 3.000,00, ou seu equivalente em outras moedas. TIPOS DE CONTRATOS 01-Exportação 02-Importação 03-Transferências Financeiras do Exterior 04-Transferências Financeiras para o Exterior 05-Interbancárias/Arbitragens de Compra 06-Interbancárias/Arbitragens de Venda 07-Alterações de Contratos de Compra 08-Alterações de Contratos de Venda 09-Cancelamento de Contrato de Compra 10-Cancelamento de Contrato de Venda Alterações: Não são passíveis de alteração as seguintes informações: nome/razão social e CPF/CNPJ do comprador e do vendedor da moeda estrangeira; o valor e o código da moeda estrangeira; o valor em moeda nacional e; a taxa de câmbio pactuada. Liquidação: 3

4 É o momento em que as partes cumprem o pactuado no contrato de câmbio, isto é efetuam mediante entrega, recíproca ou não, as moedas objeto de troca, e acertando eventuais juros ou despesas pertinentes à operação. É importante lembrar que nem sempre existe casamento entre moeda nacional e estrangeira na mesma data. PRAZOS PARA LIQUIDAÇÃO DOS CONTRATOS DE CÂMBIO Até 2 dias úteis - PRONTAS ( SPOT ) Mais de 2 dias úteis - FUTURAS FORMA DE ENTREGA DA MOEDA ESTRANGEIRA Espécie e Traveller s Cheques - CÂMBIO MANUAL Demais Instrumentos - CÂMBIO SACADO ( Saques; Ordens de Pagamento; Cartas de Crédito, Cheques ) Operações de Venda de Moeda Estrangeira: O valor em Reais deve ser recebido por meio de: Débito em conta-corrente do comprador; cheque de emissão do comprador, cruzado, nominativo ao vendedor e não endossável; TED ou qualquer outra ordem de transferência bancária de fundos, desde que emitida em nome do comprador e que os recursos sejam debitados de conta de sua titularidade. Operações de Compra de Moeda Estrangeira: O valor em Reais deve ser entregue por meio de: Crédito em conta-corrente do vendedor; cheque de emissão do comprador, cruzado, nominativo ao vendedor e não endossável; TED ou qualquer outra ordem de transferência bancária de fundos emitida pelo comprador para crédito em conta titulada pelo vendedor. Excetuam-se a essas regras, as compras ou vendas de moeda estrangeira, cujo contravalor em moeda nacional não ultrapasse R$ ,00, podendo nessa situação ser aceito o pagamento ou recebimento dos Reais por meio de qualquer instrumento de pagamento em uso no mercado financeiro, inclusive em espécie. 4

5 As operações de câmbio serão registradas por intermédio de terminais interligados com o Sistema de Informações Banco Central - SISBACEN, através do preenchimento de telas do Sistema, de acordo com as disposições deste capítulo. Na celebração de operações de câmbio, as partes intervenientes declaram ter pleno conhecimento das normas cambiais vigentes, notadamente da Lei 4.131, de , e alterações subseqüentes, em especial do Artigo 23 do citado diploma, cujo texto constará do contrato de câmbio que se celebra. Os contratos de câmbio de exportação não precisam mais ser vinculados aos registros de exportação (RE) com despachos averbados no Siscomex. Os contratos de câmbio de importação não precisam mais ser vinculados às declarações de importação (DI s) no Siscomex. SISBACEN x SISCOMEX Relativamente à assinatura dos contratos de câmbio: o Banco Central do Brasil somente reconhece como válida a assinatura digital dos contratos de câmbio por meio de utilização de certificados digitais emitidos no âmbito da Infra-Estrutura de Chaves Públicas (ICP- Brasil), devendo os certificados ser utilizados somente após a numeração da operação pelo Sisbacen, sendo responsabilidade do agente interveniente a verificação da utilização adequada da certificação digital por parte do cliente na operação, incluindo-se a alçada dos demais signatários e a validade dos certificados digitais envolvidos; no caso de assinatura manual, a mesma é aposta após a impressão do contrato de câmbio, efetuada depois de numerada a operação pelo Sisbacen, em pelo menos duas vias originais, destinadas ao comprador e ao vendedor da moeda estrangeira. Vendedor Comprador Exportador 5

6 Banco Comprador Vendedor Importador Banco MODALIDADES DE PAGAMENTO INTERNACIONAL MODALIDADES DE PAGAMENTO A escolha da modalidade de pagamento é feita de comum acordo entre o exportador e o importador e vai depender, basicamente, do grau de confiança comercial existente entre as partes, das exigências do país importador e das disponibilidades das linhas de financiamento. As principais modalidades de pagamento utilizadas no comércio internacional são: Recebimento Antecipado Carta de Crédito (Letter of Credit - L/C) Cobrança Documentária (Sight Draft / Time Draft) Cobrança Simples ( Teletransmission Transfer ) Remessa sem Saque (Open Account ) Recebimento Antecipado - Advanced Payment O importador remete previamente o valor da transação, após o que, o exportador providencia a exportação da mercadoria e o envio da respectiva documentação. Do ponto de vista cambial, o exportador deve providenciar, obrigatoriamente, o contrato de câmbio, antes do embarque, junto a um banco, pelo qual receberá reais em troca da moeda estrangeira, cuja conversão é definida pela taxa de câmbio vigente no dia. Esta modalidade de pagamento não é muito freqüente, pois coloca o importador na dependência do exportador. Exportador Importador CARTA DE CRÉDITO - Letter of Credit 6

7 A carta de crédito, também conhecida por crédito documentário, é a modalidade de pagamento mais difundida no comércio internacional, pois oferece maiores garantias, tanto para o exportador como para o importador. É um instrumento emitido por um banco (o banco emitente), a pedido de um cliente (o tomador do crédito). De conformidade com instruções deste, o banco compromete-se a efetuar um pagamento a um terceiro (o beneficiário), contra entrega de documentos estipulados, desde que os termos e condições do crédito sejam cumpridos. Por termos e condições do crédito, entende-se a concretização da operação de acordo com o combinado, especialmente no que diz respeito aos seguintes itens: valor do crédito, beneficiário e endereço, prazo de validade para embarque da mercadoria, prazo de validade para negociação do crédito, porto de embarque e de destino, discriminação da mercadoria, quantidades, embalagens, permissão ou não para embarques parciais e para transbordo, conhecimento de embarque, faturas, certificados, etc. Banco do Importador Abre a LC Ao contrário das modalidades anteriores, a cobrança documentária é caracterizada pelo manuseio de documentos pelos bancos. Os bancos intervenientes nesse tipo de operação são meros cobradores internacionais de uma operação de exportação, cuja transação foi fechada diretamente entre o exportador e o importador, não lhes cabendo a responsabilidade quanto ao resultado da cobrança documentária. O exportador embarca a mercadoria e remete os documentos de embarque a um banco, que os remete para outro banco, na praça do importador, para que sejam apresentados para pagamento (cobrança à vista) ou para aceite e posterior pagamento (cobrança a prazo). Para que o importador possa desembaraçar a mercadoria na alfândega, ele necessita ter em mãos os documentos apresentados para cobrança. Portanto, após retirar os documentos do banco, pagando à vista ou aceitando (assina, manifestando concordância) a cambial para posterior pagamento, o importador estará apto a liberar a mercadoria. 7

8 COBRANÇA DOCUMENTÁRIA - Sight Draft COBRANÇA SIMPLES Teletransmission Transfer O exportador embarca as mercadorias para o exterior, remetendo por fax, ao importador, cópia dos documentos; comprovado o embarque, o importador envia o pagamento; após receber o pagamento, o exportador envia ao importador os documentos originais de embarque, para que ele promova o desembaraço da mercadoria na alfândega. Também é uma forma de negociação adequada, quando não existe, por parte do exportador, confiança na honestidade e na capacidade financeira do importador, bem como na estabilidade política do seu país. isenção ou redução de despesas bancárias. REMESSA SEM SAQUE Open Account O importador recebe diretamente do exportador os documentos de embarque, sem o saque; promove o desembaraço da mercadoria na alfândega e, posteriormente, providencia a remessa da quantia respectiva diretamente para o exportador. Esta modalidade de pagamento é de alto risco para o exportador, uma vez que, em caso de inadimplência, não há nenhum título de crédito que lhe garanta a possibilidade de protesto e início de ação judicial. No entanto, quando existir confiança entre o comprador e o vendedor, possui algumas vantagens, entre as quais: agilidade na tramitação de documentos; isenção ou redução de despesas bancárias. TAXAS DE JUROS INTERNACIONAIS LIBOR - London Interbank Offered Rate É a taxa de juros praticada no mercado interbancário de Londres. É a mais famosa, mais importante, e mais utilizada taxa de juros do mercado internacional, utilizada na grande maioria das operações de empréstimos e financiamentos efetuados em moedas estrangeiras, praticada não somente pelos bancos ingleses, mas também pela quase totalidades dos grandes bancos internacionais, independente de sua nacionalidade. 8

9 TAXAS DE JUROS INTERNACIONAIS LIBOR - London Interbank Offered Rate A Libor é calculada e publicada diariamente, pela British Bankers Association (BBA). É calculada com base no valor de 16 taxas (taxas de depósito, disponibilizadas por bancos escolhidos pela BBA. Destas 16 taxas apenas 8 são consideradas para o calculo do valor médio da Libor, sendo excluídas as 4 mais elevadas e as 4 mais reduzidas. É divulgada diariamente, para empréstimos e financiamentos efetuados em diversas moedas e para diversos prazos, podendo-se notar que as taxas de juros para operações de prazos mais longos, são mais elevadas, o que é bastante lógico, pois do ponto de vista dos bancos, quanto maior o prazo do empréstimo ou financiamento, maior é o risco de não recebimento dos valores de principal e juros. E quanto maior o risco, maior é a taxa de juros cobrada pelos bancos. LIBOR PRIME RATE 9

10 OPÇÕES PARA FINANCIAMENTOS EM COMÉRCIO EXTERIOR Exportação ACC - Adiantamento sobre Contrato de Câmbio. Adiantamento de Reais concedidos ao exportador brasileiro, com base no lastro de sua exportação, antes do embarque da mercadoria. Possibilita ao cliente obter recursos via contrato de câmbio para cobrir custos de produção e comercialização das mercadorias a serem exportadas. Uma vez que esses recursos são captados no exterior, o custo da linha torna-se mais barato quando comparado aos custos locais de captação de Reais. ACE - Adiantamento com Cambiais Entregues Adiantamento de Reais concedidos ao exportador brasileiro, após o embarque da mercadoria, através de contrato de câmbio. No momento do fechamento da operação, o cliente deve entregar documentos referentes ao(s) embarque(s) coberto(s) pelo contrato de câmbio. ACCI - Adiantamento Contrato de Câmbio Insumos Conhecido também como exportação indireta, o ACCI tem a função de conceder recursos aos fornecedores de insumos que integrem o processo produtivo, montagem e embalagem de mercadorias para exportação. Trava de Câmbio Operação de Câmbio lastreada em contrato mercantil de exportação a prazo, que pode ser efetuada antes ou após embarque da mercadoria, onde os Reais não são antecipados ao cliente no momento da operação. Entretanto, o cliente pode receber um prêmio como remuneração pela aplicação destes Reais. Essa operação visa atender ao cliente que não tem necessidade imediata de capital e que portanto prefere fazer um hedge ou 10

11 arbitragem frente a diferentes expectativas de mercado. Geralmente a rentabilização dos Reais pode ser à variação cambial, CDI ou taxa Pré. Pré pagamento Adiantamento de recursos concedido por uma Instituição Financeira localizada no exterior, a um exportador no Brasil antes do embarque, para produção de mercadorias a serem exportadas. O exportador cede ao Banco financiador os direitos de recebimento dos pagamentos que serão realizados pelo importador. O pagamento dos juros é feito pelo exportador/devedor através de remessa de divisas, via contrato de câmbio. Proex É um programa de financiamento às exportações brasileiras de bens e serviços que utiliza recursos do Tesouro Nacional para fornecer equalização de taxas de juros ao Financiador no exterior ou ao BNDES. Portanto é um programa que oferece condições favoráveis aos importadores de produtos brasileiros, quanto a prazos e taxas de juros. O Banco Real é agente credenciado. BNDES Exim - Pré-embarque Financiamento à produção de bens para exportação, na fase pré-embarque, mediante abertura de crédito fixo, em operações realizadas por meio de instituições financeiras cadastradas. BNDES EXIM Pré-Embarque Empresa Âncora Financiamento destinado a viabilizar a exportação indireta de bens produzidos por micro, pequena ou média empresa. BNDES Exim - Pré-embarque Especial Financiamento ao exportador visando o incremento das exportações. A parcela de incremento deverá ser cumprida em 12 meses em relação ao período base, sem vinculação de embarques específicos. Este incremento é 11

12 feito por meio de instituições financeiras credenciadas e mediante a abertura de crédito fixo. BNDES Exim - Pós-embarque Este é um programa de financiamento para a comercialização do bem e/ou serviço a ser exportado. BNDES Exim - Pré-Ágil Financiamento à produção de bens destinados a exportação, na fase préembarque, associada a um Compromisso de Exportação, mediante abertura de crédito fixo, em operações realizadas por meio de instituições financeiras cadastradas. Importação Carta de Crédito Garantia de pagamento normalmente irrevogável, emitida por uma instituição financeira a pedido de seu cliente (importador) para garantir o pagamento de determinado valor a um beneficiário (exportador). Financiamento a Importação Linhas de crédito captadas no exterior para financiamento aos importadores por um prazo negociado com o banco. Podem ser obtidas pelo importador com o banqueiro no exterior ou com o banco brasileiro. Financiamento a Importação - desconto de saque Empréstimo ao importador brasileiro, pelo exportador estrangeiro, através do aceite (pelo importador) de um saque em que este se compromete a fazer o pagamento de suas importações em data futura. Garantias Internacionais 12

13 Garantia do pagamento da operação (pactuado em licitação, concorrência pública ou privada) caso não seja cumprida a obrigação contratual de seu cliente. O banco cobre apenas os valores de multas pecuniárias. Bid Bond Para concorrência e/ou licitação pública ou privada. Visa manter a oferta para posterior assinatura de contrato. Caso o vencedor (cliente) não assine o contrato, a Bid Bond é acionada pelo Beneficiário para pagamento da multa previamente estabelecida em edital. Performance Bond Garante à empresa beneficiária a execução do serviço contratado, de acordo com os termos pactuados. Se o cliente não cumprir com o contratado, através do acionamento da Performance Bond, o Beneficiário recebe a multa previamente estabelecida, sobre o valor total do serviço. Stand by Letter of Credit Garantia do pagamento de empréstimos, financiamentos, compra de mercadorias, entre outros. Neste caso o banco garantidor é acionado apenas se o devedor não cumprir a obrigação assegurada. Aval em saque Trata-se de uma garantia de Instituição financeira sobre Saque de Importação previamente aceito pelo Importador com o objetivo de assegurar ao Exportador o pagamento pela mercadoria embarcada/vendida ao Importador. 1. Contrato de Câmbio CÂMBIO 13

14 2. Fechamento do câmbio 3. Liquidação do câmbio 4. Alterações no Contrato de Câmbio 5. Cancelamento do Contrato de Câmbio As vendas ao exterior são usualmente cotadas em dólares. Outras moedas conversíveis, como o marco alemão, o iene, a libra esterlina, também podem ser utilizadas. O exportador recebe, porém, o pagamento em reais. Em suas transações com o exterior, o exportador depara-se, portanto, com a possibilidade de riscos cambiais, ou seja, uma mudança na taxa de câmbio pode afetar a quantia a ser recebida em reais. 1. Contrato de Câmbio Toda vez que é realizada uma transação comercial ou financeira com residentes no exterior é necessária uma operação cambial, que consiste na troca entre a moeda nacional e a estrangeira. As vendas ao exterior são efetuadas por meio de Contrato de Câmbio entre o exportador - vendedor da moeda estrangeira - e um banco autorizado a operar com câmbio - comprador da moeda estrangeira. A operação cambial envolve os seguintes agentes: o exportador, que vende a moeda estrangeira; o banco autorizado pelo Banco Central a realizar operações de câmbio; a corretora de câmbio, caso seja requerida pelo vendedor da moeda estrangeira. Atualmente, há a opção de intermediação por uma corretora de câmbio. A participação de uma corretora de câmbio pode implicar, porém, custos adicionais para o exportador. O Contrato de Câmbio deve conter os seguintes dados: nome do banco autorizado a contratar o câmbio; nome do exportador; valor da operação; taxa de câmbio negociada; prazo para liquidação; 14

15 nome do corretor de câmbio, se houver; comissão do corretor de câmbio; nome do importador; dados bancários do exportador; condições de financiamento, etc. 2. Fechamento do câmbio Nas exportações com prazo não superior a 180 dias, contado da data do embarque das mercadorias, o Fechamento do Câmbio com um banco autorizado e escolhido pelo exportador é formalizado com o preenchimento do formulário BACEN - TIPO 01. O formulário deve ser preenchido e registrado no Sistema de Informações Banco Central (SISBACEN), que monitora as operações cambiais. O Fechamento do Câmbio implica os seguintes compromissos por parte do exportador: negociar as divisas obtidas com a instituição financeira escolhida, a uma determinada taxa de câmbio; entregar, em data fixada, os documentos comprobatórios da exportação e outros comprovantes, estes se solicitados pelo importador. É importante lembrar que a data acordada não pode ultrapassar o limite máximo de 15 dias após o embarque da mercadoria para o exterior, conforme determinação do Banco Central. efetuar a liquidação do câmbio em uma determinada data, que é marcada pela entrada efetiva da moeda estrangeira. O cumprimento deste compromisso depende, evidentemente, do pagamento por parte do importador. O Fechamento do Câmbio na exportação pode ser efetuado até 180 dias antes do embarque da mercadoria, ou até 180 dias após o seu embarque. A data de embarque é definida pela data do Conhecimento de Embarque. O Banco Central estabelece o prazo máximo de 15 dias, contado da data de embarque, para a entrega dos documentos comprobatórios da exportação ao banco autorizado, que após a devida conferência, fará sua remessa ao banco emissor, no exterior. A definição do momento mais apropriado para o Fechamento do Câmbio depende da necessidade de recursos financeiros para a elaboração do produto 15

16 a ser exportado, da taxa de juros nominal vigente e da expectativa de alterações na taxa de câmbio, entre a data escolhida para a contratação e a data da liquidação do contrato de câmbio. 3. Liquidação do Câmbio A última obrigação do exportador, relacionada com a operação de câmbio, é a entrega da moeda estrangeira ao banco, que, por sua vez, efetuará o pagamento do valor equivalente em moeda nacional à taxa de câmbio acertada na data da contratação do câmbio. Este procedimento é conhecido como Liquidação do Câmbio. A entrega da moeda estrangeira pode efetuar-se das seguintes formas: o importador efetua o pagamento na conta do banco com que foi contratado o câmbio. É importante notar que a legislação brasileira estabelece o prazo máximo de 10 dias para a Liquidação do Câmbio, a contar da data de entrega dos documentos, no caso de transação à vista, ou após o vencimento da letra de câmbio, no caso de venda a prazo; nas operações amparadas por Carta de Crédito, a entrega dos documentos comprobatórios da exportação ao banco é considerada equivalente à entrega de moeda estrangeira. O banco deverá liquidar o câmbio no prazo máximo de 10 dias, a contar da data de entrega dos documentos pelo exportador. 4. Alterações no Contrato de Câmbio O Contrato de Câmbio pode ser modificado, desde que as alterações sejam acordadas por ambas as partes, mediante preenchimento do formulário BACEN-Tipo 07. No entanto, o Banco Central permite que sejam alteradas apenas as datas de vencimento dos compromissos do exportador, como: a data da entrega dos documentos, desde que não ultrapasse o total de 180 dias, contado do fechamento do câmbio. A prorrogação é permitida, portanto, apenas para os contratos de câmbio com prazo inferior a 180 dias. Em casos de fatores fora do alcance do exportador, e já transcorridos os 180 dias, um período não superior a 30 dias pode ser concedido ao exportador para que efetue o embarque da mercadoria. Na realidade, a data que se está alterando é a do embarque, pois o prazo para a entrega dos documentos continuará sendo de no máximo 15 dias, contado da data de embarque. Assinale-se que o exportador deve solicitar a prorrogação antes do vencimento do prazo original; 16

17 a data da liquidação do Contrato de Câmbio, desde que não ultrapasse o total de 180 dias contados da data de embarque. Para obter esta prorrogação, o exportador deverá obter a concordância do importador em pagar os juros correspondentes ao prazo adicional, e substituir a letra de câmbio anterior por uma nova, que inclua os juros citados. 5. Cancelamento do Contrato de Câmbio O Contrato de Câmbio pode ser cancelado dentro dos seguintes prazos: a mercadoria não foi embarcada: até 20 dias, contados do vencimento do prazo para a entrega dos documentos. O exportador deverá arcar com os encargos financeiros, pagamento do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), se recebeu a antecipação, e outras despesas; a mercadoria foi embarcada: até 30 dias, contados do vencimento do prazo para a liquidação do contrato de câmbio. Este caso pode estar condicionado a um dos seguintes fatores: ação judicial em andamento contra o devedor no exterior, retorno da mercadoria com o correspondente desembaraço vinculado ao Registro de Exportação no SISCOMEX, ou redução do preço da mercadoria exportada (anuência da SECEX ). O exportador também deverá arcar com os juros, taxas e outras despesas. O cancelamento de um Contrato de Câmbio, após o envio da mercadoria ao exterior, exige, assim, que o exportador tome todas as providências para obter o pagamento, mantenha as autoridades monetárias informadas do andamento do processo de ressarcimento e providencie a venda da moeda estrangeira ao banco autorizado, caso obtenha o pagamento. 17

18 MERCADO DE CÂMBIO BRASILEIRO As pessoas físicas e as pessoas jurídicas podem comprar e vender moeda estrangeira ou realizar transferências internacionais em reais, de qualquer natureza, sem limitação de valor, observada a legalidade da transação, tendo como base a fundamentação econômica e as responsabilidades definidas na respectiva documentação. RESPONSABILIDADES DOS AGENTES AUTORIZADOS Certificar-se da identificação e qualificação de seus clientes; Verificar, em todas as operações de câmbio, a legalidade da transação, a fundamentação econômica e as responsabilidades definidas na respectiva documentação; RESPONSABILIDADES das PF e PJ Para as pessoas físicas e jurídicas, a realização de transferências de recursos, por meio de operações de câmbio, implicam a assunção da responsabilidade pela legitimidade da documentação apresentada ao agente autorizado a operar no mercado de câmbio. TIPOS DE OPERAÇÕES DE CÂMBIO Operações comerciais aquelas relacionadas à exportação ou importação de bens e serviços. Operações financeiras - transferências do ou para o exterior, sem que haja contrapartida em mercadorias ou serviços. Ex: empréstimos, financiamentos, investimentos, juros, lucros, aluguéis, etc. Operações interbancárias - são operações realizadas entre os bancos, para ajuste na posição de câmbio ou para especulação. Eventualmente os bancos realizam operações com o Banco Central, relativas a leilões de compra ou venda de moedas estrangeiras. TIPOS DE OPERAÇÕES DE CÂMBIO Operações de arbitragem - são operações realizadas entre bancos, que 18

19 consistem na entrega de moeda estrangeira contra o recebimento de outra moeda estrangeira. Podem ser realizadas com bancos no Brasil ou no exterior, e a equivalência entre as moedas é estabelecida utilizando-se a paridade existente entre elas, no dia da contratação. MERCADO DE CÂMBIO BRASILEIRO FORMAS DE NEGOCIAÇÃO DE MOEDA ESTRANGEIRA DIRETA: No Balcão, por Telefone ou Outro Meio de Comunicação, Entre: Agentes em Geral e Agentes Autorizados/Credenciados ( Mercado Primário ) Agentes Autorizados/Credenciados ( Merc. Secund.) INDIRETA: Via Corretor de Câmbio Voluntariamente Entre: - Agentes em Geral e Agentes Autorizados/Credenciados ( Mercado Primário ) - Agentes Autorizados/Credenciados ( Merc. Secund.) CONTRATO DE CÂMBIO O contrato de câmbio é um instrumento particular, bilateral, no qual um vendedor se compromete a entregar certa quantidade de moeda estrangeira, sob determinadas condições (taxa de câmbio, prazo, forma de entrega, prazo para liquidação, etc.) a um comprador, recebendo em contrapartida o equivalente em moeda nacional. Ele tem por objeto a compra e venda de moeda estrangeira (divisas). FORMALIZAÇÃO DAS OPERAÇÕES DE CÂMBIO CONTRATOS DE CÂMBIO BOLETOS Contratos Simplificados - Operações do antigo mercado Flutuante 19

20 Câmbio Simplificado de Exportação sem limite, quando celebradas com bancos Câmbio Simplificado de Exportação (Até US$ 50 mil), quando celebradas com outras IF s Câmbio Simplificado de Importação sem limite, quando celebradas com bancos Câmbio Simplificado de Importação (Até US$ 50 mil), quando celebradas com outras IF s ** Custo reduzido dos Contratos Simplificados Fica dispensada a formalização de contratos de câmbio para as operações de compra ou venda de valor igual ou inferior a US$ 3.000,00, ou seu equivalente em outras moedas. TIPOS DE CONTRATOS 01-Exportação 02-Importação 03-Transferências Financeiras do Exterior 04-Transferências Financeiras para o Exterior 05-Interbancárias/Arbitragens de Compra 06-Interbancárias/Arbitragens de Venda 07-Alterações de Contratos de Compra 08-Alterações de Contratos de Venda 09-Cancelamento de Contrato de Compra 10-Cancelamento de Contrato de Venda Alterações: Não são passíveis de alteração as seguintes informações: nome/razão social e CPF/CNPJ do comprador e do vendedor da moeda estrangeira; o valor e o código da moeda estrangeira; o valor em moeda nacional e; a taxa de câmbio pactuada. 20

21 Liquidação: É o momento em que as partes cumprem o pactuado no contrato de câmbio, isto é efetuam mediante entrega, recíproca ou não, as moedas objeto de troca, e acertando eventuais juros ou despesas pertinentes à operação. É importante lembrar que nem sempre existe casamento entre moeda nacional e estrangeira na mesma data. PRAZOS PARA LIQUIDAÇÃO DOS CONTRATOS DE CÂMBIO Até 2 dias úteis - PRONTAS ( SPOT ) Mais de 2 dias úteis - FUTURAS FORMA DE ENTREGA DA MOEDA ESTRANGEIRA Espécie e Traveller s Cheques - CÂMBIO MANUAL Demais Instrumentos - CÂMBIO SACADO ( Saques; Ordens de Pagamento; Cartas de Crédito, Cheques ) Operações de Venda de Moeda Estrangeira: O valor em Reais deve ser recebido por meio de: Débito em conta-corrente do comprador; cheque de emissão do comprador, cruzado, nominativo ao vendedor e não endossável; TED ou qualquer outra ordem de transferência bancária de fundos, desde que emitida em nome do comprador e que os recursos sejam debitados de conta de sua titularidade. Operações de Compra de Moeda Estrangeira: O valor em Reais deve ser entregue por meio de: Crédito em conta-corrente do vendedor; cheque de emissão do comprador, cruzado, nominativo ao vendedor e não endossável; TED ou qualquer outra ordem de transferência bancária de fundos emitida pelo comprador para crédito em conta titulada pelo vendedor. Excetuam-se a essas regras, as compras ou vendas de moeda estrangeira, cujo contravalor em moeda nacional não ultrapasse R$ ,00, podendo nessa situação ser aceito o pagamento ou 21

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Estudo das garantias nos contratos mercantis internacionais Vanessa Rugai* Por várias razões, nem sempre os compradores conseguem crédito junto aos seus fornecedores. Uma forma de

Leia mais

REGULAMENTO DO MERCADO DE CÂMBIO E CAPITAIS INTERNACIONAIS TÍTULO : 1 - Mercado de Câmbio CAPÍTULO : 11 - Exportação SEÇÃO : 1 - Disposições Gerais

REGULAMENTO DO MERCADO DE CÂMBIO E CAPITAIS INTERNACIONAIS TÍTULO : 1 - Mercado de Câmbio CAPÍTULO : 11 - Exportação SEÇÃO : 1 - Disposições Gerais SEÇÃO : 1 - Disposições Gerais 1. Este capítulo dispõe sobre as operações no mercado de câmbio relativas às exportações brasileiras de mercadorias e de serviços. 2. O exportador de mercadorias ou de serviços

Leia mais

Mercado de Câmbio. Mercado de câmbio é a denominação para o mercado de troca de moedas.

Mercado de Câmbio. Mercado de câmbio é a denominação para o mercado de troca de moedas. Definição: Mercado de Câmbio Mercado de câmbio é a denominação para o mercado de troca de moedas. O mercado de Câmbio de TAXAS LIVRES opera com o dólar comercial. TAXAS FLUENTES opera com o dólar flutuante

Leia mais

Modalidades de Pagamento

Modalidades de Pagamento Modalidades de Pagamento Remessa / Pagamento antecipado: Nesta modalidade, o importador realiza o pagamento ao exportador antes do envio da mercadoria. Trata-se da opção mais interessante para o exportador,

Leia mais

3. A formalização das operações de câmbio deve seguir o modelo do anexo 1 ou os modelos dos anexos 7 a 10 deste título.

3. A formalização das operações de câmbio deve seguir o modelo do anexo 1 ou os modelos dos anexos 7 a 10 deste título. SEÇÃO : 1 - Disposições Preliminares 1. Contrato de câmbio é o instrumento específico firmado entre o vendedor e o comprador de moeda estrangeira, no qual são estabelecidas as características e as condições

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO PARA EXPORTAÇÃO COMERCIO EXTERIOR FATEC FRANCA PROF. DR. DALTRO OLIVEIRA DE CARVALHO

DOCUMENTAÇÃO PARA EXPORTAÇÃO COMERCIO EXTERIOR FATEC FRANCA PROF. DR. DALTRO OLIVEIRA DE CARVALHO DOCUMENTOS EXIGIDOS NAS OPERAÇÕES DE EXPORTAÇÃO DISPONIVEL EM: HTTP://WWW.APRENDENDOAEXPORTAR.GOV.BR/SITIO/PAGINAS/COMEXPORTAR/CONTRATOS.HTML No comércio internacional, os documentos desempenham importante

Leia mais

CIRCULAR Nº 3.330. Art. 2º Esta Circular entra em vigor na data de sua publicação. Este texto não substitui o publicado no DOU e no Sisbacen.

CIRCULAR Nº 3.330. Art. 2º Esta Circular entra em vigor na data de sua publicação. Este texto não substitui o publicado no DOU e no Sisbacen. CIRCULAR Nº 3.330 Altera o Regulamento do Mercado de Câmbio e Capitais Internacionais (RMCCI). A Diretoria Colegiada do Banco Central do Brasil, em sessão extraordinária realizada em 27 de outubro de 2006,com

Leia mais

FORMAS DE PAGAMENTO UTILIZADAS NO COMÉRCIO EXTERIOR

FORMAS DE PAGAMENTO UTILIZADAS NO COMÉRCIO EXTERIOR 1 FORMAS DE PAGAMENTO UTILIZADAS NO COMÉRCIO EXTERIOR Vender para o exterior. Exportar. Aproveitar oportunidades do mercado mundial. Este é o sonho de muitos empresários! Mas nem tudo são flores no mundo

Leia mais

PROGRAMA BNDES-exim PÓS-EMBARQUE SUPPLIER CREDIT REGULAMENTO

PROGRAMA BNDES-exim PÓS-EMBARQUE SUPPLIER CREDIT REGULAMENTO PROGRAMA BNDES-exim PÓS-EMBARQUE Julho/2002 SUPPLIER CREDIT REGULAMENTO 1. OBJETIVO Apoiar a comercialização, no exterior, dos bens indicados na Relação de Produtos Financiáveis aprovada pelo BNDES e/ou

Leia mais

CARTA-CIRCULAR Nº 2947. I - as corretoras autorizadas a operar em cambio possam intermediar contratos de cambio simplificado de exportação; e

CARTA-CIRCULAR Nº 2947. I - as corretoras autorizadas a operar em cambio possam intermediar contratos de cambio simplificado de exportação; e CARTA-CIRCULAR Nº 2947 Altera o Regulamento de Cambio de Exportação divulgado pela Circular n. 2.231, de 25 de setembro de 1992. Levamos ao conhecimento dos interessados que, tendo em vista o disposto

Leia mais

CIRCULAR Nº 3.531. Altera o Regulamento do Mercado de Câmbio e Capitais Internacionais (RMCCI).

CIRCULAR Nº 3.531. Altera o Regulamento do Mercado de Câmbio e Capitais Internacionais (RMCCI). CIRCULAR Nº 3.531 Altera o Regulamento do Mercado de Câmbio e Capitais Internacionais (RMCCI). A Diretoria Colegiada do Banco Central do Brasil, em sessão realizada em 13 de abril de 2011, com base no

Leia mais

Altera o Regulamento do Mercado de Câmbio e Capitais Internacionais (RMCCI).

Altera o Regulamento do Mercado de Câmbio e Capitais Internacionais (RMCCI). BANCO CENTRAL DO BRASIL DIRETORIA COLEGIADA Circular nº 3.531, de 13.04.11 DOU-1, de 14.04.11. Altera o Regulamento do Mercado de Câmbio e Capitais Internacionais (RMCCI). A Diretoria Colegiada do Banco

Leia mais

Escola Secundária de Paços de Ferreira. Curso Profissional Técnicas de Secretariado. Ano Lectivo: 2009/10. Disciplina: Técnicas de Secretariado

Escola Secundária de Paços de Ferreira. Curso Profissional Técnicas de Secretariado. Ano Lectivo: 2009/10. Disciplina: Técnicas de Secretariado Ano Lectivo: 2009/10 Disciplina: Técnicas de Secretariado Professora: Adelina Silva Novembro de 2009 Trabalho realizado por: Sara Gonçalves n.º16 12ºS. Meios de Pagamento utilizados no Comércio Internacional

Leia mais

Concurso Receita Federal

Concurso Receita Federal PAGAMENTOS INTERNACIONAIS Concurso Receita Federal Analista Prof.Nelson Guerra VISÃO GERAL DE UMA OPERAÇÃO DE IM/EXPORTAÇÃO 1) OPORTUNIDADE NEGOCIAL: Contato importador / exportador. 2) REGULAMENTAÇÃO:

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 3.568 CAPÍTULO I. Art. 3º Os agentes autorizados a operar no mercado de câmbio podem realizar as seguintes operações:

RESOLUÇÃO Nº 3.568 CAPÍTULO I. Art. 3º Os agentes autorizados a operar no mercado de câmbio podem realizar as seguintes operações: RESOLUÇÃO Nº 3.568 Dispõe sobre o mercado de câmbio e dá outras providências. O BANCO CENTRAL DO BRASIL, na forma do art. 9º da Lei nº 4.595, de 31 de dezembro de 1964, torna público que o CONSELHO MONETÁRIO

Leia mais

Aula nº 10 - MERCADO DE CÂMBIO

Aula nº 10 - MERCADO DE CÂMBIO POLÍTICA CAMBIAL Chama-se política cambial o conjunto de ações do Governo que influem no comportamento do mercado de câmbio e da taxa de O Banco Central executa a política cambial definida pelo Conselho

Leia mais

Sistematização das exportações e pagamentos internacionais

Sistematização das exportações e pagamentos internacionais Introdução Sistematização das exportações e pagamentos internacionais Fundamentos de Comércio Exterior Prof. Marco A. Arbex As exportações geram entrada de divisas para o país exportador e saída de divisas

Leia mais

RESOLUCAO N. 003568. Dispõe sobre o mercado de câmbio e dá outras providências.

RESOLUCAO N. 003568. Dispõe sobre o mercado de câmbio e dá outras providências. RESOLUCAO N. 003568 RESOLUCAO 3.568 --------------- Dispõe sobre o mercado de câmbio e dá outras providências. O BANCO CENTRAL DO BRASIL, na forma do art. 9º da Lei nº 4.595, de 31 de dezembro de 1964,

Leia mais

As exportações de bens podem ocorrer, basicamente, de duas formas: direta ou indiretamente.

As exportações de bens podem ocorrer, basicamente, de duas formas: direta ou indiretamente. Capitulo 10: Tipos de exportação As exportações de bens podem ocorrer, basicamente, de duas formas: direta ou indiretamente. Diretamente: quando o exportador fatura e remete o produto ao importador, mesmo

Leia mais

Produto BNDES Exim Pós-embarque Normas Operacionais. Linha de Financiamento BNDES Exim Automático

Produto BNDES Exim Pós-embarque Normas Operacionais. Linha de Financiamento BNDES Exim Automático Produto BNDES Exim Pós-embarque Normas Operacionais Linha de Financiamento BNDES Exim Automático Capítulo I - REGULAMENTO 1. OBJETIVO Apoiar, na fase pós-embarque, a comercialização, no exterior, de bens

Leia mais

Introdução. Capitais Internacionais

Introdução. Capitais Internacionais Capitais Internacionais e Mercado de Câmbio no Brasil Atualizado em novembro de 2010 1 Introdução O tratamento aplicável aos fluxos de capitais e às operações de câmbio acompanhou as conjunturas econômicas

Leia mais

7. Mercado Financeiro

7. Mercado Financeiro 7. Mercado Financeiro 7. Mercado Financeiro Mercado Financeiro O processo onde os recursos excedentes da economia (poupança) são direcionados para o financiamento de empresas (tomadores de crédito). Investidor

Leia mais

REGULAMENTO DO MERCADO DE CÂMBIO E CAPITAIS INTERNACIONAIS TÍTULO : 1 - Mercado de Câmbio CAPÍTULO : 1 - Disposições Gerais

REGULAMENTO DO MERCADO DE CÂMBIO E CAPITAIS INTERNACIONAIS TÍTULO : 1 - Mercado de Câmbio CAPÍTULO : 1 - Disposições Gerais 1 1. O presente título trata das disposições normativas e dos procedimentos relativos ao mercado de câmbio, de acordo com a Resolução n 3.568, de 29.05.2008. 2. As disposições deste título aplicam-se às

Leia mais

Circular nº 3.234 de 15.04.2004

Circular nº 3.234 de 15.04.2004 BANCO CENTRAL DO BRASIL Circular nº 3.234 de 15.04.2004 Altera a regulamentação cambial para prever a assinatura digital em contratos de câmbio por meio da utilização de certificados digitais emitidos

Leia mais

Escola Secundária de Paços de Ferreira. Curso Profissional Técnicas de Secretariado. Ano Lectivo: 2009/10. Disciplina: Técnicas de Secretariado

Escola Secundária de Paços de Ferreira. Curso Profissional Técnicas de Secretariado. Ano Lectivo: 2009/10. Disciplina: Técnicas de Secretariado Ano Lectivo: 2009/10 Disciplina: Técnicas de Secretariado Professora: Adelina Silva Novembro de 2009 Trabalho realizado por: Sara Gonçalves n.º16 12ºS Financiamento á Exportação O produto baseia-se na

Leia mais

A NOVA REGULAMENTAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS

A NOVA REGULAMENTAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS REVISTA JURÍDICA CONSULEX ONLINE Conjuntura Walter Douglas Stuber WALTER DOUGLAS STUBER é sócio do escritório Stuber Advogados Associados, especializado em Direito Bancário, Mercado de Capitais e Negociações

Leia mais

www.cursosolon.com.br SISTEMA FINANCEIRO Mercado Cambial

www.cursosolon.com.br SISTEMA FINANCEIRO Mercado Cambial SISTEMA FINANCEIRO Mercado Cambial MERCADO DE CÂMBIO CONCEITO É o mercado que reúne compradores e vendedores de moedas estrangeiras, sob supervisão do Banco Central. Os compradores e vendedores são normalmente

Leia mais

(ECT/2011) Considerando as diferentes modalidades de pagamento previstas na legislação Brasileira, julgue os itens seguintes.

(ECT/2011) Considerando as diferentes modalidades de pagamento previstas na legislação Brasileira, julgue os itens seguintes. FORMAS DE PAGAMENTO E SEGUROS (ECT/2011) Considerando as diferentes modalidades de pagamento previstas na legislação Brasileira, julgue os itens seguintes. 1. Na modalidade denominada carta de crédito,

Leia mais

Roteiro Básico para Exportação

Roteiro Básico para Exportação Roteiro Básico para Exportação As empresas interessadas em efetuar exportações deverão, em primeiro lugar, inscrever-se no RADAR, que corresponde ao Registro de Exportadores e Importadores da Inspetoria

Leia mais

Módulo 11 Corretora de Seguros

Módulo 11 Corretora de Seguros Módulo 11 Corretora de Seguros São pessoas físicas ou jurídicas, que se dedicam a angariar e promover contratos entre as Sociedades Seguradoras e seus clientes. A habilitação e o registro do corretor se

Leia mais

Introdução. Capitais Internacionais

Introdução. Capitais Internacionais Capitais Internacionais e Mercado de Câmbio no Brasil Atualizado em fevereiro de 2009 1 Introdução O tratamento aplicável aos fluxos de capitais e às operações de câmbio acompanhou as conjunturas econômicas

Leia mais

REGULAMENTO DO MERCADO DE CÂMBIO E CAPITAIS INTERNACIONAIS TÍTULO : 1 - Mercado de Câmbio CAPÍTULO : 12 - Importação SEÇÃO : 1 - Disposições Gerais

REGULAMENTO DO MERCADO DE CÂMBIO E CAPITAIS INTERNACIONAIS TÍTULO : 1 - Mercado de Câmbio CAPÍTULO : 12 - Importação SEÇÃO : 1 - Disposições Gerais SEÇÃO : 1 - Disposições Gerais 1. Este capítulo dispõe sobre: a) o pagamento de importações brasileiras a prazo de até 360 dias; b) a multa de que trata a Lei n 10.755, de 03.11.2003, tratada na seção

Leia mais

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS: - - - - - - MERCADO DE CÂMBIO

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS: - - - - - - MERCADO DE CÂMBIO CONHECIMENTOS BANCÁRIOS: - - - - - - MERCADO DE CÂMBIO Prof.Nelson Guerra Ano 2012 www.concursocec.com.br CONCEITO É o mercado que reúne compradores e vendedores de moedas estrangeiras, sob supervisão

Leia mais

9.4. Benefícios creditícios

9.4. Benefícios creditícios 9.4. Benefícios creditícios CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio Exterior FONTES: FORTUNA, Eduardo. Mercado Financeiro Produtos e Serviços. Rio de Janeiro: Qualitymark, 1996. VAZQUEZ, José Lopes.

Leia mais

Produtos e Serviços. Convênio. Banco do Brasil S.A. e ABIMAQ

Produtos e Serviços. Convênio. Banco do Brasil S.A. e ABIMAQ Produtos e Serviços Convênio Banco do Brasil S.A. e ABIMAQ 2 Prezadas Associadas, As informações aqui tratadas foram disponibilizadas pelo Banco do Brasil e orientam sua empresa como obter os benefícios

Leia mais

Financiamento á exportação

Financiamento á exportação Financiamento á exportação Crédito seguro/pagamento Garantido É um meio de pagamento internacional que consiste na emissão de uma carta de crédito na qual o Banco Emitente se compromete a pagar, aceitar

Leia mais

Circular nº 3.291, de 08 de setembro de 2005 1

Circular nº 3.291, de 08 de setembro de 2005 1 CIRCULAR Nº 3.291 Altera o Regulamento do Mercado de Câmbio e Capitais Internacionais - RMCCI. A Diretoria Colegiada do BANCO CENTRAL DO BRASIL, em sessão realizada em 1º de setembro de 2005, com base

Leia mais

1. O Regulamento do Mercado de Câmbio e Capitais Internacionais - RMCCI foi instituído pela Circular 3.280, de 09.03.2005, com os seguintes títulos:

1. O Regulamento do Mercado de Câmbio e Capitais Internacionais - RMCCI foi instituído pela Circular 3.280, de 09.03.2005, com os seguintes títulos: Introdução 1. O Regulamento do Mercado de Câmbio e Capitais Internacionais - RMCCI foi instituído pela, com os seguintes títulos: a) título 1 - Mercado de Câmbio: abrange as operações de compra e de venda

Leia mais

REGULAMENTO DO MERCADO DE CÂMBIO E CAPITAIS INTERNACIONAIS TÍTULO : 1 - Mercado de Câmbio ANEXO : 1 - Modelo de contrato de câmbio de compra tipo 1

REGULAMENTO DO MERCADO DE CÂMBIO E CAPITAIS INTERNACIONAIS TÍTULO : 1 - Mercado de Câmbio ANEXO : 1 - Modelo de contrato de câmbio de compra tipo 1 ANEXO : 1 - Modelo de contrato de câmbio de compra tipo 1 CONTRATO DE CÂMBIO DE COMPRA - TIPO 01 EXPORTAÇAO NR. / DE / / FL. NR. 01 AS PARTES A SEGUIR DENOMINADAS, RESPECTIVAMENTE, COMPRADOR E VENDEDOR,

Leia mais

CIRCULAR N 2.971. Documento normativo revogado pela Circular nº 3.280, de 9/3/2005. Art. 1º Regulamentar os seguintes normativos:

CIRCULAR N 2.971. Documento normativo revogado pela Circular nº 3.280, de 9/3/2005. Art. 1º Regulamentar os seguintes normativos: CIRCULAR N 2.971 Documento normativo revogado pela Circular nº 3.280, de 9/3/2005. Regulamenta as Resoluções nº 2.644, de 1999, nº 2.694 e nº 2.695, ambas de 2000, e divulga o Regulamento sobre Contas

Leia mais

BANCO DO BRASIL ESCRITURÁRIO

BANCO DO BRASIL ESCRITURÁRIO BANCO DO BRASIL ESCRITURÁRIO CONHECIMENTOS BANCÁRIOS 1. O Sistema Financeiro Nacional (SFN) é constituído por todas as instituições financeiras públicas ou privadas existentes no país e seu órgão normativo

Leia mais

Financiamentos ao Comércio Exterior e Apoio aos Negócios Internacionais

Financiamentos ao Comércio Exterior e Apoio aos Negócios Internacionais Financiamentos ao Comércio Exterior e Apoio aos Negócios Internacionais Diretoria de Negócios Internacionais Setembro/2013 Banco do Brasil. Do Brasil para o mundo. Do mundo para o Brasil O Banco do Comércio

Leia mais

Produto BNDES Exim Pós-embarque Normas Operacionais. Linha de Financiamento BNDES Exim Automático

Produto BNDES Exim Pós-embarque Normas Operacionais. Linha de Financiamento BNDES Exim Automático Produto BNDES Exim Pós-embarque Normas Operacionais Classificação: Ostensivo Linha de Financiamento BNDES Exim Automático Capítulo I - REGULAMENTO 1. OBJETIVO Apoiar, na fase pós-embarque, a comercialização,

Leia mais

CIRCULAR Nº 3.376. Altera o Regulamento do Mercado de Câmbio e Capitais Internacionais (RMCCI).

CIRCULAR Nº 3.376. Altera o Regulamento do Mercado de Câmbio e Capitais Internacionais (RMCCI). CIRCULAR Nº 3.376 Altera o Regulamento do Mercado de Câmbio e Capitais Internacionais (RMCCI). A Diretoria Colegiada do Banco Central do Brasil, em sessão realizada em 7 de fevereiro de 2008, com base

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Item 3.5.3 - Mercado de Câmbio

Conhecimentos Bancários. Item 3.5.3 - Mercado de Câmbio Conhecimentos Bancários Item 3.5.3 - Mercado de Câmbio Conhecimentos Bancários Item 3.5.3 - Mercado de Câmbio Câmbio TROCA Conhecimentos Bancários Item 3.5.3 - Mercado de Câmbio Câmbio TROCA Moedas Estrangeiras

Leia mais

CIRCULAR Nº 3.607, DE 3 DE AGOSTO DE 2012

CIRCULAR Nº 3.607, DE 3 DE AGOSTO DE 2012 CIRCULAR Nº 3.607, DE 3 DE AGOSTO DE 2012 Altera o Regulamento do Mercado de Câmbio e Capitais Internacionais (RMCCI). A Diretoria Colegiada do Banco Central do Brasil, em sessão realizada em 1º de agosto

Leia mais

d) participação em competições esportivas, incluídos gastos com treinamento;

d) participação em competições esportivas, incluídos gastos com treinamento; CAPÍTULO : 10 - Viagens Internacionais, Cartões de Uso Internacional e Transferências Postais SEÇÃO : 1 - Viagens Internacionais 1. Esta seção trata das compras e das vendas de moeda estrangeira, inclusive

Leia mais

CIRCULAR Nº 3.691, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2013

CIRCULAR Nº 3.691, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2013 CIRCULAR Nº 3.691, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2013 Regulamenta a Resolução nº 3.568, de 29 de maio de 2008, que dispõe sobre o mercado de câmbio e dá outras providências. A Diretoria Colegiada do Banco Central

Leia mais

REGULAMENTO DO MERCADO DE CÂMBIO E CAPITAIS INTERNACIONAIS : 1 - Mercado de Câmbio : 1 - Modelo de contrato de câmbio celebrado com clientes (NR)

REGULAMENTO DO MERCADO DE CÂMBIO E CAPITAIS INTERNACIONAIS : 1 - Mercado de Câmbio : 1 - Modelo de contrato de câmbio celebrado com clientes (NR) TÍTULO ANEXO : 1 - Mercado de Câmbio : 1 - Modelo de contrato de câmbio celebrado com clientes (NR) Tipo do contrato de câmbio [ ] compra [ ] venda Evento [ ] contratação [ ] cancelamento [ ] alteração

Leia mais

Exterior. São Paulo: Atlas, 2009.

Exterior. São Paulo: Atlas, 2009. MODALIDADES DE PAGAMENTOS CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio Exterior FONTES: FORTUNA, Eduardo. Mercado Financeiro Produtos e Serviços. Rio de Janeiro: Qualitymark, 1996. MAIA, Jayme de Mariz. Economia

Leia mais

2. COMO IMPORTAR 1 PLANEJAMENTO 2 CONTATOS COM POTENCIAIS FORNECEDORES 3 IDENTIFICAR NCM, TRATAMENTO ADMINISTRATIVO E TRIBUTÁRIO.

2. COMO IMPORTAR 1 PLANEJAMENTO 2 CONTATOS COM POTENCIAIS FORNECEDORES 3 IDENTIFICAR NCM, TRATAMENTO ADMINISTRATIVO E TRIBUTÁRIO. 1 2 2. COMO IMPORTAR 2.1. FLUXOGRAMA DE IMPORTAÇÃO 1 PLANEJAMENTO A fase de planejamento das importações é geralmente parte integrante do planejamento geral da empresa para atender sua necessidade de máquinas,

Leia mais

MERCADO DE CÂMBIO HEDGE PARA IMPORTAÇÕES PROTEÇÃO CONTRA VOLATILIDADE CAMBIAL.

MERCADO DE CÂMBIO HEDGE PARA IMPORTAÇÕES PROTEÇÃO CONTRA VOLATILIDADE CAMBIAL. MERCADO DE CÂMBIO HEDGE PARA IMPORTAÇÕES PROTEÇÃO CONTRA VOLATILIDADE CAMBIAL. 1. Valdir Alcântara de Souza Junior. 2. Anderson Mateus Batista de Rezende. Introdução. As empresas que fazem importações

Leia mais

CIRCULAR Nº 3.650, DE 18 DE MARÇO DE 2013

CIRCULAR Nº 3.650, DE 18 DE MARÇO DE 2013 CIRCULAR Nº 3.650, DE 18 DE MARÇO DE 2013 Documento normativo revogado, a partir de 3/2/2014, pela Circular nº 3.691, de 16/12/2013. Altera o Regulamento do Mercado de Câmbio e Capitais Internacionais

Leia mais

CARTA-CIRCULAR Nº 2797

CARTA-CIRCULAR Nº 2797 CARTA-CIRCULAR Nº 2797 Documento normativo revogado pela Circular 3.280, de 09/03/2005. Divulga as alterações decorrentes da edição da Circular no 2.819, de 29.04.98, e procede a ajustes operacionais nos

Leia mais

Financiamento e Garantia às Exportações Um guia rápido aos exportadores brasileiros

Financiamento e Garantia às Exportações Um guia rápido aos exportadores brasileiros 2015 Financiamento e Garantia às Exportações Um guia rápido aos exportadores brasileiros Sumário Introdução... 2 O Programa PROEX... 2 PROEX Financiamento... 3 Mais Alimentos Internacional... 4 PROEX Equalização...

Leia mais

AQUILES VIEIRA. Teoria e Prática Cambial. Exportação e importação. 2ª edição. Editora Lex

AQUILES VIEIRA. Teoria e Prática Cambial. Exportação e importação. 2ª edição. Editora Lex AQUILES VIEIRA Teoria e Prática Cambial Exportação e importação 2ª edição Editora Lex São Paulo 2005 Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil) Vieira,

Leia mais

CIRCULAR Nº 2735. Art. 1º Promover as seguintes alterações no regulamento do Mercado de Câmbio de Taxas Flutuantes:

CIRCULAR Nº 2735. Art. 1º Promover as seguintes alterações no regulamento do Mercado de Câmbio de Taxas Flutuantes: CIRCULAR Nº 2735 Mercado de Câmbio de Taxas Flutuantes Alteração nº 45 - Cartões de Crédito Internacionais e Vendas de Moeda Estrangeira A Diretoria do Banco Central do Brasil, em sessão realizada em 08.01.97,

Leia mais

28/12/11 Luiz Roberto Missagia. 28/12/11 Luiz Roberto Missagia. 28/12/11 Luiz Roberto Missagia. 28/12/11 Luiz Roberto Missagia

28/12/11 Luiz Roberto Missagia. 28/12/11 Luiz Roberto Missagia. 28/12/11 Luiz Roberto Missagia. 28/12/11 Luiz Roberto Missagia Formas de Pagamento no Comércio Internacional 1 Pagamentos Internacionais Em geral, a transação se dá em moeda estrangeira (ex: dólar, euro, libra, iene) Importador brasileiro pagará em reais Exportador

Leia mais

Comércio Exterior no Brasil

Comércio Exterior no Brasil Comércio Exterior no Brasil Comércio Exterior Fluxograma para empresa brasileira exportar Fonte: Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, http://www.mdic.gov.br/sistemas_web/aprendex/default/index/conteudo/id/235

Leia mais

A sistemática dos financiamentos sujeitos à TJ-462 será a mesma vigente para a TJLP, inclusive no que se refere à:

A sistemática dos financiamentos sujeitos à TJ-462 será a mesma vigente para a TJLP, inclusive no que se refere à: Capítulo II CONDIÇÕES GERAIS 1. SISTEMÁTICA DE CÁLCULO DOS JUROS. Os juros, aí considerados o Custo Financeiro, a Remuneração do BNDES e a Remuneração do Agente Financeiro, serão calculados sobre o saldo

Leia mais

CIRCULAR Nº 1.534. 3. Esta Circular entra em vigor na data de sua publicação.

CIRCULAR Nº 1.534. 3. Esta Circular entra em vigor na data de sua publicação. 1 CIRCULAR Nº 1.534 Mercado de Câmbio de Taxas Flutuantes - Atualização nº 4 Comunicamos que a Diretoria do Banco Central do Brasil, em sessão de 05.09.89, e tendo em vista o disposto na Resolução nº 1.552,

Leia mais

Circular nº 3.273 de 13.01.2005

Circular nº 3.273 de 13.01.2005 BANCO CENTRAL DO BRASIL Circular nº 3.273 de 13.01.2005 Divulga alterações no Regulamento sobre Contrato de Câmbio e Classificação de Operações do Mercado de Câmbio de Taxas Livres e o Regulamento do Mercado

Leia mais

Consolidação das Normas Cambiais (CNC)

Consolidação das Normas Cambiais (CNC) Consolidação das Normas Cambiais (CNC) (vigente até 13 de março de 2005) Histórico de alterações dos capítulos da extinta CNC que constituíam regulamentos... página 2 Última versão dos capítulos da extinta

Leia mais

II - operação de crédito com vínculo a exportação (securitização de exportações); e

II - operação de crédito com vínculo a exportação (securitização de exportações); e CIRCULAR 3.027/01 PROGRAMA NACIONAL DE DESBUROCRATIZAÇÃO - Institui e regulamenta o Registro Declaratório Eletrônico (RDE) de empréstimos entre residentes ou domiciliados no País e residentes ou domiciliados

Leia mais

REGULAMENTO DO MERCADO DE CÂMBIO E CAPITAIS INTERNACIONAIS - RMCCI. Atualização RMCCI 62, em vigor de 24.10.2013 a 2.2.2014 Circular 3.672.

REGULAMENTO DO MERCADO DE CÂMBIO E CAPITAIS INTERNACIONAIS - RMCCI. Atualização RMCCI 62, em vigor de 24.10.2013 a 2.2.2014 Circular 3.672. REGULAMENTO DO MERCADO DE CÂMBIO E CAPITAIS INTERNACIONAIS - RMCCI Atualização RMCCI 62, em vigor de 24.10.2013 a 2.2.2014 Circular 3.672. Introdução 1. O Regulamento do Mercado de Câmbio e Capitais Internacionais

Leia mais

OPERAÇÕES FINANCEIRAS DE CURTO PRAZO - PARTE II

OPERAÇÕES FINANCEIRAS DE CURTO PRAZO - PARTE II OPERAÇÕES FINANCEIRAS DE CURTO PRAZO - PARTE II COMO FUNCIONAM AS OPERAÇÕES EM MOEDA NACIONAL COM JUROS PÓS FIXADOS EM CDI? COMO FUNCIONAM AS OPERAÇÕES EM MOEDA ESTRANGEIRA? O QUE SÃO OPERAÇÕES DE ACC

Leia mais

IMPORTAÇÃO FÁCIL: CÂMBIO PASSO A PASSO SAIBA COMO SER UM IMPORTADOR

IMPORTAÇÃO FÁCIL: CÂMBIO PASSO A PASSO SAIBA COMO SER UM IMPORTADOR IMPORTAÇÃO FÁCIL: CÂMBIO PASSO A PASSO SAIBA COMO SER UM IMPORTADOR 1º Passo: Registro da empresa Atualizar o objeto social da empresa incluindo a atividade de importação e os tipos de produtos que serão

Leia mais

COMÉRCIO INTERNACIONAL

COMÉRCIO INTERNACIONAL COMÉRCIO INTERNACIONAL 01. Sobre regimes aduaneiros, marque a opção incorreta: a) Regimes Aduaneiros Atípicos são criados para atender a determinadas situações econômicas peculiares, de pólos regionais

Leia mais

ERRATA CONHECIMENTOS BANCÁRIOS. Brasília E2-AC138 12/6/2008

ERRATA CONHECIMENTOS BANCÁRIOS. Brasília E2-AC138 12/6/2008 ERRATA E2-AC138 12/6/2008 CONHECIMENTOS BANCÁRIOS Brasília 2008 2008 Vestcon Editora Ltda. Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº 9.610, de 19/2/1998. Proibida a

Leia mais

SERVIÇOS PERIODICIDADE VALOR (R$) VIGÊNCIA Cadastro 1.000,00 01/04/2014

SERVIÇOS PERIODICIDADE VALOR (R$) VIGÊNCIA Cadastro 1.000,00 01/04/2014 SERVIÇOS PERIODICIDADE VALOR (R$) VIGÊNCIA Cadastro Confecção de Ficha Cadastral 1.000,00 01/04/2014 Renovação de Ficha Cadastral 1.000,00 01/04/2014 Consultas a Serviços de Proteção ao Crédito 20,00 14/02/2011

Leia mais

CIRCULAR Nº 3.605, DE 29 DE JUNHO DE 2012

CIRCULAR Nº 3.605, DE 29 DE JUNHO DE 2012 CIRCULAR Nº 3.605, DE 29 DE JUNHO DE 2012 Documento normativo revogado, a partir de 3/2/2014, pela Circular nº 3.691, de 16/12/2013. Altera o Regulamento do Mercado de Câmbio e Capitais Internacionais

Leia mais

Escola Secundária de Paços de Ferreira 12º Ano do Curso Técnicas de Secretariado 2009/2010. Formas de Pagamento no comércio Internacional

Escola Secundária de Paços de Ferreira 12º Ano do Curso Técnicas de Secretariado 2009/2010. Formas de Pagamento no comércio Internacional Formas de Pagamento no comércio Internacional Formas de Pagamento Tanto o exportador como o importador devem evitar os riscos de natureza comercial a que estão sujeitas as transacções internacionais. Ao

Leia mais

PROGRAMA BNDES-EXIM PÓS-EMBARQUE PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS

PROGRAMA BNDES-EXIM PÓS-EMBARQUE PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS PROGRAMA BNDES-EXIM PÓS-EMBARQUE PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS 1. PEDIDO DE REFINANCIAMENTO O pedido de refinanciamento deverá ser formalizado mediante Consulta Prévia (Anexo 2), que poderá ser apresentada

Leia mais

CIRCULAR Nº 3.390. Altera o Regulamento do Mercado de Câmbio e Capitais Internacionais (RMCCI).

CIRCULAR Nº 3.390. Altera o Regulamento do Mercado de Câmbio e Capitais Internacionais (RMCCI). CIRCULAR Nº 3.390 Altera o Regulamento do Mercado de Câmbio e Capitais Internacionais (RMCCI). A Diretoria Colegiada do BANCO CENTRAL DO BRASIL, em sessão realizada em 24 de junho de 2008, com base no

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Conhecimentos Bancários. Mercado Financeiro. Mercado Financeiro

Conhecimentos Bancários. Conhecimentos Bancários. Mercado Financeiro. Mercado Financeiro Conhecimentos Bancários Mercado Financeiro Órgãos normativo/fiscalizador Conselho Monetário Nacional Banco Central do Brasil Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional Conhecimentos Bancários

Leia mais

SISCOMEX, DOCUMENTOS e FORMAS DE PAGAMENTOS

SISCOMEX, DOCUMENTOS e FORMAS DE PAGAMENTOS CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO ESPÍRITO SANTO SISCOMEX, DOCUMENTOS e FORMAS DE PAGAMENTOS Prof.: Leonardo Ribeiro 1 Siscomex O Sistema Integrado de Comércio Exterior - SISCOMEX, é um instrumento

Leia mais

CARTA-CIRCULAR - N 1177

CARTA-CIRCULAR - N 1177 CARTA-CIRCULAR - N 1177 Documento normativo revogado pela Carta-Circular 2.823, de 13/11/1998. Em decorrência do disposto nas Resoluções n 83, de 03.01.68, e 613, de 08.05.80, nas Circulares n 180, de

Leia mais

Condições Gerais do Limite de Crédito para Empréstimo Mediante Consignação em Folha de Pagamento ou benefício do INSS

Condições Gerais do Limite de Crédito para Empréstimo Mediante Consignação em Folha de Pagamento ou benefício do INSS Condições Gerais do Limite de Crédito para Empréstimo Mediante Consignação em Folha de Pagamento ou benefício do INSS Estas são as condições gerais do Limite de Crédito para Empréstimo Mediante Consignação

Leia mais

Resolvem, na melhor forma de direito, celebrar o presente Contrato de Mútuo ( Contrato ), de acordo com os seguintes termos e condições:

Resolvem, na melhor forma de direito, celebrar o presente Contrato de Mútuo ( Contrato ), de acordo com os seguintes termos e condições: CONTRATO DE MÚTUO Prelo presente instrumento particular, [O Estudante, pessoa física proponente de empréstimo com determinadas características ( Proposta )], identificado e assinado no presente contrato

Leia mais

CIRCULAR Nº 3.454. Altera o Regulamento do Mercado de Câmbio e Capitais Internacionais (RMCCI).

CIRCULAR Nº 3.454. Altera o Regulamento do Mercado de Câmbio e Capitais Internacionais (RMCCI). CIRCULAR Nº 3.454 Altera o Regulamento do Mercado de Câmbio e Capitais Internacionais (RMCCI). A Diretoria Colegiada do Banco Central do Brasil, em sessão realizada em 12 de maio de 2009, com base no art.

Leia mais

Medidas de Simplificação na Área de Câmbio Controle cambial

Medidas de Simplificação na Área de Câmbio Controle cambial Medidas de Simplificação na Área de Câmbio Atualizado em janeiro de 2013 Medidas de Simplificação na Área de Câmbio A sensível melhora dos fundamentos da economia brasileira e a significativa redução da

Leia mais

Índice. 2 HABILITAÇÃO SISCOMEX... 7 2.1 - Habilitação de Responsável Legal e Certificado Digital... 7 2.2 - HABILITAÇÃO NO SISTEMA COMEXLABS...

Índice. 2 HABILITAÇÃO SISCOMEX... 7 2.1 - Habilitação de Responsável Legal e Certificado Digital... 7 2.2 - HABILITAÇÃO NO SISTEMA COMEXLABS... Índice 1 - DEFINIÇÕES... 3 1.1 Documentação no Comércio Exterior... 3 1.1.1 Fatura Comercial (Commercial Invoice):... 3 1.1.2 Lista de Embalagens (Packing List):... 3 1.1.3 - Certificado de Origem (C.O.):...

Leia mais

Cidadão Perguntas e Respostas

Cidadão Perguntas e Respostas Cidadão Perguntas e Respostas 1. INFORMAÇÕES GERAIS... 2 1.1 O QUE É O SCR?... 2 1.2 QUEM PODE CONSULTAR AS INFORMAÇÕES ARMAZENADAS?... 2 1.3 PARA QUE SERVEM OS DADOS?... 2 1.4 OUTROS PAÍSES TÊM SISTEMAS

Leia mais

PROGRAMA DE FINANCIAMENTO ÀS EXPORTAÇÕES: PROEX

PROGRAMA DE FINANCIAMENTO ÀS EXPORTAÇÕES: PROEX PROGRAMA DE FINANCIAMENTO ÀS EXPORTAÇÕES: PROEX PROEX FINANCIAMENTO FINALIDADE: Proporcionar e apoiar o exportador brasileiro na comercialização com o exterior de bens e serviços em condições de financiamento

Leia mais

4. O cadastramento a que se refere o item anterior deve ser efetuado concomitantemente à abertura da conta.

4. O cadastramento a que se refere o item anterior deve ser efetuado concomitantemente à abertura da conta. 1 SEÇÃO : 1 - Disposições Gerais 1. As pessoas físicas ou jurídicas, residentes, domiciliadas ou com sede no exterior, podem ser titulares de contas de depósito em moeda nacional no País, exclusivamente

Leia mais

Legislação e regulamentação cambial (principais alterações)

Legislação e regulamentação cambial (principais alterações) Legislação e regulamentação cambial (principais alterações) 1 Medidas cambiais adotadas nos últimos anos Representam importante passo no sentido de atualizar e adequar as regras de câmbio, em continuidade

Leia mais

CIRCULAR Nº 2792. a) pagos pela utilização de cartões de crédito emitidos no País; e. II - a apresentação mensal ao Banco Central do Brasil de:

CIRCULAR Nº 2792. a) pagos pela utilização de cartões de crédito emitidos no País; e. II - a apresentação mensal ao Banco Central do Brasil de: CIRCULAR Nº 2792 Documento normativo revogado pela Circular 3280, de 09/03/2005. Mercado de Câmbio de Taxas Flutuantes Alteração nº 48 - Cartões de Crédito Internacionais A Diretoria Colegiada do Banco

Leia mais

III - royalties, serviços técnicos e assemelhados, arrendamento mercantil operacional externo, aluguel e afretamento;

III - royalties, serviços técnicos e assemelhados, arrendamento mercantil operacional externo, aluguel e afretamento; RESOLUCAO 3.844 --------------- Dispõe sobre o capital estrangeiro no País e seu registro no Banco Central do Brasil, e dá outras providências. O Banco Central do Brasil, na forma do art. 9º da Lei nº

Leia mais

NOVAS REGRAS DE OPERAÇÕES CAMBIAIS IMPORTAÇÃO, EXPORTAÇÃO E REEXPORTAÇÃO DE MERCADORIAS

NOVAS REGRAS DE OPERAÇÕES CAMBIAIS IMPORTAÇÃO, EXPORTAÇÃO E REEXPORTAÇÃO DE MERCADORIAS NOVAS REGRAS DE OPERAÇÕES CAMBIAIS IMPORTAÇÃO, EXPORTAÇÃO E REEXPORTAÇÃO DE MERCADORIAS O Aviso n.º 19/2012, de 19.04., do Banco Nacional de Angola estabelece o novo regime para as operações cambiais referentes

Leia mais

GUIA PRÁTICO DE APOIO ÀS EXPORTAÇÕES

GUIA PRÁTICO DE APOIO ÀS EXPORTAÇÕES GUIA PRÁTICO DE APOIO ÀS EXPORTAÇÕES 1. Aspectos operacionais 1.1 Roteiro para exportação 1º Passo Efetuar o registro de exportador na Secretaria de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento,

Leia mais

AULA 19. Mercado de Câmbio II

AULA 19. Mercado de Câmbio II AULA 19 Mercado de Câmbio II Posição de Câmbio A posição de câmbio é representada pelo saldo das operações de câmbio (compra e venda de moeda estrangeira, de títulos e documentos que as representem e de

Leia mais

CIRCULAR Nº 2836. Estabelece sistemática de câmbio simplificado para as exportações brasileiras que especifica e dá outras providências.

CIRCULAR Nº 2836. Estabelece sistemática de câmbio simplificado para as exportações brasileiras que especifica e dá outras providências. CIRCULAR Nº 2836 Estabelece sistemática de câmbio simplificado para as exportações brasileiras que especifica e dá outras providências. A Diretoria Colegiada do Banco Central do Brasil, em sessão realizada

Leia mais

Instrumentos Financeiros de Apoio à Internacionalização

Instrumentos Financeiros de Apoio à Internacionalização Instrumentos Financeiros de Apoio à Internacionalização Castelo Branco, 04.10.2012 Elisabete Grosso Gabinete de Comércio Externo e Bancos Correspondentes (GCB) 1 Comércio Externo Agenda Principais instrumentos

Leia mais

CONTRATO PARA REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES NO MERCADO A TERMO

CONTRATO PARA REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES NO MERCADO A TERMO São partes neste instrumento: I CORRETORA: CONTRATO PARA REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES NO MERCADO A TERMO ALFA CORRETORA DE CÂMBIO E VALORES MOBILIÁRIOS S.A., com sede no Município de São Paulo, Estado de São

Leia mais

Produtos Bancários. Prof. Luiz Antonio de Carvalho

Produtos Bancários. Prof. Luiz Antonio de Carvalho Professor Luiz Antonio de Carvalho Produtos Bancários PRODUTOS E SERVIÇOS BANCÁRIOS A intermediação financeira é o principal produto de um banco, pois capta o dinheiro excedente e empresta a quem precisa.

Leia mais

Tabela de Tarifas - Pessoa Física

Tabela de Tarifas - Pessoa Física Tabela de Tarifas - Pessoa Física VIGÊNCIA A PARTIR DE 22/05/2014 SERVIÇOS PRIORITÁRIOS SERVIÇOS CANAIS E FORMAS DE ENTREGA TARIFA - R$ 1. CADASTRO 1.1. Confecção de cadastro para início de relacionamento

Leia mais

SÉTIMO TERMO DE ADITAMENTO AO CONTRATO DE CRÉDITO PESSOAL, COMO SEGUE:

SÉTIMO TERMO DE ADITAMENTO AO CONTRATO DE CRÉDITO PESSOAL, COMO SEGUE: CONDIÇÕES GERAIS CONTRATO DE CRÉDITO PESSOAL SÉTIMO TERMO DE ADITAMENTO AO CONTRATO DE CRÉDITO PESSOAL, COMO SEGUE: Partes - BANCO MERCANTIL DO BRASIL S.A., com sede na Rua Rio de Janeiro, nº 654, Centro,

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Item 2.1.5- LCI Letra de Crédito Imobiliário

Conhecimentos Bancários. Item 2.1.5- LCI Letra de Crédito Imobiliário Conhecimentos Bancários Item 2.1.5- LCI Letra de Crédito Imobiliário Conhecimentos Bancários Item 2.1.5- LCI Letra de Crédito Imobiliário Letra de Crédito Imobiliário (LCI) é um título de renda fixa emitido

Leia mais

Jorge Luís Brugnera 1 www.euaprovei.com jbrugnera@gmail.com

Jorge Luís Brugnera 1 www.euaprovei.com jbrugnera@gmail.com No Brasil, até 1988 as Taxas de Câmbio eram administradas e controladas pelo Bacen e o cidadão somente conseguia comprar até U$ 1.000,00 e acima disto dependia de autorização específica do Bacen. A partir

Leia mais

QUADRO COMPARATIVO 1 UNIFICAÇÃO DOS MERCADOS DE CÂMBIO

QUADRO COMPARATIVO 1 UNIFICAÇÃO DOS MERCADOS DE CÂMBIO 1 QUADRO COMPARATIVO 1 UNIFICAÇÃO DOS MERCADOS DE CÂMBIO Resolução 3.265, de 4 de março de 2005. (reunião do Mercado de Câmbio de Taxas Livres e do Mercado de Câmbio de Taxas Flutuantes e instituição de

Leia mais