I Seminário dos Grupos de Pesquisa da UNISC Ficha de Inscrição do Grupo de Pesquisa. Nome do Grupo: GPSEM Grupo de Projeto de Sistemas Embarcados e

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "I Seminário dos Grupos de Pesquisa da UNISC Ficha de Inscrição do Grupo de Pesquisa. Nome do Grupo: GPSEM Grupo de Projeto de Sistemas Embarcados e"

Transcrição

1 I Seminário dos Grupos de Pesquisa da UNISC Ficha de Inscrição do Grupo de Pesquisa Nome do Grupo: GPSEM Grupo de Projeto de Sistemas Embarcados e Microeletrônica Área: Sistemas de Computação Nome do Líder: Rafael R. Dos Santos e Rolf Fredi Molz Integrantes: Cristiano Bonato Both João Carlos Furtado Márcio Kreutz Tatiana G. S. Dos Santos Werner Haetinger Linhas de Pesquisa que o grupo desenvolve: Computação Reconfigurável, Comunicação de Dados, Microeletrônica, Robótica, Sistemas Embarcados Relação dos Projetos de pesquisa desenvolvidos pelo grupo nos últimos 3 anos: Agregados de Computadores Reconfiguráveis:Projeto ACR I Verificação e Validação de Open Source Hardware - Projeto VOSH Desenvolvimento de um Agente Móvel Autônomo para Exploração de Ambiente Comunicação Segura de Voz sobre Ip em Redes Wireless Laboratório Associado ao CEITEC Comunicação com Qualidade-de-Serviço em Sistemas Eletrônicos Integrados baseados em Redes-em-Chip Transformação Conforme Computacional e suas Aplicações O Método Enxame de Partículas na Otimização de Problemas Industriais Relação das publicações nos últimos 3 anos, (divulgando o resultado das

2 pesquisas do Grupo de Pesquisa): AGUIAR, A. C. P. ; KREUTZ, M. E. ; SANTOS, R. R. ; SANTOS, T. G. S.. Design Flow of a dedicated Computer Cluster Customized for a Distributed Genetic Algorithm Applications. In: IEEE 18th International Conference on Applicationspecific Systems, Architectures and Processors, 2007, Montreal, Canada. IEEE International Conference on Application-specific Systems, Architectures and Processors. Los Alamitos : IEEE, AGUIAR, A. C. P. ; KIST, Fabiano ; KREUTZ, M. E. ; FURTADO, J. C. ; SANTOS, R. R. ; SANTOS, T. G. S.. Síntese e Integração de um Agregado Reconfigurável Aplicado a um Algoritmo Genético Distribuído. In: XIII Workshop Iberchip, 2007, Lima. XIII Workshop Iberchip. Lima, Peru : IBERCHIP, v. 1. p AGUIAR, A. C. P. ; FREITAS, J. P. J. ; BOTH, C. B. ; KREUTZ, M. E. ; SANTOS, T. G. S.; SANTOS, R. R.. Implementação de Algoritmos Genéticos Paralelos Aplicados à Fármacos. In: XXVI Congresso da XXVI Congresso da Sociedade Brasileira de Computação, 2006, Campo Grande. Anais do V Workshop em Desempenho de Sistemas Computacionais e de Comunicação. Porto Alegre : SBC, PRADE, L. R. ; MOLZ, R. F.. Integração de um Dispositivo de Hardware Reconfigurável com a Plataforma J2EE. In: XI Seminário de Iniciação Científica e X Jornada de Ensino, Pesquisa e Extensão., 2006, Santa Cruz do Sul. Anais do XI Seminário de Iniciação Científica e X Jornada de Ensino, Pesquisa e Extensão.. Santa Cruz do Sul - RS : EDUNISC, v. 1. p BOTH, C. B. ; KUNST, R. ; Rochol, J. Acesso de Banda Larga Sem-Fio (WBA) e Redes Metropolitanas Sem-Fio (WMAN) baseados no padrão IEEE (WiMAX). In: Marcos Trentin. (Org.). Minicursos da IV Escola Regional de

3 Redes de Computadores. Passo Fundo: Universidade Federal de Passo Fundo, 2006, v., p HAETINGER, W.. Construção e utilização de um elevador desenvolvido com componentes de baixo custo como ferramenta de apoio ao ensino-aprendizado dos conceitos de programação. In: II Seminário Nacional de Tecnologia na Educação - SNTE'2005, 2005, Caxias do Sul. II Seminário Nacional de Tecnologia na Educação - SNTE'2005. Caxias do Sul : Universidade de Caxias do Sul, Responsável pela apresentação do trabalho do grupo (será facultado a apresentação de no máximo 03 docentes): Rafael R. Dos Santos Resumo com até 05 páginas sobre o trabalho que o Grupo vêm desenvolvendo, nos últimos três anos, destacando breve histórico do Grupo de Pesquisa, a temática central de reflexão e de investigação científica coletiva do Grupo de Pesquisa. O Grupo de Projeto de Sistemas Embarcados e Microeletrônica existe desde 2004 e tem desenvolvido pesquisa nas áreas de microeletrônica, sistemas embarcados, computação reconfigurável, robótica e comunicação de dados. Em 2005 participou ativamente do projeto do curso de Engenharia de Computação que tem foco nas áreas de microeletrônica e comunicação de dados. Desde então grande parte dos trabalhos de pesquisa tem sido direcionados para estas duas áreas consideradas estratégicas. No mesmo ano o grupo foi responsável pela coordenação geral da Escola de Microeletrônica e do 20o Simpósio Sul de Microeletrônica evento este promovido pela Sociedade Brasileira de Computação e Sociedade Brasileira de Microeletrônica com apoio do CEITEC, FINEP, FAPERGS, CNPq e Imply Tecnologia Eletrônica. Mais recentemente o grupo, em parceria com empresas do ramo, implementou o curso de Pos-graduação latu senso denominado Sistemas Digitais para Comunicação de Dados onde tem como

4 objetivo a formação de mão-de-obra qualificada para a indústria de equipamentos de telecomunicação que fazem uso de dispositivos de lógica programável. Dois dos seus integrantes fazem parte do corpo docente permanente do Programa de Pós-graduação strictu senso em Sistemas e Processos Industriais atuando nas áreas de Sistemas Embarcados e Processamento de Imagens. O grupo tem participado também da elaboracão da proposta para criacão da rede de Centros de Design Associados com o Centro de Excelência em Tecnologia Eletrônica Avancada (CEITEC). Abaixo segue uma descrição dos principais projetos desenvolvidos pelo grupo nos últimos anos: o Projeto ACR: Agregado de Computadores Reconfiguráveis podem ser definidos como um conjunto de processadores flexíveis e maleáveis que podem ser configurados para atender à demanda de uma aplicação em execução num certo instante. Ao contrário daqueles convencionais, de propósito geral, agregados reconfiguráveis podem ser manipulados para atender às necessidade pontuais e específicas. Um agregado de computadores reconfiguráveis compreende um conjunto de processadores reconfiguráveis interconectados através de um meio de transmissão de dados, com ou sem fio (wireless). A interconexão é necessária para permitir a comunicação dos nodos reconfiguráveis com o servidor ou entre si de modo a distribuir e/ou compartilhar informação e dados para a execução e complexão de uma única aplicação. Uma característica interessante de um agregado de processadores reconfiguraveis está no fato de que cada nodo pode ser configurado para operar eficientemente de acordo com a aplicação executada no momento. Um nodo reconfigurável não é projetado para executar aplicações com características diferentes em modo tipo time-sharing. Os nodos são configurados para executar uma aplicação por vez. Além disso, pelo fato de se aproximarem do hardware mínimo para executar a aplicação, tendem a consumir

5 menos energia e gerar menos calor. Com isso, é virtualmente possível se ter um agregado de computadores especializado para cada aplicação enquanto fisicamente tem-se na verdade um único conjunto de processadores. É possível ainda otimizar o processador de cada nodo de acordo com a aplicação em execução e mover para o hardware somente as funções básicas necessárias para executar cada parte da aplicação. Enquanto em um agregado convencional, não reconfigurável, a execução de qualquer parte da aplicação é feita por software e hardware, num agregado reconfigurável, partes da aplicação são executadas diretamente e somente em hardware. o Projeto VOSH: O projeto de processadores complexos requer muita habilidade do projetista para definir as estruturas mais eficientes para o correto funcionamento, mas ainda mais complexo do que esta tarefa é o processo de verificação desta funcionalidade. O problema de verificação de circuitos integrados é um processo que cresce em complexidade a cada nova geração. O aumento do número de transistores faz com que os projetistas tendam a adicionar funcionalidade, o que por sua vez contribui diretamente para o aumento da complexidade. o Projeto VoIPWiFi: A implementação de opções eficientes, econômicas e seguras para a comunicação sem fio justifica-se pela grande necessidade de comunicação encontrada atualmente na sociedade, a qual demanda principalmente, mobilidade e facilidade de uso. Este projeto vai de encontro a essas necessidades, através da implementação de um sistema eletrônico dedicado a comunicação em redes de dados sem fio, com o uso das tecnologias de internet e WIFI utilizando os conceitos de VoIP. Considerando-se a capacidade de conexão a partir de redes sem fio, o sistema proposto define ainda a implementação de mecanismos de autenticação e segurança. o Laboratório Associado do CEITEC: A UNISC e o Centro de Excelência em

6 Tecnologia Eletrônica Avançada (CEITEC) assinaram convênio de cooperação para criação do Laboratório Associado ao CEITEC na UNISC sob coordenação do Prof. Rafael R. dos Santos. O convênio prevê a validação e desenvolvimento de IPs (Intelectual Properties) pelo grupo GPSEM da UNISC para complementar o portfolio de IPs do CEITEC.

RELATÓRIO DE ANÁLISE Consulta Popular 2010 ORÇAMENTO 2011 PÓLO DE MODERNIZAÇÃO TECNOLÓGICA DO VALE DO RIO PARDO

RELATÓRIO DE ANÁLISE Consulta Popular 2010 ORÇAMENTO 2011 PÓLO DE MODERNIZAÇÃO TECNOLÓGICA DO VALE DO RIO PARDO RELATÓRIO DE ANÁLISE Consulta Popular 2010 ORÇAMENTO 2011 PÓLO DE MODERNIZAÇÃO TECNOLÓGICA DO VALE DO RIO PARDO Apresentação: Área de Abrangência: Alimentos, Meio Ambiente e Materiais Gestor: Adriana Hinz

Leia mais

Universidade de Santa Cruz do Sul Departamento de Informática

Universidade de Santa Cruz do Sul Departamento de Informática Universidade de Santa Cruz do Sul Departamento de Informática II Seminário dos Grupos de Pesquisa da UNISC Ficha de Inscrição do Grupo de Pesquisa Sistemas Computacionais de Apoio à Educação Santa Cruz

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR Edital nº 1, de 1 de março de

Leia mais

Projeto CONVERGE UFSM: Rede de Sensores-Atuadores para Controle de Acesso em Laboratórios Usando VoIP e Rede Sem Fio

Projeto CONVERGE UFSM: Rede de Sensores-Atuadores para Controle de Acesso em Laboratórios Usando VoIP e Rede Sem Fio : Rede de Sensores-Atuadores para Controle de Acesso em Laboratórios Usando VoIP e Rede Sem Fio Cristiano Cortez da Rocha, Matheus Anversa Viera, Rodolfo Leffa de Oliveira, Benhur de Oliveira Stein, Iara

Leia mais

Grade Curricular - Engenharia de Computação

Grade Curricular - Engenharia de Computação Grade Curricular - Engenharia de Computação SEMESTRE 1 - Obrigatórias FCM0101 Física I 6 0 6 FFI0180 Laboratório de Física Geral I 2 0 2 SAP0678 Desenho 2 0 2 SAP0679 Humanidades e Ciências Sociais 2 0

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 75/2010 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Engenharia de do Centro

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PERFIL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PERFIL PERFIL 3001 - Válido para os alunos ingressos a partir de 2002.1 Disciplinas Obrigatórias Ciclo Geral Prát IF668 Introdução à Computação 1 2 2 45 MA530 Cálculo para Computação 5 0 5 75 MA531 Álgebra Vetorial

Leia mais

Projeto Pedagógico do Bacharelado em Ciência da Computação. Comissão de Curso e NDE do BCC

Projeto Pedagógico do Bacharelado em Ciência da Computação. Comissão de Curso e NDE do BCC Projeto Pedagógico do Bacharelado em Ciência da Computação Comissão de Curso e NDE do BCC Fevereiro de 2015 Situação Legal do Curso Criação: Resolução CONSU no. 43, de 04/07/2007. Autorização: Portaria

Leia mais

Convergência tecnológica em sistemas de informação

Convergência tecnológica em sistemas de informação OUT. NOV. DEZ. l 2006 l ANO XII, Nº 47 l 333-338 INTEGRAÇÃO 333 Convergência tecnológica em sistemas de informação ANA PAULA GONÇALVES SERRA* Resumo l Atualmente vivemos em uma sociedade na qual o foco

Leia mais

BlackBerry Mobile Voice System

BlackBerry Mobile Voice System BlackBerry Mobile Voice System BlackBerry Mobile Voice System Comunicações móveis unificadas O Mobile Voice System ( MVS) foi projetado para unificar os recursos do telefone fixo aos smartphones e às redes

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES MEMÓRIAS DE AULA AULA 1 APRESENTAÇÃO DO CURSO, HISTÓRIA, EQUIPAMENTOS E TIPOS DE REDES Prof. José Wagner Bungart CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Definição de Redes de Computadores e Conceitos

Leia mais

Introdução à Computação Móvel. Carlos Maurício Seródio Figueiredo

Introdução à Computação Móvel. Carlos Maurício Seródio Figueiredo Introdução à Computação Móvel Carlos Maurício Seródio Figueiredo Sumário Visão da Computação Móvel Oportunidades de Pesquisa Alguns Interesses de Pesquisas Futuras Visão da Computação Móvel O que é Computação

Leia mais

INF-111 Redes Sem Fio Aula 01 Introdução Prof. João Henrique Kleinschmidt

INF-111 Redes Sem Fio Aula 01 Introdução Prof. João Henrique Kleinschmidt INF-111 Redes Sem Fio Aula 01 Introdução Prof. João Henrique Kleinschmidt Santo André, setembro de 2014 Roteiro PARTE I Apresentação da Disciplina PARTE II Introdução à Redes Sem Fio Apresentação do Professor

Leia mais

Política de Utilização da Rede Sem Fio (Wireless)

Política de Utilização da Rede Sem Fio (Wireless) Política de Utilização da Rede Sem Fio (Wireless) Apucarana, 01 de fevereiro de 2011. Objetivos A política de utilização da rede wireless tem como objetivo estabelecer regras e normas de utilização e ao

Leia mais

Computação Portátil. Profa. Késsia Marchi

Computação Portátil. Profa. Késsia Marchi Computação Portátil Profa. Késsia Marchi Evolução Tecnologia de Informação + Tecnologia de Comunicação; a partir de conexão com internet ou via celular. Pagamentos de contas, Compras, Reservas, etc. Pesquisas,

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES Eriko Carlo Maia Porto UNESA Universidade Estácio de Sá eriko_porto@uol.com.br Última revisão Julho/2003 REDES DE COMPUTADORES INTRODUÇÃO EVOLUÇÃO DOS SISTEMAS DE COMPUTAÇÃO Década de 50 introdução dos

Leia mais

Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid)

Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid) Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid) Sistemas Distribuídos Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA REDES DE COMPUTADORES

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA REDES DE COMPUTADORES CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA REDES DE COMPUTADORES OBJETIVOS Este curso visa à formação de profissionais para atuarem como empreendedores, analistas ou consultores no mercado de infraestrutura e segurança

Leia mais

Introdução à Computação: Sistemas de Computação

Introdução à Computação: Sistemas de Computação Introdução à Computação: Sistemas de Computação Beatriz F. M. Souza (bfmartins@inf.ufes.br) http://inf.ufes.br/~bfmartins/ Computer Science Department Federal University of Espírito Santo (Ufes), Vitória,

Leia mais

Características Básicas de Sistemas Distribuídos

Características Básicas de Sistemas Distribuídos Motivação Crescente dependência dos usuários aos sistemas: necessidade de partilhar dados e recursos entre utilizadores; porque os recursos estão naturalmente em máquinas diferentes. Demanda computacional

Leia mais

ANÁLISE DE REDES HIERÁRQUICAS PARA ATENDIMENTO DE LOCAIS REMOTOS

ANÁLISE DE REDES HIERÁRQUICAS PARA ATENDIMENTO DE LOCAIS REMOTOS ANÁLISE DE REDES HIERÁRQUICAS PARA ATENDIMENTO DE LOCAIS REMOTOS Fabiana da Silva Podeleski Faculdade de Engenharia Elétrica CEATEC podeleski@yahoo.com.br Prof. Dr. Omar Carvalho Branquinho Grupo de Pesquisa

Leia mais

UNIESP Ribeirão Preto Curso de Sistemas de Informação

UNIESP Ribeirão Preto Curso de Sistemas de Informação UNIESP Ribeirão Preto Curso de Sistemas de Informação Áreas Temáticas para Trabalho de Conclusão de Curso ( o estudante poderá optar por uma das áreas temáticas sugeridas ou ainda optar por área não contemplada

Leia mais

1 Introdução 1.1. Segurança em Redes de Computadores

1 Introdução 1.1. Segurança em Redes de Computadores 1 Introdução 1.1. Segurança em Redes de Computadores A crescente dependência das empresas e organizações modernas a sistemas computacionais interligados em redes e a Internet tornou a proteção adequada

Leia mais

REDE DE COMPUTADORES

REDE DE COMPUTADORES SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL REDE DE COMPUTADORES Tecnologias de Rede Arquitetura Padrão 802.11 Prof. Airton Ribeiro de Sousa E-mail: airton.ribeiros@gmail.com 1 Arquitetura Wireless Wi-Fi

Leia mais

RESULTADOS PRELIMINARES NO DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA PARA MAPEAMENTO REMOTO DE RADIAÇÃO

RESULTADOS PRELIMINARES NO DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA PARA MAPEAMENTO REMOTO DE RADIAÇÃO 2013 International Nuclear Atlantic Conference - INAC 2013 Recife, PE, Brazil, November 24-29, 2013 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA NUCLEAR - ABEN ISBN: 978-85-99141-05-2 RESULTADOS PRELIMINARES NO DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Java. para Dispositivos Móveis. Thienne M. Johnson. Novatec. Desenvolvendo Aplicações com J2ME

Java. para Dispositivos Móveis. Thienne M. Johnson. Novatec. Desenvolvendo Aplicações com J2ME Java para Dispositivos Móveis Desenvolvendo Aplicações com J2ME Thienne M. Johnson Novatec Capítulo 1 Introdução à computação móvel 1.1 Computação móvel definições Computação móvel está na moda. Operadoras

Leia mais

UFCG Universidade Federal de Campina Grande. A cooperação entre Universidades e Empresas estimulada pela Lei de Informática: Resultados

UFCG Universidade Federal de Campina Grande. A cooperação entre Universidades e Empresas estimulada pela Lei de Informática: Resultados UFCG Universidade Federal de Campina Grande A cooperação entre Universidades e Empresas estimulada pela Lei de Informática: Resultados Brasília, 03 de dezembro de 2003 Sumário Apresentação Estrutura Parceiros

Leia mais

Autor: Patrick Freitas Fures

Autor: Patrick Freitas Fures FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS TÉCNICO EM INFORMÁTICA Conectividade WIMAX Autor: Patrick Freitas Fures Relatório Técnico apresentado ao Profº. Nataniel Vieira com requisito parcial para obtenção

Leia mais

Reconhecimento de Dados Biométricos em Larga Escala

Reconhecimento de Dados Biométricos em Larga Escala Reconhecimento de Dados Biométricos em Larga Escala Profa. Fabíola Gonçalves Pereira Greve DCC - UFBA Departamento de Ciência da Computação Grupo de Algoritmos e Computação Distribuída http:// Equipe Profa.

Leia mais

BlackBerry Mobile Voice System

BlackBerry Mobile Voice System BlackBerry Mobile Voice System Comunicações móveis unificadas O BlackBerry Mobile Voice System (BlackBerry MVS) leva os recursos do telefone do escritório aos smartphones BlackBerry. Você pode trabalhar

Leia mais

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia.

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A EMPRESA A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A experiência da Future Technology nas diversas áreas de TI disponibiliza aos mercados público

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CTS DE REDES DE COMPUTADORES INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 68 A disciplina estuda a área da informática como um todo e os conceitos fundamentais, abrangendo desde a história e a evolução

Leia mais

TABELA DE EQUIVALÊNCIA FECOMP Curso de Engenharia de Computação

TABELA DE EQUIVALÊNCIA FECOMP Curso de Engenharia de Computação TABELA DE EQUIVALÊNCIA FECOMP Curso de Engenharia de Computação Disciplina A Disciplina B Código Disciplina C/H Curso Disciplina C/H Código Curso Ano do Currículo 66303 ESTRUTURA DE DADOS I 68/0 ENG. DE

Leia mais

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal:

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal: Redes - Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Comunicação sempre foi, desde o início dos tempos, uma necessidade humana buscando aproximar comunidades distantes.

Leia mais

Supercomputadores dominavam o mercado

Supercomputadores dominavam o mercado Clusters e Grids Introdução Supercomputadores dominavam o mercado Alto custo Requerem mão de obra muito especializada Desenvolvimento de microprocessadores poderosos a um baixo custo Desenvolvimento de

Leia mais

Série SV8000 UNIVERGE 360. UNIVERGE 360 - Unificando as Comunicações Empresariais

Série SV8000 UNIVERGE 360. UNIVERGE 360 - Unificando as Comunicações Empresariais Série SV8000 UNIVERGE 360 UNIVERGE 360 - Unificando as Comunicações Empresariais Tudo a ver com mudança E estar preparado para ela Com UNIVERGE360 você estabelece a direção. O ambiente de trabalho está

Leia mais

CONSTRUÇÃO DE VEÍCULO MECATRÔNICO COMANDADO REMOTAMENTE

CONSTRUÇÃO DE VEÍCULO MECATRÔNICO COMANDADO REMOTAMENTE CONSTRUÇÃO DE VEÍCULO MECATRÔNICO COMANDADO REMOTAMENTE Roland Yuri Schreiber 1 ; Tiago Andrade Camacho 2 ; Tiago Boechel 3 ; Vinicio Alexandre Bogo Nagel 4 INTRODUÇÃO Nos últimos anos, a área de Sistemas

Leia mais

Seminário de Lei de Informática. Francisco Siqueira de Sousa Gerente Comercial

Seminário de Lei de Informática. Francisco Siqueira de Sousa Gerente Comercial Seminário de Lei de Informática Francisco Siqueira de Sousa Gerente Comercial Conteúdo Introdução Casos de Sucesso IMPORTÂNCIA DA LEI Estabelece uma Política de Desenvolvimento Nacional; Estimula a inserção

Leia mais

Resultados da Lei de Informática PUC-Rio

Resultados da Lei de Informática PUC-Rio Resultados da Lei de Informática PUC-Rio Ricardo Choren choren@inf.puc-rio.br Ministério de Ciência e Tecnologia (MCT) Dezembro 2003 Linha do Tempo Projeto Vaticano Projeto Vaticano Ano: 1994 Coordenadora:

Leia mais

Aprovado no CONGRAD: 10.08.10 Vigência: ingressos a partir de 2011/1

Aprovado no CONGRAD: 10.08.10 Vigência: ingressos a partir de 2011/1 Aprovado no CONGRAD: 10.08.10 Vigência: ingressos a partir de 2011/1 CÓD. 207 - CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Noite - Currículo nº 06 CÓD. 2509 - CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Manhã e Noite - Currículo

Leia mais

ÁREA DISCIPLINAR DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PROGRAMAÇÃO. Tem sob a sua responsabilidade as seguintes unidades curriculares:

ÁREA DISCIPLINAR DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PROGRAMAÇÃO. Tem sob a sua responsabilidade as seguintes unidades curriculares: ÁREA DISCIPLINAR DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PROGRAMAÇÃO e Inteligência Artificial Aplicada a Jogos, com 6 Paradigmas de Programação I, com 9 Paradigmas de Programação II, com 9 Algoritmos e Estrutura de

Leia mais

Consumo de Energia e Mobile Cloud

Consumo de Energia e Mobile Cloud Consumo de Energia e Mobile Cloud Uma Visão Geral sobre os Tópicos Abertos Rafael Roque de Souza www.ime.usp.br/ rroque/ Disciplina: MAC 0463/5743 - Computação Móvel Prof. Dr. Alfredo Goldman vel Lejbman

Leia mais

INOVAÇÃO E VALOR ATRAVÉS DE NOVAS TECNOLOGIAS.

INOVAÇÃO E VALOR ATRAVÉS DE NOVAS TECNOLOGIAS. INOVAÇÃO E VALOR ATRAVÉS DE NOVAS TECNOLOGIAS. Apresentação Corporativa 1 QUEM SOMOS E ONDE ESTAMOS A Dominion é um grupo de empresas de tecnologia criado em 1999, com o principal objetivo de oferecer

Leia mais

Projetos I Resumo de TCC. Luiz Rogério Batista De Pieri Mat: 0413829 5

Projetos I Resumo de TCC. Luiz Rogério Batista De Pieri Mat: 0413829 5 Projetos I Resumo de TCC Luiz Rogério Batista De Pieri Mat: 0413829 5 MAD RSSF: Uma Infra estrutura de Monitoração Integrando Redes de Sensores Ad Hoc e uma Configuração de Cluster Computacional (Denise

Leia mais

Resumo. Introdução Cluster Cluster Beowulf Curiosidades Conclução

Resumo. Introdução Cluster Cluster Beowulf Curiosidades Conclução Cluster Resumo Introdução Cluster Cluster Beowulf Curiosidades Conclução Introdução Sua empresa esta precisando fazer um grande processamento; As Nuvens existentes não são suficientes para sua empresa;

Leia mais

2006 ESPECIALIZAÇÃO EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. 1. Justificativa. 2. Objetivos. 3. Formato do Curso. 4. Corpo Docente

2006 ESPECIALIZAÇÃO EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. 1. Justificativa. 2. Objetivos. 3. Formato do Curso. 4. Corpo Docente 2006 ESPECIALIZAÇÃO EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 1. Justificativa A evolução tecnológica e a conseqüente diminuição do custo dos equipamentos possibilitaram a expansão dos sistemas computacionais. Atualmente,

Leia mais

A Cidade Cognitiva. Antonio Pires Santos 1

A Cidade Cognitiva. Antonio Pires Santos 1 A Cidade Cognitiva Antonio Pires Santos 1 1 Vivemos num planeta mais inteligente INSTRUMENTADO INTERCONECTADO INTELIGENTE Sensores e outros instrumentos digitais estão a ser incorporados em cada objeto,

Leia mais

Gerenciamento de Projetos de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico: a experiência do LSCAD/FACOM/UFMS. Ricardo R. Santos ricardo@facom.ufms.

Gerenciamento de Projetos de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico: a experiência do LSCAD/FACOM/UFMS. Ricardo R. Santos ricardo@facom.ufms. Gerenciamento de Projetos de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico: a experiência do LSCAD/FACOM/UFMS Ricardo R. Santos ricardo@facom.ufms.br LSCAD Foco nas áreas de sistemas embarcados, eletrônica (digital

Leia mais

SEMANA NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA 2014 FORMULÁRIO PARA SUBMISSÃO DE PROJETOS

SEMANA NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA 2014 FORMULÁRIO PARA SUBMISSÃO DE PROJETOS SEMANA NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA 2014 FORMULÁRIO PARA SUBMISSÃO DE PROJETOS Formulário para submissão de projeto Dados do Projeto e do (a) Orientador (a) do Projeto Título do Projeto: Um aplicativo

Leia mais

Introdução. Nível do Sistema Operacional. Introdução. Um Sistema Operacional... Introdução a Sistemas Operacionais

Introdução. Nível do Sistema Operacional. Introdução. Um Sistema Operacional... Introdução a Sistemas Operacionais Introdução Nível do Sistema Operacional (Aula 14) Introdução a Sistemas Operacionais Hardware Provê os recursos básicos de computação (CPU, memória, E/S,etc.) Programas (aplicações) Definem as maneiras

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec: Monsenhor Antonio Magliano Código: 088 Município: Garça Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de

Leia mais

Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio. slide 1

Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio. slide 1 Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio slide 1 Objetivos de estudo Quais os principais componentes das redes de telecomunicações e quais as principais tecnologias de rede? Quais os principais

Leia mais

Universidade de Santa Cruz do Sul Departamento de Informática

Universidade de Santa Cruz do Sul Departamento de Informática Universidade de Santa Cruz do Sul Departamento de Informática I Seminário dos Grupos de Pesquisa da UNISC Ficha de Inscrição do Grupo de Pesquisa Sistemas Computacionais de Apoio à Educação Santa Cruz

Leia mais

FCM0102-Física II SMA0332-Cálculo II SQM0405-Química Geral e Experimental

FCM0102-Física II SMA0332-Cálculo II SQM0405-Química Geral e Experimental 2 O SEMESTRE DE 2015 2 o PERÍODO LETIVO FCM0102-Física II SMA0332-Cálculo II SQM0405-Química Geral e Experimental FFI0181- de Física Geral II Turmas aulas quinzenais SMA0304-Álgebra Linear SSC0602 - Introdução

Leia mais

Segurança e Escalabilidade em WebLab no Domínio de Redes de Computadores

Segurança e Escalabilidade em WebLab no Domínio de Redes de Computadores Segurança e Escalabilidade em WebLab no Domínio de Redes de Computadores Autor: Daniel Vieira de Souza 1, Orientador: Luís Fernando Faina 1 1 Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação Universidade

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS. Mede a capacidade de comunicação de computadores e dispositivos. Operam em diferentes plataformas de hardware

LISTA DE EXERCÍCIOS. Mede a capacidade de comunicação de computadores e dispositivos. Operam em diferentes plataformas de hardware 1. A nova infra-estrutura de tecnologia de informação Conectividade Mede a capacidade de comunicação de computadores e dispositivos Sistemas abertos Sistemas de software Operam em diferentes plataformas

Leia mais

UNIVATES. Case Cisco CLIENTE SEGMENTO DESAFIOS SOLUÇÕES RESULTADOS CASES DE EDUCAÇÃO

UNIVATES. Case Cisco CLIENTE SEGMENTO DESAFIOS SOLUÇÕES RESULTADOS CASES DE EDUCAÇÃO CASES DE EDUCAÇÃO Case Cisco UNIVATES CLIENTE - Centro Universitário Univates - Número total de alunos: 13.235 - Número total de professores contratados: 537 SEGMENTO - Educação privada superior e profissionalizante

Leia mais

AULA 01 INTRODUÇÃO. Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação

AULA 01 INTRODUÇÃO. Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação AULA 01 INTRODUÇÃO Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação CONCEITO Dois ou mais computadores conectados entre si permitindo troca de informações, compartilhamento de

Leia mais

APLICATIVO AUXILIANDO A MELHORIA DA ATENÇÃO BÁSICA NO BRASIL. APPLICATION TO ASSIST IN IMPROVING OF HEALTH IN BRAZIL s PRIMARY CARE

APLICATIVO AUXILIANDO A MELHORIA DA ATENÇÃO BÁSICA NO BRASIL. APPLICATION TO ASSIST IN IMPROVING OF HEALTH IN BRAZIL s PRIMARY CARE APLICATIVO AUXILIANDO A MELHORIA DA ATENÇÃO BÁSICA NO BRASIL APPLICATION TO ASSIST IN IMPROVING OF HEALTH IN BRAZIL s PRIMARY CARE Édson das Neves Oliveira 1, Jean Carlo Cainelli 2, Carlos Pilz 2, Sílvio

Leia mais

PROJETO BÁSICO. Serviço de Comunicação Multimídia

PROJETO BÁSICO. Serviço de Comunicação Multimídia PROJETO BÁSICO Serviço de Comunicação Multimídia xxxxxxxxxx, xx de xxxxx de 2009 PROJETO BÁSICO (De acordo com a Res. n 272 da Anatel - SCM, de 9 de agosto de 2001, Anexo II) O B J E T O SOLICITAÇÃO DE

Leia mais

PROJETO DE UM MICRO INVERSOR INTEGRADO AOS PAINÉIS SOLARES PARA APLICAÇÃO EM CONSUMIDORES RESIDENCIAIS Solução n o 411

PROJETO DE UM MICRO INVERSOR INTEGRADO AOS PAINÉIS SOLARES PARA APLICAÇÃO EM CONSUMIDORES RESIDENCIAIS Solução n o 411 PROJETO DE UM MICRO INVERSOR INTEGRADO AOS PAINÉIS SOLARES PARA APLICAÇÃO EM CONSUMIDORES RESIDENCIAIS Solução n o 411 Eng. João Marcos Castro Soares (Diretor de P&D) São Paulo, 29 de abril de 2015 REIVAX

Leia mais

Política de Utilização da Rede Sem Fio (Wireless)- UNICARIOCA

Política de Utilização da Rede Sem Fio (Wireless)- UNICARIOCA Política de Utilização da Rede Sem Fio (Wireless)- UNICARIOCA Objetivos A política de utilização da rede wireless tem como objetivo estabelecer regras e normas de utilização e ao mesmo tempo desenvolver

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Introdução Redes de Computadores é um conjunto de equipamentos que são capazes de trocar informações e compartilhar recursos entre si, utilizando protocolos para se comunicarem e

Leia mais

SOBRE A CALLIX. Por Que Vantagens

SOBRE A CALLIX. Por Que Vantagens Callix PABX Virtual SOBRE A CALLIX Por Que Vantagens SOBRE A CALLIX Por Que Vantagens Por Que Callix Foco no seu negócio, enquanto cuidamos da tecnologia do seu Call Center Pioneirismo no mercado de Cloud

Leia mais

For-All - Uma Plataforma para Sistemas Pervasivos Orientados a Serviço

For-All - Uma Plataforma para Sistemas Pervasivos Orientados a Serviço For-All - Uma Plataforma para Sistemas Pervasivos Orientados a Serviço Elenilson Vieira da S. Filho 1, Ângelo L. Vidal de Negreiros 1, Alisson V. Brito 2 1 Departamento de Informática Universidade Federal

Leia mais

Prof. Dr. Reinaldo Gonçalves Nogueira Escola de Engenharia Elétrica, Mecânica e de Computação Diretor

Prof. Dr. Reinaldo Gonçalves Nogueira Escola de Engenharia Elétrica, Mecânica e de Computação Diretor À PROGRAD: Prof.ª Sandramara Matias Chaves Goiânia, 22 de Novembro de 2013 Em reunião no dia 22 de Novembro de 2013, o Conselho Diretor da EMC, aprovou a alteração do Anexo 1 da Resolução CEPEC 765/2005,

Leia mais

PROJETO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA - FIC. Multimídia

PROJETO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA - FIC. Multimídia PROJETO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA - FIC Multimídia Prof.ª Sylvia Augusta Catharina Fernandes Correia de Lima Floresta - PE 2013 CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA - FIC 1. IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

5 Mecanismo de seleção de componentes

5 Mecanismo de seleção de componentes Mecanismo de seleção de componentes 50 5 Mecanismo de seleção de componentes O Kaluana Original, apresentado em detalhes no capítulo 3 deste trabalho, é um middleware que facilita a construção de aplicações

Leia mais

Sistemas Distribuídos. Introdução. Edeyson Andrade Gomes. www.edeyson.com.br

Sistemas Distribuídos. Introdução. Edeyson Andrade Gomes. www.edeyson.com.br Sistemas Distribuídos Introdução Edeyson Andrade Gomes www.edeyson.com.br SUMÁRIO Definições Características Desafios Vantagens Desvantagens 2 Definições DEFINIÇÕES Um sistema distribuído é uma coleção

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO FÓRUM TÉCNICO CONSULTIVO TELEFONIA IP Carlos José Rosa Coletti AI Reitoria Lazaro Geraldo Calestini Rio Claro Tatiana Pinheiro de Brito IA São Paulo Valmir Dotta FCLAr - CSTI Walter Matheos Junior IFT

Leia mais

A Contribuição da Lei de Informática para as Atividades de P&D da Universidade de Brasília: Resultados

A Contribuição da Lei de Informática para as Atividades de P&D da Universidade de Brasília: Resultados A Contribuição da Lei de Informática para as Atividades de P&D da Universidade de Brasília: Resultados Seminário Resultados da Lei de Informática MCT/SEPIN/CATI Prof. Dr. Marcelo Ladeira Dep. de Ciência

Leia mais

WHITEPAPER. Guia de compra para câmeras IP: tudo o que você precisa saber antes de adquirir a sua solução digital

WHITEPAPER. Guia de compra para câmeras IP: tudo o que você precisa saber antes de adquirir a sua solução digital WHITEPAPER Guia de compra para câmeras IP: tudo o que você precisa saber antes de adquirir a sua solução digital Câmera IP ou câmera analógica? Se você está em dúvida sobre a aquisição de uma solução analógica

Leia mais

GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS GPSis Grupo de Pesquisa em Sistemas de Informação

GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS GPSis Grupo de Pesquisa em Sistemas de Informação NOME DA LINHA: Análise e Desenvolvimento de Sistemas Computacionais OBJETIVO: a) estimular a produção cientifica entre docentes e alunos visando à participação em congressos; b) desenvolver softwares em

Leia mais

Desempenho de um Cluster Virtualizado em Relação a um Cluster Convencional Similar

Desempenho de um Cluster Virtualizado em Relação a um Cluster Convencional Similar Desempenho de um Cluster Virtualizado em Relação a um Cluster Convencional Similar David Beserra 1, Alexandre Borba¹, Samuel Souto 1, Mariel Andrade 1, Alberto Araujo 1 1 Unidade Acadêmica de Garanhuns

Leia mais

Disciplina: Redes de Comunicação. Curso Profissional Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos. Setembro 2013

Disciplina: Redes de Comunicação. Curso Profissional Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos. Setembro 2013 Disciplina: Redes de Comunicação Curso Profissional Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos. João Oliveira Turma: 10º 13ª Setembro 2013 INTRODUÇÃO Este trabalho apresenta os principais

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos (Re)Introdução 1 Organização Definição Características essenciais dos sistemas distribuídos Desafios principais 2 Definição Um sistema distribuído é... um conjunto de componentes

Leia mais

Linha CX - Otimizada para Microsoft

Linha CX - Otimizada para Microsoft Linha CX - Otimizada para Microsoft Polycom Open Collaboration Network: Expandindo a Colaboração Pessoal Integração Nativa Rico Portfolio de Produtos Único fabricante a integrar nativamente com as plataformas

Leia mais

WiMAX. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com

WiMAX. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com WiMAX é uma tecnologia padronizada de rede sem fio que permite substituir as tecnologias de acesso de banda larga por cabo e ADSL. O WiMAX permite a

Leia mais

Anexo 6 Demandas oriundas das propostas do CT-INFRA PROINFRA nos editais de 01/2009 e 02/2010 CT-INFRA PROINFRA 01/2009

Anexo 6 Demandas oriundas das propostas do CT-INFRA PROINFRA nos editais de 01/2009 e 02/2010 CT-INFRA PROINFRA 01/2009 Plano de Desenvolvimento Institucional 2011-2015 UFSM 138 Anexo 6 Demandas oriundas das propostas do CT-INFRA PROINFRA nos editais de 01/2009 e 02/2010 CT-INFRA PROINFRA 01/2009 Alta disponibilidade de

Leia mais

ÁREA: CV ( ) CHSA ( ) ECET ( )

ÁREA: CV ( ) CHSA ( ) ECET ( ) ADAPTAÇÃO E INTEGRAÇÃO DO PROCESSADOR RISCO A UMA ARQUITETURA MULTI-CORE PARA SISTEMAS EMBARCADOS DE PROPOSITO GERAL Laysson Oliveira Luz (Bolsista PIBIC/CNPq), Ivan Saraiva Silva (Orientador, Departamento

Leia mais

Overview. Distribuidora de equipamentos

Overview. Distribuidora de equipamentos Mikrotik Solutions on Digital Cities applications Overview Distribuidora de equipamentos Wireless, dowi-fiaowimax Monitoramento por câmeras, do Analógico ao IP Telefonia sobre IP, do ATA ao IP-PABX Especializada

Leia mais

Telecomunicações e Teleprocessamento

Telecomunicações e Teleprocessamento Telecomunicações e Teleprocessamento Telecomunicações Telecomunicações podem ser definidas como comunicações por meios eletrônicos, normalmente a grandes distâncias. Como veículos de transmissão podem

Leia mais

3Uy5HLWRULDSDUD$VVXQWRVGH 3HVTXLVDH3yV*UDGXDomRGD8)3( 5HODWyULRGH$WLYLGDGHV. 0DUoR

3Uy5HLWRULDSDUD$VVXQWRVGH 3HVTXLVDH3yV*UDGXDomRGD8)3( 5HODWyULRGH$WLYLGDGHV. 0DUoR 3Uy5HLWRULDSDUD$VVXQWRVGH 3HVTXLVDH3yV*UDGXDomRGD8)3( 5HODWyULRGH$WLYLGDGHV 0DUoR $'0,1,675$d 2 Aprovação junto a CPPG da Resolução nº 01/2001 que dispõe sobre as atribuições da Comissão de Pós-Graduação

Leia mais

Projeto Integrador Projeto de Redes de Computadores

Projeto Integrador Projeto de Redes de Computadores Projeto Integrador Projeto de Redes de Computadores IMPLEMENTAÇÃO DO PROTOCOLO 802.1x UTILIZANDO SERVIDOR DE AUTENTICAÇÃO FREERADIUS Aluno: Diego Miranda Figueira Jose Rodrigues de Oliveira Neto Romário

Leia mais

Rede PLC da Restinga Primeira Etapa do Projeto

Rede PLC da Restinga Primeira Etapa do Projeto Primeira Etapa do Projeto Transferência de sinal da rede elétrica do prédio para cabo ou wireless e vice-versa D Repetidores e extratores de sinal para baixa tensão (220V/127V) e vice-versa C B Injeção

Leia mais

Levantamento sobre Computação em Nuvens

Levantamento sobre Computação em Nuvens Levantamento sobre Computação em Nuvens Mozart Lemos de Siqueira Doutor em Ciência da Computação Centro Universitário Ritter dos Reis Sistemas de Informação: Ciência e Tecnologia Aplicadas mozarts@uniritter.edu.br

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.640, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.640, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.640, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Bacharelado

Leia mais

REALIDADE AUMENTADA: DIFERENTES TECNOLOGIAS NA ESCOLA

REALIDADE AUMENTADA: DIFERENTES TECNOLOGIAS NA ESCOLA 110. ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA REALIDADE AUMENTADA: DIFERENTES

Leia mais

Currículum Vitae. Edmar Roberto Santana de Rezende

Currículum Vitae. Edmar Roberto Santana de Rezende Currículum Vitae Edmar Roberto Santana de Rezende 1 Dados Pessoais Nome: Edmar Roberto Santana de Rezende Filiação: Edmar Roberto Tonholo de Rezende e Marise Santana de Rezende Nascimento: 25/07/1979,

Leia mais

USO DE JOGOS NAS AULAS DE INFORMÁTICA PARA IDOSOS: Relatos de Experiência

USO DE JOGOS NAS AULAS DE INFORMÁTICA PARA IDOSOS: Relatos de Experiência USO DE JOGOS NAS AULAS DE INFORMÁTICA PARA IDOSOS: Relatos de Experiência Lucas Santiago Rodrigues Graduando em Sistemas de Informação na UFMS Natália Fernanda de Castro Meira Graduanda em Engenharia de

Leia mais

Área. Científica COMPUTADORES MEEC 2006-2007. mario.nunes@inesc.pt http://comp.ist.utl.pt. Instituto de Superior Técnico

Área. Científica COMPUTADORES MEEC 2006-2007. mario.nunes@inesc.pt http://comp.ist.utl.pt. Instituto de Superior Técnico Área Científica COMPUTADORES MEEC 2006-2007 mario.nunes@inesc.pt http://comp.ist.utl.pt Instituto de Superior Técnico COORDENAÇÃO Coordenador da Área Científica de Computadores Prof. José Alberto Tomé

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais Administração de Sistemas de Informação Gerenciais UNIDADE III: Infraestrutura de Tecnologia da Informação Atualmente, a infraestrutura de TI é composta por cinco elementos principais: hardware, software,

Leia mais

Regras de transição curricular do MERC

Regras de transição curricular do MERC Regras de transição curricular do MERC Este documento define as regras de transição entre o currículo em vigor no ano de 2008/2009 e o currículo que vigorará no ano de 2009/2010. Os casos omissos serão

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA MODALIDADE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (BOLSA PIC/FACIT/FAPEMIG)

PROJETO DE PESQUISA MODALIDADE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (BOLSA PIC/FACIT/FAPEMIG) PROJETO DE PESQUISA MODALIDADE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (BOLSA PIC/FACIT/FAPEMIG) MONTES CLAROS FEVEREIRO/2014 COORDENAÇÃO DE PESQUISA PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DISPOSITIVOS MÓVEIS INTELIGENTES ORIENTADOR:

Leia mais

Introdução A Engenharia Da Computação

Introdução A Engenharia Da Computação Introdução A Engenharia Da Computação AULA I Slide 1 O Que é Engenharia? [De engenho + -aria.] Substantivo feminino 1.Arte de aplicar conhecimentos científicos e empíricos e certas habilitações específicas

Leia mais

Apresentação. Seminário: Resultados da Lei de Informática

Apresentação. Seminário: Resultados da Lei de Informática Apresentação Seminário: Resultados da Lei de Informática Painel 14: A Lei de Informática como instrumento de estímulo à pesquisa e desenvolvimento no segmento de software Antonio Guilherme de Arruda Lorenzi

Leia mais

II- profissional tecnicamente capacitado, com conhecimentos cientificamente

II- profissional tecnicamente capacitado, com conhecimentos cientificamente MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 240, DE 2 DE JUNHO DE 2014 O Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais

Leia mais

Governo Municipal. Oferta de Soluções Motorola

Governo Municipal. Oferta de Soluções Motorola Governo Municipal Oferta de Soluções Motorola Agenda Por que a Motorola? Oferta de Soluções Motorola Casos de Sucesso Por que a Motorola? Conta com mais 80 anos na indústria. Liderança indiscutível em

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CAMPUS DE SOBRAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CAMPUS DE SOBRAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CAMPUS DE SOBRAL INTEGRALIZAÇÃO CURRICULAR (Currículo 2006.2) Agosto de 2010 Hodiernamente não mais se concebe que a formação do futuro profissional

Leia mais

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DE FORMAÇÃO (currículos 2009, 2010, 2011 e 2012)

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DE FORMAÇÃO (currículos 2009, 2010, 2011 e 2012) REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DE FORMAÇÃO (currículos 2009, 2010, 2011 e 2012) FACULDADE DE QUÍMICA Regulamento para as disciplinas de Atividades Complementares de Formação O aluno do curso

Leia mais