Plano Plurianual da Distribuição. Turn Key 1. Dados e Informações para Projeto sobre as. SE S Esmeraldas e Jaboticatubas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Plano Plurianual da Distribuição. Turn Key 1. Dados e Informações para Projeto sobre as. SE S Esmeraldas e Jaboticatubas"

Transcrição

1 Doc. TC 00267/2009 SUPERINTENDÊNCIA DE TELECOMUNICAÇÕES GERÊNCIA DE MANUTENÇÃO DE INFRA-ESTRUTURA DE TELECOMUNICAÇÕES Plano Plurianual da Distribuição Turn Key 1 Dados e Informações para Projeto sobre as SE S Esmeraldas e Jaboticatubas Projetado por: LAB. Elaborado por: GLM. Data: 30/03/2009. Página 1 de 11

2 DADOS E INFORMAÇÕES PARA PROJETO (DIP) Plano Plurianual da Distribuição Turn key 1 Telecomunicações 1. Considerações Iniciais. As instalações das primeiras etapas das Subestações Esmeraldas e Jaboticatubas, localizadas respectivamente, nos municípios de mesmos nomes, na malha elétrica de distribuição, regional centro, ambas pertencentes `a Cemig Distribuição Cemig D S/A, em termos de serviços de Telecomunicações, apresentam necessidades de comunicação de voz e transmissão de dados para o Centro de Operação da Distribuição COD (Itambé), localizado no Município de Belo Horizonte. Serão descritas no texto que se segue, as soluções propostas para as duas subestações, no atendimento à demanda por serviços de Telecomunicações. 2. SE Esmeraldas 2.1 Solução proposta A solução proposta para atendimento da demanda por serviços de telecomunicações da primeira etapa da subestação de Esmeraldas, é um sistema rádio digital, implementado através de um enlace entre esta subestação e o Repetidor Pedro Leopoldo. Os sinais irão trafegar entre estas duas Estações e, a partir do Repetidor Pedro Leopoldo há uma imersão no sistema atualmente existente, permitindo a comunicação entre SE Esmeraldas e o COD (Itambé). 2.2 Elaboração do Projeto de Telecomunicações A elaboração do Projeto compreende as seguintes fases: Projeto inicial Nesta fase deverão ser desenvolvidos estudos e testes para confirmar o enlace indicado, assim como a realização de visitas para realização levantamentos de dados de campo, especificações de equipamentos e sistemas, suas restrições. Nesta fase do Projeto também deve ser realizado o Estudo de Freqüência para o enlace, e a emissão de um Caderno de Encargos ( Workstatement ) Projeto Executivo O projeto executivo uma vez conhecidas as características das instalações, dos equipamentos e sistemas, deverá constituir-se da elaboração e apresentação à Cemig, dos seguintes desenhos: Diagrama de Sistema; Diagrama de energia para telecomunicações; Projeto de locação, Arranjo externo de telecomunicações; Página 2 de 11

3 Arranjo interno e disposição dos equipamentos; Fluxograma de cabos de telecomunicações; Distribuidor geral de telemática; Projeto de sistema de proteção e aterramento das estações de radiocomunicação; Lista de material de telecomunicações Condições restritivas correlatas ao Projeto O Estudo de Freqüência para o enlace, e o Caderno de Encargos ( Workstatement ), que integram o Projeto inicial, além de todos os desenhos que compõem o projeto executivo, deverão ser submetidos à análise e obter aprovação na Cemig. A obtenção de aprovação do Projeto executivo é condição, sem a qual, a instalação ou montagem dos equipamentos e sistemas não poderá ser implementada. 2.3 Implementação do Projeto / Equipamentos 1 A solução proposta para a demanda de serviços de Telecomunicações da SE Esmeraldas, ou seja, a implementação do enlace de rádio digital entre a Subestação Esmeraldas e o Repetidor Pedro Leopoldo, consiste na construção, instalação/ montagem e comissionamento dos seguintes equipamentos previstos: Na Subestação de Esmeraldas: Torre, auto-suportada, h=50,0m, perfilada, treliçada, seção quadrada, aço, zincado a quente, com todos componentes necessários à instalação de antenas de 02 (duas) antenas de vhf/uhf no nível 1, patamares de trabalho e descanso, esteiras para cabos (vertical/horizontal), sistema de balizamento diurno (pintura), noturno (aparelho sinalizador), sistema de aterramento com pára-raios, escada de acesso, guarda-corpo, dispositivo de segurança (trava-quedas), placa de identificação e chumbadores, de conformidade com os desenhos: T-27804, T-27805, OT , T-35460, OT e Especificação Técnica: TI/TC-281. Peso teórico: 2.000,0 KG. Um rádio digital 15 GHz (1+1), capacidade 4 x 2Mbps, alimentação 48 Vcc, configuração split, com antena de 0,6 m de diâmetro integrada e canais de serviço conforme especificação técnica TI/SI-1410 c; Um multiplex digital flexível capacidade de 2x2 Mbps com as interfaces analógicas 4W E&M, FXS e FXO; interfaces digitais: V.24, V.11, V.35, V.36, G.703 co-direcional e ethernet. alimentação em 48 Vcc, conforme especificação TI/SI-1409 E e anexos; Um sistema de energia em 48 Vcc, composto de fonte e carregador de baterias de 48 Vcc, com capacidade para 100 A e configuração conforme especificações técnicas, normas telebrás: sdt , sdt , sdt e sdt ; 1 Ver Tabela de Especificações Técnicas de Equipamentos, no item 4. Página 3 de 11

4 Quadro de distribuição de corrente alternada para equipamentos de telecomunicações, conforme especificação técnica OT/TC1-4616B; Quadro de distribuição de corrente contínua para equipamentos de telecomunicações, conforme especificação técnica OT/TC1-4617A Uma remota de telessupervisão de telecomunicações com 32 pontos de telessinais, 8 pontos de telecomandos e 8 pontos de telemedidas analógicas, alimentação em 48 Vcc, integrada ao sistema de gerência existente no Centro de Gerência da Rede (CGR) da Cemig,conforme especificação TI/SI-1411 D ; Um Distribuidor Geral de Telemática, DGT, conforme especificação TI/TC-137; Material para instalação como cabos coaxiais, eletrocalha, fiação, conectores, barra de aterramento, conforme especificação TI/TC No Repetidor de Pedro Leopoldo: Um rádio digital 15 GHz (1+1), capacidade 4 x 2Mbps, alimentação 48 Vcc, configuração split, com antena de 0,6 m de diâmetro integrada e canais de serviço conforme especificação técnica TI/SI-1410 c; Um multiplex digital flexível capacidade de 2x2 Mbps com as interfaces analógicas 4W E&M, FXS e FXO; interfaces digitais: V.24, V.11, V.35, V.36, G.703 co-direcional e ethernet, alimentação em 48 Vcc, conforme especificação TI/SI-1409 E e anexo; Ampliação Distribuidor Geral de Telemática, DGT, conforme especificação TI/TC-137; Material para instalação como cabos coaxiais, eletrocalha, fiação, conectores, barra de aterramento, conforme especificação TI/TC Condições restritivas correlatas à inspeção em fábrica dos equipamentos. Todos os equipamentos e materiais deverão ser inspecionados em fábrica, e, suas instalações, somente poderão ser efetivadas, caso esses equipamentos tenham as respectivas inspeções aprovadas pela Cemig. 2.4 licenciamento e cadastro de Freqüências O licenciamento e cadastro das freqüências utilizadas junto à ANATEL é efetuado pela Cemig, cabendo à Empresa contratada para implementação do sistema de comunicação, o preenchimento dos formulários. Página 4 de 11

5 2.5 Coordenadas geográficas 2.5.1Subestação Esmeraldas S w Repetidor Pedro Leopoldo S W Diagrama do Sistema SE Esmeraldas Atendimento à demanda de serviços de Telecomunicações. F = 15 GHz P/ Edifício Sede SE Esmeraldas (Equip. Telecom) Abrigo do Repetidor Pedro Leopoldo Legenda: Torre de Telecom. H=50 m (a ser montada) Altura onde deverá ser colocada a antena: Topo da torre Torre de Telecom. H=90 m (existente) Altura onde deverá ser colocada a antena, h=65 m : indicam itens existentes : indicam itens a serem construídos. Página 5 de 11

6 3 SE Jaboticatubas 3.1 Solução proposta A solução proposta para atendimento da demanda por serviços de telecomunicações da primeira etapa da subestação de Jaboticatubas, é um sistema rádio digital, implementado através de um enlace entre esta subestação e o Repetidor Serra da Piedadade. Os sinais irão trafegar entre as duas Estações, e, a partir do Repetidor Serra da Piedade há uma imersão no sistema atualmente existente, permitindo a comunicação entre SE Jaboticatubas e o COD (Itambé). O desenvolvimento de atividades necessárias para implantação do enlace de rádio será descrito no texto que se segue. 3.2 Elaboração do Projeto de Telecomunicações A elaboração do Projeto compreende as seguintes fases: Projeto inicial Nesta fase deverão ser desenvolvidos estudos e testes para confirmar o enlace indicado, assim como a realização de visitas para realização levantamentos de dados de campo, especificações de equipamentos e sistemas, suas restrições. Nesta fase do Projeto também deve ser realizado o Estudo de Freqüência para o enlace, e a emissão de um Caderno de Encargos ( Workstatement ) Projeto Executivo O projeto executivo uma vez conhecidas as características das instalações, dos equipamentos e sistemas, deverá constituir-se da elaboração e apresentação à Cemig, dos seguintes itens: Diagrama de Sistema; Diagrama de energia para telecomunicações; Projeto de locação, Arranjo externo de telecomunicações; Arranjo interno e disposição dos equipamentos; Fluxograma de cabos de telecomunicações; Distribuidor geral de telemática; Projeto de sistema de proteção e aterramento das estações de radiocomunicação; Lista de material de telecomunicações Condições restritivas correlatas ao Projeto O Estudo de Freqüência para o enlace, e o Caderno de Encargos ( Workstatement ), que integram o Projeto inicial, além de todos os desenhos que compõem o projeto executivo, deverão ser submetidos à análise e obter aprovação na Cemig. A obtenção de aprovação do Projeto executivo é condição, sem a qual, a instalação ou montagem dos equipamentos e sistemas não poderá ser implementada. Página 6 de 11

7 3.3 implementação do Projeto / Equipamentos 2 Uma vez aprovado o Projeto, a implementação do enlace de rádio digital entre a Subestação Jaboticatubas e o Repetidor Serra da Piedade, consiste na construção, instalação/montagem e comissionamento dos seguintes equipamentos previstos: Na Subestação de Jaboticatubas: Torre, auto-suportada, h=30,0m, perfilada, treliçada, seção quadrada, aço, zincado a quente, com todos componentes necessários à instalação de antenas de 02 (duas) antenas de vhf/uhf no nível 1, patamares de trabalho e descanso, esteiras para cabos (vertical/horizontal), sistema de balizamento diurno(pintura), noturno (aparelho sinalizador), sistema de aterramento com pára-raios, escada de acesso, dispositivo de segurança (trava-quedas), placa de identificação e chumbadores, de conformidade com os desenhos: T-27804, T-27805, OT-27808, T-35460, OT e Especificação Técnica: TI/TC-281. Peso teórico: 2.000,0 KG. Um rádio digital 15 GHz (1+1), capacidade 4 x 2Mbps, alimentação 48 Vcc, configuração split, com antena de 0,6 m de diâmetro integrada e canais de serviço conforme especificação técnica TI/SI-1410 c; Um multiplex digital flexível capacidade de 2 x 2 Mbps com as interfaces analógicas 4w e&m, fxs e fxo; interfaces digitais: v.24, v.11, v.35, v.36, g.703 co-direcional e ethernet, alimentação em 48 Vcc, conforme especificação TI/SI-1409 E e anexo; Um sistema de energia em 48 Vcc, composto de fonte e carregador de baterias de 48 Vcc, com capacidade para 100 A e configuração conforme especificações técnicas, normas telebrás: sdt , sdt , sdt e sdt ; Quadro de distribuição de corrente alternada para equipamentos de telecomunicações, conforme especificação técnica OT/TC1-4616B; Quadro de distribuição de corrente contínua para equipamentos de telecomunicações, conforme especificação técnica OT/TC1-4617A Uma remota de telessupervisão de telecomunicações com 32 pontos de telessinais, 8 pontos de telecomandos e 8 pontos de telemedidas analógicas, alimentação em 48 vcc, integrada ao sistema de gerência existente no CGR/Cemig, conforme especificação TI/SI-1411 D; Um Distribuidor Geral de Telemática, DGT, conforme especificação TI/TC-137; Material para instalação como cabos coaxiais, eletrocalha, fiação, conectores, barra de aterramento, conforme especificação TI/TC-166; 2 Ver Tabela de Especificações Técnicas de Equipamentos, no item 4. Página 7 de 11

8 3.3.2 No Repetidor Serra da Piedade: Um rádio digital 15 GHz (1+1) capacidade 4 x 2Mbps, alimentação 48 Vcc, configuração split, com antena de 0,6 m de diâmetro integrada e canais de serviço conforme especificação técnica TI/SI-1410 c; Um multiplex digital flexível capacidade de 2x2 Mbps com as interfaces analógicas 4w e&m, fxs e fxo; interfaces digitais: v.24, v.11, v.35, v.36, g.703 co-direcional e ethernet. alimentação em 48 Vcc, conforme especificação TI/SI-1409 E e anexo; Ampliação Distribuidor Geral de Telemática, DGT, conforme especificação TI/TC-137; Material para instalação como cabos coaxiais, eletrocalha, fiação, conectores, barra de aterramento, conforme especificação TI/TC Condições restritivas correlatas à inspeção em fábrica dos equipamentos. Todos os equipamentos e materiais deverão ser inspecionados em fábrica, e, suas instalações, somente poderão ser efetivadas, caso esses equipamentos tenham as respectivas inspeções aprovadas pela Cemig. 3.4 Licenciamento e cadastro de Freqüências O licenciamento e cadastro das freqüências utilizadas junto à ANATEL é efetuado pela Cemig, cabendo à Empresa contratada para implementação do sistema de comunicação, o preenchimento dos formulários. 3.5 Coordenadas geográficas das Estações envolvidas SE Jaboticatubas S ,30 W , Repetidor Serra da Piedade S W Página 8 de 11

9 3.6 Diagrama do Sistema SE Jaboticatubas Atendimento à demanda de serviços de Telecomunicações. F = 15 GHz P/ Edifício Sede SE Jaboticatubas (Equip. Telecom) Abrigo do Repetidor Serra da Piedade Torre de Telecom. H=30 m (a ser montada) Altura onde deverá ser colocada a antena: Topo da torre Torre Existente, H =50 Altura onde deverá ser colocada a antena, h=30m Legenda: Linhas tracejadas: indicam itens existentes, Linhas cheias: indicam itens a serem construídos. Página 9 de 11

10 4 Tabela de Especificações Técnicas de Equipamentos Item Nº da Especificação Equipamento TI/SI-1410 C TI/MI TI/TC TI/SI-917 A OT/TC1-4616B OT/TC1-4617A TI/SI-1411 D TI/SI-1409 E E ANEXO TI/TC OT/TC TI/MI-1725B RÁDIO DIGITAL 15 GHz (1+1) CAPACIDADE 16 x 2MBPS, ALIMENTAÇÃO 48 Vcc, CONFIGURAÇÃO SPLIT, COM ANTENA DE 0,6 M DE DIÂMETRO INTEGRADA E CANAIS DE SERVIÇO CONFORME ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA. INSTRUÇÃO PARA DISTRIBUIÇÃO GERAL EM TELEMÁTICA (DGT) BATERIAS ESTACIONÁRIAS TIPO CHUMBO ÁCIDO REGULADAS POR VÁLVULAS TIPO VRLA DE 200Ah/10h, 48 VCC COM ACESSÓRIOS E PRATELEIRAS QUADRO DE DISTRIBUIÇÃO DE CORRENTE ALTERNADA PARA EQUIPAMENTOS DE TELECOMUNICAÇÕES QUADRO DE DISTRIBUIÇÃO DE CORRENTE CONTÍNUA PARA EQUIPAMENTOS DE TELECOMUNICAÇÕES REMOTA DE TELESSUPERVISÃO DE TELECOMUNICAÇÕES COM 32 PONTOS DE TELESSINAIS, 8 PONTOS DE TELECOMANDOS E 8 PONTOS DE TELEMEDIDAS ANALÓGICAS. ALIMENTAÇÃO EM 48 VCC. INTEGRADA AO SISTEMA DE GERÊNCIA EXISTENTE NO CGR CEMIG. MULTIPLEX DIGITAL FLEXÍVEL CAPACIDADE DE 2X2 MBPS COM AS INTERFACES ANALÓGICAS 4W E&M, FXS E FXO; INTERFACES DIGITAIS: V.24, V.11, V.35, V.36, G.703 CO-DIRECIONAL E ETHERNET. ALIMENTAÇÃO EM 48 VCC. ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE ELETROCALHAS PERFURADAS PARA SUSTENTAÇÃO DE CABOS EM INSTALAÇÕES DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMA DE PROTEÇÃO E ATERRAMENTO EM ESTAÇÕES DE RADIOCOMUNICAÇÃO FORNECIMENTO DE ESTRUTURAS METÁLICAS PARA TORRES DE TELECOMUNICAÇÕES DE 30 E 50 METROS CONFORME ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS: TI/MI-1725B Página 10 de 11

11 Continuação: Tabela de Especificações Técnicas de Equipamentos 11 NORMAS TELEBRÁS 12 S/N SISTEMA DE ENERGIA EM 48 VCC, COMPOSTO DE FONTE E CARREGADOR DE BATERIAS DE 48 VCC, COM CAPACIDADE PARA 100 A E CONFIGURAÇÃO CONFORME ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS, NORMAS TELEBRÁS: SDT , SDT , SDT e SDT ; REQUISITOS PARA SISTEMA DE ENERGIA PARA TELECOMUNICAÇÕES Página 11 de 11

TORRE ESTAIADA ESPECIFICAÇÃO DOS MATERIAIS CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS ACESSÓRIOS

TORRE ESTAIADA ESPECIFICAÇÃO DOS MATERIAIS CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS ACESSÓRIOS TORRE ESTAIADA A torre estaiada é a solução mais econômica por atingir grandes alturas e com elevada capacidade de carga, porém exige-se disponibilidade de terreno para sua instalação. Possui seção transversal

Leia mais

RETIFICAÇÃO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº 053/2014

RETIFICAÇÃO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº 053/2014 Sabará, 11 de setembro de 2014 RETIFICAÇÃO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº 053/2014 A Prefeitura Municipal de Sabará, por meio da Secretaria Municipal de Administração, resolve, por questões administrativas, retificar

Leia mais

PROJETO DE ENLACE RADIO COMUNICAÇÃO DIGITAL

PROJETO DE ENLACE RADIO COMUNICAÇÃO DIGITAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE LOGÍSTICA E FINANÇAS DIVISÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SEÇÃO DE INFRA-ESTRUTURA PROJETO DE ENLACE RADIO COMUNICAÇÃO DIGITAL FLORIANÓPOLIS JULHO

Leia mais

Parte II: Projeto Executivo de Implantação

Parte II: Projeto Executivo de Implantação Parte II: Projeto Executivo de Implantação IMPLANTAÇÃO DE CLUSTER PARA ATENDIMENTO À REDE INTELIG COM SOLUÇÃO MOTOROLA/CANOPY REVISÃO DO DOCUMENTO: DATA DA REVISÃO RESPONSÁVEL REVISÃO 7/02/ Gleice Guimarães

Leia mais

A N E X O III M Ó D U L O S C O N S T R U T I V O S DE S U B E S T A Ç Õ E S D E D I S T R I B U I Ç Ã O

A N E X O III M Ó D U L O S C O N S T R U T I V O S DE S U B E S T A Ç Õ E S D E D I S T R I B U I Ç Ã O A N E X O III M Ó D U L O S C O N S T R U T I V O S DE S U B E S T A Ç Õ E S D E D I S T R I B U I Ç Ã O C A T Á L O G O R E F E R E N C I A L DE M Ó D U L O S P A D R Õ E S D E C O N S T R U Ç Ã O D E

Leia mais

DIRETORIA TÉCNICA - DTE DEPARTAMENTO DE PROJETO E CONSTRUÇÃO DO SISTEMA ELÉTRICO DPPC 4.5 SISTEMA DE TELECOMUNICAÇÕES

DIRETORIA TÉCNICA - DTE DEPARTAMENTO DE PROJETO E CONSTRUÇÃO DO SISTEMA ELÉTRICO DPPC 4.5 SISTEMA DE TELECOMUNICAÇÕES DIRETORIA TÉCNICA - DTE DEPARTAMENTO DE PROJETO E CONSTRUÇÃO DO SISTEMA ELÉTRICO DPPC 4.5 SISTEMA DE TELECOMUNICAÇÕES ABRIL DE 2008 DIRETORIA TÉCNICA - DTE DEPARTAMENTO DE PROJETO E CONSTRUÇÃO DO SISTEMA

Leia mais

OCUPAÇÃO 19 DESCRITIVO TÉCNICO. Data de Aprovação:18/12/2003 Data de Revisão: Dezembro de 2005

OCUPAÇÃO 19 DESCRITIVO TÉCNICO. Data de Aprovação:18/12/2003 Data de Revisão: Dezembro de 2005 DESCRITIVO TÉCNICO OCUPAÇÃO 19 Data de Aprovação:18/12/2003 Data de Revisão: Dezembro de 2005 A Comissão de Diretores do SENAI Coordenadora das Olimpíadas do Conhecimento determina, de acordo com as normas

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA REMOTA DE TELESSUPERVISÃO 02.112-TI/SI 1411 D

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA REMOTA DE TELESSUPERVISÃO 02.112-TI/SI 1411 D ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA REMOTA DE TELESSUPERVISÃO 02.112-TI/SI 1411 D SUPERINTENDÊNCIA DE TELECOMUNICAÇÕES E INFORMÁTICA - TI GERÊNCIA DE SUPORTE EM INFRA-ESTRUTURA DE TELECOMUNICAÇÕES E INFORMÁTICA TI/SI

Leia mais

CAROLINE XAVIER FERNANDES RELATÓRIO TÉCNICO DE MEIOS DE TRANSMISSÃO. MEIOS DE TRANSMISSÃO Cabo Coaxial

CAROLINE XAVIER FERNANDES RELATÓRIO TÉCNICO DE MEIOS DE TRANSMISSÃO. MEIOS DE TRANSMISSÃO Cabo Coaxial Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial E.E.P. Senac Pelotas Centro Histórico Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego Curso Técnico em Informática CAROLINE XAVIER FERNANDES RELATÓRIO

Leia mais

QUESTIONAMENTOS NO ÂMBITO DO PE 013/2015

QUESTIONAMENTOS NO ÂMBITO DO PE 013/2015 QUESTIONAMENTOS NO ÂMBITO DO PE 013/2015 Questionamento 01 Do TR - O sistema de Contact Center deverá ser composto de solução de telefonia comutada, do tipo PABX digital, temporal, controlada por programa

Leia mais

XXSNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

XXSNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA XXSNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA Versão 1.0 XXX.YY 22 a 25 Novembro de 2009 Recife - PE GRUPO XV GRUPO DE ESTUDO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E TELECOMUNICAÇÃO PARA

Leia mais

LISTA DE ESCOPO DE PRODUTOS PARA TELECOMUNICAÇÕES POR FAMÍLIA

LISTA DE ESCOPO DE PRODUTOS PARA TELECOMUNICAÇÕES POR FAMÍLIA LISTA DE ESCOPO DE PRODUTOS PARA TELECOMUNICAÇÕES POR FAMÍLIA ANTENAS FAMÍLIAS DE PRODUTOS ACUMULADORES DE ENERGIA (BATERIA) CABOS COAXIAIS CABOS ÓPTICOS E FIBRAS ÓPTICAS CABOS PARA TRANSMISSÃO DE DADOS

Leia mais

SÃO LEOPOLDO - RS SEMINÁRIO TÉCNICO DE AUTOMAÇÃO PARA SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO PROJETO BÁSICO DE AUTOMAÇÃO

SÃO LEOPOLDO - RS SEMINÁRIO TÉCNICO DE AUTOMAÇÃO PARA SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO PROJETO BÁSICO DE AUTOMAÇÃO 01 DEZEMBRO 2005 SÃO LEOPOLDO - RS SEMINÁRIO TÉCNICO DE AUTOMAÇÃO PARA SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO PROJETO BÁSICO DE AUTOMAÇÃO SCAI Automação Ltda. ESCOPO DOS SERVIÇOS Os serviços deverão ser desenvolvidos

Leia mais

(Versão revista e atualizada do tutorial original publicado em 06/01/2003).

(Versão revista e atualizada do tutorial original publicado em 06/01/2003). Implantação de Estações Rádio Base (ERBs) Este tutorial apresenta a descrição das etapas básicas de implantação de uma estação rádio base (ERB) em redes celulares. (Versão revista e atualizada do tutorial

Leia mais

ANEXO V. ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PARA ESTRUTURA METÁLICA (TORRE) 30 m AUTOPORTANTE

ANEXO V. ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PARA ESTRUTURA METÁLICA (TORRE) 30 m AUTOPORTANTE ANEXO V ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PARA ESTRUTURA METÁLICA (TORRE) 30 m AUTOPORTANTE Dezembro/2010. 1 1. OBJETO. Constitui o objeto a especificação técnica para o fornecimento e instalação de estrutura metálica

Leia mais

Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica

Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica Divisão de Subtransmissão / Departamento de Automação e Telecomunicação Especificação Técnica ETD 00.042 Rádio Comunicação Móvel VHF Dados e Voz Versão:

Leia mais

ESCLARECIMENTO Nº 02 Segue abaixo, solicitações formuladas por empresas participantes da licitação supra e as respectivas respostas de FURNAS:

ESCLARECIMENTO Nº 02 Segue abaixo, solicitações formuladas por empresas participantes da licitação supra e as respectivas respostas de FURNAS: ESCLARECIMENTO Nº 02 Segue abaixo, solicitações formuladas por empresas participantes da licitação supra e as respectivas respostas de FURNAS: 1. Pergunta: Item 7.1. do Edital: O PROPONENTE poderá inspecionar

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA. RÁDIO DIGITAL PDH SHF (1+1) 4x2, 8x2, 16x2 Mbps 02.112-TI/SI 1410. Revisão C

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA. RÁDIO DIGITAL PDH SHF (1+1) 4x2, 8x2, 16x2 Mbps 02.112-TI/SI 1410. Revisão C ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA RÁDIO DIGITAL PDH SHF (1+1) 4x2, 8x2, 16x2 Mbps 02.112-TI/SI 1410 Revisão C SUPERINTENDÊNCIA DE TELECOMUNICAÇÕES E INFORMÁTICA - TI GERÊNCIA DE SUPORTE EM INFRA-ESTRUTURA DE TELECOMUNICAÇÕES

Leia mais

Catálogo de Cursos TELECOMUNICAÇÃO SENAI, SUA CONQUISTA PROFISSIONAL

Catálogo de Cursos TELECOMUNICAÇÃO SENAI, SUA CONQUISTA PROFISSIONAL TELECOMUNICAÇÃO SENAI, SUA CONQUISTA PROFISSIONAL ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DOS CURSOS Catálogo de Cursos 1. TÍTULO ANTENISTA Proporcionar ao treinando conhecimentos necessários 2. OBJETIVO para o desenvolvimento

Leia mais

RETIFICAÇÃO DE EDITAL DE LICITAÇÃO MODALIDADE CONCORRÊNCIA PÚBLICA Nº 005/2010

RETIFICAÇÃO DE EDITAL DE LICITAÇÃO MODALIDADE CONCORRÊNCIA PÚBLICA Nº 005/2010 RETIFICAÇÃO DE EDITAL DE LICITAÇÃO MODALIDADE CONCORRÊNCIA PÚBLICA Nº 005/2010 O MUNICÍPIO DE NOVA VENÉCIA,, pessoa jurídica de direito público interno, inscrito no CNPJ nº 27.157.428/0001-80, estabelecida

Leia mais

Meios de Transmissão. Conceito. Importância. É a conexão física entre as estações da rede. Influência diretamente no custo das interfaces com a rede.

Meios de Transmissão. Conceito. Importância. É a conexão física entre as estações da rede. Influência diretamente no custo das interfaces com a rede. Meios de Transmissão Conceito Importância É a conexão física entre as estações da rede. Influência diretamente no custo das interfaces com a rede. Meios de Transmissão Qualquer meio físico capaz de transportar

Leia mais

Descritivo Técnico AirMux-200

Descritivo Técnico AirMux-200 Multiplexador Wireless Broadband -Visualização da unidade indoor IDU e unidade outdoor ODU com antena integrada- Principais Características Rádio e multiplexador wireless ponto-a-ponto com interface E1

Leia mais

Parte II: Projeto Executivo de Implantação

Parte II: Projeto Executivo de Implantação Parte II: Projeto Executivo de Implantação IMPLANTAÇÃO DE PARA ATENDIMENTO À REDE INTELIG COM SOLUÇÃO MOTOROLA/CANOPY REVISÃO DO DOCUMENTO: DATA DA REVISÃO RESPONSÁVEL REVISÃO /02/7 Gleice Guimarães Rev.0.0

Leia mais

Linhas de transmissão

Linhas de transmissão Linhas de transmissão 1 - Introdução Linha de transmissão é um termo genérico utilizado para referenciar qualquer tipo de meio físico construído para transmissões de sinais elétricos ou óticos. No setor

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TELECOMUNICAÇÕES As telecomunicações referem -se à transmissão eletrônica de sinais para as comunicações, incluindo meios como telefone, rádio e televisão. As telecomunicações

Leia mais

ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 24/2014

ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 24/2014 ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 24/2014 NOME DA INSTITUIÇÃO: Associação UTC América Latina AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL ATO REGULATÓRIO: Audiência Pública nº 024/2014

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DO DESENVOLVIMENTO DA PRODUÇÃO CONSULTA PÚBLICA Nº 04, DE 04 DE MARÇO DE 2015.

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DO DESENVOLVIMENTO DA PRODUÇÃO CONSULTA PÚBLICA Nº 04, DE 04 DE MARÇO DE 2015. MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DO DESENVOLVIMENTO DA PRODUÇÃO CONSULTA PÚBLICA Nº 04, DE 04 DE MARÇO DE 2015. O Secretário do Desenvolvimento da Produção do Ministério

Leia mais

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani Redes de Dados e Comunicações Prof.: Fernando Ascani Conceito de Redes Redes de computadores são estruturas físicas (equipamentos) e lógicas (programas, protocolos) que permitem que dois ou mais computadores

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof. Macêdo Firmino Meios de Transmissão Macêdo Firmino (IFRN) Redes de Computadores Abril de 2012 1 / 34 Pilha TCP/IP A B M 1 Aplicação Aplicação M 1 Cab M T 1 Transporte Transporte

Leia mais

Cabeamento Estruturado

Cabeamento Estruturado CabeamentoEstruturado Compostoporseiselementos: CabeamentoHorizontal(HorizontalCabling); CabeamentoBackbone(BackboneDistribution); ÁreadeTrabalho(WorkArea); SaladeTelecomunicações(TelecommunicationsRoom

Leia mais

Tecnologia da Informação Apostila 02

Tecnologia da Informação Apostila 02 Parte 6 - Telecomunicações e Redes 1. Visão Geral dos Sistemas de Comunicações Comunicação => é a transmissão de um sinal, por um caminho, de um remetente para um destinatário. A mensagem (dados e informação)

Leia mais

Cap 01 - Conceitos Básicos de Rede (Kurose)

Cap 01 - Conceitos Básicos de Rede (Kurose) Cap 01 - Conceitos Básicos de Rede (Kurose) 1. Quais são os tipos de redes de computadores e qual a motivação para estudá-las separadamente? Lan (Local Area Networks) MANs(Metropolitan Area Networks) WANs(Wide

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 6

REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 6 REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 6 Índice 1. MEIOS FÍSICOS DE TRANSMISSÃO (PAR TRANÇADO)...3 1.1 Cabo coaxial... 3 2 1. MEIOS FÍSICOS DE TRANSMISSÃO (PAR TRANÇADO) Em um projeto de redes,

Leia mais

ANEXO XIII - PROJETO BÁSICO

ANEXO XIII - PROJETO BÁSICO Contratação de Serviços de Engenharia para Instalação de Novos Pontos de IP e Complementação da Eficientização do Sistema de Iluminação Pública de Porto Alegre ANEXO XIII - PROJETO BÁSICO 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

SECRETARIA DE FAZENDA - DF SISTEMA DE COMUNICAÇÃO DE DADOS, VOZ E IMAGENS VIA RÁDIO.

SECRETARIA DE FAZENDA - DF SISTEMA DE COMUNICAÇÃO DE DADOS, VOZ E IMAGENS VIA RÁDIO. SECRETARIA DE FAZENDA - DF SISTEMA DE COMUNICAÇÃO DE DADOS, VOZ E IMAGENS VIA RÁDIO. 1 Marcelo Herbert de Lima Chefe do Núcleo de Controle da Produção DADOS, VOZ E IMAGENS VIA RÁDIO. 2 1 Roteiro A Secretaria

Leia mais

Conceito de automação pneumática - uma comparação entre um terminal de válvulas e válvulas avulsas

Conceito de automação pneumática - uma comparação entre um terminal de válvulas e válvulas avulsas White Paper Conceito de automação pneumática - uma comparação entre um terminal de válvulas e válvulas avulsas Válvulas avulsas ou terminal de válvulas para controle de equipamentos automatizados pneumáticos?

Leia mais

Documento sujeito a revisões periódicas CEP 59056-450 Tel: (84) 3232-2102 / 3232-2118 / 3232-1975 / 0800-281-1975

Documento sujeito a revisões periódicas CEP 59056-450 Tel: (84) 3232-2102 / 3232-2118 / 3232-1975 / 0800-281-1975 Governo do Estado do Rio Grande do Norte Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos Instruções Técnicas para Apresentação de Projetos de Estações de Radiocomunicação - Licença de Operação

Leia mais

ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA AS CÂMARAS MUNICIPAIS INTEGRANTES DA REDE LEGISLATIVA DE RÁDIO E TV

ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA AS CÂMARAS MUNICIPAIS INTEGRANTES DA REDE LEGISLATIVA DE RÁDIO E TV ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA AS CÂMARAS MUNICIPAIS INTEGRANTES DA REDE LEGISLATIVA DE RÁDIO E TV 1. Nova configuração de transmissão via Satélite A Câmara dos Deputados irá adotar uma nova configuração de

Leia mais

TORRE TELESCÓPICA AUTO SUPORTADA DE 18 METROS TORRE TEMPORÁRIA TRANSPORTÁVEL COMPACTA SBF INDÚSTRIA MECÂNICA LTDA.

TORRE TELESCÓPICA AUTO SUPORTADA DE 18 METROS TORRE TEMPORÁRIA TRANSPORTÁVEL COMPACTA SBF INDÚSTRIA MECÂNICA LTDA. TORRE TELESCÓPICA AUTO SUPORTADA DE 18 METROS TORRE TEMPORÁRIA TRANSPORTÁVEL COMPACTA SBF INDÚSTRIA MECÂNICA LTDA. PRODUTO SBF TTAS-18 DESCRITIVO TÉCNICO 1.1. Finalidade da Torre A Torre Telescópica Auto

Leia mais

Rádios Licenciados. O que significa licenciado: Significa que requer uma licença de uso de frequência concedida pela Anatel.

Rádios Licenciados. O que significa licenciado: Significa que requer uma licença de uso de frequência concedida pela Anatel. Rádios Licenciados O que significa licenciado: Significa que requer uma licença de uso de frequência concedida pela Anatel. Qual é a vantagem: 1 Os canais em uso são registrados pela Anatel e a base de

Leia mais

Descritivo Técnico AirMux-400

Descritivo Técnico AirMux-400 Multiplexador Wireless Broadband Principais Características Rádio e Multiplexador wireless ponto-a-ponto com interface E1 e Ethernet; Opera na faixa de 2.3 a 2.5 Ghz e de 4.8 a 6 Ghz; Tecnologia do radio:

Leia mais

CONTROLADOR CENTRAL P25 FASE 1 CAPACIDADE MÍNIMA PARA CONTROLAR 5 SITES

CONTROLADOR CENTRAL P25 FASE 1 CAPACIDADE MÍNIMA PARA CONTROLAR 5 SITES CONTROLADOR CENTRAL P25 FASE 1 CAPACIDADE MÍNIMA PARA CONTROLAR 5 SITES O sistema digital de radiocomunicação será constituído pelo Sítio Central, Centro de Despacho (COPOM) e Sítios de Repetição interligados

Leia mais

Serviço de Comunicação Multimídia - SCM

Serviço de Comunicação Multimídia - SCM Serviço de Comunicação Multimídia - SCM Carlos Evangelista Gerência de Outorga e Licenciamento de Estações - ORLE Superintendência de Outorga e Recursos à Prestação - SOR Agência Nacional de Telecomunicações

Leia mais

WirelessHART Manager

WirelessHART Manager Descrição do Produto O uso de tecnologias de comunicação de dados sem fio em sistemas de automação industrial é uma tendência em crescente expansão. As vantagens do uso de tecnologia sem fio são inúmeras

Leia mais

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO 1 Definição ANEXO I (Incluído pela Portaria SIT n.º 15, de 03 de julho de 2007) ANEXO IV PLATAFORMAS DE TRABALHO AÉREO (Alterado

Leia mais

EXPERIÊNCIA DA ALSTOM NA IMPLANTAÇÃO DE UM COG PARA OPERAÇÃO REMOTA DE PCH s ATRAVÉS DE COMUNICAÇÃO VIA SATÉLITE

EXPERIÊNCIA DA ALSTOM NA IMPLANTAÇÃO DE UM COG PARA OPERAÇÃO REMOTA DE PCH s ATRAVÉS DE COMUNICAÇÃO VIA SATÉLITE EXPERIÊNCIA DA ALSTOM NA IMPLANTAÇÃO DE UM COG PARA OPERAÇÃO REMOTA DE PCH s ATRAVÉS DE COMUNICAÇÃO VIA SATÉLITE Autores: Orlando Fernandes de Oliveira Neto Sebastião Gomes Neto Edson Ricardo da Rocha

Leia mais

Estado de Mato Grosso do Sul A Pequena Cativante LEI N.º 1.265/2003 CAPÍTULO I

Estado de Mato Grosso do Sul A Pequena Cativante LEI N.º 1.265/2003 CAPÍTULO I LEI N.º 1.265/2003 Dispõe sobre a instalação de estações transmissoras de rádio, televisão, telefonia celular, telecomunicações em geral e outras antenas transmissoras de radiação eletromagnética no Município

Leia mais

Proteção de Estruturas Contra Descargas Atmosféricas.

Proteção de Estruturas Contra Descargas Atmosféricas. Proteção de Estruturas Contra Descargas Atmosféricas. NBR-5419 eletroalta montagens elétricas ltda Eng Glauber Maurin LEGISLAÇÃO: NORMA REGULAMENTADORA Nº 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE

Leia mais

LOCALIZAÇÃO DO TRAÇADO

LOCALIZAÇÃO DO TRAÇADO SIM da RMBS Sistema Integrado Metropolitano SISTEMA VLT AUDIÊNCIA PÚBLICA AQUISIÇÃO DE SISTEMAS Dezembro/2011 LOCALIZAÇÃO DO TRAÇADO 2 CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO VLT Legenda: Traçado VLT: Trecho

Leia mais

MÓDULO 4 Meios físicos de transmissão

MÓDULO 4 Meios físicos de transmissão MÓDULO 4 Meios físicos de transmissão Os meios físicos de transmissão são compostos pelos cabos coaxiais, par trançado, fibra óptica, transmissão a rádio, transmissão via satélite e são divididos em duas

Leia mais

Sistema de rádio bidirecional digital profissional. Mude para digital

Sistema de rádio bidirecional digital profissional. Mude para digital Sistema de rádio bidirecional digital profissional Mude para digital Por que o rádio bidirecional digital? Mais capacidade do sistema Melhor Produtividade Excelente desempenho em comunicações bidirecionais

Leia mais

MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE VII MONTAGEM ESTRUTURA METÁLICA

MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE VII MONTAGEM ESTRUTURA METÁLICA MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE VII MONTAGEM ESTRUTURA METÁLICA Montagem Estrutura Metálica Em uma obra de estruturas metálicas, a montagem é considerada uma das fases mais importantes por representar uma

Leia mais

MODULO SERVIDOR DE GERENCIAMENTO DE CHAVES DE ENCRIPTAÇÃO AÉREA OTAR P25, FASE 2

MODULO SERVIDOR DE GERENCIAMENTO DE CHAVES DE ENCRIPTAÇÃO AÉREA OTAR P25, FASE 2 MODULO SERVIDOR DE GERENCIAMENTO DE CHAVES DE ENCRIPTAÇÃO AÉREA OTAR P25, FASE 2 Servidor de Gerenciamento de Chaves de Encriptação Aérea (Criptofonia) OTAR (Over The Air Rekeying), para emprego na rede

Leia mais

Aula 2 Cabeamento Metálico

Aula 2 Cabeamento Metálico Aula 2 Cabeamento Metálico Prof. José Mauricio S. Pinheiro - 2010 1 Cada meio de transmissão possui características próprias que o tornam adequado para tipos específicos de serviço. Os cabos metálicos

Leia mais

PROTETOR INTELIGENTE PARA TV, ÁUDIO E VÍDEO

PROTETOR INTELIGENTE PARA TV, ÁUDIO E VÍDEO PROTETOR INTELIGENTE PARA TV, ÁUDIO E VÍDEO Max Protection Multiproteção para sua TV, seu Home Theater! PRODUTO EXCLUSIVO! Acabamento em material nobre. Similar as TVs modernas. Microprocessado Monovolt

Leia mais

Cód. 24 Eletricista de Manutenção Telefônica

Cód. 24 Eletricista de Manutenção Telefônica PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ANDRÉ SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO E MODERNIZAÇÃO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO - 08/2011 1. O protocolo IP é considerado: Cód. 24 Eletricista de Manutenção Telefônica I - um

Leia mais

QUEM SOMOS MISSÃO VISÃO

QUEM SOMOS MISSÃO VISÃO QUEM SOMOS A TOP BAHIA ASSESSORIA MUNICIPAL é uma empresa baiana que atua no mercado com profissionais capacitados, prestando um serviço de excelência, fornecendo aos nossos clientes soluções completas

Leia mais

Resposta: Sim, porem a proponente deverá apresentar proposta para todos os itens do Lote 1.

Resposta: Sim, porem a proponente deverá apresentar proposta para todos os itens do Lote 1. Flavio Yasunari Yakabi Departamento Comercial - Propostas NETWORKER ENGENHARIA Em relação ao Processo de Registro de Preços para futuras e eventuais aquisições e instalações de equipamentos para comunicação

Leia mais

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Telecomunicações Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Rede de Telefonia Fixa Telefonia pode ser considerada a área do conhecimento que trata da transmissão de voz através de uma rede de telecomunicações.

Leia mais

CPR MG COMITÊ PERMANENTE REGIONAL NR-18 APLICADA AOS CANTEIROS DE OBRAS

CPR MG COMITÊ PERMANENTE REGIONAL NR-18 APLICADA AOS CANTEIROS DE OBRAS CPR MG COMITÊ PERMANENTE REGIONAL NR-18 APLICADA AOS CANTEIROS DE OBRAS DEFINIÇÃO DE GRUA: GUINDASTE UNIVERSAL DE TORRE PARA TRANSPORTE DE CARGAS, TANTO NA HORIZONTAL COMO NA VERTICAL SINALIZAÇÃO E ISOLAMENTO

Leia mais

PROJETO DE DIMENSIONAMENTO DE ENLACE DE RÁDIO

PROJETO DE DIMENSIONAMENTO DE ENLACE DE RÁDIO PROJETO DE DIMENSIONAMENTO DE ENLACE DE RÁDIO Diego de Brito Piau, Gilberto Arantes Carrijo Universidade Federal de Uberlândia, Faculdade de Engenharia Elétrica, Uberlândia-MG diegopiau@yahoo.com.br, gilberto@ufu.br

Leia mais

SUPLEMENTO Nº 03. 1. Com referência ao Pregão Eletrônico PE.GCM.A.00175.2013, informamos que este Suplemento visa alterar:

SUPLEMENTO Nº 03. 1. Com referência ao Pregão Eletrônico PE.GCM.A.00175.2013, informamos que este Suplemento visa alterar: PE.GCM.A.0075.203 /6 SUPLEMENTO Nº 03. Com referência ao Pregão Eletrônico PE.GCM.A.0075.203, informamos que este Suplemento visa alterar:.. Edital, Seção V, Anexo II, Formulário 02 Acessórios e Ferramentas

Leia mais

QUANDO TRATAMOS SOBRE MEIOS DE TRANSMISSÃO, DEVEMOS ENFATIZAR A EXISTÊNCIA DE DOIS TIPOS DESSES MEIOS, SENDO:

QUANDO TRATAMOS SOBRE MEIOS DE TRANSMISSÃO, DEVEMOS ENFATIZAR A EXISTÊNCIA DE DOIS TIPOS DESSES MEIOS, SENDO: CABEAMENTO DE REDE QUANDO TRATAMOS SOBRE MEIOS DE TRANSMISSÃO, DEVEMOS ENFATIZAR A EXISTÊNCIA DE DOIS TIPOS DESSES MEIOS, SENDO: MEIO FÍSICO: CABOS COAXIAIS, FIBRA ÓPTICA, PAR TRANÇADO MEIO NÃO-FÍSICO:

Leia mais

REDE DE COMPUTADORES

REDE DE COMPUTADORES SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL REDE DE COMPUTADORES Tecnologias de Rede Arquitetura Prof. Airton Ribeiro de Sousa E-mail: airton.ribeiros@gmail.com 1 A arquitetura de redes tem como função

Leia mais

Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para

Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para Magistério Superior Especialista em Docência para Educação

Leia mais

CADERNO DE DESCRIÇÕES DE CARGOS FÁBRICA

CADERNO DE DESCRIÇÕES DE CARGOS FÁBRICA CADERNO DE DESCRIÇÕES DE CARGOS FÁBRICA REVISÃO DOS DADOS 04 RELAÇÃO DE CARGOS Auxiliar de Montagem Montador Supervisor de Produção Técnico de Programação da Produção Coordenador de Produção IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

PARA TELECOMUNICAÇÕES. Rev. b

PARA TELECOMUNICAÇÕES. Rev. b TOTAL ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PARA FORNECIMENTO DE ESTRUTURAS MÉTALICAS PARA TELECOMUNICAÇÕES DISTRIBUIÇÃO AUTOMÁTICA DE CÓPIAS Rev. b Desenhos de Referência: DIST. QTDE/TIP ÓRGÃO d c b 06/08 2007 a FAMP

Leia mais

09/08/2015 DISCIPLINA: TECNOLOGIA DE REDES DE COMPUTADORES. Tecnologia em Jogos Digitais. Mídias (meios) de transmissão

09/08/2015 DISCIPLINA: TECNOLOGIA DE REDES DE COMPUTADORES. Tecnologia em Jogos Digitais. Mídias (meios) de transmissão Tecnologia em Jogos Digitais Mídias (meios) de transmissão DISCIPLINA: TECNOLOGIA DE REDES DE COMPUTADORES Mídias físicas: composta pelo cabeamento e outros elementos componentes utilizados na montagem

Leia mais

A escolha desses itens é importante pois interfere no custo das interfaces de rede. Cabo coaxial Par trançado Fibra ótica

A escolha desses itens é importante pois interfere no custo das interfaces de rede. Cabo coaxial Par trançado Fibra ótica Meios físicos de transmissão Objetivos: 1 - Definir os termos referentes a cabeamento. 2 - Identificar os principais tipos de cabos de rede. 3 - Determinar o tipo de cabeamento apropriado para cada tipo

Leia mais

Composição. Estrutura Fisica Redes Sistemas Operacionais Topologias de redes

Composição. Estrutura Fisica Redes Sistemas Operacionais Topologias de redes Composição Estrutura Fisica Redes Sistemas Operacionais Topologias de redes Aterramento Fio de boa qualidade A fiação deve ser com aterramento neutro (fio Terra) trabalhando em tomadas tripolares Fio negativo,

Leia mais

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA LEI Nº 11.934, DE 5 DE MAIO DE 2009. Dispõe sobre limites à exposição humana a campos elétricos, magnéticos e eletromagnéticos; Mensagem de veto altera a Lei n o 4.771, de 15 de setembro de 1965; e dá

Leia mais

SEGURANÇA NR12 AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL

SEGURANÇA NR12 AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL SEGURANÇA NR12 AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL SOLUÇÕES INDUSTRIAIS. A EMPRESA Para a SAFE, a tecnologia é somente um dos elementos de qualquer solução industrial. Suporte e serviços técnicos de alto nível são ingredientes

Leia mais

Distribuição de antenas de telefonia móvel pessoal na cidade do Rio de Janeiro

Distribuição de antenas de telefonia móvel pessoal na cidade do Rio de Janeiro ISSN 1984-7203 C O L E Ç Ã O E S T U D O S C A R I O C A S Distribuição de antenas de telefonia móvel pessoal na cidade do Rio de Janeiro Nº 20091101 Novembro - 2009 Fabiana Mota da Silva, Lúcia Helena

Leia mais

SOLUÇÕES BRASILSAT CONTRA INTERFERÊNCIA - Aplicações em comunicações via satélite em Banda C

SOLUÇÕES BRASILSAT CONTRA INTERFERÊNCIA - Aplicações em comunicações via satélite em Banda C - Aplicações em comunicações via satélite em Banda C V2.0 - AÇÃO DIVERSIDADE - BrasilSat, uma empresa socialmente responsável CAUSAS DE INTERSISTÊMICAS (ESPAÇO PARA TERRA): Dentro da Faixa de 3,625 a 4,2GHz

Leia mais

UTP Unshielded Twisted Pair - UTP ou Par Trançado sem Blindagem: é o mais usado atualmente tanto em redes domésticas quanto em grandes redes

UTP Unshielded Twisted Pair - UTP ou Par Trançado sem Blindagem: é o mais usado atualmente tanto em redes domésticas quanto em grandes redes Definição Cabeamento para uso integrado em comunicações de voz, dados e imagem preparado de maneira a atender diversos layouts de instalações, por um longo período de tempo, sem exigir modificações físicas

Leia mais

Local Multipoint Distribuition Service (LMDS)

Local Multipoint Distribuition Service (LMDS) Local Multipoint Distribuition Service (LMDS) Este tutorial apresenta a tecnologia LMDS (Local Multipoint Distribuition Service), acesso em banda larga para última milha por meio de rádios microondas.

Leia mais

CAB Cabeamento Estruturado e Redes Telefônicas

CAB Cabeamento Estruturado e Redes Telefônicas MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS SÃO JOSÉ SANTA CATARINA CAB Cabeamento Estruturado e Redes Telefônicas

Leia mais

3.5 - RADIOAMADOR é a pessoa habilitada a executar o Serviço de Radioamador.

3.5 - RADIOAMADOR é a pessoa habilitada a executar o Serviço de Radioamador. NORMA DE ATIVAÇÃO E EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS DA REDE NACIONAL DE EMERGÊNCIA DE RADIOAMADORES - RENER 1. INTRODUÇÃO 1.1 - A presente norma estabelece as condições de ativação e execução da Rede Nacional de

Leia mais

DIVISÃO DE MANUTENCAO DEPARTAMENTO DE MANUTENCAO DE SISTEMAS DIGITAIS. Especificações Técnicas. Rádios Banda Larga 5.8GHz e Antenas ETD- 00.

DIVISÃO DE MANUTENCAO DEPARTAMENTO DE MANUTENCAO DE SISTEMAS DIGITAIS. Especificações Técnicas. Rádios Banda Larga 5.8GHz e Antenas ETD- 00. COMPANHIA ESTADUAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA DIVISÃO DE MANUTENCAO DEPARTAMENTO DE MANUTENCAO DE SISTEMAS DIGITAIS Especificações Técnicas Rádios Banda Larga 5.8GHz e Antenas ETD- 00.058 Cod.

Leia mais

Fontes de Alimentação Repetidoras. IsoAmp PWR A 20100

Fontes de Alimentação Repetidoras. IsoAmp PWR A 20100 Fontes de Alimentação Repetidoras Fonte de alimentação repetidora em alojamento de 6 mm com chaveamento calibrado dos sinais de saída, transmissão HART e separação protetora. A Tarefa Alimentação flexível

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Introdução Redes de Computadores Marco Antonio Montebello Júnior marco.antonio@aes.edu.br Rede É um conjunto de computadores chamados de estações de trabalho que compartilham recursos de hardware (HD,

Leia mais

Aterramentos. por Rafael Alves

Aterramentos. por Rafael Alves Aterramentos por Rafael Alves Dentre as causas mais comuns que podem ocasionar distúrbios e danos à segurança das pessoas e equipamentos numa estação de telecom estão as descargas atmosféricas, as sobretensões

Leia mais

TV Digital: Como serão as Antenas Transmissoras no novo Sistema?

TV Digital: Como serão as Antenas Transmissoras no novo Sistema? TV Digital: Como serão as Antenas Transmissoras no novo Sistema? Este tutorial apresenta conceitos básicos sobre antenas empregadas na transmissão de TV Digital que começam em 2 de dezembro de 2007 em

Leia mais

MANUAL TÉCNICO ANDAIME FACHADEIRO

MANUAL TÉCNICO ANDAIME FACHADEIRO MANUAL TÉCNICO ANDAIME FACHADEIRO 1 SUMÁRIO Acessórios 03 Instruções de montagem 04 Dicas Importantes 10 Acesso dos Andaimes 11 Informações de Segurança 12 2 ACESSÓRIOS 3 ANDAIME FACHADEIRO INSTRUÇÕES

Leia mais

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil Ubirajara Tomaz Fernandes Junior Marcel Mascaro Martinelli Edson Nunes AES Eletropaulo

Leia mais

Assunto: Avaliação da documentação de Habilitação Técnica enviada pela empresa GIMP Engenharia participante do Pregão 02/2011 TB

Assunto: Avaliação da documentação de Habilitação Técnica enviada pela empresa GIMP Engenharia participante do Pregão 02/2011 TB NOTA TÉCNICA Nº /2011/Telebrás Assunto: Avaliação da documentação de Habilitação Técnica enviada pela empresa GIMP Engenharia participante do Pregão 02/2011 TB Elaboração: Gerência de Projetos Diretoria

Leia mais

Apostilas de Eletrônica e Informática SDH Hierarquia DigitaL Síncrona

Apostilas de Eletrônica e Informática SDH Hierarquia DigitaL Síncrona SDH A SDH, Hierarquia Digital Síncrona, é um novo sistema de transmissão digital de alta velocidade, cujo objetivo básico é construir um padrão internacional unificado, diferentemente do contexto PDH,

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA 1. OBJETO A presente licitação tem como objeto a contratação de empresa, especializada e devidamente autorizada pela ANATEL - Agência Nacional de Telecomunicações, prestadora

Leia mais

09/06/2011. Profª: Luciana Balieiro Cosme

09/06/2011. Profª: Luciana Balieiro Cosme Profª: Luciana Balieiro Cosme Revisão dos conceitos gerais Classificação de redes de computadores Visão geral sobre topologias Topologias Barramento Anel Estrela Hibridas Árvore Introdução aos protocolos

Leia mais

Manual de funcionamento Esteira transportadora

Manual de funcionamento Esteira transportadora Manual de funcionamento Esteira transportadora Sumário 1. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 2 2. ITENS DO SISTEMA... 3 2.1. PLACA DE COMANDO... 3 2.1.1. Sinalizador... 3 2.1.2. Botão pulsador... 3 2.1.3. Chave comutadora...

Leia mais

MANUAL TÉCNICO. Segurança e Saúde no Trabalho ANDAIME TUBULAR ANDAIME TUBULAR. Andaimes setembro/2012. Andaime Fachadeiro.

MANUAL TÉCNICO. Segurança e Saúde no Trabalho ANDAIME TUBULAR ANDAIME TUBULAR. Andaimes setembro/2012. Andaime Fachadeiro. e MANUAL TÉCNICO ANDAIME TUBULAR ANDAIME TUBULAR e ANDAIME TUBULAR Objetivo Estabelecer os procedimentos que devem ser obedecidos na liberação de montagem / desmontagem de andaimes com a finalidade de

Leia mais

TELEPROTEÇÃO SISTEMA ELÉTRICO TÓPICOS. Adequar o sistema de proteção entre as subestações

TELEPROTEÇÃO SISTEMA ELÉTRICO TÓPICOS. Adequar o sistema de proteção entre as subestações Objetivo TELEPROTEÇÃO VIA RÁDIOR Adequar o sistema de proteção entre as subestações Cachoerinha 1(CEEE), REFAP e ESTEIO (AES SUL), de tal forma para evitar possíveis danos nas unidades geradoras existentes

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES CONSULTA PÚBLICA Nº 54, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2013 Atribuir a faixa de radiofrequências de 4.910 MHz a 4.940 MHz também ao Serviço Móvel, manter a atribuição da faixa

Leia mais

Solução Acesso Internet Áreas Remotas

Solução Acesso Internet Áreas Remotas Solução Acesso Internet Áreas Remotas Página 1 ÍNDICE GERAL ÍNDICE GERAL... 1 1. ESCOPO... 2 2. SOLUÇÃO... 2 2.1 Descrição Geral... 2 2.2 Desenho da Solução... 4 2.3 Produtos... 5 2.3.1 Parte 1: rádios

Leia mais

EM 1991 a EIA (Eletronic Industries Association) publicou um padrão para cabeamento de telecomunicações

EM 1991 a EIA (Eletronic Industries Association) publicou um padrão para cabeamento de telecomunicações Laboratório de Redes. Cabeamento Estruturado Pedroso 4 de março de 2009 1 Introdução EM 1991 a EIA (Eletronic Industries Association) publicou um padrão para cabeamento de telecomunicações de edifícios

Leia mais

Parte II: Projeto Executivo de Implantação

Parte II: Projeto Executivo de Implantação Data: 17/04/2009 V 2.0 PROJETO EXECUTIVO INTELIG CLUSTER CENU Parte II: Projeto Executivo de Implantação IMPLANTAÇÃO DE CLUSTER PARA ATENDIMENTO À REDE INTELIG COM SOLUÇÃO MOTOROLA/CANOPY Cluster SPO CENU

Leia mais