DIRETORIA DE GESTÃO ORÇAMENTÁRIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DIRETORIA DE GESTÃO ORÇAMENTÁRIA"

Transcrição

1 SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS DIRETORIA DE GESTÃO ORÇAMENTÁRIA APOSTILA DE TREINAMENTO

2 Índice CONCEITOS BÁSICOS... 3 FLEXVISION... 3 CUBOS, DIMENSÕES, HIERARQUIAS, NÍVEIS, MEMBROS... 3 FILTROS... 4 CONSULTAS... 5 EXPRESSÕES LÓGICAS... 6 Membros... 6 Operadores de comparação... 7 Operadores Lógicos...12 INICIANDO...14 CONSULTAS...17 CATEGORIZANDO CONSULTAS...17 INCLUINDO CONSULTAS...20 EXECUTANDO CONSULTAS...25 COPIANDO CONSULTAS...27 ALTERANDO CONSULTAS...28 EXCLUINDO CONSULTAS...30 FORMATANDO O RESULTADO DAS CONSULTAS...31 Disposição dos Nós Filhos...31 Fonte, Cor de Fundo, Alinhamento, Bordas...33 Propriedades dos Níveis a serem apresentadas...39 Formatação Numérica...41 LAB EXPLORANDO O RESULTADO DAS CONSULTAS...45 CRIANDO TOTAIS E CÁLCULOS...47 Criando uma soma de nós...47 Utilizando expressões de cálculo...48 LAB GRÁFICOS...52 LAB EXPORTANDO O RESULTADO DE UMA CONSULTA...56 ORDENAÇÃO E CORTE...57 LAB PARÂMETROS...69 UTILIZANDO PARÂMETROS ESTÁTICOS EM CONSULTAS...69 UTILIZANDO PARÂMETROS DINÂMICOS EM CONSULTAS...72 EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES...75

3 Conceitos Básicos Flexvision O Flexvision é uma ferramenta OLAP (On-line Analytical Processing) que opera sobre bancos de dados relacionais com características que lhe permitem tanto análises ad-hoc quanto criação de relatórios com grande flexibilidade de customização. Cubos, Dimensões, Hierarquias, Níveis, Membros Cubos são um conjunto de registros valorados, qualificados por membros dispostos em níveis hierarquizados em dimensões Ano Transporte Saúde Educação Função MG SP RN UF SE Região NE Imaginemos que no desenho acima o cubo represente os empenhos realizados, classificados por três dimensões que qualificam a despesa empenhada quanto ao tempo (ano em que o empenho foi feito), distribuição geográfica (unidade da federação atendida pelo empenho) e função de governo. Neste formato, cada célula do cubo tem um valor associado a um membro de cada uma destas dimensões. Podemos ainda dizer que as unidades da federação podem ser enquadradas em regiões, estabelecendo desta forma uma hierarquia numa das dimensões. Neste contexto, a região e unidade da federação são níveis da dimensão geográfica. O ano faz parte de uma dimensão com um único nível. Cada célula do cubo tem um ou mais valores associados representando suas métricas, neste exemplo o valor empenhado. Flexvision 3

4 Filtros Filtros são expressões lógicas definidas sobre um cubo que podem ser usadas na criação de métricas ou consultas, restringindo os registros que serão usados no seu processamento Ano Transport Saúde Educação Função MG SP RJ UF Na ilustração acima os cubículos em amarelo representam o subconjunto de registros que restritos pela expressão lógica Função = Educação e Ano = Flexvision 4

5 Consultas Consultas são visualizações dos registros do cubo tendo seus valores aglutinados de forma a favorecer uma determinada análise em particular. A definição de uma consulta permite a seleção dos níveis que serão visualizados nas linhas ou colunas de uma matriz, bem como as métricas e filtros que serão apresentados. O exemplo abaixo ilustra o resultado de uma consulta na qual o nível Unidade Gestora foi selecionado para ser apresentado nas linhas da matriz enquanto as métricas Despesa Empenhada e Despesa Liquidada serão apresentadas nas colunas. Unidade Gestora Despesas Empenhadas por Unidade Gestora Despesa Empenhada Despesa Liquidada BATALHAO DE ENGENHARIA DE CONSTRUCAO COMANDO DE FRONTEIRA ACRE/4 BIS CIRCUNSCRICAO DE SERVICO MILITAR BATALHAO DE INFANTARIA MOTORIZADO BATALHAO DE INFANTARIA DE SELVA BATALHAO DE INFATARIA DE SELVA (AEROMOVEL) BATALHAO DE AVIAçãO DO EXERCITO CENTRO DE EMBARCACOES DO COM.MIL.DA AMAZONIA INSPETORIA DE CONTAB.FINANCAS DO EXERCITO CIRCUNSCRICAO DE SERVICO MILITAR DIVISAO DE LEVANTAMENTO CENTRO DE INSTRUCAO DE GUERRA NA SELVA COLEGIO MILITAR DE MANAUS COMANDO 12 REGIAO MILITAR COMANDO 2 GRUPAMENTO ENGENHARIA CNST COMANDO DO COMANDO MILITAR DA AMAZONIA Flexvision 5

6 Expressões Lógicas Expressões lógicas são regras utilizadas para restringir os registros que serão utilizados em um determinado processamento, seja o cálculo de métricas ou a execução de uma consulta. As expressões lógicas podem ser armazenadas na forma de filtros para permitir sua reutilização em diversas situações. Podem ainda ser diretamente utilizadas na definição de métricas do cubo ou na criação de consultas. Nesta seção aprofundaremos um pouco na sintaxe das expressões lógicas. Expressões Lógicas podem assumir dois valores: verdadeiro ou falso. No exemplo acima a expressão [Unidade Gestora].[código] = é verdadeira ou falsa com base num registro que se esteja analisando. Se o registro estiver associado à Unidade Gestora CENTRO DE INSTRUCAO DE GUERRA NA SELVA, a expressão terá um valor verdadeiro, caso contrário resultará num valor falso. Vincular tal expressão a uma métrica significa considerar no seu cálculo somente os registros para os quais a expressão é verdadeira. Vincular uma expressão lógica a uma consulta consiste em restringir os registros que serão utilizados para compor o resultado da consulta. É importante enfatizar que as expressões lógicas no Flexvision serão sempre avaliadas no contexto de um registro, para o qual a expressão resultará num valor verdadeiro ou falso. Membros Cada registro armazenado na tabela fato de um cubo é qualificado por diversos classificadores denominados Membros. Essa designação se dá ao fato desses classificadores pertencerem aos níveis das dimensões. Cada nível, por sua vez, é qualificado por uma ou mais propriedades que são características apresentadas por cada integrante do nível. Tomando por exemplo o nível Unidade Gestora, dizemos que ele é qualificado por duas propriedades: Código e Título, já que toda Unidade Gestora apresenta um código e título associado ( CENTRO DE INSTRUCAO DE GUERRA NA SELVA, DIVISAO DE LEVANTAMENTO, etc). Quando, numa expressão, queremos fazer referência a um membro associado a um registro, simplesmente identificamos o nível ao qual o membro pertence entre colchetes. Por exemplo, [Unidade Gestora] representa o membro que ocupa o nível Unidade Gestora para um registro em questão. Quando queremos fazer referência alguma propriedade de um membro, utilizamos a sintaxe [Nível].[Propriedade]. Para representar o código de uma unidade gestora, utilizamos [Unidade Gestora].[Código], o título de uma função, [Função].[Título], e assim por diante. A tabela abaixo apresenta o resultado da avaliação das expressões [Unidade Gestora].[Código] e [Função].[Título] sobre um conjunto de registros: Unidade Gestora Função Valor [Unidade Gestora].[Código] [Função].[Título] 12 - Educação Educação INSTITUTO MILITAR DE ENGENHARIA HOSPITAL GERAL DE BELEM LABORATORIO QUIMICO FARMACEUTICO DO EXERCITO COLEGIO MILITAR DE JUIZ DE FORA 10 - Saúde Saúde 10 - Saúde Saúde 12 - Educação Educação Flexvision 6

7 Operadores de comparação Operadores de comparação são operadores que atuam sobre expressões de mesmo tipo, retornando verdadeiro ou falso conforme alguma análise realizada sobre os operandos. São eles: Igual (=) Sintaxe: <Nível>.<Propriedade> = <valor> Significado: Retorna verdadeiro se a propriedade de um nível para o registro que está sendo analisado for igual ao valor. Exemplo: [Órgão].[Código] = A tabela abaixo mostra o resultado da avaliação da expressão sobre um conjunto de registros: Órgão Função Valor Avaliação FUNDO DO EXERCITO 12 - Educação 1000 verdadeiro FUNDO DO EXERCITO 10 - Saúde 2000 verdadeiro FUNDACAO OSORIO 12 - Educação 3000 falso FUNDACAO OSORIO 10 - Saúde 5000 falso Menor (<) Sintaxe: <Nível>.<Propriedade> < <valor> Significado: Retorna verdadeiro se e somente se a propriedade de um nível para o registro que está sendo analisado for menor que o valor. Exemplo: [Função].[Código] < 12 A tabela abaixo mostra o resultado da avaliação da expressão sobre um conjunto de registros: Órgão Função Valor Avaliação FUNDO DO EXERCITO 12 - Educação 1000 falso FUNDO DO EXERCITO 10 - Saúde 2000 verdadeiro FUNDACAO OSORIO 12 - Educação 3000 falso FUNDACAO OSORIO 10 - Saúde 5000 verdadeiro Flexvision 7

8 Maior (>) Sintaxe: <Nível>.<Propriedade> > <valor> Significado: Retorna verdadeiro se e somente se a propriedade de um nível para o registro que está sendo analisado for maior que o valor da literal. Exemplo: [Função].[Código] > 10 A tabela abaixo mostra o resultado da avaliação da expressão sobre um conjunto de registros: Órgão Função Valor Avaliação FUNDO DO EXERCITO 12 - Educação 1000 verdadeiro FUNDO DO EXERCITO 10 - Saúde 2000 falso FUNDACAO OSORIO 12 - Educação 3000 verdadeiro FUNDACAO OSORIO 10 - Saúde 5000 falso Menor ou igual (<=) Sintaxe: <Nível>.<Propriedade> <= <valor> Significado: Retorna verdadeiro se a propriedade de um nível para o registro que está sendo analisado for menor ou igual ao valor. Exemplo: [Função].[Código] <= 12 A tabela abaixo mostra o resultado da avaliação da expressão sobre um conjunto de registros: Órgão Função Valor Avaliação FUNDO DO EXERCITO 12 - Educação 1000 verdadeiro FUNDO DO EXERCITO 10 - Saúde 2000 verdadeiro FUNDACAO OSORIO 12 - Educação 3000 verdadeiro FUNDACAO OSORIO 10 - Saúde 5000 verdadeiro Flexvision 8

9 Maior ou igual (>=) Sintaxe: <Nível>.<Propriedade> >= <literal> Significado: Retorna verdadeiro se e somente se a propriedade de um nível para o registro que está sendo analisado for maior ou igual ao valo. Exemplo: [Função].[Código] >= 11 A tabela abaixo mostra o resultado da avaliação da expressão sobre um conjunto de registros: Órgão Função Valor Avaliação FUNDO DO EXERCITO 12 - Educação 1000 verdadeiro FUNDO DO EXERCITO 10 - Saúde 2000 falso FUNDACAO OSORIO 12 - Educação 3000 verdadeiro FUNDACAO OSORIO 10 - Saúde 5000 falso Começa com Sintaxe: <Nível>.<Propriedade> começa com <literal> Significado: Retorna verdadeiro se a propriedade de um nível para o registro que está sendo analisado tiver seus primeiros caracteres coincidindo com uma dada literal. Exemplo: [Órgão].[Título] começa com FUN A tabela abaixo mostra o resultado da avaliação da expressão sobre um conjunto de registros: Órgão Função Valor Avaliação FUNDO DO EXERCITO 12 - Educação 1000 verdadeiro FUNDO DO EXERCITO 10 - Saúde 2000 verdadeiro FUNDACAO OSORIO 12 - Educação 3000 verdadeiro FUNDACAO OSORIO 10 - Saúde 5000 verdadeiro Flexvision 9

10 Termina com Sintaxe: <Nível>.<Propriedade> termina com <literal> Significado: Retorna verdadeiro se a propriedade de um nível para o registro que está sendo analisado tiver seus últimos caracteres coincidindo com uma dada literal. Exemplo: [Órgão].[Título] termina com RIO A tabela abaixo mostra o resultado da avaliação da expressão sobre um conjunto de registros: Órgão Função Valor Avaliação FUNDO DO EXERCITO 12 - Educação 1000 falso FUNDO DO EXERCITO 10 - Saúde 2000 falso FUNDACAO OSORIO 12 - Educação 3000 verdadeiro FUNDACAO OSORIO 10 - Saúde 5000 verdadeiro Contém Sintaxe: <Nível>.<Propriedade> contém <literal> Significado: Retorna verdadeiro se a propriedade de um nível para o registro que está sendo analisado tiver, em qualquer posição, caracteres coincidindo com uma dada literal. Exemplo: [Órgão].[Título] contém da A tabela abaixo mostra o resultado da avaliação da expressão sobre um conjunto de registros: Órgão Função Valor Avaliação FUNDO DO EXERCITO 12 - Educação 1000 falso FUNDO DO EXERCITO 10 - Saúde 2000 falso FUNDACAO OSORIO 12 - Educação 3000 verdadeiro FUNDACAO OSORIO 10 - Saúde 5000 verdadeiro Flexvision 10

11 Pertence Sintaxe: <Nível>.<Propriedade> pertence <lista> Significado: Retorna verdadeiro se a propriedade do membro de um nível para o registro que está sendo analisado coincidir com um dos valores da lista. Exemplo: [Função].[Código] pertence (05, 12) A tabela abaixo mostra o resultado da avaliação da expressão sobre um conjunto de registros: Órgão Função Valor Avaliação FUNDO DO EXERCITO 12 - Educação 1000 verdadeiro FUNDO DO EXERCITO 10 - Saúde 2000 falso FUNDACAO OSORIO 05 - Defesa Nacional 3000 verdadeiro FUNDACAO OSORIO 10 - Saúde 5000 falso Flexvision 11

12 Operadores Lógicos Operadores Lógicos são operadores que atuam sobre expressões lógicas permitindo a elaboração de expressões lógicas mais complexas. São eles: E Sintaxe: Significado: <Exp1> E <Exp2> Determina um valor verdadeiro se e somente se ambos os operandos resultarem em valores verdadeiros ao serem avaliados. Exemplo: [Órgão].[Código] = e [Função].[Código] = 10 A tabela abaixo mostra o resultado da avaliação da expressão sobre um conjunto de registros: Órgão Função Valor Avaliação FUNDO DO EXERCITO 12 - Educação 1000 falso FUNDO DO EXERCITO 10 - Saúde 2000 verdadeiro FUNDACAO OSORIO 05 - Defesa Nacional 3000 falso FUNDACAO OSORIO 10 - Saúde 5000 falso OU Sintaxe: Significado: <Exp1> OU <Exp2> Determina um valor verdadeiro se e somente se pelo menos um dos seus operandos resultar num valor verdadeiro ao ser avaliado. Exemplo: [Órgão].[Código] = ou [Função].[Código] = 05 A tabela abaixo mostra o resultado da avaliação da expressão sobre um conjunto de registros: Órgão Função Valor Avaliação FUNDO DO EXERCITO 12 - Educação 1000 verdadeiro FUNDO DO EXERCITO 10 - Saúde 2000 verdadeiro FUNDACAO OSORIO 05 - Defesa Nacional 3000 verdadeiro FUNDACAO OSORIO 10 - Saúde 5000 falso Flexvision 12

13 NÃO Sintaxe: Significado: NÃO <Exp1> Determina um valor verdadeiro se e somente se o seu operando resultar num valor falso ao ser avaliado. Exemplo: NÃO [Função].[Código] = 10 A tabela abaixo mostra o resultado da avaliação da expressão sobre um conjunto de registros: Órgão Função Valor Avaliação FUNDO DO EXERCITO 12 - Educação 1000 verdadeiro FUNDO DO EXERCITO 10 - Saúde 2000 falso FUNDACAO OSORIO 05 - Defesa Nacional 3000 verdadeiro FUNDACAO OSORIO 10 - Saúde 5000 falso Flexvision 13

14 INICIANDO Neste tópico, você aprenderá como: Navegar pelo programa Caminho eletrônico : O Código é o Numero do CPF e a senha será fornecida para o usuário pela SEF/DGO/SIGA. Flexvision 14

15 O acesso disponível para os usuários será apenas para Consulta e Relatórios. Num primeiro estágio, o programa está realizando Consultas Gerenciais, extraídas do banco de dados disponibilizado pelo SERPRO, com o aval da STN, que se encontra na SG-5/SEF. O programa está operacionalizando os saldos contábeis das diversas contas movimentadas pelo Comando do Exército. Não estando disponível neste momento a consulta aos documentos do SIAFI. No Módulo de Segurança o usuário deverá alterar sua senha. No Módulo de Consultas e Relatórios o usuário poderá elaborar relatórios gerenciais utilizando o banco de dados extraído do SIAFI e disponibilizado pelo SERPRO. Flexvision 15

16 As consultas incluídas no sistema podem ser armazenadas em diversas pastas (categorias), criadas pelo usuário, para utilização apenas pelos usuários, ou compartilhadas para os demais usuários do sistema, para consulta e/ou alterações. O compartilhamento não é realizado na pasta, mas em cada relatório, por meio de uma propriedade especial do relatório. As Categorias são criadas pressionando o botão (+), quando deverá ser criado seu nome. Depois, por meio das setas, pode-se mover as categorias pela árvore do sistema. Para excluir, utiliza-se o ícone da lixeira. Para alterações, deve-se selecionar a pasta desejada, e clicar no botão à esquerda da lixeira. Flexvision 16

17 Consultas Neste tópico, você aprenderá como: Categorizar consultas Incluir consultas Alterar consultas Excluir consultas Copiar consultas Executar consultas Explorar o resultado das consultas utilizando a capacidade de drill Formatar o resultado das consultas Incluir totalizadores nas consultas Exportar o resultado de consultas Aplicar ordenação e cortes ao resultado de consultas As consultas são a visualização dos registros de um cubo agregados de forma a favorecer uma determinada análise em particular. No Flexvision a forma de se agregar um cubo se dá pela disposição hierárquica de filtros, métricas e níveis nos eixos das linhas e das colunas. Há ainda a possibilidade de se agrupar consultas afins em categorias, de forma hierarquizada, facilitando assim a organização das consultas disponíveis para um usuário. Categorizando Consultas 1. Selecione a opção Consultas e Relatórios Consultas. Flexvision 17

18 2. Nesta página é apresentada a árvore inicial de categorias. Na ramificação Minhas consultas, ficarão todas as consultas criadas pelo usuário que está utilizando o sistema, já na ramificação Consultas compartilhadas ficarão todas as consultas de propriedade de outros usuários, mas que lhe foram concedidos privilégios de execução e/ou edição nas suas consultas. Neste passo iremos criar uma categoria Treinamento. Na seção Categorias, clique na categoria Minhas Consultas, e em seguida clique em. 3. Dê o nome Treinamento para esta nova categoria. Flexvision 18

19 4. Clique em Ok para confirmar a inclusão da nova categoria. 5. Para alterar o título de uma categoria, selecione a categoria desejada e clique no botão. Depois de alterar o título clique em Ok. De forma semelhante use o botão para excluir uma categoria, e,,, para alterar a disposição hierárquica das categorias na árvore. Flexvision 19

20 Incluindo Consultas 1. Selecione a opção Consultas e Relatórios Consultas. 2. Selecione a categoria Treinamento, que receberá a nova consulta. 3. Pressione o botão Novo para incluir uma nova consulta. Flexvision 20

21 4. O primeiro passo para inclusão de uma consulta é a definição do cubo cujos registros serão consultados. Pressione o botão ao lado da caixa de texto Cubo. 5. Selecione o cubo Saldos Contábeis Na caixa de texto Título, dê o título Despesas Empenhadas por Função e Programa. 7. Na Guia Linhas, selecione o nó Linhas e Pressione o botão Nível. 8. Selecione os níveis Função e Programa, paginando se necessário para localizá-los. Flexvision 21

22 9. Pressione o botão Submeter seleção para confirmar a seleção feita. 10. Selecione agora o nó recém incluído Função e pressione novamente o botão Subir. Flexvision 22

23 11. Selecione o nível Programa e pressione o botão Direita. Isto fará com que os programas sejam apresentados dentro de cada Função, estabelecendo uma hierarquia de agrupamento nos valores apresentados. 12. Selecione agora a guia Colunas e nela selecione o nó Colunas. 13. Pressione o botão Filtro e selecione o filtro Despesa Empenhada. Flexvision 23

24 14. Selecione o nó inserido Despesa Empenhada e pressione o botão Nível. 15. Selecione o nível Mês e pressione o botão Submeter seleção. Flexvision 24

25 16. Pressione o botão Salvar para armazenar a consulta criada no banco de dados. Executando Consultas 1. Selecione a opção Consultas e Relatórios Consultas. 2. Selecione a consulta a ser executada. Flexvision 25

26 3. Pressione o botão Executar. Flexvision 26

27 Copiando Consultas A cópia de consultas é um artifício bem interessante que nos permite ganhar tempo na criação de consultas aproveitando-se de consultas existentes. Além disso, pode ser um interessante instrumento de aprendizado uma vez que podemos criar uma cópia de uma consulta, promover mudanças nessa cópia e analisar o resultado da execução. Neste exemplo criaremos uma cópia da consulta Despesas Empenhadas por Função e Programa. 1. Selecione a opção Consultas e Relatórios Consultas. 2. Selecione a categoria da consulta a ser copiada. 3. Selecione a consulta a ser copiada 4. Clique no botão Copiar. 5. Selecione a categoria onde a cópia será inserida, neste caso, a categoria Treinamento. Flexvision 27

28 Alterando Consultas Neste exemplo promoveremos uma alteração na cópia da consulta criada na seção anterior, modificando seu título e restringindo-a ao primeiro trimestre. 1. Selecione a opção Consultas e Relatórios Consultas. 2. Na árvore de categorias selecione a categoria Treinamento. 3. Selecione a consulta Despesas Empenhadas por Função e Programa (Cópia), marcando a opção de seleção na coluna Selecionar da tabela e em seguida clicando em Alterar. 4. Altere o título da consulta para Despesas Empenhadas por Função e Programa no Primeiro Trimestre. Flexvision 28

29 5. Selecione a guia Filtro e pressione o botão Alterar. 6. Informe a expressão [Mês].[Número] <= 3 e pressione Ok 7. Pressione o botão Salvar para confirmar as alterações na consulta. Flexvision 29

30 Excluindo Consultas 1. Para excluir uma consulta, localize-a da mesma forma como explicado no tópico Alterando Consultas. 2. Clique no botão Excluir. É necessário certificar de que a consulta não será mais necessária, pois esta operação é irreversível. Flexvision 30

31 Formatando o Resultado das Consultas Disposição dos Nós Filhos Os nós que integram os eixos do resultado da consulta podem se dispor de três formas: Hierárquica: No caso de nós que compõem o eixo das linhas, os nós filhos serão dispostos abaixo do nó pai. No caso de nós que compõem o eixo das colunas, os nós filhos serão apresentados à direita do nó pai. Seqüencial: No caso de nós que compõem o eixo das linhas, os nós filhos serão dispostos à direita do nó pai. No caso de nós que compõem o eixo das colunas, os nós filhos serão apresentados abaixo do nó pai. Somente Filhos: O nó pai não será apresentado e os nós filhos ocuparão o seu lugar. Neste exemplo, iremos alterar a disposição no nó Função, indicando que os Programas dentro de cada Função serão apresentadas abaixo deste. 1. Selecione a opção Consultas e Relatórios Consultas. 2. Selecione a consulta Despesas Empenhadas por Função e Programa e pressione o botão Alterar. 3. Na guia Linhas, selecione o nó Função. 4. Pressione o botão Detalhar. Flexvision 31

32 5. Selecione a guia Disposição. 6. Selecione a opção Hierárquica. 7. Pressione Ok para confirmar as alterações no nó. 8. Pressione Salvar para confirmar as alterações na consulta. 9. Selecione a consulta Despesas Empenhadas por Função e Programa e pressione o botão Executar. 10. Observe a disposição dos membros do nível Programa que agora se encontram abaixo dos membros do nível Função. Flexvision 32

33 Fonte, Cor de Fundo, Alinhamento, Bordas As formatações de fonte, cor de fundo, alinhamento e bordas são feitas nó a nó e se comportam de maneira hierárquica. A formatação nó a nó nos permite, por exemplo, dar um destaque a determinada linha ou coluna do resultado de uma consulta. O comportamento hierárquico significa que se uma determinada característica não for definida para um nó, a característica do nó pai será assumida e assim por diante. Isto nos permite formatar vários nós simultaneamente sem a necessidade de alterar cada um individualmente. Vale ainda ressaltar que a formatação de cada nó pode ser definida individualmente para as regiões de cabeçalhos e valores ilustradas na figura abaixo. Cabeçalhos Valores No exemplo a seguir iremos destacar as linhas vinculadas ao nível Função e centralizaremos os títulos dos cabeçalhos das colunas. 1. Selecione a opção Consultas e Relatórios Consultas. 2. Selecione a consulta Despesas Empenhadas por Função e Programa e pressione o botão Alterar. 3. Na guia Linhas, selecione o nó Função e pressione o botão Detalhar. Flexvision 33

34 4. Selecione a guia Cabeçalhos. 5. Dentro do Tópico células clique sobre a imagem para selecionar a cor de fundo das células de cabeçalho associadas ao nó Função. 6. Selecione uma cor de sua preferência e pressione o botão Aplicar. 7. No Tópico Fonte, selecione a opção Negrito. Flexvision 34

35 Característica não será mais herdada Observe na figura acima que ao definir uma característica de formatação para o nó, a caixa de seleção à sua direita é automaticamente selecionada. Isto significa que a formatação do nó pai não será mais herdada para esta característica. Para voltar a herdar a característica do nó pai basta desmarcar esta caixa de seleção. 8. Selecione a guia Valores. 9. Dentro do tópico Células clique sobre a imagem para selecionar a cor de fundo das células de valores associadas ao nó Função. Flexvision 35

36 10. Selecione uma cor de sua preferência e pressione o botão Aplicar. 11. Pressione o botão Ok para confirmar as alterações na formatação do nó Função. 12. Selecione a guia Colunas e nela selecione o nó Colunas. 13. Pressione o botão Detalhar. Flexvision 36

37 14. Na guia Cabeçalhos, tópico Alinhamento, selecione Centro para o alinhamento horizontal e o alinhamento vertical. 15. Pressione o botão Ok para confirmar as alterações na formatação do nó Colunas. Apesar do nó Colunas não ser visível, os nós subordinados, que são visíveis, herdarão sua formatação. 16. Pressione o botão Salvar para salvar as alterações da Consulta. Flexvision 37

38 17. Execute a consulta para visualizar o resultado. Flexvision 38

39 Propriedades dos Níveis a serem apresentadas Como já vimos, todos os níveis possuem propriedades que são características pelas quais seus membros podem ser qualificados. Nos nós associados a níveis podemos definir quais propriedades serão apresentadas. Neste exemplo iremos remover os códigos do nível Função. 1. Selecione a opção Consultas e Relatórios Consultas. 2. Selecione a consulta Despesas Empenhadas por Função e Programa e pressione o botão Alterar. 3. Na guia Linhas, selecione o nó Função e pressione o botão Detalhar. 4. Selecione a guia Propriedades. Flexvision 39

40 5. Na caixa Propriedades selecionadas selecione Código e pressione o botão Remover. 6. Pressione o botão Ok para confirmar a alteração do nó Função. 7. Pressione o botão Salvar para salvar as alterações da consulta. 8. Execute a consulta para visualizar o resultado. Flexvision 40

41 Formatação Numérica O número de casas decimais, uso do separador de milhar e o símbolo monetário podem ser controlados para cada nó da consulta. Neste exemplo iremos representar os valores associados aos Programas com duas casas decimais: 1. Selecione a opção Consultas e Relatórios Consultas. 2. Selecione a consulta Despesas Empenhadas por Função e Programa e pressione o botão Alterar. 3. Na guia Linhas, selecione o nó Programa e pressione o botão Detalhar. 4. Selecione a guia Valores. 5. No tópico Valores, clique na caixa Casas decimais e selecione o valor Pressione Ok para confirmar as alterações no nó. 7. Pressione o botão Salvar para salvar as alterações na consulta. Flexvision 41

42 8. Execute a consulta para visualizar o resultado. Observe que somente nas linhas referentes aos Programas os valores são apresentados com duas casas decimais. Flexvision 42

43 Lab Na Consulta Despesas Empenhadas por Função e Programa faça com que as linhas referentes a Programas se apresentem em negrito tanto nas células de cabeçalho quanto nas células de valor. 2. Crie uma consulta que gere o resultado abaixo (apenas as primeiras linhas foram apresentadas na ilustração). Órgãos Despesas por Órgão e UG Coluna em negrito Órgão / Unidade Gestora Despesa Empenhada Despesa Liquidada COMANDO DO EXERCITO , , BATALHAO DE ENGENHARIA DE CONSTRUCAO , , COMANDO DE FRONTEIRA ACRE/4 BIS , , CIRCUNSCRICAO DE SERVICO MILITAR , , BATALHAO DE INFANTARIA MOTORIZADO , ,95 Linha em negrito, com cor diferenciada BATALHAO DE INFANTARIA DE SELVA , , BATALHAO DE INFATARIA DE SELVA (AEROMOVEL) , , BATALHAO DE AVIAçãO DO EXERCITO , , CENTRO DE EMBARCACOES DO COM.MIL.DA AMAZONIA INSPETORIA DE CONTAB.FINANCAS DO EXERCITO , , , , CIRCUNSCRICAO DE SERVICO MILITAR , , DIVISAO DE LEVANTAMENTO , , CENTRO DE INSTRUCAO DE GUERRA NA SELVA , , COLEGIO MILITAR DE MANAUS , ,50 Unidades Gestoras Todos os valores com duas casas decimais Flexvision 43

44 2. Crie uma consulta que gere o resultado abaixo. Cabeçalho centralizado, em negrito com cor diferenciada. Despesas com Transportes por Ação e Categoria Ação AUXILIO-TRANSPORTE AOS SERVIDORES E EMPREGADOS MANUTENCAO E SUPRIMENTO DO TRANSPORTE LOGISTICO DE SUPERFICI SEGURANCA DE AREA E NO TRANSPORTE DO PRESIDENTE DA REPUBLICA Despesa Empenhada 3 - Despesas Correntes 4 - Despesas de Capital Despesa Liquidada Ações que contenham a palavra TRANSPORTE Nível Categoria Flexvision 44

45 Explorando o resultado das consultas O Flexvision possui um artifício que permite explorar o resultado das consultas, esse artifício chamase Drill. Ele permite expandir um nó, que foi previamente definido na consulta para qualquer nível associado ao cubo. Por esta peculiaridade, o Drill do Flexvision é também chamado de Drill Anywhere, ou seja, permite que qualquer nó seja expandido para qualquer nível, independentemente de haver previamente uma hierarquia definida entre eles. Para expandir um nó clique no ícone posicionado à direita dos membros de nível. 1. Execute a consulta Despesas Empenhadas por Função e Programa. 2. Neste passo iremos expandir o nível Programa, clicando em ao lado de um de seus membros. Serão apresentados os níveis associados ao cubo, para os quais é possível fazer um drill. Flexvision 45

DIRETORIA DE GESTÃO ORÇAMENTÁRIA

DIRETORIA DE GESTÃO ORÇAMENTÁRIA SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS DIRETORIA DE GESTÃO ORÇAMENTÁRIA APOSTILA DE TREINAMENTO Brasília- DF, Dezembro de 2012 Índice CONCEITOS BÁSICOS... 3 FLEXVISION... 3 CUBOS, DIMENSÕES, HIERARQUIAS, NÍVEIS,

Leia mais

FCT Faculdade de Ciências e Tecnologia Serviço Técnico de Informática STI SGCD Sistema Gerenciador de Conteúdos Dinâmicos

FCT Faculdade de Ciências e Tecnologia Serviço Técnico de Informática STI SGCD Sistema Gerenciador de Conteúdos Dinâmicos FCT Faculdade de Ciências e Tecnologia Serviço Técnico de Informática STI SGCD Sistema Gerenciador de Conteúdos Dinâmicos Manual do Usuário Presidente Prudente, outubro de 2010 Índice 1. Introdução e Instruções

Leia mais

Gerente de Tecnologia: Ricardo Alexandre F. de Oliveira Marta Cristiane Pires M. Medeiros Mônica Bossa dos Santos Schmid WORD 2007

Gerente de Tecnologia: Ricardo Alexandre F. de Oliveira Marta Cristiane Pires M. Medeiros Mônica Bossa dos Santos Schmid WORD 2007 WORD 2007 PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO GERÊNCIA DE TECNOLOGIA Gerente de Tecnologia: Ricardo Alexandre F. de Oliveira Marta Cristiane Pires M. Medeiros Mônica Bossa

Leia mais

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09 ÍNDICE Sobre o SabeTelemarketing 03 Ícones comuns à várias telas de gerenciamento Contato Verificar registros 09 Telas de cadastro e consultas 03 Menu Atalho Nova pessoa Incluir um novo cliente 06 Novo

Leia mais

manual Sistema de Gestão de Contribuições

manual Sistema de Gestão de Contribuições manual Sistema de Gestão de Contribuições Conteúdo 1. Login 4 2. Home 5 3. Informações básicas 3.1. Menus 6 3.2. Números e status 7 3.3. Ações 8 4. Ambientes da ferramenta 4.1. Sindicato 13 4.2. Empresas

Leia mais

Lidar com números e estatísticas não é fácil. Reunir esses números numa apresentação pode ser ainda mais complicado.

Lidar com números e estatísticas não é fácil. Reunir esses números numa apresentação pode ser ainda mais complicado. , ()! $ Lidar com números e estatísticas não é fácil. Reunir esses números numa apresentação pode ser ainda mais complicado. Uma estratégia muito utilizada para organizar visualmente informações numéricas

Leia mais

Tutorial do Iniciante. Excel Básico 2010

Tutorial do Iniciante. Excel Básico 2010 Tutorial do Iniciante Excel Básico 2010 O QUE HÁ DE NOVO O Microsoft Excel 2010 é um programa de edição de planilhas eletrônicas muito usado no mercado de trabalho para realizar diversas funções como;

Leia mais

MATERIAL PARA CAPACITAÇÃO INTERNA DO FIPLAN

MATERIAL PARA CAPACITAÇÃO INTERNA DO FIPLAN Guia de Capacitação Concessão de Cotas Financeiras Versão 1.0 outubro 2012 MATERIAL PARA CAPACITAÇÃO INTERNA DO FIPLAN MÓDULO: PROGRAMAÇÃO FINANCEIRA INSTRUTOR: CARLOS ALBERTO PEREIRA LIMA COLABORADORES

Leia mais

A Estação da Evolução

A Estação da Evolução Microsoft Excel 2010, o que é isto? Micorsoft Excel é um programa do tipo planilha eletrônica. As planilhas eletrônicas são utilizadas pelas empresas pra a construção e controle onde a função principal

Leia mais

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Neste capítulo nós iremos examinar as características da interface do gerenciador de arquivos Konqueror. Através dele realizaremos as principais operações com arquivos

Leia mais

Universidade Federal de Santa Catarina CAPÍTULO 6 GRÁFICOS NO EXCEL.

Universidade Federal de Santa Catarina CAPÍTULO 6 GRÁFICOS NO EXCEL. CAPÍTULO 6 GRÁFICOS NO EXCEL. Um gráfico no Excel é uma representação gráfica dos números de sua planilha - números transformados em imagens. O Excel examina um grupo de células que tenham sido selecionadas.

Leia mais

Como funciona? SUMÁRIO

Como funciona? SUMÁRIO SUMÁRIO 1. Introdução... 2 2. Benefícios e Vantagens... 2 3. Como utilizar?... 2 3.1. Criar Chave / Senha de Usuário... 2 3.2. Recursos da Barra Superior... 2 3.2.1. Opções... 3 3.2.1.1. Mover Para...

Leia mais

APOSTILA WORD BÁSICO

APOSTILA WORD BÁSICO APOSTILA WORD BÁSICO Apresentação O WORD é um editor de textos, que pertence ao Pacote Office da Microsoft. Suas principais características são: criação de textos, cartas, memorandos, documentos, mala

Leia mais

www.siteware.com.br Versão 2.6

www.siteware.com.br Versão 2.6 www.siteware.com.br Versão 2.6 Sumário Apresentação... 4 Login no PortalSIM... 4 Manutenção... 5 Unidades... 5 Unidades... 5 Grupos de CCQ... 5 Grupos de unidades... 6 Tipos de unidades... 6 Sistema de

Leia mais

MVREP- Manual do Gerador de Relatórios. ÍNDICE

MVREP- Manual do Gerador de Relatórios. ÍNDICE ÍNDICE ÍNDICE... 1 CAPÍTULO 01 PREPARAÇÃO DO AMBIENTE... 2 1.1 IMPORTAÇÃO DO DICIONÁRIO DE DADOS... 2 CAPÍTULO 02 CADASTRO E CONFIGURAÇÃO DE RELATÓRIOS... 4 2.1 CADASTRO DE RELATÓRIOS... 4 2.2 SELEÇÃO

Leia mais

Processos de Compras. Tecinco Informática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar

Processos de Compras. Tecinco Informática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar Processos de Compras Tecinco Informática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar 1 Centro Cascavel PR www.tecinco.com.br Sumário Controle de Compras... 4 Parametrização... 4 Funcionamento... 4 Processo de Controle...

Leia mais

Banco de Dados BrOffice Base

Banco de Dados BrOffice Base Banco de Dados BrOffice Base Autor: Alessandro da Silva Almeida Disponível em: www.apostilando.com 27/02/2011 CURSO TÉCNICO EM SERVIÇO PÚBLICO Apostila de Informática Aplicada - Unidade VI Índice Apresentação...

Leia mais

Sumário INTRODUÇÃO 3 DICAS PARA CRIAR UM BOM SITE 4

Sumário INTRODUÇÃO 3 DICAS PARA CRIAR UM BOM SITE 4 Sumário Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 5.988 de 14/12/73. Nenhuma parte deste livro, sem prévia autorização por escrito de Celta Informática, poderá ser reproduzida total ou parcialmente,

Leia mais

Auto Treinamento. Versão 10.05.13

Auto Treinamento. Versão 10.05.13 Auto Treinamento Versão 10.05.13 Sumário 1. OBJETIVO... 3 2. CONCEITO DE BUSINESS INTELLIGENCE... 3 3. REALIZANDO CONSULTAS NO BI-PUBLIC... 4 3.2. Abrindo uma aplicação... 4 3.3. Seleções... 6 3.4. Combinando

Leia mais

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1 MANUAL DO USUÁRIO Índice 1. Introdução... 3 2. Acesso ao Sistema... 4 2.1. Instalação... 4 2.1.1. Servidor - Computador Principal... 4 2.1.2. Estação - Computador na Rede... 6 2.1.3. Estação - Mapeamento

Leia mais

Portal Sindical. Manual Operacional Empresas/Escritórios

Portal Sindical. Manual Operacional Empresas/Escritórios Portal Sindical Manual Operacional Empresas/Escritórios Acesso ao Portal Inicialmente, para conseguir acesso ao Portal Sindical, nos controles administrativos, é necessário acessar a página principal da

Leia mais

Secretaria de Estado dos Negócios da Fazenda do Estado de São Paulo. SIGEO.NET (Viewer) Manual do Usuário. PRODESP/ SEFAZ SIGEO.

Secretaria de Estado dos Negócios da Fazenda do Estado de São Paulo. SIGEO.NET (Viewer) Manual do Usuário. PRODESP/ SEFAZ SIGEO. SIGEO.NET (Viewer) Manual do Usuário PRODESP/ SEFAZ SIGEO.NET página 1/1 ÍNDICE Página 1. Introdução... 3 2. Acesso ao Sistema... 4 3. Conexão (Usuário/Senha)... 6 4. Lista de Planilhas... 7 5. Acesso

Leia mais

Microsoft Office Excel

Microsoft Office Excel 1 Microsoft Office Excel Introdução ao Excel Um dos programas mais úteis em um escritório é, sem dúvida, o Microsoft Excel. Ele é uma planilha eletrônica que permite tabelar dados, organizar formulários,

Leia mais

MANUAL DE USUÁRIO DO SISPATR

MANUAL DE USUÁRIO DO SISPATR MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS DIRETORIA DE CONTABILIDADE (Repartição de Contabilidade da Guerra/1860) MANUAL DE USUÁRIO DO SISPATR SISTEMA GERENCIAL DE ACOMPANHAMENTO

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES SISTEMA OPERACIONAL MÉTODO QUANTUM 2014

MANUAL DE INSTRUÇÕES SISTEMA OPERACIONAL MÉTODO QUANTUM 2014 MANUAL DE INSTRUÇÕES SISTEMA OPERACIONAL MÉTODO QUANTUM 2014 ÍNDICE Apresentação Principais Botões Login Usúario Resultado Método Quantum Preencher Método Quantum Extrato On-Line Engenharia de Função Grupos

Leia mais

Roteiro 2: (Planilhas Eletrônicas) - Função procv / manipulação de formulários

Roteiro 2: (Planilhas Eletrônicas) - Função procv / manipulação de formulários Roteiro 2: (Planilhas Eletrônicas) - Função procv / manipulação de formulários Objetivos Explorar funções de procura e referência; Explorar ferramentas para controle de formulários em planilhas; Importar

Leia mais

LIÇÃO 1 - GRAVANDO MACROS

LIÇÃO 1 - GRAVANDO MACROS 1_15 - ADS - PRO MICRO (ILM 001) - Estudo dirigido Macros Gravadas Word 1/36 LIÇÃO 1 - GRAVANDO MACROS Macro Imprimir Neste exemplo será criada a macro Imprimir que, ao ser executada, deverá preparar a

Leia mais

Manual de Publicaça o no Blog da Aça o TRIBOS nas Trilhas da Cidadania

Manual de Publicaça o no Blog da Aça o TRIBOS nas Trilhas da Cidadania Manual de Publicaça o no Blog da Aça o TRIBOS nas Trilhas da Cidadania Sumário Objetivos do Blog... 2 Log-in... 3 Esqueci minha senha... 4 Utilizando o Blog... 5 Encontrando seu Blog... 5 Conhecendo o

Leia mais

Tutorial do programa

Tutorial do programa 1 Tutorial do programa I. Guia Rápido 1. Clique no produto. 2. Clique na pasta de imagens. 3. Clique em preenchimento auto. 4. Verificar pedido. 5. Finalizar pedido. 6. Fazer pagamento / Entrega. 7. Fazer

Leia mais

WORKSHOP Ferramenta OLAP IBM Cognos

WORKSHOP Ferramenta OLAP IBM Cognos WORKSHOP Ferramenta OLAP IBM Cognos O objetivo deste documento é orientar o usuário final na utilização das funcionalidades da ferramenta OLAP IBM Cognos, referente a licença de consumidor. Sumário 1 Query

Leia mais

Anexo III Funcionamento detalhado do Sistema Montador de Autoria

Anexo III Funcionamento detalhado do Sistema Montador de Autoria 1 Sumário Anexo III Funcionamento detalhado do Sistema Montador de Autoria Anexo III Funcionamento detalhado do Sistema Montador de Autoria... 1 1 Sumário... 1 2 Lista de Figuras... 5 3 A Janela principal...

Leia mais

MANUAL VTWEB CLIENT URBANO

MANUAL VTWEB CLIENT URBANO MANUAL VTWEB CLIENT URBANO A marca do melhor atendimento. Conteúdo... 2 1. Descrição... 3 2. Cadastro no sistema... 3 2.1. Pessoa Jurídica... 3 2.2. Pessoa Física... 5 2.3. Concluir o cadastro... 6 3.

Leia mais

Sistema de Gerenciamento Missionário SENAMI. Secretaria Nacional de Missões

Sistema de Gerenciamento Missionário SENAMI. Secretaria Nacional de Missões Sistema de Gerenciamento Missionário SENAMI Secretaria Nacional de Missões Manual do Usuário Apresentamos a seguir um guia básico contendo informações gerais para utilização do Sistema de Gerenciamento

Leia mais

1998-2015 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados.

1998-2015 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados. Versão 8.1A-13 Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Domínio Sistemas Ltda. Nesse caso, somente a Domínio Sistemas

Leia mais

Administração da disciplina

Administração da disciplina Administração da disciplina Agrupamento Vertical de Escolas de Tarouca Documento disponível em: http://avetar.no-ip.org 1.Acesso e utilização da plataforma:. Seleccione a opção Entrar, que se encontra

Leia mais

Arquivo Nacional. Manual de Gerenciamento do Banco de Dados

Arquivo Nacional. Manual de Gerenciamento do Banco de Dados 1 MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Arquivo Nacional Cadastro Nacional dos Integrantes do Sistema de Gestão de Documentos de Arquivo SIGA Manual de Gerenciamento do Banco de Dados Dá instruções, campo por campo, sobre

Leia mais

Manual Operacional para o Gestor Setorial do Sistema de Concessão de Diárias e Passagens - SCDP Maio de 2008

Manual Operacional para o Gestor Setorial do Sistema de Concessão de Diárias e Passagens - SCDP Maio de 2008 Manual Operacional para o Gestor Setorial do Sistema de Concessão de Diárias e Passagens - SCDP Maio de 2008 Índice 1. Acesso ao Sistema Página 3 1.1 Acessar o Sistema de Concessão de Diárias e Passagens

Leia mais

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet.

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet. 1. Descrição Geral Este manual descreve as operações disponíveis no módulo VTWEB Client, cuja finalidade é gerenciar cadastros de funcionários, realização de pedidos e controle financeiro dos pedidos.

Leia mais

Planilha Eletrônica Excel

Planilha Eletrônica Excel COLÉGIO LA SALLE CANOAS Técnico em Informática Planilha Eletrônica Excel Excel Prof. Valter N. Silva Colégio La Salle Canoas Página 2 1. NOÇÕES BÁSICAS O Microsoft Excel 7.0 é um programa de planilha eletrônica,

Leia mais

MANUAL DE NAVEGAÇÃO DO MILLENNIUM BUSINESS

MANUAL DE NAVEGAÇÃO DO MILLENNIUM BUSINESS MANUAL DE NAVEGAÇÃO DO MILLENNIUM BUSINESS 1 Conteúdo Apresentação... 3 1 Página Principal do Sistema... 4 2 Telas de busca... 8 3 Teclas de Navegação... 11 4 Tela de Menu de Relatório... 12 5 Telas de

Leia mais

Curso de Capacitação ao Sistema CDV. - GID Desmanches -

Curso de Capacitação ao Sistema CDV. - GID Desmanches - Curso de Capacitação ao Sistema CDV - GID Desmanches - Coordenadoria de Gestão de Desmanches Divisão de Desmanches Conteúdo Módulo 1 Como utilizar o Moodle... 4 Módulo 2 - Acessando o GID CDV... 4 Aula

Leia mais

Portal Contador Parceiro

Portal Contador Parceiro Portal Contador Parceiro Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa 1. Portal Contador Parceiro... 03 2. Acesso ao Portal... 04 3. Profissionais...11 4. Restrito...16 4.1 Perfil... 18 4.2 Artigos...

Leia mais

Subsecretaria de Contabilidade Pública. Coordenação-Geral de Contabilidade e Custos da União. Tesouro Gerencial

Subsecretaria de Contabilidade Pública. Coordenação-Geral de Contabilidade e Custos da União. Tesouro Gerencial Subsecretaria de Contabilidade Pública Coordenação-Geral de Contabilidade e Custos da União Tesouro Gerencial Brasília Novembro/2014 Objetivos do Curso O aluno deve ser capaz de: 1) Identificar as diferenças/semelhanças

Leia mais

OI CONTA EMPRESA MANUAL DO USUÁRIO

OI CONTA EMPRESA MANUAL DO USUÁRIO OI CONTA EMPRESA MANUAL DO USUÁRIO 1 Bem-vindo ao Oi Conta Empresa! A Oi tem o orgulho de lançar mais um produto para nossos clientes corporativos, o Oi Conta Empresa. Nele, nossos clientes poderão acessar

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO WEBMAIL SBC

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO WEBMAIL SBC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO WEBMAIL SBC SUMÁRIO 1 - Tela de Login...03 2 - Caixa de Entrada...04 3 - Escrever Mensagem...06 4 - Preferências...07 4.1 - Configurações Gerais...07 4.2 - Trocar Senha...07 4.3

Leia mais

V.1.0 SIAPAS. Sistema Integrado de Administração ao Plano de Assistência à Saúde. Contas Médicas

V.1.0 SIAPAS. Sistema Integrado de Administração ao Plano de Assistência à Saúde. Contas Médicas 2014 V.1.0 SIAPAS Sistema Integrado de Administração ao Plano de Assistência à Saúde Contas Médicas SIAPAS Sistema Integrado de Administração ao Plano de Assistência à Saúde Módulos CONTAS MÉDICAS Capa

Leia mais

Aula 09 - Atualização de uma tabela dinâmica. Aula 09 - Atualização de uma tabela dinâmica. Sumário. Atualizando a tabela dinâmica

Aula 09 - Atualização de uma tabela dinâmica. Aula 09 - Atualização de uma tabela dinâmica. Sumário. Atualizando a tabela dinâmica Sumário Atualizando a tabela dinâmica Exibição de páginas em planilhas separadas Detalhando / ocultando os dados da planilha Gráfico dinâmico Gráfico dinâmico (cont.) Alterando a formatação do gráfico

Leia mais

GERENCIADOR DE CONTEÚDO

GERENCIADOR DE CONTEÚDO 1/1313 MANUAL DO USUÁRIO GERENCIADOR DE CONTEÚDO CRISTAL 2/13 ÍNDICE 1. OBJETIVO......3 2. OPERAÇÃO DOS MÓDULOS......3 2.1 GERENCIADOR DE CONTEÚDO......3 2.2 ADMINISTRAÇÃO......4 Perfil de Acesso:... 4

Leia mais

Navegando no produto e utilizando esse material de apoio, você descobrirá os benefícios do IOB Online Regulatório, pois só ele é:

Navegando no produto e utilizando esse material de apoio, você descobrirá os benefícios do IOB Online Regulatório, pois só ele é: 1. CONCEITO Completo, prático e rápido. Diante do aumento da complexidade da tributação e do risco fiscal, pelos desafios de conhecimento e capacitação e pela velocidade para acompanhar mudanças na legislação,

Leia mais

Companhia de Processamento de Dados do Município de São Paulo. Acessando e manipulando Cubos OLAP Utilizando o MS Excel 2000/XP

Companhia de Processamento de Dados do Município de São Paulo. Acessando e manipulando Cubos OLAP Utilizando o MS Excel 2000/XP Companhia de Processamento de Dados do Município de São Paulo Acessando e manipulando Cubos OLAP Utilizando o MS Excel 2000/XP Setembro/2003 Para acessar e manipular os dados existentes nos denominados

Leia mais

Manual de Utilização Chat Intercâmbio

Manual de Utilização Chat Intercâmbio Manual de Utilização Chat Intercâmbio 1 INDICE 1 Chat Intercâmbio... 6 1.1 Glossário de Termos Utilizados.... 6 1.2 Definições de uma Sala de Chat... 7 1.3 Como Acessar o Chat Intercâmbio... 8 1.4 Pré-requisitos

Leia mais

Índice. Brasil Profissionalizado SIMEC/DTI/MEC 2

Índice. Brasil Profissionalizado SIMEC/DTI/MEC 2 Índice 1. Prefácio... 2 2. Requisitos Mínimos... 3 3. Como acessar o SIMEC... 4 4. Solicitando cadastro... 5 5. A Estrutura do Módulo... 7 6. Instruções Gerais... 8 6.1. Diagnóstico/BRASIL PROFISSIONALIZADO...9

Leia mais

SISADI MÓDULO GERAL Via Inquilino Manual versão 2.0.0

SISADI MÓDULO GERAL Via Inquilino Manual versão 2.0.0 SISADI MÓDULO GERAL Via Inquilino Manual versão 2.0.0 Autoria Cristiane Caldeira Mendes Belo Horizonte 2013 Índice Introdução... 3 Objetivo... 3 Considerações Gerais... 3 Glossário de Ícones, Botões e

Leia mais

INSTALAÇÃO DO SISTEMA CONTROLGÁS

INSTALAÇÃO DO SISTEMA CONTROLGÁS INSTALAÇÃO DO SISTEMA CONTROLGÁS 1) Clique duas vezes no arquivo ControlGasSetup.exe. Será exibida a tela de boas vindas do instalador: 2) Clique em avançar e aparecerá a tela a seguir: Manual de Instalação

Leia mais

ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO. 04 2 ACESSO AOS SISTEMAS. 05 3 DOCUMENTOS MANUTENÇÃO. 08 08 3.2 10 3.3 OCR. 11 4 REGISTRO DE DOCUMENTOS. 13 5 GERANDO DOCUMENTOS

ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO. 04 2 ACESSO AOS SISTEMAS. 05 3 DOCUMENTOS MANUTENÇÃO. 08 08 3.2 10 3.3 OCR. 11 4 REGISTRO DE DOCUMENTOS. 13 5 GERANDO DOCUMENTOS ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 04 2 ACESSO AOS SISTEMAS... 05 3 DOCUMENTOS MANUTENÇÃO... 08 3.1Tipos de Documentos... 08 3.2 Relações entre Documentos... 10 3.3 OCR... 11 4 REGISTRO DE DOCUMENTOS... 13 5 GERANDO

Leia mais

Coordenação Geral de Tecnologia da Informação - CGTI. SIGED - Sistema de Gestão Eletrônica de Documentos MANUAL DO USUÁRIO Módulo de Arquivos

Coordenação Geral de Tecnologia da Informação - CGTI. SIGED - Sistema de Gestão Eletrônica de Documentos MANUAL DO USUÁRIO Módulo de Arquivos SIGED - Sistema de Gestão Eletrônica de Documentos MANUAL DO USUÁRIO Módulo de Arquivos O objetivo deste Manual é permitir a reunião de informações dispostas de forma sistematizada, criteriosa e segmentada

Leia mais

Mozart de Melo Alves Júnior

Mozart de Melo Alves Júnior 2000 Mozart de Melo Alves Júnior INTRODUÇÃO O Excel 7.0 é um aplicativo de planilha desenvolvido para ser usado dentro do ambiente Windows. As planilhas criadas a partir desta ferramenta poderão ser impressas,

Leia mais

SIPAC- SISTEMA INTEGRADO DE PATRIMÔNIO, ADMINISTRAÇÃO E CONTRATOS MÓDULO DE PROTOCOLO MANUAL DE OPERAÇÃO Versão 1.0 Dezembro/2012

SIPAC- SISTEMA INTEGRADO DE PATRIMÔNIO, ADMINISTRAÇÃO E CONTRATOS MÓDULO DE PROTOCOLO MANUAL DE OPERAÇÃO Versão 1.0 Dezembro/2012 SIPAC- SISTEMA INTEGRADO DE PATRIMÔNIO, ADMINISTRAÇÃO E CONTRATOS MÓDULO DE PROTOCOLO MANUAL DE OPERAÇÃO Versão 1.0 Dezembro/2012 Caro Gestor, Este manual de operação tem por objetivo instruí-lo sobre

Leia mais

Excel Avançado 2007 Excel Avançado 2007 1

Excel Avançado 2007 Excel Avançado 2007 1 1 Sumário: 1. Introdução...3 2. Funções...3 2.1 Função SE...4 2.2 Botão Inserir...7 2.3 Novas Funções Condicionais...8 2.4 Aninhando Funções...8 3. Análise de Dados Alternativos...9 3.1 Cenários...9 3.2

Leia mais

1. ACESSO AO SISTEMA. LOGIN E SENHA Para ter acesso ao painel administrativo de seu site, acesse o link: http://atualiza.urldosite.com.

1. ACESSO AO SISTEMA. LOGIN E SENHA Para ter acesso ao painel administrativo de seu site, acesse o link: http://atualiza.urldosite.com. Manual de uso 1. ACESSO AO SISTEMA LOGIN E SENHA Para ter acesso ao painel administrativo de seu site, acesse o link: http://atualiza.urldosite.com.br Após acessar o link acima, favor digitar seu LOGIN

Leia mais

e-nota MDF-e Manifesto de Documento Fiscal eletrônico

e-nota MDF-e Manifesto de Documento Fiscal eletrônico Página1 e-nota MDF-e Manifesto de Documento Fiscal eletrônico Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa Página2 Índice 1. O que é MDF-e?... 03 2. Safeweb e-nota MDF-e... 04 3. Acesso e-nota

Leia mais

Tutorial Administrativo (Backoffice)

Tutorial Administrativo (Backoffice) Manual - Software ENTRANDO NO SISTEMA BACKOFFICE Para entrar no sitema Backoffice, digite no seu navegador de internet o seguinte endereço: http://pesquisa.webbyapp.com/ Entre com o login e senha. Caso

Leia mais

1º No módulo de Gestão Contábil é possível acessar o relatório através do menu Relatórios Razão.

1º No módulo de Gestão Contábil é possível acessar o relatório através do menu Relatórios Razão. Impairment Produto : TOTVS Gestão Contábil 12.1.1 Processo : Relatórios Subprocesso : Razão Data publicação da : 12/11/2014 O relatório razão tem a finalidade de demonstrar a movimentação analítica das

Leia mais

Sumário. 1 Tutorial: Blogs no Clickideia

Sumário. 1 Tutorial: Blogs no Clickideia 1 Tutorial: Blogs no Clickideia Sumário Introdução... 2 Objetivos... 2 Instruções para utilização do Tutorial... 2 Acesso ao Portal e a Home Blog... 3 Página Inicial da área do Blog... 4 Apresentação da

Leia mais

SGCD 2.0 Sistema Gerenciador de Conteúdo Dinâmico

SGCD 2.0 Sistema Gerenciador de Conteúdo Dinâmico Sistema Gerenciador de Conteúdo Dinâmico Atualizado em 24/08/2011 No final de 2007, o Serviço Técnico de Informática da UNESP Marília, disponibilizou para a comunidade acadêmica e administrativa o Sistema

Leia mais

DRIVE CONTÁBIL NASAJON

DRIVE CONTÁBIL NASAJON DRIVE CONTÁBIL NASAJON Módulo Gestão de Documentos Versão 1.0 Manual do Usuário 1 Sumário Os Módulos do Gerenciador de NFe: Informações Básicas Primeiro Acesso: Requisitos Acesso ao Drive Contábil Nasajon

Leia mais

Utilização do Webmail da UFS

Utilização do Webmail da UFS Universidade Federal de Sergipe Centro de Processamento de Dados Coordenação de Redes de Computadores Utilização do Webmail da UFS Procedimento Com o intuito de facilitar a execução dos passos, este tutorial

Leia mais

Planejamento e Orçamento

Planejamento e Orçamento Planejamento e Orçamento O SIPLAG Sistema Integrado de Planejamento, Orçamento e Gestão, é um sistema voltado à gestão governamental, permitindo a elaboração do Plano Plurianual, da Lei Orçamentária Anual,

Leia mais

Fluxo de trabalho do Capture Pro Software: Indexação de código de barras e separação de documentos

Fluxo de trabalho do Capture Pro Software: Indexação de código de barras e separação de documentos Este procedimento corresponde ao fluxo de trabalho de Indexação de código de barras e de separação de documentos no programa de treinamento do Capture Pro Software. As etapas do procedimento encontram-se

Leia mais

MÓDULO - I Manual Prático Microsoft Excel 2007

MÓDULO - I Manual Prático Microsoft Excel 2007 MÓDULO - I Manual Prático Microsoft Excel 2007 MÓDULO - I APRESENTAÇÃO... 1 AMBIENTE DE TRABALHO... 2 A folha de cálculo... 2 O ambiente de trabalho do Excel... 3 Faixas de Opções do Excel... 4 - Guia

Leia mais

CORREIO inotes. Para acessar o Correio inotes é necessário acessar a Internet.

CORREIO inotes. Para acessar o Correio inotes é necessário acessar a Internet. CORREIO inotes Para acessar o Correio inotes é necessário acessar a Internet. Na sua Área de Trabalho execute dois cliques rápidos no ícone do Internet Explorer. Ao ser exibida a primeira tela do Internet

Leia mais

Criação de Consultas e Relatórios no Access CRIAÇÃO DE CONSULTAS E RELATÓRIOS NO ACCESS

Criação de Consultas e Relatórios no Access CRIAÇÃO DE CONSULTAS E RELATÓRIOS NO ACCESS Criação de Consultas e Relatórios no Access CRIAÇÃO DE CONSULTAS E RELATÓRIOS NO ACCESS Sumário Conceitos / Autores chave... 3 1. Introdução... 4 2. Consultas... 5 3. Relatórios... 8 4. Conclusões... 11

Leia mais

Montar planilhas de uma forma organizada e clara.

Montar planilhas de uma forma organizada e clara. 1 Treinamento do Office 2007 EXCEL Objetivos Após concluir este curso você poderá: Montar planilhas de uma forma organizada e clara. Layout da planilha Inserir gráficos Realizar operações matemáticas 2

Leia mais

Demonstrativo de Informações Previdenciárias e Repasses

Demonstrativo de Informações Previdenciárias e Repasses CADPREV CADPREV Ente Local Aplicativo Desktop Manual do Usuário Demonstrativo de Informações Previdenciárias e Repasses Data Publicação: 28/08/2013 1 de 21 Índice 1 Finalidade... 3 2 Visão Geral... 3 3

Leia mais

Sistema para Avaliação de Desempenho Guia de Referência para o Validador

Sistema para Avaliação de Desempenho Guia de Referência para o Validador GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO E DOS RECURSOS HUMANOS SEARH COORDENADORIA DE OPERAÇÕES DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO COTIC Sistema para Avaliação

Leia mais

Aula 01 - Formatações prontas e condicionais. Aula 01 - Formatações prontas e condicionais. Sumário. Formatar como Tabela

Aula 01 - Formatações prontas e condicionais. Aula 01 - Formatações prontas e condicionais. Sumário. Formatar como Tabela Aula 01 - Formatações prontas e Sumário Formatar como Tabela Formatar como Tabela (cont.) Alterando as formatações aplicadas e adicionando novos itens Removendo a formatação de tabela aplicada Formatação

Leia mais

SUMÁRIO Acesso ao sistema... 2 Atendente... 3

SUMÁRIO Acesso ao sistema... 2 Atendente... 3 SUMÁRIO Acesso ao sistema... 2 1. Login no sistema... 2 Atendente... 3 1. Abrindo uma nova Solicitação... 3 1. Consultando Solicitações... 5 2. Fazendo uma Consulta Avançada... 6 3. Alterando dados da

Leia mais

Microsoft Excel 2000. Alan Cleber Borim - alan.borim@poli.usp.br. http://www.pcs.usp.br/~alan

Microsoft Excel 2000. Alan Cleber Borim - alan.borim@poli.usp.br. http://www.pcs.usp.br/~alan Microsoft Excel 2000 Alan Cleber Borim - alan.borim@poli.usp.br http://www.pcs.usp.br/~alan Microsoft Índice 1.0 Microsoft Excel 2000 3 1.1 Acessando o Excel 3 1.2 Como sair do Excel 3 1.3 Elementos da

Leia mais

Novell. Novell Teaming 1.0. novdocx (pt-br) 6 April 2007 EXPLORAR O PORTLET BEM-VINDO DESCUBRA SEU CAMINHO USANDO O NOVELL TEAMING NAVIGATOR

Novell. Novell Teaming 1.0. novdocx (pt-br) 6 April 2007 EXPLORAR O PORTLET BEM-VINDO DESCUBRA SEU CAMINHO USANDO O NOVELL TEAMING NAVIGATOR Novell Teaming - Guia de início rápido Novell Teaming 1.0 Julho de 2007 INTRODUÇÃO RÁPIDA www.novell.com Novell Teaming O termo Novell Teaming neste documento se aplica a todas as versões do Novell Teaming,

Leia mais

OI CONTA EMPRESA MANUAL DO USUÁRIO (exceto Administradores de Conta)

OI CONTA EMPRESA MANUAL DO USUÁRIO (exceto Administradores de Conta) OI CONTA EMPRESA MANUAL DO USUÁRIO (exceto Administradores de Conta) 1 Bem-vindo ao Oi Conta Empresa! A Oi tem o orgulho de lançar mais um produto para nossos clientes corporativos, o Oi Conta Empresa.

Leia mais

MANUAL C R M ÍNDICE. Sobre o módulo de CRM... 2. 1 Definindo a Campanha... 3

MANUAL C R M ÍNDICE. Sobre o módulo de CRM... 2. 1 Definindo a Campanha... 3 ÍNDICE Sobre o módulo de CRM... 2 1 Definindo a Campanha... 3 1.1 Incluir uma campanha... 3 1.2 Alterar uma campanha... 4 1.3 Excluir... 4 1.4 Procurar... 4 2 Definindo os clientes para a campanha... 4

Leia mais

Dividimos esse módulo em duas partes, devido a extensão do conteúdo.

Dividimos esse módulo em duas partes, devido a extensão do conteúdo. MÓDULO 4 Entrada Bem-vindo(a) ao quarto módulo do curso! Nesse módulo, você aprenderá como realizar o registro de empenho, da entrada dos produtos e, também, do ajuste de lotes e transferência de endereço

Leia mais

Version Notes (Notas da versão) Versão 4.11.1.7-26-02-2013

Version Notes (Notas da versão) Versão 4.11.1.7-26-02-2013 Florianópolis, 26 de fevereiro de 2013. Abaixo você confere as características e funcionalidades da nova versão 4.11.1.7 do Channel. Para quaisquer dúvidas ou na necessidade de maiores esclarecimentos,

Leia mais

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA Guia rápido A PLATAFORMA MOODLE Moodle (Modular Object Oriented Distance LEarning) é um Sistema para Gerenciamento de Cursos (SGC). Trata-se de um programa para computador

Leia mais

Mozart de Melo Alves Júnior

Mozart de Melo Alves Júnior Mozart de Melo Alves Júnior WORD 2000 INTRODUÇÃO: O Word é um processador de texto com recursos de acentuação, formatação de parágrafo, estilo de letras diferentes, criação de tabelas, corretor ortográfico,

Leia mais

Informática Básica Módulo: Planilha Eletrônica Excel. Exercícios

Informática Básica Módulo: Planilha Eletrônica Excel. Exercícios Informática Básica Módulo: Planilha Eletrônica Excel Exercícios Sumário INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA... 1 MÓDULO: PLANILHA ELETRÔNICA EXCEL... 1 1 EXERCÍCIO 01 - BAZAR... 4 2 EXERCÍCIO 02 CONTROLE DE ESTOQUE...

Leia mais

Autor: Júlio Battisti www.juliobattisti.com.br

Autor: Júlio Battisti www.juliobattisti.com.br Autor: Júlio Battisti www.juliobattisti.com.br Livro: Aprenda com Júlio Battisti: Excel 2010 Avançado, Análise de Dados e Cenários, Tabelas e Gráficos Dinâmicos, Macros e Programação VBA - Através de Exemplos

Leia mais

ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3. A série... 3

ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3. A série... 3 WORD 2007 E 2010 ÍNDICE ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3 A série... 3 01 CAPTURAS DE TELA WORD 2010... 3 02 IMAGENS 2007/2010... 5 03 NOTAS DE RODAPÉ... 13 04 NUMERAÇÃO DE PÁGINAS... 15 05 CONTAR PALAVRAS...

Leia mais

Status. Barra de Título. Barra de Menu. Barra de. Ferramentas Padrão. Caixa de nomes. Barra de. Ferramentas de Formatação. Indicadores de Coluna

Status. Barra de Título. Barra de Menu. Barra de. Ferramentas Padrão. Caixa de nomes. Barra de. Ferramentas de Formatação. Indicadores de Coluna O que é uma planilha eletrônica? É um aplicativo que oferece recursos para manipular dados organizados em tabelas. A partir deles pode-se gerar gráficos facilitando a análise e interpretação dos dados

Leia mais

Presskit Guia Rápido. Release 2.0. Presskit

Presskit Guia Rápido. Release 2.0. Presskit Presskit Guia Rápido Release 2.0 Presskit 06/07/2009 Sumário 1 Login 2 Login e Senha...................................... 2 Esqueci minha senha.................................. 2 Fale Com o Suporte...................................

Leia mais

Manual para Transportadoras

Manual para Transportadoras Índice 1 Objetivo... 3 2 O Projeto e-suprir... 3 3 Introdução... 3 4 Informações Básicas... 4 4.1 Painel de Controle Compras... 4 5 Acessando o Pedido... 5 6 Digitando o Espelho de Nota Fiscal... 7 6.1

Leia mais

CICLO DE APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE MARICÁ- RJ EDITOR DE TEXTO - WORD

CICLO DE APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE MARICÁ- RJ EDITOR DE TEXTO - WORD Faculdade de Administração, Ciências Contábeis e Turismo Pós-Graduação em Gestão de Negócios CICLO DE APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE MARICÁ- RJ EDITOR DE TEXTO - WORD EMENTA

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Criação de Formulários no Google Drive Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Criação de Formulários no Google Drive Introdução...

Leia mais

ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO. 04 2 ACESSO. 05 3 ABERTURA DE PROTOCOLO. 06 4 CONSULTA DE PROTOCOLO. 08 5 PROTOCOLO PENDENTE. 10 6 CONFIRMAÇÃO DE RECEBIMENTO.

ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO. 04 2 ACESSO. 05 3 ABERTURA DE PROTOCOLO. 06 4 CONSULTA DE PROTOCOLO. 08 5 PROTOCOLO PENDENTE. 10 6 CONFIRMAÇÃO DE RECEBIMENTO. ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 04 2 ACESSO... 05 3 ABERTURA DE PROTOCOLO... 06 4 CONSULTA DE PROTOCOLO... 08 5 PROTOCOLO PENDENTE... 10 6 CONFIRMAÇÃO DE RECEBIMENTO... 11 7 ANDAMENTO DE PROTOCOLO... 12 8 RELATÓRIOS,

Leia mais

Dokmee Page Counter. 2011 Office Gemini

Dokmee Page Counter. 2011 Office Gemini 2 Table of Contents Part I 1 Visão geral 2 Realizando uma Contagem Visualizando os resultados 4 Salvando o resultados 4 5 Removendo os Resultados 4 6 Inscrição 4 7 Seleção de Idioma 5 Part II Usando o

Leia mais

1. Introdução... 5. 2. Instalação do Módulo Gerenciador de Acessos SinaGAS... 6. 3. Tipos de Autenticação... 8. 3.1. Autenticação Sinacor...

1. Introdução... 5. 2. Instalação do Módulo Gerenciador de Acessos SinaGAS... 6. 3. Tipos de Autenticação... 8. 3.1. Autenticação Sinacor... Índice 1. Introdução... 5 2. Instalação do Módulo Gerenciador de Acessos SinaGAS... 6 3. Tipos de Autenticação... 8 3.1. Autenticação Sinacor... 8 3.2. Autenticação AD... 11 4. Fluxo Operacional... 14

Leia mais

Material desenvolvido por Melissa Lima da Fonseca. melissa.mlf@gmail.com.br - (031) 9401-4041. www.melissalima.com.br Página 1

Material desenvolvido por Melissa Lima da Fonseca. melissa.mlf@gmail.com.br - (031) 9401-4041. www.melissalima.com.br Página 1 EXCEL BÁSICO Material desenvolvido por Melissa Lima da Fonseca melissa.mlf@gmail.com.br - (031) 9401-4041 www.melissalima.com.br Página 1 Índice Introdução ao Excel... 3 Conceitos Básicos do Excel... 6

Leia mais

Adapti - Technology Solutions www.adapti.net Leonor cardoso nº 331 Fone : (041) 8844-7805 81240-380 Curitiba - PR MANUAL DO USUÁRIO

Adapti - Technology Solutions www.adapti.net Leonor cardoso nº 331 Fone : (041) 8844-7805 81240-380 Curitiba - PR MANUAL DO USUÁRIO MANUAL DO USUÁRIO 1 Índice Administração de Documentos...2 Lista de documentos criados...3 Criando um novo documento...3 Barra de ferramentas do editor...4 Editando um documento...7 Administrando suas

Leia mais