I SIMPÓSIO DE GEOGRAFIA FÍSICA DO NORDESTE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "I SIMPÓSIO DE GEOGRAFIA FÍSICA DO NORDESTE"

Transcrição

1 I SIMPÓSIO DE GEOGRAFIA FÍSICA DO NORDESTE DATAS E HORÁRIOS DAS APRESENTAÇÕES DOS TRABALHOS SELECIONADOS PELA COMISSÃO CIENTÍFICA TRABALHOS A SEREM APRESENTADOS EM PAINEL Os painéis deverão ser expostos a partir de 12:00h do dia da apresentação em local informado no evento. DATA: 28 DE ABRIL DE 2007 HORÁRIO: 14 AS 17H No. Nome do trabalho 28 1 Um estudo de caso dos padrões de drenagens da formação Serra de Martins RN ROCHA, A.B. e SILVA, J.S Teorias e conceitos geomorfológicos evidenciados ao longo do transecto Ubajara(CE) Jalapão(TO) FILGUEIRA, R.F Concepções alternativas e imagens relativas ao ensino das estações astronômicas e climáticas dos professores de geografia das escolas de Mossoró/RN FERNANDES, M.S. ; GERMANO, A.S.M. ; SARAIVA, A.L.B.C. e SILVA, R.P Análise geoambiental do baixo curso do Rio Coreaú: resultados preliminares MESQUITA, A.M. e MASCARENHAS, A.M.S Floricultura no Cariri cearense: a biodiversidade como agronegócio. BARBOSA, D. A. e vmacedo, C. I. S Subsídios para o ensino de hidrografia: o caso da bacia de Beberibe/PE JATOBÁ, L.; SANTOS, E.M. e SOUZA, M.T Variações das espécies arbóreas nas áreas verdes urbanas das zonas norte e centro de Aracaju/SE LIMA NETO, E. M.; MELO E SOUZA, R. e RESENDE, W.X O vale do Riacho Boqueirão Sobral/CE: uma análise sócioambiental EVANGELISTA, F.S.M. e LIMA, E.C Modificações ambientais no espaço costeiro em decorrência do complexo industrial portuário de Suape(PE) PEREGRINO, G.T. SANTOS, S.P.L. e JATOBÁ, L As condições microclimáticas urbanas de Fortaleza: a análise de dois episódios sazonalmente contrastantes SILVA, J.M.O.; MOURA, M.O.L. ; SALES, M.C.L. e SILVA. E,V Métodos de lavra de granito e suas implicações ambientais no município de Floresta Azul/BA GÓES, L.M. e GOMES, R.L Contribuição ao ensino de geomorfologia no município de Vitória de Santo Antão/PE LIRBORIO, L.F.; GONDIM, E.G. e JATOBÁ, L.

2 28 13 Planejamento, gestão do territorio e zoneamento geoambiental do município de Cajazeiras/PB ARAÚJO, S. M. S. ; SILVA NETO, M. F. SOUSA, P. V. P Avaliação das práticas pedagógicas em geografia física no ensino fundamental da rede pública nos municípios de Cajazeiras e Sousa/PB BRANDÃO, M.H.M SOUSA, P.V.P.; BARNABÉ, B. C. A O significado do geo no geoturismo NASCIMENTO, M.A.L Criação de um banco de referências bibliográficas sobre ambientes semi áridos SOUSA, A. B. e RIBEIRO, S. C Diagnostico pré liminar do patrimônio biogeográfico do bioma caatinga no parque natural municipal de JESUS, J.S. Lagoa do Frio em Canindé de São Francisco, Sergipe Estudos preliminares da sub bacia do rio Passa Vaca (Salvador/BA) ALMEIDA, R.A Estudo preliminar da dinâmica costeira do trecho praial entre as praias da Ponta do Seixas e Cabo Branco, João Pessoa/PB CHAVES, M.S. ; SILVA, S. R. A. e SILVA, C. S. V Avaliação da qualidade da água no município de Rio de Contas BA. OLIVEIRA, I. A.& COSTA, L. R Limitações do meio físico ao processo de ocupação do espaço: o caso do território maranhense. FEITOSA, A. C DATA: 30 DE ABRIL DE 2007 HORÁRIO: 14 AS 17H No. Nome do trabalho 30 1 Uso do sensoriamento remoto para análise do desgaste hídrico DOMICIANO, J.G; SILVA, L.M. e BEZERRA, M.G Análise da ação antrópica sobre as áreas de encostas do município de João Pessoa/PB SILVA, R.M.; SILVA, E. C. CALIXTO,C. D. OLIVEIRA,R. R. FERREIRA, J.I.S. e TUMA, L. S. R Diagnóstico ambiental e as implicações do uso e ocupação na bacia do rio Caxitoré Ceará GOMES, D.D.M e CRUZ, M.L.B Evidencias e conseqüências da transgressão marinha na praia de Redonda, Icapuí/CE ROCHA, A.B.; SILVA, J.S.; FILGUEIRA, R.F Caracterização dos principais agentes componentes da dinâmica costeira e analise da ação antrópica sobre RIBEIRO, E.M; JATOBÁ, L. tais agentes na praia de Boa Viagem, Recife/PE 30 6 O dia de São José e as Perspectivas de boas chuvas: estudo de caso sobre o município de Assaré/CE CASTRO, A.F Reflexões sobre sistemas em bacias hidrográficas ALMEIDA, R.A; SANTANA, R. O Potencialidades geoturisticas com base no relevo do nordeste brasileiro NASCIMENTO, M.A.L Contribuição ao ensino do tema ambientes costeiros: o caso da praia de Guadalupe e adjacências SANTOS, M. P.; JATOBÁ, L A carcinicultura no Nordeste brasileiro: crescimento x impactos ambientais ARAÚJO, M.V.; FREIRE, G. S. S Planejamento, gestão de território e zoneamento geoambiental do município de Cajazeiras/PB SOUSA, P.V.P. E ARAÚJO, S.M.S.

3 30 12 Determinação de áreas de interesse didático cientifíco ao longo da BR 304 no trecho Mossoró Lages(RN) FILGUEIRA, R.F.; DIAS, G. H Impactos ambientais no bairro Santo Antonio, zona sul de Teresina COSTA, S.S.L.; SILVA, M. P. S. R Levantamento florístico da vegetação litorânea no município de Canto da Barra, Fortim/CE ARAÚJO, T.M.S.; ARAÚJO, F. T. S. ; SOUZA, M. M. A. NASCIMENTO, F. R Impactos ambientais decorrentes do recente processo de uso e ocupação do solo na praia do Presídio, município de Aquiraz/CE DINIZ, M.T.M. ; ANDRADE, R.I.L.; VASCONCELOS, F.P.; OLIVEIRA, J.M A morfodinâmica da encosta oriental do planalto da Borborema CALIXTO, C.D. FERREIRA, J.Í.S. ; MACENA, R. OLIVEIRA, R.R Identificação das áreas de riscos de deslizamentos urbanos e periurbanos da cidade do Crato/CE CARVALHO, S. M. RIBEIRO, S. C Fitofisionomia de uma caatinga no município de Milagres, CE SILVA, M. A. M. ; ARAÚJO, T. M. S. ; MENDONÇA, F. G. T. SOUZA, M. M. A Uso, ocupação e impactos sócio ambientais na planície flúvio marinha do rio Ceará o exemplo de Vila Velha SANTOS, C.A.C.; QUEIROZ, P.H.B Fortaleza/CE Degradação sócio ambiental da área de proteção ambiental Bacia do Cobre Salvador/BA COPQUE, A. C. S.M. ; SILVA, M.N.A O uso da métrica de batimetria para o gerenciamento hídrico dos açudes em áreas críticas no estado do Ceará MORAIS, J.S.D. ; CARNEIRO NETO, J.A.; FERREIRA, F.A.M. e LIMA,G.P.B

4 TRABALHOS A SEREM APRESENTADOS NOS GRUPOS TEMÁTICOS DE DISCUSSÃO (GTD S) Os GTDs serão apresentados na forma oral, podendo os autores contarem com retroprojetor e datashow. Foram selecionados no máximo 7 trabalhos para cada GTD, a fim de possibilitar um maior tempo para apresentação e discussão dos temas. DATA: 29 DE ABRIL DE 2007 HORÁRIO: 14 AS 17H GTD 1 RISCOS GEOLÓGICO GEOMORFOLÓGICOS NO NORDESTE 14:00 14:20h Colinas no bairro de Tabatinga, município de Camaragibe/PE: riscos geológicos norteados por deslizamentos OLIVEIRA, N. M. G. A. ; CARVALHO, J. A. R SANTANA, P. H. 14:20 14:40h Relevos vulcânicos na região metropolitana de Fortaleza, o exemplo do monte Caruru TORRES, A.T; PEULVAST, J. P; CLAUDINO SALES,V 14:40 15:00h Degradação ambiental no bairro dos Estados, município de Camaragibe PE: sistemas de voçorocas OLIVEIRA, N. M. G. A.; CARVALHO, J. A. R ; SILVA, J. N. 15:00 15:20h Instabilidade do compartimento dos glacis de acumulação, setor leste do municipio de Camaragibe: deslizamentos e voçorocas OLIVEIRA, N. M. G. A. ;CARVALHO, J. A. R.; SILVA NETO, M. A 15:20 15:40h A utilização da concepção geossistêmica em estudos geoambientais de serras úmidas do Nordeste brasileiro: o caso do Maciço de Baturité BASTOS, F. H.; SILVA, E. V.; TABOSA, A. B 15:40 16:00h Características ecodinâmicas das unidades geoambientais do distrito do Pradoso Vitória da Conquista/BA LIMA, E.M.; MAIA, M. R.; SILVA, R. C.; ARAÚJO, C. A. S; BRITO, S. M. P GTD2 BIODIVERSIDADE DOS ECOSSISTEMAS NORDESTINOS 14:00 14:20h Zoneamento ecológico econômico da área de proteção ambiental Joanes/Ipatinga COPQUE, A.C.S.M. ;SILVA, M. N.A; SOUZA, G.S.; RIBEIRO, D. A; MACHADO, R. A. S 14:20 14:40h Características geoambientais do planalto sedimentar da Ibiapaba uma ilha de refúgio OLIVEIRA, L. N. ; AQUINO, C. M. S. 14:40 15:00h Paisagens de exceção: problemas ambientais configurados pelo uso e ocupação da terra no FREIRE, L.M.; SOUZA, M. J. N município de Mulungu Ceará 15:00 15:20h Caracterização e delimitação das unidades geoambientais da reserva extrativista do Batoque VIDAL, M.R.; SILVA, E.V Aquiraz/CE como subsidio para a elaboração do plano de manejo 15:20 15:40h Análise de parcimônia para detectar áreas de endemismo na região neotropical utilizando ALMEIDA, W.O.; VASCONCELLOS, A

5 hirtella (chrysobalanaceae) 15:40 16:00h Recuperação da vegetação de caatinga após impacto em Assaré CE. SILVA, M. A. M. ; ARAÚJO, T. M. S. ; MENDONÇA, F. G. T. ; SOUZA, M. M. A. 16:00 16:20h Caracterização de uma caatinga arbórea no município de Aiuaba, CE. SOUZA, J. T.; MENDES, P. G. A.; SOUSA, J. R.; SILVA, M. A. M.; LIMA, A. S.; SOUZA, M. M. A 16:20 16:40h Caracterização de uma vegetação de cerrado em uma área no município de Nova Olinda CE. SOUZA, J. T; SILVA, M. A. M; MENDES, P.G. A; SOUSA, J. R; LIMA, A. S; MENDONÇA, F. G. T & SOUZA, M. M. A GTD3 DINÂMICA CLIMÁTICA DO NORDESTE NÃO HOUVE INSCRIÇÃO DE TRABALHOS PARA GTD GTD4 RECURSOS HÍDRICOS DO NORDESTE 14:00 14:20h Agrotóxicos e a degradação ambiental na sub bacia do rio Jacarecica SE LIMA, A.S; SANTANA, L. B. 14:20 14:40h Análise das transformações (in)sustentáveis ( ) nas SILVA, T.C.F.; SANTOS. M. S. B. A. planícies de inundação dos rios Parnaiba e Poti em Teresina/PI 14:40 15:00h Poluição e degradação ambiental em fortaleza: as conseqüências de má administração do DOMINGOS, C.S.; SOUZA, M. J. N. Jangurussu 15:00 15:20h A Geografia Física como instrumento para a melhoria da qualidade de vida de comunidades rurais da região do Jaguaribe/CE NASCIMENTO, F.R.; ARAÚJO, T. M. S. ROSA, M. F; GIRÃO, E; ARAÚJO, L.F. P SANTOS, J. O 15:20 15:40h Percepção ambiental do lago do Coqueiro, município de Olinda Nova do Maranhão MA CAMPOS NETO, J.R.; SOUZA, U. D.V. FEITOSA, A. C 15:40 16:00h Análise geoambiental do riacho Santa Bárbara zona urbana Parnarama Maranhão. SANTOS. M. S. B.A; SILVA. T. C. F. 16:00 16:20h Impactos sócio ambientais no entorno do riacho do Sapé, na cidade de Brumado/BA MACHADO, L. C ; MAIA, M.R.

6 16:20 16:40h Análise da degradação das matas ciliares às margens do espelho d água da barragem de Brumado no período de 1977 a GOMES, J.V.R. ; SANTOS, J. M. dos.;nery, M.G.S. GTD5 DINÂMICA LITORÂNEA DO NORDESTE 14:00 14:20h Litoral cearense: propostas de uso e ocupação através do zoneamento ambiental CARDOSO, E. S.; SILVA, E. V. 14:20 14:40h Características socioambientais no município de Barra dos Coqueiros/SE 2005 COSTA, J.J.; SANTOS. M. A 14:40 15:00h Caracterização preliminar do monumento natural das falésias de Beberibe/CE SILVA, J.M.O.; SILVA, E.V. 15:00 15:20h Analise biofísica do município costeiro de Barra dos Coqueiros/SE SANTOS, M.A.; COSTA, J.J.; MELO SANTOS, N. C 15:20 15:40h Analise de problemas ambientais em sítios urbanos: o caso da cidade de Fortaleza ANDRADE, R. I. L. ; VASCONCELOS, F.P.; DINIZ, M. T. M. 15:40 16:00h Evolução geomorfológica associada a morfometria das dunas entre Morro Branco e Barra Nova,CE PINHEIRO, M.V.A.; CLAUDINO SALES,V. ; SALES, M. C. L 16:00 16:20h A interface percepção ambiental e geomorfologia no estudo da praia de Caúra em São José de Ribamar MA SOUZA, U.D.V; CAMPOS NETO, J. R. FEITOSA, A. C. GTD6 GEOTURISMO NO NORDESTE / GTD7 USO DE GEOTECNOLOGIAS NOS ESTUDOS AMBIENTAIS OS TRABALHOS DOS GTS 6 E 7 SERÃO APRESENTADOS NA MESMA SALA 14:00 14:20h Características regionais e desenvolvimento geoturismo no estado da Bahia LAVORATTI, J.T. 14:20 14:40h Ferramenta de geoturismo na web SILVA, M.R. 14:40 15:00h O índice de degradação ambiental (IDA) BRANDÃO, M.H.M. 15:00 15:20h Análise geoambiental no manguezal do Rio Cocó/CE: degradação x educação ambiental ARAUJO, M. V.; FREIRE, G. S. S 15:20 15:40h Mapa de cobertura vegetal e de declividade: instrumentos importantes na elaboração do LIMA, F. J.; PAIVA, L. A. N zoneamento ambiental do Crato CE 15:40 16h Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses necessita de pesquisas científicas! FUKUDA, J.C.; ANDRADE, J.C. ; CAMARGOS, M.C. MONTEIRO, A.S.S.

7 GTD8 ENSINO DE GEOGRAFIA FÍSICA DO/NO NORDESTE 14:00 14:20h O estudo do solo sob a ótica dos livros didáticos de geografia no ensino fundamental II: o seu entendimento integrado na paisagem SILVA, C.S.; FALCÃO, C.L.C.; FALCÃO SOBRINHO, J. 14:20 14:40h Proposta metodológica para abordagem da geomorfologia do Ceará na geografia escolar ALBUQUERQUE, F.N.B 14:40 15:00h Propostas para o ensino de geografia física no município de Sobral/CE ARAÚJO, M.L.A. ; MOREIRA, W.S.; FALCÃO SOBRINHO, J.; FALCÃO, C.L.C 15:00 15:20h Educação ambiental e gestão de geossistemas no município de Guaramiranga/CE BASTOS, F.H.; SILVA, E.V.; TABOSA, A. B. 15:20 15:40h Trilha ecológica e ambiental: alternativa metodológica no ensino da geografia DE SOUZA, H.T.R.; SANTOS. M.J.S SOUZA. R.M.

Complexo regional do Nordeste

Complexo regional do Nordeste Antônio Cruz/ Abr Luiz C. Ribeiro/ Shutterstock gary yim/ Shutterstock Valter Campanato/ ABr Complexo regional do Nordeste Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, MA. Sertão de Pai Pedro, MG. O norte

Leia mais

FORMULÁRIO PARA CRIAÇÃO DE DISCIPLINAS

FORMULÁRIO PARA CRIAÇÃO DE DISCIPLINAS Ministério da Educação e do Desporto Universidade Federal do Ceará Pró-Reitoria de Graduação FORMULÁRIO PARA CRIAÇÃO DE DISCIPLINAS 1 2 Curso Geografia Código: 35 3 4 Modalidade(s): Licenciatura / Bacharelado

Leia mais

Especialização em Direito Ambiental. 3. As principais funções das matas ciliares são:

Especialização em Direito Ambiental. 3. As principais funções das matas ciliares são: Pedro da Cunha Barbosa. Especialização em Direito Ambiental. Área do conhecimento jurídico que estuda as relações entre o homem e a natureza, é um ramo do direito diferenciado em suas especificidades e,

Leia mais

COMPARTIMENTAÇÃO GEOMORFOLÓGICA NA CONSTITUIÇÃO DAS PAISAGENS DIFERENCIADAS DO NORTE DO ESTADO DO CEARÁ: RELATO DE CAMPO.

COMPARTIMENTAÇÃO GEOMORFOLÓGICA NA CONSTITUIÇÃO DAS PAISAGENS DIFERENCIADAS DO NORTE DO ESTADO DO CEARÁ: RELATO DE CAMPO. COMPARTIMENTAÇÃO GEOMORFOLÓGICA NA CONSTITUIÇÃO DAS PAISAGENS DIFERENCIADAS DO NORTE DO ESTADO DO CEARÁ: RELATO Rodrigues, J.M.D. 1 ; Lima, E.C. 2 ; 1 UNIVERSIDADE ESTADUAL VALE DO ACARAÚ - UVA Email:jmduarterodrigues@hotmail.com;

Leia mais

7º Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ambiente e Sociedade Brasília - 17 a 20 de maio de 2015

7º Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ambiente e Sociedade Brasília - 17 a 20 de maio de 2015 7º Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ambiente e Sociedade Brasília - 17 a 20 de maio de 2015 GT1 Turismo, Ambiente e Sociedade Coordenadores do GT: Maria Goretti da

Leia mais

DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS BRASILEIROS

DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS BRASILEIROS O que você deve saber sobre DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS BRASILEIROS Segundo o geógrafo Aziz Ab Sáber, um domínio morfoclimático é todo conjunto no qual haja interação entre formas de relevo, tipos de solo,

Leia mais

A PRODUÇÃO DO ESPAÇO E OS PROBLEMAS AMBIENTAIS OCASIONADOS POR INUNDAÇÕES URBANAS NO RIO MARANGUAPINHO: O BAIRRO HENRIQUE JORGE, FORTALEZA- CE.

A PRODUÇÃO DO ESPAÇO E OS PROBLEMAS AMBIENTAIS OCASIONADOS POR INUNDAÇÕES URBANAS NO RIO MARANGUAPINHO: O BAIRRO HENRIQUE JORGE, FORTALEZA- CE. A PRODUÇÃO DO ESPAÇO E OS PROBLEMAS AMBIENTAIS OCASIONADOS POR INUNDAÇÕES URBANAS NO RIO MARANGUAPINHO: O BAIRRO HENRIQUE JORGE, FORTALEZA- CE. Karinne Wendy Santos de Menezes Universidade Estadual do

Leia mais

PROJETO MEGACIDADES EMERGENTES RECIFE ESPAÇOS LIVRES EM MEGACIDADES POTENCIAL PARA UMA VIDA EM NATUREZA ORIENTADA

PROJETO MEGACIDADES EMERGENTES RECIFE ESPAÇOS LIVRES EM MEGACIDADES POTENCIAL PARA UMA VIDA EM NATUREZA ORIENTADA PROJETO MEGACIDADES EMERGENTES RECIFE ESPAÇOS LIVRES EM MEGACIDADES POTENCIAL PARA UMA VIDA EM NATUREZA ORIENTADA CLUSTER 8 Perspectivas da Geografia Urbana CLUSTER 6 Estruturas urbanas, Planejamento urbano,

Leia mais

4. Reuniões Técnicas (Mini-Seminário por Bioma) Objetivo das Reuniões Técnicas

4. Reuniões Técnicas (Mini-Seminário por Bioma) Objetivo das Reuniões Técnicas (Mini-Seminário por Bioma) Objetivo das Reuniões Técnicas. Definição dos objetos conservação. Definição de metas de importância relativa de cada objeto. Definição das principais fontes de dados/informações

Leia mais

Colégio São Paulo Geografia Prof. Eder Rubens - 2013

Colégio São Paulo Geografia Prof. Eder Rubens - 2013 Colégio São Paulo Geografia Prof. Eder Rubens - 2013 CAP. 02 O território brasileiro e suas regiões.( 7º ano) *Brasil é dividido em 26 estados e um Distrito Federal (DF), organizados em regiões. * As divisões

Leia mais

REPRESENTATIVIDADE DO BIOMA CAATINGA NAS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DO ESTADO DO PIAUÍ

REPRESENTATIVIDADE DO BIOMA CAATINGA NAS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DO ESTADO DO PIAUÍ Porto Alegre/RS 23 a 26/11/2015 REPRESENTATIVIDADE DO BIOMA CAATINGA NAS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DO ESTADO DO PIAUÍ Verônica Maria Pinheiro Pimentel (*), Jéssica Camilla da Silva Vieira de Araújo, Nadya

Leia mais

Documento para discussão no GT estratégia para conservação

Documento para discussão no GT estratégia para conservação UNIDADES DE CONSERVAÇÃO NA CAATINGA Preparado por The Nature Conservancy do Brasil e Associação Caatinga com base em informações fornecidas pelo IBAMA (DEUC, Programa RPPN e Superintendências do PI e RN),

Leia mais

As unidades de conservação do bioma Caatinga

As unidades de conservação do bioma Caatinga As unidades de conservação do bioma Caatinga The Nature Conservancy do Brasil Associação Caatinga 295 André Pessoa INTRODUÇÃO Parque Nacional da Serra da Capivara, PI A Caatinga, região semi-árida única

Leia mais

METODOLOGIA PARA O GEORREFERENCIAMENTO DE ILHAS COSTEIRAS COMO SUBSÍDIO AO MONITORAMENTO AMBIENTAL

METODOLOGIA PARA O GEORREFERENCIAMENTO DE ILHAS COSTEIRAS COMO SUBSÍDIO AO MONITORAMENTO AMBIENTAL METODOLOGIA PARA O GEORREFERENCIAMENTO DE ILHAS COSTEIRAS COMO SUBSÍDIO AO MONITORAMENTO AMBIENTAL Carolina Rodrigues Bio Poletto¹ & Getulio Teixeira Batista² UNITAU - Universidade de Taubaté Estrada Municipal

Leia mais

1º Seminário Catarinense sobre a Biodiversidade Vegetal

1º Seminário Catarinense sobre a Biodiversidade Vegetal 1º Seminário Catarinense sobre a Biodiversidade Vegetal Ações do Governo Federal Visando à Valorização e Conservação da Biodiversidade Vegetal João de Deus Medeiros joao.medeiros@mma.gov.br Departamento

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA SAF SUL Qd. 02, Bl. E/F, Ed. Premium Torre II Auditório Sala 10 Telefone: (61) 3315-5905 70070-600 Brasília/DF UF ACRE Endereços

Leia mais

PROGRAMA ESTADUAL DE GERENCIAMENTO COSTEIRO RELAÇÃO DE PÚBLICAÇÕES

PROGRAMA ESTADUAL DE GERENCIAMENTO COSTEIRO RELAÇÃO DE PÚBLICAÇÕES PROGRAMA ESTADUAL DE GERENCIAMENTO COSTEIRO RELAÇÃO DE PÚBLICAÇÕES (disponíveis para consulta. Biblioteca DEAMA IMA Rua Rio São Francisco nº. 01. Monte Serrat. Salvador-Bahia) 1. BRASIL. Ministério do

Leia mais

CAP. 21 REGIÃO NORDESTE. Prof. Clésio Farrapo

CAP. 21 REGIÃO NORDESTE. Prof. Clésio Farrapo CAP. 21 REGIÃO NORDESTE Prof. Clésio Farrapo 1 CARACTERIZAÇÃO FÍSICA DAS SUB-REGIÕES DO NE A Região Nordeste é formada por nove estados: Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco

Leia mais

EVOLUÇÃO DO USO E DA OCUPAÇÃO DO SOLO EM APP NO MÉDIO CURSO DO RIO PREGUIÇAS BARREIRINHAS, MARANHÃO BRASIL

EVOLUÇÃO DO USO E DA OCUPAÇÃO DO SOLO EM APP NO MÉDIO CURSO DO RIO PREGUIÇAS BARREIRINHAS, MARANHÃO BRASIL EVOLUÇÃO DO USO E DA OCUPAÇÃO DO SOLO EM APP NO MÉDIO CURSO DO RIO PREGUIÇAS BARREIRINHAS, MARANHÃO BRASIL Passinho, D.C.S. (NEPA/UFMA) ; Pereira, P.R.M. (NEPA/UFMA) ; Souza, U.D.V. (NEPA/UFMA) ; Feitosa,

Leia mais

MUDANÇAS NO CÓDIGO FLORESTAL E SUAS IMPLICAÇÕES NOS RIOS SEMIÁRIDOS: ESTUDO NO RIO JAGUARIBE CEARÁ - BRASIL

MUDANÇAS NO CÓDIGO FLORESTAL E SUAS IMPLICAÇÕES NOS RIOS SEMIÁRIDOS: ESTUDO NO RIO JAGUARIBE CEARÁ - BRASIL MUDANÇAS NO CÓDIGO FLORESTAL E SUAS IMPLICAÇÕES NOS RIOS Andrade, J.H.R. 1 ; Maia, C.E. 2 ; Cavalcante, A.A. 3 ; Sousa, D.M.M. 4 ; 1 UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMIÁRIDO - UFERSA Email:hamilton.meioambiente@yahoo.com.br;

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Gabinete do Ministro Assessoria Internacional

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Gabinete do Ministro Assessoria Internacional COORDENADORES REGIONAIS ACRE Josenir de Araújo Calixto Coordenador do Ensino Médio Coordenação de Ensino Médio Secretaria de Estado da Educação do Acre Rua Rio Grande do Sul, 1907 Aeroporto Velho 69903-420

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE RISCO DE EROSÃO NA ÁREA URBANA DA GRANDE NATAL/RN - BRASIL

CONSIDERAÇÕES SOBRE RISCO DE EROSÃO NA ÁREA URBANA DA GRANDE NATAL/RN - BRASIL CONSIDERAÇÕES SOBRE RISCO DE EROSÃO NA ÁREA URBANA DA GRANDE NATAL/RN - BRASIL Maria Francisca Jesus Lírio Ramalho Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Departamento de Geografia/Area Geomorfologia

Leia mais

REPRESENTANTES - 5ª CCR

REPRESENTANTES - 5ª CCR REPRESENTANTES - 5ª CCR Unidade Procurador(a) E-mail Telefones 5ªCCR Composição 5ª CCR Denise Vinci Túlio Coordenadora Rodrigo Janot Monteiro de Barros Membro-Titular Valquíria Oliveira Quixadá Nunes Membro-Titular

Leia mais

Produção Técnica. Ano Base. Área de Avaliação GEOGRAFIA. Área Básica GEOGRAFIA 7.06.00.00-7. Instituição UFSE - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE (SE)

Produção Técnica. Ano Base. Área de Avaliação GEOGRAFIA. Área Básica GEOGRAFIA 7.06.00.00-7. Instituição UFSE - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE (SE) Ano Base 1998 Área de Avaliação GEOGRAFIA Área Básica GEOGRAFIA 7.06.00.00-7 Instituição UFSE - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE (SE) Programa GEOGRAFIA 27001016001P-2 1 de 5 17/05/01 às 16:35 Serviços

Leia mais

1.1. Fonte: Elaborado por STCP Engenharia de Projetos Ltda., 2011.

1.1. Fonte: Elaborado por STCP Engenharia de Projetos Ltda., 2011. 1 - APRESENTAÇÃO A Área de Proteção Ambiental (APA) Serra Dona Francisca, localizada no município de Joinville/SC, com área mapeada de 40.177,71 ha, foi criada através do Decreto n 8.055 de 15 de março

Leia mais

Seleção Territorial Enfrentamento a Violência contra Juventude Negra Classificação 2010

Seleção Territorial Enfrentamento a Violência contra Juventude Negra Classificação 2010 Posição Nome do Município Estado Região RM, RIDE ou Aglomeração Urbana 1 Salvador BA Nordeste RM Salvador 2 Maceió AL Nordeste RM Maceió 3 Rio de Janeiro RJ Sudeste RM Rio de Janeiro 4 Manaus AM Norte

Leia mais

CONTEÚDO E HABILIDADES APRENDER A APRENDER APRENDER A APRENDER FAZENDO E APRENDENDO GEOGRAFIA. Aula 23.2 Conteúdo. Região Nordeste

CONTEÚDO E HABILIDADES APRENDER A APRENDER APRENDER A APRENDER FAZENDO E APRENDENDO GEOGRAFIA. Aula 23.2 Conteúdo. Região Nordeste Aula 23.2 Conteúdo Região Nordeste 2 Habilidades Entender as principais características, físicas, econômicas e sociais da região Nordeste. 3 Sub-Regiões nordestinas Meio Norte: Área de transição entre

Leia mais

MANEJO DE ECOSSISTEMAS FLORESTAIS

MANEJO DE ECOSSISTEMAS FLORESTAIS MANEJO DE ECOSSISTEMAS FLORESTAIS Prof a Dra. Regina Márcia Longo Ementa Biomas: principais biomas brasileiros Manejo de Fauna Indicadores de degradação Ecologia florestal Restauração de processos ecológicos

Leia mais

MAPEAMENTO GEOMORFOLÓGICO DA ÁREA URBANA DE ILHÉUS, BAHIA

MAPEAMENTO GEOMORFOLÓGICO DA ÁREA URBANA DE ILHÉUS, BAHIA MAPEAMENTO GEOMORFOLÓGICO DA ÁREA URBANA DE ILHÉUS, BAHIA Hogana Sibilla Soares Póvoas Bolsista do PET Solos Universidade Estadual de Santa Cruz hogana_sibila@hotmail.com Ednice de Oliveira Fontes Universidade

Leia mais

. a d iza r to u a ia p ó C II

. a d iza r to u a ia p ó C II II Sugestões de avaliação Geografia 7 o ano Unidade 5 5 Unidade 5 Nome: Data: 1. Complete o quadro com as características dos tipos de clima da região Nordeste. Tipo de clima Área de ocorrência Características

Leia mais

Endereços das Secretarias Estaduais de Educação

Endereços das Secretarias Estaduais de Educação Endereços das Secretarias Estaduais de Educação ACRE MARIA CORRÊA DA SILVA Secretária de Estado da Educação do Acre Rua Rio Grande do Sul, 1907- Aeroporto Velho CEP: 69903-420 - Rio Branco - AC Fone: (68)

Leia mais

DOMÍNIO DOS MARES DE MORROS

DOMÍNIO DOS MARES DE MORROS DOMÍNIO DOS MARES DE MORROS Situação Geográfica Este domínio estende-se se do sul do Brasil até o Estado da Paraíba (no nordeste), obtendo uma área total de aproximadamente 1.000.000 km².. Situado mais

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DO BIOMA CAATINGA NA CONCEPÇÃO DE DISCENTES, DE UMA ESCOLA LOCALIZADA NO SEMIÁRIDO PARAIBANO.

CARACTERIZAÇÃO DO BIOMA CAATINGA NA CONCEPÇÃO DE DISCENTES, DE UMA ESCOLA LOCALIZADA NO SEMIÁRIDO PARAIBANO. CARACTERIZAÇÃO DO BIOMA CAATINGA NA CONCEPÇÃO DE DISCENTES, DE UMA ESCOLA LOCALIZADA NO SEMIÁRIDO PARAIBANO. OLIVEIRA, Mayara Cecile Nascimento¹-UEPB SILVA, Renata Lima Machado¹-UEPB CARLOS, Angélica Cardoso

Leia mais

MUDANÇAS SÓCIO-ESPACIAIS DECORRENTES DA IMPLANTAÇÃO DA HIDRELÉTRICA DO FUNIL (MG)

MUDANÇAS SÓCIO-ESPACIAIS DECORRENTES DA IMPLANTAÇÃO DA HIDRELÉTRICA DO FUNIL (MG) MUDANÇAS SÓCIO-ESPACIAIS DECORRENTES DA IMPLANTAÇÃO DA HIDRELÉTRICA DO FUNIL (MG) MÁRIA BRUNA PEREIRA RIBEIRO¹, CASSIANO GUSTAVO MESSIAS² MARTA FELICIA MARUJO FERREIRA 3 mariabruna9@yahoo. com.br, cassiano_lavras@hotmail.com,

Leia mais

Localizaçao brasileira, Divisao Politica e Regional e Aspectos Fisicos

Localizaçao brasileira, Divisao Politica e Regional e Aspectos Fisicos Localizaçao brasileira, Divisao Politica e Regional e Aspectos Fisicos LOCALIZAÇÃO BRASILEIRA O Brasil é um país que integra a América do Sul e apresenta extensão territorial de 8.514.876 km². É o quinto

Leia mais

ANEXO CHAMADA III DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES PARA GESTÃO E AVALIAÇÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO ESTADUAIS

ANEXO CHAMADA III DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES PARA GESTÃO E AVALIAÇÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO ESTADUAIS ANEXO CHAMADA III DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES PARA GESTÃO E AVALIAÇÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO ESTADUAIS OBJETIVO Esta chamada tem por objetivo financiar projetos relacionados a ações de gestão e avaliação

Leia mais

PLANO DE MANEJO DA ZPA-1

PLANO DE MANEJO DA ZPA-1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE FUNDAÇÃO NORTE-RIO-GRANDENSE DE PESQUISA E CULTURA DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE E URBANISMO

Leia mais

A BIOSFERA DO BRASIL (I) AULAS 34 E 35

A BIOSFERA DO BRASIL (I) AULAS 34 E 35 A BIOSFERA DO BRASIL (I) AULAS 34 E 35 OS BIOMAS DO BRASIL: (Aziz Ab Saber) O que se leva em consideração nesses domínios morfoclimáticos? Clima. Relevo. Solo. Vegetação. Vida. História da Terra e da ocupação

Leia mais

FACULDADE SANTA TEREZINHA - CEST COORDENAÇÃO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL PLANO DE ENSINO 2015.1

FACULDADE SANTA TEREZINHA - CEST COORDENAÇÃO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL PLANO DE ENSINO 2015.1 PLANO DE ENSINO 2015.1 DADOS DA DISCIPLINA CÓDIGO NOME CARGA HORÁRIA 972 GESTÃO INTEGRADA DE BACIAS HIDROGRÁFICAS PROFESSOR (A) Me. Rafael Ferreira Maciel 80 hs (40 hs teóricas e 40 hs práticas) PERÍODO

Leia mais

10. Não raro, a temperatura no Rio de Janeiro cai bruscamente em função da chegada de "frentes" frias.

10. Não raro, a temperatura no Rio de Janeiro cai bruscamente em função da chegada de frentes frias. Nome: Nº: Turma: Geografia 1º ano Apoio Didático - Exercícios Silvia Jun/09 10. Não raro, a temperatura no Rio de Janeiro cai bruscamente em função da chegada de "frentes" frias. a) O que são "frentes"?

Leia mais

Síntese de campo do trecho Peixe a Ipueiras, rio Tocantins: uma contribuição à Exploratória Rio Tocantins

Síntese de campo do trecho Peixe a Ipueiras, rio Tocantins: uma contribuição à Exploratória Rio Tocantins Síntese de campo do trecho Peixe a Ipueiras, rio Tocantins: uma contribuição à Exploratória Rio Tocantins Thiago Morato de Carvalho * Introdução O rio Tocantins é bastante peculiar desde o ponto de vista

Leia mais

LINHA DE PESQUISA: DINÂMICAS DA NATUREZA

LINHA DE PESQUISA: DINÂMICAS DA NATUREZA Clima urbano e qualidade socioambiental Margarete Cristiane de Costa Trindade Amorim João Lima Sant Anna Neto Este projeto tem como objetivo identificar como se processa a produção do clima urbano em cidades

Leia mais

Paisagens Climatobotânicas do Brasil

Paisagens Climatobotânicas do Brasil Paisagens Climatobotânicas do Brasil 1. (UEL-2012) Os domínios morfoclimáticos brasileiros são definidos a partir da combinação dos elementos da natureza, como os climáticos, botânicos, pedológicos, hidrológicos

Leia mais

AULAS DE RECUPERAÇÃO FINAL 7º ANO: AULAS 6, 7, 20, 27, 34 e 35,36 e 37 E 53.

AULAS DE RECUPERAÇÃO FINAL 7º ANO: AULAS 6, 7, 20, 27, 34 e 35,36 e 37 E 53. AULAS DE RECUPERAÇÃO FINAL 7º ANO: AULAS 6, 7, 20, 27, 34 e 35,36 e 37 E 53. AULAS 6 e 7: O RELEVO BRASILEIRO PLANALTOS BRASILEIROS: Muito desgastados, antigos, conhecidos também como cinturões orogênicos

Leia mais

VII Reunião de Atualização em Eucalitptocultura

VII Reunião de Atualização em Eucalitptocultura VII Reunião de Atualização em Eucalitptocultura Planejamento da Propriedade Agrícola (APP e RL) Eng o. F tal. Msc. João Carlos Teixeira Mendes Dept o. Ciências Florestais ESALQ/USP Estação Experimental

Leia mais

I Simpósio de Geografia Física do Nordeste 28 de abril - 01 de maio de 2007 Universidade Regional do Cariri. Suplemento Especial

I Simpósio de Geografia Física do Nordeste 28 de abril - 01 de maio de 2007 Universidade Regional do Cariri. Suplemento Especial VOLUME 2 Nº 1 - MAIO/2007 ISSN 1980-5861 02 I Simpósio de Geografia Física do Nordeste 28 de abril - 01 de maio de 2007 Universidade Regional do Cariri Suplemento Especial Simone Cardoso Ribeiro, Alexsandra

Leia mais

AS UCS DE SABIAGUABA (Fortaleza - Ceará, Brasil): DIAGNÓSTICO GEAMBIENTAL E PROPOSTAS DE GESTÃO E MANEJO

AS UCS DE SABIAGUABA (Fortaleza - Ceará, Brasil): DIAGNÓSTICO GEAMBIENTAL E PROPOSTAS DE GESTÃO E MANEJO AS UCS DE SABIAGUABA (Fortaleza - Ceará, Brasil): DIAGNÓSTICO GEAMBIENTAL E PROPOSTAS DE GESTÃO E MANEJO Lílian Sorele Ferreira Souza¹ Edson V. Silva² Fábio Perdigão Vasconcelos³ 1. INTRODUÇÃO A zona costeira

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA DAS DERIVAÇÕES ANTROPOGÊNICAS EM ÁREAS DE MANGUEZAIS EM ARACAJU-SE. Geisedrielly Castro dos Santos¹

ANÁLISE COMPARATIVA DAS DERIVAÇÕES ANTROPOGÊNICAS EM ÁREAS DE MANGUEZAIS EM ARACAJU-SE. Geisedrielly Castro dos Santos¹ NÁLISE COMPRTIV DS DERIVÇÕES NTROPOGÊNICS EM ÁRES DE MNGUEZIS EM RCJU-SE. Geisedrielly Castro dos Santos¹ 1 Mestra e Doutoranda em Geografia, UFS, racaju-se, geisecastrosantos@hotmail.com. RESUMO: Os manguezais

Leia mais

Eixo: GEOGRAFÍA FÍSICA, RIESGOS SOCIOAMBIENTALES Y CAMBIO CLIMÁTICO.

Eixo: GEOGRAFÍA FÍSICA, RIESGOS SOCIOAMBIENTALES Y CAMBIO CLIMÁTICO. Eixo: GEOGRAFÍA FÍSICA, RIESGOS SOCIOAMBIENTALES Y CAMBIO CLIMÁTICO. Utilização de geotecnologias para determinação da vulnerabilidade à perda de solo em áreas quilombolas: Caso de Jamary dos Pretos, Maranhão,

Leia mais

Prefeitura do Município de Santana de Parnaíba

Prefeitura do Município de Santana de Parnaíba Prefeitura do Município de Santana de Parnaíba Município de Santana de Parnaíba Plano Diretor 2005/2006 (para o período 2006/2013) ANEXO A.02 SANTANA DE PARNAÍBA DADOS GERAIS Referência em: Art. 8º 0 SANTANA

Leia mais

TEXTO PROPOSTO - PLANO DIRETOR DO MUNICÍPIO DE SÃO LUÍS (Lei n.º 4.669/06)

TEXTO PROPOSTO - PLANO DIRETOR DO MUNICÍPIO DE SÃO LUÍS (Lei n.º 4.669/06) TEXTO PROPOSTO - PLANO DIRETOR DO MUNICÍPIO DE SÃO LUÍS (Lei n.º 4.669/06) Título IV DO USO DO SOLO URBANO E RURAL... CAPÍTULO III Do Macrozoneamento... Seção II Do Macrozoneamento Ambiental Art. 26. (Antigo

Leia mais

ENSINO MÉDIO. Geografia

ENSINO MÉDIO. Geografia ENSINO MÉDIO Geografia 2011 Governador do Estado de Pernambuco EDUARDO HENRIQUE ACCIOLY CAMPOS Secretário de Educação do Estado ANDERSON STEVENS LEÔNIDAS GOMES EQUIPE DE ELABORAÇÃO Evandro Ribeiro de Souza

Leia mais

GEOGRAFIA - 1 o ANO MÓDULO 23 O CERRADO

GEOGRAFIA - 1 o ANO MÓDULO 23 O CERRADO GEOGRAFIA - 1 o ANO MÓDULO 23 O CERRADO Como pode cair no enem? (UNESP) Leia. Imagens de satélite comprovam aumento da cobertura florestal no Paraná O constante monitoramento nas áreas em recuperação do

Leia mais

ESTUDO PRELIMINAR DA DEGRADAÇÃO POR MINERAÇÃO: O CASO DO MUNICÍPIO DE TIMON/MA

ESTUDO PRELIMINAR DA DEGRADAÇÃO POR MINERAÇÃO: O CASO DO MUNICÍPIO DE TIMON/MA 1 ESTUDO PRELIMINAR DA DEGRADAÇÃO POR MINERAÇÃO: O CASO DO MUNICÍPIO DE TIMON/MA MARQUES, Rafael José Graduando em Geografia Universidade Estadual do Piauí UESPI Técnico em Tecnologia Ambiental IFPI. (rafaeljmarques.geo@gmail.com)

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS UNICAMP. vi.unicamp2010@gmail.com

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS UNICAMP. vi.unicamp2010@gmail.com UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS UNICAMP e-mail: vi.unicamp2010@gmail.com ANÁLISE DOS CONFLITOS ENTRE ÁREAS DE USO E OCUPAÇÃO DOS SOLOS E ÁREAS DE CONSERVAÇÃO NO MUNICÍPIO DE ILHA COMPRIDA (SP). Viviane

Leia mais

CONDICIONANTES SOCIOAMBIENTAIS PARA A OCORRÊNCIA DE CATÁSTROFES NATURAIS NO ESTADO DO MARANHÃO

CONDICIONANTES SOCIOAMBIENTAIS PARA A OCORRÊNCIA DE CATÁSTROFES NATURAIS NO ESTADO DO MARANHÃO CONDICIONANTES SOCIOAMBIENTAIS PARA A OCORRÊNCIA DE CATÁSTROFES NATURAIS NO ESTADO DO MARANHÃO Feitosa, A.C. (DEGEO/NEPA-UFMA/SÃO LUÍS) RESUMO Os elementos e as interações do meio físico sempre influenciaram

Leia mais

Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires

Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires Professor: Josiane Vill Disciplina: Geografia Série: 1ª Ano Tema da aula: Dinâmica Climática e Formações Vegetais no Brasil Objetivo da aula: conhecer a diversidade

Leia mais

8º. Curso de Atualização em Eucaliptocultura. Adequação Legal da Propriedade Rural

8º. Curso de Atualização em Eucaliptocultura. Adequação Legal da Propriedade Rural 8º. Curso de Atualização em Eucaliptocultura Adequação Legal da Propriedade Rural Eng o. F tal. Msc. João Carlos Teixeira Mendes jctmende@esalq.usp.br Departamento de Ciências Florestais Estação Experimental

Leia mais

DECRETO Nº 32.488, DE 17 DE OUTUBRO DE 2008

DECRETO Nº 32.488, DE 17 DE OUTUBRO DE 2008 DECRETO Nº 32.488, DE 17 DE OUTUBRO DE 2008 Declara como Área de Proteção Ambiental APA a região que compreende os Municípios de Itamaracá e Itapissuma e parte do Município de Goiana, e dá outras providências.

Leia mais

15- Representação Cartográfica - Estudos Temáticos a partir de imagens de Sensoriamento Remoto

15- Representação Cartográfica - Estudos Temáticos a partir de imagens de Sensoriamento Remoto 15- Representação Cartográfica - Estudos Temáticos a partir de imagens de Sensoriamento Remoto O Sensoriamento Remoto é uma técnica que utiliza sensores, na captação e registro da energia refletida e emitida

Leia mais

Nome da Unidade de Conservação: Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses. UGR (Unidade Gestora Responsável): Representação do IBAMA no Maranhão

Nome da Unidade de Conservação: Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses. UGR (Unidade Gestora Responsável): Representação do IBAMA no Maranhão 1 1.1 INTRODUÇÃO As crescentes ameaças à biodiversidade brasileira e sua variabilidade genética apontam para uma contínua e preocupante redução desse patrimônio. Essas ameaças são observadas em quase todos

Leia mais

Comparação entre lei 4771 e PL relatado pelo Dep.Aldo Rebelo preparado por Zeze Zakia Versão preliminar ( APP)

Comparação entre lei 4771 e PL relatado pelo Dep.Aldo Rebelo preparado por Zeze Zakia Versão preliminar ( APP) Lei 4771 versão em vigor II área de preservação permanente: área protegida nos termos dos arts. 2 o e 3 o desta Lei, coberta ou não por vegetação nativa, com a função ambiental de preservar os recursos

Leia mais

TERCEIRÃO GEOGRAFIA FRNTE 8 A - aula 25. Profº André Tomasini

TERCEIRÃO GEOGRAFIA FRNTE 8 A - aula 25. Profº André Tomasini TERCEIRÃO GEOGRAFIA FRNTE 8 A - aula 25 Profº André Tomasini Localizado na Região Centro-Oeste. Campos inundados na estação das chuvas (verão) áreas de florestas equatorial e tropical. Nas áreas mais

Leia mais

ANÁLISE DA PRECIPITAÇÃO DA ESTAÇÃO DA EMBRAPA SEMIARIDO, PROJETO BEBEDOURO PRETOLINA/PE, ATRAVÉS DA TÉCNICA DE QUANTIS

ANÁLISE DA PRECIPITAÇÃO DA ESTAÇÃO DA EMBRAPA SEMIARIDO, PROJETO BEBEDOURO PRETOLINA/PE, ATRAVÉS DA TÉCNICA DE QUANTIS ANÁLISE DA PRECIPITAÇÃO DA ESTAÇÃO DA EMBRAPA SEMIARIDO, PROJETO BEBEDOURO PRETOLINA/PE, ATRAVÉS DA TÉCNICA DE QUANTIS Iug Lopes¹; Miguel Júlio Machado Guimarães²; Juliana Maria Medrado de Melo³. ¹Mestrando

Leia mais

Domínios Morfoclimáticos

Domínios Morfoclimáticos Domínios Morfoclimáticos Os domínios morfoclimáticos representam a interação e a integração do clima, relevo e vegetação que resultam na formação de uma paisagem passível de ser individualizada. Domínios

Leia mais

Recursos Hídricos GEOGRAFIA DAVI PAULINO

Recursos Hídricos GEOGRAFIA DAVI PAULINO Recursos Hídricos GEOGRAFIA DAVI PAULINO Bacia Hidrográfica Área drenada por um conjunto de rios que, juntos, formam uma rede hidrográfica, que se forma de acordo com elementos fundamentais como o clima

Leia mais

ESTUDO DA VIABILIDADE DO USO DE CISTERNAS EM ASSENTAMENTO RURAL NO MUNICÍPIO DE VÁRZEA-PB

ESTUDO DA VIABILIDADE DO USO DE CISTERNAS EM ASSENTAMENTO RURAL NO MUNICÍPIO DE VÁRZEA-PB ESTUDO DA VIABILIDADE DO USO DE CISTERNAS EM ASSENTAMENTO RURAL NO MUNICÍPIO DE VÁRZEA-PB Jackson Silva Nóbrega 1 ; Francisco de Assis da Silva 1 ; Marcio Santos da Silva 2 ; Maria Tatiane Leonardo Chaves

Leia mais

Aulas de Ciências de 12 a 21 5ª série. A Biosfera A terra, um planeta habitado. Biomas e ambientes aquáticos. Os biomas terrestres

Aulas de Ciências de 12 a 21 5ª série. A Biosfera A terra, um planeta habitado. Biomas e ambientes aquáticos. Os biomas terrestres Aulas de Ciências de 12 a 21 5ª série A Biosfera A terra, um planeta habitado De todos os planetas conhecidos do Sistema Solar, a Terra é o único que apresenta uma biosfera, onde a vida se desenvolve.

Leia mais

Questões para Revisão Cap. 3-7ºs anos - prova 2

Questões para Revisão Cap. 3-7ºs anos - prova 2 Questões para Revisão Cap. 3-7ºs anos - prova 2 1. Um pesquisador visitou as cidades de Salvador, Brasília e Manaus para caracterizar o compartimento geomorfológico de cada uma delas. Ao final do trabalho

Leia mais

Análise da Paisagem. Riscos ambientais relacionados ao uso e apropriação do relevo

Análise da Paisagem. Riscos ambientais relacionados ao uso e apropriação do relevo Análise da Paisagem Riscos ambientais relacionados ao uso e apropriação do relevo (análise do meio físico como subsídio para o planejamento territorial) Desastres naturais ocorridos no mundo e seus respectivos

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO GEOAMBIENTAL E CONSCIENTIZAÇÃO DA POPULAÇÃO QUANTO A CONSERVAÇÃO DA APA DO ESTUÁRIO DO RIO CEARÁ/CE

CARACTERIZAÇÃO GEOAMBIENTAL E CONSCIENTIZAÇÃO DA POPULAÇÃO QUANTO A CONSERVAÇÃO DA APA DO ESTUÁRIO DO RIO CEARÁ/CE CARACTERIZAÇÃO GEOAMBIENTAL E CONSCIENTIZAÇÃO DA POPULAÇÃO QUANTO A CONSERVAÇÃO DA APA DO ESTUÁRIO DO RIO CEARÁ/CE ARAÚJO, Maria Valdirene ¹; FREIRE, George Satander Sá ²; CRUZ, Patrícia Silva da³ & PORTELA,

Leia mais

Plataforma Ambiental para o Brasil

Plataforma Ambiental para o Brasil Plataforma Ambiental para o Brasil A Plataforma Ambiental para o Brasil é uma iniciativa da Fundação SOS Mata Atlântica e traz os princípios básicos e alguns dos temas que deverão ser enfrentados na próxima

Leia mais

O ENSINO DE CIÊNCIAS A PARTIR DO DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS: O CASO DA IDENTIFICAÇÃO DAS ILHAS DE CALOR NO MUNÍCIPIO DE JOÃO PESSOA-PB

O ENSINO DE CIÊNCIAS A PARTIR DO DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS: O CASO DA IDENTIFICAÇÃO DAS ILHAS DE CALOR NO MUNÍCIPIO DE JOÃO PESSOA-PB O ENSINO DE CIÊNCIAS A PARTIR DO DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS: O CASO DA IDENTIFICAÇÃO DAS ILHAS DE CALOR NO MUNÍCIPIO DE JOÃO PESSOA-PB Karoline Oliveira Ribeiro¹ Rayhanne Maria de Araújo Jatobá² Rafaelle

Leia mais

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES GEOGRAFIA DESAFIO DO DIA. Aula 21.1 Conteúdo. Região Sudeste

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES GEOGRAFIA DESAFIO DO DIA. Aula 21.1 Conteúdo. Região Sudeste CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA Aula 21.1 Conteúdo Região Sudeste 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA

Leia mais

GESTÃO AMBIENTAL. Zoneamento Ambiental. Espaços Territoriais especialmente protegidos ... Camila Regina Eberle camilaeberle@hotmail.

GESTÃO AMBIENTAL. Zoneamento Ambiental. Espaços Territoriais especialmente protegidos ... Camila Regina Eberle camilaeberle@hotmail. ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL GESTÃO AMBIENTAL Zoneamento Ambiental Espaços

Leia mais

www.geoturismobrasil.com Geoturismo em Tibagi Antonio Liccardo DEGEO - UEPG

www.geoturismobrasil.com Geoturismo em Tibagi Antonio Liccardo DEGEO - UEPG www.geoturismobrasil.com Geoturismo em Tibagi Antonio Liccardo DEGEO - UEPG Relação da população com a natureza e território Geoturismo Atividade multidisciplinar Forte subsídio para turismo cultural,

Leia mais

Planejando o Uso da Propriedade Rural I a reserva legal e as áreas de preservação permanente

Planejando o Uso da Propriedade Rural I a reserva legal e as áreas de preservação permanente Planejando o Uso da Propriedade Rural I a reserva legal e as áreas de preservação permanente Ricardo D. Gomes da Costa 1 Marcelo Araujo 2 A rápida destruição de ambientes naturais, juntamente com a redução

Leia mais

Utilização de SIG aliado ao sistema de gestão ambiental em cursos d água urbanos.

Utilização de SIG aliado ao sistema de gestão ambiental em cursos d água urbanos. Utilização de SIG aliado ao sistema de gestão ambiental em cursos d água urbanos. AUTORES: Reginal Exavier¹, Elizabeth Rodrigues Brito Ibrahim² ¹Graduado no curso de Engenharia Ambiental e Sanitária pelo

Leia mais

Classificações climáticas

Classificações climáticas Classificações climáticas Glauber Lopes Mariano Departamento de Meteorologia Universidade Federal de Pelotas E-mail: glauber.mariano@ufpel.edu.br glaubermariano@gmail.com O clima do Brasil pode ser classificado

Leia mais

Reserva da Biosfera da Mata Atlântica Experiência em Gestão Territorial

Reserva da Biosfera da Mata Atlântica Experiência em Gestão Territorial Reserva da Biosfera da Mata Atlântica Experiência em Gestão Territorial João Albuquerque - Outubro/ 2009 Reservas da Biosfera-A escala dos Biomas Art. 41. A Reserva da Biosfera é um modelo, adotado internacionalmente,

Leia mais

Código Florestal Brasileiro Lei Federal 12.651/12. 4º Ecologia 28/09/2015

Código Florestal Brasileiro Lei Federal 12.651/12. 4º Ecologia 28/09/2015 1 Código Florestal Brasileiro Lei Federal 12.651/12 4º Ecologia 28/09/2015 Motivação para criação 2 Conservação de ecossistemas naturais é interessante! Única lei nacional que veta a ocupação urbana ou

Leia mais

AVALIAÇÃO DE DRENAGEM NA BACIA DO RIO VERRUGA EM VITÓRIA DA CONQUISTA

AVALIAÇÃO DE DRENAGEM NA BACIA DO RIO VERRUGA EM VITÓRIA DA CONQUISTA Porto Alegre/RS 23 a 26/11/2015 AVALIAÇÃO DE DRENAGEM NA BACIA DO RIO VERRUGA EM VITÓRIA DA CONQUISTA UERITON DA COSTA FIGUEIREDO FILHO (*), ORLEANE SOUZA DE BRITO 2, LEONARDO GOMES MARTINS 3, ENDEL DE

Leia mais

RESERVATÓRIOS DE DETENÇÃO HIDRICA: SOLUÇÃO PARA PROBLEMAS DE DRENAGEM URBANA NO MUNICÍPIO DE CAMPINA GRANDE - PB

RESERVATÓRIOS DE DETENÇÃO HIDRICA: SOLUÇÃO PARA PROBLEMAS DE DRENAGEM URBANA NO MUNICÍPIO DE CAMPINA GRANDE - PB RESERVATÓRIOS DE DETENÇÃO HIDRICA: SOLUÇÃO PARA PROBLEMAS DE DRENAGEM URBANA NO MUNICÍPIO DE CAMPINA GRANDE - PB Yuri Tomaz Neves 1 ; Laércio Leal dos Santos 2 ; Jonathan Nóbrega Gomes 3 ; Bruno Menezes

Leia mais

FICHA PROJETO - nº364-ma

FICHA PROJETO - nº364-ma FICHA PROJETO - nº364-ma Mata Atlântica Linha Nacional 1) TÍTULO: Capacitação em gestão participativa de Unidades de Conservação na Mata Atlântica do Nordeste 2) MUNICÍPIOS DE ATUAÇÃO DO PROJETO: Estados

Leia mais

DESMATAMENTO EM ÁREAS PROTEGIDAS DA CAATINGA

DESMATAMENTO EM ÁREAS PROTEGIDAS DA CAATINGA DESMATAMENTO EM ÁREAS PROTEGIDAS DA CAATINGA Laura Sabbatini Trebbi 1,2, Bianca Vigo Groetaers Vianna 1,2, Bruno Mariani Piana 1,2, Daniel Moraes de Freitas 3, Rodrigo Antônio de Souza 3 1 Empresa Júnior

Leia mais

DIA: 11.02.2015 (QUARTA-FEIRA) das 09:00 às 13:00 horas MUNICÍPIO: SÃO GONÇALO DO AMARANTE LOCALIDADE: POVOADO GUANDUBA.

DIA: 11.02.2015 (QUARTA-FEIRA) das 09:00 às 13:00 horas MUNICÍPIO: SÃO GONÇALO DO AMARANTE LOCALIDADE: POVOADO GUANDUBA. DIA: 11.02.2015 (QUARTA-FEIRA) das 07:00 às 11:00 horas BAIRRO: BELO HORIZONTE RUA: PADRE FREIRE E ADJACÊNCIAS. DIA: 11.02.2015 (QUARTA-FEIRA) das 07:30 às 11:30 horas MUNICÍPIO: PATU RUA: JOÃO FERREIRA

Leia mais

Licenciamento Ambiental no Estado de São Paulo

Licenciamento Ambiental no Estado de São Paulo Licenciamento Ambiental no Estado de São Paulo Aspectos relacionados com a Legislação Florestal / Mineração LEI FEDERAL 12651/12 Engª Amb. Adriana Maira Rocha Goulart Divisão de Apoio e Gestão dos Recursos

Leia mais

FITOECOLOGIA DOS BREJOS DE ALTITUDE DO SERTÃO PARAIBANO

FITOECOLOGIA DOS BREJOS DE ALTITUDE DO SERTÃO PARAIBANO FITOECOLOGIA DOS BREJOS DE ALTITUDE DO SERTÃO PARAIBANO Ailson de Lima Marques (1); Júlia Diniz de Oliveira (2); Douglas Cavalcante de Araújo (3) Anna Raquel Dionísio Ramos (4) Universidade Federal de

Leia mais

Anais do Simpósio Regional de Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto - GEONORDESTE 2014 Aracaju, Brasil, 18-21 novembro 2014

Anais do Simpósio Regional de Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto - GEONORDESTE 2014 Aracaju, Brasil, 18-21 novembro 2014 IDENTIFICAÇÃO DE UNIDADES DE PAISAGEM ATRAVÉS DA APLICAÇÃO DE GEOTECNOLOGIAS, PROPOSTA PARA ELABORAÇÃO DE PLANO DE MANEJO EM RESERVA EXTRATIVISTA MARINHA Tabilla Verena da Silva Leite 1, Abraão Levi dos

Leia mais

MAPEAMENTO E AVALIÇÃO DAS PRINCIPAIS ÁREAS DE EXPANSÃO URBANA NA BACIA DO RIO MURIQUI, LESTE METROPOLITANO DO RIO DE JANEIRO (RJ)

MAPEAMENTO E AVALIÇÃO DAS PRINCIPAIS ÁREAS DE EXPANSÃO URBANA NA BACIA DO RIO MURIQUI, LESTE METROPOLITANO DO RIO DE JANEIRO (RJ) MAPEAMENTO E AVALIÇÃO DAS PRINCIPAIS ÁREAS DE EXPANSÃO URBANA NA BACIA DO RIO MURIQUI, LESTE METROPOLITANO DO RIO DE Silva, L.O. 1 ; Placido, D.T. 2 ; 1 UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE Email:leugeo25@gmail.com;

Leia mais

CAPÍTULO 8 ANÁLISE INTEGRADA

CAPÍTULO 8 ANÁLISE INTEGRADA CAPÍTULO 8 ANÁLISE INTEGRADA O presente capítulo foi elaborado em atenção ao determinado pelo Ibama em seu Termo de Referência visando a formulação de um quadro referencial das condições ambientais da

Leia mais

Implantação do Observatório Ambiental da Macrorregião Ambiental N ọ 5 do Estado do Rio de Janeiro (Observatório Ambiental da MRA-5)

Implantação do Observatório Ambiental da Macrorregião Ambiental N ọ 5 do Estado do Rio de Janeiro (Observatório Ambiental da MRA-5) Implantação do Observatório Ambiental da Macrorregião Ambiental N ọ 5 do Estado do Rio de Janeiro (Observatório Ambiental da MRA-5) Pedro Henrique Oliveira Rocha Palavras-chave: Observatório Ambiental.

Leia mais

BOLETIM ELETRÔNICO DE SERVIÇOS

BOLETIM ELETRÔNICO DE SERVIÇOS BOLETIM ELETRÔNICO DE SERVIÇOS Campus Floriano Teresina (PI), 31 de outubro de 2014. PORTARIA Nº001/2014, DE 19 DE FEVEREIRO DE 2014. Designar os servidores Lázaro Miranda Carvalho, Professor do Ensino

Leia mais

B I O G E O G R A F I A

B I O G E O G R A F I A B I O G E O G R A F I A CAATINGA 2011 Aula XI O bioma Caatinga é o principal ecossistema existente na Região Nordeste, estendendo-se pelo domínio de climas semi-áridos, numa área de 73.683.649 ha, 6,83%

Leia mais

RESULTADO GERAL DO VESTIBULAR 2013.1

RESULTADO GERAL DO VESTIBULAR 2013.1 RESULTADO GERAL DO VESTIBULAR 2013.1 ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS 1 000033 MARIO ALEX HOLANDA DA SILVA 2 000018 ANDRE DA CUNHA COSTA 3 000111 GISELE PRECHEDES NASCIMENTO ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS 1 000019

Leia mais

DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS BIOMAS BRASILEIROS

DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS BIOMAS BRASILEIROS DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS BIOMAS BRASILEIROS Creative Commons/Nao Iizuka Bioma Amazônia ou Domínio Amazônico Heterogêneo Perene Denso Ombrófila Três estratos Influenciado pelo relevo e hidrografia Bacia

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL. Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL. Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1 Matriz Curricular aprovada pela Resolução nº 29/09-CONSUNI, de 1º de dezembro de 2009. MATRIZ CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL Válida para os acadêmicos ingressantes a partir

Leia mais

COLÉGIO MARQUES RODRIGUES - SIMULADO

COLÉGIO MARQUES RODRIGUES - SIMULADO COLÉGIO MARQUES RODRIGUES - SIMULADO Estrada da Água Branca, 2551 Realengo RJ Tel: (21) 3462-7520 www.colegiomr.com.br PROFESSOR ALUNO ANA CAROLINA DISCIPLINA GEOGRAFIA A TURMA SIMULADO: P3 501 Questão

Leia mais