SOFTEXRECIFE Balanço Social e Ambiental Exercício

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SOFTEXRECIFE Balanço Social e Ambiental Exercício 2007 1"

Transcrição

1 SOFTEXRECIFE Balanço Social e Ambiental Exercício

2 O SOFTEXRECIFE apresenta o seu Balanço Social e ambiental com base no ano Esta é a segunda apresentação deste documento, vez que no ano passado foi apresentada a versão baseado no ano de O Balanço Social é um documento que permite demonstrar o comprometimento da organização com a sociedade e o meio ambiente. Uma parte dos seus dados são, substancialmente, extraídos dos registros contábeis e a outra parte das ações com repercussão social e ambiental desenvolvidas ao longo do ano base. Esse demonstrativo é um importante instrumento de gestão nas organizações públicas e privadas. O Balanço Social foi elaborado em consonância com as Normas Brasileiras de Contabilidade e apresenta um conjunto de informações contábeis, administrativas, financeiras, sociais e ambientais de expressiva relevância para a sociedade e para a gestão no que se refere ao processo de tomada de decisões. Sua estrutura é composta de informações gerais sobre a entidade, sobre suas atividades operacionais, atividades não operacionais, atividades sociais e, por fim, o balanço social em dados. Este trabalho, de forma definitiva, integra o sistema de informações da entidade sobre as ações, os projetos sociais e a cultura organizacional, na linha da prestação de contas com a mais nítida clareza e absoluta transparência. José Cláudio de Oliveira Diretor Presidente 2

3 Apresentação O SOFTEXRECIFE caracteriza-se como uma instituição de educação, ensino e pesquisa e de apoio ao desenvolvimento do arranjo produtivo de Tecnologia da Informação e Comunicação de Pernambuco.. No momento a entidade conta com mais de 70 empresas associadas, o que significa uma parcela importante das empresas que formam o setor de Tecnologia da Informação e Comunicação em Pernambuco. 3

4 Histórico O SoftexRecife Centro de Excelência em Tecnologia de Software do Recife é uma sociedade civil sem fins lucrativos, criada em 8 de novembro de Em junho de 2006 foi reconhecida como OSCIP - Organização da Sociedade Civil de Interesse Público nos níveis municipal, estadual e federal. Em dezembro/07 obteve o registro junto ao CATI-Conselho de Atividades de Tecnologia da Informação do MCT-Ministério da Ciência e Tecnologia. A entidade tem sua origem vinculada ao Programa Softex2000, representando a consolidação institucional do Núcleo Softex do Recife, organização criada logo no início do Programa, em maio de 1993 (foi o sexto núcleo a ser criado no país, dos cerca de 20 hoje existentes). Do Conselho Deliberativo do SoftexRecife fazem parte: a UFPE-Universidade Federal de Pernambuco, a ASSESPRO-PE, a SUCESU-PE, o Governo do Estado, o CESAR Centro de Estudos de Sistemas Avançados do Recife, a Prefeitura da Cidade do Recife, a Federação de Indústria de Pernambuco, o Porto Digital, O SEPROPE Sindicato das Empresas de Processamento de Dados do Estado de PE e uma representação das empresas associadas. 4

5 Introdução O setor de Tecnologia da Informação em Pernambuco já desponta como uma atividade de expressão entre as que hoje compõem a economia estadual, sendo um dos pólos de destacado potencial de crescimento no estado. Segundo dados disponibilizados pelo NGPD Núcleo de Gestão do Porto Digital, em sua área de abrangência, que é o bairro denominado de Recife Antigo, o setor emprega atualmente cerca de 3,6 mil pessoas em cerca de 107 organizações, respondendo por aproximadamente 3,5% do PIB estadual. Neste contexto o SOFTEXRECIFE é um ente ativo, atuando de forma proativa e colaborativa com todas as entidades envolvidas neste esforço comum. 5

6 Nossa missão Aumentar a competividade das empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação. Buscar instrumentos para fomentar o desenvolvimento do setor de software no Estado. Promover produtos e serviços inovadores na área de software. Apoiar a comercialização de software no país e no exterior. Desenvolver recursos humanos visando a melhoria da capacidade empresarial. Contribuir para ampliar a diversidade de fontes de investimentos do setor. Incrementar redes de negócios. Instituir e gerir programas de serviço voluntário de cunho social. Instituir e gerir programas de bolsas e de pesquisa. Proporcionar a integração social e a democratização da informação. Desenvolver programas de capacitação para portadores de necessidades especiais para acesso à informática.. Desenvolver núcleos de treinamento de integração social com a comunidade carente. Promover o combate à desigualdade social e aos preconceitos de gênero, etnia, credo e classe, através da informática. 6

7 Nossa visão Tornar-se cada vez mais, um grande centro difusor da cultura da qualidade e uma referência em teste de software e com isso contribuir para a consolidação da reputação do Recife como um centro de produção de TI e disseminador dos benefícios da tecnologia para a inserção e promoção social.. O SOFTEXRECIFE é, na verdade, uma comunidade viva de empresas da área de Tecnologia da Informação que dispõe de um espaço institucional para se aperfeiçoar e promover o seu crescimento e inserção no mercado e na sociedade local, nacional e internacional. Em face desse papel é, junto com outras instituições, elemento chave de uma estratégia em curso, para consolidar a cidade do Recife em um pólo reconhecido e respeitado de geração, produção e difusão de Tecnologia da Informação. 7

8 Nossa estrutura Estamos instalados em um imóvel no bairro do Recife, em área abrangida pelo Porto Digital, ocupando uma área de 300 m2. Nossas instalações administrativas contemplam: duas salas de coordenadoria, uma secretaria, um setor financeiro, um auditório com capacidade para 30 pessoas e uma sala para reuniões. Conta com 06 computadores, impressoras copiadoras e projetores para apresentações. Nossas instalações técnicas são compostas de: um Laboratório do Projeto NEXT Núcleo de Excelência em Testes de Sistemas, um Laboratório do Projeto Implantação do MPS.BR e um Laboratório de Treinamentos. As instalações técnicas contam em sua estrutura com: 04 servidores, Os laboratórios contam com 04 servidores e 31 computadores, todos ligados em rede e com acesso a internet de banda larga. Contam ainda com ferramentas de desenvolvimento e apoio de última geração, tais como: Microsoft Action Pack Microsoft Registered User TestComplete Ferramenta de Testes Automatizados Testlink Ferramenta de Gerenciamento de Testes Trend Micro Office Scan Ferramenta anti-vírus 8

9 Atualmente o SOFTEXRECIFE está finalizando a construção de um Centro de negócios para as empresas de tecnologia da informação, o ITBC. Esse empreendimento está sendo construído no bairro do Recife e objetiva oferecer às empresas de TIC um local apropriado com o que há de mais moderno em termos de comunicação de voz e dados para as empresas se instalarem. Além de servir como um empresarial agregador de empresas de TIC, ele terá ainda como mérito o fato de propiciar condições para que estas empresas, convivendo em um mesmo ambiente, possam trocar informações, identificar sinergias e realizarem negócios em parcerias. A entrega de deste empreendimento, prevista para meados de 2009, será um marco importante na consolidação do Pólo digital do Recife, dada a atual escassez de imóveis para locação. 9

10 Nosso capital humano Temos um setor administrativo, que atualmente conta com uma equipe de 03 funcionários, 01 Coordenador Geral, 01 Coordenador Administrativo-Financeiro e 01 Gerente de Tecnologia. Com a aprovação de dois projetos na chamada RHAE - Recursos Humanos para Atividades Estratégicas do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico CNPq, o SOFTEXRECIFE passou a contar também com equipes de bolsistas que compõe o projeto NEXT e o projeto de Implantação do MPS.BR em Pernambuco. O resultado deste programa foi a criação de uma avançada unidade de pesquisa e desenvolvimento na área de Teste de Software, atendendo várias empresas associadas na implementação de projetos de melhoria de seus produtos. Esta unidade, reconhecida pela sua excelência, apresentou em diversos eventos seu modelo para entidades congêneres. Estas equipes são formadas por 20 profissionais compostos de: Gerentes de projetos, Pesquisadores, Engenheiros de qualidade, de testes e de processos. Os componentes, nas diferentes funções, possuem titulação que vão de graduados até doutores. Uma vez que o modelo é de atuar como um integrador de soluções, o SOFTEXRECIFE, exceção feita a Unidade de Testes de Software, não dispõe de unidades de pesquisa e desenvolvimento de outras naturezas, posto que isso é realizado sempre em parceria com as empresas associadas. 10

11 Fontes de financiamento Os recursos do SOFTEXRECIFE são provenientes da contribuição das empresas a ele associadas, de convênios firmados com organismos públicos e de serviços prestados, tanto ao setor privado, como ao setor público. Entre os serviços prestados destacamos: O oferecimento de cursos especializados para atender necessidades específicas das empresas, cursos estes que não interessam comercialmente às empresas formadoras de mão de obra em tecnologia da informação. Consultoria para habilitação das empresas na obtenção da certificação MPS-BR. Consultoria no desenvolvimento de programas de teste para software das empresas associadas. Para tanto dispomos de um laboratório especializado, equipado com equipamentos e ferramentas de última geração, sendo o único no Nordeste. Gestão de um programa de Mestrado Profissional em Ciência da Computação em parceria com a FADE-Fundação de Apoio ao Desenvolvimento da UFPE. Neste contexto, o SOFTEXRECIFE atua como um grande integrador de soluções e competências, reunindo empresas que, se tivessem que atuar isoladamente em certos tipos de serviços, teriam grandes dificuldades. Isso confere ao SOFTEXRECIFE um grande poder aglutinador e ao mesmo tempo difusor de novas soluções. Cabendo, portanto, também, neste exercício de integração, o papel de garantir um padrão de qualidade para os mesmos. 11

12 Conselho Técnico Científico O SOFTEXRECIFE possui em sua estrutura um órgão interno que é o Conselho Técnico- Científico. Seu objetivo é a assessoria na análise e reflexão sobre assuntos técnicos, científicos e estratégicos de interesse da entidade. Sendo formado por instituições de ensino, Centros de pesquisa e tecnologia nacionais ou internacionais e profissionais e/ou pesquisadores que atuem na área. Atualmente deste conselho participam: Profissionais e/ou pesquisadores Prof. Paulo Freire Cunha Prof. Hermano Perreli de Moura Profa. Cristine Martins Gomes de Gusmão Prof. Nelson Souto Rosa Entidades FACEPE Fundação de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico de Pernambuco FIR Faculdades Integradas do Recife GTTI Grupo de Gestores de Tecnologia da Informação 12

13 Atividades operacionais em 2007 Projeto ATI O objetivo deste contrato foi o de implantação e manutenção de uma Solução Integrada de Tecnologia da Informação e Comunicação para a implementação do Governo Digital. O SOFTEXRECIFE foi escolhido para realizar este projeto mercê da sua capacidade em prover soluções integradas e montar consórcios agregando um grande leque de expertise. Essa capacidade em agregar expertise e mobilizar empresas em torno de uma solução integrada constitui hoje um grande ativo intangível do SOFTEXRECIFE que agrega valor para o seu contratante. Projeto ITBC Centro de Negócios de Tecnologia da Informação O projeto do ITBC, ora em fase de conclusão da obra, trata-se de um investimento próprio amparado em financiamento firmado com o BNDES-Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social em no valor de R$ ,00. Este projeto, além de sua importância como centro empresarial, reforçando a estrutura vocacional do bairro, inserida na região demarcada como Porto Digital, atende também os objetivos Sócio-ambientais do SOFTEXRECIFE, vez que o investimento será integralmente realizado na recuperação de um imóvel antigo localizado em edifício existente em área de preservação histórica. A estimativa de conclusão do projeto é para meados de 2009, ocasião em que serão oferecidas aos associados áreas para locação. Trata-se de um projeto planejado para abrigar empresas de TIC, disponibilizando no empreendimento, para tanto, estruturas e equipamentos da mais moderna tecnologia. 13

14 Mestrado Profissional O SOFTEXRECIFE é uma instituição de educação, ensino, pesquisa e, dentro destes objetivos, se encontra a missão de promover o pólo local de Tecnologia da Informação. Uma das carências apontadas para um crescimento mais rápido deste pólo, tem sido diagnosticada como uma oferta insuficiente de uma mão-de-obra qualificada nas suas mais diversas áreas. Consciente desta necessidade imperiosa, o SOFTEXRECIFE associou-se num convênio com o Centro de Informática da Universidade Federal de Pernambuco, com objetivo de oferecer um Curso de Mestrado profissional Strictu Senso em Ciência da Computação. O Centro de Informática projetou um curso de mestrado que atendesse as necessidades de capacitação do pólo local de Tecnologia da Informação e, ao mesmo tempo respeitando todos os cânones acadêmicos. O resultado disto foi uma grade curricular equilibrada que se tornou atrativa para os profissionais já com experiências na área, mas que necessitavam aprofundar os seus conhecimentos nesta área caracterizada por um alto dinamismo. O Curso de Mestrado iniciou no mês de novembro/2006 e tendo como prevista uma duração de 24 meses, sendo ministrado pelos professores e nas instalações do Centro de Informática da Universidade Federal de Pernambuco. Esta primeira turma foi formada com 40 alunos, alguns deles de outros estados, atraídos que foram pela qualidade deste projeto de curso. Em novembro/2007 iniciou-se uma segunda turma, também com 40 alunos. 14

15 PROGRAMA DE BOLSAS SOFTEX O SOFTTEXRECIFE tem na promoção da inovação e formação de capital humano no pólo local de Tecnologia da Informação, um dos seus grandes objetivos. Estando assim, sempre na busca da melhor forma de atender as necessidades das suas empresas associadas. É entendimento geral que um dos pontos de fragilidade do pólo de Tecnologia da Informação é a carência de recursos humanos qualificados. Foi dentro desse espírito que o SOFTEXRECIFE criou o seu PROGRAMA DE BOLSAS DE PESQUISA E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. No ano de 2007, quando foi criado, o programa implementou 101 bolsas em 11 projetos de pesquisa e desenvolvimento, integrando nestes a participação de 12 instituições associadas. CONVÊNIO FINEP/MUSEU OLINDA VIVA O SOFTEXRECIFE firmou convênio com a Financiadora de Estudos e Projetos FINEP com vistas ao desenvolvimento de uma solução tecnológica que complementa a infraestrutura necessária à atração e recepção turística de Olinda. Trata-se de uma solução composta por um conjunto de aplicações acessíveis através de internet, de handhels [palm ou pocket PC] e de celulares com múltiplas possibilidades de transmissão de conteúdo sejam pela própria internet ou por interfaces wireless presentes nos handhelds e também nos celulares. Parte do recurso foi liberado em 2007, quando o trabalho de desenvolvimento foi iniciado. A conclusão do mesmo está prevista para meados de

16 PROMIMP-PETROBRÁS O SOFTEXRECIFE firmou contrato com a PETROBRAS, para a criação de um ambiente informatizado na WEB para geração de comunidades virtuais com os parceiros do PROMINP, objetivando a integração dessas comunidades e pessoas físicas que serão mapeadas pelo cadastramento sócio-profissional nos municípios componentes da área de abrangência da refinaria Abreu e Lima a ser construída no estado de Pernambuco, e possibilitando a convergência das diversas informações em um único ambiente de colaboração e comunicação. Este trabalho foi iniciado em 2007 e tem previsão de conclusão para o mês de abril de Como parceiros beneficiados por esse projeto teremos FIEPE, SENAI, FECOMÉRCIO, SESI, IEL, Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Governo do Estado de Pernambuco, Estaleiro, Petrobras, Petroquímica de Suape e os Municípios de Pernambuco: Abreu e Lima, Araçoiaba, Cabo de Santo Agostinho, Camaragibe, Escada, Goiana, Igarassu, Ipojuca, Itamaracá, Itapissuma, Jaboatão dos Guararapes, Moreno, Olinda, Paulista, Recife, Rio Formoso, São Lourenço da Mata, Sirinhaém, Timbaúba, Vitória de Santo Antão. TERMO DE PARCERIA COM A PCR-PREFEITURA DA CIDADE DO RECIFE O SOFTEXRECIFE firmou um termo de parceria com a PCR, para a criação de uma novo modelo de gestão da infra-estrutura do Recife, destinada a acelerar mudanças no modelo tradicional de gestão pública, visando a busca por inovação, uma gestão compartilhada com a participação do cidadão que ajudará a alta administração a ter embasamento para tomadas de decisões, redução de custos públicos e acompanhamento efetivo das ações da municipalidade. Em síntese, o projeto visa, a busca da inclusão social com o aumento da eficiência da máquina pública utilizando como meio novos processos de gestão e um instrumental técnológico que venha a suprir as necessidades deste novo modelo de gestão pública. 16

17 O projeto de um novo modelo de gestão da infra-estrutura do Recife compreende a busca de programas que propiciem a inclusão social com eficientização da máquina pública englobando as seguintes ações integradas: i. Munir a Secretaria de Serviços Públicos e seus órgãos subordinados: EMLURB, CSURB, CTTU, GUARDA MUNICIPAL - de ferramentas informatizadas para apoio a gestão, englobando softwares e bases de dados consolidadas para planejamento e controle operacional englobando os seguintes elementos: ii. Tratamento das informações do cadastro da base de iluminação pública para realização de um cadastro técnico geo-referenciado do parque de iluninação pública: Visando capacitar a EMLURB na participação de programas de financiamento da eficientização da iluminação pública e para o software de gestão da manutenção da iluminação pública iii. Apoio de Suporte e Manutenção dos Telecentros/infocentros instalados pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico no PID Projeto de Inclusão Digital, e disponibilização dos sistemas produzidos pelo projeto, permitindo descentralizar e ampliar os serviços de atendimento ao cidadão criando assim a visão de gestão compartilhada e ao mesmo tempo realizar a inclusão digital e social da população e comunidades carentes com uso do computador, internet e sistemas de atendimento ao cidadão. 17

18 NEXT - NÚCLEO DE EXCÊLENCIA EM TESTE DE SISTEMAS O ano de 2007 foi de consolidação na área de teste servida pelo NEXT. Diante disto além do programa de capacitação, que é perene, também fortalecemos a atuação junto as empresas no conceito de mentoring em teste de software. Foram realizados 11 cursos, de capacitação em processos de desenvolvimento e teste de software, totalizando que envolveu 204 participantes. Alem destas atividades, foram despendidas mais de horas, em projetos de mentoring em teste de software. Os cursos foram ministrados como parte do trabalho de difundir a cultura de qualidade e teste de software no pólo local de Tecnologia da Informação. A sua execução foi realizado na maior parte pela própria equipe do NEXT. Neste ano de 2007 o projeto NEXT empreendeu as seguintes ações: CURSOS REALIZADOS O grupo técnico do NEXT organizou e realizou nas nossas instalações os seguintes cursos no ano de 2007 (alguns deles foram realizados conjuntamente com empresas ou entidades parceiras): Fundamentos de Teste de Software - Área de conteúdo: Engenharia de Software - Carga horária: 30 horas - Número de turmas (quantidade de vezes que o curso foi ministrado): 2 - Total de participantes (soma dos participantes em cada turma): 28 - Total de aprovados (soma dos aprovados em cada turma): 28 18

19 Qualidade de Software - Área de conteúdo: Qualidade - Carga horária: 12 horas - Número de turmas (quantidade de vezes que o curso foi ministrado): 2 - Total de participantes (soma dos participantes em cada turma): 22 - Total de aprovados (soma dos aprovados em cada turma): 22 Introdução a gerencia de configuração - Área de conteúdo: Engenharia de Software - Carga horária: 12 horas - Número de turmas (quantidade de vezes que o curso foi ministrado): 1 - Total de participantes (soma dos participantes em cada turma): 12 - Total de aprovados (soma dos aprovados em cada turma): 12 Preparatório para exame de certificação BSTQB - Área de conteúdo: Engenharia de Software - Carga horária: 30 horas - Número de turmas (quantidade de vezes que o curso foi ministrado): 1 - Total de participantes (soma dos participantes em cada turma): 13 - Total de aprovados (soma dos aprovados em cada turma): 13 Definição e Melhoria de Processos de Software - Área de conteúdo: Engenharia de Software - Carga horária: 12 horas - Número de turmas (quantidade de vezes que o curso foi ministrado): 1 - Total de participantes (soma dos participantes em cada turma): 11 - Total de aprovados (soma dos aprovados em cada turma): 11 19

20 Implementadores do MPS.Br - Área de conteúdo: Engenharia de Software - Carga horária: 12 horas - Número de turmas (quantidade de vezes que o curso foi ministrado): 1 - Total de participantes (soma dos participantes em cada turma): 25 - Total de aprovados (soma dos aprovados em cada turma): 25 Introdução ao nível F do MPS.Br - Área de conteúdo: Engenharia de Software - Carga horária: 8 horas - Número de turmas (quantidade de vezes que o curso foi ministrado): 1 - Total de participantes (soma dos participantes em cada turma): 16 - Total de aprovados (soma dos aprovados em cada turma): 16 Garantia da Qualidade - Área de conteúdo: Engenharia de Software - Carga horária: 4 horas - Número de turmas (quantidade de vezes que o curso foi ministrado): 1 - Total de participantes (soma dos participantes em cada turma): 16 - Total de aprovados (soma dos aprovados em cada turma): 16 20

21 Medição - Área de conteúdo: Engenharia de Software - Carga horária: 4 horas - Número de turmas (quantidade de vezes que o curso foi ministrado): 1 - Total de participantes (soma dos participantes em cada turma): 16 - Total de aprovados (soma dos aprovados em cada turma): 16 Introdução ao nível G do MPS.Br - Área de conteúdo: Engenharia de Software - Carga horária: 16 horas - Número de turmas (quantidade de vezes que o curso foi ministrado): 1 - Total de participantes (soma dos participantes em cada turma): 20 - Total de aprovados (soma dos aprovados em cada turma): 20 Gerência de Requisitos - Área de conteúdo: Engenharia de Software - Carga horária: 8 horas - Número de turmas (quantidade de vezes que o curso foi ministrado): 1 - Total de participantes (soma dos participantes em cada turma): 25 - Total de aprovados (soma dos aprovados em cada turma): 25 21

22 MENTORING EM TESTE DE SOFTWARE O objetivo destes projetos foi capacitar as equipes da MV Sistemas e TCI Informática, nas melhores práticas no contexto de testes de software, especialmente na automação de testes, de forma a proporcionar ganhos de produtividade e da qualidade do produto da empresa. As frentes do trabalho a serem executadas foram organizadas conforme relacionadas a seguir: Capacitação: capacitar as equipes das empresas no corpo de conhecimento relacionado a testes de software. Melhoria do processo: promover melhorias no processo atual da empresa, de forma a adicionar as melhores práticas de testes. A melhoria do processo deverá se basear nos modelos de qualidade para a área de software, o CMMI e o MPS.BR, bem como nas melhores referências da engenharia de software. Automação de testes: capacitar as equipes na automação de testes, usando a ferramenta de teste TestComplete. TESTE DE CARGA E STRESS PARA A PETROBRAS O escopo deste trabalho foi realizar testes de carga no sistema de cadastramento sócioprofissional, simulando em laboratório o acesso concorrente do volume de usuários esperados, bem como testar o seu limite de serviço. A avaliação envolveu especificamente o cadastramento das pesquisas, que é um fator preponderante quanto a questão de desempenho do sistema. 22

23 CONSULTORIA EM TESTE DE CARGA NO CESAR Realização de mentoring de teste de carga através de técnico do NEXT junto à equipe do CESAR, com a finalidade de repassar conhecimento na utilização da ferramenta Apache JMeter. As atividades a serem desenvolvidas serão definidas de acordo com as necessidades específicas do CESAR. AVALIAÇÃO DE SISTEMA PARA A FITEC O NEXT realizou avaliação de sistema desenvolvido pela FITec, no tocante a performance. Identificando pontos de melhora de desempenho, propondo soluções e implementando, quando aplicável as soluções encontradas. PARTICIPAÇÃO NO II ENCONTRO BRASILEIRO DE TESTE DE SOFTWARE (EBTS) OUT/2007 O NEXT participou como palestrante do II Encontro Brasileiro de Teste de Software, onde apresentou case de sucesso de mentoring na implantação de uma célula de teste de software, numa empresa de desenvolvimento de software, para mais de 300 participantes do Brasil e exterior. GESTÃO DE PROJETOS O SOFTEXRECIFE conta hoje com uma equipe de Gerentes, com certificação PMP para gestão executiva de projetos. No ano de 2007 contamos com 2 projetos de grande porte e a expectativa para 2008, é que venhamos gerir mais 4 projetos, consolidando com isto mais um serviço prestado aos nossos associados. 23

24 MELHORIA DO PROCESSO DE SOFTWARE BRASILEIRO MPS/BR Grupos de Certificação O MPS.BR é um modelo de melhoria de processo de software, criado pelo SOFTEX Nacional, baseado no CMMI e ISO e voltado para pequenas e médias empresas. Por ter um custo menor e uma melhor distribuição nos níveis de capacitação, ele é mais adequado a realidade das empresas de desenvolvimento de software brasileiras. A sociedade SOFTEX em todo Brasil é a responsável pela disseminação do modelo no país e em outros paises de América do Sul. O SOFTEXRECIFE implementou o primeiro grupo de certificação do MPS.BR, no mês de março/2006 e certificou 3 empresas durante o ano de 2007(MV Sistemas, NEUS e Provider Sistemas). Em 2007 foram formados 2 grupos de empresas para certificação nos níveis G e F. O grupo formado para o nível G é composto de 5 empresas(facilit, Vinic, Simplestec Multisolution e Phoebus) e para o nível F por 4 empresas(in Forma, MV Sistemas, Procenge e PROVIDER). A previsão é que as empresas comecem as avaliações no segundo semestre de 2008 e que finalizem no primeiro semestre de Projeto de implantação do MPS.BR em Pernambuco Este Projeto foi submetido e aprovado dentro das ações de fomento à pesquisa e Inovação do RHAE CNPq com o custeio parcial através de Bolsas de pesquisas. O objetivo primordial deste projeto consiste na elevação do padrão de qualidade das empresas componentes do pólo de tecnologia de Informação e Comunicação de Pernambuco, tornando-as com isto capaz de atingir mercados mais amplos (nacional e internacional), gerando assim condições para ampliar suas escalas de operações. 24

25 Os principais resultados deste projeto serão os seguintes: Avaliação do primeiro grupo de empresas no nível G do MPS.BR, com pelo menos 6 empresas obtendo sucesso na avaliação em 16 meses; Consolidação do modelo MPS.BR em Pernambuco através da formação de novos grupos para avaliação MPS.BR; Formação de capital humano para implementação do modelo; Divulgação e Incentivo da cultura da qualidade de software entre as empresas locais; Habilitação de uma empresa avaliadora MPS.BR em Pernambuco. O projeto tem como meta prioritária ter pelo menos 6 empresas do grupo sejam avaliadas como nível G do MPS.BR dentro do prazo de 16 meses contados a partir do início do projeto. Este grupo inicial ajudará a produzir as condições necessárias para formação de novos grupos conduzindo a consolidação do MPS.BR no estado e no país. Estas condições estruturantes ajudarão a superar as barreiras da falta de pessoal qualificado nas empresas, e da pequena quantidade de consultores habilitados para implementação do modelo. O projeto será desenvolvido em quatro fases: Preparação, Definição de Processos, Institucionalização dos processos e avaliação das empresas. PROVAS REALIZADAS Dentro do projeto de disseminação do MPS.BR, forma realizadas em Recife provas para introdução e implementação do modelo em Pernambuco, onde participaram mais de trinta técnicos. Esta ação visa a formação de corpo técnico especializado na implementação do MPS.BR localmente. Foi formada em 2007 a primeira turma de implementadores de Pernambuco, com a certificação de 10 técnicos. Prova de Introdução, Implementadores e avaliador do MPS.BR 25

26 Ações não operacionais em 2007 REGISTRO NO CATI-Conselho de Atividades de Tecnologia da Informação do MCT- Ministério da Ciência e Tecnologia. O SOFTEXRECIFE requereu e obteve este registro Este reconhecimento habilita a entidade a buscar recursos oriundos da Lei de informática para pesquisa e desenvolvimento. MODELO DE COMPRAS Com a finalidade de nortear os procedimentos de aquisição de materiais e serviços, a entidade formalizou um modelo de compras próprio. Este passou a vigorar nas aquisições realizadas a partir de março/2007. AUDITORIA CONTÁBIL DO SOFTEXRECIFE Dando sequência ao processo de tornar cada vez mais transparente a entidade, além da definição da diretoria de realizar anualmente a auditoria dos números do SOFTERECIFE por uma empresa externa especializada. A entidade resolveu, também, auditar trimestralmente os números de cada projeto da qual participa ou partipou. Em 2007 foram realizadas auditorias trimestrais do Termo de Parceria realizado com a PCR-Prefeitura da Cidade do Recife. A empresa escolhida, cuja contratação foi realizada através de nosso modelo de compras, foi a Baker Tilly International, empresa com filial em Recife-PE e responsáveis técnicos inscritos na CVM-Comissão de Valores Mobiliários. 26

27 PADRONIZAÇÃO DE ACOMPANHAMENTO DOS PROJETOS Definimos normas e procedimentos para acompanhamento técnico e financeiro para acompanhamento dos projetos. Contabilização e guarda de documentação individualizada por projeto Acompanhamento gerencial para avaliação do cumprimento técnico de cada projeto. Modelo de prestação de contas padronizado 27

SOFTEXRECIFE Balanço Social e Ambiental Exercício 2006

SOFTEXRECIFE Balanço Social e Ambiental Exercício 2006 SOFTEXRECIFE Balanço Social e Ambiental Exercício 2006 1 O SOFTEXRECIFE apresenta pela primeira vez seu Balanço Social com base no ano 2006. O Balanço Social é um documento que permite demonstrar o comprometimento

Leia mais

CENTRO DE EXCELÊNCIA EM TECNOLOGIA DE SOFTWARE SOFTEX RECIFE

CENTRO DE EXCELÊNCIA EM TECNOLOGIA DE SOFTWARE SOFTEX RECIFE AUDITORIA NO TERMO DE PARCERIA ENTRE A SOFTEX E A PREFEITURA DA CIDADE DO RECIFE NO PERÍODO DE JULHO A SETEMBRO DE 2007 Í N D I C E Páginas 1 PARECER DA AUDITORIA... 3 e 4 2 IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO...

Leia mais

Edital 1/2014. Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica

Edital 1/2014. Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica Edital 1/2014 Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica A (PoloSul.org) torna pública a presente chamada e convida os interessados para apresentar propostas de incubação

Leia mais

AGENDA. Impacto na Região Linhas Estratégicas

AGENDA. Impacto na Região Linhas Estratégicas AGENDA Como Surgiu Situação Atual Variáveis Importantes Governança Conquistas Impacto na Região Linhas Estratégicas Rodrigo Fernandes Coordenador Executivo da COMTEC Como Surgiu A T.I. surgiu para prover

Leia mais

Regulamento do Programa RiSE/Porto Digital de Residência em Reuso de Software 2011

Regulamento do Programa RiSE/Porto Digital de Residência em Reuso de Software 2011 Regulamento do Programa RiSE/Porto Digital de Residência em Reuso de Software 2011 1. Apresentação A RiSE Reuse in Software Engineering e o Núcleo de Gestão do Porto Digital (NGPD), com o apoio do CNPq

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul Planejamento Estratégico de TIC da Justiça Militar do Estado do Rio Grande do Sul MAPA ESTRATÉGICO DE TIC DA JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO (RS) MISSÃO: Gerar, manter e atualizar soluções tecnológicas eficazes,

Leia mais

PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019

PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019 PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019 Candidato Gilmar Ribeiro de Mello SLOGAN: AÇÃO COLETIVA Página 1 INTRODUÇÃO Considerando as discussões realizadas com a comunidade interna

Leia mais

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS ANEXO 1 MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS Este documento serve como base orientadora para a apresentação de propostas de Arranjos Produtivos Locais para enquadramento no

Leia mais

Projeto: Rede MERCOSUL de Tecnologia

Projeto: Rede MERCOSUL de Tecnologia ANEXO XIII XXXIII REUNIÓN ESPECIALIZADA DE CIENCIA Y TECNOLOGÍA DEL MERCOSUR Asunción, Paraguay 1, 2 y 3 de junio de 2005 Gran Hotel del Paraguay Projeto: Rede MERCOSUL de Tecnologia Anexo XIII Projeto:

Leia mais

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre o Planejamento Estratégico de TIC no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário Planejamento

Leia mais

8. Excelência no Ensino Superior

8. Excelência no Ensino Superior 8. Excelência no Ensino Superior PROGRAMA: 08 Órgão Responsável: Contextualização: Excelência no Ensino Superior Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior - SETI O Programa busca,

Leia mais

Gestão 2013-2017. Plano de Trabalho. Colaboração, Renovação e Integração. Eduardo Simões de Albuquerque Diretor

Gestão 2013-2017. Plano de Trabalho. Colaboração, Renovação e Integração. Eduardo Simões de Albuquerque Diretor Gestão 2013-2017 Plano de Trabalho Colaboração, Renovação e Integração Eduardo Simões de Albuquerque Diretor Goiânia, maio de 2013 Introdução Este documento tem por finalidade apresentar o Plano de Trabalho

Leia mais

Apresentação Institucional IEL/SC

Apresentação Institucional IEL/SC Apresentação Institucional IEL/SC Natalino Uggioni Joaçaba, 12 de Maio de 2014 IEL NO BRASIL O Sistema Indústria Presente nos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal, o Sistema Indústria é composto

Leia mais

Associação Brasileira de Tecnologia de Luz Síncrotron - ABTLuS Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2001 e de 2000 e parecer dos auditores

Associação Brasileira de Tecnologia de Luz Síncrotron - ABTLuS Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2001 e de 2000 e parecer dos auditores Associação Brasileira de Tecnologia de Luz Síncrotron - ABTLuS Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2001 e de 2000 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes 18

Leia mais

ANEXO: OUTROS FATOS RELEVANTES

ANEXO: OUTROS FATOS RELEVANTES ANEXO: OUTROS FATOS RELEVANTES Em atendimento à Decisão Normativa TCU no. 96 de 04/03/2009, especificamente quanto ao conteúdo expresso em seu Anexo II, letra A, item 16, cabe registrar as seguintes atividades:

Leia mais

V - promover a cooperação internacional na área de ciência, tecnologia e inovação;

V - promover a cooperação internacional na área de ciência, tecnologia e inovação; DECRETO Nº 7.642, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011 * Programa Ciência sem Fronteiras. * Institui o Programa Ciência sem Fronteiras. A Presidenta da República, no uso das atribuições que lhe confere o art. 84,

Leia mais

Congresso Pernambucano de Municípios

Congresso Pernambucano de Municípios Congresso Pernambucano de Municípios O desenvolvimento dos municípios sustenta o crescimento do Brasil. José Coimbra Patriota Filho Presidente da Amupe RPPS: Sustentabilidade e Compensação Previdenciária

Leia mais

CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS

CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Dispõe sobre o Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico FNDCT, e dá outras providências. O Congresso Nacional decreta: CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º O Fundo Nacional de Desenvolvimento

Leia mais

TERMO DE REFERENCIA. Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher

TERMO DE REFERENCIA. Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher TERMO DE REFERENCIA Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher Supervisão Geral No âmbito do Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher, conveniado com a Secretaria Especial

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO INSTITUCIONAL 2014-2018

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO INSTITUCIONAL 2014-2018 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO INSTITUCIONAL 2014-2018 (Síntese da Matriz estratégica) Texto aprovado na 19ª Reunião Extraordinária do CONSUNI, em 04 de novembro de 2013. MISSÃO Ser uma Universidade que valoriza

Leia mais

PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR....o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff

PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR....o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR...o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff Julho/2014 0 APRESENTAÇÃO Se fôssemos traduzir o Plano de Governo 2015-2018

Leia mais

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social Programa 0465 SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO - INTERNET II Objetivo Incrementar o grau de inserção do País na sociedade de informação e conhecimento globalizados. Público Alvo Empresas, usuários e comunidade

Leia mais

Estado de Goiás Secretaria de Ciência e Tecnologia Superintendência de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

Estado de Goiás Secretaria de Ciência e Tecnologia Superintendência de Desenvolvimento Científico e Tecnológico SIBRATEC Instituído por meio do Decreto 6.259, de 20 de novembro de 2007 e complementado pela Resolução do Comitê Gestor SIBRATEC nº 001, de 17 de março de 2008, para atender as demandas específicas de

Leia mais

INTRODUÇÃO OBJETIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS

INTRODUÇÃO OBJETIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS INTRODUÇÃO Com base no Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais - REHUF, destinado à reestruturação e revitalização dos hospitais das universidades federais, integrados

Leia mais

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS SUBCHEFIA DE ASSUNTOS FEDERATIVOS Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal Mapa de obras contratadas pela CEF, em andamento com recursos do Governo Federal 5.048

Leia mais

MENSAGEM 055/2015. Senhor Presidente, Senhores Vereadores,

MENSAGEM 055/2015. Senhor Presidente, Senhores Vereadores, MENSAGEM 055/2015 Senhor Presidente, Senhores Vereadores, É com elevada honra que submeto à apreciação de Vossas Excelências e à superior deliberação do Plenário dessa Augusta Casa Legislativa, o Projeto

Leia mais

Em busca da sustentabilidade na gestão do saneamento: instrumentos de planejamento

Em busca da sustentabilidade na gestão do saneamento: instrumentos de planejamento Em busca da sustentabilidade na gestão do saneamento: instrumentos de planejamento Marcelo de Paula Neves Lelis Gerente de Projetos Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental Ministério das Cidades Planejamento

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROJETO DE LONGA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do Projeto:

Leia mais

Centro de Excelência em Tecnologia de Software do Recife

Centro de Excelência em Tecnologia de Software do Recife Centro de Excelência em Tecnologia de Software do Recife Localização estratégica Localizado na Ilha do Recife, área denominada de Porto Digital, onde concentra-se o Polo Tecnológico do Estado de Pernambuco.

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 7.405, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2010. Institui o Programa Pró-Catador, denomina Comitê Interministerial para Inclusão Social

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL ASSOCIAÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, SOFTWARE E INTERNET ASSESPRO REGIONAL PARANÁ

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL ASSOCIAÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, SOFTWARE E INTERNET ASSESPRO REGIONAL PARANÁ APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL ASSOCIAÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, SOFTWARE E INTERNET ASSESPRO REGIONAL PARANÁ LUÍS MÁRIO LUCHETTA DIRETOR PRESIDENTE GESTÃO 2005/2008 HISTÓRICO

Leia mais

$VVRFLDomR%UDVLOHLUDGH 7HFQRORJLDGH/X] 6tQFURWURQ$%7/X6. 'HPRQVWUDo}HVILQDQFHLUDVHP GHGH]HPEURGHHGHH SDUHFHUGRVDXGLWRUHVLQGHSHQGHQWHV

$VVRFLDomR%UDVLOHLUDGH 7HFQRORJLDGH/X] 6tQFURWURQ$%7/X6. 'HPRQVWUDo}HVILQDQFHLUDVHP GHGH]HPEURGHHGHH SDUHFHUGRVDXGLWRUHVLQGHSHQGHQWHV $VVRFLDomR%UDVLOHLUDGH 7HFQRORJLDGH/X] 6tQFURWURQ$%7/X6 'HPRQVWUDo}HVILQDQFHLUDVHP GHGH]HPEURGHHGHH SDUHFHUGRVDXGLWRUHVLQGHSHQGHQWHV 3DUHFHUGRVDXGLWRUHVLQGHSHQGHQWHV 17 de janeiro de 2003 Aos Administradores

Leia mais

A Faculdade de Ciências Farmacêuticas no uso de suas atribuições legais e regimentais;

A Faculdade de Ciências Farmacêuticas no uso de suas atribuições legais e regimentais; MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS FACULDADE DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700. Alfenas MG. CEP 37130-000 Fone (35)3299-1350 A Faculdade de Ciências Farmacêuticas

Leia mais

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS Estabelece a política de pesquisa, desenvolvimento, inovação e extensão da Universidade Positivo (UP). O CONSELHO ACADÊMICO SUPERIOR (CAS), órgão da administração superior

Leia mais

DECRETO Nº, DE DE DE. A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso VI, alínea a, da Constituição, e

DECRETO Nº, DE DE DE. A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso VI, alínea a, da Constituição, e DECRETO Nº, DE DE DE. Aprova a Política Nacional da Indústria de Defesa (PNID). A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso VI, alínea a, da Constituição, e Considerando

Leia mais

Comunidade Solidária: parcerias contra a pobreza

Comunidade Solidária: parcerias contra a pobreza Comunidade Solidária: parcerias contra a pobreza OConselho da Comunidade Solidária foi criado em 1995 com base na constatação de que a sociedade civil contemporânea se apresenta como parceira indispensável

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Coordenadoria Geral de Pós-Graduação Lato Sensu

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Coordenadoria Geral de Pós-Graduação Lato Sensu PORTFÓLIO ESPECIALIZAÇÃO / MBA UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Sumário ÁREA: CIÊNCIAS DA SAÚDE... 2 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO: PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL E DO TRABALHO... 2 ÁREA: COMUNICAÇÃO E LETRAS...

Leia mais

Marcones Libório de Sá Prefeito

Marcones Libório de Sá Prefeito Mensagem n. 010 /2015 Salgueiro, 14 de Setembro de 2015. Senhor Presidente, Senhores (as) Vereadores (as), Considerando os princípios de descentralização e transparência, que tem levado esta administração

Leia mais

CENTRO DE EXCELÊNCIA EM TECNOLOGIA DE SOFTWARE DO RECIFE SOFTEXRECIFE

CENTRO DE EXCELÊNCIA EM TECNOLOGIA DE SOFTWARE DO RECIFE SOFTEXRECIFE CENTRO DE EXCELÊNCIA EM TECNOLOGIA DE SOFTWARE DO RECIFE RELATÓRIO SOBRE O EXAME DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO SOCIAL FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2007 CENTRO DE EXCELÊNCIA EM TECNOLOGIA DE SOFTWARE

Leia mais

Programas 2013. Abril de 2013

Programas 2013. Abril de 2013 Programas 2013 Abril de 2013 A nova SUDENE -Lei Complementar n 125, de 03 de janeiro de 2007 -Decreto n 6.219/2007 Autarquia especial, administrativa e financeiramente autônoma,... vinculada ao Ministério

Leia mais

FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM)

FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM) FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM) A extensão é o processo educativo, cultural e científico que articula, amplia, desenvolve e reforça o ensino e a pesquisa,

Leia mais

MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ

MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ 2009 Índice Introdução...3 O que é Base Tecnológica?...3 O que é o Programa de Incubação?...3 Para quem é o Programa de Incubação?...4 Para que serve o

Leia mais

Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher. Termo de Referência. Assessoria à Supervisão Geral Assessor Técnico

Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher. Termo de Referência. Assessoria à Supervisão Geral Assessor Técnico Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher Termo de Referência Assessoria à Supervisão Geral Assessor Técnico No âmbito do Programa Pernambuco Trabalho e Empreendedorismo da Mulher conveniado

Leia mais

Farmácia Universitária

Farmácia Universitária Universidade Federal de Alfenas UNIFAL-MG Faculdade de Ciências Farmacêuticas Farmácia Universitária Regimento Interno Título I Da Farmácia Universitária Art. 1o A Farmácia Universitária da UNIFAL-MG,

Leia mais

Apresentações Técnicas. ciclo de seminários NOVOS MODELOS ORGANIZACIONAIS

Apresentações Técnicas. ciclo de seminários NOVOS MODELOS ORGANIZACIONAIS Apresentações Técnicas ciclo de seminários NOVOS MODELOS ORGANIZACIONAIS Seminário IV Novos Modelos Organizacionais de Ciência e Tecnologia Apresentações Técnicas São Paulo, 2007 APRESENTAÇÃO A área de

Leia mais

SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS

SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS 1 FINALIDADE DO PROJETO ESTRATÉGICO Simplificar e padronizar os processos internos, incrementando o atendimento ao usuário. Especificamente o projeto tem o objetivo de: Permitir

Leia mais

Objetivos. PDI - Plano Diretor de Informática. O que é? Como é feito? Quanto dura sua elaboração? Impactos da não execução do PDI

Objetivos. PDI - Plano Diretor de Informática. O que é? Como é feito? Quanto dura sua elaboração? Impactos da não execução do PDI Objetivos Assegurar que os esforços despendidos na área de informática sejam consistentes com as estratégias, políticas e objetivos da organização como um todo; Proporcionar uma estrutura de serviços na

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAJUBÁ Av. Jerson Dias, 500 - Estiva CEP 37500-000 - Itajubá Minas Gerais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAJUBÁ Av. Jerson Dias, 500 - Estiva CEP 37500-000 - Itajubá Minas Gerais Lei nº 2677 BENEDITO PEREIRA DOS SANTOS, Prefeito do Município de Itajubá, Estado de Minas Gerais, usando das atribuições que lhe são conferidas por Lei, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele

Leia mais

CAPÍTULO I DAS FINALIDADES

CAPÍTULO I DAS FINALIDADES PORTARIA INSTITUCIONAL Nº 08 A Direção Geral da Faculdades SPEI, no uso das suas atribuições, ouvido o Conselho Superior e aprovado pela Mantenedora, conforme Regimento Interno, RESOLVE: Estabelecer o

Leia mais

Núcleo de Excelência em Testes de Sistemas. Eng. Alison Rabelo arabelo@next.org.br

Núcleo de Excelência em Testes de Sistemas. Eng. Alison Rabelo arabelo@next.org.br Núcleo de Excelência em Testes de Sistemas Eng. Alison Rabelo arabelo@next.org.br Objetivo do Núcleo O - Núcleo de Excelência em Testes de Sistemas - tem como objetivo a melhoria contínua da qualidade

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Página 1 de 5 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 7.405, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2010. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84,

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratação de consultoria pessoa física para serviços de preparação

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA FUNDAÇÃO INSTITUTO TECNOLÓGICO DE JOINVILLE - (FITEJ)

REGIMENTO INTERNO DA FUNDAÇÃO INSTITUTO TECNOLÓGICO DE JOINVILLE - (FITEJ) REGIMENTO INTERNO DA FUNDAÇÃO INSTITUTO TECNOLÓGICO DE JOINVILLE - (FITEJ) CAPÍTULO I NATUREZA E FINALIDADES Art 1º. A Fundação Instituto Tecnológico de Joinville, doravante denominada FITEJ, entidade

Leia mais

data PROJETO DE LEI N 8035/2010. 1 Supressiva 2. Substitutiva 3. Modificativa 4. Aditiva 5. Substitutivo global

data PROJETO DE LEI N 8035/2010. 1 Supressiva 2. Substitutiva 3. Modificativa 4. Aditiva 5. Substitutivo global Página Artigo: 6º Parágrafo: Único Inciso Alínea EMENDA MODIFICATIVA O parágrafo único do Artigo 6º do PL n 8035 de 2010, passa a ter a seguinte redação: Art. 6º... Parágrafo único. O Fórum Nacional de

Leia mais

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html Página 1 de 5 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 1.559, DE 1º DE AGOSTO DE 2008 Institui a Política Nacional

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR 1. Como são os cursos ofertados pela plataforma freire e quais os benefícios para os professores que forem selecionados? O professor sem formação poderá estudar nos

Leia mais

EDITAL Nº 01/2009 PROJETOS EMPRESARIAIS PARA INGRESSO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DE SÃO JOSÉ

EDITAL Nº 01/2009 PROJETOS EMPRESARIAIS PARA INGRESSO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DE SÃO JOSÉ EDITAL Nº 01/2009 PROJETOS EMPRESARIAIS PARA INGRESSO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DE SÃO JOSÉ O presente edital regulamenta o processo de recrutamento, seleção e ingresso de projetos empresariais na Incubadora

Leia mais

PROJETO DE LEI N. O CONGRESSO NACIONAL decreta:

PROJETO DE LEI N. O CONGRESSO NACIONAL decreta: PROJETO DE LEI N Institui o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego PRONATEC, altera as Leis n. 7.998, de 11 de janeiro de 1990, n. 8.121, de 24 de julho de 1991 e n. 10.260, de 12 de julho

Leia mais

A ESTRELA QUE QUEREMOS. Planejamento Estratégico de Estrela

A ESTRELA QUE QUEREMOS. Planejamento Estratégico de Estrela Planejamento Estratégico de Estrela 2015 2035 O planejamento não é uma tentativa de predizer o que vai acontecer. O planejamento é um instrumento para raciocinar agora, sobre que trabalhos e ações serão

Leia mais

Termo de Referência para contratação de consultor na modalidade Produto

Termo de Referência para contratação de consultor na modalidade Produto TÍTULO DO PROJETO: Fortalecimento da capacidade institucional com vistas a melhoria dos processos de monitoramento e avaliação dos programas de fomento voltados para a Educação Básica e para o Ensino Superior

Leia mais

PARCERIA BRASILEIRA PELA ÁGUA

PARCERIA BRASILEIRA PELA ÁGUA PARCERIA BRASILEIRA PELA ÁGUA Considerando a importância de efetivar a gestão integrada de recursos hídricos conforme as diretrizes gerais de ação estabelecidas na Lei 9.433, de 8.01.1997, a qual institui

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA OFICINA DA INOVAÇÃO

APRESENTAÇÃO DA OFICINA DA INOVAÇÃO APRESENTAÇÃO DA OFICINA DA INOVAÇÃO DIRETORIA DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO. OFICINA DA INOVAÇÃO Página 1 de 10 ÍNDICE DO PORTFOLIO Apresentação dos serviços da Oficina da Inovação... 3 Consultoria...

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora. O que são palestras

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS DA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DE CANOAS CANOASTEC

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS DA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DE CANOAS CANOASTEC PLANO DE DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS DA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DE CANOAS CANOASTEC Institui o Plano de Desenvolvimento de Recursos Humanos criando o Quadro

Leia mais

OBJETIVO CARACTERIZAÇÃO

OBJETIVO CARACTERIZAÇÃO OBJETIVO Incrementar a economia digital do Estado de Alagoas e seus benefícios para a economia local, através de ações para qualificação, aumento de competitividade e integração das empresas e organizações

Leia mais

PARCERIA PÚBLICO-PRIVADA PARA A UNIVERSALIZAÇÃO DO ESGOTAMENTO SANITÁRIO DA REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE

PARCERIA PÚBLICO-PRIVADA PARA A UNIVERSALIZAÇÃO DO ESGOTAMENTO SANITÁRIO DA REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE PARCERIA PÚBLICO-PRIVADA PARA A UNIVERSALIZAÇÃO DO ESGOTAMENTO SANITÁRIO DA REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE Companhia Pernambucana de Saneamento Compesa Economia Mista de Direito Privado 42 anos de existência

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: Redes de Computadores MISSÃO DO CURSO Com a modernização tecnológica e com o surgimento destes novos serviços e produtos, fica clara a necessidade de profissionais

Leia mais

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 Versão 1.0 1 APRESENTAÇÃO O Planejamento

Leia mais

DE INOVAÇÃO E TECNOLOGIA 52, 102, CEP

DE INOVAÇÃO E TECNOLOGIA 52, 102, CEP DADOS JURÍDICOS O Instituto SAVIESA DE INOVAÇÃO E TECNOLOGIA é uma associação, pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, com sede no município de Vitória, Estado do Espírito Santo, à Rua

Leia mais

2 Oferta de cursos técnicos e superiores por eixo tecnológico, por Campus. Taxa de ingresso nos cursos técnicos na forma de oferta, por Campus

2 Oferta de cursos técnicos e superiores por eixo tecnológico, por Campus. Taxa de ingresso nos cursos técnicos na forma de oferta, por Campus PERSPECTIVA OBJETIVO INDICADOR META RESULTADOS INSTITUCIONAIS 1 Nº de cursos técnicos e superiores, articulados com os arranjos produtivos locais por Campus; 2 Oferta de cursos técnicos e superiores por

Leia mais

PROJETO SETORIAL DO POLO DE TI&C DE SÃO CAETANO DO SUL E REGIÃO TERMO DE REFERÊNCIA

PROJETO SETORIAL DO POLO DE TI&C DE SÃO CAETANO DO SUL E REGIÃO TERMO DE REFERÊNCIA PROJETO SETORIAL DO POLO DE TI&C DE SÃO CAETANO DO SUL E REGIÃO TERMO DE REFERÊNCIA Prestação de Serviços em Assessoria, Consultoria e Treinamento na área de Recursos Humanos. 1. OBJETIVO Os objetivos

Leia mais

BDMG. Semana Mineira de Redução de Resíduos. Instrumentos Financeiros para Redução de Resíduos

BDMG. Semana Mineira de Redução de Resíduos. Instrumentos Financeiros para Redução de Resíduos BDMG Semana Mineira de Redução de Resíduos Instrumentos Financeiros para Redução de Resíduos Novembro de 2010 BDMG Desenvolvimento, inclusão social e sustentabilidade Perfil do BDMG Fundação: Lei Estadual

Leia mais

PROGRAMA BOM NEGÓCIO PARANÁ- APOIO AO EMPREENDEDORISMO AVALIAÇÃO DO NÚCLEO MARINGÁ

PROGRAMA BOM NEGÓCIO PARANÁ- APOIO AO EMPREENDEDORISMO AVALIAÇÃO DO NÚCLEO MARINGÁ PROGRAMA BOM NEGÓCIO PARANÁ- APOIO AO EMPREENDEDORISMO AVALIAÇÃO DO NÚCLEO MARINGÁ AREA TEMÁTICA: TRABALHO LAIS SILVA SANTOS 1 CARLOS VINICIUS RODRIGUES 2 MARCELO FARID PEREIRA 3 NEUZA CORTE DE OLIVEIRA

Leia mais

VAMOS JUNTOS POR UMA ODONTOLOGIA MELHOR!

VAMOS JUNTOS POR UMA ODONTOLOGIA MELHOR! Eleições 2014 Faculdade de Odontologia UFRJ VAMOS JUNTOS POR UMA ODONTOLOGIA MELHOR! PLANO DE TRABALHO EQUIPE - CHAPA 1: Diretor - Maria Cynésia Medeiros de Barros Substituto Eventual do Diretor - Ednilson

Leia mais

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Outubro 2009 Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Sustentabilidade Articulação Ampliação dos limites Sistematização Elementos do Novo Modelo Incubação

Leia mais

A RESOLUÇÃO CFC Nº 1409/12 REFLEXOS NA CONTABILIDADE DAS ENTIDADES SEM FINALIDADE DE LUCROS

A RESOLUÇÃO CFC Nº 1409/12 REFLEXOS NA CONTABILIDADE DAS ENTIDADES SEM FINALIDADE DE LUCROS NUTRINDO RELAÇÕES A RESOLUÇÃO CFC Nº 1409/12 REFLEXOS NA CONTABILIDADE DAS ENTIDADES SEM FINALIDADE DE LUCROS APRESENTAÇÃO José Alberto Tozzi Adm. Empresas FGV MBA USP Mestre pela PUC-SP Instrutor de Gestão

Leia mais

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02 Pagina 1/6 ÍNDICE 1. OBJETIVO...3 2. ABRANGÊNCIA / APLICAÇÃO...3 3. REFERÊNCIAS...3 4. DEFINIÇÕES...3 5. DIRETRIZES E RESPONSABILIDADES...4 5.1 POLITICAS...4 5.2 COMPROMISSOS...4 5.3 RESPONSABILIDADES...5

Leia mais

FACULDADE SENAC GOIÂNIA

FACULDADE SENAC GOIÂNIA FACULDADE SENAC GOIÂNIA NORMA ISO 12.207 Curso: GTI Matéria: Auditoria e Qualidade de Software Professor: Elias Ferreira Acadêmico: Luan Bueno Almeida Goiânia, 2015 CERTIFICAÇÃO PARA O MERCADO BRASILEIRO

Leia mais

Instituto de Assessoria para o Desenvolvimento Humano - IADH TERMO DE REFERÊNCIA. Processo Seletivo Simplificado

Instituto de Assessoria para o Desenvolvimento Humano - IADH TERMO DE REFERÊNCIA. Processo Seletivo Simplificado Instituto de Assessoria para o Desenvolvimento Humano - IADH TERMO DE REFERÊNCIA Processo Seletivo Simplificado Processo Administrativo nº: 00/05, de 5/0/05 Processo Seletivo Simplificado nº: 00/05, de

Leia mais

FACULDADE ANHANGUERA DE INDAIATUBA Rua Claudio Dal Canton, 89 - Cidade Nova II - Indaiatuba -SP - CEP 13334-390 (19) 3885-6700 www.portalpos.com.

FACULDADE ANHANGUERA DE INDAIATUBA Rua Claudio Dal Canton, 89 - Cidade Nova II - Indaiatuba -SP - CEP 13334-390 (19) 3885-6700 www.portalpos.com. A pós-graduação é fundamental para manter-se bem colocado no mercado de trabalho e para aperfeiçoar competências profissionais. Além de enriquecer o currículo, este tipo de especialização ajuda a melhorar

Leia mais

Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública. Assembléia Legislativa do Estado de Säo Paulo 14 de outubro de 2008

Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública. Assembléia Legislativa do Estado de Säo Paulo 14 de outubro de 2008 Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública Assembléia Legislativa do Estado de Säo Paulo 14 de outubro de 2008 Roteiro 1. Contexto 2. Por que é preciso desenvolvimento de capacidades no setor

Leia mais

Diretrizes: 1. Cumprir as metas do Compromisso Todos Pela Educação- TPE

Diretrizes: 1. Cumprir as metas do Compromisso Todos Pela Educação- TPE IV. CÂMARA TEMÁTICA DA EDUCACÃO, CULTURA E DESPORTOS Diretrizes: 1. Cumprir as metas do Compromisso Todos Pela Educação- TPE Meta 1 Toda criança e jovem de 4 a 17 anos na escola; Meta 2 Até 2010, 80% e,

Leia mais

GSAN SOFTWARE COMERCIAL LIVRE MODELO DE DESENVOLVIMENTO COLABORATIVO

GSAN SOFTWARE COMERCIAL LIVRE MODELO DE DESENVOLVIMENTO COLABORATIVO GSAN SOFTWARE COMERCIAL LIVRE MODELO DE DESENVOLVIMENTO COLABORATIVO José Maria Villac Pinheiro (1) Engenheiro pela Universidade de São Paulo USP Escola de Engenharia de São Carlos EESC. Especialização

Leia mais

1 - Por que a empresa precisa organizar e manter sua contabilidade?

1 - Por que a empresa precisa organizar e manter sua contabilidade? Nas atividades empresariais, a área financeira assume, a cada dia, funções mais amplas de coordenação entre o operacional e as expectativas dos acionistas na busca de resultados com os menores riscos.

Leia mais

Esfera: 10 Função: 12 - Educação Subfunção: 367 - Educação Especial UO: 26298 - Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação

Esfera: 10 Função: 12 - Educação Subfunção: 367 - Educação Especial UO: 26298 - Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Programa 1374 Desenvolvimento da Educação Especial Numero de Ações 16 Ações Orçamentárias 0511 Apoio ao Desenvolvimento da Educação Especial Produto: Projeto apoiado UO: 26298 - Fundo Nacional de Desenvolvimento

Leia mais

SUBCHEFIA DE ASSUNTOS PARLAMENTARES

SUBCHEFIA DE ASSUNTOS PARLAMENTARES SUBCHEFIA DE ASSUNTOS PARLAMENTARES PROJETO DE LEI Institui o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego - PRONATEC; altera as Leis n os 7.998, de 11 de janeiro de 1990, que regula o Programa

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE TECNOLOGIA Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico para a Inovação www.int.gov.br

INSTITUTO NACIONAL DE TECNOLOGIA Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico para a Inovação www.int.gov.br Empresas Empresas Empresas Grupo de Trabalho EMBRAPII Projeto Piloto de Aliança Estratégica Pública e Privada Agosto 2011 Embrapii: P&D Pré-competitivo Fase intermediária do processo inovativo Essencial

Leia mais

FACULDADE KENNEDY BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FACULDADE KENNEDY BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FACULDADE KENNEDY BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO A Faculdade Kennedy busca sempre melhorar a qualidade, oferecendo serviços informatizados e uma equipe de profissionais preparada para responder

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO DECRETO Nº.1478-R de 14 de Abril de 2005 Regulamenta a Lei Complementar nº290, de 23 de junho de 2004, publicada no Diário Oficial do Estado em 25 de junho de 2004, que dispõe sobre a criação da Fundação

Leia mais

Seminário Em Busca da Excelência 2008

Seminário Em Busca da Excelência 2008 Seminário Em Busca da Excelência 2008 IEL/SC - Implementação de sistema de gestão com base nos fundamentos da excelência Natalino Uggioni Maio, 2008 1 IEL em Santa Catarina Integrante da FIESC Federação

Leia mais

A consolidação do modelo

A consolidação do modelo C A P Í T U L O 2 A consolidação do modelo Nos últimos anos, o balanço social modelo Ibase tornou-se a principal ferramenta por meio da qual as empresas são estimuladas a conhecer, sistematizar e apresentar

Leia mais

Apoio para fornecedores do setor de Petróleo & Gás em São Paulo

Apoio para fornecedores do setor de Petróleo & Gás em São Paulo Apoio para fornecedores do setor de Petróleo & Gás em São Paulo Ubirajara Sampaio de Campos Subsecretário de Petróleo e Gás Secretaria de Energia do Estado de São Paulo Santos Offshore 09 Abril 2014 Indústria

Leia mais

V CINFORM Encontro Nacional de Ciência da Informação. Política de Informação Pública

V CINFORM Encontro Nacional de Ciência da Informação. Política de Informação Pública V CINFORM Encontro Nacional de Ciência da Informação Política de Informação Pública Salvador, 28 a 30 de junho de 2004 Política de Informação Pública Inclusão Digital de Micro e Pequeno Empresa Telecentros

Leia mais

PLANILHA DE OBJETIVOS E AÇÕES VIABILIZADORAS FT DE CULTURA - "A SANTA MARIA QUE QUEREMOS"

PLANILHA DE OBJETIVOS E AÇÕES VIABILIZADORAS FT DE CULTURA - A SANTA MARIA QUE QUEREMOS Elaborar o projeto do Plano Municipal de Projeto do Plano Projeto realizado Cultura com ampla participação dos setores da sociedade Conferência Municipal de Cultura Conferência realizada PLANILHA DE OBJETIVOS

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO As ações de pesquisa do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas constituem um processo educativo

Leia mais

SITUAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS DA ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS IFES

SITUAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS DA ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS IFES SITUAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS DA ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS IFES Introdução A questão dos recursos humanos na área de Tecnologia da Informação é assunto de preocupação permanente no Colégio de

Leia mais

P4-MPS.BR - Prova de Conhecimento do Processo de Aquisição do MPS.BR

P4-MPS.BR - Prova de Conhecimento do Processo de Aquisição do MPS.BR Data: 12 de Dezembro de 2006 Brasília) Horário: 13:00 às 17:00 horas (hora de e-mail: Nota: INSTRUÇÕES Você deve responder a todas as questões. O total máximo de pontos da prova é de 100 pontos (100%),

Leia mais

Regulamento Estágio Curricular Obrigatório

Regulamento Estágio Curricular Obrigatório Regulamento Estágio Curricular Obrigatório CST em Fabricação Mecânica CST em Gestão de Recursos Humanos CST em Mecatrônica Industrial 1 CAPÍTULO I DA JUSTIFICATIVA E FINALIDADES Art. 1º - O programa de

Leia mais