Rede de computadores Roteador. Professor Carlos Muniz

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Rede de computadores Roteador. Professor Carlos Muniz"

Transcrição

1 Rede de computadores Professor Carlos Muniz

2 Definição (estrangeirismo do inglês router, ou encaminhador) é um equipamento usado para fazer a comutação de protocolos, a comunicação entre diferentes redes de computadores provendo a comunicação entre computadores distantes entre si. es são dispositivos que operam na camada 3 do modelo OSI de referência. A principal característica desses equipamentos é selecionar a rota mais apropriada para repassar os pacotes recebidos. Ou seja, encaminhar os pacotes para o melhor caminho disponível para um determinado destino. Professor Carlos Muniz 2

3 Funcionamento Os roteadores iniciam e fazem a manutenção de tabelas de rotas executando processos e protocolos de atualização de rotas, especificando os endereços e domínios de roteamento, atribuindo e controlando métricas de roteamento. O administrador pode fazer a configuração estática das rotas para a propagação dos pacotes ou através de processos dinâmicos executando nas redes. Professor Carlos Muniz 3

4 Funcionamento Os roteadores passam adiante os pacotes baseando-se nas informações contidas na tabela de roteamento. O problema da configuração das rotas estáticas é que, toda vez que houver alteração na rede que possa vir a afetar essa rota, o administrador deve refazer a configuração manualmente. Já o conhecimento de rotas dinâmicas são diferentes. Depois que o administrador fizer a configuração através de comandos para iniciar o roteamento dinâmico, o conhecimento das rotas será automaticamente atualizado sempre que novas informações forem recebidas através da rede. Essa atualização é feita através da troca de conhecimento entre os roteadores da rede. Professor Carlos Muniz 4

5 Protocolos de roteamento São protocolos que servem para trocar informações de construção de uma tabela de roteamento. É importante ressaltar a diferença entre protocolo de roteamento e protocolo roteável. Protocolo roteável é aquele que fornece informação adequada em seu endereçamento de rede para que seus pacotes sejam roteados, como o TCP/IP e o IPX. Protocolo de roteamento possui mecanismos para o compartilhamento de informações de rotas entre os dispositivos de roteamento de uma rede, permitindo o roteamento dos pacotes de um protocolo roteado. Exemplo de protocolo de roteamento: RIP, OSPF, IGRP, BGP, EGP, etc. Professor Carlos Muniz 5

6 Tipos Entre meados da década de 1970 e a década de 1980, microcomputadores eram usados para fornecer roteamento, Apesar de computadores pessoais poderem ser usados como roteadores, os equipamentos dedicados ao roteamento são atualmente bastante especializados, geralmente com hardware extra para acelerar sua funções como envio de pacotes e encriptação IPsec. es modernos de grande porte assemelham-se a centrais telefônicas, cuja tecnologias atualmente estão sendo convergidas, e que no futuro os roteadores podem até mesmo substituir por completo. Professor Carlos Muniz 6

7 Tipos Um roteador que conecta um cliente à Internet é chamado roteador de ponta. Um roteador que serve exclusivamente para transmitir dados entre outros roteadores (por exemplo, em um provedor de acesso) é chamado um roteador núcleo. Um roteador é usado normalmente para conectar pelo menos duas redes de computadores, mas existe uma variação especial usada para encaminhar pacotes em uma VLAN. Nesse caso, todos os pontos de rede conectados pertencem à mesma rede. Professor Carlos Muniz 7

UFRN/COMPERVE CONCURSO PÚBLICO IFRN 2010 DOCENTE

UFRN/COMPERVE CONCURSO PÚBLICO IFRN 2010 DOCENTE UFRN/COMPERVE CONCURSO PÚBLICO IFRN 2010 DOCENTE Expectativa de Respostas Rede de Computadores A) As tabelas de roteamento podem ser manipuladas diretamente pelo administrador da rede através de comandos

Leia mais

3º Semestre. Aula 02 Introdução Roteamento

3º Semestre. Aula 02 Introdução Roteamento Disciplina: Dispositivos de Redes I Professor: Jéferson Mendonça de Limas 3º Semestre Aula 02 Introdução Roteamento 2014/1 Roteiro de Aula O que é Roteamento? IP X Protocolos de Roteamento Roteamento Direto

Leia mais

CCNA 1 Roteamento e Sub-redes. Kraemer

CCNA 1 Roteamento e Sub-redes. Kraemer CCNA 1 Roteamento e Sub-redes Roteamento e Sub-redes Introdução Protocolo roteado Visão geral de roteamento Endereçamento de sub-redes Introdução IP é o principal protocolo roteado da Internet IP permite

Leia mais

ROTEAMENTO REDES E SR1 ETER-FAETEC. Rio de Janeiro - RJ ETER-FAETEC

ROTEAMENTO REDES E SR1 ETER-FAETEC. Rio de Janeiro - RJ ETER-FAETEC ROTEAMENTO REDES E SR1 Rio de Janeiro - RJ INTRODUÇÃO A comunicação entre nós de uma rede local é realizada a partir da comutação (seja por circuito, seja por pacotes). Quem realiza essa função é o switch

Leia mais

Faculdade de Ciências Exatas da PUC SP Sistemas de Informação Laboratório de Redes II - Prof. Julio Arakaki

Faculdade de Ciências Exatas da PUC SP Sistemas de Informação Laboratório de Redes II - Prof. Julio Arakaki Faculdade de Ciências Exatas da PUC SP Sistemas de Informação Laboratório de Redes II - Prof. Julio Arakaki Aluno: GABARITO RA: Data 08/05/2017 1- Quais são as funções de um roteador? (Escolha três.) (

Leia mais

CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento

CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento Capítulo 9 - Princípios Básicos de Solução de ProblemasP com Roteadores 1 Objetivos do Capítulo Aplicar e compreender os comandos: ping, telnet, show

Leia mais

Introdução ao Roteamento

Introdução ao Roteamento Carlos Gustavo Araújo da Rocha Imagine o seguinte cenário IP= 10.0.0.15 Mask = End. Rede = 10.0.0.0 IP= 10.0.1.231 Mask = End. Rede = 10.0.1.0 Ethernet Roteamento Neste caso as duas estações estão em redes

Leia mais

Dispositivos de Interconexões de Redes de Computadores

Dispositivos de Interconexões de Redes de Computadores Dispositivos de Interconexões de Redes de Computadores Redes de Computadores Charles Tim Batista Garrocho Instituto Federal de São Paulo IFSP Campus Campos do Jordão garrocho.ifspcjo.edu.br/rdc charles.garrocho@ifsp.edu.br

Leia mais

Capítulo 7: Roteando Dinamicamente (Resumo)

Capítulo 7: Roteando Dinamicamente (Resumo) Unisul Sistemas de Informação Redes de Computadores Capítulo 7: Roteando Dinamicamente (Resumo) Protocolos de roteamento Academia Local Cisco UNISUL Instrutora Ana Lúcia Rodrigues Wiggers Presentation_ID

Leia mais

CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA

CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA 1. A arquitetura TCP/IP possui diferentes protocolos organizados em uma estrutura hierárquica. Nessa arquitetura, exemplos de protocolos das camadas de Rede, Transporte e Aplicação, são, respectivamente,

Leia mais

Redes. DIEGO BARCELOS RODRIGUES Ifes - Campus Cachoeiro de Itapemirim

Redes. DIEGO BARCELOS RODRIGUES Ifes - Campus Cachoeiro de Itapemirim Redes DIEGO BARCELOS RODRIGUES dbarcelos@ifes.edu.br 1 Agenda Correção do Trabalho de Casa Exercício Ponto Extra Roteamento o Estático o Dinâmico 2 Exercício Valendo Ponto Extra Utilize VLSM para distribuir

Leia mais

Redes de Computadores e Aplicações. Aula 34 Estratégias de Roteamento IP Unicast Parte 1

Redes de Computadores e Aplicações. Aula 34 Estratégias de Roteamento IP Unicast Parte 1 Redes de Computadores Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do N Campus Currais Novos Redes de Computadores e Aplicações Aula 34 Estratégias de Roteamento IP Unicast Parte 1

Leia mais

O que é a distância administrativa?

O que é a distância administrativa? O que é a distância administrativa? Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Usados Convenções Selecione o Melhor Caminho Tabela de Valor de Distância Padrão Outras Aplicações da Distância

Leia mais

Sumário Capítulo 1 Introdução à Certificação Cisco... 1 Capítulo 2 Redes de Computadores... 21

Sumário Capítulo 1 Introdução à Certificação Cisco... 1 Capítulo 2 Redes de Computadores... 21 Sumário Capítulo 1 Introdução à Certificação Cisco... 1 Por que Ser um Profissional Certificado... 2 CCNA 4... 3 A Carreira de Certificação Cisco... 4 Profissional de Suporte... 6 Engenheiro de Projeto...

Leia mais

Protocolos de Roteamento Dinâmico (Vetor de Distância)

Protocolos de Roteamento Dinâmico (Vetor de Distância) Protocolos de Roteamento Dinâmico (Vetor de Distância) Profª Ana Lúcia L Rodrigues Wiggers 2009, Cisco Systems, Inc. All rights reserved. Profª Ana Lúcia Rodrigues Wiggers 1 Protocolo de roteamento Dinâmico

Leia mais

Roteamento Prof. Pedro Filho

Roteamento Prof. Pedro Filho Roteamento Prof. Pedro Filho Definição Dispositivo intermediário de rede projetado para realizar switching e roteamento de pacotes O roteador atua apenas na camada 3 (rede) Dentre as tecnologias que podem

Leia mais

Curso de extensão em Administração de sistemas GNU/Linux: redes e serviços

Curso de extensão em Administração de sistemas GNU/Linux: redes e serviços Curso de extensão em Administração de sistemas GNU/Linux: redes e serviços - italo@dcc.ufba.br Gestores da Rede Acadêmica de Computação Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal da Bahia,

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 11

REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 11 REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 11 Índice 1. ROTEAMENTO...3 1.1 Introdução... 3 1.2 O roteamento e seus componentes... 3 1.3 Tabelas de roteamento... 3 1.4 Protocolos de roteamento... 3

Leia mais

Fundamentos de Redes de Computadores. Equipamentos de Redes Locais e de Longa Distância. Conceitos

Fundamentos de Redes de Computadores. Equipamentos de Redes Locais e de Longa Distância. Conceitos Equipamentos de Redes Locais e de Longa Distância Conceitos Prof. Airton Ribeiro de Sousa airton.ribeiro@faciplac.edu.br 2016-1 1 Redes de Computadores Sistema de comunicação que interconecta dois ou mais

Leia mais

Acesso Ethernet, através de roteadores implementador por PCs com 2 interfaces de rede FastEthernet.

Acesso Ethernet, através de roteadores implementador por PCs com 2 interfaces de rede FastEthernet. TCP - EXEMPLOS UFCG Campus-CPV Núcleo/distribuição (core) GigabitEthernet, composto de sete SwitchRouters ExtremeNetworks x450-24t: backplane Ethernet de 160 Gbps; 4 interfaces 1000baseX, 24 interfaces

Leia mais

CCNA Exploration (Protocolos e Conceitos de Roteamento) Protocolo RIP

CCNA Exploration (Protocolos e Conceitos de Roteamento) Protocolo RIP CCNA Exploration (Protocolos e Conceitos de Roteamento) Protocolo RIP Cronograma Introdução Formato da mensagem e características do RIP Operação do RIP Habilitando o RIP Verificando, identificando e resolvendo

Leia mais

Introdução ao roteamento e encaminhamento de pacotes

Introdução ao roteamento e encaminhamento de pacotes CCNA Exploration (Protocolos e Conceitos de Roteamento) Introdução ao roteamento e encaminhamento de pacotes Cronograma Introdução Roteadores são computadores Processo de inicialização Interface de um

Leia mais

INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO HARDWARE DE REDE PROFESSOR CARLOS MUNIZ

INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO HARDWARE DE REDE PROFESSOR CARLOS MUNIZ INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA DA PROFESSOR CARLOS MUNIZ EQUIPAMENTOS PARA REDES Para que uma rede de computadores possa funcionar é necessário que existam, além do cabeamento propriamente dito, dispositivos

Leia mais

Redes de Computadores II

Redes de Computadores II Redes de Computadores II Prof. Celio Trois portal.redes.ufsm.br/~trois/redes2 Roteamento Um conjunto de regras que definem como informações originadas em uma rede devem alcançar uma outra rede. A função

Leia mais

CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento

CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento Capítulo 6 - Roteamento e ProtocolosP de Roteamento 1 Objetivos do Capítulo Entender o conceito de protocolo de roteamento; Conhecer o roteamento estático;

Leia mais

Configurando uma VPN MPLS Básica

Configurando uma VPN MPLS Básica Configurando uma VPN MPLS Básica Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Usados Produtos Relacionados Convenções Configurar Diagrama de Rede Procedimentos de Configuração Configurações

Leia mais

a ponto utilizando o protocolo ethernet. ( ) Para que duas redes de dados distintas se comuniquem, o equipamento utilizado para conectar e efetuar as

a ponto utilizando o protocolo ethernet. ( ) Para que duas redes de dados distintas se comuniquem, o equipamento utilizado para conectar e efetuar as Exercícios Aula 6 1. Nomeie duas das funções que podem ser executadas pelos LEDs em um adaptador de interface de rede típico. 2. Pesquise e pontue os passos necessários, fundamentais para a instalação

Leia mais

Introdução aos Protocolos de Roteamento Dinâmico

Introdução aos Protocolos de Roteamento Dinâmico CCNA Exploration (Protocolos e Conceitos de Roteamento) Introdução aos Protocolos de Roteamento Dinâmico Cronograma Introdução Perspectiva e histórico Classificação de protocolos Métrica Distância administrativa

Leia mais

AULA 07 Roteamento Dinâmico com Protocolo RIP

AULA 07 Roteamento Dinâmico com Protocolo RIP Disciplina: Dispositivos de Rede I Professor: Jéferson Mendonça de Limas 3º Semestre AULA 07 Roteamento Dinâmico com Protocolo RIP 2014/1 Roteiro de Aula Introdução a Conceitos de Roteamento Dinâmico Problemas

Leia mais

Parte 3: Camada de Rede

Parte 3: Camada de Rede Parte 3: Camada de Rede Objetivos: Visão Geral: Entender os princípios dos serviços da Camada de Rede: Roteamento (seleção de caminho). Implementação na Internet. Serviços da Camada de Rede. Princípios

Leia mais

As alterações de política do controle de acesso neste documento usam as seguintes plataformas de hardware:

As alterações de política do controle de acesso neste documento usam as seguintes plataformas de hardware: Índice Introdução Pré-requisitos Componentes Utilizados Diagrama de Rede Configuração Exemplo EIGRP Exemplo OSPF Exemplo de BGP Verificação EIGRP OSPF BGP Troubleshooting Cisco relacionado apoia discussões

Leia mais

Equipamentos de Rede

Equipamentos de Rede COMPONENTES ATIVOS DE REDE Paulo Montenegro paulo.montenegro@simplestec.com.br 04 de fevereiro de 2009 FP.AC.010.00 Sumário Repetidor HUB Pontes Modos de Funcionamento Roteadores Protocolos de Roteamento

Leia mais

Capítulo 4: Camada de rede

Capítulo 4: Camada de rede Capítulo 4: Camada de Objetivos do capítulo: entender os princípios por trás dos serviços da camada de : modelos de serviço da camada de repasse versus roteamento como funciona um roteador roteamento (seleção

Leia mais

12/03/2015. Multicast e EIGRP. Prof. Alexandre Beletti. Multicast

12/03/2015. Multicast e EIGRP. Prof. Alexandre Beletti. Multicast Multicast e EIGRP Prof. Alexandre Beletti Multicast 1 Multicast Transmissão seletiva para múltiplos pontos Cada máquina escolhe se deseja ou não participar da transmissão As interfaces de rede são configuradas

Leia mais

Como funciona o balanceamento de carga em caminhos de custos desiguais (variância) no IGRP e no EIGRP?

Como funciona o balanceamento de carga em caminhos de custos desiguais (variância) no IGRP e no EIGRP? Como funciona o balanceamento de carga em caminhos de custos desiguais (variância) no IGRP e no EIGRP? Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Balanceamento de carga

Leia mais

Interconexão de redes locais. Repetidores. Hubs. Existência de diferentes padrões de rede

Interconexão de redes locais. Repetidores. Hubs. Existência de diferentes padrões de rede Interconexão de redes locais Existência de diferentes padrões de rede necessidade de conectá-los Interconexão pode ocorrer em diferentes âmbitos LAN-LAN LAN: gerente de um determinado setor de uma empresa

Leia mais

Curso Profissional Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos. Hardware. Características físicas das transmissões de dados

Curso Profissional Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos. Hardware. Características físicas das transmissões de dados 1 Curso Profissional Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos Hardware Características físicas das transmissões de dados Redes de Comunicação 10º ano Diogo Ferreira 10º/13ª 2013/2014 2

Leia mais

Aula 12 Protocolo de Roteamento EIGRP

Aula 12 Protocolo de Roteamento EIGRP Disciplina: Dispositivos de Rede I Professor: Jéferson Mendonça de Limas 4º Semestre Aula 12 Protocolo de Roteamento EIGRP 2014/1 09/06/14 1 2 de 34 Introdução Em 1985 a Cisco criou o IGRP em razão das

Leia mais

CIN07 Redes e Comunicação de Dados I RCD-I

CIN07 Redes e Comunicação de Dados I RCD-I Sistemas de Informação e Multimédia CIN07 Redes e Comunicação de Dados I RCD-I José Joaquim Moreira Ciclo Código Unidade Curricular 1º CIN07 Redes e Comunicação de Dados I ECTS Horas de Trabalho Horas

Leia mais

Tabela de Roteamento

Tabela de Roteamento CCNA Exploration (Protocolos e Conceitos de Roteamento) Tabela de Roteamento Cronograma Cenário Rotas Rota primária e rota secundária Etapas do processo de procura de rotas Correspondência mais longa Protocolos

Leia mais

Capítulo 6: Roteamento Estático. Protocolos de roteamento

Capítulo 6: Roteamento Estático. Protocolos de roteamento Capítulo 6: Roteamento Estático Protocolos de roteamento 1 Capítulo 6 6.1 Implementação de roteamento estático 6.2 Configurar rotas estáticas e padrão 6.3 Revisão de CIDR e de VLSM 6.4 Configurar rotas

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Prof. Esp. Fabiano Taguchi fabianotaguchi@gmail.com http://fabianotaguchi.wordpress.com BENEFÍCIOS MODELO OSI Menor complexidade; Interfaces padronizadas; Interoperabilidade entre

Leia mais

Redes de Computadores e Aplicações. Aula 37 Roteamento IP Unicast Dinâmico RIP

Redes de Computadores e Aplicações. Aula 37 Roteamento IP Unicast Dinâmico RIP Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do N Campus Currais Novos Redes de Computadores e Aplicações Aula 37 Roteamento IP Unicast Dinâmico RIP Prof. Diego Pereira

Leia mais

Rede de computadores Switch. Professor Carlos Muniz

Rede de computadores Switch. Professor Carlos Muniz Rede de computadores Professor Carlos Muniz O hub ou switch é simplesmente o coração da rede. Ele serve como um ponto central, permitindo que todos os pontos se comuniquem entre si. Todas as placas de

Leia mais

RIP Routing Information Protocol

RIP Routing Information Protocol Routing Information Protocol Carlos Gustavo A. da Rocha Introdução O objetivo final de qualquer protocolo de roteamento é automatizar o processo de preenchimento das tabelas de rotas de roteadores Dependendo

Leia mais

IPv6 - O Novo Protocolo da Internet (2013) ::: Samuel Henrique Bucke Brito 1

IPv6 - O Novo Protocolo da Internet (2013) ::: Samuel Henrique Bucke Brito 1 IPv6 - O Novo Protocolo da Internet (2013) ::: Samuel Henrique Bucke Brito 1 IPv6 - O Novo Protocolo da Internet (2013) ::: Samuel Henrique Bucke Brito 2 Roteamento Estático 1 Rotas Estáticas a Rotas Flutuantes

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Introdução Inst tituto de Info ormátic ca - UF FRGS Redes de Computadores Introdução ao roteamento Aula 20 Inter-rede TCP/IP (Internet) é composta por um conjunto de redes interligadas por roteadores Roteador

Leia mais

Fundamentos de Redes de Computadores. Equipamentos de Redes Locais e de Longa Distância. Conceitos

Fundamentos de Redes de Computadores. Equipamentos de Redes Locais e de Longa Distância. Conceitos Equipamentos de Redes Locais e de Longa Distância Conceitos Prof. Airton Ribeiro de Sousa airton.ribeiro@faciplac.edu.br 2016-2 1 Redes de Computadores Sistema de comunicação que interconecta dois ou mais

Leia mais

# $ % & ' ( ) * ' ( ) *! " " Orientador +, -

# $ % & ' ( ) * ' ( ) *!   Orientador +, - #$ %&'()* '()*!"" Orientador +,- ."%&/0#12 3"/%'0)/))&/ )4506 7" %/0)/))&/ 8906 8)) :"'/0)/))&/ '% '); Um roteador recebe em alguma de suas interfaces um pacote vindo da rede local ou da rede externa.

Leia mais

ROTEADORES. Introdução ao roteamento e ao encaminhamento de pacotes

ROTEADORES. Introdução ao roteamento e ao encaminhamento de pacotes ROTEADORES Introdução ao roteamento e ao encaminhamento de pacotes Laboratório de Redes de Computadores Introdução do capítulo As redes atuais têm um impacto significativo em nossas vidas alterando a forma

Leia mais

Introdução a Redes de Computadores. Elementos de Interconexão

Introdução a Redes de Computadores. Elementos de Interconexão Introdução a Redes de Computadores Elementos de Interconexão Objetivo! Conhecer os diferentes equipamentos de rede existentes.! Entender quais camadas do modelo de referência na qual cada um destes equipamentos

Leia mais

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO/ PROCESSAMENTO DE DADOS DISCIPLINA: ADM e PROJETO DE REDES PROFESSOR: Msc Walter Augusto Varella

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO/ PROCESSAMENTO DE DADOS DISCIPLINA: ADM e PROJETO DE REDES PROFESSOR: Msc Walter Augusto Varella CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO/ PROCESSAMENTO DE DADOS DISCIPLINA: ADM e PROJETO DE REDES PROFESSOR: Msc Walter Augusto Varella Lista de Exercícios 1 1. Diga com suas palavras o que vem a ser uma rede

Leia mais

RCO2. Redes Locais: Interligação de LANs com roteadores

RCO2. Redes Locais: Interligação de LANs com roteadores RCO2 Redes Locais: Interligação de LANs com roteadores Pontes e switches: ativos de camada de enlace 2 Pontes e switches: aprendem que estações estão em cada porta Mas pode haver problemas! Considere a

Leia mais

Redes de Computadores. Aula: Roteamento Professor: Jefferson Silva

Redes de Computadores. Aula: Roteamento Professor: Jefferson Silva Redes de Computadores Aula: Roteamento Professor: Jefferson Silva Perguntinhas básicas J n O que é rotear? n O que é uma rota? n Porque rotear? n Como sua requisição chega no facebook? Conceitos n Roteamento

Leia mais

Roteamento BGP. Introdução

Roteamento BGP. Introdução Roteamento BGP Prof. Alexandre Beletti Introdução Em um único SA, o protocolo de roteamento recomendado na Internet é o OSPF (embora este não seja o único em uso). Entre SAs é usado outro protocolo, o

Leia mais

Simulação de Ambientes de Rede para Suporte ao Ensino de Redes de Computadores: Projeto e Criação de Novos Ambientes

Simulação de Ambientes de Rede para Suporte ao Ensino de Redes de Computadores: Projeto e Criação de Novos Ambientes Simulação de Ambientes de Rede para Suporte ao Ensino de Redes de Computadores: Projeto e Criação de Novos Ambientes Douglas José Ramalho Araujo¹, Madianita Bogo¹ 1 Curso de Sistemas de Informação Centro

Leia mais

PRÁTICA. Múltiplas rotas até o mesmo destino com custos definidos em função da velocidade

PRÁTICA. Múltiplas rotas até o mesmo destino com custos definidos em função da velocidade PRÁTICA Múltiplas rotas até o mesmo destino com custos definidos em função da velocidade Cenário 10Mbps Qual o melhor caminho? Observando o desenho veja que o caminho entre o computador PC0 e o Servidor

Leia mais

Funcionamento. Protocolos de roteamento

Funcionamento. Protocolos de roteamento 1 Redes de Computadores Aula 06/10/2009 Roteador é um equipamento usado para fazer a comutação de protocolos, a comunicação entre diferentes redes de computadores provendo a comunicação entre computadores

Leia mais

Modem ADSL. Resumo de Configurações

Modem ADSL. Resumo de Configurações Modem ADSL Resumo de Configurações Introdução ADSL: Linha digital assimétrica. Assimetria: velocidade de download diferente da velocidade de upload. Exemplo: Ao contratar um plano ADSL Velox apelidado

Leia mais

Rede Local - Administração Endereçamento IPv4

Rede Local - Administração Endereçamento IPv4 Rede Local - Administração Endereçamento IPv4 Formador: Miguel Neto (migasn@gmail.com) Covilhã - Novembro 05, 2015 Endereçamento IPv4 Na Internet e, em geral, em todas as redes que utilizam os protocolos

Leia mais

Entendendo o Modelo OSI. As 7 camadas

Entendendo o Modelo OSI. As 7 camadas Entendendo o Modelo OSI O Modelo OSI é uma referência de como os dados são transportados de um computador a outro, vindos desde sua camada física até as aplicações (softwares). Ao longo do percurso, os

Leia mais

TCP/IP Protocolos e Arquiteturas

TCP/IP Protocolos e Arquiteturas TCP/IP Protocolos e Arquiteturas Prof. Airton Ribeiro de Sousa 2016 Introdução ao TCP/IP Para que os computadores de uma rede possam trocar informações entre si, é necessário que todos adotem as mesmas

Leia mais

Graduação Tecnológica em Redes de Computadores. Tecnologias de Roteamento

Graduação Tecnológica em Redes de Computadores. Tecnologias de Roteamento Graduação Tecnológica em Redes de Computadores Tecnologias de Roteamento Euber Chaia Cotta e Silva euberchaia@yahoo.com.br Site da disciplina http://echaia.com Graduação Tecnológica em Redes de Computadores

Leia mais

Protocolos da camada de redes. Professor Leonardo Larback

Protocolos da camada de redes. Professor Leonardo Larback Protocolos da camada de redes Professor Leonardo Larback Protocolos da camada de redes Na camada de redes (modelo OSI) operam os protocolos IP, ARP, RARP, ICMP etc. Em conjunto a esses protocolos, abordaremos

Leia mais

RIP OSPF. Características do OSPF. Características do OSPF. Funcionamento do OSPF. Funcionamento do OSPF

RIP OSPF. Características do OSPF. Características do OSPF. Funcionamento do OSPF. Funcionamento do OSPF OSPF & mospf Visão Geral do Protocolo Escopo da Apresentação Introdução - Protocolos de roteamento - Tipos de protocolos - Histórico do protocolos de roteamento (RIP e suas características) OSPF MOSPF

Leia mais

Visão geral do TCP/IP

Visão geral do TCP/IP Visão geral do TCP/IP Índice Introdução Tecnologia TCP/IP TCP IP Roteando em ambientes IP Interior Routing Protocols RIP IGRP EIGRP OSPF IS-IS integrado Protocolos de Roteamento Externo EGP BGP Implementação

Leia mais

Roteamento IPv4 básico com OSPF. Por Patrick Brandão TMSoft

Roteamento IPv4 básico com OSPF. Por Patrick Brandão TMSoft Roteamento IPv4 básico com OSPF Por Patrick Brandão TMSoft www.tmsoft.com.br Pré-requisitos Conhecimento técnico de IPv4 Laboratório com roteadores OSPF Cisco MyAuth3 Mikrotik RouterOs Conceitos básicos

Leia mais

INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO CONCEITO DE REDE DE COMPUTADORES PROFESSOR CARLOS MUNIZ

INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO CONCEITO DE REDE DE COMPUTADORES PROFESSOR CARLOS MUNIZ INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA DA CONCEITO DE REDE DE COMPUTADORES PROFESSOR CARLOS MUNIZ INTRODUÇÃO Redes de computadores são estruturas físicas (equipamentos) e lógicas (programas, protocolos) que permitem

Leia mais

Roteiro de Práticas de Roteamento EGP usando Quagga

Roteiro de Práticas de Roteamento EGP usando Quagga Roteiro de Práticas de Roteamento EGP usando Quagga BGP O objetivo desse roteiro é mostrar como o pacote Quagga pode ser utilizado para construir roteadores com suporte a protocolos de roteamento utilizando

Leia mais

Redes de computadores. Monteiro, Emiliano S. Professor Out/2016

Redes de computadores. Monteiro, Emiliano S. Professor Out/2016 Redes de computadores Monteiro, Emiliano S. Professor Out/2016 Algoritmos de Roteamento Algoritmos não adaptativos: não baseiam suas decisões de roteamento em medidas ou estimativas de tráfego e da topologia

Leia mais

Redes de Computadores I

Redes de Computadores I Redes de Computadores I Prof.ª Inara Santana Ortiz Aula 9 IPv4 e IPv6 Camada de Rede IPv4 e o IPv6 O IPv4 e o IPv6 IPv4 significa Protocol version 4, ou versão 4 de protocolos. O IPv6 é a sexta revisão

Leia mais

No ponto onde broadcast e/ou flooding deixa de fazer sentido, outro tipo de equipamento se faz necessário: O ROTEADOR!

No ponto onde broadcast e/ou flooding deixa de fazer sentido, outro tipo de equipamento se faz necessário: O ROTEADOR! INTERCONEXÃO DE REDES LOCAIS COM ROTEADORES LANs podem ser conectadas entre si com pontes (bridges) Por que não usar sempre pontes para construir redes grandes? Pontes implementam uma LAN única e a maioria

Leia mais

Redes de Computadores. Equipamentos de Comunicação

Redes de Computadores. Equipamentos de Comunicação Redes de Computadores Equipamentos de Comunicação Equipamentos de comunicação Repetidores; Ponte (Bridge); Hub (Concentrador); Switch (Chaveador); Roteador (Router). Repetidores São usado em redes de topologia

Leia mais

Camada de rede do modelo OSI Redes de Comunicação Módulo 3 Parte 2

Camada de rede do modelo OSI Redes de Comunicação Módulo 3 Parte 2 Curso Profissional de Gestão de Programação de Sistemas Informáticos Ano Letivo 2015/2016 Camada de rede do modelo OSI Redes de Comunicação Módulo 3 Parte 2 Rotas Estáticas e Dinâmicas Os routers guardam

Leia mais

Parte 05. Camada 1 - Repetidores e domínios de colisão

Parte 05. Camada 1 - Repetidores e domínios de colisão INTERCONEXÃO Parte 05 Camada 1 - Repetidores e domínios de colisão Dispositivos de Interconexão NIC Hub/Repeater Bridge/Switch Router Gateways NIC (Network Interface Card) Depende do tipo de tecnologia

Leia mais

DEDICATÓRIA. COMO UTILIZAR ESTE LIVRO vii ÍNDICE... 1 - INTRODUÇÃO ÀS REDES DE COMUNICAÇÃO... 1

DEDICATÓRIA. COMO UTILIZAR ESTE LIVRO vii ÍNDICE... 1 - INTRODUÇÃO ÀS REDES DE COMUNICAÇÃO... 1 índice DEDICATÓRIA v COMO UTILIZAR ESTE LIVRO vii ÍNDICE...... ix 1 - INTRODUÇÃO ÀS REDES DE COMUNICAÇÃO...... 1 Introdução 1 Redes de Comunicação 2 Arquitectura de Comunicação OSI 4 Funcionamento do Modelo

Leia mais

Capítulo 4: Conceitos de Roteamento

Capítulo 4: Conceitos de Roteamento Capítulo 4: Conceitos de Roteamento Protocolos de roteamento 1 Capítulo 4 4.0 Conceitos de Roteamento 4.1 Configuração inicial de um roteador 4.2 Decisões de roteamento 4.3 Operação de roteamento 4.4 Resumo

Leia mais

MPLS MultiProtocol Label Switching

MPLS MultiProtocol Label Switching MPLS MultiProtocol Label Switching Universidade Santa Cecícila Prof. Hugo Santana Introdução requisitos mínimos de largura de banda, engenharia de tráfego e QoS. convergência das tecnologias (voz e vídeo

Leia mais

CCT0023 INFRAESTRUTURA DE REDES DE COMPUTADORES Aula 9: Equipamentos Rede / Topologia Hierárquica

CCT0023 INFRAESTRUTURA DE REDES DE COMPUTADORES Aula 9: Equipamentos Rede / Topologia Hierárquica CCT0023 Aula 9: Equipamentos Rede / Topologia Hierárquica Placa de rede Placa de rede Preparação dos quadros para que possam ser enviados pelos cabos. A placa de rede gera os bits de um quadro no sentido

Leia mais

Projetando redes de discagem do provedor de serviços da larga escala com OSPF

Projetando redes de discagem do provedor de serviços da larga escala com OSPF Projetando redes de discagem do provedor de serviços da larga escala com OSPF Índice Introdução Topologia de rede Conjuntos de dialup ISP Conjunto estático Conjunto central Projeto do Dialup com um pool

Leia mais

ASA 8.3: Estabeleça e pesquise defeitos a Conectividade através do dispositivo do Cisco Security

ASA 8.3: Estabeleça e pesquise defeitos a Conectividade através do dispositivo do Cisco Security ASA 8.3: Estabeleça e pesquise defeitos a Conectividade através do dispositivo do Cisco Security Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Como a Conectividade com o

Leia mais

Eduardo Barasal Morales Tiago Jun Nakamura Maputo, Moçambique 18/07/17-21/07/17

Eduardo Barasal Morales Tiago Jun Nakamura Maputo, Moçambique 18/07/17-21/07/17 Eduardo Barasal Morales Tiago Jun Nakamura Maputo, Moçambique 18/07/17-21/07/17 Curso Presencial de IPv6 Introdução A Internet e o TCP/IP 1969 Início da ARPANET 1981 Definição do IPv4 na RFC 791 1983 ARPANET

Leia mais

Redes de Computadores e a Internet

Redes de Computadores e a Internet Redes de Computadores e a Internet Magnos Martinello Universidade Federal do Espírito Santo - UFES Departamento de Informática - DI Laboratório de Pesquisas em Redes Multimidia - LPRM 2010 Capítulo 4:

Leia mais

Compreendendo o endereço local de link do IPv6

Compreendendo o endereço local de link do IPv6 Compreendendo o endereço local de link do IPv6 Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Configurar Diagrama de Rede Configurações Verificar Verificando a configuração

Leia mais

Introdução ao EIGRP. Índice. Introdução. Antes de Iniciar. O que é IGRP? Convenções. Pré-requisitos. Componentes Usados

Introdução ao EIGRP. Índice. Introdução. Antes de Iniciar. O que é IGRP? Convenções. Pré-requisitos. Componentes Usados Introdução ao EIGRP Índice Introdução Antes de Iniciar Convenções Pré-requisitos Componentes Usados O que é IGRP? O que é EIGRP? Como o EIGRP Funciona? Conceitos de EIGRP Tabela Vizinha Tabela de Topologia

Leia mais

O computador foi criado para. auxiliar o homem em tarefas

O computador foi criado para. auxiliar o homem em tarefas Introdução O computador foi criado para auxiliar o homem em tarefas repetitivas. REDES DE COMPUTADORES Slide 1 Introdução Teve início como uma máquina de calcular e mais tarde tornou-se um dos instrumentos

Leia mais

Open Shortest Path First (OSPF)

Open Shortest Path First (OSPF) Open Shortest Path First (OSPF) Carlos Gustavo A. da Rocha Introdução Protocolo de roteamento baseado em estado de enlace, padronizado na RFC 2328 Criado para solucionar as deficiências do RIP Roteadores

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores s de Computadores Prof. Macêdo Firmino Modelo TCP/IP e OSI Macêdo Firmino (IFRN) s de Computadores Setembro de 2011 1 / 19 Modelo de Camadas Para que ocorra a transmissão de uma informação entre o transmissor

Leia mais

Vazamento de rota em redes MPLS/VPN

Vazamento de rota em redes MPLS/VPN Vazamento de rota em redes MPLS/VPN Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Configurar Vazamento de rota de uma tabela de roteamento global em um VRF e vazamento de

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores INF-207 Sistemas Computacionais para Processamento Multimídia Redes de Computadores Visão Geral 2 Q-20102010 Prof. Roberto Jacobe (roberto.jacobe@gmail.com) Prof. Marcelo Z. do Nascimento (marcelo.ufabc@gmail.com)

Leia mais

Redes X.25. Prof. Monteiro, Emiliano S. - Monteiro, Emiliano S.

Redes X.25. Prof. Monteiro, Emiliano S.  - Monteiro, Emiliano S. Redes X.25 Prof. Monteiro, Emiliano S. www.csecurity.com.br - Monteiro, Emiliano S. X.25 A especificação X.25 surgiu a partir da necessidade de se conectar computadores usando uma rede externa (rede pública)

Leia mais

IESGO. Redes de Computadores I

IESGO. Redes de Computadores I IESGO Endereçamento IP Carlos Henrique de Moraes Viana O endereçamento é uma função-chave dos protocolos da camada de rede que permitem a comunicação de dados entre os hosts na mesma rede ou em redes diferentes.

Leia mais

Laboratório 2.6.1: Orientação de Topologia e Construção de uma Pequena Rede

Laboratório 2.6.1: Orientação de Topologia e Construção de uma Pequena Rede Laboratório 2.6.1: Orientação de Topologia e Construção de uma Pequena Rede Diagrama de Topologia Rede Peer-to-Peer Objetivos Rede Comutada Com a conclusão deste laboratório, você será capaz de: Identificar

Leia mais

Trabalhando com Redes de Computadores - 2ª Edição Plano de Aula - 24 Aulas (Aulas de 1 Hora)

Trabalhando com Redes de Computadores - 2ª Edição Plano de Aula - 24 Aulas (Aulas de 1 Hora) 6557 - Trabalhando com Redes de Computadores - 2ª Edição Plano de Aula - 24 Aulas (Aulas de 1 Hora) Aula 1 Capítulo 1 - Introdução 1.1. Como Surgiram as Redes...25 1.2. Tipos de Redes...25 1.2.1. Classificação

Leia mais

Roteamento IP & MPLS. Prof. Marcos Argachoy

Roteamento IP & MPLS. Prof. Marcos Argachoy REDES DE LONGA DISTANCIA Roteamento IP & MPLS Prof. Marcos Argachoy Perfil desse tema O Roteador Roteamento IP Protocolos de Roteamento MPLS Roteador Roteamento IP & MPLS Hardware (ou software) destinado

Leia mais

Formação para Sistemas Autônomos OSPF. Formação para Sistemas Autônomos

Formação para Sistemas Autônomos OSPF. Formação para Sistemas Autônomos OSPF Licença de uso do material Esta apresentação está disponível sob a licença Creative Commons Atribuição Não a Obras Derivadas (by-nd) http://creativecommons.org/licenses/by-nd/3.0/br/legalcode Você

Leia mais

Compreendendo e configurando o comando ip unnumbered

Compreendendo e configurando o comando ip unnumbered Compreendendo e configurando o comando ip unnumbered Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções O que é uma interface sem número? IP e IP sem número Exemplos de configuração

Leia mais

Túnel IP para lan-to-lan com alta disponibilidade em rede roteada.

Túnel IP para lan-to-lan com alta disponibilidade em rede roteada. Túnel IP para lan-to-lan com alta disponibilidade em rede roteada. Pedro Eduardo Camera¹, Rodrigo Luiz Antoniazzi¹ 1 Unicruz Universidade de Cruz Alta Cruz Alta RS Brazil Resumo. Neste trabalho será a

Leia mais

Guia Primeiros Passos da Bomgar B400

Guia Primeiros Passos da Bomgar B400 Guia Primeiros Passos da Bomgar B400 Documento: 043010.15 Publicado: maio 2010 Guia Primeiros Passos da Bomgar B400 Documento: 043010.15 Publicado: maio 2010 Obrigado por usar a Bomgar. Na Bomgar, o atendimento

Leia mais

JUNIOR APARECIDO RODRIGUES DA CRUZ ESTUDO COMPARATIVO ENTRE PROTOCOLOS DE ROTEAMENTO DINÂMICO: RIP E OSPF

JUNIOR APARECIDO RODRIGUES DA CRUZ ESTUDO COMPARATIVO ENTRE PROTOCOLOS DE ROTEAMENTO DINÂMICO: RIP E OSPF JUNIOR APARECIDO RODRIGUES DA CRUZ ESTUDO COMPARATIVO ENTRE PROTOCOLOS DE ROTEAMENTO DINÂMICO: RIP E OSPF Assis - SP 2014 Av. Getúlio Vargas, 1200 Vila Nova Santana Assis SP 19807-634 Fone/Fax: (0XX18)

Leia mais