Edição IV - Ano II - Junho de 201 2

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Edição IV - Ano II - Junho de 201 2"

Transcrição

1 Edição IV - Ano II - Junho de Em busca de sincronia

2 EDITORIAL O boletim Paraíso em Foco está de volta para contar sobre os nossos projetos. O CDC e seus parceiros não pensam em parar. Para dar continuidade aos programas Infância Ideal e Escola Ideal, construímos parcerias que buscam melhorar a qualidade de vida da comunidade de Santana do Paraíso. O Escola da Gestante vem ampliando seu trabalho para atender um número maior de grávidas. O projeto de Rede vem sendo fortalecido com a capacitação do Conselho Tutelar. E agora um novo programa de formação vai capacitar jovens para atuarem como defensores dos direitos de crianças e adolescentes. Pelo programa Escola Ideal, instituições de ensino de Santana receberam bibliotecas móveis. O objetivo é proporcionar momentos de leitura para as crianças do ensino público e, com isso, aumentar as oportunidades de aprendizagem. Nosso município vem ampliando as discussões sobre as medidas socioeducativas aplicadas a adolescentes que cometerem atos infracionais. Os debates se inserem em um contexto muito importante, de aprovação da lei que institui o Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase). E a mobilização pelos direitos de crianças e adolescentes não pode parar: 1 8 de maio é um marco na luta pelo combate à violência sexual contra crianças e adolescentes. Envolva-se também! PRIMEIRAS LETRAS Consciência negra Por Kátia Emanuele, 5º ano, da E. M. Maria Ivone Damasceno Não devemos criticar as pessoas por causa da sua cor porque a cor não mostra se a pessoa tem caráter; o que faz a pessoa são suas ações. Criticar as pessoas por causa da cor é racismo e racismo é crime. Em nossa escola foi desenvolvido um projeto sobre Consciência Negra e teve várias atividades envolvendo todas as turmas e essas atividades foram apresentadas para toda a escola. Esse projeto foi muito bom porque aprendemos que não devemos julgar as pessoas porque todos somos iguais. Minha história Por Tamara Cristina Freitas Soares, 4º ano, da E.M. Josefino Anício de Oliveira Hoje vou contar a história sobre a minha vida. Meu nome é Tamara, tenho 1 1 anos e moro em Santana do Paraíso, Minas Gerais. Tenho uma irmã que se chama Gleisiane, minha mãe se chama Efigênia e meu pai, Juarez. Tenho muitos coleguinhas e todos os dias jogo bola. A minha professora Simone Lacerda é super legal, nos ensina a fazer todas as atividades com capricho e atenção. Vou falar também de meus amigos, todos os dias brincamos de escolinha, é muito gostoso brincar de escolinha, a gente aprende mais e fazemos os deveres juntos. Aprendi que devemos dar valor às nossas professoras que nos ensinam a cada dia coisas novas e diferentes. Essa é minha história. *Textos das edições de dezembro do projeto Jornal Escolar Primeiras Letras, desenvolvido com a ONG Comunicação e Cultura EXPEDIENTE Este boletim faz parte do projeto CDC Comunica, realizado pelo Instituto Camargo Corrêa em parceria com a Oficina de Imagens Instituto Camargo Corrêa. Diretor executivo: Francisco de Assis Azevedo. Coordenadora de Comunicação: Clarissa Kowalski. Contato: Comitê de Desenvolvimento Comunitário de Santana do Paraíso: Centro de Artes e Inclusão Social, Coletivo Jovem Boteco do Portuga, Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), Conselho Tutelar, creches, Instituto Lumar, InterCement, Pastoral da Criança, Polícia Civil, Prefeitura Municipal de Santana do Paraíso. Contato: Oficina de Imagens. Coordenador Executivo: Adriano Guerra. Edição: Carolina Silveira, Filipe Motta e Júlia Marques Site: Projeto gráfico: Renato Kimo Diagramação: Júlia Marques Foto da capa: alunos do projeto Judô do Cejoc/Cejoc Impressão: Formato Tiragem: exemplares 2

3 VIOLÊNCIA SEXUAL 1 8 de maio é o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes Mobilização é fundamental para reduzir os casos de abuso e exploração Leonardo Oliveira Rodrigues, do CDC Santana do Paraíso, e Criziane Meireles, do Cejoc No dia 1 8 de maio de 1 973, a menina Araceli Sanches, de 8 anos, desapareceu. Ela foi violentada e morta por jovens de famílias tradicionais do município de Vitória, no Espírito Santo. O crime chocou a sociedade brasileira, chamando a atenção para a violência sexual contra meninos e meninas, mas os envolvidos ficaram impunes. Infelizmente, esse caso não era único e a frequência com que acontecimentos parecidos ocorriam levou grupos de combate à violência infantil a buscarem alternativas para coibir novos crimes. Em 2000, uma Lei Federal instituiu o 1 8 de maio como o Dia Nacional de Combate à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. De acordo com dados do Disque Denúncia Disque 1 00, no período entre 2005 e 201 0, foram registradas casos de exploração sexual contra crianças e adolescentes no Brasil. Entre as capitais, o ranking de cidades que mais denunciaram é liderado por Salvador (BA), seguida pelo Rio de Janeiro (RJ), Fortaleza (CE), São Paulo (SP) e Natal (RN). Em muitos casos, a família não dá credibilidade ao que as crianças relatam, o que acaba contribuindo para que a criança ou o adolescente continue sofrendo o abuso. O abusador também pressiona as crianças para ficarem caladas. Vale lembrar que, na maioria das vezes, o abusador não é um psicopata, um estranho ou doente mental. É uma pessoa aparentemente normal, conhecida da família e incapaz de gerar desconfiança, por isso a dificuldade de se descobrir o crime. Como agir Por meio de alguns indícios, podemos identificar se a criança foi vítima de abuso sexual. Crianças que sofreram abuso demonstram perda de confiança nelas mesmas, no agressor e em pessoas do mesmo sexo do agressor, demonstram sentimentos de culpa, baixa auto-estima e vergonha. Há mudança súbita no comportamento, com aumento da agressividade. As crianças também podem apresentar dificuldades de aprendizagem e de concentração, isolamento, pesadelos, medo de estar sozinha ou de ficar sozinha com determinado adulto, e têm atitudes e conversas sobre temas sexuais incomuns para a idade. O abuso sexual também pode causar dificuldades de caminhar, sangramentos na região vaginal ou anal, doenças sexualmente transmissíveis e infecção urinária. Diante de um caso de abuso, a família ou quem tiver notícia deve imediatamente acionar as autoridades do município. Em Santana do Paraíso, as denúncias devem ser feitas por meio dos telefones do Disque Direitos Humanos, o Disque 1 00, e do Conselho Tutelar: (33) Imagem: Faça Bonito No dia 1 8 de maio, a sociedade se mobiliza para combater a violência sexual 3

4 ARTIGO Foto: SXC Pais, escolas e professores precisam trabalhar de forma articulada para garantir bom desempenho escolar das crianças Algumas dicas ajudam a tornar o momento de estudo em casa mais prazeroso Por Josélia Climene, do Instituto Lumar Um dos principais pontos de conflito entre alunos, professores, escolas e famílias é o momento do estudo em casa. Os pais alegam não ter tempo e espaço adequado em casa; a criança alega não ter ninguém para ensinar ou ler para ela; e a escola alega que os pais são relapsos. Há um ponto de diálogo se todos se consientizarem da importância deste momento de estudo para o desenvolvimento da disciplina intelectual da criança. Mas o que fazer para que esta atividade não se torne uma bola de neve ou um pesadelo na vida da família, da criança e da escola? Fique por dentro de algumas dicas. Escola, mantenha a porta sempre aberta para um dialógo com os pais. Professor, procure conhecer a realidade das crianças de sua classe, da comunidade onde a escola está inserida e, se possível, conhecer um dos pais da criança. Procure trabalhar com dois tipos de deveres, o verbal e o escrito, e principalmente escute as críticas positivas e negativas provenientes dos conselhos de classe e reunião de pais. Reverta a crítica em favor do seu desenvolvimento profissional. Pais, não tenham vergonha de ensinar seus filhos. Você vai acompanhá-lo e fazê-lo sentir que o momento da tarefa não é somente dele. Crie um horário em que você possa acompanhar. Se não der, tente no final de semana e feriados e veja com seu filho o que foi passado em sala de aula. Crie um espaço para que ele estude todos os dias, pode ser sentado no chão com um banco ou uma cadeira servindo de mesa. Não faça a lição para ele, nem deixe o irmão mais velho fazê-la. Demonstre que você respeita este tempo dedicado ao estudo e que ele deve ter esta obrigação diária. Não deixe outra pessoa da família intervir neste momento. Se tiver difilculdades, recomece aos poucos. Não tenha vergonha de pedir ajuda a um vizinho, a um amigo ou à própria professora. A criança aos poucos vai entender que os estudos são de responsabilidade dela. Na educação de nossos filhos todo exagero é negativo. Instrua com sabedoria. Use a tática dos combinados, mas nunca quebre um. As crianças aprendem aquilo que vivenciam. Aos poucos você verá no seu filho um indivíduo comprometido, sociável, crítico e muito inteligente motivo de orgulho para todos. E você e a escola, com certeza, estarão com o sentimento de missão cumprida. 4

5 NORMATIVAS Seminário no município discutiu a relação entre a rede e o cumprimento de medidas socioeducativas por adolescentes Lei que institui o Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase) foi base para discussões O cumprimento de medidas socioeducativas por adolescentes que cometem ato infracional foi tema de um seminário realizado em Santana do Paraíso em março. A base das discussões foi a lei do Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo ( / 201 2), mais conhecida pela sigla Sinase, promulgada pela presidente Dilma Rousseff em janeiro deste ano e em vigor desde abril. O Sinase prevê uma série de normas para padronizar os procedimentos jurídicos e de atendimento psicossocial aos meninos e meninas em conflito com a lei. Para isso, ele estabelece uma série de responsabilidades que são de obrigação dos governos federal, estaduais e municipais. O objetivo do documento é que, com a aplicação das medidas socioeducativas corretas e de maneira adequada, esses adolescentes tenham uma reinserção adequada no convívio familiar e comunitário. Esse ponto é tão importante para o documento que uma de suas principais diretrizes é privilegiar o cumprimento de medidas socioeducativas em meio aberto quando o acompanhamento do adolescente não exige reclusão numa unidade de cumprimento de medida. Para que as medidas socioeducativas sejam aplicadas de maneira eficaz é essencial que a rede de proteção à criança e ao adolescente do município tenha infraestrutura adequada para seu funcionamento e esteja bem articulada ou seja, com os órgãos e atores conversando entre si e conhecendo o papel e o trabalho do outro. É preciso que Conselho Tutelar, polícias, Ministério Público, juizado da infância, secretariais de Educação e Assistência Social falem a mesma linguagem. Esses temas foram trabalhados durante o seminário. No segundo dia de evento, após uma rodada de discussão seguindo os eixos do Sinase, os mais de cinquenta participantes do seminário definiram diretrizes para a futura elaboração de um plano de medidas socioeducativas no município de Santana do Paraíso. >>Acesse a lei na internet: is.gd/sinase Foto: Filipe Motta/Oficina de Imagens Foto: Arquivo Secretaria Mun. de Assistência Social Aplicação das medidas socioeducativas previstas pelo Sinase depende da articulação entre os atores da rede 5

6 SAÚDE Santana do Paraíso realiza capacitações com profissionais para o combate e prevenção à dengue Cuidado da população é importante para evitar a proliferação do mosquito Por Karine de Paula Loures e Liliane Santos Silva, enfermeiras da Estratégia de Saúde da Família A dengue é um dos principais problemas de saúde mundial. A doença é transmitida ao homem pela picada de mosquitos do gênero Aedes infectados. A população deve ficar alerta, pois onde vive uma pessoa contaminada pode existir o foco e mosquitos infectados contribuindo para o aumento de casos. Os primeiros sintomas são febre dor de cabeça, fraqueza, dor muscular e nas articulações, além de dores ao redor dos olhos. A pessoa ainda pode sentir falta de apetite, náuseas, vômitos e diarreia. Se a doença se complicar, pode haver hemorragia. Para combater a doença, as caixas d água devem ser vedadas e as garrafas acondicionadas com a abertura voltada para baixo. Também é importante colocar areia nos pratos de plantas e evitar o acúmulo de lixo nos quintais e ambientes domésticos. Segundo o Secretário Municipal de Saúde de Santana do Paraíso, Waldemar Dias Araújo, o município efetua medidas como capacitação dos profissionais responsáveis pelo setor de epidemiologia e Vigilância Sanitária, dos agentes de Endemia e de demais profissionais que lidam diretamente no acompanhamento da saúde da população. A Secretaria de Saúde também realiza levantamento de dados, implementa ações, fiscaliza e alimenta o Sistema de Informações referentes à Dengue. De acordo com ao funcionário do Ministério da Saúde que participa dos trabalhos da dengue no município, Sebastião Santana, o manejo da doença é feito durante todo o ano: no primeiro dia de janeiro tem início o trabalho com levantamento de índices larváreos em cada bairro de Santana do Paraíso e do total do município. É feito também um tratamento químico com larvicida e tratamento mecânico/físico, que é o recolhimento casa a casa dos recipientes que acumulam água. Esses profissionais trabalham também com pesquisa de foco, busca ativa de casos de dengue, boletim de pesquisa e boletim de tratamento diário. Desta forma, mantém-se o registro de informações. É feito também um trabalho de educação para saúde com o morador no sentido de que se torne um multiplicador no controle da doença. Foto: Secretaria de Saúde de Santana do Paraíso Combate à dengue é uma preocupação do município de Santana do Paraíso 6

7 BOAS PRÁTICAS Cejoc completa 1 5 anos oferecendo atividades esportivas, culturais e de lazer para crianças, adolescentes e adultos Instituição recebe preferencialmente famílias atendidas pelo Bolsa Família Por Criziane Meireles, do Cejoc Foto: Cejoc 1 20 crianças e adolescentes são atendidos pelo projeto de judô do Cejoc Este ano, o Centro de Assistência Social e Educacional João Matias de Oliveira e Célia (Cejoc) tem um motivo a mais para comemorar. A instituição completa, em junho, 1 5 anos de história no município de Santana do Paraíso. Há uma década e meia, o Cejoc atua em Santana oferecendo cursos diversos, destinados a crianças, adolescentes e adultos. Todas as atividades são desenvolvidas no local para cerca de 300 pessoas. As atividades são diversas, atendendo a públicos distintos, e hoje o Cejoc oferece cursos na área de música (violão, guitarra, contrabaixo, bateria, teclado), informática básica, pintura em tecido, bordado, artesanato, iniciação teatral, dança, e o projeto Judô Cidadão. As pessoas que participam das atividades promovidas pelo Cejoc são todas moradoras de Santana do Paraíso, mais especificamente da região central, onde a instituição está localizada. Para participar, os interessados devem procurar a secretaria do Cejoc para realizar sua inscrição. Preferencialmente, são atendidas as famílias que são beneficiárias do programa Bolsa Família. O objetivo é priorizar atividades esportivas, culturais e de lazer para aqueles que têm mais dificuldade de acessá-las. Judô Cidadão O projeto que hoje atende maior número de pessoas no Cejoc é o judô. O Instituto Brasil Igualdade Social (Ibis) em parceria com o Centro de Assistência Social e Educacional João Matias de Oliveira e Célia (Cejoc) oferece gratuitamente aulas de Judô pelo projeto Esporte + Educação = Cidadania. Desenvolvido por meio da Lei Federal de Incentivo ao Esporte, o projeto conta com patrocínio incentivado da operadora de telefonia Oi, através de seu braço social a Oi Futuro. Contamos com o apoio de empresários para mantermos o projeto em funcionamento. No segundo ano de projeto, a indústria mecânica Emalto se tornou patrocinadora do projeto. O projeto Esporte + Educação = Cidadania oferece gratuitamente 1 20 vagas da modalidade esportiva judô com atividades regulares, duas vezes por semana, além de atividades complementares nas áreas da assistência social e acompanhamento escolar, participação de intercâmbios com outras agremiações em treinamento conjunto. Vale destacar a participação em eventos tradicionais da modalidade, como o Circuito Vale do Aço de judô, organizado pela Usipa. 7

8 ANOTE AÍ >> Infância na cidade O Unicef lançou em fevereiro o relatório Situação Mundial da Infância 201 2, que traz um retrato da condição de vida de crianças em meio ao intenso processo de urbanização vivido pelo mundo. O documento apresenta os principais desafios para garantir os direitos de crianças que vivem em cidades médias e grandes. Acesse o relatório pelo site: is.gd/infanciaurbana UM CLIQUE Em maio, o CDC Santana se reuniu para planejar novas ações para Foto: Arquivo CDC >>Plano Decenal O Plano Decenal dos Direitos da Criança e do Adolescente prevê diretrizes da Política Nacional para o assunto até A principal finalidade do Plano é articular políticas setoriais voltadas ao público infanto-juvenil e orientar a implementação de políticas que garantam direitos de meninos e meninas. O Plano será tema de debate na Conferência Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente, que será realizada em julho. Para consultá-lo, acesse: is.gd/planodecenal FIQUE LIGADO >>Dengue Em caso de detecção de foco de dengue, a população deve procurar o serviço de Vigilância Sanitária e Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde de Santana do Paraíso, que dispõe de uma equipe capacitada de agentes de endemia que efetuam bloqueios, busca ativa de focos, investigação epidemiológica. Para contatar este setor, ligue (33) Já no caso de suspeita de dengue, a população deve procurar os serviços de saúde como a Unidade Básica de Saúde, Estratégias de Saúde da Família, onde será feita a avaliação, diagnóstico, notificação e o acompanhamento dos casos. >> Mapeando direitos A Oficina de Imagens, por meio do programa Novas Alianças, em parceria com o Instituto C&A, lançou o MapaDCA, plataforma online gratuita criada para facilitar o levantamento de informações sobre crianças e adolescentes nos municípios e orientar a formulação de políticas públicas. Por meio do MapaDCA, é possível avaliar indicadores sobre a infância e a adolescência. Para saber mais e utilizar a plataforma, acesse: Realização: Parceria: Coletivo Jovem Buteco do Portuga 8 Este boletim é parte do projeto CDC Comunica, realizado pelo Instituto Camargo Corrêa (ICC) em parceria com a Oficina de Imagens. O CDC de Santana do Paraíso faz parte da estratégia de implantação dos programas sociais do ICC. Informações:

Paraíso. Nos passos. da educação. em foco. Edição VI Ano II Dezembro de 2012

Paraíso. Nos passos. da educação. em foco. Edição VI Ano II Dezembro de 2012 Paraíso em foco Edição VI Ano II Dezembro de 2012 Nos passos da educação 1 editorial primeiras letras O boletim Paraíso em Foco encerra o ano falando de muitos projetos importantes desenvolvidos pelo Comitê

Leia mais

Envolver. Edição V Ano II Outubro de 2012. Um caso. de sucesso

Envolver. Edição V Ano II Outubro de 2012. Um caso. de sucesso Envolver Edição V Ano II Outubro de 2012 Um caso de sucesso 1 editorial primeiras letras O ano de 2012 vai chegando ao fim com boas notícias para Pedro Leopoldo. As várias ações de investimento social

Leia mais

Edição 1 - Ano 1 - Setembro de 201 1

Edição 1 - Ano 1 - Setembro de 201 1 Edição 1 - Ano 1 - Setembro de 201 1 Uma nova infância Poder público, sociedade civil e InterCement juntos na defesa dos direitos das crianças em Ijaci EDITORIAL A informação chega até você! COLUNA DA

Leia mais

Envolver. Ao som da infância. Diversão, Cultura e Arte. Edição VIII Ano III Dezembro de 2013

Envolver. Ao som da infância. Diversão, Cultura e Arte. Edição VIII Ano III Dezembro de 2013 Envolver Edição VIII Ano III Dezembro de 2013 Ao som da infância Diversão, Cultura e Arte 1 editorial primeiras letras O último Envolver do ano chega cheio de novidades e ações, principalmente voltadas

Leia mais

Edição III - Ano I - Dezembro de 201 1

Edição III - Ano I - Dezembro de 201 1 Edição III - Ano I - Dezembro de 201 1 Novos olhares EDITORIAL Santana do Paraíso termina 201 1 com um novo olhar para a infância e a adolescência. Acreditamos que isso se deve a uma forte contribuição

Leia mais

interação coletivo Trabalho Edição VI Ano II Dezembro de 2012

interação coletivo Trabalho Edição VI Ano II Dezembro de 2012 interação Edição VI Ano II Dezembro de 2012 Trabalho coletivo 1 editorial Por Renata de Aquino, da Secretaria de Assistência Social Neste último Boletim Interação do ano de 2012, sentimos que mais uma

Leia mais

Paraíso. Em cena. Toques da infância. em foco. Edição X Ano III Maio de 2014

Paraíso. Em cena. Toques da infância. em foco. Edição X Ano III Maio de 2014 Paraíso em foco Edição X Ano III Maio de 2014 Em cena Toques da infância 1 editorial O primeiro Paraíso em Foco do ano traz muitas informações importantes! Você já deve ter ouvido falar da campanha de

Leia mais

CDC. De olho. no Futuro. em foco. Edição VII Ano III Agosto de 2013

CDC. De olho. no Futuro. em foco. Edição VII Ano III Agosto de 2013 CDC em foco Edição VII Ano III Agosto de 2013 De olho no Futuro 1 editorial A segunda edição do boletim CDC em Foco deste ano traz novidades e relembra ações que contribuíram para a melhoria da qualidade

Leia mais

Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais

Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais Estatuto da Criança e do Adolescente: 18 anos, 18 Compromissos A criança e o adolescente no centro da gestão municipal O Estatuto

Leia mais

em ação Edição VI Ano III Março de 2013 Nas cores da infância

em ação Edição VI Ano III Março de 2013 Nas cores da infância em ação Edição VI Ano III Março de 2013 Nas cores da infância 1 editorial Por Beto Vieira, do Sarte Fique Ligado Assistência técnica aos agricultores Por Jesaias de França, Diretor Executivo Coobtec mata

Leia mais

Você precisa. saber. Edição V Ano III Abril de 2013. Colhendo frutos 1

Você precisa. saber. Edição V Ano III Abril de 2013. Colhendo frutos 1 Você precisa saber Edição V Ano III Abril de 2013 Colhendo frutos 1 editorial O município de Ijaci já começou o ano com boas ideias, novidades e continuidade para as ações que fizeram a diferença em 2012.

Leia mais

em ação Cuidando das nossas crianças Edição IX Ano III Maio de 2014

em ação Cuidando das nossas crianças Edição IX Ano III Maio de 2014 em ação Edição IX Ano III Maio de 2014 Cuidando das nossas crianças 1 editorial Por Beto Vieira, Coordenador de Educação em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde Semana do Bebê É muito simbólico retornar

Leia mais

ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: BALANÇO DE UMA DÉCADA

ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: BALANÇO DE UMA DÉCADA ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: BALANÇO DE UMA DÉCADA Área Temática: Direitos Humanos e Justiça Liza Holzmann (Coordenadora da Ação de Extensão) Liza Holzmann 1 Palavras Chave:

Leia mais

Edição IV - Ano II - Abril de 201 2

Edição IV - Ano II - Abril de 201 2 Edição IV - Ano II - Abril de 201 2 Olhar para o futuro Trabalho coletivo Parceria estimula a formação de rede de atendimento a crianças e adolescentes pág. 3 Escola Ideal Programa traça diagnóstico e

Leia mais

Mobiliza CDC. Edição II Ano II Junho de 2015. Magia. da infância

Mobiliza CDC. Edição II Ano II Junho de 2015. Magia. da infância Mobiliza CDC Edição II Ano II Junho de 2015 Magia da infância 1 editorial No ano passado, Bodoquena instituiu a Semana do Bebê como lei no município (p. 3), então, este ano, mais uma semana repleta de

Leia mais

Você precisa. saber. Edição IV Ano II Dezembro de 2012. No balanço. Outras cores. da educação. na cidade

Você precisa. saber. Edição IV Ano II Dezembro de 2012. No balanço. Outras cores. da educação. na cidade Você precisa saber Edição IV Ano II Dezembro de 2012 No balanço Outras cores da educação na cidade 1 editorial primeiras letras O CDC Ijaci finaliza o ano falando de um assunto muito importante no boletim

Leia mais

em ação Pela primeira infância Edição XI Ano IV Maio de 2015

em ação Pela primeira infância Edição XI Ano IV Maio de 2015 em ação Edição XI Ano IV Maio de 2015 Pela primeira infância 1 editorial Semana do Bebê Este ano, Cabo de Santo Agostinho realiza a sua 3ª Semana do Bebê (p.3) e o boletim CDC em ação está recheado de

Leia mais

interação Edição XI Ano III Novembro de 2014 A leveza da infância

interação Edição XI Ano III Novembro de 2014 A leveza da infância interação Edição XI Ano III Novembro de 2014 A leveza da infância 1 editorial Por Cidinha Lima, coordenadora do projeto Conquistar Espaços Vamos falar nesta edição do boletim Interação sobre geração de

Leia mais

em ação Tocando os direitos Edição X Ano III Novembro de 2014

em ação Tocando os direitos Edição X Ano III Novembro de 2014 em ação Edição X Ano III Novembro de 2014 Tocando os direitos 1 editorial Os cuidados com a gestante e o bebê desde o início da gravidez são essenciais para o desenvolvimento da criança. Por isso, nesta

Leia mais

CDC. Unidos. pela infância. em foco. Edição VIII Ano III Dezembro de 2013

CDC. Unidos. pela infância. em foco. Edição VIII Ano III Dezembro de 2013 CDC em foco Edição VIII Ano III Dezembro de 2013 Unidos pela infância 1 editorial O mês de novembro foi especial para Apiaí! Realizamos nossa primeira Semana do Bebê, com muitas atividades entre os dias

Leia mais

Você precisa. saber. Edição VI Ano III Julho de 2013. Experiências. coletivas

Você precisa. saber. Edição VI Ano III Julho de 2013. Experiências. coletivas Você precisa saber Edição VI Ano III Julho de 2013 Experiências coletivas 1 editorial Esta edição do boletim Você precisa saber traz muitas novidades, ideias e experiências interessantes para a garantia

Leia mais

e você Edição VI Ano III Abril de 2013 Costurando o futuro

e você Edição VI Ano III Abril de 2013 Costurando o futuro e você Edição VI Ano III Abril de 2013 Costurando o futuro 1 editorial O CDC Ipojuca começou bem o ano de 2013! Muitas ações estão planejadas para este ano que está apenas começando. O Boletim CDC e Você

Leia mais

e você Edição V Ano II Setembro de 2012 Construção

e você Edição V Ano II Setembro de 2012 Construção e você Edição V Ano II Setembro de 2012 Construção 1 editorial primeiras letras Avançamos para a 2 segunda etapa das O Jornalzinho do Castelo nossas ações no ano de 2012. Começamos bem o segundo semestre

Leia mais

É TEMPO DE CONSTRUIR A 9 a CONFERÊNCIA

É TEMPO DE CONSTRUIR A 9 a CONFERÊNCIA 09 BOLETIM INFORMATIVO DO PROGRAMA NOVAS ALIANÇAS n SETEMBRO DE 2011 vas ALIANÇAS Conferências dos Direitos da Criança e do Adolescente vão reunir representantes do SGD e da população em geral. Objetivo

Leia mais

interação brincar Tempo de Edição VII Ano III Maio de 2013

interação brincar Tempo de Edição VII Ano III Maio de 2013 interação Edição VII Ano III Maio de 2013 Tempo de brincar 1 editorial Por Eliana Fiorentino Ordonhes, cedecista de Jacareí O Estatuto da Criança e do Adolescente enfatiza a importância da educação, um

Leia mais

Taxa de incidência da dengue, Brasil e regiões, 1998-2001

Taxa de incidência da dengue, Brasil e regiões, 1998-2001 1 reintrodução da dengue no Brasil em 1986 pelo Estado do Rio de Janeiro um sério problema de Saúde Pública, com 8 epidemias associadas aos sorotipos 1, 2 e 3 taxas de incidência: novo aumento a partir

Leia mais

ELEIÇÕES MUNICIPAIS 2008 CAMPANHA * COMPROMISSO PELA CRIANÇA E PELO ADOLESCENTE

ELEIÇÕES MUNICIPAIS 2008 CAMPANHA * COMPROMISSO PELA CRIANÇA E PELO ADOLESCENTE ELEIÇÕES MUNICIPAIS 2008 CAMPANHA * COMPROMISSO PELA CRIANÇA E PELO ADOLESCENTE Carta Aberta aos candidatos e candidatas às Prefeituras e Câmaras Municipais: Estatuto da Criança e do Adolescente: 18 anos,

Leia mais

Projeto RI-VIDA Rede de Integração para a Vida Projeto de prevenção de DST s, HIV/AIDS e Hepatites

Projeto RI-VIDA Rede de Integração para a Vida Projeto de prevenção de DST s, HIV/AIDS e Hepatites Projeto RI-VIDA Rede de Integração para a Vida Projeto de prevenção de DST s, HIV/AIDS e Hepatites Apoio: Centro de Referência e Treinamento DST/AIDS Secretaria de Estado da Saúde VULNERABILIDADE DA POPULAÇÃO

Leia mais

CDC. Trabalho. criativo. em foco. Edição VI Ano III Maio de 2013

CDC. Trabalho. criativo. em foco. Edição VI Ano III Maio de 2013 CDC em foco Edição VI Ano III Maio de 2013 Trabalho criativo 1 primeiras letras Reprodução de desenho desenvolvido pela aluna Sarah, do 1º ano E, para o projeto Animais, da Escola Municipal Benedito Pontes

Leia mais

PREVENÇÃO DE VIOLÊNCIAS E PROMOÇÃO DA CULTURA DE PAZ

PREVENÇÃO DE VIOLÊNCIAS E PROMOÇÃO DA CULTURA DE PAZ MINISTÉRIO DA SAÚDE IMPACTO DA VIOLÊNCIA NA SAÚDE DAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES PREVENÇÃO DE VIOLÊNCIAS E PROMOÇÃO DA CULTURA DE PAZ VOCÊ É A PEÇA PRINCIPAL PARA ENFRENTAR ESTE PROBLEMA Brasília - DF 2008

Leia mais

OS ESPAÇOS Estes espaços devem ser:

OS ESPAÇOS Estes espaços devem ser: MEIOS DE DIVULGAÇÃO Crianças, adolescentes e jovens têm vários meios em que podem divulgar suas ações, por exemplo: confeccionar um jornal ou boletim, ou enviar suas matérias semanalmente para os órgãos

Leia mais

Local: Escola Nossa Senhora do Carmo

Local: Escola Nossa Senhora do Carmo Assunto: Reunião/Palestra sobre saúde para orientar e esclarecer as dúvidas da população sobre as ações preventivas na área da saúde pública em virtude da construção da UHE Belo Monte. Redator: Eliane

Leia mais

Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes

Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes Mostrando que a proteção de nossas crianças e adolescentes também está em fase de crescimento Subsecretaria de Promoção

Leia mais

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL ANEXO IV Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO 1-Promoção dos Direitos de Crianças e Adolescentes Buscar apoio das esferas de governo (Federal e Estadual)

Leia mais

Transmissão do HIV/aids e sífilis de mães para seus bebês

Transmissão do HIV/aids e sífilis de mães para seus bebês 09 dezembro de 2010 Transmissão do HIV/aids e sífilis de mães para seus bebês Mais da metade das novas infecções pelo HIV/aids que ocorrem no Brasil atinge adolescentes e jovens com idade entre 15 e 24

Leia mais

Edição XI Ano IV Novembro de 2015. Pela. infância

Edição XI Ano IV Novembro de 2015. Pela. infância Edição XI Ano IV Novembro de 2015 Pela infância 1 editorial Por Misael Elias, integrante do CDC O ano de 2015 vai chegando ao fim e demonstra o quanto foi produtivo para o CDC de Pedro Leopoldo. O investimento

Leia mais

Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes.

Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes. Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes. Crescendo junto com o Brasil. Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente Secretaria

Leia mais

Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Juruti 2012-2014

Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Juruti 2012-2014 Plano de Ação Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Juruti 2012-2014 APRESENTAÇÃO Nosso O Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente do município de Juruti apresenta, no

Leia mais

PLANO DE AÇÃO E DE APLICAÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE REDE CARDUME GUARUJÁ SÃO PAULO

PLANO DE AÇÃO E DE APLICAÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE REDE CARDUME GUARUJÁ SÃO PAULO PLANO DE AÇÃO E DE APLICAÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE REDE CARDUME GUARUJÁ SÃO PAULO ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 LINHAS DE AÇÃO... 4 AÇÕES ESPECÍFICAS... 5 CAMPANHAS... 6

Leia mais

AÇÕES DE POTENCIALIZAÇÃO DE JOVENS EM CUMPRIMENTO DE MEDIDA SOCIOEDUCATIVA ATENDIDOS NO CENTRO DE REFERÊNCIA ESPECIALIZADO DA ASISTÊNCIA SOCIAL

AÇÕES DE POTENCIALIZAÇÃO DE JOVENS EM CUMPRIMENTO DE MEDIDA SOCIOEDUCATIVA ATENDIDOS NO CENTRO DE REFERÊNCIA ESPECIALIZADO DA ASISTÊNCIA SOCIAL AÇÕES DE POTENCIALIZAÇÃO DE JOVENS EM CUMPRIMENTO DE MEDIDA SOCIOEDUCATIVA ATENDIDOS NO CENTRO DE REFERÊNCIA ESPECIALIZADO DA ASISTÊNCIA SOCIAL RESUMO AMORIM 1, Tâmara Ramalho de Sousa SIMÕES 2, Poliana

Leia mais

Seminário Rede de Cidades pela Defesa dos Direitos da Infância - 201 1. Cidades. em conexão

Seminário Rede de Cidades pela Defesa dos Direitos da Infância - 201 1. Cidades. em conexão Seminário Rede de Cidades pela Defesa dos Direitos da Infância - 201 1 Cidades em conexão EDITORIAL Todos juntos Nos dias 21 a 24 de setembro, na cidade de Guararema, São Paulo, foi realizado o 4º Seminário

Leia mais

CDC. Prearando o futuro. em movimento. Edição I Ano I Maio de 2015

CDC. Prearando o futuro. em movimento. Edição I Ano I Maio de 2015 CDC em movimento Edição I Ano I Maio de 2015 Prearando o futuro 1 editorial Você está recebendo a primeira edição do boletim CDC em Movimento. Este informativo é produzido pelo Comitê de Desenvolvimento

Leia mais

A vez e a voz das crianças

A vez e a voz das crianças 119 outubro de 2010-ESPECIAL CRIANÇA PARA LER NO AR A vez e a voz das crianças Às vésperas de 12 de outubro, Dia das Crianças, eu convido você, ouvinte, a refletir sobre os direitos das meninas e meninos

Leia mais

QUERIDO(A) ALUNO(A),

QUERIDO(A) ALUNO(A), LANÇADA EM 15 MAIO DE 2008, A CAMPANHA PROTEJA NOSSAS CRIANÇAS É UMA DAS MAIORES MOBILIZAÇÕES PERMANENTES JÁ REALIZADAS NO PAÍS, COM FOCO NO COMBATE À VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E À EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇAS

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES PAIR

PROGRAMA NACIONAL DE ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES PAIR Presidência da República Secretaria de Direitos Humanos Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente Departamento de Políticas Temáticas dos Direitos da Criança e do Adolescente

Leia mais

A ponte. Entre lutas. e conquistas. Pela proteção dos direitos de crianças e adolescentes. Edição I Ano I Julho de 2013

A ponte. Entre lutas. e conquistas. Pela proteção dos direitos de crianças e adolescentes. Edição I Ano I Julho de 2013 A ponte Pela proteção dos direitos de crianças e adolescentes Edição I Ano I Julho de 2013 Entre lutas e conquistas 1 editorial Olá, leitor! Você está recebendo a primeira edição do boletim A ponte pela

Leia mais

CDC. Cuidados. na infância. Interativo. Edição I Ano I Maio de 2015

CDC. Cuidados. na infância. Interativo. Edição I Ano I Maio de 2015 CDC Interativo Edição I Ano I Maio de 2015 Cuidados na infância 1 editorial Você está recebendo a primeira edição do boletim CDC Interativo. Este informativo é produzido pelo Comitê de Desenvolvimento

Leia mais

EIXO 2 PROTEÇÃO E DEFESA DOS DIREITOS: PROPOSTAS APROVADAS OBTIVERAM ENTRE 80 e 100% DOS VOTOS

EIXO 2 PROTEÇÃO E DEFESA DOS DIREITOS: PROPOSTAS APROVADAS OBTIVERAM ENTRE 80 e 100% DOS VOTOS EIXO 2 PROTEÇÃO E DEFESA DOS DIREITOS: PROPOSTAS APROVADAS OBTIVERAM ENTRE 80 e 100% DOS VOTOS Garantir a elaboração e implementação da Política e do Plano Decenal de Direitos Humanos de Criança e Adolescente

Leia mais

Carta de Princípios dos Adolescentes e Jovens da Amazônia Legal

Carta de Princípios dos Adolescentes e Jovens da Amazônia Legal Carta de Princípios dos Adolescentes e Jovens da Amazônia Legal A infância, adolescência e juventude são fases fundamentais no desenvolvimento humano e na formação futura dos cidadãos. No plano social,

Leia mais

Vamos Combater o Abuso e a Exploração Sexual Contra Crianças e Adolescentes

Vamos Combater o Abuso e a Exploração Sexual Contra Crianças e Adolescentes Vamos Combater o Abuso e a Exploração Sexual Contra Crianças e Adolescentes A violência sexual contra crianças e adolescentes acontece em todo o mundo, em diversas famílias e classes sociais. O QUE É A

Leia mais

Eixos do Plano de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes do Município de Palmas

Eixos do Plano de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes do Município de Palmas Eixos do Plano de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes do Município de Palmas Período de execução 2015/2019 EIXO PREVENÇÃO EIXO - PREVENÇÃO Objetivo: Assegurar ações preventivas

Leia mais

Cartilha de Prevenção Orientações para o combate à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes

Cartilha de Prevenção Orientações para o combate à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes Art. 5º Nenhuma criança ou adolescente será objeto de qualquer forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão, punido na forma da lei qualquer atentado, por ação ou omissão,

Leia mais

Esta cartilha destina-se ao público adulto, composto por profissionais da educação, saúde, assistência social, psicólogos, conselheiros tutelares e

Esta cartilha destina-se ao público adulto, composto por profissionais da educação, saúde, assistência social, psicólogos, conselheiros tutelares e Cartilha Denuncie o abuso e a exploraçao sexual contra crianças e adolescentes Esta cartilha destina-se ao público adulto, composto por profissionais da educação, saúde, assistência social, psicólogos,

Leia mais

Roda de Conversa 30/06/2015

Roda de Conversa 30/06/2015 Aconteceu em Uberaba, na Associação de Bairro São Benedito, no dia 30/06/2015 a décima nona edição da Roda de Conversa. O Evento teve a participação de aproximadamente 50 profissionais de diversos órgãos

Leia mais

Inscrições abertas para edital com foco em crianças e adolescentes

Inscrições abertas para edital com foco em crianças e adolescentes Financiamento e apoio técnico Inscrições abertas para edital com foco em crianças e adolescentes A Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR) e o Conselho Nacional dos Direitos

Leia mais

Como proceder à notificação e para onde encaminhá-la?

Como proceder à notificação e para onde encaminhá-la? Se a família não quiser ou não puder assumir a notificação, o educador deverá informar a família que, por força da lei, terá que notificar o fato aos órgãos competentes. Como proceder à notificação e para

Leia mais

70% 500.000. De acordo com a nova lei, são crianças e adolescentes. 1. de estupro

70% 500.000. De acordo com a nova lei, são crianças e adolescentes. 1. de estupro O QUE É VIOLÊNCIA SEXUAL Todos os anos, estima-se que 500.000 70% Mulheres das vítimas sejam vítimas de estupro no Brasil, e que outros tantos milhões sofram com abusos e violências sexuais. de estupro

Leia mais

CARTA DA BAHIA. Tema: ENFRENTAMENTO AO ABUSO E A EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES

CARTA DA BAHIA. Tema: ENFRENTAMENTO AO ABUSO E A EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES CARTA DA BAHIA O Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente- CONANDA, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela Lei Federal no 8.242, de 12 de outubro de 1991, e pelo seu Regimento

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE ATENDIMENTO SÓCIOEDUCATIVO DO MUNICÍPIO DE ESPÍRITO SANTO/RN

PLANO MUNICIPAL DE ATENDIMENTO SÓCIOEDUCATIVO DO MUNICÍPIO DE ESPÍRITO SANTO/RN PLANO MUNICIPAL DE ATENDIMENTO SÓCIOEDUCATIVO DO MUNICÍPIO DE ESPÍRITO SANTO/RN ESPÍRITO SANTO/RN, OUTUBRO DE 2014. FRANCISCO ARAÚJO DE SOUZA PREFEITO MUNICIPAL DE ESPÍRITO SANTO/RN ELIZANGELA FREIRE DE

Leia mais

Políticas Setoriais Secretarias Municipais: Saúde, Assistência Social, Educação, Direitos Humanos(quando houver). Participações Desejáveis

Políticas Setoriais Secretarias Municipais: Saúde, Assistência Social, Educação, Direitos Humanos(quando houver). Participações Desejáveis PARÂMETROS PARA A CONSTITUIÇÃO DAS COMISSÕES INTERSETORIAIS DE ACOMPANHAMENTO DO PLANO NACIONAL DE PROMOÇÃO, PROTEÇÃO E DEFESA DO DIREITO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES À CONVIVÊNCIA FAMILIAR E COMUNITÁRIA

Leia mais

CDC. Cuidados. na infância. em foco. Edição XI Ano IV Maio de 2015

CDC. Cuidados. na infância. em foco. Edição XI Ano IV Maio de 2015 CDC em foco Edição XI Ano IV Maio de 2015 Cuidados na infância 1 editorial Mais uma Semana do Bebê está chegando em Apiaí e Itaoca. E é claro que não podíamos deixar esse encontro passar batido! Na 11º

Leia mais

Contrata Consultor na modalidade. Contrata Consultor na modalidade

Contrata Consultor na modalidade. Contrata Consultor na modalidade Contrata Consultor na modalidade PROJETO 914/BRZ/1138 EDITAL Nº 19/2014 Publicação de perfil(is) para contratação de profissional(is) na(s) área(s), cuja(s) vaga(s) está(ão) disponível (is) na página da

Leia mais

REGIÃO SUL. Grupo 1 EXPLORAÇÃO SEXUAL Políticas Envolvidas. Assistência Social. Saúde. Segurança pública. Sistema de justiça. Turismo.

REGIÃO SUL. Grupo 1 EXPLORAÇÃO SEXUAL Políticas Envolvidas. Assistência Social. Saúde. Segurança pública. Sistema de justiça. Turismo. REGIÃO SUL Eixos de Atuação 1. Informação e Mobilização Planejamento das Ações Intersetoriais 1.1 Realizar campanhas articuladas entre as políticas para prevenção do turismo sexual (agentes de saúde, professores

Leia mais

SERVIÇOS DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS SCFV

SERVIÇOS DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS SCFV SERVIÇOS DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS SCFV SOCIOASSISTENCIAL X SOCIOEDUCATIVO SOCIOASSISTENCIAL apoio efetivo prestado a família, através da inclusão em programas de transferência de renda

Leia mais

PROPOSTAS PARA A REDUÇÃO DA VIOLÊNCIA

PROPOSTAS PARA A REDUÇÃO DA VIOLÊNCIA PROPOSTAS PARA A REDUÇÃO DA VIOLÊNCIA 1. Criar o Fórum Metropolitano de Segurança Pública Reunir periodicamente os prefeitos dos 39 municípios da Região Metropolitana de São Paulo para discutir, propor,

Leia mais

Articular o Conselho Escolar, os Grêmios Estudantis, os trabalhadores de educação, as Associações de Pais e Mestres e a comunidade em geral.

Articular o Conselho Escolar, os Grêmios Estudantis, os trabalhadores de educação, as Associações de Pais e Mestres e a comunidade em geral. EIXO 1 PROMOÇÃO DOS DIREITOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES Garantir a elaboração e implementação da Política e do Plano Decenal de Direitos Humanos de Criança e Adolescente nos âmbitos federal, estadual,

Leia mais

Prevenção ao abuso sexual infantil Pedofilia

Prevenção ao abuso sexual infantil Pedofilia Segurança contra a pedofilia Orientações aos pais 1 2 Prevenção ao abuso sexual infantil Pedofilia 3 4 1 Nunca Atitudes preventivas deixe seu filho dormir fora de casa ainda que seja em casa de parentes

Leia mais

PROGRAMA DE MEDIDAS SOCIOEDUCATIVAS EM MEIO ABERTO

PROGRAMA DE MEDIDAS SOCIOEDUCATIVAS EM MEIO ABERTO PROGRAMA DE MEDIDAS SOCIOEDUCATIVAS EM MEIO ABERTO CONTEXTUALIZAÇÃO DOUTRINA DA SITUAÇÃO IRREGULAR DOUTRINA DA PROTEÇÃO INTEGRAL. Código de menores;. Menores em situação irregular;. Carentes, abandonados,

Leia mais

ORIENTAÇÕES DE COMUNICAÇÃO SOBRE VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES

ORIENTAÇÕES DE COMUNICAÇÃO SOBRE VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES A proteção e a promoção dos direitos da infância e adolescência também devem ser contempladas na forma como falamos e comunicamos este assunto. Alguns cuidados com a comunicação são fundamentais para proteger

Leia mais

FORTALECENDO E ARTICULANDO A REDE DE ATENÇÃO A CRIANÇA E O ADOLESCENTE

FORTALECENDO E ARTICULANDO A REDE DE ATENÇÃO A CRIANÇA E O ADOLESCENTE FORTALECENDO E ARTICULANDO A REDE DE ATENÇÃO A CRIANÇA E O ADOLESCENTE Fazer laços é ligar, entrelaçar o que está separado. Literal e metaforicamente falando. A inclusão do trabalho sobre o tema da sexualidade

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO BAIRRO PEDREGAL PROJETO OFICINA ESCOLA

ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO BAIRRO PEDREGAL PROJETO OFICINA ESCOLA Relatório das Ações Desenvolvidas pelo Projeto Oficina Escola 1. Apresentação Companheiros (as) da Associação Tremembé estamos concluindo mais um ano missão e com isso somos convidados (as) a socializar

Leia mais

Ilha. Cidadã. Tocando. os direitos. Edição II Ano I Novembro de 2015

Ilha. Cidadã. Tocando. os direitos. Edição II Ano I Novembro de 2015 Ilha Cidadã Edição II Ano I Novembro de 2015 Tocando os direitos 1 editorial Olá, leitor! A segunda edição do boletim Ilha Cidadã traz muitas novidades sobre a Ilha do Bispo. São muitos os projetos desenvolvidos

Leia mais

Incluir no pagamento por performance o preenchimento da variável raça/cor.

Incluir no pagamento por performance o preenchimento da variável raça/cor. PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE E DEFESA CIVIL SUBSECRETARIA DE PROMOÇÃO, ATENÇÃO PRIMÁRIA E VIGILÂNCIA EM SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE PROMOÇÃO DA SAÚDE COORDENAÇÃO DE

Leia mais

C M D C A CONSELHO MUNICIPAL DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

C M D C A CONSELHO MUNICIPAL DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE C M D C A CONSELHO MUNICIPAL DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE RUA CONSELHEIRO ZACARIAS N 58 CENTRO TELEFONE 075 3641-8630 PROJETO ESCOLINHA DE FUTEBOL E KARATÈ ESPORTE CIDADÃO JUVENIL IDENTIFICAÇÃO: DENOMINAÇÃO

Leia mais

Carta Política. Campanha Cidades Seguras para as Mulheres

Carta Política. Campanha Cidades Seguras para as Mulheres Carta Política Campanha Cidades Seguras para as Mulheres Brasil - 2014 Nós, mulheres de diversas localidades e comunidades de Pernambuco, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro e São Paulo, que há muito

Leia mais

ABUSO E EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES. Marcas para a vida toda

ABUSO E EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES. Marcas para a vida toda ABUSO E EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES Marcas para a vida toda Ministério Público Federal Procuradoria da República em Mato Grosso do Sul Assessoria de Comunicação Social Texto: Danilce Vanessa

Leia mais

Veja o resultado da sua contribuição

Veja o resultado da sua contribuição Resultados 2014 Veja o resultado da sua contribuição Beneficiados 25 municípios 44 instituições 6.705 crianças e adolescentes Mobilização Valor total arrecadado: R$ 1.421.122,00 Fundos Municipais dos Direitos

Leia mais

Edital para Seleção de Estudantes. Edital nº 01/2013

Edital para Seleção de Estudantes. Edital nº 01/2013 Edital nº 01/2013 A Coordenação do Programa Rede de Atenção às Mulheres em Situação de Violência: Construindo e Fortalecendo, no uso de suas atribuições, faz saber que estarão abertas as inscrições para

Leia mais

O Desafio da Implementação das Políticas Transversais

O Desafio da Implementação das Políticas Transversais O Desafio da Implementação das Políticas Transversais Professora: Juliana Petrocelli Período: Novembro de 2013 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS SECRETARIA NACIONAL DE PROMOÇÃO DOS

Leia mais

Secretaria de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres 1º Fórum de Violência contra a Mulher: Múltiplos olhares

Secretaria de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres 1º Fórum de Violência contra a Mulher: Múltiplos olhares Secretaria de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres 1º Fórum de Violência contra a Mulher: Múltiplos olhares Campinas, Abril de 2014 Violência contra as Mulheres: dados Internacional: 1 de cada

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome PETI. Programa de Erradicação do Trabalho Infantil

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome PETI. Programa de Erradicação do Trabalho Infantil Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome PETI Programa de Erradicação do Trabalho Infantil Brasil livre do trabalho infantil, todos juntos nesse desafio! O Governo Federal e a sociedade brasileira

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Institucional O Serviço Social do Transporte (SEST) e o Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (SENAT) são entidades civis sem fins lucrativos criadas em 14 de setembro de 1993, pela

Leia mais

coleção Conversas #6 Respostas que podem estar passando para algumas perguntas pela sua cabeça.

coleção Conversas #6 Respostas que podem estar passando para algumas perguntas pela sua cabeça. coleção Conversas #6 Eu Posso com a s fazer próprias justiça mãos? Respostas para algumas perguntas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção CONVERSAS da Editora AfroReggae nasceu com o desejo

Leia mais

Relatório CVBSP. de Atividades. Jan Fev/2015

Relatório CVBSP. de Atividades. Jan Fev/2015 Jan Fev/2015 CVBSP Relatório de Atividades Índice. Resultados Gerais 03. Socorro e Desastre 04. Primeiros Socorros 05. Promoção à Saúde 06. Programas Comunitários 07. Juventude 09. Voluntariado 09. Expediente

Leia mais

8ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE MINAS GERAIS

8ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE MINAS GERAIS 8ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE MINAS GERAIS DOCUMENTO FINAL EIXO 1 PROMOÇÃO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Ações de mobilização: 1. Ampla mobilização, por

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO

CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO Despacho 2007 Nº PROJETO DE LEI Nº 1099/2007 Considera de utilidade pública o Grupo de Formadores de Educadores Populares GEFEP. Autor: Vereador Eliomar Coelho. DECRETA: A Câmara Municipal do Rio de Janeiro

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA SIMPLIFICADA FACULDADE DE PSICOLOGIA/UFAM Nº 03/2013 SELEÇÃO DE PROFISSIONAIS PARA ATUAÇÃO POR CURTO PRAZO

CHAMADA PÚBLICA SIMPLIFICADA FACULDADE DE PSICOLOGIA/UFAM Nº 03/2013 SELEÇÃO DE PROFISSIONAIS PARA ATUAÇÃO POR CURTO PRAZO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS FACULDADE DE PSICOLOGIA Núcleo de Formação Continuada de Conselheiros dos Direitos e Conselheiros Tutelares do Estado do Amazonas Escola de Conselhos do Amazonas CHAMADA

Leia mais

Agora é guerra! Todos contra a dengue.

Agora é guerra! Todos contra a dengue. Agora é guerra! Todos contra a dengue. Sinal de alerta A dengue mata. Neste ano, em Minas Gerais, a doença já matou quase quatro vezes mais que no ano passado. 768 Municípios 20 Municípios Críticos 65

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE ENFRENTAMENTO A VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA A CRIANÇA E O ADOLESCENTE

PLANO MUNICIPAL DE ENFRENTAMENTO A VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA A CRIANÇA E O ADOLESCENTE PLANO MUNICIPAL DE ENFRENTAMENTO A VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA A CRIANÇA E O ADOLESCENTE APRESENTAÇÃO: A violência sexual contra a criança e o adolescente tem sido um problema de difícil enfrentamento por

Leia mais

TECNOLOGIA PARA UM MUNDO MELHOR

TECNOLOGIA PARA UM MUNDO MELHOR TECNOLOGIA PARA UM MUNDO MELHOR Garantir que todas as pessoas tenham oportunidade de utilizar equipamentos e redes de comunicação digital é uma das principais formas de contribuir para o desenvolvimento

Leia mais

Cartilha de conceitos e passo a passo para inscrição

Cartilha de conceitos e passo a passo para inscrição Cartilha de conceitos e passo a passo para inscrição Projeto PNE Sports Foto: André Valentim / Banco de Imagens Petrobras ÍNDICE APRESENTAÇÃO 06 INSCRIÇÃO 12 Passo a passo para Inscrição 13 TECNOLOGIA

Leia mais

ABUSO ON LINE E PORNOGRAFIA INFANTIL PELA INTERNET

ABUSO ON LINE E PORNOGRAFIA INFANTIL PELA INTERNET ABUSO ON LINE E PORNOGRAFIA INFANTIL PELA INTERNET A internet está cada vez mais presente na vida de crianças e adolescentes Atualmente, milhões de usuários estão conectados à internet em todo o mundo,

Leia mais

Pais, avós, parentes, adultos, professores, enfim, educadores de forma geral.

Pais, avós, parentes, adultos, professores, enfim, educadores de forma geral. Entre os dias 30 de agosto e 6 de setembro de 2014, a PUC Minas no São Gabriel realiza a VI Semana de Ciência, Arte e Política, com a temática Cidades Aqui tem gente? Dentro da programação, a SCAP Lá e

Leia mais

ASSOCIAÇÃO SANTISTA DE PESQUISA PREVENÇÃO E EDUCAÇÃO. Relatório de Atividades 2010

ASSOCIAÇÃO SANTISTA DE PESQUISA PREVENÇÃO E EDUCAÇÃO. Relatório de Atividades 2010 ASSOCIAÇÃO SANTISTA DE PESQUISA PREVENÇÃO E EDUCAÇÃO Relatório de Atividades 2010 2 MISSÃO Busca da melhoria da qualidade de vida tendo por bases o investimento na saúde, educação, na garantia da cidadania,

Leia mais

Projeto Cardume CMDCA

Projeto Cardume CMDCA Projeto Cardume CMDCA Objetivo: Estabelecer rede de proteção integral a criança e ao adolescente,, bem como suas famílias, reunindo ações governamentais e atividades das organizações da sociedade civil,

Leia mais

Sua empresa é CIDADÃ?

Sua empresa é CIDADÃ? Sua empresa é CIDADÃ? A Câmara de Comércio e Indústria do Estado do Rio de Janeiro (CAERJ) em uma iniciativa inédita está compilando informações corporativas de todos os segmentos: indústria, comércio

Leia mais

Escolas comunicadoras

Escolas comunicadoras Comunicação e Cultura Local de atuação: Ceará, Pernambuco, Pará e Bahia Data de fundação: 1996 Escolas comunicadoras No Ceará, quase quinhentas mil crianças da rede pública estudam em escolas que unem

Leia mais

Relatório Consolidado Indicadores Quantitativos. Programa de Fortalecimento Institucional, Participação e Controle Social Barro Alto - GO

Relatório Consolidado Indicadores Quantitativos. Programa de Fortalecimento Institucional, Participação e Controle Social Barro Alto - GO Relatório Consolidado Indicadores Quantitativos Programa de Fortalecimento Institucional, Participação e Controle Social Barro Alto - GO Relatório Consolidado Programa de Fortalecimento e Barro Alto -

Leia mais

Breve Cronologia das Ações

Breve Cronologia das Ações A ECPAT nasce como campanha de mobilização contra o turismo sexual nos países asiáticos e, a partir de 1995, torna-se referência mundial no combate à exploração sexual comercial, à pornografia e ao tráfico

Leia mais