UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DE ARTES E COMUNICAÇÃO SOCIAL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMUNICAÇÃO LUIZ ADOLFO DE ANDRADE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DE ARTES E COMUNICAÇÃO SOCIAL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMUNICAÇÃO LUIZ ADOLFO DE ANDRADE"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DE ARTES E COMUNICAÇÃO SOCIAL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMUNICAÇÃO LUIZ ADOLFO DE ANDRADE A GALÁXIA DE LUCAS Sociabilidade e narrativa nos jogos eletrônicos Niterói 2007

2 LUIZ ADOLFO DE PAIVA ANDRADE A GALÁXIA DE LUCAS Sociabilidade e narrativa nos jogos eletrônicos Dissertação apresentada ao Programa de PósGraduação em Comunicação da Universidade Federal Fluminense como requisito parcial para a obtenção do Grau de Mestre em Comunicação. Linha de Pesquisa: Tecnologias da Comunicação e da Informação. Aprovada em maio de BANCA EXAMINADORA Profª. Drª. Simone Pereira de Sá Orientadora Universidade Federal Fluminense Prof. Dr. Afonso de Albuquerque Universidade Federal Fluminense Prof. Dr. André Lemos Universidade Federal da Bahia Prof. Dr. Vinícius Andrade Pereira Universidade do Estado do Rio de Janeiro Niterói

3 A553 Andrade, Luiz Adolfo de Paiva. A Galáxia de Lucas: sociabilidade e narrativa nos jogos eletrônicos / Luiz Adolfo de Paiva Andrade f. Orientador: Simone Pereira de Sá. Dissertação (Mestrado em Comunicação) Universidade Federal Fluminense, Curso de Pós-Graduação em Comunicação, Bibliografia: f Jogos eletrônicos Aspectos sociais. I. Sá, Simone Pereira de. II. Universidade Federal Fluminense. Instituto de Artes e Comunicação Social. III. Título. 3

4 AGRADECIMENTOS Agradeço especialmente aos meus pais e à minha irmã, pelo apoio constante em toda a minha vida no Rio de Janeiro. Em especial também à professora Simone Pereira de Sá, minha orientadora e amiga - presença fundamental em meu trabalho no mestrado. Sou eternamente grato pela confiança, atenção, paciência e carinho demonstrados ao longo destes dois anos na UFF. À professora Marialva Barbosa, pelo crédito que sempre depositou em mim. Ao professor Afonso de Albuquerque, pelos profícuos conselhos durante minha pesquisa. Ao jornalista Fernando Hyppólito, um grande amigo. Sua fabulosa ajuda foi essencial durante todo meu trabalho de investigação. Sem a sua interferência, jamais teria chegado à KAC e avançado nas fases de Star Wars Galaxies. À amiga Simone do Vale (UFRJ), pelo auxílio na interlocução com a equipe da LucasArts. Aos jogadores Aatoh, CryoAgun, Flid/Rodba, Halcor, Hildão, Hipólito, Maul, MoonBoy, Odranoel, Pitty, Rodrius, Zandur, Zocra, (todos da KAC) e Konnel (Phalanx) peças fundamentais no jogo, que me receberam e ajudaram com maestria desde o início à conclusão da pesquisa. Aos professores Ana Enne, Dênis de Morais, João Luiz Vieira e Paula Sibília (UFF); André Lemos (UFBa); Maria Teresa Freitas (UFJF); Erick Felinto e Vinicius Andrade (UERJ); Tadeu Capistrano (UGF/UERJ). Mr. Raph Koster, ex-designer da Lucas Arts. Aos colegas da minha turma de mestrado, demais pesquisadores do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal Fluminense e todas as amizades que construí nos outros três PPGs do Rio de Janeiro UERJ, PUC e UFRJ. Ao pessoal da secretaria do PPGCOM/UFF Silvia, Eduardo e Élson. Aos meus amigos que fazem parte do Conselho do CONECO, organização da qual tenho orgulho de ser integrante e fundador. Aos companheiros do LabCULT, do Game Pad e da Rede Brasileira de Jogos Eletrônicos e Educação. E todas as pessoas que contribuíram para o bom andamento desta pesquisa. 4

5 Resumo Este trabalho pretende contribuir para a reflexão acerca das novas possibilidades comunicativas e narrativas do meio digital, tendo como foco central os jogos eletrônicos para múltiplos usuários - MMORPG. O eixo deste trabalho gira em torno de duas questões que se interligam de forma bastante estreita, ainda pouco exploradas em pesquisas acadêmicas no campo da Comunicação. A primeira é a reflexão em torno da experiência de jogar SWG e da contribuição específica do computador como ambiente comunicativo. Ao mesmo tempo, torna-se imprescindível inserir o jogo eletrônico no contexto mais amplo do período informacional ou pós-industrial da sociedade contemporânea. A segunda questão que será focalizada é a modalidade de sociabilidade encenada pelos jogadores. Aqui, o trabalho retoma a discussão sobre comunidades virtuais, percebendo que as características fundamentais destes agrupamentos atualizam-se nesta experiência a partir da expressão guilda, que traduz a forma de pertencimento do jogador a um grupo dentro do jogo. Para desenvolverdiscussão, é proposto um estudo do caso de Star Wars Galaxies, MMORPG desenvolvido pela LucasArts desde de A proposta deste jogo consiste na recriação de um universo virtual que busca simular a atmosfera dos filmes de Guerra nas Estrelas. Esta ação pode tornar realizável o desejo dos inúmeros fãs da marca Star Wars: poder viver, mesmo que virtualmente, na galáxia concebida por George Lucas Abstract This work intends to contribute for the reflection concerning the new communicational possibilities and narratives of the digital way, having as central focus the electronic games for multiple users MMORPG. The axle of this work turns around two questions that establishes connection of sufficiently narrow form, still little explored in academic research in the field of the Communication. The first one is the reflection around the experience to play SWG and of the specific contribution of the computer as Comunicative enviroment. At the same time, becomes essential to insert the electronic game in the amplest context of the informacional or postindustrial period of the contemporary society. The second question that will be focused is the modality of sociability staged for the players. Here, the work retakes the quarrel on virtual communities, perceiving that the basic characteristics of these groupings modernize in this experience from the expression guilda, that it is inside translates the form of belonging of the player to a group of the game. To develop quarrel, a study of the case of Star War Galaxies, MMORPG developed for the LucasArts since 2003 is considered. The proposal of this game consists of the recriation of a virtual universe that searchs to simulate the atmosphere of the Star War movies. This action can become realizable the desire of the innumerable fans of the Star Wars s brand: to be able to live, exactly that virtually, in the galaxy conceived by George Lucas. 5

6 Sumário Introdução...07 Apresentando o objeto...12 Apresentando a metodologia...21 Parte I 1. Aspectos sobre o potencial expressivo do computador A corporalidade do RPG inscrita no design do game digital Simulações no Jogo da Vida A Cultura do Acesso: jogos informacionais e mineração de dados...78 Parte II 5. Games e comunidades virtuais Guildas: compreendendo a sociabialidade nos MMOs Considerações Finais Referências bibliográficas Anexo

7 Introdução Qual importância dos jogos eletrônicos para cultura contemporânea? Um dos expoentes em pesquisas relacionadas à cibercultura, Steven Johnson, destacou recentemente a função dos games no aprendizado de jovens e adolescentes na atualidade1. Refutando argumentos de que o cérebro humano só acompanha o que é mais fácil de compreender, o pesquisador afirma que nossa cultura exige capacidades cognitivas cada vez mais complexas; e que o videogame é ao mesmo tempo um exemplo e uma ferramenta para o desenvolvimento desta complexidade. Ao contrário de caminharem rumo à simplicidade, o que se vê nos games é exatamente o contrário. Em alguns exemplos, o jogador deve brincar de recriar a história econômica e tecnológica do homem, através de simulações feitas em ambientes digitais bem resolvidos. E estas habilidades aprendidas nos games parecem passar do jogo à vida. Se pensarmos ainda que, muito em breve, esta geração que cresceu jogando videogame passará a ocupar seu lugar na vida política e cultural do mundo real, fica clara a importância dos estudos acerca deste objeto, sob perspectivas diversas, para a compreensão da cultura na contemporaneidade. O MMORPG Multiuser Massive Online Role Playing Games é um formato recente de jogo eletrônico, que serve para ilustrar o argumento de Steven Johnson. Estes games, inspirados no modelo introduzido pelos RPGs (Role Playing Games), disponibilizam complexos mundos virtuais em que múltiplos usuários interagem através da internet. Tratamse de ambientes digitais bem resolvidos, nos quais os interatores são desafiados a praticar 1 Extraído da reportagem exibida pelo programa Fantástico, da Rede Globo de Televisão, na série Vidas Digitais. Texto reproduzido em 7

8 inúmeras atividades e simular experiências diversas. Além disto, na sua interface, encontramse disponíveis várias ferramentas para comunicação entre os usuários conectados durante o jogo e que, consequentemente, apontarão para implicações de sociabilidade que acompanham o desafio. Frente a este universo o presente trabalho busca contribuir para a reflexão acerca das novas possibilidades comunicativas e narrativas do meio digital, tendo como foco central os MMORPGs. A análise que busco construir parte da experiência no MMORPG Star Wars Galaxies, desenvolvido pela LucasArts desde Numa rápida síntese, que será desdobrada a seguir, cabe apontar que a proposta deste game se traduz na recriação de um universo virtual que busca simular a atmosfera dos filmes de Guerra nas Estrelas, tornando assim realizável o desejo dos inúmeros fãs da marca Star Wars: poder viver, mesmo que virtualmente, na galáxia concebida por George Lucas. A partir desta proposta, como já disse, este game suscita inúmeras questões sobre o computador como forma expressiva e sobre a sociabilidade dos games on-line, que foram, até a conclusão deste estudo, escassamente abordadas pelas pesquisas de cibercultura, e que aqui recebem uma primeira exploração. Tratando-se de um estudo do campo comunicacional, que busca articular problemas do universo da cibercultura, o eixo deste trabalho gira em torno de duas questões que se interligam de forma bastante estreita. A primeira é a reflexão em torno da experiência de jogar SWG e da contribuição específica do computador como ambiente comunicativo. Pois, como já pontuei, tratando-se de 2 Atualmente, de cerca 300 mil pessoas jogam Star Wars Galaxies em todo o mundo. No ano de2005, o jogo ganhou sua segunda expansão, ampliando sua capacidade de simulação e celebrando o ano que marcou o lançamento de A Vingança dos Sith, episódio mais aguardado da série Guerra nas Estrelas 8

9 uma modalidade de MMORPGs, o jogo em questão é devedor de certa expressividade do formato anterior de RPG. Frente a este contexto, cabe compreender o que significa jogar SWG? Como se dá a passagem do RPG para a sua versão digital? Qual é o desafio específico e como a face expressiva do computador contribui para esta experiência? Deste processo, desdobram-se questões sobre o poder de simulação do novo meio e suas ferramentas de comunicação; assim como a necessidade de compreensão dos argumentos de duas vertentes de estudiosos de games os narratologistas e os ludologistas que discutem a especificidade desta forma narrativa. Ao mesmo tempo, como pano de fundo para esta primeira reflexão, torna-se imprescindível inserir o jogo eletrônico no contexto mais amplo do período informacional ou pós-industrial da sociedade contemporânea, em que ocorre uma desmaterialização dos bens, revelando novas formas de produção, circulação e consumo, pois é dentro deste contexto que é possível compreender a experiência de acesso proposta por este jogo - assim como a sua aproximação com a metáfora de jogo da vida discutida por Hermano Vianna em artigo recente, que menciono no capítulo 3. A segunda questão que será focalizada é a modalidade de sociabilidade encenada pelos jogadores. Aqui, o trabalho retoma a discussão sobre comunidades virtuais, percebendo que as características fundamentais destes agrupamentos tais como descritos por Rheingold e Lévy, dentre outros - atualizam-se nesta experiência a partir da expressão guilda, que traduz a forma de pertencimento do jogador a um grupo dentro da complexidade do universo Star Wars. 9

10 Dito de outra maneira, o que pode ser observado é que a experiência de jogar SWG só é possível a partir da criação de comunidades virtuais. Os desafios complexos do jogo só permitem avanços através da construção de uma coletividade ingame que reflete a lógica das comunidades virtuais. Desta maneira, os jogos eletrônicos são também relevantes como ambientes privilegiados para a sociabilidade contemporânea, reforçando aspectos da cibercultura tais como a criação de laços sociais, a reciprocidade e a colaboração. O trabalho foi dividido em duas partes. A primeira reúne quatro capítulos, nos quais pretendo discutir o potencial expressivo do meio digital e descrever o formato do MMORPG. No primeiro capítulo, apresento autores que se interessam pela investigação do potencial expressivo do computador, tais como Aarseth (1997) e Murray (2003), visando um diálogo acerca das possibilidades narrativas do novo meio. O segundo é destinado ao estudo do MMORPG diante da lógica comunicativa introduzida pelo seu antecessor, o RPG, buscando compreender o jogo entre proximidades e diferenças entre os dois meios expressivos. Para isso, busco entender os recursos que o computador oferece para emular a sua comunicação aparentemente textual à oralidade do RPG. No terceiro capítulo, proponho uma reflexão em torno da noção de simulação, a fim de compreender a capacidade do computador em simular, no ambiente do MMO, as dimensões do mundo real e as atividades práticas da vida humana. No quarto capítulo proponho o termo cultura do acesso, derivado da proposta do período informacional, no esforço de imprimir sentido à experiência disponível nos MMOs. Esta parte encerra-se com a discussão sobre o data mining - ou mineração de dados - nos bancos formados através de Star Wars Galaxies. 10

11 Após compreender a capacidade expressiva do computador e sua contribuição para os MMORPGs, a segunda parte ocupa-se da discussão sobre a sociabilidade criada nestes ambientes digitais. Inicio o quinto capítulo discutindo a noção de comunidade virtual, para articulá-la à descrição de dois momentos marcantes da minha experiência a inauguração do templo Jedi e a missão Corvette - que servem para ilustrar as atividades presentes neste ambiente. Em seguida, busco entender que tipo de envolvimento é colocado em jogo a partir desta coletividade. Finalizando, no sexto capítulo, aprofundo a discussão do capítulo anterior a partir dos sentidos presentes na noção de guilda que é a principal forma de vinculação e pertencimento dos jogadores dentro do ambientes do MMO. Passo agora a um detalhamento mais aprofundado do objeto e da metodologia utilizadas, que creio ser esclarecedores para as observações que se seguem. Apresentando o objeto Nasci cerca de um ano depois do lançamento do quarto capítulo cinematográfico de Star Wars (em maio de 1977), que só veio receber o subtítulo Uma Nova Esperança em 1981, 12 meses após o lançamento do segundo episódio: O Império contra-ataca (maio de 1980). O terceiro, O Retorno de Jedi, chegou aos cinemas em maio de 1983 e consolidou Star Wars como uma marca mundialmente famosa, seguida por uma legião de fãs. Como se sabe, os filmes foram lançados fora da ordem cronológica proposta na história primeiro foram feitos os capítulos IV, V e VI, seguidos pelos volumes I, II e III. Lucas identificava, nos três primeiros episódios lançados, elementos que poderiam cativar o público de modo eficiente. Os eventos encenados nestes filmes são calcados em dicotomias que acompanham a humanidade há milênios como o conflito entre o bem e o mal - e passagens mitológicas, como a luta entre pai e filho, amor entre irmãos, etc. Além disso, os protagonistas - Darth 11

12 Vader, Luke, Han Solo - são inspirados em modelos arquétipos, comuns tanto na mitologia quanto na ficção científica. Com estes apelos, Star Wars foi se transformando em uma das mais bem sucedidas franquias da história da indústria de entretenimento, que envolve desde gibis até os games mais complexos. É interessante assinalar que, mesmo com 16 anos separando os lançamentos dos episódios III e IV, o número de fãs de Guerra nas Estrelas não parou de aumentar. E os produtos franqueados revistas, desenhos, games e até mesmo outros filmes - serviram para alimentar o imaginário do publico fiel a Star Wars, contando histórias que se passavam neste universo ficcional concebido por George Lucas, no cinema3. Dentre estes produtos, minha preferência sempre foi pelo jogo eletrônico. Nos tempos de criança e adolescente joguei quase todos os tipos de videogame, nos mais diversos estilos de suportes. Entrando na minha fase adulta, os PCs passaram a integrar este time de plataformas para games, o que me fez perder um pouco o interesse em comprar os consoles, uma vez que podia jogar muitos dos jogos em meu próprio computador. Remontando à história dos games, é possível constatar sua crescente evolução desde 1971 quando a empresa Magnabox, representante norte-americana da marca Phillips, lançou o Odissey 100. Trata-se do primeiro console fabricado em série, que só nos Estados Unidos vendeu mais de cem mil exemplares. Entretanto, existia o problema do alto custo do aparelho, além de ser um artefato extremamente pesado. Para driblar tal obstáculo, o engenheiro Nolan Busnell projetou a máquina Computer Space, que servia como suporte para o jogo Space Wars. A sua intenção era criar um aparelho que não dependesse da conexão ao monitor de TV para isso, ele foi buscar na emergente tecnologia dos computadores soluções para criação e 3 Os Ewoks, por exemplo, famosos ursinhos que habitam a lua de Endor, já foram tema de desenho animado e participaram do filme Caravana da Coragem (EUA, 1984). 12

13 comercialização da sua invenção. Nesta atividade, Bushnell deu origem ao modelo conhecido por arcade4. O jogo obteve tanto sucesso que o engenheiro acabou contratado pela empresa Nutting Associates para supervisionar a montagem em série do Computer Space. O cientista aproveitou para aprimorar suas técnicas e fundar a empresa Atari, na qual desenvolveu a versão em série do jogo Pong5. O game foi um dos mais populares na história dos jogos eletrônicos e se tornou um marco na chamada indústria cultural, sendo um dos primeiros a ter um modelo para uso doméstico - o Home Pong, lançado em A versão brasileira chegou às lojas em 1977, lançada pela empresa Philco, e recebeu o nome de Tele jogo. O console oferecia ainda mais dois games, Paredão e Futebol, ainda com base na proposta introduzida pelo Pong. Retomando o cenário internacional, ainda em 1977 e sob a tutela de Bushnell, foi lançado nos Estados Unidos o console Atari Dotado de um inédito dispositivo de memória de 128 bytes, além de placa de vídeo e processador de 1.19 MHz, revolucionou o mercado de games por causa de seus cartuchos de tamanho menor, com gráficos mais trabalhados e temáticas variadas. O conteúdo dos jogos se aproximava do enredo de filmes e seriados de ficção científica6 como Buck Rogers, Star Trek7 e Star Wars. Desde 1983, o número games fundamentados na proposta da série Guerra nas Estrelas aumenta consideravelmente. O primeiro deles - The Empire Strikes Back, 1982, lançado para o console Atari 2600 recria a Batalha de Hoth, do filme o Império Contra-Ataca, em que o 4 Arcade é a plataforma de jogo eletrônico destinado ao uso comercial, especificamente nos chamados fliperamas. 5 Game considerado clássico na chamada indústria cultural. Consiste basicamente em duas varetas que devem rebater um bola, simulando as dinâmicas percebidas em práticas esportivas como tênnis, futebol, etc. 6 Ver o jogos Moon Patrol, Space Invaders, Zaxxon e defender. 7 Para outras informações sobre o histórico dos jogos eletrônicos, Cf. Barros, 2002, p

14 jogador deve destruir os tanques AT-ATs. Em 1983, novamente para o Atari, foram lançados Star Wars e Death Star Battle - que recriam a seqüência de destruição das Estrelas da Morte I e II, respectivamente. Ainda em 83, ano em que foi lançado o filme O Retorno de Jedi, a Atari concebeu o game Jedi Arena, em que os jogadores usavam sabres de luz para rebater raios uns nos outros nitidamente inspirado no modelo canônico do Pong. Entretanto, com o fim da série no cinema e a crise que atingiu a empresa no final dos anos 80, os jogos eletrônicos na temática de Star Wars foram sumindo das prateleiras. Neste período, George Lucas decide fundar a Games Group extensão de sua empresa Lucas Films com o objetivo de aprimorar seus jogos eletrônicos. Em Return of the Jedi (1989), ainda para o Atari, o jogador pode pilotar as famosas speeders bike pelas florestas de Endor até a Estrela da Morte. Existiu até mesmo um título, The Ewok Adventure, que foi engavetado sem ao menos chegar a ser lançado. (Fig.01. Interface de Jedi Arena) Os anos noventa foram marcados pela constante evolução dos videogames. Os avanços na microinformática permitiram a configuração de gráficos cada vez mais realistas, contribuindo para que o game caísse de vez no gosto popular. Esta popularização dos consoles acabou servindo para preencher a lacuna de dezesseis anos sem qualquer lançamento, no cinema, da série Guerra nas Estrelas. Os títulos inspirados na única trilogia de Star Wars, produzida até aquele momento, foram lançados nos sistemas Nintendo, Super Nintendo e 14

15 Game Boy8. A empresa Sega, por sua vez, produziu jogos para os consoles Master System, Mega Drive e Game Gear9. A volta da temática de Guerra nas Estrelas - exploradas nos game Star Wars (1991), The Empire Strikes Back e Return of the Jedi (1992) configurou uma tentativa de simular passagens narradas nesta primeira trilogia. (Fig.02.cena da batalha de Hoth em Star Wars) Já o ano de 1993 marcaria a entrada de Star Wars em uma plataforma ainda pouco explorada pelos games: os PCs. X-Wing e Rebel Assault, ambos deste período, marcaram época. Especialmente, o segundo que integrava a trilha sonora do filme às fases do jogo. Em seguida, os kits multimídia com placa e caixa de som, unidade leitora de CD ROM caíram no gosto dos consumidores e consolidaram de vez o computador pessoal como plataforma para jogo eletrônico. Rebel Assault II (1995) acenou com outra inovação no universo dos jogos eletrônicos: seria o primeiro game a combinar cenas do filme com imagens de síntese, colocando em sinergia os departamentos das empresas de George Lucas. A partir daí, as produções de games e filmes caminhariam juntas. Em 1994, outros títulos interessantes foram lançados para PC, como Star Wars Chess, Dark Forces e Star Wars Arcades. 8 9 Sistemas de 8Mb, 16 Mb e portátil. Consoles de 8 MB, 16 MB e portátil, respectivamente 15

16 (Fig. 03. Star Wars Chess) Na segunda metade da década de noventa, George Lucas anunciou que daria continuidade à saga e faria mais uma trilogia para o cinema e a partir de então os lançamentos dos jogos obedeceriam a uma estratégia conjunta ente os setores da Lucas Films. Shadows of the Empires (1996) pode ser destacado por ser o primeiro projeto multimídia de Lucas. A história era inédita e ambientada entre os episódios V e VI, sendo contada em gibis, livros e um game para Nintendo 64. Mas o compasso de espera que a LucasArts entrou antes do lançamento do filme A Ameaça Fantasma, fez com que a empresa concebesse games sem muita criatividade, basicamente calcados em modelos em voga, na época na mesma linha do famoso Command & Conquer. O lançamento de Episódio I foi acompanhado de inúmeros lançamentos que resultaram em um grande fracasso. Os games eram monótonos, apresentavam uma jogabilidade decepcionante e muitos dos fãs sequer se recordam dos títulos desta época Episodio I: racer é o único mais expressivo10. A afirmação do computador pessoal como plataforma para games, em meados da década de 90, iniciou um diálogo que foi radicalizado no ano de 1998, com o advento dos consoles de 128 mega de memória que facilitou as conversões de e para PC (Barros, 2002, p.15). Desta maneira, o jogo eletrônico e outras ferramentas do meio digital, dentre elas a internet, passaram entrar em sinergia. Assim, muitos desafios migraram para a rede mundial de computadores, sendo compartilhados por milhares de jogadores. Nascia o Multiuser 10 Cf.: revista EGM Brasil, nº 38, maio de 2005, p

17 Massive On-line Role Playing Game, em que múltiplos usuários podem interagir em um mesmo ambiente virtual por meio de avatares. Chamados de MMORPGs ou simplesmente MMO, estes games são inspirados na lógica dos RPGs e atrelam as possibilidades de vida social, inspirada nos MUDs, aos gráficos realistas e às configurações espaço-temporais presentes nos jogos de aventura. Cabe esclarecer que os MUDs são ambientes digitais que seguem um modelo próximo ao estabelecido em RPGs como Dungeons & Dragons. São dotados de gráficos bem simples, feitos a partir de estruturas textuais. Estes domínios se tornaram mais populares quando os computadores pessoais puderam ser equipados com modems de 300 a 2400 baud, permitindo que os jogadores de RPGs utilizassem as redes BBS na experiência lúdica. O que os MUDs oferecem é uma viagem em um mundo de fantasia, povoado por guerreiros, monstros, elfos, feiticeiros, entre outros seres fantásticos. O principal objetivo destes jogos é destruir os inimigos, porém o chat disponível vai permitir que os jogadores troquem informações durante a competição. Além disso, através desta ferramenta de comunicação em tempo real, será instalada uma forma de convívio social que aponta para um regime de cooperação entre os jogadores. Dentre os principais exemplos de MUDs, é possível citar os mundialmente famosos Zork e Adventure. No cenário nacional, podemos destacar o Mundo de Vitália, MUD brasileiro mais organizado e com maior número de jogadores e Inferno 3, representante mais antigo da linhagem desde 1998 acessado na atualidade. (Fig. 04. Meridian 59, Fig. 05 Everquest) 17

18 O primeiro caso de MMORPG mundialmente reconhecido, pioneiro no sistema de cobrança mensal, foi o Meridian 59 (1996). Entretanto, foi o jogo Ultma Online (1997) que acabou popularizando de vez a categoria, sendo apontado como um dos três MMOs mais jogados no mundo. A aventura se passa em um cenário medieval, é visualizada em terceira pessoa, chegando a contar com cerca de usuários conectados ao sistema. O RPG eletrônico multiusuários de maior sucesso na história é o Everquest (1999), lançado pela Sony Online Entertainment. A partir do ano 2000, houve uma diversificação dos MMORPGs, que se subdividiram em estilos como jogos de tiro e aventura. (Fig. 06. Star Wars Galaxies) Star Wars Galaxies é um MMORPG lançado pela SOE em 2003, desenvolvido pela LucasArts em parceria com a Sony Online Entertainment. O jogo acena para um estilo de vida, mesmo que virtual, em um ambiente que simula o universo criado por George Lucas em Guerra nas Estrelas. Para jogar, cada usuário dispõe de avatares11 análogos aos personagens idealizados por George Lucas nos filmes. Entretanto, estes caracteres ficam submetidos às ações do interator - que pode deixá-los mais gordos, mais magros, com olhos de cor diferente, etc, em relação ao modelo estabelecido nos filmes. Basicamente, existem duas opções de 11 Cada jogador pode ter 2 avatares em cada servidor de SWG. 18

19 estilo de vida disponíveis para o jogador. Se escolher ser um crafter, o interator deve fabricar equipamentos e colocá-los a venda, estabelecendo negócios por todo o universo de Galaxies. Caso seu personagem for um guerreiro, o usuário deve cumprir missões para ser remunerado. Tal como nos RPGs de mesa, em um MMORPG não é possível apontar quem vence a disputa. O desafio e também o caráter lúdico do jogo advém da exigência de se cumprir as missões em parceria com os outros jogadores, o que significa que todo o grupo pode sair vitorioso de uma batalha, por exemplo. Meu primeiro contato com SWG aconteceu pela televisão, em maio de Um noticiário exclusivo sobre games reportava que a LucasArts acabava de lançar a segunda expansão para o jogo. A eventual combinação de todos os volumes, instalados na mesma máquina, propõe uma experiência imersiva em um ambiente que simula o universo de Guerra nas Estrelas. Provavelmente, a intenção do fabricante era se favorecer da expectativa criada em torno do lançamento do terceiro filme da série - Episódio III: A Vingança dos Sith, que estabeleceria uma conexão entre os fatos narrados nos episódios das duas trilogias despertando o interesse dos fãs pela proposta do game. Logo em seu primeiro ano, Galaxies contou com cerca de 250 mil assinantes em todo mundo. Com o lançamento das duas primeiras expansões Jump to the Lightspeed e Rage of the Wookies o número chegou à casa dos 300 mil12. Depois da grande reconfiguração13 sofrida pelo game em novembro de que incorporou os consoles do PlayStation 2 e 3 ao desafio - e do lançamento da terceira expansão, Trials of Obi Wan, a expectativa da LucasArts é atingir a marca de um milhão de assinantes. 12 Fonte: Chamada de NGE New Game Engine permitiu que as pessoas jogassem SWG usando os consoles PlayStation II e III

20 Apresentando a metodologia Iniciei meus contatos com os jogadores de SWG fora do ambiente do game. Antes entrar na disputa, decidi procurar Por estes usuários em listas disponíveis nos espaços virtuais públicos e de acesso mais fácil, como o Orkut. Assim, pude me aproximar e iniciar conversas com estes usuários, mesmo que virtualmente. Aos poucos, fui ganhando a confiança de alguns que me conectaram aos demais participantes do desafio. Autorizado pelos lideres da guilda14, pude acessar espaços mais reservados utilizados à comunicação interna - como MSN, fórum e Team Speak. No período entre os meses de maio de 2005 a junho de 2006, permaneci observando atentamente o comportamento dos jogadores nestes espaços eletrônicos e tomando partido em algumas das decisões do grupo. A seguir, passei a jogar e dediquei-me a esta experiência participante durante todo o segundo semestre de Ao longo desta atividade, privilegiei a proposta da netnografia (Kozinets, 1998, 2002; Sá, 2005), uma vez que meu principal objetivo foi o entender a experiência de jogar SWG a partir das questões anunciadas anteriormente. A prática da etnografia enquanto método científico das Ciências Humanas se divide em duas atividades distintas, porém interligadas. Em um primeiro momento, o trabalho do pesquisador se prende em uma observação participante, na qual ele deve analisar o nativo com sua cultura, participando das atividades cotidianas de sua comunidade. Na seqüência, o esforço do etnógrafo consiste em compilar as informações colhidas durante o processo de observação e construir um discurso de cunho descritivo, a partir de três características pontuadas por Geertz (1978) Ela é interpretativa, o que ela interpreta é o fluxo do discurso 14 Nome das associações de usuários formadas no ambiente dos MMORPGs. 20

13º Encontro / Cibercultura REALIDADES ALTERNATIVAS E AS NOVAS SOCIABILIDADES. O UNIVERSO DOS GAMES.

13º Encontro / Cibercultura REALIDADES ALTERNATIVAS E AS NOVAS SOCIABILIDADES. O UNIVERSO DOS GAMES. REALIDADES ALTERNATIVAS E AS NOVAS SOCIABILIDADES. O UNIVERSO DOS GAMES. Base dos slides: texto de Lúcia Santaella, Linguagens Líquidas na Era da Mobilidade. Principalmente, capítulos: 16 Games e Ambientes

Leia mais

HISTÓRIA EM QUADRINHO: A CRIAÇÃO E A EXPRESSÃO NA WEB

HISTÓRIA EM QUADRINHO: A CRIAÇÃO E A EXPRESSÃO NA WEB HISTÓRIA EM QUADRINHO: A CRIAÇÃO E A EXPRESSÃO NA WEB Luzivone Lopes GOMES - PPGFP UEPB luzivone@gmail.com Kennedy Machado OLIVIERA prof.kennedy@hotmail.com RESUMO: Este artigo trata de um relato de experiência

Leia mais

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E O USO INTEGRADO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS Sérgio Abranches

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E O USO INTEGRADO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS Sérgio Abranches PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E O USO INTEGRADO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS Sérgio Abranches A presença de tecnologias digitais no campo educacional já é facilmente percebida, seja pela introdução de equipamentos diversos,

Leia mais

O Herói Informacional. Dinâmicas corporais do RPG inscritas no design do jogo eletrônico 1

O Herói Informacional. Dinâmicas corporais do RPG inscritas no design do jogo eletrônico 1 1 O Herói Informacional. Dinâmicas corporais do RPG inscritas no design do jogo eletrônico 1 Luiz Adolfo de Andrade Universidade Federal Fluminense 2 Introdução É impossível não admitir a influência dos

Leia mais

Informática - Básico. Paulo Serrano GTTEC/CCUEC-Unicamp

Informática - Básico. Paulo Serrano GTTEC/CCUEC-Unicamp Informática - Básico Paulo Serrano GTTEC/CCUEC-Unicamp Índice Apresentação...06 Quais são as características do Windows?...07 Instalando o Windows...08 Aspectos Básicos...09 O que há na tela do Windows...10

Leia mais

INTERNET, HIPERTEXTO E GÊNEROS DIGITAIS: NOVAS POSSIBILIDADES DE INTERAÇÃO Elaine Vasquez Ferreira de Araujo (UNIGRANRIO) elainevasquez@ig.com.

INTERNET, HIPERTEXTO E GÊNEROS DIGITAIS: NOVAS POSSIBILIDADES DE INTERAÇÃO Elaine Vasquez Ferreira de Araujo (UNIGRANRIO) elainevasquez@ig.com. INTERNET, HIPERTEXTO E GÊNEROS DIGITAIS: NOVAS POSSIBILIDADES DE INTERAÇÃO Elaine Vasquez Ferreira de Araujo (UNIGRANRIO) elainevasquez@ig.com.br 1. Introdução A rede mundial tem permitido novas práticas

Leia mais

Game Design e Tecnologia na Incubadora

Game Design e Tecnologia na Incubadora Game Design e Tecnologia na Incubadora INCUBADORA versão final Introdução Inspirado em jogos de simulação como The Sims, INCUBADORA versão final é um espetáculo-jogo, que promove a reflexão sobre os modos

Leia mais

1 Introdução. 1.1 A Nova Era Digital

1 Introdução. 1.1 A Nova Era Digital 11 1 Introdução Com o advento da nova era da internet, conhecida com web 2.0, e o avanço das tecnologias digitais, o consumidor passa a ter maior acesso à informação bem como à facilidade de expressar

Leia mais

Manual do Usuário Cyber Square

Manual do Usuário Cyber Square Manual do Usuário Cyber Square Criado dia 27 de março de 2015 as 12:14 Página 1 de 48 Bem-vindo ao Cyber Square Parabéns! Você está utilizando o Cyber Square, o mais avançado sistema para gerenciamento

Leia mais

REALIDADES ALTERNATIVAS NOVAS FUNÇÕES COGNITIVAS NO MUNDO DOS ARGS

REALIDADES ALTERNATIVAS NOVAS FUNÇÕES COGNITIVAS NO MUNDO DOS ARGS 1 REALIDADES ALTERNATIVAS NOVAS FUNÇÕES COGNITIVAS NO MUNDO DOS ARGS Luiz Adolfo de Andrade 1 GT Jogos Eletrônicos e Educação RESUMO O presente trabalho propõe a extensão de argumento nosso, publicado

Leia mais

NOVAS PRÁTICAS NA EDUCAÇÃO: O USO DE JOGOS DIGITAIS PARA FORTALECER A APRENDIZAGEM 1

NOVAS PRÁTICAS NA EDUCAÇÃO: O USO DE JOGOS DIGITAIS PARA FORTALECER A APRENDIZAGEM 1 NOVAS PRÁTICAS NA EDUCAÇÃO: O USO DE JOGOS DIGITAIS PARA FORTALECER A APRENDIZAGEM 1 Grazielle Santos SILVA (PUC-MG) 2 Lívia Dutra JUSTINO (PUC-MG) 3 Resumo em português Apesar de o senso comum associar

Leia mais

DESENVOVIMENTO DE GAMES APRESENTAÇÃO. MARCELO HENRIQUE DOS SANTOS http://www.marcelohsantos.com marcelosantos@outlook.com

DESENVOVIMENTO DE GAMES APRESENTAÇÃO. MARCELO HENRIQUE DOS SANTOS http://www.marcelohsantos.com marcelosantos@outlook.com JOGOS DIGITAIS DESENVOVIMENTO DE GAMES APRESENTAÇÃO MARCELO HENRIQUE DOS SANTOS http://www.marcelohsantos.com marcelosantos@outlook.com Bacharel em Sistema de Informação Pós Graduado em Games : Produção

Leia mais

ENSINO DE MATEMÁTICA PONTO BLOG

ENSINO DE MATEMÁTICA PONTO BLOG ENSINO DE MATEMÁTICA PONTO BLOG Moema Gomes Moraes 1 RESUMO: Este trabalho faz uma reflexão sobre os aspectos relacionados ao uso de Blogs no ensino de Matemática. Para isto, ele inicia fazendo uma reflexão

Leia mais

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 Este tutorial não tem como finalidade esgotar todas as funcionalidades do Ambiente, ele aborda de forma prática

Leia mais

FEUP 2006/2007 Mestrado em Tecnologias Multimédia Doc. Apresentação V0

FEUP 2006/2007 Mestrado em Tecnologias Multimédia Doc. Apresentação V0 FEUP 2006/2007 Mestrado em Tecnologias Multimédia Doc. Apresentação V0 TÍTULO: Animatic - Marionetas Digitais Interactivas ORIENTADORES: Professor Doutor Aníbal Ferreira Professor Doutor Rui Torres ALUNO:

Leia mais

V ENLEPICC A CULTURA DO ACESSO O DINAMISMO SÓCIO-ECONÔMICO EM STAR WARS GALAXIES

V ENLEPICC A CULTURA DO ACESSO O DINAMISMO SÓCIO-ECONÔMICO EM STAR WARS GALAXIES V ENLEPICC A CULTURA DO ACESSO O DINAMISMO SÓCIO-ECONÔMICO EM STAR WARS GALAXIES LUIZ A. DE ANDRADE * (luizadolfoandrade@yahoo.com.br) Nos últimos anos, um novo produto da chamada indústria cultural vem

Leia mais

Daniel Chaves Santos Matrícula: 072.997.003. Rio de Janeiro, 28 de maio de 2008.

Daniel Chaves Santos Matrícula: 072.997.003. Rio de Janeiro, 28 de maio de 2008. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro Departamento de Artes & Design Curso de especialização O Lugar do Design na Leitura Disciplina: Estratégia RPG Daniel Chaves Santos Matrícula: 072.997.003

Leia mais

MANUAL DO ALUNO. Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA. http://www.fgf.edu.br

MANUAL DO ALUNO. Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA. http://www.fgf.edu.br MANUAL DO ALUNO Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA http://www.fgf.edu.br Sala Virtual TelEduc O TelEduc é um ambiente virtual desenvolvido Unicamp para apoiar professores

Leia mais

IV Seminário de Iniciação Científica

IV Seminário de Iniciação Científica O USO DA INTERNET NA EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL PÚBLICA DE ANÁPOLIS: MAPEANDO OS MODOS DE USO 1,3 Fernanda Vasconcelos Silva Souza; 2,3 Profª Drª Mirza Seabra Toschi 1 Bolsista PIBIC/CNPq 2 Pesquisadora-orientadora

Leia mais

Capítulo 2 Introdução à ferramenta Flash

Capítulo 2 Introdução à ferramenta Flash Capítulo 2 Introdução à ferramenta Flash Índice 1. O uso da ferramenta Flash no projeto RIVED.... 1 2. História do Flash... 4 1. O uso da ferramenta Flash no projeto RIVED. É importante, antes de iniciarmos

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO FERNANDA SERRER ORIENTADOR(A): PROFESSOR(A) STOP MOTION RECURSO MIDIÁTICO NO PROCESSO DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM

Leia mais

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções)

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DE ESPAÇOS E MATERIAIS DIGITAIS PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: O USO DO SMARTPHONE NO ENSINO DA GEOMETRIA

A CONSTRUÇÃO DE ESPAÇOS E MATERIAIS DIGITAIS PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: O USO DO SMARTPHONE NO ENSINO DA GEOMETRIA A CONSTRUÇÃO DE ESPAÇOS E MATERIAIS DIGITAIS PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: O USO DO SMARTPHONE NO ENSINO DA GEOMETRIA Autores : Agata RHENIUS, Melissa MEIER. Identificação autores: Bolsista IFC-Campus Camboriú;

Leia mais

Jogos Eletrônicos. Aula 01 Jogos Eletrônicos e Game Design. Edirlei Soares de Lima

Jogos Eletrônicos. Aula 01 Jogos Eletrônicos e Game Design. Edirlei Soares de Lima <edirlei.lima@uniriotec.br> Jogos Eletrônicos Aula 01 Jogos Eletrônicos e Game Design Edirlei Soares de Lima Introdução O que é um jogo? Jogar uma bola contra uma parede pode ser considerado um jogo? Introdução

Leia mais

LEAS ONLINE: PROTÓTIPO DE UM JOGO DE MMORPG

LEAS ONLINE: PROTÓTIPO DE UM JOGO DE MMORPG LEAS ONLINE: PROTÓTIPO DE UM JOGO DE MMORPG Wesllen de Oliveira Delfino, Larissa Pavarini da Luz wesllendelfino@hotmail.com,larissa.luz01@fatec.sp.gov.br Projeto de Iniciação Científica Larissa Pavarini

Leia mais

Eletiva VOCÊ EM VÍDEO

Eletiva VOCÊ EM VÍDEO Eletiva VOCÊ EM VÍDEO E.E. Princesa Isabel Número da sala e sessão Professor(es) Apresentador(es): Adriana Prado Aparecida Pereira da Silva Realização: Foco A Escola Estadual Princesa Isabel, por meio

Leia mais

A (R)evolução dos Games

A (R)evolução dos Games A (R)evolução dos Games Meu Histórico... Guilherme Camargo, 37 anos Formação em Comunicação Social pela ESPM/97 FGV, Fundação Dom Cabral, Kellogg Marketing Academy + de 15 anos de experiência em consumo

Leia mais

UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA

UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA Quando focalizamos o termo a distância, a característica da não presencialidade dos sujeitos, num mesmo espaço físico e ao mesmo tempo, coloca se como um

Leia mais

Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4

Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4 Guia do Educador CARO EDUCADOR ORIENTADOR Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 2. PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4 Objetivo GERAL 5 METODOLOGIA 5 A QUEM SE DESTINA? 6 O QUE

Leia mais

Introdução à Arte da Ciência da Computação

Introdução à Arte da Ciência da Computação 1 NOME DA AULA Introdução à Arte da Ciência da Computação Tempo de aula: 45 60 minutos Tempo de preparação: 15 minutos Principal objetivo: deixar claro para os alunos o que é a ciência da computação e

Leia mais

Ano letivo 2014/2015. Planificação da disciplina: Tecnologias de Informação e Comunicação 8º ano. Domínio: Comunicação e Colaboração CC8

Ano letivo 2014/2015. Planificação da disciplina: Tecnologias de Informação e Comunicação 8º ano. Domínio: Comunicação e Colaboração CC8 Ano letivo 2014/2015 Planificação da disciplina: Tecnologias de Informação e Comunicação 8º ano Domínio: Comunicação e Colaboração CC8 Aulas Previstas Semestre 32 Subdomínio: Conhecimento e utilização

Leia mais

B2gether. Aprender pode ser divertido

B2gether. Aprender pode ser divertido FASE I (1000 fichas ): Escolha um NOME e proponha uma LOGO para a sua equipe de trabalho durante o semestre. A logomarca pode ser feita na forma de um draft (rascunho). A versão final (arquivo JPEG) deve

Leia mais

Como adquirir os materiais didáticos do Moderna.Compartilha

Como adquirir os materiais didáticos do Moderna.Compartilha Como adquirir os materiais didáticos do Moderna.Compartilha MODERNA.COMPARTILHA: INTEGRAR TECNOLOGIA E CONTEÚDOS A FAVOR DO APRENDIZADO. Os alunos deste século estão conectados com novas ideias, novas

Leia mais

Interação Humana com Computador

Interação Humana com Computador Interação Humana com Computador Tecnologias de Computadores André Ferraz N.º24881 Jason Costa N.º25231 Ana Pereira N.º25709 IHC Estudo, planeamento e desenho de uma interação entre o utilizador e computadores.

Leia mais

Para pensar o. livro de imagens. Para pensar o Livro de imagens

Para pensar o. livro de imagens. Para pensar o Livro de imagens Para pensar o livro de imagens ROTEIROS PARA LEITURA LITERÁRIA Ligia Cademartori Para pensar o Livro de imagens 1 1 Texto visual Há livros compostos predominantemente por imagens que, postas em relação,

Leia mais

UNIDADE II Conhecendo o Ambiente Virtual de Aprendizagem

UNIDADE II Conhecendo o Ambiente Virtual de Aprendizagem UNIDADE II Conhecendo o Ambiente Virtual de Aprendizagem 2.1 Introdução Caro Pós-Graduando, Nesta unidade, abordaremos o Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) que será utilizado no curso: o Moodle. Serão

Leia mais

O Inicio TODAS AS VERSÕES DO WINDOWS. O que era o MS-DOS? Como funcionava o MS-DOS? 26/09/2015

O Inicio TODAS AS VERSÕES DO WINDOWS. O que era o MS-DOS? Como funcionava o MS-DOS? 26/09/2015 O Inicio TODAS AS VERSÕES DO WINDOWS Prof. André Aparecido da Silva Disponível em: http://www.oxnar.com.br Também temos ciência de que as primeiras versões do Windows não passavam de uma interface gráfica

Leia mais

TÍTULO: AMBIENTE VIRTUAL PARA O ENSINO DE LÓGICA PARA CRIANÇAS CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA

TÍTULO: AMBIENTE VIRTUAL PARA O ENSINO DE LÓGICA PARA CRIANÇAS CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA TÍTULO: AMBIENTE VIRTUAL PARA O ENSINO DE LÓGICA PARA CRIANÇAS CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA SUBÁREA: COMPUTAÇÃO E INFORMÁTICA INSTITUIÇÃO: FACULDADE ANHANGUERA DE GUARULHOS

Leia mais

Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual

Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual Escritório de Gestão de Projetos em EAD Unisinos http://www.unisinos.br/ead 2 A partir de agora,

Leia mais

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DA DISCIPLINA AUDIOVISUAL DA ESCOLA POLITÉCNICA DE SAÚDE JOAQUIM VENÂNCIO

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DA DISCIPLINA AUDIOVISUAL DA ESCOLA POLITÉCNICA DE SAÚDE JOAQUIM VENÂNCIO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DA DISCIPLINA AUDIOVISUAL DA ESCOLA POLITÉCNICA DE SAÚDE JOAQUIM VENÂNCIO 1. AUDIOVISUAL NO ENSINO MÉDIO O audiovisual tem como finalidade realizar-se como crítica da cultura,

Leia mais

ENG1000 Introdução à Engenharia

ENG1000 Introdução à Engenharia ENG1000 Introdução à Engenharia Aula 02 Introdução ao Game Design Edirlei Soares de Lima Introdução O que é um jogo? Jogar uma bola contra uma parede pode ser considerado um jogo?

Leia mais

Reflexões sobre as dificuldades na aprendizagem de Cálculo Diferencial e Integral

Reflexões sobre as dificuldades na aprendizagem de Cálculo Diferencial e Integral III Mostra de Pesquisa da Pós-Graduação PUCRS Reflexões sobre as dificuldades na aprendizagem de Cálculo Diferencial e Integral Marcelo Cavasotto, Prof.ª Dra. Ruth Portanova (orientadora) Mestrado em Educação

Leia mais

PROPOSTA DE UMA METODOLOGIA PARA ELABORAR PROJETO DE ENSINO INTEGRANDO RECURSOS TECNOLÓGICOS

PROPOSTA DE UMA METODOLOGIA PARA ELABORAR PROJETO DE ENSINO INTEGRANDO RECURSOS TECNOLÓGICOS PROPOSTA DE UMA METODOLOGIA PARA ELABORAR PROJETO DE ENSINO INTEGRANDO RECURSOS TECNOLÓGICOS Fortaleza Ce Agosto 2009 Liádina Camargo Lima Universidade de Fortaleza liadina@unifor.br Categoria C Métodos

Leia mais

Proposta Didático-Pedagógica para Desenvolvimento de Disciplinas de Cursos de Graduação e Pós- Graduação na Modalidade a Distância

Proposta Didático-Pedagógica para Desenvolvimento de Disciplinas de Cursos de Graduação e Pós- Graduação na Modalidade a Distância Proposta Didático-Pedagógica para Desenvolvimento de Disciplinas de Cursos de Graduação e Pós- Graduação na Modalidade a Distância Maio 2007 na Lúcia Tinoco - UNICSUL ana.cabral@unicsul.br Carlos Fernando

Leia mais

CINEMA PEDAGÓGICO COMO INTERVENÇÃO PARA PRÁTICA DOCENTE. Elaine Fernanda Dornelas de Souza

CINEMA PEDAGÓGICO COMO INTERVENÇÃO PARA PRÁTICA DOCENTE. Elaine Fernanda Dornelas de Souza Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 721 CINEMA PEDAGÓGICO COMO INTERVENÇÃO PARA PRÁTICA DOCENTE Elaine Fernanda Dornelas de Souza Serviço Nacional de

Leia mais

Pedro Bandeira. Leitor em processo 2 o e 3 o anos do Ensino Fundamental

Pedro Bandeira. Leitor em processo 2 o e 3 o anos do Ensino Fundamental Pedro Bandeira Pequeno pode tudo Leitor em processo 2 o e 3 o anos do Ensino Fundamental PROJETO DE LEITURA Coordenação: Maria José Nóbrega Elaboração: Rosane Pamplona De Leitores e Asas MARIA JOSÉ NÓBREGA

Leia mais

AS PERSPECTIVAS DA ECONOMIA CRIATIVA NO BRASIL PARA GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA

AS PERSPECTIVAS DA ECONOMIA CRIATIVA NO BRASIL PARA GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA AS PERSPECTIVAS DA ECONOMIA CRIATIVA NO BRASIL PARA GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA Miranda Aparecida de Camargo luckcamargo@hotmail.com Acadêmico do Curso de Ciências Econômicas/UNICENTRO Luana Sokoloski sokoloski@outlook.com

Leia mais

SECRETARIA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO SEDUC CENTRO DE FORMAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO DE PROFESSORES CEFAPRO ESCOLA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO BÁSICA

SECRETARIA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO SEDUC CENTRO DE FORMAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO DE PROFESSORES CEFAPRO ESCOLA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO BÁSICA SECRETARIA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO SEDUC CENTRO DE FORMAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO DE PROFESSORES CEFAPRO ESCOLA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO BÁSICA ANDRÉ ANTÔNIO MAGGI SACOLA MÁGICA E LATA LITERÁRIA Claudia

Leia mais

TÍTULO: MEIOS DE COMUNICAÇÃO DIGITAIS E A REVOLUÇÃO NA DISSEMINAÇÃO DA INFORMAÇÃO.

TÍTULO: MEIOS DE COMUNICAÇÃO DIGITAIS E A REVOLUÇÃO NA DISSEMINAÇÃO DA INFORMAÇÃO. Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: MEIOS DE COMUNICAÇÃO DIGITAIS E A REVOLUÇÃO NA DISSEMINAÇÃO DA INFORMAÇÃO. CATEGORIA: EM ANDAMENTO

Leia mais

12 Razões Para Usar. Lightroom. André Nery

12 Razões Para Usar. Lightroom. André Nery 12 Razões Para Usar Lightroom André Nery André Nery é fotógrafo em Porto Alegre. Arquitetura e fotografia outdoor, como natureza, esportes e viagens, são sua área de atuação. Há dez anos começou a ministrar

Leia mais

5 Conclusões 5.1. Síntese do estudo

5 Conclusões 5.1. Síntese do estudo 5 Conclusões 5.1. Síntese do estudo Este estudo teve como objetivo contribuir para a compreensão do uso das mídias sociais, como principal ferramenta de marketing da Casar é Fácil, desde o momento da sua

Leia mais

Manual de Utilização Chat Intercâmbio

Manual de Utilização Chat Intercâmbio Manual de Utilização Chat Intercâmbio 1 INDICE 1 Chat Intercâmbio... 6 1.1 Glossário de Termos Utilizados.... 6 1.2 Definições de uma Sala de Chat... 7 1.3 Como Acessar o Chat Intercâmbio... 8 1.4 Pré-requisitos

Leia mais

O SIGNIFICADO DA PESQUISA:

O SIGNIFICADO DA PESQUISA: O SIGNIFICADO DA PESQUISA: ESCRITO POR Clive de Freitas PUBLICADO Outubro 2013 como ela molda nossas vidas e cria marcas O RESUMO Como profissionais de marketing, é fácil reduzir a pesquisa para métricas

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS UNICAMP FACULDADE DE TECNOLOGIA FT PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS UNICAMP FACULDADE DE TECNOLOGIA FT PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS UNICAMP FACULDADE DE TECNOLOGIA FT PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Projeto Gene: Ambiente de Apoio à Aprendizagem de Genética Baseado em Tamagotchi

Leia mais

Desigualdade e desempenho: uma introdução à sociologia da escola brasileira

Desigualdade e desempenho: uma introdução à sociologia da escola brasileira Desigualdade e desempenho: uma introdução à sociologia da escola brasileira Maria Lígia de Oliveira Barbosa Belo Horizonte, MG: Argvmentvm, 2009, 272 p. Maria Lígia de Oliveira Barbosa, que há algum tempo

Leia mais

CTRL-SHIFT DOCUMENTO DE GAME DESIGN DESENVOLVIDO POR HILGAMES

CTRL-SHIFT DOCUMENTO DE GAME DESIGN DESENVOLVIDO POR HILGAMES CTRL-SHIFT DOCUMENTO DE GAME DESIGN DESENVOLVIDO POR HILGAMES 1. Introdução CTRL-SHIFT é um jogo de puzzle, plataforma 2D e 3D ao mesmo tempo. O jogador navega por um cenário de plataformas 2D, e quando

Leia mais

Ferramentas de informações e comunicações e as interações possíveis Tecnologias populares para uma Educação à Distância mais Popular.

Ferramentas de informações e comunicações e as interações possíveis Tecnologias populares para uma Educação à Distância mais Popular. Trabalha de Conclusão do Curso Educação a Distância : Um Novo Olhar Para a Educação - Formação de Professores/Tutores em EaD pelo Portal Somática Educar Ferramentas de informações e comunicações e as interações

Leia mais

JOGOS ONLINE NA CONSTRUÇÃO DE CONCEITOS MATEMÁTICOS

JOGOS ONLINE NA CONSTRUÇÃO DE CONCEITOS MATEMÁTICOS JOGOS ONLINE NA CONSTRUÇÃO DE CONCEITOS MATEMÁTICOS Lucas Gabriel Seibert Universidade Luterana do Brasil lucasseibert@hotmail.com Roberto Luis Tavares Bittencourt Universidade Luterana do Brasil rbittencourt@pop.com.br

Leia mais

CONSTRUINDO UM JOGO EDUCATIVO UTILIZANDO O SOFTWARE DE AUTORIA ADOBE FLASH

CONSTRUINDO UM JOGO EDUCATIVO UTILIZANDO O SOFTWARE DE AUTORIA ADOBE FLASH CONSTRUINDO UM JOGO EDUCATIVO UTILIZANDO O SOFTWARE DE AUTORIA ADOBE FLASH Francielly Falcão da Silva¹, Samuel Carlos Romeiro Azevedo Souto², Mariel José Pimentel de Andrade³ e Alberto Einstein Pereira

Leia mais

CURSOS A DISTÂNCIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO

CURSOS A DISTÂNCIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO CURSOS A DISTÂNCIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO TUTORIAL PARA TUTORES PLATAFORMA MOODLE OURO PRETO 2014 1 SUMÁRIO 1. PRIMEIRO ACESSO À PLATAFORMA... 03 2. PLATAFORMA DO CURSO... 07 2.1 Barra de Navegação...

Leia mais

DA EDUCAÇÃO TRADICIONAL ÀS NOVAS TECNOLOGIAS APLICADAS À EDUCAÇÃO

DA EDUCAÇÃO TRADICIONAL ÀS NOVAS TECNOLOGIAS APLICADAS À EDUCAÇÃO 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 DA EDUCAÇÃO TRADICIONAL ÀS NOVAS TECNOLOGIAS APLICADAS À EDUCAÇÃO Natália Aguiar de Menezes 1 RESUMO: Observa-se que com o passar dos anos o ensino superior

Leia mais

2 Editoração Eletrônica

2 Editoração Eletrônica 8 2 Editoração Eletrônica A década de 80 foi um marco na história da computação. Foi quando a maioria dos esforços dos desenvolvedores, tanto de equipamentos, quanto de programas, foram direcionados para

Leia mais

4 Cursos de nível superior no Brasil para formação de Designers de Games

4 Cursos de nível superior no Brasil para formação de Designers de Games 4 Cursos de nível superior no Brasil para formação de Designers de Games Este Capítulo apresenta o levantamento realizado dos cursos de nível superior no Brasil voltados para a formação de Designers de

Leia mais

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM EM EDUCAÇÃO ONLINE *

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM EM EDUCAÇÃO ONLINE * AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM EM EDUCAÇÃO ONLINE * DILMEIRE SANT ANNA RAMOS VOSGERAU ** m 2003, com a publicação do livro Educação online, o professor Marco Silva conseguiu, com muita pertinência, recolher

Leia mais

Estudo de Caso da Nintendo

Estudo de Caso da Nintendo Estudo de Caso da Nintendo Roberto Paulo da Silva Pinto Junior robertjr@furnas.com.br 1 Universidade Federal Fluminense (UFF), Centro Tecnológico - Niterói, RJ, Brasil 2 Furnas Centrais Elétricas S.A.

Leia mais

Guia de Início Rápido

Guia de Início Rápido Guia de Início Rápido O Microsoft PowerPoint 2013 parece diferente das versões anteriores, por isso criamos este guia para ajudar você a minimizar a curva de aprendizado. Encontre o que você precisa Clique

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM EDITAL DE CHAMADA PARA A V MOSTRA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CURSO DE ENFERMAGEM Nº 05 /2012

CURSO DE ENFERMAGEM EDITAL DE CHAMADA PARA A V MOSTRA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CURSO DE ENFERMAGEM Nº 05 /2012 CURSO DE ENFERMAGEM EDITAL DE CHAMADA PARA A V MOSTRA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CURSO DE ENFERMAGEM Nº 05 /2012 A Coordenação do Curso de Enfermagem da Fanor- DeVry Brasil, no uso de suas atribuições,

Leia mais

3 Jogos Sérios e Educação O avanço tecnológico tem transformado e contribuído para a melhoria da prestação de serviço em diversas áreas. No contexto educacional, novos sistemas e equipamentos têm sido

Leia mais

A imagem idealizada de uma infância saudável e feliz hoje se

A imagem idealizada de uma infância saudável e feliz hoje se VOZ DO LEITOR ANO 4 EDIÇÃO 30 On/off-line: entreolhares sobre as infâncias X, Y e Z Amanda M. P. Leite A imagem idealizada de uma infância saudável e feliz hoje se prende a uma espécie de saudosismo da

Leia mais

A criança e as mídias

A criança e as mídias 34 A criança e as mídias - João, vá dormir, já está ficando tarde!!! - Pera aí, mãe, só mais um pouquinho! - Tá na hora de criança dormir! - Mas o desenho já tá acabando... só mais um pouquinho... - Tá

Leia mais

Qlik Sense Cloud. Qlik Sense 2.0.2 Copyright 1993-2015 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados.

Qlik Sense Cloud. Qlik Sense 2.0.2 Copyright 1993-2015 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados. Qlik Sense Cloud Qlik Sense 2.0.2 Copyright 1993-2015 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados. Copyright 1993-2015 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados. Qlik, QlikTech,

Leia mais

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade O caminho para o sucesso Promovendo o desenvolvimento para além da universidade Visão geral Há mais de 40 anos, a Unigranrio investe em ensino diferenciado no Brasil para cumprir com seu principal objetivo

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 PERFIL ALUNO Versão 1.0 2014 NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE

Leia mais

Manual Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle-ESPMG 2.0

Manual Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle-ESPMG 2.0 Manual Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle-ESPMG 2.0 Adriano Lima Belo Horizonte 2011 SUMÁRIO Apresentação... 3 Acesso ao Ambiente Virtual de Aprendizagem AVA ESP-MG... 3 Programação do curso no AVA-ESPMG

Leia mais

DATAS DE PRÉ-MATRÍCULA

DATAS DE PRÉ-MATRÍCULA Mestrado e Doutorado em Comunicação Matrícula e Calendário acadêmico 2014.2 DATAS DE PRÉ-MATRÍCULA: 29, 30 e 31/07/2014 LOCAL: A pré-matrícula deverá ser efetivada na Secretaria do PPGCOM ou através do

Leia mais

Manual SAGe Versão 1.2 (a partir da versão 12.08.01)

Manual SAGe Versão 1.2 (a partir da versão 12.08.01) Manual SAGe Versão 1.2 (a partir da versão 12.08.01) Submissão de Relatórios Científicos Sumário Introdução... 2 Elaboração do Relatório Científico... 3 Submissão do Relatório Científico... 14 Operação

Leia mais

Saberes da Docência Online

Saberes da Docência Online Saberes da Docência Online Edméa Santos Professora do PROPED-Faculdade de Educação da UERJ E-mail: mea2@uol.com.br Web-site: http://www.docenciaonline.pro.br/moodle http://www.proped..pro.br/moodle Fones

Leia mais

TECNÓLOGO EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I Aula 01: Conceitos Iniciais / Sistema Operacional

TECNÓLOGO EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I Aula 01: Conceitos Iniciais / Sistema Operacional TECNÓLOGO EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I Aula 01: Conceitos Iniciais / Sistema Operacional O conteúdo deste documento tem por objetivo apresentar uma visão geral

Leia mais

AULA 2. Aspectos Técnicos. Luciano Roberto Rocha. www.lrocha.com. MBA em Marketing Digital SOCIAL GAMES

AULA 2. Aspectos Técnicos. Luciano Roberto Rocha. www.lrocha.com. MBA em Marketing Digital SOCIAL GAMES MBA em Marketing Digital SOCIAL GAMES AULA 2 Luciano Roberto Rocha Aspectos Técnicos Ponta Grossa, 31 de agosto de 2013 ROTEIRO Papéis Processos Plataformas Ferramentas 2 PAPÉIS O desenvolvimento de um

Leia mais

A Galáxia de Lucas: de Guerra nas Estrelas ao ethos virtualizado 1

A Galáxia de Lucas: de Guerra nas Estrelas ao ethos virtualizado 1 Luiz Adolfo de Andrade 2 Universidade Federal Fluminense A Galáxia de Lucas: de Guerra nas Estrelas ao ethos virtualizado 1 Resumo Simultaneamente à estréia do Episódio III de Guerras nas Estrelas, nos

Leia mais

CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Claudia Maria da Cruz Consultora Educacional FEVEREIRO/2015 CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL A ênfase na operacionalização escrita dos documentos curriculares municipais é

Leia mais

A TECNOLOGIA DO HIPERTEXTO NA APRENDIZAGEM DE UM CURSO A DISTÂNCIA ON-LINE 1

A TECNOLOGIA DO HIPERTEXTO NA APRENDIZAGEM DE UM CURSO A DISTÂNCIA ON-LINE 1 A TECNOLOGIA DO HIPERTEXTO NA APRENDIZAGEM DE UM CURSO A DISTÂNCIA ON-LINE 1 Naziozênio A. LACERDA (UFPI/UFMG) 2 RESUMO: O objetivo deste trabalho é relatar uma experiência de uso da tecnologia do hipertexto

Leia mais

A sala virtual de aprendizagem

A sala virtual de aprendizagem A sala virtual de aprendizagem Os módulos dos cursos a distância da Faculdade Integrada da Grande Fortaleza decorrem em sala virtual de aprendizagem que utiliza o ambiente de suporte para ensino-aprendizagem

Leia mais

ENSINAR CIÊNCIAS FAZENDO CIÊNCIA

ENSINAR CIÊNCIAS FAZENDO CIÊNCIA ENSINAR CIÊNCIAS FAZENDO CIÊNCIA Antonio Carlos Pavão Quero saber quantas estrelas tem no céu Quero saber quantos peixes tem no mar Quero saber quantos raios tem o sol... (Da canção de João da Guabiraba

Leia mais

CARDS - Jogo Educativo na Internet para Ensino a Distância

CARDS - Jogo Educativo na Internet para Ensino a Distância CARDS - Jogo Educativo na Internet para Ensino a Distância 1 Introdução Bruno Astuto Arouche Nunes Sergio Barbosa Villas-Boas 1 Henrique Falleiros Tendo em vista que o processo de ensino, nos dias de hoje,

Leia mais

Leitura na escola reflexões pedagógicas sobre os processos de formação de leitores e escritores na educação infantil, jovens e adultos.

Leitura na escola reflexões pedagógicas sobre os processos de formação de leitores e escritores na educação infantil, jovens e adultos. Leitura na escola reflexões pedagógicas sobre os processos de formação de leitores e escritores na educação infantil, jovens e adultos. Diogo Vieira do Nascimento 1 (UERJ/EDU) Fabiana da Silva 2 (UERJ/EDU)

Leia mais

Como encontrar maneiras de associar um importante conteúdo didático a um software que ensine e divirta ao mesmo tempo? Estão os professores

Como encontrar maneiras de associar um importante conteúdo didático a um software que ensine e divirta ao mesmo tempo? Estão os professores Profª Levany Rogge Os softwares são considerados programas educacionais a partir do momento em que são projetados através de uma metodologia que os contextualizem no processo ensino-aprendizagem; Tajra

Leia mais

As 5 grandes tendências em tecnologia para Educação. Compartilhe este guia:

As 5 grandes tendências em tecnologia para Educação. Compartilhe este guia: As 5 grandes tendências em tecnologia para Educação 1 Introdução: A educação iniciou o século XXI de maneira bastante disruptiva. Uma série de inovações por parte de educadores e alunos fez com que os

Leia mais

DESENVOLVENDO HABILIDADES E CONSTRUINDO CONHECIMENTOS NO AMBIENTE VIRTUAL CYBERNAUTAS. Maio/2005 216-TC-C3

DESENVOLVENDO HABILIDADES E CONSTRUINDO CONHECIMENTOS NO AMBIENTE VIRTUAL CYBERNAUTAS. Maio/2005 216-TC-C3 1 DESENVOLVENDO HABILIDADES E CONSTRUINDO CONHECIMENTOS NO AMBIENTE VIRTUAL CYBERNAUTAS Maio/2005 216-TC-C3 José Antonio Gameiro Salles UNISUAM / CCET / Desenv. de Softwares & UNISUAM/LAPEAD - antoniosalles@gmail.com

Leia mais

Rumos da cultura da música: negócios, estéticas, linguagens e audibilidades

Rumos da cultura da música: negócios, estéticas, linguagens e audibilidades Rumos da cultura da música: negócios, estéticas, linguagens e audibilidades Rumos da cultura da música: negócios, estéticas, linguagens e audibilidades Organização Simone Pereira de Sá Adriana Amaral

Leia mais

Marta Kohl de Oliveira Algumas Contribuições da Psicologia Cognitiva

Marta Kohl de Oliveira Algumas Contribuições da Psicologia Cognitiva Marta Kohl de Oliveira Algumas Contribuições da Psicologia Cognitiva A criança que chega à escola é um indivíduo que sabe coisas e que opera intelectualmente de acordo com os mecanismos de funcionamento

Leia mais

Para a citação deste material como referência, favor seguir conforme abaixo:

Para a citação deste material como referência, favor seguir conforme abaixo: Para a citação deste material como referência, favor seguir conforme abaixo: ALVARELI, Luciani Vieira Gomes. Novo roteiro para elaboração do projeto de trabalho de graduação. Cruzeiro: Centro Paula Souza,

Leia mais

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA Guia rápido A PLATAFORMA MOODLE Moodle (Modular Object Oriented Distance LEarning) é um Sistema para Gerenciamento de Cursos (SGC). Trata-se de um programa para computador

Leia mais

JOGOS DIGITAIS NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL. Um Relato de Experiência do Projeto de Inovação com Tecnologias Educacionais

JOGOS DIGITAIS NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL. Um Relato de Experiência do Projeto de Inovação com Tecnologias Educacionais JOGOS DIGITAIS NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL Um Relato de Experiência do Projeto de Inovação com Tecnologias Educacionais O SENAI estimula e aperfeiçoa as tecnologias educacionais para suprir as necessidades

Leia mais

Introdução a Informática - 1º semestre AULA 02 Prof. André Moraes

Introdução a Informática - 1º semestre AULA 02 Prof. André Moraes Introdução a Informática - 1º semestre AULA 02 Prof. André Moraes 3 MÁQUINAS VIRTUAIS Em nossa aula anterior, fizemos uma breve introdução com uso de máquinas virtuais para emularmos um computador novo

Leia mais

SMART Sync 2010 Guia prático

SMART Sync 2010 Guia prático SMART Sync 2010 Guia prático Simplificando o extraordinário Registro do produto Se você registrar o seu produto SMART, receberá notificações sobre novos recursos e atualizações de software. Registre-se

Leia mais

REGRAS GERAIS REDE 2 horas e 30 minutos. Os desafios deverão ser entregues conforme instrução: Exemplo: desafio1_equipepentagrama

REGRAS GERAIS REDE 2 horas e 30 minutos. Os desafios deverão ser entregues conforme instrução: Exemplo: desafio1_equipepentagrama 2 REGRAS GERAIS REDE 1. Número de desafios da competição: 5. 2. Tempo máximo da competição: 2 horas e 30 minutos. Os desafios deverão ser entregues conforme instrução: a) Salvar em um arquivo, identificando

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA OS GRUPOS QUE ESTÃO PRODUZINDO UMA: REPORTAGEM Tipos de Textos Características

Leia mais

Utilização de recursos pedagógicos de ambientes virtuais como complemento para atividades presenciais no ensino superior. Sanmya Feitosa Tajra

Utilização de recursos pedagógicos de ambientes virtuais como complemento para atividades presenciais no ensino superior. Sanmya Feitosa Tajra Utilização de recursos pedagógicos de ambientes virtuais como complemento para atividades presenciais no ensino superior Sanmya Feitosa Tajra Mestre em Educação (Currículo)/PUC-SP Professora de Novas Tecnologias

Leia mais

Software de monitoramento Módulo CONDOR CFTV V1 R1

Software de monitoramento Módulo CONDOR CFTV V1 R1 Software de monitoramento Módulo CONDOR CFTV V1 R1 Versão 30/06/2014 FOR Segurança Eletrônica Rua dos Lírios, 75 - Chácara Primavera Campinas, SP (19) 3256-0768 1 de 12 Conteúdo A cópia total ou parcial

Leia mais