Cibersocialidade e a emergência de relacionamentos cibernéticos nos jogos massivos: o significado de Socialidade na mídia pós-moderna

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Cibersocialidade e a emergência de relacionamentos cibernéticos nos jogos massivos: o significado de Socialidade na mídia pós-moderna"

Transcrição

1 Cibersocialidade e a emergência de relacionamentos cibernéticos nos jogos massivos: o significado de Socialidade na mídia pós-moderna Igor Ramady Lira de Sousa * Resumo Os jogos em rede, especialmente a categoria MMORPG, ostentam sua natureza social ao criarem ambientes virtuais interativos para múltiplos jogadores em escala massiva. Os mundos virtuais favorecem o surgimento de uma nova forma de socialização cibernética dentro dos jogos eletrônicos em rede desta categoria. Apontamos a concepção de Socialidade de Maffesoli como essencial para a compreensão desses relacionamentos originados nos ambientes virtuais interativos e criados por estes jogos. Neste trabalho iremos abranger questões como comunicação, interação e socialização na análise das comunidades virtuais dentro e fora do jogo Ragnarök Online, há quatro anos no mercado brasileiro de jogos online. Palavras-Chave: Pós-modernidade. Socialidade. Interatividade. Jogos em rede. MMORPG. Introdução Huizinga, em Homo Ludens (1996), e McLuhan, em Os meios de comunicação como extensões do homem (1969), escreveram que os jogos são importantes práticas sociais, trazendo um significando da sua sociedade de origem. Seria coerente dizer que os jogos eletrônicos também são jogos que representam aspectos da sociedade contemporânea. Uma sociedade que convive intimamente com a tecnologia e com a comunicação cibernética, em que relacionamentos de diversos tipos podem surgir em ambientes virtuais. Nossa proposição neste artigo é demonstrar que os jogos da atualidade ultrapassam sua qualidade de transmissores de significados e tornam-se mediadores da interação e socialização entre os seus praticantes, os jogadores, somando-se o modo como um meio de comunicação tradicional realiza o processo de mediação de significados com a possibilidade de os próprios jogadores serem agentes do processo de comunicação. Assim, os jogos contemporâneos também colaboram para a quebra do monopólio dos emissores dos meios de comunicação tradicionais, como predizia * Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Comunicação (PPGC) da UFPB.

2 Manuel Castells, em Sociedade em Rede (2000), falando sobre o novo processo de comunicação mediada por computadores. Na verdade a comunicação entre os jogadores ocorre em vários níveis através de sua interação mediada pelos jogos que chamamos neste artigo de massivos. Uma nova abordagem sobre este processo de comunicação encontra-se em Comunicação Mediada Por Computadores (2007), de Alex Primo. Evoluindo a cada novo encontro, relacionamentos virtuais são originados por esta interação, o que acaba por produzir novos agrupamentos sociais dentro do espaço virtual do jogo massivo. As pessoas realmente se encontram dentro destes jogos para conversarem, namorarem, passarem um tempo juntas e se solidarizarem nos seus objetivos dentro do jogo. Por sua natureza social, ironicamente falamos que, nestes jogos, os jogadores se encontram até mesmo para a prática do jogo. Neste aspecto, destaca-se em relação às demais, a categoria de jogo chamada MMORPG (Multi Mass Online Role Playing Game), jogos híbridos entre jogos massivos e o gênero RPG, e apontamos como sendo a socialização virtual seu real desígnio. A socialização virtual é um fenômeno contemporâneo que Andre Lemos (2004) chamou de Cibersocialidade Contemporânea. Conseqüentemente, se faz necessário compreender o significado de Socialidade para Michel Maffesoli, para destacarmos os novos agrupamentos sociais que surgem na mídia do jogo eletrônico em rede da categoria MMORPG. Jogos massivos para múltiplos jogadores em rede Nos mundos virtuais originados por estes jogos em rede, jogadores conectados à internet compartilham da mesma experiência de existirem em uma nova realidade criada pelo programa do jogo, separados geograficamente, mas unidos no mesmo espaço virtual. No MMORPG, em dado momento, milhares de múltiplos jogadores simultaneamente se conectam no mesmo mundo compartilhado. Por esta característica ser tão marcante, chamamos estes jogos de massivos. Termo implícito na sigla em inglês da categoria MMO (Multi Mass Online), tendo para nos o mesmo sentido encontrado para comunicação em massa. Esta categoria leva os jogadores a criarem comunidades virtuais definidas, dentro e fora do jogo nos fóruns, blogs, youtube, wikis, entre outros. Desta forma, o MMORPG colabora para a expansão da rede social de seus jogadores. Inclusive seus

3 contatos do jogo podem levar a relacionamentos reais. Nos jogos massivos jogadores se encontram pela primeira vez e aprofundam seus relacionamentos. Em alguns casos, esta amizade pode evoluir para um relacionamento mais sério, afirma a empresa LevelUp! Games, mantenedora de vários jogos da categoria MMORPG, Já existe centenas de casais dentro do jogo que dividem seu tempo entre aventuras em Ragnarök e dedicação a seu namorado ou sua namorada (nota retirada do site oficial do jogo Ragnarök Online). É neste sentido que afirmamos que nestes mundos sintéticos existem laços afetivos sendo feitos e desfeitos a cada momento, que em si conformariam relacionamentos sintéticos. Apresentamos essa discussão mais adiante. Ao observarmos a manifestação destes relacionamentos que se criam e se desenvolvem nos mundos virtuais dos jogos online para computadores (até então a maioria dos MMORPGs são executados em computadores conectados a rede) percebemos que se tratava de um processo de mediação por meio dos jogos online sendo assim fenômeno pertinente ao estudo da comunicação. Entendemos que a partir dos jogos massivos, os meios de comunicação ganham uma nova dimensão para tecer a realidade das pessoas. Primeiro, eles também participam do processo de comunicação, não só proporcionando o ambiente virtual interativo para transmissão de sígnos entre jogadores, como fornecendo ele próprio seu conteúdo sígnico aos múltiplos jogadores (modelo Um-Todos). Como exemplo apontamos a existência da prática do advergame dentro do jogo Ragnarök Online, em que marcas como Axe Dark Temptation e Cereal Crunch patrocinam eventos dentro e fora do jogo. O interesse destas marcas só reforça o caráter de transmissor de significados destes jogos, uma qualidade dos meios de comunicação em massa. Além do jogo online ser uma mídia de consumo individual (eu mais um computador) que permite a conexão com outros jogadores em escala global, estes jogos tornam-se similares a programas de conversação virtual em tempo real (como o MSN), ao utilizarem-se de chatboxes (caixas de texto para conversação) na interface da tela do jogo para a comunicação entre seus jogadores, conformando uma semelhança com a comunicação interpessoal e em rede (modelo Um-Um e Todos-Todos). Não só textual, a mediação no MMORPG é feita por meio de uma linguagem hibrida, múltisígnica, não linear, interativa e imersiva. Isto significa que valores, sígnos e representações diversas são convertidas pela hipermídia, e transmitidas e Ver Santaella (2006) sobre Hipermídia.

4 resignificadas pelos usuários e programas por meio de plataformas multimídias (computadores em rede), em que sons, imagens e hipertextos constroem mensagens interativas. Por se tratar de uma linguagem múltisígnica e interativa, os jogos massivos conseguiriam construir uma noção de realidade mais palpável que os meios tradicionais. Isto indica como a comunicação em jogos massivos consegue originar relacionamentos sintéticos? Tudo indica que a própria mídia do jogo online sugere a resposta. Obviamente trata-se de um fenômeno que exige uma nova forma de abordar o próprio processo de comunicação. O círculo hermenêutico de análise dos jogos eletrônicos: a pseudo-netnografia Hoje, existem muitos trabalhos, artigos, dissertações a teses sobre jogos eletrônicos que estão disponíveis na internet, para a leitura de pesquisadores e curiosos, muitos dos quais em língua estrangeira (espanhol ou inglês). No Brasil, aparecem os primeiros livros de autores nacionais nas prateleiras como Game Over: jogos eletrônicos e violência (2005), de Lynn Alves e Artes do Vídeo Game: conceitos e técnicas (2006), de Jesus Assis. São muitas as abordagens encontradas nas mais variadas disciplinas que procuram analisar os jogos eletrônicos em amplos aspectos. Já o fenômeno aqui estudado, em que buscamos uma abordagem comunicacional, exige um olhar diferenciado, não se detendo a aspectos técnicos. Como comunicadores buscamos observar o que é construído entre estes jogadores na comunicação mediada pelos jogos massivos. Sobre isso, o pioneiro nos estudos dos jogos eletrônicos, Espen Aarseth (2004), nos diz que: Since a game is a process rather than a object, there can be no game without players playing, ou seja, os jogos são processos porque prescindem de jogadores para praticá-los. Vamos tentar seguir o método de análise sugerido por Espen Aarseth, atualmente pesquisador e professor associado ao Center for Computer Games Research, IT, Universidad de Copenhague (ITU), e co-fundador e redator chefe da GAMESTUDIES.ORG, primeira revista acadêmica sobre jogos para computador. O autor escreveu em Playing Research: methodological approaches to game analysis (2004) que diferente da interpretação de trabalhos literários ou fílmicos que exigem habilidades analíticas, na análise dos jogos eletrônicos é preciso mais que a observação Disponível em <http://www.spilforskning.dk/gameapproaches/gameapproaches2.pdf>

5 analítica, exige-se a prática. This is a dynamic real-time hermeneutics that lacks a corresponding structure in filme or literature (ibid). Aarseth descreve o caso de um estudo realizado em que o autor não teve contato prático com seu objeto de análise, valendo-se apenas de descrições de outros jogadores. Ocorreram contradições no resultado final do trabalho demonstrando a falta de observação empírica do pesquisador. No entanto, Aarseth alerta que é diferente consumir um jogo por entretenimento de fazê-lo com o olhar de um pesquisador. O próprio Aarseth consagra o uso de diários que descrevem a experiência do pesquisador no consumo da mídia do jogo, tornando a análise de um jogo eletrônico uma observação empírica. Tratando-se dos MMORPGs vemos que isso leva o pesquisador para dentro da comunidade virtual que ele busca estudar, uma experiência etnográfica virtual, ou seja, corroborando para o exercício de uma pseudo-netnografia. Além dos diários de campo o pesquisador, segundo Aarseth, deve se valer de todos os meios que os próprios jogadores utilizam para se encontrarem virtualmente. Como ele diz a seguir: The hermeneutic circle of game analysis should include the game s player collective (the official company web site discussion board, fan web rings, and other user groups), and, if possible, direct observation of others playing, not merely reading of their reports and discussions. (ibdi). Ou seja, o que Aarseth chama de circulo hermenêutico de análise de jogos eletrônicos é formado pela própria prática do pesquisador em conjunto com todos os recortes que este puder fazer nas comunidades virtuais dos jogadores, dentro e fora do jogo. Enfim, o pesquisador valendo-se de todas as fontes possíveis, o círculo hermenêutico de análise dos jogos eletrônicos, compreende que a melhor fonte (e seguramente a mais confiável) é ser o seu próprio observador. Ragnarök Online O MMORPG corresponde a 94,2% da fatia de mercado dos jogos em rede massivos (MMO) no mundo, segundo pesquisa feita pelo site especializado MMOGCHAT.COM. Já quando comparado a totalidade da indústria dos jogos Disponível em <http://www.mmogchart.com/chart8.html>

6 eletrônicos, a previsão é que a categoria corresponde a quase um terço do faturamento do mercado mundial. Trinta bilhões de dólares. Essa é a cifra da indústria de games no mundo. A previsão é que, até 2009, os MMOGs (Massive Multiplayer Online Games) representem US$ 9,8 bilhões, diz a empresa LevelUp! Games. ** Certamente é uma grande fatia da indústria que mais cresce anualmente, a indústria dos games (jogos eletrônicos). O Ragnarök Online é um jogo em rede da categoria MMORPG criado em 2002 pela Gravity Corp. baseado no HQ homônimo do coreano Lee Myoungjin. No Brasil este jogo completa seu 4º aniversário traduzido e representado pela LevelUp! Games. A empresa também alberga outros jogos online famosos como Lineage II e SilkRoad, entre outros MMORPGs, além de jogos de ação, luta, casuais e de tiro em primeira pessoa (FPS), todos com a peculiaridade de serem online. Considerando um jogo de estratégia que contém violência moderada leve, na classificação etária sugerida pelo Ministério da Justiça, o Ragnarök Online é um jogo não recomendado para menores de 12 anos. Sua mantenedora brasileira, a LevelUp! Games, reconhece o principal aspecto do Ragnarök Online como sendo a criação de comunidades virtuais. Podemos observar as formas que este fenômeno ganha nas redes sociais dentro do jogo, na interação entre os jogadores por meio dos clãs e seus contatos, e fora do jogo, no fórum oficial, Orkut, Wiki, MSN, troca de s e sites dos clãs. A empresa sabe que seus clientes não se encontram apenas dentro do jogo. "Sabemos que 95% dos jogadores de Ragnarök usam o Messenger, disse Andrea Bedricovetchi, diretora geral da LUG, em um release divulgado pelo site FINALBOSS, em 19 de outubro de Confirmando o que Huizinga escreveu: As comunidades dos jogadores geralmente tendem a tornarem-se permanentes, mesmo depois de acabado o jogo (1996, p.15). A diretora geral da LevelUp! Games diz que em momentos de pico nos servidores do Ragnarök Online 20 mil jogadores brasileiros simultâneos podem estar interagindo e trocando mensagens online. Isto demonstra a escala massiva de jogadores desta categoria de jogo a qual nos referimos no início do artigo. ** Disponível em <http://levelupgames.uol.com.br/website/revendedores.aspx>. Disponível em <http://games. levelupgames.uol.com.br/ragnarok/guia_jogo/primeirospassos.php> Disponível em <http://finalboss.uol.com.br/ fb3/ctu.asp?cid=27396&jid=3670>

7 Interações e relacionamentos Procuramos entender como um jogo torna-se um ambiente comunicacional favorável a criação de relacionamentos virtuais (reais), que, conseqüentemente, levam a cibersocialização de seus jogadores. A cibersocialização dentro do Ragnarök Online é possível pela comunicação entre seus jogadores por meio de dispositivos informacionais. Aqui a comunicação é entendida como um intercâmbio entre os jogadores por meio da mídia do jogo, como vemos em Alex Primo (2007). Desta comunicação decorrem relacionamentos emergentes, inclusive se reconhece casos de namoros virtuais dentro desta categoria de jogo. Alex Primo diferencia a interação entre os jogadores daquela existente entre eles e o sistema informacional do jogo. Estes são conceitos precedentes pertinentes a compreensão da própria cibersocialidade existente nos MMORPGs. Sua abordagem sistêmica-relacional auxilia a compreensão dos relacionamentos emergentes em mundos virtuais e do papel da máquina no processo de comunicação. Para ele a máquina possui uma interação a nível reativo, possibilitando uma predição de sua reação pelos jogadores ou resposta a sua interação. Isto realmente se concretiza na criação de estratégias pelos jogadores, por vezes complexas, para vencerem a lógica da máquina, que segue previsivelmente com respostas reativas. Por exemplo, no Ragnarök Online, para subjugarem adversários fortes, como os monstros do tipo MVP (Most Valuable Player), os jogadores se solidarizam e organizam sua estratégia baseada nas classes e funções que seus avatares possuem. No fórum oficial do jogo observamos várias formas predefinidas de funções de personagens, chamadas builds (construções). Estas builds atribuem funcionalidades aos avatares e foram construídas pelos próprios jogadores, em discussões sobre suas experiências de jogo dentro do fórum. Esta comunicação entre jogadores, que ocorre dentro e fora do jogo, é uma forma de interação mútua, construída a cada encontro, na ação entre eles (inter-ação). Relacionamentos que se desenvolvem mutuamente entre seus interlocutores. Alex Primo nos mostra que são relacionamentos que devem ser construídos e reforçados a cada novo encontro. Conceito que explica como se formam os clãs e grupos de contatos de amigos que elevam o nível de seus relacionamentos a cada novo contato. O que explica também a forma imprevisível das reações que os organismos complexos

8 envolvidos na relação podem produzir. No evento chamado Guerra do Emperium é possível os jogadores disputarem entre clãs pelos feudos do jogo (castelos e masmorras especiais). A Guerra é um exemplo do modo de jogo chamado PvP (Player versus Player), em que jogadores lutam entre si, não contra adversários controlados pelo sistema do jogo. Podemos compreender melhor esse conceito de interação (reativa e mutua) por meio de duas metáforas em As Conexões Ocultas (2002) de Fritjof Capra: a da molécula do açúcar e a da pedra e do cachorro. O autor nos explica que o sabor doce do açúcar não se encontra na molécula de açúcar, nem na língua isoladamente, é na interação entre elas, na reação química que ocorre a sensação do doce. Da mesma forma a comunicação entre jogadores e os relacionamentos emergentes ocorrem na interação entre seus atores, de outra forma o jogo passaria por um antiquado jogo eletrônico para um jogador (modo Single Player). E como falamos anteriormente a peculiaridade destes jogos massivos se encontram na presença dos outros. Capra fala também sobre o conceito de acoplagem estrutural. Para o autor, Essa acoplagem estrutural, tal como a definem Maturama e Varela, estabelece uma nítida diferença entre os modos pelos quais os sistemas vivos e s não-vivos interagem com o ambiente (ibdi, p. 51). O autor diz que quando damos um ponta pé em uma pedra é possível prever a reação linear dos eventos. Inclusive calculando sua trajetória. Já quando desferimos o mesmo golpe em um cachorro, existe uma reação dos eventos imprevisíveis, reação não linear. Compreendemos pelo conceito de acoplagem estrutural que os jogadores em um mundo virtual são sistemas complexos que respondem às influências ambientais com mudanças estruturais, enquanto a máquina como integrante dos seres não-vivos, são reativas e previsíveis. Exemplificando a experiência da interação mediada pelo Ragnarök Online, apresentamos a seguir um trecho descrevendo a minha primeira experiência dentro de um MMORPG, minhas primeiras impressões sobre a navegação dentro de um espaço virtual, da complexidade de interagir com seres humanos por meio da máquina, enfim, o papel determinante dos outros nessa experiência.

9 A iniciação Fevereiro de 2006, instalei Ragnarök Online no meu computador, atraído pelo gráfico do jogo baseado nos animes e mangas japoneses pelos quais também tenho apreço. De inicio era preciso criar uma conta na empresa e uma no jogo no site oficial. A representante brasileira do jogo, a Level Up Games, só tinha servidores pagos na época, mas possibilitava uma semana de uso gratuito para jogadores iniciantes. Depois, já dentro do jogo, fui criar meu primeiro personagem (avatar) do jogo. Naquele momento algumas incoerências foram deixadas de lado, ou não foram observadas na época por falta de parâmetro, pois ao contrário de outros jogos da mesma categoria, Ragnarök Online é bem limitado neste estágio inicial. Por exemplo, os gêneros dos personagens do jogador são definidos pelo gênero preenchido na conta de jogo, não podendo ser alterado na criação do avatar, permitindo pouca liberdade de escolha para o que o jogador quer ser. Também não existe a possibilidade de representação de outras etnias. Logo naquela hora restava apenas definir a cor e o corte de cabelo, além de preencher os pontos de alguns atributos iniciais do meu primeiro personagem. Queria um guerreiro (classe chamada de Espadachim no jogo) coloquei o que achava coerente nos atributos do meu pré-guerreiro. De inicio meu avatar era um Aprendiz e nada estava definido ao certo até então. Fui teleportado (quando mudamos de uma área a outra no jogo) para o Campo de Treinamento, local para os Aprendizes treinarem os comandos e a interface do jogo, de certa forma onde se exercita a jogabilidade de Ragnarök Online. Existiam vários NPCs (avatares que não estão no controle dos jogadores mas do sistema do jogo) que a medida que eram acionados por um clique falavam e falavam. Recebi as instruções iniciais do jogo dentro do próprio jogo. Estava caçando alguns monstros, quando uma janela abriu-se (igual ao PopUp nos sites), alguém estava me convidando para me juntar a um grupo. O que era aquilo? Recusei o convite, talvez por timidez ou medo recusava todos os convites que apareciam. Havia caçado bastantes monstros sozinho, ganhei experiência pelas mortes e já tinha nível suficiente para sair do Campo de Treinamento. Um NPC me teleporta para uma cidade determinada pela minha escolha de classe. Meu pré-guerreiro foi para Izlude, a cidade dos Espadachins. Na linguagem do jogo quando se mata determinado tipo de criatura diz que se está caçando-a.

10 Não sabia exatamente o que fazer naquele momento. Minha ignorância naquele jogo criara um reflexo de timidez. Perambulei um tempinho na cidade. Ignorei e fui ignorado pelas pessoas que passavam. Não sabia ainda se eram todas avatares de jogadores ou se eram NPCs. Ainda não havia me tornado Espadachim e acabei achando uma saída da cidade para um campo onde tinha alguns monstros parecidos com os do Treinamento. Lá, vários avatares diferentes corriam para todos os lados passando por mim. Vi um avatar de capa e elmo montado em uma ave robusta e laranja que lembrava um avestruz (um Peco Peco) correndo de um Drops (criaturas gelatinosas e meigas que cacei muitos no campo de Treinamento). Naquela hora entendi que ele estaria precisando de ajuda e corri para matar seu perseguidor. Quando terminei meu ato heróico aquele jogador começou a conversar comigo. Perguntou se eu era nob (novato no jogo) ***, como não entendi o termo ele me explicou. Outros jogadores apareceram, alguns não eram aprendizes e aquele cavaleiro montado em um Peco Peco começou a ensinar muitas coisas a mim e outros jogadores iniciantes. Percebi que meu ato heróico de matar aquele Drops não era muito necessário, ele conseguia juntar vários ao seu redor o que facilitava os novatos darem cabo deles. Ganhei muita experiência (de jogo e matando monstros mais fortes que eu) naqueles minutos em que era instruído por outro jogador. Ele nos falou que alguns amigos o chamavam e foi embora. Pouco depois já não lembrava o nome de seu avatar, nem fui adicionado a sua lista de amigos. Houve apenas um ato solidário de um jogador experiente que iniciou a mim e outros jogadores no mundo épico medieval de Ragnarök Online. Virei espadachim porque ele me ensinou os primeiros passos. Ingresso a cibersocialização nos jogos massivos André Lemos (2004) aponta a importância da fenomenologia social de Michell Maffesoli para entendermos a própria sociedade contemporânea, que se apóia na descrição do social. Entendemos que Maffesoli (2006) possui uma filosofia pé-nochão, sua abordagem sociológica compreende não um devir social, mas a observação das formas sociais vigentes. Assim, para compreendermos o que André Lemos *** Nob ou nub, como escrevemos no jogo, é uma sigla em inglês que significa novato (newbie). Nos jogos online quem faz besteira é chamado de nob pelos jogadores mais experientes. Logo, tornou-se um xingamento, chamando-se até um jogador antigo de nob.

11 entende por Cibersocialidade Contemporânea precisamos vagar pela mente de Michel Maffesoli, buscando perceber como a aura da Sociabilidade moderna sede lugar a Socialidade pós-moderna. Na contemporaneidade reconhecemos uma mudança de paradigma social e como nos mostra Maffesoli (2006) os vínculos formais não são os únicos que tecem laços na grande estrutura social. Existem na vida cotidiana laços criados entre as pessoas, conexões que aparecem espontaneamente, tecendo grupos mais ou menos definidos. O autor observa que a massa na verdade é constituída de pequenos grupos (segmentação) amparados pelo espírito comunitário, com a tendência a se protegerem e se agruparem em segredo. Encontramos os mais variados exemplos: desde a conversa casual que ocorre na fila do banco ou no ponto do ônibus em um dia qualquer; no resquício de interioridade de algumas pessoas no hábito de colocar cadeiras de frente de suas casas para conversarem com os vizinhos; nas reuniões por algum interesse em comum (um gosto, uma afinidade talvez), que formam grupos mais ou menos definidos, ofertando aos indivíduos certa qualidade, uma sensação de pertencimento, de comunidade. Fenômenos cotidianos, portanto, que exemplificam a Socialidade, demonstrando como ela é importante para a vida social. Esse sentimento de estar junto, instinto de ligação afetiva que constrói os grupos, as comunidades, inerente ao inconsciente coletivo da sociedade como um todo. Favorecendo o tribalismo contemporâneo, novos agrupamentos sociais, que lembram os clãs primitivos. Enquanto isso, nos mundos virtuais, criados pelos jogos em rede da categoria MMORPG, existem laços afetivos sendo feitos e desfeitos a todo instante. Muitas vezes sem a preocupação de reconhecimento de alguma das partes, estes laços originam amizades improvisadas por algum tipo de afinidade sem explicação, talvez apenas para matarem o tempo juntos, ou com os mais variados propósitos. Nos MMORPGs os jogadores se solidarizam para contemplarem seus objetivos comuns, em uma categoria de jogo cuja finalidade (e singularidade) se encontra nas conexões estabelecidas entre seus participantes. Posso te add? no jargão dos jogadores, e tem início mais um relacionamento germinado em solo cibernético. Mesmo que efêmeros estes relacionamentos podem criar uma rede de contatos, ter a forma de clãs de grupos de amigos, demonstrando inclusive algum nível de formalidade entre estes jogadores.

12 Mesmo assim, apontamos a existência de conexões invisíveis implícitas nesta categoria de jogo. Uma força de atração entre os jogadores, que levam a formação de grupos solidários com fortes laços afetivos. Existe, assim, no exemplo do Ragnarök Online, uma interdependência entre os jogadores de um MMORPG, uma necessidade de estar junto, só explicada pela concepção de Michel Maffesoli de Socialidade e Neotribalismo. Demonstrando também que os dois paradigmas, Socialidade e Sociabilidade, não são excludentes nos jogos massivos. Os jogos eletrônicos, que já foram vistos como artefatos anti-sociais (de exclusão de seus praticantes da vida comunitária), na atualidade são mais que nunca instrumentos de socialização, pois a partir da sinergia entre os jogadores favorecem a criação de laços afetivos e a adesão a comunidades virtuais, dentro e fora do jogo. Neste artigo pretendemos realizar um estudo das formas emergentes de agrupamento sociais que se originam dentro desta categoria de jogo eletrônico. Neotribalismo e os clãs de jogadores A cibercultura, aponta André Lemos (2004), não se manifesta apenas na comunicação por dispositivos informacionais, ela se expressa na música tecno, nas festas haves, nos otakus japoneses, na contracultura hacker, no espírito de compartilhamento da internet. Ela também origina uma nova forma de socialização virtual, que, no dia-a-dia das pessoas, faz o cotidiano ser cada vez mais informatizado. Michel Maffesoli observou que na sociedade pós-moderna existe um sentimento de estar junto que origina grupos mais ou menos definidos, que se caracterizam pela solidariedade, por possuírem uma identidade simbólica, por se rodearem em segredo, pelo espírito comunitário e pela proximidade, originando uma nova forma de tribalismo contemporâneo. As comunidades virtuais apresentam estas mesmas características menos a proximidade física, conformando o que Maffesoli chamou de Neotribalismo, ou seja, laços afetivos não proximais. São neotribos as comunidades de jogadores na forma dos clãs observados dentro do jogo, e também as comunidades formadas nos fórum do jogo, que com o apóio de colaboradores voluntários, sem bônus algum, contribuem para a edificação de um banco de dados virtual. Nota-se também que estas contribuições voluntarias

13 ocorrem nos sites e fóruns não oficiais do jogo, o que confirma o que Maffesoli falava sobre o espírito solidário dos novos agrupamentos sociais. Huizinga diz que, uma das características dos jogos é sua separação espacial em relação a vida cotidiana (1996, p.23), visto que ele pode a qualquer instante chamálo de volta a realidade por um descuido dos seus praticantes. Vemos que as comunidades virtuais de jogadores se estendem a vida real de seus participantes. Os jogos eletrônicos são mídias que expressam a cultura de seus praticantes, uma cultura própria, já chamada por alguns de gamecultura. Desta forma, confirma-se também o que Cláudia Sepé propôs em um artigo apresentado na Sessão de Temas Livres, Intercom 2005, em que, os jogos da categoria MMORPG, não são atividades antagônicas à vida cotidiana, nem tampouco são atividades improdutivas, ao contrário do que Huizinga e Coillois defendem. Isso posto, o que me parece, considerando a natureza dos MMORPGs que venho analisando, é que esse antagonismo defendido tanto por Caillois, quanto por Huizinga, não se processa dessa forma, especialmente se levarmos em conta que o primeiro sustenta ser o jogo realizado dentro de limites precisos de tempo e de lugar (reservado, fechado e protegido), e o segundo, que o jogo é evasão da vida real. Pelo contrário, minha suposição é que o sucesso de jogos como os MMORPGs repousa justamente no fato de que a vida cotidiana e o que é experimentado no ambiente do jogo não se separam de forma tão decisiva como os autores parecem propor [...]. (SEPÉ, 2005, pp.6-7). A autora ainda observa que os jogadores procuram vivenciar o jogo de acordo com o que eles são na vida real. O que foge um pouco da proposta do gênero RPG implícito na sigla MMORPG, em que os jogadores deveriam praticar papeis no jogo. Mesmo assim, alguns jogadores burlam o sistema de gêneros do jogo, que definiria o papel masculino ou feminino do jogador. É o caso de muitos jogadores homens, que criam contas femininas para incorporem avatares femininos no jogo. Isto nem sempre expressa a sexualidade dos jogadores, visto que, muitos casam para obteres habilidades especiais que só o casal ou a família podem constituir. O casamento e a adoção entre avatares é comum e permitido no Ragnarök Online, mas só entre avatares de gêneros opostos. Provocando uma enquete dentro do fórum do jogo sobre ser a favor ou não do casamento gay no Ragnarök. Houve muito bate-boca entre os colaboradores do tópico, o que favorece o debate sobre a diversidade

14 e a tolerância sexual. Entre os 350 participantes da enquete, 61,3% foram a favor do casamento gay no jogo. Lembramos ainda que, os avatares (neste jogo) não podem representar outra etnia que não seja a branca, nem outro tipo físico. Exceto quando são adotados por um casal, quando se tornam menores que outros avatares (crianças). O que demonstra uma qualidade inseparável dos meios de comunicação tradicionais, a propagação de valores e práticas sociais de uma classe dominante. Contraditoriamente, são puníveis severamente, pelas regras do jogo e do fórum, quaisquer manifestações racistas e que revelem conotações preconceituosas, mesmo que o próprio conteúdo simbólico do jogo seja incoerente com as regras. Ainda assim, dentro e fora do jogo (no fórum), nota-se o que seria uma mídia pós-moderna, a criação de espaços para a discussão pública (online) dos valores da sociedade. Contudo, mesmo que anteriormente outras modificações propostas no jogo tenham sido atendidas, a comunidade dos jogadores deve esperar pacientemente que um dia esta seja atendida, já que a empresa não deve nem pensar em perder neste momento os 38,9% de clientes (preconceituosos) potenciais. Queremos mostrar com isso que é por meio dos avatares dos jogadores que estes se socializam e se identificam, mesmo que o jogador não queira revelar sua real identidade, o que geralmente não acontece no jogo. No trecho a seguir descrevo o meu ingresso no clã Gods Of War II, e apresento como estas questões pairam no ar, ao nos depararmos com um avatar feminino. Diferente da descrição anterior, já que na época nem mesmo pensava fazer uma pesquisa sobre o jogo. Nesta houve registro textual dos diálogos, devido à metodologia de Aarseth e graças à experiência. Desde então guardo o registro dos diálogos entre os jogadores, salvando o chatbox quando este parece pertinente a pesquisa. Segue os trechos. Gods Of War II 03 de novembro de Estava no mapa conhecido por Vila dos Orcs, voltando de uma empreitada solitária contra o MVP chamado Senhor dos Orcs, quando, ao entrar em uma casinha na Vila, onde geralmente os jogadores se Disponível em: <http://sites.levelupgames.com.br/forum/ragnarok/forums/t/ aspx?pageindex=1>

15 acumulam, fui abordado por uma avatar de nome Linda Algoz-FTM. Ela foi educada e pediu um minuto de minha atenção. Quando digo ela me refiro ao avatar feminino, pois naquele momento não sabia o gênero do jogador. Confesso que fui com um pé atrás já que muitos jogadores experientes (e mais velhos) tentam enganar os nobs (novatos) ou os jogadores mais jovens para roubar-lhes os itens raros. Calmamente ela me explicava que o intuito do seu clã, o Gods Of War II, era dar suporte aos aliados do clã Gods Of War, clã principal. Logo se tratava de um grupo de jogadores voltados para a Guerra do Emperium. Eu evitava aceitar convites de clãs, mas achei muito maduro a forma como aquela pessoa estava conduzindo seus recrutamentos para o clã, já que outros só soltam o convite sem conversarem com você antes. Muito relutante (até mesmo eu estava me achando pedante demais) aceitei a proposta. Quando Linda Algoz-FTM me convida para o seu clã é aberta uma opção acessível pelo comando Alt+G, naquela hora tenho acesso as informações do clã: numero de jogadores, seus níveis, suas classes, quanto doaram de experiência para o clã. Até mesmo as habilidades do clã e seu nível. Descubro naquele momento que ela era a líder do clã e imediatamente me apresenta aos outros integrantes que me saudarem alegremente. Ao entrar em um clã sou apresentado a uma rede de jogadores que expande a minha rede de contatos pessoal do jogo. Podemos ficar conversando pelo chatbox do clã mesmo que cassemos separados em grupos diferentes. Posso estar no outro lado do mundo virtual de Ragnarök Online, se tiver uma dificuldade, e alguém do clã estiver online, posso requisitar seu auxílio, mesmo que seja só uma dica de jogo. Em 11 de novembro de 2008 registrei uma conversa ocasional com a líder do clã, Linda Algoz-FTM, que dá indícios pela sua linguagem que se trata de um rapaz com avatar feminino. Na verdade já suspeitava que se tratasse de um jogador desde o primeiro dia que me recrutou. Sua forma de falar, sua gíria, apontavam seu gênero. Segue a baixo um trecho do savechat (comando que salva o chatbox do jogo), sem edição: Lista de comandos: /h Proteção Arcana iniciada. Configurar Grupo - Como dividir EXP : Dividido individualmente

16 [ Up Clã ] [ Familia Ghost Of War ² Recrutem kina e hunter!!!! ] Proteção Arcana cancelada. Otávio/Clérigo saiu. Otávio/Clérigo conectou-se. Otávio/Clérigo saiu. Otávio/Clérigo conectou-se. [ To Linda Algoz-FTM ] : oi cara blz? [ To Linda Algoz-FTM ] : upando ai? Configurar Grupo - Como dividir EXP : Dividido individualmente [ Up Clã ] [ Familia Ghost Of War ² Recrutem kina e hunter!!!! ] [ Member Linda Algoz-FTM ] : é mano [ Member Linda Algoz-FTM ] : acabei de entra Proteção Arcana iniciada. [ Member Linda Algoz-FTM ] : mais to aqui em payo [ Member Linda Algoz-FTM ] : mais to indo pra vila dos HO [ Member Linda Algoz-FTM ] : mais mano acho q eu nao vo pra WOE [ To Linda Algoz-FTM ] : pq? [ Member Linda Algoz-FTM ] : pq meu pai vai meche aqui no pc [ Member Linda Algoz-FTM ] : quero logo compra o meu pc mano [ To Linda Algoz-FTM ] : ah, inevitavel, acontece [ Member Linda Algoz-FTM ] : pow [ Member Linda Algoz-FTM ] : aqui nois divide o pc ta ligado [ Member Linda Algoz-FTM ] : mais meu pai mexe com DVD [ Member Linda Algoz-FTM ] : ta ligado [ Member Linda Algoz-FTM ] : ta osso [ Member Linda Algoz-FTM ] : mais vao vcs Proteção Arcana iniciada. Configurar Grupo - Como dividir EXP : Dividido individualmente [ Up Clã ] [ Familia Ghost Of War ² Recrutem kina e hunter!!!! ] [ Member Linda Algoz-FTM ] : o dinho ta ai depois

17 [ Member Linda Algoz-FTM ] : fmz [ Member Linda Algoz-FTM ] : vo nessa [ Member Linda Algoz-FTM ] : flw mano [ To Linda Algoz-FTM ] : pois é veio [ To Linda Algoz-FTM ] : flw bro Observamos neste trecho do savechat aquilo que Sepé falou. Realmente a vida real dos jogadores entra no jogo, na conversa ocasional nos chats dentro dos jogos da categoria MMORPG. Traços do nosso cotidiano familiar, escolar ou profissional aparecerem. No dia 27 de novembro de 2008, encontrei no mapa próximo da Vila dos Orcs, um membro do clã Gods Of War, nossos aliados, ele tinha o sufixo FTM no nome do seu avatar, perguntei se ele conhecia Linda Algoz-FTM. Ele disse que era seu primo, que FTM (sigla para FanTasMa) tornou-se um tipo de nome de família. Ainda penso que se trata do mesmo jogador em outra conta (prática comum, ter mais de uma conta de jogo). Outro dia, para acabar terminantemente com essa dúvida, perguntei a um membro antigo do clã quem era Linda Algoz-FTM. Ele riu, disse que se chamava Leandro, que era um shemale na veia, ou seja, gostava de jogar com avatares femininos. Notoriamente existem outros benefícios para se jogar com avatares femininos. Outros jogadores demonstram serem mais tolerantes as falhas e gafes do jogador e também se torna mais fácil achar membros para caçar em grupo. Conclusões Ao participar efetivamente de uma comunidade virtual dentro de um jogo, ingressando em um clã, o jogador/pesquisador pode por a prova todos os conceitos de interação, comunicação e socialização virtual, bem como a pertinência do estudo de Maffesoli sobre a Socialidade para compreensão da emergência dos novos agrupamentos não proximais dentro do espaço dos jogos massivos. Podemos ver, por exemplo, que uma das características do espírito comunitário que fala Maffesoli, o segredo, encontra-se no jogo Ragnarök Online. Ao aderir a um clã tomamos conhecimento de uma variedade de informações restrita àquele grupo de jogadores.

18 Os clãs de jogo possuem seus objetivos e estratégias para alcançá-los. Um clã que alcançou sua capacidade máxima de recrutamento de jogadores, como o Gods Of War, procura aliados para expandirem seu poder de combate contra outros clãs. Mesmo que vença, o clã aliado não possui os privilégios que o clã principal, podendo haver trocas dos jogadores entre estes clãs para que todos passem a usufruir, em seu tempo, das masmorras e castelos dos feudos conquistados. Sendo assim, a confiança e a solidariedade entre seus membros são essencial para alcançarem os objetivos em comum. Mesmo que não haja proximidade física entre os participantes destas comunidades, existe uma troca de experiências de jogo e de vida entre eles. Um verdadeiro intercâmbio de conhecimentos, culturas, valores e opiniões auxiliando o desenvolvimento dos relacionamentos na mediada que os próprios agentes se desenvolvem enquanto pessoas, praticando seu discurso e exercendo seu direito de liberdade de expressão, mesmo nos casos em que o próprio jogo ainda não permita total liberdade de representação individual, ao contrario, praticando a difusão de uma ideologia dominante. Indicamos neste trabalho as mudanças no paradigma contemporâneo comunicacional, para abrangerem jogos eletrônicos chamados aqui de massivos (MMORPGs), da mesma forma que o processo de comunicação também mudou, como nos mostra Alex Primo. O fenômeno da mediação de significados (signos e valores) deixa de ser exclusividade das grandes corporações, fazendo parte do dia-a-dia dos usuários da rede muitos seus residentes, como são chamados os jogadores de Second Life. Mesmo que não dominemos todos os aspectos técnicos da comunicação digital online, ainda sim, como nos relacionamos com as máquinas influenciará a forma de nos relacionarmos com nós próprios. Isto se consagra no jeito que nos divertimos e nos encontramos virtualmente. A tecnologia transformou profundamente o cotidiano das pessoas nas últimas décadas, principalmente no final do segundo milênio. O jeito de ser (porque não dizer o próprio ser) foi invadido pelas máquinas, engenhocas que cumprem tarefas das mais banais as mais relevantes. Estas transformações também dão impulso a uma nova forma de comunicação. Em pleno início do século XXI a conversa casual, a comunicação interpessoal e a interação entre indivíduos se cumprem mediadas pelas chamadas novas mídias.

19 Além disso, os computadores pessoais perderam a exclusividade sobre a internet para outros dispositivos tecnológicos como celulares e Ipods. Mesmo carros e aparelhos domésticos estão se conectando a grande rede vamos lembrar que estarmos na iminência da televisão digital (verdadeiramente interativa?) brasileira com todas suas possibilidades infinitas. Se toda informação é digital, e logo tudo e todos estarão conectados, é legitimo perguntar se nós mesmos não seremos reduzidos a informação. Tecnofóbicos diriam que passamos a viver pelas máquinas. Certamente estamos em meio a uma transição ideológica, ainda em conflito com valores modernistas. Contudo, gradualmente deixamos de temê-las e odiá-las por historicamente roubarem papéis humanos e afetarem nosso modo de ser e trabalhar. Como, por exemplo, cada inovação tecnológica nas fábricas desempregava vários trabalhadores, criando no imaginário coletivo um tecno-fantasma que iria subjugar seus criadores, igual ao monstro de Frankenstein. Na verdade, por muito tempo fomos ainda somos escravizados pelos patrões, não pelas máquinas. Hoje passamos a viver junto a elas, como pseudo-ciborgs. Tudo indica uma mudança de espírito de época. Lévy (1999) e Lemos (2004) nos mostram que já somos uma sociedade cibernética e as transformações persistem a cada nova invenção ou atualização, não superada pelas máquinas, mas adaptando nossos costumes a elas. O temor da superação do ser humano pelas máquinas é um fantasma antigo, que retorna com o aparecimento de relacionamentos cibernéticos. Por meio deste estudo procuramos demonstrar que os jogos massivos criam relacionamentos cibernéticos, além de transmitirem valores e significados próprios da cultura dos jogadores. Assim, a mídia pós-moderna pode ser um campo aberto a novas possibilidades comunicacionais. Resta saber explorá-la adequadamente. Referências ALVES, L. Game Over: Jogos eletrônicos e violência. São Paulo: Ed. Futura, ASSIS, J. Artes do Videogame: conceitos e técnicas. São Paulo: Ed. Alameda, AARSETH, Espen. Playing Research: Methodological approaches to game analysis. University of Bergen. Game Approaches/Spil-veje. Artigos do spilforskning.dk. Conference, august , Spilforskning.dk, ISBN Disponível em: <http://www.spilforskning.dk/gameapproaches/gameapproaches2.pdf>

20 CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. São Paulo. Editora Paz e Terra, FRITJOF, Capra. As conexões ocultas: ciência para uma vida sustentável. São Paulo. Editora Pensamento Cultrix, HUIZINGA, J. Homo Ludens: o jogo como elemento da cultura. 4ª Ed. São Paulo: Editora Perspectiva S.A LEMOS, A. Cibercultura: tecnologia e vida social na cultura contemporânea. 2ªEd. Porto Alegre: Sulina LÉVY, P. Cibercultura. Rio de Janeiro: Editora MAFFESOLI, Michel. O tempo das tribos: o declínio do individualismo nas sociedades de massa. Rio de Janeiro: Forense Universitária, MCLUHAN, Marshall. Os meios de comunicação como extensão do homem. São Paulo: Cultrix, SANTAELLA, Lúcia. Matrizes da linguagem e pensamento: Sonora visual verbal. São Paulo: Iluminuras LTDA, SEPÉ, Cláudia. Usuários articulados em torno de MMORPGs: o chat como elemento marcador da posição socializante e identitária do sujeito jogador. Trabalho apresentado à Sessão de Temas Livres Intercom, Disponível em: <http://www.intercom.org.br/papers/nacionais/2005/resumos/r pdf> PRIMO, Alex. Interação mediada por computador: comunicação, cibercultura, cognição. Editora Sulina, JOGOS CITADOS: RAGNARÖK ONLINE. Download no site oficial brasileiro da LevelUp! Games. Dispnível em <http://games.levelupgames.uol.com.br/ragnarok/home/index.php> SECOND LIFE. Download no site oficial brasileiro da MainLand Brasil. Dispnível em

13º Encontro / Cibercultura REALIDADES ALTERNATIVAS E AS NOVAS SOCIABILIDADES. O UNIVERSO DOS GAMES.

13º Encontro / Cibercultura REALIDADES ALTERNATIVAS E AS NOVAS SOCIABILIDADES. O UNIVERSO DOS GAMES. REALIDADES ALTERNATIVAS E AS NOVAS SOCIABILIDADES. O UNIVERSO DOS GAMES. Base dos slides: texto de Lúcia Santaella, Linguagens Líquidas na Era da Mobilidade. Principalmente, capítulos: 16 Games e Ambientes

Leia mais

Os Amigos do Pedrinho

Os Amigos do Pedrinho elaboração: PROF. DR. JOSÉ NICOLAU GREGORIN FILHO Os Amigos do Pedrinho escrito por & ilustrado por Ruth Rocha Eduardo Rocha Os Projetos de Leitura: concepção Buscando o oferecimento de subsídios práticos

Leia mais

As Comunidades Virtuais e a Produção do Capital Social: 1 Uma análise sob a comunidade Lollapalooza Brasil

As Comunidades Virtuais e a Produção do Capital Social: 1 Uma análise sob a comunidade Lollapalooza Brasil As Comunidades Virtuais e a Produção do Capital Social: 1 Uma análise sob a comunidade Lollapalooza Brasil Samira NOGUEIRA 2 Márcio Carneiro dos SANTOS 3 Universidade Federal do Maranhão, São Luís, MA

Leia mais

Um Menino Igual a Todo Mundo

Um Menino Igual a Todo Mundo elaboração: PROF. DR. JOSÉ NICOLAU GREGORIN FILHO Um Menino Igual a Todo Mundo escrito por & ilustrado por Sandra Saruê Marcelo Boffa Os Projetos de Leitura: concepção Buscando o oferecimento de subsídios

Leia mais

INTERNET, HIPERTEXTO E GÊNEROS DIGITAIS: NOVAS POSSIBILIDADES DE INTERAÇÃO Elaine Vasquez Ferreira de Araujo (UNIGRANRIO) elainevasquez@ig.com.

INTERNET, HIPERTEXTO E GÊNEROS DIGITAIS: NOVAS POSSIBILIDADES DE INTERAÇÃO Elaine Vasquez Ferreira de Araujo (UNIGRANRIO) elainevasquez@ig.com. INTERNET, HIPERTEXTO E GÊNEROS DIGITAIS: NOVAS POSSIBILIDADES DE INTERAÇÃO Elaine Vasquez Ferreira de Araujo (UNIGRANRIO) elainevasquez@ig.com.br 1. Introdução A rede mundial tem permitido novas práticas

Leia mais

Ainda existe preconceito, mas as ferramentas do século 21 estão disponíveis também para os cristãos buscarem relacionamentos.

Ainda existe preconceito, mas as ferramentas do século 21 estão disponíveis também para os cristãos buscarem relacionamentos. Ainda existe preconceito, mas as ferramentas do século 21 estão disponíveis também para os cristãos buscarem relacionamentos. Se você pensava que o namoro entre dois cristãos poderia acontecer somente

Leia mais

www.sbempb.com.br/epbem APRENDIZAGEM COLABORATIVA EM AMBIENTES VIRTUAIS E AS POSSIBILIDADES PARA OS PROFESSORES DE MATEMÁTICA

www.sbempb.com.br/epbem APRENDIZAGEM COLABORATIVA EM AMBIENTES VIRTUAIS E AS POSSIBILIDADES PARA OS PROFESSORES DE MATEMÁTICA APRENDIZAGEM COLABORATIVA EM AMBIENTES VIRTUAIS E AS POSSIBILIDADES PARA OS PROFESSORES DE MATEMÁTICA Ronaldo Vieira Cabral Abdias de Brito Aguiar Júnior José Sidney Nunes de Araújo Resumo: A parte das

Leia mais

Desenho didático para cursos online

Desenho didático para cursos online Desenho didático para cursos online Edméa Santos Professora da UERJ Professora-tutora do PROGED/ISP/UFBA E-mail: mea2@uol.com.br Site: www.docenciaonline.pro.br/moodle Que é cibercultura? Educação online:

Leia mais

Mídia, linguagem e educação

Mídia, linguagem e educação 21 3 22 Mídia, Linguagem e Conhecimento Segundo a UNESCO (1984) Das finalidades maiores da educação: Formar a criança capaz de refletir, criar e se expressar em todas as linguagens e usando todos os meios

Leia mais

Proposta Curricular do Estado de São Paulo para a Disciplina de Sociologia

Proposta Curricular do Estado de São Paulo para a Disciplina de Sociologia Proposta Curricular do Estado de São Paulo para a Disciplina de Ensino Médio Elaborar uma proposta curricular para implica considerar as concepções anteriores que orientaram, em diferentes momentos, os

Leia mais

A Cobronça, a Princesa e a Surpresa

A Cobronça, a Princesa e a Surpresa elaboração: PROF. DR. JOSÉ NICOLAU GREGORIN FILHO A Cobronça, a Princesa e a Surpresa escrito por & ilustrado por Celso Linck Fê Os Projetos de Leitura: concepção Buscando o oferecimento de subsídios práticos

Leia mais

Formação de professores para docência online

Formação de professores para docência online Formação de professores para docência online uma pesquisa interinstitucional Marco Silva EDU/UERJ Educar em nosso tempo conta com uma feliz coincidência histórica: a dinâmica comunicacional da cibercultura,

Leia mais

ABRIL 2010. Redes Sociais: revolução cultural na Internet. Ano 2 Número 2

ABRIL 2010. Redes Sociais: revolução cultural na Internet. Ano 2 Número 2 ABRIL 2010 Redes Sociais: revolução cultural na Internet Ano 2 Número 2 SUMÁRIO EXECUTIVO As redes sociais: revolução cultural na Internet Apresentação Definindo as redes sociais As redes sociais formam

Leia mais

ENSINO DE MATEMÁTICA PONTO BLOG

ENSINO DE MATEMÁTICA PONTO BLOG ENSINO DE MATEMÁTICA PONTO BLOG Moema Gomes Moraes 1 RESUMO: Este trabalho faz uma reflexão sobre os aspectos relacionados ao uso de Blogs no ensino de Matemática. Para isto, ele inicia fazendo uma reflexão

Leia mais

Música e internet: uma expressão da Cultura Livre

Música e internet: uma expressão da Cultura Livre Música e internet: uma expressão da Cultura Livre Auta Rodrigues Moreira Irene Guerra Salles Lilian Braga Carmo Luana Roberta Salazar Resumo: Atualmente, com a presença marcante das tecnologias, torna-se

Leia mais

Interatividade na docência e aprendizagem online

Interatividade na docência e aprendizagem online Interatividade na docência e aprendizagem online ou a pedagogia do parangolé Marco Silva EDU/UERJ Educar em nosso tempo conta com uma feliz coincidência histórica: a dinâmica comunicacional da cibercultura,

Leia mais

Profa Alessandra Regina Brito Mestre em Ciências Ambientais e Saúde Docente EAD Pós-graduações: Epidemiologia e Saúde Trabalhador Coordenação

Profa Alessandra Regina Brito Mestre em Ciências Ambientais e Saúde Docente EAD Pós-graduações: Epidemiologia e Saúde Trabalhador Coordenação Profa Alessandra Regina Brito Mestre em Ciências Ambientais e Saúde Docente EAD Pós-graduações: Epidemiologia e Saúde Trabalhador Coordenação Pedagógica Pós-graduação Epidemiologia Como surgiu a EAD O

Leia mais

Alta gerência líderes

Alta gerência líderes Alta gerência líderes Manual de um As melhores práticas de um líder empresarial, assim como as tendências tecnológicas e de mercado, foram alguns dos temas desenvolvidos por John Chambers, presidente-executivo

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE CURSO MÍDIAS NA EDUCAÇÃO CADA UM NO SEU QUADRINHO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE CURSO MÍDIAS NA EDUCAÇÃO CADA UM NO SEU QUADRINHO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE CURSO MÍDIAS NA EDUCAÇÃO CADA UM NO SEU QUADRINHO VIDEIRA, JUNHO DE 2008 ERMELINA PIRES FERREIRA GISLAINE GONZALEZ SIRLEI MUNZLINGER

Leia mais

Diogo Caixeta 6 PASSOS PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO DIGITAL DE SUCESSO! WWW.PALAVRASQUEVENDEM.COM WWW.CONVERSAODIGITAL.COM.BR

Diogo Caixeta 6 PASSOS PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO DIGITAL DE SUCESSO! WWW.PALAVRASQUEVENDEM.COM WWW.CONVERSAODIGITAL.COM.BR Diogo Caixeta 6 PASSOS PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO DIGITAL DE SUCESSO! WWW.PALAVRASQUEVENDEM.COM WWW.CONVERSAODIGITAL.COM.BR INTRODUÇÃO Você está cansado de falsas promessas uma atrás da outra, dizendo

Leia mais

II ENCONTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA BAHIA A EDUCAÇÃO COMO MATRIZ DE TODAS AS RELAÇÕES HUMANAS E SOCIAIS SALVADOR, BA 2013

II ENCONTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA BAHIA A EDUCAÇÃO COMO MATRIZ DE TODAS AS RELAÇÕES HUMANAS E SOCIAIS SALVADOR, BA 2013 II ENCONTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA BAHIA A EDUCAÇÃO COMO MATRIZ DE TODAS AS RELAÇÕES HUMANAS E SOCIAIS SALVADOR, BA 2013 TEMÁTICA: EDUCAÇÃO, QUESTÃO DE GÊNERO E DIVERSIDADE EDUCAÇÃO

Leia mais

Questão em foco: Colaboração de produto 2.0. Uso de técnicas de computação social para criar redes sociais corporativas

Questão em foco: Colaboração de produto 2.0. Uso de técnicas de computação social para criar redes sociais corporativas Questão em foco: Colaboração de produto 2.0 Uso de técnicas de computação social para criar redes sociais corporativas Tech-Clarity, Inc. 2009 Sumário Sumário... 2 Introdução à questão... 3 O futuro da

Leia mais

16 Matheus Vieira Fernando Alves

16 Matheus Vieira Fernando Alves Introducao Quando me propus a refletir sobre a aplicação do RPG na Educação, nunca pensei que escreveria sobre isso, muito menos que os escritos se transformariam num livro. Entretanto, quero tomar o cuidado

Leia mais

REPRESENTAÇÕES DE ESTUDANTES E FAMÍLIAS SOBRE UMA ESCOLA POR CICLOS

REPRESENTAÇÕES DE ESTUDANTES E FAMÍLIAS SOBRE UMA ESCOLA POR CICLOS REPRESENTAÇÕES DE ESTUDANTES E FAMÍLIAS SOBRE UMA ESCOLA POR CICLOS FORTES, Gilse Helena Magalhães PUCRS GT: Educação Fundamental /n.13 Agência Financiadora: não contou com financiamento A escola por ciclos,

Leia mais

Aula 8 Conversação e rede social na web

Aula 8 Conversação e rede social na web Aula 8 Conversação e rede social na web Aula 8 Conversação e rede social na web Meta Apresentar um programa de voz sobre IP (VoIP), o Skype, e fazer uma breve introdução ao mundo das redes sociais online,

Leia mais

A Dependência em MMO

A Dependência em MMO André Victor Figueiredo 0970867 Cristiano Farias Figueiredo 0975095 Felipe Martins Peixoto 0970972 Rodrigo Lourenço da Silva 0974986 Roberto Cezar O. Alves 0974951 A Dependência em MMO Sumário A Dependência

Leia mais

GANHE DINHEIRO FACIL GASTANDO APENAS ALGUMAS HORAS POR DIA

GANHE DINHEIRO FACIL GASTANDO APENAS ALGUMAS HORAS POR DIA GANHE DINHEIRO FACIL GASTANDO APENAS ALGUMAS HORAS POR DIA Você deve ter em mente que este tutorial não vai te gerar dinheiro apenas por você estar lendo, o que você deve fazer e seguir todos os passos

Leia mais

Por Tiago Bastos 1. 3 Dicas Infalíveis Para Ganhar Dinheiro Online

Por Tiago Bastos 1. 3 Dicas Infalíveis Para Ganhar Dinheiro Online Por Tiago Bastos 1 3 Dicas Infalíveis Para Ganhar Dinheiro Online 3 Dicas Infalíveis Para Ganhar Dinheiro Online Se não pode subir a montanha, torne-se uma. Por Tiago Bastos 2 3 Dicas Infalíveis Para Ganhar

Leia mais

Computação nas nuvens (Vantagens)

Computação nas nuvens (Vantagens) Computação em Nuvem Computação em nuvem O conceito de computação em nuvem (em inglês, cloud computing) refere-se à possibilidade de utilizarmos computadores menos potentes que podem se conectar à Web e

Leia mais

Interatividade e Interação

Interatividade e Interação Faculdade Boa Viagem Interatividade e Interação Linguagem III Rodrigo Duguay Várias frentes para uma invenção Por mais que coloquemos Tim Berners Lee como o marco referencial da invenção da Internet com

Leia mais

Entrevista da Professora Rosa Trombetta à rádio Jovem Pan.

Entrevista da Professora Rosa Trombetta à rádio Jovem Pan. Entrevista da Professora Rosa Trombetta à rádio Jovem Pan. A Professora Rosa Trombetta, Coordenadora de Cursos da FIPECAFI aborda o assunto elearning para os ouvintes da Jovem Pan Online. Você sabe o que

Leia mais

O ENVOLVIMENTO DOS DOCENTES DO ENSINO FUNDAMENTAL COM OS LETRAMENTOS DIGITAIS 1

O ENVOLVIMENTO DOS DOCENTES DO ENSINO FUNDAMENTAL COM OS LETRAMENTOS DIGITAIS 1 O ENVOLVIMENTO DOS DOCENTES DO ENSINO FUNDAMENTAL COM OS LETRAMENTOS DIGITAIS 1 Bruno Ciavolella Universidade Estadual de Maringá RESUMO: Fundamentado na concepção dialógica de linguagem proposta pelo

Leia mais

O signo enquanto representamen constitui a sua esfera mais primitiva e estaria relacionado à forma como algo está representado, sentido do signo como

O signo enquanto representamen constitui a sua esfera mais primitiva e estaria relacionado à forma como algo está representado, sentido do signo como AS NOVAS MÍDIAS COMO FERRAMENTA SEMIÓTICA NO PROCESSO DE ENSINO DE LÍNGUA INGLESA PARA CRIANÇAS 1. INTRODUÇÃO Waleska da Graça Santos (UFS) O ensino de línguas, assim como em qualquer outra esfera do saber

Leia mais

Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 1

Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 1 Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 1 Se não pode subir a montanha, torne-se uma. Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 2 ISSO ESTÁ ME GERANDO R$7.278,05 - R$10.588,38 POR SEMANA E VOCÊ PODE FAZER

Leia mais

Karine Xavier Freire 1 - SEEDF

Karine Xavier Freire 1 - SEEDF 1 SABER VII Ética do gênero humano Ambientes de aprendizagem como espaço de convivencia e transformação O CONHECIMENTO EM REDE: CONVIVER E INTERAGIR NO FÓRUM. Karine Xavier Freire 1 - SEEDF Lucicleide

Leia mais

AMBIENTES ONLINE: que formato tem o ambiente que os jovens procuram online?

AMBIENTES ONLINE: que formato tem o ambiente que os jovens procuram online? AMBIENTES ONLINE: que formato tem o ambiente que os jovens procuram online? Edgar Marcucci Reis 1 Jéssica Naiara dos Santos Batista 2 Resumo: O artigo apresenta uma visão sobre os ambientes online encontrados

Leia mais

UNIDADE IV AUTO RESPONDER

UNIDADE IV AUTO RESPONDER UNIDADE IV AUTO RESPONDER Vamos agora entrar num dos pontos mais importantes do e-mail marketing. O serviço de auto responder. O QUE É O AUTO RESPONDER? Esse serviço muda de nome dependendo da ferramenta

Leia mais

Modelos educacionais e comunidades de aprendizagem

Modelos educacionais e comunidades de aprendizagem Modelos educacionais e comunidades de aprendizagem Temos literatura abundante sobre comunidades de aprendizagem, sobre a aprendizagem em rede, principalmente na aprendizagem informal. A sociedade conectada

Leia mais

Consultoria para desenvolvimento de estratégias de treinamento on-line

Consultoria para desenvolvimento de estratégias de treinamento on-line 1 2 A HIPOCAMPUS é uma empresa de consultoria em comunicação e ensino digital com foco nos profissionais de saúde. Estamos prontos a auxiliar empresas dos diferentes segmentos da área de saúde a estabelecer

Leia mais

ORKUT NA ESCOLA OU A ESCOLA NO ORKUT? 1 O potencial da sala de informática como espaço de aprendizagem e sociabilidade virtual

ORKUT NA ESCOLA OU A ESCOLA NO ORKUT? 1 O potencial da sala de informática como espaço de aprendizagem e sociabilidade virtual ORKUT NA ESCOLA OU A ESCOLA NO ORKUT? 1 O potencial da sala de informática como espaço de aprendizagem e sociabilidade virtual Maira Teresinha Lopes, PENTEADO (UFSC-SC) 2 Resumo Baseada nas ideias dos

Leia mais

CENTRO VIRTUAL DE MODELAGEM: A SINERGIA DA MODELAGEM MATEMÁTICA COM VÍDEOS DIGITAIS

CENTRO VIRTUAL DE MODELAGEM: A SINERGIA DA MODELAGEM MATEMÁTICA COM VÍDEOS DIGITAIS CENTRO VIRTUAL DE MODELAGEM: A SINERGIA DA MODELAGEM MATEMÁTICA COM VÍDEOS DIGITAIS Nilton Silveira Domingues Universidade Estadual Paulista (UNESP - Campus de Rio Claro) Instituto de Geociências e Ciências

Leia mais

8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM

8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM CORRENTES DO PENSAMENTO DIDÁTICO 8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM Se você procurar no dicionário Aurélio, didática, encontrará o termo como feminino substantivado de didático.

Leia mais

Meios de Comunicação e Professores: Aproximações Práticas e Distanciamentos Conceituais 1

Meios de Comunicação e Professores: Aproximações Práticas e Distanciamentos Conceituais 1 Meios de Comunicação e Professores: Aproximações Práticas e Distanciamentos Conceituais 1 Charlotte Couto Melo 2 Gláucia da Silva Brito 3 Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR. Resumo As mudanças

Leia mais

Texto: Cinco pontos sobre redes sociais na Internet. Análise:

Texto: Cinco pontos sobre redes sociais na Internet. Análise: Texto: Cinco pontos sobre redes sociais na Internet Por Raquel Recuero Análise: Introdução: Ao longo da história do homem contemporâneo tivemos diversos avanços nas chamadas tecnologias de comunicação,

Leia mais

Ferramentas de informações e comunicações e as interações possíveis Tecnologias populares para uma Educação à Distância mais Popular.

Ferramentas de informações e comunicações e as interações possíveis Tecnologias populares para uma Educação à Distância mais Popular. Trabalha de Conclusão do Curso Educação a Distância : Um Novo Olhar Para a Educação - Formação de Professores/Tutores em EaD pelo Portal Somática Educar Ferramentas de informações e comunicações e as interações

Leia mais

C.P.F. DOS ENVOLVIDOS: 105111179-06 085997089-29 093745209-23 KRIO. A integração entre a tecnologia e a comunicação para Jovens Aprendizes

C.P.F. DOS ENVOLVIDOS: 105111179-06 085997089-29 093745209-23 KRIO. A integração entre a tecnologia e a comunicação para Jovens Aprendizes C.P.F. DOS ENVOLVIDOS: 105111179-06 085997089-29 093745209-23 KRIO A integração entre a tecnologia e a comunicação para Jovens Aprendizes FLORIANÓPOLIS 2014 2 RESUMO: O projeto apresentado é resultado

Leia mais

O tema desta edição do EVP em Notícias é: Conexões

O tema desta edição do EVP em Notícias é: Conexões O tema desta edição do EVP em Notícias é: Conexões Nosso entrevistado é o Prof. Dr. Rogério da Costa, da PUC-SP. A partir de um consistente referencial teórico-filosófico, mas em uma linguagem simples,

Leia mais

Apoio tecnológico para treinamento vocacional. Projeto-piloto indica possibilidades de ampliação de acesso a cursos online. Artigo

Apoio tecnológico para treinamento vocacional. Projeto-piloto indica possibilidades de ampliação de acesso a cursos online. Artigo Artigo Apoio tecnológico para treinamento vocacional Projeto-piloto indica possibilidades de ampliação de acesso a cursos online Rodrigo Laiola Guimarães*, Andrea Britto Mattos**, Victor Martinêz***, Flávio

Leia mais

UNIDADE II Conhecendo o Ambiente Virtual de Aprendizagem

UNIDADE II Conhecendo o Ambiente Virtual de Aprendizagem UNIDADE II Conhecendo o Ambiente Virtual de Aprendizagem 2.1 Introdução Caro Pós-Graduando, Nesta unidade, abordaremos o Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) que será utilizado no curso: o Moodle. Serão

Leia mais

ÁREA DO PROFESSOR (TUTOR)

ÁREA DO PROFESSOR (TUTOR) ÁREA DO PROFESSOR (TUTOR) 2- FÓRUM O fórum serve para avaliar os alunos através da participação na discussão sobre um ou mais assuntos, inserção de textos ou arquivos. Os fóruns de discussão compõem uma

Leia mais

Copyright 2011 Manual Gere Afiliados - www.gerasite.com MANUAL. Gere Afiliados. Copyright 2011 - Júnior Resende - Direitos Reservados

Copyright 2011 Manual Gere Afiliados - www.gerasite.com MANUAL. Gere Afiliados. Copyright 2011 - Júnior Resende - Direitos Reservados GERA SITE Apresenta... MANUAL Gere Afiliados Como Criar Seu Próprio Site de Vendas e Marketing de Afiliados Facilmente Copyright 2011 - Júnior Resende - Direitos Reservados Direitos de Reprodução Este

Leia mais

PVANET: PRINCIPAIS FERRAMENTAS E UTILIZAÇÃO DIDÁTICA

PVANET: PRINCIPAIS FERRAMENTAS E UTILIZAÇÃO DIDÁTICA 11 PVANET: PRINCIPAIS FERRAMENTAS E UTILIZAÇÃO DIDÁTICA O PVANet é o ambiente virtual de aprendizagem (AVA) de uso exclusivo da UFV. Os AVAs apresentam diferenças de layout, forma de acesso, funcionamento,

Leia mais

FACETAS DA MULHER BRASILEIRA: VISÃO DAS BRASILEIRAS SOBRE A IMAGEM DA MULHER NOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO

FACETAS DA MULHER BRASILEIRA: VISÃO DAS BRASILEIRAS SOBRE A IMAGEM DA MULHER NOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO FACETAS DA MULHER BRASILEIRA: VISÃO DAS BRASILEIRAS SOBRE A IMAGEM DA MULHER NOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO Fevereiro 2016 A MULHER NOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO O que mais incomoda no discurso/posição que a mulher

Leia mais

(In)Segurança Virtual. Introdução Expotec 2009 IFRN- Campus Mossoró

(In)Segurança Virtual. Introdução Expotec 2009 IFRN- Campus Mossoró (In)Segurança Virtual Introdução Expotec 2009 IFRN- Campus Mossoró Eliakim Aquino - eliakim_pcdoctor@hotmail.com interseguraca.blogspot.com Mossoró-RN Setembro-2009 Que idéia seria essa? Fator Humano:

Leia mais

PESQUISA DIAGNÓSTICA - SISTEMATIZAÇÃO. - Sim, estou gostando dessa organização sim, porque a gente aprende mais com organização das aulas.

PESQUISA DIAGNÓSTICA - SISTEMATIZAÇÃO. - Sim, estou gostando dessa organização sim, porque a gente aprende mais com organização das aulas. ESCOLA MUNICIPAL BUENA VISTA Goiânia, 19 de junho de 2013. - Turma: Mestre de Obras e Operador de computador - 62 alunos 33 responderam ao questionário Orientador-formador: Marilurdes Santos de Oliveira

Leia mais

CURSOS INGLÊS RÁPIDO Liberdade de Escolha

CURSOS INGLÊS RÁPIDO Liberdade de Escolha 1 Nossos cursos são dirigidos a adolescentes, jovens e adultos que querem aprender inglês de forma rápida e eficiente. Pessoas que já tentaram estudar inglês e tiveram dificuldades vão se surpreender com

Leia mais

SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO EM REDE. Resumo

SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO EM REDE. Resumo SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO EM REDE Cleide Aparecida Carvalho Rodrigues 1 Resumo A proposta para a realização do SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO EM REDE surgiu durante uma das atividades do Grupo de Estudos de Novas Tecnologias

Leia mais

ELABORAÇÃO DE CATÁLOGO DESCRITIVO DE SITES PARA O ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA

ELABORAÇÃO DE CATÁLOGO DESCRITIVO DE SITES PARA O ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA ELABORAÇÃO DE CATÁLOGO DESCRITIVO DE SITES PARA O ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA Dayane Ribeiro da Silva (PICV/PRPPG/ UNIOESTE), Greice da Silva Castela (Orientadora), e-mail: greicecastela@yahoo.com.br

Leia mais

Marcele Bastos Consultora de comunicação mbastos.sa@gmail.com MÍDIAS SOCIAIS

Marcele Bastos Consultora de comunicação mbastos.sa@gmail.com MÍDIAS SOCIAIS Marcele Bastos Consultora de comunicação mbastos.sa@gmail.com MÍDIAS SOCIAIS TEMAS o O que são mídias sociais (conceito, apresentação dos diversos canais das redes sociais, gestão dos canais) o Moda ou

Leia mais

VISITE O BLOG www.homemalpha.com.br

VISITE O BLOG www.homemalpha.com.br VISITE O BLOG www.homemalpha.com.br APRESENTAÇÃO A timidez é um problema que pode acompanhar um homem a vida inteira, tirando dele o prazer da comunicação e de expressar seus sentimentos, vivendo muitas

Leia mais

Blog e Flog como recursos de aprendizagem

Blog e Flog como recursos de aprendizagem 1 de 6 12/11/2008 20:24 Blog e Flog como recursos de aprendizagem Imprimir página Blog pedagógico: é possível visualizar um novo horizonte? Tânia Maria Moreira 1 Antes de ler este texto, pare, pense e

Leia mais

DA EDUCAÇÃO TRADICIONAL ÀS NOVAS TECNOLOGIAS APLICADAS À EDUCAÇÃO

DA EDUCAÇÃO TRADICIONAL ÀS NOVAS TECNOLOGIAS APLICADAS À EDUCAÇÃO 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 DA EDUCAÇÃO TRADICIONAL ÀS NOVAS TECNOLOGIAS APLICADAS À EDUCAÇÃO Natália Aguiar de Menezes 1 RESUMO: Observa-se que com o passar dos anos o ensino superior

Leia mais

Designer gráfico. elementos verbais e não-verbais que irão compor peças gráficas com a finalidade

Designer gráfico. elementos verbais e não-verbais que irão compor peças gráficas com a finalidade Rubens de Souza Designer gráfico O designer gráfico desenvolve projetos ou planejamentos a partir de elementos verbais e não-verbais que irão compor peças gráficas com a finalidade específica de atingir

Leia mais

$ $ COMO A INTRANET DE SUA EMPRESA ESTÁ TE FAZENDO PERDER DINHEIRO

$ $ COMO A INTRANET DE SUA EMPRESA ESTÁ TE FAZENDO PERDER DINHEIRO COMO A INTRANET DE SUA EMPRESA ESTÁ TE FAZENDO PERDER DINHEIRO INTRODUÇÃO No mundo corporativo, talvez nenhuma expressão tenha ganhado tanto foco quanto 'engajamento'. O RH ouve isso todo dia, o time de

Leia mais

Prefácio. Eliane Schlemmer

Prefácio. Eliane Schlemmer Prefácio Eliane Schlemmer SciELO Books / SciELO Livros / SciELO Libros SCHLEMMER, E. Prefácio. In: PORTO, C., and SANTOS, E., orgs. Facebook e educação: publicar, curtir, compartilhar [online]. Campina

Leia mais

SOFTWARES SOCIAIS E MUNDOS VIRTUAIS: MAPEAMENTO DAS FERRAMENTAS PARA A MOBILIZAÇÃO EM SAÚDE 1

SOFTWARES SOCIAIS E MUNDOS VIRTUAIS: MAPEAMENTO DAS FERRAMENTAS PARA A MOBILIZAÇÃO EM SAÚDE 1 SOFTWARES SOCIAIS E MUNDOS VIRTUAIS: MAPEAMENTO DAS FERRAMENTAS PARA A MOBILIZAÇÃO EM SAÚDE 1 Bruna Mayara de Lima Cibotto 2 ; Patrícia Marques da Silva Prado 2 ; Ana Paula Machado Velho 3. RESUMO: O presente

Leia mais

CRIANÇA@WEB: A SUSTENTABILIDADE COMO TEMA DE REDES SOCIAIS INFANTIS NA INTERNET

CRIANÇA@WEB: A SUSTENTABILIDADE COMO TEMA DE REDES SOCIAIS INFANTIS NA INTERNET CRIANÇA@WEB: A SUSTENTABILIDADE COMO TEMA DE REDES SOCIAIS INFANTIS NA INTERNET Simone Barros mestre em educação, simonegbarros@gmail.com Departamento de Design - Universidade Federal de Pernambuco André

Leia mais

Programa do Curso. Cultura da mobilidade e Educação: desvendando possibilidades pedagógicas

Programa do Curso. Cultura da mobilidade e Educação: desvendando possibilidades pedagógicas UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO CAMPUS I MESTRADO EM EDUCAÇÃO E CONTEMPORANEIDADE LINHA DE PESQUISA: JOGOS ELETRÔNICOS E APRENDIZAGEM GRUPO DE PESQUISA: COMUNIDADES VIRTUAIS

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS. Aula 09

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS. Aula 09 FACULDADE CAMÕES PORTARIA 4.059 PROGRAMA DE ADAPTAÇÃO DE DISCIPLINAS AO AMBIENTE ON-LINE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL DOCENTE: ANTONIO SIEMSEN MUNHOZ, MSC. ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: FEVEREIRO DE 2007. Internet,

Leia mais

Questões de gênero. Masculino e Feminino

Questões de gênero. Masculino e Feminino 36 Questões de gênero Masculino e Feminino Pepeu Gomes Composição: Baby Consuelo, Didi Gomes e Pepeu Gomes Ôu! Ôu! Ser um homem feminino Não fere o meu lado masculino Se Deus é menina e menino Sou Masculino

Leia mais

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E O USO INTEGRADO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS Sérgio Abranches

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E O USO INTEGRADO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS Sérgio Abranches PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E O USO INTEGRADO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS Sérgio Abranches A presença de tecnologias digitais no campo educacional já é facilmente percebida, seja pela introdução de equipamentos diversos,

Leia mais

ebook Aprenda como aumentar o poder de captação do seu site. por Rodrigo Pereira Publicitário e CEO da Agência Retina Comunicação

ebook Aprenda como aumentar o poder de captação do seu site. por Rodrigo Pereira Publicitário e CEO da Agência Retina Comunicação por Rodrigo Pereira Publicitário e CEO da Agência Retina Comunicação Sobre o Autor: Sempre fui comprometido com um objetivo de vida: TER MINHA PRÓPRIA EMPRESA. Mas assim como você, eu também ralei bastante

Leia mais

CURSO DE EXTENSÃO A DISTÂNCIA SECADI/UFC AULA 02: EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA TÓPICO 03: CARACTERÍSTICAS DO ENSINO A DISTÂNCIA VERSÃO TEXTUAL Antes de iniciar este curso, você deve ter refletido bastante sobre

Leia mais

USUÁRIOS GERANDO CONTEÚDO PARA UM SITE

USUÁRIOS GERANDO CONTEÚDO PARA UM SITE USUÁRIOS GERANDO CONTEÚDO PARA UM SITE www.espm.br/centraldecases USUÁRIOS GERANDO CONTEÚDO PARA UM SITE Preparado pelo Prof. Vicente Martin Mastrocola, da ESPM-SP. Recomendado para as disciplinas de:

Leia mais

Introdução ao Moodle (1.6.5+)

Introdução ao Moodle (1.6.5+) Introdução ao Moodle (1.6.5+) 2 Athail Rangel Pulino Ficha Técnica Título Introdução ao Moodle Autor Athail Rangel Pulino Filho Copyright Creative Commons Edição Agosto 2007 Introdução ao Moodle 3 Índice

Leia mais

C O N S U L T O R I A E G E S T Ã O P A R A E S T R A T É G I A D E R E D E S S O C I A I S

C O N S U L T O R I A E G E S T Ã O P A R A E S T R A T É G I A D E R E D E S S O C I A I S C O N S U L T O R I A E G E S T Ã O P A R A E S T R A T É G I A D E R E D E S S O C I A I S A MELHOR OPORTUNIDADE PARA O SEU NEGÓCIO ESTÁ AO SEU ALCANCE NAS REDES SOCIAIS... O MUNDO É FEITO DE REDES SOCIAIS

Leia mais

O conceito de colaboração

O conceito de colaboração O conceito de colaboração O conceito de colaboração está ligado às técnicas que possibilitam que pessoas dispersas geograficamente possam trabalhar de maneira integrada, como se estivessem fisicamente

Leia mais

O ENSINO DE ESPANHOL COMO LE COM OS RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS NA PLATAFORMA MOODLE*

O ENSINO DE ESPANHOL COMO LE COM OS RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS NA PLATAFORMA MOODLE* 1 O ENSINO DE ESPANHOL COMO LE COM OS RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS NA PLATAFORMA MOODLE* Resumo Este trabalho se propõe a analisar o curso de extensão universitária CESB (Curso de Espanhol Básico) para

Leia mais

Introdução. múltiplas interferências (SILVA, 2006).

Introdução. múltiplas interferências (SILVA, 2006). 1 FORMAÇÃO E AÇÃO DO DOCENTE ONLINE RODRIGUES, Tatiana Claro dos Santos UNESA taticlaro@globo.com GT-16: Educação e Comunicação Agência Financiadora: CAPES Introdução As tecnologias da informação e comunicação

Leia mais

Tecnologias Móveis e Ferramentas Web 2.0 no Ensino Superior: algumas possibilidades

Tecnologias Móveis e Ferramentas Web 2.0 no Ensino Superior: algumas possibilidades Tecnologias Móveis e Ferramentas Web 2.0 no Ensino Superior: algumas possibilidades João Batista Bottentuit Junior Universidade Federal do Maranhão UFMA jbbj@terra.com.br 29 de Outubro de 2013 Contexto

Leia mais

FRANCISCO JOSÉ PAOLIELLO PIMENTA

FRANCISCO JOSÉ PAOLIELLO PIMENTA FRANCISCO JOSÉ PAOLIELLO PIMENTA Figura 1 - Francisco Paoliello Pimenta, professor na Universidade Federal de Juiz de Fora acervo pessoal de Francisco Paoliello Pimenta Não há separação entre o conhecimento

Leia mais

Sumário Aspectos Básicos... 3 Como Empresas usam o Facebook... 3 Introdução ao Facebook... 4 Criando um Cadastro... 5 Confirmando E-mail...

Sumário Aspectos Básicos... 3 Como Empresas usam o Facebook... 3 Introdução ao Facebook... 4 Criando um Cadastro... 5 Confirmando E-mail... FACEBOOK Sumário Aspectos Básicos... 3 Como Empresas usam o Facebook... 3 Introdução ao Facebook... 4 Criando um Cadastro... 5 Confirmando E-mail... 8 Características do Facebook... 10 Postagens... 11

Leia mais

Entendendo o que é Gênero

Entendendo o que é Gênero Entendendo o que é Gênero Sandra Unbehaum 1 Vila de Nossa Senhora da Piedade, 03 de outubro de 2002 2. Cara Professora, Hoje acordei decidida a escrever-lhe esta carta, para pedir-lhe ajuda e trocar umas

Leia mais

1 Introdução. 1.1 A Nova Era Digital

1 Introdução. 1.1 A Nova Era Digital 11 1 Introdução Com o advento da nova era da internet, conhecida com web 2.0, e o avanço das tecnologias digitais, o consumidor passa a ter maior acesso à informação bem como à facilidade de expressar

Leia mais

Atenção: Revista em desenvolvimento

Atenção: Revista em desenvolvimento Editorial Atenção: Revista em desenvolvimento Estamos iniciando nossa primeira edição, de um produto até agora novo, não na tecnologia empregada que já é sucesso na Europa, e sim em seu conteúdo. As revistas

Leia mais

Conversando com os pais

Conversando com os pais Conversando com os pais Motivos para falar sobre esse assunto, em casa, com os filhos 1. A criança mais informada, e de forma correta, terá mais chances de saber lidar com sua sexualidade e, no futuro,

Leia mais

Saberes da Docência Online

Saberes da Docência Online Saberes da Docência Online Edméa Santos Professora do PROPED-Faculdade de Educação da UERJ E-mail: mea2@uol.com.br Web-site: http://www.docenciaonline.pro.br/moodle http://www.proped..pro.br/moodle Fones

Leia mais

Porque não Seguir o Fluxo da Sociedade Hebert Schiavelli Página 1

Porque não Seguir o Fluxo da Sociedade Hebert Schiavelli Página 1 Porque não Seguir o Fluxo da Sociedade Hebert Schiavelli Página 1 A maior Ambição do Homem é querer Colher aquilo que Não Semeou. Hebert Schiavelli (Empreendedor) Porque não Seguir o Fluxo da Sociedade

Leia mais

Turma 1222 Unidade Curricular INTERFACE HOMEM-COMPUTADOR Professor CLÁUDIA SANTOS FERNANDES Aula 4 Abordagens Teóricas em IHC

Turma 1222 Unidade Curricular INTERFACE HOMEM-COMPUTADOR Professor CLÁUDIA SANTOS FERNANDES Aula 4 Abordagens Teóricas em IHC Turma 1222 Unidade Curricular INTERFACE HOMEM-COMPUTADOR Professor CLÁUDIA SANTOS FERNANDES Aula 4 Abordagens Teóricas em IHC Introdução -Apesar de IHC ser uma área bastante prática, muitos métodos, modelos

Leia mais

TELEJORNALISMO E ESTUDOS CULTURAIS

TELEJORNALISMO E ESTUDOS CULTURAIS Sétimo Fórum Nacional de Professores de Jornalismo Praia dos Ingleses, SC, abril de 2004 GT: Laboratório de Jornalismo Eletrônico Trabalho: TELEJORNALISMO E ESTUDOS CULTURAIS Autora: Célia Maria Ladeira

Leia mais

Não Era uma Vez... Contos clássicos recontados

Não Era uma Vez... Contos clássicos recontados elaboração: PROF. DR. JOSÉ NICOLAU GREGORIN FILHO Não Era uma Vez... Contos clássicos recontados escrito por Vários autores Os Projetos de Leitura: concepção Buscando o oferecimento de subsídios práticos

Leia mais

Internet a Serviço da Igreja Como podemos catequizar com as Redes Sociais

Internet a Serviço da Igreja Como podemos catequizar com as Redes Sociais PARÓQUIA SÃO PEDRO APÓSTOLO Internet a Serviço da Igreja Como podemos catequizar com as Redes Sociais Clayton de Almeida Souza 14/03/2015 Formação para Catequistas e auxiliares da Paróquia São Pedro Apóstolo.

Leia mais

3 As Mídias Sociais como Ferramentas de Marketing

3 As Mídias Sociais como Ferramentas de Marketing 26 3 As Mídias Sociais como Ferramentas de Marketing O surgimento das mídias sociais está intimamente ligado ao fenômeno da geração de conteúdo pelo usuário e ao crescimento das redes sociais virtuais

Leia mais

Projeto Aprendendo na Rede: Uso da internet como ferramenta de aprendizado

Projeto Aprendendo na Rede: Uso da internet como ferramenta de aprendizado Projeto Aprendendo na Rede: Uso da internet como ferramenta de aprendizado Leandro Avelino de SOUSA¹; Samuel Pereira DIAS²; Wanda Luzia CHAVES³; ¹ Estudante de Ciências Biológicas. Instituto Federal Minas

Leia mais

Como criar. um artigo. em 1h ou menos. Por Natanael Oliveira

Como criar. um artigo. em 1h ou menos. Por Natanael Oliveira Como criar um artigo em 1h ou menos Por Natanael Oliveira 1 Como escrever um artigo em 1h ou menos Primeira parte do Texto: Gancho Inicie o texto com perguntas ou promessas, algo que prenda atenção do

Leia mais

PLANO DE AÇÃO OFICINA DE SENSIBILIZAÇÃO DOS PROFESSORES SOBRE O CONCURSO TEMPOS DE ESCOLA

PLANO DE AÇÃO OFICINA DE SENSIBILIZAÇÃO DOS PROFESSORES SOBRE O CONCURSO TEMPOS DE ESCOLA PLANO DE AÇÃO OFICINA DE SENSIBILIZAÇÃO DOS PROFESSORES SOBRE O CONCURSO TEMPOS DE ESCOLA PROPOSTA DE AÇÃO Sensibilizar os professores sobre a importância de incentivar seus alunos a participarem do Concurso

Leia mais

Desvendando o ISO on-line

Desvendando o ISO on-line Desvendando o ISO on-line Toda novidade, quando surge, trás consigo duas coisas básicas: 1 Chama a atenção pelo potencial revolucionário que apresenta; 2 Desperta desconfiança por quebrar paradigmas até

Leia mais

Blog http://conquistadores.com.br. + dinheiro + mulheres + sucesso social (mini e-book grátis)

Blog http://conquistadores.com.br. + dinheiro + mulheres + sucesso social (mini e-book grátis) Blog http://conquistadores.com.br CONQUISTADORES + dinheiro + mulheres + sucesso social (mini e-book grátis) Blog http://conquistadores.com.br CONQUISTADORES + dinheiro + mulheres + sucesso social (Este

Leia mais