Pulverizadores: Mecanização da cultura do Cacau. Máquinas Agrícolas Jacto S/A Pompéia -SP. Eng. Agr. Walter W Mosquini Planejamento de Produto

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Pulverizadores: Mecanização da cultura do Cacau. Máquinas Agrícolas Jacto S/A Pompéia -SP. Eng. Agr. Walter W Mosquini Planejamento de Produto"

Transcrição

1 Pulverizadores: Mecanização da cultura do Cacau Máquinas Agrícolas Jacto S/A Pompéia -SP Eng. Agr. Walter W Mosquini Planejamento de Produto

2 Informações Foi fundada em 1948; Todas as unidades produtivas estão sediadas no município de Pompéia, onde ocupam uma área de 150 mil metros quadrados; Possui um Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de alta tecnologia.

3 Mais de meio século de história voltada para a agricultura, desenvolvendo equipamentos inovadores e de alta tecnologia, líder de mercado na área de pulverizadores e com um complexo industrial de primeiro mundo. Esta é a Jacto. Empresa fundada pelo Sr. Shunji Nishimura, imigrante japonês, que compõe um Grupo empresarial fortíssimo e extremamente diversificado.

4 Fatores que podem contribuir para aumento da eficiência dos cultivos Tecnologias sustentáveis Irrigação; Adubação ; Espaçamento de plantio; Colheita. Meio ambiente; Tratamento Fitossanitário /Pulverização

5 Porque e para que mecanizar? Aumentar produtividade; Ser mais competitivo Reduzir custo de produção; Aumentar rentabilidade do negócio; Redução na disponibilidade de mão-de-obra;

6 Premissas importantes para mecanização - Pulverização Sistemas de cultivo : Topografia; Espaçamento de Plantio; Densidade de Plantas; Altura e formato das plantas; Mudança cultural; Quebra de paradigmas;

7 Alvo Biológico Entendendo o problema... -PARTE SUPERIOR - DE CIMA -RAMOS -DE BAIXO -FLÔRES -FRUTOS -MENOR COBERTURA

8 Jato Transportado Transporte das Gotas Tamanho de gota; Energia auxiliar; Distância do alvo; cuidados com evaporação uso do ar;

9 Qual a melhor opção?

10 Quais variáveis temos: Capacidade do tanque; Ventilador; Formato do defletor; Ramal de pulverização; Pontas (Bicos) de pulverização.

11 Quais variáveis temos: Capacidade do tanque Opções : 200 a 4000 litros ; Formato dos tanques;

12 Quais variáveis temos: Ventilador Diâmetro ; Volume de ar; Velocidade de ar; Consumo de potência ; Posicionamento.

13 Quais variáveis temos: Ventilador : Características Volume Velocidade Rotação Consumo de de ar (m 3 /s) do ar (km/h) (rpm) potência (CV) ARBUS 2000/725 Café 9, ,5 ARBUS 2000/850 Golden 14, ,7 ARBUS SUPER EXPORT ARBUS 2000 Cerrado

14 Quais variáveis temos: Ventilador : Posição

15 Quais variáveis temos: Formato do defletor Função - Distribuição do ar gerado pelo ventilador Direcionamento do fluxo de ar Homogeneidade na distribuição

16 Quais variáveis temos: Ramal de pulverização

17 Quais variáveis temos: Ramal de pulverização ARBUS Café ARBUS Golden ARBUS 2000 SUPER EXPORT ARBUS 2000 Cerrado RAMAL 8 REGULAVEL -16 BICOS RAMAL 12 REGULAVEL -24 BICOS RAMAL 19 REGULAVEL 38 BICOS/Ramal 18 PB ANTI GOTEJO 72 BICOS RAMAL 19 REGULAVEL 38 BICOS

18 Quais variáveis temos: Pontas (Bicos) de pulverização

19 Segurança NR 31 Texto da NR 31 item 12.4: As proteções devem ser fornecidas pelo fabricante como parte integrante das máquinas e equipamentos, não podendo ser consideradas como item opcional. As transmissões de força, as partes móveis e os componentes móveis acessórios ou interligados a elas, acessíveis ou expostos devem ser dotadas de proteções fixas, ou móveis com dispositivos de intertravamento, impedindo o acesso por todos os lados. Considera-se proteção como parte da maquina especificamente utilizada para prover segurança por meio de barreira física classificadas em: Proteção fixa: "é aquela que deve ser mantida em sua posição, isto é, fechada, de maneira permanente ou por meio de elementosdefixação, que só permitam sua remoção ou abertura com o uso de ferramentas específicas; As proteções, para serem consideradas adequadas, devem ser projetadas e construídas de modo a atender aos seguintes requisitos: a) cumprir suas funções apropriadamente durante a vida útil da máquina ou possibilitar a reposição de partes deterioradas ou danificadas; b) ser constituídas de material resistente e adequado à contenção de projeção de peças, materiais e partículas; c) estar firmemente fixadas e garantir estabilidade e resistência mecânica compatíveis com os esforços requeridos; d) não criar pontos de esmagamento ou agarramento com partes da máquina ou com outras proteções; e) não ter extremidades e arestas cortantes ou outras saliências perigosas; f) resistir a intempéries; g) impedir a burla; h) proporcionar condições de higiene e limpeza; i) não permitir o contato com a zona de perigo; j) ter seus dispositivos de segurança eletromecânicos ou eletrônicos, utilizados para bloqueio de funcionamento de partes móveisperigosas da máquina, protegidos adequadamente contra sujidade, poeira e corrosão; k) não acarretar riscos adicionais. Quando a proteção for construída de material descontinuo, as dimensões das aberturas, devem obedecer a NBRNM-ISO13852 Segurança de Máquinas-Distâncias de segurança para impedir o acesso a zonas de perigo pelos membros superiores.

20 NR 31

21 NR 31

22 NR 31

23 NR 31

24 NR 31

25 OBRIGADO!!! Eng. Agr. Walter Wagner Mosquini Máquinas Agrícolas Jacto S/A

ARBUS Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14)

ARBUS Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14) Rua Dr. Luiz Miranda, 1650-17580-000 - Pompeia - SP - Tel. (14) 3405 2100 - Fax. (14) 3452 1916 - E-mail: vendas@jacto.com.br PROTEJA O MEIO AMBIENTE. AO INUTILIZAR ESTE FOLHETO, NÃO JOGUE EM VIAS PÚBLICAS.

Leia mais

ARBUS 1500 DIAMOND. Rua Dr. Luiz Miranda, Pompéia - SP - Tel. (14) Fax. (14)

ARBUS 1500 DIAMOND. Rua Dr. Luiz Miranda, Pompéia - SP - Tel. (14) Fax. (14) Rua Dr. Luiz Miranda, 1650-17580-000 - Pompéia - SP - Tel. (14) 3405 2100 - Fax. (14) 3452 1916 - E-mail: vendas@jacto.com.br www.jacto.com.br A Jacto se reserva o direito de promover modi cações em seus

Leia mais

LINHA JATÃO 3 PONTOS. Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14)

LINHA JATÃO 3 PONTOS. Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14) Rua Dr. Luiz Miranda, 1650-17580-000 - Pompeia - SP - Tel. (14) 3405 2100 - Fax. (14) 3452 1916 - E-mail: vendas@jacto.com.br PROTEJA O MEIO AMBIENTE. AO INUTILIZAR ESTE FOLHETO, NÃO JOGUE EM VIAS PÚBLICAS.

Leia mais

ARBUS 2000 TP. Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14) www. jacto.com.br

ARBUS 2000 TP. Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14) www. jacto.com.br Rua Dr. Luiz Miranda, 1650-17580-000 - Pompeia - SP - Tel. (14) 3405 2100 - Fax. (14) 3452 1916 - www. jacto.com.br PROTEJA O MEIO AMBIENTE. AO INUTILIZAR ESTE FOLHETO, NÃO JOGUE EM VIAS PÚBLICAS. Imagens

Leia mais

APLICAÇÃO DE DEFENSIVOS AGRÍCOLAS. Professor : Nailton Rodrigues de Castro Disciplina : Máquinas Agrícolas

APLICAÇÃO DE DEFENSIVOS AGRÍCOLAS. Professor : Nailton Rodrigues de Castro Disciplina : Máquinas Agrícolas APLICAÇÃO DE DEFENSIVOS AGRÍCOLAS Professor : Nailton Rodrigues de Castro Disciplina : Máquinas Agrícolas INTRODUÇÃO É a aplicação uniforme de um defensivo agrícola na forma líquida, utilizando a energia

Leia mais

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DA NR Carpintaria Versão_CPN. TEXTO ATUAL TEXTO PROPOSTO JUSTIFICATIVA (discussões)

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DA NR Carpintaria Versão_CPN. TEXTO ATUAL TEXTO PROPOSTO JUSTIFICATIVA (discussões) PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DA NR 18 18.7. Carpintaria Versão_CPN TEXTO ATUAL TEXTO PROPOSTO JUSTIFICATIVA (discussões) 18.7.1. As operações em máquinas e equipamentos necessários à realização da atividade de

Leia mais

O QUE É UMA PULVERIZAÇÃO?

O QUE É UMA PULVERIZAÇÃO? TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO DE HERBICIDAS Emprego de todos os conhecimentos científicos que proporcionem a correta colocação do produto biologicamente ativo no alvo, em quantidade necessária, de forma econômica,

Leia mais

Segurança do Trabalho com Máquinas e Equipamentos. Thiago Freitas Engº Segurança do Trabalho

Segurança do Trabalho com Máquinas e Equipamentos. Thiago Freitas Engº Segurança do Trabalho Segurança do Trabalho com Máquinas e Equipamentos Thiago Freitas Engº Segurança do Trabalho Tem o objetivo de evitar que o trabalhador entre em contato com partes móveis da máquina. Definições Maquinas

Leia mais

Indústria da Construção Foco NR-12. Engº Seg. Bruno C. Bilbao Adad

Indústria da Construção Foco NR-12. Engº Seg. Bruno C. Bilbao Adad Máquinas e Equipamentos na Indústria da Construção Foco NR-12 Engº Seg. Bruno C. Bilbao Adad CENÁRIO Estimativas indicam que Máquinas e equipamentos participam com aproximadamente 50% do total de

Leia mais

Mecanização da Pulverização. Eng. Agr.Jairo da Costa Moro Máquinas Agrícolas Jacto S.A

Mecanização da Pulverização. Eng. Agr.Jairo da Costa Moro Máquinas Agrícolas Jacto S.A Eng. Agr.Jairo da Costa Moro Máquinas Agrícolas Jacto S.A Mercado de defensivos Agrícolas 2014 - Brasil - O mercado brasileiro comercializou o valor total de US$12,25 bilhões em defensivos agrícolas. Fonte:

Leia mais

NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS

NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS Instalações e Dispositivos Elétricos Dispositivos de Partida, Acionamento e Parada Dispositivos de Parada de Emergência Clarice I. Lorenzi Eng.

Leia mais

TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO DE AGROTÓXICOS

TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO DE AGROTÓXICOS Definição: Ciência multidisciplinar Disciplina: Fitopatologia Agrícola TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO DE AGROTÓXICOS Objetivos: Destinada às pesquisas de equipamentos Processos e obtenção de resultados mais eficientes

Leia mais

LINHA ADVANCE. Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14)

LINHA ADVANCE. Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14) Rua Dr. Luiz Miranda, 1650 17580000 Pompeia SP Tel. (14) 3405 2100 Fax. (14) 3452 1916 Email: vendas@jacto.com.br PROTEJA O MEIO AMBIENTE. AO INUTILIZAR ESTE FOLHETO, NÃO JOGUE EM VIAS PÚBLICAS. www.jacto.com.br

Leia mais

TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO DE HERBICIDAS

TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO DE HERBICIDAS TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO DE HERBICIDAS Emprego de todos os conhecimentos científicos que proporcionem a correta colocação do produto biologicamente ativo no alvo, em quantidade necessária, de forma econômica,

Leia mais

Tecnologia de Aplicação Defensivos Agrícolas

Tecnologia de Aplicação Defensivos Agrícolas Tecnologia de Aplicação Defensivos Agrícolas Disciplina: Tecnologia de Aplicação de Defensivos Agrícolas Faculdade de Engenharia Agronômica UniSALESIANO - LINS SP Prof. Harumi Hamamura harumi.lins.cati@gmail.com

Leia mais

Pulverizador Autopropelido STRONGER be strong, be KUHN

Pulverizador Autopropelido STRONGER be strong, be KUHN Pulverizador Autopropelido STRONGER 3000 www.kuhn.com be strong, be KUHN REEL STRONGER COMMERCIAL 3030 3036 3040 PERFEITA APLICAÇÃO, MAIOR BARRA DE PULVERIZAÇÃO, MENOR CONSUMO Pensou em tecnologia, pensou

Leia mais

KTR Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14)

KTR Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14) Rua Dr. Luiz Miranda, 1650-17580-000 - Pompeia - SP - Tel. (14) 3405 2100 - Fax. (14) 3452 1916 - E-mail: vendas@jacto.com.br PROTEJA O MEIO AMBIENTE. AO INUTILIZAR ESTE FOLHETO, NÃO JOGUE EM VIAS PÚBLICAS.

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO GABINETE DO MINISTRO. PORTARIA N.º DE 09 DE DEZEMBRO DE 2013 (DOU de 11/12/2013 Seção I Pág.

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO GABINETE DO MINISTRO. PORTARIA N.º DE 09 DE DEZEMBRO DE 2013 (DOU de 11/12/2013 Seção I Pág. MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA N.º 1.896 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2013 (DOU de 11/12/2013 Seção I Pág. 153) Altera a Norma Regulamentadora n.º 31. O MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO PORTARIA N. 1.893, DE 9 DE DEZEMBRO DE 2013 Altera a Norma Regulamentadora n. 12 O MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO,no uso das atribuições que lhe conferem o inciso

Leia mais

T-802XXX. Carga Minima (Kg) Deflexão / mm

T-802XXX. Carga Minima (Kg) Deflexão / mm 10.17 APOIOS ANTIVIBRÁTEIS T-802XXX Suportes de teto tg & tm geral: As séries TG e TM são concebidas para evitar a transmissão de vibrações de unidades de ar condicionado e de qualquer outro equipamento

Leia mais

MEDIDAS DE PROTEÇÃO COLETIVA SISTEMAS DE SEGURANÇA 2 PROTEÇÕES FIXAS

MEDIDAS DE PROTEÇÃO COLETIVA SISTEMAS DE SEGURANÇA 2 PROTEÇÕES FIXAS MEDIDAS DE PROTEÇÃO COLETIVA SISTEMAS DE SEGURANÇA 2 PROTEÇÕES FIXAS INTRODUÇÃO Este trabalho é uma compilação de informações sobre várias formas de proteções em máquinas e equipamentos. A Norma Regulamentadora

Leia mais

LINHA CONDOR. Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14)

LINHA CONDOR. Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14) Rua Dr. Luiz Miranda, 1650 17580000 Pompeia SP Tel. (14) 3405 2100 Fax. (14) 3452 1916 Email: vendas@jacto.com.br PROTEJA O MEIO AMBIENTE. AO INUTILIZAR ESTE FOLHETO, NÃO JOGUE EM VIAS PÚBLICAS. www.jacto.com.br

Leia mais

Seleção de Pontas de Pulverização

Seleção de Pontas de Pulverização JORNADAS DE ACTUALIZACIÓN EN TECNOLOGÍAS DE APLICACIÓN EN CULTIVOS EXTENSIVOS Seleção de Pontas de Pulverização Otavio J. G. Abi Saab Prof. Mecanização Agrícola Universidade Estadual de Londrina Estado

Leia mais

ASPECTOS BÁSICOS DA NR-12. Bruno Caruso Bilbao Adad

ASPECTOS BÁSICOS DA NR-12. Bruno Caruso Bilbao Adad ASPECTOS BÁSICOS DA NR-12 Bruno Caruso Bilbao Adad Publicação D.O.U. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78 Atualizações D.O.U. Portaria SSST n.º 12, de 06 de junho de 1983 14/06/83 Portaria

Leia mais

ASPERSORES MP ROTATOR PULVERIZADORES ELECTROVÁLVULAS CONTROLADORES SENSORES CONTROLOS CENTRAIS MICRO

ASPERSORES MP ROTATOR PULVERIZADORES ELECTROVÁLVULAS CONTROLADORES SENSORES CONTROLOS CENTRAIS MICRO ASPERSORES MP ROTATOR PULVERIZADORES ELECTROVÁLVULAS CONTROLADORES SENSORES CONTROLOS CENTRAIS MICRO PRO-SPRAY NOVO Pulverizador tudo-em-um Residencial ou municipal? 2,1 bar ou 2,8 bar? Alta eficiência

Leia mais

ANEXO IX INJETORA DE MATERIAIS PLÁSTICOS

ANEXO IX INJETORA DE MATERIAIS PLÁSTICOS ANEXO IX INJETORA DE MATERIAIS PLÁSTICOS 1. Para fins de aplicação deste Anexo considera-se injetora a máquina utilizada para a fabricação descontínua de produtos moldados, por meio de injeção de material

Leia mais

11. CULTIVO MECÂNICO. Cultivo é o conjunto de operações após a instalação e durante o desenvolvimento da cultura. Podem ser:

11. CULTIVO MECÂNICO. Cultivo é o conjunto de operações após a instalação e durante o desenvolvimento da cultura. Podem ser: . CULTIVO MECÂNICO Cultivo é o conjunto de operações após a instalação e durante o desenvolvimento da cultura. Podem ser: Mecânicos; Químicos; Chamas. Os cultivadores mecânicos são usados para uma movimentação

Leia mais

Grupo MAHLE Brasil Data: 01/08/08 Página 1/5 Nº Id. SSO Revisão: 03

Grupo MAHLE Brasil Data: 01/08/08 Página 1/5 Nº Id. SSO Revisão: 03 Grupo MAHLE Brasil Data: 01/08/08 Página 1/5 1. OBJETIVO Estabelecer procedimentos de segurança para Aquisição de Maquinas e Equipamentos, conforme legislação aplicável disposto na Portaria n. º 3.214/78,

Leia mais

Conhecendo a NR-12 e Suas Obrigatoriedades

Conhecendo a NR-12 e Suas Obrigatoriedades Conhecendo a NR-12 e Suas Obrigatoriedades CLT Consolidação das Leis do Trabalho É de obrigação legal para os empregadores a Lei nº 6.514, de 22 de dezembro de 1977 relativa a segurança e medicina do trabalho

Leia mais

New HollaNd TM TM exitus TM PlaTaforMado

New HollaNd TM TM exitus TM PlaTaforMado New Holland TM TM Exitus TM Plataformado ROBUSTEZ PARA UM ALTO RENDIMENTO NA SUA LAVOURA. As máquinas New Holland estão prontas para trabalhar com biodiesel. Consulte seu concessionário sobre a mistura

Leia mais

Lista de verificação baseada na norma regulamentadora NR-12 para aplicação em silos armazenadores de grãos

Lista de verificação baseada na norma regulamentadora NR-12 para aplicação em silos armazenadores de grãos Lista de verificação baseada na norma regulamentadora NR-12 para aplicação em silos armazenadores de grãos Gislaine Iastiaque Martins 1, Marcia Fernanda Deminski 2, Marta Mitiko Kubota Siqueira 3, Carlos

Leia mais

NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS

NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS Arranjo Físico e Instalações, Aspectos Ergonômicos, Sinalização, Procedimentos de Trabalho e Segurança e Capacitação Clarice I. Lorenzi Eng. de

Leia mais

HM 20 - HM 30. Máquinas de balancear horizontais

HM 20 - HM 30. Máquinas de balancear horizontais Aplicação universal Alta precisão de balanceamento Fácil de modernizar, graças a seu projeto modular e a imensa gama de acessórios Rápida mudança de tipo de rotor, graças ao seu projeto sub-crítico Unidade

Leia mais

HM 4 - HM 50. Máquinas de balancear horizontais

HM 4 - HM 50. Máquinas de balancear horizontais Aplicação universal Alta precisão de balanceamento Fácil de modernizar, graças a seu projeto modular e a imensa gama de acessórios Rápida mudança de tipo de rotor, graças ao seu projeto sub-crítico Unidade

Leia mais

UNIPORT 3000 NPK. Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14)

UNIPORT 3000 NPK. Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14) Rua Dr. Luiz Miranda, 1650-17580-000 - Pompeia - SP - Tel. (14) 3405 2100 - Fax. (14) 3452 1916 - E-mail: vendas@jacto.com.br PROTEJA O MEIO AMBIENTE. AO INUTILIZAR ESTE FOLHETO, NÃO JOGUE EM VIAS PÚBLICAS.

Leia mais

Título: Equipamento para decapagem interior de tubos

Título: Equipamento para decapagem interior de tubos VITALIANO J. COSTA, LDA. e q u i p a m e n t o s de p i n t u r a Aceiro das Boiças Qta. da Torre Cabanas 2950-635 PALMELA Tel. Geral : 212 888 050 Fax : 212 888 059 Tel. Encomendas : 212 888 051 e-mail:

Leia mais

Manual de Treinamento CONCEITOS E TECNOLOGIAS QUE VISAM A AUMENTAR O CONTROLE DE PRAGAS E DOENÇAS DE BAIXEIRO

Manual de Treinamento CONCEITOS E TECNOLOGIAS QUE VISAM A AUMENTAR O CONTROLE DE PRAGAS E DOENÇAS DE BAIXEIRO CONCEITOS E TECNOLOGIAS QUE VISAM A AUMENTAR O CONTROLE DE PRAGAS E DOENÇAS DE BAIXEIRO EDIÇÃO Nº 01/2014 Código: 0416-tp Manual de Treinamento Máquinas Agrícolas Jacto Rua Dr. Luiz Miranda, 1650 17580-000

Leia mais

UNIPORT STAR

UNIPORT STAR Rua Dr. Luiz Miranda, 1650-17580-000 - Pompeia - SP - Tel. (14) 3405 2100 - E-mail: vendas@jacto.com.br www. jacto.com.br PROTEJA O MEIO AMBIENTE. AO INUTILIZAR ESTE FOLHETO, NÃO JOGUE EM VIAS PÚBLICAS.

Leia mais

New Holland TS TS6020 TS6040

New Holland TS TS6020 TS6040 New Holland TS TS6020 TS6040 2 LINHA TS. toda força e Robustez que a sua lavoura merece. A linha TS é a prova de que a New Holland combina tudo o que existe de melhor para garantir o sucesso da agricultura

Leia mais

27/11/2015. Boas práticas: os desafios da tecnologia de aplicação. Tecnologia de aplicação x ambiente. Ulisses Rocha Antuniassi

27/11/2015. Boas práticas: os desafios da tecnologia de aplicação. Tecnologia de aplicação x ambiente. Ulisses Rocha Antuniassi Boas práticas: os desafios da tecnologia de aplicação Ulisses Rocha Antuniassi FCA/UNESP - Botucatu/SP ulisses@fca.unesp.br Apresentação UNESP: FCA: DEnR: NTA: NEMPA: Universidade Estadual Paulista Faculdade

Leia mais

SUA PRODUTIVIDADE GANHA FORÇA COM A SANTAL.

SUA PRODUTIVIDADE GANHA FORÇA COM A SANTAL. SANTAL.COM.BR TRADIÇÃO DE ALTO DESEMPENHO. SUA PRODUTIVIDADE GANHA FORÇA COM A SANTAL. TECNOLOGIA RESULTADO COMPROVADO NO SETOR SUCROALCOOLEIRO. A Plantadora Santal PDM2 é mais um exemplo do espírito inovador

Leia mais

AVANÇOS E TENDÊNCIAS

AVANÇOS E TENDÊNCIAS O TRATAMENTO INDUSTRIAL DE SEMENTES (TIS) DE ESPÉCIES FORRAGEIRAS: AVANÇOS E TENDÊNCIAS III Simpósio Brasileiro de Sementes de Espécies Forrageiras Foz do Iguaçu, 10 de agosto de 2017 Barbara Puchala Sumário

Leia mais

Usinagem, beneficiamento e manutenção IMPORTADORA E EXPORTADORA DE EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE SANEAMENTO

Usinagem, beneficiamento e manutenção IMPORTADORA E EXPORTADORA DE EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE SANEAMENTO Usinagem, beneficiamento e manutenção IMPORTADORA E EXPORTADORA DE EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE SANEAMENTO APRESENTAÇÃO EMPRESA A UBM Usinagem mantém o firme propósito de proporcionar aos seus clientes

Leia mais

VI WORKSHOP GTACC Sustentabilidade e perspectivas econômicas. Eng Agr Dr Humberto Vinicius Vescove FORBB Serviços na Área de Agricultura

VI WORKSHOP GTACC Sustentabilidade e perspectivas econômicas. Eng Agr Dr Humberto Vinicius Vescove FORBB Serviços na Área de Agricultura VI WORKSHOP GTACC Sustentabilidade e perspectivas econômicas Eng Agr Dr Humberto Vinicius Vescove FORBB Serviços na Área de Agricultura Índice Sustentabilidade na Citricultura irrigada Evolução da área

Leia mais

ELEVADORES MECAN PARA MATERIAIS OU PASSAGEIROS

ELEVADORES MECAN PARA MATERIAIS OU PASSAGEIROS ELEVADOR UM SISTEMA MECAN DE ELEVADOR E CABINA FECHADA OU SEMIFECHADA PARA O TRANSPORTE DE PASSAGEIROS OU MATERIAIS EM CANTEIRO DE OBRAS EQUIPADO COM FREIO DE SEGURANÇA AUTOMÁTICO E MANUAL TIPO CUNHA ELEVADORES

Leia mais

Nebulizadores aplicam gotas menores que 50 mm.

Nebulizadores aplicam gotas menores que 50 mm. Universidade Estadual Paulista Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias Curso : Agronomia Disciplina: Tratamento Fitossanitário Aula: Aplicação de Líquidos e Pulverizadores Os produtos fitossanitários

Leia mais

INSPEÇÃO PERIÓDICA DE PULVERIZADORES NA REGIÃO DO ALTO VALE DO ITAJAÍ

INSPEÇÃO PERIÓDICA DE PULVERIZADORES NA REGIÃO DO ALTO VALE DO ITAJAÍ INSPEÇÃO PERIÓDICA DE PULVERIZADORES NA REGIÃO DO ALTO VALE DO ITAJAÍ Lucas Renan EFFTING 1 ; João Pedro Fossa BERNARDY 2 ; Leonardo DÜSTERHOFT 3 ; Fabrício Campos MASIERO 4, Ricardo Kozoroski VEIGA 5

Leia mais

9 IRRIGAÇÃO POR ASPERSÃO CONVENCIONAL

9 IRRIGAÇÃO POR ASPERSÃO CONVENCIONAL 9 IRRIGAÇÃO POR ASPERSÃO CONVENCIONAL 9.1 TIPOS DE SISTEMAS FIXOS PERMANENTES FIXOS TEMPORÁRIOS SEMIFÍXOS PORTÁTEIS 9.2 VANTAGENS, LIMITAÇÕES E PESRPECTIVAS VANTAGENS Dispensa sistematização ou uniformização

Leia mais

NEW HOLLAND TCD E T15OO TC24D T156O T157O

NEW HOLLAND TCD E T15OO TC24D T156O T157O NEW HOLLAND TCD E T15OO TC24D T156O T157O 2 3 ROBUSTOS, SIMPLES, PRODUTIVOS E COM UMA BOA RELAÇÃO QUALIDADE/PREÇO Não se deixe enganar pelas dimensões compactas dos tractores TC24D, T1560 e T1570 da New

Leia mais

14. CULTIVO MECÂNICO. Cultivo é o conjunto de operações após a instalação e durante o desenvolvimento da cultura. Podem ser:

14. CULTIVO MECÂNICO. Cultivo é o conjunto de operações após a instalação e durante o desenvolvimento da cultura. Podem ser: 17 14. CULTIVO MECÂNICO Cultivo é o conjunto de operações após a instalação e durante o desenvolvimento da cultura. Podem ser: Mecânicos; Químicos; Chamas. Os cultivadores mecânicos são usados para uma

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Motores Lista de Preços

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Motores Lista de Preços Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Motores Lista de s -- www.weg.net Eficiência e confiabilidade para a indústria Fundada em 1961, a WEG é reconhecida atualmente como uma das maiores

Leia mais

ANÁLISE DO POTENCIAL DA INSERÇÃO DE CENTRO DE USINAGEM CINCO EIXOS NA INDÚSTRIA DE FERRAMENTARIA

ANÁLISE DO POTENCIAL DA INSERÇÃO DE CENTRO DE USINAGEM CINCO EIXOS NA INDÚSTRIA DE FERRAMENTARIA ANÁLISE DO POTENCIAL DA INSERÇÃO DE CENTRO DE USINAGEM CINCO EIXOS NA INDÚSTRIA DE FERRAMENTARIA HISTÓRIA 1930 1942 1956 1972 2007 2013 A Companhia é fundada sob o espírito inovador de Américo Emílio Romi

Leia mais

BASES PARA A RENOVAÇÃO DE CAFEZAIS NAS MONTANHAS. J. B. Matiello, Eng Agr Mapa/Fundação Procafé

BASES PARA A RENOVAÇÃO DE CAFEZAIS NAS MONTANHAS. J. B. Matiello, Eng Agr Mapa/Fundação Procafé BASES PARA A RENOVAÇÃO DE CAFEZAIS NAS MONTANHAS J. B. Matiello, Eng Agr Mapa/Fundação Procafé Importância da Cafeicultura de Montanha Abrange diferentes regiões - Zona da Mata de Minas, Espirito Santo,

Leia mais

REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE AGRONOMIA ISSN: ANÁLISE E AVALIAÇÃO DA TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO DE DEFENSIVO AGRÍCOLA NA CULTURA DA LICHIA

REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE AGRONOMIA ISSN: ANÁLISE E AVALIAÇÃO DA TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO DE DEFENSIVO AGRÍCOLA NA CULTURA DA LICHIA REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE AGRONOMIA ISSN: 1677-0293 Número 27 Julho de 2015 Periódico Semestral ANÁLISE E AVALIAÇÃO DA TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO DE DEFENSIVO AGRÍCOLA NA CULTURA DA LICHIA Jéssica

Leia mais

Seleção de Máquinas Agrícolas. Prof. Eng. Agr. Luiz Paulo Montenegro de Miranda

Seleção de Máquinas Agrícolas. Prof. Eng. Agr. Luiz Paulo Montenegro de Miranda Seleção de Máquinas Agrícolas Prof. Eng. Agr. Luiz Paulo Montenegro de Miranda Referências FOLLE, S. M.; FRANZ, C. A. B.; Trator Agrícola: características e fundamentos para sua seleção, por Sérgio Mauro

Leia mais

Qualidade, Meio Ambiente, Saúde e Segurança

Qualidade, Meio Ambiente, Saúde e Segurança Qualidade, Meio Ambiente, Saúde e Segurança Aula Norma NR 12 Eletromecânica Módulo 1 Professor: Sergio Luis Brockveld Junior Objetivo da aula Informar, formar e orientar Engenheiros e técnicos no que diz

Leia mais

MF cv. Motor eletrônico AGCO Power Transmissão automática 24x24. Massey Ferguson

MF cv. Motor eletrônico AGCO Power Transmissão automática 24x24. Massey Ferguson MF 7700 195 250 cv Motor eletrônico AGCO Power Transmissão automática 24x24 Massey Ferguson Mais produtividade com a série MF 7700 Dyna-6 MF 7719 Dyna-6, de 195 cv MF 7720 Dyna-6, de 210 cv Série representa

Leia mais

CERES MASTER e CERES. Plantio eficiente com melhor custo/benefício

CERES MASTER e CERES. Plantio eficiente com melhor custo/benefício CERES MASTER e CERES Plantio eficiente com melhor custo/benefício Catálogo virtual Português Abr/2016 CERES MASTER As semeadoras Ceres Master apresentam modelos com grande versatilidade, agilidade e excelente

Leia mais

NEW HOLLAND T6 LINHA T6 MAR 1

NEW HOLLAND T6 LINHA T6 MAR 1 NEW HOLLAND T6 LINHA T6 MAR 1 2 3 NOVA LINHA T6 MAR 1. FORÇA E ROBUSTEZ QUE A SUA LAVOURA JÁ CONHECE. DESIGN E PRODUTIVIDADE PARA VOCÊ. MOTOR O melhor motor da categoria. Motor New Holland, produzido no

Leia mais

Mecanização Agrícola Manejo de Culturas de Cobertura

Mecanização Agrícola Manejo de Culturas de Cobertura Mecanização Agrícola Manejo de Culturas de Cobertura MANEJO DA VEGETAÇÃO E DE RESTOS CULTURAIS INTRODUÇÃO - Preparos Conservacionistas Objetivos: Superfície coberta máximo de tempo possível Uniformidade

Leia mais

EQUIPAMENTOS PARA MISTURA E PROCESSAMENTO DO CORAÇÃO DA EUROPA

EQUIPAMENTOS PARA MISTURA E PROCESSAMENTO DO CORAÇÃO DA EUROPA EMA Austria GMBH EQUIPAMENTOS PARA MISTURA E PROCESSAMENTO DO CORAÇÃO DA EUROPA Misturador de arado de alto desempenho Mixema Intense O Mixema Intense é um dos tipos mais eficientes de misturador para

Leia mais

Como Aplicar. 1. Armazenagem. 2. Compatibilidade. 3. Veritas é complementar. 4. Tipos de solo

Como Aplicar. 1. Armazenagem. 2. Compatibilidade. 3. Veritas é complementar. 4. Tipos de solo 1. Armazenagem Após adquirir o produto, armazene as embalagens de 20L em local fresco e protegido do sol. Não temos nenhum reporte desde o lançamento do produto de problemas relacionados a perda de qualidade,

Leia mais

Telemetria em Pulverização Pedro Estevão Bastos Abimaq

Telemetria em Pulverização Pedro Estevão Bastos Abimaq Telemetria em Pulverização Pedro Estevão Bastos Abimaq ABIMAQ Associação Brasileira da Indústria de Máquinas CSMIA Câmara Setorial de Máquinas e Implementos Agrícolas 360 empresas 48.000 empregos R$ 11

Leia mais

26/11/ Agosto/2012

26/11/ Agosto/2012 26/11/2012 1 Agosto/2012 Motores Elétricos 26/11/2012 2 Motores Elétricos Conceitos Motor elétrico é uma máquina destinada a transformar energia elétrica em mecânica. É o mais usado de todos os tipos de

Leia mais

Estratégias de colheita e beneficiamento para fibra de alta qualidade Engº Agrônomo Édio Brunetta Dir. Agroindustrial Grupo Itaquerê

Estratégias de colheita e beneficiamento para fibra de alta qualidade Engº Agrônomo Édio Brunetta Dir. Agroindustrial Grupo Itaquerê Estratégias de colheita e beneficiamento para fibra de alta qualidade Engº Agrônomo Édio Brunetta Dir. Agroindustrial Grupo Itaquerê Introdução: A qualidade da fibra do algodão é influenciada direta e

Leia mais

Comunicado Técnico 09

Comunicado Técnico 09 Comunicado Técnico 09 ISSN 2177-854X Maio. 2011 Uberaba - MG Regulagem de Pulverizadores Agrícolas de Barras Responsável: Paulo Roberto Pala Martinelli E-mail: prpmartinelli@yahoo.com.br Engenheiro Agrônomo;

Leia mais

Sistema de corte com jato de água. Idea

Sistema de corte com jato de água. Idea Sistema de corte com jato de água Idea Sistema de corte com jato de água Equipamento de origem italiana (único fabricante da Itália), com todos os componentes projetados e desenvolvidos internamente. Três

Leia mais

PANORAMA DA CAFEICULTURA ARABICA NO BRASIL

PANORAMA DA CAFEICULTURA ARABICA NO BRASIL PANORAMA DA CAFEICULTURA ARABICA NO BRASIL Rodrigo Ticle Ferreira Projeto Educampo Café - Capal/Sebrae Campo Experimental de Café da Capal Triângulo/Alto Paranaíba ALTO PARANAÍBA-MG REGIÕES POLO ALTO PARANAÍBA-MG

Leia mais

Mecanização Agrícola e Máquinas Motorização e partes do sistema

Mecanização Agrícola e Máquinas Motorização e partes do sistema Mecanização Agrícola e Máquinas Motorização e partes do sistema Eng. Agr. Me. Andre Gustavo Battistus E-mail: andregustavo@udc.edu.br E-mail alternativo: andre_battistus@hotmail.com Terminologia Motorização

Leia mais

HXF. Anotações Série REV 1-01/07/2016. Sopro de PET

HXF. Anotações Série REV 1-01/07/2016. Sopro de PET Anotações REV 1-01/07/2016 INJETORAS AUTOMÁTICAS PARA TERMOPLÁSTICOS Força, Produtividade e Economia Sopro Extrusão Contínua Sopro Acumulação Sopro Extrusão Contínua e Acumulação Injeção Injeção e Sopro

Leia mais

O Impacto do bom funcionamento dos equipamentos relacionados aos processos no CME. Eng Robson Tavares Galvão Gerente de Serviços

O Impacto do bom funcionamento dos equipamentos relacionados aos processos no CME. Eng Robson Tavares Galvão Gerente de Serviços O Impacto do bom funcionamento dos equipamentos relacionados aos processos no CME. Eng Robson Tavares Galvão Gerente de Serviços O GRUPO O grupo STERIS é líder global na prevenção de infecção, controle

Leia mais

Lavagem de Louça. Máquina Lavar Louça Bancada com Caldeira de Pressão. Lavagem de Louça

Lavagem de Louça. Máquina Lavar Louça Bancada com Caldeira de Pressão. Lavagem de Louça ITEM # MODELO # NOME # SIS # AIA # com Caldeira de Pressão 400140 (NUC1) Máquina de Lavar Louça de Bancada com Caldeira de Pressão - 230 V/1N/50 Hz APROVAÇÃO: Electrolux Professional www.electrolux-professional.com.pt

Leia mais

Anexo 1 Características dos Protectores e Dispositivos de Segurança

Anexo 1 Características dos Protectores e Dispositivos de Segurança Protectores De um modo geral, e segundo a ISO 12100-2 (2003), as principais funções associadas ao protectores são as seguintes: prevenção do acesso à área situada no interior do protector (ou delimitada

Leia mais

Planejamento e Instalação de Pomares

Planejamento e Instalação de Pomares Universidade Federal do Vale do São Francisco Campus de Ciências Agrárias Curso de Engenharia Agronômica Disciplina: Fruticultura I Planejamento e Instalação de Pomares Docente responsável: Prof. Dr. Ítalo

Leia mais

MT DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM. Norma Rodoviária DNER-PRO 176/94 Procedimento Página 1 de 23

MT DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM. Norma Rodoviária DNER-PRO 176/94 Procedimento Página 1 de 23 Procedimento Página 1 de 23 RESUMO Este documento, que é uma norma técnica, fixa as condições que devem ser obedecidas no projeto e na execução de barreiras de segurança. ABSTRACT This document presents

Leia mais

JARDIM. PULVERIZADORES 0,5 Litros WT ,9 Litros C-9. PULVERIZADORES PRESSÃO 1,5 Litros G1500 PULVERIZADORES

JARDIM. PULVERIZADORES 0,5 Litros WT ,9 Litros C-9. PULVERIZADORES PRESSÃO 1,5 Litros G1500 PULVERIZADORES 0,5 Litros WT-2056-2 Peso: 56g Ø bocal: 22mm Cx.: 50 un. Cod.: 180 050 001 050 0,9 Litros C-9 Peso: 83g Ø bocal: 22mm Cx.: 50 un. Cod.: 180 050 001 090 - Pulverizadores de cores sortidas com bomba de pistão

Leia mais

NR-12 aplicada à máquinas da linha amarela. Marcus C. Lacerda Engenheiro Mecânico e Sócio-diretor OPERACTION

NR-12 aplicada à máquinas da linha amarela. Marcus C. Lacerda Engenheiro Mecânico e Sócio-diretor OPERACTION NR-12 aplicada à máquinas da linha amarela Marcus C. Lacerda Engenheiro Mecânico e Sócio-diretor OPERACTION Mercado de Máquinas Pesadas - Brasil (Estimativa) Retroescavadeiras Pás carregadeiras Escavadeiras

Leia mais

ESCADAS VERTICAIS ACESSO

ESCADAS VERTICAIS ACESSO ESCADAS VERTICAIS ACESSO NORMA: 4 CONFORME AS NORMAS E > 0001 ESCADA DE ACESSO Equipamentos Acesso Profissionais Aplicação em Edifícios (Manutenção) Escadas até 10,0 m - Sem

Leia mais

Disciplina: Sistemas Fluidomecânicos. Características de Desempenho 1ª Parte

Disciplina: Sistemas Fluidomecânicos. Características de Desempenho 1ª Parte Disciplina: Sistemas Fluidomecânicos Características de Desempenho 1ª Parte Características de Desempenho Para especificar uma máquina de fluxo, o engenheiro deve ter em mãos alguns dados essenciais: altura

Leia mais

Aula 03. Dimensionamento da Tubulação de Distribuição de Ar Comprimido

Aula 03. Dimensionamento da Tubulação de Distribuição de Ar Comprimido Aula 03 Dimensionamento da Tubulação de Distribuição de Ar Comprimido 1 - Introdução A rede de distribuição de ar comprimido compreende todas as tubulações que saem do reservatório, passando pelo secador

Leia mais

PLANTADOR DE BATATAS SEMI-MONTADO 4 CARREIRAS SK-4

PLANTADOR DE BATATAS SEMI-MONTADO 4 CARREIRAS SK-4 PLANTADOR DE BATATAS SEMIMONTADO 4 CARREIRAS SK4 Plantador de batatas semimontado, destinado à plantação de tubérculos e sementes de batata em corredores de 70,75, 90 cm, e em simultâneo faz a desinfeção

Leia mais

Maquinas, equipamentos e ferramentas diversas na construção civil. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho

Maquinas, equipamentos e ferramentas diversas na construção civil. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho na construção civil Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho A operação de máquinas e equipamentos que exponham o operador ou terceiros a riscos só pode ser feita por trabalhador

Leia mais

Escada telescópica para tanques cisterna equipada com cesto

Escada telescópica para tanques cisterna equipada com cesto Escada telescópica para tanques cisterna equipada com cesto Escada telescópica para tanques cisterna equipada com cesto Altura regulável de 2,40 m até os 4,00 m. A estrutura base (marco) está construída

Leia mais

Máquinas e Equipamentos NR - 12

Máquinas e Equipamentos NR - 12 Máquinas e Equipamentos NR - 12 Publicação - Portaria GM N. 3.214, de 08 de julho de 1978 06/07/78. Atualizações - Portaria SIT N. 197, de 17 de dezembro de 2010 24/12/10. Entra em vigor - 01 de julho

Leia mais

Sistemas de Filtragem e Fertirrigação

Sistemas de Filtragem e Fertirrigação Sistemas de Filtragem e Fertirrigação Irrigação Localizada Filtros uma medida eficaz na redução de bloqueios físicos dos emissores; escolha dos filtros deve ser realizada de acordo com o tipo de emissor

Leia mais

VIABILIDADE FITOTÉCNICA DO ALGODÃO ADENSADO. Valdinei Sofiatti Pesquisador da Embrapa Algodão

VIABILIDADE FITOTÉCNICA DO ALGODÃO ADENSADO. Valdinei Sofiatti Pesquisador da Embrapa Algodão VIABILIDADE FITOTÉCNICA DO ALGODÃO ADENSADO Valdinei Sofiatti Pesquisador da Embrapa Algodão O sistema de cultivo adensado Consiste no plantio de algodão em fileiras com espaçamentos menores de 0,76 metros

Leia mais

O que representa a sigla NR? Normas Regulamentadoras

O que representa a sigla NR? Normas Regulamentadoras O que representa a sigla NR? Normas Regulamentadoras Instrumentos legais editados pelo Ministério do Trabalho e Emprego que regulamentam e fornecem orientações do conjunto de requisitos e procedimentos

Leia mais

Organização produtiva - associativismo e cooperativismo

Organização produtiva - associativismo e cooperativismo Organização produtiva - associativismo e cooperativismo Dinâmica dos palitos Fábio Gelape Faleiro Dinâmica da Cruz Organização para compra de insumos Organização para a venda da produção Busca de informações

Leia mais

Tecnologia de Aplicação

Tecnologia de Aplicação Tecnologia de Aplicação Rodolfo G. Chechetto Engenheiro Agrônomo O que é Tecnologia de Aplicação? Conjunto de conhecimentos que integram informações sobre os produtos fitossanitários, suas formulações

Leia mais

Planejamento e instalação de pomares

Planejamento e instalação de pomares Universidade Federal de Rondônia Curso de Agronomia Fruticultura I Planejamento e instalação de pomares Emanuel Maia emanuel@unir.br www.lahorta.acagea.net Perguntas iniciais O que plantar? Qual o mercado?

Leia mais

A sua companhia essencial da jardinagem.

A sua companhia essencial da jardinagem. Desfrute. Relaxe. A sua companhia essencial da jardinagem. Make it your home. Torne a sua casa mais sua com a Isio, a sua ferramenta de jardinagem leve e ergonómica da Bosch. O motor multifuncional pode

Leia mais

QUEM SOMOS EQUIPE ALTAMENTE TREINADA INDÚSTRIA SÃO JOSÉ DO RIO PRETO-SP +55 (17)

QUEM SOMOS EQUIPE ALTAMENTE TREINADA INDÚSTRIA SÃO JOSÉ DO RIO PRETO-SP +55 (17) APRESENTAÇÃO QUEM SOMOS Fundada no Brasil em Agosto de 2011, a Eco Restauradora tem como missão, desenvolver tecnologias para preservação do meio ambiente através de soluções inovadoras. A ER a partir

Leia mais

SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO DAS SEMEADORAS DE LINHA DE PRECISÃO

SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO DAS SEMEADORAS DE LINHA DE PRECISÃO 2ª parte semeadora SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO DAS SEMEADORAS DE LINHA DE PRECISÃO 2 A função deste sistema é selecionar as sementes individualmente do depósito numa taxa prédeterminada. Os principais sistemas

Leia mais

Rapid

Rapid Rapid 300-30 300-45 300-60 A fórmula para sucesso O conceito open-hearted (coração aberto) Rapid de engenharia agora é construído em cada modelo de moinho das séries Rapid 300, 400 e 500. A grande vantagem

Leia mais

EXERCÍCIOS SEMEADOR/ADUBADORA:

EXERCÍCIOS SEMEADOR/ADUBADORA: EGR 1003 MÁQUINAS E IMPLEMENTOS AGRÍCOLAS Monitora Guidiane Moro - Exercícios 1 EXERCÍCIOS SEMEADOR/ADUBADORA: 1 Um agricultor deseja cultivar 500 ha. Sabe-se que a densidade de semeadura recomendada é

Leia mais

PetroCabos - Líder em Equipamentos de Segurança NR-12

PetroCabos - Líder em Equipamentos de Segurança NR-12 PetroCabos - Líder em Equipamentos de Segurança NR-12 A PetroCabos é fabricante de Cabos e Malhas de Segurança (conforme NR-12), Camisas de Puxamento para Cabos e Condutores, e ainda, de Flutuadores para

Leia mais

BEM-VINDO. Ao Seminário Estadual sobre Segurança em Máquinas com NR 12. TEMA Conceitos Fundamentais

BEM-VINDO. Ao Seminário Estadual sobre Segurança em Máquinas com NR 12. TEMA Conceitos Fundamentais BEM-VINDO Ao Seminário Estadual sobre Segurança em Máquinas com NR 12 TEMA Conceitos Fundamentais Marcelo Vandresen, Dr.Eng.Mec. 1989 - Tecnico em Mecânica Manutenção 1994 - Engenheiro Mecânico 1995 -

Leia mais

Calibração Pulverizador de barras

Calibração Pulverizador de barras Calibração Pulverizador de barras INÍCIO ANALISAR pulverizador e corrigir Medir a VELOCIDADE do tractor Medir DÉBITO dos BICOS Usar apenas água na calibragem do pulverizador Calcular DÉBITO por ha PULVERIZAR

Leia mais

ÁGUA NA HORTICULTURA: NOVAS ATITUDES E USO SUSTENTÁVEL

ÁGUA NA HORTICULTURA: NOVAS ATITUDES E USO SUSTENTÁVEL 49º CONGRESSO BRASILEIRO DE OLERICULTURA ÁGUA NA HORTICULTURA: NOVAS ATITUDES E USO SUSTENTÁVEL José Geraldo Eugênio de França Diretor-Executivo Águas de Lindóia - SP Agosto/2009 OS DEZ MAIORES PROBLEMAS

Leia mais

BEC04 / BEC04I / BEC04S

BEC04 / BEC04I / BEC04S Manual de Instruções e Certificado de Garantia EXTRATOR DE SUCO BEC04 / BEC04I / BEC04S Sumário 1 - Introdução 1.1 - Segurança 1.2 - Principais Componentes 1.3 - Características Técnicas 2 - Instalação

Leia mais