Trabalho de conclusão do curso de Comunicação Social, habilitação em Jornalismo, da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais - Arcos.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Trabalho de conclusão do curso de Comunicação Social, habilitação em Jornalismo, da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais - Arcos."

Transcrição

1 1 CLÍCIA ALVES RIBEIRO ROQUE A QUESTÃO DE ÉTICA NA COBERTURA DOS JORNAIS DE ARCOS NA IMPLANTAÇÃO DA PUC MINAS NA CIDADE NO PERÍODO DE 1997 A 2000 Trabalho de conclusão do curso de Comunicação Social, habilitação em Jornalismo, da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais - Arcos. Orientador: Edison Gomes Arcos 2004

2 Roque, Clícia Alves Ribeiro. G963e A questão da ética na cobertura dos jornais de Arcos na implantação da PUC Minas na cidade no período de 1997 a Clícia Alves Ribeiro Roque. Arcos, MG : PUC Minas, Ética. 2. Jornalismo Regional. 3. Política. 4. PUC Minas Arcos. I. Título. Clícia Alves Ribeiro Roque A QUESTÃO DE ÉTICA NA COBERTURA DOS JORNAIS DE ARCOS NA IMPLANTAÇÃO DA PUC MINAS NA CIDADE NO PERÍODO DE 1997 A 2000 Trabalho apresentado à disciplina Projeto Experimental II, do curso de Comunicação Social - habilitação em Jornalismo, da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais,

3 3 Arcos, Edison Gomes (Orientador) PUC Minas Arcos Jairo de Faria Mendes - PUC Minas Arcos Filomena Maria Avelina Bonfim - PUC Minas Arcos

4 4 Para todos aqueles que nos deram a mão nesta caminhada acadêmica e especialmente para o Prof. Edison Gomes, para a Profa. Lázara Teixeira de Souza, para a jornalista Mariângela Albuquerque e para a Profa. Júlia Freitas que nos ajudaram neste trabalho. RESUMO

5 5 Este estudo analisou como os jornais de Arcos (MG) cobriram a implantação da PUC Minas na cidade. Verificou-se se houve ética por parte dos jornais na cobertura do fato. A pesquisa enfocou também o tipo de discurso usado pelos jornais na veiculação das notícias. A intencionalidade dos discursos, o não-discurso e a ironia foram estudados para se entender a mensagem que os jornais quiseram passar ao leitor arcoense. As ideologias político-partidárias foram analisadas, como forma de entender as diversas formas de cobertura da implantação da universidade. Foram analisados os cinco jornais existentes à época da vinda da PUC para Arcos: Cidade de Arcos, Jornal de Arcos, Jornal da Cidade, Tribuna Arcoense e Correio do Centro Oeste. Os resultados obtidos mostraram que os jornais não agiram dentro da ética jornalística, sendo parciais e contemplando interesses políticos. As facções políticas dominantes e rivais na cidade foram identificadas nas posições dos jornais. Os que eram contra a prefeita Hilda Borges de Andrade, que trouxe a universidade para o município, fizeram uma cobertura irrelevante. Em contrapartida o jornal da prefeitura estampava em suas páginas que a vinda da PUC para Arcos era o maior acontecimento histórico depois da emancipação político-administrativa da cidade. PALAVRAS CHAVES: ética, jornalismo regional, política A questão da ética na cobertura dos jornais de Arcos (MG) na implantação da PUC Minas na cidade ROQUE, Clícia Alves Ribeiro Roque, graduação, PUC Minas Arcos. MG 1. Introdução Alberto Dines¹ (1986, p.27) diz que o jornal é o fragmento da história e da memória de um país. Dentro desta visão, esta pesquisa mostrará algo do passado recente de Arcos. Optou-se por resgatar o processo de implantação da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais na cidade vista pelos jornais, ao mesmo tempo em que foram analisadas as questões éticas da cobertura.

6 6 A implantação da PUC Minas Arcos, foi registrada por jornais de Belo Horizonte e da região centro-oeste de Minas Gerais, mas só será estudada a cobertura feita pelos jornais da cidade de Arcos. O presente trabalho justifica-se por tratar de estudo de caso relativo ao jornalismo regional, tema estudado no curso de jornalismo da PUC Minas Arcos e que ainda possui poucos registros. Além disso, o jornalismo local tem uma empatia maior com o leitor da sua cidade e é interesse que a pesquisa esclareça as relações estabelecidas entre o jornal e seu público. O jornalismo regional retrata a realidade da localidade onde está inserido, registra os fatos que falam da realidade da população local, por isso há uma maior identificação dos leitores com os jornais de sua região ou cidade. Em Arcos, não há um registro sistematizado sobre a história da imprensa. Entende-se que esta pesquisa poderá preencher uma lacuna, pelo menos no que diz respeito a fatos mais recentes, como é o caso da implantação da universidade no município. 1. DINES, Alberto. O papel do jornal. São Paulo, Summus: É também do interesse da comunidade de Arcos ter sua história registrada e analisada, pois este estudo não fará somente uma descrição de como aconteceu a cobertura da implantação da PUC, mas será analisado se houve ética por parte dos jornais arcoenses na cobertura deste evento. Segundo dados da Biblioteca Municipal Jarbas Ferreira Pires, a maior dificuldade de pesquisa histórica que têm os usuários, é em relação à história de Arcos, que apresenta uma deficiência muito grande de registros. Mas não é somente em Arcos que não há registros históricos da imprensa. A realidade não é diferente em outras localidades. A deficiência na publicação de obras de referência que possam vir a contribuir na fundamentação teórica sobre o assunto, jornalismo regional, pede um pouco mais de esclarecimentos sobre a questão. Em 1983 o jornalista Gastão Tomás Almeida, percebeu esta lacuna:

7 7 Praticamente tudo está para ser estudado sobre o assunto. Trabalhos esparsos, locais e regionais, existem alguns, mas poucos, o que impede uma visão e uma análise gerais do que foi, do que é e do que se espera do jornalismo voltado para suas cidades e regiões. (ALMEIDA, 1983, p. 15). Hoje, já há mais informações a respeito de jornalismo regional, mas não quanto seria de se esperar. Estão sendo tomadas boas iniciativas para minimizar esta deficiência de informações, como é o caso do curso de jornalismo da PUC Minas Arcos que adotou em sua grade curricular, a disciplina de jornalismo comparado, onde se tem dado ênfase ao estudo do jornalismo regional. As virtudes e deficiências dos jornais interioranos, representados aqui pelos jornais de Arcos, serão analisadas à medida em que se apresentarem dentro da metodologia de trabalho adotada, que é analisar todos os números de jornais que se referiram à implantação da universidade nesta cidade. O objeto central da pesquisa é a análise da ética dos jornais que cobriram a implantação da PUC. Houve ética ou somente interesses pessoais ou de grupos foram contemplados? É o que se responderá ao final da pesquisa. As seguintes hipóteses serão analisadas e poderão ser confirmadas ou descartadas: *O jornalismo regional é muito influenciado pela política local. *O jornal institucional reflete somente o interesse pessoal do governante. A observação dos dados que levarão às conclusões, serão feitas através de todas as matérias publicadas relacionadas ao evento em questão, pois nos jornais pesquisados não há espaço definido para o editorial, com exceção do jornal Tribuna Arcoense. Então, será importante analisar a forma como estas matérias foram conduzidas. Até o pouco espaço dedicado à PUC em alguns jornais é importante para a pesquisa, porque até isso é sintomático. 2. Perfil dos jornais analisados Cidade de Arcos

8 8 O jornal Cidade de Arcos, que era o órgão informativo da Prefeitura Municipal de Arcos durante a gestão 1997/2000 da prefeita Hilda Borges de Andrade, fez uma cobertura detalhada da implantação, desde a cerimônia de assinatura do convênio até a instalação de novos cursos, inauguração do auditório, agenda cultural da PUC Arcos e tudo que se referia à universidade. Isto até a saída da prefeita Hilda Borges de Andrade, pois o prefeito eleito na sequência, Lécio Rodrigues de Souza, extinguiu o jornal. Segundo o assessor de comunicação do prefeito Lécio, Aurélio Tadeu Nunes, o Cidade de Arcos, foi desativado porque publicar os informativos da prefeitura por outros veículos de imprensa, é mais econômico, além de que o jornal era usado para promoção pessoal da prefeita Hilda Borges, o que é inconstitucional. O artigo 37 da Constituição Federal, inciso 1 o constitucional diz o seguinte: proíbe este tipo de prática. O texto A publicidade dos atos, programas, obras, serviços e campanhas de órgãos públicos deverá ter caráter educativo, informativo ou de orientação social, dela não podendo constar nomes, símbolos ou imagens que caracterizem promoção pessoal de autoridades ou servidores públicos. Já a jornalista responsável pelo jornal, Marisa Freitas (de acordo com entrevista dada à pesquisadora), refuta esta explicação. Ela diz ser o mais barato que a prefeitura possua o seu próprio jornal, como acontecia na gestão de Hilda Borges de Andrade. No jornal Correio do Centro Oeste do dia 06 de outubro de 1997, o articulista José Sabiá, escreve que o jornal da prefeitura Cidade de Arcos virou instrumento de promoção da prefeita, com abundância de fotografias e ausência de biografia. O Cidade de Arcos tinha como jornalista responsável, Marisa Freitas Campos. A presença de uma jornalista formada num jornal em Arcos àquela época, era incomum. O jornal era um semanário, tablóide de 8 páginas, com fotos, que registrava os feitos da prefeita, os decretos municipais e acontecimentos diversos ocorridos na cidade, inclusive esportivos. Tribuna Arcoense Era um tablóide de 8 páginas, quinzenal, com distribuição gratuita e tiragem de 3000 exemplares. Circulou somente de outubro de 1999 a março de No expediente consta

9 9 que o jornal era de propriedade da Empresa Santos e Gontijo S.C. Ltda. O nome do editor não é mencionado, somente o dos colaboradores. Tinha anunciantes e apoiava a prefeita Hilda Borges de Andrade. No primeiro número do jornal, na primeira página, e também no editorial, colocou-se abertamente a tendência que predominaria no periódico: combater a imprensa de oposição que denegria a imagem da prefeita e ressaltar os grandes feitos da administração. Essa imprensa de oposição a que se referia a Tribuna Arcoense, era o jornal Correio do Centro-Oeste. Jornal de Arcos É o mais antigo jornal de Arcos ainda em circulação, hoje com 27 anos de fundação. O fundador do Jornal de Arcos, Hermenegildo Castro, já é falecido, mas quando da implantação da universidade, era o responsável pelo jornal. Segundo seu filho Belarmino Castro, editor do jornal hoje, seu pai divergia politicamente da prefeita Hilda Borges de Andrade. Além desta divergência, pelo fato da prefeitura ter o seu próprio órgão informativo, o Cidade de Arcos, nenhuma publicação institucional era feita em outros jornais. Este foi um dos motivos que levou o Jornal de Arcos a passar por sérias dificuldades financeiras. O jornal ficou sem ser publicado de fevereiro a julho de 1999, porque o editor não tinha condições financeiras para bancar a impressão. É um tablóide, de 8 páginas e de periodicidade incerta. Hoje é distribuído gratuitamente e sobrevive através de anúncios, inclusive da Prefeitura Municipal de Arcos. Correio do Centro-Oeste

10 10 É um tablóide, bisemanal, saindo todas as quintas e domingos. Tem 15 anos de fundação. É distribuído por assinaturas e também vendido em bancas. Circula hoje com cerca de 40 páginas, com várias sessões e cadernos. O jornal criticava sistematicamente a prefeita Hilda Borges de Andrade na gestão 1997/2000, mas não foi sempre assim. Na edição do Correio de 27 de dezembro de 1992, durante a primeira gestão da prefeita, a manchete de primeira página era: D. Hilda: maior administradora da história de Arcos. Inquirido sobre o porquê da mudança de posição do jornal, seu editor, Gumercindo Cruz, disse que durante o primeiro mandato da prefeita Hilda Borges de Andrade, o editor do Correio do Centro-Oeste era Leocádio Teixeira, seu sócio, e o jornal à época, expressava a ideologia dele. Cruz também era um dos donos do jornal, mas não tinha participação editorial. Cuidava nessa época de jornais de outras cidades. Só mais tarde, ele compraria as partes dos sócios no jornal. Ele elogia a atuação da prefeita no seu primeiro mandato. O que ocorreu, segundo o editor, é que depois da eleição de Hilda Borges para o segundo mandato, José Maurício de Andrade, marido da prefeita e chefe de governo, fez uma reunião com correligionários e disse que ia acabar com o Correio. Se me declararam guerra, eu declarei também a eles, disse Cruz. Jornal da Cidade Ë um tablóide, de 12 páginas, de periodicidade duvidosa. Seu editor é o professor de matemática Sigismundo Silva. Possui anunciantes e é distribuído gratuitamente. Tem um perfil mais social, cobrindo eventos e festas em Arcos, e nas cidades vizinhas de Japaraíba e Lagoa da Prata. A política também é tratada, mais de forma superficial. O editor disse que à época da administração de Hilda Borges de Andrade, o Jornal da Cidade não dava muita cobertura às realizações da prefeitura, pois a prefeita por sua vez não prestigiava a imprensa local. Por prestigiar, leia-se financiar. A prefeitura não publicava nada nos jornais da cidade, visto que ela tinha o seu jornal, o Cidade de Arcos.

11 11 3. Análise dos discursos É importante no contexto desta pesquisa a análise dos discursos. Orlandi (2000, p. 58, 60) trabalha algo muito importante para o marco teórico deste estudo: De acordo com a análise do discurso, o sentido não existe em si, mas é determinado pelas posições ideológicas colocadas em jogo no processo sócio-histórico em que as palavras são produzidas. A formação discursiva é o lugar da constituição do sentido e da identificação do sujeito.(...) Um discurso jornalístico é constituído de uma pluralidade de textos efetivos que, por sua vez são marcados por formações discursivas diferentes. Pela vocação totalizante do sujeito (autor) estabelece-se uma relação de dominância de uma formação discursiva sobre as outras, na constituição do texto. (ORLANDI, 2000, p.58,60) Orlandi (2001, p.54) diz que o que interessa à análise do discurso é que são as formas de assujeitamento ideológicas que governam os mecanismos enunciativos. A autora observa que: Na perspectiva da análise do discurso não há liberdade e as marcas que atestam a relação entre o sujeito e a linguagem, no texto, não são detectáveis mecânica e empiricamente. Os mecanismos enunciativos não são unívocos nem auto-evidentes. São construções discursivas com seus efeitos de caráter ideológico. (ORLANDI, 1988, p.54) Segundo Baccega (1998, p.90), o discurso é o lugar do encontro entre o lingüístico e as condições sócio-históricas constitutivas das significações, e a análise do discurso se constrói nesse encontro. Ela explica que: O significado de uma palavra não está mais no sistema da língua, entendida enquanto estrutura, mas na sociedade que a criou, que reelaborou seu significado, que a utilizou num determinado contexto, numa determinada formação ideológica, formação discursiva. No lugar dos referenciais do sistema da língua paralelismos, oposições, inversões, proposições, caminhos abertos e fechados, etc entram as condições de produção e o sujeito, nelas imerso. (BACCEGA, 1998, p.90) Para entender os discursos explícitos e os não explícitos nos jornais de Arcos, a análise do contexto político é necessária (vide tópico 5 desta pesquisa).

12 12 A análise do discurso facilita este processo de entendimento, porque não somente tira do texto o seu sentido, mas também apreende a sua historicidade, o que significa entender toda relação de confronto de sentidos. Nilson Lage (2001, p.38) coloca que a primeira coisa que é informada num jornal é sua ideologia. E isto não é feito somente através dos editoriais, onde normalmente é expresso o pensamento do jornal, mas também através de relatos imperfeitos, de artigos opinativos, de deficiência de espaço dado à questão ou simplesmente pela não publicação de certos fatos. De acordo com Koch (2000, p. 24) todo enunciado diz algo, mas diz de certo modo, e o modo como é dito que representa o sentido. E no jornalismo isto é altamente significativo, pois o que está impresso tem por trás um sentido que se quer que o leitor assimile. Para esta autora, quando interagimos através da linguagem, temos um objetivo, um fim a ser atingido, relações que desejamos estabelecer, efeitos que queremos causar ou comportamentos que queremos provocar. Pretendemos atuar sobre o outro, obter dele determinadas reações. É por isso que se pode afirmar que o uso da linguagem é essencialmente argumentativo. Koch (2000, p. 25) estabelece as seguintes diferenças no discurso: A distinção entre dizer e mostrar permite penetrar nas relações entre linguagem, homem e mundo: é sob esse aspecto que se torna possível falar de ideologia na linguagem. A enunciação faz-se presente no enunciado através de uma série de marcas. É por meio delas marcas lingüísticas que são que se poderá chegar à macrossintaxe do discurso... (KOCH, 2000, p.25) A análise da ideologia inseridas nos enunciados, é importante para esta pesquisa e até a falta destes enunciados em determinados momentos. Quando se percebe a pouca cobertura dada à chegada da PUC em Arcos por parte de alguns jornais analisados, percebe-se uma mensagem subliminar: o fato não teve muita importância ou ignorando o fato, se ignorava os responsáveis pelo fato. É o não-discurso a que se refere Eni Orlandi. Orlandi (1992, p.70) ressalta que: A hipótese de que partimos é que o silêncio é a própria condição da produção de sentido. Assim, ele aparece como o espaço diferencial da

13 13 significação: lugar que permite à linguagem significar. O silêncio não é o vazio, o sem-sentido; ao contrário, ele é o indício de uma totalidade significativa. Isso nos leva à compreensão do vazio da linguagem como um horizonte, e não como falta. (ORLANDI, 1992, p.70) Pode-se perceber o vazio de espaço dado à cobertura da implantação da PUC em Arcos por alguns jornais, como uma posição política. Por isso, para este estudo, os silêncios são considerados, pois se entende que estes se configuram como discursos persuasivos De acordo com Baccega (1998, p. 21) a persuasão, que é da natureza do ato da fala, poderá ocorrer em graus diferenciados: do nível mais próximo a referencialidade o chamado discurso científico ao mais próximo ao convencimento propriamente dito o discurso político, o discurso religioso. Para esta pesquisa, interessa mais o discurso mais próximo ao convencimento, neste caso, o discurso político. A intencionalidade refere-se ao modo como os emissores ( na análise em questão, os jornais) usam textos para perseguir e realizar suas intenções. A aceitabilidade constitui a contraparte da intencionalidade; isto será determinado pelo leitor, que incorporará ou não os enunciados contidos intencionalmente no texto. As ideologias passadas pela mídia muitas vezes se fixam de forma significativa nas pessoas. Acontece a incorporação destas ideologias pelo receptor. Baccega ( 1998, p. 116) mostra como os discursos podem se incorporar aos modos de ser e de pensar dos leitores. As ideologias, intencionalmente passadas, se tornam idiossincrasias. A comunicação só se estabelece quando é incorporada pelo enunciatário. Consideramos apropriação os modismos que os meios de comunicação, em qualquer de seus gêneros, influenciam. São comportamentos passageiros que, no mais das vezes, desaparecem sem deixar vestígios. Já a incorporação se constitui das permanências, das mudanças efetivas de comportamento, que se traduzem no cotidiano dos indivíduos/sujeitos. (BACCEGA, 1998, p.116) 4. A influência política nos jornais locais A relação do poder, da política com a imprensa, sempre foi algo evidente. Nos grandes centros ou no interior, percebe-se a influência destes dois fatores no jornalismo. Umberto Eco (1997, p. 58) diz que:

14 14... os jornais são instrumentos de poder, administrados por partidos ou grupos econômicos que usam uma linguagem voluntariamente críptica, pois sua verdadeira função não é dar notícias aos cidadãos, mas enviar mensagens cifradas a um outro grupo passando por cima da cabeça dos leitores. Baccega (1998, p. 81) diz que a semiótica trabalha prioritariamente os mecanismos intradiscursivos dos quais resulta a constituição de sentidos. Na verificação dos sentidos, várias questões precisam ser levadas em conta, tais como as condições sócio-históricas, e com a análise do discurso pode se conseguir explicações interessantes. No caso da análise dos discursos dos jornais de Arcos, é necessário promover um entendimento da história política e social do município. História esta, marcada por divergências político-partidárias entre duas famílias influentes e poderosas, que se revezaram no poder durante muito tempo, como é o caso dos Andrade e Ribeiro. Hilda Borges de Andrade, a prefeita que trouxe a PUC para Arcos e seu marido, José Maurício de Andrade, são inimigos (ou talvez seja melhor dizer adversários) do ex-prefeito Plácido Ribeiro Vaz). Tanto Hilda Borges como Plácido, haviam governado a cidade por duas vezes (Plácido, nas últimas eleições de 3 de outubro de 2004, consegue novamente ser eleito prefeito de Arcos, agora pela terceira vez. José Maurício de Andrade, marido da prefeita, exdeputado federal já era cacique na área política há muitos anos na cidade, como também o pai de Plácido Ribeiro Vaz, o ex-deputado estadual e prefeito de Arcos por quatro vezes, João Vaz Sobrinho. Estes foram aliados em algumas ocasiões. Em 1982 os partidos políticos podiam lançar mais de um candidato à prefeitura, e o PMDB colocou três nomes à apreciação dos eleitores: Francisco Roque, Hilda Borges de Andrade e Plácido Ribeiro Vaz. Plácido venceu as eleições municipais. A partir daí, a animosidade se instalou entre as duas famílias, originando duas facções políticas diferentes. E os jornais locais sempre mostraram estas facções, alguns criticando tudo ou elogiando tudo que fizessem Plácido ou Hilda. Umberto Eco (1997, p.89) faz um convite, que se fosse aceito, certamente melhoraria os padrões éticos dos jornais e da imprensa como um todo: (...) existem milhares de pessoas por quem devemos nos interessar e de quem a imprensa deve falar mais, não apenas porque milhares de nossos concidadãos estão construindo algo junto com eles, mas também porque de seu crescimento ou de sua crise depende o futuro de nossa sociedade.

15 15 Este é um convite, tanto para a imprensa quanto para o mundo político, para olhar mais para o mundo e menos para o espelho. (ECO, 1997) 6. CONSIDERAÇÕES FINAIS A análise dos jornais de Arcos, à época da implantação da PUC na cidade, leva a crer que a ética não foi observada pela imprensa local. A imparcialidade, premissa básica do bom jornalismo, não foi contemplada. O que se percebe, é que a cobertura da instalação da PUC em Arcos, foi feita observando-se os interesses pessoais e as ideologias político-partidárias. Confundiu-se jornalismo com propaganda política. Animou os jornais, não a objetividade, veracidade dos fatos, mas interesses diversos que estavam em jogo. O pragmatismo foi o que se observou na conduta dos jornalistas e donos de jornais locais. Uma forma utilitarista de ver o jornalismo, foi o que se mostrou na cobertura do evento em questão. Também o jornal institucional da prefeitura municipal, serviu a interesses pessoais, de promoção de pessoas, mais que da promoção do fato em si. Tudo isto, leva à confirmação das duas hipóteses formuladas na introdução desta pesquisa: *O jornalismo regional é muito influenciado pela política local. *O jornal institucional reflete somente o interesse pessoal do governante. O que se percebe é que os interesses pessoais e de grupos foram colocados à frente das legítimas propostas do jornalismo sério, quais sejam a informação correta, a consulta a várias fontes, a objetividade, a postura ética, a imparcialidade. Todas estas questões foram menosprezadas neste episódio em Arcos. É significativo que o modo com que alguns jornais já estabelecidos no mercado acolheram a PUC em Arcos, transformou-se em incorporação de comportamentos. A forma negativa como a universidade foi recebida por alguns jornais, fixou-se na mente de uma parcela dos arcoenses.

16 16 Ainda hoje é visível que há uma rejeição por parte da população para com a universidade. Isso se depreende de artigos publicados no Correio do Centro Oeste, onde se associa o aumento da violência na cidade com a chegada da PUC ou o que cobra da universidade uma postura mais católica. Apesar da pouca receptividade dada pela imprensa à PUC, o ganho com a vinda da universidade é inquestionável. Ganha o comércio, ganha o setor imobiliário, ganha o setor de serviços, mas principalmente ganham a educação e a cultura do município. Com a implantação do curso de jornalismo na PUC Arcos, espera-se que o nível do jornalismo local melhore, pois a universidade é o lugar onde se constrói os saberes e as competências. 7. BIBLIOGRAFIA ALMEIDA, Gastão Tomás. Imprensa do interior, um estudo preliminar. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado, BACCEGA, Maria Aparecida. Comunicação e linguagem: discursos e ciência. São Paulo: Editora Moderna, BAUER, Martin W., GASKELL, George. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis: Vozes, BUCCI, Eugênio. Sobre ética e imprensa. São Paulo: Companhia das Letras, CAVALCANTI, Enock. Disponível em <http://www.observatoriodaimprensa.com.br/artigos/mat2009e.htm> Acesso em 18 de mar DINES, Alberto. O papel do jornal: uma releitura. São Paulo, Summus: A imprensa em questão. São Paulo, Summus: ECO, Umberto. Cinco escritos morais. Rio de Janeiro, Editora Record: FAIRCLOUGH, Norman. Discurso e mudança social. Brasília: Editora Universidade de Brasília, GENTILLI, Victor. Disponível em <http://www.observatoriodaimprensa.com.br/artigos/jd051297f.htm. > Acesso em 02 de abril de 2004.

17 17 HAGUETTE, Teresa Maria Frota. Metodologias qualitativas na sociologia. Petrópolis: Vozes, MARINI, Wilson. Disponível em <http://www.observatoriodaimprensa.com.br > Acesso em 03 de abril de MARTINS, Gerson. Disponível em <http:// www2.ucdb/~gmartins/artigos/jornalismo_regional.htm > Acesso em 25 de fev. de ORLANDI, Eni Paulicelli. Discurso e leitura. 5. ed. São Paulo: Cortez, As formas do silêncio: no movimento dos sentidos. Campinas: Edunicamp, SÁNCHEZ, Adolfo Vázquez. Ética. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, VELOSO, Maria do Socorro F. Disponível em <http:// HYPERLINK socorro.htm > Acesso em 25 de fev. de Arcos terá cursos da PUC. Cidade de Arcos. Arcos. 18 set p. 1. Editorial. Cidade de Arcos. Arcos. 18 set p.2. Maurício Andrade: maior fator histórico depois da emancipação do município. Cidade de Arcos. Arcos. 18 set p. 2. Professora Lazara: Uma das páginas mais bonitas da história de Arcos. Cidade de Arcos. Arcos. 18 set p. 2. Dona Hilda: Quero fazer grandes coisas para Arcos. Cidade de Arcos. Arcos. 18 set p. 3. Padre Geraldo: Queremos ser uma universidade regional em Arcos. Cidade de Arcos. Arcos. 18 set p. 3. PUC em Arcos: um sonho que já se tornou realidade. Cidade de Arcos. Arcos. 18 set p. 4. Um marco extraordinário na história do município. Cidade de Arcos. Arcos. 18 set p. 5. Alunos de escolas arcoenses falam do valor da faculdade. Cidade de Arcos. Arcos. 18 set p. 6. Ficou mais fácil estudar. Cidade de Arcos. Arcos. 18 set p. 7. Divulgando a cidade. Cidade de Arcos. Arcos. 18 set p. 7.

18 18 Padre Geraldo: Haverá prova de vestibular no próximo ano. Cidade de Arcos. Arcos. 18 set p. 8. Professores da PUC elogiam escola profissionalizante e distrito industrial de Arcos. Cidade de Arcos. Arcos. 30 jul p. 1. Editorial. Cidade de Arcos. Arcos. 30 jul p. 2. Professores da PUC visitam Arcos. Cidade de Arcos. Arcos. 30 jul p. 5. Arcos impressiona comissão da PUC. Cidade de Arcos. Arcos. 02 out p. 1. Editorial. Cidade de Arcos. Arcos. 02 out p. 2. Comissão da PUC visita o prédio onde funcionará a universidade. Cidade de Arcos. Arcos. 02 out p. 4. Um marco na história do município. Cidade de Arcos. Arcos. 02 out p. 4. Assinatura de convênio com a PUC repercute em toda região. Cidade de Arcos. Arcos. 02 out p. 7. Escola Maricota Pinto festeja 7 de setembro e universidade em Arcos. Cidade de Arcos. Arcos. 02 out p. 8. Reitor da PUC encaminha projeto de implantação para o ministro da educação. Cidade de Arcos. Arcos. 28 nov p. 2. Vestibular em Arcos será em julho. Cidade de Arcos. Arcos. 20 dez p. 1. Editorial. Cidade de Arcos. Arcos. 20 dez p. 2. Professores da Puc visitam Arcos e elogiam instalações da universidade no município. Cidade de Arcos. Arcos. 11 dez p. 1. Professores visitam a sede da PUC em Arcos. Cidade de Arcos. Arcos. 11 dez p. 5. Comissão do MEC visita obras da PUC e apresenta relatório para Conselho Nacional de Educação. Cidade de Arcos. Arcos. 21 dez p. 3. Puc em Arcos já é realidade. Cidade de Arcos. Arcos. 12 mar p. 01Vestibular da PUC/Arcos será realizado em junho. Cidade de Arcos. Arcos. 12 mar p. 4 e 5. Vestibular PUC/Arcos 99. Cidade de Arcos. Arcos. 12 mar p. 4. Professor Janer Faria: um lutador pela implantação da PUC em Arcos. Cidade de Arcos. Arcos. 12 mar p. 4. Jornal da PUC Minas informa que campus de Arcos oferecerá 5 cursos de graduação até Cidade de Arcos. Arcos. 11 jun p. 6.

19 19 Professor da PUC Arcos fala do prazer de trabalhar aqui e dos projetos para a cidade. Cidade de Arcos. Arcos. 28 ago p. 3. Empenho da prefeita Hilda Andrade em instalar a PUC/Minas em Arcos continua repercutindo bem na região. Cidade de Arcos. Arcos. 02 out p. 2. PUC Minas promove a primeira Semana Cultural e inaugura auditório do campus de Arcos. Cidade de Arcos. Arcos. 20 nov p. 7. Lei aprovada pela câmara autoriza executivo a doar prédio e terreno para PUC/Arcos. Cidade de Arcos. Arcos. 27 nov p. 1. PUC/Minas prevê criação de mais três cursos para o início do ano Cidade de Arcos. Arcos. 27 nov p. 4 e 5. Região reconhece Arcos como cidade universitária. Cidade de Arcos. Arcos. 18 mar p. 1. O futuro já chegou em Arcos. Cidade de Arcos. Arcos. 18 mar p. 3. PUC/Arcos anuncia criação de cursos de direito e publicidade no período da manhã para agosto. Cidade de Arcos. Arcos. 18 mar p. 4 e 5. CONSELHEIRO. A. Saúde para todos! Correio do Centro Oeste. Arcos.11 ago p.5. NUNES. A. Pato Fu. Correio do Centro Oeste. Arcos.7 jun p.2. Prefeitura investe milhares de reais na PUC. Correio do Centro Oeste. Arcos.7 jun p.15. Prefeita e Dom Serafim inauguram PUC/Arcos. Correio do Centro Oeste. Arcos.12 jul p.1. NUNES. A. Acabou a festa e... Correio do Centro Oeste. Arcos.19 jul p.2. Presenças ilustres e muita festa marcaram a inauguração da PUC em Arcos. Correio do Centro Oeste. Arcos.19 jul p.6. Diretora da PUC/Arcos: Nossa identidade é fazer ciência dentro dos preceitos éticos e morais. Correio do Centro Oeste. Arcos.19 jul p.13. CONSELHEIRO. A.hino de louvor. Correio do Centro Oeste. Arcos.2 ago p.5. O que pensam os arcoenses sobre a doação do imóvel. Correio do Centro Oeste. Arcos. 21 nov p.21. Doação de imóvel à PUC causa controvérsias. Correio do Centro Oeste. Arcos.21 nov p.20.

20 20 NUNES. A. Ficou só na conversa. Correio do Centro Oeste. Arcos. 26 dez p.2. PIRES. J. G. PUC: um belo ideal e seu triste desvirtuamento. Correio do Centro Oeste. Arcos. 21 dez p. 10. SILVA. S. C. da. Inferno arcoense. Correio do Centro Oeste. Arcos. 28 mar p. 4. PUC Arcos já é realidade. Jornal da Cidade. Arcos. Jul p. 4. PUC Minas chega em Arcos. Jornal de Arcos. Arcos. Jul p. 1. Arcos e flechas. Jornal de Arcos. Arcos. Jul p. 2. Arcos inicia novo ciclo com a presença da universidade. Jornal de Arcos. Arcos. ago p. 3. PUC traz para Arcos mais quatro cursos em 2000: jornalismo, direito, ciência da computação e psicologia. Tribuna Arcoense. Arcos. Nov p.6. Arcos: cidade universitária. Tribuna Arcoense. Arcos. fev p.1. Assustando. Tribuna Arcoense. Arcos. fev p.3. Assustando. Tribuna Arcoense. Arcos. mar p.3. Desperdício de dinheiro público: nunca mais! Tribuna Arcoense. Arcos. Mar p.8.

Parceria faculdade-empresa na área de jornalismo

Parceria faculdade-empresa na área de jornalismo Parceria faculdade-empresa na área de jornalismo ANA EUGÊNIA NUNES DE ANDRADE Jornalista, professora do Curso de Comunicação Social habilitação em Jornalismo, da Universidade do Vale do Sapucaí (Univás)

Leia mais

FORMAÇÃO IDEOLÓGICA: O CONCEITO BASILAR E O AVANÇO DA TEORIA

FORMAÇÃO IDEOLÓGICA: O CONCEITO BASILAR E O AVANÇO DA TEORIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL IV SEAD - SEMINÁRIO DE ESTUDOS EM ANÁLISE DO DISCURSO 1969-2009: Memória e história na/da Análise do Discurso Porto Alegre, de 10 a 13 de novembro de 2009 FORMAÇÃO

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA INICIAÇÃO CIENTÍFICA FONTES DO JORNALISMO IMPRESSO EM CAMPO GRANDE

PROJETO DE PESQUISA INICIAÇÃO CIENTÍFICA FONTES DO JORNALISMO IMPRESSO EM CAMPO GRANDE Gerson Luiz Martins PROJETO DE PESQUISA INICIAÇÃO CIENTÍFICA FONTES DO JORNALISMO IMPRESSO EM CAMPO GRANDE A contribuição da Reportagem, Assessorias e Agências para a formação do jornal diário. Equipe

Leia mais

Eurípedes Alcântara Diretor de Redação

Eurípedes Alcântara Diretor de Redação 1 Informar, esclarecer e entreter o leitor, elevando seu nível de compreensão dos fatos, das tendências que sejam relevantes para a sua vida pessoal, profissional e sua compreensão do mundo. Eurípedes

Leia mais

Proposta de publicidade

Proposta de publicidade Proposta de publicidade Olá, prezado (a) Vimos por meio deste apresentar nosso Jornal e a nossa proposta de publicidade para seu negocio ou serviço, que segue-se adiante. Informação é fundamental nos dias

Leia mais

TIPOS DE TEXTOS E ARGUMENTAÇÃO LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTOS prof. ALEMAR RENA alemarrena@gmail.com

TIPOS DE TEXTOS E ARGUMENTAÇÃO LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTOS prof. ALEMAR RENA alemarrena@gmail.com TIPOS DE TEXTOS E ARGUMENTAÇÃO LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTOS prof. ALEMAR RENA alemarrena@gmail.com TIPOS RELACIONADOS À FUNÇÃO REFERENCIAL: RESUMO RESUMO DESCRITIVO > Resume estrutura temática > Inclui

Leia mais

ROTINAS DE PRODUÇÃO JORNALÍSTICA NO SITE PORTAL COMUNITÁRIO

ROTINAS DE PRODUÇÃO JORNALÍSTICA NO SITE PORTAL COMUNITÁRIO 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) (X ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO (

Leia mais

Código: MAP-DIINF-003 Versão: 00 Data de Emissão: 0101/2013 Elaborado por: Gerência de Comunicação

Código: MAP-DIINF-003 Versão: 00 Data de Emissão: 0101/2013 Elaborado por: Gerência de Comunicação Código: MAP-DIINF-003 Versão: 00 Data de Emissão: 0101/2013 Elaborado por: Gerência de Comunicação Aprovado por: Diretoria de Informação Institucional 1 OBJETIVO Definir e padronizar os procedimentos referentes

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS DELIBERAÇÃO Nº 65, DE 11 DE MAIO DE 2012 O DA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO, tendo em vista a decisão tomada em sua 257ª Reunião Extraordinária, realizada em 11 de maio de 2012, e considerando

Leia mais

Direito Humano à Alimentação Adequada: um tema fora de pauta no Parlamento?

Direito Humano à Alimentação Adequada: um tema fora de pauta no Parlamento? ANA LÚCIA ALVES Direito Humano à Alimentação Adequada: um tema fora de pauta no Parlamento? Projeto de pesquisa apresentado ao Programa de Pós-Graduação do Cefor como parte das exigências do curso de Especialização

Leia mais

NOTÍCIA INSTITUCIONAL: IMAGEM INSTITUCIONAL

NOTÍCIA INSTITUCIONAL: IMAGEM INSTITUCIONAL NOTÍCIA INSTITUCIONAL: IMAGEM INSTITUCIONAL RESUMO Caroline Ferreira 1 O objetivo deste artigo é falar sobre Noticia institucional e o interesse cada vez maior das empresas em cuidar da sua imagem institucional.

Leia mais

Envolver. Edição V Ano II Outubro de 2012. Um caso. de sucesso

Envolver. Edição V Ano II Outubro de 2012. Um caso. de sucesso Envolver Edição V Ano II Outubro de 2012 Um caso de sucesso 1 editorial primeiras letras O ano de 2012 vai chegando ao fim com boas notícias para Pedro Leopoldo. As várias ações de investimento social

Leia mais

TV UNIVERSITÁRIA: TELEJORNALISMO ALTERNATIVO

TV UNIVERSITÁRIA: TELEJORNALISMO ALTERNATIVO TV UNIVERSITÁRIA: TELEJORNALISMO ALTERNATIVO Fabiana Piccinin 1 Esse artigo faz uma crítica ao modelo de telejornalismo adotado pelas Tvs comerciais brasileiras, apresentando uma nova proposta de jornalismo

Leia mais

SAÚDE, CIÊNCIA E TECNOLOGIA NO JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO

SAÚDE, CIÊNCIA E TECNOLOGIA NO JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO SAÚDE, CIÊNCIA E TECNOLOGIA NO JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO Lana Cristina Nascimento Santos Babette de Almeida Prado Mendoza 1 Resumo Análise qualitativa e quantitativa sobre a produção do jornal Folha de

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS EDITAL N o 005/2015 ANEXO 03

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS EDITAL N o 005/2015 ANEXO 03 ANEXO 03 NORMAS DO PROCESSO SELETIVO DE CANDIDATOS AOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA PUC-CAMPINAS INGRESSO DE PORTADOR DE DIPLOMA DE CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO 1 o SEMESTRE DE 2016 CAPÍTULO I DO CALENDÁRIO Art.

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO-UNEMAT DEPARTAMENTO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL/JORNALISMO ALINE BASSANESI DANYMEIRE RAMOS CARVALHO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO-UNEMAT DEPARTAMENTO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL/JORNALISMO ALINE BASSANESI DANYMEIRE RAMOS CARVALHO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO-UNEMAT DEPARTAMENTO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL/JORNALISMO ALINE BASSANESI DANYMEIRE RAMOS CARVALHO PRÉ-PROJETO DA REVISTA FEMINIS/ A CONQUISTA DA MULHER NO ESPAÇO MASCULINO

Leia mais

Palavras-chave: gêneros textuais, resenha crítica, ensino, leitura e produção textual

Palavras-chave: gêneros textuais, resenha crítica, ensino, leitura e produção textual RESENHA CRÍTICA NO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA: PRÁTICAS DE ANÁLISE E PRODUÇÃO DE TEXTOS Valdisnei Martins de CAMPOS Letras - CAC/UFG; valdis_martins@hotmail.com Erislane Rodrigues RIBEIRO Letras - CAC/UFG;

Leia mais

Site institucional da Secretaria de Saúde de Goiânia como comunicação estratégica¹

Site institucional da Secretaria de Saúde de Goiânia como comunicação estratégica¹ Site institucional da Secretaria de Saúde de Goiânia como comunicação estratégica¹ Serena Veloso GOMES² Thamara Rocha Ribeiro FAGURY³ Kalyne Menezes SOUZA4 Silvana Coleta Santos PEREIRA5 Universidade Federal

Leia mais

Assessoria de imprensa Conquista de espaço editorial Publicações Informação direta ao seu público Comunicação interna Muito além do jornalzinho

Assessoria de imprensa Conquista de espaço editorial Publicações Informação direta ao seu público Comunicação interna Muito além do jornalzinho # Tantas # Edição 01 # Ano 01 Assessoria de imprensa Conquista de espaço editorial Publicações Informação direta ao seu público Comunicação interna Muito além do jornalzinho Editorial Missão e Valores

Leia mais

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM DECRETO nº 1098, de 12 de fevereiro de 2009 Dispõe sobre alocação, denominação e atribuições dos órgãos que compõem a estrutura organizacional do Gabinete da Prefeita e dá outras providências. A PREFEITA

Leia mais

DECRET0 Nº 2.250, DE 30 DE MAIO DE 2008

DECRET0 Nº 2.250, DE 30 DE MAIO DE 2008 DECRET0 Nº 2.250, DE 30 DE MAIO DE 2008 Publicado no Jornal Correio Paranaense Em, 04.06.2008 Dispõe sobre a Estrutura Regimental da Secretaria Municipal de Governo. O Prefeito Municipal de São José dos

Leia mais

A Propaganda Institucional e as Eleições de 2008. Randolpho Martino JúniorJ www.vicosa.com.br/randolpho

A Propaganda Institucional e as Eleições de 2008. Randolpho Martino JúniorJ www.vicosa.com.br/randolpho A Propaganda Institucional e as Eleições de 2008 Randolpho Martino JúniorJ www.vicosa.com.br/randolpho Propaganda Institucional Definição: é a publicidade destinada a divulgar os atos, programas, obras,

Leia mais

63ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência. 10 a 15 de junho de 2011 UFG Goiânia, Goiás.

63ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência. 10 a 15 de junho de 2011 UFG Goiânia, Goiás. 63ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência 10 a 15 de junho de 2011 UFG Goiânia, Goiás. Comunicação, Ciência e Conservação do Cerrado: Mídia e Jornalismo na conscientização e

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL RESOLUÇÃO CUNI Nº 085, DE 6 DE DEZEMBRO DE 2011. O Conselho Universitário da Universidade Federal de Lavras, no uso de suas atribuições regimentais, e tendo em vista o que foi deliberado

Leia mais

Título: A formação do professor para o uso do jornal na sala de aula no ensino

Título: A formação do professor para o uso do jornal na sala de aula no ensino Título: A formação do professor para o uso do jornal na sala de aula no ensino fundamental Resumo O projeto de iniciação científica está vinculado à pesquisa Uso do jornal em sala de aula e compreensão

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO MARIA MAZUR

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO MARIA MAZUR UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO MARIA MAZUR A INFORMÁTICA E A MÍDIA IMPRESSA: COMO ELAS PODEM Prudentópolis 2013 MARIA MAZUR A INFORMÁTICA

Leia mais

OPERADORES ARGUMENTATIVOS: AS MARCAS DE ARGUMENTAÇÃO NO GÊNERO NOTÍCIA ONLINE

OPERADORES ARGUMENTATIVOS: AS MARCAS DE ARGUMENTAÇÃO NO GÊNERO NOTÍCIA ONLINE 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 OPERADORES ARGUMENTATIVOS: AS MARCAS DE ARGUMENTAÇÃO NO GÊNERO NOTÍCIA ONLINE André William Alves de Assis 1 RESUMO: Como participantes do processo comunicativo,

Leia mais

Regimento Interno da Articulação de Esquerda

Regimento Interno da Articulação de Esquerda Regimento Interno da Articulação de Esquerda A Articulação de Esquerda (AE) é uma tendência interna do Partido dos Trabalhadores. Existe para a defesa de um PT de luta, de massa, democrático, socialista

Leia mais

O marketing aplicado aos mandatos : A importância da leitura de cenário para o planejamento.

O marketing aplicado aos mandatos : A importância da leitura de cenário para o planejamento. 2º Seminário Nacional de REDES SOCIAIS e E-GOV para Administração Pública O marketing aplicado aos mandatos : A importância da leitura de cenário para o planejamento. Daniel Machado Especialista em Marketing

Leia mais

Um vitorioso Projeto Cultural e de Capacitação Profissional

Um vitorioso Projeto Cultural e de Capacitação Profissional Um vitorioso Projeto Cultural e de Capacitação Profissional Treinaseg Comércio, Consultoria e Treinamento em Seguros Ltda Alameda Glete, 52 1º andar Campos Elíseos. São Paulo SP CEP 01215-000 Tel: (11)

Leia mais

Apresentação de projetos na Bahiatursa

Apresentação de projetos na Bahiatursa Apresentação de projetos na Bahiatursa - Orientações - janeiro/2012 Apresentação A Bahiatursa, empresa oficial de turismo do Estado da Bahia, é vinculada à Secretaria de Turismo do Estado e tem como finalidade

Leia mais

Diretrizes Curriculares ENADE 2012. Curso de: Publicidade e Propaganda

Diretrizes Curriculares ENADE 2012. Curso de: Publicidade e Propaganda Diretrizes Curriculares ENADE 2012 Curso de: Publicidade e Propaganda MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA MEC Nº207 DE 22 DE JUNHO DE

Leia mais

A GESTÃO DEMOCRÁTICA DO PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO NA ESCOLA PÚBLICA DE EDUCAÇÃO BÁSICA

A GESTÃO DEMOCRÁTICA DO PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO NA ESCOLA PÚBLICA DE EDUCAÇÃO BÁSICA A GESTÃO DEMOCRÁTICA DO PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO NA ESCOLA PÚBLICA DE EDUCAÇÃO BÁSICA Adriano Ribeiro¹ adrianopercicotti@pop.com.br Resumo: A gestão democrática do Projeto Político-Pedagógico na escola

Leia mais

POVOS INDÍGENAS E A MÍDIA ESCRITA SUL-MATO-GROSSENSE. Renata Guerreiro Barbosa¹; Beatriz dos Santos Landa²

POVOS INDÍGENAS E A MÍDIA ESCRITA SUL-MATO-GROSSENSE. Renata Guerreiro Barbosa¹; Beatriz dos Santos Landa² POVOS INDÍGENAS E A MÍDIA ESCRITA SUL-MATO-GROSSENSE Renata Guerreiro Barbosa¹; Beatriz dos Santos Landa² 1. 2. Bolsista UEMS, Acadêmica do Curso de Enfermagem da UEMS Professora do Curso de Ciências Biológicas

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Diretoria de Comunicação Social (Dirco) Políticas Públicas de Comunicação

Universidade Federal de Uberlândia Diretoria de Comunicação Social (Dirco) Políticas Públicas de Comunicação Universidade Federal de Uberlândia Diretoria de Comunicação Social Políticas Públicas de Comunicação...a presença ativa duma universidade, revigorada ao contato de seu núcleo mais vivo e ciosa do seu espaço

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO - UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 60/00-CEPE RESOLVE:

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO - UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 60/00-CEPE RESOLVE: RESOLUÇÃO Nº /00-CEPE 1 Fixa o Currículo Pleno do Curso de Comunicação Social, Habilitações em Jornalismo, Relações Públicas e Publicidade e Propaganda, do Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes. O,

Leia mais

Edson Alves Chaves O USO DA INTERNET NA DIVULGAÇÃO DO TRABALHO PARLAMENTAR

Edson Alves Chaves O USO DA INTERNET NA DIVULGAÇÃO DO TRABALHO PARLAMENTAR Edson Alves Chaves O USO DA INTERNET NA DIVULGAÇÃO DO TRABALHO PARLAMENTAR Projeto de pesquisa apresentado ao Programa de Pós- Graduação do CEFOR como parte das exigências do curso de Especialização em

Leia mais

1. Apresentação. 2. Tema. 3. Objetivos. 4. Categorias. 5. Requisitos de participação e habilitação

1. Apresentação. 2. Tema. 3. Objetivos. 4. Categorias. 5. Requisitos de participação e habilitação 1. Apresentação Por reconhecer a função social da mídia e sua importante ação como formadora de opinião e difusora de informações, o Ministério Público do Estado de Acre (MPAC), realiza, em 2014, a 5ª

Leia mais

Resumo. GT Produção Laboratorial Impresso Jornal cultural 2ª Opinião Márcia Eliane Rosa Professora de Jornalismo, doutoranda na ECA/USP

Resumo. GT Produção Laboratorial Impresso Jornal cultural 2ª Opinião Márcia Eliane Rosa Professora de Jornalismo, doutoranda na ECA/USP GT Produção Laboratorial Impresso Jornal cultural 2ª Opinião Márcia Eliane Rosa Professora de Jornalismo, doutoranda na ECA/USP Resumo O 2ª Opinião - Espaço cultural é um jornal-laboratório que vem sendo

Leia mais

A obra de Joaquim Manuel de Macedo através de anúncios do Jornal do Comércio do Rio de Janeiro.

A obra de Joaquim Manuel de Macedo através de anúncios do Jornal do Comércio do Rio de Janeiro. A obra de Joaquim Manuel de Macedo através de anúncios do Jornal do Comércio do Rio de Janeiro. Resumo: Doutoranda Juliana Maia de Queiroz 1 (UNICAMP). Em 1868, Joaquim Manuel de Macedo publicou o romance

Leia mais

Palavras-chave: Leitura. Oralidade. (Re)escrita. Introdução

Palavras-chave: Leitura. Oralidade. (Re)escrita. Introdução 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA (X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA OS TEXTOS

Leia mais

CAMPANHAS ELEITORAIS E COMUNICAÇÃO MIDIÁTICA: CICLOS DE MUDANÇA E CONTINUIDADE

CAMPANHAS ELEITORAIS E COMUNICAÇÃO MIDIÁTICA: CICLOS DE MUDANÇA E CONTINUIDADE CAMPANHAS ELEITORAIS E COMUNICAÇÃO MIDIÁTICA: CICLOS DE MUDANÇA E CONTINUIDADE 48 Monalisa Soares Lopes Universidade Federal do Ceará (UFC) monalisaslopes@gmail.com Os estudos da política contemporânea,

Leia mais

MÍDIA KIT É HORA DE VENCER A CRISE LARGUE NA FRENTE DA CONCORRÊNCIA! O VEÍCULO OFICIAL DA ASSERJ, ESTÁ COM VALORES PROMOCIONAIS PARA QUEM SE ANTECIPAR

MÍDIA KIT É HORA DE VENCER A CRISE LARGUE NA FRENTE DA CONCORRÊNCIA! O VEÍCULO OFICIAL DA ASSERJ, ESTÁ COM VALORES PROMOCIONAIS PARA QUEM SE ANTECIPAR MÍDIA KIT É HORA DE VENCER A CRISE LARGUE NA FRENTE DA CONCORRÊNCIA! O VEÍCULO OFICIAL DA ASSERJ, ESTÁ COM VALORES PROMOCIONAIS PARA QUEM SE ANTECIPAR O VEÍCULO DE COMUNICAÇÃO QUE FALA AO TRADE SUPERMERCADISTA

Leia mais

PROPAGANDA ELEITORAL

PROPAGANDA ELEITORAL PROPAGANDA ELEITORAL Katherine Schreiner katherine@eleitoralbrasil.com.br http://www.eleitoralbrasil.com.br Propaganda Política A expressão propaganda política é empregada para significar, em síntese,

Leia mais

Projeto Visibilidade UFG

Projeto Visibilidade UFG RELATÓRIO ANUAL ASCOM UFG 2014 Projeto Visibilidade UFG Criado em Janeiro de 2014, o Projeto Visibilidade UFG é uma iniciativa integrada das áreas de Relações Públicas e Jornalismo da Assessoria de Comunicação,

Leia mais

Intercom Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação XVI Prêmio Expocom 2009 Exposição da Pesquisa Experimental em Comunicação

Intercom Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação XVI Prêmio Expocom 2009 Exposição da Pesquisa Experimental em Comunicação Jornal 30 Dias 1 Adrielle Figueiredo LOPES 2 Aline Cristina Maia CAMPOS 3 Bárbara Camilo PEREIRA 4 Carla Izabela de Oliveira FERNANDES 5 Daniela Moura SOUZA 6 Dayse Aguiar SERAFIM 7 Érika Cristina CAETANO

Leia mais

EMENTÁRIO DO CURO DE JORNALISMO

EMENTÁRIO DO CURO DE JORNALISMO EMENTÁRIO DO CURO DE JORNALISMO LET 02630 LÍNGUA PORTUGUESA Noções gerais da língua portuguesa. Leitura e produção de diferentes tipos de textos, em especial os relativos à comunicação de massa. Os tipos

Leia mais

ATO NORMATIVO Nº 010/2013

ATO NORMATIVO Nº 010/2013 ATO NORMATIVO Nº 010/2013 Organiza as ações de comunicação social, no âmbito do Ministério Público do Estado da Bahia. OPROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA, no uso das atribuições que lhe confere

Leia mais

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 01/2014 PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 01/2014 PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA EDITAL DE PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 01/2014 PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA 1. 0 - DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Edital de Processo Seletivo Simplificado para contratação por prazo determinado. A Prefeitura

Leia mais

LEI Nº 1528/2004. A CÂMARA MUNICIPAL DE ARAUCÁRIA, Estado do Paraná, aprovou, e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 1528/2004. A CÂMARA MUNICIPAL DE ARAUCÁRIA, Estado do Paraná, aprovou, e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 1528/2004 "INSTITUI O SISTEMA MUNICIPAL DE ENSINO DO MUNICÍPIO DE ARAUCÁRIA, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS". A CÂMARA MUNICIPAL DE ARAUCÁRIA, Estado do Paraná, aprovou, e eu, Prefeito Municipal, sanciono

Leia mais

Jornal na sala de aula

Jornal na sala de aula Professora Orientadora: Silvânia Maria da Silva Amorim Cruz Titulação: Pós-graduada em Língua Portuguesa Instituição: Escola Estadual Cônego Olímpio Torres Tuparetama/PE E-mail: silvania26@bol.com.br Jornal

Leia mais

Resenha temática: do posicionamento autoral (papel de autor) à produção do gênero acadêmico

Resenha temática: do posicionamento autoral (papel de autor) à produção do gênero acadêmico Resenha temática: do posicionamento autoral (papel de autor) à produção do gênero acadêmico Eveline Mattos Tápias-Oliveira Vera Lúcia Batalha de Siqueira Renda Maria do Carmo Souza de Almeida Maria de

Leia mais

Projeto Integrado de Comunicação Do Bem Sucos Integrais: Peça de Mídia Impressa Recado do Bem 1

Projeto Integrado de Comunicação Do Bem Sucos Integrais: Peça de Mídia Impressa Recado do Bem 1 Projeto Integrado de Comunicação Do Bem Sucos Integrais: Peça de Mídia Impressa Recado do Bem 1 Amanda DIAS 2 Ana Carolina SACCOMANN 3 Beatriz REBELO 4 Bruna CLARA 5 Isabela SANTOS 6 Nathalia COBRA 7 Antonio

Leia mais

O PNE (2014-2024) E OS DESAFIOS PARA SUA IMPLEMENTAÇÃO

O PNE (2014-2024) E OS DESAFIOS PARA SUA IMPLEMENTAÇÃO O PNE (2014-2024) E OS DESAFIOS PARA SUA IMPLEMENTAÇÃO Silmara Cássia Barbosa Mélo Universidade Federal da Paraíba silmaracassia2008@hotmail.com Angela Maria Dias Fernandes Universidade Federal da Paraíba

Leia mais

b) vantagens e desvantagens para o usuário que acessa Internet grátis comparadas aos serviços oferecidos pelos provedores pagos.

b) vantagens e desvantagens para o usuário que acessa Internet grátis comparadas aos serviços oferecidos pelos provedores pagos. Questão nº 1 I. Seleção de dados relevantes para o assunto em pauta, comparação, hierarquização. Devem aparecer nos textos: a) a Internet grátis desafia os provedores estabelecidos. Ressaltar as posições

Leia mais

Crack: o drama de uma escolha 1. Isadora Nicastro Schwanke JULIÃO 2 Ana Paula MIRA 3 Universidade Positivo, PR

Crack: o drama de uma escolha 1. Isadora Nicastro Schwanke JULIÃO 2 Ana Paula MIRA 3 Universidade Positivo, PR Crack: o drama de uma escolha 1 Isadora Nicastro Schwanke JULIÃO 2 Ana Paula MIRA 3 Universidade Positivo, PR RESUMO Esse trabalho se propõe a explicar o processo de produção da reportagem Crack: o drama

Leia mais

PUC MINAS. Uma universidade em sintonia com o futuro

PUC MINAS. Uma universidade em sintonia com o futuro PUC MINAS Uma universidade em sintonia com o futuro No mapa de Minas Gerais, a Pontifícia Universidade Católica está presente em importantes regiões do Estado, através de uma estrutura multicampi composta

Leia mais

Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política

Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política No Brasil, há poucas experiências conhecidas de uso de ferramentas de monitoramento de mídias sociais em campanhas políticas. Uma delas

Leia mais

Centro Comunitário Vila Gaúcha. Projeto Experimental II

Centro Comunitário Vila Gaúcha. Projeto Experimental II Centro Comunitário Vila Gaúcha Projeto Experimental II Apresentação da Empresa O Centro Comunitário Vila Gaúcha presta atendimento regular em Educação Infantil, Serviço de Apoio Sócio Educativo, Trabalho

Leia mais

A REDAÇÃO DO VESTIBULAR E A CONSTRUÇÃO DE UM ETHOS DISCURSIVO APOIADO NO HIPERENUNCIADOR JORNALISTA

A REDAÇÃO DO VESTIBULAR E A CONSTRUÇÃO DE UM ETHOS DISCURSIVO APOIADO NO HIPERENUNCIADOR JORNALISTA A REDAÇÃO DO VESTIBULAR E A CONSTRUÇÃO DE UM ETHOS DISCURSIVO APOIADO NO HIPERENUNCIADOR JORNALISTA Gislane Kátia TESSAROLO AUTORA - MESTRANDA DO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO EM LETRAS E LINGUÍSTICA UFG

Leia mais

Revista. Sua vitrine no varejo carioca MÍDIA KIT ASSERJ. Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro

Revista. Sua vitrine no varejo carioca MÍDIA KIT ASSERJ. Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro Revista Sua vitrine no varejo carioca MÍDIA KIT ASSERJ Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro O VEÍCULO DE COMUNICAÇÃO QUE FALA AO TRADE SUPERMERCADISTA A revista que cresceu, evoluiu

Leia mais

Prof. Ms. Anchieta Silveira

Prof. Ms. Anchieta Silveira Prof. Ms. Anchieta Silveira Aula 2 Comunicação com a sociedade O Judiciário e os MCM Assessorias e monografias Resumo da aula 1 Comunicação como processo Cultura organizacional Redes, fluxos, tipos de

Leia mais

CURSO: MBA EM GESTÃO PÚBLICA E AUDITORIA DISCIPLINA: ÉTICA NA GESTÃO PÚBLICA PRIMEIRO MÓDULO INTRODUÇÃO

CURSO: MBA EM GESTÃO PÚBLICA E AUDITORIA DISCIPLINA: ÉTICA NA GESTÃO PÚBLICA PRIMEIRO MÓDULO INTRODUÇÃO CURSO: MBA EM GESTÃO PÚBLICA E AUDITORIA DISCIPLINA: ÉTICA NA GESTÃO PÚBLICA PRIMEIRO MÓDULO INTRODUÇÃO OBJETIVO DO CURSO MBA EM GESTÃO PÚBLICA E AUDITORIA Oferecer condições ferramentais para o profissional

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR PROMOTOR ELEITORAL DA CIRCUNSCRIÇÃO ELEITORAL DE JARAGUÁ DO SUL SANTA CATARINA.

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR PROMOTOR ELEITORAL DA CIRCUNSCRIÇÃO ELEITORAL DE JARAGUÁ DO SUL SANTA CATARINA. EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR PROMOTOR ELEITORAL DA CIRCUNSCRIÇÃO ELEITORAL DE JARAGUÁ DO SUL SANTA CATARINA. ALMIRO ANTUNES FARIAS FILHO, brasileiro, casado, representante comercial, portador da carteira

Leia mais

DIAGNÓSTICO DO PROGRAMA DE COLETA SELETIVA EM SANTA TEREZINHA DE ITAIPU - PR. Coleta Seletiva, nem tudo é lixo, pense, separe, recicle e coopere.

DIAGNÓSTICO DO PROGRAMA DE COLETA SELETIVA EM SANTA TEREZINHA DE ITAIPU - PR. Coleta Seletiva, nem tudo é lixo, pense, separe, recicle e coopere. DIAGNÓSTICO DO PROGRAMA DE COLETA SELETIVA EM SANTA TEREZINHA DE ITAIPU - PR Coleta Seletiva, nem tudo é lixo, pense, separe, recicle e coopere. Março de 2015 DESCRIÇÃO DO PROGRAMA DE COLETA SELETIVA HISTÓRICO

Leia mais

Ações da Assessoria em Comunicação Divulgação do CRN-2 Itinerante Litoral

Ações da Assessoria em Comunicação Divulgação do CRN-2 Itinerante Litoral Ações da Assessoria em Comunicação Divulgação do CRN-2 Itinerante Litoral 30 anos de dedicação à categoria e à sociedade Assessoria em Comunicação -Anúncio no jornal Correio do Povo (anexo) Mídia impressa:

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO CENTRO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO CENTRO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO CENTRO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS EDITAL PROPEG Nº 003/2015 PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NO CURSO DE

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 005/2015

RESOLUÇÃO Nº 005/2015 RESOLUÇÃO Nº 005/2015 Regulamenta e publica Edital complementar das regras da Campanha Eleitoral para a eleição dos conselheiros tutelares de Cacique Doble. O Conselho Municipal dos Direitos da Criança

Leia mais

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA SEED/MEC UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE PROGRAMA DE FORMAÇÃO CONTINUADA MÍDIAS NA EDUCAÇÃO

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA SEED/MEC UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE PROGRAMA DE FORMAÇÃO CONTINUADA MÍDIAS NA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA SEED/MEC UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE PROGRAMA DE FORMAÇÃO CONTINUADA MÍDIAS NA EDUCAÇÃO O CONTATO COM A LITERATURA NO CONTEXTO ESCOLAR Cursistas: Gean Carlos Lunelli

Leia mais

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA 1 CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INTRODUÇÃO A PUBLICIDADE E PROPAGANDA... 4 02 HISTÓRIA DA ARTE... 4 03 COMUNICAÇÃO

Leia mais

O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA

O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA Elisandra Aparecida Palaro 1 Neste trabalho analisamos o funcionamento discursivo de documentos do Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS EDITAL N o 002/2015 ANEXO 01

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS EDITAL N o 002/2015 ANEXO 01 ANEXO 01 NORMAS DO PROCESSO SELETIVO DE CANDIDATOS AOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA PUC-CAMPINAS REMANEJAMENTO INTERNO 2 o SEMESTRE DE 2015 CAPÍTULO I DO CALENDÁRIO Art. 1 o Constitui o Calendário do Processo

Leia mais

Portfolio de Produtos

Portfolio de Produtos Introdução O Guia de Produtos e Serviços da Assessoria de Comunicação (ASCOM) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) foi elaborado com o objetivo de apresentar os produtos e serviços prestados

Leia mais

Eixo Temático 4 : Formação de professores e práticas pedagógicas PROFESSORES AUTÔNOMOS: UTILIZANDO FERRAMENTAS TECNOLÓGICAS COMO RECURSO PEDAGÓGICO

Eixo Temático 4 : Formação de professores e práticas pedagógicas PROFESSORES AUTÔNOMOS: UTILIZANDO FERRAMENTAS TECNOLÓGICAS COMO RECURSO PEDAGÓGICO Eixo Temático 4 : Formação de professores e práticas pedagógicas PROFESSORES AUTÔNOMOS: UTILIZANDO FERRAMENTAS TECNOLÓGICAS COMO RECURSO PEDAGÓGICO RESUMO Arlam Dielcio Pontes da Silva UFRPE/UAG Gerciane

Leia mais

Unidade IV. Ciência - O homem na construção do conhecimento. APRENDER A APRENDER LÍNGUA PORTUGUESA APRENDER A APRENDER DINÂMICA LOCAL INTERATIVA

Unidade IV. Ciência - O homem na construção do conhecimento. APRENDER A APRENDER LÍNGUA PORTUGUESA APRENDER A APRENDER DINÂMICA LOCAL INTERATIVA A A Unidade IV Ciência - O homem na construção do conhecimento. 2 A A Aula 39.2 Conteúdos: Anúncio publicitário: A construção de um anúncio publicitário. 3 A A Habilidades: Relacionar linguagem verbal

Leia mais

Sumário. Tiragem 5. Empresa Projeto Editorial. Projeto Santander Projeto Gráfico

Sumário. Tiragem 5. Empresa Projeto Editorial. Projeto Santander Projeto Gráfico Sumário Empresa Projeto Editorial Tiragem 5 9 13 7 11 Projeto Santander Projeto Gráfico Locais de Distribuição Clientes 17 21 15 19 23 Distribuição Investimentos Agradecimento empresa A Shelter Editora

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO I. PROJETO DE CURTA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho IMPRENSA IT. 36 07 1 / 8 1. OBJETIVO Administrar o fluxo de informações e executar ações de comunicação junto aos públicos interno e externo do Crea GO de forma transparente, ágil, primando pela veracidade

Leia mais

Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc

Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Diálogos - Revista do Departamento de História e do Programa de Pós-Graduação em História ISSN: 1415-9945 rev-dialogos@uem.br Universidade Estadual de Maringá Brasil de Melo Salgueiro, Eduardo "O MAIOR

Leia mais

A AGÊNCIA DE JORNALISMO COMO SUPORTE E APOIO AOS PROJETOS E AÇÕES DO CURSO DE JORNALISMO UEPG

A AGÊNCIA DE JORNALISMO COMO SUPORTE E APOIO AOS PROJETOS E AÇÕES DO CURSO DE JORNALISMO UEPG ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( x ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA A AGÊNCIA DE JORNALISMO COMO SUPORTE

Leia mais

O JORNALISMO DE DOMINIQUE WOLTON E AS DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS BRASILEIROS DE JORNALISMO 1

O JORNALISMO DE DOMINIQUE WOLTON E AS DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS BRASILEIROS DE JORNALISMO 1 O JORNALISMO DE DOMINIQUE WOLTON E AS DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS BRASILEIROS DE JORNALISMO 1 Rebecca Batista Vicente Faculdade de Jornalismo Centro de Linguagem e Comunicação vicente.rebecca@gmail.com

Leia mais

REVISTAS SEMANAIS: UM SUPORTE PARA LEITURA DE VÁRIOS GÊNEROS

REVISTAS SEMANAIS: UM SUPORTE PARA LEITURA DE VÁRIOS GÊNEROS REVISTAS SEMANAIS: UM SUPORTE PARA LEITURA DE VÁRIOS GÊNEROS RAFAEL DIREITO TEIXEIRA (UENP). Resumo O trabalho com gêneros textuais é uma exigência no conteúdo programático de Língua Portuguesa do Ensino

Leia mais

Pós Graduação em Jornalismo Investigativo

Pós Graduação em Jornalismo Investigativo Pós Graduação em Jornalismo Investigativo Público - alvo O curso foi desenvolvido para profissionais interessados em aprofundar seus conhecimentos em técnicas de reportagem e investigação jornalística,

Leia mais

REQUERIMENTO DE INFORMAÇÃO Nº, DE 2011 (Do Sr. Antonio Carlos Magalhães Neto)

REQUERIMENTO DE INFORMAÇÃO Nº, DE 2011 (Do Sr. Antonio Carlos Magalhães Neto) REQUERIMENTO DE INFORMAÇÃO Nº, DE 2011 (Do Sr. Antonio Carlos Magalhães Neto) Solicita informações ao Sr. Ministro de Estado do Esporte, Orlando Silva de Jesus Júnior, sobre o Programa Segundo Tempo e

Leia mais

PRIMEIRO SEMESTRE. Fundamentos Teóricometodológicos SUB-TOTAL 360 TOTAL 360

PRIMEIRO SEMESTRE. Fundamentos Teóricometodológicos SUB-TOTAL 360 TOTAL 360 PRIMEIRO SEMESTRE Teórica Fundamentos da Comunicação e do Jornalismo Comunicação em Língua Portuguesa I Teoria da Comunicação Sociologia da Comunicação Introdução à Economia Fundamentos Epistemológicos

Leia mais

A Vedação da Propaganda Institucional no Período Eleitoral e a Lei 9.504/97

A Vedação da Propaganda Institucional no Período Eleitoral e a Lei 9.504/97 268 Série Aperfeiçoamento de Magistrados 7 Curso: 1º Seminário de Direito Eleitoral: Temas Relevantes para as Eleições de 2012 A Vedação da Propaganda Institucional no Período Eleitoral e a Lei 9.504/97

Leia mais

Scup e Política: vitória nas urnas pelas redes sociais

Scup e Política: vitória nas urnas pelas redes sociais Scup e Política: vitória nas urnas pelas redes sociais A campanha do prefeito de Duque de Caxias Alexandre Aguiar Cardoso, natural de Duque de Caxias, cidade da região metropolitana do Rio de Janeiro,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS RESOLUÇÃO Nº xx/xxxx CONSELHO UNIVERSITÁRIO EM dd de mês de aaaa Dispõe sobre a criação

Leia mais

Porque o homem não muda. Evolui. Um estudo sobre a relação entre masculinidade, paternidade e publicidade na sociedade contemporânea

Porque o homem não muda. Evolui. Um estudo sobre a relação entre masculinidade, paternidade e publicidade na sociedade contemporânea Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a 28 de agosto de 2008 Porque o homem não muda. Evolui. Um estudo sobre a relação entre masculinidade, paternidade e publicidade na sociedade

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA RELAÇÃO DE RESUMOS DE MONOGRAFIAS E ARTIGOS DE PÓS- GRADUAÇÃO Lato sensu Curso: Língua Inglesa/2003 - Érika Nunes Martins Simões Formação do Professor de - Sheila Andrade

Leia mais

IMPORTÂNCIA E SIGNIFICADO DA CPA

IMPORTÂNCIA E SIGNIFICADO DA CPA Vida na ESIC 05/09/2012 Edição 8 IMPORTÂNCIA E SIGNIFICADO DA CPA No dia 23 de agosto, houve encontro de alguns professores e membros da Direção com o Prof. Luiz Carlos Pereira, da FAE. O assunto tratado

Leia mais

SUMÁRIO PREFÁCIO... 13 AGRADECIMENTOS... 15 APRESENTAÇÃO... 17 NOTA INTRODUTÓRIA...

SUMÁRIO PREFÁCIO... 13 AGRADECIMENTOS... 15 APRESENTAÇÃO... 17 NOTA INTRODUTÓRIA... XXSUMÁRIO PREFÁCIO... 13 AGRADECIMENTOS... 15 APRESENTAÇÃO... 17 NOTA INTRODUTÓRIA... 19 1. A TRISTE REALIDADE DA POLITICAGEM BRASILEIRA: UMA VERDADE QUE PRECISA SER ENFRENTADA COM RIGOR E FIRMEZA PELAS

Leia mais

SOCIOLOGIA. Max Weber.

SOCIOLOGIA. Max Weber. SOCIOLOGIA. Max Weber. 1 - Assinale a opção que contenha as categorias básicas da sociologia de Max Weber: a) função social, tipo ideal, mais-valia b) expropriação, compreensão, fato patológico c) ação

Leia mais

Resenha Internet e Participação Política no Brasil

Resenha Internet e Participação Política no Brasil Resenha Internet e Participação Política no Brasil (Orgs. MAIA, Rousiley Celi Moreira; GOMES, Wilson; MARQUES, Paulo Jamil Almeida. Porto Alegre: Ed. Sulina, 2011.) Átila Andrade de CARVALHO 1 A democracia

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO DE LETRAS DIEGO LOPES MACEDO ELIANA ANTUNES DOS SANTOS GILMARA PEREIRA DE ALMEIDA RIBEIRO

UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO DE LETRAS DIEGO LOPES MACEDO ELIANA ANTUNES DOS SANTOS GILMARA PEREIRA DE ALMEIDA RIBEIRO UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO DE LETRAS DIEGO LOPES MACEDO ELIANA ANTUNES DOS SANTOS GILMARA PEREIRA DE ALMEIDA RIBEIRO ANÁLISE DO DISCURSO DA PROPAGANDA MARLBORO SOROCABA 2014 1 Introdução O presente trabalho

Leia mais

Educação à Distância Vantagens e Desvantagens

Educação à Distância Vantagens e Desvantagens Educação à Distância Vantagens e Desvantagens Helena Pinto Nonato 1, Ernerstina Nonato Pinto 2 1 Instituto de Informática Universidade Federal de Goiás (UFG) Caixa Postal 131 CEP 74001-970 Goiânia Go Brasil

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n 93/ 2011 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Jornalismo, Bacharelado,

Leia mais

O CURSO DE GESTÃO PÚBLICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS: UMA CONCEPÇÃO AMPLIADA DE GESTÃO PÚBLICA

O CURSO DE GESTÃO PÚBLICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS: UMA CONCEPÇÃO AMPLIADA DE GESTÃO PÚBLICA O CURSO DE GESTÃO PÚBLICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS: UMA CONCEPÇÃO AMPLIADA DE GESTÃO PÚBLICA Vera Alice Cardoso SILVA 1 A origem: motivações e fatores indutores O Curso de Gestão Pública

Leia mais