Para que Beatriz e Sofia, que ainda não nasceram, possam viver em um mundo melhor.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Para que Beatriz e Sofia, que ainda não nasceram, possam viver em um mundo melhor."

Transcrição

1

2 Para que Beatriz e Sofia, que ainda não nasceram, possam viver em um mundo melhor.

3 SUMÁRIO INTRODUÇÃO...7 PARTE I Política, Cidadania, Sociedade...11 PARTE II Características Negativas da Política e da Sociedade Brasileiras na Atualidade...13 PARTE III Aspectos Positivos e Conquistas da Sociedade...90 PARTE IV Como a Política Poderia Ser PARTE V O Cidadão Político PARTE VI A Ágora CONCLUSÃO ADENDO SUS: Um Saco de Pancadas...142

4 INTRODUÇÃO A motivação para que este texto fosse escrito, meses atrás, foi a observação empírica de que havia uma crescente despolitização da população no Brasil. Entendíamos que as pessoas eram cada vez menos sujeitos da sua própria história e cada vez mais massa de manobra, e que conceitos básicos da estrutura e do funcionamento da sociedade estavam se perdendo, e as pessoas compreendiam cada vez menos o país e o mundo em que vivem. À constatação de que muita coisa está ruim, seguiu-se a conclusão de que alguma coisa precisa ser feita, agora. E a responsabilidade e obrigação de pelo menos tentar intervir e influir na política e na sociedade, mesmo que apenas no seu bairro, cidade ou município, é de cada cidadão. Uma vez tomada a decisão "eu vou fazer alguma coisa", surge a pergunta: "como?" O texto representa a verbalização de reflexões e observações feitas ao longo de uma vida bem vivida em vários estados e cidades do Brasil. É um pensar em voz alta, um plano de atuação, um roteiro, uma espécie de cartilha pessoal, na qual procuramos sistematizar o nosso próprio projeto de intervenção, após analisar aspectos negativos e positivos da política brasileira na atualidade. Concebido para esse fim, a ideia era, posteriormente, editá-lo e guardá-lo no fundo do baú para que, no futuro, os netos que virão soubessem como o vovô pensava e o que tentou fazer. Então, vieram as manifestações de junho e seus desdobramentos políticos, que nos trouxeram mais ensinamentos, mas não mudaram a certeza de que a esmagadora maioria da população brasileira é, realmente, despolitizada e, portanto, manipulável. O que no princípio pareceu ser uma belíssima explosão de cidadania, logo, pelo menos para nós, perdeu parte do brilho, ao percebermos que no mesmo palco também acontecia um deprimente show de alienação política. Em meio a manifestações de clareza e maturidade de muitos jovens, que mostravam o que pretendiam e por que estavam nas ruas, também havia uma massa absolutamente desnorteada, sem noção do significado das palavras de ordem que gritava. Pior, essa massa despolitizada proporcionou um espetáculo de antipolítica, e, quem sabe, de desperdício de uma força com um potencial transformador tremendo, que poderia ter sido 7

5 melhor aproveitada. Mesmo as grandes dimensões das manifestações não nos trouxeram o conforto da convicção de que, finalmente, a maioria do povo brasileiro, nas capitais e nos milhares de municípios do interior, acordou, e daqui para a frente será dono do seu destino de fato. O mês de junho de 2013 já entrou para a história, mas, baixada a poeira, perceberemos que a alienação política da grande maioria da população continua a mesma. Não chegamos a isso por acaso, mas como fruto de todos os abusos que já ocorreram na política e de um contínuo e metódico desmantelamento da consciência crítica da população, principalmente dos jovens, e do redirecionamento de suas mentes para o nada, ao que nós, os mais velhos, não tivemos coragem, vontade ou competência para nos contrapor. Relendo a parte do texto escrita antes de junho, percebemos que ele está estreitamente relacionado com a conjuntura do momento, e que seria interessante, após alguns retoques e atualizações e do acréscimo de um adendo a respeito do SUS e do Programa Mais Médicos, compartilhá-lo de imediato, ao invés de destiná-lo ao baú. O autor não é cientista político, nem sociólogo, nem nada do gênero, é médico. Mas que autoridade um simples cidadão poderia ter para discorrer a respeito de política? Justamente esta, a de ser cidadão e, portanto, agente e destinatário da política. Política depende de estudo, de conhecimentos teóricos mas, principalmente, de observação e vivência. A falta de um bacharelado ou de uma pós-graduação do cidadão não lhe tira a capacidade de avaliar a prática, nem anula a validade das conclusões e sugestões nascidas dessa observação. Não existe o exercício ilegal da política, no sentido de que não há restrição ao seu exercício, como ocorre em atividades técnicas. Pelo contrário, é desejável e necessário que ela seja conhecida e praticada por todos. Portanto, aqui trata-se de política de leigo para leigos. No texto, o leitor não encontrará raciocínios complicados em linguagem acadêmica, nem citações eruditas, nem conclusões ou propostas geniais ou mirabolantes. Encontrará, isto sim, algumas sugestões, que talvez nem sequer sejam originais, já que o conhecimento é, em parte, o resultado de um processo de criação mental mas, principalmente, produto de pequenos fragmentos de aprendizado que vamos juntando ao longo da vida, e cujas fontes, ao final, nem sequer conseguimos mais identificar. 8

6 Consequentemente, o texto apresenta uma compilação de obviedades, às vezes esquecidas, que julgamos ser oportuno relembrar neste momento. Aparentemente, os especialistas em política e sociedade não estão conseguindo alcançar o cidadão comum. O papel dos cientistas políticos e dos profissionais afins parece ser mais observar, analisar e interpretar a sociedade e os fenômenos sociais e políticos, do que, propriamente, neles interferir. Por conseguinte, a pergunta óbvia que se impõe é: então quem, em nossa sociedade, se ocupa da construção da cidadania, da formação política e da reposição do estoque de políticos? As igrejas não o fazem, não é sua função. Escolas? Muito pouco. Partidos políticos estão por demais ocupados em conquistar ou manter o poder e, por serem partidos, talvez sejam desprovidos da necessária isenção para propiciar uma formação política abrangente e crítica aos cidadãos. Alguns institutos fazem formação política, mas têm alcance restrito, atingem somente as pessoas que já estão motivadas para o assunto. Como, então, por exemplo, a dona de casa talentosa, que seria uma excelente vereadora, deputada ou prefeita, vai parar de perder tempo olhando novelas e descobrir sua vocação para a política? Como esperar que o jovem, diante de tudo o que ouve a respeito de política nos meios de comunicação, não se autodenomine, orgulhosamente, "apartidário", se ele nem tem noção do que é partido ou política? E não é somente a preparação para ocupar cargos que é importante, mas o conhecimento necessário para o exercício pleno da cidadania. Não adianta esperar que esse tipo de ação politizadora venha "de cima". Nossos líderes e intelectuais, se quisessem ou pudessem, já a teriam feito. Na verdade, não nos faltam intelectuais comprometidos com a causa da formação política e cidadã, o que falta é a capilaridade indispensável para essa formação fluir através do tecido social e irrigar até o menor dos pequenos, que também tem o direito de ser cidadão. Sustentamos que, com certeza, existem no seio da sociedade forças adormecidas capazes de gerar e transportar essa ação transformadora. Essas forças são constituídas por pessoas com diversas profissões, que não são intelectuais, e que, portanto, não dominam um vasto conhecimento específico das ciências relacionadas à política e à sociedade, mas têm espírito crítico e uma formação básica, que as habilitam para atuarem como monitores de politização e cidadania. É para essas pessoas, o baixo clero, no qual nos incluímos, que escrevemos. O presente texto pretende ser um convite 9

7 e um desafio para que mais pessoas pensem, falem e atrevam-se a escrever sobre política e cidadania e, principalmente, assumam a responsabilidade de irradiar e multiplicar consciência crítica no ambiente em que vivem. O que apresentamos aqui, após analisar características da sociedade e da política brasileira contemporâneas, da forma como elas se mostram aos olhos de um cidadão comum, são propostas concretas de reação à alienação. Fazem parte dessas propostas, como ingredientes principais, a fraternidade e a solidariedade, "novidades" tão antigas quanto a própria humanidade, mas, em nossos dias, absolutamente dissociadas da política. (Políticos adoram apropriarse das mais belas palavras da língua portuguesa e destituí-las de significado. Neste texto, quando usamos as palavras "solidariedade", "nova política" e "sustentabilidade", damos a elas o sentido original e verdadeiro). Referimo-nos não somente à fraternidade e à solidariedade como componentes de um estilo de vida, mas, especificamente, ao seu emprego em ações de politização e construção de cidadania. Se podemos, como voluntários, cuidar dos idosos no asilo, por que não poderíamos, na mesma condição, nos organizar em grupos para propiciar formação política, especialmente aos jovens, em espaços criados especificamente para esse fim, que aqui denominamos Ágoras? Obviamente, não estamos falando em doutrinação, mas na instrumentalização das pessoas para a participação consciente na política, com convicções próprias e bem alicerçadas. Resumindo, neste texto procuramos demonstrar que a nossa sociedade está enferma no que diz respeito à política e cidadania e órfã no que se refere à politização e construção de cidadania, e que a solução desses problemas vai ter que partir de nós, os "plebeus". 10

8 PARTE I Política, Cidadania, Sociedade Se entendermos a política como a arte e a ciência de administrar, de governar e de organizar o bem público, esta deveria ser a atividade mais prestigiada do planeta. Nem mesmo o professor, muitas vezes considerado o profissional mais importante da sociedade, nem o médico ou o enfermeiro, tão necessários e decisivos em certos momentos, comparam-se ao político em importância. O político cuida de tudo, inclusive da educação e da saúde. A política e o político, por definição, ocupam-se dos interesses e necessidades das pessoas, em uma escala mais ampla do que qualquer outro tipo de atividade. Assim sendo, a política permite a prática de tudo aquilo que o ser humano tem de melhor: exercício de direitos e deveres, participação nas decisões e na execução de ações de interesse público, fraternidade, solidariedade, altruísmo, amor ao próximo, honestidade, desejo de servir... Todas estas palavras cabem também na definição de cidadania. Portanto, boa política e cidadania são sinônimos, definem a mesma coisa, pressupõe as mesmas características. Vivemos em sociedade e, portanto, interagimos com os nossos semelhantes. O que uma pessoa faz ou deixa de fazer tem influência sobre a vida das outras pessoas. Em consequência disso, as características da sociedade são a resultante dos atos e das omissões de cada um dos seus membros. Então, podemos dizer que ninguém é realmente neutro. Cada omissão aumenta o peso da decisão de quem não se omitiu. Quando a maioria se omite, prevalecem o interesse e a vontade da minoria. No Brasil, a maior parte das pessoas condena os políticos e rejeita a política. Para a imensa maioria dos brasileiros, relacionar as palavras fraternidade, solidariedade, altruísmo, amor ao próximo, honestidade e desejo de servir com a política seria absurdo, ridículo, senão hilário, porque para a maioria das pessoas a palavra que melhor define política é "suja". "A política é suja", dizem quase todos. Mas, querendo ou não, continuamos vivendo em sociedade, e ela é dirigida pela política. Omissão e rejeição são as piores opções. 11

9 Mas o que aconteceu para que a mais nobre das artes da humanidade se transformasse em algo tão desprestigiado? Tentando responder a essa pergunta, enumeramos e comentamos brevemente, a seguir, sessenta características negativas que identificamos na política e na sociedade brasileiras da atualidade. Os itens inter-relacionam-se, alguns são causa de uma política ruim, outros consequência, e alguns que são consequência dão causa a outras consequências. 12

10 PARTE II Características Negativas da Política e da Sociedade Brasileiras na Atualidade Partidos políticos não ideológicos Em tese, "partidos" deveriam constituir uma "parte" da sociedade que pensa igual, que tem a mesma opinião e a mesma proposta. Se outra "parte" tivesse proposta diversa, criaria outro "partido", nitidamente diferenciado do primeiro. Essa é uma das belezas da democracia: as pessoas poderem organizar-se livremente em torno de propostas e ideais comuns. Em princípio, só se justificaria criar uma nova agremiação se ela tivesse um conjunto de propostas diferentes daquelas defendidas pelas agremiações já existentes. Porém, não é essa a lógica que se observa na criação de partidos políticos no Brasil. Além disso, apesar de os programas partidários mostrarem diferenças entre si, a prática dos seus membros frequentemente, senão geralmente, não se diferencia da prática dos membros de partidos com programas opostos. Partidos que são literalmente inimigos em um município, podem estar coligados em outro. A impressão que fica é que não se trata de uma disputa ideológica, mas de um jogo de interesses, isto é, tudo depende dos interesses dos caciques que mandam na política do lugar. Coligações de interesses Se os partidos não são ideológicos, as coligações são menos ainda. Teoricamente, partidos que têm propostas parecidas poderiam unir forças para derrotar adversários com propostas totalmente diferentes. Mas, na prática, não é isso que se vê, nem nos municípios, nem nos estados e nem no nível federal. 13

11 As coligações, frequentemente, são totalmente ilógicas, claramente construídas em torno de interesses e não de projetos. Coligações desse tipo somente são interessantes para quem quer ganhar a eleição. Para nós, a sociedade, as consequências são negativas, porque faltarão à administração harmonia, planejamento conjunto e execução articulada. Acordos pré-eleitorais e loteamento de cargos A moeda de troca que paga apoios são cargos. O agraciado com o cargo de chefia quase sempre é um político, frequentemente leigo nos assuntos da pasta pela qual responde. Disso resultam governos sem rumo e sem uma identidade politico-ideológica definida. Nos três níveis de governo, muitas vezes, podemos identificar membros de primeiro escalão que parecem ser um corpo estranho na equipe de colaboradores do executivo. Legislativos legislando em causa própria Esta é uma característica bastante evidente nos três níveis do Poder Legislativo: municipal, estadual e federal. Se o assunto interessa aos legisladores (aumento dos próprios salários, por exemplo), é aprovado rapidamente. Quando interessa à sociedade, mas não aos legisladores, não é, necessariamente, rejeitado, já que ninguém está propenso a indispor-se com os eleitores. Entra em cena, nesses casos, uma prática odiosa, que é a de postergar, "enrolar", "empurrar com a barriga", "engavetar". Todo projeto, toda iniciativa que chega ao legislativo, deveria ser ampla e abertamente debatido, analisado e depois votado. Se o entendimento for que o projeto é bom para a sociedade, deve ser aprovado, se não for, deve ser rejeitado. É para isso que o Poder Legislativo existe. Quando querem, os parlamentares sabem trabalhar, e 14

12 bem, a exemplo do que fizeram na Constituinte de 88. Mas nem sempre é assim que eles agem. Um exemplo de "enrolação", feita pelo Congresso Nacional, é a tramitação da reforma política. O assunto é polêmico, é verdade, nunca haverá um consenso de como a reforma deve ser feita, mas todos, inclusive os parlamentares que sempre a bloquearam, afirmam que ela deve acontecer. A recusa em votar e discutir a reforma política durante tantos anos deixou em nós cidadãos a impressão de que o assunto é relevante para a população, mas não deve ser do interesse dos parlamentares. Quando não legislam em causa própria, omitem-se em causa própria. Política entendida como negócio Poucas pessoas candidatam-se a um cargo público com intenção de servir à comunidade. A maioria quer mesmo é primeiro poder e depois ganhar dinheiro. Há muito pouco, quase nada, de fraternidade, altruísmo, etc. Imperam o egoísmo, o interesse de pessoas ou de grupos sobre o interesse público. Eleições decididas pelo poder econômico Se a política é vista como negócio e a corrupção é um crime que ainda compensa, faz sentido investir dinheiro em política. Apesar de o abuso do poder econômico ter sido, em parte, coibido nos últimos anos, e espera-se que haja avanços maiores se uma reforma política realmente se tornar realidade, hoje ainda é praticado em larga escala. Isso fica mais evidente em eleições municipais, e não só nos rincões do Brasil, mas também nas cidades maiores e nas capitais. Compra-se e vende-se tudo, até a colocação de um adesivo no carro. E, temos que admitir, a compra e venda de votos continua sendo prática muito comum, apesar de constituir crime, e apesar de a justiça punir quando 15

13 consegue flagrar a irregularidade. No entanto, esse é um crime cuja inibição, basicamente, depende de denúncia, o que poucos se dispõe a fazer, ou para não se incomodar ou porque perderam a capacidade de indignar-se. Realmente, para quem utiliza apenas raciocínio lógico e não ético, faz todo sentido vender o voto. Por que o eleitor deveria dar de graça o voto para o candidato que, se eleito, não irá utilizar seu cargo para servir, mas para tirar proveito próprio da sua posição? E, do ponto de vista do candidato eleito desprovido de pruridos éticos, se ele gastou na campanha, faz todo sentido recuperar durante o mandato o "investimento", não importa por que caminhos. Em centenas de municípios pelo país afora cem votos elegem um vereador e decidem a eleição para prefeito. Não é difícil encontrar cem pessoas dispostas a vender o voto. Quantos serão os vereadores e prefeitos eleitos nas últimas eleições municipais que conquistaram seus mandatos dessa forma? E qual será o tamanho do prejuízo que causarão à sociedade até o final desses mandatos? Dessa maneira, a política vai se prostituindo mais e mais a cada dia. A aplicação de recursos próprios dos candidatos em campanhas eleitorais é característica de pequenos municípios, em eleições para prefeitos e vereadores. Nas campanhas de maior envergadura, estaduais e nacionais, o montante maior de dinheiro gasto em eleições é proveniente de contribuições de pessoas físicas ou jurídicas. Evidentemente, é muito difícil acreditar que uma pessoa ou uma empresa gaste grandes somas de recursos apenas porque simpatiza com determinado candidato. Os compromissos que o eleito assumiu com os doadores da campanha comprometem, irremediavelmente, o nosso sistema de representação. Para eleger-se, o candidato precisa de votos do povo, mas para suplantar os adversários e conseguir chamar a atenção dos eleitores, precisa de dinheiro. Então, em última análise, o fator que realmente decide a eleição, muitas vezes, é o poder econômico. Esse fato parece dar razão àqueles que questionam se realmente vivemos em um regime democrático, já que não prevalecem, necessariamente, as melhores propostas, as melhores ideias, as melhores pessoas, mas sim aqueles candidatos que amealharam mais recursos. Os recursos doados para campanhas eleitorais nem sempre são gastos apenas em material de divulgação e propaganda. Podem ser usados para, literalmente, comprar votos e apoios. Por isso, nem todos os valores gastos em campanhas são declarados na prestação de contas dos partidos para a Justiça 16

14 Eleitoral, constituindo-se no célebre caixa dois, expediente que, aparentemente, todos os grandes partidos utilizam. O caixa dois parece ser tão "necessário", devido às características das disputas pelo poder, que, provavelmente, quem não o utilizar perde a eleição. Mas, não é por isso que devemos considerar essa prática criminosa aceitável. Corrupção, desonestidade e desperdício de recursos públicos Toda a generalização negativa tende a ser injusta, porque fere quem não merece, porém, não há dúvida que o número de pessoas desonestas atuando na política no país, em todos os níveis, é enorme. Ao nos revoltarmos contra a corrupção, geralmente, nos lembramos apenas das irregularidades cometidas por políticos e outros servidores públicos. Não podemos esquecer que negócios irregulares, principalmente os grandes negócios, frequentemente só podem ser concretizados se houver a participação de corruptos e corruptores do setor privado, que são tão criminosos quanto os agentes públicos. Também não podemos deixar de lembrar que a grande corrupção tem origem na nossa tolerância com a pequena corrupção praticada pelas pessoas diariamente. Do ponto de vista da qualidade do delito, a pequena compra que fazemos na loja sem exigir nota fiscal é exatamente igual à denunciada sonegação bilionária da Globo ou à fraude na licitação de uma grande obra pública. A diferença só está no montante envolvido no crime e no tamanho do prejuízo causado à sociedade. É tudo uma questão de oportunidade. Se a nossa consciência não nos incomoda quando furamos uma fila ou quando desrespeitamos o limite de velocidade nas estradas, ao entrarmos na política ela rapidamente se adaptará a delitos progressivamente maiores, até que, no final, seremos exatamente iguais aos grande corruptos que condenamos. Portanto, a corrupção não está apenas nos legislativos, nas prefeituras, nos governos estaduais ou "lá em Brasília". Ela começa dentro da nossa casa. 17

15 Um exemplo de tolerância da sociedade em relação à corrupção é a expressão "roubou, mas fez". "Vou votar no Fulano porque no mandato anterior ele roubou mas fez". Ora, se roubou, é ladrão, e jamais deveria receber um voto novamente. Outra situação é a que festeja a "esperteza" do corrupto. "O teu prefeito foi cassado porque roubou, o meu foi mais esperto, não se deixou apanhar". Enquanto pensarmos e agirmos assim, melhor nem reclamar da corrupção "lá de Brasília". Altos custos para a sociedade Obviamente corrupção, desonestidade e desperdício de recursos públicos são debitados na conta de todos os cidadãos, inclusive dos não corrompidos e dos que se consideram apolíticos. O estilo de sociedade que estamos criando, através da falta de cidadania e de uma política ruim, causa ônus financeiros a todos. Convivência fraterna não produz conflitos. Competição selvagem e individualismo geram choques de interesses a toda hora. O Poder Judiciário custa caro à sociedade, e não dá conta de julgar todas as ações, porque produzimos conflitos mais rapidamente do que o sistema consegue absorver. A criminalidade aumenta, o crime organizado desafia o Estado abertamente, o sistema prisional, além de caótico, também é oneroso para o cidadão. Fora do âmbito jurídico e policial, também podemos encontrar exemplos de falta de cidadania gerando gastos astronômicos para a sociedade. Citamos apenas um: hospitais e UTIs do país todo sempre lotados de vítimas de acidentes de trânsito, em sua esmagadora maioria causados por desobediência à legislação e sinalização. Além do sofrimento das vítimas e seus familiares, esses acidentes custam somas incalculáveis em tratamentos, reabilitação, benefícios, afastamento do trabalho, perdas materiais, etc., em grande parte assumidos pelo poder público. 18

16 Relacionamento inadequado entre executivo e legislativo Executivo e legislativo não são poderes suficientemente autônomos e independentes entre si, como seria desejável. Candidatos a prefeito e vereador, por exemplo, pertencem às mesmas estruturas partidárias, fazem e financiam suas campanhas juntos, pedem votos juntos, armam estratégias juntos, etc. Dificilmente esses vereadores cumprirão uma de suas funções mais importantes, que é ser fiscais e juízes dos prefeitos. Na prática, é frequente que os prefeitos tenham uma parte dos vereadores na mão e precisem comprar os outros, resultando nos subornos, que também ocorrem nos outros níveis de governo. Assim como também ocorre em todos os níveis de governo a fidelidade, que exige que se aprove tudo o que vem dos correligionários ou, distorção inversa, que se barre tudo o que provém do adversário, em nome de interesses eleitorais e, muitas vezes, contra os interesses da sociedade. O relacionamento inadequado entre executivo e legislativo mostra-se mais danoso para a política no âmbito municipal, por ser a Câmara Municipal uma das principais portas de entrada para a carreira política. Certamente, muitas das pessoas que ocupam cargos eletivos mais elevados, um dia foram vereadores ou vereadoras. A existência das distorções referidas torna a Câmara Municipal pouco atraente para os cidadãos honestos, mas, por outro lado, é um chamariz para as pessoas sem escrúpulos, que só estão procurando uma oportunidade de "levar vantagem". Deixa-se de ganhar assim os bons cidadãos, que muito teriam a contribuir para a política, e ganha-se os maus políticos, que tanto mal causam à sociedade. Política da gangorra A falta de politização da população empobrece a política, estreita o leque de opções, tolhe a criatividade. Em uma parcela importante de municípios do país existem dois grupos que se revezam no poder há décadas. Vota-se em um 19

17 grupo porque o anterior não serviu e, na eleição seguinte volta-se ao grupo anterior novamente. Porém, se há coisas erradas em um governo, não significa que, necessariamente, se tenha que voltar ao anterior. Parece que os eleitores não se dão conta que, se quem está no poder não é bom, ao invés de voltar ao grupo anterior, que já fora rejeitado, o lógico seria tentar novas opções, novas ideias, novas propostas, novas pessoas. Parece que a política fica engessada, a cabresto de alguns caciques. Além disso, confunde-se eleição com futebol. As pessoas são filiadas ou votam em determinado partido por tradição, que passa de pai para filho, como a paixão por um clube, quando, na verdade, deveriam ser racionais. Não é feio mudar de partido, se a mudança for motivada por convicções alicerçadas em análise crítica. Pelo contrário, é falta de inteligência o eleitor continuar submisso a uma liderança partidária que não correspondeu às suas expectativas. Despreparo de muitos candidatos a cargos públicos O mecânico de automóveis, o agrônomo, o garçom, o padre, o vendedor, todos, enfim, precisam de estudo e treinamento para exercerem suas respectivas atividades. Até o agricultor, que acha que "não tem estudo", na verdade, acumula anos de sabedoria, aprendida desde criança dos pais e avós. Todos preparam-se para o que vão fazer. Menos o político. Para ser político basta "ter cara de pau" e "meter a cara". Nada se exige do cidadão, em termos de conhecimento ou preparo, para que ele possa aspirar a ocupar um cargo eletivo. A Leia da Ficha Limpa foi um avanço estupendo em direção à moralização, mas essa é uma peneira pela qual passam as pessoas mal intencionadas que ainda não cometeram crimes e aquelas absolutamente despreparadas para os cargos que pretendem ocupar. Desse despreparo resultam ações amadoras, danosas aos cofres públicos e ao prestígio da política. 20

18 Falta de preparo dos cidadãos para a política Da mesma forma que muitos políticos estão despreparados, nós, cidadãos, também estamos despreparados para a política. Falta consciência política, falta conhecimento, falta interesse, falta participação. Nossa democracia é representativa. Depositamos nosso voto em um candidato que mal conhecemos ou nem conhecemos e pronto, cruzamos os braços. Acompanhamos tão pouco o mandato que nem ficamos sabendo que nosso representante, na verdade, pode estar representando seus próprios interesses ou os interesses do grupo que o financiou. A falta de preparo dos eleitores para a política, assim como dos candidatos para os cargos aos quais concorrem, não surpreende. Onde poderiam buscar esse tipo de conhecimento? As escolas dão instrução às crianças (ler, escrever etc.), os agrônomos e técnicos agrícolas ensinam aos agricultores a respeito de agricultura, as equipes de saúde ensinam aos diabéticos e hipertensos o que eles precisam saber sobre a sua doença, e assim por diante. Mas quem ensina política e cidadania? Onde o eleitor pode aprender algo mais sobre política do que as intrigas que ele está acostumado a ouvir durante as campanhas eleitorais ou nos noticiários veiculados por uma imprensa sem isenção? Onde o jovem pode preparar-se para ser vereador, prefeito, ou deputado? Todos os municípios do Brasil têm igreja, escola, campo de futebol, agência bancária, agência dos correios, farmácia, posto de saúde, lojas, local para adquirir chips ou créditos para o celular... Mas, falta alguma coisa na paisagem. Comodismo e falta de coragem dos cidadãos Falar mal da política e dos políticos, de modo genérico, todos falam. Mas não são muitos os que se dispõe a gastar um pouco do seu tempo para estudar mais a fundo as questões que estão criticando, e menos ainda são aqueles que 21

19 estão dispostos a doar um pouco do seu tempo engajando-se em algum tipo de movimento, partidário ou não, que vise melhorar a política. Além de sermos acomodados, muitas vezes, falta-nos a coragem para mexer com essa coisa "suja" que é a política, enfrentar preconceitos, afrontar pessoas poderosas e seus seguidores fiéis e domesticados. Falta de consciência de classe A falta de consciência de classe é, no nosso entendimento, a mais decisiva dessa longa lista de características negativas que estamos analisando, porque determina toda a configuração da sociedade brasileira. Ao nos referirmos a classes, não estamos preocupados com conceituações acadêmicas, nem com a estratificação das famílias por níveis de renda. Atemo-nos apenas à óbvia constatação que uma parte das pessoas que constituem a sociedade, os trabalhadores, trabalha produzindo bens materiais e imateriais e a outra parte das pessoas, a classe dominante, é proprietária dos meios de produção e trabalha coordenando os primeiros. Constatação óbvia também é que a divisão das riquezas produzidas é muito desigual, os detentores dos meios de produção ficam com a parte maior, o que tende a resultar em grandes desigualdades econômicas na população. Um sistema assim tão injusto, teoricamente, não deveria manter-se nem por um dia sequer. No entanto, perpetua-se porque, além dos meios de produção, a classe dominante é dona da maior parte dos meios de comunicação (rádios, jornais, revistas e televisão) e, geralmente, também determina a política. É impossível entender a sociedade sem ter em mente a existência das classes sociais. Citamos apenas alguns exemplos. Não dá para compreender por que uma parcela importante dos médicos do país boicota e sabota sistematicamente o SUS desde a sua criação e, mais intensamente, agora que existe uma pequena possibilidade de a saúde da população melhorar. Não é possível entender por que em anos recentes, quando o Brasil vive o seu melhor momento em termos de crescimento econômico e distribuição de renda, grande 22

20 parte da imprensa fala, constantemente, em crise e recessão. Não faz sentido a grotesca falta de isenção das altas esferas do judiciário federal na investigação e julgamento de crimes ou supostos crimes políticos. Coloque-se os óculos do conceito de classes sociais, observe-se o país, a política e a sociedade através dessas lentes e o quadro fica claro, tudo passa a fazer sentido. Para a classe dominante é estratégico ser proprietária dos meios de comunicação e poder manipular as informações, de modo a capturar a mente das pessoas. Porém, os meios de comunicação de massa vão além, apropriamse também do coração, do imaginário, dos sonhos da população. Conseguem isso ao definirem os parâmetros do que é ser bem sucedido na vida. Segundo essa ideologia, nós todos devemos lutar pelo sucesso, que consiste em ter dinheiro para poder comprar muitos bens. Para alcançar esse objetivo é necessário consumir muito, trabalhar muito, produzir muito, comportadamente, sem nunca questionar coisa alguma na vida. Essa ideologia, a do sucesso material como fim, não como meio para suprir necessidades básicas, é, provavelmente, a maior pedra no caminho para uma sociedade mais fraterna, justa e feliz. Ela foi incorporada de tal maneira pelas pessoas, que ser rico é "estar por cima" e ser pobre é "estar por baixo", como se o rico fosse mais importante do que aquele que é menos abastado. Nem se cogita que poderíamos viver lado a lado, como iguais, sem que uns explorassem os outros. Do que foi dito até aqui, deduz-se que a falta da consciência de classe é apenas dos trabalhadores ou de parte deles. A classe dominante tem muita clareza sobre a sua condição e exerce a dominação conscientemente. É perda de tempo tentar falar sobre política com trabalhadores que não têm clareza sobre a que classe pertencem. É como falar grego, não entendem nada. Ou então incorporam os conceitos da classe dominante com tal fervor que sentem-se agredidos ao vê-los questionados. Essa domesticação das consciências é o que há de mais triste em nossa sociedade, porque coloca uma grande parcela da população a trabalhar contra os seus próprios interesses, ativamente ou por omissão. Não existem argumentos racionais para justificar uma sociedade estruturada pela lógica da dominação e da subserviência. Por isso, ninguém diz que acha correto que alguns devem nadar em supérfluos, enquanto outros mal 23

Para que Beatriz e Sofia, que ainda não nasceram, possam viver em um mundo melhor.

Para que Beatriz e Sofia, que ainda não nasceram, possam viver em um mundo melhor. Para que Beatriz e Sofia, que ainda não nasceram, possam viver em um mundo melhor. SUMÁRIO INTRODUÇÃO...7 PARTE I Política, Cidadania, Sociedade...11 PARTE II Características Negativas da Política e da

Leia mais

CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA

CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA Clodoaldo Meneguello Cardoso Nesta "I Conferência dos lideres de Grêmio das Escolas Públicas Estaduais da Região Bauru" vamos conversar muito sobre política.

Leia mais

VI SEMINÁRIO DE DIREITO PARA JORNALISTAS - DIA 28.11.06 PERGUNTAS E RESPOSTAS

VI SEMINÁRIO DE DIREITO PARA JORNALISTAS - DIA 28.11.06 PERGUNTAS E RESPOSTAS VI SEMINÁRIO DE DIREITO PARA JORNALISTAS - DIA 28.11.06 PERGUNTAS E RESPOSTAS Perguntas e resposta feitas ao jornalisa Romário Schettino Perguntas dos participantes do 6 Seminário de Direito para Jornalistas

Leia mais

PROJETOS CULTURAIS ELEIÇÕES. 5 0 a O - fu dame tal. Votar é uma forma de lutar pelos nossos direitos. Justificativa

PROJETOS CULTURAIS ELEIÇÕES. 5 0 a O - fu dame tal. Votar é uma forma de lutar pelos nossos direitos. Justificativa ELEIÇÕES ELEIÇÕES 5 0 a O - fu dame tal Votar é uma forma de lutar pelos nossos direitos. Justificativa PROJETOS CULTURAIS Estamos em época de eleições, em tempo de discutir ideias para fazer a melhor

Leia mais

SEGURANÇA PÚBLICA ASSUNTO DE TODOS

SEGURANÇA PÚBLICA ASSUNTO DE TODOS SEGURANÇA PÚBLICA ASSUNTO DE TODOS Minhas áreas de atuação são, pela ordem de número de eventos: Gestão de Projetos; Gestão de Ativos; Gestão de Segurança Industrial e Gestão Estratégica de empresas. Considero-me,

Leia mais

- GUIA DO EMPRESÁRIO - Lucros Bons e Lucros Ruins

- GUIA DO EMPRESÁRIO - Lucros Bons e Lucros Ruins - GUIA DO EMPRESÁRIO - Lucros Bons e Lucros Ruins Planeta Contábil 2008 Todos os Direitos Reservados (www.planetacontabil.com.br) 1/5 Lucros Bons e Lucros Ruins Podemos pensar que lucrar é sempre bom,

Leia mais

REDAÇÃO GANHADORA DO 1 LUGAR, 9 ANO, ESCOLA E.E.E.F. MARIA COMANDOLLI LIRA. Ás vezes quando ouvimos falar sobre a corrupção, o que vem em mente?

REDAÇÃO GANHADORA DO 1 LUGAR, 9 ANO, ESCOLA E.E.E.F. MARIA COMANDOLLI LIRA. Ás vezes quando ouvimos falar sobre a corrupção, o que vem em mente? REDAÇÃO GANHADORA DO 1 LUGAR, 9 ANO, ESCOLA E.E.E.F. MARIA COMANDOLLI LIRA. ALUNA: KETLY LORRAINY R. DE OLIVEIRA PROFESSORA: MARIA PEREIRA DE CALDAS TEMA: CORRUPÇÃO : O QUE EU POSSO FAZER PARA COMBATE-LA

Leia mais

3. Autonomia frente aos partidos e parlamentares e Independência em relação aos patrões e governos

3. Autonomia frente aos partidos e parlamentares e Independência em relação aos patrões e governos Eixo III: Programa de trabalho para a direção do SISMMAC Continuar avançando na reorganização do magistério municipal com trabalho de base, organização por local de trabalho, formação política e independência

Leia mais

AMAJUM. No próximo dia 7 de outubro, o povo brasileiro retorna às urnas, desta vez para escolher prefeitos, vice-prefeitos e vereadores.

AMAJUM. No próximo dia 7 de outubro, o povo brasileiro retorna às urnas, desta vez para escolher prefeitos, vice-prefeitos e vereadores. No próximo dia 7 de outubro, o povo brasileiro retorna às urnas, desta vez para escolher prefeitos, vice-prefeitos e vereadores. Produção: Ação conjunta: Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso Parceiro:

Leia mais

Palestra 1 Mudança Organizacional. Texto base: 10 +1 Mandamentos para ter sucesso em um mundo em constantes mudanças

Palestra 1 Mudança Organizacional. Texto base: 10 +1 Mandamentos para ter sucesso em um mundo em constantes mudanças Palestra 1 Mudança Organizacional Texto base: 10 +1 Mandamentos para ter sucesso em um mundo em constantes mudanças 02 de Dezembro de 2009 10 +1 Mandamentos para ter sucesso em um mundo em constantes mudanças

Leia mais

Vem pra urna! Justiça Eleitoral. Cartório Eleitoral - ES. Cartilha educativa da. Justiça Eleitoral. sobreo poder do voto.

Vem pra urna! Justiça Eleitoral. Cartório Eleitoral - ES. Cartilha educativa da. Justiça Eleitoral. sobreo poder do voto. Vem pra urna! Justiça Eleitoral Cartório Eleitoral - ES www.tre-es.jus.br. #vempraurna Cartilha educativa da Justiça Eleitoral sobreo poder do voto. Material desenvolvido pelo Tribunal Regional Eleitoral

Leia mais

2º CONCURSO DE REDAÇÃO CAMPANHA: ELEIÇÕES LIMPAS PELO VOTO LIVRE E CONSCIENTE. CATEGORIA I 5ª e 6ª Série do Ensino Fundamental

2º CONCURSO DE REDAÇÃO CAMPANHA: ELEIÇÕES LIMPAS PELO VOTO LIVRE E CONSCIENTE. CATEGORIA I 5ª e 6ª Série do Ensino Fundamental CATEGORIA I 5ª e 6ª Série do Ensino Fundamental Tema: Voto livre e consciente, escolha que liberta 1º LUGAR: IZABEL ALINE DE ARAÚJO MATOS 6ª Série Educandário Madre Paulina Título (facultativo): A importância

Leia mais

Leia a íntegra do pronunciamento da presidente eleita Dilma Rousseff

Leia a íntegra do pronunciamento da presidente eleita Dilma Rousseff 31/10/2010 23h56 - Atualizado em 01/11/2010 11h24 Leia a íntegra do pronunciamento da presidente eleita Dilma Rousseff Em Brasília, ela fez primeiro discurso após anúncio do resultado da eleição. Ela afirmou

Leia mais

Danilo Nascimento Fundador do Segredos de Concurso www.segredosdeconcurso.com.br

Danilo Nascimento Fundador do Segredos de Concurso www.segredosdeconcurso.com.br Olá, concurseiro! É um grande prazer poder lhe dar algumas dicas básicas a respeito da sua preparação para um Concurso Público. Sei que esse é um grande sonho, e ter a oportunidade de colaborar com a construção

Leia mais

Orientação ao mercado de trabalho para Jovens. 1ª parte. Projeto Super Mercado de Trabalho 1ª parte Luiz Fernando Marca

Orientação ao mercado de trabalho para Jovens. 1ª parte. Projeto Super Mercado de Trabalho 1ª parte Luiz Fernando Marca Orientação ao mercado de trabalho para Jovens 1ª parte APRESENTAÇÃO Muitos dos jovens que estão perto de terminar o segundo grau estão lidando neste momento com duas questões muito importantes: a formação

Leia mais

Eleições 2006 CIDADÃO AGORA É A NOSSA VEZ!

Eleições 2006 CIDADÃO AGORA É A NOSSA VEZ! Eleições 2006 CIDADÃO AGORA É A NOSSA VEZ! A Igreja e as eleições O presente texto tem como objetivo animar e orientar os membros das nossas comunidades, e a população em geral, a respeito da participação

Leia mais

DÚVIDAS FREQUENTES SEGURO AUTOMOTIVO

DÚVIDAS FREQUENTES SEGURO AUTOMOTIVO DÚVIDAS FREQUENTES SEGURO AUTOMOTIVO 1. DEVO FAZER O BOLETIM DE ACIDENTES DE TRÂNSITO (BAT)? Sim, principalmente se houver terceiros envolvidos e se você for o culpado pelo acidente. 2. QUER DIZER QUE

Leia mais

SANÇÃO DA LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL

SANÇÃO DA LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL SANÇÃO DA LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL Brasília, 04 de maio de 2000 Muitos dos Senhores que estão aqui hoje me conhecem e podem portanto imaginar o quanto é importante e especial para mim este dia. Ver

Leia mais

www.brasil-economia-governo.org.br

www.brasil-economia-governo.org.br O Brasil deve adotar o voto distrital? Pedro Nery 1 Proposta recorrente nos debates sobre reforma política, o voto distrital é exaltado por suas vantagens em relação ao sistema de voto proporcional para

Leia mais

I - INTRODUÇÃO. 1) Como funciona o poder numa democracia

I - INTRODUÇÃO. 1) Como funciona o poder numa democracia I - INTRODUÇÃO 1) Como funciona o poder numa democracia - No plano municipal: prefeito (executivo) governa e vereadores (legislativo) votam leis para a cidade. - No plano estadual: governador (executivo)

Leia mais

Por que defender o Sistema Único de Saúde?

Por que defender o Sistema Único de Saúde? Por que defender o Sistema Único de Saúde? Diferenças entre Direito Universal e Cobertura Universal de Saúde Cebes 1 Direito universal à saúde diz respeito à possibilidade de todos os brasileiros homens

Leia mais

ÉTICA GERAL E PROFISSIONAL MÓDULO 7

ÉTICA GERAL E PROFISSIONAL MÓDULO 7 ÉTICA GERAL E PROFISSIONAL MÓDULO 7 Índice 1. Ética empresarial...3 2 1. ÉTICA EMPRESARIAL É neste contexto, e com o objetivo de o mundo empresarial recuperar a confiança, que vai surgindo a ética Empresarial.

Leia mais

Perversidade contra o Criança Esperança

Perversidade contra o Criança Esperança Perversidade contra o Criança Esperança Sei que alguns irão me criticar e até questionar, depois que aquele programa... da Rede Globo, fez contra você ainda tem coragem de divulgar isso!!? Então, digo,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 106 Discurso na cerimónia de entrega

Leia mais

ELEIÇÕES LIMPAS : CONTRA O FINANCIAMENTO PRIVADO E EM DEFESA DO FINANCIAMENTO DEMOCRÁTICO DE CAMPANHA

ELEIÇÕES LIMPAS : CONTRA O FINANCIAMENTO PRIVADO E EM DEFESA DO FINANCIAMENTO DEMOCRÁTICO DE CAMPANHA ELEIÇÕES LIMPAS : CONTRA O FINANCIAMENTO PRIVADO E EM DEFESA DO FINANCIAMENTO DEMOCRÁTICO DE CAMPANHA O atual sistema político brasileiro está viciado. Abre caminho para a corrupção eleitoral e para uma

Leia mais

O que fazer para reformar o Senado?

O que fazer para reformar o Senado? O que fazer para reformar o Senado? Cristovam Buarque As m e d i d a s para enfrentar a crise do momento não serão suficientes sem mudanças na estrutura do Senado. Pelo menos 26 medidas seriam necessárias

Leia mais

FINANCIAMENTO PÚBLICO OU PRIVADO PARA AS CAMPANHAS

FINANCIAMENTO PÚBLICO OU PRIVADO PARA AS CAMPANHAS FINANCIAMENTO PÚBLICO OU PRIVADO PARA AS CAMPANHAS ELEITORAIS? ADRIANA CUOCO PORTUGAL 1 (30/01/2012) A interferência do poder econômico nos rumos políticos de um país tem sido uma fonte de constante preocupação

Leia mais

FINANÇAS E COOPERATIVISMO

FINANÇAS E COOPERATIVISMO O CARREGA NA ESSÊNCIA OS VALORES DA HUMANIDADE Cooperativismo é a união voluntária de pessoas com o objetivo de atender necessidades e aspirações comuns, de natureza econômica, social, cultural ou outras.

Leia mais

As 10 coisas que todas as campanhas vitoriosas fazem

As 10 coisas que todas as campanhas vitoriosas fazem Eleições 2012 As 10 coisas que todas as campanhas vitoriosas fazem Dicas práticas para prefeito e vereador Conquiste o diploma mais importante da sua vida Faça do blog Campanhas e Mandatos sua vantagem

Leia mais

Política, Democracia e Cidadania

Política, Democracia e Cidadania Política, Democracia e Cidadania Por um jovem brasileiro atuante Por Floriano Pesaro Vereador, líder da bancada do PSDB na Câmara Municipal de São Paulo. Natural de São Paulo, Floriano é sociólogo formado

Leia mais

Pesquisa de Opinião Pública Nacional. Associação dos Magistrados Brasileiros AMB Voto, Eleições e Corrupção Eleitoral

Pesquisa de Opinião Pública Nacional. Associação dos Magistrados Brasileiros AMB Voto, Eleições e Corrupção Eleitoral Pesquisa de Opinião Pública Nacional Associação dos Magistrados Brasileiros AMB Voto, Eleições e Corrupção Eleitoral Julho de 2008 Roteiro I. Metodologia II. III. IV. Eleições e Política Corrupção eleitoral

Leia mais

Seis mulheres e o único desejo: um futuro diferente Entrevistadas denunciam desigualdade velada

Seis mulheres e o único desejo: um futuro diferente Entrevistadas denunciam desigualdade velada Terça-feira, 11 de março de 2014 Seis mulheres e o único desejo: um futuro diferente Entrevistadas denunciam desigualdade velada Nádia Junqueira Goiânia - Dalila tem 15 anos, estuda o 2º ano no Colégio

Leia mais

Pra que serve tudo isso?

Pra que serve tudo isso? Capítulo 1 Pra que serve tudo isso? Parabéns! Você tem em mãos a base para o início de um bom planejamento financeiro. O conhecimento para começar a ver o dinheiro de outro ponto de vista, que nunca foi

Leia mais

Esta nova sequência tem uma novidade: ela é inédita!

Esta nova sequência tem uma novidade: ela é inédita! Esta nova sequência tem uma novidade: ela é inédita! Hum, essa não é uma novidade. As outras também eram de certa forma inéditas, uma vez que o layout era baseado na estrutura dos Gurus, mas vamos lá,

Leia mais

Conversando com os pais

Conversando com os pais Conversando com os pais Motivos para falar sobre esse assunto, em casa, com os filhos 1. A criança mais informada, e de forma correta, terá mais chances de saber lidar com sua sexualidade e, no futuro,

Leia mais

Família e dinheiro. Quer saber mais sobre como usar melhor o seu dinheiro? Todos juntos ganham mais

Família e dinheiro. Quer saber mais sobre como usar melhor o seu dinheiro? Todos juntos ganham mais 1016327-7 - set/2012 Quer saber mais sobre como usar melhor o seu dinheiro? No site www.itau.com.br/usoconsciente, você encontra vídeos, testes e informações para uma gestão financeira eficiente. Acesse

Leia mais

Motivar a sua equipe: O grande desafio da Liderança

Motivar a sua equipe: O grande desafio da Liderança Motivar a sua equipe: O grande desafio da Liderança Existem diversos textos sobre Gestão sendo publicados diariamente, e dentre eles, muitos tratam do tema liderança, que certamente é um dos assuntos mais

Leia mais

ROI COMO SABER DEFINITIVAMENTE O RESULTADO DAS AÇÕES DE MARKETING DO SEU E- COMMERCE. Por: Alexandre Maldonado

ROI COMO SABER DEFINITIVAMENTE O RESULTADO DAS AÇÕES DE MARKETING DO SEU E- COMMERCE. Por: Alexandre Maldonado ROI COMO SABER DEFINITIVAMENTE O RESULTADO DAS AÇÕES DE MARKETING DO SEU E- COMMERCE Por: Alexandre Maldonado Autor do site Marketing para E- commerce www.marketingparaecommerce.com.br TERMOS DE RESPONSABILIDADE

Leia mais

Você já teve a experiência de enviar um email e, em pouco tempo, ver pedidos de orçamento e vendas sendo concretizadas?

Você já teve a experiência de enviar um email e, em pouco tempo, ver pedidos de orçamento e vendas sendo concretizadas? 2 Você já teve a experiência de enviar um email e, em pouco tempo, ver pedidos de orçamento e vendas sendo concretizadas? É SOBRE ISSO QUE VOU FALAR NESTE TEXTO. A maioria das empresas e profissionais

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL Pesquisa e Consultoria Relatório Síntese PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL RODADA 89 CNT 18 a 22 de Junho de 2007 SAS Q 06 - Lote 03 - Bloco J Rua Grão Pará, 737-4º andar Ed. Camilo Cola - 2 o andar

Leia mais

A Visão. Uma Introdução

A Visão. Uma Introdução 1 A Visão Uma Introdução Muitas pessoas sabem, já desde a infância ou juventude, o que querem ser na vida quando forem adultos, como, por exemplo, médico(a), enfermeiro (a), músico (a), advogado (a), ou

Leia mais

Serasa Experian e Educação Financeira

Serasa Experian e Educação Financeira Família e Dinheiro FAMÍLIA E DINHEIRO Serasa Experian e Educação Financeira O Programa Serasa Experian de Educação Financeira Sonhos Reais é uma iniciativa que alia o conhecimento em crédito da empresa

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca Pronunciamento na primeira reunião

Leia mais

Construção das Políticas Públicas processos, atores e papéis

Construção das Políticas Públicas processos, atores e papéis Construção das Políticas Públicas processos, atores e papéis Agnaldo dos Santos Pesquisador do Observatório dos Direitos do Cidadão/Equipe de Participação Cidadã Apresentação O Observatório dos Direitos

Leia mais

Guia completo para o sucesso de sua loja de veículos: dicas de como ter sucesso e manter uma alta lucratividade neste segmento

Guia completo para o sucesso de sua loja de veículos: dicas de como ter sucesso e manter uma alta lucratividade neste segmento Guia completo para o sucesso de sua loja de veículos: dicas de como ter sucesso e manter uma alta lucratividade neste segmento Introdução Planejamento Divulgando sua loja Como fechar as vendas Nota Fiscal

Leia mais

Gestão da Comunicação em Situações de Crise no Ambiente Médico-Hospitalar

Gestão da Comunicação em Situações de Crise no Ambiente Médico-Hospitalar Gestão da Comunicação em Situações de Crise no Ambiente Médico-Hospitalar Sumário Prefácio: Os hospitais não são essenciais Introdução: O sistema hospitalar mudou, mas continua o mesmo! Imagem pública

Leia mais

COMO LIDAR COM FEEDBACKS NEGATIVOS E TRANSFORMÁ-LOS EM VENDAS! TOP MITOS E VERDADES

COMO LIDAR COM FEEDBACKS NEGATIVOS E TRANSFORMÁ-LOS EM VENDAS! TOP MITOS E VERDADES COMO LIDAR COM FEEDBACKS NEGATIVOS E TRANSFORMÁ-LOS EM VENDAS TOP MITOS E VERDADES Você está empolgado com a ideia de ter opiniões e avaliações em sua loja virtual. Sabe que é o mais acertado a fazer e

Leia mais

CARTILHA DO VOTO CONSCIENTE

CARTILHA DO VOTO CONSCIENTE CARTILHA DO VOTO CONSCIENTE ART. 1, 1 da Constituição Federal de 88: Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição. Voto consciente:

Leia mais

Você sabia que... Alguns fatos sobre o meu país

Você sabia que... Alguns fatos sobre o meu país Brasil Você sabia que... A pobreza e a desigualdade causam a fome e a malnutrição. Os alimentos e outros bens e serviços básicos que afetam a segurança dos alimentos, a saúde e a nutrição água potável,

Leia mais

Curso: Marketing para Engenharia, Arquitetura e Agronomia Ênio Padilha 2006 Módulo 1: Introdução. Marketing, esse famoso Desconhecido!

Curso: Marketing para Engenharia, Arquitetura e Agronomia Ênio Padilha 2006 Módulo 1: Introdução. Marketing, esse famoso Desconhecido! Curso: Marketing para Engenharia, Arquitetura e Agronomia Ênio Padilha 2006 Módulo 1: Introdução. Marketing, esse famoso Desconhecido! 1.1. MIX DE MARKETING Você já deve ter feito o nosso Teste de Conhecimentos

Leia mais

Ofereça um atendimento de alto nível e surpreenda

Ofereça um atendimento de alto nível e surpreenda Ofereça um atendimento de alto nível e surpreenda Para profissionais do mercado imobiliário por Índice Introdução... 2 Seja o primeiro a responder... 3 Mantenha seu material em ordem... 4 Tenha o necessário

Leia mais

Guia de Discussão. Como acabar com a. Corrupção? Projeto Democracia Deliberativa e o Papel das Universidades Públicas

Guia de Discussão. Como acabar com a. Corrupção? Projeto Democracia Deliberativa e o Papel das Universidades Públicas Guia de Discussão Como acabar com a Corrupção? Projeto Democracia Deliberativa e o Papel das Universidades Públicas :: Introdução :: Ela está aqui, em toda parte, nos jornais, TV, rádios e tem um efeito

Leia mais

Pronunciamento à nação do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de posse Palácio do Planalto, 1º de janeiro de 2007

Pronunciamento à nação do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de posse Palácio do Planalto, 1º de janeiro de 2007 Pronunciamento à nação do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de posse Palácio do Planalto, 1º de janeiro de 2007 Meus queridos brasileiros e brasileiras, É com muita emoção

Leia mais

Diogo Caixeta 6 PASSOS PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO DIGITAL DE SUCESSO! WWW.PALAVRASQUEVENDEM.COM WWW.CONVERSAODIGITAL.COM.BR

Diogo Caixeta 6 PASSOS PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO DIGITAL DE SUCESSO! WWW.PALAVRASQUEVENDEM.COM WWW.CONVERSAODIGITAL.COM.BR Diogo Caixeta 6 PASSOS PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO DIGITAL DE SUCESSO! WWW.PALAVRASQUEVENDEM.COM WWW.CONVERSAODIGITAL.COM.BR INTRODUÇÃO Você está cansado de falsas promessas uma atrás da outra, dizendo

Leia mais

VALORES CULTURAIS (INDÍGENAS) KAINGANG

VALORES CULTURAIS (INDÍGENAS) KAINGANG VALORES CULTURAIS (INDÍGENAS) KAINGANG Um cacique kaingang, meu amigo, me escreveu pedindo sugestões para desenvolver, no Dia do Índio, o seguinte tema em uma palestra: "Os Valores Culturais da Etnia Kaingáng".

Leia mais

Voluntariado. Sete dicas para ser um voluntário. Por Redação EcoD

Voluntariado. Sete dicas para ser um voluntário. Por Redação EcoD Voluntariado Sete dicas para ser um voluntário Por Redação EcoD O Dia Internacional dos Voluntários, celebrado no dia 5 de dezembro, pode inspirar muitas pessoas a dedicarem seu tempo e talento em prol

Leia mais

24/04/2007. Presidência da República Secretaria de Comunicação Social Discurso do Presidente da República

24/04/2007. Presidência da República Secretaria de Comunicação Social Discurso do Presidente da República , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de assinatura dos atos normativos do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE) Palácio do Planalto, 24 de abril de 2007 Excelentíssimo senador Renan Calheiros,

Leia mais

Senador Pedro Taques Discurso Manifestações

Senador Pedro Taques Discurso Manifestações Senador Pedro Taques Discurso Manifestações Senhor presidente, Senhoras senadoras, senhores senadores Amigos das redes sociais que também estão nas ruas Estamos em época de competição de futebol. Nosso

Leia mais

Este documento provê informação atualizada, e simples de entender, para o empreendedor que precisa iniciar ou avaliar suas operações online.

Este documento provê informação atualizada, e simples de entender, para o empreendedor que precisa iniciar ou avaliar suas operações online. Os segredos dos negócios online A Internet comercial está no Brasil há menos de 14 anos. É muito pouco tempo. Nesses poucos anos ela já mudou nossas vidas de muitas maneiras. Do programa de televisão que

Leia mais

As cinco disciplinas

As cinco disciplinas As cinco disciplinas por Peter Senge HSM Management julho - agosto 1998 O especialista Peter Senge diz em entrevista exclusiva que os programas de aprendizado podem ser a única fonte sustentável de vantagem

Leia mais

Você pode contribuir para eleições mais justas

Você pode contribuir para eleições mais justas Procuradoria Regional Eleitoral no Estado de SP Defesa da democracia, combate à impunidade. Você pode contribuir para eleições mais justas Os cidadãos e as cidadãs podem auxiliar muito na fiscalização

Leia mais

Planejamento estratégico do Movimento Nossa São Paulo

Planejamento estratégico do Movimento Nossa São Paulo Planejamento estratégico do Movimento Nossa São Paulo Contribuições construídas pelo GT Juventude A avaliação das entidades e grupos que compõe o GT Juventude faz da atuação do Movimento em 2008 é extremamente

Leia mais

Alta Performance Como ser um profissional ou ter negócios de alta performance

Alta Performance Como ser um profissional ou ter negócios de alta performance Sobre o autor: Meu nome é Rodrigo Marroni. Sou apaixonado por empreendedorismo e vivo desta forma há quase 5 anos. Há mais de 9 anos já possuía negócios paralelos ao meu trabalho e há um pouco mais de

Leia mais

Poder: Jornal Fortuna

Poder: Jornal Fortuna Aqui você enriquece sua leitura Jornal Fortuna Volume 1, edição 1 Data do boletim informativo Nesta edição: Poder: Há vários tipos de poder, poder militar, poder da natureza, poder político, o poder da

Leia mais

Estado do Rio Grande do Norte Câmara Municipal de Natal Palácio Padre Miguelinho GABINETE DA VEREADORA AMANDA GURGEL

Estado do Rio Grande do Norte Câmara Municipal de Natal Palácio Padre Miguelinho GABINETE DA VEREADORA AMANDA GURGEL PROJETO DE LEI 103/2015 Dispõe sobre a redução do subsídio do(a) prefeito(a), do(a) vice-prefeito(a), e dos(as) vereadores(as), para o equivalente ao dobro do fixado como piso salarial nacional para os(as)

Leia mais

22/05/2006. Discurso do Presidente da República

22/05/2006. Discurso do Presidente da República , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de assinatura de protocolos de intenções no âmbito do Programa Saneamento para Todos Palácio do Planalto, 22 de maio de 2006 Primeiro, os números que estão no

Leia mais

ATENDIMENTO A CLIENTES

ATENDIMENTO A CLIENTES Introdução ATENDIMENTO A CLIENTES Nos dias de hoje o mercado é bastante competitivo, e as empresas precisam ser muito criativas para ter a preferência dos clientes. Um dos aspectos mais importantes, principalmente

Leia mais

GRITO PELA EDUCAÇÃO PÚBLICA NO ESTADO DE SÃO PAULO

GRITO PELA EDUCAÇÃO PÚBLICA NO ESTADO DE SÃO PAULO Apresentação Esta cartilha representa um grito dos educadores, dos estudantes, dos pais, dos trabalhadores e da sociedade civil organizada em defesa da educação pública de qualidade, direito de todos e

Leia mais

O Papel dos Municípios na Política de Segurança

O Papel dos Municípios na Política de Segurança 1 O Papel dos Municípios na Política de Segurança Jacqueline Muniz Centro de Estudos de Segurança e Cidadania - UCAM Jajamuniz@candidomendes.br Junho de 2000 Belo Horizonte Tradicionalmente, os problemas

Leia mais

COMO A GIR NA CRI $E 1

COMO A GIR NA CRI $E 1 1 COMO AGIR NA CRI$E COMO AGIR NA CRISE A turbulência econômica mundial provocada pela crise bancária nos Estados Unidos e Europa atingirá todos os países do mundo, com diferentes níveis de intensidade.

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR SECRETÁRIO DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR SECRETÁRIO DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR SECRETÁRIO DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO FABIANO CONTARATO, brasileiro, solteiro, com 48 anos de idade, Delegado de Polícia Civil e Professor Universitário,

Leia mais

LEI DA MÍDIA DEMOCRÁTICA

LEI DA MÍDIA DEMOCRÁTICA LEI DA MÍDIA DEMOCRÁTICA (versão simples da Lei da Comunicação Social Eletrônica) CAPÍTULO 1 PARA QUE SERVE A LEI Artigo 1 - Esta lei serve para falar como vai acontecer de fato o que está escrito em alguns

Leia mais

Eu me encontro aqui numa

Eu me encontro aqui numa Debate Fundações na áreas universitárias e da saúde Professor Dr. Vicente Amato Neto - USP Transcrição da palestra do Dr. Amato no Debate promovido pela Aduel no dia 27/ 08/02, no auditório do HU. Eu me

Leia mais

Aula 7: Métodos de raciocínio

Aula 7: Métodos de raciocínio Aula 7: Métodos de raciocínio São modelos conscientes de organização do pensamento Desde pequenos, ouvimos que a principal característica que diferencia os seres humanos dos animais é o fato de aqueles

Leia mais

MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA?

MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA? MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA? Que nome estranho! O que é isso? Essa expressão, Margem de Contribuição, pode soar estranha aos ouvidos, mas entender o que significa ajudará muito

Leia mais

Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática

Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática Comunicação é um direito de todos No Brasil, os meios de comunicação estão concentrados nas mãos de poucas empresas familiares que têm a

Leia mais

Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, no hotel Skt. Petri

Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, no hotel Skt. Petri Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, no hotel Skt. Petri Copenhague-Dinamarca, 01 de outubro de 2009 Bem, primeiro dizer a vocês da alegria de poder estar

Leia mais

INFLUÊNCIAS NO PROCESSO DE ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL

INFLUÊNCIAS NO PROCESSO DE ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL INFLUÊNCIAS NO PROCESSO DE ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL 2011 Bruno Fernandes Carla Brasilino Juliano Fávero Mariabile Túlio Email: bruno.fergon@hotmail.com RESUMO O objetivo deste artigo é discutir a questão

Leia mais

Manifeste Seus Sonhos

Manifeste Seus Sonhos Manifeste Seus Sonhos Índice Introdução... 2 Isso Funciona?... 3 A Força do Pensamento Positivo... 4 A Lei da Atração... 7 Elimine a Negatividade... 11 Afirmações... 13 Manifeste Seus Sonhos Pág. 1 Introdução

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca DURANTE OS TRABALHOS DA 8? CONFERÊNCIA

Leia mais

5Passos fundamentais. Conseguir realizar todos os seus SONHOS. para. Autora: Ana Rosa. www.novavitacoaching.com

5Passos fundamentais. Conseguir realizar todos os seus SONHOS. para. Autora: Ana Rosa. www.novavitacoaching.com 5Passos fundamentais para Conseguir realizar todos os seus SONHOS Autora: Ana Rosa www.novavitacoaching.com O futuro pertence àqueles que acreditam na beleza dos seus sonhos! Eleanor Roosevelt CONSIDERA

Leia mais

NOS@EUROPE. O Desafio da Recuperação Económica e Financeira. Prova de Texto. Nome da Equipa GMR2012

NOS@EUROPE. O Desafio da Recuperação Económica e Financeira. Prova de Texto. Nome da Equipa GMR2012 NOS@EUROPE O Desafio da Recuperação Económica e Financeira Prova de Texto Nome da Equipa GMR2012 Alexandre Sousa Diogo Vicente José Silva Diana Almeida Dezembro de 2011 1 A crise vista pelos nossos avós

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA OS GRUPOS QUE ESTÃO PRODUZINDO UMA: REPORTAGEM Tipos de Textos Características

Leia mais

CARTILHA DE ORIENTAÇÃO SOBRE A LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL

CARTILHA DE ORIENTAÇÃO SOBRE A LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO CARTILHA DE ORIENTAÇÃO SOBRE A LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL 1. O que é a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF)? A Lei de Responsabilidade Fiscal é um código

Leia mais

NO NEGÓCIO SAC TEXTO DE JULIANA KLEIN

NO NEGÓCIO SAC TEXTO DE JULIANA KLEIN NO NEGÓCIO SAC TEXTO DE JULIANA KLEIN 50 A ALMA DO NEGÓCIO Serviço de SAC eficiente é o que todos os clientes esperam e é no que todas as empresas deveriam investir. Especialistas afirmam: essa deve ser

Leia mais

Você Gostaria Que Eu Lhe Desse Um Plano, Para ATRAIR 3 Ou 4 Vezes Mais Clientes Para O Seu Negócio, De Graça?

Você Gostaria Que Eu Lhe Desse Um Plano, Para ATRAIR 3 Ou 4 Vezes Mais Clientes Para O Seu Negócio, De Graça? Você Gostaria Que Eu Lhe Desse Um Plano, Para ATRAIR 3 Ou 4 Vezes Mais Clientes Para O Seu Negócio, De Graça? Caro amigo (a) Se sua empresa está sofrendo com a falta de clientes dispostos a comprar os

Leia mais

Por Carol Alvarenga, em 17 de junho de 2014, 15h Esquemaria.com.br

Por Carol Alvarenga, em 17 de junho de 2014, 15h Esquemaria.com.br Esquemaria.com.br / Dicas de estudos / 4 mitos sobre estudos: saiba mais como evitar estes erros Talvez você conheça estes mitos sobre estudos, mas você sabe a verdade por trás deles? Hoje eu trago um

Leia mais

Como preparar os professores para nossas escolas

Como preparar os professores para nossas escolas Como preparar os professores para nossas escolas Claudio de Moura Castro Não há bom ensino sem bons professores. E, claramente, o Brasil sofre de uma severa escassez de bons professores para suas escolas

Leia mais

claro que o emprego existe enquanto houver trabalho para cada empregado.

claro que o emprego existe enquanto houver trabalho para cada empregado. Automotivação Antes de abordarmos a importância da motivação dentro do universo corporativo, vale a pena iniciarmos esta série de artigos com uma definição sobre esta palavra tão em voga nos dias atuais.

Leia mais

PROFª CLEIDIVAINE DA S. REZENDE Disc. Sociologia / 1ª Série

PROFª CLEIDIVAINE DA S. REZENDE Disc. Sociologia / 1ª Série PROFª CLEIDIVAINE DA S. REZENDE Disc. Sociologia / 1ª Série 1 - DEFINIÇÃO Direitos e deveres civis, sociais e políticos usufruir dos direitos e o cumprimento das obrigações constituem-se no exercício da

Leia mais

04 Despertar a ideologia sócio-econômicaambiental na população global, Mobilização política para os desafios ambientais

04 Despertar a ideologia sócio-econômicaambiental na população global, Mobilização política para os desafios ambientais TRATADO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA SOCIEDADES SUSTENTÁVEIS E RESPONSABILIDADE GLOBAL CIRCULO DE ESTUDOS IPOG - INSTITUTO DE PÓSGRADUAÇÃO MBA AUDITORIA, PERÍCIA E GA 2011 Princípios Desafios Sugestões 01

Leia mais

Carta pela Paz no Mundo

Carta pela Paz no Mundo Carta pela Paz no Mundo Marcus De Mario Esta carta é ao mesmo tempo um apelo à razão e à emoção, procurando falar às mentes e aos corações de todos os homens e mulheres da humanidade, da criança ao idoso,

Leia mais

1ª. Apostila de Filosofia O que é Filosofia? Para que a Filosofia? A atitude filosófica. Apresentação

1ª. Apostila de Filosofia O que é Filosofia? Para que a Filosofia? A atitude filosófica. Apresentação 1 1ª. Apostila de Filosofia O que é Filosofia? Para que a Filosofia? A atitude filosófica. Apresentação O objetivo principal de Introdução Filosofia é despertar no aluno a percepção que a análise, reflexão

Leia mais

Diagnosticando os problemas da sua empresa

Diagnosticando os problemas da sua empresa Diagnosticando os problemas da sua empresa O artigo que você vai começar a ler agora é a continuação da matéria de capa da edição de agosto de 2014 da revista VendaMais. O acesso é restrito a assinantes

Leia mais

Marcos Leôncio suka02@uol.com.br 1 VOTO VENDIDO, CONSCIÊNCIA PERDIDA. Escrita por: Marcos Leôncio. Elenco: Olga Barroso. Renato Beserra dos Reis

Marcos Leôncio suka02@uol.com.br 1 VOTO VENDIDO, CONSCIÊNCIA PERDIDA. Escrita por: Marcos Leôncio. Elenco: Olga Barroso. Renato Beserra dos Reis VOTO VENDIDO, CONSCIÊNCIA PERDIDA. Escrita por: Marcos Leôncio Elenco: Olga Barroso Renato Beserra dos Reis Zilânia Filgueiras Sérgio Francatti Dodi Reis Preparação de Atores e Direção: Dodi Reis Coordenação

Leia mais

Centro Universitário de Volta Redonda UniFOA Bases Humanísticas Prof. Marcos Antonio Ribeiro Andrade - MSc O Marketing e os Médicos :

Centro Universitário de Volta Redonda UniFOA Bases Humanísticas Prof. Marcos Antonio Ribeiro Andrade - MSc O Marketing e os Médicos : Centro Universitário de Volta Redonda UniFOA Bases Humanísticas Prof. Marcos Antonio Ribeiro Andrade - MSc O Marketing e os Médicos :Petrucio Chalegre Em Epidauro, no interior da Grécia, o teatro da cidade

Leia mais

Capítulo 19 - RESUMO

Capítulo 19 - RESUMO Capítulo 19 - RESUMO Considerado como sendo um dos principais teóricos da área de marketing, Philip Kotler vem abordando assuntos referentes a esse fenômeno americano chamado marketing social, desde a

Leia mais

30 DIAS POR UMA RENDA QUE DURE A VIDA TODA!

30 DIAS POR UMA RENDA QUE DURE A VIDA TODA! 30 DIAS POR UMA RENDA QUE DURE A VIDA TODA! INTRODUÇÃO: Obrigado por pedir uma cópia deste relatório. O que você vai ler é um Extraordinário Novo Método de Criação De Renda Permanente E Ilimitada, para

Leia mais

Educação e Desenvolvimento Social

Educação e Desenvolvimento Social Educação e Desenvolvimento Social Luiz Antonio Cunha Os Princípios Gerais do Liberalismo O liberalismo é um sistema de crenças e convicções, isto é, uma ideologia. Todo sistema de convicções tem como base

Leia mais

3 mudanças internas que transformam sua vida para sempre

3 mudanças internas que transformam sua vida para sempre 3 mudanças internas que transformam sua vida para sempre Claudia Madureira e Anna Luyza Aguiar 2 Às vezes a vida nos entedia e nos pegamos procurando motivos para nos reenergizar. Nessa hora pensamos que

Leia mais