ESTRUTURA DA UnC. Presidente da Fundação Mantenedora: Hamilton Wendt Vice-Presidente da Fundação Mantenedora: Celso Zeferino Marini

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTRUTURA DA UnC. Presidente da Fundação Mantenedora: Hamilton Wendt Vice-Presidente da Fundação Mantenedora: Celso Zeferino Marini"

Transcrição

1 A

2 ESTRUTURA DA UnC Reitoria da UnC Rua Atílio Faoro, Caixa Postal 17 / CEP Caçador-SC Fone: / Fax: Reitor: Werner José Bertoldi Vice-Reitor: Prof. Antonio Reinaldo Agostini Pró-Reitor de Administração: Prof. Gaston Mário Cazamajou Bojarski Pró-Reitora de Ensino: Profª. Clarice Gaudêncio Pró-Reitor de Pesquisa e Pós-Graduação: Prof. Leandro Ramires Comassetto Pró-Reitora de Extensão e Cultura: Profª. Ilze Salete Chiarello Secretária Geral: Elisandra Fátima Rodrigues Presidente da Fundação Mantenedora: Hamilton Wendt Vice-Presidente da Fundação Mantenedora: Celso Zeferino Marini Campi / Núcleos Universitários: UnC/CAÇADOR Diretor Acadêmico: Vilson Pohlenz Diretor Presidente: Luiz Eugênio Rossa Beltrami Diretor Administrativo: Moacir José Salamoni Secretária Acadêmica: Viviane Cassol Klaumann Rua Victor Baptista Adami, 800 Caixa Postal Caçador-SC fone/fax: UnC/FRAIBURGO Rua Carlos Maester, s/n Fraiburgo-SC fone/fax: UnC/CANOINHAS Diretor Acadêmico: Argos Gumbowsky Diretor Presidente: Hamilton Wendt Coordenador Administrativo: Valdecir Roberto Bechel Secretária Acadêmica: Cássia Regina Metzger Rua Roberto Ehlke, 86 Caixa Postal Canoinhas-SC fone: UnC/PORTO UNIÃO Rua Joaquim Nabuco, Porto União-SC fone: UnC/CONCÓRDIA Diretor Acadêmico: Alexandre Trevisan Schneider Diretor Presidente: José Plínio Garcia Pacheco Administrador Provisório: Ari Adamy Secretária Acadêmica: Adriana Marchesan Basseggio Rua Victor Sopelsa, 3000 Bairro Salete Concórdia-SC fone: UnC/CURITIBANOS Diretor Acadêmico: Carlos Eduardo Carvalho Diretor Presidente: Pedro Paulo Rodrigues Diretora Administrativa: Inara Maria B. Balbinotti Secretária Acadêmica: Salete Turatto Av. Leoberto Leal, 1904 Bairro Waldemar Ortigari Curitibanos-SC fone/fax: UnC/MAFRA Diretor Acadêmico: Ademir Flores Diretor Presidente: José Alceu Valério Secretário Acadêmico: Eduardo Dominico Av. Nereu Ramos, Mafra-SC fone/fax: UnC/RIO NEGRINHO Rua Pedro Simões de Oliveira, 315 Centro Rio Negrinho-SC fone:

3 APRESENTAÇÃO Reconhecida em 21 de outubro de 1997 (Parecer 42/97-CEE), instalada oficialmente pelo Governador do Estado em 03 de dezembro de 1997 (Parecer 246/97-CEE) e recredenciada em 26/04/2006, através do Decreto Nº , a Universidade do Contestado - UnC é uma Instituição multicampi, com Campi Universitários em Caçador, Canoinhas, Concórdia, Curitibanos e Mafra e com Núcleos Universitários em funcionamento em Fraiburgo, Porto União e Rio Negrinho. Ao publicar a oitava edição, com atualização da Coletânea dos Ordenamentos Jurídicos internos, que reúne os textos legais em vigor e referentes à administração do Ensino, da Pesquisa e da Extensão, e que são o Estatuto e Regimento Geral da Universidade, Resoluções e Portarias de seus Colegiados Superiores, oferece a UnC, àqueles que nela atuam ou estudam, através desta publicação, o acesso fácil e rápido à todos os textos básicos que norteiam e orientam as atividades inerentes à gestão acadêmica no seu âmbito. Werner José Bertoldi Reitor 3

4 SUMÁRIO ESTATUTO DA UNIVERSIDADE DO CONTESTADO...9 Titulo I...9 DA UNIVERSIDADE E SEUS FINS...9 Titulo II...10 DA ESTRUTURA UNIVERSITÁRIA...10 Capítulo I...10 DOS PRINCÍPIOS DE ORGANIZAÇÃO...10 Capítulo II...11 DOS CAMPI UNIVERSITÁRIOS...11 Capítulo III...11 DOS ÓRGÃOS CONSULTIVO, DE APOIO, SUPLEMENTARES E COMPLEMENTARES...11 Titulo III...11 DA ADMINISTRAÇÃO UNIVERSITÁRIA...11 Capítulo I...12 DA ADMINISTRAÇÃO SUPERIOR...12 Capítulo II...12 DO ÓRGÃO DELIBERATIVO SUPERIOR...12 Capítulo III...14 DO ÓRGÃO CONSULTIVO...14 Capítulo IV...15 DOS ÓRGÃOS EXECUTIVOS SUPERIORES...15 Capítulo V...18 DO ÓRGÃO DE APOIO...18 Capítulo VI...19 DOS ÓRGÃOS SUPLEMENTARES...19 Capítulo VII...19 DA ADMINISTRAÇÃO SETORIAL...19 Capítulo VIII...23 DOS RECURSOS...23 Titulo IV...24 DAS ELEIÇÕES...24 Capítulo I...24 DAS DISPOSIÇÕES GERAIS...24 Capítulo II...25 DAS ELEIÇÕES DO REITOR E VICE-REITOR...25 Capítulo III...26 DA ELEIÇÃO DOS PRÓ-REITORES...26 Capítulo IV...26 DA ELEIÇÃO DO DIRETOR E VICE-DIRETOR ACADÊMICO...26 Capítulo V...27 DA ELEIÇÃO DE COORDENADOR E VICE-COORDENADOR DE CURSO...27 Titulo V...28 DA ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO-CIENTÍFICA DISPOSIÇÕES GERAIS...28 Titulo VI...28 DA COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA...28 Capítulo I...28 DAS DISPOSIÇÕES GERAIS...28 Capítulo II...29 DO CORPO DOCENTE...29 Capítulo III...29 DO CORPO DISCENTE...29

5 Capítulo IV...29 DO CORPO TÉCNICO-ADMINISTRATIVO...29 Titulo VII...29 DOS DIPLOMAS, CERTIFICADOS, TÍTULOS E MEDALHAS...29 Titulo VIII...31 DO PATRIMÔNIO E DOS RECURSOS FINANCEIROS...31 Titulo IX...31 DAS DISPOSIÇÕES GERAIS E TRANSITÓRIAS...31 REGIMENTO GERAL DA UNIVERSIDADE DO CONTESTADO...33 DISPOSIÇÕES PRELIMINARES...33 Título I...33 DOS ÓRGÃOS DELIBERATIVOS, CONSULTIVOS...33 E EXECUTIVOS SUPERIORES E SETORIAIS...33 Capítulo I...33 DA ADMINISTRAÇÃO SUPERIOR...33 Capítulo II...33 DA ADMINISTRAÇÃO SETORIAL...33 Capítulo III...34 DO FUNCIONAMENTO DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS...34 Capítulo IV...38 DO FUNCIONAMENTO DOS ÓRGÃOS EXECUTIVOS SETORIAIS...38 Capítulo V...42 DO ÓRGÃO DE APOIO DA SECRETARIA ACADÊMICA...42 Capítulo VI...43 DOS ÓRGÃOS SUPLEMENTARES...43 Capítulo VII...45 DOS ÓRGÃOS COMPLEMENTARES...45 Capítulo VIII...45 DAS DISPOSIÇÕES COMUNS À ADMINISTRAÇÃO...45 Capítulo IX...45 DOS RECURSOS...45 Título II...46 DO REGIME DIDÁTICO CIENTÍFICO...46 Capítulo I...46 DO ENSINO...46 Período Letivo dos Cursos de Graduação e Seqüenciais...52 Capítulo II...52 DA PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO...52 Capítulo III...53 DA EXTENSÃO, CULTURA E RELAÇÕES COMUNITÁRIAS...53 Título III...54 DA COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA...54 Capítulo I...54 DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES...54 Capítulo II...54 DO CORPO DOCENTE...54 Capítulo III...55 DO CORPO TÉCNICO-ADMINISTRATIVO...55 Capítulo IV...56 CORPO DISCENTE...56 Capítulo V...58 DO REGIME DISCIPLINAR...58 Capítulo VI...61 DOS DIPLOMAS E CERTIFICADOS...61 Capítulo VII...62

6 DO REGISTRO E REVALIDAÇÃO DE DIPLOMAS...62 Capítulo VIII...62 DISPOSIÇÕES GERAIS E TRANSITÓRIAS...62 PORTARIAS...64 PORTARIA UnC - 069/ Fixa normas para as Comissões de Formaturas estabelecerem Contratos junto a Empresas Promotoras de Eventos...64 PORTARIA UnC 055/ Estabelece normas e procedimentos para Confecção, Análise e Registro de Diplomas da Universidade do Contestado UnC...65 RESOLUÇÕES...70 RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 062/ Aprova as Alterações no Regulamento Geral das Bibliotecas da UnC...70 RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 094/ Aprova a Política de Pesquisa da UnC e sua Institucionalização...77 RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 099/ Aprova Regulamento do Programa de Monitoria para a Universidade do Contestado...87 RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 153/ Aprova o Programa de Financiamento da Pesquisa Docente na UnC...92 RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 154/ Institui o Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade do Contestado UnC...97 RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 157/ Homologa as Diretrizes e Normas de Incentivo à Iniciação Científica em nível de Graduação da UnC DINPICI RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 158/ Homologa a Normatização do Fundo de Apoio à Pesquisa da UnC NOFAPE RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 159/ Estabelece Procedimentos para Admissão de Acadêmicos de um Campus ou Núcleo Universitário à freqüência em Disciplina, de outro Campus ou Núcleo Universitário, no Âmbito da UnC RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 160/ Estabelece Procedimentos para Permuta de Acadêmicos de um Campus ou Núcleo Universitário para Outro Campus ou Núcleo, no Âmbito da UnC RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 164/ Dispõe sobre a Concessão de Auxílio e/ou Afastamento a Docentes e Técnicos Administrativos para Freqüentar Cursos de Pós-Graduação Stricto Sensu RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 168/ Aprova Procedimentos para Matrícula de Alunos Não Regulares em Cursos Superiores de Graduação RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 169/ Regulamenta os Cursos Seqüenciais de Educação Superior para a UnC RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 170/ Aprova Normas para Solicitação de Revisão de Nota de Avaliações para Verificação de Aprendizagem RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 171/ Dispõe sobre os Procedimentos para Solicitação e Realização de Avaliação em Segunda Chamada e Exames Finais nos Cursos de Graduação da UnC RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 001/ Estabelece Normas para o Funcionamento da Comissão de Avaliação e Seleção de Bolsas de Estudo do Artigo 170 da Constituição Estadual RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 002/ Estabelece Normas para o Funcionamento da Comissão de Avaliação e Seleção de Bolsas de Pesquisa do Artigo 170 da Constituição Estadual RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 055/

7 Aprova o Programa de Atendimento a Pessoas com Necessidades Especiais da Universidade do Contestado-UnC RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 056/ Aprova Normas para Atendimento a Alunos com Necessidades Especiais da Universidade do Contestado-UnC RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 081/ Aprova o Regimento Geral dos Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu da Universidade do Contestado RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 052/ Aprova o Programa de Monitoria da UnC-PROMON RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 056/ Aprova o Regulamento Interno do Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão CONSEPE RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 057/ Estabelece Procedimentos para Outorga de Grau nos Cursos de Graduação da UnC RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 088/ Aprova Regulamento do Regime de Exercícios Domiciliares e Compensação de Faltas no Âmbito da Universidade do Contestado RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 089/ Aprova Regulamento do Regime de Exercícios Domiciliares para Estudante Gestante no Âmbito da Universidade do Contestado RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 090/ Dispõe sobre a Oferta de Disciplina em Regime Especial RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 008/ Estabelece Critérios para Credenciamento de Professores de Ensino Superior nos Cursos de Graduação e Seqüenciais da UnC RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 009/ Estabelece Procedimentos para admissão de acadêmicos de Graduação e Pós-Graduação Stricto Sensu de um curso a freqüência de disciplinas em outro curso, no mesmo Campus Universitário ou em outra Instituição de Ensino Superior Nacional ou Estrangeira RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 040/ Aprova a Reformulação do Regimento da Educação a Distância RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 063/ Aprova a Reformulação do Regimento do Comitê de Ética em Pesquisa-CEP da Universidade do Contestado-UnC RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 041/ Dispõe sobre Núcleo Básico para os Cursos de Graduação ofertados pela UnC RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 042/ Estabelece Critérios para a Criação, Aumento de Vagas e Reformulação de Cursos de Graduação, Habilitação, Tecnólogo e Sequencial de Formação Específica para a UnC RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 043/ Aprova Procedimentos para Abreviação de Cursos Superiores de Graduação RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 044/ Aprova Regulamento de Atividades Complementares para os Cursos de Graduação, no âmbito da Universidade do Contestado RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 045/ Dispõe sobre Procedimentos e Critérios para Transferência, Reingresso ou Retorno por Desistência, para Cursos de Graduação oferecidos pela UnC RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 092/ Dispõe sobre Reformulação do Regulamento Geral de Estágios Curriculares RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 093/ Dispõe sobre Reformulação do Regulamento Geral de TCC RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 095/ Estabelece Procedimentos para Registro de Certificados e Diplomas de Pós-Graduação Lato e Stricto Sensu UnC RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 114/ Dispõe sobre a Reformulação do Programa de Apoio à Extensão e Cultura da UnC-PAEC-UnC...278

8 O Programa de Apoio à Extensão e Cultura da UnC, estrutura-se dentro dos oito eixos do Plano de Extensão, definidos no PDE-UnC: RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 122/ Dispõe sobre Procedimentos e Critérios para Classificação e Habilitação de Professores para Distribuição das Disciplinas dos Cursos de Graduação oferecidos pela UnC RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 125/ Dispõe sobre o Aproveitamento de Estudos dos Cursos de Graduação oferecidos pela UnC RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 126/ Estabelece Normas para a Revalidação de Diplomas de Graduação na UnC, Expedidos por Instituições Estrangeiras de Ensino Superior RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 127/ Estabelece Critérios para a Avaliação do Desempenho Docente nos Cursos de Graduação da UnC RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 130/ Aprova o Regimento dos Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu da Universidade do Contestado...319

9 ESTATUTO DA UNIVERSIDADE DO CONTESTADO Titulo I DA UNIVERSIDADE E SEUS FINS Art. 1 - A Universidade do Contestado UnC é uma Instituição de Ensino Superior, multicampi, que congrega os Campi Universitários de Caçador, Canoinhas, Concórdia, Curitibanos e Mafra, mantida pela Fundação Universidade do Contestado UnC, nos termos dos seus Estatutos. Art. 2 - A Universidade do Contestado, fundamentada no princípio inalienável da liberdade de pensamento e de crítica, tem como missão proporcionar condições concretas de desenvolvimento da sociedade nos campos científico, técnico e cultural, a partir da reinterpretação do passado, firmando raízes e buscando formas alternativas para delinear o futuro e possibilitar o crescimento sócio-econômico e político-cultural no âmbito de sua abrangência. Art. 3 - A Universidade do Contestado tem como objetivo precípuo o Ensino, a Pesquisa e a Extensão. Art. 4 - São objetivos específicos da Universidade do Contestado: I - promover o ensino, a pesquisa e a extensão, nas diversas áreas e modalidades do conhecimento humano para a criação, preservação, sistematização e aplicação do saber, com vistas a formar profissionais demandados pelo processo de desenvolvimento do país, para enriquecimento da cultura e promoção do bem-comum; II - resgatar os elementos histórico-culturais, com vistas ao desenvolvimento regional, buscando, na experiência do passado, no estágio de realizações do presente e na formulação de metas para o futuro, a concretização dos ideais que integram a vontade do homem do Contestado, em defesa desta porção do território pátrio; III - manter o intercâmbio cultural e científico com Instituições congêneres, nacionais e internacionais ou estrangeiras, na intenção de emprestar universalidade ao sentido de sua missão; IV - estimular a criatividade nos diversos campos do conhecimento humano; V - desenvolver a iniciação científica como princípio norteador do processo de difusão das ciências e do conhecimento; VI - incentivar e fomentar a pesquisa e o constante aperfeiçoamento dos docentes, Art. 5 - A Universidade do Contestado pode receber, para consecução de seus objetivos, o concurso de outras instituições de caráter filosófico, técnico, científico, cultural e educacional, públicas ou particulares, por meio de contratos ou convênios. Art. 6 - A Universidade do Contestado goza de autonomia didático-científica, administrativa, financeira e disciplinar nos termos da legislação vigente e de seus Estatutos. 1 - A autonomia didático-científica consiste em: I - estabelecer a sua política de ensino, pesquisa e extensão; II - criar, organizar, modificar e extinguir cursos e programas de educação superior, considerando as exigências do meio social, econômico e cultural;

10 III - estabelecer o seu regime escolar e didático-científico; IV - desenvolver experiências e metodologias, mediante projetos específicos fundados em bases legais, que visem promover inovações no campo acadêmico; V - conferir graus, diplomas, títulos e outras dignidades universitárias. 2 - A autonomia administrativa consiste em: I - propor a reforma deste Estatuto e a do Regimento Geral; II - elaborar, aprovar e reformar os regulamentos da Universidade; III - aprovar normas sobre admissão, remuneração, promoção e dispensa do pessoal docente e técnico-administrativo, submetendo-as à homologação do Conselho de Administração Superior CAS, da Fundação Universidade do Contestado; IV - eleger e dar posse ao Reitor e o Vice-Reitor. 3 - A autonomia financeira consiste em executar o Planejamento Orçamentário. 4 - A autonomia disciplinar consiste em fixar o regime de sanções aos corpos docente, discente e técnico-administrativo e de aplicá-lo, obedecidas as prescrições legais e os princípios gerais do Direito. Art. 7 - A Universidade do Contestado é regida: I - pela Legislação de Ensino; II - pelo presente Estatuto; III - pelo Regimento Geral; IV - pelas Resoluções dos órgãos deliberativos; V - pelo Estatuto da Fundação Universidade do Contestado. Titulo II DA ESTRUTURA UNIVERSITÁRIA Capítulo I DOS PRINCÍPIOS DE ORGANIZAÇÃO Art. 8 - A organização da Universidade do Contestado obedece às seguintes diretrizes: I - unidade de patrimônio e de administração; II - estruturação orgânica baseada em colegiados existentes em cada Campus Universitário; III - integração do Ensino, Pesquisa e Extensão; IV - racionalização da organização, com utilização integral dos recursos disponíveis; V - flexibilidade de métodos e critérios, atendendo as diferenças individuais dos alunos, peculiaridades regionais e às disponibilidades de combinação dos conhecimentos para novos cursos e programas de pesquisa; VI - universalidade do saber, pelo cultivo de áreas fundamentais do conhecimento humano, estudadas em si mesmas ou em razão de ulteriores aplicações e de uma ou mais áreas técnico-profissionais. Art. 9 - Sem prejuízo da unidade de patrimônio e administração e da integração acadêmica, a Universidade adota um regime de administração descentralizada nos seus Campi Universitários.

11 Capítulo II DOS CAMPI UNIVERSITÁRIOS Art Os Campi Universitários de Caçador, Canoinhas, Concórdia, Curitibanos e Mafra e os Núcleos Universitários de Fraiburgo, Monte Carlo, Porto União, Rio Negrinho, Santa Cecília e Seara e outros que vierem a ser criados em sua região de abrangência, desenvolvem atividades permanentes de ensino, pesquisa e extensão Parágrafo único Constitui Núcleo Universitário a estrutura vinculada administrativa e academicamente a um Campus Universitário, onde são desenvolvidas predominantemente atividades de ensino. Art A Universidade do Contestado, através de seus Campi, pode desenvolver atividades fora de sede para cumprimento do seu projeto acadêmico, científico, cultural e comunitário, respeitada a legislação vigente. Art. 12 Os Campi e os Núcleos da Universidade são administrados na forma deste Estatuto, do Regimento Geral e do Estatuto da Fundação Universidade do Contestado, no que lhe couber. Capítulo III DOS ÓRGÃOS CONSULTIVO, DE APOIO, SUPLEMENTARES E COMPLEMENTARES Art Para o melhor desempenho de suas atividades, a Universidade disporá de órgãos consultivo, de apoio, suplementares e complementares, tanto na Estrutura Superior, quanto na Setorial. 1º - Os Órgãos da Estrutura Superior são: I - Órgão Consultivo: Câmara Consultiva II - Órgão de Apoio Superior: Secretaria Geral III - Órgãos Suplementares Superiores: a) Editora da UnC; b) UnC Virtual 2 - Os Órgãos da Estrutura Setorial são: I - Órgão de Apoio: Secretarias Acadêmicas II - Órgãos Suplementares: a) Bibliotecas Universitárias; b) Museus, Editora, Rádio / TV, Livraria, Institutos e Órgãos Similares; c) Laboratórios; d) Hospitais, Clínicas, Ambulatórios, Biotérios, Farmácia Escola; e) Núcleo de Educação a Distância; f) Núcleos, Escritórios e Agências. III - Órgãos Complementares: Estabelecimentos Escolares de Educação Básica e Profissional. 3 - A estrutura e o funcionamento dos órgãos consultivo, de apoio, suplementares e complementares são disciplinados por este Estatuto, pelo Regimento Geral da UnC e em regulamentos próprios, aprovados pelos colegiados competentes de acordo com a legislação própria. Titulo III DA ADMINISTRAÇÃO UNIVERSITÁRIA Art A administração universitária é feita em nível superior e em nível setorial.

12 Capítulo I DA ADMINISTRAÇÃO SUPERIOR Art A administração superior da Universidade do Contestado se efetua através de: I - Órgão Deliberativo Superior: Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão- CONSEPE II - Órgão Consultivo: Câmara Consultiva III - Órgãos Executivos Superiores: a) Reitoria; b) Pró-Reitorias IV - Órgão de Apoio Superior: Secretaria Geral V - Órgãos Suplementares Superiores: a) Editora da UnC; b) UnC Virtual Capítulo II DO ÓRGÃO DELIBERATIVO SUPERIOR Do Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão Art O Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão-CONSEPE, órgão máximo consultivo, deliberativo, normativo e jurisdicional da Universidade, em assuntos de ensino, pesquisa e extensão e de planejamento, administração geral e difusor da política institucional, garantido o mínimo de 70% de docentes, é constituído: I - pelo Reitor, como seu Presidente; II - pelo Vice-Reitor; III - pelos Pró-Reitores; IV - pelo Diretor Acadêmico de cada Campus Universitário; V - pelo Presidente da Fundação Universidade do Contestado; VI - pelo Diretor Presidente de cada Campus; VII - por um Coordenador de Área de cada Campus Universitário, indicado pelo Diretor Acadêmico; VIII - por dois Coordenadores de Curso de cada Campus Universitário, eleitos por seus pares; IX - por um representante docente de cada Campus Universitário, escolhido por seus pares, com mandato de 2 (dois) anos; X - por um discente de cada Campus Universitário, com mandato de um ano, escolhido por seus pares; XI - pelos ex-reitores da Universidade do Contestado que estejam em exercício na UnC. Parágrafo único O Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão-CONSEPE, sempre que necessário, valer-se-á de assessores com direito a assento e voz, mas não a voto. Art Ao Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão-CONSEPE compete: I - fixar a política geral da Universidade e orientar seu planejamento; II - zelar pelo patrimônio moral, cultural e material da Universidade; III - zelar pela realização dos fins da Universidade; IV - deliberar, em nível superior, sobre matéria de ensino, pesquisa e extensão; V - fixar normas e aprovar matérias sobre seleção e admissão de estudantes à Universidade, currículos e ementários dos cursos e programas de educação superior, bem como, sobre o calendário acadêmico, horários das disciplinas, matrícula, transferência de alunos, verificação de rendimento escolar, revalidação de diplomas estrangeiros, aproveitamento de estudos, critérios de composição dos Colegiados de Curso, distribuição

13 de disciplinas e carga horária nos cursos e outros assuntos pertinentes à sua esfera de competência; VI - criar, autorizar, desmembrar, fundir ou extinguir, cursos e programas de educação superior, órgãos de apoio, suplementares, complementares submetendo-os ao Conselho de Administração Superior-CAS, no que lhe couber; VII - disciplinar questões relativas à concurso ou provas de seleção para docentes e homologar seus resultados; VIII - estabelecer a sistemática de execução dos atos normativos, elaborados pelo Reitor e pelos Diretores Acadêmicos, assim como aprová-los; IX - instituir símbolos, insígnias e bandeiras no âmbito da Universidade; X - aprovar a proposta do número de vagas iniciais de cursos e programas de educação superior e alterar o número de vagas existentes; XI - exercer a jurisdição superior da Universidade em matéria administrativa, financeira, acadêmica e disciplinar; XII - aprovar a concessão de títulos honoríficos; XIII - apreciar, anualmente, até 30 (trinta) de novembro, o Orçamento da Universidade para o exercício seguinte e submetê-lo à aprovação do CAS da Fundação Universidade do Contestado; XIV - apreciar, anualmente, até 15 (quinze) de abril, a prestação de contas e o relatório de atividades do exercício findo, para encaminhamento à aprovação do CAS da Fundação Universidade do Contestado; XV - deliberar sobre medidas disciplinares de natureza preventiva, corretiva ou repressiva que lhe sejam devidamente propostas; XVI - decidir sobre propostas, representações ou indicações de interesse da Universidade; XVII - aprovar os Regulamentos da Universidade; XVIII - disciplinar o processo eleitoral, de acordo com os artigos 74 a 94 deste Estatuto; XIX - deliberar, em grau de recurso, sobre os processos cuja decisão final tenha sido proferida pelo Conselho Acadêmico dos Campi Universitários, quando argüida a infringência à lei; XX - deliberar, em grau de recurso, sobre decisões administrativas do Reitor ou de outros órgãos ou autoridades universitárias, desde que tomadas por delegação deste; XXI - exercer atividades de fiscalização, no âmbito de suas atribuições, propondo medidas de natureza preventiva, corretiva ou repressiva; XXII - reformular ou alterar o presente Estatuto e o Regimento Geral da Universidade, por decisão de 2/3 (dois terços) do total de seus membros; XXIII - apreciar a reformulação do plano de cargos e salários e plano de carreira, da Universidade, submetendo-o à homologação do CAS da Fundação Universidade do Contestado; XXIV - referendar acordos, contratos e convênios; XXV - deliberar sobre representações ou recursos que lhe forem encaminhados; XXVI - eleger e empossar o Reitor e o Vice-Reitor; XXVII - empossar o Reitor e o Vice-Reitor no caso de recondução, sob a presidência do Conselheiro mais idoso; XXVIII - deliberar sobre questões omissas neste Estatuto e no Regimento Geral; XXIX - elaborar e reformular o seu Regulamento; XXX - autorizar a intervenção do Reitor nos Campi Universitários, fixando prazo máximo da mesma; XXXI - apreciar, dentro de 10 (dez) dias, os vetos do Reitor, só podendo rejeitá-los com os votos de 2/3 (dois terços) de seus membros; XXXII - receber denúncia fundamentada de improbidade administrativa oriunda do Conselho Acadêmico e dar encaminhamento conforme regulamentação própria e decidir ou não pelo acolhimento da denúncia;

14 XXXIII - destituir o Reitor ou seu substituto, se comprovada, por inquérito administrativo, falta grave ou infringência de preceito estatutário ou regimental, ou da legislação do ensino; XXXIV - destituir o Pró-Reitor que não executar as políticas da Universidade, solicitando ao Campus de origem do mesmo a indicação de lista tríplice para escolha de seu substituto. Art O Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão-CONSEPE reunir-se-á, sempre que convocado pelo seu Presidente ou por 1/3 (um terço), pelo menos, de seus membros. 1 - As reuniões do CONSEPE são realizadas com a presença da maioria absoluta de seus membros e as decisões são tomadas por maioria simples dos presentes. 2 - Ao Presidente caberá o voto de qualidade, no caso de empate. Art As matérias oriundas dos Campi Universitários serão encaminhadas ao CONSEPE, pelo Presidente do Conselho Acadêmico de cada Campus. Capítulo III DO ÓRGÃO CONSULTIVO Da Câmara Consultiva Art. 20 A Câmara Consultiva é um órgão consultivo e assessor em assuntos de Ensino, Pesquisa, Extensão e da Administração geral da Universidade, composta pelo Reitor, Vice- Reitor e Pró-Reitores, pelos Diretores Acadêmicos, pelo Presidente e Vice-Presidente da Fundação Universidade do Contestado, pelos Diretores Presidentes dos Campi Universitários e pelos ex-reitores da Universidade do Contestado, que estejam em exercício na UnC. 1º - A Câmara Consultiva será presidida por um de seus membros eleito por seus pares, com mandato de dois anos. 2 º - Poderão participar das reuniões da Câmara, técnicos e assessores, especialmente convocados por seu Presidente. 3º - Ocorrendo vacância no cargo de Presidente da Câmara, a mesma se auto-convocará, procedendo-se nova eleição. Art São atribuições da Câmara: I - discutir e encaminhar ao CONSEPE, para aprovação, o estabelecimento de diretrizes e políticas de Ensino, Pesquisa, Extensão e da Administração da UnC; II - analisar e emitir parecer sobre Programas e Projetos de Educação Superior; III - sugerir ao CONSEPE a criação, organização, modificação e extinção de Programas e Cursos de Educação Superior; IV - analisar proposta orçamentária anual, oriunda dos Campi Universitários; V - analisar o plano plurianual de investimentos.

15 Capítulo IV DOS ÓRGÃOS EXECUTIVOS SUPERIORES Seção I Da Reitoria Art A Reitoria é o Órgão Executivo Superior da Universidade. Art A Reitoria é exercida por docentes dos diferentes Campi Universitários, nos termos deste Estatuto. Art O Reitor e Vice-Reitor da Universidade do Contestado são eleitos pelo CONSEPE, através do voto direto e secreto, e empossados na mesma reunião, com mandato de 04 (quatro) anos. Art Compete ao Reitor: I - representar a Universidade, interna ou externamente, ativa ou passivamente, em juízo ou fora dele, no âmbito de suas atribuições; II - administrar, superintender, coordenar e fiscalizar todas as atividades da Universidade; III - convocar, presidir e dirigir as reuniões do CONSEPE, cabendo-lhe também, o voto de qualidade; IV - zelar pelo constante aperfeiçoamento das atividades de ensino, pesquisa e extensão; V - promover o planejamento geral das atividades da Universidade, bem como, a elaboração da proposta orçamentária, para exame e aprovação pelos órgãos competentes; VI - presidir solenidade de colação de grau dos diplomandos pela Universidade e conferirlhe os respectivos graus, por si ou por sua delegação; VII - administrar as finanças da Universidade de conformidade com o orçamento aprovado pela Fundação Universidade do Contestado; VIII - escolher entre as listas de 03 (três) nomes, oriundas de cada Campus, os Pró- Reitores, nomeá-los e dar-lhes posse, garantindo a participação equânime dos Campi Universitários no exercício da Reitoria; IX - homologar os resultados das eleições e dar posse aos Diretores Acadêmicos dos Campi Universitários; X - praticar atos pertinentes ao provimento, afastamento temporário, demissão e vacância de cargos e funções do pessoal da estrutura da Universidade; XI - firmar acordos, contratos e convênios entre a Universidade e entidades ou instituições públicas ou privadas, nacionais, estrangeiras ou internacionais, devidamente compatibilizados com as finalidades e objetivos da Universidade; XII - exercer o poder disciplinar na jurisdição da Universidade; XIII - propor ao CONSEPE, a criação, modificação ou extinção de projetos, programas, órgãos de apoio, suplementares e complementares de acordo com os ordenamentos da Universidade; XIV - baixar os atos e resoluções decorrentes das decisões do CONSEPE; XV - designar comissões para procederem aos inquéritos administrativos e acadêmicos; XVI - apresentar ao CONSEPE e ao Conselho de Administração Superior da Fundação Universidade do Contestado, no início de cada ano, relatórios das atividades da Universidade, relativos ao ano anterior; XVII - adotar as medidas pertinentes à criação e ao reconhecimento de cursos junto às esferas competentes; XVIII - decidir, em caso de urgência, no que lhe for pertinente, sobre matéria de competência do CONSEPE, ad referendum deste;

16 XIX - Intervir nos Campi Universitários, após autorização do CONSEPE, nomeando, em caráter pro tempore, seus interventores, sempre que os princípios da Universidade forem transgredidos, e suspender a intervenção, após cessados os motivos que a justificaram; XX - propor ao CONSEPE a reforma deste Estatuto e do Regimento Geral da Universidade; XXI - delegar competências como instrumento de descentralização administrativa, consoante ao artigo 9º deste Estatuto; XXII - convocar eleições para Reitor e Vice-Reitor, Pró-Reitores, Diretores e Vice-Diretores Acadêmicos; XXIII - nomear Comissão Eleitoral para as eleições de Reitor e Vice-Reitor, Pró-Reitores, Diretores e Vice-Diretores Acadêmicos; XXIV - propor ao CONSEPE a substituição do Pró-Reitor que não estiver executando as políticas da Universidade; XXV - desempenhar as demais atribuições não especificadas, mas decorrentes do cargo de Reitor, conferidas pela legislação vigente, neste Estatuto, no Regimento Geral e nas demais normas da Universidade. Art São atribuições do Vice-Reitor: I - acompanhar o Reitor, nas etapas de planejamento, execução e avaliação das atividades da Universidade; II - substituir o Reitor em sua ausência ou impedimentos ocasionais e sucedê-lo em caso de vacância. Art Em caso de vacância dos cargos de Reitor e Vice-Reitor, o Pró-Reitor mais idoso assume o cargo. 1 - Transcorridos 2/3 (dois terços) do mandato, o Pró-Reitor mais idoso assume o cargo até o final daquele mandato. 2 - Ocorrendo vacância antes do transcurso de 2/3 (dois terços) do mandato, o Pró-Reitor mais idoso assume o cargo, interinamente, devendo convocar novas eleições para complemento do mandato, no prazo máximo de 30 (trinta) dias. Art A Reitoria dispõe de estrutura e quadro de pessoal, cujas atribuições são fixadas por Regulamento próprio e aprovadas pelo CONSEPE. Seção II Das Pró-Reitorias Art As Pró-Reitorias são exercidas pelos Pró-Reitores escolhidos na forma deste Estatuto. Art. 30 As Pró-Reitorias constituem-se em: I - Pró-Reitoria de Administração; II - Pró-Reitoria de Ensino; III - Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação; IV - Pró-Reitoria de Extensão e Cultura. Art As Pró-Reitorias podem se utilizar de quadro de pessoal de acordo com as necessidades, cuja estrutura e atribuições são fixadas por Regulamento próprio e aprovadas pelo CONSEPE.

17 Art Compete aos Pró-Reitores: I - propor e articular políticas para o desenvolvimento das atividades da Universidade; II - participar na busca de recursos, de intercâmbios e de parcerias, colaborando para o aperfeiçoamento das atividades de ensino, pesquisa e extensão; III - participar das reuniões do Conselho Acadêmico e do CONSEPE; IV - acompanhar a tramitação de atos, processos ou documentos de interesse da Universidade; V - promover a articulação das Pró-Reitorias entre si; VI - exercer outras atribuições que lhe forem delegadas pelo Reitor; VII - zelar, através de incentivo e fomento, pelo constante aperfeiçoamento das atividades de ensino, pesquisa e extensão; VIII - coordenar o processo de avaliação institucional; IX - promover a integração dos corpos docente, discente e técnico- administrativo da Universidade; X - convocar grupos de trabalho para o desenvolvimento de atividades inerentes à Pró- Reitoria; XI - elaborar relatório anual das atividades que lhes são inerentes. Art A Pró-Reitoria de Administração é o órgão executivo que orienta, coordena e supervisiona as atividades administrativas da Universidade em consonância com as diretrizes gerais estabelecidas por este Estatuto e pelo Regimento Geral. Art São atribuições do Pró-Reitor de Administração: I - coordenar a execução da programação orçamentária da Universidade; II - manter organizados os balancetes e toda a movimentação orçamentária e financeira da Universidade, observada a legislação vigente; III - manter organizada a escrituração da receita e despesa da Universidade, que permita assegurar a sua exatidão; IV - coordenar a adoção de medidas para aquisição, guarda e fornecimento do material permanente e de consumo, o controle quantitativo, qualitativo e de custo; V - movimentar as contas bancárias da estrutura superior da Universidade, juntamente com o Reitor; VI - coordenar a implementação de programas de melhoria através de recursos humanos, materiais ou físicos e financeiros. Art A Pró-Reitoria de Ensino é o órgão executivo que coordena o planejamento, supervisiona e orienta as atividades de ensino da Universidade em consonância com este Estatuto e com o Regimento Geral da Universidade. Art São atribuições do Pró-Reitor de Ensino: I - coordenar o planejamento e a implementação dos cursos, programas e modalidades em nível de educação infantil, ensino fundamental, ensino médio e educação superior, em consonância com a legislação vigente; II - analisar as propostas de currículo e suas alterações, encaminhando-as, com o respectivo parecer, aos Conselhos competentes para aprovação, quando for o caso; III - coordenar e supervisionar o funcionamento dos órgãos de apoio, suplementares e complementares da Universidade no que lhe for pertinente;

18 IV - coordenar a execução das políticas e diretrizes da Universidade, relativas ao pessoal docente; V - coordenar, orientar e supervisionar o registro e controle acadêmico, o credenciamento de docentes, o planejamento e a execução dos trabalhos escolares, os processos de matrícula, assim como os assentamentos oficiais deles decorrentes nos diversos Campi Universitários. Art A Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação é o órgão executivo que promove, coordena o planejamento e supervisiona as atividades referentes à Pesquisa e à Pós- Graduação, em consonância com as diretrizes gerais estabelecidas neste Estatuto e no Regimento Geral da Universidade. Art São atribuições do Pró-Reitor de Pesquisa e Pós-Graduação: I - coordenar o planejamento e a implementação das atividades de pesquisa e pósgraduação, em consonância com a legislação vigente; II - promover intercâmbio com outras instituições científicas para o desenvolvimento de projetos de pesquisa e de cursos e programas de Pós-Graduação; III - promover e incentivar o desenvolvimento da pesquisa e da pós-graduação. Art A Pró-Reitoria de Extensão e Cultura é o órgão executivo que promove, coordena o planejamento e supervisiona as atividades referentes à extensão e cultura, bem como a integração da Universidade com a comunidade regional, em consonância com este Estatuto e com o Regimento Geral da Universidade. Art São atribuições do Pró-Reitor de Extensão e Cultura: I - coordenar o planejamento e a implementação das atividades de extensão e cultura, em consonância com a legislação vigente; II - promover a divulgação dos resultados de pesquisas realizadas no âmbito da Universidade; III - coordenar o planejamento dos programas de promoção e apoio ao estudante; IV - acompanhar os programas de apoio ao estudante. Capítulo V DO ÓRGÃO DE APOIO Da Secretaria Geral Art. 41 A Secretaria Geral, dirigida pelo Secretário, é o órgão de apoio acadêmicoadministrativo cuja competência é centralizar a administração acadêmico-administrativo no âmbito da Universidade do Contestado. Art. 42 Para o exercício do cargo de Secretário Geral, este deverá ter formação de nível superior. Art. 43 O Secretário será nomeado pelo Reitor da UnC, permanecendo no cargo ad nutum. Art. 44 São atribuições do Secretário Geral: I - atender ao expediente interno da Reitoria; II - participar em todas as reuniões dos Colegiados Superiores e Assembléias da UnC, para secretariar os trabalhos; III - manter em dia as atas e registros relativos à Reitoria e à Mantenedora da UnC.

19 IV - coordenar as atividades da Secretaria; V - assinar com o Reitor e Pró-Reitor de Ensino os diplomas dos Cursos de Graduação e Seqüenciais de Formação Específica; VI - redigir, fazer expedir e arquivar a correspondência oficial da Reitoria; VII - organizar os dados e documentos necessários aos relatórios da Universidade; VIII - secretariar a Comissão de Credenciamento da UnC; IX - responsabilizar-se pelo registro, controle dos processos, dos livros e legislação educacional; X - elaborar relatório anual de atividades até 30 (trinta) de março do ano subseqüente; XI - efetuar o registro dos diplomas da Educação Superior; XII - zelar pelo cumprimento das determinações deste Regimento, dos colegiados competentes e legislação educacional; XIII - atender às determinações e solicitações do Reitor, Vice-Reitor e Pró-Reitores; XIV - desenvolver as demais ações inerentes ao cargo ou que lhe forem atribuídas. Capítulo VI DOS ÓRGÃOS SUPLEMENTARES Seção I Da Editora Art. 45 A Editora, dirigida por um Coordenador, é o órgão executivo que coordena, implementa, incentiva e fomenta as atividades editoriais, de acordo com as diretrizes emanadas do CONSEPE, Reitoria, Pró-Reitorias, Direção Acadêmica e demais órgãos executivos competentes. Parágrafo único O funcionamento da Editora está regulamentado pelo seu regimento interno. Seção II Da UnC Virtual Art. 46 A UnC Virtual, dirigida por um Coordenador, é o órgão executivo que coordena, implementa, incentiva e fomenta as atividades de educação a distância, de acordo com as diretrizes emanadas do CONSEPE, Reitoria, Pró-Reitorias, Direção Acadêmica e demais órgãos executivos competentes. Capítulo VII DA ADMINISTRAÇÃO SETORIAL Art A administração setorial de cada Campus será constituída por: I - Órgãos Deliberativos Setoriais: a) Conselho Acadêmico; b) Colegiado de Curso de Graduação e Seqüencial de Formação Específica; c) Colegiado de Curso de Pós- Graduação Stricto Sensu. II - Órgãos Executivos Setoriais: a) Diretoria Acadêmica; b) Coordenadoria de Ensino; c) Coordenadoria de Pesquisa; d) Coordenadoria de Pós-Graduação; e) Coordenadoria de Curso de Pós-Graduação Stricto Sensu; f) Coordenadoria de Extensão e Cultura; g) Coordenadoria de Curso de Graduação e Cursos Seqüenciais de Formação Específica. III - Órgãos de Apoio: Secretarias Acadêmicas. IV - Órgãos Suplementares: a) Bibliotecas Universitárias; b) Museus, Editora, Rádio / TV, Livraria, Institutos e Órgãos Similares; c) Laboratórios; d) Hospitais, Clínicas, Ambulatórios,

20 Biotérios, Farmácia Escola; e) Núcleo de Educação a Distância; f) Núcleos, Escritórios e Agências. V - Órgãos Complementares: Estabelecimentos Escolares de Educação Básica e Profissional. Parágrafo único - A constituição e as atribuições destes órgãos estão definidas no Regimento Geral da Universidade ou em regulamentos próprios. Seção I Dos Órgãos Deliberativos Setoriais Sub-Seção I Do Conselho Acadêmico Art O Conselho Acadêmico, presidido pelo Diretor Acadêmico, é o órgão técnicoconsultivo, deliberativo e normativo, no âmbito do respectivo Campus Universitário, em matérias técnico-científicas, didático-pedagógicas e disciplinares. Sub-Seção II Do Colegiado de Curso de Graduação e Seqüencial de Formação Específica Art O Colegiado de Curso presidido pelo Coordenador do respectivo curso de graduação é um órgão de caráter deliberativo e técnico-consultivo, no âmbito do respectivo Curso de Graduação e Seqüencial de Formação Específica, em matérias técnico-científicas e didático-pedagógicas. 1 - A composição do colegiado está estabelecida no Regimento Geral da UnC. 2 - As decisões do Colegiado de Curso devem estar sempre em consonância com as diretrizes emanadas dos conselhos superiores. Sub-Seção III Do Colegiado de Curso de Pós-Graduação Stricto Sensu Art O Colegiado de Curso de Pós-Graduação Stricto Sensu, presidido pelo Coordenador do respectivo curso, é um órgão de caráter deliberativo e técnico-consultivo, no âmbito do respectivo curso, em matérias técnico-científicas e didático-pedagógicas. 1 - A composição do colegiado de Curso de Pós-Graduação Stricto Sensu está estabelecida no Regimento Geral da UnC. 2 - As decisões do Colegiado de Curso de Pós-Graduação Stricto Sensu devem estar sempre em consonância com as diretrizes emanadas dos conselhos superiores.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES FACULDADE DE MATEMÁTICA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES FACULDADE DE MATEMÁTICA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES FACULDADE DE MATEMÁTICA REGIMENTO INTERNO DA FACULDADE DE MATEMÁTICA, CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES, UFPA.

Leia mais

ESTATUTO CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO - FAE ÍNDICE

ESTATUTO CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO - FAE ÍNDICE 1 ESTATUTO CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO - FAE ÍNDICE TÍTULO I DA INSTITUIÇÃO E SEUS OBJETIVOS Capítulo I Da Instituição Capítulo II Dos Objetivos Capítulo III Da Autonomia TÍTULO

Leia mais

Aprovado pelo CONSUNI - UFRJ - 25 de agosto de 2011

Aprovado pelo CONSUNI - UFRJ - 25 de agosto de 2011 REGIMENTO DO INSTITUTO ALBERTO LUIZ COIMBRA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA DE ENGENHARIA (COPPE) DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO. Aprovado por unanimidade pelo Conselho Deliberativo da COPPE em

Leia mais

ESTATUTO TÍTULO I NORMAS PRELIMINARES CAPÍTULO I CONSTITUIÇÃO, NATUREZA, OBJETIVOS E PRINCÍPIOS

ESTATUTO TÍTULO I NORMAS PRELIMINARES CAPÍTULO I CONSTITUIÇÃO, NATUREZA, OBJETIVOS E PRINCÍPIOS ESTATUTO TÍTULO I NORMAS PRELIMINARES CAPÍTULO I CONSTITUIÇÃO, NATUREZA, OBJETIVOS E PRINCÍPIOS Art. 1º. A Fundação Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre UFCSPA, instituída pela Lei

Leia mais

Do Colegiado de Curso. Da Constituição do Colegiado

Do Colegiado de Curso. Da Constituição do Colegiado REGULAMENTO INTERNO DO COLEGIADO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS - UNITINS Do Colegiado de Curso Art. 1º. O Colegiado de Curso é a instância básica dos cursos de graduação, responsável

Leia mais

REGIMENTO DA FACULDADE DE ENFERMAGEM TÍTULO I DA FACULDADE DE ENFERMAGEM, SUAS DIRETRIZES E FINALIDADES

REGIMENTO DA FACULDADE DE ENFERMAGEM TÍTULO I DA FACULDADE DE ENFERMAGEM, SUAS DIRETRIZES E FINALIDADES REGIMENTO DA FACULDADE DE ENFERMAGEM TÍTULO I DA FACULDADE DE ENFERMAGEM, SUAS DIRETRIZES E FINALIDADES Art. 1º. - A Faculdade de Enfermagem (FAEN), com sede no campus da Universidade Federal de Mato Grosso

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CONSELHO DE GRADUAÇÃO R E G I M E N T O I N T E R N O CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CONSELHO DE GRADUAÇÃO R E G I M E N T O I N T E R N O CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CONSELHO DE GRADUAÇÃO R E G I M E N T O I N T E R N O CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1. Este Regimento dispõe sobre a composição, competências e funcionamento

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FACULDADE DE DIREITO JUSTIFICATIVA

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FACULDADE DE DIREITO JUSTIFICATIVA 1 DOS ÓRGÃOS DELIBERATIVOS JUSTIFICATIVA Dois grandes órgãos de deliberação superior foram propostos: O Conselho Universitário e o Conselho de Administração e Finanças. Este último, com a missão de deliberar

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 38/2013/Consup Florianópolis, 07 de outubro de 2013.

RESOLUÇÃO Nº 38/2013/Consup Florianópolis, 07 de outubro de 2013. RESOLUÇÃO Nº 38/2013/Consup Florianópolis, 07 de outubro de 2013. A PRESIDENTE DO DO IF-SC no uso das atribuições que lhe foram conferidas pelo Decreto de 15/12/2011, publicado no DOU de 16/12/2011 e atendendo

Leia mais

O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE, no uso de suas atribuições e considerando o que consta do Processo,

O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE, no uso de suas atribuições e considerando o que consta do Processo, Anteprojeto de RESOLUÇÃO Nº. Considerando a acelerada expansão verificada no ICHF nos últimos anos, por conta da expansão do numero de cursos de graduação, pós-graduação stricto e lato sensu Considerando

Leia mais

UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO CONSELHO UNIVERSITÁRIO

UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO CONSUN Nº 07/2010 Define e regulamenta o funcionamento dos programas de pós-graduação stricto sensu O Conselho Universitário da Universidade

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO UNIVERSITÁRIO INSTITUTO DE ESTUDOS EM SAÚDE COLETIVA REGIMENTO TÍTULO I DA INSTITUIÇÃO E SEUS FINS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO UNIVERSITÁRIO INSTITUTO DE ESTUDOS EM SAÚDE COLETIVA REGIMENTO TÍTULO I DA INSTITUIÇÃO E SEUS FINS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO UNIVERSITÁRIO Aprova o Regimento do Instituto de Estudos em Saúde Coletiva da UFRJ. INSTITUTO DE ESTUDOS EM SAÚDE COLETIVA REGIMENTO TÍTULO I DA INSTITUIÇÃO

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 008, de 30 de junho de 2003

RESOLUÇÃO N o 008, de 30 de junho de 2003 RESOLUÇÃO N o 008, de 30 de junho de 2003 Aprova Regimento do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Letras Teoria Literária e Crítica da Cultura da UFSJ O PRESIDENTE DO CONSELHO DELIBERATIVO SUPERIOR

Leia mais

Regimento do Curso de Bacharelado em Artes Cênicas da Universidade Federal de Santa Catarina

Regimento do Curso de Bacharelado em Artes Cênicas da Universidade Federal de Santa Catarina Regimento do Curso de Bacharelado em Artes Cênicas da Universidade Federal de Santa Catarina CAPÍTULO I Das Disposições Iniciais Art. 1º - O Curso de Bacharelado em Artes Cênicas, criado pela Resolução

Leia mais

REGIMENTO DO PROGRAMA ASSOCIADO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO/UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

REGIMENTO DO PROGRAMA ASSOCIADO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO/UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA REGIMENTO DO PROGRAMA ASSOCIADO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO/UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA TÍTULO I - DOS OBJETIVOS E DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - O Programa Associado

Leia mais

REGIMENTO DO CENTRO DE GESTÃO E TRATAMENTO DE RESÍDUOS QUÍMICOS

REGIMENTO DO CENTRO DE GESTÃO E TRATAMENTO DE RESÍDUOS QUÍMICOS REGIMENTO DO CENTRO DE GESTÃO E TRATAMENTO DE RESÍDUOS QUÍMICOS TÍTULO I DO CENTRO E SEUS FINS Artigo 1 O Centro de Gestão e Tratamento de Resíduos Químicos é um órgão auxiliar, de natureza técnica e científica,

Leia mais

R E G I M E N T O PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA QUÍMICA INSTITUTO DE TECNOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ

R E G I M E N T O PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA QUÍMICA INSTITUTO DE TECNOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ R E G I M E N T O DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA QUÍMICA DO INSTITUTO DE TECNOLOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ 2 SUMÁRIO CAPÍTULO I - DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA QUÍMICA

Leia mais

Regulamento Geral dos Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu

Regulamento Geral dos Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu VICE-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA Regulamento Geral dos Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu CAPÍTULO I DA FINALIDADE E DA ORGANIZAÇÃO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO Art. 1º Os Programas de

Leia mais

Regimento Geral da UFJF

Regimento Geral da UFJF TÍTULO I Das Disposições Preliminares Regimento Geral da UFJF Art. 1º- O presente Regimento Geral disciplina as atividades comuns da Universidade nos campos do ensino, da pesquisa,da extensão e da administração.

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 31, DE 30 DE JUNHO DE 2011

RESOLUÇÃO Nº 31, DE 30 DE JUNHO DE 2011 RESOLUÇÃO Nº 31, DE 30 DE JUNHO DE 2011 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal do Pampa, em sessão de 30 de junho de 2011, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo artigo 16 e pelo

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 012, de 27 de março de 2008. 1 (Modificado o Regimento pela Res. 022/2011 e 061/2011)

RESOLUÇÃO N o 012, de 27 de março de 2008. 1 (Modificado o Regimento pela Res. 022/2011 e 061/2011) RESOLUÇÃO N o 012, de 27 de março de 2008. 1 (Modificado o Regimento pela Res. 022/2011 e 061/2011) Cria o Núcleo de Educação a Distância (NEAD) e aprova seu Regimento Interno. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

PROPOSTAS DA COMISSÃO REPRESENTATIVA DE PROFESSORES PARA A REFORMA ESTATUTÁRIA DA ULBRA

PROPOSTAS DA COMISSÃO REPRESENTATIVA DE PROFESSORES PARA A REFORMA ESTATUTÁRIA DA ULBRA PROPOSTAS DA COMISSÃO REPRESENTATIVA DE PROFESSORES PARA A REFORMA ESTATUTÁRIA DA ULBRA Preâmbulo: - Considerando que a educação é um bem público e, conforme dispõe o art. 209 da carta constitucional,

Leia mais

UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO FACULDADE DE ODONTOLOGIA REGIMENTO

UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO FACULDADE DE ODONTOLOGIA REGIMENTO UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO FACULDADE DE ODONTOLOGIA REGIMENTO Regimento SUMÁRIO TÍTULO I - TÍTULO I - DA FACULDADE E SEUS FINS...5 TÍTULO II - DA ADMINISTRAÇÃO DA UNIDADE...6 CAPÍTULO I - Da Congregação...6

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E MISSÃO

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E MISSÃO Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe) REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E MISSÃO Art. 1º O CENTRO BRASILEIRO DE PESQUISA EM AVALIAÇÃO E SELEÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU

REGULAMENTO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU REGULAMENTO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU Res. Consun nº 96/10, de 24/11/10. Art. 1º Art. 2º Art. 3º Art. 4º TÍTULO I DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU CAPÍTULO I DAS FINALIDADES

Leia mais

U N I V E R S I D A D E C A T Ó L I C A D E B R AS Í L I A P R Ó - R E I T O R I A D E P Ó S - G R A D U A Ç Ã O E P E S Q U I S A P R PG P/ U C B

U N I V E R S I D A D E C A T Ó L I C A D E B R AS Í L I A P R Ó - R E I T O R I A D E P Ó S - G R A D U A Ç Ã O E P E S Q U I S A P R PG P/ U C B U N I V E R S I D A D E C A T Ó L I C A D E B R AS Í L I A P R Ó - R E I T O R I A D E P Ó S - G R A D U A Ç Ã O E P E S Q U I S A P R PG P/ U C B REGULAMENTO GERAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO

Leia mais

U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D E S Ã O C A R L O S R E G I M E N T O G E R A L

U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D E S Ã O C A R L O S R E G I M E N T O G E R A L U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D E S Ã O C A R L O S R E G I M E N T O G E R A L Art. 1º. O presente Regimento Geral complementa o Estatuto, regulamentando os aspectos de organização e funcionamento

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - CED REGIMENTO INTERNO TÍTULO I DA NATUREZA, DAS FINALIDADES E DOS OBJETIVOS

CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - CED REGIMENTO INTERNO TÍTULO I DA NATUREZA, DAS FINALIDADES E DOS OBJETIVOS RESOLUÇÃO CONSU Nº. 06/2015, DE 24 DE MARÇO DE 2015 O Vice-Reitor, no exercício da Presidência do Conselho Superior Universitário da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas, no uso de suas

Leia mais

RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 040/2007

RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 040/2007 RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 040/2007 Aprova a Reformulação do Regimento da Educação a Distância O Reitor da Universidade do Contestado, no uso de suas atribuições, de acordo com o Art. 25 do Estatuto da Universidade

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOINFORMÁTICA

REGIMENTO INTERNO DA PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOINFORMÁTICA REGIMENTO INTERNO DA PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOINFORMÁTICA CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E OBJETIVOS Artigo 1º - O Programa de Pós-Graduação stricto sensu em BIOINFORMÁTICA tem como objetivos: a formação de docentes,

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU - MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL. Sumário

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU - MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL. Sumário REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU - MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL Sumário Capítulo I: DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA... Capítulo II: DA ADMINISTRAÇÃO DO PROGRAMA...

Leia mais

DECISÃO Nº 085/2015 D E C I D E. aprovar o Regimento Interno da Faculdade de Veterinária da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, como segue:

DECISÃO Nº 085/2015 D E C I D E. aprovar o Regimento Interno da Faculdade de Veterinária da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, como segue: CONSUN Conselho Universitário DECISÃO Nº 085/2015 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO, em sessão de 27/02/2015, tendo em vista o constante no processo nº 23078.034121/2014-61, de acordo com o Parecer nº 006/2015

Leia mais

REGIMENTO GERAL DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PARANÁ

REGIMENTO GERAL DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PARANÁ 1 REGIMENTO GERAL DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PARANÁ TÍTULO I DA DISPOSIÇÃO PRELIMINAR Art. 1º O presente Regimento Geral da Universidade Estadual do Paraná UNESPAR autarquia estadual de regime especial,

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO ESTADO DO PARÁ REGIMENTO DO PROGRAMA DE MESTRADO EM DIREITO

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO ESTADO DO PARÁ REGIMENTO DO PROGRAMA DE MESTRADO EM DIREITO CENTRO UNIVERSITÁRIO DO ESTADO DO PARÁ REGIMENTO DO PROGRAMA DE MESTRADO EM DIREITO Belém-PA, janeiro/2015 REGIMENTO DO PROGRAMA DE MESTRADO EM DIREITO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DO ESTADO DO PARÁ CAPÍTULO

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL REGIMENTO GERAL

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL REGIMENTO GERAL PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL REGIMENTO GERAL Sumário TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS.... 5 TÍTULO II DOS ÓRGÃOS DELIBERATIVOS E EXECUTIVOS DA ADMINISTRAÇÃO SUPERIOR E DAS UNIDADES

Leia mais

RESOLUÇÃO CSA N.º 07, DE 23 DE SETEMBRO DE 2014

RESOLUÇÃO CSA N.º 07, DE 23 DE SETEMBRO DE 2014 RESOLUÇÃO CSA N.º 07, DE 23 DE SETEMBRO DE 2014 Estabelece o Regulamento para a Oferta de Cursos de Pós Graduação Lato Sensu das Faculdades Ponta Grossa. A Presidente do Conselho Superior de Administração

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N 28/2012 Aprova o Regimento do Centro

Leia mais

REGIMENTO INTERNO FAGEN

REGIMENTO INTERNO FAGEN UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA - UFU FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS - FAGEN REGIMENTO INTERNO FAGEN Este documento foi apreciado pela Comissão de Avaliação dos Regimentos Internos das Unidades Acadêmicas

Leia mais

ESTATUTO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO EURO-AMERICANO (UNIEURO)

ESTATUTO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO EURO-AMERICANO (UNIEURO) ESTATUTO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO EURO-AMERICANO (UNIEURO) APROVADO PELO PARECER CES/CNE Nº 3/2005 Portaria MEC nº 769, de 09 de março de 2005 (DOU nº 47, 10/03/2005, seção 1. p15) BRASÍLIA, DF, NOVEMBRO,

Leia mais

Universidade Estadual de Maringá

Universidade Estadual de Maringá ESTADO DO PARANÁ Universidade Estadual de Maringá REGIMENTO GERAL Missão da UEM Produzir conhecimento por meio da pesquisa; organizar, articular e disseminar os saberes por meio do ensino e da extensão,

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 047, de 16 de outubro de 2006. (Modificada pela Res. 039/2012 e 002/2013)

RESOLUÇÃO N o 047, de 16 de outubro de 2006. (Modificada pela Res. 039/2012 e 002/2013) RESOLUÇÃO N o 047, de 16 de outubro de 2006. (Modificada pela Res. 039/2012 e 002/2013) Aprova o Regulamento Geral dos Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu. O PRESIDENTE DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE

Leia mais

Regimento do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Gerência de Serviços de Enfermagem

Regimento do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Gerência de Serviços de Enfermagem 1 Regimento do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Gerência de Serviços de Enfermagem TÍTULO I CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU GERÊNCIA DE SERVIÇOS DE ENFERMAGEM CAPÍTULO 1 - DA MODALIDADE DO CURSO

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA CNA FATECNA REGIMENTO GERAL

FACULDADE DE TECNOLOGIA CNA FATECNA REGIMENTO GERAL FACULDADE DE TECNOLOGIA CNA FATECNA REGIMENTO GERAL Consultoria Técnica Delta Teresinha Buchfink Sandra Elena Gehlen Inhoqui Brasília, 2011 1 SUMÁRIO TÍTULO I... 5 DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS... 5 TÍTULO

Leia mais

ESTATUTO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO LUTERANO DE PALMAS TÍTULO I DO CENTRO UNIVERSITÁRIO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E NATUREZA

ESTATUTO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO LUTERANO DE PALMAS TÍTULO I DO CENTRO UNIVERSITÁRIO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E NATUREZA ESTATUTO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO LUTERANO DE PALMAS Aprovado pela Portaria MEC nº 3.304/05, de 23 de setembro de 2005 e publicado no D.O.U. nº 185, de 26/09/2005, seção 1, página 17. TÍTULO I DO CENTRO

Leia mais

Universidade Positivo Resolução n o 04 de 16/04/2010 Normas Acadêmicas do Stricto Sensu

Universidade Positivo Resolução n o 04 de 16/04/2010 Normas Acadêmicas do Stricto Sensu RESOLUÇÃO N o 04 de 16/04/2010 - CONSEPE Dispõe sobre as normas das atividades acadêmicas dos Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu da Universidade Positivo. O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão,

Leia mais

Titulo III Das Eleições... 21

Titulo III Das Eleições... 21 SUMÁRIO Organograma da Universidade... 4 TÍTULO I - Da Instituição e Seus Fins... 5 Capítulo I - Da Denominação e Abrangência... 5 Capítulo II - Das Finalidades, dos Objetivos e dos Princípios... 5 Capítulo

Leia mais

Estabelece a estrutura organizacional dos Campus Experimentais da Unesp

Estabelece a estrutura organizacional dos Campus Experimentais da Unesp Resolução Unesp-38, de 10-9-2008 Estabelece a estrutura organizacional dos Campus Experimentais da Unesp O Reitor da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, tendo em vista o deliberado

Leia mais

CURSO DE MESTRADO EM EDUCAÇÃO: PROCESSOS SÓCIO-EDUCATIVOS E PRÁTICAS ESCOLARES

CURSO DE MESTRADO EM EDUCAÇÃO: PROCESSOS SÓCIO-EDUCATIVOS E PRÁTICAS ESCOLARES REGIMENTO CURSO DE MESTRADO EM EDUCAÇÃO: PROCESSOS SÓCIO-EDUCATIVOS TÍTULO I - Das Finalidades E PRÁTICAS ESCOLARES TÍTULO II Da Coordenação do Curso CAPÍTULO I DA ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO II DO COLEGIADO

Leia mais

Aberta e a Distância - CEAD, da UNIFAL-MG.

Aberta e a Distância - CEAD, da UNIFAL-MG. RESOLUÇÃO Nº 023/2011, DE 28 DE ABRIL DE 2011 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG O Conselho Universitário da UNIFAL-MG, no uso de suas atribuições regimentais e estatutárias,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SOCIOLOGIA CAPÍTULO I - DOS OBJETIVOS

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SOCIOLOGIA CAPÍTULO I - DOS OBJETIVOS REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SOCIOLOGIA CAPÍTULO I - DOS OBJETIVOS Art. 1 o - O Programa de Pós-Graduação em Sociologia, vinculado ao Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade

Leia mais

ESTATUTO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO BELAS ARTES DE SÃO PAULO

ESTATUTO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO BELAS ARTES DE SÃO PAULO ESTATUTO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO BELAS ARTES DE SÃO PAULO (UNICENTRO BELAS ARTES) Junho de 2005 ESTATUTO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO BELAS ARTES DE SÃO PAULO ÍNDICE TÍTULO I - DA INSTITUIÇÃO E SEUS OBJETIVOS

Leia mais

REGIMENTO GERAL DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PARANÁ VERSÃO PRELIMINAR TÍTULO I DA DISPOSIÇÃO PRELIMINAR

REGIMENTO GERAL DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PARANÁ VERSÃO PRELIMINAR TÍTULO I DA DISPOSIÇÃO PRELIMINAR 1 REGIMENTO GERAL DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PARANÁ VERSÃO PRELIMINAR TÍTULO I DA DISPOSIÇÃO PRELIMINAR Art. 1º O presente Regimento Geral da Universidade Estadual do Paraná UNESPAR autarquia estadual

Leia mais

CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO

CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO Art. 1º O Laboratório de Línguas é um órgão complementar de fomento ao ensino, pesquisa, extensão, e prestação de serviços vinculado ao Centro de Letras e Ciências Humanas sob

Leia mais

RESOLUÇÃO CSA N.º 05, DE 14 DE ABRIL DE 2015

RESOLUÇÃO CSA N.º 05, DE 14 DE ABRIL DE 2015 RESOLUÇÃO CSA N.º 05, DE 14 DE ABRIL DE 2015 Altera o Regimento Interno da Comissão Própria de Avaliação (CPA) das Faculdades Ponta Grossa. A Presidente do Conselho Superior de Administração das Faculdades

Leia mais

TITULO I DA DISPOSIÇÃO PRELIMINAR

TITULO I DA DISPOSIÇÃO PRELIMINAR REGIMENTO GERAL DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PARANÁ (Alterado pela Resolução 014/2014- COU/UNESPAR, publicada na edição nº 9476 do Diário Oficial do Estado, em 22/06/15). TITULO I DA DISPOSIÇÃO PRELIMINAR

Leia mais

Aprovado no CEP em 13/01/2010, Resolução 02/2010 REGULAMENTO PARA OS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU DA UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE

Aprovado no CEP em 13/01/2010, Resolução 02/2010 REGULAMENTO PARA OS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU DA UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE 1 Aprovado no CEP em 13/01/2010, Resolução 02/2010 REGULAMENTO PARA OS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU DA UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PARTE I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I DAS MODALIDADES

Leia mais

RESOLUÇÃO N.º 150/2010. Art. 1º - Fica aprovado o Regulamento Geral dos Cursos de Pós-graduação Lato Sensu da Universidade Federal Fluminense

RESOLUÇÃO N.º 150/2010. Art. 1º - Fica aprovado o Regulamento Geral dos Cursos de Pós-graduação Lato Sensu da Universidade Federal Fluminense MEC - UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 150/2010 EMENTA: Aprovação do Regulamento Geral dos Cursos de Pós-graduação Lato Sensu da Universidade Federal Fluminense.

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CONSEPE

REGIMENTO INTERNO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CONSEPE REGIMENTO INTERNO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CONSEPE TÍTULO I DA COMPOSIÇÃO E DAS COMPETÊNCIAS CAPÍTULO I - DA COMPOSIÇÃO Art. 1º O CONSEPE é o órgão colegiado superior que supervisiona e

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIGRANRIO

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIGRANRIO UNIVERSIDADE DO GRANDE RIO Prof. José de Souza Herdy Reconhecida pela Portaria MEC 940/94 D.O.U. de 16 de Junho de 1994 PRÓ - REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROPEP REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 641, DE 22 DE JANEIRO 2008

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 641, DE 22 DE JANEIRO 2008 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 641, DE 22 DE JANEIRO 2008 Aprova o Regimento do Campus Universitário de Castanhal. O REITOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DOS COLEGIADOS DE CURSOS DE GRADUAÇÃO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE SETE LAGOAS UNIFEMM

REGIMENTO INTERNO DOS COLEGIADOS DE CURSOS DE GRADUAÇÃO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE SETE LAGOAS UNIFEMM REGIMENTO INTERNO DOS COLEGIADOS DE CURSOS DE GRADUAÇÃO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE SETE LAGOAS UNIFEMM Sete Lagoas, 2010 2 REGIMENTO INTERNO DOS COLEGIADOS DE CURSOS DE GRADUAÇÃO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO

Leia mais

REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM TOXINOLOGIA DO INSTITUTO BUTANTAN

REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM TOXINOLOGIA DO INSTITUTO BUTANTAN REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM TOXINOLOGIA DO INSTITUTO BUTANTAN O DIRETOR TÉCNICO DO INSTITUTO BUTANTAN, DA SECRETARIA DE SAÚDE DO ESTADO DE SÃO PAULO, dentro das atribuições legais, expede

Leia mais

Professor Rodrigo Marques de Oliveira Presidente do Conselho Acadêmico do IFMG - Campus Governador Valadares

Professor Rodrigo Marques de Oliveira Presidente do Conselho Acadêmico do IFMG - Campus Governador Valadares SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS CAMPUS GOVERNADOR VALADARES - CONSELHO ACADÊMICO Av. Minas Gerais, 5.189 - Bairro Ouro

Leia mais

O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO aprovou e eu, Reitor, sanciono a seguinte Resolução:

O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO aprovou e eu, Reitor, sanciono a seguinte Resolução: RESOLUÇÃO CEPE Nº 174/2007 Altera o Regulamento dos Programas de Pós- Graduação Stricto sensu. processo nº 32255/2007; CONSIDERANDO a solicitação constante no O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO DEPARTAMENTAL

REGULAMENTO DO CONSELHO DEPARTAMENTAL Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional REGULAMENTO DO CONSELHO DEPARTAMENTAL RESOLUÇÃO Nº. 073/12-COGEP de 07/12/12 Curitiba

Leia mais

Portaria MEC nº 925/2007 de 08 de novembro de 2007 Publicada no DOU 216, de 09 de novembro de 2007, seção 1, fl.9

Portaria MEC nº 925/2007 de 08 de novembro de 2007 Publicada no DOU 216, de 09 de novembro de 2007, seção 1, fl.9 ESTATUTO DA UNIVERSIDADE IBIRAPUERA - UNIb São Paulo (SP), 2006. Convalidado pela Resolução CONSUN nº 21 de 14/12/11 Portaria MEC nº 925/2007 de 08 de novembro de 2007 Publicada no DOU 216, de 09 de novembro

Leia mais

REGIMENTO GERAL REGIMENTO GERAL PÁGINA 1

REGIMENTO GERAL REGIMENTO GERAL PÁGINA 1 REGIMENTO GERAL REGIMENTO GERAL PÁGINA 1 Faculdade PIAGET REGIMENTO GERAL Título I Da Faculdade e Seus Fins Capítulo I Da Faculdade, Sede e Foro Artigo 1º. A Faculdade PIAGET, com limite territorial de

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 638, DE 22 DE JANEIRO DE 2008

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 638, DE 22 DE JANEIRO DE 2008 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 638, DE 22 DE JANEIRO DE 2008 Aprova o Regimento do Campus Universitário do Marajó-Soure. O REITOR DA UNIVERSIDADE

Leia mais

CAPÍTULO I - DO FUNCIONAMENTO DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS

CAPÍTULO I - DO FUNCIONAMENTO DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS ESTATUTO. Centro Universitário Cândido Rondon/UNIRONDON Abril de 2013 SUMÁRIO TÍTULO I - DA INSTITUIÇÃO, SEUS OBJETIVOS E AUTONOMIA CAPÍTULO I - DA INSTITUIÇÃO CAPÍTULO II - DOS OBJETIVOS CAPÍTULO III

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO REGIMENTO INTERNO CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO REGIMENTO INTERNO CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO REGIMENTO INTERNO CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Este Regimento Interno define a competência, a estrutura e o funcionamento

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO REGIMENTO DE FACULDADES E ESCOLAS

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO REGIMENTO DE FACULDADES E ESCOLAS 1 ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO REGIMENTO DE FACULDADES E ESCOLAS A intenção deste documento, sistematizado pela Câmara de Legislação e Normas do CONSUN, é oferecer diretrizes para a elaboração e a homologação

Leia mais

REGIMENTO DA FACULDADE SÃO LUIZ

REGIMENTO DA FACULDADE SÃO LUIZ REGIMENTO DA FACULDADE SÃO LUIZ 2011 Brusque - SC SUMÁRIO TITULO I DA FACULDADE SÃO LUIZ E SEUS OBJETIVOS... Art.1 o Art.3º TÍTULO II DA ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA CAPÍTULO I Dos Órgãos... Art.4 o CAPÍTULO

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS REGIMENTO INTERNO Aprovado na reunião do Conselho de Centro do dia 15.03.2007. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE

Leia mais

AGUARDANDO APROVAÇÃO DO COUNI

AGUARDANDO APROVAÇÃO DO COUNI Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional REGULAMENTO DO COLEGIADO DE CURSO DE GRADUAÇÃO E EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DA UTFPR RESOLUÇÃO

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO SETORIAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO SETORIAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO SETORIAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA Art. 1 - O Conselho Setorial de Pós-Graduação e Pesquisa constitui-se em órgão consultivo, deliberativo

Leia mais

Art. 1º. Aprovar as alterações do Estatuto da Universidade Federal de Juiz de Fora, com sede na cidade de Juiz de Fora, Estado de Minas Gerais.

Art. 1º. Aprovar as alterações do Estatuto da Universidade Federal de Juiz de Fora, com sede na cidade de Juiz de Fora, Estado de Minas Gerais. Portaria 1.105, de 28 de setembro de 1998 O Ministro de Estado da Educação e do Desporto, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto 1.845, de 28 de março de 1996, e tendo em vista o Parecer

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DA PÓS-GRADUAÇÃO (cursos stricto sensu)

REGULAMENTO GERAL DA PÓS-GRADUAÇÃO (cursos stricto sensu) REGULAMENTO GERAL DA PÓS-GRADUAÇÃO (cursos stricto sensu) Título I INTRODUÇÃO GERAL Art. 1 O presente Regulamento se constitui, em conjunção com o Estatuto e o Regimento Geral da Universidade Federal do

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO REGIONAL E MEIO AMBIENTE - UNIARA

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO REGIONAL E MEIO AMBIENTE - UNIARA REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO REGIONAL E MEIO AMBIENTE - UNIARA ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: DINÂMICAS TERRITORIAIS E ALTERNATIVAS DE SUSTENTABILIDADE. CAPÍTULO I DA ORGANIZAÇÃO

Leia mais

ESTATUTO CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO DO CEARÁ ESTÁCIO FIC

ESTATUTO CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO DO CEARÁ ESTÁCIO FIC ESTATUTO CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO DO CEARÁ ESTÁCIO FIC Sumário TÍTULO I - DA CONSTITUIÇÃO, DOS PRINCÍPIOS, DOS OBJETIVOS E DAS FINALIDADES 4 CAPÍTULO I - DA CONSTITUIÇÃO 4 CAPÍTULO II - DOS PRINCÍPIOS

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ REGIMENTO DO INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS TÍTULO I DO INSTITUTO, SEUS PRINCÍPIOS E FINALIDADES.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ REGIMENTO DO INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS TÍTULO I DO INSTITUTO, SEUS PRINCÍPIOS E FINALIDADES. 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ REGIMENTO DO INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS TÍTULO I DO INSTITUTO, SEUS PRINCÍPIOS E FINALIDADES. Art. 1 º O INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS da Universidade Federal

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA FEPISA

REGIMENTO INTERNO DA FEPISA REGIMENTO INTERNO DA FEPISA Artigo 1º. - A FUNDAÇÃO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DE ILHA SOLTEIRA - FEPISA, além das disposições constantes de seu Estatuto, fica sujeita às determinações deste Regimento

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO UNIVERSIDADE ABERTA DO TRABALHADOR

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO UNIVERSIDADE ABERTA DO TRABALHADOR FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO UNIVERSIDADE ABERTA DO TRABALHADOR SÃO CARLOS 2011 SUMÁRIO TÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Art. 1º a 3... 3 Capítulo I Da Natureza (art. 1º)... 3 Capítulo II

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CONSUNI 4ª REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DE 2015

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CONSUNI 4ª REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DE 2015 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CONSUNI 4ª REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DE 2015 Data: 29 de janeiro de 2015 (quinta-feira). Horário: 08h 30min às 11h 30min Local: Sala de Reuniões

Leia mais

Faculdades Integradas do Extremo Sul da Bahia

Faculdades Integradas do Extremo Sul da Bahia Faculdades Integradas do Extremo Sul da Bahia Portaria MEC n º 1.727, de 13 de junho de 2002 TÍTULO I Da Mantida e da Entidade Mantenedora Art. 1º. As Faculdades Integradas do Extremo Sul da Bahia com

Leia mais

ESTATUTO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ

ESTATUTO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ Publicado no D.O.U. de 12/07/2006 ESTATUTO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ TÍTULO I DOS PRINCÍPIOS E DAS FINALIDADES Art. 1 º A Universidade Federal do Pará UFPA é uma instituição pública de educação superior,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA CÂMARA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA DA ESCOLA PAULISTA DE MEDICINA

REGIMENTO INTERNO DA CÂMARA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA DA ESCOLA PAULISTA DE MEDICINA REGIMENTO INTERNO DA CÂMARA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA DA ESCOLA PAULISTA DE MEDICINA Aprovado pela Câmara de PGPq - EPM em 5 de Junho de 2013 São Paulo i 2013 Diretor Vice-diretor Antonio Carlos Lopes

Leia mais

RESOLUÇÃO N 012, de 02 de dezembro de 2008

RESOLUÇÃO N 012, de 02 de dezembro de 2008 CONSUC Parecer 12/2008 Aprovado em 02/12/2008 RESOLUÇÃO N 012, de 02 de dezembro de 2008 Cria o Núcleo de Educação a Distância (NEAD) e aprova seu Regimento Interno O DIRETOR GERAL DA FACULDADE DAS AMÉRICAS,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 15/09 CONSUNI

RESOLUÇÃO Nº 15/09 CONSUNI 0 RESOLUÇÃO Nº 15/09 CONSUNI APROVA A ALTERAÇÃO DO ESTATUTO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE JARAGUÁ DO SUL UNERJ. A Presidente do Conselho Universitário CONSUNI do Centro Universitário de Jaraguá do Sul UNERJ,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS REGIMENTO INTERNO

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS REGIMENTO INTERNO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS REGIMENTO INTERNO Junho/2015 2 SUMÁRIO TÍTULO I... 4 DA FACULDADE E SEUS FINS... 4 TÍTULO II... 4 DA ESTRUTURA, COMPOSIÇÃO E COMPETÊNCIAS...

Leia mais

FUNDAÇÃO MUNICIPAL CENTRO UNIVERSITÁRIO DA CIDADE DE UNIÃO DA VITÓRIA - UNIUV CENTRO UNIVERSITÁRIO DE UNIÃO DA VITÓRIA REGIMENTO

FUNDAÇÃO MUNICIPAL CENTRO UNIVERSITÁRIO DA CIDADE DE UNIÃO DA VITÓRIA - UNIUV CENTRO UNIVERSITÁRIO DE UNIÃO DA VITÓRIA REGIMENTO FUNDAÇÃO MUNICIPAL CENTRO UNIVERSITÁRIO DA CIDADE DE UNIÃO DA VITÓRIA - UNIUV CENTRO UNIVERSITÁRIO DE UNIÃO DA VITÓRIA REGIMENTO UNIÃO DA VITÓRIA PARANÁ 2007 2 SUMÁRIO Título I Do Centro Universitário

Leia mais

REGIMENTO GERAL DO CENTRO UNIVERSITÁRIO

REGIMENTO GERAL DO CENTRO UNIVERSITÁRIO INSTITUTO FILADÉLFIA DE LONDRINA Mantenedora CENTRO UNIVERSITÁRIO FILADÉLFIA UniFil Mantida REGIMENTO GERAL DO CENTRO UNIVERSITÁRIO Londrina/Paraná 2011 SUMÁRIO TÍTULO I - DO CENTRO UNIVERSITÁRIO E SEUS

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENGENHARIA ELÉTRICA Ifes Campus Vitória TÍTULO I DOS OBJETIVOS E DA ORGANIZAÇÃO GERAL

REGIMENTO INTERNO DA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENGENHARIA ELÉTRICA Ifes Campus Vitória TÍTULO I DOS OBJETIVOS E DA ORGANIZAÇÃO GERAL REGIMENTO INTERNO DA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENGENHARIA ELÉTRICA Ifes Campus Vitória TÍTULO I DOS OBJETIVOS E DA ORGANIZAÇÃO GERAL Art. 1º - O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do

Leia mais

ESTATUTO ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO (ANPARQ)

ESTATUTO ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO (ANPARQ) ESTATUTO ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO (ANPARQ) CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, REGIME JURÍDICO, DURAÇÃO, SEDE E FORO Art. 1 - A Associação Nacional de Pesquisa

Leia mais

PROPOSTA PRELIMINAR PARA O ESTATUTO DA UEFS. A Comissão Geral Estatuinte

PROPOSTA PRELIMINAR PARA O ESTATUTO DA UEFS. A Comissão Geral Estatuinte PROPOSTA PRELIMINAR PARA O ESTATUTO DA UEFS A Comissão Geral Estatuinte COMISSÃO GERAL ESTATUINTE NOMEADA PELA PORTARIA UEFS Nº 099/2009 2 Sumário TÍTULO I... 7 Capítulo I Da Universidade... 7 Capítulo

Leia mais

Regulamento Específico do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva (PPGSC) Mestrado Acadêmico

Regulamento Específico do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva (PPGSC) Mestrado Acadêmico UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO E SAÚDE DA COMUNIDADE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE COLETIVA Regulamento Específico do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva

Leia mais

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAPÍTULO I DA RESIDÊNCIA MÉDICA E SEUS OBJETIVOS Art. 1º - O Curso de Residência Médica da Faculdade de Medicina de Marília constitui modalidade de ensino de pós-graduação, lato sensu, caracterizado por

Leia mais

REGIMENTO DO PROGRAMA DE MESTRADO PROFISSIONAL EM ENSINO EM SAÚDE - EDUCAÇÃO MÉDICA

REGIMENTO DO PROGRAMA DE MESTRADO PROFISSIONAL EM ENSINO EM SAÚDE - EDUCAÇÃO MÉDICA CENTRO UNIVERSITÁRIO DO ESTADO DO PARÁ REGIMENTO DO PROGRAMA DE MESTRADO PROFISSIONAL EM ENSINO EM SAÚDE - EDUCAÇÃO MÉDICA Belém-PA, Maio/2015 REGIMENTO DO PROGRAMA DE MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO

Leia mais

FACULDADE FIA DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS Mantida pela Fundação Instituto de Administração REGIMENTO INTERNO

FACULDADE FIA DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS Mantida pela Fundação Instituto de Administração REGIMENTO INTERNO FACULDADE FIA DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS Mantida pela Fundação Instituto de Administração REGIMENTO INTERNO São Paulo 2011 1 SUMÁRIO TÍTULO I - DA FACULDADE FIA DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS... 4 TÍTULO

Leia mais