Mioma sem cirurgia Um aparelho moderno que já chegou ao Brasil pode ser uma alternativa ao tratamento de mioma sem a necessidade de cirurgia Página 6

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Mioma sem cirurgia Um aparelho moderno que já chegou ao Brasil pode ser uma alternativa ao tratamento de mioma sem a necessidade de cirurgia Página 6"

Transcrição

1 ANO 19 Nº 141 Abril / 2007 C o m p r o m i s s o a t r a v é s d o t e m p o Designado o novo integrante do CD Por decisão do DGB do patrocinador ITAIPU, Jorge Samek, o participante Sérgio Possolo Gomes é o novo integrante do Conselho Deliberativo da FIBRA. Página 2 Aposentadorias por invalidez serão revistas O INSS deverá convocar cerca de 60 mil aposentados por invalidez para submeter-se a uma nova perícia médica Página 3 Os donos do mundo A imposição de regras, limites e disciplina deve fazer parte da educação dos filhos? A jornalista Carol Belboni faz um retrato 3x4 do comportamento das crianças e dos pais nestes tempos modernos Página 4 O futuro da Previdência O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) acaba de concluir um estudo analisando a Previdência Social no Brasil. O texto publicado nesta edição é uma síntese do capitulo final, Desafios e Perspectivas. A integra do documento está em nossa página na Internet/Intranet Página 5 Mioma sem cirurgia Um aparelho moderno que já chegou ao Brasil pode ser uma alternativa ao tratamento de mioma sem a necessidade de cirurgia Página 6 Onde Anda Você? O mineiro João Margarino Diniz faz questão de ser um barrageiro assumido. Sua caminhada teve início na década de 70, quando recebeu o convite de um colega para construir a maior hidrelétrica do mundo. Sua resposta foi quando?. Hoje se orgulha de ter ajudado a construir ITAIPU Página 7 Relação dos aniversariantes via internet A relação de aniversário dos participantes assistidos deixará de ser publicada no FibraNotícias. Além da página na Internet, será enviado um calendário com o nome de todos os aniversariantes Página 8 ÓRGÃO DE DIVULGAÇÃO INTERNA DA FUNDAÇÃO ITAIPU-BR DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA SOCIAL- FIBRA Milton Cavalcanti A Tecnologia a serviço do cliente Desde maio último, a FIBRA vem utilizando um sistema de informação destinado a aperfeiçoar a qualidade do atendimento que presta aos seus participantes. Trata-se de um software desenvolvido a partir do conceito de CRM sigla em inglês de Customer Relationship Management e denominado como Sistema de Gerenciamento das Relações com os Participantes. Silvio Rangel, diretor superintendente da FIBRA, trouxe a idéia da implantação deste sistema de sua experiência profissional anterior. Em 1994, quando ainda ocupava a função de superintendente de informática de ITAIPU, Rangel teve o primeiro contato com o CRM pro ocasião de visitas técnicas a empresas nos Estados Unidos. Percebi o enorme ganho de eficiência no atendimento que este tipo de sistema proporciona. Entretanto, na FIBRA, precisávamos antes concluir a integração dos sistemas e das bases de dados. Nos últimos anos conseguimos alocar tempo e recursos para implantar este projeto, afirmou. Um dos aspectos interessantes do CRM é a subversão da forma pela qual os sistemas e as informações são acessados e disponibilizados, não mais sob a ótica da estrutura organizacional interna da empresa, mas sob a ótica do cliente. O sistema, além de personalizar o atendimento, possibilita uma integração das áreas de atendimento da Fundação, explica Rodrigo de Mello Surdi, lotado no Departamento de Assistência ao Beneficiário. O que acontece na prática é que, ao atender o cliente, o responsável terá mais informações para prestar um serviço adequado. Imaginemos que o participante telefona para obter uma informação na área de Cadastro. O colega deste setor, ao acessar o CRM, poderá verificar, por exemplo, que existe uma pendência deste mesmo participante junto ao escritório de Rodrigo de Mello Surdi Foz e regularizá-la imediatamente. Dessa forma, o controle das informações torna-se mais confiável, além de propiciar maior agilidade no atendimento, conclui Surdi. Quando a FIBRA avaliou as estratégias de implantação, considerou a possibilidade de aquisição de um sistema padrão de mercado. Entretanto, além de não atender às particularidades desejadas, havia, naquele momento, uma grande motivação da equipe técnica em assumir o desafio de desenvolver o sistema. André Lino da Silva, analista de sistema da FIBRA, foi o coordenador do grupo responsável pelo projeto e seu principal executor. Segundo Lino, contei com o apoio e sugestões das áreas da FIBRA que atendem aos participantes. Procurei desenvolver o CRM para tornar mais fácil fazer o rastreamento das informações e responder ao participante com segurança e num menor espaço de tempo. Há anos André Lino da Silva temos repetido uma frase que se tornou uma espécie de mantra: trata-se da busca pelo aprimoramento e a melhoria contínua na qualidade dos serviços prestados pela FIBRA. A partir de agora, com a nova metodologia, o processo deverá acelerar cada vez mais. A implantação do sistema exigiu a aquisição de headphones para que os atendentes possam, ao mesmo tempo, digitar no computador e conversar com os participantes ao telefone sem lhes causar prejuízos à saúde. Alguns ajustes ainda estão sendo feitos e outras melhorias constam na pauta para integrar na mesma base de dados outros subprodutos do atendimento ao participante, tais como s, telefonemas e documentação digitalizada. Para Rangel, o resultado já disponível demonstra que a equipe técnica está de parabéns por ter desenvolvido um ótimo trabalho, tanto pelo aspecto de tecnologia como pela qualidade de processo e preocupação com a necessidade do cliente. Não podemos esquecer que o aparato tecnológico existente somente tem sentido se conseguirmos enxergar os seres humanos que estarão atrás das máquinas, tanto aqueles que operarão os sistemas quanto aqueles que dependerão destes sistemas para serem bem atendidos, concluiu.

2 Abril Um novo panorama nos investimentos Nos últimos anos, a FIBRA adotou uma estratégia conservadora em sua política de investimentos, priorizando seus ativos em aplicações voltadas aos títulos de renda fixa. Aliás, essa prática sempre permeou todo o sistema de previdência complementar, notadamente as fundações de menor porte. Além da rentabilidade deste tipo de aplicação historicamente manter-se acima da meta atuarial estipulada pelos fundos de pensão, havia ainda o fator segurança junto ao mercado. No entanto, com a política monetária adotada pelo Banco Central, que consolida sucessivas quedas da taxa Selic, ocorre uma inevitável desvantagem para os rendimentos das aplicações de renda fixa em relação a outros investimentos, como, por exemplo, a renda variável. Diante dessas circunstâncias, começa a delinear-se no horizonte a necessidade de uma reavaliação na política de investimentos dos fundos de pensão, inclusive da FIBRA. A posição conservadora de outrora deverá ser ponderada em relação à necessidade de se obter o retorno necessário para cumprir as metas atuariais de longo prazo. Para a Fundação, esse novo cenário não foi uma surpresa. A rigor, ele vinha sendo desenhado há algum tempo. Os sinais emitidos pelas autoridades monetárias brasileiras indicavam que esse caminho, cedo ou tarde, seria a opção predominante. ntretanto, a velocidade com que este cenário se apresentou vem surpreendendo todo o mercado. Como exemplo, cita-se o fato de que os papéis do tesouro nacional com vencimento de 2045, que, no ano passado eram vendidos com taxas de IPCA + 8,2%, agora são negociados com taxas de IPCA + 5,9%, inferior à necessidade atuarial de 6% acima da inflação. A Diretoria Executiva da FIBRA, em consonância com seus órgãos Colegiados, especialmente o Conselho Deliberativo e o Comitê de Investimentos, além do Núcleo de Aplicações e Investimentos, há tempos vem discutindo em profundidade os caminhos a seguir diante dessa tendência que parece inevitável. Assim, algumas medidas estão sendo implementadas. Entre elas, destaca-se o aperfeiçoamento contínuo dos colaboradores da área de investimentos, o aprofundamento nas análises de investimentos alternativos, a implantação de uma nova estrutura de gestão, a realização de um novo processo de seleção para contratação de Custódia Qualificada, a flexibilização da Política de Investimentos. A Resolução nº 3456 de 1º de junho último, do Conselho Monetário Nacional (CMN), que deu maior amplitude e liberdade às entidades de previdência complementar para decidir sobre seus investimentos e aplicações, encontra a FIBRA perfeitamente preparada para os desafios que esses novos tempos prenunciam. Diretoria Executiva Conheça o significado da logomarca da fibra A FIBRA completou no último mês de abril 19 anos. A nosso pedido, Priscila Gonzalez Tensen, à época diretora da empresa de comunicação Promart e responsável pela criação da logomarca, escreveu um texto contando e justificando as razões da escolha. Leia a seguir. A marca FIBRA foi concebida para materializar o conceito de interação, proteção, tranqüilidade e longevidade. Ortograficamente, a letra F representa a inicial da palavra fundação e da sigla FIBRA. Conceitualmente, porém, ela é também a inicial das palavras: força, família e felicidade, bases epistemológicas na concepção da FIBRA. Num primeiro momento, parece que a letra F apresenta-se maior que a letra I. Isso passa a sensação de proteção e amparo para os participantes, como também de força, por parte da empresa, pois se trata de uma instituição sólida. A letra I simboliza o indivíduo: foco central e razão de ser da FIBRA. No entanto, apesar de parecer tão menor, ele está, na verdade, no mesmo plano de tamanho da letra F. O pingo da letra I simboliza a cabeça e a haste representa o corpo. Pode-se notar, a partir daí, que o indivíduo é abraçado pela haste horizontal inferior do F, demonstrando o lado humano da FIBRA. O fato da haste da letra F dividir o indivíduo pode ser interpretado como os dois momentos de sua vida profissional: há um início determinado (parte superior do quadro de fundo); depois há uma ruptura (quando do desligamento da ITAIPU e início de sua condição de aposentado), mas não há um fim previsto (parte inferior sem linha definida) e seja lá quando ou onde for, durante todo o caminho, a FIBRA estará no mesmo patamar, seguindo e interagindo com ele. Já em relação às cores, ambas azul e branco estão presentes nas bandeiras dos dois países responsáveis pela construção da hidrelétrica de ITAIPU: Brasil e Paraguai. São também cores que simbolizam a paz (branco) e a tranqüilidade (azul). Isso é o que a FIBRA tenta representar para seus participantes e tem feito ao longo desta caminhada de quase 20 anos de existência. Conselho Deliberativo tem novo integrante O participante Sérgio Possolo Gomes é o mais novo componente do Conselho Deliberativo da FIBRA. Nomeado pelo Diretor-Geral Brasileiro da ITAIPU, Jorge Samek, substitui a Marcos Venicio Benther Lima, que se desligou recentemente da empresa. Graduado em Administração de Empresas pela Unioeste e técnico em Eletrotécnica pelo Cefet- RJ, Possolo ingressou nos quadros da ITAIPU em Atualmente exerce a função de Técnico Especializado no Departamento de Manutenção, em Foz do Iguaçu. Sinto-me honrado em integrar o Conselho Deliberativo da FIBRA e agradeço aos diretores da ITAIPU pela indicação. Tenho consciência da responsabilidade do cargo, mas com o apoio dos colegas da ITAIPU, dos Conselheiros e da Diretoria da FIBRA irei cumprir essa tarefa da melhor forma, afirmou Possolo. Rua Comendador Araújo, 551-9º andar CEP Curitiba-Paraná-Brasil Telefone (41) Fax (41) Escritório em Foz do Iguaçu: Centro Executivo da Itaipu Telefone: (45) DIRETORIA EXECUTIVA Silvio Renato Rangel Silveira Diretor Superintendente Denyse Gubert Rocha Diretora Administrativa e Financeira Florício Medeiros Costa Diretor de Seguridade CONSELHO DELIBERATIVO Titulares Antonio José Correia Ribas Presidente, José Ricardo da Silveira Presidente Substituto, Ariel da Silveira, Luis Antonio Schwanz, Reinaldo Rodrigues e Sérgio Possolo Gomes. Suplentes Antonio Carlos Nantes, Cristina de A. Maranhão Gomyde, Cícero Antonio Miller dos Santos, Giovani dos Anjos Teixeira, Bruno Túlio e Edmilson Mota Léo. CONSELHO FISCAL Titulares Eliezer Fryszmann Presidente, Arthur de Souza Pinto Filho Presidente Substituto, Luiz Fernando Teigão e Maria Leonor de Souza. Suplentes Ana Maria Garcia Rossi, Henrique Albernaz Cocchiararo, Ingo Juarez Schneider, Luciano do Amaral Martins, Luiz Aparecido de Godoi Salgado e Saul Hirsch. COMITÊ DE INVESTIMENTOS Titulares Antonio Dílson Pereira Presidente, Luis César Savi Presidente Substituto, Luiz Covello Rossi, Carim Pydd, Humberto Ventura Godinho e Zilda do Rocio de Freitas Barbosa. Suplentes Márcia Abreu de Aguiar Buerger, Giovanni Leiria da Silva, Marcos D ippólito, Luis Alberto Pereira Oliveira, José Maria Varassin e Aroldo Guimarães Adur. EDITOR RESPONSÁVEL Jornalista René Ruschel Reg. Prof. Mtb PR - gov.br CONSULTOR/REDATOR Jornalista Milton Cavalcanti Reg. Prof. 123/02/62 - PR PROJETO GRÁFICO E DIAGRAMAÇÃO Nexo Design (41) Responsável: Naotake Fukushima REVISOR Juan Saavedra FOTOLITO E IMPRESSÃO Fotolaser Gráfica e Editora Ltda TIRAGEM: exemplares As matérias publicadas no FIBRANotícias são de caráter meramente informativo, não gerando qualquer espécie de direito ou obrigação por parte da FIBRA.

3 INSS revê aposentadoria por invalidez A legislação previdenciária dispõe que a aposentadoria por invalidez será devida ao segurado que, estando ou não em gozo de auxílio-doença, for considerado incapaz para o trabalho e insuscetível de reabilitação para o exercício de qualquer atividade que lhe garanta a subsistência. Para ter direito ao benefício é preciso ter contribuído com a Previdência por, no mínimo, doze meses, exceto nos casos de acidente de qualquer natureza e ter sido verificada, pela perícia média da Previdência, a incapacidade para o trabalho. Nestes casos o segurado, às suas expensas, pode fazer-se acompanhar de um médico particular. A doença ou lesão de que o segurado já era portador ao filiar-se ao Regime Geral de Previdência Social não lhe conferirá direito à aposentadoria por invalidez, salvo quando a incapacidade sobrevier por motivo de progressão ou agravamento. O benefício consistirá numa renda mensal correspondente a 100% do salário-de-benefício, podendo ser acrescido de 25% caso o segurado necessite da assistência permanente de outra pessoa, ainda que o valor da aposentadoria, por si só, atinja o limite máximo legal. Vale ressaltar que a aposentadoria por invalidez somente será devida enquanto perdurar a incapacidade para o trabalho. Aquele que retornar voluntariamente ao exercício de qualquer atividade terá sua aposentadoria cancelada a partir da data do retorno, mas poderá requerer, a qualquer tempo, um novo benefício. Assim, a partir do cruzamento de informações entre o Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS) e a folha de pagamento do ministério da Previdência Social, por meio do número de inscrição do PIS/PASEP dos beneficiários, o INSS constatou que cerca de 60 mil aposentados por invalidez retornaram ao trabalho voluntariamente, mas continuam recebendo os benefícios da Previdência. Todos os aposentados incluídos nesse rol e que receberem a intimação do INSS serão obrigados a submeterse à nova perícia sob pena da sustação do pagamento de benefício. Após essa fase, a Previdência irá convocar os cerca de 2,2 milhões de pessoas que recebem o benefício por invalidez há mais de dois anos para uma nova perícia médica, a fim de verificar se persistem as condições que deram origem ao benefício. Ou seja, aqueles que estiverem aptos a retornar ao trabalho terão a aposentadoria cancelada. Essa revisão geral deverá se estender até o final de 2008 e a partir de então essa prática será uma rotina. Os interessados poderão obter maiores informações pelo site da Previdência Social Nova opção para Previdência Trabalhadores autônomos e donas de casa já têm uma forma mais barata de garantir acesso à aposentadoria paga pela Previdência Social. Um plano simplificado passou a vigorar a partir do mês de abril. A contribuição é mensal, sempre no dia 15 de cada mês. O pagamento deve ser feito com base em um salário mínimo (R$ 380,00), pela alíquota de 11%. Antes, a alíquota era única, de 20%. A contribuição é de R$ 41,80 (antes era R$ 76,00). A Previdência espera atrair 3,5 milhões de novos contribuintes com o plano. COMO FUNCIONA A contribuição simplificada só poderá ser feita sobre um salário mínimo. A aposentadoria será de um salário mínimo e só poderá ser requerida aos 60 anos pela mulher e 65 anos pelo homem. O prazo mínimo de contribuição é de 15 anos para novos inscritos. O participante poderá mudar para o plano normal a qualquer momento, desde que pague a diferença de alíquota (de 9 pontos porcentuais, para completar 20%) retroativamente e atualizada. Participante que já contribui com 20% pode migrar para o plano simplificado. O pagamento poderá ser mensal ou trimestral. Para o recolhimento mensal, o código a ser colocado na guia por contribuintes individuais é 1163 (mensal) ou 1180 (trimestral); para os contribuintes facultativos, 1473 (mensal) ou 1490 (trimestral). Fonte: O Estado de S. Paulo Ilustração Gerson Cordeiro Segurados marcam hora, mas não comparecem Cerca de trinta por cento dos segurados que agendam horário para atendimento não comparecem às agências da Previdência Social. Este é o resultado de uma pesquisa realizada, em abril deste ano, pela Diretoria de Atendimento do INSS. O não comparecimento gera desperdício da capacidade instalada e dilata os prazos de atendimento da agenda. Ou seja, outros segurados que estão aguardando na fila, poderiam estar sendo atendidos nesses horários marcados e não utilizados. Previdência complementar paga sete vezes mais A Abrapp divulgou os valores pagos em benefícios, em março, pelo sistema de previdência complementar em todo o país. As aposentadorias totalizaram R$ 1,14 bilhão e as pensões, R$ 141,7 milhões. As aposentadorias por tempo de contribuição responderam sozinhas por R$ 774,4 milhões. Ou seja, cada aposentado recebeu, em média, R$ 3,46 mil, valor cerca de sete vezes superior ao pago pelo INSS. Fundos de pensão atingem R$ 365,4 bi Os fundos de pensão brasileiros registraram aumento de 3,7% nos seus investimentos entre dezembro de 2006 e março de 2007, quando atingiram R$ 365,364 bilhões. A rentabilidade nos doze meses encerrados em março foi de 20,8%, o que colocou os fundos de pensão entre os ativos de maior avanço no País. A meta para 2008 é alcançar patrimônio de R$ 460 bilhões e para 2010, a expectativa é elevar os ativos a R$ 600 bilhões. Censo do INSS gera economia de R$ 370 mi O censo dos aposentados do INSS entrou na reta final e já recadastrou 16,4 milhões de beneficiários. De acordo com os dados oficiais foram canceladas aposentadorias e pensões que vinham sendo pagas indevidamente, gerando uma economia anual de R$ 369 milhões. Com a recontagem dos aposentados, o governo esperava inicialmente reduzir os gastos entre R$ 900 milhões e R$ 1,3 bilhão por ano. Segundo a Previdência, ainda falta ser concluída a última fase do recadastramento, o que envolve cerca de 1,4 milhão de pessoas. Previdência Social: novo número Mudou o número do 0800 da Previdência Social. A partir de agora, em vez de discar , o usuário deve digitar Apesar do acréscimo do novo dígito (2), durante 90 dias, quem ainda ligar para o número antigo ouvirá uma gravação solicitando a discagem do novo número. O telefone funciona diariamente das 7 às 20 horas e oferece, exclusivamente, os serviços de Arrecadação e de Ouvidoria. Por meio da Ouvidoria, o cidadão pode registrar reclamações, denúncias, elogios ou fazer sugestões à Previdência Social. Atualize seu endereço eletrônico Aos participantes assistidos que possuem endereço eletrônico ( ), mas ainda não comunicaram à FIBRA, solicitamos que atualizem seus cadastros enviando para o endereço

4 Com o rei na barriga Com muito espaço livre para fazer birra, as crianças vão se jogando no chão, gritando e berrando como se fossem os donos do mundo. Limites neles Não se fazem mais crianças como antigamente. A frase pode ser clichê, mas é a mais pura verdade. Quem nunca presenciou a cena de uma criança pequena dando ataque? Berrando, esperneando no chão de uma loja, dando tapas na mãe e até xingando? A cena passou a ser, praticamente, comum num mundo onde pais e mães têm cada vez menos tempo para passar com as crianças, deixam a educação a cargo de babás e tentam compensar tudo sem impor limites e aderindo às vontades dos pequenos tiranos. Literalmente virou uma festa e as crianças, infelizmente, são as que menos se divertem. Outro dia, assistindo ao programa inglês Super Nanny, vi uma cena difícil de acreditar. A filha, uma criança de uns 8 anos, vinha correndo e dava chutes na barriga da mãe que se afastava com medo. A agressão era porque não queria fazer isso ou aquilo. Ao longo do episódio a coisa foi mudando e a certa altura a menina confessou: Ela não me dá limites! Tem medo de mim e daí que faço o que quero mesmo. Queria que meu pai já falecido estivesse aqui, pois ele era mais firme com a gente. Esse é um retrato comum hoje em dia e quem acha que o universo infantil é feito de gracinhas e sorrisos pode se espantar com a realidade. Qualquer adulto que já tenha ido a pelo menos uma festinha infantil sabe bem do que estou falando. Em maior ou menor grau, crianças são rebeldes porque essa característica é inerente a personalidade infantil e a idade é o fator decisivo. Até um ano é impossível querer usar a disciplina para fazer com que um bebê se comporte com educação. Como impedi-lo de puxar os cabelos do irmão mais velho? Só por volta dos 3 anos a criança começa a desenvolver a consciência do que é certo ou errado. O que os pequenos fazem é ir invadindo o limite dos outros e, sem encontrar resistência, seguir o movimento de ocupação de espaço até que se tornem inconvenientes. Os pais têm grande responsabilidade nesse processo e uma forma de brecar um comportamento impróprio dos filhos dentro e fora de casa é impor disciplina. A maior parte dos pais, no entanto, quando toca no tema disciplina fica meio perdida e acaba procurando ajuda de especialistas para orientação. Enquanto são pequenas, as crianças aprendem tudo o que sabem com os pais. Portanto, se elas não têm limite, saiba que a responsabilidade não é delas. É sua, explica a terapeuta familiar Maria Fernanda Camargo. Muitas vezes os vemos recorrendo a manuais, livros de auto-ajuda ou requisitando profissionais especializados orientações sobre o que fazer, como agir, quando as respostas estão diante de seus próprios olhos, no seu próprio jeito de ser. Geralmente a intenção por trás dessa demanda é aprender a evitar todo e qualquer sofrimento das crianças: é o fantasma do trauma rondando o relacionamento dos filhos. É como se ser pai ou mãe significasse dar aos filhos apenas situações prazerosas, favoráveis, livres de traumas, momentos cuidadosamente estudados de harmonia e felicidade familiar Ilustração Mari Ines Piekas que só acontecem nos comerciais de TV. Os pais modernos querem a todo custo evitar qualquer sofrimento das crianças. Os pequenos nunca podem chorar; seu choro por qualquer motivo desespera os pais. Não podem cair, machucar-se, desentender-se com os colegas, ser ofendidos, enfim, devem viver à margem da própria convivência, isolados num mundo de total proteção paterna, já que conviver significa um jogo de forças, no qual duas ou mais pessoas interagem mais ou menos harmonicamente segundo um delicado processo de construção, tolerância e acordos mútuos. O resultado? Sem regras de horários, sem limites diante da televisão, a criança reproduz esse ambiente no convívio social. À medida que crescem vão surgindo outros focos de influência, como os professores e os amigos. Os pais deixam de ser o único modelo a ser seguido, mas continuam sendo a maior influência sobre os filhos. Por toda a vida dos filhos o exemplo dos pais é sempre um referencial de comportamento, afirma a educadora Stael Birolli. Na infância eles têm o papel de ajudar a criança a fazer uma adaptação crítica às regras sociais. Quando os pais não conseguem colocar limites acabam passando por cima de si mesmos, admitindo tudo o que vem dos filhos. Isso vai construindo um desgaste insuperável que acaba tornando o relacionamento pais/filhos um exercício de sacrifícios. É geralmente assim que a família chega ao consultório de um terapeuta. Desgastada. E espera que o profissional, num passe de mágica, resolva a situação. Para a terapeuta Maria Fernanda Camargo, algumas dicas podem auxiliar: a falta educa mais que o excesso. As crianças precisam de falta, de sofrimento, até de uma certa angústia para se tornarem seres humanos fortes e equilibrados. Sofrer não é tão terrível quanto pode parecer se aprendemos a superar com a ajuda de adultos responsáveis que também já sofreram e podem, portanto, oferecer suporte. é importante que as crianças tenham espaço para expressar seus sentimentos. Que chorem, gritem, pois aos poucos vão aprendendo a controlar seus impulsos, mas mesmo depois de adultos não precisamos engolir sempre nossa vontade de chorar, nossa raiva. os pais podem e devem! não admitir certos comportamentos dos filhos desde pequenos. Podem e devem! punir, repreender, impor condições, mesmo que isso signifique um certo nível de sofrimento para os filhos. Educar dá trabalho e nem sempre é um mar de rosas. O importante é repreender com justiça, com firmeza. Se nos dispomos à tarefa de educar, precisamos arregaçar as mangas e aceitar que nem sempre tudo é tão maravilhoso. (Texto da jornalista Carol Delboni e publicado na revista Le Lis Blanc n 13 edição de março/2007)

5 Carteira de investimentos da FIBRA Maio 2007 ALOCAÇÃO POR SEGMENTO SEGMENTO RENDA FIXA 70% DESEMPENHO RENDA VARIÁVEL 20,1% RENTABILIDADE ACUMULADA DEZ/2006 MAIO/2007 R$ MILHÕES % PL R$ MILHÕES OP. PART. 2,6% IMÓVEIS 1,4% DÉB PATR. 5,9% Mês 6 Meses 12 Meses FIBRA 2,15 10,40 19,05 INPC+6% 0,75 5,55 9,79 INPC 0,26 2,52 3,57 IPCA 0,28 2,28 3,18 IGP-M 0,04 1,50 4,41 CDI 1,02 6,10 13,48 IBOVESPA 6,67 25,62 42,60 IBRX-50 6,00 23,32 37,78 DÓLAR -5,16-10,98-16,15 EVOLUÇÃO PATRIMONIAL (R$ milhões) % PL RENDA FIXA 941,3 70, ,9 70,0 RENDA VARIÁVEL 246,5 18,5 287,4 20,1 EMPRÉSTIMOS 37,7 2,8 38,4 2,6 IMÓVEIS 21,4 1,6 21,1 1,4 SUBTOTAL 1.246,9 93, ,8 94,1 DÉB. PATROCINADORA 83,3 6,3 83,8 5,9 TOTAL GERAL 1.330,2 100, ,6 100, DEZ/06 maio/06 jun/06 JAN/07 jul/06 ago/06 FEV/07 set/06 out/06 nov/06 MAR/07 dez/06 jan/07 ABR/07 fev/07 19,05% mar/07 9,79% abr/07 MAIO/ ,6 maio/07 Previdência: desafios e perspectivas O debate público em torno dos desafios e perspectivas da Previdência Social está centrado na necessidade de realizar uma reforma no âmbito do Regime Geral de Previdência Social (RGPS). Essa discussão de paradigmas raramente aparece no debate público sob a clivagem teórica. Normalmente o debate político assume outras roupagens, como a focalização na pobreza, os limites fiscais, as tendências demográficas etc. Dessas, a mais freqüente e aparentemente endossada pela grande mídia é o argumento da explosão fiscal o suposto déficit incontrolável oriundo da Previdência Social. Neste debate há três vertentes de reforma: uma conservadora, uma de gestão e uma de inclusão. A conservadora inclui a desindexação do salário mínimo, a criação do limite de idade para as aposentadorias por tempo de contribuição e a redução no teto de contribuições compulsórias no RGPS. A de gestão consiste em um vasto campo de medidas que não dependem de alteração das regras constitucionais, apenas no campo administrativo e de gestão, que podem trazer melhoras significativas em termos de atendimento e mesmo na arrecadação. Já a reforma por inclusão previdenciária tem menos destaque na mídia, mas constitui um amplo desafio para o sistema previdenciário. Elevação do limite de idade para aposentadoria A defesa da necessidade de elevação progressiva de um limite de idade para aposentadoria já extrapola o campo das reformas da natureza essencialmente fiscal para o campo da justificação demográfico-previdenciário. Com o crescimento da expectativa de sobrevida dos brasileiros, que passou de 17,7 anos em 1999 para 20,3 em 2003, a população com 60 anos ou mais, em 2005, representava, segundo o IBGE, cerca de 8,4% do total. Esse índice é baixo se comparado a outros países. Na Europa, esses números vão de 20 a 26% e, nos Estados Unidos, ao redor de 17%. Ainda segundo o IBGE, as projeções indicam uma tendência de que, em 2050, o Brasil terá alcançado o limite inferior de proporção européia atual. Assim, uma mudança do limite de idade que se justifique em termos demográficos deve considerar o perfil etário brasileiro e sua dinâmica de longo prazo, que não muda de forma explosiva, nem abrupta, mas perfeitamente coerente com uma regra de transição de longo prazo. Com base neste padrão, poder-se-á estabelecer em 2020 ou 2025, por exemplo, uma regra de 65 anos para homens e 60 para mulheres, como idade mínima de aposentadoria, fazendo-se do futuro ao presente uma conversão ao estilo pro-rata-tempore. É possível que essa tese seja a única reforma constitucional que o governo admita experimentar. Reforma na gestão previdenciária Essa linha de reforma compreende uma gama de providências que tratam da melhoria dos métodos administrativos para o atendimento ao público, do combate às fraudes, da gestão fiscal, da modernização administrativa, entre outras. Atualmente o Ministério da Previdência concentra esforços na realização do Censo dos Beneficiários que cancelou, até o mês de novembro de 2006, cerca de 559,8 mil benefícios irregulares dos 2,4 milhões de beneficiários convocados na primeira fase. Está em curso a segunda etapa do Censo, que convocou 14,7 milhões. Outras medidas importantes são a reformulação dos benefícios por incapacidade (auxílio-doença, auxílio-acidente e aposentadoria por invalidez), na legislação do sistema Simples (Sistema Integrado de Pagamento de Impostos e Contribuições das Microempresas) e da inclusão previdenciária de microempreendimentos com faturamento até 36 mil reais por ano que devem facilitar a filiação previdenciária. Reforma para inclusão previdenciária Em 1980, 55,6% da PEA contribuía com o sistema de previdência; em 2000, essa percentual era de 41,8%. Esta realidade cadente precisa ser revertida sob pena de condenar a população não-segurada a quase completa desproteção no futuro. Vale lembrar que a outra parte da PEA 44,4% recebe algum tipo de benefício assistencial do governo. Assim, a reforma que pretenda fazer a inclusão social não é um desafio apenas do sistema previdenciário, mas pode ser respondida pelo crescimento econômico. Uma outra medida importante são as mudanças de regras, alíquotas e simplificações contributivas que beneficiem o chamado emprego informal microempreendimentos, trabalho doméstico, assalariados sem carteira e desempregados involuntários. Um grande esforço vem sendo perseguido pelo governo, mas ainda não produziu os resultados esperados. Há uma variedade de relações de trabalho informais cujo tratamento em termos previdenciários, visando sua formalização, requer estudo mais aprofundado do mercado de trabalho. O que cabe ressaltar é a relevância das mudanças econômicas crescimento e de relações de trabalho na previdência, de sorte a elevar significativamente a cobertura do sistema em direção ao trabalho informal uma malha difusa, precária e muito distinta do assalariamento com carteira. (Este texto é o resumo do capítulo 6, Desafios e Perspectivas, de um estudo realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), sobre a previdência social no Brasil. Veja a íntegra do documento em

6 Aparelho trata mioma sem cirurgia Um novo aparelho chega ao Brasil como uma alternativa de tratamento ao mioma, o tumor que se desenvolve no músculo uterino e atinge 25% das mulheres em idade fértil. O equipamento desenvolvido em Israel dispensa a cirurgia para a eliminação do tumor que provoca sangramentos, dores, constipação, incontinência urinária e pode comprometer a fertilidade. Ele emite um feixe de ondas ultra-sônicas que destroem o mioma. De acordo com a radiologista carioca, Fernanda Chagas Monteira de Melo, as ondas usadas são semelhantes às dos exames de ultra-sonografia, porém reguladas com mais intensidade. Para fins de diagnóstico, usamos uma baixa energia. Com objetivo terapêutico, usamos alta energia. Nesse caso, as ondas geram calor e têm um efeito termoablativo. Isso significa que o feixe de ondas atravessa a pele e queima o mioma, tornando-o inativo, afirmou a médica. A aplicação dura de duas a três horas e a paciente tem alta no mesmo dia. Em três meses desaparecem os sintomas incômodos e em seis, o mioma inativado reduz seu tamanho. O procedimento é realizado com ajuda de ressonância magnética, que guia a emissão das ondas. O Food and Drug Administration (FDA), órgão regulador americano, aprovou o aparelho para tratamento de miomas, nos EUA, em O tratamento, incluindo a aplicação do ultra-som, a ressonância magnética e consultas com radiologistas e ginecologistas, custa em torno de R$ 12 mil e os planos de saúde ainda não pagam o tratamento. Comparado aos custos de uma cirurgia, o gasto com o tratamento não-invasivo é muito menor. Por isso, ela acredita que os planos de saúde logo irão cobrir o pagamento da terapia. O aparelho deve começar a ser usado neste mês de junho. Fonte: O Globo On-line Exercícios físicos rejuvenescem músculos As pessoas que praticam exercícios físicos normalmente sentem-se melhor e com mais disposição, têm suas células musculares rejuvenescidas, além de auxiliar o organismo na prevenção de doenças cardiovasculares ou diabetes. É o que mostra um estudo realizado pelos cientistas do Centro Médico da Universidade McMaster, de Hamilton, Canadá, e divulgado pela revista científica online Public Library of Science - PloS One, dos Estados Unidos. Mas a surpresa foi o resultado do desempenho de 25 mulheres em idade avançada, que se submeteram à prática de exercícios regulares durante seis meses. Os pesquisadores não imaginavam um rejuvenescimento tão notável. O estudo foi feito comparando células musculares de pessoas jovens com as idosas e tinha como objetivo analisar o perfil genético da função da mitocôndria na célula. Percebeu-se que a mitocôndria, como fonte de força, realmente diminui sua atividade na velhice, mas com a prática de exercícios há uma reversão no perfil muscular em nível similar ao das pessoas jovens. Estudantes do curso de Fisioterapia da Universidade de Santa Cruz do Sul, no Rio Grande do Sul, estão pesquisando uma nova terapia que tem tido resultados bons pra cachorro, com o perdão do trocadilho. É a chamada Cão Terapia, projeto tem como meta fazer com que os cachorros ajudem os idosos a retomar a vida social e a se movimentar. A iniciativa está ajudando a mudar a vida de pessoas que moram em dois asilos da cidade. Cuidados para evitar a menigite Nesta época do ano, é muito comum fechar todas as janelas e portas para evitar que o vento frio invada a casa. E esse é um dos principais motivos para que no inverno a meningite se torne mais corriqueira. Não tenha medo do frio! Mantenha o ambiente sempre arejado, e lave as mãos ao chegar em casa ou no trabalho, antes das refeições e depois de ir ao banheiro por mais que a água pareça congelar! O contágio da meningite se dá pelo contato direto das secreções respiratórias (como a saliva, escarro e secreção nasal), podendo assim ser transmitida por tosse, espirro e por objetos por elas contaminados. Assim, evite compartilhar objetos de uso pessoal como copos, talheres e escovas de dente. Quando for beber água em bebedouros não encoste a boca na torneira. A doença, uma inflamação das membranas que protegem e recobrem o cérebro, é bastante freqüente em crianças, mas qualquer um está sujeito a contrair. O tipo mais freqüente de meningite é a viral, a mais leve, adquirida depois de alguma gripe ou outra doença causada por vírus e geralmente não apresenta riscos graves. Também há meningites causadas por bactérias, principalmente o meningococo e o pneumococo. Ainda não existem vacinas para a meningite causada por vírus, somente contra a causada por bactéria. Se você ou alguém que conhece anda irritado, tendo febre acompanhada de dor de cabeça, falta de apetite, vômitos, dificuldade de movimentar o pescoço, preste bastante atenção procure imediatamente seu médico ou a unidade de saúde mais próxima. O melhor amigo em todas as idades Voluntários ofereceram seus animais de estimação para participar do projeto e a escolha dos cachorros foi feita por veterinários. O comportamento dos cães, que têm de ser dóceis, calmos e já adultos, foi levado em consideração em detrimento da raça. De acordo com os estudantes, os cães cativam os idosos aos poucos, diminuindo suas carências e voltando a se movimentar para brincar com os bichinhos. Muitos, que também sofrem de depressão, voltam a sorrir.

7 Nascido em Iturama (MG), João Margarido foi um típico barrageiro. Começou na construção da Usina Hidrelétrica de Porto Colômbia, entre Minas Gerais e São Paulo obra de Furnas, no início de Fez parte da equipe especializada na área de topografia chefiada pelo eficiente e experimentado português Mário Violante Costa. Na vida de barrageiro, diz Margarido, os projetos de vida tornam-se uma vida de projetos. Sempre se está pronto, ansioso até, para trocar o conforto do projeto construído pelo mato em que mais um projeto será realizado. Essa vida marca a gente. É uma vida de trabalho em equipe em que conhecemos e somos conhecidos, em que nos tornamos parte dos domadores da natureza bruta e provamos a satisfação do trabalho útil, do poder ser parte da história da realização de algo concreto e que serve a todos. Vamos construir a maior do mundo? Já no término da obra de Porto Colômbia, a convite dos diretores da Logos Engenharia, fui trabalhar como desenhista na obra de ampliação da Avenida Paulista, em São Paulo. Em meados de 1973, trabalhei na construção da Usina Hidrelétrica de Itumbiara (GO), como técnico especializado na área de topografia, projetos e medições. No segundo semestre de 1974, já no final da construção de Itumbiara, o chefe Mário Violante disse-me: Vamos construir a maior do mundo? Quando vamos?, perguntei. O início de uma grande aventura Assim, em 28 de fevereiro de 1975, Margarido foi parar em Foz do Iguaçu. No mesmo dia foi conhecer o local da construção de Itaipu. Ele relembra: Pleno mato. Uma picada na direção do eixo da barragem com apenas dois marcos implantados, o que não dava qualquer idéia da magnitude do projeto. Fichado no dia 1º de março daquele ano, trabalhei na implantação do canteiro de obras, das estradas, dos escritórios pioneiros, refeitório, almoxarifado, e alojamentos, até o início das obras quando passei, então, a ser responsável pelo setor de medição topográfica e depois medição física por preço unitário da área da construção civil. Nesse ritmo, com a boa equipe com a qual tive a felicidade de trabalhar, quantifiquei, para fins de pagamento aos empreiteiros, os volumes, áreas, toneladas, metros e milhões de unidades com as quais Itaipu foi feita. João Margarido Diniz: um barrageiro assumido Reunião de família, na formatura da filha Priscila, que diplomou-se em Direito pela Universidade Estadual de Londrina. Na foto, à esquerda o filho Felipe e à direita, Priscila, e a esposa Soraia. É um orgulho ter participado da construção da maior obra de engenharia do século XX João Margarido não esconde o orgulho de ter sido um dos que efetivamente participaram, até 30 de junho de 1998, quando se aposentou, da construção de Itaipu. Ele destaca: Vi todas as principais etapas do projeto, desde os atolamentos na velha estrada Foz-Guaíra até o primeiro desmatamento; as escavações do canal de desvio, das barragens e do vertedouro; as escavações submersas e das galerias e poços de prospecção; os aterros de argila e enrocamento; o desvio do rio Paraná com a explosão dos septos de rocha de montante e jusante; a construção da barragem de concreto; a montagem e desmontagem dos cabos aéreos; as pontes; a construção civil de todas as vinte unidades da usina; a formação do lago; a água correndo no trampolim do vertedouro e o estrago que ela produziu nas margens do rio; o início da geração de energia; o canal de desova e a urbanização do antigo canteiro. Fui, com muito orgulho, um dos barrageiros que lá estiveram para construir uma das maravilhas da engenharia do mundo moderno. Sua marca, no Bosque dos Funcionários Para construir Itaipu, as equipes de brasileiros foram montadas com gente tecnicamente conhecida e experimentada: uns chamavam os outros. Eram técnicos de Furnas, da Cesp, da Chesf e egressos de empreiteiras. Vários estrangeiros vieram também. Itaipu foi feita por esse tipo de pessoas, diz Margarido. Gente que, como dizem, não sabia que era impossível, foi lá e fez. Tenho lá no Bosque dos Funcionários um angico preto com meu nome, plantado bem ao lado do canal de desvio, olhando a grandeza que fizemos. Uma maravilha! Espero que ele continue lá como testemunho de que eu ali estive, até quando não mais aqui estiver. Em Foz do Iguaçu, João Margarido conheceu e casou com Soraia Regina Pereira Diniz. Vivo feliz, em mais de 30 anos de casamento, ele destaca. Tiveram dois filhos: Priscila Pereira Diniz, 24 anos, formada em Direito pela Universidade Estadual de Londrina e pósgraduada pela UFPR, e Felipe Pereira Diniz, 15 anos, cursando o segundo grau. Fiz muitos amigos em Foz, dos quais me lembro e sinto saudades. Sempre acompanho suas notícias na coluna Onde Anda Você. É muito agradável saber onde estão e o que fazem. Espero que o jornal continue a publicar suas histórias. Eles merecem ser lembrados. Margarido residiu em Foz do Iguaçu até o início de 2001, quando decidiu mudar-se para Curitiba (PR). Está feliz na cidade, onde acompanha a evolução dos filhos e desfruta das belezas e do conforto urbano que a capital curitibana oferece. Ocupa parte de seu tempo assessorando pessoas como corretor imobiliário, mantendo-se em atividade física e mental. Nosso personagem do Onde Anda Você desta edição conclui seu depoimento com a observação: O pior inimigo do aposentado é a aposentadoria. Se ele não se ocupa, adoece e morre. Precisamos de algo que nos permita conjugar os verbos no presente e não só no passado. João Margarido Diniz autorizou a divulgação de seu endereço: Rua Ubaldino do Amaral, 1414, apto Ed. Castel Vetrano Bairro Alto da Glória CEP Curitiba PR Fone: (41) /

8 Relação dos aniversariantes Nesta edição, estamos publicando a relação dos participantes assistidos que fazem aniversário nos meses de junho e julho. A partir do próximo número deixaremos de publicá-la. Para suprir esta lacuna, será enviado a todos os participantes um calendário contendo os nomes dos aniversariantes ativos e aposentados entre agosto e dezembro. No final do ano, será remetido outro referente a Nas páginas da Intranet e Internet existe um link onde é possível acessar a relação completa, mês a mês. Por questões de segurança e privacidade, apenas os participantes da FIBRA terão acesso à lista. Aqueles que não querem ter seus nomes publicados devem comunicar à Fundação por ou pelo telefone Aposentados receberão contracheques O INSS pretende enviar ao endereço residencial dos 24,6 milhões de aposentados e pensionistas três holerites por ano como comprovante do recebimento dos benefícios recebidos. A expectativa do governo é começar a remeter os documentos até dezembro. Atualmente, caso o beneficiário precise apresentar seus rendimentos para alguma transação, ele tem que solicitar um extrato no banco onde saca o benefício ou solicitar um demonstrativo numa agência do INSS. Recebendo o holerite por carta, o ministério da Previdência deseja não só facilitar a comprovação do salário, mas também propiciar um controle financeiro das despesas. Segundo o ministro da Previdência, Luiz Marinho, com essa medida o segurado vai poder conferir os valores em folha, como, por exemplo, parcela de empréstimo, desconto do Imposto de Renda e demais pagamentos. Junho 01 Marco Aurélio de Paula Valle e Neusa Robles Lopes 02 Fernando Quirino Leite e Ruth Marcelino Vieira da Silva 03 Adelfi de Oliveira 04 Bernardino Silveira 05 Roberto Carlos Monteiro 06 José Carlos Alves, Loide de Arruda Rentas e Terezinha Pereira de Miranda 07 Artemis Lamar Speciale e Maria Penha de Oliveira 08 Harry Morais Mafaldo, Ivone Alvarenga e José Antonio Santos 09 Emenezes Oliveira Neves e Gilberto Fabro 10 Luis Rafael Fiorani Mella e Marcio de Almeida Abreu 11 Maria Doracy dos S Teixeira e Mário Domingo Torrezan 13 Antonio Cezar dos Santos, Antonio Rodrigues Silva e Gladiston Geraldo Bastos 14 Alvimar de Oliveira da Silva e Silvio Argenton Delaterra 16 Antonio Carlos da Rocha Duarte e Valmir Cavalheiro 17 José Ribeiro Lima e Marcio da Rocha Fortes 18 José Farina Filho e Landes Paula de Macedo 19 Constanze Zaeyen, Flávio Decat de Moura e Heraldo Soares 20 João Becegato, João Deolinda da Silva, Marlene Mendes da Silva, Osiris Fernandes de Souza e Osmar Ribeiro 21 Maria Aparecida Garcia Pincerati 22 Gilberto Salim Calil e Moacyr Kleinman 23 Amilton Brindarolli 24 Amélia Spinelli, Arquidio Thielke, João Ernesto Hoffelder e Mamoru Tinone 25 Alésio da Silva Lima Junior, Altair Alves, Hélio Teixeira de Oliveira e João Alberto da Silva e Paulo Teixeira de Mendonça 26 Carmelina Faune do Nascimento e Hugo Bohmer Koschier 27 Carlos Roberto de Almeida 28 Adilson de Oliveira Martins, Fernando Lopes Neto e Tereza Maria Nicolodi 29 Luiz Campelo Faustino e Mato Oklopcic 30 Alizete Saboia Santos, Francisco Amadeus Slompo, Nilson Carlos Vieira, Rubens Nogueira e Vilma Freitas Alves Quer Falar com a Fibra? Julho 01 José Fernando Ferreira de Araújo, Jubrair Bissoqui, Nelson Carlos Justus e Ramona Alves Valadao 02 José Vasconcelos da Silveira e Orlando Silva 03 Alceu Luiz Zanellato, Luiz Alberto Sottomaior, Lurdes Isabel Kaupka e Murilo Sergio B. Santiago 04 Carlos Roberto Magalhães Coutinho, Janete Czaikowski Galli e Junot Rebello Guimarães 05 Arnaldo Selau, José Jefson Horokoski e Waldemir Piccinin 06 Diamiro Antonio de Oliveira, José Barbosa da Silva, Lys Maria Soares Teixeira e Roberto Silva Lima 07 Adelar Segismundo Della Torre, André Zacharow e Moacyr Lopes Teixeira 08 Carlos Pedro Schultes Amaro e Valério Gomes Barradas 10 José Carlos Moia Wille e Lenira Padilha Bortoli 11 Adolfo Szpilman, João Gilberto da R. Machado. José Landi de Souza Mello e Rogério Dorneles 13 Luiz Otávio de Novoa Cavalcante e Pedro Alcantra 15 Henrique Vicente de Lima 15/07/45 16 Carmen Amélia Caron, Guiomarino Ricardo da Silva, José Carvalhode Oliveira, Lair Guaiato, Luíza Valentini Rossini, Rogério Diniz Siqueira e Sílvio Monteiro 17 Antonio Hélio Paschoalino e Geraldo Ferreira da Conceição 18 Regina Soeli de Assunção 19 Germano Seidl Vidal 20 Giancarlo Marzovilla, Jandeci Agripino da Silva, Luiz Antonio Pereira Pinto e Nelson Leão 21 Antonio Salm e Valtemir Rocha dos Santos 22 Vilson de Almeida Garrett 23 Tieko Narimatsu 24 Ladirce Felipetti e Rovilson da Silva Prado 26 Alceu Pedroso, Lélio Alves Costa, Maria de Fátima Alvarenga, Nelson Rodrigues de Almeida, Nilce Fiúza de Sá Souza e Siley Soares da Cunha 27 Alfredo Alves de Lima, Manoel Antonio da Silva, Nadir Martins Bassoa e Oswaldo Mello 28 Adilson Justus 29 Josá Machiavelli 30 Elias Benedito Pereira e Manoel Edir Gaudêncio Fernandes 31 Mércia Regina Moreira Farias e Rolando de Conti Q u e r F a l a r c o m a FIBRA? DEVOLUÇÃO PARA FUNDAÇÃO ITAIPU - BR RUA COMENDADOR ARAÚJO, 551 9º ANDAR CEP CURITIBA - PARANÁ - BRASIL IMPRESSO

PLANO SUPLEMENTAR. Material Explicativo Plano Suplementar 1

PLANO SUPLEMENTAR. Material Explicativo Plano Suplementar 1 PLANO SUPLEMENTAR Material Explicativo 1 Introdução A CitiPrevi oferece planos para o seu futuro! Recursos da Patrocinadora Plano Principal Benefício Definido Renda Vitalícia Programa Previdenciário CitiPrevi

Leia mais

Autarquia dos Servidores Públicos do Município Regime Próprio de Previdência

Autarquia dos Servidores Públicos do Município Regime Próprio de Previdência Autarquia dos Servidores Públicos do Município Regime Próprio de Previdência Página 01 Paranaguá Previdência Lei Complementar do Município Nº 53/2006 Página 02 PREZADO SEGURADO Com início das atividades

Leia mais

Tem direito aos benefícios previdenciários os BENEFICIÁRIOS, ou seja, todos os segurados e seus dependentes.

Tem direito aos benefícios previdenciários os BENEFICIÁRIOS, ou seja, todos os segurados e seus dependentes. CARTILHA DE DIREITO PREVIDENCIÁRIO O REGIME GERAL DA PREVIDENCIA SOCIAL É REGIDO PELAS LEIS 8.212 E 8.213/91 E TEM POR FINALIDADE ASSEGURAR À SEUS FILIADOS RECEBER BENEFÍCIOS QUE SUBSTITUAM SUA RENDA.

Leia mais

INFORMA REDUÇÃO DO CUSTEIO ADMINISTRATIVO - QUE DIFERENÇA FAZ?

INFORMA REDUÇÃO DO CUSTEIO ADMINISTRATIVO - QUE DIFERENÇA FAZ? INFORMA Edição nº 4 Dezembro/2015 REDUÇÃO DO CUSTEIO ADMINISTRATIVO - QUE DIFERENÇA FAZ? Para administrar os planos de benefícios, a Regius utiliza os recursos advindos do custeio administrativo previdencial,

Leia mais

JORNAL. O futuro chega rápido Atlântico registrou maior número de adesões desde sua criação. 4, 5 e 6

JORNAL. O futuro chega rápido Atlântico registrou maior número de adesões desde sua criação. 4, 5 e 6 JORNAL n o 30 ano X 1 o quadrimestre de 2014 Uma Publicação da Fundação Atlântico de Seguridade Social O futuro chega rápido Atlântico registrou maior número de adesões desde sua criação. 4, 5 e 6 Comunicação

Leia mais

Relatório de Seguridade

Relatório de Seguridade Relatório Maio/2012 O relatório da área de seguridade tem por finalidade apresentar as principais atividades desenvolvidas no mês, informando os números e valores relativos ao período de maio de 2012,

Leia mais

Previdência Complementar do servidor em perguntas e respostas

Previdência Complementar do servidor em perguntas e respostas Previdência Complementar do servidor em perguntas e respostas Por Antônio Augusto de Queiroz - Jornalista, analista político e diretor de Documentação do Diap Com o propósito de esclarecer algumas dúvidas

Leia mais

MATERIAL. EXPlICatIvo. Plano BAYER CD

MATERIAL. EXPlICatIvo. Plano BAYER CD MATERIAL EXPlICatIvo Plano BAYER CD 1 Prezado Colaborador! você, que está sendo admitido agora ou ainda não aderiu ao Plano de Previdência oferecido pelo Grupo Bayer, tem a oportunidade de conhecer, nas

Leia mais

EDUCAÇÃO FINANCEIRA E PREVIDENCIÁRIA

EDUCAÇÃO FINANCEIRA E PREVIDENCIÁRIA EDUCAÇÃO FINANCEIRA E PREVIDENCIÁRIA Informativo Mensal do Fundo Paraná nº 039 novembro/2013 FUNDO PARANÁ Resultados da Pesquisa de Satisfação e Relacionamento Curta o Fundo Paraná no Facebook Campanha

Leia mais

2. O que a Funpresp Exe traz de modernização para o sistema previdenciário do Brasil?

2. O que a Funpresp Exe traz de modernização para o sistema previdenciário do Brasil? Perguntas Frequentes 1. O que é a Funpresp Exe? É a Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal do Poder Executivo, criada pelo Decreto nº 7.808/2012, com a finalidade de administrar

Leia mais

COMO FUNCIONA A PREV PEPSICO CONTRIBUIÇÕES ALOCAÇÃO DAS CONTRIBUIÇÕES OPÇÕES EM CASO DE DESLIGAMENTO BENEFÍCIOS CÁLCULO E PAGAMENTO DOS BENEFÍCIOS

COMO FUNCIONA A PREV PEPSICO CONTRIBUIÇÕES ALOCAÇÃO DAS CONTRIBUIÇÕES OPÇÕES EM CASO DE DESLIGAMENTO BENEFÍCIOS CÁLCULO E PAGAMENTO DOS BENEFÍCIOS Material Explicativo Sumário 2 COMO FUNCIONA A PREV PEPSICO 3 CONTRIBUIÇÕES 8 ALOCAÇÃO DAS CONTRIBUIÇÕES 9 OPÇÕES EM CASO DE DESLIGAMENTO 11 BENEFÍCIOS 13 CÁLCULO E PAGAMENTO DOS BENEFÍCIOS 18 TRIBUTAÇÃO

Leia mais

O que é A SISTeL? O que é O CPqD PReV? Benefícios de risco Auxílio-doença Aposentadoria por invalidez, reversível em pensão

O que é A SISTeL? O que é O CPqD PReV? Benefícios de risco Auxílio-doença Aposentadoria por invalidez, reversível em pensão O que é A SISTEL? A Fundação Sistel de Seguridade Social foi criada em 1977 e possui expressiva experiência em Planos de Previdência Privada. A Sistel atua no desenvolvimento de soluções previdenciais

Leia mais

INFORMATIVO PREVIQUAM.

INFORMATIVO PREVIQUAM. INFORMATIVO PREVIQUAM. INSTITUIDO PELA LEI Nº. 480 DE 24/03/1994 O QUE É PREVIQUAM? É uma autarquia com personalidade jurídica própria que destina-se a assegurar aos Servidores públicos Municipais de São

Leia mais

Guia PCD. Conheça melhor o Plano

Guia PCD. Conheça melhor o Plano Guia PCD Conheça melhor o Plano Índice De olho no Futuro...3 Quem é a Fundação Centrus?...5 Conhecendo o Plano de Contribuição Definida - PCD...6 Contribuições do Participante...7 Saldo de Conta...8 Benefícios

Leia mais

CARTILHA SOBRE A REFORMA DA PREVIDÊNCIA

CARTILHA SOBRE A REFORMA DA PREVIDÊNCIA CARTILHA SOBRE A REFORMA DA PREVIDÊNCIA O servidor público e as alterações do seu regime previdenciário Jose Luis Wagner Luciana Inês Rambo Flavio Alexandre Acosta Ramos Junho de 2009 1 1. Introdução Desde

Leia mais

A Previdência Social oferece:

A Previdência Social oferece: POPULAÇÃO BRASILEIRA Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas sticas de 2010, a população brasileira era de 191 milhões de habitantes, sendo o 5º 5 País s mais populoso do mundo (china,

Leia mais

DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS 1. APOSENTADORIA

DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS 1. APOSENTADORIA DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS 1. APOSENTADORIA 1.1 Aposentadoria por invalidez Destina-se aos professores cuja incapacidade ao trabalho é confirmada pelo setor de perícias médicas do INSS. Uma vez concedida

Leia mais

Cartilha do Participante

Cartilha do Participante Benefício definido (Eletra 01) BENEFICIO DEFINIDO Cartilha do Participante Introdução A ELETRA Fundação Celg de Seguros e Previdência é uma entidade fechada de previdência privada, de fins previdenciários

Leia mais

Fundo de Previdência Complementar da União PL nº 1.992 de 2007

Fundo de Previdência Complementar da União PL nº 1.992 de 2007 Fundo de Previdência Complementar da União PL nº 1.992 de 2007 Assessoria Econômica - ASSEC Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Brasília, maio de 2008 Roteiro Situação atual do Regime Próprio

Leia mais

Aposentadoria por invalidez pressupõe a existência de uma incapacidade total e definitiva para o trabalho

Aposentadoria por invalidez pressupõe a existência de uma incapacidade total e definitiva para o trabalho A. Aposentadoria por invalidez Decreto Federal nº 3.048, de 06 de maio de 1999 (Regulamento da Previdência Social), que regulamentou a Lei Federal nº 8.122, de 24 de julho de 1991 (Lei Orgânica da Seguridade

Leia mais

PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR

PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR O FUTURO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL O déficit da previdência social coloca em risco o direito à aposentadoria Fatores que agravam a situação: Queda da taxa de natalidade Aumento da

Leia mais

Escolha o seu e comece a construir o futuro que você quer ter

Escolha o seu e comece a construir o futuro que você quer ter Escolha o seu e comece a construir o futuro que você quer ter Valia Fix, Valia Mix 20, Valia Mix 35 e Valia Ativo Mix 40 Quatro perfis de investimento. Um futuro cheio de escolhas. Para que seu plano de

Leia mais

VI - Sistemas Previdenciários

VI - Sistemas Previdenciários VI - Sistemas Previdenciários Regime Geral de Previdência Social Regime de Previdência dos Servidores Públicos Federais Projeto de Lei Orçamentária Mensagem Presidencial Cabe ao Governo Federal a responsabilidade

Leia mais

Perfis de Investimento

Perfis de Investimento Perfis de Investimento Manual Perfis de Investimento Manual Perfis de Investimento Índice Objetivo... 3 Introdução... 3 Falando sobre sua escolha e seu plano... 3 Perfis de Investimento... 5 Principais

Leia mais

DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS

DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS 1. INTRODUÇÃO O direito previdenciário é o ramo do Direito que disciplina a estrutura das organizações, o custeio, os benefícios e os beneficiários do sistema previdenciário. A

Leia mais

PUBLICADAS MEDIDAS PROVISÓRIAS QUE ALTERAM A LEGISLAÇÃO TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA

PUBLICADAS MEDIDAS PROVISÓRIAS QUE ALTERAM A LEGISLAÇÃO TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA Rio de Janeiro, 07 de janeiro de 2015. CIRCULAR 01/2015 JURÍDICO PUBLICADAS MEDIDAS PROVISÓRIAS QUE ALTERAM A LEGISLAÇÃO TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA Publicadas no Diário Oficial da União de 30/12/2014,

Leia mais

CARTILHA PREVIDENCIÁRIA

CARTILHA PREVIDENCIÁRIA CARTILHA PREVIDENCIÁRIA INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES - IPREM IPREM Instituto de Previdência Municipal APRESENTAÇÃO Prezado Servidor, A Lei Complementar nº 35 de 05 de julho de

Leia mais

Caro colega. Gustavo Moreno Frias Diretor de Saúde

Caro colega. Gustavo Moreno Frias Diretor de Saúde Caro colega Nesta Cartilha estão as principais perguntas sobre LER, CAT e Direitos, que os bancários fazem seja por telefone ou contato direto no local de trabalho. É um verdadeiro guia rápido e contou

Leia mais

Diagnóstico Qualitativo e Propostas para o Regime Previdenciário dos Servidores Públicos por Gilberto Guerzoni Filho

Diagnóstico Qualitativo e Propostas para o Regime Previdenciário dos Servidores Públicos por Gilberto Guerzoni Filho Diagnóstico Qualitativo e Propostas para o Regime Previdenciário dos Servidores Públicos por Gilberto Guerzoni Filho 1. REGIME PREVIDENCIÁRIO OU ADMINISTRATIVO O principal problema do regime previdenciário

Leia mais

APOSENTADORIA POR INVALIDEZ - Aspectos Previdenciários e Trabalhistas

APOSENTADORIA POR INVALIDEZ - Aspectos Previdenciários e Trabalhistas APOSENTADORIA POR INVALIDEZ - Aspectos Previdenciários e Trabalhistas Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 13/10/2011. Sumário: 1 - Introdução 2 - Aposentadoria por Invalidez 2.1 - Concessão

Leia mais

FUNPRESP? O que é a. Com base nos melhores modelos existentes hoje, apresentamos a Funpresp, a ser criada pelo Projeto de Lei nº 1.992/2007.

FUNPRESP? O que é a. Com base nos melhores modelos existentes hoje, apresentamos a Funpresp, a ser criada pelo Projeto de Lei nº 1.992/2007. O que é a FUNPRESP? Com base nos melhores modelos existentes hoje, apresentamos a Funpresp, a ser criada pelo Projeto de Lei nº 1.992/2007. Esse projeto prevê a limitação das aposentadorias dos servidores

Leia mais

Média aritmética dos 80% maiores salários de contribuição, multiplicado pelo fator previdenciário.

Média aritmética dos 80% maiores salários de contribuição, multiplicado pelo fator previdenciário. 1) Cálculo de Benefícios - Continuação 1.1) Aposentadoria por tempo de contribuição Média aritmética dos 80% maiores salários de contribuição, multiplicado pelo fator previdenciário. Fator Previdenciário

Leia mais

Prova Comentada TRT/SP Direito Previdenciário. XX. (Analista Judiciário Área Judiciária/TRT-2/FCC/2014):

Prova Comentada TRT/SP Direito Previdenciário. XX. (Analista Judiciário Área Judiciária/TRT-2/FCC/2014): Prova Comentada TRT/SP Direito Previdenciário XX. (Analista Judiciário Área Judiciária/TRT-2/FCC/2014): 54. Uma vez criados por lei do ente federativo, vinculam-se aos regimes próprios de previdência social

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Prezado servidor,

APRESENTAÇÃO. Prezado servidor, 1 3 5 APRESENTAÇÃO Prezado servidor, A Lei Municipal nº 5.111 de 23 de novembro de 2010 criou o AMERIPREV, que é o responsável pela gestão do RPPS, Regime Próprio de Previdência Social do Servidor Público

Leia mais

03 Passos para o Seu Dinheiro da Poupança

03 Passos para o Seu Dinheiro da Poupança 03 Passos para o Seu Dinheiro da Poupança Render 5 Vezes Mais por Leandro Sierra Índice Apresentação...03 Introdução... 04 Passo 1...05 Passo 2... 08 Educação Financeira para a Segurança do seu Investimento...

Leia mais

Aceprev. Cartilha do Plano de Benefícios REGRA MIGRADOS. Aperam Inox América do Sul S.A. Acesita Previdência Privada

Aceprev. Cartilha do Plano de Benefícios REGRA MIGRADOS. Aperam Inox América do Sul S.A. Acesita Previdência Privada Aceprev Acesita Previdência Privada Aperam Inox América do Sul S.A. Cartilha do Plano de Benefícios REGRA MIGRADOS Aceprev Acesita Previdência Privada DIRETORIA EXECUTIVA Nélia Maria de Campos Pozzi -

Leia mais

CARTILHA PLANO CELPOS CD

CARTILHA PLANO CELPOS CD CARTILHA PLANO CELPOS CD ORIGINAL PLUS O QUE É O PLANO CELPOS CD? O Plano Misto I de Benefícios CELPOS CD é um plano de previdência complementar cujo benefício de aposentadoria programada é calculado de

Leia mais

Carência para o recebimento do benefício pensão por morte?

Carência para o recebimento do benefício pensão por morte? 1 Carência para o recebimento do benefício pensão por morte? A MP 664 de dezembro de 2014 previu uma carência de 24 meses para a obtenção do benefício pensão por morte. Depois de muita discussão no Congresso

Leia mais

As mudanças mais importantes no Bradesco Previdência

As mudanças mais importantes no Bradesco Previdência As mudanças mais importantes no Bradesco Previdência No dia 21 de julho, o RH do Banco Bradesco e diretores do Bradesco Previdência expuseram, a cerca de 50 dirigentes sindicais, as mudanças no plano de

Leia mais

Olhando para o Futuro: como preparar sua aposentadoria

Olhando para o Futuro: como preparar sua aposentadoria Olhando para o Futuro: como preparar sua aposentadoria Olhando para o Futuro: como preparar sua aposentadoria Prof. William Eid Junior Professor Titular Coordenador do GV CEF Centro de Estudos em Finanças

Leia mais

O PAC e você. Saiba mais sobre o funcionamento do PAC. editorial

O PAC e você. Saiba mais sobre o funcionamento do PAC. editorial Informativo bimestral da Fundação Itaubanco julho/agosto2003 ano1 nº2 O PAC e você Saiba mais sobre o funcionamento do PAC editorial Nesta edição, apresentamos uma matéria especial sobre o Plano de Aposentadoria

Leia mais

Saiba tudo sobre sua aposentadoria Plano Itaubanco CD

Saiba tudo sobre sua aposentadoria Plano Itaubanco CD Chegou a hora! Saiba tudo sobre sua aposentadoria Plano Itaubanco CD Índice Como funciona sua aposentadoria... 04 A tributação do seu benefício... 10 Seus recursos no plano... 12 Cuide bem de sua saúde

Leia mais

Fachesf de FUNDAÇÃO CHESF DE ASSISTÊNCIA E SEGURIDADE SOCIAL www.fachesf.com.br

Fachesf de FUNDAÇÃO CHESF DE ASSISTÊNCIA E SEGURIDADE SOCIAL www.fachesf.com.br Fachesf de Você está em nossos planos Criada em 10 de abril de 1972, pela Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), sua patrocinadora, a Fundação Chesf de Assistência e Seguridade Social é uma

Leia mais

SEGURANÇA SOCIAL E ECONOMIA A experiência brasileira

SEGURANÇA SOCIAL E ECONOMIA A experiência brasileira SEGURANÇA SOCIAL E ECONOMIA A experiência brasileira Carlos Alberto Caser Vice-Presidente da ABRAPP Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar Diretor-Presidente da FUNCEF

Leia mais

PERFIS DE INVESTIMENTO

PERFIS DE INVESTIMENTO PERFIS DE INVESTIMENTO Índice 3 Apresentação 3 Como funciona a ELETROS? 4 Como são os investimentos em renda variável? 5 Como são os investimentos em renda fixa? 6 Como são os investimentos nos demais

Leia mais

Saiba mais sobre seu plano

Saiba mais sobre seu plano Saiba mais sobre seu plano Plano Funbep II 1 Índice A proteção da previdência complementar... 03 As contribuições para o plano... 04 Em caso de desligamento... 06 Na hora da aposentadoria... 08 Cuide bem

Leia mais

Aposentadoria do INSS. O Itaú explica para você como funciona e esclarece suas dúvidas.

Aposentadoria do INSS. O Itaú explica para você como funciona e esclarece suas dúvidas. Aposentadoria do INSS. O Itaú explica para você como funciona e esclarece suas dúvidas. O Itaú quer estar presente em todos os momentos da sua vida. Por isso, criou este material para ajudar você com as

Leia mais

Guia do Aposentado Conheça melhor as regras e benefícios do seu plano

Guia do Aposentado Conheça melhor as regras e benefícios do seu plano Guia do Aposentado Conheça melhor as regras e benefícios do seu plano Plano ACMV 1 Índice Como funciona sua aposentadoria... 04 Empréstimos... 08 Recadastramento... 09 Cuide bem de sua saúde física e financeira...

Leia mais

12. Como é o caso de pensão por morte de quem ainda está contribuindo para a previdência?

12. Como é o caso de pensão por morte de quem ainda está contribuindo para a previdência? Tel: 0800 941 7738 1 Educação Financeira Esta Cartilha tem como abjetivo mostrar a importância da educação financeira e previdenciária aos advogados participantes da OABPrev-RJ para que possam organizar

Leia mais

A GESTÃO DA FORÇA DE TRABALHO NO SETOR PÚBLICO SOB O PRISMA PREVIDENCIÁRIO. Marcus Vinícius de Souza Maria Thais da Costa Oliveira Santos

A GESTÃO DA FORÇA DE TRABALHO NO SETOR PÚBLICO SOB O PRISMA PREVIDENCIÁRIO. Marcus Vinícius de Souza Maria Thais da Costa Oliveira Santos A GESTÃO DA FORÇA DE TRABALHO NO SETOR PÚBLICO SOB O PRISMA PREVIDENCIÁRIO Marcus Vinícius de Souza Maria Thais da Costa Oliveira Santos Painel 46/162 Uma visão de longo prazo da Força de Trabalho no setor

Leia mais

RECENTES DÚVIDAS DO REGIME PRÓPRIO FORMULADAS PELOS SERVIDORES DE AMERICANA - PROFESSORES

RECENTES DÚVIDAS DO REGIME PRÓPRIO FORMULADAS PELOS SERVIDORES DE AMERICANA - PROFESSORES RECENTES DÚVIDAS DO REGIME PRÓPRIO FORMULADAS PELOS SERVIDORES DE AMERICANA - PROFESSORES 1) Já completei 25 anos como professora em sala de aula, tenho hoje 45 anos de idade, com esta idade vou aposentar

Leia mais

19/02/2015. Auxílio Doença

19/02/2015. Auxílio Doença Lei 8213/91 (alterada pela MP 664) Auxílio Doença Art. 60. O auxílio-doença será devido ao segurado que ficar incapacitado para seu trabalho ou sua atividade habitual, desde que cumprido, quando for o

Leia mais

CARTILHA PERFIS DE INVESTIMENTO VALIA FAÇA A SUA ESCOLHA. VALIA FIX VALIA MIX 20 VALIA MIX 35

CARTILHA PERFIS DE INVESTIMENTO VALIA FAÇA A SUA ESCOLHA. VALIA FIX VALIA MIX 20 VALIA MIX 35 CARTILHA PERFIS DE INVESTIMENTO VALIA VALIA FIX VALIA MIX 20 VALIA MIX 35 O melhor perfi l de investimento é o que mais se parece com você. FAÇA A SUA ESCOLHA. A Valia está disponibilizando três perfis

Leia mais

PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE GUARAPARI / ES.

PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE GUARAPARI / ES. Fortalecendo o Futuro! PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE GUARAPARI / ES. ======================== Informações aos Segurados. ======================== 1 Apresentação Este manual foi elaborado

Leia mais

Introdução. Nesta cartilha, você conhecerá as principais características desse plano. O tema é complexo e,

Introdução. Nesta cartilha, você conhecerá as principais características desse plano. O tema é complexo e, Introdução O Plano Prodemge Saldado está sendo criado a partir da cisão do Plano Prodemge RP5-II e faz parte da Estratégia Previdencial. Ele é uma das opções de migração para participantes e assistidos.

Leia mais

Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015. Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015

Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015. Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015 Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015 Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015 O cenário econômico nacional em 2014 A inflação foi superior ao centro da meta pelo quinto

Leia mais

MANUAL DO APOSENTADO E PENSIONISTA PLANO SGC PREV PLANO DE BENEFÍCIOS DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DA SOCIEDADE GOIANA DE CULTURA

MANUAL DO APOSENTADO E PENSIONISTA PLANO SGC PREV PLANO DE BENEFÍCIOS DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DA SOCIEDADE GOIANA DE CULTURA MANUAL DO APOSENTADO E PENSIONISTA PLANO SGC PREV PLANO DE BENEFÍCIOS DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DA SOCIEDADE GOIANA DE CULTURA SUMÁRIO Qual é o significado de aposentado e pensionista?...3 Quando é realizado

Leia mais

Perguntas Frequentes

Perguntas Frequentes Perguntas Frequentes 1) Quem passará a receber por meio de conta no BRADESCO e quem deverá providenciar a sua formalização? a. Magistrados, bem como, seus pensionistas e cotistas b. Serventuários ativos

Leia mais

Material Explicativo. Plano de Benefícios de Contribuição Definida da IBM Brasil. FUNDAÇÃO previdenciária IBM

Material Explicativo. Plano de Benefícios de Contribuição Definida da IBM Brasil. FUNDAÇÃO previdenciária IBM Material Explicativo Plano de Benefícios de Contribuição Definida da IBM Brasil FUNDAÇÃO previdenciária IBM 2 Material Explicativo Fundação Previdenciária IBM A DIREÇÃO DO SEU FUTURO Lembre-se! O objetivo

Leia mais

BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE

BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE Art. 201. A previdência social será organizada sob a forma de regime geral, de caráter contributivo e de filiação obrigatória, observados critérios

Leia mais

ESPECIAL SERVIÇOS PÚBLICOS

ESPECIAL SERVIÇOS PÚBLICOS PREFEITURA FAZ INFORMATIVO DA PREFEITURA DE CONTAGEM CONTAGEM - Nº 23 - JUNHO - 2010 ESPECIAL SERVIÇOS PÚBLICOS Prefeitura valoriza servidores para melhorar qualidade dos serviços Nos últimos cinco anos,

Leia mais

Os resultados de 2013 e as perspectivas para 2014

Os resultados de 2013 e as perspectivas para 2014 w w w. f u n b e p. c o m. b r Informativo bimestral do FUNBEP - Fundo de Pensão Multipatrocinado março/abril 2014 ano12 nº64 Fechamento autorizado. Pode ser aberto pela ECT. Os resultados de 2013 e as

Leia mais

APRENDIZADO QUE VALE OURO!

APRENDIZADO QUE VALE OURO! APRENDIZADO QUE VALE OURO! Introdução A aposentadoria chega mais rápido do que a gente imagina. Nem sempre a Previdência Social atende às nossas necessidades financeiras e projetos nessa fase da vida.

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE GOV. VALADARES Departamento de Benefícios

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE GOV. VALADARES Departamento de Benefícios DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS DO SERVIDOR PÚBLICO O RPPS é estabelecido por lei elaborada em cada um dos Estados, dos Municípios e do Distrito Federal, e se destina exclusivamente aos servidores públicos titulares

Leia mais

FIM DAS REFORMAS REGRESSIVAS DA PREVIDÊNCIA COM GANHOS PARA OS TRABALHADORES

FIM DAS REFORMAS REGRESSIVAS DA PREVIDÊNCIA COM GANHOS PARA OS TRABALHADORES AS MUDANÇAS DO REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA FIM DAS REFORMAS REGRESSIVAS DA PREVIDÊNCIA COM GANHOS PARA OS TRABALHADORES www.pepevargas.com.br dep.pepevargas@camara.gov.br AS MUDANÇAS DO REGIME GERAL DE

Leia mais

Saiba tudo sobre sua aposentadoria Plano Itaubank

Saiba tudo sobre sua aposentadoria Plano Itaubank Chegou a hora! Saiba tudo sobre sua aposentadoria Plano Itaubank Índice Como funciona sua aposentadoria... 04 A tributação do seu benefício... 08 Seus recursos no plano... 10 Cuide bem de sua saúde física

Leia mais

DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES ALEGRE. Porto Alegre, novembro de 2010

DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES ALEGRE. Porto Alegre, novembro de 2010 DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE PORTO ALEGRE Porto Alegre, novembro de 2010 REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL Os servidores públicos ocupantes de cargo

Leia mais

A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 62 da Constituição, adota a seguinte Medida Provisória, com força de

A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 62 da Constituição, adota a seguinte Medida Provisória, com força de MEDIDA PROVISÓRIA Nº 664 DE 30.12.2014 (DOU 30.12.2014 ED. EXTRA; REP. DOU DE 02.01.2015) Altera as Leis nº 8.213, de 24 de julho de 1991, nº 10.876, de 2 junho de 2004,nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990,

Leia mais

Fachesf de FUNDAÇÃO CHESF DE ASSISTÊNCIA E SEGURIDADE SOCIAL www.fachesf.com.br

Fachesf de FUNDAÇÃO CHESF DE ASSISTÊNCIA E SEGURIDADE SOCIAL www.fachesf.com.br Fachesf de Você está em nossos planos Criada em 10 de abril de 1972, pela Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), sua patrocinadora, a Fundação Chesf de Assistência e Seguridade Social é uma

Leia mais

CARTILHA EXPLICATIVA... 3 FUNDO PARANÁ... 4 PATRIMÔNIO... 5 SEGURANÇA... 5 BENEFÍCIO FISCAL... 6 ASFUNPAR... 7 PLANO JMALUCELLI PREVIDÊNCIA...

CARTILHA EXPLICATIVA... 3 FUNDO PARANÁ... 4 PATRIMÔNIO... 5 SEGURANÇA... 5 BENEFÍCIO FISCAL... 6 ASFUNPAR... 7 PLANO JMALUCELLI PREVIDÊNCIA... ÍNDICE CARTILHA EXPLICATIVA... 3 FUNDO PARANÁ... 4 PATRIMÔNIO... 5 SEGURANÇA... 5 BENEFÍCIO FISCAL... 6 ASFUNPAR... 7 PLANO JMALUCELLI PREVIDÊNCIA... 8 CONHEÇA O PLANO JMALUCELLI PREVIDÊNCIA... 9 PARTICIPANTES...

Leia mais

Principais Destaques

Principais Destaques Aumento do Patrimônio Atingimento da Meta Atuarial Principais Destaques 1. Perfil Institucional A Fundação CAGECE de Previdência Complementar CAGEPREV, criada através da Lei Estadual nº 13.313, de 30 de

Leia mais

Retorno dos Investimentos 1º semestre 2011

Retorno dos Investimentos 1º semestre 2011 Retorno dos Investimentos 1º semestre 2011 Cesar Soares Barbosa Diretor de Previdência É responsável também pela gestão dos recursos garantidores dos planos de benefícios administrados pela Sabesprev,

Leia mais

cartilha educação financeira

cartilha educação financeira cartilha educação financeira cartilha educação financeira A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FINANCEIRA A educação financeira é decisiva para o bem-estar presente e futuro das famílias, contudo, ela nem sempre

Leia mais

Material Explicativo Centrus

Material Explicativo Centrus Material Explicativo Centrus De olho no futuro! É natural do ser humano sempre pensar em situações que ainda não aconteceram. Viagem dos sonhos, o emprego ideal, casar, ter filhos, trocar de carro, comprar

Leia mais

Equipe: Ana Adail Ferreira de Mesquita, Isabel Cristina Sobral, Maria de Fatima Cunha Viegas e Solange Stein.

Equipe: Ana Adail Ferreira de Mesquita, Isabel Cristina Sobral, Maria de Fatima Cunha Viegas e Solange Stein. Iniciativa: Aviso para Requerimento de Benefício Diretoria de Benefícios Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) Responsável: Benedito Adalberto Brunca, Diretor de Benefícios Equipe: Ana Adail Ferreira

Leia mais

Material Explicativo. Plano de Aposentadoria GEBSA-PREV

Material Explicativo. Plano de Aposentadoria GEBSA-PREV Material Explicativo Plano de Aposentadoria GEBSA-PREV 2 GEBSA-PREV O PLANO GEBSA-PREV VAI AJUDAR VOCÊ A CONSTRUIR SEU FUTURO! Preocupada com a tranquilidade e o bem estar de seus funcionários, a GE oferece

Leia mais

SAIBA TUDO SOBRE O PLANO III DE PREVIDÊNCIA PRIVADA!

SAIBA TUDO SOBRE O PLANO III DE PREVIDÊNCIA PRIVADA! SAIBA TUDO SOBRE O PLANO III DE PREVIDÊNCIA PRIVADA! Prezado participante, 2 Brasil Foods Sociedade de Previdência Privada Cartilha Plano III Um dos grandes objetivos da política de recursos humanos de

Leia mais

Material Explicativo. Plano de Aposentadoria CD da Previ-Siemens

Material Explicativo. Plano de Aposentadoria CD da Previ-Siemens Material Explicativo Plano de Aposentadoria CD da Previ-Siemens Sumário Plano CD - Tranqüilidade no futuro 3 Conheça a previdência 4 A entidade Previ-Siemens 6 Como funciona o Plano CD da Previ-Siemens?

Leia mais

VALORIZAR. Celpos comemora 30 anos e faz a alegria dos Participantes. SATISFAÇÃO Participantes aprovam atuação da Celpos

VALORIZAR. Celpos comemora 30 anos e faz a alegria dos Participantes. SATISFAÇÃO Participantes aprovam atuação da Celpos NOV/2011 a JAN/2012 nº 20 ANO 7 VALORIZAR Celpos comemora 30 anos e faz a alegria dos Participantes pág.6 REGULAMENTO CELPOS Fique por dentro das mudanças pág.7 SATISFAÇÃO Participantes aprovam atuação

Leia mais

Medidas Provisórias nº 664 e nº 665

Medidas Provisórias nº 664 e nº 665 Medidas Provisórias nº 664 e nº 665 Perguntas e respostas Ministério da Previdência Social Auxílio-Doença Benefício pago ao segurado em caso de incapacitação temporária para o trabalho por doença ou acidente

Leia mais

O número de participantes e assistidos no mês de agosto de 2007 apresentou a seguinte

O número de participantes e assistidos no mês de agosto de 2007 apresentou a seguinte 1. Introdução O relatório da área de seguridade tem por finalidade apresentar as principais atividades desenvolvidas no mês, informando os números e valores relativos ao período de Agosto de 2007, bem

Leia mais

Actuarial Assessoria e Consultoria Atuarial Ltda Benjamin Constant, 67 Cj.404 CEP 80060 020 Curitiba Pr Fone/Fax (41)3322-2110 www.actuarial.com.

Actuarial Assessoria e Consultoria Atuarial Ltda Benjamin Constant, 67 Cj.404 CEP 80060 020 Curitiba Pr Fone/Fax (41)3322-2110 www.actuarial.com. Fundação AMAZONPREV Poder Executivo e Assembléia AVALIAÇÃO ATUARIAL Ano Base: 2014 Data Base: 31/12/2013 Índice 1. Introdução... 02 2. Participantes e Beneficiários... 02 3. Data Base dos Dados e da Avaliação...

Leia mais

Plano de Benefícios Visão Telesp Maio/2011

Plano de Benefícios Visão Telesp Maio/2011 Plano de Benefícios Visão Telesp Maio/2011 Índice Quem Somos Estrutura do plano Importância da Previdência Privada. Quanto antes melhor! As regras do plano Canais Visão Prev 2 Visão Prev Entidade fechada

Leia mais

SALÁRIO MÍNIMO NOVO VALOR A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015 DECRETO Nº 8.381 - DOU de 30.12.2014

SALÁRIO MÍNIMO NOVO VALOR A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015 DECRETO Nº 8.381 - DOU de 30.12.2014 Data do boletim informativo Volume 1, Edição 1 Di Informativo 01/2015 SALÁRIO MÍNIMO NOVO VALOR A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015 DECRETO Nº 8.381 - DOU de 30.12.2014 Foi publicado no Diário Oficial da

Leia mais

CARTILHA PREVMAIS Conforme aprovação publicada no Diário Oficial da União de 07/07/2006.

CARTILHA PREVMAIS Conforme aprovação publicada no Diário Oficial da União de 07/07/2006. NOVA CARTILHA 1 CARTILHA PREVMAIS Conforme aprovação publicada no Diário Oficial da União de 07/07/2006. Sumário ADESÃO AO PREVMAIS 1. Por que aderir ao PrevMais?...4 2. Quem pode aderir ao PrevMais?...4

Leia mais

Material Explicativo Plano de Benefícios Avon 2015

Material Explicativo Plano de Benefícios Avon 2015 Material Explicativo Plano de Benefícios Avon 2015 Material Explicativo ÍNDICE 1. Mensagem importante pra você... 4 2. Que tal planejar sua aposentadoria?... 5 3. Estamos juntos!... 6 4. Saiba quem pode

Leia mais

Relatório de Seguridade

Relatório de Seguridade Re Relatório de Seguridade Relatório de Seguridade Relatório Maio/2015 O relatório da área de seguridade tem por finalidade apresentar as principais atividades desenvolvidas no mês, informando os números

Leia mais

Ministério da Previdência Social - MPS Gabinete do Ministro - GM Assessoria de Comunicação Social - ACS Secretaria de Previdência Social - SPS Coordenação-Geral de Legislação e Normas - CGLN Previdência

Leia mais

GUIA DO SEGURADO da Previdência Social

GUIA DO SEGURADO da Previdência Social CÂMARA DOS DEPUTADOS GUIA DO SEGURADO da Previdência Social Conheça os direitos do seu seguro social. ANTONIO BULHÕES Deputado Federal PRB/SP BRASÍLIA Abril/2009 GUIA DO SEGURADO da Previdência Social

Leia mais

Recupere a saúde financeira e. garanta um futuro tranquilo Reitoria da UNESP, 13/05/2015

Recupere a saúde financeira e. garanta um futuro tranquilo Reitoria da UNESP, 13/05/2015 Recupere a saúde financeira e garanta um futuro tranquilo Reitoria da UNESP, 13/05/2015 Objetivo geral Disseminar conhecimento financeiro e previdenciário dentro e fora da SP-PREVCOM buscando contribuir

Leia mais

A importância de um plano de aposentadoria complementar

A importância de um plano de aposentadoria complementar INFORMATIVO É a melhor maneira de planejar a sua aposentadoria; Poupança com 100% de rentabilidade - Parte Patrocinadora; Rentabilidade totalmente revertida ao participante Datusprev sem fins lucrativos;

Leia mais

TANHAÉM PREV Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Itanhaém

TANHAÉM PREV Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Itanhaém TANHAÉM PREV Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Itanhaém Superintendente: Luciano Moura dos Santos Diretor Adm. Financeiro: Olavo Lopes Perez Diretor de Benefícios: Karine Vecci Rua

Leia mais

Mudanças na meta atuarial da Faelce

Mudanças na meta atuarial da Faelce Impresso Especial 9912267695/2010-DR/CE FAELCE CORREIOS Ano 4 - Edição N 02 - Mai/Jun/Jul de 2012 PREVIDÊNCIA PARA UMA VIDA MELHOR Mudanças na meta atuarial da Faelce Com a alteração, a meta passa de 5%

Leia mais

Plano de Previdência Complementar. Manual do Participante FenacorPrev

Plano de Previdência Complementar. Manual do Participante FenacorPrev Plano de Previdência Complementar Manual do Participante FenacorPrev Índice Introdução... 3 O Programa de Previdência FenacorPrev... 3 Contribuições... 4 Investimentos... 5 Benefício Fiscal... 6 Benefícios

Leia mais

Plano D. Material Explicativo

Plano D. Material Explicativo Plano D Material Explicativo 2 Material Explicativo Previ Novartis Índice Pág. 4 Introdução Pág. 6 A Previdência no Brasil Pág. 10 A Previdência e o Plano de Benefício D Pág. 24 Questões 3 Material Explicativo

Leia mais

Plano PAI. material explicativo

Plano PAI. material explicativo Plano PAI material explicativo Conheça melhor o Plano PAI e veja como o tempo pode ser seu maior aliado Grande parte dos trabalhadores sonha em ter uma aposentadoria estável e aproveitar essa fase para

Leia mais

Críticas e sugestões através do nosso e-mail: iprevi1@hotmail.com

Críticas e sugestões através do nosso e-mail: iprevi1@hotmail.com 1 CARTILHA DO SEGURADO 1. MENSAGEM DA DIRETORA PRESIDENTE Esta cartilha tem como objetivo dar orientação aos segurados do Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Município de Itatiaia IPREVI,

Leia mais

Plano de Previdência Complementar. Manual do Participante Fenacor Prev

Plano de Previdência Complementar. Manual do Participante Fenacor Prev Plano de Previdência Complementar Manual do Participante Fenacor Prev 1 Índice Introdução...3 O Programa de Previdência Fenacor Prev...3 Contribuições...4 Investimentos...5 Benefício Fiscal...5 Benefícios

Leia mais