Categorias identitárias

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Categorias identitárias"

Transcrição

1 Ana Alvaréz, TALLAS, Tienda3 Instalação, fotografia, vídeo (2008) Categorias identitárias Definições e terminologias Profa. Carla de Abreu l Disciplina: Cultura Visual e Construções de Gênero

2

3 Perspectiva essencialista Modelo tradicional dos Gênero 1) Sexo MACHO FÊMEA 2) Papéis de Gênero MASCULINO FEMININO 3) Identidade de Gênero HOMEM MULHER 4) Orientação Sexual MULHER HOMEM Desde esta perspectiva se argumenta que as diferenças entre homens e mulheres são naturais (biológicas).

4 Perspectiva pós-estruturalista 1) Sexo MACHO INTERSEX FÊMEA 2) Identidade de Gênero Homem ÚNICA MÚLTIPLA ÚNICA Gay Transvesti Transgênero Transexual Queer Lésbica (...) Mulher 3) Papéis de Gênero MASCULINO Gradações diferentes de FEMENINO masculinidades e feminidades 4) Orientação Sexual MULHER HOMEM Ambos Nenhum Todos Outro Imme Van der Haak

5 O papel de gênero tem a ver com comportamentos individuais que refletem conformidade com as normas socialmente aprendidas ou se configuram por meio de subjetividades alternativas, fora dos padrões heteronormativos. Além disso, os papéis de gênero podem ser performados, dependendo dos contextos sociais. Ilustração disponível em:

6 Esclarecendo... Identidade sexual: É o gênero com o qual me identifico, é como me vejo em frente a mim mesma. Pode haver nascido com vagina e identificar-se como mulher ou nascer com pênis e identificar-se como homem; mas há pessoas que nascem com pênis e dizem não me sinto homem, mas mulher, ou passa o contrário, nascem com vagina e se sentem homens. Também há quem não se encaixa em nenhuma destas opções e assumem uma identidade trans ou não lhes interessa assumir nenhuma identidade. Orientação sexual: É a quem se dirige meu desejo e minha sexualidade, quem me atrai ou move meu chão. Posso, por exemplo, identificar-me como mulher e minha orientação sexual pode ser a outro homem, outra mulher, uma mulher trans, um homem trans ou simplesmente a outro ser humano, sem se importar com a etiqueta. Gênero: É a maneira que nos foi dito que devemos atuar a partir do sexo com que nascemos, são os mandatos culturais. Intersexuais: São as personas que nascem com uma ambiguidade sexual, podem nascer com pênis e ovários, por exemplo, é o que antes se chamava hermafrodita. Bissexualidade: É quando sentimos atração, amor ou afeto à mulheres, homens ou pessoas trans. A bissexualidade se refere a um desejo que não se fixa no corpo para sentir atração.

7 Trans* Transgênero: É um termo para explicar a pessoa que sentem um dissonância entre o sexo que lhe impuseram ao nascer e sua identidade de gênero. Algumas pessoas tomam hormônios ou fazem cirurgias para conseguir esta afinidade. No entanto, nem todas pessoas transgênero têm a mesma ideia do que significa ser mulher ou homem e se sentem cômodas em diferentes estágios de sua transição. Isso quer dizer que nem todas pessoas transgênero querem fazer cirurgias e nem tomar as mesmas quantidades de hormônios. Isto são decisões pessoais que devem ser respeitadas. Também pode ser uma identidade. Há pessoas que não se identificam nem como homem nem como mulher, e dizem sou trans! Travestis: São pessoas que se vestem, atuam e expressam de forma contrária ao que se espera segundo seu sexo; mas não rejeitam seu corpo, nem sentem a necessidade de muda-lo. O que mais vemos são homens que gostam de vestir-se e assumir identidade de mulher, ainda que também há mulheres travestidas. Transformistas: São personas que mudam o gênero para fazer um espetáculo artístico ou porque sentem prazer se transformando em ocasiões especiais ou de forma temporal; também pode ser uma identidade. Transexual: Usualmente utilizado para designar as pessoas que concluíram sua transição ao gênero desejado. Em outras palavras, as pessoas que já fizeram a cirurgia de resignação sexual ou as que desejam faze-lo, considerando-a como fundamental para sua identidade de gênero. Transfobia: Uma fobia é um temor irracional obsessivo ou repugnância a alguém ou algo; a transfobia é o ódio, medo, rejeição ou asco contra as personas trans.

8 LGTBIQ+ siglas que designam o coletivo lésbico, gay, bissexual, trans, intersexual, queer, incluindo através do + qualquer outra identidade que está não meio de todas elas. Estas siglas começaram a ser usadas nos anos 90, quando o termo «LGBT» se fez prolongação das siglas «LGB»; que a sua vez haviam substituído a expressão «comunidade gay», a qual muitos homossexuais, bissexuais e transexuais, sentiam que não lhes representavam de forma adequada. Queer: É um termo global para designar as minorias sexuais que não são heterossexuais, ou não se encontram dentro do gênero binário como uma forma de autoafirmação. O termo ainda serve para descrever uma orientação sexual e/ou identidade de gênero ou expressão de gênero que não se conforma com a sociedade heteronormativa. Para Beatriz Preciado, o termo trata de designar a um movimento pós-identitário : Uma posição de crítica atenta aos processos de exclusão e de marginalização que gera toda ficção identitária, tanto dentro de sociedades heterossexuais como na cultura gay. Cisexual: O cisgênero corresponde à identidade sexual concordante com os papeis sociais de gênero biológico assignado de determinada pessoa. (Alinhamento entre identidade sexual, orientação sexual e papel de gênero) Assexual: orientação sexual de uma pessoa que não sente atração sexual a nenhuma outra pessoa. Gênero fluido: corresponde àqueles indivíduos de identidade sexual genderqueer que giram sua identidade de gênero adequando-se ao contexto social ou pessoal em que se encontram.

9 LGTBIQ+ Demisexual: pessoa cuja orientação sexual é sentirse atraída por alguém unicamente depois de uma forte conexão emocional com essa pessoa. Polissexual: consistente na atração sexual, emocional ou estética por indivíduos de diversos gêneros. Esta orientação difere da bissexualidade típica, pelo fato de que esses indivíduos contradizem e negam a condição binária tradicional. Pansexualidade: orientação sexual que engloba a atração a todos os tipos de gênero. Tanto a pansexualidade como a polissexualidade se centram na pluralidade do gênero humano, a diferença é que a polissexualidade é só a alguns gêneros, enquanto a pansexualidade é a todos gêneros e se caracteriza pela atração não estética. Antrosexual: é um termo aplicado àquelas pessoas que desconhecem sua orientação sexual, mas existe uma flexibilidade sexual que lhes permite desenvolver vínculos amorosos com qualquer pessoa de qualquer gênero e identidade. A antrossexualidade se parece com a demissexualidade, a bissexualidade e a pansexualidade; a diferença é que a pessoa antrossexual desconhece sua orientação sexual. Androginia: Uma pessoa que não se se vê refletida no gênero masculino ou feminino e que tem características físicas que podem considerar-se ambíguas, por não estarem definidas dentro do estabelecido como masculino ou feminino.

10 Independentemente das diferenças, o mais importante é ter uma escuta ativa: prestar atenção na maneira como as pessoas se auto identificam e tratá-las com o respeito e dignidade que todos nós merecemos.

LGBT: Público ou Privado. Gênero, Orientação Sexual e Identidade de Gênero

LGBT: Público ou Privado. Gênero, Orientação Sexual e Identidade de Gênero LGBT: Público ou Privado Gênero, Orientação Sexual e Identidade de Gênero 1969 Revolta de Stonewall que marca o Dia Mundial do Orgulho LGBT; 1973 A OMS deixa de classificar a homossexualidade como doença;

Leia mais

O Senso Comum e os Corpos Generificados

O Senso Comum e os Corpos Generificados O Senso Comum e os Corpos Generificados Vincular o comportamento ao sexo, gênero à genitália, definindo o feminino pela presença da vagina e o masculino pelo pênis, remonta ao século XIX quando o sexo

Leia mais

CURSO EFA NS TÉCNICO/A ADMINISTRATIVO/A

CURSO EFA NS TÉCNICO/A ADMINISTRATIVO/A CURSO EFA NS TÉCNICO/A ADMINISTRATIVO/A Módulo: CP_4 Processos Identitários Tema: Identidade Sexual Grupo 4: Carla, Carmen, Sílvia Data: 2009/04/01 1 Introdução Homofobia Transfobia Identidades Sexuais

Leia mais

CIDADÃO TRANS - Existência e Aplicação de Políticas Públicas para o Público Transgênero

CIDADÃO TRANS - Existência e Aplicação de Políticas Públicas para o Público Transgênero CIDADÃO TRANS - Existência e Aplicação de Políticas Públicas para o Público Transgênero Diego Silva Marquez de Araújo 1 Resumo O Brasil tem passado por momentos difíceis, sobretudo na esfera política.

Leia mais

DIVERSIDADE IDENTIDADE DE GÊNERO E ORIENTAÇÃO SEXUAL

DIVERSIDADE IDENTIDADE DE GÊNERO E ORIENTAÇÃO SEXUAL DIVERSIDADE IDENTIDADE DE GÊNERO E ORIENTAÇÃO SEXUAL PME por uma educação que respeite a diversidade O Plano Municipal de Educação foi construído por meio de discussões e conferência abertas a toda a comunidade

Leia mais

Ei, você trabalhadora e trabalhador do SUAS!

Ei, você trabalhadora e trabalhador do SUAS! Ei, você trabalhadora e trabalhador do SUAS! Você sabia que ser homem ou mulher é uma construção social? Você sabia que existem pessoas que não se identificam com o sexo do nascimento? Não se identificar

Leia mais

Política Nacional de Saúde Integral de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (LGBT) Portaria nº 2.836, de 1º de dezembro de 2011

Política Nacional de Saúde Integral de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (LGBT) Portaria nº 2.836, de 1º de dezembro de 2011 1 2 A Política Nacional de Saúde Integral de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (LGBT), instituída pelo Ministério da Saúde, por meio da Portaria nº 2.836, de 1º de dezembro de 2011, garante

Leia mais

INFORMATIVO PARA A REDE SUAS: Garantia da utilização do Nome Social para as pessoas Travestis e Transexuais.

INFORMATIVO PARA A REDE SUAS: Garantia da utilização do Nome Social para as pessoas Travestis e Transexuais. INFORMATIVO PARA A REDE SUAS: Garantia da utilização do Nome Social para as pessoas Travestis e Transexuais. Ei, você trabalhadora e trabalhador do SUAS! Você sabia que ser homem ou mulher é uma construção

Leia mais

Knowlege Exchange Sessions

Knowlege Exchange Sessions Knowlege Exchange Sessions Lam Matos e Júlia Rosemberg (SSEX BBOX), Bruno Capão (Associação Lado B), Gabi Agustini (Olabi), Guilherme Valadares (Papo de Homem) DIVERSITY DIVERSIDADE: MUITO ALÉM DAS COTAS.

Leia mais

A CIÊNCIA POR TRAS DO SEXO

A CIÊNCIA POR TRAS DO SEXO Corpo, prazer, identidade e emoções sob o olhar científico A CIÊNCIA POR TRAS DO SEXO RESPOSTAS PARA O QUE VOCÊ SEMPRE QUIS SABER Ler & Saber - Ano 6, nº 10-2017 R$ 9,90 TRANS É menina ou menino? Quando

Leia mais

RESENHA O CORPO DA ROUPA: A PESSOA TRANSGÊNERA ENTRE A TRANSGRESSÃO E A CONFORMIDADE COM AS NORMAS DE GÊNERO

RESENHA O CORPO DA ROUPA: A PESSOA TRANSGÊNERA ENTRE A TRANSGRESSÃO E A CONFORMIDADE COM AS NORMAS DE GÊNERO RESENHA O CORPO DA ROUPA: A PESSOA TRANSGÊNERA ENTRE A TRANSGRESSÃO E A CONFORMIDADE COM AS NORMAS DE GÊNERO Morgana Zardo Von Mecheln * Samira de Moraes Maia Vigano ** LANZ, Letícia. O corpo da roupa:

Leia mais

DIREITOS HUMANOS, GÊNERO E MOVIMENTOS SOCIAIS

DIREITOS HUMANOS, GÊNERO E MOVIMENTOS SOCIAIS DIREITOS HUMANOS, GÊNERO E MOVIMENTOS SOCIAIS Prof. João Gabriel da Fonseca Graduado em História; Filosofia Pós-Graduado em História Cultural Mestre em História das Identidades. LGBT ou ainda, LGBTTTs,

Leia mais

COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS E MINORIAS

COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS E MINORIAS COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS E MINORIAS PROJETO DE LEI N o 5.002, DE 2013 Dispõe sobre o direito à identidade de gênero e altera o art. 58 da Lei nº 6.015 de 31 de dezembro de 1973. Autores: Deputados

Leia mais

Sexualidade infantil?

Sexualidade infantil? Questões de sexualidade e gênero Colégio Miguel de Cervantes 20.10.2011 Prof.a Célia L. Amaral de Almeida Sexualidade infantil? A sexualidade é uma coisa natural nos seres humanos, é uma função como tantas

Leia mais

Atividades Acadêmico-Científico- -Culturais: Diversidade Cultural. Contextualização. Gênero. Teleaula 2. Letras. Diversidade de Gênero

Atividades Acadêmico-Científico- -Culturais: Diversidade Cultural. Contextualização. Gênero. Teleaula 2. Letras. Diversidade de Gênero Atividades Acadêmico-Científico- -Culturais: Diversidade Cultural Teleaula 2 Diversidade de Gênero Profa. Dra. Marcilene Garcia de Souza tutorialetras@grupouninter.com.br Letras Contextualização Por que

Leia mais

Com a palavra, as mulheres do movimento LGBT

Com a palavra, as mulheres do movimento LGBT Com a palavra, as mulheres do movimento LGBT A sigla LGBT reúne segmentos da sociedade oprimidos por sua orientação sexual, como é o caso das lésbicas, gays e bissexuais, e também pela sua identidade de

Leia mais

A ORIENTAÇÃO SEXUAL NO PROCESSO DE FORMAÇÃO ACADÊMICA: UM DEBATE NECESSÁRIO

A ORIENTAÇÃO SEXUAL NO PROCESSO DE FORMAÇÃO ACADÊMICA: UM DEBATE NECESSÁRIO 438 A ORIENTAÇÃO SEXUAL NO PROCESSO DE FORMAÇÃO ACADÊMICA: UM DEBATE NECESSÁRIO Letícia Lucia Silva Santos (UniUBE) Jaqueline de Melo Barros (UniUBE) Ao considerarmos que a discussão sobre diversidade

Leia mais

Homofobia: preconceito, violência e crimes de ódio

Homofobia: preconceito, violência e crimes de ódio Homofobia: preconceito, violência e crimes de ódio Por Carolina Cunha Da Novelo Comunicação 05/08/2016 16h24 m n H J Imprimir F Comunicar erro Sérgio Castro/Estadão Conteúdo A modelo transexual Viviany

Leia mais

Promovendo o engajamento das famílias e comunidades na defesa do direito à saúde sexual e reprodutiva de adolescentes e jovens

Promovendo o engajamento das famílias e comunidades na defesa do direito à saúde sexual e reprodutiva de adolescentes e jovens Promovendo o engajamento das famílias e comunidades na defesa do direito à saúde sexual e reprodutiva de adolescentes e jovens Jaqueline Lima Santos Doutoranda em Antropologia Social UNICAMP Instituto

Leia mais

SEXUALIDADE - definição

SEXUALIDADE - definição A sexualidade SEXUALIDADE - definição É uma energia que nos motiva a procurar o amor, contacto, ternura, intimidade; que se integra no modo como nos sentimos, movemos, tocamos, e somos tocados; é ser-se

Leia mais

MOVIMENTOS SOCIAIS. Prof. Robson Vieira da Silva Sociologia 1º ano - UP

MOVIMENTOS SOCIAIS. Prof. Robson Vieira da Silva Sociologia 1º ano - UP MOVIMENTOS SOCIAIS Prof. Robson Vieira da Silva Sociologia 1º ano - UP OS MOVIMENTOS SOCIAIS - DEFINIÇÃO São ações sociais coletivas de caráter socio-político e cultural que viabilizam distintas formas

Leia mais

Conceito de desvio sexual

Conceito de desvio sexual Conceito de desvio sexual Desvio é um comportamento que se contrapõe às normas atuais da sociedade (legais, morais, etc.) Às vezes definido em termos de normalidade estatística ou psicopatologia (ex: hetero/homossexualismo

Leia mais

O DIA 17 DE MAIO E NO COMBATE À A LUTA CONTRA A LGBTFOBIA É DE TODAS (OS) NÓS!

O DIA 17 DE MAIO E NO COMBATE À A LUTA CONTRA A LGBTFOBIA É DE TODAS (OS) NÓS! O DIA 17 DE MAIO E O PAPEL DO SUAS NO COMBATE À LGBTFOBIA NO BRASIL A LUTA CONTRA A LGBTFOBIA É DE TODAS (OS) NÓS! O SUAS contra a LGBTfobia O dia 17 de maio é conhecido mundialmente como o Dia Internacional

Leia mais

Eduarda Ferreira Regina Salvador e-geo, FCSH, UNL. Representações de Espaços Públicos de (Des)Igualdade

Eduarda Ferreira Regina Salvador e-geo, FCSH, UNL. Representações de Espaços Públicos de (Des)Igualdade Eduarda Ferreira Regina Salvador e-geo, FCSH, UNL Representações de Espaços Públicos de (Des)Igualdade 2 Contexto e objectivo Contexto Projecto de investigação Representing Spaces of (In)Equality: Layers

Leia mais

História da sexualidade: a sexualidade como construção social

História da sexualidade: a sexualidade como construção social Daniel Arruda Ilana Mountian Leonel Cardoso Leonardo Tolentino Paulo Nogueira Projeto Educação sem Homofobia 2010 Encontro 5 Sexo é visto como algo natural. Ser homem e mulher é uma experiência que se

Leia mais

NOTIFICAÇÃO DE VIOLÊNCIA INTERPESSOAL/AUTOPROVOCADA. Gladis Helena da Silva

NOTIFICAÇÃO DE VIOLÊNCIA INTERPESSOAL/AUTOPROVOCADA. Gladis Helena da Silva NOTIFICAÇÃO DE VIOLÊNCIA INTERPESSOAL/AUTOPROVOCADA Gladis Helena da Silva Definição de caso Caso suspeito ou confirmado de violência doméstica/intrafamiliar, sexual, autoprovocada, tráfico de pessoas,

Leia mais

Corpo Ciborgue e identidades trans: narrativas sobre a construção do corpo na experiência de mulheres transexuais.

Corpo Ciborgue e identidades trans: narrativas sobre a construção do corpo na experiência de mulheres transexuais. Corpo Ciborgue e identidades trans: narrativas sobre a construção do corpo na experiência de mulheres transexuais. Ana Carolina de Martini Dutra Universidade Sagrado Coração, Bauru/SP e-mail: karoldemartini@gmail.com

Leia mais

O que eles querem de nossos corpos?

O que eles querem de nossos corpos? O que eles querem de nossos corpos? "Gênero e genitais são o reduto do controle que liga cada pessoa a uma ordem social que tem dificuldades em tolerar a diversidade e a mudança (Jamison Green) Na foto

Leia mais

HÁ DIFERENÇAS ENTRE TRAVESTIS E TRANSEXUAIS FEMININAS? BREVE CONCEITUAÇÃO DOS TERMOS

HÁ DIFERENÇAS ENTRE TRAVESTIS E TRANSEXUAIS FEMININAS? BREVE CONCEITUAÇÃO DOS TERMOS HÁ DIFERENÇAS ENTRE TRAVESTIS E TRANSEXUAIS FEMININAS? BREVE CONCEITUAÇÃO DOS TERMOS Priscila de Freitas Sousa 1 RESUMO O presente artigo tem como objetivo apresentar de forma exploratória, uma breve discussão

Leia mais

O MUNDO DAS MULHERES Alain Touraine

O MUNDO DAS MULHERES Alain Touraine Brasília-DF, Setembro de 2007 Universidade de Brasília UNB Departamento de Serviço Social Mov. Soc., Poder Político e Cidadania Profa. Dra. Nair Bicalho O MUNDO DAS MULHERES Alain Touraine Alunas: Denise

Leia mais

Fernanda Pivato Tussi * Universidade Federal do Rio Grande do Sul Brasil

Fernanda Pivato Tussi * Universidade Federal do Rio Grande do Sul Brasil 323 BENEDETTI, Marcos Renato. Toda feita: o corpo e o gênero das travestis. Rio de Janeiro: Garamond, 2005. 144 p. Fernanda Pivato Tussi * Universidade Federal do Rio Grande do Sul Brasil A travesti e

Leia mais

Você já ouviu a história de uma tal "garota legal"? Bem, se não, deixeme contar uma história:

Você já ouviu a história de uma tal garota legal? Bem, se não, deixeme contar uma história: Você já ouviu a história de uma tal "garota legal"? Bem, se não, deixeme contar uma história: Uma garota legal é alguém que se dedica de alma e coração em um relacionamento. Ela é alguém que poderia esperar

Leia mais

Financiado por: Revisão linguística: Rui Manjate. Imagens: Shutterstock. Layout: Danilo da Silva. Maputo, Dezembro de 2014

Financiado por: Revisão linguística: Rui Manjate. Imagens: Shutterstock. Layout: Danilo da Silva. Maputo, Dezembro de 2014 Financiado por: 2 Textos: Carina Capitine, Dário de Sousa, Henv Mafundza Revisão linguística: Rui Manjate Imagens: Shutterstock Layout: Danilo da Silva 2014 Maputo, Dezembro de 2014 Índice Glossário 4

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 558, DE 29 DE MAIO DE 2015

RESOLUÇÃO Nº 558, DE 29 DE MAIO DE 2015 Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria Estadual de Administração Penitenciária RESOLUÇÃO Nº 558, DE 29 DE MAIO DE 2015 Estabelece diretrizes e normativas para o tratamento da população LGBT no

Leia mais

HOMOFOBIA E ESCOLA: UM RELATO DA VIOLÊNCIA NO AMBIENTE ESCOLAR

HOMOFOBIA E ESCOLA: UM RELATO DA VIOLÊNCIA NO AMBIENTE ESCOLAR HOMOFOBIA E ESCOLA: UM RELATO DA VIOLÊNCIA NO AMBIENTE ESCOLAR Antonio Carlos Batista da Silva Neto Déborha Maria Bezerra Barreto Souza Rickison Cristiano de Araújo Silva Sonály Silva Guedes Universidade

Leia mais

Nadya Araujo Guimarães FSL Introdução à Sociologia USP, 02/2014

Nadya Araujo Guimarães FSL Introdução à Sociologia USP, 02/2014 Nadya Araujo Guimarães FSL 0114 - Introdução à Sociologia USP, 02/2014 Foco do debate de hoje 1. Hoje a noção de corporeidade será trazida para o centro do debate 2. Ponto de partida para tal? Corpo é

Leia mais

Transgredindo 1. Valentim da Costa Félix 2 Cláudia da Consolação Moreira 3 Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá - MT

Transgredindo 1. Valentim da Costa Félix 2 Cláudia da Consolação Moreira 3 Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá - MT Transgredindo 1 Valentim da Costa Félix 2 Cláudia da Consolação Moreira 3 Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá - MT RESUMO Transgredindo é uma série de audiodrama desenvolvida em três programas

Leia mais

UMA INTRODUÇÃO AO PENSAR QUEER

UMA INTRODUÇÃO AO PENSAR QUEER UMA INTRODUÇÃO AO PENSAR QUEER Cássia Rodrigues Gonçalves * Louro, Guacira Lopes. Um corpo estranho: ensaios sobre sexualidade e teoria queer. 2. ed. Belo horizonte: Autêntica, 2013. A obra Um Corpo Estranho:

Leia mais

Á descoberta de mim e do outro. Projecto Saúde na Escola

Á descoberta de mim e do outro. Projecto Saúde na Escola Á descoberta de mim e do outro Projecto Saúde na Escola 2 Que tema???? Sumário Corpo Humano Diferenças entre rapaz e rapariga Imagem corporal Interacção social: Família Amigos Escola 3 Será que os rapazes

Leia mais

Entrevista com Jurandir Freire Costa

Entrevista com Jurandir Freire Costa Entrevista com Jurandir Freire Costa Homossexualismo e Homoerotismo Entrevista concedida ao Jornal do Comércio em 1992 Bolsista :Evelyn de Melo Paulo -Química Licenciatura UFLA De que trata o homoerotismo?

Leia mais

MÃE SÓ HÁ UMA. Em várias entrevistas que 1 MATERIAL DE APOIO

MÃE SÓ HÁ UMA. Em várias entrevistas que 1 MATERIAL DE APOIO 1 MÃE SÓ HÁ UMA Em várias entrevistas que concedeu durante o lançamento de Mãe Só Há Uma, a diretora Anna Muylaert diz que o tema central do filme é a afirmação de identidade. Aos 17 anos, Pierre, o protagonista,

Leia mais

Transdefinidas: Nuances de Complexidades Corpóreas 1

Transdefinidas: Nuances de Complexidades Corpóreas 1 Transdefinidas: Nuances de Complexidades Corpóreas 1 Maruzia DULTRA 2 Louise PITA 3 Antonio PITA 4 Pedro SOLEDADE 5 Washington FILHO 6 Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA 1 APRESENTAÇÃO O vídeo

Leia mais

VIOLÊNCIA CONTRA MINORIAS SEXUAIS: PERFIL DOS AGRAVOS NO INTERIOR DO CEARÁ

VIOLÊNCIA CONTRA MINORIAS SEXUAIS: PERFIL DOS AGRAVOS NO INTERIOR DO CEARÁ VIOLÊNCIA CONTRA MINORIAS SEXUAIS: PERFIL DOS AGRAVOS NO INTERIOR DO CEARÁ Grayce Alencar Albuquerque (1); Sáskya Jorgeanne Barros Bezerra (2) (1) Universidade Regional do Cariri, e-mail: geycyenf.ga@gmail.com

Leia mais

Saúde da Mulher Lésbica e Bissexual no Brasil: Avanços e Desafios

Saúde da Mulher Lésbica e Bissexual no Brasil: Avanços e Desafios Saúde da Mulher Lésbica e Bissexual no Brasil: Avanços e Desafios João Pessoa - PB Novembro, 2015 Regionalização do Estado da Paraíba 16 Regiões de Saúde Resolução CIB n. 203/2011 Rede Cegonha Rede de

Leia mais

Os estudos feministas, os estudos gays e lésbicos e a teoria queer como políticas de conhecimento 1

Os estudos feministas, os estudos gays e lésbicos e a teoria queer como políticas de conhecimento 1 Os estudos feministas, os estudos gays e lésbicos e a teoria queer como políticas de conhecimento 1 Guacira Lopes Louro 2 Constituídos a partir de uma militância e de uma teorização freqüentemente inseparáveis,

Leia mais

sexo, sexualidade, gênero, orientação sexual e corpo

sexo, sexualidade, gênero, orientação sexual e corpo Antes de ler o texto que se segue, pense sobre as noções de sexo, sexualidade, gênero, orientação sexual e corpo. Em seguida, escreva nesta página o que você entende por essas noções. Traga o que você

Leia mais

ASACT n. 1 p Página 71

ASACT n. 1 p Página 71 MAPA E TERRITORIALIDADE QUEER: A SUBJETIVIDADE DA BUSCA PELA DESNATURALIZAÇÃO DAS BIO-IDENTIDADES Weverton Andrade Silva 1 Orientador: Alberto Ferreira da Rocha Junior (Alberto Tibaji) 2 Coorientador:

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE IDENTIDADE DE GÊNERO: CONCEITOS E TERMOS

ORIENTAÇÕES SOBRE IDENTIDADE DE GÊNERO: CONCEITOS E TERMOS ORIENTAÇÕES SOBRE IDENTIDADE DE GÊNERO: CONCEITOS E TERMOS Guia técnico sobre pessoas transexuais, travestis e demais transgêneros, para formadores de opinião Jaqueline Gomes de Jesus 2ª EDIÇÃO Guia técnico

Leia mais

Intervenção Pedagógica: Sexualidade e Identidade de Gênero na Formação Inicial de Professores de Química.

Intervenção Pedagógica: Sexualidade e Identidade de Gênero na Formação Inicial de Professores de Química. Intervenção Pedagógica: Sexualidade e Identidade de Gênero na Formação Inicial de Professores de Química. Washington Marcos Camilo (IC) 1, Márlon Herbert Flora Barbosa Soares(PQ) 2 1 tommcamilo@gmail.com,

Leia mais

Expressão da Sexualidade na Adolescência AS. Sexualidade. é...

Expressão da Sexualidade na Adolescência AS. Sexualidade. é... Expressão da Sexualidade na Adolescência AS Sexualidade é... A necessidade de buscar sensações bemestar, prazer, afeto, contato, carinho, que todo ser humano tem. A SEXUALIDADE É NATURAL! S 1 2 1 S A Sexualidade

Leia mais

AG/RES (XLIII-O/13) DIREITOS HUMANOS, ORIENTAÇÃO SEXUAL E 12/3/ 4/5/ 6 7/ IDENTIDADE E EXPRESSÃO DE GÊNERO

AG/RES (XLIII-O/13) DIREITOS HUMANOS, ORIENTAÇÃO SEXUAL E 12/3/ 4/5/ 6 7/ IDENTIDADE E EXPRESSÃO DE GÊNERO ASSEMBLEIA GERAL QUADRAGÉSIMO TERCEIRO PERÍODO ORDINÁRIO DE SESSÕES OEA/Ser.P 4 a 6 de junho de 2013 AG/RES. 2807 (XLIII-O/13) La Antigua, Guatemala 6 junho 2013 Original: português AG/RES. 2807 (XLIII-O/13)

Leia mais

Pesquisa Perfil das Transgêneros profissionais do sexo que trabalham em espaços públicos do Distrito Federal

Pesquisa Perfil das Transgêneros profissionais do sexo que trabalham em espaços públicos do Distrito Federal Pesquisa Perfil das Transgêneros profissionais do sexo que trabalham em espaços públicos do Distrito Federal ABRIL 2005 Brasília DF A pesquisa quantitativa organizada pelo Estruturação Grupo Homossexual

Leia mais

ENTRE MONAS 1 E AMAPÔS 2 : TRAVESTIS E TRANSEXUAIS NO DEBATE FEMINISTA, QUE LUGAR POSSÍVEL?

ENTRE MONAS 1 E AMAPÔS 2 : TRAVESTIS E TRANSEXUAIS NO DEBATE FEMINISTA, QUE LUGAR POSSÍVEL? ENTRE MONAS 1 E AMAPÔS 2 : TRAVESTIS E TRANSEXUAIS NO DEBATE FEMINISTA, QUE LUGAR POSSÍVEL? THAÍSSA MACHADO VASCONCELOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UFPE thaissamvasconcelos@hotmail.com Um carão

Leia mais

Homem ou mulher, que pergunta é essa?

Homem ou mulher, que pergunta é essa? Módulo III: Sexualidade e Orientação Sexual Unidade I Texto I Homem ou mulher, que pergunta é essa? Ao indagarmos Homem ou mulher, que pergunta é esta?, queremos instigá-la/ lo a aprofundar alguns conceitos

Leia mais

UNIDADE DE CUIDADOS NA COMUNIDADE DE CASTELO BRANCO. Valor da Sexualidade na Adolescência

UNIDADE DE CUIDADOS NA COMUNIDADE DE CASTELO BRANCO. Valor da Sexualidade na Adolescência UNIDADE DE CUIDADOS NA COMUNIDADE DE CASTELO BRANCO Valor da Sexualidade na Adolescência energia que nos motiva a procurar amor, contacto, ternura e intimidade; que se integra no modo como nos sentimos,

Leia mais

Caderno de Orientações Políticas do Elo Diversidade em Rede

Caderno de Orientações Políticas do Elo Diversidade em Rede Caderno de Orientações Políticas do Elo Diversidade em Rede Eu sou contra a tolerância, porque ela não basta. Tolerar a existência do outro é permitir que ele seja diferente ainda é pouco. Quando se tolera,

Leia mais

Jairo Luis Brod QUANDO O LEGISLATIVO NÃO LEGISLA...: O caso do Projeto de lei nº 1.151/1995, que disciplina a união civil entre pessoas do mesmo sexo

Jairo Luis Brod QUANDO O LEGISLATIVO NÃO LEGISLA...: O caso do Projeto de lei nº 1.151/1995, que disciplina a união civil entre pessoas do mesmo sexo Jairo Luis Brod QUANDO O LEGISLATIVO NÃO LEGISLA...: O caso do Projeto de lei nº 1.151/1995, que disciplina a união civil entre pessoas do mesmo sexo Projeto de pesquisa apresentado ao Programa de Pós-Graduação

Leia mais

Documento-quadro das Jornadas. Resistências ao modelo dominante desde a diversidade sexual e de género

Documento-quadro das Jornadas. Resistências ao modelo dominante desde a diversidade sexual e de género Documento-quadro das Jornadas Resistências ao modelo dominante desde a diversidade sexual e de género * Um desafio e uma necessidade O desejo de muitas pessoas e organizações que trabalham na área da cooperação

Leia mais

III SEMINÁRIO INTERNACIONAL ENLAÇANDO SEXUALIDADES 15 a 17 de Maio de 2013 Universidade do Estado da Bahia Campus I Salvador - BA

III SEMINÁRIO INTERNACIONAL ENLAÇANDO SEXUALIDADES 15 a 17 de Maio de 2013 Universidade do Estado da Bahia Campus I Salvador - BA HOMOSSEXUALIDADE NA EDUCAÇÃO BÁSICA: REPRESENTAÇÕES, INVESTIGAÇÕES E FORMAÇÃO DOCENTE Thaís Manoel Nascimento 1 Sandro Prado Santos 2 A questão da sexualidade do outro relacionado ao homossexualismo, pelo

Leia mais

INTRODUCTORY REFLECTIONS ON THE CONCEPT OF GENDER: FEMALE AND MALE

INTRODUCTORY REFLECTIONS ON THE CONCEPT OF GENDER: FEMALE AND MALE REFLEXÕES INTRODUTÓRIAS SOBRE O CONCEITO DE GÊNERO: FEMININO E MASCULINO Adriana Horta de Faria 1 Fernanda Correia Bezerra 2 Josiane Peres Gonçalves 3 RESUMO: Os conceitos de sexo e gênero são geralmente

Leia mais

AS RELAÇÕES DE GÊNERO NA ESCOLA DOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

AS RELAÇÕES DE GÊNERO NA ESCOLA DOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 AS RELAÇÕES DE GÊNERO NA ESCOLA DOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL Introdução MIRTES APARECIDA ALMEIDA SOUSA Universidade Federal de Campina Grande Quando as crianças chegam à escola dos anos iniciais

Leia mais

Banindo a Intolerância: Universo T na mídia e sociedade 1

Banindo a Intolerância: Universo T na mídia e sociedade 1 Banindo a Intolerância: Universo T na mídia e sociedade 1 Emanuela Pereira RIBEIRO 2 Thália Roberta XARABA 3 Luciana Leme Souza e SILVA 4 Centro Universitário de Rio Preto, São Paulo, SP Resumo Esse artigo

Leia mais

GADvS GRUPO DE ADVOGADOS PELA DIVERSIDADE SEXUAL E DE GÊNERO

GADvS GRUPO DE ADVOGADOS PELA DIVERSIDADE SEXUAL E DE GÊNERO Direito à Livre Identidade de Gênero Enunciados da I Jornada de Direito à Saúde, do Conselho Nacional de Justiça do Brasil (aprovados em 14.05.2014) 1 : Enunciado 42. Quando comprovado o desejo de viver

Leia mais

Sexualidade e Gênero. Ana Mendieta - Facial Hair Transplant (1972)

Sexualidade e Gênero. Ana Mendieta - Facial Hair Transplant (1972) Sexualidade e Gênero Ana Mendieta - Facial Hair Transplant (1972) O que nos torna homem ou mulher? Sexo biológico Seu sexo depende basicamente se você nasce com genitais masculinos ou femininos e com um

Leia mais

EDUCAÇÃO AQUENDADA 1 : A VIOLÊNCIA SOCIAL ESCOLAR CONTRA TRAVESTIS E TRANSEXUAIS E SUAS IMPLICAÇÕES NA SUBJETIVIDADE

EDUCAÇÃO AQUENDADA 1 : A VIOLÊNCIA SOCIAL ESCOLAR CONTRA TRAVESTIS E TRANSEXUAIS E SUAS IMPLICAÇÕES NA SUBJETIVIDADE EDUCAÇÃO AQUENDADA 1 : A VIOLÊNCIA SOCIAL ESCOLAR CONTRA TRAVESTIS E TRANSEXUAIS E SUAS IMPLICAÇÕES NA SUBJETIVIDADE Jeferson Renato Montreozol Endereço para correspondência: psicojeferson@yahoo.com.br

Leia mais

Tudo o que você sabe está errado

Tudo o que você sabe está errado trans texto Gabriela Loureiro e Helena Vieira foto julia rodrigues Mulher trans, pesquisadora em Teoria Queer na Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira e transfeminista design

Leia mais

REFLEXÕES DE GÊNERO, SEXUALIDADES, DIVERSIDADE SEXUAL: POSSIBILIDADES E LIMITES NA FORMAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DO SERVIÇO SOCIAL.

REFLEXÕES DE GÊNERO, SEXUALIDADES, DIVERSIDADE SEXUAL: POSSIBILIDADES E LIMITES NA FORMAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DO SERVIÇO SOCIAL. REFLEXÕES DE GÊNERO, SEXUALIDADES, DIVERSIDADE SEXUAL: POSSIBILIDADES E LIMITES NA FORMAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DO SERVIÇO SOCIAL. LUIZA CARLA CASSEMIRO 1 RESUMO: O artigo tem como objetivo explicitar como

Leia mais

ACOLHIMENTO A LGBTTTI EM SERVIÇOS DE SAÚDE: REFLEXÕES SOBRE GÊNERO

ACOLHIMENTO A LGBTTTI EM SERVIÇOS DE SAÚDE: REFLEXÕES SOBRE GÊNERO ACOLHIMENTO A LGBTTTI EM SERVIÇOS DE SAÚDE: REFLEXÕES SOBRE GÊNERO Zannety Conceição Silva do Nascimento 1 Márlon Vinícius Gama Almeida 2 Resumo:A construção social do gênero pode influenciar o cotidiano

Leia mais

CNPJ: / Rua: 19 de Novembro nº 4158 Bairro: Real Copagre Teresina/PI CEP:

CNPJ: / Rua: 19 de Novembro nº 4158 Bairro: Real Copagre Teresina/PI CEP: Relatório de Atividades Ano de 2012 Janeiro Realização da atividade de prevenção a IST/HIV/AIDS, com ato na praça João Luis Ferreira no Centro de Teresina, ação alusiva ao 29 de Janeiro Dia Nacional de

Leia mais

MITOS FACTOS SOBRE A HOMOSSEXUALIDADE

MITOS FACTOS SOBRE A HOMOSSEXUALIDADE MITOS FACTOS SOBRE A HOMOSSEXUALIDADE 2 página deixada em branco intencionalmente Índice 3 01 A homossexualidade é uma doença. 6 02 A homossexualidade não é natural. 7 03 Toda a mulher homossexual quer

Leia mais

Superando o preconceito e a discriminação na escola

Superando o preconceito e a discriminação na escola Superando o preconceito e a 1 Superando o preconceito e a discriminação na escola discriminação na escola 1 Imagem: Produção da Equipe de Educação Básica do Núcleo Regional de Educação de Pitanga/ Juçara

Leia mais

Transgeneridade e feminilidade: uma etnografia acerca do que é ser mulher

Transgeneridade e feminilidade: uma etnografia acerca do que é ser mulher Transgeneridade e feminilidade: uma etnografia acerca do que é ser mulher Dafne Marcelle de Almeida Ramos Campos RESUMO O presente projeto de mestrado visa compreender, através de um olhar etnográfico,

Leia mais

Homofobia: Percepção e aceitação da população picoense com relação a relacionamentos homossexuais.

Homofobia: Percepção e aceitação da população picoense com relação a relacionamentos homossexuais. Homofobia: Percepção e aceitação da população picoense com relação a relacionamentos homossexuais. Eliane Nunes Pereira 1, Hellen Sandy Barros dos Santos 2, Luzilene Maria 3, Pedro Vinícius Lopes 4 Ribeiro,

Leia mais

Proposta de redação: Em pauta, a homofobia. A omissão pode ser sinal de violência.

Proposta de redação: Em pauta, a homofobia. A omissão pode ser sinal de violência. Homofobia Proposta de redação: Em pauta, a homofobia. A omissão pode ser sinal de violência. Homofobia: Ao completo descaso da Constituição Federal, que assegura a todos os brasileiros o exercício dos

Leia mais

PERFORMANCES HOMOAFETIVAS NA MÚSICA AVESSO, DE JORGE VERCILO

PERFORMANCES HOMOAFETIVAS NA MÚSICA AVESSO, DE JORGE VERCILO PERFORMANCES HOMOAFETIVAS NA MÚSICA AVESSO, DE JORGE VERCILO Autor: Valdir Ferreira de Paiva Aluno do PPGE/UFPB/NIPAM Pós Graduação em GDE valdirvfp@outlook.com Coator 1 : Francinaldo Freire da Silva Graduando

Leia mais

A Construção de Gênero pela Indumentária: as roupas e os travestis.

A Construção de Gênero pela Indumentária: as roupas e os travestis. A Construção de Gênero pela Indumentária: as roupas e os travestis. Davi Sombra Montenegro Desde criança nos condicionados a acreditar que calças são para meninos e saias são exclusivas para meninas. Os

Leia mais

Palavras chaves: Homofobia; Educação; Evasão escolar; Sexualidades.

Palavras chaves: Homofobia; Educação; Evasão escolar; Sexualidades. SAINDO DO ARMÁRIO E DA ESCOLA: ÍNDICES E CAUSAS DE EVASÃO DE INDIVÍDUOS NÃO HETEROSSEXUAIS DAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO Yan Faria Moreira IFES-ST yfariam@gmail.com Resumo: Trata-se de um estudo do tipo Survey

Leia mais

SUMÁRIO. Metodologia da pesquisa Universo pesquisado

SUMÁRIO. Metodologia da pesquisa Universo pesquisado Apresentação Toni Reis Especialista em Sexualidade Humana Mestre em Filosofia, na área de ética e sexualidade Doutor e Pós-Doutor em Educação, LGBTfobia nas escolas Integrante dos Fóruns Nacional, Estadual

Leia mais

1. Introdução 1.1 Dados e abordagens

1. Introdução 1.1 Dados e abordagens 1. Introdução As pessoas que se identificam como bissexuais frequentemente sofrem discriminações de pessoas que se identificam como heterossexuais e das que se identificam como homossexuais por não se

Leia mais

Índice. A Verdade Sobre o Prazer Feminino. 5 Obstáculos para o Orgasmo. 4 Atitudes para Facilitar Orgasmos. Guia básico do Orgasmo Feminino

Índice. A Verdade Sobre o Prazer Feminino. 5 Obstáculos para o Orgasmo. 4 Atitudes para Facilitar Orgasmos. Guia básico do Orgasmo Feminino Índice A Verdade Sobre o Prazer Feminino 5 Obstáculos para o Orgasmo 4 Atitudes para Facilitar Orgasmos 04 05 11 Guia básico do Orgasmo Feminino 2 A Verdade Sobre o Prazer Feminino Mulheres gostam tanto

Leia mais

6 Construções de categorias de ser gay

6 Construções de categorias de ser gay 6 Construções de categorias de ser gay Neste capítulo, estão em foco as seguintes perguntas da pesquisa: Que categorias de gênero e/ou sexuais são construídas? Como essas categorias se relacionam com a

Leia mais

NOTAS SOBRE A PROPOSTA DE ESTATUTO DA DIVERSIDADE SEXUAL, APRESENTADO NO ÂMBITO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL

NOTAS SOBRE A PROPOSTA DE ESTATUTO DA DIVERSIDADE SEXUAL, APRESENTADO NO ÂMBITO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL NOTAS SOBRE A PROPOSTA DE ESTATUTO DA DIVERSIDADE SEXUAL, APRESENTADO NO ÂMBITO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL Roger Raupp Rios 1 O debate público sobre iniciativas legislativas acerca de temas relevantes

Leia mais

NOTAS SOBRE A PROPOSTA APRESENTADA NO ÂMBITO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL

NOTAS SOBRE A PROPOSTA APRESENTADA NO ÂMBITO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL NOTAS SOBRE A PROPOSTA APRESENTADA NO ÂMBITO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL Roger Raupp Rios [1] O debate público sobre iniciativas legislativas acerca de temas relevantes é dinâmica salutar e imprescindível

Leia mais

A MARGINALIZAÇÃO DA BISSEXUALIDADE DENTRO DO MOVIMENTO LGBT: ACEITAÇÃO E VISIBILIDADE

A MARGINALIZAÇÃO DA BISSEXUALIDADE DENTRO DO MOVIMENTO LGBT: ACEITAÇÃO E VISIBILIDADE A MARGINALIZAÇÃO DA BISSEXUALIDADE DENTRO DO MOVIMENTO LGBT: ACEITAÇÃO E VISIBILIDADE Luis Alberto Marques Miguel Acadêmico do curso de Direito do Centro de Ciências Jurídicas e Sociais da Universidade

Leia mais

Título: Prevenção x Vulnerabilidades: a atuação do CTA junto à população HSH e Profissionais do Sexo

Título: Prevenção x Vulnerabilidades: a atuação do CTA junto à população HSH e Profissionais do Sexo Título: Prevenção x Vulnerabilidades: a atuação do CTA junto à população HSH e Profissionais do Sexo Autores: Grace do Prado Dan¹; Heloisa de Oliveira¹; Maria de Lurdes Magalhães de Almeida Munhoz¹; Milena

Leia mais

Transitando 1. Amanda RODOVALHO 2 Daniel POMPEU 3 Ellen MELO 4 Nasser PENA 5 Marcel MANO 6 Universidade de Federal de Uberlândia, Uberlândia, MG

Transitando 1. Amanda RODOVALHO 2 Daniel POMPEU 3 Ellen MELO 4 Nasser PENA 5 Marcel MANO 6 Universidade de Federal de Uberlândia, Uberlândia, MG Transitando 1 Amanda RODOVALHO 2 Daniel POMPEU 3 Ellen MELO 4 Nasser PENA 5 Marcel MANO 6 Universidade de Federal de Uberlândia, Uberlândia, MG RESUMO O presente artigo descreve o processo de produção

Leia mais

COMO TER SUA ESPOSA DE VOLTA

COMO TER SUA ESPOSA DE VOLTA COMO TER SUA ESPOSA DE VOLTA Trechos selecionados do livro Estratégias poderosas para fazê-la voltar para você. www.salveseucasamento.com.br Mark Love E-book gratuito Esse e-book gratuito é composto de

Leia mais

Pingos nos Is: A Inclusão Radical e a Comunicação Não Violenta

Pingos nos Is: A Inclusão Radical e a Comunicação Não Violenta Pingos nos Is: A Inclusão Radical e a Comunicação Não Violenta Antes do início dos trabalhos em cada uma das pessoas que compôs a 1ª Conferência Internacional [SSEX BBOX] & Mix Brasil, os mestres de cerimônia

Leia mais

Parada Livre Porto Alegre 2004

Parada Livre Porto Alegre 2004 Parada Livre Porto Alegre 2004 Núcleo de Pesquisa em Antropologia do Corpo e da Saúde (NUPACS - UFRGS) Grupo pela Livre Expressão Sexual (NUANCES) Centro de Estudos de Segurança e Cidadania (CESeC) Centro

Leia mais

Caminhando nas fronteiras do natural: aproximações e limites entre psicanálise e gênero

Caminhando nas fronteiras do natural: aproximações e limites entre psicanálise e gênero Caminhando nas fronteiras do natural: aproximações e limites entre psicanálise e gênero Por Marta Quaglia Cerruti* Minha intenção é problematizar a aplicação do conceito de gênero em psicanálise. Afinal,

Leia mais

A Representação Lésbica na Publicidade 1. Karoline de Souza RIBEIRO 2 Eliane Basílio de OLIVEIRA 3 Centro Universitário Curitiba - UNICURITIBA

A Representação Lésbica na Publicidade 1. Karoline de Souza RIBEIRO 2 Eliane Basílio de OLIVEIRA 3 Centro Universitário Curitiba - UNICURITIBA A Representação Lésbica na Publicidade 1 Karoline de Souza RIBEIRO 2 Eliane Basílio de OLIVEIRA 3 Centro Universitário Curitiba - UNICURITIBA Resumo O objetivo desta pesquisa é realizar, a partir da análise

Leia mais

Travestilidade e transexualidade: o reconhecimento jurídico das identidades sociais

Travestilidade e transexualidade: o reconhecimento jurídico das identidades sociais 126 Travestilidade e transexualidade: o reconhecimento jurídico das identidades sociais (Travesti and transsexuality : the legal recognition of social identities) Adriana Galvão Moura Abílio Centro Universitário

Leia mais

A TERRITORIALIZAÇÃO DE EVENTOS PARA O RECONHECIMENTO DA SEXUALIDADE LGBT s

A TERRITORIALIZAÇÃO DE EVENTOS PARA O RECONHECIMENTO DA SEXUALIDADE LGBT s A TERRITORIALIZAÇÃO DE EVENTOS PARA O RECONHECIMENTO DA SEXUALIDADE LGBT s DAL FORNO, Leandro 1 COSTA, Benhur Pinos da 2 Palavras-chave: Territorialização. Sexualidade. Redes Virtuais. Reconhecimento.

Leia mais

O masculino em crise identitária. Mariana Paula Oliveira

O masculino em crise identitária. Mariana Paula Oliveira O masculino em crise identitária Mariana Paula Oliveira Resumo: Essa investigação se propõe a percorrer a construção subjetiva das identidades de gênero, a fim de tomar em consideração o sofrimento psíquico

Leia mais

ÍNDICE 1 A manifestação pública da luta LGBT 2 Concepções, objetivos e políticas publicas 3 Propostas para políticas públicas municipais

ÍNDICE 1 A manifestação pública da luta LGBT 2 Concepções, objetivos e políticas publicas 3 Propostas para políticas públicas municipais LGBT NOS PROGRAMAS DE GOVERNO MUNICIPAIS DO PT ELEIÇÕES MUNICIPAIS 2008 11 ÍNDICE 1 A manifestação pública da luta LGBT 4 2 Concepções, objetivos e políticas publicas 5 3 Propostas para políticas públicas

Leia mais

KULICK, Don. Travesti: prostituição, sexo, gênero e cultura no Brasil. Rio de Janeiro, Editora FioCruz, páginas. Tradução: César Gordon.

KULICK, Don. Travesti: prostituição, sexo, gênero e cultura no Brasil. Rio de Janeiro, Editora FioCruz, páginas. Tradução: César Gordon. KULICK, Don. Travesti: prostituição, sexo, gênero e cultura no Brasil. Rio de Janeiro, Editora FioCruz, 2008. 280 páginas. Tradução: César Gordon. Érica Rosa HATUGAI E a gente é travesti, a gente não é

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO. Alessandra Maria Bohm

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO. Alessandra Maria Bohm 1 2 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO Alessandra Maria Bohm OS MONSTROS E A ESCOLA: identidade e escolaridade de sujeitos travestis Porto

Leia mais

Dois é Par: uma Referência Fundamental nos Estudos de Gênero e Conjugalidade nas Camadas Médias Urbanas Brasileiras

Dois é Par: uma Referência Fundamental nos Estudos de Gênero e Conjugalidade nas Camadas Médias Urbanas Brasileiras Dois é Par: uma Referência Fundamental nos Estudos de Gênero e Conjugalidade nas Camadas Médias Urbanas Brasileiras MIRIAN GOLDENBERG * HEILBORN, Maria Luiza. Dois é par: gênero e identidade sexual em

Leia mais

Programa: Enquadramento; Dinâmicas e processos associados à violência conjugal; A lei e o combate à violência doméstica questões legais.

Programa: Enquadramento; Dinâmicas e processos associados à violência conjugal; A lei e o combate à violência doméstica questões legais. Programa: Enquadramento; Dinâmicas e processos associados à violência conjugal; A lei e o combate à violência doméstica questões legais. Vídeo: Os tabus sociais na perceção de géneros e papéis sexuais

Leia mais

HOMOSSEXUALIDADE IDENTIDADE E GRAÇA

HOMOSSEXUALIDADE IDENTIDADE E GRAÇA HOMOSSEXUALIDADE IDENTIDADE E GRAÇA SEXUALIDADE E DEUS NÃO COMBINAM MUNDO GREGO pensamento dualista corpo é ruim / espírito é bom MUNDO HEBREU pensamento holístico corpo / mente / alma (Dt 6:4-9) ORÍGENES

Leia mais