Os Escritos como caminho a Francisco

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Os Escritos como caminho a Francisco"

Transcrição

1 Os Escritos como caminho a Francisco Os Escritos de Francisco de Assis são uma fonte inexaurível de riquezas porque seu autor viveu com uma intensidade profunda as mais variadas experiências de abertura a Deus, a todas as classes e situações de pessoas, a todas as criaturas da natureza, a todos os sentimentos e aspirações humanos, a todas as experiências de fé. Essas experiências transparecem nos seus escritos. São a via privilegiada para acessar o coração de nosso santo, porque lhes expõem as vibrações interiores. A esse manancial é imprescindível recorrer cotidianamente para manter viva a seiva do carisma que corre em nossas veias. Encontrar São Francisco de Assis 1 é uma aventura do espírito, doce, forte, inquietante, aventura sempre nova. Às vezes ele nos vem ao encontro como os lugares da nossa infância, onde tudo aparece assim presente, bom, familiar e, ao mesmo tempo, assim distante, perdido. Mas, acima de tudo, mais vivo do que nunca! Francisco é um homem radicalmente enraizado no seu tempo e peregrino do Absoluto. Ele parece inatingível e fora do nosso dia-a-dia. Porém, olhos e corações perseguem-no com estupor de uma pergunta: está Francisco longe de nós ou estamos nós vivendo distantes da verdade de nós mesmos? O mistério de Francisco não é uma novidade. Este fazia, muitas vezes, Francisco ser incompreensível para os seus primeiros companheiros, como nos é descrito pelos Fioretti, quando Frei Masseo de Marignano, homem de grande santidade e discrição, que facilmente falava com Deus e de Deus, e por isso muito amado por Francisco, interpelava o Santo sobre o porquê de ele atrair as pessoas: Fior 10. Francisco, com a sua resposta, corta toda tentação de triunfalismos humanos e responde (Ler o texto: 1505). O mistério de Francisco se encontra e se esconde, assim, no mistério da Graça e nas buscas e realidades históricas das pessoas e do mundo do seu tempo. Em Francisco encontramos a inaudita atualidade de uma figura e de uma mensagem. A ele o nosso tempo está olhando com interesse. Ali, parece, está escondido o mistério ao qual anelamos. Ali, cremos, há o caminho ao mistério, sonho e utopia ínsitos nossos. Francisco repropôs a cada pessoa e ao coletivo a vida do Evangelho de Jesus Cristo. Esta vida enriqueceu, de maneira extraordinária, a humanidade. Para tanto, necessário se faz vivê-lo. O Evangelho deu a Francisco coragem viril e a candura de uma criança, amor filial ao Pai e amor fraterno a cada criatura, senso vivo de uma justiça superior à história do seu tempo e doçura na alma e no corpo no cuidar das chagas dos próprios 1 Cf Carlo Paolazzi, Lettura degli Scritti di Francesco d Assisi, 3-4.

2 2 irmãos. Por um momento, a luz do projeto de Deus, plenamente revelado em Cristo, volta a desposar-se em Francisco com o nosso sonho, mesmo se bruxuleante, sempre vivo de um mundo pacífico e de uma humanidade reconciliada, que procura e conhece e vive a suprema justiça do amor. Nascido de uma experiência de vida, o ideal evangélico franciscano se impõe com força somente quando o encontramos encarnado e vivido por alguém com simplicidade e pureza, como Francisco exigia de si mesmo e dos seus irmãos. A quem, para encontrar Francisco, considera importante os escritos históricos, temos dois caminhos a percorrer. Uma é a das narrações dos Biógrafos, que narram a aventura de Francisco e da sua primeira fraternidade, caminho mais percorrido nesses 800 anos. O outro é escutar o próprio Francisco, através dos seus Escritos. Além da Regra bulada e do Cântico do Irmão Sol, todos os demais Escritos de Francisco ficaram no esquecimento. Francisco, a partir dos seus escritos, ficou esquecido, também porque, no seu Testamento, ele se autodefine simples e iletrado. Nos últimos anos, para conhecer Francisco, os olhos e a atenção se voltaram para os seus Escritos. Hoje sabemos que os Escritos são a Fonte primeira para encontrarmos a sua interioridade e sua identidade profundas e o seu projeto de vida evangélica (óbvio, sempre é importante manter a relação com as Biografias). O caminho dos Escritos, que são breves, é muito mais difícil e austero. Este caminho nos obriga a esquecer as cores afetuosas, heróicas de tantas páginas biográficas para descer até o coração de Francisco, redesenhando o mundo e a vida com os seus olhos e as suas palavras: o caminho do seu rezar e louvar, das trevas juvenis de São Damião até o êxtase do Alverne; suas cartas, Admoestações... o seu grande projeto de fraternidade segundo a forma do santo Evangelho, que encontramos nas Regras, empenho particular de Francisco, desafio à Igreja e para nós, hoje. Para chegarmos a Francisco, precisamos ter claro que saber ou entender não basta, é necessário viver o Evangelho para entender Francisco e a sua proposta. Estudo dos Escritos de São Francisco: Sirvo- me de: - Fontes Franciscanas : Frei José Carlos Pedroso, OFMCap. - Algum estudo, texto de Frei Aldir Crocoli, OFMCap. - Estudos de Frei Inácio Dellazari, OFM. - Estudos e pesquisas meus (Exp. Assis 2007 e agora).

3 3 1. O que são Fontes ou uma Fonte? Água. Beber da Fonte, na fonte e não água tratada, ou de reservatório. Todo estudo sério e histórico precisa ir às Fontes. Bíblia: estudar e conhecer bem línguas e a terra Santa, e ter o pensar de Deus, entrar nele, ocupar-se com ele. Falando em FF, queremos saber qual a melhor forma de ter informações genuínas sobre São Francisco de Assis e o movimento franciscano. Francisco nunca foi tão conhecido como hoje. Mas foi só no fim do século XIX que se começou a trabalhar o material franciscano a partir das fontes garantidas, autênticas. Antes, era comum usar uma metodologia popular, que só visava a divulgação. 1. Fontes. Fontes históricas são documentos de qualquer tipo em que possamos descobrir de maneira direta os fatos passados pelos quais estamos interessados. Muitas vezes são importantes também documentos indiretos, que são antigos e se basearam nas fontes. Na verdade, são subsídios para o estudo. Mas os subsídios adquirem valor de fontes se os documentos mais antigos em que foram baseados tiverem sido perdidos Tipos de Fontes. Há dois tipos principais de Fontes: os vestígios e os testemunhos. Os vestígios foram deixados inconscientemente. Vestígios são, por exemplo, objetos (ossos, utensílios, armas...) ou tradições (como instituições, usos, costumes, ritmos de vida...) ou mesmo escritos (como acordos políticos, anotações pessoais ou comerciais...). Os testemunhos foram deixados por pessoas que quiseram passar alguma coisa para a história. Estes podem ser mudos, orais ou escritos. Em geral são mais claros e reveladores, mas podem não ser tão originais, porque nós sempre julgamos e selecionamos o que comunicamos. É como que uma interpretação. Testemunhos mudos são, por exemplo, os monumentos, os ritos que se instituíram para preservar a história. Testemunhos orais são, por exemplo, mitos, provérbios, cânticos... Os testemunhos escritos costumam ser os mais importantes e são constituídos geralmente por narrativas, documentários ou expressões de atividades artísticas As Fontes Franciscanas. Nesta Experiência Assis nós iremos entrar em contato com várias das Fontes Franciscanas: Vestígios e os testemunhos (fontes mudas, como

4 4 as grutas, monumentos; Fontes orais (não teremos) e Escritos que também podem ser tendenciosos, pois sempre se escolhe o que se quer falar ou escrever). Aqui vamos nos ater aos documentos escritos e que podemos dividir em 3 grandes secções: os Escritos de S. Francisco, as Biografias e as Crônicas. Vamos dar a lista completa e alguma apresentação das mais importantes. 2. Os Escritos de São Francisco 2.1. Introdução. O que não são: - um programa apresentado por Francisco; - definições do que ele pensava; - o que queria que os outros pensassem; - um pensar abstrato ou intelectual. Francisco não é intelectual. O que são: o que Francisco escreveu é o transbordamento do que ele sentia diante de Deus, das pessoas e da criação. A Deus ele celebra, canta a criação, exorta as pessoas. Frei Dorvalino Fassini opina: Fonte é mais do que o texto em seu sentido historiográfico. A Fonte, que se encarnou em Jesus Cristo, irrompe também em Francisco, Clara, Egídio, Junípero e em cada vocacionado à Vida Franciscana. (...) Por isso, vai-se ao texto não pra ver Francisco, mas para descobrir como ele se historiou com a Fonte. O que é importante para nós: é que nesses Escritos nós auscultamos, apalpamos e entramos em contato com a sua experiência viva, com a sua personalidade, com suas intenções, com a graça das origens. É assim que encontramos nele uma proposta de vida. É importante não se limitar aos Escritos. Todas as Fontes, mesmo exigindo uma leitura crítica e atenta, são necessárias para entendê-lo, no seu tempo, na sua terra. Ajudam-nos a colher a sua Forma Vitae, ou como diz a velha antífona: Forma minorum!. É óbvio que todos os estudos que nos ajudam a compreender a Idade Média são de ajuda, ou até fundamentais. Os Escritos precisam ser lidos, meditados, rezados e assimilados. É preciso ter calma, reverência. Muita escuta e desejo de interagir. Cada Escrito se torna muito pobre e reduzido se não for bebido no conjunto de todos os outros. Francisco sabia escrever (atestam-no os seus Autógrafos). Não sabia o latim erudito. Escreveu e ditou ou fez escrever. Alguns textos são bem originais e outros ricamente adornados com citações bíblicas: encarregava irmãos para adorná-los, como é o caso da Rnb e da CtaM. Geralmente ditava a um irmão, e, possivelmente, ditava no

5 5 seu dialeto e o escrivão (um irmão perito na arte da escrita) já ia escrevendo no latim que conhecia Quais são? Os Escritos que hoje possuímos são pouco mais de trinta, trinta e oito (nas nossa FF são 36 Não registram a Bênção a Santa Clara (Ep 108), a Carta aos Frades Franceses esta só é testemunhada na Crônica de Tomás de Ecleston) e a Carta a Frei Jacoba (há alusão na 3Cel 37). É muito para quem se auto-definiu ignorans et idiota (ctao 39: Ignorante e iletrado; Test 19; PA 11; 1Cel 27,1; TC 36,3). Ver também nas FF, à página Exortações (são 3): - Admoestações - Testamento - Cântico Ouvi, pobrezinhas! Proposta de vida, textos legislativos (são 6): - Regra não bulada - Regra bulada - Regra para os Eremitérios - Forma de Vida para Santa Clara - Última Vontade para Santa Clara - Fragmentos de outra Regra não bulada Cartas (são 11): - Primeira Cara aos Fiéis - Segunda Carta aos Fiéis - Primeira Carta aos Custódios - Segunda Carta aos Custódios - Primeira Carta aos Clérigos - Segunda Carta aos Clérigos - Cara a toda a Ordem - Carta ao Ministro - Carta aos Governantes dos povos - Carta ao Frei Leão - Carta a Santo Antônio

6 Orações (são 10): - Oração diante do Crucifixo - Exortação ao Louvor de Deus - Louvores para todas as Horas - Ofício da Paixão - Exposição sobre o Pai Nosso - Bênção a Frei Leão - Louvores a Deus Altíssimo - Saudação à Beata Virgem Maria - Saudação às Virtudes - Cântico de Frei Sol Fragmentos em outros livros: - Bênção a Frei Bernardo - Testamento de Sena - Ditado da Verdadeira e Perfeita Alegria - Carta aos Bolonheses - Carta a Santa Clara sobre o Jejum e - Bênção a Santa Clara - Carta a Frei Jacoba - Carta aos Frades Franceses E tem ainda os não autênticos ou inseguros, entre estes: a Oração simples pela paz (que surgiu na França em 1914) Francisco autor? Há uma grande variedade de modalidades nas quais Francisco passa por autor: a) Algumas vezes ele escreveu diretamente, sem auxílio de ninguém e de próprio punho (BLe, CtaL). b) Outras vezes escreveu sozinho, mas ditando o conteúdo a um secretário. É o caso das orações, CISol. c) Ou alguém simplesmente anotava o que Francisco falava (Adm) e não sabemos se ele revisou os textos ou não. d) Em outras, ele escreveu ou ditou o que fora debatido por um grupo (Testamento) ou em um capítulo. Ou ainda, um assunto fora debatido com Francisco e alguém escreveu. Este é o caso da Rnb. As informações de que Cesário de Espira teria acrescentado textos bíblicos atualmente já não é pacífica, pois certos textos são o próprio conteúdo central. e) Outras vezes ainda ele praticamente nada pôs de próprio, apenas recolheu citações bíblicas (Ofp). Neste caso, sua espiritualidade se revela (e muito) na seleção feita dos testos.

7 f) Por fim, fez o primeiro esboço da Rb. No texto trabalharam també]m Frades e a Cúria Romana. Todas estas são formas de autoria. Francisco escreveu em latim. Dois textos no italiano vulgar: CISol e OCr História dos Escritos. 7 Falávamos, acima, de Forma minorum. Com esta expressão se atinge o âmago da vida franciscana. A Regra não é a forma, ou seja, o modo, o como, o todo e o elemento constitutivo dessa vida. Esta encontramos na figura viva de nosso pai comum, Francisco, que por sua vida e por sua exuberante personalidade representa o tipo original e o modelo perene da vida franciscana, o ponto de referência para quem recebeu o dom da vida franciscana. Como é que os Escritos de São Francisco chegaram até nós? Dizem nossas FF (p. 14) que desde muito cedo, houve, por parte dos Frades Menores, grande interesse em recolher tudo aquilo que São Francisco escreveu ou mandou escrever. Assim foram surgindo escritos, Manuscritos que recolhiam tudo o que havia sobre o santo, em particular o que viera dele, inclusive alguns mosteiros dos Beneditinos foram copiando e anexando alguns textos de Francisco aos seus Manuscritos. Frei Caetano Esser, na segunda metade do séc. XX examinou os Escritos de São Francisco, entrou em contato com mais do que uma centena de Manuscritos. Vários, destes, provém do século XIII, sendo o mais importante o códice 338 da Biblioteca Comunal de Assis (Metade do Séc.). Fazer coletâneas era normal: Francisco era importante e o Movimento Franciscano forte e de projeção na Igreja e nas Universidades; São Francisco tinha incentivado os destinatários de seus escritos a fazerem cópias, a guardá-los na memória e a colocá-los em prática (CtaG, seu final; final da ctao; final da ctacl e ctacust). Assim, grande é o número de Manuscritos que trazem coletâneas, umas mais completas e outras menos dos Escritos do Santo. Ao longo do primeiro século franciscano houve uma verdadeira proliferação destas coletâneas (foram copiadas). Alguns têm uma documentação muito antiga, outros constam de coleções medievais, e outros foram descobertos há bem pouco tempo. Sua apresentação: 1) os testemunhos mais antigos; 2) as coleções medievais; 3) outras descobertas Os testemunhos mais antigos: a) Autógrafos (saíram das mãos de Francisco): são 3: a Bênção a Frei Leão e os Louvores a Deus Altíssimo, estão nos dois lados de um mesmo pergaminho, conservado e exposto na Basílica de S. Francisco em Assis. A Carta a Frei Leão, está

8 8 exposta na catedral de Espoleto. São pergaminhos pequenos, que Frei Leão guardou no seu hábito até o fim da vida. Pergaminhos: é de couro. Papiro: de planta. Trapo: pano (China). b) O códice B. 24 da Biblioteca Vallicelliana em Roma. Pertence à Abadia do Subiaco e contém um missal em que se transcreveu (entre os anos 1219 e 1238) a Primeira Carta aos Clérigos. É o códice mais antigo com um Escrito de Francisco. Contém o sinal Tau com a cabeça, como na Bênção a Frei Leão. c) Um sermão de 1231: Pregando aos universitários de Paris, no dia 13 de julho de 1231, um dominicano citou a Admoestação 6, atribuindo-a explicitamente a S. Francisco As coleções medievais. Há 4 coleções antigas, já estudadas por Paul Sabatier ( ) e Sofrônio Clasen OFM (+1975). a) O Códice 338 de Assis: Pertencia ao Sacro Convento de Assis e foi seqüestrado em 1810, passando a pertencer ao governo italiano, que desde 1981, permitiu que voltasse a ser guardado no convento. Foi escrito por frades do Sacro Convento antes de 1279, metade do século. b) A compilação de Avinhão. Trabalho de um Frade que, por volta do ano 1340, reuniu informações sobre o Santo que não constavam na Legenda Maior. c) O grupo da Porciúncula. São 8 manuscritos feitos por copistas profissionais, provenientes dos conventos da estrita observância. São do século XIV, um deles certamente antes de d) O grupo do norte ou da província da Colônia. São 11 manuscritos, feitos por profissionais, fora da Ordem: cônegos regulares ou crucíferos. São do fim do século XIV ou do começo do século XV. Estes grupos somam uns 30 códices, que constituem a base de quase todos os outros manuscritos conhecidos. Todas essas coleções apresentam as Admoestações, a 2CtaF, a CtaO e a SV. As 3 primeiras dão também a Regra bulada e o Testamento. Assis, Avinhão e Norte dão também a REr e os LH. Avinhão e Porciúncula trazem a BL e a SBVM. Assis e Avinhão dão o OP e o CIS. Só Avinhão traz a OC e a CtaA. Só Porciúncula tem a CtaM e Rnb. Avinhão dá um pedacinho do cap. 16 da Rnb.

9 Outras descobertas. Há também algumas coleções conservadas em códices do século XIV e XV. A mais importante está guardada no Antonianum de Roma. Numerosos manuscritos só dão um ou dois Escritos, em geral a Rb e o Test. Todos estes pergaminhos foram descobertos nos últimos anos do séc. XIX ou no século XX. Ouvi, pobrezinhas só foi descoberto em 1976, por Giovanni Boccali, após indicações das Clarissas Edições impressas. Nos tempos modernos as edições dos Escritos de Francisco estão ligadas a estudiosos que as publicaram. Eis os mais importantes: 1) Lucas Wadding: fez a primeira edição desde a invenção da imprensa (uma coleção não sistemática). É um frade irlandês que publicou os Annales Minorum. Usou a palavra Opusculos (obrinhas). Hoje falamos em Escritos. Este livro era enorme e tinha 710 páginas. Ele como que recolheu tudo o que tinha. Não precisou pela autenticidade e nem pela sistemática. A primeira tradução de Escritos de S. Francisco foi Francesa, ) Paulo Sabatier: é um pastor protestante e escreveu uma Vida de São Francisco, em Estudou os pergaminhos que falavam de Francisco e revolucionou as buscas franciscanas, já muito insatisfeitas com a coleção de Wadding por ter incluído obras legítimas juntamente com outras inseguras ou apócrifas. As publicações de Sabatier animou outros estudiosos e pesquisar e rever os Escritos de São Francisco e as Fontes históricas. A questão franciscana movimentou os estudiosos. A partir disto começaram, já no século XX a aparecer edições críticas. 3) Leonardo Lemmens (franciscano ), publicação dos estudiosos de Quaracchi, perto de Florença. Limitou-se aos escritos em latim, logo não incluiu o Cântico de Frei Sol, cujo original era em italiano, e estava no códice 338, usado por ele. Heinrich Boehmer (leigo ), de Tübingen. Apresenta a história dos Escritos, a edição de Wadding e distingue os diversos escritos do Santo. A partir destas os Escritos de Francisco ficaram já bem reduzidos. Sabatier colaborou com os dois, que estudaram separadamente, mas a conclusão é muito próxima. 4) Caetano Esser (edição crítica é de Viveu de ). Nos primeiros decênios do século XX os estudiosos encontravam muitos novos manuscritos. Estava em alta a Questão Franciscana. Os Escritos foram cada vez melhor conhecidos. Esser fez sua tese sobre o Testamento. Comparou um por um os pergaminhos que traziam o texto. Foi percebendo a dependência entre os diversos códices e estabeleceu a base para uma edição crítica. Continuou a estudar todos os escritos do Santo. Conseguiu reunir 196 códices que continham os Escritos, sem contar mais 56 que só tinham a Regra não bulada e o Testamento. Em 1976 saíram duas edições críticas: a de Esser e a

10 10 outra de João Boccali, ofm. Este publicou uma concordância dos Escritos de Francisco e de Santa Clara. O texto de Esser serviu de base para as traduções modernas. 5) Em 2001 (25 anos depois) foi celebrado um Congresso em cima dessa edição e foi tomada a decisão de manter esta Edição, mas também se decidiu publicar um anexo com várias modificações e melhoramentos. Este trabalho continua. Sempre avançamos e melhoramos. No Brasil, em 2004 fomos contemplados com uma nova edição das FF com os textos de Francisco e de Clara e das principais fontes do primeiro século franciscano. 6) Uma nova edição. Em 1995 as Edizioni Porziunola, de Assis apresentaram as Fontes Franciscani (latim). São páginas em papel bíblia. Traz todas as Fontes mais importantes, com preciosas introduções atualizadas (traz os Escritos, a Legenda e o Processo de Santa Clara). É edição na versão crítica. 7) 2009: Edizione critica, a cura di Carlo Paolazzi, ofm. Francesco d Assisi. Scritti. Para celebrar o 8º Centenário da Aprovação da Forma de vida Para se ter uma idéia de como se faz uma edição crítica. O fundamental é estudar todos os pergaminhos antigos para chegar a estabelecer um texto seguro, isto é, o mais próximo possível do que foi escrito no tempo de S. Francisco. Quanto mais velho o pergaminho mais próximo do texto verdadeiro, é princípio válido (caso o códice 338 de Assis), mas nem sempre garantido. Um texto intermediário pode ter copiado com maior autenticidade. Então, para termos uma idéia, há regras que foram estabelecidas: 1. O latim menos certo ou textos com os italianismos não corrigidos. 2. Alguns textos estavam decorados (Testamento e Regra): é preferível a forma diferente. 3. A Ordem mudou muito e certas expressões sobre a vida fraterna não se entendiam mais. Então o costume era tomar outra palavra em uso. Aqui é importante o conhecimento da história, pode ajudar a perceber o texto corrigido. 4. A linguagem teológica de Francisco e companheiros é anterior à Escolástica. O texto mais antigo é o menos correto, ou com linguagem certamente mais antiga. 5. S. Francisco usava uma prosa despojada, sem belezas de estilo. Entre um pergaminho que tem um texto mais bonito e outro com linguagem mais rude, é preciso ficar com o menos bonito.

11 Datação dos Escritos. Conforme página 18s das nossas Fontes Franciscanas e Clarianas Metodologia de leitura. Para uma metodologia mais científica de leitura importa ter presente as diversas formas em que Francisco foi autor. Isso interfere na compreensão. Ter presente o momento cronológico ou psicológico, pessoal em que elaborou: é ver o texto, contexto e pretexto. Há sempre um porquê e um para quê. Francisco é homem longe das ambições literárias, mas, por sua origem, é mercador dotado de inato espírito prático, no agir, no falar, no escrever. Cada palavra é importante: pode fechar um negócio ou perdê-lo! Ligado ao seu mundo interior, a palavra de Francisco é instrumento ágil e segura que está direcionada ao objetivo. Para não fazer uma leitura fundamentalista, é importante fazer umas perguntas: quando; por que (Francisco responde a qual situação; o que se passava com Francisco (contexto pessoal). É importante ainda saber desde onde se lê, isto é: a partir de que lugar social. Assim, não existe uma leitura neutra. Certas dimensões do conteúdo apenas quem vive a experiência poderá perceber. Ter cuidado de não ler os Escritos com a idéia de mito de Francisco que as biografias nos passaram (Fioretti) Em grupos: 1) Admoestações. Ler, conforme acima, e Admoestação VI. Tentar evidenciar quando foi escrito, o que estava acontecendo, o problema entre os Frades que Francisco procura sanar. A espiritualidade do texto, e qual o Escrito onde o mesmo tema é abordado: ler no contexto, com a maneira de pensar de Francisco. Atualizar. 2) Testamento: ler, conforme acima; tomar um parágrafo do Testamento: o que Francisco quer confirmar ou corrigir; o que estava acontecendo. A espiritualidade do texto e onde Francisco tem voltado a este tema? Ler no contexto. Atualizar. 3) Ouvi, pobrezinhas: ler, conforme acima. Ler o texto, entender o que estava acontecendo com a Clarissas em São Damião e a preocupação de Francisco. Perceber

12 12 o jeito de Francisco falar com as Irmãs. Espiritualidade no contexto dos demais Escritos. Atualizar. 4) Regra bulada: Ler, conforme acima. Tomar o cap. IX. Quais dificuldades havia na vida da Fraternidade? Perceber o jeito de Francisco, as palavras que usa, sua firmeza. Entender a espiritualidade do texto com outros Escritos. Atualizar. 5. Regra não bulada. Ler, conforme acima. Tomar o cap. V, Quais dificuldades havia na vida da Fraternidade? Perceber o jeito de Francisco, as palavras que usa, sua firmeza. Entender a espiritualidade do texto com outros Escritos. Atualizar. 6. Regra para os Eremitérios. Ler, conforme acima. O porquê deste texto. Quais dificuldades havia na vida da Fraternidade? Perceber o jeito de Francisco, as palavras que usa, sua energia e convicção. Entender a espiritualidade do texto com outros Escritos. Atualizar. 7. Forma de Vida para Santa Clara. Ler, conforme acima. Essencialmente, o que Francisco diz? Quais dificuldades havia na Fraternidade, ou qual segurança quer transmitir? Perceber o jeito de Francisco, as palavras que usa, o seu coração de mãe. Entender a espiritualidade do texto com outros Escritos. Atualizar. 8. 2ctaF. Ler, conforme acima. Tomar os vv Quais dificuldades havia entre os Irmãos e Irmãs da Penitência? Perceber o jeito de Francisco, as palavras que usa, sua firmeza. Entender a espiritualidade do texto com outros Escritos. Atualizar.

Sumário. Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9. Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15. Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33

Sumário. Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9. Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15. Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33 1 a Edição Editora Sumário Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9 Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15 Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33 Santos, Hugo Moreira, 1976-7 Motivos para fazer

Leia mais

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa.

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Encontro com a Palavra Agosto/2011 Mês de setembro, mês da Bíblia 1 encontro Nosso Deus se revela Leitura Bíblica: Gn. 12, 1-4 A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Boas

Leia mais

Lição Oito. O Culto a Deus. Que É Culto? adoração da parte da pessoa que pensa acerca de Deus. O culto é a reação humana à glória,

Lição Oito. O Culto a Deus. Que É Culto? adoração da parte da pessoa que pensa acerca de Deus. O culto é a reação humana à glória, Livro 1 página 57 Lição Oito O Culto a Deus Que É Culto? O culto é o ato de reconhecer a Deus por quem Ele é. Inclui uma atitude de reverência, devoção e adoração da parte da pessoa que pensa acerca de

Leia mais

Informativo da Congregação Pobres Servos da Divina Providência Delegação Nossa Senhora Aparecida. Permanece conosco

Informativo da Congregação Pobres Servos da Divina Providência Delegação Nossa Senhora Aparecida. Permanece conosco Notícias de Família Informativo da Congregação Pobres Servos da Divina Providência Delegação Nossa Senhora Aparecida 06 JUNHO 2014 Permanece conosco Vivemos dias de graça, verdadeiro Kairós com a Celebração

Leia mais

A Regra daterceira Ordem da Sociedade de São Francisco iii) Ordem para Admissões e Renovações I. O CONVITE

A Regra daterceira Ordem da Sociedade de São Francisco iii) Ordem para Admissões e Renovações I. O CONVITE A Regra daterceira Ordem da Sociedade de São Francisco iii) Ordem para Admissões e Renovações como ordenado pelo Capítulo Interprovincial da Terceira Ordem na Revisão Constitucional de 1993, e subseqüentemente

Leia mais

Explicação da Missa MISSA

Explicação da Missa MISSA Explicação da Missa Reunidos todos os catequizandos na Igreja, num primeiro momento mostram-se os objetos da missa, ensinam-se os gestos e explicam-se os ritos. Em seguida celebra-se a missa sem interrupção.

Leia mais

LIÇÃO 5 INTERPRETAÇÃO 2ª PARTE INTRODUÇÃO

LIÇÃO 5 INTERPRETAÇÃO 2ª PARTE INTRODUÇÃO 29 LIÇÃO 5 INTERPRETAÇÃO 2ª PARTE INTRODUÇÃO No capítulo anterior falamos sobre as regras de interpretação e a necessidade de conhecermos o contexto de uma passagem e também da importância das palavras.

Leia mais

O Canto Litúrgico. Como escolher os cantos para nossas celebrações?

O Canto Litúrgico. Como escolher os cantos para nossas celebrações? O Canto Litúrgico Como escolher os cantos para nossas celebrações? O que é Liturgia? Liturgia é antes de tudo "serviço do povo", essa experiência é fruto de uma vivencia fraterna, ou seja, é o culto, é

Leia mais

Lição 3 O Plano de Deus Para os Obreiros

Lição 3 O Plano de Deus Para os Obreiros Lição 3 O Plano de Deus Para os Obreiros O António estudou as razões por que os crentes da Igreja primitiva se reuniam. Observou que muitos tipos de necessidades reuniam os crentes a necessidade de ensino,

Leia mais

IGREJA DE CRISTO INTERNACIONAL DE BRASÍLIA ESCOLA BÍBLICA

IGREJA DE CRISTO INTERNACIONAL DE BRASÍLIA ESCOLA BÍBLICA IGREJA DE CRISTO INTERNACIONAL DE BRASÍLIA ESCOLA BÍBLICA MÓDULO I - O NOVO TESTAMENTO Aula XXII A PRIMEIRA CARTA DE PEDRO E REFLEXÕES SOBRE O SOFRIMENTO Até aqui o Novo Testamento tem dito pouco sobre

Leia mais

Lição 8 Trabalhar com Líderes

Lição 8 Trabalhar com Líderes Lição 8 Trabalhar com Líderes Já havia mais de um ano que o António se tornara membro da sua igreja. Ele tinha aprendido tanto! Começou a pensar nos líderes da igreja que o tinham ajudado. Pensava naqueles

Leia mais

#62. O batismo do Espírito Santo (continuação)

#62. O batismo do Espírito Santo (continuação) O batismo do Espírito Santo (continuação) #62 Estamos falando sobre alguns dons do Espírito Santo; falamos de suas obras, dos seus atributos, como opera o novo nascimento e, por último, estamos falando

Leia mais

PROVÍNCIA MARISTA DO BRASIL NORTE

PROVÍNCIA MARISTA DO BRASIL NORTE PROVÍNCIA MARISTA DO BRASIL NORTE Espiritualidade Apostólica Marista Ir. José Milson de Mélo Souza Ano de Deus Pai LADAINHA DE SÃO MARCELINO CHAMPAGNAT (Ir. José Milson) V. Senhor, tende piedade de nós.

Leia mais

A Palavra de Deus. - É na Palavra de Deus que o homem encontra o conhecimento a respeito da Vida, de onde viemos e onde vamos viver a eternidade.

A Palavra de Deus. - É na Palavra de Deus que o homem encontra o conhecimento a respeito da Vida, de onde viemos e onde vamos viver a eternidade. A Palavra de Deus 2 Timóteo 3:16-17 Pois toda a Escritura Sagrada é inspirada por Deus e é útil para ensinar a verdade, condenar o erro, corrigir as faltas e ensinar a maneira certa de viver. 17 E isso

Leia mais

AS OBRAS DE MISERICORDIA 1. OBRAS DE MISERICÓRDIA CORPORAIS

AS OBRAS DE MISERICORDIA 1. OBRAS DE MISERICÓRDIA CORPORAIS 1 AS OBRAS DE MISERICORDIA «É meu vivo desejo que o povo cristão reflicta, durante o Jubileu, sobre as obras de misericórdia corporal e espiritual. Será uma maneira de acordar a nossa consciência, muitas

Leia mais

Igreja Amiga da criança. Para pastores

Igreja Amiga da criança. Para pastores Igreja Amiga da criança Para pastores Teste "Igreja Amiga da Criança" O povo também estava trazendo criancinhas para que Jesus tocasse nelas. Ao verem isso, os discípulos repreendiam aqueles que as tinham

Leia mais

NOVENA DE NATAL 2015. O Natal e a nossa realidade. A jovem concebeu e dará à luz um filho, e o chamará pelo nome de Emanuel.

NOVENA DE NATAL 2015. O Natal e a nossa realidade. A jovem concebeu e dará à luz um filho, e o chamará pelo nome de Emanuel. NOVENA DE NATAL 2015 O Natal e a nossa realidade A jovem concebeu e dará à luz um filho, e o chamará pelo nome de Emanuel. (Is 7,14) APRESENTAÇÃO O Natal se aproxima. Enquanto renovamos a esperança de

Leia mais

FESTA DO Pai-Nosso. 1º ano. Igreja de S. José de S. Lázaro. 7 de Maio de 2005

FESTA DO Pai-Nosso. 1º ano. Igreja de S. José de S. Lázaro. 7 de Maio de 2005 FESTA DO Pai-Nosso Igreja de S. José de S. Lázaro 1º ano 1 7 de Maio de 2005 I PARTE O acolhimento será feito na Igreja. Cada criança ficará com os seus pais nos bancos destinados ao seu catequista. Durante

Leia mais

A Bíblia é para nós, cristãos, o ponto de referência de nossa fé, uma luz na caminhada de nossa vida.

A Bíblia é para nós, cristãos, o ponto de referência de nossa fé, uma luz na caminhada de nossa vida. LITURGIA DA PALAVRA A Palavra de Deus proclamada e celebrada - na Missa - nas Celebrações dos Sacramentos (Batismo, Crisma, Matrimônio...) A Bíblia é para nós, cristãos, o ponto de referência de nossa

Leia mais

OBLATOS ORIONITAS. linhas de vida espiritual e apostólica

OBLATOS ORIONITAS. linhas de vida espiritual e apostólica OBLATOS ORIONITAS linhas de vida espiritual e apostólica Motivos inspiradores da oblação orionita laical O "carisma" que o Senhor concede a um fundador, é um dom para o bem de toda a Igreja. O carisma

Leia mais

NOVENA COM AS CRIANÇAS NOSSA SENHORA APARECIDA 2015

NOVENA COM AS CRIANÇAS NOSSA SENHORA APARECIDA 2015 1 2 COM MARIA, EM JESUS, CHEGAMOS À GLÓRIA! 5º Dia (Dia 07/10 Quarta-feira) CRIANÇA: BELEZA DA TERNURA DIVINA! Na festa de Maria, unidos neste Santuário, damos graças a Deus, por meio de Maria, pela vida

Leia mais

O seu conceito das religiões é como o seguinte quadro?

O seu conceito das religiões é como o seguinte quadro? ...as religiões? Sim, eu creio que sim, pois não importa a qual religião pertença. O importante é apoiar a que tem e saber levá-la. Todas conduzem a Deus. Eu tenho minha religião e você tem a sua, e assim

Leia mais

Oração na Vida Diária

Oração na Vida Diária Oração na Vida Diária ocê é convidado a iniciar uma experiência de oração. Às vezes pensamos que o dia-a-dia com seus ruídos, suas preocupações e sua correria não é lugar apropriado para levantar nosso

Leia mais

Tema 5: Vocação - um novo relacionamento Você também é Marista?

Tema 5: Vocação - um novo relacionamento Você também é Marista? Tema 5: Vocação - um novo relacionamento Você também é Marista? VOCÊ TAMBÉM É MARISTA? Um novo jeito de ser Marista: Na emergência de um novo tempo para o carisma Marista INTRODUÇÃO O relacionamento entre

Leia mais

RELATÓRIO DAS REUNIÕES NA ÁFRICA POR BRIAN KOCOUREK

RELATÓRIO DAS REUNIÕES NA ÁFRICA POR BRIAN KOCOUREK RELATÓRIO DAS REUNIÕES NA ÁFRICA POR BRIAN KOCOUREK Relatório das Reuniões em Mbanza Ngungu 2012 30 de agosto - 2 de setembro INTRODUÇÃO: Em setembro de 2007, durante as reuniões do irmão Brian em Mbanza

Leia mais

Diz respeito ao que vamos realizar em Cristo, pelo poder do Espírito Santo para cumprir a nossa missão:

Diz respeito ao que vamos realizar em Cristo, pelo poder do Espírito Santo para cumprir a nossa missão: II) NOSSA VISÃO Diz respeito ao que vamos realizar em Cristo, pelo poder do Espírito Santo para cumprir a nossa missão: A) Adorar a Deus em espírito e verdade Queremos viver o propósito para o qual Deus

Leia mais

ENCONTRO COM A PALAVRA

ENCONTRO COM A PALAVRA CURSO BÍBLICO INTERNACIONAL ENCONTRO COM A PALAVRA O EVANGELHO DE JOÃO (VERSÍCULO POR VERSÍCULO) (Capítulos 1-10) Apostilas 23, 24 e 25 PR. DICK WOODWARD Toda glória e honra ao Senhor nosso Deus! Este

Leia mais

Você quer ser um Discípulo de Jesus?

Você quer ser um Discípulo de Jesus? Você quer ser um Discípulo de Jesus? A História do povo de Israel é a mesma história da humanidade hoje Ezequel 37:1-4 Eu senti a presença poderosa do Senhor, e o seu Espírito me levou e me pôs no meio

Leia mais

O ENCONTRO DE CATEQUESE E SUA DINÂMICA

O ENCONTRO DE CATEQUESE E SUA DINÂMICA O ENCONTRO DE CATEQUESE E SUA DINÂMICA Nestes últimos anos tem-se falado em Catequese Renovada e muitos pontos positivos contribuíram para que ela assim fosse chamada. Percebemos que algumas propostas

Leia mais

A palavra APOCALIPSE vem do grego e significa REVELAÇÃO. O livro não revela o fim do mundo, mas trata-se de um livro sobre as revelações de Jesus

A palavra APOCALIPSE vem do grego e significa REVELAÇÃO. O livro não revela o fim do mundo, mas trata-se de um livro sobre as revelações de Jesus - Oi, dona Jurema, como vai? - Tudo bem, e o senhor? - Dona Jurema, a senhora que lê a Bíblia, do que mais gosta? - Ah! Gosto do Apocalipse. O meu entendimento é fraco, mas, esse livro me traz conforto

Leia mais

Curso de Discipulado

Curso de Discipulado cidadevoadora.com INTRODUÇÃO 2 Este curso é formado por duas partes sendo as quatro primeiras baseadas no evangelho de João e as quatro últimas em toda a bíblia, com assuntos específicos e muito relevantes

Leia mais

ESTUDOS NO EVANGELHO DE JOÃO

ESTUDOS NO EVANGELHO DE JOÃO ESTUDOS NO EVANGELHO DE JOÃO ESTUDO 1 NOVA VIDA O presente curso ajudará você a descobrir fatos da Palavra de Deus, fatos os quais você precisa para viver a vida em toda a sua plenitude. Por este estudo

Leia mais

CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA

CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA Congregação das Irmãs Missionárias de São Carlos B. Scalabrinianas Centro de Estudos Migratórios Cristo Rei-CEMCREI Rua Castro Alves, 344 90430-130 Porto Alegre-RS cemcrei@cpovo.net www.cemcrei.org.br

Leia mais

LEMA: EU VIM PARA SERVIR (Mc 10,45) TEMA: FRATERNIDADE: IGREJA E SOCIEDADE

LEMA: EU VIM PARA SERVIR (Mc 10,45) TEMA: FRATERNIDADE: IGREJA E SOCIEDADE LEMA: EU VIM PARA SERVIR (Mc 10,45) TEMA: FRATERNIDADE: IGREJA E SOCIEDADE Introdução A CF deste ano convida-nos a nos abrirmos para irmos ao encontro dos outros. A conversão a que somos chamados implica

Leia mais

AS REPRESENTAÇÕES DE SANTIDADE NA HAGIOGRAFIA DE TOMAS DE CELANO.

AS REPRESENTAÇÕES DE SANTIDADE NA HAGIOGRAFIA DE TOMAS DE CELANO. AS REPRESENTAÇÕES DE SANTIDADE NA HAGIOGRAFIA DE TOMAS DE CELANO. Fernanda Amélia Leal Borges Duarte 1 RESUMO: A hagiografia de Tomas de Celano sobre São Francisco de Assis. Foi escrita em 1229, após a

Leia mais

O Exorcista-Mor do Vaticano afirma que ainda não se fez a Consagração da Rússia

O Exorcista-Mor do Vaticano afirma que ainda não se fez a Consagração da Rússia O Exorcista-Mor do Vaticano afirma que ainda não se fez a Consagração da Rússia pelo Padre Gabriele Amorth Portanto, com a Consagração de 1984 não se realizou uma adequada Consagração da Rússia. E eu estava

Leia mais

BÍBLIA E HERMENÊUTICAS JUVENIS EVANGELHO DE MARCOS - SAÚDE E VIOLÊNCIA. O que procuramos? Quem procura acha. Nem sempre achamos o que procuramos...!

BÍBLIA E HERMENÊUTICAS JUVENIS EVANGELHO DE MARCOS - SAÚDE E VIOLÊNCIA. O que procuramos? Quem procura acha. Nem sempre achamos o que procuramos...! BÍBLIA E HERMENÊUTICAS JUVENIS EVANGELHO DE MARCOS - SAÚDE E VIOLÊNCIA O que procuramos? Quem procura acha. Nem sempre achamos o que procuramos...! Quem procura acha. Módulo 2 Etapa 3 Nem sempre acha o

Leia mais

CURSO DE BÍBLIA ANTIGO TESTAMENTO CHAMADO POR DEUS. Paróquia de São Benedito Santa Cruz do Rio Pardo SP

CURSO DE BÍBLIA ANTIGO TESTAMENTO CHAMADO POR DEUS. Paróquia de São Benedito Santa Cruz do Rio Pardo SP CURSO DE BÍBLIA ANTIGO TESTAMENTO A HISTÓRIA DE UM POVO CHAMADO POR DEUS Paróquia de São Benedito Santa Cruz do Rio Pardo SP APRESENTAÇÃO Vocês têm em suas mãos o Curso de Bíblia. Este curso já tem sua

Leia mais

No Dia do Juízo, quando o Filho do Homem, na Sua glória, vier nos julgar, escreve o evangelista Mateus, Ele nos questionará sobre

No Dia do Juízo, quando o Filho do Homem, na Sua glória, vier nos julgar, escreve o evangelista Mateus, Ele nos questionará sobre Caridade e partilha Vivemos em nossa arquidiocese o Ano da Caridade. Neste tempo, dentro daquilo que programou o Plano de Pastoral, somos chamados a nos organizar melhor em nossos trabalhos de caridade

Leia mais

CRIANÇAS AJUDAM E EVANGELIZAM CRIANÇAS

CRIANÇAS AJUDAM E EVANGELIZAM CRIANÇAS CRIANÇAS AJUDAM E EVANGELIZAM CRIANÇAS Infância/Adolescencia MISSÃO MISSÃO. Palavra muito usada entre nós É encargo, incumbência Missão é todo apostolado da Igreja. Tudo o que a Igreja faz e qualquer campo.

Leia mais

Condições Gerais de Uso e Permissões de Cópias

Condições Gerais de Uso e Permissões de Cópias - Ensino Sistêmico sobre a Vida Cristã - Condições Gerais de Uso e Permissões de Cópias Série: Informações Gerais sobre o Ensino Sistêmico Sobre Vida Cristã 1ª Edição Out/2013 - Copyright do Autor Ver

Leia mais

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) Copyright 2009 por Marcos Paulo Ferreira Eliézer dos Santos Magalhães Aridna Bahr Todos os direitos em língua portuguesa reservados por: A. D. Santos Editora Al. Júlia da Costa, 215 80410-070 - Curitiba

Leia mais

Você se lembra das três palavras abordadas na lição anterior: Revelação, inspiração e iluminação?

Você se lembra das três palavras abordadas na lição anterior: Revelação, inspiração e iluminação? A BÍBLIA Parte 2 Objetivo para mudança de vida: Dar ao estudante um senso profundo e duradouro de confiança em sua capacidade de entender a Bíblia. Capacidade esta que lhe foi dada por Deus. Você se lembra

Leia mais

SUGESTÃO PARA A REALIZAÇÃO DA ASSEMBLEIA PAROQUIAL ORAÇÃO INICIAL

SUGESTÃO PARA A REALIZAÇÃO DA ASSEMBLEIA PAROQUIAL ORAÇÃO INICIAL SUGESTÃO PARA A REALIZAÇÃO DA ASSEMBLEIA PAROQUIAL ORAÇÃO INICIAL 1 Ivocação ao Espirito Santo (oração ou canto) 2- Súplica inicial. (Em 2 coros: H- homens; M- mulheres) H - Procuramos para a Igreja/ cristãos

Leia mais

Natal é palavra eletrizante. Natal é palavra de doce harmonia para nosso coração. Quantas belas lembranças evocam à nossa mente!

Natal é palavra eletrizante. Natal é palavra de doce harmonia para nosso coração. Quantas belas lembranças evocam à nossa mente! Círculo de Casais - Dirigentes: Abel e Lourdinha Passos Paróquia são Francisco Xavier Niterói RJ 19/12/03 Comentarista: Chegou o Natal! Natal é palavra eletrizante. Natal é palavra de doce harmonia para

Leia mais

CATEDRAL DIOCESANA DE CAMPINA GRANDE PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO

CATEDRAL DIOCESANA DE CAMPINA GRANDE PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO CATEDRAL DIOCESANA DE CAMPINA GRANDE PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO SOBRE NÓS FAZEI BRILHAR O ESPLENDOR DE VOSSA FACE! 3 º DOMINGO DA PÁSCOA- ANO B 22 DE ABRIL DE 2012 ANIM: (Saudações espontâneas)

Leia mais

RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA DO TOCANTINS MINISTÉRIO DE MÚSICA E ARTES INSTRUÇÃO PARA MÚSICA LITÚRGICA NOS EVENTOS DA RCC 1

RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA DO TOCANTINS MINISTÉRIO DE MÚSICA E ARTES INSTRUÇÃO PARA MÚSICA LITÚRGICA NOS EVENTOS DA RCC 1 RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA DO TOCANTINS MINISTÉRIO DE MÚSICA E ARTES INSTRUÇÃO PARA MÚSICA LITÚRGICA NOS EVENTOS DA RCC 1 1) O lugar do Ministério de Música Para começar, vamos falar dos cantores do

Leia mais

LEITURA BÍBLICA A BÍBLIA LER

LEITURA BÍBLICA A BÍBLIA LER LEITURA BÍBLICA A BÍBLIA LER INTRODUÇÃO: Qualquer que seja meu objetivo, ler é a atividade básica do aprendizado. Alguém já disse: Quem sabe ler, pode aprender qualquer coisa. Se quisermos estudar a Bíblia,

Leia mais

Consolidação para o Discipulado - 1

Consolidação para o Discipulado - 1 Consolidação para o Discipulado - 1 Fortalecendo o novo convertido na Palavra de Deus Rev. Edson Cortasio Sardinha Consolidador/a: Vida consolidada: 1ª Lição: O Amor de Deus O amor de Deus está presente

Leia mais

LIBERTANDO OS CATIVOS

LIBERTANDO OS CATIVOS LIBERTANDO OS CATIVOS Lucas 14 : 1 24 Parábola sobre uma grande ceia Jesus veio convidar àqueles que têm fome e sede para se ajuntarem a Ele. O Senhor não obriga que as pessoas O sirvam, mas os convida

Leia mais

DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESCOLA DOMINICAL

DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESCOLA DOMINICAL SUGESTÃO DE CELEBRAÇÃO DE NATAL 2013 ADORAÇÃO Prelúdio HE 21 Dirigente: Naqueles dias, dispondo-se Maria, foi apressadamente à região montanhosa, a uma cidade de Judá, entrou na casa de Zacarias e saudou

Leia mais

Plano Diocesano da Animação Bíblico-Catequética

Plano Diocesano da Animação Bíblico-Catequética Plano Diocesano da Animação Bíblico-Catequética 2 0 1 2-2 0 1 5 DIOCESE DE FREDERICO WESTPHALEN - RS Queridos irmãos e irmãs, Com imensa alegria, apresento-lhes o PLANO DIOCESANO DE ANIMAÇÃO BÍBLICO -

Leia mais

Romanos 1-6. A Justiça de Deus. editora batista regular. Por JOHN A. STEWART

Romanos 1-6. A Justiça de Deus. editora batista regular. Por JOHN A. STEWART Romanos 1-6 A Justiça de Deus Por JOHN A. STEWART editora batista regular "Construindo Vidas na Palavra de Deus" Rua Kansas, 770 - Brooklin - CEP 04558-002 - São Paulo - SP 2010 2009 Lamplighters International.

Leia mais

Bíblia Sagrada N o v o T e s t a m e n t o P r i m e i r a E p í s t o l a d e S ã o J o ã o virtualbooks.com.br 1

Bíblia Sagrada N o v o T e s t a m e n t o P r i m e i r a E p í s t o l a d e S ã o J o ã o virtualbooks.com.br 1 Bíblia Sagrada Novo Testamento Primeira Epístola de São João virtualbooks.com.br 1 Capítulo 1 1 O que era desde o princípio, o que temos ouvido, o que temos visto com os nossos olhos, o que temos contemplado

Leia mais

www.sede.umnovotempo.org.br/estudos JEJUM DO AVIVAMENTO

www.sede.umnovotempo.org.br/estudos JEJUM DO AVIVAMENTO JEJUM DO AVIVAMENTO 1 Dia do Jejum do Avivamento Leitura: Romanos 13:10 à 14 Introdução: Avivamento ou avivar é tornar mais vivo, mais desperto e renovado. O avivamento está ligado a disposição de reformar,

Leia mais

27 de dezembro de 2015 JUBILEU DA FAMILIA SUBSIDIOS PARA A PASSAGEM DA PORTA SANTA

27 de dezembro de 2015 JUBILEU DA FAMILIA SUBSIDIOS PARA A PASSAGEM DA PORTA SANTA 27 de dezembro de 2015 JUBILEU DA FAMILIA SUBSIDIOS PARA A PASSAGEM DA PORTA SANTA [Este subsídio destina-se a ser usado por uma família durante o curto percurso de entrada para a Porta Santa. Dependendo

Leia mais

Mais do que ter devoção a Maria, precisamos imitá-la. (Raniero Cantalamessa)

Mais do que ter devoção a Maria, precisamos imitá-la. (Raniero Cantalamessa) O coordenador nacional do Ministério de Música e Artes, Juninho Cassimiro, dá continuidade às cartas aos artistas de toda a RCC do Brasil. No artigo anterior, a reflexão foi sobre a humildade Aos moldes

Leia mais

Tema 8: Vocação - um novo relacionamento Deus se revela através dos outros

Tema 8: Vocação - um novo relacionamento Deus se revela através dos outros Tema 8: Vocação - um novo relacionamento Deus se revela através dos outros DEUS SE REVELA ATRAVÉS DOS OUTROS Ser Marista com os outros: Experimentar caminhos de vida marista comunitariamente INTRODUÇÃO

Leia mais

Tens Palavras de Vida Eterna

Tens Palavras de Vida Eterna Catequese 40ano Tens Palavras de Vida Eterna Agenda da Palavra de Deus pela minha vida fora ANO A Durante as férias, mantenho-me em contato! CONTATOS DA PARÓQUIA Morada: Telefone: Correio eletrónico: Sítio:

Leia mais

CELEBRAÇÃO DO MATRIMÓNIO

CELEBRAÇÃO DO MATRIMÓNIO CELEBRAÇÃO DO MATRIMÓNIO Assinatura do Registo A assinatura do Registo será colocada na Liturgia, conforme prática local ou critério do Oficiante. Celebração da Santa Ceia No caso de ser pedida a Celebração

Leia mais

A BÍBLIA, A ARQUEOLOGIA E A HISTÓRIA DE ISRAEL E JUDÁ

A BÍBLIA, A ARQUEOLOGIA E A HISTÓRIA DE ISRAEL E JUDÁ A BÍBLIA, A ARQUEOLOGIA E A HISTÓRIA DE ISRAEL E JUDÁ Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil) Kaefer, José Ademar A Bíblia, a arqueologia e a história

Leia mais

LECTIO DIVINA Domingo V da Páscoa Ano B

LECTIO DIVINA Domingo V da Páscoa Ano B LECTIO DIVINA Domingo V da Páscoa Ano B Autor: Ricardo Grzona e Cristian Buiani, frpo Tradução: Adriano Israel (PASCOM) PRIMEIR LEITURA: Atos dos Apóstolos 9, 26-31 SALMO RESPONSORIAL: Salmo 21 SEGUNDA

Leia mais

VIVER a C A R I D A D E

VIVER a C A R I D A D E VIVER a C A R I D A D E A CARIDADE NA VIDA DE CLAUDIA Nada poderia sem a graça de Deus (Madre Claudia de Ângelis da Cruz) Introdução Viver a Caridade nasceu do desejo de tornar conhecida a vida e a obra

Leia mais

Maria, mãe de Deus, no mistério de Cristo e da Igreja Fundamentos bíblicos na Lumen Gentium VIII

Maria, mãe de Deus, no mistério de Cristo e da Igreja Fundamentos bíblicos na Lumen Gentium VIII Maria, mãe de Deus, no mistério de Cristo e da Igreja Fundamentos bíblicos na Lumen Gentium VIII Quando, porém, chegou a plenitude do tempo, enviou Deus o seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a Lei,

Leia mais

Por Rogério Soares Coordenador Estadual da RCC São Paulo Grupo de Oração Kénosis

Por Rogério Soares Coordenador Estadual da RCC São Paulo Grupo de Oração Kénosis Grupos de Oração sem a experiência do Batismo no Espírito Santo, exercício dos carismas e o cultivo da vivência fraterna, revelam uma face desfigurada da RCC. Reflitamos a esse respeito tendo por base

Leia mais

IGREJA PENTECOSTAL DO EVANGELHO PLENO Ministério de Avivamento Mundial Maranatha

IGREJA PENTECOSTAL DO EVANGELHO PLENO Ministério de Avivamento Mundial Maranatha TREINAMENTO DE PROFESSORES DA ESCOLA BÍBLICA INFANTIL Provérbios 22: 6 Instrui o menino no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer não se desviará dele. Objetivos da EBD Infantil: A EBD infantil

Leia mais

QUEM ANUNCIA AS BOAS NOVAS COOPERA COM O CRESCIMENTO DA IGREJA. II Reunião Executiva 01 de Maio de 2015 São Luís - MA

QUEM ANUNCIA AS BOAS NOVAS COOPERA COM O CRESCIMENTO DA IGREJA. II Reunião Executiva 01 de Maio de 2015 São Luís - MA QUEM ANUNCIA AS BOAS NOVAS COOPERA COM O CRESCIMENTO DA IGREJA II Reunião Executiva 01 de Maio de 2015 São Luís - MA At 9.31 A igreja, na verdade, tinha paz por toda Judéia, Galiléia e Samaria, edificando-se

Leia mais

ISSN 1806-7328 CADERNOS DA ESTEF. Revista Semestral N 45 2010/2 A TEIA DA ESPIRITUALIDADE ESTEF

ISSN 1806-7328 CADERNOS DA ESTEF. Revista Semestral N 45 2010/2 A TEIA DA ESPIRITUALIDADE ESTEF ISSN 1806-7328 CADERNOS DA ESTEF Revista Semestral N 45 2010/2 A TEIA DA ESPIRITUALIDADE ESTEF Escola Superior de Teologia e Espiritualidade Franciscana Porto Alegre (RS) Brasil SUMÁRIO A teia da espiritualidade...3

Leia mais

O texto nomeia os 11, mais algumas mulheres, das quais só menciona Maria, com os irmãos de Jesus. Aqui aparece um fato curioso e edificante.

O texto nomeia os 11, mais algumas mulheres, das quais só menciona Maria, com os irmãos de Jesus. Aqui aparece um fato curioso e edificante. Aula 25 Creio na Igreja Católica.1 Frei Hipólito Martendal, OFM. 1. Leitura de At 2, 1-15. Ler e explicar... Dia de Pentecostes (=Quinquagésima) é o 50º dia depois da Páscoa. Os judeus celebravam a Aliança

Leia mais

LECTIO DIVINA 26 de julho de 2015 Domingo XVII do Tempo Comum Ano B. O mais bonito que o pão tem é poder ser partido e repartido. D.

LECTIO DIVINA 26 de julho de 2015 Domingo XVII do Tempo Comum Ano B. O mais bonito que o pão tem é poder ser partido e repartido. D. Perguntas para a reflexão pessoal Perante as necessidades com que me deparo, predisponho-me a dar da minha pobreza, a pôr generosamente à disposição o que sou e o que tenho? Acredito no potencial dos outros,

Leia mais

CONSELHOS EVANGÉLICOS

CONSELHOS EVANGÉLICOS CONSELHOS EVANGÉLICOS 1- RAZÃO TEOLÓGICA 1.1. Fato de Vida na Igreja A vivência da virgindade-pobreza-obediência de Jesus Cristo é fato de vida que existe na igreja desde suas origens. O estado religioso:

Leia mais

Poderá interromper e dialogar com o grupo; montar perguntas durante a exibição; montar grupos de reflexão após a exibição, e assim por diante.

Poderá interromper e dialogar com o grupo; montar perguntas durante a exibição; montar grupos de reflexão após a exibição, e assim por diante. O Catequista, coordenador, responsável pela reunião ou encontro, quando usar esse material, tem toda liberdade de organizar sua exposição e uso do mesmo. Poderá interromper e dialogar com o grupo; montar

Leia mais

Introdução: Satisfazendo a fome espiritual 05

Introdução: Satisfazendo a fome espiritual 05 Sumário Introdução: Satisfazendo a fome espiritual 05 Série 1: Lidando com o Estresse Estresse 1: Novos lugares, Novas situações estressantes 12 Estresse 2: O sonho impossível 18 Estresse 3: No calor do

Leia mais

Nós esperamos que esta pequena seleção de notícias e comentários o encoraje a orar e dar graças.

Nós esperamos que esta pequena seleção de notícias e comentários o encoraje a orar e dar graças. Seminário a Distancia a Todas as Nações Muito obrigado pelo seu contínuo apoio e parceria neste ministério. Este mês celebramos o 44 aniversário da missão. No dia 14 de Julho, teremos mais um dia global

Leia mais

Documento do MEJ Internacional. O coração do Movimento Eucarístico Juvenil

Documento do MEJ Internacional. O coração do Movimento Eucarístico Juvenil Documento do MEJ Internacional Para que a minha alegria esteja em vós Por ocasião dos 100 anos do MEJ O coração do Movimento Eucarístico Juvenil A O coração do MEJ é a amizade com Jesus (Evangelho) B O

Leia mais

. Os cristãos davam vida ao mundo!

. Os cristãos davam vida ao mundo! Confira o artigo retirado da edição 72 da Revista Renovação: É fato: os primeiros cristãos marcaram a história da humanidade. Em Pentecostes, inaugurou-se uma nova forma de se viver, surpreendente para

Leia mais

Aparição da Mãe Divina. Colina do Cristo Redentor, Carmo da Cachoeira, MG, Brasil. Domingo, 12 de fevereiro de 2012, às 20h40.

Aparição da Mãe Divina. Colina do Cristo Redentor, Carmo da Cachoeira, MG, Brasil. Domingo, 12 de fevereiro de 2012, às 20h40. Aparição da Mãe Divina. Colina do Cristo Redentor, Carmo da Cachoeira, MG, Brasil. Domingo, 12 de fevereiro de 2012, às 20h40. Como no dia de ontem, o grupo reuniu-se às 19h30 para iniciar a tarefa de

Leia mais

O CÂNON Sagrado compreende 46 Livros no ANTIGO TESTAMENTO e 27 Livros no NOVO TESTAMENTO.

O CÂNON Sagrado compreende 46 Livros no ANTIGO TESTAMENTO e 27 Livros no NOVO TESTAMENTO. Ao contrário do que parece à primeira vista, a Bíblia não é um livro único e independente, mas uma coleção de 73 livros, uma mini biblioteca que destaca o a aliança e plano de salvação de Deus para com

Leia mais

Celebrar e viver o Concílio Vaticano II

Celebrar e viver o Concílio Vaticano II Celebrar e viver o Concílio Vaticano II Nota Pastoral da Conferência Episcopal Portuguesa Celebrar os 50 anos da abertura do Concílio no Ano da Fé 1. Na Carta apostólica A Porta da Fé, assim se exprime

Leia mais

www.comunidadepedraviva.com.br TRILHO PEDRA VIVA

www.comunidadepedraviva.com.br TRILHO PEDRA VIVA TRILHO PEDRA VIVA ROTEIRO PARA PLANTAÇÃO DE VIDAS Um provérbio chinês nos lembra : se sua visão é para um ano, plante trigo; se sua visão é para uma década, plante árvores; se sua visão é para toda a vida,

Leia mais

SE SOUBERMOS PERDOAR Ó CARA IRMÃ CLARA, SE SOUBERMOS PERDOAR

SE SOUBERMOS PERDOAR Ó CARA IRMÃ CLARA, SE SOUBERMOS PERDOAR CANTO 1 - LOUVOR DA CRIAÇÃO D Bm G Em A7 D Bm G Em A7 Aleluia! Aleluia! Aleluia! Aleluia! D F#m G Em A7 1. Javé o nosso Deus é poderoso, seu nome é grande em todas as nações D F#m G Em A7 Na boca das crianças

Leia mais

DIA DE ORAÇÃO PELA JMJ RIO2013

DIA DE ORAÇÃO PELA JMJ RIO2013 ROTEIRO PARA O DIA DE ORAÇÃO PELA JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE RIO2013 Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude - CNBB CANTO DE ENTRADA (Canto a escolha) (Este momento de oração pode ser associado

Leia mais

Entrada da Palavra: Comentário da Palavra: Permaneçamos em pé para acolher o Livro Santo de Nossa Fé, a Palavra de Deus, cantando.

Entrada da Palavra: Comentário da Palavra: Permaneçamos em pé para acolher o Livro Santo de Nossa Fé, a Palavra de Deus, cantando. Celebração de Encerramento PREPARAR 1. Bíblia e velas para a Procissão de Entrada da Palavra 2. Sementes de girassóis para cada catequista depositar num prato com terra diante do altar durante a homilia

Leia mais

ORAÇÃO. Ef 3, 1 21: 1* É graças a isso, que eu, Paulo, prisioneiro de Cristo por vós, os gentios... 2*

ORAÇÃO. Ef 3, 1 21: 1* É graças a isso, que eu, Paulo, prisioneiro de Cristo por vós, os gentios... 2* Novo Testamento ORAÇÃO Ef 3, 1 21: 1* É graças a isso, que eu, Paulo, prisioneiro de Cristo por vós, os gentios... 2* Com certeza, ouvistes falar da graça de Deus que me foi dada para vosso benefício,

Leia mais

Oração na Vida Diária

Oração na Vida Diária Oração na Vida Diária Caro jovem,, Que alegria saber que como você muitos jovens estão encontrando um caminho para a oração pessoal e diária. Continue animado com a busca de um relacionamento mais pessoal

Leia mais

Adoração ao Santíssimo Sacramento. Catequese Paroquial de Nossa Senhora da Lapa. 4 de Março de 2014

Adoração ao Santíssimo Sacramento. Catequese Paroquial de Nossa Senhora da Lapa. 4 de Março de 2014 Adoração ao Santíssimo Sacramento Catequese Paroquial de Nossa Senhora da Lapa 4 de Março de 2014 Leitor: Quando nós, cristãos, confessamos a Trindade de Deus, queremos afirmar que Deus não é um ser solitário,

Leia mais

Projeto Educativo Franciscano Bonlandense

Projeto Educativo Franciscano Bonlandense Projeto Educativo Franciscano Bonlandense Irmãs Franciscanas da Imaculada Conceição de Maria, de Bonlanden Discípulas e seguidoras de Nosso Senhor Jesus Cristo, buscam viver o Evangelho em espírito e verdade.

Leia mais

Só Deus é bom! do jovem rico

Só Deus é bom! do jovem rico Só Deus é bom! As memórias do jovem rico Carlos Mesters Só Deus é bom! As memórias do jovem rico Direção editorial: Claudiano Avelino dos Santos Assistente editorial: Jacqueline Mendes Fontes Revisão:

Leia mais

HINOS DE DESPACHO. www.hinarios.org 01 O DAIME É O DAIME. O Daime é o Daime Eu estou afirmando É o divino pai eterno E a rainha soberana

HINOS DE DESPACHO. www.hinarios.org 01 O DAIME É O DAIME. O Daime é o Daime Eu estou afirmando É o divino pai eterno E a rainha soberana HINOS DE DESPACHO Tema 2012: Flora Brasileira Estrela D Alva www.hinarios.org 1 2 01 O DAIME É O DAIME O é o Eu estou afirmando É o divino pai eterno E a rainha soberana O é o O professor dos professores

Leia mais

O cristianismo que vivemos

O cristianismo que vivemos O cristianismo que vivemos TEXTO BÍBLICO BÁSICO Lucas 12.16-21,0-2 16 - E propôs-lhe uma parábola, dizendo: A herdade de um homem rico tinha produzido com abundância; 17 - E arrazoava ele entre si, dizendo:

Leia mais

UMA PEREGRINAÇÃO AOS SANTUÁRIOS DE SÃO FRANCISCO DE ASSIS

UMA PEREGRINAÇÃO AOS SANTUÁRIOS DE SÃO FRANCISCO DE ASSIS UMA PEREGRINAÇÃO AOS SANTUÁRIOS DE SÃO FRANCISCO DE ASSIS por Sri Daya Mata S E L F R E A L I Z A T I O N F E L L O W S H I P Fundada em 1920 por Paramahansa Yogananda Sri Daya Mata, Presidente UMA PEREGRINAÇÃO

Leia mais

IV FÓRMULAS DE BÊNÇÃO PARA LAUDES E VÉSPERAS

IV FÓRMULAS DE BÊNÇÃO PARA LAUDES E VÉSPERAS IV FÓRMULAS DE BÊNÇÃO PARA LAUDES E VÉSPERAS I. Nas celebrações do Tempo Advento Deus omnipotente e misericordioso, que vos dá a graça de comemorar na fé a primeira vinda do seu Filho Unigénito e de esperar

Leia mais

(Segundo o novo acordo ortográfico) ORAR, do latim orare, é falar com Deus (De acordo com a etimologia - Enciclopédia, D. M. Falcão).

(Segundo o novo acordo ortográfico) ORAR, do latim orare, é falar com Deus (De acordo com a etimologia - Enciclopédia, D. M. Falcão). (Segundo o novo acordo ortográfico) ORAR, do latim orare, é falar com Deus (De acordo com a etimologia - Enciclopédia, D. M. Falcão). Os Atos dos Apóstolos atestam que, enquanto Pedro estava na prisão,

Leia mais

Investidura do Hábito Monástico dos Irmãos Johann, Leonardo e Fabrício. 16 de novembro de 2015

Investidura do Hábito Monástico dos Irmãos Johann, Leonardo e Fabrício. 16 de novembro de 2015 Investidura do Hábito Monástico dos Irmãos Johann, Leonardo e Fabrício. 16 de novembro de 2015 Meus caros irmãos: Hoje, memória de Santa Gertrudes, nossos irmãos Johann, Leonardo e Fabrício receberão o

Leia mais

Lembrança da Primeira Comunhão

Lembrança da Primeira Comunhão Lembrança da Primeira Comunhão Jesus, dai-nos sempre deste pão Meu nome:... Catequista:... Recebi a Primeira Comunhão em:... de... de... Local:... Pelas mãos do padre... 1 Lembrança da Primeira Comunhão

Leia mais

Tema 3: Espiritualidade O Espírito faz bater nossos corações em uníssono

Tema 3: Espiritualidade O Espírito faz bater nossos corações em uníssono Tema 3: Espiritualidade O Espírito faz bater nossos corações em uníssono O ESPÍRITO FAZ BATER NOSSOS CORAÇÕES EM UNÍSSONO (Ir. Henri Vergès) Espiritualidade enraizada no Deus de Jesus, encarnada nas realidades

Leia mais

Eu acredito que a Bíblia é a melhor dádiva que Deus deu à humanidade. Todas as coisas boas do Salvador do mundo nos são ditas através deste Livro.

Eu acredito que a Bíblia é a melhor dádiva que Deus deu à humanidade. Todas as coisas boas do Salvador do mundo nos são ditas através deste Livro. A importância do estudo bíblico para a vida cristã 2 Pedro 1.12-2121 Pr. Fernando Fernandes Eu acredito que a Bíblia é a melhor dádiva que Deus deu à humanidade. Todas as coisas boas do Salvador do mundo

Leia mais

DOMINGO XXIII DO TEMPO COMUM ANO B LEITURAS

DOMINGO XXIII DO TEMPO COMUM ANO B LEITURAS Ministério dos leitores PREPARAR PARA PROCLAMAR Os fiéis, de acordo com o Livro dos Atos dos Apóstolos, quando se reúnem dominicalmente, no dia do Senhor têm como finalidade primeira escutar a Palavra

Leia mais