AS REPRESENTAÇÕES DE SANTIDADE NA HAGIOGRAFIA DE TOMAS DE CELANO.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AS REPRESENTAÇÕES DE SANTIDADE NA HAGIOGRAFIA DE TOMAS DE CELANO."

Transcrição

1 AS REPRESENTAÇÕES DE SANTIDADE NA HAGIOGRAFIA DE TOMAS DE CELANO. Fernanda Amélia Leal Borges Duarte 1 RESUMO: A hagiografia de Tomas de Celano sobre São Francisco de Assis. Foi escrita em 1229, após a morte do santo e um ano depois de sua canonização. Pretendese analisar as representações de santidade criadas sobre São Francisco de Assis durante o processo de composição da ordem Franciscana no século XIII. Existiram várias formas de compor a sua representação, através dos escritos hagiográficos e da construção da santidade do corpo do fundador. As representações de santidades, construídas em torno do santo foram feitas gradualmente; primeiro com a canonização e em seguida através do texto hagiográfico. Palavras-chaves: Hagiografia. Representação. Santidade. Tomás de Celano. Francisco de Assis. Introdução A hagiografia de Tomás de Celano, publicada no ano de 1229, tem o objetivo de descrever a vida de São Francisco de Assis. Tomás de Celano era membro da Ordem Franciscana, desde 1215, era homem culto e de família abastada. Sua obra esta dividida em dois momentos: Primeira Vida; Vida religiosa de Francisco ( ), Segunda Vida; O tempo da estigmatização (1224 a 1226) e os milagres obtidos por sua intercessão. Nossa pesquisa está concentrada na Segunda Vida: O tempo da estigmatização na busca de compreender a representação de santidade construída em torno de São Francisco de Assis e a importância do corpo santo para a Ordem Franciscana antes e após a morte do santo. São Francisco dedicou sua vida ao trabalho espiritual e caridade com o próximo, principalmente com os leprosos. Escolheu como modo de vida a pobreza absoluta e na humildade do Evangelho seguindo os exemplos de Cristo. Com o tempo sua fraternidade cresceu e tornou se uma Ordem vinculada a Igreja Católica, surgindo vários argumentos sobre sua santidade ainda em vida. Após a sua morte objeto de 1 Mestranda em História na PUC GO e graduada em História pela UFMS. 1

2 representação e legitimação para a Ordem Franciscana no contexto do século XIII e na busca da canonização do santo. As representações do corpo santo São Francisco de Assis faleceu em 1226 e logo após sua morte foi pronunciado à Ordem Franciscana a perda de seu líder religioso, e os milagres dos estigmas no corpo de Francisco. A carta circular é o documento escrito e lido por Frei Elias de Cortona, que na época era vigário-geral, cujo conteúdo é a comunicação do falecimento e os milagres dos estigmas. A história Tradicional da Ordem Franciscana relata que os estigmas de Cristo teriam aparecido no corpo de Francisco após uma visão do serafim em La Verna no ano de Tomás de Celano descreve no capítulo 3 Da visão do homem com a imagem de um serafim crucificado 2 : (...) estando no eremitério que, por sua localização, tem o nome de Alverne Deus lhe deu a visão de um homem com a forma de um serafim de seis asas, que pairou acima dele com os braços abertos e os pés juntos pregado numa cruz. Duas asas elevavam-se sobre a cabeça, duas abriamse para voar e duas cobriam o corpo inteiro. (...) Tentava descobrir o significado da visão e seu espírito estava ancioso para compreender o seu sentido. Estava nessa situação, com a inteligência, sem entender coisa alguma, e o coração avassalado pela visão extraordinária, quando começaram aparecer-lhe nas mãos e nos pés as marcas dos quatros cravos, do jeito que as vira pouco antes no crucificado. O corpo de Francisco já era considerado santo antes mesmo de sua morte, pois o milagre dos estigmas estava presente dois anos antes da morte do santo. Mais tarde houve uma disputa entre as cidades Italianas, Assis e Perusa pela posse de seu corpo. (...) A existência de corpos de santos numa cidade constituiu uma tutela que, aliada ao grande sentimento de liberdade entre citadinos, afugenta o perigo de qualquer dominação. (...) (MIATELO, 2013; p.176) 2 Fontes Franciscanas, organizada pelo FreiDorvalino Francisco Fassini (OFM). Santo André, São Paulo; Editora O mensageiro de Santo Antonio, O documento hagiografia de Tomás de Celano segunda vida, p.248 e

3 No capítulo 98 3 da Ocultação dos Estigmas, Tomás de Celano argumenta que os frades que conviviam com Francisco já tinham o conhecimento dos estigmas e a preocupação do santo em escondê-los. Não podemos deixar passar em silencio com quanta preocupação e empenho procurou esconder aqueles gloriosos sinais do crucificado, dignos de serem venerados até pelos espíritos celestiais. Nos primeiros tempos, quando o verdadeiro amor de cristo transformar em própria imagem. (...) Os estigmas são vistos como algo divino ou como um presente de divindade. Compreende-se que Celano apresenta Francisco como a representação de Cristo no contexto do século XIII. (...) dos estigmas que segundo o biógrafo significariam parte de Francisco identificação com Cristo, de natureza metal e não física. (...) (FRUGONI, 2011; p.139 e 140) A representação da santidade seria uma construção da identidade da Ordem Franciscana como um grupo escolhido para vivenciar a pobreza e evangelho. Esta escolha teria sido através de seu líder religioso que recebeu os milagres dos estigmas de Cristo. No capítulo 1º da Segunda Vida 4 : Sua vida gloriosa faz brilhar a santidade dos santos antigos com uma luz mais clara. Prova cabal é o seu amor à paixão de Jesus cristo é a sua cruz. De fato, nosso pai venerável foi marcado nas cinco partes do corpo pelo sinal da paixão e da cruz, como se tivesse sido pregado na cruz como o filho de Deus. Este sacramento é grande e indica a grandeza de seu particular amor. Mas acreditamos que existia nesse fato um plano oculto, um mistério escondido, que só Deus conhece e que o próprio santo só revelou a uma pessoa, e em parte. Por isso, não adianta insistir muito em elogios, porque seu louvor vem daquele que é o louvor de todas as coisas, fonte de toda glória e que concede os prêmios da luz. Neste capitulo Tomás de Celano posiciona Francisco acima de todos os santos anteriores a ele e este é visto como igual ao Cristo. Esta igualdade estaria relacionada ao amor, à Cristo representado no modo de vida da pobreza e aos estigmas que seriam um 3 Fontes Franciscanas, organizada pelo FreiDorvalino Francisco Fassini (OFM). Santo André, São Paulo; Editora O mensageiro de Santo Antonio, O documento hagiografia de Tomás de Celano segunda vida, p Fontes Franciscanas, organizada pelo FreiDorvalino Francisco Fassini (OFM). Santo André, São Paulo; Editora O mensageiro de Santo Antonio, O documento hagiografia de Tomás de Celano segunda vida, p

4 mistério de Deus. Francisco revelou uma parte do mistério e segredo dos estigmas para uma pessoa, quem seria esta pessoa? A hagiografia não menciona quem poderia ser este confidente do santo, mas podemos levantar algumas hipóteses que poderiam ser Frei Rufino, quem esteve com o santo até o momento de sua morte, Frei Elias por ter sido o primeiro a escrever sobre os estigmas, ou Santa Clara que era considerada filha espiritual de São Francisco. Compreendendo a construção da fraternidade Franciscana, após a morte de Francisco, a acreditamos que seu corpo se tornou um símbolo, uma relíquia religiosa para a ordem, tornando-a o seu principal bem de santidade. Na perspectiva de André Vauchez a santidade de São Francisco, comparada à Cristo, seria uma busca de legitimidade sobrenatural construída pela Ordem Franciscana em uma época em que seu papel no seio da Igreja era objeto de vivas polêmicas, logo fizeram com que se perdesse de vista a existência concreta do Pobre de Assis e o significado profundo do seu testemunho. (1995: 133) Os interesses institucionais da Ordem Franciscana e a busca pela santidade, composta em uma obra que foi escrita de acordo com os interesses e sob controle do papado de Gregório IX, que usava a santidade dos santos mendicantes para implantar a política papal de grande centralização e exacerbação do poder pontifício sobre a cristandade interna. (MIATELO, 2013; p.58) Além dos interesses institucionais da Igreja, não se pode deixa de argumentar sobre os aspectos culturais e religiosos do século XIII e a presença de São Francisco nestes, com objetivo de definir as ações dos franciscanos através dos modos culturais, tentando dialogar com o conceito de imaginário para compreender as relações de santidade construída pela Ordem Franciscana. Jacques Le Goff (2005) que possibilita a compreensão da formação do franciscanismo e as suas propostas e mudanças no decorrer de sua composição no contexto do século XIII. (...) preparar um inventário de modelos antes de conceitos-chaves da mentalidade e da sensibilidade comuns do século XIII e buscar definir atitude dos franciscanos em face desses modelos na sua perspectiva de evangelização da sociedade leiga. (...) Não existe, na Idade Média, domínio da cultura no sentido moderno do termo. A expressão modelos culturais é tomada aqui num sentido amplo e os conceitos-chaves dos sistemas de valor são considerados em uma perspectiva de antropologia histórica. Estou interessado principalmente nos valores novos ou que se impuseram no século XIII. (LE GOFF 2005, p.185 e 186) 4

5 A ordem Franciscana como instituição deixa de um lado de preservar na sua pureza original as convicções de São Francisco, mas teve papel importante no contexto medieval ao abrir as discussões sobre o trabalho de assistência e da vida apostólica, tendo como base somente o evangelho. As discussões da santidade de Francisco que permearam o franciscanismo no século XIII nas hagiografias de Tomás de Celano e mais tarde na de São Boaventura possibilitam estudos na historiografia no âmbito da religiosidade e da sociedade. Estas reflexões ajudam a entender a influência e o poder da Igreja Católica medieval, a oficialização da Ordem Franciscana e os seguimentos deste que representaram os marginalizados da sociedade na sua época e buscando sua legitimidade dentro da Igreja Católica, com a representação da santidade do fundador da ordem religiosa. 5

6 Conclusão As representações de santidade construídas sobre São Francisco de Assis foram realizadas primeiro com a canonização em 1228 e depois com a hagiografia de Tomás de Celano escrita em No decorrer do século XIII outras, hagiografias foram escritas como de São Boaventura, publicada em 1266, sendo declarada como a vida oficial de São Francisco de Assis, esta que deveria ser seguida pela ordem, decretando que as outras hagiografias escritas sobre o santo fossem destruídas. As hagiografias Legenda dos Três companheiros e o Anônimo Perusino não se sabe a autoria e a datação das obras. Sendo que a Legenda dos Três companheiros possui 18 capítulos e a Anônimo Perusino 12 capítulos. Todas foram escritas com o objetivo de relatar a vida do santo de Assis e em alguns momentos fazem a representação da santidade do corpo santo. Estas hagiografias começaram a ser escritas pelos membros da ordem Franciscana, (...) Os franciscanos das duas tendências tinham multiplicado a biografia do santo, atribuindo-lhes palavras e atitudes de acordo com as suas posições. Não se sabia mais a que São Francisco se apegar (...) (LE GOFF, 2005, p.52). A complexidade dos estudos das fontes escritas pela própria ordem refletem que não há um consenso sobre a vida do fundador da instituição. As representações de santidade não estavam apenas nos escritos hagiográficos, mas na construção da Basílica de Assis. No ano de 1230 o corpo de Francisco é transferido para esta basílica e analisa se como o corpo do santo tem significado de relíquia religiosa para a ordem Franciscana. (...) A função atribuída às relíquias dos santos no mundo cristão deve ter modificado profundamente a atitude em relação às imagens.(...) (GINZBURG,2001,p.96). Entende-se que a construção de Basílica de Assis e a posse do corpo santo como bem materiais são ações contrárias ao modo de vida proposto pelo santo a renúncia de todos os bens materiais como foi pontuado por São Francisco no seu testamento 5. (...) cuidem-se os irmãos de receber, de modo algum, igrejas, pequenas e pobres, habitações e tudo o que for construído para eles, a não ser que sejam como convém a santa Pobreza, que prometemos na regra, nelas hospedando-se sempre como estrangeiros e peregrinos.(...) 5 Fontes Franciscanas, organizada pelo FreiDorvalino Francisco Fassini (OFM). Santo André, São Paulo; Editora O mensageiro de Santo Antonio, O documento testamento, p.84. 6

7 As mudanças de convicções em relação a pobreza, principalmente em obter os bens matérias como as Igrejas e conventos da Ordem Franciscana foram realizadas no decorrer do século XIII, talvez pelo aumento dos membros na fraternidade ou pelos interesses institucionais e políticos da época. Fontes FONTES FRANCISCANA, organizada pelo Frei Dorvalino Francisco Fassini (OFM). Santo André, São Paulo; Editora O mensageiro de Santo Antonio,

8 Referências BLOCH, Marc. Apologia da história ou o oficio de historiador. Rio de Janeiro; Jorge Zahar Ed, BARROS. José D Assunção. Considerações sobre a história do franciscanismo na Idade média. In Estudos da Religião, v.25, n. 40, , jan/jun CARVALHO. Cibele. As hagiografias franciscanas. In Revista Dialogos mediterrâneos. Nº4 junho 2013 ISSN CHARTIER, Roger. A nova história cultural existe? In.LOPES, Antonio Herculano. VELLOSO, Monica Pimenta e PESAVENTO, Sandra Jatahy (orgs). História e linguagens: textos, imagens, oralidade e representações. Rio de Janeiro: viveiros de Castros editora, DUBY, Georges. A História Continua. Rio de Janeiro: Jorge Zahar: Ed UFRJ, FALBEL. Nalchman. Os espirituais franciscanos. São Paulo; Perspectiva: FAPESP: editora da Universidade de São Paulo, FRUGONI. Chiara. Vida de um homem: Francisco de Assis. São Paulo, Companhia das Letras, GINZBURG. Carlos. Olhos de madeira; nove reflexões sobre a distancia. Tradução de Eduardo Brandão. São Paulo: companhia das Letras, LEGOFF, Jacques. São Francisco de Assis. Rio de Janeiro, editora Record, MIATELLO. André. Santos e pregadores nas cidades medievais italianas: retórica cívica e hagiografia. Belo horizonte, MG: Fino Traço, 2013 VAUCHEZ. André. A espiritualidade na Idade Média Ocidental. Rio de Janeiro: Jorge Zahar,

FRANCISCO DE ASSIS E AS CIDADES DO SÉCULO XIII Victor Augustus Graciotto Silva UFPR

FRANCISCO DE ASSIS E AS CIDADES DO SÉCULO XIII Victor Augustus Graciotto Silva UFPR FRANCISCO DE ASSIS E AS CIDADES DO SÉCULO XIII Victor Augustus Graciotto Silva UFPR Quando nos deparamos com os estudos de historiadores como Marc BLOCH, Fernand BRAUDEL, Jacques LE GOFF e Georges DUBY,

Leia mais

OBLATOS ORIONITAS. linhas de vida espiritual e apostólica

OBLATOS ORIONITAS. linhas de vida espiritual e apostólica OBLATOS ORIONITAS linhas de vida espiritual e apostólica Motivos inspiradores da oblação orionita laical O "carisma" que o Senhor concede a um fundador, é um dom para o bem de toda a Igreja. O carisma

Leia mais

Marinalva Silveira Lima A Relação dos Franciscanos com o Poder Papal Universidade de São Paulo (mestranda)

Marinalva Silveira Lima A Relação dos Franciscanos com o Poder Papal Universidade de São Paulo (mestranda) Marinalva Silveira Lima A Relação dos Franciscanos com o Poder Papal Universidade de São Paulo (mestranda) Minha pesquisa, a ser aqui apresentada, terá como objetivo primordial investigar a relação da

Leia mais

O cardeal protetor : Hugolino de Óstia e a Ordem dos Frades Menores nas primeiras hagiografias franciscanas. Victor Mariano Camacho

O cardeal protetor : Hugolino de Óstia e a Ordem dos Frades Menores nas primeiras hagiografias franciscanas. Victor Mariano Camacho http://www.revistahistoria.ufba.br/2011_1/a01.pdf O cardeal protetor : Hugolino de Óstia e a Ordem dos Frades Menores nas primeiras hagiografias franciscanas Victor Mariano Camacho Licenciado em História

Leia mais

PROVÍNCIA MARISTA DO BRASIL NORTE

PROVÍNCIA MARISTA DO BRASIL NORTE PROVÍNCIA MARISTA DO BRASIL NORTE Espiritualidade Apostólica Marista Ir. José Milson de Mélo Souza Ano de Deus Pai LADAINHA DE SÃO MARCELINO CHAMPAGNAT (Ir. José Milson) V. Senhor, tende piedade de nós.

Leia mais

CONSELHOS EVANGÉLICOS

CONSELHOS EVANGÉLICOS CONSELHOS EVANGÉLICOS 1- RAZÃO TEOLÓGICA 1.1. Fato de Vida na Igreja A vivência da virgindade-pobreza-obediência de Jesus Cristo é fato de vida que existe na igreja desde suas origens. O estado religioso:

Leia mais

O segundo verbo que habitou entre nós : a representação cristológica da estigmatização de Francisco de Assis nas hagiografias franciscanas

O segundo verbo que habitou entre nós : a representação cristológica da estigmatização de Francisco de Assis nas hagiografias franciscanas O segundo verbo que habitou entre nós : a representação cristológica da estigmatização de Francisco de Assis nas hagiografias franciscanas Alex Silva Costa (UEMA) Resumo: A pesquisa analisa o milagre da

Leia mais

Sagrado Coração de Jesus

Sagrado Coração de Jesus Trezena em honra ao Sagrado Coração de Jesus Com reflexões sobre suas doze promessas a Santa Margarida Maria de Alacoque EDITORA AVE-MARIA Introdução Antes de o prezado leitor iniciar esta Trezena em honra

Leia mais

O Deus testemunhado por Jesus Cristo o Pai. Objetivos 12/4/2012. Identidade e relevância da cristologia. Cláudio Ribeiro

O Deus testemunhado por Jesus Cristo o Pai. Objetivos 12/4/2012. Identidade e relevância da cristologia. Cláudio Ribeiro O Deus testemunhado por Jesus Cristo o Pai Cláudio Ribeiro Objetivos Avaliar a doutrina de Trindade suas raízes, premissas fundamentais, ênfases e mudanças no contexto global da história da Igreja e as

Leia mais

D. António Ribeiro. Vida religiosa: a radicalidade do amor por Jesus

D. António Ribeiro. Vida religiosa: a radicalidade do amor por Jesus D. António Ribeiro Vida religiosa: a radicalidade do amor por Jesus U n i v e r s i da d e C at ó l i c a E d i to r a Lisboa 2011 Prefácio Expressão de amor total poderíamos, deste modo, resumir o pensamento

Leia mais

Elementos da Vida da Pequena Comunidade

Elementos da Vida da Pequena Comunidade Raquel Oliveira Matos - Brasil A Igreja, em sua natureza mais profunda, é comunhão. Nosso Deus, que é Comunidade de amor, nos pede entrarmos nessa sintonia com Ele e com os irmãos. É essa a identidade

Leia mais

Aspetos inclusivos e exclusivos na fé nova-apostólica

Aspetos inclusivos e exclusivos na fé nova-apostólica Igreja Nova Apostólica Internacional Aspetos inclusivos e exclusivos na fé nova-apostólica Depois de, na última edição, termos abordado os aspetos inclusivos e exclusivos no Antigo e no Novo Testamento,

Leia mais

José Eduardo Borges de Pinho. Ecumenismo: Situação e perspectivas

José Eduardo Borges de Pinho. Ecumenismo: Situação e perspectivas José Eduardo Borges de Pinho Ecumenismo: Situação e perspectivas U n i v e r s i d a d e C a t ó l i c a E d i t o r a L I S B O A 2 0 1 1 Índice Introdução 11 Capítulo Um O que é o ecumenismo? 15 Sentido

Leia mais

IV FÓRMULAS DE BÊNÇÃO PARA LAUDES E VÉSPERAS

IV FÓRMULAS DE BÊNÇÃO PARA LAUDES E VÉSPERAS IV FÓRMULAS DE BÊNÇÃO PARA LAUDES E VÉSPERAS I. Nas celebrações do Tempo Advento Deus omnipotente e misericordioso, que vos dá a graça de comemorar na fé a primeira vinda do seu Filho Unigénito e de esperar

Leia mais

REQUERIMENTO. Ao Excelentíssimo e Reverendíssimo Senhor Dom OSVINO JOSÉ BOTH Arcebispo Militar do Brasil

REQUERIMENTO. Ao Excelentíssimo e Reverendíssimo Senhor Dom OSVINO JOSÉ BOTH Arcebispo Militar do Brasil REQUERIMENTO Ao Excelentíssimo e Reverendíssimo Senhor Dom OSVINO JOSÉ BOTH Arcebispo Militar do Brasil Documento elaborado de próprio punho. Eu, inscrito no CPF sob o nº e no RG nº aluno da Escola Diaconal

Leia mais

Salvador Dali - Geopoliticus Child Watching the Birth Of A New Man - 1940

Salvador Dali - Geopoliticus Child Watching the Birth Of A New Man - 1940 Autor: André Martinez REFLEXÕES ESPÍRITAS: O Homem no Mundo. Salvador Dali - Geopoliticus Child Watching the Birth Of A New Man - 1940 Capítulo 17 de "O Evangelho Segundo o Espiritismo" de Allan Kardec

Leia mais

JESUS CRISTO FOI CONCEBIDO PELO PODER DO ESPÍRITO SANTO, E NASCEU DA VIRGEM MARIA (CONT)

JESUS CRISTO FOI CONCEBIDO PELO PODER DO ESPÍRITO SANTO, E NASCEU DA VIRGEM MARIA (CONT) JESUS CRISTO FOI CONCEBIDO PELO PODER DO ESPÍRITO SANTO, E NASCEU DA VIRGEM MARIA (CONT) 11-02-2012 Catequese com adultos 11-12 Chave de Bronze Em que sentido toda a vida de Cristo é Mistério? Toda a vida

Leia mais

Regis de Morais. Corações em Luz

Regis de Morais. Corações em Luz Regis de Morais Corações em Luz Campinas-SP 2003 Sumário O QUE É SANTIDADE? (Advertência)...13 PRECE DE SANTO AGOSTINHO (Meditações)...17 Oração de São Francisco de Assis... 19 1. Senhor... 21 2. Fazei

Leia mais

No Dia do Juízo, quando o Filho do Homem, na Sua glória, vier nos julgar, escreve o evangelista Mateus, Ele nos questionará sobre

No Dia do Juízo, quando o Filho do Homem, na Sua glória, vier nos julgar, escreve o evangelista Mateus, Ele nos questionará sobre Caridade e partilha Vivemos em nossa arquidiocese o Ano da Caridade. Neste tempo, dentro daquilo que programou o Plano de Pastoral, somos chamados a nos organizar melhor em nossos trabalhos de caridade

Leia mais

Vigília Jubilar. Vigília do dia 17 para 18. Abrir às 21 horas do dia 17/10 e encerrar às 6h da manhã do dia 18/10.

Vigília Jubilar. Vigília do dia 17 para 18. Abrir às 21 horas do dia 17/10 e encerrar às 6h da manhã do dia 18/10. Vigília Jubilar Vigília do dia 17 para 18. Abrir às 21 horas do dia 17/10 e encerrar às 6h da manhã do dia 18/10. Material: Uma Bíblia Vela da missão Velas para todas as pessoas ou pedir que cada pessoa

Leia mais

Eu acredito que a Bíblia é a melhor dádiva que Deus deu à humanidade. Todas as coisas boas do Salvador do mundo nos são ditas através deste Livro.

Eu acredito que a Bíblia é a melhor dádiva que Deus deu à humanidade. Todas as coisas boas do Salvador do mundo nos são ditas através deste Livro. A importância do estudo bíblico para a vida cristã 2 Pedro 1.12-2121 Pr. Fernando Fernandes Eu acredito que a Bíblia é a melhor dádiva que Deus deu à humanidade. Todas as coisas boas do Salvador do mundo

Leia mais

O SER POSSÍVEL E O SER NECESSÁRIO, FRANCISCO A PARTIR DAS IDÉIAS DE AVICENA

O SER POSSÍVEL E O SER NECESSÁRIO, FRANCISCO A PARTIR DAS IDÉIAS DE AVICENA O SER POSSÍVEL E O SER NECESSÁRIO, FRANCISCO A PARTIR DAS IDÉIAS DE AVICENA ABREU, Odailson Volpe de (UEM) O mundo atual é marcado pela inutilidade, os homens se deixam levar por tudo aquilo que não é

Leia mais

A Regra daterceira Ordem da Sociedade de São Francisco iii) Ordem para Admissões e Renovações I. O CONVITE

A Regra daterceira Ordem da Sociedade de São Francisco iii) Ordem para Admissões e Renovações I. O CONVITE A Regra daterceira Ordem da Sociedade de São Francisco iii) Ordem para Admissões e Renovações como ordenado pelo Capítulo Interprovincial da Terceira Ordem na Revisão Constitucional de 1993, e subseqüentemente

Leia mais

Apresentamos as partilhas que enriqueceram o nosso Seminário Nacional de Iniciação Cristã.

Apresentamos as partilhas que enriqueceram o nosso Seminário Nacional de Iniciação Cristã. Apresentamos as partilhas que enriqueceram o nosso Seminário Nacional de Iniciação Cristã. Na sexta-feira, pela manhã, foi a vez do Nordeste 3 - Aracaju - com sua experiência de iniciação à vida cristã

Leia mais

O ANÚNCIO DO EVANGELHO GUIÃO DE LEITURA #3 DO SÍNODO DIOCESANO 2016. Abril a Junho de 2015 - Síntese da reflexão efetuada

O ANÚNCIO DO EVANGELHO GUIÃO DE LEITURA #3 DO SÍNODO DIOCESANO 2016. Abril a Junho de 2015 - Síntese da reflexão efetuada O ANÚNCIO DO EVANGELHO GUIÃO DE LEITURA #3 DO SÍNODO DIOCESANO 2016 Abril a Junho de 2015 - Síntese da reflexão efetuada 1 INTRODUÇÃO Continuando a responder ao convite / desafio efetuado pelo Papa Francisco

Leia mais

BIÊNIO 2012-2013. Tema Geral da Igreja Metodista "IGREJA: COMUNIDADE MISSIONÁRIA A SERVIÇO DO POVO ESPALHANDO A SANTIDADE BÍBLICA. Tema para o Biênio

BIÊNIO 2012-2013. Tema Geral da Igreja Metodista IGREJA: COMUNIDADE MISSIONÁRIA A SERVIÇO DO POVO ESPALHANDO A SANTIDADE BÍBLICA. Tema para o Biênio 1 IGREJA METODISTA PASTORAL IMED PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E PLANO DE AÇÃO BIÊNIO 2012-2013 Tema Geral da Igreja Metodista "IGREJA: COMUNIDADE MISSIONÁRIA A SERVIÇO DO POVO ESPALHANDO A SANTIDADE BÍBLICA

Leia mais

FRANCISCO DE ASSIS ENTRE DUAS REGRAS (1221-1223)

FRANCISCO DE ASSIS ENTRE DUAS REGRAS (1221-1223) CIBELE CARVALHO FRANCISCO DE ASSIS ENTRE DUAS REGRAS (1221-1223) Dissertação apresentada como requisito parcial à obtenção do grau de Mestre em História, Curso de Pós- Graduação em História, Setor de Ciências

Leia mais

EXTERNATO DA LUZ PROJETO EDUCATIVO 2013-2015

EXTERNATO DA LUZ PROJETO EDUCATIVO 2013-2015 EXTERNATO DA LUZ PROJETO EDUCATIVO 2013-2015 LISBOA, SETEMBRO DE 2013 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 PRINCÍPIOS ORIENTADORES... 3 Missão... 3 Visão... 3 Valores... 4 CONTEXTO... 4 CARATERIZA- NOS... 6 OBJETIVOS

Leia mais

Thaumazein, Ano V, Número 11, Santa Maria (Julho de 2013), pp. 266-271.

Thaumazein, Ano V, Número 11, Santa Maria (Julho de 2013), pp. 266-271. Thaumazein, Ano V, Número 11, Santa Maria (Julho de 2013), pp. 266-271. RESENHA: FRUGONI, Chiara. A vida de um homem: Francisco de Assis. Tradução Federico Carotti. Título original: Vita di um uomo: Francesco

Leia mais

Capitulo 3 ESPIRITUALIDADE DA RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA

Capitulo 3 ESPIRITUALIDADE DA RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA Capitulo 3 ESPIRITUALIDADE DA RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA Deus nos alerta pela profecia de Oséias de que o Povo dele se perde por falta de conhecimento. Cf. Os 4,6 1ª Tm 4,14 Porque meu povo se perde

Leia mais

QUEM É PIERRE VIGNE? PIERRE VIGNE, MESTRE ESPIRITUAL

QUEM É PIERRE VIGNE? PIERRE VIGNE, MESTRE ESPIRITUAL QUEM É PIERRE VIGNE? Pierre Vigne nasceu em Privas, na França, no dia 20 de agosto de 1670. Com a idade de 11 anos, ele é observado pelo seu pároco que já lhe pode confiar responsabilidades em sua paróquia,

Leia mais

Notas sobre a Fonte e a Inspiração do Padre João Pedro Médaille para a Espiritualidade da Congregação das Irmãs de São José

Notas sobre a Fonte e a Inspiração do Padre João Pedro Médaille para a Espiritualidade da Congregação das Irmãs de São José Notas sobre a Fonte e a Inspiração do Padre João Pedro Médaille para a Espiritualidade da Congregação das Irmãs de São José Irmãs Mary Jane Garry e Jean Sauntry FONTE ORIGINAL DA ESPIRITUALIDADE DA CONGREGAÇÃO

Leia mais

Trabalhadores do Brasil: Circularidade e apropriação. Pedro Henrique da Silva Carvalho 1

Trabalhadores do Brasil: Circularidade e apropriação. Pedro Henrique da Silva Carvalho 1 116 Trabalhadores do Brasil: Circularidade e apropriação Pedro Henrique da Silva Carvalho 1 FERREIRA, Jorge Luiz. Trabalhadores do Brasil: o imaginário popular: 1930-45. Rio de Janeiro: Fundação Getulio

Leia mais

São Paulo ganha dos companheiros. São atribuías a S.Paulo 14 cartas. Umas são dele mesmo: Romanos, 1 e 2 aos Corintios, a Filemom, aos Gálatas, aos

São Paulo ganha dos companheiros. São atribuías a S.Paulo 14 cartas. Umas são dele mesmo: Romanos, 1 e 2 aos Corintios, a Filemom, aos Gálatas, aos No Antigo Testamento são citadas algumas cartas, como no 2ºMacabeus, capi.1º. Mas é no Novo Testamento que muitas cartas foram conservadas como parte integrante da revelação de Deus. No Novo Testamento

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE EMRC 9.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE EMRC 9.º ANO DE EMRC 9.º ANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO O aluno, no final do 9.º ano, deve atingir as metas abaixo indicadas, nos seguintes domínios: Religião e Experiência Religiosa Compreender o que são

Leia mais

Aparição da Mãe Divina. Colina do Cristo Redentor, Carmo da Cachoeira, MG, Brasil. Domingo, 12 de fevereiro de 2012, às 20h40.

Aparição da Mãe Divina. Colina do Cristo Redentor, Carmo da Cachoeira, MG, Brasil. Domingo, 12 de fevereiro de 2012, às 20h40. Aparição da Mãe Divina. Colina do Cristo Redentor, Carmo da Cachoeira, MG, Brasil. Domingo, 12 de fevereiro de 2012, às 20h40. Como no dia de ontem, o grupo reuniu-se às 19h30 para iniciar a tarefa de

Leia mais

NOVENA PRIMEIRO DIA. Glória a ti Deus Pai, tu que chamaste a Rafqa à santa vida monástica e foste para ela Pai e Mãe.

NOVENA PRIMEIRO DIA. Glória a ti Deus Pai, tu que chamaste a Rafqa à santa vida monástica e foste para ela Pai e Mãe. NOVENA O verdadeiro crente deve conscientizar-se da importância da oração em sua vida. O senhor Jesus disse : Rogai sem cessar ; quando fazemos uma novena que é uma de oração, estamos seguindo um ensinamento

Leia mais

TOMADA DE POSSE DO NOVO PÁROCO - CELEBRAÇÃO (cf. Cerimonial dos Bispos, nn. 1185-1198) DIOCESE DE CRUZEIRO DO SUL AC/AM

TOMADA DE POSSE DO NOVO PÁROCO - CELEBRAÇÃO (cf. Cerimonial dos Bispos, nn. 1185-1198) DIOCESE DE CRUZEIRO DO SUL AC/AM Página 1 TOMADA DE POSSE DO NOVO PÁROCO - CELEBRAÇÃO (cf. Cerimonial dos Bispos, nn. 1185-1198) DIOCESE DE CRUZEIRO DO SUL AC/AM 01. Canto de Entrada 02. Saudação inicial do celebrante presidente 03. Leitura

Leia mais

Informativo da Congregação Pobres Servos da Divina Providência Delegação Nossa Senhora Aparecida. Permanece conosco

Informativo da Congregação Pobres Servos da Divina Providência Delegação Nossa Senhora Aparecida. Permanece conosco Notícias de Família Informativo da Congregação Pobres Servos da Divina Providência Delegação Nossa Senhora Aparecida 06 JUNHO 2014 Permanece conosco Vivemos dias de graça, verdadeiro Kairós com a Celebração

Leia mais

QUARESMA TEMPO DE REFLEXÃO E AÇÃO

QUARESMA TEMPO DE REFLEXÃO E AÇÃO QUARESMA TEMPO DE REFLEXÃO E AÇÃO Disponível em: www.seminariomaiordebrasilia.com.br Acesso em 13/03/2014 A palavra Quaresma surge no século IV e tem um significado profundo e simbólico para os cristãos

Leia mais

CARTA DE PRINCÍPIOS, CRENÇAS E VALORES 1 ALIANÇA CRISTÃ EVANGÉLICA BRASILEIRA Aliança Evangélica. A unidade na fé a caminho da missão

CARTA DE PRINCÍPIOS, CRENÇAS E VALORES 1 ALIANÇA CRISTÃ EVANGÉLICA BRASILEIRA Aliança Evangélica. A unidade na fé a caminho da missão CARTA DE PRINCÍPIOS, CRENÇAS E VALORES 1 ALIANÇA CRISTÃ EVANGÉLICA BRASILEIRA Aliança Evangélica A unidade na fé a caminho da missão Nossa Visão Manifestar a unidade da igreja por meio do testemunho visível

Leia mais

ITAICI Revista de Espiritualidade Inaciana

ITAICI Revista de Espiritualidade Inaciana ITAICI Revista de Espiritualidade Inaciana 93 ISSN - 1517-7807 9!BLF@FB:VWOOUWoYdZh outubro 2013 Que a saúde se difunda sobre a terra Escatologia e Exercícios Espirituais Pedro Arrupe, homem de Deus 1

Leia mais

TRADIÇÃO. Patriarcado de Lisboa JUAN AMBROSIO / PAULO PAIVA 2º SEMESTRE ANO LETIVO 2013 2014 1. TRADIÇÃO E TRADIÇÕES 2.

TRADIÇÃO. Patriarcado de Lisboa JUAN AMBROSIO / PAULO PAIVA 2º SEMESTRE ANO LETIVO 2013 2014 1. TRADIÇÃO E TRADIÇÕES 2. TRADIÇÃO JUAN AMBROSIO / PAULO PAIVA 2º SEMESTRE ANO LETIVO 2013 2014 1. TRADIÇÃO E TRADIÇÕES 2. A TRANSMISSÃO DO TESTEMUNHO APOSTÓLICO 3. TRADIÇÃO, A ESCRITURA NA IGREJA Revelação TRADIÇÃO Fé Teologia

Leia mais

A grande refeição é aquela que fazemos em torno da Mesa da Eucaristia.

A grande refeição é aquela que fazemos em torno da Mesa da Eucaristia. EUCARISTIA GESTO DO AMOR DE DEUS Fazer memória é recordar fatos passados que animam o tempo presente em rumo a um futuro melhor. O povo de Deus sempre procurou recordar os grandes fatos do passado para

Leia mais

Papa Bento XVI visita o Brasil

Papa Bento XVI visita o Brasil Papa Bento XVI visita o Brasil Análise Segurança Fernando Maia 23 de maio de 2007 Papa Bento XVI visita o Brasil Análise Segurança Fernando Maia 23 de maio de 2007 No período de 09 a 13 de maio, o Papa

Leia mais

Victor André João de Deus

Victor André João de Deus Victor André João de Deus Historia Marcellin Champagnat, aportuguesado para Marcelino Champagnat (20 de maio de 1789, Marlhes - 6 de junho de 1840, Notre Dame de l'hermitage) foi um presbítero da Sociedade

Leia mais

A Igreja é uma santa sociedade cristã para santa comunhão ordinária e ajuda mútua no culto público a Deus e no santo viver.

A Igreja é uma santa sociedade cristã para santa comunhão ordinária e ajuda mútua no culto público a Deus e no santo viver. A Igreja é uma santa sociedade cristã para santa comunhão ordinária e ajuda mútua no culto público a Deus e no santo viver. Richard Baxter Contexto: Os puritanos surgiram para apoiar e desejar a reforma

Leia mais

MEMÓRIAS DA BEATIFICAÇÃO DE ANTÔNIO FREDERICO OZANAM

MEMÓRIAS DA BEATIFICAÇÃO DE ANTÔNIO FREDERICO OZANAM Vol. I N. 1 Jul Dez / 2005 pp. 45-50 ISSN 1809-3604 MEMÓRIAS DA BEATIFICAÇÃO DE ANTÔNIO FREDERICO OZANAM Simone Pettersen Nunes * RESUMO: No presente artigo propomos uma reflexão voltada para analisar

Leia mais

NOVENA PARA A FESTA DE SANTA MARIA EUGENIA FUNDADORA DAS RELIGIOSAS DA ASSUNÇÃO

NOVENA PARA A FESTA DE SANTA MARIA EUGENIA FUNDADORA DAS RELIGIOSAS DA ASSUNÇÃO NOVENA PARA A FESTA DE SANTA MARIA EUGENIA FUNDADORA DAS RELIGIOSAS DA ASSUNÇÃO Os santos são um projeto de Deus que se realizou, que deu certo. Por isso, eles são sinais indicadores, testemunhas, para

Leia mais

Repasse da 76a. Assembléia da CNBB Sul I Aparecida de 10 a 12/06/2013

Repasse da 76a. Assembléia da CNBB Sul I Aparecida de 10 a 12/06/2013 Repasse da 76a. Assembléia da CNBB Sul I Aparecida de 10 a 12/06/2013 1. Finalidade do Ano da Fé; 2. O que é a Fé; 3. A transmissão da Fé enquanto professada, celebrada, vivida e rezada; 4. O conteúdo

Leia mais

4ª. Apostila de Filosofia História da Filosofia: Filosofia Grega: Período Helenístico Filosofia Medieval. Introdução

4ª. Apostila de Filosofia História da Filosofia: Filosofia Grega: Período Helenístico Filosofia Medieval. Introdução 1 4ª. Apostila de Filosofia História da Filosofia: Filosofia Grega: Período Helenístico Filosofia Medieval Introdução O último período da Filosofia Grega é o Helenístico (Sec. III a.c.-vi d.c.). É um período

Leia mais

Sobre a profecia de 1977

Sobre a profecia de 1977 Sobre a profecia de 1977 Recebi uma pergunta na página que mantenho no orkut, http://www.orkut.com.br/main#home.aspx Nesta pergunta uma irmã dizia que William Branham errou ao dá uma profecia sobre a volta

Leia mais

Prisões mentais. Escrito por Mário Moreno Dom, 05 de Junho de 2011 15:37. Prisões mentais

Prisões mentais. Escrito por Mário Moreno Dom, 05 de Junho de 2011 15:37. Prisões mentais Prisões mentais Hoje podemos afirmar que há satan o adversário conseguiu algo muito grande quando fez o homem pecar além de fazer dele um peregrino fora do Gan Éden e de tirar-lhe a imortalidade. O adversário

Leia mais

ISSN 1806-7328 CADERNOS DA ESTEF. Revista Semestral N 45 2010/2 A TEIA DA ESPIRITUALIDADE ESTEF

ISSN 1806-7328 CADERNOS DA ESTEF. Revista Semestral N 45 2010/2 A TEIA DA ESPIRITUALIDADE ESTEF ISSN 1806-7328 CADERNOS DA ESTEF Revista Semestral N 45 2010/2 A TEIA DA ESPIRITUALIDADE ESTEF Escola Superior de Teologia e Espiritualidade Franciscana Porto Alegre (RS) Brasil SUMÁRIO A teia da espiritualidade...3

Leia mais

Apresentação. (Solicitação do saudoso Santo Padre o Beato João Paulo II)

Apresentação. (Solicitação do saudoso Santo Padre o Beato João Paulo II) Apresentação A Renovação Carismática Católica do Estado do Piauí, movimento eclesial da Igreja Católica, tem por objetivo proporcionar às pessoas uma experiência concreta com Jesus Cristo, através do Batismo

Leia mais

DEVOÇÃO MARIANA NA IDADE MÉDIA ATRAVÉS DA ARTE DE GIOTTO: ADORAÇÃO DOS REIS MAGOS E EPIFANIA

DEVOÇÃO MARIANA NA IDADE MÉDIA ATRAVÉS DA ARTE DE GIOTTO: ADORAÇÃO DOS REIS MAGOS E EPIFANIA DEVOÇÃO MARIANA NA IDADE MÉDIA ATRAVÉS DA ARTE DE GIOTTO: ADORAÇÃO DOS REIS MAGOS E EPIFANIA ANTONIO, Jacqueline Rodrigues (UEL) VISALLI, Angelita Marques (UEL) INTRODUÇÃO: Este trabalho traz uma análise

Leia mais

Acampamentos Católicos

Acampamentos Católicos Acampamentos Católicos O Acampamento Católico é uma nova forma de evangelizar. Utiliza uma metodologia de evangelização nascida na EVANGELIZAÇÃO 2000 (movimento católico da década de 80), como parte de

Leia mais

São Martinho de Lima

São Martinho de Lima São Martinho de Lima Frei Lino Dolan OP Seguidores de Domingos Martinho nasceu em Lima (Peru) no ano de 1579, filho natural de um cavaleiro espanhol e uma mulher negra. Ainda bastante jovem, aprendeu os

Leia mais

Judith Sonja Garbers, Psicóloga Jörg Garbers, Mestre de Teologia

Judith Sonja Garbers, Psicóloga Jörg Garbers, Mestre de Teologia Judith Sonja Garbers, Psicóloga Jörg Garbers, Mestre de Teologia C.G.Jung: Espiritualidade Conforme Jung o ser humano desenvolve primeiro uma identidade pessoal, descobre quem é, o que gosta, qual é seu

Leia mais

VER PARA COMPREENDER: A SELEÇÃO DE IMAGENS NOS LIVROS DIDÁTICOS DE HISTÓRIA DURANTE O REGIME MILITAR BRASILEIRO

VER PARA COMPREENDER: A SELEÇÃO DE IMAGENS NOS LIVROS DIDÁTICOS DE HISTÓRIA DURANTE O REGIME MILITAR BRASILEIRO VER PARA COMPREENDER: A SELEÇÃO DE IMAGENS NOS LIVROS DIDÁTICOS DE HISTÓRIA DURANTE O REGIME MILITAR BRASILEIRO Juliana Ponqueli Contó (PIBIC/Fundação Araucária - UENP), Jean Carlos Moreno (Orientador),

Leia mais

MEDIUNIDADE COM JESUS CRÔNICAS DO ALÉM TÚMULO DE HUMBERTO DE CAMPOS- PSICOGRAFIA DE CHICO XAVIER

MEDIUNIDADE COM JESUS CRÔNICAS DO ALÉM TÚMULO DE HUMBERTO DE CAMPOS- PSICOGRAFIA DE CHICO XAVIER MEDIUNIDADE COM JESUS CRÔNICAS DO ALÉM TÚMULO DE HUMBERTO DE CAMPOS- PSICOGRAFIA DE CHICO XAVIER 1 REUNIDO ESTAVA O REINO DAS SOMBRAS. E O PODEROSO CHEFE DAS TREVAS. ESTAVA PREOCUPADO COM O ESPIRITISMO

Leia mais

HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO NO SÉCULO XII: A VISÃO DE BERNARDO DE CLARAVAL A RESPEITO DA AQUISIÇÃO DO CONHECIMENTO

HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO NO SÉCULO XII: A VISÃO DE BERNARDO DE CLARAVAL A RESPEITO DA AQUISIÇÃO DO CONHECIMENTO HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO NO SÉCULO XII: A VISÃO DE BERNARDO DE CLARAVAL A RESPEITO DA AQUISIÇÃO DO CONHECIMENTO doi: 10.4025/XIIjeam2013.goncalves.pizoli24 GONÇALVES, Marize Mota 1 PIZOLI, Rita de Cássia INTRODUÇÃO

Leia mais

Sumário. Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9. Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15. Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33

Sumário. Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9. Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15. Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33 1 a Edição Editora Sumário Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9 Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15 Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33 Santos, Hugo Moreira, 1976-7 Motivos para fazer

Leia mais

Sumário Rosário de Nossa Senhora

Sumário Rosário de Nossa Senhora Sumário PRECES DIÁRIAS DO CRISTÃO... 13 1. Sinal da Cruz... 13 2. Pai-Nosso... 14 3. Ave-Maria... 15 4. Glória ao Pai... 16 5. Creio... 16 6. Invocação ao Espírito Santo... 17 7. Bênção contra a Tristeza...

Leia mais

A ESCOLA CATÓLICA, UMA INSTITUIÇAO DE ENSINO COM MÍSTICA EVANGELIZADORA

A ESCOLA CATÓLICA, UMA INSTITUIÇAO DE ENSINO COM MÍSTICA EVANGELIZADORA A ESCOLA CATÓLICA, UMA INSTITUIÇAO DE ENSINO COM MÍSTICA EVANGELIZADORA A escola católica será uma instituiçao com mística evangelizadora UMA ESCOLA A SERVIÇO DA PESSOA E ABERTA A TODOS UMA ESCOLA COM

Leia mais

IMAGENS RELIGIOSAS NOS MANUSCRITOS MEDIEVAIS

IMAGENS RELIGIOSAS NOS MANUSCRITOS MEDIEVAIS IMAGENS RELIGIOSAS NOS MANUSCRITOS MEDIEVAIS Pamela Wanessa Godoi (UEL/ PIBIC-CNPQ) 1 Eixo: Imagem e Religião Resumo: Neste trabalho procuramos desenvolver uma análise de como alguns autores da historiografia

Leia mais

O seu conceito das religiões é como o seguinte quadro?

O seu conceito das religiões é como o seguinte quadro? ...as religiões? Sim, eu creio que sim, pois não importa a qual religião pertença. O importante é apoiar a que tem e saber levá-la. Todas conduzem a Deus. Eu tenho minha religião e você tem a sua, e assim

Leia mais

NOVENA DOS PAIS QUE ORAM PELOS FILHOS

NOVENA DOS PAIS QUE ORAM PELOS FILHOS Pe. Nilton César Boni, cmf NOVENA DOS PAIS QUE ORAM PELOS FILHOS EDITORA AVE-MARIA Apresentação Aos membros da família cristã podem aplicar-se de modo particular as palavras com que Cristo promete a sua

Leia mais

PADRE MARCELO ROSSI ÁGAPE

PADRE MARCELO ROSSI ÁGAPE PADRE MARCELO ROSSI ÁGAPE Oo Índice Prefácio, por Gabriel Chalita...11 Introdução...19 1 O Verbo divino...27 2 As bodas de Caná...35 3 A samaritana...41 4 Multiplicação dos pães...49 5 A mulher adúltera...55

Leia mais

NOVENA A SÃO PEREGRINO: PROTETOR DOS DOENTES DE CÂNCER. Comentarista: Quem foi São Peregrino? São Peregrino, foi um frade da Ordem dos

NOVENA A SÃO PEREGRINO: PROTETOR DOS DOENTES DE CÂNCER. Comentarista: Quem foi São Peregrino? São Peregrino, foi um frade da Ordem dos NOVENA A SÃO PEREGRINO: PROTETOR DOS DOENTES DE CÂNCER Comentarista: Quem foi São Peregrino? São Peregrino, foi um frade da Ordem dos Servos de Maria e ficou conhecido como o protetor contra o câncer.

Leia mais

A Santa Sé VIAGEM APOSTÓLICA DO SANTO PADRE AO BRASIL HOMILIA DO PAPA JOÃO PAULO II DURANTE A MISSA NA CATEDRAL DE BRASÍLIA

A Santa Sé VIAGEM APOSTÓLICA DO SANTO PADRE AO BRASIL HOMILIA DO PAPA JOÃO PAULO II DURANTE A MISSA NA CATEDRAL DE BRASÍLIA A Santa Sé VIAGEM APOSTÓLICA DO SANTO PADRE AO BRASIL HOMILIA DO PAPA JOÃO PAULO II DURANTE A MISSA NA CATEDRAL DE BRASÍLIA Brasília, 30 de Junho de 1980 Irmãos e filhos caríssimos 1. Ao celebrar esta

Leia mais

Deus o chamou para o ministério da palavra e do ensino também. Casou-se aos 21 de idade com a ministra de louvor Elaine Aparecida da Silva

Deus o chamou para o ministério da palavra e do ensino também. Casou-se aos 21 de idade com a ministra de louvor Elaine Aparecida da Silva Biografia Jessé de Souza Nascimento, nascido em 11/04/1986 em um lar evangélico. Filho de Adão Joaquim Nascimento e Maria de Souza Nascimento. Cresceu sendo ensinado dentro da palavra de Deus e desde muito

Leia mais

ESCOLA DE PASTORAL CATEQUÉTICA ESPAC

ESCOLA DE PASTORAL CATEQUÉTICA ESPAC ESCOLA DE PASTORAL CATEQUÉTICA ESPAC 1. ESPAC O QUE É? A ESPAC é uma Instituição da Arquidiocese de Fortaleza, criada em 1970, que oferece uma formação sistemática aos Agentes de Pastoral Catequética e

Leia mais

LECTIO DIVINA JESUS CHAMA SEUS DISCI PULOS

LECTIO DIVINA JESUS CHAMA SEUS DISCI PULOS LECTIO DIVINA JESUS CHAMA SEUS DISCI PULOS 1 TEXTO BÍBLICO - Lucas 6,12-19 (Fazer uma Oração ao Espírito Santo, ler o texto bíblico, fazer um momento de meditação, refletindo sobre os três verbos do texto

Leia mais

MENSAGEM DO PAPA JOÃO PAULO II PARA A XXXI JORNADA MUNDIAL DE ORAÇÃO PELAS VOCAÇÕES

MENSAGEM DO PAPA JOÃO PAULO II PARA A XXXI JORNADA MUNDIAL DE ORAÇÃO PELAS VOCAÇÕES MENSAGEM DO PAPA JOÃO PAULO II PARA A XXXI JORNADA MUNDIAL DE ORAÇÃO PELAS VOCAÇÕES Aos venerados irmãos no episcopado e a todos os queridos fiéis do mundo inteiro A celebração da Jornada Mundial de Oração

Leia mais

PROJETO ESPAÇO DE EVOLUÇÃO HUMANA, ÉTICA, ESPIRITUALIDADE E FRATERNIDADE

PROJETO ESPAÇO DE EVOLUÇÃO HUMANA, ÉTICA, ESPIRITUALIDADE E FRATERNIDADE PROJETO ESPAÇO DE EVOLUÇÃO HUMANA, ÉTICA, ESPIRITUALIDADE E FRATERNIDADE Coordenação: Tatiane Aguiar Guimarães Silva Aracaju/SE, junho de 2013. 1. APRESENTAÇÃO Da árvore do silêncio pende seu fruto, a

Leia mais

Roteiro 8. FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Programa Filosofia e Ciência Espíritas

Roteiro 8. FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Programa Filosofia e Ciência Espíritas Roteiro 8 FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Programa Filosofia e Ciência Espíritas 1 Objetivos Realizar estudo sobre Jesus, com base nos critérios históricos. Analisar

Leia mais

5.1. A QUESTÃO ECUMÊNICA HOJE

5.1. A QUESTÃO ECUMÊNICA HOJE 5.1. A QUESTÃO ECUMÊNICA HOJE José Bizon dcj@casadareconciliacao.com.br 1. RESUMO E OBJETIVO Resumo O ecumenismo é parte integrante da ação evangelizadora. De acordo com o Decreto Unitatis redintegratio,

Leia mais

REGULAMENTO DAS PASTORAIS ESCOLARES E UNIVERSITÁRIAS - ESTRUTURA, COMPETÊNCIA E FUNCIONAMENTO -

REGULAMENTO DAS PASTORAIS ESCOLARES E UNIVERSITÁRIAS - ESTRUTURA, COMPETÊNCIA E FUNCIONAMENTO - REGULAMENTO DAS PASTORAIS ESCOLARES E UNIVERSITÁRIAS - ESTRUTURA, COMPETÊNCIA E FUNCIONAMENTO - INTRODUÇÃO O Colégio Episcopal da Igreja Metodista, no uso de suas atribuições (Cânones, Art. 63, item XVII)

Leia mais

A ESPIRITUALIDADE NA VIDA RELIGIOSA FEMININA A PARTIR DA HAGIOGRAFIA DE SANTA SENHORINHA DE BASTO

A ESPIRITUALIDADE NA VIDA RELIGIOSA FEMININA A PARTIR DA HAGIOGRAFIA DE SANTA SENHORINHA DE BASTO A ESPIRITUALIDADE NA VIDA RELIGIOSA FEMININA A PARTIR DA HAGIOGRAFIA DE SANTA SENHORINHA DE BASTO HEVERTON RODRIGUES DE OLIVEIRA 1 Introdução Ao buscarmos percorrer os caminhos da espiritualidade da vida

Leia mais

Tema 3: Espiritualidade O Espírito faz bater nossos corações em uníssono

Tema 3: Espiritualidade O Espírito faz bater nossos corações em uníssono Tema 3: Espiritualidade O Espírito faz bater nossos corações em uníssono O ESPÍRITO FAZ BATER NOSSOS CORAÇÕES EM UNÍSSONO (Ir. Henri Vergès) Espiritualidade enraizada no Deus de Jesus, encarnada nas realidades

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANTÓNIO FEIJÓ DEPARTAMENTO: DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANTÓNIO FEIJÓ DEPARTAMENTO: DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS DISCIPLINA: UNIDADE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANTÓNIO FEIJÓ DEPARTAMENTO: DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS PLANIFICAÇÃO ANUAL - ANO LETIVO: 2015-2016 1 A PESSOA HUMANA EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA

Leia mais

CONGRESSO EUCARÍSTICO. 1º ponto: O padre e a Eucaristia 2º ponto: Congresso Eucarístico

CONGRESSO EUCARÍSTICO. 1º ponto: O padre e a Eucaristia 2º ponto: Congresso Eucarístico CONGRESSO EUCARÍSTICO 1º ponto: O padre e a Eucaristia 2º ponto: Congresso Eucarístico O PADRE E A EUCARISTIA Eucaristia e Missão Consequência significativa da tensão escatológica presente na Eucaristia

Leia mais

COMUNIDADE DE COMUNIDADES: UMA NOVA PARÓQUIA. Estudo 104 CNBB

COMUNIDADE DE COMUNIDADES: UMA NOVA PARÓQUIA. Estudo 104 CNBB COMUNIDADE DE COMUNIDADES: UMA NOVA PARÓQUIA Estudo 104 CNBB ASPECTOS GERAIS DO DOCUMENTO PERSPECTIVAS PASTORAIS TEXTOS BASES DESAFIOS FUNÇÕES DA PARÓQUIA PERSPECTIVA TEOLÓGICA MÍSTICA DO DOCUMENTO PERSPECTIVA

Leia mais

MISSÃO E CRESCIMENTO DA IGREJA IGREJA: CORPO VIVO DE CRISTO. Estudo Bíblico

MISSÃO E CRESCIMENTO DA IGREJA IGREJA: CORPO VIVO DE CRISTO. Estudo Bíblico MISSÃO E CRESCIMENTO DA IGREJA IGREJA: CORPO VIVO DE CRISTO Estudo Bíblico Bispo Luiz Vergílio / Caxias do Sul/RS Abril de 2009 Ministerial de Pastores e Pastoras 1 MISSÃO DA IGREJA E CRESCIMENTO I. IGREJA

Leia mais

LEITURA ORANTE DA BÍBLIA. Um encontro com Deus vivo

LEITURA ORANTE DA BÍBLIA. Um encontro com Deus vivo LEITURA ORANTE DA BÍBLIA Um encontro com Deus vivo A quem nós iremos, Senhor? Tu tens palavras de vida eterna. (Jo 6,68) Recordando a história... A leitura orante da Palavra é uma tentativa de responder

Leia mais

Plano Diocesano da Animação Bíblico-Catequética

Plano Diocesano da Animação Bíblico-Catequética Plano Diocesano da Animação Bíblico-Catequética 2 0 1 2-2 0 1 5 DIOCESE DE FREDERICO WESTPHALEN - RS Queridos irmãos e irmãs, Com imensa alegria, apresento-lhes o PLANO DIOCESANO DE ANIMAÇÃO BÍBLICO -

Leia mais

Gr.Bíblico. Evangelho de. Nossa Senhora Conceição. São Mateus Ano litúrgico A

Gr.Bíblico. Evangelho de. Nossa Senhora Conceição. São Mateus Ano litúrgico A Evangelho de São Mateus Ano litúrgico A O Segundo Envangelho O TEMPO DE JESUS E O TEMPO DA IGREJA Este Evangelho, transmitido em grego pela Igreja, deve ter sido escrito originariamente em aramaico, a

Leia mais

GRUPOS DE ORAÇÃO EM DEFESA DA FAMÍLIA PLANO DE AÇÃO MINISTÉRIO PARA AS FAMÍLIAS RCC SÃO PAULO 2015-2016

GRUPOS DE ORAÇÃO EM DEFESA DA FAMÍLIA PLANO DE AÇÃO MINISTÉRIO PARA AS FAMÍLIAS RCC SÃO PAULO 2015-2016 GRUPOS DE ORAÇÃO EM DEFESA DA FAMÍLIA PLANO DE AÇÃO MINISTÉRIO PARA AS FAMÍLIAS RCC SÃO PAULO 2015-2016 Plano de Ação do Ministério Para as Famílias RCC São Paulo (2015-2016) Grupos de Oração em Defesa

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 065-PROEC/UNICENTRO, DE 25 DE ABRIL DE 2011.

RESOLUÇÃO Nº 065-PROEC/UNICENTRO, DE 25 DE ABRIL DE 2011. RESOLUÇÃO Nº 065-PROEC/UNICENTRO, DE 25 DE ABRIL DE 2011. Aprova a continuidade do Projeto de Extensão Escola de Teologia para leigos Nossa Senhora das Graças, na modalidade de Curso de Extensão, na categoria

Leia mais

+ Orani João Tempesta, O. Cist. Arcebispo de São Sebastião do Rio de Janeiro, RJ

+ Orani João Tempesta, O. Cist. Arcebispo de São Sebastião do Rio de Janeiro, RJ AMAI-VOS Domingo passado, ao celebrar o tema da misericórdia, tive a oportunidade de estar com milhares de pessoas tanto na Catedral Metropolitana como no anúncio e instalação do Santuário da Misericórdia,

Leia mais

O Antigo Testamento tem como seus primeiros livros a TORÀ, ou Livro das leis. É um conjunto de 5 livros.

O Antigo Testamento tem como seus primeiros livros a TORÀ, ou Livro das leis. É um conjunto de 5 livros. O Antigo Testamento tem como seus primeiros livros a TORÀ, ou Livro das leis. É um conjunto de 5 livros. A Torá é o texto mais importante para o Judaísmo. Nele se encontram os Mandamentos, dados diretamente

Leia mais

Considerações sobre os lugares e os sentidos das imagens nos azulejos setecentistas do claustro do Convento de Nossa Senhora das Neves de Olinda

Considerações sobre os lugares e os sentidos das imagens nos azulejos setecentistas do claustro do Convento de Nossa Senhora das Neves de Olinda Considerações sobre os lugares e os sentidos das imagens nos azulejos setecentistas do claustro do Convento de Nossa Senhora das Neves de Olinda ALDILENE MARINHO CÉSAR ALMEIDA DINIZ * O ciclo narrativo

Leia mais

PASTORAL É O HOJE DA IGREJA

PASTORAL É O HOJE DA IGREJA PASTORAL É O HOJE DA IGREJA As mudanças sociais são desafios à Evangelização. A atualização da mensagem cristã nas diversas realidades e em diferentes tempos fez surgir a Pastoral. Hoje em nossas paróquias

Leia mais

O ÓDIO E A EDUCAÇÃO NA SUMA TEOLÓGICA DE TOMÁS DE AQUINO

O ÓDIO E A EDUCAÇÃO NA SUMA TEOLÓGICA DE TOMÁS DE AQUINO O ÓDIO E A EDUCAÇÃO NA SUMA TEOLÓGICA DE TOMÁS DE AQUINO SANTIN, Rafael Henrique 1 OLIVEIRA, Terezinha 2 INTRODUÇÃO Este texto apresenta algumas reflexões desenvolvidas durante nossa pesquisa de mestrado

Leia mais

Carta de Paulo aos romanos:

Carta de Paulo aos romanos: Carta de Paulo aos romanos: Paulo está se preparando para fazer uma visita à comunidade dos cristãos de Roma. Ele ainda não conhece essa comunidade, mas sabe que dentro dela existe uma grande tensão. A

Leia mais

SÃO FRANCISCO DE ASSIS, A COMÉDIA DE DANTE E A INTERPRETAÇÃO FIGURAL

SÃO FRANCISCO DE ASSIS, A COMÉDIA DE DANTE E A INTERPRETAÇÃO FIGURAL SÃO FRANCISCO DE ASSIS, A COMÉDIA DE DANTE E A INTERPRETAÇÃO FIGURAL Aldilene Marinho César Almeida Diniz * Universidade Federal do Rio de Janeiro UFRJ aldicesar@gmail.com RESUMO: A vida de São Francisco

Leia mais

O RITUAL DE INICIAÇÃO CRISTÃ DE ADULTOS: UM INSTRUMENTO PARA A TRANSMISSÃO DA FÉ

O RITUAL DE INICIAÇÃO CRISTÃ DE ADULTOS: UM INSTRUMENTO PARA A TRANSMISSÃO DA FÉ O RITUAL DE INICIAÇÃO CRISTÃ DE ADULTOS: UM INSTRUMENTO PARA A TRANSMISSÃO DA FÉ Pe. Thiago Henrique Monteiro Muito adultos convertem-se a Cristo e à Igreja Católica. Por exemplo, neste ano, nas dioceses

Leia mais

LECTIO DIVINA 26 de julho de 2015 Domingo XVII do Tempo Comum Ano B. O mais bonito que o pão tem é poder ser partido e repartido. D.

LECTIO DIVINA 26 de julho de 2015 Domingo XVII do Tempo Comum Ano B. O mais bonito que o pão tem é poder ser partido e repartido. D. Perguntas para a reflexão pessoal Perante as necessidades com que me deparo, predisponho-me a dar da minha pobreza, a pôr generosamente à disposição o que sou e o que tenho? Acredito no potencial dos outros,

Leia mais