Versão: 1 Início de Vigência: Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 1.578, de 14 de outubro de 2005

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Versão: 1 Início de Vigência: Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 1.578, de 14 de outubro de 2005"

Transcrição

1 Procedimento de Comercialização Versão: 1 Início de Vigência: Instrumento de Aprovação: Despacho AEEL nº 1.578, de 14 de outubro de 2005

2 CÓDIGO ÍDICE 1. APROVAÇÃO HISTÓRICO DE REVISÕES PROCESSO ORIGEM E CÓDIGO DO PROCEDIMETO DE COMERCIALIZAÇÃO PÚBLICO ALVO OBJETIVO ASPECTOS LEGAIS E REGULATÓRIOS DEFIIÇÕES FERRAMETAS DE SUPORTE PREMISSAS FLUXOGRAMA MATRIZ DE OPERACIOALIZAÇÃO CROOGRAMA GERAL AEXOS pdc_am_02_versao1 Página 2 de 15

3 CÓDIGO 1. APROVAÇÃO Início de Vigência do Procedimento de Comercialização:. Aprovado pelo Despacho AEEL nº 1.578, de 14 de outubro de HISTÓRICO DE REVISÕES Elaborada versão inicial do documento. pdc_am_02_versao1 Página 3 de 15

4 CÓDIGO 3. PROCESSO ORIGEM Macro Processo: Acompanhar o Mercado 4. E CÓDIGO DO PROCEDIMETO DE COMERCIALIZAÇÃO ao Agente AM PÚBLICO ALVO 5.1. Agente Público em geral 6. OBJETIVO Estabelecer os procedimentos relativos ao atendimento do público em geral, via Central de, desde a solicitação até a solução final do problema, diferenciando o atendimento aos Agentes. pdc_am_02_versao1 Página 4 de 15

5 CÓDIGO 7. ASPECTOS LEGAIS E REGULATÓRIOS ão aplicável. 8. DEFIIÇÕES 8.1. Agente ou Agente: concessionário, permissionário, autorizado de serviços e instalações de energia elétrica e Consumidores Livres integrantes Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE): pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, que atua sob autorização do Poder Concedente e regulação e fiscalização da AEEL, segundo a Convenção de Comercialização, com a finalidade de viabilizar as operações de compra e venda de energia elétrica entre os Agentes, restritas ao Sistema Interligado acional (SI), cuja criação foi autorizada nos termos do artigo 4º da Lei nº , de 15 de março de 2004, e do Decreto nº 5.177, de 12 de agosto de Central de : é o canal de contato dos Agentes ou público em geral com a. Sua responsabilidade é promover o atendimento, registrando, esclarecendo, direcionando e/ou acompanhando as solicitações/dúvidas dos Agentes ou público em geral junto à CCEE Chamado: registro das solicitações efetuado no para o qual é atribuído um código para acompanhamento do processo tanto pela da CCEE quanto pelo Agente solicitante Consumidor Livre: aquele que, atendido em qualquer tensão, tenha exercido a opção de compra de energia elétrica, conforme definida nos arts. 15 e 16 da Lei nº 9.074, de 7 de julho de : data de ocorrência da atividade inicial do processo em questão Representante CCEE: até duas pessoas indicadas pelo(s) Representante(s) Legal(ais), com o objetivo de facilitar a comunicação entre a CCEE e o Agente. Trata-se do contato entre o Agente e a Senha de : senha disponibilizada pela ao Agente, com o objetivo de garantir a confiabilidade e a segurança na prestação da informação através da Central de : sistema de registro e acompanhamento de Chamados, utilizado pela equipe da : é o órgão executivo. 9. FERRAMETAS DE SUPORTE FERRAMETA DESCRIÇÃO Sistema onde são registradas as dúvidas, os esclarecimentos e as solicitações feitas para a, assim como todo o histórico do processo de resolução das mesmas. pdc_am_02_versao1 Página 5 de 15

6 CÓDIGO 10. PREMISSAS Para efeito do disposto no presente Procedimento de Comercialização, as referências a "Agente " ou "Agente" referem-se tanto aos concessionários, permissionários e autorizados de serviços e instalações de energia elétrica e Consumidores Livres quanto àqueles que adquirem energia elétrica na forma do 5º do art. 26 da Lei nº 9.427, de 26 de dezembro de Este Procedimento de Comercialização também se aplica ao público em geral, com exceção das informações e documentos de acesso exclusivo aos Agentes Todos os contatos dos Agentes com a devem ser realizados através da Central de, pelo telefone , pelo pelo fax ou por carta, no endereço Alameda Santos, nº 745-9º andar Cerqueira César - São Paulo SP CEP: O contato direto entre um Agente e a(s) área(s) envolvida(s) da da CCEE só deverá ocorrer no caso de reuniões específicas Todos os contatos serão registrados no e um código será gerado e fornecido ao solicitante, para facilitar o acompanhamento/identificação do Chamado em contatos futuros O prazo para resposta/solução de um chamado registrado no será de 48 horas, exceto quando o grau de complexidade justificar sua ampliação, situação na qual o solicitante será informado As Senhas de são exclusivas dos Agentes. Tais senhas são geradas pela e enviadas aos Representantes CCEE no momento da adesão do Agente, e deverão ser informadas sempre que solicitadas pela Central de durante o processo de atendimento Caso a tenha dúvidas ou necessite de maiores esclarecimentos sobre o Chamado registrado, essa entrará em contato com o solicitante via Central de A poderá entrar em contato com o Agente via Central de para encaminhamento de informações e/ou para solicitação de envio de informações pelo Agente, em prazo específico a ser estabelecido pela A contagem dos prazos estabelecidos neste Procedimento de Comercialização é realizada observando-se apenas os dias úteis. pdc_am_02_versao1 Página 6 de 15

7 11. FLUXOGRAMA Contato Realizado pelo Agente Legenda: : data do contato realizado pelo Agente. pdc_am_02_versao1 Página 7 de 15

8 11.2. Contato Realizado pela Após ecessidade de Coletadas / Enviadas ecessidade de Contato/Envio de Informação/ Solicitação de Informação aos Agentes Identificada AM Registrar Chamado no AM Efetuar Contato com o Agente AM Fornecer / Esclarecimentos Adicionais AM Encerrar Chamado FIM AM AM AM Agente Receber e Analisar Chamado Solicitar / Esclarecimentos Adicionais, caso aplicável Encaminhar Solicitadas, caso aplicável Produtos Gerados Chamado Registrado no. Contato com o Agente realizado. Chamado recebido e analisado pelo Agente. Esclarecimentos / informações adicionais solicitadas pelo Agente, caso aplicável. Esclarecimentos/informações adicionais fornecidas pela. encaminhadas pelo Agente, caso aplicável. Chamado encerrado no Sistema de. Legenda: : data do contato realizado pela. pdc_am_02_versao1 Página 8 de 15

9 12. MATRIZ DE OPERACIOALIZAÇÃO Contato Realizado pelo Agente ATIVIDADE CÓDIGO RESPOSÁVEL DETALHAMETO FERRAMETA PRODUTOS GERADOS PRAZO Entrar em contato com a da CCEE via Central de através de: Contatar da CCEE AM Agente a) Telefone: ; b) Fax: ; c) Telefone, , fax ou carta Contato com a da CCEE realizado. d) Carta: Alameda Santos, 745-9º andar Cerqueira César - São Paulo SP CEP: Identificar Solicitante e Solicitação AM Identificar o solicitante e o tipo de informação/solicitação. Solicitante e solicitação identificados. Fornecer Senha de, caso aplicável AM Agente Fornecer a Senha de. ota: Para informações gerais, não é necessário senha; para informações específicas dos Agentes, é solicitada a Senha de. Senha de fornecida, no caso de solicitação de informação exclusiva para os Agentes da CCEE. Registrar Solicitação no AM Registrar as solicitações no. Chamado registrado no. Receber Confirmação de Registro do Chamado AM Agente Receber da a confirmação de registro do Chamado, com o código do mesmo. Este código será utilizado para consultas futuras referentes a este Chamado. Telefone ou Registro do Chamado no confirmado ao Agente. pdc_am_02_versao1 Página 9 de 15

10 ATIVIDADE CÓDIGO RESPOSÁVEL DETALHAMETO FERRAMETA PRODUTOS GERADOS PRAZO Analisar / Resolver Solicitação AM Resolver a solicitação ou buscar maiores informações para a solução do Chamado. ota: O solicitante será informado periodicamente quanto ao status da solicitação, até que o respectivo chamado seja solucionado. Solicitação resolvida ou colocada em análise. ecessárias Coletadas Informar Solução e Encerrar Chamado AM Informar a solução do Chamado ao solicitante. Encerrar Chamado no. Telefone, ou fax Resolução do Chamado informada ao solicitante, caso aplicável. Chamado encerrado no, caso aplicável. ecessárias Coletadas Legenda: : data do contato realizado pelo Agente. pdc_am_02_versao1 Página 10 de 15

11 12.2. Contato Realizado pela ATIVIDADE CÓDIGO RESPOSÁVEL DETALHAMETO FERRAMETA PRODUTOS GERADOS PRAZO Registrar Chamado no AM Registrar o chamado no. Chamado registrado no. Efetuar contato com o Agente via Central de. Efetuar Contato com o Agente AM ota: O contato com o Agente poderá ser efetuado para encaminhamento de informações (incluindo documentos eletrônicos) e/ou para solicitações de envio de informações pelo Agente à. Telefone, e/ou fax Contato com o Agente realizado. Após Receber e Analisar Chamado AM Agente Receber e analisar o chamado efetuado pela via Central de. ota: Caso necessário, o Agente poderá solicitar à, maiores esclarecimentos e/ou informações adicionais. Telefone, e/ou fax Chamado recebido e analisado pelo Agente. Após Solicitar Esclarecimentos / Adicionais, caso aplicável AM Agente Solicitar à, caso aplicável, maiores esclarecimentos e/ou informações adicionais referente ao chamado recebido. Telefone, e/ou fax Esclarecimentos / informações adicionais solicitadas pelo Agente, caso aplicável. Após pdc_am_02_versao1 Página 11 de 15

12 ATIVIDADE CÓDIGO RESPOSÁVEL DETALHAMETO FERRAMETA PRODUTOS GERADOS PRAZO Fornecer Esclarecimentos / Adicionais AM Fornecer ao Agente, caso aplicável, maiores esclarecimentos e/ou informações adicionais referente ao chamado efetuado. Telefone, e/ou fax Esclarecimentos / informações adicionais fornecidas pela. Após Encaminhar Solicitadas, caso aplicável AM Agente Encaminhar à, caso aplicável, as informações solicitadas através do chamado efetuado. Telefone, e/ou fax encaminhadas pelo Agente, caso aplicável. ecessidade de Encerrar Chamado AM Encerrar o chamado no. Chamado encerrado no. ecessárias Coletadas Legenda: : data do contato realizado pela. pdc_am_02_versao1 Página 12 de 15

13 13. CROOGRAMA GERAL Contato Realizado pelo Agente PRODUTO GERADO CROOGRAMA Contato com a realizado. Solicitante e solicitação identificados. Senha de fornecida, no caso de solicitação de informação exclusiva para os Agentes. Chamado registrado no. Registro do Chamado no confirmado ao Agente. Solicitação resolvida ou colocada em análise. ecessárias Coletadas Resolução do Chamado informada ao solicitante, caso aplicável. ecessárias Coletadas Chamado encerrado no, caso aplicável. ecessárias Coletadas Legenda: : data do contato realizado pelo Agente.. pdc_am_02_versao1 Página 13 de 15

14 13.2. Contato Realizado pela PRODUTO GERADO CROOGRAMA Chamado registrado no. Contato com o Agente realizado. Após Chamado recebido e analisado pelo Agente. Após Esclarecimentos / informações adicionais solicitadas pelo Agente, caso aplicável. Após Esclarecimentos / informações adicionais fornecidas pela. Após encaminhadas pelo Agente, caso aplicável. ecessidade de Chamado encerrado no. ecessárias Coletadas Legenda: : data do contato realizado pela pdc_am_02_versao1 Página 14 de 15

15 CÓDIGO 14. AEXOS ão aplicável. pdc_am_02_versao1 Página 15 de 15

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para Prcediment de Cmercializaçã. Alterad nme deste Prcediment

Leia mais

PROCEDIMENTO DE MERCADO AM.02. Atendimento ao Agente de Mercado

PROCEDIMENTO DE MERCADO AM.02. Atendimento ao Agente de Mercado PROCEDIMETO DE MERCADO 3.0 ATEDIMETO AO AGETE DE MERCADO PROCEDIMETO DE MERCADO AM.02 ao Agente de Mercado Responsável pelo PM: Acompanhamento do Mercado COTROLE DE ALTERAÇÕES Versão Data Descrição da

Leia mais

2. Os Serviços de Suporte Técnico e Atualização da SOLUÇÃO compreenderão: Recepção e Resolução de Chamados de Suporte.

2. Os Serviços de Suporte Técnico e Atualização da SOLUÇÃO compreenderão: Recepção e Resolução de Chamados de Suporte. Este documento descreve como deverão ser prestados os serviços de suporte técnico e atualização da solução de Gestão do Risco Operacional e Controles Internos, doravante chamada SOLUÇÃO, compreendendo

Leia mais

CÂMARA DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA CCE Módulo 3: Contratação de Energia e Potência. Submódulo 3.4 COMERCIALIZAÇÃO DE POTÊNCIA

CÂMARA DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA CCE Módulo 3: Contratação de Energia e Potência. Submódulo 3.4 COMERCIALIZAÇÃO DE POTÊNCIA CÂMARA DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA CCE Módulo 3: Contratação de Energia e Potência Submódulo 3.4 COMERCIALIZAÇÃO DE POTÊNCIA CÂMARA DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA CCE Módulo 3: Contratação

Leia mais

BONSUCESSO ASSET ADMINISTRADORA DE RECURSOS LTDA

BONSUCESSO ASSET ADMINISTRADORA DE RECURSOS LTDA ELABORAÇÃO: APROVAÇÃO: GERÊNCIA DE RISCOS JULIANA PENTAGNA GUIMARÃES Diretoria da Sociedade LEANDRO SALIBA Diretoria da Sociedade INDICE 1. OBJETIVO... 2 2. REFERÊNCIAS... 2 3. CONCEITO... 2 4. ABRANGÊNCIA...

Leia mais

Adequação e Operação do Sistema de Medição para Faturamento - SMF

Adequação e Operação do Sistema de Medição para Faturamento - SMF Adequação e Operação do Sistema de Medição para Faturamento - SMF BRAZIL WINDPOWER O&M 2015 Rio de Janeiro, 02 de setembro de 2015 Dalmir Capetta Agenda Quadro Institucional Sistema de Medição para Faturamento

Leia mais

MANUAL DE PROCESSOS INF03 - ACOMPANHAR PROJETO DE OBRA

MANUAL DE PROCESSOS INF03 - ACOMPANHAR PROJETO DE OBRA MANUAL DE PROCESSOS INF03 - ACOMPANHAR PROJETO DE OBRA SUMÁRIO GLOSSÁRIO (SIGLAS, SIGNIFICADOS)... Erro! Indicador não definido. I. OBJETIVO DO PROCESSO... 5 II. ÁREAS ENVOLVIDAS... 5 III. DESCRIÇÃO DAS

Leia mais

PQ /04/

PQ /04/ PQ.06 03 02/04/2013 1-5 1. OBJETIVO Estabelecer sistematica para o processo de solicitação, análise crítica e preparação para a avaliação da conformidade. 2. DEFINIÇÕES Modelo de Avaliação da Conformidade:

Leia mais

Versão: 2. Início de Vigência: XX/XX/200X. Instrumento de Aprovação: pdc_me_02_ccee_minuta13.doc Página 1 de 28

Versão: 2. Início de Vigência: XX/XX/200X. Instrumento de Aprovação: pdc_me_02_ccee_minuta13.doc Página 1 de 28 pdc_me_02_ccee_minuta13.doc Página 1 de 28 Procedimento de Comercialização Versão: 2 Início de Vigência: XX/XX/200X Instrumento de Aprovação: ÍNDICE 1. APROVAÇÃO...3 2. HISTÓRICO DE REVISÕES...3 3. PROCESSO

Leia mais

Sistema COPAL Controle da Pesquisa Paleontológica

Sistema COPAL Controle da Pesquisa Paleontológica DEPARTAMENTO NACIONAL DE PRODUÇÃO MINERAL DIRETORIA DE FISCALIZAÇÃO - DIFIS Sistema COPAL Controle da Pesquisa Paleontológica Manual do Usuário Brasília, Julho de 2015. COPAL Controle da Pesquisa Paleontológica

Leia mais

TERMO DE CESSÃO AO CONTRATO DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA NO AMBIENTE REGULADO CCEAR Nº / - Produto / POR (QUANTIDADE ou DISPONIBILIDADE).

TERMO DE CESSÃO AO CONTRATO DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA NO AMBIENTE REGULADO CCEAR Nº / - Produto / POR (QUANTIDADE ou DISPONIBILIDADE). TERMO DE CESSÃO AO CONTRATO DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA NO AMBIENTE REGULADO Nº / - Produto / POR (QUANTIDADE ou DISPONIBILIDADE). Pelo presente instrumento contratual e na melhor forma de direito,

Leia mais

ANEXO 4 AO CONTRATO DE INTERCONEXÃO DE REDES CLASSE V ENTRE SAMM E XXX NºXXX SOLICITAÇÃO, PROVIMENTO E PLANEJAMENTO TÉCNICO INTEGRADO DE INTERCONEXÃO

ANEXO 4 AO CONTRATO DE INTERCONEXÃO DE REDES CLASSE V ENTRE SAMM E XXX NºXXX SOLICITAÇÃO, PROVIMENTO E PLANEJAMENTO TÉCNICO INTEGRADO DE INTERCONEXÃO SOLICITAÇÃO, PROVIMENTO E PLANEJAMENTO TÉCNICO INTEGRADO DE INTERCONEXÃO 1. CONDIÇÕES GERAIS 1.1 Qualquer das Partes poderá, na forma da regulamentação pertinente, solicitar novas Interconexões ou alterações

Leia mais

RESOLUÇÃO CNSP N 25, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2000.

RESOLUÇÃO CNSP N 25, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2000. RESOLUÇÃO CNSP N 25, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2000. Dispõe sobre escritório de representação, no País, de ressegurador admitido, e dá outras providências. A SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS - SUSEP, no

Leia mais

Resolução Normativa RN n 395/2016

Resolução Normativa RN n 395/2016 Resolução Normativa RN n 395/2016 Rodrigo Aguiar Gerente Geral de Assessoramento da Diretoria de Fiscalização Rio de Janeiro, janeiro de 2016. O que apresentamos aqui? Resolução Normativa RN n 395/2015,

Leia mais

MACROPROCESSO ADMINISTRATIVO PROCESSO MANUSEIO E APOIO LOGÍSTICO

MACROPROCESSO ADMINISTRATIVO PROCESSO MANUSEIO E APOIO LOGÍSTICO 1 de 10 MAUEIO E APOIO LOGÍTICO MACROPROCEO ADMIITRATIVO PROCEO MAUEIO E APOIO LOGÍTICO MAUEIO E APOIO LOGÍTICO 1. OBJETIVO... 2 2. ABRAGÊCIA... 2 3. DOCUMETO RELACIOADO... 2 4. PROCEDIMETO... 2 4.1 DEFIIÇÃO

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DOS REPRESENTANTES COMERCIAIS NO ESTADO DA BAHIA CORE-BA. Relação de Serviços e Prazos de Atendimento

CONSELHO REGIONAL DOS REPRESENTANTES COMERCIAIS NO ESTADO DA BAHIA CORE-BA. Relação de Serviços e Prazos de Atendimento Relação de Serviços e Prazos de Atendimento Registros Presencial: 02-dias (certidão) e 15 dias (carteirinha ou certificado). Certidões Imediata Alteração contratual 05 dias úteis Cancelamento de Registro

Leia mais

TERMO DE PARTICIPAÇÃO NO PROGRAMA DE RELACIONAMENTO COM CLIENTES DE ENCOMENDAS

TERMO DE PARTICIPAÇÃO NO PROGRAMA DE RELACIONAMENTO COM CLIENTES DE ENCOMENDAS TERMO DE PARTICIPAÇÃO NO PROGRAMA DE RELACIONAMENTO COM CLIENTES DE ENCOMENDAS 1 OBJETO DO TERMO Com o intuito de retribuir a preferência dos clientes de serviços de encomendas dos CORREIOS que possuem

Leia mais

SIC - Serviço de Informação ao Cidadão

SIC - Serviço de Informação ao Cidadão SIC - Serviço de Informação ao Cidadão Manual do Usuário Versão 4 Índice 1. Introdução 3 2. Primeiro Acesso 4 3. Acesso ao Sistema 10 4. Dicas Para Registrar Um Pedido 11 5. Registre Seu Pedido 12 6. Consultar

Leia mais

CENTRAIS GERADORAS EÓLICAS, SOLAR FOTOVOLTAICAS E TERMELÉTRICAS A BIOMASSA.

CENTRAIS GERADORAS EÓLICAS, SOLAR FOTOVOLTAICAS E TERMELÉTRICAS A BIOMASSA. INSTRUÇÕES PARA REQUERIMENTO AO ONS DE PARECER OU DOCUMENTO EQUIVALENTE DE ACESSO AO SISTEMA DE TRANSMISSÃO PARA FINS DE CADASTRAMENTO NA EPE COM VISTAS À HABILITAÇÃO TÉCNICA AO LEILÃO DE ENERGIA DE RESERVA

Leia mais

RESOLUÇÃO N Parágrafo 2º São de responsabilidade da diretoria da instituição:

RESOLUÇÃO N Parágrafo 2º São de responsabilidade da diretoria da instituição: RESOLUÇÃO N 2554 Dispõe sobre a implantação e implemenação de sistema de controles internos. O BANCO CENTRAL DO BRASIL, na forma do art. 9º da Lei nº 4.595, de 31.12.64, torna público que o CONSELHO MONETÁRIO

Leia mais

CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURA À INICIATIVA COMPETIR XXI

CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURA À INICIATIVA COMPETIR XXI CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURA À INICIATIVA COMPETIR XXI 30-03-2016 Iniciativa Competir XXI CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURA Na sequência da qualificação da Sotecnisol, S.A. como Empresa

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA No 14/2014 DIA DO SIM CASAMENTOS COLETIVOS REGISTRADORES CIVIS IRPEN

INSTRUÇÃO NORMATIVA No 14/2014 DIA DO SIM CASAMENTOS COLETIVOS REGISTRADORES CIVIS IRPEN INSTRUÇÃO NORMATIVA No 14/2014 DIA DO SIM CASAMENTOS COLETIVOS REGISTRADORES CIVIS IRPEN 2 O Conselho Diretor do FUNARPEN- Fundo de Apoio ao Registro Civil de Pessoas Naturais, no uso das atribuições legais

Leia mais

Não Conformidades, Ações Corretivas e Preventivas

Não Conformidades, Ações Corretivas e Preventivas 1 Objetivo Estabelecer diretrizes para o tratamento de não conformidades detectadas na unidade de gestão, e estabelecer um método para realizar ações corretivas e ações preventivas que possam ser executadas

Leia mais

GUIA DE REGISTRO EMISSÃO DE COTAS DE FIDCs

GUIA DE REGISTRO EMISSÃO DE COTAS DE FIDCs GUIA DE REGISTRO EMISSÃO DE COTAS DE FIDCs 01/07/2010 ABRANGÊNCIA De acordo com o Art. 1º do Código ANBID de Regulação e Melhores Práticas para Fundos de Investimento ( Código ), o registro de FIDC, FICFIDC

Leia mais

POP Nº XII VISTORIA PRÉVIA

POP Nº XII VISTORIA PRÉVIA Procedimentos Operacionais Padronizados: POP Nº XII VISTORIA PRÉVIA Revisão Adrianne Paixão Silvia Liane Versão 2.0 Procedimentos Operacionais Padronizados: POP Nº XII VISTORIA PRÉVIA Elaboração/Revisão:

Leia mais

POL-006 Política de Investimentos Pessoais

POL-006 Política de Investimentos Pessoais POL-006 Política de Investimentos Pessoais POL-006 Política de Investimentos Pessoais (versão 01/2016) Sumário 1. Objetivo... 1 2. Âmbito de Aplicação... 1 3. Considerações Gerais... 1 4. Vínculos... 1

Leia mais

Farinheira. Foto Geral dos Maquinários.

Farinheira. Foto Geral dos Maquinários. EDITAL 2011 EDITAL DE SELEÇAO DE INSTITUIÇAO SOCIAL PARA RECEBER DOAÇAO DE UMA FARINHEIRA (CONJUNTO DE EQUIPAMENTOS PARA A PRODUÇAO DE FARINHA) FUNDAÇÃO ANDRÉ MAGGI 1. Da Apresentação O presente edital

Leia mais

Central de Serviços- HSF Versão Junho/2014

Central de Serviços- HSF Versão Junho/2014 Central de Serviços- HSF Versão Junho/2014 São Francisco Centro de Serviços Compartilhados 1 OBJETIVO: A Central de Serviços HSF tem por objetivo a coleta e entrega de correspondências entre os setores

Leia mais

SOFTWARE DE ATENDIMENTO ADAPTAÇÃO CACEM SAMU INSTRUÇÕESS DE REGISTRO DE OCORRENCIAS. Guia do Usuário MÓDULO: ATENDIMENTO

SOFTWARE DE ATENDIMENTO ADAPTAÇÃO CACEM SAMU INSTRUÇÕESS DE REGISTRO DE OCORRENCIAS. Guia do Usuário MÓDULO: ATENDIMENTO SOFTWARE DE ATENDIMENTO ADAPTAÇÃO CACEM SAMU INSTRUÇÕESS DE REGISTRO DE OCORRENCIAS Guia do Usuário MÓDULO: ATENDIMENTO Inicialmente gostaria de lembrar que seu usuário de senha são único e exclusivos

Leia mais

Código: MSFC-P-004 Versão: 05 Emissão: 10/2011 Última Atualização em: 02/2016

Código: MSFC-P-004 Versão: 05 Emissão: 10/2011 Última Atualização em: 02/2016 Política de Controles Internos Código: MSFC-P-004 Versão: 05 Emissão: 10/2011 Última Atualização em: 02/2016 OBJETIVO Garantir a aplicação dos princípios e boas práticas da Governança Corporativa, e que

Leia mais

1. OBJETIVO Estabelecer diretrizes para elaboração e controle dos documentos e registros do Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ).

1. OBJETIVO Estabelecer diretrizes para elaboração e controle dos documentos e registros do Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ). Sistema de Gestão da Qualidade SUPERINTENDÊNCIA DE VAPT VUPT E ATENDIMENTO AO PÚBLICO PROCEDIMENTO DE CONTROLE DE DOCUMENTOS E REGISTROS Responsável: Juliana Maria Gomes de Almeida Alves Cópia Controlada

Leia mais

Unidade: Centro de Educação a Distância MANUAL DE PROCEDIMENTOS Nº: Manual de Instruçao - Autorizar Liberação de ValoresAutorizar Liberação de Valores

Unidade: Centro de Educação a Distância MANUAL DE PROCEDIMENTOS Nº: Manual de Instruçao - Autorizar Liberação de ValoresAutorizar Liberação de Valores 1/15 ESTA FOLHA ÍNDICE INDICA EM QUE REVISÃO ESTÁ CADA FOLHA NA EMISSÃO CITADA FL/R. 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 FL/R. 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 01 26 02 27 03 28 04 29 05 30 06 31 07 32 08 33

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL Universidade Federal de Goiás Campus Jataí Assessoria de Pesquisa e Pós-Graduação

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL Universidade Federal de Goiás Campus Jataí Assessoria de Pesquisa e Pós-Graduação SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL Universidade Federal de Goiás Campus Jataí Assessoria de Pesquisa e Pós-Graduação Jataí, 25 de março de 2013. Circular 001/2013/CAJ/UFG Assunto: Orientações para cadastro, aprovação

Leia mais

Anexo I, da Portaria nº 142/2014

Anexo I, da Portaria nº 142/2014 Anexo I, da Portaria nº 142/2014 MANUAL DE USO DO CADASTRO DE VEÍCULOS DE DIVULGAÇÃO DA SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA (Midiacad) Conteúdo OBJETIVO:... 2 USUÁRIOS DO MIDIACAD:...

Leia mais

Tratamento de sugestões, reclamações, não-conformidades, ações corretivas e preventivas.

Tratamento de sugestões, reclamações, não-conformidades, ações corretivas e preventivas. 1/8 Palavras-chave: sugestões, reclamações, não-conformidades, corretiva, preventiva. Exemplar nº: umário 1 Objetivo 2 Aplic 3 Documentos complementares 4 Definições 5 Procedimento 6 Referências Anexo

Leia mais

Da baixa do caminhão

Da baixa do caminhão PODER EXECUTIVO DECRETO Nº 44.332 DE 16 DE AGOSTO DE 2013 DISPÕE SOBRE PROCEDIMENTOS ADICIONAIS NECESSÁRIOS AO CUMPRIMENTO DO PROGRAMA DE INCENTIVO À MODERNIZAÇÃO, RENOVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE DA FROTA

Leia mais

Primeira Edição: 23/08/2010 Página 1 de 7 Revisão 02 AÇÃO CORRETIVA E PREVENTIVA PROCEDIMENTO

Primeira Edição: 23/08/2010 Página 1 de 7 Revisão 02 AÇÃO CORRETIVA E PREVENTIVA PROCEDIMENTO Página 1 de 7 REGISTRO DE ALTERAÇÕES REV. DATA ALTERAÇÃO EFETUADA 00 23/08/2010 Emissão do Documento 01 05/11/2010 Junção e POP.ADM.008, revisão do procedimento 02 08/11/2011 Alteração da logomarca Claudiane

Leia mais

PROGRAMA VIVÊNCIA PROFISSIONAL : REGULAMENTO DA PRÁTICA PROFISSIONAL / ESTÁGIO. Escola SENAI Anchieta

PROGRAMA VIVÊNCIA PROFISSIONAL : REGULAMENTO DA PRÁTICA PROFISSIONAL / ESTÁGIO. Escola SENAI Anchieta PROGRAMA VIVÊNCIA PROFISSIONAL : REGULAMENTO DA PRÁTICA PROFISSIONAL / ESTÁGIO Escola SENAI Anchieta Sumário Página 01 Prática Profissional / Estágio 03 02 Da carga horária da Prática Profissional / Estágio

Leia mais

Condições Gerais para Prestação de Serviços Analíticos e de Amostragem

Condições Gerais para Prestação de Serviços Analíticos e de Amostragem Condições Gerais para Prestação de Serviços Analíticos e de Amostragem I. Apresentação A ACQUALAB Laboratório e Consultoria Ambiental S/S Ltda. atua, desde a sua constituição, nas diversas áreas da ciência

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ PREFEITURA UNIVERSITÁRIA SOLICITAÇÃO DE PROJETOS Projeto de Arquitetura e Engenharia

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ PREFEITURA UNIVERSITÁRIA SOLICITAÇÃO DE PROJETOS Projeto de Arquitetura e Engenharia UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ PREFEITURA UNIVERSITÁRIA SOLICITAÇÃO DE PROJETOS Projeto de Arquitetura e Engenharia COMO SOLICITAR UM PROJETO? Para solicitações de projetos de arquitetura e engenharia,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR EDITAL Nº 1, DE 8 JANEIRO DE 2016

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR EDITAL Nº 1, DE 8 JANEIRO DE 2016 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR EDITAL Nº 1, DE 8 JANEIRO DE 2016 PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS PROUNI PROCESSO SELETIVO - PRIMEIRO SEMESTRE DE 2016 O SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 388, DE 7 DE DEZEMBRO DE 2004

RESOLUÇÃO Nº 388, DE 7 DE DEZEMBRO DE 2004 Agência Nacional de Telecomunicações RESOLUÇÃO Nº 388, DE 7 DE DEZEMBRO DE 2004 Aprova a Norma Sobre Condições de Prestação de Serviços de Telefonia para Chamadas Destinadas a "Assinante 0300". O PRESIDENTE

Leia mais

Prestação de serviço de manutenção e reparo em equipamentos de rede Roteadores.

Prestação de serviço de manutenção e reparo em equipamentos de rede Roteadores. TERMO DE REFERÊNCIA DADOS CADASTRAIS 1-IDENTIFICAÇÃO SOLICITANTE 1.1 Diretoria DR 1.2 Unidade SOR-PB 1.3 Endereço completo da unidade solicitante: AV. Presidente Carlos Luz, 1275 1.5 - Cidade: 1.6 - UF:

Leia mais

Jornada de Trabalho. Esta Politica seguirá as regras constantes no Acordo de Banco de Horas celebrado entre a LBH e os Sindicatos dos colaboradores.

Jornada de Trabalho. Esta Politica seguirá as regras constantes no Acordo de Banco de Horas celebrado entre a LBH e os Sindicatos dos colaboradores. Assunto: Política de Jornada de Trabalho Página: 1 / 5 Descrição: Política de Jornada de Trabalho. A DIRETORIA da LBH BRASIL, no uso de suas atribuições legais, e tendo em vista a elaboração do presente

Leia mais

Auditoria de Meio Ambiente da SAE/DS sobre CCSA

Auditoria de Meio Ambiente da SAE/DS sobre CCSA 1 / 8 1 OBJETIVO: Este procedimento visa sistematizar a realização de auditorias de Meio Ambiente por parte da SANTO ANTÔNIO ENERGIA SAE / Diretoria de Sustentabilidade DS, sobre as obras executadas no

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÃO TREINAMENTO A DISTÂNCIA. Versão Data Nome do autor Comentários

MANUAL DE INSTRUÇÃO TREINAMENTO A DISTÂNCIA. Versão Data Nome do autor Comentários MANUAL DE INSTRUÇÃO TREINAMENTO A DISTÂNCIA Histórico de Versão do Documento Versão Data Nome do autor Comentários 1.0 23/06/2013 Juliana 2.0 10/03/2014 Maria Lúcia Índice 1 Fluxo do Subprocesso...03 2

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 414/2010 CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO

RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 414/2010 CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 414/2010 CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO Atualizada até a REN 499/2012 Resolução Normativa nº 414 AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA - ANEEL A ANEEL consolidou os direitos e deveres

Leia mais

Sub-rogação de Proponente

Sub-rogação de Proponente MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE GESTÃO ESTRATÉGICA DA INFORMAÇÃO Portal dos Convênios SICONV Sub-rogação de Proponente Perfil

Leia mais

GUIA DE UTILIZAÇÃO DA CENTRAL DE PEDIDOS DE CERTIDÃO ON-LINE

GUIA DE UTILIZAÇÃO DA CENTRAL DE PEDIDOS DE CERTIDÃO ON-LINE Santa Catarina, 27 de maio de 2016. Prezado Usuário: A fim de lhe auxiliar, apresentamos, abaixo, um breve tutorial de como proceder para efetuar Pedidos de certidão on-line, através da Central Compartilhada

Leia mais

Módulo Extranet. Manual do Usuário. Versão: 1.0 Data alteração: Autor: CY50

Módulo Extranet. Manual do Usuário. Versão: 1.0 Data alteração: Autor: CY50 Módulo Extranet Manual do Usuário Versão: 1.0 Data alteração: 18.05.16 Autor: CY50 Sumário Contatos... 3 Login... 3 Empregados ativos... 3 Ex-empregados e Dependentes AMS... 3 Realizando seu cadastro...

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho CURSOS IT. 41 07 1 / 5 1. OBJETIVO Estabelecer diretrizes para o cadastramento e recadastramento de Instituições de Ensino e Cursos, de nível Médio, Tecnológico, Superior e de Pós-graduação e realização

Leia mais

Não Conformidade, Ação Corretiva e Ação Preventiva

Não Conformidade, Ação Corretiva e Ação Preventiva 1. HISTÓRICO DE REVISÕES Revisão: 02 Página 1 de 6 DATA REVISÃO RESUMO DE ALTERAÇÕES 20/08/2013 00 Emissão inicial 21/08/2014 01 03/12/2015 02 Definição mais clara da sistemática de tratativa de cargas

Leia mais

NORMAS DA COMISSÃO DE PESQUISA DO CENTRO DE CIÊNCIAS NATURAIS E HUMANAS. Universidade Federal do ABC

NORMAS DA COMISSÃO DE PESQUISA DO CENTRO DE CIÊNCIAS NATURAIS E HUMANAS. Universidade Federal do ABC NORMAS DA COMISSÃO DE PESQUISA DO CENTRO DE CIÊNCIAS NATURAIS E HUMANAS Universidade Federal do ABC Santo André, Abril de 2014 SUMÁRIO TÍTULO I DA COMISSÃO DE PESQUISA DO CCNH... 3 TÍTULO II DA COMPOSIÇÃO...

Leia mais

MANUAL Pedidos On-Line

MANUAL Pedidos On-Line MANUAL Pedidos On-Line ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 O QUE É PEDIDOS ON-LINE... 3 QUEM PODE UTILIZAR... 3 COMO OBTER AUTORIZAÇÃO PARA ACESSO... 4 ACESSANDO O PEDIDOS ON-LINE... 5 COMO REGISTRAR UM PEDIDO... 7

Leia mais

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 24ª REGIÃO, no uso de suas atribuições regimentais,

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 24ª REGIÃO, no uso de suas atribuições regimentais, PORTARIA TRT/GP/DGCA Nº 38/2016 Define a Política de Gerenciamento da Central de Serviços de Tecnologia da Informação e Comunicações do Tribunal Regional do Trabalho da 24ª Região. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL

Leia mais

REGULAMENTO DE ASSIDUIDADE DOS INVESTIGADORES DO INSTITUTO SUPERIOR DE AGRONOMIA. Preâmbulo

REGULAMENTO DE ASSIDUIDADE DOS INVESTIGADORES DO INSTITUTO SUPERIOR DE AGRONOMIA. Preâmbulo REGULAMENTO DE ASSIDUIDADE DOS INVESTIGADORES DO INSTITUTO SUPERIOR DE AGRONOMIA Preâmbulo O presente regulamento é elaborado ao abrigo do artigo 75º da Lei Geral do Trabalho em Funções Publicas, aprovado

Leia mais

OUVIDORIA DO CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

OUVIDORIA DO CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS OUVIDORIA DO CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º A Ouvidoria do Conselho Federal de Enfermagem tem por objetivo colaborar para o aperfeiçoamento e

Leia mais

Renda Variável e Renda Fixa. Depósito Exclusivo

Renda Variável e Renda Fixa. Depósito Exclusivo Dezembro 2015 O serviço refere-se ao processo de depósito de valores mobiliários (ativos) na Central Depositária da BM&FBOVESPA, sem que estejam admitidos à negociação em sua plataforma eletrônica. O oferece

Leia mais

DEOP DIRETORIA DE ENGENHARIA E OPERAÇÕES EPE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA MANUAL DE TUBULAÇÕES TELEFÔNICAS PREDIAIS

DEOP DIRETORIA DE ENGENHARIA E OPERAÇÕES EPE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA MANUAL DE TUBULAÇÕES TELEFÔNICAS PREDIAIS CAPÍTULO 1: DISPOSIÇÕES GERAIS FINALIDADE Este manual estabelece os critérios, padrões e procedimentos a serem seguidos na elaboração de projeto e construção de tubulações telefônicas em edifícios. A SERCOMTEL

Leia mais

COORDENADORIA DE RECURSOS HUMANOS CRH/SES G RUPO DE G ESTÃO DE P ESSOAS NÚCLEO DE SUPORTE À G ESTÃO DE PESSOAS

COORDENADORIA DE RECURSOS HUMANOS CRH/SES G RUPO DE G ESTÃO DE P ESSOAS NÚCLEO DE SUPORTE À G ESTÃO DE PESSOAS UNIDADE CENTRAL DE RECURSOS HUMANOS Edital de Abertura de Inscrições Nº 01/2009 CONCURSO DE PROMOÇÃO A Unidade Central de Recursos Humanos, no uso de sua competência atribuída pelo artigo 6º, do Decreto

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS CRA

PERGUNTAS E RESPOSTAS CRA PERGUNTAS E RESPOSTAS CRA 1. O que é a CRA? A CRA é a Central de Relacionamento com o Aluno. Um departamento criado para atender às solicitações acadêmicas e financeiras, através de diversificados canais

Leia mais

Empresa de Informática e Informação do Município de Belo Horizonte S/A PRODABEL

Empresa de Informática e Informação do Município de Belo Horizonte S/A PRODABEL Empresa de Informática e Informação do Município de Belo Horizonte S/A PRODABEL Diretoria de Sistema - DS Superintendência de Arquitetura de Sistemas - SAS Gerência de Arquitetura de Informação - GAAS

Leia mais

Estágios curriculares obrigatórios de curta duração Disciplina: Atividade Acadêmico-Profissional versão: maio 2009

Estágios curriculares obrigatórios de curta duração Disciplina: Atividade Acadêmico-Profissional versão: maio 2009 Informações Gerais Estágios curriculares obrigatórios de curta duração Disciplina: Atividade Acadêmico-Profissional versão: maio 2009 A realização de estágios curriculares (obrigatórios) e extracurriculares

Leia mais

Audiência Pública ANEEL 030/2002

Audiência Pública ANEEL 030/2002 Audiência Pública ANEEL 030/2002 CONTRIBUIÇÕES DO GRUPO GUARANIANA S.A. COELBA, CELPE E COSERN para aprimoramento do Lote 03 de Procedimentos do Mercado vinculado à Regra de Mercado que estabelece o Preço

Leia mais

ETAPAS DA MIGRAÇÃO SITUAÇÃO DO ALUNO 2015

ETAPAS DA MIGRAÇÃO SITUAÇÃO DO ALUNO 2015 ETAPAS DA MIGRAÇÃO SITUAÇÃO DO ALUNO 2015 1ª ETAPA EXPORTAÇÃO PARA A MIGRAÇÃO A exportação de dados da Situação do Aluno visa exclusivamente a obtenção do Código de Identificação Única (ID) do aluno, do

Leia mais

CIRCULAR Nº Arnim Lore Diretor. Este texto não substitui o publicado no DOU e no Sisbacen.

CIRCULAR Nº Arnim Lore Diretor. Este texto não substitui o publicado no DOU e no Sisbacen. 1 CIRCULAR Nº 1.547 Documento normativo revogado pela Circular 3.081, de 17/01/2002. Comunicamos que a Diretoria do Banco Central do Brasil, considerando o disposto na Resolução nº 1.662, desta data, decidiu

Leia mais

UNIÃO DAS INSTITUIÇÕES DE SERVIÇOS, ENSINO E PESQUISA LTDA REGULAMENTO INSTITUCIONAL

UNIÃO DAS INSTITUIÇÕES DE SERVIÇOS, ENSINO E PESQUISA LTDA REGULAMENTO INSTITUCIONAL UNIÃO DAS INSTITUIÇÕES DE SERVIÇOS, ENSINO E PESQUISA LTDA REGULAMENTO INSTITUCIONAL OUVIDORIA São Paulo 2010 CAPÍTULO I DA OUVIDORIA Art. 1º A Ouvidoria da Unidade de Ensino, é um elo entre a comunidade

Leia mais

Portal Webrecivil Módulo CPF

Portal Webrecivil Módulo CPF Portal Webrecivil Módulo CPF Manual do usuário Data: 21/12/2015 Versão documento: 1.0 Prefácio 1. COMO LOGAR NO SISTEMA WEBRECIVIL... 03 2. COMO ACESSAR O MÓDULO CPF... 03 3. ENTENDENDO A TELA DO CPF...

Leia mais

Regulamento de Estágio Curricular Supervisionado ENGENHARIA ELÉTRICA - TELECOMUNICAÇÕES

Regulamento de Estágio Curricular Supervisionado ENGENHARIA ELÉTRICA - TELECOMUNICAÇÕES Regulamento de Estágio Curricular Supervisionado ENGENHARIA ELÉTRICA - TELECOMUNICAÇÕES CAMPO LIMPO PAULISTA 2014 Regulamento de Estágio Curricular Supervisionado do Curso de Engenharia Elétrica - Telecomunicações

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA AS ENTIDADES REPRESENTATIVAS DAS ÁREAS ARTÍSTICO-CULTURAIS. Cadastramento de Entidades e Inscrição de Candidatos

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA AS ENTIDADES REPRESENTATIVAS DAS ÁREAS ARTÍSTICO-CULTURAIS. Cadastramento de Entidades e Inscrição de Candidatos SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA SEEC Eleição dos representantes da sociedade civil no Conselho Estadual de Cultura CONSEC MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA AS ENTIDADES REPRESENTATIVAS DAS ÁREAS ARTÍSTICO-CULTURAIS

Leia mais

EDITAL DE OFERTA PÚBLICA DE VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA

EDITAL DE OFERTA PÚBLICA DE VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA EDITAL DE OFERTA PÚBLICA DE VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA 5-0-2012 1. INFORMAÇÕES GERAIS OBJETO Venda de energia elétrica convencional no Submercado Sul por meio de fac-símile ou e-mail, assegurando publicidade,

Leia mais

Assessoria de Comunicação Social - ASCOM

Assessoria de Comunicação Social - ASCOM UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO Assessoria de Comunicação Social - ASCOM Petrolina - PE Julho de 2016 2ª Versão Apresentação A Assessoria de Comunicação Social (Ascom) da Univasf tem como

Leia mais

DELIBERAÇÃO CRF-RJ nº706 / 2010

DELIBERAÇÃO CRF-RJ nº706 / 2010 DELIBERAÇÃO CRF-RJ nº706 / 2010 Aprova o Regulamento das Câmaras Técnicas do CRF-RJ e dá outras providências. O ESTADO DO RIO DE JANEIRO / CRF-RJ, no uso de suas atribuições legais e em conformidade com

Leia mais

VOCÊ JÁ OUVIU FALAR EM E-COMMERCE?

VOCÊ JÁ OUVIU FALAR EM E-COMMERCE? VOCÊ JÁ OUVIU FALAR EM E-COMMERCE? E-COMMERCE, OU COMÉRCIO ELETRÔNICO, É A FORMA ON-LINE DE COMPRA E VENDA. É UM TIPO DE TRANSAÇÃO COMERCIAL FEITA ATRAVÉS DE UM EQUIPAMENTO ELETRÔNICO, COMO POR UM COMPUTADOR,

Leia mais

Publicada no D.O.U. nº 26, de 10/02/2016, Seção 1, pag. 94 RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 476, DE 03 DE FEVEREIRO DE 2016

Publicada no D.O.U. nº 26, de 10/02/2016, Seção 1, pag. 94 RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 476, DE 03 DE FEVEREIRO DE 2016 Publicada no D.O.U. nº 26, de 10/02/2016, Seção 1, pag. 94 RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 476, DE 03 DE FEVEREIRO DE 2016 Aprova o Regulamento da Ouvidoria do Conselho Federal de Administração e dá outras

Leia mais

Sistema de Atendimento a Chamados e Suporte

Sistema de Atendimento a Chamados e Suporte Sistema de Atendimento a Chamados e Suporte Versão 1.0 Guia Rápido do Usuário SUMÁRIO SUMÁRIO 2 1 APRESENTAÇÃO 3 2 ACESSANDO O SACS 4 3 ABRINDO UM CHAMADO 5 4 CONSULTA AOS CHAMADOS ABERTOS 7 5 ACRESCENTANDO

Leia mais

PORTAL SOLICITAÇÃO DE EXAMES 1ª EDIÇÃO

PORTAL SOLICITAÇÃO DE EXAMES 1ª EDIÇÃO PORTAL SOLICITAÇÃO DE EXAMES 1ª EDIÇÃO Sumário Objetivo... 3 Cadastro Portal Unimed Curitiba... 4 Acesso ao Portal de Solicitação SP/SADT... 6 1.Login Acesso... 9 2.Identificação... 9 2.1 Identificações:

Leia mais

SISCOAF Sistema de Controle de Atividades Financeiras. Cadastro e Habilitação Declaração de Inocorrência

SISCOAF Sistema de Controle de Atividades Financeiras. Cadastro e Habilitação Declaração de Inocorrência SISCOAF Sistema de Controle de Atividades Financeiras Cadastro e Habilitação Declaração de Inocorrência Sumário ORIENTAÇÕES GERAIS... 3 O que são Pessoas Obrigadas... 4 O que é o SISCOAF... 4 Quem deve

Leia mais

Problemas na emissão noutro software devem ser reportados diretamente ao fornecedor. 27/04/ de 5

Problemas na emissão noutro software devem ser reportados diretamente ao fornecedor. 27/04/ de 5 Âmbito do Documento Modelo de Comunicação O presente documento traduz o modelo de comunicação entre o Centro de Suporte da SPMS e clientes no âmbito dos ACC. Os clientes são: Entidades fornecedoras de

Leia mais

Art. 2 Para os fins e efeitos desta Resolução são considerados os seguintes termos e respectivas definições:

Art. 2 Para os fins e efeitos desta Resolução são considerados os seguintes termos e respectivas definições: AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO NORMATIVA N o 56, DE 6 DE ABRIL DE 2004. Estabelece procedimentos para acesso das centrais geradoras participantes do PROINFA, regulamentando o art.

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA - ANEEL AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES - ANATEL

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA - ANEEL AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES - ANATEL AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA - ANEEL AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES - ANATEL RESOLUÇÃO CONJUNTA N o 4, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2014. Aprova o preço de referência para o compartilhamento de postes

Leia mais

Departamento PENITENCIÁRIO NACIONAL

Departamento PENITENCIÁRIO NACIONAL Departamento PENITENCIÁRIO NACIONAL MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO PENITENCIÁRIO NACIONAL Departamento PENITENCIÁRIO NACIONAL Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 8 às 18 horas Telefone:

Leia mais

EDITAL 086/2014 PRORROGAÇÃO DE PRAZO PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE IDEIAS NOS DIFERENTES SEGMENTOS DA ECONOMIA CRIATIVA

EDITAL 086/2014 PRORROGAÇÃO DE PRAZO PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE IDEIAS NOS DIFERENTES SEGMENTOS DA ECONOMIA CRIATIVA EDITAL 086/2014 PRORROGAÇÃO DE PRAZO PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE IDEIAS NOS DIFERENTES SEGMENTOS DA ECONOMIA CRIATIVA O Centro Universitário Metodista IPA e a Prefeitura Municipal de Porto Alegre, por

Leia mais

RESOLUÇÃO CFFa n 272, de 20 de Abril de 2001

RESOLUÇÃO CFFa n 272, de 20 de Abril de 2001 RESOLUÇÃO CFFa n 272, de 20 de Abril de 2001 Dispõe sobre a prática da Acupuntura pelo fonoaudiólogo e dá outras providências O Conselho Federal de Fonoaudiologia, no uso das atribuições legais, conferidas

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO - REGIÃO CENTRO Centro de Recursos Humanos

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO - REGIÃO CENTRO Centro de Recursos Humanos São Paulo, 13 de dezembro de 2016. Comunicado: Interessado: Unidades Escolares Assunto: Licença Sem Vencimentos - Artigo 202 GDAE. Senhores Diretores, Comunicamos que a partir das 10:00 horas do dia 15/12/2016,

Leia mais

REGULAMENTO DA OUVIDORIA

REGULAMENTO DA OUVIDORIA REGULAMENTO DA OUVIDORIA CAPÍTULO I DA OUVIDORIA Art. 1º A Ouvidoria da Faculdade CNEC Farroupilha constitui-se em um canal de comunicação para receber as reclamações/sugestões, dúvidas, denúncias, ou

Leia mais

PROCEDIMENTOS APÓS A REUNIÃO DE PRENCHIMENTO DE VAGAS

PROCEDIMENTOS APÓS A REUNIÃO DE PRENCHIMENTO DE VAGAS PROCEDIMENTOS APÓS A REUNIÃO DE PRENCHIMENTO DE VAGAS EXAME MÉDICO ADMISSIONAL Agendamento do exame: O agendamento do exame médico admissional é obrigatório e eliminatório e deve ser feito no momento da

Leia mais

UNIMED Macroprocessos

UNIMED Macroprocessos Macroprocessos Macroprocessos Finalísticos 1- Gestão de Carteiras 2- Gestão de 3- Gestão de Contas Médicas 4- Auditoria Macroprocessos de Apoio a Missão Crítica 5- Logística 6- Gestão de Pessoas 7- Controladoria

Leia mais

Tutorial de utilização do Sistema de Abertura de Chamado Sumário

Tutorial de utilização do Sistema de Abertura de Chamado Sumário Tutorial de utilização do Sistema de Abertura de Chamado Sumário 1. Processo de atendimento...2 1.1. Porque abrir um chamado...2 1.2. Entendendo o processo de atendimento...2 1.3. Acessando o sistema...3

Leia mais

Regulamento. Artigo 1.º Âmbito. Artigo 2.º Objectivos

Regulamento. Artigo 1.º Âmbito. Artigo 2.º Objectivos Regulamento Artigo 1.º Âmbito O presente documento estabelece as normas de funcionamento da Loja Solidária da SocioHabitaFunchal, estabelecendo-se como medida de apoio aos inquilinos da Câmara Municipal

Leia mais

Calendário Anual Reunião Pública

Calendário Anual Reunião Pública Reunião Pública Gerência de Regulação e Orientação a Emissores Gerência de Acompanhamento de Emissores 20/Fevereiro/2013 CLASSIFICAÇÃO DA INFORMAÇÃO (MARQUE COM UM X ): CONFIDENCIAL RESTRITA CONFIDENCIAL

Leia mais

POLÍTICA DE SEGREGAÇÃO DAS ATIVIDADES

POLÍTICA DE SEGREGAÇÃO DAS ATIVIDADES POLÍTICA DE SEGREGAÇÃO DAS ATIVIDADES FICHA TÉCNICA: Título: Área responsável: Descrição documento: Aplicação: Tipo: Criado por: do Política de Segregação de Atividades. Jurídico e Compliance (Legal and

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PO Procedimento Operacional

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PO Procedimento Operacional E AÇÃO PREVENTIVA PO. 09 10 1 / 5 1. OBJETIVO Descrever a forma como o produto ou serviço não conforme deve ser controlado, a fim de se prevenir a sua utilização ou entrega não intencional ao cliente.

Leia mais

e-garantia Manual da Assistência Técnica

e-garantia Manual da Assistência Técnica Manual da Assistência Técnica Versão Ref.: V1.0 1. Índice 1. Índice 2. Introdução ao e-garantia 3. Glossário 4. Primeiro Acesso 4.1 Acesso ao Site 4.2 Troca de Senha 5. Inclusão do Orçamento 5.1 Incluir

Leia mais

Objetivo Com o objetivo melhorar a comunicação com o os clientes e dinamizar o atendimento aos usuários, criou-se o Help Desk.

Objetivo Com o objetivo melhorar a comunicação com o os clientes e dinamizar o atendimento aos usuários, criou-se o Help Desk. Objetivo Com o objetivo melhorar a comunicação com o os clientes e dinamizar o atendimento aos usuários, criou-se o Help Desk. O Help Desk é o sistema responsável por gerenciar chamados, com ele, é possível

Leia mais

FACULDADE DE INHUMAS REGULAMENTO DA OUVIDORIA DA FACULDADE DE INHUMAS CAPÍTULO I DA OUVIDORIA

FACULDADE DE INHUMAS REGULAMENTO DA OUVIDORIA DA FACULDADE DE INHUMAS CAPÍTULO I DA OUVIDORIA REGULAMENTO DA OUVIDORIA DA FACULDADE DE INHUMAS CAPÍTULO I DA OUVIDORIA A ouvidoria é um serviço especial de comunicação interna e externa com identificação ou anonimamente, que tem o fim de ouvir e receber

Leia mais

Manual do Autorização

Manual do Autorização Manual do Autorização 1 Acesse o site da FUNDAFFEMG wwwfundaffemgcombr 2 Na página inicial, clique em Credenciados 3 Você será direcionado para a página específica de credenciados, onde poderá acessar

Leia mais

RMS Software S.A. - Uma empresa TOTVS

RMS Software S.A. - Uma empresa TOTVS DEFINIÇÃO ACORDO RMS Software S.A. - Uma Empresa TOTVS Todos os direitos reservados. A RMS Software é a maior fornecedora nacional de software de gestão corporativa para o mercado de comércio e varejo.

Leia mais

Plano de Cargos, Carreiras e Salários CONTROLE DE REVISÕES

Plano de Cargos, Carreiras e Salários CONTROLE DE REVISÕES Plano de Cargos, Carreiras e Salários Abril de 2013 CONTROLE DE REVISÕES Versão Data Responsável Descrição 0 15/04/2013 Tríade RH Desenvolvimento e Implantação do Plano 1 26/06/2013 Tríade RH Revisão do

Leia mais

A necessidade de normatizar a emissão da NFS-e para os estacionamentos de veículos; DETERMINA:

A necessidade de normatizar a emissão da NFS-e para os estacionamentos de veículos; DETERMINA: Instrução de Serviço GETM nº 002, de 17 de agosto de 2012. Estabelece regime especial para a emissão de Nota Fiscal de Serviços Eletrônica (NFS-e) destinada a acobertar os serviços prestados por estacionamentos

Leia mais