COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA NOS ESTABELECIMENTOS DE ENSINO PRÉ-ESCOLAR DA REDE PÚBLICA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA NOS ESTABELECIMENTOS DE ENSINO PRÉ-ESCOLAR DA REDE PÚBLICA"

Transcrição

1 COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA NOS ESTABELECIMENTOS DE ENSINO PRÉ-ESCOLAR DA REDE PÚBLICA PROLONGAMENTO DE HORÁRIO NORMAS ANO LECTIVO 2011/2012 CLÁUSULA PRIMEIRA (OBJECTO) O presente documento tem por objecto a regulamentação do funcionamento da Componente de Apoio à Família nos Estabelecimentos de Educação Pré-Escolar da rede pública do Concelho da Lousã, de acordo com o previsto no nº 1 do artigo 12º do Despacho Conjunto nº 300/97 de 09 de Setembro. CLÁUSULA SEGUNDA (COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA) 1- A Componente de Apoio à Família é um Serviço de Apoio à Família (Pós Lectivo) promovido pelo Município da Lousã, que não tem carácter obrigatório, mas sim facultativo. 2- O Prolongamento de Horário destina-se a servir prioritariamente as crianças, cujo agregado familiar devido a compromissos profissionais e/ou outros, não tenha possibilidade de acompanhar o(s) seu(s) educando(s) em período pós-lectivo. 3- Este serviço é assegurado pela Autarquia, directamente ou através de Protocolo a estabelecer com Entidades com experiência comprovada nesta área, em salas próprias. 4 Os Locais de Funcionamento dos Prolongamentos de Horário são: - Stª. Rita Rua Miguel Torga, Loja H, n.º7, R/ch Esqº Lousã; - Regueiro Jardim-de-Infância do Regueiro Rua Prof. Correia de Seixas; - Fontaínhas Gândaras; - Freixo Jardim-de-Infância do Freixo Freixo; - Foz de Arouce Jardim-de-Infância de Foz de Arouce Foz de Arouce; - Ponte Velha Centro Social e Cultural da Ponte Velha Ponte Velha; - Casal de Stº. António Jardim-de-Infância de Casal de Stº. António Serpins; - Serpins Jardim-de-Infância de Serpins Feira dos Bois Serpins (No caso das inscrições não serem suficientes, as crianças serão integradas no serviço de Prolongamento de Horário, no Pólo de Casal de Santo António durante todo o ano lectivo). Componente de Apoio à Família- Prolongamento de Horário (2011/2012) 1

2 CLÁUSULA TERCEIRA (OBJECTIVOS) 1- Contribuir para o desenvolvimento da criança e da sua personalidade nas várias dimensões, através de um programa pedagógico e lúdico, com prevalência deste, que incluirá actividades nas diversas áreas de expressão: plástica, corporal, dramática, descoberta do meio, socialização e jogos. 2- Promover a participação da criança na vida do grupo e manter um estreito relacionamento entre a família, a escola e a comunidade, no sentido de repartir responsabilidades e de efectuar um trabalho complementar. 3- Ocupar útil e criativamente os tempos livres das crianças nos períodos extracurriculares. CLÁUSULA QUARTA (CANDIDATURAS / PRAZOS) 1- As candidaturas do/a(s) aluno/a(s) deverão ser entregues pelos Pais e/ou Encarregado/a(s) de Educação durante o período de inscrições nos Jardins de Infância, mediante o preenchimento do respectivo boletim de candidatura (impresso próprio fornecido pela Câmara Municipal da Lousã). 2- Os boletins de candidatura referidos no nº 1 deverão ser entregues: 1ª FASE- de 01 de Março a 30 de Junho de 2011 Sector de Desenvolvimento Social e Saúde da Câmara Municipal da Lousã. 2ª FASE- de 01 a 16 de Setembro de 2011 Sector de Desenvolvimento Social e Saúde da Câmara Municipal da Lousã. 3ª FASE- Fase Excepcional (outras situações) Sector de Desenvolvimento Social e Saúde da Câmara Municipal da Lousã durante o decorrer do Ano Lectivo. 3- As admissões serão feitas pela Sector de Desenvolvimento Social e Saúde, após conhecimento da situação sócio-famíliar do/a aluno/a. OBSERVAÇÕES: Todos os processos de candidatura entregues após o dia 30 de Junho de 2011, serão considerados como candidatura apresentada para a 2.ª fase. CLÁUSULA QUINTA (CRITÉRIOS DE ADMISSÃO / FREQUÊNCIA) 1- Número de vagas existentes; 2- Ausência e/ou indisponibilidade dos Pais e/ou Encarregado/a(s) de Educação no período pós-lectivo por motivos profissionais, devidamente comprovados; 3- Frequência no (s) ano(s) anterior(es) do mesmo Estabelecimento de Educação Pré- Escolar; 4- Situação de risco social e/ou necessidades educativas especiais; 5- Frequência de irmão (s) no mesmo estabelecimento de ensino escolar e/ou no mesmo serviço; 6- Outros requisitos que os técnicos avaliem como pertinentes para a admissão; 7- No caso de não existirem vagas, as candidaturas ficarão em lista de espera sendo admitidas à medida que ocorram desistências e de acordo com o número anterior; 8- As crianças inscritas pela 1ª. vez no Prolongamento de Horário só serão admitidas após o início do ano lectivo. Componente de Apoio à Família- Prolongamento de Horário (2011/2012) 2

3 CLÁUSULA SEXTA (DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA) Os Pais e/ou Encarregado/a(s) de Educação interessado/a(s) em usufruir dos serviços já referidos deverão entregar, no(s) prazo(s) estipulado(s), os documentos abaixo mencionados (de acordo com o seu caso): 1- Boletim de Candidatura devidamente preenchido; 2- Fotocópia da declaração de rendimentos- IRS e/ou IRC (e respectiva nota de quitação), relativa ao ano imediatamente anterior ou declaração negativa de rendimentos emitida pela Repartição de Finanças; 3- Fotocópia do último recibo de vencimento de todos os elementos do agregado familiar que se encontrem a trabalhar ou declaração da Entidade Patronal comprovando o vencimento mensal auferido e respectivos descontos; 4- Fotocópia de documentos da Segurança Social (com o montante auferido) tais como: pensões de sobrevivência, pensões de velhice, pensões para assistência a terceiros, subsídio de desemprego e de doença e Rendimento Social de Inserção; 5- Fotocópia de documento comprovativo da despesa com arrendamento ou aquisição de habitação própria (passado por entidade bancária); 6- Fotocópia de documento comprovativo da (s) despesa (s) com a aquisição de medicamentos de uso continuado, em caso de doença crónica do/a aluno/a (comprovada por declaração médica); 7- Declaração da Entidade Patronal com horário de trabalho de pai e mãe que comprove a incompatibilidade de horário; 8- Outro (s) documento (s) que considere importante (s) para a avaliação; Observações: a) A não apresentação dos documentos comprovativos necessários e/ou preenchimento incorrecto ou incompleto do boletim de candidatura, implicará o posicionamento no escalão máximo estipulado para o ano lectivo em curso. b) Por uma questão de equidade, a Câmara Municipal da Lousã reserva-se o direito de averiguar de forma autónoma ou com a colaboração das entidades competentes, a veracidade da documentação apresentada. CLÁUSULA SÉTIMA (MENSALIDADES E MODALIDADES DE PAGAMENTO) do dia 1 ao dia 6 de cada mês: Transferência Bancária ou Depósito por Conta, após adesão a estas modalidades de pagamento e aceitação da respectivas condições. do dia 1 ao dia 8* de cada mês: a) Terminais de Pagamento Automático (TPA) instalados nos Estabelecimentos de Ensino; b) Cheque à Ordem da Câmara Municipal da Lousã, entregue à Funcionária Responsável da Autarquia, nos respectivos Estabelecimentos de Ensino; c) Numerário ou cheque entregue na Secção de Taxas e Licenças da Câmara Municipal da Lousã, durante o horário de expediente (9h às 12h30 e 14h às 16h30m); Componente de Apoio à Família- Prolongamento de Horário (2011/2012) 3

4 d) Terminal de pagamento automático, cheque ou numerário, no Posto de Atendimento ao Cidadão instalado na Secretaria-geral da Câmara Municipal da Lousã, durante a hora do almoço (12h30m às 14h). * Caso o dia 8 coincida com o fim-de-semana ou feriado, o pagamento deverá ser efectuado no dia útil imediatamente a seguir. * Caso o dia 8 coincida com um período de interrupção lectiva, o prazo de pagamento será prolongado até ao 2º dia de recomeço das actividades lectivas. do dia 9 ao dia 20 de cada mês, durante o horário de expediente, na Secção de Taxas e Licenças da Câmara Municipal da Lousã, ou durante a hora do almoço no Posto de Atendimento ao Cidadão com o agravamento de: - 1º. e 2º. Escalão acresce 7,50 sobre o valor total a pagar; - 3º. Escalão e restantes acresce 15,00 sobre o valor total a pagar. 2- Do incumprimento do disposto no nº anterior, será também notificado o(a) encarregado(a) de educação para comparecer no Sector de Desenvolvimento Social e Saúde, a fim de justificar o incumprimento do pagamento junto da Técnica Responsável. 3- Nos pagamentos por transferência bancária ou depósito por conta, após o dia 6, os pagamentos devem ser efectuados pelas outras vias de pagamento. 4- O Serviço de Prolongamento de Horário será cancelado se o atraso no pagamento das comparticipações for superior a 45 dias, sem que seja apresentada qualquer justificação válida. 5- Só haverá lugar à reclamação no pagamento, de forma proporcional à frequência por motivos de doença ou faltas do/a Educando/a (mais de cinco dias), devidamente justificadas, no prazo de 15 dias a contar do 1º dia das faltas ocorridas e ainda em situação de férias (mais de cinco dias), justificadas com a antecedência de uma semana. 6- Não haverá redução nem aumento do valor mensal a pagar, face aos dias úteis de cada mês, uma vez que se tomou como base 20 dias úteis. 7- Não haverá lugar a redução no pagamento, no último mês de frequência, quaisquer que sejam as condições em que ocorram as faltas, em virtude do fecho de contas do ano lectivo em curso. 8- Sempre que existam pagamentos em atraso no ano lectivo em curso, serão inviabilizadas as candidaturas no ano lectivo seguinte. CLÁUSULA OITAVA (HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO) 1- O Prolongamento de Horário funciona durante todo o ano civil, encerrando durante o mês de Agosto e iniciando no 1º dia útil do mês de Setembro. Em período lectivo, funciona de Segunda a Sexta-Feira, de acordo com o terminus das actividades lectivas e horário a estabelecer. 2- Nos períodos de interrupção lectiva, o horário e os dias de funcionamento serão definidos, tendo em consideração as necessidades dos pais, podendo ser variável nos diferentes estabelecimentos de ensino. 3- Nos períodos de interrupções lectivas, os pais/encarregados de educação são responsáveis pela guarda e acompanhamento dos/as seus/as educandos/as, sempre que ocorram actividades no exterior, para as quais, depois de devidamente informados, não Componente de Apoio à Família- Prolongamento de Horário (2011/2012) 4

5 autorizem a sua participação. No caso da Entidade, gestora do PH, reunir condições para assegurar o acompanhamento das crianças poderá, haver alterações pontuais, relativamente ao espaço e aos monitores/as. 4- Deverá ser rigorosamente cumprido o horário de funcionamento estabelecido para as actividades de Prolongamento de Horário. O não cumprimento do mesmo levará a um agravamento de O Prolongamento de horário não funciona nos feriados, nem nos dias ou períodos em que é concedida tolerância de ponto pela Câmara Municipal e poderá eventualmente não funcionar nas faltas das/os Educadoras/es. 6- O Serviço do Prolongamento de Horário poderá ser suspenso por motivos não imputáveis directamente à Autarquia, sendo os Encarregados de Educação previamente avisados. CLÁUSULA NONA (INTERRUPÇÕES LECTIVAS) 1- Nas interrupções lectivas, a funcionária responsável da Autarquia deverá ser informada por escrito, pelo/a Encarregado/a de Educação, da eventual necessidade do/a aluno/a usufruir ou não do referido serviço, com a antecedência de uma semana. 2- As faltas ou ausências, durante os períodos de interrupções lectivas, deverão ser justificadas por escrito, com a antecedência de uma semana. CLÁUSULA DÉCIMA (ASSIDUIDADE E DESISTÊNCIAS) 1- A inscrição será cancelada se o atraso no pagamento das comparticipações for superior a 45 dias, sem que seja apresentada qualquer justificação válida. 2- No caso da existência de lista de espera, haverá lugar à avaliação da assiduidade, que terá lugar de dois em dois meses (Novembro de 2010, Janeiro 2011, Março 2011, Maio 2011). Caso se verifique o não cumprimento do mínimo de 70% de assiduidade mensal será estabelecido o prazo de 15 dias para apresentar justificação, sob pena de ser cancelado o serviço no início do mês seguinte, exceptuando as ausências devidamente justificadas. 3- Todas as faltas deverão ser comunicadas por escrito quer à Monitora /Animadora responsável pelo grupo, quer à Funcionária da Autarquia responsável pelos pagamentos, nos prazos definidos no nº 6 da Cláusula Sétima ou na véspera, para as faltas pontuais, em impresso próprio disponível em ambos os Serviços. CLÁUSULA DÉCIMA PRIMEIRA (DISPOSIÇÕES FINAIS) 1- Os agregados familiares que prestarem falsas declarações verão canceladas as inscrições na Componente de Apoio à Família. 2- Os casos omissos neste conjunto de normas serão alvo de decisão do Vereador do Pelouro da Acção Social, sob proposta do Técnico Responsável. Componente de Apoio à Família- Prolongamento de Horário (2011/2012) 5

6 - Sector de Educação COMPARTICIPAÇÃO FAMILIAR DA COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA DO PRÉ-ESCOLAR ANO LECTIVO 2011/2012 Prolongamento de Horário ESCALÃO CAPITAÇÕES PROLONGAMENTO 1º ESCALÃO Até 135,00 10,00 2º ESCALÃO > 135,01 a 225,00 21,00 3º ESCALÃO > 225,01 a 315,00 32,00 4º ESCALÃO > 315,01 a 450,00 49,50 5º ESCALÃO > 450,01 a 675,00 107,00 6º ESCALÃO >675,01 127,00 Aprovada por unanimidade na Reunião de Câmara de 20 de Junho de 2011 e de acordo com o Despacho n.º300/97 de 9 de Setembro Obs: Os valores aqui apresentados não sofreram qualquer alteração, face aos valores em vigor, no ano lectivo 2010/2011. CMB Componente de Apoio à Família- Prolongamento de Horário (2011/2012) 6

REGULAMENTO DA COMPONENTE SÓCIO-EDUCATIVA DE APOIO À FAMÍLIA NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

REGULAMENTO DA COMPONENTE SÓCIO-EDUCATIVA DE APOIO À FAMÍLIA NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR ARTIGO 1º Objecto 1- O presente regulamento tem por objecto definir o funcionamento dos serviços da componente de apoio à família, no âmbito de: a) Fornecimento de almoço b) Prolongamento de horário 2-

Leia mais

Câmara Municipal de Mealhada

Câmara Municipal de Mealhada Câmara Municipal de Mealhada Normas de funcionamento dos serviços da Componente de Apoio à Família nos Estabelecimentos de Educação Pré-Escolar do Município da Mealhada NORMAS DE FUNCIONAMENTO DOS SERVIÇOS

Leia mais

BOLETIM DE CANDIDATURA

BOLETIM DE CANDIDATURA BOLETIM DE CANDIDATURA EDUCAÇAO PRÉ-ESCOLAR SERVIÇO DE FORNECIMENTO DE REFEIÇOES AÇÃO SOCIAL ESCOLAR AUXILIOS ECONÓMICOS (Refeição) COMPONENTE DE APOIO À FAMILIA / ACOLHIMENTO / PROLONGAMENTO DE HORARIO

Leia mais

Município de São Pedro do Sul. Regulamento de Acção Social Escolar 1º Ciclo do Ensino Básico e Transportes Escolares

Município de São Pedro do Sul. Regulamento de Acção Social Escolar 1º Ciclo do Ensino Básico e Transportes Escolares Município de São Pedro do Sul Regulamento de 1º Ciclo do Ensino Básico e Transportes Escolares O presente regulamento tem como objectivo regulamentar e uniformizar procedimentos para a atribuição de auxílios

Leia mais

NORMAS DE AÇÃO SOCIAL ESCOLAR DO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO E EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

NORMAS DE AÇÃO SOCIAL ESCOLAR DO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO E EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR NORMAS DE AÇÃO SOCIAL ESCOLAR DO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO E EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR 1 PREÂMBULO Atenta à diferenciação de oportunidades de acesso à educação, o Município de Almada tem preconizado uma política

Leia mais

EDUCAÇÃO PRÉ ESCOLAR. Normas de Funcionamento

EDUCAÇÃO PRÉ ESCOLAR. Normas de Funcionamento EDUCAÇÃO PRÉ ESCOLAR Normas de Funcionamento da Componente de Apoio à Família (CAF) A educação pré-escolar destina-se a todas as crianças com idades compreendidas entre os 3 anos e a idade de ingresso

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR DA REDE PÚBLICA DO CONCELHO DE ALPIARÇA

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR DA REDE PÚBLICA DO CONCELHO DE ALPIARÇA REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR DA REDE PÚBLICA DO CONCELHO DE ALPIARÇA O presente documento tem por objecto a regulamentação

Leia mais

Acordo de Colaboração

Acordo de Colaboração Acordo de Colaboração Extensão de horário das actividades de animação e de apoio à família na educação Pré-escolar nos Jardins do Agrupamento de Escolas de Samora Correia Considerando que: A Educação Pré-escolar,

Leia mais

Normas da Componente de Apoio à Família Pré Escolar

Normas da Componente de Apoio à Família Pré Escolar Normas da Componente de Apoio à Família Pré Escolar No âmbito do programa de desenvolvimento e expansão da educação Pré-Escolar e considerando: a Lei n.º 5/97, de 10 de fevereiro, que consigna os objetivos

Leia mais

Nome. Nome do Pai. Nome da Mãe. Morada N.º Freguesia Código Postal - Telefone . Nome. Nome. Nome

Nome. Nome do Pai. Nome da Mãe. Morada N.º Freguesia Código Postal - Telefone  . Nome. Nome. Nome REQUERIMENTO DE CANDIDATURA JARDIM DE INFÂNCIA CÁLCULO DA COMPARTICIPAÇÃO FAMILIAR PELA UTILIZAÇÃO DE COMPONENTES DE APOIO À FAMÍLIA ESTABELECIMENTO DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Ano letivo / IDENTIFICAÇÃO DO

Leia mais

CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE OEIRAS. REGULAMENTO A.T.L. DE SANTO AMARO TELEFONE: / Ano Lectivo 2010/2011

CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE OEIRAS. REGULAMENTO A.T.L. DE SANTO AMARO TELEFONE: / Ano Lectivo 2010/2011 CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE OEIRAS REGULAMENTO A.T.L. DE SANTO AMARO TELEFONE: 21 441 49 54 / 93 596 11 54 Ano Lectivo 2010/2011 cspo@sapo.pt I OBJECTIVOS O trabalho neste Estabelecimento é promovido e

Leia mais

Normas de funcionamento das Atividades de Animação e de Apoio à Família nos estabelecimentos de Educação Pré Escolar da rede pública 2017/2018

Normas de funcionamento das Atividades de Animação e de Apoio à Família nos estabelecimentos de Educação Pré Escolar da rede pública 2017/2018 Normas de funcionamento das Atividades de Animação e de Apoio à Família nos estabelecimentos de Educação Pré Escolar da rede pública 2017/2018 NOTA JUSTIFICATIVA Considerando que a educação é um direito

Leia mais

Regulamento de Atribuição de Bolsas de Estudo

Regulamento de Atribuição de Bolsas de Estudo Regulamento de Atribuição de Bolsas de Estudo Artigo 1º Objecto O presente regulamento estabelece as normas para atribuição de bolsas de estudo a estudantes do ensino secundário e superior, residentes

Leia mais

Regulamento de Funcionamento. da Componente de Apoio à Família nos. Estabelecimentos de. Educação Pré-Escolar do Município da Guarda.

Regulamento de Funcionamento. da Componente de Apoio à Família nos. Estabelecimentos de. Educação Pré-Escolar do Município da Guarda. Regulamento de Funcionamento da Componente de Apoio à Família nos Estabelecimentos de Educação Pré-Escolar do Município da Guarda. Regulamento de Funcionamento da Componente de Apoio à Família nos Estabelecimentos

Leia mais

EDITAL. 15 de Fevereiro de O Presidente da Câmara, José Manuel Pereira Pinto.

EDITAL. 15 de Fevereiro de O Presidente da Câmara, José Manuel Pereira Pinto. EDITAL Prof. José Manuel Pereira Pinto, Presidente da Câmara Municipal de Cinfães, torna público que, em conformidade com o disposto no artigo 118.º do Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo

Leia mais

CENTRO DE APOIO AO ESTUDO

CENTRO DE APOIO AO ESTUDO CENTRO DE APOIO AO ESTUDO CLUBE JOVEM DO LUMIAR 1 Capitulo I Disposições Gerais Artigo 1º Âmbito 1 - O presente regulamento enuncia as normas regulamentares de funcionamento do Centro de Apoio ao Estudo

Leia mais

NORMAS PARA DEFINIÇÃO DE ESCALÕES DE COMPARTICIPAÇÃO FAMILIAR NO ENSINO PRÉ- ESCOLAR

NORMAS PARA DEFINIÇÃO DE ESCALÕES DE COMPARTICIPAÇÃO FAMILIAR NO ENSINO PRÉ- ESCOLAR NORMAS PARA DEFINIÇÃO DE ESCALÕES DE COMPARTICIPAÇÃO FAMILIAR NO ENSINO PRÉ- ESCOLAR EDIÇÃO DE 2006 ATUALIZAÇÃO DE 2015 EQUIPA RESPONSÁVEL: BRANCA PEREIRA E FÁTIMA AZEVEDO Nota Justificativa Considerando

Leia mais

- Componente de Apoio à Família - Educação Pré-Escolar e 1º Ciclo do Ensino Básico. Nota Justificativa

- Componente de Apoio à Família - Educação Pré-Escolar e 1º Ciclo do Ensino Básico. Nota Justificativa - Componente de Apoio à Família - Educação Pré-Escolar e 1º Ciclo do Ensino Básico REGULAMENTO Nota Justificativa A Educação Pré-Escolar constitui a primeira etapa da educação básica no processo de educação

Leia mais

I - Funcionamento das Atividades de Animação e de Apoio à Família (AAAF) integradas no calendário escolar a definir pelo Ministério da Educação.

I - Funcionamento das Atividades de Animação e de Apoio à Família (AAAF) integradas no calendário escolar a definir pelo Ministério da Educação. INTRODUÇÃO As Atividades de Animação e de Apoio à Família, no âmbito da Educação Pré- Escolar, são uma resposta direta às necessidades das famílias e encontra-se consubstanciada em todos os tempos que

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DOS SERVIÇOS DE APOIO À FAMILIA NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR DA REDE DO MUNICÍPIO DA GOLEGÃ

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DOS SERVIÇOS DE APOIO À FAMILIA NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR DA REDE DO MUNICÍPIO DA GOLEGÃ REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DOS SERVIÇOS DE APOIO À FAMILIA NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR DA REDE DO MUNICÍPIO DA GOLEGÃ Nota Justificativa Considerando que: a educação pré-escolar constitui

Leia mais

Normas de Funcionamento do Programa de Apoio à Família da Educação Pré-Escolar do Concelho de Santa Maria da Feira. Introdução

Normas de Funcionamento do Programa de Apoio à Família da Educação Pré-Escolar do Concelho de Santa Maria da Feira. Introdução Normas de Funcionamento do Programa de Apoio à Família da Educação Pré-Escolar do Concelho de Santa Maria da Feira Introdução A Lei de Bases do Sistema Educativo estabelece que um dos objectivos da educação

Leia mais

NIB Transferência: NOTAS: CENTRO DE APOIO AO ESTUDO

NIB Transferência: NOTAS: CENTRO DE APOIO AO ESTUDO 7 NOTAS: NIB Transferência: 0010 0000 3434 9410 0063 0 REGULAMENTO INTERNO CENTRO DE APOIO AO ESTUDO RAÍZES ASSOCIAÇÃO DE APOIO À CRIANÇA E AO JOVEM 2013/2014 Capitulo I Disposições Gerais 1 Artigo 1º

Leia mais

REGULAMENTO DE AÇÃO SOCIAL ESCOLAR MUNICÍPIO DE ARGANIL PROJETO DE REGULAMENTO DE AÇÃO SOCIAL ESCOLAR

REGULAMENTO DE AÇÃO SOCIAL ESCOLAR MUNICÍPIO DE ARGANIL PROJETO DE REGULAMENTO DE AÇÃO SOCIAL ESCOLAR PROJETO DE REGULAMENTO DE AÇÃO SOCIAL ESCOLAR Fornecimento de Refeições Atividades de Animação e Apoio à Família Apoio para Manuais Escolares Transportes Escolares PREÂMBULO A Ação Social Escolar assume,

Leia mais

REGULAMENTO DA SALA DE ESTUDO ACOMPANHADO. Nota justificativa

REGULAMENTO DA SALA DE ESTUDO ACOMPANHADO. Nota justificativa REGULAMENTO DA SALA DE ESTUDO ACOMPANHADO Nota justificativa A elevada taxa de insucesso escolar resulta, em grande parte, da ausência ou uso inapropriado de estratégias de estudo e pela não existência

Leia mais

Normas para concessão de auxílios económicos no 1.º ciclo do ensino básico

Normas para concessão de auxílios económicos no 1.º ciclo do ensino básico Normas para concessão de auxílios económicos no 1.º ciclo do ensino básico ENQUADRAMENTO Desde a Constituição da República de 1976 que está consagrada a universalidade, obrigatoriedade e gratuitidade do

Leia mais

Regulamento da Componente de Apoio à Família. Regulamento da Componente de Apoio à Família. Preâmbulo

Regulamento da Componente de Apoio à Família. Regulamento da Componente de Apoio à Família. Preâmbulo Regulamento da Componente de Apoio à Família Preâmbulo De acordo com a Lei n.º 5/97, de 10 de Fevereiro, a educação pré-escolar constitui a primeira etapa da educação básica, sendo complementar da acção

Leia mais

Admissões para Creche e Pré-escolar 2017 / 2018

Admissões para Creche e Pré-escolar 2017 / 2018 Admissões para Creche e Pré-escolar 2017 / 2018 1ª Fase: Pré-candidatura Decorre até 31 de Janeiro de 2017. - Ficha de candidatura devidamente preenchida e assinada (disponível no site: http://www.externatoasvp.pt);

Leia mais

Circular nº04/ Incidência da Comparticipação Crianças com idades compreendidas entre os 0 e os 5 anos:

Circular nº04/ Incidência da Comparticipação Crianças com idades compreendidas entre os 0 e os 5 anos: Circular nº04/2012 Assunto: COMPARTICIPAÇÃO DAS DESPESAS DE EDUCAÇÃO PARA O ANO LECTIVO DE 2012/2013 (Creches, Infantários, Componente de Apoio à Família e Actividades de Tempos Livres) Caro Associado:

Leia mais

CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE OEIRAS

CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE OEIRAS CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE OEIRAS REGULAMENTO CRECHE O POMBAL ANO LECTIVO 2011/2012 TELEFONE: 21 441 58 25 / 93 596 11 56 cspo@sapo.pt I OBJECTIVOS O trabalho neste Estabelecimento é promovido e realizado

Leia mais

Contatos da Junta de Freguesia do Beato: Morada: Rua de Xabregas, n.º 67, 1º andar Telefone: Fax:

Contatos da Junta de Freguesia do Beato: Morada: Rua de Xabregas, n.º 67, 1º andar Telefone: Fax: Contatos da Junta de Freguesia do Beato: Morada: Rua de Xabregas, n.º 67, 1º andar Telefone: 21 868 11 07 Fax: 21 868 64 80 E-mail: geral@jf-beato.pt Vigora após aprovação do Executivo desta Autarquia

Leia mais

NORMAS DE APOIO ÀS FAMÍLIAS PARA FREQUÊNCIA DOS CENTROS DE ATIVIDADES DE TEMPOS LIVRES, NO ÂMBITO DA AÇÃO SOCIAL

NORMAS DE APOIO ÀS FAMÍLIAS PARA FREQUÊNCIA DOS CENTROS DE ATIVIDADES DE TEMPOS LIVRES, NO ÂMBITO DA AÇÃO SOCIAL NORMAS DE APOIO ÀS FAMÍLIAS PARA FREQUÊNCIA DOS CENTROS DE ATIVIDADES DE TEMPOS LIVRES, NO ÂMBITO DA AÇÃO SOCIAL A Câmara Municipal de Sesimbra apoia famílias de contexto socioeconómico fragilizado, através

Leia mais

Ficha de Inscrição. Admitida Em lista de espera Família anulou a inscrição Inscrição não cumpre requisitos / / Renovação a / / Nacionalidade NISS

Ficha de Inscrição. Admitida Em lista de espera Família anulou a inscrição Inscrição não cumpre requisitos / / Renovação a / / Nacionalidade NISS SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE ALBUFEIRA CENTRO INFANTIL QUINTA DOS PARDAIS Rua da Palmeira Quinta da Palmeira 8200-286 Albufeira scmaqtpardais@gmail.com Tel. 289 585 864 / 96 3635686 Ficha de Inscrição

Leia mais

MUNICÍPIO DE PALMELA REGULAMENTO DE ACTIVIDADES DE ANIMAÇÃO SÓCIOEDUCATIVA DA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

MUNICÍPIO DE PALMELA REGULAMENTO DE ACTIVIDADES DE ANIMAÇÃO SÓCIOEDUCATIVA DA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR REGULAMENTO DE ACTIVIDADES DE ANIMAÇÃO SÓCIOEDUCATIVA DA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR PREÂMBULO A educação pré-escolar constitui a primeira etapa na educação básica, destina-se às crianças com idades compreendidas

Leia mais

Artigo 1º Âmbito. Artigo 2º Inscrições

Artigo 1º Âmbito. Artigo 2º Inscrições Preâmbulo As Atividades de Animação e Apoio à Família (AAAF) procuram dar hoje uma resposta direta às necessidades das famílias das crianças que frequentam a Educação Pré-Escolar. Estas atividades socioeducativas

Leia mais

Capítulo 1 - Atividades de Animação e de Apoio à Família (AAAF)

Capítulo 1 - Atividades de Animação e de Apoio à Família (AAAF) Capítulo 1 - Atividades de Animação e de Apoio à Família (AAAF) Norma I Enquadramento Institucional A ABLA é uma IPSS e ONGD de inspiração cristã evangélica criada em 1984 por beneméritos alemães. A Associação

Leia mais

FICHA DE INSCRIÇÃO. Ponto de Situação da Inscrição

FICHA DE INSCRIÇÃO. Ponto de Situação da Inscrição Ponto de Situação da Inscrição Admitida Não Admitida mas interessada em ingressar (lista de espera) Não admitida e anulada inscrição pela família Nº PI: Sala: Notas: Data de Saída: / / Motivo: Data de

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CULTURA E DESPORTO DA BRANDOA (ABCD) INSTITUIÇÃO PARTICULAR DE SOLIDARIEDADE SOCIAL ( IPSS) PRÉ-PROLONGAMENTO REGULAMENTO INTERNO

ASSOCIAÇÃO CULTURA E DESPORTO DA BRANDOA (ABCD) INSTITUIÇÃO PARTICULAR DE SOLIDARIEDADE SOCIAL ( IPSS) PRÉ-PROLONGAMENTO REGULAMENTO INTERNO PRÉ-PROLONGAMENTO REGULAMENTO INTERNO 1. INTRODUÇÃO A Associação de Cultura e Desporto da Brandoa (A.B.C.D.) foi fundada em 09/02/1987, é uma Instituição Particular de Solidariedade Social (I.P.S.S.) com

Leia mais

Regulamento Municipal de Bolsas de Estudo. Pelouro da Juventude

Regulamento Municipal de Bolsas de Estudo. Pelouro da Juventude Regulamento Municipal de Bolsas de Estudo Pelouro da Juventude Aprovado pela Reunião de Câmara do dia 28 de Julho de 2010 e na Reunião da Assembleia Municipal do dia 1 de Outubro de 2010 1 Regulamento

Leia mais

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO APOIO AO ARRENDAMENTO HABITACIONAL. DOCUMENTAÇÃO OBRIGATÓRIA para instrução da candidatura

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO APOIO AO ARRENDAMENTO HABITACIONAL. DOCUMENTAÇÃO OBRIGATÓRIA para instrução da candidatura FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO APOIO AO ARRENDAMENTO HABITACIONAL DOCUMENTAÇÃO OBRIGATÓRIA para instrução da candidatura (APRESENTAR ORIGINAIS E ENTREGAR FOTOCÓPIAS DE TODOS OS DOCUMENTOS) B.I./ C.C./Cédula

Leia mais

PROJETO DE REGULAMENTO DA COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA

PROJETO DE REGULAMENTO DA COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA PROJETO DE REGULAMENTO DA COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA NOTA JUSTIFICATIVA A educação pré-escolar contribui de forma significativa para o desenvolvimento das crianças, pois assume-se como o ponto de partida

Leia mais

Projecto de Regulamento. Oficina de Teatro Eç'agorA

Projecto de Regulamento. Oficina de Teatro Eç'agorA Projecto de Regulamento Oficina de Teatro Eç'agorA Preâmbulo O teatro, para além da sua vertente lúdica, é um excelente mecanismo para estimular o nosso autoconhecimento, o interrelacionamento e a capacidade

Leia mais

M U N I C Í P I O D E M E A L H A D A C Â M A R A M U N I C I P A L

M U N I C Í P I O D E M E A L H A D A C Â M A R A M U N I C I P A L NORMAS DE FUNCIONAMENTO DAS ATIVIDADES DE ANIMAÇÃO E APOIO À FAMÍLIA NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR DA REDE PÚBLICA DO CONCELHO DE MEALHADA A Lei-Quadro (Lei n.º 5/97 de 10 de Fevereiro)

Leia mais

NORMAS DE FUNCIONAMENTO DO ATELIER DE ARTES PLÁSTICAS

NORMAS DE FUNCIONAMENTO DO ATELIER DE ARTES PLÁSTICAS NORMAS DE FUNCIONAMENTO DO ATELIER DE ARTES PLÁSTICAS O Atelier de Artes Plásticas é um serviço que se encontra ao dispor de todos os interessados, visando instruí-los e dotá-los das ferramentas básicas

Leia mais

Regulamento Interno da Componente do Apoio à Família Ano letivo 2014/2015

Regulamento Interno da Componente do Apoio à Família Ano letivo 2014/2015 Regulamento Interno da Componente do Apoio à Família A Componente do Apoio à Família (CAF) Da Escola do 1º Ciclo do Ensino Básico Infante D. Henrique, destina-se a assegurar o acompanhamento dos alunos

Leia mais

REGULAMENTO DA COLÓNIA DE FÉRIAS INFANTIL MUNICIPAL PREÂMBULO

REGULAMENTO DA COLÓNIA DE FÉRIAS INFANTIL MUNICIPAL PREÂMBULO PREÂMBULO Procurar respostas sociais dirigidas a utentes dos diferentes grupos etários e à família, significa responder a necessidades humanas (psicológicas, afectivas, sociais, ) por forma a prevenir,

Leia mais

REGULAMENTO AÇÃO SOCIAL ESCOLAR 1º CICLO MANUAIS ESCOLARES

REGULAMENTO AÇÃO SOCIAL ESCOLAR 1º CICLO MANUAIS ESCOLARES REGULAMENTO AÇÃO SOCIAL ESCOLAR 1º CICLO MANUAIS ESCOLARES Divisão de Educação e Promoção Social Ano Letivo 2014/2015 Regulamento Municipal para atribuição de Auxílios Económicos relativos a manuais escolares,

Leia mais

Regulamento Municipal de Bolsas de Estudo

Regulamento Municipal de Bolsas de Estudo Regulamento Municipal de Bolsas de Estudo Preâmbulo A educação e formação dos jovens famalicenses são factores essenciais para o desenvolvimento económico e social do concelho e da região onde nos inserimos.

Leia mais

NORMAS DE IMPLEMENTAÇÃO E FUNCIONAMENTO DA COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA NOS - ACTIVIDADES DE ANIMAÇÃO E DE APOIO À FAMÍLIA -

NORMAS DE IMPLEMENTAÇÃO E FUNCIONAMENTO DA COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA NOS - ACTIVIDADES DE ANIMAÇÃO E DE APOIO À FAMÍLIA - PREÂMBULO A educação pré-escolar constitui a primeira etapa da educação básica, destinando-se a crianças com idades compreendidas entre os três anos e a idade de ingresso no 1º ciclo do ensino básico.

Leia mais

Artigo 1º Âmbito. Artigo 2º Inscrições

Artigo 1º Âmbito. Artigo 2º Inscrições Preâmbulo O Programa de Generalização do Fornecimento de Refeições Escolares aos Alunos do 1º CEB e a Componente de Apoio à Família (CAF) procuram dar hoje uma resposta direta às necessidades das famílias

Leia mais

Normas de Ação Social Escolar para o Ano Letivo 2015/2016 e anos subsequentes

Normas de Ação Social Escolar para o Ano Letivo 2015/2016 e anos subsequentes MUNICIPIO DE VILA NOVA DE POIARES CÂMARA MUNICIPAL Normas de Ação Social Escolar para o Ano Letivo 2015/2016 e anos subsequentes Fornecimento de Refeições Escolares Atividades de Animação de Apoio à Família

Leia mais

REGULAMENTO PARA ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO

REGULAMENTO PARA ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO MUNICÍPIO DE ALJEZUR CÂMARA MUNICIPAL REGULAMENTO PARA ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO Âmbito e objectivos Artigo 1.º 1 - A Câmara Municipal de Aljezur atribui bolsas de estudo aos alunos residentes no

Leia mais

ESCOLA EB1 E JI DE FROSSOS

ESCOLA EB1 E JI DE FROSSOS REGULAMENTO FUNCIONAMENTO da CAF (COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA) E AAAF (ATIVIDADES DE ANIMAÇÃO DE APOIO À FAMÍLIA) 2015/2016 ESCOLA EB1 E JI DE FROSSOS UNIÃO DAS FREGUESIAS DE MERELIM (SÃO PEDRO) E FROSSOS

Leia mais

FICHA DE INSCRIÇÃO Estabelecimentos de Educação Pré-escolar Monte Abraão e Monte Abraão 2

FICHA DE INSCRIÇÃO Estabelecimentos de Educação Pré-escolar Monte Abraão e Monte Abraão 2 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS RUY BELO Nº Processo: FICHA DE INSCRIÇÃO Estabelecimentos de Educação Pré-escolar Monte Abraão e Monte Abraão 2 Rubrica do Encarregado de Educação Inscrição em / / Admissão em /

Leia mais

Acção Social Escolar - 1.º Ciclo do Ensino Básico. Normas de Funcionamento

Acção Social Escolar - 1.º Ciclo do Ensino Básico. Normas de Funcionamento Acção Social Escolar - 1.º Ciclo do Ensino Básico Normas de Funcionamento Nota justificativa As recentes alterações legislativas e de procedimentos verificadas no âmbito da acção social escolar, nomeadamente

Leia mais

Universidade Lusófona do Porto Bolsas de Estudo. Regulamento

Universidade Lusófona do Porto Bolsas de Estudo. Regulamento Universidade Lusófona do Porto Bolsas de Estudo Regulamento 1. Requisitos a cumprir para candidatura - Não ser detentor/a de grau académico universitário; - Não beneficiar de outra bolsa de estudo ou vantagem

Leia mais

Regulamento Acção Social Escolar - 1.º Ciclo do Ensino Básico

Regulamento Acção Social Escolar - 1.º Ciclo do Ensino Básico Regulamento Acção Social Escolar - 1.º Ciclo do Ensino Básico Preambulo A Educação constitui uma das atribuições fundamentais dos Municípios desde 1984, a sua implementação obedece a um conjunto de preceitos

Leia mais

Nota Justificativa. Considerando que:

Nota Justificativa. Considerando que: Projeto de Regulamento Municipal para Funcionamento do Programa de Atividades de Animação e de Apoio à Família Acordo de Colaboração para a Educação Pré-Escolar Considerando que: Nota Justificativa - A

Leia mais

3470 Diário da República, 2.ª série N.º 39 23 de fevereiro de 2017 3 Nos casos em que o encarregado de educação não seja nenhum dos progenitores, terá de ser apresentado documento comprovativo de que a

Leia mais

Os alunos serão admitidos e poderão começar a frequentar o apoio aos tempos livres após completo todo o processo de inscrição:

Os alunos serão admitidos e poderão começar a frequentar o apoio aos tempos livres após completo todo o processo de inscrição: O Colégio Alfa-Beta tem como grande preocupação o crescimento harmonioso e saudável das crianças. Oferecemos apoio aos tempos livres, férias escolares, atividades Lúdico-Pedagógicas e complemento pré -escolar

Leia mais

Preâmbulo. Divisão de Educação pág. 1 / 8

Preâmbulo. Divisão de Educação pág. 1 / 8 Regulamento Municipal de frequência e funcionamento das Atividades de Animação e Apoio à Família (AAAF) nos jardins de infância da rede pública do concelho de Guimarães Preâmbulo Considerando a importância

Leia mais

Nome da Mãe: Data Nascimento: / / Estado Civil:

Nome da Mãe: Data Nascimento: / / Estado Civil: DATA DE INSCRIÇÃO / / ANO LETIVO SALA SAÍDA EM / / FICHA DE INSCRIÇÃO N.º ALUNO DADOS DA CRIANÇA Nome Completo: Nome por que é tratado: Data de Nascimento: / / Sexo: F M CC/Boletim Nascimento: NIF: NISS:

Leia mais

Regras Técnicas

Regras Técnicas Regras Técnicas 2007-2008 2008 Considerando o regime de atribuição de bolsas de estudo a estudantes do Ensino Superior Público, determino os critérios e procedimentos técnicos a adoptar pelos Serviços

Leia mais

Normas de Funcionamento (Questões frequentes) Colégio José Álvaro Vidal

Normas de Funcionamento (Questões frequentes) Colégio José Álvaro Vidal Normas de Funcionamento (Questões frequentes) Colégio José Álvaro Vidal Ano letivo 2016/2017 1. Processo de Admissão 1.1 As inscrições no Colégio estão permanentemente abertas e são efetuadas, em documento

Leia mais

_ Curso Ano Letivo / IDENTIFICAÇÃO. Nome Nº de Documento de Identificação Validade / /

_ Curso Ano Letivo / IDENTIFICAÇÃO. Nome Nº de Documento de Identificação Validade / / BOLSA DE ESTUDO E.A.S.S. 2017/2018 Curso Ano Letivo / IDENTIFICAÇÃO Nome Nº de Documento de Identificação Validade // Nº de Aluno Data de Nascimento // Nacionalidade: Estado Civil Nome do Pai Nome da Mãe

Leia mais

Regulamento Municipal das Atividades de Animação e de Apoio à Família da Educação Pré-escolar Ano letivo 2014/2015 e seguintes

Regulamento Municipal das Atividades de Animação e de Apoio à Família da Educação Pré-escolar Ano letivo 2014/2015 e seguintes Regulamento Municipal das Atividades de Animação e de Apoio à Família da Educação Pré-escolar Ano letivo 2014/2015 e seguintes Preâmbulo A Lei 5/97, de 10 de Fevereiro, Lei-Quadro da Educação Pré-Escolar,

Leia mais

Regulamento de Procedimento das Atividades de Animação e Apoio à Família

Regulamento de Procedimento das Atividades de Animação e Apoio à Família Regulamento de Procedimento das Atividades de Animação e Apoio à Família Reunião de Câmara (aprovação do projeto) 20/04/2015 Edital (apreciação pública) 30/2015, de 05/05/2015 Publicado (projeto) no DR

Leia mais

ACADEMIA NACIONAL SUPERIOR DE ORQUESTRA. Ano lectivo de 2013/2014 REGULAMENTO DE BOLSAS DE ESTUDO. Capítulo I Disposições Gerais

ACADEMIA NACIONAL SUPERIOR DE ORQUESTRA. Ano lectivo de 2013/2014 REGULAMENTO DE BOLSAS DE ESTUDO. Capítulo I Disposições Gerais ACADEMIA NACIONAL SUPERIOR DE ORQUESTRA Ano lectivo de 2013/2014 REGULAMENTO DE BOLSAS DE ESTUDO Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1 Objecto O presente Regulamento disciplina a atribuição de Bolsas

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Terça-feira, 31 de Maio de Série. Número 61

JORNAL OFICIAL. Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Terça-feira, 31 de Maio de Série. Número 61 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Terça-feira, 31 de Maio de 2011 Série Suplemento Sumário SECRETARIA REGIONALDA EDUCAÇÃO E CULTURA Portaria n.º 56/2011 Estabelece as normas reguladoras das condições

Leia mais

REGULAMENTO PARA ATRIBUIÇÃO DE APOIOS SÓCIO-ECONÓMICOS AOS ALUNOS DO ENSINO PRÉ-ESCOLAR E DO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO

REGULAMENTO PARA ATRIBUIÇÃO DE APOIOS SÓCIO-ECONÓMICOS AOS ALUNOS DO ENSINO PRÉ-ESCOLAR E DO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO REGULAMENTO PARA ATRIBUIÇÃO DE APOIOS SÓCIO-ECONÓMICOS AOS ALUNOS DO ENSINO PRÉ-ESCOLAR E DO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO Os Municípios têm vindo a assumir, cada vez mais, um papel importante no domínio da

Leia mais

DOCUMENTOS PARA A INSCRIÇÃO/RENOVAÇÃO/MATRÍCULA (PARA RENOVAÇÕES ENTREGAR OS DOCUMENTOS ASSINALADOS COM *)

DOCUMENTOS PARA A INSCRIÇÃO/RENOVAÇÃO/MATRÍCULA (PARA RENOVAÇÕES ENTREGAR OS DOCUMENTOS ASSINALADOS COM *) CRIANÇA Liga dos Amigos da Quinta do Conde Ano letivo / DOCUMENTOS PARA A INSCRIÇÃO/RENOVAÇÃO/MATRÍCULA (PARA RENOVAÇÕES ENTREGAR OS DOCUMENTOS ASSINALADOS COM *) Fotocópia do C.C. /Cédula ou outro documento

Leia mais

REGULAMENTO HIDROTERAPIA - AFA

REGULAMENTO HIDROTERAPIA - AFA REGULAMENTO HIDROTERAPIA - AFA Página 1 de 5 Regulamento Terapia Aquática - AFA O presente Regulamento Interno aplica-se à frequência de Terapia Aquática na Piscina Municipal de Oliveira de Bairro podendo

Leia mais

CONDIÇÕES ESPECIFICAS DE PARTICIPAÇÃO VIVER O VERÃO 2016 OTL CRIANÇAS. PONTO I Objeto

CONDIÇÕES ESPECIFICAS DE PARTICIPAÇÃO VIVER O VERÃO 2016 OTL CRIANÇAS. PONTO I Objeto CONDIÇÕES ESPECIFICAS DE PARTICIPAÇÃO VIVER O VERÃO 2016 OTL CRIANÇAS PONTO I Objeto 1) O OTL Viver o Verão 2016 é promovido pelo Serviço de Juventude e Desporto da Câmara Municipal de Lagos, durante os

Leia mais

Nome/Designação... Bilhete de identidade ou Cartão de Cidadão nº... emitido em.../.../...

Nome/Designação... Bilhete de identidade ou Cartão de Cidadão nº... emitido em.../.../... Exmo. Senhor Presidente da Câmara Municipal de S. João da Madeira Genérico nº. /. Entrada n.º... Data:.. /... /... O Funcionário:... Assunto: BOLETIM DE CANDIDATURA A BOLSA DE ESTUDO 1. IDENTIFICAÇÃO Nome/Designação...

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE APOIO Á FAMÍLIA

REGULAMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE APOIO Á FAMÍLIA REGULAMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE APOIO Á FAMÍLIA APRECIAÇÃO E DELIBERAÇÃO DE PROPOSTA DE REGULAMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE APOIO Á FAMÍLIA: Foi deliberado por unanimidade e em minuta aprovar a seguinte

Leia mais

Regulamento da Ação Social Escolar - 1.º Ciclo do Ensino Básico

Regulamento da Ação Social Escolar - 1.º Ciclo do Ensino Básico Regulamento da Ação Social Escolar - 1.º Ciclo do Ensino Básico Preâmbulo A Educação constitui uma das atribuições fundamentais dos Municípios desde 1984 e a sua implementação obedece a um conjunto de

Leia mais

Normas Internas de Funcionamento do Serviço de Componente de Apoio à Família da Educação Pré-Escolar e do 1.º Ciclo do Ensino Básico.

Normas Internas de Funcionamento do Serviço de Componente de Apoio à Família da Educação Pré-Escolar e do 1.º Ciclo do Ensino Básico. Normas Internas de Funcionamento à Família da Educação Pré-Escolar e Preâmbulo De acordo com o consagrado na Lei n.º 159/99, de 14 de setembro, os municípios possuem atribuições no domínio da educação

Leia mais

ANEXO III Normas de Funcionamento das Atividades de Animação e de Apoio à Família (AAAF) na Educação Pré-escolar

ANEXO III Normas de Funcionamento das Atividades de Animação e de Apoio à Família (AAAF) na Educação Pré-escolar ANEXO III Normas de Funcionamento das Atividades de Animação e de Apoio à Família (AAAF) na Educação Pré-escolar I (Disposição Introdutória) 1. A educação pré-escolar é considerada a primeira etapa da

Leia mais

AVISO - MATRÍCULAS NO PRÉ-ESCOLAR. As inscrições decorrem de 15 de abril a 15 de junho.

AVISO - MATRÍCULAS NO PRÉ-ESCOLAR. As inscrições decorrem de 15 de abril a 15 de junho. AVISO - MATRÍCULAS NO PRÉ-ESCOLAR ANO LETIVO - 2015/2016 As inscrições decorrem de 15 de abril a 15 de junho. www.portaldasescolas.pt A ESCOLA DISPONIBILIZA COMPUTADOR PARA O EFEITO. O ENCARREGADO DE EDUCAÇÃO

Leia mais

Ponto 3 FORMALIDADES DO PROCESSO DE ADMISSÃO:

Ponto 3 FORMALIDADES DO PROCESSO DE ADMISSÃO: Normas de Funcionamento São objetivos da Instituição, promover e estimular o desenvolvimento global da criança, através de colaboração e auxílio à família tendo em atenção as suas condições socioeconómicas.

Leia mais

Regulamento Interno. Centro de Estudos e Atividades

Regulamento Interno. Centro de Estudos e Atividades Regulamento Interno Centro de Estudos e Atividades Regulamento Interno CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1º Âmbito 1 - O presente regulamento enuncia as normas regulamentares de funcionamento da Academia

Leia mais

Regulamento Interno. Centro Ocupacional de São Brás. Capítulo I. Objectivos do Regulamento

Regulamento Interno. Centro Ocupacional de São Brás. Capítulo I. Objectivos do Regulamento Regulamento Interno Centro Ocupacional de São Brás Capítulo I Objectivos do Regulamento 1) O presente regulamento visa definir as regras de organização e funcionamento do Espaço Educacional de São Brás,

Leia mais

Município de Vila Nova de Poiares Natal em Atividade. MUNICÍPIO DE VILA NOVA DE POIARES CÂMARA MUNICIPAL DAG Desporto, Juventude e Associativismo

Município de Vila Nova de Poiares Natal em Atividade. MUNICÍPIO DE VILA NOVA DE POIARES CÂMARA MUNICIPAL DAG Desporto, Juventude e Associativismo MUNICÍPIO DE VILA NOVA DE POIARES CÂMARA MUNICIPAL DAG Desporto, Juventude e Associativismo NATAL EM ATIVIDADE NORMAS GERAIS DE FUNCIONAMENTO Nota introdutória A Câmara Municipal pretende desenvolver programas

Leia mais

Componente de Apoio à Família CENTRO PAROQUIAL DE ASSISTÊNCIA DE SANTA MARIA DE BELÉM

Componente de Apoio à Família CENTRO PAROQUIAL DE ASSISTÊNCIA DE SANTA MARIA DE BELÉM 2014-2015 Componente de Apoio à Família CENTRO PAROQUIAL DE ASSISTÊNCIA DE SANTA MARIA DE BELÉM REGULAMENTO INTERNO DA CAF COMPONENTE DE APOIO À FAMILIA EB 1 com JI Bairro do Restelo CAPÍTULO I NATUREZA

Leia mais

Legislação Organização Escolar

Legislação Organização Escolar Legislação Organização Escolar Despacho Conjunto n.º 300/97 (2ª série), de 9 de Setembro MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E MINISTÉRIO DA SOLIDARIEDADE E SEGURANÇA SOCIAL Define as normas que regulam a comparticipação

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE SALVATERRA DE MAGOS. Regulamento para atribuição de bolsas de estudo a alunos do ensino superior. Preâmbulo

CÂMARA MUNICIPAL DE SALVATERRA DE MAGOS. Regulamento para atribuição de bolsas de estudo a alunos do ensino superior. Preâmbulo CÂMARA MUNICIPAL DE SALVATERRA DE MAGOS Regulamento para atribuição de bolsas de estudo a alunos do ensino superior Preâmbulo O desenvolvimento de medidas de carácter social com o intuito de melhorar as

Leia mais

Câmara Municipal da Trofa

Câmara Municipal da Trofa Câmara Municipal da Trofa REGULAMENTO PARA ATRIBUIÇÃO DE SUBSÍDIO AO ARRENDAMENTO, A ESTRATOS SOCIAIS DESFAVORECIDOS NOTA JUSTIFICATIVA (Art. 116º do Código do Procedimento Administrativo) O quadro legal

Leia mais

CENTRO DE ATIVIDADES DE TEMPOS LIVRES A GAIVOTA

CENTRO DE ATIVIDADES DE TEMPOS LIVRES A GAIVOTA - pg 1 de 11 - Carlos Manuel Jesus Salvador, Presidente da Junta de Freguesia de Sines, nos termos das alíneas f) e g), do artigo 18º, da Lei n.º 75/2013, de 12 de setembro, torna público que foi aprovado

Leia mais

FICHA DE PRÉ-INSCRIÇÃO MOD.091/1 / / DATA EFECTIVA DE ENTRADA:. / /20 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DA CRIANÇA CRECHE PRÉ-ESCOLAR.

FICHA DE PRÉ-INSCRIÇÃO MOD.091/1 / / DATA EFECTIVA DE ENTRADA:. / /20 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DA CRIANÇA CRECHE PRÉ-ESCOLAR. DATA DE PRÉ-INSCRIÇÃO:. / /20 DATA PREVISTA DE ENTRADA:. / /20 DATA EFECTIVA DE ENTRADA:. / /20 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DA CRIANÇA CRECHE PRÉ-ESCOLAR Nome: Data de Nascimento: / / Idade: 2. FILIAÇÃO

Leia mais

Ano Lectivo 2009/2010

Ano Lectivo 2009/2010 Município da Póvoa de Varzim Ano Lectivo 2009/2010 Ano Letivo 2013/2014 COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA JARDINS DE INFÂNCIA DA REDE PÚBLICA PÓVOA DE VARZIM Introdução A educação Pré-Escolar constitui a primeira

Leia mais

Normas de Funcionamento do Serviço de Apoio à Família. da Educação Pré-Escolar da Rede Pública do. Concelho de Torres Vedras NOTA JUSTIFICATIVA

Normas de Funcionamento do Serviço de Apoio à Família. da Educação Pré-Escolar da Rede Pública do. Concelho de Torres Vedras NOTA JUSTIFICATIVA Normas de Funcionamento do Serviço de Apoio à Família da Educação Pré-Escolar da Rede Pública do Concelho de Torres Vedras NOTA JUSTIFICATIVA Considerando que a educação é um direito de todos e cabe ao

Leia mais

Processo de Candidatura ao Concurso Público Local para atribuição de fogos municipais de Habitação Social

Processo de Candidatura ao Concurso Público Local para atribuição de fogos municipais de Habitação Social Processo de Candidatura ao Concurso Público Local para atribuição de fogos municipais de Habitação Social Quatro Fogos de Habitação Unifamiliar, sitos na Vila e Freguesia de Vila Nova de Paiva, em regime

Leia mais

CAPÍTULO I Disposições Gerais

CAPÍTULO I Disposições Gerais CAPÍTULO I Disposições Gerais ARTIGO 1º Âmbito de Aplicação 1. Têm direito aos benefícios de ordem económico-social previstos no presente regulamento ou que venham a ser concedidos por este Centro: a.

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO CENTRO DE CONVÍVIO

REGULAMENTO INTERNO CENTRO DE CONVÍVIO REGULAMENTO INTERNO CENTRO DE CONVÍVIO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º Âmbito de aplicação O Centro de Convívio da Misericórdia de Machico é uma valência administrada pela Santa Casa da Misericórdia

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA PISCINA DE BARROSELAS

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA PISCINA DE BARROSELAS REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA PISCINA DE BARROSELAS As instalações da Piscina de Barroselas constituem património municipal e visam contribuir para o desenvolvimento desportivo do concelho em geral e

Leia mais

FICHA DE INSCRIÇÃO/RENOVAÇÃO/ADMISSÃO

FICHA DE INSCRIÇÃO/RENOVAÇÃO/ADMISSÃO FICHA DE INSCRIÇÃO/RENOVAÇÃO/ADMISSÃO 1 IDENTIFICAÇÃO DA VALÊNCIA 2 INFORMAÇÃO DA DECISÃO Estabelecimento: RI CIAI / MC / PE Admitida: Nº Cliente/utente: Valência: Creche Não admitida, mas interessada

Leia mais

Escola de Futebol Os Afonsinhos Regulamento Interno

Escola de Futebol Os Afonsinhos Regulamento Interno Escola de Futebol Os Afonsinhos Regulamento Interno Índice Artigo 1º Entidade reguladora... 3 Artigo 2º Destinatários... 3 Artigo 4º Funcionamento... 3 Artigo 5º Comunicação com encarregados de educação...

Leia mais

Regulamento do Centro de Convívio Sénior da Junta de Freguesia de Odivelas CAPÍTULO I

Regulamento do Centro de Convívio Sénior da Junta de Freguesia de Odivelas CAPÍTULO I Regulamento do Centro de Convívio Sénior da Junta de Freguesia de Odivelas CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Noção) 1. O Centro de Convívio Sénior da Junta de Freguesia de Odivelas consiste numa

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Oliveira do Bairro

Agrupamento de Escolas de Oliveira do Bairro Agrupamento de Escolas de Oliveira do Bairro Normas Reguladoras de Funcionamento do Serviço de Refeições no âmbito do Programaa de Generalização do Fornecimento de Refeições Escolares do 1º Ciclo do Ensino

Leia mais

CAPÍTULO I NATUREZA E OBJETIVOS

CAPÍTULO I NATUREZA E OBJETIVOS 2015 2016 CENTRO PAROQUIAL DE ASSISTÊNCIA DE SANTA MARIA DE BELÉM REGULAMENTO INTERNO DAS AAAF ATIVIDADES DE ANIMAÇÃO E APOIO À FAMÍLIA E CAF COMPONENTE DE APOIO À FAMILIA ANO LETIVO 2015/2016 CAPÍTULO

Leia mais

As presentes normas aplicam-se a todos os pais e encarregados de educação de crianças que frequentem os serviços de CH, promovidos pela CMA.

As presentes normas aplicam-se a todos os pais e encarregados de educação de crianças que frequentem os serviços de CH, promovidos pela CMA. NORMAS DOS SERVIÇOS DE COMPLEMENTO DE HORÁRIO DOS ESTABELECIMENTOS DA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR E DO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO DA REDE PÚBLICA DO CONCELHO DE ALCOCHETE Artigo 1.º Objeto No âmbito destas normas,

Leia mais