Psicologia da Educação. A Teoria Sociocultural do desenvolvimento e da Aprendizagem

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Psicologia da Educação. A Teoria Sociocultural do desenvolvimento e da Aprendizagem"

Transcrição

1 Psicologia da Educação A Teoria Sociocultural do desenvolvimento e da Aprendizagem

2 Objetivos Definir a Teoria Psicologica da aprendizagem Sócio-cultural Conceituar a Teoria de Vigostki e descrever os conceitos básicos ZDP zona de desenvolvimento proximal Processo de Internalização Desenvolvimento Cultural Relação entre desenvolvimento e aprendizagem Tomada de Consciência Estrutura Experiência Simbolica Mediação Simbolica Descrever o desenvolvimento de uma criança com deficiência mental Verificar as divergência entre as teorias de Piaget e Vigostky

3 Teoria Psicológica da Aprendizagem Sócio-histórica O ser humano constitui-se enquanto tal na sua relação com o outro. A aprendizagem relaciona-se ao desenvolvimento desde o nascimento, sendo a principal causa. Conceitos na área do desenvolvimento da aprendizagem. Síntese produto totalmente novo gerado a partir da interacão entre elementos anteriores. No processo de ensino e aprendizagem quem aprende e aquele ensina são partícipes de um mesmo processo de relação. A mediação, relação eu-outro social. A relação mediatizada não se dá necessariamente pelo outro corpóreo, mas pela possibilidade de interação com signos, símbolos culturais e objetos.

4 VIGOSTKI Nasceu em 1896 na Rússia Período de grandes mudanças sociais e culturais da Russia Em 1925 fundou o laboratório de psicologia para crianças deficientes. Escreveu o livro Fundamentos da Defectologia. *Defectologia - é a ciência geral da deficiência Casou-se aos 28 anos e faleceu aos 37 anos em Moscou dia 11 de junho de Durante o período de 1936 a 1956, devida á censura do regime stalinista sua obra foi proibida no ocidente. Contudo, circulava clandestinamente. Vygotsky é considerado um dos maiores psicólogos do século XX.

5 A Teoria de Lev Vigotsky Em sua teoria, Vygotsky apresenta a noção de que o bom aprendizado é aquele que considera o nível de desenvolvimento potencial ou proximal, ou seja, o que as crianças são capazes de realizar com e sem a ajuda externa

6 ZDP = Zona de desenvolvimento proximal A Zona de Desenvolvimento Proximal é o campo intermediário entre o desenvolvimento real e o desenvolvimento potencial. O desenvolvimento real é aquilo que o sujeito consolidou de forma autônoma, O desenvolvimento potencial pode ser inferido com base no que o indivíduo consegue resolver com a ajuda de um mediador.

7 ZONA DESENVOLVIMENTO PROXIMAL Real real POTENCIAL

8 Educador Como Mediador Conhecendo essa zona de desenvolvimento, o educador, como mediador entre o aluno e o meio social, pode oferecer as experiências necessárias para o aluno avançar. Oferecer experiências muito avançadas, além dessa zona, pode ser prejudicial, enquanto experiências aquém do potencial podem se tornar desinteressantes ou inócuas.

9 Processo de Internalização 1) Envolve uma atividade externa que deve ser modificada para tornar-se uma atividade interna; é interpessoal e se torna intrapessoal. É na troca com os outros sujeitos e consigo próprio que se vão internalizando conhecimentos, papéis e funções sociais, o que permite a formação de conhecimentos e da própria consciência.

10 Desenvolvimento Cultural Aparece segundo a lei da dupla formação, em que todas as funções aparecem duas vezes: primeiro no nível social e depois no nível individual; ou seja, primeiro entre as pessoas (interpsicológica) e depois no interior da criança (intrapsicológica). Assim, o desenvolvimento cultural do aluno, ou sua aprendizagem, se dá mediante o processo de relação do aluno com o professor ou com outros alunos mais competentes.

11 Relação entre desenvolvimento e aprendizagem Vigotski e seus seguidores Luria (1902/1977) e Leontiev (1903/1979) estabelecem uma relação inseparável entre aprendizagem / desenvolvimento, chegando a afirmar que o desenvolvimento vem depois da aprendizagem.

12 Aprendizagem Aprendizagem é a assimilação consciente do mundo físico mediante a interiorização gradual de atos externos e sua transformação em ações mentais. Privilegiam o ambiente social.

13 Desenvolvimento Origem biológica Estruturas elementares são: (reflexos, reações automáticas, associações simples, entre outros) condicionadas principalmente por determinantes biológicos. Origem histórico-cultural Processos psicológicos superiores Referem-se aos processos que caracterizam o funcionamento psicológico tipicamente humano, como, por exemplo, ações conscientemente controladas, atenção voluntária, memorização ativa, pensamento abstrato, etc).

14 Isto é... O ser humano nasce apenas com recursos biológicos, mas com a convivência social, com seus valores e sua cultura, esses recursos concretizam o processo de humanização (de desenvolvimento humano), essencialmente possível por meio do processo ensinoaprendizagem.

15 Tomada de Consciência À medida que o homem toma consciência da consciência que possui, mais e mais ele abstrai sobre seus atos e sobre o meio. E esses elementos da consciência vão dar origem aos denominados processos mentais superiores, envolvendo memorização ativa seguida de pensamento abstrato.

16 Estruturas são construídas e (re)construídas com base no uso de instrumentos e de signos ao longo de toda a vida do sujeito. Os instrumentos são elementos externos ao indivíduo usados para alcançar objetivos Os signos são representações internas sobre objetos, por exemplo, os números são signos usados para representar quantidades. Podemos citar também a linguagem (oral, gestual, escrita), o desenho, etc.

17 Experiência Simbólica É graças ao sistema de signos que o homem pode nomear as coisas e suas experiências (dizer o que elas são, pensá-las), compartilhar estas experiências com os outros e interrelacionar-se com eles, afetando os seus comportamentos e sendo por eles afetados; transformando-se ele mesmo e desenvolver diferentes níveis de consciência a respeito da realidade social-cultural e de si mesmo (PINO, 1995, p. 33).

18 Mediação Semiótica A mediação não deve ser entendida como algo que só ocorre quando se observa e descreve a relação direta entre as pessoas. Ela também pode ocorrer no processo de ensino-aprendizagem sem a presença visível ou participação imediata do outro, por meio da representação mental ou simbólica.

19 Desenvolvimento de uma criança com deficiência mental Para Vigotski (1984) a criança com deficiência mental se desenvolve a partir dos mesmos pressupostos que uma criança dita normal. No entanto, defende que elas tem um desenvolvimento diferenciado, principalmente porque desde o nascimento são expostas a vivências sociais diferenciadas, o que implica em relações sociais diferentes.

20 Conceito de Compensação Tese central dos estudos da defectologia Consiste em criar condições e estabelecer interações que possibilitem aos sujeitos com deficiência mental se desenvolverem.

21 Compensação Proporcionar elementos pedagógicos baseados na compensação não possibilita a cura da deficiência, mas oferece alternativas que podem contribuir para o desenvolvimento de áreas potenciais. Vale chamar atenção para a necessidade de conhecer e compreender as formas como a pessoa que apresenta um déficit age sobre o meio, sem perder de vista as condições que o constituem.

22 Isto é... A promoção do desenvolvimento do sujeito com deficiência mental está diretamente relacionada às possibilidades para compensar seu déficit oferecidas a ele na interação social, no processo de ensinoaprendizagem. Em outras palavras, o processo não é espontâneo, mas mediado pelo outro, pela aprendizagem.

23 Piaget e Vigotsky - Divergências Perspectiva piagetiana: o conhecimento se dá a partir da ação do sujeito sobre a realidade. A aprendizagem depende do estágio de desenvolvimento atingido pelo sujeito. Perspectiva vygotskiana: esse mesmo sujeito não só age sobre a realidade, mas interage com ela, construindo seus conhecimentos a partir das relações intra e interpessoais. A aprendizagem favorece o desenvolvimento das funções mentais. É na troca com outros sujeitos e consigo próprio que ele internaliza conhecimentos, papéis e funções sociais.

24 Para refletir - A escola tende a valorizar apenas o produto final dos estudantes, ou seja, valoriza o que sabem e não o processo que levou à aquisição do conhecimento como fazer diferente? - Ao dar uma tarefa ou uma prova, pede que o estudante não converse, não consulte, não interaja com ninguém será única forma de fazer? - Muitas questões não respondidas, ou com respostas erradas, se fossem realizadas com a mediação do professor, ou até de colegas com mais experiência, não teriam tido respostas positivas?

25 Exercício (2.0 pontos) 1. O ser humano constitui-se enquanto tal na sua relação com o outro. (descreva o seu entendimento de acordo com a teoria sociocultural) 2. Expique a teoria de Vigostky. 3. Qual a relação entre desenvolvimento e aprendizagem. 4. Para Vigostki como deve ser o tratamento com um criança deficiente mental?

26 Profa. Geyza D Ávila Obrigada!

VYGOTSKY Teoria sócio-cultural. Manuel Muñoz IMIH

VYGOTSKY Teoria sócio-cultural. Manuel Muñoz IMIH VYGOTSKY Teoria sócio-cultural Manuel Muñoz IMIH BIOGRAFIA Nome completo: Lev Semynovich Vygotsky Origem judaica, nasceu em 5.11.1896 em Orsha (Bielo- Rússia). Faleceu em 11.6.1934, aos 37 anos, devido

Leia mais

A TEORIA SÓCIO-CULTURAL DA APRENDIZAGEM E DO ENSINO. Leon S. Vygotsky ( )

A TEORIA SÓCIO-CULTURAL DA APRENDIZAGEM E DO ENSINO. Leon S. Vygotsky ( ) A TEORIA SÓCIO-CULTURAL DA APRENDIZAGEM E DO ENSINO Leon S. Vygotsky (1896-1934) O CONTEXTO DA OBRA - Viveu na União Soviética saída da Revolução Comunista de 1917 - Materialismo marxista - Desejava reescrever

Leia mais

4 - Vygotsky. Lev Semyonovitch Vygotsky. Influências. Vygotsky. Idéias. Importância do Meio Social. Estágio Curricular Supervisionado em Física I

4 - Vygotsky. Lev Semyonovitch Vygotsky. Influências. Vygotsky. Idéias. Importância do Meio Social. Estágio Curricular Supervisionado em Física I Lev Semyonovitch Vygotsky 4 - Vygotsky Estágio Curricular Supervisionado em Física I nasceu na Rússia em 1896 formou-se em Direito e Medicina e foi professor de Literatura e Psicologia grande produção

Leia mais

Índice. 1. O Alfabetizador Ao Desenhar, A Criança Escreve?...5

Índice. 1. O Alfabetizador Ao Desenhar, A Criança Escreve?...5 GRUPO 5.4 MÓDULO 2 Índice 1. O Alfabetizador...3 1.1. Contribuições ao Educador-Alfabetizador... 4 1.2. Ações do professor alfabetizador... 4 2. Ao Desenhar, A Criança Escreve?...5 2 1. O ALFABETIZADOR

Leia mais

O processo de ensino e aprendizagem em Ciências no Ensino Fundamental. Aula 2

O processo de ensino e aprendizagem em Ciências no Ensino Fundamental. Aula 2 O processo de ensino e aprendizagem em Ciências no Ensino Fundamental Aula 2 Objetivos da aula Conhecer os a pluralidade de interpretações sobre os processos de ensino aprendizagem em Ciências; Discutir

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO- UEMA CENTRO DE ESTUDOS SUPERIORES DE BACABAL- CESB CURSO DE PEDAGOGIA DISCIPLINA: PSICOLOGIA DA APRENDIZAGEM

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO- UEMA CENTRO DE ESTUDOS SUPERIORES DE BACABAL- CESB CURSO DE PEDAGOGIA DISCIPLINA: PSICOLOGIA DA APRENDIZAGEM UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO- UEMA CENTRO DE ESTUDOS SUPERIORES DE BACABAL- CESB CURSO DE PEDAGOGIA DISCIPLINA: PSICOLOGIA DA APRENDIZAGEM Resumo do livro Bacabal 2011 A VIDA BREVE E INTENSA DE VYGOTSKY

Leia mais

Bruner. Psicologia da aprendizagem

Bruner. Psicologia da aprendizagem Bruner Psicologia da aprendizagem Biografia Psicólogo americano, nasceu em Nova Iorque em 1915. Graduou-se na Universidade de Duke em 1937. Depois foi para Harvard, onde em 1941 doutorou-se em Psicologia.

Leia mais

Psicologia Aplicada à Nutrição

Psicologia Aplicada à Nutrição Psicologia Aplicada à Nutrição Objetivos Abordar alguns conceitos da psicologia existentes no contexto social e da saúde. De psicólogo e louco todo mundo tem um pouco Psicologia e o conhecimento do Senso

Leia mais

2. CONSTRUTIVISMO SÓCIO-HISTÓRICO DE VYGOTSKY

2. CONSTRUTIVISMO SÓCIO-HISTÓRICO DE VYGOTSKY 2. CONSTRUTIVISMO SÓCIO-HISTÓRICO DE VYGOTSKY O construtivismo é um movimento que se consolidou no início do século XX e tem suas raízes na filosofia. Os construtivistas de maior relevância são Piaget,

Leia mais

Vygotsky, Leontiev, Galperin: formação de conceitos e princípios didáticos

Vygotsky, Leontiev, Galperin: formação de conceitos e princípios didáticos RESENHA Vygotsky, Leontiev, Galperin: formação de conceitos e princípios didáticos Maria Teresinha Leite Sene Araújo Universidade de Uberaba (UNIUBE), mteresinhasene@hotmail.com Lílian Araújo Ferreira

Leia mais

FREITAS, Maria Tereza Assunção de. O pensamento de Vygotsky e Bakhtin no Brasil. 5. ed. Campinas: Papirus, 2002.

FREITAS, Maria Tereza Assunção de. O pensamento de Vygotsky e Bakhtin no Brasil. 5. ed. Campinas: Papirus, 2002. FREITAS, Maria Tereza Assunção de. O pensamento de Vygotsky e Bakhtin no Brasil. 5. ed. Campinas: Papirus, 2002. Capítulo 4 - Implicações pedagógicas das teorias de Vygotsky e Bakhtin: conversas ao longo

Leia mais

BEHAVIORISMO x COGNITIVISMO

BEHAVIORISMO x COGNITIVISMO BEHAVIORISMO x COGNITIVISMO CONSTRUTIVISMO Jean Piaget (1896-1980) Psicologia do desenvolvimento EPISTEMOLOGIA GENÉTICA embriologia mental Jean Piaget (1896-1980) Psicologia do desenvolvimento EPISTEMOLOGIA

Leia mais

Curso: Pedagogia Componente Curricular: Psicologia da Educação Carga Horária: 50 horas. Semestre letivo/ Módulo. Professor(es):

Curso: Pedagogia Componente Curricular: Psicologia da Educação Carga Horária: 50 horas. Semestre letivo/ Módulo. Professor(es): FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO Curso: Pedagogia Componente Curricular: Psicologia da Educação Carga Horária: 50 horas Semestre letivo/ Módulo Professor(es): Período: 1º Semestre / 2015 Ementa s Estudos

Leia mais

Matemática. 1 Semestre. Matemática I 75h. Ementa: Estuda as noções de conjuntos e de funções polinomial, modular, racional, exponencial e logarítmica.

Matemática. 1 Semestre. Matemática I 75h. Ementa: Estuda as noções de conjuntos e de funções polinomial, modular, racional, exponencial e logarítmica. Matemática 1 Semestre Matemática I 75h Ementa: Estuda as noções de conjuntos e de funções polinomial, modular, racional, exponencial e logarítmica. Lógica 60h Ementa: Estuda proposições, análise e discussões

Leia mais

A SIGNIFICÂNCIA DA ESCOLA NO DESENVOLVIMENTO DOS PROCESSOS MENTAIS SUPERIORES

A SIGNIFICÂNCIA DA ESCOLA NO DESENVOLVIMENTO DOS PROCESSOS MENTAIS SUPERIORES 241 A SIGNIFICÂNCIA DA ESCOLA NO DESENVOLVIMENTO DOS PROCESSOS MENTAIS SUPERIORES Gislene de FREITAS GT3 Formação de Professores Resumo: Texto de revisão teórica embasado no referencial teórico dos autores

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA MEDIAÇÃO PEDAGÓGICA NO PROCESSO DE FORMAÇÃO DE CONCEITOS POR ALUNOS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL

A IMPORTÂNCIA DA MEDIAÇÃO PEDAGÓGICA NO PROCESSO DE FORMAÇÃO DE CONCEITOS POR ALUNOS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL A IMPORTÂNCIA DA MEDIAÇÃO PEDAGÓGICA NO PROCESSO DE FORMAÇÃO DE CONCEITOS POR ALUNOS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL Roberta Pires Corrêa; Mariana Corrêa Pitanga de Oliveira Universidade Federal Fluminense;

Leia mais

A PRÉ-HISTÓRIA DA LINGUAGEM ESCRITA

A PRÉ-HISTÓRIA DA LINGUAGEM ESCRITA A PRÉ-HISTÓRIA DA LINGUAGEM ESCRITA Disciplina: Desenvolvimento Psicológico III Profª Ms. Luciene Blumer Pois nisto de criação literária cumpre não esquecer guardada a infinita distância que o mundo também

Leia mais

FEATI FACULDADE DE EDUCAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA DE IBAITI MARIA ELIANE DA SILVA RESENHA

FEATI FACULDADE DE EDUCAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA DE IBAITI MARIA ELIANE DA SILVA RESENHA FEATI FACULDADE DE EDUCAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA DE IBAITI MARIA ELIANE DA SILVA RESENHA Ibaiti 2006 MARIA ELIANE DA SILVA RESENHA Trabalho apresentado ao Curso de Pedagogia da Faculdade de Educação,

Leia mais

Teoria Histórico-cultural VYGOTSKY

Teoria Histórico-cultural VYGOTSKY Teoria Histórico-cultural VYGOTSKY 1. APRENDIZAGEM HUMANA NÃO PODE SER COMPREENDIDA INDEPENDENTE DAS FORÇAS HISTÓRICAS E CULTURAIS QUE INFLUENCIAM OS INDIVÍDUOS** 2. PAPEL CRÍTICO DA LINGUAGEM 3. IMPORTÂNCIA

Leia mais

UM RECORTE SOBRE OS PROCESSOS PSICOLÓGICOS SUPERIORES E A ELABORAÇÃO CONCEITUAL EM ALUNOS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL

UM RECORTE SOBRE OS PROCESSOS PSICOLÓGICOS SUPERIORES E A ELABORAÇÃO CONCEITUAL EM ALUNOS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL UM RECORTE SOBRE OS PROCESSOS PSICOLÓGICOS SUPERIORES E A ELABORAÇÃO CONCEITUAL EM ALUNOS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL Roberta Pires Corrêa; Lucas Higino de Morais Universidade Federal Fluminense; Universidade

Leia mais

O ENSINO-APRENDIZAGEM DA PRÉ-ÁLGEBRA NA VISÃO DE PIAGET E VYGOTSKY.

O ENSINO-APRENDIZAGEM DA PRÉ-ÁLGEBRA NA VISÃO DE PIAGET E VYGOTSKY. O ENSINO-APRENDIZAGEM DA PRÉ-ÁLGEBRA NA VISÃO DE PIAGET E VYGOTSKY. Diogo Cabral de Sousa UEPB/Monteiro diogocabral-140@hotmail.com Orientador: Roger Huanca UEPB/Monteiro - roger@uepb.edu.br RESUMO: Neste

Leia mais

LEV VIGOTSKY 1. VIDA E OBRA

LEV VIGOTSKY 1. VIDA E OBRA LEV VIGOTSKY 1. VIDA E OBRA Casou-se em 1924. Pesquisou profundamente sobre o comportamento e desenvolvimento humanos. Dizia que o conhecimento é decorrente da interação da história social e pessoal. Escreveu

Leia mais

Vamos brincar de construir as nossas e outras histórias

Vamos brincar de construir as nossas e outras histórias MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA Vamos brincar de construir as nossas e outras histórias Ano 02

Leia mais

O BRINCAR E A ZONA DE DESENVOLVIMENTO PROXIMAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL

O BRINCAR E A ZONA DE DESENVOLVIMENTO PROXIMAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL O BRINCAR E A ZONA DE DESENVOLVIMENTO PROXIMAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL BARBOSA, Juliana Gontijo 1 ; COSTA, Marisa De; FRANCHIN, Daniely Santos; SILVA, Flávia Souza Morais Sala da. Resumo: este trabalho foi

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DA PSICOMOTRICIDADE NA SUPERAÇÃO DE DIFICULDADES ESCOLARES REFERENTES A LEITURA E ESCRITA.

CONTRIBUIÇÕES DA PSICOMOTRICIDADE NA SUPERAÇÃO DE DIFICULDADES ESCOLARES REFERENTES A LEITURA E ESCRITA. CONTRIBUIÇÕES DA PSICOMOTRICIDADE NA SUPERAÇÃO DE DIFICULDADES ESCOLARES REFERENTES A LEITURA E ESCRITA. Eduardo Oliveira Sanches (DTP/UEM) Andrey Amorim Sargi (G Educação Física/UEM) Felippe Hakaru Hirayama

Leia mais

Química Nova Interativa Novas tecnologias no Ensino de Química

Química Nova Interativa Novas tecnologias no Ensino de Química Química Nova Interativa Novas tecnologias no Ensino de Química Eduardo Galembeck (IB-UNICAMP) Guilherme A. Marson (IQ-USP) Quebrando o gelo Expectativas Quem é professor? Quem é aluno? Quem é químico?

Leia mais

Estrutura Relatório de Pesquisa sobre temática Aprendizagem (Doutorado, Mestrandos, TCC ou pesquisa)

Estrutura Relatório de Pesquisa sobre temática Aprendizagem (Doutorado, Mestrandos, TCC ou pesquisa) Estrutura Relatório de Pesquisa sobre temática Aprendizagem (Doutorado, Mestrandos, TCC ou pesquisa) Título: Deve estar relacionado com o objetivo geral da pesquisa Deve ter como mínimo dois conceitos

Leia mais

A EDUCAÇÃO EM VYGOTSKY E SUA TEORIA: O PROCESSO DE MEDIAÇÃO.

A EDUCAÇÃO EM VYGOTSKY E SUA TEORIA: O PROCESSO DE MEDIAÇÃO. A EDUCAÇÃO EM VYGOTSKY E SUA TEORIA: O PROCESSO DE MEDIAÇÃO. Kelly Aparecida de Lima Cardoso (1) ; Luís Sérgio Sardinha (2) (1) Estudante; Curso de Graduação de Bacharelado em Psicologia; Braz Cubas UBC

Leia mais

VYGOTSKY E A EDUCAÇÃO

VYGOTSKY E A EDUCAÇÃO 75 VYGOTSKY E A EDUCAÇÃO OLIVEIRA, Cláudia da Cunha Monte SILVA, Eliane Campos da Programa de Pós-Graduação em Educação Universidade Federal do Espírito Santo Resumo: Este artigo discute alguns conceitos

Leia mais

IMPLICAÇÕES PEDAGÓGICAS PEDAGOGICAL IMPLICATIONS. Cláudia Bertoni FITTIPALDI

IMPLICAÇÕES PEDAGÓGICAS PEDAGOGICAL IMPLICATIONS. Cláudia Bertoni FITTIPALDI CONCEITOS CENTRAIS DE VYGOSTKY: IMPLICAÇÕES PEDAGÓGICAS VYGOTSKY S CENTRAL CONCEPTS: PEDAGOGICAL IMPLICATIONS Cláudia Bertoni FITTIPALDI RESUMO: Os conceitos de zona de desenvolvimento próximo, internalização

Leia mais

ANIMAÇÕES NO ESTUDO DA TRANSMISSÃO DO CALOR

ANIMAÇÕES NO ESTUDO DA TRANSMISSÃO DO CALOR AQUISIÇÃO AUTOMÁTICA TICA DE DADOS E ANIMAÇÕES NO ESTUDO DA TRANSMISSÃO DO CALOR Denise Borges Sias CEFET-RS [denise@cefetrs.tche.br] Rejane Maria Ribeiro Teixeira IF-UFRGS [rejane@if.ufrgs.br] VII Ciclo

Leia mais

AS CONTRIBUIÇÕES DE VYGOTSKY PARA A PSICOLOGIA E EDUCAÇÃO.

AS CONTRIBUIÇÕES DE VYGOTSKY PARA A PSICOLOGIA E EDUCAÇÃO. AS CONTRIBUIÇÕES DE VYGOTSKY PARA A PSICOLOGIA E EDUCAÇÃO. Introdução Autor: José Fabiano de Araújo Oliveira 1 Instituição: Faculdade de Ciências Humanas da Paraíba E-mail:sprfabiano@hotmail.com A Educação,

Leia mais

LINGUAGEM E INTERAÇÃO: A CONTRIBUIÇÃO DE ALGUMAS NOÇÕES VYGOTSKIANAS PARA O PROCESSO FORMAL DE ENSINO-APRENDIZAGEM DE LÍNGUA MATERNA

LINGUAGEM E INTERAÇÃO: A CONTRIBUIÇÃO DE ALGUMAS NOÇÕES VYGOTSKIANAS PARA O PROCESSO FORMAL DE ENSINO-APRENDIZAGEM DE LÍNGUA MATERNA LINGUAGEM E INTERAÇÃO: A CONTRIBUIÇÃO DE ALGUMAS NOÇÕES VYGOTSKIANAS PARA O PROCESSO FORMAL DE ENSINO-APRENDIZAGEM DE LÍNGUA MATERNA VEÇOSSI, Cristiano Egger Uma versão estendida deste artigo foi apresentada

Leia mais

O AUTISMO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

O AUTISMO NA EDUCAÇÃO INFANTIL O AUTISMO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Carmen Lucia Lopes Galvão Universidade Estadual do Rio de Janeiro - lumiar13@yahoo.com.br INTRODUÇÃO Este estudo buscará refletir sobre o autismo e o papel do educador na

Leia mais

Projeto: Brincando Eu também Aprendo.

Projeto: Brincando Eu também Aprendo. VÁRZEA GRANDE MATO GROSSO Parceria: OSC- ASSOCIAÇÃO SOCIAL CIVIL ABAIUC- ASCA E EMEB SENHORA DIRCE LEITE DE CAMPOS Projeto: Brincando Eu também Aprendo. Introdução Durante muito tempo, a brincadeira no

Leia mais

A ORIENTAÇÃO SÓCIO-CULTURAL DO MODELO PEDAGÓGICO DO MEM

A ORIENTAÇÃO SÓCIO-CULTURAL DO MODELO PEDAGÓGICO DO MEM Movimento da Escola Moderna A ORIENTAÇÃO SÓCIO-CULTURAL DO MODELO PEDAGÓGICO DO MEM www.movimentoescolamoderna.pt A educação para um futuro desconhecido A educação tradicional era essencialmente retrospectiva.

Leia mais

Associação Catarinense das Fundações Educacionais ACAFE

Associação Catarinense das Fundações Educacionais ACAFE Associação Catarinense das Fundações Educacionais ACAFE PROCESSO SELETIVO PARA ADMISSÂO DE PROFESSORES EM CARÁTER TEMPORÁRIO 2017 PARECERES DOS RECURSOS PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO 11) De acordo com a Proposta

Leia mais

TEORIAS INTERACIONISTAS - VYGOTSKY

TEORIAS INTERACIONISTAS - VYGOTSKY TEORIAS INTERACIONISTAS - VYGOTSKY Enquanto: As teorias do condicionamento reduzem o indivíduo às determinações dos objetos; A teoria da Gestalt reduz as possibilidades de conhecimento às estruturas pré-formadas.

Leia mais

Principais Teorias da Aprendizagem

Principais Teorias da Aprendizagem INSTITUTO FEDERAL SUL-RIO-GRANDENSE CAMPUS PELOTAS VISCONDE DA GRAÇA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO Principais Teorias da Aprendizagem Prof. Nelson Luiz Reyes Marques www.nelsonreyes.com.br

Leia mais

VYGOTSKY. IDE - Instituto de Difusão Espírita - Araras / SP Instituição: - Editora:

VYGOTSKY. IDE - Instituto de Difusão Espírita - Araras / SP Instituição:  - Editora: CURSO ONLINE DE PEDAGOGIA ESPÍRITA VYGOTSKY IDE - Instituto de Difusão Espírita - Araras / SP Instituição: www.ide.org.br - Editora: www.ideeditora.com.br Lev Vygotsky Lev Semionovitch Vygotsky (Lev Semënovi

Leia mais

2.2 TEORIA SOCIOCULTURAL DO DESENVOLVIMENTO E DA APRENDIZAGEM - PARTE II

2.2 TEORIA SOCIOCULTURAL DO DESENVOLVIMENTO E DA APRENDIZAGEM - PARTE II 2.2 TEORIA SOCIOCULTURAL DO DESENVOLVIMENTO E DA APRENDIZAGEM - PARTE II 2.2.5 Pensamento e Linguagem Para descobrir a relação entre pensamento e linguagem, Vygotsky teve como ponto de partida os estágios

Leia mais

Londrina, 29 a 31 de outubro de 2007 ISBN

Londrina, 29 a 31 de outubro de 2007 ISBN DESCRIÇÃO DA FASE INICIAL DA ESCRITA DE CRIANÇAS COM SÍNDROME DE DOWN Anna Augusta Sampaio de OLIVEIRA Faculdade de Filosofia e Ciências UNESP, Marília, SP RESUMO O projeto, desenvolvido no Centro de Estudos

Leia mais

2. (CESPE/DEPEN) Com base na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), julgue os itens que se seguem.

2. (CESPE/DEPEN) Com base na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), julgue os itens que se seguem. Conhecimentos Pedagógicos Otávio Calile 1. (CESPE/UFBA) Marque V ou F para as seguintes questões: a) A organização formal da educação escolar, no Brasil, é composta de dois níveis: educação básica e superior,

Leia mais

REFLEXÕES A PARTIR DO CONCEITO DE MEDIAÇÃO EM L.S. VYGOTSKI

REFLEXÕES A PARTIR DO CONCEITO DE MEDIAÇÃO EM L.S. VYGOTSKI REFLEXÕES A PARTIR DO CONCEITO DE MEDIAÇÃO EM L.S. VYGOTSKI Palavra-chave: educação mediada; Maria Sylvia Cardoso Carneiro UFSC/UFRGS 1 Introdução O conceito de mediação é central no pensamento de Vygotski.

Leia mais

Unidade I APRENDIZADO ORGANIZACIONAL. Prof. Dr. Evandro Prestes Guerreiro

Unidade I APRENDIZADO ORGANIZACIONAL. Prof. Dr. Evandro Prestes Guerreiro Unidade I APRENDIZADO ORGANIZACIONAL Prof. Dr. Evandro Prestes Guerreiro Itens de Estudo 1. O que significa aprender? 2. O tempo da aprendizagem 3. O Conhecimento formal 4. Aprender individual Questão

Leia mais

A Informática Na Educação: Como, Para Que e Por Que

A Informática Na Educação: Como, Para Que e Por Que RBEBBM -01/2001 A Informática Na Educação: Como, Para Que e Por Que Autores:José A. Valente Afiliação:Departamento de Multimeios e Nied - Universidade Estadual de Campinas - Unicamp, Campinas - SP javalente@unicamp.br

Leia mais

VIGOTSKI E O DESENVOLVIMENTO DAS FUNÇÕES PSICOLÓGICAS SUPERIORES

VIGOTSKI E O DESENVOLVIMENTO DAS FUNÇÕES PSICOLÓGICAS SUPERIORES Volume 16, Número 1, Jan/Jun 2012, p. 57-67. VIGOTSKI E O DESENVOLVIMENTO DAS FUNÇÕES PSICOLÓGICAS SUPERIORES Cíntia Gomide Tosta (Universidade de Uberaba UNIUBE, Uberaba MG)) Resumo O presente estudo

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DE JEAN PIAGET E DE LEV. S. VYGOTSKY PARA A PSICOLOGIA EDUCACIONAL E PARA O PROFESSOR

CONTRIBUIÇÕES DE JEAN PIAGET E DE LEV. S. VYGOTSKY PARA A PSICOLOGIA EDUCACIONAL E PARA O PROFESSOR 1 CONTRIBUIÇÕES DE JEAN PIAGET E DE LEV. S. VYGOTSKY PARA A PSICOLOGIA EDUCACIONAL E PARA O PROFESSOR Paulo Gomes Lima Prof. Adjunto da FAED/UFGD MS. Área Fundamentos da Educação A Psicologia Educacional,

Leia mais

EMEF SETE DE SETEMBRO ETIQUETA NA ESCOLA. WICHRUK, Ivone 1. SOARES, Mara Rosane Souza 2. ALVES, Márcia Lappe 3 RESUMO

EMEF SETE DE SETEMBRO ETIQUETA NA ESCOLA. WICHRUK, Ivone 1. SOARES, Mara Rosane Souza 2. ALVES, Márcia Lappe 3 RESUMO EMEF SETE DE SETEMBRO ETIQUETA NA ESCOLA WICHRUK, Ivone 1 SOARES, Mara Rosane Souza 2 ALVES, Márcia Lappe 3 RESUMO O homem é um ser de relações e só se faz homem no social, na relação com outro ser humano.

Leia mais

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso 1102D - Comunicação Social: Radialismo. Ênfase. Disciplina A - Psicologia da Comunicação

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso 1102D - Comunicação Social: Radialismo. Ênfase. Disciplina A - Psicologia da Comunicação Curso 1102D - Comunicação Social: Radialismo Ênfase Identificação Disciplina 0003115A - Psicologia da Comunicação Docente(s) Marcela Pastana Unidade Faculdade de Ciências Departamento Departamento de Psicologia

Leia mais

Seminário de Metodologia da Pesquisa. Mestradas: Angela Ubaiara Cíntia Cascaes

Seminário de Metodologia da Pesquisa. Mestradas: Angela Ubaiara Cíntia Cascaes Jean Piaget EPISTEMOLOGIA GENÉTICA DE JEAN PIAGET Seminário de Metodologia da Pesquisa Prof. Dr. Raul Galaad Mestradas: Angela Ubaiara Cíntia Cascaes INTRODUÇÃO Piaget nasceu em Neuchâtel, Suíça, em 1896,

Leia mais

Ensinar e aprender: Processos e relações interdependentes. Profa. Dra. Maria Regina Cavalcante Profa. Dra. Alessandra de Andrade Lopes

Ensinar e aprender: Processos e relações interdependentes. Profa. Dra. Maria Regina Cavalcante Profa. Dra. Alessandra de Andrade Lopes Ensinar e aprender: Processos e relações interdependentes Profa. Dra. Maria Regina Cavalcante Profa. Dra. Alessandra de Andrade Lopes Eixo 2: Práticas Pedagógicas no Ensino Superior: epistemologia do ensinar

Leia mais

Faculdade Adventista da Bahia Curso de Pedagogia. Psicologia da Educação II

Faculdade Adventista da Bahia Curso de Pedagogia. Psicologia da Educação II Faculdade Adventista da Bahia Curso de Pedagogia Psicologia da Educação II Psicologia da Educação II CRÉDITOS 3 TOTAL DE AULAS 54(h/a) 09h/a Esp. Diversificados 2 Psicologia da Educação II Análise das

Leia mais

Quando dividimos uma oração em partes para estudar as diferentes funções que as palavras podem desempenhar na oração e entre as orações de um texto, e

Quando dividimos uma oração em partes para estudar as diferentes funções que as palavras podem desempenhar na oração e entre as orações de um texto, e MORFOSSINTAXE Quando analisamos a que classe gramatical pertencem as palavras de determinada frase, estamos realizando sua análise morfológica. A morfologia é a parte da gramática que estuda a classificação,

Leia mais

Anais V CIPSI - Congresso Internacional de Psicologia Psicologia: de onde viemos, para onde vamos? Universidade Estadual de Maringá ISSN X

Anais V CIPSI - Congresso Internacional de Psicologia Psicologia: de onde viemos, para onde vamos? Universidade Estadual de Maringá ISSN X APROPRIAÇÃO DA LINGUAGEM ESCRITA: UMA DISCUSSÃO INTRODUTÓRIA À LUZ DA PSICOLOGIA HISTÓRICO-CULTURAL Leandro Carmo Souza Silvana Calvo Tuleski A apropriação da linguagem escrita constitui-se como elemento

Leia mais

I SEMINÁRIO DO PPIFOR

I SEMINÁRIO DO PPIFOR CONTRIBUIÇÃO DA TEORIA HISTÓRICO-CULTURAL PARA O PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DA ARTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL Mestranda: Maria José Máximo Profª. Drª. Fátima Aparecida de Souza Francioli Resumo: O presente

Leia mais

PLANO DE ENSINO I EMENTA

PLANO DE ENSINO I EMENTA PLANO DE ENSINO CURSO: Psicologia SÉRIE: 4º período TURNO: Diurno e Noturno DISCIPLINA: Psicologia Sócio-Interacionista CARGA HORÁRIA SEMANAL: 2 horas CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 40 horas I EMENTA Estudo

Leia mais

Didática Aplicada ao Ensino de Ciências e Biologia

Didática Aplicada ao Ensino de Ciências e Biologia Universidade Tecnológica Federal do Paraná Curso Ciências Biológicas Licenciatura Campus Santa Helena Didática Aplicada ao Ensino de Ciências e Biologia Docente: Dra. Eduarda Maria Schneider E-mail: emschneider@utfpr.edu.br

Leia mais

UMA PERSPECTIVA DA TEORIA HISTÓRICO-CULTURAL PARA A GEOGRAFIA ESCOLAR: o ensino do bioma Cerrado

UMA PERSPECTIVA DA TEORIA HISTÓRICO-CULTURAL PARA A GEOGRAFIA ESCOLAR: o ensino do bioma Cerrado UMA PERSPECTIVA DA TEORIA HISTÓRICO-CULTURAL PARA A GEOGRAFIA ESCOLAR: o ensino do bioma Cerrado Ádria Messias Pereira Mestranda IESA/ Universidade Federal de Goiás. E-mail: adriamessias@yahoo.com.br Anna

Leia mais

Fundamentos e Práticas de Braille II

Fundamentos e Práticas de Braille II Fundamentos e Práticas de Braille II Aula 13 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades,

Leia mais

PROFESSORA TELMA FREIRE

PROFESSORA TELMA FREIRE PROFESSORA TELMA FREIRE 1 TEORIAS DA APRENDIZAGEM INATISMO Endógena (interna) EMPIRISMO Exógena (externa) INTERACIONISMO ENDO + EXO 2 INATISMO Os eventos que ocorrem após o NASCIMENTO não são importantes

Leia mais

PSICOLOGIA SÓCIO-INTERACIONISTA

PSICOLOGIA SÓCIO-INTERACIONISTA Unidade I PSICOLOGIA SÓCIO-INTERACIONISTA Profa. Mônica Cintrão Ementa Estudo da teoria do desenvolvimento psicológico de Lev S. Vygotsky (1896-1934) e sua abordagem social do desenvolvimento e da aprendizagem.

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES TEÓRICAS DE LEV VYGOTSKY (1896-1934) 1

CONTRIBUIÇÕES TEÓRICAS DE LEV VYGOTSKY (1896-1934) 1 . PREFEITURA MUNICIPAL DO SALVADOR Secretaria Municipal de Educação e Cultura SMEC Coordenadoria de Ensino e Apoio Pedagógico CENAP CONTRIBUIÇÕES TEÓRICAS DE LEV VYGOTSKY (1896-1934) 1 Angela Freire 2

Leia mais

VIGOTSKI: O PAPEL DO CONHECIMENTO NO DESENVOLVIMENTO DO SUJEITO SOCIAL

VIGOTSKI: O PAPEL DO CONHECIMENTO NO DESENVOLVIMENTO DO SUJEITO SOCIAL VIGOTSKI: O PAPEL DO CONHECIMENTO NO DESENVOLVIMENTO DO SUJEITO SOCIAL Isabela do Couto Torres Eixo Temático Pedagogia Histórico-Crítica Resumo O presente trabalho procura investigar os elementos que possibilitam

Leia mais

O desenvolvimento cognitivo da criança. A epistemologia genética de Jean Piaget

O desenvolvimento cognitivo da criança. A epistemologia genética de Jean Piaget O desenvolvimento cognitivo da criança. A epistemologia genética de Jean Piaget Epistemologia Genética Epistemologia genética Teoria sobre a gênese e do desenvolvimento cognitivo da criança (em específico,

Leia mais

Introdução à obra de Wallon

Introdução à obra de Wallon Henri Wallon Introdução à obra de Wallon A atividade da criança: conjunto de gestos com significados filogenéticos de sobrevivência. Entre o indivíduo e o meio há uma unidade indivisível. A sociedade é

Leia mais

A TEORIA DE VYGOTSKY E A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Ricardo de Sousa Lauriane Borges

A TEORIA DE VYGOTSKY E A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Ricardo de Sousa Lauriane Borges A TEORIA DE VYGOTSKY E A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Ricardo de Sousa Lauriane Borges Este artigo objetiva discutir os desafios enfrentados na implantação do Programa Nacional de Integração da Educação

Leia mais

A PERSPECTIVA HISTÓRICO-CULTURAL E O PAPEL DA MEDIAÇÃO NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL

A PERSPECTIVA HISTÓRICO-CULTURAL E O PAPEL DA MEDIAÇÃO NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL A PERSPECTIVA HISTÓRICO-CULTURAL E O PAPEL DA MEDIAÇÃO NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL Lucas Higino de Morais Bolsista de Iniciação Científica PIBIC/CNPq. Aluno

Leia mais

ARTIGO. As concepções de desenvolvimento e aprendizagem na teoria psicogenética de Jean Piaget.

ARTIGO. As concepções de desenvolvimento e aprendizagem na teoria psicogenética de Jean Piaget. ARTIGO 13 As concepções de desenvolvimento e aprendizagem na teoria psicogenética de Jean Piaget. Ana Lúcia Jankovic Barduchi Mestre em Psicologia pela USP, Doutoranda em Educação pela Unicamp. Professora

Leia mais

Concepções do Desenvolvimento INATISTA AMBIENTALISTA INTERACIONISTA

Concepções do Desenvolvimento INATISTA AMBIENTALISTA INTERACIONISTA Concepções do Desenvolvimento INATISTA AMBIENTALISTA INTERACIONISTA Concepção Inatista Eventos que ocorrem após o nascimento não são essenciais para o desenvolvimento. As capacidades, a personalidade,

Leia mais

Matemática. 1 Semestre. Matemática I 75h. Ementa: Estuda as noções de conjuntos e de funções polinomial, modular, racional, exponencial e logarítmica.

Matemática. 1 Semestre. Matemática I 75h. Ementa: Estuda as noções de conjuntos e de funções polinomial, modular, racional, exponencial e logarítmica. Matemática 1 Semestre Matemática I 75h Ementa: Estuda as noções de conjuntos e de funções polinomial, modular, racional, exponencial e logarítmica. Lógica 60h Ementa: Estuda proposições, análise e discussões

Leia mais

EDUCAÇÃO COM AFETIVIDADE NA RELAÇÃO PROFESSOR X ALUNO: ELEMENTO SIGNIFICATIVO PARA A APRENDIZAGEM NO ENSINO FUNDAMENTAL

EDUCAÇÃO COM AFETIVIDADE NA RELAÇÃO PROFESSOR X ALUNO: ELEMENTO SIGNIFICATIVO PARA A APRENDIZAGEM NO ENSINO FUNDAMENTAL EDUCAÇÃO COM AFETIVIDADE NA RELAÇÃO PROFESSOR X ALUNO: ELEMENTO SIGNIFICATIVO PARA A APRENDIZAGEM NO ENSINO FUNDAMENTAL Rosemeire Chagas Matias de Oliveira (Autor) meirebeatriz@hotmail.com Patrícia Formiga

Leia mais

- estabelecer um ambiente de relações interpessoais que possibilitem e potencializem

- estabelecer um ambiente de relações interpessoais que possibilitem e potencializem O desenvolvimento social e cognitivo do estudante pressupõe que ele tenha condições, contando com o apoio dos educadores, de criar uma cultura inovadora no colégio, a qual promova o desenvolvimento pessoal

Leia mais

EDUCAÇÃO INFANTIL VMSIMULADOS QUESTÕES DE PROVAS DE CONCURSOS PÚBLICOS

EDUCAÇÃO INFANTIL VMSIMULADOS QUESTÕES DE PROVAS DE CONCURSOS PÚBLICOS EDUCAÇÃO INFANTIL 01. A estrutura do Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil tem como eixos principais: (A) ações de cuidar e proteger e promoção do brincar. (B) uso de diferentes linguagens

Leia mais

MUSICALIZAÇÃO ATRAVÉS DA FLAUTA-DOCE, UMA IDÉIA QUE SEMPRE DEU CERTO

MUSICALIZAÇÃO ATRAVÉS DA FLAUTA-DOCE, UMA IDÉIA QUE SEMPRE DEU CERTO MUSICALIZAÇÃO ATRAVÉS DA FLAUTA-DOCE, UMA IDÉIA QUE SEMPRE DEU CERTO Fátima Beatriz de Castro Santos Email: fsan1@uol.com.br Resumo: O presente trabalho relata uma prática musical desenvolvida nos anos

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DOS JOGOS DE FAZ DE CONTA PARA A AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM ESCRITA PELAS CRIANÇAS

CONTRIBUIÇÕES DOS JOGOS DE FAZ DE CONTA PARA A AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM ESCRITA PELAS CRIANÇAS 467 CONTRIBUIÇÕES DOS JOGOS DE FAZ DE CONTA PARA A AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM ESCRITA PELAS CRIANÇAS Thais Batista de Melo thaisdmelo@hotmail.com Curso de Pedagogia da FACED/UFU-MG. Elieuza Aparecida de Lima

Leia mais

Plano de Ensino Docente

Plano de Ensino Docente Plano de Ensino Docente IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Matemática FORMA/GRAU: ( ) integrado ( ) subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado (x) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE: ( x ) Presencial

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DO JORNAL COMO ATIVIDADE DE ESTUDO EM SALA DE AULA.

A CONSTRUÇÃO DO JORNAL COMO ATIVIDADE DE ESTUDO EM SALA DE AULA. 1 A CONSTRUÇÃO DO JORNAL COMO ATIVIDADE DE ESTUDO EM SALA DE AULA. Vanilda Gonçalves de Lima. Suely Amaral Mello. Pós-Graduação em Educação, UNESP-Marília. vanildalima@marilia.unesp.br Linha de Pesquisa:

Leia mais

PROJETO CINEMAPSI: ESTRATÉGIA DE PRODUÇÃO DE CONHECIMENTO EM PSICOLOGIA

PROJETO CINEMAPSI: ESTRATÉGIA DE PRODUÇÃO DE CONHECIMENTO EM PSICOLOGIA CONEXÃO FAMETRO: ÉTICA, CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE XII SEMANA ACADÊMICA ISSN: 2357-8645 RESUMO PROJETO CINEMAPSI: ESTRATÉGIA DE PRODUÇÃO DE CONHECIMENTO EM PSICOLOGIA Monique Santos Ysmael Rocha Fátima

Leia mais

O DIÁRIO COMO INSTRUMENTO REFLEXIVO MEDIANDO OS PROCESSOS DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO RESUMO

O DIÁRIO COMO INSTRUMENTO REFLEXIVO MEDIANDO OS PROCESSOS DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO RESUMO O DIÁRIO COMO INSTRUMENTO REFLEXIVO MEDIANDO OS PROCESSOS DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO Ana Gabriela Nunes Fernandes Universidade Estadual do Piauí - UESPI RESUMO No presente artigo, optamos por discutir

Leia mais

Por: Márcia Denise Pletsch marcia_pletsch@yahoo.com.br

Por: Márcia Denise Pletsch marcia_pletsch@yahoo.com.br Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) Departamento Educação e Sociedade (DES) Programa de Pós-Graduação em Educação, Contextos Contemporâneos e Demandas Populares (PPGEduc) Por: Márcia Denise

Leia mais

O APRENDIZADO E O DESENVOLVIMENTO INTELECTUAL DO ALUNO NOS ESTUDOS LITERÁRIOS

O APRENDIZADO E O DESENVOLVIMENTO INTELECTUAL DO ALUNO NOS ESTUDOS LITERÁRIOS 141 O APRENDIZADO E O DESENVOLVIMENTO INTELECTUAL DO ALUNO NOS ESTUDOS LITERÁRIOS MIRANDOLA, Sônia M.Machado 1 RESUMO: O presente artigo aborda a influência dos estudos literários no aprendizado e desenvolvimento

Leia mais

Fundamentos do Movimento Humano

Fundamentos do Movimento Humano Fundamentos do Movimento Humano CORPOREIDADE Corporeidade é a maneira pela qual o cérebro reconhece e utiliza o corpo como instrumento relacional com o mundo. manifesta-se através do corpo, que interage

Leia mais

O professor do século XXI: desenvolvendo habilidades socioemocionais

O professor do século XXI: desenvolvendo habilidades socioemocionais O professor do século XXI: desenvolvendo habilidades socioemocionais A escola da atualidade Temos alunos do século XXI, professores do século XX e metodologia do século XIX. Mário Sérgio Cortella Paradigmas

Leia mais

COMPREENSÃO DA ESCRITA ENTRE CRIANÇAS PEQUENAS. Texto na íntegra

COMPREENSÃO DA ESCRITA ENTRE CRIANÇAS PEQUENAS. Texto na íntegra COMPREENSÃO DA ESCRITA ENTRE CRIANÇAS PEQUENAS TOLEDO, Daniela Maria de (Mestranda) RODRIGUES, Maria Alice de Campos (Orientadora); UNESP FCLAr Programa de Pós-Graduação em Educação Escolar CAPES Texto

Leia mais

C ontribuiçõesvygotskianas

C ontribuiçõesvygotskianas C ontribuiçõesvygotskianas para a discussão da integração de alunos considerados especiais no ensino regular A discussão sobre a integração de alunos com necessidades educativas especiais no ensino regular

Leia mais

FENÔMENO DE CONGRUÊNCIA EM CONVERSÕES ENTRE REGISTROS: CARACTERIZAÇÃO DOS NÍVEIS DE CONGRUÊNCIA E NÃO-CONGRUÊNCIA

FENÔMENO DE CONGRUÊNCIA EM CONVERSÕES ENTRE REGISTROS: CARACTERIZAÇÃO DOS NÍVEIS DE CONGRUÊNCIA E NÃO-CONGRUÊNCIA FENÔMENO DE CONGRUÊNCIA EM CONVERSÕES ENTRE REGISTROS: CARACTERIZAÇÃO DOS NÍVEIS DE CONGRUÊNCIA E NÃO-CONGRUÊNCIA KARINA ALESSANDRA PESSÔA DA SILVA 1, RODOLFO EDUARDO VERTUAN 2, LOURDES MARIA WERLE DE

Leia mais

OBJETIVOS E CONTEÚDOS

OBJETIVOS E CONTEÚDOS OBJETIVOS E CONTEÚDOS 1º BIMESTRE SISTEMA INTERATIVO DE ENSINO Matemática 1º ano Capítulo 1 Noções e conceitos Comparar e diferenciar grandezas e medidas (comprimento, massa, capacidade, tempo), estabelecendo

Leia mais

BERÇARISTA. CURSO 180h: CURSO 260h:

BERÇARISTA. CURSO 180h: CURSO 260h: ARTES ENSINO FUNDAMENTAL Histórico do ensino da arte no brasil. Educação por meio da arte. Histórico do ensino da arte no brasil. Educação por meio da arte. Artes e educação, concepções teóricas. Histórico

Leia mais

VIGOTSKI E O PROCESSO DE ESCOLARIZAÇÃO: PROCESSOS DE ELABORAÇÃO DE CONCEITOS E AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM ESCRITA

VIGOTSKI E O PROCESSO DE ESCOLARIZAÇÃO: PROCESSOS DE ELABORAÇÃO DE CONCEITOS E AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM ESCRITA VIGOTSKI E O PROCESSO DE ESCOLARIZAÇÃO: PROCESSOS DE ELABORAÇÃO DE CONCEITOS E AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM ESCRITA Adriane Guimarães de Siqueira Lemos RESUMO O objetivo aqui é entender os desdobramentos do

Leia mais

Desejo, afetividade e aprendizagem na perspectiva de Piaget 1

Desejo, afetividade e aprendizagem na perspectiva de Piaget 1 Desejo, afetividade e aprendizagem na perspectiva de Piaget 1 Luciane Magalhães Corte Real Nesta caminhada teórica, pontuamos a importância do afeto na possibilidade da construção das estruturas cognitivas.

Leia mais

AÇÃO PEDAGÓGICA NAS CRECHES: CONTRIBUIÇÕES PARA O PROCESSO DE ENSINO/APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO INFANTIL

AÇÃO PEDAGÓGICA NAS CRECHES: CONTRIBUIÇÕES PARA O PROCESSO DE ENSINO/APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO INFANTIL AÇÃO PEDAGÓGICA NAS CRECHES: CONTRIBUIÇÕES PARA O PROCESSO DE ENSINO/APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO INFANTIL OLGADO, Maiara Daiane da Silva 1 mai_daiane_olgado@hotmail.com TORSI, Elizabeth Ângela dos Santos

Leia mais

O projeto terá por objetivo abordar atividades que serão destinadas aos alunos do 1 Ciclo do Ensino Fundamental, mais precisamente com o 1ª série.

O projeto terá por objetivo abordar atividades que serão destinadas aos alunos do 1 Ciclo do Ensino Fundamental, mais precisamente com o 1ª série. 1TÍTULO DO PROJETO Eu e nós na sala de aula 2 CICLO OU SÉRIE ESCOLHIDA O projeto terá por objetivo abordar atividades que serão destinadas aos alunos do 1 Ciclo do Ensino Fundamental, mais precisamente

Leia mais

Psicologia e educação: contribuições da abordagem histórico cultural

Psicologia e educação: contribuições da abordagem histórico cultural Psicologia e educação: contribuições da abordagem histórico cultural Maria Terezinha Pacco Valentini Universidade Estadual do Centro-Oeste Guarapuava - PR Resumo: Psicologia e educação são áreas do saber

Leia mais

OS PENSADORES DA EDUCAÇÃO

OS PENSADORES DA EDUCAÇÃO OS PENSADORES DA EDUCAÇÃO PAULO FREIRE, PIAGET, VYGOTSKY & WALLON 01. De acordo com Paulo Freire quando trata da importância do ato de ler, para a construção da visão crítica são indispensáveis: (A) Trabalhar

Leia mais

A atuação do psicólogo na rede pública de educação do Paraná: contribuições da Psicologia Histórico-Cultural para a educação

A atuação do psicólogo na rede pública de educação do Paraná: contribuições da Psicologia Histórico-Cultural para a educação A atuação do psicólogo na rede pública de educação do Paraná: contribuições da Psicologia Histórico-Cultural para a educação Resumo: Patrícia Vaz de Lessa- UEM e Fundação Araucária 1 O presente trabalho

Leia mais

CONCEPÇÕES DE ESTUDANTES DO ENSINO FUNDAMENTAL SOBRE O CONCEITO DE MEDIDA

CONCEPÇÕES DE ESTUDANTES DO ENSINO FUNDAMENTAL SOBRE O CONCEITO DE MEDIDA CONCEPÇÕES DE ESTUDANTES DO ENSINO FUNDAMENTAL SOBRE O CONCEITO DE MEDIDA Lisandra Zelinda Girardello Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação Universidade de Passo Fundo/UPF Profª Drª Neiva

Leia mais

Colégio Valsassina. Modelo pedagógico do jardim de infância

Colégio Valsassina. Modelo pedagógico do jardim de infância Colégio Valsassina Modelo pedagógico do jardim de infância Educação emocional Aprendizagem pela experimentação Educação para a ciência Fatores múltiplos da inteligência Plano anual de expressão plástica

Leia mais

PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS. Educação infantil Creche e pré escolas

PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS. Educação infantil Creche e pré escolas PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS Educação infantil Creche e pré escolas O QUE É? Os Parâmetros Curriculares Nacionais - PCN - são referências de qualidade para os Ensinos Fundamental e Médio do país,

Leia mais

A FISICA NO COTIDIANO: ESTRATÉGIA NO ENSINO E APRENDIZAGEM DE FÍSICA.

A FISICA NO COTIDIANO: ESTRATÉGIA NO ENSINO E APRENDIZAGEM DE FÍSICA. A FISICA NO COTIDIANO: ESTRATÉGIA NO ENSINO E APRENDIZAGEM DE FÍSICA. Autores: ALMEIDA, J. C.; DE CHIARO, S.; ROCHA, F. P.* Universidade Federal de Pernambuco - Campus Recife. *E-mail: felipederocha02@gmail.com

Leia mais