Solidariedade e Competência

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Solidariedade e Competência"

Transcrição

1 BALANÇO DE GESTÃO Luta pela qualificação da saúde e valorização do trabalho médico pág. central Publicação do Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul ano Xl nº 79 Fevereiro 2013 Solidariedade e Competência Médicos honram Juramento de Hipócrates com bravura e desprendimento no socorro às vítimas da tragédia em Santa Maria (págs. 4 a 7) Trauma Psíquico Cremers publica orientações gerais de atendimento psiquiátrico para auxílio das vítimas em Santa Maria Pág. 7

2 notas Faculdades de Medicina Publicação do Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul Avenida Princesa Isabel, 921 CEP Porto Alegre/RS Fone: (51) Fax: (51) Composição da Diretoria Presidente: Rogério Wolf de Aguiar Vice-presidente: Fernando Weber Matos 1º Secretário: Ismael Maguilnik 2º Secretário: Isaias Levy Tesoureiro: Cláudio Balduíno Souto Franzen Corregedores: Régis de Freitas Porto e Joaquim José Xavier Coordenador da Fiscalização: Antônio Celso Koehler Ayub Coordenador da Ouvidoria: Ércio Amaro de Oliveira Filho Coordenador das Câmaras Técnicas: Jefferson Pedro Piva Coordenador de Patrimônio: Iseu Milman Conselheiros Alberi Nascimento Grando Antônio Celso Koehler Ayub Céo Paranhos de Lima Cláudio Balduíno Souto Franzen Dirceu Francisco de Araújo Rodrigues Enio Rotta Ércio Amaro de Oliveira Filho Euclides Viríssimo Santos Pires Fernando Weber da Silva Matos Isaias Levy Iseu Milman Ismael Maguilnik Jefferson Pedro Piva Joaquim José Xavier Mário Antônio Fedrizzi Mauro Antônio Czepielewski Newton Monteiro de Barros Régis de Freitas Porto Rogério Wolf de Aguiar Sílvio Pereira Coelho Tomaz Barbosa Isolan Arthur da Motta Lima Netto Cláudio André Klein Clotilde Druck Garcia Douglas Pedroso Isabel Helena F. Halmenschlager Izaias Ortiz Pinto João Alberto Larangeira Jorge Luiz Fregapani Léris Salete Bonfanti Haeffner Luciano Bauer Gröhs Luiz Carlos Bodanese Luiz Carlos Corrêa da Silva Luiz Alexandre Alegretti Borges Maria Lúcia da Rocha Oppermann Paulo Amaral Paulo Henrique Poti Homrich Philadelpho M. Gouveia Filho Raul Pruinelli Ricardo Oliva Willhelm Conselho Editorial Rogério Wolf de Aguiar Fernando Weber Matos Ismael Maguilnik Isaias Levy Cláudio Balduíno Souto Franzen Redação: W/COMM Comunicação (www.wcomm.jor.br), Gabrielli Toldo Brinckmann e Viviane Schwäger Jornalista Responsável: Ilgo Wink Mat Revisão: Raul Rubenich Fotografias: W/COMM Comunicação, Dudu leal, Lauro Rocha e Rose Boninsegna Projeto e Design Gráfico: Stampa Design Fone: (51) Tiragem: exemplares Cremers, Revista do Conselho Regional de Medicina do RS, está aberta à participação de toda a classe médica gaúcha, para críticas, sugestões de pauta, artigos, divulgação de eventos e notícias de interesse da categoria. As correspondências serão encaminhadas ao Conselho Editorial. Contatos com Assessoria de Imprensa pelo O Ministério da Educação (MEC) estabeleceu, por meio de portaria publicada dia 4 de fevereiro no Diário Oficial da União, os critérios para autorização de ampliação do número de vagas de graduação em medicina nas faculdades brasileiras. Entre os procedimentos necessários, o MEC levará em consideração, principalmente, a demanda social por médicos em cada unidade da Federação, com base em dados atualizados anualmente pelo Ministério da Saúde. O MEC informou que a norma vale apenas para os pedidos feitos até o dia 31 de janeiro. Para os próximos pedidos, novas regras serão publicadas. De acordo com o MEC, a Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior (Seres) da pasta optou por sistematizar os critérios de deferimento de cursos de medicina "para garantir mais transparência aos processos". A legislação prevê que o Conselho Nacional de Saúde, em parecer, manifeste-se sobre a abertura do curso. A partir de agora, porém, os procedimentos serão normatizados por meio de portaria do MEC. Para que tenha o pedido atendido, a instituição deverá ter Índice Geral de Cursos (IGC) vigente igual ou maior que 3, Conceito Institucional (CI) igual ou maior que 3 e não poderá ter passado por supervisão institucional ativa ou supervisão instaurada em cursos na área de saúde. O número de vagas será proporcional ao número de médicos e de habitantes no estado. Piso salarial dos médicos é reajustado O piso salarial dos médicos foi reajustado em 6,10%, passando para R$ por 20 horas semanais de trabalho e vale desde janeiro. A Federação Nacional dos Médicos (Fenam), que faz o reajuste anualmente, disse que esse valor deve orientar as negociações coletivas dos sindicatos. De acordo com a entidade, o piso nacional Fenam surgiu da revisão da Lei 3.999, de 1961, que estipulava um piso salarial para os médicos correspondente a três salários mínimos. Desde 1991 a categoria tenta derrubar essa lei, e desde 2008 o Projeto de Lei 3.734, que estabelece um piso de R$ 7 mil reais para 20 horas semanais, além de reajuste anual, tramita no congresso. Apesar de a lei ainda não ter sido aprovada, a Fenam calcula anualmente o piso nacional dos médicos para ter um valor como referência nas discussões e reivindicações da categoria médica. 2 Revista Cremers Fevereiro

3 EDITORIAL Uma das dimensões da tragédia: a média de idade nas UTIs esta semana a média de idade da UTI diminuiu N40 anos, comentou, consternado, um dos atendentes de uma das UTIs de um dos hospitais de Santa Maria. Todos os enfermos, de qualquer idade, merecem toda a atenção. Mas a ocupação maciça e súbita por tantos jovens é absolutamente chocante. E é uma das características mais marcantes do que aconteceu, do que está acontecendo e do que vai acontecer na comunidade local e que se estende por todo o Estado, o País e até no mundo inteiro. No dia 31 de janeiro, junto com o diretor Ismael Maguilnik, o delegado seccional Floriano Soeiro de Souza Neto e os conselheiros Léris Haeffner e João Alberto Larangeira, visitamos o Hospital de Caridade, o Universitário da UFSM, a Casa de Saúde (em suas UTI e Emergências) e a UPA, em Santa Maria. Constatamos de maneira muito viva e forte, visualmente e pelos relatos das equipes médicas, todo o esforço físico e emocional realizado desde os primeiros atendimentos na noite da catástrofe. Os dirigentes médicos dos hospitais não tiveram tempo de convocar aqueles que não estavam de plantão. Muito rapidamente acorreram em grande número, assim que a dimensão do acontecimento ficou conhecida, logo em seguida. Médicos, demais profissionais da saúde, funcionários administrativos, da limpeza, se mobilizaram. O transporte de pessoas feridas, feito por ambulâncias, taxistas, particulares e outros, superlotou a entrada dos hospitais. No ambiente de desespero e dor, com muitos gravemente atingidos, na ameaça do caos, alguns se destacaram, não só pelo conhecimento técnico, mas por terem organizado de maneira muito eficiente a atenção ao grande número de necessitados. Saímos de lá convencidos de que a presteza e a capacidade de socorrer, de colocar a ventilação mecânica e encaminhar para o suporte imediato foram vitais para diminuir o número de vítimas fatais. Como o problema principal da maioria foi agressão às vias aéreas por parte da fumaça envenenada, a ventilação mecânica imediata proporcionou a condição necessária para a sobrevivência de muitos. Quando os reforços externos chegaram, a presença do apoio da força nacional, que foi fundamental também, a contribuição extraordinária da Força Aérea para a remoção dos pacientes para Porto Alegre, abrindo espaço nas UTIs de Santa Maria para que outros pudessem ser atendidos, encontraram muitos salvos pela grande capacidade técnica e de ação sob forte pressão dos médicos locais que atenderam nos primeiros e decisivos momentos. Não deveria ter ocorrido o que ocorreu na boate, mas poderia ter sido bem pior do que foi. Ainda há muito por fazer. As consequências físicas e emocionais ainda precisarão de muitos esforços para ser enfrentadas. A rede de solidariedade está fazendo tudo para dar certo. Mas não dá para esquecer que houve muita competência, doação e dedicação nos primeiros passos de todo este processo. Dr. Rogério Wolf de Aguiar Presidente do Cremers Fevereiro Revista Cremers 3

4 Cremers faz visita de apoio aos médicos de Santa Maria Reunião com médicos do Hospital Universitário, da UFSM presidente do Conselho Regional de O Medicina, Rogério Wolf de Aguiar, acompanhado do 1º secretário da entidade, Ismael Maguilnik, visitou no dia 31 de janeiro as principais unidades de saúde de Santa Maria, reunindo-se com as equipes médicas que prestam atendimento às vítimas da tragédia ocorrida domingo, dia 27. Aguiar destacou a mobilização dos médicos locais, que acorreram em grande número ao Hospital de Caridade Dr. Astrogildo de Azevedo, na área central da cidade, assim que souberam do acontecimento. O mesmo ocorreu em outras unidades de saúde, como o Hospital Universitário da UFSM, o Pronto Socorro, o Hospital Casa de Saúde e a UPA, todas visitadas pelo Cremers. - Os médicos foram solidários, incansáveis e eficientes. Além disso, é preciso destacar a rapidez como se organizaram para prestar assistência ao grande número de pacientes. Graças a essa mobilização, que incluiu também os demais profissionais da saúde e o pessoal de apoio, é que o número de mortos não foi ainda maior, observa o presidente do Cremers, destacando também a participação da comunidade: - É importante destacar a participação dos cidadãos locais, como os taxistas, que voluntariamente ajudaram no transporte das vítimas para o Hospital de Caridade. E assim muitas outras pessoas colaboraram de forma voluntária e despojada, numa bela demonstração de solidariedade em meio ao sofrimento. Ao todo, perto de 400 médicos participaram do mutirão formado para atender as vítimas, muitas delas ainda internadas. Segundo Aguiar, é preciso cuidar também dos cuidadores. Para ele, é visível que muitos médicos estão com forte desgaste físico e emocional. As vítimas, seus familiares, os amigos, os colegas de faculdade, e também os médicos, estão sujeitos a um estresse pós-traumático e terão de buscar atendimento, avalia Aguiar. O primeiro Secretário Ismael Maguilnik também ficou impressionado com os relatos e o cenário dramático que constatou nas visitas e nas conversas com os médicos. Chama a atenção a solidariedade acima de tudo. A solidariedade dos médicos, dos outros profissionais, da população, dos taxistas, fundamentais na remoção rápida, o que contribuiu para salvar vidas. Elogiável também a estrutura rápida e eficiente que foi montada. Os médicos foram solidários, incansáveis e eficientes. Além disso, é preciso destacar a rapidez como se organizaram para prestar assistência ao grande número de pacientes. Dr. Rogério Wolf de Aguiar 4 Revista Cremers Fevereiro

5 Médicos demonstraram solidariedade e competência O delegado do Cremers no município, Floriano Soeiro de Souza Neto, enalteceu a disponibilidade, a eficiência e a dedicação da comunidade médica de Santa Maria no triste episódio. Observou que grande parte do corpo clínico dos hospitais da cidade estava presente para o atendimento já nas primeiras horas, ainda na madrugada de domingo. A conselheira Léris Salete Haeffner, representando o Cremers, esteve nos locais de atendimento já no primeiro dia da tragédia para prestar apoio aos colegas que se desdobravam para salvar os pacientes. Ela avalia que os médicos cumpriram à risca o juramento de Hipócrates apesar da comoção que envolvia o trabalho, especialmente nas primeiras horas. Os médicos deram provas de heroísmo, responsabilidade e competência -, resumiu a conselheira, comovida e orgulhosa do esforço dos colegas em salvar vidas e aliviar sofrimento. O conselheiro João Alberto Larangeira considera que os médicos foram solidários e tiveram desempenho impecável, digno de todos os elogios. Ao percorrer os hospitais e outras unidades de saúde com o presidente Rogério Wolf de Aguiar, o primeiro Secretário Ismael Maguilnik e a conselheira Léris Haeffner, ele consolidou essa convicção: O que percebemos em todos os locais em que estivemos é que, apesar do luto, há um sentimento de dever cumprido, o que é reconhecido pela comunidade de Santa Maria. Reunião com médicos do Hospital de Caridade, para onde foram encaminhadas as primeiras vítimas Visita ao Pronto Atendimento do Município Fevereiro Revista Cremers 5

6 Médicos formaram mutirão para salvar vidas Representação do Cremers com médicos do Hospital de Caridade Ao todo, aproximadamente 400 médicos da região participaram do mutirão uma classe que por vezes não é reconhecida valorizar o nosso trabalho, o trabalho de formado para atender as vítimas, muitas e até vilipendiada. delas ainda internadas, mas todas recebendo o tratamento adequado desde o primeiro que desde o primeiro momento, apesar A médica Maria da Graça Vidal conta instante. De acordo com relatos dos diretores técnicos e clínicos dos hospitais, nem muitas vítimas quase ao mesmo tempo, da tensão e do tumulto com a chegada de houve necessidade de convocar os médicos todos trabalharam de forma integrada e em das unidades. harmonia. Tivemos que improvisar uma Os colegas vieram espontaneamente CTI para atender tanta gente. Conseguimos participar do trabalho. Tanto médicos como nos organizar rapidamente, cada grupo enfermeiros, o pessoal da alimentação, do com uma atribuição e todos se dedicando almoxarifado, da limpeza. Uma corrente ao máximo a salvar vidas, conta. de solidariedade se formou rapidamente A diretora clínica do hospital, Jane para atender os pacientes, comenta, emocionado, o diretor técnico do hospital de está preparado adequadamente para Margarete Costa, comenta que ninguém Caridade, Ronaldo Perret Bossemeyer. O uma catástrofe, mas frisou que apesar do episódio comprovou o quanto somos eficientes, resume, fazendo questão de elogiar bem. Nenhum paciente deixou de receber impacto inicial, as coisas fluíram muito a presença do Cremers na cidade. A vinda atendimento pleno. do Conselho é auspiciosa, é uma forma de Nos depoimentos, os médicos destacaram a participação da Força Aérea no translado de vítimas com queimaduras graves para a Capital e também a colaboração depois da Força Nacional do SUS, que reforçou o trabalho de atendimento. De acordo com o médico Larry Cassol Argenta, diretor clínico do Hospital Universitário, a remoção de pacientes aconteceu somente depois de completa estabilização. Não perdemos nenhum paciente. Para isso, foi decisiva a atuação de todos os profissionais, inclusive dos médicos residentes. Os médicos vieram sem ser acionados. Os plantonistas que estavam aqui no momento mais crítico não foram embora, diz Argenta. A diretora-geral do Universitário, Elaine Verena Resener, também destacou a solidariedade de todos e a agilidade do atendimento: Os pacientes vinham chegando e já eram entubados. Abrimos leitos na UTI. Foi um trabalho conjunto, todos engajados, uma consciência coletiva. O hospital agora está tentando a contratação emergencial de psiquiatras para reforçar o atendimento a todos os que, de uma forma ou de outra, foram atingidos pela tragédia ocorrida na casa noturna onde mais de 230 jovens perderam a vida. "Uma corrente de solidariedade se formou rapidamente para atender os pacientes" Dr. Ronaldo Bossemeyer 6 Revista Cremers Fevereiro

7 Trauma Psíquico Cremers publica orientações gerais de atendimento psiquiátrico para auxílio das vítimas em Santa Maria e cria ação conjunta com a APRS O Cremers publicou no dia primeiro de fevereiro um protocolo de atendimento psiquiátrico para situações de estresse agudo. O documento, elaborado por uma equipe do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, pretende auxiliar as vítimas e familiares da tragédia ocorrida em Santa Maria. De acordo com o protocolo, algumas pessoas podem apresentar reações agudas ao estresse que levam ao Transtorno de Estresse Agudo (TEA), a sintomas de Transtorno de Estresse Pós-traumático (TEPT) ou de outros quadros psiquiátricos. A situação atinge todos os envolvidos no acidente, direta ou indiretamente, inclusive os profissionais que prestaram ou seguem realizando atendimento às vítimas e as equipes de suporte nas diferentes áreas. O TEA, caso não tratado, pode evoluir para o Transtorno de Estresse Pós- Traumático. O protocolo oferece mais detalhes sobre os sintomas de TEA e TEPT e também aponta quando um profissional de saúde mental deve ser procurado e o melhor manejo dos pacientes. O Cremers também deu início a uma ação conjunta com a Associação de Psiquiatria do RS (APRS) para que os psiquiatras da região de Santa Maria se unam às equipes de atendimento médico e também atendam aos colegas, quando solicitados. A ação é coordenada pelo médico Flávio Shansis. O presidente do Cremers, Rogério Wolf de Aguiar, comenta a necessidade do protocolo: A experiência nos mostra que as grandes catástrofes humanas também expõem os profissionais a fortes situações de desgaste emocional e físico. Desta forma, eles também estão sujeitos, devido ao exercício de suas atividades, a sofrer sintomas, síndromes e, por vezes, até transtornos pós-traumáticos. Por isso o Cremers está realizando um programa de atenção aos médicos no sentido de protegê-los e prevenir futuros desdobramentos negativos em sua saúde, para que não se tornem vítimas do mesmo evento. Confira no site: ANS avalia indicativos de qualidade em hospitais privados A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) começou a testar em janeiro indicadores de qualidade de hospitais privados brasileiros. A fase inicial segue até junho e vai contar com a participação voluntária de 42 hospitais 13 no Rio de Janeiro, 18 em São Paulo, cinco em Minas Gerais, um no Espírito Santo, dois em Santa Catarina, um no Rio Grande do Sul (Hospital Unimed Caxias do Sul), um na Paraíba e um no Distrito Federal. De acordo com a ANS, as unidades de saúde serão submetidas a avaliações mensais relacionadas, por exemplo, a níveis de infecção, mortalidade e padrão de cirurgia segura. Ao todo, serão analisados 26 indicadores de qualidade do atendimento ao paciente. Os hospitais que apresentarem bom desempenho vão receber um selo de qualidade da agência, identificado pela letra Q. A expectativa da ANS é de que, a partir de julho, com o fim da fase de testes, a avaliação se torne obrigatória para todos os hospitais das redes próprias das operadoras de planos de saúde e opcional para os demais estabelecimentos. Os indicadores de qualidade devem ser usados também, em uma segunda etapa, para avaliar os serviços de apoio, diagnóstico e terapia, que englobam laboratórios e unidades de diagnóstico por imagem, oncologia, hemodiálise e hemoterapia. Fevereiro Revista Cremers 7

8 participação Gripe A: o exemplo dos EUA A proposta que os Conselhos de Medicina e as sociedades médicas do RS e do PR encaminharam ao Ministério da Saúde na metade do ano, reforçada posteriormente pelas secretarias de Saúde dos estados do Sul, ganha ainda mais impulso em função do epidemia de gripe nos EUA e de previsões climáticas para o próximo inverno. De acordo com estudo feito pela MetSul, a iniciativa das entidades é correta: São dois os motivos. Primeiro, em qualquer ano o frio tende a ser sentido com mais força no Sul do Brasil ainda no outono, muitas vezes já no final de abril e começo de maio. Considerando o tempo necessário de imunização da vacina, que em regra é de duas a três semanas, uma campanha de vacinação entre maio e junho seria tardia. No caso de 2013, a antecipação da imunização mostra-se ainda mais prudente, já que há indicativos por modelos de clima que episódios de frio mais intenso poderiam ser antecipados. Há anos em que o pico do frio é em junho. Em outros, como foi o caso de 2012, apesar de uma histórica onda de frio em junho, o pico foi em julho. Foi justamente entre o fim de julho de 2012, mês que teve 16 dias com baixa temperatura, e o começo de agosto, que se deu o pico da gripe no Estado no ano passado. O mês de agosto mais quente em um século no Rio Grande do Sul em 2012 foi forte aliado para uma drástica redução dos casos de Influenza aqui no Estado. A empresa destaca, ainda: O que ocorre neste momento nos Estados Unidos é um sinal de alerta para que os pleitos das autoridades de saúde pública do Sul do Brasil sejam atendidos na sua integralidade. O pico da gripe ocorre um mês antes do habitual entre a população norte-americana e ocorre de forma mais cedo desde 2003/2004, aliás um dos análogos que baseou as projeções do clima deste verão no Rio Grande do Sul. Até o final de janeiro, o Centro de Controle do Doenças dos Estados Unidos (CDC) havia verificado que 47 estados norte-americanos registravam atividade do Influenza generalizada. Entidades do Sul sugeriram mudança na estratégia de combate Os Conselhos Regionais de Medicina do Rio Grande do Sul e do Paraná (Cremers e CRM/PR) e as Associações Médicas dos dois Estados (Amrigs e AMP) encaminharam, no início de agosto, ao Ministro da Saúde, Alexandre Padilha, um estudo elaborado em conjunto sobre o aumento da incidência dos casos de Influenza A(H1N1) na região Sul. Elaborado por especialistas do RS (integrantes de CTs do Cremers) e do PR, o estudo apresenta ao Ministério da Saúde as seguintes propostas para qualificar a prevenção já neste ano: revisão da política de imunização contra influenza para os Estados do Sul, promovendo uma vacinação antecipada e universal; e o envolvimento de profissionais destes estados, atuantes e experientes no combate a esta doença, nas discussões de estratégias de imunização contra influenza propostas pelo MS. O documento destaca, entre outros aspectos, questões específicas da região Sul, que conta com 27 milhões de habitantes: concentração do maior número de casos (2.966 casos; 51,4%); incidência de 10,3 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave por100mil/habitantes; incidência de 2,25 casos de Influenza A (H1N1)2009pdm por 100mil/habitantes; registro de 55 óbitos por Influenza; destes, 51 óbitos por Influenza A (H1N1)2009pdm e 4 óbitos por outros influenza; concentração de 74,2% dos casos confirmados de Influenza A (H1N1)2009pdm do Brasil; e apresentação da maior taxa de mortalidade (3,2 óbitos/100mil) na pandemia de O estudo ainda compara essa situação com a região Sudeste, que tem cerca de 80 milhões de habitantes, e que registrou casos (38%). 8 Revista Cremers Fevereiro

9 fiscalização Operação do Cremers vistoria unidades de saúde no Litoral terceira edição da Operação Férias com Saúde começou em dezembro, quando a A equipe de fiscalização passou a vistoriar unidades de saúde do litoral gaúcho para avaliar as condições de trabalho médico e de atendimento à população, considerando principalmente o crescimento populacional da região durante os meses de janeiro e fevereiro. O trabalho é realizado pela Comissão de Fiscalização, coordenada pelo conselheiro Antônio Celso Ayub. Os médicos fiscais Mário Henrique Osanai e Alexandre Pôrto Prestes durante duas semanas vistoriaram hospitais e postos de saúde de Torres, Arroio do Sal, Terra de Areia, Três Cachoeiras, Capão da Canoa, Xangri-Lá, Imbé, Tramandaí, Osório, Santo Antônio da Patrulha, Pinhal, Cidreira, Quintão e Palmares do Sul. Entre os problemas verificados estão: carência de médicos generalistas e especialistas; médicos com sobrecarga de trabalho; escalas incompletas; falta de equipamentos; limpeza inadequada; locais sem diretor técnico; e empresas de serviços médicos contratadas sem registro no Cremers, contrariando a legislação. O resultado de cada vistoria está sendo encaminhado aos gestores para que sejam tomadas providências no sentido de regularizar os problemas apontados. Nas edições anteriores da operação, foram alcançadas conquistas relevantes, como um número maior de ambulâncias tipo UTI na região do Litoral durante o veraneio. Fevereiro Revista Cremers 9

10 formação médica Alterada resolução sobre especialidades médicas Conselho Federal de Medicina (CFM), por meio da O Resolução 2.005/12, atualizou a Resolução 1.973, que estabelece critérios para o reconhecimento de especialidades e áreas de atuação na medicina, e a forma de concessão e registros de títulos. Relatório da Comissão Mista de Especialidades (CME), referendado na sessão plenária de novembro, manteve a lista das 53 especialidades médicas vigentes no texto anterior. A nova redação, no entanto, trouxe mudanças para o reconhecimento de programas de residência médica, tempos de formação e regras sobre o funcionamento da CME. Como novidade, foi incluída a Toxicologia Médica na relação das áreas de atuação reconhecidas no país. Confira os destaques da Resolução 2005/12 ADAPTAÇÃO DOS PROGRAMAS DE RESIDÊNCIA Foi estabelecido o prazo de dois anos para adaptação dos programas de residência médica às mudanças determinadas pela resolução. Antes, a Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM) somente autorizava os programas de residência médica nas especialidades e áreas de atuação listadas na diretriz. ALTERADOS TEMPOS DE FORMAÇÃO Alguns tempos de formação também sofreram mudanças. A especialidade Cancerologia/Cancerologia Clínica teve sua formação alterada de dois para três anos. Também tiveram o tempo de formação aumentado de um para dois anos as seguintes áreas de atuação: Cardiologia Pediátrica, Endocrinologia Pediátrica, Gastroenterologia Pediátrica, Nutrição Parenteral e Enteral Pediátrica, Nutrologia Pediátrica, Pneumologia Pediátrica e Reumatologia Pediátrica. NOVA ÁREA DE ATUAÇÃO A área de atuação Toxicologia Médica foi incluída, com interface nas especialidades de Clínica Médica, Medicina Intensiva, Pediatria e Pneumologia. INTERFACES MAIS AMPLAS A área de atuação Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista foi estendida também para médicos especialistas em Pediatria com certificado de área de atuação em Cardiologia Pediátrica. A área de atuação em Dor foi estendida também para especialistas em Clínica Médica. Decisão judicial reafirma que cursos de pós-graduação lato sensu não garantem título de especialista Decisão do Tribunal Regional Federal (TRF) da Primeira Região consolida entendimento do Conselho Federal de Medicina (CFM) de que cursos de pós-graduação lato sensu não conferem ao médico o direito de se inscrever nos conselhos de medicina como especialistas ou anunciarem tais títulos. A decisão indeferiu recurso de médicos que pleiteavam usar, em anúncios, a expressão pós-graduados. Pleiteavam, ainda que o art. 3º, alínea i da Resolução CFM 1.974/11 tivesse seus efeitos suspensos. O TRF, no entanto, entendeu e frisou que títulos acadêmicos (de pós-graduação lato sensu), ainda que reconhecidos pelo MEC, podem se confundir, aos olhos leigos, com a especialidade médica reconhecida pelos conselhos de medicina. O juiz federal Renato Martins Prates argumenta que a decisão pretende impedir que o médico que somente tenha curso de pós-graduação possa ser admitido como especialista em determinada área médica sem possuir todos os requisitos necessários, induzindo a clientela à confusão. Para o CFM, a decisão está de acordo com a legislação e as normas que disciplinam a matéria, tornando evidente a competência da entidade para determinar, por meio de resolução, as qualificações necessárias à publicidade de especialidades médicas. Apenas duas formas podem levar o médico a obter a especialização: por meio de uma prova de títulos e habilidades das sociedades de especialidades filiadas à Associação Médica Brasileira e/ou por residência médica reconhecida pela Comissão Nacional de Residência Médica. 10 Revista Cremers Fevereiro

11 remuneração Comissão do Senado vota proposta de Plano de Carreira no SUS Proposta de emenda à Constituição (PEC 34/2011) criando a carreira de médico de Estado, apresentada pelo senador Vital do Rego, está pronta para ser votada pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ). Os médicos de Estado serão selecionados por meio de concurso público e deverão exercer suas atividades exclusivamente no SUS. A estabilidade será conquistada após três anos de efetivo exercício e as promoções na carreira obedecerão a critérios de antiguidade e merecimento. O cargo exige ainda que o profissional resida no município ou na região metropolitana da respectiva lotação. Quanto à remuneração, será feita por subsídio, fixado em lei e escalonado, em nível federal, estadual, distrital e municipal, conforme as respectivas categorias da estrutura orgânica da medicina do Estado. A diferença de remuneração entre cada uma dessas categoriais não poderá ser superior a 10% ou inferior a 5%, proibindo-se que o subsídio mensal exceda a 95% da remuneração dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Se for aprovada pela CCJ, a matéria será submetida a dois turnos de votação no Plenário do Senado antes de seguir para a Câmara dos Deputados. Preenchimento de formulários de empresas seguradoras médico assistente está impedido de O efetuar o preenchimento de formulários elaborados por empresas seguradoras com informação sobre a assistência prestada a pacientes sob seus cuidados. É o que estabelece a Resolução CFM nº 2.003/12, publicada no Diário Oficial da União em novembro passado. A medida está de acordo com o artigo 77 do Código de Ética Médica, que veda ao médico prestar informações a empresas seguradoras sobre as circunstâncias da morte do paciente sob seus cuidados, além das contidas na declaração de óbito. Para o CFM, o preenchimento, pelo médico, de formulários elaborados pelas companhias de seguros de vida não tem qualquer vínculo com a atestação médica relativa à assistência ou ao óbito. Do mesmo modo, o médico assistente não pode ser constrangido a preencher formulários, com quesitos próprios, de entidade com quem não tem qualquer relação profissional ou empregatícia. O relator do parecer, José Albertino Souza, explica: Frequentemente, os médicos assistentes são solicitados por pacientes, quando em vida, ou familiares, quando falecidos, para preencherem formulários próprios ou com quesitos elaborados por empresas seguradoras, na maioria das vezes exigindo avaliação de capacidade e estabelecimento de nexo causal. O CFM entende, no entanto, que o preenchimento de formulários elaborados por empresas seguradoras constitui atividade médica pericial, não podendo ser exercida pelo médico assistente. Confira a resolução na íntegra &totalarquivos=256 Fevereiro Revista Cremers 11

12 evento Entregas de carteiras Em dezembro e janeiro, como acontece anualmente, o Cremers promove cerimônias para esse grande momento na trajetória dos jovens médicos: a entrega das carteiras. Nessa virada de ano, foram realizados três eventos em Porto Alegre, além de outros em Pelotas, Santa Maria, Caxias do Sul e Passo Fundo. No dia 19 de dezembro, mais de 50 novos médicos todos oriundos da UFCSPA - receberam suas credenciais no Cremers. A solenidade, a última de 2012, foi conduzida pelo primeiro-secretário Ismael Maguilnik. O presidente Rogério Wolf de Aguiar fez a saudação tradicional aos novos colegas, frisando que o Cremers está sempre de portas abertas para orientar e esclarecer dúvidas relativas ao exercício da medicina. Fez questão de esclarecer que os Conselhos de Medicina são autarquias federais, obrigados por lei a fiscalizar a atividade médica, e que são mantidos exclusivamente pelos próprios médicos. Sem receber recursos federais, os Conselhos mantêm autonomia perante o executivo, destacou Aguiar, informando ainda sobre a estrutura e as atribuições do Cremers, que conta hoje com 48 Câmaras Técnicas e 28 delegacias seccionais. A medicina é estimulante e edificante A primeira solenidade de entrega de carteiras de 2013 aconteceu no dia 9 de janeiro, reunindo 68 médicos formados pela UFRGS e UFCSPA. O presidente da entidade, Rogério Wolf de Aguiar, fez a saudação aos colegas que estão iniciando na profissão. Nesta ocasião celebramos a obtenção de uma nova identidade: a de vocês como médicos. Segundo o presidente, a medicina é uma das profissões mais complexas e exigentes, pois demanda comprometimento, atualização e disciplina: - Por isso mesmo, a medicina é estimulante e edificante. É adrenalina. De 12 Revista Cremers Fevereiro

13 em Porto Alegre agora em diante, vocês têm o privilégio de oferecer atendimento e alívio à população. Espero que mais adiante nessa jornada vocês concluam que valeu a pena. Saúde só irá melhor com maior envolvimento médico No dia 16, o auditório do Cremers ficou praticamente lotado, com a entrega de carteiras para 128 novos médicos. Depois de saudar os jovens colegas e seus familiares, o presidente do Cremers discorreu sobre os setores, as atribuições e ações da entidade. Destacou a campanha deflagrada pelo Cremers para mudar a estratégia de combate da gripe A e as lutas por melhor remuneração pelos Planos de Saúde e pelo SUS, citando a mobilização pela criação de plano de carreira para os médicos do sistema público de saúde. O grande problema é que a saúde não é prioridade dos governos, e também nunca mereceu a devida atenção dos legisladores. Para que isso mude, é importante o envolvimento de todos os médicos nessas iniciativas, principalmente dos mais novos, que representam o futuro, nas lutas em favor da saúde e da ética no exercício da medicina. Participaram das cerimônias, além do presidente, os seguintes diretores e coordenadores: Ismael Maguilnik, Isaias Levy, Cláudio Franzen, Régis Porto, Antônio Ayub, Ércio Amaro de Oliveira Filho, Jefferson Piva e Iseu Milman. Fevereiro Revista Cremers 13

14 evento Entrega de carteiras Caxias do Sul O primeiro-secretário do Cremers, Ismael Maguilnik, representou a direção da entidade na cerimônia de entrega de carteiras aos novos médicos da Universidade de Caxias do Sul (UCS), dia 17 de janeiro, no auditório do Hospital Saúde. Entre os presentes, o coordenador do curso de medicina da UCS, Asdrubal Falavigna; o paraninfo Vinicius Victorazzi Laim; o patrono João Luis Martins Kras Borges e os conselheiros do Cremers Mário Antônio Fedrizzi e Luciano Bauer Grohs. Santa Maria A entrega das carteiras de novos médicos em Santa Maria ocorreu no dia 24 de janeiro, no auditório do Centro de Ciências da Saúde da UFSM. O Cremers esteve representado pelo delegado seccional Floriano soiero de Souza e pelos conselheiros João Alberto Larangeira e Léris Salete Haeffner. Participaram também do evento o coordenador do curso de Medicina Gilmor José Farenzena e o médico patrono da turma, José Carlos Diniz Barradas. 14 Revista Cremers Fevereiro

15 no Interior do Estado Pelotas Os novos médicos de Pelotas receberam suas carteiras em solenidade realizada no dia 24 de janeiro. O presidente do Cremers, Rogério Wolf de Aguiar, participou do evento, saudando os novos colegas e explicando aspectos do trabalho desenvolvido pela entidade e destacando questões relativas à ética médica. Participaram também o coordenador das delegacias da região Sul/ Sudoeste, Tomas Barbosa Isolan; o delegado seccional de Pelotas, Victor Hugo Pereira Coelho; a coordenadora do curso de medicina da UCPel, Vanessa Louise Collete; e o paraninfo Márcio Guerreiro. Passo Fundo No dia 25 de janeiro foram os novos médicos de Passo Fundo que receberam as carteiras emitidas pelo Conselho Regional de Medicina/RS. O primeiro secretário da entidade, Ismael Maguilnik, coordenou o evento, que foi prestigiado pelo diretor clínico do Hospital São Vicente de Paulo, Rudah Jorge, pelos conselheiros Douglas Pedroso e Alberi Grando e pelo delegado seccional do Cremers na cidade, Henrique Luiz Oliani. Fevereiro Revista Cremers 15

16 Atuação para qualificar as BAL D condições de trabalho médico O ano de 2012 foi marcado pela disposição do Cremers de continuar defendendo o exercício ético da medicina e a lutar por condições dignas de trabalho e de valorização do trabalho médico, sempre com forte comprometimento social. O Cremers voltou a participar de movimentos com vistas a melhorar a remuneração médica e qualificar a assistência de saúde, como a mobilização que cobrou do governo estadual a aplicação dos 12% previstos em Lei para a Saúde, o que deverá resultar em melhorias para os médicos e a população. Resultado positivo teve também a iniciativa de propor ao Ministério da Saúde mudanças em sua estratégia de combate à gripe A na região Sul, a mais atingida pela doença. A ideia foi incorporada pelos secretários estaduais da saúde do RS, PR e SC, que também encaminharam propostas nesse sentido ao governo federal. O resultado é que o MS decidiu antecipar a aplicação das vacinas e ampliar a abrangência do público alvo, contemplando a proposta apresentada. Assembleia foi realizada dia 29 de janeiro após a reunião plenária Depois de aprovado pela diretoria Geral realizada no dia 29 de janeiro. As e plenária, o Relatório das Contas do contas tiveram a aprovação do Conselho Cremers referente ao exercício de 2012 Federal de Medicina (CFM) e Tribunal de foi referendado também pela Assembleia Contas da União (TCU). Assembleia Geral aprova Relatório de Contas/2012 Os Conselhos Regionais de Medicina são autarquias públicas federais da administração indireta, órgãos públicos com o controle externo impositivo. O Cremers e os demais CRMs são fiscalizados pelo TCU e pelo CFM, em processos mensais de prestação de contas e também em regime de prestação global. Todos os anos, na última terça-feira do mês de janeiro, o Cremers realiza sua Assembleia Geral, aberta a todos os médicos (avisados previamente através de nota na imprensa e dos meios de comunicação da entidade), para prestar contas das atividades desenvolvidas. 16 Revista Cremers Fevereiro

17 ANÇO E GESTÃO Reunião com o secretário da Saúde do Estado debateu a Gripe A Iniciativa resulta em mudança no combate à gripe A Com base em trabalho de suas Câmaras Técnicas elaborado em 19 de julho, o Cremers decidiu apresentar ao Ministério da Saúde propostas para um enfrentamento mais eficaz da gripe A. Ao lado do CRM do Paraná e das associações médicas dos dois Estados, encaminhou um dossiê com dados sobre a maior incidência de casos da Influenza A (H1N1) na região Sul. Em síntese, as entidades sugeriram revisão da política de imunização para os Estados do Sul, promovendo vacinação antecipada e universal; além do envolvimento de profissionais desses Estados, atuantes e experientes no combate a essa doença, nas discussões de estratégias de imunização contra a gripe A. A iniciativa das entidades médicas contribuiu para mobilizar os governos do RS, PR e SC no mesmo sentido. No dia 17 de agosto, o secretário da Saúde Ciro Simoni visitou o Cremers, de onde saiu com subsídios para tentar convencer o Ministério da Saúde que os Estados do Sul precisam receber um tratamento diferenciado no combate à gripe A. Posteriormente, os governantes estiveram reunidos no MS, que admitiu rever sua política de combate à doença já para este ano. A vacinação será antecipada e haverá maior abrangência nas imunizações. No dia 22 de novembro, o Cremers publicou nota nos principais jornais reafirmando a necessidade de ajustes na estratégia de combate à gripe A com os pontos defendidos por suas CTs e apoiando a iniciativa dos secretários de Saúde do Sul. Projeto avalia urgência e emergência no país Atendendo solicitação da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal, o Cremers, através de sua Comissão de Fiscalização, vistoriou o Hospital Conceição e elaborou um relatório sobre as condições de atendimento de urgência e emergência na instituição. O documento foi entregue ao deputado Arnaldo Jordy, que visitou o hospital no dia 6 de dezembro, acompanhado pelo presidente Rogério Aguiar e Antônio Celso Ayub, coordenador da Fiscalização do Cremers. A Comissão federal está fazendo um levantamento sobre os serviços de urgência e emergência dos grandes hospitais brasileiros. O trabalho será concluído em meados deste ano. Cremers participou de vistoria da Câmara Federal no Conceição Perícia Médica Diante da acusação de que os médicos peritos do INSS no Estado não cumprem a jornada de trabalho -feita pelo ex-presidente do INSS Mauro Hauschild-, o Cremers ocupou espaços na mídia e publicou nota oficial em defesa da categoria, repudiando veementemente as declarações do dirigente no sentido de responsabilizar, de forma generalizada, os médicos peritos pelas mazelas no atendimento dos segurados do INSS. A reação dos próprios peritos, do Cremers e de outras entidades, fez com que o dirigente recuasse e ainda anunciasse reforço do quadro de peritos no RS. Fevereiro Revista Cremers 17

18 BALANÇO DE GESTÃO Movimento Saúde, Rio Grande atinge objetivo Lançado dia 3 de abril na OAB/RS, o movimento Saúde, Rio Grande Cumpra-se a Lei, desde o primeiro momento contou com a participação efetiva do Cremers, que, ao lado de inúmeras entidades da sociedade civil organizada, defendeu a aplicação imediata de 12% do orçamento do Estado na saúde. Foram realizadas audiências públicas em várias cidades com o objetivo de coletar um milhão de assinaturas pleiteando o cumprimento da legislação. Nos últimos anos o RS figurou entre os Estados que menos investem em saúde. No encerramento da campanha, dia 2 de julho, o auditório Dante Barone, da Assembleia Legislativa, ficou completamente tomado. O presidente do Cremers, Rogério Aguiar, destacou em seu discurso que a saúde realmente só irá melhorar quando for prioridade dos governos. Não é mais possível aceitar as desculpas das autoridades, que alegam não ser possível resolver os problemas de uma hora para a outra, como se esse caos na saúde fosse uma novidade, Governador do Estado recebeu o material com as assinaturas e não uma situação conhecida de todos há muito tempo, frisou. Depois do ato público, as lideranças do movimento foram ao Palácio Piratini, onde entregaram ao governador Tarso Genro os pacotes com as centenas de milhares de assinaturas coletadas durante a mobilização. Luta pela CBHPM no IPE Saúde Cremers, Simers, Amrigs e demais integrantes do Grupo Paritário criaram uma comissão para implantação da CBHPM pelo IPE Saúde. O segundo-secretário Isaias Levy, que representa o Cremers na comissão, diz que o objetivo é conseguir que a Classificação entre em vigor o mais rápido possível, lembrando que o Instituto tem esse compromisso com as entidades. 18 Revista Cremers Fevereiro Dr. Isaias Levy (E) representou o Cremers na manifestação Protesto contra Planos de Saúde Cremers, Amrigs e Simers promoveram ato público no dia 25 de abril, o Dia Nacional de Advertência aos Planos de Saúde, movimento que mobilizou médicos em todo o País. O diretor Isaias Levy representou o Cremers na atividade, ocorrida no Complexo Hospitalar da Santa Casa de Porto Alegre. Destacou que em muitos casos os salários são aviltantes e que é inegável a interferência indevida das operadoras no exercício da medicina com prejuízo ao atendimento dos pacientes. Cremers, Simers e Amrigs unidos nos movimentos pela valorização do trabalho médico

19 Interdição ética do Centenário Em defesa da população e de condições adequadas para o trabalho médico, o Cremers decretou, em março, a interdição ética do Hospital Centenário, decisão da diretoria referendada pelo plenário. A prefeitura de São Leopoldo recorreu e obteve liminar judicial favorável, mantendo o hospital em atividade apesar dos riscos à saúde pública e da falta de condições mínimas necessárias ao exercício da medicina. O Cremers recorreu da decisão. Assembléia com o corpo clínico do Hospital A interdição ocorreu depois de vistorias minuciosas foram dez em cinco anos da Comissão de Fiscalização do Cremers, que constatou uma série de irregularidades. A administração recebeu inúmeros prazos para solucionar os problemas, mas a situação crítica do hospital permaneceu, afetando médicos e Decisão judicial manteve o hospital funcionando pacientes. O Cremers ingressou com ação na Justiça Federal contra a liminar. do hospital e de outras entidades. Na tentativa de recuperar o hospital, Em maio, dia 2, o TAC finalmente o Cremers concordou em continuar foi assinado. O gestor público assumia colaborando com o Ministério Público o compromisso de resolver os problemas apontados pelo Cremers cumprin- Estadual, que retomou a negociação com o gestor público para assinatura de do prazos estabelecidos no documento. um Termo de Ajustamento de Conduta, Quinze dias depois, médicos do hospital assunto em discussão desde 2011 com denunciaram que cláusulas importantes efetiva participação do Conselho. Nesse do TAC idealizado pelo MPE não estavam período, o então presidente Fernando sendo cumpridas. A questão foi encaminhada ao Ministério Público, que ingres- Matos participou de reuniões no MPE em São Leopoldo, dando subsídios e sou na Justiça contra a administração participando da elaboração do TAC ao do Centenário pelo descumprimento de lado de representantes da prefeitura e cláusulas do TAC. A Atendimento médico na Fase série de reportagens Meninos Condenados, publicada no jornal Zero Hora, motivou o Cremers a abrir expediente, no dia 1º de fevereiro, para apurar as condições de assistência médica e eventuais irregularidades na prescrição de medicamentos aos internos da Fundação de Atendimento Sócio- Educativo (Fase). Foram realizadas reuniões com a direção da entidade, que elaborou um relatório sobre o atendimento. A partir desse documento, a Comissão de Fiscalização vistoriou o local. A direção da Fase foi instada a resolver os problemas apontados pelo Cremers. Cremers atuou para resolver as questões envolvendo o atendimento médico na Fase Fevereiro Revista Cremers 19

20 BALANÇO DE GESTÃO Atualização e qualificação médica A permanente atualização dos médicos tem merecido plena atenção do Cremers, que em 2012 voltou a promover eventos sobre temas relevantes da prática médica. Auditoria em Saúde - No final de agosto, foi realizado II o Fórum de Auditoria em Saúde, que discutiu questões como a codificação de procedimentos, tabelas de honorários e CBHPM. O presidente da AMB, Florentino de Araújo Cardoso Filho, fez a conferência de abertura do encontro, que foi organizado pela CT de Auditoria do Cremers. Urgência e Emergência - Em outubro, dias 15 e 16, o Cremers, com apoio do CFM, promoveu o III o Fórum Nacional de Urgência e Emergência, que pela primeira vez foi realizado fora de Brasília. Organizado pelas CTs de Urgência e Emergência do Cremers e do CFM, o evento reuniu autoridades e especialistas locais e de outros Estados. Entre os convidados, o presidente do CFM, Roberto D Avila, os secretários de Saúde de Porto Alegre do RS, além de representantes do Ministério da Saúde. Cuidados Paliativos - No final de novembro o Cremers promoveu o II o Fórum de Cuidados Paliativos, que teve na abertura conferência do coordenador da Atenção Domiciliar do Ministério da Saúde, Aristides Oliveira. Entre os temas abordados no encontro, que reuniu especialistas gaúchos e também de outros Estados, estão diretrizes antecipadas em cuidados paliativos, interdisciplinaridade na formação, ética da sedação e das medidas de conforto em cuidados paliativos. O evento foi organizado pela CT de Cuidados Paliativos do Cremers. Cremers participa de vistorias em presídios Mantendo a parceria com OAB/RS, Crea e Ajuris, o Cremers participou do movimento que avaliou as condições dos principais presídios do Estado e o tipo de atendimento de saúde prestado aos apenados. No dia 2 de agosto, o vice-presidente Fernando Matos, que participou das visitas feitas aos estabelecimentos prisionais, representou o Cremers no evento de conclusão do movimento, no auditório do Presídio Central de Porto Alegre. Em sua manifestação, Matos declarou que os apenados vivem em ambiente de total insalubridade, em superlotação, e de modo geral são difusores de doenças infectocontagiosas. Vice-presidente Fernando Matos representou o Cremers na ação ao lado da OAB/RS, Crea e Ajuris 20 Revista Cremers Fevereiro

Conselho Regional de Medicina do Estado da Bahia CREMEB III Fórum de Publicidade Médica 24 de agosto de 2012 Conselho Regional de Medicina do Estado da Bahia CREMEB Comissão de Divulgação de Assuntos Médicos

Leia mais

Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio Grande do Sul

Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio Grande do Sul CARTA DE PORTO ALEGRE A crise nas Emergências agrava-se a cada ano e hoje constitui um dos grandes problemas de saúde no Estado. Os enfermos que acorrem às Emergências aumentam progressivamente; em contrapartida,

Leia mais

RESOLUÇÃO CRM-PR N º 150/2007 (Publicado no Diário Oficial da União, Seção 1, de 24/04/2007 p. 86) (Revogada pela Resolução CRMPR 181/2011)

RESOLUÇÃO CRM-PR N º 150/2007 (Publicado no Diário Oficial da União, Seção 1, de 24/04/2007 p. 86) (Revogada pela Resolução CRMPR 181/2011) CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO PARANÁ RUA VICTÓRIO VIEZZER. 84 - CAIXA POSTAL 2.208 - CEP 80810-340 - CURITIBA - PR FONE: (41) 3240-4000 - FAX: (41) 3240-4001 - SITE: www.crmpr.org.br - E-MAIL: protocolo@crmpr.org.br

Leia mais

SENADO FEDERAL Comissão de Assuntos Sociais

SENADO FEDERAL Comissão de Assuntos Sociais SENADO FEDERAL Comissão de Assuntos Sociais AUDIÊNCIA PÚBLICA REALIZADA NA COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS EM 28 DE JUNHO DE 2006 PARA INSTRUIR O PROJETO DE LEI DO SENADO Nº25, DE 2002, QUE DISPÕE SOBRE O

Leia mais

ESCLARECIMENTO SOBRE A IMPLANTAÇÃO DA JORNADA DE 30 HORAS PARA ASSISTENTES SOCIAIS SEM REDUÇÃO SALARIAL

ESCLARECIMENTO SOBRE A IMPLANTAÇÃO DA JORNADA DE 30 HORAS PARA ASSISTENTES SOCIAIS SEM REDUÇÃO SALARIAL ESCLARECIMENTO SOBRE A IMPLANTAÇÃO DA JORNADA DE 30 HORAS PARA ASSISTENTES SOCIAIS SEM REDUÇÃO SALARIAL Desde a publicação da lei nº 12.317, de 27 de agosto de 2010, que estabeleceu a jornada de trabalho

Leia mais

ANEXO I DO OBJETO. 3) Os profissionais contratados deverão providenciar o cadastramento junto ao corpo clínico da CONTRATANTE, como membros efetivos;

ANEXO I DO OBJETO. 3) Os profissionais contratados deverão providenciar o cadastramento junto ao corpo clínico da CONTRATANTE, como membros efetivos; ANEXO I DO OBJETO Descrição da PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EM NEUROCIRURGIA E NEUROLOGIA AOS PACIENTES DO HOSPITAL, PRONTO SOCORRO ADULTO, PRONTO SOCORRO INFANTIL E AMBULATÓRIO, compreendendo as seguintes funções:

Leia mais

MODELO REGIMENTO DO CORPO CLÍNICO CAPÍTULO I CONCEITUAÇÃO

MODELO REGIMENTO DO CORPO CLÍNICO CAPÍTULO I CONCEITUAÇÃO MODELO REGIMENTO DO CORPO CLÍNICO CAPÍTULO I CONCEITUAÇÃO Art. 1º - Corpo Clínico é o conjunto de médicos que se propõe a assumir solidariamente a responsabilidade de prestar atendimento aos usuários que

Leia mais

RESOLUÇÃO CNRM/004/2001

RESOLUÇÃO CNRM/004/2001 RESOLUÇÃO CNRM/004/2001 A PRESIDENTE DA COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA (CNRM), no uso de sua atribuições previstas no art. 5.º do Decreto n.º 80.281, de 05 de setembro de 1977, e considerando o

Leia mais

Publicação do Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul ano Xl nº 80 Abril 2013

Publicação do Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul ano Xl nº 80 Abril 2013 Gripe A Ação do Cremers contribui para melhorar combate à doença (pág. 5) Publicação do Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul ano Xl nº 80 Abril 2013 Delegados fazem Raio X da Saúde Em levantamento

Leia mais

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM DECRETO nº 1098, de 12 de fevereiro de 2009 Dispõe sobre alocação, denominação e atribuições dos órgãos que compõem a estrutura organizacional do Gabinete da Prefeita e dá outras providências. A PREFEITA

Leia mais

Decisão do STF permite contratação de professores federais por Organização Social

Decisão do STF permite contratação de professores federais por Organização Social Decisão do STF permite contratação de professores federais por Organização Social Na mesma semana em que os trabalhadores brasileiros tomaram as ruas e conseguiram suspender a votação do Projeto de Lei

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES CRM-PR 2010

RELATÓRIO DE ATIVIDADES CRM-PR 2010 RELATÓRIO DE ATIVIDADES CRM-PR 2010 1 DIRETORIA DO CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO PARANÁ GESTÃO DE 1.º.10.2008 a 31.05.2010 Cons. Miguel Ibraim Abboud Hanna Sobrinho, Presidente Cons. Carlos Roberto

Leia mais

TEM QUE MELHORAR MUITO

TEM QUE MELHORAR MUITO Confira gráficos, tabelas, críticas e sugestões sobre o convênio médico na ZF revelados em levantamento feito pelo Sindicato Comprovado: convênio médico na ZF TEM QUE MELHORAR MUITO Um levantamento feito

Leia mais

Plano de Lutas Em Defesa do Trabalho e da Formação e Contra a Precarização do Ensino Superior

Plano de Lutas Em Defesa do Trabalho e da Formação e Contra a Precarização do Ensino Superior Plano de Lutas Em Defesa do Trabalho e da Formação e Contra a Precarização do Ensino Superior 1. Apresentação Em cumprimento à deliberação 1-F do Eixo Formação, aprovada no 37 0 Encontro Nacional /CRESS,

Leia mais

Comissão de Saúde da Câmara dos Vereadores do Rio questiona SMS e defende instalação de CPI para investigar desrespeito à Lei das OSs

Comissão de Saúde da Câmara dos Vereadores do Rio questiona SMS e defende instalação de CPI para investigar desrespeito à Lei das OSs Comissão de Saúde da Câmara dos Vereadores do Rio questiona SMS e defende instalação de CPI para investigar desrespeito à Lei das OSs O plenário da Câmara Municipal do Rio de Janeiro ficou lotado durante

Leia mais

PLENÁRIA NACIONAL EXTRAORDINÁRIA DA FENASPS

PLENÁRIA NACIONAL EXTRAORDINÁRIA DA FENASPS PLENÁRIA NACIONAL EXTRAORDINÁRIA DA FENASPS Data: 14/11/2014 Local: Sede da Fenasps Estados presentes: MG- SP- PR- RS- ES- SC- RN- CE e Oposição da BA e do DF. Nº de participantes: 65 Delegados e 10 Observadores

Leia mais

RESOLUÇÃO CRM-PR N.º 191/2013.

RESOLUÇÃO CRM-PR N.º 191/2013. RESOLUÇÃO CRM-PR N.º 191/2013. Dispõe sobre a obrigatoriedade dos Contratos firmados entre as Operadoras de Planos de Saúde e os Médicos seguirem as Normativas da ANS Agência Nacional de Saúde Suplementar.

Leia mais

No Brasil, número de escolas privadas de Medicina cresce duas vezes mais rápido que o de cursos públicos

No Brasil, número de escolas privadas de Medicina cresce duas vezes mais rápido que o de cursos públicos RADIOGRAFIA DO ENSINO MÉDICO No Brasil, número de escolas privadas de Medicina cresce duas vezes mais rápido que o de cursos públicos Do início de 2003 a 2015, a quantidade de cursos particulares de Medicina

Leia mais

Sugestão de Projeto de Lei de Municipalização das 30 Horas

Sugestão de Projeto de Lei de Municipalização das 30 Horas Sugestão de Projeto de Lei de Municipalização das 30 Horas Texto construído com base em diversos trabalhos acadêmicos, dados do Cofen, dados do Coren, Fórum Nacional das 30 horas, Aben e do artigo Jornada

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO DISTRITO FEDERAL

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO DISTRITO FEDERAL RESOLUÇÃO CRM/DF nº 378/2015 (Publicada no DODF de 25 de março de 2015, Seção 03, p. 47) Dispõe sobre a instituição do Termo de Ajustamento de Conduta no âmbito da jurisdição do Conselho Regional de Medicina

Leia mais

SELEÇÃO PARA COOPERAÇÃO DE MÉDICOS UNIMED MACEIÓ EDITAL DE ABERTURA

SELEÇÃO PARA COOPERAÇÃO DE MÉDICOS UNIMED MACEIÓ EDITAL DE ABERTURA SELEÇÃO PARA COOPERAÇÃO DE MÉDICOS UNIMED MACEIÓ EDITAL DE ABERTURA O Conselho de Administração da UNIMED MACEIÓ torna público que estão abertas as inscrições de candidatos ao Processo Seletivo para preenchimento

Leia mais

RESOLUÇÃO CRM-TO Nº 91/2013, de 13 de dezembro de 2013.

RESOLUÇÃO CRM-TO Nº 91/2013, de 13 de dezembro de 2013. RESOLUÇÃO CRM-TO Nº 91/2013, de 13 de dezembro de 2013. Dispõe sobre a criação e atribuições das delegacias regionais e dos delegados e dá outras providências. O Conselho Regional de Medicina do Estado

Leia mais

1 Informações diversas Projeto de Terceirização A Câmara dos Deputados concluiu dia 22/04 a votação do projeto de lei que regulamenta contratos de terceirização. O texto principal foi aprovado no último

Leia mais

EDUCAÇÃO MÉDICA CONTINUADA SANTA CASA DE SÃO JOAQUIM DA BARRA Delegacia Regional de Ribeirão Preto

EDUCAÇÃO MÉDICA CONTINUADA SANTA CASA DE SÃO JOAQUIM DA BARRA Delegacia Regional de Ribeirão Preto 13 DE JUNHO 2013 EDUCAÇÃO MÉDICA CONTINUADA SANTA CASA DE SÃO JOAQUIM DA BARRA Delegacia Regional de Ribeirão Preto Lavinio Nilton Camarim Conselheiro do Cremesp Lei Federal 9.656/98 Lei dos Planos de

Leia mais

Ensino Fundamental com 9 anos de duração - Idade de Ingresso

Ensino Fundamental com 9 anos de duração - Idade de Ingresso Ensino Fundamental com 9 anos de duração - Idade de Ingresso A respeito da idade de ingresso das crianças, no ensino fundamental de 9 anos de duração, ocorreram acaloradas discussões na esfera educacional

Leia mais

MINUTA DE RESOLUÇÃO CFM

MINUTA DE RESOLUÇÃO CFM MINUTA DE RESOLUÇÃO CFM Dispõe sobre a normatização do funcionamento dos prontos-socorros hospitalares, assim como do dimensionamento da equipe médica e do sistema de trabalho. O Conselho Federal de Medicina,

Leia mais

ROSA MARIA WEBER CANDIOTA DA ROSA

ROSA MARIA WEBER CANDIOTA DA ROSA ROSA MARIA WEBER CANDIOTA DA ROSA Ministra do Supremo Tribunal Federal, empossada em 19 de dezembro de 2011. Nascida em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, em 02 de outubro de 1948. Filha do médico José Júlio

Leia mais

Interessado: Dr. M.M.S. Assunto: Escala de plantão de sobreaviso. Medico Plantonista de sobreaviso. Desligamento com ou sem aviso prévio.

Interessado: Dr. M.M.S. Assunto: Escala de plantão de sobreaviso. Medico Plantonista de sobreaviso. Desligamento com ou sem aviso prévio. PARECER CRM/MS N 12/2014 PROCESSO CONSULTA CRMMS 0011/2014 Interessado: Dr. M.M.S. Assunto: Escala de plantão de sobreaviso. Medico Plantonista de sobreaviso. Desligamento com ou sem aviso prévio. PARECERISTA:

Leia mais

Propostas aprovadas no XII Enem

Propostas aprovadas no XII Enem Propostas aprovadas no XII Enem Tema I Formação Médica Ensino Médico 1. Exigir como requisitos mínimos para reconhecimento e revalidação dos cursos de Medicina: hospital próprio com quantidade suficiente

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DA COMISSÃO ESTADUAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA DO ESTADO DO PARANÁ

ESTATUTO SOCIAL DA COMISSÃO ESTADUAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA DO ESTADO DO PARANÁ ESTATUTO SOCIAL DA COMISSÃO ESTADUAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA DO ESTADO DO PARANÁ CAPÍTULO I DA SOCIEDADE, DENOMINAÇÃO, NATUREZA, SEDE, PRAZO E FINALIDADES Artigo 1 - A Comissão Estadual de Residência Médica

Leia mais

Conselho Nacional de Controle Interno

Conselho Nacional de Controle Interno Veículo: Site Congresso em Foco Data: 13/07/2012 Editoria: Lei de Acesso Coluna: - Página: - Só 12% das prefeituras dão atenção a transparência Uma mesma pergunta foi feita às administrações de 133 cidades

Leia mais

MENSAGEM Nº, de 2008.

MENSAGEM Nº, de 2008. MENSAGEM Nº, de 2008. = Tenho a honra de submeter à elevada consideração de Vossas Excelências o projeto de Lei anexo, que objetiva criar o Conselho Municipal Antidrogas COMAD. Um dos mais graves problemas

Leia mais

1. CADASTRO 2. AGENDAMENTOS:

1. CADASTRO 2. AGENDAMENTOS: 1. CADASTRO Para atuar no Hospital São Luiz, todo médico tem de estar regularmente cadastrado. No momento da efetivação, o médico deve ser apresentado por um membro do corpo clínico, munido da seguinte

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA RESOLUÇÃO CFM Nº 1.772/2005 (Publicada no D.O.U. de 12.08.2005, Seção I, p. 141-142) Revogada pela Resolução CFM nº 1984/2012 Institui o Certificado de Atualização Profissional

Leia mais

ANAIDS Articulação Nacional de Luta Contra a AIDS

ANAIDS Articulação Nacional de Luta Contra a AIDS Carta ANAIDS 1º de Dezembro - Dia Mundial de Luta contra a AIDS Cada um tem sua cara e a aids também tem... A ANAIDS Articulação Nacional de Luta Contra Aids - colegiado que reúne os Fóruns de ONG Aids

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA CENTRO DE REFERÊNCIAS TÉCNICAS EM PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS CONVERSANDO SOBRE A PSICOLOGIA E O SUAS

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA CENTRO DE REFERÊNCIAS TÉCNICAS EM PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS CONVERSANDO SOBRE A PSICOLOGIA E O SUAS A sistematização que segue refere-se aos pontos trabalhados pelo grupo, no sentido de ativar a reflexão de questões que seriam tratadas no Encontro Estadual dos Trabalhadores do SUAS, realizado dia 16

Leia mais

Histórico das ações sobre Carga Horária de psicólogos no município do Rio de Janeiro pelo Conselho Regional de Psicologia do Rio de Janeiro - CRP/05

Histórico das ações sobre Carga Horária de psicólogos no município do Rio de Janeiro pelo Conselho Regional de Psicologia do Rio de Janeiro - CRP/05 Histórico das ações sobre Carga Horária de psicólogos no município do Rio de Janeiro pelo Conselho Regional de Psicologia do Rio de Janeiro - CRP/05 Dezembro/2003 - A discussão sobre carga horária para

Leia mais

Imprimir. Em 29 de março do mesmo ano, o dr. R.S.S. respondeu ao interessado nos seguintes termos:

Imprimir. Em 29 de março do mesmo ano, o dr. R.S.S. respondeu ao interessado nos seguintes termos: Imprimir PROCESSO-CONSULTA CFM Nº 1.955/01 PC/CFM/Nº 10/2002 INTERESSADO: Sociedade Santamarense de Beneficência de Guarujá ASSUNTO: Reformulação da Resolução nº 1.076/81 RELATOR: Cons. Luiz Salvador de

Leia mais

A Constituição Federal de 1988 estabeleceu:

A Constituição Federal de 1988 estabeleceu: A Constituição Federal de 1988 estabeleceu: Art. 8º É livre a associação profissional ou sindical, observado o seguinte: Art. 37º... VI - é garantido ao servidor público civil o direito à livre associação

Leia mais

SUGESTÃO DE ROTEIRO PARA A REALIZAÇÃO DE ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA EM COOPERATIVAS

SUGESTÃO DE ROTEIRO PARA A REALIZAÇÃO DE ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA EM COOPERATIVAS SUGESTÃO DE ROTEIRO PARA A REALIZAÇÃO DE ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA EM COOPERATIVAS ABERTURA Pessoa da cooperativa que não fará parte da mesa verifica o número de associados presentes certificando o quorum

Leia mais

S I N O P S E S I N D I C A L J U N H O D E 2 0 0 8

S I N O P S E S I N D I C A L J U N H O D E 2 0 0 8 S I N O P S E S I N D I C A L J U N H O D E 2 0 0 8 ADICIONAL DE INSALUBRIDADE. MUDANÇA DA BASE DE CÁLCULO. Doravante as empresas deverão estar atentas à questão envolvendo o pagamento do adicional de

Leia mais

Processo Seletivo Externo Simplificado / Pós-Graduação e Lato Sensu Especialização Médica.

Processo Seletivo Externo Simplificado / Pós-Graduação e Lato Sensu Especialização Médica. EDITAL COMPLEMENTAR PROCESSO SIMPLIFICADO ESPECIALIZAÇÃO 2015 Processo Seletivo Externo Simplificado / Pós-Graduação e Lato Sensu Especialização Médica. A SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE BELO HORIZONTE,

Leia mais

EMENTA: Regularidade da exigência de plantões em diversas áreas CONSULTA

EMENTA: Regularidade da exigência de plantões em diversas áreas CONSULTA CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO PARANÁ RUA VICTÓRIO VIEZZER. 84 - CAIXA POSTAL 2.208 - CEP 80810-340 - CURITIBA - PR FONE: (41) 3240-4000 - FAX: (41) 3240-4001 - SITE: www.crmpr.org.br - E-MAIL: protocolo@crmpr.org.br

Leia mais

Deliberação CEE-120, de 20-5-2013

Deliberação CEE-120, de 20-5-2013 44 São Paulo, 123 (94) Diário Oficial Poder Executivo - Seção I terça-feira, 21 de maio de 2013 Deliberação CEE-120, de 20-5-2013 Dispõe sobre pedidos de reconsideração e recursos referentes aos resultados

Leia mais

DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ

DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ EIXO 1 DIREITO À SAÚDE, GARANTIA DE ACESSO E ATENÇÃO DE QUALIDADE Prioritária 1: Manter o incentivo aos Programas do Núcleo Apoio da Saúde da Família

Leia mais

Alexandre Enzweiler, Gabriel de Almeida e Yvo Pitol 22/04/2013

Alexandre Enzweiler, Gabriel de Almeida e Yvo Pitol 22/04/2013 CIPA Comissão Interna de Prevenção de Acidentes NR-5 Alexandre Enzweiler, Gabriel de Almeida e Yvo Pitol 22/04/2013 Atribuições iniciais Criada em 1934 e regulamentada somente em 1978 juntamente com outras

Leia mais

Equipe da GCO: 1. Carlos Campana Gerente 2. Maria Helena 3. Sandro 4. Mariana

Equipe da GCO: 1. Carlos Campana Gerente 2. Maria Helena 3. Sandro 4. Mariana Gerência de Comunicação GCO tem por finalidade planejar, organizar, coordenar e controlar as atividades de comunicação e editoriais do Confea. Competências da GCO 1. Organizar e executar projetos editoriais:

Leia mais

OAB 2ª Fase Direito Constitucional Meta 4 Cristiano Lopes

OAB 2ª Fase Direito Constitucional Meta 4 Cristiano Lopes OAB ª Fase Direito Constitucional Meta Cristiano Lopes 0 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. META LEITURA OBRIGATÓRIA Legislação: CF, arts. ; Doutrina: Poder legislativo

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 2.031, DE 1999

PROJETO DE LEI Nº 2.031, DE 1999 COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI Nº 2.031, DE 1999 Dispõe sobre o atendimento obrigatório aos portadores da Doença de Alzheimer no Sistema Único de Saúde - SUS, e dá outras providências.

Leia mais

PL 64 BOLSA COMPLEMENTAR PARA O PROGRAMA MAIS MÉDICOS

PL 64 BOLSA COMPLEMENTAR PARA O PROGRAMA MAIS MÉDICOS PL 64 BOLSA COMPLEMENTAR PARA O PROGRAMA MAIS MÉDICOS Tendo como argumento aperfeiçoar ainda mais a prestação de serviços de saúde à população, o Executivo traz a esta Casa o Projeto de Lei 64/2014, que

Leia mais

EM BUSCA DE VOLUNTÁRIOS

EM BUSCA DE VOLUNTÁRIOS PUBLICAÇÃO MENSAL DIRIGIDA AOS CIRURGIÕES-DENTISTAS 01 FEVEREIRO/2012 Curitiba -Paraná EM BUSCA DE VOLUNTÁRIOS O Projeto Dentista do Bem, que proporciona atendimento odontológico para crianças carentes,

Leia mais

MPPA PARTICIPA DAS CONFERÊNCIAS DE POLITICAS PUBLICAS DE BELÉM E ANANINDEUA.

MPPA PARTICIPA DAS CONFERÊNCIAS DE POLITICAS PUBLICAS DE BELÉM E ANANINDEUA. MPPA PARTICIPA DAS CONFERÊNCIAS DE POLITICAS PUBLICAS DE BELÉM E ANANINDEUA. A promotora de justiça LUCINERY HELENA RESENDE DO NASCIMENTO participou das Conferências Municipais de Políticas para as Mulheres

Leia mais

Perguntas freqüentes Projeto Serviços e Cidadania

Perguntas freqüentes Projeto Serviços e Cidadania Perguntas freqüentes Projeto Serviços e Cidadania 1. Sobre o Projeto 1.1. O que é o Projeto Serviços e Cidadania? É um canal de serviços gratuitos que oferece apoio nas áreas de gestão, jurídica e comunicação

Leia mais

IT - 34 CREDENCIAMENTO DE EMPRESAS E RESPONSÁVEIS TÉCNICOS

IT - 34 CREDENCIAMENTO DE EMPRESAS E RESPONSÁVEIS TÉCNICOS IT - 34 CREDENCIAMENTO DE EMPRESAS E RESPONSÁVEIS TÉCNICOS SUMÁRIO APÊNDICES 1 - Objetivo A - Solicitação de Cadastro de Pessoa Jurídica 2 - Referências normativas B - Solicitação de Cadastro de Pessoa

Leia mais

PROJETO BÁSICO AGÊNCIA DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA

PROJETO BÁSICO AGÊNCIA DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA PROJETO BÁSICO AGÊNCIA DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA Projeto Básico da Contratação de Serviços: Constitui objeto do presente Projeto Básico a contratação de empresa especializada em serviços de comunicação

Leia mais

Conselho protesta contra prefeitura

Conselho protesta contra prefeitura Informativo Eletrônico da SE/CNS para os conselheiros nacionais Ano VI, Brasília, 08/04/2009. Prezado (a) conselheiro (a), Estamos encaminhando um clipping de notícias do CNS na mídia. A intenção é socializar

Leia mais

Leis Federais. LEI N o 10.861, DE 14 DE ABRIL DE 2004. Institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES e dá outras providências

Leis Federais. LEI N o 10.861, DE 14 DE ABRIL DE 2004. Institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES e dá outras providências LEI N o 10.861, DE 14 DE ABRIL DE 2004. Institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES e dá outras providências O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA EM ENFERMAGEM

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA EM ENFERMAGEM REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA EM ENFERMAGEM CAPÍTULO I Natureza, Finalidade, Sede e Foro Art. 1º - A Comissão Nacional de Residência em Enfermagem - CONARENF, criada pela Portaria

Leia mais

Processo Legislativo

Processo Legislativo Processo Legislativo Os Projetos de Lei Ordinária e de Lei Complementar são proposições que visam regular toda a matéria legislativa de competência da Câmara e devem ser submetidos à sanção do prefeito

Leia mais

DATA DE POSSE: 15 de outubro de 2012, com nomeação pela Presidenta Dilma Rousseff, publicada no D.O.U do dia 09.10.2012

DATA DE POSSE: 15 de outubro de 2012, com nomeação pela Presidenta Dilma Rousseff, publicada no D.O.U do dia 09.10.2012 TÂNIA REGINA SILVA RECKZIEGEL DESEMBARGADORA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO DATA DE POSSE: 15 de outubro de 2012, com nomeação pela Presidenta Dilma Rousseff, publicada no D.O.U

Leia mais

Por mais de três anos, a Comissão Estadual

Por mais de três anos, a Comissão Estadual Paralisação emblemática confronta planos de saúde Por mais de três anos, a Comissão Estadual de Honorários Médicos buscou negociação com o Bradesco Saúde. As tentativas, entretanto, não obtiveram êxito.

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO HOSPITAL SANTA HELENA

REGIMENTO INTERNO DO HOSPITAL SANTA HELENA 20//2013 1 REGIMENTO INTERNO DO HOSPITAL SANTA HELENA CAPÍTULO I Princípios e Objetivos ARTIGO 1 O regimento interno do corpo clínico visa disciplinar a constituição, ações, relações, avaliações e direção

Leia mais

Estado de Mato Grosso Prefeitura Municipal de Itanhangá CNPJ: 07.209.225/0001-00 Gestão 2013/2016

Estado de Mato Grosso Prefeitura Municipal de Itanhangá CNPJ: 07.209.225/0001-00 Gestão 2013/2016 LEI Nº 325/2013 Data: 04 de Novembro de 2013 SÚMULA: Dispõe sobre o Plano Municipal de Políticas Públicas Sobre Drogas, que tem por finalidade fortalecer e estruturar o COMAD como órgão legítimo para coordenar,

Leia mais

BANRISUL ARMAZÉNS GERAIS S.A. EDITAL DE CREDENCIAMENTO Nº 001/2007 Regida pela Lei nº 8.666/93 e suas alterações

BANRISUL ARMAZÉNS GERAIS S.A. EDITAL DE CREDENCIAMENTO Nº 001/2007 Regida pela Lei nº 8.666/93 e suas alterações BANRISUL ARMAZÉNS GERAIS S.A. EDITAL DE CREDENCIAMENTO Nº 001/2007 Regida pela Lei nº 8.666/93 e suas alterações A Banrisul Armazéns Gerais S.A., atendendo ao disposto nos arts. 13 e 25 II da lei nº 8.666/93,

Leia mais

ASSOCIAÇÃO AMIGOS DO MUSEU DE ARTE SACRA SAMAS. MANUAL DE RECURSOS HUMANOS DO MUSEU DE ARTE SACRA

ASSOCIAÇÃO AMIGOS DO MUSEU DE ARTE SACRA SAMAS. MANUAL DE RECURSOS HUMANOS DO MUSEU DE ARTE SACRA ASSOCIAÇÃO AMIGOS DO MUSEU DE ARTE SACRA SAMAS. MANUAL DE RECURSOS HUMANOS DO MUSEU DE ARTE SACRA I -FINALIDADE. Este Regulamento tem por finalidade apresentar os princípios básicos de pessoal que devem

Leia mais

Ofício nº 0110-08/DIR-CFP Brasília, 9 de junho de 2008. Assunto: Encaminhamentos da APAF acerca do tema Saúde Suplementar

Ofício nº 0110-08/DIR-CFP Brasília, 9 de junho de 2008. Assunto: Encaminhamentos da APAF acerca do tema Saúde Suplementar Ofício nº 0110-08/DIR-CFP Brasília, 9 de junho de 2008. Aos Senhores PRESIDENTES Conselho Regional de Psicologia Assunto: Encaminhamentos da APAF acerca do tema Saúde Suplementar Senhor Presidente, 1.

Leia mais

ANEXO I DO OBJETO. Descrição da Prestação de Serviços relacionados à CIRURGIA GERAL da FUSAM, compreendendo as seguintes funções:

ANEXO I DO OBJETO. Descrição da Prestação de Serviços relacionados à CIRURGIA GERAL da FUSAM, compreendendo as seguintes funções: ANEXO I DO OBJETO Descrição da Prestação de Serviços relacionados à CIRURGIA GERAL da FUSAM, compreendendo as seguintes funções: 1) Os serviços deverão ser prestados nas dependências da Fundação por profissionais

Leia mais

5.5.4 Para cada eleição deverá haver uma folha de votação que ficará arquivada na empresa por um período mínimo de 3 (três) anos.

5.5.4 Para cada eleição deverá haver uma folha de votação que ficará arquivada na empresa por um período mínimo de 3 (três) anos. NR 5 5.1 As empresas privadas e públicas e os órgãos governamentais que possuam empregados regidos pela ConsoIidação das Leis do Trabalho - CLT ficam obrigados a organizar e manter em funcionamento, por

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO ABERTA E A DISTÂNCIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO ABERTA E A DISTÂNCIA CHAMADA PÚBLICA PARA SELEÇÃO DE CURSISTAS DO CURSO DE EXTENSÃO: FORMAÇÃO CONTINUADA DE CONSELHEIROS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO EDITAL DE SELEÇÃO, INSCRIÇÃO E MATRÍCULA PARA CURSO DE EXTENSÃO - FORMAÇÃO CONTINUADA

Leia mais

A Lei 605/49, no artigo12, parágrafos 1º e 2º, dispõe sobre as formas de. Constituem motivos justificados:

A Lei 605/49, no artigo12, parágrafos 1º e 2º, dispõe sobre as formas de. Constituem motivos justificados: Abono de faltas e a acreditação na avaliação médica. A Lei 605/49, no artigo12, parágrafos 1º e 2º, dispõe sobre as formas de abono de faltas mediante atestado médico: Constituem motivos justificados:

Leia mais

Caro colega. Gustavo Moreno Frias Diretor de Saúde

Caro colega. Gustavo Moreno Frias Diretor de Saúde Caro colega Nesta Cartilha estão as principais perguntas sobre LER, CAT e Direitos, que os bancários fazem seja por telefone ou contato direto no local de trabalho. É um verdadeiro guia rápido e contou

Leia mais

ASSUNTO: Veiculação de anúncio de entidade filiada à associação de classe RELATOR: Cons. Roberto Luiz d Ávila

ASSUNTO: Veiculação de anúncio de entidade filiada à associação de classe RELATOR: Cons. Roberto Luiz d Ávila Imprimir PROCESSO-CONSULTA CFM nº 5.396/2001 PC/CFM/Nº 15/2002 INTERESSADO: CADE Conselho Administrativo de Defesa Econômica/MJ ASSUNTO: Veiculação de anúncio de entidade filiada à associação de classe

Leia mais

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA Quando da apresentação de protocolos, manual de normas e rotinas, procedimento operacional padrão (POP) e/ou outros documentos,

Leia mais

Companheiros e companheiras,

Companheiros e companheiras, Companheiros e companheiras, Utilizada sob o falso argumento de modernizar as relações de trabalho e garantir a especialização no serviço, a terceirização representa na realidade uma forma de reduzir o

Leia mais

Paraná, 5 de julho de 2012 Nota de Repúdio às propostas de LDO DA MORDAÇA & LEI DE INCENTIVO À CORRUPÇÃO O ex-presidente da República e atual

Paraná, 5 de julho de 2012 Nota de Repúdio às propostas de LDO DA MORDAÇA & LEI DE INCENTIVO À CORRUPÇÃO O ex-presidente da República e atual Paraná, 5 de julho de 2012 Nota de Repúdio às propostas de LDO DA MORDAÇA & LEI DE INCENTIVO À CORRUPÇÃO O ex-presidente da República e atual presidente da Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado

Leia mais

PROJETO BÁSICO AGÊNCIA DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA

PROJETO BÁSICO AGÊNCIA DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA PROJETO BÁSICO AGÊNCIA DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA Projeto Básico da Contratação de Serviços: Constitui objeto do presente Projeto Básico a contratação de empresa especializada em serviços de comunicação

Leia mais

PARECER CREMEB N 12/09 (Aprovado em Sessão da 1ª Câmara de 05/03/2009)

PARECER CREMEB N 12/09 (Aprovado em Sessão da 1ª Câmara de 05/03/2009) PARECER CREMEB N 12/09 (Aprovado em Sessão da 1ª Câmara de 05/03/2009) Consulta nº 159.756/08 Assuntos: - Filmagem em interior de UTI. - Legalidade de contratação de médicos plantonistas como pessoa jurídica.

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO (*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 04/12/2007. (*) Portaria / MEC n 1.151, publicada no Diário Oficial da União de 04/12/2007. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Leia mais

Art. 2º. Esta Lei Complementar entra em vigor na data de sua publicação. JUSTIFICATIVA

Art. 2º. Esta Lei Complementar entra em vigor na data de sua publicação. JUSTIFICATIVA PROJETO DE LEI DO SENADO Nº (COMPLEMENTAR) Altera o art. 66 da Lei Complementar nº 35, de 14 de março de 1979, que dispõe sobre a Lei Orgânica da Magistratura Nacional O Congresso Nacional decreta: Art.

Leia mais

Dpto. Jurídico do Direito Administrativo da ANSEF/RJ

Dpto. Jurídico do Direito Administrativo da ANSEF/RJ Dpto. Jurídico do Direito Administrativo da ANSEF/RJ É bom saber... LEI Nº 12.618, DE 30 DE ABRIL DE 2012. Institui o regime de previdência complementar para os servidores públicos federais titulares de

Leia mais

A data base dos Servidores da Prefeitura Municipal de Sapezal será sempre em 1º de maio

A data base dos Servidores da Prefeitura Municipal de Sapezal será sempre em 1º de maio S.I.M.S SINDICATO DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS SAPEZAL/MT PAUTA DE REIVINDICAÇÕES DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE SAPEZAL -20013 INTRODUÇÃO O Sindicato dos Servidores Municipais de Sapezal-SIMS/MT,

Leia mais

Atualização e Comprometimento. Cremers abre frentes de debate de temas relevantes à prática médica

Atualização e Comprometimento. Cremers abre frentes de debate de temas relevantes à prática médica IPE-SAÚDE Suspensas portarias e ordens de serviço (pág. 8) Publicação do Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul ano X nº 77 Outubro 2012 Atualização e Comprometimento Cremers abre frentes de

Leia mais

Corpo Clínico do Hospital e Maternidade São Francisco de Assis Regimento Interno

Corpo Clínico do Hospital e Maternidade São Francisco de Assis Regimento Interno Página1 Corpo Clínico do Hospital e Maternidade São Francisco de Assis Regimento Interno Título I Da definição Art. 1º - O Corpo Clínico do Hospital e Maternidade São Francisco de Assis é uma das entidades

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE CARIDADE SANTA CASA DO RIO GRANDE EDITAL PROCESSO SELETIVO 2015

ASSOCIAÇÃO DE CARIDADE SANTA CASA DO RIO GRANDE EDITAL PROCESSO SELETIVO 2015 ASSOCIAÇÃO DE CARIDADE SANTA CASA DO RIO GRANDE EDITAL PROCESSO SELETIVO 2015 A Comissão de Residência Médica da Associação de Caridade Santa Casa do Rio Grande (ACSCRG) torna público para o conhecimento

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO PROCESSO DE ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO. CAPÍTULO I Da Natureza

REGIMENTO INTERNO DO PROCESSO DE ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO. CAPÍTULO I Da Natureza REGIMENTO INTERNO DO PROCESSO DE ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO CAPÍTULO I Da Natureza Art. 1º O Plano Municipal de Educação é um plano global de toda a educação do Município de Caxias do Sul,

Leia mais

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 14 da Lei no 10.861, de 14 de abril de 2004, resolve:

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 14 da Lei no 10.861, de 14 de abril de 2004, resolve: >PORTARIA Nº 2.051, DE 9 DE JULHO DE 2004 Regulamenta os procedimentos de avaliação do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES), instituído na Lei no 10.861, de 14 de abril de 2004.

Leia mais

Em defesa da Saúde pública para todos

Em defesa da Saúde pública para todos Boletim Econômico Edição nº 57 março de 2015 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Em defesa da Saúde pública para todos 1 A saúde pública faz parte do sistema de Seguridade Social

Leia mais

ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO E DO ESPORTE - SEE UNIVERSIDADE ESTADUAL DE ALAGOAS - UNEAL CONSELHO SUPERIOR - CONSU

ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO E DO ESPORTE - SEE UNIVERSIDADE ESTADUAL DE ALAGOAS - UNEAL CONSELHO SUPERIOR - CONSU RELATÓRIO DAS DELIBERAÇÕES ACERCA DO III FORUNIVER DECISÕES DO CONSELHO SUPERIOR ACERCA DAS PROPOSTAS ORIUNDAS DO III FÓRUM UNIVERSITÁRIO, REALIZADO ENTRE 13 E 15 DE SETEMBRO DE 2011. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CORPO CLÍNICO

REGIMENTO INTERNO DO CORPO CLÍNICO REGIMENTO INTERNO DO CORPO CLÍNICO APRESENTAÇÃO A Casa de Saúde São José foi fundada em 1923 e tem como missão Servir à Vida, promovendo Saúde. É uma instituição filantrópica, sem fins lucrativos, católica,

Leia mais

COMISSÃO DE EDUCAÇÃO. PROJETO DE LEI N o 4.106, DE 2012 I RELATÓRIO

COMISSÃO DE EDUCAÇÃO. PROJETO DE LEI N o 4.106, DE 2012 I RELATÓRIO COMISSÃO DE EDUCAÇÃO PROJETO DE LEI N o 4.106, DE 2012 Regulamenta o exercício da profissão de Supervisor Educacional, e dá outras providências. Autor: Deputado ADEMIR CAMILO Relator: Deputado ARTUR BRUNO

Leia mais

RESOLUÇÃO PGE Nº 3743 18 DE MARÇO DE 2015.

RESOLUÇÃO PGE Nº 3743 18 DE MARÇO DE 2015. RESOLUÇÃO PGE Nº 3743 18 DE MARÇO DE 2015. ESTABELECE NORMAS SOBRE OS RELATÓRIOS DOS ÓRGÃOS LOCAIS E SETORIAIS DO SISTEMA JURÍDICO E REVOGA A RESOLUÇÃO PGE Nº 2.928, DE 16 DE FEVEREIRO DE 2011. A PROCURADORA-GERAL

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DE UNIMED JUIZ DE FORA CAP. I - DA COOPERATIVA

REGIMENTO INTERNO DE UNIMED JUIZ DE FORA CAP. I - DA COOPERATIVA REGIMENTO INTERNO DE UNIMED JUIZ DE FORA CAP. I - DA COOPERATIVA Art. 01: A união das singulares de um estado constitui uma Federação e, a união destas a Confederação, que constituem o SISTEMA DE SAÚDE

Leia mais

PARECER CREMEC N.º 06/2014 14/03/2014

PARECER CREMEC N.º 06/2014 14/03/2014 PARECER CREMEC N.º 06/2014 14/03/2014 PROCESSO-CONSULTA PROTOCOLO CREMEC Nº 6566/08 ASSUNTO: RESPONSABILIDADE MÉDICA PARECERISTA: CÂMARA TÉCNICA DE AUDITORIA DO CREMEC EMENTA O ato médico é responsabilidade

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA CENTRO DE REFERÊNCIAS TÉCNICAS EM PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS CONVERSANDO SOBRE A PSICOLOGIA E O SUAS

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA CENTRO DE REFERÊNCIAS TÉCNICAS EM PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS CONVERSANDO SOBRE A PSICOLOGIA E O SUAS 1. Categorias profissionais que já compõem o SUAS RS: - Psicólogo - Assistente Social - Advogado - Educador Social - Nutricionista - Pedagogo - Enfermeiro - Estagiários - Supervisores e Coordenação - Técnico

Leia mais

DISPONIBILIDADE OBSTÉTRICA Historico da cobranca do parto a paciente da rede suplementar MARIA INES DE MIRANDA LIMA

DISPONIBILIDADE OBSTÉTRICA Historico da cobranca do parto a paciente da rede suplementar MARIA INES DE MIRANDA LIMA DISPONIBILIDADE OBSTÉTRICA Historico da cobranca do parto a paciente da rede suplementar MARIA INES DE MIRANDA LIMA INTRODUÇÃO Serviço oferecido a gestante onde o obstetra fica a disposição durante o pré-natal

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 032, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2010. Estabelece normas e procedimentos para lotação, movimentação e remanejamento interno de

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 032, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2010. Estabelece normas e procedimentos para lotação, movimentação e remanejamento interno de INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 032, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2010. Estabelece normas e procedimentos para lotação, movimentação e remanejamento interno de servidores da Agência de Fiscalização do Distrito Federal

Leia mais

Evento acontece na cidade de Caxambu e começa nesta sexta (18)

Evento acontece na cidade de Caxambu e começa nesta sexta (18) https://www.educacao.mg.gov.br/imprensa/noticias/178 3-educacao-amplia-interlocucao-com-representantes- do-movimento-sindical Notícia veicula no site Portal da Educação em 17/02/11 Secretária Ana Lúcia

Leia mais

ATA DE REUNIÃO DO GRUPO DE EXCELÊNCIA DE ESTUDOS EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA [GEAP], DE 26 DE NOVEMBRO DE 2012, COM INÍCIO ÀS 20H00 E TÉRMINO ÀS 22H30.

ATA DE REUNIÃO DO GRUPO DE EXCELÊNCIA DE ESTUDOS EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA [GEAP], DE 26 DE NOVEMBRO DE 2012, COM INÍCIO ÀS 20H00 E TÉRMINO ÀS 22H30. ATA DE REUNIÃO DO GRUPO DE EXCELÊNCIA DE ESTUDOS EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA [GEAP], DE 26 DE NOVEMBRO DE 2012, COM INÍCIO ÀS 20H00 E TÉRMINO ÀS 22H30. Presentes:- Bruno Luis Lima de Carvalho, Murilo Lemos

Leia mais

PREFEITURA DO ALEGRETE-RS ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE GOVERNO DIVISÃO DE LEGISLAÇÃO

PREFEITURA DO ALEGRETE-RS ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE GOVERNO DIVISÃO DE LEGISLAÇÃO LEI Nº. 5.239, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2013. Autoriza o Poder Executivo a realizar Convênio de prestação de Serviços com a Irmandade da Santa Casa de Caridade de Alegrete. O PREFEITO MUNICIPAL Faz saber,

Leia mais

BANRISUL ARMAZÉNS GERAIS S.A. EDITAL DE CREDENCIAMENTO Nº 001/2014 Regida pela Lei nº 8.666/93 e suas alterações

BANRISUL ARMAZÉNS GERAIS S.A. EDITAL DE CREDENCIAMENTO Nº 001/2014 Regida pela Lei nº 8.666/93 e suas alterações BANRISUL ARMAZÉNS GERAIS S.A. EDITAL DE CREDENCIAMENTO Nº 001/2014 Regida pela Lei nº 8.666/93 e suas alterações A Banrisul Armazéns Gerais S.A., atendendo ao disposto nos arts. 13 e 25 II da lei nº 8.666/93,

Leia mais